10.07.2015 Views

PAPER-BELO-MONTE-DEZEMBRO

PAPER-BELO-MONTE-DEZEMBRO

PAPER-BELO-MONTE-DEZEMBRO

SHOW MORE
SHOW LESS

You also want an ePaper? Increase the reach of your titles

YUMPU automatically turns print PDFs into web optimized ePapers that Google loves.

ENERGIA LIMPA E SUSTENTÁVELEmpresa responsável pela construção e operação da Usina Hidrelétrica Belo Monte, a NorteEnergia S.A. contribui para o desenvolvimento econômico e social do País e da região doXingu (PA) com geração de energia limpa e renovável. O empreendimento em construção nomunicípio de Vitória do Xingu, no sudoeste do Pará, é um projeto moderno e totalmenteadequado aos princípios de sustentabilidade, viabilidade técnica e econômica, com baixoimpacto socioambiental e grande alcance social.Com potência instalada de 11.233,1 MW e 4.571 MW médios de garantia física, a UHE BeloMonte vai atender 18 milhões de residências, o equivalente a 60 milhões de pessoas, umapopulação proporcional à da França. A concessão da Usina (Nº 06/2009) foi leiloada pelaAgência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em abril de 2010. A Norte Energia vai explorar oempreendimento até agosto de 2045 (por 35 anos).Com operação em regime a fio d’água, Belo Monte terá reservatórios de 478 km², dos quais274 km² (57%) correspondem ao leito original do rio Xingu no período de cheia. Emcomparação com o projeto original, a área de inundação foi reduzida em 61%. A relação deárea alagada por MW instalado é 0,04 km², uma das menores do mundo.A energia gerada pelas duas casas de força do empreendimento – a Principal, no Sítio BeloMonte (11.000 MW de potência instalada), e a Complementar, no Sítio Pimental (233,1 MW) –será destinada ao Sistema Interligado Nacional (SIN) através de cinco linhas de transmissão de500 kV com cerca de 13 quilômetros cada. Estas linhas vão interligar o Sítio Belo Monte àSubestação Xingu, que se conectará às regiões Norte e Nordeste por linhas de transmissão de500 kV, e ao Sudeste, por uma linha de corrente contínua de cerca de 2,1 mil quilômetros entreo Pará e Minas Gerais. Esta será a primeira linha em corrente contínua da América Latina aoperar na tensão de 800 kV, o que reduz as perdas de energia durante a transmissão.A maior parcela (70%) da energia produzida por Belo Monte foi comercializada no Ambiente deContratação Regulada (ACR) para 27 distribuidoras que atuam no mercado cativo de 17estados (residências, comércio e serviços e grande parcela da indústria). Outros 10% seguirãopara empresas autoprodutoras (APE), sócias da Norte Energia, e 20%, para o mercado livre(Ambiente de Contratação Livre, ACL).11.233,1 MW – capacidade instalada4.571 MW médios – garantia física de energia de 41% da capacidade instalada)Energia para 18 milhões de residências (equivalente a 60 milhões de pessoas)3


MARCOS DA OBRA20101º de fevereiro – O Ibama concede a Licença Prévia da UHE Belo Monte.20 de abril – A Aneel realiza o leilão da concessão da Usina.21 de julho – Constituição da empresa Norte Energia S.A.26 de agosto – Assinatura do contrato de concessão.201126 de janeiro - Ibama concede Licença de Instalação para os canteiros.9 de fevereiro - Assinatura de contratos para fornecimento dos equipamentos principais.18 de fevereiro – Assinatura de contrato para realização das obras civis.1º de junho - Ibama concede a Licença de Instalação do empreendimento.23 de junho – Início da instalação do canteiro de obras do Sítio Belo Monte.201211 de maio – Aprovações dos Ensaios de Modelo Reduzido das turbinas do Sítio Pimental.22 de junho – Aprovações dos Ensaios de Modelo Reduzido das turbinas do Sítio Belo Monte.18 de dezembro – Assinatura do Contrato de Financiamento de Longo Prazo com BNDES.201315 de janeiro – Inauguração do Sistema de Transposição de Embarcações, no Sitio Pimental.31 de janeiro – Desvio do Xingu - 1ª Fase (até Ilhas Marciana e da Serra).13 de fevereiro – Início da concretagem da Casa de Força do Sítio Pimental.15 de abril – Início da concretagem da Casa de Força Principal, no Sítio Belo Monte.18 de junho – Início da montagem eletromecânica da Casa de Força do Sítio Belo Monte.22 de junho – Aprovações dos Ensaios de Modelo Reduzido das turbinas do Sítio Belo Monte.2 de agosto – Licença de Operação da Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Pará para a Estaçãode Transbordo de Cargas (ETC).26 de setembro – Início da montagem eletromecânica na Casa de Força do Sítio Pimental.Dezembro – Conclusão do Travessão 27 da Rodovia Transamazônica.201413 de fevereiro – Assinatura do contrato de montagem eletromecânica da Usina.19 de maio – Início das obras do Sistema de Transmissão Restrito.10 de junho – Início da operação da Ponte Rolante e descida do pré-distribuidor da UG 1 da Casa deForça do Sítio Belo Monte.29 de julho – Início da montagem das comportas do vertedouro do Sítio Pimental.Julho – Conclusão do concreto rolado da Tomada d’água no Sítio Belo Monte.4 de setembro – Descida do pré-distribuidor da UG 2 da Casa de Força do Sítio Belo Monte.9 de setembro – Início da montagem da turbina da UG 1 do Sítio Pimental.15 de Setembro – conclusão do acesso ao muro lateral esquerdo e Tomada D’água pela barragem dofechamento esquerdo na elevação 100 no sítio Belo Monte.24 de setembro – Atingimento da cota 100 na Tomada D’água do Sítio Belo Monte.6 de novembro – Concluída a concretagem dos pilares do vertedouro do Sítio Pimental.25 de novembro – Expedição da roda da turbina da UG 1 do Sítio Belo Monte.4


NÚMEROS DA UHE <strong>BELO</strong> <strong>MONTE</strong>11.233,1 MW – potência total instalada4.571 MW médios – garantia física35 anos – prazo da concessão da Norte Energia (a partir de 26/08/2010)478 km² – área do reservatório (274 km² no leito original do rio Xingu - 57%)61% – redução do tamanho do reservatório em relação ao projeto original97 metros – nível d’água normal no reservatório principal90 metros – desnível natural do rio ao longo da Volta Grande do Xingu2 casas de força – Belo Monte (principal) e Pimental (complementar)(52% é a média de produção das Usinas Brasileiras)SÍTIO <strong>BELO</strong> <strong>MONTE</strong>11 mil MW – potência instalada4.419 MW médios – garantia física18 turbinas (tipo Francis)611,11 MW – potência unitária das turbinasCANAL DE DERIVAÇÃO20 km de extensão25 metros de profundidade210 metros de largura na base300 metros de largura na superfícieBARRAGENS SÍTIO <strong>BELO</strong> <strong>MONTE</strong>Barragem de Fechamento Direito790 metros de comprimento da crista e 5,9milhões de m³ de aterroBarragem de Fechamento Esquerdo1.085 metros de comprimento da crista e 1,4milhão de m³ de aterroBarragem da Vertente do Santo Antônio1.310 metros de comprimento da crista e 8,1milhões de m³ de aterroSÍTIO PIMENTAL233 MW – potência instalada152,1 MW médios – garantia física6 turbinas (tipo Bulbo)38,8 MW – potência unitária das turbinasDIQUES28 diques27 milhões de m³ – volume total do aterro68 metros – maior altura(equivale a um prédio de 22 andares)BARRAGENS DO SÍTIO PIMENTALBarragem de Terra Lateral Esquerda5.100 metros de comprimento da crista e 3,4milhões de m³ de aterroBarragem do Canal Direito e Ilha da Serra1.100 metros de comprimento da crista e 1milhão de m³ de aterroINVESTIMENTOSTotal – R$ 25,8 bilhões (data–base Abril/2010)Ações compensatórias – R$ 3,7 bilhões (inclui R$ 500 milhões do PDRS–X)5


6DNI STARGARDU 2012Jeszcze na dobre nie rozwieje siê unikalny klimat ulicy Magicznej, a rozpocznie siê zasadnicza czêœæ tegorocznych obchodów Œwiêta Miasta. Tradycyjnieju¿ program zosta³ podzielony na trzy bloki - koncertowy, sportowy i historyczny.Dzieñ koncertowy odbêdzie siê w godzinachwieczornych w pi¹tek 22 czerwca w Amfiteatrze.Na scenie Amfiteatru pojawi siê najpierw jedenz laureatów Stargardzkiego Przegl¹du Zespo³ówRockowych. Tegorocznym suportemprzed wystêpem gwiazd bêdzie grupa CHILLA.Po niej na scenie pojawi¹ siê zespo³y REZER-WAT i WILKI. Organizatorem dnia koncertowegojest SCK.CHILLA gra od 2008r. Muzyka zespo³ujest z pogranicza bluesa i rocka. Stargardzk¹ grupêtworz¹: Maro Marek Ziembicki (wok.), BartekZiembicki (perk.), Piotrek Odziemkowski (git.),P¹czek Dawid Pelc (bas), Adam Kamiñski (git.).REZERWAT najwiêksze sukcesy notowa³w latach 80. poprzedniego wieku. W tym rokuobchodzi jubileusz 30-lecia istnienia. £ódzkakapela znana jest z takich przebojów jak: "Obserwator","Zaopiekuj siê mn¹'', "Parasolki" czy,,Kocha Ciebie niebo". Liderem grupy jest AndrzejAdamiak - kompozytor, autor tekstów, producent,wokalista i basista. Zespó³ ma na swoimkoncie ponad milion sprzedanych p³yt i tyle samosk³adanek ze swoimi utworami. Najnowsza p³ytagrupy nosi nazwê "Dotykaj" i zbiera bardzodobre oceny recenzentów.WILKI - s¹ niew¹tpliwie najwiêksz¹gwiazd¹ tegorocznych Dni Stargardu. Ich prze-boje od dwudziestu lat œpiewa ca³a Polska. "Sonof the Blue Sky", "Aborygen", "Baœka", "Urke"czy "Eli lama sabachtani" to tylko u³amek d³ugiejlisty szlagierów stworzonych przez zespó³.Absolutnym liderem formacji jest Robert Gawliñski,o charakterystycznym, melodyjnym g³osie,który karierê zaczyna³ jeszcze w latach 80.w grupie MADAME. W zesz³ym roku, po pó³torarocznejprzerwie WILKI wróci³y na scenê wmocno odœwie¿onym sk³adzie. Trzon grupytworz¹ Robert Gawliñski, Mikis Cupas i HubertGasiul oraz nowy basista - Staszek Wróbel i gitarzystaMaciek G³adysz. W tym roku obchodz¹jubileusz 20-lecia.Na sportowo z Cargotec"Dzieñ Sportu z Firm¹ Cargotec" to has³o ods³onyDni Stargardu, która nast¹pi 23 czerwca na terenieca³ego miasta. Harmonogram imprez zapowiada siêprzebogato. Zawody, turnieje, prezentacje odbywaæsiê bêd¹ na ul. Szczeciñskiej, w hali OSiR przy PierwszejBrygady, p³ywalni, a tak¿e stadionie pi³karskimprzy ul. Ceglanej. Koordynatorem przedsiêwziêciajest M³odzie¿owy Oœrodek Sportowy przy wspó³pracyz OSiR Stargard. Walczyæ bêd¹ koszykarze,biegacze, siatkarze, pi³karze, p³ywacy, tenisiœci, zapaœnicy,karatecy i rolkarze. Swoje musku³y zaprezen-tuj¹ mi³oœnicy si³owni, a motocykle, wielbiciele dwóchkó³ek. Strzelanie? Czemu nie! Paintballowcy bêd¹strzelaæ z kulek wype³nionych kolorow¹ farb¹. Niezabraknie równie¿ piêknych dziewcz¹t - tych æwicz¹cychfitness oraz walcz¹cych o tytu³ Miss Miedwia.Na scenie przy siedzibie OSiR przy Szczeciñskiej 35od 16.00 rozpocznie siê muzyczna sjesta. Wyst¹pi¹zespo³y The Band Stargard oraz Tabu-Reggae Band.Punktem kulminacyjnym tego dnia bêdzie VI MiêdzynarodowyBieg o "B³êkitn¹ Wstêgê Stargardu".Po nim tradycyjny pokaz sztucznych ogni.WielkiehistoryczneobozowiskoTadeusz SurmaW niedzielê 24 czerwca w Parku Zamkowym zabrzmiostatni akord Dni Stargardu 2012. Dzieñ historycznyzorganizowany przez Stargardzkie CentrumKultury. Tegoroczny festyn nosi nazwê "W goœcinie uPiastowskiego Ksiêcia". W sk³ad scenografii wchodzisiedem obozów - dwór piastowskiego ksiêcia, osadawojów z czasów Boles³awa Chrobrego, stanowiskoœredniowiecznej kuchni, osada rzemieœlników, obozowiskorycerstwa XIII-wiecznego, obóz konnych orazobóz XVII-wiecznej szlachty. Pod koniec festynu zaprezentowanezostanie widowisko "W œwiecie StarejBaœni". Bêdzie to magiczna podró¿ w œwiat obrzêdowoœcidawnych S³owian zwi¹zana z noc¹ œwiêtojañsk¹.Wszystko przy dŸwiêkach zespo³u muzyki dawnej.Zanim jednak to nast¹pi odbêdzie siê parada rycerska,pokazy ptaków drapie¿nych i walk rycerskich, atak¿e prezentacja dawnych rzemios³. Teatr "Trójk¹t" zZielonej Góry zaprezentuje spektakl uliczny w konwencjiœredniowiecznego widowiska jarmarcznego"Dawno, dawno temu". Sztuka zawiera elementy interakcjiz widzami, muzykê na ¿ywo (lira korbowa, mandola,flet, drumla), œredniowieczne kostiumy. Pojawi¹siê te¿ smoki, o¿yj¹ lalki, a wokó³ nie zabraknie kuglarzy.Dzieñ historyczny potrwa od 12:00 do 22:00.(RuM)s.6ZMIENIAMY STARGARD - Stargardzki Informator Samorz¹dowy - nr 6/2012


OBRAS CIVIS67% das obras civis da UHE Belo Monte estão concluídasAs obras civis da Usina Hidrelétrica Belo Monte chegaram a 67% de conclusão no final denovembro. O volume de concreto utilizado alcançou 1.855.749 m³; o de cimento, 359.748toneladas; e o de aço, 68.193 toneladas até o final do mês de outubro. Até 2019, quandoentrará em operação a última das 24 turbinas da Usina Hidrelétrica Belo Monte, terão sidoaplicados mais de 3 milhões de m³ de concreto.Todas as turbinas da UHE Belo Monte estarão operando em janeiro de 2019.Outras informações• Mais de 20 mil trabalhadores contratados (novembro/2014). 51% originários do Pará.• 14.950 trabalhadores atendidos pelo Programa Capacitar para Crescer.• Mais de 2.300 casas construídas para trabalhadores na Vila Residencial Belo Monte.Transporte da roda da turbina da 1ªunidade geradoraA maior peça das turbinas de geração da Usina Hidrelétrica Belo Monte está a caminho de Vitória doXingu (PA). Com 320 toneladas, a roda da turbina Francis da Unidade Geradora 1 do Sítio Belo Monte(Casa de Força Principal) saiu de Taubaté (SP) no dia 25 de novembro em um caminhão especial com32 eixos e 256 pneus. A previsão de chega é de 90 dias no sítio Belo Monte. Foto: Arquivo/Alstom.OBRAS CONDICIONANTES7


OBRAS CONDICIONANTESInvestimentos superam R$ 1,9 bilhão na região do XinguA Norte Energia já destinou mais de R$ 1,9 bilhão para ações socioambientais nos municípiosdas áreas de Influência Direta (AID) e Indireta (AII) da Usina Hidrelétrica Belo Monte. Comoparte do Projeto Básico Ambiental (PBA) são desenvolvidos 117 projetos de cunho ambiental,econômico, social e cultural desenvolvidos nos cinco municípios da Área de Influência Direta.Os recursos contemplam projetos do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu(PDRS–X), do plano que atendeu às comunidades indígenas entre 2010 e 2012 e o ProjetoBásico Ambiental do Componente Indígena (PBA-CI). O valor também inclui acordos com oGoverno do Pará, o Ministério da Pesca e Aquicultura e outras entidades e órgãos públicos.ATENDIMENTOS A MUNICÍPIOS E ENTIDADES*Área de Influência Direta da UHE Belo MonteAltamira R$ 980.950.426Anapu R$ 41.577.420Brasil novo R$ 33.002.820Senador José Porfírio R$ 27.897.579Vitória do Xingu R$ 122.551.640Área de Influência Indireta da UHE Belo MonteGurupá R$ 4.026.495Medicilância R$ 5.359.587Pacajá R$ 9.374.633Placas R$ 6.371.386Porto de Moz R$ 4.337.717Uruará R$ 4.828.080Total R$ 1.240.277.782*Até 29/10/2014. Fonte: Norte Energia9


SAÚDE27 unidades de saúde para atender a região do XinguA Norte Energia reforça e qualifica a estrutura da rede de saúde pública na região do Xingucom obras do Projeto Básico Ambiental (PBA) da UHE Belo Monte e do Plano deDesenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRS-X). A Empresa já construiu e equipou27 Unidades Básicas de Saúde. Em novembro, foi entregue o hospital da Vila Residencial BeloMonte, em Vitória do Xingu. Outros dois hospitais estão em fase final em construção, emAltamira e Anapu. Em dezembro começarão as obras do Hospital de Vitória do Xingu.Rede hospitalarHospital em Altamira - A Norte Energia está construindo em Altamira um moderno hospitalcom 100 leitos para atendimentos de baixa e média complexidade. As obras do Hospital Geral,no Bairro Mutirão, começaram no final de abril de 2013 e devem ser concluídas em dezembrode 2014. O hospital, que será equipado pela Norte Energia, é resultado de acordo entre aEmpresa, a Secretaria de Saúde do Pará e a Prefeitura Municipal de Altamira. Quando estiverconcluído, a Norte Energia dará início à reforma do Hospital Municipal São Rafael, hoje com 98leitos, que será transformado em um Hospital Materno-Infantil.Hospital de Anapu: Construção do novo hospital para 32 leitos. Em andamento desdesetembro de 2013, com entrega prevista para dezembro de 2014.Hospital de Vitória do Xingu: Construção do novo hospital com 32 leitos, cujo início estáprevisto para dezembro de 2014 e conclusão prevista para outubro de 2015.Hospital da Vila dos Trabalhadores do CCBM (Vitória do Xingu): Concluído em outubro eentregue em novembro de 2014.Hospital de Uruará – Reformado e entregue. Recurso financeiro do Plano de DesenvolvimentoRegional Sustentável do Xingu (PDRS-X).Hospital de Placas - Em reforma. Recurso do Plano de Desenvolvimento RegionalSustentável do Xingu (PDRS-X).Hospital Regional da Transamazônica – A Norte Energia doou equipamentos para qualificaro atendimento do hospital, que possui 100 leitos e atende casos de média e alta complexidade.Curso de Medicina – A Norte Energia apoia o curso de Medicina no Campus de Altamira daUniversidade Federal do Pará (UFPA), que iniciará a formação de médicos a partir de 2015. Oconvênio é parte do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRS-X).10


Rede básica de saúdeUnidades Básicas de Saúde (UBS) – Construção e equipagem de 27 Unidades nos cincomunicípios da Área de Influência Direta e construção de uma UBS com recursos do Ministérioda Saúde e equipada pela Norte Energia. Estão em construção mais três Unidades nas áreasdos cinco novos bairros de Altamira, com previsão de entrega, inteiramente equipadas, no finaldo primeiro semestre de 2015. Esta ação é realizada em parceria com a Prefeitura de Altamira.Malária - Redução de 90,9 % dos casos em Altamira, Anapu, Brasil Novo, Pacajá, SenadorJosé Porfírio e Vitória do Xingu na comparação entre os dez primeiros meses de 2014 (838casos) com o mesmo período de 2011 (9.211). Os municípios são atendidos pelo Plano deAção para Controle da Malária, do PBA da UHE Belo Monte, realizado em conjunto com oMinistério da Saúde, Secretaria de Saúde do Pará e as prefeituras.Doações para as Secretarias Municipais de Saúde11 Ambulâncias; 4 Ambulanchas; e 4 Odontomóveis.Apoio às prefeituras da Área de Influência Direta da UHE Belo MonteTermos de cooperação firmados pela Norte Energia fortalecem a assistência à saúde nosmunicípios da Área de Influência Direta da UHE Belo Monte. Os recursos repassados sãodestinados a ações como compra de medicamentos e material médico-hospitalar e contrataçãode 11 equipes de Saúde da Família (8 em Altamira, 2 em Vitória do Xingu e uma em Anapu).RECURSOS REPASSADOS AOS MUNICÍPIOS (em R$)*MunicípioIncentivo àsaúdeTraumatoortopediaEquipes desaúdeEmergênciahospitalarTotalAltamira 5.400.000,00 2.040.000,00 3.300.000,00 917.424,00 11.657,424,00Anapu 1.520.000,00 0,00 630.000,00 0,00 2.150.000,00Brasil Novo 1.600.000,00 0,00 0,00 0,00 1.600.000,00Senador JoséPorfírio1.216.000,00 0,00 0,00 0,00 1.216.000,00Vitória do Xingu 840.000,00 0,00 1.740.000,00 0,00 2.580.000,00Total 10.576.000,00 2.040.000,00 5.670.000,00 917.424,00 19.203.424, 00* Até outubro de 2014. Fonte: Norte Energia11


EDUCAÇÃO21.460 alunos beneficiados na Área de Influência DiretaA Norte Energia reforça a estrutura de educação nos municípios da Área de Influência Diretada UHE Belo Monte. Como parte do Projeto Básico Ambiental (PBA) do empreendimento, aEmpresa já concluiu 52 obras de educação. As obras somam 266 salas de aulas construídasou reformadas e outras 102 ampliadas, em um total de 368, beneficiando diretamente 21.460alunos. As unidades de educação contam com refeitórios, banheiros, salas de leitura,laboratórios de informática e salas de apoio aos professores. As quadras cobertaspoliesportivas também são um importante espaço de esportes e lazer que beneficiam acomunidade escolar da região.Principais ações• 52 obras de educação concluídas.• 5 escolas com obras em andamento.• 3 escolas em fase de contratação.• 14 escolas em elaboração de projeto.• 266 salas construídas, ampliadas e/ou reformadas.• 21.460 alunos beneficiados.Escola Arthur Teixeira, obra realizada pela Norte Energia em Altamira. Foto: Jaime Souzza/Norte Energia.12


SANEAMENTO BÁSICOObras de água e esgoto em Altamira em fase conclusãoAltamira contará com oito novos reservatórios de água potável. Foto: Regina Santos.Mais de 96% das redes de água e esgoto concluídas em AltamiraA Norte Energia já contratou mais de R$ 485 milhões em projetos de saneamento básico(esgoto e água potável) para qualificar os serviços e melhorar a qualidade de vida dapopulação nos municípios da Área de Influência Direta da UHE Belo Monte. Em Altamira serãoinstalados 220 quilômetros de redes de esgoto e 170 quilômetros de redes de água potável.São mais de 32 frentes de trabalho e 96% dos trabalhos concluídos. Na área urbana de Vitóriado Xingu, a Empresa já concluiu a implantação de 30 quilômetros de rede de esgoto e 12,5quilômetros de rede de drenagem de águas pluviais.Principais ações• Mais de R$ 485 milhões já investidos nas cidades da região.• 8 reservatórios de água potável em Altamira. Três prontos e em fase de testes operacionais.• Conclusão das obras de drenagem (320 metros) e de esgoto sanitário (4,3 quilômetros) nodistrito de Belo Monte do Pontal, em Anapu.• Conclusão das obras de drenagem (220 metros) e esgoto sanitário (2,3 quilômetros) nodistrito de Belo Monte, em Vitória do Xingu.• Conclusão da implantação de 11,6 quilômetros de rede de água na sede de Vitória do Xingu.• Conclusão da implantação de 9,8 quilômetros de rede de esgoto e 5,6 quilômetros dedrenagem pluvial, 12,8 quilômetros da rede de água tratada, 5,8 quilômetros depavimentação no distrito de Leonardo d’Vinci, em Vitória do Xingu• Construção de aterros sanitários em Vitória do Xingu e Altamira, que já estão em operação.13


HABITAÇÃOMais de 1.200 famílias já moram nos novos bairros de AltamiraMais de 1.200 famílias já residem no Jatobá, no São Joaquim e em Casa Nova, três dos cinconovos bairros que a Norte Energia constrói em Altamira para receber moradores que vivem emáreas historicamente alagadas pelo Rio Xingu e nos igarapés que cortam a cidade. A Empresatambém começou a desenvolver o projeto de implantação de um novo bairro na cidade,denominado Pedral. Os seis bairros beneficiarão aproximadamente 4.600 famílias.As casas dos novos bairros, de 63 m², são construídas em terrenos com área mínima de 300m² e seguem normas rígidas de segurança e qualidade, primando pelo conforto e facilidade demanutenção. O padrão adotado assegura temperatura no interior da residência inferior a domeio externo. Os novos bairros contam com infraestrutura completa – saneamento, rede deágua potável, energia elétrica, iluminação pública, ruas asfaltadas, calçadas especiais paraportadores de deficiência, escolas, unidades de saúde, recolhimento de lixo e transporteescolar gratuito para filhos de moradores que estudam da rede pública.Milésima família nos novos bairros de AltamiraA milésima mudança para os novos bairros de Altamira foi feita no dia 10 de novembro. Achave da casa 1.000 foi entregue no bairro Jatobá ao casal de pescadores Luzia Ernestinade Assunção, a dona Neta, 58 anos, e José Ademir da Silva, 59 anos, que há seis anosmoravam numa palafita no Beco do Pó, na Rua da Peixaria, no bairro Colina do Forte,região do igarapé Ambé, área historicamente alagadas pelas cheias do Xingu. Com o casaltambém se mudaram quatro filhos. Agora, as famílias, no total de 25 pessoas, que residiamem uma construção de 66,2 metros quadrados, vão morar em cinco casas de 63 metrosquadrados. Foto: Norte Energia.14


SEGURANÇA PÚBLICAR$ 95 milhões para reforçar as ações na região do XinguA Norte Energia já destinou mais de R$ 95 milhões para projetos e ações que fortalecem asegurança pública na região do Xingu. As ações estão previstas no Termo de CooperaçãoTécnica e Financeira firmado com o Governo do Pará em maio de 2011, que foi aditado emmaio de 2013 para mais dois anos. No total serão mais de R$ 115 milhões destinados a obrase aquisições, que incluem a compra e aluguel de equipamentos e aquisição de materiais, comocaminhonetes, motocicletas, guinchos, ônibus, lanchas, sistemas de rádio e de vídeomonitoramento, algemas e coletes à prova de bala. Entre esses investimentos está a comprade um helicóptero (R$ 35 milhões) que será doado ao poder público.Principais ações• Locação de 50 veículos novos para a Secretaria de Segurança Pública do Pará (Segup) paraatender os 11 municípios da região de Belo Monte.• Compra de helicóptero para uso da Polícia Militar do Pará.• Reforma do alojamento do 16º Batalhão da Polícia Militar de Altamira (R$ 500 mil).• Construção do Complexo Penitenciário em Vitória do Xingu (obra no valor de R$ 25 milhõescom previsão de entrega em novembro de 2015).• Conclusão do prédio provisório do Instituto Médico Legal (IML) de Altamira (R$ 172 mil).• Ampliação e reforma do prédio da seccional da Polícia Civil de Altamira (R$ 1,6 milhão, comPrevisão de entrega em abril de 2015).• Conclusão da Unidade Integrada de Segurança Pública (Propaz) de Brasil Novo (R$ 850 mil,por meio do PDRS-X).• Construção de hangar para helicóptero no aeroporto de Altamira.• Construção de Unidade de Internação em Altamira.• Construção da Unidade Integrada Propaz de Vitória do Xingu (R$ 1,145 milhão, com recursosdo PDRS-X e do convênio com a Segup). Previsão de entrega em agosto/2015.• Apoio à contratação de agentes de trânsito e treinamento de guardas municipais em Altamira.• Construção de Núcleo Integrado da Segup com serviço de identificação em Altamira.• Entrega de duas lanchas de patrulha de 30 pés (R$ 700 mil) para operações no rio Xingu e dedois micro-ônibus (R$ 550 mil) para transporte de tropas da Polícia Militar em Altamira.• Compra de um caminhão de abastecimento para Altamira. (R$ 490 mil).• Implantação do Sistema de Monitoramento por meio de vídeo para Altamira com 60 câmerasmóveis e fixas. Previsão de operação a partir de janeiro de 2015.15


AÇÕES SOCIOAMBIENTAIS3,9 mil atendimentos a famílias em situações de vulnerabilidade socialComo parte do Projeto Básico Ambiental da UHE Belo Monte, a Norte Energia desenvolve umasérie de ações em áreas de assistência social, capacitação, educação ambiental, assistênciatécnica, preservação do patrimônio. Em Altamira e Vitória do Xingu destacam-se os serviços doNúcleo de Atendimento Social e Psicológico às Comunidades Interferidas e ao Migrante. Osserviços são prestados por equipes técnicas qualificadas que têm em seus quadrosprofissionais locais e da região como assistentes sociais, pedagogos, psicólogos, entre outros.A equipe técnica realiza busca ativa por meio de visitas domiciliares às famílias ecomunidades. São realizados atendimento e acompanhamento de famílias e migrantes emsituação de vulnerabilidade social, ou risco pessoal. Desde a implantação do projeto, foramvisitadas mais de 6 mil famílias, com 3.939 atendimentos a situações de vulnerabilidade.Principais ações• Núcleos de Educação Ambiental do Xingu (Nucleax) em funcionamento nos bairros Jatobá eSão Joaquim, com 476 atividades realizadas e 2.402 pessoas envolvidas.• 52 escolas concluídas nos cinco municípios de área de influência direta da UHE Belo Monte.• Transporte escolar gratuito para 778 estudantes dos novos bairros de Altamira.• Parceira com Embrapa e Emater-PA para estruturar produção de pequenos produtores rurais.• Parceria com a Fiepa para estimular o empreendedorismo, capacitar fornecedores eestruturar o desenvolvimento da economia local, totalizando 1.107 pessoas capacitadas.• Convênio com o Ministério Público Estadual no projeto “Reconhecimento da Paternidade”,com a realização de 1.135 atendimentos e 368 reconhecimentos de paternidade.Galpão de Oportunidades – Em novembro, em Altamira, foram entregues certificações a267 formandos de 13 cursos do Galpão de Oportunidades, ação do PBA da UHE BeloMonte. O Galpão de Oportunidades é uma parceira da Norte Energia com a Federação dasIndústrias do Estado do Pará (Fiepa). Foto: Jaime Souzza/Fiepa.16


Resgate da Flora• 404 espécies de 51 famílias botânicas catalogadas;• 77.577 mudas produzidas para recuperação de áreas degradadas e humanização decanteiros;• 15.000 novas mudas em produção;• 3.059.850 ementes e propágulos resgatados nas frentes de supressão e áreas de coletademarcadas;• 13.436 exsicatas produzidas para fins científicos e enviadas a instituições de ensino epesquisa;• 145.807 espécimes de plantas e plântulas resgatadas, das quais 98,2% foram reintroduzidosna natureza e 1,8% direcionadas para monitoramento.Resgate da Fauna e Ictiofauna• 162.575 animais resgatados desde o início das obras, incluindo as atividades de supressãonas áreas dos canteiros, dos reservatórios e das LTs 230 Kv e 500 Kv. A maioria é de anfíbios(75.212, ou 46,26%), seguida pelos répteis (73.285, ou 45,08%), mamíferos (13.229, ou 8,14%)e aves (849, ou 0,52%);• Dos animais resgatados, 151.976 (93,48%) foram encaminhados para as áreas de soltura eos demais (6,52%) foram doados a instituições científicas, ou residem no Centro de EstudosAmbientais (CEA);• Resgate de 143.172,35 quilos de peixes durante atividades realizadas pelas equipes daIctiofauna desde o início das obras, nos quatro sítios construtivos.Monitoramento de Ictiofauna• 401 peixes das espécies pacu-de-seringa (55), curimatá (153), pirarara (121), surubim (62) efilhote/piraíba (10) são monitorados por sistemas de telemetria acústica e rádio para estudos deaspectos como migração antes e depois da construção da UHE Belo Monte. Os receptores dasoito zonas de telemetria registraram 3.139.544 de detecções válidas (acústica: 2.927.987;rádio: 211.557).Preservação de quelônios• Monitoramento de 10 tartarugas-da-Amazônia (Podocnemis expansa) na região do Tabuleirodo Embaubal e 10 tracajás (Podocnemis unifilis) à jusante e à montante do barramento doPimental, por sistema de radiotelemetria via satélite.Monitoramento da fauna terrestre• Ocorrência de 58 espécies de abelhas, o que equivale a 90% do total de espécies registradasna Amazônia brasileira até 2005. É um dos maiores registros observados em um único estudo.• Registro de novas espécies de pequenos roedores pertencentes aos gêneros Neacomys eOecomys e do morcego Nyctinomops sp., em fase de estudos complementares.18


Museu Emílio Goeldi recebe 2.800 amostras de fósseisO acervo paleontológico do Museu Paraense Emílio Goeldi ganhou um reforço expressivo coma entrega de aproximadamente 2.800 amostras coletadas nas áreas onde ficarão os doisreservatórios da Usina Hidrelétrica Belo Monte. O trabalho desenvolvido nos últimos três anospela Norte Energia inclui fósseis raros e alguns ainda não identificados pela Ciência. O materialchegou à instituição, em Belém, no dia 19/11.O superintendente dos Meios Físico e Biótico da Norte Energia, Gilberto Veronese, define adoação como um avanço importante para os estudos de Paleontologia na Amazônia. “BeloMonte é uma usina que gera conhecimento”, ressalta. Pela primeira vez no Pará foi realizadoum trabalho de tamanha abrangência, em área de 296 quilômetros quadrados, correspondentea 62% da área total dos reservatórios da Usina.Com as peças coletadas nos últimos três anos em Belo Monte, o número de amostras daentidade passou de cerca de 4 mil para cerca de 6.800. Dentre as peças mais importantesdoadas, destacam-se a impressão de peles de peixes marinhos do limite do período Siluriano-Devoniano e conchas muito bem preservadas de braquiópodes do gênero Língula.A coleta inclui macrofósseis e amostras que servirão à micropaleontologia. Há alguns blocos derocha que contêm mais de 70 fósseis agregados. Os fósseis coletados indicam que há cercade 419 milhões de anos a região do Xingu estava submersa por um mar gelado habitado porseres invertebrados e peixes anteriores à presença do homem.19


COMPONENTE INDÍGENAInvestimentos de R$ 190 milhões para comunidades indígenasA Usina Hidrelétrica Belo Monte desenvolve um Projeto Ambiental Básico de ComponenteIndígena (PBA-CI). Desde novembro de 2010, a Norte Energia destinou mais de R$ 190milhões para a melhoria da qualidade de vida das comunidades indígenas da região da UHEBelo Monte. As ações desenvolvidas em áreas indígenas são pactuadas com os órgãosresponsáveis e com a Funai, que, em maio de 2014, assinou com a Norte Energia um Termode Compromisso que define a forma de acompanhamento dos projetos, com participação delideranças indígenas. O Termo de Compromisso tem vigência de 35 anos, mesmo prazo deconcessão da Usina Belo Monte. Os reservatórios de Belo Monte não alagarão nenhumcentímetro de terra indígena. Parte das aldeias beneficiadas está a centenas de quilômetros dedistância da área do empreendimento.Principais açõesCasas de moradia – 714 unidades em 34 aldeias, beneficiando aproximadamente 700 famílias(cerca de 3 mil indígenas).Combustível e lubrificantes – Doação de 1,8 milhão de litros entre outubro/2012 eoutubro/2014 (cotas mensais de 44.300 litros de gasolina, 22.000 litros de diesel e 2.184 litrosde lubrificantes).Motores para Barcos – 667 unidades (577 já entregues).Barcos e Voadeiras – 410 unidades (366 já entregues).Veículos – 44 adquiridos (42 já entregues).Motosserras e roçadeiras – 387 (entregues).Geradores – 98 unidades (entregues).Manutenção e Peças de Reposição – 832 atendimentos entre outubro de 2012 e outubro de2014 (R$ 1,237 milhão).Pistas de Pouso –21 pistas para aldeias da região (12 estão concluídas e quatro contratadase em execução).Escolas – A Norte Energia apoia o Governo Federal na execução dessa política pública juntoaos povos indígenas. Até o final de 2014 está previsto o início da construção de 13 escolas. Nototal serão 34 escolas. Também são realizadas ações de aperfeiçoamento de professores,melhoria de gestão, produção de material didático, como dez cartilhas de letramento para dezdiferentes povos indígenas.Navegação – Está em operação um sistema gratuito de transposição de embarcações de até35 toneladas que permite aos índios e ribeirinhos continuar navegando na área da barragem doSítio Pimental.Construção e Recuperação de Estradas – Foram reconstruídas e reformadas estradas deacesso às Aldeias Indígenas no entorno de Altamira, totalizando 424 quilômetros.20


Saúde – A saúde indígena também é uma responsabilidade do Estado brasileiro que recebeapoio da Norte Energia. O número de casos de malária nas aldeias, por exemplo, caiu 87%entre 2011 e 2014. Até o final de 2014 está previsto o início da construção de 13 UnidadesBásicas de Saúde Indígena (UBSI). No total serão 34 UBSIs.Casas de Farinha – Todas as 34 casas de farinha estão contratadas e com as empresasmobilizando materiais de construção e trabalhadores para as aldeias, sendo que três casas defarinhas foram finalizadas e entregues às comunidades indígenas.Produção e Comercialização – Estão sendo realizados estudos sobre processos produtivosdas aldeias e oportunidades de comercialização de seus produtos.Energia Elétrica – A Norte Energia está em articulação com o Governo Federal para que aspolíticas públicas de eletrificação, especialmente o Programa Luz Para Todos, deem prioridadeàs aldeias da região que se encontram próximas às redes existentes, para que nestes casossejam realizadas extensões de rede. Onde não é possível o acesso à rede convencional serãoinstalados sistemas fotovoltaicos (placas solares), ou outras fontes alternativas.Casa do Índio em Altamira – Obra com área construída de 1.600 m² para hospedar osindígenas em trânsito pela cidade de Altamira. A Funai assinou o Termo de Recebimento doimóvel em setembro e os indígenas já estão ocupando o espaço.Comunicação – Está em operação uma rede de comunicação com 42 estações de rádio queabrange todas as aldeias da área de influência, associações de índios citadinos, Funai Altamirae o Centro de Comunicação Indígena.Sistema de Abastecimento de Água – A Norte Energia finalizou a construção de 13 Sistemasde Abastecimento de Água e está executando 16 sistemas nas aldeias das Rotas Iriri e Xingu.Comitês de Gestão – Em outubro e novembro foi realizada a Primeira Rodada de Reuniõesdos Subcomitês de Gestão para ampliar o diálogo entre Norte Energia, órgãos responsáveis,Funai e povos indígenas. A inciativa permite que cada uma das etnias externe suasnecessidades, estabeleça calendários próprios e priorize projetos.21


DESENVOLVIMENTO DO XINGU – PDRS-XAs ações da Norte Energia para promover o desenvolvimento sustentável no Xingu tambémsão feitas por meio do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRS-X),que abrange municípios das áreas de Influência Direta (Altamira, Anapu, Brasil Novo, SenadorJosé Porfírio e Vitória do Xingu) e Indireta (Gurupá, Medicilândia, Pacajá, Placas, Porto de Moze Uruará) da UHE Belo Monte. Em 20 anos, serão destinados R$ 500 milhões para projetosassociados ao desenvolvimento da região da Transamazônica e do Xingu.O PDRS-X, instituído em 2010, foi elaborado por um Grupo de Trabalho formado por 19 órgãose entidades federais, 27 órgãos do Estado do Pará, governos municipais e sociedade civil. Asações são estruturadas em quatros eixos (Ordenamento Territorial, Regularização Fundiária eGestão Ambiental; Infraestrutura para o Desenvolvimento; Fomento às Atividades ProdutivasSustentáveis; e Inclusão Social e Cidadania) e monitoradas pelo Comitê Gestor (CGDEX),formado por 15 representantes de órgãos governamentais e 15 de organizações da sociedadecivil. A Coordenação-Geral do CGDEX é apoiada por Câmaras Técnicas, compostas de formaparitária por governos e sociedade, que participam das propostas levadas às Plenárias.Recursos da Norte Energia para projetos do PDRS-XCâmara Técnica 2011 2012 2013 2014* TOTALComitê GestorOrdenamentoTerritorial,RegularizaçãoFundiária eGestãoAmbientalInfraestruturapara oDesenvolvimentoSustentávelFomento àsAtividadesProdutivasSustentáveisInclusão SocialMonitoramentoCâmara Técnicados PovosIndígenas eComunidadesTradicionaisSaúdeEducação- R$ 3.889.304,64 - - R$ 3.889.304,64R$ 1.985.400,00 R$ 3.352.395,00 R$ 7.191.058,06 R$ 437.500,00 R$ 12.966.353,06- R$ 1.200.000,00 R$ 6.852.550,00 R$ 437.500,00 R$ 8.490.050,00R$ 3.510.625,12 R$ 3.473.560,53 R$ 10.955.139,82 R$ 437.500,00 R$ 18.376.825,47R$ 5.198.930,00 R$ 1.632.669,76 R$ 4.600.119,28 R$ 437.500,00 R$ 11.869.219,04R$ 90.000,00 - R$ 4.929.600,00 R$ 437.500,00 R$ 5.457.100,00R$ 1.570.000,00 R$ 2.499.986,66 R$ 8.232.412,53 R$ 437.500,00 R$ 12.739.899,19R$ 1.472.486,46 R$ 12.520.000,00 R$ 5.044.639,82 R$ 437.500,00 R$ 19.474.626,28R$ 3.024.825,00 R$ 1.867.330,24 R$ 3.267.855,30 R$ 437.500,00 R$ 8.597.510,54TOTAL R$ 16.852.266,58 R$ 30.435.246,83 R$ 51.073.374,81 R$ 3.500.000,00 R$ 101.860.888,22* Valores aprovados até 28/11/2014. Fonte: Secretaria Executiva do Comitê Gestor do PDRS-X22


PERGUNTAS FREQUENTESO Brasil precisa da energia de Belo Monte?Sim. Com capacidade instalada de 11.233,1 MW, a Hidrelétrica produzirá, ao longo do ano,4.571 MW médios de energia limpa e renovável que vai beneficiar 18 milhões de residências,ou cerca de 60 milhões de pessoas, uma população equivalente à de um país como a França.Como será distribuída a energia produzida por Belo Monte?A maior parte vai atender ao consumo residencial. No leilão realizado pela Aneel, em 2010, aNorte Energia vendeu 70% do que será produzido a 27 distribuidoras de energia elétrica que,em 17 estados, atendem o mercado cativo formado por residências, comércio e serviços eparcela da indústria. Outros 10% vão atender empresas autoprodutoras sócias da NorteEnergia e 20% serão negociados no mercado livre.Os estudos para a construção de Belo Monte foram suficientes?Belo Monte é a hidrelétrica mais estudada da história do Brasil. Os primeiros estudos, demeados dos anos 70, previam seis usinas no rio Xingu. Em 2008, o Conselho Nacional dePolitica Energética determinou a construção de apenas uma usina. O reservatório original de1.225 km² foi reduzido para apenas 478 km², dos quais 274 km² (57%) correspondem ao leitodo Xingu no período de cheia.Belo Monte vai alagar terras indígenas?Nenhum milímetro das 11 terras indígenas na região de influência da UHE Belo Monte seráalagado. Belo Monte conta com um Projeto Ambiental Básico de Componente Indígena (PBA-CI) que está sendo implementado desde novembro de 2010 com o objetivo de assegurar emelhorar a qualidade de vida destas comunidades. Parte das aldeias beneficiadas encontra-sea centenas de quilômetros de distância da área do empreendimento. Todas as açõesdesenvolvidas nas áreas indígenas são pactuadas com os órgãos responsáveis e com a Funai.Os indígenas foram consultados sobre a construção da Usina?O diálogo com as comunidades indígenas é constante. Durante o processo de obtenção daLicença Prévia foram realizados mais de 30 encontros, reuniões e audiências comrepresentantes de todas as aldeias da área de influência da UHE Belo Monte. Com tradutoresindicados pelos indígenas, a Eletrobrás e a Funai explicaram a obra e o licenciamentoambiental para obter o consentimento para os trabalhos necessários para elaborar o Estudo deImpacto Ambiental e o Relatório de Impacto ao Meio Ambiente (EIA/RIMA).23


A Volta Grande do Xingu vai secar quando a Usina entrar em operação?Não. A licença ambiental concedida pelo Ibama para a construção da Usina assegura vazãomínima de 700 m³/s na região da Volta Grande do Xingu, volume maior que a mínima históricaregistrada na região, de apenas 400 m³ /s. Esta vazão é suficiente para manter o curso originaldo rio e o ecossistema local, com garantia de navegação para os moradores da região naépoca de seca e manutenção da vida aquática.Qual o investimento do Projeto Básico Ambiental de Belo Monte na região?O PBA da UHE Belo Monte é referência para grandes obras de infraestrutura no País. Noscinco municípios da Área de Influência Direta do empreendimento (Altamira, Anapu, BrasilNovo, Senador José Porfírio e Vitória do Xingu), serão realizados investimentos da ordem deR$ 3,2 bilhões em áreas como saúde, educação, segurança, infraestrutura e saneamentobásico. O valor corresponde a cerca de 13% do valor do projeto (R$ 25,8 bilhões – data-baseabril 2000). Outros R$ 500 milhões serão destinados pela Norte Energia a projetossocioambientais do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável da Região do Xingu(PDRS-X), do Governo Federal, que também contemplam os municípios da Área de InfluênciaIndireta do empreendimento (Gurupá, Medicilândia, Pacajá, Placas, Porto de Moz e Uruará).Qual a contribuição de Belo Monte para a saúde na região do empreendimento?Por meio do PBA, a Norte Energia já construiu e equipou 27 Unidades Básicas de Saúde eestá concluindo as obras de dois hospitais, em Altamira e Anapu. Em novembro, entregou umEstabelecimento de Assistência à Saúde (EAS) na Vila Residencial Belo Monte, em Vitória doXingu. A Empresa promove um amplo programa de saneamento básico a Vitória do Xingu eAltamira com a implantação de 250 quilômetros de rede de esgoto e 182,5 quilômetros de redede água potável. Outra contribuição à saúde é a construção dos novos bairros em Altamira,com casas com infraestrutura completa, com esgoto e água potável, que vão proporcionarmelhoria da qualidade de vida para famílias que vivem em condições insalubres em áreashistoricamente alagadas pelo Xingu.O que vai ocorrer com as famílias que vivem em áreas alagadas pelo Xingu em Altamira?A Norte Energia realizou na cidade um amplo e público processo de cadastramento dasfamílias que vivem em áreas historicamente alagadas pelo rio Xingu. O CadastroSocioeconômico concluído em janeiro de 2013 gerou 7.790 cadastros socioeconômicos eidentificou 5.141 imóveis, incluindo residências, prédios públicos e comerciais, terrenos vazios,templos religiosos, obras de infraestrutura, entre outros. As famílias que comprovaram residirnas casas visitadas até aquela data puderam optar pela transferência para novos bairros que aNorte Energia está construindo em Altamira, ou por indenização, definida por meio depesquisas do mercado imobiliário local realizadas por avaliadores habilitados pelo CREA.Pouco mais de mil proprietários optaram por indenização e os demais, por moradias nos novos24


airros. Até o final de novembro, a Norte Energia havia realizado mais de 2,5 mil negociações.Em 97% dos casos houve acordo com os moradoresQuantas famílias serão transferidas para os novos bairros de Altamira?Aproximadamente 5.500 famílias. Elas mudarão para seis novos bairros que a Norte Energiaestá construindo na área urbana do município. As obras estão adiantadas no Jatobá, CasaNova, São Joaquim, Água Azul e Laranjeiras. O sexto bairro, o Pedral, está em fase de projeto.As moradias, de 63 m², ocupam terrenos com área mínima de 300 m² e são construídas commateriais resistentes e de qualidade, com tecnologia certificada pela Associação Brasileira deNormas Técnicas (ABNT). As casas possuem três quartos (uma suíte), sala de estar e jantarconjugada com cozinha, banheiro social, com opção de banheiro adaptado para pessoas comdeficiência. Os novos bairros tem infraestrutura completa – saneamento, rede de água potável,energia elétrica, iluminação pública, ruas asfaltadas, calçadas especiais para portadores dedeficiência, escolas, unidades de saúde, recolhimento de lixo e transporte escolar gratuito parafilhos de moradores que estudam da rede pública.Qual a contribuição da UHE Belo Monte para a preservação da Amazônia?No entorno dos reservatórios da UHE Belo Monte (do Xingu e Intermediário), a Norte Energiavai implantar uma Área de Preservação Permanente (APP) contínua com cerca de 26 milhectares, cinco vezes maior que a área fragmentada de ambientes florestais que serãosuprimidos. A implantação da APP e seu enriquecimento com o plantio de espécies nativasgarantirá, além da recuperação ambiental da área do entorno dos dois reservatórios, a suaconexão com outros ambientes preservados da região, assegurando condições propícias paraa manutenção da fauna silvestre.Belo Monte prejudica a pesca no Rio Xingu?Não. O Xingu continua sendo um rio piscoso, como mostram levantamentos do Projeto deIncentivo à Pesca Sustentável, realizado pela Norte Energia em parceria com a UniversidadeFederal do Pará (UFPA). Os dados obtidos desde abril de 2012 comprovam não ter havidoredução dos estoques pesqueiros. Para avaliar possíveis impactos em pontos específicos dorio, a Norte Energia, em parceria com as entidades representativas de pescadores, estáaprofundando os estudos. A Empresa também desenvolve estudos de identificação deespécies, tipos e quantidades de peixes e, com a utilização de telemetria, de rotas utilizadaspelas espécies migradoras.O barramento do rio Xingu vai interromper as rotas de peixes migradores?Não. O projeto de Belo Monte garante a continuidade das rotas migratórias com a instalação doSistema de Transposição de Peixes (STP) na barragem do Sítio Pimental. O Sistema éformado por um canal com 1.200 metros de extensão e será alimentado por uma vazão de25


40m³/s. Desse volume, 28m³/s serão descarregados no canal por meio de quatro difusores,dispositivos montados para criar turbulência na água e atrair os peixes.Como Belo Monte contribui para estruturar a cadeia produtiva da pesca artesanal?Em março de 2014, a Norte Energia firmou Acordo de Cooperação Técnica com o Ministério daPesca e Aquicultura para promover o desenvolvimento sustentável das cadeias produtivaspesqueiras e aquícolas na região do Xingu. Até 2016, a Empresa vai destinar R$ 22 milhõespara projetos de estruturação destas atividades. Além da construção e reforma das sedes dascolônias de pescadores de Vitória do Xingu, Senador José Porfírio, Anapu, Gurupá, Porto deMoz, iniciada em novembro de 2014, será instalado, em Altamira, um Centro Integrado dePesca Artesanal (Cipar), com áreas para beneficiamento de pescado, fábrica de gelo,comercialização (Mercado de Peixes) e para peixes ornamentais. Um Comitê Gestor formadopor representantes da Empresa, do Ministério, das Colônias de Altamira, Vitória do Xingu,Senador José Porfírio, Porto de Moz, Anapu e Gurupá e da Associação de Criadores eExportadores de Peixes Ornamentais (Acepoat) acompanha o andamento dos trabalhos.Belo Monte contribui para a produção de conhecimento científico?Sim. Entre estas contribuições destaca-se a reprodução, em julho de 2014, no Laboratório deAquicultura e Peixe Ornamental do Centro de Estudos Ambientais (CEA) da Norte Energia, defilhotes de Acari Zebra, peixe ornamental típico da Volta Grande do Xingu ameaçado deextinção devido à captura predatória e ao contrabando internacional. O laboratório tornou-se oprimeiro do País, legalmente autorizado, a reproduzir esta espécie em cativeiro. Em novembrode 2014, a Norte Energia entregou ao Museu Paraense Emílio Goeldi aproximadamente 2.800amostras de fósseis coletadas em áreas da Usina. Alguns dos fósseis ainda não sãoidentificados pela Ciência. O acervo paleontológico do Museu, que realiza pesquisas desdemeados do século 19, cresceu de cerca de 4 mil para cerca de 6.800 amostras de fósseis.Fotos desta ediçãoCapa – Bióloga Viviane da Paixão. Foto: Gutemberg CruzPágina 2 – Ponte Rolante do Sítio Belo Monte. Foto: Evair AlmeidaPágina 27 – Coruja-de-crista resgatada pelo Centro de Estudos Ambientais (CEA). Foto: Regina SantosContracapa – Vista da Casa de Força Principal da UHE Belo Monte. Foto: Evair Almeida26

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!