RCIA - ED. 153 - ABRIL 2018

tvcomercioeindustria

1|


|2


3|


ARTE E TRADIÇÃO

COPAV

Fotos: Rita Motta

Há 30 anos construindo sonhos com o toque das mãos de

quem realmente entende da arte de executar obras-primas.

Arte é mais que a capacidade de

produzir beleza. É uma Criação

Emocional.

Por essa razão é que a Copav dá

formato ao belo com requinte e bom

gosto. Assim quanto mais emocional

ela é, mais produz fascínio, mais

consegue penetrar na alma do

cliente, com uma preocupação

única, a de com as mãos, traduzir

o admirável em cada peça de suas

criações.

Com esta concepção há 30 anos,

a Copav se inspira através desta

arte e oferece aos seus clientes, o

que se tem de mais belo em móveis

para áreas externas. “É o seu

sonho construído pelas mãos dos

profissionais que executam

este desejo”.

Sua preocupação é sempre cuidar

carinhosamente das pessoas de

bom gosto, mostrando que um

ambiente externo merece tanto

cuidado com a decoração quanto

uma área interna.

A escolha de móveis ideais para

esses espaços ganha cada vez

mais importância. A mobília

externa deve ser confortável e

resistente ao tempo, sem perder

o estilo próprio de cada espaço.

Esta harmonia pode ser

alcançada de diversas maneiras,

pois os móveis externos da

Copav combinam em material,

cor ou estilo com a decoração

da sua casa.

Na verdade, a Copav está

comprometida com a beleza,

conforto, qualidade e durabilidade

de suas obras de arte. Oferece

também consultoria na concepção

dos espaços externos e projetos de

decoração no tamanho exato do seu

sonho, esbanjando funcionalidade,

nobreza e sofisticação, com a

garantia de 10 anos.

Visite uma das lojas da Copav. Você

vai adorar ficar do lado de fora!

|4


“Comprometida com a

beleza, conforto, qualidade

e durabilidade”

Móveis externos personalizados

Araraquara | Ribeirão Preto | São José do Rio Preto

www.copav.com

5|


ÍNDICE

EDIÇÃO N°152 - MARÇO/2018

CAPA

Expansão da Credicentro

HONRARIA

Belo trabalho

SINHORES

Comemorou 36 anos

ECONOMIA

Aumento no PAC e Sedex

10 8 17

28

32

Herbert Müller Junior, Jaime

Vasconcelos e Mário Elcio

Danieli falam do crescimento da

cooperativa na região.

Deputado Arnaldo Jardim

ganha homenagem da Canasol,

Sindicato Rural, Orplana e

Feplana, em Araraquara.

José Carlos Pascoal Cardozo

comemorando o aniversário do

sindicato com o lançamento de

um guia de gastronomia.

Novas tarifas dos Correios

preocupam empresários locais

que investem no e-commerce,

como Adriana Machado (foto).

CIESP

16| Edição deste mês destaca o

trabalho da empresa Helibombas,

que está há mais de 20 anos no

mercado local.

Cruzando o oceano

25| Araraquarenses buscam

nova vida em Dublin, na Irlanda;

instabilidade política e econômica

são os motivos.

Sincomercio

38| Sindicado é considerado

importante canal de comunicação

para 71% dos empresários de

Araraquara.

Sindicato Rural

43| Novo programa visa capacitar o

produtor e o trabalhador rural

para as novidades do mundo

digital dentro do agronegócio.

Errata: a reportagem sobre os cogumelos

Diferentemente do publicado na edição

152 da Revista Comércio, Indústria e

Agronegócio, os irmãos Gabriel e Lucas

Trevisan (auxiliados por André Zanon)

são os responsáveis pelos shimejis

brancos cultivados no Sítio Mekaô. Lá,

eles produzem 150kg por semana e as

colheitas são feitas duas vezes por dia.

O composto é pasteurizado, feito de

capim, bagaço de cana e farelo de trigo.

As vendas ocorrem nas feiras da estação

Ferroviária, Uniara e Pedro de Toledo,

em Araraquara e cada bandeja custa

segundo Gabriel e Lucas - R$ 7.

Gabriel e Lucas Trevisan

Investimento

A Prefeitura Municipal foi autorizada a

abrir um crédito de R$ 38.499,14 para

atender a despesas com a aquisição

de equipamentos para instalação

da academia de musculação no

Ginásio de Esportes Castelo Branco

– Gigantão. É evidente que os

equipamentos estarão à disposição dos

atletas que participam das seleções

que representam a nossa cidade em

competições. Nada mais justo e é

até mesmo lamentável que só agora

tenha se pensado em dar aos atletas

condições de uma boa preparação.

|6


DA REDAÇÃO

por: Sônia Maria Marques

NOVO

Por uma nova política

35

Partido faz evento em Araraquara

para apresentar suas ideias e de

quebra, traz palestras com précandidatos

ao governo Federal.

Canasol

54| Eleição em março credenciou

Luís Henrique Scabello de

Oliveira a ser presidente da

Canasol por mais três anos.

MÚSICA

Quanta saudade

61

Especial Bandas e Grupos

Musicais da Cidade traz a Spectro

4, conjunto que investia em

intenso trabalho vocal.

Vida social

Reforma fechou o Palacete

Spectro 4

no Boi na

Brasa

68| Coluna mensal de Maribel

Santos destaca os 136 anos do

Araraquarense, tradicional espaço

de lazer da nossa socidade.

Randon, representa um salto

na economia regional

Com posição privilegiada no mapa do Estado de São Paulo,

bem na região central, a nossa Araraquara tem levado uma

certa vantagem quando disputa com outros municípios,

a chegada de empresas que migram das capitais para

cidades do interior com o objetivo de otimizarem suas

estratégias e alcançarem o sucesso desejado nos negócios.

A nova estratégia corporativa é adotada por muitos

empresários para se beneficiarem de alguns incentivos

oferecidos por municípios do interior. Araraquara não fica

fora disso. Ao longo do tempo, cansamos de ver e ouvir

histórias de empresas que aqui se instalariam, apresentando

como contra-partida a geração de empregos e divisas.

Plenamente justo quando há imposição de privilégios,

pois os centros urbanos estão deixando de ser atrativos

na hora de planejar a abertura de uma empresa e as que

já existem, estão saindo em busca de oportunidades de

melhoria. Indiscutivelmente, a Randon recém inaugurada

em Araraquara, com a presença do governador Geraldo

Alckmin, é a maior fabricante de reboques e semirreboques

na América Latina, estando entre as dez maiores do mundo.

Isso lhe dá notoriedade e peso em uma negociação. Sorte

a nossa poder contar com ela para propagar a nossa terra

como já foi feito pela Lupo, Nigro, os irmãos Ademar e

Ademir Ramos, além de tantas outras empresas, cujas

famílias calejaram as mãos em busca de mercado e hoje,

conceituadamente contribuem com o desenvolvimento da

economia local. Pagaram ao progresso um alto preço para

chegarem até aqui. Seja bem-vinda a Randon.

Atualmente, o Palacete

da Esplanada das Rosas,

prédio histórico ao

lado da Prefeitura, está

fechado, com necessidade

de reparos e reformas

em sua estrutura. O

edifício, tombado pelo

patrimônio histórico, é

ocupado pela Secretaria

da Cultura e Fundart.

Algumas informações

sobre a reforma fizeram

o vereador, Elton Negrini

pedir esclarecimentos

ao prefeito. Segundo o

vereador, as informações

que chegaram mostram

que os documentos

apresentados à Unidade

de Preservação do

Patrimônio Histórico,

órgão ligado ao Conselho

Municipal do segmento,

teriam sido considerados

insuficientes para se instruir

Elton Negrini

o processo de autorização.

Negrini quer da Prefeitura,

cópia do projeto e a

devida autorização do

Conselho Estadual para

a referida reforma. O

vereador pede também as

especificações da reforma

e detalhes da mão de obra

a ser empregada, além

da discriminação de todos

os custos envolvidos na

reforma.

Diretor Editorial: Ivan Roberto Peroni

Supervisora Editorial: Sônia Marques

Editor: Matheus Vieira

Design: Bete Campos e Érica Menezes

PARA ANUNCIAR: (16) 3336 4433

Tiragem: 5 mil exemplares

Impressão: Grafinew - (16) 3322-6131

A Revista Comércio, Indústria e Agronegócio

é distribuida gratuitamente em Araraquara e região

Portal RCIARARAQUARA.COM

Editora: Rita Motta

* COORDENAÇÃO, EDITORAÇÃO, REDAÇÃO E PUBLICIDADE

Atendimento: (16) 3336 4433

Rua Tupi, 245 - Centro

Araraquara/SP - CEP: 14801-307

marzo@marzo.com.br

7|


|8


EDITORIAL

por: Ivan Roberto Peroni

Revista e Portal juntos: quem ganha com a

rapidez da informação é a nossa cidade

Ao comemorar 13 anos de fundação, a Revista Comércio, Indústria e Agronegócio torna-se uma

importante publicação destinada a atender os mais diversos segmentos da economia, tendo ao seu

lado forças representativas de enorme influência na discussão das políticas públicas do município. A

revista cresce, se agiganta como veículo preocupado com a vida da comunidade e ganha neste seu

projeto de expansão, um companheiro, que já está mostrando a agilidade da informação diária.

Em 2005, a nossa revista era apenas

um informativo de quatro páginas

para divulgar as atividades dos

sócios da Associação Comercial e

Industrial de Araraquara. A nossa

visão era de prosperidade, sonhos

que acalentados, nos direcionavam

à travessia de um mundo incerto

e não sabido, pois alguns jornais

brasileiros já deixavam transparecer

sintomas de fragilidade editorial e

econômica. Ainda assim, impulsionados

pelo dinamismo do empresário

Valter Merlos que assumia a

ACIA, apostamos na visão que nos

acompanhava profissionalmente e

no apoio do nosso comércio, da

nossa indústria e do agronegócio,

que então se fortalecia para empurrar

a economia brasileira. Seguimos

em frente para não ser mais um informativo,

porém uma revista que

hoje faz exalar o amor pela cidade.

Passados 13 anos é quase impossível

dimensionarmos o carinho dos

nossos leitores, o respeito e a admiração

de clientes e amigos que pacientemente

caminharam ao nosso lado, sempre demonstrando fidelidade

e principalmente orgulho em possuir mensalmente nas mãos uma revista de

qualidade e sem compromissos com o Poder Público. Assim, o sucesso da

revista é de reconhecimento ao que ela é, mantendo a ética e a responsabilidade

na informação. O resgate da história da cidade a tornou inimitável

e por mais que outras publicações - várias delas baixaram as portas neste

período de 13 anos - tentaram seguir seu perfil editorial, não conseguiram

porque a nossa familiaridade com Araraquara vai além da conta.

Mas, para armazenar o histórico arquivo de 13 anos que possuímos, tornou-

se imprescindível que aproveitássemos a evolução tecnológica e assim

fosse criado um espaço onde a comunidade tivesse acesso para pesquisar

e ter informações sobre a Araraquara de todos os ‘tempos’ em ‘tempo

real’. Nasceu então um companheiro para a revista - o nosso Portal RCIA-

RARAQUARA.COM marca que expressa aquilo que tem nos conduzido ao

sucesso. A Revista do Comércio, da Indústria e também do Agronegócio,

que tão humilde quanto ao homem do campo, nos empresta o seu “A” para

enriquecer Araraquara, que é a terra que amamos, hoje está consolidada.

Atualmente, sem vínculos com a ACIA, mas fortalecida pelo que há de melhor

em representatividade do comércio (Sincomercio), indústria (Ciesp) e o

agronegócio (Sindicato Rural e Canasol), a nossa revista estende sua identificação

à família araraquarense, traçando novos planos por entender que

a volta do JORNAL DO BRASIL às bancas, dia 25 de fevereiro, comprovou

a grande expectativa que existia em torno do resgate da edição impressa.

Quem sabe seja esse retorno que nos inspire a desenvolver projetos ainda

mais ousados na cidade, acreditando no poder do jornal impresso. Aliás,

alguém já disse que “o que mora na alma não morre”.

9|


MATÉRIA DE CAPA

Credicentro anuncia

programa financeiro de

apoio aos produtores rurais

A Credicentro, cooperativa

que congrega fornecedores

de cana e demais produtores

rurais em Araraquara e

região, prevê crescimento

nas suas operações por

conta dos novos incentivos

propostos pelo governo. Em

março a entidade participou

de dois importantes eventos,

um deles com a presença

do governador Geraldo

Alckmin.

A Credicentro, como cooperativa

de crédito totalmente independente

para atendimento aos fornecedores

de cana e demais produtores rurais

em Araraquara e região, está comemorando

36 anos de atividades,

constituindo-se na atualidade numa

das maiores fontes de recursos e benefícios

aos seus associados.

Com crescimento equilibrado

e sempre pautada por normas que

regem o sistema financeiro no País,

segundo o diretor Presidente, Jaime

Alberto de Vasconcelos, a Credicentro

visa proporcionar, através do cooperativismo,

assistência financeira aos associados

em suas atividades. Assim

agindo, diz ele, a cooperativa apoia e

aprimora a produção, a produtividade

e a qualidade de vida, bem como

a comercialização e industrialização

dos bens produzidos.

Já no começo do ano, a Credicentro

após realizar uma série de estudos

sobre a participação de cooperativas

independentes no cenário nacional,

decidiu implantar nova metodologia

de trabalho junto aos seus cooperados,

como forma de apoiá-los em

suas iniciativas. Para o dirigente, o

desempenho do agronegócio está fortemente

relacionado com a política

agrícola e essas medidas de apoio

ao produtor rural abrangendo maior

disponibilidade de recursos, criando

novos programas de investimento e

melhoria das condições de acesso

ao crédito rural, precisam realmente

acontecer.

O que se observa é que com o

avanço da economia agrícola, a cooperativa

quer estar mais próxima do

associado e daquele que envolvido

pela atividade rural, tem interesse

de ser um cooperado, desfrutando

de benefícios e programas de crédito.

AVALIAÇÕES E FUTURO

Mário Elcio Danieli é diretor Operacional

da Credicentro e em março

(14) ele participou do Fórum Técnico

das Cooperativas de Crédito Independentes

em São Paulo. Segundo

|10

Edivaldo Del Grande, presidente do

Sistema Ocesp, dirigindo o Fórum

na capital


Rodrigo Donizeti

de Almeida, Mário

Elcio Danieli,

Jaime Alberto

de Vasconcelos

e Herbert Müller

Junior, representando

a Credicentro no

evento ocorrido em

São Paulo

Danieli, as cooperativas como a Credicentro

são diferenciadas por não se

organizarem em torno de um sistema

ou central. Ao seu lado estavam o presidente

Jaime Alberto de Vasconcelos,

o diretor administrativo Herbert

Müller Junior e o gerente administrativo

Rodrigo Donizeti de Almeida.

Ainda para Danieli, as cooperativas

de crédito independentes têm

necessidades específicas para atender

as exigências de um mercado

altamente regulado. O evento aconteceu

no auditório do Banco Central

do Brasil na capital paulista, reunindo

cerca de 65 participantes e 18 cooperativas,

entre elas a Credicentro.

Na ocasião, o presidente do Sistema

Ocesp, Edivaldo Del Grande, destacou

a importância das cooperativas

independentes para todo o sistema

cooperativista de crédito. “São cooperativas

buscando o desenvolvimento,

trabalhando e se empenhando para

melhorar a vida das pessoas. Crescimento

de 20% em um momento de

crise significa que vocês são especiais

e fazem a diferença em nosso

movimento cooperativista”, avaliou

o dirigente.

NOVOS COOPERADOS

Durante o fórum técnico, os participantes

puderam se atualizar sobre

alguns dos principais temas de

interesse do setor, entre eles: Gestão

e Governança Corporativa para Cooperativas

de Crédito Independentes,

Fundo Garantidor do Cooperativismo

de Crédito, atuação do Conselho Consultivo

Nacional do Ramo Crédito da

OCB. Além disso, foi apresentado o

case boas práticas da cooperativa de

crédito Coopmil, vencedora do prêmio

Sescoop Excelência de Gestão

em 2017.

As melhorias para os nossos cooperados,

argumenta Herbert Müller

Junior, consistem na elevação dos

limites de financiamento de custeio,

comercialização e investimento,

além de taxas de juros inferiores às

de mercado, aumentando o nível de

apoio ao produtor rural. Müller conta

que a Credicentro possui uma enorme

área de abrangência composta

por Américo Brasiliense, Araraquara,

Boa Esperança do Sul, Ibaté, Matão,

Nova Europa, Ribeirão Bonito,

Rincão, Santa Lúcia, São Carlos, Gavião

Peixoto, Trabijú, Motuca, Dourado,

Tabatinga e Bocaina. ”Temos um

campo vasto para a captação de novos

cooperados e dentro da política

que pretendemos adotar, o cooperado

certamente encontrará caminhos

mais práticos para dar sustentação

aos seus projetos”, completa Müller.

Evento no auditório do

Banco Central do Brasil

NOVO BENEFÍCIO

Acima, o gerente da

Credicentro, Rodrigo

Donizeti de Almeida; ao

lado as colaboradoras

da cooperativa: Izabel

Cristina Domingues

Ferreira, Agnes Vicente,

Juliana Falasco e Milena

Cristina Mascarini

Diretores da Credicentro no Palácio dos

Bandeirantes, em São Paulo

Diretoria da Credicentro participou no dia

19, no Palácio dos Bandeirantes, do Ato

Pela Agricultura - Alimento, Renda e Futuro,

quando o governador Geraldo Alckmin

assinou decreto permitindo que as cooperativas

de crédito, como a Credicentro,

operem recursos do Fundo de Expansão do

Agronegócio Paulista (Feap).

O presidente do Sistema Ocesp, Edivaldo

Del Grande, agradeceu o empenho do secretário

Arnaldo Jardim e a sensibilidade do

governador, alegando que era pleito antigo

do cooperativismo, uma luta de 12 anos.

Este benefício - recursos destinados ao crédito

rural - estará à disposição do cooperado

da Credicentro que vai encontrar mais

agilidade e facilidade para a sua obtenção.

Alckmin

assinando

11|


LIVRO ABERTO

CMDES de Araraquara reúne a imprensa

para discutir uma cidade melhor

Evento realizado na sede do Sincomercio, na Rua 5, também externou algumas das

diretrizes do trabalho realizado pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social.

O anfitrião Sérgio Sgobbi, presidente do CMDES

Unir forças e traçar ações

conjuntas em nome de uma Morada

do Sol melhor. Estes foram alguns

dos objetivos da reunião que o

Conselho de Desenvolvimento Econômico

e Social de Araraquara (CMDES)

promoveu junto à imprensa no dia 9

de março, na sede do Sindicato do Comércio

Varejista de Araraquara (Sincomercio),

na Rua 5.

Em pauta, propostas para uma

cidade mais participativa, atuante e

eficaz. O encontro teve o comando de

Sérgio Sgobbi, presidente do CMDES,

que apresentou o seguinte balanço:

“Por meio das explanações feitas,

ficou claro que o movimento proposto

trata-se de uma jornada, na qual

a persistência, a clareza das ações

e a dimensão das atribuições serão

alguns dos fatores de sucesso desta

ideia”, analisa.

Sgobbi completou ressaltando a

importância da comunicação nesta

jornada: “prestar um serviço à população

é tirar a sociedade do seu imobilismo

e mudar o comportamento dos

munícipes em relação a nossa Araraquara

é o objetivo. No CMDES, estamos

comprovando que isto é possível

e esperamos o apoio da imprensa”,

finalizou.

Presente à atividade, Antonio Deliza

Neto, presidente do Sincomercio e

representante do Conselho, pontuou

que a iniciativa também foi importante,

ao explicitar a representatividade

do CMDES. “O Sincomercio apoia a atividade”,

afirma. Criado em 22 de março

de 2017, o CMDES esteve à frente

de iniciativas relativas à atualização

da lei do comércio, para regularizar o

funcionamento das empresas que não

são supermercados e não estão nas

dependências de um shopping, mas

desejam abrir aos domingos.

Também participou do aperfeiçoamento

da lei de incentivos para atrair

investimentos; indicou uma reestruturação

e ampliação do programa “Internet

para Todos”, além de promover

debates sobre a situação dos moradores

de rua.

SOBRE O CMDES

O CMDES - Conselho Municipal de

Desenvolvimento Econômico e Social

– foi criado pelo prefeito Edinho Silva e

é composto por 33 integrantes, sendo

oito representantes do poder público

e 25 de entidades do comércio, da indústria

e da população, todos eleitos

nas plenárias do Orçamento Participativo

(OP).

|12


Atualmente, o CMDES é dividido

em cinco grupos de trabalho: atração

de investimentos; ciência e tecnologia

e inovação; trabalho, ocupação

e cooperativismo; ambiente de negócios;

direitos humanos, diversidade,

sustentabilidade e segurança

alimentar; seu papel é assessorar o

município na formulação de políticas

e diretrizes voltadas ao desenvolvimento

econômico e social da cidade.

Entre suas atribuições, está avaliar

propostas de políticas públicas de reformas

estruturais de desenvolvimento

econômico e social, acompanhar

execuções orçamentárias, opinando

sobre o equilíbrio fiscal e sobre o desempenho

da arrecadação e das despesas

da administração pública municipal,

sobre a política de alienação

de áreas públicas e empreendimentos

urbanos de impacto socioambiental,

além de acompanhar os indicadores

econômicos e sociais do município e

manifestar-se em relação a propostas

de ampliação.

Antonio Deliza Neto, presidente do Sincomercio, fez a abertura do encontro

13|


|14


15|


|16


ESPECIAL

Homenagem em Araraquara

Festa inesquecível para

Arnaldo Jardim

Canasol, Sindicato Rural, Orplana e Feplana decidiram em momento único,

homenagear em Araraquara, o deputado federal Arnaldo Jardim que acaba de

deixar a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, para

buscar a reeleição em outubro. A cerimônia é o reconhecimento das entidades

pelo que o parlamentar realizou em defesa da classe canavieira.

Evento no auditório

da Canasol no dia 8

de março reverenciou

o Dia Internacional

da Mulher e o

homenageado Arnaldo

Jardim presenteou a

esposa Cláudia com

uma flor

17|


Representantes do setor sucroalcooleiro: Edison Ustulin (FAESP), Alexandre Andrade Lima (FEPLANA), Eduardo Romão (ORPLANA) Luís

Henrique Scabello de Oliveira (Canasol) e Nicolau de Souza Freitas (Sindicato Rural de Araraquara) com o homenageado Arnaldo Jardim

UMA GRANDE RECEPÇÃO

A representatividade do nosso setor

sucroalcooleiro no Estado de São Paulo

Com certeza Arnaldo Jardim ainda

guarda na sua lembrança a homenagem

que recebeu em Araraquara no

dia 8 de março. O que para a Canasol,

Sindicato Rural, Feplana e Orplana,

tornou-se motivo de orgulho em homenagear

uma das mais respeitadas

personalidades do cenário político

nacional, para ele, o encontro serviu

praticamente de despedida da função

de Secretário de Agricultura e Abastecimento

do Estado de São Paulo, já

que no final do mês deixou a pasta

para buscar a reeleição de deputado

federal. Até outubro se manterá na

Câmara Federal com a mesma disposição

para continuar defendendo os

interesses dos agricultores, em especial

os produtores de cana.

O CAMINHO

Segundo o presidente da Canasol,

Luís Henrique Scabello de Oliveira, a

ideia de homenagear Arnaldo Jardim

deve ser interpretada como reconhecimento

ao excelente trabalho que

ele vem realizando como deputado

federal e secretário de Agricultura no

Estado de São Paulo: “O parlamentar

tem se desdobrado para auxiliar

a nossa classe, enfatizando sempre

a importância da agricultura para o

estado e a necessidade de manter

políticas públicas estáveis, de segurança

jurídica e de previsibilidade nos

parâmetros econômicos, para o pleno

desenvolvimento do setor”, comentou

o presidente da Canasol.

Por essa razão, é que Luís Henrique

não teve dificuldades em encontrar

parceiros para formação de uma

frente que coordenasse a homenagem

a Jardim, em Araraquara, recebendo o

aval dos presidentes: Nicolau de Souza

Freitas (Sindicato Rural), Alexandre

Andrade Lima (FEPLANA e da Associação

dos Fornecedores de Cana de Pernambuco)

e Eduardo Romão (Orplana

e Associação dos Fornecedores de

Cana de Jaú). “Ficamos extremamente

felizes em homenageá-lo em nossa

cidade”, diz o dirigente da Canasol.

Luís Henrique dando os

votos de boas-vindas

ao homenageado

|18


Luís Henrique oferece uma rosa à sua esposa Janaína; ao lado,

o presidente Nicolau de Souza Freitas homenageia a vicepresidente

da Canasol, Tatiana Campos Leite e na sequência,

as flores entregues às mulheres durante a cerimônia

ROSAS PARA AS MULHERES

A coincidência da data levou os organizadores

a prestar singela homenagem

ao Dia Internacional da Mulher.

Foi aberto então espaço para que Janaína

de Oliveira, esposa de Luís Henrique,

recebesse do marido uma rosa;

da mesma forma, a vice-presidente

da Canasol, Tatiana Caiano Teixeira

Campos Leite, foi homenageada pelo

presidente do Sindicato Rural, Nicolau

de Souza Freitas, simbolizando através

da flor, o carinho e o respeito que o Dia

Internacional da Mulher representa a

todos. As mulheres presentes ao encontro

também receberam flores dos

colaboradores da Canasol.

A HOMENAGEM

Em sua saudação ao homenageado

Arnaldo Jardim, o presidente da

Canasol que também é membro da

Orplana e secretário Geral da Feplana,

destacou o trabalho do homenageado

em benefício da agricultura e pecuária

paulista, lembrando algumas das

ações propostas por ele, enquanto deputado

Federal e secretário de Estado.

Luís Henrique comentou a extensa

biografia de Arnaldo Jardim em sua

carreira como parlamentar. “Uma das

coisas pelas quais ele mais trabalhou

foi pelas boas causas ambientais,

como a destinação dos resíduos, a

Política Nacional de Pagamento por

Serviços Ambientais e os biocombustíveis,

contribuindo de forma significativa

para o meio ambiente. Tem sido

um dos mais dinâmicos secretários

de Agricultura, atuando intensamente

junto aos produtores rurais em todo o

Estado”, disse.

Já o presidente do Sindicato Rural

de Araraquara, Nicolau de Souza

Freitas, disse: “Temos sentido a sua

vontade de estar junto e atender o setor

agropecuário, o respeito que tem

pelo produtor rural ao trabalhar pela

agricultura com dedicação”. Segundo

Nicolau, Jardim hoje não é apenas

um deputado Federal e secretário de

Agricultura, mas sim, um companheiro

que dispensa acentuada atenção à

classe e faz o agronegócio andar por

força da nossa representatividade no

setor. E completou: “Ele está sempre

aberto ao diálogo e é um dos defensores

das nossas ideias nos debates que

envolvem o setor agro”, completou.

19|


A ORPLANA

Eduardo

Romão em

seu discurso

a Arnaldo

Jardim

A ORPLANA - Organização de Plantadores

de Cana da Região Centro-Sul

do Brasil, foi fundada em 29 de junho

de 1976, com o objetivo de organizar

a classe dos produtores e ampliar sua

representatividade no Brasil e no exterior.

“Nossa missão é garantir um

futuro seguro e rentável para os produtores

de cana-de-açúcar, buscando

excelência na produção agrícola e

coordenação da cadeia sucroenergética”,

destaca o seu presidente Eduardo

Vasconcellos Romão.

Com sede em Ribeirão Preto, a

ORPLANA conta atualmente com 33

associações de fornecedores de cana,

sendo 25 no Estado de São Paulo,

uma no Mato Grosso, uma no Mato

Grosso do Sul, três em Minas Gerais e

três em Goiás. A entidade representa

aproximadamente 11 mil fornecedores

de cana em toda Região Centro-Sul do

Brasil.

Na cerimônia realizada em Araraquara,

Romão destacou que “o trabalho

do secretário Arnaldo Jardim

de percorrer cada região do Estado

e fazer uma provocação positiva para

coordenar todas as cadeias produtivas,

sempre foi essencial e importante

para a classe produtora”.

Atualmente, a ORPLANA através

dos seus técnicos e profissionais, cria

e propaga a oportunidade de difusão

do conhecimento e desenvolvimento

de soluções para o setor, principalmente

na área de novas tecnologias.

Segundo Romão, este trabalho é fundamental

quando há o avanço tecnológico

em todos os setores.

A FEPLANA

A Federação dos Plantadores de

Cana do Brasil, conhecida em todo o

País como FEPLANA, foi fundada em

12 de agosto de 1941, portanto há

76 anos e congrega hoje trinta e uma

associações de produtores de cana-de

açúcar, distribuídas por treze Estados

brasileiros e abrangendo mais de 66

mil produtores de cana.

A Feplana está sediada em Brasília

e dentre suas principais atividades

está a representação em âmbito federal

dos interesses dos produtores de

cana do Brasil. Seus principais interlocutores

são o Governo Federal, o Congresso

Nacional e o Poder Judiciário

Federal, além das representações nacionais

dos mais diversos segmentos

da vida nacional que possuam interação

com as atividades do agronegócio.

Atualmente responde pela presidência

da entidade, o pernambucano

Alexandre de Andrade Lima, considerado

um dos mais expressivos representantes

do setor.

Alexandre de Andrade Lima, presidente da FEPLANA e da Associação dos Fornecedores de

Cana de Pernambuco, em Araraquara

Além de ressaltar as dificuldades

do setor, mas orgulhoso em sentir a

união da classe e ter o apoio do deputado

Federal Arnaldo Jardim, Alexandre

Lima disse que o parlamentar é um

grande articulador de consenso, pois

conseguiu unir fornecedores e usinas

num propósito comum, auxiliando nas

demandas do setor, o que é de suma

importância para toda a classe.

|20


Massafera

em sua

saudação

a Arnaldo

Jardim

COMO TUDO COMEÇOU

Massafera lembra o início

de uma carreira brilhante

O descontraído discurso

do deputado Estadual

Roberto Massafera foi um

mergulho no passado,

lembrando o início da

carreira de Arnaldo

Jardim.

O reencontro de Arnaldo Jardim

e Roberto Massafera, expressões da

política paulista, desta feita foi bem

familiar e ambos lembraram de suas

trajetórias como homens públicos.

Massafera recorda por exemplo, que

seu irmão Carlos Eduardo e Jardim foram

colegas de turma no curso de Engenharia

Civil na USP: “Hoje temos um

brilhante engenheiro civil e um político

de grandes qualidades”, assegurou.

Ele não apenas lembrou o início

da carreira política de Arnaldo Jardim

como também ressaltou seu trabalho

como gestor na Secretaria da Agricultura.

Só que nestes últimos anos as

relações políticas entre os dois se ampliaram,

pois Arnaldo Jardim tornou-se

secretário de Agricultura e Massafera

passou a integrar a Comissão de Meio

Ambiente e Desenvolvimento Sustentável

na Assembleia Legislativa, com

caminhos semelhantes.

Em sua base, tendo como ponto

de partida Araraquara, Massafera tem

estado presente, atuando com brilhantismo

e estendendo suas ações por

toda a região.

A PRESENÇA DE UM DEPUTADO

DA REGIÃO NA ASSEMBLEIA

LEGISLATIVA FAZ A DIFERENÇA

O deputado Estadual Roberto Massafera

tem liberado emendas parlamentares

e intermediado investimentos

públicos e privados que têm transformado

as cidades da região. Entre os

investimentos estão:

•A construção da Fatec em Araraquara

e a construção do Centro de Diagnóstico

por Imagens da Santa Casa;

•O AME (Ambulatório Médico de Especialidades)

de Américo Brasiliense

e de São Carlos;

•O novo Fórum de Matão e a duplicação

de trecho da Faria Lima; e projetos

de casas populares em diversos municípios

da região central;

•Destinação de veículos como ambulâncias,

vans para transporte de

pacientes e micro-ônibus para estudantes

a praticamente todos os municípios

da região;

•Emendas parlamentares também

têm contemplado milhões em obras

de infraestrutura urbana como recape

e pavimentação ao longo dos três

mandatos parlamentares;

•Só em março, 12 municípios da

região foram contemplados com R$

1,4 milhão em recursos para custeio

da saúde: Américo Brasiliense, Araraquara,

Borborema, Dobrada, Dourado,

Itápolis, Jaboticabal, Matão, Pitangueiras,

Tabatinga, Taquaritinga e Trabiju.

Arnaldo e Massafera na Canasol

21|


Luís Henrique

recebendo

Arnaldo Jardim,

Silvani Silva

(coordenadora

de Agricultura

em Araraquara)

e o vice-prefeito

Damiano

Barbiero Neto

Arnaldo foi agraciado com um desenho,

através Alexandre Henrique Rocha

A notável recepção ao Secretário

Além dos produtores rurais, também

os políticos de Araraquara e região

estiveram presentes ao encontro

realizado na Canasol. O vice-prefeito

e secretário municipal do Trabalho e

do Desenvolvimento Econômico, Damiano

Neto, representando o prefeito

Edinho, participou da homenagem a

Arnaldo Jardim e lembrou que o trabalho

do parlamentar e secretário da

Agricultura deve ser considerado dos

mais louváveis: “Arnaldo tem se destacado

não apenas na política, mas

também como gestor, beneficiando a

classe dos produtores rurais”, comentou

Damiano.

Da mesma forma, Edison José

Ustulin, presidente da Comissão Especial

de Cana-de-Açúcar e Energia

Renovável da FAESP, disse que considera

“Arnaldo um amigo do campo,

de elevada respeitabilidade política e

firme nas suas decisões”. Ele lembrou

ainda de algumas situações em que

a classe precisou de apoio e Arnaldo

sempre esteve próximo para colaborar.

O CARTÃO DE PRATA

“Agradeço a carinhosa saudação

e homenagem realizada pelas entidades”,

disse Arnaldo Jardim logo após

receber o cartão de prata do presidente

da Canasol, Luís Henrique Scabello

de Oliveira. Na placa estava estampado

o reconhecimento pelo brilhantismo

de sua carreira parlamentar e desempenho

como secretário estadual.

Ao amigo Arnaldo Jardim

A homenagem que lhe prestamos reflete

o reconhecimento pelo brilhantismo

de sua carreira parlamentar e pelo

desempenho como Secretário da

Agricultura e Abastecimento do Estado

de São Paulo. Outros fatores, contudo,

se agregam à sua trajetória de conquistas

e realizações e, embora o tornem uma

personalidade das mais respeitáveis,

é essa sua simplicidade que transmite

a confiança e o companheirismo que

nos aproximam e nos dão a certeza de

que jamais estaremos sozinhos em

nossa atividade.

Presença do presidente do PPS em

Araraquara, João Luiz Braguini

Diálogo com Nestor Jamami, diretor da

CATI na região de Araraquara

Jaime Vasconcelos, presidente da

Credicentro e João Henrique de

Souza Freitas, coordenador do

SENAR Araraquara, ladeiam o

homenageado

Arnaldo Jardim recebe os

cumprimentos de Santa

Lúcia: José Roberto Trevizo

(vice-prefeito), Luiz Noli

(prefeito) e Milton Cerqueira

Leite, o Tatú (vereador)

|22


O TRABALHO

Ao falar sobre sua atuação na

secretaria, Arnaldo Jardim destacou

alguns pontos que serviram como norte.

“Não se pode manter uma disputa

entre a produção e a preservação e temos

a firme convicção de que se pode

ter um modo de produção sustentável;

a extensão rural é fundamental para

que o pequeno produtor e agricultor

familiar sobrevivam, e isso se intensifica

quando fortalecemos o cooperativismo

e o associativismo”, afirmou.

Com a orientação de que não basta

produzir alimentos, mas eles têm que

ser saudáveis, o secretário enfatizou

o trabalho de controle da qualidade

e sanidade desempenhado pela Secretaria.

“No Programa Aplique Bem,

mais de 60 mil operadores que buscam

essa qualidade foram treinados

para fazer seu trabalho”, explicou.

Outro ponto fundamental do trabalho

nos últimos anos, elencou Arnaldo

Jardim, foi a introdução da biotecnologia

para o controle de pragas.

Acima, o auditório da Canasol que

recebeu excelente público para

presenciar a homenagem a Arnaldo

Jardim; ao lado, Guilherme Lui de

Paula Bueno e Gregório Serafini,

do Departamento Técnico da

associação, com o homenageado

Encerrada a cerimônia no auditório da Canasol,

os participantes se reuniram em coquetel no salão

de festas da Credicentro. Na foto os diretores da

entidade, Nicolau de Souza Freitas, Jorge Luiz

Piqueira Lozano, Luís Henrique Scabello de Oliveira,

Romualdo Luiz Vanalli Polez, Tatiana Caiano Teixeira

Campos Leite e Francisco Malta Cardozo com

Arnaldo Jardim

Aparecido Donizete João, Romualdo Luiz Vanalli Polez,

Marcelo Benedetti, Arnaldo Jardim, Reginaldo Benedetti

e Mathias Vianna

Luís Henrique, Acácio Masson Filho (Assobari/Bariri),

Nicolau de Souza Freitas, Arnaldo Jardim e Pedro Tonetti

(Sindicato Rural de Pirassununga)

23|


|24

O Senhor

Secretário

Arnaldo Jardim nasceu em Altinópolis

(SP). É engenheiro civil pela

Escola Politécnica da USP (Poli/USP)

e iniciou a vida política como líder

estudantil, quando foi diretor do DCE

da USP e da União Estadual dos Estudantes,

na época das lutas pela democracia.

Exerceu quatro mandatos como deputado

Estadual e foi líder da bancada

do PMDB na Assembleia Legislativa de

São Paulo. Eleito pela primeira vez, em

1985, foi o relator da Constituição Estadual

e da emenda que acabou com

a imunidade parlamentar para crimes

comuns. Jardim foi secretário Estadual

da Habitação entre 2002 e 2004.

Foi autor da Política Estadual de

Apoio ao Cooperativismo, da Política

Estadual de Resíduos Sólidos, do Pro-

grama Saúde do Adolescente, da lei de

apoio ao Cooperativismo, além de ter

coordenado as frentes parlamentares

da Habitação, do cooperativismo e da

Energia Limpa.

Foi o 1º vice-líder da bancada do

PPS na Câmara Federal. Titular na

Comissão de Minas e Energia e presidente

da Frente Parlamentar em

Defesa da Infraestrutura Nacional e

da Frente Parlamentar pela Valorização

do Setor Sucroenergético (Frente

do Etanol); membro da Comissão de

Meio Ambiente e Desenvolvimento

Sustentável e coordenador do Grupo

,

de Trabalho sobre Resíduos Sólidos

da Frente Parlamentar Ambientalista

do Congresso Nacional. Foi relator da

Lei da Política Nacional de Resíduos

Sólidos (PNRS). É relator do projeto

de Lei de Pagamento por Serviços

Ambientais (PSA).

Nos últimos cinco anos foi reconhecido

nas publicações “100 Cabeças

do Congresso Nacional”, elaboradas

pelo Departamento Intersindical de

Assessoria Parlamentar (Diap), e por

votações realizadas pelo Portal Congresso

em Foco, como um dos melhores

parlamentares da Câmara Federal.

Em março, Arnaldo deixou a Secretaria

de Agricultura e Abastecimento

do Estado de São Paulo, retornando a

Brasília para reassumir o cargo de deputado

Federal em terceiro mandato

(2007/2018); ele também presidiu o

Conselho Nacional de Secretários da

Agricultura (2015/2016) e é o atual

presidente Estadual do PPS em São

Paulo.

,

Políticas públicas podem

fazer a diferença. Basta

homens sérios no lugar certo.


INSTABILIDADE ECONÔMICA E POLÌTICA

Crise impulsiona os araraquarenses a

buscarem vida nova em Dublin, na Irlanda

Cidade europeia é um dos

destinos preferidos dos

brasileiros que procuram

intercâmbio e trabalho

ao mesmo tempo; Micheli

Valala e Alex Cortes

trocaram o calor da Morada

do Sol pelo frio irlandês.

Fique atento. Caminhar pelos bucólicos

parques de Dublin, capital e

maior cidade da Irlanda, ou mesmo

tomar uma cerveja em seus inúmeros

e charmosos pubs, pode te colocar

frente a frente com um conterrâneo

araraquarense.

Hipérboles à parte, o fato é que

a cidade é, segundo o último senso,

um dos destinos preferidos dos brasileiros

que buscam uma nova vida

na Europa.

E, claro, nossa cidade, encaixa-se

nesta tendência. Em pesquisa pelas

redes sociais, a Revista Comércio,

Indústria e Agronegócio apurou que

dois araraquarenses estão por lá há

pouco tempo, batalhando por uma

nova vida, incentivada em grande

Micheli sonha em levar a mãe, que mora em Araraquara, para viver com ela

parte, pela crise econômica na qual

o Brasil está há alguns anos.

De gerações (e profissões) próximas,

todos na faixa dos 30, 40 anos,

o publicitário Alex Cortes e a jornalista

Micheli Valala encheram a mala

de coragem, deram um até breve

aos amigos e familiares e cruzaram

o oceano com o objetivo de nunca

mais voltar a terras tupiniquins. Ou

demorar bastante para tal.

“Vez ou outra eu me pego pensando

como a minha vida no Brasil

era confortável – não precisava fazer

supermercado, cozinhar, lavar

roupa. Chegava em casa cansada

e minha mãe deixava tudo pronto

para mim. Por outro lado, quando

lembro da situação em que o Brasil

se encontra (crise, desemprego e

corrupção, entre outros) esses pensamentos

vão embora rapidinho”,

conta Micheli Valala, no país desde

novembro de 2017. Micheli estuda

inglês e trabalha nos fins de semana.

“Eu sentia muita necessidade de

ficar fluente em inglês, ou próximo

disso, pensando principalmente na

minha carreira. Diante do fato de não

conseguir trabalhar na área, guardei

dinheiro e resolvi fazer intercâmbio.

Dos países que oferecem o curso de

inglês com direito a trabalho, a Irlanda

era o que mais compensava”, conta.

Visão noturna de uma das ruas do centro de Dublin

CONTINUA NA PÁGINA SEGUINTE

25|


Alex Cortes pretende trabalhar em sua área (publicidade) em Dublin

Alex Cortes também está na Irlanda

visando ampliar seu currículo profissional.

“Todos os brasileiros aqui

têm saudade do Brasil, mas a crise

política e a falta de oportunidade de

trabalho desanimam muita gente. O

mercado de trabalho é movimentado

e há muita oportunidade para todos

os tipos de profissões, inclusive para

a minha”, explica Cortes que mora no

Centro junto com amigos.

Para ele, a vontade de vencer supera

todas as dificuldades, desde a

saudade de casa até o frio extremo.

“A cidade é incrível, apesar de estar

nevando muito agora, o que é raro por

aqui, o clima é agradável (parecido

com o de São Paulo) e a cidade tem

diversas opções de entretenimento,

vários parques, locais públicos e históricos

para conhecer e claro os pubs,

que são muitos por aqui. É fácil viajar

para outros cantos do país. Em 3 horas

você consegue chegar de ônibus

na Irlanda do Norte, por exemplo. Os

irlandeses são, de um modo geral,

gentis e educados. Um dia volto ao

Brasil, mas não sei quando”, relata

Alex Cortes.

“Moro num bairro chamado

Blackrock. Minha casa fica dentro de

um parque, com lago, patos e muitas

árvores. É simplesmente maravilhoso,

parece cena de filme. O clima

frio para mim é perfeito, amo o frio. A

ideia é pegar a minha cidadania, ficar

fluente em inglês, me estabelecer na

Europa e trazer minha mãe para morar

comigo”.

VOCÊ TAMBÉM PODE!

De acordo com uma pesquisa feita

pelo site E-Dublin, com mais de 1500

intercambistas, 42% dos brasileiros

que estão fazendo intercâmbio na Irlanda,

também trabalham. Atualmente,

os grandes setores empresariais

irlandeses estão centrados em softwares,

computadores, biomedicina,

farmacêutica, produtos médicos e

serviços, e com forte contribuição de

dinheiro americano, especialmente

devido aos laços culturais que existem

entre Irlanda e Estados Unidos

- cerca de 40 milhões de americanos

têm ancestrais de origem irlandesa

e isso contribui no relacionamento.

|26


EXCELÊNCIA

Trabalhando

na formação

de seres

humanos

O Intercâmbio do Rotary

oferece a milhares de jovens

a oportunidade de conhecer

pessoas de outras terras e

experimentar sua cultura.

Desde 1927, estudantes e famílias

anfitriãs no mundo inteiro expandiram

horizontes e enriqueceram

suas vidas por intermédio do Intercâmbio

de Jovens do Rotary, administrado

por Rotary Clubs, distritos e

grupos multidistritais de mais de 100

países.

E a bagagem de uma experiência

como esta avança um simples aprendizado

de línguas: ela vai ao encontro

da formação humana, afinal, anualmente,

são diversos filhos de rotarianos

girando o globo em busca de

vivências para se tornarem cidadãos

do mundo.

Quem nos conta tudo isso é

Fábio Luiz Alcedo, coordenador de

Interact do Rotary Araraquara. Ele

nos explicou que o programa de intercâmbio

do Rotary apresenta dois programas:

longa duração (12 meses) e

curta duração (seis meses).

Atualmente, o distrito ao qual ele

pertence, o 4540, monitora a estadia

de jovens de 15 a 19 anos na Alemanha,

França, México, Colômbia, EUA,

Equador, Japão, Argentina, Canadá

e Índia. De Araraquara, apenas uma

pessoa está inserida no sistema, cuja

identidade foi preservada.

“Os pais apenas bancam a passagem

de ida e volta. Todos os gastos

são mantidos pelo Rotary, porém há

uma cartilha muito séria a ser seguida.

Fora do país, coordenadores

acompanham todo o processo. Tudo

Fábio em jantar com a esposa Susy, a filha Camille e a equatoriana Emily Delgado

(de amarelo)

é muito sério e seguro, pois os jovens

ficam na casa de rotarianos. E todo

rotariano confia em outro rotariano”,

explica.

Mas será que todo jovem tem o

conhecimento de quanto essa viagem

pode ser benéfica para a sua

vida? Será que é uma imposição dos

pais? Segundo Alcedo, esse universo

faz parte da vivência de uma família

ligada ao Rotary. “Claro que as saudades

são intensas, mas tratamos as

crianças como nossos filhos, arcando

com todos os cuidados e dedicação

máxima, sempre”, conta. E esse sentimento

é recente no coração de Fábio

Luiz Alcedo, pois há pouco tempo ele

recebeu em sua casa a equatoriana

Emily Delgado, de 15 anos. Hospedar

um estudante é uma excelente experiência.

Os anfitriões oferecem estadia

e compartilham seu dia a dia com

os participantes do programa, envolvendo-os

em atividades familiares,

comunitárias e culturais. Todas as

famílias passam por triagem e treinamento.

“Nossa identificação foi tanta

que vou visitá-la em breve. Toda a

minha família a ama”, finaliza Alcedo

com um grande sorriso no rosto.

Na despedida de Emily do Brasil, o Colégio Objetivo ofecereu uma bolsa de estudos para

a equatoriana

27|


HOMENAGEM

SinHoRes sobe no ranking; é o

segundo sindicato do interior

O trabalho de uma diretoria coesa eleva o perfil

sindical da nobre categoria gastronômica da cidade.

Foi em abril de 1971 que os empresários

Vicente Michetti e Apparecido

Dahab iniciaram os estudos para implantação

na cidade, de uma associação

que congregasse os restaurantes,

hotéis, bares e lanchonetes. Até então,

Araraquara era uma cidade emergente

no Estado de São Paulo com pouco

mais de 75 mil habitantes, mas para

eles seria o primeiro passo para o fortalecimento

da classe.

Num final de tarde, ainda em abril,

Michetti e Aparício (Apparecido), se

encontraram numa sala existente no

térreo do Hotel Uirapuru, desta feita

acompanhados de Dirceu Aparecido

de Carvalho, que era secretário da

Associação Comercial e do Sindicato

do Comércio Varejista. A fundação da

Associação Profissional dos Hotéis e

Similares de Araraquara seria a partir

daí, com Dirceu de Carvalho preparando

o Edital de Convocação da classe

publicado no jornal O Diário, edição de

25 de maio de 1971. Na verdade, os

donos de hotéis, restaurantes, bares

e lanchonetes foram convidados por

uma comissão e na assembleia presidida

por Vicente Michetti, definiu-se

uma diretoria provisória.

Através de edital do dia 13 de junho

de 1971, publicado no jornal “O

Imparcial”, foi então realizada dois

dias depois, a assembleia para a

aprovação do estatuto e eleição da primeira

diretoria da APHSA (Associação

Profissional dos Hotéis e Similares de

Araraquara). Só 10 anos mais tarde é

que a associação pôde se transformar

em sindicato recebendo para isso a

sua Carta Sindical.

NOVA FASE

No seu aniversário, o SinHoRes lançou

um guia gastronômico para divulgar as

atividades dos seus associados

José Carlos Pascoal Cardozo, ligado

ao setor gastronômico desde 1978

quando ele e os irmãos Elias, José Roberto

e Antônio José iniciaram as atividades

da Lanchonete Ca-suco, sempre

acompanhou bem de perto o trabalho

do sindicato. O relacionamento com

Aparício, proprietário da Kibelanche e

Vicente Michetti, do Hotel e Estância

Uirapuru, foi plenamente saudável e

isso lhe rendeu conhecimentos que

anos depois o levaria a ser presidente

da entidade, onde desenvolve um

trabalho dos mais notáveis.

Na noite de 22 de fevereiro ao comemorar

os 36 anos da outorga da

Carta Sindical, Cardozo foi enfático

ao destacar o apoio dos companheiros

de diretoria e da própria classe:

“A interação entre a entidade e os associados

é muito importante; precisamos

caminhar juntos, tornando assim

o sindicato forte”. Para ele, o momento

atual é mais difícil com o fim da obrigatoriedade

do recolhimento do imposto

sindical, porém, o trabalho deixado por

companheiros como Michetti, Dahab,

Joaquim Palomino, nos dá alento e

força para continuidade dos nossos

objetivos, ressaltou Cardozo.

Mais adiante, Cardozo foi bem claro

ao reconhecer o apoio dos antigos

companheiros: “Nós herdamos uma

entidade que já possuía um alicerce

muito forte e hoje estamos tentando

Presidente José Carlos

Pascoal Cardozo

com sua diretoria,

tem adequado

permanentemente o

sindicato aos novos

tempos

A sede do SinHoRes com

seus dois andares no

centro da cidade, coloca

o sindicato entre os mais

atuantes no interior de

São Paulo

|28


manter este mesmo padrão de atendimento,

trazendo inclusive mais empresários

para nos auxiliar”. Segundo

ele, assim agindo, o sindicato poderá

conhecer e discutir os problemas de

toda classe e não apenas de um empresário.

A GRANDE PROMOÇÃO

Com o tema “Sabores Regionais

Brasileiros”, a Copa Brasileira de

Pizzarias que é um concurso aberto

a todas as pizzarias do Brasil, terá

uma das suas etapas classificatórias

realizada em Araraquara no dia

O presidente

do Sincomercio,

Antonio Deliza

Neto fazendo

uma saudação

ao presidente do

SinHoRes, José

Carlos Pascoal

Cardozo e aos

diretores

23 de abril, sendo escolhidos na

oportunidade, cinco pizzaiolos que

disputarão a final. O projeto, segundo

Cardozo, é desenvolvido pelo CTP

– Centro Tecnológico de Desenvolvimento

de Pizzas e Massas no Brasil

em parceria com a feira Fispal Food

Service.

A grande final da disputa acontecerá

durante a Fispal Food Service 2018,

nos dias 12 a 15 de junho, no Expo

Center Norte, em São Paulo. Os participantes

terão que confeccionar sua

pizza utilizando os produtos dos patrocinadores

e os ganhadores levarão um

Forno JJAC 5058 (primeiro lugar), uma

Moto Laticínios Scala (segundo) e uma

Divisora Automática DA-200 (terceiro)

Em Araraquara, a fase de classificação

já está com inscrições abertas no próprio

SinHoRes.

LANÇAMENTO

O guia lançado pelo SinHoRes em

março, além de divulgar pontos turísticos

da cidade, também apresenta um

roteiro de hospedagem e gastronomia,

dando assim ênfase ao trabalho dos

estabelecimentos associados.

Diretores do SinHoRes com o presidente da

Câmara Municipal, Jéferson Yashuda e o

vice-prefeito Damiano Barbiero Neto

29|


INDÚSTRIA

‘Araraquara é um polo de grande demanda

por produtos voltados ao agronegócio’

O presidente da empresa

ressalta localização

estratégica da cidade.

A Randon S.A Implementos e Participações

chegou a todo vapor em

Araraquara. Mesmo operando em sua

parte industrial desde 8 de janeiro, somente

agora a empresa começa sua

produção, otimizada em cerca de 2 mil

unidades ao ano entre semirreboques

e vagões ferroviários.

Em entrevista durante a cerimônia

de inauguração no dia 28 de março,

o presidente David Abramo Randon

ressaltou que a unidade local permite

uma melhor condição de atendimento

aos mercados, dentro do modelo integrado

de produção que visa garantir

serviços de excelência. “A Randon

Araraquara está num polo de grande

David Randon, presidente da Randon S.A

demanda por produtos do universo do

agronegócio, como os semirreboques

canavieiros e vagões ferroviários. Estamos

mais perto de nossos clientes,

o que nos permite negócios e entregas

mais rápidas”, disse. A cerimônia

também contou com a presença do

governador Geraldo Alckmin (PSDB) e

do prefeito Edinho Silva (PT), que almoçaram

com a diretoria da Randon.

Com investimento de 100 milhões, a

Randon S.A Implementos e Participações

soma 122 hectares, dos quais

25 mil m² são ocupados pela fábrica,

área administrativa e apoio.

Sérgio Carvalho (COO Autopeças

empresas Randon), Daniel Randon

(vice-presidente), David Abramo Randon

(diretor-presidente da Randon), Alexandre

Randon (presidente do conselho de

administração da Randon), Alexandre

Gazzi (COO montadoras Randon) e Sandro

Trentin (diretor da unidade Araraquara)

|30


ACESSIBILIDADE

Stéfani Motors tem programa de vendas

para Portadores de Necessidades Especiais

Desconto de 12% e isenção

do IPI estão disponíveis para

o incrível Corolla XEI, líder

de vendas do modelo.

A promoção termina em junho.

Visando promover mobilidade para

todos e respeito à diversidade, a preocupação

com a inclusão de portadores

de necessidades especiais faz parte

das ações da Toyota. Dentro desta

esfera, o Toyota Corolla 2018 continua

sendo a estrela do momento para

aquisições com processo de isenção

para Portadores de Necessidades

Especiais.

Segundo Henrique Passos, gerente

de vendas da Stéfani Motors, a Toyota

Brasil, a fim de manter a satisfação

de seus clientes, liberou um desconto

de 12%, além da isenção do IPI

para o Corolla XEI – líder de vendas

do modelo. A promoção é válida até

o dia 30/06/2018. A Stéfani Motors,

em suas três lojas (Araraquara, São

Carlos e Jaboticabal), disponibiliza o

carro para testdrive.

O custo inicial do veículo é de R$

106.300 (pintura metálica), porém,

com os descontos, o valor cai para

R$ 84.277,89. “Este carro possui

uma grande procura, pois seu custo

‘O Corolla é a opção mais segura da categoria para PCD’, diz o gerente Henrique Passos

benefício é muito bom. O Corolla é

hoje a opção para PCD mais segura

da categoria, pois vem de fábrica com

controle de tração, estabilidade e sete

airbags”, explica Henrique Passos.

De acordo com o gerente, por

conta de todas essas peculiaridades

da marca, existe uma grande lista de

espera no Brasil inteiro. “Nós, como

concessionários, somos intermediários

entre cliente final e montadora,

portanto, tiramos o pedido que entra

na lista nacional de faturamentos. O

atendimento da fila do Corolla está em

torno de 30/60 dias”, relata.

MAIS DETALHES

O Corolla XEI possui bancos em

couro, sistema multimídia com tela

de 7 polegadas e câmera de ré, suas

rodas são de liga leve aro 17, botão

Start Stop, entre outras comodidades.

“O carro também vem com sete airbags,

controles de tração e estabilidade,

novidade na versão 2018. Além

disso, ele teve seu visual renovado e

continua com o consagrado câmbio

automático CVT, que garante ótima

dirigibilidade e conforto”, finaliza Henrique

Passos.

SERVIÇO:

Avenida Alberto Benassi, 2270

Jardim dos Manacás

Araraquara

Luís Gustavo (consultor de venda direta) e Henrique Passos (gerente da Stéfani Motors).

Entre em contato com as concessionárias Stéfani Motors: Araraquara (16-3303.9090),

Jaboticabal (16-3209.2300) e São Carlos (16-3363.4040)

31|


PROBLEMAS À VISTA

Aumento de 8% nas tarifas dos Correios

pode prejudicar ecommerce da cidade

Adriana Machado é uma das

empresárias preocupadas

com uma possível queda nas

vendas; para a analista em

web Márcia Ceschini, cenário

pode ter reviravoltas.

Para aqueles pequenos e médios

empreendedores que atuam com vendas

via internet, a notícia do reajuste

em até 8% no preço dos fretes dos

Correios para serviços de Sedex e PAC

foi extremamente negativa. Vale ainda

lembrar que há um acréscimo de

R$ 3 para entregas a clientes do Rio

de Janeiro. O aumento é considerado

abusivo, pois supera em três vezes o

cálculo oficial do Índice Nacional de

Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Em comparação a outros países

da América Latina, o nosso frete é

42% mais caro do que o da Argentina,

160% mais caro que o mexicano

e 282% mais caro que o serviço de

entregas na Colômbia.

Na avaliação de Márcia Ceschini,

especialista em web e diretora de social

media da Chili 360 em Araraquara,

essa situação pode ter reviravolta

em breve. “São aumentos muito acima

da inflação e as entidades ligadas

ao ecommerce estão se preparando

Márcia Ceschini

PAC e Sedex

são os serviços

que sofreram

alteração

para tomar medidas que invalidem.

Um exemplo é o Mercado Livre que

conseguiu isenção desse aumento”,

analisa. Além do Mercado Livre, o

site de vendas Netshoes também

externou sua indignação, lançando a

campanha #FreteAbusivoNão. Porém,

no caso deles, até o momento nada

mudou, mantendo-se as taxas antigas

apenas para o Mercado Livre.

NA PELE

O fato é que para aqueles que

vinham encontrando no ecommerce

uma saída para os negócios, o reajuste

vai pesar no bolso, indicando

possível queda nas transações.

Esta preocupação assola a empresária

Adriana Machado, que cozinha

e produz artesanatos místicos. Seu

serviço de compra e venda é feito,

regularmente, pela internet. “Adquirimos

produtos vindos de outros estados

para o preparo dos nossos pratos

culinários, assim como maquinário industrial

para nossa cozinha”, revela.

Ela diz que sua última compra foi

feita antes do aumento, mas apesar

de não ter sofrido o transtorno do

reajuste, percebeu demora na entrega.

“Quanto à venda, já percebemos

um aumento de no mínimo R$8 no

valor do frete para produtos enviados

para São Paulo. Esperamos que

tal fato não atrapalhe nosso empreendimento,

mas estamos receosos.

Tudo está ficando quase o mesmo

valor do produto enviado e tal fato

deixa de ser algo vantajoso para

ambas as partes”, analisa Adriana.

ALEGAÇÃO DOS CORREIOS

Em nota no seu site oficial, os Correios

explicam que o reajuste se trata

de uma “revisão anual” e que a definição

dos preços é baseada nos custos

relacionados à prestação dos serviços,

considerando gastos com transporte,

pagamento de pessoal, aluguéis de

imóveis, combustível e contratação

de recursos para segurança. Sobre o

aumento da taxa no Rio de Janeiro, a

explicação resume-se ao “crescimento

da violência na cidade e os perigos aos

quais são expostos os profissionais”.

Adriana

Machado

|32


33|


PLANTANDO A SEMENTE

O que pensam

essas crianças

Espaço destinado para que

as crianças mostrem como

terá que ser o futuro da nossa

cidade. Correspondência para

Rua Tupi, 245 - CEP 14.801-307.

João Gauna, 8 anos, imagina uma

Escola Divertida para crianças

João Vitor da Costa José, 11 anos,

sonha com ruas arborizadas

* Da Redação: alunos do Lar e

Escola Redenção em nossa cidade

ARTIGO

Segmento pet em plena

ascensão no Brasil

Felipe Moura, empresário e diretor interino da Moura

Informática, escreve texto especial sobre o crescimento do

setor pet no País e o interesse de quem na área quer entrar.

Imagine ter mais de 100 milhões

de clientes. Seria perfeito, não é? De

acordo com pesquisa da Associação

Brasileira da Indústria de Produtos

para Animais de Estimação, em 2013

haviam mais de 132 milhões de animais

de estimação: 52 milhões de

cães, 22,1 milhões de gatos, 18 milhões

de peixes e 37,9 milhões de

aves. Os dados da Abinpet devem ser

atualizados neste ano, porém é visível

um número cada vez maior de animais

de estimação, o que faz acreditar que

os números citados acima cresceram

bastante.

Em relação a faturamento de todo

o segmento, 2017 fechou com aumento

de 7% em relação a 2016, alcançando

R$ 19 bilhões. Este valor reforça o

crescimento e mostra que é um setor

que pode ser muito explorado.

No segmento, uma opção mais consolidada para

garantir o sucesso do negócio são as chamadas

franquias. De pet shops, clínicas, chegando até a

planos de saúde animal...

Animais de estimação viraram

membros da família, o que explica o

aumento de gastos por parte dos tutores.

Em média, cerca de R$ 300/mês

é desembolsado por cão, entre ração,

mimos, banho e tosa. Para gatos, o valor

cai para a média de R$ 120/mês.

Nos últimos anos, os empreendimentos

pets têm nascido com a intenção

de abocanhar uma fatia deste

faturamento.

Dentro do segmento, uma opção

mais consolidada para garantir o sucesso

do negócio são as franquias. De

pet shops, clínicas, chegando até a planos

de saúde animal, elas oferecem

estabilidade maior do que começar

seu negócio do zero. Mas, claro, isso

varia muito de onde quer chegar.

Felipe

Moura

Por isso, é muito importante um

planejamento profundo, ampla pesquisa

de mercado, região, público-alvo e

muito mais. Visite o Sebrae de sua cidade

para receber mais informações

ou cogite, então, contratar uma consultoria

que possa te auxiliar.

Aposte em algo diferenciado. Caso

seja difícil pelo tamanho da sua cidade

por exemplo, invista em treinamentos

e cursos especializados para oferecer

um serviço escasso ou inexistente.

Atendimento personalizado é um dos

pilares do seu negócio, além de um

bom planejamento e fornecedores que

ofereçam o melhor custo-benefício, podendo

levar essa vantagem também

aos seus clientes.

Uma sugestão para quem quer

iniciar seu negócio pet é a Clínica

Empreendedora. O espaço possui

materiais gratuitos e cursos

online com coordenação do

Professor Marco Antonio Gioso,

livre-docente da Faculdade de

Medicina Veterinária e Zoonoses

da USP e conselheiro da

World Veterinary Dental Council,

além de atuar na área de gestão

e empreendedorismo.

A inovação é a chave para que sua

empresa cresça sempre, por isso é importante

não estagnar. Se tem uma

loja física, estude a possibilidade de

abrir um e-commerce com vendas

para o Brasil todo. Há ótimas oportunidades

para este meio, porém é

sempre necessário pensar em qual

será seu diferencial, principalmente

porque a internet é um meio com

mínima interferência humana, então

possuir produtos de qualidade e garantir

ações eficazes para sua loja eletrônica,

fidelizam seus clientes muito

mais fácil e rápido, levando o nome

de sua marca para outros potenciais

consumidores.

|34


ESPECIAL

NOITE DE LANÇAMENTO

Pedro Tedde (direita) recebe

os pré-candidatos Alexandre

Machado, Rogerio Chequer

e Christian Lohbauer em

Araraquara

Partido NOVO apresenta

suas ideias em Araraquara

Evento contou com a presença de Rogerio Chequer (pré-candidato ao

governo do Estado), Christian Lohbauer (pré-candidato ao Senado) e

Alexandre Machado (pré-candidato a Deputado Federal por Araraquara).

35|


Plateia atenta às propostas discorridas durante a atividade

Por uma aproximação maior com

a sociedade da nossa Araraquara

Encontro no auditório do Hotel Comfort possibilitou um diálogo mais intimista junto

à população da cidade e também abriu uma oportunidade para discussão e reflexão.

Movimento iniciado por cidadãos

insatisfeitos com o montante de impostos

pagos e a qualidade dos serviços

públicos recebidos, o partido

NOVO realizou, no dia 15 de março,

no Hotel Comfort, em Araraquara,

uma reunião para apresentar suas

propostas e filosofias para o público

de uma maneira geral.

O evento contou com a presença

de Rogerio Chequer (pré-candidato

ao governo do Estado), Christian Lohbauer

(pré-candidato ao Senado),

Alexandre Machado (pré-candidato a

deputado Federal por Araraquara) e

Vinícius Paiva (coordenador local do

NOVO). Vinícius Poit, outro pré-candidato

a deputado Federal, também

participou da atividade.

Em comum, no discurso de todos,

ficou claro que a base do pensamento

do partido apoia-se em quatro

pilares: menos interferência do

Estado, liberdade para empreender,

menos impostos e o fim do fundo

partidário.

Com cerca de 18 mil filiados em

todo o Brasil e criado em 2011, o

NOVO também ressalta que não usa

dinheiro público, não faz coligações,

proíbe a segunda reeleição, bem

como busca candidatos capacitados,

sem vícios ou carreira política.

À reportagem da Revista Comércio,

Indústria e Agronegócio, com

exclusividade, Rogerio Chequer comentou

a importância de eventos do

tipo. “Gostamos de rodar o Interior e

Litoral com esses encontros não só

para conversar com novas pessoas,

Durante a convenção, Pedro Tedde, Christian Lohbauer, Rosangela Peccinini, Celso

Haddad e Antônio Deliza Neto

|36


mas também para entender a realidade

desses lugares, para saber

como o governo pode ajudar na melhora

da sociedade”, conta.

Christian Lohbauer nos disse que

até agora, mais de 900 reuniões foram

realizadas durante a pré-campanha.

Segundo ele, a repercussão

está extremamente positiva. “Estamos

crescendo no Brasil inteiro. Em

outubro, faremos um bom papel. A

descrença no cenário político é alta.

Quando conseguimos replicar nossas

ideias, nos sentimos satisfeitos.

É um trabalho de formiga mesmo”,

pontua.

O araraquarense Alexandre Machado,

que quer representar a cidade

como deputado Federal, conheceu

o NOVO justamente em atividade

do tipo. “Procurava um partido e não

me identificava e vi que era isso que

buscava. Nossa disseminação é no

boca a boca, sem dinheiro público”,

informa.

“Temos a vontade de deixar algo

para as gerações que virão. Falta um

veículo para que possamos realizar

esse sonho e agora o encontramos,

arremata Vinícius Paiva, coordenador

local do NOVO. Para Pedro Tedde,

membro do R30 de Araraquara,

o evento já rendeu frutos para o partido,

que ganhou novos filiados. “O

NOVO não tem herói. Ele pertence a

todos os filiados”, completa.

Família Tedde: Pedrinho, Marisa, Pedro,

Felipe e Rafael

PERFIS

Número de filiados cresce a cada dia

Rogerio Chequer formou-se em

engenharia, trabalhou no mercado

financeiro por 18 anos, a maior parte

deles, nos Estados Unidos e há

5 anos fez uma pequena transição

para o mercado de Comunicação. Na

SOAP, trabalhando na preparação de

executivos para momentos decisivos,

começou a trabalhar com psicologia.

Em 2014, no meio desta jornada

que transita entre o racional e o

emocional, criou com amigos o Movimento

Vem Pra Rua, que junto com

outros movimentos sociais, trouxe

mais de 10 milhões de pessoas às

ruas no último ano, nas maiores manifestações

da história do Brasil.

Christian Lohbauer é Mestre e

Doutor em Ciência Política pela USP/

SP. É vice-presidente de Assuntos

Corporativos da Bayer no Brasil, diretor

do Conselho de Agricultura da

Fiesp (COSAG/Fiesp), vice-presidente

do capítulo brasileiro do Conselho

Empresarial da América Latina

(CEAL) e membro da diretoria da

Associação Brasileira de Agribusiness

(ABAG). Foi presidente Executivo

da CitrusBR (2009-2013), diretor

Executivo da ABEF (2006-2009),

secretário de Relações Internacionais

da Prefeitura de São Paulo

(2005) e gerente de Relações Internacionais

da FIESP (2001-2004).

Consultor de Empresas, especialista

na área de Saúde Pública e

Privada, Alexandre Machado é formado

em Estatística e Tecnologia

da Informação, Professor de Matemática

Financeira com formação em

Contabilidade, Administração e Tecnologia

da Informação. Fundador e

vice-presidente do ITEC (Instituto de

Tecnologia da Cidade de Araraquara

e Região), também é presidente do

Comcriar.

Vinícius Paiva, coordenador do NOVO

em nossa cidade

Rogerio Chequer, pré-candidato ao

governo do Estado de São Paulo

Christian Lohbauer, pré-candidato ao

Senado, durante sua apresentação

Alexandre Machado, pré-candidato a

deputado Federal

37|


|38


39|


DIA DE VISITA

EM NOSSA REDAÇÃO

FATOS & FOTOS

DA REDAÇÃO

MENOS VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES

CEL. WALDEMIR CRISTIANO

Coronel Waldemir Cristiano veio

conhecer o trabalho da RCI. Paulistano

de nascimento, tornou-se aspirante de

oficial da antiga Força Pública, hoje

Polícia Militar, em 1958; aqui chegou

em 1976, passou por Marília (77 a 80)

e Ribeirão Preto (80 a 86), entrando

para a reforma um ano depois em

São Paulo (Corpo de Bombeiros). Em

Araraquara jogou futebol amador pelo

Grêmio. Obrigado pela visita.

ANTONIO LORENZETTI

SUBINDO

Instalada há três

anos na Incubadora

de Empresas,

a Led Visual

Médica recebeu

R$ 400 mil para o

desenvolvimento de

um equipamento

de fototerapia

que possibilita a

diminuição dos

índices de bilirrubina ​

(substância

produzida pelo

fígado) ​em ​recémnascidos,

a partir

da tecnologia

LED de última

geração. Sorte nesta

empreitada.

DESCENDO

Uma foto de

alguns vereadores

a procura de

escorpiões no

Parque Infantil

viralizou na internet

nos últimos dias.

Tudo bem, a ação é

válida, mas cuidado

com a vergonha

alheia. O povo anda

com a cabeça na

lua com a classe

política. Ninguém

mais suporta a

autopromoção. Mas

tudo bem, problema

resolvido então? E

nas outras regiões

da cidade?

Organizado pelo Conselho Municipal dos

Direitos da Mulher, a mobilização “Por

Giovana, Por Hemelly, Por Marielle, por

todas nós” foi destaque no Parque Infantil

no último mês. A manifestação lembrou

casos recentes que chocaram a cidade

e região: a morte da pequena Geovana

Maria de Oliveira Ribeiro, de apenas 8

anos, estuprada e espancada por um

vizinho em Ibitinga; Hemilly Brenda

Gonçalves de Oliveira, de 14 anos, morta

em Araraquara, espancada por um tio e

também o assassinato da vereadora do

PSOL do Rio de Janeiro, Marielle Franco,

executada com 9 tiros. Em frente a escola

onde Hemilly estudava (em frente o

Cemitério dos Britos) suas colegas fizeram

outra manifestação.

Soprando velas

O hino oficial de Araraquara,

composto pela Professora

Aparecida de Jesus Godoy

Aguiar, comemora 46 anos.

O áudio com a primeira

gravação em disco de vinil

‘78 rpm’ captado pelo

comunicador Antonio Carlos

Rodrigues dos Santos, em

1972, nos estúdios da Rádio

Cultura, com a participação

do coral da Igreja

Presbiteriana Independente da

Vila Xavier e a Banda do 13º

Batalhão da Polícia Militar,

está disponível para audição

no YouTube.

Acesse o link e confira:

https://goo.gl/GzAiHs.GzAiHs

Antonio Lorenzetti foi diretor financeiro

da Prefeitura em várias administrações,

sendo um dos servidores mais

respeitados pela ética, fidelidade e

respeito ao dinheiro público, raridade

hoje em dia dentro da gestão pública.

Era uma espécie de conselheiro de

Waldemar De Santi. Volte sempre.

Araraquara em destaque no MasterChef Brasil

Katleen sonha com seu

próprio restaurante

Atualmente morando em Araraquara, Katleen

Lacerca participa do MasterChef Brasil, transmitido

às 22h30 de terça, pela Tv Bandeirantes. Vencedora

do concurso Sesi Chef 2016, Katleen dava aulas de

literatura para adolescentes, porém largou tudo para

seguir a gastronomia. Batalhadora, tem orgulho da

sua trajetória e foi a primeira pessoa da família a

concluir o ensino superior. Vem se preparando para a

competição há algum tempo e quer superar os seus

limites na cozinha. Natural de Ituiutaba/MG, ela sonha

em ter um restaurante rústico de comida mineira e ser

uma chef estrelada.

|40


FRASE

‘Não tenho

nenhuma

pretensão em

me candidatar

a algum cargo

Magdalena

político, mas nunca fui tão cobrado

como agora. O argumento é de que se

não houver quem se habilite, os mesmos

vão continuar fazendo essa farra. Eu

nem sei porque estão indicando-me

como postulante a deputado. Nunca me

atrevi a anunciar que seria candidato’.

Resposta do radialista José Carlos

Magdalena a um internauta no

facebook, que apoia sua candidatura

a deputado Federal em 2018. O post

faz alusão à pesquisa feita no portal

da RCIA: ‘Você votaria em José Carlos

Magdalena para deputado Federal’?

Homenagem merecida

Em solenidade marcada pelo

clima musical, o cantor Daniel

Ianni recebeu o Título de Cidadão

Araraquarense na Câmara

Municipal. A história da música na

vida de Ianni foi intensa. Em 1965,

com a fusão do Trio Coringa e do

grupo Marajó, nasceu o grupo

Namorados do Samba, depois, Arte

Vocal, formado pelo amigo Osmar

Placeres e sua filha Mara. Sua

historia está registrada na edição

de fevereiro deste ano da Revista

Comércio, Indústria e Agronegócio.

Parabéns, judocas

A equipe de judocas da Fundesport

(23 atletas) começou bem a

temporada 2018 ao trazer 17

medalhas da Copa Educa Judô,

disputada em Ribeirão Preto. Com

a participação de 42 cidades e 850

atletas de várias faixas etárias, das

classes sub 07 ao adulto masculino e

feminino, a competição rendeu sete

medalhas de ouro e dez medalhas

de prata para a cidade.

41|


|42


AGRO

N E G Ó C I O S

INFORMATIVO

Edição: Abril/2018

LANÇAMENTO DO PROGRAMA

Inclusão

digital

no campo

Com o avanço da tecnologia

em todos os segmentos, o

Sindicato Rural e o SENAR SP

passam a disponibilizar um

programa que visa capacitar

o produtor e o trabalhador

a terem acesso ao mundo

digital do agronegócio.

João Henrique diz que as empresas do setor agrícola e os produtores rurais interessados

devem procurar o Sindicato Rural em Araraquara para a formação de turmas

O coordenador regional do SENAR

SP em Araraquara, João Henrique de

Souza Freitas, anunciou no final de

março a implantação de um novo programa

de orientação aos associados

do Sindicato Rural e por extensão, a

todos os produtores e trabalhadores

rurais dos municípios que formam a

base de atendimento da entidade.

Segundo ele, cada dia mais o

acesso às informações e à comunicação

são feitos por meio eletrônico,

com o uso de computadores conectados

à internet, além de ter se tornado

cada vez mais comum a exigência de

conhecimentos básicos e noções de

utilização e usabilidade do computador

e seus recursos para vagas em

postos de trabalho.

Essa é uma das razões que levou

o SENAR SP e o Sindicato Rural de

Araraquara a estabelecerem parceria

visando implantar o Programa de

Inclusão Digital no Campo (INDICAM)

para que os produtores e os trabalhadores

rurais tenham acesso à tecnologia

da comunicação e à informação.

João Henrique assegura que o

programa também tem o objetivo de

inclusão social, propiciando o desenvolvimento

intelectual e profissional,

inclusive entre pessoas de diferentes

níveis culturais e sociais. Ele lembra

que esta tecnologia nem sempre

está acessível a todos, em especial

ao público oriundo das áreas rurais,

ora por falta de informação, ora pela

ausência da conectividade.

O USO ADEQUADO

Consciente desta modernização

mundial de processos, tarefas e da

demanda cada vez maior na atualização

dos colaboradores de qualquer

posto de trabalho, o SENAR-AR

SP criou o INDICAM, a fim de superar

as barreiras da desigualdade digital,

no que se refere ao acesso, utilização

e domínio da tecnologia atual. Essa

desigualdade digital é medida em

termos das possibilidades de acesso

às tecnologias de comunicação e informação,

à rede mundial de computadores

e aos equipamentos.

O programa visa orientar o público

do meio rural quanto ao uso adequado

e eficiente das tecnologias da

informação com vistas à aquisição de

conhecimentos em geral, contribuindo

para o seu ingresso no mercado

de trabalho mais bem preparado ou

até mesmo seu aperfeiçoamento

quando já inserido, além de auxiliar

na permanência do jovem no campo

estimulado pelos novos processos e

tecnologias, e da inserção dos produtores,

trabalhadores rurais e seus familiares

na sociedade da informação

digital. Informações sobre o programa

na secredtaria do sindicato.

43|


APLICAÇÃO DE AGROTÓXICOS

O uso dos

equipamentos

Durante três dias, o instrutor

Cláudio Barbosa orientou os

trabalhadores da Usina Santa

Cruz sobre a importância

da utilização dos EPIs antes

e depois da aplicação dos

agrotóxicos.

Um dos cursos mais solicitados

pelas usinas e também pelos produtores

rurais junto ao Sindicato Rural de

Araraquara e o SENAR SP, está aquele

que orienta o trabalhador no campo

a ter muito cuidado com a aplicação

do agrotóxico. Para tanto, o instrutor

Cláudio Barbosa, tem se dedicado no

ensinamento e utiliza seus conhecimentos

como forma de prevenção.

Segundo ele, o uso seguro de produtos

agrotóxicos começa com a utilização

correta dos equipamentos de

proteção individual. “Vestir EPI’s durante

o manuseio de produtos fitossanitários

é essencial para a segurança

dos trabalhadores. Além disto, o uso

de EPI’s é uma exigência da legislação

brasileira e o não cumprimento

poderá acarretar penalidades e riscos

de ações trabalhistas”, disse ele na

abertura do curso realizado durante

três dias na Usina Santa Cruz, hoje

pertencente ao Grupo São Martinho

que está entre os maiores grupos sucroenergéticos

do Brasil.

Ao todo, a São Martinho apresenta

uma capacidade aproximada de

moagem de 22 milhões de toneladas

de cana (20 milhões de capacidade

proporcional à participação acionária).

Possui quatro usinas em operação:

São Martinho, em Pradópolis;

Iracema, em Iracemápolis; Santa

Máquina com barras

para aplicação do agrotóxico

na Usina Santa Cruz

Cruz, em Américo Brasiliense

e Boa Vista, em Quirinópolis

(GO), esta última

uma joint-venture com a

Petrobras Biocombustível.

A grandiosidade do

grupo leva a Santa Cruz

a se preocupar com seus

trabalhadores, razão pela

qual promove constantemente em

parceria com o Sindicato Rural e o

SENAR SP, cursos de capacitação.

Uma das orientações é direcionada

ao uso das calças e jalecos que em

sua maioria são confeccionados em

tecido de algodão tratado com teflon,

tornando o tecido hidrorrepelente. O

tratamento com teflon ajuda a evitar

o molhamento e a passagem do produto

para o interior da roupa, sem

impedir a troca gasosa causada pela

transpiração, tornando a vestimenta

mais confortável. O tecido deve ser

preferencialmente claro para reduzir

a absorção de calor, além de ser de

fácil lavagem e descontaminação

para permitir a sua reutilização.

O instrutor lembrou que “os tecidos

tratados com teflon são hidrorrepelentes

e resistem até 30 lavagens”.

Participante do curso mostra como o trabalhador deve

se vestir durante o uso da agrotóxico na lavoura

Atentos, os trabalhadores

rurais acompanham as

explicações do instrutor

A lavagem dos

jalecos e das

calças é feita

em máquinas

especiais

|44


TURBO PULVERIZADOR

A preocupação com os laranjais

e a capacitação do trabalhador

A Citrosuco requisitou ao

Sindicato Rural a realização

do curso de aplicação de

agrotóxicos com turbo

pulverizador, capacitando os

trabalhadores e efetuando

trabalho de prevenção junto

aos pomares.

Com a participação do instrutor

Luís Paulo Toscano, foi realizado na

Fazenda Maringá durante três dias

de março, o programa Aplicação de

Agrotóxicos com Turbo Pulverizador.

A Citrosuco, diz Toscano, é uma das

maiores produtoras de suco de laranja

do mundo e está sempre atenta à legislação

e às orientações que os seus

trabalhadores devem ter no desempenho

das funções.

Em sua palestra, o instrutor assegurou

que duas medidas influenciaram

a realização do curso: a implementação

da NR-31, que estabelece

a obrigatoriedade da certificação dos

aplicadores ou seja, os trabalhadores

e a participação sempre efetiva e

representativa do Sindicato Rural de

Araraquara no setor agropecuário de

todo o município e região.

“Acredito sem dúvida tratar-se de

fator fundamental para a utilização

correta dos produtos, preservando

O uso do turbo para pulverizar os laranjais e os cuidados

que o trabalhador deve ter, foram temas do curso

a saúde do trabalhador, o meio ambiente

e produzindo alimentos de alta

qualidade para a população”, destacou

Toscano.

Quando indagado se tem sentido

preocupação por parte das empresas

em capacitar seus trabalhadores

para manusear corretamente os

produtos, o instrutor respondeu que

“essa preocupação se deve principalmente

a atender a legislação e

de como contribuir para proporcionar

condições de reduzir o risco de

acidentes no trabalho, como por

exemplo “intoxicação”. A meta é risco

zero”, completou.

Acima, o turbo realiza a

pulverização nas ruas do laranjal

e à esquerda, a finalização do

curso que valoriza a atividade

do profissional na propriedade,

trabalhando devidamente,

orientado e contribuindo com a

preservação da natureza

45|


SER UM PECUARISTA

Até onde o nosso Sindicato Rural e o

SENAR SP chegam com suas ações

José Sanches, um daqueles

cablocos que levanta antes

do sol despontar, tem na sua

biografia uma história de

desafios. Cada vez mais ele

enriquece seus conhecimentos

participando de cursos

e programas, visando o

crescimento dos negócios.

Nos dias 26, 27 e 28 de fevereiro

ocorreu a capacitação Formação

e Manejo de Pastagens. Neste curso,

a instrutora Ana Rita Scozzafave

Alves durante estes três dias, deu várias

orientações a respeito das pastagens

apropriadas para região e o manejo

adequado das mesmas, sempre

ressaltando os aspectos inerentes ao

trabalho e aos interesses dos produtores

para determinadas criações,

visando o aumento de produtividade

e geração de renda. Esta foi mais uma

atividade que é resultado da parceria

entre Fundação Itesp, Senar e Sindicato

Rural de Araraquara.

Todo trabalho foi acompanhado

pela zootecnista da Fundação Itesp,

Débora Bley Ruivo e pela Veterinária

Maria de Fátima Bardi, além de

técnicos da Fundação Itesp, a fim de

adequar o conteúdo da atividade para

o público dos Assentamentos Monte

Alegre, local da realização do curso.

Pasto da área de José

Sanches muito bem

conduzido e elogiado pela

instrutora Ana Rita.

Sanches mostrou ao grupo

e aos técnicos da Fundação

Itesp, a propriedade e as

adaptações que realizou ao

longo dos anos.

Durante o ano passado ocorreram

várias ações de capacitação relacionadas

à área animal nos assentamentos.

Houve curso de Piscicultura,

Aplicação de Medicamentos em Bovinos

e Avicultura Básica. Todas estas

atividades reuniram várias pessoas

interessadas nas informações passadas

pelos técnicos.

“Para 2018, daremos sequência

à programação da área animal, visto

que elas atraem um público variado”,

comentou Maria Clara Piaí da Silva,

da Fundação Itesp. A aula prática

ocorreu no Assentamento Monte Alegre

II, onde o produtor José Sanches

explora a atividade pecuária com foco

na produção de leite.

Após as aulas teóricas,

foi feita uma visita ao sítio de

José Sanches para conhecimento

da parte prática

|46


PRODUTIVIDADE

Um curso para capacitar

o produtor a fazer podas

A poda é umas das práticas culturais mais antigas realizadas

em fruticultura que, juntamente com outras atividades não

menos importantes, torna o pomar muito mais produtivo.

O instrutor Ricardo Marinheiro durante aulas práticas, orienta os participantes do curso

sobre a importância da poda no tempo certo

Dando sequência aos trabalhos

de capacitação relacionados à Fruticultura,

os produtores dos Assentamentos

Monte Alegre participaram

da capacitação realizada sobre podas

no próprio assentamento, graças

à parceria entre Sindicato Rural de

Araraquara, SENAR e Fundação Itesp.

Nos dias 8 e 9 de março os produtores

tiveram a oportunidade de

aprender na prática a poda de frutíferas,

a fim de otimizar a produtividade

e aproveitamento comercial dos frutos,

que são comercializados pelos

produtores em supermercados, feiras

e outros intermediários.

O instrutor Ricardo Marinheiro, do

SENAR SP, ministrou o curso possibilitando

na prática a poda destas frutíferas,

a fim de atender o interesse dos

participantes - todos praticamente residentes

em pequenas propriedades

do Monte Alegre.

As aulas práticas ocorreram na

área do produtor Fernando Moraes

Gonçalves, localizada no Assentamento

Monte Alegre II, que dedica

praticamente toda sua

área para produção de limão.

Na oportunidade, os

participantes realizaram as

podas e receberam orientações

sobre adubação, condução

do pomar e controle

de pragas e doenças.

Turma reunida

durante a aula prática

ministrada na área

do produtor Fernando

Moraes Gonçalves

“Estas orientações são importantes

pois estimulam a diversificação

da produção e o manejo adequado

dos plantios. Buscamos sempre enfatizar

a importância que os agricultores

familiares possuem no contexto

da produção de alimentos. Além disso,

o docente possui visão ampla do

mercado regional, o que vai além dos

conhecimentos técnicos e amplia o

horizonte dos produtores”, disse Ricardo

Marinho.

Na verdade, todos estes aspectos

são trabalhados diariamente pelos

técnicos agrícolas e engenheiros

agrônomos da Fundação Itesp que

prestam assistência técnica a estes

assentamentos. Paralelo a isto estão

as capacitações que são oportunidades

de aproximar produtores que

atuam em áreas afins, otimizando as

orientações técnicas.

47|


TORNEIO DE BOCHA E MALHA

Investindo

no lazer

Sindicato Rural e SENAR SP

passam a investir também no

lazer dos trabalhadores rurais

como forma de promover o

companheirismo.

Laudionor Elias Geraldo (Diretor de Esportes), João Henrique de Souza Freitas

(coordenador regional do SENAR SP), Paulo e Antônio (dupla campeã), Vitasay e Lino

(dupla vice-campeã), prefeito Dirceu Pano, Maria Eunice (primeira dama), Dirce Oliveira

(Gestora Municipal de Políticas de Empreendedorismo) e Mário e Ricardo (terceiro lugar)

A busca de uma proximidade

maior do Sindicato Rural de Araraquara

com os municípios que formam sua

base territorial é uma das propostas

da entidade na parceria que ela estabelece

com o SENAR SP. O órgão

dispõe os recursos e o sindicato organiza

e coordena cursos, programas e

atividades que têm o objetivo de promover

o entrelaçamento entre todos,

além naturalmente de capacitá-los

profissionalmente. Já na prática do

esporte onde o lazer se afigura como

alternativa para o fortalecimento do

companheirismo, o Sindicato Rural

consegue essa proximidade para

consolidar sua política social.

Essa foi a explicação dada pelo

coordenador regional do SENAR SP

e diretor do Sindicato Rural, João Henrique

de Souza Freitas, pouco depois

do encerramento dos Torneios de Bocha

e Malha Duplas em Américo Brasiliense

nos dias 17 e 18 de março.

Ao fazer parte desta base, Américo

tem reivindicado algumas atividades,

sendo que duas delas foram incluídas

na pauta deste primeiro semestre

no município, comentou o dirigente.

A competição também fez parte do

52° aniversário de fundação do município.

Segundo ele, a infraestrutura e

a própria falta de condições de trabalho,

fazem com que a zona rural

receba pouca assistência de políticas

públicas sociais. Há uma grande carência

de políticas sociais voltadas

principalmente para as atividades

de esporte e lazer. “É isso que faz o

sindicato e o SENAR SP agirem para o

preenchimento desta lacuna”, conclui

João Henrique.

A COMPETIÇÃO

Em Américo Brasiliense, o instrutor

do SENAR SP, Eduardo Perez, foi

designado para coordenar as atividades

no DETLA (Departamento de

Esporte, Turismo e Lazer). No sábado,

dia 17, foi realizado o Torneio de Bocha

e no domingo o Torneio de Malha

Duplas no Conjunto de Bocha José

Galli, com a presença do coordenador

do SENAR SP, João Henrique e do

diretor de esportes do DETLA, Laudionor

Elias Geraldo, que destacou

o papel do departamento: “O DETLA

desenvolve programas com objetivo de

proporcionar aos municípios atividades

esportivas, físicas e de lazer para

todas as faixas etárias, estimulando o

convívio social saudável e a inclusão

social, envolvendo atletas profissionais

e cidadãos ativos fisicamente”.

Durante a entrega dos troféus aos

vencedores dos torneios, o prefeito

Dirceu Pano agradeceu ao Sindicato

Rural e ao SENAR SP, enaltecendo o

apoio. Disse ele que são essas manifestações

que fortalecem a convivência

e a interação entre as pessoas.

Concluindo, o coordenador regional

do SENAR SP, João Henrique, além de

cumprimentar Américo Brasiliense por

mais um aniversário de fundação, também

parabenizou os vencedores do

torneio, salientando que outras competições

acontecerão, sempre com o

objetivo de se promover a amizade.

Laudionor Elias Geraldo,

João Henrique de Souza

Freitas, Pedrolin (vicecampeão),

José Aparecido

(terceiro lugar), Mário

Molo (campeão), prefeito

de Américo, Dirceu

Pano, Maria Eunice

(primeira dama) e

Dirce Oliveira (Gestora

Municipal de Políticas de

Empreendedorismo)

|48


BONS NEGÓCIOS

Américo se mobiliza para ter

a Feira do Produtor Rural

Duas reuniões em março despertaram o interesse da Prefeitura

de Américo em organizar a sua Feira do Produtor Rural.

CURSOS

ANO / 2018

CURSOS EM ABRIL

• APLICAÇÃO DE AGROTÓXICOS

COM PULVERIZADOR COSTAL MANUAL

09/04 até 11/04

Local: Araraquara

• APLICAÇÃO DE AGROTÓXICOS

COM PULVERIZADOR DE BARRAS

02/04 até 04/04

Local: Américo Brasiliense

• EQUIDEOCULTURA - CASQUEAMENTO

E FERRAGEAMENTO

23/04 até 27/04

Local: Nova Europa

• JARDINEIRO - IMPLANTAÇÃO DO

JARDIM

16/04 até 19/04

Local: Américo Brasiliense

• OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DE

MOTOSSERRA

16/04 até 18/04

Local: Araraquara

Ângela Nigro (instrutora do SENAR SP), Dirce Oliveira (Gestora Municipal de Políticas

de Empreendedorismo), Terezinha Viveiros (vice-prefeita de Américo), João Henrique

de Souza Freitas (coordenador regional do SENAR SP), Marcelo Benedette (Sindicato

Rural), Luiz Felipe Cavallari (consultor do SEBRAE Araraquara), Ione Sabino dos Santos

(Prefeitura de Santa Lúcia), Mauro Cavichiolli (Itesp), Cleber (Vigilância Sanitária) e Maria

Clara Piaí da Silva (Itesp)

O sucesso da Feira do Produtor

Rural em Araraquara levou o município

de Américo Brasiliense, através

do seu prefeito Dirceu Pano, a

reivindicar junto ao Sindicato Rural

e SENAR SP, a realização de evento

semelhante naquela cidade. Para

tanto, representantes do Sindicato

Rural de Araraquara, SENAR SP, Sebrae,

Fundação Itesp e Prefeitura de

Américo, já promoveram uma reunião

de Sensibilização (faz parte do programa)

para avaliarem a possibilidade

de se implantar a feira. O encontro

ocorreu no dia 19 de março no Paço

Municipal de Américo.

O coordenador regional do SENAR,

João Henrique de Souza Freitas, fez

uma apresentação do programa e colocou

na mesa as exigências dos órgãos

organizadores, destacando num

primeiro momento o número ideal de

participantes. Esta mobilização em

busca de interessados na inscrição

e capacitação já está sendo discutida;

havendo interesse dos produtores

rurais, será formada a Comissão

Gestora para acompanhamento dos

módulos a serem implantados.

O QUE VEM POR AÍ

Em Araraquara, durante cerca de

8 meses foram preparados 23 novos

feirantes que comercializam seus produtos

todas as sextas-feiras, a partir

das 17 horas, em frente ao campo

da Ferroviária. Houve é verdade, posteriormente

algumas desistências e

agora está sendo estudada a possibilidade

da feira ter mais um dia de

atividade, provavelmente no bairro do

Selmi-Dei.

A feira em Américo poderá se estender

para os pequenos produtores

de Santa Lúcia, dada a proximidade

dos dois municípios. Na reunião do

dia 19 na Prefeitura de Américo, a

agrônoma Iole Sabino dos Santos

representou o prefeito Luís Nole, de

Santa Lúcia e a decisão deverá ocorrer

agora em abril.

• PROGRAMA PROMOVENDO A SAÚDE

NO CAMPO - ANIMAIS PEÇONHENTOS,

ESPÉCIES, PREVENÇÃO DE ACIDENTES E

PRIMEIROS SOCORROS

02/04 até 03/04

Local: Américo Brasiliense

• PROGRAMA PROMOVENDO A SAÚDE

NO CAMPO - ANIMAIS PEÇONHENTOS,

ESPÉCIES, PREVENÇÃO DE ACIDENTES E

PRIMEIROS SOCORROS

04/04 até 05/04

Local: Américo Brasiliense

• PROGRAMA PROMOVENDO A

SAÚDE NO CAMPO - DROGAS: USO E

DEPENDÊNCIA

20/04 até 27/04

Local: Boa Esperança do Sul

• TOMATE ORGÂNICO - PLANTIO

(MÓDULO II)

20/04 até 25/04

Local: Araraquara

• PROGRAMA JOVEM AGRICULTOR DO

FUTURO

02/04 até 26/04

Local: Motuca

• OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DE

MOTOSSERRA

23/04 até 25/04

Local: Araraquara

Coordenador SENAR/SP Araraquara:

João Henrique de Souza Freitas

49|


Ação do SENAR SP

e Sindicato Rural

teve a parceria da

Usina Santa Cruz

OPERAÇÃO DE RETROESCAVADEIRA

Instrutores do SENAR SP passam

por treinamento na Santa Cruz

Operar uma retroescavadeira

não é tão simples, pois além

de exigir conhecimento

técnico, é preciso habilidade

para a execução das tarefas.

Daí o constante treinamento.

Instrutores do SENAR SP estiveram

reunidos em Araraquara no

início de março participando do treinamento

de repasse nas orientações

de retroescavadeira. Eles foram recebidos

pelo coordenador do SENAR

local, João Henrique de Souza Freitas

e durante três dias, acompanharam a

troca de informações com o instrutor

Marcelo Baccar Lopes. “Não basta

Missão cumprida:

o encerramento

do curso em que

os instrutores

repassaram as

técnicas para

a operação de

retroescavadeira

O instrutor Marcelo Lopes durante as

aulas práticas na Usina Santa Cruz

Instrutores discutem as novas técnicas do

programa criado pelo SENAR SP

apenas saber operar a retroescavadeira,

mas ter o conhecimento da

legislação de trânsito, segurança,

higiene, normas regulamentadoras

vigentes, preservação do meio ambiente,

postura (ergonomia) e precauções

dos acidentes no trabalho. Isso

fará com que o operador aumente a

vida útil da máquina e previna-se de

acidentes no campo”, comentou Lopes

que é um dos autores da apostila

“Operação de Retroescavadeira”, editada

pelo SENAR SP.

O curso destinado aos instrutores

de diversas regiões do Estado de São

Paulo, segundo ele, deve ser observado

como repasse do material editado

e já estudado. Nesta avaliação, mudanças

e sugestões são discutidas

pelo grupo, sendo uma troca de informações

que visa melhorar o entendimento

e a maneira de facilitar o ensinamento

aos trabalhadores rurais.

João Henrique, coordenador do

SENAR Araraquara, considerou que

o encontro valoriza o trabalho do Sindicato

Rural, já apontado como um

dos mais atuantes no Estado.

|50


Ao lado,

Celeide

Martim e

abaixo, Elton

Hidemitsu

Koroiva,

técnicos do

SENAR SP,

responsáveis

pelo curso

Coordenadores dos sindicatos da região durante o curso

PROGRAMAS DE ALFABETIZAÇÃO E JOVEM AGRICULTOR DO FUTURO

Coordenadores do SENAR

reunidos em Araraquara

Operar uma retroescavadeira

não é tão simples, pois além

de exigir conhecimento

técnico, é preciso habilidade

para a execução das tarefas.

Daí o constante treinamento.

Pelo menos 45 sindicatos rurais

da nossa região se reuniram em março

no Sindicato Rural de Araraquara

para palestras que envolvem dois

importantes assuntos na atualidade:

Programa de Alfabetização para Trabalhadores

Rurais sem Escolaridade

e o Programa do Jovem Agricultor do

Futuro, mantidos pelo SENAR SP. A

vinda de Mário Antonio de Moraes

Biral, superintendente do SENAR no

Estado de São Paulo, demonstrou a

importância dos programas e a necessidade

da capacitação das entidades

sindicais para aplicação das técnicas,

cada qual em sua base territorial.

Além de Biral, outros membros do

SENAR SP estiveram presentes: Celeide

Scalhante Martim (Técnica da

Divisão de Saúde, Promoção Social,

Esporte e Lazer) e Elton Hidemitsu Koroiva

(Divisão Técnica SENAR-AR/SP)

e Carlos Nivan Maia (TCU), recebidos

pelo presidente do Sindicato Rural de

Araraquara, Nicolau de Souza Freitas

e o coordenador do SENAR Araraquara,

João Henrique de Souza Freitas.

PROGRAMAS

“Nós constatamos principalmente

na área rural que existe uma grande

parcela de trabalhadores analfabetos

e eles terão que lidar com normas

regulamentadoras como proteção e

aplicação de agrotóxicos; então, pelo

menos uma leitura do manual para

acompanhamento das orientações

técnicas esse trabalhador terá que

fazer para poder se expressar”, comentou

o superintendente do SENAR

SP, Mário Biral. Quando indagado

sobre o índice de analfabetos trabalhando

na zona rural de Araraquara,

Biral comentou que é difícil dimensionar.

“Mas que existe boa parcela,

isso sim existe”, lembrou. De acordo

com o dirigente do SENAR SP, o índice

embora baixo, abre espaço para

Mário Biral, Nicolau de Souza

Freitas, João Henrique de

Souza Freitas e Carlos Nivan

Maia (consultor de gestão

pública do SENAR e FAESP)

preocupações, daí a necessidade da

realização do curso para que os trabalhadores

possam ser capacitados.

Ele afirmou que em 2018 no Estado

de São Paulo pelo menos 3 mil trabalhadores

rurais serão alfabetizados.

Quanto ao desenvolvimento do

Programa Jovem Aprendiz do Futuro,

Biral explicou que o objetivo é trazer

o jovem de 14 a 18 anos ao curso

para que ele dê continuidade ao serviço

que a sua família desenvolve na

propriedade: “O jovem já tem este

conhecimento mas agora vamos sistematizar

os seus conhecimentos de

tal maneira que possa implementar

o processo produtivo nas questões

de cidadania, como direitos, obediências,

pois tudo isso é muito bom para

caracterizar sua formação”, destacou

o superintendente do SENAR SP.

Biral afirmou ainda que o Jovem

Agricultor do Futuro é um programa

que vem crescendo de maneira significativa,

tendo 600 horas e o acompanhamento

em manual; por ser um

curso longo, o trabalho com os sindicatos,

instrutores e alunos tem que

ser devidamente administrado, daí o

encontro com os coordenadores em

Araraquara.

51|


QUE DELÍCIA!

6º Festival ‘Delícias do Milho’ é confirmado

em Bueno após dois anos sem realizações

Tradicional evento reúne

gastronomia e cultura nos

dias 9 e 10 de junho.

Uma das mais saborosas atrações

da nossa região, o 6º Festival ‘Delícias

do Milho’ deste ano pede passagem

nos dias 9 e 10 de junho, das 10h

às 22h, na vizinha Bueno de Andrada.

Com expectativa de público de

60 mil visitantes, o evento deste ano

foi confirmado na Tribuna Popular da

Câmara Municipal por Teodoro Borelli

Bratfisch, presidente da Associação

de Bueno de Andrada para Cultura e

Turismo Rural (Abatur).

Criado em 2010, o festival não

pôde ser realizado entre os anos de

2015 e 2017 por falta de recursos.

Para este ano, a expectativa é gerar

250 empregos diretos nos dois dias

de festa. “Agregamos shows, cultura

e gastronomia, priorizando o desenvolvimento

econômico sustentável da

região”, afirma Bratfisch.

O cardápio variado oferece doces

e salgadas como curau, pamonha,

bolos, suco de milho, espiga assada

ou cozida e o famoso prato típico da

festa, o trem de milho.

Festival pode gerar cerca de 250 empregos diretos

A receita foi a finalista do festival

gastronômico sabor de São Paulo,

destacado dentre os melhores pratos

de todo o estado, que estará representando

Araraquara no final deste

mês em evento no Parque da Água

Branca na capital.

Teodoro Bratfisch anuncia o Festival na Câmara de Araraquara

O trem de milho é um creme natural

temperado com recheios de mussarela,

carne seca ou linguiça calabresa

ou frango e com cebolinha verde.

Acompanha bolinhos feitos do bagaço

do milho. Foi adaptado de uma receita

de família espanhola e o nome criado

é em homenagem ao Distrito rural de

Bueno de Andrada, que é cortado por

uma ferrovia.

|52


INFORME

J.A Máquinas Agrícolas atua hoje em mais

de 180 municípios em todo o Estado de São Paulo

Com lojas em Jaú/SP e

Mogi Mirim/SP, empresa é

revendedora oficial da marca

de tratores coreana LS Tractor.

A J.A Máquinas Agrícolas, empresa

que faz parte do grupo Graciano,

atende mais de 180 municípios do

Estado de São Paulo. Com duas

lojas estrategicamente montadas

para atender melhor os clientes da

LS Tractor, marca integrante do grupo

LG Eletronics, com sede na Coréia do

Sul, figura hoje no mercado nacional

(na faixa até 100 cv) como a 4ª colocada

em vendas de tratores em apenas

5 anos de atuação no mercado

brasileiro.

A JA também atende os clientes

com peças e serviços de todas as

marcas de tratores além da venda

de todos os tipos de implementos

nacionais.

A matriz, localizada em Jaú/SP, na Av. Dep. Zien Nassif, 1134

Loja de Mogi Mirim/SP, que fica na Rua Benedita Mano Schincariol, 71

A Divisão de Máquinas Agrícolas da LS

tem tecnologia para produzir os tratores

mais avançados de suas categorias, com

capacidade anual de produção de 50 mil

unidades em suas fábricas na Coréia do

Sul, Brasil e China.

53|


NOTÍCIAS

CANAS L

EDIÇÃO

ABRIL | 2018

Chapa Novos Horizontes é reeleita e vai

comandar a Canasol por mais três anos

Diretoria da Canasol eleita em março

A Chapa “Novos Horizontes” sob a

presidência do engenheiro agronômo

Luís Henrique Scabello de Oliveira foi

reeleita em março (10) para comandar

a Associação dos Fornecedores

de Cana de Araraquara - Canasol,

por mais três anos. Como não houve

chapa concorrente, a eleição foi ratificada

pelos associados durante a sua

Assembleia Geral Ordinária realizada

no Auditório da Canasol. Na oportunidade,

também foram eleitos os novos

integrantes do Conselho Fiscal.

A nova diretoria agradeceu o apoio

que vem sendo dado pelos associados,

o que significa ser um estímulo

para continuidade dos trabalhos.

DIRETORIA

Presidente: Luís Henrique Scabello de Oliveira

Vice-Presidente: Tatiana Caiano Teixeira Campos Leite

Secretário: Romualdo Luiz Vanalli Polez

Tesoureiro: Olavo Cavalcanti Pereira de Cordis

Diretor Consultivo 1: Nicolau de Souza Freitas

Diretor Consultivo 2: Jorge Luiz Piqueira Lozano

Diretor Consultivo 3: Francisco Malta Cardozo

CONSELHO FISCAL

1º Conselheiro efetivo: Fernando José Fernandes de Oliveira

2º Conselheiro efetivo: José Luciano de Souza

3º Conselheiro efetivo: Mateus Voltarel

1º Conselheiro Suplente: Ivo Munaretti Jr.

2º Conselheiro Suplente: João Floriano

3º Conselheiro Suplente: Aldo Fernando Rapatoni

HOMENAGEM

Durante o evento, as

mulheres presentes

receberam um botão de

rosa em homenagem

ao Dia Internacional da

Mulher (8 de março). A

vice-presidente Tatiana

recebeu uma rosa das

mãos do associado

Marcelo Benedette.

|54


TRANSPARÊNCIA

Balanço anual é

aprovado pelos

associados

O Balanço Anual da Canasol referente

ao ano de 2017, composto

pelo Demonstrativo Financeiro e o

Relatório de Atividades desenvolvidas

pela Diretoria e pelos Departamentos

Técnico, Jurídico e Administrativo, foi

aprovado por unanimidade pelos associados

durante a Assembleia Geral

Ordinária realizada no dia 10 de

março.

Em seu pronunciamento, o presidente

Luís Henrique Scabello de Oliveira

agradeceu pelo apoio recebido

dos seus companheiros de diretoria,

dos associados e dos funcionários no

mandato que se encerrava, destacan-

Olavo Cavalcanti Pereira de Cordis, Tatiana Caiano Teixeira Campos Leite, Luís Henrique

Scabello de Oliveira e Romualdo Luiz Vanalli Polez

do que sem o comprometimento de

todos, nada seria possível. Nesses

três anos a Canasol cresceu não só

em número de associados, mas também

em prestígio junto aos setores

político, econômico e produtivo em

nível local, estadual e federal, disse

o presidente em seu discurso.

“Com o voto de confiança dado

pelos associados nos elegendo para

dirigir a Canasol no próximo triênio,

reafirmamos o nosso compromisso

inicial de trabalhar pela valorização

do setor produtivo da cana e pelo fortalecimento

da Canasol, assim como

defender os interesses de nossos

associados, com muito empenho e

dedicação”, concluiu Luís Henrique.

EM BRASÍLIA

Luís Henrique e Nicolau participam de

homenagem ao ministro de Minas e Energia

A Canasol cada vez

mais se fortalece

junto aos importantes

setores do agronegócio

brasileiro, graças a sua

representatividade.

O Presidente da Canasol Luís Henrique

Scabello de Oliveira que é secretário

da FEPLANA – Federação dos

Plantadores de Cana do Brasil, juntamente

com o diretor Nicolau de Souza

Freitas, membro Efetivo do Conselho

O ministro Fernando

Bezerra Coelho Filho

e o presidente da

Feplana, Alexandre de

Andrade Lima, quando

da entrega da Ordem

do Mérito Canavieiro,

como reconhecimento

e gratidão da classe

ao seu trabalho

na implantação do

RenovaBio

Fiscal da FEPLANA, participaram no

dia 20 de março em Brasília de um

concorrido jantar em homenagem ao

Ministro de Minas e Energia, Fernando

Bezerra Coelho Filho.

A homenagem prestada pela FE-

Luís Henrique, o ministro

Fernando Coelho Filho e

Nicolau de Souza Freitas

PLANA é o reconhecimento da entidade

ao trabalho e empenho do ministro

com relação à criação e implementação

do RenovaBio, programa que

cria o marco regulatório para os biocombustíveis.

No mesmo dia, Luís Henrique e

Nicolau participaram da Assembleia

Geral Ordinária da FEPLANA, também

em Brasília.

55|


SERVIÇOS

Controle de pragas e limpeza da caixa

d’água: a Provac Drim cuida da sua saúde!

Tradicional empresa da

cidade oferece o que existe

de mais atual no mercado.

A presença de pragas nos locais

traz desconforto, doenças e prejuízos

materiais. Para evitar transtornos, um

controle periódico restabelece a normalidade,

garantindo o bem-estar e

segurança na sua residência ou empresa.

Outro problema corriqueiro em

nosso cotidiano é a limpeza da caixa

d’água, processo que deve ser feito

a cada 6 meses. O abandono dessas

caixas podem acarretar diversos problemas

para a saúde.

Já a descupinização deve ser

realizada não só ao menor sinal de

infestação, mas também como prevenção,

uma vez que muitos cupins

Combatendo as pragas: bem-estar e segurança de sua família em primeiro lugar

podem estar escondidos em sua casa

ou empresa, comprometendo toda a

estrutura. Em ambas as situações, a

melhor saída é contratar uma empresa

especializada.

Caso você tenha algum problema

do tipo, pode procurar a

Provac Drim, que desde 1977 oferece

aos seus clientes o que existe de mais

atual e eficiente no mercado, sempre

com muito profissionalismo e responsabilidade.

Telefone: (16) 3301-6001.

|56


PINTURA

Novas cores

dão a tônica

em 2018

Não há uma coloração

favorita, mas alguns tons

estão ganhando certo

destaque.

Como escolher as cores da fachada e exteriores

sem complicações? É imprescindível que

arquitetos e profissionais voltados para a

decoração de ambientes sejam consultados.

Os novos tons

começam a disparar

na preferência dos que

buscam a neutralidade

Segundo recente pesquisa da Associação

Brasileira dos Fabricantes de

Tintas, algumas cores para pinturas de

casas, apartamentos e prédios comeciais

aparecem como as com tendências

para 2018.

O estudo considera o que de mais

revelante é apresentado em passarelas

de moda, teatro, televisão, filmes,

arquitetura e comidas. E também avalia

os hábitos de consumo por todo

o mundo. Ainda não há uma coloração

favorita, mas alguns tons estão

ganhando destaque. E são eles os

metálicos, perolizados e intensos. De

acordo com a pesquisa, os metálicos

são os novos neutros. Já as cores perolizadas

são consideradas um imã para

Loja da

Sergio Tintas,

uma das mais

conceituadas

na região,

faz parte do

comércio

local

sendo uma

segurança

para os

consumidores

os olhos e os tons intensos estão cada

vez mais presente em nosso dia a dia.

Faça a escolha acompanhando as tendências

que vêm sendo anunciadas.

57|


SEU NOME ESTÁ NA RUA

SAMUEL BRASIL BUENO - IN MEMORIAM

CARLOS ALBERTO MANÇO

A extrema lealdade de

quem serviu sua cidade

Manço tinha alma de criança, um jovem inteligente, simples,

de coração fraternal, dotado de expressiva lealdade e

vontade de servir seu semelhante.

Os seus amigos mais próximos

sempre disseram: Manço amou Araraquara

com todas as suas fibras.

Geraldo Polezze, também vereador à

época, chegou a descrevê-lo certo dia

nas páginas do Jornal de Araraquara:

“ Sua palavra era forte como aço e sua

disposição para lutar era enorme. Um

amigo dos amigos, sem inimigos declarados”.

Manço nasceu em Batatais no dia

21 de abril de 1949, filho de Gesualdo

Manço e Ondina. Tinha por irmãos

Vera Lúcia, José Roberto e Paulo.

Carlos Alberto e a família chegaram

em Araraquara no início da década de

50 e foram morar na Avenida Duque

de Caxias, ao lado de onde hoje é o

Mercado Municipal. Cursou o primário

no Grupo Escolar Carlos Baptista

Magalhães, concluindo em primeiro

lugar da classe. O ginasial ele cursou

na Escola “Francisco Pedro Monteiro

da Silva” (Chicão), na Vila Xavier. E

depois ele foi estudar em Jaboticabal,

no Colégio Agrícola, onde era interno.

Mais tarde ele fez Faculdade de Direito

na então Fefiara, atual Uniara.

Inteligente e dinâmico, aos 20

anos montou uma pequena mercearia

de onde obteria seu sustento. Aos 22

anos montou na Avenida Padre Francisco

Sales Coulturato (Av. 36), uma

fábrica de blocos, na qual empregava

40 pessoas, que foi ampliada para

uma fábrica de artefatos de cimento. E

tempos depois, ele começou a se dedicar

ao comércio de caminhões usados,

ramo onde obteve grande sucesso.

O êxito nos negócios levou Manço

a transferir sua firma para a margem

da Rodovia Washington Luís, onde foi

o pioneiro a se instalar. Ele também

se dedicou muito como corretor de

imóveis.

Carlos Alberto Manço casou-se em

7 de julho de 1979, na Igreja Santo Antônio,

com Maria Célia de Moraes, filha

de Célio de Moraes e Conceição. Desse

matrimônio nasceram dois filhos:

Angélica, nutricionista, com doutorado

na UNESP, casada com Tiago de

Carlos Alberto

Manço faleceu

com 58 anos

no dia 25 de

abril de 2007

Direitos de publicação doados

pela Família Brasil Bueno à Revista

Comércio, Indústria e Agronegócio e

à disposição para consultas

Castro Rubiatti e Carlos Alberto Manço

Filho, engenheiro agrônomo formado

em Pinhal, solteiro.

Aos 18 anos, retornando do Colégio

Agrícola de Jaboticabal para fazer

o Tiro de Guerra, foi motivado pelos

colegas atiradores a se candidatar a

vereador e assim ganhou sua primeira

eleição. Outras eleições vieram e Manço

sempre se reelegendo, chegando

num total de nove mandatos seguidos,

cumprindo 39 anos de vida pública.

Teve oportunidade de trabalhar

com muitos vereadores e passou pelas

gestões de diversos prefeitos, desde

Rubens Cruz até Edinho Silva. Nas

administrações do prefeito Waldemar

De Santi, Carlos Alberto Manço sempre

atuou como Chefe de Gabinete,

exercendo com maestria a função.

Atendia a todos, indistintamente, com

grande carinho e atenção.

A proposta para se dar o nome de

Carlos Alberto Manço ao Palacete

São Bento, partiu do vereador

Eduardo Lauand que viria a falecer

no dia 16 de dezembro de 2015

|58


Carlos Alberto Manço e a esposa Célia, num dos momentos de intensa

felicidade do simpático casal

Manço ao lado da filha Angélica, da sua esposa Célia e de

seu filho Carlos Alberto

Dentro da Câmara de Vereadores

teve vários cargos e fez parte de inúmeras

comissões, chegando à presidência

para o mandato de 2007/2008,

porém, vítima de grave enfermidade,

teve sua vida ceifada antes do término

do mandato.

Carlos Manço faleceu precocemente,

aos 58 anos de idade, no dia 25

de abril de 2007, deixando saudade

aos familiares e a todos que com ele

conviveram.

Seu nome está na rua através

da Lei nº 6.571, de 25 de maio de

2007, de autoria do vereador Eduardo

Lauand, sancionada pelo prefeito Edinho

Silva, que denomina Palacete “Vereador

Carlos Alberto Manço” o edifício

pertencente ao patrimônio municipal,

localizado na Rua São Bento, 887,

centro de Araraquara. A homenagem

plenamente justa, é o reconhecimento

ao nobre vereador que dele sentimos

saudades até hoje.

Manço

participando

de um baile de

carnaval ao lado

do inseparável

amigo Waldemar

De Santi

Foto da primeira sessão ordinária da

11ª Legislatura da Câmara Municipal de

Araraquara, realizada em 16 de fevereiro

de 1993. Da esquerda para a direita

(atrás): Flávio, Paulinho, Darcy, Santo,

Erismar, Helenita, Baptistini, Anderson,

Gildo, Paulo Homem, Manço, Otávio e

Edinho. Na frente: Cascavel, Márcio,

Vera, Vanildo, Porsani, Mazinho, Elias e

Hokama.

59|


NOVIDADE

Coma um

lanche e

faça bons

negócios

Parada Truck Bild, que

ocorre semanalmente em

Araraquara, visa criar um

novo espaço para atender

seus clientes.

A tradicional comida de rua já ganhou

fama e público em Araraquara.

Pensando nisso e no sucesso que

este estilo gastronômico vem fazendo,

a Bild Desenvolvimento Imobiliário

traz para a cidade a ação Parada

Truck Bild, que conta com a presença

de trailers de food truck comercializando

seus lanches.

Assim, em toda quinta-feira,

o food truck Comboio do Rei, das

18h30 às 22 horas, fica estacionado

em frente da Central de Negócios

da Bild, na Rua Napoleão Selmi Dei,

1150. A participação é aberta à população.

Segundo Marlon Vitorino, diretor

da Bild, o projeto de criação da

Central de Negócios da empresa

visa transformar as unidades de

Food truck fica estacionado em frente a unidade local, na Vila Harmonia

atendimento em um espaço aconchegante

e totalmente receptivo

para seu público.

“Com este tipo de estratégia, a

Bild personaliza o atendimento ao

proporcionar um clima de bem-estar

para os clientes. A Parada Truck Bild

começou em janeiro de 2015 em

Ribeirão Preto e hoje também está

presente em outras três cidades:

Franca, Araraquara e Bauru”, explica

Vitorino.

Marlon Vitorino,

diretor da Bild

Equipe da Bild

Araraquara:

Alexandre Raisky,

Leonardo Barbosa,

Paulo Júnior e

Eduardo Ferrarezi

|60


Em quermesse na Barraca da Igreja Nossa Senhora das Graças, na Fonte Luminosa em 1969: Enrico Caruso,

Abegar, Beto, Marcio Caruso, Márcio Balducci e Francisco

Vamos dançar ao som do

conjunto musical Spectro 4?

À época, a banda tinha como grande diferencial o intenso trabalho vocal, comandado

pelo cantor Enrico Caruso; juntos, os meninos que se conheceram no IEBA, animavam

Araraquara em performances de quinta a segunda feira entre os anos de 1967 e 1971.

Berço da civilização ocidental e

uma superpotência cultural, a Itália

pode, sim, abrigar o embrião de

um dos conjuntos araraquarenses

que animou muitas brincadeiras

dançantes regadas à Cuba Libre na

cidade e região entre 1967 e 1971.

Mas como? Foi da velha bota que

descendentes da família Caruso

cruzaram o oceano Atlântico rumo

ao Brasil no fim do século XIX. E um

dos descendentes dessa turma é

o responsável pelo início da nossa

história: Waldemar Caruso.

Cantor de ópera, ele fazia da

música uma constante em sua

casa, influenciando diretamente

os filhos Enrico e Márcio, vocalista

e guitarrista, que em 1967, ainda

com a maioridade recentemente

completa, resolveram montar seu

primeiro conjunto musical.

Para a empreitada, chamaram o

amigo baterista Abegar e outro

guitarrista, Alexandre Leão. Enrico

Caruso também acumulou a função

de baixista. Nascia assim o conjunto

musical Spectro 4 (originalmente

Espectro 4, em português,

ganhando, depois, adaptação para

o inglês), essencialmente formada,

nos seus primórdios, por alunos

do chamado Instituto de Educação

Bento de Abreu, o IEBA.

Diferentemente dos outros grupos

de sucesso na época, como The

Condor Boys e The Jungles, o

Spectro 4, desde seu início, tinha

um trabalho essencialmente vocal,

com a parte instrumental em

segundo plano. Todos cantavam,

porém o talento de Enrico se

sobressaia, não apenas dentro do

conjunto, como perante aos outros

vocalistas da época.

CONTINUA NAS PÁGINAS SEGUINTES

61|


Ao todo, a Spectro 4 teve três formações.

Fora os citados irmãos Enrico

e Marcio Caruso, Abegar e Alexandre

Leão, também somaram seus

talentos Márcio Balducci (baixo), Francisco

(teclado ex-Bruxos), Sérgio Sanches

(guitarra), Pico (bateria) e Luis

Alberto Fernandes - Beto (guitarra).

Outra figura importante na trajetória

do grupo foi Alceu Patrício de Almeida

Santos, atuante como empresário.

De todos, apenas Abegar faleceu.

Francisco e Pico moram em Santos;

Alexandre Leão em Florianópolis.

Márcio Balducci vive em São José do

Rio Preto. Pico é médico em Santos.

Em nossa cidade, ficaram Luis Alberto,

Sérgio Sanches, Marcio Caruso,

Alceu Patrício e Enrico Caruso, estes

dois últimos os principais responsáveis

pela manutenção das lembranças

da Spectro 4.

“Acima de tudo éramos amigos.

Não vivíamos da banda, como muitos

na época, então tudo era mais

tranquilo conosco. Fazíamos shows

realmente por diversão”. Assim, Enrico

Caruso resume a pouca troca

de formações no grupo, fato não tão

comum para os conjuntos da cidade,

que mudavam muitos membros por

motivos diversos, de cunho pessoal

e profissional.

INÍCIO FOI NA GARAGEM

Os primeiros ensaios (e boa parte

deles) da Spectro 4 ocorriam na casa

de Enrico e Marcio Caruzo, à época

Os irmãos Caruso, Enrico e Márcio

O primeiro ensaio: Abegar, Enrico, Márcio e Alexandre Leão

na Rua Zero. Todos os instrumentos

pertenciam aos dois, presente do pai

Waldemar. “Ele foi a São Paulo e voltou

com tudo pronto”, lembra Enrico

em tons saudosistas.

Estávamos no fim de 1967 e chegava

a hora da primeira apresentação,

marcada para um ano depois

em um festival no salão de festas da

Santa Cruz. A ansiedade tomava conta

dos jovens, mas o sucesso obtido

por Márcio, Alexandre, Abegar e Enrico

foi intenso, com destaque para o

último, premiado como melhor cantor

da noite após interpretar o clássico

L’amore, tema do filme italiano de Roberto

Rossellini. Inclusive, a execução

de músicas italianas era um dos

pontos altos dos shows. Românticas,

elas embalavam os casais e impulsio-

O baixista Márcio Balducci, que veio da

Condor Boys, ao lado do empresário

Alceu Patrício

navam paqueras durante os bailes.

“Também tocávamos rock nacional

e internacional. Era um show bem

completo. Duas músicas autorais fechavam

o pacote: ‘LSD (Longe sem

distância) e Pecato’, mas eram pouco

executadas”, lembra Enrico.

Assim, a fama da Spectro 4 começa

a crescer e os convites também.

Dentro dessa nova realidade surge

uma figura importante: Alceu Patrício,

amigo próximo dos músicos que

passou a atuar como empresário. “A

procura pelas apresentações já era

intensa, então eu comecei a ajudálos

de alguma forma. Usávamos vestimentas

especiais, que brilhavam

no escuro. O sucesso com as garotas

também era grande”, lembra Alceu.

|62


Baile da Rainha, no Clube do Palmeirinhas, com transmissão ao vivo da Rádio Cultura

de Araraquara. No comando e falando ao microfone, o jornalista Wagner Bellini

AGENDA CHEIA E MUITA

RIVALIDADE NO CAMINHO

Segundo Enrico Caruso, as brincadeiras

com ênfase comercial, além

de bailes e noites nos clubes da cidade

passaram a invadir a rotina da

Spectro 4 de quinta a segunda-feira.

Comum na época, o lado filantrópico

também não foi esquecido, com

apresentações no Asilo de Mendicidade

(Avenida D. Pedro II, próximo

ao Clube Araraquarense) e até uma

participação no movimento “Santas

Missões”, tocando nas igrejas durante

a primeira missa do dia, às 6 horas.

“Os anos de 1968 e 1969 foram insanos”,

completa Alceu Patrício.

Em 1968, venceram o 1º Festival

da Canção do IEBA com a música

‘Nosso último momento’, de autoria

de Márcio Caruso. Apresentações

pela região também preenchiam

o cardápio, com performances por

Matão, Rincão, Taquaritinga e Tupã,

sendo essas duas últimas detentoras

de duas boas histórias. A primeira delas

fica por conta de uma briga com

uma banda de Taquaritinga, que ao

saber que o tecladista Francisco não

gostava de ser chamado de Chiquinho,

ficou a noite toda tirando o sarro

do araraquarense, que não levou pra

casa desaforo, saindo na mão com

o pessoal.

A outra passagem, em Tupã, tem

contornos mais tranquilos. Lá, o grupo

participou, em maio de 1969, de

um famoso encontro intitulado “4ª

Briga dos Brasas”.

A última formação da Spectro 4: Marcio, Enrico, Carlos, Francisco, Pico e Sérgio Sanches.

63|


“Nossos músicos ficaram com a

medalha de bronze, ganhando como

prêmio um baixo Giannini Apollo, instrumento

de primeira linha para aquele

tempo. Não tivemos melhor classificação

devido à música escolhida para

apresentação na fase final ter sido

‘2001’, grande sucesso dos Mutantes.

Ela não era conhecida na região.

Tempos depois, através de cartas de

amizades feitas na ocasião, soubemos

que as rádios, a partir da Briga

dos Brasas, passaram a executar

essa música”, conta Marcio Balducci.

Por aqui, certa vez, na Escola Industrial,

um episódio com os Jungles

chamou atenção. Na ocasião, ambas

as bandas foram contratadas para

animar a mesma festa. “Isso era até

comum, mas a estrutura deles era

maior e, obviamente, tinham mais fãs

que a gente. Nesse dia, o baile ficou

dividido, com o pessoal que gostava

de cada grupo em cada lado. Mas

sem confusões e nada do tipo. Era

saudável e divertido. O pessoal até

brincava que o Tony Pent – vocal dos

Jungles - e eu éramos concorrentes.

No fim, todos eram amigos. E ainda

somos”, descreve Enrico.

NO FIM O MESMO RUMO

Assim como relatamos em episódios

anteriores desta série em

bandas como The Condor Boys e The

Jungles, o desfecho da Spectro 4 caminhou

rumo ao mesmo horizonte: os

Sérgio Sanches e Enrico Caruso (esquerda) com recortes da época sobre a Spectro 4

jovens procurando outras profissões

e, com isso, se afastando da música.

Dos meninos, estão na música:

Francisco comandando a “Holliday”,

uma grande banda de bailes e Sérgio

Sanches que acabou sendo um dos

fundadores, inclusive, da banda The

Beatles Again. Márcio Balducci também

se arriscou, mas deixou a arte

para estudar Administração, tornando-se

também professor e executivo

de estatal de energia elétrica. Mas

e os fundadores, os irmãos Caruso?

Márcio, um exímio guitarrista, deixou

o instrumento de lado se dedicando

à medicina veterinária.

Porém, seu irmão, Enrico, foi num

caminho um pouco diferente. Mesmo

se formando em Direito e atuando

como advogado, ele jamais deixou

os palcos.

Alceu Patrício não sabia tocar nenhum

instrumento, mas acompanhou a banda

como empresário

Marcio Caruso

Márcio Balducci

Com os outros, o contato foi perdido

no decorrer dos anos. Atualmente,

Enrico Caruso participa do Musicale

Noi Due, animando festas com seu

tradicional repertório de música italiana.

Também gravou dois discos –

‘Último Romântico’ e ‘Pecato’. “A arte

está no meu sangue e não tem como

deixá-la de lado. Vou cantar até meus

últimos dias”, finaliza o artista.

|64


GASTRONOMIA

Apé inicia

Delivery em

Araraquara

Para os paladares exigentes

que querem praticidade,

rapidez e qualidade, o

Centro de Conveniência Apé

tem uma novidade que vai

deixar tudo mais fácil.

As pizzas mais deliciosas, os combos

mais completos e perfeitos de comida

japonesa ou ainda, pratos típicos

da culinária brasileira agora poderão

ser recebidos na porta de casa através

do Apé Delivery. Uma novidade para

facilitar a vida de quem quer sabor e

qualidade, porém, sem precisar sair

de casa. Os restaurantes Pizza e Sushi

I Love e Buteco Colonial, localizados

no Centro Gastronômico Apé, agora

também são Delivery.

Para essa nova fase, os restaurantes

prepararam cardápios diferenciados

e desenvolveram embalagens

para preservar os pratos.

Os apaixonados pelos restaurantes

agora já contam com esse serviço

diferenciado. Segundo Eva Vanessa,

gerente dos restaurantes, a opção delivery

chegou para agregar ainda mais

conforto e comodidade aos clientes.

“Temos muitos clientes que nos pedem

a entrega.”

Pratos servidos pelo

sistema Delivery Apé, em

embalagens especiais

Os consumidores poderão encontrar

essa novidade no almoço

das 12h às 14h e no jantar, das

18h às 22h, pelos telefones (16)

30141472, 33573254 e WhatsApp

(16) 997195761. O cardápio, para

quem deseja fazer o pedido, pode ser

visto em https://sites.google.com/

site/apeentregas/.

SERVIÇO

Centro de Conveniência Apé

Via Expressa, 500 - Vila Suconasa

Fones: (16) 3014.1472 / 33573254

WhatsApp (16) 99719.5761

65|


VELHOS TEMPOS, BELOS DIAS

Do Moto Clube Araraquara para

as 500 milhas de Interlagos

A eterna imagem do Moto Clube Araraquara com seus dois boxes em Interlagos

,

Esta é uma memória da primeira vez que pisei em

Interlagos. Menino,

,

não podia ir com a escuderia. Fui assistir

a prova mais importante do calendário nacional. Naquele

dia, demonstrando sua força, o nosso Moto Clube participou

com três duplas.

Texto: Benedito

Salvador Carlos,

o Benê, com a

colaboração de

Pedro Scabello

Minha mãe me acompanhou até

a calçada e fez todas as recomendações,

era a primeira vez que eu ia

para Interlagos. Pediu para tomarmos

todo o cuidado na estrada, que fossemos

devagar e que voltássemos

bem. Paulo ouviu a tudo atentamente,

disse que tinha descansado muito

durante o dia e cumpriu com o prometido,

fomos e voltamos com toda

a segurança.

Lembro-me do olhar dela na despedida:

olhos lacrimejados, mãos tremulas,

já antevia meu futuro, sabia

que aquele caminho das competições

não tinha mais volta, que meus sonhos

eram maiores, que dentro de

mim existia uma força que havia escapado

do controle e assim fez o que

lhe era possível: um abraço, o sinal da

cruz e uma oração e entregou meu

destino para Deus.

Penha, Neto, Zé

Faito e a Kawasaki

500cc com três

cilindros

Saímos de Araraquara por volta

das vinte e três horas. A viagem foi

tranquila, em um Fusca branco de

1.200cc. Chegamos ao amanhecer,

e já adentramos no autódromo, muito

provavelmente sem nada pagar. Eu

tinha quinze anos e estar ali era um

sonho. Maravilhado, olhava tudo, e

das arquibancadas tentava enxergar

alguém da nossa cidade, visualizando

de média distância uma faixa indicativa

do Moto Clube Araraquara.

O dia foi clareando, os boxes ganhando

vida, auxiliares da manutenção,

mecânicos, gente do Centauro

Motor Clube para a coordenação,

imprensa, chefes de equipe e pilotos

foram povoando aquele universo

tranquilo, formando um verdadeiro

formigueiro humano.

Timidamente, as primeiras motocicletas

foram sendo ligadas e o

funcionamento de seus motores locupletavam

aquele universo de oito

|66


Evaldo Salerno na

Ducati 250cc

quilômetros quadrados, verdadeiro

santuário de campeões. Um barulho

aqui, outro lá, outro bem distante, a

mistura de sons e magias e a plenitude

de um dia inesquecível. ‘’- Meu

Deus, eu queria pular, gritar, saltar a

barreira do alambrado e ao mesmo

tempo, conversava comigo mesmo...

olha, aquele de costas é o Neto (Olympio

Bernardes Ferreira Neto), o Penha

(José da Penha Moreira), Eduardo Luzia,

Nego (Adolpho Tedeschi Neto)....

olha! Olha! É o Celso (Baiano Faito)

Martinez, Nezinho (Evaldo Salerno),

Zé Faito (José Lucas Martinez), Pinho

(José Manoel do Amaral Sampaio),

Diogo Faito, Dinho Dall’Acqua, Dario

Pires, parecia que a Fonte Luminosa,

nosso bairro de “footing” em domingo

à tarde, estava lá‘’.

Passei o dia na arquibancada, e

entre acordado e cochilando, não sabia

ao certo se ali estava presente ou

se estava sonhando. A memória mais

latente que guardo era das motocicletas

ganhando o ‘’retão’’ do fundo,

muito velozes, me lembravam aqueles

patinhos de lata que na quermesse

da igreja do Carmo, as pessoas

tentavam acertar com espingarda de

chumbinho.

Minha torcida na corrida era para

a dupla formada pelos irmãos Paolo

e Galtieiro Tognochi, de quem já era

fã, pelas magníficas apresentações

na Alameda Paulista, aqui em Araraquara.

Naquele dia, Araraquara mostrando

a sua força, esteve representada

na pista pelas duplas Evaldo Salerno/Zé

Faito (Ducati Mark I – 250cc),

Eduardo Luzia/Nilson da Cideral

(Yamaha 350cc – R5), Neto/Carlos

Pardini (Kawasaki 500cc 3cilindros).

A vitória foi dos japoneses Akiusu

Motoashi e Hirowuki Kawasaki com

uma Yamaha TR2B de 350cc.

Um ano depois desse dia, quando

pela primeira vez entrei na casa

das irmãs Marise, Fátima e Marcinha

Sant‘Anna, na Rua 7 (Rua Itália em

Araraquara), havia na sala um pôster

dos vencedores, que visto de noite,

com pouca luz, me provocava êxtase.

A viagem a que me refiro neste

texto foi no veículo de Paulo Pecin,

seu irmão José Antonio e Clementino

Silva Filho. Acompanhou-nos no

percurso com outro carro, um DKW

Vemag, Paulo de Tarso Gennari Pizani

e Emilio Carlos Montoro.

Velhos tempos, belos dias...

Yamaha TR2-B: Motoashi

e Hirowuki Kawasaki, os

vencedores

67|


VIP

VIDA SOCIAL por Maribel Santos

Clube Araraquarense 136 anos

Olá querido leitor! Inicio meu texto parabenizando a diretoria do

Clube Araraquarense que ofereceu ao associado uma agenda recheada

de atrações em comemoração aos seus 136 anos. A iniciativa da fundação

foi do Dr. José Cesário da Silva Bastos, Dr. Lino Cassiano Jardim e Carlos

Batista de Magalhães em 1882 que inicialmente e durante algum tempo,

funcionou num prédio de propriedade da Sra. D. Maria Vaz de Arruda

Ferraz. Em 1886, o aristocrático recebeu a visita do Imperador Dom Pedro II

e sua comitiva, sendo ele, o primeiro signatário do livro de visitantes.

O Clube chegou a abrigar momentos importantes da nossa história, como

o alistamento da campanha da Revolução de 1932. Se você deseja saber

mais da história acesse o site: http://clubeararaquarense.com.br/site/

Fabricio Cunha e Luhh Cunha

Clube Araraquarense

Fotos: Marcela Campos

O futebol é um

dos esportes mais

prestigiados pelo

associado. Os

meninos fazem

bonito em campo!

Natacha Dantas e Roni Dantas

Maricy Celebroni e

Kleber Marcel

O casal Lopes, Cláudio e Adriana

|68


69|


VIPS

EM DESTAQUE

Adriana Simões e Flávia Bettoni

Juliana Mincatto

kurmann

Sérgio Eduardo de Carvalho Costa

e Marie Ogata

Paulinho Araújo e

Vinha Haddad

Miriam Luci, Andrea Martins, Aline Carrascosa

e Patrícia Nigro

Samuel de Sousa e Marcelo

Eduardo Lopes

Ana Lúcia Santos

José Carlos Cardozo com as filhas

Najla e Natália

|70


Lico Ramalho e Lineu Carlos de Assis

Carol Brilhante, Leonardo

Damasceno e o filhotinho Inácio

Júlia Stoch e

Sonia Maria Stoch

Wagner Picolo e Marisa Martareli

Cátia Ciomini, Laura e Márcio Mazzei

Vyllminha Medeiros

Andréia Montandon

e Ivo Eduardo Moroni

Camila Buda Zendron

e Domingos Abritta

71|


VITRINE

JOÃO CARLOS

Equipe de

sucesso

da Stéfani

Motors

Araraquara

Empresário André Boalin, da

Aliança (Av. 36), comemorou

mais um ano de vida. Parabéns.

Cidinho Junquetti, figura de

destaque na gastronomia da

cidade

Publicitário Humberto

Perez e sua mãe Maria

que comemorou mais

um aniversário

Nivaldo e Rosângela Santos compraram

seu Toyota na Stéfani Motors com a

vendedora Aninha Escabelo

ANIVERSÁRIOS

Abril|2018

A diretoria do SINCOMERCIO cumprimenta todos os aniversariantes

DATA NOME

EMPRESA

DATA NOME

EMPRESA

01/04

01/04

02/04

03/04

06/04

06/04

07/04

07/04

08/04

09/04

09/04

10/04

12/04

12/04

12/04

13/04

14/04

14/04

14/04

15/04

15/04

Henrique Borsari Neto

Maurício de Vechi

Gustavo Alcazan Parizi

Mário Takechi Takatsui

Raphael Haddad Tedde

Suzana Conrado

Antonia Regina Carascosa

Gustavo Bonani

Jeferson J. Honorio de Souza

Anderson Botario Siqueira

José Carlos Costa

Custódia Conceição S. Tomé

Dorival Delbon Filho

Francisca Zenaide C. Barbieri

Roberto Montoro

João Euclides Vilchenski

Cláudia Oliveira Rapattoni

Douglas Aparecido Freire

Júlio Fernando Pascoal Basso

Edo Mariani

Maria Angélica de Freitas

Drogaria Borsari

MEA de Vechi Prod. Terapêuticos

Alcatec

DD. Diretor Sincomercio/SCPC

MTS - Monit. de Alarmes

Casa Du Óculos

Auto Posto Vila Sol

Limar Automóveis

Agaeli Distr. Peças

Micropro

Varejão Passarinho

Jô Calçados

Style Calçados

Rimaco

Rádio Morada do Sol

Empório São João

Oliver Folheados

Lubrara

Esc. Zanella de Contabilidade

Esc. Edo Contábil Mariani

Ótica Thiago

17/04

17/04

18/04

18/04

19/04

22/04

22/04

22/04

23/04

24/04

24/04

27/04

27/04

27/04

27/04

28/04

28/04

29/04

29/04

30/04

Anderson César Marqueti

Tarcisio de Freitas Alves

Elaine Cristina Senhorini

Marcos Teixeira dos Santos

Sérgio Luís Bignotto

Domingos Bonani Junior

Ivete Aparecida Caparelli

Lúcia Helena G. Fanelli

Omar Lopes Fernandes

Miriam de Fátima de Oliveira

Rosa Quirino do P. Mariano

João Mahfuz Junior

José Antonio do Carmo Faria

Maria Lais Ramos da Silva

Pedro A. Lia Tedde - Engº.

Carlos A. Magdalena Junior

Marcos Rogério Eiras

Rafael F. de Moraes Toqueiro

Vaine Cortez Angelo

Nelson Ferreira Pinto Junior

Habitus Academia

Alves Auto Peças

Paulifer

Import Componentes

Funerária Bom Jesus

Limar Automóveis

Móveis Caparelli

P@pelaria.com

Luma Engenharia

Escola “Imaculado C. de Maria”

Welckman Tintas

J Mahfuz

Constroeste

Ramos Presentes

Imobiliária Tedde

Magdalena Imóveis

JR Calçados e Chapéus

Cesta Básica União

Geração Mulher

Aramix

|72


Elaine

Massucato

(diretora

da Unesp

Odontologia)

e Edson Silva

(vice-diretor),

recebem os

calouros deste

ano

Ademir Ramos que assina

Alumínio Fort-Lar e é Diretor

Titular do Ciesp, participou

da coletiva de lançamento da

Randon Araraquara

Canibais Araraquara fazendo

doação dos mantimentos

arrecadados em festa para a

Casa da Sopa do Vale do Sol.

Na foto, Paulinho, Bulldog,

Panzer Canibal, Adilson

Morgado e Humberto

Manoel de Araújo Sobrinho

em evento realizado na

cidade

73|


Luís Carlos

BEDRAN

Sociólogo e cronista da Revista Comércio,

Indústria e Agronegócio de Araraquara

Parlamentarismo já

Em 1993, foi realizado um plebiscito que perguntava ao

povo qual era a forma e o sistema de governo que ele

preferia: Monarquia ou República e Parlamentarismo

ou Presidencialismo. A população votou por República

e Presidencialismo, o que manteve o país em uma

República Presidencialista.

Nunca se especulou tanto no meio

político para conhecer quais serão os

candidatos à presidência da República

na próxima eleição de outubro. São

tantos os pré-candidatos, de vários

partidos, que o eleitor não tem como

não ficar confuso.

Seria importante mesmo uma

nação ficar a depender dos humores

e das idiossincrasias de apenas uma

pessoa para governar um país de 200

milhões de habitantes?

A tradição histórica e constitucional,

desde o início da República, segue

o regime presidencialista que não

destoou da política do Império, que

também era centralizada na figura do

imperador, onde as províncias (hoje,

os Estados) não possuíam autonomia.

Seguimos esse sistema, idêntico ao

dos EUA. No entanto, lá, ao contrário,

os Estados já eram independentes e

só depois se uniram para formar uma

federação, elegendo um presidente

nos mesmos moldes da Inglaterra,

governada por um rei. Na Inglaterra,

porém, antiga tradição impõe um

regime monárquico parlamentarista,

onde o rei (ou a rainha) representa a

nação, mas quem a governa é o Parlamento,

pelo primeiro ministro. Assim

como noutros países europeus, embora

republicanos.

Apesar de já havermos tentado

transformar o nosso regime em parlamentarista

por plebiscitos, essa ideia

não vingou por uma série de razões

conjunturais da época. Na verdade,

continuamos a ser governados por

um rei, mas sob a denominação de

presidente, homem ou mulher, cujos

humores pessoais não deveriam ir

além dos gabinetes, o que, não poucas

vezes causou graves crises institucionais.

Depois da Constituição de 88

nossos presidentes são praticamente

obrigados a cooptar os votos dos congressistas,

nem sempre obtidos honestamente,

para conseguir maioria

na tentativa de aprovar seus projetos.

Caso contrário, não os conseguem. É o

presidencialismo de coalizão, uma espécie

de semiparlamentarismo, onde

os partidos se unem e se desunem ao

sabor das circunstâncias e também de

interesses, nem sempre confessáveis.

É excepcional a força que tem um

presidente. Não fossem as eleições

regulares democráticas que permitem

a alternância do poder, dir-se-ia que

sempre vivemos sob um regime ditatorial.

Por isso deveríamos mudar a

Constituição, transformando o nosso

sistema em parlamentarista, onde o

primeiro ministro precisaria ter maioria

parlamentar para poder administrar

o país. Não a conseguindo, o presidente

da República convocaria novas

eleições para eleger os deputados e

senadores e formar novo ministério.

Mas para mudar a Constituição, ou

reformá-la, seria preciso antes existir a

boa vontade dos nossos congressistas.

Mas eles não têm interesse nisso,

pois preferem manter o status quo, inclusive

com partidos pouco ou nada

representativos e que não são poucos.

Aliás, seria preciso mesmo uma ampla

reforma política, talvez uma nova

constituinte. Pois não há atualmente

uma real representatividade dos Estados

onde alguns têm milhões de

eleitores e outros, menores, alguns

milhares, o que, inevitavelmente conduz

o País a uma série de distorções

que acarretam graves problemas para

conseguir ser bem administrado.

O presidente da República, no

regime parlamentarista, além de ser

eleito democraticamente pelos cidadãos,

teria seus atos, ou pelo menos

a maioria deles, analisados e aprovados

previamente pelos seus ministros,

reunidos no chamado “cabinetgovernment”,

um colegiado sob a condução

de um premier e assim o seu poder

de ação ficaria limitado à decisão da

maioria, menos sujeita a erros.

Tais ministros deveriam ser apoiados

pelo partido majoritário no Congresso,

ou então pelo grupo de partidos

que formariam uma coligação

e assim o gabinete somente poderia

agir na sua condição de órgão coletivo,

prestando sempre contas ao Poder

Legislativo.

É preciso que haja um equilíbrio de

forças, entre ambos os poderes, o Executivo

e o Legislativo. Caso contrário,

sempre ficaremos à mercê de um

líder que, como todo cidadão, como

qualquer ser humano, possui suas

fraquezas. O professor José Afonso

da Silva, festejado constitucionalista,

diz que “a concentração de poder no

presidente atrai as graves crises para

a sua pessoa, com profundo desgaste

pessoal, às vezes, fatal”. E cita Miguel

Reale: “o parlamentarismo, em verdade,

não apresenta uma solução de

problemas substanciais, mas, antes,

um processo prático para encontrar

e facilitar soluções”.

De qualquer forma, esperemos que

um dia, sem que se precise fazer um

amplo plebiscito — que, como todo

plebiscito, costuma ser facilmente manipulável

pelo governo de plantão —,

e que os cidadãos, pelos nossos representantes,

possam instituir o sistema

parlamentarista, mais condizente

com o Estado moderno e sem tantos

sobressaltos e temores que costumam

ocorrer em nosso atual regime.

|74


75|


|76

More magazines by this user
Similar magazines