Revista Contato VIP - Março de 2021 - Marau/RS

contatovipmar21
  • No tags were found...

Edição da Revista Contato VIP do mês de Março de 2021, com a capa de circulação da cidade de Marau/RS - Especial VIP WOMAN


Tempo de mudança


2021


CARTA DA EDITORA

Tempo de mudança

Tempo de Mudança é o tema do especial Vip Woman que circula nesta

primeira edição de 2021.

E, podemos dizer que muita coisa mudou, desde aquele março de 2020,

quando realizamos a segunda edição do Vip Woman, evento no qual

entregamos a revista às nossas homenageadas. Aliás aquele foi o primeiro

e único evento do ano. De lá para cá muitas mudanças.

Tempo de mudança no modo de nos relacionar, fazendo uso constante

das tecnologias para nos aproximar de amigos e familiares, e, ao mesmo

tempo de valorização do tempo que passamos com a nossa família.

Ressignificar o tempo, valorizar os momentos, perceber o que era imperceptível,

foi um ganho, já que a nossa rotina e a correira do dia a dia não

nos permitia, muitas vezes, eleger as nossas prioridades.

Tempo de mudança na forma como sentimos. Ter a noção de que o que

acontece conosco, acontece no mundo, que somos todos igualmente vulneráveis,

nos fez desenvolver a empatia, a solidariedade e a gentileza.

Tempos de mudança na nossa vida profissional, onde tivemos que nos

adaptar à novas tecnologias, ir para casa e ao mesmo tempo ganhar

o mundo. Realizar cursos, participar de lives, testar outras e novas

habilidades.

Tempos de mudança na saúde, onde aprendemos o valor do mais

primitivo movimento, o de respirar, o de encher nossos pulmões de ar.

Sabemos que quanto mais preparados estivermos mais forças teremos

para prevenir e resistir ao impiedoso vírus, até que a vacina seja uma

realidade para todos.

Todas essas mudanças foram citadas de alguma forma pelas mulheres

que participam do Vip Woman, 2021, profissionais dos mais diversos

segmentos, mulheres engajadas no seu tempo, no seu espaço e com muito

a contribuir. Foi um prazer fazer esta edição.

Rosemara Toledo

Jornalista DRT/RS 12763

Sócia-proprietária da editora

Contato Comunicações Ltda.

Foto: Cristiani Lauxen

Vocês vão adorar conhecê-las.

Boa leitura.

E até a próxima.

Ano XXV | nº 306 | Março | 2021

Av. Flores da Cunha, 1663, Sala 101

Ed. Agnello Senger - Carazinho/RS

Fone (54) 3330-1529

vip@contatovip.com.br | contatovip.com.br

Contato VIP é uma publicação da Contato

Comunicações Ltda. Empresa fundada em

15 de julho de 1988, por Sideno João

Docena (In Memorian)

Direção:

Rosemara Toledo

Rg. DRT/RS 12763

Jornalismo:

Camila Toledo Docena - DRT/RS 18547

Colunas:

Céia Giongo

Nicele Branda

Manno Escobar

Sandra Rodriguês

Editoração Gráfica:

Juliano Graebin

Departamento Comercial:

Carla Oliveira Tatsch

Josefina Monteiro

Iara Vargas

A revista não se responsabiliza por

conceitos e opiniões emitidas em

colunas assinadas e materiais divulgados

em anúncios publici tários.

4 | contatovip.com.br



ÍNDICE

08 12 14

PASSO FUNDO

A Procuradora do Estado do RS,

Luciane Buaes Dorneles, fala de

trabalho, família, solidariedade

e amor ao próximo.

Foto: Daniel Tatsch

MARAU

A empresária Sonia Mara Panizzon

compartilha a forma como encarou os

desafios trazidos pela pandemia, para

manter sua empresa funcionando e

levando autoestima às mulheres.

Foto: Ane Apio Fotografias

CARAZINHO

A Biomédica Fernanda Meireles

apresenta sua clínica Bio Med,

e os tratamentos que vão promover

o bem-estar e qualidade de vida,

através da saúde integrativa.

Foto: Daniel Tatsch

53

LEGISLAÇÃO

Os direitos e as conquistas

das mulheres no mercado

de trabalho.

54

MODA

Escapismo – a

macrotendência que se

estabeleceu na moda em

tempos de pandemia.

60

na

ECONOMIA

Os avanços da tecnologia

contabilidade.

2021

Tempo de mudança

17 59

VIP

WOMAN

Especial apresenta

as mulheres que

compartilham tempos

de mudança.

SOCIAL

O enlace de Bruno

Ventura Tarasconi

e Hanna Noschang.

RevistaContatoVip RevistaContatoVip Revista Contato VIP

6 | contatovip.com.br


Estar de bem

com o espelho é

sinônimo de saúde

e bem-estar!

Cuidar da aparência é uma das formas

de elevar o humor e a autoestima. E

sabemos o quanto estar sentindo-se

bem consigo mesmo é essencial para

que nossas relações, sejam pessoais ou

profissionais, aconteçam de modo mais

satisfatório.

É pensando em pessoas reais como

você, que o Samoa Espaço da Beleza

dispõe de variados procedimentos

estéticos. Ofertando tratamentos

de estética corporal e facial (limpeza

de pele, massagens relaxantes,

drenagens, micro pigmentação

estética e paramédica), cabeleireiros,

manicures, designer de sobrancelhas e

maquiadoras altamente qualificadas.

Temos como princípio o atendimento

individualizado que proporcione uma

experiência única de bem-estar e

satisfação. Em nossa carteira de

serviços contamos também com

atendimento personalizado de noivas e

formandas.

(54) 3601-5114

(54) 99191-0720

samoabeleza@gmail.com

Rua Lava Pés, nº 1155

(Em frente ao Villa Vergueiro Hotel)

Centro – Passo Fundo/RS

Atendemos em horários diferenciados

em uma das melhores localizações da

cidade de Passo Fundo. Conheça nossos

serviços e descubra como ficou fácil

valorizar o que já é bonito!

/SamoaEspaçodeBeleza

@samoa_pf


VIP | Capa

LUCIANE BUAES DORNELES

No mês da mulher, a Procuradora do Estado fala sobre a importância da família,

do trabalho e dos voluntários que se dedicam a fazer a diferença na vida dos outros

Luciane é dona de um sorriso

sincero e de uma compaixão

que nos contagia. Ela dedica-se

igualmente e com o mesmo

amor à vida, à família, ao trabalho e à

comunidade, gerindo seu tempo para

valorizar as coisas que acredita serem

mais importantes na vida. Ela é filha de

Atílio José Edgar Dorneles e de Carmem

Buaes Dorneles – os responsáveis pelas

suas escolhas de vida. Desde muito cedo

acompanhava o trabalho dos pais, sempre

com admiração e respeito pelo trato da

coisa pública. “Minha mãe foi diretora de

escola estadual, por 15 anos, e meu pai foi

gerente de banco, por 20 anos, em Passo

Fundo. Desse modo, via, de perto, diariamente,

como meus pais se dedicavam à

prestação do serviço público, com amor

e com responsabilidade, para, por meio

da atividade estatal, atender, em suma, as

necessidades da coletividade”, conta.

FOTO | DANIEL TATSCH

Desse modo, já na época da faculdade de

Direito, ela já se interessava, muito, pelo

Direito Público, que, em síntese, trata

das normas que disciplinam as atividades

entre Estado, seus servidores e os particulares.

E, em assim sendo, direcionou seus

estudos, para a área de concursos públicos.

Dentre os concursos para os quais

foi aprovada, a nível Federal e Estadual,

optou pela Carreira na Procuradoria-Geral

do Estado, pois, além do orgulho de

defender o Rio Grande do Sul e de, ainda,

ter afinidade com a matéria tratada, lhe

era e é muito importante a questão de

residir na terra na qual vive sua família.

Ao assumir o cargo na PGE, Luciane foi

designada para atuar na Procuradoria

Regional de Gravataí, assumindo, após,

na Regional de Frederico Westphalen, na

qual trabalhou por um ano. Após, obteve

remoção para Passo Fundo, onde está

lotada há 21 anos.

A Procuradoria-Geral do Estado é uma

instituição formada com mais de 300

Procuradores e Procuradoras do Estado

em atividade, que completou, em 19 de

8 | contatovip.com.br


VIP | Capa

março, 56 anos. Possui forte atuação na

Capital e no Interior do Estado, sempre

voltada à defesa dos interesses do

Estado do Rio Grande do Sul. A PGE/

RS desempenha um trabalho técnico e

de excelência, tanto em âmbito administrativo

quanto no judicial. Exerce o

controle preventivo de legalidade dos atos

administrativos, recupera os prejuízos

causados ao patrimônio público, defende

o Estado nas ações judicias, ou seja, o

Procurador do Estado desempenha um

papel essencial na sociedade riograndense.

Em defendendo os interesses do

Estado do Rio Grande do Sul, ele defende

os interesses de toda a sociedade gaúcha.

Conforme explica Luciane, entre as várias

atribuições dos Procuradores e Procuradoras

do Estado, pode-se citar, como

exemplo, a defesa do Estado em âmbito

judicial e a orientação e consultoria

jurídica ao Gestor Público para viabilizar

e agilizar a implementação das políticas

públicas. Desse modo, a Procuradoria

do Estado atua na defesa do interesse

público no âmbito judicial e extrajudicial,

cumprindo sua missão de, obedecendo

à legalidade, contribuir para o fortalecimento

econômico e social da população

do Estado do Rio Grande do Sul.

Atualmente, Luciane também integra a

Diretoria Executiva da Associação dos

Procuradores do Estado do RS (APERGS)

- gestão 2019/2021. “Como vice-presidente

de Núcleos, Integrante do Departamento

de Meio Ambiente e Coordenadora

do Núcleo dos Procuradores Ativos

Lotados no Interior e em Brasília me

sinto ainda mais desafiada nas minhas

atividades como Procuradora do Estado.

Como também atuo em uma Procuradoria

Regional, assim como demais colegas

lotados nas demais unidades, acompanho

de perto os desafios para poder contribuir

em avanços importantes para a nossa

categoria”.

A gestão da qual Luciane faz parte é

bastante atuante. Mesmo com a pandemia,

continuaram realizando atividades,

reuniões e lutando por pautas históricas.

Ainda temos muito para avançar, mas

estamos nos dedicando, intensamente,

para alcançar resultados significativos

e relevantes pela Classe. E essa atuação

também decorre do encanto e do orgulho

que sinto pelo exercício de minha profissão”,

enfatiza.

A BASE FAMILIAR

A base familiar

O último ano foi e está sendo marcado

por momentos de extrema fragilidade e

de vulnerabilidade humana. A dor e o

sofrimento de um acabam por se tornar

a dor e o sofrimento de todos. Para

Luciane, a pandemia despertou uma força

interior nas pessoas, que as impulsiona

a lutar por suas vidas e pelas dos outros.

E essa dor global levou os indivíduos a

ressignificarem suas vidas. “O legado que

ficará será o do amor, da ajuda ao próximo,

do cuidado e o da empatia”, acredita.

Luciane é casada com Marcelo Ribeiro,

mãe de Gabriela e de Daniela Buaes

Dorneles Ribeiro. Para ela, a base familiar

é o alicerce que permite ao indivíduo

enfrentar seus desafios durante a vida,

pois é na família que se criam os laços

emocionais e espirituais para a formação

do ser humano. “Venho de uma família

com quatro irmãos, dois homens,

Rodrigo e Ricardo, e duas mulheres,

eu e minha irmã, Lisiane. Nossos pais

sempre nos ensinaram a importância do

trabalho, da honestidade, do esforço e da

persistência, para alcançarmos objetivos

na vida. E, certamente, a maternidade é

uma das maiores realizações de minha

vida. Ser mãe de duas meninas, Gabriela

e Daniela, me tornou uma pessoa melhor.

A cumplicidade existente entre nós é algo

mágico, sagrado. Basta um olhar, um

gesto, para que saibamos o que estamos

querendo dizer umas às outras. Nas horas

mais difíceis e mais alegres, estamos ali,

juntas. Posso, tranquilamente, afirmar

que minhas filhas são a razão maior de

minha existência”, compartilha.

Gabriela, hoje com 18 anos, passou no

vestibular de medicina e está indo estudar

fora, para traçar seu próprio caminho.

Poderia, tranquilamente, ficar em Passo

Fundo e cursar a faculdade aqui. Mas

preferiu, corajosa que é, escrever sua própria

história, à distância, com um protagonismo

que lhe será único. Daniela, com

seus 14 anos, é uma líder nata. Adora ler,

praticar esportes e estudar. Somente nas

últimas férias leu 10 livros em 2 meses

e meio. Adora os bichinhos e, por ela,

recolheria todos os animais abandonados

que encontra na rua. “Sempre procurei

passar para as meninas a noção de aproveitamento

de tempo e de oportunidades.

Os desafios mais difíceis foram os que me

proporcionaram maior crescimento. Educar

é uma das tarefas mais difíceis e mais

prazerosas do mundo. A cada dia, com

diálogo franco, honesto e aberto, abre-se

espaço para incentivos, ajuda, educação e

cumplicidade entre nós”, ressalta.

SOBRE AS MULHERES

Sobre as mulheres

Luciane tem observado que as mulheres

estão cada vez mais unidas, conscientes

de sua importância e da sua responsabilidade

umas para com as outras. “Temos

fortalecido, enormemente, o vínculo

que nos une, com empatia, acolhimento,

companheirismo, solidariedade e amor.

Assim, o que no passado nos unia frente

à sociedade, para avanços trabalhistas,

sociais e políticos, hoje nos fortalece em

nossos vínculos afetivos, emanando sentimentos

de apoio de nosso interior para

o interior de nossas filhas, irmãs, mães,

amigas, colegas, etc. Desenvolvemos, sim,

um sentimento de irmandade feminina,

de suporte, de empatia de mulheres para

mulheres, fortalecendo nossos vínculos

e nos apoiando mutuamente. E isso é

maravilhoso, na medida em que o fortalecimento

de uma, leva ao fortalecimento

de todas. É muito linda essa relação de

união, de afeição e de amizade que tem

emanado, num movimento crescente, entre

as mulheres do mundo inteiro. Juntas

somos mais fortes”, afirma.

{

Luciane é Procuradora do Estado do Rio Grande do Sul; formada em Direito

pela Universidade de Passo Fundo; empossada na PGE em 1998; atuação nas

Procuradorias Regionais de Gravataí, de Frederico Westphalen e de Passo Fundo.


VIP | Capa

Solidariedade

amor

e ao próximo

Luciane sempre acreditou que

cada pessoa pode ajudar a fazer

deste um mundo melhor e mais

feliz. Cada um de nós é responsável

por cada ser existente. Somos todos

interligados e conectados. Podemos,

através de nossas ações, ajudar a aliviar o

sofrimento ou a mudar o destino de alguém.

E, se for através da união de várias

pessoas, essa missão se torna mais forte,

bonita e coesa.

A solidariedade, inclusive, se tornou uma

das principais armas contra a pandemia.

Muitos voluntários têm se mobilizado

para ajudar pessoas em estado de vulnerabilidade

social. Doação de alimentos,

de produtos de higiene pessoal, de roupas

e de medicamentos são algumas das ações

solidárias que se espalham pelo mundo.

As pessoas estão se unindo, numa escala

de solidariedade global, para ajudarem

umas às outras.

Em Passo Fundo não é diferente. Há

vários grupos de voluntários que, com

generosidade e amor, dedicam parte de

seu tempo a ajudar ao próximo. Como os

que Luciane compartilha a seguir:

CLUBE DOS AMIGOS E

PROTETORES DOS ANIMAIS (CAPA)

O Clube dos amigos e protetores dos

animais (CAPA) foi fundado em 2002 por

um grupo de pessoas preocupada com

a situação dos animais abandonados na

cidade de Passo Fundo. Por 15 anos foi o

único albergue da cidade aonde passaram

mais de 10 mil animais, cães, gatos

e cavalos. Teve parceria com o Poder

Público onde foram acolhidos animais

retirados de maus tratos, animais levados

pelos bombeiros, polícia, Patran e Polícia

Rodoviária. Nesses 15 anos foram realizadas

várias feiras de adoção em praças,

eventos, brechós.

Hoje o CAPA não tem mais o albergue

de cães, que foram para a responsabilidade

da Secretaria Municipal do Meio

Ambiente e hoje estão em outro albergue

que ganhou a licitação do chamamento

público. O CAPA decidiu não participar

por achar inviável os valores que a

prefeitura iria repassar, e as exigências.

O CAPA tem hoje um gatil que ficou sob

sua responsabilidade e é mantido com

Contatos:

facebook.com/CAPApf/

Instagram @capaabrigoanimais

ajuda de voluntários. São 15 gatinhos idosos

e alguns cães idosos que ficaram sob

responsabilidade de uma voluntária.

Na página do Facebook Adote o Capa,

ajudam a repassar doações de animais

de protetores independentes e recebem

ajuda de doações, que ajudam a pagar as

dívidas acumuladas, auxiliam a manter os

gatos e na realização de brechós. Os gastos

do CAPA são 40kg por mês de ração

para gatos, água, luz e uma pessoa que é

paga para cuidar do gatil.

Depoimento de Rosa Scheleder

TATO

A palavra “tato” indica um dos sentidos

de percepção do corpo humano. É com

ele que podemos sentir sensações e vibrações.

É o tato que promove o contato,

o carinho e atenção, consideradas as

melhores formas para se espalhar o amor.

Contatos:

facebook.com/projetotatopf Instagram @projetotato

Criado em maio de 2015, o Tato é um

projeto voluntário que tem como objetivo

desenvolver ações solidárias. Essas ações

são realizadas com idosos, crianças,

famílias e animais, através de parcerias,

doações e auxílio financeiro. O projeto

busca ajudar o próximo e inspirar que

outras pessoas façam o mesmo. Quando

somadas, pequenas atitudes fazem a diferença

e transformam o mundo!

10 | contatovip.com.br


FOTO | DANIEL TATSCH

AMAS DE LEITE

Contato:

facebook.com/projetosocialamasdeleite

O projeto “Ama de Leite” é constituído

por um grupo de mulheres envolvidas

com o IOT - Instituto de Ortopedia e

Traumatologia e a Clínica Kozma, e visa

contribuir com ações sociais junto à

comunidade passo-fundense. A ideia das

ações originais era a de arrecadar latas

de leite em pó para serem distribuídas

às crianças carentes, pertencentes a uma

instituição a ser definida em cada evento.

Daí o nome, Amas de Leite.

O projeto visava reforçar, também, a

importância do leite como veículo de cálcio,

vitamina D (se fortificado), fósforo,

proteínas, potássio, magnésio e zinco,

que são substâncias fundamentais para

a saúde dos ossos, prevenindo, assim, a

osteoporose na vida adulta, desde a infân-

cia. Contudo, as ações foram se ampliando

para atender outras necessidades.

Dentre as entidades beneficiadas pelo

Amas de Leite estão o SAMI, a ONG

AMOR, o CAPA, a Liga do Combate ao

Câncer, a Casa Vida, o SOSA - Serviço de

Orientação e Solidariedade a Aids, o Natal

do Jaboticabal e doações e desenvolvimento

de atividades de lazer às crianças

e adolescentes das três casas de acolhimento

do município de Passo Fundo.

Na certeza de que fazer o bem é parte do

exercício de uma alma verdadeiramente

humana, as Amas seguem dividindo seu

tempo entre suas famílias, seus trabalhos

e às ações sociais. Fazer o bem, faz bem!

Depoimento de Marilise Brockstedt Lech

Podemos, através de

nossas ações, ajudar

a aliviar o sofrimento

ou a mudar o destino

de alguém. E, se for

através da união de

várias pessoas, essa

missão se torna mais

forte, bonita e coesa.”

ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DA VILA POPULAR

Com uma trajetória de mais de 13 anos

de doação e trabalho em prol dos mais

necessitados, a irmã salvatoriana Inês

Sartori juntou-se a Presidência do Bairro

Vila Popular, unindo-se ao propósito de

olhar pelos mais necessitados. O grupo,

composto atualmente por 14 pessoas,

se reúne na Vila Popular, mas auxilia

pessoas de todas as regiões da cidade.

O grupo entende que o maior problema

das pessoas em necessidade é a falta de

oportunidade, pois não têm acesso a

preparação e qualificação e, consequentemente,

ao trabalho. Por isso, o sonho

dos integrantes da Associação dos Moradores

da Vila Popular é poder qualificar

e dar oportunidade de trabalho aos que

estão à margem da sociedade. Para isso

precisam de um local para implantar

cursos de capacitação de diaristas, cozinheiros,

cabeleireiros, embelezamento

de mãos e pés, informática, banco de

emprego, padaria e outros. A associação

está buscando parcerias de empresas

privadas e precisa da participação da

sociedade passo-fundense e demais

interessados para colocar seus planos em

prática e, assim, semear amor, solidariedade

e vida digna.

Contatos:

(54) 999121807 e (54) 992616178

Na foto, a Irmã salvatoriana Inês Sartori, o Presidente do Bairro Popular,

Leandro Pereira, e as agentes de saúde Roselia Rodrigues e Estela Weschenfer.

contatovip.com.br | 11


VIP | Capa

Sonia Mara Panizzon

uma mulher inspiradora

À frente da Wolf Joias, ela compartilha a forma como encarou os desafios trazidos pela

pandemia para manter a sua empresa funcionando e levando autoestima às mulheres

Sonia é uma mulher guerreira,

de palavras fortes, sorriso largo

e simpatia contagiante. Ela nos

inspira por sua história, por sua

determinação, pela sua forma de encarar

os desafios e, é claro, pelo seu bom gosto

para criar lindas composições de joias.

Sonia é natural da cidade de São José do

Ouro, mas é uma cidadã passo-fundense

desde 1994. Tem 48 anos, é casada com

Nelson Miguel Wolf, 68, mãe de Guilherme

Panizzon Wolf, 21, e Vinícius Panizzon

Wolf, 13. Ela é hoje sócia-diretora do

Grupo Wolf Joias, uma empresa familiar

fundada por seu esposo e sócio Nelson,

que atende com excelência o mercado

local, nacional e internacional. A empresa

tem sede na cidade de Passo Fundo, onde

se dedica à fabricação de joias folheadas

há 25 anos.

Sonia conta que, no início de 2020, quando

conversava com alguns fornecedores

chineses, estava sensibilizada com a situação

do novo coronavírus que estavam

vivenciando. Tudo parecia tão distante

de nós ainda... “Com certo egoísmo nós

brasileiros e demais economias mundiais

nos sentimos, por algum momento, até

avantajados em frente a essa gigante comercial,

afinal, a pandemia era na China!

Porém logo a situação chegou a Itália, ao

Reino Unido, aos Estados Unidos... e ao

Brasil. A aula foi suspensa. O futebol. A

novela. O Comércio. Indústrias fechadas.

Lockdown. De uma hora para outra

não podemos mais abraçar, visitar nossos

pais, nos despedir de entes queridos... E

aqui estamos em março de 2021 ainda

escrevendo essa história. História de

uma pandemia, cenários que em filmes

de ficção não poderíamos imaginar,

muitas vidas perdidas, muitas histórias

interrompidas, famílias dilaceradas.

Uma guerra, sim, uma guerra invisível

e silenciosa, de um ditador perigoso,

cruel e traiçoeiro chamado Corona vírus.

Uma guerra que independe da geografia,

do gênero, da classe social ou cultural”,

compartilha Sonia.

12 | contatovip.com.br

FOTO | ANE APIO FOTOGRAFIAS

Ao ser questionada sobre o que mudou

em sua vida nesse período ela não consegue

responder somente por ela, afinal, a

mudança aconteceu para toda a humanidade.

“Somos mortais frágeis, sujeitos

à vontade divina. Mas fomos agraciados

pelo dom da superação. E essa é a palavra

que define tudo o que estamos vivendo.

Todos teremos uma história de superação

para contar, seja ela emocional, psicológica,

econômica ou financeira. Mas ainda

uma história de superação!”, acredita.

Porém, como empresária, Sonia destaca

que a sua principal contribuição foi no

âmbito de manter a empresa, os empregos

e compromissos, e ainda contribuir

com entidades que estavam envolvidas no

atendimento de famílias carentes.

As mudanças na empresa precisaram


acontecer, implementando os protocolos

de distanciamento, higienização, ventilação

dos ambientes, entre outros. Porém

o principal desafio, que não só a Wolf,

mas a maioria das empresas teve, foi

buscar como vender e segurar o faturamento,

principalmente com o comércio

e as fronteiras fechadas. “Nossa empresa

trabalha com o mercado externo, em

que os clientes estavam acostumados ao

atendimento presencial. A venda acontecia

mediante o cliente ver, tocar, analisar

o acabamento e a qualidade da peça.

Nos pareceu uma missão impossível

vender através das imagens, mas, de repente,

o impossível se tornou inevitável.

Precisamos nos adaptar de forma rápida

e eficiente, pois a pandemia é mundial;

pois a forma de produzir e de vender

mudou; pois o tato foi substituído pelo

zoom; o cafezinho na loja do cliente pelo

vidro de álcool gel; o cordial aperto de

mão pelo emoji no WhatsApp e, assim,

mudanças começaram acontecer. Hoje

consideramos o digital como nosso

principal aliado”, destaca.

A empresa também procurou manter

a linha de produtos atrativa, porém

mais adaptada a realidade financeira

dos clientes. “Demos um foco maior a

modelagens mais leves e, consequentemente,

mais econômicas. Da mesma

forma, como nossa empresa atende em

maior parte o público do sexo feminino,

eu mesma, através da minha imagem,

procurei incentivar, inspirar e motivar as

mulheres a se arrumarem para ficar casa,

mostrando que acessórios poderiam,

sim, ser usados com máscaras, que looks

poderiam ser incrementados com o

brilho das peças, que deveríamos continuar

presenteando e que a autoestima

é fundamental para mantermos nosso

emocional saudável!”, destaca.

A autoestima feminina está diretamente

ligada à Wolf Joias. A empresa

tem como exemplo a marca de varejo

Wolf Prime, onde as mulheres podem

encontrar as mais lindas e distintas

criações, da linha casual à mais arrojada,

se tratando de semijoias de luxo. A

loja possui também as melhores opções

para presentear com requinte e qualidade

a um custo eficiente. “Na Wolf Prime

tudo foi pensado nos mínimos detalhes

para mulheres de todas as idades poderem

desfrutar do prazer e satisfação de

usar uma peça da coleção”, ressalta.

Sonia acredita que ter autoestima é

diferente de ser escrava da sua própria

imagem e que o amor pelo que se faz,

faz toda a diferença no nosso dia a dia!

“Acredito que mulheres de bem com

seu corpo, sua mente e com autoestima

elevada são mais felizes, amadas e capazes

de amar. Também defendo a ideia

de que as mulheres, esses seres incríveis,

tiveram a elas concebido a força, a

coragem, o dom da maternidade e também

as foi entregue a missão de, junto

com as flores, embelezar o mundo.

Por ser escorpiana, de sangue italiano,

gosto de ter tudo sob meu olhar, todo

sob meu comando e as funções de mãe,

dona de casa, empreendedora são uma

satisfação para mim. Afinal, quando na

carga tem amor o peso se torna suportável”,

finaliza.

FOTOS | ANE APIO FOTOGRAFIAS

Wolf Prime - (54) 99644.7820

@lojawolfprime - www.wolfprime.com.br

Rua Fagundes dos Reis, 466 - Centro - Passo Fundo/RS

Wolf Joias - (54) 3311.3114 (54) 3581.0728

www.wolfjoias.com.br - wolf@wolfjoias.com.br

Avenida Brasil Leste, 1386 - Petrópolis - Passo Fundo/RS


VIP | Capa

A

paixão pela biomedicina

tornou Fernanda Meireles uma

empreendedora. À frente da

Clínica BioMed, ela hoje exerce

o seu trabalho ao lado de competentes profissionais,

sempre buscando novidades para

oferecer ao público de Carazinho e região.

Conforme explica Fernanda, a BioMed é

um centro de estética avançada corporal e

facial, dedicado a beleza e bem-estar, cujo

objetivo é proporcionar excelência em

estética e saúde integrativa com segurança e

qualidade aos clientes. “Na Clínica, nossos

clientes têm acesso às mais modernas tecnologias

do mercado mundial, tratamentos

de beleza com rigor científico, atendimento

profissional altamente especializado e

qualificado. Nossa inspiração é extrair o seu

melhor!”, destaca. A clínica une tratamentos

estéticos e de saúde integrativa, que

você vai conhecer a seguir:

FOTO | DANIEL TATSCH

SAÚDE INTEGRATIVA

Esse é um novo conceito utilizado por

profissionais da saúde que visa uma abordagem

mais integral do paciente, com olhar

para o indivíduo como um todo: mente,

corpo e espírito. Procura trabalhar de

forma interdisciplinar, sendo um modelo

de tratamento que foca na saúde e na cura,

e não somente na doença e no tratamento

de sintomas. A consulta especializada com

a abordagem da Saúde Integrativa foca em

pilares considerados primordiais como:

• Alimentação saudável,

• Importância do sono reparador;

• Exercício físico regular;

• Autoconhecimento, controle do estresse e

saúde mental;

• Saúde gastrointestinal;

Fernanda Meireles é Biomédica

Proprietária e diretora técnica da Clínica BioMed no município de Carazinho- RS.

Criadora do Método BioMed. Patologista clínica, Analista ambiental – ULBRA. Biomédica Esteta - Faveni/Nepuga; Auditora de controle de

qualidade – SBAC; Pós graduanda em Medicina Integrativa – Nepuga; Pós-Graduanda em Negociação e Resolução de Conflitos - Business

Behavior Institute - BBI of Chicago; Pós graduanda em obesidade e emagrecimento – Facuminas; Programadora Neurolinguística - Instituto Terra;

Habilitada em Cursos Avançados de Toxína Botulínica, Preenchimento Facial e Skinbooster – ISEPE; Habilitada em Cursos Avançados de Fios de

Sustentação e Bioestumuladores – ISEPE; Auriculoterapeuta; Massoterapeuta; Terapeura Holística; Mestre em Reiki formada pelo sistema Mikao

Usui de cura e autocura - Reiki III A - Shinpi Den; Terapeuta Ortomolecular; Tricologista Capilar; Escritora, visionária e amante da Biomedicina.


• Avaliação de deficiências hormonais e

nutricionais;

• Importância da detoxificação orgânica.

Conforme explica Fernanda, é uma abordagem

mais holística, que utiliza de técnicas

da medicina convencional (alopática) a terapias

milenares, não convencionais, como

a medicina chinesa, medicina quântica,

aliado à conhecimentos modernos e atuais

de bioquímica, fisiologia, metabolismo e

genética, por exemplo. A BIOMED possuiu

um sistema de tecnologia de massagem nas

macas que auxilia no processo de relaxamento

muscular, circulação sanguínea, redução

dos níveis de estresse e potencializa a

massagem digital do perfilado, contribuindo

para o alívio das tensões acumuladas no

dia a dia. Possui também o infravermelho

longo, que ativa as moléculas de água no

organismo. Sua ação melhora a circulação

da água através das células, possibilitando

melhor nutrição e redução de toxinas,

revitalizando o organismo. O magnetismo

presente compensa o desequilíbrio causado

pela exposição a ondas eletromagnéticas e

pelo isolamento do magnetismo natural do

planeta.

TERAPIAS:

• Cromoterapia

• Aromaterapia

• Mochaterapia

• Auriculoterapia

• Reiki

• Cristalterapia

• Cone Indu

• Radiestesia

• DrenagemLínfática

• Drenodetox

ESTÉTICA

Mais do que cuidar da beleza, o profissional

de estética é responsável por promover o

bem-estar das pessoas, já que a busca pela

qualidade de vida passa pela aceitação da

autoimagem, boas condições físicas e emocionais.

“Conseguimos provar ao longo dos

anos que estética integra a área de saúde,

não da beleza!”, acrescenta Fernanda. Os

tratamentos oferecidos pela BioMed englobam

a estética facial e corporal, incluindo o

método exclusivo BioMed.

ESTÉTICA FACIAL

• Mesoterapia

• Skinbooster

• Toxina Botulínica

• Preenchimento com Ácido Hialurônico

• Lipo de papada

• Fios de Sustentação

• Limpeza de pele

Camila Meireles

Diretora Administrativa

• Nutrição Facial

• Peelings (físico, químico e enzimático)

• Luz Pulsada

• Revitalização

• Microagulhamento

• Micropigmentação

ESTÉTICA CORPORAL

• Depilação a Laser

• Criolipólise

• Criofrequência

• Remoção de Tatuagem

• Ultrassom Micro e Macrofocado

• Massagem Modeladora, Drenomodeladora,

Drenodetox, Drenagem

• Bronzeamento - MedBronze

• Atendimento Nutricional

• Atendimento Psicológico

• Fisioterapia

• Pacotes Corporais:

- BioMed Estrias;

- BioMed Celulite;

- BioMed Flacidez;

- BioMed Gordura Localizada;

- BioMed Emagrecimento.

FOTOS | DANIEL TATSCH

Rua Silva Jardim, Ed. Nelson 970

Centro - Carazinho/RS

Fone (54) 99678-4812

/biomedicinaesteticabiomed

@biomedbiomedicinaestetica


VIP | Moda

Manno Escobar

Parabéns a todas as mulheres pelo seu dia.

Nesta edição mulheres que influenciam e

inspiram com seu talento e beleza.

Natalia

Lago Busato

Manno Escobar

Cabeleireiro

Diretor artístico,

empresário,

apaixonado por

moda, beleza e

fotografia.

Proprietário do Salão

Manno Escobar

Passo Fundo/RS

(54) 3311.3335

Márcia

Amaral Correa

Ughini

Villarroel

Ana

Cristina

Ferrarezze

Livia

Nonnemacher

Claudia

Loeff Poglia

Taís

Rizzotto

16 | contatovip.com.br


2021

Tempo de mudança

Estamos vivendo um momento ímpar.

2020 foi de reflexão, introspecção, reencontro conosco.

Em meio ao que acontecia lá fora, nos reconectamos com a nossa

essência e promovemos mudanças.

2021 é de esperança, de comemorar o que aprendemos em meio à

dificuldade, de compartilhar o que vivemos.

A transformação foi de cada uma, a mudança foi de todas.

Por esse motivo o Vip Woman 2021 comemora Tempo de

Mudanças.

Confira nas páginas a seguir o que as mulheres tem a dizer

e inspire-se nas mudanças realizadas.


Tempo de mudança

Adriana Góes

O ano de 2020 foi muito

peculiar para todas as

pessoas, e eu fui muito

afetada também. Mudei radicalmente

o meu método de gestão de escritório,

administração do tempo, organizei os

processos internos de forma mais efetiva

e também utilizei o período para

fazer muitos cursos e aprofundar meu

conhecimento na área previdenciária,

que é minha grande paixão.

FOTO | DANIEL TATSCH

Primeiro eu tive que sair da minha

zona de conforto, fazer lives, vídeos e

coisas que eu não costumava. Ficava

muito feliz quando as colegas me

diziam “te vi em uma live!” e também

comecei a fazer. É muito gratificante

ver que eu inspiro outras pessoas a se

desafiarem a fazer coisas diferentes.

Agora falando sobre as mulheres,

acredito que sempre vivemos tempos

de mudanças, principalmente porque

ainda sofremos com muitos preconceitos,

inclusive das próprias mulheres e

precisamos conquistar novos espaços.

Precisamos evitar julgamentos e ser

mais tolerantes com nós mesmas e

com as mulheres da comunidade em

que vivemos. E sempre que possível

prestigiar o trabalho umas das outras.

Acredito que as mulheres precisam se

apoiar e acreditar na sua capacidade,

mostrar o seu potencial para trabalhar

e ocupar cargos anteriormente atingidos

somente pelo público masculino”.

Adriana Góes. Advogada. Cursou Direito na Faculdade Anhanguera de Passo Fundo,

instituição pela qual é especialista em Processo Civil, cursou especialização em Direito

do Trabalho e Processo do Trabalho pela faculdade IMED, e em Direito Previdenciário

pela Faculdade Damásio de Jesus. Atualmente está realizando especialização em

Prática de Benefícios Previdenciários pela Verbo Jurídico.

18 | contatovip.com.br


Tempo de mudança

Ana Denicoló

Acredito que estes últimos

tempos de pandemia

trouxeram grandes desafios

para todos nós. No ateliê, onde

trabalhamos, principalmente, com

produções de cabelo e maquiagem para

eventos enfrentamos um desafio tão

grande quanto os outros profissionais

que trabalham com serviços voltados

para eventos. Buscamos nesse período

evoluir a nossa técnica e o nosso

atendimento para proporcionar uma

experiência incrível para cada cliente

que entra no ateliê e que consome os

nossos produtos e serviços.

FOTO | DANIEL TATSCH

A maquiagem vai além de trazer a beleza

de cada mulher. Ela conecta o meu

eu interior com aquilo que as pessoas

estão visualizando. O que eu mais amo

em tudo isso é o poder que a maquiagem

tem de nos transformar em várias

mulheres, porque se quisermos ter

um ar mais romântico ou um ar mais

poderoso, conseguimos isso através da

maquiagem.

O mercado da beleza é dominado,

predominantemente, pelas mulheres

e, atualmente, esse mercado consegue

entrar na casa de todas, tanto para

quem trabalha com isso, como eu,

quanto para quem quer se sentir mais

bonita e mais confiante para entrar

em qualquer mercado. A mulher tem

ganhado cada vez mais representatividade,

mas ainda temos um caminho

muito longo a percorrer. Acredito que

para as mulheres conquistarem essa

maior representatividade e, também, a

igualdade no mercado e na sociedade

em geral, cada mulher precisa apoiar a

outra. Assim, juntas, somos muito mais

fortes e vamos conseguir cada vez mais

conquistar esse mundo!”.

Ana Denicoló é maquiadora há mais de três anos e proprietária do

ateliê Ana Denicoló, em Carazinho. É formada em administração e

também atua como funcionária pública municipal.

@anadenicolomakeup | @atelieanadenicolo

Contato: (54) 99973-7264

contatovip.com.br | 19


Tempo de mudança

Andreia Zonta,

Marina Longo

e Camila Risso

No último ano aconteceram

diversas transformações

em relação

a nossa forma de pensar e viver,

especialmente no que diz respeito

à forma de trabalhar. Foram tantas

mudanças que acabamos tendo que

reinventar o formato da advocacia.

Percebemos que dois fatores foram

determinantes nessa transformação.

O primeiro se refere a comunicação

com o cliente. Hoje em dia o que as

pessoas procuram no advogado é a

solução imediata dos seus problemas,

o que vai totalmente ao encontro da

evolução digital que estamos vivendo.

O nosso cliente quer agilidade,

empatia e segurança e para viabilizar

essa entrega, as formalidades foram

deixadas de lado, logo a comunicação

está muito mais próxima e

rápida. Em segundo momento, cabe

destacar a conciliação como outro

aspecto relevante de transformação,

pois frequentemente a judicialização

dos problemas não traz as respostas

que o cliente procura, isso porque

depende de um processo demorado,

custoso e muitas vezes com sentenças

que não entregam o que as partes

esperam, dessa forma a conciliação

feita por meio de acordos extrajudiciais

tem sido uma ferramenta muito

utilizada, pois traz benefícios às

partes envolvidas.

FOTO | DANIEL TATSCH

O nosso trabalho é resolver problemas.

Esses problemas muitas vezes

envolvem uma carga emocional elevada,

pois um advogado geralmente

é acionado quando não há mais

solução amigável. Então entendemos

que o lado feminino é muito positivo

nesse sentido, uma vez que temos

20 | contatovip.com.br


Tempo de mudança

a sensibilidade de nos colocarmos

no lugar do cliente, mas ao mesmo

tempo contamos com a força que

as mulheres têm em essência para

entregar a segurança que o cliente

procura, afinal o advogado é visto

como um instrumento de justiça,

então essas duas características são

fundamentais para inspirar, tocar e

mudar a vida de outras pessoas.

É um tempo de mudança porque

acreditamos que a mulher quer

muito mais do que simplesmente

se encaixar no velho padrão de ser

excelente como mãe, esposa e profissional.

O tempo de mudança chegou

e esses requisitos impostos pela

sociedade não são suficientes para

as mulheres. Queremos ser ouvidas,

nos expressar sem censuras, nos vestirmos

com as roupas que gostamos,

amar e ser amadas, mas acima de

tudo isso, queremos ser respeitadas e

tratadas com igualdade.

Poderíamos listar vários aspectos

que precisam ser modificados, mas

apontar mazelas e não encontrar

soluções, seria de pouca valia. Por

essa razão, como a nossa realidade

não será modificada de um dia para

outro, é necessário que a mudança

aconteça por primeiro internamente,

ou seja, cada mulher diariamente

deve observar quais paradigmas

devem ser transformados, pois uma

vez que uma mulher desperta, ela

reconhece seu valor, deixa de aceitar

migalhas e passa a influenciar positivamente

outras mulheres, possibilitando

assim uma transformação

paulatina e eficaz.

Além disso, há um aspecto extremamente

relevante que precisa ser

modificado no mundo feminino: a

concorrência. As próprias mulheres

se enxergam como correntes e travam

entre si uma disputa velada pelo

melhor corpo, pela melhor roupa,

etc... está na hora de nos percebermos

como aliadas e reconhecermos

que cada uma pode ser excelente

entregando o que tem de melhor: a

sua individualidade e singularidade”.

Andreia Zonta, advogada,

formada pela UPF, especialista

em Compliance Trabalhista pela

FGV – SP, pós-graduanda em

Auditoria e Legislação Trabalhista

e Previdenciária pela BSSP, pósgraduanda

em gestão em projetos

pela USP – Esalq e especialista em

Direito Tributário pela LFG.

Marina Longo,

advogada, formada

pela UPF, especialista

em Auditoria e

Legislação Trabalhista

e Previdenciária.

Camila Risso, advogada,

formada pela UNOCHAPECÓ,

Data Protection Officer – DPO

pela Assespro/RS, especialista

em Direito Processual Cível,

pós-graduanda em Auditoria

e Legislação Trabalhista e

Previdenciária.

Elas integram o escritório Zonta, Longo e Risso Advocacia Empresarial,

voltado para a advocacia preventiva empresarial com enfoque

em direito digital, especializado na implementação e adequação à Lei

Geral de Proteção de Dados. O escritório atua no Noroeste do Estado

do Rio Grande do Sul, Oeste de Santa Catarina e Sudoeste do Estado

do Paraná. Saiba mais através das redes: Instagram - @lgpdzontalongoerisso

Facebook - LGPD/Zonta, Longo e Risso Advocacia Empresarial


Tempo de mudança

Analuísa de Freitas

“Com a pandemia nós

tivemos muitas mudanças

profissionais na área da

advocacia, que precisou se reinventar

para trazer os processos de audiência

e toda a relação pessoal com clientes

através de vídeo conferências e

atendimentos online. Tivemos muitas

mudanças em 2020, tivemos que

realizar investimentos e criar formas

de conseguir manter o andamento da

nossa profissão e o atendimento aos

nossos clientes, sem que isso fosse tão

prejudicado com a ocorrência da pandemia.

Internalizamos os escritórios,

passamos a trabalhar com procedimentos

virtuais e, nesses novos meios de

atender na advocacia, também tivemos

o maior cuidado para que tudo fosse

feito dentro dos padrões de segurança

e proteção à Covid-19. Nesse período

contamos muito com a compreensão e

colaboração de todos. O entendimento

dessa nova rotina foi fundamental para

que pudéssemos continuar a trabalhar

dentro dos novos padrões.

FOTO | DANIEL TATSCH

A advocacia procura sempre legitimar

o direito subjetivo das pessoas,

seja através de um processo, de uma

mediação, do aconselhamento ou de

uma assessoria jurídica bastante ampla

e preventiva. Então os advogados e

advogadas sempre mudam de alguma

forma para evitar problemas ou para

diminuí-los e solucioná-los. Isso aconteceu

muito no ano que passou e é uma

das razões de ser da nossa profissão.

Quanto às mulheres, percebo que elas

estão sempre mudando, absorvendo

novas tarefas e entrando em novos

meios que há algum tempo não as era

permitido. Ainda temos muito a trilhar,

com a ajuda dos homens e de toda a

sociedade, para vencer 10 mil anos de

patriarcalismo e com isso trazer uma

forma mais justa, segura e harmoniosa

de viver para todos os seres humanos.

A nossa luta ainda é pela igualdade!”.

Analuísa de Freitas é Advogada, graduada em Direito pela Universidade de

Passo Fundo, especialista em contratos e responsabilidade civil pela UFRGS – UPF,

com experiência em análise e revisão de contratos. Atua no escritório Freitas

Advogados em Passo Fundo e Porto Alegre e trabalha especialmente nas áreas de

Direito de família e sucessões, Direito empresarial e planejamento sucessório.

22 | contatovip.com.br


Tempo de mudança

Bianca Torres

Sou casada, tenho dois

filhos, um de três anos e

outro de sete anos. Sou

fonoaudióloga de formação, mas meu

coração bateu mais forte pela confeitaria.

Hoje estou à frente da Bia Torres

- Doces Finos, que há 5 anos vem

atuando em Passo Fundo e região com

encomendas de doces para casamentos,

aniversários, formaturas e eventos

em geral.

FOTO | DANIEL TATSCH

Este último ano que passou, em especial,

me fez repensar o que realmente

importa na vida, e para mim o mais

importante é o tempo que passamos

com a família, principalmente, com

meus filhos. Então, reformulei algumas

coisas na empresa e uma delas foi

atender somente por encomenda, me

possibilitando ter um tempo a mais

com os meus filhos.

Acredito que em minha área profissional

posso influenciar as pessoas a

serem mais gentis, pois o doce nos leva

sempre a sonhar com coisas boas, nos

aproxima umas das outras e a pessoa

que fornece esse produto sempre será

lembrada com uma certa doçura.

Nos tempos atuais, vemos cada vez

mais mulheres empreendedoras a

frente de seus próprios negócios, mas

acredito que gentileza, respeito com as

mulheres são conquistas diárias e de

constante aperfeiçoamento”.

Bianca Torres. Fonoaudióloga de formação. Seguiu a sua paixão por confeitaria e

deu vida a Bia Torres – Doces Finos. Trabalha sob encomenda com doces e bolos para

eventos. Conheça mais através das redes sociais @biatorresdocesfinos ou através dos

contatos: (54) 98156-3054 - encomendas@biadocesfinos.com

Rua Paissandu, 754 – Passo Fundo/RS.

contatovip.com.br | 23


Tempo de mudança

Camila

Magri Gardin

Com a chegada da pandemia

em 2020 a minha

rotina mudou, tanto

profissional como pessoal. Como

tenho um filho de três anos sem poder

ir à escola e meu esposo é médico,

as responsabilidades da casa ficaram

todas para mim. Meus atendimentos

do consultório passaram a ser mais

reduzidos. Com menos atendimentos

e estando mais em casa, resolvi fazer

vários cursos em harmonização facial,

área na qual estou muito realizada profissionalmente.

A pandemia veio nos

mostrar como ser pessoas melhores e

a olhar o próximo com mais amor e

compaixão.

FOTO | DANIEL TATSCH

Na minha profissão, como cirurgiã-

-dentista, nós mulheres já conseguimos

uma grande conquista nesses

últimos anos, quando eram apenas

homens que exerciam essa profissão -

hoje somos a maioria! Conseguimos

grande destaque tanto na parte clínica

como na área de pesquisa. Estamos

vencendo barreiras a cada dia que

passa, mas ainda há muito que se fazer

para nós mulheres termos igualdade,

por isso temos que lutar sempre unidas

pelos nossos direitos.

Estamos em tempo de mudança para

nós mulheres, já conseguimos uma

grande evolução nos nossos direitos,

pois hoje conseguimos ser mães,

profissionais, donas de casa... Mas

ainda sofremos muito com a desigualdade

de direitos perante aos homens,

ganhamos menos que eles e perdemos

muitas vezes vaga de emprego por ser

mãe. Assim, temos que nos unir para

um dia conseguir nossa igualdade

perante a sociedade!”.

Camila Magri Gardin, Cirurgiã-dentista (CRO RS 22054), formada desde 2013 pela

Universidade de Passo Fundo. Pós-graduada em Endodontia pela SLM/POA (2015);

Atualização em Dentística pelo CEOM (2017). Em 2020 começou seu Mestrado em Endodontia

em Campinas/SP pela SLM. Possuiu cursos em Harmonização Facial: Toxina Botulínica,

Preenchimentos Faciais e Bioestimuladores. Atua em Carazinho.

Contato: (54) 3331.5132 - 98404.5132 - Rua Barão de Antonina, 19 - Sala 107

Ed. Agnello Senger - Centro - Carazinho/RS - camila_magri@yahoo.com.br

24 | contatovip.com.br


Tempo de mudança

Cherli S. Azeredo

Em 16 de março do ano passado

eu estava com a mala

fechada para uma viagem

para Cancun quando, ao meio-dia, recebi

a informação de que eu correria um

sério risco de sair do país. Já tínhamos

problema com fronteira, então realmente

a viagem não iria poder prosseguir.

Reuni a família e fomos ficar uns dias na

minha casa de campo, em Pulador, interior

de Passo Fundo. Vivemos um tempo

de bastante reflexão sobre a palavra de

Deus e tentamos ajudar algumas pessoas

que estavam passando por dificuldades

maiores do que nós, foi um tempo bem

difícil.

Mas, por outro lado, esse período serviu

para nos adaptarmos e vermos as coisas

de uma perspectiva diferente. Acabei

utilizando esse tempo, que antes era

mais escasso, para ficar atenta a oportunidades

de negócios imobiliários. Nós

compramos alguns imóveis e foi aí que

surgiu a Cherli Host – uma empresa

de locação de imóveis por temporada!

Também colocamos alguns imóveis que

estavam no passivo para o ativo. Fiz consórcio,

utilizei o crédito imobiliário para

compra desse bem e, através da locação,

o valor reverte na parcela. Vi que isso

deu certo para mim e aí pensei: ‘por que

não transmitir isso para outras pessoas?’.

Antes eu acreditava em um paradigma

de que uma pequena parte da população

poderia ser investidora imobiliária e eu

não me sentia nessa condição. Graças a

Deus quebrei esses conceitos e hoje eu

entendo que qualquer um, desde que

com bom suporte e bons profissionais ao

redor, pode ser um investidor, pode usar

isso a seu favor para não precisar trabalhar

para o resto da vida, pode ter uma

renda extra ou passiva. Hoje eu ajudo

pessoas a aumentarem seu patrimônio, a

investir e a ter uma renda extra. Estamos

ajudando pessoas inclusive fora do país,

já em Portugal, e em breve estaremos

em outros países contribuindo para que

outras pessoas façam bons negócios.

Nós estamos vivendo um tempo de mudança

constante, em que precisamos alargar

nossas fronteiras e romper os nossos

medos. Isso é algo difícil porque muitas

pessoas perderam o chão, tiveram seus

negócios destruídos e hoje temos que nos

reinventar. Muitos estão recomeçando e

reconstruindo suas vidas.

Para as mulheres, ser esposa, mãe e

profissional é também um desafio muito

grande, porque nós não temos só a

questão do nosso trabalho, nós temos

outras tarefas e atividades que nos geram

preocupações e, às vezes, falta sim uma

valorização. Eu tenho o privilégio de

ter um esposo que trabalha comigo em

todas as frentes, que me ajuda em todos

os momentos e que me valoriza, mas sei

FOTO | DANIEL TATSCH

Cherli S.

Azeredo

é Gestora

Imobiliária.

Casada, mãe,

atua no segmento

de créditos

imobiliários há

quase 20 anos.

Em 2020

tornou-se anfitriã

do Airbnb.

Contato:

(54) 99108-2646

@cherli.consorcios

@cherlihost

que não estão todas nessa mesma situação.

Sei que muitas profissionais precisam

dedicar seu tempo ao seu negócio

e trabalho, mas ainda precisam chegar

em casa e cuidar de tudo. As mulheres

precisam de mais reconhecimento, mais

valorização, mais espaço... É difícil para

uma profissional ter as mesmas oportunidades

que um homem, algumas

empresas não dão as mesmas chances e

condições de trabalho. Então as mulheres

tem um desafio e tanto! Porém,

precisamos nos fortalecer e ter esperança

que em breve tudo vai ser melhor”.

contatovip.com.br | 25


Tempo de mudança

Cristiane da Silva

Rodrigues de Araújo

Com o novo cenário da Pandemia instalado de

forma avassaladora e persistente, aprendi a valorizar

as pequenas ações de empatia e a exercer

o poder de expressar gratidão diariamente pela vida. Num

primeiro momento, não muito diferente de milhares de

brasileiros, com uma mudança drástica de rotinas no meu

ambiente familiar e profissional, e após com uma abordagem

de desconstrução para construção de uma vida plena

com base nos princípios familiares, éticos e profissionais.

O ano de 2020 será para mim, um ano inesquecível, nunca

senti tanta falta de calor humano e por muitas vezes em

inércia com relação ao amparo que deveria dar aos meus

familiares e amigos. No hospital dividindo a coragem de

seguir na linha de frente contra o COVID-19 e ao mesmo

tempo insegura ao retornar ao lar. Com relação a saúde e

bem-estar, aprendi alternativas de me exercitar, a exemplo

de só transitar pelo hospital de escadas. No lazer, comecei a

ficar fã de séries.

Acredito que por ter o perfil comportamental de Executora/

Comunicativa, exerço o papel de liderança naturalmente.

Como médica e professora acabo transmitindo para as

pessoas minha alegria e satisfação em atuar na minha especialidade.

Em especial como mulher, há vários anos venho

desenvolvendo elementos essenciais de autoconhecimento

e autoestima não só pessoais como também para minha

equipe por meio de ferramentas de coaching. Este ano completamos

dez anos de implementação do Serviço de Hemoterapia

do Hospital São Vicente de Paulo. Foi emocionante

ver a mobilização de comemoração das funcionárias que

estavam completando dez anos de instituição. Realmente

um verdadeiro time.

Apesar de estarmos em 2021, infelizmente a mulher ainda

vive de forma vulnerável. Inserida no mercado de trabalho,

contudo mantendo o papel de esposa, mãe, filha, amiga e

muitas, responsáveis pelas atividades domésticas. Quando

se fala em “mudanças” fica muito claro para mim que amo

ser mulher e que estas funções realmente cabem a nós.

Contudo fica o questionamento: Como poderei dar conta

de tudo e ainda competir no mercado de trabalho com os

homens? Entre as alternativas, sem dúvida são a gestão de

tempo, determinação e incorporação do real significado da

mulher: “ Mulher Maravilha”, guerreira e capaz de exercer

múltiplas funções.

A nossa sociedade deveria ter ações direcionadas ao contexto

de vulnerabilidade da mulher, começando por novas

culturas familiares sem distinção de sexo, criando leis que

protejam mais as mulheres e que já nas escolas as meninas

de hoje possam trabalhar suas individualidades com o intuito

de tornarem-se mulheres orgulhosas de terem nascido do

sexo feminino e que independente das suas opções possam

seguir seus destinos livremente”.

FOTO | DANIEL TATSCH

Cristiane da Silva Rodrigues de Araújo, casada, mãe da Mariana, de 14 anos,

e da Manuela, de 9 anos. Segunda filha, entre dois irmãos e com o privilégio de

ter os pais vivos e engajados no contexto familiar. Médica, possui graduação em

Medicina pela Universidade de Passo Fundo-UPF (1997), aluna do Doutorado do

Programa de Envelhecimento Humano UPF, Mestre em Envelhecimento Humano

pela UPF, especialista em Hematologia e Hemoterapia pela Associação Brasileira de

Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH). Especialista em Acreditação:

Qualidade no Serviço de Saúde pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais

(FCMMG) e Organização Nacional de Acreditação (ONA). Especialista em Gestão

de Hemocentros pela ENSP-FIOCRUZ. Cursando MBA Qualidade, Acreditação e

Segurança do Paciente pela Faculdade de Tecnologia em Saúde-IAHCS. Coach pelo

IBC nas formações PSC e BEC. Coach de Imagem pela Ecole Supérleure de Relooking.

Analista Comportamental DISC Assessment e pela metodologia Hogan. Atualmente

é médica Gestora e Responsável Técnica do Serviço de Hemoterapia do Hospital São

Vicente de Paulo em Passo Fundo/RS e professora da Faculdade de Medicina da UPF.

CRM 28479 - Contato: (54) 3316.4087 - 99214.6767 | Rua Teixeira Soares, 808

Entrada pela XV de Novembro - HSVP – Centro – Passo Fundo/RS.

26 | contatovip.com.br


Tempo de mudança

Débora Dal Bosco

Eu acredito que o tempo de

mudança para as mulheres já vem

acontecendo há bastante tempo,

mas neste momento, em especial, as mudanças

estão acontecendo para as mulheres da

área da educação. A profissão do professor

nunca foi muito valorizada, mas acredito que

2020 fez com que as famílias entendessem a

importância desses profissionais.

FOTO | DANIEL TATSCH

Nós tivemos que nos reinventar e nos adaptar

a situações que não estávamos acostumados.

Foi um ano de desafios para todo mundo, mas

para os profissionais da educação eu creio que

tenha sido um desafio ainda maior, porque

tivemos que absorver muitas coisas, continuar

trabalhando normalmente e atendendo a

demanda das crianças e das famílias.

Sou formada há bastante tempo, mas era empresária,

então trabalhava em outro ramo. Em

2020 foquei na área da educação, fiz curso de

Coach Educacional e comecei a estudar sobre

neurociência e neuroeducação. No momento

em que a pandemia chegou foi quando as famílias

mais precisaram de um assessoramento

pedagógico para entender como funcionava o

aprendizado e conseguirem dar conta do que

estava chegando para elas em casa. Então 2020

para mim foi um ano de muito aprendizado e

eu acredito que eu tenha contribuído bastante

para ajudar as famílias nessa questão do ensino

e aprendizagem, porque elas precisaram

muito de assessoramento e ainda precisam.

Sobre as mulheres, acredito que a nossa sociedade

já tenha evoluído bastante, temos muitas

melhorias e avanços, mas também muita coisa

que só existe no papel ou na fala – pois na

prática acaba sendo como era. Por isso acredito

que nós precisamos, em primeiro lugar,

aprender com o que aconteceu e ainda está

acontecendo, isso vai mudar todo mundo! As

pessoas precisam perceber que somos todos

iguais e que temos os mesmos direitos, pois

nós precisamos melhorar como sociedade em

todos os sentidos!”.

Débora Dal Bosco é formada em Pedagogia e Letras. Atua como

professora de 1º ano na Escola Menino Jesus e atende com Assessoria

Pedagógica famílias em Passo Fundo e, de forma online, na região.

É mãe do Kauê, de 20 anos, e da Pietra, de 11 anos.

Instagram @profe.deboradalbosco | (54) 99136.1182

deboradalbosco@gmail.com

contatovip.com.br | 27


Tempo de mudança

Franciele Taís

Bandeira Giasson

Este último ano foi de muita mudança. Foi

um ano muito turbulento, principalmente

para nós, profissionais da área da saúde.

Embora a rotina da maioria das pessoas tenha mudado,

acho que de uma certa maneira sempre acabamos

vendo o pior lado da situação durante muito tempo no

nosso trabalho. Porém, acredito que falo por vários dos

meus colegas ao dizer que aprendemos a ver muitas

coisas felizes em pequenas atitudes, em pequenos momentos

que às vezes nós não nos dávamos conta. Hoje

em dia, sairmos para caminhar na rua, pegar um sol,

tirar um pouco a máscara são coisas que valorizamos

muito, mas que há um ano não dávamos tanto valor.

FOTO | DANIEL TATSCH

Nós também aprendemos muito mais sobre trabalho

em equipe, sobre união, sobre a capacidade que temos

de nos organizar em um município pequeno para atender

uma situação que é tão nova no mundo inteiro.

Temos prestado um bom atendimento e conseguido

assessorar muito bem os nossos pacientes, embora

cada vez mais essa doença tenha crescido, apesar da

vacina. Estamos com números mais alarmantes do que

nunca, mas eu acredito que como ser humano todos

nós podemos ou deveríamos ter evoluído em 2020, ao

aprender a olhar um pouco mais para o outro, a ter

mais empatia, a conversar mais com as pessoas. Vemos

muitos pacientes sozinhos na ala do Covid e vemos

o quanto é importante dar um bom dia, ter qualquer

pequeno gesto de gentileza com as pessoas... Sem dúvida,

mesmo nas situações mais difíceis, isso torna o dia

mais leve e as situações mais enfrentáveis.

Além de todas as mudanças já citadas, falo sobre as

mulheres. Na minha área, especificamente, há 30 anos

quase não existiam mulheres médicas. As turmas das

faculdades tinham um percentual bem pequeno de

mulheres, de 10 a 15% no máximo, e quando eu me

formei, em 2014, nós já éramos a maioria na nossa

turma. Na minha área as mulheres têm procurado

cada vez mais alcançar o seu lugar de destaque.

Apesar de ainda termos uma sociedade machista,

muito também por parte das mulheres, acredito que

aos poucos, através da nossa competência, da nossa

seriedade, do nosso entendimento maior da situação

do mundo, das pessoas, nós conquistaremos o nosso

espaço que é muito merecido.

Acredito ainda que a sociedade precisa de mais gentileza,

mais respeito e mais empatia, não só com as mulheres,

mas de uma maneira geral com o ser humano.

A capacidade de se colocar no lugar do outro é muito

Franciele Taís Bandeira Giasson (Cremers 40083) tem 29 anos e é natural de

Carazinho. É médica formada pela Universidade de Passo Fundo, em 2014. Fez

especialização no Hospital de Clínicas em Porto Alegre na área de Medicina Interna

e depois no Hospital São Vicente de Paulo, na área de Cardiologia. Atende em seu

consultório e também pela Prefeitura. Trabalha na CTI Central e na CTI Covid do Hospital

de Caridade de Carazinho. Consultório: (54) 3331.1200 - francielegiasson267@gmail.

com - Facebook: francieletais.bandeiragiasson | Instagram: @frangiasson

importante, pois se tivermos respeito conseguimos ter

boas relações e seguir caminhos melhores. Nós mulheres

temos inúmeras qualidades, que nem cabe a este texto

ficar citando, mas eu acho que nós merecemos muito

respeito, principalmente porque ao longo da história nós

fomos diminuídas, em algumas vezes silenciadas, e hoje

cada vez mais a nossa voz está sendo ouvida. Então eu

acredito que com mais empatia e mais respeito pela mulher

e pelo outro, vamos conseguir um futuro melhor”.

28 | contatovip.com.br


Tempo de mudança

Gesilaine Rodrigues

Stachelski Lazaroto

No dia 16 de março de 2020, no início

da pandemia, eu estava atuando em uma

escola. Tivemos uma reunião e decidimos

que era necessário parar tudo, assim como todo o país.

Nesse momento começou um turbilhão, o meu trabalho,

o trabalho do meu marido, as atividades da minha

filha, tudo foi para dentro de casa. As minhas 20 horas

semanais se transformaram em 40h. Eu precisei redescobrir

a minha família, a minha casa, a minha cozinha,

pois fazia mais de 12 anos que eu não cozinhava!

FOTO | DANIEL TATSCH

Em casa, vimos que tinham muitas coisas erradas e que

precisávamos olhar mais para nós. Eu como mulher me

vi completamente desprendida da minha vaidade, tomava

banho no modo automático e me arrumava para

aparecer nas reuniões online. Então resolvemos mudar

e nos reorganizar. Eu abri mão do meu emprego para

de fato cuidar mais da minha vida pessoal, familiar, da

minha casa, do cozinhar e da minha filha, que estava

ficando com a TV como babá. Embora eu trabalhasse

em uma escola não conseguia acompanhá-la nas atividades.

Em 2020 acho que toda mulher se viu um pouco

profissional, mãe, filha, esposa, cozinheira, professora,

dona de casa e isso mexeu demais comigo e fez com

que eu resolvesse mudar a minha vida.

Nesse mudar surgiu a oportunidade de investir em

um salão de beleza. Mas por que um salão de beleza?

Hoje é muito fácil falar que o ramo da beleza está em

expansão, mas em um mundo onde o consumo é tão

alimentado e incentivado, o Samoa vem com uma outra

proposta. Empreendemos e investimos pensando na

mulher que não tem tempo a perder, mas que precisa

de um tempo para si. A gente quer uma vida prática

para as mulheres. Quando ela pede um serviço ou

produto, antes de vender eu preciso perguntar o quanto

isso vai facilitar a vida dela; o quanto isso vai deixá-la

feliz ao se olhar no espelho. Em meio a pandemia nós

revimos essas questões de beleza, de necessidade de

consumo, do que realmente é essencial ou não. E aqui

no Samoa trabalhamos com esse conceito de ter os

serviços voltados para cada cliente, como um ser único,

individual e que merece todo amor, carinho e acolhimento

do mundo.

Mais do que nunca, esse último ano foi de grande

desafio para as mulheres. Nunca se falou tanto em equidade

e igualdade feminina e, atualmente, é crescente o

número de mulheres que precisaram abandonar suas

profissões ou que se sentem sobrecarregadas por ter

que dar conta de tudo, muitas vezes sozinhas. Embora

Gesilaine Rodrigues Stachelski Lazaroto é formada em Pedagogia pela PUC/

RS. Trabalhou por mais de 12 anos na área educacional em vários estados do país.

Em 2020 resolveu empreender e hoje está à frente do Samoa – Espaço de Beleza,

em Passo Fundo. É casada com Carlos, há 13 anos, e mãe da Giovana, de 4 anos.

Contato: (54) 99191-0720 | @samoa_pf | Facebook: Samoa Espaço de Beleza

haja companheiros, nem sempre eles têm tanta disposição a

ajudar. Então nós precisamos nos reinventar, nos redescobrir,

redefinir a nossa função no mundo corporativo e pessoal. Precisamos

rever o que cada uma de nós faz, como cuidamos dos

filhos, como queremos educar as meninas e os meninos. Foi

e tem sido um desafio. Cada vez mais nós, mulheres, estamos

ganhando espaço, porém as competições, os contrapontos,

as adversidades também se tornam cada vez maiores. A cada

degrau que subimos tem alguém para colocar mais dois lances

de escada. Por isso estamos em uma constante aprendizagem,

uma constante luta e uma constante evolução”.

contatovip.com.br | 29


Tempo de mudança

Jamila Wisóski

Moysés Etchezar

O último ano certamente foi

determinante, um verdadeiro

divisor de águas na minha

vida, tanto no âmbito profissional como

nas relações familiares e com os amigos.

A pandemia do novo coronavírus foi um

marco na mudança de paradigmas, tendo

acelerado a utilização das novas tecnologias

no judiciário e, consequentemente,

nos escritórios de advocacia, tornando o

home office e os contatos através das mídias

digitais e dos aplicativos de celulares

uma realidade muito presente no meu

dia a dia.

Com isso, intensificou e aproximou o

contato com a minha família e com as

pessoas próximas a mim, me proporcionou

uma nova visão das relações afetivas

e me fez repensar alguns hábitos antigos.

Também encurtou caminhos para

contatos com parceiros de todo o país e

do exterior.

Venho dedicando muitas horas de estudo

e preparação para a minha carreira.

Procurei sempre traçar objetivos e correr

atrás deles com muita seriedade em tudo

o que eu faço. Na minha vida profissional

tenho metas a curto, médio e longo prazo,

e me dedico bastante para conseguir atingi-las.

Por ser mulher sempre tive muita

cautela e ao mesmo tempo muita firmeza

para demonstrar a minha capacidade em

um mundo dominado pelos homens.

Com esse objetivo estou constantemente

em busca de capacitação profissional e

atenta às últimas tendências na minha

área de atuação.

Esse esforço e a constância no meu

trabalho, além de ter escolhido uma

especialização da qual sou apaixonada

(Direito do Trabalho), fez com que tudo

ficasse mais fácil para mim e acredito que

através dessa felicidade com a qual dirijo

a minha carreira, faz com que acabe

inspirando outras mulheres e me sinto

lisonjeada por isso. Da mesma forma,

sempre procuro ajudar outras mulheres,

aposto na sororidade para crescermos

todas unidas e com mais força. Acredito

que a união e o sucesso caminham juntos

e, assim, incentivo e auxílio todas as

30 | contatovip.com.br

minhas colegas de trabalho com o que

precisarem. Assim, formamos uma rede

de apoio muito poderosa.

Nos últimos anos tenho ouvido muito

esta frase: “As mulheres irão dominar

o mundo”. E acredito que isso é uma

verdade cada vez mais próxima a nós.

Já estamos conquistando cargos jamais

imaginados há algum tempo atrás. Claro

que ainda temos um longo caminho a

percorrer, mas estamos em constante evolução

e sem dúvidas as mulheres estão no

caminho certo, com muito foco e determinação

irão conquistar a tão almejada

igualdade de gênero, uma meta para nós

há algumas décadas.

Acredito que a revolução digital, o home

office e a maior capacitação feminina

vêm ajudando muito nesse sentido. As

Dra. Jamila Wisóski

Moysés Etchezar.

Advogada. Professora

Universitária. Diretora

da ABA Passo Fundo.

Especialista em

Direito do Trabalho e

Previdenciário pela

Unisc. Mestre em

Direito Ambiental -

Università Ca Foscari

de Veneza - Itália.

Mestrado em Direito

pela Faculdade

Meridional de Passo

Fundo. Atualmente

é advogada no

escritório Amarante &

Moysés Advogados e

professora de direito

das Faculdades João

Paulo II. @jamilawm_

advogada

mulheres estão conseguindo conciliar

com mais facilidade as tarefas domésticas

com o trabalho, pois conseguem trabalhar

desde as suas casas e intercalar com mais

facilidade os cuidados com a família sem

deixar de lado o aspecto profissional.

O fundamental para essa mudança

acontecer é conseguirmos a oportunidade

de demonstrar a nossa capacidade, a

vontade de vencer, e provar que podemos

assumir postos de liderança. Contamos

com o apoio dos homens nesse processo,

os quais estão cada vez mais dividindo as

tarefas com a mulheres e demonstrando

apoio e respeito com todas nós. Claro que

exceções existem, porém não podemos

deixar que algumas atitudes machistas nos

tirem do foco e atrapalhem nosso crescimento

pessoal e profissional”.


O que é a aba?

A Associação Brasileira de Advogados, ou

simplesmente ABA, é uma entidade de

classe, de âmbito nacional, organizada

com fins não econômicos, nos termos dos

artigos 53, e seguintes, do Código Civil

brasileiro. Tem sua sede nacional localizada

no bairro de Águas Claras, em Brasília,

Distrito Federal, e atua em prol dos seus

associados.

Qual a finalidade da aba?

A ABA tem por finalidade promover a

integração dos advogados associados, no

Brasil e no exterior, visando a consolidação

das boas relações, cooperação e amizade

entre os seus membros. Busca, ainda, o desenvolvimento

do companheirismo como

elemento capaz de proporcionar oportunidades

profissionais entre os associados;

de servir a comunidade em geral através

de projetos sociais; difundir os princípios

éticos da advocacia; promover a capacitação

profissional dos seus associados;

pugnar pela boa aplicação das leis e pela

rápida administração da justiça; defender

as Constituições da República Federativa

do Brasil e dos Estados, bem como as Leis

Orgânicas dos Municípios e do Distrito

Federal; defender os direitos humanos;

celebrar convênios, contratos, acordos e

parcerias com instituições de ensino públicas

e privadas; oferecer aos seus associados

serviços que facilitem o seu dia a dia,

no campo pessoal e profissional; impetrar,

em favor dos seus associados, medidas

judiciais visando proteger seus interesses,

inclusive ações constitucionais junto ao

STF, como, por exemplo, ação direta de

inconstitucionalidade, como autorizada

pelo art. 103, inciso IX, da CF; proteger o

meio ambiente, o consumidor, a ordem

econômica, a livre concorrência e o patrimônio

artístico, estético, histórico, turístico

e paisagístico do país e prestar outros

serviços de interesse dos associados.

Apresentamos a você a Diretoria da ABA Passo Fundo/RS.

Dra. Jamila Etchezar – Diretora

Advogada, Professora Universitária. Especialista

em Direito do Trabalho e Previdenciário pela

Unisc. Mestre em Direito Ambiental - Università

Ca Foscari de Veneza - Itália. Mestrado em Direito

pela Faculdade Meridional de Passo Fundo.

Atualmente é advogada no escritório Amarante

& Moysés Advogados e professora de direito das

Faculdades João Paulo II. @jamilawm_advogada

Dra. Rosiane Fardin – Diretora Adjunta

Formada na universidade de Santa Cruz do

Sul. Especialização em direito e processo do

trabalho. Atua há 10 anos na área trabalhista.

Atualmente, trabalha de forma autônoma. Faz

parte da comissão dos advogados trabalhistas

e da comissão da Mulher Advogada e do

Conselho de ética e disciplina da subseção de

Passo Fundo. @rosivfardin

Dra. Adriana Góes

Secretária-geral

Advogada há 10 anos, formada na faculdade

Anhanguera, especialista em Processo

Civil pela faculdade Anhanguera, Direito e

Processo do Trabalho pela Faculdade IMED,

especialista em Direito Previdenciário na

faculdade Damásio de Jesus.

Dra. Bruna Biorchi

Secretária-geral adjunta

Mestra pelo Programa de Pós-Graduação

Stricto Sensu em Direito da Faculdade

Meridional/RS IMED. Pós-graduada em Direito

Previdenciário pela Universidade de Caxias do

Sul em convênio com a Escola da Magistratura

Federal do Rio Grande do Sul ESMAFE/RS.

Dra. Tatiana Fortes

Diretora de Mídias Sociais

Advogada Familiarista e Sucessões,

COACH, mentora de mulheres, Palestrante,

Integrante da Comissão da Mulher

Advogada da OAB/RS.

Dr. Raul Ritterbusch Mello

Secretário de eventos

Advogado residente em Passo Fundo/RS,

com escritórios em Passo Fundo e Cruz Alta.

Formado em Ciências Jurídicas e Sociais

pela Unicruz. Pós graduando em Direito

Agrário e do Agronegócio pela Fundação

Escola Superior do Ministério Público.

www.aba.adv.br

@aba_nacional


Direitos e conquistas das

mulheres no mercado de trabalho

Comemorar para

não esquecer que

a luta deve continuar

Jéssica Larger Previatti

Advogada Trabalhista Empresarial

Não sou a favor da glamorização

e ideia de encantamento

proposta para o dia

da mulher. Entendo sim,

que o dia específico da mulher deve ser

comemorado pois nos lembra de quantas

lutas outras mulheres venceram por

nós, e assim nos faz não esquecer de que

devemos continuar a lutar.

Neste ano, como apoiadora do evento

VIP WOMAN, quero trazer, brevemente,

algumas explanações sobre os direitos

adquiridos pelas mulheres através da

história da legislação trabalhista brasileira

e a inserção da mulher no mercado

de trabalho.

A situação de inferioridade da mulher

existe desde o direito romano, época na

qual as mulheres sequer tinham capacidade

jurídica. Enquanto menina, o pai

detinha a sua posse, quando jovem a sua

posse era do marido, e se por ventura

ficasse viúva, a sua posse passava para o

pai do marido morto. Naquela época a

mulher era vista como mero objeto.

No Brasil, a evolução da condição jurídica

da mulher foi bastante lenta, todavia,

embora alguns direitos implementados

anteriormente, a emancipação da mulher

só foi alcançada com a Constituição

Federal de 1988, que foi pensada em

uma lógica de valorização e ampliação

de Direitos Fundamentais, trazendo a

necessidade de uma releitura na interpretação

e aplicabilidade das normas

infraconstitucionais vigentes.

Especificamente sobre o direito do trabalho

da mulher, a Constituição de 1988

32 | contatovip.com.br


definiu um novo patamar de direitos,

tendo como principais pontos a equiparação

entre homens e mulheres em

direitos e obrigações, o veto de diferenças

salariais por razão de sexo, idade cor

ou estado civil, a licença-maternidade

sem prejuízo salarial ou de emprego e

a proteção do mercado de trabalho da

mulher mediante incentivos específicos.

A Consolidação das Leis do Trabalho

dispôs também sobre diversos direitos

e proteções para as mulheres, que, inegavelmente,

com a modernidade e com

o seu ingresso no mercado de trabalho

tiveram como consequência a dupla

jornada feminina.

Nesse sentido, a reforma trabalhista,

trouxe a flexibilização dos contratos de

trabalho, e, diferente de alguns posicionamentos,

entendo que não trouxe

limitações nem discriminações indiretas

referentes à nós mulheres, mas sim,

um olhar sobre as dificuldades legais

vivenciadas no desempenho das nossas

atividades.

A flexibilização dos contratos parciais, a

proibição de jornada insalubre quando da

sua gestação, a estabilidade no emprego

desde a confirmação da gravidez até 5 meses

após o parto e 120 dias de licença maternidade

a partir do 8º mês de gestação,

são os principais pontos da reforma e que

buscam auxiliar a mulher na conciliação

do mercado de trabalho e a vida materna,

historicamente atribuído às mulheres.

Quanto ao espaço no mercado de trabalho,

em que pese o aumento da participação

feminina seja uma conquista,

permanece a disparidade entre os sexos,

bem como os problemas de isolamento

de gênero e discriminação salarial.

Nesse sentido, as mulheres possuem

menos oportunidades em comparação

aos homens em períodos de crescimento,

sofrem com mais demissões e com o

aumento de contratações que favorecem

o ingresso delas em setores menos produtivos.

No Brasil, as mulheres também

possuem as maiores taxas de desemprego

e a equiparação salarial ainda

deve ser melhor fiscalizada pelos órgãos

públicos, para que a legislação que buscou

promover a mulher realmente seja

cumprida por todos.

A equiparação salarial é a pauta no âmbito

trabalhista que mais me preocupa!

Segundo a última pesquisa realizada em

2019, pela Agência Brasil, com base nos

dados do Cadastro Geral de Empregados

e Desempregados (Caged), no ano

de 2019, as mulheres brasileiras ainda

recebiam em média 47,24% menos que o

homem para executar as mesmas tarefas,

nos mesmos postos de trabalho e com a

mesma formação.

Além disso, as condições de trabalho

e a hierarquia nas instituições ainda

desfavorecem as mulheres em relação

aos seus colegas do sexo oposto. Os

cargos de chefia ainda são exercidos, na

maioria dos setores, por homens, mesmo

em profissões tidas, historicamente,

como femininas, embora, em geral, as

mulheres apresentem um nível maior de

escolaridade em relação ao homem.

Mesmo com todos esses pontos negativos,

existe sim um progresso conquistado,

e mesmo que não seja em sua

totalidade, nós, mulheres, já estamos

abrindo nossos próprios negócios,

desempenhando papel de liderança na

sociedade e, aos poucos, sendo reconhecidas

por nossos resultados, tudo isso

com jornada dupla.

Dessa forma, conforme já referido, o dia

da mulher deve ser sim comemorado

pelas nossas conquistas, mas mais do

que isso, deve ser encarado como um

sinalizador de que devemos continuar

lutando pela discussão das diversas

pautas ainda necessárias.


Tempo de mudança

Josiane Müller

A música regravada por Elza Soares retrata as mudanças

desses últimos tempos:

FOTO | DANIEL TATSCH

‘Mil nações moldaram a minha cara

Minha voz, uso pra dizer o que se cala

Ser feliz no vão, no triz

É força que me embala

O meu país é o meu lugar de fala’

Em tempos pandêmicos reflete-se muito sobre o seu papel na sociedade,

descobre-se que tem de se abrir para o mundo e ocupar

os espaços, neste caso, online. Ser resiliente e absorver o que é

importante, de todas as nações as suas lições, dar voz aos anseios

e ser feliz em meio às dores, pois força tem... e em qualquer lugar

temos fala, desde que saibamos respeitar as diferenças existentes.

Empatia, Resiliência e Gratidão são as palavras do ano.

Desde a infância, tenho paixão por livros, seus recortes e fiapos

de vidas retratadas e idealizadas. Aprender a ler foi a coisa mais

divertida que fiz. Aprendi muito lendo os textos e livros dos

mais diversos escritores e autores. Hoje, ler e revisar faz parte da

minha profissão... feiras e lançamentos de livros são eventos que

não dá para perder, agora virtuais. Além de reunir-se na Confraria

da Literatura, no hall da Livraria Delta, para compartilhar

as emoções, sons e vozes dos personagens que rondam nossas

leituras. A leitura transforma vidas e espaços, assim como a escrita

reconstrói vivências e experiências, minha atuação empodera

pessoas e traz a elas mais uma possibilidade de crescimento e

desenvolvimento pessoal. Nas obras lidas e relidas que traziam

“palavras, palavras, palavras” e que palavras. A dica é: Domine-as

assim como Clarice Lispector o fez: “A palavra é o meu domínio

sobre o mundo”.

O futuro é feminino, com a pandemia Covid-19, as mulheres

destacaram-se, pois somos mais resilientes, mais criativas, mais

empáticas... fundamental para as mudanças no mercado de trabalho.

Nós mulheres temos muito talento, basta trabalhar nossas

habilidades, passamos muitos anos aprimorando os papéis de

esposa, mãe e dona-de-casa, agora precisamos focar no papel de

mulher empreendedora. Afinal, não há limites para o que nós,

mulheres, podemos concretizar.

Nós mulheres podemos atuar onde quisermos, basta que queiramos...

facilidades não terá, mas temos de enfrentar os desafios.

Criollo já dizia: “E se fosse pra ter medo dessa estrada, eu não

estaria há tanto tempo nessa caminhada”. Que hoje, mesmo em

meio a este momento difícil do mundo, cada uma de nós, possa

olhar para o seu dia, reconhecer, acolher e agradecer pelos pequenos

grandes motivos que nos tornam únicas, no sentido mais

amplo! De sermos mulheres em busca do que queremos, em

busca de quem queremos ao nosso lado, pois é esta força interior

que temos que nos torna guias em nossas vidas. Gratidão às mulheres

do passado que nos abriram caminhos, que nós sigamos

fazendo o mesmo pela próxima geração”.

Josiane Müller é Revisora e Designer Educacional. Consultora Educacional da

Editora Livrologia (Chapecó/SC). Colunista da Revista Learn It (Florianópolis/SC).

Membro da Associação de Mulheres Empreendedoras - Lídera e do Conselho da

Comunidade Regional. Mestranda em Letras pela Universidade de Passo Fundo/

UPF. Bolsista Institucional UPF. Especializou-se em Orientação Educacional pelo

Instituto de Desenvolvimento Educacional do Alto Uruguai/UNIDEAU e no Curso

de Especialização em Linguagens e Tecnologias na Educação, no Instituto Federal

Sul-Rio-Grandense/RS-IFSUL. Concluiu a graduação em Letras - Português,

Espanhol, Respectivas Literaturas pela Universidade de Passo Fundo. Tem

experiência na área de Letras, com ênfase em revisão, editoração, sujeito,

linguagem, inclusive em ensino híbrido (blended learning), benchmark e startups

educacionais (EdTechs), além de “Fornecedora Técnica” de Editoras (Petropolis/RJ e

São Paulo/RS), DTCOM Soluções Educacionais (Curitiba/PR) e Taíse Telles Vivências

Criativas (Tapejara/RS). Atua como colaboradora no Google Chromebooks (Porto

Alegre/RS) e como “Agente Literária em leitura e formação do leitor”, na Jornada

de Leitura em Cárcere, na Confraria da Literatura (Livraria Delta - Passo Fundo/

RS), no Movimento Sepé-Tiaraju e no Projeto TaTo.

Instagram @josianemuller1238

34 | contatovip.com.br


Tempo de mudança

Larissa Corrêa

Brusco Pavinato

O ano de 2020 foi muito

transformador, muitas

mudanças internas ocorreram.

Percebi durante a pandemia

como eu amo o meu trabalho, amo poder

ajudar as pessoas e contribuir para

a nossa comunidade. Com a pandemia

voltamos nossa atenção mais para a

família e para as pessoas que estão

sempre a nossa volta. Percebemos

como o carinho das pessoas da família

e do nosso trabalho fazem falta na nossa

vida. Conseguimos perceber o que

realmente importa, que o amor que

doamos em todas as áreas na nossa

vida é o que realmente é essencial.

FOTO | DANIEL TATSCH

É muito fácil perceber que eu sou

apaixonada pelo meu trabalho. É muito

bom poder ajudar essas famílias, essas

crianças. Poder mudar a visão que elas

têm do dentista. Conseguir remover

um trauma antigo relacionado com a

visita odontológica. Por meio do meu

trabalho eu posso acompanhar todo o

crescimento e desenvolvimento infantil,

mudar a percepção negativa, criar um

vínculo com a criança e tornar a consulta

odontológica prazerosa e divertida.

Acredito que estamos vivendo tempos

realmente de mudanças, de liderança,

de empoderamento das mulheres. Não

paramos para pensar e perceber que

faz muito tempo que essas mudanças

começaram a ocorrer. Não percebemos

como a luta das mulheres vem ocorrendo

há tempos. E que hoje, graças

à essas mulheres guerreiras, podemos

colher frutos, como ter o direito de

trabalhar fora de casa, de votar, de

dirigir, ter nossa liberdade financeira e

a escolha de ter uma família e ser mãe.

Porém, ainda precisamos de muitas

mudanças, igualdade salarial, número

de oportunidades de emprego. Maiores

chances para mulheres de baixa renda,

baixa escolaridade, negras e indígenas”.

Larissa Corrêa Brusco Pavinato, Cirurgiã-Dentista (CRO 15008), formada em Odontologia

em 2004 pela UPF, especialista, mestre e doutora em Odontopediatria. Também possui

atualização em Psicologia Cognitiva e Comportamental e Ortopedia Funcional dos Maxilares

e habilitação para sedação consciente com o uso de analgesia inalatória com oxigênio e

óxido nitroso. É casada com Daniel Pavinato, e mãe do Augusto, de 6 anos.

Contato: (54) 3045.1288 - 99697.1770 | Rua Moron, 1170 – Centro – Passo Fundo

Facebook: Dra. Larissa C. Brusco Pavinato | @dralarissabrusco

contatovip.com.br | 35


Tempo de mudança

Liana Zamprogna

Na minha conclusão de curso

tive a oportunidade de fazer uma

pesquisa com mulheres empreendedoras

líderes de pequenas empresas, visando

identificar de forma prática a realidade vivida

por elas no exercício da sua profissão. Pude

perceber que nós mulheres temos na nossa

essência a proteção, o cuidado, o zelo, a atenção

aos detalhes, e isso proporciona uma visão

muito mais humanizada aos negócios.

FOTO | DANIEL TATSCH

Vivemos sim tempos de mudança e, mesmo

que lentamente, as mulheres vêm ocupando

um espaço maior na sociedade e nas empresas.

Existem inúmeros exemplos de mulheres que

inspiram, acredito que cada uma de nós tem

dentro de si o potencial necessário para ter

sucesso na sua área de atuação, desde que trabalhe

com amor, dedicação, força de vontade e

tenha brilho nos olhos pela profissão escolhida.

Como corretora, percebo que não são apenas

negócios, são sonhos de pessoas que trabalham

duro para adquirir sua casa ou apartamento

e ter o seu lar. No último ano inauguramos a

Imobiliária e Coworking Passo Fundo! Foi um

ano intenso, de muito aprendizado e, apesar

de todo o cenário de pandemia, tem sido uma

experiência incrível. Dificuldades existem,

todos sabemos que empreender é desafiador,

mas entendo que não há nada de errado em se

mostrar vulnerável e pedir ajuda sempre que

precisamos. Acredito que o mais importante

não é o quanto nós sabemos, mas o quanto

estamos dispostos a aprender sempre. No

Coworking nós temos a oportunidade de receber

profissionais das mais diversas áreas, muitos

iniciando a sua carreira profissional. Temos

toda a estrutura necessária para que possam

trabalhar, atender os seus clientes e ao mesmo

tempo trocar ideias e experiências com outros

profissionais, gerando assim networking.

Espero que o meu exemplo sirva de incentivo a

outras mulheres. Acredito que juntas podemos

nos unir e com sororidade apoiar e incentivar

mais mulheres a se tornarem líderes, liderar

suas vidas, suas escolhas, seus negócios e, acima

de tudo, ser verdadeiramente felizes”.

Liana Zamprogna é formada em Administração de Empresas

pela UPF e atua como Corretora de Imóveis em Passo Fundo.

Conheça mais em @imobiliariapassofundo

e @coworkingpassofundo

Contato: (54) 99994.6691

36 | contatovip.com.br


Falar sobre as mulheres e seus potenciais

é um grande orgulho para nós da It Cestas

O reconhecimento da mulher vem sendo uma crescente

a nível mundial, pois estamos demonstrando uma maior

dedicação e um olhar feminino e sensível que é próprio

do gênero feminino, assim cada vez mais as mulheres

estão tornando-se líderes e comandando equipes com

muito sucesso.

A igualdade de gênero é uma meta para as mulheres

há algumas décadas, estamos conquistando espaço

lentamente na sociedade. Já tivemos muitas conquistas,

com certeza é uma estrada longa, mas muito linda que

as mulheres estão trilhando.

A união e a determinação são fundamentais para elas

nesse processo de empoderamento.

Com grande honra nós da It Cestas fazemos essa

pequena homenagem a todas as mulheres incríveis que

participam desse lindo projeto VIP Woman e desejamos

muito sucesso e prosperidade em suas vidas.

Cestas para as mais diversas ocasiões.

Tudo feito com muito amor.

@it_cestas (54) 99910-9339


Tempo de mudança

Louise Pietrobon

O ano de 2020, para todos, não foi o que

imaginávamos. Para muitos significou

parada de trabalho, entretanto, para nós

que trabalhamos com educação universitária e saúde,

não foi o que ocorreu. Trabalhamos muito, incansavelmente

e exaustivamente, cercados de muitos

cuidados e equipamentos de proteção. E, sem dúvida

alguma, todas essas situações nos fizeram repensar no

que realmente há de valor, no que realmente importa

quando tudo se esvai.

FOTO | DANIEL TATSCH

Aprendi a valorizar e enxergar os momentos únicos

vividos com pessoas queridas, que podem durar

segundos, mas que ficam marcados na memória e no

coração. Aprendi a resolver situações sem que essas

me gerassem um estresse desproporcional, apenas

porque, tudo que já estávamos vivendo era desproporcional

e estressante.

Acredito que ao atender com um sorriso nos olhos,

escuta ativa, cuidado e zelo pela saúde aos que precisavam

de atendimento odontológico, neste momento

tão difícil e imprevisível, foi a forma em que conseguia

fornecer uma pequena porção de normalidade, e

a minha principal contribuição para que houvesse fé

e esperança em tempos futuros.

Eu acredito que as mulheres estão em processo de

mudança há algum tempo. É necessário nos reinventarmos

a todo o momento porque vivemos em

um mundo que é eternamente mutável. Os papéis de

homens e mulheres antes bem definidos, hoje não são

mais possíveis, e por isso precisa-se readequar papéis

e expectativas referentes a eles. Não existe mais a possibilidade

da figura da mulher ser a de eterna dona de

casa e educadora dos filhos e da figura do homem de

provedor financeiro do lar. Estas figuras hoje se entremeiam

e se confundem, e no meu ver, ainda bem que

é assim, pois nos gera novas e infinitas possiblidades

de aprendizado.

A sociedade de maneira geral precisa ser mais gentil

com todos e para todos. A gentileza não deveria ser

algo associado apenas as necessidades das mulheres.

Entretanto, ao observarmos historicamente, a gentileza

para com as mulheres realmente foi insuficiente.

No momento em que conseguirmos sermos justos

e gentis como seres humanos, o seremos com todos

independentemente de gênero ou de suas escolhas

pessoais. Para que essas mudanças ocorram é

imprescindível empatia. Sei bem que hoje parece

Louise Pietrobon é cirurgiã-dentista (CRO 14055), mestre e doutora em Saúde

Coletiva (UFSC), Habilitação em Laserterapia (SLM), pós-graduanda em Acupuntura.

Professora na FASURGS há 10 anos. Atua com clínica geral e Ortodontia na cidade de

Passo Fundo/RS em dois endereços: Polus Care – Rua Bento Gonçalves 900 - Centro

e Vanusa Casarin Lapidando Faces – Rua Jorge Barbieux, 23 – Planaltina. É mãe de

um menino de 6 anos e meio de idade que é a luz dos seus dias.

Contato: (54) 3311.6878 | (54) 99193.3137 | odontopietrobon@gmail.com

palavra da moda, mas em seu real significado, quando

verdadeiramente compreendo que preciso enxergar as

situações com três recursos: enxergar-se de acordo com

a opinião de outra pessoa; enxergar os outros de acordo

com a opinião de outra pessoa; enxergar os outros de

acordo com a opinião deles próprios, exercito a empatia

e assim, seremos justos e gentis com as igualdades e

diferenças independentemente de gêneros e papéis

desempenhados na sociedade”.

38 | contatovip.com.br


Tempo de mudança

Luciane Gavioli

No último ano, devido a pandemia,

podemos observar diversas mudanças

em nossas vidas. A questão de valores

acredito que foi aflorada em muitas e muitas pessoas.

Passamos a olhar mais para nossas famílias,

a olhar o próximo com mais empatia. Muitas

pessoas perderam seus empregos e acredito que a

solidariedade foi o gesto mais praticado por todos

nós. Devido ao tamanho da adversidade que todos

nós estamos enfrentando, somos obrigados a nos

reinventar todos os dias. Eu passei a observar mais

as pessoas, tendo mais empatia, mais compaixão e

a ser mais humana, sem julgamentos e respeitando

a individualidade de cada um.

FOTO | DANIEL TATSCH

Com o meu trabalho como Consultora de Imagem

e Estilo, pude ajudar muitas mulheres no processo

de resgate da sua autoestima. Para muitas delas, o

ano foi muito duro! A rotina do trabalho em Home

Office, fez com que muitas mulheres esquecessem

de si, pois entre a rotina com trabalho, casa

e filhos, elas não ‘achavam’ tempo para praticar o

autoamor e o autocuidado. Então, poder resgatar

o sorriso no rosto dessas mulheres e ajudá-las a se

reencontrar, foi a minha maior dádiva.

A luta pelo nosso espaço e reconhecimento no

mercado de trabalho é incessante! Ainda buscamos

por mais ‘igualdade’ perante os homens, mesmo

sabendo que somos muitas vezes superiores a eles,

pois além de sermos excelentes profissionais, ainda

administramos a nossa família com maestria,

muitas vezes sem o auxílio da figura masculina,

quer seja na divisão de tarefas da casa e cuidado

com os filhos, quer seja, muitas vezes, no sustento

da família. Mas vejo que já evoluímos muito e cada

vez mais estamos conquistando nosso espaço e,

também, nosso respeito.

Eu acredito que a principal mudança que precisa

ocorrer para que a nossa sociedade seja mais justa

e gentil com nós mulheres, deva partir de nós

mesmas. Isso mesmo: Nós mulheres precisamos

ser mais empáticas e mais solidárias entre nós

mesmas. Muitas vezes somos muito julgadoras e

críticas com as demais mulheres. Precisamos nos

valorizar mais, nos apoiar mais, nos incentivar

mais e julgar menos. Cada vez mais devemos praticar

a SORORIDADE!”.

Luciane Gavioli é Administradora de Empresas, Pós-Graduada em

Gestão do Agronegócio. Formada em Coaching pelo IBC de Goiânia e em

Consultoria de imagem e Estilo pelo Instituto Danielle Ferraz de São Paulo.

Mora em Tapejara/RS. É casada e tem uma filha.

Contato: (54) 99989-9406 | Instagram @gavioliluciane

contatovip.com.br | 39


Tempo de mudança

Maiaja Franken

de Freitas

“No último ano, em razão da

pandemia, algumas mudanças

foram bem significativas para

mim. Entre elas, percebi a importância da

alteridade, de se colocar no lugar do outro

e, principalmente, a questão de viver o hoje

com as pessoas que temos ao nosso lado.

FOTO | DANIEL TATSCH

Em razão da pandemia, dada uma das

áreas que eu atuo no direito, verificamos

um descortinamento da violência contra as

mulheres, pois o número de casos aumentou

significativamente, principalmente, no

início até metade da pandemia. Isso aconteceu

porque essas mulheres foram obrigadas

a ficar em isolamento, a maioria junto com

os próprios agressores em casa. Apesar de

acreditarmos em uma subnotificação, ou

seja, no fato de que muitas mulheres foram

vítimas de violência e não levaram esse

fato ao conhecimento da polícia, vimos no

mundo inteiro um aumento significativo da

violência contra a mulher.

Em face disso, e até mesmo vinculando

com a questão das mudanças pessoais e do

que vimos no cenário profissional, acredito

que para termos um futuro melhor para as

próximas gerações, não só para as mulheres,

para homens, mulheres, comunidade

LGBTI+, é fundamental uma mudança de

educação, em que se passe a importância do

respeito às diferenças, independente do gênero.

A educação, com certeza, vai ser o pilar

dessa mudança de paradigma. Foi assim

com a questão da reciclagem e cuidado com

o meio ambiente. Lá atrás, no fim da década

de 80, início da década de 90, se falava

muito sobre isso, para que se chegasse aos

anos 2000 e tivéssemos um mundo melhor

e mais sadio. Hoje não se vê mais pessoas

jogando lixo na rua e, assim como isso

aconteceu na esfera ambiental, é fundamental

que aconteça na esfera de tratamento das

pessoas humanas, porque todos somos seres

humanos, homens, mulheres, comunidade

homoafetiva... Acredito que é fundamental

uma mudança de educação”.

Maiaja Franken de Freitas. Advogada, Formada pela Universidade

de Passo Fundo, pós-graduada em Direito e Processo do Trabalho e em

Direito Público e Direito Tributário. É uma das sócias do escritório Freitas

Advogados, que nesse ano de 2021 completa 50 anos de existência. Atual

presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB Subseção de Passo

Fundo e atual coordenadora do Grupo de Trabalho em Defesa das Mulheres,

da OAB Seccional Rio Grande do Sul. É mãe do Davi, de 8 anos.

40 | contatovip.com.br


Tempo de mudança

Maira Tonial

Neste ano em que passamos juntos

um momento pandêmico nunca

antes visto e, para mim, inimaginável,

a minha forma de viver e de encarar os

desafios diários mudou. Por trabalhar nos três

turnos, nunca tive a oportunidade de ficar tanto

tempo em casa e, nesse momento de pandemia,

direcionei as minhas atividades profissionais

para o meu âmbito residencial, trabalhando em

home office, o que me fez despertar um desejo

muito grande de permanecer mais tempo em

casa. Descobri que nesse local eu sou muito

feliz! Também por questões sanitárias e de saúde

pudemos reconhecer e valorizar pequenos momentos

e descobrir o que efetivamente tem valor

na vida que é a saúde e a presença dos familiares.

Eu acho que não serei mais a mesma pessoa

após esse período de pandemia, com certeza

vou reavaliar todos os meus atos e buscarei cada

vez mais estar próxima dos meus familiares, da

natureza e a dar mais atenção aos cuidados com

a saúde. Isso foi o que pude aquilatar de verdadeiro

valor nesse período tão triste.

FOTO | DANIEL TATSCH

Eu entendo que as mulheres sempre lutaram para

atingir seus direitos, seus objetivos e conquistar

seu lugar no tempo e no espaço. Esse momento

de pandemia foi um momento que revelou ainda

mais isso, pois a mulher teve que se dividir entre

várias atividades, muitas vezes no mesmo espaço.

Conseguir dar conta do seu trabalho, cuidar da

casa, atender os filhos e compreender esse momento

tão instável que nós estamos vivenciando

foi um grande desafio para todas nós. Eu penso

que estamos em tempo de mudança e acho que a

mulher cada vez mais tem se revelado e se desvelado

para o mundo como uma grande guerreira.

Acredito que vamos vencer essa pandemia e as

mulheres vão conseguir dar um novo tom para a

sociedade em que nós estamos vivendo.

Nos próximos anos, penso que a empatia e a

solidariedade serão as palavras de ordem. Afinal,

se queremos viver em uma sociedade mais justa,

igualitária e fraterna é nos pequenos gestos que

devemos demonstrar isso. Cabe a nós, no nosso

dia a dia, no nosso convívio, na educação que

damos aos nossos filhos, semear pequenas ideias

que vão refletir grandes resultados no futuro”.

Maira Tonial é Advogada, Professora Universitária (UPF),

Mediadora e atualmente trabalha com ênfase na área de

Direito do Trabalho e Direito Digital. É esposa do Ricardo, mãe

do Leonardo, de 17 anos, e da Carolina, de 12 anos.

contatovip.com.br | 41


Tempo de mudança

Mariana Hartmann

“Eu não gostaria de entrar na questão de

que a pandemia nos ensinou sobre solidariedade

e compaixão, porque esse tipo

de atitude já está implícito no exercício da atividade

médica – aprendemos isso desde o primeiro dia da faculdade.

A pandemia cobrou fortemente de todos nós,

e quem teve sabedoria e resiliência se deu melhor. O

último ano foi para repensar conceitos, mudar hábitos,

aprender a manter um equilíbrio emocional. Acredito

que tempos de crise nos preparam para grandes

mudanças e essa última fase que vivemos, e que ainda

não acabou, serviu para desmistificar a falsa ideia de

controle que tínhamos, e nos ensinar a estar preparados

para imprevistos, seja emocional ou financeiramente.

FOTO | DANIEL TATSCH

Eu escolhi uma área de atuação historicamente masculina

e seria hipocrisia dizer que nunca sofri preconceito

por ser uma cirurgiã mulher. Mas, aprendi a usar isso

como uma maneira de me aproximar ainda mais do

meu público-alvo, que é composto em sua maioria

por mulheres. Como diz na frase que eu uso para

descrever meu trabalho: ‘ninguém entende tão bem

uma mulher, como outra mulher’. Eu acredito, sim, que

minha missão como pessoa e como profissional seja a

de enxergar e de promover beleza nos meus pacientes e,

consequentemente, melhorar a qualidade de vida deles.

Penso que através disso consigo resgatar o sentimento

de amor-próprio e otimizar a autoestima das pessoas, é

claro, respeitando a individualidade de cada um.

Acredito que vivemos em um tempo de mudança para

as mulheres, afinal, elas vêm sistematicamente ganhando

espaço ao longo dos anos. O tratamento que a

mulher recebe hoje já teve mudanças muito importantes.

Tradicionalmente, era considerada algo frágil, que

deveria ser protegida, mas esse modelo foi mudando ao

longo da história. Contudo, ainda precisamos de mais,

de igualdade de oportunidades para realizarmos nosso

trabalho, sem precisar provar o óbvio, que é a nossa

competência.

Em relação ao que podemos fazer para essa mudança

acontecer, vou responder como tal: acredito que devemos

receber ‘parabéns’ não por ser mulher, mas sim

por ter caráter. Por ser uma boa profissional, boa filha,

boa mãe, boa amiga. Por ser alguém que realmente faz

algo de positivo para o mundo, não fica só no papel. A

mulher ganha respeito quando mostra sua competência

e aceita ser tratada com igualdade, não apenas da

boca para fora. Quando cuida da família, se escolheu

ter uma, sem se preocupar com o julgamento coletivo.

Mariana Hartmann é médica formada há quase 10 anos, especializada na área de

Cirurgia Plástica. Morou por muitos anos em São Paulo para aprimorar sua formação

e então decidiu retornar à sua região de origem. Hoje atende em Carazinho, em seu

consultório particular, e também em Não-Me-Toque, na clínica Accus.

Contato: (54) 99679.2209 | Instagram @dra.marianahartmann

Quando é livre para pensar como quiser, e não para agradar

alguém. Acredito que, para termos uma sociedade mais justa

com as mulheres, é preciso também que se compreenda toda a

diversidade do gênero e não apenas as ícones. A mídia valoriza

muito as mulheres-exemplo, como Margaret Tatcher ou a Marta,

jogadora de futebol, etc. Mas as mulheres do dia a dia são tão

admiráveis quanto essas e merecem receber apoio e estímulo”.

42 | contatovip.com.br


Tempo de mudança

Michelli Westphal de Ataide

Acho que o modo de viver o ‘novo’, de se

inovar, de desafiar a nossa própria capacidade

de inovação foi a principal mudança.

Paciência com o novo e esperança no futuro são as

principais características adquiridas e/ou aprendidas

nesse ano atípico. Pensar? Pensar no otimismo, acreditar

na ciência, ajudar e partilhar o conhecimento técnico.

Mas, mais do que isso, ter empatia com o meio em que

habitamos, com quem compartilhamos esse habitat e

saber reconhecer os nossos direitos e dos demais.

FOTO | DANIEL TATSCH

Com certeza esse mundo virtual trouxe um desafio muito

grande para o ensino superior, eu mesma tive que me

adaptar às tecnologias do ensino remoto. Com certeza

não substitui um ao outro, mas aprimora e facilita muito

às nossas comunicações, muitas vezes internacionalizando

informações com a palma da mão. Mundo novo,

esperança nova e vida que se renova ou se adapta. Como

estudiosa de Charles Darwin, tudo na natureza se renova,

e a gente, como membro dessa natureza, se adapta às

adversidades.

Hoje eu tenho muitos alunos de graduação e pós-graduação

que esperam de mim o melhor exemplo, já que se

espelham em mim ou nas minhas ações. Os tutores, os

quais atendo com os seus mais diversos pets, acreditam

no meu conhecimento e no meu amor pelo que faço e

para quem faço. A minha vida muda a cada dia em que

uma criança, uma família ou um idoso recebe o seu pet

bem depois de um tratamento; muda após eu conseguir

reabilitar uma animal selvagem e esse retorna a vida

livre, aonde é o seu lugar e que devemos respeitar como

DIREITO dele (não há dinheiro que pague você olhar no

olho de um animal selvagem e ele estar feliz por estar em

CASA); ou muda quando eu vejo um aluno meu seguir

os passos da medicina veterinária ética e com amor pelo

que ele faz. E, principalmente quando eles me encontram

e dizem que estão fazendo o que eu ensinei ou que

estão seguindo o meu exemplo e finalizam com: “Eu

estou feliz e satisfeito, pois eu acho que estou cumprindo

a minha missão”. Então, com isso eu acho que eu cumpro

também uma parte da minha missão, além de uma veterinária,

uma pessoa realizada!

Sobre o tempo de mudança para mulheres... na verdade,

a mudança é constante, na minha percepção. Todos os

dias a mulher precisa se reinventar e dar o melhor de si

pelo que ela acredita. Tem que reinventar sempre para se

amar, ter o amor próprio e amor pelo que ela faz. Então,

sim, é sempre tempo de mudanças, diariamente. Nós

mulheres temos que trabalhar pelo nosso direito igual

(sem sobressair também por cima de nenhum gênero),

mas temos que fazer isso da melhor forma, jeito que só

nós mulheres sabemos: sutil, determinada, feroz quando

necessário, mas acima de tudo HUMANA e CIDADÃ!

Michelli Westphal de Ataide é Médica Veterinária e Professora do Curso de Medicina

Veterinária da UPF. Doutora em Cirurgia Veterinária, com especialização em animais Selvagens.

Atualmente mora em Passo Fundo/RS, mas é natural do Pará, nascida quase no meio da mata

amazônica – fato ao qual atribuiu o seu amor pela natureza e pelos animais diferentes... É

coordenadora do grupo de estudos de animais silvestres, o GEAS UPF; atua como cirurgiã e

tutora da residência do hospital Veterinário; é professora das disciplinas de Animais Silvestres,

Cirurgia de Pequenos Animais e Ortopedia Veterinária; além de fazer clínica e cirurgia em

clínicas particulares, como a SAVE especialidades, também na cidade de Passo Fundo.

A mulher deve ser o exemplo e dar o exemplo, em todas

as categorias, em todos os lares, em todas as profissões e

todas as regiões. Seguir o seu instinto, acreditar no seu

potencial e ser feliz, independente de quem ou como. Ser

feliz! Não se intimidar por força, por poder ou dinheiro.

Apesar da sociedade parecer e ser desigual, a mudança

começa por nós mesmas, em nossos lares e em nossos

ambientes de trabalho. No momento que somos e fazemos

a diferença, colocamo-nos em uma situação mais ‘protegida’,

até de nossos próprios pensamentos não tão legais.

Por isso, a mulher, para fazer a mudança acontecer, deve

respeitar a todos, inclusive a si mesma, ao que ela pensa,

acredita e ir à luta!”.

contatovip.com.br | 43


Tempo de mudança

Natani Ferri

O ano de 2020 forçou todos

nós a pensarmos de forma

coletiva. Vivemos e continuamos

vivendo algo inédito que assolou

o planeta. Fomos testados e tivemos que

aprender a lidar com o medo ao desconhecido.

Precisamos nos adaptar a trabalhar

de forma remota, com audiências e

atendimentos telepresenciais. Aprendi a

não associar trabalho a um local físico e

mudei a minha concepção em relação a

prioridade a minha família. Todas essas

adaptações foram de extrema importância

para manter a saúde física e mental de

todos à minha volta. Acredito que dentre

tantas lições que vamos levar de 2020, a

nossa habilidade para enfrentar crises e

mudanças é uma das principais.

Ao contrário do que muitos pensam, ao

procurar um advogado, o cliente traz

uma carga emocional muito grande. O

dinheiro e os bens materiais raramente

são de fato o objetivo final do cliente.

Existem muitos aspectos intrínsecos,

sentimentos, anseios e necessidades. Por

este motivo, tanto por meio da advocacia,

quanto por meio da minha atuação como

mediadora e conciliadora, acredito no

papel do Direito como instrumento de

transformação social. Mudar a vida das

pessoas afastando o litígio e buscando, de

forma mais saudável, encontrar meios de

resolução de conflitos. Por isso, desenvolvo

meu trabalho sempre buscando

entregar às pessoas soluções que sejam,

acima de tudo, respeitosas. A importância

de trabalhar com empatia é encontrar

uma forma de avaliar as necessidades

e intenções da outra pessoa sem fazer

julgamento de valor.

FOTO | DANIEL TATSCH

Natani Ferri é advogada, atua como mediadora judicial pelo Tribunal de Justiça do Rio

Grande do Sul nas áreas de Direito Empresarial e Cível. Faz parte da comissão estadual da

Mulher Advogada da Associação Brasileira de Advogados- ABA/RS; é membro da Comissão

de Mediação da OAB/RS; secretária-geral adjunta da Comissão de Direito do Trabalho da

Associação Brasileira de Advogados - ABA/RS. Empreende no ramo da advocacia há 8 anos

e, junto a uma equipe de profissionais, atende as áreas cível, trabalhista e empresarial.

Acredito que vivemos tempos de mudanças

para mulheres e que essas mudanças

já vêm acontecendo há décadas. A tecnologia,

por meio da internet e da facilitação

do acesso aos dispositivos eletrônicos,

tornou essa mudança ainda mais rápida

e evidente. Os cursos de capacitação na

palma da mão, a possibilidade de empreender

por meio da internet e o acesso

à informação sobre seus direitos, são

aspectos que colaboram com a mudança

do cenário e uma grande virada de jogo

para mulheres.

44 | contatovip.com.br

No que tange a forma como a sociedade

trata mulheres, temos um longo

caminho pela frente. A nossa sociedade

diferenciou mulheres e homens em uma

prática social, atribuindo maior valor às

características masculinas, acabando por

gerar a desigualdade. Pensando nisso, são

muitos aspectos possíveis de se abordar,

inclusive dentro do próprio judiciário.

Um dado interessante, por exemplo, é

que mulheres são a maioria dos brasileiros

com curso superior, mas ainda

possuem empregabilidade mais baixa que

homens. Se estudamos mais e ocupamos

menos empregos, existe algo de errado.

Precisamos de mais oportunidades de

qualificação e trabalho. Essa responsabilidade

é do governo sim, mas também

é das entidades privadas, quando vão

gerenciar seus processos seletivos. Precisamos

de mais empresas cidadãs, que

respeitem a mulher como profissional,

que respeitem os direitos das mulheres.

Igualdade, liberdade, sororidade e

representatividade é o que precisamos

para essas mudanças acontecerem”.


É um privilégio poder fazer fotos e vídeos no meio corporativo. Transmitir através das

minhas imagens toda a confiança e sobriedade que cada profissional necessita.

E você? Como está sua imagem corporativa? Ela representa sua realidade? Ela ajuda

a introduzir seu negócio neste mercado de trabalho cada vez mais competitivo?

A fotografia e o vídeo corporativo são muito importantes no mundo dos negócios

pois ajuda a contar sua história e contextualizar o seu ambiente de trabalho.

/fotografo.daniel.tatsch

@fotografo.danieltatsch

(54) 99964-6121


Tempo de mudança

Rita Felber de Carli

Os ano de 2020 e 2021 estão sendo anos

de grandes mudanças em nossas vidas,

tanto pessoal, como profissional ou social.

Passamos a conviver com o uso de máscaras; o

distanciamento social; o teletrabalho; o revezamento

entre equipes; reuniões por videoconferência; compras,

aulas da academia, atendimento profissional

e até registro de ocorrências policiais acontecendo

também pela internet; restrição de acesso a locais

públicos de convivência, compras, alimentação,

lazer, exercício físico e entretenimento. Uma grande

mudança. Passamos a ficar mais tempo em casa

com a família, mas ao mesmo tempo mais afastados

dos irmãos, pais, avôs, amigos com quem convivíamos.

Muitas pessoas tiveram que se reinventar e

criar novas formas de trabalho para superar a crise

e o desemprego. Está sendo um período de grande

aprendizado, de grandes mudanças, mas também de

grandes perdas, onde os valores como EDUCAÇÃO,

RESPEITO e SOLIDARIEDADE estão sendo cobrados

como nunca para superarmos a PANDEMIA.

Muitas pessoas perderam os empregos, as empresas

e até a própria vida. O Brasil e o mundo pós-pandemia

jamais será o mesmo de antes.

Não posso afirmar que a minha atuação profissional

contribui ou inspira outras pessoas, mas posso

afirmar com certeza que gosto muito de estudar,

trabalhar e conviver com a família. Levo uma vida

regrada, cuido da alimentação, da saúde e faço exercícios

físicos regularmente, hábitos compartilhados

com a família. Sempre que me vi desmotivada ou

sem perspectivas, corrigi o rumo e busquei novos

caminhos. Fiz mudanças importantes durante a

vida profissional, todas elas muito bem pensadas,

decididas e sem nenhum arrependimento, buscando

sempre realização pessoal e profissional.

Vivemos tempos de mudança para as mulheres, com

certeza. As mulheres ocupam postos de trabalho em

todas as áreas do conhecimento, mas ainda há muito

a fazer. A mulher ainda não alcançou a igualdade de

remuneração e de acesso às funções de controle e de

direção. As mulheres empresárias, policiais, gestoras,

políticas, produtoras rurais, por exemplo, ainda são

em menor número. As mulheres ainda hoje encontram

resistência de acesso a alguns postos de trabalho

em função da maternidade. A Pandemia nos

mostrou isso: muitas mulheres deixaram o trabalho

para poder ficar em casa cuidando dos filhos, que

ficaram sem escola, sem creche. A Polícia Civil teve a

primeira mulher Chefe de Polícia, neste último Governo

do Estado. O número de mulheres Vereadoras,

Deputadas, Senadoras, Ministras, Prefeitas ainda é

pequeno; estes postos, na grande maioria, ainda são

ocupados por homens. Porém, as mulheres são fortes,

dedicadas, persistentes e buscam realização pessoal e

independência emocional e financeira”.

FOTO | DANIEL TATSCH

Rita Felber de Carli é casada com Adroaldo De Carli e tem dois filhos. É graduada em

Direito, cursou duas pós-graduações e Mestrado em Direito Público, concluído em 2006,

com ênfase no estudo dos Direitos Humanos Fundamentais, trabalho de conclusão com o

título “Direto à Saúde como Direito Humano Fundamental: Em Busca de Efetividade”. No

ano de 2010 cursou a Academia de Polícia Civil do Estado do RS. Atualmente exerce a função

de Delegada de Polícia, lotada na Delegacia de Polícia de Carazinho, onde atua há 10 anos,

respondendo também pela Delegacia de Polícia de Constantina. Antes, porém, trabalhou no

Banco do Brasil, durante 14 anos e, posteriormente, como advogada, por mais 13 anos.

46 | contatovip.com.br


Tempo de mudança

Rosiane Viegas Fardin

Nesse último ano deixei de ter medo

das mudanças! A vida me trouxe duas

mudanças significativas, que me fizeram

entender que tudo tem um lado bom e que nunca se

começa do zero, na verdade, estamos sempre partindo

das experiências passadas e já vividas. Levamos

o que foi bom e lembramos do que não devemos

repetir. Mudei também alguns hábitos alimentares.

Ainda longe do ideal, mas durante a semana, pelo

menos, tento controlar e comer com menos impulsividade.

Também voltei para o pilates, que é uma

atividade que não posso mais deixar de fazer!

FOTO | DANIEL TATSCH

No pensar, acredito que o último ano tenha me feito

parar e me colocar mais no lugar do outro, a praticar

a tão falada empatia... Ainda ‘escorregamos’, isso

é normal do ser humano, mas vamos nos policiando

e nos moldando todos os dias. Também comecei

a dar mais valor aos que estão na nossa volta, cada

pequeno empreendimento! Um amigo está fazendo

bolo? Vamos lá! Uma amiga com projetos de live?

Vamos divulgar e apoiar!

Penso que em qualquer profissão, só inspiramos se

as pessoas sentem que realmente somos apaixonados

pelo que fazemos. Acredito que mudo a vida das

pessoas quando resolvo o problema delas. Ninguém

bate em um escritório de advocacia sorrindo. O

cliente chega lá nos vendo como a última esperança

para resolver o que já tentou e não conseguiu...

Hoje se fala muito mais em empoderamento e as

mulheres vêm estudando cada vez mais sobre isso,

falando, escutando, atentas aos debates. Isso faz

com que elas se imponham mais, com que ‘briguem’

mais pela igualdade de gênero em qualquer

ambiente, seja familiar ou de trabalho. A mulher

se questiona sobre o ambiente onde está e vê no

exemplo de outra mulher que ela pode mais e merece

muito mais. Os caminhos já vão ficando mais

estreitos para quem tenta abusar ou menosprezar

uma mulher.

Acredito que nossa sociedade ainda precise passar

por um processo de aprendizado e de desconstrução,

para que os homens aprendam como podem

agir de forma mais respeitosa com as mulheres,

para que ambos vivam em harmonia e com liberdade.

Tudo será mais fácil se esse aprendizado começar

na infância! Também precisamos de mais representação

de mulheres na política para ampliarmos

Rosiane Viegas Fardin é advogada, formada pela Universidade de

Santa Cruz do Sul. Atua na cidade de Passo Fundo, na área trabalhista,

a qual se dedica há mais de 10 anos.

a nossa concepção de liderança. Ainda, acredito ser

necessário mudar a cultura que acontece dentro das

nossas casas, principalmente com a palavra ‘ajudar’.

Afinal, a responsabilidade por cuidar da casa é de

todos que moram nela - se todos colaborarem, não

fica pesado para ninguém, e a mulher poderá se

dedicar à carreira com mais tranquilidade”.

contatovip.com.br | 47


Tempo de mudança

Sandra Rodriguês

Houve a necessidade de

mudanças, tanto na vida

pessoal quanto na profissional,

devido a Pandemia mundial.

Com relação a vida profissional, foi

onde tive maior impacto. Houve uma

desaceleração abrupta em minha

rotina no trabalho, onde exista uma

extensa agenda presencial que foi

substituída pela agenda online.

FOTO | DANIEL TATSCH

Profissionalmente, sempre procurei

estar motivada em tudo que faço;

neste sentido, mas de uma forma diferente,

por conta da pandemia, busquei

uma aproximação maior com

meus pares, mesmo que virtualmente.

Com essa atitude nos mantemos

próximos e em constante evolução e

organização no trabalho.

Ao falar sobre as mulheres, penso

que a mudança e/ou a evolução na

igualdade de direitos vêm conquistando

espaço próprio, devido ao

trabalho que elas realizam de forma

competente e profissional.

Porém, devemos observar alguns

aspectos que vêm desde a infância,

onde a cultura existente faz uma diferença

entre sexos. Deveríamos mudar

essa condução que vem por parte

da família, educação e da sociedade,

incentivando o respeito e a igualdade

de forma geral”.

Sandra Rodriguês é empresária, administradora, perita ambiental e teóloga,

com pós-graduação em Gestão do Agronegócio e Direito do Trabalho. Atua em

133 municípios do RS através do Cinbalagens-Aria e 19 estados do Brasil, através

da Federação Nacional das Associações de Centrais e Afins. – FENACE.

É também vice-presidente de indústria na ACISA Passo Fundo.

48 | contatovip.com.br


Conheça a FENACE – FEDERAÇÃO

NACIONAL DAS ASSOCIAÇÕES

DE CENTRAIS E AFINS.

Sua função

Sua importância

Foi criada em defesa das associações; sua

função é gerir todos os interesses dos entes

da federação, com vasta abrangência e

representatividade em 19 Estados do Brasil;

uniram-se a fim de gerir os interesses coletivos,

mas, principalmente, para promover o

conhecimento acerca do trabalho realizado

há mais de duas décadas pelas associações,

a quem verdadeiramente cabe todo o crédito

pela maturação e consolidação do sistema na

gestão regionalizada hoje representado através

da Federação, já promovido e consolidado pelas

revendas no sistema de Logística Reversa. Este

é um exemplo para o setor e referência nacional

em recebimento de embalagens vazias,

exemplo de eficiência na gestão de resíduos

sólidos, dando sua importante contribuição

social para o meio ambiente e saúde pública.

Cabe ressaltar que o descarte incorreto das

embalagens vazias de defensivos agrícolas

(em rios, solos e aterros sanitários), causam

graves problemas e elevada poluição ambiental.

Contaminação de lençóis freáticos e mananciais

de águas, o que não ocorre atualmente devido

ao trabalho das associações, que vem sendo feito

no decorrer de mais de duas décadas. O principal

objetivo da federação é dar continuidade a

este trabalho que vem sendo realizado pelas

associações nesse período. Hoje esse trabalho

vem sendo divulgado nacionalmente através

das ações conduzidas pela federação, que leva

a conhecimento público os verdadeiros atores

responsáveis por este processo – que coloca

o Brasil em primeiro lugar no Ranking, como

referência nacional em destinação final das

embalagens vazias de defensivos agrícolas.

Saiba mais em:

/fenace.eco

@fenace.eco

FENACE

Passo Fundo - RS


Tempo de mudança

Silvana Momm Crusius

O ano de 2020 foi desafiador

para todos nós. A pandemia

e o necessário isolamento social

decorrente dela trouxeram incertezas.

Fomos forçados a nos adaptar rapidamente

às mudanças nos relacionamentos

interpessoais, no trabalho e na rotina. Por

outro lado, tivemos a oportunidade de

repensar situações e fazer novos planos.

Não foi e continua não sendo fácil para

ninguém encontrar meios para superar

as dificuldades trazidas pela pandemia.

No meu caso, de uma hora para outra

me deparei com a presença das crianças

que já não podiam mais ir à escola e que

necessitavam do meu auxílio para as

aulas remotas. Eu tenho três filhos e essa

tarefa foi exaustiva. Além disso, ainda

precisei me reinventar em relação às aulas

da faculdade de Medicina na qual leciono

para cinco turmas do quarto ao oitavo

semestre e, ainda, conciliar meu trabalho

como médica no consultório e em

quatro Instituições de longa permanência

para idosos onde presto serviço médico.

Realmente as mudanças foram drásticas e

imediatas na minha vida familiar e profissional,

mas contei com o apoio incondicional

do meu esposo e dos meus colegas

de trabalho. Aos poucos tudo se encaixou

e a rotina se restabeleceu.

Para mim, na esfera profissional o mais

impactante foi lidar com o medo e a

ansiedade da população idosa com a

qual eu trabalho. As incertezas geraram

pânico para todos nós que lidamos com

uma população vulnerável. Os cuidados

tiveram que ser intensificados e a atenção

redobrada. Para os idosos o medo de

adoecer veio acompanhando da carência

por conta do afastamento necessário dos

familiares e amigos. Isso os entristeceu

e deprimiu. Para aqueles que continuam

isolados, muitas vezes a única presença

física que o idoso tem é a do seu médico.

A Geriatria, assim como a Medicina de

Família, são especialidades que exigem

muito conhecimento científico, mas também,

muito amor e empatia. O profissional

acolhe o paciente e sua família e está

sempre disposto a ouvir para poder intervir

de maneira eficiente, não só na cura

das doenças, mas também na prevenção e

na melhoria da qualidade de vida.

Acredito que vivemos tempos de mudanças

também para as mulheres. As

mulheres estão se evidenciando profissionalmente

em todas as áreas. Somos cada

vez mais independentes e corajosas para

buscar nossos objetivos e conquistar nosso

espaço. As mulheres souberam conquistar

o respeito e estão aprendendo a se

impor contra o machismo, a violência e o

FOTO | DANIEL TATSCH

Silvana Momm Crusius. Médica (Cremers 24851) formada na Universidade de Passo Fundo.

Especialista em Medicina de Família, Geriatria e Gerontologia. Mestre em Geriatria. Docente da

Faculdade de Medicina da UPF. Contato consultório: (54) 3311.7011 - (54) 99658.1213

Rua Uruguai 1555, 5°andar - Redondão - Passo Fundo/RS

preconceito. Creio que estamos no caminho

certo para construir uma sociedade

mais justa, mas ainda precisamos mostrar

o nosso valor através da dignidade, da

inteligência e do trabalho sem esquecer

da doçura da qual somos agraciadas.

Não se pode confundir feminilidade com

fragilidade. Pois uma mulher forte e que

se destaca pela sua competência também

pode ser meiga, sensível e bela”.

50 | contatovip.com.br


Tempo de mudança

Taís Maria Brenner

O último ano foi, sem

dúvida, muito desafiador

para nós mulheres. Vi muitas

diferenças na minha vida, mas procurei

focar minhas ações para desenvolver o

meu lado pessoal, espiritual e profissional.

Eu resgatei a minha fé, mudei alguns

hábitos de saúde, procurei fazer mais

atividades físicas e me dediquei a estudar.

Também me dediquei muito ao meu

trabalho, atendendo meus pacientes de

uma forma mais única e individualizada,

proporcionando um maior aconchego

nos atendimentos.

FOTO | DANIEL TATSCH

Eu acredito que inspiro as pessoas

ao meu redor sendo eu mesma. Me

considero uma pessoa alegre, otimista e

confiante. Embora toda a dificuldade que

enfrentamos em 2020, procurei manter

sempre o sorriso no rosto e o pensamento

positivo para transparecer para as

pessoas que convivem comigo e com os

meus seguidores essa forma leve de levar

a vida em meio as dificuldades, sempre

acreditando que dias melhores virão.

Eu acredito, sim, que nós vivemos em um

tempo de mudanças, especialmente para

nós, mulheres. Sinto que no ano de 2020

nós resgatamos a nossa beleza interior e

exterior. Olhamos mais para nós mesmas

em busca dessa beleza que estava ali,

deixada de lado. Percebi que as mulheres

que passaram por mim vieram em busca

desse aumento de autoestima e desse resgate

da beleza, que estava só esperando o

momento certo para acontecer!

Atualmente, nós mulheres já brilhamos

muito, mas ainda precisamos que as

pessoas aprendam a nos tratar de forma

mais receptiva; precisamos também de

mais empatia uns pelos outros. Para essa

mudança acontecer nós precisamos ser

nós mesmas, em primeiro lugar, acreditar

no nosso poder, na nossa força e sempre

ficarmos unidas para o que der e vier!”.

Tais Maria Brenner é Biomédica Esteta formada pela Ulbra Carazinho.

Possui especializações em Patologia Clínica, Análises Clínicas e Biomedicina

Estética – área que se dedica atualmente. Atende no seu consultório

na cidade de Carazinho e também em Ibirubá.

Contato: @encantosdabiomedicinaestética | (54) 9 9935.9418

Rua 14 de Julho, 11 - Sala 108 - Carazinho/RS

contatovip.com.br | 51


Tempo de mudança

Tatiana Fortes e Tirzah

Hillebrand de Oliveira

2020 nos trouxe um momento

de extrema dificuldade. Ficamos

deprimidas, perdidas e chegamos

até a pensar que a advocacia não era

mais para nós. Foi preciso nos reinventar,

olhar de verdade para nós e para nossa

história, e perceber que não poderíamos

desistir. Tínhamos um sonho antigo de

criar um espaço de advocacia para atender

as mulheres do jeito que gostaríamos de ser

atendidas, com muito afeto, respeito e sem

julgamento. Esse era um propósito de vida

que descobrirmos ter em comum e, neste

ano, finalmente realizamos esse sonho.

FOTO | DANIEL TATSCH

Com muitos medos e desafios pelo caminho,

no mês de março, abrimos as portas

do nosso escritório Entre Elas – Advocacia

Familiarista para Mulheres, em Palmeira das

Missões. Já atuamos há mais de 10 anos na

advocacia, realizamos palestras, atendimentos,

mas estudamos muito, nos qualificamos

e pesquisamos o nosso mercado para criar o

nosso ambiente com muita responsabilidade,

ética, comprometimento e empatia, para defender

e proteger as famílias e as mulheres.

Esse espaço nasceu do amor que nós temos

pelos que estão a nossa volta e só foi possível

graças ao apoio que recebemos de nossas

famílias e amigos.

Nós já passamos por muitas situações

difíceis e muitas dores e isso nos motiva

a ser fortes e trabalhar em prol de outras

mulheres. Somos ensinadas desde muito

jovens que temos que dar conta de tudo e

ser fortes o tempo todo, mas a realidade não

é essa. Temos as nossas vulnerabilidades,

as nossas carências e está tudo bem, esses

momentos fazem parte da nossa vida. Por

isso, queremos empoderar e fortalecer as

mulheres. Assim como nós nos levantamos

e nos unimos para dar vida a esse sonho,

também queremos que outras mulheres se

ergam para dar vida aos seus sonhos e projetos.

Nós temos o apoio de nossas famílias,

mas sabemos que nem todas possuem esse

tipo de suporte. Por isso, o nosso trabalho

também é auxiliar e empoderar! Enquanto

a sociedade e os homens não mudam, nós

mudamos as mulheres!”.

Tatiana Fortes é advogada familiarista desde 2010. É coach, palestrante,

trabalha com desenvolvimento pessoal e mentoria para mulheres. É mãe de

Helena e Isadora, e avó da Cecilia Maria, de 8 meses.

Tirzah Hillebrand de Oliveira é advogada familiarista, formada pela

Universidade de Passo Fundo. Atua no voluntariado fazendo palestras sobre

temas como a violência doméstica, igualdade de gênero e de direitos.

52 | contatovip.com.br


feminina

Representatividade

A importância de nos enxergarmos em espaços de poder

Alguma vez você já olhou

para alguma mulher, em

uma posição na qual você

gostaria de estar, e pensou:

“Se ela pode fazer isso, eu também posso!”?

Esse sentimento expressa o conceito

e a importância da representatividade

– assunto que vem sendo amplamente

debatido nos espaços midiáticos.

Nos sentimos representados quando

alguém partilha das nossas ideias, das

nossas crenças, dos nossos valores e,

também, quando esse alguém se parece

com a gente. Quando existe a identificação

de quem nós somos em alguém

que ocupa um lugar de destaque ou de

poder, passamos a acreditar que nós

mesmas poderíamos estar naquele lugar.

Isso nos motiva, nos dá força e nos faz

também querer sair da nossa zona de

conforto para fazer mais pela sociedade.

Afinal, se outra mulher pode, assumo

que também posso – e isso vale para

todos os papéis e cenários que gostaríamos

de ocupar.

Um dos campos em que mais se fala

sobre a representatividade feminina é o

campo político, afinal, lá estão pessoas

que escolhemos, justamente para nos representar

e tomar decisões por nós. Na

política a representatividade das mulheres

vem crescendo, de acordo com dados

do Tribunal Superior Eleitoral (TSE),

o aumento do número de vereadoras

eleitas foi de 19,2% em 2020. E algumas

cidades, como Carazinho, tiveram novos

fatos para celebrar nas últimas eleições.

A cidade elegeu no último ano a sua

primeira vice-prefeita! A psicóloga

Valéska Walber nunca antes havia cogitado

entrar para a política. Mas diante

do convite, percebeu a possibilidade de

colaborar com o cuidado e com o desenvolvimento

de sua cidade de forma mais

ampla. “Refleti muito antes de decidir.

Me motivava a possibilidade de ser uma

mulher que poderia encorajar outras

mulheres a ocupar este tão importante

espaço. Temos ainda muito poucas mulheres

na política, por isso essa posição

representa para mim uma grande honra

e responsabilidade”, destaca.

A vice-prefeita reconhece que, apesar de

muitos avanços nos últimos anos, ainda

somos poucas nos espaços de poder.

“O cenário da política ainda é bastante

machista e muitas mulheres se sentem

intimidadas neste enfrentamento. Há

muito pouco tempo na história não

tínhamos nem direito a voto! Mas isto

está mudando, felizmente. Para uma

sociedade mais igualitária precisamos

do protagonismo e representatividade

feminina”, afirma.

Me motivava a

possibilidade de

ser uma mulher que

poderia encorajar

outras mulheres

a ocupar este tão

importante espaço”

Valéska Walber

Vice-Prefeita de Carazinho

contatovip.com.br | 53


VIP | Moda

Nicele Branda

ESCAPISMO

Professora

Universitária e

doutoranda em

Design UFRGS

A macrotendência que se estabeleceu

em todas dimensões da Moda.

Um texto de Moda após um ano de

Pandemia não poderia falar em cores,

formas, tecidos ou peças chave para

a próxima estação. Por mais que

tenhamos tentado manter a normalidade em 2020,

as incertezas permearam nossos pensamentos. Seja

por necessidade, vontade ou desejo a Moda se tornou

uma possibilidade de mudança, de experimentação

ou até mesmo de realização de sonhos que

na correria do dia a dia nem nos dávamos conta da

existência.

A indústria e o comércio tradicional foram altamente

impactados pelas restrições de abertura

no mundo inteiro, diminuindo vertiginosamente

as vendas. Isso se intensificou aqui no Brasil com

certo atraso, fragilizando ainda mais o varejo

tradicional que buscou rapidamente outras formas

de atrair clientes e disponibilizar produtos. Canais

digitais que vinham ganhando cada vez mais

espaço, se estabeleceram e aumentaram o alcance,

atingindo públicos até então avessos ao e-commerce.

Apesar do impacto negativo, abriu precedentes

para empreendimentos cada vez mais segmentados

de varejo online e oportunidade de identificação de

nichos.

Além dessa mudança radical no setor varejista,

que se deu por necessidade, outras duas mudanças

comportamentais relacionadas ao escapismo* (tendência

a fugir da realidade ou à rotina desviando a

mente para outras atividades) – autoconhecimento

e nostalgia se consolidaram. A busca por atividades

relacionadas a artesanato, técnicas manuais,

costura, modelagem e desenho aumentou em torno

de 30% nesse período. Não apenas para ocupar o

tempo e sim após reflexão sobre estar fazendo ou ter

a possibilidade de fazer/trabalhar com o que gosta.

Outra área que se consolidou durante o período, foi

o de consultoria de estilo. Mesmo com o número de

eventos reduzidos, as pessoas buscaram esse tipo de

assessoria para se conhecer melhor, entender certos

aspectos relacionados a escolhas. É um processo

de autoconhecimento, não somente sobre aspectos

físicos e cores, visando a otimização de escolhas e

consumo consciente. Seja por necessidade ou vontade,

a moda mais uma vez possibilita que as pessoas

possam se reinventar.

Momentos marcantes no mundo e seus reflexos na

moda (dicas para quem quiser se ler mais sobre o

assunto):

• Pós Primeira Guerra Mundial: mulheres com

roupas mais soltas e as saias subiram até os joelhos

pela primeira vez;

• Pós Segunda Guerra Mundial: retorno da feminilidade

e esbanjamento de matéria prima após anos

de restrição e acesso a materiais;

• Anos 60: revoluções jovens e seus reflexos na

Moda. Peças informais que usamos até hoje se popularizaram

e difundiram nesse momento; Corrida

espacial, seus reflexos no estilo arquitetônico e

design (produto, moda e gráfico) popularização de

sintéticos.

54 | contatovip.com.br


VIP | Beleza

MEU

cabelo

Ao longo da história, as mulheres têm usado

seus cabelos das mais variadas formas,

normalmente de acordo com a moda e cultura

de onde vivem. Os cabelos são marcadores

da sua classe social, idade, estado civil, raça e até das suas

convicções políticas.

As décadas e a moda sempre ditaram certa tendência de

estilos em penteados e cortes, mas as mulheres serem

livres para decidir qual o melhor estilo de cabelo demorou

um pouco, foi somente após o fim da I Guerra Mundial

que elas começaram a usar cabelo curto e em formas naturais.

Porém, até hoje em algumas culturas, por questões

religiosas, as mulheres são obrigadas a cobrir seus cabelos

quando estão em público, em outras culturas, as mulheres

tem seus cabelos raspados e cobertos por perucas.

Atualmente existe uma gama muito grande de cortes

e penteados, e para um cabelo ser considerado bonito,

deve-se levar em consideração vários fatores estéticos e

atributos físicos da pessoa, tipo natural do cabelo, padrões

de crescimento, rosto, forma da cabeça e as proporções

corporais em geral, além da imagem que ela deseja passar

e o instinto artístico do estilista.

BENDRIGO ZANFIR

Formado em Estética Capilar pela

ULBRA Carazinho, e Pós-Graduado

em Visagismo e Imagem Pessoal pela

ANHEMBI MORUMBI/São Paulo.

Colorista e consultor

de imagem pessoal.

bendrigocabeleireiros@hotmail.com

Rua Venâncio Aires, 358 - Carazinho/RS

Fone (54) 3331.1667

contatovip.com.br | 55


VIP | Kids

As

Marias

AS MARIAS

VOLTAM ÀS AULAS!

Depois de um período de férias bem aproveitado,

Maria Antonia e Maria Gabi retornam com tudo

para a sala de aula (mesmo que de forma virtual)

A

gente já sabe que a pandemia do

Covid-19 mudou muita coisa, né?

E a escola então nem se fala! As

salas de aula agora estão na tela

dos celulares, tablets e computadores. Com

isso, os pais precisaram montar uma nova

rotina junto dos filhos. Foi o que aconteceu

na casa das Marias!

A tecnologia está ajudando bastante a

manter a Maria Antonia e a Maria Gabi

próximas dos colegas e professores. E além de

fortalecer o vínculo afetivo, esses encontros

são fundamentais para o aprendizado das

crianças.

Claro que tudo precisa de muita organização.

A rotina das irmãs é assim: Gabi acorda

cedinho para a aula, enquanto a caçula estuda

à tarde. Elas usam uniformes, ligam a câmera

e microfone e partem para mais um dia de

estudo. E o mais importante é que elas estão

em um ambiente sem barulho e com todos os

recursos necessários para fazer as atividades.

O papai e a mamãe são verdadeiros

parceiros nesse processo, sempre atentos às

dificuldades das filhas e ajudando a encontrar

soluções para qualquer problema. E isso

ajuda bastante no processo de aprendizagem.

Tudo para tornar a educação mais eficiente e

prazerosa.

Como se trata de um novo formato de estudo,

passar um longo tempo em frente à tela pode

ser cansativo. Então o lanchinho, brincar com

os bichinhos de estimação, dar uma volta no

pátio… tá tudo liberado!

FOTOS | LG PRODUÇÕES FOTOGRÁFICAS

56 | contatovip.com.br


VIP | Kids

Confira algumas dicas das Marias

para estudar da melhor forma possível!

dica da...

dica da...

“Tem a hora de estudar e a hora de

falar sobre outros assuntos. Eu gosto

bastante disso porque posso conversar

com os meus coleguinhas.”

“Participe da aula. É nesse momento

que a gente pode tirar dúvidas sobre

o que estamos estudando e ouvir

as explicações da professora. Essa

interação é muito importante!”

Diversificar é o segredo

As pausas durante as aulas são essenciais.

Primeiro porque as crianças, no geral, não

conseguem manter a concentração em uma

mesma atividade por muito tempo. Existem

várias pesquisas que demonstram que quando

elas fazem um intervalo, o aprendizado é mais

efetivo. E também porque esses momentos

podem ser trabalhados de forma lúdica. É

que os pequenos também aprendem com

brincadeiras que exercitam a criatividade

(e isso eles têm de sobra).

Logo tudo volta ao normal

Ah, como as Marias tão com saudade de

uma sala de aula! Mesmo que as atividades

escolares estejam acontecendo de forma

remota, nada substitui a presença física dos

professores e dos coleguinhas. Mas isso logo

vai voltar. Por enquanto, fique bem, protejase

e proteja aos outros. Até mais!

contatovip.com.br | 57


VIP | Sociedade

Céia Giongo | Passo Fundo

Céia Giongo

Colunista social

e jornalista. Assina

coluna no jornal O

Nacional, de Passo

Fundo, e apresenta

programa

no canal 26 NET.

Blog: giongo.

blogspot.com

Happy Birthday

Joana da Fonseca Almeida na

comemoração em família de seus 26 aninhos.

Gislene Miranda,

profissional das

Ciências Contábeis

e adepta da vida

saudável, ela não

descuida de sua boa

firma física. Participa

de corridas de rua, de

bike com excelente

classificação.

Com os amigos o casal Placido

e Arlete Scussel, seus filhos

Giovana e Antônio, em sua

residência na Barragem do

Capinguí, no almoço oferecido

por eles em comemoração ao

meu aniversário (as máscaras

foram retirados apenas no

momento da foto).

Pisciana

Danielle de Oliveira

Batezini, Gerente de

Marketing do Passo

Fundo Shopping,

trocou de idade sob

o signo de Peixes. A

comemoração foi

com a família no

litoral de SC.

58 | contatovip.com.br

Comemoração de aniversário da colunista só em pétit comitê nesta

pandemia e sem máscaras só no momento da foto. A hostess foi Manu

Dalvit, que preparou em seu elegante apartamento um Rizzoto de

Camarão dos Deuses, acompanhado de espumantes e vinho da Amitié

com direito a maravilhosa Torta Rosa, da Tânia Doces. Manu Dalvit,

a anfitriã, a sommelier Susana Grolli, Doli Dalvit e Marcia Peruffo.


Brunoe

Hanna

CASAMENTO

Foi na capela do Colégio Marista Conceição, que

aconteceu ao entardecer do dia 28 de novembro,

a belíssima cerimônia religiosa do casamento

dos jovens Bruno Ventura Tarasconi e Hanna

Noschang. Bruno é filho do Dr. Alcides Tarasconi e

Dra. Carla Ventura Tarasconi e Hanna é filha de Carlos

Antônio Noschang e Sandra Maltchik Noschang. A

recepção aos convidados aconteceu, ao som de violinos,

no Clube Comercial de Passo Fundo.

Dra. Hanna e seu pai

Carlos Antonio Noschang

Dr. Bruno V Tarasconi e sua belíssima

mãe Dra. Carla V. Tarasconi

Pais da Noiva – Carlos A.

Noschang e Sandra M Noschang

Pais do Noivo – Dr. Alcides

Tarasconi e Dra. Carla V Tarasconi

Familiares da Noiva – Carlos e Sandra, Luisa,

Dra. Julia, Dr. Marco Aurélio e o pequeno Marco Antonio.

Celebração com os familiares


VIP | Economia

TECNOLOGIA NA CONTABILIDADE:

OS AVANÇOS DA ÁREA CONTÁBIL

A

tecnologia na contabilidade

deixou de ser complementar

para se tornar imprescindível.

Com os programas de automação,

é mais fácil desempenhar as tarefas

do dia a dia, bem como evitar falhas que

podem gerar prejuízos aos negócios.

Para o profissional de contabilidade, a

tecnologia auxilia na organização de documentos,

permitindo acessá-los facilmente

quando necessário. Para as empresas, ela

otimiza e aperfeiçoa tarefas, visto que

permite controlar recursos, como a folha

de pagamento, em tempo real.

Logo, a tecnologia na contabilidade oferece

três benefícios principais: produtividade,

segurança e organização. Juntos, eles

são essenciais para a saúde de qualquer

negócio.

Qual o impacto dessas tecnologias na

área de contabilidade?

A gestão empresarial vem se beneficiando

muito com o uso da tecnologia. Especificamente

no que tange à contabilidade,

o impacto pode ser notado em diversas

funções. As principais vantagens oferecidas

aos escritórios contábeis, às empresas e

pessoas envolvidas são:

Automatização de processos

Durante muito tempo, o setor de contabilidade

foi conhecido por suas tarefas manuais

e repetitivas. Porém, com o avanço das

ferramentas tecnológicas, esse paradigma

foi aos poucos se modificando.

A tecnologia chegou para automatizar e

simplificar os processos contábeis, desde

a coleta até a visualização e edição de

documentos organizacionais. Com isso,

poupa-se tempo, além de elevar a confiança

no sistema como um todo.

Menos burocracia

Com a simplificação dos processos, passam

a existir menos etapas de validação.

Afinal, por se tratarem de tecnologias próprias

para a contabilidade, esses processos

se tornam bem mais fáceis.

Desta forma, o profissional contábil recebe

um papel cada vez mais estratégico, visto

que perde menos tempo com a parte

burocrática. E, com isso, pode se dedicar

a sugestões de redução de custos e ao uso

eficiente de recursos aos seus clientes, por

exemplo.

Atualização nas questões fiscais

Um dos grandes desafios dos escritórios de

contabilidade é lidar com mudanças frequentes

nas regras e nos parâmetros fiscais

e legais.Com a tecnologia assumindo essa

função – centralizando e automatizando

o controle das alterações -, o profissional

tem a tranquilidade de estar sempre agindo

de acordo com a lei.

Mais segurança

Um dos principais impactos da tecnologia

na contabilidade é a questão da segurança.

Desde a organização e o sigilo dos dados

confidenciais, todos os esforços são realizados

de forma automatizada.

Logo, a tecnologia deixa de ser vista somente

como uma facilitadora: ela se torna

uma protetora dos ativos da empresa.

Inclusive, alguns softwares informam

quando surgem anomalias dentro de uma

rotina, permitindo que sejam tomadas

providências rapidamente.

Confiança na tomada de decisões

Com a centralização segura de informações,

o setor de contabilidade pode ficar

mais à vontade para fazer escolhas que

melhorem as operações do negócio e as

finanças. Afinal, a tecnologia garante que

elas estejam adequadas e sempre em dia.

Aumento da produtividade

Devido aos impactos gerados pela tecnologia,

pode-se dizer que a contabilidade é

capaz de elevar o desempenho do negócio.

Afinal, perde-se menos tempo com papéis

e questões legais.

Além disso, algumas ferramentas fornecem

dados analíticos importantes, como

comparativos de evolução de tributos.

Desta forma, o profissional tem uma visão

mais ampla da empresa e pode propor

investimentos e melhorias no seu gerenciamento.

Clóvis da Rocha

Contador | CRC/RS 59.369

60 | contatovip.com.br


Há 28 anos no mercado

proporcionando tranquilidade

e segurança aos seus clientes.

Além dos seguros tradicionais conheça

nossos produtos e escolha a

modalidade que mais se adequa

a sua necessidade.

Seguro Rural:

Seguro

Responsabilidade Civil:

• Seguro agrÍcola

• Seguro pecuário

• Seguro de benfeitorias rurais

• Seguros de implementos agrícolas

• Profissional

• Diretores e administradores

• Geral

• Seguro bike • Seguro moto • Seguro fiança locatícia • Seguro risco de engenharia

@manicaseguros

Manica Corretora de Seguros

54 3330.2455 54 98132.1240

www.manicaseguros.com.br


62 | contatovip.com.br

More magazines by this user
Similar magazines