07.01.2023 Views

O-Manual-do-Digital_2e3ff1375f3e4dd7bc0fb420d9bc8102 (1)

You also want an ePaper? Increase the reach of your titles

YUMPU automatically turns print PDFs into web optimized ePapers that Google loves.


SUMÁRIO

O que é Marketing Digital

Pilares do Marketing Digital

Pontos Importantes do Marketing Digital

Copy

Tráfego

Tráfego Orgânico X Tráfego Pago

Mercado de afiliados

Dropshipping

Lançamentos

Private Label Rights [PLR]

FPIs: Funnels Paid Immediately

Como Aprofundar o Conhecimento


O que é marketing digital


O que é marketing digital?

Surgido na década de 1990, o Marketing Digital mudou a maneira como

as empresas utilizam a tecnologia na promoção de seus negócios. O

termo tem se tornado mais popular à medida que as pessoas passaram

a utilizar mais dispositivos digitais no processo de compra, seja para

pesquisarem sobre os produtos, seja para realizar as compras em si.

O Marketing Digital é um conjunto de informações e ações que podem

ser feitas em diversos meios digitais com o objetivo de promover

empresas e produtos.

Quando se fala de marketing digital, a maioria das pessoas já pensa na

venda de cursos, mas o marketing vai muito além disso, como já

exposto. A tradução da palavra remete ao termo mercado digital. Indo

além, o marketing digital é tudo aquilo que envolve o processo de

marketing com o objetivo de realizar vendas através da internet. O

marketing, na Internet, possibilita uma escala gigantesca, que acaba

sendo limitada nos meios tradicionais e físicos, como lojas e shoppings.

Você não precisa necessariamente vender um curso! Você pode vender

e-books [que são livros digitais], produtos físicos como encapsulados,

serviços e consultorias. As possibilidades são infinitas.

Hoje a internet possibilita que o consumidor tenha um papel mais ativo

nesse processo. Olhando para o resultado da pesquisa Digital 2022

publicada em parceria entre We Are Social e Hootsuite, podemos ver

que no mundo já tem quase 5 bilhões de pessoas que utilizam a

internet, um crescimento de 4% em comparação com o ano anterior,

enquanto que 4,62 bilhões possuem perfis ativos em redes sociais, que

representa um aumento de 10%.

Isso indica que o movimento focado no digital não para de avançar.

Nesse sentido, ficar de fora dessa tendência é praticamente ficar para

trás quando falamos da concorrência no mercado cada vez mais

competitivo.


Outro indicativo importante na pesquisa é o tempo que o seu público

passa online: são aproximadamente 7 horas por dia usando a internet.

Dado ao exposto é possível concluir que o número de usuários nas

redes sociais é imenso e você precisa utilizar isso ao seu favor. Faça

dinheiro!


Os Pilares do Marketing Digital


Pilares do marketing digital

Se você quer dominar e escalar suas vendas através da internet é

necessário que você domine três pilares do marketing digital, são eles:

● Copywriting - escrita persuasiva

● Tráfego - movimentar ou direcionar pessoas de um lugar para

outro

● Funil de Vendas - o funil é a estrutura onde o seu possível

cliente/comprador irá passar

Como todas essas áreas abrangem bastante coisa, é muito difícil que

você se torne um expert em todas elas. O ideal, então, é focar se tornar

muito bom em uma delas e contratar ou fazer parcerias com pessoas

que são muito boas nas outras duas.


Copy


Copy

O vendedor de pedras:

Vamos começar este capítulo falando sobre a história de Gary Dahl: Um

copywriter falido que fez múltiplos 7 dígitos vendendo pedras de

estimação. Isso mesmo, Múltiplos 7 dígitos [mais de um milhão de

dólares] com pedras. Após tomar algumas cervejas em sua cidade

natal no norte do Estado da Califórnia e conversar sobre animais de

estimação e o trabalho que alguns deles podem exigir de seus donos,

quando disse a amigos que tinha o animal de estimação perfeito:

pedras. Então, decidiu embalar algumas e colocá-las à venda.

As Pet Rocks, como eram chamadas, eram exatamente o que dizia na

embalagem: pedras comuns, ovais, importadas de uma praia do México

e colocadas em uma caixa de papelão com orifícios para respirar, sobre

um ninho de palha. O toque final foi incluir um manual sobre como

treinar e cuidar delas.

Isso incluía instruções como: "As Pet Rocks são fáceis de treinar. Elas

aprendem rapidamente a 'sentar', 'ficar no lugar' e 'se fingir de mortas'".

Ou: "Nunca leve sua Pet Rock para nadar. Elas são conhecidas por

serem maus nadadoras e vão afundar. Não há problema em dar-lhes

um banho de vez em quando em águas rasas".

Também informava aos donos das pedras de estimação que elas

"prosperam sem comida"; são "bastante preguiçosas" e "teimosas e não

vão até você quando são chamadas". Eles "gostam de sair de férias" e

"preferem viajar nos bolsos".

Os americanos realmente compraram a ideia. As pedras custavam US

$3,95 (equivalente a R$57 em valores atuais), e Dahl vendeu mais de 5

milhões delas em 1975. Ela havia se tornado multimilionário quando a

moda passou depois do Natal daquele ano.


O que é copy?

Copy nada mais é do que a abreviação de copywriting, que significa

escrita persuasiva. De modo geral, copy é tudo aquilo que a gente faz

com o intuito de persuadir alguém a tomar uma determinada ação. Seja

clicar em um anúncio, ir para página de vendas, ir para checkout ou até

mesmo comprar algo.

Copywriting, na maioria das vezes, está ligado diretamente à escrita,

porém, o copywriter que se preze e o copywriter que IRÁ se destacar

em sua carreira é aquele que irá transcender do papel e ver as

campanhas de marketing como um todo. “Como eu posso persuadir

essa pessoa a tomar determinada ação? O que eu escrevo? Quais

cores eu uso na minha página? Qual o formato que ela deve ter? Como

deve ser o meu produto?” Essas são apenas algumas das perguntas

que bons copywriter se fazem antes de realizar as suas campanhas.

A copy é utilizada em textos, imagens e vídeos. A copy é utilizada nos

textos para a criação de anúncios para obter uma maior taxa de cliques.

A copy nas imagens também é utilizada nos anúncios, ao utilizar uma

imagem que toca em determinada dor do cliente ou desperte uma

determinada emoção. Nos vídeos a copy é utilizada através dos efeitos

sonoros e estímulos que mexem com o estado emocional dos clientes.


O objetivo indireto de uma copy é despertar uma dor, emoção ou desejo

através de imagens, textos e vídeos, pois quando você toca nesses

pontos do clientes ele sai do seu estado consciente e vai para o estado

inconsciente, e, assim, ele age no impulso. É nesse momento que

ocorre a compra.

De modo geral, copy é um termo muito abrangente e possui diversos

subnichos. Porém, na base de tudo, um copywriter tem que provocar

uma ação em que está lendo os seus textos, independente de quão

banal essa ação for.

Você nunca deve parar de estudar esse assunto, pois é algo muito mais

importante do que o produto em si. É através da copy que o produto é

vendido, e não ao contrário. É como diz o ditado:

“Uma copy excelente vende um produto péssimo, agora, uma copy

péssima não vende um produto excelente.”

Ou seja, não adianta nada você ter um produto incrível que resolve

todas as dores do cliente, mas não consegue ofertá-lo da maneira

correta. Mais importante que o produto em si é a copy.

Listei três profissionais dessa área para você se inspirar:

Ícaro de Carvalho

Luis Poshaw

Felipe Miranda


Tráfego


Tráfego

O que é tráfego?

Em meio a tantos concorrentes, seu produto ou serviço precisa se

destacar e ser reconhecido para atrair o interesse das pessoas, gerar

tráfego para seu empreendimento e, com isso, alavancar suas vendas e

seu status no mercado.

Tráfego de modo geral significa movimento, movimentar algo do ponto A

para o ponto B. É como chamamos todo o alcance, visitas e

visualizações que você recebe em suas páginas, sites, redes sociais,

blogs e outros. É uma métrica baseada nos acessos que o seu

conteúdo recebe.

Quando você está assistindo um vídeo no youtube e aparece algum

anúncio patrocinado e você clica e vai para outro lugar você está

gerando tráfego. Ou seja, você está saindo de uma região da internet e

indo para outra região da internet.

Tipos de tráfego

O tráfego pode ser dividido em duas partes. O Tráfego orgânico, que

como o próprio nome já diz pode ser feito de maneira gratuita através de

posts nas redes sociais (TikTok, Instagram, Twitter, Facebook, Youtube,

etc) através de publicações, stories, reels, tweets, vídeos, o que for. Já

no Tráfego pago, como o próprio nome sugere, tem alguém pagando

para as plataformas de redes sociais para que aquele anúncio apareça

para determinado número de pessoas. Esse gerenciamento de anúncios

pode ser feito através do Facebook ADS, Google ADS, Tik Tok ADS,

Taboola, Pinterest (sim, no Pinterest também é possível fazer isso),

entre outros.

Tráfego Orgânico

O tráfego orgânico traz audiência de forma não paga para o seu

site/blog/página de vendas, ou seja, de modo espontâneo. As pessoas

que compõem o público orgânico são aquelas que chegaram até suas


páginas por meio de pesquisa nos motores de busca, usando

palavras-chave relacionadas aos seus conteúdos, produtos ou serviços.

O tráfego orgânico com certeza é muito importante. Quanto maior for a

sua constância produzindo conteúdo, maiores são as chances de atingir

seus objetivos sem precisar desembolsar um alto valor em anúncios.

Além disso, um grande volume de acessos naturais geram autoridade

para a sua página.

As vantagens de se trabalhar com o tráfego orgânico são muitas. O

custo-benefício é muito bom, pois ajuda a reduzir custos de marketing e

a aumentar sua margem de lucro. Além disso, quanto mais visitantes

você conseguir atrair para o seu site, menos irá gastar!

Com o tráfego orgânico, é possível aumentar a relevância e

credibilidade.

Entretanto, o processo orgânico é mais demorado, pois você precisa ter

uma conta com um alto número de seguidores para gerar vendas. Você

também fica dependendo do algoritmo das plataformas, o que é algo

muito ruim. Não é possível escalar, pois você sempre venderá para os

mesmos seguidores. Além do mais, não é possível automatizar as

vendas, pois você sempre terá que gerar conteúdo para conseguir

vender. O que você pode fazer para contornar isso seria contratar

alguém para produzir o conteúdo para você, mas isso só quando você já

estivesse fazendo dinheiro com a sua estrutura.

Benefícios do tráfego orgânico

1.Custo-benefício

Em primeiro lugar, o tráfego orgânico contribui com a redução de custos

da sua estratégia de marketing, se comparado ao uso de anúncios.

Por consequência, a margem de lucro sobre as vendas é maior. Com

isso, dá para dizer que a relação custo-benefício do tráfego orgânico é

imbatível.

2. Escalabilidade


Anúncios não são escaláveis. A partir do momento em que você parar

de gastar com eles, seu tráfego vai diminuir.

Além disso, o custo para atrair um grande número de visitantes

qualificados pode ser inviável. Com o tráfego orgânico, acontece o

contrário: quanto mais visitas, menor seu custo.

3. Relevância

O Google mostra quando um resultado é anúncio pago. Assim, os

usuários já sabem que a página em questão está tentando vender algo

para eles, o que diminui a confiança nas informações apresentadas.

O resultado orgânico, por sua vez, é tido como genuíno e ganha uma

credibilidade maior logo de início.

4. Duração

A duração dos resultados de uma estratégia orgânica não tem prazo de

validade.

Um único blog pode gerar milhões em vendas durante um período

longo, algo que beira o impossível se for comparado com o custo de

manter uma campanha de tráfego pago rodando continuamente.

5. Construção de relacionamento

O tráfego pago tem seu valor, mas é mais indicado para quem deseja

fazer uma venda imediata. Para construir relacionamentos próximos e

acompanhar os clientes durante toda a jornada de compra, o tráfego

orgânico é a melhor escolha.

É só considerar o que falei sobre o custo, a confiança dos usuários e a

possibilidade de escalar os esforços.

Tráfego pago

No pago é tudo ao contrário! As vendas são quase que imediatas em

relação ao orgânico. Você não depende do algoritmo. É escalável, pois

você consegue alcançar um número extraordinário de pessoas e

também é possível automatizar as vendas.


Tráfego pago ou compra de tráfego, significa que é uma estratégia que

envolve investir dinheiro para aumentar o tráfego.

Portanto, é uma opção mais rápida de crescer na internet.

Mas é importante lembrar que somente pagar por links patrocinados não

é uma resolução mágica, os usuários querem encontrar na sua página

soluções para as principais dúvidas deles.

Só assim eles ficarão ali por tempo suficiente, que é o necessário para

que os algoritmos percebam a relevância daquele conteúdo e exibam

seus anúncios pagos.

Portanto, resumindo, tráfego pago significa investir dinheiro em

plataformas e sites de anúncios pagos no intuito de atrair usuários para

uma determinada página, perfil ou oferta.

Com isso, é possível divulgar seu negócio em diversos locais e, assim,

atingir públicos diferentes.

Benefícios do tráfego pago

1. Divulgar ações específicas

Muitos empreendedores se queixam que não é viável manter uma verba

exclusiva para o tráfego pago. Caso não seja possível utilizar uma verba

fixa, essa modalidade pode ser utilizada para ações específicas.

Por exemplo:

Quando houver o lançamento de um novo produto, um material

exclusivo que acabou de chegar no site, uma promoção ou algo

esporádico que terá tempo certo para começar e acabar, você pode

usar a estratégia de compra de tráfego.

2. Conseguir visibilidade mais rápido

O tráfego orgânico funciona e ajuda a manter o nome da marca nos

topos da busca, mas o grande problema é que isso pode demorar

meses para acontecer.


Dessa forma, ao investir em anúncios pagos, você estará aumentando a

visibilidade do seu negócio e melhorando o reconhecimento de marca

de maneira mais rápida.

Assim, depois dessas ações, é possível trabalhar o público que já foi

impactado inicialmente com essas campanhas e transformá-las em

compradores.

3. Ampliar a taxa de conversão

Utilizar links pagos pode ser eficiente para impactar leads que estejam

na última fase do funil de vendas.

Quando um usuário realiza uma pesquisa específica na internet, isso

significa que ele já sabe qual é o seu problema, já considerou

alternativas e está em busca de uma solução.

Escolhendo termos e palavras-chave certas é possível ampliar as

conversões, entregando conteúdo e solução para o usuário no momento

da busca.

4. Melhorar a reputação perante o Google

Como expliquei brevemente, o Google utiliza um algoritmo que ranqueia

as melhores páginas da web segundo termos específicos.

Um dos fatores que é levado em conta nesse ranqueamento é o tempo

que o usuário passa dentro do site depois de realizar uma busca.

Esse tempo comprova à plataforma que aquela busca foi útil ou não e,

caso tenha sido eficiente, o Google entende que aquela página é

confiável e melhora a reputação do site perante os demais.

Como funciona o tráfego pago?

Assim como qualquer outra estratégia de marketing digital, o tráfego

pago exige bastante planejamento, acompanhamento, testes e análises.

Para fazer um bom planejamento deste tipo de tráfego, você terá que

escolher inicialmente o seu objetivo. Algumas opções são:

divulgar sua marca e ganhar visibilidade;


conseguir mais seguidores;

levar mais visitas para seu site;

gerar leads;

vender uma oferta.

Além do objetivo, para um bom planejamento, é importante conhecer

bem seu público e sua persona. Isso porque quanto melhor

segmentadas as campanhas de tráfego pago, melhores os resultados.

Depois você precisa definir o formato da oferta: texto, imagem, vídeo…

E também qual será sua chamada para ação, ou seja, o CTA (call to

action, termo em inglês)

Essa escolha, na verdade, é feita baseando-se também na escolha dos

canais ou plataformas que você vai anunciar. Falarei sobre isso mais

adiante.

E, por fim, você terá que escolher o orçamento para o anúncio e de qual

forma ele será cobrado. A cobrança pode ser por clique, CPC (custo por

clique), ou por impressões, CPM (custo por mil impressões). Veja a

seguir!

CPC

CPC é custo por clique. Neste formato de lance, você paga a cada vez

que seu anúncio for clicado ou pode definir um teto máximo de

orçamento e deixar sua campanha rodando. Assim, ela vai acumular o

máximo de cliques que o valor definido permitir.

O CPC é a estratégia ideal para quem quer gerar conversões, ou seja,

visitas na página, venda de produtos, leads, etc.

Justamente porque você só paga se quem visualizar seu anúncio, de

fato, clicar nele. Diferente do CPM.

CPM

CPM é o custo por mil impressões. Ou seja, você vai pagar por cada

vez que mil pessoas visualizaram seu anúncio.


Neste formato, quem der o maior lance acaba sendo o que tem melhor

alcance e ranqueamento. Portanto, se você quiser mais resultados, terá

que investir mais dinheiro. E também, claro, criar um anúncio relevante

e de valor.

O dinheiro não é o único critério que define o alcance e rank da

campanha, mas é um dos mais importantes.

Sendo assim, o CPM é recomendado para quem tem o objetivo de gerar

reconhecimento de marca e ganhar visibilidade online.

Ferramentas para o tráfego pago

1. Google Ads

O Google ADS é uma das plataformas mais utilizadas para gerar

tráfego, pois os anúncios aparecem no topo ou na lateral do buscador

do Google ou de sites parceiros dele.

Uma das vantagens dessa opção é que você pode optar em pagar

apenas quando o usuário clicar no seu anúncio.

Além disso, a plataforma permite que sejam feitos testes A/B com

variações de chamadas, palavras-chave, textos e calls to action. Dessa

forma, fica mais fácil e claro identificar o que funciona ou não.

Os anúncios entram em competição para aparecer no topo da busca e o

escolhido é dado pelo valor do lance, pela relevância do site e pela

qualidade e pontuação do anúncio na própria plataforma do Google.

A plataforma também oferece um display com as principais métricas

necessárias para avaliações e os anúncios podem ser segmentados por

gênero, dispositivo de acesso, local, entre dezenas de outras opções de

segmentação de público.

2. Facebook Ads

O Facebook ADS permite que você crie anúncios com fotos, textos e

vídeos que serão exibidos dentro do Facebook e que levarão o usuário

a visitar o site do seu negócio.


Essa plataforma pode ser utilizada em conjunto com o Google Ads, já

que acaba captando um público diferente.

Ela permite, ainda, uma alta segmentação em que é possível definir a

exibição dos anúncios baseados em interesses, gênero, idade, status de

relacionamento e profissão.

3. Instagram Ads

Com o Instagram Ads, você pode exibir anúncios em vídeo, foto única

ou carrossel de fotos, incluindo texto. Mas também pode anunciar nos

Stories e no Instagram Shopping.

A ferramenta é conectada com o Facebook, já que eles são do mesmo

grupo. Isso é ótimo porque você pode criar estratégias conjuntas para

os dois canais.

Por ser uma das redes sociais mais usadas no Brasil, anunciar no

Instagram é uma vantagem e tanto para muitos empreendedores.

Você vai contar com ferramentas incríveis de segmentação e análise,

além de recursos e formatos diversos para atrair sua audiência!

4. YouTube Ads

Se o seu negócio também produz conteúdo em vídeos, o Youtube ADS

pode ser uma excelente ferramenta de anúncios.

Atualmente, os usuários estão mudando o hábito de consumo de dados

e grande parte dos acessos online vêm de vídeos.

Além disso, produzir conteúdo em vídeo é uma isca para atrair usuários

até o site para então vender conteúdos e cursos online, por exemplo.

5. LinkedIn Ads

O LinkedIn é uma plataforma utilizada para conexões profissionais e

geração de contatos entre empresas B2B (business to business, ou

negócios para negócios, em português). Contudo, se o seu público

estiver no LinkedIn, nada impede que você faça anúncios por lá.


É importante ressaltar que os preços de cliques nessa plataforma

costumam ser bem mais caros do que outras opções. Mas, se o seu

público for altamente segmentado e converter com essa ação, não há

problema nenhum em investir nela.

6. Taboola

Outra opção é o Taboola, que traz tráfego de usuários dos principais

portais de notícias do Brasil, que podem chegar a 6 milhões de

pageviews por dia.

A plataforma permite que você crie campanhas que serão exibidas em

grandes portais da internet, como sugestões de conteúdos.

Se o usuário acessa o site do Estadão, por exemplo, para ler uma

notícia sobre as mudanças da previdência e você é um advogado

trabalhista, é possível sugerir um conteúdo relativo logo após a notícia

para que o usuário seja levado até a sua página.

Listei três profissionais desse segmento para você acompanhar:

Lucas Viana [@paidotráfego]

Lucas Renault [@oreidotráfego]

Pedro Sobral [@pedrosobral]


Funil de Vendas


Funil de Vendas

O que é funil de vendas?

Exemplo de um funil de vendas para sites de assinatura.

A galera costuma ver esse assunto como algo complicado, mas é muito

simples e é algo que alavanca em muito o seu faturamento. É algo

simples e existem vários tipos de funis.

O funil de vendas pode ser definido como todo o caminho que o cliente

faz até chegar ao objetivo final que é a venda.

E é através do funil de vendas que ocorre o aumento do faturamento,

pois o cliente pode ir comprando vários produtos da esteira.

Estágios do funil de vendas no marketing digital

O modelo abaixo resume os ciclos do funil de vendas de marketing

digital com exemplos de ações adequadas. Os estágios são:

● Visitante/Assinante;

● Lead;

● Lead qualificado de marketing;

● Lead qualificado de vendas;


● Oportunidade;

● Cliente;

● Cliente fidelizado.

Essa divisão do funil ajuda a planejar as ações e os conteúdos que

serão produzidos para cada etapa. O planejamento também contribui

para a criação de um relacionamento mais próximo com a marca.

Outra vantagem do funil de vendas de marketing digital é a eliminação

das chamadas frias, as cold calls, e de campanhas de e-mail marketing

enviadas para usuários que não desejam recebê-las.

1. Visitante/Assinante

O objetivo do topo do funil de vendas de marketing digital é atrair o

máximo de pessoas possível que estão interessadas na solução que

seu negócio oferece.


É chamado também de estágio de conscientização, pois não existe

oferta direta de venda e sim a oferta de uma série de conteúdos que

podem ser úteis para o prospect.

Por exemplo, uma empresa de eletrodomésticos, pode oferecer um

calculadora de polegadas que sugere o tamanho da TV de acordo com

o espaço da parede.

A produção e oferta de conteúdo relevante é o coração do inbound

marketing. Outros formatos de materiais são: e-books, infográficos, blog

posts, webinars, vídeos, etc.

Algumas dicas para aumentar o alcance do conteúdo nesse estágio do

funil de marketing são:

● Otimizar os conteúdos com as palavras-chave com maior volume

de pesquisa para que eles tenham mais chances de serem

encontrados — para fazer isso, você pode usar o Ubersuggest;

● Compartilhar os conteúdos de topo nas redes sociais para que

também sejam encontradas nas pesquisas internas;

● Produzir conteúdos inéditos e exclusivos para fortalecer o

posicionamento da marca como produtora de conteúdo.

Se o visitante gostar dos seus materiais, ele pode assinar a newsletter

do site para receber mais conteúdo. Esse interesse é o gatilho que você

precisa para impulsioná-lo adiante na jornada de cliente.

2. Lead e lead qualificado de marketing


Um dos maiores desafios do funil de vendas de marketing digital é

mover os contatos para os próximos estágios do funil. Seu conteúdo

gratuito foi útil, mas será que seu assinante quer saber mais sobre sua

marca?

Nesse estágio, você continua o fluxo de nutrição, fornecendo mais

conteúdos para embasar a decisão de compra futura.

Seguindo nosso exemplo da TV, você já ajudou a descobrir o tamanho

ideal, mas e o valor que a pessoa está disposta a pagar? Quais

funcionalidades são essenciais para ela?

Sua equipe de marketing de conteúdo pode montar um infográfico que

compara preços e um vídeo que explica as funcionalidades dos

principais modelos de TV.

O acesso aos conteúdos podem ser divulgados via landing page com

um mini formulário que pede nome e o orçamento que o assinante está

disposto a pagar na televisão nova.

Dessa forma, você segmenta melhor o interesse da sua base de

contatos e os que informam esses dados podem ser considerados

leads.

Mas antes de eles seguirem para a equipe de vendas, devem passar

pela qualificação do marketing. Os leads estão dispostos a investir um

orçamento razoável? Essa informação vai fazer a diferença para eles

seguirem se aprofundando no funil de marketing.


O lead está disposto a investir para ter a TV ideal em casa? Então é a

hora de mencionar sua marca para seu lead qualificado de marketing.

Neste estágio, o foco é na qualidade e na adequação do lead e não na

quantidade.

Lead qualificado de vendas

Esta é a fase do funil de vendas de marketing digital onde o lead está se

preparando para tomar sua decisão final de compra.

Nesse estágio, o lead já conhece a solução e pode receber reforços de

conteúdos para consolidar sua escolha. Valorize as qualidades da sua

empresa ou produto, forneça gráficos comparativos de preços, etc.

Quando um prospect lê conteúdos como “O que é e como trabalhar com

uma empresa de automação de marketing”, pode ser considerado um

lead qualificado de vendas.

Os leads de venda podem ser contactados diretamente pela equipe de

vendas da empresa para conhecer mais sobre as soluções disponíveis

para o seu perfil.

O representante comercial pode acompanhar a evolução das

oportunidades de venda para fazer o fechamento da compra.

Após a primeira compra, o trabalho não termina. O cliente pode se

tornar um cliente fidelizado para que se transforme em um defensor da

marca e divulgue seu negócio para amigos e nas redes sociais.


Para alcançar esse objetivo, o cliente pode receber ofertas especiais e

convites diretos para deixar sua avaliação no site.

Listei pessoas excelentes nessa área para você seguir:

Marcos Vanbasthen [@vanbasthen.ig]

Russel Brunson [@russellbrunson]

Thiago Finch [@thiagofinch]

Mateus Rucci [@mateusrucci]

Mateus Diaz [@ddiasmatt]


Pontos importante do marketing digital


Pontos importantes do marketing digital

O marketing digital passou por vários pontos importantes no Brasil e é

necessário mostrar esses pontos para saber em qual momento o

mercado brasileiro se encontra.

2016 - Afiliados

2019 – Dropshipping

2020 – Lançamentos

2021 - Private Label Rights [PLR]

2022 - Perpétuos e recorrência

2024 a 2026 – FPIs: Funnels Paid Immediately

Nos próximos capítulos irei abordar cada etapa.


Afiliados


Afiliados

O que é o mercado de afiliados?

Podemos definir o que é marketing de afiliados como uma modalidade

em que pessoas promovem produtos que não são de sua autoria em

troca de uma comissão por cada venda que elas conseguirem realizar a

partir de sua divulgação. Eles são, basicamente, vendedores online que

ganham comissões por venda realizada.

Esse formato de publicidade funciona muito bem no ambiente online e é

uma forma de ampliar o alcance do produto, o que se reflete em

aumento das vendas.

É um ótimo meio para iniciar no digital, pois o produtor, ou seja aquele

que fez o produto oferece várias táticas de vendas para você somente

replicar.

Cabe salientar que o marketing de afiliados segue o princípio do “ganha

ganha", exemplificado no livro “Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente

Eficazes”.

Plataformas para afiliados

Monetizze

A Monetizze é atualmente uma das maiores plataformas de programa

de afiliados do Brasil. A plataforma é voltada basicamente com

marketing de afiliados para infoprodutos, principalmente cursos de

e-books e até produtos físicos como encapsulados.

Para quem está iniciando é uma das melhores opções, pois oferece

uma boa gama de produtos, o que facilita a contextualização da venda

através do canal de divulgação que você dispõe.

A plataforma paga as comissões de seus afiliados por venda, ou seja,

vendas efetivamente concretizadas.

A janela de atribuição é bastante generosa, e por isso a Monetizze está

entre os melhores programas de afiliados no momento.


Udemy

A Udemy é uma plataforma de afiliados voltada para cursos online, com

uma grande experiência internacional nesta área. Está certamente entre

os melhores programas de afiliados para quem deseja trabalhar com

cursos online.

A plataforma oferece treinamentos nas mais variadas áreas, o que é

interessante para quem possui um site ou blog na área de capacitação

profissional, pois esta variedade de cursos facilita a contextualização

dos anúncios e links de afiliados.

A interface de acompanhamento de desempenho dos anúncios e

vendas realizadas é bastante completa, o que facilita bastante o

gerenciamento das comissões.

Hotmart

A Hotmart é a mais antiga plataforma de afiliados especializada em

infoprodutos no Brasil. Assim como a anterior, conta com um número

grande de opções de anunciantes de cursos, e-books e outros produtos

digitais.

A interface de administração de anúncios, acompanhamento de

comissões e outros dados gerenciais é muito boa, fruto da experiência

acumulada pela Hotmart ao longo de todos estes anos de mercado.

A forma de comissionamento é o bom e velho CPA como nas outras

plataformas deste tipo. Dependendo da sua área de atuação como

afiliado, é uma das opções a serem consideradas.

Eduzz

A Eduzz é outra plataforma de afiliados que tem como foco a venda de

produtos digitais como a Monetizze e Hotmart. Ela disponibiliza cursos,

aplicativos, e-books e também alguns produtos físicos.

Esta é uma plataforma relativamente recente, mas que fiz questão de

colocar em nossa lista dos melhores programas de afiliados para ganhar


dinheiro, pelo fato dela vir se destacando pelas comissões mais

generosas.

Por ser mais nova no mercado, não conta com uma gama de produtos

de afiliados tão extensa como os outros dois exemplos anteriores, mas

de qualquer forma, vale a pena dar uma olhada, pois existe muita coisa

boa por lá.

Ticto

A Ticto é uma plataforma para produtores e afiliados de infoprodutos.

Um dos seus benefícios é que clientes que apresentam alta

performance em vendas recebem vantagens, como a possibilidade de

acessar um programa de apoio para ajudar seu negócio a crescer.

A plataforma oferece isso porque ela tem como foco os negócios digitais

que apresentam alto desempenho. Seu estilo é muito parecido com

outras plataformas do mercado, pois serve para:

● Promover produtos digitais;

● Produtores lançarem seus infoprodutos;

● Afiliados venderem os produtos digitais de terceiros.

Antes da plataforma ser toda atualizada, para ser um afiliado na Ticto

era preciso ser convidado por um produtor,mas com a atualização

qualquer pessoa pode se afiliar aos produtos da vitrine.

Amazon

A Amazon é a pioneira no setor de marketing de afiliados. Na verdade,

ela foi a inventora do uso dos programas de afiliados como ferramenta

de marketing digital. No mercado de afiliados de produtos físicos, é sem

dúvida alguma, uma das melhores opções.

O sistema de afiliados da Amazon permite a você montar uma loja

virtual completa com programas de afiliados, o que para quem deseja


ganhar dinheiro na Internet a partir de um modelo de e-commerce, é

simplesmente sensacional.

Considero um dos melhores programas de afiliados para quem deseja

trabalhar com produtos físicos. Como a Amazon oferece diversos tipos

de produtos, é possível trabalhar em nichos de mercado específicos.

Awin

A Awin é outra plataforma que julguei ser ideal para quem quer ganhar

dinheiro online com programas de afiliados de produtos físicos. O

destaque fica por conta do grande número de lojas muito conhecidas

dos brasileiros que estão neste programa.

Para quem tem um blog de moda ou deseja montar uma loja virtual

nesta área, por exemplo, é uma plataforma bastante variada, que abriga

marcas como Farm, Animale, Posthaus, Amaro, Azaleia e outras

grandes marcas na área do vestuário.

A gama de produtos é bastante variada, com opções nos mais variados

setores, e por isso mesmo, coloquei entre os melhores programas de

afiliados para ganhar dinheiro com produtos físicos.

Lomadee

A Lomadee é um programa bastante parecido com a Awin, citada

anteriormente. É uma plataforma especializada em produtos físicos e

serviços que conta também com diversas redes varejistas, lojas de

marca e outros anunciantes.

O motivo para colocar a Lomadee em nossa lista dos melhores

programas de afiliados é que ele funciona como complementação para

Amazon e Awin, o que é ótimo para quem quer montar uma loja virtual

com programas de afiliados e até mesmo para blogs especializados.

A plataforma oferece um bom sistema de gerenciamento de anúncios e

comissão, e é extremamente exigente em relação aos sites que aceita

como afiliados, por isso, capriche em seu site para ser aprovado.

Adsense


Outro que jamais poderia faltar em nossa lista dos melhores programas

de afiliados para você ganhar dinheiro de verdade com seu blog, site ou

loja virtual é o Google AdSense, o programa de afiliados de anúncios do

Google.

Este é também um dos mais antigos e conhecidos programas de

marketing de afiliados disponíveis no mercado, é considerado

ferramenta básica para qualquer um que deseja montar um negócio

baseado no programa de afiliados.

Diferentemente de outros programas, o AdSense não paga comissões

por vendas, mas sim por clique nos anúncios, o que facilita a

monetização de um blog, principalmente para quem está iniciando.

Pra quem está começando ,qual a melhor plataforma pra começar a

trabalhar??

A melhor plataforma é aquela que oferece à você os melhores

infoprodutos em seu nicho de mercado. O importante é que você tenha

um conteúdo de boa qualidade que você possa transformar em uma

verdadeira carta de vendas, dentro de uma estrutura de copy adequada

para o seu nicho.

Quais os melhores nichos para se afiliar?

Alimentação

Saúde

Marketing Digital

Renda extra

Carreiras e negócios

Mercado Pet

Finanças pessoais

Relacionamentos

Estética


Esportes

Viagem

Maternidade

Qual nicho do mercado atuar?

Tudo depende do que você gosta e conhece. O ideal é verificar esses

aspectos para definir o que fazer.

Como divulgar link de afiliado?

Coloque o Link em Posts no seu Blog

Promova o Link nas suas Redes Sociais

Utilize uma Estratégia de Email Marketing

Divulgue o Link no seu Canal do YouTube.

Divulgue o Link Através de Tráfego Pago (PPC)

Inclua o Link em Guest Posts.

Listei alguns profissionais dessa área para você acompanhar:

Matheus Borges [@matheus.borges]

Pedro Guimarães [@opedroguimarães]

Ana Luiza [@analuizacortes]


Dropshipping


Dropshipping

O que é Drop??

O dropshipping é um modelo de negócios no qual você usa um parceiro

terceirizado para guardar seu estoque e enviar os pedidos. Enquanto

esse parceiro fica responsável pelo lado logístico, os proprietários de

lojas de dropshipping podem concentrar seus esforços no branding, no

marketing e na gestão dos clientes.

Cabe ressaltar que a margem de lucro deste modelo de negócio não é

tão lucrativa quanto outras áreas do digital, pois você terá o custo da

mercadoria, da plataforma e de todo o marketing para a venda do

produto. Mesmo assim é uma ótima maneira de iniciar no mercado

Plataformas

1. Shopify

Essa é uma das ferramentas mais conhecidas quando falamos das

melhores plataformas para dropshipping. Contudo, ainda existem muitas

dúvidas sobre como funciona a Shopify.

Além de oferecer uma plataforma segura aos lojistas e compradores,

uma das razões para o seu destaque é a sua loja de aplicativos. Ela


oferece centenas de apps que facilitam os processos da empresa, como

pagamento e integração com fornecedores.

Opções como os aplicativos Oberlo e Dsers permitem que você conecte

facilmente a sua loja no Aliexpress, facilitando:

A busca por produtos;

A importação das mercadorias;

O acionamento automático ou manual do fornecedor quando uma

compra é realizada, permitindo o início do processo de envio do item ao

cliente final, e mais.

Além de simplificar todas as etapas das vendas por dropshipping, a

plataforma ainda disponibiliza aplicativos para:

Chat;

WhatsApp;

Recuperação de carrinhos abandonados;

Pop-up de retenção;

Automação de e-mail marketing;

Reviews e avaliações de clientes, e mais.

Acha pouco?

Pois saiba que a plataforma também permite que você monte sua loja

virtual do zero, sem precisar de ajuda de um designer ou programador.

O sistema é todo no modo “arrastar e soltar” para que você possa

personalizar as páginas, cadastrar produtos e criar poderosas

descrições.

O plano básico custa US$29 por mês, mais as taxas por venda (a partir

de 2,7%). Além dele, existem mais duas opções de contratação: os

pacotes Shopify e Advanced.


No primeiro, o custo é de US$79 por mês, com taxas a partir de 2,5%

por venda. Já o segundo tem um valor de US$299 mensais com

comissões de 2,4%.

Como você verá a seguir, é uma das opções mais caras para a criação

da sua loja, mas também uma das mais completas, simples de usar e

com bom suporte (24 horas por dia, nos sete dias da semana).

2. Nuvemshop

A Nuvem Shop está na lista das melhores plataformas para

dropshipping nacionais. É uma ferramenta brasileira que permite a

criação do seu e-commerce e a adoção do dropshipping para a venda

sem estoque.

Enquanto a Shopify possui o Oberlo e DSers, a NuvemShop oferece

aos seus lojistas os aplicativos Droppi e Nimble. Eles permitem

adicionar produtos diretamente do Aliexpress à sua loja, importando

informações como:

Descrição do produto;

Fotos;

Preço;

Frete.

Tudo é editável e pode ser personalizado de acordo com a sua

necessidade.

Um ponto interessante da Nuvem Shop é o oferecimento de um sistema

de pagamento próprio, o Nuvem Pago.

Ao optar por ele, você não precisa pagar taxas de comissão sobre as

vendas, apenas o valor da mensalidade. Isso pode ser especialmente

valioso para quem tem um alto volume de transações.

O ponto contra é que o benefício não se estende a outras opções de

gateways de pagamento, como MercadoPago ou PagSeguro.


Usando a Nuvem Shop, é possível criar uma loja de dropshipping grátis,

com o plano mais básico, mas ele possui algumas limitações. Ou seja: é

ideal para quem quer começar.

Mas, se você já vende e quer se profissionalizar, a plataforma

recomenda o plano Essencial, com custo de R$49 mensais.

3. Woocommerce

Woocommerce é um plug-in do WordPress para criação de

e-commerces. Para desenvolver sua loja é necessário instalar a solução

e depois integrar o aplicativo para gestão de dropshipping.

A ferramenta oferece integração com Aliexpress e com o programa de

afiliados da Amazon, facilitando a sua comunicação com essas duas

importantes plataformas para negócios virtuais.

É possível ainda usar uma extensão do Google Chrome para:

Importar produtos do Aliexpress (o mesmo é oferecido pelo Oberlo e

Dsers);

Ter acesso a fornecedores locais; e

Fornecer número de rastreio de mercadoria para o cliente.

O Woocommerce é gratuito, mas o valor para ter o plug-in de

dropshipping é de US$79 anuais.

Vale destacar que essa opção oferece um pouco mais de trabalho para

quem está começando a criar uma loja. Por isso, é ideal para negócios

que contam com profissionais que entendam, pelo menos, o básico, de

programação e design.

4. Wix

Na Wix, o dropshipping funciona a partir da integração da plataforma

com um dos aplicativos especializados oferecidos, entre eles:

Modalyst;

Spocket;


Printful;

Printify;

365Dropship.

Todas essas opções conectam fornecedores de produtos com

proprietários de lojas, facilitando a importação de mercadorias e

automatizando o aviso de venda para que o fornecedor possa separar e

enviar o produto ao comprador.

Para aceitar pagamentos online, os planos começam com valores de

R$29 mensais.

5. Yampi

O Yampi é mais uma opção para criar uma loja de dropshipping grátis.

A plataforma disponibiliza temas prontos e personalizáveis e você pode

conectar a solução de dropshipping à canais como Aliexpress, Nimble,

Wiio.

Esses recursos permitem encontrar fornecedores e migrar produtos

para a sua loja, com poucos cliques. A cada venda, os pedidos são

enviados automaticamente para o fornecedor internacional e é possível

integrar o rastreio da mercadoria para notificar o comprador a cada

atualização.

A plataforma também disponibiliza um recurso de checkout

transparente, que é facilmente integrado a outros sistemas de comércio

virtual como Shopify e Woocommerce.

O checkout transparente é importante porque é o recurso que permite a

finalização de uma compra dentro do próprio e-commerce, sem

direcionar o comprador para outra página. Esse tipo de solução,

geralmente, aumenta a sensação de segurança do cliente e pode

reduzir o abandono de carrinhos.

Vale destacar que o plano gratuito cobra uma comissão por venda de

2,5%, mas, você só paga se vender.


Existem outras opções de pacotes em que a taxa é reduzida, mas há

um valor mensal fixo cobrado. São ideais para empresas que possuem

um significativo volume de transações.

6. Dropshipping em Marketplaces

Uma alternativa à criação de lojas para dropshipping é a venda por

marketplaces, como o Mercado Livre e a Amazon.

É possível fazer esse tipo de venda, mas cada canal oferece seu próprio

conjunto de regras e particularidades. Por isso, é importante acessar

cada um e entender como funciona.

Como escolher a melhor plataforma ?

Agora que você já tem em mãos a lista com as melhores plataformas

para dropshipping e conhece um pouco sobre cada uma, é hora de

escolher a que se adeque melhor às suas necessidades.

Além de preço, fique atento também a questões como:

● Taxas de comissão por venda;

● Facilidade para receber suporte;

● Diversificação de planos;

● Sistemas disponíveis para integração com os fornecedores que

você irá usar;

● Dificuldade para a criação da loja;

● Opções de processamento de pagamento;

● Aplicativos oferecidos para outras áreas importantes do negócio,

como marketing, emissão de nota fiscal, frete e mais.

Outro ponto vital para a sua escolha deve ser a possibilidade de

integração que essas plataformas oferecem e que vão tornar a sua

gestão muito mais eficiente.

7 passos para iniciar no Dropshipping

Pense em um nome para sua loja.


Faça uma análise de Mercado.

Encontre um Fornecedor.

Prepare as Finanças.

Crie uma Loja Online.

Decida os detalhes.

Faça o Marketing de sua Loja.

Tipos de loja no dropshipping

Genérica: É basicamente uma loja que vende todos os tipos de

produtos, um grande exemplo de loja genérica é a Amazon.

Vantagens de ter uma loja genérica:

1- Maior diversidade de produtos;

2- Adaptação a tendências.

Nichada: Na loja nichada você trabalhará apenas com um tipo de

produto, como roupas, eletrônicos, acessórios para celular e etc. Um

bom exemplo de loja nichada é a Vivara.

Vantagens de ter uma loja nichada:

1- Você cria maior conexão com o cliente;

2- Mais fácil de construir um branding .

10 melhores nichos para dropshipping

Vestuário feminino e acessórios

Joias e semijoias

Casa e Jardim

Beleza e saúde


Vestuário masculino e acessórios

Mamãe e bebe

Relógios

Esportes e entretenimento

Celulares e smartphones

Brinquedos e Hobbies

Como escolher um produto para vender

1- Resolve alguma dor ou problema do cliente, como:

1) Facilita a vida da pessoa;

2) Economia de dinheiro;

3) Mexe com alguma emoção;

4) Resolve alguma dor física.

2- Fator UAU - Algo inesperado e surpreendente, porém muito

interessante.

3- Valor agregado - Relação de custo X benefício do produto.

4- Difícil de ser encontrado

Alguns dos produtos que vendem muito!

Acessórios

O segmento de acessórios é gigantesco e engloba tanto a moda

masculina, quanto a feminina. Além disso, os produtos dentro deste

mercado podem variar desde os itens mais artesanais, até aqueles

produzidos em massa.

Em uma breve análise no Google Trends, podemos observar que a

demanda pelos produtos ficou estável – e até mesmo aumentou – nos


últimos 5 anos. Isso prova que produtos desta categoria tem grande

aceitação e procura por parte do público, sendo uma ótima opção para

se vender por meio do dropshipping.

Dentro do mercado de acessórios, é possível elencarmos os seguintes

produtos:

· Brincos;

· Colares;

· Anéis;

· Pulseiras;

· Tornozeleiras;

· Correntes;

· Chapéus e toucas;

· E mais!

Artigos de tecnologia

O segmento de tecnologia é um que se sai muito bem nas vendas no

Ecommerce. Esse também é um nicho bastante amplo e, quando bem

explorado, pode ser fruto de muitos lucros.

Tenham escassez no mercado, ou que tenham um custo de aquisição

mais baixo. Isso vai te ajudar a fazer mais vendas.

Nessa categoria, fornecedores de dropshipping como o Aliexpress e o

Gearbest são muito bons. E você pode explorar itens, como:

· Dispositivos vestíveis;

· Fones de ouvido;


· Relógios;

· Utilidades domésticos;

· Caixas de som;

· Teclados, mouse e suporte para notebook;

· Acessórios para celulares;

· Microfones e câmeras.

Utensílios funcionais para a casa

O mercado para utensílios domésticos é um pouco mais nichado, mas

ainda assim é cheio de possibilidades. Economizar tempo com tarefas

domésticas é uma dor de muitas pessoas e, por isso, produtos dessa

categoria têm muita procura.

Somado a tudo isso, este ainda é um segmento com muita demanda no

Brasil, o que quer dizer que a sua empresa pode se diferenciar

oferecendo esse tipo de produto. Interessante, não acha?

O Google Trends não nos deixa mentir. Veja só a tendência de pesquisa

para o termo nos últimos 5 anos:

(Colocar a tendência)

Artigos para bebês

Os artigos de bebê são um nicho de mercado bem interessante,

sobretudo para empresas que atuam com o dropshipping. Isso porque

essa é uma audiência, na maioria dos casos, inclinada a adquirir mais

produtos e a gastar mais pelas soluções propostas.

Outro ponto importante para esse segmento é o seguinte: a maioria dos

pais faz compras com antecedência. Sendo assim, o prazo de entrega

maior – uma característica do dropshipping – não é um problema.


Além de roupas e acessórios, este é um nicho que também engloba

utensílios e itens tecnológicos. Por isso, pesquise bastante sobre o seu

público antes de decidir qual o produto que vai oferecer…

Alguns dos produtos mais vendidos desta categoria são:

· Conjuntos de fralda para bebê;

· Roupas para crianças;

· Lenços umedecidos;

· Cadeira, carrinho e andador;

· Artigos de banho;

· Berço.

Acessórios para pets

De acordo com dados elencados na Nuvem Commerce, relatório da

Nuvem Shop, o segmento de pet shop teve um aumento de 56% no

faturamento e 48% no número de pedidos durante 2021. Nada mal, não

é mesmo?

Assim como outros segmentos dessa lista, a audiência desse mercado

costuma ser muito apaixonada e estar disposta a gastar mais por

produtos que realmente entreguem um valor interessante.

Compradores desse nicho buscam soluções que tragam mais

praticidade ao seu dia a dia e mais conforto para os bichinhos. Sendo

assim, vale fazer uma pesquisa mais aprofundada sobre quais são os

seus concorrentes e quais os produtos que ele já oferece.

Produtos de beleza

Se você procura informações sobre o que mais vende no dropshipping,

é possível que já tenha notado que os produtos de beleza são fortes


candidatos. Esses são itens que estão sempre em alta demanda e

englobam desde maquiagens até cosméticos.

Este também é um segmento muito motivado pelo impulso e desejo,

sendo assim, é preciso focar em produtos com propostas diferenciadas,

que ainda não tenham tanta oferta dentro do mercado.

Alguns dos itens que mais se destacam neste segmento são:

· Perfumes;

· Shampoos e condicionadores;

· Máscaras faciais e para cabelos;

· Maquiagens;

· Pincéis e acessórios;

· Esmaltes;

· Batons;

· Protetor solar;

· Protetores labiais.

Itens de vestuário

Este é um outro segmento gigantesco, que engloba tanto o público

feminino quanto o masculino, incluindo também crianças. Sendo assim,

não é de se espantar que essa categoria tenha alguns dos produtos que

mais vendem no dropshipping.

Algumas das mercadorias que destaquei são:

· Roupas formais femininas;

· Roupas formais masculinas;


· Vestidos de verão;

· Calças;

· Blusas e camisetas;

· Pijamas;

· Roupas plus size;

· Saias;

· Cachecóis;

· Luvas;

· Meias;

· E mais!

Vale lembrar que, por ser um segmento amplo, você precisa focar a sua

atuação em um nicho específico, a fim de otimizar a comunicação com o

seu público e aumentar as chances de fazer mais vendas.

A seguir, mostrarei algumas das tendências de pesquisa para termos

dentro do segmento de vestuário nos últimos 5 anos.

Artigos esportivos

Ainda de acordo com o Nuvem Commerce, o segmento de artigos

esportivos teve uma alta de 48% no volume de vendas durante 2021.

Dentre os produtos mais vendidos desta categoria estão:

· Suplementos;

· Acessórios para bicicletas;

· Mochilas e bolsas;

· Artigos para acampamento;

· Shorts e calças esportivas;


· Tênis e outros calçados;

· Top e roupas de academia;

· Itens para piscina;

· Objetos de lazer.

(Colocar sobre criação de loja genérica)

Vantagens do Drop:

Menor custo

Como você não precisa investir em um estoque, é possível começar um

negócio nesse modelo com menos recursos financeiros. Falando sobre

a operação do negócio, como não há gestão de catálogo e estoque, as

despesas fixas também são igualmente baixas. Tanto é que muitos

empreendedores bem-sucedidos no segmento gerenciam suas

empresas a partir do home office com um notebook.

Flexibilidade

Negócios que utilizam a técnica do dropshipping permitem que o

empreendedor trabalhe de qualquer lugar — até de casa, como falei

acima. É necessário apenas o contato com um fornecedor de confiança

e um computador conectado à internet para fazer a comunicação com

clientes e fornecedores.

Facilidade na operação

Como não é necessário comprar os produtos para ter estoque, é

possível comercializar uma variedade muito maior de produtos, o que

aumenta as possibilidades de venda. Além disso, você não verá o


volume de trabalho triplicado caso receba uma grande quantidade de

pedidos em um curto período de tempo.

Desvantagens do Drop:

Alta competição

A competitividade é um dos desafios mais presentes para quem investe

no comércio baseado no dropshipping. Como a variedade de produtos

não garante exclusividade na venda, você vai ter que vencer uma

concorrência enorme entre todos os empreendedores que também

investem nesse modelo de venda.

Baixas margens

Entre as principais desvantagens, é possível destacar as baixas

margens de lucro praticadas nesse segmento de comércio. Afinal de

contas, sua loja será apenas a intermediária no processo. Em média,

seu lucro irá girar entre 20 e 30%.

Um dos principais motivos disso é justamente a grande concorrência

que impede a precificação muito alta. Ou seja, para ter bom resultado é

preciso vender um volume alto de produtos.

Lentidão no processo

Como citei no início, muitos dos fornecedores desses tipos de produtos

são comerciantes situados em outros países, em sua maioria na China.

Ou seja, se você pretende vender seus produtos para clientes

brasileiros, é preciso ter em mente que o processo de entrega será lento

e demorado. Paciência!

Listei players desse mercado para você acompanhar:

Rodrigo Castoldi [@castoldi.drop]


Frankyshaw [@frankyshaw]

Matheus Gomes [@ogomesmatheus]


Lançamentos


Lançamentos

O que é um Lançamento?

Esse modelo de negócio ficou muito famoso com o Erico Rocha com

seu curso denominado Fórmula de Lançamento, onde ele ensina as

pessoas a fazerem o famoso 6 em 7, ou seja, seis dígitos (acima de

cem mil reais) em sete dias.

Esse modelo de negócio é muito lucrativo, mas você não possui

previsibilidade, podendo trazer lucros exorbitantes ou te deixar no

prejuízo.

O lançamento consiste em fazer uma série de aulas em alguns dias e

ao final ofertar um produto, trazendo um alto número de vendas em

pouco tempo.

Tipos de lançamento

1 - Lançamento semente

O lançamento semente é feito quando o produto ainda não está

finalizado e a empresa deseja realizar uma pesquisa prévia para

entender o comportamento dos consumidores, testar a receptividade do

público e ajustar a persona que será utilizada nas campanhas de

marketing.

Para isso, o criador do produto ou serviço começa a criar conteúdos

buscando uma conexão com o público-alvo, iniciando a construção de

uma lista de leads.

O ideal é que, após entender melhor o mercado e as expectativas do

público, o produto seja adaptado e direcionado para conquistar esses

consumidores.

Este tipo de lançamento é vantajoso pois possibilita conhecer o público

com antecedência, antes mesmo do investimento no infoproduto.

Porém, manter a base engajada até o dia de abertura do carrinho não é

uma tarefa fácil e demanda um planejamento detalhado de conteúdos,

bem como qualidade na execução.


A ideia do lançamento semente, portanto, é “plantar” a ideia na mente

do público antes que eles possam adquirir o produto finalizado.

2 - Lançamento interno

O lançamento interno é considerado uma das estratégias com maior

potencial de retorno, pois é focado na própria base de contatos do

produtor.

A ideia é que as pessoas já conhecem o especialista e reconhecem sua

autoridade no assunto, além de serem engajados no tema.

Portanto, essa modalidade gera uma validação sobre a reputação da

marca e aproxima a relação entre a audiência e o infoprodutor,

aumentando as chances de adquirirem o produto ou serviço.

Porém, também exige um esforço maior na criação de estratégias de

conteúdo bem desenvolvidas, como vídeos, e-mail marketing e outros

para todas as etapas do lançamento.

O uso desses conteúdos é eficiente não apenas para educar o mercado,

que já tem um conhecimento sobre a marca e suas ofertas, mas

também para estimular o compartilhamento com outras pessoas que

podem se tornar leads.

3 - Lançamento externo

Semelhante à modalidade anterior, o lançamento externo é indicado

para quem quer expandir seu público por meio de parcerias com

afiliados, produtores de conteúdo ou outros infoprodutores.

Essa estratégia utiliza técnicas do marketing de influência, ou seja, você

entra em contato com pessoas influentes de um nicho próximo ao seu

para formar parcerias na divulgação do seu infoproduto em troca de

uma comissão.

A escolha dessas pessoas é crucial para o sucesso da estratégia, pois

deve haver uma coerência e compatibilidade do público.


Para isso, é importante fazer um estudo aprofundado dos seguidores

dos parceiros, pois se o mesmo público seguir ambos os perfis

dificilmente os resultados serão satisfatórios.

A estratégia deve ser criada em conjunto e de forma estratégica, o que

pode gerar um retorno financeiro alto, mas também demanda um

investimento maior.

4 - Lançamento relâmpago

O lançamento relâmpago tem duração de 4 a 7 dias, geralmente, e

busca transmitir ao público a ideia de uma oportunidade única,

imperdível e que não poderá ser adquirida mais tarde.

Essa modalidade usa gatilhos mentais de urgência e escassez,

reduzindo o tempo para a decisão de compra.

Na maioria das vezes, esse tipo de lançamento é feito por e-mail

marketing para uma lista selecionada de leads, adicionando benefícios

como descontos, bônus exclusivos ou mesmo outros produtos grátis.

Este lançamento funciona e pode gerar resultados, mas é preciso que

você tenha uma estratégia bem estruturada e um alto engajamento,

caso contrário o público pode rejeitar a ação.

5 - Lançamento perpétuo

O lançamento perpétuo é baseado na ideia de que o tempo todo novas

pessoas conhecem o seu conteúdo e entram para o funil de vendas.

Por isso, é voltado a um tipo de infoproduto “atemporal”, que possa ser

relançado para os novos leads que entrarem na sua base de e-mails

após o lançamento inicial.

Essa modalidade tende a gerar resultados positivos e constantes,

mantendo o potencial cliente engajado com os produtos e serviços

oferecidos.

Além da economia de tempo, outra vantagem do lançamento perpétuo é

a possibilidade de criar um processo automatizado, de forma que toda


vez que uma pessoa se inscrever na sua lista ela irá receber uma oferta

automática.

Para isso, é preciso ter um bom fluxo de leads e sempre relembrá-los

dos benefícios do seu infoproduto, o que pode ser feito por meio de

depoimentos de clientes que reconhecem a importância da compra.

6 - Lançamento passariano

O lançamento passariano é uma adaptação da Fórmula de

Lançamentos original, adaptada por Luiz Passari.

Este tipo de lançamento é voltado para quem possui uma lista de

e-mails ativa e engajada, mas que ainda não adquiriu o infoproduto, seja

por falta de disponibilidade ou por não estarem prontos.

Assim, a metodologia é focada em oferecer uma segunda oportunidade

de conversão para quem já demonstrou interesse.

Nesse caso, promoções exclusivas são a principal maneira de conseguir

a finalização da compra, já que o prospect já reconhece a empresa

como autoridade no assunto e deseja obter os benefícios do

infoproduto.

Qual melhor tipo de lançamento ?

Cada tipo de lançamento tem suas vantagens e desvantagens de

acordo com o projeto, a maturidade do público e o objetivo do

infoproduto.

Dessa forma, se você ainda não começou a concepção do projeto, o

ideal é começar pelo lançamento semente para conseguir informações

sobre o perfil do público-alvo, preferências e dar início a uma base de

e-mails.

Etapas de um lançamento

Antes do lançamento de um novo produto, é preciso fazer um estudo

profundo do seu nicho de atuação, para entender as necessidades dos

clientes, as tendências de consumo e a oferta e demanda pela sua

solução.


Ao analisar esse cenário, você poderá encontrar oportunidades de

mercado e ter uma noção prévia de como o seu produto será recebido

pelo público.

Essa dica também é valiosa para apresentar uma loja virtual ao público

pela primeira vez. Se esse é o seu caso, faça um bom plano de

lançamento de loja virtual.

Uma ferramenta que pode ajudar bastante nesse processo é o Google

Trends, que indica o volume de buscas online por um determinado

termo ao longo do tempo.

Se você tem um e-commerce de papelaria e está pensando em vender

planners anuais, por exemplo, pode verificar como está o interesse por

assuntos relacionados a planejamento pessoal, para entender a

demanda pelo produto.

Defina a sua buyer persona

Para nortear toda a sua estratégia de lançamento, é fundamental

entender para quem o seu produto é destinado e quais são as suas

principais dores e interesses.

Você pode fazer isso definindo a sua buyer persona, ou seja, o

personagem semi fictício do seu comprador ideal, criado a partir de

pesquisas de mercado e entrevistas com clientes reais.

O perfil da sua persona deve incluir dados demográficos (idade, gênero,

estado civil, classe social, educação e trabalho), assim como

comportamentos de consumo, hábitos, necessidades, preferências do

consumidor, medos e sonhos.

A partir da construção da buyer persona, você poderá identificar as

melhores formas de alcançar e falar com os seus clientes ideais,

direcionando a linguagem, os canais de comunicação e as estratégias

utilizadas.

Analise a concorrência

Ao fazer a pesquisa de mercado, você provavelmente encontrou os

principais concorrentes do seu segmento. Agora, é hora de fazer uma


análise aprofundada desses players e das soluções que eles oferecem,

observando os pontos fortes e fracos de cada um.

Isso permitirá identificar os diferenciais do seu produto em relação à

concorrência e entender como a sua solução se encaixa no mercado.

Nesse ponto, a análise SWOT é uma excelente ferramenta para

compilar todas as informações, analisando as forças, fraquezas,

oportunidades e ameaças do seu negócio no setor.

Determine o preço do produto

A precificação é um importante passo para garantir o sucesso do seu

lançamento de produto. Afinal, o público deve estar disposto a pagar

pelo que você irá cobrar, para que as suas vendas, de fato, aconteçam.

Por isso, é essencial levar em consideração os preços sendo praticados

pela concorrência, o valor agregado da sua solução e o perfil da sua

persona.

Também devem ser calculados os custos diretos do produto, os gastos

administrativos e as tributações do seu negócio, assim como a margem

de lucro que você deseja obter com a venda do item.

Divulgue o lançamento do seu produto

Com a etapa de planejamento do produto pronta, você pode começar a

estruturar um cronograma de ações de marketing para divulgar o seu

lançamento, escolhendo os canais e formatos mais adequados para a

sua persona.

Confira a seguir as melhores estratégias para usar na sua campanha!

Faça um pré-lançamento

Que tal criar um buzz sobre a sua novidade e instigar a curiosidade do

público? Comece a divulgação do seu produto com antecedência, com o

chamado pré-lançamento.

Você pode fazer teasers anunciando que em breve será lançada uma

nova solução imperdível, sem dar muitos detalhes sobre o assunto, ou

já introduzir o produto e começar a destacar os seus diferenciais.


De qualquer forma, o ideal é capturar a atenção dos consumidores,

incentivando-os a ficarem atentos nos seus canais de comunicação para

saberem mais sobre a novidade em primeira mão.

Divulgue nas redes sociais

Aproveite as redes sociais para promover ações interativas divulgando o

seu lançamento. Atualmente, existem inúmeros recursos, hashtags e

desafios para você engajar o público no Instagram e no TikTok, por

exemplo.

Uma ideia bastante utilizada é sortear um produto para os seguidores

que compartilharem uma foto do seu perfil. É uma forma simples de

engajar a audiência, atrair novos consumidores e divulgar a sua

campanha.

Para aumentar ainda mais o seu alcance, você também pode investir

em anúncios pagos segmentados para o público que você deseja

atingir, por meio de plataformas como o Facebook Ads.

Invista no Marketing de Influência

Os influenciadores digitais dominaram a internet, exercendo um grande

poder de persuasão sobre a decisão de compra dos seus seguidores.

Investir no Marketing de Influência, portanto, pode ser uma ótima

estratégia para divulgar o seu produto nas redes sociais.

Faça parceria com influencers que sejam autoridade no seu nicho de

atuação e que tenham uma boa reputação. Se você quer promover o

lançamento da nova coleção da sua loja virtual de roupas femininas, por

exemplo, o ideal é buscar influenciadoras reconhecidas no ramo da

moda.

Associar a sua marca com uma personalidade cuja opinião é respeitada

no segmento ajuda a atribuir mais credibilidade para o seu negócio e,

consequentemente, a impulsionar suas vendas.

Envie campanhas de e-mail marketing

O e-mail marketing é outra ferramenta muito utilizada para lançar

produtos, por meio da criação de campanhas personalizadas para


bases segmentadas — o que permite utilizar estratégias específicas

para diferentes perfis de contatos da sua lista.

Para as pessoas que já são clientes da sua loja, por exemplo, você

pode fazer uma pré-venda exclusiva, como uma forma de valorizar o

seu relacionamento e fidelizá-los.

Já para leads que ainda não converteram, você pode oferecer um

cupom de desconto para a primeira compra, incentivando-os a fazer

esse primeiro pedido.

Analise os resultados do lançamento

Após o lançamento do produto, o seu trabalho ainda não acabou!

Analise os indicadores de desempenho da sua estratégia, como o

Retorno sobre o Investimento (ROI), para avaliar os resultados

alcançados e ter insights relevantes para os seus próximos

lançamentos. Isso é o que chamo de debriefing do lançamento.

Também vale pedir o feedback dos seus clientes, para entender se o

produto atendeu às suas expectativas e o que pode ser melhorado em

todo o processo de planejamento e divulgação.

Como abordar um expert para lançamento

Primeiramente é importante você saber que ela pode ser feita de duas

formas, de forma indireta, ou seja, mais seca.

Exemplo: “vamos fazer um negócio juntos?”

Ou ela pode ser indireta, mais suave e envolvendo mais passos.

E esse contato, pode ser feito das seguintes formas, sendo eles:

● Pessoalmente

● Por email


● Ligação

● Redes sociais

O que eu vou passar para vocês agora são algumas situações para que

vocês possam pensar e ver o que pode funcionar dentro da sua

realidade.

Compra do curso

A primeira abordagem acontece da seguinte forma:

Comprar curso > interagir com o expert > agregar valor > abordar expert

Ou seja, se você se tornou cliente daquele expert, você vai interagir com

aquele instrutor, por exemplo, na comunidade dele, se possível, gerar

valor. E então fazer a abordagem.

Uma dica que eu gostaria de trazer para vocês também é que

geralmente fico focado somente em algumas plataformas como

Hotmart, Eduzz e Monetize. Entretanto, existem outras plataformas,

como a Udemy, que ao ser cliente, você consegue ter acesso ao email

do expert.

Sendo assim, você pode entrar em contato para estreitar essa relação.

Abordagem pelo blog

A segunda abordagem pode ser feita através do Blog. Ou seja, em

blogs que você já acompanha, e do expert que você quer prospectar.

Portanto, esse contato pode ser feito pelo box de contato que

geralmente tem no blog.

Seguir hashtag no instagram


O terceiro tipo de abordagem é seguir a hashtag dos assuntos que

tenham a ver com o seu mercado, por exemplo: infoprodutor,

infoproduto, 6em7, lançamentos…

Enfim, você vai encontrar uma variedade de hashtags para poder seguir

e encontrar um infoprodutor para abordar.

TikTok

É uma rede social nova, porém, com um alcance muito bom, e é

também um lugar onde você pode interagir e fazer contato com pessoas

que estão produzindo conteúdo por lá.

Youtube

Pelo Youtube é possível que você consiga interagir nos comentários,

mas é muito provável que você não tenha uma resposta.

Mas geralmente na aba “sobre” ou na própria descrição do vídeo é

possível que você encontre um email comercial, para que você possa

fazer um contato e uma abordagem direta.

Linkedin

Pelo Linkedin é possível também fazer suas pesquisas e encontrar um

perfil de profissional que você gostaria de trabalhar e fazer um contato

via inbox com esses profissionais.

Twitter

Pelo Twitter também é possível fazer uma abordagem àquele

profissional que você segue e acompanha.

Treinamentos presenciais

Apesar do momento atual que estamos vivendo, que é o pós-pandemia

e o movimento presencial ainda não voltou 100%, nos treinamentos


presenciais é possível também fazer uma interação com os

participantes e iniciar uma abordagem.

Amigo/conhecido

Ou seja, é uma pessoa próxima de você para que você possa fazer uma

interação e entender melhor se a pessoa tem interesse.

Não existe o caminho certo

Sendo assim, é muito importante você entender que não existe o

caminho certo ou único caminho, vai depender da forma como você se

sente mais confortável, e como cada expert trabalha também.

Listei ótimos players desse mercado para você acompanhar:

Leonardo Arias[@leonardoarias]

João Araujo[@joazinreal]

Enrico Beltrão[@enrico.beltrão]

Erico Rocha[@rochaerico]

Gabriel Rucci[@gabrielrucci]

Russel Brunson[@russelbrunson]

Bruno Guerra[@brunoguerrab]

Marcos Paulo[@eusoumarcospaulo]


PRIVATE LABEL RIGHTS [PLR]


PRIVATE LABEL RIGHTS[PLR]

O QUE É PLR?

Esse modelo de negócio consiste em comprar os direitos de revenda de

um infoproduto (geralmente ebooks) que está vendendo muito nos

Estados Unidos e revender aqui no Brasil.

O problema é que para vender esses produtos as pessoas fazem uma

oferta com promessas muito agressivas e até falsas e não entregam

tudo o que prometem nessa oferta.

Cabe ressaltar que ao não entregar tudo que é prometido gera muito

reembolso e não cria LTV (life time value, do termo inglês, ou “valor do

tempo de vida”, em português), que é quanto dinheiro uma pessoa

consegue te dar ou gerar à você ao longo de um determinado período

de tempo.

É possível que, inclusive, nos próximos anos esse modelo de negócio

(os PLR 's) chegue ao fim, pelo menos da forma que conhecemos.

Prós e Contras do PLR

O conteúdo de PLR ​fica em uma escala entre o conteúdo totalmente

personalizado gerado para uma empresa e o conteúdo emprestado de

outra fonte. Requer menos trabalho do que um, sem incorrer nos

mesmos problemas potenciais de SEO e restrições de direitos autorais

que o outro. No entanto, também significa que o conteúdo pode ter

qualidade inferior do que o conteúdo escrito especificamente para sua

empresa ou produto próprio, ao mesmo tempo que exige mais edição do

que uma simples reportagem.

Vantagens de PLR

As principais vantagens dos Private Label Rights são a flexibilidade e a

economia de tempo que advém do uso de conteúdo pré-escrito. Como

esse tipo de conteúdo fica na escala entre o conteúdo escrito e a

reportagem, ele permite o melhor dos dois mundos.

Economia de tempo. Quando usado corretamente, o conteúdo de PLR

​libera o produtor do negócio mais demorado de criar conteúdo do zero,


oferecendo um atalho. Isso também funciona em uma escala maior; se

o produtor obtiver vários artigos de PLR ​sobre um tópico específico, ele

será capaz de planejar uma estrutura de artigos adicionais para

preencher lacunas no conteúdo adquirido. Ao mesmo tempo, o

conteúdo de PLR ​pode abranger áreas que os profissionais de

marketing não teriam pensado em incluir de outra forma.

Experiência adicional. O conteúdo de PLR ​pode ser especialmente útil

para pessoas que desejam oferecer conteúdo fora de sua área principal

de especialização, o que poderia envolver muita pesquisa ou, de outra

forma, possíveis erros no artigo final. Por exemplo, uma empresa de

serviços de limpeza comercial pode saber tudo sobre a limpeza

completa e eficiente de grandes escritórios, mas não sobre os

ingredientes de seus produtos de limpeza ou como eles são fabricados,

que é onde os produtos PLR entrariam.

Barato. Normalmente, o conteúdo de PLR ​é comprado por alguns

dólares por artigo em pacotes online. Mesmo com o tempo adicional

para personalizá-lo, o conteúdo de PLR ​é mais barato do que contratar

alguém para escrever o conteúdo do zero.

Personalizado. Como o conteúdo de PLR ​permite que o comprador

altere como quiser, é uma ótima maneira de personalizá-lo para se

adequar à empresa que o comprou. Ele permite que o comprador

adicione o nome de sua própria empresa, frases de chamariz e

informações e exemplos específicos da empresa.

Propriedade. Como mencionado antes, o PLR permite ao comprador

vender, editar, mixar e combinar conteúdo ou distribuí-lo gratuitamente.

Uma vez alterado, o comprador tem os mesmos direitos sobre ele como

se ele próprio o tivesse criado, porque já foi transformado em conteúdo

personalizado pelo próprio comprador. Observação: ocasionalmente, o

conteúdo de PLR ​tem limites aos seus direitos, por isso é importante ler

as letras miúdas ao comprá-lo.

Desvantagens PLR

No entanto, o conteúdo de PLR ​não é uma fórmula mágica. Existem

algumas desvantagens em não criar seu próprio conteúdo exclusivo,


incluindo a falta geral de qualidade dos produtos de PLR ​e o fato de que

o conteúdo original de PLR ​é vendido a vários compradores.

Baixa qualidade. Como o conteúdo de PLR ​é barato e feito para ser

alterado, geralmente é uma redação vaga e de baixa qualidade. Publicar

produtos de PLR ​sem muitas alterações pode trazer conteúdo de pouco

valor para os leitores, que podem optar por ler artigos mais

aprofundados ou úteis em outros sites.

Qualidade desconhecida. Como a maior parte do conteúdo de PLR ​é

vendida em pacotes, não há como o comprador ver o que está

recebendo antes de fazer a compra. É por isso que é essencial comprar

de uma empresa conceituada.

Potencial de plágio. Seguindo o ponto acima, algumas empresas mais

inescrupulosas às vezes vendem conteúdo plagiado. Pode ser difícil

discernir quando o conteúdo é plagiado, especialmente quando ele

aparece repetidamente em vários sites ou é proveniente de material que

ainda não foi publicado. No entanto, mesmo a postagem sem

conhecimento dele pode levar a problemas legais ou, pelo menos, exigir

que você remova o conteúdo.

Duplicação. O mesmo conteúdo de PLR ​é vendido a vários

compradores, geralmente sem um limite de quantos podem comprar o

mesmo artigo ou vídeo. Isso pode afetar negativamente o comprador de

PLR ​de duas maneiras, dependendo da frequência com que esse

conteúdo já foi postado. Em primeiro lugar, se o conteúdo de PLR ​for

colocado em um site após ser postado em outro lugar várias vezes, os

mecanismos de pesquisa verão a duplicação do mesmo conteúdo em

vários sites e classificarão o site em uma posição inferior nos resultados

da pesquisa. Em segundo lugar, se os clientes descobrirem que o seu

conteúdo (especialmente o conteúdo oferecido como incentivo ou para

venda) é igual ao conteúdo de outra empresa, isso pode afetar a

percepção que eles têm de você.

Para ajudar a evitar algumas dessas armadilhas, é essencial pesquisar

cuidadosamente o vendedor desse conteúdo para garantir que ele seja

confiável. Também é importante, sempre que possível, verificar online o

conteúdo para ver o quanto ele já está em uso.


Se você oferece o mesmo material que várias outras empresas, não vai

se destacar na multidão para os clientes em potencial. Deve-se notar,

entretanto, que os motores de busca não penalizam o conteúdo

duplicado tanto quanto algumas pessoas podem pensar.

Muitos sites (até 30% das páginas na Internet) repõem o conteúdo de

outros sites ou seu próprio conteúdo sem problemas. No entanto, o

Google observa onde uma parte do conteúdo apareceu primeiro, então

as empresas que buscam obter o valor de SEO do conteúdo de PLR

​devem certificar-se de que não estão postando algo idêntico ao que já

foi publicado por 15 outras empresas.

Certifique-se de fazer uma verificação completa de plágio antes de

postar, embora esteja avisado: o conteúdo pode escapar se sinônimos

suficientes forem trocados.

Como usar produtos com Private Label Rights

O ponto mais importante a lembrar (que também é a ideia central por

trás do PLR) é que o PLR deve ser alterado. O PLR é feito para que o

comprador dê sua própria opinião ou acrescente percepções exclusivas

dentro do material.

Alguns chegam a aconselhar que o conteúdo de PLR ​deve ser usado

apenas como backbone ou como fonte para um e-book, artigo ou série

de vídeos. No entanto, há um ponto crítico em que alterar o PLR exige

tanto trabalho que se torna mais fácil simplesmente escrever seus

próprios artigos. É importante encontrar esse equilíbrio.

Os produtos de PLR ​são comumente usados ​em postagens de blogs,

e-mails, dicas diárias, e-books e aplicativos semelhantes, que podem

atrair clientes para o site de uma empresa. No entanto, os produtos

renovados também são comumente usados ​para criar produtos

rentáveis ​ou oferecidos como incentivos para atrair o cliente. Uma

empresa pode fornecer um produto de PLR ​gratuito para clientes que se

cadastrem em uma lista de e-mail ou que compram acima de uma

determinada quantia. As empresas também oferecem conteúdo de PLR

​como um e-book como um complemento para cursos online, o que é

especialmente útil quando o produto de PLR ​complementa o conteúdo

principal fornecido. O conteúdo de PLR ​também tem sido usado no


marketing de artigos, onde o conteúdo de uma empresa é publicado no

site de outra. Para empresas que estão apenas começando ou que não

têm recursos para manter um blog ou campanha de e-mail do zero.

Listei alguns empresários desse mercado para você acompanhar:

Kayky Janiszewski[@kayky janiszewski]

Sanchão[@eusanchao]

Thiago Finch[@thiagofinch]

Alex Nosse[@alexnosse]


PERPÉTUOS E RECORRÊNCIA


PERPÉTUOS E RECORRÊNCIA

O QUE É PERPÉTUO?

O perpétuo é o modelo de negócio onde, diferente de um lançamento, o

seu produto fica com o carrinho aberto sempre (ou seja, ele pode ser

comprado a qualquer hora, sem escassez de tempo).

Cabe ressaltar que é bem difícil alcançar um pico considerável de

vendas, que costuma acontecer em outros modelos. Isso acontece

porque o produto está sempre disponível, e, portanto, as vendas

acontecem esporadicamente.

Quais as vantagens do produto perpétuo?

Primeiramente, vou falar sobre os benefícios do produto perpétuo.

Como esta estratégia permite que o cliente entre no seu funil de vendas

a qualquer momento, você terá maior previsibilidade de caixa.

Desta forma, seu negócio terá receita previsível e poderá fazer uma

análise mais assertiva sobre o faturamento. Como assim? Você saberá

quais os períodos possuem melhores resultados e poderá adaptar sua

estratégia para potencializar seu fluxo de caixa.

Outro benefício da venda perpétua é a possibilidade de utilizar

estratégias de vendas Up-Sell, Down-Sell e até Cross-Sell. Ou seja,

você pode oferecer produtos de ticket-médio maior, menor e até

complementares para os clientes que entrarem no seu funil perpétuo.

Não é à toa, então, que o lifetime value (LTV) destes consumidores será

maior e o Custo de Aquisição de Clientes (CAC) diminuirá.

Entre os custos que são menores no funil perpétuo, vale ressaltar os

investimentos em estratégias para gerar tráfego online – tanto pago

quanto orgânico. Isso acontece porque você não precisará criar novos

conteúdos e anúncios constantemente.

Quais as desvantagens do produto perpétuo?

Apesar dos benefícios citados acima, a venda perpétua possui algumas

desvantagens a serem consideradas. Sabe a receita previsível gerada


pelo modelo? Para garanti-la, será necessário manter uma estratégia de

geração e nutrição de leads rodando constantemente – e, é claro,

convertê-los em clientes.

Além disso, o uso de alguns gatilhos mentais é mais desafiador no funil

perpétuo. Pretende usar o gatilho de escassez para persuadir o cliente a

adquirir seu produto digital? Você precisará de criatividade para fazê-lo

se o carrinho de compras estiver sempre aberto.

Caso sua estratégia de vendas de infoprodutos inclua o uso de

Marketing de Afiliados, usá-lo com um produto perpétuo requer

cuidados especiais. Você precisará manter seus afiliados engajados

para que eles continuem promovendo seu produto digital – e, é claro,

sempre buscar vendedores interessados em vendê-lo em troca de

comissões.

Como fazer um perpétuo?

Para fazer um lançamento perpétuo de sucesso, é fundamental ter feito

um lançamento interno de sucesso anteriormente, com um bom fluxo de

leads e as ferramentas de automação de marketing necessárias. Ou

seja, os infoprodutos escolhidos devem ser prioritariamente bem aceitos

no mercado. Além disso, é essencial escolher produtos que possam ser

vendidos facilmente, sem necessidade de um maior suporte ao cliente.

Essa estratégia de vendas é muito boa para ter uma fonte fixa de

ganhos. Itens como e-books ou cursos são boas ideias, desde que seu

conteúdo seja duradouro, e não precise ser atualizado com frequência.

Definição da oferta


Primeiramente, é preciso escolher qual será a oferta recorrente. Nesse

caso, é interessante observar a aceitação do produto, como foi o

desempenho, o interesse do público, o engajamento ao longo da

divulgação. Um lançamento anterior pode ser o ideal para verificar o

desempenho e começar com o pé direito.

Ou, ainda, fazer uma pesquisa de mercado com um novo produto.

Assim, você tem certeza de que a sua solução será bem aceita pelos

seus novos leads.

Criação da landing page

Criar uma landing page da oferta, ou seja, a página de vendas, é muito

importante. A página precisa ser chamativa para atrair o lead, tendo sido

construída para incentivá-lo a comprar.

E não se esqueça, é claro, de acrescentar informações sobre seu

produto, destacando os seus benefícios, ressaltando como ele pode

solucionar os problemas da sua persona.

Envio dos CPL’s

Outra etapa essencial desse tipo de lançamento, é preparar os e-mails

que serão enviados para os seus leads. Os chamados CPL (conteúdo

pré-lançamento), conforme descritos na Fórmula de Lançamento, é uma

boa estratégia de divulgação.

Abertura do carrinho


Última etapa: abra o carrinho! Hora de configurar a plataforma de

hospedagem para compra do seu infoproduto. Esse momento é

importante, e portanto, deve ser comunicado aos leads. Você pode fazer

isso nos grupos de redes sociais, e-mails, ou até mesmo através da sua

própria conta na rede social.

O que é recorrência?

A recorrência se trata de uma assinatura estilo a da Netflix, onde você

paga mensalmente para ter acesso a um curso, produto, mentoria, etc.

Cabe ressaltar que com esse modelo é possível enxergar previsibilidade

de vendas para o próximo mês.

Listei alguns players desse mercado para você

acompanhar:

Micha menezes[@michamenezes]

Cadu Bernardes[@cadubernardes]

Henrique Marinho [@henriquemarinho]


FPIs: FUNNELS PAID IMMEDIATELY


FPIs: FUNNELS PAID IMMEDIATELY

O que é?

Esse modelo de negócio é tido como o futuro do marketing digital, pois a

tendência é que as métricas de tráfego do Facebook e do Google

fiquem cada vez mais caras e esse modelo propõem uma escala de

produtos em que o primeiro produto é venda na certa para ficar no zero

a zero, ou seja, o primeiro produto paga todo o custo investido para

trazer o cliente para a compra. O primeiro produto, então, vai “anular” o

custo do CAC (custo de aquisição do cliente) e o lucro virá com os

produtos subsequentes na escada de valor, sejam eles orderbumps,

upsells, downsells, ou produtos paralelos que serão ofertados

posteriormente à primeira compra.

Cabe ressaltar que as informações sobre esse mercado são bem rasas.


QUAL A MELHOR FORMA DE COMEÇAR A

FAZER DINHEIRO?

Prestação de serviços ou atuando como Freelancer

A melhor e mais barata forma de começar a ganhar dinheiro no

Marketing Digital é, sem sombra de dúvidas, prestando serviço. A única

coisa que você precisa aqui para começar é ter um celular ou

computador, acesso à internet e conhecimento sobre o serviço que você

irá oferecer (que você consegue em menos de 2 semanas).

As profissões mais “fáceis” de você conseguir clientes hoje, segundo a

própria demanda do mercado, são:

Social Media: O Social Media é o responsável por cuidar de todas as

redes sociais dos seus clientes, o que pode incluir Instagram, TikTok,

YouTube, Linkedin, etc, porém geralmente é apenas o Instagram e às

vezes o TikTok.

Geralmente, as demandas de um Social Media incluem:

- Produzir posts (conteúdo escrito + parte visual)

- Produzir sequências de stories (movimentar os stories)

- Produzir vídeos e reels

- Gerenciar e responder as DM’s segundo à necessidade do cliente

Claro, essas são as demandas genéricas. Alguns clientes podem te

pedir mais, outros clientes irão te pedir menos. Alguns clientes não irão

confiar em você para te passar logo de cara o login do Instagram da

empresa deles, logo, você apenas fará os posts e os enviará com

antecedência. Outros, vão querer que você tome conta de 100% das

redes sociais. Tudo isso, logicamente, influenciará no preço que você

pode cobrar por cada cliente.

Um preço padrão que eu recomendo você cobrar, pelo menos no início,

é de R$500,00, que será um preço justo para você e um preço justo

para o seu cliente (lembre-se, você não precisa ter apenas 1 cliente,


pode fechar 8 clientes de 500 reais, e logo já estará fazendo mais de

R$4,000 por mês!).

OBS IMPORTANTE! Social Media NÃO É Designer, ou seja, você não

precisa saber fazer artes extremamente fantásticas para estar

oferecendo esse serviço. O básico do canva já resolve. Agora, se você

é muito bom como designer também, pode aumentar o seu ticket e

cobrar, por exemplo, R$1.000 (mil reais) por cliente, sendo o Design um

adicional extremamente valioso.

Designer: Muitas pessoas começam prestando serviços como

designers, oferecendo artes para vídeos de youtube, artes para posts e

reels do instagram, ou até mesmo para fazer uma identidade visual

inteira.

As demandas de um designer são bastante variadas, depende bastante

de como você negociou com o seu cliente. Às vezes você é pago pelas

artes que faz, não no mês. Ou seja, você pode fazer 4 artes para posts

do Instagram e cobrar 50 reais por cada. Entretanto, se você entregar

as 4 no mesmo dia, você consegue fazer 200 reais nesse dia, e não

precisa esperar até o final do mês para receber.

Como designer, o preço que você vai cobrar depende de vários fatores,

como o seu tempo disponível para novos projetos, a dificuldade e o

tempo levado para fazer cada arte e o seu tempo de experiência na

área. Dificilmente um designer novo conseguirá logo de cara fazer artes

para Instagram por mais de 100 reais, porém, ao longo do tempo e

conforme você for aprimorando a sua técnica, é completamente viável.

Aqui, eu recomendo você cobrar, em média (se está iniciando), entre

R$25 e R$50 POR arte. Naturalmente, alguns clientes irão te oferecer

menos, e mesmo que seja mixaria, eu recomendo você aceitar. No início

tudo será mais difícil e você terá que aceitar fazer trabalhos à preço de

banana, mas tudo isso irá te gerar mais portfolio para você usar e pegar

trabalhos mais vantajosos e que pagam mais.

Gestor de Tráfego: Os gestores de tráfego são aqueles que sabem

como gerenciar os anúncios pagos, e essa é uma das profissões mais

em alta atualmente. Esses profissionais são procurados tanto por


enormes empresas quanto por pequenos negócios, como padarias

familiares ou lanchonetes.

De todas as plataformas de anúncios pagos, apenas 2 são as que são

mais usadas por negócios locais: Google e Facebook Ads. Você

sabendo utilizar essas duas, você consegue prestar serviço para

qualquer estabelecimento local e fazer muito dinheiro com isso.

Para o seu primeiro serviço, eu recomendaria que você cobrasse algo

em torno de R$500 por cliente, para que assim você conseguisse ir

pegando experiência e se sentisse mais confortável ao usar as

plataformas de anúncios. Assim que você se acostumar a utilizá-las e se

sentir confiante, pode ir aumentando o seu ticket gradativamente.

Web Designer: Os Web Designer são responsáveis por criar a parte

visual dos sites, páginas de vendas, landing pages e etc, e, assim como

as outras profissões anteriormente citadas, está bem em alta também e

é uma profissão que tem uma ótima remuneração.

Assim como o designer, aqui você pode cobrar por página realizada, e

não necessariamente depender de um pagamento fixo mensal. Você

pode atender diversos clientes por mês e faturar bastante dinheiro,

desde que a sua entrega seja muito boa e relativamente rápida.

Como Web Designer, o preço que você vai cobrar depende também de

vários fatores, como o seu tempo disponível para novos projetos, a

dificuldade e o tempo levado para fazer cada página e o seu tempo de

experiência na área.

Aqui, eu recomendo você cobrar, em média (se está iniciando), entre

R$300 a R$500 por página feita. Vale ressaltar também que quanto

mais experiência você tiver, mais caro você poderá cobrar. E como

adquirir mais experiência? Pegando mais clientes. Logo, mesmo que

alguns clientes ofereçam bem menos que esse valor, nem que seja

coisa de R$50 a R$100 reais, você deveria pegar esse serviço

justamente para poder criar portfólio e poder começar a vender suas

páginas por preços mais elevados.


Como encontrar clientes?

Para encontrar possíveis clientes você pode usar métodos de

prospecção ativa (você vai atrás do cliente) e passiva (o cliente vem até

você) como já exposto no capitulo de lançamento. Basta voltar e reler.

Tenha em mente sempre a proatividade, empresários valorizam muito

essa caracteristica.

Um exemplo verdadeiro sobre o assunto foi uma jovem que durante as

lives de lançamento do Thiago Nigro realiza mapas mentais de cada

aula e enviava para ele após o termino. Não deu outra, ela foi

contratada e é bem provavel que até hoje seja da equipe de lançamento

Outra maneira de encontrar cliente é pelas plataformas de freelancer:

Nexxt

O Nexxt categoriza as buscas por trabalho segundo 4 critérios: carreira,

local, diversidade e global. O terceiro é benéfico para acomodar um

ambiente de trabalho mais inclusivo para todo mundo.

Com essas categorias, esse site freelancer também permite que você

tente várias oportunidades de trabalho que se alinham com os

interesses da sua carreira.

99Designs

Essa plataforma é focada em trabalhos para designers, desde a

produção de logotipos até capas de livros. Ela também permite que

clientes comecem um concurso que todos os participantes do

99Designs podem participar.


Sem custos, o site é ideal para você expor seus trabalhos e melhorar

seus conhecimentos com artigos atualizados.

Freelancer

O Freelancer é a maior plataforma de trabalhadores freelancers do

mundo. Ela conta com mais de 32 milhões de usuários registrados.

Para se igualar a esse número, existem milhares de ofertas de trabalhos

que você pode se candidatar.

Você também pode se registrar gratuitamente e concorrer às milhares

de vagas que são postadas todos os dias.

Upwork

O Upwork oferece ferramentas para dar o pontapé na sua jornada de

freelancer. Isso inclui espaços colaborativos, criador nativo de notas

fiscais e um processo de recrutamento transparente.

Pode ser que você consiga trabalhar também com clientes famosos

como Microsoft, Airbnb, Dropbox e outros.

Qualquer um que estiver procurando por flexibilidade no trabalho

definitivamente deve dar uma olhada nesse site para freelancer.

Writer Access

Se você quer se tornar um escritor freelancer, o Writer Access é a

melhor plataforma. Ela cobre todos os tipos de trabalhos escritos. Isso

inclui artigos online, estudos de caso, materiais ricos, etc.


O site tem muitas ferramentas, como análise de conteúdos, otimização

de palavras-chaves e um planejador de conteúdo para você realizar um

trabalho mais eficaz.


COMO APROFUNDAR O CONHECIMENTO


COMO APROFUNDAR O CONHECIMENTO

Como eu havia dito, esse é um guia básico para iniciantes no marketing

digital. Se você deseja aprofundar o seu conhecimento, irei deixar aqui

algumas recomendações de livros e pessoas para você acompanhar de

cada uma das áreas desse grande mercado. Em relação aos livros, os

que eu mais recomendo são a Trilogia do Russel Brunson: Dotcom

Secrets, Expert Secrets e Traffic Secrets e um livro chamado

Copywriting Secrets, do Jim Edwards.

Esses 4 livros falam, de forma extremamente aprofundada, sobre os 3

pilares do Marketing Digital que comentei lá no início, que são: Copy,

Tráfego e Funil de Vendas.

Esses livros (que você consegue até achar em PDF online se procurar

bem) irão te ensinar muito mais do que a maioria dos livros que temos

aqui no Brasil de Marketing Digital. Os melhores escritores são, ainda,

gringos. O melhor conteúdo ainda vem de lá, então, sempre recomendo

livros de fora para as pessoas.

Outra forma de você conseguir aprofundar o seu conhecimento é

adquirindo mentorias ou investindo em cursos na área que você

escolheu se aperfeiçoar. Se você escolheu trilhar um caminho como

copywriter, por exemplo, você conseguirá se aprofundar lendo livros de


Copy como o Copywriting Secrets e também investindo em cursos ou

mentorias de copy (além de praticar muito, obviamente).

Networking

Networking é relacionamento e relacionamento vem antes de qualquer

negócio. O cérebro humano não confia em condições e negociações,

confia em pessoas e essa confiança só é gerada a partir do

relacionamento.

Grande parte dos nossos resultados vêm das conexões que somos

capazes de fazer.

Seja interessantes antes de se mostrar interessado.

Mais importante do que as pessoas com quem você deve se conectar

são as pessoas das quais você deve se desconectar. Lembre-se você é

a média das cinco pessoas com quem mais convive

Existem três níveis de networking:

Rede primária: família e amigos próximos;

Rede secundária: colegas e pessoas que você se relaciona de maneira

não muito próxima;

Rede de referência: todos os outros. Aqui se incluem clientes,

fornecedores e contatos profissionais que você encontrou poucas

vezes.

Não existe uma regra clara sobre networking, mas esse ponto é muito

importante para você crescer como empresário e criar novos negócios.

Lembre-se um Bilionário formou diversos milionários.

Sociedades

Aqui discorri sobre a importância de saber escolher seus sócios e quais

características você deve buscar no seu sócio:


A importância de um sócio em sua equipe está em o mesmo ter o

objetivo de fazê-la crescer, olhando sempre para o futuro. Impedindo

que a concorrência cresça em cima de sua firma.

Sua empresa precisa de estratégia para crescimento. Apesar de você

possuir ótimos funcionários e boa gestão, é importante também que

você tenha alguém com quem dividir as metas. Mirando sempre o

crescimento para o futuro e tendo consciência de que isso é essencial

para a empresa

Um bom sócio deve possuir essas características:sinergia de objetivos,

liderança e proatividade, boa convivência, capacidade de tomar

decisões, boa argumentação e capacidade de investimento

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!