Ontem foi sábado - Junior

junior.te.pt

Ontem foi sábado - Junior

LER a partir dos 8 anos

GUIA DE LEITURA

MANUELA LAPA

Ontem foi sábado

DANIEL NESQUENS

Ilustrações de Sergei


2

Objectivos da leitura

Apresentação da obra

Nem sempre são pacíficos os fins-de-semana quando

toda a família fica em casa. Afinal, todos têm direito

ao tempo livre! Mas as tarefas domésticas… alguém tem

de as assegurar. E é assim que, às vezes, começa o jogo do

empurra… e as tentativas para escapar nem sempre são

bem sucedidas. Acontece então que a casa se torna palco

de comédia, com uma sucessão imparável de pequenos

conflitos e situações caricatas que apenas o engenho de

alguns permite fazer ultrapassar. Até que a casa readquira

o equilíbrio de que, afinal, todos precisam.

Às vezes, uma boa sesta alivia tensões e, no dia

seguinte, tudo volta à normalidade: «Ontem foi sábado,

hoje é domingo e amanhã será 2. a feira» – assim

concluirá o contador desta história.

Leitura da obra

A leitura desta história poderá proporcionar a experiência divertida de se

assistir a uma comédia familiar e talvez até crie oportunidade para se reviverem,

de forma distanciada e com sentido de humor, experiências pessoais do

convívio em família.

Assim, criar-se-ão condições para se atingirem os objectivos seguintes:

1. Verificar como o sentido de humor com que se encaram certos conflitos

familiares permite ultrapassar dificuldades.

2. Exprimir pontos de vista sobre modos de lidar com formas de relacionamento

em contexto familiar.

3. Experimentar o jogo da interacção verbal simulando situações narradas

na história lida.

4. Explorar recursos verbais e não verbais adequados a um reconto da história

susceptível de divertir espectadores, ouvintes ou leitores.


Previsão do tempo e de sequências-tipo para as sessões

de leitura 1

Atendendo a que as sessões de leitura podem ocorrer em situação escolar

ou para/extra-escolar, com objectivos, participantes e formato de natureza

diversa, dever-se-ão ponderar diferentes opções.

EXEMPLOS:

1. Em situação de aula

Uma sessão de 90 minutos para a leitura integral da narrativa e duas sessões

de 45 minutos para as propostas de trabalho após a leitura integral.

2. Em situação para/extra-escolar

A título de exemplo, pode prever-se que a narrativa seja apresentada por

um contador de histórias em clubes de leitura, bibliotecas, livrarias, em

contexto familiar… Assim, sugere-se uma sessão (de, no mínimo, 90

minutos) para leitura integral, seguida de troca de ideias e de opiniões.

1. Antes da leitura

Convidar os leitores a falarem das suas vivências familiares em fins-de-

-semana e em períodos de férias ou a relatarem casos que considerem cómicos,

surpreendentes, interessantes… Além dos relatos, pedir-se-lhes-á que emitam

os seus pontos de vista.

2. Durante a leitura

Dado o teor da narrativa e os objectivos a atingir, consideram-se pertinentes

breves interrupções que permitam aos leitores:

• esclarecer significados de vocábulos ou expressões desconhecidos;

• implicarem-se no desenrolar dos acontecimentos, antecipando possíveis

reacções das personagens, novas contrariedades, factos imprevisíveis,

formas de resolver problemas, etc.;

• partilhar reacções face aos efeitos cómicos presentes na narrativa.

1 A natureza humorística da narrativa sugere uma leitura em colectivo e em voz alta, de

forma a proporcionar a criação de uma clima de espectáculo: uma plateia a divertir-se

com a comédia a que está a assistir.

3


3. Após a leitura

4

a) Propor aos leitores a concepção de um guião para uma hipotética

adaptação a cinema da narrativa lida.

EXEMPLO DE UM PROCESSO DE OPERACIONALIZAÇÃO

•Caracterização das personagens principais: produção de esboços

dos respectivos retratos físicos e enumeração de traços psicológicos.

Avô

(nome, esboço e texto de caracterização)

Filho

(idem)

Pai

(idem)

Cão

(idem)

Filha

(idem)

Mãe

(idem)

Vizinho

(idem)

Filho

(idem)

•Reconstituição da sequência de acontecimentos com apoio num

roteiro que oriente o enfoque nos 16 episódios em que a narrativa se

encontra dividida; criação de imagens mentais e descrição das cenas

a projectar; planificação da sequência de imagens, tendo em vista

uma hipotética montagem do filme 1 .

b) Propor aos leitores a dramatização de um episódio que considerem

mais divertido.

c) Pedir a criação de uma nova sequência para a história. Por exemplo: E se,

no fim-de-semana seguinte, o distribuidor de pizas voltasse ao prédio e,

por acaso, encontrasse o avô, o que poderia acontecer?

d) Prestar atenção às palavras: chamar a atenção dos leitores para a forma

como um bom contador de histórias cuida a arte de dizer e propor-lhes

uma exploração de recursos verbais em torno de aspectos significativos

nesta narrativa.

1 Páginas 6 e 7 deste Guia.


•Pedir o levantamento, no texto da narrativa, de enunciados, expressões

e vocábulos utilizados com a intenção de produzir determinados

sentidos.

EXEMPLOS: a recriminação, a crítica, o pedido de desculpas, a justificação,

a impaciência, a decepção…

•Pedir a organização de dois grupos de palavras e expressões cujo

sentido se relacione com dois tipos de situação: conflito/equilíbrio.

EXEMPLOS:

Situação de conflito

confusão descontrolar-se cheirar a esturro

zaragata voltar-se contra ir de mal a pior

balbúrdia agredir passar das marcas

contrariedade ficar desnorteado estar de pé atrás

zanga irritar-se perder as estribeiras

(…) (…) (…)

Situação de equilíbrio

sossego acalmar depois da tempestade,

harmonia dialogar a bonança

tranquilidade explicar a falar é que a gente

bem-estar orientar se entende

serenidade pacificar (…)

concórdia chegar a acordo

(…) (…)

•Pedir a identificação, na narrativa, de situações, personagens e acontecimentos

relativamente aos quais se possam aplicar as palavras e

expressões seguintes:

mal-entendido

conciliação

distracção

colaboração

censura

desgosto

aflição

despistado(a)

decidido(a)

observador(a)

atento(a)

carinhoso(a)

firme

esperto(a)

meter os pés pelas mãos

perder a cabeça

ficar de boca aberta

estar de pé atrás

ficar de cara à banda

estar com a mosca

negar a pés juntos

5


Sequência de episódios

1. O narrador apresenta-se e apresenta

a sua família.

CENAS:_____________________

___________________________

2. Após o pequeno-almoço em

conjunto, os membros da família

entregam-se às suas ocupações.

CENAS:_____________________

___________________________

3. Um telefonema do pai é sinal

de que os imprevistos vão

começar.

CENAS:_____________________

___________________________

4. Um telefonema do avô e a chegada

do pai a casa fazem prever

6

que as coisas se vão complicar.

CENAS:_____________________

___________________________

5. A chegada de Álvaro, um acidente

na cozinha e um novo

telefonema do avô pioram a

situação.

CENAS:_____________________

___________________________

6. Entretanto, alguém tem de

começar a reparar estragos…

Um novo telefonema do pai

vem aumentar a tensão em

casa e provocar uma reacção

enérgica da mãe.

CENAS:_____________________

___________________________


7. A chegada do pai a casa sem a

sua missão cumprida piora o

ambiente.

CENAS:_____________________

___________________________

8. Nova falta do pai aos compromissos

e novo telefonema do

avô fazem perder a paciência e

provocam recriminações.

CENAS:_____________________

___________________________

9. Cresce a tensão entre o pai e o

avô ao telefone e os desastres

sucedem-se: parte-se um bibelô

que a mãe muito estimava,

facto que a faz perder o controlo

e provocar novo acidente

com o cozinhado.

CENAS:_____________________

___________________________

10. Situação inesperada: o avô

apresenta-se em casa com um

almoço já pronto!

CENAS:____________________

__________________________

11. A situação complica-se com a

«visita» embaraçosa de um

vizinho, desconfiado de que ali

terá vindo parar o seu almoço.

CENAS:_____________________

___________________________

12. É o avô quem vai sanar o conflito

iminente.

CENAS:____________________

__________________________

13. O cão entra em cena e cria novo

problema.

CENAS:____________________

__________________________

14. Preocupada, a família estuda a

maneira de apagar pistas do

desvio das pizas.

CENAS:____________________

__________________________

15. Quase chegou a haver incêndio

na sala e a mãe lamenta a

perda da toalha de estimação.

CENAS:____________________

__________________________

16. Controlada a situação, cada

membro da família se entregará

ao sono reparador de uma

boa sesta. E a tranquilidade

regressa a casa.

CENAS:____________________

__________________________

7


É importante que a criança

seja estimulada a guardar

as suas memórias de leitura:

comentários a personagens,

episódios, lugares…; textos

inspirados nas histórias lidas; descobertas motivadas

pelas actividades realizadas; ilustrações…

A organização, pela criança, de uma sequência

de registos e de documentos que considere

interessantes permitir-lhe-á construir um

memorando de acontecimentos significativos

na sua aventura pelo mundo da ficção.

Guias de leitura também disponíveis on-line,

em www.junior.te.pt/guiasdeleitura.

More magazines by this user
Similar magazines