26.04.2013 Views

Revista Fecomércio - Junho 2012 (Arquivo .pdf) - SESC

Revista Fecomércio - Junho 2012 (Arquivo .pdf) - SESC

Revista Fecomércio - Junho 2012 (Arquivo .pdf) - SESC

SHOW MORE
SHOW LESS

Create successful ePaper yourself

Turn your PDF publications into a flip-book with our unique Google optimized e-Paper software.

cArTA Do LeiTor<br />

<strong>Fecomércio</strong> 08<br />

28º encontro<br />

caro(a) Leitor(a):<br />

ensando em fazer você se sentir parte da construção das informações im-<br />

P pressas na <strong>Revista</strong> <strong>Fecomércio</strong>, reservamos este espaço.<br />

Aqui, você poderá expor seu ponto de vista em relação aos assuntos abordados<br />

em cada edição. Dessa forma, poderá também tornar pública suas reflexões,<br />

acrescentar outros fatos e até mesmo ser fonte para uma nova matéria.<br />

Seja bem-vindo (a)!<br />

Sesc 24<br />

mesa Brasil<br />

opinião 04<br />

entrevista 05<br />

Dicas 07<br />

evento 08<br />

Pesquisa 12<br />

Fique por Dentro 14<br />

espaço Sindical 15<br />

Turismo 16<br />

Sustentabilidade 18<br />

matéria da capa 28<br />

Foto e História 37<br />

Gestão Sindical (Segs) 42<br />

educação Ambiental 50<br />

coluna ivan Valença 52<br />

Trocando ideias 54<br />

05<br />

18<br />

Senac 33<br />

Fórum empresarial<br />

28<br />

SiSTemA <strong>Fecomércio</strong><br />

Sesc | Senac Sergipe<br />

www.fecomercio-se.com.br<br />

Abel Gomes da rocha Filho<br />

PreSiDeNTe<br />

Fernando Augusto de moraes Silva<br />

1º Vice-PreSiDeNTe<br />

cloves Nascimento Alcântara<br />

2º Vice-PreSiDeNTe<br />

Fernando Silva Barreto<br />

1º SecreTÁrio<br />

José Alves de Almeida<br />

2º SecreTÁrio<br />

Juliano césar Faria Souto<br />

1º TeSoUreiro<br />

Pedro Anísio Alves<br />

2º TeSoUreiro<br />

manoel Barbosa de Andrade<br />

DireTor PArA ASSUNToS Do comércio<br />

ATAcADiSTA e VAreJiSTA<br />

Jorge Flávio Santana cruz<br />

DireTor PArA ASSUNToS FiScAiS<br />

e TriBUTÁrioS<br />

José Heleno Barbosa<br />

DireTor PArA ASSUNToS GoVerNAmeNTAiS<br />

Ariovaldo Ferreira de Souza Filho<br />

DireTor PArA ASSUNToS TrABALHiSTAS<br />

robson Santos Pereira<br />

DireTor PArA ASSUNToS DA<br />

comUNiDADe e SerViÇo<br />

Abel Gomes da rocha Filho<br />

Alex cavalcante Garcez<br />

Fernando Augusto de moraes Silva<br />

Gilson Silveira Figueiredo<br />

Heribaldo machado<br />

Hugo Lima França<br />

José carlos Quintino de moura<br />

José marcos de Andrade<br />

Walleska martins carvalho<br />

coNSeLHo De rePreSeNTANTeS<br />

carlos Amaro Gomes<br />

Heribaldo machado<br />

Afonso cesar oliveira Silva<br />

coNSeLHo FiScAL<br />

excelsa maria machado de Souza<br />

DireTorA reGioNAL Do Sesc<br />

Paulo do eirado Dias Filho<br />

DireTor reGioNAL Do Senac<br />

reViSTA <strong>Fecomércio</strong> Se<br />

revista bimensal da Federação do comércio de Bens,<br />

Serviços e Turismo, em Sergipe<br />

ASSeSSoriA De comUNicAÇÃo<br />

carlos Fiel (DrT 200/Se)<br />

editora:<br />

rita Simone (DrT 601/Se)<br />

reportagem e redação:<br />

Senac - Hipácia Nogueira (DrT 985/Se);<br />

Sesc - maria Aparecida onias (DrT 769/Se)<br />

colaboradores do Sistema <strong>Fecomércio</strong>:<br />

cris moura, Gilson Santos, Hilda mota, Íris rabelo,<br />

marcos Barreto, marcos morais<br />

estagiárias:<br />

emilly moura e Julie Braga<br />

Design:<br />

clarissa rocha (projeto de capa)<br />

isabela ewerton (projeto gráfico)<br />

Fabrício Santiago<br />

revisão:<br />

ronaldson Sousa<br />

créditos fotográficos:<br />

christina Bocayuva, maria odília, Divulgação/<br />

<strong>Arquivo</strong>s/<strong>Fecomércio</strong>-Sesc-Senac<br />

Diagramação e impressão:<br />

Joselito miranda - info Graphics<br />

Tiragem bimensal:<br />

2.000 exemplares<br />

colaboradores da revista <strong>Fecomércio</strong><br />

<strong>Junho</strong> de <strong>2012</strong>: Ayale Andrade , Fabrício Santiago,<br />

ivan Valença, Jailson menezes, Kênia Dantas,<br />

rafael Pereira e Tanit Bezerra<br />

As matérias assinadas são de inteira responsabilidade<br />

do autor. é proibida a reprodução do conteúdo desta<br />

revista, sem a devida citação da fonte.<br />

revista <strong>Fecomércio</strong>: rua Dom José Thomaz, 235<br />

4º Andar<br />

Aracaju/Se – ceP: 49015-090<br />

Fone: 79.3216.2732 3<br />

e-mail: fecomerciose@infonet.com.br


oPiNiÃo<br />

04<br />

TemPo De ASceNDer:<br />

TemPo De TrADiÇÃo<br />

com entusiasmo que apresentamos a você, a segunda edição da <strong>Revista</strong> <strong>Fecomércio</strong>. Ficamos muito<br />

é satisfeitos com o resultado do lançamento e estamos de volta, trazendo um retrato dos principais<br />

acontecimentos do SiSTemA <strong>Fecomércio</strong>/Sesc/Senac nos meses de abril e maio.<br />

Aqui, você poderá acompanhar o trabalho do Mesa Brasil com o grupo de voluntários. conhecerá<br />

o importante passo que o Senac vem dando em direção ao processo de diálogo com empresários e<br />

governo, através do Fórum Empresarial. conhecerá o PAS, um programa realizado pelo Senac e reconhecido<br />

em todo o país. Saberá das últimas programações do Sesc no campo das artes cênicas (Palco<br />

Giratório), fotografia, música e também do Plano de Sustentabilidade ECOS, que uniu o conhecimento<br />

tradicional de Dona Joseja, parteira sergipana, e a monja coen, Zen Budista paulista, em um trabalho<br />

de sensibilização com nossos colaboradores.<br />

como não poderia deixar de ser, os Festejos Juninos são a pauta que aquece nossas páginas. o colorido<br />

que chegou a nossas cidades sergipanas enche de alegria nossos lares e traz o familiar aroma das<br />

nossas comidas típicas.<br />

o comércio também está aceso nesse período, como demonstra a análise do instituto <strong>Fecomércio</strong> de<br />

Pesquisa, na matéria de capa.<br />

Nesta rF, você poderá ler a entrevista que o presidente da confederação Nacional do comércio de<br />

Bens, Serviços e Turismo, Dr. Antônio oliveira Santos, nos concedeu, falando sobre economia, educação<br />

e as demandas da cNc. Poderá saber todos os detalhes do 28º Encontro Nacional dos Sindicatos<br />

Patronais em Natal.<br />

Não deixe de ler as dicas de turismo de Tanit Bezerra, experiente jornalista e especialista na área.<br />

Um ótima leitura!<br />

ABeL GomeS<br />

Presidente da<br />

<strong>Fecomércio</strong>/Sesc/Senac


entrevistado desta segunda edição da <strong>Revista</strong> Feco-<br />

o mércio é o presidente da confederação Nacional do<br />

comércio, Bens e Serviços e Turismo, Antônio oliveira<br />

Santos. ex-professor de Física da Universidade Federal<br />

do espírito Santo, profundo conhecedor e construtor da<br />

história do empresariado brasileiro, Dr. Antônio falou<br />

conosco, sobre sua trajetória, o cenário econômico, o<br />

papel do Sistema S para a educação brasileira e sobre a<br />

Rio+20.<br />

reViSTA <strong>Fecomércio</strong>: o senhor poderia nos falar<br />

sobre sua trajetória?<br />

ANToNio oLiVeirA SANToS: comecei minha vida<br />

profissional em 1948, logo após ter sido diplomado em<br />

engenharia civil e elétrica, pela escola Nacional de engenharia<br />

da Universidade do Brasil. No ano seguinte, em<br />

1949, fui contratado como engenheiro da cia Siderúrgica<br />

Nacional, em Volta redonda, e, em seguida, engenheiro<br />

da cia Ferro e Aço de Vitória-eS (1949/1952),<br />

da qual fui Diretor industrial (1952/1955). em 1956,<br />

fui nomeado Superintendente da estrada de Ferro<br />

Vitória-minas (cVrD-1956/1958), em 1965, Diretor<br />

Técnico da escelsa – espírito Santo centrais elétricas<br />

em 1965, Diretor de orlando Guimarães S/A<br />

(1965/1973). De 1958 a 1974, assumi a presidência<br />

da Tyresoles do espírito Santo. Nesse período, fui membro<br />

do conselho do BNDeS e representante do Governo<br />

do estado no GereS.<br />

No campo das atividades sindicais, assumi a Presidência<br />

da Federação do comércio do espírito Santo em 1968,<br />

onde permaneci até 1980, tendo sido também Presidente<br />

do conselho regional do Sesc e do Senac.<br />

em 1972, fui nomeado Vice-Presidente da confederação<br />

Nacional do comércio, da qual fui eleito Presidente<br />

em 1980, assim como do Sesc e Senac nacionais.<br />

No campo das atividades particulares, fui Diretor da<br />

Agroave e da oliveira Santos imóveis e Participações.<br />

No campo acadêmico, fui professor titular de Física da<br />

Universidade Federal do espírito Santo (1966/1989).<br />

em 1983, fui nomeado membro do conselho monetário<br />

Nacional, onde permaneci até 1992, tendo participado<br />

de inúmeras Delegações oficiais do Governo do<br />

Brasil a vários países.<br />

Foto: christina Bocayuva<br />

Antônio oliveira Santos, presidente da cNc<br />

rF: como ex-professor titular de Física da Universidade<br />

Federal do espírito Santo, quais os principais<br />

problemas que o senhor aponta na educação brasileira?<br />

AoS: A vida acadêmica me deu a dimensão do<br />

importante problema que é a educação no Brasil<br />

e o entendimento do papel fundamental que a<br />

educação representa para o desenvolvimento econômico<br />

do país, a exemplo do que ocorre nos<br />

países mais progressistas do mundo.<br />

o ensino no Brasil tem falhas graves, que começam<br />

com a deficiência do sistema de creches,<br />

aumentam na esfera do ensino básico, que compreende<br />

o ensino fundamental e o médio, assim<br />

como no quadro da formação de professores e do<br />

eNTreViSTA<br />

05


06<br />

ensino profissional. Apenas para se ter uma ideia da<br />

dimensão desse problema, basta dizer que, no Brasil,<br />

45% da população não tem o ensino fundamental<br />

completo.<br />

rF: Presidir os conselhos do Sesc e Senac o aproxima<br />

da educação?<br />

AoS: o Sesc e o Senac são duas experiências de<br />

extraordinária importância no campo da educação,<br />

o Sesc voltado mais para o lado social e o Senac no<br />

campo da formação profissional. considero que a<br />

instituição do Sistema S foi uma das iniciativas mais<br />

construtivas dos Governos Vargas e eurico Dutra,<br />

nos idos de 1940, em resposta à mobilização dos<br />

empresários privados da indústria e do comércio,<br />

consubstanciada na carta de Teresópolis aprovada<br />

em 6 de maio de 1945, um documento histórico<br />

em defesa da livre iniciativa, da garantia dos direitos<br />

dos trabalhadores, com vistas ao desenvolvimento<br />

do país.<br />

A educação é, hoje, o grande vetor das atividades<br />

do sistema S, como tem sido há mais de 65 anos. é<br />

impressionante a contribuição do Sesc e do Senac,<br />

por meio de suas unidades em todos os estados e<br />

no Distrito Federal. Um exemplo emblemático desse<br />

trabalho educacional é a escola Sesc de ensino médio,<br />

no rio de Janeiro, em regime de internato para<br />

500 alunos, professores e diretores, cujos resultados<br />

podem ser aferidos pelas primeiras colocações alcançadas<br />

nas provas do eNem.<br />

rF: Quais são os principais serviços oferecidos pela<br />

cNc aos empresários do comércio do Brasil?<br />

AoS: A confederação Nacional do comércio de<br />

Bens, Serviços e Turismo (cNc) desenvolve uma<br />

atividade da maior importância como elo de comunicação<br />

e negociação entre o setor empresarial privado<br />

e os organismos do Governo e as entidades de<br />

representação do sistema trabalhista.<br />

No contexto desse amplo objetivo, está o empenho<br />

da cNc em apoiar e defender a livre iniciativa, a<br />

integração social e o sistema da unicidade sindical,<br />

em harmonia com as entidades dos Três Poderes da<br />

república. Nesse sentido, a cNc coloca à dispo-<br />

sição das Federações associadas uma extensa gama<br />

de serviços técnicos nas áreas sindical, jurídica e<br />

econômica.<br />

rF: A crise econômica europeia tem influenciado o<br />

comércio brasileiro?<br />

AoS: A crise mundial impactou pesadamente o comércio<br />

exterior do Brasil, provocando uma queda<br />

de 22,7% em nossas exportações, em 2009. A<br />

partir de 2010, as exportações cresceram 32,0%<br />

e em 2011 26,8%. Assim, até o momento, nem a<br />

crise americana, nem a europeia repercutiram negativamente<br />

na economia brasileira.<br />

rF: Neste mês de junho estará acontecendo no Brasil<br />

(rio de Janeiro) a Rio+20. A cNc irá participar?<br />

Quais são as atitudes que estão sendo provocadas<br />

pela cNc, junto ao empresário brasileiro, no<br />

que concerne ao tema sustentabilidade?<br />

AoS: Na segunda metade de junho, realiza-se no<br />

rio de Janeiro a Reunião de Cúpula das Nações Unidas<br />

(Rio + 20), sobre desenvolvimento sustentável. A<br />

julgar pelo documento “rascunho Zero”, que vem<br />

sendo discutido pelos países interessados, a pauta<br />

da reunião será bastante abrangente, com foco<br />

sobre problemas econômicos, sociais e ambientais.<br />

em princípio, acredita-se que não haverá fixação de<br />

metas que possam representar compromissos dos<br />

países signatários, nem mesmo em relação ao tema<br />

“mudanças climáticas”, sobre o qual temos grande<br />

preocupação. Do mesmo modo, não deverá haver<br />

avanço em relação ao Protocolo de Kyoto. Haverá,<br />

entretanto, uma grande ênfase para transformar o<br />

PNUmA, departamento da oNU para os assuntos<br />

do meio ambiente, em uma Agência reguladora,<br />

do tipo oiT, omc e omS. Uma ideia que não nos<br />

agrada.<br />

outra proposta consiste na criação de um Fundo<br />

Verde, com dotação anual de US$ 100 bilhões,<br />

que certamente não será aprovado na Rio + 20.<br />

em termos ambientais, a maior preocupação do setor<br />

comércio reside na solução a ser dada aos resíduos<br />

sólidos, tema conhecido como logística reversa,<br />

objeto de exame por um Grupo de Trabalho GTT-<br />

-mA, no qual a cNc participa ativamente.


eDUcAÇÃo iNcLUSiVA e DeFiciêNciA ViSUAL<br />

ÁGUA moLe em<br />

PeDrA DUrA |<br />

DeZ HiSTóriAS DA<br />

LUTA PeLo meio<br />

AmBieNTe<br />

manoel Francisco Brito<br />

marcos Sá corrêa<br />

editoras: Senac rio /<br />

Aeroplano<br />

Valor: r$ 62,00<br />

onde encontrar: www.rj.Senac.br<br />

o livro Educação Inclusiva e Deficiência Visual trata de uma coletânea de dez estudos<br />

realizados sobre a temática, produzidos por educadores e pesquisadores que vivenciam<br />

a dinâmica da inclusão da pessoa com deficiência física nos dias atuais. A narrativa<br />

faz uma análise do que é visto e dito, para que consigamos dialogar e, quem sabe,<br />

entender a educação inclusiva como uma educação para uma cultura de paz.<br />

organizadora do livro: rita de cácia Santos Souza<br />

Autores: Angélica de Jesus Santana, Antenor de oliveira Silva Neto, cândida Luisa<br />

Pinto cruz, clarissa Andrade carvalho, clécia Souza Santos, Germana Gonçalves<br />

de Araújo, João Flávio Valença dos Santos, Lucas Aribé Alves, maria Luiza Pontes<br />

de França Freitas, maria Stella coutinho de Alcântara Gil, mariana Aribé Alves, marleide dos Santos cunha,<br />

Patrícia matos Souza Nunes, rita de cácia Santos Souza, rosa Karla cardoso Almeida<br />

o livro relata as histórias de dez brasileiros que<br />

abriram caminhos importantes para a conservação<br />

da natureza. entre elas, a da engenheira agrônoma<br />

que criou 8 milhões de hectares de parques<br />

nacionais e reservas biológicas em várias regiões<br />

brasileiras; a de um professor que deu origem a<br />

uma fundação no Paraná, patrocinando mais de mil<br />

projetos na defesa do patrimônio natural, e a de um<br />

ator que transformou sua fazenda na região Serrana<br />

do rio de Janeiro em um verdadeiro laboratório de<br />

agricultura orgânica.<br />

TV DiGiTAL<br />

No BrASiL |<br />

TecNoLoGiA<br />

VerSUS PoLÍTicA<br />

renato cruz<br />

editora Senac – São Paulo<br />

Valor: r$ 49,90<br />

onde encontrar: www.<br />

editoraSenacsp.com.br<br />

Ao reunir inúmeras informações sobre a televisão e<br />

acompanhar os bastidores do processo de escolha<br />

da tecnologia japonesa para operar a TV digital no<br />

Brasil, renato cruz se viu com os elementos de uma<br />

telenovela nas mãos. Uma trama aqui desenvolvida<br />

com detalhes em high-definition. Para esclarecer o<br />

cenário atual, o autor reconstitui a chegada da televisão<br />

ao país e narra a formação das principais emissoras<br />

brasileiras, que hoje se veem obrigadas a se adaptar à<br />

chamada convergência (a possibilidade de transmissão<br />

de voz, vídeo e dados a partir de qualquer meio e de<br />

forma intercambiável).<br />

DicAS<br />

07


eVeNTo<br />

08<br />

o entusiamo da comitiva de Sergipe na abertura do evento<br />

Um Atlântico azul turquesa de beleza rara.<br />

Uma luz solar brilhante. Tudo isso pode<br />

ser o cenário perfeito para um narrador em<br />

férias paradisíacas. mas, de fato, este quadro foi admirado<br />

como obra de arte, desde a sala climatizada<br />

do ambiente adaptado para o almoço, ou melhor,<br />

brunch, do centro de convenções de Natal, que re-<br />

Fotos: Divulgação/<strong>Fecomércio</strong><br />

28º eNcoNTro reúNe ceNTeNAS<br />

De PeSSoAS em NATAL<br />

Participaram presidentes e representantes de 600 sindicatos<br />

integrantes do Sistema confederativo do comércio<br />

mesa diretora do encontro<br />

cebeu entre os dias 16 e 18 de abril, centenas pessoas,<br />

ávidas por discutirem os rumos da organização<br />

sindical do empresariado do comércio.<br />

os espaços permaneceram lotados por todo o período<br />

em que aconteceu o 28º Encontro de Sindicatos<br />

Patronais, realizado pelo Sindicato do comércio<br />

Varejista e de Serviços do rio Grande do Norte<br />

(Sicomércio-rN). Na oportunidade, diversos temas<br />

procuravam reeditar processos e agendas tradicionais<br />

e trazer discussões contemporâneas. ouvia-se<br />

sempre nos corredores a conclusão de que o futuro<br />

já chegou. é agora!<br />

A solenidade de abertura do encontro foi realizada<br />

na noite do dia 16 com a presença de autoridades<br />

governamentais e do presidente da confederação do<br />

comércio de Bens, Serviços e Turismo - cNc, Antônio<br />

oliveira Santos. Na oportunidade, ele recebeu<br />

o título de cidadão norte-rio-grandense, outorgado


pela Assembleia Legislativa, por proposição do presidente<br />

da casa, Deputado ricardo mota.<br />

“é com muita honra e alegria que recebo o título outorgado<br />

pela Assembleia Legislativa do rio Grande<br />

do Norte. Desejo registrar que é um privilégio e uma<br />

grande satisfação estar presente a este encontro, ao<br />

qual comparecem os presidentes e representantes de<br />

600 sindicatos integrantes do Sistema confederativo<br />

do comércio”, ressaltou oliveira Santos.<br />

eleito patrono do encontro, o assessor da diretoria<br />

do Sindicato dos Lojistas do comércio do município<br />

do rio de Janeiro – Sindilojas-rio, Luiz Bravo, fez<br />

um discurso que emocionou aos presentes. Aplaudido<br />

de pé, ele foi reconhecido por sua trajetória,<br />

consciência crítica e inegável contribuição para o<br />

fortalecimento do movimento do segmento em nosso<br />

país. Bravo vem assessorando os encontros nacionais<br />

desde o primeiro, realizado em 1985.<br />

Nesta noite, houve ainda outro momento de grande<br />

vibração quando, ao chamado do cerimonial, cada<br />

delegação vinda dos diversos cantos do país, deu seu<br />

grito, anunciando o tom afinado da orquestra Sinfônica<br />

da Universidade Federal do rio Grande do Norte,<br />

que se apresentou em seguida com a participação<br />

GrANDe iNTerAÇÃo SociAL<br />

A comunicação eficaz está na agenda das lideranças<br />

No dia seguinte 17, a programação foi reiniciada<br />

às 9h. era perceptível a troca de informações no<br />

intervalo entre uma seção e outra. o hall, montado<br />

com inúmeras informações e até um estande de<br />

massagem e estética do Senac, proporcionava às<br />

pessoas um momento de grande socialização.<br />

Apesar de virem de espaços distintos, as histórias<br />

individuais revelavam objetivos coletivos. eram pequenos<br />

e médios empresários que buscavam alternativas<br />

para melhor se comunicarem com seus pares,<br />

para fortalecerem a cultura associativista, sindicatos<br />

e os caminhos que eles escolheram trilhar com seus<br />

concerto da osufrn com camila masiso<br />

da cantora camila masiso, revelando uma simbologia<br />

intrincada ao espírito da convenção. A bela voz da<br />

cantora é a prova viva de que neste mundo não há<br />

mais espaço para improvisações desafinadas.<br />

o resultado dessa cena ficou gravado no quadro do<br />

artista plástico Flávio Freitas, que fez um trabalho<br />

inspirado no show, dando cores e formas a uma tela<br />

inicialmente vazia, instalada no palco ao lado direito<br />

da orquestra. o resultado foi uma bela obra de arte.<br />

parceiros, clientes e com a sociedade em geral.<br />

À frente da comitiva de Sergipe, formada<br />

por várias lideranças do segmento, estava o<br />

presidente da Federação do comércio de Bens,<br />

Turismo e Serviços, Abel Gomes, que planejou<br />

cuidadosamente os detalhes para que<br />

a participação do grupo fosse a mais<br />

proveitosa possível. “esse encontro é<br />

muito importante para nós, inclusive<br />

há dois anos realizamos o 26º em<br />

Aracaju. Nos esforçamos para mantê-lo<br />

vivo e atualizado, pois assim<br />

Fotos: Divulgação/<strong>Fecomércio</strong><br />

09


10<br />

Discurso do presidente da cNc integrantes da delegação de Sergipe<br />

reunião plenária do encontro<br />

teremos sempre um momento para aprendermos<br />

com a experiência dos nossos pares”, disse.<br />

manoel colares, um dos fundadores do encontro,<br />

esteve em Natal e disse à rF que a ideia surgiu<br />

há 28 anos, devido a necessidade de se fazer um<br />

movimento para que os sindicatos patronais se<br />

reunissem. “Discuti isso com o presidente do rio<br />

de Janeiro, na época, mozart Amaral, e ele fez o<br />

primeiro evento, com cerca de 70 pessoas. Hoje<br />

culminou com esse grande movimento. Por isso,<br />

me sinto muito realizado por ter feito parte dessa<br />

história”, declarou.<br />

Flávio obino (Sindilojas de Porto Alegre), coordenador<br />

da reunião de assistentes jurídicos, disse<br />

que participa dos trabalhos desde o 3º encontro,<br />

realizado em caxias do Sul, há 25 anos. este ano<br />

trouxemos novas temáticas para nossa agenda, como<br />

a Política Nacional de resíduos Sólidos, disse, ressaltando<br />

que este tema é muito importante, pois existe<br />

uma legislação que deve ser cumprida pela sociedade<br />

como um todo e que envolve as empresas e<br />

Flávio obino, primeiro à esquerda, e comitiva de Sergipe<br />

suas responsabilidades. “Parece-me que há uma necessidade<br />

de democratizar informações a respeito desse tema, pois há<br />

muito desconhecimento. Hoje, portanto, existe um grande<br />

compromisso da sociedade com a preservação ambiental e o<br />

movimento empresarial está dentro desse movimento, não só<br />

da indústria, como do comércio”, explicou.<br />

No que se refere ao quesito formação<br />

técnica, a programação foi muito<br />

ampla, pois tratou do fortalecimento<br />

sindical, autossustentação e representatividade,<br />

e ainda foi<br />

mais além, levando para as<br />

palestras e debates desde<br />

ministros de estado, experientes<br />

lideranças,<br />

a jovens especialistas<br />

Frederico Penna Leal<br />

em redes sociais, com<br />

formação em escolas americanas. Dessa forma, os mais de<br />

mil inscritos, tiveram acesso a temas relativos à reforma<br />

Previdenciária, Facebook, e-commerce, resíduos Sólidos,<br />

Sustentabilidade, dentre tantos outros.<br />

Ao comentar o painel e-commerce, Frederico Penna Leal<br />

disse que é um curioso nesse assunto. “minha área é de<br />

tecnologia. Trabalho com celulares e tive loja física durante<br />

muito tempo e vejo que esse é um assunto que precisa ser<br />

discutido, ele não se encerra por si só, porque as tecnologias<br />

têm aumentado em uma velocidade muito grande, as<br />

mudanças do relacionamento do fornecedor com o varejista<br />

e deste com o consumidor estão aumentando tremendamente.<br />

As redes sociais vieram para mudar totalmente essa<br />

relação, e o meu objetivo foi trazer essa discussão para que<br />

a gente abra um pouquinho a cabeça e discuta sobre isso e<br />

adapte melhor a empresa, o negócio”, disse.<br />

Fotos: Divulgação/<strong>Fecomércio</strong>


A comiTiVA SerGiPANA<br />

VoLToU eNTUSiASmADA<br />

Para Abel Gomes, a programação realmente foi muito interessante. “estão de parabéns o presidente do<br />

Sindicato do comércio Varejista e de Serviços do estado do rN (Sicomércio rN), George ramalho; o<br />

presidente do Sistema <strong>Fecomércio</strong> rN, marcelo Fernandes de Queiroz, e suas equipes, pois sabemos do<br />

desafio em se promover um evento como este, já que há dois anos realizamos o encontro em Aracaju.<br />

concordando com Gomes, Gilza costa, superintendente<br />

executiva do Sindilojas Se, integrante da<br />

comitiva sergipana, disse que esse evento foi muito<br />

importante. “Saio daqui com a certeza de que nosso<br />

movimento precisa se renovar, se reciclar, se atualizar.<br />

Dentro do Sindicato Patronal temos pessoas<br />

brilhantes, a gente não pode desprezar os valores<br />

dessas pessoas que fundaram a história, mas precisamos<br />

olhar para a frente. Ficou claro para mim que<br />

há uma turma nova de executivos e de veteranos,<br />

que estão abrindo espaço e realmente irão fazer a diferença<br />

daqui para a frente, buscando a autossustentação<br />

do segmento produtivo, com uma visão mais<br />

aberta e mais moderna para a continuidade desses<br />

sindicatos. Também fiquei muito animada com a<br />

presença feminina no encontro”, comentou costa.<br />

Sergipanos no encerramento do 28º encontro<br />

No dia 18, após a solenidade de encerramento do<br />

evento, um jantar foi servido aos convidados que<br />

se despediram. o vice-presidente da <strong>Fecomércio</strong>/<br />

Se, Fernando Silva, disse que tem certeza de que o<br />

encontro dos Sindicatos Patronais, que se realizará<br />

em curitiba, ano que vem, irá manter acesa a ideia<br />

de que o associativismo é um grande legado deixado<br />

pelos pioneiros do empresariado do comércio<br />

brasileiro, que nos anos 40 se uniram e inspirados<br />

na carta da Paz Social criaram a cNc e instituições<br />

como o Sesc e Senac.<br />

Luiz Bravo, patrono<br />

do encontro; Gilza<br />

costa e Zenóbio<br />

Alfano<br />

11


PeSQUiSA<br />

12<br />

iNSTiTUTo <strong>Fecomércio</strong><br />

De PeSQUiSA e<br />

DeSeNVoLVimeNTo (iFPD)<br />

iFPD realizou pesquisa presencial entre os dias 03 a 05 de abril de <strong>2012</strong> para avaliar o impacto das alte-<br />

o rações de trânsito nos negócios dos lojistas. Para tanto, foi aplicado um questionário estruturado contendo<br />

questões fechadas e um campo para sugestões. Foram entrevistados 263 empresários do centro de Aracaju. A<br />

amostragem foi aleatória. os resultados estão apresentados em tabelas que contêm valores reais e percentuais e<br />

gráficos com valores somente em percentual.<br />

• Quando questionados sobre o seu grau de satisfação com as mudanças de trânsito promovidas pela SMTT,<br />

79% dos empresários entrevistados responderam que estão insatisfeitos com tais mudanças. cerca de 16%,<br />

estão satisfeitos e 5% estão pouco satisfeitos.<br />

• A proibição e retirada de estacionamentos em diversas ruas da cidade de Aracaju resultou na insatisfação de<br />

75% dos empresários do centro da cidade. 13% no entanto, estão satisfeitos e 12% pouco satisfeitos.<br />

2


• Ainda quanto à retirada e proibição de estacionamentos em diversas ruas do centro da cidade, os empresários<br />

responderam sobre a sua visão do grau de satisfação de seus clientes. De acordo com os 263 empresários entrevistados,<br />

80% dos seus clientes estão insatisfeitos com a mudança nos locais de estacionamento.<br />

• 88% dos empresários disseram não ter obtido melhoria no volume de negócios em função das mudanças no<br />

trânsito.<br />

• Indiferente da tabulação em gráfico houve no formulário de pesquisa feita com os empresários, na sua última<br />

questão, a seguinte pergunta: “Quais as sugestões que você daria para a melhoria do trânsito e dos estacionamentos<br />

nas ruas do centro de Aracaju?”. com base nas respostas, foram encontradas as seguintes sugestões:<br />

* outras sugestões: mais segurança e melhor planejamento, criação de edifício de garagem, tirar carroças do<br />

centro, melhorar a frota dos ônibus, melhorar o trânsito do centro, criar horários de carga e descarga, baixar os<br />

preços das multas, tirar ônibus da avenida ivo do Prado.<br />

13


FiQUe Por DeNTro<br />

14<br />

caiu na rede<br />

Para um melhor retorno de comunicação na era digital é<br />

indispensável também a internet, em especial as redes sociais<br />

Houve um tempo em que para se divulgar alguma<br />

atividade, serviço ou produto, exigia-se<br />

uma grande movimentação financeira com peças<br />

publicitárias de todas as mídias e formatos. criação<br />

e impressão de milhares de impressos, rádio, TV, ou<br />

seja, exigia-se uma verba publicitária muito maior<br />

que nos dias atuais. com a chegada das famosas<br />

redes sociais, esse planejamento mudou. e como<br />

mudou!<br />

o primeiro passo para uma empresa entrar em<br />

atividade nas principais plataformas digitais são o<br />

Twitter e Facebook, que são gratuitos. mas, para<br />

atingir bons resultados, sejam financeiros ou de comunicação<br />

em curto, médio e longo prazo, é necessário<br />

atentar para uma gestão profissional das mídias<br />

sociais. Para isso, é preciso contratar uma agência<br />

especializada, ou investir na contratação de um técnico<br />

especializado em comunicação na área de redes<br />

sociais, a exemplo do que fez o Sesc em Sergipe.<br />

Uma das grandes vantagens das redes sociais, em<br />

comparação com as demais mídias, é o seu excelente<br />

custo/benefício. De forma gratuita, atingem<br />

milhares de pessoas em tempo real. São interativas<br />

e o retorno é quase instantâneo, com mensagens de<br />

incentivo, dúvidas, críticas e sugestões. o seguidor<br />

ainda pode compartilhar para os seus amigos, multiplicando<br />

a abrangência do que é transmitido.<br />

Um exemplo de sucesso comentado na matéria<br />

“caiu na rede” do Jornal Sesc Brasil, uma publicação<br />

mensal do Departamento Nacional da instituição,<br />

direcionada a todos os funcionários do Sesc,<br />

são as excursões do Turismo Social em Sergipe, que<br />

são divulgadas nas redes e se esgotam em no máximo<br />

dois dias, tendo casos em que as vagas são preenchidas<br />

até duas horas. outro exemplo do Sesc é<br />

a divulgação de grandes eventos como o Sescanção,<br />

uma mostra de música realizada de dois em dois<br />

anos. A grande maioria dos compositores inscritos<br />

teve conhecimento do projeto, em 2011, através<br />

dos canais do Sesc no Twitter e Facebook, que já<br />

passam de 9000 seguidores. o mesmo acontece<br />

com os cursos e demais serviços divulgados pela<br />

internet.<br />

FABrÍcio SANTiAGo<br />

Publicitário e Webmaster<br />

da Gerência de Promoção<br />

institucional do Sesc/Se


eSPAÇo SiNDicAL<br />

SUBSTiTUiÇÃo TriBUTÁriA<br />

representantes de alguns ramos da atividade comercial<br />

sergipana, liderados pela câmara de Dirigentes<br />

Lojistas (cDL) e Federação do comércio de<br />

Sergipe (<strong>Fecomércio</strong>), foram recebidos pelo secretário<br />

de estado da Fazenda, João Andrade Vieira da<br />

Silva, para apresentar alguns problemas enfrentados<br />

pelo segmento de calçados e colchões a partir da<br />

implantação da substituição tributária.<br />

os problemas levados ao secretário da Fazenda são<br />

relativos aos prazos para levantamento de estoque e<br />

pagamento do imposto do ramo calçadista, enquanto<br />

o setor de comércio de colchões solicitou um estudo<br />

para revisão do valor agregado do produto. A<br />

reunião também serviu para aproximar as atividades<br />

comerciais da Sefaz, facilitando o entendimento sobre<br />

as ações da pasta.<br />

Após ouvir as colocações dos lojistas, o secretário João<br />

Andrade explicou que independente das questões levantadas,<br />

os técnicos da Secretaria serão colocados à<br />

disposição para a discussão de pontos relativos aos segmentos<br />

do comércio, como ocorre com o fórum mensal<br />

criado desde o início do ano para discutir a substituição<br />

tributária no ramo de material de construção.<br />

empresários reunidos com o secretário da Fazenda<br />

o secretário da Fazenda sugeriu que fosse realizada<br />

uma reunião técnica e a partir dela seja feito um<br />

estudo das solicitações, dando o encaminhamento<br />

necessário ao que for possível atender.<br />

A reunião também abriu a oportunidade para que a<br />

classe lojista conhecesse alguns pontos de vista do governo<br />

sobre mecanismos de defesa da economia sergipana,<br />

iniciativas de combate à evasão e sonegação<br />

fiscais e as discussões em âmbito nacional da guerra<br />

fiscal, bem como as propostas e ideias que os estados<br />

estão apresentando, especialmente Sergipe.<br />

reunião com o secretário da Fazenda foi proveitosa<br />

Foto: Ascin/Sefaz<br />

AmPLiADo PrAZo PArA PAGAmeNTo Do icmS<br />

DoS eSToQUeS<br />

regime de Substituição Tributária implantado<br />

o pelo Governo de Sergipe, através da Secretaria<br />

de estado da Fazenda (Sefaz), também criou problemas<br />

para o setor de material de construção. Pelo<br />

Decreto estadual de nº 28.199/2011, que instituiu<br />

a Substituição Tributária, referendado pelas Portarias<br />

684/2011; 736/2011 e 82/<strong>2012</strong>, todas as empresas<br />

do setor deveriam apurar e recolher, em apenas 10<br />

parcelas iguais e sucessivas, o icmS das mercadorias<br />

existentes nos estoques em 31 de janeiro de <strong>2012</strong>.<br />

como os empresários do ramo de material de construção<br />

insurgiram-se contra o pagamento do imposto<br />

relativo ao estoque, no prazo determinado pela<br />

Secretaria da Fazenda, uma reunião foi realizada entre<br />

o titular da Sefaz, João Andrade Vieira da Silva<br />

e a superintendente de Gestão Tributária, Silvana<br />

maria Lisboa Lima, com os representantes da Federação<br />

do comércio, Abel Gomes; do Sincomac,<br />

Fernando moraes e da Acomac, Jorge Flávio cruz<br />

a fim de discutir uma ampliação do prazo. No final<br />

do encontro, as partes chegaram a um consenso e o<br />

pleito empresarial para o recolhimento do icmS dos<br />

estoques foi ampliado para 15 meses, sem qualquer<br />

acréscimo a título de juros e multa.<br />

15


16<br />

TUriSmo<br />

Forró caju atrai milhares de pessoas diariamente<br />

A ALeGriA Do SÃo JoÃo<br />

e oS 100 ANoS De GoNZAGÃo<br />

No mês de junho, a tradição dos festejos juninos faz a festa em<br />

Sergipe. em <strong>2012</strong>, quando se comemora o centenário do mestre<br />

Luiz Gonzaga, a festa rende homenagens ao rei do Baião.<br />

ArAcAJU<br />

Na capital Aracaju, a homenagem teve início com o<br />

XI Fórum do Forró, que aconteceu nos dias 05 e 06<br />

de junho de <strong>2012</strong>, no Teatro Atheneu. Palestras,<br />

depoimentos e homenagens de músicos e pesquisadores<br />

da obra de Gonzagão.<br />

Foto: Tanit Bezerra<br />

o Forró Caju <strong>2012</strong> coloca em cena o melhor da cultura<br />

popular do Nordeste com atrações locais e nacionais, o<br />

evento acontece na Praça Hilton Lopes, localizada nos<br />

mercados municipais, centro Histórico de Aracaju, de<br />

15 a 29 de junho. confira a programação no site www.<br />

aracaju.se.gov.br/<strong>pdf</strong>/programação_forrocaju<strong>2012</strong>.<strong>pdf</strong>.<br />

Foto: Tanit Bezerra


iNTerior<br />

o São João de estância teve início dia 31 de maio<br />

e se prolonga durante todo o mês de junho com<br />

Barcos de Fogo, espadas, Buscapés, Batucadas,<br />

quadrilhas juninas, reisados, trios pé-de-serra, concursos<br />

juninos, show de bandas e muito mais. informações<br />

pelo site www.estancia.se.gov.br<br />

o Forró Siri foi aberto dia 1º de junho no conjunto<br />

João Alves em Nossa Senhora do Socorro e continua<br />

no período de 27 a 30 de junho festejando São<br />

Pedro. Detalhes no site www.socorro.se.gov.br<br />

capela realiza a festa de São Pedro de 29 de junho<br />

a 01 de julho de <strong>2012</strong>. Shows e a Festa do mastro<br />

fazem a alegria na cidade. Acesse www.capela.<br />

se.gov.br<br />

Até 30 de junho, canindé de São Francisco realiza<br />

o São João da Cidadania com festas na sede do<br />

município e em vários povoados, com quermesses,<br />

quadrilhas juninas, concursos e shows. Saiba mais<br />

pelo site www.caninde.se.gov.br<br />

As tradicionais fogueiras de São João<br />

Fotos: Tanit Bezerra<br />

elba ramalho estará no Forró caju <strong>2012</strong><br />

TANiT BeZerrA<br />

Jornalista e especialista<br />

em Turismo<br />

17


SUSTeNTABiLiDADe<br />

18<br />

Foi esta declaração que a monja coen fez após ouvir<br />

a palestra da parteira e erveira sergipana Dona<br />

Josefa da Guia. Ambas foram convidadas pelo Sesc<br />

para participarem do I Fórum de Sustentabilidade<br />

ECOS, dia 10 de maio, das 14 às 18h, no auditório<br />

do Hotel Quality, em Aracaju. Dona Josefa falou<br />

sobre “ervas medicinais e o ciclo da vida” e a monja<br />

coen sobre “Fluir com o Fluxo da Vida”.<br />

o iacema - instituto de Artes cênicas de Aracaju<br />

também fez participação especial no evento. Apresentou<br />

o espetáculo “Seu mateus e Dona Deusa no<br />

reisado do Boi Natureza”, e interagiu com a plateia<br />

do início ao final do evento. o trabalho foi realizado<br />

com grande êxito. 97% do público considerou ótimo<br />

o fórum, conforme dados fornecidos pelo setor<br />

de pesquisas da DPD/Sesc.<br />

Segundo o presidente do sistema <strong>Fecomércio</strong>, Abel<br />

“A SABeDoriA com o<br />

eU mAior, com o<br />

eU VerDADeiro,<br />

NÃo eSTÁ NoS LiVroS”<br />

Gomes, essas ações integram o Plano de Sustentabilidade<br />

ECOS que, em Sergipe, foi lançado no último<br />

dia 27 de março, objetivando cumprir a demanda<br />

do planejamento estratégico da casa. o trabalho<br />

o trabalho do iacema no palco<br />

Fotos: maria odília


Fotos: maria odília<br />

se fundamenta nas Diretrizes Gerais da instituição<br />

e também nas propostas que surgiram a partir da<br />

participação dos nossos técnicos no Grupo de Trabalho<br />

Meio Ambiente, organizado pela cNc, quando<br />

conheceram o programa ecoS. “Avaliamos a proposta<br />

e não tivemos dúvidas que é chegada hora de<br />

darmos um passo maior nesse sentido, uma vez que<br />

programas de promoção da sustentabilidades são<br />

cruciais para a promoção da vida”, disse.<br />

Fechando o mês, o Sesc realizou uma série de oficinas<br />

sobre o cultivo de ervas medicinais, em parceria<br />

com a oNG canto Vivo, e instalou dia 30, a horta<br />

vertical dos colaboradores da Sede Administrativa.<br />

o coordenador do Programa ECOS do Sesc Nacional,<br />

mário Saladini, ministrou um curso de formação<br />

em sustentabilidade de 29 a 31, para o Grupo Gestor<br />

e demais convidados da casa.<br />

“Se é de eu estar com dois<br />

sacos de dinheiro, prefiro dois<br />

de paciência” (Dona Josefa)<br />

Dona Josefa da Guia já realizou mais de 5 mil partos<br />

“Nada pertence ao ser. Tudo<br />

que existe pertence à vida”<br />

(monja coen)<br />

colaboradores do Sesc participaram de oficina com a canto Vivo<br />

e criaram horta vertical<br />

Gilson Santos, Josefa da Guia, Abel Gomes, monja coen, excelsa machado,<br />

rita Simone e Simone Leite<br />

mário Saladini ministrou curso sobre sustentabilidade<br />

19


20<br />

comerciANTeS VÃo em BUScA<br />

De APoio DoS VereADoreS<br />

Liderados pelos presidentes da Federação do<br />

comércio (<strong>Fecomércio</strong>), Abel Gomes da rocha<br />

Filho e da câmara de Dirigentes Lojistas de<br />

Aracaju (cDL), Samuel Schuster, empresários sergipanos<br />

da área do comércio participaram no dia<br />

7 de maio deste ano com o presidente da câmara<br />

municipal de Aracaju, emmanuel Nascimento<br />

e vereadores, de uma sessão especial, em busca<br />

de apoio contra a medida implantada pela Superintendência<br />

municipal de Transporte e Trânsito<br />

(Smtt), que modificou o trânsito no centro da<br />

cidade, inclusive proibindo o estacionamento de<br />

veículos em várias ruas. os comerciantes alegaram<br />

na reunião que estavam sendo prejudicados com a<br />

determinação imposta, devido à queda nas vendas<br />

do comércio central de Aracaju.<br />

Na oportunidade, os empresários mostraram o<br />

resultado de uma pesquisa feita pelo instituto <strong>Fecomércio</strong><br />

de Pesquisa e Desenvolvimento (ifpd),<br />

mostrando que de 263 comerciantes ouvidos,<br />

87% deles garantiram que vêm tendo quedas nas<br />

vendas de até 50%, desde que passou a vigorar<br />

a proibição. Segundo o presidente da Federação<br />

do comércio, Abel Gomes, a situação dos empresários<br />

do centro da cidade é grave e precisa<br />

urgentemente de medidas saneadoras. “Viemos<br />

aqui em busca de apoio e também sugerir algumas<br />

medidas para o problema, a exemplo de que um<br />

dos lados das ruas seja destinado a estacionamento<br />

e a criação de incentivos fiscais para os estacionamentos<br />

privados, além da volta dos parquímetros”,<br />

afirmou.<br />

o presidente da câmara ouviu atentamente as<br />

reivindicações dos empresários e ficou de analisá-<br />

-las com os outros vereadores. “Vamos criar uma<br />

comissão para estudar medidas saneadoras e que<br />

não prejudiquem os comerciantes. Devemos é<br />

criar medidas que fortaleçam as vendas e não que<br />

venham a prejudicá-las. Sabemos que o momento<br />

é de crise e os comerciantes de maneira nenhuma<br />

podem ser penalizados”, enfatizou. Por unanimidade,<br />

os vereadores presentes à sessão, concordaram<br />

com as reivindicações apresentadas pelos<br />

comerciantes.<br />

comerciantes lotaram o plenário da câmara municipal<br />

Vereadores e empresários reunidos após a sessão especial


ProJeTo BoLSÃo De eSTAcioNAmeNTo é exPLicADo<br />

A emPreSÁrioS PeLo PreFeiTo De ArAcAJU<br />

mobilidade urbana é aprovada, mas comerciantes querem solução<br />

para curto prazo<br />

Prefeito teve projeto aprovado pelos empresários empresários e dirigentes da Smtt<br />

Na noite do dia 15 de junho, no auditório do<br />

Banese, na avenida Augusto maynard, o prefeito<br />

edvaldo Nogueira esteve reunido com empresários<br />

aracajuanos, ligados à Federação do comércio<br />

(<strong>Fecomércio</strong>) e à câmara de Dirigentes Lojistas<br />

de Aracaju (cDL), a fim de apresentar o Projeto<br />

Bolsão de estacionamento, elaborado pela Superintendência<br />

municipal de Transporte e de Trânsito<br />

(Smtt), visando melhorar a mobilidade urbana nas<br />

ruas centrais da cidade. Segundo o prefeito, o projeto<br />

prevê a implantação de três bolsões de estacionamento<br />

nas proximidades dos mercados centrais<br />

de Aracaju, com 1.409 vagas para veículos.<br />

De acordo com edvaldo Nogueira, isso só será<br />

possível com a retirada do terminal de ônibus que<br />

funciona nos mercados nas próximas semanas. “o<br />

custo para implantação total desse projeto está orçado<br />

em cerca de r$ 3 milhões. Para a locomoção<br />

das pessoas que deixarem seus carros nos estacionamentos,<br />

dois veículos especiais do tipo micro-<br />

-ônibus circularão pelas principais ruas do centro<br />

de Aracaju, de 15 em 15 minutos, transportando<br />

cada um, 22 passageiros. o ticket do estacionamento<br />

dará direito à entrada no ônibus gratuitamente”,<br />

enfatizou, acrescentando que para implantação<br />

dos dois corredores de ônibus, 314 vagas<br />

de estacionamento de veículos existentes nas ruas<br />

de itabaiana, itabaianinha, capela e Arauá tiveram<br />

que ser retiradas.<br />

Após sua explanação e em função de compromissos<br />

assumidos anteriormente, o prefeito deixou<br />

o recinto, depois de ver aprovado pelos empresários,<br />

o Projeto Bolsão de estacionamento e o<br />

estacionamento emergencial, este exigido pelos<br />

comerciantes em um lado da rua. edvaldo Nogueira<br />

foi substituído pelo superintendente da<br />

Smtt, Antônio Fernando, quando então passou<br />

a ser discutido o estacionamento emergencial, ficando<br />

acertado, que a partir de 19 de junho, o<br />

estacionamento será feito em um dos lados das<br />

ruas Geru e Divina Pastora. Nas ruas Santo Amaro<br />

e Arauá, o estacionamento será permitido das 9h<br />

às 16h. Para as ruas itabaiana e itabaianinha, ficou<br />

definido que será feita uma avaliação a fim de<br />

verificar a possibilidade de que um lado das ruas<br />

também sirva de estacionamento.<br />

As propostas discutidas no encontro serão posteriormente<br />

avaliadas pela prefeitura e novas reuniões<br />

deverão ser marcadas com os empresários, para que<br />

seja revelado o que foi aprovado ou descartado.<br />

Para o presidente da <strong>Fecomércio</strong>, Abel Gomes, hoje<br />

existe um verdadeiro apartheid quando o centro comercial<br />

é comparado com os shoppings. “Só estão<br />

realizando compras no comércio central de Aracaju,<br />

as pessoas que se deslocam em ônibus ou lotação, e<br />

não queremos isso. Nós queremos é que as pessoas<br />

tenham seus carros e se desloquem para o centro a<br />

fim de realizarem suas compras.<br />

21


22<br />

Foto: Divulgação/Senac<br />

eSPeciALiZAÇÃo em DocêNciA<br />

encerraram-se, no último dia 05 de abril, as<br />

apresentações dos Tcc’s dos alunos da 1ª turma<br />

do curso de especialização em Docência para<br />

a educação Profissional, do Senac/Se. Ao oferecer<br />

esse curso aos seus docentes, o Senac tem por objetivo<br />

promover o desenvolvimento de profissionais<br />

aptos a agir de forma plena e inovadora em<br />

suas respectivas especialidades e com competências<br />

gerais que propiciem aos educandos, dentre<br />

outros aspectos, o desenvolvimento das suas competências<br />

em sintonia com o mundo do trabalho,<br />

visto que, nas últimas décadas, tem ocorrido um<br />

forte movimento de transformação das organizações<br />

produtivas e do mundo do trabalho. o Senac Sergipe ofertou, ao todo, três turmas, sendo que duas estão<br />

em andamento.<br />

o curso tem uma estrutura especialmente desenhada para possibilitar o aprimoramento da prática docente durante<br />

o processo, levando em conta alguns princípios orientadores, dentre eles, partir da ação para a reflexão e da<br />

reflexão para a ação. o curso é desenvolvido a partir da ação prática, criativa e transformadora.<br />

BiBLioTecA & LiTerATUrA<br />

Sesc lançou na Unidade centro a programa-<br />

o ção da segunda edição do projeto Biblioteca<br />

& Literatura, que será realizado na rede de bibliotecas<br />

da instituição este ano. A ideia é divulgar as<br />

atividades e os eventos que irão acontecer mensalmente,<br />

com o objetivo de estimular o público a<br />

frequentar o espaço e adquirir o hábito da leitura.<br />

Na oportunidade também foi entregue a premiação<br />

do leitor do trimestre a Anete Borjine, uma<br />

estudante do ensino fundamental de dez anos de<br />

idade, usuária da biblioteca da Unidade centro contação de histórias com Luciano Góis<br />

desde fevereiro deste ano e que nesse período já<br />

leu cerca de 20 livros infantis. “Quase todos os dias venho à biblioteca. é um lugar que me sinto bem tranquila<br />

para ler e pesquisar. os livros me encantam, através deles viajo a muitos lugares e conheço coisas novas”, revelou<br />

a pequena Anete.<br />

Além da apresentação da programação anual das bibliotecas, o diretor de Planejamento do Sesc, Gilson Santos,<br />

lançou o catálogo de fotos e textos O Brasil passa pelo Sesc, produzido e publicado pelo Departamento Nacional<br />

da instituição. em seguida, o ator Luciano Góis brindou o público com contação de histórias e os músicos ewerton<br />

& Banda abrilhantaram a noite de lançamento com um repertório especial.<br />

A programação completa do projeto Biblioteca & Literatura você encontra no www.Sesc-se.com.br<br />

Foto: maria odília


cArTier-BreSSoN<br />

Fotógrafo é tema do ciclo<br />

com Voss e Lima<br />

está em andamento no Sesc, o Ciclo de Fotografia: Teoria,<br />

Técnica e Poética, que tem como base o trabalho do fotógrafo<br />

Henri cartier-Bresson. Dividido em cinco módulos<br />

independentes, o curso vem acontecendo nas instalações da<br />

Unidade centro e será finalizado neste mês de junho. o objetivo<br />

do trabalho é ampliar o raio de visão e ação dos fotógrafos<br />

amadores ou profissionais, sob o auxílio e orientação<br />

da fotógrafa renata Voss e da pesquisadora de poéticas fotográficas, Ana carolina Lima.<br />

Voss é fotógrafa e mestranda em Artes Visuais em Processos criativos pela Universidade Federal da Bahia. Já<br />

Ana Lima faz pesquisa sobre poéticas fotográficas e é doutoranda em comunicação Social, na linha de Pragmáticas<br />

da imagem, pela Universidade Federal de minas Gerais. Programação completa no www.sesc-se.com.br.<br />

De miNAS A SerGiPe<br />

Paulo do eirado, elias Santos, marjorie Garrido,<br />

Tales Bedeschi e Silvane Azevedo<br />

Projeto Gravura em Circuito em Diálogos Urbanos, premiado<br />

o pelo edital rede Nacional Funarte Artes Visuais – 8ª edição,<br />

promoveu, no mês de março, um circuito de ações gratuitas<br />

entre Aracaju-Se e Belo Horizonte-mG.<br />

Nessa segunda edição do projeto, o instrutor do Senac, artista<br />

visual sergipano e proponente, elias Santos, realizou uma oficina<br />

e uma intervenção urbana com xilo-panfletos em Belo Horizonte,<br />

sugerindo um diálogo da xilogravura com as ruas.<br />

Já o artista/educador belorizontino, Tales Bedeschi, veio a Aracaju<br />

a fim de participar, no Auditório do Senac, da mesa-redonda<br />

Gravura e a multiplicidade da imagem junto à professora<br />

da UFS, marjorie Garrido, abordando os desdobramentos da<br />

técnica secular da gravura na contemporaneidade.<br />

o projeto promoveu oficinas de xilogravura nas duas cidades, nas quais os participantes produziram xilos em<br />

pequeno formato, com uso de imagens e palavras. em seguida, os xilopanfletos foram distribuídos em espaços<br />

públicos das duas cidades: em BH, na Praça da estação, e em Aracaju, no calçadão da João Pessoa.<br />

xiLoGrAVUrA HoJe<br />

Hoje a xilogravura é usada por artistas e professores de arte. A mais simples de todas as gravuras é lembrada no<br />

Brasil nas capas de folhetos de cordel. Na arte contemporânea brasileira, jovens artistas como elias Santos, Paulo<br />

Nazareth, Tales Bedeschi, Fabrício Lopes, dentre muitos outros, vêm reinventando essa técnica. A xilogravura,<br />

que foi usada para montar livros e folhetos ou foi emoldurada em paredes, desdobra-se em múltiplos, alastra-se<br />

pelas ruas da cidade e entra em franco diálogo com os fenômenos da vida nas metrópoles.<br />

Foto: maria odília<br />

23


24<br />

dia 24 de março foi marcado pelo I Encontro<br />

o de Voluntários do Programa Mesa Brasil Sesc/SE<br />

em <strong>2012</strong>. o evento, que aconteceu na unidade de<br />

Socorro, reuniu 32 voluntários das comunidades da<br />

Barra dos coqueiros, ilha do rato e mosqueiro, além<br />

da diretora regional da instituição, excelsa machado,<br />

técnicos da entidade e equipe do mesa Brasil. Segundo<br />

Jacqueline Lima, coordenadora do programa, o<br />

encontro teve o objetivo de integrar os voluntários,<br />

trocar ideias com os participantes das três comunidades<br />

assistidas, capacitá-los e proporcionar-lhes um<br />

dia de recreação e entretenimento.<br />

A manhã foi finalizada com um almoço e a entrega<br />

de brindes do programa aos voluntários. “o mundo<br />

que nós queremos é esse que vocês estão fazendo,<br />

ao servir e se doarem. Vocês são a semente do amanhã<br />

nesse trabalho de voluntariado dentro do Sesc”,<br />

destacou a diretora regional. representando o grupo<br />

de voluntários, maria de Lourdes Santos, do mosqueiro,<br />

agradeceu a iniciativa da entidade e ressaltou<br />

o alcance social do Mesa Brasil na comunidade.<br />

meSA BrASiL<br />

Voluntários participam de encontro<br />

Fotos: maria odília<br />

Palestra para os voluntários oficina de pintura<br />

Diretora regional do Sesc, excelsa machado


o QUe é o PAS?<br />

o objetivo geral do PAS é reduzir os riscos de contaminação<br />

dos alimentos, bem como disseminar e apoiar a<br />

implantação das Boas Práticas<br />

PAS - Programa Alimentos Seguros é desen-<br />

o volvido por entidades do sistema “S” e cada<br />

uma delas tem a sua responsabilidade. o Senac, por<br />

exemplo, é responsável por capacitar, implantar as<br />

Boas Práticas e elaborar o Manual de Boas Práticas de<br />

Manipulação nos setores mesa e Distribuição.<br />

o setor mesa engloba bares, restaurantes, lanchonetes,<br />

bufês, comissários, cantinas, cozinhas institucionais,<br />

cozinhas hoteleiras e ambulantes. Fazem<br />

parte do setor de Distribuição: atacadistas, supermercados,<br />

hipermercados, mercearias, rotisserias,<br />

peixarias, padarias, açougues, feiras livres, hortifrutigranjeiros,<br />

frios, laticínios e delicatessens.<br />

o objetivo geral do PAS é reduzir os riscos de contaminação<br />

dos alimentos, bem como disseminar e<br />

apoiar a implantação das Boas Práticas e o Sistema<br />

de Análise de Perigos e Pontos críticos de controle<br />

nas empresas de alimentos em todo o país.<br />

Através dele é possível identificar os procedimentos<br />

adequados e garantir ações e tecnologias na produção<br />

e manipulação de alimentos que venham a assegurar<br />

a conservação e qualidade dos produtos.<br />

Dessa forma, o PAS contribui para aumentar a segurança<br />

e a qualidade dos alimentos produzidos pelas<br />

empresas brasileiras, ampliando a sua competitividade<br />

nos mercados nacional e internacional e reduzir<br />

o risco das Doenças Transmitidas por Alimentos<br />

(DTA) aos consumidores. Podem participar do programa<br />

todas as empresas do serviço de alimentação<br />

dos setores mesa e Distribuição que estão interessadas<br />

em qualificar o capital humano, como também<br />

em se adequar dentro da legislação vigente.<br />

em Sergipe, o PAS conta com adesão de empresas<br />

da capital e do interior, atendendo aos empresários<br />

dos municípios de Gararu, Nossa Senhora do Socorro<br />

e Laranjeiras, levando a estas cidades o curso de<br />

Boas Práticas na manipulação de Alimentos e o PAS<br />

educação.<br />

Fotos: Divulgação/Senac<br />

25<br />

25


26<br />

manoel Prado, isaías oliveira (homenageado do evento),<br />

Heraldo oliveira e Abel Gomes<br />

Supervendas - 4º Encontro de Negócios dos<br />

o Setores Supermercadista, Atacadista Distribuidor,<br />

Tecnologia e Fornecedores de Produtos e Serviços,<br />

foi realizado no período de 18 a 20 de abril,<br />

no centro de convenções de Sergipe. o evento<br />

reuniu em um único espaço diversos segmentos de<br />

mercado. Foram três dias de grandes oportunidades,<br />

conhecimento de inovações em tecnologia,<br />

lançamentos de produtos e serviços, condições diferenciadas<br />

para negociações, contatos comerciais<br />

dentro de um ambiente de amizade e descontração.<br />

Parcerias importantes foram estabelecidas, os<br />

expositores ampliaram os seus investimentos e o<br />

conceito de positividade de todos os envolvidos foi<br />

contagiante.<br />

A parceria para a realização do evento aconteceu<br />

entre a ADAS, ASeS e a <strong>Fecomércio</strong>. A organização<br />

desde a primeira edição é da original - Propaganda<br />

& eventos. Neste ano, empresas nacionais<br />

e sergipanas realizaram excelentes negócios na<br />

exposição, alcançando a movimentação, durante e<br />

pós-evento, de um valor estimado de 25 milhões<br />

de reais. Diariamente, o Supervendas recebeu cerca<br />

de três mil visitantes, que puderam nos estandes<br />

do Sesc e Senac, ter acesso a informações sobre os<br />

serviços e produtos das instituições.<br />

SUPerVeNDAS <strong>2012</strong><br />

empresários visitam estande do Senac<br />

Foto: maria odília<br />

Fotos: Alex França<br />

No dia 20 de abril foi apresentada pelo consultor<br />

William caldas a palestra “Um Show de Atendimento<br />

ao cliente” e o espetáculo teatral, Supervendas<br />

– Um Negócio Arretado de Bom!, da eitcha<br />

companhia de Teatro. No encerramento do evento,<br />

foram sorteadas duas motos e ainda, entregue<br />

os prêmios do concurso Vendedor Supervendas<br />

<strong>2012</strong>, foram premiados os vendedores “Branco”<br />

da empresa edivaldo embalagens e “Jorge moura”<br />

da empresa Fasouto.<br />

estande do Sesc animou a criançada


LANÇAmeNTo<br />

evento reuniu lideranças, jornalistas<br />

e convidados no Teatro Atheneu<br />

Automóveis antigos em exposição no estacionamento<br />

e um grande movimento na porta do<br />

Teatro Atheneu, em um final de tarde de sábado,<br />

14 de abril, na cidade de Aracaju, anunciaram o<br />

fato novo: lançamento da <strong>Revista</strong> <strong>Fecomércio</strong>. Sob a<br />

luz do candelabro de cristal do hall da antiga casa de<br />

espetáculos, que recentemente passou por reforma,<br />

empresários, jornalistas e convidados participaram<br />

da solenidade em que o SiSTemA <strong>Fecomércio</strong>/<br />

SeSc/SeNAc entregou à sociedade sua mais nova<br />

publicação.<br />

Na oportunidade, o presidente da instituição, Abel<br />

Gomes, lembrou que estabelecer estratégias eficientes<br />

de comunicação, sempre foi uma preocupação<br />

do sistema. “Ainda em 1955, na chamada era do<br />

rádio, foi criado na administração de José ramos<br />

de moraes, um programa semanal chamado A voz<br />

do comércio, veiculado na rádio Difusora e dirigido<br />

por oscar Prado e Hélio Faro, que se manteve no ar<br />

até os anos 60”, disse.<br />

ilustres convidados se fizeram presentes ao lançamento<br />

da rF e comentaram a publicação. o representante<br />

da confederação Nacional do comércio<br />

- cNc, Gil Siuffo, parabenizou Abel Gomes pelo<br />

recorte de sustentabilidade da publicação e declarou<br />

que “com essa atitude, vocês estão dando um passo<br />

no sentido de conscientizar os empresários para a<br />

preservação do nosso meio ambiente e estão dando<br />

mais um passo no sentido de divulgar o trabalho<br />

e a forma como o sistema pode colaborar para os<br />

empresários do estado”, disse Siuffo, frisando que<br />

“para todos nós, é sempre uma alegria muito grande<br />

quando verificamos em nosso setor um avanço. o<br />

lançamento dessa revista é mais um avanço. Por isso,<br />

o SiSTemA <strong>Fecomércio</strong> SeSc/SeNAc, em Sergipe,<br />

está de parabéns”, disse.<br />

Após a solenidade foi servido um coquetel e houve<br />

apresentação do violonista Guga montalvão e do<br />

Quinteto de cordas Aracaju Armorial. Na edição<br />

de lançamento, a <strong>Revista</strong> <strong>Fecomércio</strong> teve o apoio<br />

do Banco do Brasil, Banco do Nordeste, caixa econômica<br />

Federal, cNc, Sebrae, Fasouto Distribuidor<br />

e mB Logística.<br />

Juliano césar, excelsa machado, Abel Gomes e Paulo do eirado<br />

maria eugênia, Fernando Silva, Gil Siuffo e Flávio Andrade<br />

Guga montalvão<br />

27


cAPA<br />

28<br />

ecoNomiA AceSA:<br />

é TemPo De SÃo JoÃo<br />

A animação da quadrilha Arreio de ouro<br />

colorido das bandeirinhas anuncia que chegou<br />

o em Sergipe um tempo muito esperado: o tradicional<br />

tempo da celebração dos santos do período<br />

junino (Dia 13, Santo Antônio; dia 24, São João e<br />

dia 28, São Pedro).<br />

Nesta época, as famílias se reúnem para prepararem<br />

e comerem juntas inúmeras iguarias como o bolo de<br />

puba, macaxeira, milho, além de canjica, pamonha,<br />

pé-de-moleque, saroio, queijadinha, doce de leite,<br />

beiju molhado, amendoim, licores dos mais diversos<br />

sabores, entre tantas outras comidas típicas.<br />

Uma parcela significativa da juventude desfila por<br />

muitos espaços seu entusiasmo e preparo físico, revelados<br />

nos tradicionais concursos de quadrilhas,<br />

espalhados por todo Sergipe. Quem não se aventura<br />

no anavantu, anarriê, pode desfrutar dos grandes<br />

arraiais montados na capital e interior. Ao som do<br />

Fotos: maria odília<br />

forró, xote e baião animados casais dançam sua alegria<br />

embalada pela celebração dos 100 anos de nascimento<br />

de Luiz Gonzaga. como não poderia deixar<br />

de ser, tudo isso tem um reflexo direto na economia<br />

local, que literalmente é aquecida.<br />

culinária do ciclo junino


milhares dançam forró nos arraiais<br />

De acordo com a análise fornecida pelo instituto <strong>Fecomércio</strong><br />

de Pesquisa, através dos estudos sobre o<br />

consumidor de Aracaju, no que se refere ao índice<br />

de confiança, perfil de endividamento e o medo do<br />

desemprego (da série histórica que se inicia desde<br />

maio de 2011), registrou-se um aumento no índice<br />

de confiança de maio a junho, que é o reflexo<br />

dos sentimentos, perspectivas e expectativas trazidas<br />

pelo período dos festejos juninos.<br />

Apresentação da Quadrilha Unidos em Asa Branca no Arraiá do Povo<br />

As tradicionais espadas de fogo<br />

Pela análise do índice global, que analisa o período<br />

de trinta dias, conhecido como índice de<br />

situação presente e a expectativa futura, registra-<br />

-se uma variação positiva de 3,9% em relação ao<br />

mês anterior. ou seja, essa variação indica que<br />

houve um crescimento da confiança, o que reafirma<br />

a teoria da inter-relação mercado-consumo-consumidor<br />

de que quando o sentimento de<br />

confiança latente encontra-se acima do patamar<br />

29


30<br />

considerado normal, existe uma predisposição ao<br />

consumo. especialistas informaram à <strong>Revista</strong> <strong>Fecomércio</strong><br />

que este índice pode variar de 0 a 200<br />

(depressão –zero; normalidade – 100 e euforia<br />

– 200 pontos).<br />

estes dados demonstram que os festejos juninos<br />

são as festas regionais mais importantes para o<br />

aquecimento da economia do estado e que isso<br />

se reflete diretamente na área do comércio de<br />

bens, serviços e turismo. comparando-se com as<br />

celebrações de final de ano, encontra-se o resultado<br />

de 154.1 pontos para o festejos juninos e<br />

de 156.1 para as festas de dezembro.<br />

“Devemos levar em consideração que nas festas<br />

de final de ano, além dos itens de consumo, há<br />

uma injeção de capital com o pagamento do décimo<br />

terceiro salário, o que proporcionalmente evidencia<br />

que os festejos juninos superam as festas de<br />

final de ano, tornando-se um período de grande<br />

impacto para a economia”, declarou o secretário<br />

executivo da <strong>Fecomércio</strong>, marcos morais.<br />

casal dançando forró


eFLoreSTAmeNTo<br />

e SUSTeNTABiLiDADe<br />

Adolescentes aprendem praticando<br />

Adolescentes aprendizes na apresentação do projeto<br />

Adolescentes Aprendizes do Programa de Aprendizagem<br />

do Senac, sob a orientação da instrutora<br />

e psicóloga Taís Hagenbeck, apresentaram ao<br />

público presente no auditório da instituição, no dia<br />

9 de abril, o Projeto Meio Ambiente: Reflorestamento<br />

e Sustentabilidade.<br />

A apresentação do referido projeto foi realizada<br />

pela aluna Débora, que abordou a temática trazendo<br />

curiosidades como nomes de relevância nacional<br />

na luta pela preservação da Amazônia, a exemplo<br />

do seringueiro e ativista ambiental, chico mendes,<br />

a missionária Dorothy Stand e a ambientalista e ex-<br />

-ministra do meio Ambiente, marina Silva. Além<br />

disso, foi apresentado o vídeo Um Plano para Salvar o<br />

Planeta, da Turma da mônica, que de forma educativa<br />

abordou os 3rS(reduzir, reutilizar e reciclar).<br />

o segundo momento do evento foi contemplado<br />

com a Gincana sobre meio Ambiente, que integrou<br />

três equipes compostas por alunos do Programa Adolescente<br />

Aprendiz, com diversas tarefas recreativas<br />

que visaram a aprofundar o conhecimento sobre<br />

a temática e conscientizar os participantes quanto à<br />

preservação e conservação do meio ambiente.<br />

A instrutora Taís Hagenbeck ressaltou a importância<br />

do evento e a forma como ele foi esquematizado,<br />

abordando no primeiro momento um pouco de teoria,<br />

e no segundo momento, a prática, com a realização<br />

da gincana. Taís destacou também o trabalho<br />

dos alunos realizado em sala de aula com material<br />

reciclável. Segundo ela, os produtos confeccionados<br />

podem ser produzidos em casa e destinados a crianças<br />

para brincar e estimular a criatividade.<br />

31


32<br />

oS VerSoS FoToGrÁFicoS<br />

Galeria de Arte do Sesc apresentou de 30<br />

A de abril a 31 de maio a exposição Taiê, uma<br />

homenagem às Taieiras de Laranjeiras. o trabalho foi<br />

uma reverência elaborada pelo convívio respeitoso<br />

com o ritual, que há mais de um século, o grupo<br />

folclórico realiza em celebração aos ancestrais negros<br />

no Brasil. captada por versos fotográficos, a<br />

poética de Alejandro Zambrana evoca, na trajetória<br />

das Taireiras o que as torna singulares. A mostra<br />

foi um convite para olharmos atentamente a importância<br />

de sua presença na cultura brasileira.<br />

Galeria de Arte do Sesc<br />

rua Dom José Thomaz, 235<br />

Aberta das 10 às 19h<br />

Sescgaleria@gmail.com<br />

Alejandro Zambrana<br />

De ZAmBrANA<br />

Público prestigiou a abertura da exposição<br />

Fotos: maria odília


FórUm emPreSAriAL<br />

SerGiPANo<br />

Profissionais são qualificados para o mercado de trabalho<br />

No mês de abril, no Hotel mercure, aconteceu o<br />

almoço do Fórum Empresarial Sergipano. eliane<br />

Aquino, secretária de estado da inclusão, Assistência<br />

e Desenvolvimento Social – (Seides) e o diretor<br />

regional do Serviço Nacional de Aprendizagem comercial<br />

(Senac), Paulo do eirado Dias Filho, discorreram<br />

sobre “Parceria do Senac e Seides para buscar<br />

a formação profissional necessária às demandas empresariais”.<br />

o coordenador do Fórum, Gilson Figueiredo, falou<br />

da importância do encontro com o empresariado<br />

sergipano: “A presença da Seides e do Senac são<br />

especiais para que todos conheçam as atividades<br />

diversas das instituições e as contribuições que podem<br />

oferecer para o crescimento da mão-de-obra<br />

qualificada”, afirmou Gilson.<br />

Paulo do eirado apresentou, através de slides, a<br />

instituição, seus serviços e produtos e reafirmou a<br />

parceria do Senac com o empresariado sergipano,<br />

colocando o Banco de oportunidades e a Sala do<br />

empresário à disposição de todos.<br />

A Secretária de estado da inclusão, eliane Aquino,<br />

apresentou o trabalho realizado pela secretaria em<br />

parceria com o Senac e afirmou que os cursos são<br />

excelentes e que dará continuidade à parceria. ela<br />

solicitou aos empresários que contratem essas pessoas<br />

qualificadas pelo Sistema S, pois são profissionais<br />

capacitados, prontos para atender as demandas do<br />

mercado. eliane Aquino também apresentou números<br />

significativos de pessoas já qualificadas através<br />

das parcerias com o Sistema S.<br />

Abel Gomes, Gilson Figueiredo, eliane Aquino e Paulo do eirado<br />

Palestra do diretor regional do Senac, Paulo do eirado<br />

33


34<br />

odir caius<br />

circUiTo De múSicA<br />

segunda edição do Circuito Sesc de Música teve<br />

A início na primeira semana de maio com a apresentação<br />

do Ferraro Trio. o projeto é voltado para<br />

alunos, músicos e apreciadores da música instrumental.<br />

este ano já foram realizadas 20 apresentações<br />

nas unidades operacionais do Sesc da capital e do<br />

interior. Além do Ferraro Trio, fazem parte da programação<br />

igor Gnomo, mangabeira Jazz, odir caius<br />

e o grupo café Pequeno. o circuito foi realizado<br />

com acesso gratuito.<br />

De acordo com o técnico em música, Fábio oliveira,<br />

o objetivo do trabalho é oferecer um painel<br />

da produção musical instrumental do estado com<br />

uns dos seus principais representantes. “Ao cobrir<br />

diversas vertentes e formações nos grupos escolhidos<br />

(choro, jazz fusion, funk rock, etc.), beneficiaremos<br />

os músicos em contínuo exercício de suas pesquisas<br />

em seus instrumentos, arranjos e improvisos”,<br />

revelou oliveira, acrescentando que aliado às músicas<br />

executadas, a proposta do circuito foi oferecer<br />

apresentações de caráter didático, com cada grupo<br />

explicando seus processos de trabalho, estimulando<br />

dessa forma o debate com o público.<br />

igor Gnomo<br />

Ferraro Trio<br />

mangabeira Jazz<br />

Foto:maria odília


instrutora Sumara Gil e alunas do curso de manicure e Pedicure<br />

público feminino vai adorar esta novidade:<br />

o frequentar um salão de beleza específico para<br />

serviços de manicure e pedicure, negócio criativo<br />

que une profissionalismo e inovação no segmento<br />

de unhas de Sergipe. As sócias carolina Freire e<br />

Fátima xavier apostaram nessa ideia quando viajaram<br />

para o rio de Janeiro e São Paulo e conheceram<br />

de perto essa nova tendência, que fez com<br />

que ambas se matriculassem no curso de manicure<br />

e Pedicure do Senac e começassem a entender o<br />

mercado e suas peculiaridades.<br />

Há quase dois anos, as ex-alunas recebem uma<br />

clientela animada e de bom gosto no Salão Belas<br />

Unhas cuidados especiais, ambiente aconchegante,<br />

que fica localizado no bairro 13 de Julho, oferecendo<br />

serviços específicos como manicure para<br />

diabéticos, joia de unhas e unhas de gel e acrigel.<br />

o empreendimento, que dispõe de nove funcionárias,<br />

dentre elas sete profissionais de manicure<br />

e pedicure, sendo algumas delas qualificadas pelo<br />

Senac, recebeu a visita de alunas dessa instituição,<br />

emPreeNDeDorAS<br />

redes sociais estimulam novos serviços<br />

acompanhadas da instrutora Sumara Gil e da analista<br />

educacional, Jucileide Dutra. As sócias explanaram<br />

sobre técnicas e equipamentos utilizados, com<br />

destaque para as tendências do mercado.<br />

“As nossas clientes estão sempre atentas às novidades,<br />

buscam nas redes sociais e nos exigem os<br />

serviços, como a técnica da esmaltação, que já é<br />

oferecida em nosso salão”, afirmou a administradora<br />

carolina Freire.<br />

Já a sócia Fátima xavier, graduada em Publicidade e<br />

Propaganda, afirmou que fazer o curso foi uma experiência<br />

excelente: “o Senac nos mostrou a importância<br />

do trabalho de manicure, as etapas do trabalho,<br />

bem como a importância que essas etapas apresentam<br />

para a saúde e higiene dos clientes. Além disso, o<br />

Senac é uma escola profissionalizante de fácil acesso<br />

e apresenta um cuidado de ensinar às alunas a teoria<br />

e a prática, tão importantes para a formação de um<br />

bom profissional”, ressaltou a proprietária.<br />

A cabeleireira, depiladora e aluna do curso de manicure<br />

e Pedicure, maria de Fátima de Jesus Teles,<br />

52 anos, que trabalha há 04 anos em seu próprio<br />

empreendimento (Fátima Beauty Hair), decidiu fazer<br />

o curso no Senac para ampliar o seu negócio:<br />

“Busquei uma qualificação no Senac visando treinar<br />

minha equipe e já me preparo para um aperfeiçoamento<br />

em unhas decoradas”, declarou.<br />

o curso de manicure e Pedicure do Senac é uma<br />

capacitação de 180h em que o profissional atua<br />

como manicure e pedicure em salões de beleza, clínicas<br />

de estética, spas, hotéis e em domicílio; realiza<br />

o cuidado e técnicas de embelezamento de mãos<br />

e pés, utilizando os instrumentos e equipamentos<br />

de trabalho com segurança, aplicando as técnicas<br />

de remoção de cutículas, corte e esmaltagem das<br />

unhas com destreza e criatividade, observando os<br />

princípios da biossegurança.<br />

35


36<br />

escola Sesc adotou no início do ano letivo o<br />

A Projeto Cantina Saudável com o objetivo de estimular<br />

os alunos a consumirem alimentos nutritivos<br />

na hora do lanche. São oferecidas diariamente opções<br />

saudáveis e saborosas de sanduíches, frutas, sucos,<br />

iogurte, biscoitos, bolos e sorvetes. o cardápio<br />

é montado mensalmente pela nutricionista Jamille<br />

Andrade, com o apoio da estagiária em nutrição,<br />

Jéssica curvelo Fontes Belém.<br />

Segundo o diretor da escola, mário monteiro, para<br />

reforçar a ação junto aos alunos são distribuídos<br />

mensalmente cardápios com as informações sobre<br />

os alimentos que serão ofertados, preços, receitas,<br />

valor nutricional e dicas de como se alimentar bem,<br />

Você Tem Fome<br />

De QUê?<br />

escola estimula<br />

alimentação saudável<br />

Foto: Sxc.com<br />

direcionadas também para os pais dos alunos. “o<br />

objetivo é envolvermos a família para que a iniciativa<br />

da escola se estenda até o ambiente familiar do<br />

aluno”, disse monteiro.<br />

A oferta inadequada de nutrientes na refeição da<br />

criança pode gerar problemas como desnutrição,<br />

obesidade e deficiência no crescimento, favorecendo<br />

o aparecimento de doenças devido à diminuição<br />

da imunidade. “estudos afirmam que a dificuldade<br />

no aprendizado, a menor capacidade física e intelectual<br />

na vida adulta e ainda as maiores taxas de mortalidade<br />

estão associadas ao atraso no crescimento<br />

em virtude da deficiência nutricional”, informou a<br />

Jamille Andrade.


FoTo e HiSTóriA<br />

Foto: maria odília<br />

o barco de fogo, feito de madeira leve e papelão, é uma antiga tradição da cidade de estância, 68km ao sul de Aracaju. criado<br />

na década de 30 pelo pescador Antônio cardoso, conhecido como chico Surdo, o barco de fogo vai e volta, sobre um fio de<br />

aço, conectado por roldanas fixadas. o que o impulsiona na horizontal, como um foguete em alta velocidade até a extremidade, é a<br />

pólvora, colocada dentro de gomos de bambu e vedada com breu. Nas alegres competições da cidade, vence quem conseguir fazer<br />

o barco ir e voltar, sem parar pelo trajeto.<br />

37


38<br />

DiSTúrBioS De APreNDiZAGem<br />

Temática é discutida com neuropsicólogo de Portugal<br />

neuropsicólogo português, Dr. rafael Silva Pe-<br />

o reira, veio a Aracaju para falar sobre “Distúrbios<br />

de Aprendizagem” com enfoque em dislexia,<br />

doença em que o indivíduo apresenta dificuldade na<br />

aprendizagem da leitura, na escrita ou no cálculo,<br />

associada a problemas de coordenação motora e à<br />

atenção, mas não à inteligência. Veja, a seguir, resumo<br />

da palestra:<br />

“Não existem dúvidas de que até os dias de hoje os<br />

distúrbios de aprendizagem continuam a despertar a<br />

atenção de muitos de nós… Ainda bem! contudo, a<br />

aprendizagem é um processo de mudança de comportamento<br />

obtido através da experiência construída<br />

por fatores emocionais, neurológicos, relacionais<br />

e ambientais. Aprender é o resultado da interação<br />

entre estruturas mentais e o meio que nos rodeia. De<br />

acordo com os novos princípios educacionais centrados<br />

na aprendizagem, o profissional que acompanha<br />

a criança é coautor do processo de aprendizagem<br />

dos alunos, ou seja, o conhecimento é construído e<br />

reconstruído de forma contínua e articulada.<br />

Quando a educação é construída pelo sujeito da<br />

aprendizagem, no cenário escolar prevalecem novas<br />

formas de comunicação e a construção de novas<br />

habilidades, caracterizando competências e atitudes<br />

significativas. Na relação desse novo encontro pedagógico,<br />

professores, técnicos, especialistas e alunos<br />

interagem usando a corresponsabilidade, a confiança<br />

e o diálogo, fazendo a autoavaliação das suas funções.<br />

os objetivos da aprendizagem são classificados em:<br />

domínio cognitivo, ligado a conhecimentos, informações<br />

ou capacidades intelectuais; domínio afetivo,<br />

relacionado a sentimentos, emoções, gostos ou<br />

atitudes; e domínio psicomotor, referente ao uso e<br />

à coordenação dos músculos. No domínio cognitivo<br />

temos as habilidades de memorização, compreensão,<br />

aplicação, análise, síntese e avaliação. No domínio<br />

afetivo temos habilidades de receptividade, resposta,<br />

valorização, organização e caraterização. No<br />

Dr. rafael Silva Pereira<br />

domínio psicomotor temos habilidades relacionadas<br />

a movimentos básicos fundamentais, movimentos<br />

reflexos, habilidades perceptivas e físicas e a comunicação<br />

não-discursiva.<br />

A maioria das crianças nasce com a capacidade e o<br />

desejo de aprender, e aprendem em ritmos diferentes<br />

e de modos diferentes. Se formos capazes de satisfazer<br />

suas necessidades, proporcionar um ambiente<br />

seguro e propício, evitando interferências com dúvidas,<br />

ansiedades e calendários arbitrários, aí então<br />

as crianças irão desabrochar cada uma a seu tempo.<br />

Será que todos nós, profissionais da educação, estamos<br />

cumprindo a nossa função? Será que um distúrbio<br />

de aprendizagem de caráter permanente ou<br />

temporário tem a metodologia adequada para a sua<br />

resolução?<br />

o objetivo fundamental é levar ao entendimento de<br />

todos que o sujeito na aprendizagem é um sujeito<br />

cerebral e, como tal, toda a estimulação deve iniciar-se<br />

nessa perspectiva, no sentido de que o nosso<br />

cérebro é o principal responsável pelo sucesso ou<br />

insucesso da aprendizagem a par das metodologias<br />

utilizadas para a sua estimulação.”


companhia mário Nascimento (minas Gerais)<br />

Projeto Palco Giratório criado em 1998 pelo<br />

o Sesc Nacional com o intuito de circular pelo<br />

país espetáculos de dança, teatro e circo, ficou em<br />

Aracaju nos dias 01 e 02 de maio, no Teatro Atheneu,<br />

com apresentações gratuitas de companhias de<br />

dança contemporânea.<br />

A primeira a subir ao palco do Atheneu foi a mário<br />

Nascimento, de minas Gerais, com o espetáculo, Escapada,<br />

vencedor do prêmio de melhor coreógrafo<br />

concedido pela Associação Paulista dos críticos de<br />

Arte em 1998. com uma nova concepção coreográfica,<br />

a peça retrata a fuga da opressão causada<br />

pelo excesso de informação, de tecnologia e da falta<br />

de tempo do mundo moderno.<br />

Na segunda noite, o Palco Giratório apresentou Escuta...,<br />

do espaço Liso cia. de Dança, espetáculo que<br />

aproxima o espectador ao universo da escritora clarice<br />

Lispector, em diálogo com elementos do teatro<br />

e o silêncio encontrado em diversas obras da autora.<br />

PALco GirATório<br />

etapa trouxe dança contemporânea<br />

Fotos: maria odília<br />

Após as exibições dos dois grupos que abriram o circuito<br />

em Sergipe, o Sesc promoveu um intercâmbio para<br />

troca de experiências, impressões e partilhar quanto<br />

aos processos de criação e montagem. “o intercâmbio<br />

possibilita que a dança sergipana seja vista mais de perto<br />

por grupos de outros estados e o quanto estamos<br />

amadurecendo no trabalho”, ressaltou ewertton Nunes,<br />

integrante da cia. Liso de Dança.<br />

espaço Liso cia. de Dança (Sergipe)<br />

39


40<br />

reNoVAÇÃo, PArTiciPAÇÃo<br />

e DeSeNVoLVimeNTo<br />

Palavras do novo presidente da ASeS<br />

Nem mesmo a forte chuva que caiu na noite de<br />

24 de maio, em Aracaju, foi capaz de impedir<br />

que uma parcela significativa do empresariado e<br />

da imprensa sergipana prestigiasse a solenidade de<br />

posse da nova diretoria da Associação Sergipana de<br />

Supermercados – ASeS.<br />

o evento teve início com a composição da mesa.<br />

manoel Prado Vasconcelos Filho, que esteve à frente<br />

da casa na última gestão, dirigiu os trabalhos e recebeu<br />

os demais integrantes: João Luiz oliveira (presidente<br />

eleito), promotor eduardo matos (ministério<br />

Público), Fernando Silva (presidente da <strong>Fecomércio</strong>,<br />

em exercício), o representante da ABrAS, da cDL<br />

e da AcSe.<br />

em seguida, houve a execução do hino nacional,<br />

seguido da leitura da ata e assinatura do termo de<br />

posse, momento em que manoel Prado trocou de<br />

assento com João oliveira.<br />

com experiência de mais de trinta anos no ramo<br />

e know how para assumir a pasta, o novo presidente<br />

foi humilde em seu discurso e declarou que<br />

“é sempre um desafio assumir o comando de uma<br />

instituição do porte da ASeS, que lida com um dos<br />

setores mais importante da economia brasileira e<br />

sergipana. “Fincarei minha gestão em três pilares:<br />

renovação, participação e desenvolvimento”, disse<br />

oliveira, ressaltando que a modernização tecnológica<br />

e a criação de modelos atuais e ágeis de<br />

comunicação com os associados serão estratégias<br />

que utilizará para divulgar os projetos e as decisões<br />

tomadas pela diretoria.<br />

“Para atrair e manter a participação do associado<br />

fica estabelecido que as decisões estratégicas de interesse<br />

da classe serão compartilhadas, buscando sempre<br />

ouvi-los”, disse o novo presidente que foi muito<br />

aplaudido pelos presentes.<br />

manoel Prado e João Luis oliveira<br />

Após a solenidade foi servido um jantar aos convidados<br />

que brindaram com manoel Prado e João<br />

oliveira o trabalho desenvolvido pela ASeS, uma<br />

importante instituição para o segmento, fundada em<br />

04 de janeiro de 1978.<br />

Paulo do eirado, manoel Prado, Fernando Silva, João oliveira e<br />

marcos morais<br />

João oliveira assina termo de posse


coNVêNio com A APeSe<br />

No mês de abril foi assinado o convênio de cooperação<br />

técnica entre o Serviço Nacional de<br />

Aprendizagem comercial e a Associação dos Procuradores<br />

do estado de Sergipe.<br />

esse convênio tem por objetivo o estabelecimento<br />

de cooperação técnica entre a Apese e o Senac/<br />

Se, visando o desenvolvimento de programas que<br />

tratem da realização de cursos, eventos educacionais<br />

e atividades outras, de interesse comum.<br />

Tem ainda a finalidade de concessão de descontos<br />

para os filiados à Associação, sobre as matrículas nas<br />

ações de educação Profissional do Senac/Se.<br />

Para o Presidente do conselho regional do Senac,<br />

Abel Gomes da rocha Filho, esse convênio é importante<br />

para levar a qualificação profissional para todos<br />

os associados da Apese, em diversos segmentos<br />

que o Senac oferece.<br />

Segundo o Procurador do estado e Presidente da<br />

Sesc iniciou na primeira semana de maio o<br />

o curso de Tecnologia Aplicada à música, com<br />

o objetivo de ensinar aos participantes as principais<br />

noções que relacionam música e tecnologia,<br />

desenvolvendo uma consciência musical mais ampla<br />

diante das possibilidades que o mundo digital<br />

oferece para a criação de composições.<br />

As aulas são ministradas pelo professor Alexandre Valério,<br />

para músicos profissionais, amadores e pessoas<br />

interessadas por produção musical. A ideia é proporcionar<br />

aos participantes o auxílio teórico à aquisição<br />

de equipamentos e montagem de home studios.<br />

A ementa do curso consta tecnologia da informação<br />

e sua evolução; noções de hardware e softwa-<br />

Senac beneficiará Apese<br />

Apese, Pedro Durão, a parceria com o Senac tem<br />

um foco diferenciado e ele acredita que esse convênio<br />

será perfeito para atender as demandas.<br />

“estamos à disposição para realização dos cursos necessários<br />

a atender as necessidades da associação. o<br />

Senac oferece diversos cursos em nossas unidades e<br />

também, se necessário, na própria instituição. conte<br />

conosco!” - afirmou Paulo do eirado, diretor regional<br />

do Senac.<br />

TecNoLoGiA APLicADA À múSicA<br />

re; instrumentos e equipamentos eletroeletrônicos;<br />

breve histórico da música eletrônica e exemplos<br />

musicais; parâmetros de áudio; digitalização de<br />

áudio; conexões; microfones; monitores; processamento<br />

de áudio; processamento de efeitos; drivers<br />

e plugins; montagem de sistema; principais Workstations;<br />

plugins VST; midi; gravação em áudio e<br />

midi; mixagem e as considerações finais.<br />

A ideia é proporcionar aos<br />

participantes o auxílio teórico<br />

à aquisição de equipamentos e<br />

montagem de home studios.<br />

41


42<br />

UmA oPorTUNiDADe PArA o<br />

DeSeNVoLVimeNTo NA GeSTÃo<br />

em conversa com a <strong>Revista</strong> <strong>Fecomércio</strong>, rodrigo Timm<br />

Wepster, coordenador de Programas externos, no Departamento<br />

de Planejamento da cNc, falou sobre o Sistema<br />

de excelência em Gestão Sindical (SeGS).<br />

Qual tem sido o papel do SEGS junto às Federações<br />

e Sindicatos?<br />

elevar o nível da gestão das entidades, permitindo<br />

a elas se compararem com um modelo de gestão<br />

de classe mundial e também com outras entidades,<br />

visando a melhoria contínua de suas práticas e procedimentos.<br />

Quais são os critérios de avaliação adotados no<br />

programa?<br />

o SeGS permite à entidade se avaliar com base<br />

nos mesmos critérios adotados pelos modelos internacionais<br />

de excelência em gestão e pelo Prêmio<br />

Nacional da Qualidade (PNQ), quais sejam: Lideran-<br />

ça, estratégias e Planos, clientes, Sociedade, informação e<br />

conhecimento, Pessoas, Processos e resultados. o Guia de<br />

Avaliação do SeGS faz questionamentos acerca de cada um<br />

desses critérios, permitindo à entidade obter um amplo diagnóstico<br />

de sua gestão.<br />

Quais mudanças foram observadas desde a implantação do SEGS?<br />

em 2007, o SeGS foi disponibilizado para as federações e<br />

sindicatos filiados ao Sistema confederativo da representação<br />

Sindical do comércio (Sicomércio), em todo o Brasil.<br />

Desde então, as entidades vêm, gradativamente, absorvendo<br />

o modelo de gestão de excelência proposto, o que se dá de<br />

duas formas, principalmente:<br />

• A evolução profissional dos líderes e executivos, que participam<br />

de treinamentos, recebem consultorias e realizam avaliações<br />

em sua própria entidade e em outras; e<br />

Foto: rodrigo Timm<br />

• A modernização do sistema de gestão da entidade,<br />

tanto pela aplicação de novas práticas<br />

de gestão, como pela revisão e atualização das<br />

formas como a entidade pratica gestão.<br />

em síntese, o que vêm mudando é o preparo<br />

e a maturidade das entidades para realizar a<br />

defesa de interesses e a prestação de serviços<br />

de forma organizada e otimizada, em busca<br />

da excelência.<br />

Qual a importância do multiplicador junto ao<br />

programa?<br />

o multiplicador é quem dita o ritmo do programa<br />

na federação. Sua atuação é fundamental<br />

para que os sindicatos e a própria federação, primeiro, ad


quiram interesse pelo SeGS, e, depois, mantenham<br />

um ritmo de evolução que se dá pela participação<br />

em treinamentos, pela demanda por consultorias e,<br />

principalmente, pela aplicação prática dos ensinamentos<br />

na gestão de sua entidade.<br />

Uma das propostas do SEGS para <strong>2012</strong> é investir nos<br />

treinamentos e atendimentos à distância, como será na<br />

prática?<br />

o deslocamento para prestar atendimentos presenciais<br />

às entidades em todo o Brasil gera um desgaste<br />

muito grande nos quatro profissionais da cNc<br />

que executam essas tarefas, além de elevar o custo<br />

de aplicação do SeGS. com as tecnologias atuais,<br />

é possível encurtarmos distâncias sem perder qualidade,<br />

como foi evidenciado na primeira videoconferência<br />

realizada nos trabalhos do SeGS, em que<br />

tivemos a participação de 60 pessoas, de 24 federações,<br />

em 22 estados do Brasil, todos interagindo<br />

de forma harmônica, o que permitiu o repasse de<br />

conhecimentos à altura de um atendimento presencial.<br />

Para isso, utilizamos a estrutura existente há 5<br />

anos no Sesc-DN e regionais, o que poderá se repetir<br />

ainda algumas vezes. Além disso, com apoio<br />

técnico do Senac-DN, estão em desenvolvimento<br />

duas capacitações para ambiente web, que é uma<br />

Foto: Divulgação<br />

outra modalidade de ensino à distância, e também o<br />

vídeo didático “conhecendo o SeGS”. Aos poucos,<br />

pretendemos ampliar o uso do ensino à distância nos<br />

trabalhos do SeGS.<br />

Que avaliação a CNC tem feito dos resultados obtidos<br />

com o SEGS nos Sindicatos e Federações?<br />

Acompanhamos indicadores, principalmente de participação<br />

de pessoas, entidades e evolução de pontuação,<br />

tanto geral, como por federação. Além disso,<br />

muita coisa é avaliada ainda de forma subjetiva, tal<br />

como o nível de efetividade dos multiplicadores, o<br />

nível de realismo das avaliações e o nível de envolvimento<br />

das diretorias.<br />

Que conselho daria aos sindicatos que ainda não aderiram<br />

ao programa?<br />

cada entidade sabe o que é melhor para si. Sua diretoria<br />

é quem decide sobre os caminhos da entidade.<br />

o que nos cabe dizer é que o SeGS é um desses<br />

caminhos, que está à disposição de quem queira<br />

utilizá-lo para evoluir, para crescer. Além disso, o<br />

SeGS está dentro do Sicomércio, permitindo que as<br />

entidades desse Sistema aprendam entre si, trocando<br />

experiências. e o melhor: é gratuito.<br />

empresários estão antenados<br />

com os novos caminhos de suas<br />

entidades foi o que demonstrou<br />

o 28º encontro de Sindicatos<br />

Patronais em Natal.<br />

43


44<br />

mÃeS SÃo HomeNAGeADAS<br />

Por eSTUDANTeS<br />

A iniciativa partiu dos alunos do curso de eventos<br />

Alunos concludentes do curso Técnico em eventos<br />

Foi uma tarde de muita emoção para os 30 alunos<br />

do curso Técnico em eventos que realizaram<br />

seu primeiro trabalho em Homenagem ao Dia<br />

das mães. Sob a orientação da instrutora ismênia<br />

Lima, os alunos beneficiados pelo Programa Nacional<br />

de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec),<br />

e oriundos da escola estadual Dr. carlos<br />

Firpo, Barra dos coqueiros, prestaram uma série de<br />

homenagens às suas mães, com apresentações artísticas<br />

(dança e música), depoimentos em vídeo, sorteio<br />

de brindes e desfile dos alunos que se vestiram<br />

das profissões de suas mães para homenageá-las.<br />

Segundo ismênia, a atividade teve por objetivos<br />

realizar uma aula prática como processo de apren-<br />

dizagem e oportunizar homenagem as mães.<br />

Para maria Salete Souza, de 60 anos, mãe da aluna<br />

edenilda Souza, o evento foi muito emocionante.<br />

“Tenho 10 filhos e edenilda é a mais nova. Nunca<br />

tive a oportunidade de participar de um evento<br />

como esse, de ser homenageada. estou muito emocionada<br />

e orgulhosa de minha filha”, afirmou.<br />

“eu acompanho esta turma e os alunos apresentam<br />

muitos potenciais artísticos e desenvoltura.<br />

Acredito que, com a competência pedagógica do<br />

Senac, eles obterão sucesso em suas carreiras profissionais”,<br />

pontuou a diretora cremilda Fereira,<br />

do colégio estadual Dr. carlos Firpo.


46<br />

Para encerrar a programação do projeto As Multifaces<br />

de Ser Mulher, promovido pelo Sesc na Unidade<br />

Siqueira campos, foi realizado dia 29 de março,<br />

o desfile de fantasias confeccionadas com material<br />

reciclado, resultado do projeto de sustentabilidade<br />

Reciclarte, implantado pela instituição em 2006.<br />

Na passarela desfilaram 22 figurinos revelarando o<br />

trabalho primoroso produzido pelos participantes<br />

do Reciclarte sob a orientação da instrutora Angélica<br />

Alves. Todo material utilizado para a confecção dos<br />

modelos foram aproveitados de garrafas de plástico,<br />

fitas VHS, telas de proteção, sacos de batata, embalagens<br />

de biscoito, sabonete, resma de papel, caixa<br />

de suco e café, retalhos de tecido, lacres de latas,<br />

casca de ovo, pena de galinha, dentre outros tipos<br />

de material.<br />

“A criatividade de construir modelos tão lindos e<br />

bem feitos, utilizando uma matéria prima simples,<br />

acessível e presente em nosso dia a dia, é o que<br />

mais encanta e chama a atenção do público. Vimos<br />

um figurino confeccionado com 700 embalagens de<br />

biscoito. Tudo isso poderia ter sido jogado no lixo<br />

se não houvesse esse olhar de transformar o que é<br />

considerado descartável em arte”, ressaltou a aposentada<br />

marluce Dantas.<br />

22 figurinos revelaram<br />

o trabalho primoroso<br />

produzido pelos<br />

participantes do Reciclarte<br />

recicLArTe<br />

Nada se perde. Tudo se transforma.<br />

Desfile empolgou os participantes<br />

Dirigentes do Sesc com integrantes do projeto<br />

Uma das fantasias mais aplaudidas<br />

Foto: maria odíila


cUrSoS GrATUiToS<br />

ex-funcionários do Hotel Parque dos coqueiros<br />

poderão fazer cursos e atualizar seus currículos<br />

Secretário de estado de Turismo, elber Bata-<br />

o lha, esteve no Serviço Nacional de Aprendizagem<br />

comercial (Senac) para participar de uma<br />

reunião com o Presidente do Sistema <strong>Fecomércio</strong>,<br />

Abel Gomes, e o diretor regional do Senac, Paulo<br />

do eirado, referente à situação dos funcionários do<br />

Hotel Parque dos coqueiros.<br />

o diretor do Senac informou que todos os funcionários<br />

demitidos do hotel têm uma vaga garantida<br />

para curso de aperfeiçoamento, como forma de<br />

incentivo, e também estarão cadastrados no Banco<br />

de oportunidades para uma reinserção breve no<br />

mercado de trabalho.<br />

De acordo com o secretário, o Governo do estado<br />

também está sensível à situação e buscando meios<br />

para que essa mão-de-obra seja absorvida o mais<br />

rápido possível pelo mercado.<br />

“o Senac teve uma bela iniciativa: ajudar esses<br />

funcionários com capacitação e também encaminhando<br />

para o mercado de trabalho, através do seu<br />

Banco de oportunidades”, afirmou Abel Gomes,<br />

presidente da <strong>Fecomércio</strong>.<br />

“Nós estamos próximos do trabalhador e do comerciário,<br />

procurando sempre meios para ajudá-<br />

-los. escolham um curso e participem do nosso<br />

Banco de oportunidades para que tenham a recolocação<br />

no mercado de forma mais rápida”, afirmou<br />

o diretor regional do Senac, Paulo do eirado<br />

Dias Filho.<br />

Foto: maria odíila<br />

Paulo do eirado, elber Batalha e ex-funcionários do Hotel<br />

“A situação está difícil em<br />

diversos aspectos, inclusive dificuldades<br />

de locomoção. esta<br />

é uma oportunidade única e<br />

temos que abraçar a iniciativa<br />

do Senac”, afirmou cleide<br />

oliveira, ex-funcionária do<br />

Hotel Parque dos coqueiros.<br />

47


48<br />

TemPo De PeDALAr<br />

iniciativa estimulou também o reconhecimento<br />

do patrimônio público da cidade<br />

Passeio pelas ruas do marcos Freire ciclistas fazem alongamento<br />

em comemoração ao Dia do Trabalho, o Sesc realizou<br />

em primeiro de maio, no complexo habitacional<br />

marcos Freire ii, município de Nossa Senhora<br />

do Socorro, o passeio ciclístico Viver Mais a Cidade,<br />

com cerca de 300 comerciários. Durante o percurso,<br />

os participantes foram estimulados a conhecer e<br />

preservar o patrimônio histórico e cultural da comunidade<br />

onde vivem. A ideia foi ampliar o contato<br />

dos cidadãos com a história do local onde residem<br />

e circulam diariamente, estimulando-os a perceber a<br />

riqueza dos inúmeros espaços públicos como igrejas,<br />

escolas, praças e prédios comerciais.<br />

o trajeto foi monitorado pela polícia de trânsito e<br />

paramédicos do SAmU. os ciclistas receberam uma<br />

camisa padronizada no ato da inscrição, que foi revertida<br />

em um quilo de alimento não perecível destinado<br />

ao Programa Mesa Brasil. Um minitrio garantiu<br />

o ritmo dos participantes nos dez quilômetros percorridos.<br />

“São iniciativas como essa que reforçam<br />

a importância do Sesc perante os trabalhadores do<br />

comércio, agregando lazer, saúde e cultura em um<br />

só evento”, disse Fausto rollemberg Santos, gerente<br />

de Vendas.<br />

No encerramento houve sorteio de bicicletas e de<br />

acessórios e foi realizada uma programação festiva<br />

com música ao vivo no balneário da instituição.<br />

Diretora administrativa do Sesc, Vilma Vasconcelos,<br />

entrega bicicleta a participante<br />

Fotos: maria odíila


evento reuniu pesquisadores, empresários e estudantes<br />

Workshop Tecnologias da Informação e Co-<br />

o municação nos Grandes Eventos Esportivos do<br />

Brasil aconteceu nos dias 19 e 20 de abril, no radisson<br />

Hotel, e o Senac foi parceiro desse evento.<br />

o workshop foi um fórum organizado pela Universidade<br />

Federal de Sergipe e pelo Sergipe Parque<br />

Tecnológico.<br />

Apresentar e discutir as Tecnologias da informação<br />

e comunicação (Tic) como suporte para inovação<br />

nos negócios e grandes eventos que o Brasil estará<br />

sediando em 2014 e 2016 (copa do mundo, Jogos<br />

olímpicos e Jogos Paraolímpicos) e a criação<br />

de oportunidades para profissionais e empresas da<br />

área foram alguns dos objetivos do workshop.<br />

iNoVAÇÃo<br />

NoS NeGócioS e eVeNToS<br />

os participantes puderam ouvir sobre diversos<br />

temas relacionados aos próximos eventos esportivos.<br />

rafael moreira, Secretário de Políticas de<br />

informática do ministério da ciência e Tecnologia<br />

da inovação, falou sobre o Plano Estratégico<br />

de Tecnologia da Informação para o Brasil; rômulo<br />

reis, Gestor esportivo da cBF, relatou sobre<br />

TIC nos grandes eventos esportivos: Qual o maior<br />

desafio? Pessoas ou tecnologias? ; entre outras palestras<br />

e apresentações de trabalhos e debates.<br />

o evento contou com a presença de pesquisadores,<br />

empresários, estudantes e representantes de órgãos<br />

estaduais e federais, que interagiram com os palestrantes<br />

de forma entusiástica.<br />

49


50<br />

eDUcAÇÃo AmBieNTAL<br />

e SUSTeNTABiLiDADe<br />

“A criSe AmBieNTAL é A criSe Do Homem”.<br />

(eDUArDo mAToS)<br />

Senac, através da rede eAD de Pós-Graduação,<br />

o realizou, no dia 13 de junho, das 19 às 22h, o<br />

“I Seminário de Educação Ambiental e Sustentabilidade”,<br />

no Auditório Hilton José ribeiro. Na oportunidade,<br />

houve uma mesa redonda, com a participação<br />

do Genival Nunes Silva, que abordou o tema<br />

“Políticas Públicas de meio Ambiente em Sergipe”;<br />

o diretor regional do Senac, Paulo do eirado Dias<br />

Filho falou sobre a “economia da Atitude”; o promotor<br />

público, eduardo matos discorreu sobre<br />

rio+20: “compromisso Ambiental ou Protocolo<br />

de intenções” e a professora da Universidade Federal<br />

de Sergipe (UFS), Laura Jane Gomes ponderou<br />

sobre o tema “Fragmentação Florestal em<br />

Sergipe”.<br />

A moderadora e gestora da mesa, rita Simone, fez<br />

a abertura do evento, deu as boas-vindas a todos<br />

os palestrantes e ao público e leu trechos do texto<br />

de Leonardo Boff A ausência de uma nova narrativa<br />

na Rio+20.<br />

o diretor regional do Senac, Paulo do eirado Dias<br />

Filho, saudou os presentes e disse que o seminário<br />

é um momento de enriquecer os conhecimentos e<br />

rever as atitudes em relação às questões ambientais.<br />

o primeiro palestrante da noite foi o Secretário de<br />

estado do meio Ambiente e dos recursos Hídricos,<br />

Genival Nunes, que durante sua fala parabenizou<br />

o Senac por estar de olho no meio ambiente. ele<br />

agradeceu o convite e discorreu sobre o tema dando<br />

ênfase às Políticas estaduais de meio Ambiente,<br />

dentre elas: Política estadual de recursos Hídricos;<br />

Política estadual de recursos Sólidos; Política estadual<br />

de educação Ambiental; e Política estadual de<br />

Floresta, destacando diversas atividades realizadas<br />

em cada uma das políticas no estado de Sergipe.<br />

Genival Nunes, rita Simone, Paulo do eirado, eduardo matos e Laura Jane<br />

“Diversas atividades estão sendo realizadas em todo<br />

Sergipe. o governo não tem medido esforços para<br />

que possamos trabalhar as questões ambientais do<br />

estado”, afirmou Genival Silva.<br />

Dando continuidade, o diretor regional do Senac,<br />

Paulo do eirado, falou sobre a “economia da Atitude”<br />

desde a revolução industrial até os dias de<br />

hoje. ele destacou a revolução industrial e a economia<br />

da habilidade, voltada para eficiência, dando<br />

o exemplo de Henry Ford: “Você pode ter o carro<br />

da cor que quiser. Desde que seja preto”. ele disse<br />

que o conhecimento é o principal fator de produção.<br />

Sobre a economia da habilidade ponderou<br />

que “Quanto mais compartilho, menos tenho”; já<br />

em relação à economia do conhecimento: “Quanto<br />

mais compartilho, mais tenho”. referente à economia<br />

da atitude, disse que, no Brasil, 20% dos empregados<br />

são demitidos por falta de conhecimento<br />

e 80% por falta de atitude. Questionou o porquê<br />

de nossos indicadores econômicos, a exemplo do


PiB, não mensurarem sobre qualidade de vida ou<br />

desenvolvimento social.<br />

Para falar sobre a conferência rio+20, o Dr. eduardo<br />

matos fez o seguinte questionamento: “A rio<br />

+20 é um compromisso ambiental ou um protocolo<br />

de intenções?” ele também ressaltou: “Não<br />

sou pessimista, acredito que nossa caminhada é<br />

para a evolução, às vezes acelerada, às vezes lenta”,<br />

disse eduardo matos.<br />

Sobre as questões ambientais, o procurador lembrou<br />

que chegamos ao ponto em que algumas decisões<br />

precisam ser tomadas. “os interesses são divergentes,<br />

cada nação tem sua história, sua cultura<br />

e como esclarecer que é fundamental para a vida<br />

do planeta o cuidar, zelar, harmonizar etc. essa é<br />

a grande dificuldade momentânea. estou certo de<br />

que na conferência já existe algo para se questionar:<br />

o povo no Aterro do Flamengo e os líderes na<br />

Barra da Tijuca. creio que os líderes não querem<br />

ouvir as massas”, ponderou eduardo matos. Para<br />

ele, o cenário internacional é complexo, precisa de<br />

compromisso para a preservação do planeta. “A<br />

crise ambiental é a crise do homem”. No encerramento<br />

de sua fala, o procurador disse que tem suas<br />

dúvidas se a rio+20 atingirá seus objetivos.<br />

concluindo o ciclo de palestras, foi convidada para<br />

falar sobre “Fragmentação Florestal em Sergipe” a<br />

Dra. Laura Jane da Universidade Federal de Sergipe.<br />

Laura falou sobre a fragmentação florestal natural<br />

e a pressão antrópica (alteração de paisagem<br />

natural em mosaicos isolados). Sobre essas alterações,<br />

destacou as seguintes consequências: fenôme-<br />

estudantes também participaram do evento<br />

nos e processos biológicos; perda da biodiversidade;<br />

e, consequentemente, grupos funcionais locais.<br />

As características básicas para o desenvolvimento<br />

são a floresta sustentável e as parcerias, que são<br />

de fundamental importância. A Dra. Jane apresentou<br />

slides de alguns trabalhos de alunos da UFS,<br />

e também demonstrou grande insatisfação com a<br />

mudança do código Florestal. ela encerrou sua<br />

apresentação fazendo a seguinte pergunta: “como<br />

estão esses instrumentos de política e gestão florestal<br />

e sua adequação às especificidades locais?”<br />

Para concluir, a mediadora rita Simone fez suas<br />

ponderações e links entre as falas de todos os palestrantes<br />

e destacou a grande convergência no discurso<br />

dos expositores.<br />

os palestrantes receberam do diretor regional do<br />

Senac, Paulo do eirado, um certificado e um kit da<br />

instituição.<br />

mesa que conduziu os trabalhos do encontro o auditório ficou repleto de pessoas<br />

51


oPiNiÃo<br />

52<br />

iVAN VALeNÇA<br />

e Se o mUNDo Só<br />

TiVeSSe cem HABiTANTeS?<br />

se o mundo tivesse apenas cem habitantes, ele seria como, na proporção de hoje? Bom, 57 deles<br />

e seriam asiáticos, 21 europeus, 8 africanos e apenas 4 americanos. 52 habitantes seriam mulheres,<br />

contra 48 homens. 70 seriam brancos e 30 seriam de outras cores. 70 não seriam cristãos, mas 30 o<br />

seriam. 89 seriam heterossexuais, contra 11 homossexuais. 59% teriam riqueza suficiente para viver, mas<br />

6 deles seriam americanos. 80 viveriam em condições sub-humanas. 70 não saberiam ler, 50 sofreriam<br />

de desnutrição e um estaria a ponto de morrer – assim como um bebê estaria a ponto de nascer. Apenas<br />

um teria educação universitária e também um teria computador.<br />

UmA câmArA De BANcoS<br />

A câmara de Dirigentes Lojistas recepcionou o novo secretário de Desenvolvimento econômico, Sr.<br />

Saumíneo Nascimento, com um almoço na sua sede e dele ouviu falar, pela primeira vez, de um projeto<br />

dele que pode se tornar realidade. é a criação de um comitê de Bancos, que reuniu, em torno de uma<br />

só mesa, todos os responsáveis por agências bancárias no estado. com isso, o governo pretende tomar<br />

informações dos projetos de investimentos que passam pela banca.<br />

AGêNciA Do BB<br />

Até o final deste mês de junho, o Banco do Brasil pretende inaugurar uma nova agência, desta vez na<br />

coroa do meio. Será uma agência modelo, com tudo que há de moderno e atual dentro dela. os funcionários<br />

que trabalharão lá já estão em treinamento, mas o gerente da agência ainda não foi escolhido.<br />

140 ANoS DA AceSe<br />

Uma das mais longevas entidades patronais do estado, a Associação comercial e empresarial de Sergipe<br />

está completando 140 anos neste ano de <strong>2012</strong>. Uma extensa programação foi organizada para ser cumprida<br />

durante todo o ano. entende o presidente da AceSe, Sr. Alexandre Porto, que uma data como<br />

essa não deve ser comemorada num dia só. então, haverá de tudo um pouco até o dia 31 de dezembro<br />

vindouro.<br />

UmA KomBi PArA cHAmAr De SUA<br />

o pessoal ligado ao rotary clube Aracaju-Norte se cotizou e está colaborando com nada menos que vinte<br />

mil reais para a compra de uma Kombi que será repassada à Avosos, para desenvolver suas atividades em<br />

Aracaju. o clube vai marcar a solenidade de entrega das chaves do veículo, o que poderá ocorrer ainda<br />

neste mês de junho.<br />

microcoFre<br />

Se o governo fosse atender a todas as reivindicações salariais, o dobro do cofre atual seria muito pequeno.


54<br />

Jailson meneses*<br />

TrocANDo iDeiAS<br />

Toda empresa de médio e grande porte tem um diretor executivo, ou diretor geral, o<br />

profissional responsável pelo cargo de maior responsabilidade em uma organização, ou<br />

seja, é aquela pessoa que tem o poder de decisão. Sem dúvida, a escolha do diretor<br />

executivo pelo conselho administrativo da empresa, é muito importante, já que este<br />

deve ser escolhido com base na experiência, comportamento e competência, requisitos<br />

necessários para assumir grandes desafios e gerir toda a estrutura da organização.<br />

Atualmente, as organizações sociais patronais ou não, já não são mais como há 10 ou 20 anos, quando se<br />

“mandava e outros estavam a obedecer”. Hoje o setor está modernizado e exige diretores e conselheiros com<br />

perfis mais abertos e com alta sensibilidade social, além de ter uma postura inovadora, com contribuição efetiva<br />

em processos de decisão, capacidade de negociar e gerenciar alianças e parcerias com as empresas. este<br />

profissional, além de ser representante do seu setor, sindicato, ou afim, deverá ser uma empresa com produtos,<br />

projetos e planejamento. A isso ainda se somam as atribuições de um bom executivo e sua capacidade<br />

intelectual de desenvolver competências organizacionais com visão de futuro, para antecipar as tendências<br />

do mercado, como também a gestão do trabalho em equipe e relacionamento interpessoal, pois no sindicato<br />

devemos estar preparados a todo o momento.<br />

Para o grande sindicalista e associativista claudio conz, presidente da ANAmAco - Associação Nacional<br />

dos comerciantes de material de construção, a principal característica de um bom executivo de sindicato<br />

está relacionada à habilidade de desenvolver times, escolher, treinar e orientar os talentos. “No passado, as<br />

pessoas eram avaliadas pelas indicações daqueles que comandavam os sindicatos, muitas vezes sem formação cultural<br />

e acadêmica. Hoje precisa-se ter experiência profissional e acadêmica, no entanto, ainda que esses requisitos<br />

sejam avaliados, os profissionais devem ter a sensibilidade de inspirar outros a sua volta para executar tarefas e<br />

participar das atividades dos sindicatos e das organizações”, explica conz.<br />

Por tudo isso, não hesitamos em afirmar que o executivo sindical de hoje é aquele que é autoconfiante, tem<br />

integridade nos atos e nas decisões, ética pessoal e profissional, flexibilidade, coragem para assumir riscos e<br />

que tenha nas suas habilidades a fórmula correta para ter iniciativa, discernimento, comunicação, administrar<br />

e estar aberto a todas as mudanças tecnológicas que as empresas passam diariamente, com novas mídias e<br />

formas de comunicação.<br />

essas e outras habilidades formam um novo perfil do executivo sindical e empresarial. como se sabe, existe<br />

uma qualidade que é considerada a mais importante e essencial no executivo sindical: ser generalista. “É preciso<br />

ser generalista tanto no sentido de conhecer várias áreas dos sindicatos, dos associados e representados, como<br />

no sentido do autodesenvolvimento, já que será preciso investir em vários campos com habilidades, características,<br />

experiências e conhecimentos técnicos” afirma conz.<br />

Por isso, acreditamos que fazer-se presente em fóruns de discussão mesmo que seja de outras entidades e de<br />

profissionais laborais, visando obter conhecimento e transmitir sua experiência pessoal e profissional para a<br />

melhoria das condições de trabalho na comunidade que atua é muito importante. ou seja é preciso conhecer,<br />

trocar ideias, compartilhar experiências.<br />

Diante dos obstáculos já não temos somente o poder da caneta. Hoje, o poder está na imaginação e na tecnologia.<br />

Despachamos e assinamos documentos a milhares de distância, até mesmo nos céus em um avião.<br />

* empresário, Diretor institucional da Anamaco, Superintendente do Sincomactintas-Sergipe<br />

Diretor executivo da Acomac-Sergipe, conselheiro do cTecH ministério das cidades<br />

Psicólogo e ex-Tratorista


oPiNiÃo<br />

56

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!