Bruna-EVENTOSURFOTET

movietravel

Escola Profissional Centro Juvenil de Campanhã

Operações Técnicas em Empresas Turísticas

Módulo X- Princípios Básicos da Organização e Gestão de Eventos

PENICHE SUPERTUBOS WORLD LEAGUE

Bruna Daniela Pais da Silva

Maio de 2017


Índice

Introdução 5

Capítulo I – Peniche, um paraíso para os surfistas 8

1.1. Caracterização da região Oeste 8

1.2. Caracterização Turística de Peniche 11

Capítulo II – Peniche Supertubos World League 14

2.1. Nome/ Imagem/ Logo da empresa Pure Wave 14

2.2. Evento Peniche Supertubos World League 15

2.3. Categorias/ Escalões etários 16

2.4. Benefícios do surf 17

O surf é cada vez mais popular entre toda população. O espirito de

tranquilidade que este desporto envolve, assim como os vários benefícios

físicos que proporciona, são sem dúvida os pontos fortes que levam à sua

prática. 17

2.5. Data e Local de escolha 18

2


2.6. Cronograma do evento 20

2.7. Necessidades homologadas pela Federação Portuguesa do Surf 21

2.8. Regras de pontuação para o ranking 23

2.9. Regras de pontuação para o ranking da F.P.S 23

2.10. Cronograma do evento 23

2.10.1. Tempo e contagem de ondas 27

2.11. Taxas de inscrição 27

2.12. Recursos 28

2.12.1. Recursos Financeiros 28

No no que diz respeito aos recursos financeiros, foi possível obter patrocínios

importantes e compensadoras para a realização do evento. O merchandising

foi uma técnica utilizada de forma a promover o evento, tal como o apoio da

Federação Portuguesa do Surf, da World Surf League (WSL), da Câmara

Municipal de Peniche, Visit Portugal. 28

2.12.2. Recursos Audiovisuais 29

2.12.3. Recursos Materiais 29

2.13. Estratégias de Divulgação e Promoção do Evento 30

3


2.14. Orçamentos 30

2.15. Avaliação 31

Conclusão 32

Bibliografia 33

4


Introdução

A expansão do turismo, reconhecido como movimento humano transformado em

fenómeno de massa da sociedade industrializada, decorreu de vários fatores,

nomeadamente as conquistas da compensação da qualidade de vida, do bemestar

proporcionado pelas férias, ao mesmo tempo que foi perdendo a conotação

de superficialidade e luxo e transformou-se num instrumento de socialização do

Homem.

Para Mathieson & Wall (1982), o conceito de turismo afirma-se como:

“Movimento temporário de pessoas para destinos fora dos seus locais normais

de trabalho e de residência, as atividades desenvolvidas durante a permanência

nesses destinos e as facilidades criadas para satisfazer as suas necessidades”.

Muitas outras definições de turismo poderiam ainda ser anunciadas, produzidas

por reconhecidos académicos e cientistas da área, contudo, em todas elas está

implícito que a definição de turismo encerra, invariavelmente, o estudo do

movimento de pessoas para fora das suas áreas habituais de residência e por

períodos superiores a vinte e quatro horas (Cooper, Fletcher, Gilbert, Shepherd,

& Wanhill, 1998; Middleton, 1988; McIntosh & Goeldner, 1996; MacCannell,

1976).

Paralelo à evolução do turismo, vem-se desenvolvendo, a nível mundial, um

interesse crescente das pessoas pelo desporto, com as mais diversas

5


caraterísticas, seja na forma de praticantes ou como meros espectadores. Assim

sendo, o Homem procura cada vez mais um contacto com os ambientes em que

se desempenham as diversas modalidades desportivas, de forma a conquistálos.

A partir do exposto, e de acordo com o nível de interesse ou motivação é

que as pessoas se deslocam para locais que ofereçam condições ideais ao

desenvolvimento de uma determinada modalidade, seja para praticá-lo ou

simplesmente prestigiá-lo.

Por ser atualmente uma das modalidades mais populares em todo o mundo, o

surf atrai, cada vez mais, novos adeptos em busca dos prazeres de deslizar

sobre o mar. Ao aprenderem os fundamentos e noções básicas para a prática,

os surfistas envolvem-se num estilo de vida indescritivelmente aliciante e

desafiador, contagiando-se pelo espírito de liberdade de deslizar sobre as ondas,

levando muitos a viajar dentro do próprio país, para outro país ou mesmo para

outro continente para experimentarem novas ondas, novos ambientes e novas

emoções.

O surf é um desporto que se associa facilmente ao ato de viajar, devido à procura

pela onda perfeita. Existem, atualmente, alguns destinos no mundo

considerados como destinos ideais para a prática desta modalidade, como é o

caso de Bali, as Ilhas Mentawi, Fiji, Maldivas, Tahiti e a África do Sul.

Segundo Custódio (2008), os benefícios para a indústria do turismo local e um

acréscimo de experiências novas adquiridas pelos surfistas derivam de uma

conjugação entre as caraterísticas do destino e as expectativas dos mesmos. O

surf envolve uma interação entre o participante e o meio ambiente. No entanto,

6


para além dos participantes, também se dirigem ao local os espectadores e

acompanhantes dos surfistas, como por exemplo os amigos e familiares, que

podem também praticar este desporto.

Assim, o turismo associado ao surf tem-se tornado num fenómeno social com

algum significado económico, social e ambiental. Segundo Bicudo (2009), ondas

com qualidade mundial, como as de Peniche, podem atrair cerca de duas mil

pessoas em permanência. A divulgação das regiões de surf a nível mundial tem

forte impacto no setor do turismo, sendo um dos mais importantes para a

economia portuguesa.

A imagem de um destino turístico é importante, pois provoca consequências

diretas em variáveis como a satisfação sentida pelo turista ou a fidelização ao

destino. Segundo, Lobato, Radilha, Tena & García (2006) “O Turismo de Surf,

cuja matéria-prima é o mar, pode funcionar como alavanca na valorização de

regiões costeiras e na promoção de Portugal enquanto destino de eleição para

a prática de desportos que aproveitam as ondas.”

Este tipo de turismo tem vindo a registar um crescimento tão significativo

Saurine, (2009), refere que “os países como a Austrália dedicam-lhe agora

especial atenção ao aplicarem estratégias com vista à captação e satisfação

deste novo nicho de mercado”. Para além do evidente impulso económico que o

turismo pode trazer para uma região, o Turismo de Surf, porque não é um turismo

de massas, contribui ainda para a preservação dos recursos naturais da região

e para a preservação da identidade das suas populações.

7


Capítulo I – Peniche, um paraíso para os surfistas

1.1. Caracterização da região Oeste

A oferta da região caracteriza-se por uma grande diversidade de produtos

turísticos. A existência de estações arqueológicas, como as grutas préhistóricas,

os castros da Idade do Cobre e as cidades romanas, convivem de

lado a lado com os castelos árabes, aquedutos e pontos romanas, igrejas,

fortalezas quinhentistas ou solares do século XVII e XVIII. O Mosteiro de

Alcobaça, nomeado como Património Mundial da UNESCO, o Convento de

Santa Maria de Cós, o castro calcolítico do Zambujal situado em Torres Vedras,

as estações arqueológicas romanas de Óbidos, os castelos árabes de Torres

Vedras e Óbidos, os conventos de S. Francisco, no Alenquer, o Varatojo da

Graça, situado em Torres Vedras, o Santuário de Nossa Senhora da Nazaré, a

Real Fábrica do Gelo, em Montejunto, os centros históricos de Alcobaça e das

Caldas da Rainha são algumas das principais referências da monumentalidade

da Região, que guardam grande parte da sua história.

A arriba fóssil que acompanha as praias da região, os vestígios dos dinossauros,

é alguns dos testemunhos principais da história geológica da região, dando

assim ao território um valor paleontológico valioso e de bastante interesse. A

reserva natural da Ilha da Berlengas, considerada a única reserva da marinha

em Portugal, os circuitos da Serra do Socorro, a área da paisagem protegida da

Serra de Montejunto e da Serra d’Aire, permitem ofertas relacionadas com o

montanhismo e outras práticas de aventuras.

8


O Planalto das Cezaredas, a lagoa de Óbidos, Nazaré e Peniche, proporcionam

o turismo náutico. As falésias da Serra de Montejunto permitem a prática de

parapente, asa delta, escalada e alpinismo. Por outro a região Oeste também se

tem promovido como turismo de golf, através da implementação de vários

campos no seu território, contando atualmente com sete campos, o “Bom

Sucesso”, “Campo Real Golf & Nature”, “Golden Eagle Residence and Golf

Resort”, “Praia D’el Rei Golf & Beach Resort”, “Royal Óbidos Spa e Golf Resort”

e por último o “Botado Golf Club e Vimeiro Golf Course”.

Este território, como está perto da capital e de outros centros, tende a ter um

crescimento e modernidade nesta região Nesta local temos um conjunto de

municípios, que fazem a região oeste, e são:

Fig.1- Localização do Oeste;

Fig.2- Municípios relativos à região;

9


Repleta de sol e bom tempo, a região Oeste é uma constante caixa de

surpresas que lhe oferece um pouco de tudo: museus e monumentos

fascinantes, uma gastronomia excelente com sabor a mar, lugares cheios de

história e os alguns dos melhores destinos de surf do mundo.

A Região Oeste é, uma região de muita luz e com um clima muito agradável.

Situa-se na costa do Oceano Atlântico e a serra do Montejunto, um local ótimo

para a observação. Este território é muito produtivo, pois é iluminado com uma

grande intensidade, em que a costa marítima e o campo se interligam. Este

território, como está perto da capital e de outros centros, propende a ter um

crescimento e modernidade nesta região.

Peniche e o mar são indissociáveis, sendo este um dos maiores portos de pesca

tradicional de Portugal e um grande centro atlântico de atividades marítimoturísticas.

Para além das artes da pesca que, facilmente, sempre foram uma das fontes de

rendimento da população, Peniche é também conhecida pela arte das rendas de

bilros, que as mulheres se devotaram a aperfeiçoar enquanto os homens

andavam no mar.

O mar continua a ser um dos principais pontos de interesse e desenvolvimento

e as praias de Peniche são muito admiradas. As baías da Consolação e do

Baleal proporcionam um bom resguardo para dias de praia em família, as ondas

desta costa oeste, como as da Praia de Medão Grande, conhecida como pela

praia dos Supertubos devido às suas grandes ondas de forma tubular, são muito

10


procuradas por surfistas e bodyboarders de todo o mundo. Num concurso a nível

nacional foi nomeada como uma das “7 Maravilhas de Portugal”. Juntamente

com a Praia do Lagido, palco do grande campeonato mundial de surf Rip Curl

Pro Portugal, uma prova que integra o World Surf League Tour.

As águas límpidas são ideais para os mergulhadores que encontram aqui, um

refúgio natural de fauna e flora marinha. O mar agitado e o isolamento da Ilha

são também o mote para muitas histórias misteriosas de pescadores e de barcos

afundados nesta costa.

O mar domina também as especialidades gastronómicas, sendo a caldeirada, o

arroz de marisco ou a sardinha assada no carvão e os vinhos da região Oeste,

uma das principais motivações para os turistas visitarem a Região do Oeste. Os

doces típicos da região são os doces amêndoa, chamados de “Amigo de

Peniche” e os biscoitos chamados “Esses”.

1.2. Caracterização Turística de Peniche

Peniche possui uma longa história, tendo o seu território sido sucessivamente

ocupado por populações que, fizeram da pesca e da agricultura as principais

atividades económicas. Peniche é apresentado também em diversos

documentos de natureza promocional ou técnica, quer em termos de folhetos

promocionais, quer em termos de Planos Estratégicos de Desenvolvimento

Local.

Peniche insere-se no corredor litoral entre as áreas metropolitanas do Porto e de

11


Lisboa, beneficiando assim de um posicionamento central em particular pela sua

proximidade de Lisboa que potencia assim o desenvolvimento turístico.

O território de Peniche reflete a diversidade territorial dos concelhos do litoral

distante das áreas metropolitanas, caracterizados por grandes aglomerados

urbanos onde existe maior concentração demográfica.

Peniche é assim um território ameno, onde a ruralidade se fundo com a relação

com o mar. Peniche assenta sobre uma península com cerca de 10km de

perímetro, constituindo o seu extremo ocidental no Cabo Carvoeiro.

Fig.3- Vista aérea de Peniche;

No que diz respeito às visitas de turistas na cidade de Peniche entre 2009 e

2011, os turistas franceses ocupam o primeiro lugar no ranking. Em 2009, 6175

12


turistas franceses visitaram Peniche e em 2010 e 2011 eram 5185 e 4782 visitas,

respetivamente. Os turistas espanhóis são a segunda nacionalidade que mais

visita Peniche, tendo um total de visitas de 5721 em 2009. O turista português

encontra-se em terceiro lugar na tabela. Em 2009 registou-se assim 8176. Os

ingleses encontram-se em quarto lugar com 2416 visitas, 2847 visitas e 2203

visitas, respetivamente para 2009, 2010, 2011. Os alemães, em 2009 registaram

2398 visitas, em 2010, 1540 e em 2011, 1520 visitas.

Peniche possui muitas praias. O ponto mais ocidental é o Cabo Carvoeiro. A

oeste do Cabo Carvoeiro, situa-se o arquipélago das Berlengas. O arquipélago

das Berlengas é hoje classificado como Reserva Natural, considerada Reserva

Mundial da Biosfera da UNESCO. A principal ilha denomina-se por Berlenga

Grande, que é uma formação rochosa de granito róseo, com a idade aproximada

de 280 milhões de anos, possui pela força da erosão dos elementos, numerosas

grutas marinhas.

O concelho de Peniche oferece também recursos históricos de grande

importância, dos quais se destacam: a Fonte do Rosário; a Gruta da Furninha; a

Igreja da Misericórdia; o Santuário da Nossa Senhora dos Remédios; o Forte de

S. João de Baptista na Ilha da Berlenga; o Touril na Atouguia da Baleia; Igreja

de S. Leonardo; Igreja da Nossa Senhora da Conceição; Forte da Consolação.

13


Capítulo II – Peniche Supertubos World League

2.1. Nome/ Imagem/ Logo da empresa Pure Wave

A Pure Wave é uma empresa profissional que se preocupa com a qualidade dos

serviços e do ambiente, desta forma tem progredindo ao longo dos anos. A Pure

Wave é uma empresa certificada na Federação Portuguesa de Surf e tem como

objetivo principal a concretização de eventos de surf. Esta empresa foi fundada

em Peniche em Maio de 2012. Esta empresa pretender aumentar a prática desta

modalidade, permitindo desta forma que as escolas, as grandes marcas tenham

a possibilidade de participarem ou assistirem ao maior campeonato de surf em

Peniche. Sendo que qualquer pessoa com experiência neste desporto, poderá

inscrever-se.

O nome da empresa pretende despertar a população e os amantes do surf, para

o crescimento desta modalidade e desta forma, atrair o maior número de turistas

para a região.

Fig.1- Nome e Logotipo da empresa;

14


O nome “Pure” está relacionado com o mar, que significa pureza, assim como o

“Wave” que nos remete para ondas. Neste caso Peniche é internacionalmente

conhecido pelos supertubos devido às suas grandes ondas de forma tubular, são

muito procuradas por surfistas e bodyboarders de todo o mundo.

Fig.2- Cartão-de-visita da empresa;

O slogan, o logotipo e o cartão-de-visita, as cores, o tipo de letra são pormenores

estratégicos, realizados para despertar a atenção de quem nos visita e desta

forma, gerar um sentimento de confiança, reconhecimento, e interesse em

experimentar aquilo que concretizamos. A nossa empresa pretende evoluir ao

longo dos anos, mantendo sempre a nossa reputação e singularidade.

2.2. Evento Peniche Supertubos World League

O evento Peniche Supertubos World League pretende juntar os melhores

surfistas, sendo a entreajuda entre atletas uma missão. Mais uma vez, Portugal

vau receber um evento doo circuito mundial de supertubos, levando assim, todos

os amantes desta modalidade a inscreverem-se. Sempre foi um objetivo,

15


conseguir o carimbo da World Surf League (WSL), pelo que é uma enorme

satisfação alcançarmos e recebermos a principal prova dos supertubos e os

melhores atletas atuais.

Irá destacar-se neste evento, quatro surfistas muito conhecidos:

• Alex Botelho;

• Tiago Pires;

• Kelly Slater;

• Gabriel Medina;

2.3. Categorias/ Escalões etários

No seguinte evento irão estar incluídas as seguintes categorias de participação:

• Infantil: Menores de 12 anos;

• Juvenil: Menores de 14 anos (categoria aberta a Sub-14 e Sub-12);

• Cadete: Menores de 16 anos (categoria aberta a Sub-16 e Sub-14);

• Júnior: Menores de 18 anos (categoria aberta a Sub-14, Sub-16 e Sub-

18);

• Sub-21: Menores de 21 anos (categoria aberta a Sub-21, Sub-18, Sub-16

e Sub-14);

16


Tendo em conta as características próprias de cada modalidade, no que respeita

ao n.º de participantes por escalão etário e sexo, poderão algumas destas

categorias ser agrupadas.

As categorias tem assim como referência a idade do atleta no dia 1 de Janeiro

do ano em que se disputa a prova:

• Open: homens e/ou mulheres de qualquer idade;

• Masculinos: prova reservada exclusivamente ao sexo masculino;

• Femininos: prova reservada exclusivamente ao sexo feminino;

2.4. Benefícios do surf

O surf é cada vez mais popular entre toda população. O espirito de

tranquilidade que este desporto envolve, assim como os vários benefícios

físicos que proporciona, são sem dúvida os pontos fortes que levam à sua

prática.

No início pode ser um desporto que pode requerer alguma persistência até

começar a tirar-se algum proveito. Quem pratica, diz que ao entrar numa fase

em que já se consegue divertir, dificilmente consegue deixar de praticar, por isso,

este evento é realizado para estes, ou para quem pretende iniciar esta

modalidade.

São inúmeros os benefícios do surf. Promove assim a saúde e o bem-estar,

17


melhora o funcionamento cardiovascular e fortalece os músculos.

Benefícios do surf:

• A remada no surf melhora o sistema cardiovascular e aumenta a

resistência;

• Os músculos dos braços, ombros e costas são trabalhados

proporcionando mais força;

• Ao colocar-se em pé quando se apanha uma onda, o equilíbrio que se

necessita, e todos os movimentos que faz enquanto surfa a onda, vai fazer

com que trabalhe os músculos das pernas e do abdómen;

Outros benefícios:

• Sendo um desporto que se pratica ao ar livre, pode usufruir de toda a

tranquilidade que a natureza tem para oferecer.

• É uma excelente maneira de aliviar o stress do dia-a-dia;

Para começar a prática do surf é preciso saber nadar e conhecer bem o mar

e as correntes.

2.5. Data e Local de escolha

“Na verdade, não é preciso viajar muito para se encontrar um recanto pacato e

poder-se desfrutar do melhor do surf e da harmonia entre o homem e a

natureza.” - Francisco Cipriano

18


O evento será realizado entre os 4 e 10 de Julho. O local escolhido foi Peniche,

na praia conhecida pelos seus “supertubos”. O local foi escolhido de forma

estratégica, pois, Peniche, possui a onda mais conhecida de Portugal e uma das

melhores da Europa. É conhecida internacionalmente por ser aqui que se realiza

também a etapa do Campeonato do Mundo de surf “RipCurl Pro”, em outubro.

Fig.7 e 8- Praia dos supertubos;

É uma onda rápida tubular que pode

atingir uma grande dimensão e que

quebra num banco de areia pouco profundo. Se o mar estiver grande, funciona

com todas as marés, se estiver pequeno, funciona melhor com maré vazia. Uma

onda para surfistas experientes que gostam de fazer grandes tubos. Em

condições favoráveis há muitos surfistas na água.

Fig. 9- Vista aérea da praia dos supertubos;

19


2.6. Cronograma do evento

Evento Peniche Supertubos World League

Cliente Amantes do Surf

Local Praia dos Supertubos- Peniche

Data 4-10 Julho de 2017

Profissional Responsável Bruna Silva

Planeamento

Data de

início

Data

Final

Responsável

Observações

Escolha do

local e data

Procura de

Patrocínios

Seleção das

atividades

Organização e

contratação de

Recursos

Organização e

Realização do

Evento

Janeiro Fevereiro Bruna Silva

Janeiro Março Bruna Silva

Janeiro Março Bruna Silva

Janeiro Maio Bruna Silva

Junho Julho Bruna Silva

Avaliação Julho Julho Bruna Silva

20


2.7. Necessidades homologadas pela Federação Portuguesa do Surf

Material necessário para a realização da prova:

• Estrado para os juízes, isolado da chuva e sol direto;

• Buzinas;

• Folhas de pontuação e capas para os juízes;

• Folhas de tabulação;

• Folhas de Beach Marshall;

• Folhas de protesto;

• Marcadores e canetas;

• Disco de tempo (verde e amarelo);

• Sistema alternativo ao disco;

• Placa de heats e resultados;

• Binóculos;

• Calculadora;

• Furador e agrafador;

• Cronómetro;

21


• Separadores de juízes;

• Primeiros socorros;

• Sistema sonoro;

• Pódio de entrega de prémios;

• Telefone;

• Área de competidores, isolada de chuva e sol direto, equipada com água;

• Facilidades sanitárias;

• Ambulância;

• Sistema computadorizado de julgamento;

• Monitor na tenda dos competidores;

Pessoal necessário para a realização do evento:

• Diretor técnico;

• Chefe de juízes;

• 4 juízes A;

• 2 juízes B;

• 3 juízes C (spotter, beach marshall e tabulador) – estes elementos

poderão ser nomeados pela organização);

22


2.8. Regras de pontuação para o ranking

I. O número de provas a contar para o ranking será o resultante da fórmula: ½

do número total de provas + 1 prova. Os arredondamentos serão sempre

feitos por excesso.

II. As provas poderão utilizar uma das seguintes escalas de pontuação:

• 1 (A) 1000 pontos para o vencedor 2 (A) ‘s;

• 1200 pontos para o vencedor 3 (A)’s;

• 1400 pontos para o vencedor 4 (A)’s;

• 1600 pontos para o vencedor 5 (A)’s;

• 1800 pontos para o vencedor 6 (A)’s

• 2000 pontos para o vencedor;

2.9. Regras de pontuação para o ranking da F.P.S

• Conta a soma dos resultados dos melhores atletas, em todas as provas

disputadas.

2.10. Cronograma do evento

O evento terá início no dia 4 de Julho, e terá em competição 34 competidores e

a eles juntam-se mais dois surfistas convidados, no total estarão em prova 36

competidores.

A prova é constituída por 6 fases:

23


• 1º Fase: os 36 surfistas são divididos em 12 baterias constituídos por 3

competidores;

Os vencedores de cada bateria vão diretamente para a terceira

fase;

• 2º Fase: os outros 24 são divididos novamente noutras 12 baterias e quem

vence avança para a terceira fase, quem perde fica na 25ª posição;

• 3.ª Fase: nesta fase serão 12 baterias;

Os vencedores vão à quarta fase, e o que perde termina em 13º

lugar;

Depois destas três fases teremos:

• Quarta fase: o vencedor avança diretamente para as quartas de final,

enquanto os que perdem disputam a quinta fase;

• Quinta fase (Repescagem); o vencedor da quinta etapa passa as quartasde-final;

• Quartas de final: das quartas até à final são disputadas baterias de dois

competidores;

• Semifinal: aqueles que passaram para a semifinal irão disputar

novamente 2 baterias disputadas pelos 4 que ganharam, sendo

competição entre 2;

24


• Final: São disputadas apenas 1 bateria, entre os dois que passaram para

a final;

Programa para cada dia de prova:

Dia 4:

1.ª Fase:

• Os 36 surfistas irão estar divididos em 12 baterias de três

competidores;

• Os vencedores avançam diretamente para a terceira fase;

Nota: Cada competidor pode alcançar no máximo 15 ondas, contando apenas

as duas melhores notas;

Dia 5:

2.º Fase (Repescagem):

• Os outros 24 competidores são divididos novamente em 12

baterias;

Dia 6:

3ª Fase:

25


• São novamente 12 baterias;

• O que perde fica em 13º lugar;

Dia 7:

4ª Fase:

• São divididos em 4 baterias, cada uma com 3 competidores;

• Os que perdem disputam a 5ª fase;

Dia 8:

5ª Fase:

• São divididos em 4 baterias cada uma delas com 2 competidores;

• Quem perde fica em 9º lugar;

Dia 9:

Quartas de final:

• São disputadas novamente 4 baterias cada uma com 2

competidores;

Dia 10:

Semifinal:

26


• Na semifinal são disputadas 2 baterias com dois competidores;

Dia 10: Final (Período da tarde)

2.10.1. Tempo e contagem de ondas

As baterias duram, normalmente 30 minutos. O tempo pode ser alterado

dependendo das condições do mar. Cada competidor pode apanhar no máximo

até 15 ondas, contando apenas as duas melhores notas.

Cinco juízes observam cada bateria, dando notas de 0 a 10 para a onda surfada.

A maior e a menor nota são eliminadas. A média das três restantes dá a

pontuação de cada onda.

2.11. Taxas de inscrição

Classificação Prize Money Taxa de inscrição Pontos

1.º 85€ 125€ 10.000

2.º 55€ 75€ 8.000

3.º 35€ 57€ 6.500

5.º 15€ 25€ 5.200

9.º - - 4.000

13.º - - 1.750

25.º - - 500

27


2.12. Recursos

2.12.1. Recursos Financeiros

No no que diz respeito aos recursos financeiros, foi possível obter patrocínios

importantes e compensadoras para a realização do evento. O merchandising foi

uma técnica utilizada de forma a promover o evento, tal como o apoio da

Federação Portuguesa do Surf, da World Surf League (WSL), da Câmara

Municipal de Peniche, Visit Portugal.

Os principais recursos para a realização de um evento são sem dúvida alguma

os recursos financeiros, devido aos movimentos de dinheiro que se iram gerar

no evento.

Desta forma foi necessário apoio, neste caso através das parcerias e dos

patrocínios.

Este evento pode contar com os patrocínios de:

Jeep;

Airbnb;

GoPro;

Corona Extra;

Portuguese Waves;

28


Meo;

Rip Curl;

Visit Portugal;

Edp;

Oeste Portugal;

Turismo Centro de Portugal;

QREN;

Jogos Santacasa;

Hevtz;

2.12.2. Recursos Audiovisuais

No caso dos recursos audiovisuais serão utilizados sistemas de som, estrado,

buzinas, placas de tabulação, disco de tempo, cronómetro, e desta forma,

alcançar o melhor evento do ano.

2.12.3. Recursos Materiais

Os recursos materiais necessários são, o estrado para os juízes, as folhas de

pontuação, as folhas de Beach Marshall, cronómetros, placas de tabulação.

Serão também afixados cartazes do evento.

29


2.13. Estratégias de Divulgação e Promoção do Evento

A divulgação foi feita através:

• Cartazes;

• Internet (Redes Sociais, Visit Portugal, Youtube);

• Lojas de equipamento de surf;

• Câmara Municipal de Peniche;

2.14. Orçamentos

Ambulância 70€

Contratação de 5 juízes

50€x5=250€

Polícia 70€

Recursos Materiais 1000€

Recursos Audiovisuais 200€

Prize Money 2500€

Balanço Extra Limite 700€

Total: =4790€

30


2.15. Avaliação

Evento

Muito Bom Bom Razoável Mau

Carga Horária

Interação Orador- Público

Organização

Apresentação

Organização

Instalações

Equipamentos

Segurança

Material Oferecido

Receção

Informação Fornecida

Na tua opinião:

• O melhor do evento e aspetos a melhorar

• Como teve conhecimento do evento

• Recomendaria o evento

• Sugestões Futuras

31


Conclusão

As boas ondas para a prática no surf são normalmente encontradas no oceano.

A cultura do surf abrange várias entidades como escolas de surf, escolas de

socorro e salvamento, surf camps, e na produção de media.

Os eventos são um fator importante para a economia de uma determinada

região, dando-lhe desta forma visibilidade.

Achei este trabalho muito importante para nós estudantes presentes e futuros

trabalhadores. É compensador para colocar em aplicação toda a teoria e

visualizar toda a matéria num projeto nosso, num projeto que nós gostamos.

O surf é um dos meus desportos favoritos de tal modo, que é gratificante ver um

evento meu a ser realizado.

32


Bibliografia

http://www.future-surf.com/surf/historia/

http://www.future-surf.com/PT/surf/abc-do-surf/

http://surftotal.com/noticias/historia/item/1849-a-historia-do-surf-as-raizes

http://www.centerofportugal.com/pt/events/moche-rip-curl-pro-portugal-atsupertubos/

http://tribunadahistoria.pt/historia-do-surf-em-portugal/

http://www.centerofportugal.com/pt/tag/surf/

http://www.centerofportugal.com/pt/tag/surf/

33

More magazines by this user
Similar magazines