Views
2 weeks ago

Jornal Vento Leste 134 - Jan 2018 - WEB

8 CASCAVEL Trânsito

8 CASCAVEL Trânsito está complicado Com frota mais do que triplicada em 10 anos, Demutran tenta se adequar, mas mudanças confundem Municipalizado através da lei 1104/2002, o trânsito de Cascavel passa por constante modificações e a cidade, que teve frota mais do que triplicada nos últimos 10 anos, segundos dados oficiais do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), vai se adaptando a cada novidade implantada. Nem sempre, no entanto, as mudanças agradam e as últimas, impostas no Centro e nas ruas adjacentes a ele, na sede do município, estão deixando o tráfego confuso. Não agradam a todos. Existem pontos positivos e negativos. A implantação de semáforos, por exemplo, é bem vista, mas existem reclamações quanto ao tempo de sincronia deles. O da confluência entre a Rua Padre Valdivino Nogueira e a Avenida Dr. Pedro de Queiroz Ferreira é um deles. A reportagem constatou que, seguindo em direção à Avenida Chanceler Edson Queiroz, pela Padre Valdevino Nogueira, o semáforo demora muito para ficar verde para que o condutor possa seguir em frente ou dobrar à esquerda ou à direita. A Avenida Prefeito Vitoriano Antunes também é motivo de discussão. A via teve o canteiro central retirado e árvores derrubadas, perdeu a mão dupla, o asfalto e ganhou blocos pré-moldados. Agora é mão única, saindo da Chanceler Edson Queiroz. Virou uma espécie de binário com a Rua Padre Valdivino Nogueira. E aqui surge uma nova questão, a implantação de binários, pelo Departamento Municipal de Trânsito (Demutran), órgão que cuida do trânsito em Cascavel. Binários são implantados em grandes cidades, onde o tráfego é intenso. Seu conceito: conjunto de duas vias próximas e paralelas, cujos fluxos de trânsito se dão em uma única direção, em sentidos opostos entre si. Só os benefícios do tráfego em mão única (diminuição de conflitos entre trajetórias de veículos, pedestres e ciclistas; mais segurança em manobras de ultrapassagem; e diminuição de congestionamentos causados pela conversão à esquerda) não são suficientes para a justificativa de implantação de um binário. Essa implantação pode gerar deslocamentos adicionais, o que é esperado, à medida que se diminui a liberdade de movimentos dos condutores. É o que está acontecendo no confuso trânsito de Cascavel. Quem perde uma opção de entrada, obrigatoriamente, precisa fazer todo o percurso de novo. É o tal deslocamento adicional... Em tempos de gasolina cara, tal desperdício não poderia ser considerado. E ainda tem os casos de binários em ruas adjacentes ao Centro em que não haveria a menor necessidade, pois as vias ficam ociosas de movimento na maior parte do trânsito diário. Tudo foi constatado pela reportagem e também em entrevistas com condutores particulares e taxistas, que pediram o anonimato, mas que estão sentido na pele o ônus das novas mudanças. Procurado nos dias 8, 9 e 10 de janeiro, o Coronel Feitosa, responsável pelo Demutran Cascavel, ficou de retornar, mas estamos esperando até agora. Parece que há um “binário” na comunicação do órgão e não uma “mão dupla”, como deveria ser em qualquer setor da administração pública. A Av. Prefeito Vitoriano Antunes perdeu canteiro central, asfalto e árvores, para ganhar blocos pré-moldados e ter mão única A Rua Prof. José Antônio, que passa em frente à Igreja Matriz de Cascavel, virou binário e agora tem mão única em um pequeno trecho (50m), fazendo a todos que queiram ter acesso novamente, que faça um grande retorno por outras ruas próximo ao CRC de Cascavel. Foto: Divulgação Foto: Divulgação O crescimento da frota de Cascavel Ano Total Automóvel Caminhão Cam. Trator Caminhonete Camioneta Ciclomotor Micro ônibus Motocicleta Motoneta Ônibus Reboque Semi reboque Side-Car Outros Trator rodas Triciclo Utilitário 2017 19.292 8.185 575 19 1.085 320 134 89 7.327 982 169 256 20 1 2 1 6 121 2013 13.461 5.920 469 5 746 255 6 59 5.031 643 125 144 9 1 1 0 3 44 2007 5.774 2.998 308 2 273 252 6 31 1.585 190 56 62 2 0 0 0 0 9 Fonte: Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

9 Bandas Veneno e Zé Dazefa agitarão o folião ao ritmo de samba, antigas marchinhas e frevo CARNAVAL DA SAUDADE CRC promete grande festa em cascavel Um dos eventos mais esperados pelo público de Cascavel e região, o Carnaval da Saudade do Clube Recreativo Cascavelense (CRC) abrirá oficialmente o período momino na cidade no próximo dia 3 de fevereiro. O evento, que começará às 22 horas do sábado magro, terá as presenças de duas bandas, Veneno e Zé Dazefa. “Nosso objetivo é fazer uma grande festa de pré-carnaval e não medimos esforços para isso. Com certeza, realizaremos o maior e melhor Carnaval da Saudade da história do CRC”, disse o presidente Paulinho Promoções. Eleito no pleito de 2016, com 42,01% dos votos, o prefeito de Pacajus, Flanky Chaves, continua afastado do cargo. O afastamento judicial, por um período de 180 dias, se deu no dia 14 de setembro de 2017, em decisão da juíza Ricci Lobo de Figueiredo Filgueira, da 1ª Vara da Comarca do município. Chaves é acusado de improbidade administrativa por fraudes em licitação e em contratos administrativos, descumprimento de decisão judicial, peculato, corrupção ativa, organização criminosa, falsificação de documentos e usurpação de função pública. Além do prefeito, outras 15 pessoas são réus na Ação Civil Pública, conduzida pelo promotor de Justiça Iuri Rocha Leitão, que apura indícios de desvios de mais de R$ 2,1 milhões dos cofres da Prefeitura de Pacajus. Além do afastamento, foi decretado ainda o bloqueio de bens, ativos financeiros e a quebras dos sigilos bancário e fiscal de Flanky Chaves e dos 15 envolvidos no processo. Afastado, o prefeito tentou voltar ao cargo também por meio judicial, mas teve pedido negado pelo presidente do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), desembargador Francisco Gladyson Pontes, no dia 20 de setembro. No dia 10 de outubro, o desembargador Paulo Airton Albuquerque Filho, do TJCE, também negou pedido de retorno do prefeito. Flanky Chaves é acusado de usar o Decreto de Estado de Emergência no município. As contratações que levaram seu afastamento se deram entre os dias 5 de janeiro, com apenas cinco dias de mandato, e 8 de O Clube Recreativo Cascavelense receberá o folião com decoração específica e total infraestrutura para o evento O CRC ganhará decoração específica para o evento e prepara grande infraestrutura para o mais tradicional baile carnavalesco de Cascavel. O público dançará ao ritmo de sambas, marchinhas clássicas e frevo. O Carnaval da Saudade do CRC mantém a proposta de relembrar o som e o clima dos antigos carnavais. Tanto é que a festa tornou-se ponto de encontro de velhos amigos, famílias e gerações. E é só o começo, já que a cidade é um dos destino mais procurados pelo folião cearense, consagrada como um dos carnavais mais animados do litoral leste. Em Pacajus, o prefeito eleito segue afastado Foto: Kyko Barros março de 2017, em diversas áreas, como coleta de lixo, manutenção de veículos, contabilidade, material hospitalar, combustível, material de limpeza e aquisição de gêneros alimentícios, em contratos sem licitação. Além do prefeito, as 15 pessoas que fazem parte da ação: José Wilson Alves Chaves, pai do prefeito de Pacajus; Joab Bezerra de Almeida, ex-presidente da Comissão de Licitação de Pacajus; Maria Adalia de Menezes Lima, secretária de Infraestrutura de Pacajus; Bruno Cavaignac Araújo, presidente da Comissão de Licitação da Prefeitura de Pacajus; Erandir Barbosa de Mesquita, servidor público; Thais Silva Carvalho, membro da Comissão de Licitação do município de Pacajus; Navila Maria Brito Pereira, membro da Comissão de Licitação do município de Pacajus; Gisele Gomes Chaves de Sousa Queiroz, coordenadora do Setor de Compras do município de Pacajus; e José Leonel Pereira Neto, servidor público. E as empresas: Construtora Lázio Eireli e o sócio-administrador José Randal de Mesquita Neto; RPC Construções e Locações – Eireli – Epp e o sócio-administrador Paulo César Mendonça de Holanda; e o Posto Retorno do Horizonte Ltda e a sócia-administradora Marilane Batista Correia. Segundo o TJCE, não é possível antecipar a data de análise do caso pela juíza responsável, por se tratar de um processo muito complexo. Desde o afastamento, o município é administrado pelo vice-prefeito Bruno Figueiredo. Parceiros na eleição, os dois estão agora em lados opostos. Reprodução Flank Chaves e seu vice Bruno Figueiredo, em material de campanha: os dois agora estão em lados opostos As aves estavam em gaiolas e foram resgatadas em fiscalização de rotina de uma equipe do Batalhão de Polícia do Meio Ambiente PACAJUS Quase 300 aves são resgatadas em feira O Batalhão de Polícia de Meio Ambiente (BPMA) iniciou 2018 bem atento. No dia 7 de janeiro, equipe do regimento resgatou quase 300 pássaros que estavam sendo vendido na feira livre do município de Pacajus, a 49 quilômetros de Fortaleza. Era uma fiscalização de rotina, quando 278 aves, a maioria da espécie Sporophila Lineola, o popular Bigodeiro, foram recuperadas. Os animais estavam presos em 25 gaiolas e era de 15 espécies diferentes, como azulões, bicudos, corrupiões, galos campinas, golinhas, graúnas, marrecas, rolinhas e outras. As aves foram levadas ao Centro de Triagem de Animais Silvestres do Instituto Brasileiro do Meio AQUIRAZ A queda de um ultraleve quebrou a rotina da manhã do último dia 15 de janeiro na Lagoa do Catu, em Aquiraz, Região Metropolitana de Fortaleza. A aeronave, de prefixo PU-HCJ, decolou da localidade da Lagoa do Catu e caiu logo depois, à esquerda da pista do aeródromo do Catuleve, às margens do lago. Somente o piloto, Davi Freitas, de 60 anos, que fazia um voo solitário e experimental, estava na pequena aeronave. Ele sofreu pequenas lesões na face, fratura externa na perna esquerda e fechada na perna direita, mas estava consciente quando foi encaminhado ao Instituto Dr. José Frota, em Fortaleza. O resgate foi feito pelo Corpo de Bombeiros. O ultraleve ficou destruído. Segundo populares, o pequeno avião levantou voo, perdeu altitude em seguida e bateu na árvore próximo ao muro do aeródromo. A Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas Divulgação Ambiente (Ibama). Após avaliações, serão devolvidos à natureza. Os vendedores, quando avistaram os policiais, conseguiram fugir, mas três pessoas foram presas na ação pela compra das aves. Detidos em flagrante, eles foram levados á Delegacia de Horizonte, onde foi lavrado o Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), e enquadrados no Artigo 29, parágrafo 1º da Lei 9605/98, que proíbe vender, expor, exportar, adquirir, guardar, manter em cativeiro espécie da fauna silvestre sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente. A pena é de detenção, de seis meses a um ano, e multa, após julgamento. Fotos: SSPDS | Divulgação O ultraleve, que caiu logo após levantar voo, ficou destruído Ultraleve cai próximo à lagoa do catu (Ciopaer) foi acionada. De acordo com informações do tenente- -coronel Marcus Costa, apesar das fraturas, o piloto passava bem. A equipe do Ciopaer realizou os primeiros socorros. O militar informou também que, pelo fato da aeronave ser do tipo experimental, não haverá investigações por parte da Aeronáutica. “A aeronave experimental não é homologada para uso comercial. No próprio painel dela existe um alerta de que sua operação é por conta e risco do piloto”, disse. Se houvesse morte, o caso seria investigado pela Polícia Civil. Detalhe: o local da queda do ultraleve é de difícil acesso para a chegada de veículos. Por isso, a ambulância que chegava para o resgate atolou e a UTI aérea foi acionada. A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), por nota, informou ainda que houve um princípio de incêndio no equipamento, rapidamente controlado.

Newsletter TEAM Andre Mayer - Jan 2018
Esporte Local nº edição 134 - Jornal Esporte Local
Brasil Combate Magazine | Edição #1 | JAN 2018
Jornal Amrigs - Zimbra Web Client Log In
experiência de 134 casos - Jornal Vascular Brasileiro
Jornal 134 - Maio 2008.p65 - Arquidiocese de Florianópolis
Revista Gastronomia Angeloni - Ano 6 • Nº 35 • Jan | Fev • 2018
Renato e seus Blue Caps na terra dos ventos - JORNAL MOMENTO
TIMOR-LESTE (FALANTIL-FDTL)[1] . - Jornal de Defesa e Relações ...
Jornal Social (Jan. 2013) - Freguesia de Vila Chã de Sá