31.01.2021 Views

Abufa na Gaita - Janeiro 2021

Create successful ePaper yourself

Turn your PDF publications into a flip-book with our unique Google optimized e-Paper software.

Edição I / 2021 ISSN 2183-5578

Abufa na Gaita

O mundo, a associação e as pessoas

Parabéns

BSCRT

E ainda:

-Escola de Música

-Cartão de Sócio BSCRT

-Recordar é viver...!


EDITORIAL

<< Parabéns BSCRT, 84 anos de muita história >>

Caros Leitores,

Antes de mais esperamos que todos estejam bem e com saúde.

A BSCRT comemora mais um aniversário, 84 anos de

histórias, de sorrisos, de lágrimas mas sobretudo de muito

companheirismo e música.

Mais uma edição deste magazine se realiza e mais uma vez em

formato digital.

Não são tempos fáceis, mas o esforço de todos os amigos,

sócios, diretores, músicos e maestros tem tornado esta fase um

pouco melhor.

Continuamos a trabalhar para manter a associação viva e

ansiosos para que melhores tempos voltem para que possamos

voltar a ter junto de nós quem mais gostamos e voltar a fazer

aquilo que nos caracteriza, boa música.

Esta é mais uma edição de aniversário e contamos com os

testemunhos de quem pela banda passou, ficou, fez e faz

história.

Boas leituras.

Vítor Saraiva

FICHA TÉCNICA

Nº: I | 2021

Data de publicação: 31 de janeiro de 2021

ISSN 2183-5578

Edição Online

04 | Escola de Música 06 | Recordar é Viver 08 | Os Nossos Dias... 10 | Anos de Distanciamento


84 anos de

História BSCRT

Caros associados e leitores da Banda de S. Cristóvão de Rio Tinto

Parabéns, a BSCRT faz 84 anos!

Sem músicos, sem público, sem concerto, sem bolo, sem evento comemorativo…

um aniversário diferente… o estado de pandemia, em que vivemos, assim o

impõe.

Gostaríamos de comemorar, como é habitual, juntando todos os músicos,

familiares, sócios e simpatizantes, num concerto, mas tal não nos é permitido.

Não é fácil ver uma associação dinâmica, cheia de vida, música e muitos eventos

a parar… mas fica a esperança que, em breve, a normalidade nos seja devolvida

e possamos voltar a levar a música ao nosso público, com a esperança de que o

próximo aniversário será comemorado com tudo a que tem direito!

Termino renovando o meu agradecimento aos músicos, maestro, pais e alunos da

Escola de Música e a todos os sócios da BSCRT pela confiança que depositaram

nesta direção e na esperança que 2021, nos devolva a tão desejada e merecida

normalidade. A todos desejo que 2021 seja um ano próspero e com saúde.

Cuidem-se e protejam-se!

Manuela Gonçalves

Presidente da B.S.C.R.T

11 | É Preciso Lutar 12 | Flash Musical 14 | A Voz dos Nossos 17 | Cartão de Sócio


ESCOLA DE MÚSICA

A visão do nosso coordenador

A Escola de Música da BSCRT encontra-se a funcionar em pleno, apesar de

todas as limitações que nos têm sido impostas pela pandemia que estamos a

atravessar. Atualmente contamos com 37 alunos e com 8 professores que se

têm adaptado à nova realidade da melhor forma possível, alternando as aulas

à distância com as aulas presenciais, em conformidade com a legislação em

vigor. Este ano letivo, foi possível realizar as audições de todas as classes

relativas ao 1º período, de forma presencial, com assistência limitada a

familiares diretos.

De salientar o apoio incondicional manifestado pela direção, com especial

atenção ao Vitor Saraiva por todo o apoio ao nível da operacionalização das

novas plataformas que possibilitam as aulas online e à Carina Gonçalves e à

Margarida Nunes pela constante presença e todo o apoio logístico. Quanto aos

alunos e respetivos encarregados de educação, uma palavra de agradecimento

pela atitude e compreensão demonstrada nesta fase. De notar que, apesar

de todas as limitações que conhecemos, a assiduidade dos alunos tem sido

bastante satisfatória e, de forma geral, têm sido cumpridos os objetivos

propostos para este ano letivo.

Fernando Araújo

4 | BSCRT | Abufa na Gaita | janeiro 2021


NOVAS PLATAFORMAS

na Escola de Música da BSCRT

<< A Necessidade Aguça o Engenho! >>

Covid-19, uma nova realidade que requer adaptações e mudanças.

Foi assim que na Escola de Música da BSCRT decidimos implementar as aulas

à distância. Numa primeira fase e, ainda, dentro da chamada primeira vaga da

pandemia, utilizamos a plataforma Microsoft Teams para ministrar o ensino online,

mas, como era expectável, esta plataforma, face ao elevado número de utilizadores,

deixou de ser gratuita e foi necessário uma readaptação a esta realidade.

Assim decidimos, utilizando recursos da

associação e sem ter de depender de terceiros

implementar uma plataforma, muito conhecida

dentro da comunidade escolar, denominada

Moodle em articulação com o Google Meets

(plataforma de video-conferência gratuita).

Nesse sentido, foi então implementada e configurada esta plataforma para que

os nossos alunos, se eventualmente necessitassem de ficar em isolamento por

testarem ou terem estado em contacto com algum caso positivo, pudessem

continuar a assistir às aulas da Escola da Banda. O professor estaria na sede da

Banda a ministrar a aula presencialmente àqueles que assim o pudessem fazer e

em simultâneo por via online para aqueles que necessitassem.

Tal como era previsto, a chamada terceira vaga da pandemia apareceu e tivemos

de voltar novamente ao ensino à distância. Desta vez de forma mais rápida e eficaz,

com os professores e alunos/encarregados de educação treinados no uso da nova

plataforma, as aulas voltaram a ser ministradas de forma online para todos.

A nossa missão é, e sempre

será ajudar e apoiar os

nossos alunos. Esperemos

que esta pandemia que tanto

nos retirou, passe rápido para

que possamos voltar a ter

junto de nós os nossos alunos

e voltar a ver viva a música na

nossa associação!

Vítor Saraiva

BSCRT | Abufa na Gaita | janeiro 2021 |

5


RECORDAR É VIVER!

Na comemoração dos 84 anos da fundação da Banda de S. Cristóvão de Rio Tinto,

recordo os mais de 60 anos de atividade musical que faz parte do meu curriculum,

até ingressar, por último, na Banda S. Cristóvão de Rio Tinto.

Comecei na Banda Marcial da Foz do Douro, tendo passado, sucessivamente,

pelas Bandas de Ramalde-Porto (infelizmente já desaparecida do panorama

musical da Cidade do Porto), e, depois, pela Banda de Guifões-Matosinhos

(também já fora de combate há longos anos!).

Depois de casar, passei a morar em Ermesinde, tendo

ingressado na Banda de Alfena-Valongo, mudando mais

tarde para a Banda de Gueifães-Maia, onde me mantive,

várias épocas, juntamente com dois dos meus filhos.

Entretanto mudei a minha residência para Rio Tinto,

ingressando na Banda Velha de Rio Tinto, do célebre

professor José Neves.

Quando fui viver para Luanda, em 1966, exercendo a minha atividade profissional

em vários jornais da capital angolana, também colaborei com a Orquestra de Salão

de Luanda, dirigida pelo então conhecido maestro Jaime Mendes, que fez várias

composições para filmes da época, um que entrava a Amália Rodrigues e o popular

cantor Alberto Ribeiro, curiosamente nascido em Ermesinde.

Regressando a Portugal, em 1974, fui trabalhar para o Jornal de Famalicão, tendo

ingressado na Banda de Música daquela cidade, onde me mantive durante seis anos,

e onde se iniciaram, musicalmente, o meu filho Toni, hoje trompetista muito conhecido,

pelas suas capacidades musicais, no panorama musical português.

Mais tarde, fui “transferido” para Fafe passando a integrar a Banda de Golães,

juntamente com o meu filho Toni, tendo permanecido na Banda cerca de oito anos.

Como senti a necessidade de aprofundar os meus conhecimentos musicais, apesar

de já ter ultrapassado os 40 anos de idade, fui prestar provas para admissão no

Conservatório de Música do Porto, como trabalhador-estudante, exercendo a

minha atividade profissional, no saudoso jornal “O Comércio do Porto”, (entretanto

desaparecido do Panorama Jornalístico Português), onde possuía horários que me

permitiam assistir às aulas, tendo completado todos os cursos gerais do conservatório:

Formação Musical, Composição, Acústica, História da Música, Trompete (curso geral e

complementar) e, ainda, o 3.º ano de piano. Provavelmente seria o aluno mais velho do

conservatório, mas gostei de conviver com muita juventude, que sempre me respeitou!

Nesta fase, passei por outras bandas, como a Banda de S. Tiago de Riba-ul-Oliveira

de Azeméis e Rio de Moínhos-Penafiel, onde me mantive 4 anos.

Também fui convidado para integrar a primeira claque do F.C. Porto, “Dragões Azuis”,

tendo acompanhado o F.C.P. por todo o país e alguns países europeus. Esta ligação

6 | BSCRT | Abufa na Gaita | janeiro 2021


ao clube tem durado até aos dias de hoje, já lá

vão cerca de 40 anos, tendo já a minha estátua

no museu do clube.

Por essa altura, fui convidado para ingressar na

Banda de S. Cristóvão de Rio Tinto, onde passei

quatro anos excelentes, com gente simpática,

desde os dirigentes, músicos, maestro e os

aficionados pela Banda que acompanharam

a mesma por todas as festas e romarias.

Recordo as boas prestações da Banda, concertos bem executados, com geral

agrado do público, elevando a Banda de S. Cristóvão de Rio Tinto, a um patamar

musical de bom nível, executando obras clássicas, mas também, renovando o

reportório, com peças modernas de belo efeito, que entusiasmam muito o público

por todo o lado onde se apresenta.

Não posso deixar de recordar a participação no Festival de Música de Valência,

em Espanha, onde permanecemos durante três dias, tendo executado um concerto

noturno, na Vila de Alzina, a cerca de 40 quilómetros de Valência, bela cidade

do país vizinho.

Foi um concerto memorável, que se prolongou pela madrugada, havendo no fim,

uma grande confraternização, entre os músicos e o numeroso público que assistiu ao

concerto e, que ofereceu um excelente copo de água para os componentes da Banda.

Recordo também os vários aniversários da Banda, que comemorei, o convívio entre

todos, os concertos comemorativos, os concertos no Centro Social de Rio Tinto,

os festivais anuais de bandas de música em Rio Tinto, completados por lanches

suculentos, em que se uniam todos os músicos das Bandas de Música concorrentes.

Algo que agora não se pode concretizar.

Por motivos de saúde, “passei à reforma”, deixando de fazer parte da Banda Musical,

mas continuando ligado à instituição, como sócio da mesma Banda que leva o nome

de Rio Tinto, por todo o lado por onde passa, com as suas excelentes atuações.

É pena que a atual situação da pandemia não permita a realização de tais eventos,

não havendo concertos, nem as tradicionais festas e romarias, obrigando todos os

músicos de todas as bandas do pais, a uma paragem forçada. Um grande golpe na

cultura popular portuguesa.

Espero, contudo, que toda esta difícil situação seja ultrapassada, o mais

rapidamente possível, para que possamos ver novamente, a excelente Banda S.

Cristóvão de Rio Tinto, a espalhar música e alegria, para satisfação de todos nós,

que amamos a arte musical!

É o que desejo e espero, no dia em que a Banda S. Cristóvão de Rio Tinto,

comemora 84 anos de vida!

António Lourenço

BSCRT | Abufa na Gaita | janeiro 2021 |

7


OS NOSSOS DIAS...

Num tempo tão diferente daquele a que estávamos habituados, somos deparados

inevitavelmente com a necessidade de olhar o passado, consciencializarmo-nos

do presente, e sobretudo sonhar o futuro. Para fazer este exercício não vamos

precisar de parar, tendo em consideração que a maior parte dos portugueses está

confinada, portanto, mais ou menos parada.

Relativamente ao passado, é agradável recordar a imagem e o som de uma Banda

a tocar no coreto ou a desfilar na rua, num dia soalheiro, ou num cair de tarde de calor,

abrigados pela sombra das árvores e com uma ligeira brisa a acariciar-nos o rosto.

Em tempos em que os meios digitais e a comunicação social eram mais escassos,

e não há muito tempo, as Bandas constituíam as poucas oportunidades ao dispor

das populações para contactar com a música instrumental. Era frequente que ao

som da musica as pessoas parassem e se juntassem. As crianças puxavam as

mãos de quem as segurava e corriam, porque todos queriam ouvir e ver a Banda

a passar. Animavam festividades e acompanhavam as procissões dos Santos

Padroeiros das diversas aldeias, vilas e cidades.

Certamente que os mais antigos se recordam de organizar a sua vida de modo a

poderem ir aqui ou acolá, ouvir esta ou aquela banda. Depois, durante largas horas

era tema de conversa em que o desempenho da Banda era avaliado por um critério

sobretudo bairrista que privilegiava o local de origem da banda, a quantidade de

músicos, e a fama que ia criando, em detrimento até de uma análise técnica. Era

mais ou menos assim. Era um acontecimento social.

E não havia festa popular sem pelo menos uma Banda.

Os tempos foram passando, e em Portugal, no que respeita às Bandas, felizmente

verificou-se uma melhoria técnica muito significativa. A massificação dos meios

digitais trouxe também a possibilidade de contactar com o que de melhor que se vai

fazendo pelo mundo.

A qualidade musical dos executantes, maravilha-nos.

Na sociedade, isto tem um impacto positivo muito importante. A exigência

comportamental e técnica esperada de cada executante, para acompanhar

a exigência do grupo, reflete-se inevitavelmente na exigência que de forma

automática vai impor no seu comportamento diário em sociedade. Esta “escola“

de responsabilidade, que se estende por osmose aos familiares e amigos mais

próximos, e destes a outras pessoas, com mais ou menos intensidade, é impossível

de quantificar. Este movimento/comportamento positivo, ajuda a criar alicerces

sólidos sobre os quais se constrói uma sociedade mais culta, mais responsável e

consequentemente melhor.

8 | BSCRT | Abufa na Gaita | janeiro 2021


Chegados aqui, deparamo-nos com Bandas constituídas predominantemente por

jovens, felizmente muitos deles com excelente preparação técnica, mas que nestes

tempos de pandemia não se podem juntar. Nem tudo está perdido, felizmente

restam-nos as gravações e filmagens do que foi sendo feito e que com gosto vamos

revendo.

É um tempo excelente para continuar a fazer estudo individual e fazer pesquisas e

contactos através dos meios digitais, aguardando e cultivando a vontade firme de

que cheguem melhores dias.

Estes tempos também são para nós uma lição, porque nos fazem valorizar o que

tínhamos e agora não temos.

E agora, podemos sonhar, e ter esperança. O mundo não vai acabar. Quando

esta pandemia passar, e pudermos voltar a estar juntos, vamos colocar em

primeiro lugar o que é verdadeiramente importante. Vamos estudar e ter maior

disponibilidade para ensaiar. Vamos ouvir com maior atenção as recomendações

que nos fazem e aperfeiçoar o desempenho, porque é sempre possível fazer mais e

melhor. Vamos colaborar todos com ainda mais entusiasmo.

A novidade destes tempos é que aprendemos a olhar para os outros para

defendermos o nosso bem-estar. E transpondo para o nosso trabalho vemos que é

fazendo conjunto com os outros que criamos o som da Banda, coeso, único. Pois,

a nível comunitário também vai ser continuando a trabalhar para os outros, e com

os outros que vamos divulgar a boa música, contribuir para a cultura e assegurar

também o nosso futuro.

Sim, porque é dessa forma que podemos ter uma BSCRT com ainda mais

qualidade musical executando reportório ainda mais exigente.

É isso que esta Cidade de Rio Tinto espera de nós.

Francisco Lopes

BSCRT | Abufa na Gaita | janeiro 2021 |

9


2020 - 2021 ANOS DE DISTANCIAMENTO

2020 foi um ano que todos queremos esquecer… foi um ano de distanciamento,

de máscaras e desinfetantes, de medos e incertezas… foi assim para toda

a população mundial e todos nós, uns mais e outros menos, fomos direta ou

indiretamente, afetados pela pandemia por Covid19.

Para a BSCRT também foi um ano muito difícil, em que teve de se reinventar, tanto

na Escola de Música como na Banda Sénior.

Na Escola de Música as aulas

passaram a ser, inicialmente on-line

e, no início do corrente ano letivo,

presenciais, mas com recurso a mais

uma sala de aula, no Centro Amália

Rodrigues (gentilmente cedida pela

C. M. Gondomar), para poder cumprir

as normas de segurança.

Na banda sénior, inicialmente os ensaios passaram a ser por naipe, para cumprir as

normas de distanciamento e segurança, mas mais tarde, e até ao momento, tiveram

mesmo de ser cancelados.

Foi um ano em que todas as festas e romarias foram canceladas, bem como,

todos os outros eventos em que a BSCRT participa ou organiza, como é o caso do

Encontro de Bandas.

No final do ano de 2020 tínhamos a esperança de poder retomar, com alguma

normalidade, as atividades da BSCRT e poder realizar os habituais concertos de

Natal e Ano Novo, cantar as Janeiras, fazer o Concerto de Aniversário da BSCRT

e tantos outros eventos… mas, uma vez mais, todos os planos foram cancelados,

ou melhor dizendo ADIADOS pois, logo que seja possível, retomaremos todas as

atividades e realizaremos todos estes eventos.

Todos sentimos que as nossas vidas estão em suspenso e dependentes de um

controlo efetivo desta pandemia. Temos esperança que a vacinação resolva, em

breve, este problema de saúde pública e nos devolva a normalidade.

Continuamos com motivação e vontade de levar a música às vossas vidas e

dignificando, sempre, a BSCRT.

Manuela Gonçalves

10 | BSCRT | Abufa na Gaita | janeiro 2021


PARA VENCER É PRECISO LUTAR

A banda faz anos... Contudo este ano parece que o sentimento de felicidade e orgulho,

normais nesta data, foram substituídos por um misto de saudade desanimo... E silêncio!

Está claro que a BSCRT após a pandemia terá também de se “curar” dos

“ferimentos” a que o isolamento social causa numa instituição em que o convívio e

o ajuntamento é obviamente essencial.

Vamos falando uns com os outros, partilhando fotos, vídeos entre outros... vão

servindo tal e qual uma seiva que mantém uma árvore viva no inverno, à espera de

uma primavera para voltar a florir!

Estamos aqui... não esquecemos a banda, os amigos o que fizemos e o que

queríamos fazer e ficou adiado! Pouco mais podemos fazer por agora... Estou certo

que não faltarão ideias e a força necessária para voltar a pôr esta grande máquina

a trabalhar com a eficiência a que já estávamos habituados. Será necessário o

empenho e compreensão de todos... A nossa sociedade em geral irá necessitar de

ter de volta todas as associações, clubes e colectividades.

Diz-se que as coisas nunca mais vão ser as mesmas... Se bem conheço a Nossa

BSCRT vai ficar ainda melhor! Graças ao seu carácter musical único, humildade e

amizade iremos acordar deste “coma induzido” cheios de vitalidade... O resto os

ensaios resolvem!

Para a BSCRT é o primeiro aniversário sem festa, pois em Janeiro 2020 ainda não

se adivinhava o desfecho que a época musical teve, porém para outras associações

será este ano o segundo ano sem festa... Para o associativismo em geral um

grande abraço virtual cheio de boas energias e esperança!

Parabéns à BSCRT, e obrigado a todos que durante este ano nunca nos esqueceram.

Até breve...

João Silva

BSCRT | Abufa na Gaita | janeiro 2021 |

11


FLASH MUSICAL

Rodolfo Silva

Concerto numa bolha

A banda norte-americana Flaming Lips arranjou uma

forma de atuar, com público, de maneira segura, já que os

espectadores estão literalmente numa bolha. Depois de

terem experimentado o formato em outubro, os Flaming

Lips ficaram tão convencidos, que marcaram duas

atuações para o início do novo ano. Chamaram-lhes os

“Primeiros Concertos de Space Bubble do Mundo”. Para

manter o público em segurança, a plateia foi preenchida

por 100 bolhas. Cada uma pôde receber até três pessoas

e estava equipada com uma garrafa de água, uma toalha,

uma ventoinha para a circulação do ar, um altifalante

para garantir a qualidade de som dentro da bolha e ainda

um sinal para avisar a organização da necessidade de

ir à casa de banho. No final, os ocupantes das bolhas

são encaminhados até à saída, onde um a um voltam

a colocar as máscaras, garantindo o distanciamento

social. Uma experiência musical diferente, numa altura

em que a indústria continua à procura de soluções.

Um sonho aqui tão perto

No passado sábado, dia 16 de janeiro, cerca de

20 mil pessoas assistiram a um concerto sem

distanciamento social e sem máscara em Waitangi,

na Nova Zelândia. O concerto dos Six60, uma

banda neozelandesa, foi o maior do género,

desde o início da pandemia, naquele país que já

conseguiu controlar a propagação da Covid-19.

Nesta altura, a Nova Zelândia regista menos

de 80 casos de pessoas infetadas com o novo

coronavírus. Todos eles são casos importados

e estão devidamente isolados do resto da

comunidade. Na Nova Zelândia, os espetáculos

sem medidas de contenção do vírus são permitidos

desde o final do ano passado. Algo que atualmente

para nós parece um futuro distante, para outros já

é uma realidade. Ansiamos todos por este futuro.

12 | BSCRT | Abufa na Gaita | janeiro 2021


30 temas – 30 minutos – 1 música

Uma orquestra, 30 temas de filmes. Foi a proposta do maestro britânico Stuart

Bramwell em abril de 2020. Bramwell, compositor de temas de filmes como “Pariah”

(2018) e “The Peacemakers” (2021), reuniu a Orquestra de Glasgow para executar

um arranjo com temas de três dezenas de longas metragens. A apresentação dura

cerca de 30 minutos. Entre os temas tocados estão músicas de “Harry Potter”, “O

senhor dos anéis”, “Interstelar” e “Jurassic Park”, além de algumas de séries de TV,

como “Game of Thrones” e “The Mandalorian”. Dentro da indústria musical, esse

tipo de arranjo é conhecido como medley, e nada mais é do que a combinação de

diferentes músicas para formar uma grande peça única. Bramwell não é o primeiro

a fazer medleys com temas cinematográficos. Dezenas de apresentações do tipo

são feitas anualmente, porém, com menos músicas amarradas. Uma das mais

icónicas ocorreu no Oscar de 2002, quando o maestro John Williams, compositor

do tema de “Indiana Jones”, conduziu um medley com músicas de filmes como

“Titanic”, “O Padrinho” e “Casablanca”.

BSCRT | Abufa na Gaita | janeiro 2021 |

13


A VOZ DOS NOSSOS

Testemunhos e Opiniões

“Os professores da escola são muitos profissionais e amigos dos alunos. Já aprendi muitos com eles

e espero aprender muito mais. Gosto muito de estudar nesta escola de música”

Tiago Branco

“Na escola de música da BSCRT encontramos rigor e exigência num ambiente familiar e afável.

Parabenizamos os professoras Miguel e Sofia pelo empenho e profissionalismo na motivação

dos nossos filhos para a aprendizagem da música.”

Gabriela e Eduardo Vieira

“Parabéns BSCRT pelos 84 anos de existência! Obrigada por cultivarem o gosto da música as

nossas crianças, jovens e menos jovens! Continuem a contar muitos sucessos!”

Rodrigo Santos

“Gosto muito de andar na banda. Adoro as minhas aulas de guitarra e gosto também da minha

formação de música. Estou a aprender muitas coisas novas e fiz novos amigos.”

Duarte Castro

“Conheci há pouco tempo a banda. Aquilo que eu posso dizer é que estou muito contente com o

trabalho que fazem, pois vejo o meu filho satisfeito e ansioso que chegue o dia para voltar. Acho

que as pessoas são muitas simpáticas e acolhedoras.”

Susana Coelho

“A lavor da escola de música da BSCRT permitiu que toda a família desfrutasse da música de

forma ativa. É um prazer estar no meio de um conjunto de instrumentos a tocar, e sentir como

o som do nosso encaixa perfeitamente na melodia que esta à nossa volta.”

Luís Morejón

14 | BSCRT | Abufa na Gaita | janeiro 2021


“Apesar de estar em confinamento, a banda conseguiu que as aulas continuassem e que não

parássemos de tocar. Foi bom para manter a rotina e não deixar o instrumento.”

Emília Gonçalves

“A escola de música da banda de Rio Tinto está de parabéns, pois ano após ano tem conseguido

fomentar as aprendizagens musicais dos seus alunos pela evolução do ensino numa abordagem

integrada Escola-Família-Sociedade.”

Renata Vieira

“Uma escola, um meio de aprendizagem e sobretudo família. Uma família onde o que nos une é a

música. Um bem haja para vocês que nunca desistiram dos sonhos dos nossos meninos. Obrigada!”

Gabriela Ribeiro

“Excelente escola! Parabéns pelo profissionalismo, organização e dedicação desta grande

equipa. Obrigada pelas oportunidades que dão a estes alunos.”

Maria Leonor Moreira

“A Banda de Rio Tinto permitiu-me voltar a estudar música. Desde então, tenho aprendido imenso

e nunca conseguiria chegar onde cheguei sem a oportunidade que me proporcionaram. Obrigado!”

Bruno Rocha

“Cresci com a banda à minha porta. Já la vão uns aninhos.... Houve pessoas que já partiram,

outras que desistiram por várias razoes e os que permanecem ainda que seja no coração. Mas

ver caras novas empenhadas em seguir este projeto, melhorando e acarinhando todos aqueles

que por lá passam para aprender música e principalmente preencher um tempo que poderia ser

preenchido com algo menos importante. Temos de dar o devido valor. Um bem haja a quem de

coração se entrega, continuem desta forma e sempre com força e confiança a formar músicos

alegrando também, sempre nas vossas saídas, festas e romarias. Parabéns à BSCRT!”

Maria Beatriz Ferreira

BSCRT | Abufa na Gaita | janeiro 2021 |

15


A VOZ DOS NOSSOS

Testemunhos e Opiniões

““Sempre me lembro da banda como vizinha, comecei por frequentar para tornar um cafezinho

e aos poucos fui conhecendo a estrutura.

Há uns anos convidaram-me para os ajudar com as limpezas, com a abertura da porta aos

alunos e músicos, e quando dei por mim tinha uma enorme família. Tratam me como Avó

deles todos e tenho na banda hoje laços muito fortes com estas pessoas que me tratam e

fazem sentir bem.

São lutadores e trabalhadores, muitos jovens. As crianças têm ali um exemplo onde em

poucos locais se vê. Além de tudo isso, encantam com a música por onde passam. Os

ensaios fazem falta pois a rua parece mais deserta e escura sem música.

Espero ouvir em breve novamente a banda, e enquanto puder estarei aqui para vos apoiar.

Beijinhos para Todos...”

Isaura Ferreira - Avó da Banda

“Habitualmente não frequento a Banda nem a acompanho nas suas deslocações, contudo

conheço bem o seu trabalho e a sua música.

Gosto muito da Banda, tenho muito orgulho essencialmente por ter tanta juventude e ainda mais

ainda por terem “nascido” da Escola da própria Banda e também por me alegrar nos dias de

ensaio, o que infelizmente não tem sido possível devido ao momento “pandémico”

Desejo as maiores felicidades a esta instituição jovem, cheia de garra e talento!”

Gina Rocha - Vizinha da Banda

“No aniversário da Banda de S. Cristóvão de Rio Tinto.

Agradecendo todo o trabalho que têm desenvolvido em favor da cultura e a partilha da vossa

caminhada em muitas actividades do Grupo Coral de Baguim.

Um grande abraço de parabéns e amizade, à Direção, Maestro, Professores e Músicos.

Nestes tempos de confinamento, acreditai que tendes muita gente que vos espera, e que

o reencontro será ainda mais saboroso.

Parabéns.”

Adélio Mendes da Silva

16 | BSCRT | Abufa na Gaita | janeiro 2021


NOVO CARTÃO DE SÓCIO

Como é do conhecimento dos nossos associados,

teve início no ano de 2020 o processo de

renumeração de sócios. Desde então, foram

contabilizados 276 sócios.

Terminado o processo de renumeração, todos os

associados da Banda S. Cristóvão de Rio Tinto

(BSCRT) têm agora ao seu dispor um cartão

com um novo design e o respetivo número

de sócio atualizado.

O novo cartão, que é gratuito, foi enviado para todos

os associados através de carta já com a vinheta de

2020 colada.

Ser associado da BSCRT, irá trazer-lhe vantagens muito em breve, no comércio

local. Para usufruir destas vantagens, basta, no ato de pagamento, apresentar o

seu cartão de sócio, com a respetiva vinheta do ano correspondente colada.

Aproveitamos também para informá-lo que se encontram a pagamento as quotas de

2020. O pagamento pode ser feito presencialmente mediante contacto prévio.

Sentimos que era importante conhecer a nossa realidade para que, desta forma,

pudéssemos melhorar a nossa banda. Este número não é um fim! É uma nova

etapa e o princípio do crescimento da nossa família.

Juntem-se a nós!

Carina Gonçalves

NOVO FILTRO

No âmbito do nosso aniversário a BSCRT decidiu

lançar um filtro para que todos se possam sentir parte

da nossa família.

Basta acederem ao nosso instagram

@bandaderiotinto ou ao link

(https://www.instagram.com/ar/687270175301232/),

tirar uma selfie com o filtro e identificar-nos!

EXPERIMENTA JÁ O NOSSO FILTRO! _____

BSCRT | Abufa na Gaita | janeiro 2021 |

17


Até à próxima edição!

Banda S. Cristóvão de Rio Tinto

Rua de Stª Luzia, Nº 52 | 4435-426 Rio Tinto, Portugal

224 891 420

banda.s.cristovao@gmail.com

www.bandaderiotinto.com

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!