Nilson Dias Vieira Junior - Faap

faap.br

Nilson Dias Vieira Junior - Faap

Reator Multipropósito Brasileiro

Radiofármacos uma colaboração para a medicina brasileira

Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares

FAAP 25/05/2011

www.ipen.br

Nilson Dias Vieira Junior


ÁREA E LOCALIZAÇÃO

O IPEN está localizado no campus da USP,

na Cidade Universitária, São Paulo, ocupando uma área

próxima de 500.000 m 2 , ou 1/5 deste campus.

Incubadora

CTM/SP

IPEN


A INSTITUIÇÃO

- do IEA ao IPEN -

Fundado em 31 de agosto de 1956 como IEA,

o IPEN é hoje uma Autarquia Estadual vinculada

à Secretaria de Desenvolvimento do Estado de São

Paulo, gerida técnica, administrativa e

financeiramente pela

CNEN, órgão do MCT,

e associada à USP para fins de pós graduação.

Autarquia estadual= órgão conveniado da CNEN


Ministério da

Ciência e Tecnologia

Institutos

de C&T

IPEN

CNEN

INB

A área Nuclear Brasileira

Nuclep

Presidência da República

Ministério de Minas

e Energia

Ministério da Defesa

Ministério das

Relações

Exteriores

Eletronuclear

Aeronáutica

Exército

(com a AIEA)

Angra 1

Angra 2

Usuários Medicina

e Indústria

CTA

Marinha

CTMSP

CTEX

MEC e Estados

da União

Universidades

Pesquisa


Principais laboratórios e instalações

Nucleares e Radioativas do IPEN/CNEN

Dois reatores nucleares,o IEA-R1, de 5MW e

outro reator IPEN – CNEN/SP-MB/01,

moderado a água leve, potência de 100 W;

Um laboratório de termo hidráulica com um

circuito experimental de 70 bar;

Dois aceleradores de elétrons de 1,5 MeV;

Dois cíclotrons, 1 de 18 e outro de 30 MeV;

Irradiadores de cobalto-60;

Equipamentos de análise e diagnósticos

variados


Principais laboratórios e

instalações Nucleares e Radioativas do

IPEN/CNEN

Usinas piloto nas áreas do ciclo do combustível

nuclear;

Unidade de tratamento e armazenamento de

rejeitos radioativos;

Laboratório de calibração, de dosimetria,

ambiental;

Laboratório de produção de fontes seladas;

Laboratório de descontaminação radioativa;

Vários laboratórios de processamento e

caracterização química, isotópica e física de

materiais, etc.


Distribuição de servidores do IPEN

quanto à formação


Colaboradores

Pós doutorandos: 59

Colaboradores eventuais: 92

Alunos:

Iniciação Científica: 215

Mestrado : 218

Doutorado: 222

(total de colaboradores: 806)


Evolução da formação de

pós-graduação do IPEN – nota 6 (CAPES)

1.814 títulos outorgados:

1.238 mestrados e 576

doutorados

Pesquisadores e orientadores com

premiações na iniciação científica

Pesquisadores e bolsistas do

instituto apresentam algumas das

pesquisas do Ipen no Parque do

Ibirapuera


1200

1000

800

600

400

200

0

PRODUÇÃO CIENTÍFICA

Publ. Inter.

2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009

relatórios técnicos

livros e capítulos de livros

resumoperiódicos nacionais

resumo periódicos internacionais

resumos em eventos nacionais

resumos em eventos

internacionais

trabalhos em eventos nacionais

Publicações

Internacionais

trabalhos em eventos

internacionais

periódicos nacionais

periódicos internacionais


80

70

60

50

40

30

20

10

0

PATENTES - acumulado

2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008

Membrana de hidrogel promove a liberação controlada de

fármaco e pode auxiliar na cicatrização dos ferimentos do

tipo cutâneo da doença (pedido de patente depositado - 2008)

Concedidas

patentes concedidas

Definitivo

patentes protocolo INPI definitivo

Provisório

patentes protocolo INPI provisório

patentes protocolo internacional

internacional


Biotecnologia

Ciência e TecnoTecnologia de Materiais Materiais

UNIDADES DE PESQUISA

Células Células a Combustíveltível

e Hidrogênio

Combustíveis

Nucleares

CENTROS

Engenharia

Nuclear

Lasers e

Aplicações

Metrologia

Das Radiações

Química e

Meio Ambiente

Reator de

Pesquisas

Tecnologias

das Radiações


ENERGIA

Engenharia

Nuclear

Células a

Combustível e

Hidrogênio

Centros e suas funções

Combustíveis

Nucleares

Lasers e

Aplicações

Radiofarmácia

Ciência e

Tecnologia de

Materiais

Reator de

Pesquisas

Tecnologias

das Radiações

CORRELATOS

Biotecnologia

APLICAÇÕES

Radioproteção

Química e

Meio Ambiente

Metrologia

das Radiações

SEGURANÇA

Rejeitos

Radiativos


A Medicina Nuclear no Brasil

O IPEN

(antigo Instituto de Energia Atômica )

completou 54 anos e

a Radiofarmácia do IPEN tem

51 anos !


O que é Medicina Nuclear ?

É a especialidade da Medicina que utiliza

materiais radioativos para diagnóstico ou

terapia de diversas doenças ou disfunções

do corpo humano.


RADIOFÁRMACO

Toda substância que, por sua forma farmacêutica,

quantidade e qualidade de radiação emitida por um

radioisótopo constituinte, pode ser utilizada na

Medicina Nuclear no diagnóstico e terapia,

independente da forma ou via de administração

(intravenosa, oral, inalação, intersticial,, etc.)


Os radioisótopos são incorporados a moléculas

que são metabolizadas e incorporadas

temporariamente ao organismo

Duas possibilidades de uso:

Imagem de sua emissão gama que atravessa o

corpo humano Diagnóstico

Destruição de tecidos circunvizinhos para terapia

(câncer hemofilia, etc.)- Terapia


Radioisótopos

Isótopos (átomos com mesma carga) de núcleos estáveis

que são produzidos artificialmente, diretamente por

reações nucleares ou indiretamente através do decaimento

de um núcleo pai.

Reações Nucleares

Reações entre feixes de partículas e núcleos (alvos),

produzindo novos núcleos e partículas.

Ocorrem em

Reatores Nucleares ou

Aceleradores de partículas carregadas (tipo Cíclotron, por

exemplo)

Similaridades com reações químicas:

18 O + p → 18 F + n ou p( 18 O, 18 F)n


Diretoria de Radiofarmácia

Produção e controle de qualidade

de radiofármacos operando 2

aceleradores cíclotron

Boas Práticas de Fabricação

Aplicadas à produção de

radiofármacos

Pesquisa e Desenvolvimento de

novos radiofármacos

Desenvolve e produz

radioisótopos e

radiofármacos para

realização de

diagnósticos e terapia

em medicina nuclear.


Centro do Combustível Nuclear

Produção de Elementos Combustíveis tipo placa com

teor de enriquecimento de 19,75% (U3Si2)

Elemento combustível do Reator IEA-R1

montagem final


Centro do Reator de Pesquisas

Opera o Reator Nuclear

IEA-R1 de forma segura

e sustentável, realiza

pesquisa básica e

aplicada e produz

conhecimento científico e

tecnológico nas áreas de:

física nuclear, física da

matéria condensada,

análise por ativação

de nêutrons, etc..

53 anos


Infraestrutura para Produção e Pesquisa

IPEN REATOR NUCLEAR,

IEA- R1

Operação continua: 64hs / semana

Características técnicas

Reator tipo piscina

Potência: 2MW 5 MW

Fluxo neutrons térmico =1- 4x10 13

n/cm 2 .s

235 U enriquecido: 19,75%

Fluxo = 1,17x10 14 n/cm 2 .s @ 5MW

Refletor: grafite

Moderador: água

Crítico: 1957

Fabricante: Babcock & Wilcox Co


INFRA-ESTRUTURA PARA

PRODUÇÃO

Celas de processamento


Centro de Tecnologia das Radiações

Esterilização de material clínico

Desinfestação Desinfestação de

produtos agrícolas

•Radiografia Industrial

P&D P&D

Irradiador

Multipropósito do

IPEN


Centro de Biotecnologia

Áreas:

Estudos de biodistribuição

biotecnologia e saúde,

especificamente com:

Biofármacos;

Hormônios Hipofisários;

e Biotério para criação e

manutenção de animais de

laboratório. Desenvolvendo

competência científica e

tecnológica, formando

recursos humanos e

gerando produtos e serviços

para a sociedade brasileira.


Gerência de Metrologia das Radiações

Metrologia para padronização

e garantia da qualidade

Desenvolve e mantém

padrões e métodos de

medição de grandezas

associadas à radiação

ionizante, gera

conhecimento científico e

tecnológico, contribuindo

para a formação de

recursos humanos e para

a melhoria da qualidade

de vida da população

brasileira.


Gerência de Radioproteção

Controle radiológico das

instalações radiativas e

nucleares do Ipen,

do público e

do meio ambiente;

Atender emergências

radiológicas e nucleares no

Estado de São Paulo;

Atuar no transporte de

material radioativo;

Atuar na formação de

recursos humanos e em

assessoria de radioproteção.


Gerência de Rejeitos Radioativos

Célula de desmontagem

de fontes radioativas

Armazenamento


INFRA-ESTRUTURA PARA

Controle de Qualidade de

Radiofármacos


TIREÓIDE

99m Tc Pertecnetato

LINFOGRAFIA

99m Tc Dextran 500

SISTEMA ÓSSEO

99m Tc Metileno

Difosfonato

RINS

99m Tc DTPA

99m Tc Citrato Estanoso

99m Tc DMSA

99m Tc Etilenodicisteína

ESTÔMAGO

99m Tc

Pertecnetato

Aplicações do 99m Tc

em diagnóstico

CÉREBRO

99m Tc DTPA

99m Tc Elinododicisteina

Dietilester

GLÂNDULAS SALIVARES

99m Tc Pertecnetato

PULMÃO

99mTc Macroagregado de

Soro Albumina Humano

CORAÇÃO

99mTc Pirofosfato

99mTc MIBI

FÍGADO

99mTc Estanho Coloidal

99mTc Enxofre Coloidal

99mTc Fitato, 99mTc Diisopropil minodiacético


Radiofármacos Aplicados em

Terapia Atividade alta

TIREÓIDE

131 I NaI

131 I Capsula

SISTEMA ÓSSEO

153 Sm EDTMP

SINOVECTOMIA

153 Sm - Hidroxiapatita

90 Y -Hidroxiapatita

90 Y - Hidroxiapatita

TUMORES

NEUROEN-

DÓCRINOS

177 LU

DOTATATE

111 In DOTATOC

131 I MIBG

FÍGADO

131 I Lipiodol


Gerador de 99 Mo/ 99m Tc

Tempo de vida Tc99m= 6h

- Até 300 geradores/semana

- (250,500,750,1000,

1250, 1500 e 2000 mCi)

Produção ajustada para

toda segunda-feira

100% produzido no IPEN/CNEN, com Mo99 importado


SPECT(single photon emission computerized

tomography) cerebral com ECD- 99m Tc

tridimensional cortes


Cintilografia e SPECT ósseo com MDP-

99m Tc (inserido em 2010 nos serviços de saúde)

(inserido em 2010 nos serviços de saúde)


Distribuição regional dos

radiofármacos produzidos pelo IPEN

2%

6%

14%

64%

14%

Cerca de 330

clínicas no Brasil

Estimativa de

1,5 milhões de

atendimentos

por ano


Distribuição de importações de radioisótopos

Total de importação: 10,6 + 0,6 (geradores) =

11,2 milhões de dólares


Receita de Produtos e Serviços

50% do Gerador de Tc 99m


A Medicina Nuclear no Mundo

Segunda técnica de diagnóstico por imagem mais usada no

mundo, após a tomografia computadorizada (mais usada que

NMR)

25 a 30 milhões com Tc-99m ( 80 % dos procedimentos)

2 milhões com F18-FDG

5 milhões com os demais

NO MUNDO

– 44% nos E.U.A. (População: 309 milhões de pessoas)

– 4.4 % no Brasil (População: 185 milhões de pessoas)

– 2,4 % na Argentina (Popul.: 041 milhões de pessoas)

– Portanto, nossa taxa de atendimento populacional é de 5,9

vezes inferior à americana e 2, 6 vezes inferior à argentina


Importância do Mo 99

80 % de todos os procedimentos de

medicina nuclear;

Tem papel fundamental no diagnóstico de

câncer, doenças cardiológicas, renais, etc.;

Procedimentos alternativos são menos

eficazes, menos efetivos e não universais;

Tendência de aumento de uso em

decorrência do maior envelhecimento

populacional;


Transformação do Mo-99

(6 horas)

Anos)

(Estável)


Produção de Mo 99 via fissão

Reação Nuclear

neutron

235 U tem

92 prótons e 143 nêutrons

Mo99

131 I

Distribuição dos produtos de fissão

do 235 U


Reator

Cadeia de produção industrial do Mo 99

Processa-

mento Mo 99

Gerador de

Tc 99m

Farmácia

Nuclear

Fluxo de 3 a 4 dias

paciente

Etapas críticas: irradiação de 235 U em Reator Nuclear

Processamento do elemento irradiado


Atividade

semanal

Toda a atividade do consumo anual mundial corresponde a

~1,2 g de Mo 99 !!!

Europa Ásia USA Outros

Anos

Brasil

Consumo mundial semanal de Mo 99

Consumo do Brasil é 16,6 TBq ou 4,4% do total mundial


5 Reatores produzem 95% do suprimento mundial

Surgimento do reator nuclear OPAL, na Austrália


Problemas internacionais na

produção de radiofármacos

O Reator Nuclear Canadense, NRU,

Responsável pela produção de ~40% do Mo

99 do mundo,

parou a operação em maio de 2009!

Ainda em 2009, o Reator Holandês também

parou!

(2/3 do Mo 99)

Problema conuntural!


Idade dos reatores produtores de Mo 99

LOCAL NOME DO

REATOR

IDADE

CANADÁ NRU 51

BÉLGICA BR2 47

ÁFRICA DO

SUL

Problema estrutural!

SAFARI-1 43

HOLANDA HFR 47

FRANÇA OSIRIS 42

Reator Opal, Australiano, iniciou operação


Responsabilidades

para a área de saúde

Preparação para atender uma população

longeva

Aumentar a disponibilidade de Mo 99/Tc-

99m para atender a População brasileira

num patamar mais adequado

Argentina: crescer 2,6 USA: crescer 5,8

Acompanhado de um esforço da classe médica

e dos hospitais e clínicas


Necessidade de autonomia

Reator Multipropósito Brasileiro

RMB


Reator Multipropósito Brasileiro - RMB


Independência na Produção de Mo99

Reator Multipropósito Brasileiro (RMB)

Participantes da primeira reunião para o projeto do reator

nuclear multipropósito nacional, em 3 de setembro de 2008


PRODUÇÃO DE RADIOISÓTOPOS

RADIOISÓTOPOS

PARA SAÚDE

RADIOISÓTOPOS

PARA INDÚSTRIA

RADIOISÓTOPOS

TRAÇADORES

TESTE DE COMBUSTÍVEIS

E MATERIAIS

TESTE DE IRRADIAÇÃO

DE COMBUSTÍVEIS

TESTE DE IRRADIAÇÃO

DE MATERIAIS

APLICAÇÃO DE FEIXE

DE NÊUTRONS

ANÁLISE POR

ATIVAÇÃO

ENSINO E

TREINAMENTO

CIÊNCIA DOS

MATERIAIS

TRANSMUTAÇÃO

E DOPAGEM

FÍSICA

NUCLEAR

CIÊNCIAS

BIOLÓGICAS

RMB: Escopo do projeto

Circuitos Circuitos

Experimentais Experimentais para para

Teste Teste de de Irradia Irradia ção ção

de de Combustíveis Combustíveis e e

Materiais Materiais

Instalação Instalação para para

Armazenamento

Armazenamento

Tempor Tempor ário ário de de Elementos Elementos

Combustíveis

Combustíveis

Queimados Queimados e e Rejeitos Rejeitos

APLICAÇÕES

TECNOLÓGICAS

REATOR

RMB

Células Células Quentes Quentes para para

Análise Análise Pós-irradiação

Pós-irradiação

(Combustíveis (Combustíveis e e

Materiais) Materiais)

Edifício com Guias

de Nêutrons e Hall

de Experimentos

Laborat Laborat órios órios Suporte Suporte

a a Atividades Atividades Diversas Diversas

do do Reator Reator

INSUMOS

Instalações Instalações Suporte Suporte para para

Utilização, Utilização, Opera Opera ção ção e e

Manutenção Manutenção do do Reator Reator

Células Células Quentes Quentes

para para Manuseio Manuseio de de

Radioisótopos

Radioisótopos

Células Células Quentes Quentes para para

Processamento Processamento de de

Mo-99 Mo-99 e e I-131 I-131

PROJETO

DETALHAMENTO

(CONTRATOS)

RECURSOS ORÇAMENTÁRIOS

PARA PROJETO E CONSTRUÇÃO

RH PARA OPERAÇÃO E

MANUTENÇÃO DO REATOR E

INFRA-ESTRUTURA

PROJETO / CONSTRUÇÃO /

COMISSIONAMENTO

RH PARA

PROJETO

COMISSIONAMENTO

UF6

20% ENRIQUECIDO

FABRICAÇÃO DE

ELEMENTOS

COMBUSTÍVEIS

RECURSOS ORÇAMENTÁRIOS

PARA UTILIZAÇÃO, OPERAÇÃO

E MANUTENÇÃO

LICENCIAMENTO

DEFINIÇÃO

DO LOCAL

LICENCIAMENTO

AMBIENTAL

PARCERIAS

NACIONAIS

NORMAS DE

PROJETO

LICENCIAMENTO

NUCLEAR

PROJETO

CONCEPÇÃO /

BÁSICO

CONSTRUÇÃO

(CONTRATOS)

PARCERIAS

INTERNACIONAIS


Modelo para o RMB

Reator de pesquisa com piscina aberta

como a do Reator Opal

(Reactor Hall)

Posições de

Irradiação

para testes de

materiais e

Produção de

Radioisótopos


Teste de Irradiação de

Combustíveis e Materiais

Materiais Aspectos Objetivos do Teste

Combustível

Otimização das

características de

comportamento do

combustível

• Verificar comportamento durante

irradiação (operação normal e transientes);

• Verificar comportamento de combustíveis

com altas taxas de queima: distribuição de

temperatura, liberação de gases de fissão,

densificação, inchamento, deformação do

revestimento, corrosão do revestimento,...

• Qualificação e caracterização de novos

combustíveis

• Desenvolvimento de materiais para

revestimento otimizados em relação

ao comportamento e resistência à corrosão


Materiais Aspectos Objetivos do Teste

Estruturais

Extensão da vida

Útil de

centrais nucleares

de potência

Segurança

• Verificar comportamento das estruturas

internas do reator: corrosão,

crescimento devido à irradiação,

cinética de deformação lenta (creep)

• Verificar comportamento de materiais de

vasos de reatores e de componentes

internos do reator para extensão do

período de operação: mudanças nas

propriedades mecânicas dos aços

de vasos, resistência à corrosão

• Reações dos combustíveis em situações

acidentais

• Verificar comportamento de itens específic

os (região de solda, por exemplo)


Aplicações Científicas


Neutrons livres duram 15 minutos

(vida média)


Nêutrons e Raios X

Representação * das amplitudes de espalhamento atômico e nuclear para alguns

átomos e seus isótopos.

Atomos vizinhos

Átomos leves

(principalmente H)

Átomos leves e pesados


Marcação com deutério

Z A σ coerente

(barns)

σ incoerente

(barns)

σ absorção

(barns)

H 1 1,757 80,26 0,333

1 H 1 1,758 80,27 0,333

2 H 2 5,592 2,05 0,0005

3 H 3 2, 893 0,14 0


Pela substituição de H por D,

Altera-se a razão sinal/ruido

do feixe transmitido!

H 100% D 100%


Cold Neutron source

Espectro mais intenso e estreito: Mais densidadade espectral

Tempo de experimento

e razão sinal/ruído ordens

de magnitude melhoradas


Imageamento com Neutrons no IPEN-CNEN/SP

Por que nêutrons? Eles podem ver o que raios-X e radiação gama não podem!!

raios-X

neutrons

água em uma cavidade de alumínio

Tomografia Digital com neutrons: IPEN 2010 - Reator Nuclear IEA-R1

(Imagens obtidas no IPEN pelo grupo do Dr. Reynaldo Pugliesi)

Perspectivas do imageamento com neutrons no Brasil

Aplicações: Líquidos, adesivos, explosivos(mesmo envoltos por espessas camadas de

metais), materiais radioativos, hidretos metálicos, corrosão em metais, células de

combustível, materiais biológicos, air bag, pás de turbina, etc

RMB: excelente fonte intensa de neutrons, fundamental para obter imagens de alta

qualidade e portanto novas parcerias em pesquisa e em desenvolvimento tecnológico


X-rays and neutrons for diffraction studies

Property X-rays Neutrons

General

nature of

scattering by

atoms

Magnetic

scattering

Electronic

Regular increase of

scattering amplitude

(f) with atomic number

(Z), calculable from

known electronic

configurations.

No differences

among isotopes.

No additional

scattering.

Nuclear

Irregular variation of

scattering amplitude (b)

with Z. Dependent on

nuclear structure and

only determined

empirically by

experiment.

Scattering amplitude

is different for different

isotopes.

Additional scattering by

atoms with magnetic

moments:

(1) Diffuse scattering by

paramagnetic materials

(2) Coherent diffraction

peaks from

ferromagnetic and

antiferromagnetic

materials.

Nuclear is Good for

light Atomos

Marking with

isotopes is

feasible

Good for

magnetic

materials


Difratrômetro de neutrons com alta resolução para pós*

(localizado no IPEN/CNEN)

*C.B.R. Parente, V.L. Mazzocchi, J. Mestnik Filho, Y.P. Mascarenhas, R. Berliner. Aurora

- A high-resolution powder diffractometer installed on the IEA-R1 research reactor at

IPEN-CNEN/SP. Nucl. Instr. and Meth. A (2010)


O propósito da uso científico do reator

premissas

O Brasil tem tradição em alguns usos de feixes de neutrons

(espalhamento elástico, neutrongrafia )

O Brasil desenvolveu uma comunidade científica de usuários

de facilities ou laboratórios nacionais, como o LNLS;

Espalhamento de nêutrons apresenta complementaridade

com o de raios X, sendo mais sensível a massa

Possui a vantagem adicional da técnica permitir a

deuteração específica de moléculas orgânica grande

potencial para uso biológico.


O propósito da uso científico do reator

Possíveis linhas de feixe

Powder diffractometer (high intensity, thermal neutrons,

large focusing monochromators and a large detector)

SANS (small angle neutron scattering) machine with cold

neutron beam

Laue diffractometer - thermal or cold neutrons. (cold neutron

machine dedicated to biology

Imaging station with thermal neutrons

Reflectometer with cold neutrons

Residual stress instrument (thermal neutrons)

??? contribuição da comunidade científica


O estágio do Projeto do RMB

(fase inicial adiantada)

Definição da área física civil em Aramar, com todas as

vantagens da já existência de um sítio Nuclear da Marinha;

Complementação da área com recursos do governo do

estado de São Paulo (5 milhões), além de outras

possibilidades de investimento (FAPESP, S.S.);

Definição de grupos de trabalho especialistas ( ~100

pesquisadores) e identificação das competências existentes e

as deficitárias;

Definição das necessidades para o Projeto Básico e as

necessidades orçamentárias (50 milhões de reais)


O estágio do Projeto: fase inicial adiantada

Definição da área física civil em Aramar, com todas as

vantagens da já existência de um sítio Nuclear da Marinha;

Complementação da área com recursos do governo do

estado de São Paulo (5 milhões), além de outras

possibilidades de investimento (FAPESP, S.S.);

Definição de grupos de trabalho especialistas ( ~100

pesquisadores) e identificação das competências existentes e

as deficitárias;

Definição das necessidades para o Projeto Básico e as

necessidades orçamentárias (50 milhões de reais)

Total do projeto (PGV): US$ 500 milhões


Recursos financeiros

O Brasil importa atualmente 13 milhões de

dólares de rdiosiótopos produzidos em Reator

Nuclear

Podemos crescer facilmente 2,6 vezes

Atingiremos importações de 30 milhões de

dólares/ano

Um reator de pesquisa dura ~50 anos

O custo estimado do Reator é 500 milhões de

dólares

Somente com radiofármacos o Reator se pagará

em 1/3 da vida útil!


Obrigado pela atenção!

Nilson Dias Vieira Junior

www.ipen.br

69


Utilização científica de Feixe de Nêutrons

Layout do reator de Grenoble Inst. Laue-Langevin

750 pesquisas com 1200 pesquisadores por ano

More magazines by this user
Similar magazines