RCIA - ED. 129 - ABRIL 2016

tvcomercioeindustria

1


2


3


4


5


ÍNDICE

CAPA

Orientação jurídica

ELEIÇÃO

Nosso próximo presidente

NEGÓCIO

Ibis, um novo hotel

ESPECIAL

Seminário histórico

10 13 23 28

Doutores Lenita Mara Gentil Fernandes,

Wilson Fernandes e Helena Barbieri

Cefaly, especialistas em revisão de

benefícios dos segurados da

Previdência Social.

Candidato único a presidente, José

Janone Júnior assume a ACIA em

maio no lugar de Renato Haddad

que cumpriu dois mandatos. Eleição

na ACIA será no dia 15 de abril.

Empresário Pedro Lia Tedde

cumprimenta André Maria pela

chegada do Ibis, que faz parte de

uma das mais importantes redes de

hotelaria em todo o mundo.

Evento sobre o Novo Código

Comercial Brasileiro organizado

pelo Sincomercio, traz juristas e

parlamentares envolvidos no projeto,

entre eles o deputado Paes Landim.

Editorial

Cuidadora de Idosos

Profissão

Gastronomia

09 | Jornalista Ivan Roberto Peroni

abre o editorial repercutindo a

mensagem do vereador João Farias

sobre o PT e a corrupção no partido.

15 | A Casa de Repouso Lydia

completa 15 anos e mostra em nossas

páginas um pouco da sua maravilhosa

história.

20 | Ser corretor de Seguros ou de

Imóveis em uma cidade com economia

crescente pela sua posição estratégica,

passa a ser ótimo negócio

38 | Chico Olivi após retornar da Itália

e trabalhar em finos restaurantes da

capital, abre as portas do Espaço Ulivi

para os seus nobres convidados.

Crise impede maior número de queixas

Rodrigo Martins, coordenador

municipal do Procon, disse em

março, que um levantamento feito

nos últimos cinco anos (de 2010 a

2015) mostra dados positivos na

relação do órgão com o consumidor

em Araraquara. Embora o número

de atendimentos tenha diminuído

no período – caiu de 6.877 em

2010 para 4.572 em 2015 -, a

eficiência no atendimento passou

de 82,93% do primeiro ano do

Rodrigo Martins, do

Procon Araraquara

levantamento para 92,85% no

ano passado. “O número menor

de pessoas atendidas pode ser

motivado pela crise econômica”,

explica Rodrigo, ao comentar a

aprovação do órgão de defesa

do consumidor na cidade. “Com

menos consumidores comprando

no comércio, também cai a

procura pelo Procon para eventuais

reclamações ou orientações”,

ressalta o coordenador.

Casa da Gestante

A primeira etapa da reforma e adequação no

prédio antigo da Gota de Leite para abrigar a

Casa da Gestante, está praticamente pronta

com o assentamento de piso porcelanato em

todo o pavimento térreo, que abrigará o setor

técnico e administrativo. Na segunda etapa, o

piso superior será remodelado para hospedaria

das gestantes com capacidade para quinze

leitos. A previsão de entrega é para maio deste

ano. A casa abrigará as mães que necessitam

ficar próximas aos bebês por mais de três dias e

também em casos de gravidez de risco.

6


CANAVIEIROS

Secretário da Feplana

43

O araraquarense Luís Henrique

Scabello de Oliveira foi

empossado em Brasília como

secretário da Federação dos

Plantadores de Cana do Brasil.

Costumes

52 | Hyundai inaugura fábrica

pode fazer voltar os hábitos de

uma cidade que sempre teve os

pés fincados num passado ferroviário.

HOMENAGEM

Washington Rosa

44

Um dos mestres da arquitetura

araraquarense nos deixou em

março. Entre suas grandes obras

está o projeto de revitalização e

ampliação da Beneficencia.

Social

63 | Maribel Santos apresenta em

nosso encarte social a entrega do

prêmio “Mulheres que fazem história

em Araraquara”

DA REDAÇÃO

Sônia Maria Marques

Os hábitos mudam

por conta da crise

Encontrar consumidores carregando pequenas calculadoras

nos corredores dos supermercados em Araraquara tem sido

perfeitamente normal nos últimos tempos. Ninguém se arrisca

em colocar no carrinho a mercadoria e depois retirá-la antes

de passar pelo caixa, porque o dinheiro não deu. A calculadora

se transformou em uma companhia não muito agradável, mas

necessária, nos tempos de uma crise econômica que incomoda;

aliás, alguém me disse que a crise gostou do Brasil, gostou da

caipirinha, gostou do carnaval, gostou de ficar. Ela está na batata,

tomate, cenoura, no arroz, na carne e há quem diga que para

evitá-la é preciso promover alterações no hábito. A carne vermelha

e o refrigerante já foram trocados pelos legumes e por

saquinhos de suco em pó, com muitas marcas no mercado, inclusive

da marca Yoki (do empresário japonês Marcos Matsunaga,

morto com um tiro). Não bastasse essa alteração comportamental

dos consumidores, há também uma outra situação que observei

no Supermercado 14: os pais já não estão levando mais os filhos

nas compras como faziam com intensidade no passado: haja

dinheiro para comprar todo chocolate que as crianças pedem.

Também não adianta economizar com os filhos e de repente comprar

um Confort; economiza-se no Confort comprando Baby Softy

para amaciar as roupas; se o banho antes era com Dove agora

vai com o Lifebuoy. Bem, não é nada discriminatório com marcas,

mas o consumidor deve levar sua listinha pronta, assim não

corre o risco de ser traído pelos olhos, pois colocando no carrinho

produtos fora da lista ou novidades presentes nas prateleiras, a

compra acaba ficando cara...muito cara.

Rotary Carmo completou 40 anos

Com o intuito de prestar serviços

humanitários, além de fomentar

um elevado padrão de ética em

todas as profissões, o Rotary Club

Araraquara Carmo completou

nesta semana 40 anos de

existência. Coube ao vereador

doutor Lapena, representar a

Câmara Municipal de Araraquara

no evento em que ele reconheceu

todo trabalho realizado pelo Rotary

Carmo em prol da comunidade.

“Nesses 40 anos de existência

foram realizadas diversas

campanhas que contribuíram com

o município, como a criação do

Banco de Cadeira de Rodas com

objetivo de emprestar cadeiras

de rodas, de banho e andadores,

além da Casa da Amizade,

associação formada pelas

senhoras dos rotarianos do clube

e por voluntários que se reúnem

semanalmente para promover

confecções de enxovais que

também são doados às gestantes”,

disse Lapena. Apontada como

a principal organização não

governamental sem fins lucrativos

do mundo, compartilhando a

visão de algo melhor, a história do

Rotary Club pode ser contada de

várias formas nesses 67 anos de

existência em Araraquara. Além

do Carmo, existem outros quatro

clubes: Rotary Club Araraquara,

Rotary Club Araraquara Oeste,

Rotary Club Araraquara Leste e

Rotary Club Santa

Angelina.

Diretor Editorial: Ivan Roberto Peroni

Supervisora Editorial: Sônia Marques

Redação: Rafael Zocco

Diretor Comercial: Humberto Perez

Depto. Comercial: Gian Roberto, Silmara Zanardi, Marcos Assumpção, Heloísa Nascimento

Design: Carolina Bacardi, Bete Campos, Mário Francisco Pedrolongo

Tiragem: 5 mil exemplares

Impressão: Grafinew - (16) 3322-6131

A Revista Comércio & Indústria é distribuida gratuitamente em Araraquara e região

* INFORMAÇÕES ACIA: (16) 3322 3633

* COORDENAÇÃO, EDITORAÇÃO, REDAÇÃO E PUBLICIDADE

Fone/Fax: (16) 3336 4433

Rua Tupi, 245 - Centro

Araraquara/SP - CEP: 14801-307

marzo@marzo.com.br

EDIÇÃO N°129 - ABRIL / 2016

Walter Merlos, um dos

fundadores do Rotary

Carmo, homenageado

no evento

7


8


EDITORIAL

Lula na Casa Civil é uma

afronta à Justiça brasileira

“No PT aprendi o que eu sei de política; no PT

aprendi que é possível fazer política de forma

diferente. Queria dizer aos companheiros que

ainda estão no PT, que é hora de vocês passarem

o PT a limpo. O debate que os petistas precisam

fazer hoje não é se está certo ou errado

o Lula ser levado de forma forçada para prestar

depoimento. O debate que precisa ser feito é se

está certo o PT ter abandonado a bandeira da

ética, da moralidade que fez dele o maior partido

desse País, e assistir, de forma paralítica os

seus principais líderes se apossarem de dinheiro

de corrupção.”

Se o texto acima fosse do vereador Jeferson Yachuda,

presidente do PDSB ou do saudoso político Flávio Ferraz de

Carvalho que detestava publicamente o Partido dos Trabalhadores,

é evidente que poderia gerar incredibilidade entre

aqueles que morrem de amores pelo PT. Contudo a mensagem

faz parte do discurso do vereador João Farias, hoje no

PRB, mas que foi um dos entricheirados do PT no passado.

Devo confessar que em 1980 cheguei a ser admirador

dos projetos e das convicções de um Domingos Carnesecca

Neto (que já foi vereador na cidade), João Bosco Faria (ilustre

professor do Instituto de Química), Nádia Honain (estudante

de Ciências Farmacêuticas), Marcos Teixeira Corrêa (cientista

social) e Aparecido Santana (metalúrgico). Na época, 1979,

o Brasil era refém do bipartidarismo preconizado pelo Movimento

Democrático Brasileiro (MDB), fundado em 1966

como consequência do Golpe Militar de 1964 e a Aliança Renovadora

Nacional (ARENA), criada

também em 1966 como consequência

do Golpe Militar de 1964. Reunia

ex-integrantes da UDN, do PTN e

do PSD. O partido era formado por

setores conservadores da sociedade

Manifestação de 13 de março em Araraquara mostrou bem a razão

do protesto e a indignação que o País está vivendo

brasileira. Sua orientação ideológica era de extrema direita.

Seus integrantes apoiavam a ditadura e faziam vista grossa à

tortura. Em 1979, após a anistia, os partidos políticos foram

autorizados a funcionar dentro do Pluripartidarismo: a Arena

virou PDS, o MDB se tornou PMDB e outros apareceram

como o Partido dos Trabalhadores.

O discurso do João Farias, em março na Câmara Municipal,

me fez voltar ao passado e reforçou minha tese de que

o PT não daria certo e que o tempo mostraria que alguém

haveria de botar os pés pelas mãos, arrebentando a cartilha

escrita com sangue nos tempos da ditadura. O João talvez

tenha demorado em tomar certas decisões, afinal seu pai foi

um dos fundadores do PT e a ele filho, caberia respeitar os

caminhos que lhes foram sendo traçados.

Com a proximidade das eleições em outubro, Araraquara

deverá avaliar os reflexos dos escândalos do governo petista

nos últimos 15 anos. O impacto quer nos parecer, será muito

forte e manter três cadeiras no Legislativo é missão quase

impossível, ainda que o eleitor em cidades de porte médio

vai muito mais pela cara do candidato do que propriamente

pela sigla partidária.

Se a esta altura o prezado João Farias, que já foi petista

juramentado, tem esse desenho do Partido dos Trabalhadores,

imaginem só aqueles que sempre fincaram bandeiras

inimigas. E cá entre nós a recomposição não deve ser feita

sobre respostas que o Brasil conhece decor e salteado: “Não

sabemos de nada, não vimos nada, as doações foram declaradas,

as contas aprovadas...” É preciso que o PT pague

pelos erros e que pare de subestimar a inocência e a pureza

de uma grande parte da população brasileira (51,64%). Paciência

tem limites e a escolha de Lula para a Casa Civil foi o

mesmo que colocar o amante debaixo da cama e escondê-lo

da Justiça Federal.

9


REPORTAGEM DE CAPA

Doutora Lenita Mara

Gentil Fernandes e sua

equipe de profissionais:

doutor Wilson Fernandes,

a secretária Fernanda

Gomes da Silva e a

doutora Helena Barbieri

Cefaly.

DRª. LENITA MARA GENTIL FERNANDES

Especialista mostra o caminho para

aposentadorias e revisão de benefícios

Solicitar a revisão de um

benefício previdenciário não

é uma tarefa tão simples e

o mais aconselhável, é que

os segurados da Previdência

busquem nesta hora uma

assistência jurídica que lhes

possa oferecer garantia para

preservação dos seus direitos.

Doutora Lenita, como é chamada

diariamente, recebe em seu escritório

na Avenida Pio Lourenço Corrêa, no

bairro de Santa Angelina, trabalhadores

e aposentados que procuram informações

sobre o reconhecimento de

direitos junto à Previdência Social. A diversidade

de casos é que a tornou uma

das mais experientes profissionais em

causas trabalhistas, aposentadorias,

desaposentações e revisões.

“O número de casos impede que

se tenha uma rotina no trabalho; todos

os dias vemos situações diferentes e

para cada um deles há uma resposta,

levando-nos a estudos e discussões na

preparação de uma peça jurídica. Em

cima desta busca é que cada vez mais

se consolida a experiência do profissional”,

comenta a advogada, que viveu

a infância em Santa Ernestina, com a

família formada pelo pai Geraldo Fernandes

Segura, que era construtor, a

mãe Maria e os irmãos, Carmen Maria

e João Luis.

“Vim para Araraquara com 11 anos

e assim aprendi a ser araraquarense.

Cursei Direito na FEFIARA (hoje UNIARA),

onde me formei em 1986. Tive grandes

mestres. Somente em 1999 passei a

advogar, com escritório na Avenida Pio

Lourenço Correa, 175, Santa Angelina”.

Ela lembra que era um pequeno escritório

e “foi aqui que aprendi a me doar

em meus processos e a atender meus

clientes com todo o respeito e carinho,

assim o faço até hoje”, completa.

Quando ainda era possível atuar em

Américo Brasiliense através de convênio

com a Defensoria do Estado de São

Paulo, ela também manteve escritório

naquela cidade, porém o nascimento

10

Lenita e a recordação guardada com carinho

ao receber sua carteira da Ordem dos Advogados

do Brasil


Escritório Fernandes &

Fernandes, na Avenida Pio

Lourenço Corrêa, 175,

no Santa Angelina

Fones

(16) 3335.1705

(16) 98253.1605

• Aposentadorias e Revisões

• Trabalhista

• Cível e Família

• Cobrança

• Ambiental

• Regularização de Imóveis

• Criminal

A ORIENTAÇÃO PREVENTIVA

do filho João Luis a levou a trabalhar

somente em Araraquara. A capacidade

profissional e atenciosidade com

as pessoas levaram Lenita a atuar em

uma das comissões da OAB local durante

a gestão do presidente João Luiz

Ribeiro dos Santos, o que, segundo ela,

lhe deu muita satisfação.

Com o tempo, doutora Lenita afirma

que também destinou seus conhecimentos

para outras duas áreas importantes

do Direito - Previdenciária e Trabalhista.

Com a demanda de clientes,

foi cursar pós graduação em Direito

Previdenciário e Direito Processual do

Trabalho no Instituto Savonitti. Atualmente,

em busca de atualização na

área, ela faz nova pós em Direito Previdenciário,

na Universidade Legale, em

São Paulo. Hoje, Lenita por essa disposição

profissional, atua como perita

judicial na área de Perícia Grafotécnica

nos fóruns da região e como conciliadora

formada pelo Conselho Nacional de

Justiça (CNJ).

No final de março, a doutora Lenita

recebeu a Revista Comércio & Indústria

em seu escritório na Avenida Pio Lourenço

Correa. Na verdade, argumenta

a profissional, voltei para cá com o

objetivo de atender cada vez melhor o

meu cliente. Trata-se de um local mais

amplo e através de parcerias com dois

colegas, posso atender diversas áreas

do Direito, como Previdenciário, Trabalhista,

Família, Cível, Regularização de

Imóveis e Criminal.

EQUIPE

Para atender os diversos segmentos

jurídicos, Lenita Mara Gentil Fernandes

conta com uma excelente equipe de

profissionais. “Tenho a colaboração

dos advogados - doutora Helena Barbieri

Cefaly e doutor Wilson Fernandes,

além da secretária Fernanda Gomes da

Silva, que dá suporte ao atendimento”,

justifica a advogada.

PROFISSIONAIS

Wilson Fernandes, há doze anos

trabalha com georreferenciamento, retificação,

regularização de imóveis rurais

e também com cadastro ambiental

rural (CAR), em conjunto com os engenheiros

agrimensores Waldemar José

Laurenti e Carlos Alberto Vanzan é formado

em direito pela UNIARA e iniciando

pós-graduação em Direito Ambiental

também pela UNIARA.

Helena Barbieri Cefaly, também formada

em Direito pela UNIARA, possui

amplo conhecimento em Direito do Trabalho

e Direito Civil.

11

As novidades no campo do

Direito Previdenciário são as

revisões em benefícios, como

inclusão de períodos especiais

não computados no momento da

concessão da aposentadoria; a

desaposentação; a revisão para

os professores que tiveram a

incidência do fator previdenciário

em sua concessão, entre outras.

Como nosso país passa por

uma séria crise econômica, nós

como operadores do Direito,

podemos auxiliar as pessoas a

buscarem seus direitos, fazendo

com que sejam minimizados os

efeitos da crise pela qual estamos

passando, lembrando que a

orientação preventiva sempre é

a melhor solução.

Drª Lenita Mara

Gentil Fernandes


12


Em família

ELEIÇÕES

Janone Júnior com parte da sua equipe de trabalho

JOSÉ JANONE JÚNIOR

Próximo presidente da ACIA

Júnior com a esposa Graziela e a filha

Verônica no aconchego do lar

Ainda jovem, mas com um

belo currículo, José Janone

Júnior chega à presidência

da Associação Comercial e

Industrial de Araraquara, na

eleição de 15 de abril.

Após seis anos de mandato, Renato

Haddad está deixando a presidência da

ACIA. Com dignidade, ética e transparência,

cumpriu sua missão e deu à entidade

projeção e valorização ao patrimônio,

ações que fortalecem a classe. Com sua

saída da presidência, deve assumir o cargo

o empresário José Janone Júnior, da

Sunrise Net, uma das primeiras provedoras

de internet do Brasil, criada em 1995.

Apesar de começar a trabalhar bem

jovem, Janone Júnior conciliou seu tempo

entre o trabalho e o estudo e o utilizava

com intensidade, possuindo quatro graduações

universitárias completas, todas

na área de gestão e de negócios; duas

graduações (administração de empresas

e comércio exterior) e duas pós-graduações

(engenharia de produção industrial

e gestão estratégica de empresas no

B2B), dentre outros cursos técnicos e

viagens para participação em feiras comercias

e missões empresariais dentro

do Brasil e no exterior.

“Antes de ser empresário, desde adolescente

trabalhei como auxiliar e depois

escrevente no 3° Cártório de Notas de

Araraquara. No ano de 1995, abri em

Araraquara o provedor de Internet Sunrise

Net. Foi a minha empresa quem trouxe

a primeira conexão de internet comercial

para a nossa cidade”, conta

o empresário com orgulho.

Janone salienta que apesar de

reconhecer a importância da política

numa sociedade republicana, não é

e nunca foi filiado a nenhum partido

político pois se sente mais útil em

Júnior em sua viagem

de negócios à China

Pais de Júnior: José Janone e Jane,

orgulhosos com o filho na ACIA

exercer sua contribuição cidadã no âmbito

empresarial.

“Pretendo ser o presidente da ACIA no

perído de 2016-2019 e promover uma

gestão associativa e participativa que

permita que todos os setores empresariais

se ampliem e fortaleçam seus negócios,

gerando riquezas para suas empresas,

seus colaboradores; reconheço

o aprendizado que tive com as diretorias

anteriores e estarei sempre com a bússola

apontada para o futuro”, diz o futuro

presidente.

E conclui: “Tive a honra de receber

o apoio de importantes empresas e de

seus diretores, que aceitaram trabalhar

comigo neste triênio, compondo a diretoria

e compartilhando suas experiências

e conhecimentos, para realizarmos uma

gestão muito ativa”.

13


RENOVAÇÃO

Janone mostra

nova diretoria

Dia 15 de abril, das 14h às

18h, os associados da ACIA

deverão votar na única chapa

inscrita para administrar a

entidade a partir de maio,

quando Renato Haddad

encerrará seu mandato.

Por seis anos, o empresário Renato

Haddad dirigiu a ACIA. Uma das suas últimas

ações foi investir na revitalização do

prédio que abriga a associação. Era sonho

dos ex-presidentes a criação de um projeto

que permitisse a colocação do sistema

de elevador até o terceiro andar. A reforma

total da sede, diz Renato, permitiu mudar

o espaço físico, tornando-o mais funcional

e bonito. Além disso, foram criados meios

de acessibilidade e normas de segurança,

de acordo com a legislação.

Quanto ao presidente a ser eleito

no dia 15, José Janone Júnior, há a

garantia de dar continuidade aos programas

de fortalecimento da ACIA. A

• DIRETORIA EXECUTIVA

Presidente: José Janone Júnior

1° Vice Presidente: Ademar Ramos da Silva

1° Vice Presidente: Luis Fernando Jaciani Petroni

1° Secretário: Dagmar Abadia Bizzinotto Ribeiro

2° Secretário: Jair Aparecio Martineli

3° Secretário: Geraldo José Cataneu

1° Tesoureiro: Renato Talel Haddad

2° Tesoureiro: Antonio Junquetti

3° Tesoureiro: João Luiz Ferreira

Diretor Social: José Natal de Moura

Vice Diretor Social: Ana Rosa Malara Capparelli

• CONSELHO DELIBERATIVO - EFETIVOS

André Marcos Boalin

Geórgia Cristina Affonso

Carlos Alberto Pizzicara

José Vanderlei Fernando

Marcelo de Mattos Frigo

Paulo César Ambrósio

Marco Antonio Estrella

João Luis Roveri

Paulo Eduardo Filpi

Najla José Rached Torres

chapa “Melhoria Contínua”, inscrita por

Janone Júnior em março e com inúmeras

modificações em relação à diretoria

atual, está assim formada.

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL E INDUSTRIAL DE ARARAQUARA - TRIÊNIO 2016/2019

• CONSELHO DELIBERATIVO - SUPLENTES

Luis Alberto Alves Ferreira

Silvia Regina Ramos Forini

Alexandre Luiz Borsari

José Luiz Alves Pinto

Pollyana Azevedo Alves

Jefferson Thadeu Barroso

Valter Romão

Milton Luiz Gebin Cardoso

Giuseppe Morvilo Júnior

Gustavo Antonucci Pavoni

• CONSELHO FISCAL - EFETIVOS

Orlando Bonifácio Martins

José Silvio Carvalho Prada

Edes Dalmo de Olliveira

• CONSELHO FISCAL - SUPLENTES

Fábio Costa Morvillo

João Willian Brandão

Luis Antonio Gulart Barbieri

14


15


DE VOLTA AO PASSADO

Exposição resgatou a história

das máquinas de escrever

O contabilista e advogado

Laerte de Freitas Velosa

é apaixonado pela sua

Remington 16, pois ela faz

parte dos seus 50 anos de

carreira em Araraquara.

Máquina igual a sua,

adquirida na Casa Pratt, no Rio

de Janeiro, esteve exposta em

recente exposição na cidade.

Depois dos computadores, as máquinas

de escrever deixaram de estar em

evidência, pois o mercado adotou computadores

e impressoras como forma mais

eficiente para a produção de textos. Porém,

uma exposição no Museu Histórico

e Pedagógico Voluntários da Pátria até o

final de março, trouxe à tona as antigas

“máquinas de datilografia”. A exposição

“Máquinas de Escrever” apresentou sete

máquinas estrangeiras que fazem parte

do acervo do Museu Voluntários da Pátria.

Elas foram fabricadas no período do

final do século XIX até o século XX.

De acordo com a história, a invenção

de um primitivo dispositivo de escrever

mecanicamente é atribuída a Henri Mill,

em 1714. Ainda, o italiano Pellegrino Turri

introduziu, em 1808, o sistema de teclado

e, posteriormente, o norte americano

Carlos Thuber criou um modelo aperfeiçoado,

com maior rapidez de escrita, em

1843. Nomes como os do norte-americano

Burth, o inglês Jenkins e o francês

As máquinas de escrever

Mignon usavam um mapa

de índice de 84 caracteres,

com uma agulha indicadora

eletrônica que dizia à

máquina como o cilindro

tipográfico deveria estar

posicionado. O modelo de

teclado é de 1808, onde

uma tecla de impressão

executava o comando. A

Mignon 4 de 1923, na foto

ao lado, foi a mais bonita

dos seis modelos fabricados.

Pogrin, também aparecem como colaboradores

para o aperfeiçoamento da máquina.

A máquina de escrever de Laerte

Velosa porém, está ligada à Remington,

a partir de 1868, quando Christopher

Latham Sholes desenvolveu a ideia que

serviu de fundamento à indústria de máquinas

de escrever. Trabalhando com um

grupo de amigos em uma oficina primitiva

em Milwaukee, nos EUA, Sholes criou,

5 anos mais tarde, uma máquina que foi

apresentada aos fabricantes de armas

Remington & Sons, de Ilion, Nova York.

Carlos Glidden era associado de Sholes,

conta Laerte Velosa, e detinha participação

no empreendimento, e foi assim que

teve seu nome associado à máquina Sholes

& Glidden. As primeiras máquinas começaram

a ser fabricadas em 1874 pela

Remington: Pareciam um pouco com as

máquinas de costura da época, influên-

Olivetti foi fundada em 1908, em Ivrea, na

província de Turim, região do Piemonte. Em

1959 começou a fabricar máquinas no Brasil

16


O teclado QWERTY

utilizado na atualidade

em computadores, tem

o mesmo sistema criado

para máquinas de escrever

em 1874 por Sholes &

Glidden, em uma oficina

primitiva

cia, sem dúvida, do departamento de

máquinas de costura da Remington, diz o

contabilista. O objetivo da decoração era

apresentar um produto com uma aparência

agradável. A Sholes & Glidden escrevia

somente em maiúsculas e as barras

moviam-se de baixo para cima. Para ver o

que estava sendo escrito, era necessário

levantar o carro. Uma curiosidade desta

máquina: Sholes foi o responsável pelo

teclado QWERTY. O nome foi dado porque

essa é a sequência das primeiras letras

da fileira de cima do teclado. O teclado

QWERTY continua presente até hoje nos

teclados de computadores.

A invenção de um dispositivo mecânico

de escrita no Brasil é atribuída ao padre

Francisco João de Azevedo, nascido

na Paraíba do Norte (atual João Pessoa)

em 1827 e falecido em 1888. Ela foi

apresentada na Exposição Agrícola e Industrial

de Pernambuco, em 1861, e na

Exposição Nacional do Rio de Janeiro, no

mesmo ano.

As empresas de máquinas de escrever

entraram em decadência no início

da década de 1990, com a redução da

demanda, porque o mercado passou a

adotar os computadores e impressoras

como alternativa mais eficiente para a

produção de textos.

Em Araraquara, várias empresas se

destacaram no comércio de máquinas

de escrever a partir dos anos 30. A mais

antiga era de Natalino Solci que fundou a

Mercúrio, em 1938, na Avenida São Paulo.

A loja foi vendida para Luiz Belotti e

Pedro Salmazo, em 1975. Onze anos depois,

Belotti comprou a parte de Salmazo

na sociedade.

Outra empresa de destaque nos anos

70, foi a FACIT, de João Francisco Franco,

um dos grandes empreendedores de Araraquara

na época.

Natalino Solci fundou a Mercúrio em 1938;

hoje Neni e Luíz Belotti são os proprietários

Advogado Laerte Velosa com sua Remington,

no Escritório Visão. Lembrança que marca o

início da sua carreira, 50 anos atrás

17


MOBILIDADE URBANA

Coca muda o

visual do centro

A mobilidade urbana, desde

que o engenheiro de trânsito

Coca Ferraz assumiu o setor,

ganhou outro perfil. Ruas e

avenidas ganharam vida,

caiu o índice de acidentes e

o tráfego se tornou funcional.

FATOS E FOTOS

UMA VISITA AO NOSSO DELEGADO TRIBUTÁRIO

Zana, Massafera e Melo

O deputado estadual Roberto Massafera

visitou em março o delegado tributário, João

Zana, responsável pela DRT-15 da Secretaria

de Estado da Fazenda, em Araraquara. Ele

esteve acompanhado do prefeito de Ibaté,

Alessandro de Melo Rosa. Além de questões

relativas a estratégias para aumentar a

receita do município, o parlamentar também

discutiu questões como a liberação de crédito

tributário para exportadores da região.

Empresas como a fábrica de compressores

Tecumseh, de São Carlos, são altamente

dependentes do mercado externo. A

desoneração das exportações é uma forma

de aumentar a competitividade do produto

nacional, melhorar a renda e o emprego na

região. “Isso seria bom para todos”, concluiu

o deputado Massafera.

São Bento com Espanha foi remodelada

A instalação de modernos semáforos

temporizados, construção de

rampas de acessibilidade, pinturas

das travessias de pedestres nas cores

brancas e azuis e reforço na sinalização

horizontal e vertical são ações que

vêm ocorrendo desde março, em todas

as confluências das ruas e avenidas do

centro da cidade. Essa remodelação se

deve à experiência do coordenador da

Mobilidade Urbana, Coca Ferraz.

A sincronização dos semáforos é

fator fundamental para a melhoria

da fluidez do tráfego, aponta Coca

Ferraz. “Após estudos, ajustamos o

sincronismo dos semáforos na região

central e na altura da Nove de Julho

com a Francisco do Amaral e Bento de

Abreu”.

Em meio aos elogios da população

à técnica utilizada por Coca Ferraz, o

prefeito Marcelo Barbieri assegura que

a remodelação dos corredores amplia

a segurança dos pedestres, melhora

o fluxo, principalmente do transporte

coletivoe facilita o acesso aos serviços

de saúde, educação, social, entre outros.

A PRIMEIRA LED DA CIDADE

Com investimento de R$ 530 mil oriundos de

recursos do próprio Município, por meio da

Contribuição de Iluminação Pública (CPI), foi

entregue a remodelação no sistema viário da

Alameda Paulista que conta com luminárias

LED, semáforos com temporizadores,

mais rampas de acessibilidade e moderna

sinalização horizontal e vertical. A Alameda

Paulista é a primeira via de Araraquara

com iluminação LED, que é mais eficiente

e econômica. As mudanças feitas tiveram a

orientação do coordenador Coca Ferraz, da

Mobilidade Urbana.

APLICAÇÕES ACIMA DO QUE DETERMINA A CONSTITUIÇÃO FEDERAL

O secretário de Saúde, Carlos Fernando

Camargo, realizou prestação de contas

da sua pasta referente ao terceiro

quadrimestre de 2015. Ao todo, a

saúde pública municipal recebeu R$

191.771.793,21 em investimentos,

somando os repasses municipais,

estaduais e federais. Somente a

Prefeitura de Araraquara aplicou R$

125.646.036,54, ou seja, 31,02% do

orçamento total de 2015. O índice está

16,02% acima do que determina a

Constituição Federal, no mínimo 15%

de seu orçamento na área.

Camargo destacou os investimentos

realizados em 2015. A Prefeitura,

18

SUBINDO

O PMDB de

Araraquara apoiou

a expulsão do

Deputado Federal

Mauro Lopes (PMDB-

MG) por ter aceitado

convite para assumir o

Ministério da Aviação

Civil, contrariando

a decisão da

Convenção Nacional

do partido, que

aprovou uma moção

liderada pelo Prefeito

Marcelo Barbieri,

proibindo qualquer

membro do PMDB

a aceitar cargos no

Governo Federal

durante 30 dias.

Camargo, da

Saúde Municipal

DESCENDO

O mesmo PMDB

desce quando dá

prazo para deixar

de apoiar o governo,

após marchar quase

14 anos ao lado

do PT e ser um dos

maiores responsáveis

por essa fase que

passa a economia.

Dar os 30 dias a

Dilma é a mesma

coisa que “a mulher

falar para o marido:

nós vamos nos

separar mas você me

dá 30 dias prá tomar

a decisão”. Este é o

país das vantagens.

segundo ele, manteve investimento forte

na rede básica, mas também priorizou

outros setores, como a rede de urgência e

emergência. Atualmente, o município possui

30 equipes de

saúde da família,

atendendo pouco

mais de 89 mil

pessoas. Já as

Unidades Básicas

de Saúde (UBS)

cobrem pouco mais

de 133 mil pessoas.


FRASE

“Quantas e quantas

famílias foram

ajudadas por ele.

Tanto na Sociedade

Amigos do Bairro

Santa Angelina

quanto na Assistência

Zé Porsani

Social. Ele tem um presidente da Sabsa

talento especial

para essa tarefa. Há mais de quarenta anos

trabalha com as crianças e a população

carente de Santa Angelina. Deixou a profissão

de advogado, sua farmácia e entrou para a

política para poder ampliar a luta em favor

daqueles que enfrentam dificuldades”.

Elias Chediek

Presidente da Câmara

O comentário foi feito durante a entrega do

título de “Cidadão Benemérito” ao presidente

da Sabsa, José Carlos Porsani, por sinal,

merecidamente pelo que tem realizado.

AULAS DE PILATES

Com duas turmas, teve início em março,

as aulas de pilates na Academia da Saúde

“Professor Laércio de Arruda Ferreira”,

anexa à Unidade de Saúde da Família

“Farmacêutico Cristovão Colombo”, no

Jardim Cruzeiro do Sul, na região sudeste de

Araraquara. Segundo o gerente de Projetos

Especiais da Secretaria de Esporte e Lazer,

Adalberto Grifoni, responsável pelo programa

que implantou as Academias da Saúde na

cidade, a parceria entre as Secretarias de

Esporte e Saúde visa a promoção da saúde

e a prevenção contra as dores nas costas

e lombares. A Prefeitura, por meio da rede

básica de Saúde, adquiriu o material para

uso nas sessões e as aulas ocorrem as terças

e quintas-feiras no período da manhã. “O

trabalho é preventivo e se houver necessidade

de tratamento, é feito o encaminhamento

para a reabilitação”, relata a terapeuta

ocupacional Paula Bin, do Núcleo de Apoio

da Família (NASF), que ministra as aulas na

Academia do Cruzeiro.

19


PROFISSÃO

Ser corretor em uma cidade

que tem economia crescente

Araraquara possui cerca de

20 mil CNPJs ativos, aumento

de quase 26% nos últimos

seis anos. A vinda de novas

empresas valorizou ainda mais

uma profissão: do corretor,

quer na área de imóveis ou

seguros.

Com 102 corretores de seguros associados,

Araraquara mantém hoje uma

entidade específica para a classe: é o SIN-

COR, Sindicato dos Corretores de Seguros

no Estado de São Paulo. Contudo, a profissão

está generalizada além de seguros,

são os corretores de imóveis, de valores,

fretes, mercadorias e outros.

A data - 7 de abril - aparece no Google

como o Dia do Corretor, definindo a

profissão “um agente comercial especializado

que serve de intermediário na

aquisição de bens ou serviços”. Mas há

uma confusão sobre a data, pois efetivamente,

o corretor de seguros comemora

seu dia em 12 de outubro. Ele tem como

função básica, dentro do mercado, planejar

e vender segurança econômica,

buscando sempre a melhor solução

para cada caso específico, na mais estrita

defesa do interesse dos consumidores

(ou segurados), os quais representa

junto à seguradora.

Os corretores de seguros têm, comenta

José Roberto Placco Rodriguez,

diretor regional do SINCOR Araraquara,

um papel fundamental na distribuição

e venda de seguros, tendo em vista

que são intermediários independentes

que negociam contratos de seguro para

pessoas que procuram proteção para o

Beto Placco, diretor regional do SINCOR

seu patrimônio, saúde ou vida. A profissão

de Corretor de Seguros depende da

prévia obtenção do título de habilitação,

concedido pela Superintendência de

Seguros Privados – SUSEP, nos termos

da Lei. O Exame de Habilitação para

Corretor de Seguros é aplicado pela FU-

NENSEG para as seguintes habilitações:

Habilitação para Corretor de Capitalização;

Habilitação para Corretor de Capitalização

e Seguros de Vida e Previdência;

Habilitação em todos os ramos (para

comercializar todos os tipos de seguros).

O Dia do Corretor de Seguros, explica

Beto Placco, é 12 de outubro. Segundo

ele, a profissão de corretor de seguros é

uma opção muito vantajosa para quem

se dá bem com cálculos, planejamentos

e tem muita força de vontade. Trabalha

intermediando todos os processos de

corretagem de seguros entre o segurado

e a seguradora.

Vejo hoje, argumenta o dirigente, Araraquara

entrando num processo de desenvolvimento

invejável. É evidente que

todos os setores da economia entram

num contexto de crescimento e a área

de seguros está inserida, como forma de

contribuir com o progresso do município.

A preocupação das famílias em ter

um corretor de seguros para orientá-las

20

O CORRETOR DE IMÓVEIS

Segundo o corretor de imóveis Jorge

Lorenzetti, sua atividade é bem

diferente: “Fazemos o intermédio da

compra, da venda, da locação e administração

de imóveis e solicitamos documentação.

Os corretores, diz Jorge,

devem fazer pesquisas constantes de

mercado e elaboram estratégias de comercialização.

Muitas vezes tornam-se

assessores de alguns clientes após a

transação.

Lorezentti esclarece que a profissão

é regulamentada através da Lei Federal

n° 6.530/78, de modo que para se

tornar um profissional do mercado imobiliário,

se faz necessário que o interessado

seja possuidor de título de Técnico

em Transações Imobiliárias ou de

diploma de curso superior Sequencial

e Tecnológico de Ciências Imobiliárias/

Gestão de Negócios Imobiliários.

Quando convidado a avaliar o impacto

do crescimento de Araraquara na

vida do corretor de imóveis, Jorge faz

a opção em voltar 20 anos no tempo,

quando o termo “logística” era praticamente

desconhecido.

“A medida do crescimento e da importância

desta área na gestão nas atividades

das empresas, Araraquara se

destaca de maneira especial. Além da

posição geográfica estratégica, no centro

do maior estado da federação, no

olho do furacão econômico, com Ribeirão

Preto, Bauru, São José do Rio Preto

e Campinas, forma ainda um ponto de

coerência perfeito entre as maiores regiões

produtoras do Brasil: eixo Rio-São

Paulo, sul de Minas e de Mato Grosso e

o norte do Paraná.

Desta maneira, diz o corretor de

imóveis, mesmo em tempos de crise,

quando as empresas necessitam criar


Araraquara conta atualmente

com 148 corretores de seguros e

524 corretores de imóveis; só no

ano passado foram abertas oito

imobiliárias

Jorge Lorenzetti, corretor de imóveis da Negócios

Especiais, diz que o mercado de corretor de imóveis está

se ampliando cada vez mais na região de Araraquara

e rever estratégias, especialmente relacionadas

a custo, Araraquara continua

crescendo bem mais que as cidades do

mesmo porte por conta de sua vocação

logística. Para ele, a maior prova é

o grande número de empresas que se

instalaram na cidade nos últimos anos.

“Isso impacta diretamente nas atividades

e na vida do corretor de imóveis e

em sua consequente responsabilidade,

tendo em vista que dentre outras

atribuições, esta atividade profissional

aproxima os agentes de intenção de

compra e venda, acelerando o crescimento.

Mas na opinião de Jorge Lorenzetti,

destacam-se ainda outros fatores que

diferenciam a cidade e que influenciam

no relacionamento com investidores

que vêm de fora, como nossa qualidade

de vida, o elevado IDH (Índice

de Desenvolvimento Humano, medida

importante concebida pela ONU) e o

índice Firjan (estudo que acompanha

anualmente o desenvolvimento socioeconômico

dos municípios brasileiros

em três áreas de atuação: Emprego e

Renda, Educação e Saúde).

O que fortalece também neste processo,

conclui o profissional, é o acolhimento,

a dedicação, o desejo de ajuda

e o conhecimento atualizado em todas

as áreas pertinentes à profissão do

corretor de imóveis, contribuindo para

o nosso desenvolvimento econômico e

desta maneira, incentivando também

os investidores locais, especialmente

os visionários à aplicação em imóveis

em nossa cidade.

No ano passado, Araraquara ganhou

mais 59 novos corretores (PF) e 8

imobiliárias (PJ). Hoje totaliza 524 corretores

ativos e 48 imobiliárias.

Fonejá - Gramado

®

21


Se você tem histórias

para contar sobre o

comércio da cidade, entre

em contato com nossa

redação: 3336.4433.

Pesquisa: Roberto Dolfini

Era 1961. Araraquara com cerca de 55

mil habitantes, administrada pelo prefeito

Benedito de Oliveira, ainda vivia a euforia

do seu clube de futebol: a Ferroviária, que

realizou brilhante excursão por gramados

da Europa. Paralelamente, falava-se muito

da implantação dos “ônibus elétricos

na cidade” (dezembro de 1958), como

sistema revolucionário de transporte

coletivo implantado pela CTA. Mas não

era só: no foco estava a aquisição por

parte do município de uma área na então

Fazenda Taquaral para doação ao Estado,

destinada à construção da Penitenciária

Regional. Era em meio ao impacto

deste avanço econômico, que atuava o

Rodoviário Mano a Mano Ltda, um dos

pioneiros no sistema de transorte rodoviário

em toda a região. Aqui ele mantinha sua

matriz, na Rua Expedicionários do Brasil,

1269; havia a filial em São Paulo, na Rua

A logomarca do Rodoviário Mano a Mano

nos anos 60

Dr. Inácio de Araujo, 118, no Bairro do

Brás, área hoje ocupada por uma escola.

Uma das empresas concorrentes era o

Rodoviário Cacique, fundado nos anos 50,

que mais tarde se transformou em Buck

Transportes Rodoviários, do empresário

Odayr Batistella Elias. Outra empresa que

surgiu no caminho do Rodoviário Mano a

Mano foi o Rodoviário Morada do Sol, de

Ivo Magnani, criado em 1962. A Mano a

Hoje o número 1269, da Rua Expedicionários

do Brasil indica a existência da Fonteri

Mano em 1961 já possuía uma agência

em Jundiaí, na Rua Capitão Curado, 605,

para transportes rodoviários de cargas,

encomendas e bagagens urgentes, de

acordo com o expresso na nota fiscal

que informava a entrega de 20 sacos

de farinha na Rua 9 de Julho, 2156

(Padaria 9 de Julho). Seriam mil quilos de

farinha com um valor declarado de Cr$

36.364,00, hoje aproximadamente R$

130.000,00. À frente da empresa aberta

na Expedicionários do Brasil, 1269, onde

hoje é a Fonteri, estavam os filhos do casal

Antonieta-Carlos Maria Ciarlariello (seu

Nicola), Alberto (Tim) e Antônio (daí Mano

a Mano). Cinco anos depois eles decidiram

encerrar as atividades para montar uma

distribuidora de frutas. Tim teve quatro

filhos e Antônio, dois filhos, na constituição

de uma família conceituada na cidade.

22


NEGÓCIOS

Ibis apresenta o seu

novo hotel na cidade

A chegada do Ibis Budget amplia a rede hoteleira em

Araraquara com alto padrão de qualidade e fortalece o

grau de investimento local, posicionando a nossa economia

como uma das mais atraentes da região.

O Ibis Hotel ao lado da Arena da Fonte

“O Ibis Budget chega a nossa cidade

em um momento ímpar, com novas conquistas

e avanço no desenvolvimento

de Araraquara”. Foi com essas palavras

que o vice-prefeito e coordenador da

Mobilidade Urbana, Coca Ferraz, pontuou

a apresentação do Ibis Budget Hotels

Araraquara, localizado na rua Mauro

Pinheiro, nº 100, Vila Ferroviária. Na

ocasião foi apresentado aos convidados

o histórico da rede Ibis e a infraestrutura

do imóvel construído em Araraquara e

que conta com 119 apartamentos.

Coca Ferraz acentou que “Araraquara

é uma cidade privilegiada pelo

potencial hoteleiro que dispõe, sendo

neste momento a ‘menina dos olhos’

de quem busca investir em bons negócios;

e investir no Ibis é um alto negócio”,

destacou.

O Ibis Budget é parte da linha de

hotéis da AccorHotels, grupo mundial

de hotelaria e serviços com sede na

França e que dirige hotéis do mundo

todo. Conta com mais de 3.900 hotéis

e 510.000 quartos em 92 países.

A proposta do Ibis Budget Hotels, argumentou

o empresário André Maria, é

oferecer preços econômicos em hospe-

O empresário André Maria, do Ibis Araraquara, ao lado de Roberta de Andrade Nogueira

(gerente de Operações do Grupo Souza Maria) e Franciane Emiliano (gerente geral do Ibis)

dagens práticas com recepção 24 horas,

estacionamento e rede wi-fi.

A rede de hotéis Ibis é hoje a que

mais cresce no segmento econômico,

sendo a maior nessa categoria na Europa.

No Brasil, existem 70 hotéis (58 Ibis

e 12 Ibis Budget) na rede, em mais de

40 cidades, disponibilizando mais de

15.000 quartos.

Participaram do evento Claudia

Gonçalves de Souza (Construtora Souza

Maria); André Maria; os secretários

municipais Aluísio Braz (Governo) e Renato

Haddad (Cultura e Ciência, Tecnologia,

Turismo e Desenvolvimento Sustentável),

os vereadores Elias Chediek,

Rodrigo Buchechinha, Willian Affonso,

Jeferson Yashuda e Valmir Trevisoli representando

Geani Trevisoli. Nossas

boas vindas ao Ibis.

André Maria, do Ibis,

acompanha Coca Ferraz

que enaltece a chegada

de mais um grande

empreendimento

Cláudia Gonçalves de

Souza, da Construtora

Souza Maria

23


DIA MUNDIAL DA SAÚDE

“Agradeço ao Senhor,

me dado o dom da Me

Luiz Gonzaga Corrêa, 82 anos de idade, dos quais 56

dedicados à carreira de médico ortopedista, o tornam

o mais antigo profissional em atividade em Araraquara e

num símbolo da classe. No mês em que se comemora o Dia

Mundial da Saúde, ele merecidamente é o nosso homenageado.

Lá vai Luiz Gonzaga, atravessando

a José Bonifácio em direção a Voluntários

da Pátria. Cabisbaixo,

olha para as pedras que formam

um mosaico, passadas

lentas em direção a casa que

já o acolheu por mais de 50

anos como se fosse um ritual.

O caminho é quase sempre o

mesmo: da clínica criada no final

dos anos 70 à Santa Casa,

que na boca miúda se transformou

no prolongamento do seu

lar. “Isso é uma graça”, confidenciam

os amigos.

Ele sempre foi assim: elegante no

vestir, uma voz pontuada por palavras

Luiz Gonzaga na colação de grau do curso de

Medicina em 1960 em Ribeirão Preto

simples, ricas em sabedoria para expressar

a experiência que lhe deu fama

e notoriedade.

Desde os tempos

de Nuporanga, onde

nasceu em 1934, Luiz

Gonzaga, terceiro filho

de Nair Carnevari e Antonio

Flauzino Correa,

passou a infância na

área rural. Talvez seja

por isso que traz esse

jeito humilde, paciente,

capaz de distinguir à distância, os

sintomas da indiferença. Fez por muitos

o que aprendeu na educação primária

no grupo escolar de Nuporanga;

e, quando sua família mudou-se para

Ribeirão Preto onde fez a educação

secundária no Instituto de Educação

Ottoniél Motta, ele não mudou. Era o

mesmo Luiz.

Em 1955 partiu para o que sempre

sonhou: ser médico. Entrou na Faculdade

de Medicina de Ribeirão Preto e se

formou em 1960. Realizou residência

médica no período de 1961 a 1965 no

serviço de ortopedia da Santa Casa do

município. Foi nesse período, diz ele,

com a voz embargada pela emoção,

que “conheci minha futura esposa”.

Era 1963 e lá estava Luiz Gonzaga ao

lado de Clotilde Lemelle, agora com sobrenome

Corrêa.

Era um tempo de sonhos na vida

pessoal e com o peito cheio de coragem,

desembarcou em Araraquara

para fazer parte do Corpo Clínico da

“A figura humana

de Luiz Gonzaga

deve ser vista

como exemplo

aos profissionais

que anualmente

são colocados no

mercado”.

24

Casal Clotilde - Luiz Gonzaga com os filhos

Guilherme Augusto e Antônio Sergio

Santa Casa, que lhe franquiou as condições

de trabalho e desde então continuou

com seu desempenho no hospital.

Vieram os filhos Antônio Sergio e

Guilherme Augusto.

O mundo lhe sorria e Luiz Gonzaga

não deixou de lado as oportunidades:

fundou com os doutores Aurino M. Rocha

e Nelson Monteiro, o serviço de ortopedia

da Santa Casa. O fortalecimento

do seu profissionalismo o conduziu a

ser um dos fundadores da UNIMED de

Araraquara e com outros médicos da

Santa Casa, organizou um Congresso

Regional de Ortopedia.

Foi por várias gestões Diretor Clíni-

Ortopedistas Wilson Roberto Aravechia e Roberto

Felício que formam a clínica com Luiz Gonzaga há

mais de 30 anos, na José Bonifácio


por ter

dicina”

co e Diretor Técnico, bem como membro

do Conselho Técnico da Santa

Casa. “Juntamente com os ortopedistas

que chegaram ao serviço da Santa

Casa, criamos a Clínica Ortopédica e

Traumatológica de Araraquara no ano

de 1979”, recorda com alegria Luiz

Gonzaga.

Nestes quase 51 anos de Morada

do Sol, ele continua militando

na Santa Casa, Hospital São

Paulo e na clínica instalada

na Avenida José Bonifácio.

No final de fevereiro, Luiz

Gonzaga Corrêa foi homenageado

pela SABSA (Sociedade

Amigos do Bairro de Santa Angelina).

O público presente aplaudiu

o ilustre profissional como forma de

reconhecimento ao trabalho realizado

em Araraquara e a maneira com que

sempre se solidarizou no atendimento

aos carentes. Araraquara se sente orgulhosa

com este profissional da Medicina.

Luiz Gonzaga Corrêa, símbolo

da classe médica em Araraquara

Colegas médicos da Diretoria de Saúde na SABSA, o cardiologista

Luis Fernando Viviani e a ginecologista Renata Silva de Oliveira

Viviani, homenageiam o amigo Luíz Gonzaga Corrêa que está ao

lado do filho Antônio Sérgio

25


26


FOSFOETANOLAMINA

Pílula do Câncer

está aprovada

O deputado Roberto Massafera

parabenizou o Congresso pela

aprovação do projeto que

permite a produção e uso da

fosfoetanolamina sintética,

antes de seu registro final

pela Anvisa.

A fosfoetanolamina é uma promissora

substância utilizada no tratamento

de câncer. Pelo texto aprovado no Congresso,

o paciente deve apresentar laudo

médico que comprove o diagnóstico

e assinar um termo de consentimento e

responsabilidade. O uso da substância

passa agora a ser definido como de relevância

pública.

A fosfoetanolamina também é produzida

pelo corpo humano. No caso

da sintética, sua função no tratamento

do câncer é sinalizar (fosfo) as células

cancerosas, melhorando a resposta

imunológica do paciente.

A substância foi estudada pelo

professor Gilberto Chierice, da

USP de São Carlos.

Também no mês passado,

o deputado Roberto Massafera

participou de audiência pública

na seção São Paulo da Ordem

dos Advogados do Brasil para

debater o uso da substância.

O evento contou com a presença

de grande número de

interessados e a exposição do professor

Bráulio Luna Filho, presidente do

Cremesp; Maria Paulo Dallari Bucci,

procuradora da USP; Martin de Almeida

Sampaio, presidente da Comissão

de Direitos Humanos da OAB-SP; e do

professor Celso Pacheco Fiorillo, coordenador

do Programa de mestrado em

saúde ambiental da Faculdade de Medicina

da USP.

Convidado pelos promotores do

evento, Massafera falou sobre os investimentos

que o governador Geraldo

Alckmin e o Secretário Estadual de

Massafera debatendo a “fosfo” na OAB de São Paulo

Saúde, Davi Uip, estão realizando para

comprovar a eficácia da substância no

tratamento de câncer.

O governo do Estado está investindo

cerca de R$ 5 milhões para a realização

de testes clínicos em até mil pacientes,

sob a responsabilidade do Instituto de

Câncer do Estado de São Paulo (Icesp).

Roberto Massafera também elogiou

a iniciativa da OAB na promoção do

evento: “Há muito a se esclarecer sobre

as pesquisas desenvolvidas e sobre os

vários interesses na questão do tratamento

do câncer”, destacou.

27


ESPECIAL

ARTIGO

Apelo ao

bom senso

O Seminário “Novo Código Comercial - Projetando

o Brasil que precisamos e queremos”, organizado

pelo SINCOMERCIO ARARAQUARA em março

passado, abre espaço para manifestações que

pontuam o inconformismo de grande parte da

sociedade brasileira em relação à crise econômica

e o desequilíbrio da política governamental. Nas

páginas seguintes expressamos o sentimento da

nossa classe.

Diariamente, a Federação do Comércio

de Bens, Serviços e Turismo do

Estado de São Paulo (Fecomercio-SP)

e o Sincomercio Araraquara divulgam

indicadores econômicos que apontam

os resultados do desempenho

da nossa economia. Com essa base,

previmos a chegada dessa enxurrada

diária de dados econômicos negativos

que comprovaria a ineficiência da condução

econômica até chegarmos ao

agravamento da crise política que se

abateu sobre o Brasil.

Divulgar esses

dados é uma prestação

de serviços

obrigatória para

toda a sociedade.

No entanto, muitas

entidades, assim

como nós, tiveram

suas análises

ignoradas pelos

responsáveis pela

condução política e

econômica do País, levando a crise ao

patamar em que se encontra.

Hoje, temos um governo que ignora

a voz das ruas, de suas entidades

empresariais, de suas instituições, e

ainda trata o bem público

como coisa privada.

Grupos se engalfinham

na luta pelo poder e

olham para o Estado com o único objetivo

de satisfazer seus próprios interesses.

As possibilidades de se encontrar

uma saída para superar a recessão, a

quebra de empresas, o desemprego

massivo e a inflação que ameaçam

as conquistas econômicas e sociais

de milhões de pessoas, encontram-se

hoje bloqueadas

“... ao lado da maioria do povo

brasileiro, dos empresários e

trabalhadores que precisam de

paz para produzir, conclama

todas as personalidades e forças

políticas da Nação, sem exceção,

para que deixem de mirar seus

interesses particulares e grupais.

28

pelo caos político

instalado em

todas as esferas

decisórias do

País.

Diante desse

quadro, a

Fecomercio-SP,

suas coordenadorias

regionais

e seus 157 sindicatos

filiados, espalhados por todo

o Estado de São Paulo, entre eles,

nós do Sindicato do Comércio Varejista

de Araraquara, ao lado da maioria

do povo brasileiro, dos empresários

Antonio Deliza Neto, presidente do SINCOMERCIO Araraquara

e trabalhadores que precisam de paz

para produzir, conclama todas as personalidades

e forças políticas da Nação,

sem exceção, para que deixem

de mirar seus interesses particulares

e grupais.

Nós não vamos deixar de apresentar

os nossos dados e vamos lutar

para que a economia volte a ser justa

para o Brasil. Assim como acreditamos

que a voz das ruas não deve jamais

se calar. Chega de sermos ignorados

e desconsiderados. Precisamos

retomar a nossa confiança e fazer valer

o nosso esforço que não poderá ter

sido em vão.

Nesse momento é preciso unir

forças para tirar o Brasil do atoleiro.

Basta de interesses mesquinhos,

personalistas e individuais. É hora

de pensar e agir com generosidade e

grandeza, pelo bem da Nação.

Com isso, declaramos o nosso

apoio a todos os que lutam pela democracia

e contra a corrupção que

manchou a história do nosso País.


Ives Gandra da Silva Martins,

Professor Emérito do Mackenzie

e Presidente do Conselho Superior

de Direito da FECOMERCIO/SP

“É chegada a hora de darmos

um basta a esta caótica situação”

MENSAGEM PARA ARARAQUARA E PARA O PAÍS

Carta enviada aos participantes do

Seminário “Novo Código Comercial

- Projetando o Brasil que precisamos

e queremos”, organizado pelo

SINCOMERCIO Araraquara, em março

no Gran Hotel Morada do Sol.

“Honrado pelo convite para abrir o evento que ocorrerá em

Araraquara com o sugestivo título “Novo Código Comercial

– Projetando o Brasil que precisamos e queremos”, mas lamentando

a impossibilidade de comparecer, decidi enviar a

presente mensagem externando meu posicionamento já conhecido

sobre o tema em debate.

A indevida intervenção na vida das empresas consubstanciada

na crescente publicização de ramo eminentemente

privado e especialmente a absoluta insegurança jurídica ao

investidor, prejudicam o país e impedem tanto os investimentos

externos como tornam a vida do empresário nacional verdadeiro

calvário.

A sociedade brasileira necessita urgentemente de nova legislação

empresarial que estimule o investimento e garanta

segurança jurídica a quem decida empreender.

O Relatório Geral de autoria do Nobre Deputado Federal Paes

Landim, ínclito Parlamentar e Professor da UNB, bem delineia

as necessárias primícias da tão desejada legislação comercial

para o país (i) “intervenção mínima do Estado” e (ii)

“especial tutela das empresas”.

Há décadas dedico parte de meu magistério a explanar lições

de economia e direito que clamam pela não intervenção

do Estado na economia como única forma de se garantir

a necessária liberdade ensejadora do desenvolvimento

econômico.

Ainda conforme explanado pelo Nobre Deputado Paes Landim,

“quando se atende às necessidades das empresas,

atende-se, na verdade, às necessidades de toda a sociedade

brasileira”. Verdade inquestionável que tarda a reinar em

nosso país.

29

É chegada a hora de darmos um basta a esta caótica situação.

E o projeto de Lei n° 1.572/11, de autoria do nobre

Deputado Federal Vicente Cândido, que institui o novo Código

Comercial, é caminho certeiro para essa nova etapa da

vida nacional. Projeto de lei estudado e proposto com muito

cuidado pelas competentes mãos do ilustre Prof. Fabio Ulhôa

Coelho, rodou o país em debates memoráveis onde se aperfeiçoou.

Aliás como os senhores farão hoje em Araraquara.

Este vivo debate não teria sido possível não fosse a determinação

de nossas entidades empresariais e a atuação também

dedicada do nobre Deputado Federal Laércio Oliveira,

Presidente da Comissão Especial da Câmara dos Deputados

para a análise do projeto.

Clamo que Araraquara chegue à mesma conclusão que a

experiência deste calejado Professor vem a indicar: o país

não pode esperar. Que o novo Código Comercial seja urgentemente

aprovado, pois traz estímulo ao investimento e segurança

jurídica para quem acredita no Brasil. Receita mais

que eficaz para retomada de nosso desenvolvimento. Bom

seminário a todos!


LEGISLAÇÃO

Sincomercio organizou seminá

para discutir Novo Código Co

Os deputados Laércio Oliveira

e Paes Landim, presidente e

relator da Comissão Especial

que analisa o Projeto de Lei

que regulamentará o Novo

Código Comercial Brasileiro,

a convite do SINCOMERCIO,

se encontraram em março

com empresários, contabilistas

e representantes de diversos

segmentos comerciais

de Araraquara, para

apresentação das mudanças

que tramitam na Câmara

dos Deputados em Brasília.

O Seminário “Novo Código Comercial

– Projetando o Brasil que Precisamos

e Queremos” promovido pelo

Sindicato do Comércio Varejista de

Araraquara (SINCOMERCIO) e pela Federação

do Comércio de Bens, Serviços

e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio

- SP) em março, no auditório

do Gran Hotel Morada do Sol, em Araraquara,

deve ser considerado um dos

mais importantes eventos do setor nos

últimos anos.

O seminário contou com a participação

dos deputados federais Laércio Oliveira,

presidente da Comissão Especial

do Novo Código Comercial e Paes Lan-

dim, relator geral da Comissão.

A programação também teve a exposição

de painéis do professor de Direito

Comercial da PUC-SP e membro

da Comissão de Juristas do Novo Código

Comercial, Fábio Ulhôa Coelho; do

consultor jurídico da Confederação Nacional

do Comércio de Bens, Serviços

e Turismo (CNC), Marcelo Barreto; da

professora da Unifor e membro da Comissão,

Uinie Caminha; do professor da

Uniara e também membro da Comissão

de juristas do Novo Código Comercial,

Fernando Passos e, por fim, do consultor

da Fecomercio-SP, Romeu Bueno de

Camargo.

Em sua fala, o prefeito Marcelo

Barbieri, um dos convidados do acontecimento,

parabenizou a iniciativa de

trazer o debate para Araraquara, ação

articulada pelo coordenador do curso

de Direito da Uniara e membro da Comissão

Especial, Fernando Passos.

“Mesmo diante de todas as dificuldade

que vive o Brasil, o País não pode

paralisar. O projeto do Novo Código Comercial

visa modernizar uma legislação

de 1850. Para Araraquara é uma excelente

oportunidade debater e acompanhar

esse processo de atualização”,

disse o prefeito.

O deputado Laércio Oliveira relatou

que a Comissão Especial já visitou 20

capitais brasileiras e cinco países para

Antônio Deliza Neto, presidente do

SINCOMERCIO, na abertura do evento

discutir sobre o Novo Código Comercial.

“Desejamos uma nova legislação para

o empresário, que fale a linguagem do

empresário”, destacou.

O deputado Paes Landim também

falou sobre o processo de debate e

construção do Novo Código Comercial

ressaltando a necessidade da sua

atualização: “O Código Comercial é de

grande relevância para regular diversos

setores da economia, garantindo à livre

iniciativa, as condições para seu desenvolvimento”,

disse o deputado

A justificar a necessidade de imediata

mudança, Fernando Passos promoveu

verdadeiro choque de realidade

ao expor as principais conclusões que

Marcelo Barbieri, prefeito do

município de Araraquara

durante o seminário

Dr. Fernando Passos, da Comissão

de Juristas do Novo Código

Comercial Brasileiro

Dr. Fábio Ulhôa Coelho, da

Comissão de Juristas do Novo

Código Comercial Brasileiro

Dr. Marcelo Barreto, da Comissão

de Juristas do Novo Código

Comercial Brasileiro

30


io

mercial

os relatórios internacionais

Doing Business e Index of

Economic Freedom demonstram

acerca do Brasil, evidenciando

o quanto o nosso

país se apresenta economicamente

inviável ao investimento, apresentando

um ranking maior apenas do

que Argentina, Bolívia e Venezuela na

América do Sul.

O presidente do Sincomercio de Araraquara,

Antonio Deliza Neto, considerou

a discussão “com pessoas de alto

gabarito” como um “ponto de partida

que o País tanto clama e tão importante

para todos”. Os que acompanharam

a mensagem de Deliza disseram que

“o Brasil precisa urgentemente de uma

legislação moderna e mais inteligente,

capaz de fortalecer as relações comer-

ciais, eliminar conflitos e inserir o país

no mercado comercial globalizado”.

Também prestigiaram o seminário

o presidente da Câmara Municipal, vereador

Elias Chediek, a presidente do

Fundo Social, Zi Barbieri, o presidente

da Associação Comercial e Industrial

de Araraquara (Acia) e secretário de

Desenvolvimento e de Cultura, Renato

Haddad, o vice-presidente da OAB Araraquara,

Tiago Romano, o vice-presidente

do Fecomercio-SP, Ivo Dall´Acqua Jr.,

advogados, professores e alunos de Direito,

além de convidados.

Participantes do seminário no Gran Hotel Morada do Sol

Se efetivamente for para

modernizar, desburocratizar

e dar um salto de qualidade

na legislação empresarial,

que seja muito bem-vindo

o Novo Código Comercial

Brasileiro, pois esse é o

anseio de todos aqueles que

estão diretamente envolvidos

com a atividade empresarial.

OS DEPUTADOS

José Francisco Paes

Landim é deputado

federal pelo Piauí,

filiado ao PTB.

Cumpre seu 8°

mandato.

O pernambucano

Laercio José de

Oliveira é deputado

federal filiado ao

Solidariedade.

Deputado Paes Landin, relator da

Comissão do Novo Código

Comercial Brasileiro

Deputado Laércio Oliveira, presidente

da Comissão do Novo Código Comercial

Brasileiro

Drª Uinie Caminha, da Comissão

de Juristas do Novo Código

Comercial Brasileiro

Dr. Romeu B. Camargo, da

Comissão de Juristas do Novo

Código Comercial Brasileiro

Carlos Augusto Gobbo,

representando o Sindilojas

de Campinas e Região

Ivo Dall’Acqua Júnior,

representante da Federação

do Comércio (Fecomercio)

31


Documento redigido no encerramento

do seminário em 21/março/2016

Reunidos em Araraquara em 21 de março de 2016, Empresários dos mais diversos ramos de atividade

econômica brasileira, Ilustres representantes dos Poderes Legislativo, Executivo, Judiciário e da Comunidade

Acadêmica Nacional, debateram e reconheceram que a sociedade brasileira necessita, urgentemente, de

uma nova legislação empresarial que estimule o investimento e garanta segurança jurídica a quem decida

empreender.

É do conhecimento público que as atividades empresariais representam o motor propulsor de qualquer

economia na medida em que geram empregos e promovem a circulação de riquezas. Tamanho é seu

dinamismo que seu regramento jamais poderia ficar atrelado a normas frias e indutivas como são aquelas

que regulam as relações civis, como é hoje.

Por outro lado, sabemos também que a ampla liberdade regulatória ainda é um assunto distante do

Brasil e até mesmo de algumas economias mais avançadas do mundo, sem contar que vivemos em um país

predominantemente conservador, que anseia por garantias, especialmente do Estado, sendo a Legislação

importante ferramenta para essas garantias.

Assim, é preciso que as diretrizes comerciais tenham um ambiente próprio, com princípios adequados

ao desenvolvimento disruptivo que lhe é característico, que não imponha amarras que afastam investimentos

e todas as benesses decorrentes, e que confiram razoável segurança jurídica para que as iniciativas

empreendedoras sejam perenes, sustentáveis.

Logo, a necessidade de um novo Código Comercial no Brasil é medida de rigor, uma porque o último

regramento data de 1850 e duas, porque as relações civis como já dito, destoam das relações comerciais

por completo.

As leis que regulam as relações empresariais no Brasil atualmente são esparsas, desconexas muitas

vezes e, portanto, confusas. Carecemos de uma nova legislação sistematizada, coesa e harmônica que

represente estrutura jurídica sólida, um Código de Mercado, com princípios norteadores próprios que valorize

a empresa privada, com unidade de desenvolvimento socioeconômico e que permita o bom funcionamento

das relações interempresariais.

De certo, um futuro Código Comercial deve disciplinar não apenas as atividades do comércio tradicional,

mas também da prestação de serviços e de todas as atividades econômicas dos setores primário e secundário,

vocacionado para resolver as controvérsias de empresa com empresa, com mínima intervenção do Estado e

sem aplicação de regras civis ou de outros ramos do direito de forma aleatória como se tem visto.

Ele deve promover um ambiente de estabilidade jurídica e previsibilidade das decisões judiciais, que

inspire um panorama capaz de estimular investimentos e negócios. Em meio a todo esse contexto, com

tantos anseios e diante da atual crise vivida no país, temos que aplaudir a iniciativa de um Novo Código

Comercial, em especial o atual projeto assinado pelo Deputado Vicente Cândido, em tramitação na Comissão

Especial da Câmara dos Deputados, presidida pelo Eminente Deputado Laércio Oliveira e que tem como

relator o nobre Deputado Paes Landim, pois é o caminho certeiro para uma nova etapa da vida nacional, uma

vez que com o auxílio da iniciativa privada e de todos que hoje aqui se encontram, teremos grandes chances

de atingir a conotação que a sociedade precisa e quer para desenvolver o Brasil.

Por fim, com a convicção de que nada será conseguido sem a estrita colaboração de todos os segmentos

aqui representados, conclamamos pelo compromisso de propugnar pela aprovação do novo Código Comercial

que poderá promover a formalização de empresários, fomentar novos investimentos, expandir a atividade

econômica, diminuir os custos de produção, promover a arrecadação de impostos e contribuir para um País

melhor.

32


EXPANSÃO

Moura Informática mostra força

no mercado e voa para longe

Empresa amplia participação

em feiras de negócios e

aterrissa em outros países;

Alemanha e Estados Unidos

estão confirmados.

A Moura Informática, uma das mais

sólidas empresas no ramo de soluções

inteligentes para automação comercial

do país, reafirma sua força no mercado

e mostra que está em plena expansão.

Consequência deste fato são as feiras

que a empresa foi convidada a participar

neste ano. Até o momento, a Moura

já confirmou presença em nove feiras e

eventos em diversos estados brasileiros.

Interzoo ocorre em maio na cidade de

Nuremberg, Alemanha

São grandes exposições como a

Agrishow, em Ribeirão Preto; a Feira de

Automação Comercial – Autocom, em

São Paulo; TecnoShow Comigo, feira

de agronegócio em Rio Verde, Goiás;

FarmShow em Primavera do Leste no

Mato Grosso; Bahia FarmShow; Pet

South e outras inúmeras.

A principal importância de participar

destas feiras, de acordo com o diretor

da empresa José Natal de Moura,

é revelar nossa tecnologia para os visitantes.

“Estar presente nestes eventos

é importante para mostrar nossas inovações

para os visitantes. A partir daí,

buscamos representantes em todos os

cantos do Brasil para aumentar a nossa

representatividade no mercado”,

explica.

Segundo a Gerente de Projetos,

Claudia Adati, o networking é fundamental

nestes locais. “Devemos sempre

manter uma rede de contatos e

ampliá-la nas feiras que participamos.

Queremos ser lembrados nos lugares

que passamos”.

INTERNACIONAL

Em janeiro, o diretor comercial

da Moura Informática, Felipe Moura,

participou da 105ª Retail’s Big

Show, em Nova Iorque, organizada

pela Federação Nacional de

Varejo dos Estados Unidos. Este

evento reúne os mais importantes

varejistas do mundo em uma feira

de troca de informações e muito

aprendizado.

33

Tecnoshow em Rio Verde GO

A Moura na Agrishow em Ribeirão Preto

Na Alemanha acontece a maior feira

pet do mundo, a Interzoo, entre os

dias 26 e 29 de maio. A intenção desta

exposição, segundo Felipe, é trazer o

que há de mais tecnológico para a empresa.

“É a terceira vez que visitamos a

Interzoo para levar toda a tecnologia do

setor aos nossos clientes”, revelou.

Ainda em maio, o Gerente de Tecnologia

RFID, Tales Boalim, participará

da ‘14ª Conferência Anual RFID Journal

Live’, em Orlando, Flórida. Segundo ele,

conhecer o que há de novo lá fora na

tecnologia RFID é essencial. “Somos

referência no RFID e queremos oferecer

ainda mais conforto e diversas inovações

para nossos clientes. Por isso é

inevitável participar de eventos desta

grandeza”, observou Tales.


A HISTÓRIA

ACIA terá uma

Expo Empresarial

O presidente Renato Haddad

lança a ideia da ACIA

organizar evento que mostre

a evolução do comércio e

indústria na cidade.

Nos próximos dias as empresas que

atuam na área do comércio, indústria e

serviços, receberão convite para colaborararem

na criação de uma exposição que

Rei das Roupas Feitas e Casa Nazarian, na

Rua Nove de Julho esquina da Feijó em 61

foque as atividades empresariais

na cidade em todos

os tempos. “Temos condições

de organizar um grande

evento para reconhecer o trabalho

dos nossos antepassados,

notadamente, daqueles

que estiveram envolvidos no

desenvolvimento econômico

do município. Mas para isso

precisamos da participação

dos empresários”, disse Renato,

convicto de que a iniciativa encontrará

o respaldo da classe.

Fotografias, notas fiscais antigas, logomarcas

e outros documentos que sustentavam

a atividade comercial, bem como

máquinas e ferramentas, deverão constar

desta exposição. “Na exposição poderemos

fazer uma leitura do passado, relembrando

as casas comerciais dos séculos

XIX e XX, quando do forte transporte ferroviário

produzido pelas composições da

Companhia Paulista de Estradas de Ferro

e Estrada de Ferro da Araraquarense, passava

por aqui para deixar toda mercadoria

que abastecia as casas comerciais da

Foto Tucci na São Bento em 1961, deve ter um belo acervo nas

mãos de Carminho Tucci para participar da exposição

Nove de Julho e São Bento.

Numa fase ainda do século XX, observamos

a ascensão industrial com a

implantação da Fábrica de Meias Lupo,

Indústrias Nigro, indústrias de torrefação

como Papito e Nogueira ou casas comerciais

que marcaram época.

São exemplos, confidencia o dirigente

da ACIA, que tiveram influência na expansão

econômica e mostrar essas riquezas

valorizarão o trabalho daqueles que hoje

continuam no mundo dos negócios e que

farão a história da cidade no futuro. Os

interessados em colaborar podem entrar

em contato com a secretaria da ACIA.

34


AGRO

N E G Ó C I O S

INFORMATIVO

edição abril | 2016

INSCRIÇÕES FECHADAS

Abençoada a cana que nos

dá a cachaça de alambique

Não é apenas o Concurso

de Qualidade da Cachaça

que motiva o Sindicato

Rural a apoiar a promoção

da Faculdade de Ciências

Farmacêuticas da Unesp:

o curso de especialização

instituído pela Química que

capacita o produtor, é uma

das maiores razões.

Há mais de 20 inscritos no concurso de 2016 João Bosco Faria, o idealizador

A proposta de oferecimento do Curso

de Pós-graduação Lato Sensu sobre

Produção e Controle de Qualidade da

Cachaça da Faculdade de Ciências Farmacêuticas

da Unesp de Araraquara,

tem como principal objetivo capacitar

profissionais para atuar na produção

de nossa bebida mais tradicional com

vistas à melhoria de sua qualidade

físico-química e sensorial. O comentário

é feito pelo professor João Bosco

Faria, do Departamento de Alimentos e

Nutrição da Unesp Araraquara, um dos

idealizadores do movimento em nossa

cidade. Segundo ele, o concurso e a capacitação

visam nossos mercados internos

mais exigentes e principalmente

a exportação dessa bebida.

A principal característica da maioria

dos produtores brasileiros de cachaça,

ao contrário das demais indústrias de

alimentos e bebidas, ainda baseia-se

em técnicas e receitas transmitidas ao

longo de gerações e, na maioria das

vezes, sem um embasamento técnicocientífico

capaz de garantir um efetivo

controle de qualidade e o estabelecimento

de padrões de qualidade compatíveis

com os observados nas

demais bebidas destiladas, reconhecidas

internacionalmente, diz

João Bosco.

Para ele o grupo de pesquisa,

que reúne pesquisadores, docentes

e alunos, com formação em

diversas áreas relacionadas com

a produção e o controle de quali-

Nicolau de Souza Freitas, presidente

do Sindicato Rural, entrega o prêmio

a Haroldo Pereira Machado Júnior,

fabricante da cachaça Lagoa Santa,

a vencedora na categoria Não

Envelhecida em 2011

35

dade da cachaça, por conta de inúmeras

tentativas, tem buscado através de

uma efetiva aproximação com o setor

produtivo, não só desenvolver projetos

de pesquisa, como também melhor

qualificar os pequenos e médios produtores

interessados em melhorar a qualidade

de seus produtos.

O CONCURSO NACIONAL

Entre as iniciativas deste movimento

fabril está a implantação do “Centro

de Pesquisa e Desenvolvimento da

Qualidade da Cachaça” e a realização

do Concurso da Cachaça de Qualidade,

já em sua 10ª edição, e o Encontro da

Cadeia Produtiva da Cachaça (9ª edição),

que tem reunido número crescente

de produtores e demais interessados

na produção da cachaça.

O apoio do Sindicato Rural, comenta

o presidente Nicolau de Souza Freitas,

é o reconhecimento ao trabalho dos

organizadores e da Unesp. Há naturalmente,

a divulgação de um produto que

sai de uma das principais fontes de riqueza

do nosso País, a cana, que representa

o esforço dos nossos produtores.


HORTALIÇAS SEM AGROTÓXICO

Programa inédito ensina

produtores no plantio da

olericultura orgânica

Sindicato Rural de Araraquara

e Senar, em parceria com o

ITESP, disponibilizam recursos

para curso de março a outubro

visando orientar produtores

rurais no plantio e exploração

de hortaliças sem agrotóxicos.

Alimentar-se ou colocar no mercado

verduras ou legumes que não contenham

o uso de agróxicos durante

o período de plantio até a colheita, é

uma missão proposta pelo Sindicato

Rural de Araraquara, Senar-SP e Itesp

a partir de março, disse o coordenador

do curso, Mário Porto, logo no primeiro

dia de aula. O projeto dá continuidade

aos trabalhos das entidades em 2016

e movimenta os produtores assentados

da Fazenda Monte Alegre.

No dia 2 de março foi realizada a

Sensibilização para a importância de

adesão ao programa de capacitação,

atraindo cerca de 30 produtores assentados

interessados. Após a apresentação

de todas as etapas de produção e

análise do contexto da região, definiu-se

um grupo de 20 produtores que acompanharão

o programa, aprendendo todas

as etapas teóricas e implementado

na prática o cultivo orgânico.

Segundo Mário Porto, é a primeira

vez que este programa é solicitado para

o município via Senar, sendo uma iniciativa

importante tanto para o estímulo

da produção neste setor, quanto para

a oferta de alimentos saudáveis.

O instrutor Marcelo Sambiase, também

de Araraquara, já conduz as atividades.

Sambiase lembra que são grandes

as expectativas para este projeto,

visto que Araraquara possui imenso

potencial para a área: “Cada vez mais o

público consumidor se mostra interessado

pelo produto orgânico”, destacou

o instrutor.

O programa de capacitação de Olericultura

Orgânica ensina na prática todas

as etapas para o produtor adequar uma

área de produção ao sistema orgânico.

Desta forma, o programa é dividido em

9 módulos que são constituídos de 2

encontros mensais. Na oportunidade,

os participantes aprendem todas as etapas

para a produção orgânica: preparo

do solo; compostagem, produção de mudas;

plantio; manejo e tratos culturais;

controle de pragas e doenças; colheita

e beneficiamento; custos de produção

e comercialização. Desta forma, é um

programa de capacitação completo que

compreende toda a cadeia produtiva

para a produção orgânica.

“Para nós do Itesp, esta atividade

36

Análise da área que será aplicado o cultivo orgânico demonstrativo.

Marcelo Sambiase se apresentando ao grupo durante


Modelo de alface orgânica a ser comercializada na cidade

é de suma importância. Um dos componentes

de nossa missão institucional é

implementar políticas públicas de desenvolvimento

sustentável, desta forma a

produção orgânica e agroecológica sempre

será estimulada por nossa equipe

técnica”, afirma Maria Clara Piaí da Silva,

do Itesp. Além disso, o produto orgânico

é uma importante demanda de mercado

na atualidade, pois agrega geração de

renda ao público beneficiário.

O instrutor Marcelo Sambiase além

de dominar as técnicas de produção orgânica,

ainda desperta nos produtores

a consciência ambiental, o que garante

o sucesso da produção agroecológica.

a Sensibilização.

O instrutor Marcelo Sambiase durante o curso

organizado pelo Sindicato Rural, SENAR e ITESP,

no Assentamento Monte Alegre VI

37


DESCOBRINDO ARARAQUARA

Em sua série de reportagens sobre os

talentos da cidade, o Sindicato Rural

encontra Chico Olivi que transforma

a gastronomia num farto campo de

produtos orgânicos para dar sabor

aos deliciosos pratos do Espaço Ulivi.

Chico Olivi e a gastronomia num

espaço cercado pela privacidade

Fotos: Lucas Tanuri

É num local requintado e

dotado do mais alto bom

gosto, que Chico Olivi recebe

convidados todos os dias

da semana em seu Espaço

Ulivi, realizando atividades

no mundo da gastronomia,

mesclando experiências em

uma só receita e basicamente

com produtos orgânicos.

Ao colocar a comida no prato ou o

vinho na taça, as pessoas vão acompanhando

a narrativa de Chico Olivi, que

pacientemente explica a razão de alguma

coisa crocante sobre o tomate ou o

sabor diferenciado do vinho.

A estratégia utilizada por ele - administrador

de empresas que se transformou

em um dos mais conceituados

sommeliers brasileiros - também o tem

consagrado como expert da gastronomia,

e da mesma maneira técnica que

descreve os menús, se orgulha em dizer

que é membro da Associação Brasileira

de Sommeliers - SP, desde 1999.

“Sempre trabalhei na área de alimentos

e bebidas, em lugares importantes

na cidade de São Paulo, como Empório

Santa Maria, ExpandGroup e no Restaurante

La Tambouille (Chef Giancarlo

Bolla), entre outros”.

Depois de formado, entre 2007 e

2009, Luiz Francisco Rodrigues Olivi, ou

simplesmente Chico Olivi passou a residir

na Itália, envolvido com os vinhos

e a culinária do país, onde aprimorou

seus estudos na Apicius - Internacional

Culinary and Culture School - Firenze,

no coração da Toscana. Chico Olivi acabou

se especializando em enologia e

vinhos italianos.

38

Ainda na Itália, visitou e trabalhou

em vinícolas de todo o país, tendo contato

desde a escolha do terreno, tipo de

solo, clima, cultivo, poda, colheita, diferentes

formas de vinificação, envelhecimento

do vinho e todo o processo que

envolve o engarrafamento até chegar

Salão principal do Espaço Ulivi


Salão do Orquidário

ao consumidor final, incluindo os custos

de implantação da vinícola, produção,

introdução do produto no mercado

(marketing, transporte, importação e exportação).

Daí ser chamado de sommelier,

mercado de trabalho que está em

franca expansão no País.

NO ESPAÇO ULIVI

Na Avenida Feijó, bem na região

central, Chico Olivi recebe o que ele

considera convidados: grupos com um

mínimo de 6 até 60 pessoas (depedendo

do estilo do evento) para o cardápio

que eles mesmos sugeriram, dias antes.

Lá, os clientes têm conhecimento

naquele instante, sobre aquilo que

estão saboreando. E entre eles a con-

versa segue descontraída, falando de

futebol, política, família ou até mesmo

sobre a marcação de uma data para o

próximo encontro.

COMO FUNCIONA

A reserva, segundo Chico Olivi, é feita

por telefone ou pessoalmente. O interessado

compra o espaço e discute o

cardápio. A definição do que será servido

pode vir de duas formas: “o convidado

diz o que pretende comer e damos

SUGESTÕES

A criatividade está presente em

cada prato preparado por Chico

Olivi no encontro de grupos ou

reuniões temáticas que são feitas

semanalmente. Paralelamente

são organizados encontros para

degustação de vinhos e cervejas ou

são dadas aulas sobre vinhos

e cervejas.

o nosso toque, ou então apresentamos

sugestões com carne, peixe, massa, salada...

formando os três pratos: entrada,

principal e sobremesa. O encontro

se personalizará da decoração até a

música, passando pelos vinhos de qualidade

que a casa mantém ou cervejas

artesanais ou convencionais”, revela.

O cliente, finaliza Chico Olivi, também

tem a opção de levar para sua

casa num encontro familiar ou de amigos,

a estrutura e a experiência que

possuímos”

Drink de Frutas Cítricas

Chico Olivi

especialista

em enologia e

vinhos italianos

Camarões com Casca de Siri sobre Pure de

Mandioca e Molho de Coco

Filé na Massa Folhada com Farofa de Pão

e Quiabo

Risotto al Limone e Parma, um dos pratos

mais apreciados da gastronomia italiana

39

Naked Cake com Creme de Chocolate e

Calda de Frutas Vermelhas


BRONCA DO CONSUMIDOR

Produtos hortifruti colocados nas

bancas sem controle de qualidade

Consumidor que compra

cebola com seu miolo podre

dificilmente vai ao Procon

reclamar. O mesmo acontece

com os demais hortifruti,

considerados produtos

perecíveis. Assim, tornou-se

comum encontrar nas bancas

de alguns supermercados e

varejões - frutas e legumes

sem controle de qualidade.

Seria ótimo acordar logo cedo e tomar

um suco de laranja acompanhado

de uma fatia de mamão bem docinho.

Seria... se a laranja não estivesse tão

ácida e o mamão aguado. É verdade,

que quando você vai comprar uma fruta

ou verdura, usa parâmetros de cor,

cheiro e consistência para perceber se

ela está madura, murcha ou estragada.

Mas, nem sempre acerta.

Produtos hortifruti encontrados em

alguns supermercados e varejões, até

mesmo na “quarta da verdura” ou na

“quinta é dia de feira”, têm preocupado

o consumidor nos últimos meses, pois

frutas e legumes se apresentam com o

miolo apodrecido. A cebola e o mamão

aparecem como favoritos na lista dos

estragados.

No panorama regional, a produção

de cebola aumentou cerca de 25% na

última década, sendo a segunda hortaliça

em importância econômica na

atualidade.

É de São José do Rio Pardo, a 172

km de distância, que chega parte da

carga de cebola colocada em supermercados

e varejões da cidade. Apesar

de ainda ser considerada a “capital da

cebola” no Estado de São Paulo, Rio

Pardo está dando menos espaço a esse

tipo de cultivo. Apenas 20% dos agricultores

continuam com a cultura.

Em 10 anos, o plantio passou de 3

mil hectares para 650. Cerca de 70%

dos produtores diminuíram a área plantada

ou trocaram de cultura e 10% deixaram

de plantar qualquer outro produto.

Com isso a reposição de cebola vem

de outras regiões como o Triângulo

Mineiro.

O MAMÃO

O Estado de São Paulo já foi

o maior produtor de mamão. Porém,

com o aparecimento do vírus

Por fora a cebola parece estar

maravilhosa; o miolo no entanto,

se mostra comprometido

Frutas neste estado às vezes fogem ao “olhar clínico” do repositor

do mosaico na região de Monte Alto (86

km de Araraquara), a cultura migrou

para outras regiões. Atualmente o Estado

da Bahia ocupa a posição de maior

produtor de mamão do país, seguido

pelo Espírito Santo e Pará, os quais representam

cerca de 92% da produção

nacional.

O mosaico é uma das doenças mais

sérias do mamoeiro. É causado por um

vírus e é transmitido pelo pulgão, inseto

que se instala nas ervas daninhas que

crescem em volta dos pés. O pulgão

carrega o vírus causador do mosaico

e quando pica o mamoeiro doente, ele

adquire o vírus, vai para outras plantas

e transmite para os pés sadios.

Os primeiros sintomas aparecem

nas folhas, que ficam deformadas, com

manchas mais claras, por isso o nome

de mosaico. Outro sintoma aparece no

talo, tipo uma estria, e nos frutos, em

formato de anel. Às vezes, os frutos

estão aparentemente saudáveis, mas a

lavoura já está comprometida.

40


Quando o mamão não está com a doença

chamada moisaco, apresenta o aspecto de

verde, inadequado para o consumo

POSIÇÃO DO PROCON

Segundo Rodrigo Martins, coordenador

do Procon Municipal, os consumidores

possuem o direito de adquirir

estes produtos em boas condições para

o seu consumo; produtos deteriorados,

avariados ou que possam ser nocivos

à saúde ou consumo não devem estar

disponíveis para venda. “Este é um direito

do consumidor e a fiscalização é

realizada diariamente pelo Procon e Vigilância

Sanitária. Agora, com relação a

ausência de reclamações, acreditamos

que se trata de um tipo de produto que o

consumidor tem contato direto e imediato,

ou seja, ele escolhe cada produto e

estes, em sua maioria, são para consu-

mo imediato, não devendo ser

armazenados pelo consumidor

por muito tempo. Além disso,

os fornecedores, em sua maioria,

proporcionam descontos

no preço destes produtos a medida

que suas características

vão sendo alteradas”, comenta

Rodrigo.

Quando perguntamos ao

coordenador do Procon, se é

correto o armazenamento dos

hortifruti em câmaras frigoríficas,

de pronto respondeu: “Se

o produto não está deteriorado

ou que possa causar algum

malefício ao consumidor, o

mesmo pode sim ser armazenado em

câmaras frigoríficas, lembrando porém

que este tipo de produto é para ser consumido

o mais rápido possível”.

De acordo com Rodrigo Martins, o

consumidor pode se socorrer do Procon

caso se sinta lesado, porém, lembra que

este tipo de produto, em regra, é escolhido

diretamente por ele, devendo este

estar atento no momento em que o escolhe.

Caso ocorra tal problema o consumidor

deve, primeiramente, se dirigir ao

estabelecimento onde adquiriu o produto

e tentar uma conversa com o mesmo,

caso não seja possível uma troca, que é

uma cortesia do fornecedor, o consumidor

pode procurar o Procon que irá até o

local para verificar e solicitará também à

Vigilância Sanitária para que possa fazer

o mesmo.

A RCI também perguntou ao coordenador

do Procon se neste período inflacionário

há rigor no acompanhamento

dos preços? Ele respondeu que sim e

em parceria com o Sincomercio

e a Unesp, há divulgação de pesquisa

semanal de produtos da

Cesta Básica, onde o consumidor

pode acompanhar as alterações

dos preços toda semana.

Frutas e legumes são levados para

um freezer ou câmara fria onde

permanecem por até dois dias;

quando retirados para a venda, o

miolo já está comprometido.

Rodrigo Martins, coordenador do Procon

ABRIL / 2016

• TURISMO RURAL - IDENTIDADE E CULTURA

(MÓDULO II)

01/04/2016 até 15/04/2016

04/04/2016 até 18/04/2016

• APLICAÇÃO DE AGROTÓXICOS COM

PULVERIZADOR COSTAL MANUAL

04/04/2016 até 06/04/2016

11/04/2016 até 13/04/2016

• APLICAÇÃO DE AGROTÓXICOS COM

TURBO PULVERIZADOR

05/04/2016 até 07/04/2016

12/04/2016 até 14/04/2016

• OLERICULTURA ORGÂNICA -

COMPOSTAGEM (MÓDULO II)

05/04/2016 até 12/04/2016

• ORGANIZAÇÃO DE VENDAS CONJUNTAS

- SEBRAE

25/04/2016 até 26/04/2016

27/04/2016 até 28/04/2016

• RÉDEAS

18/04/2016 até 22/04/2016

CURSOS

• CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO - SEBRAE

04/04/2016 até 07/04/2016

12/04/2016 até 13/04/2016

• PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO

NO CAMPO - NOÇÕES BÁSICAS

04/04/2016 até 05/04/2016

REALIZAÇÕES:

Coordenador SENAR/SP Araraquara:

Mário Roberto Porto

41


NOTÍCIAS

CANAS

L

EDIÇÃO ABRIL - 2016 | EDITOR: JAIRO FALVO

Programa “do Campo ao Consumidor”

reuniu produtores rurais na Canasol

Atividade recebe elogios pois permite que o agronegócio

regional ganhe novas dimensões e se torne importante

fonte de lucratividade para o produtor rural.

A Canasol sediou no dia 18

de março o Programa “do Campo

ao Consumidor”, iniciativa

do Sebrae-SP e da Faesp, com

apoio da Associação, Senar e

Cati, que busca o desenvolvimento

da agricultura regional

a partir da maior eficiência e

lucratividade nos trabalhos no

campo. O presidente Acácio

Masson Filho, da Associação

dos Fornecedores de Cana da

Região de Bariri, demonstrou

os avanços da entidade com o

desenvolvimento da certificação

em cana-de-açúcar, iniciativa

pioneira no mundo.

Logo após, o engenheiro agrônomo

Francisco Antonio Maruca, profissional

da Cati que desenvolve atividades na

Casa da Agricultura em Cândido Rodrigues,

apontou experiências positivas

com a produção voltada à fruticultura e

oleicultura, a partir de adesão a programas

governamentais.

Além do presidente da Canasol, Luís

Henrique Scabello de Oliveira e demais

diretores, o evento teve a participação

do presidente do Sindicato Rural, Nicolau

de Souza Freitas, do diretor técnico

da Cati Araraquara, Nestor Jamani, do

gerente regional do Sebrae, Daniel Palácio

e dos consultores Luiz Felipe Cavallari

e Isley Gianetti Napolitano Cruz,

entre outras autoridades.

O presidente da Canasol, Luís Henrique

Scabello de Oliveira, ressaltou a

importância do evento e demonstrou a

necessidade dos associados se inspirarem

nas experiências apresentadas

para progredirem na atividade.

Presidente da Canasol, Luís Henrique Scabello

de Oliveira, com o presidente do Sindicato Rural,

Nicolau de Souza Freitas

Gerente regional do Sebrae Araraquara,

Daniel Palácio

A CERTIFICAÇÃO DA CANA

Durante três anos, a Associação dos

Fornecedores de Cana da Região de Bariri

(Assobari), focou os esforços na concepção

de um projeto inovador: o Protocolo

de Qualidade Agro Socioambiental

na Produção de Cana-de-açúcar, criado

a partir de parceria com o Sebrae-SP.

Com mais de trezentos itens, o documento

contempla ações de fomento

voltadas às boas práticas agrícolas,

42

à sustentabilidade

ambiental, segurança

e o bem-estar do

trabalhador rural.

Principal liderança

na idealização e

implantação da iniciativa,

considerada

inovadora no mundo

todo, o presidente

da Assobari, Acácio

Masson Filho, diz

Masson Filho, da Assobari

que ela também tende

a ser necessária em um futuro próximo.

“Os países desenvolvidos somente

firmarão parcerias com quem estiver

certificado, da lavoura até a indústria”.

A Assobari possui 250 associados e

abrange 12 municípios.

Além de trazer um diferencial a partir

da implantação de um sistema de

gestão de qualidade nas propriedades

rurais, o Protocolo propiciou o fortalecimento

dos fornecedores de cana e

melhorias na relação com a indústria.

“Observamos uma redução de custos,

aumento na produção de até 5% em razão

da diminuição das impurezas, bem

como um “plus” de 3% sobre o preço

final da tonelada entregue em virtude

do valor agregado”, ressaltou.

OPORTUNIDADES

Para o engenheiro agrônomo Francisco

Antonio Maruca, profissional da

Cati que atua na Casa da Agricultura no

município de Cândido Rodrigues, os produtores

rurais devem aproveitar nichos

de mercado para progredir na atividade.

Entre as oportunidades apontadas por

ele, destacam-se a fruticultura tropical e

a olericultura. “Existe forte demanda por

esses produtos, fundamentalmente por


causa de programas

governamentais voltados

à agricultura

familiar”, afirmou.

Ele apontou experiência

positiva

feita pela Aprocar

(Associação dos Produtores

Rurais de

Cândido Rodrigues),

a partir de parceria

com a Prefeitura local,

Cati e Sebrae.

“Com a união dos

Antonio Maruca,

da CATI

produtores, foi possível criar uma sinergia

que trouxe resultados para todos”,

exemplificou. Os associados produzem

diferentes tipos de legumes e verduras,

além de frutas como goiaba, abacate,

atemoia, manga, lima e carambola.

Com investimento em tecnologia, a

partir de adesão ao programa Microbacias,

realizado pela Cati em conjunto

com o Banco Mundial, a Aprocar passou

a processar os produtos, uma das

exigência do mercado. De acordo com

o engenheiro agrônomo, a conscientização

dos associados sobre “as boas

práticas agrícolas” foi fundamental

para os avanços. “Eles perceberam que

lucro não está no preço da venda, que

é ditado pelo mercado, mas sim na diminuição

de custos e aumento de produtividade”,

frisou.

LEGALIZAÇÃO

Um ano de muito trabalho

Atual diretoria completa primeiro aniversário à frente das

atividades na Associação.

“Foi um ano de muito trabalho”, resumiu

o presidente Luís Henrique Scabello

de Oliveira, durante a Assembleia

Ordinária no dia 12 de março, se referindo

ao primeiro aniversário de gestão

da atual diretoria. “Mas a gente se sente

muito bem em atuar em prol dos fornecedores

de cana e pelo engrandecimento

de nossa categoria”, completou.

Luís Henrique aponta avanços na

entidade como a conquista de maior

representatividade em esfera nacional

e regional. “Nos aproximamos das discussões

no Congresso Nacional e também

em entidades de classe como a

Feplana e a Orplana”, descreve.

Outro fator de impacto foi a reabertura

do plano de saúde Unimed/Cana-

Diretores fazem ato de comemoração durante assembleia

sol, que estava paralisado há seis anos

em virtude de uma resolução da Agência

Nacional de Saúde (ANS). “Todas as

questões burocráticas foram sanadas

e estamos apenas aguardando a publicação

do registro pelo governo federal

para iniciarmos a emissão das novas

adesões”, explica a vice-presidente Tatiana

Caiano Teixeira Campos Leite.

A nova diretoria também direcionou

esforços na reestruturação das atividades

administrativas, na implementação

de cursos e eventos, no desenvolvimento

da área técnica a partir de criação de

programas e investimento em tecnologias,

bem como no apoio jurídico aos

associados voltado ao recebimento de

crédito com indústrias da região.

ORGULHO PARA A CIDADE

Luís Henrique toma

posse na Feplana

Presidente da Canasol é

primeiro secretário na

entidade.

O presidente Luís Henrique Scabello

de Oliveira, da Canasol, foi empossado em

Brasília no dia 23 de março, como primeiro

secretário da Feplana (Federação dos

Plantadores de Cana do Brasil), que congrega

as associações de fornecedores de

cana do país.

Nova diretoria da Feplana 43

Luís Henrique e o diretor da Canasol, Nicolau

de Souza Freitas, cumprimentam o secretário

de agricultura de São Paulo, Arnaldo Jardim

Alexandre Lima, presidente da União

Nordestina dos Produtores de Cana-de-

Açúcar e da Associação dos Fornecedores

de Cana de Pernambuco foi o escolhido

para liderar a única chapa inscrita no pleito

em substituição a Paulo Leal, que esteve

à frente dos trabalhos desde 2010.

“Foi realizada uma renovação, com

acordo de trabalho conjunto e em harmonia

para a conquista de melhores condições

aos fornecedores de cana”, relata

Luís Henrique, que aponta grande responsabilidade

com o cargo. “É um desafio que

resolvi abraçar com apoio de todos”, disse.

A Orplana (Organização dos Plantadores

de Cana da Região Centro-Sul), outra

importante entidade de classe que reúne

associações do centro-sul do país, também

teve sua diretoria renovada em cerimônia

realizada no dia onze de março. A

vice-presidente da Canasol, Tatiana Caiano

Teixeira Campos Leite, assumiu o cargo

de conselheira fiscal. Atual presidente da

Associcana (Associação dos Plantadores

de Cana da Região de Jaú), Eduardo Vasconcellos

Romão assumiu a Orplana, substituindo

Manoel Carlos de Azevedo Ortolan,

que cumpriu mandato após três anos.


Washington deu a todos o

prazer de uma vida alegre,

marcada por conversas

descontraídas e cheias de

graça. Sorrir era sua marca.

HOMENAGEM

Washington Rosa, paixã

Num domingo de sol, daqueles que

foi inspiração para muitos dos projetos

de um dos mais brilhantes arquitetos

de Araraquara, a notícia correu. Era

6 de março. Vítima de um câncer no

pâncreas descoberto no final do ano,

Washington Ferreira Rosa Júnior partia

fora do combinado, deixando a esposa

Denise, os filhos Marcelo e Mariana e

uma legião de amigos.

Para os colegas de profissão, a assinatura

de Washington Rosa está presente

em importantes obras realizadas

na cidade como Cedeface e Beneficência

Portuguesa, onde foi o responsável

pela ampliação e revitalização do espaço

físico do hospital: “Ele tinha um

reflexo extraordinário, aguçada visão e

nos colocava dentro dos seus projetos”,

relembra Fábio Santiago, antigo presidente

da Beneficência. A obra foi inaugurada

pelo então ministro da Saúde,

José Serra.

Família reunida no último Natal: Marcelo,

Mariana, Washington e Denise

Logo após sua formatura em arquitetura

e urbanismo na Universidade

Braz Cubas, em Mogi das Cruzes,

Washington Rosa por 18 anos permaneceu

em São Paulo, retornando para

44


o pela vida

Foto de Bete Campos, da Revista Comércio & Indústria, feita para o último anúncio publicado

em nossa revista em dezembro: Washington e o filho Marcelo Rosa que segue com a loja

Beneficência Portuguesa, um dos mais

importantes projetos do arquiteto

Araraquara em 1985; no ano seguinte

ele criou a construtora, projetando e realizando

grandes obras. Também mantinha

no prédio em frente à Praça de São Geraldo,

uma loja com pisos e revestimentos.

A partir de 2005, já com a participação

do filho Marcelo, recém formado

em Administração de Empresas e

Comércio Exterior, Washington decidiu

investir em moderna loja na Vila Harmonia,

passando a representar marcas

famosas da construção civil. Hoje o filho

Marcelo, último ano de arquitetura,

está à frente dos negócios administrando

obras e ampliando a fabricação de

lajes, pisos intertravados e acabamentos

cimentícios.

O adeus a Washington Rosa se simboliza

no chamado do Arquiteto Maior,

necessitado talvez, de auxiliares comprometidos

com a reconstrução de um

mundo de inspiração e paz.

45


DECORAÇÃO

COZINHAS

COM ESPELHOS

DECORADOS

A COZINHA É UM CÔMODO

DA RESIDÊNCIA QUE DEVE TER

UM ESPAÇO ADEQUADO PARA

CIRCULAÇÃO, COM UMA BOA

VENTILAÇÃO E ILUMINAÇÃO.

As flores dão um charme ainda

maior ao ambiente

E, tudo isso, deve-se alinhar ao

conforto para oferecer momentos

prazerosos na hora de cozinhar ou

fazer uma refeição mais rápida. Uma

dica incrível para levar em conta na

decoração de sua cozinha e trazer todas

as atribuições acima, é utilizar o

espelho para ampliar e refletir luz em

todo o espaço.

Revestimentos como pastilhas ou

azulejos ficam bem na decoração

Muitas pessoas têm dúvidas em

como usar desse artifício para que a

sujeira e a gordura não fiquem im-

46


pregnadas no espelho. O importante,

nesse caso, é tentar manter o ambiente

limpo. Um dos locais ideais para

instalá-lo é formando uma faixa espelhada

entre a bancada da pia e a parte

abaixo dos armários. Dessa forma,

o espelho reflete o fundo da sala, servindo

de inspiração nesse momento

agradável que é a hora de cozinhar.

Outra opção é utilizar revestimentos

como peças de vidro espelhado que

pode ser encontrado em forma de

pastilhas ou azulejos.

Armários com tampa ou portas espelhadas

também são perfeitos para

decorar sua cozinha de forma elegante,

prática e econômica! Caso prefira

um armário grande, do chão ao teto,

o componente acaba formando um

grande plano espelhado – o que aumenta

ainda mais a sensação de amplitude

na sua cozinha.

Fonte: http://www.decorfacil.com/cozinhas-com-espelhos/

47


PARA OS PETS

UM ESPAÇO ACONCHEGANTE

NA CASA PARA SEU BICHINHO

preocupar com relação a ter um

banheiro dentro de casa. Já para

quem pretende deixar o bicho dentro

da residência, o ideal é separar um

espaço da área de serviço para o

cão ou gato.

O BICHO DE ESTIMAÇÃO É

CONSIDERADO UM MEMBRO

DA FAMÍLIA PARA MUITAS

PESSOAS. PARA ISSO É ESSENCIAL

QUE ELE TENHA UM ESPAÇO

ACONCHEGANTE NA CASA

E QUE A DECORAÇÃO DESSE

CANTINHO INCORPORE COM O

ESTILO DA RESIDÊNCIA.

Inicialmente, é preciso organizar os

três principais locais para seu pet:

espaço de descanso, de refeição e

onde irá fazer suas necessidades.

Essas áreas devem ser em espaços

distintos para que o animal aprenda

a se comportar em cada ambiente.

Quem possui uma área externa

para criar o animal não precisa se

Em relação ao local onde ele irá

comer, o bom é que seja na cozinha

junto com o dono. Então se for

projetar um espaço na sua cozinha

para seu animal, faça de uma forma

a agregar os utensílios do seu bicho

à decoração, construindo um móvel

sob medida para o espaço das

refeições.

A cama do bichinho deve ser um

local bem planejado. O ideal é que

seja em um ambiente extra da casa.

Isso depende do conforto que o dono

dá ao seu animal de estimação, mas

o interessante é ser um cômodo onde

ele fique isolado e tranquilo, como o

home office ou escritório.

Para quem possui gatos, uma

pequena abertura na parede

mantém uma cama confortável sem

comprometer com a decoração do

cômodo. Os gatos adoram subir em

móveis, por isso é legal inserir umas

prateleiras na parede que além de

apoiar livros e objetos, servem como

um espaço para eles brincarem.

Abuse bastante com

os móveis, utilize

prateleiras, móveis

que viram camas,

passagens bem

planejadas e cantinhos

organizados.

Fonte: http://www.decorfacil.

com/ideias-de-decoraca-eespaco-para-os-pets/

48


HOME OFFICE

DECORADOS DE DIFERENTES CORES, MATERIAIS

E TAMANHOS

As pesquisas já vêm confirmando há

anos, que o número de pessoas que

trabalha em casa só deve crescer no

futuro, por isto, quem trabalha ou

pretende trabalhar em casa, deve

investir em um espaço reservado,

calmo e aconchegante para realizar

suas tarefas.

Um home office pode ser instalado

em praticamente qualquer ambiente,

mesmo que você não tenha muito

espaço disponível. O básico:

uma escrivaninha, uma cadeira e

prateleiras.

Não se esqueça de se cercar do

que for mais importante para o

seu trabalho, como lembretes,

livros de referência e materiais

Home office azul marinho com

mesa fixada na parede

necessários para execução das suas

tarefas, depois, foque nos objetos

decorativos.

Home office com parede

grafite e lousa no fundo

Fonte: http://www.decorfacil.com/

home-offices-decorados/

49


ECONOMIA

VANTAGENS

DE COBRIR

A PISCINA

O benefício mais óbvio, é a proteção

contra a sujeira. Ao cobrir a água durante

os períodos em que não a utiliza,

mesmo que apenas durante a noite, irá

protegê-la de toda a sujeira que naturalmente

vai caindo.

Adicionalmente, também irá afastar

“visitantes” indesejados nesses períodos.

Desde animais domésticos e pássaros,

passando também por alguns animais

selvagens (dependendo da localização

da sua casa) e, com maior frequência,

insetos. Nem será necessário lembrar

todas as vantagens sanitárias que esta

proteção terá.

Adicionalmente, esta proteção irá

conservar as propriedades químicas da

água. Ao permanecer coberta,

o tratamento aplicado irá poupar

trabalho e sobretudo, os

custos e reduzir em alguns casos,

pela metade.

Ao mesmo tempo, a cobertura

cria também um efeito estufa

extremamente útil. Ao evitar a

evaporação da água, mantém

também a sua temperatura e, em alguns

casos, pode até mesmo elevá-la. Algumas

coberturas são concebidas para captar

a energia solar e encaminhá-la para a

água, aumentando a sua temperatura até

10ºC! Já pensou como seria ótimo poder

dar um mergulho logo de manhã sem ficar

instantaneamente congelado?

Como consequência, reduzem-se os

custos na reposição de água e dos materiais

de tratamento inerentes a essas perdas,

traduzindo-se em nova poupança

no que toca à manutenção da piscina.

As coberturas existem em várias tipos,

e podem ser feitas sob medida, sem a

preocupação de não encontrar um modelo

que se adapte ao formato da sua

piscina.

Toda esta proteção acaba por ter ainda

mais benefícios quando falamos em

longos períodos de inatividade, como por

exemplo o inverno. Quem já teve que fazer

o trabalho exaustivo de limpeza na

primavera, sabe que este pode ser substancialmente

reduzido!

Por fim, uma das principais vantagens

é a segurança. É fundamental quando

habitam crianças em casa e também de

extrema importância, mesmo que se destine

a proteger “apenas” adultos e animais.

Se tem a piscina no jardim ou em

outro local constantemente frequentado,

a cobertura da piscina constitui um elemento

de segurança contra quedas que

podem evitar autênticas tragédias!

Fonte:http://abcpiscinas.com/artigos/coberturas-para-piscinas-tipos-vantagens

50


Sua oportunidade DE ser

dono * de UM quarto de hotel.

*O direito de propriedade do investidor sobre sua unidade não é pleno, pois esta somente poderá ser utilizada em hospedagens

e sempre com a intermediação da operadora hoteleira, sendo proibido qualquer outro uso, inclusive o residencial.

Por que investir no

ntercity Araraquara?

1.

2.

Intercity. Presença nas 5 regiões

do Brasil e no Uruguai.

31 hotéis | 22 cidades

Hotel de Negócios. Hotel de

categoria Midscale com foco

na demanda corporativa.

3.

4.

Araraquara é uma das cidades

que mais cresce do interior paulista.

14ª posição no IDHM*

Acesso fácil através da Rodovia

Washington Luis e do aeroporto.

Próximo à Unip e ao Shopping Jaraguá.

Fontes: Estudo do Mercado CoHotel realizado em 2015.

Disponível em www.hotelintercityararaquarasp.com.br

*http://www.pnud.org.br/atlas/ranking/Ranking-IDHM-Municipios-2010.aspx

Perspectiva ilustrada da fachada noturna

Perspectiva ilustrada da suíte premium

Perspectiva ilustrada da sala de reunião

Perspectiva ilustrada do fitness

Perspectiva ilustrada do lobby | recepção

Av. Padre Francisco Colturato, 1436 | Antiga Avenida 36 | Araraquara – SP

INCORPORAÇÃO E CONSTRUÇÃO:

ADMINISTRAÇÃO HOTELEIRA:

VENDAS:

16 3301 1020 16 3301 4400 16 3305 6060 16 3331 6522 16 3333 6444 16 2109 0909

A PRESENTE OFERTA FOI DISPENSADA DE REGISTRO PELA CVM. A CVM NÃO GARANTE A VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS PELOS OFERTANTES, NEM JULGA A SUA QUALIDADE OU A DOS CONTRATOS DE INVESTIMENTO

COLETIVO OFERTADOS. ANTES DE ACEITAR A OFERTA, LEIA O ESTUDO DE VIABILIDADE E O PROSPECTO RESUMIDO, EM ESPECIAL A SEÇÃO FATORES DE RISCO NO SITE WWW.HOTELINTERCITYARARAQUARASP.COM.BR

51


INDÚSTRIA

Hyundai-Rotem

inaugura fábrica

Investimentos da empresa

abrem espaço para a

recuperação da história da

cidade, e a possibilidade de

serem criados os chamados

trens intercidades para

aproveitar áreas lindeiras das

antigas estradas de ferro.

DIA DO METALÚRGICO

A alquimia dos metais

Metalurgia designa um conjunto de procedimentos e técnicas

para extração, fabricação, fundição e tratamento dos metais

e suas ligas.

Deputado Roberto Massafera, governador

Geraldo Alckmin, presidente da Hyundai-

Rotem Brasil, Sungha Jun e prefeito Marcelo

Barbieri durante a inauguração

Foi inaugurada dia 30 de março,

em Araraquara, a nova unidade industrial

da Hyundai-Rotem (ligada ao

Grupo Hyundai Motors ), uma das mais

modernas fábricas de trens e composições

ferroviárias do mundo. É a primeira

planta da multinacional sul-coreana

instalada no Brasil, com um investimento

de R$ 100 milhões e estimativa

de geração de 300 novos empregos. O

evento teve a participação do governador

Geraldo Alckmin.

Localizado às margens da Rodovia

Antônio Machado, o complexo tem

capacidade de produção de 200 carros

por ano e já está com sua linha de

montagem ativa. Foi erguido em uma

área total de 150 mil metros quadrados,

sendo 20 mil metros quadrados

de área construída. É a segunda maior

fábrica da Hyundai Rotem no mundo,

que visa atender também a América

Latina. A empresa já está produzindo

30 trens modernos, com oito carros

cada, para a CPTM (Companhia Paulista

de Trens Metropolitanos). A previsão

é de que comecem a circular ainda em

2016.

Desde muito cedo, o

homem aproveitou os metais

para fabricar utensílios,

materiais como o cobre, o

chumbo, o bronze, o ferro, o

ouro e a prata tiveram amplo

uso na antiguidade.

No final do Período Neolítico,

o homem aperfeiçoa

os seus instrumentos através

do uso da metalurgia.

Os artefatos de pedra polida

foram substituídos por

ferramentas de metal, por volta do ano

5000 a.C., inaugurando a chamada Idade

dos Metais.

O domínio da técnica de fundição

dos metais representa um grande avanço

científico alcançado pelos homens

naquele período. O primeiro metal utilizado

pelo homem foi o cobre; posteriormente,

através da fusão do cobre com

o estanho, o homem obteve o bronze.

O processo de desenvolvimento da

metalurgia culminou finalmente com

a utilização do ferro. Porém, sendo o

ferro um metal escasso e mais difícil

52

O avanço da fundição

de ser fundido, só foi obtido por volta

de 1500 a.C. e dominado somente

por alguns povos. Eles aproveitaram o

ferro para a utilização de seus armamentos

afirmando sua superioridade

militar. Vale lembrar que nem todos os

homens dominavam plenamente as

técnicas de fundição; por este motivo,

os instrumentos fabricados de pedra

continuaram predominando em várias

comunidades. Além disso, a prática da

metalurgia não deveria ser realizada

por todos os homens da comunidade.

A complexidade desta atividade exigia

a divisão do trabalho entre

agricultores e artesãos, por

isso somente as comunidades

que produzissem o

excedente de alimentos é

que poderiam organizar tal

divisão de tarefas.

Aço Rei em Araraquara uma das

maiores lojas de ferro e aço em

toda a região


Sede do Sindicato dos Metalúrgicos em Araraquara na Vila Xavier

A greve que durou 27 dias em

Araraquara

Caminhando para completar

53 anos de fundação, o

Sindicato dos Metalúrgicos

é o primeiro no País a se

filiar a uma central sindical

internacional da categoria.

Isso aconteceu em 1983 com

filiação na UIS Metal na Rússia.

Os avanços conquistados pelos trabalhadores

metalúrgicos foram enormes a

partir de 27 de outubro de 1963, quando

surgiu o Sindicato dos Trabalhadores nas

Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de

Materiais Elétricos de Araraquara e Américo

Brasiliense. Na época em assembleia

realizada por um grupo de trabalhadores

metalúrgicos empregados em

oficinas mecânicas de autos e empresas

metalúrgicas do setor de alumínio, liderados

por Renato Mathias, é que se deu a

fundação do sindicato.

Sentiam os trabalhadores a necessidade

de organizar a classe para melhor

amparar os interesses profissionais, lutar

pelos seus direitos e alcançar melhores

salários.

Naqueles tempos a categoria profissional

dos metalúrgicos na cidade era

constituída basicamente por mecânicos

de automóveis empregados em oficinas

mecânicas e concessionárias de veículos

e empresas do setor de alumínio, além

de algumas serralherias, retíficas de motores

e outras pequenas indústrias de

máquinas e de fundição de metais.

Sempre esteve na lembrança do seu

fundador, Renato Mathias, a luta do sindicato

fundado inicialmente como Associação

Profissional dos Trabalhadores

Metalúrgicos de Araraquara, porque a

legislação sindical em vigor na época exigia

que as categorias profissionais e econômicas

para se organizarem dentro da

estrutura sindical brasileira fundassem,

primeiramente, as associações.

O Sindicato dos Metalurgícos de Araraquara

é o primeiro sindicato no Brasil a

filiar-se formalmente a uma central sindical

internacional, contrariando a legislação

vigente naquela época, a qual proibia

esse tipo de filiação por sindicatos brasileiros,

salvo com a autorização expressa

do Estado, através de Decreto Governamental.

Assim, em 1983 filiou-se à

UIS Metal - União Internacional dos

Sindicatos de Trabalhadores Metalúrgicos

com sede em Moscou,

na Rússia. Na história da entidade

consta que a greve mais longa

ocorrida em Araraquara foi na empresa

Gumaco, em 1990, durando

27 dias. O presidente atual é Paulo

Sérgio Frigere.

Lideranças da história metalúrgica em

Araraquara: Francisco Rogério Sabino,

Geraldo Cesar Rampani e Renato

Matias

53


EM ARARAQUARA

Reunião mostra nova tecnologia

para construções de imóveis

Imagine só: construir uma

casa a partir de materiais

como fibra de vidro, resinas

poliméricas, poliisocianurato

e um exclusivo sistema de

soldagem química a frio.

Muito mais rápido e bem mais

barato que as construções

convencionais, a novidade foi

apresentada em Araraquara

pela IT Sistemas Construtivos.

Em reunião no Paço Municipal,

prefeitos da Associação de Prefeitos

da Região Central do Estado junto

com Marcelo Barbieri, conheceram

um sistema inovador de construção

A novidade na construção de habitações está chegando em Araraquara e região

de habitações, apresentado por representantes

da empresa IT Sistemas

Construtivos.

Constituído à base de fibras de vidro

e resina e um engenhoso processo

de soldagem à química fria, “este novo

sistema une rapidez (na construção

das habitações), economia, alta quali-

54


Encontro em Araraquara

para apresenção do projeto

que facilita a construção de

moradias, proporcionando

além de acentuada economia

a rapidez na entrega do

empreendimento

dade e tecnologia de ponta”, conforme

disse o engenheiro João Villar Garcia.

Diretor presidente do Grupo Triunfo,

que junto com o Grupo Inepar forma

a IT Sistemas Construtivos, Garcia

exemplificou que uma casa de 45 metros

quadrados, cujo material é “leve,

acústico e térmico”, pode ser construída

em um prazo máximo de 48 horas.

O diretor do Conselho da Inepar,

Atilano de Oms Sobrinho, enfatizou

que a nova tecnologia da IT Sistemas

Construtivos, com sede em Curitiba, é

a única no mundo no gênero. “É algo

realmente novo em termos de construção

civil”, ressaltou Atilano.

Também participaram do encontro

os prefeitos Antonio Sérgio Trentin

(Santa Lúcia); Osvaldo Rodrigues

(Nova Europa) e Antônio Claudio Falchi

(Cândido Rodrigues), além de representantes

de outras prefeituras.

Vale destacar que a IT Sistemas

Construtivos atua no mercado como

empreendedora, construtora, fornecedora

e parceira de construtoras. Utiliza

com exclusividade no Brasil a tecnologia

Inovatec System, que são painéis

compostos especiais desenvolvidos

para a construção civil, a partir de

materiais como fibra de vidro, resinas

poliméricas, poliisocianurato e um exclusivo

sistema de soldagem química

a frio (inovatec bond).

55


SEU NOME ESTÁ NA RUA

TEXTO: SAMUEL BRASIL BUENO

VICTORINO GONZALEZ Y GONZALEZ

O espanhol que aprendeu a conhecer

a cidade como a palma da sua mão

Nossa cidade sempre

foi pródiga em receber

verdadeiramente de braços

abertos os imigrantes. Assim,

os espanhóis, italianos, os

libaneses e portugueses, além

de outros povos, passaram

a ter uma forte convivência

com a comunidade. A Família

Gonzalez, vinda da Espanha,

não foi exceção. Sua ajuda na

construção de Araraquara foi

imprescindível nos primeiros

anos do século XX.

Victorino perdeu o pai muito cedo, contudo ele

preservou os traços familiares sempre com dignidade

e respeito, o que o tornaram um homem conceituado

O caçula entre os quatro filhos de

Antônio Gonzalez, Victorino, nasceu em

Araraquara em 2 de junho de 1908.

Seus pais vieram da região de Sarrapio,

na Espanha e se conheceram no Brasil.

Ainda criança, aos 2 anos de idade, Victorino

perdeu seu pai, que encontrava-se

doente quando embarcou para a Espanha

em busca de tratamento médico,

vindo a falecer durante a viagem, sendo

sepultado em seu país de origem. Viúva

e com os filhos pequenos, sua mãe,

dona Maria Gonzalez, tempos depois

casou–se em segundas núpcias com

José Palamone Lepre, de cujo matrimônio

nasceram sete filhos.

Sua família tornou-se bastante numerosa,

já que os irmãos

José, Sofia e Cecília somaram-se

aos sete filhos do

segundo casamento de sua

mãe.

Estudou e concluiu sua

formação escolar na antiga

Escola Mackienze de Araraquara.

Desde muito jovem

tinha como hábito escrever

pensamentos, que registrava

em um caderno guardado

com muito carinho pelos

seus familiares.

Victorino, num desses

encontros casuais conheceu

Maria Apparecida Machado

e com ela se casou em

1946; dessa união nasceram

os filhos Maria Cristina

(professora) e Antonio Carlos

(bancário), que hoje residem

em Araraquara. Foi um

pai exemplar, cultivando em

seus filhos, os bons exemplos

da vida, preparando-os

para o futuro.

56

Victorino nos anos 50, segura a mão

do filho Antonio Carlos; ao lado a irmã

Cristina que se tornou professora

Durante sua vida profissional trabalhou

na conhecida Panificadora Palamone,

juntamente com seus irmãos

mais velhos. Mesmo com a aposentadoria,

Victorino continuou na ativa,

trabalhando como corretor de imóveis,

isto para complementar o orçamento

familiar e ajudar na formação dos filhos.

Apaixonado pela política, pela sua

terra natal e região, militou como membro

em diversos partidos políticos. Teve

como companheiro na política o saudoso

deputado estadual e secretário de

Estado, Francisco Scalamandré Sobrinho.

Victorino e Scalamandré Sobrinho

cultivaram profunda amizade desde

a infância. Victorino encaminhou inúmeras

solicitações ao deputado Sca-


Foto extraída de publicações com Victorino ao lado da esposa Maria Apparecida

Machado e os filhos Antonio Carlos e Cristina

lamandré Sobrinho, obtendo diversas

benfeitorias para Araraquara.

Durante sua vida, aprendeu a cultivar

com orgulho grandes amizades na

cidade que ele amou e viveu até o seu

falecimento, ocorrido no dia 2 de março

de 1982. Araraquara perdia um dos

seus filhos ilustres.

Seu nome está na rua através do

Decreto 4624, de 28 de abril de 1982,

que passou a denominar Victorino

Gonzalez Y Gonzalez, a via pública conhecida

por Avenida 02, do Jardim das

Rosas, que começa na Rua José do

Amaral Velosa e termina na Rua “D” do

mesmo loteamento.

Avenida Victorino Gonzalez Y Gonzalez com belas casas

Dois momentos da

Avenida Victorino

Gonzalez y Gonzalez:

em 1982 e 2016, no

Jardim Vale das Rosas,

proximidades da Vila

Velosa

57


Terezinha Zen e Cidinha Luiz à frente,

defendendo a Ferroviária em evento oficial

Sargento Edmilson e o vereador João Ferreira da Silva com o time da Ferroviária nos anos 90,

notando-se a presença de jovens que passaram a aderir a bocha como atividade esportiva

SAUDADES

Anos dourados da bocha na cidade

Um dia as mulheres decidiram

acompanhar seus maridos

que passavam quase o dia

todo jogando bocha. Não é

que elas gostaram e a partir

daí mostraram que poderiam

fazer da bocha seu esporte

predileto. A Ferroviária chegou

a ter quatro canchas para a

prática e o esporte chegou aos

vários clubes da cidade.

A Associação Ferroviária de Esportes

em sua história não só viveu do futebol,

dos tempos áureos da natação ou do

atletismo. Outra modalidade a projetou

no cenário nacional e teve a recompensa

com inúmeras conquistas antes da

sua transformação em sociedade anônima.

A bocha, contam os antigos, também

teve participação marcante durante

muito tempo, sendo a Ferroviária um

orgulho da modalidade em Araraquara.

Curiosamente, lá estavam as mulheres

nas canchas, na maioria das vezes

com os maridos que

também eram bochófilos.

Eles desfilavam

suas habilidades e frequentavam

os principais

locais da cidade,

onde se reuniam, como

O cronista Wilson Luiz, Ely

Paula e Silva, pioneira da

bocha feminina e Raí de

Paula e Silva

58

o Bar Ponto Chic (Vila Xavier), na AVA (Associação

dos Viajantes de Araraquara ),

outrora situada na Rua Gonçalves Dias,

o Bar Laitano, na Rua 9 de Julho, entre

outros.

A Ferroviária ao longo do tempo contou

com uma equipe masculina e feminina,

tanto que fêz história ao conquistar

por duas vezes, o estadual interclubes,

em comemoração ao IV Centenário da

cidade de São Paulo, em 1954 e 1955;

a Bocha tinha como capitão José Zavagli,

o popular Zé Palito.

O radialista Wilson Silveira Luiz, um

dos grandes incentivadores da modalidade,

hoje diz que a bocha é harmoniosa,

pois o ambiente entre os times

é sempre amistoso e de cordialidade.

“Além disso, é uma disputa em que

não há o confronto direto. Raramente

ocorrem entreveros. Notoriamente há

rivalidades, divergências, provocações,

bem como as discordâncias com a arbitragem.

Mas são casos esporádicos. Via

de regra, é uma reunião entre amigos”,

destaca.


Sobre como eram as canchas, Wilson

Luiz enfatiza o aprimoramento do

piso das canchas, que era feito de areia,

asfalto, saibro e até mesmo de carpete.

“Tecnicamente, antes do piso sintético,

os atletas tinham dificuldades para desenvolverem

seu jogo. Era necessária

astúcia. O talento segue prevalecendo,

contudo, através dos tempos, houve melhorias

estruturais, como a questão da

higiene nas canchas, o visual, a iluminação,

bem como os vários tipos de placar

eletrônico”.

Na Ferroviária as mulheres também

optaram em jogar bocha, tornando-a seu

esporte favorito, tanto que elas formaram

um time nas décadas de 50 e 90, já que

no início desta década, a Ferroviária chegou

a possuir mais de 5 mil associados.

Time da Ferroviária,

campeão paulista em

1954, ao disputar torneio

organizado pelo jornal

A Gazeta Esportiva,

estando na foto o saudoso

Roque José Hage (terno

preto central), que foi

correspondente do jornal

em Araraquara durante

muitos anos

“Uma boa parte queria desfrutar dos quatro

campos de bocha que estavam instalados

onde hoje são os vestiários dos times

da casa e do visitante”, lembra Wilson.

No dia 1º de maio de 1992, o narrador

esportivo Wilson Luiz, ao lado do doutor

Ildeu Wolfarth e com outros adeptos

da modalidade, fundaram a LIBA (Liga

Bochófila de Araraquara). Por sempre divulgar

a bocha nos programas esportivos

de rádio, como homenagem ao jornalista,

nos feriados do dia 1º de maio, começou

a ser disputado o Torneio Wilson

Silveira Luiz, nas dependências da SAC

(Sociedade Amiga do Carmo). A iniciativa

dos festejos partiu de Antônio Fernando

Silvestre, presidente da entidade.

No início da década de 90, Wilson Luiz

lembra que Araraquara possuía bons joga-

dores, mas todos lamentavam a ausência

de uma entidade que pudesse organizar e

fortalecer a modalidade. Foi essa uma das

razões para a criação da LIBA, onde ele foi

presidente de 1992 até 2012.

O discernimento da bocha na cidade

foi acontecendo e diversos clubes adotaram

o esporte, como o Melusa, Clube

Araraquarense e o 22 de Agosto. “Tempos

depois, no Clube Náutico Araraquara,

ocorreu pela primeira vez o Campeonato

Estadual Feminino, com a direção

da Liga Estadual. Importante ressaltar

que Araraquara se tornou tetracampeã

paulista. Foram dois títulos conquistados

pelo Clube Náutico e dois pelo Melusa

Clube”, conta o locutor.

O time de bocha da Ferroviária durou

até o início dos anos 60, disputando torneios

fora da cidade. A prática dentro da

instituição foi até 2007, antes do estádio

ser fechado para sua transformação em

arena, perdendo de vez as boas e velhas

canchas de bocha. Hoje a bocha está concentrada

nos clubes sociais e em poucos

bares da cidade; até mesmo o charme

das mulheres jogando deixou de existir.

59


COLUNA

ESPORTE É AVENTURA

Alongamento para

Corredores

Alongar é uma necessidade para os

atletas. Mas é melhor antes, depois do

exercício físico ou nesses dois momentos?

O treinamento da flexibilidade para

corredores ainda é um tema que envolve

alguns mitos e suas questões não

são 100% conclusivas, principalmente

quando se trata de desempenho e prevenção

de lesão. Porém, quando falamos

de corrida como ferramenta para

ser saudável, especialistas apontam

para um caminho que todo programa

de exercícios, independentemente de

seus objetivos ou modalidade, deve incluir:

o alongamento.

O alongamento é necessário e pode

prevenir lesões, caso promova a melhora

da flexibilidade.

O atleta pode fazer um alongamento

antes e depois da corrida, mas com

ressalvas. Para o pré-exercício é mais indicado

o alongamento em movimento,

ou alongamento dinâmico, preparando

o corpo para a atividade.

Recomendo exercícios de alongamento

em movimento e explorando

a amplitude articular do segmento ao

máximo em deslocamento frontal. Além

disso, existe também o famoso trote de

aquecimento com piques de 50 metros

como forma de finalizar o aquecimento.

Um estudo da Universidade de Zagreb,

na Croácia, determinou que alongar

antes do exercício relaxa músculos

e tendões, o que diminui a potência durante

a atividade física.

Esse tema, de fato, é bastante controvertido.

O próprio Colégio Americano

de Ciências do Esporte (ACSM) chegou

a publicar uma recomendação na oitava

edição de seu “Guidelines”, editado em

2010, recomendando a supressão de

exercícios de alongamento estático antes

da realização de exercícios onde força e

potência fossem requisitos necessários.

A preocupação seria exatamente evitar

a redução da potência muscular como

consequência do alongamento realizado

antes da atividade.

Por muito tempo, o alongamento

foi visto como a 60 solução para todos os

Carlinhos Tavares

Absolute Fit | 16 3114.8664

problemas dos atletas e algo essencial

antes do início de qualquer atividade

física. Atualmente, a ciência vem mostrando

que isso não é totalmente verdade.

Também existe controvérsia quanto

à eficácia do alongamento para prevenir

as lesões. Alguns trabalhos científicos

não constataram redução na incidência

de lesões como resultado da prática de

alongar. Por outro lado, também existem

estudos que podem comprovar o

benefício do alongamento para a redução

delas.

O benefício do alongamento decorre

de seu efeito a médio e longo prazo e

não de um efeito imediato por alongar

logo antes da prática do exercício.

Se você optar pelo alongamento

estático como aquecimento de um determinado

grupo muscular, este deve

ter a duração mínima de 15 segundos

e a duração máxima de 45 segundos.

Menos do que 15 segundos não trará

efeito e mais do que 45 segundos, pode

prejudicar o desempenho muscular em

atividades realizadas imediatamente

após seu alongamento.

Ainda em meio a tanta controvérsia,

falando em benefícios para aquecimento,

fico com os exercícios dinâmicos, e

quando a busca for em ganhos de flexibilidade

mais expressivos, sessões de

treinos específicos de flexibilidade orientadas

por um profissional. Estes ganhos

mais consistentes a médio longo prazo

poderão deixar o seu corpo mais apto

às atividades, prevenindo lesões.

Para saber mais, como dicas de

treino, etc., curta nossa página no Facebook

(www.facebook.com/absolutefit).

Neste canal, você leitor poderá interagir,

compartilhar fotos e fazer perguntas.


Rogério Margonar, mestre

e doutor em Periodontia

ODONTOLOGIA

Prótese ou

implante?

Novas técnicas e métodos

sofisticados são utilizados na

realização de procedimentos

que permitem a reparação

dentária dando às pessoas

o prazer de sorrir.

Com o passar dos anos, os seus

dentes começam a ficar desgastados.

Isso, certamente, levará um tempo

para acontecer. Há também a possibilidade

de ocorrer aqueles esbarrões que

podem ocasionar algum dano em sua

arcada dentária, chegando

ao ponto de se

fazer uma cirurgia,

com a opção de uso

da prótese dentária

ou implante.

Cada caso pede

uma técnica diferente,

comenta o professor

e doutor Rogério

Margonar, pois

a saúde geral e da boca precisam ser

levadas em consideração para seguir

com o tratamento ideal. As próteses, por

exemplo, são recomendadas para quem

perdeu um ou mais dentes. Os que restaram

poderão servir como pilar para o

uso da prótese. Já o implante, pode até

substituir toda a arcada perdida utilizando

a técnica que consiste em colocar um

pino dentro do osso e, em cima dele, colocar

o dente artificial.

Arcada para procedimentos

Rogério Margonar alerta para o uso

devido tanto da prótese como do implante.

“Há casos em que o paciente,

por causa do tecido ósseo, no implante

recorre ao uso de um parafuso de titânio

para a prótese de cerâmica ou de

metalocerâmica e metaloplástica para

fazer a substituição do dente”.

Segundo o profissional, um dos dentes

que mais sofrem são os molares.

Por ser um dente primário, que é usado

para triturar os alimentos, o histórico

de cáries está presente desde a fase de

crescimento. “Também existe a possibilidade

de trauma em um choque durante

uma partida de futebol, por exemplo.

Pode acabar sobrando uma cotovelada

ou até mesmo quando o skatista cai.

Para que este tipo de lesão não aconteça,

é sempre indicado o uso do protetor

bucal, impedindo algo muito mais

grave”.

Margonar aconselha o uso de implantes

em pacientes que realmente

necessitam do procedimento cirúrgico.

“Hoje, os artistas utilizam este artifício

para terem os dentes mais bonitos e

brancos. Quando se tem problema em

um dente, eles acabam optando em

deixar todos da mesma maneira através

de um desgaste, para que fiquem

iguais. Mas, isso pode trazer problemas

biológicos futuramente”.

Segundo a Academia

Americana de

Osseointegração e de

Implantologia Oral,

em 87% dos casos durante

o procedimento

cirúrgico, o paciente

não sente dores. O

processo terá de ser

controlado por antibiótico e anti-inflamatório.

Todo paciente deve buscar atendimento

profissional da sua confiança

para não correr certos riscos durante

o procedimento, uma vez que existem

contraindicações para pacientes que

apresentam alterações metabólicas

não compensadas, como a diabetes,

alterações sanguíneas e doenças periodontais.

61


VIDA SOCIAL por Maribel Santos

Personalidade VIP com Maria Rita

Aos trinta e oito anos, Maria Rita Camargo Mariano esbanja talento, simpatia, beleza e domina

o palco com maestria. Iniciou profissionalmente sua carreira aos 24 anos. A filha de Elis Regina

e César Camargo Mariano já ganhou onze prêmios Grammy Latino, incluindo de Melhor Artista

Revelação (única brasileira na história a conseguir vencer essa categoria), já vendeu milhões de

CD’s e DVD’s, no Brasil e no mundo todo, e é considerada uma das maiores vozes da atualidade.

Maria Rita nos brindou com seu talento apresentando o show “O Samba da Maria” no dia 10

de março no Sesc Araraquara. E que noite maravilhosa e inesquecível, para os que tiveram o

privilégio de poder conferir um momento tão especial. Ela encanta, canta, e contagia o público

com sua energia, sorriso e carisma. No repertório sucessos de Zeca Pagodinho e Arlindo Cruz,

como “Gira, Girou”, “Alto Lá” e “Coração em Desalinho” entre outras. Um dos momentos mais

bonitos do show é a homenagem que a cantora faz a algumas vozes femininas do samba.

Cantou músicas de Adriana Calcanhoto, Beth Carvalho, sua mãe Elis Regina e Alcione,

considerada por ela a maior cantora do Brasil atualmente. Entre as canções escolhidas para

as homenagens estão “Beijo Sem”, “Tradição (Vai Vai)”, “Saudosa Maloca” e “Não Deixe o

Samba Morrer”. A apresentação foi enriquecida com a composição inédita, “Cutuca”, parceria

do marido Davi Moraes, Fred Camacho e Marcelinho Moreira. É impossível não se emocionar

ao ouvir “Saudosa Maloca”... E eu ali bem pertinho do palco, parei de fotografar e fechei os

olhos, e por alguns segundos, era a voz de Elis que eu ouvia, e as lágrimas brotaram. E como

tudo que é bom, sempre fica um gostinho de quero mais...

62


Premiação especial

O prêmio “Mulheres que fazem história em Araraquara”, é realizado pelo Fundo

Social de Solidariedade em parceria com a Coordenadoria Executiva de Políticas

Públicas para as Mulheres, e o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher. A terceira

edição ocorreu no dia 17 de março no Centro Internacional de Convenção Dr.

Nelson Barbieri. As homenageadas foram: Adélia Arnosti, Angela A. Costa, Catarina

S. Oliveira, Elaine S. Massucato, Euzânia Andrade, Leonice B. Piovani, Michele

Assalve e Shirlei A. de Oliveira escolhidas como mulheres de destaque para receber

a premiação em 2016. Um vídeo foi produzido com o apoio da Câmara Municipal

relatando, por meio de fotos, as trajetórias de vidas das premiadas.

Elaine M. Sgavioli Massucato

Formada pela Faculdade de Odontologia

de Bauru-USP. Em 1998, prestou concurso

para professora assistente na Faculdade de

Odontologia UNESP de Araraquara e desde

então, faz parte do quadro de docentes

da instituição. Atualmente é diretora eleita

da Faculdade de Odontologia UNESP de

Araraquara, onde foi vice-diretora. A posse

do novo cargo ocorreu no dia 22 de março

Angela Aparecida Costa

Chefe de enfermagem do

Serviço Especial de Saúde

da Faculdade de Saúde

Pública da Universidade de

São Paulo (Sesa/FSP USP)

e professora do Centro

Universitário de Araraquara

Michele Assalve

Em 2008, reuniu amigos

e familiares para fundar a

Associação para Mulheres

Bebê a Bordo. Desde

então, já foram atendidas

mais de duas mil pessoas,

entre mulheres grávidas e

seus familiares.

Leonice Borges Piovani

A professora do Estado foi uma

das primeiras matriculadas

na primeira escola de balé da

cidade, a Escola de Ballet Mímica

de Araraquara e logo se tornou

assistente na unidade, começando

a dar aulas. Seu grande sonho

era ter sua própria escola e, em

1978, fundou a Art Dance.

Catarina Silva Oliveira

Nasceu em São Francisco de Sales (MG) e em 1976 a

família se mudou para Araraquara, onde inaugurou a

loja A Boa Compra, que se expandiu e teve duas filiais:

uma em Jaú e outra em Frutal, com o nome de Catarina

Magazine. A empresária é esposa e sócia de Edes Dalmo

de Oliveira e juntos são sinônimos de empreendedorismo

e sucesso

Adélia Arnosti

A empresária nascida em Limeira,

mudou-se para Araraquara em

1955 com seu esposo Natal

Arnosti. Assumiu os negócios

da família em1977 com o

falecimento de Natal Arnosti,

que fundou a empresa no final

da década de 50. Natal deu

os primeiros passos no ramo de

transportes ao adquirir veículos

para transportar combustíveis

para a Companhia Brasileira

de Petróleo Ipiranga

Shirley Aparecida de Oliveira

Conhecida como Ney, é natural

de Itápolis. Dedica-se a trabalhos

voluntários desde os sete anos de

idade, quando passou a ajudar seu

pai a montar cestas básicas para

serem entregues aos necessitados.

Trabalhou como voluntária em

diversas instituições, como Associação

Beneficente Carol Peixoto Ribeiro,

Comitê Ação da Cidadania, Rotary,

Lar Juvenil e Fundo Social de

Solidariedade

63

Graduada em três cursos superiores:

Comunicação Visual, Licenciatura Plena

em Desenho e Plástica e Licenciatura

em Educação Artística pela Faculdade

de Artes da Universidade Federal de

Uberlândia. Em Araraquara, fez mestrado

e doutorado em Educação Escolar pela

FCLAr da UNESP. Foi conselheira da

Fundart (Fundação de Arte e Cultura

de Araraquara) durante o governo do

prefeito Clodoaldo Medina e secretária

municipal da Cultura de Araraquara de

janeiro de 2009 a dezembro de 2012,

e presidente da Fundart de agosto de

2011 a dezembro de 2012, na primeira

gestão do prefeito Marcelo Barbieri

Euzânia Andrade


Prêmio Mulheres que Fazem a História

Verenice Munhoz Lazdan e Ernesto Lia

prestigiaram a premiação

Renato Andrade e Raíza Andrade após a

entrega do prêmio

O casal José Janone e Jane também

marcou presença no evento

Olhares e Memórias no Arte 220

Fotografias de Marilda Souza, telas de Edna de

Araraquara, obras de Euzania Andrade e desenhos

de Zuzu Batista, foram expostos no Arte 220 Espaço

Criativo

A fotógrafa Marilda Souza, com a filha

Camila Souza e a artista plástica Edna de

Araraquara

O artista plástico

Carlos Rezende

prestigiou a abertura

da mostra

Darcy Dantas e Rita Barbosa conferindo a belíssima exposição

64


65


CASA DE REPOUSO LYDIA

A Casa de Repouso Lydia comemorou no dia 27 de fevereiro, 15 anos de fundação, com uma recepção nas

dependências da Unidade 1. Com a presença dos moradores, seus familiares e convidados, o evento teve a

animação do cantor Marcos Delapina, e apresentação da dançaria de dança do ventre, Priscila Ferreira, que

encantou a todos, além de um delicioso bolo. Foi um evento marcado pela alegria e atenção de todos que

se empenharam em deixar registrado esse momento da Casa Lydia.

Luan, Neidiani,

Natália, Patrícia,

Bruna, Camila,

Suelen, Adriana,

Leoneyde, Tatiane

e Guiomar em

momento de

descontração

na festa

Moradores e Convidados

Luan Scalon, Natália

Gibelli, Suelen Neves,

Lucas Scalon e Silvio

Scalon no comando da

Casa de Repouso Lydia

Tatiane Brandi,

Guiomar, Regina,

Tatiane, Deise, Isabela

e Neusa fazem parte da

equipe de enfermeiras e

cuidadoras

Araraquara recebe nova clínica

Dra. Cristiane Romani Pedro Antonio,

Dra. Vânia C. Martins Chinen e Dr. Carlos

A. Churukiti Chinen estão à frente da recém

inaugurada Clínica Espanha de Odontologia.

São profissionais conceituados, investindo

em uma cidade que tem enorme tradição

odontológica.

Parabéns e muito sucesso nesta jornada.

66


Viver Empresas

O IBIS CHEGOU

Apresentação do Ibis Hotel em

março foi marcada pela presença

de ilustres convidados.

Pedro Lia Tedde, César Munhoz e Jorge Luís Piva

Empresário Omar

Fernandes Júnior, da Luma

Jornalista José Carlos Magdalena

e Virgilio Abranches Quintão, do

Grupo Montoro de Comunicação e o

coordenador de Mobilidade Urbana,

Coca Ferraz

Renato Haddad (presidente da ACIA e secretário de

Cultura), André Maria (Ibis), Aluisio Braz (secretário

de Governo) e Jeferson Yachuda (vereador)

Renato Celestino, investindo

no empreendimento hoteleiro

Humberto Perez (Revista

Comércio & Indústria),

Thiago (Jovem Pan), Virgílio

Abranches Quintão (Grupo

Montoro de Comunicação) e

André Giron (EPTV)

Júlio César Silva e Rosana na noite de

apresentação do Ibis

Presidente do SinHoRes, sindicato

que defende os interesses dos

proprietários de hotéis, bares,

restaurantes e similares em

Araraquara, José Carlos Pascoal

Cardozo, compareceu ao

acontecimento acompanhado da

filha Najla. Cardozo não esconde

sua euforia em torno da chegada de

empreendimentos deste porte, pois

segundo ele, é uma demonstração

de que Araraquara vive um período

de desenvolvimento. “O setor

de hospedagem e alimentação

agradece”, completa o dirigente.

67


ANIVERSÁRIOS

ABRIL/2016

A diretoria da ACIA cumprimenta todos os aniversariantes

DATA NOME EMPRESA DATA NOME EMPRESA

01/04

01/04

01/04

01/04

01/04

02/04

02/04

03/04

03/04

03/04

04/04

04/04

04/04

05/04

06/04

06/04

06/04

07/04

07/04

07/04

07/04

07/04

08/04

09/04

09/04

09/04

10/04

10/04

10/04

11/04

11/04

11/04

11/04

11/04

12/04

12/04

12/04

12/04

Devair Cesar Moura

Daniele Infante Piva Demarzo

Giovanni Sardisco

Sueli de Campos Nozela

Maria Silvia Antoniolli Olhe

Lúcia Helena Alves Portero

Lúcia Helena Alves Spinello

Sônia F. B. R. dos Santos

José Orlando de Souza

Maria Santelle Michetti

Sérgio Ricardo Silveira Lima

Marcos Antônio Freitas

Renato Talel Haddad

Nelvio de Vito

Elane B. Gonçalves Barcha

Paulo Sérgio Sgobbi

Patrícia Andréia M. de Almeida

Luis Augusto Salada Toscano

Edgar de Oliveira Valente

Luís Eduardo Lauand Carácio

Marco Aurélio Schiavon

Eduardo Chade

Thiago Ferraz Bianchi

Maria Ignez Giraldi

Francisco Benedito

Paulo Fernando Mastreani

Anderson Fernando Pinheiro

José Roberto Trevizo

Antônio Deliza Neto

Renato Mazzini Lopes

Celso Pascoal Constâncio

Marina Murad Escalon

Evandro Luís Piccart

Domingos Stuchi Júnior

Francisca Zenaide C. Barbieri

José Carlos P. da Camara

Dorival Delbon Filho

Roberto Montoro

S.G.A

Mercadão dos Óculos

Giovanni Imóveis

Su Lingerie

Maq Mil Olivetti

Casa Nobre

Lioh Vesty

Sônia Batista Modas e Acessórios

Sachs

Hotel Uirapuru

Água Expressa, Gelo & Carvão

Pontual

Somzão Acessórios

Nelvio Tintas “A Loja do Pintor”

Cemitério Parque Ressureição

Atividade Planejamento Empresarial

Ideal Elevadores

Imobiliária Toscano

Vent-Luz

Porto Criativo Propaganda

Escritório São Paulo

Caldeirão

Bianchi Serviços

Petrus

Bar e Mercearia Bruce Lee

Paulo Fernando Mastreani

Scala Auto Peças e Mecânica

Lanchonete Kanto A

Pipocopos

Lina Buffet

Aratripas

Gordon Motos

Óticas Carol

Stuchi Imóveis

Rimaco

Fertyara

Style Magazine

Cultura Fm | Morada do Sol

13/04

13/04

13/04

14/04

14/04

14/04

14/04

14/04

15/04

15/04

16/04

17/04

17/04

17/04

17/04

17/04

17/04

18/04

18/04

18/04

19/04

20/04

21/04

22/04

22/04

23/04

23/04

24/04

24/04

25/04

25/04

26/04

26/04

27/04

28/04

28/04

30/04

Rosislaine das Neves

João Euclides Vincheski

Rita de Cássia Leôncio Prada

Eleonora de Lima Peres

Roberto Franchin D. de Souza

Júlio Fernando Pascoal Basso

Heli Ribeiro de Carvalho Neto

Valmir da Silva Moreira

Luiz Arnaldo Haddad

Onivaldo Leal das Neves

Vera Lúcia da Silva

Silvia Renata P. Caracho

Genésio Ferreira Luiz

Vânia Jurgac Cussão Novaes

Vilneide Ap. Martinelli Coelho

Mário Arrighi Filho

Carlos C. da Cunha Lapena

Ilda Marasca

Carlos Alberto Mendonça

Tânia Rosas Nascimento

Sérgio E. Martins Santos Jr.

Maria Teresa Smirne

Maria Aparecida Astorino

Roberto Luiz Maziero

Lúcia Helena Gobbi Fanelli

Omar Lopes Fernandes

Berenice Buso Spir

Ademar Ramos da Silva

Cleber Rodrigo Poiana

José Antônio Azevedo

Fábio Henrique Savio

Antônio Leite

Ademir Trizolio

Pedro Augusto Lia Tedde

Carlos Alberto M. Junior

Edmar Luis Rossi

José Laerte Bonetti Júnior

Cravo & Canela Roupas e Acessórios

Empório São João

Wagner Auto Peças

Docinho

Tend Ler | Brasil Escolar | RF

Esc. Zanella de Contab. | Basso Imóveis

Carvalho e Benedecte

TV Circulando

Chalu Imoveis

Leal Ambrósio Comércio

Potier Noivas - Atelier de Alta Costura

Art e Acessórios

Mecânica Genésio

Di Paula Móveis

Casa Agropecuária Martins Coelho

Auto Eletro 5 M

Auto Eletro Carlão

Marasca Auto Peças

Med Park Estacionamento

Safebox

Leia Tour

Teresa Smirne

Telemax Telefonia

RM Materiais para Construção

Papelaria.com

Luma Cardans & Balanceamentos

Odonto Company

Alumínio Ramos

3Ti Software

Arti Malhas

Savio Madeiras

Leite Seguros

Fama Transportes

Imobiliária Tedde | Construtora Tedde

Magdalena Imóveis

J.Mahfuz

CQI

Estamos colaborando

na construção de uma

grande cidade

IESACRED

Cooperativa de Crédito

68


VITRINE

O empresário Carlos Eustáquio Rebello Barros

aproveitou março para festejar mais um ano de

vida em companhia das amizades mais chegadas

Marquinhos Volpe e Nalini, dois

nomes de destaque no cenário

artístico da cidade, merecedores

do nosso respeito e carinho. A

noite musical da cidade passa

por eles.

Jairo Garofalo, nosso estimado Tiririca,

esbanjando vitalidade com a netinha

Marina na comemoração de mais um

aniversário

Kim, que assina Henrique Borsari

Neto e sua esposa, a empresária

Marlene Porsani, diretora da

Associação Comercial. Casal com

participação ativa na vida social da

cidade.

Amor eterno é o que se vê escrito

na história de Ramiro Corrêa e sua

adorável esposa Lucy; ele é um dos mais

brilhantes profissionais da Medicina que

Araraquara tem na conta.

Família Zenatti no lançamento do Ibis

em Araraquara: Rafael, Lêda e Edno

Jacqueline e José Zanetti

A advogada Lenita Mara Gentil Fernandes esteve

no Rotary Club Araraquara, proferindo palestra por

conta do Dia Internacional das Mulheres e recebeu

em agradecimento do presidente da entidade,

Fábio Luiz Alcedo, um certificado de participação

O artista plástico Marcelo Miura

presenteou Simone Canuto Bergamim,

com uma tela pintada por ele, na abertura

da exposição na Pizzeria O Italiano em

homenagem as mulheres

69

Raquel Angelo, Ivana

Generoso, Ligia Ruiz,

Larissa Valila e Sheila

Lazdan comemorando

o Dia Internacional da

Mulher


Luís Carlos

Vou pescar

BEDRAN

Sociólogo e articulista da Revista

Comércio & Indústria de Araraquara

Impossível jogar com a probabilidade

de se prever, nem que for por

apenas algumas horas, os fatos políticos

que se sucedem a todo instante

em nosso país, pelo menos desde a

reeleição da presidente da República,

tamanha a rapidez da sua ocorrência

e que são acompanhados das mais

esdrúxulas surpresas que invariavelmente

sempre resvalam para o plano

policial.

E como não se pode negar que o

assunto político-policial é o que está

me-xendo com todos os brasileiros

(além, claro, da crise econômica e

ética), até que gostaria de dizer alguma

coisa sobre isso; no entanto,

qualquer opinião a esse respeito no

momento em que escrevo esta crônica

— porque a revista tem prazo

certo e fatal para ser publicada —, já

pode ser considerada ultrapassada, a

não ser que ela se restrinja às vagas

generalizações que podem caber em

qualquer lugar, em qualquer tempo.

Como não é este o caso e como

me obrigo a escrever com uma até

excessiva distância do dia da publicação,

pois fui compelido pelos amigos

a verificar in loco, depois de tantas

enchentes, como estarão os rios e,

principalmente, os peixes, é que escrevo

esta crônica, antes mesmo de ir

conferir esses dados, o que demandará

alguns dias. Um sacrifício!

Por quê? Porque os pescadores

que costumam fugir da cidade, pelo

menos os metidos a escrever, não

desconhecem — o que foi provado

e comprovado noutras ocasiões —

que quando retornam aos seus lares

sentem-se completamente vazios

de ideias (desde que os celulares

fiquem desligados, não se assista TV

e sem leitura de jornais) e então, até

engrená-las, pô-las em ordem, não

apenas demandará um tempo precioso,

como também não se terá certeza

alguma de que sairá algo de interessante

para o leitor.

Então, já que é assim, vou dizer

um pouco sobre alguns livros que estou

lendo. O primeiro é o de Elias Canetti,

prêmio Nobel de Literatura, que

fala do filósofo chinês Confúcio (541

a.C. – 479 a.C.) em seus ensaios,

Consciência das Palavras.

Assim Confúcio, nas palavras de

Canetti, diz que tem aversão à eloquência

porque as palavras, pelo seu

uso constante e fácil, perdem seu valor.

“A hesitação, a reflexão, o tempo

que precede a palavra são tudo; mas

também o que a sucede e que o poder

jamais é para ele um fim em si, mas

“E como não se pode negar que o assunto

político-policial é o que está mexendo com

todos os brasileiros (além, claro, da crise

econômica e ética), até que gostaria de dizer

alguma coisa sobre isso...”

antes uma tarefa, a responsabilidade

perante o coletivo”.

“E que sua felicidade, que jamais

tem fim, é o aprendizado, seu interesse

por tudo que é antigo e relacionado

com o humano e voltado para a

ordem da vida”. O ser humano pode

tudo, mas Confúcio não admite que

ele seja explorado, que seja uma ferramenta

de ou-trem, pois não se deve

agir por cálculo. “O homem exemplar

continua sendo aquele que não age

por cálculo”.

O filósofo não se interessa pela

natureza do poder. E diz Canetti que

aqueles pensadores que se interessam

por ele, não somente o aprovam,

como “se comprazem em servi-lo

como conselheiros” e, evidentemente

procuram levar vantagem disso.

70

Elias Canetti escreve

sobre o chinês Confúcio

Jornalista

Andrzej

Szczypiorski

Outra obra interessante é a do jornalista

polonês Andrzej Szczypiorski

(1924-2000) que viveu em Varsóvia

durante a Segunda Grande Guerra

e chegou a ser preso num campo

de concentração nazista. Nas palavras

de uma das personagens de seu

livro, A bela senhora Seidenman, diz

que “(...) a vida é apenas o que passou.

Não há outra vida a não ser a

recordação, pois o futuro inexiste. A

vida é o que foi cumprido, o que lembramos

que aconteceu e passou para

deixar uma recordação. A vida não

pode ser o futuro, porque

no futuro eu não existo.

A minha vida é apenas o

que já aconteceu — mais

nada! Então pensar na

vida é pensar no passado

gravado na memória, e

cada instante é passado.

Além da memória, nada

existe”.

Voltando a Confúcio. Ele se recusa

a responder perguntas sobre a morte.

É o que diz: “Se ainda não se conhece

a vida, como se poderia conhecer a

morte?”. E fala que todo valor tem de

ser dado à própria vida e, portanto, seria

pura perda de tempo ficar a pensar

na morte. “Vida e morte não são intercambiáveis,

não são comparáveis, não

se misturam. Permanecem distintas”.

Um diz que vida é o que já se passou;

outro, que não se conhece a vida

e muito menos a morte. É por essas e

outras que vou pescar para depois retornar,

mas zerado de tanto imbróglio.

Espero que, se e quando voltar, porque

o País está muito confuso, já tenhamos

algumas mudanças neste governo, se

porventura ainda existir.


Novo complexo da São Francisco

Saúde oferece proteção 24 horas

aos beneficiários de Araraquara.

Responsável técnico: Dr. José Carlos Lucheti Barcelos CRM nº 81.223

ANS - Nº 30209-1

O Pronto-Atendimento construído pela São Francisco Saúde já

está à disposição dos beneficiários do plano e vem reforçar a rede

própria local, que já conta com uma clínica para consultas eletivas

em mais de 20 especialidades médicas. Em amplas instalações,

de quase 1.000m 2 de área e modernos equipamentos, o Pronto-

Atendimento oferece estrutura e equipe médica à disposição

24 horas por dia, inclusive finais de semana e feriados. O novo

prédio conta com salas de recepção, emergência, curativos,

procedimentos, imobilização gessada, observação masculina,

feminina e infantil, medicação, inalação, Raio-X, laboratório,

infraestrutura de suporte e consultórios médicos.

saúde

Unidade de Pronto-Atendimento de Araraquara:

Rua 9 de Julho, nº 5 - Centro (Via Expressa)

71

0800 777 90 70

saofrancisco.com.br


72

More magazines by this user
Similar magazines