13.07.2021 Views

Transporte.Log_Edição 102

You also want an ePaper? Increase the reach of your titles

YUMPU automatically turns print PDFs into web optimized ePapers that Google loves.

Informativo do SISTEMA FETRANSPORTES e SEST SENAT-ES

Edição nº 102 • Junho | Julho 2021

Encurtando caminhos,

levando informação,

bem-estar e saúde

Por meio do Transportando Saúde nas Cidades, que acontece

no próprio local de trabalho dos profissionais do transporte, o

Sest Senat foca em saúde, trânsito seguro e na conscientização

Para muita gente, “parece que foi ontem”,

com diz o ditado. Mas a verdade é

que quatro anos já se passaram desde que

o Sest Senat lançou seu projeto Transportando

Saúde nas Cidades, focado na saúde

do trabalhador do transporte, mas com um

diferencial: ele acontece no próprio local

de trabalho, o que favorece a logística

do profissional. Em outras palavras, com

o Transportando Saúde só não se cuida

quem não quer!

Os atendimentos acontecem em pontos

de táxi, postos de combustíveis, terminais

rodoviários e garagens de empresas, e

aqui no Espírito Santo a edição 2021 já

está na rua! Quem deu o pontapé inicial à

programação foi o Sest Senat de Cariacica,

que de 15 a 17 de junho deu uma atenção

toda especial a taxistas do município, com

orientações de saúde nas especialidades

de Nutrição, Odontologia e Fisioterapia.

A programação dos dias 15 e 16 foi

realizada em parceria com a prefeitura,

por meio da Secretaria Municipal de Defesa

Social e com o apoio das secretarias

de Saúde e de Assistência Social, e as

atividades aconteceram em frente à prefeitura.

O Transportando Saúde ganhou,

inclusive, um evento de lançamento, com

a presença do prefeito, Euclério Sampaio,

dos secretários de Defesa Social, de Saúde

e de Assistência Social, Claudio Victor,

Roberta Goltara e Danyelle Lyrio, do superintendente

da Fetransportes, Edinaldo

Ferraz, e do coordenador de fiscalização

do transporte de passageiro individual do

município, Jean Carlos Ramos Duarte. E

no dia 17, o trabalho da equipe da unidade

Aylmer Chieppe aconteceu no Aeroporto

de Vitória.

“Este projeto é uma das provas do

quanto o Sest Senat tem papel proativo

em relação às principais necessidades do

trabalhador do setor”, destacou Edinaldo

Ferraz, completando em seguida. “Importante

destacar, ainda, a abrangência

do projeto, que além de buscar oferecer

melhores condições de saúde ao trabalhador,

também foca no trânsito seguro e na

conscientização de nossos profissionais”.

A segunda unidade a colocar o Transportando

Saúde nas ruas foi a da Serra.

O Sest Senat Aylmer Chieppe abriu a programação capixaba do projeto, com atendimentos a taxistas. Nos dias 15 e 16

de junho, as atividades aconteceram em frente à prefeitura, e no dia 17, no Aeroporto de Vitória

Superintendente da Fetransportes, Edinaldo Ferraz

participou do evento de lançamento do Transportando

Saúde nas Cidades, realizado em parceria com a prefeitura

de Cariacica, e enalteceu a proatividade do Sest Senat em

relação às necessidades do trabalhador do setor

De 12 a 16 de julho, profissionais que atuam

sob a gerência de Fernanda Stanzani

Garcia marcaram presença nos terminais

de Laranjeiras e Jacaraípe, no município.

“Nunca foi tão essencial olhar e cuidar da

saúde como neste momento. E foi isso que

abordamos com todos que passaram pela

nossa equipe. Além das orientações em

si, queremos deixar claro o quanto precisamos

ter um olhar ainda mais cuidadoso

e preventivo para nós e para que os nos

cercam”, avalia Fernanda.

Nos dias em que esteve nos terminais,

o Sest Senat da Serra ofereceu orientações

nas especialidades de Nutrição e Fisioterapia,

e também focou em saúde bucal.

A programação realizada por Fernanda

e companhia foi a mesma do Sest Senat de

São Mateus, na Região Norte do Estado,

que rolou, também na Fase Ônibus, de 13

a 15 de julho, nas garagens das viações

Águia Branca e São Gabriel, e no ponto

final da Viação Joana D´arc.

A equipe do Coordenador de Promoção

Social, George Pirola, focou em higiene

bucal e saúde da coluna.

“No que diz respeito ao cuidado da

coluna, nossa fisioterapeuta, Leda Boroto,

sugeriu alongamentos e exercícios posturais

adequados para nossos profissionais”,

exemplificou Pirola.

Também estavam a postos a nutricionista,

Patrícia Duarte, com aferição de

medidas antropométricas (peso, altura,

perímetros e cálculo do Índice de Massa

Corporal) e dicas de alimentação saudável,

levando em consideração a rotina do

trabalhador do transporte, além da equipe

de apoio da unidade, com atendimento

focado na prevenção e combate ao uso

de álcool e drogas.

Continua na página 2.


FETRANSPORTES

PALAVRA DO PRESIDENTE

Fortalecendo a missão

do Sest Senat

Em meados de junho, quando estávamos estudando

as pautas desta edição do “Transporte.Log”,

decidimos abrir mão de assuntos mais estratégicos,

que geralmente marcam presença em nossa

primeira página, e focar no Transportando Saúde

nas Cidades, projeto nacional do Sest Senat que

carrega em sua essência duas palavras básicas

para qualquer vida humana: saúde e segurança.

E diante do cenário de pandemia que ainda

vivemos somado ao recém-encerrado Movimento

Maio Amarelo, cujo propósito é salvar vidas no

trânsito, imaginei que não havia um assunto melhor

para ser tratado neste número do jornal. Isso

sem falar que é sempre bom e importante divulgar

para o setor o belo trabalho que as unidades do

Sest Senat realizam Brasil afora.

Por meio de atendimentos feitos pelas equipes

das unidades, os trabalhadores do transporte

recebem orientações voltadas às áreas de Odontologia,

Psicologia, Fisioterapia e Nutrição, bem

como uma gama de informações com foco em

conscientização que têm como destino a segurança

e o trânsito seguro. E o que mais facilita o

acesso desses profissionais ao que oferecemos é

o fato deles não precisarem se deslocar, pois os

atendimentos acontecem em seu próprio local de

trabalho. Este detalhe, na minha opinião, é o que

faz do projeto algo tão grandioso e diferenciado.

O Sest Senat nasceu do sonho de oferecer

aos trabalhadores do setor mais saúde, qualidade

de vida e desenvolvimento profissional. Eu

gosto de dizer que o Sest Senat existe para e

pelo trabalhador do transporte. E defendo que

por meio do Transportando Saúde nas Cidades

temos a chance de fortalecer ainda

mais nossa missão de transformar

a realidade das pessoas que

vestem a camisa do setor e que

fazem a roda girar!

Jerson Antonio Picoli

Presidente Fetransportes

Aproximação de

maneira diferenciada

A proposta do Transportando Saúde

nas Cidades é movimentar todo o

País com um olhar atento e acolhedor

das equipes do Sest Senat para o trabalhador

do transporte. Aqui no Espírito

Santo, os profissionais que atuam

nos municípios de Cariacica, Serra e

São Mateus foram os primeiros a receber

essa atenção especial durante as

Fases Táxi e Ônibus do projeto. Mas

ainda tem muito a acontecer neste

segundo semestre do ano. Afinal, as

unidades de Colatina, Região Noroeste,

e Cachoeiro de Itapemirim, Região

Sul, não vão ficar de fora!

No período entre 13 e 17 de setembro,

a equipe da unidade Camilo

Cola vai entrar em cena para atuar

na Fase Caminhão e checar como

anda a qualidade de vida e saúde

dos motoristas daquela região. Embora

a programação ainda esteja em

fase inicial de produção, uma coisa

é certa, segundo a Coordenadora de

Promoção Social, Carina Nascimento

Estefanato. O grupo da área da saúde

– nutricionista, dentistas, psicólogo e

fisioterapeuta – vai atuar na BR 101, em

postos de combustíveis de Cachoeiro

de Itapemirim, na balança da ANTT e

no posto da Polícia Rodoviária Federal.

“Por meio do Transportando Saúde

temos a chance de nos aproximar de

nosso público de maneira diferenciada,

uma vez que este é um projeto de

Ainda neste

segundo semestre,

a programação volta

a movimentar o Sest

Senat de Cachoeiro

de Itapemirim, numa

ação voltada a

caminhoneiros, e o de

Colatina, que fará a

Fase Táxi

extrema importância para a saúde da

categoria. E quem não gosta de cuidado?”,

questiona a diretora do Sest

Senat de Cachoeiro, Simone Monte

de Oliveira.

E fechando a edição 2021, o Sest

Senat de Colatina vai promover a sua

ação dia 8 de outubro, na Fase Táxi.

As atividades já estão marcadas para

acontecer na praça de táxi municipal

e na praça de táxi da rodoviária.

Como nas demais unidades, os

profissionais que atuam sob a direção

de Gilmar Oliveira vão focar nas

orientações odontológicas, fisioterápicas,

psicológicas e nutricionais, e

na divulgação do portfólio de cursos

do Sest Senat. “E também como as

outras unidades, faremos distribuição

de informativos, brindes e lanche aos

motoristas”, lembra o Coordenador de

Promoção Social, Daniel Bada.

O Transportando Saúde nas

Cidades simplifica e encurta os

caminhos, pois, por meio dele

o trabalhador do setor tem a

chance de utilizar o leque de

serviços oferecidos pelas nossas

unidades. E além disso, o projeto

auxilia na prevenção de doenças

por meio da conscientização.

Marco Antonio Rocha,

supervisor do Sest Senat-ES

PUBLICAÇÃO MENSAL DO SISTEMA FETRANSPORTES E SEST SENAT-ES Rua Constante Sodré, 265 - Santa Lúcia - Vitória - ES - CEP 29055-420

SUPERINTENDENTE FETRANSPORTES: Edinaldo Loureiro Ferraz Tel: (27) 2125-7642 EDITORA: Anna Carolina Passos Tel: (27) 2125-7618 imprensa@

fetransportes.org.br / imprensa@transcares.com.br PRODUÇÃO EDITORIAL: Anna Carolina Passos - Gestão e Assessoria em Comunicação TEXTOS:

Anna Carolina Passos • Leonardo Sales • Imprensa@gvbus.org.br • W Comunicação FOTOGRAFIAS: Cláudio Postay, Divulgação e Sest Senat

PROJETO GRÁFICO E EDITORAÇÃO: Bios Tel.: (27) 3222-0645 IMPRESSÃO: Gráfica e Editora GSA

2 | TRANSPORTE.LOG | JUNHO | JULHO 2021


GVBUS

Rodoviários do Transcol vacinados

contra a Covid-19

Motoristas do Sistema Transcol estão incluídos nessa fase

de imunização. Estimativa é vacinar mais de 19,5 mil

trabalhadores da categoria no Espírito Santo

“Me sinto muito aliviada. Com certeza

vamos trabalhar com mais tranquilidade

agora”. A afirmação é da cobradora de roleta

do Terminal de Integração do Transcol

Patrícia Simões, uma das primeiras trabalhadoras

do transporte coletivo vacinadas

contra a Covid-19 no Espírito Santo. A

vacinação da categoria, que contempla,

ainda, motoristas e cobradores dos sistemas

intermunicipal e interestadual, teve

início no dia 26 de maio, em ato simbólico

no Palácio Anchieta, em Vitória.

Como acontece a

vacinação?

Segundo dados do Ministério da Saúde,

estima-se que 19.577 trabalhadores sejam

imunizados no Espírito Santo. Destes, sete

mil são do Sistema Transcol. Os profissionais

fazem parte do público prioritário

de imunização contra o coronavírus e vão

receber doses da vacina Astrazeneca.

Os motoristas do Transcol Jailton Nascimento

e Simone Barbosa também estão

entre os primeiros da categoria a serem

vacinados. Para eles, a vacina representa

alívio e felicidade.

“Eu recebi a notícia que seria vacinada

e fiquei muito feliz. Acordei de

madrugada achando que havia perdido

a hora de tanta emoção. Estou grata e

agora vou trabalhar muito mais segura”,

destacou Simone.

“É um sentimento de felicidade saber

que nossos colegas também serão vacinados.

Então, este é um momento que

traz mais tranquilidade, para nós e para

nossos familiares”, acrescentou Jailton

Nascimento.

Por meio do “joinha”, a dupla do Sistema Transcol

deixa muito clara a sensação de alívio com o início da

vacinação dos profissionais do setor

O diretor-executivo do GVBus, Elias

Baltazar, enfatiza a importância da vacinação.

“O início da imunização desses e de

outros profissionais do Sistema Transcol

vai contribuir ainda mais para a segurança

de rodoviários e passageiros”, destacou.

O governador Renato Casagrande e o

secretário de Estado de Mobilidade e Infraestrutura,

Fábio Damasceno, participaram

do ato simbólico de vacinação da categoria.

“É uma alegria darmos início à vacinação

desses trabalhadores que estão expostos

todos os dias”, comemorou o governador.

“É uma grande conquista poder iniciar

a vacinação dessa categoria que está empenhada

e trabalhando desde o início da

pandemia”, concluiu o secretário.

Para a antecipação do grupo de

trabalhadores do transporte coletivo,

o governo do Estado definiu o envio de

uma porcentagem de doses da reserva

técnica, de acordo com a disponibilidade

semanal de vacinas.

A vacinação deve ser operacionalizada

seguindo chamamento ou

agendamento, na medida em que as

doses são distribuídas aos 78 municípios,

conforme orientação da secretaria

de Estado da Saúde. A aplicação das

doses acontece nas garagens das

empresas de transporte coletivo, mediante

listas nominais encaminhadas

pelas próprias empresas às prefeituras.

É necessário que o trabalhador

esteja em atividade e que ele, no ato

da vacinação, apresente um documento

que comprove o exercício ativo

da função de motorista ou cobrador

profissional de transporte.

Jailton Nascimento ao ser vacinado: sentimento de felicidade e mais tranquilidade

Continue lendo sobre a vacinação de trabalhadores do segmento de transporte de passageiros na próxima página.

JUNHO | JULHO 2021 | TRANSPORTE.LOG | 3


SETPES

Colaboradores dos sistemas

intermunicipais, municipais e

rodoviário também estão sendo

imunizados

Solicitação da Confederação Nacional do

Transporte (CNT) antecipou a vacinação dos

trabalhadores deste segmento

Além dos rodoviários do Sistema Transcol,

quem também está comemorando o

início da vacinação são os colaboradores

dos sistemas intermunicipais, municipais e

rodoviário, cujas empresas são associadas

ao Setpes. Eles também estão entre os

19.577 profissionais cuja imunização teve

início em 26 de maio. Segundo a secretaria

de Estado de Saúde (Sesa), o grupo está

recebendo a vacina AstraZeneca.

Seguindo na mesma linha do diretor-

-executivo do GVBus, Elias Baltazar, o

secretário-geral do Sindicato das Empresas

de Transportes de Passageiros do Estado

do Espírito Santo, Jaime de Angeli, destaca

a necessidade do início da vacinação.

“É um passo muito importante para que

os serviços continuem operando. E operando

com segurança! O modal rodoviário é fundamental

para o Espírito Santo, é ele que une

os 78 municípios capixabas e, imunizados,

Não dá para esquecer!

Para serem vacinados,

os trabalhadores

devem apresentar

documento que

comprove o exercício

da profissão

os profissionais do setor garantem viagens

ainda mais seguras para os passageiros”.

O governo federal incluiu os profissionais

do transporte no grupo prioritário da

campanha nacional de vacinação contra a

Covid-19 em janeiro, atendendo solicitação

da Confederação Nacional do Transporte

(CNT). Para serem vacinados, os trabalhadores

devem apresentar documento que

comprove o exercício da profissão.

De Angeli ainda chama a atenção para

a importância do setor durante a pandemia.

“As empresas de transporte de passageiros

assumiram um papel social muito

importante, readequando as operações

para trafegar com segurança para passageiros

e profissionais. A vacinação é mais

um passo para continuarmos oferecendo

um serviço seguro e de qualidade para a

população”, finaliza.

SINDLIQES

Transportadores de cargas perigosas debatem

demandas do segmento

Não é segredo para ninguém que infraestrutura

é um dos “calcanhares de

Aquiles” do Brasil e, por consequência,

do segmento do transporte rodoviário de

cargas e logística, que sofre diariamente

com os vários gargalos que atrapalham a

qualidade do serviço prestado e a eficiência

da operação. Não bastasse a precariedade

das rodovias que cortam o País, os pontos

de apoio para os caminhoneiros não são

suficientes e “a cereja do bolo” são os

altos custos que as empresas arcam para

fazer as viagens.

No segmento de cargas perigosas, a

realidade não é nada diferente! “Na verdade,

podemos até considerar um cenário mais

perigoso levando em consideração os riscos

inerentes do transporte que fazemos”,

destaca o presidente do Sindliqes, Joceny

Callenzane.

Este cenário um tanto nebuloso levou

Callenzane a convidar empresários

do ramo para uma reunião cuja pauta

foram justamente tais dificuldades, que

impactam diretamente a produtividade

do segmento.

“Colocamos nossas principais demandas,

tendo em vista a necessidade urgente

de melhorar a operação e aumentar a

eficácia do segmento, e o primeiro tema

a ser trabalhado será jornada de trabalho.

Solicitamos um estudo à Vérttice Gerenciamento

de Riscos, que é nossa parceira,

com o objetivo de unificar os procedimentos

e reduzir os custos, mas tendo sempre em

foco um serviço de qualidade”, explicou o

dirigente. Os resultados foram apresentados

na reunião do grupo realizada em 14

de julho.

4 | TRANSPORTE.LOG | JUNHO | JULHO 2021


SEGURANÇA DE TRÂNSITO

Artigo

Por André Cerqueira

Quem

não controla

não gerencia

A clássica frase “quem não controla, não

gerencia”, de Vicente Falconi, considerado

o pai da qualidade total no Brasil, é de alta

relevância quando falamos de estatísticas

de sinistros de trânsito. As dificuldades em

apuração de dados confiáveis e tempestivos

para a tomada de decisão ainda é um

sonho distante da nossa realidade.

A relevância do tema é tanta que é

considerada pela ONU (Organização das

Nações Unidas) premissa fundamental para

execução com sucesso de programas de

redução de sinistros de trânsito em todo

o mundo.

Para a gestão e controle das informações,

em especial os óbitos por sinistros

de trânsito, o sistema nacional é o Datasus,

do Ministério da Saúde, do governo federal.

Ele recebe as informações das secretarias

estaduais e municipais, concilia e tabula os

resultados finais. Entretanto, as dificuldades

de rastreabilidade das informações ainda

são um grande desafio, pois uma vítima de

sinistro pode vir a óbito não no local, mas

no hospital – e, por sinal, acredita-se que

essa parcela possa representar até mesmo

40% do total de óbitos.

Para os sinistros com danos materiais

e lesões não fatais, o controle dessas estatísticas

torna-se algo ainda mais complexo,

pois passa a ser gerido por diversas entidades

do poder público, sem uma centralização

e controle geral das informações.

Nosso País ainda carece de informações

de sinistros de trânsito, desde aqueles

apenas com danos materiais aos veículos,

até os que resultam em lesões aos usuários

– sejam elas leves ou até mesmo fatais.

A análise da sinistralidade, por exemplo,

André Cerqueira

é engenheiro e

consultor em

Segurança no

Trânsito

por faixas de horários, dias da semana,

tipos de veículos, usuários envolvidos,

tipo de rodovia, localidade e tipificação

das causas, certamente seriam elementos

fundamentais para o empenho produtivo

das ações educativas, dos esforços legais

e de infraestrutura viária.

Para termos noção do volume de informações,

fazendo um paralelo com a

sinistralidade do Espírito Santo, ocorrem

anualmente 38 mil acidentes gerais, sendo

14 mil com vítimas e 800 fatais. No Brasil,

provavelmente, ocorrem 1,7 milhão de

sinistros todos os anos – 500 mil sinistros

com vítimas para as 35 mil vítimas fatais.

Conforme já foi declarado pela ONU no

ano 2011, o mundo apresenta níveis de

pandemia para o trânsito.

Os desafios de controlar os acidentes

ocorridos em rodovias federais, estaduais

e vias nos 5.568 municípios do Brasil é um

grande abismo que ninguém conseguiu

superar.

A maior parte dos munícipios brasileiros

ainda não apresenta trânsito municipalizado,

ou seja, sem poder de polícia de trânsito

local. No Espírito Santo, por exemplo, dos

78 municípios capixabas apenas nove já

estão com trânsito municipalizado e os motivos

são diversos: falta de conhecimento e

incentivo, priorização, custos e atribuições.

Além disso, a digitalização dos conhecidos

BOATs (Boletim de Ocorrência de

Acidente de Trânsito) ainda é um projeto

distante e, atualmente, muitos dos registros

são realizados de forma manual para

posterior entrada de dados em um sistema

de informação, representando perda de

produtividade e probabilidade de erros.

O problema já é considerado de alta

relevância para as esferas federal, estadual

e municipal, tanto que há alguns anos

percebe-se movimentos na direção certa

para avançarmos em inteligência de dados

e estatísticas.

Na vanguarda da estatística de sinistros

de trânsito vem a PRF (Polícia Rodoviária

Federal). A corporação avançou na digitalização

total dos processos, desde o registro

do sinistro em tablet ou smartphone até

a guarda digital de todas as informações

André Cerqueira:

“As dificuldades

em apuração de

dados confiáveis e

tempestivos para a

tomada de decisão

ainda é um sonho

distante da nossa

realidade”

de veículos e condutores, e tem investido

em maior aproximação com a sociedade,

por meio da disponibilização de dados

em seu site oficial (https://portal.prf.gov.

br/dados-abertos).

No Espírito Santo, o destaque é para a

Secretaria de Segurança Pública e Defesa

Social (Sesp), que há três anos, por meio

de seu observatório, publica estatística

relevante e de alta confiabilidade quanto

aos sinistros de trânsito em todo o Estado.

O nível das informações já é considerado

como referência nacional (https://sesp.

es.gov.br/2021-3).

Outro que tem avançado bem nos últimos

anos no que diz respeito à transformação

digital de todos os seus processos

é o Detran-ES. E um dos projetos em andamento

refere-se ao serviço de talonário

eletrônico, boletim de acidentes de trânsito

e inteligência artificial que está sendo implementado

no BPTran (Batalhão de Polícia

de Trânsito da PM ES) e pelos municípios

capixabas.

Voltando à esfera nacional, a boa notícia

refere-se ao Registro Nacional de Acidentes

e Estatísticas de Trânsito (Renaest),

que consolida dados sobre acidentes de

trânsito no Brasil e contribui para aprimorar

programas de prevenção. Ele já conta com

a participação de 18 Detrans, além de todos

os órgãos responsáveis pela administração

das vias federais. Desenvolvido pelo Serpro

para o Ministério da Infraestrutura, o sistema

traz informações consolidadas que ajudam

na criação de políticas públicas visando à

redução dos acidentes nas ruas e estradas

de todo o País. Neste momento, a tecnologia

trabalha com os dados validados de mais

de dois milhões de registros de acidentes.

Temos em curso dois grandes programas

ou missões: o compromisso do Brasil junto

à ONU quanto a 2ª Década de Ação pela

Segurança no Trânsito e o Pnatrans (Plano

Nacional de Redução de Mortes e Lesões

no Trânsito), com metas e objetivos bem definidos.

Contudo, para chegarmos ao nosso

destino, a gestão focada em estatística e

controle das informações certamente será

fundamental para lograrmos êxito nessa

nobre missão de salvarmos vidas no trânsito.

JUNHO | JULHO 2021 | TRANSPORTE.LOG | 5


TRANSCARES

Novas vias. Novos rumos...

Transcares comemora andamento da BR-447 e do Contorno do Mestre Álvaro, e quem

analisa os benefícios destas duas obras estruturantes é o Diretor Regional Norte II – Linhares,

Fernando De Marchi

Benefício ambiental

“Fazendo um cálculo médio, o Contorno

do Mestre Álvaro reduzirá a distância

em 13 quilômetros e os veículos

consumirão, aproximadamente, 6,5

litros de diesel a menos em cada viagem.

E com a BR-101 Norte duplicada,

o carro tende a economizar quase 10%

de combustível em cada trajeto. Isso é

uma economia direta para o carro, mas

quero chamar a atenção para o fator

ambiental! Com as obras, emitiremos

menos poluentes na atmosfera”.

Um dos grandes benefícios da 447 e do contorno do Mestre Álvaro será tirar o fluxo pesado de veículos de dentro das cidades

Se existe um assunto recorrente nas rodas

de conversa dos empresários capixabas

que atuam no segmento do transporte rodoviário

de cargas e logística é a infraestrutura

logística do Estado. Vira e mexe, o tema é

protagonista de reuniões e discussões. E

se até então o que mais se falava eram os

gargalos, principalmente do modal rodoviário,

o foco começa a mudar. Isto significa que

embora a infraestrutura continue “batendo

ponto” nos encontros, a conversa agora

tem girado em torno do “destravamento” de

obras importantes para o Estado, a BR-447

e o Contorno do Mestre Álvaro.

A BR-447, cujas obras foram iniciadas

em março de 2019, é um corredor logístico

com 4,33 quilômetros de extensão que

vai ligar a BR-262 e a BR-101 até a porção

central de Vila Velha e de Cariacica,

interligando-se, em seu final, ao porto de

Capuaba. O contorno do Mestre Álvaro,

por sua vez, terá quase 19 quilômetros de

pistas duplas, sairá da Rodovia do Contorno

de Vitória, na altura de Cariacica,

até a região próxima ao posto da Polícia

Rodoviária Federal (PRF), em Serra Sede.

Um grande entusiasta deste momento é

o Diretor do Transcares da Regional Norte

II – Linhares, Fernando De Marchi. “Um bom

sistema viário fomenta o desenvolvimento,

uma vez que melhora acessos, valoriza o

mercado imobiliário, favorece o transporte

e a mobilidade, e proporciona conforto a

quem trafega”, justifica.

Diretor da De Marchi Transportes, sediada

em Aracruz, Região Norte do Estado,

o empresário faz questão de destacar que

nenhuma das duas obras trará apenas

benefícios pontuais.

A 447 vai solucionar o escoamento de

mercadorias que entram e saem do Porto de

Capuaba por via terrestre e retirar das vias

urbanas de Cariacica e Vila Velha o fluxo

pesado que se dirige àquela retroárea. “A

rodovia vai aliviar a pressão do tráfego de

Vila Velha, Vitória e Guarapari, melhorando

a trafegabilidade, e proporcionará mais

segurança e um maior potencial para o

crescimento econômico da região”.

E o Contorno do Mestre Álvaro tende a

favorecer a logística de norte e sul do Estado,

já que encurtará distâncias e, assim

como a 447, vai tirar o fluxo da cidade,

favorecendo a mobilidade.

“Ao cortar caminho, teremos impacto

positivo nas coletas e entregas, e isso vai

melhorar nossa produtividade”, justifica,

completando em seguida. “Obras estruturais

sempre geram conforto e bem-estar à

população, e refletem na economia. Essas

duas obras são motivo de comemoração e

agora ficamos aguardando a duplicação das

BRs 101 e 262, que também entendemos

como essenciais para melhorar o fluxo de

veículos, a produtividade e a segurança de

quem trafega nas vias”.

Há tantos anos falamos da

importância destas e de

outras obras estruturantes...

Elas estão saindo e acho

importante mostrar o

quanto o Transcares está

grato e agradecer ao

governo federal, Dnit, à

bancada capixaba que está

atuando nestas frentes.

Fernando De Marchi

Mais sobre a BR-447 e o Contorno do Mestre Álvaro

BR 447

Segundo o Dnit, a obra prevê trecho em pista dupla, canteiro central e acostamentos. O

corredor logístico terá 4,33 quilômetros e vai ligar a BR-262 e a BR-101 à porção central de

Vila Velha e de Cariacica. As obras tiveram início em março de 2019. Até o fim do ano será

liberado o primeiro segmento, que liga a BR-262 ao Viaduto de Areinha.

Mestre Álvaro

Terá quase 19 quilômetros de pistas duplas. A estrada sairá da rodovia do Contorno de Vitória,

na altura de Cariacica, até a região próxima ao posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF), em

Serra Sede. A expectativa é terminar os trabalhos em 2022.

6 | TRANSPORTE.LOG | JUNHO | JULHO 2021


SEST SENAT

Uma aposta e tanto na

educação municipal

Por meio de uma parceria,

Sest Senat de Colatina e

prefeitura se unem em torno

de projeto para oferecer

jornada ampliada a alunos

do Ensino Fundamental

O início deste ano foi estratégico no

Sest Senat de Colatina. Aproveitando que

janeiro e fevereiro, em via de regra, são

períodos mais calmos nas unidades, o

diretor, Gilmar Oliveira, o Coordenador de

Desenvolvimento Profissional, Leonardo

Evangelista, e o Coordenação de Promoção

Social, Daniel Bada, investiram em

reuniões e visitas, levando propostas de

cursos e atividades de saúde, esporte e

Leonardo Evangelista (D) e a equipe da

Coordenação de Desenvolvimento Profissional

da unidade Arthur Picoli estão confiantes no

sucesso das turmas piloto, cujas aulas terão

início no segundo semestres

lazer. Destes muitos encontros surgiu uma

parceria com a secretaria de Educação,

por intermédio do secretário Cidimar Andreatta,

e uma das ideias mais fortes visa

implementar ações de jornada ampliada

na rede municipal, inicialmente, para os

alunos do Ensino Fundamental.

Alguns critérios já foram estabelecidos

para o desenvolvimento do projeto, como

o foco em estudantes dos anos finais do

Fundamental. Ele abrange uma jornada estudantil

estendida para que os estudantes

tenham todo o dia ocupado com atividades

escolares e sociais.

“Desta forma, eles estudariam pela

manhã na escola regular e à tarde no

Sest Senat, como jornada ampliada, desenvolvendo

atividades como reforço de

algumas matérias, cursos voltados ao desenvolvimento

e formação pessoal, informática

básica e atividades físicas”, explica

Evangelista, destacando que a elaboração

está na fase final e tem o apoio do prefeito

Guerino Balestrassi.

O projeto, um investimento da Prefeitura

de Colatina, será no formato

presencial, com previsão de início no

segundo semestre deste ano, por meio

de turmas piloto. E caso alcance os

resultados almejados, o pontapé inicial

de novas turmas será dado no primeiro

semestre de 2022.

Pilates Kids para a garotada

A garotada ganhou uma atenção toda especial do Sest

Senat de São Mateus. A unidade do Norte do Estado, muito

ligada ao que está acontecendo com o público infanto-

-juvenil desde que a pandemia da Covid-19 foi deflagrada,

lançou o Projeto Pilares Kids, para meninas e meninos de

cinco a 12 anos.

“Em função da pandemia, as crianças passaram a viver

sob a cultura de conveniências (alimentação fácil e prática)

e com uma rotina sedentária. A má alimentação aliada à

TV, ao tablet, ao celular e ao videogame se tornaram predominantes.

Resultado? Um estudo recente do Instituto de

Medicina da Academia Nacional de Ciências mostra que

30,3% das crianças estão com sobrepeso e 15% já são

obesas. Deste cenário nasceu o projeto”, conta o Coordenador

de Promoção Social, George Pirolla.

Atividade desenvolvida de

maneira 100% lúdica e divertida,

o método trabalha corpo e

mente, possibilitando à garotada

melhorar a postura, ter maior

flexibilidade, concentração, coordenação

motora e autoestima.

“Queremos atuar na prevenção

de futuras patologias por meio

de uma atividade diferenciada”,

encerra o coordenador.

E aí, família? Que tal inscrever

seu (sua) filho (a)? Mais

informações no telefone (27)

3767-6100.

Parceria e acesso de mais

profissionais aos serviços do

Sest Senat de Cachoeiro

Os profissionais associados

ao Sindirochas (Sindicato da

Indústria de Rochas Ornamentais

do Espírito Santo), à Amasul

(Associação dos Motoristas por

Aplicativos o Sul do Estado) e à

Associação dos Cabos e Soldados

da Polícia Militar e Bombeiro

Militar do Espírito Santo acabam

de ganhar acesso diferenciado a

serviços de saúde, atividades de

esporte, cultura e lazer, e a cursos

de qualificação profissional.

E isso está sendo possibilitado

por meio de uma parceria entre

as entidades e a diretora da unidade

Camilo Cola, Simone Monte

de Oliveira.

O propósito da parceria é viabilizar

a prestação de todos os

serviços oferecidos pela unidade

do Sul do Estado aos associados

do sindicato e das associações. O

Sest Senat vai conceder desconto

de 15% nos serviços de saúde,

atividades de esporte, cultura e

lazer, e nas matrículas dos cursos

presenciais e via web.

Sest Senat de São Mateus lança

projeto na medida para o público

infanto-juvenil, que está sofrendo

com o sedentarismo e a cultura de

conveniências geradas pela pandemia

Por meio do acordo de cooperação, o Sest Senat vai conceder desconto de 15% nos serviços

de saúde, atividades de esporte, cultura e lazer, e matrículas nos cursos presenciais e via web

JUNHO | JULHO 2021 | TRANSPORTE.LOG | 7


SEST SENAT

Comendo sem culpa

Nutricionista do Sest Senat lista três receitas que têm a cara

do anarriê e que podem ser consumidas sem que se pense

na quantidade de açúcares e gorduras. Que tal uma festinha

em família?

“Olha pro céu, meu amor; vê como ele

está lindo; olha praquele balão multicor;

como no céu vai sumindo...” Ah, as festas

juninas e julinas... Quentão, caldos, bolo

de milho, paçoca, pipoca, milho verde,

arroz doce, pé de moleque! Quantas são

as delícias desta comemoração afetiva

e acolhedora... As grandes festas ainda

não estão sendo possíveis para evitar

aglomeração, mas que tal aproveitar

os meses propícios e o friozinho para

juntar a família num momento especial?

E quer outra boa notícia? Muita gente

engorda só de pensar em festa junina,

mas para estas pessoas a nutricionista

do Sest Senat da Serra, Milena Girardi,

dá a solução: as mesmas receitas, porém

reduzidas no açúcar e nas gorduras. Ou

A compota de Doce de Abóbora sem Açúcar é uma das

sugestões. E sabe o que é melhor? Mesmo que o período

de festas acabe, sempre é hora de comer algo gostoso e

saudável. Então, aproveite as dicas!

seja, mais leves e amigas da reeducação

alimentar.

Milena fez um apanhado de quatro receitas

típicas para comer sem culpa. Marque

com a família, separe os ingredientes

e mãos na massa! Anarriê!

Caldo Verde Light

Ingredientes:

1 couve-flor em buquês

Água

1 cebola picadinha

Sal a gosto

2 colheres de sopa de azeite

2 dentes de alho picados

1 peito de frango sem pele cortado em cubinhos

1/2 xícara de chá de cheiro-verde picadinho

Pimenta-do-reino moída a gosto

1 maço de couve mineira cortada em tiras bem finas

Modo de Preparo:

Numa panela em fogo médio, coloque a couve-flor, a cebola, água

até cobrir a couve-flor e sal a gosto;

Tampe e deixe cozinhar até amolecer, por cerca de 20 minutos;

Transfira para um liquidificador e bata até ficar um creme homogêneo.

Reserve;

Numa outra panela, coloque o azeite e refogue o alho;

Depois coloque o frango em cubos e refogue;

Adicione o cheiro-verde picado e a pimenta-do-reino moída a gosto;

Mexa, junte o caldo do liquidificador e deixe aquecer;

Desligue o fogo, junte a couve em tirinhas finas, mexa bem e sirva

em seguida.

Quentão sem açúcar e sem álcool

Ingredientes:

500ml de suco de uva branca

1.5l de água

100g de gengibre

3 colheres (sopa) de cravo

5 pedaços de canela em pau

6 laranjas cortadas em rodelas

Modo de Preparo:

Coloque o suco de uva e a água em uma panela e ligue o fogo;

Depois, coloque o cravo, o gengibre, a canela e as rodelas de laranja;

Deixe levantar fervura por cerca de 10 minutos e está pronto o

quentão;

Coe para servir e, se preferir, adoce com açúcar mascavo.

Arroz Doce Integral sem açúcar

Ingredientes Leite de Coco:

1 xícara de coco seco picado

5 xícaras de água morna

Modo de Preparo Leite de Coco:

Bata os ingredientes no liquidificador por cerca de 2 a 5 minutos;

Coe em uma peneira fina;

Reserve 2 colheres de sopa do bagaço para a receita.

Ingredientes Arroz Doce:

2 xícaras e meia de leite de coco

2 colheres de sopa do bagaço do coco

1/2 xícara de arroz integral cateto

4 tâmaras

2 damascos

1 colher de café de canela

5 cravos

Meia maçã ralada

Modo de Preparo Arroz Doce:

Em uma panela, coloque o arroz com o leite de coco, as tâmaras,

o damasco, os cravos e metade da canela;

Quando levantar fervura, diminua o fogo e deixe cozinhar por

20 minutos ou até o arroz estar bem macio;

Depois que o arroz estiver macio, adicione a maçã ralada e

cozinhe por mais 5 minutos;

Se necessário, coloque mais água;

Depois de pronto, pique grosseiramente as frutas secas e

mantenha no arroz. Adicione o coco ralado e o restante da

canela;

Sirva em seguida.

Doce de Abóbora sem açúcar

Ingredientes:

50g de abóbora seca ralada

100ml de suco de maçã

1/2 colher de café de canela em pó

Modo de Preparo:

Em uma panela, coloque a abóbora e leve para cozinhar com

suco de maçã e a canela até amolecer;

Sirva em seguida.

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!