Relatório de Responsabilidade Socioambiental 2011 - Rede Energia

redenergia.com

Relatório de Responsabilidade Socioambiental 2011 - Rede Energia

Relatório de Responsabilidade Socioambiental 2011


sumário

capítulo 1

6 Mensagem da presidência

8 A empresa

9 Missão, visão e valores

10 Estrutura societária

11 organização e gestão

14 Gestão de risco

17 Relação de atenção e respeito

com seu público

21 Indicadores de desempenho

operacional e de produtividade

capítulo 2

27 Valores, transparência e governança

27 administração

27 conselho de administração

28 Diretoria

28 Conselho fiscal

29 Grupos de trabalho

29 comitê de Sustentabilidade

30 acordo de acionistas

31 Societário

31 auditoria Independente

31 Relação com investidores

31 políticas de divulgação e negociação

31 Informações financeiras e relatórios gerenciais

Relatório de Responsabilidade Socioambiental 2011

capítulo 3

34 Desempenho Econômico-financeiro

capítulo 4

44 Indicadores Sociais Internos

45 Gestão de pessoas

48 Saúde e Segurança no ambiente de trabalho

54 Indicadores Sociais Externos

54 clientes/Fornecedores

54 canais de Relacionamento

60 Fornecedores

62 comunidade

66 Governo e Sociedade

70 Indicadores do Setor Elétrico

74 Programa de Eficientização Energética

capítulo 5

82 Impactos, ciclos de vida e preservação

ambiental

84 licenciamento ambiental

84 Educação ambiental

86 Indicadores ambientais

capítulo 6

92 Balanço Social

96 Metas do Milênio

97 Grupos de trabalho

rede celpa eneRgia RelatóRio RelatóRio de ReSponSabilidade de SuStentabilidade Socioambiental 2010 2011 3


4

capítulo 1

Dimensão Geral


ede celpa eneRgia RelatóRio RelatóRio de ReSponSabilidade de SuStentabilidade Socioambiental 2010 2011 5


6

Dimensão Geral

mensagem da Presidência

a centrais elétricas do pará (celpa), distribuidora

da Rede energia no estado, foi anfitriã do 3º Rodeio

de eletricistas da Rede energia. além de integrar

os colaboradores das nove distribuidoras que

compõem a holding, o rodeio tem o objetivo de

incentivar a segurança no trabalho, possibilitar a

troca de experiências e divulgar as melhores práticas

entre as equipes de eletricistas. mais de 1.500

pessoas participaram do evento que, em 2012,

será realizado na cemat (mt). os vencedores do

torneio são os representantes da Rede energia no

Rodeio nacional dos eletricistas (Sendi), realizado

a cada dois anos, com a participação de todas as

empresas do setor elétrico brasileiro.

até o ano de 2011, 329.003 novos domicílios

na área rural foram beneficiados pela chegada da

energia elétrica. dentre as localidades que receberam

energia elétrica, 11 são aldeias indígenas, 73

comunidades remanescentes de quilombos e 296

assentamentos. Só no ano passado, o programa de

universalização de energia atendeu 30.189 novos

domicílios, beneficiando uma população de mais

de 150 mil pessoas.

preocupada com a preservação do meio ambiente,

a distribuidora desativou mais duas usinas

térmicas. apontadas como grandes poluidoras por

usarem óleo diesel como combustível, as usinas

térmicas emitem dióxido de carbono (co2) na atmosfera,

aumentando os gases de efeito estufa. as

duas termelétricas ficavam na ilha do marajó, onde

a distribuidora está realizando grandes obras para

conectar a população do arquipélago ao Sistema

interligado nacional (Sin).

a busca pela melhoria do serviço prestado ao

cliente levou a empresa a implantar algumas inovações

tecnológicas ao longo de 2011. uma delas

foi a adoção da impressão da conta de luz no ato

da leitura do consumo. o sistema permite que o

cliente acompanhe a leitura, aumentando a transparência

do processo de faturamento e a confiabi-


celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

lidade na entrega da fatura.

Outra inovação foi o atendimento por meio de

mensagem de celular. Desde 2011, os clientes da

Celpa têm acesso a quatro serviços por meio de

mensagens gratuitas: informar falta de energia,

solicitar informações sobre contas, pedir religação

comum e religação de urgência. A aceitação do

serviço foi grande e contribuiu para reduzir as chamadas

no Call Center. Além disso, a distribuidora

implantou totens de autoatendimento e quiosques

de atendimento, que proporcionaram mais rapidez

e comodidade na solicitação de serviços.

Conhecimento foi o mote do concurso de Programas,

Projetos e Ações (PPA), proposto pelo Comitê de

Sustentabilidade da holding e realizado nas nove distribuidoras

da Rede Energia. O objetivo foi disseminar

entre todos os colaboradores a existência do banco

de práticas de sustentabilidade, além de incentivar o

registro de programas, projetos e ações que atendam

à Política de Sustentabilidade da empresa.

7


8

Dimensão Geral

a empresa: perfil, missão, visão, valores,

organização e gestão

A Centrais Elétricas do Pará – Celpa é uma concessionária

de distribuição de energia elétrica, que possui

uma área de concessão de 1.247.690 km², abrangendo

todos os 144 municípios do Estado do Pará e

beneficiando mais de 7,7 milhões de habitantes.

Por ser uma empresa de capital aberto, é controlada

pela QMRA – Participações S.A., titular de

51,26% do capital social, sendo a Eletrobras detentora

de 34,24%. Desde 1998, o controle indi-

atuação no estaDo Do Pará

reto da empresa é exercido pela Rede Energia, um

dos maiores grupos empresariais do setor elétrico

brasileiro, com 105 anos de atuação, atendendo

4,2 milhões de clientes, em 578 municípios, o que

representa 34% do território nacional.

Desde a sua aquisição pela Rede Energia, em

1998, a Celpa cresceu de forma significativa, passando

de 730.000 consumidores em 1998 para

1.835.981consumidores em 2011.

2011 2010

Área de concessão 1.247.689,52 km² 1.247.689,52 km²

Número de clientes 1.835.981 1.761.499

Força de trabalho (próprios e terceirizados) 4.146 4.097

Número de municípios atendidos 144 144

Número de localidades beneficiadas 3.597 3.597

Volume de vendas de energia (GWh/ano)* 6.287 6.119

Quilômetros de rede de distribuição 107.301 101.247

Quantidade de subestações 89 76

(*) excluído o consumo próprio


missão, visão e valores

alinhada à sua estratégia de atuação, a celpa

busca alcançar a excelência do seu atendimento,

seguindo a missão, a visão e os valores que considera

fundamentais para atender seus clientes, colaboradores,

acionistas e a sociedade, sempre com

ética e foco na responsabilidade socioambiental.

MISSão

prestar serviços de energia elétrica com responsabilidade

social e ambiental, visando à satisfação

dos seus clientes, colaboradores, fornecedores e

acionistas, contribuindo para o desenvolvimento

do país.

VISão

Ser reconhecida como empresa de excelência no setor

de energia elétrica pelo serviço prestado, tecnologia

empregada e qualificação dos colaboradores.

Princípios e Valores

integridade - respeito à moral, aos bons

costumes, às leis, a si próprio e ao próximo

Competência - saber fazer, poder fazer e querer

fazer.

excelência - realizar suas atividades com grau de

qualidade que o diferencie.

responsabilidade - bem cumprir os deveres

para com a sociedade, a família e a empresa.

Criatividade - buscar soluções alternativas,

inovadoras e originais (novos paradigmas).

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

EStRatÉGIa

expandir a base de clientes.

investir em programas de redução de perdas.

investir em eficiência técnica e operacional.

investir seletivamente em projetos de geração de médio

e pequeno porte.

expandir e fortalecer as atividades de comercialização.

manter uma sólida estrutura financeira e de capital.

VaNtaGENS coMpEtItIVaS

grande potencial de crescimento da região em que

atua, com crescimento superior à média nacional e

com uma demanda reprimida.

Qualidade na prestação de serviços e eficiência

operacional.

Forte compromisso e longa experiência no setor

elétrico brasileiro.

9


10

estrutura societária

a celpa é uma concessionária de distribuição de

energia elétrica que compõe o grupo Rede energia,

um dos maiores do setor elétrico brasileiro,

ao lado de mais oito concessionárias: caiuá distribuição

de energia S.a., centrais elétricas matogrossenses

S.a., companhia de energia elétrica do

estado do tocantins, empresa de energia elétrica

do mato grosso do Sul S.a., empresa elétrica bragantina

S.a., companhia nacional de energia elétrica

S.a., empresa de distribuição de energia Vale

paranapanema,companhia Força e luz do oeste.

* 19,72%

** 15,62%

* 54,98%

** 51,26%

QMRA

CELPA (*)

* 100,00%

** 100,00%

* 10,20%

** 10,11%

Dimensão Geral

DENERGE

EEVP

* 63,50%

** 53,14%

* 79,03%

** 59,28%

REDE (*)

* Voting stock

** total equity

(*) listed in the São paulo Stock exchande


organização e Gestão

A Celpa faz parte da holding Rede Energia desde

julho de 1998. Sua organização segue o modelo

matricial adotado também pelas outras oito empresas

subordinadas à holding.

SIStEMa DE GEStão Da

QualIDaDE (SGQ)

o Sistema de gestão da Qualidade (SgQ) é uma

ferramenta de gestão implantada em todas as empresas

da Rede energia, que auxilia os gestores do

negócio nas tomadas de decisão e está focado na

satisfação do cliente e na melhoria contínua de seus

indicadores, processos e serviços.

o Sistema de gestão da Qualidade da celpa foi

implantado e certificado em 2007 com base na

nbR iSo 9001:2000, com o seguinte escopo: relacionamento

com clientes (por meio da ouvidoria) e

o órgão regulador e sua agência estadual; coleta,

apuração, envio e gestão dos indicadores técnicos

e comerciais junto ao órgão regulador e sua agência

estadual, e atividades de apoio relacionadas. o

SgQ foi auditado de acordo com a edição 2008 da

norma nbR iSo 9001, no ano de 2009 e, em 2010,

foi recertificado pela Fundação carlos alberto Vanzolini,

demonstrando total aderência aos requisitos

da nbR iSo 9001:2008.

em cumprimento ao requisito legal estabelecido

na resolução normativa Ren 414/2010, a celpa

estruturou e executou projeto para a implantação

da norma iSo 10002:2005 e certificação na norma

nbR iSo 9001:2008 dos processos de atendimento

e tratamento de reclamações em todas as suas distribuidoras.

o objetivo foi alcançado, e em dezembro

de 2011 foram concluídas as auditorias de certificação

com a recomendação para a certificação da

celpa e demais empresas da Rede energia. Hoje, a

companhia atua de maneira sistêmica e organizada

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

para entender e tratar as manifestações recebidas,

o que de fato contribui para uma melhoria sustentável

de seus processos.

para garantir a melhoria contínua do Sistema de

gestão da Qualidade, a celpa mantém uma equipe

que, entre outras responsabilidades, busca certificar

todos os processos relacionados à distribuição de

energia elétrica da empresa. para atingir esse objetivo,

existe um planejamento de atividades a fim de

que o escopo do SgQ seja ampliado.

pRoGRaMa EVoluIR

criado pela Rede energia, o programa evoluir tem

como um de seus objetivos auxiliar na modernização

das práticas de gestão, a partir da execução de

oito projetos estratégicos: centro de Serviços compartilhados

(cSc); estruturação do processo de cobrança

(epc); manual de controle patrimonial do

Setor elétrico (mcpe); call center; procedimento de

distribuição (pRodiSt); Sistema Sap; estruturação

dos processos administrativos (epad); e pessoas.

Seguindo o planejamento estratégico do grupo

Rede energia, foi dado início, em julho de 2009,

ao projeto de implementação do Sap, um sistema

integrado de planejamento e gestão de recursos

corporativos. com as implementações planejadas

parcialmente cumpridas, já é possível avaliar os impactos

positivos.

o sistema integrado de gestão proporcionou à

celpa maior volume e qualidade de informações, rígido

controle das operações, além de maior rapidez

nas análises sobre planejamento e execução.

Hoje, as áreas operacionais contam com ferramentas

sistêmicas, que permitem planejar obras de

construção e manutenção com baixo risco e alta segurança,

obtendo controle sobre a execução e domínio

sobre os custos.

11


12

Dimensão Geral

As áreas de logística e suprimento encontram

no SAP informações, em tempo real, para planejar

adequadamente a distribuição de materiais para a

engenharia de operação (construção e obras e manutenção),

de acordo com suas reais necessidades,

atendendo em tempo hábil as obras planejadas e

de acordo com a verba orçamentária aprovada.

A área de finanças utiliza recursos do sistema que

possibilitam o acompanhamento de compromissos

assumidos, facilitando o planejamento de caixa.

Já a controladoria tem à sua disposição relatórios

de custos e investimentos realizados em cada departamento

da empresa, com o detalhamento do

“previsto versus realizado” para qualquer período

selecionado. Com isso, é possível avaliar estrategicamente

e corrigir possíveis distorções.

Em linhas gerais, o Sistema SAP garantiu aos gestores

a possibilidade de executar o planejamento

estratégico de suas áreas, focados nos princípios

de controle e qualidade que a empresa precisava.

Permitiu também à alta administração maior visibilidade

das atividades de todos os departamentos,

bem como o acompanhamento das principais

operações dos processos de negócios da empresa,

maior controle sobre as despesas, investimentos e

compras e indicadores para tomada de decisões.

cERtIFIcação DoS pRocESSoS DE

atENDIMENto E tRataMENto

DE REclaMaçõES

A Rede Energia, em cumprimento ao requisito

legal estabelecido na resolução normativa REN

414/2010, estruturou e executou projeto para a

implantação da norma ISO 10002:2005 e certificação

na norma NBR ISO 9001:2008 dos processos de

atendimento e tratamento de reclamações em todas

as suas distribuidoras. Em dezembro de 2011,

foram concluídas as auditorias de certificação com

a recomendação para a certificação da Celpa.

GEStão DE pRocESSoS

a celpa possui um modelo de governança de

processos e indicadores que vincula, de maneira

consistente, os processos de negócio à estratégia

corporativa; preconiza a gestão desses processos

do negócio para que sejam alcançados os resultados

esperados e busca a sustentabilidade dos

resultados por meio da utilização de mecanismos

de planejamento e controle (melhoria contínua).

plaNEjaMENto EStRatÉGIco

em 2011, a celpa aderiu ao “estratégia em

Rede”, planejamento estratégico elaborado pela

Rede energia, com metas para os indicadores de

todas as empresas do grupo. um modelo de gestão

desta estratégia também foi implementado

com a estruturação do núcleo de gestão e das

Reuniões de análise da estratégia (Raes), que tem

a participação do Vice-presidente executivo da

celpa e da alta direção da Rede energia.


SupRIMENto E loGíStIca

A Celpa trabalha empenhada no alinhamento

das ações de sustentabilidade ao Planejamento

Estratégico. Por isso, é um dos objetivos permanentes

da empresa manter seus procedimentos

atualizados às melhores práticas de mercado. Estas

práticas norteiam o atendimento ao planejamento

estratégico e ao “Negócio da Rede Energia”,

sempre com observância aos preceitos do setor

elétrico, questões legais, fiscais e de regulação da

Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL e à

sustentabilidade do negócio. Recentemente, a Celpa

implementou metas mais agressivas de Cobertura

dos Estoques, objetivando o uso racional dos

recursos, menor geração de resíduos e destinação

adequada destes.

coMItê DE SuStENtaBIlIDaDE

a Rede energia S.a, controladora da celpa, dispõe

de um comitê de Sustentabilidade composto por representantes

de todas as áreas e empresas por ela controladas.

os trabalhos realizados por este comitê vêm

contribuindo para o aperfeiçoamento das metas e das

estratégias da companhia.

polítIca DE SuStENtaBIlIDaDE

ao considerar a importância dos públicos com os

quais se relaciona (acionistas, poderes públicos, investidores,

comunidade, clientes, fornecedores e público

interno) e do ambiente onde está inserida, a celpa

adota para sua gestão o conceito de responsabilidade

socioambiental, assumindo os seguintes compromissos:

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

ValoRES, tRaNSpaRêNcIa

E GoVERNaNça

• disseminar valores, políticas e manter canais de

comunicação abertos com os stakeholders;

• prestar contas de suas ações e respectivos impactos

de forma clara e transparente;

• estabelecer uma relação de confiança e considerar

as expectativas e opiniões de seus stakeholders.

GoVERNo E SocIEDaDE

• ao interagir com todos os seus públicos, adotar

padrões éticos, fundamentados em princípios de

honestidade, integridade e transparência;

• contribuir, sempre que pertinente e possível,

com políticas, programas e projetos que colaborem

para o desenvolvimento sustentável de sua

área de concessão;

• cumprir a legislação ambiental, a legislação de

saúde e segurança do trabalho e demais normas

vigentes.

FoRNEcEDoRES

• assegurar a equidade, a isenção e a integridade

na relação com fornecedores e parceiros, contribuindo

para o seu desenvolvimento por meio do

compartilhamento de conhecimentos, diretrizes

e valores, estimulando seu envolvimento em práticas

de responsabilidade socioambientais.

clIENtES E coNSuMIDoRES

• atender às expectativas dos seus acionistas,

colaboradores, parceiros, órgão regulador e

consumidores, por meio do comprometimento

constante com a melhoria da qualidade da

energia fornecida e dos serviços prestados, contribuindo

para o desenvolvimento socioeconômico

e ambiental;

13


14

Dimensão Geral

• buscar a melhoria contínua no tratamento das

reclamações registradas por consumidores, por

meio da gestão eficaz dos processos e indicadores

relacionados;

• promover a melhoria contínua de seus sistemas

de gestão.

coMuNIDaDE

• atuar como agente de melhorias socioambientais,

maximizando os impactos positivos e minimizando

os impactos negativos de suas atividades,

viabilizando investimentos socioambientais

que promovam o desenvolvimento regional, a

geração de renda, o esporte e a educação, respeitando

a cultura, os valores e costumes das comunidades

que atende;

• Respeitar os direitos humanos e apoiar o cumprimento

das “metas do milênio”, incentivando

a sua rede de relacionamento a fazer o mesmo.

pÚBlIco INtERNo

• Valorizar e respeitar o colaborador, adotando

práticas de trabalho que promovam a segurança

e a saúde, proporcionando um ambiente seguro

e adequado, estimulando a participação na gestão

do negócio, garantindo o direito à associação

e à negociação coletiva, respeitando a diversidade

e motivando a construção de uma harmonia

interna e a melhoria da qualidade de vida.

MEIo aMBIENtE

• promover a preservação do meio ambiente, a

prevenção da poluição e o consumo consciente;

• estimular a educação ambiental dos colaboradores,

dos fornecedores e da comunidade;

• apoiar entidades de pesquisas, inovação tecnológica

e do setor elétrico associadas ao meio ambiente,

à saúde e à segurança do trabalho.

Gestão de riscos

coNtRolES pREVENtIVoS

comprometida com os seus consumidores, acionistas,

parceiros de negócios e sociedade em geral,

a celpa mantém procedimentos de controles

preventivos que monitoram a exposição aos riscos

operacionais. todos os esforços são focados em

reduzir os riscos existentes e/ou os que possam se

manifestar no futuro, além da maximização das

oportunidades de negócio.

para auxiliar nesta gestão, a concessionária conta,

desde o segundo semestre de 2011, com a área

de gestão de Riscos, que utiliza como base metodológica

o coSo-eRm e a norma iSo 31000, com

atuação norteada por aspectos da sustentabilidade

do negócio.

os procedimentos atendem ao princípio da precaução

pelo qual a ausência da certeza científica

formal e a existência de risco de dano sério ou irreversível

requerem a implementação de medidas

que possam prever e evitar o dano. desta forma, a

área de gestão de Riscos atua em parceria com as

áreas e gestores responsáveis pelo gerenciamento

dos riscos aos quais a organização está exposta,

agindo preventivamente, de forma a contribuir

para o crescimento sustentável da organização,

atendendo aos seus objetivos estratégicos.

a gestão de Riscos auxilia a administração na

tomada de decisões e possibilita que a empresa

atinja seus objetivos estratégicos com eficiência e

eficácia, fortalecendo sua imagem junto aos investidores

e ao mercado financeiro. além de preservar

e aumentar o valor da organização, o gerenciamento

de riscos promove maior transparência

e melhora os padrões de governança corporativa,

provendo o alinhamento da estratégia da empresa

com o seu apetite a riscos, em consonância com o

posicionamento dos acionistas e a cultura da or-


ganização. também introduz uma uniformidade

conceitual em todos os níveis da organização, seu

conselho de administração e acionistas.

com base nesse modelo, foi definida uma matriz

de riscos única, em que estão elencados os principais

riscos aos quais a empresa está exposta. com

a elaboração de uma política de gestão de riscos

corporativa, foram definidos princípios, diretrizes e

responsabilidades para cada um dos envolvidos no

gerenciamento de riscos.

RIScoS DE cRÉDIto

para evitar perdas financeiras decorrentes da dificuldade

de recebimento de valores faturados de

clientes e permissionárias inadimplentes, a celpa

realiza o monitoramento contínuo das contas a receber,

bem como ações de cobrança e de corte no

fornecimento dos serviços. estas ações contribuem

para minimizar este risco, diante da grande quantidade

de clientes da empresa pulverizados na área

de concessão.

RIScoS DE MERcaDo

estes riscos são mitigados em dois campos. de um

lado, por meio da constante avaliação da exposição

dos ativos e passivos e pela contratação de hedge

junto a instituições financeiras de primeira linha (em

finanças, chama-se cobertura – hedge, em inglês –

o instrumento que visa proteger operações financeiras

contra o risco de grandes variações de preço

de determinado ativo). essas providências mitigam

riscos relacionados, principalmente, à possibilidade

de que taxas de juros, de câmbio e de inflação afetem

negativamente o valor dos ativos financeiros, os

fluxos de caixa e os rendimentos futuros da companhia,

causando perdas financeiras e perdas operacionais

não técnicas.

de outro lado, são colocadas em prática ações de

combate a perdas técnicas e, também, as que promovem

a regularização de ligações elétricas clandestinas.

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

polítIca DE utIlIZação DE

INStRuMENtoS DERIVatIVoS

O uso de derivativos tem o propósito de atender

às necessidades da Celpa no gerenciamento de riscos

de mercado – principalmente riscos de variação

cambial que possam resultar em perda financeira

decorrentes dos descasamentos entre moedas e

indexadores. A Celpa realiza apenas operações de

swap, sem outros instrumentos derivativos.

As operações são conduzidas pela superintendência

financeira da empresa, de acordo com estratégia

previamente aprovada pelos gestores da

companhia. Os contratos são fechados em mercado

de balcão, diretamente com instituições financeiras

de primeira linha. As operações com derivativos

da Celpa não possuem verificadores nem

chamada de margens, sendo liquidadas integralmente

no vencimento.

RIScoS opERacIoNaIS

São riscos de naturezas diversas, como a interrupção

de fornecimento de energia elétrica por fatores

imprevisíveis e acidentais, fraudes no uso da

energia fornecida e nos cabos do sistema elétrico e

o desvio de energia da rede das distribuidoras, sem

passar pela ligação técnica.

A prevenção e a mitigação são realizadas com investimentos

em sistemas de vigilância, com a melhoria

da tecnologia que realiza a blindagem das

redes de distribuição de energia e com o trabalho

de conscientização da população, articulado com

os órgãos de segurança pública.

As receitas operacionais da Celpa também podem

ser afetadas ou não por decisões da Aneel

em relação às tarifas praticadas. A mitigação desse

risco ocorre pelo monitoramento contínuo de

normas e procedimentos definidos pelo órgão regulador

e por criterioso gerenciamento dos custos

operacionais.

15


16

RISco DE EScaSSEZ DE ENERGIa

Dimensão Geral

níveis insuficientes de água em estações hidre-

létricas e preços inacessíveis do petróleo e gás natural

levam à escassez e racionamento de energia

elétrica. a não diversificação de fontes alternativas

de geração de energia elétrica contribui para a escassez

e racionamento em casos de crises de geração

de energia elétrica.

considerando os níveis atuais dos reservatórios das

usinas hidrelétricas e as últimas simulações efetuadas,

o operador nacional do Sistema elétrico (onS)

não prevê para os próximos anos um novo programa

de racionamento do uso de energia elétrica.

RIScoS RElacIoNaDoS a

MuDaNçaS clIMÁtIcaS

a celpa vem incorporando, progressivamente,

o conceito de governança climática no processo

de governança corporativa. esse processo envolve

ponderação sistêmica de riscos e oportunidades,

estratégias corporativas de sustentabilidade,

formatação de políticas de mitigação de riscos e

avaliação estratégica de vantagens competitivas.

a concessionária aplica o princípio da precaução

nesse aspecto, ao analisar e quantificar os custos

e as medidas preventivas para reduzir as emissões

de gases do efeito estufa – gees gerados por suas

atividades operacionais.

no contexto geral, as práticas de governança climática

vão além do cumprimento das exigências

legais e regulatórias. a celpa identifica preventivamente,

por meio de sistema de informação adequado,

os principais riscos inerentes às mudanças

climáticas e adota medidas de contenção e mitigação

desses riscos em planos de ação.

DISpoNIBIlIDaDE E SEGuRaNça

Na oFERta DE ENERGIa

o sistema elétrico de distribuição nas áreas de

concessão da Rede energia e controladas dispõe,

atualmente, de capacidade física instalada total

de 2.577,66 mVa nas suas subestações, suficiente

para suprimento da demanda máxima do mercado

consumidor. através dessas subestações e dos

sistemas de linhas de transmissão, são disponibilizados

os montantes de energia adquiridos pela

Rede energia. cabe destacar, ainda, que a energia

suprida pela companhia é advinda de contratos de

longo prazo, com duração de 15 a 30 anos, originados

em leilões regulados, realizados com três ou

cinco anos de antecedência; ou advinda de contratos

bilaterais de longo prazo.

a entrega física da energia comprada é garantida

pelo onS, que é o órgão responsável pela

operação de atendimento aos requisitos da carga,

supervisão e controle da geração e pela otimização

de custos e garantia da confiabilidade do Sistema

interligado nacional. esse Sistema garante o transporte

(transmissão) da energia comprada de norte

a sul do país, levando-a até as subestações e redes

de distribuição das concessionárias, como é o caso

das concessões da Rede energia.

a estratégia de compra de energia elétrica da

celpa e demais empresas da Rede energia visa à

minimização do custo da energia comprada, contribuindo

dessa forma para a redução da tarifa de

energia elétrica. o modelo de contratação utilizado

pelas distribuidoras considera prováveis cenários

de mercado e contempla todos os mecanismos de

redução e acréscimo de contratos, indicando assim

qual a melhor contratação para os anos futuros, o

que possibilita assegurar plenamente a disponibilidade

e a oferta aos seus mercados.


MEDIDaS DE coNtINGêNcIa EM caSoS

DE catÁStRoFES ou EMERGêNcIaS

Estão sendo consolidadas, de forma corporativa,

medidas preventivas que atualmente são adotadas

para mitigação dos riscos relacionados a eventuais

problemas de infraestrutura, no âmbito da tecnologia

da informação e em processos críticos e

estratégicos da Celpa e demais empresas da Rede

Energia. Essa consolidação inclui o desenvolvimento

de testes para a implementação de novas medidas

de contingência.

Essas medidas preventivas serão reunidas em um

único documento, que passará pela aprovação da

alta administração da Rede Energia e será divulgado

aos colaboradores e parceiros relacionados a

essas atividades operacionais.

pRÁtIcaS paRa GaRaNtIR

SEGuRaNça No uSo Da ENERGIa

A Celpa promove campanhas para instruir os

usuários a utilizar a energia elétrica de maneira

consciente e segura. São abordados temas como:

soltar pipas longe da rede elétrica; uso correto e

seguro da energia elétrica; cuidados ao construir

nas proximidades da rede elétrica; perigos e ilegalidade

do furto de energia. Também são realizadas

palestras educativas em escolas e comunidades.

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

relação de atenção e

respeito com seu público

Na busca pelo desenvolvimento sustentável, a

Celpa assume compromisso com uma abordagem

integrada e equilibrada, entre os interesses econômicos,

sociais e ambientais, visando não somente

a perenidade dos negócios, mas as necessidades e

preocupações de seus diferentes públicos: funcionários,

clientes, acionistas, fornecedores, sociedade

e governo.

A concessionária mantém práticas de engajamento

e canais de diálogo com os seus stakeholders,

baseados em sua Política de Sustentabilidade,

com os quais busca construir relacionamentos

transparentes e éticos com as partes interessadas,

conforme detalhado a seguir:

MERcaDo

A fim de atender às demandas do seu mercado, a

Celpa está sempre em busca de modernas tecnologias

para composição e atualização do sistema elétrico.

Para atingir seu objetivo, tem buscado apoio

na pesquisa científica, principalmente nos campos

de segurança, meio ambiente, eficiência energética

e fontes alternativas de geração de energia.

pÚBlIco INtERNo

A Celpa promove investimentos em capacitação

e desenvolvimento de pessoas, visando ao aperfeiçoamento

das competências profissionais e à

melhoria contínua dos processos. Em vista disso,

em 2011, houve a continuidade das ações do Programa

Evoluir/Projeto Pessoas, as quais estão em

fase de estruturação e evolução na implantação.

O projeto prevê iniciativas em gestão de pessoas

que promovam a satisfação e a motivação do colaborador.

17


18

Dimensão Geral

as ações voltadas para a qualidade de vida, se-

gurança e saúde ocupacional também são consideradas

de suprema importância na celpa. para isso,

mantém ferramentas e ações pensadas estrategicamente

para garantir condições de trabalho saudáveis.

a exemplo disso, oferece aos colaboradores

assistência médica e odontológica, auxílio-creche,

auxílio-matrícula, seguro de vida, participação nos

resultados, entre outros programas de benefícios.

clIENtES

a celpa utiliza a pesquisa do iaSc (Índice aneel

de Satisfação do consumidor), realizada pela

agência nacional de energia elétrica - aneel e os

indicadores da pesquisa da associação brasileira de

distribuidoras de energia – abRadee, para identificar

as necessidades de melhoria em seus processos

e serviços.

em 2011, foram criadas alternativas adicionais

para solicitação de serviços, como:

• Quiosques de atendimento – instalados estrategicamente

em estabelecimentos comerciais com

grande fluxo de pessoas para atendimento a diversos

serviços

• totens de autoatendimento – um serviço inovador

na área de concessão da celpa que permite

ao cliente a geração de serviços através de terminais

de autoatendimento

• Serviços via SmS – novo canal de atendimento

através de mensagem via telefone celular para

solicitação dos serviços mais frequentes.

em respeito e compromisso ao cliente, a celpa

participa ativamente do conselho de consumidores,

formado por entidades representativas das

diversas classes de consumo que se reúnem frequentemente

com o objetivo de analisar e avaliar

questões ligadas ao fornecimento, tarifas e adequação

dos serviços de energia elétrica prestados

ao consumidor.

coMuNIDaDE

a celpa acredita que o desenvolvimento sustentável

passa também pelo desenvolvimento

humano. por isso, assume compromissos que ultrapassam

a visão do assistencialismo. alinhada à

sua política de Sustentabilidade, a concessionária

investe em desenvolvimento, apoio e estímulo a

projetos sociais de educação, esporte e cultura.

dentro dessa perspectiva, a celpa mantém o projeto

criança luz, que apoia 12 escolas comunitárias

de educação infantil e ensino Fundamental. os

recursos aplicados visam não somente atender o

imediato da população beneficiada, mas, principalmente,

apontar caminhos para a sustentabilidade

nos diferentes contextos em que estão inseridas.

além disso, a empresa tem investido em projetos

que fomentam a cidadania, o empreendedorismo

cultural, as produções locais em arte e literatura e

os direitos humanos.

poDER pÚBlIco

com o intuito de melhor atender às demandas e

oferecer um atendimento diferenciado a órgãos e

empresas controladas pelo poder público, a celpa

mantém um estreito relacionamento que se dá de

forma presencial, por meio de reuniões, audiências

e consultas.


Partes interessaDas Detalhamento PrátiCas De interação

acionistas e

investidores

clientes

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

Rede eneRgia S.a.

centRaiS elÉtRicaS bRaSileiRaS S.a. - eletRobRÁS

QmRa - paRticipaÇÕeS S.a.

outRoS acioniStaS

Residencial

industrial

comercial, Servicos e outras atividades

Rural

poder público

iluminação pública

Serviço público

consumo próprio

Fornecedores Fornecedores de materiais e serviços

empregados, colaboradores,

estagiários,

parceiros

órgãos e programas

públicos

organizações e

comunidades

próprios

terceiros

estagiários

menores aprendizes

ministério público

poder Judiciário

executivo – estadual e municipal

organismos de proteção ao consumidor

museu paraense emílio goeldi

Fórum de empresários pelo direito da criança e do

adolescente

centro Federal de educação tecnológica do pará

escola técnica estadual do pará

escola comunitária Ronaldo barata

escola comunitária brasil novo

escola comunitária n. S. da conceição

existe na empresa uma área de

relação com investidores ligada diretamente

à presidência. essa área é

responsável pelo repasse aos acionistas

de informações padronizadas

de mercado, editais de convocação,

avisos aos acionistas, atas dos órgãos

de administração, envio da revista

notícias em Rede, comunicados e

fatos relevantes.

- call center

- agências de atendimento

- agência Web

- ouvidoria

- livro de críticas / sugestões

- protocolo geral

- Site celpa / Fale conosco

- projeto transparência

- conselho de consumidores

- Quiosques e os totens de autoatendimnto

- Reuniões

- encontros

- contato direto – visitas, e-mail e

telefone

- informativo eletrônico enviado via

e-mail - -comunicados eletrônicos

- contato direto – visitas, e-mail e telefone-

Reuniões departamentais para

capacitação, treinamento, avaliação,

planejamento - Revista notícias em

Rede

- encontros

- Reuniões periódicas

- Visitas

- programações culturais

- cursos

- patrocínios

- parcerias

- convênios

19


20

organizações e

comunidades

Dimensão Geral

Partes interessaDas Detalhamento PrátiCas De interação

escola comunitária mundo encantado

escola comunitária perpétuo Socorro

escola comunitária alameda das palmeiras

escola comunitária luz e Vida

escola comunitária n.S. aparecida

escola comunitária Sagrado coração de maria

centro educação integral mamãe margarida

centro educacional criança esperança

ong grupo paravidda

Fundo das nações unidas para a infância – uniceF

Fundação pestalozzi

legião da boa Vontade

Federação das apae’s do estado do pará

pastoral da criança

associação amigos da universidade Federal do pará

associação beneficente comunidade Família de

nazaré

autrabel

mpub

Sindicato dos policiais Federais

Fundação de amparo e desenvolvimento da pesquisa

– FadeSp

arquidiocese de belém

associação dos Servidores da assembléia legislativa

do pará

Fundação instituto para o desenvolvimento da

amazônia – FideSa

Federação das indústrias do estado do pará – Fiepa

associação dos procuradores do estado do pará

associação comercial do pará

associação do ministério público

grupo ambiental Viva a natureza Viva - ganV

instituto Santareno de educação Superior

prefeitura municipal de Santarém

Federação de arte cênica

prefeitura municipal de castanhal

- encontros

- Reuniões periódicas

- Visitas

- programações culturais

- cursos

- patrocínios

- parcerias

- convênio


indicadores de desempenho

operacional e de Produtividade

a área de concessão da celpa abrange todo o es-

tado do pará, beneficiando aproximadamente 7,7

milhões de habitantes em 144 municípios, distribuídos

em uma área de 1.247.690 km².

DESEMpENHo opERacIoNal

no final de 2011, a celpa atendia a 1.835.981

unidades consumidoras. a maior parte da energia

requerida para atendimento desse mercado

(95,6%) foi comprada de um conjunto de empresas

geradoras do Sistema interligado nacional (Sin). o

restante (4,4%) foi proveniente de geração própria

e terceirizada. no exercício de 2011, dos 144 municípios

do estado, 113 foram atendidos por meio

do Sistema interligado e 31 pelo Sistema isolado.

MERcaDo coNSuMIDoR

o fornecimento de energia elétrica apresentou

crescimento de 2,8% em relação ao exercício anterior,

passando de 6.152 gWh em 2010 para 6.322

gWh em 2011. a classe residencial, responsável por

38,9% do consumo total, apresentou evolução de

2,0%, passando de 2.411 gWh em 2010 para 2.460

gWh em 2011. Já a classe comercial, a segunda mais

representativa, com participação de 22,1% do consumo

total, registrou um crescimento de 4,4%, passando

de 1.338 gWh em 2010 para 1.397 gWh em 2011.

O desempenho observado nessas duas classes foi

influenciado, principalmente, pelas condições climáticas

registradas no Estado, com temperaturas

mais amenas e aumento dos índices pluviométricos

em relação ao ano anterior, além das medidas

adotadas pelo governo em fins de 2010 para

contenção de crédito, que refletiram no consumo

dessas classes, resultando em crescimentos menos

significativos.

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

o aumento do consumo menos significativo ficou

concentrado no 1º semestre de 2011, com índices

de +0,64% na classe residencial e +1,98%

na classe comercial. no segundo semestre, houve

recuperação do consumo, com média de taxas de

evolução superiores de +3,4% na classe residencial

e +6,6% na classe comercial. o consumo residencial

médio apresentou queda de -3,9%, passando

de 140,2 em 2010 para 134,8 kWh/mês em 2011.

a classe industrial, a terceira maior em representatividade

e com uma participação de 20,9%,

apresentou crescimento de apenas 2,7%. o desempenho

desta classe foi fortemente afetado pela

paralisação parcial das atividades de um cliente especial

de 138 kV do ramo de siderurgia, ocorrida

nos meses de novembro e dezembro, o que reduziu

o crescimento 4,6%, que vinha sendo registrada

até o mês de outubro.

além deste fato, o desempenho da classe industrial

continuou sendo influenciado pela crise financeira

internacional de 2008, que afetou as atividades

industriais do estado em especial, os setores de

metalurgia (ferro gusa) e madeira, que permanecem

com desempenho abaixo do esperado.

os principais setores da classe industrial alimentos

e bebidas (27,6% da classe), metalurgia (25,7%),

madeira (13,3%) e minerais não metálicos (13,0%)

apresentaram crescimentos anuais de +3,4%,

-8,1%, +19,5% e +8,5%, respectivamente.

a classe rural apresentou crescimento anual de

1,2%, ocasionado pela concentração das ligações

do programa luz para todos na classe residencial

baixa renda, a partir do final de 2010, sendo que

anteriormente a maior parte das ligações do plt

(programa luz para todos) vinha concentrando-se

na classe rural (subclasse residencial rural).

21


22

Dimensão Geral

coNSuMIDoRES

a celpa registrou um total de 1.835.981 unidades consumidoras, o que representa um crescimento

de 4,2% em relação ao ano anterior, correspondente a um incremento de 74.482 novas unidades. o

número de clientes residenciais atingiu 1.550.854, evoluindo 5,1% em relação a 2010, o que representa

75.697 novas unidades ligadas em 2011.

IndIcadores operacIonaIs e de produtIvIdade

a) dados técnicos (insumos, capacidade

de produção, vendas, perdas)

2011 2010 2009

número de consumidores atendidos - cativos 1.835.981 1.761.499 1.666.661

número de consumidores atendidos - livres 3 3 3

número de localidades atendidas ( municípios ) 144 144 143

número de empregados próprios 2.221 2.161 2.125

número de empregados terceirizados 1.925 2.013 2.041

número de escritórios comerciais (agências) 158 145 144

energia gerada ( gWh ) 408,93 403,12 353,91

energia comprada ( gWh ) *

9.517,2 8.708,6 8.142,9

1) itaipu

- - -

2) contratos iniciais

- - -

3) contratos bilaterais

- - -

3.1) com terceiros

0 229,9 229,9

3.2) com parte Relacionada

- - -

4) leilão

- - -

5) pRoinFa

162,3 162,8 141,3

6) cceaR

8.755,8 8.042,6 7.389,6

7) mecanismo de comercialização de Sobras e déficits – mcSd 373,5 341,1 341,1

perdas elétricas globais ( gWh ) 3.166,552 2.916,9 2.593,8

perdas elétricas - total (%) sobre o requisito de energia 33,23% 31,95% 31,56%

perdas técnicas - (%) sobre o requisito de energia 16,49% 16,44% 16,23%

perdas não técnicas - (%) sobre o requisito de energia 16,75% 15,51% 15,32%

energia Vendida ( gWh ) ** 6.287,742 6.119,4 5.550,6

Residencial 2.460,203 2.411,2 2.149,9

industrial 1.320,616 1.285,8 1.166,0

comercial 1.396,763 1.338,4 1.225,2

Rural 191,825 189,6 161,1

poder público 427,131 419,2 386,1

iluminação pública 257,681 251,0 248,8

Serviço público 233,522 224,2 213,4

Subestações ( em unidades ) 89 75 69


capacidade instalada ( mVa ) 2.578 2.244,0 2.034,0

linhas de transmissão ( em km ) 4.049 11 11

Rede de distribuição ( em km ) 107.301 103.822 91.638

transformadores de distribuição ( em unidades ) 127.055 92.618 75.532

Venda de energia por capacidade instalada

( gWh/mVa*nº horas/ano )

0,000278 0,000315 0,000312

energia Vendida por empregado ( mWh )*** 2.831 2.832 2.612

número de consumidores por empregado 827 815 784

Valor adicionado / gWh Vendido 230 235 244

dec 99,55 103,51 83,40

Fec 53,04 52,23 48,40

* inclui energia de curto prazo não listada abaixo

** excluído consumo próprio

*** nos relatórios de 2009 e 2010, publicou-se incorretamente no item “energia Vendida por empregado –

2009” o valor 1.332. o valor correto está indicado neste relatório.

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

23


24

capítulo 2

dimensão da

Governança

corporativa


ede celpa rede eneRgia ENERGIA RelatóRio RelatóRio RELATóRIO de ReSponSabilidade DE de SuSTENTABILIDADE SuStentabilidade Socioambiental 2010 2011 25


26

A CELPA ADOTA PRáTICAS DE GOVERNANçA

CORPORATIVA TENDO COMO OBJETIVO PRINCIPAL A

TRANSPARêNCIA DAS INfORMAçõES fINANCEIRAS

E OPERACIONAIS, BEM COMO A EfICIêNCIA DO

RELACIONAMENTO ENTRE A SOCIEDADE E SEuS

ADMINISTRADORES, ACIONISTAS E PARCEIROS.

dImensão da Governança corporatIva


valores, transparência e

governança

Dentro dos princípios de Governança Corporativa,

a Celpa não permite a participação de familiares do

acionista controlador na gestão, diretoria ou Conselho

de Administração. A eficácia dessa norma evitou

o registro de conflitos de interesse ao longo de 2011.

Dentro das práticas estabelecidas pela Celpa,

qualquer divergência entre gestores passaria, primeiramente,

pelos gestores de Recursos Humanos;

na sequência, pela Diretoria; e, em última instância,

pelo presidente do Conselho de Administração da

controladora Rede Energia S.A.

Ainda faz parte das práticas estabelecidas pela

Celpa a avaliação, pela presidente da Companhia,

do desempenho econômico, social e ambiental, e do

cumprimento das metas por parte dos integrantes

da diretoria executiva. São realizadas reuniões mensais

nas quais se apresentam os avanços e desafios

nas respectivas áreas de atuação. As estratégias são

construídas com base nessas reuniões.

administração

A Celpa é administrada por um Conselho de

Administração e uma Diretoria Executiva, que têm

mandato de dois anos, podendo ser reelegíveis, e

os respectivos mandatos terminam na data da Assembleia

Geral que examinar as contas relativas ao

último exercício de suas gestões.

conselho de administração

O Conselho de Administração é responsável por

estabelecer as políticas e diretrizes gerais dos negócios,

eleger os membros da diretoria e fiscalizar

seu funcionamento, além das atividades definidas

em lei e no Estatuto Social.

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

O Conselho de Administração da Celpa é composto

por sete ou nove membros, eleitos pela Assembleia

Geral de Acionistas, nos termos da Lei nº

6.404/76 e do Estatuto Social da Companhia, tendo

um presidente e um vice-presidente do Conselho.

Entre os membros eleitos, dois são conselheiros

indicados pela acionista Eletrobras, sendo que a

presidência do Conselho de Administração é exercida

pelo acionista controlador e a vice-presidência

do Conselho é exercida, na atualidade, por um

membro indicado pela Eletrobras.

O acionista controlador assegura que um Conselheiro

seja empregado da Companhia, com mais

de cinco anos de tempo de serviço e com formação

de nível universitário. As reuniões do Conselho de

Administração são realizadas para aprovação das

demonstrações contábeis, eleição e/ou substituição

dos membros da diretoria executiva, aprovação

das operações financeiras e/ou contratações

cujos valores sejam superiores a 5% do valor total

dos ativos da Companhia e, ainda sempre que os

interesses da sociedade as exigirem.

Segue a composição do Conselho de Administração

com mandato a encerrar-se em abril/2012.

Jorge Queiroz de moraes Júnior

Presidente

Frederico arthur m. tavares de Lima

Conselheiro vice-presidente

paulo eduardo cabral Furtado

Conselheiro administrativo

octávio tavares de oliva Filho

Conselheiro administrativo

José alberto alves cunha

Conselheiro administrativo

carmem campos pereira

Conselheira administrativa

alberto José rodrigues alves

Conselheiro administrativo

daniel machado

Conselheiro administrativo

afrânio Barreira de alencar matos Filho

Conselheiro administrativo

27


28

diretoria

A Diretoria Executiva é composta de no mínimo

cinco e no máximo sete membros, acionistas ou

não, residentes no país, sendo um diretor-presidente,

um diretor vice-presidente de operações,

um diretor financeiro e administrativo, dois diretores

vice-presidentes, um diretor gerente e um diretor

de planejamento e projetos especiais, eleitos

pelo Conselho de Administração.

A Diretoria Executiva é responsável por administrar

os negócios e praticar os atos necessários à

consecução do objeto social da Companhia, bem

como executar as deliberações do Conselho de Administração.

A Diretoria é composta por executivos

com larga experiência profissional.

Segue a composição da Diretoria Executiva com

mandato a encerrar-se em abril/2012.

carmem campos pereira

Diretora-presidente e de relação com Investidores

alexei macorin vivan

Diretor vice-presidente

valdir Jonas Wolf

Diretor vice-presidente

mauro chaves de almeida

Diretor financeiro e Administrativo

samir Hafez Bazzi

Diretor-gerente

Álvaro antonio Bressan

Diretor de Planejamento e Projetos Especiais

Dimensão Da GoVernança CorPoratiVa

Conselho fiscal

O Conselho Fiscal, órgão responsável pela fiscalização

dos atos de gestão da administração da

Companhia, de caráter permanente, conforme estabelecido

no seu Estatuto Social, tem seus membros

eleitos anualmente pela Assembleia Geral Ordinária.

O Conselho fiscal é composto por cinco membros

e suplentes em igual número, sendo que dois

efetivos e respectivos suplentes são indicados pela

acionista Eletrobras.

Segue composição do Conselho fiscal, com mandato

a encerrar-se em abril/2012.

carlos souza Barros de carvalhosa

Conselheiro efetivo

antonio carlos de paula

Conselheiro efetivo

Kleber cimini Lage

Conselheiro efetivo

José alcindo Lustosa maranhão

Conselheiro efetivo

pedro paulo da cunha

Conselheiro efetivo

osmar José vicchiatti

Suplente

Fernando Quartim Barbosa de Figueiredo

Suplente

annibal ribeiro do valle Filho

Suplente

marcos simas parentoni

Suplente

sônia regina Jung

Suplente


Grupos de trabalho

A Celpa, por intermédio de sua controladora indi-

reta Rede Energia S.A, conta, ainda, com grupos de

trabalho, de caráter permanente, compostos por

superintendentes, diretores e vice-presidentes, estatutários

ou não. A composição é feita por designação

do diretor vice-presidente responsável pela

área de atuação do grupo. Os grupos de trabalho

reportam-se à Presidência por intermédio dos vice-

-presidentes, nas respectivas áreas de atuação.

De finalidade técnica, os grupos de trabalho, também

denominados internamente como Comitês,

têm por finalidade análises técnicas, levantamentos

das execuções e de propostas, cujo objetivo final é

apresentar as análises relativas ao cumprimento dos

planos de trabalho e das metas estabelecidos pela

Diretoria Executiva.

Os grupos de trabalho atuam nas respectivas áreas

do grupo: Administrativa e financeira, Regulatória,

Jurídica e de Gestão de Pessoas, Distribuição e

Gestão de Energia, sendo presididos pelos respectivos

vice-presidentes, os quais podem receber contribuições

de terceiros. As reuniões são realizadas

sempre que os interesses da sociedade os exigirem

e os trabalhos são apresentados à presidente.

Aos vice-presidentes compete apresentar os resultados

das tarefas realizadas pelo grupo de trabalho

à presidente que, após os alinhamentos necessários,

poderá apresentar sugestões e propostas ao

Secretário do Conselho de Administração da Controladora,

Rede Energia, para eventual deliberação

pelo Comitê de Gestão da Rede Energia.

uma vez que as sugestões e propostas do grupo

de trabalho sejam apreciadas pelo Comitê de

Gestão da Rede Energia, este poderá recomendar

que sejam estas deliberadas pelo Conselho de Administração

da controladora, Rede Energia, caso

necessário.

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

comitê de

sustentabilidade

Desde 2008, a Companhia dispõe de um Comitê

de Sustentabilidade, composto por representantes

de todas as áreas e empresas da controladora

Rede Energia, que tem como objetivo o melhor

alinhamento e consolidação das práticas socioambientais

e econômicas em todo o grupo, o qual é

responsável pela elaboração do Relatório Anual

de Responsabilidade Socioambiental da Companhia

e das demais controladas da Rede Energia.

Esse Comitê opera de acordo com o modelo de

gestão da estratégia adotado pela Rede Energia,

por meio da realização de reuniões mensais que

discutem o alinhamento de programas, projetos e

ações de responsabilidade socioambiental – PPAs

– com os objetivos estratégicos da holding e suas

distribuidoras. Nele, é avaliado o índice de aderência

à Política de Sustentabilidade, que é um indicador

estratégico que mede o fortalecimento da

responsabilidade socioambiental na Rede Energia.

Portanto, a contribuição com o alcance dos objetivos

estratégicos é o que norteia as decisões tomadas

pelo Comitê na busca pelo “Crescimento com

Sustentabilidade”.

acordo de acionistas

Em 17/07/1998, foi celebrado o Instrumento

Particular de Acordo de Acionistas entre a QMRA

- Participações S.A. e Centrais Elétricas Brasileiras

S.A. O Acordo tem por objeto a regulamentação

do direito de voto relativo a alteração de objeto social,

emissão de novas ações, competência, composição,

funcionamento dos órgãos da administração

e venda das ações da Eletrobras.

29


30

societário

A Celpa dispõe de uma área responsável pelo en-

vio e disponibilização de informações periódicas e

eventuais, tais como informações padronizadas de

mercado, editais de convocação, avisos aos acionistas,

atas dos órgãos da administração, comunicados

e fatos relevantes, utilizando-se do sistema

IPE - Informações Periódicas e Eventuais da CVM.

auditoria independente

A auditoria independente das demonstrações

contábeis constitui o conjunto de procedimentos

técnicos que tem por objetivo a emissão de parecer

sobre a adequação com que estas representam a

posição patrimonial e financeira, o resultado das

operações, as mutações do patrimônio líquido e

as origens e aplicações de recursos da Companhia,

consoante às normas brasileiras de contabilidade e

à legislação específica no que for pertinente.

O Conselho de Administração da Companhia escolhe,

periodicamente, a empresa de auditoria independente,

nos termos da Instrução nº 308/99 da

CVM, conforme alterada pela Instrução nº 509/11

da CVM.

relação com investidores

A Celpa conta com uma equipe que se reporta à

diretora-presidente e de relação com investidores,

especializada no atendimento aos acionistas, responsável

pela disponibilização e atualização do formulário

de Referência da Companhia, nos termos da

Instrução CVM nº 480/09, conforme alterada, bem

como pela atualização do site da Companhia, com o

suporte do Societário na disponibilização de demais

informações periódicas e eventuais, em cumprimento

à Instrução CVM 358/02, conforme alterada.

Dimensão Da GoVernança CorPoratiVa

políticas de divulgação e

negociação

Em conformidade com a Instrução nº 358 da

CVM, a Companhia possui uma política de divulgação

e negociação, por meio do Manual das Políticas

de uso e Divulgação de Informações Relevantes

e de Negociação dos Valores Mobiliários de

emissão da Companhia.

A referida política formaliza a postura de transparência,

ampla disseminação, acuidade e suficiência

de informações relevantes, relativas à Companhia,

que sempre orientou a conduta da administração.

Todos os administradores estatutários (Conselheiros

e Diretores) aderiram a essa política no ato

de suas eleições. fica a critério da Companhia aplicá-la

a outros cargos de confiança.

Informações financeiras e

relatórios gerenciais

faz parte das práticas de Governança Corporativa

da controladora Rede Energia e de suas controladas

a disponibilização aos stakeholders no

site corporativo da controladora, http://redeenergia.riweb.com.br,

das Demonstrações financeiras

e Relatórios Gerenciais trimestrais, por meio dos

quais são apresentados os resultados financeiros

da Rede Energia e Consolidado, bem como o resultado

financeiro e operacional desta Companhia.


ede celpa eneRgia RelatóRio RelatóRio de ReSponSabilidade de SuStentabilidade Socioambiental 2010 2011 31


32

capítulo 3

desempenho

econômico-Financeiro


ede celpa eneRgia RelatóRio RelatóRio de ReSponSabilidade de SuStentabilidade Socioambiental 2010 2011 33


34

desempenho econômicofinanceiro

REcEIta opERacIoNal BRuta

A receita operacional bruta apresentou um crescimento

de 14,4%, passando de R$ 2.952,1 milhões

em 2010 para R$ 3.376,3 em 2011. Esse

aumento foi principalmente decorrente de: (I) crescimento

do mercado de venda de energia elétrica

em 2,8%; (II) aumento de 6,6% no preço médio

de venda ao consumidor final (receita obtida dos

consumidores finais dividida pelos MWh vendidos

a esses mesmos consumidores); e (III) aumento de

50,3% na receita de construção, que passou de R$

488,8 milhões em 2010 para R$ 734,6 milhões em

2011. Vale acrescentar que essa receita é parte dos

efeitos da adoção do IfRS (International financial

Report Standard), Normas Internacionais de Contabilidade,

pela companhia, a partir de 31 de dezembro

de 2010, e não constitui efeito real, uma vez

que esses mesmos valores (tanto para 2010 quanto

para 2011) aparecem no custo de operação, resultando

em efeito nulo no resultado operacional da

companhia. Retirando-se, portanto, os efeitos da

receita de construção, o aumento da receita bruta

seria de 7,2%, passando de R$ 2.463,3 milhões

em 2010 para R$ 2.641,7 milhões em 2011.

receIta operacIonaL Bruta

(em mILHões de reaIs)

caGr: 14,4%

2.952

3.763

2010 2011

DesemPenho eConômiCo-FinanCeiro

cuSto Do SERVIço DE ENERGIa ElÉtRIca

O custo do serviço de energia elétrica, composto

de compra de energia e encargos de uso do sistema

de transmissão e distribuição, atingiu R$ 965,1

milhões em 2011, portanto, 13,2% acima dos R$

852,8 milhões verificados em 2010. Esse crescimento

foi consequência da combinação dos seguintes

fatores: (I) aumento de 8,3% nos GWh comprados

para revenda, que passaram de 8.784 GWh em

2010 para 9.517 GWh em 2011; (II) aumento de

4,5% no preço médio de compra (R$ gastos com

compra de energia divididos pelo GWh vendidos); e

(III) aumento de 12,5% no custo do encargo de uso

do sistema de transmissão e distribuição.

cuSto DE opERação

O custo de operação atingiu R$1.067,5 milhões

em 2011, representando um aumento de 27,1%

em relação aos R$ 840,0 milhões de 2010. No entanto,

para uma correta análise, faz-se necessária

a exclusão de alguns itens que compõem o custo

da operação, tais como: (I) matéria-prima e insumos

para produção de energia elétrica, (II) subvenção

CCC, e (III) custo de construção, porém serem

compulsórios, exógenos ou derivados da adoção

do IfRS, sem efeito real sobre o resultado operacional.

Assim, retirando-se o efeito desses itens, o

custo da operação passou de R$321,4 milhões em

2010 para R$387,8 milhões em 2011, representando

um aumento de 20,6% (R$66,4 milhões),

influenciado pelos seguintes itens: (I) aumento

de 81,5% (R$35,4 milhões) no custo de pessoal

principalmente devido ao custo não recorrente do

exercício de 2010 da mão de obra alocada nos

investimentos do período, (II) aumento de 5,6%

(R$9,1 milhões) nos serviços de terceiros em razão

dos reajustes anuais dos contratos (a inflação medida

pelo IGPM foi de 5,1% entre 2010 e 2011); e

(III) aumento de 15,5% (R$17,6 milhões) na depreciação

e amortização.


DESpESaS opERacIoNaIS

As despesas operacionais, compostas de despe-

sas com vendas, gerais, administrativas e outras

despesas aumentaram 52,3% (ou R$ 113,6 milhões),

passando de R$ 217,2 milhões em 2010

para R$ 330,8 milhões em 2011, principalmente

devido a: (I) constituição de PDD na rubrica despesas

com vendas. As provisões líquidas de reversão,

nessa rubrica, passaram de R$ 15,3 milhões

em 2010 para R$ 34,4 milhões em 2011; e (II)

aumento de R$94,4 milhões no item outras despesas

operacionais, composto principalmente de:

(a) aumento de R$35,5 milhões nas provisões;

(b) aumento de R$ 41,7 milhões nas perdas na

desativação de bens e direitos; e (c) aumento de

R$ 19,5 milhões na perda no valor recuperável.

É importante ressaltar que, antes da adoção do

IfRS, os itens de perdas na desativação de bens e

direitos e perda no valor recuperável eram classificados

com resultados não operacionais.

EBItDa

Como consequência dos resultados comentados

nos parágrafos anteriores, o EBITDA da companhia

passou de R$ 328,4 milhões em 2010 para

R$283,2 milhões em 2011, representando uma redução

de 13,8% (ou R$ 45,2 milhões).

eBItda (em mILHões de r$)

328

caGr: - 13,8%

253

2010 2011

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

RESultaDo FINaNcEIRo

O resultado financeiro passou de uma despesa

de R$ 328,8 milhões em 2010 para uma despesa

de R$ 489,0 milhões em 2011, representando um

aumento de 48,7% (R$ 160,2 milhões). As rubricas

que mais influenciaram esse aumento foram: (I)

aumento de 37,7% (R$ 53,7 milhões) nas despesas

com encargos de dívidas em razão do aumento

do endividamento financeiro; e (II) aumento de R$

92,8 milhões na variação monetária líquida (receita

menos despesa), que gerou uma despesa de

R$ 20,9 milhões em 2010 e R$ 113,7 milhões em

2011, e (III) aumento de 46,5% (R$ 64,5 milhões)

em juros e multas, especialmente devido a multas

regulatórias. O aumento das despesas financeiras,

no entanto, foi parcial e positivamente compensados

pela redução das despesas, de swap que, líquidas

(receita menos despesa) passaram de uma

despesa de R$ 69,9 milhões em 2010 para uma

despesa de R$ 15,3 milhões em 2011, representando

uma redução de R$ 54,6 milhões.

RESultaDo líQuIDo

Com isso, o resultado líquido do exercício de

2011 foi um prejuízo de R$391,2 milhões, em relação

a um prejuízo de R$100,7 milhões em 2010.

resuLtado LÍQuIdo

(em mILHões de r$)

2010 2011

101

caGr: 288,3%

391

35


36

ENDIVIDaMENto FINaNcEIRo

Em junho de 2011, foi emitido papel no mercado

externo (BONDS) no montante de uS$ 250 milhões

com taxa de 10,5% a.a. O pagamento dos juros é

semestral e o principal será “bullet” em junho de

2016. Os BONDS são negociados na Irish Stock Exchange

(Bolsa de Valores da Irlanda) e os recursos

dessa operação foram utilizados para pagamentos

de parte do capital de giro da companhia que tinham

custos mais altos.

O saldo da conta empréstimos, financiamentos e

encargos passou de R$ 1.594,9 milhões em 2010

para R$ 1.936,7 milhões em 2011, representando

um aumento de 21,4% (R$341,8 milhões). Essa

variação foi influenciada principalmente pelo (I)

aumento de R $472,6 milhões no saldo em moeda

estrangeira devido à emissão dos BONDS; (II) aumento

de R$ 88,0 milhões no saldo com a Eletrobras,

em virtude do Programa de universalização

(Luz Para Todos); e (III) aumento de R$ 20,2 milhões

no saldo do fundo Constitucional de financiamen-

DesemPenho eConômiCo-FinanCeiro

to do Norte (fNO), cujos recursos são destinados

para investimentos. Esses aumentos foram parcial

e positivamente compensados pela (I) redução de

R$ 174,6 milhões no capital de giro, com o recurso

dos BONDS; e (II) redução de R$ 40,1 milhões no

saldo do BID, devido a amortizações.

Considerando-se, portanto, a dívida líquida das

disponibilidades (caixa e equivalentes) e sub-rogação

CCC, o saldo passou de R$ 999,2 milhões

em 2010 para R$ 1.552,1 milhões em 2011, representando

um aumento de 55,3% (R$ 552,9

milhões).

Em 31 de dezembro de 2011, o endividamento

em moeda nacional representava 68,9% (R$

1.334,1 milhões) do saldo total, enquanto as dívidas

em moeda estrangeira representavam 31,1%

(R$ 602,5 milhões), sendo a sua maior parte (R$

472,6 milhões), referente aos BONDS. Nessa mesma

data, o endividamento de curto prazo representava

40,7% (R$ 787,7 milhões) e o endividamento

de longo prazo, 59,3% (R$ 1.148,9 milhões).


IndIcadores econômIco-FInanceIros - detaLHamento da dva

Geração de riqueza

(r$ mil)

2011 2010 2009

r$ Mil % d% r$ Mil % d% r$ Mil % d%

RECEITA OPERACIONAL

(Receita bruta de vendas

de energia e serviços)

3.376.348 - 14,4 2.952.054 - 28,8 2.292.296 - 20,8

fornecimento de

Energia

2.598.232 100,0 8,6 2.393.082 100,0 17,3 2.039.974 100,0 12,1

Residencial 1.109.850 42,7 10,9 1.000.464 41,8 20,3 831.589 40,8 13,4

Residencial baixa renda 37.746 1,5 (32,9) 56.237 2,3 14,3 49.183 2,4 28,0

Comercial 651.107 25,1 9,0 597.565 25,0 16,4 513.191 25,2 13,4

Industrial 418.604 16,1 8,4 386.330 16,1 14,5 337.297 16,5 3,0

Rural 58.882 2,3 7,8 54.611 2,3 26,8 43.065 2,1 23,4

Iluminação Pública 69.805 2,7 10,5 63.148 2,6 7,5 58.766 2,9 11,6

Serviço Público 62.467 2,4 9,3 57.144 2,4 10,8 51.596 2,5 9,0

Poder Público 189.771 7,3 6,9 177.583 7,4 14,4 155.287 7,6 15,7

Receita de uso da rede

elétrica

16.838 0,648056063 (2,9) 17.348 (7,1) 18.668 55,3

Energia de Curto Prazo 12.966 0,499031649 6,9 12.126 - 31,9 9.194 - (27,4)

Serviços 19.551 0,75247322 18,6 16.488 (2,5) 16.903 - 14,7

Outras receitas,

fornecimento não

faturado, etc.

728.761 28,0483421 42,1 513.010 - 147,2 207.557 - 452,5

(-) Provisão para créditos

de liquidação duvidosa

(34.399) -1,32393874 124,3 (15.338) - 42,4 (10.769) - 58,6

(-) INSuMOS (Insumos

adquiridos de terceiros:

compra de energia,

material, serviços de

terceiros etc.)

(1.988.769) -76,54316474 18,8 (1.674.095) - 42,5 (1.174.929) - 35,9

resultado não

operacional

(64.002) -2,463290422 5.412,7 (1.161) - (88,8) (10.396) - 3.376,9

(=) vaLor adIcIonado

Bruto

1.289.178 - 2,2 1.261.460 - 15,1 1.096.202 - 6,9

(-) QuOTAS DE REINTE-

GRAçÃO (depreciação,

amortização)

(139.087) - 16,3 (119.590) - 10,1 (108.577) - 1,5

(=) vaLor adIcIonado

LÍQuIdo

1.150.091 - 0,7 1.141.870 - 15,6 987.625 - 7,5

(+) vaLor adIcIonado

transFerIdo

(Receitas financeiras,

resultado da equivalência

patrimonial)

299.210 - 2,0 293.255 - (19,6) 364.846 - 68,0

(=) vaLor adIcIonado

a dIstrIBuIr

1.449.301 - 1,0 1.435.125 - 6,1 1.352.471 - 19,1

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

37


38

DesemPenho eConômiCo-FinanCeiro

distribuição da riqueza - por

2011 2010 2009

partes Interessadas

r$ Mil (%) r$ Mil (%) r$ Mil (%)

EMPREGADOS 100.175 6,91 61.839 4,31 82.068 6,07

GOVERNO (impostos, taxas e

contribuições e encargos setoriais)

956.166 65,97 857.351 59,74 732.147 54,13

fINANCIADORES 784.122 54,1 616.670 42,97 450.200 33,29

ACIONISTAS (391.162) -26,98 (100.735) -7,02 88.056 6,51

(=) vaLor adIcIonado dIstrI-

BuÍdo (totaL)

1.449.301 100,00 1.435.125 100,00 1.352.471 100,00

distribuição de riqueza - Governo e

2011 2010 2009

encargos setoriais

r$ Mil % r$ Mil % r$ Mil %

trIButos/taXas/contrIBuIções 810.824 84,9 751.214 87,6 639.301 87,3

ICMS 554.202 58,0 511.861 59,7 439.563 60,0

PIS/PASEP 43.735 4,6 40.474 4,7 34.548 4,7

COfINS 201.415 21,1 186.427 21,7 159.100 21,7

ISS (10) 0,0 10 0,0 23 0,0

IRPJ a pagar do exercício (28.939) -3,0 (14.855) -1,7 (22.701) -3,1

CSSL a pagar do exercício 1.503 0,2 (12.260) -1,4 (11.904) -1,6

outros encargos 38.918 4,0 39.557 4,6 40.672 5,6

ENCARGOS SETORIAIS 145.342 15,1 106.137 12,4 92.846 12,7

RGR 29.422 3,1 17.113 2,0 15.464 2,1

CCC 81.324 8,5 58.710 6,8 49.318 6,7

CDE 13.983 1,5 11.416 1,3 10.994 1,5

CfuRH 0 0,0 0 0,0 0 0,0

TfSEE 4.073 0,4 3.461 0,4 3.341 0,5

ESS 0 0,0 0 0,0 0 0,0

P&D 16.540 1,6 15.437 1,9 13.729 1,9

(=) vaLor dIstrIBuÍdo (totaL) 956.166 100,0 857.351 100,0 732.147 100,0


Inadimplência setorial 2011 2010 2009

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

r$ Mil d% r$ Mil d% r$ Mil d%

enerGIa comprada (discriminar) 72.384 39,1% 15.811 58,7% - -

encarGos setorIaIs - 0,0% - 0,0% - -

RGR 19.624 10,6% 6.621 24,6% - -

CCC 64.211 34,7% 4.507 16,7% - -

CDE 29.010 15,7% - 0,0% - -

CfuRH - 0,0% - 0,0% - -

TfSEE - 0,0% - 0,0% - -

ESS - 0,0% - 0,0% - -

P&D - 0,0% - 0,0% - -

total (a) 185.229 100,0% 26.939 100,0% - -

percentual de inadimplência % % - % -

Total da inadimplência (A)/receita operacional líquida 2,5% - 0,4 - - -

Investimentos

2011 2010 2009

r$ Mil (%) r$ Mil (%) r$ Mil (%)

Distribuição (expansão/reforço) 538.381 83% 499.143 73% 290.584 74%

Renovação da Distribuição/Transmissão - - - - - -

Subtransmissão 99.945 15% 162.727 24% 88.950 23%

Outros 14.007 2% 23.740 3% 11.406 3%

Total 652.333 - 685.611 - 390.940 -

39


40

outros Indicadores

2011 2010 2009

valor d% valor d% valor d%

Receita Operacional Bruta (R$) 3.376.348 14,40 2.952.054 28,80 2.292.296 20,80

Deduções da Receita (R$ Mil) (942.548) 12,10 (841.093) 18,10 (712.026) 12,30

Receita Operacional Líquida (R$ Mil) 2.433.800 15,30 2.110.961 33,60 1.580.270 25,10

Custos e Despesas Operacionais

do Serviço (R$ Mil)

(2.363.377) 23,70 (1.910.055) 34,00 (1.425.017) 23,30

Receitas Irrecuperáveis (R$ Mil) 16.882 14,40 14.760 28,80 11.461 20,80

Resultado do Serviço (R$ Mil) 70.423 (64,90) 200.906 29,40 155.253 43,90

Resultado financeiro (R$ Mil) (489.020) 48,70 (328.756) 290,00 (84.289) (18,80)

IRPJ/CSSL (R$ Mil) 27.435 1,20 27.115 58,60 17.092 (322,80)

Lucro Líquido (R$ Mil) (391.162) 288,30 (100.735) (214,40) 88.056 (2.372,40)

Juros sobre o Capital Próprio (R$ Mil) 0 (100,00) 0 (100,00) 4.980 (21,90)

Dividendos Distribuídos (R$ Mil) 0 (100,00) 0 (100,00) 94.408 9,10

Custos e Despesas Operacionais

por MWh vendido (R$ Mil)

0,35 15,40 0,30 23,20 0,25 21,10

Riqueza (valor adicionado

líquido) por Empregado (R$ Mil)

Riqueza (valor a distribuir) por

Receita Operacional (%)

518 (2,10) 529 13,80 465 8,50

59,5 (12,40) 68,0 (20,60) 85,6 (4,80)

EBITDA ou LAJIDA (R$ Mil) 283.153 (4,10) 295.192 (10,10) 328.373 53,10

Margem do EBITDA ou LAJIDA (%) 11,6 (17,10) 14,0 (32,70) 20,8 22,40

Liquidez Corrente 0,49 (50,20) 0,99 20,60 0,82 8,10

Liquidez Geral 0,55 (14,10) 0,64 (3,30) 0,67 4,40

Margem Bruta (lucro líquido/

receita operacional bruta) (%)

(11,59) 239,50 (3,41) (188,80) 3,84 (1.980,90)

Margem Líquida (lucro líquido/

receita operacional líquida) (%)

(16,07) 236,80 (4,77) (185,60) 5,57 (1.917,10)

Rentabilidade do Patrimônio

Líquido (lucro líquido/patrimônio

líquido) (%)

(78,15) 591,80 (11,30) (227,30) 8,87 (2.542,60)

Estrutura de Capital 2.437.151 (2,00) 2.486.538 15,50 2.152.390 1,60

Capital Próprio (%) 20,5 (42,70) 35,9 (22,20) 46,1 (8,40)

Capital de terceiros oneroso (%)

(empréstimos e financiamentos)

79,5 23,90 64,1 19,00 53,9 8,50

Inadimplência de clientes

(contas vencidas até 90 dias /

Receita Operacional bruta nos

últimos 12 meses) (%)

* Distribuição e Subtransmissão = 69 KV

DesemPenho eConômiCo-FinanCeiro

4,7 (22,90) 6,04 4,20 5,80 (24,60)


ede celpa eneRgia RelatóRio RelatóRio de ReSponSabilidade de SuStentabilidade Socioambiental 2010 2011 41


42

capítulo 4

Dimensão social

e setorial


ede celpa eneRgia RelatóRio RelatóRio de ReSponSabilidade de SuStentabilidade Socioambiental 2010 2011 43


44

indicadores sociais

internos

coMuNIDaDE INtERNa

A Celpa visa a satisfação dos seus clientes e acionistas,

dissemina ações de responsabilidade socioambiental

e busca o aprimoramento e inovação

tecnológicos. Zelar pelo bem-estar de seu principal

patrimônio, seus colaboradores, também faz parte

da trajetória da empresa, que acredita no futuro

do Brasil.

Suas boas práticas da Celpa não se restringem a

atender apenas as exigências do órgão regulador, a

Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL, mas

busca expandir benfeitorias à comunidade e à sociedade,

preocupando-se com o desenvolvimento

intelectual e cultural de seu público interno e com

a modernização de sistemas, que tenham impacto

direto nos clientes e nos consumidores.

pRoGRaMa EVoluIR

Pessoas é um dos projetos do Programa Evoluir,

que em 2011 teve continuidade e está em fase de

estruturação e evolução na implantação. O projeto

envolve as seguintes frentes:

estruturação dos processos de Gestão de pessoas

(epGp) – Visa reformular a área de Gestão de

Pessoas por meio da estruturação de seus processos,

obtendo ganhos de eficácia e de sinergia com o

alinhamento dos padrões, políticas e práticas, além

de definir um plano diretor de gestão de pessoas

para os próximos três anos.

Após vários levantamentos, foram eleitas como

prioridade, para os próximos dois anos, a melhoria

dos processos, procedimentos e a implantação

do Sistema Rhevolution, que trará maior eficiência

e eficácia nas informações relacionadas à área de

Gestão de Pessoas.

Dimensão soCial e setorial

programa de Qualidade de vida – Visa ampliar

o tratamento de questões relativas à prevenção e

promoção da saúde, permitindo o alcance do bem-

-estar físico, emocional e social dos colaboradores,

além de trazer benefícios para a organização, visto

que seres humanos saudáveis produzem mais e melhor.

Em 2011, o programa realizou atividades de

intervenção motivacional, reflexologia, quick massage,

pirâmide nutricional, yoga laboral e avaliação da

massa corpórea (IMC) – Bioimpedância.

educação corporativa – Tem como objetivo desenvolver

e treinar os colaboradores para o exercício

de sua função, além da formação da liderança, e

de possibilitar a criação de um modelo de educação

continuada para a empresa. A estrutura do novo

modelo é composta por: Academia funcional, com

foco no desenvolvimento dos colaboradores técnicos,

operacionais, comerciais e administrativos; Academia

de Gestão e Liderança, voltada para o aprimoramento

das lideranças; e o Núcleo de Ensino à

Distância, que permite a utilização de ferramentas

tecnológicas a fim de facilitar e ampliar o aprendizado.

O novo modelo de Educação Corporativa iniciou

sua implantação e será concluído de forma gradativa

e em médio prazo.

programa de melhoria do clima – Visa à melhoria

da motivação e percepção dos colaboradores

em relação à empresa, fortalece o engajamento

atrelado aos resultados e gera uma imagem positiva

da empresa para o público externo, por meio

do acompanhamento das ações do Projeto Pessoas,

além do estudo de viabilidade de implantação

de outras atividades contidas no plano de ação do

Programa de Clima.


Gestão de pessoas

DESENVolVIMENto E capacItação

DoS colaBoRaDoRES

Além do investimento na expansão de seus negó-

cios, a Celpa investe no desenvolvimento cultural e

intelectual dos seus colaboradores, através das seguintes

ações:

programa de bolsa de estudos - Nos últimos anos

priorizou-se o subsídio de cursos técnicos e de graduação

por serem as modalidades nas quais possuímos

uma maior oportunidade de formação, além

de alcançar um maior número de colaboradores. Em

2011, contudo, o Programa foi bastante abrangente,

contemplando ainda cursos de especialização e

de pós-graduação.

palestras – Eventualmente, a empresa contrata

profissionais renomados do mercado e promove

eventos voltados à atualização e ao aprimoramento

profissional de seu quadro de colaboradores, nas diversas

áreas e níveis de atuação.

programa de Integração – Todos os novos colaboradores

passam pelo Programa de Integração,

no qual são primordialmente ambientados ao novo

contexto. Esta iniciativa visa facilitar a adaptação do

novo colaborador na empresa por meio do conhecimento

da cultura e da filosofia da organização.

semana da sustentabilidade – Evento que tem

como objetivo disseminar a Política de Sustentabilidade

da Celpa e fomentar no dia a dia dos colaboradores

os compromissos assumidos na Política

de Sustentabilidade. O evento conta com palestras,

workshops, vivências e laboratórios, sempre conduzidos

por profissionais capacitados.

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

sistema de Gestão de Qualidade - A equipe auditora

recomendou, em 2011, à Comissão Técnica

da Diretoria de Certificação da Fundação Vanzolini,

a manutenção da certificação da Celpa frente aos

requisitos da NBR ISO 9001:2008, mediante a realização

de um follow-up in loco no prazo de 180

dias. O Sistema de Gestão da Qualidade possibilita

melhor visibilidade dos seus colaboradores junto ao

mercado de trabalho, denotando a possibilidade de

melhoria contínua de seus processos.

recrutamento Interno - Tem como objetivo valorizar

os colaboradores, oportunizando a ascensão

profissional, desde que estejam devidamente habilitados

para o cargo.

estagiários - Praticados na forma da lei, a Celpa

investe na formação e capacitação de jovens estudantes,

preparando-os para o mercado de trabalho.

Além disso, a companhia oferece benefícios como

salário, seguro de vida, ticket alimentação e vale

transporte.

REMuNERação, RElaçõES

SINDIcaIS, BENEFícIoS, aSSIStêNcIa

SocIal E DESENVolVIMENto

A Celpa acredita que através de suas práticas de

benefícios contribui para a qualidade de vida e bem-

-estar de seus colaboradores. Em seu amplo pacote

de benefícios, que envolve muitas vezes seus dependentes,

é reforçado o respeito e a valorização do

colaborador. Entre os principais benefícios estão:

assistência médica - Por meio de ampla rede credenciada

de Assistência Médica e Odontológica, a

Celpa proporciona ao colaborador a prevenção e a

manutenção de sua saúde e de seus dependentes.

Neste item, uma ação que mereceu destaque, em

2011, foi a concessão de um padrão de assistência

médica diferenciada a partir do nível Gerencial, con-

45


46

forme prática de mercado, fortalecendo assim, seu

compromisso com a qualidade de vida.

vale-alimentação - Desde 2010, o benefício foi

ampliado, sendo pago em dobro no mês do aniversário

do colaborador. O objetivo é valorizar e motivar

o empregado, o que resulta numa política cada vez

mais competitiva.

auxílio-creche - Beneficia as crianças de 0 a 06 anos

de idade e permite que a colaboradora-mãe tenha condições

apropriadas de cuidados dos seus filhos.

auxílio-matrícula - Concedido aos empregados

com filhos de 06 a 14 anos de idade, auxilia financeiramente

na matrícula escolar, com o valor de 60% do

salário mínimo vigente à época da matrícula.

seguro de vida em Grupo - Garantido pela Celpa

a todos os seus empregados, sem custo para os mesmos,

possibilita que eles contratem valores superiores,

arcando com o custo complementar.

programa de preparação a aposentadoria - Proporciona

aos empregados, em vias de se aposentar,

informações e conhecimentos sobre o assunto, garantindo

maior segurança e tranquillidade neste momento

da vida.

programa de valorização do aposentado - Visa

garantir a qualidade de vida a seus ex-empregados,

através de ações e eventos voltados ao lazer, ao esporte

e a saúde, além da realização de oficinas de

dança, yoga e artesanato, e programações especiais

em datas comemorativas.

Licença-maternidade – Com período abrangente

de 120 (cento e vinte) dias, na Celpa a licença-maternidade

pode ser prorrogada por mais 60 (sessen-

Dimensão soCial e setorial

ta), perfazendo um total de 180 (cento e oitenta)

dias e garantindo, assim, que a colaboradora-mãe

dedique o maior tempo possível na companhia do

seu filho e fortaleça os laços afetivos familiares.

vale transporte - Praticado nos termos da lei, beneficia

o colaborador no deslocamento residência-

-trabalho-residência.

natal – Todos os anos a Celpa concede aos seus

colaboradores cestas de Natal e brinquedos para os

dependentes de até 12 anos, garantindo nesta ação,

a valorização e a satisfação das pessoas. Em 2011,

foram concedidas 2.297 cestas e distribuídos 1.663

brinquedos.

programa de participação dos resultados - Importante

ferramenta estratégica de remuneração

para a Celpa, reflete o desempenho do colaborador

no alcance de metas e resultados estabelecidos em

determinado período de tempo.

cozinha Brasil e Feira do artesanato - A Celpa

proporciona a seus empregados a participação nos

programas “Cozinha Brasil”, que ensina sobre a manipulação

correta de alimentos, e “feira do Artesanato”,

destinado à comercialização de produtos produzidos

pelos empregados e seus familiares, que têm a finalidade

de complementação da renda familiar.

ValoRIZação Do colaBoRaDoR

A Celpa aproveita todas as oportunidades para

enaltecer e valorizar seus colaboradores por meio

de eventos relacionados a datas comemorativas,

nas quais os colaboradores são diretamente mobilizados

e contemplados com ações e demonstrações

de zelo da companhia para com cada um de seus

profissionais.


datas comemorativas - Algumas datas são destacadas

para serem celebradas na empresa junto aos

colaboradores. Estas são extensivas aos temporários,

estagiários, empreiteiros, consultores e demais prestadores

de serviços da Celpa. Visando contemplar

e prestigiar a todos, a empresa publica um e-mail

marketing sobre a data e escala atrações específicas

para cada uma delas.

Dia do Trabalho – Tradicionalmente, para celebrar o

dia 1º de Maio, a Celpa organiza eventos específicos

proporcionando uma grande interação e favorecendo

a integração dos colaboradores. Esta data é celebrada

para homenagear todas as profissões que atuam na

companhia.

Dia das Mães – Na véspera do 2º domingo do mês de

maio é realizada a homenagem a todas às colaboradoras-mães,

dentro do ambiente de trabalho.

Dia dos Pais – Na véspera do 2º domingo do mês de

agosto é realizada a homenagem a todos os colaboradores-pais,

dentro do ambiente de trabalho.

Dia do Eletricista – Profissional de atuação fundamental

na Celpa, o eletricista é homenageado em

todas as empresas que fazem parte da Rede Energia.

Entre as ações alusivas à data está o Rodeio de Eletricistas,

ocasião em que os profissionais da área participam

de uma competição saudável, onde executam

suas atividades atendendo a todos os procedimentos

de segurança relacionados ao dia a dia da atividade.

Grupos de artes (coral, teatro e dança) - Os

grupos de artes foram introduzidos na Celpa com

o objetivo de construir uma relação de valorização

do colaborador e reconhecimento de seus talentos.

Estes grupos também são utilizados como meios e

canais, nos quais a empresa comunica-se com seus

públicos. Cada grupo tem o seu propósito e sua es-

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

pecificidade, pois trabalham linguagens artísticas distintas,

mas convergem para um ponto comum: o de

estabelecer um canal de relacionamento e de comunicação

com os públicos envolvidos nos processos da

empresa, sem perder de vista a satisfação e o prazer

pessoal que tais artes proporcionam aos colaboradores.

Além disso, a arte, no dia a dia do trabalho, cria

um ambiente prazeroso e estimulante, que favorecesse

o bem estar e a satisfação do colaborador com

a sua atividade e com a própria empresa.

Incentivo ao voluntariado – Projeto um Milhão

de Amigos - A Celpa incentiva iniciativas relacionadas

à responsabilidade social, como o projeto um

Milhão de Amigos, que consiste em estimular a participação

de colaboradores da empresa em projetos

de voluntariado, reforçando o espírito de solidariedade,

cooperação e laços de amizade entre os mesmos.

As iniciativas modificam positivamente o modo

de pensar do colaborador, visando melhorar sua autoestima

e fazer os mesmos valorizarem mais suas

conquistas pessoais (família, estudo, emprego, etc.).

As ações do projeto incluem o apoio ao desenvolvimento

de atividades socioeducativas e de cidadania

na comunidade 4 Estações, localizada no

entorno da empresa, onde são desenvolvidas ações

como o fornecimento do lanche diário aos alunos

da escola comunitária, reforma do prédio da escola,

criação do espaço “Mais Saber”, com uma

biblioteca comunitária, entre outras.

O projeto Um Milhão de Amigos é financiado

por meio de ações como venda de doces e o dia

do “Lanche Solidário”, em que, mensalmente, os

colaboradores, em seus horários de folga, vendem

lanches cuja renda é investida no projeto.

Incentivo ao esporte - A Celpa estimula a prática

esportiva entre seus colaboradores por reconhecer

a importância da atividade na qualidade de vida

do trabalhador. Por isso, participa ativamente dos

47


48

campeonatos desenvolvidos pelo Serviço Social

da Indústria (Sesi), com trabalhadores-atletas que

competem em diversas modalidades como natação,

futebol de salão, vôlei e atletismo, constituindo-se

referência regional com os melhores índices

obtidos nas empresas da Região Norte.

prêmio ppas - O Programa, Projeto e Ações (PPA) é

uma importante ferramenta de gestão dos impactos

que tem por objetivo identificar e disseminar práticas

socialmente responsáveis, que atendam os compromissos

da Política de Sustentabilidade e os Objetivos

Estratégicos da Rede Energia e suas empresas.

O Prêmio PPA´s foi lançado em 2011 com o objetivo

de divulgar as melhores práticas e valorizar

os profissionais que as executam e as registram no

Banco de Práticas. Todos os PPA’s registrados participaram

do processo de avaliação, que elegeu três

práticas por empresa. O PPA vencedor foi eleito

através do voto dos próprios colaboradores.

projeto à Luz do diálogo - O projeto À Luz do

Diálogo favorece o compartilhamento de conhecimentos,

de experiências e promove a interação entre

as pessoas, através de encontros mensais com

um tema em debate. Mais do que um bate-papo,

o projeto promove uma reflexão coletiva com vistas

ao desenvolvimento do nível intelectual e do senso

crítico dos colaboradores e da comunidade externa.

Ginástica Laboral - Com o objetivo de prevenir

problemas de saúde ocupacional e promover momentos

de interação e integração entre os colaboradores,

a empresa mantém um programa de

Ginástica Laboral e Orientação Postural, no qual

são realizadas sessões de alongamentos, de fácil

execução e curta duração, no próprio local de trabalho.

Essas atividades são monitoradas por profissionais

especializados que coordenam e acompanham

os colaboradores.

Dimensão soCial e setorial

saúde e segurança no

ambiente de trabalho

saúde

caMpaNHaS DE VacINação

A campanha de vacinação faz parte das ações

de prevenção e tem por objetivo facilitar o acesso

dos colaboradores ao serviço disponível somente

nos postos de saúde do município. Desta maneira,

consegue-se imunizar um número considerável de

colaboradores quanto às doenças típicas da região

e demais endemias combatidas pelo Sistema Único

de Saúde (SuS). Dessa forma, a Celpa contribui também

com as campanhas nacionais. São realizadas

palestras de conscientização e prevenção sobre DST/

AIDS, hipertensão, saúde bucal, estresse e campanhas

de doação de sangue com a presença da unidade

móvel do hemocentro local, na empresa.

segurança

SIStEMa DE GEStão aMBIENtal, SaÚDE

E SEGuRaNça Do tRaBalHo - SGaSSt

A Celpa implantou o Sistema de Gestão Ambiental,

Saúde e Segurança do Trabalho – SGASST, com

base nas normas internacionais ISO 14001 e OHSAS

18001, respectivamente. Desse modo, a empresa

está assumindo o compromisso em incluir em sua

estrutura organizacional atividades de planejamento,

responsabilidades, treinamentos, procedimentos,

processos e recursos para a implementação e

manutenção da gestão de seus impactos ambientais

e riscos à saúde e segurança dos trabalhadores.

O escopo do Sistema de Gestão Ambiental, Saúde e

Segurança do Trabalho consiste em: “Distribuição, sub-

-transmissão e geração própria (quando aplicável) de

energia elétrica e as atividades de apoio relacionadas”.

O SGASST representa um grande avanço para a

Celpa, pois consiste em um sistema robusto, po-


ém funcional, com escopo abrangente, que objetiva

a gestão dos impactos ambientais e dos riscos

à saúde e à segurança, visando:

• trabalhar em busca da melhoria contínua das

condições da saúde e segurança no trabalho e

da preservação do meio ambiente.

• assegurar o atendimento aos requisitos legais

que tenham impacto diretamente na saúde e segurança

do colaborador e no meio ambiente.

• eliminar, controlar ou minimizar os riscos associados

às atividades das empresas para os colaboradores

próprios, contratados e comunidade.

• estabelecer uma imagem responsável da organização

perante os colaboradores próprios e contratados,

fornecedores e comunidade.

pRoGRaMa SEGuRaNça EM 1º luGaR

A Celpa possui o Programa Segurança em 1º

Lugar, que objetiva promover proativamente a segurança

do trabalho, com foco em cinco projetos:

Projeto Líder em Ação; Projeto Conscientização e

Capacitação; Projeto Monitoramento Compartilhado;

Projeto Procedimentos e Padronizações; e

Projeto Ações Proativas. O escopo do Programa Segurança

em 1º Lugar consiste principalmente em:

Integração de segurança e saúde do trabalhador:

Apresentar aos colaboradores próprios e

contratados da Celpa sua política de segurança,

valores, riscos das atividades e procedimentos de

segurança a controlar ou eliminar os riscos, além

da verificação das capacitações e exames médicos

exigidos para a atividade. Publico Alvo: todos que

trabalham direta ou indiretamente na companhia.

diálogo de saúde e segurança: Realização de

palestras semanais de 15 minutos sobre assuntos

relacionados à segurança e saúde dos colaboradores,

de maneira que evitem acidentes e trabalhem

com maior ênfase na prevenção de acidentes.

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

monitoramento compartilhado: Inspeções de

Segurança realizadas pelo SESMT nas empresas

contratadas, objetivando multiplicar esforços para

controlar os riscos de acidentes também com os

colaboradores terceirizados.

ranking dos crss (centro regional de serviços):

Nivelamento dos Indicadores de Segurança Preventivos

dos CRSS, em grandeza numérica, onde os mesmo

são nivelados de maneira que exista uma competição

saudável com relação à segurança no trabalho.

ranking das empreiteiras: Somatória das Inspeções

de Campo e dos Documentos das empreiteiras

do mês, em grandezas numéricas, nivelando-as

em um ranking, de maneira que sejam evidenciados

pontos a melhorar.

carta de autorização: Documento formal em que

o engenheiro responsável pelo setor ou pela empreiteira

autoriza o colaborador a desenvolver suas

atividades somente após atender os requisitos de

Qualificação e Capacitação do Colaborador. Cada

colaborador recebe um selo para ser colocado no

capacete conforme sua capacitação e qualificação.

anjo da Guarda: O Centro de Operações do Sistema

e da Distribuição faz perguntas às equipes operacionais

para verificar o atendimento aos requisitos

de segurança antes do início das atividades e depois

do término dos serviços, antes da energização.

nas ondas do rádio: Mensagens diárias de segurança

passadas pelos rádios dos Centros de Operação

aos colaboradores de campo. Normalmente,

são lidas por vozes femininas para chamar a atenção

dos operacionais.

procedimentos operacionais padrões (pops):

Na empresa os POPs são padronizados.

49


50

der em ação: Consiste em reforçar a “Cultura

de Segurança” nos líderes, buscando maior envolvimento

destes e, consequentemente, de todos na

questão da segurança, através de palestras sobre

responsabilidades, comportamento seguro e orientações

por meio de manuais e procedimentos.

palestras de conscientização com a comunidade

em geral: Realização de diversas palestras com

dicas de segurança com eletricidade em escolas, associações

de bairros, entidades de classe, etc.

Implantação do conhecer a rede: Distribuição

de folders e cartazes relacionados à segurança com

eletricidade para a comunidade e em casas de materiais

de construção.

Implantação de mensagens de segurança: Publicação

de orientações de segurança nas faturas

de energia elétrica, abrangendo tanto a zona urbana

como a rural.

SIpat E SEMaNa Da SaÚDE

A Semana Interna de Prevenção de Acidentes do

Trabalho - SIPAT e a Semana da Saúde acontecem

de forma integrada e suas ações visam disseminar

informações preventivas que contribuam para elevar

a qualidade de vida dos colaboradores, mantendo

a empresa em conformidade com a NR-07

(Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional)

e com o SGASST.

3º RoDEIo DoS ElEtRIcIStaS

A Celpa participou e sediou o 3º Rodeio dos Eletricistas

da Rede Energia, que reuniu colaboradores

das nove concessionárias do grupo. O evento

simula as atividades do dia a dia dos eletricistas,

priorizando a segurança na execução das tarefas.

Além de ser uma oportunidade para os eletricistas

Dimensão soCial e setorial

interagirem e trocarem experiências, o evento valoriza

as habilidades desses profissionais na execução

de tarefas complexas e de risco, que fazem parte

do seu dia a dia. Os vencedores do torneio interno

serão os representantes da Rede Energia no Rodeio

Nacional dos Eletricistas (SENDI), realizado a cada

dois anos com a participação de todas as empresas

do setor elétrico brasileiro.

coMItê DE ERGoNoMIa

Atua de forma preventiva contribuindo para evitar

agravos à saúde dos colaboradores da Celpa

e terceirizados. O controle adequado dos fatores

ergonômicos é de grande importância para a qualidade

de vida no trabalho.

coNFIaBIlIDaDE DoS EQuIpaMENtoS

DE SEGuRaNça

A Celpa, comprometida com a segurança de

seus colaboradores, somente faz homologação de

seus equipamentos de proteção individual e coletivo

após estudos detalhados, testes e verificação da

eficácia destes.

Todos os equipamentos com características dielétricas

são ensaiados por laboratórios próprios e por

empresas especializadas, atendendo às normas da

Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT e

Norma Internacional.

O trabalho é contínuo, através dos reensaios estabelecidos

na Norma Regulamentadora nº 10 do

Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), e possibilita

um controle rigoroso do equipamento, pois

além de habilitá-lo para o uso, com uma margem

maior de segurança, consegue fazer sua rastreabilidade

por meio do vínculo entre o equipamento e

o colaborador- usuário.


IndIcadores socIaIs Internos

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

empregados / empregabilidade / administradores

a) Informações Gerais 2011 2010 2009

Número total de empregados 2.221 2.158 2.125

Empregados até 30 anos de idade (%) 18,4% 20,6% 24,1%

Empregados com idade entre 31 e 40 anos (%) 43,7% 43,0% 40,6%

Empregados com idade entre 41 e 50 anos (%) 24,8% 24,7% 24,9%

Empregados com idade superior a 50 anos (%) 13,1% 11,8% 10,3%

Número de mulheres em relação ao total de empregados (%) 31,0% 31,3% 31,6%

Mulheres em cargos gerenciais - em relação ao total de cargos gerenciais (%) 26,0% 24,7% 19,5%

Empregadas negras (pretas e pardas) - em relação ao total de empregados (%) 18,73% 18,7% 18,7%

Empregados negros (pretos e pardos) - em relação ao total de empregados (%) 44,30% 44,0% 43,4%

Empregados negros (pretos e pardos) - em cargos gerenciais em

relação ao total de cargos gerenciais (%)

50,8% 35,6% 46,3%

Estagiários em relação ao total de empregados (%) 3,1% 1,6% 1,3%

Empregados do programa de contratação de aprendizes (%) 3,0% 2,6% 2,7%

Empregados portadores de deficiência 133 74 79

b) remuneração, benefícios e carreira (r$ mil)

remuneração

2011 2010 2009

folha de pagamento bruta 118.684 79.266 102.291

Encargos sociais compulsórios

Benefícios

23.168 16.847 20.991

Educação - 186 516

Alimentação 10.926 11.461 8.809

Transporte 830 684 739

Saúde 7.148 10.712 4.041

fundação 4.815 2.377 1.169

Outros (especifique)* 10.215 10.764 5.338

c) participação nos resultados 2011 2010 2009

Investimento total em programa de participação nos resultados da

empresa (R$ MIL)

4.009 3.177 4.802

Valores distribuídos em relação à folha de pagamento bruta (%) 3,4% 4,01% 4,7%

Ações da empresa em poder dos empregados (%) 0,00% 0,00% 0,0%

Divisão da maior remuneração pela menor remuneração em espécie

paga pela empresa (inclui participação nos resultados e bônus)

19,48 19,5 18,2

Divisão da menor remuneração da empresa pelo salário mínimo

vigente (inclui participação nos resultados e bônus)

1,62 1,6 2,0

51


52

Dimensão soCial e setorial

d) Perfil da remuneração - Identificar a percentagem de empregados

em cada faixa de salários ** Faixas (r$)

2011 2010 2009

até 3 salários mínimos 42,59% 41,6% 39,7%

de 3 a 5 salários mínimos 29,36% 29,8% 31,0%

de 5 a 10 salários mínimos 16,30% 17,8% 18,5%

Acima de10 salários mínimos

por categorias (salário médio no ano corrente) - r$

11,75% 10,7% 10,8%

Cargos de diretoria ND N/D N/D

Cargos gerenciais 8.902,84 9.090 8.548

Cargos administrativos 2.010,77 1.852 4.351

Cargos de produção 2.744,86 2.647 2.972

e) saúde e segurança no trabalho 2011 2010 2009

Média de horas extras por empregado / ano 319,94 13,4 9,1

Número total de acidentes de trabalho com empregados 49 22 55

Número total de acidentes de trabalho com terceirizados / contratados 192 105 64

Média de acidentes de trabalho por empregado / ano 2,37% 1,83 0,026

Acidentes com afastamento temporário de empregados e/ou de

prestadores de serviço (%)

1,96% 10,3% 35,3%

Acidentes que resultaram em mutilação ou outros danos à integridade

física de empregados e de prestadores de serviço, com afastamento

permanente do cargo (incluindo LER) (%)

Acidentes que resultaram em morte de empregados e de prestadores

de serviço (%)

Índice TF (taxa de frequência) total da empresa no período, para

empregados

Índice TF (taxa de frequência) total da empresa no período, para

terceirizados/contratados

0,01% 0,0% 0,8%

0,04% 0,3% 5,0%

6,55% 5,4 5,62

10,86% 16,28 4,7

Investimentos em programas específicos para portadores de HIV (R$ Mil) 0 0 0

Investimentos em programas de prevenção e tratamento de dependência

(drogas e álcool) (R$ Mil)

0 0 0

f) Desenvolvimento profissional 2011 2010 2009

Perfil da escolaridade - discriminar, em %, em relação ao total dos empregados

Ensino Fundamental 9,3% 9,7% 10,1%

Ensino médio 69,8% 69,2% 69,1%

Ensino superior 18,7% 18,8% 18,6%

Pós-Graduação (especialização, mestrado, doutorado) 2,2% 2,3% 2,2%

Analfabetos na força de trabalho (%) 0% 0,0% 0,0%

Valor investido em desenvolvimento profissional e educação por

folha de pagamento bruto (%)

0,4% 1,03% 0,5%

Quantidade de horas de desenvolvimento profissional por empregado/ano 34,73 15,17 132


g) comportamento frente a demissões 2011 2010 2009

Número de empregados ao final do período 2.221 2.158 2.125

Número de admissões durante o período 137 128 90

Reclamações trabalhistas iniciadas por total de demitidos no período (%) 1,9% 94,7 1,0%

reclamações trabalhistas

Montante reinvindicado em processos judiciais (R$ Mil) 363.849 173.307 161.745

Valor provisionado no passivo 3.156 6.508 94.808

Número de processos existentes 4.253 1.403 1.440

Número de empregados vinculados nos processos 4.253 1.403 1.440

h) preparação para a aposentadoria 2011 2010 2009

Investimentos em previdência complementar (R$ Mil) 4.815 2.377 1.169

Número de beneficiados pelo programa de previdência complementar 2.127 1.679 1.862

Número de beneficiados pelo programa de preparação para a aposentadoria 90 0 51

i) trabalhadores terceirizados 2011 2010 2009

Número de trabalhadores terceirizados / contratados 1.925 2.038 2.041

Custo total (R$ Mil) 112.569 68.649 133.293

Trabalhadores terceirizados/contratados em relação ao total da força

de trabalho

20,4% 0,48 0,49

Perfil da remuneração - Identificar a percentagem de empregados em cada faixa de salários

até 3 salários mínimos ND N/D ND

de 3 a 5 salários mínimos ND N/D ND

de 5 a 10 salários mínimos ND N/D ND

Acima de10 salários mínimos ND N/D ND

Perfil da escolaridade - em relação ao total de terceirizados - discriminar (em %):

Ensino fundamental ND N/D ND

Ensino médio ND N/D ND

Ensino superior, pós-graduação ND N/D ND

Índice TG (taxa de gravidade) da empresa no período, para empregados 96% 155 1.860

Índice TG (taxa de gravidade) da empresa no período, para terceirizados

/ contratados

2.889 5.450 5.297

j) administradores 2011 2010 2009

Remuneração e/ou honorários totais (R$ Mil) (A) ND N/D N/D

Número de diretores (B) 6 7 6

Remuneração e/ou honorários médios A/B ND N/D N/D

Honorários de Conselheiros de Administração (R$ Mil) (C) ND N/D N/D

Número de Conselheiros de Administração (D) 9 14 9

Honorários médios C/D ND N/D N/D

* Segurança no Trabalho, Cultura, Auxílio-Creche e Outros

** Salário mínimo vigente no ano

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

53


54

indicadores sociais

externos

Clientes/Consumidores

EStRutuRa DE atENDIMENto

A Celpa disponibiliza diversos canais de atendimento

ao cliente pelos quais podem ser solicitados

serviços, informações, esclarecimentos, consulta

sobre débitos e pagamentos, além do registro de

sugestões e críticas sobre os seus serviços.

Os investimentos da concessionária são focados

em infraestrutura e tecnologia, para promover melhorias

na criação/ampliação dos canais existentes

e no relacionamento com os clientes.

Os canais de atendimento estão segmentados de

acordo com o perfil de carga das unidades consumidoras,

incluindo o atendimento a Grandes

Clientes, que abrange unidades consumidoras

ligadas em média e alta tensão (tensão primária

de distribuição- acima de 2,3 kV); atendimento a

Poderes Públicos; e atendimento aos clientes cujas

unidades consumidoras são ligadas em baixa tensão

(tensão secundária de distribuição – abaixo de

2,3 kV). Essa segmentação é justificada pelas diferentes

necessidades inerentes ao perfil dos clientes.

Os clientes atendidos em tensão primária de distribuição

(média/ alta tensão) possuem a sua disposição

os seguintes canais de atendimento:

• atendimento telefônico disponível 24 horas por

dia (call center).

• 03 pontos de atendimento presencial nas regionais

belém, marabá e Santarém.

• atendimento virtual através da agência web, no

site da concessionária, com os principais serviços

e informações.

Já os clientes atendidos em tensão secundária de

distribuição (baixa tensão) têm à disposição os seguintes

canais de atendimento:

Dimensão soCial e setorial

• atendimento telefônico disponível 24 horas por

dia (call center).

• 158 pontos de atendimento presencial distribuídos

em todo o pará.

• atendimento virtual através da agência Web

com os principais serviços e informações.

• ouvidoria.

Os clientes responsáveis por unidades consumidoras

da classe Poder Público ou Serviço Público

possuem acesso aos seguintes canais de atendimento:

• atendimento telefônico disponível 24 horas por

dia (call center) para serviços emergenciais.

• 158 pontos de atendimento presencial para protocolar

solicitação, através de ofício.

• atendimento virtual através da agência na Web

com os principais serviços e informações.

• atendimento presencial, realizado na sede da

celpa.

• ouvidoria.

Em 2011, foram realizados 11,2 milhões de

atendimentos, estratificados pelos canais de atendimento

Call Center, agência virtual, SMS e pontos

de atendimento presencial.

Canais de relacionamento

call cENtER

O Call Center é um dos principais canais de atendimento

da Celpa, sendo responsável por 26% dos

atendimentos realizados. Sua estrutura está em conformidade

com a Norma Regulamentadora nº 17

(NR 17) – Ergonomia e com a Resolução da ANEEL

nº 363/2009.

O serviço telefônico com ligação gratuita funciona

24 horas, durante todos os dias do ano, para atendimentos

emergenciais, e no horário de 08h às 17h, de

segunda a sexta-feira, para atendimentos comerciais.


Em 2011, o serviço recebeu uma média diária de oito

mil chamadas, totalizando 2.463.818 no ano.

Pela central, o cliente pode optar pelo atendimento

através da unidade de Resposta Audível (uRA) disponível

para serviços de: religação; consulta a débitos;

previsão de data de corte; solicitação de alteração

de vencimento de faturas; cancelamento de serviços;

registros de reclamação; informação de leitura de

medidor para unidades consumidoras localizadas na

área rural; informações sobre falta de energia programada

e emergencial; e, ainda, informações sobre

o fornecimento de energia. Mas, se mesmo com as

opções, o cliente preferir falar com um atendente,

a Celpa disponibiliza um total de 320 profissionais,

distribuídos em turnos de revezamento.

Há ainda uma linha específica de 0800, com o

objetivo de garantir um atendimento diferenciado

aos clientes atendidos em média e alta tensão, de

acordo com suas necessidades de informações e

serviços. As expectativas e necessidades desses são

identificadas na análise mensal dos relatórios de

faturamento e arrecadação, e nas visitas periódicas

dos gestores de grandes clientes. Além disso,

a empresa oferece também canais de comunicação

pelo site, correspondências e reuniões presenciais.

Para os portadores de deficiência auditiva ou de

fala, a Celpa disponibiliza um canal especial para

atendimento através do 0800, com um aparelho

específico que permite aos clientes comunicar-se

com a empresa.

atENDIMENto pERSoNalIZaDo

Em 2011, cerca de 1,3 milhões de atendimentos

foram realizados nas agências personalizadas

da Celpa. Para esse canal de atendimento, a Celpa

conta com um contingente de 200 atendentes,

distribuídos nos 158 postos de atendimento no Estado

do Pará, nos quais estão disponíveis todos os

serviços comerciais e emergenciais oferecidos pela

concessionária.

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

Nas agências, o cliente pode registrar a sua satisfação

com os serviços prestados pela Celpa no formulário

de sugestões, solicitações e reclamações.

Em 2011, entre elogios, sugestões e críticas, 487

mensagens foram registradas.

atENDIMENto pRocoN

A Celpa disponibiliza o serviço de “Linha Direta

com o PROCON” para auxiliar nas demandas ao

órgão de defesa do consumidor. Nesse serviço, o

PROCON solicita e recebe subsídios para melhor

esclarecer as reclamações formuladas. Em 2011,

foi registrada, na empresa, uma média de 167 processos

por mês.

aGêNcIa WEB

A Agência Web é um canal interativo que permite

aos clientes o autoatendimento através do

site www.celpa.com.br. Em 2011, foram realizados

3.977 mil atendimentos por meio desse canal,

que, neste ano, foi o canal mais utilizado pelos

clientes. A demanda está diretamente relacionada

à ampliação de novos serviços via internet. Na

Agência Web está disponibilizado também o canal

fale Conosco, pelo qual o cliente pode se comunicar

com a empresa.

aGêNcIa MÓVEl - pRojEto tRaNSpaRêNcIa

A Agência Móvel é utilizada para suprir demandas

de atendimento diretamente nas comunidades

ou de apoio ao Projeto Transparência, que visa o

relacionamento direto com a comunidade.

Durante todo o ano, através do Projeto Transparência,

são realizadas palestras de orientação sobre

o uso consciente e seguro da energia elétrica,

direitos e deveres e benefícios da tarifa social, em

escolas e em eventos com a comunidade.

Mais de 8 mil pessoas receberam orientações em

palestras, folhetos impressos, jogo da memória,

entre outros. Orientações educativas também são

55


56

levadas aos clientes através de Programa de Rádio,

veiculado em emissora de rádio do Estado.

NoVaS opçõES DE atENDIMENto

Para ampliar as possibilidades de acesso aos serviços,

a Celpa investiu em novas opções de atendimento

para oferecer maior satisfação a seus

clientes. Dentre as novas opções foram criados os

seguintes serviços:

Quiosques de atendimento – O serviço oferece

atendimento personalizado em quiosques instalados

em estabelecimentos comerciais com grande

fluxo de pessoas, com o objetivo de facilitar as solicitações

e oferecendo atendimento de grande parte

dos serviços comerciais oferecidos nos demais

canais de atendimento da Celpa.

totens de autoatendimento - aliado à instalação

dos quiosques, a Celpa implantou um serviço

inovador ao cliente: os totens de autoatendimento.

Ao longo de 2011, foram implantados 15 terminais

em todas as regiões do Estado nos quais o

cliente tem a possibilidade de realizar autoleitura

(para uCs rurais), alteração cadastral (atualização

de data de nascimento telefone, e-mail, filiação,

local de nascimento), cadastro da tarifa social, cadastro/alteração

de data certa, consultar status de

solicitações em andamento na empresa, histórico

de consumo, informações sobre a conta: débitos,

previsão de corte, segunda via de fatura, religação

comum e religação de urgência.

serviços via sms – utilizando a tecnologia de comunicação

móvel a Celpa implantou, em julho de

2011, o serviço através de telefone celular. Nesse

canal os clientes podem solicitar os serviços mais

frequentes como religação normal e de urgência,

consulta a débitos com recebimento de código de

barras para pagamento de faturas e registro de in-

Dimensão soCial e setorial

formação sobre falta de energia. Esse novo canal

gerou, em média, 3.000 serviços/mês e um total de

18.592 serviços em 2011.

caMpaNHaS DE DIVulGação

A Celpa utiliza a fatura de energia elétrica para

veicular campanhas educativas sobre segurança e o

uso consciente e adequado da energia elétrica, bem

como para divulgar direitos e deveres dos consumidores.

Por meio da fatura, o consumidor também

recebe informações e contribuições de caráter social.

REclaMaçõES

Em 2011, foram recebidas 803.586 reclamações

nos vários canais de atendimento. Essas reclamações

são estratificadas de acordo com a tipologia estabelecida

na Resolução ANEEL nº 414/2010, tratadas

conforme as diretrizes do órgão regulador e avaliadas

com o nexo causal e posteriormente solucionadas.

INDENIZaçõES poR DaNoS ElÉtRIcoS

Em média, 426 reclamações/mês de ressarcimento

de danos elétricos em equipamentos elétricos

foram registrados em 2011, nos vários canais de

atendimento da concessionária. As reclamações

são tratadas com base nos critérios estabelecidos

em resolução do órgão regulador.

pRoDutoS E SERVIçoS

A Celpa também disponibiliza a diversas instituições

o serviço de arrecadação, de doação de valores,

por meio da conta de energia, como mais uma

forma de participar e de oferecer alternativas de

participação a seus clientes em ações de responsabilidade

socioambiental.

SatISFação DoS clIENtES

Para avaliar e medir o nível de satisfação de seus

clientes com os seus serviços prestados, a Celpa

utiliza a pesquisa do IASC (Índice ANEEL de Satis-


fação do Consumidor), resultado de pesquisa realizada

pela Agência Nacional de Energia Elétrica -

ANEEL, e os indicadores da pesquisa da Associação

Brasileira de Distribuidoras de Energia - ABRADEE.

Os resultados dessas pesquisas são divulgados

pela empresa ao seu público interno e servem de

subsídio para a elaboração de planos de melhoria

dos índices de satisfação e da qualidade dos serviços.

O Índice Aneel de Satisfação do Consumidor

(IASC) avalia o grau de satisfação dos consumidores

da classe residencial com os serviços prestados

pelas distribuidoras de energia elétrica, abrangendo

a área de concessão das 64 distribuidoras.

A pesquisa ABRADEE apura a percepção e o nível

de satisfação dos clientes com relação a diversos

indicadores. A Celpa está enquadrada na categoria

acima de 500 mil consumidores, na qual os atributos

avaliados são: Responsabilidade Social; Qualidade

da Gestão; Avaliação pelo Cliente; Gestão

Operacional; Gestão Econômico-financeira; Evolução

do Desempenho.

coNSElHo DE coNSuMIDoRES

O Conselho de consumidores, constituído conforme

determina a Resolução ANEEL nº 451 de

27/09/2011, funciona de forma permanente e sem

personalidade jurídica. É composto por 14 membros,

entre titulares e suplentes, representantes

das diversas classes de consumidores da empresa

- residencial, comercial, industrial, poder público e

serviço público e conta também com representante

do PROCON.

É um órgão ativo, voltado para a orientação,

análise e avaliação das questões ligadas ao fornecimento,

às tarifas e à adequação dos serviços

prestados ao consumidor. Cabe ainda ao Conselho

apresentar sugestões para o aprimoramento das

relações da Celpa com seus clientes e com a comunidade

em geral.

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

ouVIDoRIa

Em seu site na internet, a Celpa dispõe de um

canal de relacionamento com a finalidade de defender

os interesses do cliente dentro da Empresa e

atua como instância final, acolhendo, esclarecendo

e respondendo às consultas formuladas, inclusive,

provocando ações de transformação interna para a

melhoria da qualidade dos serviços prestados.

Em 2011 foram recebidas 3.967 solicitações pela

Ouvidoria, relacionadas com a qualidade do fornecimento,

canais de relacionamento, consulta sobre

corte, queda e religação de energia, assuntos que

dizem respeito à prestação de serviços.

poStoS DE aRREcaDação

A Celpa conta com uma rede de agentes arrecadadores

que inclui os dez maiores bancos do País,

com agências e postos em todos os municípios do

Estado. Além dos convênios com a rede bancária,

a concessionária conta também com agentes alternativos

como a Big Serviços, empresa vinculada

a uma grande rede de farmácias presente em

diversos municípios; casas lotéricas e os serviços

de banco postal, disponibilizado nas agências dos

Correios. A Celpa tem ainda o Celpa fácil, projeto

que utiliza a modalidade de convênio com associação

de moradores para a realização de serviços de

arrecadação de faturas de unidades consumidoras

para maior comodidade dos clientes.

57


58

IndIcadores socIaIs eXternos

Dimensão soCial e setorial

clientes / consumidores

a) excelência no atendimento 2011 2010 2009

Perfil de consumidores e clientes

Venda de energia por classe tarifária (GWh ): % Total

Residencial 31,37% 29,9% 29,7%

Residencial baixa renda 7,75% 9,5% 9,0%

Comercial 22,21% 21,9% 22,1%

Industrial 21,00% 21,0% 21,0%

Rural 3,05% 3,1% 2,9%

Iluminação pública 4,10% 4,1% 4,5%

Serviço público 3,71% 3,7% 3,8%

Poder público

Satisfação do cliente

6,79% 6,9% 7,0%

Índices de satisfação obtidos pela Pesquisa IASC – ANEEL ND 46,3 50,9

Índices de satisfação obtidos por pesquisas de outras entidades

(ABRADEE)*

59,36 52,2 59,6

Atendimento ao consumidor

Total de ligações atendidas (Call Center) 2.463.818 3.493.156 3.950.855

Número de atendimentos nos escritórios regionais 1.648.903 1.040.941 1.030.968

Número de atendimentos por meio da Internet 4.569.450 3.071.902 2.312.340

Reclamações em relação ao total de ligações atendidas (%) 32,62% 19,6% 0,2%

Tempo médio de espera até o início de atendimento (min.) 0,28 0,19 0,33

Tempo médio de atendimento (min.)

Número de reclamações de consumidores encaminhadas

4,52 4,18 3,23

À Empresa 803.586 685.570 1.723.243

À ANEEL - agências estaduais / regionais 4.022 2.714 2.963

Ao PROCON 2.007 1.123 1.244

À Justiça

Reclamações - Principais motivos

1.424 521 630

Reclamações referentes a prazos na execução de serviços (%) 0,98% 1,0% 0,3%

Reclamações referentes ao fornecimento inadequado de

energia (%)

0,18% 0,5% 0,7%

Reclamações referentes a interrupções (%) 91,52% 92,5% 71,2%

Reclamações referentes à emergência (%) ND ND 4,5%

Reclamações referentes ao consumo / leitura (%) 4,87% 4,3% 20,5%

Reclamações referentes ao corte indevido (%) 0,19% 0,1% 0,3%

Reclamações por conta não entregue (%) 1,13% 0,8% 1,1%

Reclamações referentes a serviço mal executado (%) 0,05% ND ND


Reclamações referentes a danos elétricos (%) 0,53% 0,2% 0,6%

Reclamações referentes a irregularidades na medição (fraude

/ desvio de energia ) (%)

0,01% ND ND

Outros ( especificar ) (%)

Reclamações solucionadas

0,53% 0,1% 0,8%

Durante o atendimento (%) NA ND 68,9%

Até 30 dias (%) 93,12% ND 18,0%

Entre 30 e 60 dias (%) 1,51% ND 1,0%

Mais que 60 dias (%) 5,37% ND 0,3%

Reclamações julgadas procedentes em relação ao total de

reclamações recebidas (%)

74,3% 80,0% 86,2%

Reclamações solucionadas em relação ao número de reclamações

procedentes (%)

100% ND ND

b) envolvimento da empresa em sinistros

relacionados com terceiros

2011 2010 2009

Montante reinvindicado em processos judiciais (R$Mil) 363.849.956,71 607.545 71.572

Valor provisionado no passivo (R$ Mil) 3.156.109,00 1.400 28.243

Número de processos existentes 4.253 1.022 1.005

Número de pessoas vinculadas nos processos 4.253 1.022 1.005

Quantidade de inovações implantadas em razão da interferência

do ouvidor e/ou do serviço de atendimento ao consumidor

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

10 0 0

c) Qualidade técnica dos serviços prestados 2011 2010 2009

Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora

(DEC), geral da Empresa - Valor Apurado

99,55 101,87 83,4

Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora

(DEC), geral da Empresa – Limite

Frequência Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora

(FEC), geral da Empresa - Valor apurado

Frequência Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora

(FEC), geral da Empresa – Limite

28,70 28,70 30,2

53,04 53,02 48,4

28,86 28,86 45,0

d) Segurança no uso final de energia do consumidor 2011 2010 2009

Taxa de Gravidade (TG) de acidentes com terceiros por

choque elétrico na rede concessionária.

16,17 155 1.186

Número de melhorias implementadas com o objetivo de

oferecer produtos e serviços mais seguros.

1 8 ND

e) envolvimento da empresa com ação social 2011 2010 2009

Valor destinado à ação social (não incluir obrigações legais,

nem tributos, nem benefícios vinculados à condição de funcionários

da empresa)

4.187 3.081 3.184

Do total destinado à ação social, percentual correspondente

a investimentos em projeto social próprio.

68,64% 71,37% 73,0%

59


60

f) envolvimento da empresa em projetos culturais,

esportivos, etc. (Lei rouanet)

Fornecedores

polítIca DE DESENVolVIMENto

DE FoRNEcEDoRES

A Celpa sempre acreditou no desenvolvimento

de seus fornecedores como fator para seu próprio

crescimento, por isso são desenvolvidas ações para

que seus fornecedores estejam aptos a implantar

os objetivos estratégicos da empresa de forma

complementar, com o mesmo nível de excelência.

Desta forma, a companhia consolidou sua participação

no Redes (Rede de Desenvolvimento de

fornecedores do Estado do Pará), através da federação

das Indústrias do Estado do Pará (fiepa), na

qualidade de mantenedora do Programa.

A participação da concessionária é ativa, tendo

representante no comitê deliberativo do Programa

e na coordenação da comissão de acompanhamento

do Procem (Programa de Certificação de

Empresas do Redes), no qual os principais prestadores

de serviços da Celpa foram certificados ou

recertificados.

A certificação do Procem demonstra formalmente

que os produtos atendem aos requisitos de normas

ou regulamentos técnicos específicos e dá garantias

à empresa, na adoção de boas práticas de

gestão de segurança, saúde de seus colaboradores,

respeito ao meio ambiente, custos, qualidade

e produtividade pelos fornecedores.

Dimensão soCial e setorial

2011 2010 2009

Montante de recursos destinados aos projetos (R$ Mil) 0 0 6

Número de projetos beneficiados pelo patrocínio 0 0 1

Montante de recursos destinados ao maior projeto (R$ Mil) 0 0 6

caDaStRo DE FoRNEcEDoRES

A Celpa mantém em seu site um link para os

fornecedores efetuarem cadastro ou renovação

cadastral. Atendidas as políticas de cadastramento,

estes fornecedores são homologados e passam

a integrar a base de dados da Rede Energia para

futuras participações em processos de tomada de

preços para aquisição de materiais e contratação

de serviços. Com isso, o processo de cadastramento

se tornou mais célere, menos burocrático e mais

transparente para todas as partes interessadas.

tRaBalHo EScRaVo E Mão

DE oBRa INFaNtIl

É exigido que os prestadores de serviço da Celpa

tenham uma postura adequada, principalmente

quanto à proibição do uso do trabalho forçado e

mão de obra infantil, incluindo cláusulas expressas

nos contratos e com fiscalizações, por meio de

suas áreas de segurança do trabalho e operacionais.

Para coibir a prática, a empresa determinou

como requisito obrigatório para efetuar qualquer

pagamento aos fornecedores a apresentação de

comprovantes de pagamento de salário e recolhimento

de tributos fiscais e trabalhistas.


aValIação DE FoRNEcEDoRES

O desempenho dos prestadores de serviços da

Celpa é avaliado trimestralmente pelas áreas responsáveis

dos contratos, em parceria com a área

de Suprimentos e Logística, sendo levado em consideração

itens como: qualidade dos serviços, postura

dos funcionários perante o cliente, obrigações

fiscais e trabalhistas, condições de trabalho oferecidas

aos empregados (inclusive equipamentos de

segurança), acidentes de trabalho e requisitos ambientais

(se a empresa possui licença ambiental no

serviço que executa, por exemplo).

O não cumprimento desses quesitos, dependendo

da gravidade e reincidência, gera penalidades,

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

com planos de ação corretivos e até mesmo o cancelamento

do cadastro do fornecedor no sistema

da empresa.

No que se refere ao tratamento de resíduos perigosos,

os almoxarifados das empresas estão preparados

para o recebimento e armazenagem de

sucatas originadas de desativações de obras. Os

resíduos são classificados e acondicionados em

locais apropriados até a sua comercialização final,

feita apenas com empresas habilitadas a destinar e

dar tratamento correto para cada tipo de resíduo,

evitando agressões ao meio ambiente. Essa prática

da concessionária está em conformidade com a legislação

ambiental vigente.

Fornecedores

Quanto ao trabalho infantil, trabalho forçado e condições de saúde

e segurança no trabalho etc.

a) seleção e avaliação de fornecedores 2011 2010 2009

Fornecedores inspecionados pela empresa/total de fornecedores* (%) 38,50% 34,50% 12%

Fornecedores não qualificados (não conformidade com os critérios

de responsabilidade social da empresa) / total de fornecedores* (%)

0% 0% N/D

Fornecedores com certificação SA 8000 ou equivalente / total de

fornecedores ativos* (%)

12,80% 21,80% 6,00%

b) apoio ao desenvolvimento de fornecedores 2011 2010 2009

Número de capacitações oferecidas aos fornecedores 357 66 N/D

Número de horas de treinamento oferecidas aos fornecedores 1.080 388 N/D

* Fornecedores que contribuíram com 95% dos negócios da empresa (em valores)

61


62

Comunidade

Inspirada em sua Política de Sustentabilidade de

atuar como agente de melhorias socioambientais,

maximizando os impactos positivos e minimizando

os impactos negativos das atividades da empresa,

viabilizando investimentos socioambientais que

promovam o desenvolvimento regional, a geração

de renda, o esporte e a educação, respeitando a

cultura, os valores e costumes das comunidades

que atendemos; Respeitar os direitos humanos e

apoiar o cumprimento das Metas do Milênio, incentivando

nossa rede de relacionamento a fazer

o mesmo, a Celpa atua de forma que suas ações e

resultados econômicos, ambientais e sociais estejam

em equilíbrio e contribuam efetivamente para

o desenvolvimento da região onde está inserida,

contribuindo, assim, para a consolidação de um

país mais justo e igualitário.

Com esta convicção, a concessionária investe em

projetos socioambientais, que visam ao desenvolvimento

regional, a geração de renda, o incentivo ao

esporte e à educação. São eles:

FuNDação aQuaREla

Empreendimento social mantido pelas nove concessionárias

da Rede Energia, entre elas a Celpa,

que tem como missão desenvolver projetos sociais

nas áreas de educação e esporte. Criada em 2001,

a Fundação Aquarela já beneficiou crianças e jovens

em várias cidades da área de concessão da

Rede Energia com projetos sociais como o Rede

Atletismo, o Cidadania no Campo, o Eu Escolho

Estudar e a Escola Nuremberg.

Dimensão soCial e setorial

EScola NuREMBERG BoRja

DE BRIto FIlHo

Beneficiou 340 crianças com educação básica –

Educação Infantil (Pré I e Pré II) e Ensino fundamental

(1º ao 5º ano), com 4 refeições diárias e uma

cesta básica mensal entregue aos pais. O uniforme

e o material escolar também são doados às crianças

pela fundação Aquarela.

pRojEto paRaNGolÉ

Com o patrocínio da Celpa, o Grupo de Teatro

Armatrux, de Belo Horizonte, trouxe à Belém o

projeto cultural Parangolé. A trupe percorreu nove

escolas da rede pública e a fundação Aquarela. As

apresentações teatrais aconteceram no pátio das

escolas, possibilitando às crianças o acesso ao teatro.

A peça abordou de forma lúdica e divertida

temas como a importância de cuidar do nosso planeta

e do uso consciente da energia elétrica.

pRojEto cRIaNça luZ

Projeto que apoia 12 escolas comunitárias de Educação

Infantil e Ensino fundamental da Região Metropolitana

de Belém e do município de Castanhal (PA), beneficiando

mais de 2.000 crianças de famílias de baixa

renda, com idades entre 3 e 9 anos. Os recursos são

aplicados na distribuição de material escolar, merenda,

uniforme e qualificação profissional para os educadores,

em parceria com institutos e ONGs.

Em 2011, a Celpa promoveu atividades de qualificação

para 94 profissionais das escolas, com

acompanhamento sistemático, ao longo de sete

meses, objetivando contribuir para aprimorar os

serviços dessas instituições.


pRoGRaMa REDE

Promovido pela Associação Vaga Lume, com o

patrocínio da Rede Energia, o Programa Rede tem

como objetivo promover intercâmbios culturais

através da leitura, da escrita e da oralidade. Os intercâmbios

acontecem por meio da troca de trabalhos,

que podem ser cartas, desenhos, pinturas e

encontros presenciais. A iniciativa aproxima jovens

de culturas diferentes e leva-os a uma reflexão sobre

sua relação com o meio ambiente e sobre os

aspectos culturais que permeiam essa relação.

aGENDa cRIaNça aMaZôNIa – uNIcEF

O Projeto Agenda Criança Amazônia é uma parceria

com o fundo das Nações unidas para a Infância (unicef),

que possibilita a arrecadação de recursos financeiros

através da doação de seus clientes, por meio

da fatura de energia. Esses recursos são aplicados em

ações para melhorar as condições de vida, promover

a proteção e a garantia dos direitos das crianças da

Amazônia Brasileira. A Celpa foi a primeira empresa

privada do Brasil a apoiar esse projeto.

lElê E tRIx – uM, DoIS, tRêS E clIlk!

Em 2011, o quarto livro da série das irmãs gêmeas

Lelê e Trix, trouxe à tona a questão da arborização, convívio

harmonioso com o crescimento das cidades e com

a rede elétrica. O livro, patrocinado pela Celpa por meio

da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura, trata da conservação

do planeta e da importância do consumo consciente

e seguro. foram distribuídos 54 mil exemplares

aos colaboradores da empresa e às comunidades em

eventos ligados às questões socioambientais. Em parceria

com as Secretarias Municipais de Educação das áreas

de concessão, a Celpa distribui o livro e desenvolve

trabalhos de educação ambiental nas escolas públicas.

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

joRNaDa DE GEStão cultuRal

E pRoFISSIoNalIZação

A Jornada de Gestão Cultural nasceu do anseio

da Celpa em patrocinar projetos culturais que fomentassem

a produção cultural local e possibilitassem

o desenvolvimento regional e a geração

de renda. Em parceria com o Instituto de Artes do

Pará (IAP), órgão ligado ao Governo do Estado, a

jornada promoveu o empreendedorismo cultural e

capacitou gestores culturais e artistas para atuar

em circuitos formais e informais de cultura, educação

e comunicação. O patrocínio também se deu

via Lei Rouanet de Incentivo à Cultura.

SEMaNa NacIoNal Da

SEGuRaNça aBRaDEE

A Semana Nacional da Segurança Abradee é uma

mobilização nacional para conscientizar a população

sobre os riscos de acidentes com energia elétrica. É

realizada anualmente pela Associação Brasileira de

Distribuidores de Energia Elétrica (ABRADEE), em

parceria com as concessionárias afiliadas à entidade.

No Pará, a Celpa realizou ações como blitz educativas

em praças, palestras em escolas e comunidades,

além da distribuição de material educativo com

informações sobre os perigos do furto de energia,

os cuidados necessários aos reparos em antenas e os

problemas de empinar pipas próximas à rede elétrica.

Os canteiros de obras também receberam visitas

dos técnicos de segurança, uma vez que são os locais

com maiores índices de acidentes com eletricidade. O

principal objetivo da ação foi alertar os trabalhadores

da construção civil sobre os riscos de obras próximas

a redes ou o manuseio de cabos e instalações elétricas,

principalmente em dias de chuva.

As ações foram intensificadas durante a semana

com a campanha, porém segurança sempre foi prioridade

para a Celpa que realiza um trabalho permanente

de educação por meio do projeto Transparência.

63


64

pRojEto tRaNSpaRêNcIa

É um projeto de relacionamento, que utiliza

palestras para esclarecer dúvidas e levar diversas

informações de interesse da comunidade, no que

se refere ao uso seguro e racional da energia e o

consumo consciente.

O projeto visa proporcionar aos consumidores

melhor utilização da energia elétrica, informar sobre

os serviços prestados pela concessionária, bem

como os direitos e deveres do consumidor.

No ano de 2011, foram realizadas ações em 48

comunidades de Belém, Ananindeua, Marituba,

Castanhal e Marabá, envolvendo um público de

5.851 pessoas, além de palestras em 20 escolas

públicas em Belém, Ananindeua, Marituba e Barcarena,

com 1.043 participantes.

Dimensão soCial e setorial

DESENVolVIMENto REGIoNal

patRocíNIo cíRIo DE N. SRa. DE NaZaRÉ

Por ser uma empresa paraense, a Celpa compreende

e valoriza as manifestações de religiosidade e

cultura locais. Por isso, é patrocinadora oficial do

Círio de Nazaré. A festa faz parte do calendário

cultural do Estado e é reconhecida como Patrimônio

Imaterial da Cultura Brasileira. É uma época

fértil de manifestações religiosas, artísticas e culturais,

com repercussões na economia e no desenvolvimento

regional.

FEaRt – FEStIVal DE aRtES Da

aSSEMBlEIa lEGISlatIVa

A Celpa patrocina, desde 2003, o festival de

Artes da Assembléia Legislativa com o intuito de

promover e divulgar a produção cultural local, estimulando

a expressão artística nas áreas de música,

artes plásticas e literatura (conto e poesia). A iniciativa

contribui para a difusão da atividade cultural e

artística local e a geração de renda.


celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

comunidade

a) Gerenciamento do impacto da empresa na comunidade de

entorno

Número de reclamações da comunidade - impactos causados

pelas atividades da empresa.

Número de melhorias implantadas nos processos da empresa a

partir das reclamações da comunidade.

2011 2010 2009

ND ND ND

ND ND ND

b) envolvimento da empresa em sinistros relacionados com

terceiros

2011 2010 2009

Montante reinvidicado em processos judiciais (R$ Mil) 363.849 607.545 71.572

Valor provisionado no passivo (R$ Mil) 3.156 1.400 28.243

Número de processos judiciais existentes 4.253 1.022 1.005

Número de pessoas vinculadas nos processos 4.253 1.022 1.005

c) tarifa de Baixa renda 2011 2010 2009

Número de clientes/consumidores com tarifa de baixa renda. 238.539 681.059 685.456

Total de clientes/consumidores com tarifa de baixa renda em

relação ao total de clientes/consumidores residenciais (%).

15,38 46,2% 49,5%

d) envolvimento da empresa com ação social 2011 2010 2009

Recursos aplicados em educação (R$ Mil) 2.874 2.199 2.325

Recursos aplicados em saúde e saneamento (R$ Mil) 132 249 0

Recursos aplicados em cultura (R$ Mil) 132 249 12

Outros recursos aplicados em ações sociais (R$ Mil) 1.100 570 847

Valor destinado à ação social (não incluir obrigações legais, nem tributos,

nem benefícios vinculados à condição de funcionários da empresa)

4.187 3.081 3.184

Do total destinado à ação social, percentual correspondente a

doações em produtos e serviços (%)

Do total destinado à ação social, percentual correspondente a

doações em espécies (%)

Do total destinado à ação social, percentual correspondente a

investimentos em projeto social próprio.

Empregados que realizam trabalhos voluntários na comunidade

externa à empresa / total de empregados (%)

Quantidade de horas mensais doadas (liberadas do horário normal

de trabalho) pela empresa para trabalho voluntário de funcionários.

0,0% 0,0% 0,0%

100,0% 100,0% 100,0%

66,2% 73,0%

ND ND ND

ND ND ND

Consumidores cadastrados no Programa Bolsa família/Número de

consumidores do segmento “baixa renda” (%).

71,1% 23,2% 30,1%

e) envolvimento da empresa em projetos culturais, esportivos,

etc. (Lei rouanet)

2011 2010 2009

Montante de recursos destinados aos projetos (R$ Mil) 0 0 6

Número de projetos beneficiados pelo patrocínio 0 0 1

Montante de recursos destinados ao maior projeto (R$ Mil) 0 0 6

65


66

Governo e sociedade

pRojEto NaVEGapaRÁ

O NavegaPará é um programa do Governo do

Estado do Pará, executado pela Secretaria de Estado

de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia (Sedect)

e pela Empresa de Processamento de Dados

do Estado do Pará (Prodepa), composto por cinco

projetos: Metrobel, Infovias, Cidades Digitais, Infocentros

e Telecentros de Negócios.

O programa visa criar uma infraestrutura pública

de Tecnologia da Informação e Comunicação para

interligar, em todo o Estado do Pará, as unidades

de governo como instituições públicas de ensino

e pesquisa, hospitais, postos de saúde, órgãos de

segurança pública e espaços públicos.

Para implantação da sua rede de telecomunicações,

o Governo do Estado do Pará firmou acordos

de cooperação técnica com diversas instituições,

públicas e privadas, entre elas a Celpa. Através

desta parceria, o projeto utilizará a infraestrutura

de postes da concessionária como suporte aos cabos

de fibra óptica implantados, além do uso de

torres das telecomunicações.

O NavegaPará beneficia cerca de 3 milhões de

pessoas, aproximadamente 45% da população

paraense. São mais de 1.800 km de rede de fibra

óptica, operando com sistemas em taxas de transmissão

da ordem de Gbps, complementada por

rádio-enlace de alta capacidade, com taxas de até

300Mbps.

lIDERaNça EMpRESaRIal

A Celpa participa ativamente em associações,

sindicatos e fóruns empresariais, impul-sionando

a elaboração conjunta de propostas de interesse

público e de caráter social, podendo ser destacadas

as participações através da Rede Energia nos

seguintes Comitês: de Responsabilidade Socioam-

Dimensão soCial e setorial

biental da Abradee - Associação Brasileira de Distribuidores

de Energia Elétrica, da fundação Coge,

nas Comissões Interinstitucional de Educação Ambiental

e de Meio Ambiente da fiesp.

Em sua área de concessão, a Celpa participa do

fórum do Setor Empresarial da Secretaria de Estado

de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI) e do

fórum de Empresários Paraenses pelos Direitos da

Criança e do Adolescente.

A concessionária também faz parte do fórum

Amazônia Sustentável e do Grupo de Trabalho que

elaborou o Plano de Arborização Municipal de Belém

e, que vem trabalhando na elaboração do Manual

de Arborização que regulamentará este Plano.

paRtIcIpação EM pRojEtoS

GoVERNaMENtaIS

A Celpa apóia políticas públicas, como a Tarifa

Social Baixa Renda e a universalização. Por meio

da parceria com os governos federal e estadual, a

empresa vem ao longo de sua história diminuindo

as distâncias sociais existentes no país. Além de

atender às leis e às normas que regem o setor elétrico,

investir na melhoria da qualidade da energia

fornecida, na gestão do negócio, na formação e valorização

do colaborador, a empresa trabalha como

agente de mudanças que possibilitam o exercício da

cidadania dentro de sua área de concessão. Ou seja,

contribuir para o desenvolvimento das comunidades

em seus múltiplos aspectos sempre esteve presente

na base dos valores da Celpa, através de sua conduta

empresarial, ou por meio do desenvolvimento,

adesão e apoio a projetos que promovam o desenvolvimento

regional, a educação e o esporte.

coMpRoMISSo toDoS pEla EDucação

O Compromisso Todos Pela Educação, uma aliança

de representantes da sociedade civil, da iniciativa

privada, organizações sociais, educadores e gestores

públicos de Educação, norteia as ações educacionais


desenvolvidas pela Celpa.

Conforme descrito no Item Comunidade, a em-

presa apoiou vários projetos educacionais que contribuíram

para a melhoria da formação de crianças

e jovens, proporcionando especialmente aos estudantes

da rede pública de ensino acesso a bons

projetos educacionais e culturais.

oBjEtIVoS DE DESENVolVIMENto

Do MIlêNIo

Por meio de ações concretas e divulgação sistemática

a Celpa colabora com o cumprimento das

metas dos Objetivos do Desenvolvimento do Milênio,

(ODM), firmados entre líderes de 191 países

membros das nações unidas, entre eles o Brasil, na

maior reunião de dirigentes nacionais de todos os

tempos, a Cúpula do Milênio, realizada em 2000.

As metas do milênio são:

• acabar com a fome e a miséria.

• educação básica de qualidade para todos.

• igualdade entre sexos e valorização da mulher.

• Reduzir a mortalidade infantil.

• melhorar a saúde das gestantes.

• combater a aidS, malária e outras doenças.

• Qualidade de vida e respeito ao meio ambiente.

• todo mundo trabalhando pelo desenvolvimento

sustentável dos povos.

Ao aprovar seu apoio a um projeto cultural ou

Governo e socIedade

a) Gerenciamento do impacto da empresa na

comunidade de entorno

Recursos alocados em programas governamentais (não

obrigados por lei) federais, estaduais, e municipais (R$ Mil)

Número de iniciativas/eventos/campanhas voltadas para o

desenvolvimento da cidadania (exercício de voto, consumo

consciente, práticas anticorrupção, direito das crianças, etc.)

Recursos publicitários destinados a campanhas institucionais

para o desenvolvimento da cidadania (R$ Mil)

Recursos investidos nos programas que utilizam incentivos

fiscais/total de recursos destinados aos investimentos sociais (%)

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

social, a Celpa leva em consideração os oito Objetivos

de Desenvolvimento do Milênio para um

Mundo Melhor. Essas diretrizes ajudam no fortalecimento

das parcerias firmadas pela empresa na

execução dos projetos, ampliando assim, os resultados

esperados em cada ação desenvolvida.

Por meio deste Relatório de Responsabilidade

Socioambiental, em todas as suas Dimensões, será

possível identificar os programas, projetos e ações

desenvolvidos pela empresa que contribuem para

o cumprimento das Metas do Milênio, assim como

na planilha ao final deste.

FÓRuM DE EMpRESÁRIoS paRaENSES pEloS

DIREItoS Da cRIaNça E Do aDolEScENtE

A Celpa é uma das mantenedoras do fórum de

Empresários Paraenses pelos Direitos da Criança e

do Adolescente, organização não-governamental,

sem fins lucrativos, que atua na sensibilização e

mobilização da classe empresarial paraense, visando

a promoção da garantia dos direitos da criança

e do adolescente do Estado do Pará.

MINIStÉRIo pÚBlIco E a coMuNIDaDE

A Celpa é patrocinadora das ações do projeto “O

Ministério Público e a Comunidade”, que visa oferecer

serviços à população, sobretudo a de baixa

renda, que impliquem na defesa dos direitos coleti-

2011 2010 2009

ND ND ND

ND ND ND

ND ND ND

0,0% 0,0% 0,2%

67


68

vos. Os atendimentos vão desde a emissão de certidão

de nascimento, carteiras de identidade e de

trabalho, até a assistência jurídico-judiciária, ação

de divórcio consensual, de registro civil extemporâneo

e reconhecimento de paternidade.

luZ paRa toDoS

O Governo federal, em parceria com o Governo

do Estado e a Celpa, deu prosseguimento ao

Programa Luz para Todos, com o objetivo de atender

com energia elétrica as comunidades rurais

proGrama Luz para todos

Dimensão soCial e setorial

em todo o Estado, promovendo o incremento da

produção agrícola, a melhoria na saúde pública, o

aumento de renda, a inclusão social da população

beneficiada, contribuindo também para o desenvolvimento

regional.

Até o ano de 2011, o Programa Luz para Todos

no Pará atendeu 329.003 novos domicílios na área

rural do Estado. Dentre as localidades beneficiadas,

estão 11 aldeias indígenas, 73 comunidades

remanescentes de quilombos e 296 projetos de assentamentos.

origem dos recursos Investidos (r$ mil) 2011 2010 2009

Governo federal

Conta de Desenvolvimento Energético - CDE 108.510 165.978 144.934

Reserva Global de Reversão - RGR 16.095 3.128 3

Governo Estadual 12.058 11.985 2.845

Próprios 24.117 73.452 20.578

Outros 0 0 0

Total dos recursos aplicados ( B ) 160.780 254.543 168.359

O&M NA NA NA

Custo médio por atendimento ( B/A ) 5,3 5,2 4,1


ede celpa eneRgia RelatóRio RelatóRio de ReSponSabilidade de SuStentabilidade Socioambiental 2010 2011 69


70

indicadores do setor

elétrico

uNIVERSalIZação

O Decreto nº 4.873, de 11 de novembro de 2003,

instituiu o Programa Luz Para Todos até o ano de

2008, com o abastecimento de energia elétrica à parcela

da população do meio rural brasileiro que ainda

não tinha acesso a esse serviço público. O Decreto nº

7.520, de 08 de julho de 2011 (publicado no Diário

Oficial da União em 11 de julho de 2011), prorrogou

o prazo do programa para o período de 2011 a 2014,

definindo em seus parágrafos 1º e 2º os beneficiários

do programa. O Decreto 7.656 de 23 de dezembro

de 2011 (publicado no Diário Oficial da União no

mesmo dia) permitiu a prorrogação do prazo para os

contratos cujas metas não fossem cumpridas até 31

de dezembro de 2011.

Dimensão soCial e setorial

2011 2012 2013 2014 total

1.000 36.666 36.667 36.747 111.080

O saldo remanescente do ano de 2011 será agregado à meta do ano de 2012.

Quando foi criado, o Programa utilizou os dados

do Censo do IBGE de 2000, que apontava a existência

no Brasil de dois milhões de domicílios do meio

rural sem energia elétrica, envolvendo cerca de 10

milhões de brasileiros que viviam nesta condição. O

aumento do número de famílias somado ao crescimento

vegetativo resultou em uma estimativa de 1,2

milhão de novos domicílios, fazendo surgir a necessidade

de prorrogar o encerramento do Programa.

Até o ano de 2011, já somavam-se 2,90 milhões de

atendimentos em todo o país.

No Pará, para o período de 2011 a 2014 a Celpa

firmou com a União, por intermédio do Ministério de

Minas e Energia, com a interveniência da ANEEL e

da Eletrobrás, novo Termo de Compromisso relativo

ao Programa Luz Para Todos, no qual, entre outras

condições, ficou estabelecida a meta de ligação de

111.080 mil novos consumidores no meio rural, distribuído

conforme dados abaixo.


Os números da universalização dos Serviços de Energia

Elétrica, destacando os do Programa Luz Para Todos,

referentes aos três últimos anos, são mostrados a seguir:

universalização 2011 2010 2009

Metas de atendimento (*) 1.011 712

Atendimentos efetuados ( nº ) 8.002 9.794 3.732

Cumprimento de metas ( % ) (*) 968,7% 524,2%

Total de municípios universalizados 49 49 31

Municípios universalizados ( % ) 34,3% 34,3% 21,7%

Programa luz para todos * 2011 2010 2009

Metas de atendimento 50.230 70.000 70.000

Atendimentos efetuados ( nº ) (A) ** 30.189 49.138 40.632

Cumprimento de metas ( % ) 60,10% 70,2% 58,0%

(*) Não houve definição de Meta de atendimento para 2011. A regulamentação do tema para período posterior a 2010

ainda não está vigente.

(**) A tabela de prazos não contempla Municípios com ano limite 2011.

rede celpa eneRgia RelatóRio RelatóRio de ReSponSabilidade de SuStentabilidade Socioambiental 2010 2011 71


72

FoNtE altERNatIVa DE ENERGIa

No âmbito do Programa Luz para Todos, o atendi-

mento às comunidades isoladas por meio de redes

não convencionais é um fator crítico no processo

de universalização, principalmente agora em que

a grande maioria dos domicílios, que poderiam ser

atendidos por redes convencionais, já está ligada a

redes não convencionais.

Neste sentido, o estudo e o desenvolvimento de

soluções tecnológicas e modelos de gestão alternativos,

que sejam adequados à realidade destes

consumidores, é de fundamental importância para

que sejam atingidas as metas de universalização.

pRojEto aRaRaS – uSINaS

SolaRES, EÓlIca E DIESEl

A Celpa assinou um Termo de Cooperação com a

Eletrobrás – GTZ, onde foi avaliado um modelo de

gestão para atendimento de comunidades isoladas

que possuam sistema de geração descentralizada,

com minirrede. O objetivo é adequar estes para

híbridos eólico-solar-diesel, estando em conformidade

com o modelo de negócios da concessionária,

considerando as especificidades de sua área de

concessão.

O atendimento aos domicílios rurais com fontes

renováveis de energia, especialmente em comunidades

isoladas, foi uma opção desenvolvida,

tendo em vista a disponibilidade de recursos naturais

na região e as vantagens inerentes a essas

fontes, como redução de consumo de óleo diesel

e a possibilidade de agregar à geração de energia,

Dimensão soCial e setorial

processos produtivos para a comunidade isolada.

No entanto, atualmente, ainda não há experiência

consolidada na aplicação desses sistemas.

A implantação dos sistemas de geração e distribuição,

juntamente com o modelo de gestão, permite

a formação de um banco de dados e a aquisição de

conhecimentos que subsidiarão a Celpa na definição

de quais sistemas de atendimento terão maiores

chances de se sustentarem após a implantação.

A Ilha de Araras, localizada no município de Curralinho

(PA), foi escolhida pela Celpa para receber

o projeto. Lá, foram instaladas quatro miniusinas

de geração de energia solar, sendo que em uma

delas, há também a geração eólica e térmica.

pRoGRaMa DE EFIcIêNcIa

ENERGÉtIca – pEE

Em 2011, a Celpa aplicou R$ 421,3 mil em um

projeto de eficiência energética semafórica no município

de Belém. Os serviços executados tiveram

como objetivo a redução do consumo de energia,

através da substituição dos conjuntos ópticos com

lâmpadas incandescentes de baixa eficiência dos

semáforos, por conjuntos com LED’s de alta eficiência

luminosa e energética, desenvolvidos com

uma das mais avançadas técnicas de iluminação

disponíveis.

Na primeira etapa do projeto foram substituídos

os conjuntos ópticos de aproximadamente 100

cruzamentos da cidade, o que corresponde em

torno de um terço do total dos cruzamentos existentes

no município.


taRIFa BaIxa RENDa

A Tarifa Social de Energia Elétrica é um benefício

criado pelo Governo federal que concede descontos

na tarifa de energia elétrica às famílias de baixa

renda. Podem ser beneficiárias as unidades consumidoras

da classe residencial ou da subclasse rural-

-residencial da classe rural, desde que atendam aos

critérios estabelecidos pelo órgão regulador.

Até 29/07/2010 os critérios eram os estabelecidos

nas Resoluções ANEEL 246/2002 e 485/2002.

A partir de 30/07/2010 houve alterações nos critérios,

passando esses a serem estabelecidos pela

resolução 414/2010.

tarifa de baixa renda 2011 2010 2009

Número de Domicílios atendidos como “baixa renda” 238.539 681.059 685.456

Total de domicílios “baixa renda” do total de domicílios

atendidos (clientes / consumidores residenciais ) ( % )

15,38% 46,2% 49,5%

Receita de faturamento na subclasse residencial

“baixa renda” (R$ Mil)

Total da receita de faturamento na subclasse residencial

“baixa renda” em relação ao total da receita de

faturamento da classe residencial %

Subsídio recebido (ELETROBRáS), relativo aos consumidores

“baixa renda” (R$ Mil )

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

Em 2011, em consequência da mudança dos

critérios de enquadramento, a Celpa teve uma

redução considerável no número de famílias beneficiadas,

passando de 616.903 unidades consumidoras

em janeiro/2011, para 238.539 em

dezembro/2011. Redução de 61,33% no número

total de beneficiados.

Em 2011, a Tarifa Social de Baixa Renda beneficiou

no Estado do Pará 238.539 unidades consumidoras,

que representam 15,38% do total das

unidades consumidoras da classe residencial atendidas

pela Celpa.

96.137,00 105.198 94.458

11,64% 14,26% 11,9%

36.594,19 53.958 49.183

73


74

IndIcadores do setor eLétrIco

origem dos recursos - por classe de consumidores (r$ mil) 2011 2010 2009

residencial

Sem ônus para o consumidor (A) 0 0 16

Com ônus para o consumidor (B) 0 0 0

Total dos recursos no segmento (C) 0 0 16

Total de unidades atendidas no segmento (D) 0 0 64

Recurso médio por consumidor (C/D) 0 0 0,3

residencial Baixa renda

Dimensão soCial e setorial

Programa de eficientização energética (Pee)

Sem ônus para o consumidor (A) 0 0 870

Com ônus para o consumidor (B) 0 0 -

Total dos investimentos no segmento (C) 0 0 870

Total de unidades atendidas no segmento (D) 0 0 1.393

Recurso médio por consumidor (C/D) 0 0 1

População atendida (nº habitantes total residencial + baixa renda) (E) 0 0 7.820

Investimento médio por população atendida (custo total: residencial

+ baixa renda por hab.) (C/E)

0 0 0,1

Comercial

Sem ônus para o consumidor (A) 0 0 90

Com ônus para o consumidor (B) 0 0 348

Total dos investimentos no segmento (C) 0 0 438

Total de unidades atendidas no segmento (D) 0 0 13

Recurso médio por consumidor (C/D)

industrial

0 0 34

Sem ônus para o consumidor (A) 0 0 0

Com ônus para o consumidor (B) 0 0 71

Total dos investimentos no segmento (C) 0 0 71

Total de unidades atendidas no segmento (D) 0 0 2

Recurso médio por consumidor (C/D)

rural

0 0 36

Sem ônus para o consumidor (A) 0 0 0

Com ônus para o consumidor (B) 0 0 0

Total dos investimentos no segmento (C) 0 0 0

Total de unidades atendidas no segmento (D) 0 0 0

Recurso médio por consumidor (C/D) 0 0 0


iluminação Pública

Sem ônus para o consumidor (A) 0 0 0

Com ônus para o consumidor (B) 0 0 0

Total dos investimentos no segmento (C) 0 0 0

Total de KW instalados (F) 0 0 0

Investimento médio por KW instalado (C/F) 0 0 0

serviço Público

Sem ônus para o consumidor (A) 0 0 0

Com ônus para o consumidor (B) 0 0 0

Total dos investimentos no segmento (C) 0 0 0

Total de unidades atendidas no segmento (D) 0 0 0

Recurso médio por consumidor (C/D) 0 0 0

Poder Público

Sem ônus para o consumidor (A) 421,3 0 0

Com ônus para o consumidor (B) 0,0 0 151

Total dos investimentos no segmento (C) 421,3 0 151

Total de unidades atendidas no segmento (D) 6 0 2

Recurso médio por consumidor (C/D) 70,2 0 75

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

75


76

orIGem dos recursos (r$ mIL)

Dimensão soCial e setorial

tipo de Projeto 2011 2010 2009

Gestão energética municipal

Recursos investidos próprios 0 0 0

Recursos investidos de terceiros 0 0 0

Total dos recursos 0 0 0

educação - conservação e uso racional de energia

Recursos investidos próprios 0 0 0

Recursos investidos de terceiros 0 0 0

Total dos recursos 0 0 0

aquecimento solar (para substituição de chuveiros

elétricos)

Recursos investidos próprios 0 0 0

Recursos investidos de terceiros 0 0 0

Total dos recursos

rural

0 0 0

Recursos investidos próprios 0 0 0

Recursos investidos de terceiros 0 0 0

Total dos recursos 0 0 0

totaL dos recursos em proJetos de eFIcIentIzação enerGétIca ( r$ mIL)

2011 2010 2009

Sem ônus para o consumidor 421,3 0 108

Com ônus para o consumidor 0,0 0 12

Total dos recursos 421,3 0 119


partIcIpação reLatIva dos recursos em proJetos de eFIcIentIzação

enerGétIca

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

2011 2010 2009

por classes de consumidores

Recursos no segmento Residencial sobre Total investido no PEE (%) 0 0 0,0%

Recursos no segmento “Baixa Renda” sobre Total investido no PEE (%) 0 0 87,4%

Recursos no segmento Comercial sobre o Total investido no PEE (%) 0 0 10,4%

Recursos no segmento Industrial sobre o Total investido no PEE (%) 0 0 1,0%

Recursos no segmento Rural sobre o Total investido no PEE (%) 0 0 0,0%

Recursos no segmento Iluminação Pública sobre o Total investido no PEE (%) 0 0 0,0%

Recursos no segmento Serviço Público sobre o Total investido no PEE (%) 0 0 0,0%

Recursos no segmento Poder Público sobre o Total investido no PEE (%)

por tipos de projetos

100% 0 1,3%

Recursos no segmento Gestão Energética sobre Total de recursos no PEE (%) 0 0 0,0%

Recursos no segmento Educação sobre Total de recursos no PEE (%) 0 0 0,0%

Recursos no segmento Aquecimento Solar sobre Total de recursos no PEE (%) 0 0 0,0%

eficientização energética

Residencial

2011 2010 2009

Energia economizada (em MWh) / ano 0 0 0

Redução na demanda de ponta (em MW) 0 0 0

Custo evitado com a energia economizada

residencial baixa renda

0 0 0

Energia economizada (em MWh) / ano 0 0 1.085,2

Redução na demanda de ponta (em MW) 0 0 0,3

Custo evitado com a energia economizada (R$)

comercial

0 0 114,4

Energia economizada (em MWh) / ano 0 0 811,1

Redução na demanda de ponta (em MW) 0 0 0,2

Custo evitado com a energia economizada

Industrial

0 0 114,4

Energia economizada (em MWh) / ano 0 0 340,8

Redução na demanda de ponta (em MW) 0 0 0,04

Custo evitado com a energia economizada

rural

0 0 114,4

Energia economizada (em MWh) / ano 0 0 0

Redução na demanda de ponta (em MW) 0 0 0

Custo evitado com a energia economizada 0 0 0

77


78

Dimensão soCial e setorial

Participação relativa dos recursos em Projetos de eficientização energética

Iluminação pública

Energia economizada (em MWh) / ano 0 0 0

Redução na demanda de ponta (em MW) 0 0 0

Custo evitado com a energia economizada 0 0 0

serviço público

Energia economizada (em MWh) / ano 0 0 664,2

Redução na demanda de ponta (em MW) 0 0 0,1

Custo evitado com a energia economizada

poder público

0 0 114,4

Energia economizada (em MWh) / ano 448,074 0 1.293,4

Redução na demanda de ponta (em MW) 51,150 0 0,6

Custo evitado com a energia economizada

aquecimento solar

156,52 0 114,4

Energia economizada (em MWh) / ano 0 0 0

Redução na demanda de ponta (em MW) 0 0 0

Custo evitado com a energia economizada

Eficientização Interna ( na empresa )

0 0 0

Energia economizada (em MWh) / ano 0 0 0

Redução na demanda de ponta (em MW) 0 0 0

Custo evitado com a energia economizada 0 0 0

totaL 156,52 0,0 571,9


IndIcadores do setor eLétrIco

recursos aplicados em Pesquisa e Desenvolvimento tecnológico e Científico r$ mil

por temas de pesquisa (manual de p&d - aneeL ) meta 2011 2010 2009

Eficiência Energética (A) 0 0 0 0

fonte renovável ou alternativa (B) 57 0 532 803

Meio Ambiente (C) 17 0 33 8

Qualidade e confiabilidade (D) 45 0 43 674

Planejamento e operação (E) 204 0 206 92

Supervisão, controle e proteção (f) 28 0 42 392

Medição (G) 0 0 0 0

Transmissão de dados via rede elétrica (H) 0 0 0 0

Novos materiais e componentes (I) 0 0 0 0,5

Desenvolvimento de tecnologia de combate à

fraude e furto (J)

0 0 0 0

Total de Investimentos em P&D (K) 350 855 1.969

Recursos aplicados em Eficiência Energética (A)

sobre Total investido em P&D (K) (%)

0,0% 0 0,0% 0,0%

Recursos aplicados em fonte Renovável ou Alternativa

(B) sobre Total investido em P&D (K) (%)

Recursos aplicados em Meio Ambiente (C) sobre

Total investido em P&D (K) (%)

Recursos aplicados em Qualidade e Confiabilidade

(D) sobre Total investido em P&D (K) (%)

Recursos aplicados em Planejamento e Operação (E)

sobre Total investido em P&D (K) (%)

Recursos aplicados em Supervisão, Controle e

Proteção (f) sobre Total investido em P&D (K) (%)

Recursos aplicados em Medição (G) sobre Total

investido em P&D (K) (%)

Recursos aplicados em Transmissão de Dados Via Rede

Elétrica (H) sobre Total investido em P&D (K) (%)

Recursos aplicados em Novos Materiais e Componentes

sobre Total investido em P&D (K) (%)

Recursos aplicados em Desenvolvimento de Tecnologia

de Combate à fraude e furto (J) sobre Total

investido em P&D (K) (%)

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

16,2% 0 62,2% 40,8%

4,7% 0 3,9% 0,4%

12,7% 0 5,0% 34,3%

58,3% 0 24,1% 4,7%

8,1% 0 4,9% 19,9%

0,0% 0 0,0% 0,0%

0,0% 0 0,0% 0,0%

0,0% 0 0,0% 0,0%

0,0% 0 0,0% 0,0%

79


80

capítulo 5

Dimensão

ambiental


ede celpa eneRgia RelatóRio RelatóRio de ReSponSabilidade de SuStentabilidade Socioambiental 2010 2011 81


82

Dimensão amBiental

Inserida no Bioma Amazônico, destacado como

um dos mais importantes do ponto de vista de

diversidade de espécies, a área de concessão da

Celpa ocupa um território de 1.250 mil km² da

totalidade do Estado do Pará, segundo maior em

extensão territorial do Brasil.

A gestão ambiental da companhia é feita com

base no Sistema de Gestão Ambiental (SGA), desenvolvido

para atender de forma sistematizada a

Política de Sustentabilidade Coorporativa da Rede

Energia. O SGA, baseado nos requisitos da ISO

14001:2004, tem como escopo: “Distribuição,

subtransmissão e geração própria (quando aplicável)

de energia elétrica e as atividades de apoio

relacionadas”.

A Política de Sustentabilidade da Celpa tem

como princípios:

• atuar como agente de melhorias socioambientais,

maximizando os impactos positivos e minimizando

os negativos das atividades; viabilizando

investimentos socioambientais que promovam o

desenvolvimento regional, a geração de renda, o

esporte e a educação, respeitando a cultura, os

valores e costumes das comunidades atendidas;

• promover a preservação do meio ambiente, a

prevenção da poluição e o consumo consciente;

• estimular a educação ambiental dos colaboradores,

fornecedores e da comunidade;

• apoiar entidades de pesquisa e de inovação tecnológica

e do setor elétrico, associadas ao meio

ambiente, à saúde e segurança do trabalho.

Impactos, ciclo de vida e

preservação ambiental

O Sistema de Gestão Ambiental, implantado no

ano de 2008 e consolidado nos anos seguintes, envolve

todas as áreas da empresa, por meio de treinamentos,

palestras, auditorias e reuniões de análise

crítica. Além destes, outros eventos englobando

a temática ambiental, também atinge a todos os

fornecedores da Celpa e a comunidade externa.

recuperação de áreas degradadas - No ano

de 2011, foi dado continuidade ao processo de

saneamento ambiental das usinas desativadas da

Celpa, iniciado em 2002, contando com o acompanhamento

da Secretaria de Meio Ambiente do

Estado do Pará.

Também foram saneadas as áreas das usinas de

localizadas nos municípios de Melgaço e Bagre,

ambos localizados no arquipélago do Marajó. O

processo de saneamento é lento e minucioso,

necessitando, em média, nove meses para sua

execução.

Gestão de resíduos - Atendendo à legislação,

os resíduos gerados nos processos produtivos da

Celpa são controlados e destinados de acordo com

sua especificação. Em 2011, a companhia destinou

adequadamente 541.137 Kg de resíduos, perigosos

e não perigosos, havendo uma redução em relação

ao ano de 2010.


Os treinamentos do Sistema de Gestão Ambiental

para os colaboradores contribuíram na

diminuição da geração de papel usado e dos resíduos

das usinas. Os certificados de comprovação

dos descartes estão no arquivo da Gerência de

Meio Ambiente.

Para a destinação destes resíduos a empresa conta

com empresas parceiras aptas a realizarem estas

atividades, sendo todas licenciadas nos órgãos

resíduos descartados em 2011 Quant. (Kg) Destinação

óleo usado 24.800 Kg Reciclagem

Baterias Automotivas usadas 7.880 Kg Reciclagem

Papel usado 9.980 Kg Reciclagem

Transformadores Avariados 155.779 Kg Reciclagem

Resíduos Patológicos 24 Kg Incineração

Tambores Vazios 3.140 Kg Reciclagem

Lâmpadas Queimadas 5.000 Kg Reciclagem

Solo Contaminado, Borra Oleosa, Trapos E Estopas, E

filtros usados

7.300 Kg Cooprocessamento

Toner, Cartuchos, Cola E frascos De Tinta 564 Kg Cooprocessamento

Cabos Elétricos usados 193.220 Kg Reciclagem

Cruzetas De Madeira 1.800 Kg Reciclagem

Isoladores De Porcelanas 53.090 Kg Reciclagem

Sucatas De ferro 78.560 Kg Reciclagem

total 541.137 Kg

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

ambientais competentes. O processo é realizado

de acordo com a classificação do resíduo, sendo:

Reciclagem, cooprocessamento e incineração. Vale

ressaltar que todo o processo é acompanhado pela

Gerência de Meio Ambiente da Celpa, objetivando

verificar o cumprimento dos prazos estabelecidos

para a destinação, evitando desta forma que os

resíduos permanecessem nos pátios das empresas

por longos períodos.

83


84

Dimensão amBiental

licenciamento ambiental

No ano de 2011, a Celpa gerenciou um total de

1.011 processos de licenciamento ambiental dos

ativos da companhia relacionados à implantação,

operação e manutenção de sistemas de elétricos,

compostos por linhas e subestações de distribuição

de energia rurais e urbanas, redes de distribuição

rural, em especial àquelas vinculadas ao Programa

Luz Para Todos, usinas Dieselétricas e, ainda, sistemas

híbridos de fontes alternativas de geração de

energia para atendimento energético de comunidades

isoladas no Estado.

No mesmo ano, também foram obtidas, juntos

aos órgãos ambientais competentes, 35 licenças

ambientais e 18 Autorizações de Supressão de Vegetação

(ASV) necessárias para implantações de

linhas, redes e subestações, nas quais havia necessidade

de supressão vegetal, ou ainda, para corte

seletivo de árvores que colocavam em risco sistemas

já em operação.

Os processos de licenciamento e autorizações

ambientais foram conduzidos por órgãos ambientais

nas esferas federais, estaduais e municipais, de

acordo com as características da obra a ser licenciada,

bem como as respectivas competências dos

institutos ambientais.

educação ambiental

Para aumentar seus impactos positivos, a Celpa

sistematiza suas ferramentas de atuação socioambiental.

A Política de Sustentabilidade existente é

parte da decisão corporativa de incluir a Dimensão

Socioambiental ao Planejamento Estratégico,

assim como os Sistemas de Gestão Ambiental implantados.

Com a implantação efetiva dos Sistemas de Gestão

Ambiental, uma série de programas de gestão

adequada de resíduos, de educação ambiental e

de adequação das instalações foi desenvolvida,

beneficiando empregados próprios, terceirizados e

escolas.

pÚBlIco INtERNo

A Celpa busca trabalhar entre seus colaboradores

próprios e terceiros a conscientização ambiental,

iniciativa vista pela empresa como o alicerce

de todo o processo educativo relacionado ao meio

ambiente. Entre as ações desenvolvidas estão:

a) III semana de sustentabilidade

O evento ocorreu no período de 06 a 10 de junho

de 2011, simultaneamente, em Belém, Castanhal,

Marabá, Santarém e Altamira. Entre as atividades

desenvolvidas estão palestras, caminhadas ecológicas,

plantios de mudas, peças de teatros e filmes, a

partir da temática arborização.

Para marcar a abertura da III Semana de Sustentabilidade,

houve um plantio de mudas nativas da

Amazônia realizado por 60 crianças da fundação

Aquarela, no bosque da empresa, também em comemoração

ao 395º aniversário da cidade de Belém.

Na oportunidade, as crianças também puderam

assistir a uma peça de teatro encenada pelo

grupo de teatro Energia em Cena, formado por

colaboradores próprios e terceiros.

Em Belém, no auditório da empresa, houve a apresentação

do Plano de Arborização da cidade de Belém,

no qual a Celpa participou da elaboração junto

a instituições, como Museu Paraense Emilio Goeldi,

Ministério Público, Embrapa, Secretaria Municipal

de Meio Ambiente (Semma), universidade federal

Rural da Amazônia (ufra), Secretaria de Estado de

urbanismo (Seurb), Secretaria de Gestão Participativa

(Segep), Secretaria de Agricultura do Estado

do Pará (Sagri), Conselho Regional de Engenharia e

Agronomia e Associação Comercial do Pará (ACP).


) campanha Lixocar

Em 2011, a Celpa desenvolveu uma campanha

de distribuição de sacolinhas coletoras de lixo para

veículos. A ação envolveu a frota da empresa, das

empresas terceirizadas e veículos particulares de

nossos colaboradores. foram distribuídas cerca de

2.300 sacolas.

A campanha teve início com uma “blitz” no portão

de entrada da empresa, onde o público-alvo foi

abordado por atores do grupo de teatro Energia

em Cena, que passou uma mensagem educativa,

distribuindo folder e as sacolinhas.

pÚBlIco ExtERNo

As ações voltadas para a conscientização ambiental

da Celpa, também abrangem o público externo.

No segundo semestre de 2011, a Celpa passou

a receber visitas de escolas, com o intuito de

orientar e informar sobre o consumo consciente de

energia, noções de educação ambiental e segurança.

Na palestra de educação ambiental, as crianças

receberam orientações sobre o local adequado

para o plantio de mudas, sobre a importância de

não plantar sob a rede de energia elétrica, sobre

o risco de realizar podas sem orientação técnica,

entre outros assuntos.

Vale ressaltar que o sistema de Gestão Ambiental

contribuiu para que as equipes de poda tenham

consciência sobre a importância de realizar o corte

de forma adequada e de não deixar resíduos nas

vias públicas.

rede celpa eneRgia RelatóRio RelatóRio de ReSponSabilidade de SuStentabilidade Socioambiental 2010 2011 85


86

indicadores ambientais

Dimensão amBiental

Dimensão ambiental

recuperação de Áreas degradadas meta 2011 2010 2009

área preservada e/ou recuperada por manejo

sustentável de vegetação sob as linhas de

transmissão e distribuição (em há)

ND ND ND

área preservada / total da área preservada na

área de concessão exigida por lei (%)

Contribuição para o aumento de áreas verdes

nos municípios pelo Programa de Arborização

urbana (em ha)

Rede protegida isolada (rede ecológica ou

linha verde) na área urbana (em km)

Percentual da rede protegida isolada / total

da rede de distribuição na área urbana

Gastos com gerenciamento do impacto

ambiental (arborização, manejo sustentável,

com equipamentos e redes protegidas) (R$ Mil)

Quantidade de acidentes por violação das

normas de segurança ambiental

Número de autuações e/ou multas por

violação de normas ambientais

Valor incorrido em autuações e/ou multas por

violação de normas ambientais. (R$ Mil)

ND ND NA

ND ND ND

92,14 40,8 23,6

1,4% 0,6% 6,6%

6.910 ND 821

0 0 1

6 3 1

2.602 1.603 196

Geração e tratamento de resíduos

emissão

meta 2011 2010 2009

Volume anual de gases do efeito estufa (CO2,

CH4, N2O, HfC, PfC, Sf6) emitidos na

atmosfera (em toneladas de CO2 equivalentes)

ND ND 282.903

Volume anual de emissões destruidoras de

ozônio (em toneladas de CfC equivalentes)

ND ND ND

Efluentes ND ND

Volume total de efluentes ND ND ND

Volume total de efluentes com tratamento ND ND ND

Percentual de efluentes tratados (%)

sólidos

ND ND ND

Quantidade anual (em toneladas) de resíduos

sólidos gerados (lixo, dejetos, entulho etc.)

1.185 1.421,4 918,0


Percentual de resíduos encaminhados para

reciclagem sem vínculo com a empresa

Percentual de resíduos reciclados por unidade

ou entidade vinculada à empresa (projeto

específico)

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

0,00% 0,0% 36,0%

0,00% 0,0% 0,0%

Gastos com reciclagem dos resíduos (R$ Mil) 0 7 0

Percentual do material de consumo reutilizado

(matérias-primas, equipamentos, fios e

cabos elétricos)

0,70% 0,01% 2,60%

Gastos com destinação final de resíduos não

perigosos (R$ Mil)

87,46 72 23

manejo de resíduos perigosos meta 2011 2010 2009

Percentual de equipamentos substituídos por

óleo mineral isolante sem PCB (Ascarel)

0,00% 0% 0,0%

Percentual de lâmpadas descontaminadas em

relação ao total substituído na empresa

ND ND 0,0%

Percentual de lâmpadas descontaminadas em

relação ao total substituído nas unidades

consumidoras

ND ND 0,0%

Gastos com tratamento e destinação de

resíduos tóxicos (incineração, aterro, biotratamento,

etc.) (R$ mil)

4,2 312 7

uso de recursos no processo produtivo e

em processos gerenciais da organização

Consumo total de energia por fonte:

meta 2011 2010 2009

Hidrelétrica (em kWh) 10.545.743 9.162.577 8.143.798

Combustíveis fósseis 23.447.763 23.624.446 21.460.428

fontes alternativas (gás, energia eólica,

energia solar etc.)

0 0 0

Consumo total de energia (em kWh) 33.993.506 32.787.023 29.604.226

Consumo de energia por kWh distribuído

(vendido)

0,005544431 0,005472826 0,00543713

Consumo total de combustíveis fósseis pela

frota de veículos da empresa por quilômetro

rodado

9,6 KM/L ND ND

Diesel 9,1 KM/L 0,079 0,124

Gasolina * 10,7 KM/L 0,115 0,094

álcool * ND ND 0

Gás natural ND ND NA

Consumo total de água por fonte (em m³) ND ND

Abastecimento (rede pública) 17.626 16,6 18.114,00

fonte subterrânea (poço) ND ND ND

Captação superficial (cursos d’água) ND ND NA

Consumo total de água (em m³) 17.626 16,6 18.114,0

87


88

Dimensão amBiental

Consumo de água por empregado (em m³) 4,4 8,1 8,5

Redução de custos obtida pela redução do

consumo de energia, água e material de

consumo. (R$ Mil)

ND ND ND

origem dos Produtos -

material de consumo

meta 2011 2010 2009

Percentual do material adquirido em conformidade

com os critérios ambientais verificados

pela empresa / total de material adquirido

100,00% 93,1% 38,0%

Percentual do material adquirido com Selo

Verde ou outros (Procel, Inmetro, etc.)

25,00% 24,1% 12,5%

Percentual do material adquirido com

certificação florestal (Imaflora, FSC e outros)

7,50% 6,4% 2,1%

educação e conscientização ambiental meta 2011 2010 2009

educação ambiental – comunidade – na organização

Número de empregados treinados nos

programas de educação ambiental

156 824 794

Percentual de empregados treinados nos

programas de educação ambiental / total de

empregados

7,40% 39,5% 37,4%

Número de horas de treinamento ambiental

/ total de horas de treinamento

0,01 0,066 0,23

Recursos aplicados (R$ Mil)

educação ambiental - comunidade

0 338 25

Número de unidades de ensino fundamental

e médio atendidas

221 33 20

Percentual de escolas atendidas / número

total de escolas da área de concessão.

ND ND 1,6%

Número de alunos atendidos 3.796 2.567 2.412

Percentual de alunos atendidos / número

total de alunos da rede escolar da área de

concessão

ND ND 0,3%

Número de professores capacitados 94 0 24

Número de unidades de ensino técnico e

superior atendidas

0 0 0

Percentual de escolas atendidas / número

total de escolas da área de concessão

0 0 0,0%

Número de alunos atendidos 0 0 0

Percentual de alunos atendidos / número

total de alunos da rede escolar da área de

concessão

0 0 0,0%

Recursos Aplicados (R$ Mil) ND ND ND


Pees destinados à formação da

cultura em conservação e uso racional

de energia

meta 2011 2010 2009

Número de domicílios do segmento baixa

renda atendidos pelo programa

0 0 158

Percentual de domicílios do segmento baixa

renda atendidos pelo programa sobre total

de domicílios do segmento baixa renda

0,0% 0,0% 0,02%

Número de equipamentos eficientes doados 0 0 158

Número de domicílios atendidos para

adequação das instalações elétricas da

habitação

0 0

Número de profissionais eletricistas treinados

pelo programa

0 0 0

PEEs Aquecimento solar (R$ mil) 0 0 0

Número de sistemas de aquecimento solar

instalados

0 0 0

PEEs Gestão Energética Municipal (R$ mil) 0 0 0

Número de municípios atendidos pelo

programa de gestão energética municipal

0 0 0

Percentual de municípios atendidos sobre

total de municípios da área de concessão

0,0% 0,0% 0,0%

P&D Voltados ao meio ambiente meta 2011 2010 2009

Recursos Aplicados (R$ Mil) 0 0 8

Número de patentes registradas no INPI 0 0 0

Cultura, esporte e turismo meta 2011 2010 2009

Recursos Aplicados (R$ Mil) 473 312 12

saúde meta 2011 2010 2009

Recursos Aplicados (R$ Mil) ND ND ND

* Por se tratar de veículos flex foi considerada a mesma média para Gasolina e álcool

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

89


90

capítulo 6

anexos


ede celpa eneRgia RelatóRio RelatóRio de ReSponSabilidade de SuStentabilidade Socioambiental 2010 2011 91


92

Balanço social

anexos

Base de cálculo (em milhares de reais) 31/12/2011 31/12/2010

Receita Líquida (RL) 2.433.800 2.110.961

Resultado Operacional (RO) (418.597) (127.850)

Folha de Pagamento Bruta (FPB) 118.684 79.266

indicadores sociais internos

31/12/2011 31/12/2010

(em milhares de reais) r$ FpB rL r$ FpB rL

Alimentação 10.926 9,2 0,4 11.461 14,5 0,5

Encargos Sociais Compulsórios 23.168 19,5 1,0 16.847 21,3 0,8

Previdência Privada 4.815 4,1 0,2 2.377 3,0 0,1

Saúde 7.148 6,0 0,3 10.712 13,5 0,5

Segurança e Medicina no

Trabalho

1.657 1,4 0,1 2.430 3,1 0,1

Educação - 0,0 0,0 186 0,2 0,0

Capacitação e Desenvolvimento

Profissional

474 0,4 0,0 627 0,8 0,0

Auxílio-Creche 842 0,7 0,0 1.093 1,4 0,1

Participação dos Empregados

nos Lucros ou Resultados*

4.009 3,4 0,2 3.177 4,0 0,2

Participação dos Administradores

no Resultado

- 0,0 0,0 - 0,0 0,0

Incentivo à Aposentadoria e

Demissão voluntária

- 0,0 0,0 -5 0,0 0,0

Vale-Transporte - Excedente 830 0,7 0,0 684 0,9 0,0

Outros Benefícios 3.233 2,7 0,1 3.442 4,3 0,2

totaL 57.102 48,1 2,3 53.031 67,0 2,5

* Cláusula existente no Acordo Coletivo de Trabalho celebrado entre a Celpa e os Sindicatos das categorias, onde constam

os indicadores e metas estabelecidas para cálculo do valor correspondente.


indicadores sociais externos 31/12/2011 31/12/2010

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

r$ ro rL r$ ro rL

Educação - Fundação Aquarela 2.874 (0,7) 0,1 2.199 (1,7) 0,1

Cultura 132 0,0 0,0 249 (0,2) 0,0

Saúde e saneamento 132 0,0 0,0 249 (0,2) 0,0

Esporte e lazer 81 0,0 0,0 63 0,0 0,0

Combate à fome e segurança alimentar - 0,0 0,0 - 0,0 0,0

Doações / contribuições 1.100 (0,3) 0,0 570 (0,4) 0,0

subtotal 4.319 (1,0) 0,1 3.330 (2,5) 0,1

Programas Sociais

Programa Universalização - Luz para Todos 165.273 (39,5) 6,8 310.840 (243,1) 14,7

Interligação Ilha do Marajó 37.320 (8,9) 1,5 78.105 (61,1) 3,7

Outros - 0,0 0,0 16 0,0 0,0

subtotal 202.593 (48,4) 8,3 388.961 (304,2) 18,4

Total de contribuições para a sociedade 206.912 (49,4) 8,4 392.291 (306,7) 18,5

Tributos (excluídos encargos sociais) 791.840 (189,2) 32,5 732.688 (175,0) 30,1

Total indicadores sociais externos 998.752 (238,6) 40,9 1.124.979 (481,7) 48,6

indicadores ambientais 31/12/2011 31/12/2010

r$ ro rL r$ ro rL

investimentos relacionados com a

produção/operação da empresa

Fundo Nacional de Desenv. Científico e

Tecnológico - FNDCT

3.308 (0,8) 0,1 3.090 (2,4) 0,1

Estudo de Pesquisa Energética - EPE

(MME)

1.654 (0,4) 0,1 1.546 (1,2) 0,1

Programa de Eficiência Energética - PEE 8.270 (2,0) 0,3 7.714 (6,0) 0,4

Programa de Pesquisa e

Desenvolvimento - P&D

3.308 (0,8) 0,1 3.086 (2,4) 0,1

Total de investimentos relacionados

com a prod./operação da empresa

16.540 (4,0) 0,6 15.436 (12,0) 0,7

Quanto ao estabelecimento de “metas anuais” para minimizar resíduos, o consumo em geral na produção/operação e

aumentar a eficácia na utilização de recursos naturais, a empresa.

(x) não possui metas

( ) cumpre de 51 a 75%

( ) cumpre de 0 a 50%

( ) cumpre de 76 a 100%

93


94

aneXos

indicadores do Corpo Funcional (*) 31/12/2011

(em unidades)

31/12/2010

(em unidades)

de Empregados no final do Período 2.221 2.158

Escolaridade dos Empregados:

Superior e Pós-Graduação 463 454

Ensino Médio 1.551 1.494

Ensino fundamental

faixa Etária dos Empregados:

207 210

Abaixo de 30 Anos 324 354

De 30 até 45 Anos (Exclusive) 1.334 1.231

Acima de 45 Anos 563 573

de admissões durante o período 137 128

de empregados desligados no período 74 95

de mulheres que trabalham na empresa 689 675

% de cargos gerenciais ocupado por mulheres

em relação ao nº total de mulheres

4,93% 3,11%

% de cargos gerenciais ocupado por mulheres

em relação ao nº total de gerentes

26% 25%

de negros que trabalham na empresa 1.400 1.353

% de cargos gerenciais ocupado por negros em

relação ao nº total de negros

4,71% 3,03%

% de cargos gerenciais ocupado por negros em

relação ao nº total de gerentes

50,8% 48,2%

de empregados portadores de deficiência física 133 74

de dependentes 3.537 3.516

de estagiários 68 34

de empregados terceirizados/temporários 1.925 2.038


6. Informações relevantes quanto ao

exercício da cidadania empresarial (*)

Relação entre a maior e a menor

remuneração na empresa

Número total de acidentes de

trabalho

Os projetos sociais e ambientais

desenvolvidos pela empresa

foram definidos por:

Os padrões de segurança e

salubridade no ambiente de

trabalho foram definidos por:

Quanto à liberdade sindical, ao

direito de negociação coletiva e

à representação interna dos(as)

trabalhadores(as), a empresa:

A previdência privada

contempla:

A participação dos lucros ou

resultados contempla:

Na seleção dos fornecedores,

os mesmos padrões éticos e de

responsabilidade social e ambiental

adotados pela empresa:

Quanto à participação de

empregados(as) em programas de

trabalho voluntário, a empresa:

Número total de reclamações e

críticas de consumidores(as):

% de reclamações e críticas

atendidas ou solucionadas:

( )

direção

( )

direção e

gerências

( )

não se

envolve

( )

direção

( )

direção

( )

não são

considerados

( )

não se

envolve

na empresa

3.967

na empresa

100%

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

2011 metas 2012

19,48 19,09

49 45

( x )

direção e

gerências

( )

todos(as)

empregados(as)

( x )

segue as normas

da OIT

( ) direção e

gerências

( ) direção e

gerências

( )

são

sugeridos

( x )

apóia

no Procon

2.007

no Procon

81,4%

( )

todos(as)

empregados(as)

( x )

todos(as) +

CIPA

( )

incentiva e

segue a OIT

( x )

todos(as)

empregados(as)

( x )

todos(as)

empregados(as)

( x )

são

exigidos

( )

organiza e

incentiva

na Justiça

1.472

na Justiça

28%

( )

direção

( ) direção e

gerências

( )

não se

envolverá

( )

direção

( )

direção

( )

não serão

considerados

( )

não se

envolverá

na empresa

3.848

na empresa 1

00%

( x )

direção e

gerências

( )

todos(as)

empregados(as)

( x )

seguirá as normas

da OIT

( ) direção e

gerências

( )

direção e

gerências

( )

serão

sugeridos

( x )

apoiará

no Procon

1.907

no Procon

80%

( )

todos(as)

empregados(as)

( x )

todos(as) +

CIPA

( )

incentivará e

seguirá a OIT

( x )

todos(as)

empregados(as)

( x )

todos(as)

empregados(as)

( x )

serão

exigidos

( )

organizará e

incentivará

na Justiça

1.472

na Justiça

30%

em 31/12/2011 em 31/12/2010

valor total a distribuir (em mil r$) R$ 1.496.009 R$ 1.435.125

distribuição do valor adicionado (dva): 65,07 % governo 59,74 % governo

6,81 % colaboradores(as) 4,31 % colaboradores(as)

0 % acionistas 0 % acionistas

53,36 % terceiros 42,97 % terceiros

(25,24 %) prejuízo (7,02 %) prejuízo

outRaS inFoRmaÇÕeS

a) nos dados referentes a reclamações e críticas “na empresa”, foram considerados aqueles que entraram

via ouvidoria e, no percentual de críticas atendidas ou solucionadas, considerou-se aquelas que

foram atendidas e respondidas ao consumidor.

b) negros - inclui negros e pardos, homens e mulheres

c) (*) informações não auditadas.

95


96

metas do milênio

Projetos e ações Desenvolvidas objetivos de Desenvolvimento do milênio

Compromisso todos

pela Educação

fundação Aquarela - Escola

Nuremberg Borja

Criança Luz

um, Dois e Click! (Coleção Lelê E Trix)

Jornada de Gestão Cultural e

Profissionalização

Projeto Parangolé

Relacionamentos Institucionais

- Participação como membro do fórum

de Empresários pelos direitos da Criança e

Adolescente.

Ministério Público e a Comunidade

feart - festival de Artes da Assembleia

Legislativa

Círio de Nossa Senhora de Nazaré

Semana Nacional de Segurança

Abradee

Projeto Transparência

Agenda Criança Amazônia

Navega Pará

Luz para Todos

Legenda

aneXos


Grupo de trabalho

RELATóRIO DE RESPONSABILIDADE

SOCIOAMBIENTAL - CELPA

marIa de souza aranHa meIreLLes

Supervisão

LILIan vasconceLos sILva Gama

Coordenação CELPA

renato BomFIm LomBeLLo

Coordenação Projeto Gráfico

proJeto GrÁFIco

TV1

dIaGramação

Temple Comunicação

Fotos

Banco de Imagens Rede Energia Ricardo Teles

A Celpa agradece, especialmente, aos

integrantes dos Comitês, que foram

fundamentais para a elaboração do presente

relatório:

COMIT ê DE RESPONSABILIDADE

SOCIOAMBIENTAL 2011

aLzemIra Gomes de oLIveIra

Administrativo

ana tereza LeaL

Comunicação

anGeLandre BItencourt Quaresma

Eletrificação Rural

carLa aLBuQuerQue penna

Meio Ambiente

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

carLos tHadeu araGão de aBreu

Operação do Sistema

cILene aGuIar neves

Jurídico

dIeGo araÚJo BItar

Suprimentos e Logística

edILBerto HenrIQue muLLer

Operação do Sistema

edson LIrIa maXImIno

Suprimentos e Logística

GeraLdo José martIns

Segurança no Trabalho

GIorGIana FreItas pInHeIro

P&D E PEE

GuILHermIna martIns de Barros de

aLmeIda

Regulação e Ouvidoria

Ivan LuIz Guedes de araGão

Meio Ambiente

IzaBeL corIna de oLIveIra carvaLHo

Gestão de Ativos

JacKson coeLHo dos santos

Comunicação

James carLo de oLIveIra FIGueIredo

Eletrificação Rural

Jander LuIz carvaLHo rÊGo

Operação do Sistema

JaQueLIne do socorro nascImento

oLIveIra

Gestão de Pessoas

João da sILva soares JÚnIor

Gestão de Pessoas

João de Jesus pInHeIro

Gestão de Pessoas

JorGe pereIra vaLente

Eletrificação Rural

José cLÁudIo de souza Gomes

financeiro

97


98

aneXos

José edILson Barreto maIa

P&D E PEE

JosIno da costa neto

Operação do Sistema

JuracI neGrão de vILHena

Atendimento e Poderes Públicos

LetÍcIa marIa vIeIra cavaLcante

Atendimento a Clientes

Loreddana monteIro BandeIra

Operação do Sistema

LuIz Guedes de oLIveIra neto

Administrativo

LuIz rodrIGo matta

Eletrificação Rural

manoeL José aLves pereIra

Planejamento e Projetos

mIcHeLIne pInHeIro da costa

Administrativo

pauLo roBerto Lemos de arauJo

Atendimento a Clientes

pedro aLves pInto neto

faturamento e Arrecadação

rauL LuIz Ferraz FILHo

Jurídico

rIsoLeIde de FreItas aLmeIda

Comercial

vanJa Gato medeIros

Mercado

WaLdIrene LIsBoa do nascImento

Comunicação

WaLKIrIa Hamu mattar

Comunicação

coMItê DE SuStENtaBIlIDaDE

coRpoRatIVo

aBeLardo FerreIra dos santos

Regulatória

aLane Fernandes macIeL

Centro de Serviços Compartilhados

aLessandro c. mIceLLI

Processo e Qualidade

ana cLaudIa mendes cotrIn

Qualidade

ana LuIza reLa

Meio Ambiente

anderson toneLI

RedeCom

carLos aLBerto neWman

TI

deILton JoaQuIm dos santos

Suprimentos

emerson rIveLIno

Eficiência Energética (PEE)

erIcK G. B. sampaIo

Operacional

GeraLdo martIns rIera FILHo

Qualidade

IzaIas FerreIra de pauLa

Jurídica

JeFFerson KopaK

Administrativa

Jonas GonçaLves

P&D e PEE

José ramaLHo JÚnIor

Relação Poder Concedente

JuLIana Luce rIttes GarcIa

Responsabilidade Socioambiental

Leandro Ferraz de oLIveIra

frotas


LuIz anGeLo rosoLem

Suprimentos e Logística

marco artHur stort FerreIra

P&D

marIa meIreLLes

Responsabilidade Socioambiental

marIneLLa GuImarães

Comunicação

mÁrIo russo

Relação com Investidor

mônIca vIveIros correIa

Gestão de Pessoas

morGana rossI

Processo

pauLo FrancIsco BarBerIo

Comercial

celpa RelatóRio de ReSponSabilidade Socioambiental 2011

pauLo roBerto ancIuttI

Gestão de Ativos

pLÁcIdo GonçaLves meIreLLes

Comunicação

reGIna FerreIra correIa

Administrativa

reInaLdo teIXeIra mota

Contabilidade

rIcardo mInoru KItamura

Segurança no trabalho

roGer aKIo KItamura

Mercado

rosÂnGeLa vaLIo camarGo

Jurídica

99


100


ede celpa eneRgia RelatóRio RelatóRio de ReSponSabilidade de SuStentabilidade Socioambiental 2010 2011 101


102


ede celpa eneRgia RelatóRio RelatóRio de ReSponSabilidade de SuStentabilidade Socioambiental 2010 2011 103


www.celpa.com.br

More magazines by this user
Similar magazines