SEJA LUZ - Missões Nacionais

missoesnacionais.org.br

SEJA LUZ - Missões Nacionais

No próximo

dia 22 de

abril iniciaremos

uma grande jornada

de oração

em todo o Brasil.

Serão 100

dias ininterruptos

de oração.

As igrejas realizarão vigílias de oração

em horários pré-estabelecidos

de maneira que uma grande rede

de oração será formada com todas

as igrejas batistas do Brasil. Se sua

igreja ainda não divulgou o horário

da vigília entre em contato com Missões

Nacionais e assuma um horário

na agenda de oração. Vamos orar

juntos e buscar a face do Senhor intercedendo

pelo nosso país. Os motivos

de oração para cada um dos

cem dias estão descritos no livro lançado

na Assembleia da CBB em Foz

do Iguaçu: “100 Dias que impactarão

o Brasil”. Este livro foi escrito por 100

pessoas e trata de 100 temas relevantes

para a nossa pátria. É fundamental

que você adquira o livro para

participar desta grande mobilização

em todo o país.

A jornada de oração também contará

com a participação de cada

crente diariamente. Você deve assumir

um tempo todos os dias para

orar pelos motivos apresentados no

livro da campanha. Também convidamos

você para reunir sua família

uma vez por semana para orar.

Este é um grande desafio nos

dias atuais, reunir a família

para orar. Você não pode

desistir. É preciso perseverar.

Converse com seus

amigos e vizinhos e forme

grupos de oração. Ore no

seu trabalho, na escola, na

100 DIAS ORANDO

SEM CESSAR...

faculdade, no condomínio e, sem

cessar, interceda pela salvação do

Brasil. Se almejamos um grande avivamento

espiritual em nossa nação,

o caminho é a oração. Se o povo de

Deus orar, alguma coisa vai acontecer,

com certeza. O povo brasileiro

precisa sentir o impacto da oração,

que transforma, restaura e santifica.

A partir do dia 22 de abril, nós, servos

do Senhor Jesus, estaremos unidos

num mesmo objetivo: orar sem

cessar.

Durante a 92ª Assembleia da

CBB em Foz do Iguaçu foi impactante

o lançamento da

campanha “Seja Luz”. No

culto de domingo à noite

testemunhamos o mover do

Espírito de Deus em toda a

programação. Os batismos,

a mensagem proclamada e

a resposta à campanha “Seja

Luz” pelos irmãos presentes

naquela noite marcaram a

Assembleia e nos encorajaram

a avançar mais ainda.

Cremos num grande

mover de Deus em todo o

nosso país. “Clama a mim e

responder-te-ei...”.

Querido pastor, sua igreja

não poder ficar fora desta

grande mobilização

de oração durante

os 100 dias. Sua

PALAVRA DO DIRETOR

participação e liderança são fundamentais

para que o povo de Deus

se volte para a oração durante esse

tempo. Envolva toda a sua igreja.

Você não pode ficar fora do que

Deus fará nesses dias.

Pr. Fernando Brandão

Diretor Executivo

1


ÍNDICE

Cartas e e-mails ............................................................. 3

Gente que faz Missões

Chama acesa por missões .......................................................... 4

Testemunho

Ajuda no momento de dor ........................................................ 6

Sempre Orando

Agenda de oração de Março de 2012 ...................................... 8

Mobilização

Dicas para promotores de missões ........................................ 11

Matéria de Capa

Vimos a glória de Deus em Foz do Iguaçu ...................................... 12

Clubinho Missionário

No Ritmo .................................................................................. 18

Panorama Missionário

Notícias do campo .................................................................. 20

Especial

Mais pessoas preparadas para o ministério com surdos ......... 23

História de Missões

De Deus veio o crescimento .................................................... 26

Entrevista

Evangelho para todos .............................................................. 29

A Grande Comissão

Ide e Pregai .............................................................................. 31

Uma publicação da Junta

de Missões Nacionais da

Convenção Batista Brasileira

Ano LXVII nº 255

Tiragem: 50.000

Março/2012

Direção Executiva

Pr. Fernando Brandão

Gerência Executiva de

Soluções Estratégicas

Pr. Jeremias Nunes

Redação

Jornalista Responsável

Marize Gomes Garcia – DRT

25.994/RJ

Ana Luiza Menezes

Tiago Pinheiro Monteiro

Revisão

Adalberto Alves de Sousa

Arte

Oliverartelucas

Nossa Missão:

Conquistar a Pátria para Cristo.

Nossa Visão:

Ser uma agência missionária

dinâmica e criativa, com

excelência na gestão

missionária, voltada para

servir às igrejas da CBB no

cumprimento da sua missão.

Endereço da Sede:

Rua Gonzaga Bastos, 300

Vila Isabel - 20541-015

Rio de Janeiro – RJ

Telefax: (21) 2107-1818


EDITORIAL CARTAS E E-MAILS

S e j a m o S Luz

povo de Deus

O está sendo convocado

para participar

da grande campanha

de oração e

evangelização 100

dias que impactarão

o Brasil . Neste período

nos dedicaremos

à oração por salvação de vidas, pela transformação

de nossa Pátria e também pela

participação de 100 mil voluntários na ME-

GATRANS de julho, em todos os estados

brasileiros. Os irmãos que participaram da

92ª Assembleia da CBB, em Foz do Iguaçu

aderiram à campanha. Confira a participação

de Missões Nacionais a partir da página 12.

Na seção Mobilização (pág. 11) você encontrará

dicas para divulgar a campanha e

outros projetos em sua igreja. Além disso,

na pagina 16 você pode saber mais detalhes

sobre como participar deste grande mover

de Deus, usando a vida de cada um de seus

filhos. Verifique e participe conosco, não fique

de fora.

Há muitas oportunidades para que cada

um de nós seja luz em qualquer situação.

Assim, um grupo de funcionários da sede de

Missões Nacionais cumpriu esta missão em

meio ao cenário desolador após mais chuvas

na região serrana do Rio de Janeiro (pág. 7).

Outros foram usados propagando a luz de

Cristo durante as Trans de janeiro e contaram

um pouco desta experiência na seção Gente

que faz missões. Tem ainda a entrevista com

o missionário Leandro Poçam, que trabalha

com tribos urbanas em Paraisópolis, um bairro

carente próximo a um dos bairros nobres

da capital paulista (pág. 29) e uma matéria

especial sobre a formação de mais uma turma

de líderes para o ministério com surdos

(pág. 23) que contou com a participação

inclusive de um angolano, demonstrando

que a carência de pessoas preparadas para

evangelizar e discipular os surdos não está

restrita à nossa pátria, mas vai muito além.

Nosso desejo é que você se informe sobre

a obra missionária em nosso país, mas também

se motive e motive outros a encontrar

a sua forma de ser luz neste Brasil em trevas.

Junte-se a nós e seja luz! Boa leitura.

Marize Gomes Garcia

Gerente de Jornalismo Institucional

da JMN

Realizações da JMN

“Que o Senhor Jesus continue

derramando suas bênçãos sobre

a vida de cada missionário e daqueles

que trabalham na JMN.”

Rozinete Marinho

Sobre as bênçãos recebidas pela

JMN, no Facebook

CRistolâNdia Na Mídia

“Orando para a futura Cristolândia

de BH ser uma bênção

também.”

Isabelle Marques

Sobre destaque da Cristolândia SP na

Folha de S. Paulo, no Facebook

BatisMos Na asseMBleia

“Lindo, lindo! Deus abençoe esse

trabalho a cada dia!”

Isabella de Souza Barreto

Sobre o batismo de quase 40

pessoas da Cristolândia SP na

Assembleia da Convenção no PR, no

Facebook

BatisMos Na asseMBleia (2)

“Que bênção! Deus tem transformado

a nossa nação.”

Patrícia Braga

Sobre o batismo de quase 40

pessoas da Cristolândia SP na

Assembleia da Convenção no PR, no

Facebook

JMN Na 92ª asseMBleia

“Foi abençoador o momento de

Missões Nacionais na UFM.”

José Valdinei de Souza

Sobre participação da JMN em

momento da UFMBB na Assembleia da

Convenção, pelo Twitter

CoRal CRistolâNdia

“Eu estava lá e vi o poder de

Deus na vida desses homens.

Louvado seja o Senhor da nossa

salvação.”

Gabriel de Souza Ferreira – Sobre a

participação do Coral Cristolândia na

92ª Assembleia da Convenção, pelo

Facebook.

seJa luz

“Quero Participar desse desafio

com minha igreja.”

Cristina Amado da Silva – Sobre

os vídeos promocionais Seja Luz,

MEGATRANS e novos testemunhos,

pelo Facebook.

Jesus tRaNsfoRMa

“Parabéns pelo Trabalho de

todos os voluntários e da JMN.

Oremos por estas vidas que se

entregaram a Cristo. A Deus

toda honra e toda glória!”

Rosi Marvulli – Sobre as mais de 200

vidas salvas no Transradical Urbano

Paraisópolis, pelo Facebook.


Desejando fazer parte da expansão

do evangelho no país, voluntários

viajaram para diferentes cidades para

participar da Trans de janeiro. Todo

aquele que um dia foi impactado pelo

evangelho da graça de Cristo deve se

empenhar para que mais vidas sejam

alcançadas. Sabendo disso, muitos se

inscreveram e voltaram para suas casas

não apenas com a sensação de dever

cumprido, mas com experiências que

certamente enriqueceram suas vidas,

no âmbito espiritual.

O jovem Rafael Lucchiari, de 27 anos,

saiu de Guarulhos, sua cidade, para

evangelizar em Joinville (SC). Ele disse

ter escolhido o Sul após saber do baixo

índice de batistas no estado enquanto é

grande o número de católicos e espíritas.

Rafael é membro da 1ª IB de Guarulhos,

e cursa o último ano da Faculdade

Teológica Batista de São Paulo. “Atuo

com missões na igreja, prego e dirijo

cultos regularmente”, contou. Como

voluntário da Trans SC, ele encontrou

um senhor que morava nas ruas e era

dependente de álcool, mas que gostaria

de deixar o vício e por isso pediu ajuda.

“Falei do amor de Cristo para ele e

pude ver que o Senhor agiu e tocou em

4

GENTE QUE FAZ MISSÕES

Rafael (de blusa

verde) e sua equipe

Chama

acesa

por

missões

Pr. Jossemar S. de

Oliveira participou

com sua família


seu coração. Podemos no nome de

Jesus recuperá-lo. Oramos ali e ele

chorou na presença de Deus”. Essa

foi a segunda Trans de Rafael, que já

tinha participado em Guarulhos. Ele

levou para casa novas experiências

não apenas relacionadas à evangelização

mas também no que diz

respeito ao convívio com os irmãos,

uma vez que aprendeu a lidar com

as diferenças. “Deus nos dá paciência

com o próximo sempre”. Sobre

sua participação, ele afirmou: “Como

vale a pena fazer parte disso tudo!

Em cada sorriso e decisão ao lado

de Cristo, vejo o quanto vale a pena

dormir no chão, andar muito. Uma

alma vale mais que o mundo inteiro”.

Também em Santa Catarina, em

Urubici, o diretor-geral da Convenção

Catarinense, pastor Jossemar

Santos de Oliveira, junto com sua

esposa e filha, Vânia e Laís, também

participou da Trans. Para vencer

os desafios que surgiam, Jossemar

destacou a importância da oração

constante pelas vidas que estavam

na linha de frente. Ele afirmou que

foi uma bênção estar na Trans junto

com sua família, afinal pôde também

ver de perto

sua filha

ser impactada

em cada

experiência,

uma vez que

ela foi a dupla

dele na hora

de evangelizar.

Logo

no início da

Trans, ele

pôde relatar:

“As pessoas

têm nos re- Pr. Jossemar S. de

cebido muito Oliveira participou

bem. Já re-

com sua família

censeamos

200 casas e

marcamos

mais de 50

estudos bíblicos. Várias pessoas já

confessaram Jesus como seu Senhor,

salvador e mediador”.

Bem distante do Sul, no Nordeste,

a Trans também teve início em Sergipe,

onde cerca de 200 voluntários

disseram “sim” ao ide de Cristo e

se mobilizaram para que a Palavra

alcançasse os 11 locais separados

para receber as equipes: Aquidabã,

Barra dos Coqueiros, Campo do Brito,

Colônia 13, Nossa Senhora das

Dores, Frei Paulo, João Alves, Muribeca,

Ribeirópolis, São Cristóvão e

São Domingos. Itabaiana, a 54 km

de Aracaju, foi a cidade-base, onde

os voluntários foram recebidos antes

de serem divididos. Na Primeira

Igreja Batista em Itabaiana, eles foram

treinados e participaram do culto

de abertura da Trans no estado.

Acsa Mayelle Oliveira, voluntária que

saiu da cidade de Conceição do Coité

(BA), estava nesse grupo. Essa foi

sua primeira Trans e, segundo ela, a

motivação de ir foi para que tivesse

uma experiência que confirmasse

seu chamado missionário. Enviada

para a cidade sergipana de Campo

do Brito, ela afirmou que Deus se

manifestou de forma tremenda por

meio de sua equipe, que foi composta

por cerca de 20 pessoas. Outra

jovem que saiu da cidade baiana

de Camaçari foi Larissa Oliveira Vieira,

de 20 anos, que foi para Sergipe

no lugar de uma voluntária que

adoeceu. Ela teve que se preparar

às pressas para participar de sua 1ª

Trans e contou que apesar do desafio,

confiou em Deus e em seu plano

para a vida dela. Larissa é membro

da IB Monte Moriah e sente que tem

chamado missionário desde os tempos

que participou das Mensageiras

do Rei. “Para quem nunca participou

desse projeto, não perca tempo. Vidas

estão esperando ouvir falar da

Salvação e cabe a nós sermos arautos

do Senhor. Espero em Deus mais

oportunidades para participar de

projetos como este, pois se depender

de mim, estou à disposição para

cumprir o ide de Jesus”, declarou

Larissa que junto com sua equipe

abençoou vidas na cidade de Lagarto

(SE), no bairro Colônia Treze.

A presença dos voluntários, certamente,

impactou as igrejas e cidades

por eles visitadas. Não foi uma visita

a passeio, mas sim com o propósito

de compartilhar o amor e a salvação

de Cristo com um grande número de

pessoas. “Nunca imaginei que esse

tipo de evangelismo pudesse dar

tão certo. Resolvi participar porque

a igreja na qual sou membro estava

participando, e eu gosto de apoiar

os projetos em que minha igreja está

envolvida. Me surpreendi muito com

os resultados. As pessoas estão realmente

sedentas por conhecer a

Palavra de Deus. Gostei muito de

participar dessa Trans e pretendo

participar mais vezes”, disse Jerusa

5


M. Pereira, da IB do Jardim Atlântico,

em São José (SC).

Os irmãos da Congregação Batista

em Ribeirão da Ilha, em Florianópolis

(SC), também foram impactados

com a presença de uma equipe da

Primeira Igreja Batista de Nova Iguaçu

(RJ), liderada pelo pastor Edgar

Barreto Antunes, que levou também

um coral que abençoou muitas vidas

por onde passou. A congregação

recebeu ajuda de várias pessoas

para a realização da Trans e, no fim,

os resultados provaram que todo o

6

Larissa e sua equipe

em Sergipe

Voluntários e

membros da IB

Jardim Atlântico

mobilizados

esforço valeu a pena. Muitas casas

foram visitadas, 61 estudos bíblicos

foram marcados e mais de 20 pessoas

se converteram. “Agradeço a

todos que, de forma direta ou indireta,

se envolveram no processo de

evangelização e abençoaram nossa

congregação. Fomos capacitados

por Deus, que, por intermédio de seu

Espírito, converteu corações de católicos,

espíritas, umbandistas e sem

religião. Chegaram aqui, no Ribeirão

da Ilha, aqueles que transformaram

o mundo”, testemunhou o pastor

Romualdo Martins.

Há festa no céu quando apenas

uma alma é ganha para o Senhor

Jesus. Certamente, o dono da obra

missionária tem se agradado de seus

servos que têm ido aos campos, que

estão brancos para a ceifa. É tempo

de avançar e conquistar este país

para Cristo, antes que Ele volte. Participe,

seja indo ou intercedendo,

mas não fique de fora da próxima

grande mobilização, que acontecerá

em julho, a MEGATRANS, que

será realizada em todos os estados.

Inscreva-se e deixe o seu nome na

história de evangelização do Brasil.


Após o estrago causado

pela forte de chuva que

provocou enchente e assolou

o distrito de Jamapará, em

Sapucaia (RJ), um grupo

de funcionários da sede de

Missões Nacionais prestou

ajuda durante três dias,

consolando aqueles que

perderam praticamente

tudo. Casas do alto de uma

encosta foram levadas por

um enxurrada e já passa de

800 o número de pessoas

sem moradia, com cerca de

350 se abrigando no CIEP. O

número de mortos passou de

20 e em Deus as pessoas têm

encontrado conforto. Leia o

relato de um dos integrantes,

que acompanhou de perto o

drama das vítimas.

Local do desmoronamento e

o rio que transbordou

Voluntários e o pastor que recebeu apoio

Ajuda no

momento

de dor

Há quatro anos, quando ainda morava

em Guarapari (ES), a Igreja Batista

na Praia do Morro, da qual sou

membro, realizou uma Viagem Missionária

para Jamapará, distrito de

Sapucaia (RJ). Na época, conheci o

pastor José Carlos, que dirigia a congregação

no local. Neste ano vi, pela

televisão, sobre o ocorrido na localidade

e logo me veio à mente todas

as pessoas que havia conhecido.

Tentei contato com o pastor José

Carlos, mas não consegui. Pedi ao

pastor Marcílio, da IB Praia do Morro,

que tentasse contato com ele, entretanto,

só conseguimos contato com

os parentes dele, o que foi suficiente

para saber que ele estava bem, mas

que as coisas estavam complicadas.

Na Junta de Missões Nacionais, a

Alice [Alice Cirino, gerente de Ação

Social da JMN] recebeu uma ligação

do pastor José Carlos, pedindo

apoio. Rapidamente me voluntariei

para ir junto com outros funcionários

da JMN (Leonardo, Jônatas, Ana

Paula e seu esposo Alex). Saímos de

ônibus na sexta-feira às 13h e, quando

chegamos, fomos direto para a

escola onde os desabrigados e desalojados

estão dormindo. Eram 350

pessoas sem nenhuma esperança de

poderem voltar para casa. Logo no

primeiro dia começamos a ouvir as

pessoas; tudo que eles queriam era

algum consolo que, acompanhado

de orações, produziram nova esperança

e a certeza de que com Deus

TESTEMUNHO

era possível reconstruir os sonhos.

Ficamos até o domingo e, durante

esse tempo, conversamos e oramos

com muita gente. Participar de algumas

refeições com eles e ajudar na

recepção de mantimentos possibilitou

nos aproximarmos um pouco

mais daquelas pessoas. Entre elas,

estava o senhor Carlos Henrique,

que morava próximo ao deslizamento,

que foi um dos primeiros a chegar

ao local do desastre. Ele ajudou

a cavar com as mãos, à procura de

pessoas sob a terra e os escombros.

Ele contava com lágrimas nos olhos

como foi ver sendo tirados da terra

tantos amigos de infância. As pessoas

ao redor se admiraram, pois nunca

o tinham o visto chorar. Após ele

narrar a história, falamos sobre uma

nova esperança em Deus e na força

que restaura sonhos, e oramos com

ele. Foi muito satisfatório ouvir dele

que as pessoas naquele lugar precisavam

conversar com a gente.

Fizemos muito menos do que eles

precisavam, mas, de alguma forma,

sinto que fomos relevantes para a

vida deles.

Gustavo Martins

24 anos – Aluno do Seminário

Teológico Batista do Sul do Brasil

e funcionário da Sede de

Missões Nacionais

7


1-Pelos missionários gerentes regionais

do Norte e Centro-Oeste,

pastor Valdir e Ana Maria Soares

(Brasília/DF); pela missão de coordenar

missionários na região e mobilizar

igrejas a um maior comprometimento

com a obra missionária.

2-Por um grande envolvimento

e participação das igrejas batistas

da Região Norte do Brasil nos “100

DIAS QUE IMPACTARÃO O BRA-

SIL” (100 dias de Oração); de 22 de

abril a 31 de julho de 2012.

8

SEMPRE ORANDO - MARÇO

Irmãos Intercessores,

“Estes que têm alvoroçado o mundo

chegaram também aqui” (Atos 17.6b)

3-Por 100 mil voluntários para as

Trans 2012. Com cada dupla evangelizando

5 pessoas por dia, no fim

de 10 dias teremos evangelizado

2.500.000 pessoas; para que as

igrejas batistas se mobilizem para

participar; pelos pastores.

4-Pelos missionários Márcio e

Sheyla Brito (filha: Anna Keren) -

Plantação de Igreja no Distrito Industrial

(Rio Branco/AC); pelo desafio

de resgatar vidas das amarras da

idolatria e religiosidade.

SEJA LUZ

através da

Intercessão

Missionária

Nos “100 DIAS QUE IMPACTARÃO O BRASIL” (100 dias de Oração), o povo de Deus está sendo

convocado a interceder e agir para que tenhamos um Brasil transformado pelo poder e amor

de Jesus. Nesse período (22 abril a 31 julho) também oraremos pela mobilização Jesus Transforma

(Trans), que estará acontecendo em todos os estados do Brasil durante o mês de julho. O grande

desafio é termos 100 MIL voluntários “alvoroçando” o nosso País com a mensagem de salvação!

Ore e mobilize mais pessoas para orar e participar das Trans 2012!

REGIÃO NORTE

5-Pelo missionário Eli Ticuna -

Plantação de Igreja entre os índios ticunas

(AM) - Aldeia Philadélfia; pela

capacitação de líderes ticunas.

6-Pelos missionários Efrain e Marina

Welika (filho: Ghabriel) – Plantação

de Igreja em Jaci Paraná (RO);

pelo desenvolvimento da visão multiplicadora

de igrejas na região.

“Ore rogando ao Senhor, ao

seu Deus, que nos diga para

onde devemos ir e o que devemos

fazer.” (Jr 42.3)


7- Por um grande envolvimento e

participação das igrejas batistas da

Região Centro-Oeste do Brasil nos

“100 DIAS QUE IMPACTARÃO O

BRASIL” (100 dias de Oração); de 22

de abril a 31 de julho de 2012.

8-Por voluntários dessa região

participando das Trans 2012; por

toda a estrutura organizacional; pela

parceria ativa da liderança das convenções

estaduais e associações.

9-Pelos missionários Cláudio e Lucimeire

Malafaia (filhos: Felipe e Fábio)

- Plantação de Igreja em Sinop

13- Por um grande envolvimento

e participação das igrejas batistas

da Região Nordeste do Brasil nos

“100 DIAS QUE IMPACTARÃO O

BRASIL” (100 dias de Oração); de 22

de abril a 31 de julho de 2012.

14-Por voluntários desta região

participando das Trans 2012; por

toda a estrutura organizacional; por

voluntários que possam entrar em

férias do trabalho no período das

Trans.

15-Pelos missionários gerentes regionais

do Nordeste Eber e Karine

Azevedo (filhos: Isabelle,Beatriz e

REGIÃO CENTRO-OESTE

(MT); pelo desenvolvimento da visão

multiplicadora de se plantar 6 novas

igrejas na região.

10- Pelos missionários Samuel e

Gabriela dos Santos (filhos: Sara, Samuel

e João) - Plantação de Igreja

em Acreúna (GO); pelo desenvolvimento

da visão multiplicadora de

igrejas fortes na região; para que

testemunhem da salvação, possível

apenas em Cristo Jesus.

11- Pela missionária Angelina Lima

– Dourados (MS); pela grande população

carente de Deus, para que

REGIÃO NORDESTE

João) – Salvador (BA); pelo desafio

de coordenar a ação missionária no

estado, ajudando no fortalecimento

e capacitação de obreiros; pela promoção

da visão de Igreja Multiplicadora

da JMN.

16- Pelos missionários surdos

Flávio e Patrícia dos Santos (filho:

Felipe) – Arapiraca (AL); pelo desenvolvimento

da visão de Igreja

Multiplicadora entre os surdos; pela

capelania nas escolas e apoio às

igrejas e associações que desejam

implantar o ministério com surdos.

seja alcançada pelo evangelho; pelo

desenvolvimento da visão multiplicadora

de igrejas na região.

12- Pelos missionários coordenadores

regionais Eli e Suene Souza (filhos:

Pedro, Pietra e Paola) - MS; pelo

desenvolvimento da visão multiplicadora

de igrejas na região. Campo

Grande com mais de 750 mil habitantes.

Pelo desafio de coordenar a

ação missionária no estado.

“Saibam que o Senhor escolheu

o piedoso; o Senhor ouvirá

quando eu o invocar.” (Sl 4.3)

17- Pelos missionários Renato e Juliana

Fagundes (filhos: Miguel e Daniel)

- Plantação de Igreja em Barra

da Estiva (BA); pela ampliação do

evangelho no local, onde a população

atual é de 28 mil habitantes.

18- Pela missionária Ana de Ava –

Plantação de Igreja em Balsas (MA);

pelo desenvolvimento do trabalho

em fase inicial; por parceiros que a

sustentem financeiramente e por

meio de oração.

“Os justos clamam, o Senhor os

ouve e os livra de todas as suas

tribulações.” (Sl 3.17)

9


19-Por um grande envolvimento e

participação das igrejas batistas da Região

Sudeste do Brasil nos “100

DIAS QUE IMPACTARÃO O BRASIL”

(100 dias de Oração); de 22 de abril a 31

de julho de 2012.

20-Por voluntários dessa Região participando

das Trans 2012; por toda a estrutura

organizacional; pela disponibilidade

de igrejas batistas para realizarem

as Trans locais.

21-Pelo diretor executivo da Junta

de Missões Nacionais, pastor Fernando

25- Por um grande envolvimento e participação

das igrejas batistas da Região

Sul do Brasil nos “100 DIAS QUE IMPAC-

TARÃO O BRASIL” (100 dias de Oração);

de 22 de abril a 31 de julho de 2012.

26- Por voluntários desta região participando

das Trans 2012; por recursos

financeiros para preparo do material necessário;

pelas igrejas que receberão as

Trans: líderes locais, logística, comunidade.

27- Pelos missionários gerentes regionais

Daniel e Denise Eiras – Curitiba (PR);

pela mobilização dos batistas da Região

10

REGIÃO SUDESTE

Brandão, e esposa, Márcia (filhos: Fernanda,

Ana Flávia e Guilherme) – Rio de

Janeiro; por saúde e sustento de Deus,

suprindo todas as necessidades.

22-Pelos missionários gerentes regionais

Exequias e Maria Helena Santos –

São Paulo (SP); pela capacitação e treinamento

dos missionários do estado na

visão de multiplicação de igrejas; pela

mobilização de igrejas para parcerias

em Projetos Missionários.

23-Pelos missionários pastor Diego,

Quésia Machado e suas filhas - Missão

REGIÃO SUL

para a obra missionária; pela ampliação

do número de vocacionados; pelo crescimento

do evangelho no SUL do Brasil.

28- Pela missionária coordenadora regional

Ronilce Ferreira – Itapema (SC);

por um novo obreiro para liderança da

Igreja Batista em Itapema; pela capacitação

e treinamento dos missionários do

estado na visão de multiplicação.

29- Pelos missionários Alberto Souza

e Zezina (filhos: Adara, Sanmi e Twaier)

– Rio Grande (RS); pela saúde da família

missionária; pela consolidação do verdadeiro

evangelho na cidade.

Batista Cristolândia Central do Brasil

(RJ); pelos Radicais; pela plena recuperação

dos novos convertidos. Pelo aluguel

de um novo local para as reuniões.

24-Pela Diretoria Executiva, gerentes

e funcionários que trabalham na Sede

da Junta de Missões Nacionais (RJ); por

sabedoria e orientação de Deus, por

capacidade para o trabalho; por suas

famílias.

“Quando clamei, tu me respondeste;

deste-me força e coragem.”

(Sl 138.3)

30- Pelos missionários Valdir e Odete

Tomé (filha: Stefany) – Santo Antônio do

Sudoeste (PR); para que o povo da cidade

seja alcançado com a graça de Cristo.

31- Pelos missionários Evandro e Ivonete

Ferreira (filho: Emanuel) – Comunidade

Terapêutica Vale da Bênção - para

mulheres - Gravataí (RS); pelo tratamento

adequado para uma plena recuperação;

pela aceitação de uma nova proposta

de vida por intermédio de Cristo Jesus.

“Agora , nosso Deus, damos-te

graças, e louvamos o teu glorioso

nome.” (1Cr 29.13)


Notas

para

Boletim

As informações a seguir foram

feitas especialmente paraa utilização

no boletim de sua igreja.

Dessa maneira, fica mais fácil

tornar acessíveis aos membros

os projetos da JMN.

Seja Luz

Começa em abril a campanha

de 100 Dias que Impactarão o

Brasil. Prepare sua igreja para

essa grande mobilização de oração

e evangelização. Mais informações

no site www.missoesnacionais.org.br

Cristrolândia na TV

Atualmente, a mídia secular

tem feito várias referências ao

trabalho da Missão Batista Cristolândia

de São Paulo. O projeto

tem sido reconhecido como

um refúgio para quem deseja

se libertar das drogas. Confira

no link http://migre.me/7JqOY

algumas notícias sobre a Cristolândia.

Impactar a nação não é coisa que

se faça de uma só vez. É preciso começar

em algum lugar, plantando

sementes que possam gerar frutos

de salvação e boas ações. Ciente

disso, igrejas arregaçaram as mangas

e decidiram, algumas em momento

difícil, sem a orientação de

um pastor, participar da campanha

Minha Vida, Impacto para a Nação.

Segundo as promotoras Renata

Costa e Danielli Scalizze, da Primeira

Igreja Batista de Osvaldo Cruz

(SP), a campanha deste ano teve

um valor muito significativo, cooperando

para a formação de uma visão

missionária sólida e para a reestruturação

da própria igreja. “Com

a falta do pastor, e tendo a igreja

passado por uma recente divisão,

alguns irmãos estavam dispersos,

a frequência aos cultos começou a

diminuir e a presença na EBD era lamentável”,

comentou Renata. Após

um intenso período de oração, com

o apoio do material de campanha, a

igreja voltava a se emocionar com

os desafios da pátria. Os cultos voltavam

a ser frequentados e os irmãos

passaram a trazer visitantes.

“Não existe nada mais extraordinário

do que ver a mão de Deus trabalhando

e transformando corações

adormecidos em chamas ardentes

de amor por missões, pois foi isso

que aconteceu”.

Na Igreja Batista na Pauliceia,

no município de Duque de Caxias

(RJ), a campanha da JMN envolveu

membros por meio da intercessão,

parcerias financeiras e voluntariado.

MOBILIZAÇÃO

Impactando e

sendo impactada

IB Pauliceia em impacto

missionario

Durante os três cultos semanais

desse período, a igreja veio demonstrando

seu amor pela causa missionária

com a realização das seguintes

atividades: Semana Intensiva

de Oração; Promocional do Minuto

que Impacta e Transforma; Espaço

Missionário, com a apresentação

de material promocional, Labirinto

Missionário, com a arrecadação de

alimentos para a Cristolândia; programação

especial no Dia da Pátria,

Festa Missionária, Horto; além de um

impacto missionário no aterro sanitário

do bairro Jardim Gramacho.

Para a promotora Cláudia de Souza

Lino, realizar essas atividades em

mais uma campanha empolgante é

motivo para glorificar a Deus. “Glorificamos

ao nosso Deus, na certeza

de que Missões Nacionais é uma realidade

em nossa congregação o ano

inteiro!”.

Em Dourados (MS), a 1ª IB também

focou suas atividades de mobilização

nas classes de faixa etária, batalhando

para o alcance de alvos e,

sobretudo, experiências missionárias

marcantes. Mas, segundo o promotor

de Missões Ricardo Macharet, o

grande destaque foi o esforço das

classes do Pré-Primário e Juniores.

“Todos os domingos as professoras

preparavam doces e pão de mel

para que os alunos vendessem após

os cultos”, disse Ricardo. No culto

de encerramento da campanha,

para a alegria de todos, o relatório

de ofertas indicou que o alvo havia

sido ultrapassado. Como forma de

estímulo, os participantes das classes

de EBD receberam medalhas de

participação.

11


MATÉRIA DE CAPA

12

“Vimos a

glória de

Deus em

Foz do

Iguaçu”

Batistas

abraçam o

desafio de

ser luz

foto: Selio Morais


Normalmente durante as

assembleias anuais da

Convenção Batista Brasileirao

dia de domingo é dedicado a

uma ação dos convencionais

nas igrejas locais. Como em

Foz do Iguaçu, PR, o número

de igrejas é reduzido, a programação

incluiu cultos da

manhã, seguido de escola bíblica,

e à noite, inclusive com

participação dos irmãos das

igrejas locais.

O pregador da noite foi o

presidente da CBB, pastor

Paschoal Piragine Jr., que

fez o lançamento da grande

campanha de oração e evangelização,

denominada 100

dias que impactarão o Brasil. Em sua

mensagem, pastor Paschoal enfatizou

a importância do povo de Deus

buscar a santificação, destacando

que esta é uma tarefa de caráter pessoal,

mas conclamou os presentes a

envolver-se na campanha de oração

e também na MEGATRANS de julho,

na qual desejamos contar com 100

mil voluntários. Declarando queDeus

quer fazer algo tremendo na nossa

nação e que o impossível vai acontecer,

declarou:“Eu não posso produzir

este avivamento, mas vou chorar na

presença de Jesus, pedindo: Senhor,

abençoa a minha terra. Eu vou me

envolver de cabeça com isso, vamos

também nos envolver no maior projeto

missionário pessoal que esta denominação

já viveu na sua história”,

conclamando que esta seja a atitude

de cada batista brasileiro.

E o impossível começou a acontecer

ali mesmo, naquele grande salão.

Centenas de irmãos foram se levantando

de suas cadeiras, apresentando-se

para participar e levar a campanha

de 100 dias de oração para

suas igrejas e também para estar entre

os 100 mil voluntários das Trans

de julho. A emoção tomava conta

do local e o diretor executivo de

Missões Nacionais, pastor Fernando

Brandão, olhava do alto aquele

movimento santo, com lágrimas nos

olhos, glorificando a Deus, por seu

mover. Ao final da noite, declarou:

“Vimos uma grande vitória e vimos

Pr. Adilson e os

africanos, frutos

da Cristolândia

a mensagem de Deus para nós: não

podemos recuar, temos que avançar

na conquista da Pátria para Cristo.

Hoje nós vimos a glória de Deus em

Foz do Iguaçu com a celebração de

todos os batismos, com a celebração

do coro da Cristolândia, com a

mensagem de santificação, de oração

e de proclamação que ouvimos

nesta noite. Glórias a Jesus”!

Sim, em um maravilhoso culto, não

faltou batismo. E foram 38 vidas resgatadas

das ruas da cracolândia paulista

que desceram às águas naquela

noite. Na piscina do hotel anexo ao

Rafain Expo Center, onde aconteceu

a Assembleia. Pastores de diferentes

estados do país foram convidados

a batizar os novos integrantes do

corpo de Cristo. Nadja Siqueira, uma

das batizandas, ao ser indagada sobre

a expectativa diante do batismo,

respondeu: “a expectativa é de uma

vida melhor, uma vida em Cristo, em

paz e sem drogas”.

Com muita comoção,

membros das igrejas se

colocaram ao redor da piscina

para acompanhar de

perto aquele momento,

outros das janelas de seus

quartos, da escada externa

de acesso aos andares e a

maioria pelos telões dentro

do grande salão onde acontecia

o culto. Todos juntos

louvavam a Deus por mais

esta conquista. Após o último

irmão ser batizado pelo

pastor Oliveira Araújo (1ª IB

Vitória, que é a igreja-mãe

da Cristolândia do Espírito

Santo, que está sendo implantada)

e pastor Humberto Machado (coordenador

da Cristolândia paulista),

o coral da Cristolândia cantou sua

liberdade alcançada pelo sangue de

Jesus, que os lava dos pecados e

que lhes concede restauração.

Quando o coral terminou de cantar,

pastor Paschoal apresentou aos

presentes uma mulher que aceitara

Jesus depois de presenciar todas

aquelas maravilhas. Havia ido ao culto

acompanhando uma amiga e se

rendeu a Jesus, ainda que um apelo

formal não tivesse sido feito, mas

como é o Espírito de Deus quem

convence do pecado, Ele mesmo

falou ao coração daquela senhora.

Glórias a Deus! Assim, o culto dominical

terminou com sabor de noite

missionária, mas ela ainda estava

por vir.

Convencionais acompanham o batismo de 38 novos irmãos

13


Uma só voz fazendo missões

Demonstrando grande harmonia,

as juntas missionárias dos batistas

brasileiros apresentaram seus desafios

e conquistas em seus campos

de trabalho, motivando os presentes

a ser luz e levar a paz de Cristo

por todo o Brasil e mundo. Houve

testemunhos, quando pastor Donaldo

Melo apresentou os desafios do

projeto Radical Brasil na Amazônia,

que visa levar o evangelho, iniciar a

plantação de igrejas e preparar líderes

locais para dar continuidade ao

trabalho com as mais de 30 mil comunidades

ribeirinhas da região. O

coral da Cristolândia mais uma vez

participou e um dos frutos deste trabalho

foi surpreendido. Afastado do

evangelho e resgatado das ruas da

cracolândia paulista, Carlos Eduardo

reencontrou a mãe após oito anos.

A mãe, membro de uma igreja batista,

era uma das mensageiras da Assembleia

e não poderia imaginar que

encontraria seu filho naquele local.

Logo no início da noite, o reencontro

foi promovido e o filho, em lágrimas,

abraçou sua mãe.

Dois dias antes, na tarde de sábado,

Missões Nacionais apresentava

seu relatório na Câmara Setorial de

14

Missões, mostrando um pouco do

que Deus tem realizado na obra missionária

em nosso Brasil. Ao destacar

o trabalho da Cristolândia, que

tem tido espaço nas diversas mídias

seculares, em contraste com a ação

truculenta das autoridades policiais,

o grupo foi surpreendido e se comoveu

com um relato de uma das mensageiras.

Ao microfone, ela relatou

seu drama pessoal na luta com o filho

único (no passado líder dos Embaixadores

do Rei) que há 27 anos

está envolvido nas drogas e pediu

socorro para o filho. Prontamente

abraçada por missionários da Cristolândia,

recebeu deles a promessa

de buscar o rapaz.

Estes fatos mais uma vez alertam

para a triste realidade que vivemos,

segundo pastor Humberto, de 10

pessoas abordadas na cracolândia,

oito vêm de lares evangélicos. Mas

como havia destacado o presidente

da CBB, conclamando todos os

batistas brasileiros a envolverem-se

nos 100 dias que impactarão o Brasil:

“Deus tem poder para mudar a

história desta nação e também para

mudar a história do seu filho, de sua

família e da vizinhança... Precisamos

orar e orar crendo. E aí vamos nos

tornar os faróis de oração brilhando

por estas cidades”.

Ainda demonstrando a interliga-

Coral da Cristolândia na

noite missionária

ção da obra missionária no Brasil e

no mundo, dois africanos, também

frutos da cracolândia, hoje têm o

desejo de levar o evangelho a seu

povo. Hideraldo já está cursando a

Faculdade Teológica Batista de São

Paulo, tendo as despesas custeadas

por Missões Mundiais, além de seu

curso de direito, o qual o havia trazido

para o Brasil. Segundo destacou

pastor Adilson Santos, representante

da JMM, Hideraldo será missionário

daquela agência. A dupla de africanos

cantou e dançou uma música

típica de sua nação, demonstrando

mais que a alegria do povo africano,

a alegria de vidas restauradas pelo

poder e amor de Jesus.

A noite contou com ofertório, levantado

pelo pastor Paschoal Piragine

Jr. e dedicação de vidas para a

obra missionária no Brasil e no mundo.

A apoteose ficou por conta da

escuridão do salão sendo rompida

por pequenos focos de luz emanados

dos chaveiros distribuídos aos

presentes, enquanto balões com a

palavra PAZ foram lançados sobre

o público, que brincava com eles ao

som da música Tens Transformado.

sala de oração

“Deus seja glorificado, crentes avivados

e pecadores salvos como re-

foto: Selio Morais


União Feminina intercede pelo Brasil

foto: Selio Morais

sultado das 127 horas de oração que

se constituíram num grande prelúdio

para os 100 Dias que impactarão o

Brasil!”, declarou pastor Nilton Antônio

de Souza, gerente executivo

de evangelismo e discipulado de

Missões Nacionais, sobre o funcionamento

da sala de oração montada

no Rafain Expo Center durante a Assembleia

e que funcionou de forma

ininterrupta.

Pela sala, organizada pela irmã

Cleuza Piragine e uma dedicada

equipe, que realizou um belo trabalho,

passaram mais de 1.000 pessoas

que apresentaram diante de Deus

gratidão por seus feitos, mas também

clamor pela salvação da Pátria

e pelos desafios missionários de

Pr. Sócrates

Oliveira

(executivo da

CBB) e esposa

engajados na

campanha

Seja Luz

2012, entre os quais os 100.000 voluntários

para as Trans de julho.

atrações no estande

No estande de Missões Nacionais,

nas tardes os convencionais podiam

receber o autógrafo de dois livros

lançados pela parceria da JMN e

Convicção Editora. Um na verdade

foi a reedição do livro José da Silva,

um pregador leigo, grande sucesso

da década de 70 e que estava fora

de circulação desde a década de 90,

de autoria do pastor Jerry Stanley

Key, que lecionou no Seminário Teológico

Batista do Sul do Brasil por

irmãos ContemPlados

Com os taBlets:

* Josemilton Rocha – Igreja Batista

da Fé – Japaratuba, SE

* Marivaldo Queiroz da Silva – Igreja

Batista da Fé – Japaratuba, SE

* Raulina da Silva Barreto – Igreja

Batista Ururaí, Campos de Goytacazes,

RJ

* Rita de Cássia Sodré de Lima – 1ª

IB Itaipu, Belford Roxo, RJ

35 anos. O outro autor foi o pastor

Noélio Duarte, autografando seu livro

de poesias missiológicas com o

tema Missões, é tempo de avançar!

No espaço, convencionais também

tiraram fotos diante do painel

da campanha Seja Luz, participaram

de sorteio de quatro tablets

(numa ação conjunta com a JMM)

e percorreram o corredor da realidade

brasileira. Metade do corredor

era percorrido em completo escuro

enquanto se ouvia o clamor da sociedade,

diante dos problemas da

pátria. Chegando à parte clara, as

pessoas assistiam ao vídeo promocional

convidando-os para ser luz

para o Brasil, que vive em trevas. Depois

do susto inicial, as pessoas elogiavam

a criatividade na concepção

da ideia.

15


1 0 0

9 5

7 5

2 5

5

0

1 0 0

9 5

7 5

2 5

5

0


PANORAMA MISSIONÁRIO

Poder de deUs e Batismos no sUl

Depois de um AVC, finalmente o batismo

Em Porto Alegre (RS), os missionários Bruno e Josiane

Privatti celebraram o batismo de mais três preciosas

vidas, que agora integram a obra realizada na Vila Cefer.

Entre os batizados, estava um homem chamado Gregório,

de 62 anos de idade, que apesar do pouco tempo de

convertido logo procurou os missionários para contar o

que sentia que estava faltando: o batismo.

Porém um AVC fez com que irmão Gregório ficasse

internado em um hospital, durante 15 dias. Seu estado

de saúde atrasou os planos do batismo e os médicos

chegaram a afirmar que 50% das funções cerebrais ficariam

comprometidas, com risco de sequelas graves e até

mesmo estado vegetativo. “Nos colocamos em oração

com toda a igreja e compartilhamos com muitos irmãos

de outras igrejas também”, contaram Bruno e Josiane.

O poder de Deus ficou evidente quando irmão Gregório

se recuperou e foi batizado. Segundo os missionários,

a cada mês, ele vem melhorando, apresentando apenas

um pouco de dificuldade de raciocínio. Mostrando dedicação

e compromisso, ele não perde uma Escola Bíblica.

Bênçãos em CUiaBá

A Igreja Batista em Jardim das Palmeiras, liderada pelos

missionários Zito e Maria Neris, celebrou recentemente

o batismo de seis novos irmãos no rio Coxipó, onde a

história de Cuiabá (MT) teve seu início. Outras bênçãos

têm acompanhado o ministério dos missionários, uma

vez que outros seis irmãos já estão sendo preparados

para um novo dia de batismos; além disso, um trabalho

social foi realizado com apoio da 1ª IB de Cuiabá.

Com a ação social, além da comunidade Jardim das

Palmeiras, outras duas, Chácara dos Pinheiros e Ohara,

20

também receberam serviços odontológicos e médicos,

com a presença de cardiologistas, ginecologistas e oftalmologistas.

Também foi oferecida assistência jurídica,

cabeleireiros, pechincha (roupas doadas são vendidas

a um pequeno preço para as pessoas da comunidade)

e houve um trabalho realizado especialmente para as

crianças.

Para completar a alegria dos missionários, a igreja foi

agraciada com presentes enviados por irmãos que têm

o coração na obra missionária e também recebeu ajuda

para comprar 31 novas cadeiras. Eles contam com as

orações do povo batista para que mais bênçãos sejam

derramadas por Deus sobre este ministério.

inaUgUração em Brejo grande (se)

Novo local comporta mais pessoas

Os trabalhos realizados no ministério liderado pelo

missionário Manoel Brás, em Brejo Grande (SE), já estão

sendo realizados em um novo espaço localizado no

centro da cidade, “bem mais adequado e aconchegante,

proporcionando mais conforto para os congregados e

visitantes”, como relatou o missionário. Ainda de acordo

com ele, Deus moveu os corações dos pastores Alexandre

Nascimento Santos e Antônio Cardoso, que se

propuseram ajudar para que essa conquista fosse viabilizada.

Antes, os cultos e demais atividades eram realizados

na casa do missionário, que agora celebra a vitória

concedida pelo Senhor. “Não é nada fácil chegar a

este ponto. Somos gratos a Deus e a todos que oraram

e participam direta ou indiretamente do nosso projeto”,


afirmou. Muitas pessoas estiveram presentes no culto de

inauguração e a obra tem frutificado com a chegada de

novos irmãos na fé.

formação de líderes

Equipe formada para cuidar dos novos na fé

“Jesus nos ensina a ir por todo o mundo e fazer

discípulo, sem acepção de pessoas. Em nosso meio

também precisamos amar os mais fracos e cuidar daqueles

que ainda estão se firmando na fé”, disse a

missionária Zilanda da Costa Maurício. Em Beberibe

(CE), onde ela está, formou, com outros 13 membros

da congregação que dirige, o primeiro grupo de líderes

locais. Todos fazem parte do projeto “Quem

Ama, Cuida”, implantado por ela e como resultado, o

número de estudos aumentou e mais 8 vidas se converteram

ao Senhor.

Ela conta que quando teve essa ideia, orou e colocou

diante do Senhor algo que fizesse com que os

irmãos que chegaram primeiro ajudassem os mais

novos na fé, com todos em um grande grupo orando,

evangelizando, incentivando e cuidando uns dos

outros. Assim, ela teria mais tempo para visitar mais

casas, dar mais estudos e abrir novos trabalhos. “Iniciei

e estamos aos poucos avançando na conquista

de mais vidas para o reino dos céus”, contou. Mais

um ministério experimenta o crescimento também

graças ao apoio de cada parceiro que intercede e

contribui para a expansão do evangelho.

ConqUistas no amaPá

Igreja parceira ajudou na compra do imóvel

O Senhor tem abençoando a obra no Amapá e a igreja

plantada pelos missionários Alexandre e Carla Fernandes

tem se fortalecido a cada dia, por meio do discipulado.

Com quase 100 membros, quatro frentes missionárias,

sendo uma em libras, e a realização do PEPE, o ministério

tem frutificado.

Em meio às bênçãos, surgiu o desafio de ser necessário

levantar recursos para a compra do local de reunião

da igreja, onde antes funcionava um bar, que foi fechado

para que fosse iniciada a igreja, em 2009, quando o proprietário

se converteu com sua esposa. Porém, no fim de

2011, o prédio foi colocado à venda e, caso a igreja não

tivesse condições de pagar, haveria o risco de que um

novo bar ou até mesmo um prostíbulo fosse aberto naquele

local. “Decidimos, pela fé, aceitar o desafio de comprar

o imóvel de 35 mil reais. Nossa estratégia foi a oração

e a fé, e assim começamos nossa conquista”, contou o

pastor Alexandre.

Uma igreja parceira levantou 34 mil reais para a compra

da propriedade. Segundo o missionário, a igreja estava

reunida no momento em que a notícia de que a oferta

para a compra do imóvel tinha sido levantada, e o nome

do Senhor foi glorificado. No culto anterior, eles tinham

realizado o batismo de mais 8 pessoas. “Louvamos ao

Senhor pela parceria dos amados irmãos. Após quatro

anos de muitas batalhas, podemos olhar para a estrada

que percorremos e avistarmos as grandes coisas que o

Senhor nos fez”, declarou o pastor.

21


novos missionários treinam Com eqUiPe

do radiCal amazônia

Rafael, Nayara (à esquerda) com o outro casal de missionários

Dois casais da nova turma de missionários de Missões

Nacionais, que irão atuar na região norte do país, já estão

em treinamento junto com a turma do projeto Radical

Amazônia. Os radicais chegaram antes dos missionários,

mas após um culto de comissionamento, realizado na Segunda

Igreja Batista de Manaus, todos seguiram para a

intensa preparação de três meses em que viverão como

ribeirinhos para aprenderem os costumes das pessoas

com as quais eles pretendem compartilhar o Evangelho.

No relatório enviado para os seus parceiros, o missionário

Rafael Migowski, enviado com sua esposa, Nayara,

para Manaus, onde irá atuar por Missões Nacionais,

afirmou: “Apesar de parecer bastante diferente, é maravilhoso

estarmos aqui, vivendo como vive o ribeirinho.

Estamos amando tudo isso! Não somos heróis; temos

muitos medos e coisas a serem tratadas pelo Senhor”.

Com eles, estão irmãos de vários estados brasileiros e

também dos Estados Unidos, que contam com as orações

do povo de Deus para que cada desafio seja vencido

e o nome de Cristo, glorificado.

Segundo informações do IBGE, existem mais de 35

mil comunidades ribeirinhas em toda a Amazônia. O objetivo

do projeto radical Amazônia é treinar jovens das

igrejas batistas para que trabalhem nessas comunidades,

apresentando o evangelho, iniciando a plantação

de uma igreja e formando líderes autóctones para dar

seguimento ao trabalho.

No segundo semestre uma nova turma será enviada

para o projeto. A meta é o envio de 20 missionários voluntários

por semestre. Se você deseja ser luz entre os

ribeirinhos envie e-mail para radicalbrasil@missoesnacionais.org.br

22

volUntários da trans realizam Parto

O recém-nascido amparado pela equipe

Durante a Mobilização Jesus Transforma em Codajás

(AM), os voluntários evangelizaram, mas também tiveram

que ajudar no nascimento de uma criança. A equipe da

Trans estava se deslocando, de barco, para a região do

Lago Taracuá-Miuá, quando encontrou a canoa dos ribeirinhos,

Mário Socorro e sua mulher, Erivânia, que estava

em trabalho de parto.

Mostrando coragem e prontidão, o grupo se dirigiu até

o casal para auxiliar no nascimento do bebê que recebeu

o nome de Moisés. A mãe da criança foi evangelizada e

entregou sua vida para Cristo. Segundo o Pr. Djalma Cabral,

missionário voluntário da JMN e coordenador local

da Trans Codajás, Deus operou maravilhas por meio das

vidas que aceitaram o desafio de ser benção na Amazônia.

BatisMos eM PoRto NaCioNal (to)

Alegria no dia do batismo

Apesar de estarem há pouco tempo em Porto Nacional,

os missionários Paulo e Lídia Dias já tiveram a alegria de

realizar batismos. Uma irmã que por muito tempo congregava

na igreja, sem ainda ter passado pelas águas,

recebeu ajuda dos obreiros, conseguiu resolver seus problemas

e, junto com dois adolescentes, foi batizada.

“Foi uma alegria poder começar o trabalho assim, já

vendo a ação de Deus na vida das pessoas”, relataram

os missionários que creem que continuarão colhendo os

frutos e levando mais pessoas a um compromisso com

Cristo no lugar em que estão. Eles contam com suas orações

em favor dessa obra.


Mais líderes

para o Ministério

com Surdos

ESPECIAL

Formandos com

Marília (à esquerda)

e pastor Fernando

(de terno)

23


No Instituto Metodista de Formação

Missionária, em Teresópolis

(RJ), entre os dias 9 e 29 de janeiro,

49 alunos participaram do Curso de

Formação de Líderes para o Ministério

com Surdos, coordenado pela

missionária Marília Moraes Manhães,

líder do Ministério com Surdos de

Missões Nacionais. Do grupo, 16 eram

surdos e 33 ouvintes, de 14 estados,

representando as cinco regiões do

país e um representante de Huambo,

Angola. Francisco Cassinda se

converteu quando Marília e uma pequena

equipe estiveram em Huambo,

em 2006, desenvolvendo o projeto

Transpondo Barreiras! Diagnóstico

de Crianças e Adolescentes Portadores

de Sudez, em apoio ao trabalho

da missionária de Missões Mundiais,

Rosângela Ferro Dias, naquela província.

Cassinda havia ficado surdo em

2003 e encontrava-se revoltado

com sua condição, mas naquela época

compreendeu o amor de Jesus e

aprendeu com Marília o quanto podia

ser útil aos demais surdos. Quase seis

anos se passaram e Cassinda veio ao

Brasil em busca de aprimorar seus

conhecimentos para alcançar o grande

número de surdos em seu país.

24

Pr. Nilton com os alunos surdos

Ao todo, 16 disciplinas foram ministradas

por professores como o

pastor Henrique Araújo, professor do

Seminário Betel e mestre em Teologia

Bíblica e Missões, pastor Eduardo

Luís, professor do Haggai Internacional,

Alex Curione (surdo), pedagogo

e professor de Libras na UERJ, e Pr.

Josué Campanhã, diretor da Sepal

Brasil, autor de livros sobre liderança,

entre outros pastores e missionários

com vasto conhecimento na área.

Pastor Josué destacou a importância

do curso, uma vez que prepara

líderes para um grupo muito grande

e ainda não alcançado e para o qual

temos poucas pessoas trabalhando.

Falou do privilégio de contribuir

para a formação de pessoas e sobre

a qualidade do curso, “tem se tornado

um referencial, quando os alunos

mergulham, pensam a respeito do

ministério com surdos e como alcançar

o grupo”. O professor Eduardo

Luís concordou: “Acredito que, na

medida em que esse trabalho crescer

e se desenvolver no Brasil, nós

teremos resultados surpreendentes e

todos serão para a glória de Deus”. E

ressaltou também que as igrejas precisam

investir mais nesse ministério.

Marília, pedagoga em Educação Especial

de Surdos e pós-graduada em

Psicopedagogia e Ensino, Tradução

e Interpretação pela UFRJ, também

compartilhou sua experiência acumulada

nos 23 anos de trabalho com

surdos, dos quais 12 por meio de Missões

Nacionais, ficando responsável

por três disciplinas. Ela destacou que

o maior desafio desse ministério é o

surgimento de líderes surdos e ouvintes

que estejam comprometidos com

o avanço missionário no Brasil, para a

plantação de igrejas em Libras e ministérios

com surdos nas igrejas, a fim

de que haja um despertamento dos

surdos para o serviço.

Rafael Wagner, da IB do Cabo (PE),

é surdo e contou que o que o motivou

a participar foi a necessidade que

teve de aprender mais sobre a Igreja

em Libras, pois sente o chamado de

Deus e sabe que precisa se preparar

e “o curso fará isso”, como ele mesmo

disse. “Após este curso, estarei

preparado para atuar e apoiar muitos

ministérios e ajudar os surdos a

abrirem suas mentes e corações para

o entendimento da Palavra, e então

poderei ajudá-los neste processo”,

afirmou. Ele trabalha, há 2 anos, com

o ministério com surdos de sua igreja

como professor de EBD, no discipulado

e dirigindo um culto aos sába-


(...) Na medida

em que esse

trabalho crescer

(...) no Brasil,

nós teremos

resultados

surpreendentes

dos com surdos, além da evangelização

por meio do teatro.

A ouvinte Rosana de Paulo Pereira,

da PIB Itaim Paulista (SP), participou

do curso para aprender a respeito do

Ministério com surdos. “Acredito que

quando você vai atuar em um ministério,

precisa de preparo. Vim com

o propósito de entender o plano de

Deus para minha vida”, contou ela

que gostou do curso e espera logo

colocar em prática tudo o que aprendeu.

O culto de formatura aconteceu na

Primeira Igreja Batista de Teresópolis,

no dia 29 de janeiro, quando pastor

Fernando Brandão, diretor executivo

de Missões Nacionais pregou. Antes,

leu uma carta trazida de Huambo

pelo irmão Cassinda, escrita por Gabriel,

jovem surdo de 18 anos, convertido

em 2006, compartilhando sobre

a importância do trabalho ali realizado:

“Antes de vós chegardes aqui em

Angola eu não conhecia Jesus nem

a vontade de Deus, mas Deus usou

você para vires aqui em Angola para

anunciares a Salvação do Senhor Jesus

e sou membro da Igreja Batista

do Calvário com os outros irmãos

surdos. Estudei no Seminário Teológico

durante um ano, no ano de 2011

fiz o curso básico, mas foi com muitas

dificuldades e mesmo com muitas

dificuldades confiando em Deus

porque ‘Para Deus nada é impossível’.

Eu estudei com o objetivo de conhecer

melhor a palavra de Deus para

ensinar também aos outros”.

Turma se despede de Cassinda

O campo está branco para a ceifa,

mas são necessários muitos trabalhadores.

Para os formandos da quarta

turma do curso, pastor Josué Campanhã

deixou uma mensagem: “Continuem

firmes, vocês são importantíssimos

no alcance deste grupo, são

cruciais para que a mensagem chegue

a este grupo de uma maneira específica

e na linguagem deles e certamente

vocês fazem parte daquele

grupo de pessoas que Deus chamou

para fazer diferença e gerar transformação

através do Espírito Santo na

vida destas pessoas”.

Quando Cristo disse que os seus

deveriam ir por todo o mundo proclamando

o evangelho, referia-se a

todos. Por isso, os surdos não podem

ficar de fora. É preciso que a igreja

continue se mobilizando e que mais

pessoas se disponham a fazer parte

desse ministério. Não apenas no Brasil

é grande o número de surdos que

esperam que alguém chegue até eles

para comunicar o plano de salvação.

Deixe Deus usar a sua vida e seja luz

também no meio destes.

25


HISTÓRIA DE MISSÕES

26

De Deus veio o

crescimento

Com apenas 2 anos de trabalho, a Cristolândia tem frutificado

e sido reconhecida pela mídia

Apesar de ser um projeto recente, iniciado em março de 2010, a Missão Batista Cristolândia

de São Paulo tem apresentado resultados que impressionam não apenas o povo de Deus

mas também muitos não cristãos que têm visto a relevância do trabalho. Nos últimos meses,

a Cristolândia esteve em matérias de vários meios de comunicação de grande importância

nacional. São muitos os frutos, mas também grande é o desafio de liderar e fazer parte de

um projeto visionário que ousou chegar aonde ninguém tinha pensado em ir antes, afinal

essa obra não apenas faz caridade, mas ajuda as pessoas a saírem da condição ruim em que

estão, com a oportunidade de reconstruírem suas vidas. “Nossa proposta não foi de ficar

entregando folheto, nem sopa, mas de retirar as pessoas dali e transformar a cracolândia em

Cristolândia. Era isso que eles esperavam”, disse o pastor Humberto Machado, que junto com

sua esposa, Soraia, lidera a Missão. Ainda de acordo com ele, desde o início a ideia do projeto,

de Missões Nacionais em parceria com 1ª IB em São Paulo,foi bem aceita, sem que nunca

houvesse resistência.

Visita de caravanas

abençoam a obra


Uma vez que a Cristolândia chegou

com a proposta de tirar as pessoas

da rua, debaixo da direção de

Deus, logo os frutos começaram a

surgir e do primeiro grupo de recuperados

surgiram também alguns

integrantes da turma do Radical Brasil

que visava tirar mais pessoas da

cracolândia. Quem aceita ajuda é encaminhado

para casas de recuperação

ou para uma das comunidades

terapêuticas de Missões Nacionais.

Sendo assim, homens e mulheres

continuaram sendo alcançados e

transformados e novas turmas surgiram,

de modo que foi possível

enviar radicais transformados por

Cristo para a Cristolândia implantada

no Rio de Janeiro. E o projeto segue

avançando para outros estados

como Pernambuco, Espírito Santo e

Minas Gerais.

O crescimento do trabalho é resultado

de ações de um povo que não

tem ficado de braços cruzados, apenas

reclamando e analisando a situação.

A Palavra afirma que se o povo,

que se chama pelo nome do Senhor,

se humilhar e orar terá sua terra sarada

por Ele. O crack tem escravi-

zado vidas, tirando a dignidade das

pessoas. Se a igreja continuar agindo

e orando, mais poderá ser feito. Na

imprensa, enquanto alguns relatam

as histórias de recuperação, outros

apresentam certa descrença no poder

restaurador de Deus. O que não

se pode negar é que os exemplos de

transformação provam que as mãos

que estão sendo estendidas pela

Cristolândia têm levado esperança,

amor e a possibilidade de vida melhor

para aqueles que aceitam a ajuda

oferecida por Cristo, por meio da

vida dos voluntários e radicais que

estão na Missão.

Wellington Amorim, de 26 anos,

viveu na cracolândia por mais de

1 ano e chegou ao fundo do poço

até que começou a procurar ajuda

na Cristolândia por causa do serviço

social prestado. Aos poucos,

ele notou a diferença do trabalho

e leu um banner, que dizia: “E conhecereis

a verdade e a verdade

vos libertará”. “Eu quis ser liberto,

me converti e fui enviado para uma

casa de recuperação. Desde então,

Deus vem me abençoando. Conheci

a Cristo na Cristolândia”, contou.

Hoje, Wellington faz parte da turma

de missionários em treinamento,

que é composta em sua maioria

por ex-dependentes químicos tirados

do centro de São Paulo, onde

está instalado o projeto. Ele estuda

teologia e está casado com Alessandra

Amorim, 28 anos, que era

voluntária na Missão e compartilha

o mesmo ministério. “A Cristolândia

me ajudou a conquistar tudo o que

eu tinha perdido. Não me vejo fora

desse projeto que ajuda as pessoas

menos favorecidas”.

Ministrar compaixão e graça aos

que estão perdidos é a função da

Crianças

também

são alvo da

atenção no

projeto Novos

Sonhos, da

Cristolândia SP

igreja, e Cristo deixou o exemplo

de não fazer acepção de pessoas.

Onde houver necessidade, o cristão

deve ir para levar as Boas-Novas de

paz. A “boca do lixo” ou cracolândia

é uma região também marcada pela

prostituição e violência. A última

ação da polícia na região, que visava

prender traficantes e espalhar os

usuários, deixou feridos. O episódio

foi noticiado em vários meios de comunicação

e a Cristolândia foi mostrada

no Bom Dia Brasil, da Rede

Globo, e citada pelo jornal O Estado

27


de São Paulo, por ter oferecido ajuda.

Por causa da ação policial, algumas

pessoas se dispersaram e muitas

buscaram refúgio na Cristolândia

ou procuraram ficar pelo menos perto,

por isso, uma unidade móvel da

Defensoria Pública foi instalada na

rua da Cristolândia a fim de fazer um

levantamento das necessidades das

pessoas que ocupam a área e desejam

se recuperar. “A Cristolândia

é um lugar que acolhe, fornece alimento,

banho roupas. Vi cadeira de

rodas lá. No nosso caso, ajudar essas

pessoas é um dever legal, pois não

somos ONG e somos pagos para

isso, para prestar assessoria jurídica

para pessoas pobres. Vocês não têm

o dever legal, mas fazem por dever

moral e é uma iniciativa muito boa”,

disse a defensora, Daniela Skromov,

que também elogiou o fato de os

missionários da Missão terem sido

gentis, sem criar nenhum embaraço

ante a presença da Defensoria no local.

Ela explicou que há uma parceria,

mas cada um com seu foco visa

28

Resgatar e transformar vidas para

que sejam totalmente libertas e

vivam de maneira digna diante de

Deus e dos homens

Missionária Elaine com

defensora pública e padre

Júlio Lancelotti

atender a população local.

A missionária Elaine Machado,

nora do pastor Humberto, tem tido

contato com a equipe da Defensoria

e quando vê que alguém necessita

de alguma ajuda que possa ser

oferecida por eles, encaminha para a

unidade móvel. Ela também foi convidada

a estar presente em uma reunião

realizada na Câmara Municipal

de São Paulo, que analisou a atitude

da polícia. Segundo a missionária,

os batistas foram aplaudidos e elogiados

pelas autoridades. O padre

Júlio Lancelotti, da Pastoral de Rua

da Arquidiocese de São Paulo, também

estava na reunião e, segundo

Elaine, declarou: “Quero poder ser

digno de usar uma camisa amarela

da Cristolândia, pois lá eu vi pessoas

sendo amadas, sentadas nas mesas

e tomando as refeições dignamente”.

Ele é o segundo padre a apoiar

a obra, que anteriormente contou

com a ajuda do padre Mauro, por

meio de quem ele conheceu a Mis-

são, há 1 ano. “Fiquei mais próximo

do projeto da Cristolândia após a

ação da polícia. O trabalho que é

realizado lá é muito válido e importante

porque muitas pessoas que

fizeram parte das ruas, agora, estão

lá recuperadas e ajudando 24 horas

por dia”, afirmou.

A constante presença dos voluntários

e das caravanas também contribui

de forma especial para que a

Cristolândia continue impactando

vidas. O empenho dos parceiros

que apoiam o projeto em orações e

ofertas também é outra ajuda valiosa

para que a Missão, que trabalha

diariamente por 24 horas, nunca feche

suas portas. Todos os serviços

prestados são baseados no amor

que Cristo ensinou à sua igreja. Para

as crianças da região, foi desenvolvido

o projeto Novos Sonhos, que,

por meio de parcerias, oferece aulas

de balé, natação, música, futebol, entre

outros esportes. Joana Machado,

missionária de Missões Nacionais e

filha de Humberto e Soraia, tem estado

à frente desse projeto, que, no

fim de 2011, cadastrou 800 famílias

e distribuiu cestas básicas, roupas e

brinquedos para as crianças.

Resgatar e transformar vidas para

que sejam totalmente libertas e vivam

de maneira digna diante de

Deus e dos homens é uma das metas

que têm sido cumpridas pela

Cristolândia. “É gratificante fazer

parte desta obra. A gente só vai

sair daqui quando o último drogado

sair”, afirmou o pastor Humberto, sabendo

que grande é o desafio, mas

também que Deus é poderoso para

realizar o que parece impossível aos

olhos humanos. Até hoje, o Senhor

tem guiado e fortalecido esta obra e,

certamente, há de permitir que muito

mais seja feito, com mais vitórias

alcançadas. A cracolândia já está

sendo transformada em Cristolândia.


ENTREVISTA

Evangelho

para todos

Buscando alcançar as tribos

urbanas da capital paulista, os

missionários Leandro e Vânia

Poçam têm desenvolvido um

ministério que envolve apresentações

de hip hop, como forma

de propagação da Palavra de

Cristo, em escolas e no que chamam

de “PLUG-IN”, shows musicais.

Eles também realizaram um

evangelismo em massa nas ruas

por meio das artes, chamado de

“Colisão Urbana”. Leandro gravou

2 CDs e, tendo sido transferido

com sua família para um novo

campo, já cantou e pregou em

uma escola, atingindo uma média

de 1.800 alunos e, em janeiro,

realizou o projeto Transradical

Urbano Paraisópolis. Confira a

entrevista e entenda mais sobre

evangelismo focado em tribos

urbanas

29


QuaNdo se fala eM

tRiBos uRBaNas, a Que

exataMeNte se está

RefeRiNdo?

Tribos urbanas são as

diversidades de movimentos

culturais existentes

nas cidades. Devido à

grande transferência de

pessoas para os centros

urbanos e, em algumas

situações, de jovens com

crises de rebeldia e problemas

familiares, muitos

desses se tornam adeptos

de uma tribo, formação de

grupos que têm o mesmo interesse,

filosofia, música, estilo ou

também podendo ser por laços

de vizinhança. Existe uma diversidade

de tribos e podemos citar

algumas delas como o Punk, os

Emos, os Mods, os Rockers, hip

hop, dentre outros.

o Que é Mais difíCil, CoMuNiCaR o

evaNgelho às tRiBos uRBaNas ou

as igReJas ReCeBeReM as tRiBos?

Creio que há uma dificuldade

em ambas as partes. Para as tribos,

a dificuldade é fazê-los se

desprenderem de sua filosofia,

pois muitos adotam a sua tribo

como estilo de vida, mas sempre

encontramos uma brecha para

a pregação do evangelho. Para

as igrejas a dificuldade é a aceitação,

pois a igreja quer ver uma

mudança externa, que muitas

vezes pode estagnar o

alcance para os demais

adeptos da mesma tribo.

seRia o Caso de haveR

igReJas esPeCífiCas

PaRa este gRuPo? CoMo

PodeRíaMos faCilitaR a

iNtegRação?

Minha oração é para

que todos se reúnam

30

em um mesmo lugar, pessoas

diferentes, respeitando as diferenças

(que não fere os princípios

de Deus). Todas as tribos

adorando em um mesmo lugar.

Muitas pessoas na igreja querem

a conversão das tribos, mas não

querem essas pessoas em sua

igreja, porém acho que isso não

é corpo. Não podemos rejeitar o

nosso pé, nem nossa mão. Creio

que o desafio da igreja é amar diferentes

pessoas.

aPReseNte seu Novo CaMPo de

tRaBalho, CoM seus alvos e o Que

teM sido Realizado.

Paraisópolis é um bairro carente

de São Paulo, que está

localizado próximo a um dos

bairros mais nobres da cidade, o

Morumbi. Tem cerca de 100 mil

habitantes e é a segunda maior

favela de São Paulo. Foi marcado

Show realizado na rua

Leandro,

Vânia e o

filho deles,

Kelson

pela violência, drogas e

criminalidade, e ainda

vive situações de violência,

mas não existem

somente bandidos na

comunidade, mas muita

gente trabalhadora.

Precisamos alcançar os

moradores do Paraisópolis

para Jesus.

Nosso alvo é plantar

uma igreja que seja

autogovernada, autossustentada

e autopropagadora

no bairro.

Iniciar uma igreja multiplicadora

e contextualizada, usando uma

linguagem atual para a propagação

do evangelho, e realizar

apresentações em escolas, praças

e eventos, ou seja, onde há

muita concentração de pessoas.

Também queremos realizar campeonatos

de skate ou de B. Boys

com apresentações de bandas,

pregação da Palavra e apelos,

expandindo a visão do projeto

Missões Urbanas para São Paulo

e para o Brasil, além do desenvolvimento

de projetos sociais.

CoMo foi o tRaNsRadiCal uRBaNo

PaRaisóPolis?

A comunidade foi impactada

com a presença de Deus quando

Jesus foi proclamado através

dos amarelinhos. Uma pessoa

que estava se preparando para

pôr fogo no barraco e

se matar, recebeu a visita

de um voluntário, que

a levou a reconhecer a

Cristo e desistir da ideia

errada. Outro voluntário,

quando chegou à casa de

um senhor para aplicar o

terceiro estudo bíblico,

recebeu a notícia de que

ele havia falecido, mas o

resultado foi ótimo: 430

pessoas foram evangelizadas

e 207 tomaram

uma decisão por Cristo.


Ide e

pregai

A GRANDE COMISSÃO

Lúcia Margarida Pereira de Brito

Diretora Executiva da UFMBB

Quando voltamos nossos

olhos para mais de dois mil

anos atrás e observamos Jesus

no monte das Oliveiras,

despedindo-se de seus seguidores,

não podemos deixar de

escutar suas últimas palavras

antes de subir aos céus:

“Ide por todo o mundo e pregai

o evangelho a toda a criatura...

ensinando-as a guardar

todas as coisas que vos tenho

ordenado”. Esta foi a grande

missão que Jesus deixou para

nós.

31


Com grande ardor missionário,

nossos irmãos do passado foram

transmitindo a mensagem salvadora

de Jesus Cristo. Nesse empenho de

propagar o evangelho, sofreram terríveis

perseguições, quando muitos

irmãos foram mortos, outros abandonaram

ou esfriaram na fé. Também

houve muita desavença entre

eles, de tal maneira que foram se

afastando de cumprir a missão dada

por Deus.

O Renascimento, chamado de

Idade das Luzes, trouxe um despertamento

para o desenvolvimento

das ciências e das artes e também

foi um marco para a renovação da

fé daqueles que não aceitavam uma

religião opressora. A Reforma Protestante

abriu caminhos para que

o evangelho fosse difundido, culminando

com o grande avanço missionário

do século XVIII.

Desde aquela época até hoje, o

mundo tem passado por muitas

transformações em todas as áreas,

principalmente da ciência e da

comunicação. A igreja tenta acompanhar

essas mudanças e, sem perceber,

vai se distanciando dos preceitos

de Deus, esquecendo-se da

sua grande missão.

Na visão missionária para os dias

atuais temos três importantes destaques

para cumprirmos a Grande

Comissão:

1. Essa missão é intransferível.

Cada um de nós prestará contas a

Deus da tarefa a nós confiada.

32

2. Em segundo lugar, e mais

relevante ainda, é que a mensagem

salvadora precisa também ser transmitida

por meio do relacionamento

interpessoal. Uma palavra de conforto,

um gesto amigo, um ato de

bondade, um ouvido atento, são

oportunidades importantes para nos

relacionarmos com o nosso próximo

e transmitir-lhe a mensagem de

Jesus. Nossa vida íntegra e amável

tornará nossas palavras cheias de

poder. Quem resiste a uma palavra

amiga acompanhada de um sorriso

sincero?

3. Em terceiro lugar, agradar a

Deus, cumprindo sua vontade. Nada

alegra mais o coração de Deus do

que ver seus filhos vivendo seus ensinos,

falando do seu amor e conduzindo

perdidos à salvação. Essa alegria

de Deus enche o nosso coração

da verdadeira felicidade.

Queridos irmãos, vamos cumprir

nossa missão. Vamos levar a bênção

da salvação aos perdidos que jazem

no pecado. Livra os que estão sendo

levados para a morte e salva os que

cambaleiam indo para serem mortos

(Prov.24.11). E muitos deles são nossos

queridos...

Vamos agradar a Deus, o nosso

Pai, que tanto nos ama e nos abençoa.

Vamos desfrutar cada vez mais

de sua presença e comunhão.

A igreja tenta acompanhar essas

mudanças e, sem perceber, vai

se distanciando dos preceitos

de Deus, esquecendo-se da sua

grande missão.

More magazines by this user
Similar magazines