23.11.2016 Views

revista Musica & Mercado

revista Musica & Mercado

revista Musica & Mercado

SHOW MORE
SHOW LESS

Create successful ePaper yourself

Turn your PDF publications into a flip-book with our unique Google optimized e-Paper software.

ALERTA: SAIBA COMO DIFERENCIAR UMA GIBSON VERDADEIRA DE UMA FALSA PÁG. 58

WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR | NOVEMBRO | DEZEMBRO DE 2009 | Nº 45 | ANO 8


GERENTE

COMPRADOR

VENDEDOR 1

VENDEDOR 2

VENDEDOR 3

PASSE ESTA REVISTA PARA SEUS FUNCIONÁRIOS

INFORMAÇÃO PARA O MERCADO DE ÁUDIO, INSTRUMENTOS MUSICAIS E ACESSÓRIOS

santa

ifigênia s/a

O PRINCIPAL POLO DE ÁUDIO DO PAÍS • PRODUTOS DE PONTA • CONCORRÊNCIA

NOVOS MERCADOS • DESAPROPRIAÇÃO E FUTURO DA REGIÃO PÁG. 66

VENDA MAIS NO NATAL

INVISTA DESDE JÁ EM INSTRUMENTOS

MUSICAIS INFANTIS E ANTECIPE

O FUTURO DE SUA LOJA COM

A MÚSICA NAS ESCOLAS PÁG. 80

O EMPREENDEDOR

MICHAEL JACKSON

VALIOSAS LIÇÕES CORPORATIVAS

QUE VÃO AJUDAR SUA LOJA

A CRESCER, UM LEGADO

DO REI DO POP PÁG. 78

TRIBUTOS TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE SUBSTITUIÇÃO PELO ICMS PÁG. 86

MUSIC CHINA E

EXPOMUSIC

EXPOMUSIC

Cobertura

completa completa

PÁG. 104 / 114


BUILD YOUR BRAND • CONNECT WITH YOUR BUYERS

GET READY TO GO GLOBAL • START A BUZZ ABOUT YOUR PRODUCTS • MOVE YOUR BUSINESS FORWARD

INVEST IN YOUR COMPANY’S SUCCESS • BE A PART OF THE MUSIC PRODUCTS INDUSTRY’S MOST IMPORTANT EVENT

Exhibitor Information Now Online

www.namm.org/thenammshow


C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

de 24 a 27. 3. 2010

mission for music

Acompanhe a delegação brasileira!

Para mais informações entre em contato com:

Câmara de Comércio e Indústria

Brasil-Alemanha

Tel. +55 11 51 87-52 15

feiras@ahkbrasil.com

www.musikmesse.messefrankfurt.com


52916 • Messe FFM • MUSIKMESSE • VORAB Anzeigen • Musica & Mercado • 205x275mm/A • PDF/Mail • CMYK • dk: 04.09.2009 DU: 07.09.2009 BRASILIEN (port.)


Lojista Prisma Pro Audio

O grande problema, ao menos em

nossa região, é a concorrência do mercado

informal (muamba) e até lojas que

têm uma estrutura mais informal e

não têm os mesmos custos.

Fale sobre o mix de produtos da loja.

Qual é a porcentagem de importados?

Grande. A prova é que dos mais de 4

mil itens que temos em estoque, 67%

das vendas são de produtos importados,

contra 33% de produtos nacionais.

Porém, temos de ter muito cuidado

com o produto chinês, pois existem

artigos de todos os tipos e qualidades.

“O cliente é bem variado:

músicos, empresas, prefeituras,

escolas, universidades,

igrejas, DJs etc”

Normalmente, quando aparece uma

marca nova no mercado, compramos

uma ou duas peças para testar antes

de começar a trabalhar regularmente.

A empresa desenvolve projetos de

sonorização?

Sim, e temos parcerias (e consultorias)

com profissionais de todo o Brasil,

com os quais desenvolvemos projetos

nas áreas de áudio e vídeo.

Praticam o marketing em sua loja?

Como ele é feito?

Em publicidade, somos anunciantes

A loja também tem um espaço

voltado para a venda de

instrumentos musicais

Germano Kannenberg, sócioproprietário

da Prisma Pro Audio

regulares — acho que há mais de dez

anos — das revistas Backstage e Música

e Tecnologia. Fomos a primeira loja

anunciante da região Sul. Patrocinamos

um programa em uma rádio FM

local, que toca bandas da região. Comerciais

de TV e anúncios em jornal

são feitos ocasionalmente.

Utilizamos muito o marketing de

brindes, como: camisetas, bonés, chaveiros,

palhetas, canetas, adesivos e

outros, muitas vezes feitos em parceria

com marcas de fornecedores.

Todos os produtos vendidos na

loja saem adesivados com o logotipo

Prisma Pro Audio.

Na nossa cidade existe uma festa

chamada Oktoberfest, da qual participamos

em parceria com uma rádio

FM local, montando o estúdio que a

rádio usa para transmitir durante a

festa de dentro do parque.

Como está o crescimento da empresa?

De 2002 até 2005 crescemos 93%, sendo

que o maior índice foi em 2004,

quando o crescimento foi de 32% (em

função de uma reforma feita na loja,

que reinauguramos em agosto de

2003 com uma área comercial 100%

maior). O único ano em que não crescemos

foi 2006. Na verdade, tivemos

um crescimento negativo de 5%, mas

vínhamos de dois anos muito bons.

Em 2007 e 2008 tivemos um crescimento

em torno de 9% ao ano, com

base mais nos produtos de pró-áudio

de importação própria. Nossa meta

para 2009 é crescer de 10% a 15%. •

116 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


PRODUTOS

C. IBAÑEZ

PING RIDE 7A

A baqueta Ping Ride é uma 7A clássica,

cabeça de bola e ponta de madeira. Seu forte é o som

produzido nos pratos e ride. Possui 400 mm x 13,6 mm.

Contato: (51) 3364-5422 ou www.cibanez.com.br

YAMAHA

CVP-409GP

Clavinova da linha de pianos digitais. Possui

tamanho reduzido e acabamento em polished

ebony. O CVP-409 tem tecnologia IAFC, para

uma sonorização de piano acústico, e permite

a gravação do desempenho do músico.

Contato: (11) 3704-1377 ou

www.yamahamusical.com.br

MEINL CYMBALS

BYZANCE

Trata-se do Benny Greb Signature 20” Sundride.

Possui duas superfícies – em cima e embaixo – tendo

uma característica mais seca e rápida e de curta resposta.

Contato: (43) 3324-4405 ou www.primemusic.com.br

GROOVIN

GAJ 1020E NT

Violão Unique com corpo

em jumbo cutway, tampo

em spruce, laterais e fundo

em mogno laminado, braço

em mogno, escala com 20 trastes

em rosewood, marcação em

abalone com madrepérola,

captação de

piezo

elétrico e preamp ET-5

com afinador.

Contato (11) 2199-2999

ou www.equipo.com.br

HQ

ECOPAD

Pad de borracha, ecologicamente correto, feito

de pneus reciclados e base de resíduos de madeira.

A série possui três modelos, um pad montável

de uma superfície com 6”, um de 12” de duas

superfícies e um pad de 9” com um simulador

de som de caixa ajustável na parte inferior.

Contato: (11) 3158-3105 ou

www.musical-express.com.br

124 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Model 6260 Amp Head

Detonando na loja de instrumentos

musicais mais perto de você.

© 2009 Red Chip Company Ltd. As especificações técnicas e a aparência estão sujeitas a alteração sem aviso prévio. A Red Chip não se responsabiliza por nenhuma perda oriunda de fundamentação, seja ela parcial ou total, em qualquer descrição, fotografia, imagem ou declaração constante da presente. 985-90000-01412

Model 6260-212 Combo

Model 6262 Amp Head

Model 6262-212 Combo

Model 333 Amp Head

Model 333-212 Combo

Model 333XL Amp Head

Model 333XL-212 Combo

Model 412H-BK Half Stack

Modelo 333 de três canais, 120 watts,

amplificação totalmente valvulada com reverb;

Modelo 412H-BK gabinete half-stack 4x12".

www.bugera-amps.com


Estamos felizes com a Meinl. Os produtos são excelentes, atendem a

todas as classes de clientes — desde iniciantes a profissionais com extrema

versatilidade em comparação aos concorrentes e com um preço competitivo.


EXPEDIENTE

Editor / Diretor

Daniel A. Neves S. Lima

Diretora de Comunicação

Ana Carolina Coutinho - MTB: 52.423

Coordenadores de Comunicação

Itamar Dantas

Miguel De Laet

Depto. Comercial

Eduarda Lopes

Carina Nascimento

Relações Internacionais

Nancy Bento

Roberta Begliomini Padovan

Administrativo/Financeiro

Carla Anne

Direção de Arte

Dawis Roos

Revisão de Texto

Hebe Ester Lucas

Assinaturas

Barbara Tavares

assinaturas@musicaemercado.com.br

Colaboradores

Henry Ho, Fabiano Brum, Yole Scofano,

Vicente Sevilha, Cláudio Torres

Música & Mercado ®

Caixa Postal: 2162

CEP 04602-970 – São Paulo – SP.

Todos os direitos reservados.

Autorizada a reprodução com a citação da Música

& Mercado, edição e autor. Música & Mercado não

é responsável pelo conteúdo e serviços prestados nos

anúncios publicados.

Publicidade

Anuncie na Música & Mercado

comercial@musicaemercado.com.br

Tel./fax.: (11) 3567-3022

www.musicaemercado.com.br

E-mail: ajuda@musicaemercado.com.br

M&M no Orkut: http://tr.im/ydf6

Twitter: twitter.com/musicaemercado

Parcerias/Partners

Frankfurt • China

Estados Unidos

Impressa no Brasil / Printed in Brazil

Produto é tudo igual?

HÁ QUEM AFIRME: TECNOLOGIA É TUDO aquilo que foi criado depois

de nós. Lembro-me de quando surgiu o Corel Draw e todo mundo

tinha um sobrinho que fazia logotipo. Depois veio a fotografia digital

e surgiram vários “fotógrafos”... Em nosso ramo também houve a

comoditização dos instrumentos musicais e de áudio. Isso, aliado à

facilidade de se produzir na Ásia, fez com que muitos empresários esquecessem

o poder que marcas consagradas têm de elevar a margem

de lucro e, dessa forma, estão indo para a China sem fazer as contas.

ARGUMENTAM QUE CONSUMIDOR COMPRA PREÇO, mas não

é bem assim - ou quando você vai ao mercado procura pela carne

mais barata? Tornar produtos lucrativos em commodities é uma tarefa

arriscada, joga o mercado para baixo.

REVELAMOS OS SEGREDOS DA SANTA IFIGÊNIA nesta edição. Na

matéria, mostramos os produtos de ponta que você pode encontrar lá

e, ainda, damos uma prévia do polêmico projeto que prevê a desapropriação.

Será que o setor de áudio vai perder sua local de referência?

PARA A SUA LOJA ENTRAR EM 2010 com toda a parte contábil em

ordem, preparamos matérias fundamentais nesta última M&M do

ano. Confira nossos especiais sobre Sped e Substituição Tributária. Ah,

e venda muito no Natal explorando os instrumentos musicais infantis!

O ANO DE 2009 FOI SURPREENDENTE. Iniciou cheio de receios

e apreensões que com o passar dos meses tornaram-se menos

frequentes. Números do segundo semestre confirmaram: a crise

econômica veio para o Brasil, ficou cinco minutos e foi-se embora.

A fama que conquistamos como mercado promissor transformouse

em certeza: o mundo aplaude nosso país — Copa, Olimpíadas e

Expomusic 2009 (confira na pág. 114) que o digam. Por isso, lembrese,

produto não é tudo igual, revista não é tudo igual, país muito

menos. O Brasil promete! Excelente 2010!

DANIEL NEVES

Muitos empresários

estão indo para a China

sem fazer as contas

DANIEL NEVES

26 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


SUMÁRIO

SEÇÕES

26 EDITORIAL Produto é tudo igual?

30 ÚLTIMAS

A bola dentro da Argentina

42 ENQUETE Faça seus funcionários renderem mais

92 LOJISTA Eletro Musical / MG

98 VIDA DE LOJISTA Musical Vilhena / RO

106 PRODUTOS Expomusic + Music China + Design

102 TESTE

Sax tenor Michael

124 PAINEL DE NEGÓCIOS Anúncios + representantes

130 CINCO PERGUNTAS Sped

MATÉRIAS

46 REDES SOCIAIS Muito além do Orkut e do Twitter

52 INTERNACIONAL A Gibraltar conta os segredos de sua expansão internacional

56 EXPANSÃO As melhores dicas para abrir uma filial

58 FUJA DESTA CILADA

Os detalhes para você reconhecer uma Gibson falsificada

64 ACERTE NA CONTRATAÇÃO por Yole Scofano

66 SANTA IFIGÊNIA S/A Renovação urbanística e grandes desafios para 2010

78 THIS IS IT! por Fabiano Brum

80 CRIANÇAS EM FOCO Aproveite o Natal para investir em instrumentos musicais infantis

86 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA

Saiba tudo sobre as novas formas de recolher o ICMS

104 MUSIC CHINA

1,35 bilhão de chances de negócios

114 EXPOMUSIC 2009 Feira surpreende e traz boas perspectivas para 2010

28 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Bola dentro

A Argentina saiu na frente e ainda bem que não estamos

falando de futebol! Já está funcionando nas terras de sos hermanos

um site que concentra e divulga todas as

denúncias de roubo de instrumentos musicais. O www.

instrumentosrobados.com.ar serve como consulta funda-

nosmental

para lojistas que negociam equipamentos usados.

Vamos reconhecer a excelente iniciativa de nossos vizinhos

e, com certeza, adotá-la nas terras tupiniquins.

Quebrando recordes

Equipe comercial da Quanta: sucesso

No início do mês de julho de 2009, a

Quanta Music renovou sua equipe

comercial. A aposta em profissionais

cada vez mais especializados,

associada à recuperação da economia

mundial, ajudou a quebrar

recordes mensais no faturamento

da empresa. No primeiro trimestre

de trabalho, a equipe vendeu 33% a

mais do que a média anual anterior.

O novo gerente comercial da empresa,

Joey Gross Brown (o segundo da

esq. para a dir.), tem 22 anos de experiência

em gestão no setor de instrumentos

musicais e de áudio e já

dirigiu algumas das principais marcas

do mercado. “Adotamos uma

nova política comercial de transparência.

Queremos deixar as regras

do jogo bem claras para os nossos

clientes e parceiros”, afirma Brown.

Novas contratações

Marcel Lavorat, ex-supervisor de vendas

da Tagima, está de

casa nova: é o novo gerente

comercial da Wolf

Music. Sua prioridade

será difundir a marca

internacional de violões

Walden e produtos Wolf

no mercado brasileiro.

Schneider agora

usa Sabian

Cristoph Schneider, mente, juntou-se ao time de endorsees

da Sabian. A mudança para a

marca veio após a gravação de seu

último CD, Liebe ist für alle

baterista

da banda de

rock alemã Rammstein,

muito conhecida mundial-

da.

Piano do seu jeito

A Fritz Dobbert lança um novo duto para sua linha de pianos verticais,

o FD121. O piano vem nas cores

preto, imbuia e mogno, mas, assim

como qualquer outro produto da Fritz

Dobbert, o cliente pode personalizá-lo

como quiser. Basta entrar em

contato com a empresa pelo telefone

(11) 3973-7900 e apresentar sua pro-

ideia.

Baixe já o seu!

De dois em dois anos, a Musical

Express atualiza e relança o seu catálogo.

A edição 2009/2010 já está disponível

e traz novidades em suas 300

páginas, como as esteiras e batedores

de bumbo Puresound, peles Uno

by Evans, baterias PDP by DW, baquetas

3Drumsticks by DW, acessórios

e flautas da Yamaha e estojos e bags

TKL. Já as ferragens Gibraltar, a mais

nova marca distribuída pela empresa,

ganhou catálogo próprio. Você pode

baixar esses e outros catálogos da

distribuidora no site: www.musicalexpress.com.br/br/downloads.

30 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Venda mais no Natal

A revista Exame PME

publicou uma

pequena matéria na sua edição 21

(outubro/novembro) com excelentes

dicas para otimizar as vendas

de fim de ano. Foi consulta-

do o especialista Renato

Antonio Romeo, da Sale-

Solution, que fez uma lista

com fórmulas simples que

garantem alavancar suas

vendas na reta final de 2009.

Nós as adaptamos para você:

• Passeando pela loja. Quanto

mais o cliente passeia pela sua loja,

maior a probabilidade de comprar al-

guma coisa. Por isso os produtos em

oferta devem ficar no fundo da loja.

• Perguntar não ofende. Uma das

ordens primordiais para os vendedores

é que eles perguntem ao cliente

por que ele quer determinado produto.

Isso deve ocorrer antes mesmo de

mostrar o produto ao cliente, pois, se

não tiver aquela mercadoria na loja,

o vendedor já está preparado com argumentos

que levem outra solução e

novas opções de compra ao cliente.

• Lei de trânsito. Nas lojas brasileiras

também vale a lei da mão

direita. Posicione as mercadorias

com maior margem de lucro do lado

direito, pois elas são as primeiras a

serem vistas por quem entra na loja.

Assim você aumenta as chances de

interesse por esses produtos.

• Regra básica de incentivo. Para timular seus vendedores e ainda garan-

estir

atendimento nota 10, faça o seguinte:

dê a todo cliente que entra na loja um

cartão verde e outro vermelho. Se ele

gostar do atendimento, deposita o verde

na urna (que deve ficar na saída da

loja); caso tenha desaprovado, coloca o

vermelho. No término do dia você conta

e só dará prêmios à equipe se a quantidade

de cartões verdes superar a de vermelhos.

Os vendedores se empenharão

100% do tempo, pode ter certeza.

Florence é a nova

distribuidora Gemini

A marca, fundada em 1974 e conhecida

mundialmente por seus produtos

de áudio e para DJs, já está sendo

distribuída no Brasil pela Florence

Music. “Estamos muito honrados

por termos sido escolhidos como

novos distribuidores no Brasil e,

sobretudo, por atingir um novo público”,

diz Renata Gomes, gerente de

marketing da distribuidora.

Publicação da Música

& Mercado é destaque

em site internacional

A entrevista com o designer de produtos

dos violões Walden, o chinês Jonathan

Lee, publicada na edição 25 da

revista Violão PRO, está integralmente

disponibilizada no site da fabricante

chinesa, traduzida e com destaque

para a capa da edição. Publicada pela

editora Música & Mercado, a VP é a

única revista específica no Brasil para

os amantes do violão, que a encontram

em bancas de todo o País. Confira a matéria

completa no site da Walden: www.

waldenguitars.com/news_2009_

ViolaoPro_Interview.html. É, a editora

M&M está ganhando o mundo!

Os melhores negócios são feitos aqui!

A Feira da Música para 2010 já tem datas e locais

definidos e você já pode se programar. Realizadas

pela Música & Mercado, as feiras acontecem diretamente em sua região,

possibilitando um contato direto de sua loja com os principais fabricantes

e distribuidores do País. Para mais informações, entre em contato pelo telefone

(11) 3567-3022, ou e-mail assinaturas@musicaemercado.com.br.

São José do Rio Preto / Bauru

Curitiba

Porto Alegre

Rio de Janeiro

Belo Horizonte

Goiânia

Salvador

Belém

27 e 28 de fevereiro

20 e 21 de março

17 e 18 de abril

22 e 23 de maio

19 e 20 de junho

24 e 25 de julho

14 e 15 de agosto

6 e 7 de novembro

32 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Independente

A capital gaúcha foi escolhida pela

fabricante italiana de alto-falantes

B&C Speakers para sediar o primeiro

centro de distribuição e vendas da

empresa no Brasil. Quem vai cuidar

do seu gerenciamento será Maicon

Hendler, que está no mercado há mais

de 11 anos. “Entramos no mercado

brasileiro para nos aproximarmos

dos clientes e oferecer uma pós-venda

mais qualificada e confiável. Nossa

proposta é intensificar o relacionamento

com nossos públicos por meio

de suporte técnico e comercial, desenvolvendo

aplicações e soluções de

excelente relação custo-benefício para

seus produtos e necessidades”, revela.

O objetivo é ampliar a atuação da

empresa no hemisfério Sul — em países

do Norte, ela já está consolidada.

No Brasil, a empresa também dará

suporte aos distribuidores terceirizados

de outros países da América

do Sul. “Porto Alegre foi escolhida

por ter uma localização estratégica

com relação a mercados nos quais

intensificaremos nossas operações”,

explica Hendler. A B&C Speakers

Brasil começa a operar oficialmente

a partir de dezembro.

Mettalica, Sennheiser e Wireless 3G

Em virtude do lançamento

de sua nova linha de sistema

sem fio, a Evolution

Wireless G3, a Sennheiser

trouxe para o Brasil Robb

Blumenreder, gerente da

equipe industrial da empresa,

para uma série de palestras

sobre o novo produto,

realizadas em outubro nas

principais capitais do País.

Voltado para lojistas e técnicos

de áudio, o workshop

demonstrou diferentes formas

de uso dos produtos e

ofereceu exemplos práticos

com piano, flauta, trompete,

trombone, bateria e

vocal. “Conseguimos nos

aprofundar em tópicos técnicos

do treinamento, além

de destacar pontos-chave

de venda. Acredito que a

ação foi muito positiva e

espero que mais iniciativas

como essa surjam em breve, pois

dessa forma todos os lados ganham

em conhecimento e mercado”, afirmou

Ricardo Abellan, gerente de

marketing da Equipo, distribuidora

da Sennheiser no Brasil.

Outra notícia boa para a fa-

Blumenreder, da Sennheiser,

esteve no Brasil ministrando palestras

bricante de microfones foi a de

que o Metallica decidiu incluir a

tecnologia dos sistemas de monitores

pessoais (IEMs) da Série

2000 para a turnê mundial de divulgação

de seu último trabalho,

o disco Death Magnetic!

Pode contar com eles

A Krest Cymbals reuniu seus principais representantes em uma convenção

realizada em setembro na empresa. O objetivo foi informar os parceiros

sobre as estratégias da marca e apresentar os novos colaboradores que

representarão a Krest em diversos Estados brasileiros. Nas fotos, da esq.

para a dir.: Adriano Vianna (AL/PB/PE/RN/SE), Denise Maito (PR), Paulo

Ricardo Martins (ES) e Roger Aguiar (RS). Falando em estratégia, a Krest

vem investindo no mundo digital, aproveitando as vantagens de relacionamento

que o universo virtual oferece. Com o novo site, inaugurado em

outubro, por exemplo, a marca conseguiu alavancar o seu número de seguidores

no Twitter. Talvez eles estejam aproveitando as dicas da Música e

Mercado... Confira o site reformulado: www.krestcymbals.com.br.

34 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Ventura: a Tokai no exterior

A fabricante brasileira de órgãos eletrônicos

Tokai vai usar outro nome

para explorar o mercado internacional:

Ventura. “O problema é que no Japão existe

uma fabricante de guitarras chamada Tokai

que possui registros em alguns lugares do

mundo”, explica Juliano Hayashida, diretor

da empresa. A Tokai japonesa não é conhecida

por aqui. Existe desde 1942 e distribui

seus produtos apenas na Ásia e Europa.

No Brasil, a Tokai continuará operando com o

nome que se tornou referência em seu segmento.

A Ventura já está oficialmente operando. A Armadillo

Enterprises, nos EUA, já está distribuindo a marca no país.

Para saber mais, acesse: www.armadillonet.com/Ventura.

Michael investe

na web 2.0

Continuando as comemorações de

sua primeira década de vida, a Michael

lançou em 16 de novembro

um site completamente remodelado

no endereço www.michael.com.

br. Segundo o marketing da empresa,

o novo projeto promete, além de

design mais moderno e arrojado,

a exploração do conceito web 2.0,

com muita participação

e interação dos internautas.

“Os usuários

serão fundamentais

na geração de conteúdo

e de ideias”, explica

Daniel Lucas, um dos

Ela quer você

A Giannini procura representantes para as seguin-

tes regiões: Roraima, Manaus, Mato Grosso, Acre,

Rondônia, Pará e Amapá.

‘Say no More’ com Audix!

Charly Garcia, um dos maiores ícones roqueiros

da Argentina, é o mais novo endorsee da

Audix. Os microfones serão utilizados em sua

nova turnê, “Say no More”.

responsáveis pelo projeto. Por enquanto,

você pode conferir o hot site

de pianos da marca. Hot sites são

micropáginas da internet lançadas

com a finalidade de divulgar produtos

específicos em campanhas de

marketing. Em www.michael.com.

br/pianos você pode acessar informações

completas sobre a linha de

pianos da marca, inclusive download

do catálogo. Confira!

Sons da Itália

Um festival italiano pró-exportação

de instrumentos musicais finalmente

chegou ao Brasil. É o Suono Itália

(Sons da Itália), que pretende levar a

outras culturas um pouco da arte e

música italianas, mas, sobretudo, divulgar

a qualidade dos instrumentos

fabricados no país. Com exposição

de diversos instrumentos, o evento

também trouxe masterclasses e apresentações.

O Suono Itália ocorreu

entre os dias 11 e 14 de novembro, na

cidade de São Paulo, e foi coordenado

pelo Instituto Italiano para Comércio

Exterior e o Ministério de Desenvolvimento

Econômico da Itália em colaboração

com a Associação dos Fabricantes

de Instrumentos Musicais.

No Brasil, a Anafima, juntamente à

parceria que mantém com a Apex

(Agência Brasileira de Promoção e

Exportações e Investimentos), está

tomando iniciativas similares para

divulgar a qualidade dos produtos

brasileiros pelo mundo!

Meteoro lança diversos

produtos na comemoração

de seus 25 anos

A Meteoro comemorou 25 anos e

aproveitou para lançar novos produtos,

como dois novos cabeçotes que

chegaram para completar a linha

MW. Outro destaque foi na linha de

pedais da marca, com o valvulado

Revolution Tube Drive. Para conferir

todos os produtos lançados em homenagem

ao aniversário, acesse www.

amplificadoresmeteoro.com.br.

36 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Novas lojas

A Hendrix World Music, considerada

uma das mais tradicionais

lojas da rua Teodoro

Sampaio, polo varejista

de instrumentos musicais

na capital paulista,

inaugurou mais uma

filial. “Estamos abrindo

essa loja em um momento

muito bom para o mercado

em geral. É fim de

ano, período em que as

vendas normalmente já

crescem, e o fantasma da crise

parece que desapareceu. Então,

as expectativas não poderiam

ser melhores!”, conta o dono

da loja, Vladimir João Teixeira.

Em Recife, o grupo Bartô

Eletrônica acaba de inaugurar

mais uma loja de

instrumentos

musicais,

a Pop Music, que já está

funcionando na rua da

Concórdia, centro da capital

pernambucana.

Top of Mind 2009

Está chegando

o prêmio Top of

Mind 2009 do

setor de áudio

e instrumentos musicais. A

premiação das principais

marcas do segmento ocorrerá

no dia 1º de dezembro,

em São Paulo, SP. A pesquisa

deste ano, realizada

pelo Datafolha, entrevistou

cerca de 360 lojistas de todas

as regiões do Brasil e

vai diagnosticar as marcas

mais lembradas de 2009 pe-

los empresários. A pesquisa

mediu a presença da marca

na memória do entrevista-

do, avaliou seu grau

de popularidade e

o prestígio junto às

lojas brasileiras.

O evento é promovido pela

editora Música & Mercado, com

patrocínio da Musikmess e apoio

da Namm e Music China. Conheça

as marcas mais lembradas do

setor e defina suas estratégias

para o ano que está chegando.

Mais informações com relação

aos critérios de análise para o prêmio

você encontra em nosso site:

www.musicaemercado.com.br

ou pelo e-mail: publicidade@

musicaemercado.com.br. Confira o

resultado na próxima edição.

38 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Como vender mais gaitas?

Para incentivar o consumo de gaitas,

a Bends Harmônicas criou o projeto

Aprenda Gaita Grátis. Funciona

assim: um instrutor da empresa vai

diretamente ao ponto de venda e ministra

um treinamento de gaitas para

alunos interessados. O programa

já tem mais de 3.800 inscritos e

está partindo para a sua 5ª edição.

Para Samantha, diretora de

marketing da Bends, a iniciativa

tem conseguido resultados positivos.

“Com essa iniciativa, a ds conquistou uma comunidade

Benfiel

de amantes da gaita. Isso resultou

em cumplicidade, pois estes alunos

admiram a Bends por fomentar a

cultura de gaitas no País e valorizar a

educação musical.” O lojista também

sai ganhando, já que as aulas estimulam

as vendas de gaitas na loja. Para

saber mais informações, ver agenda

de workshops e solicitar o evento na

sua loja, acesse www.bends.com.br.

Os músicos e seus bags

Como novos endorsees, Felipe Andreoli,

Marcelo Barbosa e Rafael

Bittencourt vão desfilar seus instrumentos

acomodados em bags fabricados

pela Condortech do Brasil.

Grife da pesada!

A EMG, conhecida pelos seus captadores

utilizados por grandes nomes

do rock metal como Zakk Wylde

e Kirk Hammett, lançou uma loja

virtual para comercializar camisas,

bolsas e bonés da marca. A empresa

informa que esses são apenas os

primeiros itens e que, para o ano que

vem, os fãs da marca poderão contar

com novos produtos EMG Pickups.

Yamaha lança série NX

A empresa japonesa disponibiliza

ao mercado um linha versátil de

violões, desenvolvida tanto para

animar uma roda de amigos e

também com todos os componentes

para gravação em estúdio. São

três modelos que compõem a série

NX: NCX900R, NTX700,

NTX900FM, todos equipados

com o A.R.T.

system (sistema de

captadores), especialmente

desenvolvido

para violões de nylon.

Ainda possuem dois

tipos de corpo (clássico

e thin line), criados

para atender a

vários estilos de sicos.

mú-

Arte no prato

O estúdio Hellno, do baterista Nô (ex-integrante

do Dead Fish), lança a Pratarte, uma exposição

de arte aplicada em pratos de bateria, em parceria

com a Orion Cymbals. O objetivo é divulgar

a arte e estimular os artistas brasileiros, e para

isso, a intenção é de que a exposição se torne

itinerante pelo Brasil. Para agendar uma visi-

ta, adquirir alguma peça ou levar a exposição

para a sua loja, entre em contato com o estúdio

Hellno pelo telefone (11) 3973-7900 ou pelo e-mail

contato@hellno.com.br. Você também pode

ver mais detalhes no site da Orion Cymbals:

www.orioncymbals.com.br

40 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


A tecnologia e a Dunlop

A empresa Dunlop Manufacturing,

fabricante estadunidense

de acessórios musicais, aposta

na tecnologia para se destacar da

concorrência. Matt McDevitt, diretor

de vendas internacionais da

companhia, falou com a Música &

Mercado sobre tecnologia.

Vocês acreditam que os

instrumentos tradicionais

tendem a recer com o avanço

desapaefeitos

e instrumentos

manufaturados. Os músicos

buscam constantemente

melhorar sua

sonoridade. Existem infinitas

da tecnologia?

Em uma indústria

como a nossa sempre

haverá lugar para

possibilidades dentro de um simples produto e o que é

bom para um músico pode não ser para outro. Também

porque sempre haverá lugar para os pequenos

fabricantes e os incentivadores do “faça você mesmo”.

Dunlop fabrica

diversos tipos de

acessórios

Em que a tecnologia contribui para o mercado de

áudio e instrumentos musicais?

A tecnologia pode ajudar o mercado a crescer. Todas as

formas de acesso à educação musical contribuem para

o crescimento de uma base de mercado muito mais ampla.

Quanto mais o consumidor sabe sobre seu instrumento,

mais informada será sua decisão de compra do

novo equipamento.

Vocês acreditam na evolução do e-commerce?

Os consumidores que usam internet para influenciar

suas decisões de compra têm a possibilidade de pensar

mais sobre a compra do que aqueles que não a usam. Os

consumidores podem ler newsletters, assistir demonstrações

em vídeo on-line ou buscar preços diferentes, e

tudo pelos seus computadores. Sempre haverá um espaço

para as lojas físicas, já que nós gostamos de experimentar

os produtos pessoalmente, antes de comprá-los.

Mas, no futuro — que também já acontece hoje —, as

lojas que se encontram a quilômetros de distância terão

de competir com as lojas virtuais. •


Enquete

ELETROMUSIC

Faça seus

funcionários

renderem mais

Quatro gestores do ramo dão dicas de como

reconhecer as deficiências de seus funcionários,

eliminá-las e fazê-los render mais

Maria Regina R. de Oliveira

Eletromusic

Rio Bonito, RJ

Preservar bons funcionários

e saber lidar com os que

não conseguem se adaptar

à função são desafios para empresários

de qualquer segmento. Na

área de vendas, o setor dos instrumentos

musicais e de áudio ainda

traz uma particularidade: além de

ser bom vendedor, o funcionário

deve estar antenado às novidades

e lançamentos, sempre buscando

mais informações sobre os produtos

que vende e aperfeiçoando-se

na sua função. Os gestores a seguir

dão dicas de como trabalhar

as deficiências de um funcionário

problemático sem perdê-lo.

Perguntas

1.

Quais

características

você aponta

para descrever

um funcionárioproblema?

2.

Como você

lida com

‘funcionáriosproblema’?

3.

Como você faz

para preservar

pessoas de

talento na

empresa?

4.

Quais são os

conselhos

essenciais

para a

contratação?

A irresponsabilidade, o desamor ao que

faz e a dificuldade de relacionamento

com a equipe são características que

mostram que um funcionário não está

atendendo às necessidades da empresa.

Ele deve aceitar e, se possível, corrigir os

próprios erros para se adequar.

Tento ser paciente e tolerante a ponto

de incentivá-lo a reconhecer o erro

e procurar melhorar. Não só em prol

da empresa, mas, principalmente,

para seu próprio desenvolvimento.

Sempre me coloco em seu lugar para

olhar o problema de outro ângulo.

Só assim consigo agir com justiça e

solidariedade, não só como patroa, mas

também como amiga.

Procuro mostrar a importância da

eficiência do seu trabalho para o

crescimento da empresa, fazendo-o

participar das resoluções e decisões das

atividades. Valorizo muito o espírito de

equipe, a amizade e o companheirismo.

Procuro ter com meus funcionários

um convívio bem informal, em que

trabalhamos com seriedade, mas

também compartilhamos momentos de

descontração, o que tem sempre trazido

resultados positivos para a empresa.

O candidato deve demonstrar esforço,

dedicação, amor à atividade e visão

de crescimento. O bom funcionário é

aquele ‘que veste a camisa’ da empresa!

42 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


TaMBorim DE Ouro BuMBa rEcords

Musical Grellmann

José Pacelle Bringel

Tamborim de Ouro

João Pessoa, PB

Márcio Menezes

Bumba Records

Teresina, PI

Douglas Grellmann

Musical Grellmann

Foz do Iguaçu, PR

Antes de tudo, precisamos distinguir

um funcionário-problema de um

funcionário com problemas. Temos

adotado medidas para que isso

não ocorra, tais como uma seleção

criteriosa na admissão, treinamento

permanente e política de incentivos.

Basicamente, o vendedor de

instrumentos musicais deve

conhecer o produto que está

comercializando. Mas só isso não

é o suficiente. Ele deve demonstrar

interesse no seu crescimento

profissional e no da empresa.

Funcionário-problema é aquele que

demonstra falta de atenção ao seu

trabalho, não tem interesse em

procurar as novidades do mercado e

só consegue vender ‘com desconto’.

Sempre procuramos compreender

o que ocorre com nossos

funcionários. Com o treinamento e o

relacionamento constantes, temos

evitado esse tipo de ocorrência.

Faço um trabalho baseado

na motivação, mostrando as

possibilidades de seu crescimento no

setor em que atua.

Temos um curso em nossa associação

comercial sobre foco em vendas

e damos dicas de como lidar com

determinados tipos de cliente, para

chegar às vendas com maior lucro.

Procuramos oferecer sempre mais

do que o mercado de trabalho

oferece. Liberdade para trabalhar;

reconhecimento do seu talento;

política salarial com prêmios pelo

desempenho; motivação pessoal e

profissional; ambiente de trabalho

saudável e agradável.

Invisto em sua qualificação e aponto

novas perspectivas para crescimento

dentro da empresa.

Para segurar um funcionário padrão,

recompensamos financeiramente

os que atendem às nossas metas e

perspectivas.

O perfil do candidato deve ser

analisado com muito critério. Alguns

aspectos são importantes no nosso

ramo de atividade, tais como o grau

de escolaridade; o conhecimento

dos produtos; a postura afável e que

transmita confiança ao cliente; e a

versatilidade para o desempenho de

várias funções correlatas. Estas são

características fundamentais para

um funcionário adequado.

Fazer uma entrevista para verificar

a qualificação profissional do

candidato e se ele tem algum tipo de

envolvimento no setor dos negócios

da música, seja de entretenimento ou

experiência com vendas.

Atualmente fazemos um questionário

desenvolvido por uma psicóloga, em

que o resultado busca encontrar o

colaborador mais apto para a função

desejada dentro da empresa.

www.musicaemercado.com.br 43


Mundo Digital Relacionamento

Além do Twitter

Conheça outros sites de relacionamento e confira as dicas

de como utilizá-los para fazer a sua loja bombar na web

Por Cláudio Torres

Uma das atividades mais populares

no marketing é a

ação promocional ou, como

muitos chamam, a ‘Promo’. E apesar

de a promoção de vendas estar diretamente

ligada ao desejo de toda empresa

em incrementar seu faturamento,

sua forma tradicional toca no lado

mais sensível da empresa: o bolso.

A Internet elimina o entrave, porém,

geralmente encontramos na

web ações promocionais tímidas, que

normalmente servem de apoio para

outras campanhas ou para promoções

em pontos de venda ou apenas

informando sobre descontos. É possível

explorar muito mais do que isso:

você pode criar ações promocionais

exclusivas para a Internet aproveitando

as redes sociais dos próprios

consumidores. A propagação de sua

‘promo’certamente será viral. O resultado

pode ser muito rápido e a relação

custo-benefício bastante atraente.

Para começar, faça-se uma pergunta

fundamental: o que o meu consumidor

quer?

Claro, todo consumidor quer

descontos, mas você precisa se lembrar

dos três principais desejos do

comprador on-line, antes de definir

sua ação promocional: informação,

entretenimento e relacionamento.

Somente trabalhando com esses três

aspectos sua ação será eficiente no

mercado on-line.

Conecte-se!

1. Informação

A ação deve informar sobre

a oportunidade única disponível

somente pela Internet. A oferta

pode estar associada diretamente ao

produto ou a alguma outra ação atraente

para o público-alvo.

2. Entretenimento

A ação deve fazer com que

o consumidor participe e

se envolva em algum tipo de evento,

precisa entreter. Os sorteios parecem

atraentes, mas são muito estáticos

para a Internet: competição,

gincana ou jogo geram resultados

mais interessantes dentro da dinâmica

que a rede exige.

3. Relacionamento

A ação deve envolver a rede

de relacionamento do

consumidor. Você precisa explorar, de

forma consciente, a rede social à qual

o consumidor pertence. Ele deve se

sentir importante na medida em que

a promoção valorize não só a ele, mas

também a seus amigos e as pessoas

com interesses em comum.

Conheça, então, alguns sites (e dicas)

para implantação em campanhas

promocionais, adaptados a clientes

segmentados – digamos assim.

Explore a Internet como ela merece!

46 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Mundo Digital Relacionamento

Pollgate

(www.pollgate.com.br)

Rede social baseada em enquetes multimídia sobre diversos assuntos.

Neste site, sua loja pode promover produtos ou serviços a partir

de enquetes, que serão respondidas pelos internautas. Também é

possível criar uma ‘gincana’ premiando os internautas que inventarem

e disponibilizarem uma pergunta relacionada a sua loja, produtos

e serviços. Ganha quem obtiver o maior número de respostas.

Meusparabens

(www.meusparabens.com.br)

Uma ferramenta web que permite ao internauta

agendar os aniversários dos amigos e ser lembrado

deles. Com ela, sua loja pode se promover oferecendo

premiação aos aniversariantes cadastrados ou motivando

o consumidor em potencial a colocar os aniversários

dos amigos para, posteriormente, enviar

oferta promocionais a esses aniversariantes.


Mundo Digital Relacionamento

Estilook

(www.estilook.com)

Amantes e profissionais de moda se encontram neste site,

onde os usuários divulgam seu próprio estilo. Nele sua empresa

pode criar uma promoção em que os consumidores publicam

fotos “estilosas” com o seu produto, sendo que os melhores

‘looks’ (votados pelos participantes da própria rede social)

ganham algum tipo de prêmio.

GoZub

(www.gozub.com)

Site tipo Twitter. Possibilita também o envio de informações

para o celular e para o MSN e similares.

Enfim, sua informação chega à pessoa onde ela estiver!

Inclusive, a empresa pode se utilizar da infraestrutura

do GoZub, com seu próprio logo, e promover

uma campanha promocional, integrada ou não ao

site, direcionada tanto para seus clientes quanto para

consumidores em potencial.

Não deixe o Twitter de fora

Você sabia que a Dell, fabricante de computadores,

vendeu mais de US$ 3 milhões de dólares com

marketing pelo Twitter? Pois é, o microblog tem uma

ferramenta chamada “Twitter Promo” que permite

lançar ações promocionais utilizando a sua capacidade

viral. Utilizando essa ferramenta, é possível transfor-

mar a oferta da promoção em uma competição em

que o próprio consumidor divulga a promoção com o

objetivo de ganhar algum benefício. Vencem aqueles

que levarem mais visitas ao site da promoção. Assim o

consumidor se envolve em uma promoção, informando

seus amigos sobre uma oportunidade imperdível e,

ao mesmo tempo, se benefi cia dela, sendo premiado

pela divulgação. Quem resiste?

Siga a

Música & Mercado no Twitter: twitter.com/musicaemercado

CLÁUDIO TORRES

é autor do livro A Bíblia do Marketing DIgital, lançado pela editora Novatec. Graduado em engenharia pelo ITA, fez pós-graduação em Marketing na Suécia e atua

como consultor e palestrante em marketing digital e mídias sociais. E-mail: claudio@infobot.com.br

48 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Distribuição Mercado

Guia prático

para conquistar

as Américas

KMC conta os segredos para explorar novos mercados,

seus objetivos para a América Latina e revela o que há

por trás da mudança da distribuição da Gibraltar no Brasil

Diretoria de vendas e marketing da KMC Gibraltar.

Da esq. para a dir.: Ken Fredenberg, Stephen Goodrich e John Shand

NÃO HÁ DÚVIDA DE QUE

AS BATERIAS ELETRÔNICAS

TÊM CAUSADO UM GRANDE IMPACTO

NO MERCADO NOS ÚLTIMOS ANOS

John Shand está há mais de 20 anos na

KMC Music. Atualmente é diretor de

gerenciamento internacional e vem

se dedicando ao desenvolvimento de produtos

para mercados estrangeiros.

Em breve conversa com a Música &

Mercado, Shand apresentou as estratégias

da empresa para ampliar a sua participação

no mercado brasileiro e América

Latina. Uma das principais ações

foi a troca da distribuição das ferragens

Gibraltar no Brasil (conforme você leu em

primeira mão na M&M 44), que passaram

para o portfólio da Musical Express.

Todos os esforços da KMC estão direcionados

para conquistar e fidelizar

consumidores por meio dos produtos

inovadores da empresa. Para se ter

ideia, somente as ferragens Gibraltar já

são exportadas para mais de 50 países.

Para a KMC é um bom número, mas,

como dizem, eles querem mais!

O que levou a KMC a trocar a distribuidora

exclusiva da Gibraltar no Brasil?

Mudanças de distribuição são estrategicamente

dirigidas na KMC e, como

resultado, não podemos divulgar os

detalhes dos motivos pelos quais as

mudanças são feitas. No entanto, es-

52 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Distribuição Mercado

tamos animados com a dinâmica do

marketing, das vendas e dos planejamentos

inovadores apresentados pela

Musical Express ao longo dos anos —

responsáveis por destacá-los como um

distribuidor ‘top’ para produtos de alta

qualidade. Estamos especialmente interessados

em seu foco em acessórios,

e acreditamos que esse direcionamento

vai ajudar a Gibraltar a ganhar uma boa

fatia do mercado nos próximos anos.

Quais são os maiores mercados da

Gibraltar hoje? A que características

vocês atribuem o sucesso nessas

regiões?

Alguns dos nossos maiores mercados são

aqueles em que a distribuição se mantém

estável durante um longo período

de tempo. A área de atuação da Gibraltar

é grande e abrange vários segmentos do

mercado de percussão. Ter um distribuidor

local de longo prazo é o melhor

plano para o sucesso. Temos sido mais

ativos em vários mercados europeus e na

Kaman Music

Corporation

Fundada em 1945 com

o nome de Kaman Aircraft,

o intuito de Charles

Kaman era construir helicópteros.

Pouco mais

de 20 anos depois, logo

após ter perdido um

grande contrato militar,

Kaman ficou fascinado

com um violão Martin.

A fim de diversificar os negócios, uniu seu espírito pioneiro (é conhecido como o

primeiro designer de helicópteros) à alta tecnologia e know-how de sua empresa

para criar um violão com um material mais moderno. Assim, em meados dos

anos 60, nasceu a Ovation. Hoje a Kaman Music é uma das principais fabricantes

de instrumentos do mundo. Além do violão, produz guitarras, baterias, violinos,

instrumentos de percussão, ferragens e amplificadores. Algumas de suas outras

marcas são: Sabian, Genz Benz, Gibraltar, Gretsch, Takamine, Hamer, Toca, Seiko

e Becker Instruments. Em 2007, a Fender Musical Instruments Corporation,

FMCI, comprou a Kaman, que passou a se chamar KMC. A FMCI é considerada

uma das maiores empresas de instrumentos musicais do mundo.

WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR 53


Distribuição Mercado

Austrália, por isso nosso sucesso tem sido

grande nos últimos anos nesses locais.

Achamos que a promoção contínua e a

disponibilidade de produtos da Gibraltar,

combinadas com uma comunicação profissional

e eficaz aos revendedores e consumidores,

compõem a melhor estratégia

para o sucesso em longo prazo.

Quais são as linhas de produtos da

Gibraltar mais adequadas ao mercado

brasileiro?

A Gibraltar tem uma linha completa

de ferragens para bateria/percussão e

acessórios com muitos produtos inovadores.

Talvez a característica mais

interessante de toda a marca é que as

ferragens são projetadas para oferecer

soluções para bateristas e percussionistas,

melhorando o desempenho e a

eficiência de seus setups, independentemente

da marca da bateria que estão

usando. Assim, as ferragens da Gibralzes

por informar que a Gibraltar já oferece

produtos que são de interesse para os bateristas

que utilizam a tecnologia digital. Na

verdade, lançamos vários produtos projetados

especificamente para bateristas high

tech, por exemplo, as nossas GEMS (estantes

para suporte de equipamentos eletrônicos),

e tem mais novidade chegando.

Quais são os novos mercados que a

KMC quer explorar com os produtos

da Gibraltar?

Qualquer mercado em que haja um

número suficiente de bateristas e percussionistas

procurando maneiras inovadoras

para montar e expor seus instrumentos

é um mercado em potencial

para a Gibraltar. Ainda temos muito

espaço para crescer nos mercados em

desenvolvimento, como China e Índia!

Em termos de inovação, quais são as

novidades da Gibraltar?

Estamos constantemente melhorando

e aperfeiçoando os produtos existentes

e introduzindo novos itens para bateristas.

Como exemplo, vamos salientar

que o novo sistema Stealth de suporte

da Gibraltar — que é uma grande melhoria

na versatilidade e flexibilidade

sobre projetos de sistemas tradicionais

de rack — foi agraciado com o prêmio

US Merchandise Musical Review de Melhor

Acessório de Percussão em 2008.

Isso ajuda a ilustrar o reconhecimento

do espírito inovador da Gibraltar.

Display Service Center – Com as

principais peças de reposição — chaves

de afinação, feltros para estante de prato,

borboletas — Shand considera esse

display indispensável para todas as lojas

tar podem ser usadas por qualquer baterista,

e, claro, sabemos que há milhares

de bateristas no Brasil!

A participação da bateria eletrônica

vem crescendo no mercado musical.

Qual o impacto dessa tendência nas

vendas de ferragens?

Não há dúvida de que as baterias eletrônicas

têm causado um grande impacto no

mercado nos últimos anos. Estamos feli-

Quais são as principais dificuldades de

distribuição que vocês vivenciam sendo

representados, por exemplo, em todos

os países latino-americanos?

A América Latina apresenta uma série de

desafios para a distribuição. É uma grande

área geográfica com uma variedade de

mercados com diferente potencial econômico.

Muitos são pequenos demais para

suportar um modelo de distribuição normal,

assim são compostos apenas de lojas

de varejo que fazem a importação direta,

por conta própria. Isso representa um

claro desafio para os fabricantes que procuram

desenvolver suas marcas. Felizmente,

o Brasil é um dos mercados mais

sofisticados e desenvolvidos na América

Latina e oferece uma grande oportunidade

para uma empresa bem financiada de

distribuição profissional.

Qual é a porcentagem das vendas da

KMC na América Latina em relação

às outras regiões do mundo?

A América Latina tem sido uma das regiões

de maior crescimento para os produtos

KMC nos últimos anos. A estabilidade

política, a reforma econômica, bem

como o desenvolvimento de uma ‘classe

média’ de consumidores colaboraram

de forma decisiva para esse aumento.

Naturalmente, o fato de toda a região ter

uma cultura vibrante e diversificada em

termos musicais também contribuiu significativamente

para o nosso sucesso! •

Para saber mais:

• kamanmusic.com

• musical-express.com.br/gibraltar

• http://tr.im/D8e9

54 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Gestão Expansão

Multiplique

seu negócio

As melhores dicas para você abrir uma filial

Os empresários que desejam

expandir seus negócios muitas

vezes acabam brecando

seus investimentos por medo de dificuldades

que podem advir no processo

ou receio de insucesso diante

de uma insegurança econômica generalizada,

como ocorreu no início

deste ano. É um paradoxo, mas são

justamente os momentos difíceis que

proporcionam as melhores oportunidades

para sair em busca de novos

mercados. “É nesse cenário atribulado

que se encontrarão novos modelos de

negócios e novos talentos, que outros

estão menosprezando”, explica a consultora

de marketing Adriana Trillo.

Se você deseja expandir, seja

abrindo uma filial ou mudando a

sede para um espaço maior, planejar

é primordial para conseguir bons resultados.

Muitos são os fatores que

se devem considerar, como os custos

de distribuição, por exemplo. É importante

que você tenha claro o impacto

que a nova operação vai gerar

na estrutura financeira da empresa,

sem ‘achismos’, baseado em projeções

concretas fornecidas pelo seu departamento

administrativo. Outro fator

a considerar, e planificar, é a relação

com o consumidor: “Uniformidade

no preço, identidade institucional,

design da fachada, atendimento ao

cliente, tudo isso uniformizado e padronizado

são fundamentais. Uma

boa ideia é redigir manuais de atendimento

aos vendedores”, destaca Juan

Tossici, da Tossici Comunicação.

Outra dica fundamental tem a ver

com a escolha entre alugar ou financiar

a compra da nova loja. Segundo

Tossici, o melhor é um aluguel com

opção de compra. Hoje sobrevivem as

empresas que têm flexibilidade: “O aluguel

é a melhor opção. Se for um leasing,

melhor ainda”, afirma o consultor.

A segurança dos números

A distribuição geográfica das filiais

em relação à matriz pode contribuir

também para o sucesso do empreendimento.

Colocar uma nova loja próxima

à outra que já existe pode fazer

com que aumentem os custos administrativos

sem, com isso, aumentar

as vendas. O consultor especializado

em empresas Juan Ignacio explica:

“Se a nova loja está próxima da outra,

o empresário não terá os benefícios

de uma expansão mercadológica e

de território. Pior, estará, na verdade,

multiplicando os problemas que o primeiro

local já tem”.

E voltando a falar de números concretos,

é fundamental avaliar corretamente

a demanda que a nova loja pode

gerar. O erro mais comum é fazer essa

análise com base em quanto a loja

precisa vender para cobrir os custos

56 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Gestão Expansão

e, assim, ganhar por margem. Não

está errado, o problema é que fazem

isso sem dados fundamentados sobre

a existência ou não da demanda de

seus produtos, demanda tal que justifique

o investimento na nova loja. Calma,

você não precisa procurar uma

empresa especializada em pesquisa

de mercado (apesar de ser o ideal,

veja quadro ao lado), é possível fazer

uma boa análise por outras formas.

A especialista em marketing Adriana

Trillo mostra o caminho: “Você deverá

considerar alguns aspectos, como,

por exemplo, sazonalidade do produto,

capacidade de armazenamento,

tempo de reposição das mercadorias,

estimativa do retorno do cliente, capacidade

socioeconômica da região,

prioridades de consumo etc. Essas

Ao pensar em expandir, analise

Orçamento

É melhor contar com capital próprio e considerar a possibilidade de insucesso

que não altere a operação existente.

Tempo

Opte por demorar mais do que havia planejado para abrir a nova loja, do

que ser precipitado e perceber que a celeridade contribuiu para o fracasso.

Na inauguração tudo deve estar pronto, desde o treinamento dos vendedores

até a checagem de estoque.

Necessidade

Você deve se perguntar muitas vezes: é preciso uma nova loja? Lembre-se:

investimentos levam tempo para gerar retorno.

Distribuição

O ideal é que o aumento de custos da nova loja seja compensado com

uma distribuição eficiente por conta do fornecedor, sem ter de ficar levando

mercadoria de uma loja para outra.

análises trarão uma previsão concreta

do retorno do capital investido.

Portanto, em quanto tempo você irá

recuperar este investimento”.

Do ponto de vista da capacidade

de investimento, Ignacio lembra um

estudo do pesquisador e professor

Sankaran Venkataraman, do Instituto

Batten, da Universidade de Virgínia,

nos EUA. “Venkataraman sugere

que não se devem aplicar capitais de

terceiros em um novo negócio. A justificativa

é básica: a empreitada pode

não ser bem-sucedida, e se isso ocorrer

apenas com o seu capital, a perda

é menor”, finaliza. •

Anote aí!

Se a previsão orçamentária para a expansão estiver com sobra de capital, vale a pena investir em

uma pesquisa de mercado bem dirigida e de empresa conceituada. Por meio dela você pode estudar

detalhadamente a região, o nível socioeconômico da vizinhança, suas principais necessidades, o tipo

de consumo mais demandado no local, se existe e como trabalha a concorrência, a aceitação de seu

produto etc. “Uma pesquisa de mercado é vital. Nunca podemos jogar a âncora se não sabemos onde

estamos ou que tipo de água há ali”, brinca o consultor Juan Tossici.

WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR 57


Serviços Utilidade

58 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Serviços Utilidade

Verdadeiro

ou falso?

É crescente e alarmante o número de produtos

falsificados vindos da Ásia. No Brasil, alguns já

começam a se difundir e causar sérios prejuízos

para o mercado. Além de perdas óbvias para as

lojas que comercializam produtos usados, principais

vítimas do golpe, a perda de credibilidade

das marcas é inevitável. A Música & Mercado

preparou uma série de matérias especiais que

ensinam você a reconhecer as características

que diferenciam um instrumento original de um

falso para que sua loja nunca caia nessa cilada

Por Henry Ho

WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR 59


Serviços Utilidade

É

impressionante a

proliferação crescente

de guitarras falsifi cadas

oriundas da China. Ícones de

consumo como Gibson, Fender,

PRS, Ibanez, Gretsch, Taylor e

Epiphone sofrem com vigor dessa

indústria paralela. As falsificações

infringem o direito de propriedade

e alimentam o comércio

ilícito. É importante distinguir

réplica, cópia e falsificação.

A réplica é uma reprodução

perfeita, concebida com a intenção

de recriar com exatidão uma peça

original que agrega conceitos e fatores

históricos. Ou seja, é a arte de

reeditar um design ou um referencial

com absoluta minúcia. Esse

tipo de clonagem não visa dividendos

comerciais, apenas recria a peça baseada

num conceito.

Já a cópia é produzida em larga

escala e sem autorização do fabricante

original. É o típico exemplo de apropriação

do patrimônio intelectual sem

a intenção de se ‘passar’ pelo original.

É caso de empresas tradicionais no

mercado que produziram exemplares

similares ou inspirados no original,

contudo utilizam logomarca própria.

Agora, a falsificação é uma re-

produção de baixo custo que exala a

contundente intenção de ludibriar o

consumidor. Utiliza a logomarca original

de maneira indevida e sugere, de

forma técnica e visual, que a peça é

genuína. As falsificações fogem de padrões

definidos por leis de copyright,

regras de patente e domínio de marca

registrada. Não recolhem royalties e

Os modelos Gibson Les Paul

Standard e Custom

estão entre os mais

falsificados

HENRY HO

é músico, luthier e técnico de palco. Fundador da B&H Escola de Luthieria,

é também consultor técnico de várias empresas do mercado musical. Site: bhluthieria.com

ESTELIONATÁRIOS

CONDENADOS

Os falsificadores chineses sofreram

um duro golpe em recente

investida das autoridades legais

da China. O chinês Yu Hui,

a pseudoempresária Li Dan e

alguns de seus familiares foram

condenados a três anos de reclusão

pelos crimes que envolvem

a comercialização direta e

indevida de instrumentos falsificados.

Yu Hui, um dos condenados

pela comecialização ilegal,

tem um site na internet sobre

guitarras e venda desses equipamentos:

www.paylessguitar.

com/index.asp. Fuja dele!

são produzidas sem autorização dos

fabricantes originais. É o caso das

guitarras falsas com a logomarca Gibson

– exemplares feitos na China que

são vendidos no comércio eletrônico

por custos econômicos.

A falsificação rompe com a ética e

a estética, apresenta um plano perspicaz

que incita o desejo e o consumo.

Mas é a escolha dos desavisados.

E, você sabe, a melhor garantia

para se prevenir contra esse tipo de

golpe é adquirir o instrumento diretamente

com o seu distribuidor oficial

no Brasil. Lembre-se, o lojista que

repassa mercadoria ilegal também é

responsabilizado criminalmente.

Veja as diferenças das especificações

técnicas de uma Gibson Les Paul

autêntica e uma falsificação produzida

na Ásia:

60 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Serviços Utilidade

Falsa

centralizado e levemente inclinado.

A madrepérola utilizada

na incrustração do logo tem

coloração amarelada.

• Capa protetora do tensor possui 2

mm de espessura fixada com dois

parafusos e formato de ‘sino’.

• A angulação do headstock é

acentuada, de 14 a 17 graus.

HEADSTOCK Logo ‘fora de

centro’ com deslocamento ado. O material utilizado no logotipo

acentué

de madrepérola artificial, com

coloração clara e opaca.

• Capa protetora do tensor possui

0,7 mm de espessura fi xada com

três parafusos e o formato é diferente

do original.

• A angulação do headstock é

sutil, abaixo dos 7 graus.

BRAÇO Contornos traseiros com definição de formato.

Voluta com relevo.

• Nut ou capotraste de plástico com acabamento grosseiro.

• O acabamento lateral dos trastes e frisos é arredondado

em demasia.

HARDWARE

Captadores de visual similar aos originais.

Mas a semelhança é apenas visual. A base inferior do pickup

é rústica e não contém o logotipo Gibson. Ponte, tarraxas

e ferragens de procedência desconhecida. Os condutores

externos são cobertos por capa de plástico maleável.

ACABAMENTO

Verniz bicomponente denso extre-

mamente brilhante.

MATERIAL

Utilizam as seguintes madeiras: Nato, Asian

Maple, Sen, Basswood, Grenadilha e Kiri.

Verdadeira

HEADSTOCK Logo

BRAÇO Contornos traseiros sem muita definição de

formato. Voluta sem relevo.

• Nut ou capotraste confeccionado de Corian, material sintético

que combina minerais naturais e polímero acrílico puro.

• O acabamento lateral dos trastes e frisos é pouco dondado.

arre-

CORPO Cavidades dos captadores são limpas e tem a visualização do tampo frontal de maple.

• Cavidade da parte elétrica escavada com simetria e

interior limpo. Os componentes elétricos são montados

sob uma capa permi-

metálica.

CORPO Cavidades de captadores são sujas e cobertas com

tinta preta. Às vezes, não é possível visualizar a espessura

do tampo frontal. As cópias mais grotescas utilizam películas

plásticas que imitam os veios da madeira do tampo superior.

• Cavidade da parte elétrica apresenta formato diferente

da original e os componentes elétricos estão fi xados tamente na dire-

madeira.

HARDWARE

Captadores originais. Basta verifi car a

base inferior do pickup, que contém o logotipo Gibson.

• Pontes, tarraxas e ferragens de procedência identifi -

cável. Componentes elétricos de qualidade fornecidos

por empresas conceituadas. Os condutores externos

dos captadores são de malha trançada ou são cobertas

por capa de plástico de material térmico e durável.

ACABAMENTO

Verniz nitrocelulose com camadas

fi nas sobrepostas e brilho moderado.

MATERIAL

Tipos e madeiras mais usuais: Mahogany,

Maple, Indian Rosewood, Brazilian Rosewood e Ebony.

NÚMERO DE SÉRIE

As reproduções falsas possuem números de séries inseridos com silkscreen. . As originais apresentam as numerações gravadas

na madeira em relevo. Mas, atenção, alguns modelos originais utilizam o processo de silkscreen (a Custom Shop e a Les Paul

Classic). A numeração das guitarras falsas não fornece o ano, nem o lote de fabricação. •

62 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


RECURSOS HUMANOS

YOLE SCOFANO

é radialista, consultora de empresas e ministra treinamentos focados em desenvolvimento empresarial

nas áreas de vendas, liderança e gerenciamento de rotinas. E-mail: yolescofano@gmail.com

ACERTE NA

CONTRATAÇÃO

CONHEÇA AS DICAS PARA FORMAR UMA BOA EQUIPE:

80% DEPENDE DE VOCÊ E DE SEU PLANEJAMENTO

Atualmente, formar uma boa equipe

de vendas vai muito além do que

simplesmente contratar alguém

com experiência anterior. É comum, em

muitas empresas, ver que as contratações

ainda são realizadas de forma muito rápi-

da e sem o devido planejamento de inserção

do novo empregado. Há companhias que

contratam num dia e no outro já entre-

gam o catálogo e dizem: “Agora vai

vender que chegou cliente”... O indivíduo

chega completamente perdido,

não é instruído para saber por onde

começar, fica ansioso. Se a loja possui

circuito interno, então, nem se

fala. O ‘novato’ vai pensar o tempo

todo que seu chefe está de olho em

seu comportamento e, se isso não

bastasse, os colegas, que até então

não sabiam de nada quanto às

novas contratações, já começam

a especular quem será mandado

embora e a dizer que não foram

com a cara do fulano...

Típico cenário para que o contratado

dure pouquíssimo tempo

na empresa. Depois o que se

pensa? “Puxa vida, na entrevista

parecia ter tanta disposição e no

final das contas ficava parado o dia

inteiro sem fazer nada” ou “Era muito calado,

não era capaz de vender nada”.

Invista agora

Você precisa começar já a investir em tempo

e planejamento para assegurar a qualidade

de suas contratações e obter os resultados

tão desejados. Uma das primeiras ações é

64 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


RH Contratação

escrever uma carta de apresentação

sobre a sua empresa. Pode parecer

simples, mas é fundamental que ela

transmita informações institucionais

para o novo empregado: há quanto

tempo a companhia atua no mercado,

quem são os gestores (deve conter organograma

geral), valores, objetivos,

tamanho, número de funcionários,

políticas sociais, principais produtos

e serviços, assim como principais

concorrentes e clientes etc.

Quando definir o futuro contrata-

do, adapte a apresentação para o cargo

que ele ocupará: quem são os integrantes

da equipe com quem ele irá traba-

lhar, quais são os principais produtos

com os quais ele lidará, o que se espera

de sua atuação, função e comporta-

mento. Tudo isso só para começar!

O seu novo colaborador precisa de

conhecimento amplo sobre a empre-

sa que ele vai representar, e tanto ele

quanto a antiga equipe vão se sentir

mais seguros se você apresentá-lo no-

minalmente, ou eleger alguém que

possa fazê-lo, como o novo funcionário

da empresa. Ah! Se puder,

informe também qual será a sua

função — tudo isso levará à sensação

de segurança por parte

de todos. Assim, o processo de

integração acontece de forma

mais natural e ameniza certos

desconfortos causados nos colaboradores

mais antigos.

Saiba que é comum que novos

integrantes não sejam muito

bem recebidos pelos outros

funcionários, pois o ‘novo’, além

de ser um ‘desconhecido’, interfe-

re diretamente na zona de conforto

dos demais. A saída para essa questão

está na própria equipe. Eleja padrinhos

ou madrinhas como responsáveis

pela orientação do recém-chega-

do quanto às dinâmicas diárias da

empresa, compartilhando a respon-

sabilidade sobre sua adaptação. Isso

não isenta os gestores de realizarem

um acompanhamento bem próxi-

mo nos primeiros dias de integração.

Importante ressaltar que a integração

deve ser realizada antes que

o novo colaborador venha a ter contato

direto com os clientes, o que só

deve ocorrer quando o contratado tiver

conhecimento pleno de que papel

representa para a empresa, para os

integrantes de sua equipe e para seus

futuros clientes. Todo esse processo

acontece de forma gradativa e deve

ser encarado com muita seriedade.

Endomarketing

E depois?

Após o processo de integração, é interessante

que os gestores expliquem

o que esperam em termos de resultados.

Não basta o empresário ou o

gerente de vendas saber o que quer,

os objetivos devem ser transparentes

para toda a equipe, com metas realistas

e bem traçadas. Lembre-se: quando

estabelece metas, você faz com que

as pessoas trabalhem em sinergia, todos

vão em busca dos mesmos objetivos.

E se sabemos onde precisamos

chegar, com um planejamento adequado,

certamente fica muito mais

fácil alcançar o objetivo.

Outra coisa: defina estratégias,

planeje e gerencie de maneira competente

as suas vendas. Invista em

treinamento constante, acompanhe

e compartilhe resultados, perguntese

sempre: qual o perfil que desejo

para a minha equipe? O que espero de

minha equipe? Como espero que minha

equipe atue? Todos sabem qual

o objetivo que precisamos alcançar?

Como posso incentivá-los a aumentar

as vendas? Quais são as ferramentas

de que minha empresa dispõe para

auxiliar em meu trabalho? Estamos

utilizando de forma eficaz os meios

de comunicação com nossos clientes

(internet, mala direta, mailing)?

Tudo parece um pouco mais trabalhoso

no início, mas os resultados

podem ser surpreendentes! Boa sorte,

boas vendas e até a próxima! •

Numa definição simples e rápida: endomarketing é a ação

de marketing voltada para os funcionários da empresa. Estimula

o compartilhamento de ideias, transparência, a busca

conjunta por resultados, participação integrada, e tem por

finalidade o aumento da produtividade em toda a empresa.

Alguns de seus pilares são: ética, interatividade, informação

e multidisciplinaridade. Para começar sua implantação, uma

boa dica é trocar impressões e observações com a equipe.

Elabore a cartilha da sua empresa e declare a todos qual a

importância de cada um dos integrantes. Inclua fotos, crie

uma identificação visual dos produtos e de sua loja, ou empresa,

com uma linguagem voltada para seus funcionários.

Encante e venda primeiro os produtos para sua equipe: isso

se chama endomarketing e muitas empresas já descobriram,

nas vendas, os benefícios dessa comunicação positiva!

WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR 65


Capa Sta. Ifigênia

Áudio é aqui!

Polo de áudio e eletrônicos em São Paulo espera renovação urbanística

e se prepara para novos desafios em 2010

Por Miguel De Laet • Colaborou: Daniel Neves • Fotos: Itamar Dantas

Com 200 anos de existência, o

bairro de Santa Ifigênia está,

desde maio de 2009, esperando

prometidas mudanças estruturais

a serem realizadas pela prefeitura de

São Paulo. Não é para menos, a caótica

e degradada área é o principal

ponto de convergência da indústria

de áudio e eletrônicos no País.

No mercado musical, poucos

nunca ouviram falar da Santa Ifigênia,

um bairro movimentado na região

da Luz que descobriu cedo a sua

vocação comercial devido à proximidade

da estação ferroviária, que no

passado serviu à indústria cafeeira e

transportava os imigrantes europeus

Revolução de 1932

A Revolução Constitucionalista

de 1932 foi um movimento armado

ocorrido no Estado de São

Paulo, entre os meses de julho e

outubro daquele ano. O objetivo

era derrubar o Governo Provisório

de Getúlio Vargas e promulgar

uma nova constituição para o Brasil. Os combates envolveram mais de 35

mil soldados do lado paulista, que enfrentaram cerca de 100 mil combatentes

governistas. Os dados oficiais apontam 830 mortos, mas estima-se que o número

tenha sido muito maior. Os paulistas se renderam depois de três meses,

mas tiveram sua vitória política. Por pressão, já nacional, em 1934 foi convocada

uma Assembleia Nacional Constituinte. Desde 1997, o dia 9 de julho, data

considerada início da Revolução de 1932, é feriado em todo o Estado paulista.

66 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Capa Sta. Ifigênia

estabelecidos em São Paulo.

Logo após a Revolução de 1932

(veja box na página anterior), o governo

suspendeu quaisquer melhorias

no bairro. O resultado foi a sua

transformação em um local de prostituição

e desvalorização imobiliária.

Muitos imigrantes de todo mundo

também se instalaram na região,

que, pouco a pouco, foi ganhando um

caráter comercial durante o dia. Com

o passar dos anos, antigos lojistas que

trabalhavam com o comércio de outros

produtos acabaram mudando o

ramo do negócio para o mercado de

áudio. “A matriz da empresa em que

trabalho tem 30 anos e seu fundador

vendia anteriormente roupas no

mesmo local”, informa Tiago Soares

de Oliveira, da MDA Som.

Como transformar

uma rua em um sucesso

Do ponto de vista do marketing, polos

comerciais sempre foram promotores

do consumo. Na história sempre foi

assim, da concentração de mercadores

em Veneza, na Itália, ao centro de

Frankfurt, na Alemanha. Não é à toa

que shopping centers, abertos ou fechados,

atraem tantas pessoas. De maneira

geral, existe uma conta que faz a

atração a um local comercial ser maior

ou menor: número de potenciais consumidores

versus concentração de negócios,

atividades culturais e estrutura

para receber o volume de compradores

compatíveis com o local.

De acordo com Rubens Sergey,

especialista em marketing de varejo,

o segredo para uma loja aumentar

seu número de clientes é quando

uma concorrente abre ao lado e, claro,

onde há consumidores potenciais

para ambos – mesmo que você não

acredite nisso, basta pensar em nosso

próprio padrão de consumo: normalmente

vamos a pontos comerciais

onde será mais fácil encontrar

ofertas e quantidade, além da qualidade

esperada.

Para onde eu vou?

Polo no comércio de áudio do País

corre o risco de ser desapropriado

A

degradação do bairro de Santa Ifi gênia, que mostra todas as

suas características à noite, quando a região passa a ser conhecida

como Cracolândia, levou a prefeitura de São Paulo a

dar andamento ao polêmico projeto Nova Luz, que promete revitalizar o

bairro, mas passando à iniciativa privada a responsabilidade de negociar

a desapropriação de imóveis.

O conflito de interesses é claro, já que por ser uma região comercial de

fama nacional, todos querem se beneficiar da reputação do local. Essa é a

questão que vem tirando o sono de todo comerciante da região e de todos

os outros varejistas que utilizam a Santa Ifigênia como principal fornecedora

para equipamentos de áudio. “Não querem saber para onde vamos.

Pensam: ‘Vocês que se virem!’. Não sabemos o que vai ser feito. Estamos

esperando no ‘corredor da morte’, aguardando a punhalada”, considera Jaime

Ito, proprietário da Ito Som. Realmente a requalificação urbana da Nova

Luz é um assunto que aterroriza os lojistas.

O projeto de reurbanização da área não é assunto novo. Nos anos 40

já haviam sido feitas algumas melhorias na região e nos anos 80 o prefeito

Jânio Quadros também tinha planos para a Santa Ifi gênia. Durante o

governo de Marta Suplicy houve o Projeto Belezura, com a intenção de

revitalizar o centro. A principal diferença para o caso atual é justamente a

prática, já que o projeto prevê a transferência de direitos de desapropriação

à iniciativa privada. O objetivo é tentar acelerar o processo de desocupação

de áreas com dinheiro de empreendedoras, mas como isso será

WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR 67


Capa Sta. Ifigênia

E é justamente esse fator que

torna a região da Santa Ifigênia

muito procurada: a facilidade de

encontrar variedade, qualidade e

produtos de última geração em áudio

e equipamentos de ponta. “Hoje

a simplicidade de se trabalhar com

equipamento de som profissional

é muito grande. Uma mesa digital

consegue ter todo rack de periféricos

dentro da memória dela”, explica

José Roberto Cheda, proprietário da

Cheda’s Sonorização Profissional,

há 34 anos na região. Outro ponto

comentado por profissionais da região

é a entrada do sistema line array

no mercado, que reduziu peso e

volume das caixas de som sem perder

a eficiência. “Antigamente você

precisava de um caminhão para levar

um equipamento, hoje você leva

com uma van”, ilustra o empresário.

Roland M400 com sistema REAC: diferencial competitivo

Yamaha M7CL48: a empresa ainda domina (com folga) o mercado de mesas digitais

Se por um lado sistemas complexos

despontam em vendas, por

outro, nem sempre o produto com

maior volume de venda é o de última

geração. “Como line array de ponta,

existem os sistemas da Nexus, Eletro-Voice

e o VerTec da JBL. Contudo,

os mais comercializados são os modelos

da DAS, que têm grande variedade

e relação custo-benefício bem

interessante”, reforça Cheda. Ele destaca

o trabalho da Decomac Brasil,

a importadora da DAS, que seguiu a

estratégia de deixar o cliente testar

o produto antes de comprá-lo, além

do apoio que deram aos lojistas, inclusive

na pós-venda. Dos nacionais,

especialistas da região destacam a

Attack, entrando na briga com os

importados, e a Selenium, que vem

aperfeiçoando a sua linha e desenvolvendo

bons line array.

Mesas digitais

Quanto às mesas digitais, as mais destacadas

durante esta reportagem na

Santa Ifigênia, tanto em vendas como

em recursos, foram as fabricadas pela

Yamaha. “De pequeno a grande porte,

a Yamaha domina o mercado de mesa

digital. Hoje você não vende Yamaha,

o cliente compra”, explica Cheda. E há

outras empresas investindo para ganhar

espaço nesse segmento, como

68 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Capa Sta. Ifigênia

Phonic, Roland, entre outras.

Alex Lameira, gerente de produtos

da Cakewalk/RSS/Edirol, marcas

da Roland, reconhece a força da Yamaha

nesse setor. “A Yamaha é a líder

no mercado de mesas digitais, mas a

Roland vem trabalhando pesado para

conquistar uma boa fatia do mercado.

A principal arma é a praticidade

que a tecnologia REAC trouxe para

o áudio profissional.” REAC (Roland

Ethernet Audio Communication) é

uma tecnologia de transferência de

áudio original da Roland. Segundo a

fabricante, essa tecnologia é imune

à indução externa, à degradação da

qualidade e a ruídos existentes tipicamente

em cabos analógicos.

Os lojistas também destacam outros

produtos com bom giro no mercado,

os CDJs, equipamentos voltados

para DJs. “Eles são um público sempre

ligado às novidades”, diz Fábio Dourado,

da Casa do Alto-Falante. Tiago

continuação da página 67

efetivamente acordado com os lojistas ainda é uma incógnita. “Houve a

desapropriação de alguns imóveis que a prefeitura vinha fazendo e depois

a coisa começou a se descaracterizar. Não tínhamos informação do

que era o projeto em si, como um todo. Entrar na prefeitura e ver o projeto,

você não consegue”, lamenta-se José Roberto Issa Cheda, proprietário

da Cheda’s Sonorização Profi ssional.

Por que revitalizar

Todas essas intervenções – dos

anos 40, 80 e de agora – têm

o objetivo de valorizar os espaços

culturais dos arredores, implantar áreas

verdes, locais de convivência e relações sociais,

atrair novas atividades econômicas e, é claro, potencializar aquilo que

a região tem de melhor: o comércio. Segundo o projeto Nova Luz, as áreas

degradadas serão erradicadas e está prevista uma área para residências

destinadas à população de baixa renda.

Parece bonito, não é? Não para os comerciantes da região. Robson

Ayres, presidente do Clube dos Lojistas da Santa Ifigênia, chegou a apresentar

uma ideia interessante à prefeitura de São Paulo, sugerindo a preferência

de compra dos futuros imóveis residenciais da região pelos atuais

trabalhadores da Santa Ifigênia. Ele usou o bom senso, já que a ideia traria,


Capa Sta. Ifigênia

Soares, da MDA Som, cita os amplificadores

com entrada USB e os microfones

USB como produtos inovadores.

No entanto, os produtos mais vendidos

na loja dele são microfones sem

fio da Karsect e da TSI.

Mapa da polêmica:

lojistas ainda não sabem

se serão desapropriados

Garantia ‘soy jo’ X internet

Muitos lojistas — principalmente

os menores — concordam que o

movimento na região diminuiu em

relação aos anos anteriores. Eles evidenciam

duas causas: a concorrência

com a internet e o mercado paralelo.

O primeiro pela praticidade e rapidez

na pesquisa de orçamentos e encomenda

do produto, além da ‘prontaentrega’

e do pagamento eletrônico.

Já o segundo, por estar relacionado a

produtos contrabandeados, oferece

preços abaixo do praticados no mercado

legalizado. Os reflexos são diretos:

“Diminuímos muito o número

Faltam escolas

especializadas na

qualificação de

profissionais do áudio

Formação profissional

Em sua maior parte, profissionais da Santa Ifigênia possuem

ensino médio completo e um curso técnico, quando

trabalham no cargo de gerência, mas nem sempre

estudaram algo relacionado ao segmento. Via de

regra, entram no setor por acaso e mudam de empresa,

mas não de segmento e região. Tiago Soares,

por exemplo, trabalhou em vários estabelecimentos da

Santa Ifigênia antes de entrar na MDA Som. Já Roberto

Barbosa, gerente da Real Som Eletrônica, começou há 15

anos na empresa como office-boy. Sobre qualificação, os

profissionais de áudio da região apontam a importância

dos cursos de atualização e palestras promovidas pelas

fabricantes para auxiliar no conhecimento

sobre os produtos e

otimizar a chance de venda. Reforçam

ainda a carência de cursos de

especialização em áudio no País.

Roberto Cheda alerta que os

cursos e workshops promovidos

pelas fabricantes, apesar de serem

fundamentais, ainda não são a alternativa mais adequada,

pois o volume de informação — muito grande — e o tempo

curto fazem com que a apresentação seja muito superficial.

Ele sugere: “Seria interessante fazer uma apostila e entregar

para o pessoal. As próprias empresas, por exemplo,

poderiam ter um departamento de comunicação entre loja

e empresa para realizar consultas técnicas. Quando você

conhece o produto, consegue

vendê-lo melhor”, esclarece. Fábio

Dourado, da Casa do Alto-Falante,

chegou a fazer curso de áudio e

mixagem profissional na escola

Curso de Áudio e Música, CAM,

e diz ter auxiliado e muito em seu

trabalho. Além da CAM, que fica

em Campinas, SP, existe o Instituto de Artes e Técnicas em

Comunicação, Iatec, no Rio de Janeiro, RJ, e a Omid, em São

Paulo, SP. Conheça-as pelos sites: www.camaudioemusica.

com.br; www.iatec.com.br; www.omid.com.br.

70 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Capa Sta. Ifigênia

de funcionários”, lamenta-se Jaime

Ito, proprietário da Ito Som.

Para os diversos lojistas entrevistados

pela Música & Mercado a

opinião foi unânime: as vendas pela

internet afetam a venda das lojas de

rua. “O cliente está inteirado. Antigamente,

ele saía de sua residência para

fazer uma pesquisa, procurava três

orçamentos, ficava o dia inteiro percorrendo

as ruas, fazia amizade com

o vendedor e comprava pelo atendimento

ou por impulso”, explica o vendedor

Tiago Soares, da mesma loja.

A internet é uma realidade e, sim,

está mudando a forma de orçar e analisar

produtos. “A marca é a garantia de

qualidade do produto, as lojas devem

entender que os consumidores irão

chegar com a opinião já formada sobre

o produto”, afirma Manel Punti, presidente

da Comusica, associação espanhola

da indústria da música, uma

das mais atentas sobre o efeito internet

continuação da página 69

sobretudo, qualidade de vida ao cidadão, pois excluiria o tempo gasto no

transporte até o local de trabalho – duas a três horas, uma das principais

dificuldades de quem reside em grandes cidades. “O seu Robson passou

essa ideia para eles. Por que ela não foi adotada? Por que não foi passado

isso em aberto? Como é que eu posso ser desapropriado? Estou há 30

anos nesta loja! Para onde vou? Eu nem sei o que vou receber de indenização...”,

questiona, revoltado, o empresário Roberto Cheda.

Ninguém realmente sabe o que vai acontecer. “Eles não revelam quais

imóveis serão desapropriados para preservar a empresa que vencer a licitação

da especulação imobiliária”, dizem os comerciantes. Sem saber quais

são exatamente os imóveis que serão ‘vendidos’, a insegurança é generalizada,

refletindo no valor imobiliário da região. O preço do metro quadrado

há cerca de dois anos era de R$ 2 mil; hoje, afirmam os lojistas, ninguém se

interessa nem por R$ 600.

O que diz a prefeitura?

A Secretaria de Desenvolvimento Urbano da Cidade de São Paulo informou

que as lojas da região não serão desapropriadas. Disseram

ainda que a lei tem o objetivo de favorecer os comerciantes, renovando

a área e recuperando imóveis históricos. Segundo o governo paulistano,

a desapropriação será destinada apenas aos imóveis abandonados,

geralmente habitados por trafi cantes e infratores. Além disso, a área


Capa Sta. Ifigênia

no mercado musical. “No futuro breve

será difícil para as ‘lojas físicas’ competirem

em preço. O grande diferencial

será o serviço”, complementa.

Para Soares, que além de vendedor

também cuida do gerenciamento do

site da Ito Som, “o consumidor pesquisa

centenas de lojas em minutos

e compra onde estiver mais barato”.

Segundo ele, apesar disso, as vendas

do balcão ainda superam as da internet,

mas os números do e-commerce

estão crescendo bastante. O argumento

dos consumidores é que eles

encontram produtos mais baratos na

internet. “Mas com qual garantia?”,

proclamam os lojistas, unânimes.

Se por um lado é verdade que o

consumidor de produto ilegal não

está interessado em atendimento ou

garantia, na própria região, é notório

saber quem são os comerciantes que

também trabalham com produtos

contrabandeados e realizam fraude

fiscal. “Muitos sonegam tributação

e origem de produtos, e as empresas

idôneas não conseguem vender pela

diferença de impostos”, desabafa Tiago

Soares, da MDA.

Cheda’s Sonorização Profissional: há 34 anos na região

Nota fiscal é a garantia

dos grandes clientes

Quem não reclama por ter de disputar

o mercado com produtos ilegais

são lojistas que vendem para empresas

profissionais de sonorização e locação

de equipamentos de áudio. “Ele

(empresário) prefere, até por segurança,

pagar um pouco mais

caro em lojas conhecidas

que forneçam produtos de

procedência garantida”, diz

Cheda. A razão é simples:

“Ele está na rua, na estrada,

e necessita de um seguro

para o equipamento.

Para isso, precisa da nota

fiscal”, explica.

Outro fator que reforça a

importância de se comprar

um produto legal é a fisca-

Real Som: já tradicional na Rua dos Andradas

Outros polos de áudio do País

Belém, PA ................................Rua Manoel Barata

Belo Horizonte, MG ......................Rua dos Carijós

Fortaleza, CE.......................... Rua Pedro Pereirão

Goiânia, GO .............................Rua Senador Jaime

Manaus, AM .................................Rua Dr. Moreira

Natal, RN ..............................Rua Pres. José Bento

Porto Alegre, RS .........................Rua Alberto Bins

Recife, PE ..................................Rua da Concórdia

Rio de Janeiro, RJ .................República do Líbano

lização, cada vez mais atuante. Além

disso, o investimento em equipamento

de áudio é muito alto. Consumidor disposto

a gastar certamente irá querer

contar com a garantia.

Os pequenos comerciantes também

sentem pressão dos preços

praticados pelas grandes

lojas, que possuem negociação,

pois seu giro e volume

são maiores, e podem trabalhar

com valores, muitas vezes,

imbatíveis. “Não tenho

condições de praticar os preços

que têm por aí. Fazemos

um preço de sobrevivência e

temos clientes que dão preferência

ao atendimento”,

declara Ito. Roberto Barbo-

72 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Capa Sta. Ifigênia

continuação da página 71

desapropriada, de quase 270 mil m 2 , será utilizada para a construção de

residências para famílias de baixa renda e prédios que serão destinados

ao Poder Público, como a sede da Polícia Metropolitana de São Paulo, por

exemplo. O processo ainda está em licitação para escolher o escritório de

arquitetura que será o responsável para, num prazo de dez meses, apresentar

um projeto que contemple todas as especifi cações da prefeitura.

A Secretaria de Desenvolvimento Urbano disponibilizou mapas em seu

site sobre a reurbanização (acesse este endereço para conferi-los: http://

tr.im/ELjl) — neles não estão especifi cadas quais propriedades serão

desapropriadas. Para as empresas que querem investir na região, serão

concedidos incentivos fi scais; quem se instalar nos arredores receberá

desconto de 50% no IPTU e de 60% no ISS.

Tudo indica que o assunto demorará a se resolver. O processo de licitação

é lento e não existem informações claras a respeito. Além disso, como

as acusações envolvem políticos ligados ao atual prefeito da cidade de São

Paulo, Gilberto Kassab, a maioria dos lojistas acredita que o processo irá se

arrastar até as próximas eleições municipais, em 2012.

Empresas fora do nosso setor

interessadas em ocupar a região

Segundo a mídia, conheça algumas empresas que têm interesse declarado

em ocupar a Santa Ifigênia: Atento Brasil; Audatex; Bracor Empreendimentos;

BRQ Soluções de Informática; BR Properties; DMF Construtora; Digisign;

E-Safetransfers; IBM; Instituto Moreira Salles; Klar Indústria e Comércio de

Eletroeletrônicos; Magna Web; Mercado Eletrônico; Meta Serviços em Informática;

Microsoft; TMS Call Center; TNL Contax.

Vereadores cassados

A indignação dos comerciantes gerou um pedido de cassação de alguns

vereadores de São Paulo, por conta de muitos deles terem supostamente

privilegiado empresas de construção civil na reurbanização da Santa Ifi -

gênia, já que elas fi nanciaram suas campanhas – um escândalo que levou

à cassação de 13 vereadores da cidade.

WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR 73


Capa Sta. Ifigênia

sa, da Real Som, concorda e afirma

que sua loja nem entra nessa guerra:

“Hoje, nesse mercado, oferecemos um

trabalho diferenciado, uma pós-venda

eficiente e não o preço”, completa.

Se brigar pelo preço é inviável, o

diferencial das lojas menores deve

ser o atendimento, mas também especialização

e aumento de volume

nas compras com número menor de

fornecedores, para obter vantagens

na negociação.

O futuro da região

Como em muitos outros pontos comerciais,

a região da Santa Ifigênia já

sente os efeitos do comércio on-line,

mas não é só esse fator que preocupa

os lojistas, que mencionam também

outros fatores: “O movimento

tem caído um pouco, sim, acho que

por conta da venda eletrônica. E os

outros bairros, de certa forma, estão

conseguindo cativar clientes”, explica

Fábio Dourado, gerente comercial

da Casa do Alto-Falante. A opinião

é endossada por Roberto Barbosa,

da Real Som Eletrônica, que aponta

o fortalecimento do mercado da internet

e também das lojas de bairro

como fatores determinantes para a

diminuição das vendas. O proprietário

da Ito Som é ainda mais enfático:

“Antes era possível trocar de carro

todo ano com um comércio como

esse. Hoje não é mais assim”.

Mas há quem discorde. “De

maneira geral, o movimento vem

aumentando. Antes a Rua Santa

Ifigênia era o foco. Hoje você tem

as transversais: Timbiras, Aurora,

Vitória e Gusmões. A Rua do Seminário

vem se destacando com o segmento

de som”, diz Roberto Cheda.

O empresário lembra que diversas

lojas do Brasil estão crescendo, especialmente

aquelas que utilizam a

internet como aliada. Como exemplo,

ele cita a Lamarca Pro-Áudio,

de Limeira, no interior de São Paulo:

“Ele vinha aqui comprar material e

Igrejas: um bom negócio?

O que move o mercado da Santa

Ifigênia não é apenas a venda de

produtos para a maior parte dos

varejistas espalhados pelo Brasil. A

região também se destaca por oferecer

a sonorização de empresas,

em especial de igrejas, como um

bom negócio.

Edimar Mariano do Santos, proprietário

da Casa do Alto-Falante,

atualmente terceiriza esse tipo de

serviço, mas enxerga o potencial

que ele oferece e pretende investir

nesse diferencial em breve. Fábio

Dourado, seu gerente comercial,

destaca, além das igrejas, os DJs e as empresas que zem locação de som como seus principais consumidores.

fa-

A maioria das lojas não conta com instaladores, mas

terceirizam ou até indicam um profissional que execute o

serviço. Algumas lojas se beneficiam pela tradição e confiança

que conquistaram no mercado. “Tem instaladores

e projetistas que indicam a loja. Eles elaboram um projeto

e aconselham alguns locais onde o cliente pode encontrar

o produto. Aí o cara vem e cota. Tem cliente que nem circula.

Informa que o projetista pediu para fazer a compra

aqui mesmo e acabou. Só diz: vê o que você pode fazer

de melhor pra mim”, garante Cheda.

Outro nicho que também vem se demonstrando muito

promissor são as escolas que trabalham com cursos

Sonorização e miudezas: igrejas ainda são os principais consumidores

a distância. Tiago Soares, da MDA Som, lembra que a

venda para as igrejas é muito grande, mas elas buscam

melhor preço, não se preocupam com qualidade e, geralmente,

fazem pequenas compras, como microfones, cabos,

entre outras miudezas. Por outro lado, as faculdades

e escolas de ensino a distância investem mais: buscam

produtos inovadores e de qualidade garantida, pensando

na maior vida útil, praticidade e benefícios que esse atributo

assegura. Mesmo assim, Soares lembra que cerca

de 40% de seu faturamento é assegurado pelas Igrejas,

ou seja, ainda são seus principais consumidores; mas o

futuro antecipa uma outra realidade, a popularização dos

cursos a distância. Sua loja já está se preparando para

atender a esse mercado?

74 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Capa Sta. Ifigênia

MDA Som: a internet como aliada

aproveitava para levar para o pessoal

de Limeira. Demos um incentivo

para o Lamarca montar uma loja

na região. De uma coisa pequenina

você vê o que é a Lamarca Pro-Áudio

hoje. Igual a ele você observa diversos

polos crescendo Brasil afora”

(veja quadro na pág 72).

Quando questionado se o fortalecimento

de outras regiões pode

enfraquecer as vendas dos lojistas

da Santa Ifigênia, Cheda foi enfático:

“A concorrência é boa.

Ela te ajuda a aprimorar.

Quem ganha com isso é

o consumidor”. Segundo

Cheda, o cliente que compra um produto

em uma loja fora de sua região

pode ter dificuldades para ser bem

atendido. Qualquer problema que

ele possa ter, seja sobre o próprio

equipamento, sobre a necessidade

de manutenção, ou qualquer outra

orientação, a barreira geográfica

Casa do Alto-Falante:

investimento em sonorização

atrapalha. “Como é que ele vai, via

telefone, ficar pegando informação?

Se ele tem alguém na região que dá

esse suporte, para ele é bem melhor”,

diz. No final, ter polos de áudio distribuídos

pelo Brasil fortalece o próprio

setor, que cresce como um todo.

É bom para todo mundo! •

Especialistas do mercado, da esq. para a dir.: Tiago Soares, da MDA Som; Jaime Ito, da Ito Som;

Roberto Cheda, da Cheda’s Sonorização; Edimar Mariano dos Santos e Fábio Dourado, da Casa do Alto-Falante

76 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


ORGANIZAÇÃO

FABIANO BRUM

é palestrante nas áreas de Marketing, Motivação, Atendimento e Vendas. De maneira inteligente e criativa, alia seu conhecimento

musical aos temas de seus treinamentos. E-mail: contato@fabianobrum.com.br • Site: www.fabianobrum.com.br

THIS IS IT!

AFINE-SE PARA O SUCESSO

COM AS LIÇÕES DE MICHAEL JACKSON

Por suas contribuições e inovações

no mundo da música,

Michael Jackson ficará para a

história. Amado por uns, odiado por

outros e ignorado por poucos, fato é

que Michael Joseph Jackson, nascido

em 29 de agosto de 1958 e morto em

25 de junho de 2009, foi um grande

empreendedor no mercado de entretenimentos.

Porém, ele também cometeu

inúmeros equívocos do ponto

de vista estratégico. Neste texto, vamos

abordar esses dois lados dessa

personalidade tão polêmica.

MICHAEL

EMPREENDEDOR

Não existe idade

para empreender

Jackson começou a cantar e dançar

aos 5 anos, iniciando-se na carreira

profissional aos 11, como vocalista

dos Jackson 5. Dois anos depois, em

1972, já iniciava sua carreira solo.

Acerto em parcerias

O compositor sempre foi reconhecido

por fazer parcerias estratégicas que

lhe renderam excelentes resultados,

como a que fez com o produtor Quincy

Jones. Off the Wall, o primeiro trabalho

que lançaram, vendeu mais de 20

milhões de cópias. Outros nomes com

quem trabalhou são: Paul McCartney,

Slash (guitarrista do Guns N’ Roses),

Eddie Van Halen e Lionel Ritchie.

Independência e autoconfiança

Graças ao sucesso na carreira solo,

libertando-se de anos de maus-tratos

e humilhações, em 1983 Michael

demite seu empresário, o próprio pai.

No especial para a TV sobre os 25

anos da gravadora Motown, Jackson

exige cantar uma música própria —

diferentemente dos demais convidados,

que relembraram antigos sucessos

da gravadora — e ao som de Billie

Jean, , Michael surpreende o público e

o mundo com o passo moonwalk! ! Em

várias ocasiões, Jackson investiu seu

próprio dinheiro para bancar suas

ideias — algumas eram tão ousadas

que assustavam sua gravadora.

Visão e inovação

Em 1982, Thriller

chegou às lojas ven-

dendo 1 milhão de cópias por semana.

Foram 140 discos de ouro e platina, e

mais de 100 milhões de cópias vendi-

das. O clipe também impulsionou as

vendas. A três semanas do Natal de

1983 ele lançou o vídeo de Thriller


seu projeto mais ambicioso. O clipe se

tornou referência máxima do gênero

e um dos pilares da cultura pop, além

de ajudar a popularizar a MTV.

Marketing criando uma marca

O compositor sabia muito bem como

usar algumas ferramentas de marke-

ting. Era notável sua capacidade de

criar marcas. Como Elvis Presley já

era ‘O Rei do Rock’, Jackson batizou-se

de ‘O Rei do Pop’. Além disso, ele sou-

be criar outras referências junto aos

fãs, como o passo moonwalk, , a luva

branca em apenas uma das mãos, as

roupas, e por aí vai.

Responsabilidade social

Michael Jackson fez contribuições para

dezenas de

casas de caridade,

além de promover

outras inúmeras ações

sociais. Em 1985 foi o principal

responsável pela megacampanha

USA for África,

com a música-tema We

Are the World (Nós Somos

o Mundo), composta em

parceria com Lionel Ritchie.

Estima-se que

somente esta ação

tenha gerado quase

50 milhões de dólares

para a causa. Em

2001, Michael Jackson

ganhou do Guinness

Book o título de artista que mais

contribuiu com obras de caridade

em toda a história.

EQUÍVOCOS

DA ESTRATÉGIA

Sucesso no passado não garante

sucesso no futuro

Embora o álbum Thriller tenha sido o

grande sucesso da carreira de Michael

Jackson, talvez também tenha sido

motivo de muitos dissabores devido

à importância que esse disco ocupou

no mundo do entretenimento. Jackson

praticamente passou o restante

de sua carreira tentando ‘bater-se’

a si mesmo, gastando verdadeiras

fortunas produzindo discos

e vídeos que pudessem ter a

mesma repercussão. Se tivesse

observado mais atentamente o

78 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Organização Fabiano Brum

mercado

fonográfico,

em vez de

procurar sempre

superar-se, ele poderia

ter evitado perdas

e colhido melhores resultados.

Excesso de

perfeição e

adiamento

de projetos

Perfeccionista ao

extremo, Michael

adiava por anos o

lançamento de novos

projetos. Isso causava

uma espécie de bola-de-neve

em suas dívidas. As pressões

que o cercaram após o sucesso

de Thriller

e as cobranças que

se impunha fizeram-no compor

50 canções para escolher apenas

11, que entraram no disco Bad

(1987). Depois que Dangerous

(1991)

e History

(1995) não alcançaram as

vendas que ele esperava, em 2000

Michael voltou aos estúdios com cem

composições inéditas para escolher

16 que entrariam em Invincible

(2001).

Não calcular riscos e gastar

mais do que se ganha

As extravagâncias e o perfeccionismo

de Michael lhe custaram, realmente,

muito caro. Embora tenha

tido muitos acertos, inclusive criado

referências no mercado musi-

cal, ele não media custos, nem calcu-

lava seus riscos. Em Invincible

(2001),

seu último disco lançado em vida,

Jackson gastou US$ 30 milhões. Considerado

um dos álbuns mais caros

da história, foram comercializados

apenas 10 milhões de cópias. Do pon-

to de vista do empreendedorismo, isso

é um erro grave, pois o empreendedor

foca em resultados, correndo riscos,

mas riscos calculados.

Reclusão e desatualização

A excentricidade, o desequilíbrio

emocional e as constantes polêmicas

em que se envolvia tornavam Michael

Jackson cada vez mais recluso e ‘de-

santenado’ com o mundo. Com isso

ele passou a ignorar a realidade de

seu mercado e de seu público. Assim,

pouco a pouco deixava de lado sua

veia empreendedora. Apenas como

comparação: enquanto Walter Elias

Disney criou a Disney World com a

missão de construir um mundo onde

‘todos’ pudessem ser crianças, Michael

Jackson criou Neverland, um mundo

onde ‘ele’ pudesse ser criança.

THIS IS IT

(É Isso e Pronto)

Em 2009 Michael surpreendeu o mundo

ao anunciar o fim de sua aposentadoria

com uma série de 50 shows em

Londres. Infelizmente, não pudemos

apreciar tais espetáculos pois, na manhã

de 25 de junho de 2009, Michael

Jackson sofreu uma parada cardíaca

e morreu. Apesar de toda a polêmica

por trás da vida e da morte deste grande

astro, o ‘saldo da balança’ foi positivo

para o músico. As demonstrações

de admiração dadas por fãs, personalidades

e imprensa mundial mostraram

como foi grande a sua contribuição

para o mercado musical e que sua

imagem não estava tão desgastada

como muitos imaginavam. Dessa forma

saiu de cena o Rei da Música Pop e

nasceu o mito envolto em mistérios. •


Mercado Vendas

Criança hoje,

comprador amanhã

Investir em instrumentos infantis garante

o futuro da sua loja. Aproveite o Natal

e a chegada da lei de música nas escolas

e assegure a longevidade do seu negócio

Por Ana Carolina Coutinho

Você achou este título um pouco

perverso, capitalista demais?

Realmente é, e o conceito

que encerra é a mais pura verdade.

O que posso afirmar é que você pode, e

deve, ter a consciência limpa. Quanto

mais vender instrumentos para o público

infantil, mais estará ajudando a

construir uma geração segura, feliz e

inteligente!

Segundo psicólogos, o contato com

instrumentos musicais desenvolve habilidades

intelectuais e sensoriais que

garantem sucesso na vida: concentração,

sensibilidade, calma, aptidão

motora, criatividade, sociabilidade

e aprendizagem. “Como têm as funções

cerebrais mais estimuladas, as

crianças aumentam as possibilidades

de adquirir conhecimento”, explica a

psicopedagoga Quézia Bombonatto,

presidente da Associação Brasileira de

Psicopedagogia (ABPp), numa entrevista

ao site da revista Crescer (http://

tr.im/EmYh).

O nicho infantil vai explodir nos

próximos anos, pois a obrigatoriedade

da música nas escolas promete alavancar

o setor. Tanto que o principal destaque

da Expomusic 2009 foi a quantidade

de empresas que lançaram produtos

O contato com instrumentos musicais desenvolve a criatividade,

a inteligência e a sociabilidade das crianças

PARA ESTIMULAR O VAREJO DO SETOR,

A MICHAEL REALIZA PARCERIAS COM

LOJISTAS, LEVANDO OS PERSONAGENS

DO MICHAEL CLUB E CRIANDO UM

ESPAÇO LÚDICO NOS PONTOS DE VENDA

Foto cedida pela Casarotto

80 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Mercado Vendas

especialmente para as crianças, reservando

grandes espaços para expô-los

em seus estandes. Faz sentido. Nos Estados

Unidos, onde o ensino de música

nas escolas é obrigatório há mais de 70

anos, a venda de instrumentos infantis

cresce, em média, 100 mil unidades

por ano. A musicalização nas escolas

também prevê a alavancagem direta

no ponto de venda, pois fica ao encargo

dos lojistas suprimir a demanda das escolas,

já que os fabricantes e distribuidores

não trabalham com venda direta.

Além disso, estima-se um crescimento

de 580% no número de estudantes de

música em locais específicos!

Construir hoje o mercado de amanhã

deveria ser algo bem claro na

gerência comercial de lojistas e fornecedores.

Afinal, o futuro da empresa

vai depender da criança que um dia

se interessou por algum instrumento.

Há uma grande variedade de marcas

de baterias infantis no mercado

Na prática, porém, poucos fornecedores

trabalham exclusivamente para

esse público. Para elaborar esta matéria,

por exemplo, fomos em busca

de possíveis entrevistados com esse

perfil. Sabe quantos encontramos?

Nenhum... Quem chegou mais perto

foi a Casarotto, conhecida no setor por

vender miniaturas de instrumentos

musicais e que desde 2006 também

produz instrumentos infantis.


Mercado Vendas

PALAVRA

DE LOJISTA

A Eletrônica Musical surgiu

em 1987 e a venda de violões

e baterias infantis já é conhecida

na cidade de Fortaleza

(CE). Com o crescente interesse

das crianças, investiram

na escola Viva Música

Viva e aumentaram seu rol

de produtos para guitarras,

percussões e pianos acústicos. versamos com o diretor comercial da

Con-

Eletrônica Musical, João Carlos Mota

de Souza, para ter uma opinião especializada

sobre o varejo do setor.

O que levou a Eletrônica Musical

a vender para esse público?

Como revendedores de instrumentos

musicais, precisamos incentivar e

despertar no público infantil o desejo

de tocar um instrumento musical.

Qual é o instrumento infantil mais

procurado?

Os instrumentos de cordas, principalmente

o violão e a guitarra, são os mais

procurados, talvez por serem instrumentos

com preço mais acessível. Se a

criança perder o interesse pelo instrumento,

não foi gasto muito dinheiro.

Entre os outros segmentos com

que trabalha, qual a participação

total na produção de instrumentos

musicais infantis?

Ainda muito pouco. Estamos na fase

de investimentos. Existe uma concorrência

muito grande desses produtos

infantis com brinquedos em

geral, principalmente os eletrônicos.

João Carlos Mota, gerente da Eletrônica Musical

Como vocês lidam com a concorrência

dos instrumentos musicais

de brinquedo e games?

Temos certeza de que não só os games,

mas tudo na área de entretenimento

nos traz uma concorrência di-

reta. Qualquer celular já traz atributos

como tocador de MP3, rádio AM/FM,

jogos, câmera e muito mais. Esse segmento

investe pesado em propaganda

em todos os meios de comunicação e

os preços baixam constantemente.

Em termos de vendas, qual é a

melhor época?

Os motivos de datas específicas

como Natal e Dia das Crianças são

de fato interessantes para as vendas.

Mas no nosso segmento precisamos

fazer com que todos os dias sejam

especiais. Realizar workshops, demonstrações,

promover shows, estar

onde a música estiver. Despertar

o interesse em tocar um instrumento

musical, esse é o nosso desafio.

Qual é a importância cultural em

estimular a música nas crianças?

Resgatar nossas raízes culturais, preservar

nossa memória musical. O Brasil

é um país de dimensões continentais,

nosso folclore é muito rico, com muitas

manifestações regionais e até locais. A

festa do boi no Maranhão, o maracatu

do Ceará, o vaneirão do Rio Grande do

Sul, influências italianas, alemãs, portuguesas...

Isso tudo ferve em um grande

caldeirão musical. Precisamos incentivar

nossos filhos a se interessarem

por toda essa enciclopédia musical.

Estimular e despertar a música no público

infantil traz a garantia de termos

pessoas mais fortes para enfrentar as

dificuldades que a vida oferece.

CEM MIL PRODUTOS

PARA A UNICEF

A tradicional marca de instrumentos

de corda Giannini nunca desprezou

esse mercado. Há mais de 60 anos fabrica

uma linha especial de violões para

crianças até 12 anos. “Sempre projetamos

na criança o consumidor de instrumentos

mais sofisticado no futuro”,

afirma Flávio Giannini, diretor da empresa.

Giannini aponta que o setor vem

crescendo há algum tempo e ganhando

mais força nos segmentos de violão e

flauta, por conta da alteração da mudança

de foco no ensino de música, que

antes era mais específico para piano.

Assim como a Giannini, a Quirino

Instrumentos Musicais começou com

instrumentos para adultos e logo diminuiu

o tamanho dos produtos para

também atender à demanda infantil.

Seus instrumentos compõem a ‘bandinha’

completa para crianças, equipamentos

voltados mais para fanfarras e

bandas escolares. É interessante notar

que quando a empresa decidiu fabricar

para esse público, há duas décadas, já

não existia a obrigatoriedade de música

nas escolas, abolida em 1979 (veja

quadro na pág. XX). “Percebemos que,

na ocasião, o mercado estava carente”,

explica a consultora em vendas da

fábrica, Célia Quirino de Oliveira. Foi

uma boa estratégia. Em 1998 a empresa

ganhou uma licitação e vendeu 100 mil

produtos infantis para a Unicef. Analisou

o mercado, viu uma oportunidade,

apostou e ganhou. E, melhor, se antecipou

e adquiriu experiência, que será

muito útil nos próximos anos.

Não há tanto tempo quanto a Quirino,

mas também observando um

nicho comercial pouco explorado, a

distribuidora Izzo Musical importa

instrumentos para crianças há mais

de cinco anos. “Agora, com a volta do

ensino musical às escolas, iremos reforçar

ainda mais nossa participação

no segmento. Estamos nos preparando

para ter a linha completa de instrumentos

infantis, agregando diversos

82 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Mercado Vendas

itens à nossa linha, para poder oferecer

ao mercado o set completo de

instrumentos e acessórios para desenvolvimento

desse projeto tão importante”,

afirma a gerente de marketing

da empresa, Simone Storino.

FAZENDO O BEM

A fabricante mineira de instrumentos

Michael já expôs na Expomusic deste

ano uma série de novos produtos voltados

para os pequeninos. Eles começaram

em 2008 com pianos específicos

e acabam de lançar as minibaterias.

“Foram quase 12 meses para concepção

da nova linha, incluindo a criação

do nome Michael Club, o desenvolvimento

da marca e dos personagens que

figuram nos instrumentos e manuais,

a criação das embalagens, testes e

ajustes nas primeiras amostras, até a

entrega dos produtos nas lojas”, conta o

responsável pelo marketing da empresa,

Daniel Cardoso Soares.

O que a Ágatha quer?

Com 6 anos de vida, Ágatha Mendes

é fã de instrumentos musicais.

Seu pai prefere lhe dar um piano,

mas o que ela deseja mesmo é uma

bateria. “Já sei bater. Gosto mais do

prato porque faz um barulho alto e

diferente. E a bateria não é cara, é

mais barata que o piano”, revela a

pequenina, que já tem até argumentos

para convencer o pai...

Para estimular o varejo do setor,

a Michael realiza parcerias com lojistas,

levando os personagens do

Michael Club e criando um espaço

lúdico nos pontos de venda, e convoca:

“Cabe aos lojistas também investirem

na proposta, que é tão comum

nos grandes magazines, mas ainda

inédita no nosso segmento”.

Conhece aquela frase “A hora é

agora”? É um chavão que se enquadra

bem para este momento. O Natal

está aí e é a melhor oportunidade

para otimizar as vendas. De acordo

com Simone Storino, da Izzo Musical,

a data é melhor ainda do que o


Mercado Vendas

Dia das Crianças. “O Natal ainda se

destaca, pois é uma época em que há

mais recursos nas mãos dos consumidores.

Esperamos um crescimento

na ordem de 20% em relação a 2008,

pois ampliamos muito nossa linha

infantil e assim podemos oferecer um

leque de produtos bem interessante

para as lojas.” A informação é corroborada

pela Michael: “Em alguns

meses no final de 2008, o volume das

vendas de instrumentos musicais infantis

chegou a dobrar”. E ainda pela

Giannini, que vê um aumento de 20%

a 30% nas vendas natalinas.

Diga-me, lojista, o que você está

esperando? Faça um bem para sua

empresa, para as crianças, para o futuro:

invista em instrumentos musicais

infantis! •

NOS ESTADOS UNIDOS, ONDE O ENSINO

DE MÚSICA NAS ESCOLAS É OBRIGATÓRIO

HÁ MAIS DE 70 ANOS, A VENDA DE

INSTRUMENTOS INFANTIS CRESCE, EM

MÉDIA, 100 MIL UNIDADES POR ANO

Anote aí

Matéria especial sobre a

musicalização nas escolas

na próxima edição

da MM. Prepare-se!

Para saber mais

revistacrescer.globo.com/Revista/

Crescer/0,,EMI66583-15152,00.html

INSTRUMENTOS FAIXA ETÁRIA FRASE CONTATO

RMV Baterias 4 a 8 anos

“O comprador dos instrumentos

infantil de hoje é o músico de

amanhã e tratar bem o consumidor

sempre traz resultados excelentes.”

(11) 2404-8544

rmv.com.br

MICHAEL

Minipianos

e baterias

3 a 8 anos

“Podemos dizer apenas que a

venda de instrumentos musicais

infantis tem superado com

frequência as vendas de alguns

de nossos produtos de linha mais

tradicionais.”

(31) 2102-9270

michael.com.br

QUIRINO

Agogô, afuxê, bateria infantil,

bloco sonoro, campanela de

guizos, clave de rumba, cowbell,

fl auta doce e todos outros que

compõem a bandinha infantil

2 a 9 anos

“Notamos certa resistência por

parte dos lojistas no comércio da

linha infantil e nós, fornecedores,

precisamos trabalhar em cima

desta mentalidade.”

(11) 2211-5533

quirino.com.br

CASAROTTO

Guitarra, contrabaixo,

violão e microfone

3 a 12 anos

“50% de aumento nas vendas do

Natal.”

(11) 2211-9080

casarotto.com.br

IZZO

Guitarra, bateria, bandinha,

violão, saxofone, percussão

e fl auta doce

7 a 12 anos

“Nossa meta para 2010 é subir

esse número [faturamento] para

15%, podendo chegar a 30% em

dois anos.”

(11) 3797-0100

izzomusical.com.br

GIANNINI

Violão 7 a 12 anos

“Tudo o que se ensina para uma

criança será a base de seu caráter,

da sua sensibilidade e da cultura

geral quando adulto.”

(11) 4028-8400

giannini.com.br

84 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Impostos Substituição Tributária

Substitutos

e substituídos

Tudo o que você precisa saber sobre

a Substituição Tributária do ICMS

Por Ana Carolina Coutinho

Em dezembro, a Substituição Tributária

fará seu primeiro aniversário

vigorando para os produtos

do setor de instrumentos musicais. Na

prática, a lei ainda dá seus primeiros

passos em busca do pleno funcionamento,

que promete mais fiscalização e

menos sonegação. Para os empresários

do setor, muitas dúvidas permanecem

sobre o novo sistema. Uma das questões

O contador Vicente Sevilha

esclareceu as principais dúvidas

que chegam ao seu escritório

Atenção para o IVA-ST

A Secretaria da Fazenda explica. O IVA-ST (Índice de Valor Adicionado Setorial)

é a margem de valor agregado obtida em pesquisas de mercado que estima

o acréscimo de valor que a mercadoria terá até a venda ao consumidor final.

Para conhecer os IVA-ST é preciso consultar as legislações pertinentes (para

o setor de instrumentos musicais, a última portaria vigente foi a de número

211 e pode ser consultada no site da Secretaria da Fazenda pelo seguinte

endereço: http://tr.im/E8Ry. Lá você também encontra a fórmula que serve

como base de cálculo para o índice. Vale lembrar que esses índices sofrem

alterações de tempos em tempos, por isso fique atento! Para apresentar um

resumo, com apenas alguns produtos, os IVA-ST atualmente são:

Materiais de construção .........................................................de 28,17% a 75,98%

Medicamentos .............................................................................de 33% a 41,38%

Refrigerantes, Cervejas e Bebidas Alcoólicas ...................44,72% ou lista/pauta

Produtos de Limpeza .............................................................de 12,62% a 80,85%

Perfumaria e Higiene Pessoal .............................................de 38,90% a 165,55%

Pilhas, Baterias e Lâmpadas ............................................................................ 40%

Papel ..............................................................................................................17,32%

Produtos Alimentícios Industrializados ................................de 20,23% a 85,98%

Instrumentos Musicais ..............................................................................62%

86 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Impostos Substituição Tributária

mais recorrentes refere-se à atribuição

de quem deve recolher o imposto: é o

primeiro da cadeia produtiva.

Grosso modo, em nosso segmento,

o fabricante/importador (o substituto)

é o responsável pelo recolhimento,

mas não o paga! Sim, o valor do imposto

é pago pelo lojista (substituído).

Como? Na hora em que o varejista

compra o produto, ele já paga o imposto

para o fornecedor — que deixa

claro na nota emitida o valor do ICMS

ST, tudo com base na nova legislação,

e com a alíquota de 62% para o segmento

de instrumentos musicais.

Um exemplo: nos Estados Unidos

algo similar ocorre em todos os segmentos

do varejo, porém, de acordo

com as leis daquele país, a transação

se dá entre lojista e consumidor final.

Quando assistir a um filme em que

algum norte-americano compra um

produto, repare no momento em ele vai

pagar — o responsável pelo caixa sempre

fala: “São 20 dólares mais imposto.

Total 22 dólares”. É a mesma situação

que ocorre em nosso segmento, segundo

a Substituição Tributária (ST), mas

entre fornecedor e lojista.

Para esclarecer melhor esses e outros

pontos, muito mais polêmicos, o

consultor e contador Vicente Sevilha

Júnior destacou uma série de questões

que geralmente chegam ao seu escritório.

Vamos a elas:

operações de venda subsequentes a serem

realizadas por seus clientes.

Na prática, como funciona a ST?

O fabricante, ao vender seus produtos,

efetua dois cálculos distintos:

o cálculo do valor do ICMS relativo

à sua venda e o cálculo do valor do

ICMS que seria pago pelo lojista no

antigo sistema, quando ele vendia os

produtos ao consumidor final.

Agora, no momento da emissão da

nota fiscal, além de emitir o valor do

ICMS próprio, o fabricante/importador

também vai cobrar do lojista o valor

do ICMS que seria dele. Já o lojista não

recolherá mais nenhum ICMS quando

vender esses produtos, pois já o pagou

pela ST quando os comprou.

Como o fabricante determina o preço

de venda do lojista para calcular

o ICMS ST?

O fabricante/importador deve utili-

O que é a Substituição Tributária?

É um sistema por meio do qual o governo,

com base legislativa, substitui

determinado contribuinte atribuindo

a outro a responsabilidade do cumprimento

de obrigações.

Como se aplica a ST no ICMS?

No caso do ICMS, a Substituição Tributária

tem se concentrado em atribuir ao

fabricante ou importador, no momento

da venda de seus produtos, a responsabilidade

de pagar o ICMS normalmente

e cobrar de seu cliente — e repassar aos

cofres públicos — o ICMS devido nas


Impostos Substituição Tributária

zar como preço de venda (que deverá

ser praticado pelo lojista) o valor final

ao consumidor — autorizado ou

fixado por autoridade competente ou

sugerido por ele mesmo (neste caso,

devendo ser aprovado e divulgado

pela Secretaria da Fazenda). Na ine-

xistência desses dados, o fabricante/

importador aplicará o percentual de

margem de valor agregado estipulado

pelo Índice de Valor Adicionado Setorial

– IVA-ST (veja quadro na pág. 91),

divulgado e estipulado também pela

Secretaria da Fazenda.

O desastre da Substituição Tributária

Luís Nassif é considerado um jornalista de referência da imprensa econômica

do País. Em 22 de julho ele escreveu um texto comentando a nova política

tributária em sua coluna do jornal Último Segundo. Como se pode ver pelo

título que escolheu para nomear o artigo — o mesmo deste box —, Nassif

não foi simpático à nova lei, apontando diversos equívocos na nova legislação.

Separamos para você alguns argumentos que embasaram o artigo do

jornalista. Você pode ler o texto completo em tinyurl.com/yfsc4wo.

“A Secretaria da Fazenda precisa ter um preço de referência para aplicar

a ST. Encomendou uma pesquisa à Fipe que utilizou a Nomenclatura do Mercosul,

que levantou os preços médios de cada produto. Vamos a exemplos

concretos: não leva em conta diferentes qualidades de produto. Torneira

entra na nomenclatura como um produto único. Em apenas uma página na

Internet é possível encontrar torneiras de R$ 1.199,00 a R$ 68,80. Há torneiras

de luxo que custam R$ 2.959,00 (...) e torneiras de R$ 10,00. Suponha

que a média tenha dado R$ 50,00 — 18,5% de R$ 50,00 é R$ 9,25. É o que

se terá que pagar por cada torneira, independentemente do preço. No caso

da torneira de R$ 2.959,00, esses R$ 9,25% representarão 0,31%. No caso da

torneira de R$ 10,00, representará uma alíquota de 92,5%.

Não leva em conta diferenças de preços entre regiões. Um fogão de seis bocas

Alecrim CF476A – Consul, por exemplo, pode sair por R$ 569,00 nas Lojas

Colombo e por R$ 829,00 nas Lojas Americanas de um shopping nobre da cidade.

Não leva em conta as liquidações. Em dezembro um produto é vendido

pelo preço cheio, pagando 18% de ICMS. Em janeiro, se a loja fi zer uma

liquidação e vendê-lo com 50% de desconto, o ICMS corresponderá a 36%

do preço de venda (...).

Mas o que acontece se o lojista

vender os produtos adquiridos por

preço maior do que aquele utilizado

pelo fabricante no momento da cobrança

do ICMS ST?

Na hipótese de o valor da mercadoria

ter sido maior que o da base de cálculo

utilizada para a retenção, observada a

disciplina estabelecida pela Secretaria

da Fazenda, a retenção do ICMS ST não

exclui o pagamento de complemento.

Quando não é correta a aplicação da

Substituição Tributária no ICMS?

São várias situações: quando a mercadoria

está em processo de industrialização;

quando a operação subsequente

estiver amparada por isenção

Fundo de quintal

(...) Ao jogar todo o pagamento no fabricante, independentemente do setor,

tem-se o caso do alambique do interior passar a se responsabilizar pelo

pagamento de ICMS da rede Carrefour, por exemplo (...).

O fim do Simples

A ST praticamente acabou com o Simples, o sistema que permitia a meio

milhão de pequenas empresas pagar menos tributação. Como tudo irá para

a ST, não haverá como diferenciar a pequena farmácia de bairro das grandes

redes de drogaria (...). Mata-se o grande avanço representado pela nova Lei

Geral das Pequenas e Micro Empresas, primeira tentativa de formalizar o

pequeno empresário. (...)”.

Fonte: Jornal Último Segundo (ultimosegundo.ig.com.br)

88 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Impostos Substituição Tributária

ou não incidência; quando for outro

estabelecimento do mesmo titular,

desde que não varejista. E, ainda:

quando outro estabelecimento for responsável

pelo pagamento do imposto,

em relação à mesma mercadoria ou a

outro produto enquadrado na mesma

modalidade de substituição.

Se o fabricante deixar de aplicar

a Substituição Tributária, o que o

lojista deve fazer?

Se o lojista receber uma nota fiscal de

produtos sem o valor da retenção da

ST, ele deve, primeiro, comunicar o

erro ao fornecedor para que ele o corrija.

Se isso não acontecer, o próprio

lojista deve recolher o ICMS ST no ato

da entrada dos produtos em seu estabelecimento.

A regra também vale

quando o lojista comprar produtos

de fornecedores sediados em Estados

que ainda não aplicam a Substituição

Tributária para determinado produto,

ou nos casos em que o ICMS ST

foi cobrado pelo fornecedor em valor

menor do que o correto.

Como fica a nota fiscal de venda a

ser emitida pelo lojista que já pagou

o ICMS ST na compra?

O lojista — no nosso setor, o chamado

substituído — emitirá o documento

fiscal sem destaque do valor do imposto,

que conterá, além dos requisitos

normais, a seguinte indicação:

“Imposto Recolhido por Substituição

– Artigo... do RICMS”.

Quais são os produtos sujeitos à

Substituição Tributária?

A lista de produtos sujeitos ao recolhimento

do ICMS no sistema de

Substituição Tributária é grande e

cresce a cada dia, a exemplo da lista

de Estados que aplicam o regime.

Os contribuintes devem ficar muito

atentos aos detalhes das listas. Podemos

destacar, como mera ilustração,

os seguintes produtos:

• Materiais de construção

• Medicamentos

• Refrigerantes, Cervejas

e Bebidas Alcoólicas

• Produtos de Limpeza, Perfumaria

e Higiene Pessoal

• Pilhas, Baterias e Lâmpadas

• Papel

• Produtos Alimentícios

Industrializados

• Instrumentos Musicais. •

Ainda tem dúvida?

Envie um e-mail com sua pergunta

sobre Substituição Tributária para:

texto@musicaemercado.com.br.

A Música & Mercado faz questão

de esclarecer para você.

Para saber mais

• Cartilha da Fiesp: http://tr.im/E8RU

• Duas páginas da Secretaria da Fazenda sobre ST:

http://tr.im/E8SO e http://tr.im/E8SW

• Lei completa: http://tr.im/E8T5

• Sevilha Contabilidade: www.sevilha.com.br

90 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Lojista Eletro Peças Divinópolis

Pé na tradição,

olho nas

tendências

Igrejas e bandas de baile são

os principais clientes da loja

A Eletro Musical cria

diferenciais para

que sua loja não vire

um showroom frente

à concorrência da

internet

Por Itamar Dantas

A

Eletro Musical é uma empresa

familiar tradicional, com mais

de 40 anos de experiência no

mercado de Divinópolis (MG). Fundada

por Geraldo Dias de Aquino, a loja atuou

por muitos anos no segmento de eletrônica.

Nos anos 90, os irmãos Petrônio e

Rogério, filhos de Geraldo, assumiram o

negócio e fizeram sua transição para os

instrumentos musicais. Hoje, após quase

20 anos atuando no ramo musical, a

loja abandonou os componentes eletrônicos

e se dedica integralmente à venda

de instrumentos e áudio.

Para Rogério Aquino, sócio-proprietário

da loja, o mercado de Divinópolis

precisava de uma loja para atender os

músicos com excelência e trazer para a

cidade um verdadeiro mix de produtos,

por isso ele e seu irmão estão sempre

atentos às novidades do setor para

aquecer o mercado. Segundo Rogério, a

92 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Lojista Eletro Peças Divinópolis

tradição de 40 anos, aliada à constante

busca por novos produtos, traz para

a loja o sucesso nas vendas e o crescimento

constante dos negócios.

Quais foram suas principais expectativas

no início da transição para

o trabalho com instrumentos musicais?

Elas se confirmaram?

Quando a Eletro Musical passou a comercializar

instrumentos musicais —

início da década de 1990 —, o mercado

ainda era muito complicado. Faltavam

informação e fornecedores de produtos.

Hoje, a oferta de produtos é muito

maior. A expectativa inicial era conciliar

o mercado de componentes [eletrônicos]

com o segmento de instrumentos

e áudio, mas, com o passar dos anos,

tivemos de abrir mão da eletrônica e

hoje somos um negócio 100% musical.

Você tem foco em produtos de áudio

e instrumentos musicais. Como é

possível agregar as vendas dos dois

tipos de produtos?

Nossas vendas até que são bem divididas.

O áudio normalmente tem valor

agregado mais alto e representa em torno

de 30% do faturamento. Porém, por

ter uma variedade maior de produtos,

os instrumentos musicais ultrapassam

essa parcela do orçamento. Ficamos

atentos para que haja um equilíbrio

nas vendas. As igrejas e bandas de baile

normalmente fazem investimentos permanentes

nos dois setores e são clientes

importantíssimos para nossa loja.

Qual é a realidade do mercado de

instrumentos na sua região?

As cidades da região são muito próximas.

Temos aqui, no entorno da cidade,

umas seis lojas especializadas

e em Divinópolis mais duas menores.

A concorrência é saudável. Só que

hoje encontramos outras formas de

concorrência: pessoas que vendem

instrumentos musicais por encomenda

e também a internet. Tomamos

As igrejas

e bandas

de baile

normalmente

fazem investimentos

permanentes

nos dois

setores e

são clientes

importantíssimos

para

nossa loja


Lojista Eletro Peças Divinópolis

muito cuidado para que a nossa loja,

que procura ter um verdadeiro mix

de produtos, não se transforme em

um showroom, em que o músico vem,

experimenta o instrumento e acaba

comprando pela internet. Para que

isso não ocorra, precisamos oferecer

diferenciais para que as pessoas procurem

a nossa loja na hora da compra.

Ao contratar vendedores, você leva

em consideração aqueles que são

músicos ou prioriza mesmo a experiência

anterior como vendedor?

Os vendedores obrigatoriamente

precisam ser músicos. Precisam tocar

um instrumento, dominá-lo. Não

precisam ser multi-instrumentistas,

mas devem ser músicos para ter sensibilidade

ao atender um músico que

procura a loja. Se eu pego um vendedor

de linha branca, que vende

fogão, geladeira, ele vai conseguir

vender um violão, mas não conhece

o produto. Então, prefiro que o vendedor

seja músico, para que entenda

o cliente e atenda às suas necessidades

com naturalidade.

Em sua opinião, qual é a tendência de

produtos para 2010?

Um segmento que já é uma realidade,

TOMAMOS MUITO CUIDADO PARA QUE

A NOSSA LOJA NÃO SE TRANSFORME

EM UM SHOWROOM, EM QUE O MÚSICO

VEM, EXPERIMENTA O INSTRUMENTO E

ACABA COMPRANDO PELA INTERNET

Vendas: da esq. para a dir., Daniel,

João, Carlos, Rodrigo, Roberto e Rogério

mas que parece que vai estourar em

2010, são os produtos voltados para

tecnologia. As interfaces de áudio

para gravação caseira são equipamentos

simples, em que o músico consegue,

com uma pequena mesa e um software,

fazer suas gravações em casa.

Esses produtos devem deslanchar nas

vendas do próximo ano.

É notório que as igrejas têm se tornado

um cliente fundamental para

os varejistas do nosso segmento.

Essa impressão se confirma para a

Eletro Musical?

Sim, tanto as evangélicas como as católicas.

Os músicos amadores e profissio-

Participação

Guitarra / Baixo – 15%

Violão – 20%

Áudio profissional – 30%

Acessórios – 15%

Teclas – 7%

Bateria / Percussão – 10%

Sopro – 3%

Eletro Peças Divinópolis Ltda.

Nome fantasia: Eletro Musical

Proprietários: Rogério Aquino Neto

e Petrônio M. Aquino

Fundação: Dezembro de 1968

Área total: 600 m²

Número de funcionários: 12

Endereço: Av. 21 de Abril, 391 – Divinópolis / MG

Telefone: (37) 3221-5719

Site: www.eletromusical.com.br

94 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Lojista Eletro Peças Divinópolis

nais hoje representam muito também,

principalmente pelas facilidades que

temos para financiar as vendas.

Quais são as estratégias da Eletro

Musical para vender mais?

Buscamos fazer treinamento contínuo

dos funcionários, ter um ponto de venda

atraente e produtos com alto índice

de giro. A cada dia que passa, tentamos

acertar mais na compra dos produtos.

Qual é o diferencial da Eletro Musical?

O objetivo da empresa é atender bem

O cliente recebe atenção especializada

Ter um bom mix de produtos

é uma das prioridades na

Eletro Musical

sempre, oferecer bons produtos e criar

um bom relacionamento com o cliente

através da pós-venda.

Como foi o ano de 2009 para vocês?

Quais são as previsões para as vendas

de final de ano e 2010?

Este foi um ano difícil, como já estava

sendo anunciado. Porém, com muito

trabalho, estamos conseguindo números

superiores a 2008 e temos boas

expectativas para o fim do ano. O mesmo

período do ano passado foi o pior

último trimestre de todos os tempos. Já

2010, vamos aguardar... •

96 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Vida de Lojista Musical Vilhena

Neste espaço são publicadas

experiências vivenciadas ao

montar uma loja.

Para contar sua história,

envie o depoimento e fotos

(em 300 dpi) para texto@

musicaemercado.com.br, com

o assunto “Vida de Lojista”

Pequena notável:

Musical Vilhena cresce no

mercado de Rondônia e região

a partir da determinação da

família de Júlio Correa

Relacionamento é

a chave do negócio

Com foco no público evangélico, a pequena

Musical Vilhena aposta na pós-venda para crescer

Criada em 2006, a Musical Vilhena

é uma loja que começa

a despontar no mercado de

Rondônia e a sua história é, em determinados

aspectos, comum ao setor de

instrumentos musicais. Depois de seis

anos trabalhando como representante

comercial no interior de São Paulo, Júlio

Correa resolveu abrir o seu próprio

negócio, aproveitando o bom relacionamento

que já tinha com os fornecedores

e o mercado. No entanto, a peculiaridade

da história dessa loja se dá na razão

que inspirou o empreendimento. “Decidi

abri-la porque em 2005 reencontrei

a Adriana, que eu havia namorado há

muito tempo, mas que estava residindo

em Vilhena, Rondônia. Como ela não

podia vir para São Paulo, e queríamos

muito ficar juntos, resolvi montar a loja

na cidade dela”, revela Correa.

O caráter romântico do início da loja,

porém, não diminuiu os obstáculos do

casal no novo desafio. Inicialmente, eles

alugaram uma loja de 77 m 2 no centro

da cidade, mas o alto preço do aluguel,

somado à dificuldade para comprar produtos

a prazo, no início da empreitada,

inviabilizaram a continuidade no local.

Júlio e Adriana resolveram então comprar

um terreno e construíram uma

nova loja, mas um pouco menor, com 55

m 2 . A partir dali, o negócio deslanchou!

Correa conta que, de lá para cá, a

loja vem ampliando seu mercado gradativamente.

“Além dos consumidores

de Vilhena, estamos atingindo novos

clientes em cidades mais distantes, situadas

no interior de Rondônia e também

em outros Estados, como Acre,

Amazonas e Mato Grosso, ratificando,

assim, o crescimento da loja.”

Nos primeiros meses, Júlio pediu

orientação para alguns amigos lojistas

Uma das estratégias que dão mais

retorno para Júlio é o relacionamento com

o cliente, que se firma pela pós-venda

e pela prestação de serviços adicionais

98 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Agradecemos aos músicos profissionais e amadores,

aos lojistas e distribuidores, aos representantes

e fornecedores, e a todos aqueles que reconhecem

a qualidade de nossos produtos e sabem

dos nossos esforços ano após ano para

sempre inovar e oferecer a melhor solução

em cada um de seus usos específicos.

Esta união nos torna fortes para

conquistar nossas metas.

Por isso a Família Le Son deseja a vocês um Natal

cheio de amor, paz, alegria e boas festas.

Que o ano de 2010 possa trazer saúde, desenvolvimento

e realizações de novos planos e projetos.

Feliz Natal e próspero Ano Novo!


Vida de Lojista Musical Vilhena

e representantes a fim de saber a

quais produtos deveria dar prioridade

na venda. Seguindo o conselho

dos amigos, focou nos equipamentos

mais procurados, como

violões, microfones e amplificadores,

e ‘tocou o barco’. Mas, depois

de um tempo, ele precisou,

por exigência mercadológica, ampliar

o seu leque de opções. Hoje,

Instrumentos musicais, áudio

e acessórios compõem o mix

de produtos da Musical Vilhena

Rondônia, aliás, é o único Estado

brasileiro a ter um feriado pelo

Dia do Evangélico.” Com essa alta

demanda que as igrejas proporcionam

ao setor, uma das estratégias

que dão mais retorno para

Júlio é o relacionamento com o

cliente, que se firma pela pós-venda

e pela prestação de serviços

adicionais, como a instalação e o

a Musical Vilhena oferece, além dos

tradicionais instrumentos musicais,

equipamentos de iluminação e sistemas

de áudio. “Tal transição deve-se

à procura dos próprios clientes. Eles

sugerem para a loja incluir no mix de

produtos os itens que estão procurando,

visando obter melhor preço, o que

eles acabam encontrando na Musical

Vilhena”, conta o empresário.

Os principais clientes da loja são as

igrejas evangélicas. E Júlio se esforça

para atender com atenção esse mercado.

“Noventa por cento das vendas são

efetuadas para igrejas evangélicas — e

uma pequena parte para as demais religiões,

escolas e músicos em geral. Os

templos evangélicos possuem muitos

equipamentos de áudio e instrumentos

musicais de diversos tipos e modelos.

suporte aos equipamentos vendidos.

O ano de 2009 foi de afirmação para

a Musical Vilhena. Agora, a loja começa

a investir em publicidade para alcançar

cada vez mais clientes e consolidar sua

marca. Expectativas para o futuro? Júlio

espera manter o ritmo: “Esperamos

crescer mais nos três últimos meses deste

ano, visando continuar a sonhar em

2010, mas sempre com os pés no chão”. •

Júlio Correa mostra

com orgulho sua loja

e os principais produtos

vendidos: os violões

CURIOSIDADE

O único Estado brasileiro com feriado evangélico

DIA DO EVANGÉLICO No dia 21 de dezembro de 2001 foi publicada no Diário Ofi -

cial do Estado de Rondônia a Lei Estadual nº 1.026, que previa, para o Estado, o único

feriado religioso brasileiro não católico. O Dia do Evangélico é celebrado anualmente

em 18 de junho, data em que a Assembleia de Deus, há 98 anos, chegou ao Brasil. A

população de evangélicos no País já ultrapassa 26 milhões de pessoas, 53% dessas só

em Rondônia, segundo dados coletados pelo IBGE em 2007. As igrejas são, realmente,

um dos grandes consumidores de áudio e instrumentos musicais. Essa influência já

pode ser notada em países da África e América do Sul, com maior demanda do setor

justamente pela penetração de igrejas evangélicas nessas regiões.

Musical Vilhena

Proprietário: Júlio Tavares Correa

Área da loja: 55 m² (até setembro de

2009), 80 m² (a partir de outubro)

Endereço: Rua Gonçalves Dias, 321 -

Centro - Vilhena / RO

Tel.: (69) 3321-5408

Site: www.musicalvilhena.com.br

E-mail: musicalvilhena@hotmail.com

Participação

Cordas – 35%

Áudio – 30%

Acessórios – 15%

Bateria / Percussão – 10%

Teclas – 5%

Sopro e outros – 5%

100 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


TESTE

Sax tenor

Michael WTSM55

Custo-benefício: nota máxima

Por Marcelo Monteiro*

O

sax tenor Michael WTSM55 vem em um lindo estojo preto, resistente e

com excelente acabamento. Possui compartimentos para a boquilha e

tudel separados, além de um compartimento para acessórios (correia,

palhetas etc.). Vem acompanhado por uma correia de náilon e mosquetão de

ferro com uma camada de plástico para não arranhar a alça do instrumento,

um par de luvas brancas, boquilha de massa, uma palheta e um pad saver para

o corpo do instrumento.

Esteticamente, é um lindo instrumento. Sua anatomia é muito boa, o que

torna confortável tocar o Michael WTSM55. A única ressalva são as chaves de

agudos da mão esquerda, um pouco curtas. Para pressioná-las, é necessário

maior movimento da mão esquerda. No caso da execução de notas

rápidas, pode até ser um pequeno empecilho, mas esse problema é

resolvido com uma espécie de borrachinha que se coloca nessas

chaves, justamente para facilitar a pegada e o manuseio. Esse

instrumento apresenta ainda a chave de Fá sustenido aguda.

Tudo está em ordem, as chaves bem alinhadas e as

molas impecáveis. Não há nenhum tipo de vazamento.

Sapatilhas com refletores de metal e vedando perfeitamente

as chaminés — perfeito.

Esse instrumento possui certa facilidade para se tirar o

som, por conta da boquilha um pouco fechada e da palheta,

branda, características ideais para iniciantes. Com a combinação

‘boquilha–palheta’ original, o som se torna um pouco apagado, sem

muito corpo, principalmente na região médio-aguda. Essa característica, certamente

causada pela abertura da boquilha e a numeração da palheta, pode ser

mudada com uma boquilha Otto Link 7* e palheta Vandoren Java 2½ — sugira ao

seu cliente essas opções de compra. Testamos e houve uma enorme diferença na

qualidade do som, com mais volume e corpo, tanto nos graves como nos agudos.

Não há problemas com a afinação e a mecânica é boa. As molas funcionam

perfeitamente em toda a extensão do instrumento. Quanto à sonoridade,

usando a boquilha Otto Link, o timbre ficou bem brilhante, sobretudo nos

agudos. É um instrumento que responde bem tocando notas rápidas.

O Michael WTSM55 é ótimo para estudantes, pois responde bem em toda

a sua extensão e não é difícil de tirar som. Para ser usado em shows, pode se

encaixar muito bem em naipes de metais. Em solo, falta volume e corpo, mas

uma boa microfonação e equalização podem resolver. Já para gravações é um

pouco mais complicado, pois essa pequena falta de som influencia o resultado

final, mas para gravar em naipe de metais, a soma com os outros instrumentos

102 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


FICHA TÉCNICA

MODELO Sax tenor WTSM55

FABRICANTE Michael

INDICAÇÃO Estudantes e para

apresentações ao vivo.

PRÓS Afinação e custo-benefício.

CONTRA Posição das chaves

agudas e da ‘mesa’.

O Michael WTSM55 é ótimo

para estudantes, pois responde

bem em toda a sua extensão

e não é difícil de tirar som

pode dar um belo resultado.

Assim, o sax tenor Michael WTSM55

pode ser considerado um instrumento

bom para estudar e para alguns trabalhos

ao vivo. •

*Marcelo Monteiro, saxofonista e fl autista, integrante do

Projeto Cru, Luz de Caroline, Freegideira, Donazica e Comadre

Fulozinha, além de trabalhar com composições próprias

PREÇO SUGERIDO R$ 2.641,80

GARANTIA 3 meses

AFINAÇÃO

Muito bom ★ ★ ★ ★

SONORIDADE

Bom ★ ★ ★

MECÂNICA

Muito bom ★ ★ ★ ★

CUSTO-BENEFÍCIO

Excepcional ★ ★ ★ ★ ★

*MATÉRIA GENTILMENTE CEDIDA

PELA EQUIPE EDITORIAL DA

REVISTA SAX & METAIS

QUER FALAR COM

O AUTOR DA MATÉRIA?

marcelomonteirosax@gmail.com

TIRE SUA DÚVIDA

COM O FORNECEDOR

www.michael.com.br

Tel.: (31) 3306-9393


Feira Music China

1,35 bilhão

de chances

de negócios

Music China 2009 atrai atenção do mundo devido à política do país

para driblar a crise com o incentivo ao consumo interno

Entre os dias 12 e 15 de outubro

aconteceu a Music China em

Xangai. Numa área de mais de

65.000 m 2 , 1.164 expositores de 24 países

se reuniram para mostrar seus produtos

e fazer negócios. Apesar do número

de visitantes ter caído um pouco

(–1,7%) em relação ao ano passado, ainda

foi representativo, com mais de 42

mil pessoas prestigiando a feira — para

se ter ideia, elas vieram de 86 países.

O evento, realizado no Shanghai

New International Expo Centre (SNIEC),

atrai a atenção mundial, e não só pelos

números mostrados acima. A China é

uma economia em plena expansão e tem

papel fundamental no desenvolvimento

da indústria de instrumentos musicais.

Seus produtos invadem prateleiras de lojas

do mundo inteiro pelos baixos custos

de produção, determinando que a maioria

dos fabricantes de instrumentos opte

por produzir seus equipamentos no país,

antes de difundi-los pelo globo.

Com população de 1,3 bilhão de

habitantes, e também por sua extensão

continental, o país vem ampliando

assustadoramente a participação no

mercado internacional. Em 2008, apresentou

um crescimento do produto interno

bruto, PIB, em aproximadamente

9%; para 2009, o governo chinês está otimista

em atingir a meta de 8% de crescimento,

perda mínima se considerarmos

as turbulências econômicas deste

ano. Mas tem um motivo: com a queda

nas exportações durante a crise, o governo

chinês desenvolveu um pacote

econômico com investimentos de cerca

de US$ 585 bilhões para manter seu

O SETOR DE ÁUDIO E INSTRUMENTOS

MUSICAIS ESTÁ EM PLENA EXPANSÃO

E É UM DOS SEGMENTOS ECONÔMICOS

MAIS PROMISSORES NA CHINA

PARA OS PRÓXIMOS ANOS

104 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Feira Music China

crescimento em níveis espetaculares.

O pacote enfocou as vendas no varejo e

no desenvolvimento industrial; e a dústria de instrumentos musicais também

foi beneficiada com essa estratégia.

Junto a essa política, outras características

apontam para o desenvolvimento

do nosso setor no mercado

in-

chinês. Com o aumento da renda per

capita da população, aliado ao incentivo

à educação musical no país e à

criação de centenas de programas de

entretenimento para as novas mídias,

o setor de áudio e instrumentos musicais

está em plena expansão e é um

dos segmentos econômicos mais promissores

na China para os próximos

anos. E o mundo inteiro está de olho

nesse mercado, fato comprovado pelo

sucesso da Music China! •

1. Charlie Chang, da Eagle; 2. Alexandre

Seabra, da Sonotec; 3. Ney Nakamura,

Márcio Zaganin, Éber Policate, da Tagima

e Célio Ramos, da EM&T; 4. Wladimir

Teixeira, da Hendriz; 5. Marco Aurélio,

da Michael; 6. Eric Haas, Maximiliano,

Hércules e Zé Luis, da Meteoro; 7. Roberto e

Georgio Giannini; 8. Priscila Storino, da Izzo

Musical, e Rogério Raso, da Santo Ângelo

WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR 105


Calendário 2010

O objetivo principal da feira é unir as

lojas e empresas para gerar negócios

que sejam vantajosos a ambos.

Você poderá negociar e comprar com

mais de 30 empresas que compõem

o mix de sua loja. Aqui você encontra

as marcas mais renomadas do mercado.

LOCAIS (REGIÕES) DATAS PARA 2010

São José do Rio Preto ou Bauru

Curitiba

Porto Alegre

Rio de Janeiro

Belo Horizonte

Goiânia

Salvador

Belém

27 a 28 de fevereiro

20 a 21 de março

17 a 18 de abril

22 a 23 de maio

19 a 20 de junho

24 a 25 de julho

14 a 15 de agosto

6 a 7 de novembro

106 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


PRODUTOS

Estantes de instrumentos deixaram de ser apenas

commodities. Imagine algo prático, leve e fácil de carregar.

A Hercules, empresa Taiwanesa do grupo KHS, o mesmo que produz

Walden, Jupiter e Mapex trabalhou dia e noite para obter o melhor resultado.

Veja as criações que têm feito a cabeça dos músicos de todo o mundo

INOVAÇÃO E PRATICIDADE

SUPORTE PARA VIOLÃO OU GUITARRA

Um novo conceito que alia design

moderno, tamanho compacto,

praticidade na montagem e

estabilidade para segurança do

instrumento. Para guitarra ou

violão, o lançamento da

Hercules foi desenvolvido

para músicos exigentes

que adoram um

design diferenciado.

São dois modelos: GS601B

(violão) e GS602B (guitarra).

SEGURANÇA COM ESTILO

SUPORTE PARA CLARINETES

Para garantir maior estabilidade na sustentação

do instrumento, o novo suporte para clarinete da

Hercules tem pernas mais largas, além de ser prático e

compacto. Possui design exclusivo para caber dentro da

campana do instrumento sem ocupar espaço no case.

Destaque para o acabamento aveludado

que protege o clarinete de riscos.

Onde encontrar

Izzo Musical

Tel.: (11) 3797-0100

www.izzomusical.com.br

WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR 107


PRODUTOS

GIBSON

EPIPHONE PROPHECY

FUTURA CUSTOM EX

Corpo e braço em mogno, top em

quilted maple, escala em ébano, 24

trastes, um captador EMG-81 na

ponte e um EMG-85 no braço, controle

de volume com push/pull, ferragens

pretas, travas de correia.

Contato: (11) 5535-2003

www.royalmusic.com.br

STAFFDRUM

A SLIM SERIES

A bateria eletroacústica Slim Series possui cascos, canoas e canecas em

alumínio, com profundidade de tambores bastante reduzida (1,1/2” nos toms

e 4” na caixa e no bumbo). Cada tambor possui um sensor interno já em contato

com a pele. A conexão é através de cabo P-10. O kit (10”, 12”, 14”, 20”, 13”) tem a

opção de ser acompanhado com pratos e hi-hat eletrônicos, com módulo.

Contato: (11) 3719-2660 • www.staffdrum.com.br

AMERICAN AUDIO

RADIUS 1000

O player CDJ Radius 1000 é

o lançamento da American

Audio. O tocador MP3/

CD para DJs vem com

oversampling. Também

reconhece discos e possui

Advanced Track Search

(busca de uma nova pista,

enquanto a outra está

reproduzindo), 10 segundos

de memória antichoque, Seamless Loop, três botões

Flash Start, Digital BPM Counter e saída digital.

Contato: (11) 3333-3174 • www.decomac.com.br

ASK

G3

O modelo mais conhecido

da ASK está de cara nova.

Com o novo design, o

suporte ganhou uma

trava para o braço do

instrumento e a base de

apoio foi remodelada.

O G3 serve para violão,

guitarra e baixo.

Contato: (24) 2255-5253

www.ask.ind.br

MEINL

MB20 HEAVY BELL RIDE 20”

O prato Mb20 Heavy Bell Ride 20” foi desenvolvido

junto ao baterista Jason Bittner, da banda Shadows

Fall. A série Mb20 é fabricada com martelamento

manual da liga b20 com acabamento brilhante,

podendo ser utilizada por músicos que vão

do pop a estilos mais pesados como heavy metal.

Contato: (43) 3324-4405 • www.primemusic.com.br

108 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


PRODUTOS

ORION CYMBALS

BEX

Fabricada em liga de bronze B10, a linha

Bex foi produzida para atender de iniciantes

a profissionais. Tem os seguintes modelos

disponíveis: splash de 8”; hi-hat de 14”;

crashes de 16” e 18”; e também

brilliant ride 20”e dark ride de 20”.

Contato: (11) 3871-6256

www.orioncymbals.com.br

NIG

BSH - BASS SHAPER

O primeiro pedal para

contrabaixo da NIG é um

pré-amp com equalização

de três bandas, botão shape,

overdrive com modo ‘super’,

noise gate, saída balanceada

(XLR) — com controle

pré e pós — e recurso ground lift. Com booster

independente, também possui acionamento

inteligente e efeito bypass, 100% analógico.

Traz entrada para fone de ouvido.

Contato: (11) 4441-8366 • www.nigstrings.com.br

PLANET WAVES

COLEÇÃO THE BEATLES

Com exclusividade a empresa lança uma linha

especial de palhetas e correias, destacando capas de

discos e imagens clássicas e simbólicas do Quarteto

de Liverpool. As correias são feitas com materiais

ecologicamente corretos.

Contato: (11) 3158-3105

www.musical-express.com.br

WALDEN

G-740 CE

O violão flat de aço Walden G-740

CE possui shape Grand Auditorium,

com tampo maciço em pinho; faixa,

fundo e braço em mogno. A escala

é em jacarandá. Equipado

com tarraxas douradas,

trastes em alpaca e circuito de

captação ativo Fishman Classic

4. O acabamento é fosco.

Acompanha umidificador

Planet Waves e vem

acondicionado num bag

luxo Walden Guitars.

Contato: (11) 3081-5756 •

www.waldenguitars.com

SOFTCASE

BAGS

A empresa disponibiliza uma nova linha

de bags de pratos e caixas de bateria.

Possui porta-baquetas destacável e alças

tipo mochila. O modelo para pratos tem

cinco divisões internas e base reforçada.

Contato: (11) 3628-7200

www.softcase.com.br

110 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


PRODUTOS

BENSON

BBP225

Distribuída com exclusividade no Brasil pela

ProShows, a linha de baterias Benson está

disponível em dois modelos. A BBP225 (foto)

pode ser encontrada em preto e vermelho e

vem equipada com a seguinte configuração:

tom 12”x10”/dez afinadores; tom 13”x10”/dez

afinadores; surdo de chão 16”x16”/12 afinadores;

bumbo 22”x16”/12 afinadores; caixa em madeira

14”x6”/12 afinadores. Casco em basswood

composto de sete lâminas; ferragens cromadas

com pés duplos e inclui bancos e pratos.

Contato: (11) 3032-5010 / (51) 3554-0222

www.proshows.com.br

CONDOR

CS50CE

Este modelo de aço da Condor é

confeccionado com o tampo em pinho;

lateral, fundo e braço em mogno e

escala em jacarandá. Sua marcação é

em bolinha de madrepérola. Equipado

com circuito ativo Artec ETN-4

com afinador. Pode ser encontrado

em preto, natural, sunburst, vinho

transparente e natural vintage.

Contato: (61) 3629-9400

www.condormusic.com.br

SABIAN

AAX X-PLOSION

FAST CRASH

Lançamento, a Linha AAX X-Plosion

Fast Crash é composta de liga B20 e

chegará no Brasil em Janeiro, disponível

nas medidas 14”, 15”, 16”, 17”, 18” e 19”.

Contato: (11) 2199-2999

www.equipo.com.br

SOLID SOUND

SOUVENIRS

A empresa traz as miniaturas como sugestão de

presentes para as festas de final de ano. Os souvenirs

medem entre 11 cm e 14 cm e são fabricados em madeira.

Contato: (41) 3596-2521 • www.solidsound.com.br

METEORO

PEDAL REVOLUTION

TUBE DRIVE

Com dois canais de drive,

controles de ganho e volume e equalizador

de três bandas. Munido com uma válvula

6BQ7, é bivolt, tem baixo consumo e

dimensões de 180 x 170 x 50 mm.

Contato: (11) 2443-0088

www.amplificadoresmeteoro.com.br

112 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


OFEREÇA QUALIDADE E GARANTIA

GARANTIA*

10 anos

Desde a qualidade das matérias primas,

até os processos de fabricação.

tudo na Pearl é pensado para garantir um

instrumento perfeito e resistente.

Qualidade vale muito.

Qualidade é Pearl!

*Maiores informações sobre termos e condições da garantia no site: www.pearlbrasil.com.br/garantia


Nem gripe ne

Feira Expomusic 2009

A nova fachada do

Expo Center Norte:

muito mais imponente

Em ano de crise econômica e gripe suína, as incertezas que

assombravam a Expomusic 2009 foram logo suplantadas pelos bons

resultados nos negócios e pelos lançamentos voltados ao público infantil

Por Itamar Dantas

A

26ª edição da Expomusic foi

realizada entre os dias 23 e

27 de setembro, em São Paulo

(SP), e terminou com saldo positivo

para lojistas, representantes, fabricantes

e consumidores finais. Com

um público superior a 50 mil pessoas,

foram gerados aproximadamente R$

180 milhões em negócios, aumento

de 11% em relação ao ano passado,

mesmo patamar de crescimento em

relação a 2007/2008 (não há fornecimento

de dados sobre o número de

transações realizadas). Com esses

resultados, financeiro e visitação, a

Expomusic manteve sua posição no

ranking internacional de feiras do setor,

quarta posição, atrás da NAMM

(Los Angeles, EUA), Messe Frankfurt

(Alemanha) e Music China.

Entretanto, o cenário que se formava

às vésperas do evento não era tão otimista.

Os rumores da gripe suína não

paravam de ‘pipocar’ nos noticiários de

todo o Brasil, sobretudo pelas mortes

ocorridas em São Paulo. Dias antes da

feira, em 16 de setembro, o Ministério

114 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Feira Expomusic 2009

m crise

Mais de 50 mil pessoas visitaram o evento

Planet Waves é uma marca registrada da D’Addario & Company, Inc. ou de seus afiliados nos EUA e/ou outros países. © 2009 D’Addario & Company, Inc. Todos direitos reservados. © 2009 Apple Corps Ltd. Um produto Beatles. Todos direitos reservados.

Foram realizados

R$ 180 milhões em negócios

Correias e Palhetas Beatles

www.musical-express.com.br

Distribuição Exclusiva:

WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR 115


Feira Expomusic 2009

1. Antônio Carlos e Cláudia, Tonelli, da Musical Express; 2. Melk Rocha, da Bends Harmônicas; 3. Leandro Campos, da

Florence; 4. Vladimir Souza, da Pro Shows; 5. Carlos, Cristiano, Roberto e Cirne, da baquetas Alba; 6. Sérgio Cruz, da Equipo;

7. Maurício Odery; 8. Charlie Chang e Eliseu Susin, da Golden Guitar; 9. Leandro Vieira, da Florence

Falando de (e sobre) nosso sucesso

A Editora Música & Mercado tinha um estande que se destacava no setor de

imprensa do evento. Foi a primeira vez que a M&M teve um espaço tão grande.

Essas medidas foram essenciais para o novo projeto da M&M, o MusicTube —

site que será lançado até o final deste ano e que pretende revolucionar o setor.

Para dar andamento às inovações desse projeto, a M&M montou um estúdio de

gravação dentro de seu espaço na Expomusic. Por lá passaram empresários e

lojistas, que foram entrevistados e deram seus depoimentos sobre o setor, suas

empresas e anteciparam as tendências para 2010. Mas foram os músicos que tornaram

o espaço da M&M intransitável. Estava lotado! Isso porque,

além de serem reconhecidos do grande público, gravaram

minivideoaulas que atraíam quem passava no corredor. Sucesso

total! Estiveram lá: Arthur Maia, Hugo Hori, Leandro Ferrari,

Dino Verdade, João Castilho, Alexandre de Orio e muitos outros

músicos que totalizaram a produção de mais de cem vídeos.

Você poderá conferir no musictube.me. Aguarde e confira!

da Saúde divulgava 327 mortes pela

gripe suína no Estado paulista — era o

maior número de mortes de todo o País!

Por outro lado, a crise econômica

estava ficando para trás e 2009 estava

se tornando o ano da discussão sobre

a obrigatoriedade da música nas

escolas. Assim, as expectativas negativas

foram superadas e o que se viu

foi a presença em massa de lojistas e

empresários, que realizaram

muitos negócios,

alavancando, como tradicionalmente

acontece, as

vendas do setor.

A feira também ante-

cipou alguns números e

as expectativas para os

116 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Feira Expomusic 2009

Eventos paralelos

Empresas que apostaram em eventos concomitantes à feira, ou antes dela,

também tiveram seu reconhecimento por parte dos lojistas. As rodadas de

negócios promovidas por Tagima, Adah, Crafter, Power Click, Attack, Prime

Music, Pearl, Unic, Lyco e Anafima alavancaram ainda mais as vendas e

trouxeram mais negócios para o setor de instrumentos musicais e de áudio.

TAGIMA DREAM TEAM

No dia 22 de setembro, tradicionalmente

um dia antes da Expo-

music, ocorreu a quarta edição do

Tagima Dream Team, que, além da

fabricante de violões, contrabaixos

e guitarras, reuniu outras marcas

do setor – Santo Angelo, Audio-Technica,

Bose, LL Audio Technology,

Octagon, EM&T, Bends, Quanta

Music e NCA – para um dia inteiro

de negócios. Mais de 400 lojistas

compareceram ao evento, que também

foi aberto ao público e contou

com apresentações dos endorsers

da marca, como Edu Ardanuy, Juninho

Afram, Kiko Loureiro, Artur Maia, Ulisses Rocha, Mozart Mello, dentre outros.

No final do dia, os lojistas e empresários puderam conferir uma palestra

de Roberto Shinyashiki e o show de encerramento do evento com a banda

Nenhum de Nós. A Tagima também participou da Expomusic.

Planet Waves é uma marca registrada da D’Addario & Company, Inc. ou de seus afiliados nos EUA e/ou outros países. © 2009 D’Addario & Company, Inc. Todos direitos reservados. © 2009 Apple Corps Ltd. Um produto Beatles. Todos direitos reservados.

correias e palhetas Beatles

WWW.MUSICAL-EXPRESS.COM.BR

Distribuição Exclusiva:

Rodadas de negócios e shows dos endorses movimentaram o TDT

WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR 117


Feira Expomusic 2009

próximos anos são ainda mais promissoras.

O mercado está ansioso com a

lei que torna obrigatória a educação

musical nas escolas. Até 2012, quando

vence o prazo para implantação da lei,

o faturamento do setor deve chegar

a R$ 1,2 bilhão, segundo a Francal. É

mais do que o dobro previsto para 2009

— algo em torno de R$ 600 milhões,

ainda de acordo com a produtora. E o

número de estudantes de música deve

aumentar dos atuais 5 milhões para 34

milhões a partir de 2012, crescimento

de 580%. É muita coisa!

De olho nessas projeções, as empresas

começaram já neste ano a lançar

suas linhas especiais de equipamentos

para crianças e adolescentes. E a

Expomusic foi o palco perfeito para

esses lançamentos. Guitarras, baixos,

violões, pianos, softwares, dentre ou-

1. Rogério Raso, Pipoquinha, Arthur Maia e André Oliveira, da Santo Angelo; 2. Marcos Brandão, da Pride;

3. Equipe da Orion Cymbals; 4. Rafael Prin, da Liverpool; 5. José Luís, da Meteoro; 6. Marcelo Rossi

e Ney Nakamura, da Tagima; 7. Daniela Medeiros e Carlos César, da Condor; 8. Juliano e Rodrigo Hayashida

e Fábio Fonseca, da Tokai; 9. Nilton Corazza, da Roland; 10. Eduardo Chatzoglou, da Sparflex;

11. Nelson Alberti Elisandra Vieira e Luis Trivellato, da Quanta Music; 12. José Roberto Rozini e André Mattos, da Rozini

118 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


UNIC AUDIO

A Unic Audio realizou seu evento entre

os dias 23 e 25 de setembro, paralelamente

à Expomusic. Os lojistas pude-

ram conferir os últimos lançamentos

da empresa, como a primeira

caixa amplificada com rádio FM

digital do Brasil que, segundo Fernando

Galles, diretor da Unic, é

uma linha de amplificadores que

promete alcançar imenso sucesso

no mercado de áudio caseiro.

Feira Expomusic 2009

ANAFIMA

No dia 22 de setembro, a Anafima realizou seu evento em Guarulhos, na

Grande São Paulo, cidade-sede da associação, levando aos participantes,

formados sobretudo por fabricantes nacionais, diversas palestras que enfo-

caram os benefícios e facilidades para exportação de produtos e exploração

do mercado estadunidense.

ADAH, CRAFTER,

ATTACK E

POWER CLICK

De 22 a 24 de setembro, as empresas

Adah, Crafter, Attack e Power Click

se reuniram para montar um evento

paralelo à Expomusic. Cerca de

400 lojistas visitaram o espaço no

Hotel Holiday Inn, em São Paulo,

número que surpreendeu os organizadores. Para

Eduardo Kika, gerente de vendas da Power Click, foi

um sucesso. “A intenção era aproximar os comerciantes

e fabricantes e o resultado foi obtido. Em

2010, pretendemos realizar o evento novamente.”

FBT promove seus produtos

A italiana FBT, fabricante de equipamentos de áudio,

realizou o seminário Pro-Audio FBT no dia 22

de setembro. O evento contou com a participação

de Alan Wood, consultor da empresa para a América

Latina, e Luigi Paoloni, seu gerente de exportação. Segundo Paoloni, o evento

serviu para consolidar a entrada da FBT, diretamente distribuída desde 2008,

no mercado do Brasil e América Latina.

“Estamos orgulhosos de estar presentes

diretamente com a nossa marca no Brasil

e outros países da América Latina. Temos

a certeza de que é só o começo”.

*O seminário também será realizado em outras cidades

da América Latina nos últimos meses de 2009.

Planet Waves é uma marca registrada da D’Addario & Company, Inc. ou de seus afiliados nos EUA e/ou outros países. © 2009 D’Addario & Company, Inc. Todos direitos reservados. © 2009 Apple Corps Ltd. Um produto Beatles. Todos direitos reservados.

CORREIAS E PALHETAS BEATLES

WWW.MUSICAL-EXPRESS.COM.BR

Distribuição Exclusiva:

WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR 119


Feira Expomusic 2009

tros produtos foram especialmente

desenvolvidos para a garotada que já

quer iniciar sua vida musical. Pelo que

observamos, pais e filhos demonstraram

empolgação com essas novidades,

experimentando os equipamentos nos

estandes que os disponibilizavam.

Mas não são apenas negócios e

novos produtos que sustentam a Expomusic.

Houve muita música nos

espaços dos expositores e no Music

Hall. E as mais de 50 mil pessoas que

visitaram o evento puderam conferir

várias apresentações dos endorsers de

diversas marcas e assistir a palestras

e workshops. Em um ano com crise

econômica e gripe suína, a Expomusic

conseguiu unir diversão e bons negócios

e, o mais importante, trouxe perspectivas

positivas e resgatou o otimismo

para o nosso mercado. •

1. Nádia Barros, da Octagon; 2. Emerson Righi e Cícero Luiz, da Oversound; 3. Carlos Leite, da Giannini;

4. Márcio Zaganin, da N. Zaganin; 5. Simone Storino, da Izzo; 6. Alan Leider, da Selenium;

7. Samuel, Kiko e Márcio, da Studio R; 8. João Yamashita, da Vanral e Microdigital;

9. Carlos Eduardo, da Adah; 10. Renê Luongo e Maurício Brazolim, Atelier Áudio;

11. Vera Machado, da Di Giorgio; 12. Seizi Tagima e René Moura, da Royal Music

120 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


Feira Expomusic 2009

PRIME MUSIC

No evento realizado em 24 de se-

tembro, a Prime Music trouxe

para os convidados que visitaram

o espaço no Hotel Comfort,

também em São Paulo, os lançamentos

de suas baterias e

apresentaram para lojistas e representantes

as ações que a empresa

está desenvolvendo para

atender com excelência a distribuição dos pratos da Meinl no Brasil.

PEARL BRASIL

A Pearl realizou seu evento paralelo

no dia 24 de setembro para lançar sua

independência no mercado brasileiro:

a Pearl Brasil. Alessandro Bisetto,

gerente-geral para a América Latina,

e a diretoria da Pearl Brasil discursaram

sobre as perspectivas da empresa

no País e apresentaram alguns lançamentos

mundiais da marca que inaugurarão

esta nova fase da empresa no

mercado nacional, como o pedal Demon Drive e a conga portátil Travel Conga.

O baterista Raymond Massey e o percussionista Glen Caruba, gerentes

de produtos da Pearl, apresentaram os lançamentos e demonstraram o que

esses equipamentos são capazes de fazer nas mãos certas.

Planet Waves é uma marca registrada da D’Addario & Company, Inc. ou de seus afiliados nos EUA e/ou outros países. © 2009 D’Addario & Company, Inc. Todos direitos reservados. © 2009 Apple Corps Ltd. Um produto Beatles. Todos direitos reservados. Yellow Submarine: © 2009 Subafilms Ltd. Todos direitos reservados.

Correias e Palhetas Beatles

WWW.MUSICAL-EXPRESS.COM.BR

13. Fábio Ribeiro, da Leac’s; 14. Roberto Guariglia, da Contemporânea;

15. Pardal Ferrari e Emil Casseb, da Yamaha; 16. Rita de Cássia, da Le Son

Distribuição Exclusiva:

WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR 121


Feira Expomusic 2009

1. Roberto Hayashida, da Staff Drums; 2. Tássia e Maju Ramos, da NIG Music/Rouxinol;

3. Estande da Turbo Percussion; 4. Rui Nalin e Luis Roberto, da Eros Alto-falantes; 5. Everton Tosta, das Boquilhas Ever-Ton;

6. João Zanholo, da Staner; 7. Alan Leider, da Selenium; 8. Rogério Rego, da Habro; 9. Daniel Klajman, da Tecniforte;

10. Sérgio Cortellete, da Hayamax; 11. Hermenegildo Fran, da Michael; 12. Hélio Mestrello, da Antera;

13. Gesner Sousa, Onerr; 14. Guilherme Zauza, da Sotex; 15. Estande da Pioneer

122 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


PAINEL DE NEGÓCIOS


PAINEL DE NEGÓCIOS

FEIRA DA MÚSICA

ETAPA RECIFE

ELETRO SATELITE REPRESENTAÇÕES

Ruy Almeida

E-mail: almeidaruy@hotmail.com

Skype: ruyalmeida2

Cel.: (81) 9162.9043

PIRES REPRESENTAÇÕES LTDA.

Marcelo Pires

E-mail: mcpires@elogica.com.br

Tel.: (81) 3441.7296 • Cel.: (81) 9974.7769

ILHA REPRESENTAÇÕES E COM. LTDA.

André Angelo Braga

E-mail: ilharepresentacoes@gmail.com

Tel.: (81) 32247.0150 • Cel.: (81) 9974.3835

MEGA SOM COM. E REPRES. LTDA.

Cláudio

E-mail.: megaltda.som@terra.com.br

Tel.: (81) 3224.2648 • Cel.: (81) 9176.3173

FERGUS REPRESENTAÇÕES LTDA.

Sr. Gustavo

E-mail: repfergus@terra.com.br

Tel.: (81) 3221.2298 • Cel.: (81) 9935.9727

CARSIL REPRESENTAÇÕES LTDA.

Alayne Carvalho

E-mail: carsil@bluelink.com.br

Tel.: (81) 3423.4088 • 3423.4257 • Cel.: (81)

9977.6872

DARIO LOPES REPRESENTANTE

Dario Lopes

E-mail: elidariosilva@hotmail.com

Tel.: (81) 3432.0131

WOLMER REPRESENTAÇÕES LTDA.

Wolmer Amaral Lopes Pereira

E-mail: wolmer.rep@bol.com.br

Tel.: (81) 3422.2887 • (81) 9181.7095

AURORA REPRESENTAÇÕES LTDA.

Alisson Angelo Braga

E-mail: aurorarep@hotmail.com

Tel.: (81) 3223.4488 • 9977.7599

WORKTEC REPRESENTAÇÕES LTDA.

Emanuel Vasconcelos

E-mail: emanuel@selenium.com.br

Tel.: (81) 3268.4628 • Cel.: (81) 9971.3447

L.P.S. REPRESENTAÇÕES

Léo

E-mail: ipsrecife@ig.com.br

Tel.: (81) 3225.2901 • Cel.: (81) 9253.1380

WORKTEC REPRESENTAÇÕES LTDA.

Emanuel Vasconcelos

E-mail: emanuel@selenium.com.br

Tel.: (81) 3268.4628 • Cel.: (81) 9971.3447

GUGA GUITARS REPRESENTAÇÃO

Gustavo Pedrosa - ID: 97*1689

E-mail: gugaguitars@gmail.com

Tel.: (81) 3426.0340 • Cel.: (81) 8704.1418

TECLINFOR COM. E REPRES. LTDA.

André Lima

E-mail: andrelimarep@hotmail.com

Tel.: (81) 3224.0437 • Cel.: (81) 9909.2830


CONTATOS

As empresas abaixo são os anunciantes desta edição. Use estes contatos para obter informações sobre compras

e produtos. Para referência, mencione que você obteve a informação por meio da Música & Mercado.

INSTRUMENTOS

BENDS ..............................................11 4822-3003 • bends.com.br • 9

BENSON .................................... 51 3554-3139 • proshows.com.br • 18

EAGLE ...........................11 2931-9130 • eagleinstrumentos.com.br • 61

EQUIPO ................................. 11 2199-2999 • equipo.com.br • 91, 129

GIANNINI .................11 4028-8400 • giannini.com.br • 37, 55, 63, 123

HAMMOND ........................... 11 5535-1872 • hammond.com.br • 105

HERING ........................ 47 3338-0219 • heringharmonicas.com.br • 12

MICHAEL .................................. 31 2102-9270 • michael.com.br • 109

ROLAND ..................................... 11 3087-7700 • roland.com.br • 101

ROZINI ........................................... 11 3931-3648 • rozini.com.br • 21

TAGIMA ....................................... 11 2915-8900 • tagima.com.br • 17

WALDEN ............................ 11 3081-5756 • waldenguitars.com.br • 69

WOLF MUSIC .......................... 11 3081-5756 • wolfmusic.com.br • 33

YAMAHA ......................... 11 3704-1377 • yamahamusical.com.br • 75

AMPLIFICADORES / ÁUDIO PROFISSIONAL

BEHRINGER .................................. 11 2199-2999 • behringer.com • 16

CICLOTRON .............................. 14 3604-6000 • ciclotron.com.br • 13

DECOMAC .................................... 11 3333-3174 •decomac.com.br • 2

DOBSOM .................................. 18 3279-9600 • dobsom.com.br • 126

ETELJ ............................................... 17 3624-4415 • etelj.com.br • 95

FRAHM ................................... 47 3531-8800 • frahm.com.br • 44, 45

HAYONIK .............................. 43 3377-9800 • hayonik.com.br • 50, 51

LEACS ............................................. 11 4891-1000 • leacs.com.br • 53

LESON ........................................... 11 2198-0488 • leson.com.br • 99

LEXSEN .................................... 51 3554-3139 • proshows.com.br • 19

LL AUDIO ................................. 0800-014-19-18 • llaudio.com.br • 6, 7

LYCO .............................................. 11 3666-5574 • lyco.com.br • 131

METEORO .............11 2443-0088 • amplifi cadoresmeteoro.com.br • 85

MOUG SOUND .......................11 2636-1118 • mougsound.com.br • 49

SENNHEISER .............................. 11 2199-2999 • equipo.com.br • 111

STUDIO R ........................... 11 5031-3600 • www.studior.com.br • 124

UNIC .........................................11 3985-8008 • unicaudio.com.br • 71

VOX STORM .............................43 3178-4271 • voxstorm.com.br • 103

ACESSÓRIOS

AQUARIAN ........................... 11 3797-0100 • izzomusical.com.br • 27

CABOS GOLDEN ............... 11 3335-6110 • cabosgolden.com.br • 125

D’ADDARIO.........................11 3158-3105 • musical-express.com.br • 3

ELIXIR .........................................11 5502-7800 • elixirstrings.com • 11

EMG ............... +1 707 525 9941 • emginc.com/condormusic.com.br • 15

GIBRALTAR ........................11 3158-3105 • musical-express.com.br • 5

HOHNER ................................ 11 3797-0100 • izzomusical.com.br • 29

LACE ............................................. 11 2199-2999 • equipo.com.br • 38

PLANET WAVES ....... 11 3158-3105 • musical-express.com.br • 115, 117, 119, 121

QUANTA ...................................... 19 3741-4646 • quanta.com.br • 77

ROUXINOL .................................. 11 4441-8366 • rouxinol.com.br • 93

SG STRINGS ........................... 11 3797-0100 • izzomusical.com.br • 31

SOLID SOUND ........................ 41 3596-2521 • solidsound.com.br • 73

SPARFLEX ................................. 11 2521-4141 • sparfl ex.com.br • 132

SYGNIA ..........................................11 3255-8045 • sygnia.com.br • 41

UNO .................................11 3158-3105 • musical-express.com.br • 35

BATERIA E PERCUSSÃO

ADAH .................................... 11 2231-5352 • adahdrums.com.br • 89

ALBA ................................. 44 3029-9808 • baquetasalba.com.br • 47

C. IBAÑEZ ....................................51 3364-5422 • cibanez.com.br • 87

CONTEMPORÂNEA ... 11 3399-6022 • contemporaneamusical.com.br • 83

LUEN ................................................. 11 4448-1160 • luen.com.br • 81

MEINL ............43 3324-4405 (Prime) • 92 3234-1588 (C. Borges) • 22, 23

ORION CYMBALS ................ 11 3871-6277 • orioncymbals.com.br • 24

TYCOON ...................+1 909 393 5555 • tycoonpercussion.com.br • 79

DIVERSOS

CARISCH ....................................+39 02 8474 7949 • carisch.com • 20

STUDIO SOUND INTL ............. +1 949 460 9096 • studiosoundintl.com • 127

FEIRAS / EVENTOS

MUSIC CHINA ........... 11 5403-9500 • messefrankfurtfeiras.com.br • 10

NAMM ..............................................+1 760 438 8001 • namm.org • 8

PALM EXPO ...........................+86 10 6409 7408 • palmexpo.com • 14

Confira o calendário 2010

na pág. 106

128 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR


CINCO PERGUNTAS SOBRE

SPED

Agora não tem mais jeito. As empresas que não se adaptarem

ao novo sistema fiscal estarão sujeitas às punições previstas

em lei. Não seja uma delas, tire aqui suas principais dúvidas

sobre o Sistema Público de Escrituração Digital

Com o objetivo de combater a

sonegação e tornar o relacionamento

fiscal mais eficiente,

o governo brasileiro já começa a

praticar o Sistema Público de Escrituração

Digital, SPED. Até 2010 todas

as empresas com lucro real (tributável)

precisarão estar adaptadas

ao novo sistema. O caminho ainda

é lento. No início de outubro, apenas

30 mil já tinham aderido. Uma

grande queixa dos empresários é o

custo dessa adaptação, que demanda

investimento em tecnologia, treinamento

de pessoal e outros custos.

Mas, como tudo tem o lado bom,

vale lembrar que a implantação do

SPED é um passo inicial da Reforma

Tributária. Por conta de a fiscalização

ser em tempo real, em três níveis —

Nota Fiscal Eletrônica; SPED Contábil

e SPED Fiscal — e sem brechas para

manipulações, o governo terá dados

mais consistentes sobre quanto arrecada,

pretendendo, a partir daí, executar

planos de diminuição da carga

tributária brasileira, uma das mais altas

do mundo. Outros fatores positivos

são: forçar a modernização das empresas;

simplificar o sistema — tudo

é integrado e eletrônico, dispensando

livros contábeis e fiscais —; e também

a unificação, com formulários padronizados,

minimizando os custos para

as empresas — antes cada Estado

adotava a forma que melhor lhe convinha,

dando enorme trabalho para

companhias interestaduais.

O sistema ainda causa bastante

polêmica, sobretudo na esfera das

PMES (pequenas e médias empresas),

por isso conversamos com o consul-

Luiz Paulo Ferreira, consultor em

soluções para o setor financeiro

tor Luiz Paulo Ferreira, da ZipeCode,

empresa especializada em soluções

para o setor financeiro, para esclarecer

um pouco mais o assunto.

Todas as empresas são obrigadas a

migrar para o SPED?

Atualmente, 90 segmentos empresariais

estão sujeitos à obrigatoriedade

de emissão da Nota Fiscal Eletrônica,

NF-e [inclusive o setor de instrumentos

musicais]. Entre elas, as companhias

que recolhem o Imposto sobre

Circulação de Mercadorias e Prestação

de Serviços (ICMS) e o Imposto

sobre Produtos Industrializados (IPI).

O cronograma do governo prevê que

até o fim de 2010 quase todas as companhias

farão parte do sistema.

Como você avalia a implantação

do SPED?

Acredito ser uma excelente iniciativa,

considerando os benefícios diretos

e indiretos. Em um primeiro momento,

os investimentos e esforços

para a adaptação ao sistema preocupam

as empresas, porém, a médio e

longo prazo elas poderão verificar o

retorno positivo.

Mas qual será o real impacto nas micro,

pequenas e médias empresas?

Elas serão prejudicadas ou beneficiadas

com o SPED?

Em termos gerais, todos serão beneficiados

com a implantação do SPED.

O impacto pode variar com o porte da

empresa. No entanto, o sistema traz

simplificação e transparência para

toda a sociedade.

Quais são as principais queixas levantadas

pelas empresas sobre o

novo sistema?

Adaptar os sistemas existentes ao

novo e atender a todas as exigências

técnicas. É verdade, a adoção do SPED

depende de uma realidade de infraestrutura

tecnológica mínima por parte

das empresas.

Existem muitas dúvidas em relação

ao SPED. Como você vê o trabalho

do governo para esclarecer o novo

sistema?

Ele tem feito esforços na comunicação,

publicando em portais como o

da Receita Federal e melhorando seus

próprios sites, mas concordo que o

assunto é complexo. Além disso, à

medida que o sistema aumenta sua

abrangência, descobrem-se novas necessidades

em cada realidade. •

130 WWW.MUSICAEMERCADO.COM.BR

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!