Views
9 months ago

GAZETA DIARIO 504

08 Geral Foz do Iguaçu,

08 Geral Foz do Iguaçu, 10 a 13 de fevereiro de 2018 Fábio Campana Moro custa menos que Gleisi Gleisi Hoffmann acha "uma vergonha" o auxíliomoradia recebido por Sergio Moro, que qualifica de "artifício para aumentar o salário". Salário oficial de Moro: 28 mil reais. Salário oficial de Gleisi: mais de 33 mil. O auxílio concedido ao juiz da Lava Jato soma pouco mais de 50 mil reais por ano. Em 2017, só no item "correios", a senadora desperdiçou 56 mil e 286 reais. No ano passado, autorizada pela "cota para exercício da atividade parlamentar", a gastança de Gleisi chegou a R$376.827,61. Na rubrica "passagens aéreas, aquáticas e terrestres", foram para o ralo mais de 157 mil reais. Isso sim é uma vergonha. O time do Podemos Álvaro Dias está querendo engordar o Podemos. Negocia a filiação dos deputados Ronaldo Nogueira (PTB-RS), ex-ministro do Trabalho do governo Temer, e do ex-goleiro e deputado Darley Hinterholz, hoje no PSD. Depois de filiar os ex-jogadores Romário e Bebeto, o Podemos quer lançar a deputado os ex-jogadores Pedrinho (ex- Vasco), Felipe (ex-lateral da seleção) e o cartola Júlio Brant, que há um mês perdeu a eleição para Eurico Miranda. MST pediu Maracanã João Pedro Stédile, do MST, bateu à porta de Luiz Fernando Pezão para pedir uma ajudinha em favor de Lula, com quem o governador fluminense mantém uma ótima relação Stédile solicitou as chaves do Maracanã para que os principais movimentos sociais do país realizarem uma manifestação em junho ou julho. Pezão alertou o interlocutor desinformado que o estádio saiu do guarda-chuva do estado para as mãos de um grupo que é parceiro de Lula há anos, a Odebrecht. Brasileiro cansado "O cidadão brasileiro está cansado da ineficiência de todos nós, e cansado inclusive de nós do sistema Judiciário. Por mais que tentemos, e estamos tentando com certeza, temos um débito enorme." - ministra Carmen Lúcia, presidente do STF, durante um pronunciamento em Goiás. Maia sobre Huck "Gosto do Luciano. Em dezembro, as portas estavam abertas para ele se filiar ao partido e ser nosso candidato. Mas ele afirmou que não concorreria. O DEM buscou alternativa. E terá candidato próprio". O nome próprio do DEM é até agora o próprio Rodrigo Maia. Depois de patos, sapos Depois do pato, que virou símbolo da entidade nos protestos contra aumento de impostos, a Fiesp vai lançar uma nova campanha: Chega de Engolir Sapos, pela baixa dos juros. A ideia é fazer batráquios infláveis gigantes e colocá-los na frente de bancos privados. A estreia deve ser na própria avenida Paulista. Congresso desocupado Parece que não há muito para ser debatido entre os parlamentares. Durante a semana, a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania aprovou projeto de lei que modifica o Marco Civil da Internet. A bola da vez são os grupos de Facebook, WhatsApp e similares. As excelências querem, por lei, que usuários sejam consultados antes de serem incluídos em grupos ou receberem convites para participar de eventos em redes sociais. A autora é a senadora Vanessa Graziotin que pelo jeito faz parte de muitos grupos em redes sociais. MOBILIZAÇÃO "Trabalho infantil é crime. No carnaval e no ano todo", alerta campanha Iniciativa conjunta entre estado e município busca combater ainda a exploração sexual de menores na região da Tríplice Fronteira Bruno Soares Reportagem Uma campanha lançada neste carnaval de 2018 pelo Governo do Paraná, por meio da Secretaria da Família e Desenvolvimento Social (SEDS), em parceria com o Conselho Estadual de Assistência Social (CEAS), marca o início de ações conjuntas com a Prefeitura de Foz do Iguaçu para o fortalecimento do combate ao trabalho e exploração sexual infantil na região da Tríplice Fronteira. A iniciativa foi compartilhada durante entrevista do jornal Gazeta Diário com o responsável pela Secretaria Municipal de Assistência Social, Elias de Souza Oliveira. De acordo com o chefe da pasta, toda a programação do Carnafalls 2018 contará com equipes que buscarão conscientizar os foliões sobre a necessidade de proteção de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade. "Durante os dias de programação do carnaval, coordenado pela Fundação Cultural, a Secretaria de Assistência Social irá promover a entrega de materiais informativos para orientação dos foliões sobre a importância de resguardar nossas crianças e adolescentes. Sobretudo aqueles que se encontram em situação de vulnerabilidade social", iniciou Elias. O Carnafalls começa neste sábado (10) e segue até terça-feira (13). Divididas em ações contra o trabalho infantil e contra a exploração sexual de menores, as atividades, além do caráter informativo, serão realizadas ainda com viés de fiscalização. "Isto porque o Conselho Tutelar e as demais autoridades policiais também acompanharão toda programação do carnaval em nossa cidade. Infelizmente ainda é comum vermos nas ruas e festas crianças vendendo bebidas alcoólicas e outros produtos. Ao mesmo tempo, neste período, não são poucas as denúncias de exploração sexual infantojuvenil", declarou Elias de Souza. O trabalho será feito por meio de força-tarefa. "Quiosques serão montados no CTG Charrua, espaço que irá receber a maior parte da programação do carnaval de Foz, e também no Carnaval da Foto: Débora Klempous Autoridades fiscalizarão as atrações carnavalescas de Foz do Iguaçu para combater trabalho e exploração sexual infantil na cidade Saudade, na Rua Marechal Deodoro. Além disso, equipes volantes percorrerão os bairros", informou o secretário. Censura Questionado sobre a censura de menores idade em atrações carnavalescas, Elias ponderou que boa parte da programação está voltada para as crianças participarem, porém explicou a necessidade de acompanhamento de pais e responsáveis durante atividades noturnas. "À noite, menores de 16 anos só podem permanecer acompanhados dos pais ou responsáveis. E duran- te o dia a festa é livre, até porque tem muita programação específica para a criançada. A hora é de diversão", pontuou. Quanto ao consumo de bebida alcoólica, Elias destacou que é expressamente proibido o consumo ou o comércio por parte de menores de idade. "Consumir e vender é crime. E quem o fizer estará sujeito às ações impostas pela legislação. Quem desrespeitar isso irá ser autuado em flagrante e encaminhado à Delegacia da Polícia Civil para que as medidas cabíveis sejam tomadas", completou. Trabalho contínuo Um dos materiais impressos produzidos para a campanha capitaneada pelo estado afirma: "Trabalho infantil é crime. No carnaval e no ano todo". Com base neste argumento, o secretário de Assistência Social de Foz declarou que as atividades de combate às práticas que coloquem em risco menores na cidade serão contínuas. "Até mesmo porque há 15 dias o Conselho Tutelar e o Centro de Referência Especializado de Assistência Social estão mobilizados em identificar os principais pontos em que crianças têm parte de seus direitos violados. Exemplo disso são os semáforos da cidade, em que é comum notarmos menores comercializando diversos tipos de produtos. Existem muitos brasileiros, mas a maioria são paraguaios. E isso precisa ter uma resposta adequada", destacou. O secretário pontuou que a situação é de conhecimento das autoridades do país vizinho e clamou para que ações futuras sejam tomadas com o objetivo de se garantir maior segurança no trânsito de crianças e adolescentes na fronteira. "Não como mecanismo de censura, mas como mecanismo de proteção. E essas ações permanecerão de forma constante. Estamos abertos e dispostos a ampliarmos nosso controle para garantir mais segurança. O adulto tem sua autonomia para ir e vir na Ponte Internacional da Amizade. A criança não. Um adulto a traz pelo braço e dificilmente é sequer identificado. Isso precisa mudar", avaliou.

Foz do Iguaçu, 10 a 13 de fevereiro de 2018 SOLIDARIEDADE Geral 09 Canja do Galo Inácio espera superar a venda de cinco mil porções no Carnaval da Saudade Organização do evento pretende dobrar a comercialização do alimento; recursos arrecadados serão destinados à ONG Aldeias Infantis Bruno Soares Reportagem A Canja do Galo Inácio chega à sua 18ª edição com a expectativa de superar o número de porções comercializadas durante a realização do evento em 2017. Tradicionalmente promovida para encerrar a programação do carnaval de Foz do Iguaçu, os foliões da cidade poderão saborear a canja a partir das 17h da próxima terça-feira (13). A venda acontecerá no mesmo espaço em que será celebrado o Carnaval da Saudade, outra atração que já faz parte do calendário carnavalesco local e que é reconhecida por reunir um público formado por crianças, jovens e adultos que se divertem ao som de marchinhas e brincadeiras entre blocos de rua. A reportagem do jornal Gazeta Diário entrevistou o gestor da entidade que será contemplada com os recursos advindos da venda de porções da canja. Assim como no ano passado, a ONG Aldeias Infantis será mais uma vez agraciada. A coordenação dos trabalhos para produção e comercialização da canja está sob a responsabilidade do Rotary Club de Foz do Iguaçu — Grande Lago. "Temos a honra de mais uma vez sermos contemplados com o resultado da comercialização da famosa Canja do Galo Inácio. Isso é uma honra muito grande, e nos sentimos muito felizes por fazermos parte deste projeto tão querido pelos foliões iguaçuenses", compartilhou Alex Thomazi, gestor da ONG Aldeias Infantis. Durante a entrevista, o diretor da entidade lembrou que esta será a segunda vez que a ONG participará do evento e destacou que em 2019 outra entidade deverá ser contemplada. "Para que haja uma rotatividade e que outras entidades possam ser agraciadas também para reforçarem suas ações na cidade. Estamos pela segunda vez consecutiva por uma questão de sorte", avaliou. Para o idealizador da Canja do Galo Inácio, Rogério Bonato, "o evento atinge a maioridade, 18 anos de existência, com os olhos no futuro" Foto: Roger Meireles Canja do Galo Inácio será realizada em paralelo ao Carnaval da Saudade, entre 17h e 22h, na Rua Marechal Deodoro, centro de Foz "Isto porque em 2017, a menos de 15 dias do início do carnaval, o jornalista Rogério Bonato nos convidou em cima da hora para participarmos da Canja. Ocorreu algo com a entidade que estava para assumir o trabalho, e terminamos por sermos escolhidos. Mesmo que de última hora, o evento foi um absoluto sucesso. Vendemos mais de 2.800 porções de canja, e todo mundo adorou", lembrou Alex Thomazi. Com mais tempo para preparar a canja e organizar sua comercialização, a direção da ONG espera vender mais de cinco mil porções neste ano. "Isso será certamente alcançado. Acredito porque fizemos da primeira vez no susto, sem muita experiência, da forma que foi possível. Muita gente ajudou, e deu certo. Nesta edição estamos com tudo programado. Contamos muito com os foliões e a sociedade de Foz do Iguaçu para que prestigie a nossa canja e nos ajude a batermos esta meta. Conseguiremos", acredita. O dinheiro arrecadado em 2017 com a Canja do Galo Inácio girou em torno de R$ 8.700. De acordo com Alex Thomazi, os recursos foram investidos no financiamento do projeto Escola de Pais. "Com este dinheiro conseguimos bancar o projeto por um bom período. Foi fundamental para o bom funcionamento da ONG. Esperamos repetir em 2018 e decidimos estender o repasse destes recursos para outro projeto, o Tecendo o Futuro", explicou. Escola de Pais Conforme descrição no site da ONG, o projeto Escola de Pais tem por objetivo fortalecer os vínculos familiares já fragilizados a fim de prevenir a perda do cuidado parental e, com isso, o acolhimento de crianças e adolescentes. A iniciativa atende, de maneira indireta, adolescentes e jovens residentes de quatro bairros da cidade: Cidade Nova, Porto Meira, Morumbi e Três Lagoas. Tecendo o Futuro O Tecendo o Futuro trabalha com a questão de geração de renda por meio da oferta de cursos profissionalizantes. Entre as atividades constam aulas de crochê, bordado e pedrarias para mulheres. Maioridade Para o idealizador da Canja do Galo Inácio, o evento atinge a maioridade — 18 anos de existência — com os olhos no futuro. "Foram dois anos difíceis, 2017 e 2018, mas graças ao empenho dos voluntários, tanto do Rotary como do Aldeias Infantis, a Canja se manteve viva. Trabalharam tanto com este propósito no ano passado, e em tão curto espaço de tempo, que nada mais justo do que prestigiar a mesma entidade este ano. O propósito de vender cinco mil canjas significa arrecadar uma soma considerável de recursos em prol dos atendidos, e esta é a missão do evento. Imagino que, a exemplo do ano passado, superarão a meta e sem perder o espírito carnavalesco que a Canja imprime", concluiu Bonato.