20.04.2022 Views

O Amor que aprisiona

  • No tags were found...

Create successful ePaper yourself

Turn your PDF publications into a flip-book with our unique Google optimized e-Paper software.

E S P E C I A L I S T A<br />

R O S E F R A N Ç A<br />

O “ A M O R ” Q U E<br />

APRISIONA<br />

R E L A C I O N A M E N T O S Q U E S Ã O<br />

A F E T A D O S D E F O R M A T R Á G I C A .


SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL<br />

Seja uma linda ou uma trágica<br />

história o amor sempre está<br />

presente na vida do ser humano;<br />

sem ele nos sentimos vazios, ocos<br />

por dentro, amargos e tristes.<br />

Quando se fala de relacionamento<br />

não tem como deixar o amor de<br />

fora.<br />

Os relacionamentos são movidos<br />

pela ação desse sentimento, <strong>que</strong><br />

para muitos também é sinônimo<br />

de decisão.<br />

ROSE FRANÇA<br />

Especialista da Saúde e<br />

Bem-estar do Casal<br />

O “AMOR” QUE<br />

APRISIONA –<br />

DEPENDÊNCIA<br />

EMOCIONAL<br />

O amor é um tema muito<br />

falado, assim como a<br />

dependência emocional.<br />

Muitos de nós temos histórias<br />

de amor e romances para<br />

compartilhar.<br />

<strong>Amor</strong> de mãe, amor à primeira<br />

vista, amor platônico, amor<br />

próprio, amor amizade, amor<br />

eterno.<br />

SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL<br />

O problema para muitas pessoas é<br />

confundir o amor com<br />

dependência.<br />

Na minha experiência<br />

acompanhando casais, famílias,<br />

relacionamentos diversos e<br />

também na minha vida pessoal<br />

percebi pessoas presas na cadeia<br />

da dependência emocional em<br />

nome do amor.<br />

Nessa leitura eu <strong>que</strong>ro ajudar<br />

homens e mulheres a entenderem<br />

<strong>que</strong> amar alguém não significa<br />

depender exclusivamente dessa<br />

pessoa.<br />

Depender o tempo todo da<br />

aprovação de alguém é um dos<br />

sinais da dependência emocional.<br />

E, por ser confundida por um<br />

sentimento tão nobre e profundo<br />

tem levado pessoas a uma vida de<br />

angústia e tristeza, uma prisão.<br />

Os relacionamentos são afetados<br />

de forma trágica.


A pessoa tem dificuldades de<br />

identificar suas qualidades e<br />

virtudes.<br />

Perde sua autonomia, sua<br />

autoestima e a sua felicidade<br />

depende da presença do outro,<br />

do direcionamento do outro.<br />

Ela não é feliz consigo mesma e<br />

por consequência não consegue<br />

fazer os outros felizes.<br />

O QUE É<br />

DEPENDÊNCIA<br />

EMOCIONAL?<br />

A Associação de Saúde Mental<br />

da América define a<br />

dependência emocional como.<br />

“Uma condição emocional e<br />

comportamental <strong>que</strong> afeta a<br />

capacidade de um indivíduo de<br />

ter um relacionamento<br />

mutualmente saudável e<br />

satisfatório”.<br />

Portanto, a dependência<br />

emocional é o apego excessivo<br />

a outra pessoa, <strong>que</strong> pode ser o<br />

seu cônjuge ou parceiro,<br />

parente ou amigo.<br />

A pessoa acredita <strong>que</strong> sua<br />

formação depende da opinião e<br />

reconhecimento de terceiros.<br />

SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL


SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL<br />

Quando não tratada pode evoluir<br />

para sintomas graves, como:<br />

depressão, transtornos alimentares,<br />

transtornos de ansiedade, insônia e<br />

até auto destruição.<br />

Ela interfere diretamente na vida<br />

conjugal, e nos relacionamentos<br />

em geral, e pode levar o<br />

relacionamento ladeira abaixo.<br />

.<br />

É importante entender <strong>que</strong> amor<br />

não é dependência emocional.<br />

Existe uma grande diferença, e eu<br />

<strong>que</strong>ro te ajudar a entender isso.<br />

Muitas pessoas tendem a deturpar<br />

essa visão e vendem a ideia de <strong>que</strong><br />

dependência é amor.<br />

Por isso, é bem comum<br />

confundirem esses sentimentos.<br />

O amor se concentra na outra<br />

pessoa, nas suas qualidades e em<br />

tudo aquilo <strong>que</strong> a torna “perfeita”<br />

pra você.<br />

Ao contrário do amor a<br />

dependência emocional é um<br />

sentimento vazio <strong>que</strong> precisa ser<br />

preenchido por alguém e faz com<br />

<strong>que</strong> a pessoa <strong>que</strong> sofre disso se<br />

sinta totalmente carente da<br />

presença, opiniões, direções,<br />

decisões e atenção da outra pessoa.<br />

Ela não consegue desenvolver a sua<br />

individualidade de forma saudável<br />

e como consequência tem a<br />

autoestima afetada.<br />

Ela se sente incompleta e necessita<br />

da outra pessoa para se sentir viva.<br />

Além do próprio sofrimento, ela<br />

coloca um fardo na vida da outra<br />

pessoa por expectativas criadas e<br />

<strong>que</strong> nem sempre serão<br />

correspondidas, gerando uma<br />

pressão na vida da outra pessoa e<br />

conse<strong>que</strong>ntemente desenvolvendo<br />

um relacionamento tóxico.<br />

O dependente <strong>que</strong>r ser o centro do<br />

mundo do outro.<br />

E quase sempre ele vai recorrer a<br />

manipulações e chantagens<br />

emocionais.<br />

Essa pressão e desgaste pode<br />

deixar a relação instável e<br />

totalmente comprometida.<br />

A pessoa dependente tenta isolar<br />

seu cônjuge, amigo ou familiar para<br />

<strong>que</strong> a atenção seja só para si.<br />

O dependente é totalmente sem<br />

noção e nem sempre está<br />

consciente do seu comportamento.<br />

Ele alimenta a ideia de um<br />

relacionamento perfeito.<br />

O fato é <strong>que</strong> esse tipo de<br />

relacionamento não é saudável<br />

para ambas as partes.<br />

A causa da dependência emocional<br />

envolve vários fatores, o <strong>que</strong> torna<br />

complexo esse incômodo<br />

emocional sem a ajuda de um<br />

profissional.<br />

SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL


SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL<br />

“Bution e Wechsler (2016)<br />

caracterizam a dependência<br />

emocional como um transtorno por<br />

comportamentos aditivos em<br />

relacionamentos amorosos.<br />

Outros estudiosos afirmam <strong>que</strong> a<br />

dependência emocional é um<br />

transtorno no qual o indivíduo é<br />

dependente do amor do parceiro e<br />

faz de tudo para não o perder,<br />

prestando cuidados e atenção de<br />

maneira repetitiva, impulsiva e sem<br />

controle com o objetivo de evitar o<br />

abandono.<br />

Segundo Villa-Moral, Servente,<br />

Venero e Cuentos (2018), a<br />

dependência emocional é descrita<br />

como um tipo de dependência<br />

sentimental caracterizada pela<br />

manifestação da interdependência<br />

relacional.”<br />

A dependência emocional é um<br />

transtorno caracterizado por<br />

comportamentos aditivos em<br />

relacionamentos amorosos.<br />

PRECISANDO DE UM<br />

CONSELHO SOBRE<br />

ESTE ASSUNTO?<br />

ACESSE O PROGRAMA ESPAÇO<br />

NOVO DIA E SOLICITE SEU<br />

CONSELHO GRATUITAMENTE.<br />

Segundo pesquisas a dependência<br />

emocional é uma patologia<br />

apresentada com frequência nas<br />

clínicas de psicologia, tendo como<br />

característica o comportamento de<br />

cuidado e atenção pelo outro, e<br />

conse<strong>que</strong>ntemente não demonstra<br />

mais interesse por assuntos <strong>que</strong> até<br />

então tinha valor.<br />

Permanecendo em<br />

relacionamentos conjugais<br />

insatisfatórios.<br />

EU QUERO<br />

SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL


A dependência emocional atinge<br />

mais mulheres em função <strong>que</strong> elas<br />

valorizam mais a relação a dois e<br />

tudo o <strong>que</strong> a mesma envolve.<br />

Desde crianças as meninas são<br />

ensinadas e educadas a cuidar da<br />

casa e dos filhos,<br />

conse<strong>que</strong>ntemente do cônjuge.<br />

Historicamente as mulheres<br />

sempre foram estimuladas a<br />

ocuparem lugares de cuidadoras,<br />

desde a vida pessoal, até a vida<br />

profissional.<br />

Dentro dos relacionamentos<br />

conjugais o cuidar parece ter um<br />

peso ainda maior, o estar disponível<br />

para o outro passa a ideia de amor<br />

verdadeiro.<br />

Aspectos de cunho neurológico<br />

envolvidos nas relações amorosas<br />

utilizam das mesmas vias neurais<br />

<strong>que</strong> substâncias psicoativas.<br />

Ativando o sistema de recompensa<br />

do cérebro, criando sistema de<br />

dependência similar (Fisher, Aron, &<br />

Brown, citados por Bution &<br />

Weschler, 2016).<br />

Segundo Sirvent, a dependência<br />

em relacionamentos é<br />

caracterizada por comportamentos<br />

adicionais tendo como base os<br />

relacionamentos interpessoais.<br />

A pessoa <strong>que</strong> é dependente<br />

emocional não se sente capaz de<br />

cuidar da sua estrutura emocional,<br />

perdendo assim sua identidade.


SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL<br />

A dependência emocional está<br />

ligada a uma relação de Co<br />

dependência.<br />

Em <strong>que</strong> é uma disfunção na qual o<br />

indivíduo perde a sua identidade<br />

para agradar os outros.<br />

Tendo dificuldade de entrar em<br />

contato com o seu interior,<br />

passando a viver, cuidar e controlar<br />

o outro.<br />

Dependentes emocionais são<br />

pessoas psicologicamente<br />

vulneráveis <strong>que</strong> manifestam<br />

cegueira um ao outro.<br />

O <strong>que</strong> pode ser explicado pela<br />

conjunção de ilusões e/ou<br />

atribuições, hedonismo e<br />

expectativas.<br />

Segundo estudiosos a dependência<br />

emocional é apresentada como um<br />

padrão <strong>que</strong> envolve aspectos<br />

cognitivos, emocionais.<br />

Motivacionais e comportamentais<br />

orientados para o outro como fonte<br />

de satisfação e segurança pessoal.<br />

O <strong>que</strong> implica crenças errôneas<br />

sobre o amor, a vida como casal e a<br />

si mesmo.<br />

Melo e Mota (2013) apontam a<br />

dependência emocional como<br />

causa para baixa confiança do<br />

indivíduo nas relações<br />

estabelecidas, com repercussões no<br />

seu bem-estar psicológico.<br />

SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL


SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL<br />

Alguns autores traçam o perfil do<br />

dependente emocional através de<br />

sentimentos negativos como<br />

tristeza, desânimo, culpa,<br />

insatisfação.<br />

Medo da solidão, baixa tolerância à<br />

frustração, e tédio, além de um<br />

forte vácuo emocional juntamente<br />

com os desejos de autodestruição.<br />

Eles tendem a experimentar um<br />

estado mental disfórico médio e<br />

um acentuado sentimento de<br />

incapacidade emocional.<br />

Indivíduos com dependência<br />

emocional experimentam altos<br />

níveis de medo ao pensar <strong>que</strong> o seu<br />

relacionamento pode terminar.<br />

Por esse motivo, impedirá <strong>que</strong> isso<br />

venha acontecer por todos os<br />

meios e é possível <strong>que</strong> tolere<br />

comportamentos <strong>que</strong> variam de<br />

desatenções simples e esporádicas<br />

por parte do seu parceiro a insultos<br />

e ofensas repetitivas, incluindo<br />

agressões físicas.<br />

Se a qual<strong>que</strong>r momento o seu<br />

parceiro decidir encerrar o<br />

relacionamento, ele implorará para<br />

<strong>que</strong> o outro reconsidere a sua<br />

decisão.<br />

Implorará para <strong>que</strong> lhe dê uma<br />

nova oportunidade, pedirá perdão<br />

por falhas <strong>que</strong> não cometeu e,<br />

assumirá toda a responsabilidade<br />

para <strong>que</strong> o relacionamento não<br />

termine.


SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL<br />

Ele demonstrará resistência ao<br />

término desse relacionamento e, se<br />

o rompimento ainda ocorrer.<br />

Ele manterá uma comunicação<br />

direta ou indireta, como por<br />

exemplo, a verificação as redes<br />

sociais.<br />

Quando a reciprocidade não existe<br />

para o dependente emocional, o<br />

mesmo costuma ter<br />

comportamentos habituais como<br />

choro.<br />

Perseguição obsessiva, invasão,<br />

persistência dos comportamentos.<br />

Pessoas com dependência<br />

emocional, assumem papel de<br />

submisso e de subordinado ao<br />

parceiro.<br />

Nesse contexto, um dos cônjuges<br />

obedecerá ao <strong>que</strong> o outro disser,<br />

sem avaliar cognitivamente esses<br />

pedidos, ou ordens.<br />

Os interesses pessoais ficarão em<br />

segundo lugar e provavelmente<br />

serão ignorados.<br />

PRECISANDO DE UM<br />

CONSELHO SOBRE<br />

ESTE ASSUNTO?<br />

ACESSE O PROGRAMA ESPAÇO<br />

NOVO DIA E SOLICITE SEU<br />

CONSELHO GRATUITAMENTE.<br />

EU QUERO<br />

Não terá o direito de comentar<br />

nenhum aspecto do<br />

relacionamento, nem a liberdade<br />

de expressar o <strong>que</strong> o incomoda no<br />

outro.<br />

Gradualmente, proibições,<br />

humilhações, e aceitação<br />

incondicional são instaladas no<br />

relacionamento, <strong>que</strong> já constitui<br />

abuso psicológico.


SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL<br />

Este tipo de relacionamento<br />

também abre espaço para a<br />

violência física, a subordinação e a<br />

submissão são consolidadas, a<br />

dependência emocional se torna<br />

crônica e a violência por parte do<br />

parceiro íntimo é consolidada.<br />

Segundo estudiosos, a<br />

dependência emocional, através da<br />

submissão psicológica do<br />

indivíduo, faz com <strong>que</strong> bus<strong>que</strong> no<br />

parceiro uma forma de suprir a sua<br />

carência afetiva.<br />

Os relacionamentos conjugais nem<br />

NATALIA sempre são vividos de DE forma<br />

saudável.<br />

SOUZA SOUZA<br />

Um dos cônjuges pode apresentar<br />

Sexcoach<br />

comportamentos e atitudes<br />

exageradas, demandas afetivas<br />

insatisfatórias, exigindo <strong>que</strong> o<br />

companheiro supra suas<br />

necessidades.<br />

O relacionamento saudável seria<br />

a<strong>que</strong>le em <strong>que</strong> os dois se dedicam<br />

ao relacionamento havendo troca e<br />

equilíbrio.<br />

As pessoas com dependência<br />

emocional estabelecem relações<br />

assimétricas de forma <strong>que</strong> se<br />

colocam sempre no polo inferior à<br />

pessoa amada.<br />

Tal situação pode ocasionar<br />

prejuízos nas atividades do<br />

cotidiano, já <strong>que</strong> surge a<br />

necessidade excessiva de estar com<br />

o outro para conseguir estabilidade<br />

emocional.<br />

Por vezes, chega a abandonar<br />

compromissos pessoais, não<br />

cumprir com as responsabilidades<br />

profissionais e renunciar os próprios<br />

anseios em função da necessidade<br />

de estar com o outro.<br />

FASES DO<br />

RELACIONAMENTO<br />

EMOCIONALMENTE<br />

DEPENDENTE.<br />

Segunda fase: subordinação O<br />

desiquilíbrio toma conta do casal<br />

devido aos papéis já estabelecidos<br />

de dominação e subordinação, para<br />

assim não haver o rompimento do<br />

relacionamento.<br />

Terceira fase: deterioração. Além<br />

da fase da submissão e dominação,<br />

a terceira agrega humilhação,<br />

violência, maus-tratos físicos ficam<br />

evidentes para terceiros.<br />

Quarta fase: ruptura ou síndrome<br />

de abstinência. Onde o casal rompe<br />

o relacionamento, o dependente<br />

emocional busca a reconciliação,<br />

pois não aceita a separação, tem<br />

dificuldade de aceitação em<br />

relação a dor e a solidão <strong>que</strong><br />

acarreta o estar sozinho.<br />

Quinta fase: relacionamentos de<br />

transição. Após o rompimento, o<br />

dependente emocional procura<br />

outro parceiro para preencher o<br />

vazio existente, o relacionamento é<br />

temporário, até <strong>que</strong> encontre o<br />

parceiro certo.<br />

SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL


SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL<br />

Sexta fase: reinício do ciclo.<br />

Término de um ciclo e o início de<br />

outro.<br />

RELAÇÕES<br />

CONJUGAIS – A<br />

MUDANÇA DO<br />

CENÁRIO<br />

No passado era muito comum a<br />

mulher dependente emocional no<br />

relacionamento conjugal.<br />

A manutenção dos<br />

relacionamentos familiares era<br />

compreendida como<br />

responsabilidade das mulheres,<br />

elas cuidavam das crianças, e dos<br />

homens.<br />

Hoje com o empoderamento<br />

feminino a situação mudou.<br />

Muitas relações conjugais<br />

chegaram a outro extremo.<br />

Da dependência emocional para a<br />

independência total.<br />

PRECISANDO DE UM<br />

CONSELHO SOBRE<br />

ESTE ASSUNTO?<br />

ACESSE O PROGRAMA ESPAÇO<br />

NOVO DIA E SOLICITE SEU<br />

CONSELHO GRATUITAMENTE.<br />

As mulheres se encontram<br />

independentes, com isso, o cenário<br />

mudou.<br />

Não é somente responsabilidade da<br />

mulher manter os relacionamentos<br />

familiares.<br />

ir espaço com o maior<br />

envolvimento masculino.<br />

EU QUERO<br />

SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL


SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL<br />

Um outro olhar sobre<br />

relacionamentos, em <strong>que</strong> a<br />

construção social de mulheres e<br />

homens está permeada é pela<br />

desigualdade de gênero.<br />

Conforme o discurso das mulheres,<br />

o homem pensa ser o detentor do<br />

saber, do poder e da razão, se acha<br />

dono da mulher, e <strong>que</strong> está develhe<br />

subserviência e obediência,.<br />

Sem poder expressar os seus<br />

desejos, vontades e pontos de vista,<br />

sem poder jamais discordar do <strong>que</strong><br />

o seu companheiro pensa.<br />

Tudo isso podendo levar ao<br />

desgaste da relação do casal e até<br />

mesmo à violência conjugal.<br />

Os relacionamentos conjugais<br />

despontam como forma de<br />

interação <strong>que</strong> apresentam<br />

elementos positivos e negativos,<br />

capazes tanto de contribuir para a<br />

qualidade de vida quanto para o<br />

sofrimento.<br />

Sabe-se <strong>que</strong> os relacionamentos<br />

conjugais, quando considerados<br />

uma fonte de bem-estar, são um<br />

importante fator de proteção da<br />

saúde mental.<br />

Favorecendo o crescimento<br />

individual e a satisfação conjugal.<br />

“Um fator importante <strong>que</strong> envolve o<br />

relacionamento conjugal é a<br />

atribuição <strong>que</strong> um parceiro faz<br />

sobre a responsabilização da<br />

felicidade sobre o outro.<br />

SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL


8ª Temporada<br />

ELE/ELA<br />

SENTE<br />

CIÚMES DO<br />

T7E16 - Ele / Ela Sente Ciúmes do<br />

Meu Passado, o <strong>que</strong> fazer?<br />

MEU<br />

PASSADO, O<br />

QUE FAZER?<br />

OUÇA AGORA!<br />

Ouvir Podcast


SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL<br />

Isto acontece quando não há uma<br />

complementação das necessidades<br />

pessoais, <strong>que</strong> assim serão<br />

projetadas no companheiro.<br />

Tal fato marca a importância da<br />

diferenciação para o sucesso dos<br />

relacionamentos conjugais”<br />

(Manente, 2019).<br />

Muitos casais se tornam “funcionais”<br />

e não experimentam a plenitude da<br />

vida a dois para viverem um<br />

relacionamento satisfatório e<br />

saudável.<br />

JOLEIDE<br />

Uns se tornam dependente<br />

emocional<br />

CARMEM<br />

sufocando o<br />

companheiro, outros vivem uma<br />

independência Especialista da descabível Saúde e e tornam<br />

o Bem-estar relacionamento do Casal frio e sem vida.<br />

As influências familiares, quando<br />

maléficas, podem <strong>aprisiona</strong>r o<br />

avanço conjugal.<br />

A partir da intensidade desses<br />

registros, manifestando obstáculos.<br />

Levando a sentimentos de<br />

desilusões e comportamentos <strong>que</strong><br />

tendem a blo<strong>que</strong>ar o avanço do<br />

casal.<br />

Originando dificuldades na<br />

evolução do relacionamento<br />

amoroso.<br />

Pelo medo de perder o parceiro e<br />

ficar sozinha/o, acaba vivendo a vida<br />

do outro e adotando<br />

comportamentos nocivos como<br />

podem ser o ciúme excessivo e a<br />

submissão.<br />

•Dependência parental<br />

Já ouviu falar de alguma relação<br />

entre pais e filhos <strong>que</strong> tem um tom<br />

de apego emocional excessivo?<br />

A dependência emocional também<br />

pode surgir em relações dentro da<br />

família.<br />

Em muitos casos, ela está atrelada à<br />

Alienação Parental<br />

– quando um dos pais distorce a<br />

imagem do(a) parceiro(a) para os<br />

filhos<br />

– sendo caracterizada por um<br />

conjunto de comportamentos.<br />

Acontece <strong>que</strong> ela surge, em muitos<br />

dos casos, quando há uma<br />

separação do casal ou quando o<br />

clima está bem <strong>que</strong>nte entre o<br />

casal, <strong>que</strong> utiliza os filhos como<br />

“ferramentas” para atacar o outro.<br />

•Dependência<br />

emocional do trabalho<br />

Ao se ligarem pelas vias do<br />

casamento, os cônjuges unem<br />

também seus valores, suas crenças<br />

e diferentes modos de<br />

pensamentos.<br />

SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL<br />

Afeta diretamente o bem-estar<br />

pessoal do indivíduo, <strong>que</strong> pode<br />

passar a sofrer de ansiedade,<br />

estresse, depressão, insônia e até<br />

deixar de aproveitar os momentos<br />

fora do trabalho.


SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL<br />

Os modelos trazidos por cada<br />

cônjuge, a partir da sua família de<br />

origem, não são simplesmente<br />

somados.<br />

Mas contribuem para a criação de<br />

uma nova família.<br />

A fim de se construir uma<br />

identidade conjugal, alguns<br />

aspectos podem permanecer, se<br />

fundir ou ser modificado no<br />

processo da construção conjugal.<br />

“As crenças construídas por cada<br />

cônjuge ao longo das vivências com<br />

as suas famílias de origem estariam<br />

incluídas na constituição dessas<br />

representações” (Alves, Scorsolini &<br />

Santos, 2016).<br />

SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL<br />

No entanto, é possível a construção<br />

de um relacionamento conjugal<br />

bem sucedido, dia após dia.<br />

Consolidado pelo enfrentamento<br />

dos conflitos, pelas oportunidades<br />

de os indivíduos irem se<br />

reconhecendo dentro da relação e<br />

por passarem a enxergar o outro<br />

real, sem o recurso da fantasia.<br />

Podemos compreender, então, <strong>que</strong><br />

o <strong>que</strong> move a busca por<br />

relacionamentos conjugais, e o <strong>que</strong><br />

faz com <strong>que</strong> um relacionamento<br />

seja bem sucedido.<br />

Depende principalmente das<br />

escolhas das pessoas envolvidas”<br />

(Carvalho & Rocha, 2018).<br />

“A visão <strong>que</strong> cada indivíduo tem de<br />

suas necessidades amorosas são<br />

subjetiva e cada um vai se adaptar<br />

ao <strong>que</strong> cabe à sua necessidade, de<br />

acordo com o meio em <strong>que</strong> foi<br />

criado.<br />

A partir das histórias <strong>que</strong> ouviu<br />

quando era criança e também pelo<br />

<strong>que</strong> lhe agrada no outro.<br />

Não cabe julgar a forma de amor<br />

<strong>que</strong> desperta o interesse do outro.<br />

Um relacionamento adulto pode<br />

envolver a perda da<br />

individualidade, pela entrega total<br />

ao outro.<br />

E a perda da privacidade,<br />

principalmente, no uso dos<br />

recursos do mundo virtual.<br />

TIPOS DE<br />

DEPENDÊNCIA<br />

EMOCIONAL:<br />

-Dependência emocional dos pais<br />

(ou materna): é o estado de<br />

dependência acima da média do<br />

filho em relação a sua mãe ou pai.<br />

Geralmente o mais comum é a<br />

dependência da mãe.<br />

O filho se sente subordinado a mãe<br />

e não consegue se desenvolver<br />

emocionalmente de forma madura<br />

e independente.<br />

Mais tarde, ao se envolver com uma<br />

pessoa essa condição poderá<br />

fatalmente arruinar seu<br />

relacionamento.<br />

SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL


-Dependência emocional no<br />

relacionamento (a dois ou<br />

amizade): a parte dependente tem<br />

tanto medo de perder o parceiro ou<br />

parceira <strong>que</strong> pode desenvolver um<br />

comportamento tão prejudicial a<br />

ponto de ser submissa ao extremo<br />

ou desenvolver um ciúme<br />

excessivo.<br />

- Dependência emocional do<br />

ambiente social: nesse caso há<br />

uma necessidade excessiva de ser<br />

reconhecido e aprovado em<br />

qual<strong>que</strong>r ambiente.<br />

Caso isso não aconteça a pessoa<br />

entre em pânico.<br />

Ela <strong>que</strong>r aprovação e não suporta a<br />

ideia de se tornar servil ou invisível.<br />

SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL<br />

- Suas emoções são reprimidas.<br />

- Não defende a própria opinião.<br />

- Tem excesso de ciúmes.<br />

Para se sentir bem é necessário<br />

a presença do outro.<br />

- Não toma decisões sozinho(a),<br />

sem a interferência dos pais.<br />

- Quer aprovação o tempo todo<br />

nos ambientes <strong>que</strong> fre<strong>que</strong>nta.<br />

CONSEQUÊNCIAS DA<br />

DEPENDÊNCIA<br />

EMOCIONAL NO<br />

RELACIONAMENTO<br />

SINAIS NOS SEUS<br />

RELACIONAMENTOS QUE<br />

PODEM INDICAR QUE<br />

VOCÊ SOFRE TEM<br />

DEPENDÊNCIA<br />

EMOCIONAL:<br />

-Cuidado excessivo com o<br />

parceiro ou parceira.<br />

- Foco da felicidade se<br />

concentra apenas em uma<br />

pessoa.<br />

- Autoestima está<br />

comprometida.<br />

- O <strong>que</strong> o(a) seu (sua)<br />

companheiro(a) pensa de você é<br />

o <strong>que</strong> mais importa.<br />

AMOROSO:<br />

- Insegurança;<br />

- Insatisfação;<br />

- Ciúme excessivo;<br />

- Brigas e discussões;<br />

- Falta de diálogo;<br />

- Falta de sexo;<br />

- Comunicação violenta;<br />

- Infidelidade;<br />

- Agressões;<br />

- Divórcio; entre outros.<br />

TRANSTORNO DE<br />

PERSONALIDADE<br />

DEPENDENTE<br />

(TPD)<br />

SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL


SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL<br />

Segundo o Manual MDS, transtorno<br />

de personalidade dependente<br />

(TDP) é caraterizado por uma<br />

necessidade generalizada e<br />

excessiva de ser cuidado, levando à<br />

submissão e comportamentos<br />

viscosos.<br />

O diagnóstico é por critérios<br />

clínicos.<br />

O tratamento é com psicoterapia e<br />

possivelmente antidepressivos.<br />

Em pacientes com transtorno de<br />

personalidade dependente, a<br />

necessidade de ser cuidado resulta<br />

na perda de sua autonomia e<br />

interesses.<br />

Como são intensamente ansiosos<br />

sobre cuidar de si mesmos, eles se<br />

tornam excessivamente<br />

dependentes e submissos.<br />

Estima-se <strong>que</strong> menos de 1% da<br />

população norte-americana<br />

geralmente tenha transtorno de<br />

personalidade dependente.<br />

É diagnosticado com mais<br />

frequência nas mulheres, mas, em<br />

alguns estudos, a prevalência entre<br />

homens e mulheres foi semelhante.<br />

Comorbidades são comuns. Os<br />

pacientes muitas vezes também<br />

têm transtorno depressivo<br />

(transtorno depressivo maior ou<br />

transtorno depressivo persistente),<br />

transtorno de ansiedade,<br />

alcoolismo ou outro transtorno de<br />

personalidade (p. ex., borderline,<br />

histriônico).<br />

ETIOLOGIA<br />

Informações sobre as causas do<br />

transtorno de personalidade<br />

dependente são limitadas.<br />

Considera-se <strong>que</strong> fatores culturais,<br />

experiências precoces negativas e<br />

vulnerabilidades biológicas<br />

associadas com ansiedade<br />

contribuam para o<br />

desenvolvimento do transtorno de<br />

personalidade dependente.<br />

Traços familiares como submissão,<br />

insegurança e comportamento<br />

discreto também podem<br />

contribuir.<br />

SINAIS E<br />

SINTOMAS<br />

IPacientes com transtorno de<br />

personalidade dependente não<br />

acham <strong>que</strong> possam cuidar de si<br />

mesmos.<br />

Eles usam a submissão para tentar<br />

fazer outras pessoas cuidarem<br />

deles.<br />

Pacientes com esse transtorno<br />

geralmente exigem muita<br />

reafirmação e aconselhamento ao<br />

tomar decisões comuns.<br />

Eles muitas vezes deixam <strong>que</strong><br />

outros, fre<strong>que</strong>ntemente uma única<br />

pessoa, assumam a<br />

responsabilidade por muitos<br />

aspectos de suas vidas.<br />

SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL


SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL<br />

Por exemplo, eles podem depender<br />

do cônjuge para dize o <strong>que</strong> vestir,<br />

<strong>que</strong> tipo de trabalho procurar e<br />

com <strong>que</strong>m se associar.<br />

Esses pacientes se consideram<br />

inferiores e tendem a menosprezar<br />

suas habilidades;<br />

Eles tomam qual<strong>que</strong>r crítica ou<br />

desaprovação como prova de sua<br />

incompetência, minando ainda<br />

mais a sua confiança.<br />

É difícil <strong>que</strong> eles expressem<br />

desacordo com os outros por<strong>que</strong><br />

temem perder suporte ou<br />

aprovação.<br />

Eles podem concordar com algo<br />

<strong>que</strong> sabem <strong>que</strong> é errado, em vez de<br />

correr o risco de perder a ajuda dos<br />

outros.<br />

Mesmo quando a irritação é<br />

adequada, eles não ficam com raiva<br />

de amigos e colegas de trabalho<br />

por medo de perder seu apoio.<br />

Como esses pacientes têm a<br />

certeza de <strong>que</strong> eles não podem<br />

fazer nada por conta própria.<br />

Eles têm dificuldade em iniciar<br />

uma nova tarefa e trabalhar de<br />

forma independente, e evitam<br />

tarefas <strong>que</strong> exijam assumir<br />

responsabilidade.<br />

Eles se apresentam como<br />

incompetentes e precisando de<br />

ajuda e reafirmação constantes.<br />

Quando assegurados de <strong>que</strong> uma<br />

pessoa competente está<br />

supervisionando e aprovando-os,<br />

esses pacientes tendem a funcionar<br />

de forma adequada.<br />

Mas eles não <strong>que</strong>rem parecer muito<br />

competentes para <strong>que</strong> não sejam<br />

abandonados.<br />

Como resultado, suas carreiras<br />

podem ser prejudicadas.<br />

Eles perpetuam sua dependência<br />

por<strong>que</strong> tendem a não aprender<br />

habilidades da vida independente.<br />

Esses pacientes fazem de tudo para<br />

obter cuidado e suporte (p. ex.,<br />

realizar tarefas desagradáveis.<br />

Submeter-se a exigências<br />

descabidas, tolerar abuso físico,<br />

sexual ou emocional).<br />

Estar sozinho faz com <strong>que</strong> se<br />

sintam extremamente<br />

desconfortáveis ou com medo<br />

por<strong>que</strong> temem <strong>que</strong> não possam<br />

cuidar de si mesmos.<br />

Os pacientes com transtorno da<br />

personalidade dependente tendem<br />

a interagir socialmente somente<br />

com algumas pessoas das quais<br />

dependem.<br />

Quando um relacionamento íntimo<br />

termina.<br />

Os pacientes com esse transtorno<br />

tentam imediatamente encontrar<br />

um substituto.<br />

SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL


Por causa de sua necessidade<br />

desesperada de ser cuidado, eles<br />

não discriminam ao escolher um<br />

substituto.<br />

Esses pacientes temem o<br />

abandono por parte da<strong>que</strong>les de<br />

<strong>que</strong> dependem, mesmo quando<br />

não há nenhuma razão para isso.<br />

DIAGNÓSTICO<br />

·<br />

·Clínica critério (Diagnostic and<br />

Statistical Manual of Mental<br />

Disorders, Fifth Edition [DSM-5])<br />

Para o diagnóstico do<br />

transtorno de personalidade<br />

dependente, os pacientes<br />

devem ter<br />

Necessidade persistente e<br />

excessiva de serem cuidados,<br />

resultando em submissão e<br />

apego<br />

Essa necessidade persistente<br />

manifesta-se pela presença de ≥<br />

5 dos seguintes:<br />

·<br />

·<br />

·<br />

SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL<br />

Dificuldade para expressar<br />

discordância com os outros<br />

por<strong>que</strong> eles temem perder<br />

suporte ou aprovação<br />

Dificuldade para iniciar projetos<br />

por conta própria por<strong>que</strong> eles<br />

não estão confiantes em seu<br />

julgamento e/ou habilidades<br />

(não por<strong>que</strong> não têm motivação<br />

ou energia)<br />

Disposição de fazer tudo (p. ex.,<br />

realizar tarefas desagradáveis)<br />

para obter o apoio de outros<br />

Sentimentos de desconforto ou<br />

desamparo quando estão<br />

sozinhos por<strong>que</strong> temem não<br />

poderem cuidar de si mesmos<br />

·Necessidade urgente de<br />

estabelecer um novo<br />

relacionamento com alguém<br />

<strong>que</strong> fornecerá cuidados e<br />

suporte quando um<br />

relacionamento íntimo termina<br />

Preocupação irrealista com<br />

medo de serem abandonados<br />

para cuidar de si mesmos<br />

·<br />

·Dificuldade em tomar decisões<br />

diárias sem uma quantidade<br />

excessiva de conselhos e<br />

asseguramento por outras<br />

pessoas<br />

Necessidade de fazer com <strong>que</strong><br />

outros sejam responsáveis por<br />

muitos aspectos importantes<br />

das suas vidas<br />

Além disso, os sintomas devem<br />

ter ocorrido no início da idade<br />

adulta.<br />

SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL


SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL<br />

DIAGNÓSTICO<br />

DIFERENCIAL<br />

Vários outros transtornos de<br />

personalidade são caracterizados<br />

por hipersensibilidade à rejeição.<br />

Mas eles podem ser distinguidos do<br />

transtorno de personalidade<br />

dependente com base em aspectos<br />

característicos, como a seguir:<br />

·Transtorno de<br />

personalidade borderline:<br />

Pacientes com esse transtorno têm<br />

muito medo de submeterem-se ao<br />

mesmo grau de controle <strong>que</strong> os<br />

pacientes com transtorno de<br />

personalidade dependente.<br />

Pacientes com transtorno de<br />

personalidade borderline,<br />

diferentemente da<strong>que</strong>les com<br />

transtorno de personalidade<br />

dependente.<br />

Vacilam entre submissão e<br />

hostilidade raivosa.<br />

·Transtorno de<br />

personalidade esquiva:<br />

Pacientes com transtorno de<br />

personalidade esquiva se afastam<br />

até <strong>que</strong> tenham certeza de <strong>que</strong> eles<br />

serão aceitos sem críticas; em<br />

comparação, a<strong>que</strong>les com<br />

transtorno de personalidade<br />

dependente procuram e tentam<br />

manter relacionamentos com os<br />

outros.<br />

·Transtorno de<br />

personalidade histriônica:<br />

pacientes com esse transtorno<br />

buscam atenção em vez de<br />

asseguramento (como fazem<br />

a<strong>que</strong>les com transtorno de<br />

personalidade dependente), mas<br />

eles são mais desinibidos.<br />

Eles são mais exuberantes e<br />

buscam ativamente atenção;<br />

a<strong>que</strong>les com transtorno de<br />

personalidade dependente são<br />

discretos e tímidos.<br />

O transtorno de personalidade<br />

dependente deve ser diferenciado<br />

da dependência <strong>que</strong> está presente<br />

em outros transtornos psiquiátricos<br />

(p. ex., transtornos depressivos,<br />

transtorno do pânico, agorafobia).<br />

Os pacientes com esse transtorno<br />

também têm muito medo de se<br />

submeter ao mesmo grau de<br />

controle a <strong>que</strong> os pacientes com<br />

transtorno de personalidade<br />

dependente se submetem.<br />

SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL


SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL<br />

TRATAMENTO PARA SUPERAR<br />

·Terapia cognitivocomportamental<br />

·Psicoterapia psicodinâmica<br />

·Possivelmente,<br />

antidepressivos<br />

O tratamento geral do transtorno<br />

de personalidade dependente é<br />

semelhante à<strong>que</strong>le para todos os<br />

transtornos de personalidade.<br />

Psicoterapia psicodinâmica e<br />

terapia cognitivo-comportamental<br />

<strong>que</strong> fo<strong>que</strong>m no exame dos medos<br />

de independência e dificuldades<br />

com assertividade podem ajudar os<br />

pacientes com transtorno de<br />

personalidade dependente.<br />

Os médicos devem ter cuidado<br />

para não promover a dependência<br />

no relacionamento terapêutico.<br />

Há poucas evidências sobre a<br />

terapia medicamentosa para<br />

transtorno de personalidade<br />

dependente.<br />

Inibidores da monoamina oxidase<br />

(IMAOs), <strong>que</strong> são eficazes no<br />

transtorno de personalidade<br />

esquiva, podem ser eficazes, assim<br />

como inibidores seletivos da<br />

recaptação da serotonina (ISRS)<br />

podem ser.<br />

Benzodiazepínicos não são usados<br />

por<strong>que</strong> pacientes com transtorno<br />

de personalidade dependente têm<br />

maior risco dependência de drogas<br />

A DEPENDÊNCIA<br />

EMOCIONAL<br />

VOCÊ PRECISA<br />

APRENDER A<br />

VIVER BEM COM<br />

VOCÊ MESMO.<br />

DEPENDÊNCIA<br />

EMOCIONAL TEM<br />

CURA?<br />

O <strong>que</strong> existe é um trabalho em<br />

conjunto com o dependente para<br />

encontrar o caminho <strong>que</strong> está<br />

dentro do próprio dependente de<br />

saber lidar com as adversidades da<br />

vida e com o relacionamento com<br />

os outros.<br />

O tratamento mais comum é a<br />

psicoterapia. É muito importante<br />

procurar um profissional<br />

especializado para amenizar o<br />

sofrimento, buscar soluções e até<br />

mesmo economizar tempo e<br />

dinheiro.<br />

A dependência emocional é<br />

patológica. Te <strong>aprisiona</strong> e não é<br />

amor. Ao identificar os sinais<br />

procure ajuda de um Especialista.<br />

SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL


LEMBREM-SE, CONSULTAR UM<br />

ESPECIALISTA DA<br />

SAÚDE E BEM-ESTAR DO<br />

CASAL<br />

É PRIMORDIAL, TANTO PARA TE<br />

AJUDAR A DETECTAR POSSÍVEIS<br />

PROBLEMAS QUE ESTÃO AFETANDO<br />

SEU RELACIONAMENTO TANTO NA<br />

RESOLUÇÃO DOS MESMOS.


SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL<br />

PROFISSIONAIS<br />

AJUDAM<br />

GRATUITAMENTE<br />

CASAIS EM TODO O<br />

MUNDO<br />

Especialistas da Saúde e do<br />

Bem-estar do Espaço Novo Dia<br />

ajudam gratuitamente casais<br />

em todo mundo a melhorarem<br />

seu relacionamento e vida<br />

afetiva.<br />

Muitos casais experimentam<br />

conflitos diários em seu<br />

relacionamento; seja por conta<br />

do estresse do dia a dia, da<br />

rotina de trabalho, dos filhos,<br />

entre vários outros motivos.<br />

Esses conflitos podem<br />

prejudicar substancialmente o<br />

bem-estar do casal e seu<br />

relacionamento familiar.<br />

Se você está se<br />

perguntando como<br />

realmente é essa<br />

profissão, o <strong>que</strong> faz<br />

um especialista de<br />

saúde e bem-estar do<br />

casal, como ele se<br />

prepara para ajudar<br />

em um<br />

relacionamento e<br />

como trabalha, este<br />

artigo é para você!


O Espaço Novo Dia foi criado,<br />

através do MM Academy -<br />

Instituto Educacional, para<br />

ajudar você a ter um<br />

relacionamento, mas não como<br />

algo temporário e, sim, ensiná-lo<br />

a enfrentar qual<strong>que</strong>r <strong>que</strong> seja os<br />

desafios <strong>que</strong> estejam na sua vida<br />

e a experimentar uma<br />

experiência de melhoria de vida<br />

duradoura junto ao seu<br />

parceiro(a).<br />

O programa faz parte do Instituto<br />

Educacional MM Academy,<br />

fundado em 2016 pela ABRAMESI<br />

– Associação Brasileira dos<br />

Profissionais da Saúde e Bemestar<br />

do Casal, com objetivo de<br />

oferecer qualificação e formação<br />

profissional para a<strong>que</strong>las pessoas<br />

interessadas a ingressar nesta<br />

profissão e a transformarem vidas<br />

de casais em todo o mundo.<br />

No decorrer de seus 5 anos de<br />

existência o MM Academy já<br />

formou mais de 1.500 alunos em<br />

19 Estados Brasileiros e 9 países<br />

diferentes como Japão, Peru,<br />

Argentina, Paraguai, México,<br />

Alemanha, Suíça, Irlanda e<br />

Portugal.<br />

O programa oferece consultas e<br />

tratamentos gratuitos,<br />

oferecidos por profissionais<br />

Especialistas da Saúde e Bem-<br />

Estar de todo mundo, <strong>que</strong><br />

realiza consultas e tratamentos<br />

para pessoas <strong>que</strong> precisam<br />

melhorar seu relacionamento,<br />

mas não tem condições<br />

financeiras de pagar.<br />

São oferecidas consultas<br />

gratuitas pela internet, grupos<br />

de apoio, aconselhamento, e<br />

acompanhamento diário no<br />

intuito de ajudar o casal a<br />

resolver de vez situações <strong>que</strong><br />

causam mal estar em seu<br />

relacionamento ou vida pessoal.<br />

95% dos alunos estão satisfeitos<br />

com o curso e atuam na área<br />

transformando a vida de milhares<br />

de casais pelo mundo.<br />

O curso de Especialista em Saúde<br />

e Bem-estar do casal é destinado<br />

a pessoas <strong>que</strong> gostam de falar<br />

sobre relacionamento e fazer<br />

disso sua profissão e criar seu<br />

próprio negócio - Não é necessário<br />

ter uma formação anterior na área<br />

da saúde.<br />

O maior <strong>que</strong>sito para se encaixar<br />

no perfil do curso é <strong>que</strong>rer<br />

transformar a vida de casais,<br />

sendo bem remunerado por isso.


No site do Espaço Novo Dia você<br />

tem todas as informações acerca<br />

do programa, além de<br />

riquíssimos conteúdos de leitura<br />

para te auxiliar em todo o<br />

processo.<br />

Basta você ir até lá, preencher a<br />

solicitação de consulta gratuita e<br />

aguardar <strong>que</strong> um profissional<br />

logo entrará em contato.<br />

Ajudar duas pessoas em suas<br />

dificuldades para alcançar o<br />

relacionamento <strong>que</strong> desejam é<br />

um trabalho maravilhoso.<br />

Quando pensamos em um<br />

especialista de casais, nos<br />

referimos a "alguém <strong>que</strong> ouve ou<br />

sabe dar bons conselhos", mas<br />

essa profissão vai muito além<br />

desses conceitos simples.<br />

Para você <strong>que</strong> está com algum<br />

tipo de problema no seu<br />

relacionamento, ou então para<br />

você <strong>que</strong> <strong>que</strong>r mudar de vida e<br />

dar a<strong>que</strong>le gás nas suas finanças.<br />

PRECISANDO DE UM<br />

Vale a pena conferir<br />

CONSELHO SOBRE<br />

ESTE ASSUNTO?<br />

ACESSE O PROGRAMA ESPAÇO<br />

NOVO DIA E SOLICITE SEU<br />

CONSELHO GRATUITAMENTE.<br />

EU QUERO<br />

SAÚDE BEM-ESTAR DO CASAL


ROSE FRANÇA<br />

Rose<br />

França<br />

Especialista da Saúde<br />

e Bem-estar do Casal<br />

Acesse agora ou Agende sua Consulta

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!