Jornal PROJECTO 12-15 N.º 1 (PDF - Escola Intercultural

escolaintercultural.pt

Jornal PROJECTO 12-15 N.º 1 (PDF - Escola Intercultural

Número 1 10 de Dezembro de 2010 Coordenadores: José Silva, Paula Leandro, Rui Sebastião, Vânia Lopes Edição Gráfica: José Silva Director: João Silva

Colaboradores: Adelino Serras. Alcibíades. Américo. Amílton Gomes.

Anabela Rodrigues. Ana Clara Ribeiro. Ana Coelho. Ana Patrícia. Ana Rita

Coutinho. Ana Sofia Pereira. André Silva. Ariana Portelada.

Bruninhodabazuca. Bruno. Bruno Pinto. Dárcio. David Graça. Diogo. Fábio.

Fábio Santos. Francisco Leite. Gil. Gonçalo. Hélder. Helena Silva. Isa

Delgado. Jorge Ramos. José. Juvenal. Leonardo Moreno. Márcio. Marco

Martinho. Marco Pina. Marina. Miguel. Neuza Pinto. Rita Amado. Ruben.

Sidra. Tiago. Ulisses.

.

Todos podemos aprender, mas nem todos

aprendemos da mesma maneira.

Esta é uma verdade que todos aceitamos, mas

que muitas vezes ignoramos. O nosso

compromisso de combater a exclusão é cada

vez mais oportuno e um desafio mais presente

e, todos os dias, mais exigente.

O conhecimento é a forma mais eficiente e

eficaz de combater a exclusão e de promover

o desenvolvimento. Temos a possibilidade de

escolher o caminho que queremos percorrer,

essa escolha muitas vezes não é fácil.

Questionamo-nos em momentos de reflexão,

que legado vamos deixar às gerações futuras

de forma que perdure na memória a nossa

marca, o que fomos e o que fizemos?

A resposta que em minha opinião melhor

satisfaz esta questão é o Conhecimento e a

Cultura.

Este é o caminho que escolhemos percorrer, e

é nele que vamos gravando a nossa história e

marcando a nossa impressão digital. No

passado, alguns tinham “jeito para estudar”,

hoje todos temos o direito de aprender. Este é

um direito, que nunca podemos nem devemos

abdicar.

“ Se o homem não sabe a que porto se

dirige, nenhum vento lhe será favorável”

Séneca

Adelino Serras

Notícias, opiniões, sugestões, comentários, mensagens, informações e

muito mais. Este espaço é teu e é para ti. Uma vez por período, terás

aqui tudo o que de bom :) e de mau :( se passou e passará na nossa escola

e informações sobre os mais diversos assuntos. Ajuda-nos e colabora

connosco, para a próxima edição ser ainda melhor que esta.

1


.

Fruto de uma aposta continuada, decorreu no dia 28 de Outubro, a

PRIMEIRA Assembleia Geral de Orientação do Projecto 12-15 deste ano

lectivo. A afluência foi grande, cerca de 50 alunos. A Assembleia decorreu de

forma a atingir os objectivos propostos, os alunos mostraram-se empenhados

em colaborar apresentando várias sugestões: alguns aspectos a melhorar,

fazer exposições sobre grandes nomes do Continente Africano (Mandela,

Amílcar Cabral e outros).

Foram anunciadas diversas actividades, algumas delas recebidas com enorme

entusiasmo, como o novo jornal de parede (fizemos bem/fizemos mal/vamos

fazer/novas ideias).

A Assembleia terminou em grande euforia, com a entrega de um televisor para

a zona de convívio, fruto da organização e reivindicação dos alunos.

2


.

Quem não gosta de desvendar mistérios?

Toda a gente gosta! E é por isso, que no próximo período te vamos apresentar uma

personagem que é um verdadeiro mestre dos enigmas e mistérios. Já adivinhaste de quem estamos a

falar? Elementar, meus caros! Trata-se de um dos mais conhecidos personagens da literatura Inglesa: o

detective Sherlock Holmes.

Sherlock Holmes é uma personagem de ficção da literatura britânica criada pelo médico e escritor Sir

Arthur Conan Doyle. Segundo Conan Doyle, Sherlock Holmes viveu em Londres, num apartamento na 221

B Baker Street, entre os anos 1881 e 1903, onde passou muitos anos na companhia do seu amigo e colega,

Dr. Watson. Hoje esse endereço é um museu dedicado a Sherlock Holmes. O chapéu, a lupa e o cachimbo

são alguns dos elementos que o caracterizavam.

O Halloween vem de Dia de Todos os Santos. Em

inglês, diz-se All Hallows Day e a noite anterior a este dia é

muito importante, por isso Halloween é uma abreviatura de

All Hallows Eve - "Noite de Todos os Santos"!

Acreditava-se que, na Noite das Bruxas, os fantasmas voltavam à Terra em

busca de alimento e companhia para levarem para o outro mundo. Assim, as

pessoas pensavam que se saíssem de casa nessa noite, podiam encontrar

almas penadas. Por isso, para não serem reconhecidas pelos fantasmas,

usavam máscaras quando saíam de casa, para serem confundidas com os

espíritos que andavam à solta a tentarem apanhar almas vivas. E para manter

os espíritos afastados das suas casas, colocavam tigelas de comida à porta para

os satisfazer e os impedir de entrar. Também para se proteger, carregavam

lanternas, porque a luz e os fantasmas não se dão muito bem... Uns são da

noite e das trevas (escuridão e morte) e a luz significa a vida.

A tradição de dar doces, guloseimas e frutas veio dos duendes (e da Irlanda),

que eram considerados maus pelos antigos celtas. Nessa noite, eles gostavam

de pregar partidas ("tricks") aos humanos. Para lhes agradar e evitar as suas

maldades, as pessoas deixavam doces e frutas ("treats") à porta das suas casas.

Daí surgiu a famosa frase "trick ou treat" que dizem as crianças norteamericanas

(e canadianas) quando celebram o Halloween, o Dia das Bruxas, e

pode ser traduzida como "doce ou travessura".

Já reparaste que a história do “Pão por Deus” das crianças portuguesas

pedirem à porta das casas é parecida com a das crianças norte-americanas?

Queres saber mais

sobre Sherlock

Holmes? Como é que

ele desvendava os

mistérios? Então,

não podes perder

nem uma única

aula de Inglês no

próximo período!

O dia começou cinzento e ameaçava estragar as actividades programadas para celebrar o

Halloween no Projecto 12-15. Os alunos assistiram à primeira aula do dia, ao longo da

qual organizaram as suas equipas e definiram estratégias. Empenharam-se em decorar as

suas salas para viver a festividade com pompa e circunstância.

Toca a campainha para dar início ao intervalo e, eis que começa a chover

torrencialmente. Os alunos começam a ficar agitados com a possibilidade dos jogos

previstos para festejar o Halloween não se realizarem. Os professores trocaram algumas

ideias para tentarem encontrar uma solução para evitar o cancelamento dos jogos. Ideia

luminosa! Alguns dos jogos seriam realizados nas zonas exteriores cobertas, debaixo dos

telheiros, e outros seriam realizados dentro das salas.

Os jogos começaram com o “jogo da corda”. Duas equipas tinham de puxar a corda na sua

direcção para fazer com que a equipa adversária ultrapassasse o risco…e

depois…Vitória! A recompensa esperada foi saboreada com muita alegria, o tão desejado

doce. Correram rapidamente para o posto 2, o “jogo da maçã” onde um elemento de

cada equipa tinha de tirar com a boca uma maçã que se encontrava presa por um fio.

Este jogo arrancou muitas gargalhadas e foram poucos os que conseguiram a desejada

maçã. Mais uma corrida e chegámos ao posto 3. Aqui, um elemento da equipa tinha de

conseguir levar o “ovo” (bola de ténis de mesa) até à chegada, sem fazer uma gemada,

e tinha de chegar primeiro que o adversário. Os colegas de equipa incentivavam o seu

representante e até a chuva dava o seu apoio, fazendo cair as suas gotas com uma

intensidade cada vez maior para se fazer ouvir. Para que esta pudesse assistir melhor aos

jogos do Halloween, o posto 4 estava localizado no exterior e implicava uma “corrida de

sacos”. O grande vencedor podia acrescentar mais uns doces à conta da sua equipa.

A animação era evidente e a vontade de doces também! Ai, a conta do dentista! Por

último, os alunos tinham de acertar o passo para uma “corrida a três pés”, uns mais

coordenados do que outros lá conseguiram terminar a prova.

The End…

Para mim, o Projecto 12-15 é uma maneira de respeitar os outros. Eu era muito mal comportado e desde que vim para o 12-15 melhorei muito. Na minha outra

escola, eu faltava muito às aulas e respondia mal às minhas professoras e funcionárias, mas agora melhorei muito porque vim para esta escola.

Eu gosto de estar aqui porque as professoras tratam-me muito bem e as aulas são muito fixes. Em todas as aulas, aprendemos coisas novas. Eu gosto muito de

fazer desenhos, não sei explicar porquê, mas gosto. Às vezes, as professoras chamam-me à atenção por causa de estar a desenhar nas aulas e chego a ir para a rua

sem necessidade nenhuma, mas é bom para eu abrir os olhos, pois tenho de aprender que não se deve desenhar nas aulas. A minha professora favorita é a

professora (…) porque ela é muito simpática.

Fábio Santos - Turma I - Projecto 12-15

Para mim, o Projecto 12-15 é muito fixe (…) gosto da escola, dos monitores, dos

professores, das senhoras do bar, do senhor João e do senhor do portão. E gosto dos

meus colegas. O Projecto 12-15 é giro. (…) Tenho de estudar muito para poder ir para um

curso.

Ariana Portelada – Turma I – Projecto 1215

3


Já se encontra a decorrer o campeonato de Futebol de

5, em que participam todas as turmas do Projecto 12-

15, dos CEF’s e dos PIEF’s. Tendo já sido realizados

alguns jogos, o balanço é positivo e a experiência

gratificante para todos os intervenientes. Embora

durante os jogos, por vezes, as coisas “aqueçam”, no

final reina sempre o desportivismo. Este torneio

decorrerá durante todo o ano lectivo. Consulta o

calendário de jogos, organiza uma claque, aparece e…

.

Natal é festejar,

Comprar presentes e partilhar,

Natal é carinho

Com muitos beijos e presentinhos.

Amor é beijar, pegar bundas

E apalpar, amor é um coração

Que quando se parte é porque

Fizemos um grande asneirão.

Bruninhodabazuca:tj1215

Desde que entrei neste Projecto

tenho estado muito mais atento

nas aulas do que na minha outra

escola. (…) Gosto muito dos meus

professores e dos meus colegas.

Marco Martinho – Turma I –

Projecto 12-15

A turma L partilhou connosco os seus

desejos para este Natal.

Então, vejamos o que têm eles a pedir ao Pai Natal:

Para este Natal o meu desejo é…

“Que eu e o meu irmão consigamos ser jogadores de futebol.

Desejo felicidade para a minha família e fé em Deus.”

Tiago

“Que todos tenhamos um feliz Natal com muita paz. Desejo felicidade, sem brigas e que os

meus pais se juntem para termos um feliz Natal e um bom Ano Novo,

muitas alegrias na família e que ninguém se separe. “

Gonçalo

“… passar de ano.”

Fábio

“… passar o Natal com a minha família toda.”

Hélder

“…passar o Natal com os meus colegas de turma.”

Bruno

“…que todos na minha família sejam felizes e tenham saúde.”

Américo

“…passar de ano, porque já chumbei outros anos e agora que encontrei este Projecto quero

aproveitar.”

C.

“…saúde para a minha família e que Deus ajude a mãe e os meus irmãos.”

Ulisses

“…ajudar a minha mãe a fazer a árvore. Também desejo, quando sair da escola,

ir trabalhar e ser médica para ajudar a minha família.”

Sidra

Então e tu? O que desejas para este Natal?

A turma de AAE2 em colaboração com a Técnica de Acompanhamento

Neuza Pinto irá, este mês, dar início a um projecto intitulado “O Mundo a

meus Pés” cujo objectivo principal é ouvir os adolescentes, do concelho

da Amadora, e as suas ideias sobre temas como a sexualidade, drogas,

violência na escola e na relação, gravidez na adolescência, métodos

contraceptivos, etc.

Fugir…

Sempre que pensas que foges e constróis caminhos para a tua fuga,

lembra-te que há sempre alguém que te vai procurar. Para nós serás

sempre importante. Enganas-te se pensas que te esqueceremos.

Connosco aprenderás que o melhor caminho não é a fuga, mas o

conhecimento, a brincadeira, os amigos. A Escola Intercultural

quer-te aqui no Pólo da Reboleira!

Anabela Rodrigues

BODY COMBAT é uma aula cardiovascular em que trabalhas todo o

teu corpo. É altamente enérgico e inspirado em movimentos de várias artes

marciais (karaté, boxe, taekwondo, tai chi, muay thai, capoeira, etc.). Vais

realizar diversas coreografias ao som de música entusiasmante e poderosa.

4


Quando cheguei à escola pensava que mandava aqui, mas as coisas mudam. Quando vim para esta escola, deixei-me disso. (…) Respeito os professores e todos os

outros. Já deixei essa porcaria de vida (roubar), prefiro esta vida, pois sou respeitado e respeito os outros.

.

Os alunos do Projecto 12-15

começaram a trabalhar no atelier de pintura sobre a obra de Jean Michel Basquiat.

Jean-Michel Basquiat nasceu em Nova Iorque em 22 de Dezembro de 1960. Filho de Gerard (Haiti) e de Matilde

(Porto-Rico). Desde cedo teve problemas familiares, devido ao divórcio dos pais, acabando por fugir várias vezes

de casa.

Em 1977 entra numa escola para crianças dotadas com dificuldades de integração. Lá conhece Diaz e com ele

inventam a figura SAMO, assinatura que usavam para espalhar as suas obras pelas paredes da cidade. Em 1979

"SAMO morreu", após um conflito entre Basquiat e Diaz.

Depois de viver durante algum tempo na rua, vivendo das suas pinturas para ganhar algum dinheiro, Basquiat

começa a aparecer num programa da TV por cabo após conhecer Glenn O'Brien. Isto permitiu-lhe maior fama,

sendo convidado a participar num filme (Downtown 81), investindo o dinheiro do filme em materiais para pintar.

Em 1982 realiza a primeira exposição intitulada “Anatomia”. Nesse mesmo ano conhece Andy Warhol, e a partir

daqui os dois partilham uma série de trabalhos e bases teóricas, participando em diversas exposições juntos.

Com a morte de Andy Warhol, em 1987, Basquiat fica inconsolável e a sua carreira entra em declínio. Morre e é

enterrado em Brooklyn a 17 de Agosto de 1988.

No nosso dia-a-dia quem não gosta de ver

reconhecido o seu esforço, trabalho e dedicação?

Segundo José Bancaleiro, do Semanário Sol, o

reconhecimento é uma necessidade humana

fundamental, pois para qualquer indivíduo, receber

feedback e ser atempadamente reconhecido por um

trabalho ou acto positivo é muito importante não só para

o seu desenvolvimento, mas também para a sua autoestima

e felicidade.

Se numa empresa, houver reconhecimento do valor do

trabalho dos colaboradores pelos chefes, este acto

provocará um aumento da satisfação e motivação dos

funcionários, levando a um crescimento da sua

focalização, produtividade e lealdade e,

consequentemente, a um aumento da qualidade do

serviço prestado, maior satisfação dos clientes e aumento

do retorno financeiro da empresa. Assim, também numa

escola devemos contribuir para que uma palavra sincera e

merecida, dada por um professor ao aluno no momento

certo, estimule a sua motivação, auto-estima e melhore o

nível de resultados que deseja alcançar.

André Silva – Turma I – Projecto 12-15

Pelo aluno Amílton Gomes – Turma J – Projecto 12-15

Para mim, o Projecto 12-15 é um projecto para adolescentes que vieram de outras escolas porque se portavam mal

ou porque tinham dificuldades de aprendizagem. (…) Gosto da escola, aliás, acho a escola diferente das outras (…).

Temos professores e monitores impecáveis (…)

Isa Delgado – Turma I – Projecto 12-15

Biosfera, Ecossistema, Habitat, Biodiversidade.

Estes são alguns dos interessantes temas tratados na disciplina de Estudo do Meio. Eis aqui alguns factos acerca do “nosso” Lobo Ibérico.

O Lobo-Ibérico (Canis Lupus Signatus) é uma subespécie do Lobo Cinzento que habita na Península Ibérica. Outrora muito abundante, a sua

população actual deve rondar os 2000 indivíduos, dos quais cerca de 300 habitam a região norte de Portugal.

O Lobo é um animal social, que vive em grupos familiares (as alcateias) constituídas por um casal reprodutor e os seus descendentes

directos. Uma alcateia é constituída por cerca de 3 a 12 animais.

O Lobo ibérico é facilmente identificável porque possui um aspecto semelhante ao de um cão de grandes dimensões. Em Portugal os lobos

adultos possuem um peso de 35 a 55Kg, sendo as fêmeas geralmente mais pequenas.

O lobo está presente nas serras mais agrestes do Centro e Norte de Portugal, com grande evidência nas montanhas do Parque Nacional da

Peneda-Gerês, o Parque Natural de Montesinho e Parque Natural do Alvão. Este animal está em risco de extinção.

5


Para mim, o Projecto 12-15 é um projecto que ajuda as pessoas a fazerem o

sexto ano. O Projecto recebe os alunos que já passaram a idade escolar para

frequentar o sexto ano e que as outras escolas recusam, ajuda-os a

conseguirem fazer o sexto ano. Para mim, o Projecto serve para as pessoas

acabarem o sexto ano e poderem tirar um curso, dá uma segunda

oportunidade a estes alunos.

A minha experiência no Projecto 12-15 ainda não acabou, mas eu queria

que nunca acabasse porque esta escola, para mim, é como se fosse uma

família. Acolheu-me e deu-me uma nova oportunidade para acabar o sexto

ano.

No primeiro dia que cheguei à escola, olhei em volta e pensei para comigo

“isto vai ser só brincadeira e faltar às aulas, faltar ao respeito aos

professores…” Mas, passado algum tempo, fui ao gabinete da Doutora

Helena e numa das paredes estava lá escrito: “Projecto 12-15, combate ao

abandono escolar”, e eu pensei para comigo “Então, eu estou aqui porque fui

rejeitado pela outra escola”. Vim para esta escola, a que as outras pessoas

chamam de escola de bandidos e ladrões, mas eu tenho muito orgulho nesta

escola e quero continuar a estudar aqui.

Os professores estão cá para nos ajudar, não para serem mal tratados e

desrespeitados. Nós somos pessoas que não têm confiança nas suas

capacidades, mas os professores dão-nos força para nunca desistirmos. E

quero agradecer à nossa directora de turma pelo apoio que nos tem dado

nestes dois anos e, também, aos outros professores, monitores e directores.

Bruno Pinto – turma I – Projecto 12-15

"Num dia tempestuoso ia São Martinho, valoroso soldado ,

montado no seu cavalo, quando viu um mendigo quase nu,

tremendo de frio, que lhe estendia a mão suplicante e gelada. S.

Martinho não hesitou: parou o cavalo, poisou a sua mão

carinhosamente na do pobre e, em seguida, com a espada cortou

ao meio a sua capa de militar, dando metade ao mendigo.

E, apesar de mal agasalhado e de chover torrencialmente,

preparava-se para continuar o seu cam inho, cheio de felicidade.

Mas, subitamente, a tempestade desfez -se, o céu ficou límpido e

um sol de Estio inundo u a terra de luz e calor.

Diz-se que Deus, para que não se apagasse da memória dos

homens o acto de bondade praticado pelo Santo, todos os anos,

nessa mesma época, cessa por alguns dias o tempo frio e o céu e

a terra sorriem com a bênção dum sol quente e miraculoso.

.

LENDA POPULAR

No dia de S. Martinho vai à adega e prova o teu vinho.

Mais vale um castanheiro do que um saco com dinheiro.

Pelo S. Martinho mata o teu porquinho e semeia o teu cebolinho.

Se o Inverno não erra caminho, tê-lo-ei pelo S. Martinho.

Dia de S. Martinho, lume, castanhas e vinho.

Pelo S. Martinho semeia favas e vinho.

Para mim, o Projecto 12-15 é muito fixe. É a escola mais fixe do mundo e temos professores

muito fixes. Jogamos à bola e outras actividades muito boas. (…) Vou-me esforçar para passar de

ano (…) quero prestar atenção às aulas, respeitar os professores e os colegas. Quero fazer o meu

trabalho com exigência, organizar o meu dossier e este ano se Deus quiser vou passar de ano.

Marco Pina - Turma I – Projecto 12-15

6


.

Estou a precisar

de uma carteira

nova…

Mas para que

raios serão os

dois dedos ?

A Shakira que se cuide…

Agora

não…

Yeah

Aqui quem

apita sou eu…

Se eu fosse

o Messi…

Estou a

pensar que

estou a

GRITAR!

…Estou muito

atarefada, muito

atarefada.

Vou embora!

Miúdas giras…

Lixo no

chão é

que não!

Aqui o professor

está com cara de

mau!

Não vás,

olha a foto!

Olha,

chegou o Pai

Natal!

Será que ele

trouxe a minha

prenda?

Espelho meu, espelho

meu, existe…

…tenho tanto

que fazer…

4,83+52(2 -3.01)/2

Matemática, matemática,

matemática…

…o quadrado da hipotenusa…

Dêem-me

barro.

Só cá me

faltavam estes

dois clientes.

Ai ,ai!

zZzZzZzZzZ


Aqui ninguém

entra!

Já tenho o

diploma…

Ok ok, eu

já vou…

Ah?

Vai uma

boleiazita?

CSI:MEDIAÇÃO

Carta ao Pai Natal

… Alguém mais

linda do que eu?

Ai que

frio!

Vai uma

tostinha?

“Querido Pai

Natal: Este ano

portei-me bem

e tenho sido

um bom

menino,

portanto…”

7


De mim para todos vocês…

“ Por dentro, sou como um tesouro. As outras pessoas é que têm de o descobrir” ( P. 12

anos).

“Acho que por dentro, o meu feitio é um bocado agressivo, mas por vezes consigo

controlar-me. Acho que sou um bocado nervoso, mas também há quem seja mais. Às vezes

sou muito calmo, depende. Desde que a minha avó morreu é que ando um bocado triste”.

(S. 14 anos)

Todos os dias vão às suas casas carregar as baterias, os vossos professores, formadores,

técnicos, mediadores, o Dr. Luís Agostinho, a Márcia, a Cátia, a Patrícia, o Sr. Marchante, o Sr.

João e mais recentemente o Dr. Rui Sebastião, que já vos “pescou”, para entrarem todos os

dias nesta Escola, como se da primeira vez se tratasse. E todos estão de parabéns, porque

todos os dias dão o seu melhor na procura da vossa satisfação, proporcionando momentos

não só de aprendizagens, como de lazer, de conforto, compreensão e de disciplina, ela faz

falta.

Esta é uma homenagem a todos eles.

Alegres, tímidos, indisciplinados, maldispostos, sorridentes, tristes, barulhentos, desafiadores

e meigos. Estas são as emoções, que aquecem os nossos dias.

Sobre eles, rasuro algumas considerações, não posso evitar, sugerir, pensar.

O equilíbrio entre a disciplina e a compreensão é difícil de manter. O que nos pode ajudar é

consciencializarmo-nos de que, a não ser que a criança sinta que os adultos de que depende

compreendem de facto a sua realidade emocional, ela não se sentirá em segurança. Por

vezes, esta realidade emocional pode ficar submersa em sentimentos avassaladores, que se

desencadeiam precisamente porque não são compreendidos.

Acreditar na nossa capacidade, partilhar e enfrentar dificuldades, constitui o maior recurso

destas crianças. Devemos colocar de lado a moralização punitiva e sermos realistas,

aguentando a tempestade que se vive aqui diariamente, possuindo sempre um espírito

esperançoso, e não nos deixarmos nunca levar pelo desespero, quando as coisas são difíceis.

Afinal, é isto que constitui a saúde mental.

A repreensão não contribui para a interiorização de regras. Advertências, repreensões e

castigos, provocam insatisfação, significam stress, e evocam e fortalecem o comportamento

disruptivo. Só o prazer e o sentimento da aceitação fazem com que a criança seja receptível à

interiorização.

Em tempo algum, ousei pensar sair do terreno onde mais amo. Permanecer é explorar uma

realidade nua, dura, muitas vezes cruel, mas verdadeira, real e honesta.

Trabalhar neste Projecto, é descer à terra, quando é preciso romper o céu…

E que mais lhes posso eu dar, a não ser aquilo que eles mais precisam...

.

Helena Silva

Novembro 2010

Este é um projecto transversal a desenvolver durante o próximo período. Após a

construção de 16 carrinhos de rolamentos, vão ser realizadas duas corridas. Uma

corrida de obstáculos dentro da nossa escola e uma corrida de velocidade nas descidas

em volta da escola.

A construção de um carrinho de rolamentos geralmente é artesanal, isto é, feita com ferramentas

simples tais como martelo e serrote. O carrinho pode conter três ou quatro rolamentos (quase

sempre usados, dispensados por mecânicos de automóveis) e é constituído por um corpo de

madeira com um eixo móvel na frente, utilizado para controlar o carrinho enquanto este desce pela

rua. Alguns colocam um volante pregado no eixo através de um prego. A montagem de um travão é

opcional, na maioria das vezes utiliza-se a sola do sapato:)

Não podemos negar que a escola não deu aos seus alunos todas

as possibilidades que lhes devia dar, desprezou os mal dotados,

obrigou-os a actos ou tarefas que lhes depuseram na alma as

primeiras sementes do despeito ou da revolta, lhes deu, pelo

quase exclusivo cuidado que votou ao saber, deixando na

sombra o que é o mais importante — formação do carácter e

desenvolvimento da inteligência — todas as condições para

virem a ser o que são agora; se não saíram da escola com amor

à escola, a culpa não é deles, mas da escola.

Agostinho da Silva, in "Glossa”

SONHAR

Os suspiros na escola são pedras e brinquedos,

Todo o pátio é alegria e a areia são segredos.

Daquilo que vi e daquilo que sei, tudo isto são “porquês”,

Sugiro então, que troques o “quê?” por um “talvez”.

Os velhos não são amigos, não tem razão nem tem sentido,

De que precisas então, quando sorris para o teu amigo?

Inocência e ignorância andam sempre de mãos dadas,

Não sei se está certo, mas quero as brigas terminadas.

Não estou para aí virado, hoje acordei aborrecido,

Estou aqui para ti, por ti, mesmo com o corpo dorido.

Agora, é tempo perdido, tempo gasto e tempo usado,

Vidas velhas, viva as novas, já lá vai, é o passado.

Todos os dias começas o que não podes terminar,

Mas os velhos não desistem e estão cá para ajudar.

E antes que te percas e comeces a gritar,

Só quero dizer que não, não estás a sonhar.

Foto de João Silva, Poesia de José António Silva

Carrinho de Rolamentos é o nome dado a um carrinho, geralmente construído de madeira e rolamentos de aço, feito por jovens para a disputa de

corridas, ribanceira abaixo.

“A minha experiência neste Projecto tem sido boa. Tenho bons professores que nos ajudam naquilo que precisamos, mas também gosto do Projecto em si porque

temos menos aulas do que nas escolas normais. A escola tem um bom ambiente, tenho cá grandes amigos, monitores e, também, tem uma boa sala de convívio.”

Leonardo Moreno – Turma I – Projecto 1215

8


.

NELSON MANDELA envolveu-se na oposição ao regime do Apartheid, que negava aos negros (maioria da população)

direitos políticos, sociais e económicos. Uniu-se ao Congresso Nacional Africano em 1947, e dois anos depois fundou com Walter

Sisulu e Oliver Tambo (entre outros) uma organização mais dinâmica, a Liga Jovem do NCA/ANC

Depois da eleição de 1948 dar a vitória ao Partido Nacional - que seria o promotor da política de segregação racial, Mandela aderiu

ao Congresso do Povo (1975) (percursor do ANC) que divulgou a Carta da Liberdade - documento que continha um programa

fundamental para a causa antiapartheid.

Comprometido de início apenas com actos não violentos, no seguimento de Ghandi, Mandela e seus colegas decidiram recorrer à

luta armada depois do massacre de Sharpeville (21 de Março de 1960), quando a polícia Sul-Africana disparou contra manifestantes

negros e desarmados, matando 69 pessoas e ferindo 180.

Em 1961 tornou-se comandante do braço armado do ANC, o chamado Umkhonto we Sizwe ("Lança da Nação", ou MK), fundado por

ele e outros. Mandela coordenou uma campanha de sabotagem contra alvos militares e governamentais, fazendo também planos

para uma possível guerrilha se a sabotagem não tivesse sucesso.

Em Agosto de 1962, Nelson Mandela foi preso e sentenciado a 5 anos de prisão por viajar ilegalmente e incentivar greves. Em 2 de

Junho de 1967, foi sentenciado novamente, desta vez a prisão perpétua (apesar de ter escapado a uma pena de enforcamento), por

planear acções armadas, em particular sabotagem (o que Mandela admite) e conspiração para ajudar outros países a invadir a África

do Sul (o que Mandela nega). No decorrer dos vinte e seis anos seguintes, Mandela ficou de tal modo associado à oposição do

apartheid que o grito "Libertem Nelson Mandela" tornou-se no “hino “de todas as campanhas e grupos antiapartheid de todo o

mundo.

Enquanto estava na prisão, Mandela enviou uma declaração para o NCA (e que viria a público em 20 de Junho de 1980) que dizia:

"Unam-se! Mobilizem-se! Lutem! Entre a bigorna que é a acção da massa unida e o martelo que é a luta armada devemos esmagar o

apartheid!"

Recusando trocar uma liberdade condicional pela recusa em cessar o incentivo à luta armada (Fevereiro de 1985), Mandela

continuou na prisão até Fevereiro de 1990, quando a campanha do ANC e a pressão internacional conseguiram que ele fosse

libertado a 11 de Fevereiro, por ordem do presidente Frederik Willem de Klerk. O ANC também foi tirado da ilegalidade.

Nelson Mandela recebeu em 1989 o Prémio Internacional Al-Gaddafi dos Direitos Humanos, e em 1993, com Willem de Klerk,

recebeu o Prémio Nobel da Paz, pelos esforços desenvolvidos no sentido de acabar com a segregação racial. Em Maio de 1994,

tornou-se ele próprio o presidente da África do Sul, naquelas que foram as primeiras eleições multirraciais do país. Cercou-se, para

governar, de personalidades do ANC, mas também de representantes das linhas políticas do país.

ALBERT EINSTEIN (14 de Março de 1879 a 18 de Abril de 1955) foi um físico teórico alemão radicado nos Estados

Unidos. Recebeu o Prémio Nobel de Física em 1921. O seu trabalho teórico possibilitou o desenvolvimento da energia

atómica, apesar de na altura, não prever essa possibilidade. Devido à formulação da teoria da relatividade, Einstein tornouse

mundialmente famoso. Nos seus últimos anos, a sua fama excedeu a de qualquer outro cientista. Na cultura popular

"Einstein" tornou-se um sinónimo de génio.

Sabias que, com três anos, Einstein apresentava dificuldades de fala? Apesar disso, revelou-se um aluno brilhante. Aos cinco

anos de idade o seu pai mostrou-lhe uma bússola e Einstein apercebeu-se de que algo fazia flutuar a agulha. Mais tarde

descreveu a "impressão profunda e duradoura" dessa experiência. No dia 1 de Outubro de 1885, Einstein começa a

frequentar o primeiro ciclo, era um aluno seguro e persistente, no entanto, era um pouco lento na resolução de problemas,

mas as suas notas estavam entre as melhores da turma. Diz-se que Einstein teria reprovado a matemática quando era

estudante. Einstein nega e diz a sorrir: "Nunca reprovei a matemática".

BOB MARLEY foi um cantor, guitarrista e compositor jamaicano, o mais conhecido músico de reggae de todos os

tempos, famoso por popularizar este género musical.

Bob Marley nasceu em 6 de Fevereiro de 1945 em Saint Ann, no interior da Jamaica, filho de Norval Sinclair Marley, um militar

branco, capitão do exército Inglês e Cedella Booker, uma adolescente negra vinda do norte do país. Depois da morte do pai em

1955, Bob Marley e a sua mãe mudaram-se para Trenchtown, uma favela de Kingston, onde o rapaz era provocado pelos negros

locais por ser mulato e pequeno (1,63m de altura). Bob Marley teve uma juventude difícil, isso ajudou-o a desenvolver uma

personalidade forte e um ponto de vista bastante crítico acerca dos problemas sociais.

Bob Marley iniciou a sua experiência na música com o ska e passou aos poucos para o reggae. É também conhecido pelo seu

trabalho com o grupo de reggae The Wailers.

O trabalho de Bob Marley foi amplamente responsável pela aceitação cultural da música reggae fora da Jamaica. Ele assinou

contratos com a produtora Island Records, de Chris Blackwell, em 1971, uma produtora bem influente e inovadora. Foi com a

música No Woman, No Cry em 1975, que ganhou fama internacional.

9


No dia 16 de Novembro comemorou-se o

Dia Mundial da Tolerância.

A propósito deste dia os alunos da

turma J, na aula de Formação Cívica,

deixaram estas mensagens:

.

“Para ser tolerante devo aceitar as pessoas como elas são

e respeitar a sua religião e a sua cor.”

David Graça

“ Ser tolerante é aceitar o que os outros fazem e o que os outros dizem.”

Bruno Freitas

“ Para ser tolerante devo respeitar os outros.”

Rúben

“ A intolerância é rejeitar as pessoas.”

Amilton

“ Para ser tolerante não devo rejeitar as pessoas, mas aceitá-las como elas são. “

Márcio

“Para ser tolerante devo aceitar os outros como eles são. “

Gil

“ Respeitar para ser respeitado é o princípio da tolerância. “

Dárcio

“ A intolerância é não respeitar as pessoas.”

Miguel

“ Para ser tolerante devo ser respeitador.”

José

“ A tolerância para mim é respeitar as pessoas como elas são e nunca desprezar ninguém. “

Alcibíades.

“ Ser tolerante é tratar as pessoas bem. “

Juvenal

“ Para ser tolerante não devo virar as costas às pessoas mesmo quando elas são

diferentes de mim.”

Marina

“ Quero ser tolerante: não vou rejeitar os outros só porque são diferentes. “

Diogo

A orquestra de Djambes do Projecto 12-15 actuou na

passada terça-feira dia 23 de Novembro nas comemorações dos 21 anos

da Convenção dos Direitos da Criança.

O evento foi organizado pelos PIEC, programa para a inclusão e cidadania

e teve lugar na sala de espectáculos dos Recreios da Amadora.

Uma boa actuação da Orquestra que mais uma vez mostrou uma boa

imagem da sua Escola.

As drogas são um problema que cada vez mais afecta os adolescentes e é, nesta fase, que se dão os primeiros passos no

consumo, por curiosidade, por pressão dos seus colegas ou porque acham que é uma forma de se alhearem dos seus

problemas

Mas o que é considerado uma droga? A droga é qualquer substância natural ao sintética que, ao ser introduzida no

organismo, pode modificar uma ou várias das suas funções. Inicialmente, grande parte das drogas começaram por ter um

efeito “curativo” no organismo. A sua descoberta e utilização tem sido considerada benéfica para a medicina. No entanto,

algumas pessoas começaram a utilizá-las com fins não-médicos, devido às suas características, à primeira vista, atractivas. É

muito difícil diferenciar a experimentação do uso frequente, do abuso e da adição ou da farmacodependência, mas é

possível fazer algumas generalizações:

- quanto mais cedo um adolescente inicia o uso de uma substância, maior é a probabilidade do aumento na quantidade e

na variedade do uso;

- os adolescentes são comummente menos capazes de limitar o uso do que os adultos;

A dependência é uma necessidade mais ou menos irresistível, de origem física ou psíquica ou ambas, de continuar a consumir

a droga que satisfaz essa necessidade. Manifesta-se de forma agressiva quando se interrompe repentinamente a

administração da droga, produzindo-se então aquilo que se conhece por "síndrome de abstinência". As manifestações dessa

síndrome variam muito de pessoa para pessoa (em função da idade, tolerância à droga, tipo de substância). Mas, em todos

eles, no entanto, aparecem alterações psicopatológicas, como por exemplo, alucinações, insónias, crises convulsivas, dores

musculares, entre outras. A dependência é por vezes tão forte que o drogado se sente arrastado a empregar todos os meios,

lícitos ou ilícitos, para satisfazer a necessidade que tem. Os toxicodependentes manifestam uma irritabilidade desmedida,

mudanças de humor, violência, discutem frequentemente com a família, baixam o rendimento escolar ou profissional, perdem

amizades, vendem objectos dos familiares, roubam e acabam por cair nas prisões ou morrem.

As drogas estão classificadas em três categorias: as estimulantes, as depressoras e as perturbadoras das actividades mentais.

O termo droga envolve analgésicos, tranquilizantes, álcool e o tabaco que nem sempre são vistos como drogas porque, ao

contrário do haxixe, do ecstasy, da cocaína, da heroína, são legais.

É importante intervir, antes que seja tarde demais. Por isso, foi organizada uma palestra

informativa sobre o consumo de drogas e as suas consequências cujo interlocutor foi um

técnico da CRETA. Foi dada uma oportunidade aos alunos para esclarecerem as suas dúvidas

em relação a este tema já que tinham à sua disposição alguém que lida diariamente com

toxicodependentes em recuperação.

10


O Hip Hop é uma cultura artística que se iniciou durante a década de 1970 nas áreas centrais de

comunidades Jamaicanas, Latinas e Afro-Americanas da cidade de Nova Iorque. Afrika Bambaataa, ficou

conhecido como o criador oficial do movimento. Estabeleceu quatro pilares essenciais na cultura Hip hop: o

Rap, o DJing, o Breakdance e o Grafitti. Desde que surgiu no South Bronx, a cultura Hip Hop espalhou-se por

todo o mundo. No momento em que o Hip Hop surgiu, a base concentrava-se nos Disc Jockeys que criavam

batidas rítmicas para pausas "loop" (pequenos trechos de música com ênfase em repetições) em dois

“turntables”, que actualmente é referido como “sampling”. Posteriormente, foi acompanhada pelo Rap e

identificado como um estilo musical de ritmo e poesia, com uma técnica vocal diferente para utilizar dos

efeitos dos DJ’s. Junto com isto surgiram formas diferentes e danças improvisadas, como o Breakdance, o

Popping e o Jocking. A relação entre o Grafitti e a cultura Hip Hop surgiu quando novas formas de pintura

foram aparecendo em locais onde a prática dos outros três pilares do Hip Hop eram frequentes.

Como mencionar cinco dias da

semana consecutivos sem dizer as

palavras segunda, terça, quarta,

quinta ou sexta? Em

Português, claro!

Tenho duas moedas. A sua soma é

vinte e cinco cêntimos. UMA

moeda não é de vinte cêntimos.

Quais as moedas que tenho?

Ia a passar um gavião por um

campo e disse:

- Cem pombas!

Elas responderam:

- Nós não somos cem pombas,

mas nós e outras tantas como nós

e a quarta parte de nós e contigo,

gavião, cem pombas farão…

Bota e meia em cada pé,

Quantas botas são?

Carvalheira tem cem canos,

Cada cano tem cem ninhos;

Cada ninho tem cem ovos:

Quantos são os passarinhos?

Amigo! Se eu te der uma ovelha

das minhas, ficas tu com o dobro

das minhas; se tu me deres uma,

ficamos iguais.

Temos dois garrafões, um de 5 e

outro de 3 litros, ao lado de um

lago. Como é que se consegue

obter 4 litros certos de água?

Como conseguir atingir o número

100 usando os algarismos de 0 a 9,

somente com operações

aritméticas (multiplicação e

soma)?

Corrige a equação 5 + 5 + 5 = 550

com um traço.

.

Iam dois amendoins numa estrada. Um tropeçou e caiu. O outro descascou-se a

rir.

P. Sabem porque é que os alentejanos põem uma pêra ao pé da antena?

R. Para ter uma antena “Perabólica”.

— O teu cão morde? — Perguntou o carteiro ao menino Carlinhos,

que estava a apanhar sol à porta de casa.

— Não — respondeu ele, muito enjoado.

O carteiro avançou e o cão atirou-se-lhe às pernas.

— Então tu não me tinhas dito que o teu cão não mordia?!

— Esse cão é o da minha irmã...

Dois amigos:

- Olha lá, o que é que estás a fazer aos pulos?

- Sabes, é que me esqueci de agitar o xarope antes de o tomar.

Um doido está a desembaraçar um novelo de lã.

- Que estás a fazer? - Pergunta outro doido.

- Estou à procura do fim do fio de lã...

- Estúpido. Podes procurar à vontade: já aí não está. cortei-o...

O médico diz a um doente:

- Se quiser curar-se tem de tomar quinze gotas deste frasco todas as manhãs.

- Impossível doutor! Só sei contar até dez!

O que diz o Tarzan quando vê uma manada de elefantes no horizonte?

- Vejam, uma manada de elefantes no horizonte!

- O que diz o Tarzan quando vê uma manada de elefantes com óculos de sol?

- Nada. Ele não os reconhece!

- O que diz o Tarzan quando vê uma manada de girafas no horizonte?

- Haha! Vocês enganaram-me uma vez com esses disfarces, mas agora não!

- Qual é a diferença entre um elefante e uma ameixa?

- Um elefante é cinzento!

- O que diz Jane quando vê uma manada de girafas no horizonte?

- Vejam, uma manada de ameixas no horizonte!

- Como se colocam quatro elefantes dentro de um Mini?

- Dois à frente e dois atrás.

Sabias que o olho de uma

avestruz é maior do que o seu

cérebro?

O animal mais rápido da Terra,

é o falcão-peregrino. Quando

mergulha em voo picado para

atacar a sua presa, esta ave

atinge a velocidade de 320

Km/h.

Quando perde um dente, o

tubarão tem logo uma fileira

de dentes novos atrás.

Consegue renovar toda a

dentadura numa semana.

Uma pulga pode saltar uma

distância incrível em relação ao

seu tamanho. É como se um

ser humano fosse capaz de

saltar 1500 metros de altura, o

equivalente a um prédio de

300 andares!

Os gatos vêem bem tanto de

dia como de noite, devido à

adaptação dos seus olhos. A

visão nocturna é melhorada

por uma membrana dentro do

olho que reflecte a luz fraca e

a visão diurna é melhorada

pela íris, que protege o olho

da entrada excessiva de luz.

Cerca de 70% do corpo

humano é água. Todos os

nossos fluidos, desde o sangue

à saliva, têm água. Podemos

viver alguns dias sem comer

mas não podemos ficar mais

de cinco dias sem beber água.

Se uma pessoa gritasse

durante 8 anos, 7 meses e 6

dias, teria produzido energia

suficiente para aquecer uma

chávena de café…

É fisicamente impossível

lamber o próprio cotovelo.

O músculo mais potente do

corpo humano é a língua.

4kg é o peso médio do cérebro

humano.

Uma pessoa normal tem à

volta de 1460 sonhos por ano.

Se dormirmos, em média, 8

horas por dia, aos 40 anos

teremos dormido 13 anos.

11


Os alunos da Turma I desejam a todos os alunos, professores e monitores da escola, um Feliz Natal

com muitas prendas e um próspero Ano Novo. BOAS FESTAS.

Os alunos da turma K desejam um feliz Natal e que o ano de 2011 corra bem para todos

os alunos da Escola das Profissões.

A turma L deseja a todos os professores,

alunos, técnicas, monitores e funcionários do

projecto 12-15, um Natal Feliz com muita

saúde e um ano de 2011 cheio de alegrias e

vontade de viver.

.

www.escolaintercultural.edu.pt

Pólo da Reboleira

Av. Dr. José Pontes, Reboleira 2720 Amadora

Tlf: 21 499 82 94 Fax: 21 499 83 00

A Turma J deseja a todas as turmas, professores, monitores e

restantes funcionários um BOM NATAL, cheio de alegria, boas

emoções, amor e carinho. Neste Natal pedimos que não se

esqueçam daqueles que mais precisam.

Para mim, o Projecto 12-15 é uma oportunidade para os alunos

que já reprovaram muitas vezes. No primeiro dia de aulas, fui ao

bar e deram-me lanche de borla. Vi logo que aqui era tudo muito

diferente da outra escola. Na outra escola não davam nada e aqui

dão um pouco de tudo (…) Aqui, estão sempre a dar-nos conselhos

e na outra escola não te ligavam nenhuma, era só suspensão e

txau. Rafael Gomes – Turma I – Projecto 12-15

12

More magazines by this user
Similar magazines