clipping adimb

adimb.com.br

clipping adimb

VALE’S CEO BULLISH ABOUT IRON ORE IN 2013Murilo Ferreira, CEO of Brazil’s mining giant said he expect less volatility in terms of iron pricesfor 2013, local newspaper Folha de S. Paulo reports.Unlike Sam Walsh, head of Rio Tinto's iron ore business, Ferreira said he is happy with currentiron ore prices of around $150 a tonne, but acknowledged the scenario is not as promising as thoseof recent years.Vale, which is the world number one producer of the commodity, believes the firm will benefitfrom a recovering Chinese demand for construction and manufacturing materials.“I don’t see a scenario that is as pessimistic as in September 2012, or as exuberant as in 2008and 2010, when prices reached $200,” Ferreira said.According to the top executive, the high iron ore prices being recorded in January were drivenmostly by Asian demand.Iron ore traded in 2012 as high as $150 a tonne and as low as $87.50 a tonne, making it one ofthe worst performers in the international commodities market.Fonte: Mining.comData: 14/01/2013PREÇO DO ALUMÍNIO ESTÁ PARADO HÁ 30 ANOSCotação é pressionada por excesso de oferta, principalmente chinesa; cobre subiu200% no períodoEnquanto os preços da maioria dos metais não ferrosos dobraram e até triplicaram, emvalores nominais, nos últimos 30 anos, o alumínio, apesar de alguns momentos de escalada de alta,permanece no mesmo nível, de US$ 2 mil por tonelada. Esse patamar, que já levou companhias afechar as portas no Brasil ou considerar encerrar operações, faz com que hoje quase metade dasempresas globais que produzem o metal tenha prejuízo operacional. A razão da estagnação,segundo analistas e executivos do setor ouvidos pelo Valor, tem como um dos pilares o aumentoexpressivo da produção chinesa.Na última década, os chineses elevaram o volume de alumínio produzido de 4 milhões detoneladas para perto de 20 milhões de toneladas, segundo dados do World Bureau of MetalStatistics. "A China hesita em depender de outros países para suprir suas necessidades de metaisbásicos", diz Paul Adkins, sócio da consultoria chinesa de commodities AZ China. Com isso, em 2011 aprodução chinesa correspondeu por 40% do total mundial, de 44,6 milhões de toneladas. Apenasuma fabricante chinesa, a Chalco, a maior do mundo no setor, foi responsável por 9% deste total,com 3,9 milhões de toneladas.Além de maior produtor, a China é o maior consumidor global da commodity. As indústrias detransporte, construção e energia são responsáveis por dois terços do consumo no país asiático. Ometal, que é o segundo mais usado do mundo, atrás apenas do aço, também é aplicado em diversosmateriais, desde embalagens, como latas e marmitas, até automóveis e foguetes.Mas a China não é a única explicação para os preços parados no tempo. Diversos produtoresde alumínio superestimaram a demanda global pelo metal e aumentaram seus volumes de produção,

More magazines by this user
Similar magazines