Views
8 months ago

GAZETA DIARIO 519

06 Opinião Foz do

06 Opinião Foz do Iguaçu, sexta-feira, 2 de março de 2018 Carli Filho Os entendidos dizem que ele se saiu bem no resultado. Se cumprir a pena, pode sair antes dos nove anos e quatro meses de prisão pelo duplo homicídio. Este Corvo quase chorou de emoção ao ouvir o pedido de desculpas e o reconhecimento pelo que causou. As lágrimas de jacaré inundaram o tribunal. Bom, está em liberdade até o julgamento em segunda instância. Isso ainda vai levar tempo. O show deu uma pausa. Canteiro? Poucas vezes uma foto de capa causou tanta curiosidade entre os leitores. Na edição e ontem, este jornal ilustrou parte das obras de duplicação da Avenida Felipe Wandscheer. Em primeiro plano, em foto enviada pela Agência Municipal de Notícias, aparecem duas guias de concreto e ao fundo a conhecida "plantação de postes" que há num trecho daquela importante via. Acreditem, o "meio-fio" duplo nada mais é que o canteiro central da duplicação. O cidadão terá de fazer um curso de equilibrista se quiser caminhar naquilo. É simplesmente uma situação ridícula e que expõe os transeuntes aos perigos no trânsito. Herança Devemos lembrar que o atual governo apenas está tocando a obra adiante, porque o projeto esdrúxulo é do governo anterior, uma barbaridade, mais uma herança de um tormentoso período analisado pela Justiça, cujo resultado tem tudo para pesar nos ombros de quem é considerado "chefe de organização criminosa". "Plantação de postes" Quem passar pelo trecho que foi duplicado na Avenida Felipe Wandscheer vislumbrará uma visão em nada agradável, com uma fileira de postes no meio do canteiro, sem espaço para o cidadão. Segundo informaram a este Corvo, o prefeito Chico Brasileiro está por tudo tentando levar aquela rede ridícula para o subsolo. Isso requer uma obra de galerias — e, se for aprovada, teremos tratores na pista de novo, fazendo um remendo lastimável. Não é possível que um administrador de uma cidade como Foz do Iguaçu tenha aprovado um projeto igual aquele, vergonhoso para uma cidade que recebe gente de todo o mundo. Folha da prefeitura Os contribuintes coçaram a cabeça quando souberam que a administração municipal gasta 51,39% da receita líquida com a folha de pagamento dos servidores. Em outras palavras, de todo o esforço de quem paga impostos municipais esperando asfalto, operações tapa-buraco, atendimento nas unidades de saúde, escolas, creches, entre outras, mais da metade é para sustentar a folha; é muito dinheiro. A máquina está inchada, e estamos vendo anúncios de concurso para a contratação de mais servidores. Daí quando o cidadão não concorda e se recusa a pagar as obrigações, acaba na dívida ativa, no SPC, cartório, com os bens, contas bancárias e tudo o mais em risco. Fica engessado. Não é boa a sensação de andar pelas ruas e entender em que o dinheiro "não" é investido, ou se é jogado fora como em vários casos. IPTU Corvo, sabia que a gente precisa pagar o IPTU adiantado? É isso mesmo. Comprei um lote, mal comecei a erguer o muro, nunca morei no local, o asfalto, galerias e infraestrutura foram bancados pelos donos da área, mas a cobrança já está no meu nome sem passar um caminhão de lixo que seja pelo local. Façam o favor, né Corvo? HRKL (O leitor pediu para não ter o nome publicado.) O Corvo responde: prezado, é assim que funciona a coletividade. O senhor deveria saber, ou ser informado, que deveria pagar o Imposto Predial e Territorial Urbano. Agora, se a administração não faz a sua parte, reclame. Sem piracema O que mais se vê é gente arrastando a lancha de um lado ao outro; segundo uma rápida pesquisa, boa parte dos atletas da linha e vara já fez a manutenção nas embarcações. Falar nisso, contaram para o Corvo que a Marinha vai pegar doído na fiscalização. Pescar é bom, o problema é achar os peixes, que andam um tanto sumidos. Aeródromo Corvo, concordo plenamente quando usa o termo "aeródromo" ao se referir ao nosso aeroporto internacional, que vive em reforma, debaixo de uma porção de anúncios disso e daquilo, mas pouco acontece em matéria de conforto aos usuários. Quando é que vão parar de fazer remendos e partir para uma reforma que atenda às exigências da demanda? Raquel Villalba O Corvo responde: o aeroporto, ou "aeródromo" de Foz, como sempre escrevemos aqui, é um dos campeões de e-mails à redação. Há gente do outro lado do mundo que se anima em descrever o descontentamento com o local. Pudera, a pessoa gasta um monte para se deslocar, hospeda-se em ótimos hotéis, passeia por atrativos deslumbrantes e na hora de ir embora passa um sufoco. Segundo uma estatística, quando o visitante ou turista chega ao destino nem repara no aeroporto, apenas apanha a bagagem e cai na vida. Mas é na hora de embarcar que o bicho pega, fila, salas lotadas, atrasos nos voos, preços caríssimos na praça de alimentação, sem contar a necessidade de caminhar até a aeronave, debaixo de sol escaldante, chuva ou frio. Algo assim só poderia acabar em reclamação. Mas informaram ao Corvo que há mais uma "reforma" pelo caminho. Rotatória Ontem à tarde, finalmente o Corvo pôde testar a rotatória da Avenida das Cataratas. Estavam lavando o chão bem na horinha, e o Corvo deu duas voltas buzinando. Um barraco de felicidade. Até o fechamento da edição, não havia ocorrido acidente. Como argentinos e paraguaios adoram uma "rotonda", como dizem, e estavam em maioria no trânsito, deram uma aula. Uber e outras No fim das contas, o vento soprou a favor dos aplicativos. Existem algumas exigências, mas todas bem fáceis. Contaram para o Corvo que a Uber enviou um training para a fronteira, para orientar na papelada. É a prefeitura quem vai ditar as regras e fiscalizar, mas detalhe: não pode impedir os motoristas de trabalhar. Isso ainda vai dar muito o que falar. GDia Corvo, o portal de notícias do Gazeta Diário facilitou, e muito, a minha vida. O que vocês postam todos os dias é suficiente e não precisavam ter mexido. Em time que está ganhando não se mexe, e vocês já recebem uma porção de visitas todos os dias. Maurício Benga O Corvo responde: amigo, investir em tecnologia é algo constante. E a página do GDia está ainda em fase de testes desde que foi lançada. As ferramentas serão substituídas por itens mais leves, e além do mais teremos o GDiaTV, com novidades on-line. Aguarde, em duas semanas faremos a estreia. Boato Ontem havia um zunzunzum de que os presos da Operação Renitência haviam deixado as instalações do presídio. A nota não conferiu com a realidade, a não ser que isso tenha acontecido depois da hora do fechamento. Bisavô O nosso querido confrade Chico de Alencar é "bisa", isso mesmo, bisavô, de uma menina, uma gracinha. Do outro lado o vovô é o Rudi Favaretto, da Vison Art. O Corvo volta ao assunto com fotos e tudo mais!

Foz do Iguaçu, sexta-feira, 2 de março de 2018 Cidade 07 CANTEIRO DE OBRAS Asfalto na Vila C agrada a moradores Vermelho vistoria obras, que estão em ritmo acelerado; 15 ruas recebem melhorias, com um investimento de R$ 3,7 milhões; parceria é da prefeitura com o Paraná Urbano Adelino de Souza Freelancer Diversas máquinas, equipamentos e uma equipe bem treinada despertaram a atenção dos moradores da Vila C na manhã dessa quinta-feira (1º). É o asfalto que chega em ritmo acelerado a mais 15 ruas daquele bairro, animando a população que aguardava pela melhoria havia quase 20 anos. Por volta das 8 horas, o proprietário da construtora responsável pela pavimentação asfáltica, Nelsi Cogueto Maria, mais conhecido como Vermelho, fez questão de vistoriar as obras, como faz costumeiramente em outros empreendimentos em Foz do Iguaçu e região. "Temos muitas frentes de trabalho em Foz do Iguaçu e fizemos questão de acompanhar todas. Essa da Vila C é mais uma frente, resultado de uma Fotos: Roger Meireles Máquinas, equipamentos e uma equipe bem treinada que realiza as obras Vermelho acompanha os trabalhos de pavimentação asfáltica na Vila C parceria da prefeitura com o Paraná Urbano. Aqui estão sendo investidos R$ 3,7 milhões, possibilitando realizar 78 mil metros de asfalto, num total de 12 quilômetros de ruas", frisou Vermelho. O empresário citou outras frentes de trabalho na cidade, tanto na Região Norte como no Sul. Diversos bairros estão sendo contemplados. "Estamos aqui com nossos técnicos e nossa equipe de trabalho fazendo uma obra de qualidade, com asfalto usinado a quente, que tem maior durabilidade para gerar mais conforto à população e economia para o poder público", acrescentou. A construtora de Vermelho se estabeleceu em Foz do Iguaçu em 1991. "Estamos há 27 anos na cidade e geramos mais de 150 empregos indiretos, mas realizamos obras em dezenas de cidades no Paraná. Ao todo geramos 600 empregos diretos", informou o empresário. Ao comentar sobre as obras que estão sendo realizadas em outras regiões da cidade, Vermelho destacou que depois da posse do prefeito Chico Brasileiro Foz vai retomando o caminho do desenvolvimento. "Conversei com o Chico ontem, e ele disse que estão sendo alocados mais recursos por meio da Itaipu, Governo do Estado e do próprio município para novas obras de pavimentação. Com a retomada da credibilidade, os projetos são aprovados e os recursos virão para a cidade aplicar em melhorias para a população, como estamos fazendo aqui na Vila C", apontou. Além da Vila C, a empresa de Vermelho realizará oito quilômetros de pavimentação asfáltica no Buba, Jardim Tropical, Loteamento Cataratas, Shalon e Ouro Verde. Também serão contemplados o Libra, Novo Mundo, Jardim Cláudia, Petrópolis e AKLP. Moradores esperavam as obras havia muitos anos A execução das obras de pavimentação asfáltica na Vila C foi acompanhada por diversos moradores que reivindicavam melhorias havia muitos anos. "Até que enfim chegaram as obras que eram esperadas há mais de 18 anos. O poliedro cedeu e virou essa buraqueira. Acredito que aos poucos o prefeito consegue descascar o abacaxi deixado pelo outro prefeito e realize as obras que a população tanto precisa", comentou o ex-presidente da associação de moradores Irineu Willzembrink. O dono da Mercearia Alexandre, Evilásio Alexandre, olhava pela janela as máquinas trabalhando a todo vapor. "Estamos satisfeitos com a chegada dessas obras. A população reclamava muito porque o estado das ruas era deplorável. Além do conforto, esse asfalto irá valorizar nossos imóveis." Irineu Willzembrink: "Até que enfim" Alexandre: "Valoriza nossos imóveis"