Livro Completo - Ramacrisna

ramacrisna.org.br

Livro Completo - Ramacrisna

7

Transparência e divulgação para crescer

Dr. José Joaquim Costa discursando na Rádio Pampulha

sobre os trabalhos da Ramacrisna. Foto em 1965

Assim, como foi previsto pelo Mestre, por se tratar de

uma instituição social bem estruturada, a Ramacrisna está

apta, onde quer que ela esteja atuando, a socializar sua

experiência e contribuir para a perpetuação do desenvolvimento

social e artístico. O principal objetivo da instituição

é promover a assistência social, educação, profissionalização,

cultura, conscientização ecológica, lazer e esportes

a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade,

moradores em bairros de periferia e zona rural da cidade

de Betim. Paralelo a esse trabalho, atua junto às famílias,

conscientizando-as de suas responsabilidades para com a

educação e preparação dos filhos para a vida.

Desde a fundação da Ramacrisna o professor Arlindo já visualiza-

va a prosperidade, abrindo os caminhos da Instituição. No final

do ano em que foi fundada, já contava com 14 crianças assistidas,

quase o dobro do início. E em dezembro do ano seguinte,

1960, já contava com cinquenta meninos. O professor Arlindo

tinha certeza de que para atingir seus objetivos era preciso que

todos conhecessem a Missão Ramacrisna, acompanhassem suas

atividades e constatassem a lisura de sua administração. A transparência

desejada por todos deve-se ao cuidado com que a Ramacrisna

divulga suas ações. Desde o começo da Instituição, seus

integrantes convivem com registros e divulgações.

Atualmente, a Ramacrisna tem suas contas verificadas por auditoria

externa independente, além de prestar contas ao Ministério

da Justiça, INSS e Conselho Nacional de Assistência Social, órgão

máximo de certificação das entidades de Assistência Social

no País. Daí a importância de se divulgar a Instituição, desde a

época da fundação, através do jornal O Poder. Nas mãos do professor

Arlindo, esse jornal era um divulgador incansável e também

um instrumento para que a Instituição fosse reconhecida cada vez

mais. O professor se valia das grandes amizades que cultivava

junto a pessoas da sociedade mineira. Principalmente na capital,

era comum o trânsito tranquilo do professor entre políticos,

comerciantes, entidade de classe, etc. A amizade com um desses

amigos rendeu à Ramacrisna a oportunidade de ter um programa

diário de sessenta minutos na Rádio Pampulha (que depois passou

a se chamar Rádio Capital). O programa era apresentado pelo

professor Arlindo e se chamava “A Verdade é a Libertação”. Mais

adiante, o programa “Noticiário da Missão Ramacrisna” era apresentado

aos sábados na Rádio Pampulha e na Rádio Minas. Um

incansável colaborador, também amigo

íntimo e braço direito do professor

Arlindo, José Joaquim Costa, jornalista

e fotógrafo que sempre estava

a postos para auxiliar na divulgação

dos trabalhos é também o responsável

por todo o registro fotográfico dos

primeiros anos da Ramacrisna.

Com campanhas e divulgação, professor

Arlindo ia conseguindo o que

queria. Em dezembro de 1962, o

jornal O Poder tinha doze mil assinantes.

Talvez tenha iniciado aí a

vocação da Missão Ramacrisna pela

comunicação e o interesse em fazer oficinas sobre o assunto.

Em 2007, 17 jovens da região rural de Betim, com idades entre

14 e 18 anos, foram escolhidos para iniciar o Projeto de Jovens

Comunicadores Antenados, desenvolvido pela Ramacrisna,

com o patrocínio da Petrobras. As ferramentas usadas para este

trabalho são computadores, máquinas fotográficas, filmadoras,

canetas e papel na mão. Os jovens em situação de risco social

se transformam em comunicadores através de oficinas de texto,

cursos de edição, internet e diagramação, fotografia e cinegrafia.

Na perspectiva de valorização do potencial do jovem como

agente de transformação, o projeto cria uma rede de conhecimento

e aprendizado no campo da comunicação, arte e cultura,

através da construção coletiva, da socialização de informações e

de experiências entre alunos da Ramacrisna e de comunidades

diferentes.

A equipe de jovens comunicadores já lançou 7 edições de um

jornal voltado para jovens, intitulado ANTENADOS, com tiragem

de 3 mil exemplares e distribuição gratuita e dirigida

nas cidades de Betim, Belo Horizonte, Juatuba

e Esmeraldas. Junto com o jornal, foram publicados

também 29 fanzines para comunicação interna da

Ramacrisna, direcionado aos 500 estudantes e funcionários

da Instituição e para a comunidade, 15 vídeos

entre tele-reportagens e curta-metragens. Para

ajudá-los, há uma equipe formada por um cinegrafista,

um editor de imagens e uma coordenadora

pedagógica.

O lançamento oficial do Projeto Antenados, que

Prof. Arlindo Corrêa da Silva e Dr. José Joaquim Costa

entrevistados no programa “No front da Notícia”.

Missão Ramacrisna . 50 ANOS

47

More magazines by this user
Similar magazines