Porto Alegre - Usina do Porto

usinadoporto.com.br

Porto Alegre - Usina do Porto

ANO XVII • Nº 113 • setembrO 2011 • Distribuição Gratuita

aPoio:

Projeto Revendo

Porto Alegre

Mariana Fontoura

Pág. 2

:: Sergio Napp

:: Renato Pereira

:: Paulo Amaral

:: Marcelo O. da Silva

:: Caetano Silveira

:: Luciano Alabarse

:: Walter Galvani

Pág. 3

Pág. 9

Abgail Pereira

Jéferson Assumção

Pág. 3

Alcy Cheuiche

E mais... :: Jaime Cimenti

:: Teniza Spinelli

:: Thamara Pereira

:: Caho Lopes

:: Dr. Nilton Alves

:: Dra. Beatriz B. Amaral

:: Camilo de Lélis

:: Adeli Sell

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


2

Eu Acredito

Da sacada do hotel, olho para a praia e vejo um casal de jovens

namorados, ele de frente para o mar, ela de frente para ele.

Mesmo que de longe, percebo como se olham, como se querem,

que estão felizes como talvez nunca mais estejam, pois o tempo

espreita na esquina e endurece alguns corações desavisados

sobre os perigos da idade nas coisas mal resolvidas.

Logo, em um gesto delicado, ela a puxa gentilmente pela nuca,

e acaricia seus lábios com um longo beijo. É uma terça-feira de

sol em Recife, os carros cruzam velozes na Avenida da Praia da

Boa Viagem, o vento de setembro não sopra forte, mas firme, e

aqueles dois jovens estão me mostrando o que realmente importa

nesta frágil e delicada vida.

Para aqueles que lutam por ela, a vida tem um sabor que

aqueles que vivem apenas para se proteger jamais provarão. Dou

uma última olhada naquele jovem casal, pensando em quantas

dores e desamores viveram ou viverão, quantos olhares perdidos,

suspiros caídos, quantas lágrimas de perdão passarão por seus

corações. Afinal, como diria nosso querido Vinícius de Moraes,

a vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela

vida.

Fecho a porta da sacada. A imagem deste dia de sol e daquele

amor que talvez esteja apenas no meu olhar, mas que nem por

Por Caho Lopes - Escritor e Empresário

isto deixa de ser real e ter seu lugar no mundo, vai ficar na minha

memória, pois não posso nunca esquecer que o amor é o que

existe de mais forte. Vai ficar em meu coração, pois não o quero

empedernido com o passar dos anos, o quero cada vez mais

aberto e sensível. Vai ficar em minhas preces, pois somente um

Ser Superior a todas as coisas poderia me dar o privilégio de estar

na plateia de um palco onde atuaram emoções tão perenes e com

tanto poder.

Mas vai ficar principalmente em minhas crenças, pois acredito

na revolução que o amor pode causar em nossas vidas, e que

ele é daquelas poucas coisas que quanto mais repartimos, mais

temos.

Saio do quarto, pego o elevador e vou para a rua.

Atravesso a avenida olhando para a areia, mas eles já não

estão mais lá.

Talvez nunca tenham estado, talvez fossem apenas meus

devaneios em forma de miragem. Sorrio, pois não importa. Coloco

as mãos no bolso e vou andando pela beira mar. Fecho os olhos,

respiro fundo e um cheiro de oceano me invade o peito.

Importa é que o amor continua, invisível, indizível.

Imortal. Infinito.

Rua Miguel Tostes, 771 • cj 03 • POA/RS

CEP 90430-061 • CNPJ: 74.783.127/0001-60

51 3012 7292 • usinadoporto@superig.com.br

www.usinadoporto.com.br

Editor e Jornalista - Jorge Luiz Olup (DRT/RS nº 12460)

Administração - Jorge Luiz Olup e Nelza Falcão Olup

Jornalista Responsável - Thamara de Costa Pereira

Direção de Arte - Jorge Luiz Olup

Editoração - Airton Schineider

Tiragem - 10 mil exemplares

Impressão - Correio do Povo

Colaboradores: Abgail Pereira, Jéferson

Assumção, Alcy Cheuiche, Walter Galvani,

Dra. Beatriz Bohrer Amaral, Camilo de Lélis, Caetano

Silveira, Dr. Nilton Alves, Paulo Amaral, Marcelo

Oliveira da Silva, Sérgio Napp, Teniza Spinelli, Renato

Pereira, Luciano Alabarse, Jaime Cimenti, Thamara de

Costa Pereira, Caho Lopes, Adeli Sell, Paulo Rogério

Dias Couto e Mara Cassini Andreta

As opiniões expostas nos textos assinados são

de inteira responsabilidade dos autores e não

correspondem necessariamente à posição do Jornal.

Mariana Fontoura - Meus 20 anos

entregam que estou no início da vida na

fotográfica. Foi um curso de extensão em

fotografia na UFRGS que me fez buscar

em 2009, na Faculdade de Jornalismo da

PUCRS, o fotojornalismo. Aprender a ver

e interpretar o mundo através das lentes é

tarefa constante, e que exerço diariamente

como estagiária de fotografia da Câmara

Municipal de Porto Alegre desde novembro

de 2010. Que este seja apenas o início de

uma vida de recortes, instantes e detalhes.

Agenda Cultural – 26 de setembro a 31 de outubro de 2011 - Consulte a programação completa no site: www.usinadoporto.com.br

THEATRO SÃO PEDRO

Musical Petropar - Todas as quartas-feiras úteis - 12h30min

- Foyer Nobre

28/09 – Cristina Sorrentino – voz, Karlo Kulpa – violino, Luis

Mauro Filho – piano, Amaury Iablanovsky – flauta e Jorge

Dorfmann - baixo acústico

01 - 21h e 02/10 – 18h - Ópera Rita. Orquestra Unisinos

(RS) Elenco Flávio Leite, Homero Velho e Carla Domingues.

Regência Evandro Matté. Direção cênica Luiz Paulo

Vasconcelos. Direção Geral Evandro Matté

04/10 – 19h - Freud e os Escritores. Freud & Thomas Mann.

O sarau Freud & Thomas Mann apresenta um diálogo entre o

pai da psicanálise e o escritor de Morte em Veneza, bem como

as ressonâncias e influencias de suas idéias na subjetividade

contemporânea. Elenco Dione Detanico, Lenira Fleck e Liana

Timm. Direção Graça Nunes

Abertura 04/10 - 20h - Exposição Freud e os Escritores, de

Liana Timm

05/10 – 21h - Show Brinco de Princesa. Shana Müller (RS) C/

Luiz Carlos Borges e Pirisca Grecco.

08 – 21h e 09/10 – 18h - 5° Andar, Por Favor (RS) Texto Artur

José Pinto. Elenco Lu Adams, Heitor Schmidt Dir. Néstor

Monasterio

13, 14, 15 – 21h e 16/10 -18h - Antes da Coisa Toda Começar

(RJ) Armazém Companhia de Teatro. Texto Maurício Arruda

Mendonça e Paulo de Moraes. Elenco Patrícia Selonk, Thales

Coutinho, Rosana Stavis, Ricardo Martins, Marcelo Guerra,

Verônica Rocha e Karla Tenório. Dir. Paulo de Moraes. Dir.

Musical Ricco Viana

17/10 – 21h - Orquestra de Câmara Theatro São Pedro.

Vivaldi, il furioso! C/ a soprano Gabriela Di Laccio (Inglaterra/

Brasil) Reg. Antônio Carlos Borges-Cunha

21, 22 – 21h e 23/10 – 18h - Compagnie dos à Deux (França)

Fragmentos do Desejo. Elenco André Curti, Artur Ribeiro,

Maria Adélia e Matías Chebel. Dir. Artur Ribeiro e André Curti

28, 29 – 21h e 30/10 – 18h - Inimigas Íntimas (RS) Texto Artur

José Pinto. Elenco Fernanda Carvalho Leite e Ingra Liberato.

Dir. Néstor Monasterio.

FUNDAÇÃO IBERÊ CAMARGO

Até 30/10 - A Linha Incontornável – Desenhos de Iberê

Camargo. Curadoria de Eduardo Veras. A exposição Além

da linha ocupará um piso expositivo na Fundação Iberê

Camargo, e compreenderá, além de pinturas, obras à grafite,

nanquim e guache. A principal intenção da mostra é abordar a

idéia de afirmação – muito cara à arte moderna – do desenho

como uma linguagem autônoma.

Até 20/11 - Exposição Joaquín Torres García: Geometria,

Criação, Proporção - com uma seleção de 146 obras

composta por pinturas, desenhos, aquarelas, afrescos,

colagens, brinquedos e documentos. Curadoria Alejandro

Díaz e Jimena Perera. Segundo e terceiro pisos da Fundação

Iberê Camargo (Av. Padre Cacique, 2.000. Porto Alegre)

Entrada Franca: As empresas Gerdau, Itaú, Vonpar e De

Lage Landen garantem a gratuidade do ingresso.

Informações: (51) 3247.8000 ou pelo site www.iberecamargo.

org.br

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Departamento de Relações Públicas e Atividades Culturais.

DRPAC - todos os eventos são gratuitos

27/09 – 18h30 - Filmes premiados em Gramado serão

exibidos no Solar dos Câmara. Sala José Lewgoy. De Lá Pra

Cá, de Frederico Pinto, vencedor da Mostra Gaúcha – Prêmio

Assembleia Legislativa de Cinema em três categorias: melhor

filme, melhor diretor e melhor ator (Horacio Camandulle).

Também será projetado Céu, Inferno e Outras Partes do

Corpo, de Rodrigo John, que recebeu os troféus de melhor

edição de som (Tiago Bello) na Mostra Gaúcha e o de melhor

filme na Mostra Nacional. Na sequência, serão entregues as

distinções em dinheiro aos vencedores do Prêmio Assembleia

Legislativa de Cinema.

Galeria dos Municípios

Nova Petrópolis expõe de 3 a 7/10

Sentinela do Sul expõe de 10 a 14/10

Parobé expõe de 17 a 21/10

Rio Grande expõe de 24 a 28/10

SECOPA expõe de 31/10 a 11/11

Novos Talentos

Daniela Bergamaschi expõe de 3 a 14/10

Coletiva de Sociedade Amigos Caçapava do Sul expõe de 17

a 21/10

De 24/10 a 4/11, o espaço fica destinado à exposição Artistas

e Arteiros

Projeto musical Sarau no Solar

4/10, Luciah Helena apresenta-se na Sala JB Scalco

20/10, Carlitos Magalhães mostra seu talento musical na Sala

JB Scalco

CASA DE CULTURA MÁRIO QUINTANA

Oficina de Arte Sapato Florido Oferece Oficinas Especiais

A Oficina de Arte Sapato Florido, coordenada pelo Instituto

Estadual de Artes Visuais (IEAVi) na Casa de Cultura Mario

Quintana, oferece oficinas especiais orientadas por artistas

ou arte-educadores, para público infantil e adulto.

As inscrições estão abertas e podem ser feitas no IEAVi (2°

andar da CCMQ) ou pelo telefone fone 3216-9913.

Criação de bonecos com diversos materiais e técnica de

biscuí para rostos, mãos e pés (adulto) Com Elton Manganelli.

Até 30/11, nas quartas-feiras, das 15h30 às 17h30. Sala C5

Oficina de papel machê (adulto) Com a artista plástica Flávia

Azambuja. Até 29/11, nas terças-feiras, das 15h às 17. Sala

C5

Oficina de canto e coral (jovens e adultos) Com Edu Natureza.

Até 29/11, nas terças-feiras, das 15h às 17h. Sapato Florido.

A Oficina é voltada para o público em geral, com prática

de técnicas vocais: respiração, dicção, emissão, afinação,

intensidade e exercício para o diafragma. Edu Natureza é

compositor, multi-instrumentista, arranjador, cantor, letrista e

professor de música.

Oficina Teatrando na Sapato Florido (infantil – 6 a 10 anos)

Com Lise Bertoto. Até 24 de novembro, nas quintas-feiras,

das 15h às 17h30. Sala C5

Oficinas com inscrições abertas na CCMQ. Inscrições

na Central de Informações - térreo da Casa de Cultura.

Informações adicionais podem ser obtidas pelos telefones

(51) 3221.7147 e 3221.7083

MARGS

10/10 a 15/11 - 8° Bienal do Mercosul

Acervo Permanente do MARGS. Exposição de uma seleção

variada da coleção de obras do Museu, apresentando

momentos significativos da produção artística realizada no

Brasil e em outros países.

Informações e agendamento de visitas orientadas no Núcleo

de Extensão Cultural, subsolo do Museu. De segunda a

sexta, das 10 às 18 horas. Fone 51 3227.2311 e 3212 2281

ou e-mail: extensao@margs.rs.gov.br

CENTRO CULTURAL CEEE ERICO VERISSIMO

Até 19/10 - Exposição/instalação UMBU – Foto Coletivo

Milvus, dos fotógrafos Jorge Aguiar e Tadeu Vilani. A curadoria

de Ricardo Chaves, o Kadão, fotógrafo e editor do Almanaque

Gaúcho do jornal Zero Hora. Sala O Arquipélago 1º andar

Exposição Ivo Bender – O Senhor das Letras. Mezanino. A

curadoria é de Raquel Pilger e Betha Medeiros. A Mostra, que

integra o 18º Porto Alegre Em Cena, celebra os 50 anos de

carreira do escritor, dramaturgo, tradutor e professor gaúcho

Ivo Bender.

Até 25/10 - terças-feiras – 15h30 às 17h - Cultura Francesa –

Curso Gramática Francesa – Revisão de regras, apredizagem

e aplicação do idioma, em exercícios práticos através de

textos literários, ministrado pela professora Inés Alonso. Sala

O Retrato (4º andar).

Quartas-feiras - 15h às 17h - Cultura Francesa – O curso Un

mois, un thème (Um mês, um tema), que nesta etapa tem

como tema a ser desenvolvido Scènes de genre (cenas

populares). Este tema será estudado na obra de artistas de

diferentes origens e épocas: Bosch, Bruegel, Caravaggio, de

La Tour e Vermeer. Com a professora Inés de Alonso.

Sarau com Ritmo, organização de Benedito Saldanha,

durante todo o ano, na segunda terça-feira de cada mês. A

Academia Brasileira de Letras e Artes de Porto Alegre, em

parceria com o Clube literário Ipiranga e CCCEV, promove

mensalmente, às 19h com entrada franca.

MEMORIAL DO RIO GRANDE DO SUL

Até 18/11 - Exposição sobre 50 anos da Campanha da

Legalidade. Exposição O último levante dos gaúchos. O

evento integra as comemorações do Governo do Estado para

assinalar os 50 anos da Campanha da Legalidade (1961-

2011). A mostra exibe documentos originais, fotografias,

peças de propaganda política e periódicos de circulação da

época. Visitas guiadas podem ser agendadas pelo do fone

(51) 3227.0882. A entrada é franca. A exposição resulta

da parceria entre Museu da Comunicação Hipólito José da

Costa, o Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul e o Memorial

do Rio Grande do Sul, instituições vinculadas à Secretaria de

Estado da Cultura, que apresentam materiais relacionados ao

movimento da Legalidade.

Em www.legalidade..rs.gov.br é possível acessar imagens

do acervo do Museu de Comunicação, capas de jornais e

revistas, áudios da Rádio Guaíba e vídeos da TV Assembléia

com diversos depoimentos. A Secretaria de Cultura incentiva

ainda uma campanha de doação de documentos da

Legalidade. Sala de Tesouro, primeiro andar

E assim, quando mais tarde me procure

Quem sabe a morte, angústia de quem vive

Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):

Que não seja imortal, posto que é chama

Mas que seja infinito enquanto dure.

Vinícius de Moraes

29/10 - O uso da mídia como meio de aplicabilidade da Lei

10.639/03 em sala de aula. Palestrante Deivison Moacir

César de Campos. Tem experiência na área de Comunicação,

com ênfase em pesquisa e rádio, atuando principalmente nos

seguintes temas: prática jornalística. Também realiza estudos

sobre o negro na sociedade brasileira, com ênfase em cultura,

identidade e territorialidade. Informações telefones: 3224-

4376 ou 3224-7159

Visitas Guiadas O Memorial do Rio Grande do Sul

disponibiliza para grupos com a supervisão de um monitor de

história e serve como complemento didático-pedagógico para

as turmas escolares

Boneco Memorélio. O Memorial do Rio Grande do Sul

promove apresentações do Boneco Memorélio para o público

infanto-juvenil. Para agendar as visitas guiadas e o Boneco

Memorélio: 51 3224.4376

TEATRO DO SESC

Circuito Universitário

O projeto é uma parceria com a Universidade Federal de

Santa Maria (UFSM), buscando fomentar a atuação de novos

profissionais vindos do interior do Estado. Proporcionando

aos estudantes de artes cênicas da Universidade, uma

experiência concreta do mercado de trabalho em sua

atuação, também, buscando promover a integração entre a

produção teatral universitária e a comunidade.

Mostra de Teatro Infantil

10, 11 e 13/10 – 10h e 15h - Opereta pé de pilão. Turma do

Pé Quente (RS). Cinco atores-músicos contam e cantam a

história do menino que virou pato e de sua avó enfeitiçada

que perde seu encanto, o de nunca envelhecer. Texto Mário

Quintana. Música Cláudio Levitan, Nico Nicolaiewsky e Vitor

Ramil. Dir. Mário de Ballentti. Elenco Cláudio Levitan, Ed

Lannes, Ian Ramil, Ju Dariano, Melissa Arievo

29/09 – 20h - Sucesso a qualquer preço. Grupo Ação (RS).

Teatro Adulto. Dir. Antonio Orellana. Elenco Djefri Ramon,

Gabriel Araújo, Gelton Quadros, Marcos Caye, Tatiana

Vinadé, Antonio Orellana.

30/09 – 20h - 4º Circuito Sonora Brasil 2011. Dino Rocha (MS)

CineSESC – Exibição de Filmes

Até 31/10 - Segunda a Sexta - das 9h às 19h - Curtas no SAC

- Cine SESC e Programadora Brasil

Até 30/09 - 09h às 18h - Exposição Amplificados. Exposição

fotográfica do renomado fotógrafo Marcelo Nunes. Café

SESC

SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA

Até 27/09 - 18º Porto Alegre em Cena. Apresenta 71

espetáculos, dos quais 10 internacionais, 29 nacionais, 8

do mercosul, 24 locais, 14 oficinas, 12 debates, 5 painéis, 2

lançamentos de livro e 1 exposição. Informações: (51) 3232-

1652 - www.poaemcena.com.br

27/09 – 19h30 - República do Rock. Teatro de Câmara Túlio

Piva

28/09 – 20h - Quartas na Dança – O Resto é Perfume. C/

Companhia Seelentanz. Teatro Renascença

28/09, 5,19 e 26/10 – 20h - Pequenos Fatos – A vida real pode

ser fantástica – Teatro Adulto - Novas Caras (incentiva novos

talentos da cidade) Teatro de Câmara Túlio Piva

30/09 a 20/10 - Esculturas de Meris Slomp. Atelier Livre da

Prefeitura de Porto Alegre

30/09, 1 – 21h e 2/10 – 20h - Descontrários – Dança. Teatro

de Câmara Túlio Piva

Até 2/10 – Aquaplay. Nelton Pellenz. Técnica Vídeo. Galeria

Iberê Camargo

4/10 – 20h – ENCONTRABANDA. Com a Banda Municipal

de Porto Alegre, terá o repertório de músicas Brasileiras, e o

tema BRASILEIRÍSSIMO. Teatro Renascença

06 a 28/10 - Inscrições 38ª Edição do Concurso Curta nas

Telas. Poderão participar filmes nacionais de curta metragem.

Informações: (51) 3289-8137 - www.curtanastelas.blogspot.

com - curtanastelas@smc.prefpoa.com.br

7/10 a 2/12 - Pinacoteca Ruben Berta 40 Anos. Obras da

coleção doada para a Prefeitura em 1971. Paço Municipal

8, 9, 15, 16, 22, 23, 29 e 30/10 – 16h - O Baú - Lembranças e

Brincanças – Teatro Infantil. Auditório Álvaro Moreyra

8, 9, 15, 16, 22, 23, 29 e 30/10 – 16h - Piratas – Teatro Infantil.

Dir. Airton de Oliveira. Teatro Renascença

8, 9, 15, 16, 22, 23, 29 e 30/10 – 16h - Pitocando – Teatro

infantil. Dir. musical e arranjos Cláudia Braga e Nise Franklin.

Teatro de Câmara Túlio Piva

14/10 a 13/11 – Agregados. Julio Castro. Gravura. Galeria

Iberê Camargo

14, 15,16, 21, 22, 23, 28, 29 e 30/10 - Sex e Sáb - 21h e Dom

- 20h - O Fantástico Circo-Teatro de Um Homem Só – Teatro

Adulto. Dir. Patrícia Fagundes. Auditório Álvaro Moreyra

14, 15, 16, 21, 22, 23, 28, 29 e 30/10 – Sex e Sáb - 21h e Dom

- 20h - Dois de Paus – Teatro Adulto. Dir. Paulo Guerra. Teatro

de Câmara Túlio Piva

14, 15, 16, 21, 22, 23, 28, 29 e 30/10 – Sex e Sáb - 21h e Dom

- 20h - A Mulher sem Pecado – Teatro Adulto. Olegário, um

marido obcecado, cria uma verdadeira rede de espionagem

para controlar sua mulher Lídia. Ele a idealiza, a deseja pura

– puríssima. Tal é sua obsessão que simula estar paraplégico.

Sempre em casa, em uma cadeira de rodas, vigia todos os

passos da esposa, além de chantageá-la emocionalmente.

Direção Caco Coelho e Beto Russo. Teatro Renascença

18 e 25/10 – 20h - Os Bons vão para o Céu – Teatro Adulto

– Teatro Aberto ( Espetáculos experimentais) Auditório Álvaro

Moreyra

29/10 – 19h30 - República do Rock. Yanto Laitano + Tapete

Persa. Teatro de Câmara Túlio Piva

18/10 – 20h - Sons da Cidade. Gisele de Santi e Ian Ramil.

Teatro Renascença

19/10 – 20h - Quartas na Dança – Amor Cigano. Grupo Alma

Cigana. Teatro Renascença

20/10 – 21h - DE:PARA – Dança. Dir. Karen Ibias e Teté

Furtado. Teatro Renascença

25/10 a 27/11 - I Seminário Internacional Cultura e

Desenvolvimento Local. Co-realização da SMC/Observatório

da Cultura e Depto. de Difusão Cultural da UFRGS. Teatro

Renascença

25/10 a 27/11 - Esculturas de Caé Braga. Atelier Livre da

Prefeitura de Porto Alegre

28/10 a 25/11 - Desenhos de Bethielle Amaral. Paço Municipal

- Porão

28/10 a 14/11 - Ilustração do Livro Infantil Medo Dó e Pé de

Sapato. Hermes Bernardi Jr. Mostra da oficina realizada no

Atelier Livre da Prefeitura de Porto Alegre. Espaço Alternativo

28/10 a 15/11 - 57ª Feira do Livro. A Secretaria Municipal da

Cultura possui estande com venda de suas publicações e

CDs. Praça da Alfândega

Até 14/10 – Pinturas de Gastão Hofstetter. Casa Torelly – Sala

Paulo Osório Flores

Até 14/10 - É Primavera. Simone Bernardi. Paço Municipal

– Porão

República do Rock – 19h30 - Teatro de Câmara Túlio Piva.

Informações: (51) 3289.8153

Sons da Cidade – 20h - Teatro Renascença. Informações:

(51) 3289.8153

CENTRO CULTURAL USINA DO GASÔMETRO

Usina na Praça - Até 4/12 aos domingos à tarde - Shows de

música, teatro, poesia, dança e mágica. Praça Anexa

2/10 - Usina na Praça. Shows de música, teatro, poesia,

dança e mágica. À Tarde. Praça Anexa. Entrada Gratuita

9/10 - Usina na Praça. Shows de música, teatro, poesia,

dança e mágica. À Tarde. Praça Anexa Entrada Gratuita

30/10 - Usina na Praça. Shows de música, teatro, poesia,

dança e mágica. À Tarde. Praça Anexa. Entrada Gratuita

Sala 400 - 30/09 – 20h - Ensaio Aberto Quem tem medo de

Itália Fausta (teatro)

Sala 402 - 01/10 – 18h - Experimentos Teatrais

Contemporâneos (teatro) Dir. Scheiler Fagundes e Karina

Rocca

Programação Segundo Semestre

2 de outubro às 17h: Zamba Ben (música)

9 de outubro às 16h: Bullfrog (música) e Depósito de Teatro

(teatro)

30 de outubro às 16h: Rádio Rock e Tio Vico (música)

6 de novembro às 17h: Alê Ravanello Blues Combo (música)

13 de novembro às 17h: Aniversário da Usina – Orquestra da

Usina do Gasômetro [estréia] (música)

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


Fotos Eduardo Seidl

Fotos: xxxxxxxxxxxxxxxxxx

Eu queimei a língua, como se dizia.

Uma semana antes da renúncia de Jânio

Quadros, afirmei a meu pai, veterano das

revoluções de 1930 e 32: nossa geração

não faria o que vocês fizeram. Ele sorriu

e disse simplesmente: nós também

pensávamos assim, até ver o povo

gaúcho brigando para entrar no trem de

Getúlio Vargas. E minha mãe completou:

as moças até vaiavam nas ruas os

rapazes que não se apresentaram como

voluntários.

E eu vi, naqueles onze dias da

Legalidade, colegas que só pareciam

interessados nos bailes da Reitoria

carregando faixas contra o golpe.

Vi funcionários da Carris, com seus

uniformes de trabalho, fazendo ordem

unida e marchando em direção ao

Piratini. Vi a fantástica unidade da

Brigada Militar, nenhuma deserção em

seus quadros, garantindo a façanha

de Leonel Brizola. Ouvi pelo rádio

o apelo do jovem governador, suas

Por Jéferson Assumção - Escritor, Secretário adjunto da Cultura do Estado do Rio Grande do Sul

Uma visão sistêmica de cultura

Desde o início de 2011, a Secretaria de Estado da Cultura

(Sedac), liderada pelo secretário Assis Brasil, trabalha em

diversas frentes visando a um desenvolvimento sistêmico da

cultura em nosso Estado. Por sistêmico, queremos dizer a

introdução de elementos em nossa agenda política que ajudem

a ultrapassar o paradigma do evento, e que avancem da ação

pontual e desconectada para programas, políticas e um plano

articulado para o desenvolvimento cultural do Rio Grande do Sul.

Parte da estratégia está em estabelecer um Sistema Estadual

de Cultura, composto por elementos de planejamento e

conteúdo conceitual (Plano Estadual de Cultura), de participação

(Conselho Estadual de Cultura, Colegiados Setoriais, Diálogos

Culturais e Conferência Estadual de Cultura) e de diversificação

das fontes de financiamento à cultura (qualificação da Lei de

Incentivo à Cultura, ampliação do Fundo de Apoio à Cultura,

convênios com o Ministério da Cultura e articulação junto à

iniciativa privada).

Priorizamos em nosso conceito de cultura a idéia da “cultura

em três dimensões: como direito de cidadania, como economia

e como valor estético, criativo”, trabalhada pelo MinC desde o

governo Lula. Por isso, já em janeiro passamos a atuar com

três diretorias nessas áreas. E colocamos como uma diretriz

fundamental de nosso trabalho a transversalidade. Tentamos

praticar a transversalidade interna, das nossas instituições, e

externa, com outras secretarias, para muito além do instrumental

ou do orçamentário - como possibilidade de qualificar as demais

áreas com as quais trabalhamos e de qualificar a cultura com a

contribuição das demais.

Ainda nos primeiros meses, de maneira inédita, saímos a

campo para realizar nosso planejamento participativo. Por meio

dos Diálogos Culturais, foram feitos oito grandes encontros

em todas as regiões do Estado, contabilizando mais de 300

municípios envolvidos. O ponto alto deste processo foi a

Por Alcy Cheuiche - Escritor

Nós e a Legalidade

palavras que tocavam em nossos brios,

que nos convocavam para impedir o

golpe dos ministros militares. E fiquei

ombro a ombro, na frente do Palácio,

com homens e mulheres, de todas as

idades, que dali não se afastaram, nem

mesmo com as ameaças (muito reais)

de bombardeio aéreo.

Até hoje, quando penso no Hino da

Legalidade, é com a voz da minha avó

materna que recordo as palavras que

nos empolgavam: avante, brasileiros, de

pé, unidos pela liberdade! Lembro dela,

com mais de oitenta anos, os cabelos

muito brancos, pegando sua bolsa e

dizendo para os netos: se vocês não me

levarem para a praça, eu irei sozinha.

E ela foi e estava lá conosco quando

Brizola e Machado Lopes apertaram

suas mãos, selando a união civil e militar

que garantiu a posse de João Goulart

como Presidente da República.

Que opinião posso dar hoje, meio

século depois, sobre o desfecho desse

fantástico movimento popular? Eu tinha

vinte anos, passara muitos dias com um

revólver Colt 38 na cintura, o mesmo que

meu pai usara em 1930 e 32, e ansiava

por levar João Goulart até Brasília. E

fiquei estupefato, como a multidão de

cinquenta mil pessoas que o esperava

na Praça da Matriz, quando ele apenas

acenou e não disse uma palavra, nem

de agradecimento, ao povo que se

dispusera a morrer pela sua posse.

Durante a longa viagem da China

ao Brasil, Jango, que era um político

experiente, discípulo de Getúlio

Vargas, deve ter avaliado que nessa

marcha para empossá-lo correria muito

sangue. E preferiu, mesmo podendo ser

chamado de covarde, aceitar o caminho

da conciliação, assumindo com menos

poderes, num regime parlamentarista.

Com vinte anos, eu jamais poderia

aceitar aquele conchavo. Com setenta,

penso que, se não fosse o bom senso

de João Goulart, talvez eu não estivesse

aqui para contar esta história.

Conferência Cultura para o Rio Grande Crescer, no final de

abril, em Santa Maria. Contemplamos, dessa forma o interior

do Estado, porque queremos uma política cultural regionalizada

e territorializada,. Também em Santa Maria, demos início

ao processo de constituição dos Colegiados Setoriais de

Cultura, e tivemos um ato político e administrativo da maior

relevância: a assinatura do Acordo de Cooperação Federativa

entre o Ministério da Cultura e o Rio Grande do Sul, último

Estado brasileiro a firmar este documento importante para o

desenvolvimento de ações articuladas entre Estado e União na

área da Cultura.

O resultado mais concreto dessa ação foi o anúncio, feito pela

ministra Ana de Hollanda, em Porto Alegre, no dia 22 de agosto,

das ações que compõem o programa Mais Cultura RS. O MinC

vai investir cerca de R$ 20,4 milhões no Estado, a partir deste

ano, contando com a nossa contrapartida, em modernização

de bibliotecas, pontos de cultura, agentes de leitura, patrimônio

histórico e em diversas outras frentes. Mas antes mesmo de

virem os recursos, com nossos próprios recursos, lançamos

dia 13 de setembro, em Boqueirão do Leão, um edital de

modernização para 50 bibliotecas públicas em municípios de

até 10 mil habitantes. Dos 496 municípios gaúchos, 330 estão

nesta faixa.

Todas essas ações têm como grande norte contribuir para

o desenvolvimento do Estado, do ponto de vista econômico e

social. Ampliar a esfera crítica e ajudar a debater os grandes

temas do Rio Grande do Sul, tais como a diversidade cultural.

Desenvolver a cidadania e a participação, ampliar os repertórios

dos mais jovens, dar espaço a culturas invisibilizadas e auxiliar

a qualificar o ambiente social, fazendo do Rio Grande do Sul

um Estado cada vez mais protagonista das mudanças sociais

em seu território, no país e internacionalmente.

3

Fotos Marco Nedeff

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


4

Não é de graça que os lugares-comuns são

lugares-comuns.

A fruta não cai longe do

O neto de Túlio Piva, o compositor Rodrigo Piva,

não fugiu à regra. E lançou recentemente seu 3°

cd, o disco “Na Garganta do Artista”. De samba,

basicamente, é claro. Um disco extremamente

brasileiro. Chega bem, Rodrigo, na maturidade do

ofício.

Guri, no final da década de 70, tocava no Gente

da Noite, lendário bar de seu avô, junto com o

irmão (3 anos mais jovem), Rogério, desafiando

as então normas do antigo Código de Menores.

Outro aprendiz de feiticeiro da época, era o amigo

Giovani Berti – hoje um dos mais requisitados

percussionistas do nosso Estado.

Em 1982, Rodrigo, juntamente com o irmão

Rogério, formou o grupo de choro “Vibrações”,

que contou ainda com Jessé Silva e Lúcio do

Cavaquinho. Este grupo gravou com Túlio o LP

“Sambas e Choros”.

O primeiro trabalho solo, já foi em Florianópolis,

onde mora há mais de 15 anos, o cd “Contraste

Brasil” de 1996. Depois veio “Menina de Floripa”,

onde participaram ótimos músicos como Guinha

Ramires, Bebê Kramer, Arismar do Espírito Santo

e Nailor Proveta Azevedo, da Banda Mantiqueira.

Agora, lança seu terceiro disco, “Na Garganta

do Artista”. Uma produção independente. O cd

foi lançado em Florianópolis e aqui em Porto

Alegre, no primeiro semestre, e conta com 12

canções, todas de sua autoria. Na maioria, samba

(bossa, choro...). Começa com “Canção do

Vento”, praieira, um afoxé que remete à Bahia e a

Caymmi. A faixa título é um samba exaltação que

diz “Samba / Uma bandeira / Viva / E brasileira

/ Samba, teu segredo na mistura / De uma raça

Por Caetano Silveira - Compositor e Produtor Cultural

tão bonita (...) / Samba sobrevive na garganta

do artista”; e que conta com o violão de 7 cordas

de Luiz Sebastião (que produz, juntamente com

o autor, o disco). “Você já foi à Floripa?” é uma

bossa que brinca com a imortal canção de Dorival

Caymmi, e presta uma homenagem à cidade que

acolheu Rodrigo. “Samba do Segundo Andar” faz

uma projeção com a possibilidade do encontro,

em um outro plano, de mestres da mpb como

Noel Rosa, Jacob do Bandolim, Tom Jobim e

Pixinguinha. Depois segue um choro, uma bossa,

um xote e um tango, mostrando a diversidade

rítmica do disco. E por fim, um samba, é claro:

“Não Adianta Pedir”, onde diz “se for dirigir, não

beba / se for beber me convida / a cana já ta

dando cana / não tem saída”.

O disco, conta com a participação especial

do pianista Cristóvão Bastos e também do

acordeonista Alessandro Kramer. A ilustração da

capa é do artista plástico paulista Roberto Bieto.

Voltando ao lance do “pé” e da “fruta”, Rodrigo

não podia sair diferente. As máximas, é lógico,

estão eivadas de verdades. E o cara não só tentou,

como efetivamente montou outra carreira, através

do Direito; mas a música, a fruta, a semente, o

pé, nunca deixaram de estar ali. Pra saber mais

sobre o artista e também sobre o mestre Túlio, é

só visitar o site www.rodrigopiva.com.br.

Ps.: A famosa música “Gente da Noite”, nasceu

com o nome de “Dono da Noite” e foi composta por

Túlio Piva para presentear meu pai, o jornalista

Antônio Onofre da Silveira, que na ocasião estava

recebendo uma Comanda denominada “Dono

da Noite”, em uma festa no antigo clube Mil e

Uma Noites, na Vila Assunção, em 1955. O que,

evidentemente, me enche de orgulho.

Foto Arquivo Pessoal

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


Foto Marina Fujiname

Mês de Setembro:

uma reflexão e um poema

Penso que o Teatro deveria tentar resistir às mudanças

estruturais de uma sociedade global que se torna, ela mesma,

o espetáculo. Não o espetáculo que nossa profissão aprendeu

a definir como sendo um encontro para criação, discussão,

diversão e memória, mas um espetáculo generalizado, com

múltiplas camadas de simulação, que mistura a realidade

com o mundo ficcional, em prejuízo de nossa capacidade

de refletir criticamente.

Vivemos na sociedade do espetáculo, em que as pessoas

são levadas a imaginar que fazem parte de um mega show,

constantemente observadas e, quem sabe, aplaudidas,

inclusive na vida privada. Estabelece-se a ilusão de que

todos participam de um evento globalizado e, apesar da

propaganda que realça as diferenças, o mundo nunca esteve

tão massificado.

O Teatro, que sempre foi uma experiência radical, talvez

saiba reagir a esse momento histórico, definindo-se como

um produto da inteligência humana, que não é, meramente,

uma mercadoria, mas um encontro presencial único, um

posicionamento crítico diante das complexidades de nossa

época.

Por Luciano Alabarse - Diretor de Teatro e Coordenador Geral do Porto Alegre Em Cena

Daniel Colin veio pra ficar

Não sou daqueles que se rasgam em elogios

precipitados quando o assunto é trajetória teatral.

Fernanda Montenegro tem razão ao dividir a carreira

cênica em três grandes atos, o primeiro deles com

mais ou menos dez anos de duração, tempo inicial

onde alguém diz a que veio e se veio para ficar. O

segundo, conforme Fernandona, é o espaço para

consolidar seu nome dentro da profissão e, por fim, o

último e mais duradouro dos três períodos, o de fazer o

seu teatro com profundidade, serenidade e segurança.

Muitos talentos surgem e desaparecem sem atingir a

etapa dessa maturidade - porque o teatro é como um

funil apertado testando os fortes, os de fé e vocação,

aqueles que não desanimam. Todos sabemos que fazer

teatro de verdade é uma pedreira – e não estou falando

somente do Rio Grande do Sul. Em todos os lugares,

inclusive com realidades econômicas diferentes, o

processo é muito parecido.

Essa introdução é porque quero registrar a alegria

de perceber que estamos, nós que já fazemos teatro

há alguns anos, ganhando um grande companheiro de

ribalta, a quem dedico a coluna de hoje: Daniel Colin.

Coração e cérebro do grupo “Teatro Sarcaustico”,

Daniel se mostra ungido com o fogo sagrado dos

grandes talentos, dos que serão lapidados pela própria

experiência na carreira, dos que têm talento, humildade

e disciplina quando o assunto é ouvir/assimilar/

crescer e amadurecer dentro do ofício. Fui ver seu

último trabalho, “Breves Entrevistas com Homens

Hediondos”, logo depois da estréia do espetáculo e

dois dias depois, em função do Porto Alegre em Cena,

nos encontramos, e foi bonita e sincera a vontade

dele de me ouvir sobre seu trabalho. Contei que só

não queria parecer o Cláudio Heemann, de saudosa

memória, que cada vez que me via, me elogiava e,

ao mesmo tempo, me enchia de críticas, falando do

meu talento desordenamente excessivo. Eu ouvia o

Cláudio, com e sem paciência, pensando: ai, meu deus,

que velho chato! (risos) Nada como um ano depois do

outro. Hoje entendo bem melhor suas ponderações e,

enfim, partilho de muitas de suas idéias - que antes me

pareciam coisas de gente careta. Não eram. Por que

escrevo sobre o Daniel e lembro o Cláudio? Porque

com o seu inegável talento, Daniel, muitas vezes,

me parece um cavalo selvagem, solto e reluzente na

Por Camilo de Lélis - Teatrólogo

“Iluminação”

Os sons, as repetições e a gota que transborda a taça da

loucura, eu dedico a Edgar Allan Poe.

Em meados de setembro,

ele andava sem rumo, perdido em devaneios.

Andava só, disso bem me lembro,

quando algo lhe sustou o pensamento ao meio,

(em meados de setembro, perdido em devaneios).

Um papelzinho rolava, indo adiante,

a contrastar com o cinza da cidade,

movia-se colorido numa luz radiante,

e a brisa soprava sua luminosidade,

(um papelzinho rolava no cinza da cidade).

Ele ordenou: “- Mão, de modo algum escreva,

e você, cabeça, não pense, não se atreva

a imaginar um poema vindo do coração,

pois, afinal, não é nada, nada de especial,

apenas o flanar de um papel de bombom

(transparência rósea de uma flor alucinada),

não se atreva, meu coração, não escreva, não é nada!“.

Sem ouvir o que a razão pedia,

o coração iluminado, em festa,

pela primeira vez, numa ode à alegria,

ritmou com as mãos a imaginária orquestra...

pradaria, sem admitir rédeas. Ele será o seu melhor

domador, tenho certeza, e vai conduzir sua criação

artística para o rumo que quiser.

Voltando à montagem: a peça é um soco no rim,

daquelas que eu gosto e procuro no teatro. Adaptada

a partir dos contos de David Foster Wallace, o primeiro

mérito da encenação é esse, o de oferecer um texto

inteligente, contundente e desafiador ao público. Um

dos mais brilhantes nomes da literatura americana,

companheiro de geração de Jonathan Franzen,

Wallace se suicidou em 2008 e deixou um buraco

semelhante ao causado, no Brasil, quando do suicídio

de Torquato Neto. Inteligentes demais, sensíveis

demais, furiosos demais, ambos cansaram e partiram.

Ainda bem que suas obras ficaram.

Junto com Daniel, estão em cena, Rossendo

Rodrigues, Guadalupe Casal e Ricardo Zigomático,

jovens parceiros dessa empreitada teatral bemsucedida.

O grupo estreou a peça no Teatro de

Arena e as dimensões do teatro, para mim, por

vezes, oprimem a concepção do espetáculo - que

pediria um teatro maior, para respirar mais e melhor.

Composto por cenas de contos diferentes, todos se

revezam nas funções de direção e atuação, revelando

um inventário de atrocidades comportamentais

contemporâneas. Fragmentado, o espetáculo vai num

crescendo e atinge, em sua última cena, um patamar

de extraordinária eficácia teatral. Ali, já esgotados o

uso vertiginoso do espaço, Daniel está sozinho. Ele,

ou seja, um ator (e que extraordinário ator, meu Deus!),

um texto perturbador e nós, o público. O quanto basta,

e tão raro, para que o milagre do teatro aconteça em

sua plenitude. Saí boquiaberto pela noite gelada, tão

mexido que sonhei com o texto, um sonho-pesadelo

devastador. Acordei às quatro da manhã, furioso com

o Daniel por perturbar meu rico sono. Já contei isso

pra ele, e é verdade. O impacto da sua interpretação,

aliado aquele texto dúbio e feroz, invadiram minha

noite e me comprovou, mais uma vez, que o melhor

do teatro acontece quando a essência, para além do

efeito, é o que é valorizado em cena.

Se você não viu, e gosta de teatro, não perca “Breves

Entrevistas com Homens Hediondos” de jeito nenhum.

Depois me diga se não tenho razão. Uma coisa é certa:

Daniel Colin veio para ficar.

5

Foto Márcio Peixe

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


6

Foto Arquivo pessoal

Por Walter Galvani - Jornalista, Escritor e Presidente do Conselho Estadual de Cultura

Nada de fogo aos containers

Agora que a primavera chegou e não há mais dúvidas

sobre a morte do inverno, pense nas promessas

do vento, da noite, dos perfumes assoprados pela

brisa e pelo sol que promete aquecer nossas tardes

daqui até... o ano que vem.

As últimas cheias estão indo embora, até Blumenau

já se liberou, e agora, vamos começar a fazer a

contabilidade dos prejuízos e torcer para que as pessoas

ponham a cabeça a funcionar.

E fazendo isso, esqueçam de beber e correr adoidamente

pelas ruas das cidades com estas máquinas

de matar, maravilhosas máquinas que foram feitas

para andar e contemplar a natureza e no entanto se

transformaram em bombas andantes.

E vamos fazer apostas: o que ficará pronto para a

Copa de 2014?

Muitas promessas passeiam sobre nossas

cabeças pelas ruas das cidades e muitos sonhos estão

planando por aí.

Será que haverá dinheiro para tudo?

O tal metrô que atravessaria Porto Alegre há de se

concretizar?

O Trensurb aí está, como uma lição de que, quando

se quer se consegue. Canoas, Esteio, Sapucaia, São

Leopoldo e daqui a pouco, Novo Hamburgo, ficarão

solidamente engatadas e só se esperam melhorias.

Educação Infantil de qualidade é o primeiro

passo para formação de cidadãos e cidadãs

A Educação Infantil é um bem públi-

co, pois se constitui em dever do Estado,

portanto, é um direito que deve

ser assegurado às crianças e às suas

famílias, pois é nesta etapa da vida que

os meninos e meninas iniciam suas caminhadas

na identificação de valores,

na formação de significados coletivos,

constroem noções de respeito ao meio

ambiente, tomam contato com a cultura

e com a arte e, sobretudo, passam

a valorizar as pessoas. Para tanto,

considerando-se este contexto, a pré-

-escola, que atende aos pequenos de 0

a 5 anos, vem se ressignificando com o

passar dos anos.

As creches com caráter assistencial

vêm dando espaço àquelas com caráter

formativo e de estímulo social,

através da implementação das dimensões

educativa, cultural e social como

elementos cruciais ao desenvolvimento

das crianças e seu direito à cidadania.

Outra mudança neste segmento é

o crescente aumento da demanda,

por isso o município precisa repensar

o atual modelo que utiliza o convênio

com creches particulares e comunitárias

como uma das estratégias para suprir

vagas. O que poderia ser transitório

consolidou-se no cenário da educação

infantil. Se por um lado isso pode atender

o problema de muitos pais e mães

que, desatendidos, encontram neste

modelo um espaço próximo de suas

casas para deixarem seus filhos, por

outro, inicia-se ai um dos nós na questão

da educação.

Amplia-se a dificuldade em qualificar

as propostas pedagógicas a partir de

um processo de formação continuada,

bem como pela precariedade das

condições de trabalho das educadoras

populares, haja vista que são voluntárias

e que recebem uma ajuda de custo

absolutamente constrangedora.

A realidade enfrentada pelas entidades

conveniadas na Capital não é nada

estimulante. Além da procura maior

do que a capacidade de atendimento,

as creches sobrevivem à duras penas

com recurso abaixo das necessidades

de funcionamento. Num cenário como

este em que o recurso mal cobre folha

Por Adeli Sell - Vereador e presidente do PT-POA

de pagamento e alimentação, não há

como pensar na qualificação profissio-

nal, nos investimento em áreas para

brincar e nas melhorias de proposta

pedagógica e projetos. Infelizmente o

cobertor curto na educação infantil está

fazendo com que as entidades comuni-

tárias conveniadas, que têm um impor-

tante papel na educação infantil, sejam

um quadro de retrocesso no modelo

que se sonha para formação das crian-

ças em Porto Alegre.

Qualquer que seja o debate por so-

luções ele passa obrigatoriamente por

aumentar o investimento da educação

infantil, construção de um plano de

carreira sólido aos professores, além

de melhoria na formação dos mesmos.

Se não houver prioridade neste tema, a

situação atual agravará o abismo entre

a educação infantil pública e privada,

intensificando as injustiças sociais e as

diferenças na formação das crianças.

E olhem que o trem que por ali circula já chegou aqui

“usado”.

Mas, meu ponto de vista é de que é melhor uma

livraria de livros “usados”, ou “manuseados” como

está se dizendo agora, do que livraria nenhuma.

Então, que venham os trens que os japoneses não

quiserem mais, que venham lanchas obsoletas que

servirão para nossa travessia do Guaíba e sigamos

batalhando pela melhoria de tudo isso, mas pelo menos

teremos livros para ler, trens para andar, barcos

para navegar.

E que venha também a Copa de 2014.

E nem que seja para assistir Chile, Paraguai e se

der sorte, Uruguai e Argentina.

Enquanto isso, Leandro Damião estará encantando

Rio e São Paulo e, tomara, estarão surgindo outros

leandros aqui pelo sul.

E, por favor: não toquem mais fogo em nenhum

“container” de lixo, e se algum mau cidadão for encontrado

cometendo esse crime, que seja devidamente

“enquadrado”.

Ah, e não toquem mais fogo em pneus nas estradas...

Há outras maneiras de reivindicar e essa não me

parece a forma mais inteligente...

Foto Arquivo pessoal

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto

7

PREFEITURA VAI

ÀS COMUNIDADES

O projeto Prefeitura na forma de estreitar as relações entre

Comunidade terá sua segunda edi- a Prefeitura e as comunidades, oução

a partir de setembro, passando vindo as demandas das regiões e

pelas 17 regiões do Orçamento avaliando o impacto das obras e ser-

Participativo de Porto Alegre. Uma viços.

caravana de autoridades e técnicos A primeira edição do projeto comunicipais

percorrerá os bairros da meçou em setembro do ano passacidade

até novembro para acompa- do, pela Região Nordeste, terminhar

o andamento de obras munici- nando pelas Ilhas. Em 2011, a pripais,

verificar a implantação de pro- meira visita está prevista para 27 de

jetos e qualificar os serviços presta- setembro pela Região Leste, termidos

à população. A iniciativa é uma nando em novembro pela Glória.

MAIS CICLOVIAS PARA A CIDADE

Com o início das obras da ciclovia

da avenida Ipiranga, o mês de

setembro marca a ampliação do

Plano Diretor Cicloviário de Porto

Alegre, que projeta mais de 495 quilômetros

de ciclovias e ciclofaixas

na cidade. A previsão é de que até a

Copa de 2014 estejam disponíveis

cerca de 47 quilômetros de pistas

para os adeptos do ciclismo. A ciclovia

da Ipiranga, com 9,4 quilômetros,

vai ligar as avenidas

Edevaldo Pereira Paiva, a Beira-Rio,

à Antonio de Carvalho.

Ciclovias atuais

• Ciclofaixa Ipanema: 1,2 km

•Ciclovia

da Diário de Notícias: 2 km

•Ciclovia

da Restinga:

4,6 km (em conclusão)

Ciclovias projetadas

(recursos PAC da Copa e parcerias)

• Ciclovia da av. Sertório: 8 km

• Ciclovia da Av. Tronco: 5,3 km

• Ciclovia da av. Severo Dullius: 2,45 km

• Ciclovia da av. Beira-Rio: 2,5 km

• Ciclovia da av. Voluntários

da Pátria: 3,2 km


8

Por Teniza Spinelli - Jornalista

Setembro das Artes

Setembro é um mês especial para quem mora em Porto Alegre. Após o rigoroso e úmido inverno, a cidade

recebe a primavera, trazendo com ela eventos artísticos da maior grandeza. O mais dinâmico e abrangente,

indiscutivelmente, é o Porto Alegre em Cena, 18º edição, de 06 a 27 deste mês, onde cada espetáculo teatral

revela o talento de artistas visuais e cenógrafos de renome, cujas criações permanecem para sempre nas

nossas retinas. O outro evento esperado é a 8ª Bienal do Mercosul, de 10 de setembro a 15 de novembro,

ocupando espaços expositivos agora não só em Porto Alegre, mas também em algumas cidades do interior.

Registramos ainda em setembro a ação do Instituto Brasileiro de Museus – IBRAM – com uma programação

intitulada “5ª Primavera dos Museus”. Com agenda específica, editada e distribuída nas instituições de arte e

cultura de todo o país, o IBRAM mostra sua dinâmica também na nossa cidade. Dentro desta vasta agenda,

inseriu-se o Memorial da Academia Literária Feminina do RS. No dia 21 de setembro, das 14 às 20 horas, a

instituição localizada na rua Sarmento Leite, 933, abre suas portas ao público para visita guiada no Pátio de

Esculturas, mostrando a exposição de obras da artista plástica Neiva Mattioli Leite, gravadora, pintora e escultora

gaúcha, integrante da Associação de Artes Plásticas Chico Lisboa. E na Casa Torelly, Av. Independência 453,

poderemos rever a obra de Gastão Hofstetter, que abre dia 13 de setembro e se estende até 13 de dezembro,

com curadoria de Renato Rosa.

Hofstetter: Atuante, humilde e combativo

Este é o título do texto do curador Renato

Rosa sobre Hofstteter. Quem conheceu o artista,

certamente poderá confirmar a assertiva. Hofstetter

era tudo isso, podendo-se acrescentar também

que era um sujeito “de bem com a vida”. Segundo

Rosa, “ele encarna à perfeição e com muito estilo

o melhor exemplo de artistas boêmios, naquele

espírito irradiado para o mundo a partir de uma

Paris pós-guerra”. Grande Hofstetter! Deixou-nos

belas obras e boas lembranças. Registramos a

seguir alguns fragmentos do texto do curador:

“Como um dos artistas pioneiros da arte

moderna no Rio Grande do Sul, Gastão Hofstetter

desenvolveu diversas funções artísticas: pintor,

gravador, capista e ilustrador. Dono de um matiz

francamente socialista retratou de modo muito

pessoal a sua Porto Alegre, com amor e fidelidade.

Uma Porto Alegre que para sempre não mais

existe: fundamentalmente, a Zona Norte, o bairro

Navegantes e adjacências; mas também o centro

da cidade e alguns aspectos interessantes, como

obras em construção, pátios e igrejas”. Em outro

trecho diz Renato Rosa:

“Mas Gastão também se repartia e atendia, com

outros artistas do período - artistas, digamos, de

outro ramal -, pelo carinhoso chamado de “o pintor

da cidade” e estes seus colegas foram João Faria

Vianna e Francisco Brilhante. Ouvi muitas vezes

outro grau de referência a ele dirigida, tratavamno

como o “artista operário”; acredito que devido

aos temas tratados em suas gravuras e pinturas e

também por suas ligações e posições políticas”.

“Homem de temperamento cordato, simples,

Gastão Hofstetter realizou poucas exposições

individuais e deixou-nos uma obra vigorosa

que merece um estudo aprofundado porque -

efetivamente - desse universo criado, emergirá

uma grande e insuspeitada riqueza humana. Esta

pequena exposição é um ponto de partida”.

Para quem não conheceu a obra de Gastão

Hofstetter o curador adianta detalhes de seu

currículo:

“O artista possui obras em acervos de museus

no Uruguai e na Argentina e como gravador, além

de premiações em salões, participou de exposições

realizadas no Chile, Áustria, Argentina, China,

Polônia, Rússia e Estados Unidos. Participou, em

1935, da Exposição do Centenário Farroupilha, em

1938, foi co-fundador e da Associação de Artistas

Plásticos Francisco Lisboa, formou fileira e foi

diretor nos anos 1950 do Clube de Gravura de

Porto Alegre e integrou a equipe de ilustradores da

Livraria do Globo. Recebeu, em 1952, em Viena,

com os artistas do Clube de Gravura, o “Prêmio

Mundial da Paz Pablo Picasso”. Participou em

1954, em Goiânia, com Lila Ripoll, Carlos Scliar,

Danúbio Gonçalves, Glauco Rodrigues, Lacy

Osório, Heitor Saldanha, Edison Nequete, Lupicínio

Rodrigues e outros, da caravana gaúcha no I

Congresso Nacional de Intelectuais, quando privou

com Pablo Neruda e Jorge Amado, tornando-se,

nessa ocasião, co-fundador do Museu de Arte

Contemporânea de Goiás”.

A preocupação social e a atuação politizada

de Hofstetter, com suas declarações em prol

dos direitos dos artistas, é outro viés importante

para conhecer sua personalidade e sua obra. É

imperdível esta exposição de Gastão Hofstetter que

permanece até 13 de dezembro na Casa Torelly.

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto

Fotos Divulgação


Por Abgail Pereira - Secretária do Turismo do Estado

Uma nova perspectiva para

o turismo gaúcho

A última década viu o turismo consolidar-se como

uma atividade econômica fundamental para o

desenvolvimento do País. Muito se fala do crescimento

do Brasil e, cada vez mais, os olhos do mundo se

voltam para cá. Mesmo sob os impactos da crise

financeira internacional, a expectativa é de otimismo,

uma vez que temos pela frente a realização da Copa

do Mundo, da Copa das Confederações e dos Jogos

Olímpicos.

Estes eventos impõem desafios importantes a serem

enfrentados para que os investimentos públicos e

privados deixem um legado para toda a população. E

no Rio Grande do Sul a situação não é diferente, já que

precisamos fazer com que o turismo seja consolidado

e reconhecido como uma importante atividade

econômica. Há muito a realizar para que atinjamos

índices maiores na competitividade e o setor contribua

de forma efetiva para o desenvolvimento.

Nosso desafio será capacitar e qualificar nossa oferta

para o bem receber e também para que o turismo seja

um instrumento ao alcance de todos, que provoque

a inclusão social e amplie produtos e serviços que

permitam a regiões menos favorecidas do Estado

almejar melhores patamares de desenvolvimento.

É para isto que estamos realizando as Conferências

Regionais do Turismo, que estão percorrendo

as 11 regiões turísticas do Estado. Já passamos

pelas regiões Central, do Pampa, dos Vales e da

Grande Porto Alegre ouvindo opiniões, debatendo,

consolidando o que de bom se fez ao longo dos

anos, mas também buscando novas alternativas que

colaborem com o crescimento do Estado. Com o tema

O Turismo como oportunidade para o desenvolvimento

do Rio Grande do Sul as conferências se apresentam

como uma forma de aproximação do governo com a

sociedade, um instrumento de participação de todos

que têm como contribuir com o turismo gaúcho.

Os encontros regionais são as etapas preparatórias

para a 1ª Conferência Estadual do Turismo que iremos

realizar em dezembro, na Capital. Nesta oportunidade,

queremos eleger um plano estadual para o setor,

um novo marco legal e um sistema de governança

concatenado com o momento político. Muito mais do

que um plano de Governo, queremos fazer um plano

de Estado, que seja perene e que continue atual

mesmo ao fim do nosso período à frente da Secretaria

do Turismo

Encaramos o turismo como o exercício da felicidade

e assim entendemos que ao final deste processo quem

ganha são as futuras gerações que herdarão de nós

um Estado forte, desenvolvido e reconhecido por sua

história e capacidade de realização.

9

Fotos Solange Brum

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


10

Foto: arquivo pessoal

O climatério é o período de transição

entre a fase reprodutiva e o estado

não reprodutivo na vida da mulher. A

menopausa, resultado da perda da

função folicular ovariana, é o marco

dessa fase, correspondendo à cessação

permanente das mentruações, depois

de passados 12 meses de amenorréia.

A perimenopausa se estende

desde o início das modificações

endocrinológicas, psicológicas

e clínicas da menopausa, até o

diagnóstico desta, podendo preceder a

última menstruação em 2 a 8 anos. A

idade média da menopausa é 50 anos

e é definida como precoce quando se

estabelece antes dos 40 anos e tardia

quando ocorre após os 55 anos.

O climatério é um acontecimento

fisiológico na vida da mulher que se

manifesta de forma evidente no que

tange à perda da função reprodutora,

mas essa modificação abrange vários

outros processos simultaneamente

em diferentes órgãos e sistemas. Os

efeitos da carência estrogênica são

diferentes para cada mulher. A idade

de ocorrência da menopausa parece

ter alguma relação com a idade da

menopausa materna, podendo ocorrer

mais cedo em mulheres com ciclos

curtos, menos de 26 dias, fumantes,

vegetarianas e subnutridas.

Climatério

Por Beatriz Bohrer Amaral - Diretora da Radimagem e Radiologista

As fraturas de coluna ocorrem em 25% das

mulheres depois da menopausa. Aos 80 anos, de cada

cinco mulheres, duas terão uma ou mais fraturas por

compressão das vértebras. Esta é uma das razões

pelas quais muitas pessoas diminuem de altura

com a idade. A presença de uma fratura aumenta o

risco de fraturas futuras, resultando em dor crônica e

prejudicando a qualidade de vida.

Exercícios para melhorar a postura e reforçar

a musculatura podem ser efetivos na prevenção

e também ajudar quem já fraturou. Evite, porém,

exercícios ou atividades que torçam a coluna ou

flexionem o corpo para frente sem dobrar as pernas.

Ter uma boa postura é essencial, o alinhamento

adequado do seu corpo quando você está em pé,

sentado ou caminhando reduz o estresse na coluna.

Abra o peito e mantenha a sua cabeça ereta, o queixo

erguido e os ombros para trás, contraindo ligeiramente

a musculatura abdominal.

Aprenda a curvar-se de forma segura, flexionando os

joelhos e quadris e não a cintura. Se for apanhar um

objeto do chão, vire-se de frente para ele, mantenha os

Receptores estrogênicos tipo α e β

existem em diferentes concentrações

em vários locais do organismo, como

pele, vasos, coração, ossos, cérebro,

mama, útero, vagina, bexiga e uretra.

Uma vez suprimida a função hormonal

ovariana, esse receptores percebem a

carência hormonal e podem produzir

com intensidade e apresentação

variada, os sinais e sintomas do

climatério.

No quadro clínico da prémenopausa,

a queixa mais freqüente

é a irregularidade menstrual,

com o encurtamento dos ciclos,

atrasos menstruais, menorragias e

hipermenorréia.

As hemorragias uterinas, em geral,

refletem a irregularidade das secreções

hormonais, ciclos anovulatórios, mas

podem ser sinais de lesões orgânicas

(pólipos, leiomiomas, hiperplasia ou

adenocarcinoma de endométrio) cuja

presença deve ser descartada.

Os fogachos são descritos por

70 a 85% das mulheres e são mais

freqüentes nas magras e fumantes.

É uma sensação de calor intenso na

face, pescoço e parte superior do

tronco, podendo em algumas mulheres

ser acompanhado de palpitações,

vertigens, fraqueza e ansiedade,

sendo mais comum à noite e por

Atenção com sua coluna

Por Dr. Nilton Alves - Ginecologista CREMERS 15.193

isso responsável por insônia, o que

pode contribuir para maior irritação,

cansaço e redução da capacidade de

concentração.

Alterações de humor, como

ansiedade, depressão e irritabilidade

são freqüentes. A atrofia dos tecidos

urogenitais pode trazer sintomas como

ressecamento vaginal, dor nas relações

sexuais, urgência urinária, disúria e

agravamento da incontinência urinária.

A perda da massa óssea também é

freqüente nesse período.

A conduta frente à mulher no climatério

passa pela orientação e esclarecimento

sobre as modificações do organismo

neste período, secundárias à carência

hormonal. Também devemos promover

a manutenção da saúde, estimular

bons hábitos dietéticos, manutenção

do peso ideal, prática de atividade

física, alertar contra hábitos como o

consumo excessivo de álcool e fumo.

A prevenção de doenças como

osteoporose, cardiopatias, o

rastreamento de neoplasias de mama

e cólon, assim como do colo uterino

devem ser implementadas.

Para finalizar, uma avaliação

criteriosa, considerando riscos e

benefícios da terapia de reposição

hormonal devem ser discutidos com a

paciente antes de sua prescrição.

pés afastados e com a coluna ereta flexione os joelhos.

Quando o objeto for mais pesado, apóie um dos

joelhos no chão, erga o objeto até a altura da cintura e,

mantendo-o junto ao corpo, levante-se.

Se precisar alcançar seus pés, para amarrar os

sapatos, por exemplo, sente-se em uma cadeira e

cruze um pé de cada vez sobre o joelho oposto. Só

tente alcançar objetos em uma prateleira quando for

possível apanhá-los com ambas as mãos.

Quando carregar pacotes, procure repartir o peso

em duas sacolas, carregando uma em cada mão. Se

você tiver sofrido uma fratura recente de coluna, não

carregue mais do que cinco quilos. Outra possibilidade

é utilizar uma mochila, de preferência com alças que

prendam na frente do peito e na cintura.

Proteja sua coluna quando for tossir ou espirrar,

contraindo os músculos abdominais e colocando uma

das mãos sobre as suas costas ou apoiando-as contra

a parede. Lembre-se que exercícios de fortalecimento

da musculatura abdominal também ajudam.

Coloque em prática estas sugestões e diminua a

tensão sobre sua coluna!

Próxima palestra do projeto Mulher e Saúde

Dia: 28 de setembro às 16hs - Local: Radimagem - Endereço: Av. Cristóvão Colombo, 1691

Tema: Cuidados Preventivos do Aparelho Digestivo - Palestrante: Marta Brenner Machado, Gastroenterologista

ENTRADA FRANCA – Traga 1Kg de alimento não perecível - Informações: (51) 2125.0505

www.radimagem.com.br

Foto: arquivo pessoal

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


V CONGRESSO DA CIDADE

Planejando e Construindo a Porto alegre do Futuro

INFORMATIVO

Uma ponte para o futuro da cidade

GALERIA DE FLICK/VCONGRESSODACIDADE

Porto Alegre realiza neste ano o

seu 5º Congresso da Cidade, uma

construção coletiva do planejamento

que já envolveu cinco mil

pessoas desde março. Qualquer morador

pode participar das reuniões nos 82 bairros

e da construção de um plano para a cidade

como um todo, participando de uma

discussão permanente sobre o desenvolvimento

local às vésperas da Copa de 2014.

A realização do 5º Congresso da Cidade

foi proposta pela Prefeitura de Porto Alegre

a partir da valorização da participação

popular e do conceito do cuidado da cidade,

expresso no movimento Porto Alegre

Eu Curto. Eu Cuido. Ao reunir moradores,

lideranças locais, universidades, entidades

e Prefeitura para discutir o futuro em cinco

Congressos da Cidade, Porto Alegre reforça

sua experiência democrática como poucos

municípios no mundo.

Paralelamente às discussões nas regiões,

também é possível participar dos seminários

temáticos organizados por quatro

grandes universidades (PUC, UFRGS,

Unisinos e Ulbra) nas áreas do desenvolvimento

urbano/ambiental, cidadão, humano

e econômico.

Respeito ao meio ambiente, qualidade

de vida, segurança, mobilidade urbana

e desenvolvimento social são alguns dos

desejos dos porto-alegrenses expressos

nos mais de 200 encontros realizados até

agora. Para transformar esses desejos em

ações concretas, estão sendo formados

Comitês de Mobilização, que articulam o

primeiro, segundo e terceiro setores em

cada bairro a partir dos Motes e Metas.

Maiores informações em www.vcongressodacidade.blogspot.com

ou (51) 3289.6660.

O 5º CONGRESSO DA CIDADE

Tem envolvido todas as regiões da cidade

desde março, passando pelos 82 bairros,

pelas 17 regiões do Orçamento Participativo

e oito Regiões de Planejamento.

No final do ano, será construído um plano

para o futuro da cidade como um todo.

HISTÓRICO

O Congresso da Cidade surgiu do objetivo

de ampliar a participação popular

que já ocorria através do Orçamento Par-

ticipativo, incentivando a discussão de temas

estruturais da cidade e o planejamento

descentralizado, envolvendo Prefeitura

e comunidade. O 1º Congresso foi realizado

em 1993, reunindo cerca de 700

pessoas. Teve continuidade em 1995, chegando

a 1,2 mil participantes e, em 2000,

reuniu 2,8 mil porto-alegrenses. O IV Congresso

da Cidade, de 2003, trouxe mudanças

significativas para a gestão, com a recomendação

da criação do Observatório

MENINO DEUS / PRAIA DE BELAS

1º - O bairro cidade;

2º - Bairro educado, feliz e com qualidade

de vida;

3º - Comunidade participativa, bairro

sustentável.

3º - Bairro planejado e humanizado.

AZENHA / SANTANA / SANTA CECÍLIA

1º - Cultura, Educação, Lazer e saúde:

ampliação do acesso e qualidade. Comunicação,

informação e participação da comunidade:

lideranças comprometidas e representativas.

Atenção a população de vulnerabilidade:

acessibilidade e cidadania;

2º - Desenvolvimento econômico e social,

através de programas de geração de

renda;

3º - Garantir limpeza urbana, qualificação

do espaço publico, áreas esportivas, capacitando

profissionais para o futuro.

de Porto Alegre e a execução de programas

transversais, que envolvessem todas

as áreas da administração em busca de

objetivos comuns.

Acreditando que o planejamento de

Porto Alegre deve ser uma obra coletiva

sempre renovada, a Prefeitura está dando

continuidade a esse processo com o V Congresso

da Cidade, que deve ter participação

recorde nesta edição, com pelo menos

12 mil pessoas até o final do ano.

MOTES E METAS DE CADA BAIRRO EXPRESSAM OS SONHOS

DA COMUNIDADE PARA O FUTURO. VEJA ALGUNS EXEMPLOS:

BOM FIM / FARROUPILHA / RIO

BRANCO

1º - Bairros de bem viver;

2º - A cara da cidade;

3º - Melange, genios loci, pertença.

HIGIENÓPOLIS / BOA VISTA

1º - Mobilidade urbana;

2º - Integração social;

3º - Direitos do cidadão garantidos.

INDEPENDÊNCIA / FLORESTA

1º - Bairro com qualidade de vida,

com desenvolvimento, preservando a

história e a cultura;

2º - Bairro com inclusão, cidadania

e responsabilidade social, com qualidade

de vida.

vcongressodacidade.blogspot.com

TRANSFORMAÇÃO

CIDADÃ DE BOGOTÁ

INSPIRA MOBILIZAÇÃO

NA CAPITAL

que se tenta algo

novo, a inércia age com força

“Sempre

contrária”, disse o ex-prefeito

de Bogotá e professor de Física, Paul

Bromberg, ao relatar o desafio de comandar

o processo de transformação

pelo qual a capital colombiana e seus

7 milhões de habitantes passaram nos

últimos 16 anos. Bromberg palestrou

na manhã da sexta-feira, 19 de agosto,

no 5º Congresso da Cidade, realizada

na Federasul e relatou que, em 1994,

quando começou a se desenhar o processo

de transformação, “a cidade era

marcada pelo vandalismo, falta de segurança

pública e desordem, o espaço

público era dominado pela informalidade

e os impostos não eram pagos

nem cobrados com eficiência”.

A construção da cultura cidadã

foi um processo capitaneado pelo governo

do então prefeito Antanas Mockus

a partir de 1995. A iniciativa teve

três grandes etapas, chegando no atual

movimento “Amor por Bogotá”, que

hoje conta com atuação intensa do

meio acadêmico. “O princípio da cultura

cidadã chegou como um conjunto

de costumes e rotinas que facilitam

a convivência. O governo constituiu

programas para fazer a sua parte

na qualificação do mobiliário urbano,

da estruturação dos serviços, qualificação

dos funcionários públicos, para então

poder mobilizar as pessoas a disseminarem

um novo comportamento.

O sistema evoluiu para uma combinação

entre o exercício da autoridade e

a adesão voluntária daqueles que queriam

uma nova cidade. “É um processo

permanente até se chegar ao bem comum”,

considerou Bromberg.

Além dele, vieram da Colômbia

os especialistas Ivo Santigago Villaraga,

especialista em avaliação de políticas

pública, e Tatiana Maria Bertel,

socióloga.

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


sta

e de intensa atividade parlamentar. Mais

46 audiências públicas foram realizadas

undo semestre, a gestão compartilhada,

lista

12

Foto Marcelo Cúria

OS GRANDES DEBATES DO RIO GRANDE.

Fotos Moacir Kulisz/Divulgação

Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto

Serviço: Endereço: Estrada da Serra Grande, 4.200, Gramado - RS, a 14

km do centro de Gramado

Reservas: (54) 3295.3025 - (54) 3295.3088 e (51) 9243.5794

Email: lahacienda@lahacienda.com.br

www.lahacienda.com.br

Acesso a partir de Porto Alegre:

- Pela BR-116 e em Morro Reuter pegue a RS 873, em direção a Gramado

- Pela RS 239, em direção a Taquara, e entre na RS 115 até a Várzea

Grande (Km 37)

o Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto

APOIO:

Sobremesa com toque de café

A Melitta apresenta uma receita superfácil de preparar com ingredientes que estão sempre à mão

na cozinha. O Cheesecake de Café é uma deliciosa sobremesa, ideal para receber os amigos com

estilo, e sem abrir mão da praticidade. O segredo desta receita está no sabor forte e marcante do

café solúvel.

ANO XVII • Nº 113 • SETEMBRO 2011 • DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

Projeto Revendo

Porto Alegre

Mariana Fontoura

Pág. 2

ANO XVI • Nº 109 • MAIO 2011 • DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

APOIO:

Cheesecake de Café Solúvel Melitta com leite

Ingredientes:

- 1½ xícara (chá) de farinha de trigo

- 2 colheres (chá) de fermento em pó

- 12 colheres (sopa) de açúcar refinado

- 7 colheres (sopa) de manteiga sem sal

- 7 ovos médios

- 1 caixinha de leite condensado

- 750g de cream cheese

- 3 colheres (sopa) de café solúvel

- 1½ xícara (chá) de suco de laranja

Modo de Fazer:

Peneire em uma tigela a farinha de trigo com o fermento e 4 colheres

(sopa) de açúcar. Faça uma cavidade e junte 6 colheres (sopa) de

manteiga e 1 ovo. Amasse até obter uma massa e forre o fundo de

uma assadeira de aro removível (25 cm de diâmetro). Reserve. Bata

por 5 minutos na batedeira os ovos restantes com o café solúvel e o

leite condensado. Sem parar de bater, adicione, aos poucos, o cream

cheese e ½ xícara (chá) de suco de laranja. Abaixe a velocidade de

batedeira e bata por mais 15 minutos. Espalhe sobre a massa. Leve

ao forno preaquecido em temperatura baixa (160ºC) por 1 hora e 15

minutos ou até as bordas dourarem. Apague o forno e deixe (dentro

do forno) por mais 30 minutos. Leve para gelar até o recheio ficar

firme. Misture em uma panela o restante do suco de laranja e do

açúcar. Leve ao fogo baixoaté obter uma calda encorpada. Retire do

Pág. 3

Pág. 9

Abgail Pereira

Jéferson Assumção

Pág. 3

Alcy Cheuiche

E mais... :: Jaime Cimenti

:: Sergio Napp

:: Teniza Spinelli

:: Renato Pereira :: Thamara Pereira

:: Paulo Amaral

:: Caho Lopes

:: Marcelo O. da Silva :: Dr. Nilton Alves

:: Caetano Silveira :: Dra. Beatriz B. Amaral

:: Luciano Alabarse :: Camilo de Lélis

:: Walter Galvani :: Adeli Sell

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto

Projeto Revendo

Porto Alegre

Lívia Stumpf

Pág. 2

Pág. 9

Regina Ungaretti

Pág. 3

Luiz P. Vasconcellos

E mais...

Pág. 3

Márcio Pinheiro

:: Jaime Cimenti

:: Sergio Napp

:: Teniza Spinelli

:: Renato Pereira :: Thamara Pereira

:: Paulo Amaral

:: Caho Lopes

:: Marcelo O. da Silva :: Dr. Nilton Alves

:: Caetano Silveira :: Dra. Beatriz B. Amaral

:: Luciano Alabarse :: Camilo de Lélis

:: Walter Galvani :: Adeli Sell

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto

Por Thamara de Costa Pereira - Jornalista

fogo e sirva com o cheesecake. Decore com physalis.

Tempo de preparo: 35 minutos para preparação. (Mais 1 hora e 45

minutos de forno e 25 minutos de cozimento)

Valor nutricional por porção:

Cheesecake de Café Solúvel Melitta com leite

Energia (Kcal)350

Carboidratos (g)31

Proteínas (g)9

Gorduras totais (g)22

Colesterol (mg)145

Fibras (g)1,3

Ferro (mg)1,5

Cálcio (mg)113

Usina do Porto 17 anos na vanguarda

O Jornal Usina do Porto completa 17 anos como o mais importante e respeitável veículo de

comunicação na área cultural, por divulgar em 1ª mão o que acontece em nossa Capital e Estado,

com total liberdade de opinião dos colunistas e convidados. O planejamento editorial e gráfico

arrojados projetou o “Usina do Porto” na vanguarda dos veículos de comunicação impressa.

Divulga artigos, crônicas, críticas e ensaios assinados e ilustrados por uma reconhecida equipe de

colaboradores, versando sobre os múltiplos segmentos da cultura; turismo e memória do patrimônio

histórico. Autoridades de diferentes esferas também são convidadas a opinar.

Por ser a única publicação a divulgar, na íntegra, a Agenda Cultural de todos os Teatros e Espaços

Culturais tornou-se imprescindível no cenário de Porto Alegre.

Agradeço á todos os colunistas, parceiros, colaboradores, anunciantes e aos leitores que

continuam a prestigiar o “Usina do Porto” em sua trajetória. Com a certeza de que continuaremos

inovando cada vez mais.

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


Angèle et Tony é o filme de estreia de Alix

Delaporte, e entrou em cartaz há pouco no

verão europeu, com exibições simultaneas

em várias capitais, algo incomum para uma

proodução independente (1,3 milhão de

euros) e para compensar isso certamente

pesaram a indicação para o Festival de

Veneza do ano passado, com o prêmio de

melhor estreia para a diretora no Festival

de Deauville. E provavelmente tambem a

presença da bela Clothilde Hesme, modelo

de sucesso na Europa com presença cada

vez mais constante no cinema, como por

exemplo em Mistérios de Lisboa, do recém

falecido Raoul Ruiz.

A história tem um viés social claro,

retratando o longo e árduo processo

reinserçāo social de Angèle, uma jovem

atraente, após uma temporada na

prisāo. O filme nāo explica a razāo do

encarceramento, mas deixa saber que

isso foi consequência da morte de seu

namorado, com quem ela teve um filho.

Não há indícios de culpabilidade por

parte dela, mas isso não é esclarecido e

tampouco fará falta.

A história começa de fato quando Angèle

Desde 1980 a Dermogral Farmácia trabalha

com manipulação de medicamentos alopáticos,

homeopáticos, dermocosméticos, fitoterápicos,

florais e fórmulas odontológicas.

Com normas de Qualidade ISO 9001 e

normas de Boas Práticas de Manipulação

determinadas pela ANVISA, garante ao cliente

e ao seu médico um rigoroso controle em todos

os processos de Manipulação e Atendimento.

A Empresa investe para crescer, aprimorar

a qualidade e criar conceitos que regem o

segmento magistral. A marca Dermogral é

sinônimo de qualidade e confiança.

Conta com laboratórios modernos,

profissionais capacitados e com a presença

constante de farmacêuticos para atender

com precisão, segundo suas necessidades

específicas.

A Dermogral tem preocupação constante

com o meio ambiente, por isso procura,

sempre que possível, utilizar matérias-primas

orgânicas certificadas pela ECOCERT. Além

Por Marcelo Oliveira da Silva - Coordenador de Comunicação da Secretaria Municipal da Cultura

Angèle et Tony e o cinema filmado

resolve responder a um convite de encontro

através de um anúncio de jornal. É quando

ela conhece Tony (Grégory Gadebois,

excelente ator, membro da afamada

Comédie Française). Gordinho, careca

e maduro, ele não tem absolutamente o

perfil que se esperaria do parceiro de uma

beldade algo maluquete de 20 e tantos

anos como Angèle. Pescador de mar, ele é

de poucas palavras e vive com a mãe em

uma casa simples, com uma dura rotina de

trabalho.

Com um mínimo de diálogos e muitas

situações onde a expressão corporal

dá o rumo da história, as cartas vão à

mesa: Angèle precisa de um emprego

para consolidar seu regime de liberdade

condicional e assim tentar recuperar a

guarda de seu filho junto aos avós paternos

da criança. No início ela acredita que tudo

o que Tony busca é sexo. Com cenas

cruas, o dia a dia cristaliza a transformação

da coquete maluquinha em vendedora de

peixes, ao passo que - apesar da evidente

dureza - Tony vai se mostrando um homem

essencialmente honesto e justo, que busca

formar uma família.

Dermogral

disso, a Dermogral realiza o descarte correto

de medicamentos vencidos fornecidos pelos

clientes, evitando assim o depósito incorreto

destes produtos na natureza.

A Dermogral trabalha com o conceito

parabenos free ou conservantes free nas

formulações dermocosméticas, apresentando

o máximo de suavidade e o mínimo de

irritabilidade.

Respeitando a sua individualidade, a

Dermogral fornece a opção de manipular suas

fórmulas com cápsulas vegetais (VCAPS), as

quais são destinadas a pessoas vegetarinas

e kosher.

Você encontrará também outras marcas em

nossas Farmácias, com a mesma qualidade que

fizeram da Dermogral sua marca de confiança:

PURIS, NO RED, ADA TINA, MUSTELA,

WELEDA além de variadas linhas de produtos

DERMOCOSMÉTICOS.

“Entregue sua saúde ao seu médico e sua

receita à Dermogral”

Ao optar por mostrar em gestos e ações

e não em diálogos as transformações de

suas personagens (a clássico oposição

entre o cinema filmado e o cinema

falado), Alix Delaporte cria uma virtude

e um desafio para seu filme. Se por um

lado o conteúdo social e moral adquire

fluidez e veracidade, por outro a exigência

quanto as habilidades dos atores se torna

definitivamente mais complexa. Com

destaque para Grégory Gabebois, que

com mínimas movimentações de olhos

transmite tudo o que se precisa saber, o

elenco corresponde à altura, mas Clothilde

Hesme claramente precisa ainda aprender

um tanto mais desse ofício.

A despeito de não poucos acertos,

também se nota a mão ainda pouco segura

da cineasta francesa na direção. A opção

pela técnica narrativa conhecida como

montagem de repetição (uma mesma

situação, no caso os longos trechos que

Angèle pensa na vida pedalando sua

bicicleta entre sua vila e a cidadezinha

onde mora seu filho, pontua as guinadas

da história) eventualmente pareceu um

tanto artificial. Há uma diferença sutil, mas

definitiva, na atitude de alguém que reflete

e a de alguém que quer parecer estar

refletindo. Na última dessas sequências, a

movimentação de corpo (propositalmente)

exagerada de Angèle sobre a bicicleta

resultou um tanto irritante, me ‘acordando

para o fato de que estava numa sala de

cinema vendo um filme. Detesto isso e

minhas companhias sentiram o mesmo.

Contudo, esse deslize nāo anula o fato

de que Alix Delaporte fez um belo filme

de estreia. Compare com boa parte da

produção nacional que tenta atingir um

público maior e você perceberá o quanto

faz falta aos cineastas brasileiros cortar

80% de seus diálogos (sinto a tentação

de especular de onde vem isso: será

outra herança negativa das novelas, ou

somos mesmo uma nação de falastrões?)

e quebrar um tanto mais a cabeça até

encontrar um meio de comunicar as

mesmas coisas com atitudes ou com

pequenos gestos, tal qual fazem os

amantes mais charmosos e inteligentes.

Centro - Rua Senhor dos Passos, 235 - Televendas: 3287.6000

Moinhos - Rua Florêncio Ygartua, 53 - Televendas: 3314.9999

Zona Norte - Rua Francisco Trein, 52 - Televendas: 3343.7118

www.dermogral.com.br

A Usina do Pastel chega ao segundo semestre de 2011 com ótimas novidades! Além de estar as vésperas de lançar o novo design de seu site a Usina lançou mais de 15 novos

sabores que se juntam aos mais de 60 já existentes. Entre as novas opções, destacamos: o número 67 (Margarita), o 71 (Carne, ovo, cebola, bacon e requeijão), o 73 (Catupiry,

provolone, tomate, alho e parmesão), o 76 (Tomate seco, rúcula e ricota) e o 78 (Alcatra, queijo gorgonzola e cebola caramelada). Vale a pena lembrar que os novos sabores não

são apenas de Pastéis, mas também das deliciosas panquecas e batatas recheadas que a Usina oferece! Você pode desfrutar dos produtos da Usina do Pastel visitando-a na

Cristóvão Colombo, 2614, solicitando via online através de www.usinadopastel.com.br ou ligando diretamente para 3337.0141 ou 3029.0142.

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto

13

Fotos Divulgação


14

Viver sem você

Às vezes acordo com a boca seca que a vida é amarga.

Às vezes a chuva é repentina e me pega sem abrigo.

Às vezes bate uma agonia lenta e o vento arrasta

qualquer esperança para muito além do longe.

Mas é verão quando chegas e, se chove, a chuva é de

estrelas.

Há um calor de verão na mornura dos teus pelos.

Como se trouxesses, em meio à tempestade, estrelas e

calmarias.

É pouco, porque num instante o dia fica feio. Para no

outro, o sol ser de janeiro.

Ao mesmo tempo, o tempo de um minuto, o coração

desalenta, quase arrebenta.

Há uma adaga que afaga e um punhal que alimenta. Há

um azul que transpira o que a tarde inventa.

Quando tu chegas de amor a pele sufoca. Tanto, tanto,

tanto, que eu morro do amor que me toca.

Quando vais embora, quem baterá a porta? Quem

abrigará o lírio do olhar? Quem amainará o sono da pedra?

Quem irá impedir o silêncio de atravessar janelas e se

assentar na sala?

Quem tem medo de amar com receios de sofrer passa

o tempo se escondendo. Eu não. Quero que o amor

estraçalhe, que a paixão descarrile, que a palavra nunca

atrapalhe. Por que vens de longe, de um mundo que é

encantado. E chegas no meu mundo de sombras, no meio

das trevas, e a tua lua e os teus mistérios se debruçam

sobre mim. E eu sonho que a única razão da vida é

Educação Infantil: da construção do ambiente às

práticas pedagógicas de Cássia Ravena Mulin de

A. Medel obetiva levar às instituições de ensino que

promovem a educação infantil, de zero a seis anos,

e aos demais interessados, uma visão de trabalho

harmonioso, positivo.160 páginas, Editora Vozes,

telefone 3226.3911.

Jogo de Damas do jornalista, cronista e escritor

David Coimbra descreve, com humor e erudição,

a trajetória das mulheres desde a Grécia Antiga

até o século XX. David entende que elas foram as

verdadeiras responsáveis pelo progresso do mundo.

L&PM Editores, 176 páginas, telefone 3225.5777.

O que faltava ao peixe da professora, jornalista

e escritora Ana Santos, com apresentação de Luiz

Antônio de Assis Brasil, é seu livro de contos de

estréia. Com ilustrações de Aline Daka, as histórias

falam de infância, morte, velhice e solidão, com

sensibilidade, simplicidade e delicadeza. Libretos,

74 páginas, telefone 3233.3804.

Por Sergio Napp - Escritor

existires, que não há razão nenhuma se resistires. E eu

me pergunto por que demoraste tanto que eu já estou

tão pouco?

Me pedes que eu fale da vida e a vida não tem respostas.

Sinto um perfume de açucenas vindo das profundezas do

mar. Perfume que não se dá. Vida que não se faz.

Quem colocará os guizos na manhã? Quem decifrará a

palavra nas linhas da pele? Quem coserá a seda quando

o tempo se romper? O amor?

Te levo nos desvarios do sonho e recordo os teus azuis.

Te carrego comigo na garupa do meu coração. Não há

magias, não há folias que eu não faça: basta o teu coração

pedir. Não há pranto que não seque quando olhas para

mim. O coração dá pinotes, o dia dá cambalhotas e o

mundo parece uma festa que não acaba jamais.

Teu corpo é minha pátria. E dele me sinto exilado. Porque

vens de longe, eu sei. De um tempo de sobras. Poderias

chegar de amor, mas vens feito sereias trazendo a morte

em seus cantos.

Vens cansada e o que me resta é adormecer-te. Fazerte

velejar pelo mar da lua cheia em seu barco de cristal.

Ouço o som deste mar, som que desacalma, que

desconsola; ouço o primeiro dos gemidos que ao coração

chegasse.

Grito, peço e canto: deixa que o coração chacoalhe,

que a manhã desembrulhe, que a canção nos agasalhe!

Quem disse que eu sei viver sem você?

Por Jaime Cimenti - Jornalista e Escritor

Esse inferno vai acabar de Humberto Werneck,

jornalista e escritor mineiro, faz parte da Coleção

Arte da Crônica. Werneck é colunista de O Estado

de São Paulo e fala do cotidiano com humor e graça.

A prima Solange, a inauguração de Brasilia, Dona

Alzira e Samuel estão nas histórias, que lembram

Fernando Sabino e Paulo Mendes Campos. 192

páginas, Arquipélago Editorial, telefone 3012.6975,

www.arquipelagoeditorial.com.br

Os filhos da mãe do empresário Luiz Fernando

Oderich, presidente da ONG Brasil Sem Grades,

fala de educação, violência e prevenção. Oderich

perdeu o filho único, Max, assassinado, em 2002,

às vésperas da formatura em Administração de

Empresas. Apresentação da jornalista Rosane

de Oliveira. 96 páginas, AGE Editora, telefone

3061.9385, 3223.9385.

360 Graus – Inventário astrológico sobre Caio Fernando Abreu

de Amanda Costa com fotografias de Dulce Helfer e outros

elementos de referência a Caio F., à Astrologia e objetos pessoais

de Amanda, nos oferece um mapa, não simplesmente astral,

mas filosófico mesmo, além de carinhosamente existencial, para

acompanhar a obra do Caio, o espaço tem uma ambientação toda

especial feita pela produtora Carla Joner. 308 páginas, Editora

Libretos, telefone 3233.3804, www.libretos.com.br

Foto Luciana Thomé

Foto: arquivo pessoal

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto


Quando um não quer dois não brigam. Falso.

Quando um não quer, foge. Ou já apanhou, portanto,

acabou a briga.

Homem que é homem não dá o braço a torcer. Ai

depende, se for da torcida do Grêmio na saída do

jogo... E depende da disposição do PM.

Deus é justo... Mas esta sua saia...

Dinheiro não é tudo na vida. Certo. Dinheiro não é

nada, para quem não tem nenhum.

Amigos amigos negócios à parte. Errado. É assim:

Amigos, amigos... os negócios estão um parto.

Quem bebe e canta seus males espanta. Entendase

por: Quem bebe e canta, que baita porre.

Quem nunca pecou que atire a primeira pedra.

Cuidado com a suspensão do carro. Evite o

paralelepípedo. Prefira o pecado, porém asfaltado.

Há males que vem para bem. Certíssimo. Para o

bem do outro.

O país da Copa

Minha colega Maria Tereza teve de cancelar sua viagem ao exterior,

pelo que solicitou ao programa de milhagens a transferência do vôo

para outra data. Então disseram a ela que havia uma taxa a ser paga,

mais precisamente a taxa de embarque que, na primeira reserva,

ela já tinha pago. É claro que ela ficou indignada, apesar de o valor

ser de apenas uns R$ 40,00. Mas não é o valor o que incomoda

Maria Tereza, e sim o fato de quererem cobrá-lo novamente. Se

ela não embarcou, não se produziram, proporcionalmente a sua

pessoa, as despesas de embarque respectivas. Então, por que

pagar duas vezes pelo que não se consumiu mais do que uma vez?

- Com quem fica este dinheiro?, pergunta Maria Tereza.

Assim são algumas companhias aéreas. A TAM, em seu programa

de fidelização, deu um verdadeiro calote em seus clientes ao

unilateralmente decidir pela exigência de duplicação de pontos para

se exercer o direito de vôo em alguns trechos. Isto é, o passageiro

acreditou na empresa e dela tornou-se cliente fidelíssimo, adquirindo

suas passagens. Depois veio a imposição descabida da TAM. E o

cliente? Ficou na mão? Só se quiser, pois este é o tipo de atitude

que até o contínuo da faculdade de Direito sabe que não passa sem

reparação num tribunal.

Isso acontece no país que receberá a Copa, onde, no Rio de

Janeiro, por exemplo, o Aeroporto de Congonhas, em sua ala

antiga, só tem banheiros no andar superior e nos quais não há

fechaduras nos compartimentos de privadas. - Cague-se com uma

promiscuidade dessas!

Como eu tinha muito tempo de sobra, resolvi tomar um ônibus

do aeroporto para o Leblon. Não havia placas indicativas, então

perguntei a um guarda municipal que monitorava o trânsito de

chegada e saída do aeroporto qual ônibus devia tomar. Ele me

Por Paulo César B. do Amaral - Artista plástico, curador e escritor

disse que era um ônibus amarelo. - Amarelo?, perguntei, pois

já avistava dois, e cada um com dizeres diferentes. Fui aos

dois, e não era nenhum. O motorista do último me informou

que era um ônibus azul, e o primeiro que avistei, depois de

longa espera, continha aqueles dizeres luminosos indicando o

itinerário: Flamengo, Copacabana, Ipanema, Leblon, Barra...

Como outros passageiros que estavam ali perdidos havia já

algum tempo, desloquei-me para entrar no ônibus. Ufa, que

bom! Mas fui atrás de todos e ainda resolvi perguntar, na dúvida:

- Vai para o Leblon? E o motorista respondeu: - Não, este vai

para o Galeão. Os passageiros desceram indignados, mas havia

alguns estrangeiros, japoneses, que não disseram nada. Apenas

apearam, amparados por passageiros que falavam inglês e

explicaram o que se passava. Voltamos à parada. Mais tarde,

veio outro ônibus azul com aqueles mesmos dizeres: Flamengo,

Copacabana... Mas este deu certo, este era o correto.

Há outro problema muito sério, que mereceria capítulos:

os preços cobrados nos serviços de aeroportos: lancherias,

farmácias, livrarias, em geral tudo mais caro ao menos duas

vezes. E de qualidade indiscutivelmente inferior. Experimente

comprar um pacotinho de Halls em qualquer aeroporto. Sai de

duas a quatro vezes mais, dependendo do lojista ou da cara do

cliente. Este é um assunto gravíssimo que só não há de espantar

turistas porque eles já terão chegado e não terão opção de

desistir de enfrentar o país da Copa. Há muito que fazer além

das obras que receberão a Copa, sobretudo na infra-estrutura

de educação e civilidade.

Precisamos urgentemente de mais um PAC só para este fim.

Mas aí...

Por Renato Pereira - Jornalista

Reeditando ditados

Quem desdenha quer comprar. Comprar até quer,

só não gostaria de pagar.

Se a vida lhe der um limão, faça uma limonada. E

depois consiga uma vaga no SUS para curar a acidez

no estômago.

Tristezas não pagam dívidas. Isso. Ligue para o

banco todos os dias e dê uma gostosa gargalhada.

Política e religião não se discute. Claro que não.

Tanto que o inferno fica fora inclusive do entorno de

Brasília.

As mulheres não entendem os homens. Entendem.

Os homens é que nunca tem saldo para fluir a contaconjunta.

Dor de cotovelo não mata ninguém. Depende da

pontaria do outro.

Homem não chora. Chora. E pior. As lágrimas saem

pelos chifres.

Diga-me com quem andas que dirte-ei quem és.

ELETROELETRÔNICA

Porteiro Eletrônico Residencial/Coletivo

Video Porteiro Residencial/Coletivo

Central de Portaria

Central Telefônica

Sistema CFTV

Instalações Elétricas Residenciais

Airton Schineider - [51] 8577 0573

ast.eletroeletronica@hotmail.com

Entendeu? Depois da tentativa de auto-aumento,

não sai mais para jantar com aquele teu cunhado

vereador.

A morte é certa. Vírgula! A morte é errada. Pergunta

pra ver se alguém se habilita?

Com quantas paus se faz uma canoa?

Ecologicamente correto, com nenhum. Agora é de

alumínio.

Quem cedo madruga... Ou é para roubar um galo

ou está vazando antes que o marido chegue.

Nunca digas desta água não beberei. Cheira, bebe

e não discute. Se for água sim, dispensa.

Nunca se vai com muita sede ao pote. Como que

não? Quatro anos de mandato passam num vaptvupt.

Beleza não é tudo na vida. Mas feiúra consegue ser

ainda menos.

ELETROELETRÔNICA

Porteiro Porteiro Eletrônico Residencial/Coletivo

Video Video Porteiro Porteiro Residencial/Coletivo

Central Central de Portaria de Portaria

Central Central Telefônica

Sistema Sistema CFTV CFTV

Instalações Elétricas Elétricas Residenciais

(51) 8577•0573

Airton Airton Schineider - [51] - [51] 8577 8577 0573 0573

ast.eletroeletronica@hotmail.com

ast.eletroeletronica@hotmail.com

CENTRO - INDEPENDÊNCIA - BOM FIM - RIO BRANCO - PETRÓPOLIS - MOINHOS DE VENTO - AUXILIADORA - CIDADE BAIXA -

MENINO DEUS - SANTA CECÍLIA - CAMINHO DO MEIO - ZONA NORTE - ZONA SUL E FLORESTA

Foto Tonico Alvares

Palácio Piratini - Prefeitura Municipal de Porto Alegre - Secretaria Estadual de Educação – Depto. Pedagógico - Assessoria de Projetos Especiais para 258 Escolas Estaduais – SMED – para 92 Escolas Municipais - Secretaria Municipal de Cultura - Centro Municipal de Cultura - SETUR - Secr. de Estado do Turismo - Usina

do Gasômetro - Teatro da Ospa - Teatro de Câmara - Museu da Comunicação Social - Teatro de Arena - Teatro Bruno Kiefer - Salão de Atos da UFRGS - Assembléia Legislativa - Solar dos Câmara - Theatro São Pedro - Casa de Cultura Mário Quintana - Teatro do SESC - Curso Mauá - Rede Hoteleira - Shopping Praia de

Belas - ARI - Ass. Riograndense de Imprensa - Sind.Comp.Musicais do Estado/RS - Academia Kyokushin - Sec. de Cultura do RS - Agências de Publicidade - IOF-Instituto Ortopedia e Fisioterapia - Museu Joaquim José Felizardo - Arte Café - Bazar Londres - Guarida Imóveis - Clínica Menino Deus - AGAPA (Associação

Gaúcha de Pintura Artística) - GBOEX Previdência Privada - Confiança Companhia de Seguros - Super Pizza - Espaço Dança e Memória - Instituto Estadual de Cinema (SEDAC) - Secretaria Estadual da Saúde – Cia. das Pizzas - Ótica Andradas - School - Casa dos Óculos - Tia Iara - Líber Livros - 5 à Sec - .com Cyber

Café - Gambrinus - Pronto Olhos - Anita Cell - Rede Drogadil - Cachorro do Rosário (Emancipação, Shopping Total e Mariante) – Churrascaria São Rafael - Barranco - Livraria Nova Roma - General Rock - Fisk - Bar do Beto - Laboratório Marques Pereira - Mauá - Biblioteca Pública do Estado - Haiti - Ótica Moinhos de Vento

- Wow! - DAER - Zil Vídeo - Livraria Vozes - Trianon - Café Arte & Cia - Homeograal - Assistir Escitório de Advocacia - Se Acaso Você Chegasse - Livraria Londres - Banca 43 - Livraria do Mercado e Banca Bang-Bang - Palavraria Livraria-Café - Panificação Copacabana - Bar e Café Pan Americano - Bar Chopp e Restaurante

Pacífico - Chopp & Companhia - Copão - Papillon - Sierra Maestra - Restaurante Natural Flor de Maçã - Planet Dog - Escola Arte Educação - Morano - Galeria Arte & Fato - Beiruth - Maomé - Matheus Confeitaria, Buffet e Café - Essência da Fruta – Academia Bio Ativa – Só Portáteis - Cyber Point - Bazar Londres - Print Cópias

– Paradouro Pet – Drogabel – FINASA – Porto Pastéis – Roberto Celular – COMUI: Conselho Municipal do Idoso – SIMPA: Sindicato dos Municipários de POA - Lyon Press - Ferragem Bom Fim – Ferragem Igor – Óptica Santo Antônio – Belver Óticas – Brubins Bistrô Cafeteria Congelados – Feito à Mão Café – Café Paris

– Centralfarma - Color House - Stratus Celular - Café dos Cataventos – Casa de Ferragens - Corebrás - Café do Porto – Café - Clínica Visão – Restaurante Solle Mio - Café Concerto Mário Quintana - Companhia do Cachorro do Rua da Praia Shopping - Garcias Churrascaria – Garcias Bar - Cachorro Gordo – Clindent –

Laboratório Crol – Móveis Masotti – Personalle – Todeschini - LilliPut - Jazz Café – El Viejo Panchos - Le Bistrot - Bistrô Torta de Sorvete - Café do Porto - Just Coffee - Z Café - Dublin Irish Pub - A Lenha Pizzaria – Amêndoa - Café Atelier do Pátio - Puppi Baggio – pastas & molhos - Usina de Massas - Barbarella Bakery - Tutto

Riso - Bistrô da Rua – Sexxxy Butik – Bella Morano – Sulina Grill - La PizzaMia - Churrascaria Laço Aberto - Churrascaria Schneider - Silva & Rossol Advogados Associados - SIJ – Serviço de Informação do Judiciário - Via di Trento - Villa Rústica - Café Correto - Miau da Cabral - Churrascaria Komka - Churrascaria Santo

Antônio – Lamb’s – Drogamaster – Tablado Andaluz: Curso de Dança e Restaurante – Copão - Parque Virtual - ABIC - Associação Brasileira de Intercâmbio Cultural - Consultório Dr. Nilton Alves – Piovesani – Radimagem – Jazz Café – Bar da Bel – Tortaria – LilliPut - Le Bistrot - Café Correto - RD-Assessoria Jurídica - Estocke

Off - Centro Médico Rubem Rodrigues - Bistrô Torta de Sorvete - Café do Porto - Ponto de Antiguidades - Just Coffee - Z Café - Dublin Irish Pub - A Lenha Pizzaria - Amêndoa - Café Atelier do Pátio - Puppi Baggio – pastas & molhos - Vinhos Giuliano - Usina de Massas - Barbarella Bakery - Tutto Riso - Bistrô da Rua - Vila

Madalena - Chopp Stübel – Casa Elétrica – Advogare – Assessoria Jurídica – Tec Líder - Mac Dinhos - Cachorro do Porto - Castanhas Express - Per Tutti Galeto - Sashiburi - Peppo Cucina - Bom Bocado - Churrascaria Laço Aberto - Baumbach Restaurante – Churrascaria Na Brasa - Miau da Cabral - Xis Moita - Opus - La

Chiviteria - Se Acaso Você Chegasse - AGEA - Assoc. Gaúcha de Economiários Aposentados - Cine House - Home Theater Automação Residencial - IOF - Telas Gaudi - Intit. de Ortopedia e Fisioterapia - Sapere Audi!Livros - Clínica Odontológica Dr. Nelson Monteiro - English Consultancy - Radicom - Clinica de Diagnóstico

Médico por Imagem - SAT Aeroporto Internacional Salgado Filho - SAT Mercado Público do Bom Fim - SAT Mercado Público - SAT Usina do Gasômetro - SAT Linha Turismo – Terminal Linha Turismo - SAT Praia de Belas Shoping - SAT Shopping Bourbon Country - SAT Moinhos Shopping – SAT Shopping Total – FAMURS:

Federação das Associações de Municípios do RS - Ritter Hotel - Porto Alegre Ritter Hotel – Novotel - Hotel Deville – Hotéis Continental - Everest Hotéis - Harbor Hotéis - Plaza São Rafael - Plaza Porto Alegre – Rede Versare - Hotel Sheraton Porto Alegre - Big Sisor

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto

15


Cerveja artesanal

em Santa Catarina

visita à fábrica

da Eisenbahn

A tradição germânica em Santa Catarina destaca o Estado no

cenário nacional de produção de cervejas artesanais. A rota se

estende pelas cidades de Blumenau, Brusque, Gaspar, Indaial,

Pomerode, Jaraguá do Sul, Joinville, Treze Tílias e Timbó.

Em Blumenau, os turistas e mesmo moradores podem conhecer

a fábrica da cervejaria Eisenbahn, onde são produzidas todas as

cervejas da marca brasileira mais premiada internacionalmente.

A empresa promove visitas guiadas à fábrica para quem quiser

conhecer a história da Eisenbahn, o processo de fabricação, os

tipos de cervejas e ainda degustar um chope diretamente de um

dos tanques de fabricação. O local da fábrica – ao lado de uma

antiga linha de trem em Blumenau – serviu de inspiração para

o nome da cervejaria, já que Eisenbahn, em alemão, significa

ferrovia. A Eisenbahn, em suas versões, é comercializada em

diversos estados brasileiros.

Junto à fábrica, em Blumenau, também está localizado o Bar

da Eisenbahn, onde há shows de música alemã e ocorrem os

tradicionais encontros de grupos de apreciadores de cerveja, os

chamados Stammtisch.

Serviço – visita à fábrica da Eisenbahn

Dias e horários para visitação: segunda a sábado, das 14h às

19h, com visitas de hora em hora (sujeitas a alteração conforme

o processo de produção), tendo um intervalo das 17h às 18h

Agendamento da visita: segunda a sexta, das 11h30 às 19h30.

É preciso agendar com antecedência, pelo telefone (47) 3488-

7307. Preço: R$ 5,00, incluindo degustação de um chope de

300ml retirado direto do tanque de fabricação.

Como chegar: a partir do centro de Blumenau, seguindo pela

avenida Beira Rio, contornar a Prefeitura e seguir à direita pela

rua Martin Luther até o cruzamento com a rua Bahia. Seguindo

à esquerda, prosseguir pela rua Bahia, passando pela sede do

Jornal de Santa Catarina, junto à Ponte Metálica do Salto do

Norte. Após 3 km da ponte, haverá o acesso à fábrica, localizada

no nº 5181.

Por questões de segurança não é permitida a entrada de

crianças até 14 anos no interior da fábrica.

Por Thamara de Costa Pereira - Jornalista

Neste semestre, a Assembleia gaúcha se consolidou como espaço de grandes debates e de intensa atividade parlamentar. Mais

de 8 mil pessoas participaram do Programa Destinos e Ações para o Rio Grande e 146 audiências públicas foram realizadas

pelos deputados em suas comissões temáticas em Porto Alegre e no interior. No segundo semestre, a gestão compartilhada,

que valoriza a transparência e a responsabilidade social, continua no Parlamento.

www.al.rs.gov.br • www.twitter.com/assembleiars

Fotos Fernando Willadino

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA: O ESPAÇO DOS GRANDES DEBATES DO RIO GRANDE.

Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto Usina do Porto

More magazines by this user
Similar magazines