004 - O FATO MANDACARU - ABRIL 2018 - NÚMERO 4

ofatomandacaru

Pág. 4 | DISTRIBUIÇÃO GRATUITA! Jornal Comunitário de Maringá | Ano 01 | Edição 004 | Maringá, abril de 2018

ULISSES MAIA “CARREGA” A

PREFEITURA PARA O BAIRRO

Sétima edição do projeto “Prefeitura no Bairro” reúne mais de 300 pessoas no Cidade Alta II

“Cada vez que a gente faz um “Prefeitura no Bairro”, temos um raio-X da região. Fica fácil de acertar o que a população deseja”

O FATO MANDACARU foi até o Cidade Alta ll na noite de

quarta, 21 de março. O clima estava agradável, mas o

trânsito era caótico no semáforo do contorno sul.

Queríamos conhecer esse projeto que leva a prefeitura

até o bairro. O encontro estava marcado para as 19,30 na

quadra coberta do bairro. Chegamos com antecedência

e pudemos ver o pessoal da prefeitura preparando as

cadeiras, o som e tudo mais, tinha até um cafezinho.

(Ulisses Maia)

Ligiane Ciola

MARINGÁ • Aos poucos as pessoas

começaram a chegar. O calor

“incentivou” as famílias a saírem de

casa. Logo, começaram a chegar

também, vereadores, presidentes de

bairros, secretários municipais, os

representantes da guarda municipal

e da PM. O vice Scabora também

chegou com antecedência.

No momento exato, a quadra estava

cheia; estima-se que haviam

cerca de 300 pessoas. De repente o

volume da música aumentou e Ulisses

chegou.

Abraços, cumprimentos, fotos e

bate-papo. É o prefeito mesmo que

se encarrega junto com o pessoal da

secretaria de assuntos comunitários

da prefeitura, de convocar todos a

sentarem-se. Pouca cerimônia e até

pedidos de silêncio: “Nós viemos

aqui para ouvir vocês”.

Enquanto os moradores se organizavam

em fila para as perguntas,

o prefeito homenageava uma

mulher que em 1976 conseguiu o

Vice-Prefeito Edson Scabora, Prefeito Ulisses Maia e o Vereador Belino Bravin

feito fenomenal de conquistar uma

cadeira na câmara municipal de

Maringá. Lizete Pereira da Costa

foi a primeira mulher a eleger-se vereadora

na cidade. Hoje não temos

nenhuma. Por quê?

Um talvez vem do prefeito:

“Talvez falte até mais participação

da mulher”.

Vinicius foi o primeiro

da fila. Ele, e todos

os outros queriam

saber como e quando se

fará algo para resolver

o caos do contorno sul.

O prefeito respondeu

pedindo compreensão:

“Esse problema

existe há 30 anos. Nós

conseguimos viabilizar

junto com os vereadores,

13 milhões de reais e vamos

fazer uma ‘reforma boa’ e já neste

contorno sul. Primeiro precisamos

fazer a licitação. Daqui três meses

começaremos a reforma.”

O prefeito, porém deixou claro

que a solução definitiva para a estrada

“vai demorar mais, porque

tem que ser feito outro contorno

sul”.

A prefeitura diz já ter um projeto

que inclui a construção de um

contorno com pistas duplas, acostamentos,

7 viadutos, galerias de

águas, drenagem, em resumo: tudo

aquilo que o atual não tem. “É uma

obra muito cara, custará 150 milhões

de reais. Nós não temos o dinheiro,

mas vamos buscar recursos,

disse o prefeito”.

Nem todos os problemas são

enormes e suas soluções não dependem

de tanto dinheiro. Os moradores

do Cidade Alta II cobraram do

prefeito, a realização do “campinho”

ao lado do ginásio. Ulisses respondeu

que “em breve o campo estará

à disposição da comunidade”, e

completou dizendo que, “o vereador

Bravin, aqui do meu lado, está

me dizendo que foi um projeto dele.

Tá certo. A gente não faz nada sozinho.

A câmara nos ajuda muito.”

A maioria das questões levantadas

pelos moradores encontraram

respostas diretamente da boca

do prefeito e quando não, respondia

um secretário. Entre os pedidos

e reclamações estão: Atuação da patrulha

do som para coibir abusos

nas festas que acontecem em chácaras

nos fins de semana, uma moradora

do jardim paraíso reclamou

do atendimento no posto de saúde,

teve quem pediu uma ATI, mas também,

quem como o Flávio que pediu

respeito no uso das vagas de estacionamento

destinadas a pessoas

com necessidades especiais no centro

da cidade.

Flávio é pai de uma garotinha

que tem direito à vaga, mas toda

vez que precisa ir ao centro encontra

a vaga ocupada por quem não

tem direito. Outras reclamações: A

eterna falta de vagas nas creches,

colocação de quebra-molas, mais

rondas policiais nos bairros, construção

de um centro comunitário

no Jardim Madrid, interligação das

ciclovias, construção dos parques

lineares e demora no atendimento

odontológico.

Para tudo Ulisses teve uma resposta.

Notamos que a maioria dos

que fizeram pedidos e reclamações

aproveitaram o momento para agradecer

algo que a administração havia

atendido. Foram muitos agradecimentos

e até orações.

A prefeitura no bairro funciona.

Além do prefeito Ulisses Maia,

participaram do encontro, o viceprefeito,

Edson Scabora, os vereadores

William Gentil, Mário Verri,

Belino Bravin, Do Carmo e Sidnei

Telles.■

More magazines by this user
Similar magazines