21.04.2013 Views

Aromatizantes - Engarrafador Moderno

Aromatizantes - Engarrafador Moderno

Aromatizantes - Engarrafador Moderno

SHOW MORE
SHOW LESS

Create successful ePaper yourself

Turn your PDF publications into a flip-book with our unique Google optimized e-Paper software.

Ingredientes

28

Aromatizantes: sensações

que conquistam clientes

É fundamental

que as bebidas e os

alimentos tenham

um sabor agradável

para que possam

ser consumidas.

Mas engana-se

quem pensa que

o sabor é o único

artifício de conquista.

Os aromas

também atuam como

protagonistas neste jogo

de atrair e aguçar

as sensações.

Responsáveis

por cerca de 90%

do que sentimos

de cheiro e gosto

nos alimentos

a presença deste

ingrediente também é

fundamental para o

segmento de bebidas

Engarrafador

Moderno


Eles já estão presentes na

indústria de bebidas, laticínios,

confeitarias, culinária,

carnes, tabaco, farmacêutica,

higiene bucal, cosmética entre outras,

sempre despertando uma sensação

olfativa agradável capaz de

conquistar os sentidos.

Mas não pense que aromatizante

é assunto contemporâneo. Os aromas

sempre estiveram ligados a

nossa história, porém suas aplicações

foram mudando ao longo dos

tempos. Nos primórdios da civilização

eles eram utilizados como ferramenta

de avaliação, ou seja, o

aroma tinha como função indicar se

um alimento estava estragado ou

não, distinguir plantas e ervas noci-

Fevereiro/09

Larissa Florencio

Fotos: divulgação

vas das comestíveis, além de outras

funções ligadas à sobrevivência.

Quase todas as civilizações antigas

relatam a presença de substâncias

aromatizantes como óleos,

essências e perfumes em cultos, rituais

religiosos e até na cosmética.

Também no início do século passado

este ingrediente ganhou bastante

destaque atuando na perfumaria e

agregando luxo e sensualidade às

fragrâncias.

Com o passar do tempo e com

a evolução tecnológica, principalmente

no setor de bebidas e alimentos,

os aromatizantes ganharam

uma nova função: potencializar a

qualidade sensorial destes produtos.

Atualmente, os condimentos aro-

matizantes exercem a mesma importância

que os macronutrientes

(proteínas, gorduras e carboidratos),

e micronutrientes (vitaminas e minerais),

sendo considerados como

componentes essenciais para a alimentação

humana.

A utilização de aromas difere-se

dos demais aditivos, uma vez que os

aromatizantes precisam ser percebidos

pelos consumidores, pois são

responsáveis pela caracterização

do produto a ser ingerido. Sua utilização

está diretamente ligada ao

prazer de beber e comer, satisfazendo

diferentes gostos, entre eles

os paladares mais requintados ou

até contribuindo para mascarar sabores

indesejáveis.

29


Ingredientes

30

Laboratório de bebidas da Duas Rodas Industrial

Como grande parte do sabor de

um alimento é diretamente influenciado

pelo seu aroma, atualmente em

meio a um mercado tão competitivo

e com grande diversidade de opções

a indústria precisa estar bem preparada,

pois são os diferenciais que

vão garantir o sucesso e aceitação de

um produto por parte do consumidor.

Entendendo as

características

Os aromatizantes estão inseridos

na categoria de aditivos alimentares.

Segundo a Agência Nacional

da Vigilância Sanitária (Anvisa), um

aditivo alimentar é qualquer ingrediente

adicionado intencionalmente

aos alimentos, sem propósito de nutrir,

com o objetivo de modificar as

características físicas, químicas, biológicas

ou sensoriais, durante a fabricação,

processamento, preparação,

tratamento, embalagem, acondicionamento,

armazenagem, transporte

ou manipulação.

No Brasil, a utilização de aditivos

alimentares é regulamentada

pela Anvisa e toda a aprovação do

uso destes aditivos é baseada em

normas internacionais.

Segundo definição da agência os

aromas ou aromatizantes são substâncias

capazes de conferir ou intensificar

o sabor dos alimentos.

Hoje em dia o que há de mais atual

nesse assunto consta na Resolução

RDC nº 2 de 15 de janeiro de 2007,

que aprova o Regulamento Técnico

sobre aditivos aromatizantes e classifica

os aromas em duas categorias:

os naturais e os sintéticos.

De acordo com a resolução "os

aromas naturais são os obtidos exclusivamente

por métodos físicos,

microbiológicos ou enzimáticos, a

partir de matérias-primas aromatizantes

naturais", já os sintéticos são

"compostos quimicamente definidos,

obtidos por processos químicos",

compreendendo os aromatizantes

idênticos aos naturais e os artificiais.

A resolução define ainda os aromas

idênticos aos naturais como substâncias

quimicamente obtidas por síntese

e isoladas por processos químicos

a partir de matérias-primas de origem

animal, vegetal ou microbiana que

apresentam uma estrutura química

idêntica às substâncias presentes nas

referidas matérias-primas naturais

(processadas ou não). E os artificiais

como compostos químicos obtidos por

síntese, que ainda não tenham sido

identificados em produtos de origem

animal, vegetal ou microbiana, utilizados

em seu estado primário ou preparados

para o consumo humano.

Os compostos aromáticos correspondem

a uma faixa ampla de substâncias

presentes naturalmente nos

alimentos e bebidas sintetizadas em

laboratório. Segundo Edilene Adell,

mestre em Engenharia de Alimentos

e professora da Escola de Engenharia

Mauá, as substâncias aromáticas

que são voláteis e por conseqüência

possuem baixo peso molecular, conferem

aroma e contribuem sensivelmente

para o sabor das bebidas e

alimentos. "Quando adicionadas aos

alimentos e bebidas, essas substâncias

podem ser responsáveis pela

criação de novos sabores, podem reforçar,

substituir ou mascarar os aromas

presentes nos produtos em

questão", explica.

“Quando adicionadas aos

alimentos e bebidas, essas

substâncias podem ser

responsáveis pela criação

de novos sabores, podem

reforçar, substituir

ou mascarar os aromas

presentes nos produtos

em questão, Edilene Adell,

mestre em engenharia

de alimentos


Engarrafador

Moderno


Ingredientes

“Os aromas são enviados

prontos para serem acrescentados

na formulação de nossos clientes”,

Joseane Satler Leoni, gerente de

marketing da Duas Rodas Industrial

32

Casas de aromas

Na antiguidade eram os redutos

ou as casas dos alquimistas que desenvolviam

os aromas. Hoje em dia,

o termo 'casa de aroma' é conhecido

no mercado para designar as indústrias

que fabricam fragrâncias.

Marcado por alto desenvolvimento

tecnológico, o setor de aromas

apresenta um crescimento significativo

tanto no Brasil quanto no

mundo e mostra-se cada vez mais

imprescindível na fabricação da

maioria das bebidas e alimentos.

O mercado demonstra estar

aquecido para este segmento e segundo

dados da Associação Brasileira

da Indústria e Comércio de Ingredientes

e Aditivos para Alimentos

(Abiam), os aromatizantes são

responsáveis por grande parte do

faturamento do setor. "Estimamos

que em 2008 nosso mercado situouse

na ordem de 2 bilhões de reais,

sendo os aromas responsáveis por

cerca de 40% a 50% deste montan-

te", resume Helvio Tadeu Collino,

presidente da Abiam.

Edilene Adell comenta que com

a grande oferta de alimentos e bebidas,

o aroma muitas vezes é a

chave da diferenciação. "Ele precisa

mexer com o emocional do

consumidor. E esse é um grande foco

das casas de aroma, entender

como as moléculas aromáticas interferem

na percepção das características

sensoriais e emocionais

dos indivíduos", diz.

Mas, não é só por intermédio da

indústria alimentícia que o segmento

de aromas vem enriquecendo seu

faturamento, geralmente uma empresa

produtora de aromas também

fornece para outras áreas, como:

farmacêutica, higiene, cosmética,

tabaco, entre outras, o que garante

um amplo mercado de atuação.

Por dentro da indústria

Já diz a máxima popular que 'a

primeira impressão é a que fica' e

com os aromas não é diferente. Muitas

vezes o sentido do olfato pode se

antecipar ao da visão como agente

detonador de apetite ou aguçador de

sensações, portanto é fundamental

que o aroma seja percebido de forma

positiva pelo consumidor.

Para atingir esse objetivo a indústria

de aromas tem trabalhado

incansavelmente na busca de satisfazer

diversos gostos desenvolvendo

novidades que caracterizam, melhoram,

padronizam, reconstituem e

mascaram aromas e sabores.

O avanço da tecnologia tem permitido

a obtenção de aromas cada

vez melhores a custo menores. Atualmente,

o que mais se busca são

aromas que tenham uma duração

maior no produto, e muitas vezes para

que isso aconteça, a liberação do

aroma precisa ocorrer aos poucos.

De acordo com Edilene Adell,

nesse caso, uma tecnologia que está

sendo bastante desenvolvida no

Brasil e no mundo são os aromas

encapsulados. "Dependendo do tipo

de produto também pode ser desejável

uma 'explosão de sabor' e a

tecnologia existente atualmente nos

permite controlar bem esse processo",

assegura.

Há mais de 80 anos atuando no

setor de ingredientes para alimentos,

a Duas Rodas Industrial desenvolve

aromas líquidos e em pó; naturais,

idênticos aos naturais e artificiais;

pastosos; lipossolúveis e hidrossolúveis;

microencapsulados e de diluição

instantânea.

Engarrafador

Moderno


Segundo Joseane Salter Leone,

gerente de marketing da empresa, os

tipos mais utitilizados pela indústria de

bebidas são os aromas em pó, líquidos

e hidrossolúveis. "Os aromas são

enviados prontos para serem acres-

“ Estimamos que

em 2008 nosso mercado

situou-se na ordem de

2 bilhões de reais, sendo

os aromas responsáveis

por cerca de 40% a 50%

deste montante,

Helvio Tadeu Collino,

presidente da Abiam

Fevereiro/09


centados na formulação de nossos

clientes. Além disso, esses produtos

seguem a dosagem sugerida pela

Duas Rodas, de acordo com o briefing

do produto final no qual o cliente

deseja utilizá-los", explica.

Joseane enfatiza ainda que a empresa

também atua em uma categoria

que está em alta atualmente:

os bioaromas, obtidos pela fermentação

de fungos, bactérias e leveduras,

que têm como diferencial a classificação

como ingrediente natural.

Para que os fabricantes de bebidas

possam incrementar ainda

mais as sensações de sabor, odor e

coloração de seus produtos a Duas

Rodas também oferece em seu

portfólio: turvadores, desidratados

de frutas e vegetais, extratos naturais,

blends preparados, sucos concentrados

e purês.

Quando questionada a respeito

de como são feitos os estudos das

preferências dos brasileiros antes

do lançamento de produtos, Joseane

33


Ingredientes

"Mantemos nosso foco nos aromas

citrus, responsáveis por 60% dos

sabores de bebidas, mas também

desenvolvemos novos produtos",

Alfredo Vitorino de Almeida, gerente

da Business Unit Flavors and

Emulsion da Döhler América Latina

informa que a empresa utiliza ferramentas

de pesquisas e também

faz uma análise constante do portfólio

dos clientes, estudando cada nicho

de mercado e cada região, além

de basear-se em produtos oferecidos

pela mídia, porém sempre acompanhando

as tendências mundiais do

mercado de alimentos e bebidas.

A centenária empresa Irmãos

Fraccaroli & Cia que também atua

no setor de ingredientes está presente

no mercado desenvolvendo aromas

naturais, feitos a partir do óleo essencial

da fruta e idênticos ao natural,

produzidos a partir de misturas de

matérias-primas aromáticas, ésteres.

Segundo Shyrlei Barbato, gerente

de desenvolvimento da empresa,

devido ao menor custo agregado e

maior estabilidade nos processos industriais

os aromas idênticos ao natural

são os mais procurados pela

indústria de bebidas.

Quanto às tendências e lançamentos

a empresa avisa que está

investindo fortemente neste ramo.

"Nossas novidades são águas aromatizadas

e os preparados líquidos para

34

refrescos, que nós já estamos fornecendo

em base completa para nossos

clientes, com o aroma, suco natural

da fruta, corante e acidulantes

em um só produto", explica Shyrlei

Barbato ao comentar que os produtos

podem ser personalizados dependendo

da preferência do cliente.

Desde 1990 atuando com a proposta

de se tornar uma empresa especializada

em ingredientes para a

indústria alimentícia, de bebidas, farmacêutica

e petfood a Vogler Ingredients

demonstra que está alinhada

com as tendências de mercado. A

empresa fornece aromas naturais,

idênticos ao natural e artificiais em

forma líquida, em pó e emulsões.

De acordo com Maria José Leal,

coordenadora técnica da Vogler, a

empresa possui novidades em aromas

e indica que lançamentos estão

por vir. "Já temos coleção para

atender as necessidades dos fabricantes

de refresco em pó, refrigerantes,

sucos, néctares, bebidas alcoólicas

e ainda há expectativas de

lançamentos", adianta Maria, ao

complementar dizendo que a Vogler

estuda as preferências por região do

Brasil antes de lançar seus produtos.

Por meio de pesquisas com clientes,

realização de painéis de avaliação,

pesquisas de mercado e troca de

informações com a rede global, o

grupo Döhler também avalia as preferências

dos consumidores antes de

lançar um produto no mercado.

Focada no segmento de ingredientes,

a Döhler possui um amplo

portfólio de aromas, incluindo os naturais

FTNF - from the name fruit

e FTNJ - from the name juice, além

dos naturais idênticos, fornecidos

em forma líquida, em pó, emulsões,

concentrados ou até diluídos, dependendo

da aplicação, logística e

necessidade de cada cliente.

Segundo Alfredo Vitorino de Almeida,

Gerente da Business Unit

Flavours and Emulsions da Döhler

América Latina, as tendências observadas

pela empresa na indústria

de bebidas são os aromas cítricos,

que contém ingredientes derivados

de frutas com essas características,

como por exemplo a laranja, limão,

tangerina, além do destaque para os

aromas de cola e guaraná. "Mantemos

nosso foco nos aromas citrus,

responsáveis por 60% dos sabores

de bebidas, mas também desenvolvemos

novos produtos nos sabores

laranja e cola, além dos mais recentes

lançamentos: guaraná, frutas vermelhas

e frutas tropicais. Para o segmento

de bebidas e produtos lácteos

atualmente trabalhamos com aromas

tipo chocolate branco, preto, caramelo,

baunilha e café", destaca Alfredo.

Com relação a inovações, o gerente

adianta que em breve a empresa trará

novidades para o mercado.

Tendências e inovações

Uma outra tendência presente

neste segmento é a busca por aromas

sintéticos com características

mais próximas dos naturais, conseguindo

com isso reduzir o custo dos

produtos, uma vez que os aromas

naturais são bastante caros. Além

disso, a busca por novos aromas,

que remetam a diferentes sensações,

tenham uma boa compatibilidade

com os produtos independentemente

de serem em pó ou líquidos,

continua sendo um dos principais objetivos

da indústria das sensações.

Segundo Edilene Adell, os aromas

para bebidas alcoólicas também estão

em alta, especialmente, no Brasil devido

à chegada da lei seca. "Algumas

indústrias desenvolveram novas opções

de bebidas com teor alcoólico

reduzido reforçadas com aroma de alguma

bebida alcoólica", conclui Edilene

ao citar como exemplo os aromas

de caipirinha e vodca.

Engarrafador

Moderno


Filtração

20

Ultrafiltração e modernos carvões ativados são os processos

mais indicados para filtração de sucos, uma vez que e não interferem

no sabor, aparência, e garantem mais estabilidade à bebida

Na indústria de bebidas, cada

produto novo tem suas

características particulares

e, conseqüentemente, necessita

de processos de fabricação específicos.

No caso dos sucos, a fruta

escolhida, o tipo de moagem e as

características desejadas para o

produto final são fatores que influenciam

diretamente no tipo de filtração

necessário. Ultrafiltração e os

modernos carvões ativados têm sido

bastante utilizados neste segmento.

"Atualmente, não existe uma

tecnologia única e uniforme que

possa ser usada em todas as apli-

Diferentes processos

características dos

Danilo Gonçalves

Fotos: divulgação

cações, os equipamentos e processos

são desenvolvidos praticamente

personalizados", afirma Romero

Martins, engenheiro químico e consultor

da MC Sistemas de Filtração.

O surgimento de novos produtos

sempre impulsiona o desenvolvimento

de tecnologias específicas ou

a utilização de diferentes processos

derivados de uma tecnologia já

existente, que sirvam para essa nova

aplicação.

A filtração é o processo que confere

qualidade - brilho - da bebida,

além de ser capaz de remover partículas

indesejáveis, resultantes dos

processos de produção

e transporte,

e material microbiológico, eventualmente

contido no suco.

Normalmente, sucos de frutas

com polpa fibrosa, por exemplo a

framboesa, necessitam de processos

de filtração mais simples se comparados

a outros tipos. Atualmente,

existe no mercado uma diversidade

de sucos de laranja em caixinha que

passam por processos mais simples

de filtração (como a peneiração)

também, uma vez que a característica

destes produtos é ter gomos da

fruta. "A aplicabilidade da filtração

se dá conforme a característica do

produto", explica Martins.

"Para sucos, a filtração pode ter

diferentes funções", afirma Luis

Fernando Peffi Ferreira, professor

do curso de Engenharia

Química do Centro Universitário

da FEI (Fundação Educacional

Inaciana). "Estas funções vão

desde a separação da matéria fibrosa

em suspensão (com filtros de

tela ou de linha, até filtros prensa)

até a possibilidade da utilização de ultrafiltros

para realizar a pasteurização

a frio do suco, ou seja, sem causar

alterações que ocorrem pelos

processos tradicionais", completa.

Engarrafador

Moderno


garantem

sucos

Fevereiro/09

Evolução conforme

necessidade do mercado

Ao falarmos de evolução dos processos de filtração,

é nítido que os processos mais comuns já estão consolidados.

Neste sentido, o desenvolvimento e evolução da

filtração por meio de membranas de ultrafiltração é o que

ganha cada vez mais espaço na indústria. A partir deste

processo, entre outras vantagens, a indústria vem conseguindo

otimizar a logística de transporte do produto. "A

ultrafiltração é capaz de concentrar um suco e transformálo

em um xarope, o que diminui o volume", comenta Romero

Martins. "Assim, quando o suco chega a seu destino

onde vai ser processado, acrescenta-se água", expõe.

"A utilização de filtros tangenciais, que diminuem

problemas de entupimento do meio filtrante, assim como

tecnologias de microfiltração e ultrafiltração utilizando

membranas são novos métodos observados na indústria",

afirma o professor da FEI. "Há sempre o desenvolvimento

de novos meios filtrantes com os filtros tipo

bolsas e bags", completa.

Ainda que em um ritmo lento, a crescente utilização

dos processos de filtração para sucos, seja para clarificar,

pasteurizar ou retirar material indesejado da bebida,

é resultado do crescente apelo dos consumidores

brasileiros por alimentos minimamente processados.

O suco de laranja pasteurizado e refrigerado é um

dos mais consumidos no Brasil. "Até por isso, o desenvolvimento

de tecnologias nacionais não é grande porque

ainda a maior parte é criada fora", afirma Roberta

Guedes, gerente de vendas de carvão ativado da Norit

do Brasil. "Ainda não temos um perfil de vendas em

larga escala de sucos de outros sabores", complementa

o consultor da MC Sistemas.

Ainda assim, o processo de pasteurização do suco

de laranja, mesmo sendo utilizado em altas temperaturas

por curto período de tempo, altera ligeiramente as características

organolépticas do suco, resultando em um

produto com sabor diferente do suco fresco. Daí, a necessidade

da utilização dos processos de separação por

21


22

membranas na produção deste tipo de bebida, especificamente

na etapa de pasteurização, pois a ultrafiltração

pode operar em baixas temperaturas.

Entre as vantagens em utilizar a ultrafiltração como

processo alternativo à pasteurização está a não alteração

das características organolépticas do suco, que resultaria

em um produto com sabor diferente ao do suco

fresco, o que não acontece quando se trabalha com a

ultrafiltração.

Novos produtos, novos processos

Apesar da lentidão e do aspecto cultural de consumo

do brasileiro, o mix das linhas de suco tem aumentado

gradativamente no Brasil. Sucos de cupuaçu, graviola,

acerola, maçã e pêra já são vistos no mercado. Em vista

disso, o processamento de sucos de fruta inclui vários

passos, entre os quais a filtração é um deles.

Os métodos convencionais de filtração são baseados

em filtros de folha de pressão ou filtros de discos

rotativos, quase sempre dependendo do uso de auxiliares

de filtração.

Nos dias de hoje, a ultrafiltração se transformou na

tecnologia mais moderna nesta indústria. Suas principais

vantagens são alta eficiência de clarificação/filtração,

estabilidade microbiana e a não necessidade de uso de

auxiliares de filtração. Atualmente, no mundo todo, mais

de 50% das plantas de sucos de frutas usam ultrafiltração

em seus processos.

A Norit do Brasil disponibiliza várias tecnologias

para o processo de filtração, entre elas o carvão ativado.

Especialmente em sucos de maçã e de uva, o carvão

ativado em pó é usado para remoção de cor, correção

de sabor e odor e, em casos específicos, remoção

de resíduos de pesticidas e toxinas de fungos. Geralmente,

o carvão ativado é misturado ao xarope a ser tratado,

deixado em contato por certo período de tempo (de

Engarrafador

Moderno


Filtração

30 a 60 minutos) e depois filtrado.

A ultrafiltração do xarope de suco

contendo carvão ativado em pó

é aplicada em um número crescente

de casos. Como resultado, exigências

específicas se aplicam à distribuição

de tamanho das partículas do

carvão ativado em pó. A Norit desenvolveu

novos produtos para a

aplicação: Norit CA UF e DX 4 PT.

Esses graus apresentam alta eficiência

de remoção e nenhum impacto negativo

no tempo de vida das membranas

ou no desempenho da filtração.

24

Processos especiais

Na produção de sucos de maçã

e pêra, é necessário retirar uma

substância, que pode deixar a bebida

com uma coloração escura indesejada.

Para retirar a patulina das

bebidas, foi desenvolvido um pro-

cesso que combina carvão ativado

com filtração por membrana. "Trata-se

de um processo físico, em que

incorpora-se o carvão no suco e

“(..) a filtração pode ter

diferentes funções que vão

desde a separação da matéria

fibrosa em suspensão (...)

até a possibilidade da

utilização de ultrafiltros

para realizar a pasteurização

a frio do suco (...)",

Luis Fernando

Peffi Ferreira, da FEI


quando o líquido é filtrado para

retirada do carvão, este leva a

patulina", explica Roberta Guedes,

da Norit.

A patulina é uma toxina produzida

por fungos que podem se desenvolver

nas frutas durante o armazenamento.

Segundo Roberta,

este problema ocorre em certas

áreas geográficas, como por exemplo,

África do Sul e América do Sul.

"Por isso a tecnologia foi trazida para

o Brasil", justifica a gerente.

Obviamente, a prioridade chave

dos processadores de sucos é focada

em se evitar o desenvolvimento de

fungos nas maçãs. Em cima disso, o

carvão ativado em pó é usado para remover

traços de patulina do xarope.

Outra aplicação bastante interessante

oferecida pela empresa é uma

linha de carvões ativados especiais

Engarrafador

Moderno


26

visando a produção de menor porte.

A tecnologia, batizada de Bentonorit,

é formada por carvões que são

produzidos com o formato de peletes

cilíndricos de 3 mm, que podem

ser dosados sem problemas de formação

de pó. "No caso dos pequenos

produtores, este tipo de aplicação

auxilia inclusive na limpeza do

local aonde será realizado o processo",

detalha Roberta.

Em contato com a maioria das

soluções aquosas, em questão de

segundos o pelete dispersa-se em

pó. Dispensar o equipamento dosador

de pó, tornando seu manuseio

mais simples e limpo, é tida como

a principal vantagem do produto.

Apesar de não ser considerado

um suco propriamente dito, a água

de coco também exigiu da Engefiltro,

representante da multinacional

americana Pall, um processo especializado

para um de seus clientes.

Isso porque a extração da bebida

era feita no Nordeste e transportada

em grandes quantidades para São

Paulo, o que aumentava muito a

carga microbiana. "Apenas a pasteurização

não eliminava o material

indesejado", explica Alexandra Ca-

margo, gerente de vendas da área

de bebidas da empresa no Brasil.

Em vista deste problema, a Engefiltro

desenvolveu para este cliente

um processo de filtração com

placas em que foi possível diminuir

ainda mais a presença de carga microbina

no produto final.

Uma outra aplicação observada

por Alexandra na área de sucos é a

filtração por cartuchos. Porém, esta

possui uma limitação quanto ao número

de material sólido presente na

bebida. "Este processo funciona muito

bem no caso de clarificação de

sucos de maçã e uva", exemplifica.

Na opinião de Luis Fernando

Peffi Ferreira, da FEI, toda tecnologia

por si só está em constante

mutação e não é diferente com a

tecnologia de filtração. Atualmente,

a ultrafiltração já tem sido utilizada

no lugar da pasteurização tradicional.

Segundo ele, novas tecnologias

de clarificação, como a utilização de

processos enzimáticos para eliminação

da pectina, podem requerer novos

processos de filtração. "Muitas

vezes, o desenvolvimento é só a

aplicação de tecnologias existentes

em novos processos", diz.

Engarrafador

Moderno

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!