Views
4 years ago

No pior desempenho do ano, empregos têm forte queda - O Paraná

No pior desempenho do ano, empregos têm forte queda - O Paraná

Jornal O Paraná A6|OPR

Jornal O Paraná A6|OPR GERAL| Sexta-feira, 21 de setembro de 2012 coluna ................................................................................................................................. Esplanada POR LEANDRO MAZZINI Twitter @colunaesplanada O retorno de Zuleido DIVULGAÇÃO O empreiteiro Zuleido Veras, dono da Gautama, planeja novas obras e disputar licitações em governos com outra construtora. Preso em 2007 pela Polícia Federal na Operação Navalha, por indícios de fraudes em licitações de obras federais e desvio de verbas, o empresário estava ontem de manhã numa cafeteria da Asa Sul de Brasília, com dois contatos. Esboçou planos, faturamentos e contou piada sobre a época de cela na carceragem da PF. Apesar de denunciado, ainda não foi julgado pelo STJ. Estaca zero A Gautama é considerada inidônea pelo governo. Zuleido tem dito que não foi julgado ainda porque toda a operação e o inquérito foram armação contra ele. Abatidas O caso Gautama remete ao da Delta Construções. Sedes de maracutaias, ambas foram “abatidas” em plena decolagem: com baixos preços e tomando espaços das grandes. Escutas Fernando Cavendish, da Delta, está possesso. Alvo de arapongagem, não descobriu ainda quem implantou escutas ambientais na sua sala, no Rio, como revelou a coluna. Mensalão & pré-datados Nos últimos dias, os advogados dos réus do mensalão estão se reunindo em Brasília para jantarem no Piantella e outros restaurantes, com uma única preocupação. Com as sucessivas condenações dos clientes, querem pedir a eles, sem constrangimento, garantias de que vão receber os honorários. Até promissória de próprio punho vale. Calote A preocupação dos advogados é grande. O último réu famoso, o ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda, deu calote em seus advogados. Coisa de mais de R$ 2 milhões. Passageiro clandestino Marcio Fortes, presidente da APO, viajou na 20D num voo da TAM quarta à noite de Brasília para o Rio, involuntariamente no lugar de outro. Seu bilhete fora cancelado e ele pegou o voo errado, autorizado pelo check-in. Ontem procurou a empresa. De cama O ministro do STJ Gilson Dipp está internado em Brasília. Vítima de uma virose, caiu de cama, mas ontem descobriu que pegou pneumonia. Serra dançou O governador Alckmin (SP) e o senador Aécio Neves (MG) fizeram um trato. O paulista não vai se lançar à presidência em 2014. José Serra não foi sondado. Quase atentado A Polícia Legislativa deteve ontem à tarde um fotógrafo que clicava mulher de biquíni na rampa do Congresso Nacional. A dupla é do grupo artístico Papangu, de Pernambuco, e justificou a roupa pelo calor da cidade. Foram liberados. PPP para projetos Cansados com a lentidão em obras do PAC, líderes do Movimento Pró-Logística decidiram eles próprios bancar os projetos executivos. Nas mãos do governo, os projetos demoram meses para saírem do papel. Alerta em Ilhéus Uma carga de cacau proveniente da África desembarcou em Ilhéus (BA) esta semana com insetos vivos. A descoberta põe em risco a cacauicultura da região. Em 1980, o sul da Bahia sofreu com a vassoura-de-bruxa, que devastou a produção. Malhação & malhete Para tirar o estresse do julgamento, o ministro do STF Ricardo Lewandowski tem feito caminhadas matinais, e depois alimentação balanceada. “Tenho que estar em forma e pronto sobre o que a imprensa pergunta do Mensalão”. Poluição sonora O prefeito de BH, Marcio Lacerda (PSB), sofreu ataque de nervos num corpo a corpo. Havia oito carros de sons de candidatos a vereador numa só rua. Acordo O PT começou a cortejar Russomanno (PRB), o líder na disputa em São Paulo, para uma coalizão contra Serra no 2º turno. Por ora, Russomanno se faz de difícil. Ponto Final Faltam duas semanas para a eleição. Vote consciente. Com Marcos Seabra e Vinícius Tavares www.colunaesplanada.com.br contato@colunaesplanada.com.br Caixa Postal 1980 - CEP 70257-030 - Brasília DF .............................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................. ESTUDO oparana@oparana.com.br Classe média reúne mais da metade da população Índice chega a 53%, o que significa 104 milhões de brasileiros Brasília - Atualmente mais da metade da população brasileira (53%) fazem parte da classe média, o que significa um total de 104 milhões de brasileiros. Nos últimos dez anos, foram 35 milhões os brasileiros incluídos na classe média. Os dados foram divulgados ontem pela Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) da Presidência da República no estudo Vozes da Classe Média. A pesquisa classifica como classe média os que vivem em famílias com renda per capita mensal entre R$ 291 e R$ 1.019 e tem baixa probabilidade de passar a ser pobre no futuro próximo. De acordo com o estudo, a expansão desse segmento resultou de um processo de crescimento do País combinado com redução na desigualdade. A estimativa é que, mantidas a taxa de crescimento e a tendência de queda nas desigualdades dos últimos dez anos, a classe média chegue a 57% da população brasileira em 2022. Os dados indicam que a redução da classe baixa foi mais intensa do que a expansão da classe alta. De 2002 a 2012 ascenderam da classe baixa para a média, 21% da população brasileira, enquanto da classe média para a alta ascenderam 6%. O ministro da SAE, Moreira Franco, destacou o importância do crescimento da classe média para movimentar e impulsionar a economia do país, pois essa fatia da população responde por 38% da renda e do consumo das famílias. “Em torno de 18 milhões de empregos foram criados na última década, esses empregos formais foram associados a uma política adequada de salário mínimo que deu ganhos reais acima da inflação aos brasileiros”, disse Franco. O crescimento da renda da classe média tem sido maior do que o do restante da população, de acordo com os dados apresentados no estudo. Enquanto na última década a renda média desse segmento cresceu 3,5% ao ano, a renda média das famílias brasileiras cresceu, no mesmo período, 2,4% ao ano. Ainda segundo a pesquisa, quase 80% dos novos integrantes da classe média são negros. Indústria paranaense precisará de 477,5 mil técnicos até 2015 Curitiba - O Brasil terá de formar 7,2 milhões de trabalhadores em nível técnico e em áreas de média qualificação para atuarem em profissões industriais até 2015. Essa necessidade produzirá oportunidades em 177 ocupações, que vão desde trabalhadores da indústria de alimentos (cozinheiros industriais) e padeiros até supervisores de produção de indústrias químicas e petroquímicas. No Paraná a demanda até 2015 é por 477,5 mil profissionais capacitados, o que corresponde a 6,7% de todo o País. As ocupações com maior demanda no Estado para Nos últimos dez anos, foram 35 milhões de pessoas incluídas na classe média profissionais de nível técnico, são para técnicos em controle da produção; em eletrônica; em eletricidade e eletrotécnica; mecânicos na fabricação e montagem de máquinas, sistemas e instrumentos; em operação e monitoração de computadores. Entre as ocupações que necessitam de cursos profissionalizantes com menos de 200 horas, a maior demanda no Paraná é para trabalhadores da indústria de alimentos (cozinheiros industriais); operadores de máquinas para costura de peças do vestuário; mecânicos de manutenção de veículos automotores; preparadores e operadores de máquinas; padeiros, confeiteiros e afins. Os dados fazem parte do Mapa do Trabalho Industrial 2012, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), apresentado ontem, em São Paulo, durante o lançamento da Olimpíada do Conhecimento. A Olimpíada coloca em disputa os melhores alunos das escolas Senai de todo o País como forma de avaliar a qualidade de cursos profissionalizantes para mais de 50 ocupações. Os profissionais preparados nessas escolas atenderão à demanda da indústria apontada no estudo. MP-PR questiona horário dobrado de professores da rede estadual Curitiba - O Ministério Público do Paraná, por meio da Procuradoria-Geral de Justiça, propôs ação direta de inconstitucionalidade (Adin) questionando lei complementar estadual e decreto estadual que tratam do Plano de Carreira do Professor da Rede Estadual de Educação Básica do Paraná. A ação (nº 959040-3) aponta inconstitucionalidade em dispositivos que possibilitam que professores concursados para um padrão possam alterar e até dobrar o número de horas, no limite de 40 horas semanais. A Adin foi proposta no final de agosto e deverá ser analisada pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça. O Ministério Público alega que a Lei Complementar Estadual 103, de 15 de março de 2004 (art.29, § 2º), bem como o Decreto Estadual 4.213, de 3 de fevereiro de 2009, não respeitam a Constituição Estadual. Em seu artigo 27, inciso 2, a Constituição do Estado do Paraná dispõe que o ingresso em cargo ou emprego público deve ser feito após aprovação prévia em concurso público. Para o MP-PR, ao prever a possibilidade de que professores concursados para 10 ou 20 horas dobrem a carga horária para até 20 ou 40 horas semanais, respectivamente, ou que diminuam a carga horária nos mesmos moldes, o Estado estaria alterando o regime de trabalho, como se criasse um novo cargo sem concurso público. O método, inclusive, traria implicações previdenciárias: um docente que tenha trabalhado por muitos anos no regime de 20 horas, após a alteração, poderia se aposentar recebendo o equivalente a 40 horas.

economia oparana@oparana.com.br A7 - O Paraná Sexta-feira, 21/9/2012 SERASA Micros e pequenas empr presas estão mais pontuais nas dívidas Pontualidade em agosto se igualou ao maior patamar da série histórica São Paulo - A pontualidade de pagamentos das micros e pequenas empresas atingiu 95,7% em agosto deste ano, ante 95,3% no mesmo período do ano passado, nona alta interanual consecutiva. Assim, a cada mil pagamentos de dívidas realizadas no período, 957 foram quitados à vista ou com atraso máximo de sete dias. A pontualidade de pagamento em agosto de 2012 se igualou ao maior patamar No mês passado, valor médio dos pagamentos pontuais recuou 3% em relação a julho, para R$ 1.784 da série histórica (95,7%), registrado em agosto de 2010. De acordo com a Serasa Experian, a redução dos juros e da inadimplência dos consumidores, assim como a retomada do crescimento econômico estão contribuindo para que as micros e pequenas empresas possam efetuar, com menor incidência de atrasos, os pagamentos a seus credores. Em agosto, as micros e pequenas do setor de comércio Estimativa do PIB O governo baixou oficialmente sua previsão de crescimento da economia brasileira neste ano de 3% para 2%, segundo informação que consta no relatório de avaliação do orçamento do quarto bimestre deste ano, divulgado ontem pelo Ministério do Planejamento. Com isso, o governo admite que a economia brasileira terá desaceleração neste ano, algo que vinha negando desde o começo de 2012. apresentaram pontualidade de 96,2%. As do setor industrial , de 95,0%; as do setor de serviços, de 95,0%. No mês passado, o valor médio dos pagamentos pontuais recuou 3% em relação a julho, atingindo R$ 1.784. Na comparação com agosto de 2011, o crescimento foi de 5,3% do valor médio dos pagamentos pontuais. As empresas de serviços registraram o maior valor médio dos pagamentos pontuais (R$ 2.061); as empresas comerciais vieram em seguida, (R$ 1.774) e, depois, as empresas industriais (R$ 1.621). IPCA-15 acelera alta a 0,48% em setembro; alimentos pressionam Rio de Janeiro - O IPCA- 15 - considerado uma prévia da inflação oficial - acelerou a alta em setembro para 0,48%, depois de subir 0,39% em agosto, praticamente em linha com as expectativas do mercado, influenciado principalmente por alimentos. Segundo informou ontem o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o grupo Alimentos e Bebidas subiu 1,08%, com um peso de 0,25 ponto percentual, respondendo por pouco mais da metade do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA- 15) no período. Nesse grupo, o destaque foram as carnes, que subiram 1,79%, depois de caírem 0,76% em agosto. A alta dos preços agrícolas vem pesando nos índices de inflação nos últimos meses, em meio a problemas climáticos tanto no Brasil quanto no exterior, sobretudo nos Estados Unidos com a seca que influenciou a produção de grãos no país. “Foi uma boa subida no IPCA-15 e é preocupante. Mas ainda está repercutindo alimentos, principalmente por conta da soja, e por ser parte da ração do complexo de carnes”, afirmou o economista da Austin Ratings Rafael Leão. Também tiveram aceleração mais acentuada os grupos Habitação (0,43%), ante 0,28% no mês anterior, e Vestuário (0,47%), ante 0,18%. Entre os grupos que registraram alta menor em setembro, Educação foi o que apresentou maior desaceleração (0,11%), ante 0,54% no mês anterior. Desemprego cai para 5,3% em agosto, mostra IBGE Rio de Janeiro - A taxa de desemprego brasileiro voltou a cair em agosto e ficou abaixo da previsão do mercado ao atingir 5,3%, indicando que o setor de trabalho continua mostrando força no Brasil, informou ontem o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa registrada em agosto foi a menor para o mês desde que a série começou em 2002. Depois de subir para 5,9% em junho, a taxa recuou para 5,4% em julho. Os números de junho e julho foram divulgados também ontem, uma vez que uma greve dos servidores do órgão havia impedido a finalização da taxa para sua divulgação nos meses anteriores. Pesquisa da Reuters mostrou que, pela mediana das previsões de 13 analistas consultados, a taxa de agosto ficaria em 5,60%. As estimativas variaram entre 5,40% e 5,90%. SALÁRIOS O rendimento médio da população ocupada em agosto atingiu R$ 1.758,10, um aumento de 1,9% em relação a julho e de 2,3% na compara- ção com agosto de 2011. O IBGE informou ainda que a população ocupada cresceu 0,7% em agosto na comparação com julho, e aumentou 1,5% ante o mesmo período do ano anterior, totalizando 23 milhões de pessoas nas seis regiões metropolitanas avaliadas. Já a população desocupada chegou a 1,3 milhão de pessoas, queda de 10,6% sobre um ano antes. Os desocupados incluem tanto os empregados temporários dispensados quanto desempregados em busca de uma chance no mercado de trabalho. Por sua vez, o número de trabalhadores com carteira de trabalho assinada no setor privado chegou a 11,4 milhões em agosto, estável frente a julho. Na comparação com agosto de 2011, entretanto, houve aumento 3,2%, o que representou um adicional de 356 mil postos de trabalho com carteira assinada. O baixo nível de desemprego e o aumento da renda têm ajudado na atividade econômica, cambaleante devido à crise internacional porém dando os primeiros sinais de melhora.

Crise se agrava e exportações têm nova queda forte - O Paraná
Exportações têm o pior desempenho dos últimos anos - O Paraná
Emprego com carteira teve forte queda no mês passado - Jgn.com.br
Criação de emprego tem pior outubro em 3 anos - Jgn.com.br
depois de chuva, vem queda de temperatura, geada - Bem Paraná
Baixar edição - O Paraná
Baixar edição - O Paraná
A01 OPR CAPA NOVA.pmd - O Paraná
Imóveis vazios abrigariam população de 20 cidades ... - O Paraná