Terapias Cinesiológicas Lição 1

marcusroberio

Yoga, massoterapia e reflexoterapia são técnicas eficazes para o bem-estar.

Apresentação

Objetivosdocurso

ConhecerasbasesdoHatha-YogaouYogaterapia.

AprendercomoutilizaroPranayamaterapiaouterapiapelarespiração.

SabercomousaroYoganarecuperaçãoemanutençãodasaúde.

ConhecerosfundamentospráticosdaMasoterapia

ouMasagemTerapêutica.

SaberaplicaraReflexoterapianacoreçãodediversosdistúrbios.

Ensinandom elhor

Desdede1986


DIREITOS AUTORAIS

© Copyright by Marcus Roberio M. Sá

Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ou parcial, por

qualquer meio ou processo, especialmente por sistemas gráficos, microfílmicos,

fotográficos, reprográficos, fonográficos, videográficos e eletrônicos.

O material textual deste curso está registrado no MINISTÉRIO DA CULTURA

DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

Eventuais vídeos, marcas e materiais diversos aqui publicados são pertencentes

aos seus respectivos proprietários.


AUTOR

Prof. Marcus Roberio M. Sá

Diretor da VOPPUS STELLA MARIS, Projetista Industrial, Acadêmico em

Economia, Professor de Antropologia Holística há 25 anos, Professor e escritor

de mais de 28 cursos de Terapias Alternativas, Metafísica, Paraciências, Yoga e

outros, Atuante na área de Terapias Alternativas há mais de 20 anos, Escritor,

Conferencista, Acupunturista, Massoterapeuta, Terapeuta Holístico, Tarólogo,

Radiestesista, Quirólogo, Astrólogo.


Curso de Terapias Cinesiológicas

LIÇÃO 1 ‐ O QUE É HATHA‐YOGA OU YOGATERAPIA

O Que é Yogaterapia ou Hatha‐Yoga. Significado do Yoga. Reconhecimento Médico dos Benefícios

do Yoga. Hatha‐Yoga: Características, Origens e Abrangência. Ásanas: Eixo do Yogaterapia ou

Hatha‐Yoga. Tipos de Ásanas. Observações Importantes na Prática do Yogaterapia ou Hatha‐Yoga.

Contra‐indicações Práticas do Hatha‐Yoga. Yogapraxis Terapêutico. Explicação Passo‐a‐Passo das

25 Ásanas de Baixo Impacto que podem ser praticadas por pessoas de 8 a 80 anos. Ásanas e

Efeitos Energético, Articular, Muscular, Orgânico e Psicológico.

LIÇÃO 2 ‐ PRANAYAMATERAPIA

Pranayamaterapia: Técnicas Respiratórias para Boa Saúde. Exercícios de Limpeza dos Pulmões.

Respiração: Diafragmática, Completa, Rítmica e Benefícios Psicofísicos. Bhastrika, Vama‐Krama e

Nadi‐shodana: Indicações, Contra‐indicações e Benefícios Terapêuticos. Coluna Vertebral, Yoga e

Posturas. Distúrbios mais comuns da Coluna. Cuidados Necessários para a Saúde da Coluna.

LIÇÃO 3 ‐ SUPERDINÂMICA MENTAL

Superdinâmica Mental. Imagem psicológica. Mecanismos da mente. Recordação das vidas

passadas. Ciência da Prospecção.

LIÇÃO 4 ‐ OS 12 ÁSANAS FUNDAMENTAIS

Os 12 Ásanas do Suryanamaskar: Explicações Passo‐a‐Passo de como Praticar. Os 12 Ásanas

Fundamentais: Sukhásana, Vajrásana, Shavásana, Bhujangásana, Paschimottanásana,

Shalabásana, Pada Hastásana Trikonásana, Vakrásana, Dhanurásana, Halásana, Sarvangásana,

Matsyásana, Mayurásana, Shirshásana. Explicação Passo‐a‐Passo de Como Praticar. Indicações e

Contra‐indicações dos Ásanas. Benefícios Terapêuticos de cada Ásana.


LIÇÃO 5 ‐ YOGA TIBETANO PARA O REJUVENESCIMENTO

Yoga Tibetano para o Rejuvenescimento. Chacras e Juventude. Lamaseria Tibetano Fonte da

Juventude. Como Estimular os Sete Chacras da Juventude: Occipital, Frontal, Laríngeo, Esplênico,

Gonádico e dos Joelhos Explicações Passo‐a‐Passo de Como Praticar os 12 Exercícios Tibetanos

para o Rejuvenescimento. Benefícios Terapêuticos das Práticas. Recomendações e Advertências.

Programa de Práticas Didaticamente Elaborado para 40 semanas.

LIÇÃO 6 ‐ OS TRÊS CÉREBROS

Os Três Cérebros. Localização dos Três Cérebros. Os Cinco Centros Energéticos.

Imaginação Mecânica. Rompendo a Mecanicidade. Como Pensar. Compreensão Criadora.

Recordação de Si Mesmo. Cérebros Intelectual, Emocional e Motor‐instintivo‐sexual.

LIÇÃO 7 ‐ MASSOTERAPIA ‐ APLICAÇÕES PRÁTICAS

Resumo Histórico da Massoterapia ou Massagem. Noções Fundamentais da Massagem. Tipos de

Massagens. Efeito Terapêutico Local e Geral da Massagem. Efeito Direto e Indireto da Massagem.

Massoterapia ou Massagem: Manipulações. Explicação Detalhada das Manobras de Deslizamento,

Fricção, Amassamento, Percussão e Vibração. Os 14 Pontos Importantes para o Massoterapeuta.

Massagem: Indicações e Contra‐indicações. Como Preparar Óleos Essenciais para Massagem. Tipos

de Óleos Veiculares para Massagem. Como Preparar uma Mistura de Óleo Aromático

Personalizada. Como Executar: Massagem Aromática Cranial, Facial, Dorsal, Peitoral, Abdominal,

nos Ombros, Braços, Mão, Coxas, Pernas e Pés. Explicação Passo‐a‐passo das Manobras da

Massagem em cada Parte do Corpo.

LIÇÃO 8 ‐ REFLEXOTERAPIA ‐ APLICAÇÕES PRÁTICAS

O Que é Reflexoterapia. Reflexologia: Fundamentos Históricos. Noções Fundamentais de

Reflexologia. Técnicas Diversas de Reflexologia. Reflexologia dos Pés. Corpo Humano e os Microsistemas.

Micro‐sistema Podal. Como Identificar Distúrbios Orgânicos por meio de Pressões nos

Pés. Mapa Reflexológico dos Pés. Relaxamento Introdutório. Aplicação dos Polegares. Sugestão de

Procedimento. Esquema e Gráficos Detalhados para Execução e Identificação dos Pontos

Terapêuticos nos Pés como: Sistema Respiratório, Circulatório, Linfático, Estrutural, Glandular,

Reprodutor, Excretor, etc. Manipulação de Áreas ou Órgãos Congestionados. Avaliando o Efeito

Terapêutico da Manipulação. Manobras Finalizadoras de uma sessão Reflexoterapêutica.

Freqüência às sessões de Reflexoterapia.

LIÇÃO 9 ‐ ORIGEM DO HOMEM

Lei Universal. Teorias Evolucionista e Involucionista. Elétrons, Posítrons, Mente, Consciência e

Vida. Corpos Protoplasmáticos: Evolução e Involução. Ontogenia e Antropogênese. As Mônadas

descendo das Dimensões Superiores. Opinião de Renomado Psicólogo Americano.


LIÇÃO 01

O QUE É HATHA-YOGA OU

YOGATERAPIA


TERAPIAS CINESIOLÓGICAS

LIÇÃO 01

PREZADO ESTUDANTE

:

Na Índia atual existem vários sistemas terapêuticos praticados há séculos. Dentre eles

está a Medicina Ayurvédica amplamente utilizada pelos médicos indianos. Há também,

grande destaque para a Homeopatia. Inclusive

o número de hospitais alopáticos e

homeopáticos chegam a ser muito próximo. A Magnetoterapia (cura por meio

dos ímãs)

tem boa aceitação entre os indianos. Esse

tema é estudado na lição 33 do

Curso de

Terapia Holística ou no Curso de Terapias Naturais. Existem vários

outros sistemas, mas

o que nos interessa nesse curso é enfocar

a terapia por meio do Yoga. Aliás, o Hatha-

Yoga é um dos vários sistemas terapêuticos que

se enquadra dentro

da área

cinesiológica, ou seja

terapia por meio do movimento. É bom lembrar que o termo Yoga

envolve um vastíssimo conhecimento do qual abordaremos uma minúscula parte. Caso

você tenha maior interesse no tema recomendamos o nosso Curso

de Yoga. Nele há um

estudo teórico e prático de grande profundidade e com riqueza de detalhes. O que vamos

estudar nesse bloco é uma minúscula parte do citado curso.

Queremos deixar claro que não é nossa

intenção apresentar um curso específico de

Yoga, entretanto forneceremos ensinamentos básicos do Yoga que poderão ser

praticados pelo estudante ou ensinados aos

seus clientes. É claro que, nesse último caso,

o terapeuta terá que praticá-los antecipadamente e obviamente dominá-los.

ATENÇÃO

O Curso

Livre de Terapias Cinesiológicas que você está iniciando integra o nosso Curso de Formação em

Terapia Holística no sistema modular.

A Voppus desenvolveu o Curso de Terapia Holística em

dois sistemass diferentes. O primeiro é o sistema

continuado no qual os blocos não são vendidos em separado. O segundo é o sistema

modular que consiste em

blocos independentes que podem ser cursados de acordo com o interesse do estudante. Como os blocos são

independentes o interessado pode inscrever-se em um

ou mais cursos ao mesmo tempo ou cursar somente o

bloco que lhe interesse. O sistema modular do Curso de Terapia Holística está dividido em 6 blocos:

Fitoterapia Ampliada

Terapia Quiroprânica

Terapia Cinesiológica

Alimentoterapia – Nutracêutica

Terapia Vibracional

Terapia Natural

SIGNIFICADO DO YOGA

O termo Yoga traduz-se como união, unificação, religação. União do homem com o

Cosmo. União da matéria ao espírito; União do Microcosmo ao Macrocosmo. União da

Parte com

o Todo. União do humano com o Divino.

2

VOPPUS STELLA MARIS


YOGATERAPIA LIÇÃO 01

A origem histórica do Yoga remota há mais de 7.000 anos a. C. na mística Índia

embora alguns estudiosos afirmem que o Yoga tenha surgido na Lemúria há muitos

milhares de anos.

Por volta de 5.000 a.C. o Yoga não tinha divisões. Era único, integral, totalitário. Os

ensinamentos eram transmitidos oralmente por tradição.

A divisão do Yoga em sete linhas como conhecemos hoje originou por volta de 3.000

a.C. Nesta época os ensinamentos começaram a ser divididos em blocos,. Daí surgiram

as sete vertentes básicas que são: Hatha-Yoga, Raja-Yoga, Jnana-Yoga, Bhakti-Yoga,

Karma-Yoga, Mantra-Yoga e Tantra-Yoga. Esses são estudados amplamente em nosso

Curso de Yoga, inclusive com certificação de instrutor de Yoga.

O HATHA-YOGA visa o equilíbrio das energias mecânicas e vital do organismo psicofísico.

Não podemos confundir o Hatha-Yoga com ginásticas

ou similares ocidentais, que atuam unicamente sobre o

corpo físico. Está comprovada, a nível prático, a

eficiência do Hatha-Yoga sobre o corpo etérico

(contraparte vital do corpo físico, seu duplo), fazendo o

PRANA circular equilibradamente nos diversos NADIS

(canais energéticos).

O RAJA-YOGA visa o domínio da mente e o desenvolvimento dos poderes psíquicos

alcançados através de várias disciplinas.

O JNANA-YOGA visa alcançar a sabedoria. Esta linha busca a Realidade Absoluta,

que transcende a toda dualidade do mundo.

O BHAKTI-YOGA está baseado na devoção. Ensina que a suprema união com Deus

obtém-se com o cultivo do Amor indiferenciado.

O KARMA-YOGA é o yoga da ação inegoísta. Destina-se aquelas pessoas que

anelam chegar a um crescimento espiritual, entretanto sem fugir do mundo ou das

obrigações sociais, pessoais ou coletivas por ele imposta.

O MANTRA-YOGA visa estudar e manipular o poder do som, do verbo, do mantra

para diversas finalidades como curar doenças, desenvolver os poderes psíquicos , efeitos

miraculosos, unir-se com Deus, etc.

O TANTRA-YOGA é o coroamento de todos os Yogas. Ensina a trabalhar com a

energia criadora para a libertação final e total do iniciado. Em nossos cursos SABER É

PODER e YOGA AVANÇADO o tema é tratado exaustivamente.

http://www.voppus.com.br 3


TERAPIAS CINESIOLÓGICAS LIÇÃO 01

Além destas existem inúmeras formas de Yoga que são derivações diretas ou indiretas

destas sete básicas.

RECONHECIMENTO DO YOGA

No mundo oriental sobretudo a Índia, o Yoga é reconhecido como um fabuloso sistema

para o auto-aperfeiçoamento humano. Sábios

indianos do presente e do passado exaltam os

efeitos benéficos da prática constante e assídua

do Hatha-Yoga.

O interesse pelo estudo e a prática do Yoga

no mundo Ocidental começou a ser difundido

mais significantemente no final do século XIX.

Na década de trinta a doutora francesa

Brosse, colaboradora do professor Charles

Laubry, famoso cardiologista com fama

internacional, estagiou na Índia para pesquisar as

relações entre o efeito terapêutico da asma com

prática de Yoga. Suas experiências

comprovaram que os asmáticos praticantes do

Yoga apresentavam trocas gasosas muitos

superiores aos não praticantes. Até hoje na

França, em Montpellier, sob a coordenação do

Prof. Michel prossegue esse trabalho.

Na década de trinta a doutora francesa

Brosse, colaboradora do professor

Charles Laubry, famoso cardiologista

com fama internacional, estagiou na

Índia para pesquisar as relações

entre o efeito terapêutico da asma com

prática de Yoga.

Há vários estudos e pesquisas sendo desenvolvidas em vários países visando a

comprovação científica dos efeitos benéficos do Yoga para a saúde do ser humano.

Vamos destacar referências de algumas autoridades e pesquisadores do tema:

O médico francês Dr. Pierre Jacquemart, vice presidente da Sociedade de Medicina

de Paris , em sua obra “Yoga –Terapêutica” (Andrei Editora, SP,1988) afirma que:

“É verdade que o Yoga produz uma melhora na capacidade respiratória, da

flexibilidade geral, principalmente do nível de articulações e das vértebras; sua ação

favorável se mantém também ao nível de todas as vísceras. Mas tudo isso é apenas

parcial e não explica o poder e a diversidade de sua extraordinária atividade fisiológica.

“ Por exemplo, é difícil conceber porque o Yoga pode influenciar as glândulas de

secreção interna, órgãos tão profundamento situados como os rins e o pâncreas e

explicar o misterioso efeito benéfico sobre o psiquismo”.

Dr. Barte Nhi graduou-se em Psiquiatria na Universidade de Paris além de ser

praticante de Yoga. Seu livro “Yoga e Psiquiatria” (Ed. Civilização Brasileira, RJ, 1974)

fala amplamente dos benefícios terapêuticos resultantes das práticas do Yoga, Diz ele:

“Nossa experiência na utilização do Yoga entre os doentes mentais permitiu-nos

verificar que esta técnica antiga pode ser usada numa perspectiva terapêutica”.

4 VOPPUS STELLA MARIS


YOGATERAPIA

LIÇÃO 01

Dr. Jayme Landmann é catedrático em Clínica Médica na Universidade do Rio de

Janeiro, autor de várias obras como: “Evitando a Saúde e Promovendo a Doença”,

“Medicina não é Saúde”, “A Outra Face da Medicina”, “ Saúde e Medicina”, etc.

Vamos destacar um trecho de seu livro “As Medicinas Alternativas: Mito , Embuste ou

Ciência?” (Ed. Guanabaraa , RJ, 1988):

“A Ioga afeta a saúde de muitas maneiras, mas a principal e mais importante é a de

mudar a nossa

concepçãoo do corpo humano. Através dela procuramos atingir um estado

que

leva à saúde física, ética, emocional , psicoespiritual. A Ioga não procura mudar o

indivíduo, mas sim permitirr que o estado de saúde

natural e integral que existem em cada

um

de nós se manifeste e se torne uma realidade” ”.

“A Ioga afeta a saúde de muitas maneiras, mas a principal e mais

importante é a de mudar a nossa concepção do corpoo humano. Através

dela procuramos atingir um

estado que leva à saúde física, ética,

emocional , psicoespiritual. A Ioga não procura mudar o indivíduo,

mas

sim permitir que o estado de saúde natural e integral que existem em

cada um de nós se manifeste e se torne uma realidade”.

Dr. Jayme Landmann, catedrático em Clínica Médica na Universidade

do Rio de Janeiro.

Dr. Hiroshi Motoyama é Ph.D. em Filosofia e Psicologia Clínica . A UNESCO, devido a

altaa qualidade de seus trabalhos, o elegeu em 1974 como um dos dez

parapsicólogos

mais importantes do mundo. Em sua

obra “Teorias dos Chacras” (Ed. Pensamento, SP,

1990) explica amplamentee os benefícios das diversas posturas do Yoga. Destacaremos

o que ele menciona acercaa do exercício chamado halásana:

“Halasana regula o funcionamentoo dos órgãos

do abdômen, principalmente dos

rins,

fígado e do pâncreas, e ativa a digestão.

Pode aliviar

a prisão de

ventre e também afinar a região da cintura. Regula a atividade

da glândula tireoidiana e, portanto, estabiliza o metabolismo. Esta ásana é também

benéfica para os casos de

diabetes e de hemorróidas. Ela relaxa as vértebras e tonifica

os nervos espinhais, contribuindo assim

para a saúde de todoo o corpo”.

Poderíamos

citar vários

outros autores destacando os benefícios da prática do Yoga,

contudo cremos que os destaquess mostradoss são suficientes para atestarmos a

profundidade e excelência da prática do Yoga.

HATHA-YOGA: CARACTERÍSTICAS

O Hatha-Yoga é uma das sete divisões básicass do Yoga e relaciona-se às posturas ou

ÁSANAS,

em

combinação com exercícios respiratórios

e relaxamento.

Tem uma

atuação profunda no CORPO FÍSICO e no CORPO VITAL ou ETÉRICO (Corpo

Bioplásmico, segundo os russos) visa principalmente o equilíbrio e a manutenção da

saúde do organismo celular e melhoria

das condições psíquicas, mentais e espirituais.

http://www.voppus.com.br

5


TERAPIAS CINESIOLÓGICAS LIÇÃO 01

O Hatha-Yoga destina-se também, ao equilíbrio do corpo físico, conferindo-lhe SAÚDE,

FLEXIBILIDADE, BELEZA E REJUVENESCIMENTO.

O termo HATHA, que tem origem sânscrita quer dizer “domínio” é a junção de dois

termos: HA e THA, que significa, respectivamente, SOL e LUA. Estes dois astros são

usados desde longa data para representar o binário da criação: positivo e negativo,

afirmação e negação, yin e yang, etc. Assim o Hatha-Yoga busca o equilíbrio destas

polaridades cósmicas, a nível psico-físico, trazendo harmonia, bem-estar, preservação da

vida, etc.

O termo HATHA, que tem origem sânscrita

quer dizer “domínio” é a junção de dois termos:

HA e THA, que significa, respectivamente, SOL

e LUA. Estes dois astros são usados desde

longa data para representar o binário da criação:

positivo e negativo, afirmação e negação, yin e

yang, etc. Assim o Hatha-Yoga busca o

equilíbrio destas polaridades cósmicas, a nível

psico-físico, trazendo harmonia, bem-estar,

preservação da vida, etc.

HATHA-YOGA: ABRANGÊNCIA

A abrangência da prática de Hatha-Yoga é bastante diversificada. Os hindus, por

exemplo, a usam como instrumento de harmonização e aperfeiçoamento psicofísico

visando o crescimento espiritual.

Os efeitos dos exercícios, sob o ponto de vista terapêutico, são muito amplos como por

exemplo: manutenção da saúde, rejuvenescimento, prevenção de problemas na coluna

espinhal, emagrecimento, eliminação do stress, equilíbrio do sistema nervoso, crescente

energização física, etc.

Aquele que pratica Yoga há algum tempo evidencia que esses objetivos devido aos

benefícios auferidos. Com poucas sessões de Hatha-Yoga pode-se notar uma melhoria

no estado de ânimo, controle das emoções mais fortes, fortalecimento da imunidade

física, brilho especial na pele e tantos outros efeitos.

O Hatha-Yoga provoca uma mudança na forma de pensar, levando o praticante a uma

postura otimista em relação a existência. Isto induz a uma consciência mais profunda,

uma vez que passam a circular, por sua estrutura psicofísica, energias mais sutis, mais

harmônicas.

Essa classe básica do Yoga, do qual estamos tratando, atua profundamente nos

sistemas NERVOSO e ENDÓCRINO, sendo por isso uma eficaz técnica de repouso e

rejuvenescimento.

6 VOPPUS STELLA MARIS


YOGATERAPIA LIÇÃO 01

Não podemos confundir o Hatha-Yoga com ginástica ou algo similar ocidental, que

atuam unicamente sobre o corpo físico. Está comprovada, a nível prático, a eficiência do

Hatha-Yoga sobre o corpo etérico (contra parte vital corpo físico, seu duplo), fazendo o

PRANA (força vital) circular equilibradamente nos diversos NADIS (canais energéticos).

A nível psíquico, o praticante do Hatha-Yoga adquire: bem-estar, autoconfiança, alegria

de viver, serenidade, cabeça fria ante os obstáculos da vida, tranqüilidade emocional,

disposição, otimismo, clareza mental, e tantos outros valores internos.

O Hatha-Yoga é uma ginástica especial, não é violenta, respeita os limites de cada um.

Sua prática diária mantém o corpo em forma, elimina a flacidez, fortalece os músculos –

inclusive os mais internos, flexibiliza o corpo, mantém a coluna sadia, embeleza o físico,

aprimora os movimentos tornando-os menos instintivos, aveluda a voz, melhora a dicção

e muitos outros benefícios. Se você não acredita, nesse entre outros tantos benefício, é

porque nunca praticou.

Muitas pessoas procuram o Hatha-Yoga para emagrecer. Esse efeito se dá devido ao

grande poder desta disciplina sobre as glândulas endócrinas. Os diversos movimentos,

combinados com exercícios respiratórios, relaxamento e atitude mental harmônica,

trazem mudanças visíveis no corpo. Essas mudanças, entre elas o emagrecimento

quando necessário – vêm como resultado de uma transformação interior. Já se

comprovou que o físico sofre influência da esfera psíquica. Se o indivíduo muda por

dentro, automaticamente muda por fora. As glândulas endócrinas, em seu aspecto sutil,

são o canal entre este mundo físico, tridimensional e as dimensões superiores.

Vista de Mohenjo-Daro

As construções de

Moenjodaro eram de

tijolo cozido,

possuíam sistema de

esgotos e casas com

banheiro, as ruas

eram longas e retas,

sendo as casas

dispostas em

quadras. Havia uma

administração

central, de base

religiosa. O comércio

era ativo, havendo

intercâmbios com

outros povos. A arte

refletia grande

avanço técnico para

a época.

http://www.voppus.com.br 7


TERAPIAS CINESIOLÓGICAS LIÇÃO 01

ORIGEM DO HATHA-YOGA

Não se sabe exatamente a época que surgiu o Hatha-Yoga. Sabe-se que as posturas

já eram conhecidas na época de Moenjodaro (3.000 a.C.).

O que se sabe como certeza é que estas posturas são de origem tântrica isto é,

sempre estiveram intimamente associadas a Shiva.

Há uma lenda sobre a origem dos ásanas. A estória conta que Shiva, um dos Deuses

da tríade indiana, ensinou os ásanas à sua esposa, Parvati. Em um tempo muito

longínquo, quando o ser humano ainda não existia, Shiva e Parvati estavam à beira do

mar, praticando o Yoga, mas, ali perto, estava Matsya, o peixe que observava tudo

detidamente com grande respeito e atenção, depois de sete dias e sete noites, Shiva e

Parvati se retiraram, não voltando mais à beira do mar. Matsya caiu em profunda tristeza

e, depois de sete dias e sete noites, saiu do mar, dirigiu-se à praia e tentou praticar o

que aprendera por contemplação. Shiva, ocultamente, observava Matsya e como

recompensa por sua fé, transformou-o em um ser humano, dando-lhe o poder de praticar

as posturas e de respirar. Matsya , iluminado por Shiva, ensinou as posturas a todos os

seres humanos do mundo.

Essa é a origem mitológica do Hatha-Yoga . A origem histórica é difícil de precisar

porque não existem estudos específicos destinados a fazer um levantamento de fontes.

Existem alguns livros, de 2.000 a 3.000 anos atrás, que tratam desta linha. São eles:

Gheranda Samhita (Coleção de Gheranda), Hatha-Yoga Pradîpîk (Elogio à Hatha-Yoga),

Shiva Samhita (Coleção de Shiva), Siddha Sidarita Padhati e Yogasudamani-Upanishad.

GHERANDA-SAMHITA

Esta obra hindu está dividida em sete partes. Vejamo-las sinteticamente.

Primeira Parte

A primeira descreve as purificações ou Kriyas (Dhauti, Bhasti, Neti, Nauli, Trataka e

Kapalabhati).

Segunda Parte

A segunda trata das 32 posturas fundamentais do Hatha-Yoga, que são:

1) Siddhásana (postura do sábio)

2) Padmásana (postura de lótus)

3) Badha Konásana (postura do ângulo de bacia ligada)

4) Muktásana (postura livre)

5) Vajrásana (postura do diamante)

6) Svastikásana (postura da prosperidade)

7) Simhásana (postura do leão)

8) Gomukásana (postura da vaca)

9) Virásana (postura do herói)

10) Dhanurásana (postura do arco)

8 VOPPUS STELLA MARIS


YOGATERAPIA LIÇÃO 01

11) Mirtásana (postura do morto)

12) Guptásana (postura escondida)

13) Matsyásana (postura do peixe)

14) Matsyendrásana (postura de Matsyendra)

15) Goraksásana (postura do joelho)

16) Paschimottanásana (postura da distensão posterior)

17) Utkatásana (postura arriscada)

18) Samkatásana (postura do perigo)

19) Mayurásana (postura do pavão)

20) Kukkutásana (postura do galo)

21) Kurmásana (postura da tartaruga)

22) Uttana Kurmásana (postura erguida da tartaruga)

23) Uttana Mandukásana (postura erguida do sapo)

24) Vrikshásana (postura da árvore)

25) Mandukásana (postura do sapo)

26) Garudásana (postura do pássaro)

27) Virsásana (postura do touro)

28) Shalabásana (postura do gafanhoto)

29) Makarásana (postura do golfinho)

30) Ustrásana (postura do camelo)

31) Bhujangásana (posturada cobra)

32) Yogásana (postura da união perfeita).

Terceira Parte

A terceira descreve 25 mudras (gestos) que exercem grande influência sobre o corpo

e a psiquê.

A quarta, quinta, sexta e sétima partes tratam, respectivamente, de Pratyahara,

Pranayama, Dhyana, e Samadhi, que são detalhados em nosso curso de Yoga.

O termo “Hatha-Yoga”, dado a esta linha de posturas, gestos, exercícios respiratórios

e relaxamentos de que se compõe o método tântrico aqui em estudo, é atribuído a

Goraknath, asceta fundador da Ordem Kanphata-Yogi, Este mestre yogue afirmava que

Shiva é a suprema divindade e o fundador do Yoga.

ÁSANAS: EIXO DO HATHA-YOGA

A palavra ÁSANA tem origem sânscrita e significa

POSIÇÃO ou POSTURA.

Acredita-se que existam centenas de variações de

posturas. As inscrições hindus citam 840 000, contudo,

tradicionalmente, foram transmitidas 84 (destas, 32 são

chamadas fundamentais e estão descritas acima), que

compõem o Hatha-Yoga. No decorrer deste curso

mencionamos alguns, bem como sua execução e

benefícios orgânicos.

A palavra ÁSANA tem origem

sânscrita e significa

POSIÇÃO ou POSTURA.

http://www.voppus.com.br 9


TERAPIAS CINESIOLÓGICAS LIÇÃO 01

Os ásanas têm a propriedade de liberar tensões.

Sua prática constante e coordenada confere

flexibilidade, melhora do funcionamento dos órgãos,

desenvolvimento dos pulmões, modelação e

fortalecimento dos músculos, vigor, sensação de

leveza, fortalecimento da imunidade natural do

organismo, sem falar nos efeitos sutis, relacionados à

refinamento vibracional do corpo e muitas outros

benefícios.

TIPOS DE ÁSANAS

Adotaremos a seguinte classificação de ásanas:

PD – Em posição deitada

PS – Em posição sentada

PP – Em posição em pé

PI – Em posição inversa

PM – Posturas de meditação.

Não vamos estudar e praticar as 32 ásanas, pois

fogem aos objetivos do Curso de Terapia Holística.

Vamos lhe ensinar 12 ásanas básicos que são

fundamentais. Acrescentaremos também alguns

ásanas complementares. Com ele o estudante poderá

extrair os benefícios de praticamente quase todas as

posturas. Na verdade essas 12 posições são uma

Os ásanas têm a propriedade de

liberar tensões. Sua prática

constante e coordenada confere

flexibilidade, melhora do

funcionamento dos órgãos,

desenvolvimento dos pulmões,

modelação e fortalecimento dos

músculos, vigor, sensação de

leveza, fortalecimento da

imunidade natural do organismo,

sem falar nos efeitos sutis,

relacionados à refinamento

vibracional do corpo e muitas

outros benefícios.

síntese dos 32 ásanas básicos. Vejamos as 12 posturas juntamente com as posturas

complementares que serão ensinadas e trabalhadas no decorrer deste bloco de

Yogaterapia:

ÁSANAS EM POSIÇÃO DEITADA

• PD – 01 – SHAVÁSANA ou MIRTÁSANA (Postura de Morto)

• PD – 02 – BHUJANGÁSANA (Postura da Cobra)

• PD – 03 –SHALABÁSANA (Postura do gafanhoto)

• PD – 04 – DHANURÁSANA (Postura do Arco)

ÁSANAS EM POSIÇÃO SENTADA

• PS – 01 – MATSYÁSANA (Postura do Peixe)

• PS – 02 – MAYURÁSANA (Postura do Pavão)

• PS – 03 – PASCHIMOTTANÁSANA (Postura da Dimensão Posterior)

• PS – 04 – VAKRÁSANA (Postura da Torção Espinhal)

POSTURAS EM POSIÇÃO EM PÉ

• PP – 01 – TRIKONÁSANA (Postura do Triângulo)

• PS – 04 – PADA HASTHÁSANA (Postura das Mãos nos Pés)

10 VOPPUS STELLA MARIS


YOGATERAPIA LIÇÃO 01

ÁSANAS EM POSTURA INVERSA

• PI – 01 - HALÁSANA (Postura do Arado)

• PI – 02 - SARVANGÁSANA (Postura da Vela)

• PI – 03 - SHIRSHÁSANA (Pouso Sobre a Cabeça) .

POSTURAS DE MEDITAÇÃO

• PM – 01 - SUKHÁSANA (Postura Fácil)

• PM – 02 - VAJRÁSANA (Postura do Diamante)

Todas estas posturas são detalhadas no nosso curso de Yoga, juntamente com os

exercícios respiratórios e técnicas de relaxamento. Caso haja interesse de sua parte

inscreva-se nesse curso.

PRÁTICAS DO HATHA-YOGA OU YOGATERAPIA

OBSERVAÇÕES IMPORTANTES

Esclarecemos que o Hatha-Yoga ou Yogaterapia é, em síntese, a mesma coisa.

Vamos explicar melhor esse ponto.

Ocorre que o Hatha-Yoga possui, além do fundo terapêutico, fortes componentes

filosóficos e metafísicos que regram a vida do praticante. Em nossos cursos de Yoga

Básico ou Avançado o tema é enfocado tanto no sentido terapêutico como principalmente

filosófico. Caso você tenha maior interesse no assunto inscreva-se nos mencionados

cursos.

O Yogaterapia fundamenta-se basicamente no aspecto terápico. Assim a visão

filosófica ou metafísica fica em segundo plano. Desse modo, ao longo desse bloco ora

estaremos citando a palavra Hatha-Yoga e ora Yogaterapia.

Antes de iniciar qualquer SÉRIE desse bloco de Hatha-Yoga ou Yogaterapia leia

atentamente todas as indicações que se seguem:

1) Cada postura é feita uma única vez, sendo que no decorrer das sessões normais vaise

aumentando o tempo de permanência nas mesmas.

2) Deve-se praticar os ásanas com lentidão, suavidade e bastante concentração, para

que a qualidade da consciência em cada prática vá melhorando cada vez mais. Com

isso, o benefício para o sistema nervoso será melhor.

3) Qualidades a serem desenvolvidas: disciplina, fé, tenacidade e perseverança, para

praticar Yoga regularmente e sem interrupções.

4) Esvazie a bexiga e os intestinos antes da sessão de Hatha-Yoga.

http://www.voppus.com.br 11


TERAPIAS CINESIOLÓGICAS LIÇÃO 01

5) Os ásanas ficam mais fáceis depois de um banho, uma vez que o corpo está quente,

permitindo uma maior flexibilidade. Contudo, isto não é obrigatório. Fica a seu critério

seguir esta sugestão.

6) Os ásanas devem ser executados com o estômago vazio. Deve-se guardar um tempo

de 2 horas após o almoço ou jantar, antes dos exercícios. Após a sessão de Hatha-

Yoga deve-se esperar de 15 a 30 minutos antes de se ingerir qualquer alimento.

7) Os melhores horários para prática do Yoga são pela manhã, bem cedo, ou à noite,

embora não haja obrigatoriamente quanto aos mesmos. Cada qual, segundo suas

possibilidades, deve eleger o melhor horário do dia para as suas práticas.

8) O local para a prática deve estar limpo. Não é recomendável exercitar-se diretamente

sobre o solo. Dê preferência a um tapete, ou na falta dele, estenda um cobertor.

9) Não deve haver tensão nos músculos faciais, orelhas e olhos, ou nos músculos

respiratórios, durante a prática. Caso haja, pare a postura imediatamente.

10) No começo, fique de olhos abertos até que aprenda bem a postura. Depois de

dominá-la passe a fazer os exercícios de olhos fechados, mantendo plena atenção

sobre o corpo.

REGRA GERAL DE RESPIRAÇÃO, VÁLIDA PARA TODOS OS ÁSANAS.

INSPIRAÇÃO

Movimentos ascendentes

NA PRÁTICA

DEVEMOS

SEMPRE

RESPIRAR PELAS

NARINAS.

EXALAÇÃO

Movimentos descendentes

11) Procure não pensar em nada que não seja a postura a ser realizada. Yoga não é só

um exercício físico, mas sim psicofísico, onde a concentração exerce papel decisivo.

12) Durante todos os ásanas a respiração deve ser feita pelas narinas.

13) Pessoas que tenham, ou estejam com afecções nos ouvidos, ou deslocamento

de retina, não devem fazer posições inversas, isto é, as de cabeça para baixo.

12 VOPPUS STELLA MARIS


YOGATERAPIA LIÇÃO 01

14) Mulheres em período menstrual devem evitar os ásanas invertidos, isto é, aqueles

que a cabeça fique para baixo.

15) Aqueles que sofrem de pressão alta ou baixa evitem começar a sessão de Yoga

com as posturas SHIRSHÁSANA e/ou SARVANGÁSANA.

16) Ao mínimo sinal de dor ou incômodo, deve-se desfazer a postura. Yoga não é

sinônimo de tortura.

17) Não pratique Yoga depois de ter estado sob sol forte por muito tempo.

ALERTA INDISPENSÁVEL

Todo terapeuta deve solicitar ao seu cliente que consulte um médico antes de começar

as sessões de Yoga e preferivelmente com atestado de capacidade para praticar os

ásanas. O especialista mais indicado para esse caso é ortopedista ou fisiatra, entretanto

um profissional competente poderá fazê-lo com segurança. O médico deverá atestar que

o cliente poderá realizar todo tipo de movimento. Caso seja você que os praticará o alerta

é o mesmo.

CONTRA-INDICAÇÕES CLÁSSICAS PARA

A PRÁTICA DE HATHA-YOGA OU YOGATERAPIA

• Artrite • Hérnia de Disco

• Artrose • Reumatismo Articular Agudo

Caso seu cliente ou você tenha algum destes problemas de saúde, não deverá praticar

os exercícios aqui indicados até que se cure totalmente. Querendo fazê-los terá que ser

sob a orientação de um médico.

Em nosso curso de Terapia Holística P300, abordamos os diversos sistemas

terapêuticos holísticos ou alternativos em diversos ângulos. Ao longo do curso

estudamos os desequilíbrios orgânicos mais freqüentes nos seres humanos e várias

opções terapêuticas. Assim se a pessoa não puder praticar os ásanas há outras

alternativas que poderão ser aplicadas. Lembramos que a prática de uma postura isolada

terá um efeito reduzido na correção de desequilíbrios orgânicos, contudo aliada a outras

técnicas ou mesmo a uma sessão completa de Hatha-Yoga os resultados serão bem mais

rápidos.

Todo terapeuta deve solicitar ao seu cliente que consulte um médico antes

de começar as sessões de Yoga e preferivelmente com atestado de

capacidade para praticar os ásanas. O especialista mais indicado para esse

caso é ortopedista ou fisiatra, entretanto um profissional competente poderá

faze-lo com segurança.

http://www.voppus.com.br 13


TERAPIAS CINESIOLÓGICAS LIÇÃO 01

YOGAPRAXIS TERAPÊUTICA 01

Yogapraxis terapêutica é uma secção que apresentaremos ao longo desse bloco de

Yogaterapia. Nessa secção estaremos apresentando quatro séries destinadas a prática

do estudante ou para serem utilizadas como método terapêutico para os clientes. Cada

série possui características ligeiramente diferentes. A pessoa deverá estudá-las

atentamente e levá-las à prática de forma metódica, assídua e ordenada. Práticas

esporádicas não produzem efeitos satisfatórios. Caso você deseje trabalha com esse

método terapêutico, é óbvio que deverá praticá-las até atingir o total domínio. Para se

alcança o domínio de todas as séries, é necessário cerca de 6 a 8 meses de práticas

disciplinadas e diárias.

PRIMEIRA SÉRIE: ÁSANAS DE BAIXO IMPACTO

A Primeira Série é denominada de Asánas de Baixo Impacto porque se refere a

exercícios leves que podem ser praticados por, praticamente, todas as pessoas de

qualquer idade. Essas práticas podem ser chamadas de Pré-ásanas ou Aquecimento

antes de uma sessão normal de Hatha-Yoga. Nas próximas páginas você encontrará a

descrição dos exercícios de Yoga a serem praticados. Siga a seqüência numérica dos

exercícios, pois estão dispostos de forma progressiva.

1) Shavásana (postura do cadáver)

ÁSANAS DA PRIMEIRA SÉRIE

Faça exatamente conforme mostrado na

figura 03. Deite-se de costas. Braços ao lado

do corpo ligeiramente aberto para os lados.

Palmas das mãos viradas para cima. As pernas

ligeiramente abertas. Os afastamentos entre as

pernas e os braços do corpo devem ser de tal

modo que você se sinta confortável. Feche os

olhos e relaxe todo o corpo. Não mova nenhuma Fig. 03- Shavásana (postura do cadáver)

parte de seu corpo, mesmo que sinta um leve

incômodo. Faça respiração rítmica. Inspire contanto mentalmente 1, 2, 3, 4, 5, 6,... até

sentir os seus pulmões cheios de ar de modo natural. Não force a respiração. Faça-os

de modo natural. Quando os pulmões estiverem cheios de ar, retenha contando 1, 2

14 VOPPUS STELLA MARIS


YOGATERAPIA LIÇÃO 01

somente, então, exale o ar contanto mentalmente 1, 2, 3, 4,... até esvaziá-los totalmente

de modo natural. Não é necessário forçar nada. Volte novamente a inspirar; repetindo

todo o processo de contagem. Prossiga executando esse ritmo respiratório por cerca de

5 minutos. A medida que você for repetindo diariamente o Shavásana irá obtendo um

maior grau de relaxamento físico e mental.

2) Flexão dos dedos dos pés

Postura básica Fig. 04. Agora sente-se no chão com a coluna ereta e as pernas

esticadas. Apóie as palmas das mãos no chão ao lado dos quadris e ligeiramente atrás.

Deixe os braços retos servindo de suporte. Dirija a sua atenção somente para os dedos

dos pés. Mova os dedos dos dois pés vagarosamente para frente e para trás (Fig. 06).

Não desloque os tornozelos. Somente os dedos devem flexionar para frente e para trás.

Repita esse movimento com os dedos por 10 vezes.

Fig. 04- Postura básica

Fig. 05- Flexão dos tornozelos

Fig. 06- Flexão dos

dedos dos pés

3) Flexão dos tornozelos

Permaneça na mesma posição da Fig. 04. Mova os dois pés simultaneamente para

frente e para trás, o máximo possível (Fig. 05). Com isso você estará flexionando as

articulações dos tornozelos. Repetir o movimento por 10 vezes.

http://www.voppus.com.br 15


TERAPIAS CINESIOLÓGICAS LIÇÃO 01

4) Rotação dos Tornozelos

Fig. 07- Rotação dos

Tornozelos

Conforme a posição da Fig. 04. Separe ligeiramente as pernas. Coloque o tornozelo

direito sobre a coxa esquerda conforme a Fig. 07. Segure o tornozelo com a mão direita.

Segure com a mão esquerda a região próxima aos dedos do pé e gire-o no sentido

horário por 10 vezes e também no anti-horário por 10 vezes. Repita o mesmo

procedimento com o pé esquerdo invertendo, obviamente as posições dos braços e

pernas.

5) Flexão do joelho

Fig. 08- Flexão do joelho

Coloque-se na posição da Fig. 08 Levante o joelho esquerdo. Entrelace os dedos das

mãos logo abaixo da articulação do joelho. Dobre a perna esquerda para cima e para

baixo sem que toque o piso. Mantenha as mãos debaixo da coxa. O movimento é

semelhante a um chute, entretanto deve ser realizado lentamente levando o pé ao ponto

mais alto que possa e depois baixando-o até tocar as nádegas. Caso não consegue

realizar o movimento completo, nas primeiras vezes, vá até onde possa alcançar. Com

o tempo ocorrerá a flexibilidade muscular. Repetir o mesmo procedimento para a perna

direita. Repita 10 vezes o movimento para perna direita e 10 vezes para a perna

esquerda.

16 VOPPUS STELLA MARIS


YOGATERAPIA LIÇÃO 01

6) Rotação do joelho

Sente-se com as pernas esticadas, corpo inclinado para trás , apoiado nos cotovelos,

sobre o chão (Fig.09). Dobre a perna direita, fazendo um ângulo de 90 graus com ela.

Movimente o joelho direito de forma a fazer 5 rotações completas, depois inverta o sentido

do giro, fazendo o mesmo número de voltas. Execute o mesmo exercício com o joelho

esquerdo. Procure manter a coxa o mais imóvel possível. Este exercício é facilitado

quando imaginamos que estamos traçando um círculo no ar com o pé.

Fig. 09- Rotação do joelho

7) Meia Borboleta

Fig. 10- Meia Borboleta

Observe a Fig. 10. Ponha o pé esquerdo sobre a coxa direita. Segure o joelho direito

com a mão direita. Ponha a mão esquerda na altura dos tornozelos. Mova suavemente a

perna dobrada para cima e para baixo, de modo semelhante ao bater de asas dos

pássaros. Vá fazendo esse balanceio até que o joelho toque o solo ou chegue mito perto.

Repita o mesmo procedimento para o joelho esquerdo. Não deve haver esforço maior do

que o seu corpo possa suportar. Aliás, isso válido para qualquer prática dessa linha de

Yogaterapia. Pode ser que você consiga tão somente uma pequena flexão, entretanto

com a repetição diária, aos poucos, os músculos irão se flexibilizando cada vez mais.

http://www.voppus.com.br 17


TERAPIAS CINESIOLÓGICAS LIÇÃO 01

8) Rotação da Articulação Coxo-Femural

Coloque-se na mesma posição da Fig. 11. Agora segure os dedos do pé esquerdo com

a mão direita e o joelho com a mão esquerda. Gire o joelho a partir da articulação do

quadril. Faça o giro 10 vezes no sentido horário e 10 vezes no sentido anti-horário.

Fig. 11- Rotação da Articulação Coxo-Femural

9) Borboleta Completa

Observe a Fig. 12. Nessa posição sentada, ponha as solas dos pés unidas conforme

mostrado. Coloque os calcanhares o mais próximo possível do corpo. Apóie as mãos

sobre os joelhos e empurre-os em direção ao solo e depois solte-os para retornem a

posição inicial. Repita esse movimento por 20 vezes.

Fig. 12- Borboleta Completa

Observe a Fig. 12. Nessa posição sentada, ponha as solas dos pés unidas conforme

mostrado. Coloque os calcanhares o mais próximo possível do corpo. Apóie as mãos

sobre os joelhos e empurre-os em direção ao solo e depois solte-os para retornem a

posição inicial. Repita esse movimento por 20 vezes.

18 VOPPUS STELLA MARIS


YOGATERAPIA LIÇÃO 01

10) Levantamento Lateral das Pernas

Deite-se sobre o lado direito do corpo. Dobre o braço direito e apóie a cabeça sobre ele

(Fig.13). Mantenha o corpo bem alinhado. Apóie a mão esquerda no chão, à sua frente,

na altura do abdômen. Levante a perna direita sem dobrá-la, mantendo-a estirada, por 5

vezes. Depois, deite-se para o lado esquerdo e repita o procedimento com a perna

esquerda. Lembre-se de que deve haver suavidade em todos os movimentos. Jamais

force o corpo. Não tenha pressa em adquirir flexibilidade. Ela virá naturalmente, com o

tempo.

Fig. 13- Levantamento Lateral

das Pernas

11) Movimento para os Quadris

Deite-se em decúbito dorsal (de barriga para cima) e dobre as pernas, mantendo a

ponta dos pés no chão (Fig.14). Abra os braços lateralmente, na altura dos ombros,

mantendo a palma das mãos para baixo. Inicie o movimento levando ambas as pernas

para o lado direito, depois para o esquerdo e assim sucessivamente, até completar um

total de 10 movimentos.

Fig. 14- Movimento para os

Quadris

http://www.voppus.com.br 19


TERAPIAS CINESIOLÓGICAS LIÇÃO 01

12) Flexibilização Transversal da Coluna

Fique na Postura do Gato, isto é, de quatro, com as mãos e os joelhos apoiados no

chão (Fig.15). Caminhe com as mãos para o lado direito, de forma lenta e tranqüila,

evitando movimentar os quadris, pois todo o trabalho é da cintura para cima. Depois vá

para o lado esquerdo. Repita este exercício por 3 vezes, voltando em seguida à posição

inicial.

Fig. 15- Flexibilização Transversal

da Coluna

13) Flexibilização Longitudinal da Coluna

A partir da Postura do Gato, arqueie a coluna para cima e para baixo, fazendo um arco

com ela. Observe a Figura 16. Agora, preste atenção: quando você arquear a coluna para

baixo, inspire; quando arquear a coluna para cima, exale. Assim, combinando a

respiração com o movimento da coluna os benefícios serão maiores.

Fig. 16- Flexibilização Longitudinal da Coluna

20 VOPPUS STELLA MARIS


YOGATERAPIA LIÇÃO 01

14) Estiramento da Coluna

Tome a Postura do Gato. Leve o braço direito para frente e a perna esquerda para trás

formando, com o corpo, uma linha horizontal, esticando-os o máximo que possa (Fig.17).

Conte mentalmente até 4 e desfaça, voltando à posição inicial. Agora, faça o mesmo com

o braço esquerdo e a perna direita. Conte até 4 e desfaça a postura.

Fig. 17- Estiramento da Coluna

15) Sentado sobre as Pernas (Vajrásana)

Fique de joelhos, mantendo-os juntos (Fig. 18). Mantenha os pés esticados, com a

planta deles voltadas para cima. Aponte o dedão dos pés para dentro, a ponto de quase

tocá-los. Sente-se sobre a concha que os pés formaram. Mantenha a coluna ereta.

Coloque as mãos sobre os joelhos e feche os olhos.

Fig.18

Vajrásana

http://www.voppus.com.br 21


TERAPIAS CINESIOLÓGICAS LIÇÃO 01

16) Abrir e Fechar as Mãos

Partindo da Fig. 18, estenda os braços para frente no mesmo nível do ombro. Abra as

duas mãos simultaneamente até que os dedos fiquem completamente estirados e

abertos. A seguir feche as mãos mantendo o polegar envolvido pelos quatro dedos.

Repita 10 vezes esse movimento (Fig 19).

Fig. 19

17) Flexão do Pulso

Partindo da Fig. 18, com os braços estendidos para frente, curve as mãos para trás,

forçando o pulso o máximo que possa. Primeiro force-os para cima conforme a Fig. 20 e

depois force-os para baixo. Faça essa flexão do pulso por 10 vezes.

Fig. 20- Flexão do Pulso

22 VOPPUS STELLA MARIS


YOGATERAPIA

LIÇÃO 01

as

10

18) Rotação do Pulso

Parta da Fig

18, com os braços estendidos e alinhados com os ombros. Agora feche

mãos conforme mostrado na Fig. 21 e gire os pulsos por 10 vezes no sentido horário e

vezes no sentido anti-horário.

Fig. 21- Rotação do Pulso

19) Flexão dos Cotovelos para Frente

Partindo da Fig. 18, com os braços estendidos para frente, coloque

as palmas

das

mãos para cima. Dobre os

dois braços, ao mesmo tempo, na

altura do cotovelo até tocar

os ombros com

as pontas dos dedos ( Fig. 22). Faça esse movimento por

10 vezes.

Fig. 22- Flexão dos Cotovelos para Frente

http://www.voppus.com.br

23


TERAPIAS CINESIOLÓGICAS

LIÇÃO 01

20)

Flexão dos

Cotovelos

para os Lados

Partindo da Fig.18, com os

braços estendidos para frente abra-os até que fique

alinhado com os ombros lateralmente (Fig. 23). Dobre

os braços, ao mesmo

tempo, na

altura dos

cotovelos até tocar os

ombros. Repita esse movimento por 10 vezes.

Fig. 23- Flexão dos

Cotovelos para os Lados

21)

Rotação dos Ombros

Todos

os exercícios a seguir partem do Vajrásana (Fig. 18).

Mantendo os braços

conforme

mostrado na Fig. 24. Gire os cotovelos em círculos, no sentido horário por 10

vezes e no sentido anti-horário por 10 vezes.

Fig. 24- Rotação dos Ombros

24

VOPPUS STELLA MARIS


YOGATERAPIA LIÇÃO 01

22) Giro Lateral da Cabeça

Com a coluna vertebral ereta, a cabeça levantada, olhando para frente, comece o

movimento com o pescoço, alinhando o queixo com o ombro (Fig.25). Faça esse

movimento 2 vezes para cada lado. Em seguida volte à posição inicial, olhando para

frente.

Fig. 25- Giro Lateral da Cabeça

23) Inclinação da Cabeça para Frente e para Trás

Ainda em Vajrásana , movimente a cabeça para frente e para trás, por 3 vezes

(Fig.26). Faça-o de forma lenta e suave.

Fig. 26- Inclinação da Cabeça para Frente e para Trás

http://www.voppus.com.br 25


TERAPIAS CINESIOLÓGICAS LIÇÃO 01

24) Inclinação Lateral da Cabeça

Partindo do Vajrásana incline suavemente a cabeça para o lado direito e depois para o

lado esquerdo (Fig. 27). Faça esse movimento por 10 vezes.

25) Rotação da Cabeça

Fig. 27- Inclinação Lateral da Cabeça

Para finalizar, encoste o queixo no peito e comece a fazer rotações completas com a

cabeça, 2 vezes para cada lado (Fig. 28). O tronco permanece imóvel. Deixe a cabeça

solta, relaxada.

26) Shavásana Final

Termine essa série colocando o corpo

na posição de Shavásana. Procure relaxar

completamente o corpo do alto da cabeça

até as pontas dos pés. Permaneça nessa

posição (entre 5 a 10 minutos) sentindo os

benefícios dos vários movimentos que

foram realizados.

Fig. 28- Rotação da Cabeça

Obeservação: caso o praticante sofra

de varizes crônicas em estado avançado,

não deve praticar o Vajrásana. Utilize o

Fig. 29- Shavásana Final

26 VOPPUS STELLA MARIS


YOGATERAPIA LIÇÃO 01

ásana chamado Sukhasána. Abaixo o explicamos de como praticá-lo. Lembramos que

exercícios da Primeira Série são suaves e tranqüilos. Evite qualquer movimento brusco ou

violento.

Sukhásana também é chamada de Samanásana. É usada para respirações e

meditação. Em lições posteriores voltaremos a essa postura.

Sente-se no chão, com as pernas esticadas.

Flexione a perna esquerda, colocando o pé para

baixo da perna direita. Flexione a perna direita,

levando o pé para baixo da perna esquerda.

Mantenha a coluna ereta e os joelhos na

mesma altura. Coloque as mãos sobre os

joelhos. (Fig.30).

PRIMEIRA SÉRIE: COMENTÁRIO

Essa primeira série de ásanas ou exercícios

de baixo impacto pode ser praticada por,

praticamente, todas as pessoas quer sejam

homens ou mulheres, crianças, adultos, terceira

idade, idosos, etc. São exercícios simples,

entretanto com profundo efeito muscular,

articular, orgânico, psicológico e sobretudo

energético.

Fig. 30- Sukhásana

O terapeuta ou praticante não deve desdenhar desses movimentos tão simples. O

efeito desses exercícios praticados assiduamente por 60 dias poderá produzir resultados

surpreendentes a quem os faça.

PRIMEIRA SÉRIE: EFEITO ENERGÉTICO

Sob o ponto de vista energético, a

Primeira Série trabalha com vários

chacras secundários localizados

fundamentalmente nas regiões

articulares do corpo como pés,

tornozelos, joelhos, quadril, ombros,

cotovelos, pulsos, mãos e pescoço.

Além disso também estimula os 12

meridianos conhecidos na Acupuntura.

Cabe lembrar que o autor do curso é

acupunturista praticante conhecendo

os benefícios do estímulo dos

meridianos energéticos para a

correção de distúrbios orgânicos de

vários tipos.

http://www.voppus.com.br 27


TERAPIAS CINESIOLÓGICAS LIÇÃO 01

A Medicina Tradicional Chinesa enumera 12 meridianos básicos bilaterais e 2

meridianos na região central do corpo. Cada meridiano possui suas características,

natureza e propriedades. Ao se praticar os exercícios explicados os meridianos são

estimulados.

Nos dedos das mãos e dos pés há início e o fim de vários meridianos, inclusive os

pontos de entrada e saída de energia. Os movimentos dos pés e das mãos os estimulam.

No tornozelo, joelhos, pulsos e cotovelos também se localizam vários pontos importantes.

Ao longo da coluna vertebral há nutrição energética do corpo vital e por conseqüência o

abastecimento de forças vitais nos órgãos relacionados.

PRIMEIRA SÉRIE: EFEITO ARTICULAR

O trabalho articular dos exercícios favorece ao bom funcionamento de, praticamente,

todas articulações do corpo. Nos movimentos de mãos, punhos, cotovelos e ombros as

juntas são suavemente mobilizadas. De forma análoga ocorre com os pés, tornozelos,

joelhos e quadril. A coluna é submetida a suaves flexões e alongamentos melhorando o

desempenho articular. Na região do pescoço as articulações são exercitadas em todos os

movimentos fundamentais da cabeça.

PRIMEIRA SÉRIE: EFEITO MUSCULAR

O trabalho muscular é o ponto de relevância nesses exercícios. Cerca de 85% dos

músculos locomotores e tendões são tensionados e relaxados suavemente. Há positivos

resultados nesses alongamentos de baixo impacto e por isso mesmo pode ser praticado

por qualquer pessoa em condições normais.

PRIMEIRA SÉRIE: EFEITO ORGÂNICO

Os movimentos envolvendo o tronco e abdômen é extremamente salutar para todos

os órgãos vitais aí alojados. Na respiração profunda realizada em Shavásana os pulmões

são suavemente exercitados com benefícios estendidos ao estômago, intestinos, coração,

diafragma, etc. No exercício de flexibilização da coluna os rins, fígado, baço e bexiga são

levemente estimulados.

PRIMEIRA SÉRIE: EFEITO PSICOLÓGICO

Os efeitos psicológicos ou emocionais nos exercícios são percebidos facilmente pelo

praticante. Ao deitar-se em Shavásana e relaxar completamente o corpo, a mente e os

pensamentos ficam aquietados. Ao praticar os movimentos com plena concentração nas

partes do corpo ocorrem dois pontos importantes.

Primeiro: o praticante desliga sua mente e sentimentos dos problemas cotidianos,

reduz o stress da vida moderna e desfruta de bem-estar.

Segundo: como a atenção está voltada para cada movimento há um desenvolvimento

do poder de concentração que poderá ser aplicado em prol das atividades diárias quer

sejam domésticas, sociais ou profissionais.

28 VOPPUS STELLA MARIS


YOGATERAPIA LIÇÃO 01

Ao praticar assiduamente a série, gradativamente, a pessoa se tornará mais tranqüila,

confiante, disciplinada e ocorre um relevante estímulo à auto-estima.

PRIMEIRA SÉRIE: QUANTO PRATICAR

Para se obter os benefícios da série é indispensável que seja praticada, no mínimo,

três vezes por semana. O ideal seria praticá-la por cinco dias seguidos e descansando

dois. Se desejar, a pessoa poderá exercitar-se todos os dias. Haja vista que os

exercícios são de baixo impacto não provocando nenhuma super-estimulação ou fadiga

muscular.

PRIMEIRA SÉRIE: QUANTO TEMPO PRATICAR

Recomenda-se que a série completa tenha a duração média de 45 minutos. É possível

que no início a pessoa não consiga realizar a quantidade de movimentos indicados, assim

o tempo será menor. Mas, com a prática assídua ocorre o fortalecimento das várias

partes do corpo, sobretudo músculos, tendões e articulações, proporcionando a repetição

dos exercícios nas quantidades descritas.

É importante que os exercícios sejam feitos sem pressa e sem esforço exagerado.

Queremos deixar bem claro que não se trata de ginástica convencional, embora os

movimentos sejam similares. Há, principalmente, um conteúdo mental e energético em

cada exercício.

As recomendações gerais já feitas anteriormente acerca do Hatha-Yoga

Yogaterapia são igualmente válidas para essa série. Relei-as atentamente.

ou

Atenciosamente,

SEU INSTRUTOR DE CLASSE.

http://www.voppus.com.br 29


Curso de Terapias Cinesiológicas

BIBLIOGRAFIA EM YOGA

AUN WEOR, Samael A FONTE DA JUVENTUDE, Porto Alegre, Ed. Gnose, s.d.

AUN WEOR, Samael KUNDALINI-YOGA (O LIVRO AMARELO), São Paulo, Sol Nascente, s.d.

ADOUM, Jorge (Dr.) AS CHAVES DO REINO INTERNO, São Paulo, Pensamento, s.d.

AUBOYER. J. LA VIDA COTIDIANA EM LA INDIA ANTIGUA, Buenos Aires, Hachette, 1961.

BABA, Sathya Sai. SADHANA: O CAMINHO INTERIOR, Rio de Janeiro, Record, 1989.

BAILEY, Alice A LUZ DA ALMA, Tomos I e II, Niterói, Fund. Cultural Avatar, 1991. CARTAS SOBRE

MEDITAÇÃO OCULTISTA, São Paulo, Pensamento, 1977.

BAKER, Douglas ANATOMIA ESOTÉRICA, São Paulo, Mercuryo, 1993.

BESANT, A. INTRODUÇÃO AO YOGA, São Paulo, Círculo do Livro, s.d.

BLAY, Antonio FUNDAMENTO E TÉCNICA DO HATHA-YOGA, São Paulo, Ed. Loyola, 1986.

BONWITT, Ingrid Ramm MUDRAS: AS MÃOS COMO SÍMBOLO DO COSMOS, São Paulo, Pensamento,

1987.

CHIA, Mantak A ENERGIA CURATIVA ATRAVÉS DO TAO, São Paulo, Pensamento, 1983.

CHILDRESS, D.H. CIDADES PERDIDAS DA CHINA, ÍNDIA E ÁSIA CENTRAL, São Paulo, Siciliano, 1988.

CHOPRA, Deepak (Dr.) A CURA QUÂNTICA, São Paulo, Best Seller, 1989. SAÚDE PERFEITA, São Paulo,

Best Seller, 1990.

DE ROSE (Prof.) PRONTUÁRIO DE SVASTHYA YOGA, Rio de Janeiro, Ground, 1977.

ESTEVEZ. Beatriz YOGA PARA A 3a. IDADE, São Paulo, Ícone, 1991.

EVANS-WENTZ, W.Y. A IOGA TIBETANA E AS DOUTRINAS SECRETAS, São Paulo, Pensamento, 1958.

FERNANDES, NILDA YOGATERAPIA: O CAMINHO DA SAÚDE FÍSICA E MENTAL, São Paulo, Ground,

1992.

GARCIA, S. CURSO FUNDAMENTAL DE HATHA-YOGA, São Paulo, Parma, 1977.

GUPTA, N.K. O YOGA DE SRI AUROBINDO, São Paulo, Shakti, 1991. A MÃE, São Paulo, Shakti, 1991.

HENRIQUES, A. Renato YOGA E CONSCIÊNCIA, Porto Alegre, Rigel, 1984.

HERMÓGENES (Prof.) AUTO-PERFEIÇÃO COM HATHA-YOGA, Rio de Janeiro, Record, s.d.

IYENGAR, B.K.S. A LUZ DA IOGA, São Paulo, Cultrix, 1980.

JACQUEMART, P. e ELKEFI, S. YOGA TERAPÊUTICA, São Paulo, Andrei, 1988.

KELDER, P. A FONTE DA JUVENTUDE, São Paulo, Best Seller, 1989.

KNOPLICH, J. VIVA BEM COM A COLUNA QUE VOCÊ TEM, São Paulo, Ibrasa, 1982.

KUVALAYANANDA (Swami) ÁSANAS, São Paulo, Cultrix, 1976. PRANAYAMA, Bombay (Índia), Popular

Prakashan, 1966.

AS MEDICINAS ALTERNATIVAS: MITO, EMBUSTE OU CIÊNCIA?, Rio de Janeiro, Ed. Guanabara, 1989.

LOBATO, E. YOGA E PARTO, São Paulo, Ediouro, 1979.

MANN, F. ACUPUNTURA: A ANTIGA ARTE CHINESA DE CURAR, São Paulo, Hemus, 1971.

MERCURIO, R. O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE COLUNA VERTEBRAL, São Paulo, Nobel, 1978.

MIRANDA, C. HATHA, O ABC DO YOGA, São Paulo, Ediouro, 1979. LAYA YOGA, São Paulo, Ediouro, s.d.

MOTOYAMA, H. TEORIA DOS CHACRAS, São Paulo, Pensamento, 1990.

NETSCHER, B. YOGA:O CAMINHO PARA UMA VIDA FELIZ, São Paulo, Ediouro, 1979.

NISHI, K. MEDICINA NISHI, São Paulo, Ibrasa, 1988.

NHI, B. YOGA E PSIQUIATRIA, Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1974.

PADMANANDA OS AFORISMOS DA YOGA, DE PATANJALI, Rio de Janeiro, Ed. Brand, 1951.

PREMANANDA (Swami) LUZ SOBRE KRIYA YOGA, São Paulo, Ícone, 1993.

RAMACHARACA (Yogue) CIENCIA HINDU-YOGUE DE LA RESPIRACIÓN, Buenos Aires, Kier, s.d.

RENOU, L. HINDUÍSMO, Rio de Janeiro, Zahar, 1964.


REYES, E.F. de los ATLAS ANATÔMICO DO CORPO HUMANO, Rio de Janeiro, Ed. Livro Ibero-Americano,

1985.

SHARMA, P.S. YOGA PARA A SUA ESPINHA, São Paulo, Cultrix, 1971.

SIVANANDA (Swami) KUNDALINI-YOGA, Buenos Aires, Kier, 1986. HATHA-YOGA, Buenos Aires, Kier,

1990. TANTRA YOGA- NADA YOGA - KRIYA YOGA, Buenos Aires, Kier, 1983. O PODER DO

PENSAMENTO PELA IOGA, São Paulo, Pensamento, s.d. CONCENTRAÇÃO E MEDITAÇÃO, São Paulo,

Pensamento, 1987. A CIÊNCIA DO PRANAYAMA, São Paulo, Pensamento, 1990.

SVATMARANA HATHAPRATIPIKA, Poona (Índia), K.S.M. Samiti, 1970.

BIBLIOGRAFIA EM MASSOTERAPIA

ACHARAN, Manuel Lezaeta. “Medicina Natural ao Alcance de Todos”. São Paulo, Hemus, 1979.

ALFONSO, Eduardo. “Curso de Medicina Natural en Cuarenta Lecciones”. Buenos Aires, Editorial Kier, 1982.

CANÇADO, Juracy. “Do-in: Livros dos Primeiros Socorros”. V. 1. Rio de Janeiro, Mantra, 1982.

CANÇADO, Juracy. “Do-in: Livros dos Primeiros Socorros”. V. 2. São Paulo, Ground, 1983.

GOLD, Richard. “Massagem Tai: Uma Técnica Médica Tradicional”. São Paulo, Editora Manole.

HAUSCHKA, Margarethe. “Massagem Rítimica”. São Paulo, Editora Brasilense, 1978.

JAKSON, J. – “Aromaterapia Y Massage”. Barcelona, Urano, 1986.

MULLER, Roberta DeLong. “Massagem Psíquica”. São Paulo. Summus Editorial, 1979.

PRICE, Shirley. “Guia Prático de Aromaterapia”. São Paulo, Edições Siciliano, 1989.

SHEN, P. “Massagem para o Alívio da Dor”, São Paulo, Editora Manole.

BIBLIOGRAFIA EM REFLEXOTERAPIA

ACHARAN, Manuel Lezaeta. “Medicina Natural ao Alcance de Todos”. São Paulo, Hemus, 1979.

ALFONSO, Eduardo. “Curso de Medicina Natural en Cuarenta Lecciones”. Buenos Aires, Editorial Kier, 1982.

CANÇADO, Juracy. “Do-in: Livros dos Primeiros Socorros”. V. 1. Rio de Janeiro, Mantra, 1982.

CANÇADO, Juracy. “Do-in: Livros dos Primeiros Socorros”. V. 2. São Paulo, Ground, 1983.

FELICIANO A., e CAMPADELLO P. – “Reflexologia Energética: Massagem para os Pés”, São Paulo, Editora

Madras.

INGHAM, Eunice D. “Histórias que os Pés Contam”. São Paulo, Editora Brasilense, 1978.

KUNZ, Kevin e Bárbara. “Reflexologia: Como Restabelecer o Equilíbrio Energético”. São Paulo, Pensamento,

1989.

GILLANDERS, A. – “O Guia Familiar para a Reflexologia”, São Paulo, Editora Manole.

GILLANDERS, A. – “Reflexologia Passo a Passo”, São Paulo, Editora Manole.

PRICE, Shirley. “Guia Prático de Aromaterapia”. São Paulo, Edições Siciliano, 1989.

More magazines by this user
Similar magazines