RCIA - ED. 138 - JANEIRO 2017

tvcomercioeindustria

HOMENAGEM

PEIXE NA CUMBUCA ERA A ESPECIALIDADE DA CASA

Os tempos românticos da

cidade, no “Dom Manoel”

Já era madrugada e o pessoal

da mesa 04 ainda estava

lá. Quase todas as noites

era assim: eles se juntavam

e ficavam horas e horas,

cumprindo um ritual que

começou no Bar do Freitas,

na Praça Newton Prado, em

frente a estação ferroviária em

1948. Dalí a família Freitas se

transferiu 20 anos depois, indo

para a Estação Rodoviária que

acabara de ser inaugurada.

Araraquara no final dos anos 40 não

tinha mais que 50 mil habitantes e a

cidade também acontecia em frente

a estação ferroviária depois da meia

noite, com a passagem dos trens da

Paulista que vinham de São Paulo ou

a saída das composições da EFA que

invadiam os sertões da araraquarense.

O movimento na Praça Newton Prado

se revezava com a ida dos passageiros

que seguiam para São Paulo.

Manoel de Freitas, dono do bar, tinha

vindo de Motuca para Araraquara

em 1939, trazendo a esposa Rosa e os

filhos Moacyr, Maurílio, Luiz e Matilde,

fixando residência na rua Itália onde o

primeiro armazém da família foi instalado,

uma espécie de minimercado. Algum

tempo depois nasceram mais dois

filhos: Manoel e Germano.

O armazém mudou para a avenida

São Paulo, entre as ruas Gonçalves

Dias e Nove de Julho, e em seguida a

família comprou o famoso bar da avenida

São Paulo, esquina com a Antônio

Prado, onde ficou estabelecida por 20

anos, lembra Moacyr de Freitas, recentemente

homenageado merecidamente

pela Câmara Municipal com o diploma

de “Honra ao Mérito”.

Natural de Motuca, ele nasceu em

1933, estudou na Escola Antônio Joaquim

de Carvalho (ANJOCA), fez o científico

no IEBA e se formou professor de

desenho na Escola de Belas Artes de

Araraquara. Trabalhou por 11 anos na

White Martins, emprego que deixou

para se dedicar ao Bar do Freitas, passando

a ajudar o pai Manoel. Foi casado

com Maria Helena com quem teve

os filhos Moacir, Gustavo e Natalia.

O Bar do Freitas a partir de 1950

tornou-se referência para os profissionais

que chegavam em nossa cidade,

Manoel de

Freitas com os

filhos Germano,

Maurílio, Moacyr e

o neto Maurílio de

Freitas Júnior, na

inauguração do Dom

Manoel em 1968. Ao

fundo foto da cidade,

então com 60 mil

habitantes e a Matriz

sem a cúpula

principalmente os médicos que deixavam

lá informações sobre suas especialidades

e locais de atendimento. “As

pessoas desembarcavam na estação e

passavam pelo bar buscando as mais

diversas orientações”, comenta Moacyr.

Quando não, os estudantes que

se hospedavam nos hotéis das proximidades

davam o Bar do Freitas como

ponto de referência para entrega de

cartas, livros e revistas científicas. Mas

Os filhos de Rosa e Manoel de Freitas na sua

chegada em Araraquara: Mathilde Rosa Freitas

Torres, Luiz Gonzaga de Freitas, Germano de

Freitas Neto, Manoel Eurico de Freitas, Moacyr

de Freitas e Maurílio de Freitas (atrás)

28

Manoel de Freitas ou Dom Manoel

More magazines by this user
Similar magazines