05.08.2020 Views

Revista Qual Viagem Edição 80

You also want an ePaper? Increase the reach of your titles

YUMPU automatically turns print PDFs into web optimized ePapers that Google loves.

Turismo<br />

Pet Friendy<br />

<strong>Viagem</strong><br />

Turismo & Experiências<br />

América do Sul<br />

Aquários pelo Mundo


QUANDO<br />

ENCONTRAR<br />

ESTE SELO, FIQUE<br />

TRANQUILO<br />

E VIAJE SEGURO<br />

PELO BRASIL.<br />

Saiba mais e encontre<br />

estabelecimentos certificados em:<br />

turismo.gov.br/seloresponsavel<br />

Salvador - BA<br />

O selo Turismo Responsável vai<br />

certificar empresas que adotarem<br />

os protocolos oficiais para segurança<br />

e saúde em seus estabelecimentos.<br />

É o Governo Federal, por meio<br />

do Ministério do Turismo, preparando<br />

tudo para proteger empregos do setor,<br />

retomar o nosso turismo e para que você<br />

viaje com tranquilidade, limpeza<br />

e segurança. Se cada um se prevenir<br />

e fizer a sua parte, unidos teremos<br />

um turismo mais seguro para<br />

a saúde de todos.<br />

#FIQUENOBRASIL<br />

MINISTÉRIO DO<br />

TURISMO


EDITORIAL<br />

QUAL VIAGEM<br />

A VOLTA DO TURISMO<br />

NO BRASIL E NO MUNDO<br />

Prezado leitor,<br />

Já entramos na segunda metade do ano mais louco das nossas<br />

vidas. Apesar da pandemia do novo coronavírus ainda apresentar<br />

números expressivos no Brasil, algumas cidades já retomaram o<br />

turismo e outras atividades. Mas tudo com muito cuidado e rígidos<br />

protocolos de higiene e segurança. Coisa que alguns países da Europa<br />

também já estão fazendo. Porém, brasileiros e cidadãos dos<br />

Estados Unidos e da Rússia, estão proibidos de entrar nesse primeiro<br />

momento. Reflexo do estrago que a Covid-19 está fazendo<br />

mundo afora.<br />

Nossa matéria de capa traz a maravilhosa COSTA VERDE e as<br />

paisagens deslumbrantes que caracterizam a Côte d’Azur brasileira.<br />

Nesse trecho que vai do litoral Sul do Rio de Janeiro até o litoral<br />

Norte de São Paulo estão ilhas e praias lindas, além de arte e<br />

história. Nosso roteiro englobou as cidades fluminenses de Paraty,<br />

Angra dos Reis, Ilha Grande, Mangaratiba e Itacuruça.<br />

No BRASIL também fomos a Arraial do Cabo, Cabo Frio, Belém,<br />

Florianópolis, Maranhão, São Sebastião e Alcatrazes. Todos destinos<br />

encantadores e com peculiaridades únicas que têm tudo para<br />

atender os visitantes de diferentes perfis.<br />

EDIÇÃO <strong>80</strong> • ANO 7 • JULHO 2020<br />

EDITORA E PRODUTORA QUAL EIRELI.<br />

CNPJ 17.523.350/0001-35<br />

Inscrição Estadual 140.490.598.110<br />

Rua Araguari, 817 - Conjuntos 42/43<br />

Moema - CEP 04514-041<br />

São Paulo - SP - Brasil<br />

Telefones +55 11 3024-9500 | 3554-2496<br />

Publisher: Marcio L. Dadalti<br />

Diretor Comercial: Marcos Telore<br />

Gerente Administrativa: Telma Pires<br />

Consultor Editorial: Cláudio Oliva (Mtb 20.586/SP)<br />

Jornalista: Roberto Maia<br />

Logística: Patrícia Silva<br />

Produção: Marlei Rugai e RCS Designer Gráficos<br />

e Fotos Ltda- ME<br />

PUBLICIDADE NO BRASIL<br />

Para anunciar: (11) 3024-9500 | 2157-8199<br />

dadalti@editoraqual.com.br<br />

REPRESENTANTE NA AMÉRICA DO<br />

NORTE E CARIBE - Globe Travel Media<br />

Claudio Dasilva: +1 (954) 647-6464<br />

Neil Strickland: +1 (954) 296-9515<br />

REDAÇÃO<br />

Sugestões de matérias, opiniões ou dúvidas:<br />

claudio@editoraqual.com.br<br />

maia@editoraqual.com.br<br />

ASSINATURAS<br />

ligue: (11) 3554-2496<br />

patricia@editoraqual.com.br<br />

DISPONÍVEL TAMBÉM<br />

Também percorremos roteiros fascinantes na AMÉRICA DO SUL<br />

em viagens à Cartagena e Medellín, na Colômbia; Quito, no Equador;<br />

Piriápolis, no Uruguai; e Mendoza, na Argentina, onde conhecemos<br />

algumas das melhores vinícolas do continente.<br />

Para quem curte os mistérios e as belezas dos mares, apresentamos<br />

alguns dos maiores e melhores AQUÁRIOS PELO MUNDO.<br />

Entretenimento garantido para todas as idades, eles oferecem a<br />

oportunidade de observarmos o que acontece embaixo d’água de<br />

maneira muito divertida.<br />

Viajar para destinos próximos ganharam força em tempos de<br />

pandemia. E, em uma VIAGEM COM O PET, não podemos esquecer<br />

de garantir a segurança, a saúde e o bem-estar dos animais na<br />

hora de pegar a estrada.<br />

Capture o QR Code e visualize a revista on line<br />

Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida sem a<br />

autorização por escrito dos editores. As informações publicitárias<br />

contidas nesta revista são de responsabilidade dos anunciantes.<br />

*Todas as viagens que originaram as matérias<br />

dessa edição foram realizadas antes da pandemia.<br />

Boa leitura, boa viagem e até a próxima edição!<br />

EDITORA QUAL


QUAL VIAGEM<br />

SUMÁRIO<br />

PELOS MARES<br />

Págs. 6 e 7<br />

PELO BRASIL<br />

Págs. 16, 17 e 18<br />

PELO MUNDO<br />

Págs. 37, 38 e 39<br />

BOARDING GATE<br />

Pág. 51, 52 e 53<br />

HOTÉIS & RESORTS<br />

Pág. 100, 102 e 103<br />

CAPA Pág. 64<br />

Turismo<br />

Pet Friendy<br />

<strong>Viagem</strong><br />

Turismo & Experiências<br />

BELÉM<br />

Pág. 26<br />

América do Sul<br />

Aquários pelo Mundo<br />

FOTO: ©ISTOCK.COM / R.M. NUNES<br />

REGIÃO DOS LAGOS Pág. 8<br />

A cidade paraense tem muito a oferecer aos visitantes, antes e<br />

depois da chuva - da Estação das Docas ao Mercado Ver-o-Peso.<br />

QUITO Pág. 54<br />

A capital equatoriana ainda é pouco explorada por turistas brasileiros<br />

e revela-se supreendente, oferecendo passeios inesquecíveis.<br />

AQUÁRIOS PELO MUNDO Pág. 126<br />

Os aquários marinhos oferecem a oportunidade de observarmos<br />

o que acontece embaixo d’água e como vivem os seres aquáticos.<br />

Arraial do Cabo e Cabo Frio, no Rio de Janeiro, reúnem<br />

dunas, restingas, lagoas, praias e costões paradisíacos.<br />

+<br />

MENDOZA<br />

Pág. 74<br />

PIRIÁPOLIS<br />

Pág. 83<br />

ALCATRAZES<br />

Pág. 19<br />

CARTAGENA<br />

Pág. 40<br />

FLORIANÓPOLIS<br />

Pág. 90<br />

MARANHÃO<br />

Pág. 104<br />

MEDELLIN<br />

Pág. 115<br />

PETS FRIENDLY<br />

Pág. 124


QUAL VIAGEM<br />

PELOS MARES<br />

MSC CRUZEIROS<br />

Troca de navios na<br />

temporada 2020/2021<br />

novíssimo navio MSC Grandiosa, inaugurado<br />

O em novembro de 2019, seria a grande atração<br />

da próxima temporada de cruzeiros 2020/2021 na<br />

América do Sul. Infelizmente, por causa da pandemia<br />

da covid-19, a MSC Cruzeiros alterou os planos<br />

e anunciou a redução de cinco para quatro navios,<br />

bem como a troca de embarcações anteriormente<br />

anunciadas. Assim, o destaque da costa brasileira<br />

continuará sendo o MSC Seaview, que virá para a<br />

terceira temporada por aqui. Também virão os navios<br />

MSC Preziosa (partirá do Rio de Janeiro com<br />

cruzeiros de 3 a 8 noites), MSC Musica (substituirá o<br />

Fantasia e fará itinerários de Santos para a Argentina<br />

e Uruguai) e MSC Sinfonia (substituirá o MSC Orchestra<br />

para embarques em Buenos Aires e Montevidéu).<br />

Já o Seaview oferecerá cruzeiros de 7 noites<br />

entre Santos e o Nordeste (Salvador e Maceió).<br />

Informações: msccruzeiros.com.br<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

UNIWORLD<br />

Exemplo mundial de<br />

práticas sustentáveis<br />

linha de cruzeiros fluviais all inclusive Uniworld Boutique<br />

River Cruise Collection conta com navios sofis-<br />

A<br />

ticados, oferece tours exclusivos em terra, cozinha gourmet<br />

e itinerários pela Europa (incluindo a Rússia), China,<br />

Vietnã, Camboja, Índia, Egito e Peru. Navega por 25 rios<br />

em 25 países em todo o mundo. Porém, toda a operação<br />

está comprometida com a sustentabilidade. Por isso, melhora<br />

e protege as comunidades nas quais ancora através<br />

da defesa do meio ambiente e da cultura local. Entre as<br />

ações desenvolvidas está um programa para operar com<br />

menor impacto ambiental possível, como a redução do<br />

uso de água, energia e geração de resíduos. Outro exemplo<br />

é o navio Mekong Jewel, que foi construído com materiais<br />

sustentáveis e ecológicos. Além disso, foi utilizada<br />

uma tinta especial no revestimento do casco e que contribui<br />

para gerar menor impacto na natureza.<br />

Informações: discovercruises.com.br<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

CRYSTAL CRUISES<br />

Crystal Serenity tem reservas para 2023<br />

Estão abertas as reservas para cruzeiros a bordo do Crystal Serenity<br />

em 2023. O premiado navio navegará em itinerários de 7 a 23 noites,<br />

além de um roteiro mundial completo com opções de 140, 128 e<br />

119 noites, além de travessias combinadas de até 100 noites, sem repetir<br />

os portos. A volta ao mundo terá início no dia 11 de janeiro, no porto<br />

de Miami (EUA). Serão 73 destinos visitados, incluindo cinco portos<br />

inaugurais e 19 pernoites, em 40 países localizados em seis continentes.<br />

Os destinos variam do Pacífico Sul e Papua Nova Guiné a Mianmar,<br />

Seychelles, safaris africanos e os antigos monumentos do Egito.<br />

Informações: crystalcruises.com<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

6


SILVERSEA<br />

Silver Dawn será lançado em 2021<br />

ano foi muito complicado. Inevitável sonhar com o futuro pós<br />

O -pandemia. A vontade de viajar só aumentou. Dentro desse cenário,<br />

a Silversea já oferece a temporada inaugural do Silver Dawn<br />

com cinco itinerários. O 10º navio da frota será inaugurado em<br />

setembro de 2021 e terá capacidade para 596 passageiros. A nova<br />

embarcação irá oferecer aos hóspedes a opção de oito restaurantes<br />

a bordo e apresentará o novo programa S.A.L.T. (Sea and Land<br />

Taste), que irá possibilitar experiências imersivas através da descoberta<br />

culinária. Entre os roteiros com duração de 9 a 13 noites<br />

estão Civitavecchia (Roma) a Veneza, Veneza a Pireu, Barcelona a<br />

Lisboa e Lisboa a Fort Lauderdale. O cruzeiro inaugural partirá no<br />

dia 22 de setembro de Civitavecchia e seguirá pelo Mediterrâneo,<br />

até chegar em Fort Lauderdale (EUA).<br />

Informações: silversea.com<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

NORWEGIAN CRUISE LINE<br />

Vinte novos destinos<br />

em sete continentes<br />

NCL abriu reservas para cruzeiros até 2023 com viagens<br />

a mais de 20 novos destinos nos sete continen-<br />

A<br />

tes. A primeira viagem do Norwegian Star à Antartica, em<br />

2021, partirá de Buenos Aires para uma temporada de 14<br />

dias, visitando cinco portos na Argentina, Chile, Uruguai<br />

e Ilhas Falkland. Em março de 2022, o navio navegará<br />

pela América do Sul, passando por Fortaleza e Salvador<br />

em itinerário de 15 dias partindo do Rio de Janeiro. Com<br />

saídas de 12 dias (dezembro de 2021 a janeiro de 2022),<br />

o Norwegian Jade será o primeiro navio a oferecer cruzeiros<br />

de ida e volta da Cidade do Cabo. Já o Norwegian Sun<br />

fará sua estreia na Ásia, em novembro de 2021, com passagens<br />

por Nagoya, Beppu e Himeji, no Japão; Manila e<br />

Coron, nas Filipinas; Kota Kinabalu e Melaka, na Malásia;<br />

e Muara, Brunei e Kampot, em Camboja.<br />

Informações: ncl.com<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

PULLMANTUR<br />

Após 11 anos, Soberano<br />

não virá para o Brasil<br />

navio Soberano (Sovereign) não virá para o Brasil<br />

para a temporada de cruzeiros 2020/2021. A<br />

O<br />

CVC, empresa responsável pelo fretamento do transatlântico<br />

informou que após 11 temporadas consecutivas,<br />

não comercializará cruzeiros no navio. A<br />

pandemia do novo coronavírus afetou fortemente a<br />

venda de cruzeiros, motivo que levou a companhia<br />

marítima e solicitar um pedido de recuperação judicial<br />

na Espanha. Empresa do grupo Royal Caribbean,<br />

a Pullmantur suspendeu suas operações até 15 de<br />

novembro. O Soberano era o único navio all inclusive<br />

na temporada brasileira e fazia roteiros a partir dos<br />

portos de Santos e Rio de Janeiro. Quem comprou<br />

cruzeiros com a Pullmantur terá a opção de navegar<br />

nas outras empresas do grupo - Royal Caribbean International<br />

ou Celebrity Cruises.<br />

Informações: pullmantur.com.br<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

7


FOTO: ©ISTOCK.COM / EDULEITE


ARRAIAL DO CABO<br />

O Paraíso do Atlântico<br />

Cidade fluminense da Região dos Lagos, reúne<br />

dunas, restingas, lagoas, praias e costões pra lá de<br />

paradisíacos. Vem daí o apelido de “Paraíso do<br />

Atlântico”. Embora interiorano, o destino reserva<br />

belezas naturais e locais históricos surpreendentes<br />

Por Pedro teixeira


Arraial do Cabo, a “Capital<br />

do Mergulho” brasileira.<br />

Águas transparentes e<br />

areias brancas proporcionam<br />

aventuras incríveis e<br />

momentos inesquecíveis.<br />

”<br />

Praia do Farol<br />

Arraial do Cabo: onde a lua cheia clareia o velho<br />

mar” - assim diz a placa de boas-vindas logo na<br />

entrada da cidade. O “velho mar”, em questão,<br />

chega todo transparente às areias brancas das praias,<br />

pronto para se tornar a principal atração turística da<br />

cidade. Suas lagoas e praias cristalinas, dunas de areia<br />

branquíssima e belos mirantes conquistam a preferência<br />

de milhares de turistas há muitos anos. Localizada<br />

dentro da Região dos Lagos, a apenas 140 quilômetros<br />

do Rio de Janeiro, Arraial do Cabo era distrito de Cabo<br />

Frio até 1985. O “Paraíso do Atlântico” tem visto a intensidade<br />

de turistas em busca de banho, pesca e prática<br />

de esportes náuticos aumentar muito nos últimos<br />

anos. Além do sol em qualquer época do ano, o clima<br />

quente e úmido tem temperatura média de 25 graus<br />

no verão e variação entre 17 e 23 graus no inverno.<br />

A tranquilidade é outro ponto forte de Arraial do<br />

Cabo, mesmo durante a alta temporada. Por ter algumas<br />

das melhores praias do Brasil e o mar transparente,<br />

de cores “à la Caribe”, a cidade se tornou<br />

conhecida também como a “Capital do Mergulho”:<br />

são 200 pontos de mergulho, repletos da bela vida<br />

marinha, fendas e até naufrágios. Os passeios de<br />

barco também são bastante requisitados.<br />

Um dos passeios imperdíveis de barco é a Ilha do Farol.<br />

O embarque é feito na Praia dos Anjos e passa pelas<br />

prainhas do Atalaia e Gruta Azul. A praia do Farol,<br />

considerada uma das mais bonitas do município, só é<br />

acessível de barco. A Ilha do Farol tem cinco quilômetros<br />

de extensão e picos de até 390 metros de altitude.<br />

Nela se encontram as ruínas do Farol Velho (construído<br />

em 1833) e da casa do faroleiro. Desse ponto, avista-se<br />

toda a Região dos Lagos. A densa neblina no local, que<br />

motivou a desativação do farol, dá certo ar de mistério<br />

à paisagem. A praia é protegida pela marinha e o<br />

número de visitantes é controlado. Por isso mesmo, é<br />

aconselhável reservar o passeio com antecedência. O<br />

tempo de permanência no local é de uma hora.<br />

Prainha<br />

A Prainha é uma das primeiras locais a se visitar ao<br />

chegar em Arraial do Cabo devido à facilidade de acesso.<br />

A praia é extensa, ideal para quem gosta de multidões,<br />

principalmente aos fins de semana e alta temporada.<br />

O canto esquerdo é o melhor ponto para fotos.<br />

10


Escadaria que leva<br />

às Prainhas do<br />

Pontal do Atalaia<br />

FOTOS: @THIAGO.LOPES<br />

11


Pontal do Atalaia<br />

As prainhas do Pontal do Atalaia se unem na maré<br />

baixa. O acesso se dá de carro, por dentro do Condomínio<br />

Pontal do Atalaia (a entrada é liberada mediante<br />

identificação) localizado no alto do morro,<br />

ou de barco, a partir da praia dos Anjos. O visual é<br />

espetacular, ponto de reunião de muitos para assistir<br />

ao pôr do sol. Outro belo ponto para acompanhar<br />

o entardecer é na Praia Grande - uma das<br />

praias mais movimentadas e extensas de Arraial.<br />

Praia Grande<br />

Como o próprio nome diz, Praia Grande é uma<br />

das praias mais extensas de Arraial do Cabo. Além<br />

de um dos belos pontos de referência para assistir<br />

ao por do sol, a praia é uma das mais centrais da<br />

cidade e tem boa estrutura de restaurantes à beira<br />

-mar. Uma das atrações do local é a estátua da atriz<br />

Flávia Alessandra, que nasceu na cidade.<br />

Praia dos Anjos<br />

A Marina dos Pescadores, na Praia dos Anjos, é o<br />

ponto de partida dos passeios de barco. Talvez sua<br />

vocação para navegações venha de Américo Vespúcio,<br />

primeiro navegador a aportar no local, em<br />

1503. Os passeios, em média, têm três horas de duração.<br />

Na praia dos Anjos também se encontram a<br />

Igreja Nossa Senhora dos Remédios, a Casa de Pietra<br />

e casarios históricos.<br />

Praia do Forno<br />

Bem ao lado da praia dos Anjos, a Praia do Forno<br />

- considerada uma das melhores para banho.<br />

O acesso é feito somente por trilha (cerca de 30<br />

minutos) ou por barco.<br />

Praia Brava<br />

A Praia Brava fica dentro do Pontal do Atalaia e<br />

para chegar até ela é preciso caminhar durante 15<br />

minutos por trilha. O local é tão desértico quanto<br />

belo, porém recomenda-se ir durante a maré baixa,<br />

a fim de evitar o mar violento. A dica, claro, não<br />

vale para surfistas.<br />

Incrível visual da Gruta do<br />

Amor, em Arraial do Cabo<br />

Praia do Farol<br />

FOTO: @DEBORAH COSTA


Orla da praia do<br />

Forte Sao Mateus<br />

CABO FRIO<br />

Um mergulho na beleza<br />

FOTO: @LUCIANOGUYDON<br />

Considerado um dos sete municípios mais<br />

antigos do Brasil, está localizada na divisa com<br />

Arraial do Cabo e Búzios, no Rio de Janeiro. Reúne<br />

belos atrativos naturais e é considerado um dos<br />

melhores locais para a prática do mergulho no<br />

país por causa da diversificação da vida marinha<br />

No mundo dos mergulhadores, Cabo Frio<br />

está entre as principais cidades do país<br />

para a prática do esporte. A diversificada<br />

vida marinha está presente nas Ilhas Comprida e<br />

do Papagaio. A Ilha Comprida é a mais visitada<br />

da região. Nela se encontram excelentes abrigos<br />

para os ventos de todos os quadrantes predominantes.<br />

As tartarugas e arraias-prego são bastante<br />

comuns, principalmente em mergulhos noturnos.<br />

São também as mais procuradas para mergulho<br />

de credenciados ou batismo (mergulho monitorado<br />

para inexperientes). Há outras diversas opções<br />

de mergulho, dentre elas, nas proximidades da<br />

Praia do Forte e na Praia das Conchas.<br />

Passear de barco também é outra atração bastante<br />

procurada em Cabo Frio. Entre 8h e 16h, escunas,<br />

traineiras e lanchas partem constantemente<br />

do Canal do Itajuru em direção à bela Lagoa de<br />

Araruama, Ilha do Japonês e praia Brava. Os passeios<br />

têm duração variada: de uma a três horas.<br />

Orla da Praia do Forte<br />

Praia do Forte é a mais famosa e concorrida praia<br />

de Cabo Frio. Com 7,5 quilômetros de extensão,<br />

águas transparentes, geladas e cristalinas e fina areia<br />

branca, a área conta com charme de seu calçadão e<br />

do Forte São Mateus - construído por volta do ano<br />

de 1620, logo no início da praia, à sua esquerda. Por<br />

ali, pistas de skate, bicicletas e lanchonetes.<br />

Praia do Peró<br />

A oito quilômetros do Centro, embora menos badalada<br />

e mais afastada que a Praia do Forte, a Praia do<br />

Peró é sempre bem movimentada. De águas mornas,<br />

transparentes e areia fina, Peró é conhecida como de<br />

poluição zero. Bastante procurada pelos surfistas, sua<br />

extensão de sete quilômetros de águas limpas tem<br />

temperatura amena. A parte urbanizada é tomada<br />

por casas de veraneio e barracas enquanto o canto<br />

esquerdo abriga dunas de areia branca e fina. O ambiente<br />

é familiar e o bom atendimento das barracas a<br />

coloca entre os melhores pontos de praia da cidade.<br />

13


Forte São Mateus<br />

Localizado no início da Praia do Forte, o histórico<br />

Forte São Mateus foi construído em 1817 como área<br />

de defesa de invasões. No local ainda restam canhões<br />

apontados para o mar e bela vista panorâmica, ideal<br />

para fotos. É também área de exposições de arte e<br />

artesanato locais. Tombado pelo Iphan, o Forte, juntamente<br />

com a Praia do Forte, compõem um dos<br />

mais belos cartões postais da cidade.<br />

Convento Nossa Senhora dos Anjos<br />

Não são somente as praias os principais atrativos<br />

de Cabo Frio. Um passeio no centro da cidade leva<br />

ao convento construído no século 17, onde funciona<br />

atualmente o Museu de Artes Sacras.<br />

Rua dos Biquínis<br />

Do outro lado do Canal, a “Rua dos Biquínis”. Na<br />

verdade, um calçadão, depois da reforma. A área<br />

ganhou cobertura e faz lembrar uma grande galeria,<br />

cheia de lojas de biquínis produzidos diretamente das<br />

fábricas instaladas na cidade. Há produtos para diversos<br />

gostos e tendências: saídas de praia, modelos de<br />

duas peças, sungas, maiôs, roupas de ginástica e de<br />

verão. As lojas, em geral, não fecham antes das 20h.<br />

Parque das Dunas<br />

Prepare os óculos. As areias trazidas pelo vento até<br />

incomodam, mas não o suficiente para atrapalhar o<br />

turista de contemplar esse patrimônio natural protegido<br />

por lei. O acesso ao local pode ser feito por<br />

caminhada pela praia do Forte ou sobre o belo conjunto<br />

de dunas, entre elas a Duna Mãe. Esta última<br />

opção, mais divertida, garante linda vista da praia e<br />

também é o ponto ideal para se apreciar o pôr do sol.<br />

Praia do Peró: sete<br />

quilômetros de águas<br />

límpidas e temperatura amena<br />

FOTO: @PRAIASEPARAISOS / EVANDRO CARVALHO


Serviço<br />

COMO CHEGAR<br />

Arraial do Cabo e Cabo Frio estão a 14<br />

quilômetros de distância.<br />

Até antes da pandemia do novo coronavírus<br />

a Azul (voeazul.com.br) operava<br />

voos regulares para Cabo Frio com<br />

saídas de Campinas, Rio de Janeiro e<br />

Belo Horizonte. Importante pesquisar<br />

no site da companhia.<br />

Quem estiver na capital fluminense e<br />

quiser ir de carro deve seguir pela Ponte<br />

Rio-Niterói e pegar as rodovias Niterói-Manilha<br />

(BR-101), Rio Bonito-Araruama<br />

(RJ-124), Via Lagos (até São<br />

Pedro D’Aldeia) e RJ-140.<br />

Se preferir ir de ônibus, a Viação 1001<br />

(autoviacao1001.com.br) serve a Região<br />

dos Lagos.<br />

ONDE FICAR<br />

ARRAIAL DO CABO<br />

Varandas ao Mar Hotel –<br />

varandasaomar.com.br<br />

Pousada Caminho do Sol –<br />

caminhodosol.com.br<br />

Pousada da Prainha –<br />

pousadadaprainha.com<br />

CABO FRIO<br />

Hotel Marlen – hotelmarlen.com.br<br />

Hotel Paradiso Del Sol –<br />

hotelparadisodelsol.com.br<br />

Pousada Chez Moi Chez Toi –<br />

chezmoi-cheztoi.com<br />

ONDE COMER<br />

ARRAIAL DO CABO<br />

Pimenta Rosa Gastronomia –<br />

facebook.com/gastronomiapimentarosa<br />

Bacalhau do Tuga –<br />

bacalhaudotuga.com<br />

Garrafa de Nansen –<br />

garrafadenansen.blogspot.com<br />

CABO FRIO<br />

Kentô Cozinha Oriental –<br />

restaurantekento.com.br<br />

Pizzaria Babbo Giovanni –<br />

babbogiovanni.com.br<br />

Zé da Picanha –<br />

facebook.com/picanhadozecabofrio<br />

PACOTES TURÍSTICOS<br />

CVC – cvc.com.br<br />

FLOT – newsite.flot.com.br<br />

LUSANOVA – lusanova.com.br<br />

ORINTER TOUR – orinter.com.br<br />

SENATOR TURISMO - senator.com.br<br />

VIAJANET – viajanet.com.br<br />

INFORMAÇÕES TURÍSTICAS<br />

arraialdocabo-rj.com.br<br />

cabofrio.com.br<br />

FOTO: ©ISTOCK.COM / DABLDY<br />

FOTOS: DIVULGAÇÃO


QUAL VIAGEM<br />

PELO BRASIL<br />

39ª Expoflora é<br />

adiada para 2021<br />

comissão organizadora da Expoflora, maior<br />

A exposição de flores e plantas ornamentais da<br />

América Latina, comunicou que a 39ª edição do<br />

evento, agendada para o período de 28 de agosto<br />

a 27 de setembro de 2020, em Holambra, interior<br />

de São Paulo, será adiada para 2021, tendo em<br />

vista a situação de pandemia de COVID-19 vivida<br />

atualmente no país e no mundo. A decisão foi tomada<br />

em virtude da conjuntura epidemiológica do<br />

Brasil, e da impossibilidade de se prever a retomada<br />

da realização de grandes eventos no território do<br />

Estado de São Paulo. Considerado um evento de<br />

grande porte, por atrair mais de 300 mil visitantes<br />

a cada edição, a Expoflora precisa ser planejada<br />

e estruturada com meses de antecedência para a<br />

criação dos jardins espalhados pelo parque de 250<br />

mil m², dos espaços da Mostra de Paisagismo e Jardinagem,<br />

entre outras montagens.<br />

Informações: expoflora.com.br<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

Parques nacionais<br />

retomam atividades<br />

Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade<br />

(ICMBio) autorizou, em meados de junho, a<br />

O<br />

reabertura para visitação de três parques nacionais: Aparados<br />

da Serra e Serra Geral, no Rio Grande do Sul, o de<br />

Brasília e o de Foz do Iguaçu (PR). Com atividades suspensas<br />

desde março, os locais seguem agora medidas<br />

de segurança determinadas pelos governos estaduais e<br />

municipais, e devem atuar com 40% de sua capacidade<br />

de público, além de controlar e evitar a formação de<br />

aglomerações. A obrigatoriedade do uso de máscaras<br />

e a disponibilização de álcool 70% nas dependências<br />

também estão entre as novas regras de retomada. A<br />

venda de ingressos deverá ser realizada online, além de<br />

serviços e agendamentos.<br />

Informações: icmbio.gov.br<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / RAPHAEL COMBER<br />

35º Natal Luz terá novidades em Gramado<br />

Em live realizada pela Brocker Turismo, foi apresentado o projeto de<br />

decoração do 35º Natal Luz de Gramado, que será um dos grandes<br />

destaques desta edição e foi desenvolvido em cima de um conceito festivo,<br />

para celebrar os 35 anos de Natal, com elementos lúdicos e coloridos,<br />

além de símbolos que remetem à infância e personagens vintages.<br />

As atrações do evento também terão muitas novidades, como: o Show<br />

de Acendimento, que está sendo reestruturado em roteiro e cenografia<br />

para um brilho ainda maior; o teatro musical Lenda do Bosque, que virá<br />

com uma nova trilha sonora original e elenco com dezenas de artistas<br />

cantando ao vivo, encenando uma emocionante história sobre um vilarejo<br />

natalino; e o Grande Desfile de Natal “A Magia do Noel”, com sete<br />

alas, que também resgatará a memória afetiva dos natais, destacando<br />

a religiosidade e o nascimento de Jesus, entre outros.<br />

Informações: gramadotur.rs.gov.br<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / ADVJMNETO<br />

16


Roteiro pela Costa do Cacau<br />

Em julho, a região da Costa do Cacau, no sul da<br />

Bahia, se prepara para a retomada do turismo.<br />

O destino reúne opções de passeios que agradam<br />

diferentes públicos, como saborear o cacau direto<br />

do pé ou conhecer a Fazenda Vila Rosa, que mostra<br />

como é feita a transformação do cacau em chocolate,<br />

com direito a degustação. Quem curte sol e<br />

areia não pode deixar de conhecer a Praia de Itacarezinho,<br />

a Baía de Camamu, que abriga ilhas, praias,<br />

florestas e manguezais, e o Circuito das Praias, com<br />

caminhada em meio à Mata Atlântica até a Praia da<br />

Engenhoca, passando por praias como Havaizinho,<br />

Camboinha e Itacarezinho. Já quando o assunto é<br />

aventura, reserve um ou dois dias para fazer rafting<br />

pelo Rio de Contas ou arvorismo na praia da<br />

Ribeira. E, para quem precisa relaxar, a indicação<br />

é um passeio pela Cachoeira do Tijuípe, com um<br />

delicioso e energizante banho por lá.<br />

Informações: bahia.com.br/costa-do-cacau<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / DRC_PHOTOGRAPHY


QUAL VIAGEM<br />

PELO BRASIL<br />

Trilha da Pedra Redonda é reaberta<br />

Trilha da Pedra Redonda, uma das principais atrações turísticas<br />

do distrito de Monte Verde, em Camanducaia (MG),<br />

A<br />

reabriu em meados de junho. A decisão foi tomada após plano<br />

de reabertura apresentado pela MOVE (Agência de Desenvolvimento<br />

de Monte Verde e Região). O passeio estava vetado por<br />

decisão da administração municipal desde março, em razão da<br />

pandemia do novo coronavírus. O passeio é o mais visitado do<br />

distrito mineiro, com um mirante no meio e baixo grau de dificuldade<br />

em relação às demais e abre com restrições e regras<br />

específicas. Funcionará, a princípio, apenas às sextas, sábados,<br />

domingos e feriados, das 9h às 17h30, com quatro passeios diários<br />

intervalados em 15 minutos e, além disso, o acesso à Trilha<br />

só será permitindo com a contratação de agência de passeio.<br />

Informações: monteverde.org.br<br />

FOTO: DEMÉTRIO CÉSAR XAVIER<br />

18<br />

Beto Carrero<br />

reabre em Penha<br />

Após dois meses de paralisação, o parque temático<br />

Beto Carrero, em Santa Catarina, retoma<br />

suas atividades seguindo rígidas regras de saúde e<br />

segurança de acordo com as orientações do Ministério<br />

da Saúde e do Governo de Santa Catarina. Por<br />

enquanto, apenas as atrações em ambientes abertos<br />

voltam a funcionar, e o parque atua com capacidade<br />

reduzida. Há também a obrigatoriedade<br />

do uso de máscaras e da aferição de temperatura.<br />

Outra medida importante para garantir a diversão<br />

sem aglomerações é que o parque não terá filas<br />

presenciais em seus brinquedos, já que o controle<br />

será feito de modo virtual. Assim como as atrações<br />

em ambientes fechados, a interação com os personagens<br />

segue suspensa.<br />

Informações: betocarrero.com.br<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

Aventura em Gonçalves<br />

pequena cidade de Gonçalves, considerada “pérola<br />

da Mantiqueira”, tem em seu relevo montanhas<br />

A<br />

altas e vales profundos, com grandes rochas, muitos<br />

córregos, ribeirões e cachoeiras que atraem turistas o<br />

ano inteiro. Quem busca esse destino tem que gostar<br />

sobretudo de natureza e estar disposto a aproveitar os<br />

passeios que a cidade oferece. Durante o verão, a maior<br />

atração são as cachoeiras, destaque para a Sete Quedas,<br />

de fácil acesso, mas que fica em área particular<br />

com visitação somente aos finais de semana e feriados,<br />

mediante pequena taxa de visita. Além disso, é possível<br />

desbravar a cidade à bordo de um 4×4 com roteiros<br />

que vão desde visita ao distrito de São Sebastião das<br />

Três Orelhas, com casa de pau a pique centenária e<br />

alambique caipira, a visita ao topo de montanhas com<br />

vistas de cartão postal, a contemplação do pôr do sol<br />

ou do céu estrelado.<br />

Informações: mantiqueiratur.com.br<br />

FOTO: SECRETARIA DE TURISMO


Alcatrazes e<br />

São Sebastião:<br />

o espetáculo da natureza<br />

no litoral paulista<br />

Além das praias, São Sebastião ganha destaque<br />

como destino de ecoturismo e gastronomia.<br />

A cidade também é um dos pontos de partida<br />

para o passeio ao Arquipélago de Alcatrazes.<br />

Por Patrícia Chemin<br />

FOTO: ©ISTOCK.COM / GUSTAVOFRAZAO


Alcatrazes surpreende com enormes rochedos,<br />

vegetação intocada, centenas de fragatas em<br />

sobrevoo e ampla biodiversidade marinha.<br />

Mergulhar, tomar banho de cachoeira, fazer<br />

trilhas em meio à Mata Atlântica, surfar,<br />

saborear deliciosos pratos da cozinha contemporânea,<br />

ficar hospedado em um hotel luxuoso<br />

ou apenas aproveitar um dia na praia. Tudo isso<br />

é possível em São Sebastião, um dos melhores destinos<br />

do litoral norte de São Paulo.<br />

Entre o oceano e a Serra do Mar, a cidade exibe<br />

o visual típico da região, encontrado apenas em<br />

poucos lugares do mundo, com montanhas emoldurando<br />

belas praias tropicais. Mas, muito além<br />

do sol e do mar, São Sebastião surpreende pela<br />

variedade de passeios, que envolvem ecoturismo,<br />

aventura, gastronomia e cultura.<br />

Com cerca de 70% de sua área protegida por<br />

unidades de conservação como o Parque Estadual<br />

da Serra do Mar, o turismo no município contribui<br />

para a preservação dessa exuberante natureza, tão<br />

perto de uma metrópole como São Paulo.<br />

A proteção da biodiversidade também tem orientado<br />

os passeios a Alcatrazes, em operação desde<br />

o final de 2018. O arquipélago está dentro de uma<br />

área de conservação marinha de 70 mil hectares.<br />

Um refúgio intocado<br />

A 45 km da costa de São Sebastião, existe um<br />

arquipélago que muitos nem ao menos conhecem<br />

pelo nome, onde praticamente não existem vestígios<br />

do ser humano e a natureza se apresenta em<br />

todo seu esplendor: Alcatrazes. Ao se aproximar<br />

de barco desse paraíso, a sensação é de estar dentro<br />

de um filme, descobrindo uma ilha perdida.<br />

São enormes rochedos arredondados, algo como<br />

um Pão de Açúcar paulista, cobertos por vegetação<br />

e rodeados por centenas de fragatas que voam em<br />

círculos. Já o mar é cristalino e habitado por uma<br />

ampla variedade de peixes e corais. Em Alcatrazes<br />

é possível encontrar animais endêmicos e mais de<br />

1.300 espécies diferentes, incluindo tartarugas, baleias,<br />

arraias e golfinhos. A biodiversidade de peixes<br />

ali é maior do que em Fernando de Noronha.<br />

Fechado há décadas para treinamentos da Marinha,<br />

o Arquipélago de Alcatrazes é agora Refúgio<br />

de Vida Silvestre, sob gestão do ICMBio, e foi aberto<br />

oficialmente para o turismo em dezembro de<br />

2018. Para proteger o ecossistema local, o desem-<br />

FOTO: PATRÍCIA CHEMIN<br />

20


Há vários pontos perfeitos para o mergulho,<br />

tanto em Alcatrazes quanto em São Sebastião.<br />

FOTO: JORGE MESQUITA / MAKO DIVE CENTER<br />

barque nas ilhas é proibido e o passeio só pode ser<br />

realizado através de operadoras cadastradas pelo<br />

ICMBio e com barcos autorizados. Embarcações<br />

particulares não são permitidas.<br />

Mergulho em Alcatrazes<br />

A visita inclui trajeto de barco até a Ilha de Alcatrazes,<br />

a maior do arquipélago, e mergulho para<br />

contemplação, que pode ser autônomo (com cilindro)<br />

ou flutuação (snorkeling). Aliás, Alcatrazes é<br />

um dos melhores destinos de mergulho do Brasil,<br />

com 10 pontos diferentes, temperatura da água<br />

muito agradável no verão e uma visibilidade que<br />

pode chegar a 30 metros.<br />

A sensação de nadar tão longe do continente<br />

é incrível. Mesmo apenas com o snorkel é possível<br />

ver uma profusão de peixes e outras criaturas,<br />

além de corais e até cavernas submarinas.<br />

Com base em São Sebastião, a Mako, uma das<br />

empresas autorizadas, faz o passeio a Alcatrazes<br />

para grupos de até sete pessoas em uma lancha<br />

catamarã (que percorre cada parte do trajeto em<br />

pouco menos de uma hora). O barco parte da<br />

Praia de Toque Toque Pequeno e é possível ficar<br />

um bom tempo nadando no paraíso de Alcatrazes.<br />

P raias de São Sebastião<br />

Há mais de 30 praias ao longo do extenso litoral<br />

de São Sebastião. Fica até difícil definir qual é<br />

a melhor delas. De locais praticamente desertos a<br />

pontos bem badalados, a escolha vai depender do<br />

perfil do viajante. Vale apostar nas praias da costa<br />

sul, mais afastadas do centro, entre Toque Toque<br />

Grande e Boraceia.<br />

Os visuais são sempre deslumbrantes: areia clara<br />

e fofa e a praia emoldurada pelo verde da Serra do<br />

Mar. No verão, o mar fica bem calmo e com uma<br />

temperatura em torno dos 30°C – perfeito para<br />

um bom mergulho. Uma das praias mais populares<br />

é Maresias, animada e referência mundial em<br />

surfe. Há também Barra do Una, Juquehy, Barra<br />

do Sahy, Paúba, Baleia, Cambury e Camburizinho,<br />

entre muitas outras.<br />

Em Toque Toque Pequeno, a apenas um quilô-<br />

21


FOTO: ©ISTOCK.COM / FILIPEFRAZAO<br />

metro da costa, a água é tão cristalina e repleta de<br />

peixes que virou ponto de mergulho. Como a profundidade<br />

não é grande e o mar é mais tranquilo, o local<br />

é perfeito para os mergulhadores iniciantes. Ali, a<br />

Mako realiza mergulhos de batismo (discovery dive).<br />

No mergulho discovery, não é preciso ter qualquer<br />

experiência prévia. Depois de uma série de<br />

instruções básicas, você segue em um barco até o<br />

ponto de mergulho. Dentro da água, é acompanhado<br />

por um instrutor o tempo todo. O mergulho<br />

tem algumas contraindicações, por isso, consulte<br />

antes um médico especializado.<br />

Entre Cambury e a Barra do Una, há várias ilhas<br />

que podem ser visitadas em passeios de bate e volta.<br />

A das Couves, a dos Gatos, As Ilhas e a Montão<br />

de Trigo são redutos de tranquilidade, com pontos<br />

para o mergulho livre.<br />

Ecoturismo:<br />

trilhas e cachoeiras<br />

Muito mais do que sol e praia, São Sebastião tem<br />

uma natureza exuberante. Ao se aventurar pelas<br />

amplas áreas de Mata Atlântica preservada, você<br />

vai encontrar cachoeiras de diversos tamanhos,<br />

rios cristalinos, formações rochosas e uma fauna<br />

diversa. O ecoturismo é um dos grandes destaques<br />

do destino, que investe cada vez mais em passeios<br />

bem estruturados e sustentáveis. Trilhas, tirolesa,<br />

rapel, cascading e arvorismo são alguns dos atrativos<br />

disponíveis.<br />

Em Cambury, seguindo pela Estrada Rio das Pedras,<br />

há uma trilha que leva às Cachoeiras do Sertão<br />

do Cacau. Com nível médio de dificuldade, o<br />

trajeto de cerca de um quilômetro dentro da mata<br />

fechada proporciona visuais incríveis. As cachoeiras<br />

no final fazem valer qualquer esforço, com piscinas<br />

naturais de águas refrescantes e cristalinas<br />

em tons de verde.<br />

Outra trilha que guarda boas surpresas pelo caminho<br />

é a da Praia Brava. Com um percurso de<br />

quatro horas (ida e volta) e um terreno mais íngreme,<br />

dá acesso a pontos privilegiados para birdwatching,<br />

a um mirante com vista para Boiçucanga<br />

e à própria Praia Brava, uma das mais desertas e<br />

paradisíacas de São Sebastião.<br />

A maioria das trilhas fica na costa sul. Para um<br />

passeio mais tranquilo e seguro, é recomendada<br />

a contratação de agências e guias. Com roteiros<br />

ecológicos por São Sebastião, uma boa dica é a<br />

22


À esquerda, Praia de Juquehy em São Sebastião. Acima, uma das<br />

Cachoeiras do Sertão do Cacau, em Cambury. À direita, pratos de<br />

frutos do mar nos restaurantes Ogan e YYE, ambos em Cambury.<br />

FOTOS: PATRÍCIA CHEMIN<br />

Eco Experience, uma empresa especializada em<br />

ecoturismo, cuja equipe é formada por biólogos<br />

apaixonados pela natureza local.<br />

Na Boraceia, é possível visitar as Terras Indígenas<br />

do Rio Silveira, reserva onde vivem índios tupi-guarani.<br />

Além de ter um contato próximo com as tradições<br />

desse povo, mantidas vivas através da dança,<br />

da música, do artesanato e da comida típica, o<br />

passeio segue por uma trilha em terreno arenoso<br />

ao longo do rio cristalino. O final do trajeto guarda<br />

mergulho em uma refrescante piscina natural. A Eco<br />

Experience também organiza essa visita à aldeia.<br />

Gastronomia de<br />

Cambury a Maresias<br />

Área repleta de hotéis e pousadas, Cambury reúne<br />

um núcleo gastronômico com muita variedade.<br />

Além de lanchonetes, pizzarias e sorveterias, ali se<br />

concentram alguns dos melhores e mais refinados<br />

restaurantes de São Sebastião. A começar pelo<br />

Manacá, o mais tradicional de Cambury, aberto<br />

em 1988. Cercado por vegetação nativa, o salão<br />

do Manacá é um espaço aberto erguido sobre palafitas<br />

em estilo tropical. No menu, destaque para<br />

os frutos do mar.<br />

Com um ambiente charmoso e elegante, o Ogan<br />

oferece um delicioso cardápio de culinária contemporânea,<br />

com peixes, frutos do mar, carnes e<br />

massas. Aberto, o deck superior proporciona uma<br />

bela vista para a Mata Atlântica ou para o céu estrelado.<br />

Já o YYE, instalado dentro do luxuoso hotel<br />

Nau Royal, também em Cambury, tem cardápio<br />

assinado pelos chefs Morena Leite, do Capim Santo,<br />

e Artur Dornelles. Os pratos prestigiam ingredientes<br />

de várias partes do Brasil.<br />

Seguindo para a praia de Maresias, vale destacar<br />

o Guató, que combina produtos regionais com a<br />

cozinha contemporânea. Quem comanda o restaurante,<br />

localizado dentro do Hotel Maui Maresias,<br />

é o chef Murilo de Oliveira, que participou do<br />

MasterChef Brasil.<br />

23


Serviço<br />

QUANDO IR<br />

Em São Sebastião, faz calor o ano inteiro,<br />

mas o mar fica mais calmo e quente<br />

no verão. As outras épocas do ano são<br />

perfeitas para o ecoturismo. O Refúgio<br />

de Alcatrazes pode ser visitado durante<br />

o ano todo. De novembro a maio, há<br />

melhores condições para mergulho. Já<br />

durante o outono e o inverno é possível<br />

avistar animais como a baleia-jubarte e<br />

o albatroz.<br />

DICAS<br />

O protetor solar é indispensável. Nas trilhas,<br />

use roupas e calçados confortáveis<br />

e leve o repelente, uma toalha e água.<br />

Para os passeios, vale sempre contratar<br />

os serviços de um guia local. A visita a<br />

Alcatrazes só é feita por operadoras cadastradas<br />

pelo ICMBio e com condutores<br />

capacitados e autorizados, responsáveis<br />

por oferecer as orientações necessárias<br />

aos turistas.<br />

FOTO: REPRODUÇÃO / MAPASBLOG.BLOGSPOT.COM<br />

COMO CHEGAR<br />

A partir de São Paulo, o caminho pode<br />

ser feito pelas rodovias Ayrton Senna,<br />

Carvalho Pinto e Tamoios, ou Ayrton<br />

Senna e Mogi-Bertioga. Outro caminho<br />

possível é pela Rodovia dos Imigrantes<br />

até a BR-101. São Sebastião está a 200<br />

km da cidade de São Paulo.<br />

ONDE COMER<br />

Manacá – restaurantemanaca.com.br<br />

Ogan – restauranteogan.com.br<br />

YYE – nauroyal.com.br<br />

Guató – mauimaresias.com.br/guato<br />

PASSEIOS<br />

Mako Dive Center – makobr.com<br />

Eco Experience – ecoexperience.com.br<br />

ONDE FICAR<br />

Nau Royal – nauroyal.com.br<br />

Hotel Maui Maresias –<br />

mauimaresias.com.br<br />

Pousada Chez Louise et Louis –<br />

louiselouis.com.br<br />

PACOTES TURÍSTICOS<br />

CVC – cvc.com.br<br />

DECOLAR – decolar.com<br />

INFORMAÇÕES TURÍSTICAS<br />

turismosaosebastiao.com.br<br />

A jornalista viajou a convite do<br />

Nau Royal.<br />

FOTOS: PATRÍCIA CHEMIN<br />

FOTOS: ©ISTOCK.COM


Belém<br />

Jesus não<br />

nasceu lá, mas<br />

a cidade é divina<br />

A capital do Pará tem muito a oferecer aos visitantes.<br />

Antes ou depois da chuva das 17 horas, da Estação<br />

das Docas ao Mercado Ver-o-Peso, deixe-se levar pelos<br />

aromas, cores e sabores desse destino “pai-d’égua”<br />

Por Airton Gontow<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / MARCOS_STEAGALL


Localizado no bairro do Reduto,<br />

o Porto de Belém é o maior<br />

da região Norte e com grande<br />

atuação na exportação de<br />

castanha, madeira, borracha,<br />

bauxita e minério de ferro<br />

FOTO: CRISTIANO MARTINS / ARQUIVO AGÊNCIA PARÁ / FOTOS PÚBLICAS<br />

No início da década de 1970, em Belém, no Pará,<br />

ao sair extenuado do gramado no intervalo de<br />

um jogo contra uma equipe local, disputada<br />

sob um sol arrasador de 44° C, o centroavante Claudiomiro,<br />

do Internacional de Porto Alegre, foi abordado<br />

ao vivo por um repórter gaúcho. “Como tu estás<br />

te sentindo?” O atacante colorado respondeu: “Estou<br />

muito emocionado de jogar onde Jesus Cristo nasceu.”<br />

Conhecido pela sua falta de cultura e alvo de brincadeiras<br />

dos outros jogadores, Claudiomiro é também o<br />

verdadeiro autor da célebre explicação para a perda de<br />

um gol fácil: “a bola veio em curva, eu não sabia se ia,<br />

se não ia, acabei não fondo e perdi o gol.”<br />

Folclores à parte, Belém, onde, claro, Jesus Cristo não<br />

nasceu, é uma excelente dica de viagem para todas<br />

as épocas do ano. No segundo domingo de outubro,<br />

por exemplo, acontece, desde 1793, o Círio de Nazaré,<br />

procissão com 2 milhões de fiéis, a maior do país.<br />

Há muito para se fazer na cidade, mas nossa principal<br />

sugestão não passa pelos lugares, mas pelos sentidos<br />

e comportamento: esqueça o turismo tradicional; não<br />

busque atrações feitas para “turista ver”. Deixe-se levar<br />

pelos aromas, cores e sabores da cidade. Permita-se<br />

encantar pelas generosas mangueiras que se espalham<br />

pelas ruas e avenidas - cerca de 20 mil!<br />

Como não registrar para sempre o momento da chuva<br />

das 17 horas – que cai, sim, pontualmente quase<br />

todos os dias! Todo mundo corre para se abrigar<br />

debaixo das marquises dos prédios. Quando a chuva<br />

passa, o movimento é no sentido contrário. Há muitas<br />

vezes uma correria desbaratada de volta para as ruas,<br />

já que todos querem pegar as mangas que a chuva<br />

ajudou a derrubar. A “chuva” de mangas é tanta que<br />

as seguradoras incluem no seguro dos automóveis os<br />

eventuais danos causados pela fruta.<br />

O encanto vem também pelas pessoas, já que é a gente<br />

da terra, com seu jeito, sua cultura e seus costumes,<br />

que torna Belém inigualável. Com cerca de 1,7 milhão<br />

de habitantes, a cidade tem em sua formação influências<br />

indígena, negra, latina e europeia. Preste atenção na<br />

linguagem, repleta de expressões diferentes para quem<br />

é de outras regiões do país. Se alguém chamar você de<br />

“pai-d’égua”, não parta para briga nem se ofenda. É<br />

um elogio. Significa que você é uma boa pessoa.<br />

Para conhecer a capital paraense é só colocar roupas<br />

bem leves, tênis ou chinelos, boné, óculos de sol e, claro,<br />

muito protetor solar e sair para descobrir os encantos de<br />

uma das mais fascinantes e autênticas cidades do País.<br />

Claudiomiro até que tinha razão em se sentir comovido.<br />

Cristo não nasceu em Belém, mas a cidade é divina!<br />

Enquanto escrevo sobre esse fascinante destino brasileiro<br />

que no último dia 12 de janeiro completou 404<br />

28


O complexo turístico Estação das<br />

docas é referência nacional por<br />

oferecer, em um só lugar, opções<br />

de gastronomia, lazer e eventos<br />

com conforto e segurança<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / ROMAN_RAHM<br />

anos de fundação, o som dos dedos digitando nos<br />

teclados harmonicamente se funde com um barulho<br />

estranho, quente e saudoso, vindo de dentro do peito.<br />

Na mente, muitas lembranças dessa fantástica cidade<br />

cheia de cores, aromas, sabores e personagens. Nos<br />

sinos do meu coração, ouço uma mesma e apaixonada<br />

batida: “Belém, Belém, Belém, Belém, Belém, Belém...”<br />

Estação das Docas e<br />

a gastronomia paraense<br />

Complexo turístico de 32 mil metros quadrados,<br />

construído nos antigos galpões do porto de Belém, a<br />

Estação das Docas (estacaodasdocas.com.br) oferece,<br />

diariamente, muitas opções culturais, especialmente de<br />

teatro, música e dança. Destaque para os palcos deslizantes<br />

– espécies de elevadores que andam no sentido<br />

horizontal – com artistas apresentando ritmos diversos,<br />

em tom baixo, como música paraense, MPB e até rock.<br />

Os grupos da terra têm ainda espaço na orla com o<br />

criativo projeto Pôr-do-Som, que ocorre ininterruptamente<br />

há 19 anos, além de várias produções teatrais.<br />

A maior atração das noites de Belém e ponto quase<br />

obrigatório para grandes festas, como o Réveillon, com<br />

shows e queima de fogos. Com seus 500 metros de<br />

orla fluvial, permite momentos saborosos junto à baía<br />

do Guajará. Tem restaurantes, bares, cineteatro, mini<br />

fábrica de cerveja, lojas e serviços, livraria e sorveteria,<br />

além de um terminal fluvial para inesquecíveis passeios<br />

às ilhas ou contornando a cidade, com direito a shows<br />

de dança no barco e com destaque para o carimbó.<br />

Na Estação das Docas, difícil é decidir entre ficar do<br />

lado externo, aproveitando a beleza da vista, ou do<br />

lado de dentro, sob a proteção do ar-condicionado,<br />

sempre fundamental em Belém. Como sugestão gastronômica,<br />

vá ao restaurante Lá em Casa e saboreie os<br />

pratos paraenses – como o Pato no Tucupi e a Maniçoba.<br />

Obrigatório é conhecer a sorveteria Cairu, com<br />

dezenas de sabores, como tapioca, cupuaçu, araça e<br />

bacuri paraense (açaí com farinha de tapioca). Não ficam<br />

na Estação das Docas, mas são igualmente imperdíveis,<br />

o Tacacá da dona Maria do Carmo, que há mais<br />

de quatro décadas atrai turistas e gente da própria cidade;<br />

o Point do Açaí, belo restaurante (não se deixe<br />

enganar pelo nome, que pode sugerir que o local seja<br />

uma barraquinha), próximo à Estação das Docas, com<br />

pratos variados e saborosíssimos da culinária paraense;<br />

a Portinha, lugar pequenino e simples, na Cidade Velha<br />

(por razões de segurança, é bom evitar caminhar e ir<br />

de táxi, como infelizmente acontece em muitos lugares<br />

do Brasil), com delícias exóticas e inesquecíveis como<br />

a Esfiha de Pato com Jambu, a de muçarela de búfula,<br />

29


castanha e tomate seco e o pastel de bacon com Jambu;<br />

e o Remanso do Bosque, situado no bairro Marco,<br />

considerado por muitos como o melhor restaurante da<br />

cidade. Ele é comandado pelo renomado chef Thiago<br />

Castanho, que usa ingredientes típicos da cozinha paraense<br />

para preparar magníficos pratos com releitura<br />

contemporânea, a preços acessíveis. No mesmo bairro<br />

há outro restaurante de Castanho, o Remanso do Peixe,<br />

com preços em média ainda melhores.<br />

Museus, parques e outros atrativos<br />

Belém e arredores têm muitos lugares de interesses<br />

turísticos aos visitantes. Um giro pelos parques, museus,<br />

igrejas revelam a relevância histórica e cultural<br />

da cidade. Entre os principais pontos de atração e que<br />

valem uma visita estão os seguintes:<br />

Museu Paraense Emílio Goeldi – Verdadeiro<br />

centro de pesquisa da flora amazônica, o local é um<br />

jardim botânico em plena cidade. Lá estão exemplares<br />

da exuberante flora e fauna da região, como vitórias-régias,<br />

antas e capivaras. O parque zoobotânico<br />

abrange uma área de 5,2 hectares.<br />

Theatro da Paz – Foi erguido em 1878 no auge do<br />

ciclo da borracha, inspirado no Teatro Scalla de Milão.<br />

Centenas de companhias internacionais se apresentaram<br />

em seu palco. Em 1882, o próprio maestro Carlos<br />

Gomes regeu “O Guarani” no local.<br />

Museu do Círio – Localizado próximo ao Ver-o-Peso,<br />

esse pequenino museu revela em detalhes a rica e<br />

grandiosa história do Círio de Nazaré, maior evento da<br />

cidade, atração até mesmo para quem não é católico.<br />

Catedral de Belém (Catedral da Sé) – A visita<br />

pode ser feita antes ou depois do Museu do Círio,<br />

porque é só atravessar a rua. Embora por fora a catedral<br />

não seja impactante, seu interior é belíssimo, com<br />

suas paredes coloridas e bela cúpula. É da Catedral de<br />

Belém que sai o Círio de Nazaré.<br />

Mangal das Garças – Esse parque ecológico também<br />

é um pedaço da selva amazônica na região central<br />

de Belém. Reproduz as microregiões da fauna e<br />

flora paraense, com as matas de terra firme, várzea e<br />

campos. Lá estão o maior borboletário da América do<br />

Sul, um belíssimo orquidário, o Farol da Cidade - com<br />

47 metros - e um viveiro com aves inacreditáveis.<br />

Jardim Botânico Bosque Rodrigues Alves<br />

– Outro exuberante pedaço da floresta amazônica no<br />

Inaugurado em 1878,<br />

possui linhas neoclássicas e<br />

foi construído no período<br />

áureo da exploração da<br />

borracha na Amazônia<br />

FOTO: LEANDROCIUFFO/FLICKR.COM<br />

30<br />

FOTO: SOCORROSIMONETTI/OWN WORKCC BY-SA 4.0 /CREATIVECOMMONS.ORG/LICENSES/WIKIMEDIA COMMONS


centro da cidade. No local há mais de 2 mil árvores,<br />

orquidário e um viveiro de animais.<br />

A Catedral Metropolitana<br />

de Belém (Catedral da Sé) tem<br />

estilo neoclássico e barroco<br />

Complexo Feliz Luzitânia – Um dos ícones da<br />

recuperação dos espaços históricos de Belém, inclui o<br />

Forte do Presépio (onde ficam o Museu do Encontro e<br />

o Museu de Arte Contemporânea), o Museu de Arte<br />

Sacra (no interior da Igreja de Santo Alexandre, erguida<br />

pelos jesuítas), o Museu Histórico do Pará, a Catedral<br />

da Sé, o Teatro de Arte Sacra e a Casa das Onze Janelas.<br />

Icoaraci – Neste bairro simples com ruas de terra e<br />

alguns esgotos a céu aberto, o turista encontra tesouros<br />

que a cultura do estado mantém e produz: cerâmicas<br />

Marajoara, Tapajônica e Maracá, além de móveis<br />

em junco e apuí. Parte fundamental do passeio é ver o<br />

processo produtivo das peças.<br />

Basílica Nossa Senhora de Nazaré – Foi erguida<br />

em 1852, no local em que teria sido encontrada a<br />

imagem da santa pelo caboclo Plácido. O templo atual<br />

começou a ser construído em 1909 e tem o estilo da<br />

Basílica de São Pedro, no Vaticano. A decoração completa<br />

da igreja só foi finalizada na década de 1960. Tem<br />

o interior em mármore, com aplicações de lâminas de<br />

ouro e vitrais franceses. Ela é o local de chegada do Círio.<br />

Às margens do Rio Guamá,<br />

em pleno centro histórico de<br />

Belém, o Mangal das Garças é<br />

um parque ecológico com<br />

mais de 300 espécies de árvores<br />

nativas da região<br />

FOTO: EVERALDO NASCIMENTO/ AG. PARÁ / FOTOS PÚBLICAS<br />

31


A Basílica de Nossa Senhora de<br />

Nazaré é o local de chegada da<br />

procissão do Círio de Nazaré e<br />

entrega da Imagem Peregrina<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / FILIPEFRAZAO<br />

Espaço São José Liberto – Foi construído em<br />

1749 pelos frades capuchos. Com a expulsão dos jesuítas,<br />

abrigou durante 200 anos olaria, quartel, depósito<br />

de pólvora, hospital, cadeia pública e presídio. Foi por<br />

mais de um século um lugar de privação da liberdade<br />

para detentos comuns e presos políticos. No final dos<br />

anos 19<strong>80</strong>, o prédio foi restaurado. Em 2002, transformou-se<br />

no espaço que é hoje. No local funcionam o<br />

Museu de Gemas do Pará, o Polo Joalheiro e a Casa do<br />

Artesão, onde são produzidas e comercializadas tiversos<br />

tipos de joias. Um belo jardim – está situado dentro<br />

do complexo e com uma fonte rodeada de três imensos<br />

quartzos. Com acervo de mais de 4 mil peças, o Museu<br />

de Gemas conduz o turista a uma viagem através da<br />

história gemológica do Pará.<br />

Ilha de Mosqueiro – Pertinho de Belém, a ilha<br />

possui algumas das poucas praias de rio com ondas<br />

no mundo, que chegam a ter até um metro e meio de<br />

altura. É rica em pequenos rios e igarapés. No total,<br />

são 21 praias na ilha.<br />

Hangar – Belém possui o maior Centro de Convenções<br />

da Amazônia, o Hangar. Com uma área total de 63 mil<br />

metros quadrados e 24 mil de área construída totalmente<br />

integrada ao ambiente amazônico, é equipado com<br />

recursos de alta tecnologia e preparado para receber<br />

grandes eventos. Costuma receber shows durante o ano.<br />

Meu dia no Mercado Ver-o-Peso<br />

Já ouvi e li muitas coisas sobre o Ver-o-Peso. Mas o<br />

famoso mercado não é o que dizem. É muito mais!<br />

Cheguei, como recomendam, às 4 horas da manhã. O<br />

sono logo é vencido pelo burburinho do local. É fascinante<br />

ver os barcos atracando com seus produtos. É<br />

estupendo observar o mercado com frutas, verduras,<br />

peixes (mais de 30 espécies), artesanatos, ervas medicinais,<br />

essências, perfumes e temperos da região. Tudo<br />

isso em meio ao ruidoso e animado som dos trabalhadores.<br />

Inesquecível acompanhar os raios de sol surgindo<br />

e tornando tudo ainda mais alegre e colorido.<br />

Há muito para ver e provar. Existem, por exemplo, três<br />

tipos de açaí. Tem aquele que todos nós conhecemos,<br />

com cor entre o vinho e o roxo; o açaí branco e até<br />

um tal de babaca, que só é encontrado em algumas<br />

épocas do ano. Os paraenses costumam consumi-lo (a<br />

poupa do açaí) com farinha de mandioca e peixe frito.<br />

De café da manhã! Como a gente sempre tem a ilusão<br />

de conseguir ser por alguns momentos menos turista<br />

e mais um habitante da própria terra, faço o estranho<br />

desjejum e até que gosto. Decido provar de tudo, das<br />

variadas frutas e sucos aos quitutes que enfeitiçam os<br />

olhos e aguçam o paladar. Esqueço a dieta. Ver o peso<br />

na balança, só na volta das férias.<br />

32


No Mercado Ver-o-Peso são<br />

comercializados frutas, verduras,<br />

artesanatos, perfumes, temperos,<br />

mais de 300 tipos de peixes e ervas<br />

medicinais como o “Viagra natural”<br />

da dona Socorro (abaixo à direita)<br />

FOTO: IRTON GONTOW FOTO: TÁSSIA BARROS- COMUS / FOTOS PÚBLICAS<br />

FOTO: IRTON GONTOW<br />

Ando mais um pouco e chego na parte em que predominam<br />

as bancas com ervas e essências ditas medicinais.<br />

A feirante olha para mim e diz “venha comprar esse<br />

creme para passar na piroquinha.” Respondo: “você está<br />

querendo vender para mim ou quer me humilhar?” Ela<br />

ri e oferece uma gama de produtos. “Com este Viagra<br />

natural tu vais fazer três vezes seguidas”, garantiu. Olho<br />

para a barraca e o nome da proprietária está estampado:<br />

Socorro. Dou um slogan de presente para a simpática paraense:<br />

“Os homens pedem por Socorro no Ver-o-Peso”.<br />

Sigo caminhando, mas paro muito para conversar<br />

com o máximo possível de pessoas. Dona Coló, por<br />

exemplo, exibe em sua banca jornais com entrevistas e<br />

fotos em companhia de famosos, como o apresentador<br />

Ratinho. Nas orelhas, folhas de arruda. Ela entende da<br />

manipulação de produtos, arte aperfeiçoada nos cursos<br />

organizados por uma associação de donos de bancas<br />

do mercado. Desta vez o alvo é outro jornalista do grupo,<br />

que está ao meu lado: “Compre essa pomada para<br />

passar lá no seu. Garanto que sua mulher vai gostar...”<br />

33


ABC DO SABOR PARAENSE<br />

Açaí – O fruto da palmeira do açaizeiro é o mais<br />

consumido pelos habitantes da região amazônica<br />

- em sucos, sorvetes e até acompanhando<br />

pratos. Os vendedores confessam que o cobiçado<br />

açaí com mel, granola e banana é feito sim, mas<br />

por causa dos turistas. “Bom é comer com peixe<br />

e farinha e não com essa mistura esquisita que o<br />

pessoal do Sul adora”, explica o simpático comerciante<br />

Raimundo Pereira.<br />

AÇAÍ<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / ROMAN_RAHM<br />

Caruru – Outra das estrelas da gastronomia paraense.<br />

Leva camarões secos descascados e refogados<br />

com alho, cebola, cebolinha, pimenta do<br />

reino e azeite de dendê. Depois é engrossado<br />

com farinha seca coada e quiabo. Geralmente é<br />

acompanhado de guarnições de camarões e folhas<br />

de jambu.<br />

Castanha-do-Pará – O nome não veio por acaso.<br />

O estado é o maior produtor e a população<br />

adora. É saborosa e nutritiva, consumida in natura<br />

ou em diversas receitas. Em mercados como<br />

Ver-o-Peso é vendida com qualidades e preços diversos.<br />

Mesmo a “Tipo Exportação” tem valores<br />

bem abaixo dos praticados na maioria dos estados<br />

brasileiros.<br />

CARURU<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / PAUL_BRIGHTON<br />

Cupuaçu – É uma das frutas mais consumidas<br />

e utilizada nos mais diversos e saborosos produtos,<br />

como sorvete, licores, geleias, balas, cremes<br />

e chocolates.<br />

Farinha d’água – É bem mais hidratada que as<br />

farinhas secas que encontramos em todo o país, já<br />

que é feita da mandioca que fica de molho no rio.<br />

É ingrediente obrigatório nas mesas do estado. Do<br />

café da manhã até sobremesas do jantar.<br />

Feijão-manteiguinha de Santarém – É pequenino,<br />

com menos que a metade do tamanho dos<br />

feijões usualmente consumidos nas outras regiões<br />

brasileiras. É bege e, claro, cultivado em Santarém,<br />

cidade na região Oeste do estado. Entender a origem<br />

do nome é fácil. Basta colocá-lo na boca depois<br />

de cozido: derrete como uma manteiguinha.<br />

CASTANHA-DO- PARÁ<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / HANDMADEPICTURES<br />

34<br />

Filhote – O nome do peixe é esquisito, mas qualquer<br />

estranhamento é esquecido à primeira garfada.<br />

É o maior peixe de água doce do Brasil. Acredite,<br />

não é história de pescador, ele chega a pesar 300<br />

quilos. Até os 60 quilos, o nome é filhote. Depois,<br />

passa a ser chamado de Piraíba. O sabor é incrível!<br />

FEIJÃO-MANTEIGUINHA<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO


É preparado das mais diversas formas, como em<br />

Moqueca, ao Tucupi ou mesmo assado na brasa.<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / BITENKA<br />

MURUCI<br />

Jambu – Junto com o tucupi forma a base da<br />

maioria dos saborosos pratos do Pará. Quando<br />

mastigadas, suas folhas deixam a boca e a língua<br />

dormentes. É ingrediente cada vez mais usado pelos<br />

chefs de cozinha.<br />

Maniçoba – A explicação dos paraenses para o<br />

nome do prato é a seguinte: uma feijoada que não<br />

leva feijão! Para fazer a receita, as folhas de maniva<br />

- planta que produz a mandioca - são moídas<br />

e, a seguir, cozidas durante uma semana. Nos<br />

quatro primeiros dias acrescenta-se apenas água.<br />

Depois entram lombo defumado, paio, linguiça,<br />

orelha e rabo de porco, costela, bucho e charque.<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / PAULOVILELA FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

MANIÇOBA<br />

PATO NO TUCUPI<br />

Muruci – Também conhecida como Murici, mas<br />

ao contrário do treinador, famoso por seu temperamento,<br />

digamos...um tanto azedo, é uma fruta<br />

de doce sabor. A frutinha amarela é boa para sorvetes,<br />

doces e sucos.<br />

Pato no Tucupi – É a iguaria mais pedida pelos<br />

turistas nos restaurantes de Belém. O pato assado<br />

é cortado em pedaços e fervido vagarosamente no<br />

tucupi até ficar macio. O tempero tem uma mistura<br />

das folhas de chicória - tempero verde, típico<br />

da região - com alho, alfavaca, pimenta cumarido-pará<br />

e jambu. Imperdível.<br />

Pirarucu – É o maioral entre os peixes com escamas<br />

no País. Chega a medir mais de 2,5 metros e<br />

a pesar <strong>80</strong> quilos. Tem diversas maneiras de preparo,<br />

como assado na chapa e servido com farinha<br />

d’água e salada de feijão-manteiguinha de Santarém.<br />

Salgado, muitas vezes substitui o bacalhau.<br />

Tacacá – Servido fervente e em tigela (cuia),<br />

combina com sabor e harmonia perfeita goma de<br />

mandioca, tucupi, jambu e camarões secos, tudo<br />

misturado na hora. Embora não tenha álcool, muita<br />

gente garante ficar até um pouco “alta” após<br />

provar o prato.<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

TACACÁ<br />

Tucupi – Extraído da raiz da mandioca, é um molho<br />

amarelado que dá um sabor único aos pratos. É<br />

possível ver nos mais diversos mercados, geralmente<br />

em garrafas plásticas. Antes de ser consumido,<br />

deve ser cozido demoradamente, já que cru é venenoso.<br />

É utilizado com abundância em muitos pratos<br />

da cozinha paraense. Tanto que uma expressão<br />

local diz: “até mesmo pedra fica bom com tucupi”.<br />

35


36<br />

Serviço<br />

SAÚDE<br />

Febre Amarela - É recomendada a vacina<br />

para todos os turistas que vão visitar o Pará.<br />

PASSEIOS DE BARCO<br />

A Valeverde Turismo (valeverdeturismo.com.<br />

br) tem um passeio de terças a domingos,<br />

que acontece ao final da tarde e tem a duração<br />

de 1h30.<br />

COMO CHEGAR<br />

O Aeroporto Internacional Val-de-Cans recebe<br />

voos de todas as regiões do Brasil com as<br />

companhias aérea LATAM (latam.com/pt_<br />

br/), GOL (voegol.com.br) e Azul (voeazul.<br />

com.br). Em voo direto a partir de São Paulo<br />

o tempo de viagem é de 3h30.<br />

ONDE COMER<br />

Lá em Casa – Estação das Docas - Av. Boulevard<br />

Castilho França, Galpão 2, Loja 4 – Campina.<br />

Tel. (91) 3212-5588<br />

Sorveteria Cairu – Trav. 14 de Março, 1570<br />

- Umarizal. Tel. (91) 3242-2749<br />

Tacacá da Dona Maria do Carmo – Av. Nazaré,<br />

s/nº (em frente ao Colégio Nazaré)<br />

Point do Açaí – pointdoacai.net<br />

Portinha – Rua Dr. Malcher, 436 - Cidade<br />

Velha – tel. (91) 99115-2222<br />

Remanso do Bosque – Av. Rômulo Maiorana,<br />

2350 – Marco – tel. (91) 3347-2829<br />

Remanso do Peixe – Conj. Celso Malcher, 64<br />

– Marco - tel. (91) 3228-2477<br />

Manjar das Garças – Rua Dr. Assis, s/nº - Cidade<br />

Velha – tel. (91) 3242-1056<br />

ONDE FICAR<br />

Ibis Belém Aeroporto – all.accor.com –<br />

tel. (91) 3344-5650<br />

Grand Mercure Belém – all.accor.com –<br />

tel. (91) 3202-2000<br />

Holiday Inn Express Belém Ananindeua –<br />

ihg.com – tel. (91) 3346-7<strong>80</strong>0<br />

Radisson Hotel Maiorana –<br />

atlanticahotels.com.br – tel. (91) 3205-1399<br />

PACOTES TURÍSTICOS<br />

CVC – cvc.com.br<br />

FLOT – newsite.flot.com.br<br />

LUSANOVA – lusanova.com.br<br />

ORINTER TOUR – orinter.com.br<br />

VIAJANET – viajanet.com.br<br />

INFORMAÇÕES TURÍSTICAS<br />

belem.pa.gov.br/belemtur<br />

paraturismo.pa.gov.br<br />

FOTO: IRTON GONTOW FOTO: SIDNEY OLIVEIRA/ AG.PARÁ / FOTOS PÚBLICAS<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / PEDARILHOS<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / FILIPEFRAZAO


QUAL VIAGEM<br />

PELO MUNDO<br />

República Dominicana<br />

reabre turismo<br />

Ministério de Turismo da República Dominicana<br />

O (MITUR) voltou a receber visitantes internacionais.<br />

No dia 1º de julho teve início da Fase 4 do processo<br />

de remoção das medidas e aplicação de protocolos<br />

especiais de salubridade, executados para<br />

ampliar as precauções sanitárias e prevenir novos<br />

contágios. A maioria dos hotéis voltam a funcionar<br />

com medidas rigorosas de segurança e higiene que<br />

garantam a saúde de residentes e turistas. O país,<br />

que é rodeado pelo mar do Caribe e pelo Oceano<br />

Atlântico, é um destino muito especial e exclusivo,<br />

reconhecido mundialmente pelas atrações inusitadas,<br />

pela rica cultura, confortos e pelo clima perfeito<br />

durante todo o ano.<br />

Informações: godominicanrepublic.com/pt-br<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

Reservas antecipadas<br />

nos parques da Disney<br />

As reaberturas dos parques da Disney em Orlando<br />

(EUA) exigirão reservas antecipadas e limite de<br />

visitantes. Os primeiros a abrir serão o Magic Kingdom<br />

e o Animal Kingdom no dia 11 de julho. Depois,<br />

no dia 15, será a vez do Epcot e o Hollywood<br />

Studios. O controle de público será feito através de<br />

um sistema chamado Disney Park Pass. Nele todos<br />

que tiverem um ingresso ou passe anual terão que<br />

fazer reserva com antecedência para cada um dos<br />

parques. Através do site, os visitantes também poderão<br />

verificar a disponibilidade de reservas em cada<br />

um dos parques antes de comprar seus ingressos.<br />

Informações: DisneyWorld.com.<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

Alasca remove ônibus de “Na Natureza Selvagem”<br />

Quem leu o livro ou assistiu ao filme Into the Wild (Na Natureza<br />

Selvagem) lembra do ônibus abandonado em uma<br />

trilha nos arredores do Parque Nacional Denali, no Alasca<br />

(EUA). O veículo virou uma perigosa atração turística e por<br />

isso foi removido pela Guarda Nacional. Em 1992, o jovem<br />

Christopher McCandless passou o verão acampado dentro do<br />

velho ônibus e morreu 114 dias depois. A partir de então, muitos<br />

aventureiros passaram a peregrinar pela região para reviver<br />

a façanha. Chamado de Magic Bus, virou uma espécie de<br />

“santuário” para mochileiros e aventureiros do mundo todo.<br />

O problema é que muitos acidentes e até mortes aconteceram<br />

nos últimos anos. Agora, o ônibus está em um galpão até que<br />

as autoridades locais definam o que fazer com ele.<br />

Informações: visiteosusa.com.br/state/alasca<br />

FOTO: SGT. BRAD MCKENZIE/ALASKA NATIONAL GUARD<br />

37


QUAL VIAGEM<br />

PELO MUNDO<br />

Islândia é o país mais pacífico do mundo<br />

14ª edição do estudo denominado Índice Global de<br />

A Paz, (GPI), realizado anualmente pelo Instituto de Economia<br />

e Paz (IEP), mostra o ranking de países mais pacíficos<br />

do mundo. Mais uma vez a Islândia aparece em primeiro<br />

lugar, seguida pela Nova Zelândia, Portugal, Áustria, Dinamarca,<br />

Cingapura, República Tcheca, Japão e Suíça. A Europa<br />

também continua sendo a região mais pacífica, com 13<br />

representantes. A classificação dos países se dá a partir de<br />

23 indicadores diferentes, entre eles taxas de criminalidade,<br />

disponibilidade de armas, tamanho e armamento militar,<br />

relações com países vizinhos, pressão política sobre os cidadãos<br />

e participação em conflitos estrangeiros, entre outros.<br />

Informações: visionofhumanity.org<br />

FOTO: PIXABAY<br />

Conheça a Livraria<br />

Lello no Porto<br />

Turistas que já viajaram ao Porto, em Portugal, conhecem<br />

as belezas da cidade. Porém, muitos que vão<br />

deixam de visitar a histórica Livraria Lello, que remonta<br />

a 1869. Também conhecida como Livraria Lello & Irmão<br />

ou Livraria Chardron, ela está instalada desde 1906 em<br />

um belo edifício de estilo neogótico na Rua das Carmelitas,<br />

144, no Centro Histórico. Sem dúvida uma atração<br />

turística que vale à pena ser visitada. Tanto que o jornal<br />

inglês The Guardian e a editora australiana Lonely Planet<br />

a considerou como sendo a terceira livraria mais bela do<br />

mundo. Já a CNN a escolheu como a mais bonita do<br />

mundo. As escadarias da Lello também ganharam fama<br />

por supostamente terem sido a inspiração da livraria<br />

onde Harry Potter conheceu Gilderoy Lockhart no livro<br />

Harry Potter e a Câmara dos Segredos.<br />

Informações: livrarialello.pt | visitportugal.com<br />

FOTO: VISIT PORTUGAL/DIVULGAÇÃO<br />

Place du Casino<br />

tem nova arquitetura<br />

Principado de Mônaco inaugurou a nova arquitetura<br />

da Place du Casino, a praça em frente ao<br />

O<br />

Cassino de Monte-Carlo. Também está reaberta a<br />

icônica Brasserie du Café de Paris, que ficou fechada<br />

durante a pandemia. A reforma do icônico local<br />

faz parte do projeto de planejamento urbano que<br />

já havia reformulado o Hôtel de Paris Monte-Carlo<br />

e os Jardins Boulingrins, além da criação do One<br />

Monte-Carlo, um complexo de luxo que reúne área<br />

residencial, grifes e eventos. A nova praça prioriza<br />

os pedestres, preserva o percurso do famoso Grande<br />

Prêmio de Fórmula 1 e mantém os veículos excepcionais<br />

estacionados no local e que despertam a<br />

admiração dos turistas.<br />

Informações: visitmonaco.com | globalvisionaccess.com<br />

FOTO: GVA/DIVULGAÇÃO<br />

38


Monumentos franceses reabrem ao turismo<br />

Centro Nacional dos Monumentos da França anunciou<br />

O a abertura dos monumentos nacionais. Um calendário<br />

foi elaborado e as visitas poderão ocorrer em todo o território<br />

francês. Durante todo verão europeu, exposições de<br />

arte contemporâneas e patrimoniais, bem como espetáculos<br />

noturnos serão oferecidos em mais de uma centena de<br />

monumentos que vão desde a pré-história até o século 20.<br />

Entre eles estão fortalezas e castelos históricos, sítios arqueológicos,<br />

mosteiros, abadias, catedrais e museus. Porém, regras<br />

de higienização e segurança foram estabelecidas para a<br />

visitação e incluem um número limitado de pessoas, circuito<br />

de visita adaptado e uso obrigatório de máscara.<br />

Informações: monuments-nationaux.fr<br />

FOTO: PAUL C. LEE/PIXABAY<br />

Uruguai aposta<br />

no ecoturismo<br />

ecoturismo e o turismo rural serão os protagonistas<br />

O nos tempos que virão após o fim da pandemia. São<br />

segmentos que garantem distanciamento físico, evitam<br />

aglomerações e possibilitam o transporte individual ou<br />

por família. Essa é a aposta do Uruguai para a retomada<br />

do setor. A busca por espaços ao ar livre, por práticas de<br />

atividades típicas, conhecer as tradições locais e simplesmente<br />

observar a fauna e flora ganharão mais sentido.<br />

Entre as opções estão as Sierras de Las Ánimas e as trilhas<br />

da Quebrada de los Cuervos, seguindo até os riachos ou<br />

cavalgando pelos cerros. São destinos de aventura para<br />

vivenciar a natureza e apreciar mais de 1<strong>80</strong> espécies de<br />

aves, mamíferos, anfíbios e peixes. Há, ainda, o Valle del<br />

Lunarejo, as Grutas del Palacio, o Monte de Ombúes, o<br />

Parque Nacional Esteros de Farrapos e as Ilhas do Rio<br />

Uruguay, entre outros.<br />

Informações: turismo.gub.uy<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

Jamaica já recebe<br />

turistas internacionais<br />

Jamaica reabriu suas fronteiras para viajantes internacionais<br />

no dia 15 de junho. O destino cari-<br />

A<br />

benho adotou um extenso conjunto de protocolos<br />

operacionais de saúde e segurança. Assim, realiza<br />

testes antes e depois da entrada dos visitantes. Todos<br />

os turistas são submetidos a triagens que incluem<br />

medição de temperatura e observação de sintomas.<br />

<strong>Qual</strong>quer pessoa que apresentar sintomas ou estiver<br />

doente, será colocada em quarentena. Principal atividade<br />

econômica do país, o turismo da ilha emprega<br />

130 mil trabalhadores diretos e impacta outros 120<br />

mil empregos em diversos setores.<br />

Informações: jtbonline.org<br />

FOTO: ©ISTOCK.COM / RUTH PETERKIN<br />

39


Cartagena<br />

O ENCONTRO DO MAR<br />

COM A HISTÓRIA E<br />

PORTA DE ENTRADA DO<br />

CARIBE COLOMBIANO<br />

Por Cláudio Lacerda Oliva<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / TEXPAN


As melhores compras de<br />

artesanato podem ser feitas nas<br />

Arcadas Grandes, antigo presídio.<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / GARY TOGNONI<br />

Os passeios de carruagens são<br />

tradicionais e rasgam as ruelas do<br />

centro histórico, mostrando construções<br />

coloniais e igrejas centenárias<br />

Punta Cana: águas cristalinas,<br />

clima estável e muita badalação


FOTO: © ISTOCK.COM / GARY TOGNONI<br />

O imponente Castelo de San Felipe<br />

demonstra a dominação espanhola.<br />

Do alto dele a visita é espetacular.<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / KSZYMEK<br />

A<br />

Colômbia conta com uma excelente localização<br />

geográfica, fora da zona de furacões o<br />

que proporciona ao turista e ao navegador<br />

águas tranquilas durante todo o ano. Além disso, o<br />

país é ponto de ligação para Aruba e Caribe, e fica<br />

entre a Venezuela e o Panamá.<br />

Na parte noroeste da América do Sul, esse país reúne<br />

Floresta Amazônica, Cordilheira dos Andes, Oceano<br />

Pacífico e Mar do Caribe em uma área que supera<br />

um milhão de quilômetros quadrados. E se isso garante<br />

que a natureza do destino é rica e abundante,<br />

você ainda pode contar com a quinta maior cidade<br />

da América Latina como contraponto: Bogotá, com<br />

toda a sua cultura, música e gastronomia. A paisagem<br />

da capital impressiona com as montanhas andinas<br />

que se erguem a leste da cidade.<br />

Mas são as construções modernas mescladas com<br />

as estruturas coloniais que chamam a atenção, uma<br />

combinação incrível do passado com o presente,<br />

num destino que se mostra ideal para negócios e lazer.<br />

É possível viajar no tempo e percorrer quase 500<br />

anos em questão de poucos quarteirões.<br />

E então, entre tantas atrações oferecidas, há o Caribe<br />

colombiano. Simplesmente encantador, e de uma<br />

beleza quase surreal, esta parte do litoral do país tem<br />

não só o típico visual de águas azul-turquesa cristalinas<br />

e o glorioso verão que nunca acaba, mas também<br />

muita cultura e história.<br />

Cartagena das Índias oferece a possibilidade de interagir<br />

constantemente com a história e ao mesmo<br />

tempo com a magia do pôr-do-sol e da brisa do mar<br />

caribenho que se unem às fachadas de casas com<br />

mais de 400 anos, fascinando de muitas maneiras os<br />

seus visitantes. Localizada na costa noroeste do país, é<br />

a quinta maior cidade colombiana. A região abriga o<br />

Parque Nacional Natural Corales del Rosário e a Ilha de<br />

Baru, que concentram uma imensa riqueza ecológica,<br />

marinha e proporcionam ao visitante cenários ideais<br />

para alguns esportes náuticos como canoagem e vela.<br />

O Caribe ganha cores diferentes em Cartagena. Considerada<br />

um Patrimônio Histórico da Humanidade pela<br />

UNESCO, ela tem 483 anos de história conservada na arquitetura<br />

colonial de suas construções e no conjunto de<br />

fortificações mais completo da América do Sul. São 11<br />

quilômetros de muralhas erguidas pelos espanhóis, que<br />

protegiam os habitantes de ataques estrangeiros. Dentro<br />

delas está grande parte da Cartagena antiga, inclusive o<br />

Palácio da Inquisição, o Castelo de San Felipe e a Torre do<br />

Relógio, além de muitas igrejas antigas, paradas obrigatórias<br />

para quem explora esse destino pela primeira vez.<br />

43


O bairro de Bocagrande<br />

reúne edifícios<br />

altos e sofisticados<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / KOBBYDAGAN<br />

É preciso percorrer com calma o trajeto do centro<br />

histórico, que serviu de inspiração para Gabriel García<br />

Márquez, ganhador do prêmio Nobel de Literatura<br />

em 1982 – você pode até mesmo conhecer a<br />

casa dele por lá. Esse espaço reflete os séculos passados<br />

em suas ruas de pedra, e é a alma da cidade,<br />

um verdadeiro museu ao ar livre.<br />

Percorrer essa parte da cidade causa um sentimento<br />

todo especial. Para deixar o passeio ainda<br />

melhor, é possível fazê-lo numa tradicional charrete,<br />

com a batida dos cascos dos cavalos dando o<br />

ritmo ao trajeto.<br />

Um roteiro por lá exige uma parada em Las Bóvedas,<br />

a última obra do período colonial dentro do<br />

perímetro fortificado. São 47 arcos e 23 abóbadas,<br />

prontos para deixar qualquer um boquiaberto. Já<br />

foi quartel e prisão, mas guardou o melhor para o<br />

século 21, abrigando galerias de arte, bares e lojas<br />

de artesanato. A melhor maneira de descobrir cada<br />

cantinho de Cartagena é deixar de lado o carro,<br />

vestir uma bermuda, calçar um confortável par de<br />

tênis e caminhar sem medo pelas ruelas que abrigam<br />

um enorme conjunto colonial e casarões que<br />

foram convertidos em hotéis boutiques. As ruas<br />

centenárias da cidade refletem a inspiração do realismo<br />

mágico, jargão turístico do país que funde a<br />

cultura e modernidade de maneira equilibrada.<br />

Cartagena oferece diversificada oferta gastronômica<br />

– por lá estão os melhores chefs do país e os<br />

mais cobiçados cardápios. Boas compras, galerias<br />

de arte, artistas de rua, música, dança, igrejas, a<br />

mistura dos elementos africanos e indígenas, que<br />

formam o acolhedor e caloroso povo cartageneiro,<br />

um anfitrião acima de tudo. Mas Cartagena não é<br />

só passado e construções históricas tombadas.<br />

Visitar arranha-céus de Bocagrande, repleto de<br />

enormes arranha céus, com arquitetura arrojada,<br />

hotéis de várias redes internacionais, shoppings e<br />

cassinos. Cartagena também tem ótimas praias,<br />

como Bocagrande, El Laguito, Marsebella, Crespo,<br />

La Boquilla e Manzanillo del Mar. Embora a cor das<br />

águas das praias centrais não sejam claríssimas e<br />

belas, são limpas e quentinhas durante todo o ano,<br />

garantindo ótima balneabilidade.<br />

RUMO AO NORTE UMA<br />

NOVA CARTAGENA<br />

Desde a praia de Boquilla, até os limites com Punta<br />

Canoa, encontramos a parte mais moderna da cidade.<br />

44


FOTO: © ISTOCK.COM / GARY TOGNONI<br />

O Portal do Relógio funciona<br />

como um divisor do centro<br />

histórico ao bairro de Getsami<br />

São apenas 20 minutos do centro histórico rumo ao<br />

norte. Lá existem edifícios e condomínios residenciais<br />

bastante modernos com arquitetura vanguardista e<br />

hotéis com excelente estrutura como o Las Américas,<br />

que oferece um enorme centro de eventos, o Holiday<br />

Inn Morros, com ótimos apartamentos e praia quase<br />

particular, além de outras importantes cadeias hoteleiras<br />

internacionais, como “o Sonesta” e o Radisson.<br />

A maioria destes empreendimentos fica de frente<br />

para o mar e de costas para o enorme e preservado<br />

mangue. Nessa região pode-se realizar um dos passeios<br />

mais interessantes dali. “La Cueva del Manglar”<br />

oferece passeios aos mangues da Ciénaga (uma espécie<br />

de pântano) de La Virgem. Com uma profundidade<br />

de apenas <strong>80</strong> cm os turistas podem fotografar<br />

uma grande variedade de aves, peixes, iguanas e<br />

crustáceos, além de dezenas de espécies de caranguejos.<br />

O passeio é realizado em canoas típicas conduzidas<br />

por guias especializados que cortam túneis<br />

de árvores e vegetação preservada. Outra atração é o<br />

“Mangue Terapia”, onde se pode passar no corpo o<br />

barro negro e terapêutico que promete curar alguns<br />

problemas de pele.<br />

Ao pensar em Cartagena o que se deseja primeiramente<br />

são agradáveis banhos de sol, uma confortável<br />

espreguiçadeira sobre a areia, cerveja gelada, música<br />

ou um bom livro para relaxar. As praias da cidade oferecem<br />

oportunidades para total relaxamento e muita<br />

diversão. Em Cartagena sempre é verão, portanto você<br />

pode realizar uma série de esportes aquáticos - como<br />

o windsurfe, snorkeling, mergulho ou fascinantes passeios<br />

de barco pela baía -, aproveitando ao máximo os<br />

atrativos do calmo e quente Mar do Caribe.<br />

Aventurar-se nas divertidas excursões a pé, de motoneta<br />

ou de carruagem pelas ruas e monumentos<br />

coloniais localizados dentro das impressionantes muralhas<br />

da cidade, e também ao longo da avenida que<br />

passa pela moderna zona hoteleira. Ou realizar uma<br />

visita ao histórico Cerro de La Popa, cuja figura se<br />

destaca sobre o horizonte de Cartagena.<br />

O Cerro (morro) de la Popa é uma montanha que<br />

sobressai impressionantemente do perfil da cidade.<br />

O nome “Popa” é devido a seu contorno, que é muito<br />

parecido com a parte posterior de um barco. No<br />

seu topo se encontram uma linda igreja e um convento<br />

colonial que foram construídos no início do século<br />

XVII, uma das melhores vistas de Cartagena de<br />

Índias, incluindo a Ilha de Tierrabomba, o perímetro<br />

portuário, e é claro, a bela cidade histórica destacada<br />

pela simbólica Puerta Del Reloj.<br />

45


A CIDADE AMURALHADA,<br />

“CORRALITO DE PIEDRA”<br />

O belo conjunto do porto, fortes e monumentos da<br />

parte antiga da cidade são considerados Patrimônios<br />

Culturais da Humanidade. A parte histórica, carinhosamente<br />

chamada de “el corralito de piedra”, possui<br />

13 quilômetros de muralhas, 21 baluartes e 7 fortes,<br />

além de contar com pitorescas praças públicas e ruelas<br />

feitas em pedra que embelezam o centro histórico<br />

de Cartagena de Índias (nome oficial da cidade).<br />

A “Puerta del Reloj”, símbolo turístico e histórico,<br />

é uma das principais entradas dela. Perto da porta<br />

se encontra a centenária “Plaza de Los Coches”. É o<br />

ponto perfeito para pegar uma charrete e percorrer<br />

todos os cantos da cidade histórica, um passeio inesquecível<br />

que inclui uma explicação interessante sobre<br />

todos os edifícios e lugares visitados.<br />

Não deixe de conhecer e tirar fotos dos principais<br />

atrativos localizados dentro do “Corralito de Piedra”,<br />

como a “Plaza de La Aduana”, a “Casa Museu Simón<br />

Bolivar”, o “Palacio de La Inquisición”, o “Museu Del<br />

Oro de Cartagena” e as igrejas de Santo Domingo e<br />

San Toribio, ambas do século XVI. Também é imprescindível<br />

uma visita ao lindo “Convento de San Pedro”,<br />

onde repousam os restos mortais de Pedro Claver, que<br />

foi um dos principais defensores da causa da população<br />

negra da cidade; o “Museu Naval”, a estátua da<br />

“India Catalina” (outro importante símbolo local) e o<br />

“Teatro Heredia”, que é o principal espaço artístico.<br />

Para finalizar, uma caminhada sobre a muralha de<br />

onde se pode ver o romântico mar é fundamental para<br />

poder tirar a clássica foto do visitante de Cartagena:<br />

sentado nas centenárias e sólidas pedras, com o mar<br />

ao fundo, ou em um de seus tantos baluartes, como o<br />

de Santiago, Santo Domingo ou São Francisco.<br />

O BAIRRO BOÊMIO DE GETSEMANI<br />

Pelas ruas do Getsemani é muito fácil encontrar artistas<br />

de rua fazendo suas pinturas, cantando, tocando<br />

ou declamando poesias. O bairro fica próximo ao<br />

centro da cidade, a partir do Paseo de los Martires<br />

– uma homenagem àqueles que lutaram pela independência<br />

e foram executados em 1816. As construções<br />

históricas se converteram em hostais, hotéis<br />

boutiques de altíssimo nível, restaurantes rústicos,<br />

ou simplesmente moradias bucólicas multicoloridas.<br />

Nos bares e discotecas do bairro, está a oportunidade<br />

do visitante conhecer os ritmos locais como a<br />

salsa, a sensual champeta ou o centenário vallenato,<br />

típico do norte da Colômbia.<br />

Nada como caminhar pelas estreitas ruas, observando<br />

a arquitetura ou os grafites nas paredes. O bairro,<br />

que já foi pioneiro na luta pela Independência no<br />

século XIX, mas também antigo ponto de drogas e<br />

prostituição, hoje é local obrigatório para quem quer<br />

conhecer a essência de Cartagena, com todas as suas<br />

contradições.<br />

À NOITE, A PLAZA DE LA TRINIDAD se<br />

converte num centro de atividades culturais, bem em<br />

frente à Igreja da Santíssima Trindade, finalizada em<br />

1643. É onde se encontram moradores e turistas, crianças,<br />

artistas, vendedores de comida típica e de bebidas.<br />

Na loja “Artesanias de Colombia”, é possível encontrar<br />

peças magníficas e exclusivas. Os preços não são<br />

baratos, mas fazem parte do programa de valorização<br />

do trabalho artesanal local.No Getsemani fica também<br />

o Convento de San Francisco, de 1555, a primeira sede<br />

da Inquisição quando esta chegou a Cartagena, em<br />

1610. Atuamente, é um pequeno centro comercial.<br />

PRAIAS EM CARTAGENA<br />

As belas praias de Cartagena permitem aos banhistas<br />

avançar pelas águas do Mar do Caribe por pelo<br />

menos dez metros sem que o nível da água passe<br />

da cintura. Essa pouca profundidade deixa as praias<br />

fabulosas para tomar banho de sol dentro do mar,<br />

a forma mais refrescante para conseguir um ótimo<br />

bronzeado; ou para quem está com a família e quer<br />

ensinar as crianças a darem seus primeiros mergulhos.<br />

Todos os dias as praias se convertem em um verdadeiro<br />

carnaval quando aparecem seus personagens típicos,<br />

como as lindas “Palenqueras”, mulheres negras<br />

vestidas com roupas coloridas e brilhantes, e seu cesto<br />

de frutas na cabeça. Mulheres que fazem tranças também<br />

saem por várias partes da praia, alegrando e deixando<br />

por onde passam cabeças de turistas e de seus<br />

filhos bem enfeitadas. Outras oferecem massagens<br />

terapêuticas de relaxamento em tendas artesanais.<br />

46


Ruas do centro histórico<br />

ficam repletas de turistas<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / RUDIMENCIAL<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / JEREMY RICHARDS FOTO: © ISTOCK.COM / GARY TOGNONI<br />

As majestosas palenqueras<br />

e suas frutas saborosas.<br />

Vale a pena experimentar!<br />

Em Getsemani<br />

fica um pequeno<br />

centro comercial<br />

Barraca de souvenir de Cartagena<br />

Os jardins estão sempre<br />

presentes nas fachadas<br />

das casas mais antigas<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / RCHPHOTO<br />

As coloridas Chivas ainda<br />

percorrem as ruas históricas do<br />

centro de Cartagena”<br />

FOTO: © ISTOCK.COM /ANAMEJIA18<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / NTCO


O ar e as paisagens caribenhas<br />

começam a despontar<br />

ao longo das Ilhas do Rosário<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / TONIFLAP<br />

Baru. Praia com vegetação<br />

preservada e águas cristalinas<br />

48<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / PXHIDALGO


ILHAS DE ROSARIO,<br />

TIERRABOMBA E BARÚ –<br />

CARIBE COLOMBIANO<br />

FOTO: CLAUDIO OLIVA<br />

Existem vários barcos e horários de saída para excursões<br />

que vão de Cartagena aos lindos paraísos insulares.<br />

A Ilha de Tierrabomba está em um dos extremos<br />

da Baia de Cartagena. Na ilha você encontrará praias<br />

extraordinárias, fortes e vestígios de antigos edifícios<br />

coloniais. As “Ilhas de Rosario” são um conjunto de<br />

30 pequenas ilhas de recifes próximas uma das outras,<br />

rodeadas pelas águas transparentes típicas do<br />

Mar do Caribe, onde é um verdadeiro encanto praticar<br />

snorkeling ou mergulhar em um colorido mundo<br />

submarino. Nas Ilhas de Rosario existe um aquário<br />

natural com shows de golfinhos e tubarões que ampliam<br />

o atrativo do arquipélago e completam a visita<br />

com divertidas atividades na superfície.<br />

A Ilha de Barú é mais uma das atrações de Cartagena<br />

que você tem que conhecer. É possível chegar a ela<br />

por via terrestre, atravessando o Canal do Dique ou<br />

por via marítima, cruzando a linda baía de Cartagena.<br />

Esse belo lugar oferece uma grande extensão de praias<br />

paradisíacas com areia branca e águas cristalinas, perfeitas<br />

para passar o dia nadando ou mergulhando entre<br />

milhares de peixes coloridos. As praias das Ilhas de<br />

Baru são completamente diferentes das de Cartagena:<br />

praias de areia branca e suave, mar cristalino, paisagens<br />

de tirar o fôlego e atividades típicas da região,<br />

águas quentinhas e transparentes e um ambiente totalmente<br />

verde e repleto de florestas e ilhotas.<br />

Um novo e emocionante passeio pode ser feito<br />

numa enorme área de proteção ambiental, é o maior<br />

viveiro natural de pássaros das Américas. Funcionando<br />

desde fevereiro desse ano o Aviário Nacional da<br />

Colômbia, após quase 10 anos de construção, é um<br />

verdadeiro santuário abrigando mais de 140 espécies<br />

de aves e cerca de 1.<strong>80</strong>0 animais voadores, incluindo:<br />

a harpia, o tucano caribenho, os majestosos flamingos<br />

cor de rosa, entre outros.<br />

A atração turística promove a preservação e o cuidado<br />

com a natureza, juntamente com a importância<br />

da sustentabilidade ambiental. Foram reproduzidos<br />

vários ecossistemas e plantadas centenas de<br />

milhares de árvores num terreno que antes era árido<br />

e estava quase sem vegetação.<br />

O Aviário Nacional da Colômbia é um verdadeiro<br />

parque ecológico e de preservação constante de centenas<br />

de pássaros e principalmente de aves migratórias.<br />

Nele, o visitante percorre em aproximadamente<br />

um quilômetro e meio três ambientes eco sistêmicos<br />

- floresta tropical, costa (litoral) e deserto - que suportam<br />

sua grande variedade de exposições permanentes.<br />

Este local é um museu ao ar livre, mas tem muito mais<br />

a oferecer do que somente cultura e história. Lá se pratica<br />

atividades de recuperação de animais feridos, pesquisas<br />

para reprodução e estimula a pesquisa de escolas<br />

de universidades. Um dos projetos que estão ocorrendo<br />

é a reprodução em cativeiro de condores, maior ave do<br />

mundo, que está em perigo de extinção na Colômbia.<br />

Duas dicas para finalizar o nosso passeio. Há menos<br />

de uma hora visite o Vulcão Totumo e o Aquário.<br />

Duas dicas bastante interessantes e diferentes dos<br />

programas básicos oferecidos.<br />

CONVENÇÕES E EVENTOS<br />

Uma das atrações de Cartagena, mesmo que se<br />

trate de assuntos que envolvem trabalho, são seus<br />

extraordinários serviços e instalações para congressos<br />

e convenções. Grandes auditórios equipados com cabines<br />

para tradução simultânea, grandes mesas para<br />

trabalhar e tecnologia audiovisual de ponta converteram<br />

a cidade também em uma das principais sedes<br />

de negócios na Colômbia e na América Latina em<br />

geral. O Hotel Las Américas oferece um amplo espaço<br />

totalmente dedicado ao assunto. No centro da<br />

cidade existe também o Centro de Convenções que<br />

realiza vários eventos anuais. Em janeiro acontece o<br />

Festival Internacional de Música e em março o famoso<br />

e concorrido Festival Internacional de Cinema.<br />

Enfim, Cartagena é isso. Uma cidade que inspira<br />

que se sente no corpo e na alma. Ela é o ponto de<br />

encontro do mar e da história, onde a constante brisa<br />

impacta os corações com seu romantismo.<br />

O jornalista viajou com o apoio da Procolombia. A convite da Copaairlines<br />

a IHG Hotéis – Holiday Inn. Com o apoio da secretaria<br />

de turismo de Cartagena. Proteção do seguro de viagens GTA<br />

49


Serviço<br />

IDIOMA<br />

Espanhol<br />

MOEDA<br />

Peso Colombiano<br />

Hotel Las Américas –<br />

lasamericasresort.com<br />

Ilha do Rosário<br />

Hotel San Pedro de Majagua –<br />

hotelmajagua.com<br />

50<br />

FUSO HORÁRIO<br />

Durante o horário de verão brasileiro,<br />

atualmente em Cartagena são três horas<br />

a menos que o horário de Brasília.<br />

VISTO<br />

Não é necessário visto para cidadãos<br />

brasileiros.<br />

CLIMA<br />

Calor o ano inteiro com temperaturas<br />

que oscilam entre 27 e 35 graus. De setembro<br />

a janeiro é o período mais chuvoso.<br />

SAÚDE<br />

É recomendável apresentar vacina contra<br />

febre amarela<br />

COMO CHEGAR<br />

Não há vôos diretos entre o Brasil e Cartagena.<br />

As melhores opções são: Copa<br />

Airlines (copaair.com), partindo do Rio<br />

de Janeiro, Guraulhos, Belo Horizonte e<br />

Brasília, com conexão no Panamá, ou pela<br />

Avianca (avianca.com), com voos que<br />

partem diariamente para Bogotá com conexão<br />

para Cartagena.<br />

ONDE COMER<br />

Há dezenas de bons restaurantes em<br />

Cartagena. Destacamos os mais recomendados,<br />

com cardápios assinados por<br />

importantes chefs :<br />

Restaurante Erre no Hotel Las Américas<br />

Restaurante Evoca<br />

Restaurante Bohemia<br />

Restaurante El Santíssimo<br />

Restaurante Marea<br />

Restaurante Alma<br />

Restaurante Cande<br />

ONDE FICAR<br />

Cartagena<br />

Holiday Inn Caragena Morros –<br />

holidaycartagena.co<br />

PASSEIOS<br />

Jantar temático<br />

na cidade Amuralhada<br />

Num jantar temático uma praça centenária,<br />

em uma capela, no baluarte ou no<br />

forte de San Felipe de Barajas, onde os<br />

convidados poderão curtir piratas tesouros,<br />

a índia Catalina e outras atrações.<br />

Trilhas nas mágicas Muralhas<br />

Nas trilhas de observação no Centro Histórico<br />

com atividades de equipe, busca ao<br />

tesouro ou rallys com diferentes graus de<br />

dificuldade. A experiência de sentir-se um<br />

cartageneiro mais próximo ao centro da<br />

cidade.Aprenda história em uma caça ao<br />

tesouro perdido. Ao final, todos poderão<br />

admirar a vista ao sabor de um refresco<br />

de coco ou de limão na varanda do hotel.<br />

Viva com um pirata<br />

Num passeio noturno na baía de Cartagena<br />

de índias a bordo de um navio pirata.<br />

Participe da recreação: Um ataque pirata<br />

do século XIX , regado a coquetéis e petiscos<br />

e apresentação de música no navio.<br />

Embarque numa “Chiva”<br />

Chivas são os tradicionais e coloridos ônibus<br />

locais. Percorra a área moderna da cidade e<br />

os arredores do centro histórico ao ritmo<br />

vallenato. Faça uma parada perto das abóbodas<br />

e experimente um típico prato cartageneiro,<br />

então siga na chiva que encerrará<br />

o passeio em uma das melhores boates da<br />

cidade, onde se baila até o nascer do sol.<br />

PACOTES TURÍSTICOS<br />

Algumas operadoras tem pacotes exclusivos<br />

pra Cartagena saindo de São Paulo,<br />

consulte:<br />

CVC – cvc.com.br<br />

SANCHAT TOUR OPERATOR –<br />

sanchattour.com.br<br />

HAVANATUR – havanaturbrasil.com.br<br />

INFORMAÇÕES TURÍSTICAS<br />

colombia.travel<br />

cartagenadasindias.travel<br />

FOTOS: © ISTOCK.COM


QUAL VIAGEM<br />

BOARDING GATE<br />

Air Europa volta às Américas em julho<br />

Air Europa prepara a retomada das suas operações<br />

A para as Américas a partir de julho. Segundo o CEO<br />

da empresa para o continente americano, Diego García,<br />

tudo está condicionado à evolução da pandemia de coronavírus<br />

e pelas políticas que cada país implementa em<br />

relação à sua reabertura de fronteiras e céus. Porém, as<br />

operações não serão como eram antes e terão um número<br />

menor de frequências, que aumentarão de acordo<br />

com a evolução da demanda. No Brasil, a partir do dia<br />

15, serão três frequências semanais entre São Paulo e<br />

Madri (Espanha). Os voos de Salvador têm retorno previsto<br />

para 1º de setembro, com duas decolagens semanais.<br />

E em 1º de novembro será a vez de Fortaleza e<br />

Recife, também com duas saídas semanais cada.<br />

Informações: aireuropa.com<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

Swiss retoma rota<br />

São Paulo-Zurique<br />

Swiss voltou a conectar o Brasil à Suíça através<br />

A da rota entre São Paulo e Zurique, inicialmente<br />

com três voos semanais. Desde o dia 3 de julho, os<br />

voos partem do GRU Airport às terças, sextas e domingos,<br />

às 18h10, e da cidade suíça às segundas,<br />

quintas e sábados, às 13h30. A aeronave utilizada<br />

é o Boeing 777-300 ER, equipado com três classes<br />

de serviço. Ao longo do mês a companhia aérea irá<br />

reativar outras importantes conexões na Europa e<br />

Oriente Médio. A rota Rio de Janeiro - Zurique, operada<br />

pela Edelweiss, tem previsão de ser reativada<br />

em outubro. A frequência serve como importante<br />

porta de entrada para um dos mais atrativos destinos<br />

turísticos da América do Sul para suíços e europeus.<br />

Informações: swiss.com/br/pt<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

Turkish anuncia<br />

diretrizes para segurança<br />

Turkish Airlines anunciou novas “Diretrizes para Segurança<br />

de Viagens” para proteger a saúde de seus<br />

A<br />

passageiros. A companhia aérea está distribuindo kits<br />

com máscara facial e lenços de tecido anti-séptico aos<br />

passageiros. Tripulações de cabine “especialistas em higiene”<br />

foram designadas para reforçar a higiene e distanciamento<br />

social a bordo. Todas as aeronaves são desinfetadas<br />

antes de cada voo. A higiene na cabine abrange a<br />

limpeza se todos os pontos de contato (assentos, janelas,<br />

telas, banheiros etc) com o uso de produtos seguros para<br />

a saúde e com métodos científicos e eficazes. Os voos entre<br />

São Paulo e Istambul (Turquia) serão retomados em 2<br />

de setembro, inicialmente com três frequências semanais.<br />

As operações diárias deverão ser retomadas em outubro.<br />

Informações: turkishairlines.com<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

51


QUAL VIAGEM<br />

BOARDING GATE<br />

Dubai reabrirá para<br />

turistas em julho<br />

reabertura de Dubai para os visitantes está prevista<br />

A para 7 de julho. Para garantir a saúde e segurança<br />

dos viajantes a Emirates adotou medidas de proteção<br />

que incluem distribuição de kits de higiene contendo<br />

máscaras, luvas, higienizador para as mãos e lenços antibacterianos.<br />

Porém, somente serão aceitos nos voos os<br />

passageiros que cumprirem os requisitos dos critérios de<br />

elegibilidade e entrada no país de destino. E todos devem<br />

ter um seguro de saúde internacional que cubra as doenças<br />

relacionadas à Covid-19 pelo período de sua estadia.<br />

Atualmente, a companhia conecta o destino dos Emirados<br />

Árabes Unidos a 40 cidades e, com as diretrizes, poderá<br />

expandir a rede e oferecer mais destinos nos próximos<br />

dias. Não há previsão para o retorno dos voos ao Brasil.<br />

Informações: emirates.com<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

Ethiopian realiza<br />

testes do Covid-19<br />

Ethiopian Airlines não deixou de operar voos<br />

A para o Brasil em nenhum momento desde o início<br />

da pandemia. São cinco frequências semanais<br />

entre São Paulo e Adis Abeba. Já os voos de GRU<br />

Airport para Buenos Aires continuam suspensos<br />

por determinação das autoridades argentinas. Para<br />

garantir a segurança dos passageiros, a companhia<br />

firmou parceria com a startup HCA para realizar<br />

triagem, monitoramento e testes da Covid-19 nos<br />

seus colaboradores no Brasil. O protocolo disponibiliza,<br />

se necessário, atendimento remoto por chat<br />

e vídeo, prontuário eletrônico com acesso online ao<br />

histórico dos funcionários. Também chamada de<br />

Passaporte Imunológico Covid-19, conta com estrutura<br />

tecnológica própria para garantir total segurança<br />

dos dados, além de recursos como telemedicina.<br />

Informações: ethiopianairlines.com<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

SkyTeam lança medidas de segurança<br />

SkyTeam, aliança global de empresas aéreas, anunciou o<br />

A SkyCare&Protect, onde todas as 19 companhias parceiras<br />

apoiam uma série de medidas de segurança pessoal. Tudo para<br />

ajudar a proteger os passageiros e colaboradores durante as viagens.<br />

O protocolo reúne práticas de segurança e higiene, bem<br />

como recomendações das autoridades de saúde e do setor aéreo.<br />

São 15 medidas de proteção. Entre elas, check-in e despacho<br />

de bagagens online; marcações no chão, filas controladas<br />

e sinalização para facilitar o espaçamento adequado; estações<br />

de higiene com desinfetante para as mãos; maior higienização<br />

das áreas de alto contato nos aeroportos e a bordo; aeronaves<br />

desinfectadas com mais frequência; checagem de temperatura<br />

antes do embarque; e informação abrangente para que os passageiros<br />

possam tomar decisões sobre seus planos de viagem.<br />

Informações: skyteam.com<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

52


Filtros mantém a segurança a bordo<br />

KLM introduziu diversas medidas sanitárias a bordo e nos<br />

A aeroportos para assegurar uma viagem segura aos seus<br />

passageiros. A companhia explica que o ar na cabine das aeronaves<br />

é renovado a cada 3 minutos com ar exterior. Elas contam<br />

com filtros HEPA (sigla em inglês para separador de partículas<br />

de ar de alta eficiência), idênticos aos usados nas salas<br />

de cirurgias de hospitais. Esses filtros extraem mais de 99,99%<br />

dos menores vírus, garantindo que o ar a bordo esteja dentro<br />

dos padrões de qualidade. Os vírus do tipo Covid-19 são<br />

completamente barrados por eles. No início da pandemia a<br />

aérea holandesa operou apenas dois voos semanais entre São<br />

Paulo e Amsterdã. Em maio, aumentou para seis frequências<br />

semanais, sendo quatro de São Paulo e duas do Rio de Janeiro.<br />

Depois, em junho, passou para seis e quatro respectivamente.<br />

Informações: klm.com<br />

FOTO: KLM/DIVULGAÇÃO<br />

Azul e Latam<br />

anunciam parceria<br />

Azul e a Latam Airlines anunciam um acordo de<br />

A codeshare (compartilhamento de voos) para conectar<br />

rotas em suas respectivas malhas domésticas no<br />

Brasil. As duas empresas definiram também que seus<br />

programas de fidelidade TudoAzul e Latam Pass possam<br />

acumular pontos de acordo com a escolha do associado.<br />

A parceria incluirá inicialmente 50 rotas domésticas<br />

não sobrepostas de/para Brasília, Belo Horizonte,<br />

Recife, Porto Alegre, Campinas, Curitiba e São Paulo/<br />

Guarulhos, oferecendo várias opções de novas conexões<br />

no Brasil. Os bilhetes serão compartilhados para<br />

check-in e despacho de bagagem e estarão à venda<br />

nos próximos meses.<br />

Informações: voeazul.com.br | latam.com<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

ÚLTIMA CHAMADA<br />

n ROYAL AIR MAROC – Com o início da pandemia a<br />

companhia aérea do Marrocos cessou operações no Brasil<br />

em 15 de março. O retorno dos voos entre Casablanca e<br />

São Paulo estão previstos para o dia 12 de julho. Serão<br />

três voos semanais às quartas, sextas e domingos.<br />

n ALITALIA – Os voos diários de São Paulo e Rio de Janeiro<br />

para Roma irão retornar no dia 1º de agosto. No GRU<br />

Airport serão dois voos diários quatro vezes por semana<br />

(quarta, sexta, sábado e domingo).<br />

n COPA AIRLINES – A companhia aérea panamenha<br />

retoma os voos diários para São Paulo e Rio de Janeiro a<br />

partir do dia 8 de agosto.<br />

n AIR FRANCE – A partir de 6 de julho, oferecerá oito<br />

voos semanais - cinco em São Paulo e três no Rio. Os<br />

voos para Fortaleza ainda não têm previsão de retorno.<br />

A aérea francesa manteve seus voos para o Brasil durante<br />

toda a pandemia.<br />

n LUFTHANSA – A partir desse mês os voos entre São<br />

Paulo e Frankfurt voltam a ser diários. Já as frequências<br />

para o Rio de Janeiro ainda não têm previsão de retorno.<br />

53


A fascinante<br />

QUITO:<br />

história e<br />

gastronomia no<br />

meio do mundo<br />

Por Cláudio Lacerda Oliva<br />

FOTO: ©ISTOCK.COM / LUCBROUSSEAU


FOTO: ©ISTOCK.COM /DC_COLOMBIA<br />

56<br />

A<br />

Capital do Equador, Quito, é totalmente cercada<br />

pela Cordilheira dos Andes e está localizada<br />

na Linha do Equador, com latitude 0° 0’<br />

0”. A capital equatoriana ainda é muito pouco<br />

explorada por turistas brasileiros e revela-se surpreendente,<br />

oferecendo passeios inesquecíveis.<br />

A cidade, situada a cerca de 2<strong>80</strong>0 metros acima do<br />

nível do mar, atrai desde aventureiros a casais que curtem<br />

gastronomia e história e rende inúmeras opções<br />

para realizar um bom roteiro turístico. Na terra dos coloridos<br />

tecidos indígenas e do primeiro centro histórico<br />

do mundo, tombado como patrimônio da humanidade<br />

em 1978, também não faltam atrações naturais.<br />

Os vários vulcões no entorno da cidade proporcionam<br />

um visual de tirar o fôlego entre os cumes nevados e as<br />

montanhas altíssimas. Quito tem até uma Avenida dos<br />

Vulcões, mas quem domina a paisagem é o Cotopaxi,<br />

vulcão ativo mais alto do mundo.<br />

FOTO: ©ISTOCK.COM / KSENIYA RAGOZINA


Acima, vista do centro histórico de Quito. Abaixo,<br />

o colorido artesanato em Otavalo vale o passeio.<br />

A CAPITAL<br />

um pouco da história<br />

As primeiras ocupações humanas nessa região do<br />

Equador datam de cerca de 10 mil anos a.C., estimativas<br />

realizadas a partir dos restos arqueológicos encontrados.<br />

Basicamente, os primeiros povos utilizavam<br />

instrumentos feitos de pedra, e viviam da caça, pesca<br />

e coleta. Ao longo dos séculos, populações que ali habitavam<br />

sofreram com as sucessivas erupções dos vulcões<br />

que circundam a atual Quito, e por esse motivo<br />

algumas dessas civilizações deixaram poucos vestígios.<br />

Civilizações posteriores (cerca de 1<strong>80</strong>0 a.C.) já eram<br />

agricultoras, cultivando basicamente variedades de feijão,<br />

milho e abóbora, quinoa, batata, tremoços e utilizando<br />

carne de caça e outros vegetais como o algodão e a coca.<br />

Realizavam cerimônias em homenagem aos mortos e faziam<br />

uso da cerâmica. A metalurgia, acredita-se, já era<br />

57


FOTO: ©ISTOCK.COM /DC_COLOMBIA<br />

prática conhecida por volta de 1500 a.C., e trabalhavam<br />

o ouro, a prata, o cobre e a platina (este desconhecido<br />

dos europeus), principalmente para fins ornamentais.<br />

A fertilidade dos campos atraiu a atenção do Império<br />

Inca, que dominou essa região por volta do século<br />

XV d.C. Foi em um momento de fragilidade e de<br />

conflitos internos do Império Inca que os espanhóis<br />

chegaram à América andina. Desgastados pela guerra<br />

civil e pelo enfrentamento dos diversos povos descontentes<br />

com a administração inca, Cuzco (no Peru),<br />

a capital acabou sendo dominada pela Espanha. E assim,<br />

sucessivamente, as grandes cidades incas foram<br />

caindo à custa de milhares de vidas indígenas.<br />

Considera-se 1534 como marco da fundação de<br />

Quito pelos espanhóis e início da Era Colonial. Nos<br />

anos posteriores, junto com a nova administração,<br />

chegaram também as diversas ordens religiosas que<br />

se estabeleceram para catequizar os indígenas. Os<br />

prédios, casarões e igrejas da Era Colonial ainda resistem<br />

em Quito como testemunhas de um período<br />

instável e de grande prejuízo às culturas indígenas,<br />

tal como ocorreu em todas as partes da América.<br />

VARIADO<br />

cardápio de atrações<br />

Quito tem o maior Centro Histórico das Américas.<br />

Uma boa pedida para conhecer a arquitetura das fachadas<br />

em estilo colonial é iniciar o passeio na Praça<br />

da Independência, onde está o Palácio do Governo e<br />

outros edifícios históricos. Aproveite o trajeto para<br />

conhecer o interior coberto de ouro na Igreja da Companhia<br />

e a Basílica da cidade. Já no bairro mais famoso<br />

de Quito, o La Mariscal, vale a pena andar pelas lojas,<br />

feirinhas ou escolher um bar ou restaurante para<br />

assistir ao movimento de pedestres na Praça Foch. A<br />

via central de La Mariscal, a Avenida Amazonas, também<br />

convida os visitantes a caminhar e descobrir o<br />

comércio local. Relaxar nos parques como La Carolina<br />

ou Metropolitano, contemplar as belezas do Teatro<br />

Nacional do Açucar, fotografar o convento de Santo<br />

Agostinho e o Palácio Episcopal e passear calmamente<br />

pelo Independece Square podem completar o seu<br />

tour. Não deixe de ir no Centro Equatoriano de Arte<br />

Contemporânea, a visita vale muito a pena!<br />

58


FOTO: ©ISTOCK.COM / CONAN-EDOGAWA<br />

FOTO: ©ISTOCK.COM / REBECCAPICARD<br />

Já no bairro de La Floresta, lugares de interesse cultural<br />

como salas de cinema independente, restaurantes,<br />

produtoras de filmes e de televisão, galerias de arte<br />

e lojas de artesanato compartilham o espaço com as<br />

residências, universidades, hotéis, praças e parques.<br />

La Mariscal é o local da vida noturna de Quito, com<br />

suas discotecas, cafeterias e centros culturais, que fazem<br />

deste bairro um reduto da diversidade. O bairro<br />

é perfeito para conhecer o melhor dos ritmos latinos,<br />

como salsa, merengue, reggaeton, entre outros.<br />

O BELO PASSEIO<br />

em Metade do Mundo<br />

Famosa pela localização entre dois hemisférios no mapa-múndi<br />

e, literalmente, na latitude 0º, Quito sempre<br />

recebe turistas animados em registrar fotos na Metade<br />

do Mundo. O local se tornou um complexo turístico e<br />

abriga monumentos, um mirante, lojas de produtos<br />

típicos e restaurantes, além de um museu e um planetário<br />

que contam curiosidades e a história da cidade<br />

dividida pela linha imaginária entre os hemisférios<br />

À esquerda a Plaza Grande é o coração pulsante da capital<br />

equatoriana, ao centro a Catedral de Quito, um dos<br />

pontos turísticos mais visitados e acima as varandas<br />

coloniais dominam as pequenas ruas do centro histórico.<br />

norte e sul do planeta. Para conhecer a região, você<br />

pode agendar passeios de ônibus, já que o complexo<br />

fica a cerca de 30 minutos do centro da cidade.<br />

Parque Nacional<br />

COTOPAXI<br />

É imperdível a visita ao Parque Nacional Cotopaxi.<br />

Por lá você pode conhecer o vulcão de mesmo nome,<br />

considerado o mais ativo de todo o mundo. O Cotopaxi<br />

se tornou cartão-postal de Quito e possui cerca<br />

de 5.<strong>80</strong>0 metros de altura e uma cratera de 200<br />

metros de profundidade. Somente os viajantes mais<br />

aventureiros costumam fazer tours até o topo, já que<br />

o frio e a altitude dificultam o trajeto. O parque fica<br />

ao sul de Quito, a 60 quilômetros, e também rende<br />

passeios pelo Centro Cultural, que abriga um museu<br />

e um jardim botânico, locais que representam a história,<br />

a flora e fauna local.<br />

59


FOTO: ©ISTOCK.COM / PATRICIOHIDALGOP<br />

60<br />

Avenida dos VULCÕES<br />

Os vulcões são as atrações naturais mais famosas da<br />

capital equatoriana e rendem fotos incríveis. Não perca<br />

a oportunidade de ver essas belas formações geológicas<br />

de perto ao passar por uma importante via da<br />

cidade que é cercada por vários deles - o endereço ficou<br />

conhecido como Avenida dos Vulcões e inicia em<br />

Quito, mas se estende como rodovia até outras cidades<br />

sem perder a beleza da paisagem montanhosa. Nessa<br />

área você pode avistar o famoso Cotopaxi, além dos<br />

vulcões Chimborazo, Pichincha, entre outros. Para curtir<br />

o visual da avenida, agende passeios de trem, trilhas<br />

ou tours de teleférico. Aliás, por falar nisso, Quito tem<br />

o teleférico mais alto do mundo. Esse passeio revela-se<br />

como um dos mais populares e belos da cidade.<br />

Complemente sua viagem em<br />

OTAVALO E GUAYAQUIL<br />

Programe-se para unir outros destinos do Equador<br />

em uma só viagem. Se o objetivo é fazer viagens<br />

rápidas partindo de Quito, visite Guayaquil, cidade<br />

que rende um passeio tranquilo pelo Malecón 2000,<br />

calçadão repleto de lojas, restaurantes e espaço para<br />

andar de bicicleta, contemplando e fotografando as<br />

fachadas de prédios centenários e históricos.<br />

FOTO: ©ISTOCK.COM / RUDIMENCIAL


À esquerda, o ativo vulcão Cotopaxi domina<br />

a paisagem; abaixo comidas típicas e artesanato<br />

são boas opções de passeio nos arredores do<br />

centro histórico. Ao lado, o rio Guayas rasga a<br />

segunda maior cidade do Equador;<br />

FOTO: ©ISTOCK.COM / MICHAEL MÜLLER<br />

Já Otavalo é endereço de um dos mercados mais<br />

famosos e atraentes do Equador. Ele oferece grande<br />

variedade de tecidos indígenas, joias e esculturas de<br />

madeira, entre outros tipos de artesanato típico. Você<br />

também pode optar por se hospedar nessas cidades.<br />

Aproveite as linhas de trem internas para conhecer<br />

estes e outros locais perfeitos para desacelerar e ter<br />

mais contato com a cultura andina.<br />

O frescor da<br />

GASTRONOMIA EM QUITO<br />

A gastronomia de Quito é muito elogiada pelo<br />

uso de ingredientes frescos e frutos do mar. Visite<br />

os locais que oferecem pratos típicos ou os tradicionais<br />

sorvetes artesanais. Itens da costa do Pacífico,<br />

como os ceviches e frutos do mar, são harmonizados<br />

com ingredientes andinos, como batata, milho e cereais<br />

- quinoa, trigo, aveia e cevada.<br />

Os legumes também ganham destaque e emprestam<br />

sabores únicos às saladas e sopas, como o feijão,<br />

a vagem, lentilhas e os tremoços. Ao visitar Quito,<br />

não deixe de experimentar os sabores típicos do “locro”<br />

de batatas, uma sopa cremosa que também leva<br />

queijo; a “fritada”, à base de carne de porco cozida;<br />

o “ceviche” de camarão; o sanduíche de pernil chamado<br />

de “sanduiche de chancho”; o “llapincgacho”,<br />

uma tortilha de batata recheadas com queijo; e a<br />

“tripa mishqui”, tripa de boi assado, além de outros<br />

pratos da gastronomia equatoriana.<br />

Quito também é uma cidade para degustar da ampla<br />

oferta de pratos da culinária internacional, que a<br />

transformam em um lugar de interesse para o turismo<br />

gastronômico.<br />

Apesar de ter um clima mediano, se comparado ao<br />

Brasil, Quito fez da hora do chá da tarde um hábito.<br />

O período entre 16h e 17h é o momento certo para<br />

encontrar uma mesa com chá, bolos e salgados. A cidade<br />

oferece mais de duas dezenas de excelentes cafeterias<br />

e principalmente de descoladas casas de chá,<br />

com cardápios inovadores.<br />

61


Serviço<br />

IDIOMA<br />

Espanhol<br />

MOEDA<br />

Desde o ano 2000, o Equador assumiu<br />

o dólar americano como moeda corrente<br />

devido à grande crise político-econômica<br />

enfrentada no final da década de 90<br />

e que acarretou em uma recessão profunda,<br />

com grande inflação e desvalorização<br />

do Sucre, antiga moeda equatoriana.<br />

FUSO HORÁRIO<br />

-2h (horário de Brasília)<br />

VISTO<br />

Não há necessidade de obtenção prévia<br />

de visto para ingressar no Equador com<br />

permanência de até 90 dias<br />

CLIMA<br />

Quito está a 2.<strong>80</strong>0m de altura. A temperatura<br />

varia pouco ao longo do ano<br />

ficando na média dos 19 o C. Os meses<br />

mais secos são junho, julho, agosto e setembro.<br />

O período de fevereiro a maio é<br />

o mais chuvoso.<br />

COMO CHEGAR<br />

As companhias aéreas LATAM (latam.<br />

com), COPA AIRLINES (copaair.com) e<br />

AVIANCA (avianca.com.br) fazem o trecho<br />

São Paulo-Quito, com conexões em<br />

Lima, Cidade do Panamá e Bogotá respectivamente.<br />

ONDE FICAR<br />

A maior parte dos melhores hotéis<br />

de Quito está localizada nas proximidades<br />

do Centro e do bairro La Mariscal.<br />

Confira os principais:<br />

GRAND MERCURE ALAMEDA HOTEL –<br />

mercurequito.com.ec<br />

HOTEL REINA ISABEL –<br />

hotelreinaisabel.com<br />

NU HOUSE BOUTIQUE –<br />

nuhousehotels.com<br />

JW MARRIOT & SPA – marriott.com<br />

ONDE COMER<br />

HASTA LA VUELTA SEÑOR –<br />

hastalavuelta.com<br />

THEATRUM QUITO RESTAURANT &<br />

WINE BAR – theatrum.com.ec<br />

ZAZU –zazuquito.com<br />

HELADERIA SAN AGUSTIN –<br />

heladeriasanagustin.net<br />

QUANDO IR<br />

A temperatura agradável do clima de montanha<br />

é estável, com máximas em torno de<br />

20 o C e mínimas entre 10 o e 15 o o durante<br />

o ano todo. Aproveite os frequentes dias<br />

ensolarados e evite as chuvas, comuns entre<br />

fevereiro e abril. De junho a setembro<br />

é considerado alta temporada, o que significa<br />

maior procura e preços mais altos.<br />

SAÚDE<br />

Quase ninguém comenta. Por conta da<br />

altitude você pode sentir sintomas de soroche<br />

(mal da altitude). Não é tão forte<br />

como em Cusco ou La Paz, mas ande devagar<br />

e não exagere na programação logo<br />

quando chegar. A hidratação é muito importante,<br />

pois Quito tem em grande parte<br />

do ano índices baixos de umidade do ar.<br />

Saindo do Brasil recomendamos contratar<br />

um seguro saúde. Carrega sempre o filtro<br />

solar e não esqueça de usar um boné, o<br />

sol nas alturas é muito forte e em função<br />

de constante brisa pode enganar!<br />

COMPRAS<br />

Vale a pena fazer conhecer itens artesanais,<br />

típicos equatorianos, ou aproveitar<br />

os shoppings da cidade. Nas ruas<br />

do Centro também há opções que rendem<br />

ótimos passeios a pé. Conheça algumas<br />

opções de roteiro e boas compras!<br />

SHOPPINGS<br />

Quito também agrada aos apaixonados<br />

por compras de roupas e artigos<br />

de marcas internacionais. O Quicentro<br />

Shopping é um dos centros comerciais<br />

mais sofisticados, com vitrines de grifes<br />

como Guess, Lee, Tommy Hilfiger, Zara,<br />

entre outras marcas, além de restaurantes,<br />

lanchonetes e cafés. O Mall El Jardin<br />

também abriga restaurantes, roupas e<br />

presentes de marcas cobiçadas com o<br />

conforto de shopping. Lojas como Adidas,<br />

Hugo Boss, Lacoste, além de marcas<br />

nacionais estão entre as opções.<br />

PRODUTOS ARTESANAIS<br />

Na região da Avenida dos Vulcões e<br />

no centro histórico é comum encontrar<br />

produtos típicos do Equador em feirinhas,<br />

mercados ou lojas tradicionais. Próximo<br />

a Avenida dos Vulcões, sempre há<br />

feiras e mercados indígenas espalhados<br />

pelas margens da rodovia ou no interior<br />

dos povoados locais. Durante o passeio<br />

pelas lojas do centro histórico, conheça<br />

o famoso chapéu panamá, produzido<br />

pelos indígenas equatorianos desde o século<br />

17. No famoso Mercado de La Mariscal,<br />

também é difícil sair sem sacolas<br />

cheias de souvenires. O local está sempre<br />

movimentado e chama a atenção pelas<br />

barracas repletas de artigos coloridos.<br />

Em La Ronda, rua mais antiga da cidade,<br />

a gastronomia e o artesanato centenário<br />

marcam a beleza da cultura quitenha.<br />

GALERIA ECUADOR<br />

Dá para passar horas divertidas na Galeria<br />

Ecuador, loja repleta de itens produzidos<br />

em solo nacional. Conheça joias,<br />

roupas e artigos têxteis feitos em tear,<br />

chocolates, vinhos e outras bebidas de<br />

produção nacional, além de artigos artesanais.<br />

O espaço também abriga um<br />

café e os corredores funcionam como<br />

áreas temáticas.<br />

PACOTES TURÍSTICOS<br />

CVC – cvc.com.br<br />

DECOLAR – decolar.com<br />

SUBMARINO VIAGENS –<br />

submarinoviagens.com.br<br />

INFORMAÇÕES TURÍSTICAS<br />

quito-turismo.gob.ec<br />

FOTOS: ©ISTOCK.COM


POUSADA & RESTAURANTE<br />

CANTO BRAVO<br />

“Pousada pé na areia na Praia do Bonete em Ilhabela, venha viver<br />

esta experiência neste paraíso isolado de águas cristalinas!”<br />

@pousadacantobravo +55 012 99683.4002<br />

www.pousadacantobravobonete.com.br


FOTO: ©ISTOCK.COM / GUSTAVOFERRETTI


A Côte d’ Azur com<br />

sotaque brasileiro<br />

Praias, ilhas, cachoeiras e história num<br />

roteiro com paisagens deslumbrantes entre o<br />

extremo norte do litoral de São Paulo e o sul da<br />

costa fluminense. Confira a riqueza colonial<br />

de Paraty, as praias de ilhas de Angra dos<br />

Reis, as águas transparentes da Ilha Grande<br />

e os completos resorts de Mangaratiba.<br />

Por Cláudio Lacerda Oliva


FOTO: ©ISTOCK.COM/DABLDY<br />

Conhecido como Costa Verde, o trecho que<br />

engloba o litoral sul do Rio de Janeiro se destaca<br />

pela beleza de suas praias paradisíacas<br />

ilhas e uma vegetação de Mata Atlântica das mais<br />

preservadas do Brasil. A região, que fica às margens<br />

da rodovia Rio- Santos, pode ser considerada uma<br />

das mais belas da costa atlântica brasileira e um dos<br />

cenários com paisagens e recantos impressionantes<br />

de rara beleza e preservação. Por lá, a natureza<br />

comanda o cenário: praias praticamente intocadas<br />

com águas azuis e verdes! Para muitos essa região<br />

pode ser comparada com a Côte D’Azur, região litorânea<br />

turística do litoral francês. Paraty, Angra dos<br />

Reis, Ilha Grande e Mangaratiba são os principais<br />

destaques desse belíssimo roteiro. As águas aqui<br />

são mais esverdeadas, em contrapartida, a Mata<br />

Atlântica é a mais preservada do litoral brasileiro.<br />

A Costa Verde é um dos melhores lugares para<br />

a prática de esportes náuticos, pesca submarina e<br />

passeios de barco por belas praias e ilhas; além disso,<br />

as cidades contam com boa vida noturna. Para<br />

quem pretende passear pela região separamos os<br />

principais destinos da rota:<br />

Artes e ruas de pedra em Paraty<br />

A cidade de Paraty, no Estado do Rio de Janeiro, é<br />

um incrível destino de férias (ou até mesmo de final<br />

de semana) para curtir bastante e conhecer lugares<br />

diferentes. Além de suas belíssimas praias, o destino<br />

possui muitas trilhas passeios históricos e lugares<br />

únicos que vale a pena percorrer. Paraty pode ser<br />

uma cidade de muitas faces. Tem nos barqueiros<br />

a pele curtida do sol, a rapaziada descolada que<br />

frequenta Mamanguá e também dos bichos-grilos<br />

de Cajaíba. É a cidade dos diversos artistas de rua,<br />

bem como de centenários cirandeiros. Na época da<br />

Flip- Festa Literária Internacional de Paraty as ruelas<br />

de pedra são dominadas por estrangeiros e se transformam<br />

na capital intelectual do país. A cidade é<br />

uma delícia nessa época do ano. Coladinha na Serra<br />

do Mar e na Serra da Bocaina, também é destino<br />

de outono e inverno. Como as chuvas são menores,<br />

escolha uma pousada na estrada para Cunha e se<br />

delicie com as lareiras e os fogões de lenha.<br />

Construído entre os séculos 18 e 19, visitar o Centro<br />

Histórico de Paraty é como realizar uma viagem<br />

no tempo. Suas ruas de paralelepípedos são emol-<br />

66


As ruas estreitas de Paraty<br />

oferecem barzinhos, bistrôs e<br />

boutiques que garantem a diversão.<br />

Abaixo, a Igreja Matriz se<br />

destaca com a suntuosa Serra<br />

do Mar como pano de fundo<br />

FOTO: ©ISTOCK.COM/KSENIYA RAGOZINA<br />

67


duradas por casarões e belas igrejas que se destacam<br />

entre as casas com portas coloridas. Graças<br />

ao tombamento realizado pelo Instituto do Patrimônio<br />

Histórico Nacional, por lá nada mudou desde os<br />

anos 1<strong>80</strong>0. Visite a igreja Nossa Senhora das Dores,<br />

a matriz Nossa Senhora dos Remédios, os famosos<br />

alambiques e a comunidade quilombola do Campinho.<br />

O município tem também lindas cachoeiras<br />

como Pedra Branca, Tobogã e Poços das Andorinhas,<br />

além de ateliês interessantes e restaurantes<br />

descolados. Para aproveitar mais os locais escondidos<br />

explore mais de duas dezenas de lindas praias<br />

com os passeios de escuna ou alugue um barco.<br />

Centro Histórico de Paraty<br />

Localizada no litoral sul do Rio de Janeiro, Paraty<br />

era considerado o porto mais importante para escoamento<br />

do ouro e pedras preciosas que saiam de<br />

Minas Gerais e eram levados para Portugal. E parte<br />

dessa história continua viva até hoje nas ruas de pedra,<br />

igrejas e casarões antigos que formam o Centro<br />

Histórico da cidade. Não tem como caminhar por ali<br />

sem imaginar como era a vida no século 18 e se encantar<br />

com o charme da arquitetura colonial, misturada<br />

com bares, restaurantes e lojas modernas. Entre<br />

roupas, doces, bolsas e mil tipos de artesanatos, essas<br />

lojas vendem as tradicionais cachaças da região, fabricadas<br />

nos alambiques da cidade. Pra quem gosta,<br />

dá pra experimentar vários tipos, inclusive a Gabriela,<br />

que é feita com melaço da cana, cravo e canela.<br />

O Ponto de partida para essa viagem pode ser a<br />

pequena de descolada Vila de Trindade. Localizada<br />

a apenas 25 minutos ao sul de Paraty (sentido São<br />

Paulo), possui vários passeios naturais que agradam<br />

a todos. Com praias praticamente desertas, a simples<br />

vila de pescadores atrai muitos turistas por conta<br />

de ótimos restaurantes e cenários incríveis.<br />

Na Praia do Caixadaço as piscinas naturais são a<br />

atração. O trajeto é feito por pequenas trilhas que<br />

rasgam a Mata Atlântica, sendo percorridas até o final<br />

da praia (cerca de 2 km ou meia hora). Enormes<br />

pedras cercam essa região, represando uma parte<br />

do mar que forma uma deliciosa piscina natural de<br />

águas cristalinas e verdes. Outro destaque é a preservada<br />

Praia do Sono que atrai fãs de locais iso-<br />

Na Serra de Mamanguá, as<br />

paisagens deslumbrantes encantam!<br />

Acima as águas transparentes são<br />

constantes nas Ilhas de Angra dos Reis<br />

FOTO: EDSON VANDEIRA/OWN WORK/CC BY-SA 4.0/CREATIVECOMMONS.ORG/LICENSES/VIA WIKIMEDIA COMMONS


FOTO: ©ISTOCK.COM/FELIPEGOIFMAN<br />

lados. Por estar localizada longe das estradas, essa<br />

praia é uma das mais bem cuidadas e bonitas da região.<br />

Para chegar a esse paraíso escondido, é necessário<br />

pegar uma trilha de 2 horas (a pé) desde o Condomínio<br />

Laranjeiras na estrada de Trindade ou alugar<br />

um barco a partir do centro histórico de Paraty .<br />

A Praia do Sono é simplesmente maravilhosa. Depois<br />

de curtir bastante o mar e tirar várias fotos da<br />

paisagem linda, recomendamos seguir para outra<br />

trilha que sai na praia dos Antigos e logo em seguida<br />

dos Antiguinhos e todas elas eram muito bonitas,<br />

com vista de tirar o fôlego. Depois de explorar<br />

as belezas naturais e históricas de Paraty, nossa viagem<br />

continua, seguindo rumo ao norte.<br />

Saco do Mamanguá:<br />

um Fiorde Tropical<br />

Conhecido como Fiorde Tropical – e pelo que disseram<br />

os guias, o único fiorde do Brasil – o Saco do<br />

Mamanguá é na verdade um canal formado pelo<br />

mar entre montanhas do continente. Com 8 Km de<br />

extensão e 2 km de largura, ele reúne 33 praias de<br />

areia branquinha, mata preservada e algumas comunidades<br />

caiçaras. Pra chegar lá nós alugamos um<br />

barco na praia de Paraty-Mirim (R$250 para 4 pessoas)<br />

e passamos o dia visitando várias praias, até<br />

terminar no mangue que fica lá no final, na divisa<br />

entre o mar e o continente.<br />

Angra dos Reis<br />

Angra dos Reis é um incrível destino para os amantes<br />

de esportes náuticos. Considerada a Capital Brasileira<br />

do Turismo Náutico, a cidade é banhada pela<br />

parte mais bela da Bahia de Ilha Grande. Com 97<br />

ilhas, esse paraíso, a 3<strong>80</strong> km de São Paulo, reserva<br />

ao viajante tranquilidade e paisagens de tirar o fôlego!<br />

Suas águas limpas com a presença de inúmeros<br />

animais, como peixes e tartarugas, conquistam<br />

qualquer turista. São muitas praias e ilhotas.<br />

A cidade possui muitos prédios históricos interessantes.<br />

Comece o seu roteiro visitando a Igreja Matriz<br />

de Nossa Senhora da Conceição. A igreja possui<br />

69


FOTO: ©ISTOCK.COM/AGUSTINA CAMILION<br />

rico interior com retábulos, imagens e indumentárias<br />

preciosas. Iniciou sua construção em 1625, mas<br />

foi concluída só no final de 1750, com o apoio do<br />

então Rei de Portugal D José I, que doou a pia batismal<br />

e outras peças.<br />

Outro local interessante é o Convento São Bernardino<br />

de Sena. A construção foi iniciada pelos franciscanos<br />

em 1758, em substituição ao outro convento,<br />

que era no pé do morro e foi bombardeado<br />

por um navio pirata francês. Inaugurado em 1763<br />

já abrigou a casa dos órfãos e o liceu primário. O<br />

relógio existente em seu campanário ainda é original.<br />

Vale a pena subir no Cruzeiro, e no percurso<br />

fotografar a bela vista de parte da cidade.<br />

Para quem gosta das comidas do mar, vale um passeio<br />

no Mercado do Peixe. O prédio foi construído<br />

em 1915, mantendo até hoje o comércio de peixes,<br />

crustáceos, lulas e camarões fresquinhos. Não deixe<br />

de conhecer a Bica da Carioca, o Teatro Municipal<br />

e o famoso convento de Nossa Senhora do Carmo.<br />

Ilha Grande, A Cereja do Bolo!<br />

Nesse belíssimo roteiro, e que pode ser considerada<br />

a “cereja do bolo” desse roteiro é a Ilha Grande.<br />

O local é um verdadeiro paraíso em meio ao mar de<br />

Angra dos Reis. A diversidade biológica encontrada<br />

em suas praias e em sua densa mata é única no Brasil.<br />

São nada menos que 192 km² de raríssima beleza,<br />

incluindo 106 praias, cachoeiras e verdes montanhas.<br />

Como em toda a região, a Ilha Grande era<br />

habitada por índios tamoios e tupinambás e deles<br />

recebeu o nome de Ipaum (ilha) Guaçu ( Grande).<br />

Também foram os nativos que abriram as trilhas<br />

utilizadas até hoje. A Vila do Abraão é considerada a<br />

capital e porta de entrada da ilha, os caminhos abertos<br />

da mata levam à praias e enseadas pouco exploradas.<br />

Uma das praias mais belas e famosas é a de<br />

Lopes Mendes, que fica no lado sul da Ilha Grande.<br />

Aqui fica a parte sul, com águas mais bravias, diferente<br />

da parte norte, cujas praias são mais protegidas<br />

e tranquilas. Outro destaque é a praia de Provetá,<br />

alcançada apenas de barco e a reserva biológica da<br />

Praia do Sul.<br />

A Praia do Aventureiro é uma das preciosidades da<br />

Ilha Grande! O coqueiro deitado é o símbolo dessa<br />

praia. O mar cristalino - e em algumas partes agitado<br />

-, atrai muitos viajantes que buscam se hospedar em<br />

um lugar mais afastado da Ilha do Abraão – local que<br />

reúne os bares, restaurantes e pousadas.<br />

Por não permitir que carros entrem na ilha, o acesso<br />

se dá apenas por balsa ou barcos - partindo de<br />

Angra. Muito bem preservado e repleto de animais<br />

marinhos, como tartarugas, golfinhos e peixes. É fácil<br />

de se apaixonar por Ilha Grande, o difícil é deixá-la.


A Villa do Abraão é a praia mais<br />

agitada da Ilha Grande.<br />

Abaixo, praias de águas calmas e<br />

imensos resorts em Mangaratiba<br />

Mangaratiba – Paraíso dos Resorts<br />

Outro local bem interessante é Mangaratiba<br />

que fica no início da Costa Verde para quem começa<br />

a sua viagem a partir do Rio de Janeiro. Mangaratiba<br />

está localizada a 100 km da capital carioca. Por<br />

lá, encontram-se belíssimas praias no melhor estilo<br />

selvagem, que mesclam águas cristalinas com a Mata<br />

Atlântica. Lá estão também os mais completos empreendimentos<br />

de lazer para famílias. Resorts e grandes<br />

hotéis “All Inclusive” e alguns bem luxuosos que<br />

se destacam por lá, sem deixar de lado as charmosas<br />

pousadas que conquistam os que buscam sossego e<br />

maior privacidade para os clientes mais exigentes e<br />

que desejam algo mais personalizado.<br />

A chamada Costa Verde pode ser feita tanto pelo<br />

Rio de Janeiro como por São Paulo. Quem vem pela<br />

Rodovia Rio Santos de São Paulo começa o roteiro<br />

em Trindade, a primeira praia de Paraty. Quem sai do<br />

Rio de Janeiro passa por Itaguaí e inicia o roteiro em<br />

Mangaratiba. Tendo tempo visite Itacuruça ainda no<br />

Rio e Ubatuba em São Paulo que oferece mais de 90<br />

praias, algumas quase que desertas.<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO


Serviço<br />

COMO CHEGAR<br />

De São Paulo – Você pode pegar a Rodovia<br />

Presidente Dutra e seguir até Taubaté.<br />

De lá desça pela Rodovia Oswaldo Cruz<br />

que termina no centro de Ubatuba. De lá<br />

inicie seu roteiro em Trindade e conclua<br />

o seu passeio em Mangaratiba<br />

Do Rio de Janeiro – Siga pela Rodovia<br />

Rio Santos, passe por Itaguaí até chegar<br />

nas cidades do roteiro. A primeira<br />

delas é Itacuruça. Depois siga até Mangaratiba,<br />

passando por Angra dos Reis,<br />

Ilha Grande e finalizando em Paraty.<br />

ONDE FICAR<br />

PARATY<br />

tripadvisor.com.br/Hotels-g303503-Paraty_State_of_Rio_de_Janeiro-Hotels.html<br />

ANGRA DOS REIS<br />

tripadvisor.com.br/Hotels-g303489-<br />

Angra_Dos_Reis_State_of_Rio_de_Janeiro-Hotels.html<br />

ILHA GRANDE<br />

tripadvisor.com.br/Hotels-g303497-<br />

Ilha_Grande_State_of_Rio_de_Janeiro<br />

-Hotels.html<br />

MANGARATIBA<br />

tripadvisor.com.br/Hotels-g667831-<br />

Mangaratiba_State_of_Rio_de_Janeiro<br />

-Hotels.html<br />

ITACURUÇA<br />

tripadvisor.com.br/Hotels-g2572633-Itacurussa_State_of_Rio_de_Janeiro-Hotels.<br />

html<br />

chuvas são bem fortes o que pode atrapalhar<br />

um pouco o roteiro.<br />

CLIMA<br />

No verão entre outubro e março as<br />

temperaturas podem chegar facilmente<br />

aos 38 graus. Cuidado apenas com os<br />

temporais de verão. Já de abril a setembro,<br />

clima cálido com pouca chuva azul<br />

e temperaturas que variam entre 15<br />

graus mínima até os 28 graus máxima.<br />

PACOTES TURÍSTICOS<br />

CVC – cvc.com.br<br />

LITORAL VERDE VIAGENS –<br />

litoralverde.com.br<br />

SUBMARINO VIAGENS –<br />

submarinoviagens.com.br<br />

INFORMAÇÕES TURÍSTICAS<br />

guiacostaverde.com.br<br />

QUANDO IR<br />

Entre abril e setembro as chuvas são<br />

mais escassas e o tempo fica mais<br />

agradável. Entre outubro e março as<br />

FOTOS: ©ISTOCK.COM


Mendoza<br />

Paz e tranquilidade<br />

FOTO: ©ISTOCK.COM / SUSUP


Nem mesmo a magnitude do monte<br />

Aconcágua supera o principal atrativo turístico<br />

de Mendoza: o vinho. A cidade detém 70%<br />

de toda a produção do vinho argentino e eleva a<br />

qualidade de sua bebida nacional ao topo do mundo<br />

Por Pedro Teixeira<br />

Quando o General San Martin reuniu em<br />

Mendoza suas tropas para pôr em prática<br />

o plano de libertar a Argentina, o<br />

Chile e o Peru do domínio espanhol, mal imaginava<br />

que sob seus pés nasceria a mais bela praça<br />

da cidade - a Praça da Independência, onde<br />

lindas fontes d’água jorram em busca de fotos.<br />

O forte terremoto de 1861 transformou a<br />

praça no marco de reconstrução da cidade.<br />

Mendoza ganhou ruas mais largas e um belo<br />

calçadão na Avenida Sarmiento - área repleta<br />

de restaurantes, bares e lojas. Também passou<br />

a respirar, literalmente, novos ares: a Grande<br />

Mendoza tem um milhão de árvores, uma para<br />

cada habitante, e mais 52 praças. Alguns traços<br />

do passado ainda podem ser encontrados<br />

como a bela fachada colonial do século 19 do<br />

Hyatt Mendoza Hotel Casino e Spa.<br />

A imagem de turistas na praça da Independência,<br />

diante de uma das fontes de água propositadamente<br />

colorida de roxo para simbolizar<br />

o vinho, remete metaforicamente a dois<br />

expoentes da economia argentina: o vinho e<br />

o turismo - duas grandes fontes de renda de<br />

Mendoza, além do petróleo.<br />

A grande maioria dos cerca de três milhões<br />

pessoas, entre argentinos e estrangeiros, visita<br />

algumas das mais de 130 bodegas disponíveis<br />

à visitação. Há mais de mil. Mendoza detém<br />

70% de toda a produção de vinho do país e está<br />

entre as nove maiores capitais produtoras do<br />

mundo. Ao todo, são 160 mil hectares de área<br />

cultivável de uva. O uso primoroso da tecnologia<br />

no processo de produção tem contribuído<br />

com o crescimento do consumo e melhorado<br />

a excelente relação entre qualidade e preço.<br />

Berço do vinho argentino, Mendoza tem a<br />

fama de produzir o melhor Malbec do mundo e<br />

o belíssimo Cabernet Sauvignon. Entre vinhos<br />

brancos, predomina a Chardonnay. A uva Bonarda<br />

também já tem dado vinhos tintos macios<br />

e alegres, de muito sabor. Mas há outras<br />

como Syrah, Pinot Noir, Tempranillo, Merlot e<br />

Sauvignon Blanc. A Argentina já fulgura entre<br />

os melhores produtores de vinho do mundo,<br />

alguns de notas altíssimas.<br />

Terra de onde se deram os primeiros passos de<br />

liberdade, Mendoza respira novos tempos. Suas<br />

praças, ruas e avenidas conduzem ao prazer de saborear<br />

seu vinho com muita paz e tranquilidade.<br />

76


FOTO: ©ISTOCK.COM / / TERSINASHIEH<br />

GALYNA_P


La Fiesta de la Vendimia<br />

Clima, terroirs privilegiados e altitude se complementam<br />

perfeitamente em Mendoza e mantém<br />

os produtores em festa o ano todo. A mais<br />

popular de todas ocorre no verão - a Fiesta de la<br />

Vendímia - tradição de 84 anos, na qual se comemora<br />

a colheita das uvas e busca aproximar<br />

os produtores.<br />

O evento é comemorado em diferentes etapas:<br />

a bênção das uvas, no último domingo de<br />

fevereiro, na qual se agradece Deus os bons frutos<br />

da colheita. Nesse dia o governador da província<br />

dá o tradicional golpe na rédea do arado,<br />

simbolizando a chamada de descanso do lavrador,<br />

ato comum dentro de cada bodega.<br />

A Via Blanca de las Reinas é o evento que<br />

antecede a grande festa. Numa das principais<br />

avenidas da cidade, as candidatas à rainha desfilam<br />

sobre caminhões alegóricos, distribuem<br />

presentes de sua região (garrafas de vinho, mudas<br />

de uva etc) e arremessam frutas em direção<br />

ao público. É um verdadeiro carnaval do vinho.<br />

A grande festa é transmitida ao vivo pela TV<br />

para todo o país, com apresentação de peças<br />

teatrais e muita música. O ponto culminante é<br />

a escolha da rainha da vendímia - representante<br />

máxima da Argentina em grandes eventos de<br />

turismo ao redor do mundo. Neste ano, a festa<br />

se deu em 6 de março e permitiu que o público,<br />

além do júri, também tivesse direito uma porcentagem<br />

dos votos. A festa, com o tema, “Con<br />

el viño em la piel” (com o vinho na pele), foi<br />

realizada no Teatro Griego Frank Romero Day.<br />

A rainha escolhida foi Victoria Colovatti, de 19<br />

anos, representante da cidade de Maipú.<br />

O sacrifício do Valle de Uco<br />

As opções de turismo em Mendoza poderiam<br />

começar do alto dos 6.961 metros do Monte<br />

Aconcágua, na cordilheira dos Andes. A sentinela<br />

de pedra, ponto mais alto do Hemisfério<br />

Ocidental e Sul, era usada pelos incas para sacrifícios,<br />

inclusive humano. Mas o tempo trocou<br />

o sangue derramado do Aconcágua pelo vinho<br />

78


Ao lado, a Fiesta de la Vendimia -<br />

a maior festa popular da Argentina.<br />

que nasce a partir dos vinhedos plantados em<br />

seu sopé, no Valle de Uco. A 100 quilômetros<br />

de Mendoza, terrenos de até 1500 metros acima<br />

do nível do mar transformaram a paisagem<br />

da região. O sol intensifica os contrastantes tons<br />

de amarelo, vermelho e verde com seu fundo,<br />

emoldurado pelo branco das belas montanhas<br />

andinas, cheias de neve durante o inverno.<br />

A incrível beleza e a tranquilidade rondam o<br />

Valle de Uco, nome dado em homenagem ao<br />

cacique da região. Algumas bodegas se compuseram<br />

junto à paisagem, em meio a milhares de<br />

hectares de área plana cultivada a fim de preparar<br />

espaços surpreendentes para a recepção de<br />

turistas. Belos projetos arquitetônicos oferecem<br />

excelentes opções gastronômicas, exposição de<br />

trabalhos artísticos regados em charmosas taças<br />

de vinho. Aos pés da cordilheira dos Andes, o<br />

solo arenoso e o clima favorável brindam a beleza<br />

contemplativa dos Andes com bom vinho,<br />

sem nenhum tipo de sacrifício.<br />

Clos de Los siete<br />

Em Vista Flores, Tunuyan, os <strong>80</strong>0 hectares de<br />

terras de vinhedos verdejantes enfileirados aos<br />

pés das montanhas andinas, no Valle de Uco, se<br />

harmonizam diante da belas montanhas andinas.<br />

Clos de los Siete nasceu da visão empreendedora<br />

de sete sócios, em 1990, de produzir<br />

vinhos de alta qualidade nessa região. Dentre<br />

as cinco bodegas locais, a de Monteviejo ocupa<br />

área de 130 hectares a altura entre 1.000 e<br />

1.200 metros acima do nível do mar. A primeira<br />

colheita foi feita em 2002, um ano após sua<br />

construção. As encostas da terra estão dentre<br />

as de melhor exposição solar no Hemisfério Sul.<br />

A bodega de Monteviejo utiliza a força do sistema<br />

gravitacional com uma mesa de seleção<br />

dupla para cachos e uvas. A matéria-prima é<br />

transportada sem o uso de bombas, o que evita<br />

danos ao processo de produção do vinho. Para<br />

quem é leigo, é importante compreender que<br />

Entre as montanhas andinas e o extenso<br />

Valle de Uco, a imponente Bodega Monteviejo<br />

FOTOS: GOVERNO DE TURISMO DE MENDOZA / DIVULGAÇÃO


Bodega Salentein:<br />

vinho e arte na medida certa<br />

FOTO: GOVERNO DE TURISMO DE MENDOZA / DIVULGAÇÃO<br />

uvas de alta qualidade necessitam de solos mal<br />

estruturados, argilosos e pedregosos, o que é o<br />

caso da região. Sem fazer uso de fertilizantes,<br />

a vinícola cultiva diversas variedades, com destaque<br />

para o Malbec - representante maior do<br />

vinho argentino. A empresa cultiva também o<br />

Merlot, Cabernet Sauvignon, Syrah, Petit Verdot<br />

e Chardonnay. São cerca 5.500 plantas<br />

por hectare irrigadas por gotejamento em um<br />

sistema de alta condução. Dentre as 11 marcas<br />

comercializadas por Monteviejjo, destaque<br />

para a premiada Lindaflor - elegante vinho de<br />

nível e estilo internacional, considerado como<br />

de complexos aromas de ameixa, pimenta preta<br />

e sutis notas de noz moscada, ideal para carnes<br />

vermelhas, peixes de mar profundo ou carne escura<br />

e queijos maduros.<br />

Bodega Salentein -<br />

a combinação perfeita<br />

Bom vinho e som de piano: combinação perfeita.<br />

A bodega Salentein fez uso dessa atraente<br />

união e ergueu, a 10 metros abaixo do nível do<br />

solo, a “Catedral do Vinho“. O piso do palco circular<br />

tem como símbolo a Rosa dos Ventos, iluminada<br />

por luz natural. A disposição do piano dá<br />

charme à enorme quantidade de barricas de vinho<br />

ao seu redor, que também servem de apoio<br />

aos expectadores. A excelente acústica garante<br />

boa qualidade aos concertos musicais. Já está<br />

programada apresentação de música clássica durante<br />

a Semana Santa, e em outubro, tango. A<br />

construção, sustentada por oito pilares, foi inspirada<br />

em catedrais cristãs, cujas colunas representam<br />

os apóstolos. Quanto ao vinho Salentein,<br />

destaca-se a produção de belos Pinot Noir. Os<br />

diversos tipos de vinho da bodega vem de vinhedos<br />

cultivados em diferentes altitudes na região.<br />

A bela bodega recepciona o visitante com belas<br />

esculturas, lindo espelho d’água e exposição permanente<br />

de artistas argentinos e holandeses.<br />

A pousada Salentein, bastante silenciosa, é<br />

refúgio perfeito para descanso. A culinária oferece<br />

outra grande experiência, desde entradas<br />

leves a pratos sofisticados e o típico corte de<br />

carne argentino. Salentein é a combinação perfeita<br />

de arte e prazer.<br />

<strong>80</strong>


Bodega El enemigo -<br />

do inferno ao céu<br />

O inferno, o purgatório e o paraíso: inspirado<br />

na Divina Comédia, de Dante Alighiere, o engenheiro<br />

agrônomo Alejandro Vigil criou a Bodega<br />

El Enemigo. A sala subterrânea, um tanto<br />

escura, representa o “Inferno”. Nela, bebidas<br />

valiosas dividem espaço (assim como em outras<br />

dependências) para exposição de obras de<br />

artistas locais. Na medida que se segue para<br />

a sala seguinte (Purgatório) o visitante entra<br />

em contato com mais obras artísticas variadas<br />

e, claro, mais vinho. A sala Paraíso está acima<br />

de ambos: no espaço aberto, o gramado cheio<br />

de mesas dá o clima de descontração. O restaurante,<br />

na área fechada, serve fartamente<br />

variedades do vinho “El Enemigo” - nome extraído<br />

da Divina Comédia: os medos internos<br />

que tanto afligem o ser humano. A linha “El<br />

Enemigo” da vinícola é formada pelos belos vinhos<br />

Malbec, Cabernet Franc, Bonarda, Syrah/Viognier e<br />

Chadonnay. Saboroso e de grande personalidade,<br />

o “cult wine” El Enemigo Malbec foi apontado por<br />

Robert Parker como “outstanding”. Já o El Enemigo<br />

Cabernet Franc, vinho tinto encorpado e elegante,<br />

com grande profundidade de fruta recebeu do crítico,<br />

pela safra de 2011, fantásticos 92 pontos. Na<br />

Bodega El Enemigo, uma taça de vinho eleva o visitante<br />

do inferno ao paraíso em segundos.<br />

Passeio no azeite<br />

Em 1906, o imigrante francês Dom Francisco Laur<br />

criou a primeira plantação de oliveiras na região de<br />

Mendoza e passou a produzir azeite extra virgem.<br />

Quem visita a antiga fábrica pode conhecer, além<br />

das árvores seculares, um pequeno museu cheio de<br />

ferramentas como prensas e técnicas antigas na extração<br />

desse óleo. A inovação tecnológica chegou<br />

em 1998 com a implantação de novos maquiná-<br />

Bodega El Enemigo: a<br />

inspiração de Alejandro Vigil<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO


Interior da fábrica de azeite Laur<br />

FOTO: OLIVÍCOLA LAUR / DIVULGAÇÃO<br />

rios e, em 2013, a empresa também passou a<br />

produzir vinagre balsâmico, cremoso e de sabor<br />

levemente adocicado. A produção chega a<br />

450 mil garrafas de azeite de oliva e 250 mil<br />

de vinagre por ano. Os visitantes são levados a<br />

conhecer todo o processo de produção do azeite<br />

e também a loja da fábrica, onde é feita a<br />

degustação dos produtos. São servidos azeites,<br />

patê de azeitonas verde e preta, tomate seco<br />

reidratado em azeite, azeitonas e uvas passas.<br />

As diferentes marcas produzidas pela Laur partem<br />

da mistura de vários tipos de azeitonas. A<br />

decantação resíduos do óleo das azeitonas por<br />

dois meses e meio em tonéis de metal garantem<br />

mais qualidade e melhor sabor do azeite.<br />

A empresa produz as marcas Clássico Extra Virgem,<br />

Blend e Terroir Cruz de Piedra, Blend de<br />

Terroir Altos Limpios, Blend de Terroir Medrano<br />

e o Gran Mendoza Premium, além dos vinagres<br />

balsâmico Laur e Millán.<br />

As visitas precisam ser agendadas através do<br />

site olvlaur.com .<br />

Serviço<br />

COMO CHEGAR<br />

Até antes da pandemia do novo<br />

coronavírus as companhias<br />

aéreas Aerolineas Argentinas<br />

(aerolineas.com.ar), LATAM (latam.com/pt_br/)<br />

e GOL (voegol.com.br)<br />

operavam voos regulares<br />

para Mendoza com<br />

saídas de São Paulo. Importante<br />

pesquisar nos sites das<br />

empresas.<br />

ONDE COMER<br />

Bodega Casa El Enemigo - Videla<br />

Aranda 7008, Maipú - facebook.com/casaElEnemigo<br />

El Perro de Lombardo - Av.<br />

Arístides Villanueva, 537 - facebook.com/elperrodelombardo<br />

Bodega Lagarde - Calle San<br />

Martin, 1745, Lujan de Cuyo -<br />

lagarde.com.ar<br />

Posada Salentein - Ruta 89, s/<br />

nº, Los Arboles de Villegas - bodegasalentein.com<br />

ONDE FICAR<br />

Sheraton Mendoza Hotel –<br />

marriott.com.br<br />

Park Hyatt Mendoza – hyatt.com<br />

Posada Boutique El Encuentro<br />

– posadaelencuentro.com<br />

Huentala Hotel – huentala.com<br />

PACOTES TURÍSTICOS<br />

CVC – cvc.com.br<br />

FLOT – newsite.flot.com.br<br />

LUSANOVA –<br />

lusanova.com.br<br />

ORINTER TOUR –<br />

orinter.com.br<br />

SENATOR TURISMO –<br />

senator.com.br<br />

VIAJANET – viajanet.com.br<br />

INFORMAÇÕES TURÍSTICAS<br />

argentina.travel<br />

turismo.mendoza.gov.ar<br />

82


Piriápolis:<br />

uma cidade resort à<br />

beira-mar no Uruguai<br />

Por Carolina Berlato<br />

FOTO: ©ISTOCK.COM / RUDIMENCIAL


Localizada a menos de 100 km de Montevidéu<br />

e a 40 km de Punta del Este, Piriápolis está<br />

situada no departamento de Maldonado e é<br />

uma verdadeira caixinha de boas surpresas. Piriápolis<br />

é ideal para um bate e volta para quem estiver<br />

por Montevidéu ou Punta del Este.<br />

A região é um verdadeiro resort à beira mar com todos<br />

os atrativos imagináveis: são cassinos, praias e o<br />

belíssimo porto banhado pelo Rio de la Plata. Entre<br />

as montanhas e o mar, Piriápolis é uma cidade marcada<br />

por histórias envolvendo alquimia, mas cheia<br />

de charme, elegância e diversão. Surpreenda-se.<br />

AS BELÍSSIMAS PRAIAS<br />

O litoral de Piriápolis consegue agradar a todos os<br />

gostos. São cerca de 20 quilômetros de orla e diversas<br />

opções para curtir sozinho, a dois ou em família.<br />

Para quem não é fã de praias movimentadas, a<br />

Playa Verde é uma boa escolha, principalmente por<br />

estar rodeada de bosques e um lindo mar verde esmeralda.<br />

No entorno está La Piscinita, uma piscina<br />

natural onde se pode praticar snorkel e mergulho,<br />

e Proa del Mar, que está um pouco mais distante,<br />

mas é sinônimo de tranquilidade e desconexão.<br />

Quem curte esportes pode fazer mountain biking<br />

no Cerro de los Burros, de onde se pode ter uma<br />

belíssima visão da orla.<br />

A playa Hermona é ideal para quem quiser curtir<br />

com a família e estiver com crianças. Além de ser<br />

sossegada, o mar é calmo e ao redor existem diversos<br />

restaurantes e lojinhas de conveniência.<br />

Localizada a apenas 5 quilômetros do centro de<br />

Piriápolis, Punta Colorada oferece aos turistas apenas<br />

o barulho das ondas e uma natureza incrível.<br />

É a partir dela que se pode encontrar os balneários<br />

de Punta Fría e San Francisco.<br />

Punta Negra é um balneário bem parecido com<br />

Punta Colorada, com suas praias extensas. O destaque,<br />

no entanto, é a pesca esportiva, onde há<br />

uma abundância de corvinas e linguados. Na costa,<br />

está a vida noturna agitada de Pirápolis, com<br />

diversas casas de show e baladas.<br />

Punta Fría é um paraíso para os amantes de surf.<br />

Com boas ondas e muito vento, é o local ideal para<br />

a prática do esporte. La Brava também é outra parada<br />

obrigatória para os amantes de altas ondas,<br />

mas ainda para curtir piscinas naturais e observar<br />

as baleias francas durante a primavera, que ficam<br />

visíveis à beira-mar.<br />

O balneário de San Francisco, criado em homenagem<br />

a Francisco Piria, é próprio para banho e<br />

para relaxar a mente. Por ser bem extensa, algumas<br />

partes são ótimas para prática de surf e mergulho.<br />

Além de ser point de observação de baleias<br />

durante o final do inverno.<br />

RAMBLA DE LOS ARGENTINOS<br />

A construção de Rambla de los Argentinos teve<br />

início em 1910, inspirada principalmente nos spas<br />

europeus. São cinco quilômetros de construção,<br />

tudo feito com muito rigor e padronizado. As pedras<br />

foram trazidas especialmente do Cerro Pan de<br />

Azúcar, e é ali que se pode observar de pertinho as<br />

belezas do porto.<br />

O assentamento da orla percorre praticamente toda<br />

a avenida principal da cidade e é onde se encontra<br />

o centro comercial. Lá, é possível encontrar souvenires<br />

com itens típicos do Uruguai e de Piriápolis.<br />

Caminhando pela Rambla, o visitante poderá ver<br />

o porto, a belíssima praia e os históricos hotéis de<br />

frente para a orla.<br />

84


Ao lado, a praia Punta Colorado oferece<br />

paisagens naturais incríveis. Abaixo, a Rambla de los<br />

Argentinos, construção ao longo da orla da cidade.<br />

FOTO: ©ISTOCK.COM / XENI4KA<br />

FOTO: ©ISTOCK.COM / RUDIMENCIAL<br />

HOTEL ARGENTINO<br />

Idealizado e criado pelo fundador do Balneário<br />

de Piriápolis, Francisco Piria, o Hotel Argentino faz<br />

parte do legado do alquimista e é um dos patrimônios<br />

históricos da cidade. Inaugurado em 1930,<br />

traz em seu interior grande influência dos maiores<br />

e melhores empreendimentos hoteleiros do continente<br />

europeu. Todos os móveis, jogos de cama<br />

e banho, louças, talheres e até mesmo algumas<br />

máquinas foram importados da Europa.<br />

O hotel foi pioneiro na técnica de talassoterapia<br />

– uso da água do mar para fins terapêuticos – que<br />

se tornou o principal motivo para ter alavancado o<br />

turismo na região e com foco no turismo de saúde.<br />

Hoje, além da bagagem cultural e histórica, o<br />

empreendimento é ideal para admirar um estilo<br />

arquitetônico único e cheio de personalidade. O<br />

térreo pode ser considerado um pequeno museu;<br />

há duas salas de chá, quadros – um deles sendo<br />

o retrato de Francisco Piria – cerâmicas, etiquetas<br />

de vinho dos anos 30, cartões postais da época,<br />

cadernos de contabilidade, livro de registro dos<br />

hóspedes, alguns dos livros escritos pelo fundador,<br />

roupas de banho, placas de publicidade do hotel,<br />

fotografias dos visitantes e enormes vitrais que<br />

proporcionam uma vista incrível para o Balneário.<br />

O Hotel Argentino ainda oferece serviços de hospedagem,<br />

tendo modernizado diversas partes do<br />

edifício. São 300 quartos com diferentes estilos e<br />

serviços, cinco restaurantes especializados em diferentes<br />

gastronomias, instalação para aulas de<br />

yoga e academia.<br />

O Cassino del Estado é uma diversão a parte. Ele<br />

está localizado no piso principal do hotel, com<br />

acesso direto para os hóspedes. E para finalizar,<br />

outra atração de destaque é o Centro Termal, com<br />

três piscinas que variam entre temperaturas de<br />

34°C a 38°C, piscina externa com água do mar e<br />

um Spa, que conta com os tratamentos de talassoterapia<br />

e hidroterapia, diversos tipos de massagens<br />

corporais, tratamentos faciais, cabelereiro e espaço<br />

para sessão de maquiagem com profissionais.<br />

85


Com uma ótima vista panorâmica, a<br />

Capela de San Antonio é um dos pontos<br />

turísticos mais visitados de Piriápolis.<br />

FOTO: ©ISTOCK.COM / RUDIMENCIAL<br />

CERRO DEL INGLÉS E<br />

CAPELA DE SAN ANTONIO<br />

Situado a cerca de 130 metros acima do nível do<br />

mar, Cerro del Inglés é um dos melhores lugares<br />

para se ter uma ótima visão panorâmica do balneário<br />

e é onde se encontra a imagem de a Virgem<br />

dos Pescadores, procurada para dar a benção aos<br />

amantes do mar e da navegação. Também é no<br />

morro que está a capela de Santo Antônio, uma<br />

das igrejas católicas mais visitadas pelos turistas<br />

– principalmente por mulheres que ainda não se<br />

casaram. A imagem do santo foi levada especialmente<br />

de Milão para Piriápolis.<br />

No morro, é possível encontrar a pedra que fundou<br />

a cidade. O local é acessível por carro, teleférico<br />

ou a pé.<br />

CASTILLO DE PIRIA<br />

O Castelo de Piria fica ao norte da cidade, na Rota<br />

37. O local foi residência da família por dois anos.<br />

Construído pelo arquiteto italiano Aquiles Monzani,<br />

em 1894, o edifício possui um estilo medieval<br />

e renascentista e imita as vilas italianas do fi-<br />

nal do século XIX. Além disso, conta com diversos<br />

elementos e materiais que foram importados da<br />

Europa durante as viagens do alquimista pelo continente.<br />

Algumas das pedras foram extraídas diretamente<br />

do Cerro Pan de Azúcar.<br />

Atualmente, o Castelo funciona basicamente<br />

como um museu municipal, onde é possível encontrar<br />

algumas réplicas dos objetos originais de<br />

Piria, documentos sobre a história e criação da<br />

praia, e muitas referências à alquimia e mitologia<br />

grega, prática e histórias que fizeram parte da cultura<br />

pessoal de Piria desde sua infância. Ao redor<br />

do castelo, existe ainda uma área cercada de árvores<br />

e diversas plantas. O local é bem tranquilo e<br />

ideal para quem quer relaxar. A entrada é franca.<br />

PARQUE MUNICIPAL LA CASCADA<br />

O Parque de La Cascada foi uma das primeiras<br />

atrações propostas por Francisco Piria para ser feita<br />

em Piriápolis. Seu grande destaque é uma cachoeira<br />

de 5 metros que dá o nome ao local. Além<br />

de passeios ecológicos, há o Museu da Fauna, anfiteatro,<br />

área para piquenique e churrasqueiras,<br />

ideal para curtir o dia em família.<br />

86


CERRO DEL TORO E<br />

FUENTE DE VENUS<br />

Situado 250 metros acima do nível<br />

do mar, Cerro dol Toro é uma colina<br />

onde se encontra um dos must<br />

see da cidade: a Fuente del Toro. É<br />

da boca do touro - em tamanho real<br />

feito de bronze - que sai um fluxo<br />

de água que cai diretamente na fonte<br />

logo abaixo. Dizem as lendas que<br />

Francisco Piria levou a estátua pessoalmente<br />

da França para colocá-la<br />

onde se encontra.<br />

Aos pés do morro fica uma praça<br />

bem chamativa e rodeada de árvores.<br />

É lá que se encontra a Fonte de<br />

Vênus, uma réplica da existente na<br />

cidade italiana de Villa Paravicini.<br />

Juntamente com a Fuente del Toro<br />

e a Fuente Stella Maris, no Cerro San<br />

Antonio, forma a trilogia de fontes<br />

idealizadas por Piria.<br />

FOTO:HOVERFISH/CC BY-SA 3.0/CREATIVECOMMONS.ORG/LICENSES/BY FROM WIKIMEDIA COMMONS


Serviços<br />

IDIOMA<br />

Espanhol<br />

MOEDA<br />

Peso Uruguaio<br />

VISTO<br />

Não é necessário visto por um período<br />

de até 90 dias.<br />

FUSO HORÁRIO<br />

Não há fuso horário, exceto durante o<br />

Horário de Verão brasileiro (-1 hora)<br />

CLIMA<br />

O Uruguai é um país de clima temperado,<br />

com as estações bem definidas. O<br />

verão costuma ser quente e úmido, podendo<br />

variar de 17°C a até mais de 40°C<br />

em algumas regiões. O inverno costuma<br />

ter temperaturas que vão de 6°C a 15°C.<br />

SAÚDE<br />

Nenhuma vacina é exigida.<br />

EMBAIXADA DO BRASIL<br />

NO URUGUAI<br />

Convención, 1.343, 6 o andar (esquina<br />

Av. 18 de Julio) – Tel: +598 2901-2024<br />

EMBAIXADA DO URUGUAI<br />

NO BRASIL<br />

Rua Estados Unidos 1.284, Jardins – São<br />

Paulo-SP - Telefone: (11) 2879-6600<br />

COMO CHEGAR<br />

Algumas companhias aéreas como a<br />

Azul, GOL e a LATAM fazem voos diretos<br />

para o Aeroporto de Carrasco em<br />

Montevidéu. A partir de Montevidéu,<br />

Piriápolis fica a 98 quilômetros e a 41<br />

quilômetros de Punta del Este, podendo<br />

ser acessada de carro ou pelo porto.<br />

ONDE COMER<br />

La Corniche – visitelacorniche.com.uy<br />

La Cueva del Sapo –<br />

lacuevadelsapo.com.uy<br />

Alba Express –<br />

facebook.com/AlbaExpress10<br />

ONDE FICAR<br />

Hotel Argentino Cassino & Resort –<br />

argentinohotel.com.uy<br />

Select Hotel Piriápolis –<br />

selecthotelpiriapolis.com.uy<br />

Hotel Colon – hotelcolonpiriapolis.com<br />

Hotel Mar y Arte – maryarte.com.uy<br />

TRANSPORTES<br />

Pirápolis possui um terminal de ônibus<br />

que está localizado entre Nice e Freire. Os<br />

ônibus fazem rotas para atrações como<br />

Pan de Azúcar, onde é possível fazer a<br />

combinação para Rocha. Para quem desejar<br />

ir até Montevidéu ou Punta del Este,<br />

existem alguns percursos que podem<br />

ser feitos de ônibus a parti do terminal.<br />

DICAS<br />

A cidade-praia de Piriápolis foi criada<br />

à imagem e semelhança das praias da<br />

Riviera Francesa, então abuse das selfies<br />

e fotos do local. Além disso, a região<br />

conta com diversos serviços necessários<br />

para receber o turista e disponibilizar o<br />

maior conforto possível.<br />

Leve roupas leves para curtir as praias e<br />

algumas mais quentinhas caso o tempo<br />

esfrie a noite. Para quem curte esportes<br />

de aventura, vale a pena colocar na<br />

mala equipamentos e trajes especiais<br />

para fazer rafting, trekking e surf.<br />

PACOTES TURÍSTICOS<br />

ABREU – abreutur.com.br<br />

BWT OPERADORA –<br />

bwtoperadora.com.br<br />

CVC – cvc.com.br<br />

INFORMAÇÕES TURÍSTICAS<br />

piriapolis.com<br />

FOTO: ©ISTOCK.COM<br />

FOTO: ANDREAS FAESSLER/CC BY-SA 3.0/CREATIVECOMMONS.<br />

ORG/LICENSES/BY VON WIKIMEDIA COMMONS<br />

FOTO: MEVROB/CC BY-SA 3.0/CREATIVECOMMONS.ORG/LICENSES/BY-SA/FROM WIKIMEDIA COMMONS<br />

FOTOS: ©ISTOCK.COM<br />

FOTO: GONZA240/CC BY-SA 3.0//CREATIVECOMMONS.ORG/LICENSES/<br />

BY FROM WIKIMEDIA COMMONS


CONHEÇA<br />

O SABOR E AROMA<br />

DO BLEND EXCLUSIVO<br />

FRAN’S CAFÉ.<br />

Uma bebida de corpo elevado,<br />

acidez média e sabor marcante,<br />

com notas intensas de caramelo<br />

e leve sabor frutado.<br />

À venda em todas as nossas<br />

lojas. Leve pra casa!<br />

Venha fazer parte da nossa história. Seja um franqueado, acesse: www.franscafe.com.br.


Florianópolis,<br />

uma experiência de sonhos


FOTO: EMBRATUR / DIVULGAÇÃO


Com praias de águas de infinitas tonalidades<br />

de azul e esmeralda e bucólicos recantos habitados<br />

pela Mata Atlântica, a capital de Santa Catarina<br />

guarda boas surpresas para quem a visita<br />

Por Fabíola Musarra<br />

Quem conhece Florianópolis, imediatamente<br />

se apaixona. Afinal, a capital<br />

catarinense é um incessante desfile de<br />

hipnotizantes praias e de belíssimas paisagens<br />

urbanas e rurais ao mesmo tempo em que<br />

vive, transpira e exibe os fortes traços culturais<br />

herdados dos açorianos que ali chegaram<br />

em meados dos séculos 17 e 18, colonizando<br />

aquelas mágicas terras. Situada a Leste do Estado,<br />

a pulsante metrópole é ainda uma das<br />

pioneiras no País a implantar uma tendência<br />

em alta no mundo: o turismo de experiência.<br />

A prática de proporcionar experiências é a base<br />

do turismo de incentivo, segmento com foco<br />

em viagens e programas turísticos oferecidos<br />

por empresas a seus colaboradores, fornecedores,<br />

parceiros ou clientes como prêmio por cumprimento<br />

de metas ou por algum desempenho<br />

de destaque. A modalidade é uma das que mais<br />

cresce no mundo nos últimos anos. No Brasil,<br />

está presente desde meados da década de<br />

1970, e tem como objetivo encantar o turista,<br />

proporcionando-lhe experiências únicas e inesquecíveis<br />

de sua viagem. Para isso, alia vivência e<br />

emoções, fazendo com que ele deixe de ser apenas<br />

um observador dos cenários paradisíacos do<br />

destino e passe a ser o seu principal protagonista.<br />

Para alcançar o objetivo, requer obrigatoriamente<br />

a participação e a interação do viajante<br />

com as comunidades locais, motivando<br />

o seu envolvimento em atividades como a<br />

produção de artesanato e o aprendizado de<br />

práticas gastronômicas, esportivas e de tradições<br />

religiosas e folclóricas. Palco que abriga<br />

essas e muitas outras atrações, Florianópolis<br />

todas as condições de proporcionar resultados<br />

positivos nessa maneira de viajar.<br />

Desenvolvida em parceria pela prefeitura e<br />

pelo Convention & Visitors Bureau da cidade,<br />

a iniciativa conta ainda com a participação de<br />

agências de viagem, órgãos turísticos, empresários<br />

do setor de hotelaria e proprietários de<br />

bares e restaurantes. Juntos, eles estão disponibilizando<br />

passeios e aventuras que jamais<br />

serão esquecidos por quem deles participa.<br />

As opções oferecidas aos turistas e também<br />

a empresas que desejem premiar seus melhores<br />

profissionais, parceiros e fornecedores<br />

são muitas. Incluem desde visitar fazendas de<br />

cultivo de ostras em pleno mar e conhecer<br />

graciosas vilas de pescadores até testemunhar<br />

o artista plástico Luciano Martins pintando<br />

uma tela enquanto o participante saboreia<br />

uma refeição, ao som de Dazaranha,<br />

uma banda musical de Santa Catarina.<br />

Não há barreiras nem limites no universo do<br />

turismo de experiência. Nem para vivenciá-lo<br />

em solo catarinense. Não é à toa. Florianópolis<br />

é uma das três ilhas-capitais do País – as outras<br />

são Vitória (ES) e São Luís (MA). É banhada<br />

pelo Oceano Atlântico e abriga quase 50 praias<br />

de águas azul-esverdeadas. Tem 52% do seu<br />

território em área de preservação ambiental,<br />

exibindo irretocáveis cenários povoados pelos<br />

múltiplos tons de verde da Mata Atlântica.<br />

Com efervescentes points e baladas noturnas,<br />

conta também com bares e restaurantes<br />

que primam pela excelente culinária – desde<br />

2014, é uma das cidades detentoras do título<br />

de Cidade Criativa da Gastronomia, concedido<br />

pela Unesco. Tem quatro vias gastronômicas<br />

que oferecem desde pratos típicos elaborados<br />

à base de peixes e frutos do mar até os<br />

da cozinha internacional.<br />

92


FOTO: © ISTOCK.COM /AZEVEDORDG


94<br />

Quanto à infraestrutura de hospedagem,<br />

Florianópolis concentra sofisticados resorts,<br />

pousadas de luxo e conceituados empreendimentos<br />

pertencentes a bandeiras internacionais.<br />

Também disponibiliza opções mais econômicas,<br />

como albergues e hotéis simples,<br />

porém aconchegantes. Em seu aeroporto,<br />

o maior do Estado, diariamente, aterrizam e<br />

decolam aviões, num total de 140 voos.<br />

A maioria de seus atrativos fica na parte insular,<br />

e outros, em bem menor quantidade, no<br />

continente. O motivo? Grande parte da cidade,<br />

o equivalente a 97,23% de seu território, está<br />

situada na Ilha de Santa Catarina (a área total<br />

do município, compreendendo a porção insular<br />

e a continental, é de 675.410 km²). Assim,<br />

nada é mais natural que as suas principais vedetes<br />

estejam espalhadas pela ilha.<br />

E não são poucas. Em apenas uma hora e<br />

em um raio de 100 km de distância da capital,<br />

o turista encontra propriedades rurais,<br />

estâncias termais e praias onde pode observar<br />

as baleias-francas que visitam o litoral<br />

catarinense todos os anos, de julho a novembro.<br />

“Temos natureza, história, cultura,<br />

esportes e entretenimento para as quatro<br />

estações do ano”, diz Marco Aurélio Floriani,<br />

presidente do C&VB Florianópolis e Região.<br />

Florianópolis, de fato, possui quase 50 pontos<br />

históricos, entre fortalezas erguidas nos<br />

tempos do Brasil colonial, sítios arqueológicos,<br />

museus e igrejas. É o lar ainda da Lagoa<br />

da Conceição, de charmosos redutos açorianos<br />

e do Parque Municipal da Lagoa do<br />

Peri, onde está o principal manancial de água<br />

doce que abastece o Sul da ilha.<br />

Sem esquecer os tesouros que guarda em<br />

seu centro histórico, a Avenida Beira-Mar<br />

Norte e o principal postal da cidade: a Ponte<br />

Hercílio Luz, com 821 m de extensão. Entre<br />

1926 e 1975, a antiga ponte pênsil era o único<br />

meio de fazer a travessia rodoviária sobre o<br />

Atlântico. Desde 1991, está em obras e interditada<br />

ao tráfego de pedestres e automóveis.


Ao lado, a lagoa da Conceição situada no centro geográfico da Ilha de Santa Catarina<br />

que reúne praias, dunas, montanhas e a maior laguna de Florianópolis; e o Mercado<br />

Municipal, lugar perfeito para um happy hour com os amigos. Abaixo, a Ponte Hercílio<br />

Luz, um dos maiores cartões-postais da cidade e única forma de chegar à ilha até 1975.<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / LUCATO<br />

CONTO DE FADAS<br />

Ao Norte de Florianópolis, o Costão do Santinho<br />

Resort é um dos empreendimentos que<br />

oferece pacotes de turismo de incentivo, constituindo-se<br />

em um bom endereço para vivenciar<br />

uma experiência de sonhos. Eleito sete<br />

vezes como o melhor resort de praia do Brasil<br />

pela revista “<strong>Viagem</strong> & Turismo”, está localizado<br />

na Praia do Santinho, uma das mais bonitas<br />

da ilha e distante 40 km do centro da cidade.<br />

Com 2,2 km de extensão, a praia é perfeita<br />

para quem gosta de surfar, além de possuir<br />

dunas branquinhas, feitas sob medida para os<br />

adeptos da prática de sandboard, o surfe em<br />

prancha sobre as areias. A praia divide o exuberante<br />

espaço que ocupa com o Morro das<br />

Aranhas, onde o hotel está inserido e onde<br />

trilhas bem sinalizadas levam o hóspede a conhecer<br />

a flora e fauna preservadas do lugar.<br />

No cantinho direito da praia, uma passarela<br />

de madeira conduz o visitante a inscrições<br />

rupestres pré-históricas. Identificado por placas<br />

explicativas, esse sítio arqueológico ao ar<br />

livre é mantido pelo resort. No local também<br />

são encontrados relevos circulares em rochas<br />

que foram usadas pelos povos ancestrais da<br />

ilha para confeccionar e afiar instrumentos e<br />

artefatos, como pontas de lanças, machados<br />

e pesos para redes de pesca.<br />

No inverno, a praia é colorida por pescadores.<br />

É que nesta estação do ano, quando as<br />

águas do mar são mais frias, que milhares de<br />

tainhas por ali aparecem. O espetáculo se repete<br />

todos os anos, sobretudo a partir de 1º<br />

de maio até o dia 30 de julho, período em<br />

que acontece a safra da tainha e os pescadores<br />

fazem a pesca artesanal dos peixes, uma<br />

das mais antigas tradições catarinenses.<br />

Durante esses meses, os hóspedes podem<br />

participar do cotidiano dos pescadores, ajudando-os<br />

a puxar a rede nos arrastões feitos<br />

à beira-mar. O resort compra boa parte das<br />

tainhas pescadas. Mais tarde, os seus restaurantes<br />

servem pratos preparados com o<br />

peixe fresquinho – ao todo, possui 7 restaurantes<br />

e 13 bares.<br />

Quando se fala em números e em atrativos,<br />

tudo é superlativo no Costão do Santinho.<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / MERCEDESLORENZO<br />

FOTO: © ISTOCK.COM / DANIEL_WIEDEMANN


O Costão do Santinho é um dos<br />

resorts mais completos da ilha e<br />

pioneiro no turismo de incentivo<br />

FOTOS: DIVULGAÇÃO<br />

Com 750 mil m 2 , possui 14 vilas com 695 apartamentos,<br />

além do Hotel Internacional, cujas<br />

acomodações têm varanda com vista para o<br />

mar. Na área social, piscinas, salas de jogos,<br />

brinquedos, cinema, boate, butiques e quadras<br />

poliesportivas fazem a festa dos hóspedes.<br />

A programação de lazer é outro de seus<br />

pontos fortes. Com atividades divididas por<br />

dia e por faixa etária, abrangem desde arco e<br />

flecha a parede de escalada e tirolesa.<br />

Florianópolis, porém, não se resume apenas<br />

às atrações do Costão do Santinho. Nem se<br />

traduz em seus expressivos números. A vibrante<br />

capital de Santa Catarina não sai do<br />

ranking das melhores cidades do Brasil. Reúne<br />

em seu solo exuberante natureza, praias<br />

de águas caribenhas e cantinhos ricos em<br />

costumes e tradições culturais.<br />

Seu encantamento está presente em qualquer<br />

dia do ano em suas comidas e bebidas<br />

típicas, na sua excelente infraestrutura de<br />

hospedagem e de serviços, em sua história e<br />

no carinho de sua gente. Não é só! Em Florianópolis,<br />

tudo fascina, enfeitiça e seduz. Em<br />

outras palavras, na pequena ilha do Sul do<br />

País tudo é mágico e pura magia.<br />

A jornalista viajou a convite do Costão do Santinho, com<br />

apoio do Floripa Convention, e com a proteção do seguroviagem<br />

da GTA - Global Travel Assistance.<br />

96


FOTOS: EMBRATUR / MARKITO<br />

TENTAÇÕES GASTRONÔMICAS<br />

Não faltam opções para comer bem em Florianópolis.<br />

Maior produtora de ostras do País, a ilha possui<br />

ainda muitas fazendas de produção do molusco.<br />

Em um passeio de barco, é possível conhecer a<br />

cultura de cultivo das ostras e, depois, degustá-las<br />

nos bares e restaurantes que integram as quatro<br />

rotas gastronômicas da cidade. Confira:<br />

Rota do<br />

Sol Poente –<br />

Santo Antônio de<br />

Lisboa é uma das<br />

mais antigas colônias<br />

de pescadores<br />

da ilha e tem como<br />

ponto alto a gastronomia<br />

e a cultura.<br />

Suas ruas guardam<br />

joias herdadas dos<br />

açorianos. Santo<br />

Antônio de Lisboa,<br />

por exemplo, recebeu<br />

os primeiros<br />

colonizadores no<br />

final do século 17<br />

e cresceu no mesmo<br />

molde das vilas<br />

portuguesas, com<br />

duas ruas principais<br />

em paralelo ao<br />

mar e poucas ruas<br />

transversais.<br />

Em uma caminhada<br />

pelas suas ruazinhas<br />

é possível desvendar o seu inestimável patrimônio<br />

arquitetônico, impresso nas casas coloniais, na<br />

primeira rua calçada do Estado e na Igreja Nossa Senhora<br />

das Necessidades, edificada entre 1750 e 1756.<br />

Como a região abriga muitas fazendas de ostras, a<br />

maioria dos barzinhos e restaurantes desta rota serve<br />

o molusco. Caso do Villa do Porto Gastronomia & Bar.<br />

Com vista para o mar, neste lindo casarão da época colonial<br />

as ostras surgem gratinadas, ao bafo e in natura,<br />

temperadas com sal, limão, cachaça ou alho e óleo.<br />

Ao lado do vizinho bairro Cacupé, Santo Antônio de<br />

Lisboa e Sambaqui integram essa rota gastronômica,<br />

assim batizada por proporcionar no final das tardes um<br />

memorável pôr de sol. À noite, o visual do mar com as<br />

fazendas de ostras e os barquinhos na praia, tendo ao<br />

fundo as luzes do continente, da Ponte Hercílio Luz e<br />

da Avenida Beira-Mar Norte, é indescritível.<br />

Rota das Ostras – Fundada em 1760, Ribeirão<br />

da Ilha também preserva as raízes culturais dos açorianos<br />

que a colonizaram, ostentando construções que<br />

exibem a arquitetura do Brasil Colônia. A pesca, por<br />

mais de dois séculos, foi a sua principal atividade econômica.<br />

Agora, porém, a economia local baseia-se no<br />

cultivo de ostras.<br />

Os moluscos vêm de fazendas marinhas que estão<br />

a poucos metros dos restaurantes da rota. O Rancho<br />

Açoriano é um deles. Com impecável gastronomia e deque<br />

no mar, as ostras são coletadas na baía em frente<br />

à casa instantes antes de serem servidas em diferentes<br />

versões, como no espaguete com leite de coco.<br />

Rota da Lagoa da Conceição – A lagoa é ponto<br />

de encontro de gente bonita e palco da noite mais<br />

descolada da ilha. Tem magnetizantes praias, dunas e<br />

montanhas, casinhas da época colonial e é famosa por<br />

suas rendeiras. Seu centrinho e a Avenida das Rendeiras<br />

concentram pubs, restaurantes e cafés com música<br />

ao vivo. É considerada uma das mais ricas vias gastronômicas<br />

da ilha – foi aqui que nasceu a Sequência de<br />

Camarão, onde o crustáceo é servido de pelo menos de<br />

três modos: empanado, alho e óleo e ao bafo.<br />

Rota de Coqueiros – Com vista para a Baía de<br />

Florianópolis, é conhecida pela sua diversidade gastronômica,<br />

com bares, bistrôs e restaurantes que oferecem<br />

o melhor da gastronomia regional e internacional.<br />

Ao atravessar a Ponte Colombo Machado Salles e seguir<br />

cerca de 1 km a oeste já aparecem as primeiras<br />

opções de lugares para comer. Bom apetite!<br />

97


Serviço<br />

CLIMA<br />

O clima é mesotérmico úmido com precipitação<br />

significativa e bem distribuída durante<br />

todo o ano. Não existe uma estação seca. Os<br />

maiores níveis de chuva ocorrem de janeiro<br />

a março e os mais baixos se apresentam de<br />

junho a agosto. A temperatura média varia<br />

entre 20 e 24 graus centígrados. A média das<br />

temperaturas máximas do mês mais quente<br />

varia de 28 a 31 graus e a média das mínimas<br />

do mês mais frio varia de 7,5 a 12 graus.<br />

COMO CHEGAR<br />

O Aeroporto Hercílio Luz recebe voos nacionais<br />

e internacionais na ilha.<br />

Fazem o trecho São Paulo-Florianópolis:<br />

LATAM – latam.com.br<br />

GOL – voegol.com.br<br />

AZUL – voeazul.com.br<br />

ONDE COMER<br />

Villa do Porto Gastronomia & Bar –<br />

Rua 15 de Novembro, 123 - Santo Antônio de<br />

Lisboa. Tel. (48) 3334-1000<br />

Rancho Açoriano –<br />

Rod. Baldicero Filomeno, 5.634<br />

Ribeirão da Ilha. Tel. (48) 3337-0848<br />

Rancho da Ilha –<br />

Serve bolinhos de bacalhau, pastéis de camarão<br />

e petiscos, além de cervejas e cachaças<br />

produzidas no Estado, no Mercado Municipal<br />

– Rua Jerônimo Coelho, 60 - Centro.<br />

FOTOS: © ISTOCK.COM / LUCATO<br />

98<br />

ONDE FICAR<br />

Costão do Santinho Resort, Golf e SPA –<br />

Seus pacotes de turismo de incentivo incluem<br />

visitas às fazendas marinhas e a restaurantes<br />

das rotas gastronômicas, festas temáticas à<br />

beira-mar e fazer esportes radicais ao luar.<br />

Informações: costão.com.br<br />

PACOTES TURÍSTICOS<br />

CVC – cvc.com.br<br />

FLOT – flot.com.br<br />

FLYTOUR – flytour.com.br<br />

SUBMARINO VIAGENS –<br />

submarinoviagens.com.br<br />

VISUAL TURISMO – visualturismo.com.br<br />

INFORMAÇÕES TURÍSTICAS<br />

Belatur Turismo Receptivo –<br />

É uma das parceiras do programa de turismo<br />

de experiência. Oferece transfers e passeios<br />

personalizados, com guias bilíngues, em vans,<br />

micro-ônibus, ônibus e carros executivos.<br />

Tel. (48) 3222-0101.<br />

FOTO: EMBRATUR / DIVULGAÇÃO


HOTÉIS & RESORTS<br />

QUAL VIAGEM<br />

RCD Hotels inaugura<br />

Residence Inn Mérida<br />

RCD Hotels lançou recentemente seu novo e moderno<br />

hotel Premium para estadias prolongadas. Loca-<br />

A<br />

lizado no meio da nova área de negócios da cidade de<br />

Mérida, em Yucatan, México, o Residence Inn Mérida by<br />

Marriott oferece a possibilidade de apreciar a cultura,<br />

a herança e a culinária do destino. O empreendimento<br />

conta com 151 suítes com cozinhas completas e espaços<br />

de trabalho e descanso separados; ideal para uma longa<br />

estadia para negócios ou lazer além do conforto para<br />

estadias curtas. Além disso, o novo hotel da RCD Hotels<br />

chega no momento em que a diversidade do mercado<br />

hoteleiro e turístico exige a oferta de diferentes opções de<br />

acomodação para todos os tipos de turistas, especialmente<br />

aqueles que viajam com seus animais de estimação.<br />

Informações: rcdhotels.com<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

Novos hotéis<br />

Ramada na China<br />

Wyndham Hotels & Resorts anunciou os planos<br />

de expansão na China, pois as viagens no<br />

A<br />

país continuam mostrando sinais encorajadores de<br />

recuperação. A empresa adicionará cinco novos<br />

hotéis à sua marca Ramada® by Wyndham neste<br />

trimestre, com três dos hotéis já abertos: o Ramada<br />

by Wyndham Luoyang Downtown, com 142<br />

quartos; o Ramada by Wyndham Jianyang, com<br />

191 quartos; e o Ramada by Changsha Wuguang,<br />

com 140 quartos. Juntam-se a eles, o Ramada by<br />

Wyndham Wuhan Qingshan, de 101 quartos; e o<br />

Ramada by Wyndham Kunming Yiliang, de 179<br />

quartos. Com presença de mais de 1.500 hotéis<br />

em toda a China, a Wyndham Hotels & Resorts é<br />

o maior franqueador internacional de hotéis no<br />

país. Atualmente, a Companhia opera 11 de suas<br />

20 marcas na China, estreando recentemente sua<br />

marca Microtel® by Wyndham em 2019.<br />

Informações: wyndhamhotels.com<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

100<br />

Férias no Acampamento Peraltas<br />

Acampamento Peraltas, situado em Brotas, a 220 km de São<br />

O Paulo, preparou uma temporada exclusiva para as férias de julho<br />

de 2020. Diferentemente da programação normal, este ano o Peraltas<br />

terá somente uma data disponível: de 14 a 19 de julho. As vagas<br />

são limitadas porque o espaço está trabalhando somente com 50%<br />

de ocupação. Coordenada por uma das melhores equipes de monitoria<br />

de São Paulo, a programação deste ano será bastante variada<br />

e divertida, sempre privilegiando as atividades ao ar livre. As crianças<br />

poderão curtir uma série de gincanas temáticas que envolvem o universo<br />

lúdico de Harry Potter, Jumanji e Game of Thrones. Também<br />

haverá uma gincana especial na Lagoa Encantada, que é a única<br />

piscina com projeção mapeada do Brasil. Vale lembrar que podem<br />

participar do acampamento crianças e jovens entre 4 a 16 anos.<br />

Informações: temporada.peraltas.com.br<br />

FOTO: WAGNER RIBEIRO


QUAL VIAGEM<br />

HOTÉIS & RESORTS<br />

Atividades ao ar livre no Château Grand Barrail<br />

Localizado no pequeno vilarejo medieval de Saint-Émilion, no<br />

sudoeste da França, o Château Hotel Grand Barrail proporciona<br />

uma das melhores hospedagens para os que desejam visitar<br />

um dos destinos de enoturismo mais celebrados e famosos do<br />

mundo. Além de sua estrutura, em meio a vinhas e jardins verdejantes,<br />

e da possibilidade de realizar as refeições em um belíssimo<br />

terraço ao ar livre, o hotel também preparou alguns pacotes<br />

especiais para sua reabertura. No “Estadia Serena”, os hóspedes<br />

recebem uma cesta de piquenique gourmet para duas pessoas,<br />

preparada pelo Chef Quentin Merlet, para desfrutar nos jardins<br />

do hotel ou nos arredores. Já no “Estadia no Coração da Vinhas”,<br />

além da hospedagem nos apartamentos em frente aos vinhedos<br />

e da cesta de piquenique, duas bicicletas estarão à disposição<br />

para quem quiser explorar toda a região de Saint-Émilion.<br />

Informações: grand-barrail.com<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

102<br />

Costa do Sauípe e<br />

Rio Quente reabrem<br />

Aviva, detentora dos destinos Costa do Sauípe<br />

A (BA) e Rio Quente (GO) e do parque aquático<br />

Hot Park, se prepara para a reabertura dos seus<br />

destinos, que será de forma gradual. O Rio Quente<br />

será o primeiro, seguido da Costa do Sauípe,<br />

ambos em meados de julho, enquanto o Hot Park<br />

abrirá para day users apenas em agosto. Visando a<br />

segurança de seus visitantes e colaboradores, vários<br />

detalhes das operações foram ajustados para<br />

receber as famílias de acordo com as normas dos<br />

órgãos responsáveis e atentos a qualquer mudança.<br />

Entre as ações estão: a realização de check-in<br />

online e antecipado, utilização obrigatória de máscaras<br />

em todas as áreas sociais, exceto durante as<br />

refeições, realização testes de temperatura durante<br />

a estada e na chegada, assim como disponibilização<br />

de álcool em gel em todas as áreas e controle<br />

de capacidade nas áreas de lazer e restaurantes.<br />

Informações: aviva.tur.br<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

Natureza no<br />

Malai Manso<br />

Neste momento de retomada, muitas dúvidas ainda<br />

existem entre os viajantes, mas já há também<br />

algumas certezas. Uma delas é que as viagens precisarão<br />

ser feitas com maior cautela, distanciamento<br />

seguro e, de preferência, em espaços abertos. O<br />

Malai Manso, resort que fica às margens do Lago<br />

do Manso, na Chapada dos Guimarães (MT), reúne<br />

todos esses atributos. Com o seu conceito all nature<br />

inclusive, o resort, que reabriu suas portas no início<br />

de junho, segue o lema “A Natureza Chama”. Com<br />

mais de 1,1 milhão de metros quadrados de área,<br />

boa parte deles em espaços abertos, o Malai conta<br />

com inúmeras opções de lazer a céu aberto para<br />

que todos possam se divertir sem preocupações nem<br />

aglomerações. Algumas dessas atividades são tirolesa,<br />

paredão de escalada, arvorismo, arco e flecha e<br />

trilha de aventura, além de esportes náuticos como<br />

stand-up padlle, wakeboard e caiaque, por exemplo.<br />

Informações: malaimansoresort.com.br<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO


Eau Palm Beach:<br />

verão na Flórida<br />

Eau Palm Beach Resort & Spa, o oásis premiado à beira-mar<br />

situado ao longo da Costa Dourada da Flórida<br />

O<br />

e membro da prestigiada Legend Collection do Preferred<br />

Hotels & Resorts, retomou suas atividades no último dia<br />

1º de julho, recebendo convidados para uma temporada<br />

de verão ensolarada. Para comemorar o momento,<br />

o empreendimento marca sua reabertura e sétimo aniversário<br />

com pacotes especiais. Os quatro restaurantes<br />

do resort, Temple Orange, Stir, Angle e Breeze Ocean<br />

Kitchen também retomaram as operações, assim como<br />

o Forbes Five Star Eau Spa, Fitness Center, AquaNuts e<br />

programas para adolescentes, todos atendendo às diretrizes<br />

de saúde e segurança locais. O pacote “Press<br />

Play” estará disponível até 30 de setembro e convida<br />

os viajantes a desfrutarem de merecidas férias de verão.<br />

Informações: PreferredHotels.com<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

Vivenda Sol e Mar:<br />

relax em Caraguá<br />

Caraguatatuba faz parte do Circuito do Litoral<br />

Norte de São Paulo, com belas praias e muita<br />

tranquilidade, é uma excelente opção para toda família.<br />

O Hotel Pousada Vivendas Sol e Mar, localizado<br />

na praia da Cocanha, uma das mais bonitas do<br />

município, onde é possível ver as embarcações de<br />

pescadores artesanais atracarem com sua pesca no<br />

final da tarde, voltou a funcionar no último dia 26<br />

de junho. O espaço de lazer, com piscina aquecida<br />

de abril a outubro, com cascata, playground, sauna<br />

e área verde, conta com monitoria para a garotada<br />

aos finais de semana, feriados e alta temporada,<br />

além do restaurante próprio, que serve desde petiscos<br />

a frutos do mar, inclusive à noite.<br />

Informações: vivendadomar.com.br<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

Txai resort lança Gift Stay<br />

Txai Resort Itacaré decidiu criar o Gift Stay: uma proposta<br />

O que pode ser adquirida agora e usada na alta temporada,<br />

inclusive. Hóspedes que optarem pela compra até o dia 1º de<br />

agosto podem usar o benefício até o dia 31 de março de 2021,<br />

que inclui 1 moqueca baiana à escolha para duas pessoas de<br />

peixe ou banana da terra (opção vegana), 1 passeio guiado<br />

para a Cachoeira do Tijuípe, upgrade de uma categoria com<br />

limitação ao bangalô luxo e late check-out garantido até às<br />

14h. Além disso, o resort oferece promoção onde, comprando<br />

4 noites, o hóspede leva a 5ª diária de presente. Importante<br />

destacar que, para evitar a proliferação da COVID-19, o Txai Resort<br />

Itacaré adotou medidas máximas de segurança de acordo<br />

com as orientações do Ministério da Saúde.<br />

Informações: txairesorts.com<br />

FOTO: DIVULGAÇÃO<br />

103


Turismo de<br />

experiência: A nova<br />

aposta de São Luís<br />

FOTO: ©ISTOCK.COM / ROMAN_RAHM


São Luis por muitos anos foi apenas a rápida passagem<br />

para os Lençóis Maranhenses. Com o turismo de<br />

experiência nas cidades da região metropolitana o turista<br />

tem mais de duas dezenas de roteiros para vivenciar<br />

as práticas do turismo sustentável. Confira uma nova<br />

abordagem do turismo a partir da capital do Maranhão.<br />

Por Cláudio Lacerda Oliva<br />

O<br />

Maranhão talvez seja o estado brasileiro<br />

que apresenta a maior diversidade de ecossistemas<br />

do nordeste brasileiro. Por muito<br />

tempo, a capital foi apenas a porta de entrada<br />

para os Lençóis Maranhenses. Os turistas desciam<br />

no aeroporto e em menos de duas horas já alugavam<br />

o carro, pegavam o transfer e se dirigiam ao<br />

município de Barreirinhas para explorar o Rio Preguiças<br />

e suas belezas até chegar à região dos Lençóis.<br />

Atualmente, esse cenário está mudando bastante.<br />

O atual governo do estado tem procurado, através<br />

de ações pontuais da Secretaria de Cultura e<br />

Turismo e do Sebrae - Maranhão, mostrar que São<br />

Luis e as outras cidades que compõem a região metropolitana:<br />

Raposa, São José de Ribamar e Paço do<br />

Lumiar - essa última com pouca vocação turística -<br />

mais Alcântara, têm muito a oferecer em termos de<br />

passeios e atrações naturais, históricas e culturais.<br />

Como se diz, a alternância de poder faz muito<br />

bem em qualquer estágio de administração, público<br />

ou privada. A primeira vez que estive em São<br />

Luis, fiquei apaixonado pela gastronomia, história,<br />

cultura e beleza das praias, dos rios e dos majestosos<br />

mangues. Não entendia porque grande parte<br />

das praias eram impróprias ao banho. Voltando<br />

após 16 anos, minha paixão ficou ainda maior. As<br />

praias da orla estão totalmente saneadas e a cidade<br />

oferece hotéis modernos, ótimos restaurantes e<br />

um trabalho intenso para valorizar o turismo sustentável,<br />

tem proporcionado avanços grandiosos.<br />

Nossa primeira experiência de roteiro foi realizar<br />

um passeio náutico na praia de Raposa, onde conferimos<br />

o cultivo do marisco, além de conviver com<br />

a exuberância do maior manguezal do planeta,<br />

terminando nosso passeio nas chamadas “Fronhas<br />

Maranhenses”, considerada um pequeno exemplar<br />

dos Lençóis, em plena região metropolitana<br />

de São Luis. A praia de Acari foi onde aportamos.<br />

Ela é praticamente deserta, tem enormes dunas, o<br />

banho de mar é quentinho e a base da economia<br />

local é a pesca artesanal do camarão. A cidade de<br />

Raposa fica na parte litorânea da Ilha de São Luis, a<br />

menos de 30 km do centro histórico. 70% da área<br />

do município é formada por enormes manguezais.<br />

Neles, aves do Alasca e do Canadá fogem do rigoroso<br />

inverno e vem se reproduzir e se alimentar de<br />

sururu, sarnambi e várias espécies de caranguejos.<br />

Raposa é uma das mais antigas vilas de pescadores<br />

do estado. Grande parte da população ainda reside<br />

em palafitas e as mulheres ajudam na renda da família<br />

cultivando a arte do artesanato de rendas de<br />

bilro, tradição trazida dos Açores. O Corredor de<br />

Rendas é uma rua com mais de 20 lojinhas que comercializam<br />

produtos exclusivos dessa arte milenar.<br />

Depois de passear de barco, comprar as rendas e<br />

experimentar o marisco fresquinho, numa fazenda<br />

local coordenada pelo Sr Juvêncio, chegou a hora<br />

do almoço. Minha dica é o Restaurante Natureza.<br />

Lá experimentamos o arroz de cuxá e pratos a base<br />

de peixes, além do delicioso vatapá maranhense.<br />

105


Artesanato em argila.<br />

Tradição quase centenária<br />

Apresentação das crianças na<br />

comunidade quilombola de Itamatatiua<br />

UM POUCO DA HISTÓRIA<br />

Fundada pelos franceses em 1612, entre os rios Anil<br />

e Bacanga, como projeto do governo francês em estabelecer<br />

nas Américas a França Equinocial, São Luís<br />

homenageia ao mesmo tempo o rei francês à época<br />

da fundação, Luís XIII, e o patrono da França, o rei<br />

medieval Luís IX. Foi logo tomada pelos portugueses<br />

em 1615. Também tomada no século XVII pelos<br />

holandeses, foi novamente invadida e reconquistada<br />

em definitivo pelos portugueses em 1645, marcando<br />

a época da ocupação na região norte, até então ignorada<br />

pela Coroa Portuguesa.<br />

Para os tupinambás, principal povo indígena local,<br />

a região se chamava Upaon Açu (“Ilha Grande”).<br />

Esta abrigava cerca de 30 etnias indígenas no século<br />

XVII, totalizando cerca de 250 mil pessoas. A maioria<br />

dos povos desapareceu em razão da escravidão, das<br />

doenças, da apropriação de suas terras e da imposição<br />

cultural europeia que destruiu as bases culturais<br />

desses povos. Hoje são 35 mil indígenas no Maranhão,<br />

de 8 etnias e mais 3 em processo de afirmação<br />

cultural, lutando para que sua história, sua língua e<br />

seus costumes não se percam.<br />

A escravidão de povos africanos se deu com mais<br />

intensidade no final do século XVIII, considerada tar-<br />

dia em relação ao restante do Brasil. Vinham principalmente<br />

de Costa do Marfim (os “mina”), Angola e<br />

Guiné-Bissau, para trabalharem nas lavouras de arroz<br />

e algodão. A entrada de escravizados africanos foi<br />

tão expressiva que, no início do século XIX, a população<br />

negra já representava 55% dos moradores do<br />

Maranhão. Com a ocupação extremamente rarefeita,<br />

a fuga dos escravizados contribuiu para a formação<br />

de diversos quilombos, que se estabeleceram ao redor<br />

da maioria das fazendas do estado. Muitos grupos<br />

remanescentes desses quilombolas reivindicam<br />

suas terras originais como maneira de preservar seus<br />

costumes e tradições. Vale visitar em Alcântara a comunidade<br />

de Itamatatiua e conferir o trabalho artesanal<br />

das ceramistas locais. A mistura de povos é a<br />

responsável pela riqueza das manifestações culturais<br />

maranhenses, como o bumba-meu-boi, o tambor de<br />

crioula, o cacuriá (dança presente nos festejos do Divino<br />

Espírito Santo) e as tradicionais festas juninas,<br />

patrimônios imateriais brasileiros.<br />

106


FOTOS: ADILSON ZAVARIZE<br />

Praça matriz de<br />

São José do Ribamar<br />

SÃO JOSÉ DE RIBAMAR<br />

O SANTO MARANHENSE<br />

São José de Ribamar é bucólica e tranquila. Fica a<br />

32 quilômetros de São Luís e tem vários atrativos,<br />

como: praias, comidas deliciosas à base de frutos<br />

do mar (destaque para o tradicional peixe-pedra<br />

frito) e histórias que exploram a figura do santo<br />

padroeiro - São José. Segundo a lenda, a igreja da<br />

cidade teria desabado duas vezes até ser construída<br />

de frente para o mar, como era o desejo do Santo.<br />

Em setembro, uma grande festa em homenagem ao<br />

padroeiro acontece no período da lua cheia, atraindo<br />

milhares de fiéis à cidade.<br />

O Museu dos Ex-Votos guarda objetos pagos em<br />

promessa. A Gruta de Lourdes é uma réplica da gruta<br />

existente na França; foi construída em 1957. As<br />

Praias do Caúra, Panaquatira e Boa <strong>Viagem</strong> são desertas<br />

e com belas paisagens naturais. Boa para banhos<br />

e prática de esporte.<br />

O Carnaval do Lava-Pratos acontece quando o carnaval<br />

termina em todo o Brasil, e começa em São José<br />

de Ribamar. O tradicional evento ocorre no domingo<br />

seguinte ao ao da folia oficial. Agremiações carnavalescas<br />

e milhares de foliões invadem a pequena cidade<br />

balneária e tudo vira uma grande festa.<br />

SÃO LUÍS. VARIEDADE DE ATRAÇÕES<br />

Passear no Centro Histórico de São Luís e conhecer<br />

a história de cada beco e dos muitos casarões antigos<br />

é uma experiência encantadora. Além de propiciar<br />

uma viagem no tempo, o passeio nos traz a<br />

certeza da beleza e do charme dos mais de 4 mil<br />

casarões, distribuídos por mais de 220 hectares,<br />

tombados como Patrimônio Mundial da Humanidade<br />

pela Unesco desde 1997. Os casarões seculares,<br />

em sua maioria, revestidos de azulejos portugueses<br />

pintados à mão, compõem um dos mais importantes<br />

conjuntos arquitetônicos da América Latina.<br />

Formado pelos bairros da Praia Grande e Desterro,<br />

a região concentra hoje museus, centros de cultura,<br />

teatros, cinema, bares, restaurantes, feiras e uma infinidade<br />

de lojas de artesanato. Estão ali também praças,<br />

becos, fontes, escadarias, ladeiras e algumas das<br />

mais belas ruas da parte histórica da cidade, como as<br />

Ruas Portugal e do Giz e o Largo do Comércio.<br />

O Palácio dos Leões, sede do governo estadual, a Catedral<br />

da Sé, os palácios Episcopal, La Ravardiére e Cristo<br />

Rei, o Teatro Arthur Azevedo, entre muitos outros, são<br />

um prato cheio para quem adora se perder na história<br />

dos anos de ouro. Construídos pelos senhores que comandavam<br />

a produção de algodão na região, os solares<br />

107


O conjunto arquitetônico de São Luís reúne no<br />

centro histórico, casas com azulejos portugueses.<br />

e sobrados representam o apogeu econômico da cidade.<br />

Neste belíssimo cenário, a culinária também é atração.<br />

Não tem como não se deixar seduzir pelos sabores<br />

regionais do imperdível arroz de cuxá, da caldeirada<br />

de camarão e frutos do mar, dos sucos de<br />

bacuri e cupuaçu, além do tradicional doce de buriti.<br />

Foram tantos os temperos e influências de europeus,<br />

índios, africanos e outros povos, que a culinária maranhense<br />

só poderia dar no que deu: uma conjunção<br />

exuberante, inigualável de sabores e receitas. Na<br />

hora de comer confira o Buffet do Restaurante do<br />

Senac, completo com sobremesas sai a R$ 59,90 por<br />

pessoa, e afirmo ser um dos mais saborosos da cidade.<br />

Quem preferir variar pode experimentar o sofisticado<br />

Restaurante Sabina, o ateliê gastronômico da<br />

Casa de Juja ou os dois consagrados restaurantes da<br />

orla, o Feijão de Corda e Cabana do Sol.<br />

A área do Centro Histórico é fechada para o trânsito<br />

de veículos. A Praia Grande é perfeita para passeios<br />

a pé. Use tênis e sapatos baixos. O piso das ruas são<br />

de paralelepípedos. Recomenda-se usar roupas leves,<br />

protetor solar e estar sempre hidratado.<br />

O roteiro pode começar pelo Palácio dos Leões.<br />

Com três mil metros quadrados de área construí-<br />

da, com o primor da arquitetura neoclássica fica em<br />

frente à Baía de São Marcos e serve de residência<br />

oficial e sede do Governo do Maranhão. Tem esse<br />

nome devido aos leões de bronze que guardam suas<br />

entradas. Erguido sobre o que um dia foi o Forte de<br />

São Luís, ganhou forma de palácio em 1776, quando<br />

o Governador Joaquim de Mello e Povoas remodelou<br />

a construção com materiais aproveitados da extinta<br />

casa dos jesuítas em Alcântara. Completamente restaurado,<br />

merece uma visita.<br />

A Rua Portugal é uma das principais ruas do Centro<br />

Histórico de São Luís, onde se concentravam os estabelecimentos<br />

comerciais mais importantes da época de sua<br />

construção. Ainda hoje mantém suas raízes, pois possui<br />

diversas lojas e comércio ativo. É um polo onde se encontram<br />

o Museu de Artes Visuais e a Casa de Nhozinho<br />

(Museu que homenageia o artesão maranhense Antônio<br />

Bruno Pinto Nogueira que, ao longo da vida, confeccionou<br />

brinquedos e figuras do folclore em buriti).<br />

Esquina com a Rua Portugal, a Rua do Trapiche é a<br />

Morada das Artes, local de moradia de diversos artistas<br />

que abrem as portas para a visitação de suas obras.<br />

O Largo do Comércio é típico de uma cidade colonial.<br />

Muito da história ludovicense aconteceu aqui.<br />

108


FOTOS: ADILSON ZAVARIZE<br />

O Museu de Arte Sacra de São Luis merece<br />

uma visita. Detalhes em ouro e pinturas da igreja<br />

que compõe essa grande atração histórica.


O Palácio dos Leões , sede do governo<br />

guarda relíquias históricas em seu interior<br />

FOTOS: © ISTOCK.COM / SEANPAVONEPHOTO<br />

O tradicional Boi Maracanã<br />

Durante os séculos XVIII e XIX, este logradouro da Praia<br />

Grande era utilizado para o comércio e hoje abriga bares,<br />

restaurantes, lojas e quiosques turísticos.Já o Museu<br />

de Arte Sacra está situado num solar com fachada de<br />

azulejos, onde residiu o Barão de Grajaú. Seu acervo pertence<br />

à Arquidiocese de São Luís, é composto por peças<br />

dos séculos 18 e 19 em estilos rococó e neoclássico.<br />

Com uma escadaria de 35 degraus, o Beco Catarina<br />

Mina tem pedras de lioz, datadas do século XVII. Tem<br />

esse nome em homenagem à Catarina Rosa Pereira de<br />

Jesus, uma bela mulher da região da Costa da Mina, na<br />

África, de onde vieram parte dos grupos escravizados<br />

para o Maranhão. Mantinha uma loja no local e fez<br />

fortuna graças ao seu trabalho. Comprou sua alforria<br />

e de vários amigos, e transformou-se em senhora de<br />

escravos, passando a ser vista pela cidade seguida por<br />

um cortejo de mulheres caprichosamente vestidas.<br />

Vale ainda visitar o bairro de Maracanã e vivenciar a<br />

rota da Juçara e visitar o barracão do Boi local. Outra<br />

dica interessante é se aventurar no passeio de barco<br />

pela Bahia de São Marcos (operado pela Brittur Turismo)<br />

e visitar o espetacular Estaleiro Escola. Antes<br />

de concluir visite o Sitio Piranhenga para relembrar a<br />

época dura e sofrível da escravidão.<br />

Além do Centro Histórico repleto de casarões e calmaria,<br />

as praias de São Luis são um espetáculo à parte.<br />

O Maranhão possui um litoral com cerca de 640<br />

km de extensão, o que o torna o segundo maior do<br />

Brasil, ou seja, tudo conspira para uma das melhores<br />

experiências de sol e praia. A maioria delas tem larga<br />

faixa de areia, mangues, dunas, vegetação rasteira e<br />

orlas urbanizadas. São dezenas de opções de bares e<br />

quiosques. As águas da ilha são propícias aos esportes<br />

náuticos como surfe, kitesurf, windsurf e voos de<br />

ultraleve. As mais visitadas são: Praia da Guia, Praia<br />

da Ponta ,Praia de São Marcos (Marcela) Praia do Calhau,<br />

Praia do Caolho a Praia do Olho D´Água – Praia<br />

tradicional e uma das mais bonitas de São Luís fica a<br />

10 Km do centro, possui faixa larga de areia branca e<br />

fina e dunas que chegam a atingir mais de 10 metros<br />

de altura, morros e falésias e a Praia do Meio com<br />

areias amareladas e batidas, ondas fortes no verão,<br />

quando a água fica mais clara. Propícia para prática<br />

de windsurf e voos de ultraleve.<br />

110


FOTOS: ADILSON ZAVARIZE<br />

A deserta e preservada praia de Mamuna é<br />

uma das mais bela do litoral de Alcântara<br />

HISTÓRIA, PRAIAS, REVOADAS DE<br />

GUARÁS E PATRIMÔNIO EM ALCÂNTARA<br />

Alcântara foi a primeira cidade maranhense tombada<br />

pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico<br />

Nacional, em 1948, como cidade-monumento. Cercada<br />

por praias e ilhas desertas, a serena e tranquila,<br />

Alcântara pode se orgulhar de ser também a mais<br />

importante cidade histórica da Amazônia. Seu casario<br />

colonial preservado e imponente e o silêncio de<br />

suas ruínas guardam reminiscências de um passado<br />

glorioso, um tempo de riqueza, de famílias nobres e<br />

numerosa população escrava. Os atrativos começam<br />

logo na descida do barco, no Porto do Jacaré e subindo<br />

a ladeira de mesmo nome, que conduz ao coração<br />

da cidade: o largo onde se encontram as ruínas da<br />

Igreja da Matriz, a antiga cadeia e o pelourinho, ícones<br />

máximos das sociedades coloniais e escravagistas<br />

brasileiras, as igrejas coloniais, fontes e os museus.<br />

Todo o centro antigo pode ser visitado a pé. Tão<br />

importante quanto apreciar os monumentos é ouvir<br />

dos moradores ou guias turísticos locais as histórias<br />

que tornam Alcântara ainda mais encantadora.<br />

Por todo o centro histórico da cidade o calçamento<br />

é de pedra e algumas ladeiras, como a do Jacaré, exigem<br />

fôlego. Além disso, o sol e o calor normalmente<br />

são intensos, o que sugere o uso de protetor solar,<br />

óculos escuros, tênis e roupas leves.<br />

Chegar à Praça da Matriz de Alcântara significa<br />

adentrar ao coração da cidade. Muito mais que sua<br />

arquitetura diferenciada, a praça, cercada por elegantes<br />

construções coloniais, representa o local dos<br />

acontecimentos sociais da cidade, algo como a Plaza<br />

Mayor das cidades hispânicas. Nesse espaço, onde<br />

ainda hoje pode ser visto o pelourinho utilizado nos<br />

tempos da escravidão, se concentram atividades vitais<br />

e representativas do sistema democrático alcantarense<br />

como a Prefeitura e Câmara dos Vereadores,<br />

Cartório, Museus e Fórum Municipal.<br />

Outro local interessante é a Casa do Divino que é abrigada<br />

num Casarão em estilo colonial com balcões de sacada<br />

de ferro, portais emoldurados com pedra de lioz e<br />

azulejos. O local, também chamado de museu, é reservado<br />

para a guarda de objetos ligados ao Divino Espírito<br />

Santo, a tradicional e mais importante festa religiosa da<br />

cidade. Vestimentas, instrumentos, estandartes, altar e<br />

joias estão expostos para apreciação dos visitantes.<br />

A Casa de Câmara e cadeia deve datar do final do século<br />

XVIII. Atual Prefeitura Municipal e Câmara de Vereadores<br />

de Alcântara, chegou a abrigar a Penitenciária<br />

Estadual até meados do século XX. Uma das construções<br />

mais surpreendentes da cidade, encontra-se iso-<br />

111


FOTOS: ADILSON ZAVARIZE<br />

lada, com merecido destaque, no conjunto da Praça<br />

Matriz. Abrigando antigas celas no seu andar inferior e<br />

uma das mais belas vistas da Ilha do Livramento.<br />

Parte da história de Alcântara fica no Museu Histórico<br />

e Artístico. Nele são retratados o modo de vida<br />

dos seus moradores e da religiosidade da sua gente.<br />

Esse museu ilustra a opulência da cidade quando<br />

esta era habitada por barões. Instalado em um<br />

casarão colonial do século XIX, revestido de azulejos<br />

portugueses na fachada, o Museu de Alcântra tem<br />

um acervo precioso. São pinturas, peças de mobiliário,<br />

louças, objetos de adorno e de arte sacra com<br />

exemplares de santos maranhenses dos séculos XVII<br />

ao XIX, além de vitrines que expõem finas joias do<br />

tesouro de irmandades religiosas locais.<br />

IGREJAS COLONIAIS DOS SÉCULOS 18 E 19<br />

Em Alcântara, os templos católicos do período colonial<br />

formam um capítulo à parte. A começar pela Igreja<br />

de São Matias, do séc XIX, que não resistiu à passagem<br />

do tempo e desabou quase que totalmente, embora<br />

suas ruínas permaneçam de pé, formando, junto ao<br />

pelourinho e casarões que a circundam, um incomum<br />

e belo cartão-postal. Depois de passar por obras de<br />

Na praça central destaque para o Pelourinho. Local<br />

onde eram castigadas pessoas que se opunham as leis.<br />

restauração, a igreja e o convento de Nossa Senhora<br />

do Carmo, construída a partir de 1660, se destaca com<br />

seus belos painéis de azulejos, esculturas e altares.<br />

A Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos merece<br />

ser visitada. Também conhecida como Igreja do Galo, foi<br />

construída em 17<strong>80</strong> e benzida em 1<strong>80</strong>3 quando recebeu<br />

a imagem da santa e de São Benedito, padroeiro do povo<br />

negro. No mês de agosto, acontece uma das mais importantes<br />

festas religiosas e culturais do município, a Festa<br />

de São Benedito. Uma curiosidade: sendo os negros proibidos<br />

ou desencorajados a frequentarem as principais<br />

igrejas da cidade, eram eles obrigados a professarem sua<br />

fé na Igreja de Nossa Senhora do Rosário. Prática que,<br />

naturalmente, não existia apenas em Alcântara.<br />

A Fonte das Pedras foi construída no século XVIII<br />

para abastecimento de água. Localiza-se na Rua Pequena,<br />

e, na simplicidade de seu estilo, pode-se notar<br />

a beleza de suas linhas. Em Alcântara vale a pena<br />

visitar a praia de Mamuna, praticar as revoadas de<br />

guarás a partir da Ilha do Livramento e concluir a<br />

visita numa das colônias quilombolas, como a de Itamatatiua.<br />

Experimente ir ao Maranhão e aportar em<br />

São Luis. Afirmo que 10 dias é pouco pra explorar<br />

tudo que a região metropolitana oferece.<br />

112


Em Alcântara os prédios<br />

históricos e suas ruínas<br />

apresentam cenário único.<br />

Passear pelo centro<br />

histórico de Alcântara é<br />

voltar ao glorioso passado


ALCÂNTARA<br />

RAPOSA<br />

Serviço<br />

SÃO JOSÉ<br />

DO RIBAMAR<br />

CLIMA<br />

No estado maranhense existe três tipos<br />

de clima: o tropical superúmido, o tropical<br />

com chuvas de outono e o tropical<br />

com chuvas de verão. O verão é bem<br />

quente, com temperaturas que ultrapassam<br />

os 40°C. Chuvas de dezembro a Junho<br />

e período seco de Julho a Novembro<br />

COMO CHEGAR<br />

A partir de Congonhas e Guarulhos, as<br />

companhias que voam para São Luís são<br />

LATAM (latam.com/pt_br/), GOL (voegol.com.br/pt)<br />

e AZUL (voeazul.com.br).<br />

ONDE COMER<br />

SÃO LUÍS<br />

Casa de Juja<br />

casadejuja.com.br<br />

Sabina Restaurante<br />

facebook.com/sabinarestaurante<br />

Feijão de Corda<br />

restaurantefeijaodecorda.com<br />

Cabana do Sol<br />

cabanadosol.com.br/content/home<br />

Restaurante Senac<br />

ma.senac.br/restaurante-escola<br />

RAPOSA<br />

Restaurante Natureza<br />

instagram.com/restaurantenatureza<br />

ALCANTARA<br />

Restaurante Cantaria<br />

blogalcantara.wordpress.com/<br />

2008/09/18/restaurante-cantaria<br />

ONDE FICAR<br />

Hotel Brisamar<br />

brisamar.com.br/photos.htm<br />

Resort Pestana São Luís<br />

pestana.com/br/hotel/pestana-sao-luis<br />

Hotel Luzeiros<br />

luzeirossaoluis.com.br<br />

Hotel Grand São Luís<br />

grandsaoluis.com.br<br />

PACOTES TURÍSTICOS<br />

CVC<br />

cvc.com.br<br />

DECOLAR<br />

decolar.com<br />

EXPEDIA<br />

expedia.com.br/pacotes-de-viagens<br />

SUBMARINO VIAGENS<br />

submarinoviagens.com.br<br />

RECEPTIVO EM SÃO LUÍS<br />

GEKOS - gekos.com.br<br />

TAGUATUR - taguaturonline.com.br<br />

CARAVELAS - caravelasturismo.com.br<br />

JANIO TOUR - facebook.com/raposajaniotour.receptivo<br />

INFORMAÇÕES TURÍSTICAS<br />

São Luís: saoluis.ma.gov.br<br />

Maranhão: turismo.ma.gov.br<br />

Passeio de Barco<br />

Brittur Turismo<br />

098 -32454234<br />

O jornalista, Cláudio Lacerda Oliva e o<br />

repórter fotográfico Adilson Zavarize,<br />

viajaram a convite da Sectur com apoio<br />

do Sebrae.<br />

ILHA DE SÃO LUÍS<br />

114


Medellín:<br />

a capital paisa<br />

da Colômbia<br />

A cidade de Medellín, no estado<br />

de Antioquia, tem cores, flores,<br />

arte urbana e história de sobra<br />

para encantar seus visitantes.<br />

Com um passado marcado por<br />

fatores negativos, hoje o destino<br />

se reinventou e se mostra um<br />

lugar inovador e moderno, sem<br />

perder o melhor de suas tradições.<br />

Por Eliria Buso<br />

FOTO: CONVENTION BUREAU DE MEDELLÍN


FOTOS: CONVENTION BUREAU DE MEDELLÍN<br />

Medellín, a capital do estado de Antioquia,<br />

tem ganhado cada vez mais a atenção dos<br />

turistas do mundo inteiro. Seja pela repercussão<br />

da série Narcos, da Netflix, da solidariedade<br />

que rodou o mundo após a tragédia da Chapecoense,<br />

ou dos diversos eventos que realiza durante o<br />

ano, como os Alumbrados Navideños, no Natal, e a<br />

Feira das Flores, durante a Primavera, o destino entrou<br />

de vez no circuito turístico da América do Sul e<br />

tem muito a oferecer para quem o visita.<br />

Se você está pensando em passear pela segunda<br />

maior cidade da Colômbia, confira antes esse roteiro<br />

básico com lugares imperdíveis.<br />

PRAÇA BOTERO E<br />

MUSEU DE ANTIOQUIA<br />

É impossível ir à Medellín e não ouvir falar da praça<br />

Botero. Situado no coração da cidade, o lugar homenageia<br />

um dos principais expoentes da arte colombiana,<br />

o pintor e escultor Fernando Botero, conhecido<br />

principalmente por criar obras de “pessoas gordas”.<br />

Na praça, estão espalhadas 23 esculturas de bronze<br />

em permanente exposição. São homens, mulheres,<br />

crianças e outras figuras exibindo as curvas e volumes<br />

característicos do artista. A espaçosa praça, entre o<br />

imponente Palácio da Cultura e o Museu de Antioquia,<br />

é o lugar perfeito para uma seção de fotos. O<br />

que mais se vê por ali são turistas interagindo ou imitando<br />

a pose das famosas esculturas.<br />

E por falar em museu, esta também é uma parada<br />

obrigatória – e que complementa a visita à praça. O<br />

Museu de Antioquia abriga obras de diversos artistas<br />

da Colômbia, em especial do Botero. Ali, em uma visita<br />

guiada, você descobre um pouco mais sobre o<br />

estilo do escultor e encontra obras icônicas como o<br />

quadro que retrata a morte de Pablo Escobar.<br />

PARQUE ARVÍ<br />

O Parque Arví é uma reserva ecoturística localizada<br />

no distrito de Santa Elena. Antes mesmo de chegar<br />

até o lugar, o passeio já fica interessante pelo caminho.<br />

Isso porque, apesar de acessível por estradas, o<br />

jeito mais comum e rápido de subir até o parque é de<br />

Metrocable, uma espécie de teleférico.<br />

116


A Praça Botero, à direita, guarda<br />

23 esculturas rechonchudas do<br />

artista colombiano. Entre as<br />

figuras, um dos destaques é a<br />

do Mestre Fernando Botero, acima.<br />

117


O moderno Orquidierama do Jardim<br />

Botânico funciona como um auditório<br />

para eventos. Abaixo, os museus de<br />

Arte Moderna e da Memória, que fazem<br />

parte do circuito cultural da cidade.<br />

Da primeira estação até os 2200 metros de altura<br />

que separam o Arví do nível do mar, a paisagem<br />

urbana, com diversas casinhas subindo o morro, se<br />

intercala com uma bela mata preservada, que nem<br />

parece estar em uma cidade grande.<br />

No parque, existem diversas trilhas para caminhadas<br />

e passeios de bike que proporcionam a observação<br />

de fauna e flora locais. Depois de uma caminhada no<br />

parque, é possível fazer um picnic com a família.<br />

O espaço oferece ainda uma feira de orgânico dos<br />

campesinos, que conta com produtos típicos como<br />

arepas, fiambres e frutas frescas como morango,<br />

uchuvas e amoras.<br />

JARDIM BOTÂNICO<br />

Outro passeio “verde” em Medellín é o jardim botânico<br />

Joaquim Antonio Uribe. Localizado ao lado<br />

do parque Explora, o lugar foi criado em 1972 para<br />

conservar e recuperar a flora da região e, hoje, funciona<br />

também como espaço de lazer. Perfeito para<br />

caminhar em um fim de tarde, observando algumas<br />

espécies importantes como orquídeas.<br />

O museu vivo também se destaca por sua grande<br />

área de eventos, o Orquideorama José Jerónimo Triana,<br />

com uma arquitetura moderna e chamativa.<br />

MUSEU DE ARTE MODERNA<br />

Fundado em 1978, o Museu de Arte Moderna de<br />

Medellín possui 233 obras da pintora Débora Arango,<br />

protagonista da arte colombiana em meados do século<br />

XX, e cerca de umas 600 peças do mestre “caleño” (nascido<br />

em Cali) Hernando Tejada, entre esculturas, gravados,<br />

xilografias, desenhos e cadernos de anotações.<br />

Os visitantes também podem ver obras de Beatriz<br />

González, Manuel Hernández e Enrique Grau, entre<br />

outros artistas.<br />

Depois de uma visita ao museu, vale curtir o entorno,<br />

que conta com pracinha e pátio para eventos. Aos finais<br />

de semana, os moradores dos arredores passeiam<br />

com seus pets, fazem picnics e formam grupinhos com<br />

violão e música. O clima é agradável e convidativo.<br />

FOTOS: CONVENTION BUREAU DE MEDELLÍN<br />

CASA MUSEU DA MEMÓRIA<br />

O lugar é o primeiro museu da memória construído<br />

no país que recorre à memória histórica do conflito<br />

armado em Medellín e procura sempre lembrar a dor<br />

das 600 mil vítimas. É um espaço de diálogo onde<br />

você pode rever a história, entender o que aconteceu<br />

e transformar fatos violentos em aprendizagens.<br />

PARQUE EXPLORA<br />

Para quem viaja à Medellín com crianças, o Parque<br />

Explora é um prato cheio. O complexo une ciência,<br />

tecnologia e diversão, oferecendo atividades interativas<br />

e exposições que estimulam a experimentação.<br />

Logo na entrada, os visitantes encontram brinquedos<br />

gigantes que desafiam seus conhecimentos em<br />

física, química ou biologia. São simuladores de tor<br />

nados, esferas flutuantes, máquina de movimento<br />

contínuo, entre outros.<br />

119


Interativo, o Parque Explora é<br />

uma ótima atração para as crianças.<br />

O Aquário faz parte do complexo do Parque<br />

Explora e conta com diversas espécies da região.<br />

Além disso, o Explora conta com um aquário e um<br />

planetário que completam a visita.<br />

São mais de 300 atrações e experiências que oferecem<br />

a oportunidade de estimular a criatividade, experimentar,<br />

aprender enquanto se diverte e construir<br />

conhecimento. A criançada vai amar!<br />

120<br />

COMUNA 13<br />

Colorida e cheia de vida, a Comuna 13 de hoje em<br />

dia pouco lembra seu passado sombrio. No auge do<br />

narcotráfico, a região já foi considerada a mais violenta<br />

da cidade. Porém, graças a um processo de reurbanização<br />

que vem ocorrendo desde 2001 – quando se<br />

deu a operação federal “Orión” – a comunidade, que<br />

muito se assemelha às favelas brasileiras, está pacificada<br />

e pronta para receber os turistas.<br />

O grande destaque do lugar são as escaleras eléctricas.<br />

Em bom português, são seis escadas rolantes que<br />

facilitam a subida de moradores e visitantes, alcançando<br />

o topo do morro em cerca de cinco minutos.<br />

O projeto, que teve início em 2012, já rendeu diversos<br />

prêmios à cidade e é considerado um importante<br />

passo para a acessibilidade.<br />

FOTOS: CONVENTION BUREAU DE MEDELLÍN


No caminho, de 384 metros, outro cenário chama<br />

a atenção de quem visita a Comuna pela primeira<br />

vez. São os grafites que colorem praticamente todos<br />

os muros do lugar.<br />

São tantas as obras de arte urbana que o lugar faz<br />

parte de um Graffitour especial. Cheios de cores e<br />

significados, os desenhos são feitos, em sua maioria,<br />

por artistas locais, que retratam a história do<br />

bairro de modo lúdico.<br />

É na Comuna 13 também que você vai experimentar<br />

uma das melhores delícias de Medellín. Logo no<br />

início das escadas rolantes está a Cremas Dona Consuelo,<br />

uma vendinha local que serve as famosas cremas<br />

- ou paletas - de manga. Quem prova pela primeira<br />

vez ganha uma pequena aula do jeito “certo”<br />

de comê-las: no fundo do copinho, o suco de limão<br />

com sal deve ir regando o sorvete docinho, dando<br />

um contraste saboroso e refrescante.<br />

As escaleras electricas foram instaladas na colorida<br />

Comuna 13 para atender, principalmente, a demanda dos<br />

moradores, que sobem e descem, diariamente, certa de 284 metros<br />

NOITE EM MEDELLÍN<br />

O bairro El Poblado é um dos mais badalados de Medellín,<br />

com os principais hotéis, bares e restaurantes. E,<br />

dentro dele, o Parque Lleras é onde o agito acontece.<br />

É ali que se concentram os melhores lugares para<br />

comer, beber ou curtir com os amigos. No parque<br />

Lleras é possível conseguir ótimos pratos de comida<br />

típica de Antioquia e também da culinária nacional<br />

e internacional.<br />

Além disso, neste parque, a festa se prolonga até a<br />

madrugada. Como a cidade é bastante visitada por<br />

mochileiros, essa região também abriga diversos hostels<br />

descolados. O lugar é perfeito para quem quer<br />

ficar por dentro do agito.<br />

121


FESTA DAS FLORES<br />

Medellín é conhecida por ser a capital colombiana<br />

da primavera eterna, graças ao seu clima agradável.<br />

Com temperatura média de 24 graus, é perfeita para<br />

um passeio ameno em todas as estações do ano.<br />

E além disso, é na primavera que ocorre um dos<br />

principais eventos culturais da cidade. Todos os anos,<br />

no começo de agosto, Medellín realiza a Feira das<br />

Flores. Colorida, a celebração, criada em 1957 já é<br />

tradicional e conta a história dos típicos silleteros –<br />

trabalhadores que antigamente levavam cargas, e até<br />

pessoas, sobre as costas em uma armação de madeira.<br />

Hoje, no evento principal da festa, acontece<br />

um desfile com os produtores rurais carregando seus<br />

arranjos florais nas silletas. Em cada uma delas, que<br />

podem pesar até 70 quilos, são utilizadas entre 25 e<br />

70 variedades de flores.<br />

A Feira das Flores é ainda a oportunidade ideal para<br />

viver como um local e observar todas as características<br />

e tradições camponesas da região, principalmente<br />

ao redor do cultivo de flores. Com múltiplos eventos,<br />

conta com dança, história e pratos típicos.<br />

Os silleteros desfilam<br />

com seus arranjos<br />

durante a Feira das Flores<br />

PORTA DE ENTRADA<br />

PARA OS PUEBLOS PATRIMONIOS<br />

Medellín é um ótimo ponto de partida para excursões<br />

e fins de semana em cidades próximas. Alguns<br />

desses destinos, que foram destacados como patrimônio<br />

da humanidade, são considerados verdadeiros<br />

tesouros da Colômbia. No total, são 17 municípios<br />

conhecidos como a rede de povoados patrimoniais,<br />

representando um espaço único na origem da cultura<br />

colombiana, em razão da sua riqueza ancestral e de<br />

sua beleza arquitetônica colonial.<br />

Perto de Medellín, os povoados que se destacam<br />

são: Jardín, Concepción, Santa Fé de Antioquia, Jericó<br />

e Guatapé.<br />

FOTOS: CONVENTION BUREAU DE MEDELLÍN<br />

122


Serviço<br />

Inovadora, Medellín já entrou na rota<br />

dos principais destinos da América do<br />

Sul. A cidade colombiana tem clima<br />

agradável, bairros arborizados e com<br />

bons serviços, além de muita história,<br />

cultura e arte – urbana ou clássica –<br />

que prometem atender às expectativas<br />

e cair no gosto do brasileiro.<br />

IDIOMA<br />

Espanhol<br />

FOTOS: ©ISTOCK.COM / TUANGTONG<br />

MOEDA<br />

Peso colombiano<br />

FUSO HORÁRIO<br />

Menos 1 hora no verão e menos 2 no<br />

restante do ano em relação ao horário<br />

de Brasília.<br />

VISTO<br />

Brasileiros não precisam de visto para<br />

permanência de até 1<strong>80</strong> dias.<br />

CLIMA<br />

A cidade tem clima ameno e temperatura<br />

média de 24 graus, podendo ser visitado<br />

o ano inteiro.<br />

SAÚDE<br />

É exigida vacina contra febre amarela<br />

com o Certificado Internacional de<br />

Profilaxia.<br />

COMO CHEGAR<br />

Não há voos diretos saindo do Brasil<br />

para Medellín, porém, diversas companhias<br />

aéreas realizam o trecho com<br />

uma parada em cidades como Bogotá,<br />

Cidade do Panamá ou Lima. LATAM,<br />

AVIANCA, COPA AIRLINES e AEROME-<br />

XICO são alguns exemplos.<br />

ONDE COMER<br />

O milho e o feijão, junto com carnes e<br />

peixes, são importantes na culinária de<br />

Antioquia. Podemos destacar a bandeja<br />

paisa, conhecida também como<br />

“típico montañero” e cuja receita original<br />

possui 15 ingredientes. A bandeja<br />

paisa, que entre outras coisas inclui<br />

feijões, chouriço, torresmo e ovo; e a<br />

“mazamorra”, que contém leite, milho<br />

e panela (rapadura), são pratos característicos<br />

do estado de Antioquia.<br />

Alguns restaurantes que merecem<br />

uma visita:<br />

Hatoviejo – medellin.travel/Medellin-<br />

TravelWeb/operators/462/restaurante<br />

-hato- viejo-medellin<br />

La Provincia – medellin.travel/MedellinTravelWeb/operators/1171/la-provincia-<br />

medellin-colombia<br />

San Carbón – medellin.travel/Medellin-<br />

TravelWeb/operators/1172/san-carbonmedellin-colombia<br />

ONDE FICAR<br />

NH Collection Royal Medellin –<br />

nh-collection.com<br />

Novelty Suites Hotel –<br />

novelty-suites-hotel.medellinhotels.org<br />

Los Patios Hostal Boutique –<br />

lospatioshb.com<br />

PACOTES TURÍSTICOS<br />

FLOT VIAGENS –<br />

newsite.flot.com.br/pacotes-america-sul<br />

SANCHAT TOUR – sanchattour.com.br<br />

INFORMAÇÕES TURÍSTICAS<br />

medellin.travel<br />

123<br />

FOTOS: ©ISTOCK.COM / SUJESH<strong>80</strong><br />

FOTOS: CONVENTION BUREAU DE MEDELLÍN


QUAL VIAGEM<br />

TURISMO PET FRIENDLY<br />

<strong>Viagem</strong> segura<br />

com seu Pet<br />

Na hora de viajar com o pet, os detalhes<br />

são diversos. O ideal é organizar tudo com<br />

antecedência, fazer um checklist do que<br />

precisamos levar, sempre pensando na<br />

segurança, saúde e bem-estar dos pequenos.<br />

Patrícia Moraes, CEO da Olá Pet!<br />

Hoje, vamos falar das viagens de carro,<br />

já que as aéreas são um capítulo à parte<br />

Começamos pela segurança e conforto. O mercado<br />

pet disponibiliza diversos acessórios desenvolvidos<br />

para animais de estimação que são<br />

fundamentais na hora de viajar, como caixas de<br />

transporte, cadeirinhas, cintos de segurança e capas<br />

protetoras. Felizmente, os investimentos em pesquisas<br />

de novos produtos neste segmento crescem a<br />

cada ano para desenvolvimento de artigos que pos-<br />

124


FOTO: ©ISTOCK.COM / HUMONIA<br />

sam ser cada vez mais eficazes e seguros. Faça sua<br />

escolha de acordo com o comportamento e porte<br />

do seu pet. E dirija com cautela!<br />

O bom estado de saúde dos pequenos é muito<br />

importante para uma viagem tranquila e divertida.<br />

Converse com o veterinário de sua confiança para<br />

ajudar com este aspecto de acordo com espécie e<br />

estado de saúde do seu animal de estimação. Vale<br />

a dica para um check-up anual ou semestral, sob<br />

orientação veterinária.<br />

Lembre-se de verificar se seu pet está com a vacinação<br />

e vermifugação em dia. Medicamentos para<br />

ectoparasitas como pulgas, carrapatos e ácaros são<br />

fundamentais para garantir a segurança dos pequenos,<br />

independente se a viagem será repleta de<br />

aventuras ecológicas ou urbanas. Aproveite para<br />

conversar sobre a prevenção contra Leishmaniose e<br />

Dirofilariose, esta última, também conhecida como<br />

Doença do Verme do Coração.<br />

Pesquise uma lista de estabelecimentos veterinários<br />

24 horas no seu destino para casos de urgência<br />

ou emergência. Você não vai precisar, mas é bom ter<br />

Bob & Marley com capa protetora e<br />

cinto de segurança na hora de viajar<br />

FOTOS: @OLAPET!<br />

Malu e seu kit Primeiros Socorros<br />

em mãos, caso necessário. Se seu pet costuma enjoar<br />

na viagem, já converse com o veterinário para<br />

prescrever antieméticos e evitar vômitos ou desconforto<br />

estomacal durante a viagem. Por fim, peça a<br />

ele orientações para montar um kit básico de primeiros<br />

socorros.<br />

Independente do roteiro e da distância, que tal fazer<br />

um checklist para facilitar suas viagens? Inclua<br />

todos os itens que possa imaginar, tais como: ração<br />

habitual, caminha, cobertor, comedouro, bebedouro,<br />

petiscos, medicamentos de uso diário, roupinhas<br />

de acordo com o destino e época do ano, brinquedos,<br />

guia, coleira, protetor solar, produtos de higiene<br />

pessoal, vale especificar cada um deles na sua lista.<br />

Então, mãos à obra e você vai perceber o quanto<br />

ter um checklist facilita para as próximas viagens.<br />

Vai ficar hospedado em hotel ou pousada? Evite<br />

surpresas desagradáveis e certifique-se sobre a política<br />

pet friendly do local, já que alguns estabelecimentos<br />

limitam espécie, peso e número de animais<br />

por acomodação, podem exigir a carteirinha de vacinas<br />

no check-in, dentre outros aspectos.<br />

Dependendo da distância entre local de partida<br />

e destino, faça algumas paradas para eliminação,<br />

água e lanche. Ah, e não esqueça! Mantenha a temperatura<br />

do carro agradável, sempre pensando na<br />

espécie, porte e densidade do pelame do seu pet.<br />

Pronto para seu próximo destino? Então, prepare<br />

seu pet e boa viagem!<br />

olapet.com.br | @olapet.friendly<br />

FOTOS: @OLAPET!<br />

125


QUAL VIAGEM<br />

AQUÁRIOS PELO MUNDO<br />

Uma viagem<br />

fascinante pelo<br />

planeta água<br />

Entretenimento garantido para todas as idades,<br />

os aquários marinhos oferecem a oportunidade de<br />

observarmos o que acontece embaixo d’água e<br />

como vivem as diversas espécies de seres aquáticos.<br />

E de maneira muito divertida!<br />

Por Roberto Maia<br />

Apesar do nome, a Terra tem a maior parte da sua superfície coberta pelas águas.<br />

Oceanos e rios formam um mundo ainda hoje misterioso e fascinante, o que explica<br />

o sucesso dos gigantescos aquários construídos nos Estados Unidos, Europa,<br />

Ásia, África e até no Brasil. Confira, a seguir, alguns dos maiores e mais importantes<br />

centros oceanográficos do planeta. Programas ideais para quem curte a vida marinha<br />

FOTO: ©ISTOCK.COM / GRAFNER


CHIMELONG OCEAN KINGDOM<br />

FOTO: TRIFONNEKE/CC BY-SA 4.0/CREATIVECOMMONS.ORG/LICENSES/WIKIMEDIA COMMONS<br />

CHIMELONG OCEAN<br />

KINGDOM - China<br />

Considerado o maior aquário do mundo, segundo<br />

o Guinness Book, tem 49 milhões de<br />

litros de água e fica dentro de um parque temático<br />

na ilha de Hengqin, na cidade de Xhuhai,<br />

província de Guangdong, na China. Inaugurado<br />

em 2014, dispões de sete áreas temáticas, cada<br />

uma representando uma parte do oceano. Somente<br />

o tanque onde ficam as baleias (inclusive as gigantes<br />

belugas) e tubarões tem 22,7 milhões de<br />

litros de água. Nesse espaço também está o maior<br />

painel de acrílico do planeta, com 39,6 metros de<br />

altura por 8,3 metros largura. Estima-se que a sua<br />

construção tenha custado cerca de US$ 5 bilhões.<br />

Além das muitas espécies de peixes e animais<br />

aquáticos, o parque tem ursos polares e outros<br />

animais exóticos. Os visitantes podem, ainda, curtir<br />

espetáculos teatrais, grandes eventos ao ar livre,<br />

como o desfile flutuante e um incrível encerramento<br />

com fogos de artifício.<br />

Informações: chimelong.com<br />

MARINE LIFE PARK –<br />

Cingapura<br />

Parte do Sentosa Resort World, um complexo<br />

hoteleiro e de entretenimento localizado na<br />

ilha de Sentosa, no sul de Cingapura, conta<br />

com cerca de 100 mil animais de mais de mil espécies<br />

marinhas. Inaugurado em 2013, o parque de 8<br />

hectares abriga atrações como o S.E.A. Aquarium,<br />

o Adventure Cove Waterpark, o Universal Studios<br />

Singapore, a Dolphin Island, o Royal Albatross (barco<br />

a velas), o trampolim MegaBounce, o Crane<br />

Dance, o Lago dos Sonhos – espetáculo de luzes,<br />

água e fogo – e os museus Marítimo Experimental<br />

e Trick Eye. Com capacidade para 45 milhões de<br />

litros de água, é o segundo maior do planeta.<br />

Dividido em dez diferentes zonas com 50 habitats,<br />

tem como ponto central um imenso tanque<br />

com mais de 18 milhões de litros d’água e mais de<br />

50 mil animais. O aquário também abriga a maior<br />

coleção mundial de arraias, incluindo um exemplar<br />

da manta oceânica gigante.<br />

Informações: rwsentosa.com


QUAL VIAGEM<br />

AQUÁRIOS PELO MUNDO<br />

MARINE LIFE PARK<br />

FOTO: SMUCONLAW/CC BY-SA 3.0/CREATIVECOMMONS.ORG/LICENSES//FROM WIKIMEDIA COMMONS<br />

AQUÁRIO DA GEÓRGIA –<br />

Estados Unidos<br />

128<br />

Em 2005, quando foi inaugurado, na cidade<br />

de Atlanta, na Geórgia (EUA), era o maior<br />

aquário do planeta com mais de 120 mil criaturas<br />

marinhas de 500 diferentes espécies. Atualmente<br />

é a principal instalação de conservação e<br />

pesquisa de animais aquáticos, apoiando e realizando<br />

pesquisas sobre questões ambientais. Seus<br />

tanques somados comportam 38 milhões de litros<br />

de água e os visitantes podem – se quiserem - mergulhar<br />

ao lado de tubarões-baleia e arraias. Baleias<br />

beluga estão em áreas com água tão fria quanto<br />

as dos mares árticos.<br />

A área mais procurada pelos visitantes é a Ocean<br />

Voyager, um tanque com 87 metros de comprimento,<br />

38 metros de largura e 9 metros de profundidade.<br />

Nele estão 20 milhões de litros de água e<br />

mais de 60 mil peixes, entre eles tubarões, arraias e<br />

baleias. Há, também, tanques interativos, onde os<br />

visitantes podem tocar em estrelas-do-mar, camarões,<br />

arraias e tubarões, entre outras espécies.<br />

Informações: georgiaaquarium.org<br />

FOTO: ©ISTOCK.COM / NOVIKAT<br />

AQUÁRIO DA GEÓRGIA<br />

128


FOTO: AMADA44/CC BY-SA 3.0/CREATIVECOMMONS.ORG/LICENSES/FROM WIKIMEDIA COMMONS<br />

USHAKA MARINE WORLD<br />

USHAKA MARINE WORLD –<br />

África do Sul<br />

Situado em Durban, na África do Sul, tem 32<br />

tanques e quase 20 mil metros cúbicos de<br />

água. Inaugurado em 2004 em um edifício<br />

com o curioso desenho de um barco naufragado<br />

na Praia de Point, abriga tubarões, golfinhos,<br />

tartarugas, cavalos-marinhos e espécies exóticas.<br />

Além das espécies marinhas também há répteis –<br />

incluindo uma anaconda gigante -, aranhas, rãs,<br />

sapos e lagartos. São quatro as atrações principais:<br />

o parque aquático Wet’n Wild, o SeaWorld, o espaço<br />

de praia uShaka Beach e o Village Walk - vila<br />

temática com cerca de <strong>80</strong> lojas.<br />

Informações: ushakamarineworld.co.za<br />

AQUÁRIO OCEÂNICO<br />

DE XANGAI – China<br />

U<br />

m<br />

dos maiores da Ásia, o Shanghai Ocean<br />

Aquarium, em Xangai, na China, comporta<br />

mais de 3 milhões de litros de água. Aberto<br />

em 2002, na base da Oriental Pearl Tower, está<br />

dividido em nove áreas/tanques de exposição e temáticas<br />

diferentes e agrupa mais de 450 espécies<br />

aquáticas dos cinco continentes e quatro oceanos.<br />

Estão representados ambientes de várias partes do<br />

mundo como a Antártica e a Oceania, entre outras.<br />

A principal atração é um túnel subaquático<br />

com 155 metros que atravessa um tanque com<br />

tubarões. Entre as espécies chinesas estão a salamandra<br />

gigante, o esturjão e o jacaré chinês.<br />

Informações: sh-soa.com<br />

129


QUAL VIAGEM<br />

AQUÁRIOS PELO MUNDO<br />

L’OCEONOGRÀFIC<br />

FOTO: ©ISTOCK.COM / PIERREOLIVIERCLEMENTMANTION<br />

L’OCEANOGRÀFIC -<br />

Espanha<br />

Um dos maiores aquários da Europa, está instalado<br />

dentro da Cidade Oceanográfica de<br />

Artes e Ciências, em Valência, na Espanha.<br />

Os principais ecossistemas marinhos estão presentes<br />

em diversos ambientes aquáticos com mais<br />

de 45 mil exemplares de 500 espécies diferentes.<br />

Aberto ao público em 2003, tem mais de 42 milhões<br />

de litros de água em tanques com formas<br />

pouco convencionais. Tem uma das maiores áreas<br />

de golfinhos do mundo, com 26 milhões de metros<br />

cúbicos de água e uma profundidade de 10,5<br />

metros. O restaurante submarino, localizado no<br />

centro do complexo, é o edifício mais emblemático<br />

do aquário, devido à peculiaridade do seu telhado.<br />

Informações: oceanografic.org<br />

FOTO: RHINOPIAS/CC BY-SA 4.0/CREATIVECOMMONS.ORG/LICENSES/FROM WIKIMEDIA COMMONS<br />

130


FOTO: L0DA_RALTA/CC BY 2.0/CREATIVECOMMONS.ORG/LICENSES/VIA WIKIMEDIA COMMONS<br />

TURKUAZOO<br />

TURKUAZOO -<br />

Turquia<br />

Inaugurado em 2009, dentro de<br />

um shopping center em Istambul,<br />

na Turquia, possui representações<br />

de habitats como florestas<br />

tropicais e regiões marinhas. Estão<br />

em exibição cerca de 25 mil seres<br />

marinhos em 43 áreas de exposição,<br />

incluindo tubarões, arraias,<br />

polvos, garoupas gigantes e piranhas.<br />

Uma esteira rolante leva os<br />

visitantes através de um túnel de<br />

90 metros no fundo do tanque<br />

principal para um safari subaquático.<br />

Com uma área de 55 mil metros<br />

quadrados e um tanque com capacidade<br />

para sete mil metros cúbicos<br />

de água, também funciona como<br />

um centro de investigação marinha<br />

e conservação.<br />

Informações: visitsealife.com/istanbul/en<br />

MONTEREY BAY AQUARIUM – Estados Unidos<br />

Localizado em uma antiga usina de sardinhas enlatadas da cidade de Monterey, na Califórnia (EUA),<br />

sua principal atração é um tanque gigante com cerca de 1,3 milhão de litros de água, o Ocean’s<br />

Edge Wing, que mostra a vida marinha do litoral californiano. O complexo, que já foi eleito o aquário<br />

número 1 do mundo pelo TripAdvisor possui mais de 600 espécies, incluindo golfinhos, tubarões, um<br />

polvo gigante, águas-vivas, pinguins, arraias, focas, lontras, tartarugas, peixes exóticos e até um aviário<br />

com aves marinhas. Informações: montereybayaquarium.org<br />

MONTERY BAY AQUARIUM<br />

131


QUAL VIAGEM<br />

AQUÁRIOS PELO MUNDO<br />

AQUÁRIO DE VANCOUVER – Canadá<br />

Mais do que apenas uma atração turística no famoso Stanley Park, na cidade<br />

canadenses de Vancouver, é um centro de pesquisa e de preservação<br />

da vida marinha. Nos seus tanques vivem orcas, baleias belugas, tubarões,<br />

águas-vivas, estrelas do mar, pinguins, golfinhos, lontras e outros.<br />

Informações: vanaqua.org<br />

FOTO: ©ISTOCK.COM / TKKURIKAWA<br />

AQUÁRIO DE VANCOUVER<br />

FOTO: FLICKR.COM/PHOTOS/DAVID DAVIES/890<strong>80</strong>1760<br />

132<br />

AQUARIUM OF WESTERN – Austrália<br />

L<br />

ocalizado<br />

em Perth, na Austrália, apresenta um resumo dos 12 mil quilômetros da costa ocidental<br />

australiana. Lá estão polvos, arraias azuis, focas, crocodilos e cavalos-marinhos, além de exemplares<br />

raros como o ornitorrinco – que só existe em território australiano -, um mamífero que põe ovos e tem<br />

bico. Através de um túnel sob a água os visitantes encontram mais de 400 diferentes espécies marinhas.<br />

Informações: aqwa.com.au<br />

FOTO: ©ISTOCK.COM / PARNTAWAN


AQUÁRIO OCEÂNICO DE XANGAI<br />

AQUÁRIO DE GÊNOVA<br />

AQUÁRIO DE GÊNOVA –<br />

Itália<br />

C<br />

onstruído<br />

para a Expo 1992, na área do antigo<br />

porto de Gênova, na Itália, possui 71 tanques<br />

que reproduzem os habitats marinhos<br />

de mais de 6 mil espécies do mundo inteiro, em<br />

ambientes que recriam o Mar Mediterrâneo, o<br />

Oceano Índico e o Mar Vermelho. Entre os destaques<br />

estão uma piscina que reproduz uma barreira<br />

de corais e a área ocupada com espécies que inspiraram<br />

o filme “Procurando Nemo”. O aquário genovês<br />

tem 27 mil metros quadrados e infraestrutura<br />

com restaurantes e locais para a realização de<br />

eventos. É o único do país que abriga peixes-boi,<br />

espécie que está em risco de extinção. Em fevereiro<br />

de 2018, nasceu um filhote da fêmea Rynke, que<br />

já havia dado à luz a Tino, em setembro de 2015.<br />

A pequena “sereia” – nome dado às fêmeas da espécie<br />

- está exposta ao público no setor dedicado<br />

aos mamíferos aquáticos.<br />

Informações: acquariodigenova.it<br />

133


QUAL VIAGEM<br />

AQUÁRIOS PELO MUNDO<br />

OKINAWA CHURAUMO<br />

FOTO: FLICKR.COM/PHOTOS/KRISTIAN MOLLENBORG/19819728322<br />

FOTO: ALBERTO-G-ROVI/CC BY-SA 3.0 /CREATIVECOMMONS.ORG/LICENSES/ FROM WIKIMEDIA COMMONS<br />

134<br />

OKINAWA CHURAUMO –<br />

Japão<br />

Inaugurado em 2002, dentro do Ocean Expo<br />

Park, na ilha de Okinawa, no Japão, o Okinawa<br />

Churaumo Aquarium tem entre suas principais<br />

atrações os tubarões brancos e as arraias. Em seus<br />

tanques vivem mais de 21 mil animais de mais de<br />

<strong>80</strong>0 espécies. Tem 77 tanques distribuídos em quatro<br />

andares e uma capacidade total de 10 milhões<br />

de litros de água salgada, onde desde colônias de<br />

corais até peixes de grande porte como os tubarões-baleia<br />

e as arraias manta. Grandes painéis<br />

acrílicos com 8,2 metros de altura por 22,5 metros<br />

de largura e 60 centímetros de espessura permitem<br />

visão perfeita do mundo marinho. O aquário<br />

japonês é famoso pelo tanque Kuroshio, que ocupa<br />

dois andares - 27 metros de largura, 35 metros de<br />

extensão e 10 metros de profundidade. Nele vivem<br />

grandes tubarões, mantas e uma lula gigante com<br />

mais de 6,35 metros de comprimento.<br />

Informações: churaumi.okinawa<br />

FOTO: ©ISTOCK.COM / SAIKO3P


DUBAI MALL AQUARIUM –<br />

Emirados Árabes Unidos<br />

No centro do gigantesco e luxuoso shopping<br />

que integra o complexo Burj Dubai, em<br />

Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, está<br />

o tanque com 10 milhões de litros de água. No<br />

aquário de três andares vivem mais 33 mil seres<br />

marinhos de 150 diferentes espécies, incluindo<br />

cerca de 400 tubarões e arraias. A entrada dos<br />

visitantes acontece no andar subterrâneo através<br />

de um túnel subaquático.<br />

Informações: thedubaiaquarium.com<br />

DUBAI MALL AQUARIUM<br />

OCEANÁRIO DE LISBOA<br />

OCEANÁRIO – Portugal<br />

Um dos aquários mais procurados do mundo,<br />

está situado no Parque das Nações, em<br />

Lisboa, Portugal. Dividido em quatro partes,<br />

abriga nos seus dois andares, mais de 15 mil animais<br />

marinhos. Projetado para a Expo 1998, o prédio -<br />

separado da terra firme apenas por uma passarela<br />

- parece flutuar nas águas do Rio Tejo. Passeio ideal<br />

para quem viaja com crianças, tem 7 milhões de<br />

metros cúbicos de água salgada em tanques de sete<br />

metros de profundidade. Dividido em diferentes<br />

ambientes marinhos – Antártico, Atlântico, Índico e<br />

Pacífico – foi considerado, em 2017, pelo TripAdvisor<br />

como o melhor oceanário do mundo.<br />

Informações: oceanario.pt<br />

135


QUAL VIAGEM<br />

AQUÁRIOS PELO MUNDO<br />

MUSEU OCEANOGRÁFICO –<br />

Mônaco<br />

F<br />

undado<br />

em 1903, o aquário do Museu Oceanográfico<br />

de Mônaco, é um dos mais antigos<br />

do mundo e ainda um dos mais interessantes.<br />

Especializado na fauna mediterrânea e de ambientes<br />

tropicais, abriga cerca de 6 mil espécies marinhas<br />

distribuídas em 90 tanques e lagoas artificiais.<br />

O museu também guarda preciosidades como um<br />

esqueleto completo de baleia.<br />

Informações: oceano.mc/en<br />

PLANETA AZUL –<br />

Dinamarca<br />

U<br />

m<br />

dos mais novos aquários da Europa, localizado<br />

em Copenhague, na Dinamarca, é também<br />

um dos mais espetaculares do mundo.<br />

Com um design revolucionário, tem 70 enormes<br />

tanques com mais de 500 espécies marinhas, incluindo<br />

orcas, tubarões, golfinhos, leões marinhos<br />

e piranhas, entre muitos outros. A infraestrutura<br />

do complexo com mais de 15 mil metros quadrados<br />

dispõe de restaurantes, lojas e locais de entretenimento.<br />

Informações: denblaaplanet.dk<br />

AQUÁRIO DE MÔNACO<br />

PLANETA AZUL

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!