Views
1 week ago

GAZETA DIARIO 550

12 Geral Foz do Iguaçu,

12 Geral Foz do Iguaçu, segunda-feira 9 de abril de 2018 IMUNIZAÇÃO Na mídia Dois fatos garantiram mídia nacional e internacional ao Paraná nesse final de semana. No sábado (7) pela manhã, o presidente Michel Temer (MDB) participou de um evento em Foz do Iguaçu, onde foi recepcionado pela governadora Cida Borghetti (PP), em sua primeira agenda oficial como titular do cargo. Ainda no sábado, o ex-presidente Lula (PT) chegou a Curitiba, onde começa cumprir sua condenação de mais de 12 anos, no caso envolvendo um tríplex em Guarujá (SP). Confusão A chegada de Lula à Superintendência da PF foi marcada por confusão e um princípio de confronto. Manifestantes pró-Lula acabaram feridos ao serem dispersados pela polícia com bombas de gás lacrimôgeneo e tiros de bala de borracha. Os apoiadores da prisão, na chegada do petista, pouco depois das 22h, soltaram muitos fogos de artifício e não foram molestados. Mandela Na última semana, Lula foi aconselhado por integrantes da cúpula do PT a pedir asilo a uma embaixada para escapar da prisão. Entre as opções, Rússia e Cuba, de onde poderia dar entrevista durante sua campanha ao Planalto. O petista não aceitou e se comparou a Nelson Mandela, preso por 27 anos em regime fechado por lutar contra o apartheid. Vigília A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), presidente do PT, disse que haverá uma "vigília permanente" em Curitiba até que Lula seja solto. A declaração foi dada pouco depois de o petista começar a cumprir pena. Infraestrutura Cida Borghetti aproveitou o encontro com Temer para reiterar pedidos por importantes obras de infraestrutura em Foz do Iguaçu que dependem de recursos federais. Entre elas estão a construção da segunda ponte ligando Brasil e Paraguai, a ampliação do aeroporto e a duplicação da BR-469. Pichadores Duas pessoas foram detidas, na madrugada de sábado, suspeitas de picharem a frase "Lula livre" em estabelecimentos comerciais em Foz do Iguaçu. Uma adolescente e um homem, cujos nomes não foram divulgados, acabaram conduzidos à Polícia Civil. Eleições O IBOPE deve entregar hoje (9) o resultado da primeira pesquisa que vai medir a intenção de voto ao Governo do Paraná. Contratado pela CBN Cascavel, o instituto está entrevistando 1.008 eleitores. As opções da enquete são Cida Borghetti (PP), Dr. Rosinha (PT), Osmar Dias (PDT) e Ratinho Junior (PSD). Interesse O IBOPE vai medir ainda o grau de interesse pelas eleições e as áreas que apresentam os maiores problemas a ser enfrentados pelos governantes. A pesquisa está registrada no TSE sob o número PR-06410/2018. Mais de política no www.bocamaldita.com. Saúde discute prevenção e enfrentamento da gripe no estado Campanha de vacinação começa em 23 de abril ANPR Reportagem A Secretaria de Estado da Saúde promoveu nessa sexta-feira (6) o VII Seminário Estadual sobre Influenza e outras Doenças Respiratórias Agudas. Além de presencial, o evento também foi transmitido para as 22 Regionais de Saúde do estado. No total participaram do encontro cerca de mil profissionais, entre gestores, servidores estaduais e municipais e profissionais de instituições técnico-científicas da Saúde. A sétima edição do evento abordou questões das áreas de vigilância epidemiológica e laboratorial, vírus respiratórios e vacinação. O diretor-geral da Secretaria da Saúde, Sezifredo Paz, destacou a relevância das atividades no seminário de 2018. "Esse encontro sempre é muito importante para a rede pública de saúde. Neste ano, estamos discutindo atualizações dos processos, nivelando ações nas Regionais de Saúde e instituindo estratégias de prevenção e cuidados com a população", disse. Também participam do seminário autoridades do Ministério da Saúde e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), do Rio de Janeiro. A técnica de vigilância da Influenza do Ministério da Saúde, Walquíria Almeida, ressaltou o trabalho contínuo contra a influenza no Paraná. "Sempre ficamos gratos quando a Secretaria do Paraná nos convida para eventos e palestras. A articulação A campanha de vacinação contra a gripe acontece de 23 de abril a 1º de junho em todas as cidades do Paraná entre o ministério e o estado é muito positiva, tanto na esfera da gripe quanto em outros estudos. O Paraná é uma das referências nacionais em estratégias de prevenção por conta do trabalho qualificado e potencial", disse Walquíria. A técnica também enaltece a estratégia de mobilização que reúne todas as esferas do Governo do Paraná para discutir ações e trocar conhecimentos com quem desenvolve o serviço desde a ponta até o final do processo. A representante da Fiocruz, Paola Cristina Resende Silva, reafirma o trabalho em parceria com o Laboratório Central do Estado do Paraná (Lacen). "A Fiocruz fica satisfeita com a dinâmica do processo e das equipes. Além disso, esse evento possibilita a troca de informações entre os âmbitos municipais, estaduais e federal. Com isso, homogenizamos as ações e transmitimos, de forma clara a eficiente, os cuidados para a população." Campanha A população estimada para a campanha de vacinação contra a gripe em 2018 é de 3,2 milhões de paranaenses. O público-alvo é composto por pessoas com 60 anos ou mais, crianças de 6 meses a 4 anos de idade, gestantes, puérperas (mulheres em até 45 dias depois do parto), profissionais de saúde, indígenas, portadores de doenças crônicas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e professores das instituições públicas e privadas. "A meta é atingir 90% de vacinação do público-alvo. É importante que as pessoas sejam imunizadas o quanto antes para que estejam protegidas antes da queda brusca de temperatura", destacou a superintendente de Vigilância em Saúde, Júlia Cordellini. Ela ressalta ainda outras medidas preventivas, além da vacinação, para se proteger da gripe, como a higienização das mãos, uso do álcool gel, manter os ambientes bem ventilados e utilizar lenços descartáveis ou cobrir o nariz e a boca ao espirrar ou tossir. Foto:Venilton Küchler

Foz do Iguaçu, segunda-feira, 9 de abril de 2018 POLÍTICA Nacional 13 Eleição presidencial já tem 14 pré-candidatos oficializados A data final para registro das candidaturas pelos partidos políticos na Justiça Eleitoral é 15 de agosto Paulo Victor Chagas Repórter da Agência Brasil A exatos seis meses da eleição presidencial deste ano, pelo menos 14 nomes já se colocaram publicamente na disputa. Mais uma précandidatura deve ser oficializada nas próximas semanas, a do PSB, e outros dois grandes partidos, PT e MDB, ainda não definiram seus quadros, apesar de prometerem apresentar um candidato nos próximos meses aos eleitores. A decisão final deve ser tomada até o início de agosto, quando termina o prazo para cada partido definir as candidaturas nas convenções. Dentre os concorrentes ao pleito, há ex-presidentes, senadores, deputados, ex-ministros e até um ex-ministro do Supremo Tribunal Federal. Álvaro Dias - Podemos O senador Álvaro Dias será o candidato do Podemos. Eleito senador em 2014, pelo PSDB, Álvaro Dias migrou para o PV e, em julho do ano passado, buscou o Podemos, antigo PTN.O político, de 73 anos, está no quarto mandato de senador. Ciro Gomes - PDT Pela terceira vez concorrendo ao posto mais alto do Executivo, o ex-governador do Ceará Ciro Gomes vai representar o PDT na disputa presidencial. Ao anunciar o seu nome como pré-candidato na última quinta-feira (8), o pedetista adotou um discurso contra as desigualdades e propondo um "projeto de desenvolvimento" para o país.Ciro Ferreira Gomes tem 60 anos e é formado em Direito. Fernando Collor - PTC O senador e ex-presidente da República Fernando Collor vai concorrer pelo PTC. Ele foi presidente da República entre 1990 e 1992, quando sofreu impeachment e foi substituído pelo então vice-presidente Itamar Franco. Foi o primeiro presidente a ser eleito pelo voto direto após o regime militar (1964-1985). Geraldo Alckmin - PSDB Após a desistência de outros quadros da sigla, o PSDB oficializou, no último dia 20, a pré-candidatura do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Esta será a segunda vez que ele disputará a vaga. Geraldo Alckmin tem 65 anos, é formado em medicina e é um quadro histórico do PSDB em São Paulo. Guilherme Boulos - PSOL Depois de uma consulta interna que contou com outros três nomes, o PSOL decidiu lançar a précandidatura de Guilherme Boulos, líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), após ele se filiar à sigla no início do mês de março. Formado em Filosofia e Psicologia, Boulos tem 35 anos. Jair Bolsonaro - PSL Deputado federal na sétima legislatura, Bolsonaro se filiou ao PSL na última quarta-feira (7). Considerado polêmico por suas bandeiras, Jair Bolsonaro defende a ampliação do acesso a armas e um Estado cristão, além de criticar modelos de família, segundo ele, "não tradicionais", como casamento homossexual. Nascido em Campinas, Jair Messias Bolsonaro tem 62 anos. João Amoêdo - Novo Com 55 anos, João Amoêdo é o candidato pelo partido Novo, que ajudou a fundar. Formado em engenharia e administração de empresas, fez carreira como executivo do mercado financeiro. José Maria Eymael - PSDC Já o PSDC confirmou no último dia 15 de março a pré-candidatura do seu presidente nacional, José Maria Eymael, que vai concorrer pela quinta vez. Além de fundador do PSDC, José Maria Eymael é advogado e nasceu em Porto Alegre. Levy Fidelix - PRTB Outro candidato recorrente ao pleito é o jornalista e publicitário Levy Fidelix, representando o partido do qual é fundador: PRTB. Abordando temas em defesa da família e dos "bons costumes", ele buscará aproveitar o momento de insatisfação dos brasileiros com a corrupção para se dizer um candidato "ficha limpa". Manuela D'Ávila - PCdoB A deputada estadual do Rio Grande do Sul, Manuela D'Ávila, será a candidata pelo PCdoB. A ex-deputada federal, por dois mandatos, teve a pré-candidatura lançada pelo partido comunista em novembro do ano passado. Esta é a primeira vez que o PCdoB lançará candidato próprio desde a redemocratização de 1988. Manuela D'Ávila tem 37 anos e é formada em jornalismo. Marina Silva - Rede Sustentabilidade A ex-senadora Marina Silva vai disputar a Presidência pela terceira vez consecutiva. Integrante da sigla Rede Sustentabilidade, Marina tem como plataforma a defesa da ética, do meio ambiente e do desenvolvimento sustentável. Paulo Rabello de Castro - PSC Até a semana passada no comando do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o economista Paulo Rabello de Castro deixou o cargo para confirmar a disposição de disputar à Presidência. Doutor em economia pela Universidade de Chicago, Paulo Rabello de Castro foi fundador da primeira empresa brasileira de classificação de riscos de crédito, a SR Rating, criada em 1993. Rodrigo Maia - DEM Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (RJ) é o pré-candidato pelo DEM. Maia tem buscado ser uma alternativa de centro e, em suas próprias palavras, "sem radicalismos". Ele assumiu o comando da Câmara após a queda de Eduardo Cunha (MDB- RJ), preso pela Operação Lava Jato, e ganhou mais protagonismo político pelo cargo que ocupa, já que é o responsável por definir a pauta de projetos importantes, como a reforma da Previdência. Vera Lúcia - PSTU O PSTU, que nas últimas vezes concorreu com o candidato José Maria de Almeida (Zé Maria), lançará uma chapa tendo a sindicalista Vera Lúcia como candidata à Presidência. Vera Lúcia, 50 anos, foi militante no PT e integrante do grupo fundador do PSTU. MDB Com a promessa de, pela primeira vez depois de 24 anos, apresentar ao país um candidato à Presidência da República, o MDB ainda não definiu oficialmente como formará a chapa para a disputa. Nesta semana, o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles se filiou à sigla. Mas é cogitado como opção ao lado do presidente Michel Temer. PSB Após a morte do ex-ministro e então presidente nacional do partido, Eduardo Campos, em plena campanha eleitoral de 2014, o PSB passou por dificuldades de identificação e falta de lideranças nos últimos anos. Nessa sexta-feira (6), porém, a sigla recebeu a filiação do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, e tem nele a grande aposta de participar do pleito deste ano. PT Depois de ganhar as últimas quatro eleições, o PT anunciou a pré-candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas dificilmente conseguirá lançá-lo à disputa. Lula foi preso nesse sábado (7) para cumprimento da pena de 12 anos e 1 mês de prisão. Outros nomes cotados dentro do partido são do ex-governador da Bahia Jaques Wagner e o do exprefeito de São Paulo, Fernando Haddad. F