Revista Coamo Edição de Julho de 2019

blzinfo

Revista Coamo Edição de Julho de 2019

COPA COAMO DEFINE OS 33 CLASSIFICADOS PARA A FINAL, DIA 27 DE JULHO

www.coamo.com.br

JULHO/2019 ANO 45

EDIÇÃO 493

REUNIÃO DE CAMPO

Foram 28 encontros

no PR, SC e MS

JOVENS LÍDERES

COOPERATIVISTAS

Dia Internacional

do Cooperativismo

é comemorado

com encontro

ACORDA MENINA,

VEM CÁ MENINO!

Ana Maria Braga, embaixadora dos Alimentos Coamo, esteve em Campo Mourão

para conhecer a estrutura e trabalho realizado pela cooperativa e associados. Com

o conhecido slogan, está ajudando na divulgação da linha alimentícia da Coamo


EXPEDIENTE

Órgão de divulgação da Coamo

Ano 45 | Edição 493 | Julho de 2019

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO COAMO

Ilivaldo Duarte de Campos: iduarte@coamo.com.br

Wilson Bibiano Lima: wblima@coamo.com.br

Ana Paula Bento Pelissari: anapelissari@coamo.com.br

Antonio Marcio dos Santos: amsantos@coamo.com.br

Contato: (44) 3599-8126/3599-8129

Jornalista responsável e Editor: Ilivaldo Duarte de Campos

Reportagens e fotos: Antonio Marcio dos Santos, Wilson Bibiano Lima,

Ana Paula Bento Pelissari e Ilivaldo Duarte de Campos

Edição de fotografia: Antonio Marcio dos Santos e Wilson Bibiano Lima

Colaboração: Gerência de Assistência Técnica, Entrepostos e Milena Luiz Corrêa

Contato publicitário: Agromídia Desenvolvimento de Negócios Publicitários Ltda

Contato: (11) 5092-3305 e Guerreiro Agromarketing Contato: (44) 3026-4457

É permitida a reprodução de matérias, desde que citada a fonte. Os artigos assinados

ou citados não exprimem, necessariamente, a opinião da Revista Coamo.

COAMO AGROINDUSTRIAL COOPERATIVA

SEDE: Rua Fioravante João Ferri, 99 - Jardim Alvorada. CEP 87308-445. Campo Mourão - Paraná - Brasil. Telefone (44) 3599.8000 Fax (44) 3599.8001 - Caixa Postal, 460

www.coamo.com.br - coamo@coamo.com.br

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO: Presidente: Engº Agrº José Aroldo Gallassini, Vice-Presidente: Engº Agrº Claudio Francisco Bianchi Rizzatto, Diretor-Secretário: Engº

Agrº Ricardo Accioly Calderari. MEMBROS VOGAIS: Joaquim Peres Montans, Anselmo Coutinho Machado, Wilson Pereira de Godoy, João Marco Nicaretta e Alessandro

Gaspar Colombo.

CONSELHO FISCAL: Diego Rogério Chitolina, Emilio Magne Guerreiro Júnior, Willian Ferreira Sehaber (Efetivos). Calebe Honório Welz Negri, Clóvis Antonio Bruneta,

Reginaldo Antonio Mariot (Suplentes).

SUPERINTENDENTES: Administrativo: Antonio Sérgio Gabriel; Comercial: Alcir José Goldoni; Industrial: Divaldo Corrêa; Logística e Operações : Airton Galinari;

Técnico: Aquiles de Oliveira Dias.

Extensão Territorial: 4,5 milhões de hectares. Capacidade Global de Armazenagem: 6,41 milhões de toneladas. Receita Global de 2018: R$ 14,79 bilhões. Tributos e

taxas gerados e recolhidos em 2018: R$ 436,73 milhões.

Julho/2019 REVISTA

3


SUMÁRIO

23

ANÚNCIO

Copa Coamo 2019

Confira os 11 campeões das regionais Vale do Ivaí e Sul/Centro-Sul já classificados para a final no dia 27

de julho. Copa Coamo vem repetindo o sucesso de edições anteriores com integração dos associados

4 REVISTA

Julho/2019


SUMÁRIO

Entrevista

08

Marcio Nunes, é natural de Campo Mourão e produtor rural. Reeleito deputado estadual em 2018,

se licenciou do cargo para assumir a Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo

Alimentos Coamo

Com qualidade e origem, Coamo produz farinhas de trigo especiais para Pizza, Pastel, Salgados e

Integral Moinho de Pedra, além das tradicionais. Trata-se de um diferencial no mercado de alimentos

Ana Maria Braga na Coamo

12

15

Apresentadora e embaixadora dos Alimentos Coamo, Ana Maria Braga, falou com associados,

visitou o Parque Industrial e a Administração Central da cooperativa, em Campo Mourão (PR)

Copa Coamo

Estão definidas as 33 equipes que participarão da final da Copa Coamo, no dia 27 de julho, em

Campo Mourão. Conheça os últimos classificados das regionais Centro-Oeste, Centro e Sede

22

32

Reuniões de Campo

Foram realizadas entre os dias 17 de junho e 02 de julho as tradicionais Reuniões de Campo

com a diretoria, nas Unidades da Coamo no Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul

Dia Internacional do Cooperativismo

39

Encontro com participantes das 23 turmas de Jovens Líderes Cooperativistas se reuniram em

Campo Mourão para um evento em comemoração ao Dia Internacional do Cooperativismo

Julho/2019 REVISTA

5


MaisMays.

Mais conhecimento

em nutrição,

mais equilíbrio na

lavoura.

Para que o milho atinja todo seu potencial produtivo, não basta aplicar

fertilizantes: é preciso investir em uma nutrição equilibrada e de

qualidade. Por isso, a Yara desenvolveu o MaisMays, um Programa

Nutricional completo que oferece:

a solução ideal

para cada etapa

do ciclo;

benefícios

para a planta;

melhorias

para o solo;

herança

nutricional para

a sua próxima

safra.

O resultado? Mais segurança para a sua lavoura e mais rentabilidade

para você. Procure por nutrição milho Yara na internet e saiba mais.


EDITORIAL

Participação ativa dos cooperados nas

Reuniões de Campo e Copa Coamo

Iniciamos julho na estrada,

nas tradicionais Reuniões

de Campo com cooperados

do Paraná, Santa Catarina

e Mato Grosso do Sul. Percorremos

cerca de cinco mil

quilômetros para levar informações

aos associados que,

novamente, participaram de

forma ativa em 28 encontros.

Como costumo dizer,

tivemos reuniões que foram

assembleias. Notamos grande

participação de esposas,

filhas e filhos de associados

nas reuniões. Isso mostra o

interesse pela cooperativa e

pelo desenvolvimento da atividade

agrícola e pecuária.

Também realizamos

o encontro dederes Cooperativistas,

para celebrar as

conquistas do Cooperativismo

– movimento que é antes

de tudo uma filosofia de

vida, e está presente em mais

de 100 países com mais de 1

bilhão de cooperados.

Na Coamo, temos

muitos motivos para comemorar

esta data com o quadro

social. Aproveitamos

a oportunidade para levar

mais conhecimento aos associados

com palestras atuais.

Nosso objetivo é desenvolver

e manter o espírito cooperativista

na juventude, para

que o cooperativismo seja

trabalhado como é de fato.

Um sistema em que todos

puxam para o mesmo lado:

diretoria, cooperados e funcionários.

Terminamos no dia

06 de julho as etapas regionais

da Copa Coamo, que

iniciaram no dia 27 de abril.

Foram sete etapas com 33

regionais e participação de

cerca de 500 times e sete

mil atletas/dirigentes, com

um total de mais de 30 mil

pessoas deste importante

evento criado em 1993 e que

vem atingindo todos os objetivos

de integração entre os

cooperados e cooperativa. É

um evento muito esperado a

cada dois anos pelos cooperados,

que tem futebol, costelão

e, também, muita alegria

e integração da família.

Os 33 campeões participam

da grande final, no

dia 27 de julho em Campo

Mourão. Além do futebol,

nesse dia temos um espetáculo

de abertura que é sempre

uma surpresa para o público.

A Copa Coamo é uma

grande festa. É um projeto

que fortalece a amizade e a

integração da família Coamo.

A integração dos cooperados

e de suas famílias é um

dos motivos do sucesso deste

evento que se tornou um

projeto bem-sucedido de esportes

e lazer.

"Notamos grande

participação de esposas,

filhas e filhos de

associados nas reuniões.

Isso mostra o interesse

pela cooperativa e pelo

desenvolvimento da

atividade agrícola e

pecuária."

JOSÉ AROLDO GALLASSINI,

Diretor-presidente

Julho/2019 REVISTA

7


MÁRCIO NUNES

"Onde há plantações e tem agronegócio

acontecendo normalmente são áreas conservadas."

Revista Coamo: Como aceitou o

desafio para coordenar a Secretaria

de Meio Ambiente e Recursos

Hídricos?

Márcio Nunes: Estou muito feliz

em estar como secretário do

"

É

possível proteger o meio Desenvolvimento Sustentável e

ambiente, combater desmatamento

e ao mesmo fio. Desenvolvimento sustentável

do Turismo é um grande desa-

tempo ter um crescimento socioeconômico."

A frase é do secretário

significa suprir as necessidades

do presente sem afetar a habili-

do Desenvolvimento dade das gerações futuras de su-

Sustentável e do Turismo do Paraná,

Márcio Nunes, entrevistado

do mês na Revista Coamo.

Natural de Campo Mourão,

Márcio Fernando Nunes é

engenheiro agrônomo e produtor

rural. Foi vice-prefeito e secretário

municipal de Agricultura

e Meio Ambiente de Campo

Mourão, na gestão 1996/2000.

Também foi chefe regional da

Secretaria de Estado da Agricultura

e do Abastecimento na

região Noroeste e diretor administrativo

e financeiro do Emater/

PR. Em janeiro de 2011, Márcio

Nunes assumiu a presidência do

Instituto das Águas do Paraná.

Foi eleito deputado estadual em

prirem as próprias necessidades.

Além das atribuições da secretaria

fazem parte da pasta a Agência

Paraná Desenvolvimento, que

é a porta de entrada de investidores

para o Estado; a Paraná

Turismo, que desenvolve o turismo

de forma economicamente

sustentável, gerando empregos,

renda por meio de ações que

promovam o Estado do Paraná;

e o Simepar, que são os satélites

de monitoramento meteorológico,

hidrológico e ambiental.

Aceitei esse grande desafio com

muita satisfação. Mas queremos

transformar o Paraná no Estado

que mais se desenvolve e mais

cuida do meio ambiente.

2014 e reeleito em 2018, quando

se licenciou do cargo para assumir

a Secretaria do Desenvolvimento

Sustentável e do Turismo

na gestão do governador Carlos

Massa Ratinho Junior.

RC: Como pretende desenvolver

o seu trabalho nesta pasta?

Quais os planos de governo?

Nunes: O objetivo dessa gestão

é trazer o equilíbrio para a área.

Uma das exigências do Governador

é agilizar os processos de

licenciamento ambiental. Trazer

rapidez e simplificar os processos

com embasamento jurídico.

Com isso alavancar o crescimento

e desenvolvimento do Paraná.

A Secretaria de Estado de

Desenvolvimento Sustentável

e do Turismo (SEDEST) tem por

finalidade formular, coordenar,

executar e desenvolver políticas

de proteção, conservação e restauração

do patrimônio natural,

de gerenciamento e recursos

hídricos, saneamento ambiental,

gestão territorial, política agrária,

fundiária, mineral e geológica e a

implantação de política de turismo,

visando o desenvolvimento

sustentável do Estado do Paraná.

RC: Qual a política ambiental do

Paraná?

Nunes: O objetivo dessa gestão

é facilitar o desenvolvimento do

setor industrial por meio da adequação

das regras e agilidade

nos licenciamentos ambientais.

É possível proteger o meio am-

"O objetivo dessa

gestão é facilitar o

desenvolvimento do

setor industrial por

meio da adequação

das regras e agilidade

nos licenciamentos

ambientais."

8 REVISTA

Julho/2019


iente, combater desmatamento

e, ao mesmo tempo, ter um crescimento

socioeconômico. Além

disso estamos trabalhando forte

com o Turismo. É o momento do

turismo no Estado, e essa é uma

grande mola para o desenvolvimento

pois gera emprego e renda

aos municípios.

RC: Com relação ao agronegócio,

como avalia o impacto deste

segmento no meio ambiente?

Nunes: Onde há plantações e

tem agronegócio acontecendo

normalmente são áreas conservadas.

Importante usar as novas

tecnologias para que se tenha

um desenvolvimento que visem

à sustentabilidade e a conservação

da natureza.

RC: O Paraná é berço da conservação

de solos. Como avalia esse

trabalho realizado pelos agricultores?

Nunes: Hoje o Paraná é o estado

que talvez tenha o solo mais

bem conservado, os produtores

rurais absorveram muito bem

esse conceito, tanto é que quase

todas as beiras de rios e nossas

minas estão bem conservadas,

mas é um programa que o Paraná

tem que trabalhar com muita

força, por conta da nossa alta

produtividade. Temos que ser o

Estado que mais conserva e recupera,

provando que é possível

um equilíbrio entre produção e

conservação.

RC: Recentemente saiu uma pesquisa

da FAO/ONU em que o

Brasil aparece como 44ª na lista

dos países que utilizam defensivos

agrícolas. Está atrás de países

menores e que produzem muito

menos. A que atribui essa posição

do Brasil? Pode-se dizer que

os agricultores brasileiros produzem

alimentos com qualidade

sem impactar negativamente no

Márcio Nunes: "O Paraná é

o maior produtor do mundo

por metro quadrado, somos o

celeiro do mundo."

meio ambiente?

Nunes: O Paraná é o maior produtor

do mundo por metro quadrado,

somos o celeiro do mundo.

Temos um cuidado muito grande

na utilização de defensivos, somos

os pioneiros na devolução de em-

Julho/2019 REVISTA

9


MÁRCIO NUNES

"A COAMO TEM SIDO REFERÊNCIA E SERVE DE EXEMPLO PARA TODAS AS ÁREAS,

NÃO SÓ ATENDENDO OS PRODUTORES RURAIS COMO AS FAMÍLIAS TAMBÉM."

balagens de fertilizantes no Brasil,

com um programa bem desenvolvido

que envolve produtores, comerciantes,

fabricantes e distribuidores

comandados pelo o Inpev,

onde o Paraná é exemplo com o

controle na utilização de defensivos.

Nós temos um trabalho grande

desenvolvido pelas empresas,

cooperativas, Emater e IAP, que

fazem o controle qualificado para

que o Paraná possa fazer o uso

correto de agroquímicos.

RC: Qual a opinião do Secretário

sobre essa campanha permanente

contra os defensivos agrícolas,

onde agricultores e agrônomos

têm sido equiparados a criminosos,

sendo denunciados criminalmente

simplesmente por usar

ou recomendar esses defensivos.

E qual sua opinião sobre as leis

municipais que estão sendo promulgadas

em vários municípios

do Paraná restringindo a aplicação

dos defensivos a distâncias

de até 300 metros de áreas urbanas,

sem qualquer critério técnico

ou ambiental?

Nunes: Para formar alguém em

alguma área de engenharia ligada

ao agronegócio existe a questão

da responsabilidade técnica.

Eu acredito muito na ART dos

agrônomos e temos que ter critérios

muito claros, não nos permitindo

analisar algumas coisas

de forma isolada, como proibir

a utilização de qualquer agroquímico

em uma faixa de 300

metros. A aplicação tem que ser

feita com consciência, sem prejudicar

locais e pessoas, não deixando

que aquele espaço que

não se pode aplicar vire um lixão

ou um terreno com mato alto, e

posteriormente, vire um problema

para todos.

RC: A Coamo constantemente

realiza treinamentos junto aos

seus associados sobre boas práticas

agrícolas. Como avalia o

impacto desse trabalho, uma vez

que, a cooperativa está presente

em três Estados, atuando com

mais de 28 mil associados?

Nunes: A Coamo tem sido referência

e serve de exemplo para

todas as áreas, não só atendendo

os produtores rurais como as

famílias também, possibilitando

a permanência deles nas terras

"O Paraná é o Estado

que talvez tenha o solo

mais bem conservado,

os produtores rurais

absorveram muito bem

esse conceito."

e tirando a necessidade de migrarem

para grandes cidades,

aumentando a população e passando

dificuldades. A Coamo faz

muito bem esse papel de assistir

a família rural.

Márcio Nunes, secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo do Paraná

10 REVISTA

Julho/2019


OPINIÃO

"Não envenenamos o prato de ninguém. Nem aqui, nem no Japão."

Por Xico Graziano*

O local e o momento eram oportunos.

Estava a ministra Tereza Cristina

abrindo a campanha em defesa dos produtos

orgânicos, promovida pelo Ministério

da Agricultura. Dali, tacou seu desabafo:

“Considero um desserviço ao país, uma

ação de lesa-pátria a campanha de desinformação

contra a qualidade dos nossos alimentos.

Nossos concorrentes agradecem.”

Novamente, agrotóxicos eram o

assunto. O controverso tema é recorrente

na mídia nacional. Postagens na rede contra

os agrotóxicos vendem o inferno à opinião

pública. Detratores do agro reduzem

os agricultores a assassinos contumazes.

Agridem sem dó a agronomia nacional. O

que é fake, e o que é fato, nesse assunto dos

agrotóxicos? Vamos analisar três questões:

Sobre resíduos de agrotóxicos

nos alimentos

A Anvisa realiza no país o monitoramento

da qualidade dos alimentos in natura.

Um resumo de sua atuação, em vários

anos, mostra que, das 12 mil amostras pesquisadas,

apenas 3% indicaram resíduos de

produtos químicos acima do limite máximo

permitido (LMR).

Significa que essas amostras (3%),

contaminadas acima do LMR, causam danos

à saúde? Não necessariamente. Ocorre que a

margem de segurança estabelecida situa-se,

em geral, 100 vezes abaixo da dose nociva

determinada, em laboratórios, para cobaias.

Ou seja, os níveis de resíduos detectados são

baixíssimos. Por esta razão, jamais alguma

autoridade médica recomendou que a população

deixasse de ingerir frutas, legumes ou

grãos por estarem “contaminados”. Alguns

argumentam existir um “efeito cumulativo”,

causado pela ingestão sucessiva de vários

alimentos, o que potencializaria o dano à

saúde humana. Jamais essa hipótese foi

cientificamente comprovada.

Sobre a utilização nacional

de agrotóxicos

Sim, é verdade que o Brasil é o

maior consumidor mundial de defensivos

agrícolas. Segundo o Ibama, foram utilizadas

539,9 mil toneladas de pesticidas em

2017, quase a metade apenas na lavoura

da soja. Quando, porém, se calcula, em

valor, o uso de agrotóxicos por hectare cultivado,

quem lidera o ranking mundial é o

Japão (US$ 455/ha). O Brasil (US$ 111/ha)

fica em sétimo lugar. Se o índice considerado

for agrotóxico por alimento produzido, o

Brasil cai para 13º lugar.

Sobre o registro de agrotóxicos

Acusa-se o atual governo de facilitar

o registro de produtos, pois foram

169 agrotóxicos liberados para uso neste

começo de ano. É verdade. Acelerou-se o

processo administrativo. Mas, atenção: nenhum

desses 169 agrotóxicos constitui novos

ingredientes ativos; todos são misturas

comerciais de substâncias anteriormente

aprovadas, ou “genéricos” de moléculas já

existentes. Ou seja, o governo fez aumentar

a concorrência no mercado, autorizando

o uso de formulações de pesticidas mais

atualizadas e eficientes.

Aumentará o consumo de agrotóxicos

no país? Provavelmente, não, pois os

agricultores substituirão marcas antigas pelas

novidades técnicas. Haverá benefícios econômicos

e ambientais. “Nós não envenenamos

o prato de ninguém”, arrematou Tereza Cristina,

reagindo contra os alarmistas. Nem aqui,

nem no Japão, complemento eu.

Polêmicas são úteis ao avanço do

conhecimento. Agora, imaginar que os agricultores

brasileiros envenenam o mundo, significa

considerar que a moderna agronomia

faliu, e que nós, os profissionais do campo,

somos um bando de desvairados mentais.

USO DE AGROTÓXICO POR

TONELADA ALIMENTO PRODUZIDO

dados de 2017

País

Japão 95,4

Coreia do Sul 47,0

Itália 22,6

França 18,4

Alemanha 18,0

Canadá 17,8

Reino Unido 15,1

Espanha 14,6

Estados Unidos 11,3

Argentina 10,2

Austrália 9,1

Polônia 8,8

Brasil 8,1

fonte:Unesp Botucatu/Andef

País

valor (em US$)

USO DE AGROTÓXICO

POR HECTARE CULTIVADO

dados de 2017

Japão 455,0

Coreia do Sul 238,5

Alemanha 210,0

Itália 175,2

França 174,0

Reino Unido 152,4

Brasil 111,2

fonte:Unesp Botucatu/Andef

valor (em US$)

*Xico Graziano é engenheiro agrônomo e doutor

em Administração. É professor de MBA da FGV e

sócio-diretor da e-PoliticsGraziano.

O artigo foi publicado no portal

Poder360 (www.poder360.com.br).

Julho/2019 REVISTA 11


ALIMENTOS COAMO

Alimentos Coamo produz

Farinhas de Trigo Especiais

Sempre na busca de

facilitar a vida de clientes

e consumidores a Coamo

por meio da sua linha alimentícia,

composta das marcas Coamo,

Primê, Anniela e Sollus, conta com

farinhas de trigo especiais, além

das tradicionais. São as farinhas

de Trigo Coamo Salgados,

Coamo Pastel, Coamo Pizza e

Coamo Integral Moinho de Pedra.

Trata-se de um diferencial para o

segmento, conforme esclarece o

gerente Comercial de Alimentos,

Wagner Schneider. “A farinha é

produzida com trigo específico

para cada segmento. Isso deixa

o produto muito melhor na mesa

do consumidor.”

Schneider acrescenta que

as farinhas especiais servem para

facilitar a vida dos consumidores.

“A Farinha de Trigo Coamo Pizza,

é uma farinha que vai deixar a

massa de pizza mais extensível,

facilitando a abertura do disco da

pizza. A Farinha de Trigo Coamo

Salgado, facilita o cozimento

da massa para a produção de

coxinhas, risoles, bolinha de

queijo, deixando o salgado

no ponto ideal de manuseio

para moldar e não estourar no

momento da fritura. A farinha de

Trigo Coamo Pastel é uma farinha

muito branca, considerada um

produto Premium no mercado,

ideal para a produção de massa

de pastel. Essa farinha conserva

a massa fresca, em refrigeração,

por mais tempo sem escurecer

ou pigmentar, além de deixar o

pastel com muitas “bolinhas” na

massa após a fritura. Essa farinha

também pode ser utilizada para

produzir massas frescas de pastel,

lasanha e macarrão”, esclarece.

Com relação a Farinha

de Trigo Integral Coamo Moinho

de Pedra, o gerente Comercial

de Alimentos, explica que

é um produto que possui

um aroma característico de

defumado, devido ao processo

de moagem no Moinho de

Pedra. “Essa farinha é utilizada

para produzir produtos integrais,

como: bolos, biscoitos, cookies

e pães. Os pães produzidos

com essa farinha apresentarão

o verdadeiro pão integral, pois

serão produzidos com todos

os elementos disponíveis no

trigo, desde fibras até o gérmen

do trigo. Salientamos que o

verdadeiro pão integral é mais

pesado e com o miolo escuro,

devido as fibras na farinha. Caso

o consumidor queira um pão

“integral” mais macio, a farinha

integral pode ser misturada com

um pouco de farinha branca”,

explica Schneider.

Outro diferencial das

farinhas de trigo Coamo está no

fato da origem da matéria-prima

ser reconhecida e rastreada. “A

qualidade dos Alimentos Coamo

começa na escolha das sementes

germinadas nos campos dos mais

de 28 mil associados da Coamo.

São sementes desenvolvidas

pela Coamo para atender os

mais diversos mercados, e

passam por um rigoroso controle

de qualidade, assistência técnica

em todas as etapas de produção,

aliados à tecnologia empregada

no campo, que proporcionará

um trigo com alta qualidade

e produtividade”, afirma o

superintendente Comercial da

Coamo, Alcir José Goldoni.

12 REVISTA

Julho/2019


RECONHECIMENTO

Coamo entre as marcas preferidas do PR

A

10ª edição do Prêmio Impar,

realizada pelo Grupo

RIC em parceria com o

Ibope Inteligência, foi realizada

no dia 27/06, durante jantar de

entrega dos certificados de reconhecimento.

Entre as marcas

preferidas pela população paranaense,

se destacou a Coamo

como cooperativa agropecuária.

O coordenador de Comunicação

do Sistema Ocepar, Samuel Milléo

Filho recebeu a menção em

nome da cooperativa.

A premiação é resultado

de uma ampla pesquisa que se

realiza em todas as regiões do

Estado para melhor entender

a nuvem imaginária da mente

do consumidor paranaense. O

Prêmio Impar revela o valor intangível

de uma marca. Além do

Ibope Inteligência, com seu trabalho

minucioso e excelência na

área, a pesquisa conta com patrocinadores

que acreditam e incentivam

este projeto. “O Impar

utiliza um critério único desenvolvido

pelo IBOPE Inteligência

para descobrir seus vencedores

e não se limita apenas à lembrança,

mas sim, à preferência

de consumo do público. A premiação

nos ajuda a dimensionar

o valor intangível de uma marca,

e uma grande marca merece ser

reconhecida”, avalia o presidente

do Grupo RIC, Leonardo Petrelli.

Para o presidente da Coamo,

José Aroldo Gallassini, esse

resultado é fruto de uma união

que sempre marcou os trabalhos

da cooperativa. “A integração

entre associados, diretoria e funcionários

da Coamo, formam um

tripé que sustenta todos os trabalhos

e serviços realizados. Trata-se

do reconhecimento de um trabalho

sério e honesto realizado há

quase 50 anos. São mais de 28 mil

associados e 120 mil pessoas beneficiadas

diretamente. Por isso,

agradecemos o reconhecimento

do povo paranaense e reafirmamos

nosso compromisso de continuar

produzindo alimentos com

qualidade e origem.”

Samuel Milléo Filho, coordenador de Comunicação do Sistema Ocepar,

recebeu a menção em nome da Coamo, em Curitiba

Julho/2019 REVISTA 13


MANEJO

EFICIENTE

PRAGAS

Proteja-se das pragas antes

que elas ataquem sua lavoura.

Com o Manejo Eficiente e inseticidas de alta performance, você vence o combate

contra as principais pragas da soja e a produtividade aumenta.

Nomolt ® 150

• Excelente ferramenta para

o manejo contra lagartas

na soja, incluindo em

variedades geneticamente

modificadas.

• Regulador de crescimento

de insetos, com alta

seletividade.

• Ótimos resultados nas

primeiras aplicações

do ciclo.

Fastac ® Duo

• Eficiente no controle dos

principais percevejos que

atacam a cultura da soja.

• Confiabilidade no controle

de adultos de mosca-branca.

• Pode ser aplicado em

todas as fases do cultivo.

Pirate ®

• Amplo espectro de controle.

• Efeito translaminar,

possibilitando atingir lagartas

escondidas embaixo

das folhas.

• Ótima ferramenta para

o manejo de resistência

(modo de ação único).

• Controle de lagartas, ácaros

e tripes.

Quer saber mais sobre as vantagens do Manejo Eficiente?

Procure seu Representante Técnico de Vendas BASF.

0800 0192 500

facebook.com/BASF.AgroBrasil

www.agro.basf.com.br

www.blogagrobasf.com.br

BASF na Agricultura.

Juntos pelo seu Legado.

14 REVISTA

Uso exclusivamente agrícola. Aplique somente as doses recomendadas.

Descarte corretamente as embalagens e os restos de produtos.

Incluir outros métodos de controle do programa do Manejo Integrado

de Pragas (MIP) quando disponíveis e apropriados. Registro MAPA:

Julho/2019 Fastac ® Duo nº 10913; Nomolt ® 150 nº 001393 e Pirate ® nº 05898.


VISITA À COAMO

ANA MARIA BRAGA

reforça parceria com a Coamo

"Tenho orgulho de falar que

sou da Coamo e saber que cada

produto que eu recomendo,

realmente tem qualidade.

Conhecendo a Coamo, conheço

um pouco da história e da luta

de cada um dos associados

e associadas. Quero muito

agradecer esse momento e a

confiança de vocês."

Centenas de associados e

associadas tiveram uma

surpresa no dia 18 de julho,

em Campo Mourão, durante

o Encontro de Inverno da Fazenda

Experimental Coamo, com a

presença da apresentadora e embaixadora

dos Alimentos Coamo,

Ana Maria Braga. Na oportunidade

ela falou com os participantes

e, logo após, conheceu o Parque

Industrial da Coamo e a Administração

Central. Sobre a parceira

com a Coamo, Ana Maria Braga

diz que começou quando recebeu

uma carta do presidente da

Coamo, José Aroldo Gallassini e

se emocionou muito com todas

as lutas e conquistas da cooperativa.

Ana Maria Braga concedeu

entrevista coletiva à imprensa

elogiando a estrutura e

claro, recomendou os produtos

alimentícios produzidos pela

Coamo. “Os produtos que os associados

da Coamo fazem é com

muito orgulho, porque podem

estar na mesa de qualquer pessoa,

em qualquer lugar do mundo

com a melhor qualidade, porque

eles cumprem aquilo que se

propõem a fazer. É uma rede de

pessoas que acredita no que faz”,

avaliou.

A visita à cooperativa foi

Julho/2019 REVISTA 15


VISITA À COAMO

Claudio Francisco Bianchi Rizzatto, Ana Maria Braga,

José Aroldo Gallassini e Ricardo Accioly Calderari

para conferir de perto a qualidade com que os alimentos

são produzidos. “Quando vi tudo, confirmei

que a Coamo é realmente uma potência. Fiquei impressionada

com a estrutura, mas me impressionei

mais com as pessoas”, falou, ao dizer que durante a

visita ao Parque Industrial e a Fazenda Experimental

de perceber o ânimo de cada um dos cooperados

e funcionários, e o orgulho que demonstram em

fazer parte da família Coamo. “É um grande prazer

e uma grande honra vir aqui e quero voltar mais”,

falou, ao brincar que da próxima vez vem à cidade

para aprender a receita do Carneiro no Buraco, prato

típico de Campo Mourão.

Segundo o superintendente Comercial da

Coamo, Alcir José Goldoni, foi uma visita para apresentar

um pouco mais do que é Coamo. “Falamos

que ela só conheceria a Coamo, só saberia quem

eram os donos da Coamo e o trabalho realizado

pelos donos da cooperativa, se ela viesse aqui conhecer

as estratégias e operações da cooperativa.

Ela conheceu todos os alimentos antes de representá-los

e, agora, conheceu o grupo de cooperados,

que são os donos e as indústrias de onde saem os

nossos produtos. Por trás dos Alimentos Coamo têm

famílias, tem alma, tem trabalho, responsabilidade,

sustentabilidade e sabemos que quem dá sustenta-

Ana Maria com os Alimentos Coamo durante visita ao Parque Industrial

bilidade à atividade do agricultor é o consumidor”,

enfatiza.

O presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini,

agradeceu a apresentadora pela visita e reforçou

a importância da parceria na divulgação de

sua linha de alimentos. Na ocasião, ele brincou que

ela, durante sua participação no Dia de Campo de

Inverno, ‘parecia entender do assunto’. “Ela veio nos

visitar justamente em um dia de campo de inverno

com 480 cooperados. Ela fez toda apresentação

e demonstrou que é do ramo. E parece que sabe

mesmo”, falou rindo. “O pessoal gostou muito da visita

dela, os cooperados ficaram muito a vontade”,

emendou.

Família Coamo

A apresentadora também ressaltou que os

associados da Coamo são exemplo de união. “Vocês

são uma família e passam por altos e baixos, como

é o caso da agricultura. As vezes tem uma safra maravilhosa,

as vezes têm uns problemas de tempo,

que interferem, tem uma resvalada pelo caminho.

16 REVISTA

Julho/2019

Participação no tradicional Encontro

na Fazenda Experimental


Apresentadora de TV e embaixadora dos Alimentos Coamo com associados e associadas na Fazenda Experimental, durante Encontro de Inverno

Mas, estando numa família como

essa, família Coamo, todos são

amparados e sabem que estão

num movimento muito maior e

que não estão sozinhos. Os associados

contam com apoio e

estrutura altamente profissional,

tecnológica e que só tem motivos

para crescer no Brasil, onde

as pessoas estão precisando de

gente como vocês da Coamo. Parabéns.”

Ana Maria Braga

é do campo

Durante o Encontro de

Inverno, a embaixadora dos Alimentos

Coamo fez questão de

destacar para os associados que

também é do campo e tem orgulho

por representá-los. “Sou agricultura

também, nasci em uma

cidade chamada São Joaquim

da Barra (SP), meu sonho sempre

foi ter uma fazenda. Trabalhei

bastante até comprar o primeiro

sítio, depois tive a oportunidade

de ter uma propriedade um pouco

maior, e realizei um sonho de

ser pecuarista.”

Ana Maria Braga ainda

enalteceu o trabalho dos cooperados

da Coamo. “Parabenizo

vocês que vem da terra, porque

é um grande feito ser agricultor

e com a qualidade que vocês

estão hoje. Eu realmente tenho

orgulho de vocês, agricultores e

agricultoras. Muito obrigado por

me permitirem estar aqui”, agradeceu.

Qualidade

comprovada

Para fechar a parceria

com a Coamo Ana Maria Braga fez

questão de provar e testar toda a

linha de alimentos. “Eu queria saber

o que era essa cooperativa,

como ela tinha sido formada, e

Coletiva de imprensa na Administração Central da cooperativa

tem uma história linda, uma história

de pessoas que fazem diferença

no dia a dia. Eu falei, bom

vamos ver como funciona isso no

fogão, na minha mesa, então me

mandaram um lote e experimentei

todos os produtos, margarinas,

farinhas, o óleo, enfim, fiquei

encantada realmente com a qualidade.

Não tem comparação com

a maioria dos produtos que são

distribuídos no Brasil. Fiquei feliz,

pois pude ter certeza da qualidade

mesmo não tendo vindo aqui

e olhado no olho, como fiz agora.

Os produtos são excelentes, e

estou muito feliz em representar

os Alimentos Coamo. Sem dúvida

nenhuma faz muito sucesso em

qualquer mesa do mundo.”

Julho/2019 REVISTA 17


Hugo Zampieri Sobrinho, cooperado da Coamo em Mariluz,

vem apostando no plantio de soja como forma de reformar a

pastagem e melhorar o sistema produtivo na propriedade

PECUÁRIA E AGRICULTURA

harmonia para o sistema e lucro no bolso

Atividades ajudam a melhorar a cadeia produtiva e geram renda

para cooperados que buscam uma propriedade mais sustentável

18 REVISTA

Julho/2019


INCREMENTO NO CAMPO

Área cultivada com soja no verão recebeu forrageiras para alimentar o gado no outono e inverno

A

Fazenda Araguari está

situada no Noroeste do

Paraná onde o solo é

arenoso e fraco, denominado

Arenito Caiuá. A pecuária extensiva

ainda predomina na região.

Contudo, essa não é a realidade

da propriedade do agropecuarista

Hugo Zampieri Sobrinho,

cooperado da Coamo em Mariluz.

Até pouco tempo, a área do

associado, que fica no município

de Umuarama, também era dominada

pela pecuária, mas está

passando por uma grande mudança

motivada pela implantação

de soja no sistema produtivo.

De família tradicional na

pecuária e especialista na criação

de animais super precoces

de raças nobres como angus,

bonsmara, hereford e nelore,

Zampieri é referência na região,

produzindo carne de qualidade

para os principais distribuidores

do Noroeste paranaense. Diante

dos desafios e dificuldades enfrentados

pela criação de gado e

com o objetivo de agregar valor

à produção e a propriedade, o

cooperado está colhendo os primeiros

frutos com o sistema de

integração lavoura-pecuária.

Ele revela que a ideia de

implantar a soja no sistema surgiu

após participar de um dia de

campo promovido pela Coamo,

que mostrou a viabilidade e importância

da integração para a

sustentabilidade da propriedade.

“Aceitei o desafio proposto

pela assistência técnica e na safra

passada fiz o primeiro plantio

de soja. Foi um ano difícil para a

lavoura, com clima seco e altas

temperaturas, mesmo assim considero

que tivemos uma boa produtividade.

Porém, o maior benefício

está sendo com a pastagem

de inverno.”

Neste primeiro ano, foram

cultivados dez alqueires de

soja que renderam uma produtividade

média de 80 sacas por

alqueire. A área que recebeu a

lavoura no verão, virou pastagem

no outono-inverno com a taxa de

lotação quatro vezes maior que

nos outros talhões da propriedade.

Além disso, a qualidade

nutricional da forrageira, no caso

capim-ruziziensis consorciado

com milheto, está superior quando

comparada com o restante da

propriedade.

De acordo com Zampieri,

outro benefício é que outras

áreas que foram pastejadas no

verão, se recompuseram para

fornecer mais forragem nos próximos

meses aos animais. “Eco-

Julho/2019 REVISTA 19


INCREMENTO NO CAMPO

Plantio de soja vem ganhando espaço na propriedade que até pouco tempo era exclusiva da pecuária

nomizamos com ração e mão de

obra. Mesmo com a soja não tendo

uma boa renda, a diminuição

de custo na propriedade já paga

a conta”, assinala o cooperado

que faz o sistema de cria e engorda

dos animais.

O cooperado ressalta

que a pecuária está passando por

mudanças e precisa ser inovada.

“Fico até chateado por não ter

começado antes com esse sistema.

Contudo, tenho certeza que

para trás não volto. A integração

ajuda a baratear os custos com a

pecuária e ainda traz ganho com

a lavoura. Queremos ganhar dinheiro

com a soja, mas o nosso

principal objetivo é deixar a propriedade

mais sustentável e, para

isso, a lavoura com a pecuária é

um casamento perfeito.”

O engenheiro agrônomo

Hugo Lorran de Melo Rocha, da

Coamo em Mariluz, ressalta que

a integração lavoura-pecuária

proporciona vários benefícios

para o sistema produtivo. Como,

por exemplo, a produção de forragem

de qualidade no período

da seca, recuperação da produtividade

da pastagem, reestruturação

da parte física e química do

solo, reciclagem de nutrientes,

Cooperado Hugo Zampieri com o engenheiro agrônomo Hugo Lorran de Melo Rocha, da Coamo em Mariluz:

"a integração lavoura-pecuária proporciona vários benefícios para o sistema produtivo."

formação de palhada contribuindo

com a proteção do solo contra

erosões e excesso de luminosidade,

melhoria da fertilidade,

aumento de matéria orgânica,

aumento da retenção de água.

“Há uma valorização da propriedade

com a diversificação de

atividades exploradas na fazenda,

como a produção de carne e

grãos. Isso tudo aumenta a estabilidade

e renda do cooperado.”

No sítio São João, Em

Peabiru (Centro-Oeste do Paraná)

os irmãos Valdemir e Vagner

Agostinis fizeram o caminho inverso.

Agricultores tradicionais,

estão apostando na pecuária

como diversificação e fonte extra

de renda. No verão, toda a área

é utilizada para o cultivo de soja,

e no inverno parte da propriedade

é destinada para o plantio de

aveia e milho que servem de alimentação

para os animais.

O sistema foi implantado

há cerca de quatro anos. Vagner

conta que sempre gostaram de

diversificar as atividades e que

a pecuária se mostrou uma boa

alternativa, já que poderia otimizar

a área de produção comercial

e para tratos dos animais. O sistema

escolhido pelos irmãos foi

de recria e engorda. “Fazemos

isso porque temos pouco pasto.

Assim que chegam, os bezerros

ficam na área de pastagem e cerca

de seis meses depois, seguem

para o confinamento, onde ficam

entre 70 e 90 dias até chegar no

peso ideal. Esse tempo depende

da raça.”

No confinamento os

animais recebem tratos a base

de silagem e aveia. Na pasta-

20 REVISTA

Julho/2019


INCREMENTO NO CAMPO

Irmãos Valdemir e Vagner Agostinis, de Peabiru (PR), estão investindo na pecuária como diversificação e fonte extra de renda no sítio Santo Antonio

gem, além de silagem e aveia,

recebem suplementação com

minerais. “Essa alimentação balanceada

é importante para que

possamos ter um bom número

de animais”, assinala Vagner.

As atividades desenvolvidas

na propriedade são integradas

e os irmãos buscam sempre

melhorar o sistema, sendo que

parte da área no inverno recebe

aveia e brachiária como cobertura

e palhada para o verão.

“Aumentar a produção de grãos

e melhorar os tratos para os animais

estão entre os nossos objetivos”,

observa.

Vagner ressalta que para

começar com a pecuária tiveram

que destinar parte da área de

lavoura para o plantio de pastagem.

São cerca de oito alqueires

de pasto. Uma perda que compensou,

pois houve aumento da

renda com a criação de gado. “O

giro com a pecuária é mais rápido

e traz mais segurança para a

propriedade e ainda tem o fato

de que quando uma atividade

não está boa, a outra ajuda nas

despesas”, destaca o associado.

O médico veterinário

Fabiano Camargo, da Coamo

em Campo Mourão, ressalta que

mesmo há pouco tempo na atividade,

os irmãos Valdemir e Vagner

Agostinis estão trabalhando

de forma eficiente e obtendo

lucro com a atividade. “A propriedade

é bem otimizada e fazem

um bom manejo no sistema

produtivo. Podemos dizer que é

pecuária moderna, com tecnologia

simples e eficiente”, pondera

Camargo.

Médico veterinário Fabiano

Camargo, da Coamo em Campo

Mourão, acompanha qualidade

da silagem com os irmaos

Julho/2019 REVISTA 21


COPA COAMO

Cinco campeões no Centro-Oeste

Cooperados esperam com ansiedade a cada dois

anos para participar do evento promovido para eles

Placa América, por Mamborê;

Meia Boca, por Boa

Esperança; Barcelona, por

Altamira do Paraná; Águas de Jurema,

por Iretama e Palmital 43,

por Roncador. Esses são os cinco

Tadeu Voroniuk Junior, de Roncador

campeões pela regional Centro-

-Oeste disputada no dia 15 de

junho, com a participação de milhares

de pessoas entre cooperados

e familiares, comunidade e

funcionários.

Das cinco finais, apenas

em Mamborê o campeão foi conhecido

nos pênaltis. Após empate

sem gols no tempo normal,

o Placa América venceu o Água

da Palmeira por 3x1. Em Altamira

do Paraná, título para o Barcelona

com a goleada sobre o time do

Garrincha por 5x1. O Palmital 43

venceu o Formoso por 3x1 em

Roncador. Em Iretama, o vencedor

foi Águas de Jurema após

fazer 1x0 diante do Bom Jardim.

Com 2x0 sobre o time Santa Terezinha,

o Meia Boca faturou o título

da regional em Boa Esperança.

Tadeu Voroniuk Junior,

disputou a Copa Coamo em Roncador.

Ele destaca a organização

do evento e a integração dos cooperados.

“É um dia que encon-

Luís Carlos Carbonera, de Boa Esperança

22 REVISTA

Julho/2019


COPA COAMO

Em Iretama, Afonso Gregório participou da Copa Coamo com

o neto, Elian, com o filho, Adalton, e com a neta, Daltiane

Boa Esperança: Meia Boca

tramos os amigos e fazemos novas amizades. É um

evento saudável dentro e fora de campo”, assinala.

A equipe de Luís Carlos Carbonera, de Boa

Esperança, não foi selecionada para afinal, mas, segundo

ele, o que vale é participar. “Participei de todas

edições da Copa Coamo. Cada uma é diferente, mais

gostosa. Termina uma copa e já começamos a pensar

na outra. Perdemos no campo, mas ganhamos no

costelão, todos jogam muito bem na hora do almoço”,

pondera.

O cooperado Afonso Gregório, de Nova Tebas,

participou em Iretama. Para ele, a Copa Coamo

é mais que um evento esportivo. "É o momento de

união das famílias, onde a Coamo mostra a sua organização

e competência, levadas por seus funcionários,

dando um momento de alegria e união para a

família cooperada. Como cooperado há mais de 40

anos participei de todas as edições e me sinto orgulhoso

por isso”. 'Seo' Afonso participou da Copa Coamo

junto com o neto, o filho e a neta.

Iretama: Águas de Jurema

Mamborê: Placa América

Altamira do Paraná: Barcelona

Roncador: Palmital 43

Julho/2019 REVISTA 23


COPA COAMO

Centro: maior em número de equipes

Milhares de cooperados,

familiares e comunidades

prestigiaram no dia

29 de junho, a penúltima etapa

da Copa Coamo de Cooperados

promovida com sucesso em Pitanga,

Manoel Ribas, Cândido de

Abreu, Boa Ventura de São Roque

e Palmital, na região Centro

do Paraná.

As disputas foram equilibradas

e com bom nível técnico,

grande alegria e integração da

família cooperativista. Os ven-

Estefano Gulicz, de Palmital

cedores das regionais Centro

foram: por Cândido de Abreu, o

Capinzal com vitória por 1x0 sobre

o Agro Amigos. Em Manoel

Ribas, campeão pela primeira

vez foi a equipe Linha Esperança,

que derrotou o São Marcos por

1x0. O Sanga Funda ficou com o

título em Palmital ao vencer por

1x0 o Jaguatirica. O campeão

em Pitanga foi o time UTI - Unidade

Travamento Intensivo após

derrotar o Rio do Susto por 3x0.

Em Boa Ventura de São Roque

o Linha Forekevicz A derrotou o

São Cristóvão por 1x0 e sagrou-

-se campeão da regional.

Em Palmital, os cooperados

festejaram a realização da

João Nicaretta, de Pitanga

Boa Ventura de São Roque: Linha Forekevicz

Cândido de Abreu: Capinzal

24 REVISTA

Julho/2019


COPA COAMO

Manoel Ribas: Linha Esperança

Pitanga: Sanga Funda

Copa Coamo, mas um de maneira especial. O cooperado

Estefano Gulicz, do time Sanga Funda, vibrou

com a vitória na decisão e a conquista da vaga pela

regional para estar na final da Copa Coamo. “Participo

da Copa Coamo há 13 edições e o meu sonho era um

dia ir à final em Campo Mourão e conseguimos nesta

edição. Então a nossa alegria é imensa. Este evento

é maravilhoso com tudo muito bem organizado. Se

ganhar no final, a festa é ainda maior”, comemora o

cooperado, que por ser apaixonado por futebol fez

até um campo na sua propriedade.

‘Seo’ João Nicaretta, de Pitanga, jogou em 13

edições e há duas está como dirigente. Para ele, não

dá para ficar de fora e, se perder, leva na brincadeira.

“Jogar é mais fácil do que ser dirigente, pois nem

sempre os atletas respeitam nossas orientações, mas

tudo é uma festa com a família, colegas cooperados

e comunidade que prestigiam esse grande evento.”

Na Copa Coamo todos são vencedores. É

uma festa valorizada e elogiada por toda a comunidade.

Em Manoel Ribas, com 37 equipes, o padre

Avelino também colocou as chuteiras para entrar

em campo. Foi a primeira vez que ele participou

da Coamo, mas o resultado não foi o esperado, já

que em uma das partidas a equipe perdeu de 7 a 0.

“Apesar do resultado, não fizemos feio, pois o outro

time era superior ao nosso. A Copa Coamo é um

projeto maravilhoso que une as famílias e as comunidades

em prol do esporte”, comenta o pároco da

Igreja Santuário Nossa Senhora da Salete, na Barra

Santa Salete.

A equipe do padre teve como dirigente

a jovem Fernanda Romagnoli, que levou com muito

Padre Avelino, de Manoel Ribas

bom humor a perda do seu time, equipe Santa Ana.

“É a segunda copa que participo. Dentro de campo

não fomos muito bem, mas o importante é participar

e se divertir. É um dia gostoso e participo desde

criança. São muitas as lembranças, pois cresci participando

da Copa Coamo.”

Pitanga: UTI - Unidade de Travamento Intensivo

Fernanda Romagnoli, de Manoel Ribas

Julho/2019 REVISTA 25


COPA COAMO

Regional Sede define últimos

classificados para a final

Nem mesmo a massa de

ar frio que derrubou a

temperatura para zero

grau na madrugada do dia 06 de

julho, afastou o público e os participantes

da regional sede da

Copa Coamo, a última das sete

etapas programadas para esta

edição do evento. Com jogos em

Araruna, Campo Mourão, Peabiru

e Luiziana (Centro-Oeste do

Paraná), cerca de três mil pessoas

prestigiaram e vibraram com os

cooperados/atletas que fizeram

bonito dentro e fora de campo.

Em Luiziana o cooperado

Leomar Puton, dirigente da equipe

Campina do Amoral, lembra

que participou de quase todas

as edições e elogia o evento. “Só

fiquei fora de uma copa por problemas

de saúde. É um evento

muito aguardado por todos nós,

associados e familiares.”

Para Mauricio Iorino, de

Peabiru, vale qualquer sacrifício

para participar. “É uma confraternização

maravilhosa, um grande

prazer poder participar. Damos

um jeito de espantar o frio para

não ficar de fora dessa união de

amigos, onde passamos o dia

confraternizando. O importante

é participar.”

Já Claudio Fulaneto Júnior,

cooperado em Araruna,

confessa que era grande a expectativa

antes do evento. “É um

dia muito aguardado por nós.

É um evento onde celebramos

a amizade e praticamos esporte,

que faz bem para a saúde. O

evento se supera com a dedicação

dos funcionários que fazem

para nós uma festa muito bonita.”

Araruna: Primavera

Campo Mourão: Sambatti

26 REVISTA

Julho/2019


COPA COAMO

Leomar Puton, de Luiziana Maurício Iorino, de Peabiru Claudio Fulaneto Júnior, de Araruna

O cooperado Armando

Sambatti, de Campo Mourão, foi

campeão da regional pela sexta

vez e valoriza a organização.

“Estamos felizes, nosso time tem

muita história e a Copa Coamo é

tudo para nós. Aqui você vê a família,

filhos, sobrinhos, netos. Parabenizamos

a Coamo pela organização

dessa competição, que é

o maior campeonato agrícola do

mundo. Hoje é um dia muito feliz

da minha vida, difícil expressar

esse sentimento.”

A Regional Sede contou

com um total de 63 jogos e

183 gols marcados, uma média

de quase três gols por partida.

Em Araruna, a equipe Primavera

venceu São Martinho por 1 a 0.

No total, foram 17 jogos, 47 gols,

cinco cartões amarelos e um azul.

A equipe Sambatti venceu

os Amigos da Bola por 4 a

1 na final e sagrou-se a campeã.

Foram marcados 74 gols em 19

jogos, com 26 cartões amarelos

e cinco azul.

Em Luiziana a equipe

Santa Maria foi campeã após

empatar em 0 a 0 com a Fazenda

São Paulo no tempo normal e

vencer por 3 a 2 nas cobranças

de pênaltis. A etapa contou com

15 jogos, 32 gols marcados, nove

cartões amarelos e um azul.

Por 3 a 0, a equipe Nossa

Senhora Aparecida venceu a Placa

União e foi a campeã em Peabiru.

Foram 12 jogos e 30 gols

marcados, com quatro cartões

amarelos e nenhum azul.

Luiziana: Santa Maria

Peabiru: Nossa Senhora Aparecida

Julho/2019 REVISTA 27


COPA COAMO

CONHEÇA OS 33

FINALISTAS DA

COPA COAMO 2019

Abelardo Luz: Pinheiro Marcado B (Ouro Verde)

Altamira do Paraná: Barcelona

Araruna: Primavera

Boa Esperança: Meia Boca

Boa Ventura de São Roque: Linha Forekevicz A

Caarapó: União Douradense (Dourados)

Campo Mourão: Sambatti

Cândido de Abreu: Capinzal

Candói: Foz do Jordão

28 REVISTA

Julho/2019


COPA COAMO

Cantagalo: Vista Alegre

Coronel Vivida: Alto Jacutinga

Engenheiro Beltrão: Figueira do Oeste

Faxinal: Atlhetic Club Borrazópolis (Cruzmaltina)

Fênix: Sítio do Dinho

Goioerê: Sabatine Esporte Clube Mariluz (Mariluz)

Iretama: Águas de Jurema

Ivaiporã: Beija-Flor

Juranda: Grupo União

Laguna Carapã: Veteranos FC

Julho/2019 REVISTA 29


COPA COAMO

Luiziana: Santa Maria

Mamborê: Placa América

Mangueirinha: Canhada Funda

Manoel Ribas: Linha Esperança

Palmital: Sanga Funda

Peabiru: Nossa Senhora Aparecida

Pitanga: U.T.I. - Unidade de Travamento Intensivo Roncador: Palmital 43

São Domingos: Nova Arvorezinha

São João do Ivaí: A Província

30 REVISTA

Julho/2019


COPA COAMO

São Pedro Iguaçu: Ouro Verde C (Ouro Verde do Oeste)

Toledo: Concórdia B

Tupãssi: Fica Gelo

Vila Nova: Lajeado

Congresso Técnico define grupos e jogos da final

Foi realizado na tarde do dia 11 de julho, o

Congresso Técnico para a final da Copa Coamo

de Cooperados Futebol Suíço – 2019. O

evento foi realizado na Administração Central da

cooperativa, em Campo Mourão e contou com a

presença de dirigentes de sete das 33 equipes

finalistas e da Comissão Central Organizadora. O

congresso técnico definiu os grupos e a tabela de

jogos da fase final, que será no dia 27 de julho, na

Arcam em Campo Mourão, e reunirá os campeões

das sete regionais realizadas de 27 de abril a 06

de julho.

As 33 equipes foram sorteadas em 11 grupos

com três times cada, que jogarão entre si, classificando

para a fase seguinte o campeão de cada grupo

e, também, os vice-campeões dos grupos A, B, C, D,

E, totalizando 16 equipes, que disputarão as fases

seguintes no sistema de eliminatória simples (mata-

-mata). Na primeira fase, os jogos serão 10 minutos

por 10 minutos e na segunda fase 15 por 15.

Dirigentes durante o sorteio dos grupos e jogos para a final da Copa Coamo

Aquiles Dias, superintendente Técnico da Coamo, representou a diretoria

Julho/2019 REVISTA

31


REUNIÕES DE CAMPO

Reunião com cooperados

em Mamborê (PR)

Campo sempre informado

Tradicionais Reuniões de Campo da diretoria com cooperados foram entre os dias 17 de

junho e 02 de julho, com 28 encontros no Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul

Com cerca de cinco mil quilômetros percorridos

num período de 11 dias, a diretoria

da Coamo encerrou no início do mês de

julho mais uma maratona das tradicionais Reuniões

de Campo do segundo semestre, programa

realizado desde a fundação da cooperativa na década

de 1970.

Foram 28 encontros estratégicos em todas

as regiões de atuação no Paraná, Santa Catarina

e Mato Grosso do Sul. Cooperados, esposas,

filhas e cooperadas marcaram presença nos

eventos e elogiaram a iniciativa e disposição da

diretoria em percorrer as unidades duas vezes ao

ano, no primeiro e segundo semestre.

Promover a aproximação e integração,

e levar informações gerais da situação da agropecuária

e da Coamo, e outras de interesse do

quadro social, são os principais objetivos das Reuniões

de Campo, que neste semestre foram realizadas

entre os dias 17 de junho e 02 de julho.

Nos encontros o presidente da Coamo

e Credicoamo, José Aroldo Gallassini, que conduz

todas as reuniões em contato direto com os

cooperados, lembrou da missão da cooperativa

de gerar renda aos associados com desenvolvimento

sustentável do agronegócio, apresentando

números da estrutura e atuação da Coamo no

ramo agrícola industrial. Dr. Aroldo fez ainda uma

análise da situação do Brasil, destacando a projeção

da inflação brasileira de 3,89% em 2019, o

PIB (Produto Interno Bruto) de 1,00% neste ano e

a variação do dólar no período de R$ 3,632 até

R$ 4,122.

Segundo o presidente, a cooperativa

segue em boa situação geral, com baixa inadimplência,

assim como ocorre com a Credicoamo

Crédito Rural Cooperativa, a cooperativa de crédito

dos cooperados da Coamo.

32 REVISTA

Julho/2019


REUNIÕES DE CAMPO

Abelardo Luz (SC)

Amambai (MS)

Araruna e Peabiru (PR)

Boa Esperança e Janiópolis (PR)

Bragantina, Tupãssi e Brasilândia do Sul (PR)

Caarapó (MS)

Campo Mourão, Farol, Luiziana e Corumbataí do Sul (PR)

Coronel Vivida e Honório Serpa (PR)

CLÓVIS ALBERTO ZATTI

Mangueirinha (Sudoeste do Paraná)

“Estamos sempre presentes para obter informações

sobre os estoques mundiais e as condições

para comercialização. Nos espelhamos no Dr.

Aroldo e seus conselhos para conduzir nosso ne-



gócio uma vez que é uma referência para nós.”

BENJAMIM PAULO ROMANI

São Domingos (Oeste de Santa Catarina)

“São informações de muito proveito para nós,

pois nos auxiliam no planejamento já que tratam

do nosso custo e do comportamento do

mercado. De fato, a mensagem trazida até o

cooperado nessas reuniões é bastante positiva.”

Julho/2019 REVISTA 33


REUNIÕES DE CAMPO

Recebimento e

armazenagem

Dourados e Itaporã (MS)

Engenheiro Beltrão e Quinta do Sol (PR)

Outro ponto destacado foi o recebimento

da produção, que na safra 2018/2019 deve

ultrapassar 121 milhões de sacas. Sendo destes,

quase 70 milhões de sacas de soja, cerca de

44 milhões de sacas de milho, entre as safras de

verão e inverno, e mais de 1 milhão de sacas de

trigo e outros produtos como aveia e café.

Para receber este volume, Gallassini lembrou

da alta capacidade de armazenagem estática

da cooperativa, chegando a 107.715.853

sacas, sendo 91.379.100 a granel e 16.336.753

ensacado. Ainda informou o volume de investimentos

em mais de 30 obras de ampliação, reformas,

substituição ou melhorias, entre outros,

que estão em andamento em várias regiões da

cooperativa.

Credicoamo e Via Sollus

Faxinal, Marilândia do Sul e Cruzmaltina (PR)

Goioerê, Quarto Centenário, Rancho Alegre do Oeste, Moreira Sales e Mariluz (PR)

Instrumentos dos encontros são também

o desempenho da Credicoamo Crédito

Rural Cooperativa, a cooperativa de crédito

dos cooperados da Coamo, e da Via Sollus, a

corretora de seguros do grupo Coamo. Quanto

a cooperativa, são informados o número de

agências, num total de 46, a quantidade de

cooperados e funcionários, além do ativo total,

volume de empréstimos e financiamentos e

as sobras geradas durante o exercício vigente,

bem como, as indenizações por meio do seguro

agrícola, que na última safra totalizaram R$

ELVIS LIMA DELTREJO JUNIOR

Aral Moreira (Sudoeste do Mato Grosso do Sul)

“Temos sempre que disponibilizar um tempo

para acompanhar as condições de mercado e

da produção mundial. Quem se informa sai na

frente e com base nessas informações conse-



guimos tomar melhores decisões.”

OSVINO ROSLER

Nova Santa Rosa (Oeste do Paraná)

“Participo sempre porque acho muito importante

para estar por dentro das novidades. São

informações que nos auxiliam bastante e, por

isso, não dá para perder, precisamos acompanhar

para não ficar para trás.”

34 REVISTA

Julho/2019


REUNIÕES DE CAMPO

89,33 milhões, as linhas de crédito e aplicações financeiras

realizadas.

Sobre a Via Sollus á apresentada a quantidade

de apólices contratadas e a variedade de seguros

disponíveis para os associados da Coamo, funcionários

e comunidade, que vão desde seguro de

veículos, residência, máquinas e implementos, até

agrícola e prestamista (seguro da dívida).

Guarapuava, Candói, Cantagalo, Pinhão e Goioxim (PR)

Alimentos Coamo

A variedade, qualidade e a rentabilidade

gerada pela industrialização

dos Alimentos Coamo não ficam de fora

dos temas importantes apresentados

nas reuniões. O presidente da Coamo

faz questão de informar a importante relevância

econômica, gerada pela linha

alimentícia produzida nas indústrias da

cooperativa, composta por cafés, óleo

vegetal, farinhas de trigo, margarinas e

gordura vegetal para linha doméstica e

industrial. Conforme os números, a finalização

dos produtos corresponde à

quase 10% do faturamento da Coamo,

ultrapassando a marca de R$ 1 bilhão.

Ivaiporã (PR)

Laguna Carapã (MS)

Juranda e Altamira do Paraná (PR)

Mamborê (PR)

NILSON JOSÉ GOMES

Ivaiporã (Centro-Norte do Paraná)



nos atualizar e proteger.”

“O produtor rural precisa estar bem informado

para acertar mais e diminuir os riscos. As

informações trazidas pela diretoria da Coamo

são fundamentais. É uma forma que temos de

MARTIM FLORES DE ARAÚJO

Caarapó (Sudoeste do Mato Grosso do Sul)

“O cooperativismo nos ajuda muito. Participar

de reuniões como está é fundamental. Procuramos

sempre estar presente porque são informações

atualizadas que contribuem para um

maior acerto na nossa atividade.”

Julho/2019 REVISTA 35


REUNIÕES DE CAMPO

Foco na comercialização

Mangueirinha e Palmas (PR)

Manoel Ribas, Cândido de Abreu e Reserva (PR)

A movimentação do mercado de grãos é tema

indispensável e um dos que mais atrai o público. Interessados

em informações precisas sobre a comercialização

dos produtos agrícolas, o assunto é sempre muito

aguardado pelos cooperados participantes. A área

e produção mundial, a oferta e demanda do mundo e

do Brasil, para as culturas de trigo, milho e soja, são detalhadamente

explicadas pelo presidente da Coamo,

que dá boas dicas para a melhor tomada de decisão

dos produtores.

Maracaju (MS)

Nova Santa Rosa (PR)

Pitanga, Boa Ventura de São Roque, Palmital e Santa Maria do Oeste (PR)

Roncador, Iretama e Nova Tebas (PR)

MARSAL PONTELO SOARES

Juranda (Centro-Oeste do Paraná)



frente e fica mais bem informado.”

“O mundo está em constante mudança e é

preciso estar sempre aprendendo. Nessas reuniões

obtemos conhecimento para melhor

condução dos negócios. Quem participa sai na

VALDIR VILMAR DE LIBERALLI

Coronel Vivida (Sudoeste do Paraná)

“Participo porque é uma coisa boa. Ficamos

sempre muito bem informados e isso nos

ajuda na tomada de decisão. Faço questão de

estar presente e recomendo que todos também

participem.”

36 REVISTA

Julho/2019


REUNIÕES DE CAMPO

São Domingos e Ipuaçu (SC)

São João do Ivaí, Fênix e Barbosa Ferraz (PR)

Sidrolândia (MS)

Toledo, Dez de Maio, Vila Nova, São Pedro do Iguaçu e Ouro Verde do Oeste (PR)

Atuação cooperativista

Reforçando a filosofia da cooperação, os

princípios e pilares do cooperativismo entraram

na pauta dos encontros, onde o assessor de Cooperativismo

da Coamo, Guilherme Savio, resgata

aspectos importantes, muitas vezes esquecidos

e que são fundamentais para o bom desenvolvimento

do sistema. A importância da participação

do associado em detrimento ao aumento do

custo da estrutura e os sete princípios do cooperativismo

foram pontos abordados. “Nossa

intenção é regatar alguns aspectos e reforçar a

necessidade de todos manterem acesa a chama

da cooperação. Afinal, vivemos num sistema cooperativista

e não podemos nos esquecer disso”,

observa. Em 2018, foram realizados 556 eventos

com a participação direta de 11.568 associados,

possibilitando a capacitação, aumento de renda

e o desenvolvimento de cooperados e familiares.

A metodologia também é defendida

pelo presidente da Coamo. “O tempo passa e

acabamos esquecendo da essência do cooperativismo.

Não podemos pensar só em preço de

produtos e mercado”, alerta Gallassini, um dos

maiores incentivadores da filosofia no Brasil.

Xanxerê (SC)

Custos de produção

A gerência de Assistência Técnica também

tem importante participação nas Reuniões

de Campo, levando informações pontuais e determinantes

para a tomada de decisão dos cooperados.

O gerente Marcelo Sumiya, detalha os

valores aproximados para produção, levando

em consideração produtividades e preços de

insumos necessários para o cultivo. De forma

simplificada, Sumiya apresenta ainda os principais

pontos e mudanças do Plano Agrícola e

Pecuário do Governo Federal, com foco na taxa

de juros e seguro agrícola. Destaca também

os programas e serviços disponibilizados pela

Coamo, como o Gestor Rural e Fideliza.

Julho/2019 REVISTA 37


Soluções BASF Milho.

Sua lavoura mais saudável,

seu Legado mais rentável.

Seu milho pode ter ainda mais proteção para seu negócio

ter resultados melhores e seu Legado mais sustentabilidade.

PRODUTOS

| Tratamento

de sementes

Standak ® Top

| Inseticidas

Imunit ®

Pirate ®

Nomolt ® 150

Fastac ® Duo

| Fungicidas

Abacus ® HC

Orkestra ® SC

Ativum ®

| Herbicidas

Heat ®

Basagran ® 600

| Serviços

Agroclima PRO BASF

APP BASF Agro

Troca BASF

0800 0192 500

facebook.com/BASF.AgroBrasil

www.agro.basf.com.br

www.blogagrobasf.com.br

BASF na Agricultura.

Juntos pelo seu Legado.

38 REVISTA

Uso exclusivamente agrícola. Aplique somente as doses recomendadas. Descarte

corretamente as embalagens e os restos de produtos. Incluir outros métodos de controle

do programa do Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponíveis e apropriados.

Restrições temporárias no Estado do Paraná para a cultura do Milho: Standak ® Top para

o alvo Pythium spp., Poncho ® para os alvos Dichelops furcatus, Frankliniella williamsi

e Phyllophaga cuyabana. Registros MAPA: Standak ® Top nº 01209, Heat ® nº 01013,

Basagran ® 600 nº 0594, Abacus ® HC nº 09210, Ativum ® nº 11216, Nomolt ® 150

nº 01393, Pirate ® nº 05898, Fastac ® Duo nº 10913, Imunit ® nº 08806, Finale ® nº 0691,

Liberty ® nº 05409 e Poncho ® nº 007003.

Julho/2019


LÍDERES COOPERATIVISTAS

Gallassini falou sobre a Coamo e a

importância do cooperativismo

Liderança aprimorada

ENCONTRO COM FORMANDOS DO CURSO DE

LÍDERES COMEMOROU O DIA DO COOPERATIVISMO

Para celebrar o Dia Internacional

do Cooperativismo,

comemorado sempre no

primeiro sábado de julho, a Coamo

realizou no dia 28 de junho,

em Campo Mourão (Centro-

-Oeste do Paraná), encontro com

centenas de cooperados participantes

das turmas do Programa

de Formação de Jovens Líderes

Cooperativistas. É a oportunidade

dos cooperados se confraternizarem

e levarem mais conhecimento

para casa. Além da

apresentação do presidente da

Coamo, José Aroldo Gallassini, o

evento contou com uma palestra

com o professor Pedro Calabrez,

PHD em Neurociência, que abordou

o tema “Liderança Competitiva”.

O cooperado Igor Mi-

Igor Miguel Schroeder, de Dourados (MS)

Sandro Ivatiuk Martim, de Candói (PR)

guel Schroeder, de Dourados

(Sudoeste do Mato Grosso do

Sul), participa da atual turma de

formação de jovens líderes cooperativistas.

De acordo com ele,

Julho/2019 REVISTA 39


40 REVISTA

Julho/2019


REUNIÕES DE CAMPO

DIA INTERNACIONAL DO COOPERATIVISMO É NO PRIMEIRO SÁBADO DE JULHO E,

TRADICIONALMENTE, A COAMO REALIZA EVENTO NO FINAL DE JUNHO EM ALUSÃO À DATA

o encontro está alinhado com o

que vem aprendendo no curso.

“O trabalho de anos da Coamo

focando nos jovens, mostra a

preocupação da cooperativa em

continuar forte e sólida. Nós que

estamos passando pela sucessão

quase sempre pensamos na parte

operacional, mas se preparar

para a administração da propriedade

é de suma importância e

estamos sendo preparados para

esse processo”, assinala.

Sandro Ivatiuk Martim,

de Candói (Centro-Sul do Paraná),

participou do curso em 2014.

Para ele o evento anual, realizado

pela Coamo é uma atualização

necessária. “A Coamo disponibiliza

muitos benefícios e serviços

para que possamos crescer.

O curso me ajudou a planejar

e aproveitar as oportunidades.

Cooperativismo é isso, uma ajuda

mútua e compartilhamento

de conhecimento.”

O associado Vitor Castioni,

de Abelardo Luz (Oeste de

Santa Catarina), fez parte da 20ª

turma do curso. Ele conta que o

evento anual é importante para

comemorar o cooperativismo e

reencontrar os colegas de outras

regiões. “O cooperativismo precisa

ser lembrado e comemorado.

O curso foi muito importante

na minha formação, me ajuda

muito no dia a dia na propriedade.

Isso é graças ao trabalho da

Coamo”, assinala.

Outra que elogia o programa

da Coamo é Simone Andrea

Neunfeld Marlow, de Vila

Nova, distrito de Toledo (Oeste

do Paraná). Para ela rever os amigos

de curso é importante e o

evento ainda proporciona mais

aprendizado. “A gente aprende

muito a cada palestra, ou encontro

que a Coamo realiza. Muitas

coisas mudaram depois que fiz

o curso. Temos que evoluir sempre

e buscar conhecimento para

aproveitar o melhor momento

para planejar as safras e comercializar

a produção.”

Professor Pedro Calabrez, PHD em Neurociência, que abordou o tema “Liderança Competitiva”

Vitor Castioni, de Abelardo Luz (SC)

Simone Andrea Neunfeld Marlow, de Vila Nova (PR)

Para o presidente da

Coamo, José Aroldo Gallassini,

a cooperativa tem muitos motivos

para comemorar esta data

com o quadro social. “Nossa comemoração

do dia Internacional

do Cooperativismo é sempre

muito proveitosa. Aproveitamos

a oportunidade para levar mais

conhecimento aos cooperados

com palestras atuais. Nosso objetivo

é desenvolver e manter o

espírito cooperativista na juventude,

para que o cooperativismo

seja trabalhado como é de fato.

Um sistema em que todos puxam

para o mesmo lado: diretoria,

cooperados e funcionários.”

Julho/2019 REVISTA 41


jacto.com

LANÇAMENTO

Uniport 4530

COM BARRAS HÍBRIDAS DE 42 METROS

Uso inteligente de materiais e detalhes pensados para que você tenha

maior precisão e controle na pulverização, uma menor compactação

do solo, além de baixo consumo de combustível. Uma máquina que

une rendimento operacional e preservação da sua lavoura.

BARRAS HÍBRIDAS

DE 42 METROS

Aumento do rendimento

operacional em até 12%.

Tamanho e produtividade

em perfeito equilíbrio.

Estrutura de fibra de carbono

nos segmentos finais da barra.

Mais leve, resistente, reduz

a compactação do solo

e o amassamento da planta

em até 14%.

SISTEMA DIRECIONAL UNITRACK

Redução de amassamento em até 40%

nas manobras, que estão mais rápidas.

TECNOLOGIA BICO

A BICO JACTO

O controle de abertura e fechamento

automático bico a bico, tem mais precisão

na pulverização e gera economia de até

10% nos produtos aplicados.


CAMPO FEMININO

Protagonista

da cooperação

Cooperada tem amor à terra e para

superar os desafios encara o trabalho

com dedicação e seriedade

Na Bíblia, nos provérbios e na literatura, a mulher

faz história e é valorizada pela força e

determinação que dedica às suas missões.

Constantemente são desafiadas a encarar obstáculos.

A cooperada Rosane Wilhelms Siebert, de Dois

Irmãos, distrito de Toledo (Oeste do Paraná) não está

nas páginas de um livro. Ela tem desafios na vida real

e os encara com a mesma garra e determinação de

tantas outras mulheres que já fizeram história. “A vida

não é fácil para ninguém, mas se ficar reclamando, as

coisas não andam.”

Rosane é filha de agricultor e em cada canto

da propriedade da família os objetos contam uma

história. Cercada de memórias, ela lembra que desde

cedo sempre trabalhou no campo, e que era o braço

direito do pai. Depois que se casou e com o marido,

também agricultor, a vida agrícola continuou. Hoje,

viúva e mãe de um casal de gêmeos já formados profissionalmente,

é ela quem comanda os negócios da

família.

A agricultora planta milho e soja e não se vê

realizando outro trabalho. “Desde criança sempre

gostei da vida no sítio. Eu amo a terra, horta e jardinagem.

Como sempre trabalhei com meu pai, essa

prática facilita meu trabalho atualmente. Além disso,

quando se trabalha com amor tudo fica mais fácil.”

Quando o marido Norberto faleceu, Rosane

revela que a cooperativa foi outro apoio importante.

“Meu marido foi meu grande parceiro, tínhamos

muita sintonia na vida e no trabalho. Quando ele

faleceu não foi fácil. Mas, um dos suportes que tive

foi da Coamo. Ele sempre me deixava a par do que

Rosane Wilhelms Siebert, sempre trabalhou no campo. Apesar da

experiência, se mantém atualizada e busca melhorar resultados

Julho/2019 REVISTA 43


CAMPO FEMININO

COOPERADAS, ESPOSAS E FILHAS DE COOPERADOS SÃO VALORIZADAS PELA

COAMO. OBJETIVO É MANTÊ-LAS POR DENTRO DAS DECISÕES E AÇÕES DO MEIO

estava acontecendo, mesmo assim, precisei aprender

algo mais e a Coamo deu esse apoio para meu

trabalho”, lembra.

Empreendedora e participativa, Rosane

sempre marca presença nos cursos e eventos promovidos

pela Coamo. Recentemente, ela ingressou

no Encontro de Núcleos Femininos. “A Coamo teve

mais uma iniciativa de apoio ao público feminino. É

a chance que temos de expor nossas ideias e contribuir

para o desenvolvimento da nossa cooperativa.”

Mulheres em ação

Coamo inicia Encontros de Núcleos

Femininos para envolver ainda mais as

mulheres nos assuntos da cooperativa

A

força da mulher do campo é valorizada pela

Coamo. Tanto é verdadeira essa afirmação

que a cooperativa realiza diversas ações para

que o público feminino esteja sempre integrado aos

assuntos e novidades do agronegócio. Para somar a

este trabalho já realizado, a Coamo iniciou nas unidades

de Abelardo Luz (SC), Mangueirinha (PR) e Toledo

(PR), os Encontros de Núcleos Femininos.

Com encontros bimestrais, cooperadas, esposas

e filhas de cooperados terão a oportunidade

de protagonizar mais transformações no universo

cooperativista. Para isso, a Coamo irá apoiá-las, organizando

as reuniões para que elas possam ter um

espaço aberto para o diálogo com a sua cooperativa

levantando temas que desejam se aprofundar, conhecer

ou, até mesmo, implantar.

A princípio três regiões da área de ação da

Coamo deram o ponta pé inicial. Já foram realizados

dois encontros em Abelardo Luz, para mulheres

Associada participa do Encontro de Núcleos Femininos e sente-se

motivada com as perspectivas de crescimento na sua cooperativa

de toda a região do Oeste de Santa Catarina, e dois

em Mangueirinha no Sudoeste do Paraná. Em Toledo,

para as participantes do Oeste do Paraná foi realizada

uma reunião até o momento. Porém, as participantes

já aguardam com ansiedade os próximos

encontros que já têm datas marcadas.

Rosane Wilhelms Siebert, que já contou um

pouco da sua história, acrescenta que está animada

com os encontros. “Assim como a dama é peça importante

do jogo de xadrez, as mulheres também são na

Celso Paggi, gerente da Coamo em Toledo, em conversa com as mulheres

44 REVISTA

Julho/2019


CAMPO FEMININO

Integrantes do Núcleo Feminino em Toledo (PR)

cooperativa e na família. As mulheres

precisam ser ouvidas, pois

sabem muito e muitas vezes se

escondem. Quando temos abertura

vemos quanto as mulheres

são sábias. Parabenizo a Coamo,

pela chance que tem dado à nós

mulheres. No que depender de

nós, faremos a cooperativa crescer

ainda mais.”

Quem também está na

expectativa para a realização de

mais encontros é a cooperada Lidia

Scheuer de Dez de Maio (Oeste

do Paraná). “A mulher precisa se

envolver nos assuntos da cooperativa,

pois se uma hora o marido

chegar a faltar, é preciso conseguir

gerir tudo também. Eu adoto

essa forma de gestão na minha

propriedade e vejo que tem dado

bons resultados e, agora, com o

Encontro de Núcleos Femininos

poderei melhorar ainda mais no

meu trabalho”, considera.

Para Adriana Ludwig de

Abelardo Luz (Oeste de Santa

Catarina), essa iniciativa da Coamo

foi válida e importante para

as mulheres. “Me senti valorizada

quando soube que a Coamo iniciaria

os Encontros de Núcleos,

sem contar, que a partir dos

eventos que já participei, vi que

os encontros virão para agregar

aos valores e trabalhos nossos

do dia a dia. Precisamos estar

por dentro de tudo que está relacionado

à nossa cooperativa.”

Vera Lucia Scherer de

Toledo (Oeste do Paraná), é cooperada

atuante e participativa

nos assuntos da sua propriedade,

esposa e filha de cooperados,

acredita no cooperativismo.

“A cooperação é a solução para

uma série de problemas que temos

em nossa área, e a Coamo

abre uma série de possibilidades

técnicas, social e cultural. A

participação nos núcleos femininos

é mais uma porta que se

abre para a nossa representatividade,

fortalecendo ainda mais o

cooperativismo. Com um núcleo

familiar presente, as coisas funcionam

melhor.”

Grupo reunido em Abelardo Luz (SC)

Apresentação sobre a importância do cooperativismo em Mangueirinha (PR)

Julho/2019 REVISTA 45


CREDICOAMO

Missão cumprida

Quando a Credicoamo foi fundada, em 28 de

novembro de 2019, o objetivo era criar uma

cooperativa de crédito, para prestar serviços

financeiros de modo mais simples e vantajoso

aos associados da Coamo, possibilitando o acesso

ao crédito e outros produtos financeiros (aplicações,

investimentos, empréstimos, financiamentos, recebimento

de contas, seguros, etc.).

Quase 30 anos se passaram e a missão foi

cumprida com êxito. Superando, inclusive, as expectativas

dos associados, conforme afirma o cooperado

fundador número 25, Antonio Guerreiro. “A Credicoamo

está correspondendo o motivo pelo qual

foi criada. Ela nos apoia e dá tranquilidade. Temos

uma estrutura que nos dá suporte em todas as áreas.

Sem contar, que nos sentimos em família.”

"A Credicoamo está correspondendo o motivo pelo qual foi criada."

Antonio Guerreiro, fundador número 25 da Credicoamo

"Nada melhor do que ter uma cooperativa de crédito dentro da cooperativa

agropecuária." Luiz Carlos Castro Vieira, fundador número 24 da Credicoamo

‘Seo’ Antonio ainda acrescenta que 30 anos

se passaram e as inovações na Credicoamo continuam.

“Recentemente utilizei uma nova linha de

financiamento, o Credifundiário, para pagar a aquisição

de terras. Foi mais um benefício que chegou

para garantir nosso crescimento.”

Outro fundador (número 24) que está contente

com os resultados da Credicoamo, é Luiz Carlos

Castro Vieira, também de Campo Mourão. “Nada

melhor do que ter uma cooperativa de crédito dentro

da cooperativa agropecuária. Fica tudo dentro

de casa. Foi uma solução encontrada que funcionou

muito bem”, afirma.

Para ‘seo’ Luiz Carlos outro benefício é o atendimento.

“Tudo que precisamos encontramos na nossa

cooperativa de crédito. É nota mil”, ressalta.

1996 2003

Começou a atuar como cooperativa

de crédito independente.

1996

Lançamento do Cartão de Crédito Internacional

- Visa, em parceria com o Banco Bradesco.

Alteração da denominação social para

Credicoamo Crédito Rural Cooperativa.

2007

Início da contratação Seguro Agrícola Credicoamo

VIP - com base na produtividade histórica.

Julho/2019 REVISTA 47


48 REVISTA

Julho/2019


CONEXÃO MULHER

‘Agro’ mais feminino

Cooperadas, esposas

e filhas de cooperados

participaram de uma

tarde de conhecimento

por meio do evento

Conexão Mulher

A

Coamo por meio de uma

parceria com a Bayer

realizou eventos regionais

do Conexão Mulher, pelo

terceiro ano consecutivo. Foram

cinco encontros no Paraná, para

1600 mulheres, nos municípios

de Toledo (Oeste), Campo Mourão

(Centro-Oeste), Mamborê

(Centro-Oeste), Mangueirinha

(Centro-Sul) e Pitanga (Centro).

O objetivo foi motivar e integrar

cooperadas, esposas e filhas de

cooperados.

Durante uma tarde, as

participantes contaram com

palestras realizadas por duas

mulheres empreendedoras. Na

primeira parte Vanessa Sabioni,

falou sobre o tema “Os desafios

da mulher no campo”, e Adriane

Steinmetz, abordou o assunto,

“Você é a protagonista da sua

história”. Após uma pausa para o

café, Vanessa voltou para debater

“A transformação da comunicação

digital no campo”, e Adriane

encerrou o dia com a palestra,

Participantes atentas ao conteúdo apresentado

“A influência feminina na transformação

digital do Agro”.

Foi um bate-papo entre

mulheres do agro. Tanto as palestrantes

quanto as participantes

pertencem ao ramo. Fato que

fez toda a diferença na opinião

de Marilma Elizette de Lima Machado,

de Pitanga. “Foi um dia

muito alegre. As palestrantes são

agricultoras como nós, e abordaram

o desenvolvimento pessoal

e profissional aplicado à nossa

realidade.”

Julho/2019 REVISTA 49


50 REVISTA

Julho/2019


CONEXÃO MULHER

PARTICIPANTES - COOPERADAS, ESPOSAS E FILHAS DE COOPERADOS - CONTARAM

COM PALESTRAS REALIZADAS POR DUAS MULHERES EMPREENDEDORAS DO AGRO

Gerente de Mangueirinha, Antônio Cézar Gomes, durante abertura do evento

Em Campo Mourão, gerente da Unidade, Claudio Nachi falou com as participantes

Ana Karina Chaves Viecelli,

de Mangueirinha, diz que

foi uma tarde produtiva. “O Conexão

Mulher veio para somar

em nossas vidas. Obtive conhecimento

pessoal e específico da

nossa área. A Coamo quer ajudar

na formação dos nossos maridos

e na nossa também. Antes da

Coamo não tínhamos esse cuidado

e atenção.”

Para Cristina Schreiner,

de Campo Mourão, foi uma tarde

motivadora. “Com as palestras

percebi que posso estar integrada

ao trabalho do meu marido

e filho no campo. Essa iniciativa

está alinhada ao novo foco da

mulher, que busca se enquadrar

nesse universo do agronegócio”,

explica.

Segundo Lilia Unfried

Ledur Hoscheid, de Toledo, o

Conexão Mulher superou expectativas.

“Ouvir a experiência das

palestrantes foi incrível, pois elas

sabem aliar a teoria com a prática.

Podemos e devemos fazer

a diferença. Saí mais motivada”,

considera Lilia.

Conforme o assessor de

Cooperativismo da Coamo, Guilherme

Sávio, um dos objetivos

do sistema cooperativista é integrar

toda a família cooperada. “É

gratificante ver o sorriso no rosto

delas, depois de passarem uma

tarde com nós, onde tudo é feito

pensando na mulher do campo.

Sem contar que nosso objetivo é

dar instrumentos e ferramentas

para que as mulheres possam

ajudar a Coamo se desenvolver

também.”

Além do Conexão Mulher,

a Coamo ainda realiza durante

o ano centenas de cursos

sociais destinados a participação

das mulheres, bem como

o encontro da família cooperativista,

entre outros tantos, direcionados

ao quadro social e

familiares, seja do público masculino

ou feminino.

Vanessa Sabioni, falou sobre os temas “Os desafios da mulher no campo” e

“A transformação da comunicação digital no campo”

Adriane Steinmetz, abordou sobre “Você é a protagonista da sua história”

e “A influência feminina na transformação digital do Agro”

Julho/2019 REVISTA 51


PROMOÇÃO SOCIAL

Cursos Sociais

Os Cursos Sociais promovidos pela Coamo em parceria com o Serviço Social

de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop), oferecem oportunidades

para que as cooperadas, esposas e filhas de cooperados possam se

reunir e aprender mais sobre culinária, artesanato, dentre outras atividades.

Confira nas imagens abaixo alguns dos cursos realizados pela Coamo.

Risotos e saladas, em Boa Ventura de São Roque (Centro-Sul do Paraná)

Trufas e Bombons, em Boa Ventura de São Roque (Centro-Sul do Paraná)

Culinária a Base de Mandioca, em Pitanga (Centro do Paraná)

Panificação, em Quarto Centenário (Centro-Oeste do Paraná)

Bolos confeitados e simples, em Mangueirinha (Sudoeste do Paraná)

Confeitados simples, em Palmas (Sudoeste do Paraná)

Trufas e bombons, em Pitanga (Centro do Paraná)

Tortas doces e salgadas, em Vila Nova (Oeste do Paraná)

Julho/2019 REVISTA 53


Bolo de Rum

Para mais receitas acesse:

www.facebook.com/alimentoscoamo

www.alimentoscoamo.com.br

Ingredientes

10 porções

Massa

- 3 xícaras (chá) de Farinha de Trigo Coamo

- 1 colher (café) de bicarbonato em pó

- 1 colher (café) de fermento em pó

- 6 colheres (sopa) de cacau em pó

- 2 xícaras (chá) de açúcar

- 1 ½ xícara (chá) de Margarina Família 80%

- 3 ovos

- 50 ml de rum

- ½ xícara (chá) de iogurte natural

- ½ xícara (chá) de água fervente

Cobertura

- ½ xícara (chá) de Margarina Culinária 80% sem Sal

- 1 xícara (chá) de açúcar

- 2 colheres (chá) bem cheias de chocolate em pó

- 4 colheres (sopa) de creme de leite

- 4 colheres (chá) de Café Coamo coado

- 1 colher (sopa) de rum

- Raspas de chocolate para finalizar

Modo de preparo

Massa: Em um processador ou em uma batedeira, bata a farinha com o bicarbonato, o fermento, o cacau, o açúcar, a margarina,

os ovos, o rum e o iogurte. Adicione a água fervente aos poucos, até obter uma massa lisa. Coloque em uma forma para bolo

inglês (21 x 11 x 7,5 cm), untada com margarina e polvilhada com farinha. Asse no forno preaquecido à temperatura moderada

(180 ºC) por 1 hora ou até que ao espetar um palito, ele saia seco.

Cobertura: Na batedeira, bata a margarina com o açúcar e com o chocolate até obter um creme claro. Junte o creme de leite, o café e o

rum e misture levemente mexendo até obter um creme homogêneo. Depois de frio, cubra o bolo com a cobertura usando uma espátula ou

as costas de uma colher, lembrando sempre de dar um acabamento espatulado, até cobrir o bolo todo. Finalize com raspas de chocolate.

Dica: Não use essa cobertura em cima de um bolo quente, pois ela irá derreter.

54 REVISTA

Julho/2019


O HOMEM DO

CAMPO É UM

FORTE!

O homem do campo é um forte!.

É forte, por que acredita, tem vocação e amor à sua

terra, sendo um apaixonado pelo que faz. É forte,

porque faz a sua parte e cumpre a sua missão.

Por isso e muito mais, com orgulho, tiramos o

chapéu para o homem do campo, que produz

alimentos e ajuda o Brasil a crescer.

28 DE JULHO.

DIA DO AGRICULTOR.

More magazines by this user
Similar magazines