18.03.2024 Views

Produtosdemadeira_73Web

You also want an ePaper? Increase the reach of your titles

YUMPU automatically turns print PDFs into web optimized ePapers that Google loves.

ESPECIAL<br />

ENTREVISTA<br />

Bruno Madeira<br />

arquiteto<br />

Construção • Arquitetura • Design • Marcenaria • Paisagismo • Decoração<br />

Portas abertas<br />

para o futuro<br />

Sustentabilidade e<br />

cuidados com meio<br />

ambiente ditam o futuro<br />

da indústria de portas<br />

9 7 7 2 2 3 7 0 5 6 0 3 7 0 0 0 7 3<br />

Aqui Tem Madeira: Projeto se destaca em obra pela riqueza de detalhes


Sua porta,<br />

seu estilo.


Construção • Arquitetura • Design • Marcenaria • Paisagismo • Decoração<br />

Aqui Tem Madeira: Projeto se destaca em obra pela riqueza de detalhes<br />

0 0 0 7<br />

Editorial<br />

ESPECIAL<br />

ENTREVISTA<br />

Bruno Madeira<br />

arquiteto<br />

Na capa dessa edição<br />

a Eucatex, que investe<br />

em sustentabilidade<br />

para melhorar o<br />

futuro de todos<br />

A Revista Madeireira da Construção www.produtosdemadeira.com.br Ano XVI• Nº73• Março 2024<br />

Portas abertas<br />

para o futuro<br />

Sustentabilidade e<br />

cuidados com meio<br />

ambiente ditam o futuro<br />

da indústria de portas<br />

9 7 7 2 2 3 7 0 5 6 0 3 7 3<br />

Ano XVI / Edição n.º 73 / Março 2024<br />

10<br />

EXPEDIENTE<br />

JOTA EDITORA<br />

Diretor comercial: Fábio Alexandre Machado<br />

fabiomachado@revistareferencia.com.br<br />

Diretor executivo: Pedro Bartoski Jr<br />

bartoski@revistareferencia.com.br<br />

Redação:<br />

Vinicius Santos<br />

jornalismo@produtosdemadeira.com.br<br />

Projeto Gráfico: Fabiana Tokarski - Supervisão<br />

Karla Shimene<br />

Julia Harumi<br />

criacao@revistareferencia.com.br<br />

Depto. Comercial: Gerson Penkal<br />

comercial@produtosdemadeira.com.br<br />

Fone: +55 (41) 3333-1023<br />

Depto. de Assinaturas:<br />

assinatura@revistareferencia.com.br<br />

Seguindo o caminho certo<br />

Parece chover no molhado falar de sustentabilidade dentro do<br />

mercado de produtos de madeira, mas é uma pauta que ganha cada<br />

vez mais espaço. A sustentabilidade está para além do reflorestamento<br />

ou dos potenciais créditos de carbono. Ela está em processos com menos<br />

desperdício, em estruturas que otimizem o trabalho dos colaboradores,<br />

práticas cotidianas que criam uma cultura focada na proteção do<br />

meio ambiente e da comunidade que circunda a indústria. Criar cultura<br />

é sim o grande desafio quando tratamos de excelência em sustentabilidade.<br />

Nessa edição, contamos o que a Eucatex tem feito para elevar<br />

suas práticas de sustentabilidade no presente e futuro da empresa,<br />

as novidades sobre construções com madeira discutidas no Paraná, o<br />

lançamento do relatório anual do setor de móveis de madeira, a história<br />

de um marceneiro que construiu uma casa de madeira diferenciada<br />

na Bahia e uma entrevista com o arquiteto Bruno Madeira, que vê na<br />

matéria-prima de seu sobrenome o aconchego e cuidado para aquecer<br />

seus projetos. Ótima leitura!<br />

Revista PRODUTOS DE MADEIRA<br />

Rua Maranhão, 502 - Água Verde - 80610-000<br />

Curitiba (PR) - Brasil - Fone/Fax: +55 (41) 3333-1023<br />

www.produtosdemadeira.com.br<br />

assinatura@portalreferencia.com.br<br />

Ligação gratuita: 0800 600 2038<br />

Veículo filiado a:<br />

A Revista Referência PRODUTOS DE MADEIRA é uma publicação bimestral e<br />

independente, dirigida aos construtores, engenheiros, arquitetos, designers,<br />

paisagistas, decoradores e consumidores de produtos de madeira para a construção.<br />

A Revista não se responsabiliza por conceitos emitidos em artigos e colunas<br />

assinadas, por entender serem estes materiais de responsabilidade de seus autores.<br />

A utilização, reprodução, apropriação, armazenamento de banco de dados, sob<br />

qualquer forma ou meio, dos textos, fotos e outras criações intelectuais da Revista<br />

são terminantemente proibidos sem autorização escrita dos titulares dos direitos<br />

autorais, exceto para fins didáticos.


ATENDEMOS QUALQUER DEMANDA<br />

Capacidade fabril incomparável<br />

Estamos aptos a atender pequenos,<br />

médios e grandes projetos<br />

Diversidade de Cores<br />

Sustentabilidade e Responsabilidade<br />

Maior estrutura<br />

Novas máquinas<br />

Novas tecnologias<br />

zizal.com.br<br />

/zizal.oficial<br />

Taboão da Serra - SP comercial@zizal.com.br


Sumário<br />

12<br />

20<br />

32 38 44<br />

14....... CARTAS & OPINIÕES<br />

16....... CURTAS & NOVIDADES<br />

20 ....... SHOWROOM<br />

38<br />

32.......<br />

.......<br />

44.......<br />

ENTREVISTA<br />

BRUNO MADEIRA<br />

PRINCIPAL<br />

CRESCIMENTO SUSTENTÁVEL<br />

TENDÊNCIA<br />

O SETOR EM DADOS


50 56 60 62<br />

13<br />

56<br />

50.......<br />

.......<br />

AQUI TEM MADEIRA<br />

CASA EM MADEIRA<br />

CONSTRUÇÃO<br />

PLANEJAR PARA CONSTRUIR<br />

62<br />

.......<br />

ECONOMIA<br />

DOR DE CABEÇA PARA OS PEQUENOS<br />

66....... AGENDA<br />

60.......<br />

FEIRA<br />

FORMÓBILE


Cartas<br />

Foto: Emanoel Caldeira<br />

Foto: divulgação<br />

Foto: divulgação<br />

14<br />

Principal<br />

Como é bom ver cada<br />

uma das engrenagens<br />

da indústria trabalhando<br />

para fornecer um produto<br />

final ainda melhor para o<br />

consumidor. Parabéns!<br />

Márcia Dantas<br />

São Paulo (SP)<br />

Construção<br />

É muito importante a<br />

ousadia e a criatividade<br />

na busca por novas<br />

soluções. Agora é na<br />

Suécia, amanhã pode<br />

ganhar o mundo.<br />

Carlos Oliveira<br />

Suzano (SP)<br />

Prêmio REFERÊNCIA<br />

Sempre é ótimo poder ler<br />

e ver as imagens dessa<br />

festa. É uma celebração de<br />

todos que têm a madeira<br />

em seu trabalho e coração.<br />

Aguardo ansioso para a<br />

edição desse ano.<br />

Hugo Carvalho<br />

Viçosa (MG)<br />

Espaço online


34 ANOS<br />

DE EXPERIÊNCIA<br />

RÁPIDO DESENVOLVIMENTO DE NOVOS PADRÕES<br />

SISTEMA EXCLUSIVO DE REPETIÇÃO DE CORES<br />

ALTA RESISTÊNCIA AO INTEMPERISMO<br />

QUALIDADE DE IMPRESSÃO<br />

ENTREGA EFICIENTE<br />

PRODUTO IMPERMEÁVEL<br />

CERTIFICAÇÃO FSC<br />

ECOLÓGICO<br />

PLASTIBORDO COMPONENTES PARA MÓVEIS LTDA<br />

WWW.PLASTIBORDO.COM.BR +55 (51) 3560.3000


16<br />

Regras<br />

atualizadas<br />

Curtas & Novidades<br />

A partir de 22 de março de 2024 serão colocadas em<br />

prática novas restrições para a exportação de produtos<br />

laminados (como móveis, pisos, forros etc.) para os EUA<br />

(Estados Unidos da América) e o Canadá. A partir de agora,<br />

será obrigatória a obtenção da certificação CARB/EPA<br />

(Conselho de Recursos Atmosféricos da Califórnia/ Agência<br />

de Proteção Ambiental dos EUA), que regulamenta as<br />

emissões de formaldeído de acordo com as normas ambientais<br />

estipuladas pelo CARB e a Regra de Formaldeído<br />

da EPA, seguindo os novos requisitos da normativa EPA<br />

TSCA VI, CFR part. 730.<br />

O Regulamento das Emissões de Formaldeído (Regra<br />

CARB/EPA) visa assegurar a conformidade dos produtos de madeira compósita com as normas ambientais estipuladas pelo CARB<br />

(Conselho de Recursos Atmosféricos da Califórnia) e a Regra de Formaldeído da EPA. Produtos como contraplacado de madeira<br />

dura, aglomerado de partículas e painéis MDF, quando destinados ao mercado norte-americano, precisarão aderir a esta norma.<br />

Associados da ABIMÓVEL (Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário) serão beneficiados com um desconto de 25% na<br />

contratação da consultoria personalizada orientativa, onde receberão vistorias e apontamentos com todas as informações necessárias<br />

de aprimoramento, recomendação e registros essenciais para que então possam solicitar a Certificação CARB/EPA. Processo,<br />

este, que pode levar de 60 a 180 dias dependendo do nível de adaptação de cada empresa.<br />

Busca<br />

pelo melhor<br />

Foto: divulgação<br />

Foto: Foto: Gilberto Sousa/CNI<br />

A vice-reitora da UFPR (Universidade Federal do Paraná),<br />

Graciela Inês Bolzón de Muniz, integra a comitiva, coordenada<br />

pela Fundação Araucária e pela SETI (Secretaria da Ciência,<br />

Tecnologia e Ensino Superior), em missão internacional em<br />

universidades e cidades da Alemanha para debater a madeira<br />

engenheirada e aprofundar parcerias, além de debater as pesquisas<br />

voltadas ao uso de madeira em setores estratégicos da<br />

construção civil.<br />

O objetivo da fundação foi reunir diferentes setores da<br />

produção científica para expor e buscar parcerias com as instituições<br />

alemãs. Também integraram a missão, o diretor do<br />

Cilla Tech Park, Paulo Alvim, e representantes da UNICENTRO<br />

(Universidade Estadual do Centro Oeste), UEL (Universidade Estadual de Londrina), UEM (Universidade Estadual de Maringá), UEPG<br />

(Universidade Estadual de Ponta Grossa), UNESPAR (Universidade Estadual do Paraná), UVPR (Universidade Virtual do Paraná),<br />

UENP (Universidade Estadual do Norte do Paraná), UNIOESTE (Universidade Estadual do Oeste do Paraná) e da UTFPR (Universidade<br />

Tecnológica Federal do Paraná). Uma ação que mobiliza o sistema de Ciência, Tecnologia e Inovação para a sustentabilidade e<br />

desenvolvimento social do Paraná, criando riqueza e qualidade de vida através do conhecimento. A missão Araucária também terá<br />

ajuda da plataforma iAraucaria e dos NAPI (Novos Arranjos de Pesquisa e Inovação) que visam conduzir conhecimento colaborativo<br />

e produção de pesquisadores paranaenses.


Madeiras<br />

Nobres<br />

Renove seu Ambiente<br />

Decks, Forros & Ripados<br />

A Rotta Madeiras é uma madeireira que está no<br />

mercado há duas décadas e conta com uma<br />

indústria própria no Mato Grosso. Contamos<br />

também com um centro de distribuição em<br />

Curitiba para atender aos consumidores com<br />

amplo estoque de madeiras a pronta entrega,<br />

oferecendo soluções envolvendo madeira para<br />

construção civil e indústria.<br />

www.rottamadeiras.com<br />

41 3154-5747<br />

comercial@rottamadeiras.com<br />

rotta.madeiras


Curtas & Novidades<br />

Abaixo<br />

do esperado<br />

18<br />

Para criar análises fiéis à realidade das empresas, a MOVERGS (Associação<br />

das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do Sul) consulta dados oficiais<br />

do governo e utiliza os principais indicadores econômicos do Brasil. A interpretação<br />

dessas informações mostra que o setor moveleiro gaúcho encerrou 2023<br />

com faturamento nominal de R$ 11.963.096.973,56 (R$ 11.9 bilhões). Esse montante<br />

representa um aumento de 3,4% na comparação com 2022, mas, utilizando<br />

o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo como referência de inflação,<br />

o montante não apresentou crescimento real. A produção física industrial e a<br />

geração de empregos também são parâmetros analisados pela MOVERGS. De<br />

acordo com os dados fornecidos pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e<br />

Estatística), a produção do setor moveleiro gaúcho foi 2,7% menor em 2023. Já o balanço do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e<br />

Desempregados) aponta que o ano encerrou com retração de 2,36% no comparativo com 2022 – passando de 36.727 para 35.860 profissionais<br />

em atividade no Rio Grande do Sul.<br />

Para o presidente da entidade, Euclides Longhi, o desempenho do segmento é reflexo de um conjunto de fatores que impactam as<br />

indústrias moveleiras de todo o Brasil. “Além dos altos custos de produção, ainda estamos em um momento de redução nas compras de<br />

bens duráveis, como móveis. Havendo manutenção efetiva do controle inflacionário, diminuição dos juros, incentivo ao consumo, ao crédito<br />

e ao mercado imobiliário, é possível que o segundo semestre de 2024 seja mais favorável para o setor moveleiro”, explica Euclides.<br />

Importante frente de atuação das indústrias de móveis gaúchas, a exportação também encolheu em 2023. De janeiro a dezembro do<br />

ano passado, foram transacionados US$ 245.923.843 (quase 246 milhões de dólares) com outros países, sinalizando retração de 3,4% em<br />

relação a igual período de 2022. O diretor Internacional da MOVERGS, Daniel Segalin, destaca que as mudanças no ranking de principais<br />

importadores podem apontar novas oportunidades a serem exploradas. “Enquanto os EUA (Estados Unidos da América) e Chile reduziram<br />

suas compras, Uruguai, Paraguai e México aumentaram as importações de móveis gaúchos. É sempre muito importante acompanhar<br />

os movimentos do mercado e diversificar as frentes de atuação para fazer bons negócios com parceiros internacionais”, assinala Daniel.<br />

Foto: divulgação<br />

Discussão<br />

sobre o futuro<br />

Construção com madeira, industrialização e sustentabilidade<br />

farão parte do debate da CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da<br />

Construção) durante a Expo Revestir de 2024. Promovida pela AN-<br />

FACER (Associação Nacional dos Fabricantes de Cerâmica para Revestimentos,<br />

Louças Sanitárias e Congêneres), a feira de soluções<br />

de revestimentos e acabamento para a construção será realizada<br />

entre os dias 19 e 22 de março, na Expo São Paulo. A CBIC participará<br />

do Fórum 2024, o FIER+ Construção, com o painel: Madeira,<br />

Futuro da Construção - Industrialização, Sustentabilidade e Sofisticação;<br />

no dia 19 de março. A iniciativa abrirá debate sobre os<br />

rumos do setor, novas tecnologias, eficiência de gestão, inovação, transformação digital e industrialização do setor da construção.<br />

No dia seguinte, a entidade realiza o painel: CBIC Talks – Cases de Construções com Madeira; que contará com a participação do<br />

presidente do Conselho Consultivo da CBIC, José Carlos Martins; do CEO da Rewood – Soluções Estruturais em Madeira, Calil Neto;<br />

do gerente de Qualidade e Processos da Urbem, Felipe Icimoto; e do coordenador de Contratos e Planejamento da Tecverd, Leonardo<br />

Marin. No dia 21, o presidente da CBIC, Renato Correia, participará de debates sobre a revitalização de centros urbanos, na arena<br />

FIER+ Arquitetura.<br />

Foto: divulgação


Showroom em Destaque<br />

20<br />

PMZ – CAFÉ BORSOI<br />

Partindo do sentimento de aconchego vernacular moderno, onde todos<br />

se sintam abraçados e acolhidos pela atmosfera dos elementos naturais e,<br />

claro, acompanhados de um indispensável café.<br />

Foto: Denilson Machado/MCA Studio<br />

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras/pernambuco/<br />

show room


ANDRÉ CARÍCIO – CASA CORAL<br />

Uma planta fluida com espaços bem definidos, com cores terrosas que<br />

aquecem e trazem aconchego ao ambiente.<br />

Foto: Denilson Machado/MCA Studio<br />

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras/pernambuco/<br />

21<br />

ARQMULTI – SOUSPA DECA<br />

O ambiente foi montado para gerar relaxamento e valorização do<br />

autocuidado, com leveza, cuidado e fundamentalmente, paz.<br />

Foto: Denilson Machado/MCA Studio<br />

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras/pernambuco/


Showroom em Destaque<br />

ETLA ARQUITETURA - ESTAÇÃO DA ALMA<br />

O ambiente combina madeira e pedra afim de reforçar a<br />

natureza, mas com elementos cheios de detalhes e que apontam<br />

a ação humana nos elementos.<br />

Foto: Denilson Machado/MCA Studio<br />

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras/pernambuco/<br />

22<br />

MARABUCO – L’OR DE CHANTECLAIR<br />

Desenhado para ser uma joalheria, o ambiente tem todos seus<br />

elementos destinados a valorizar as peças expostas.<br />

Foto: Denilson Machado/MCA Studio<br />

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras/pernambuco/


ÊME ARQUITETURA – COZINHA FRAGMENTOS<br />

O ambiente nasce da combinação de elementos, que constrói<br />

uma imagem madura e de muita sintonia para o espaço.<br />

Foto: Denilson Machado/MCA Studio<br />

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras/pernambuco/<br />

23


Showroom em Destaque<br />

ANA CUNHA – CASA LÍRICA<br />

A harmonia entre os elementos clássicos e contemporâneos é tecida, criando<br />

um diálogo entre o tempo e o espaço, evidenciando memórias afetivas.<br />

Foto: Denilson Machado/MCA Studio<br />

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras/pernambuco/<br />

24


MARYLIA NOGUEIRA – SALÃO CLARICE LISPECTOR<br />

Uma bela escrivaninha e suas capas de livros nos trazem à tona<br />

a presença marcante e única de poesia em sua essência.<br />

Foto: Denilson Machado/MCA Studio<br />

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras/pernambuco/<br />

25


Showroom em Destaque<br />

ROMERO DUARTE – LOFT ITALICA CASA<br />

Como uma homenagem a Jader Almeida, o ambiente é mais que<br />

um espaço, mas sim um convite à exploração gestual e concreta<br />

do artista brasileiro.<br />

Foto: Denilson Machado/MCA Studio<br />

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras/pernambuco/<br />

26<br />

NUIT – GUSTAVO ARTWEAR<br />

O mobiliário solto compõe o ambiente com cadeiras em tons<br />

sóbrios, como a madeira e o couro, mesclando com cores<br />

marcantes e contrastantes.<br />

Foto: Denilson Machado/MCA Studio<br />

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras/pernambuco/


CADU ARQUITETURA - JUNTOS<br />

Para criar uma atmosfera aconchegante, as arquitetas cercaram<br />

todos os espaços com madeira natural ripada, trazendo<br />

conforto e irreverência.<br />

Foto: Denilson Machado/MCA Studio<br />

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras/pernambuco/<br />

27


Showroom em Destaque<br />

DUBEUX VASCONCELOS ARQUITETURA – TERRAÇO CHANTECLAIR COPERGÁS<br />

Dividido em dois ambientes, a ideia é algo rústico, intimista que tem seus detalhes<br />

na textura e iluminação do ambiente.<br />

Foto: Denilson Machado/MCA Studio<br />

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras/pernambuco/<br />

28


JULIANA DA MATA – 5 ELEMENTOS GALERIA<br />

A água nutre a madeira, que abastece o fogo, cujas cinzas<br />

alimentam a terra e assim o ciclo dos elementos vai se formando<br />

até voltar ao início.<br />

Foto: Denilson Machado/MCA Studio<br />

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras/pernambuco/<br />

29


Showroom em Destaque<br />

FV ARQUITETOS – LIVING ALMA<br />

Cheia de texturas, capas e cores, o ambiente expressa o quão rica,<br />

diversa e acolhedora pode ser nossa dimensão mais íntima.<br />

Foto: Denilson Machado/MCA Studio<br />

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras/pernambuco/<br />

30


Procurando a melhor porta?<br />

Redução de peso<br />

Resistência ao impacto Precisão na espessura Sem distorção<br />

Seu objetivo é a alta qualidade em portas internas?<br />

Aproveite nossa experiência, conhecimento<br />

técnico e suporte - descubra nossa grande variedade<br />

de núcleos premium para fabricar a melhor porta.<br />

Sauerland Spanplatte<br />

Soluções para a melhor porta!<br />

SAUERLAND Spanplatte Latin America – Mr. Alfredo Berros - Curitiba /PR - Tel. (41) 9 9964.2403 – berros@sauerland-spanplatte.de – www.sauerland-spanplatte.net


32<br />

Entrevista


Bruno Madeira<br />

Na essência<br />

Fotos: Antonio Schumacher<br />

C<br />

om madeira até no nome, Bruno Madeira, arquiteto carioca,<br />

que mora em Niterói (RJ), viu nascer ainda em sua infância<br />

o deseja pela criação de projetos. Bricar nas obras<br />

que o pai trabalhava fez nascer na criança esse sonho de poder<br />

projetar e construir seus próprios ambientes. Caminhando entre<br />

o comercial e o residencial, tem uma marca de aceitar cada nova<br />

empreitada como um desafio de criatividade e de melhoria em<br />

seu trabalho. E claro, a madeira é uma parceira de Bruno, que de<br />

fundações a acabamentos, está presente em seus projetos.<br />

33


Entrevista<br />

Como começou o interesse pela<br />

arquitetura?<br />

Ainda na infância. Na família, meu<br />

pai sempre foi muito envolvido com<br />

obras e construção e esses ambientes<br />

foram os meus parquinhos de diversão.<br />

Foi ali, brincando na areia, que nasceu<br />

essa faísca. Isso me inspirou a sempre<br />

desenhar casinhas, prédios e nas brincadeiras<br />

estava sempre construindo<br />

algo. Quando cresci, fui para o desenho<br />

industrial primeiro e só depois para<br />

arquitetura, onde me achei e não parei<br />

mais.<br />

Qual sua maior inspiração?<br />

Trabalho e caminho entre as obras<br />

comerciais como escritórios, padarias,<br />

além dos projetos residenciais de casas,<br />

apartamentos, reformas de sobrados, e<br />

até uma igreja. Em cada projeto vislumbro<br />

um desafio novo e uma ideia nova.<br />

E para realizar cada um deles para mim<br />

é mais do que apenas inspiração, é uma<br />

pesquisa, uma análise do que o cliente<br />

quer e precisa, baseado nessa pesquisa<br />

de ideias chego para o cliente com o<br />

projeto já pronto. Acho que isso, essa<br />

coisa da novidade contínua, de sempre<br />

ser desafiado é o verdadeiro motor da<br />

minha inspiração.<br />

Residencial ou comercial?<br />

Como são muitos anos trabalhando<br />

mais com o comercial, e temos uma<br />

liberdade maior para criar, acabo tendo<br />

um olhar mais atencioso para esse tipo<br />

de projeto. No residencial, temos algo<br />

um pouco mais restrito, pois nosso<br />

trabalho ali é colocar as ideias e sonhos<br />

do proprietário e não necessariamente<br />

as nossas. Então, como tenho uma<br />

liberdade maior, acho o comercial mais<br />

prazeroso de trabalhar.<br />

Qual a importância da madeira para<br />

seus projetos?<br />

Já utilizei muito mais a madeira<br />

como estrutura e base das edificações.<br />

Hoje em dia a madeira chega aos meus<br />

projetos como detalhes de acabamento.<br />

Um piso ou um forro de madeira<br />

SÃO PROJETOS<br />

IMPORTANTES<br />

EM MOMENTOS<br />

DISTINTOS<br />

DA MINHA<br />

CARREIRA, QUE<br />

MARCARAM<br />

CADA UM AO<br />

SEU JEITO E ME<br />

TRAZEM BOAS<br />

MEMÓRIAS<br />

34


Bruno Madeira<br />

35<br />

traz algo mais intimista e aconchegante<br />

para o ambiente. Exteriores em madeira<br />

gosto muito de fazer, pois valorizam<br />

muito o espaço.<br />

Como concebeu o projeto da Casa<br />

na Colina?<br />

A casa já tem 20 anos e ali minha<br />

assinatura e meu gosto pela madeira<br />

estão bem evidentes. Sempre frequentei<br />

a região, desde os tempos da faculdade,<br />

e na época surgiu a oportunidade<br />

de comprar o terreno e construir essa<br />

casa. Ela é uma casa de campo, com<br />

lareira, em meio a natureza e se tornou<br />

meu refúgio. Feriados, fins de semana<br />

e outras datas, quando posso, é para lá<br />

que vou.<br />

Qual seu projeto mais importante?<br />

Não tem um projeto só. São projetos<br />

importantes em momentos distintos<br />

da minha carreira, que marcaram<br />

cada um ao seu jeito e me trazem boas<br />

memórias. Como o Restaurante Acrópolis,<br />

a casa noturna Double Six, do<br />

ator Romulo Arantes. Alguns trabalhos<br />

residenciais, como uma casa em Búzios<br />

(RJ), que abriu muitas portas de novos<br />

clientes e agora estou trabalhando com<br />

uma igreja, um desafio novo e muito<br />

diferente.<br />

Qual sua madeira preferida na realização<br />

de um projeto?<br />

O que normalmente uso muito é<br />

o ipê quando se trata de ambientes


Entrevista<br />

externos, para fazer decks, pergolados<br />

e estruturas. Madeira estrutural gosto<br />

bastante do freijó e da nogueira, pois<br />

trazem um ar agradável ao ambiente.<br />

Qual seu maior sonho na arquitetura?<br />

Meu sonho é continuar trabalhando.<br />

Gosto tanto de fazer isso e espero que<br />

nunca acabe. Nosso escritório está há<br />

40 anos no mercado sem parar e minha<br />

ideia é dar continuidade a isso. Ter essa<br />

força de manter firme toda a história,<br />

que construímos nesse tempo de atuação.<br />

Como encontrar o equilíbrio entre<br />

sustentabilidade e as necessidades<br />

do cliente?<br />

O que mais pesa nessa questão está<br />

ligado aos custos. Tudo depende de<br />

qual é o orçamento e os planos que o<br />

cliente tem para o projeto. Se ele abre<br />

as portas para podermos reaproveitar<br />

algo de outra obra, ou mesmo, do que<br />

já está no ambiente, tudo isso pesa<br />

e por isso temos que andar sempre<br />

alinhados, desde o início, para realizar<br />

de forma segura, responsável e sustentável.<br />

Qual legado espera deixar do seu<br />

trabalho?<br />

Meu maior legado é a confiança,<br />

profissionalismo e ter uma imagem,<br />

que as pessoas acreditam e respeitam.<br />

São 40 anos de árduo trabalho, em que<br />

construímos um lugar de confiabilidade<br />

e respeito também com a comunidade<br />

local. Quem conhece nossa história, o<br />

que fizemos e estamos fazendo, tem<br />

a garantia e a tranquilidade de um<br />

resultado excelente. Esse é o melhor<br />

legado, o orgulho que tenho.<br />

ACHO QUE<br />

ESSA COISA<br />

DA NOVIDADE<br />

CONTÍNUA, DE<br />

SEMPRE SER<br />

DESAFIADO É<br />

O VERDADEIRO<br />

MOTOR<br />

DA MINHA<br />

INSPIRAÇÃO<br />

36


NOVOS PADRÕES<br />

DE CAPAS<br />

PARA PORTAS<br />

Conheça as vantagens<br />

e qualidades das Chapas<br />

de Fibras Eucatex<br />

Maior resistência a impactos de corpo duro,<br />

à umidade e à proliferação de fungos, bolor e mofos<br />

Madeira de floresta renovável<br />

Garantia do maior fabricante de chapas de fibra<br />

de madeira do mundo<br />

NOGAL<br />

DOURADO<br />

Linha Acetinatto<br />

Linha Eucaplac<br />

NOVO<br />

NOVO<br />

NOVO<br />

NOVO<br />

BRANCO<br />

ALPES<br />

NUDE<br />

FENDI<br />

CARVALHO<br />

NATURE<br />

NOGAL<br />

DOURADO<br />

CURUPIXÁ<br />

ANGELIM<br />

MOGNO<br />

UBATUBA<br />

CAPUCCINO<br />

GRAFITE<br />

URBAN<br />

PRETO<br />

FRESNO<br />

NOBRE<br />

IMBUIA<br />

QUARTIER<br />

BRANCO<br />

MAX<br />

BRANCO<br />

GELO<br />

BRANCO<br />

ALASCA<br />

@MDF_Eucatex<br />

Indústria e Revenda<br />

0800 170 2100<br />

Planeta Eucatex


Principal<br />

Crescimento<br />

sustentável<br />

CAPAS PARA PORTAS: GRUPO EUCATEX<br />

POSSUI LINHAS EXCLUSIVAS, DO<br />

MADEIRADO ÀS CORES TRENDS<br />

Fotos: divulgação<br />

38


A<br />

Eucatex é uma das maiores<br />

fornecedoras de painéis MDP<br />

e MDF do Brasil e a maior fabricante<br />

de chapas de fibras do mundo,<br />

oferecendo soluções para os segmentos<br />

da construção civil, indústria moveleira,<br />

revenda madeireira, indústria<br />

de portas, entre outros. Seus produtos<br />

suprem diversos segmentos, que vão<br />

da embalagem aos móveis e à decoração.<br />

E cada parte do processo do que a<br />

Eucatex produz, além da alta qualidade<br />

técnica, tem a digital da sustentabilidade,<br />

sendo essa marca de responsabilidade<br />

ambiental e social um dos pilares<br />

da empresa.<br />

O reconhecimento da empresa<br />

no mercado se dá pela construção de<br />

uma imagem, que alia boas práticas e<br />

qualidade dos produtos fabricados. Um<br />

dos principais destaques do portfólio<br />

do Grupo Eucatex são os painéis para<br />

aplicação na fabricação de capas para<br />

portas, com alta performance técnica<br />

da chapa de fibra. Esse destaque vem<br />

também do cuidado que a empresa<br />

tem na busca dos melhores padrões<br />

internacionais de qualidade, que são<br />

representados pela conquista de certificações<br />

de qualidade, o que fez a Eucatex<br />

ser a primeira empresa de painéis<br />

do Brasil a alcançar o selo ISO.<br />

Ainda no sentido do pioneirismo, a<br />

empresa foi uma das primeiras a ter a<br />

certificação FSC (Conselho de Manejo<br />

Florestal, em inglês), que atesta que<br />

100% da madeira utilizada pela empresa<br />

é de origem de reflorestamento legal,<br />

LINHAS<br />

EXCLUSIVAS<br />

39<br />

Há muito tempo as portas deixaram de ser apenas um item de segurança e privacidade para alcançar o lugar<br />

de elemento importante e agregador na arquitetura de interiores, o que justifica o movimento dos fabricantes<br />

para a busca de um maior alinhamento com as tendências, sem que se abra mão do tradicional, que ainda possui<br />

enorme espaço no gosto do consumidor. Neste cenário, a Eucatex fornece um portfólio contemporâneo,<br />

que incorpora, desde os padrões clássicos madeirados, às cores trends.<br />

A Eucatex possui quatro linhas de acabamentos, Acetinatto, Eucaplac, Primed e Eucadur, todas elas pensadas<br />

para ser a solução ideal para o fabricante de porta, produzidas com máximo de controle de qualidade, processos<br />

eficientes e respeito ao meio ambiente.<br />

A linha Acetinatto traz o requinte e um toque macio e suave, semelhante ao acabamento soft matte, com<br />

padrões que valorizam a porta como um elemento de decoração, participando de maneira mais ativa na construção<br />

do design de interiores. A linha é composta por sete cores: Branco Alpes, Nude, Fendi, Capuccino, Grafite,<br />

Urban e Preto.<br />

A linha Eucaplac, por ser um painel acabado, é a solução perfeita para o fabricante que quer ganhar eficiência<br />

e velocidade na produção, por meio da redução de etapas de fabricação. Utilizando modernas linhas de pintura,<br />

o processo permite reproduzir cores e padrões madeirados com alto nível de qualidade visual, além do uso<br />

de tintas à base d’água, que evitam odores indesejáveis do processo de pintura nas portas depois de acabadas.<br />

A linha possui sete padrões madeirados Carvalho Nature, Nogal Dourado, Curupixá, Angelim, Fresno Nobre,<br />

Mogno Ubatuba e Imbuia Quartier, e três tonalidades de branco, os padrões Alasca, Gelo e Max.<br />

A linha Primed é um painel que possui uma pré-cobertura para pintura, permitindo que a cor final seja customizada,<br />

além de facilitar e agilizar todo processo de pintura. As capas para portas desta linha são fornecidas<br />

com uma base para pintura final na coloração branca, exigindo apenas lixamento em casos de repintura.<br />

A linha Eucadur é uma chapa indicada para aplicação de diversos tipos de revestimentos, como pinturas<br />

(tanto processo UV como outros tipos de pinturas), frisos, lâminas de madeira, entre outros, trazendo uma solução<br />

na construção dos mais variados tipos de portas existentes no mercado.


Principal<br />

O PROGRAMA DE<br />

RECICLAGEM RESULTA,<br />

A CADA ANO, NO<br />

REAPROVEITAMENTO<br />

DE MAIS DE 100 MIL<br />

TONELADAS DE MADEIRA,<br />

NA PRESERVAÇÃO DE<br />

MAIS DE 1 MILHÃO DE<br />

ÁRVORES E NA ECONOMIA<br />

DE 15 MILHÕES DE LITROS<br />

DE ÁGUA<br />

40<br />

o que a torna um diferencial para esse<br />

segmento. Saindo do âmbito das florestas<br />

para o parque fabril, a Eucatex tem,<br />

a quase duas décadas, a maior linha de<br />

reciclagem de madeira em escala industrial<br />

da América Latina, abastecida pelo<br />

Programa de Reciclagem da Eucatex,<br />

que consiste na coleta, por meio de caçambas<br />

próprias, de paletes, caixas, tábuas,<br />

resíduos de madeira advindos da<br />

construção civil, painéis de madeira em<br />

geral, podas de árvores, entre outros,<br />

em um raio de 100 km do município de<br />

Salto (SP), onde está localizada, tanto<br />

a linha de reciclagem, como uma das<br />

fábricas do Grupo. A biomassa gerada<br />

no processo alimenta as caldeiras que<br />

fornecem parte da energia térmica<br />

necessária a todo o processo fabril. O<br />

programa resulta, a cada ano, no reaproveitamento<br />

de mais de 100 mil toneladas<br />

de madeira, na preservação de<br />

mais de 1 milhão de árvores e na economia<br />

de 15 milhões de litros de água.<br />

Ao Programa de Reciclagem Eucatex,<br />

que gera toda energia térmica<br />

consumida na unidade de produção de<br />

chapas de fibra e MDF na cidade de Salto,<br />

soma-se o investimento de grande<br />

porte que a empresa fez junto à maior


41<br />

usina solar de São Paulo, que tem capacidade<br />

de gerar 269 MWp (Megawatt-<br />

-pico), em regime de autoprodução.<br />

A medida permitirá à Eucatex reduzir<br />

suas emissões de CO2 (dióxido<br />

de carbono) na atmosfera em cerca de<br />

966 mil toneladas ao longo dos 15 anos<br />

do contrato (o equivalente à absorção<br />

realizada por 6,8 milhões de árvores<br />

ao longo de 20 anos), contribuindo<br />

significativamente para a descarbonização<br />

das atividades da companhia e<br />

para o cumprimento de suas metas ESG<br />

(Ambiental, Social e Governança, em<br />

inglês), que tem foco em gerar um ambiente<br />

melhor para os colaboradores,<br />

garantir que a comunidade ao redor da<br />

fábrica seja beneficiada e o meio ambiente<br />

fortalecido.<br />

A visão é focada na chamada indústria<br />

circular, onde a preocupação com<br />

um produto tem a mesma importância<br />

em sua origem, fabricação, uso e<br />

descarte, a fim de garantir um futuro<br />

melhor a todos.<br />

Alexandre Katsukake, gerente de<br />

produto da indústria moveleira e revenda<br />

madeireira, cita que o cuidado<br />

com a origem da madeira, o foco no<br />

meio ambiente e a prática de iniciativas<br />

sustentáveis estão presentes na Eucatex.<br />

“Desde seu início e se fortalece a<br />

cada dia, sendo nossa missão oferecer<br />

produtos práticos e eficientes para o<br />

bem-estar das pessoas, com respeito<br />

ao meio ambiente e à sociedade”, afirma<br />

Alexandre.<br />

MADEIRA SUSTENTÁVEL<br />

Com duas fábricas de Chapas de<br />

Fibras de madeira, em Salto e Botucatu<br />

(SP), a empresa é especializada na produção<br />

de chapas versáteis. As chapas<br />

atendem à indústria de móveis, embalagens<br />

e paletização (com o produto<br />

Chapatex), sendo também empregadas<br />

na fabricação de produtos da empresa,<br />

como divisórias e portas, além de produtos<br />

para atendimento a mercados<br />

externos, como a linha exclusiva Eucati-<br />

“DESDE SEU INÍCIO<br />

E SE FORTALECE<br />

A CADA DIA,<br />

SENDO NOSSA<br />

MISSÃO OFERECER<br />

PRODUTOS PRÁTICOS<br />

E EFICIENTES PARA<br />

O BEM-ESTAR DAS<br />

PESSOAS, COM<br />

RESPEITO AO MEIO<br />

AMBIENTE E À<br />

SOCIEDADE”<br />

ALEXANDRE KATSUKAKE,<br />

GERENTE DE PRODUTO DA<br />

INDÚSTRIA MOVELEIRA E<br />

REVENDA MADEIREIRA


Principal<br />

le, para aplicação como revestimentos<br />

de paredes e outras superfícies. O uso<br />

da chapa de fibras abrange também<br />

artefatos de madeira e a chapa perfurada,<br />

muito utilizada nas práticas do chamado<br />

faça você mesmo, solucionando<br />

desafios de organização em alta na atualidade<br />

com muita versatilidade.<br />

Fabricadas com fibras de eucalipto<br />

de florestas renováveis, as chapas da<br />

Eucatex são prensadas a quente por<br />

processo úmido, resultando em melhor<br />

tolerância à umidade, essencial para<br />

atender aos testes de portas de madeira<br />

RU (Resistentes à Umidade) conforme<br />

normas técnicas ABNT (Associação<br />

Brasileira de Normas Técnicas). Sem<br />

adição de resinas sintéticas, as fibras de<br />

madeira são aglutinadas com a própria<br />

lignina da madeira e com esse processo<br />

são isentos de emissão de formaldeído.<br />

Em termos de qualidade, as capas<br />

para porta da Eucatex apresentam<br />

várias vantagens em comparação com<br />

o HDF e outros substratos. Especialmente<br />

considerando a extensa costa<br />

do Brasil e suas variações climáticas,<br />

pois são ideais para ambientes internos<br />

secos e úmidos, devido à sua menor absorção<br />

de umidade e inchamento. Isso<br />

ajuda a evitar problemas como inchaço,<br />

deformação e retração. Além disso,<br />

oferecem maior resistência à proliferação<br />

de fungos, bolor e mofo, contri-<br />

42


43<br />

O RECONHECIMENTO<br />

DA EMPRESA NO<br />

MERCADO SE DÁ<br />

PELA CONSTRUÇÃO<br />

DE UMA IMAGEM,<br />

QUE ALIA BOAS<br />

PRÁTICAS E<br />

QUALIDADE<br />

DOS PRODUTOS<br />

FABRICADOS<br />

buindo para ambientes mais saudáveis.<br />

Quanto à resistência, as capas de<br />

porta com chapas de fibra da Eucatex<br />

garantem maior segurança, trazendo<br />

uma maior vida útil ao produto. Por ser<br />

um painel de alta densidade, proporcionam<br />

durabilidade, suportando impacto,<br />

e oferecendo estabilidade. Para as<br />

linhas pintadas, com uma tecnologia de<br />

ponta, seus painéis facilitam a limpeza<br />

e manutenção, contribuindo para uma<br />

experiência positiva ao usuário final.<br />

Alexandre Katsukake, destaca que<br />

a Eucatex tem um know-how único,<br />

adquirido nas mais de sete décadas de<br />

experiência da empresa. “Oferecemos<br />

soluções em chapas de fibras com ou<br />

sem revestimento, para atendimento<br />

das demandas da indústria de portas,<br />

com produtos de alta resistência mecânica,<br />

além de excelente resistência à<br />

umidade. Isso traz performance e segurança<br />

na construção de portas, que<br />

podem ser instaladas em qualquer local<br />

do Brasil ou no restante do mundo,<br />

sejam regiões de mata ou litorâneas,<br />

onde a umidade relativa costuma ser<br />

muito alta”, explica Alexandre. O gerente<br />

também afirma que as chapas<br />

têm um diferencial único, que abriu os<br />

caminhos para a ampliação de mercado<br />

da Eucatex. “A ausência de emissão de<br />

formaldeído tornou nossas chapas um<br />

produto de fácil exportação, sem burocracia,<br />

pois alguns órgãos exigem, por<br />

exemplo, a certificação CARB (California<br />

Air Resources Board), obrigatória<br />

para o HDF (High Density Fiberboard),<br />

que a Eucatex também conquistou”,<br />

assinala Alexandre.


Tendência<br />

O setor<br />

EM DADOS<br />

ANUÁRIO DE 2023<br />

APRESENTA OSCILAÇÕES NO<br />

SEGMENTO DE PRODUTOS E<br />

MÓVEIS DE MADEIRA<br />

Fotos: divulgação<br />

44


45


Tendência<br />

46<br />

N<br />

o dinâmico universo do setor<br />

moveleiro, o conhecimento e<br />

a visão panorâmica do desempenho,<br />

dos movimentos, bem como<br />

das tendências nacionais e internacionais<br />

são vitais para o planejamento e<br />

a tomada de decisões estratégicas,<br />

que guiem o sucesso das marcas e dos<br />

produtos no mercado. Nesse contexto,<br />

a ABIMÓVEL (Associação Brasileira das<br />

Indústrias do Mobiliário) apresenta<br />

a VII edição do “Relatório Setorial da<br />

Indústria de Móveis no Brasil – Anuário<br />

Brasil Móveis 2023”, um agregado de<br />

indicadores e informações mercadológicas<br />

e econômicas que colaboram<br />

para a projeção da capacidade, do desenvolvimento<br />

e do posicionamento da<br />

indústria brasileira de móveis.<br />

Desenvolvido pelo IEMI (Inteligência<br />

de Mercado), empresa parceira de<br />

pesquisa de mercado, com o suporte<br />

da ABIMÓVEL e apoio da ApexBrasil<br />

(Agência Brasileira de Promoção de Exportações<br />

e Investimentos), por meio<br />

do Projeto Setorial Brazilian Furniture,<br />

a iniciativa tem o objetivo de auxiliar


“A CADA UMA DAS EMPRESAS<br />

MOVELEIRAS E DEMAIS LEITORES<br />

DO ANUÁRIO BRASIL MÓVEIS,<br />

O NOSSO DESEJO É DE QUE<br />

O CONTEÚDO APRESENTADO<br />

POSSA SER SUFICIENTEMENTE<br />

RICO PARA GERAR INSIGHTS<br />

RELEVANTES NO PLANEJAMENTO<br />

DOS NEGÓCIOS E INSPIRÁ-LOS<br />

NA BUSCA PELO CRESCIMENTO<br />

NESTE E NOS PRÓXIMOS ANOS”<br />

MARCELO PRADO,<br />

DIRETOR DO IEMI<br />

empresários e outros atores do setor<br />

na interpretação das oscilações, dos<br />

desafios e das oportunidades no mercado<br />

interno e externo, trazendo um<br />

levantamento bastante aprofundado<br />

e abrangente do cenário moveleiro no<br />

Brasil e no mundo.<br />

Para tal, o anuário acompanha a<br />

trajetória e contextualiza a performance<br />

da indústria de móveis, tanto no<br />

contexto geral do país, como também<br />

em nove Estados e dezessete polos<br />

moveleiros de destaque em diferentes<br />

regiões do Brasil. Isso, além de apresentar<br />

um panorama mundial, com<br />

atenção a grandes mercados tais quais<br />

a UE (União Europeia), os EUA (Estados<br />

Unidos da América) e a China. As informações<br />

setoriais são produzidas pelo<br />

IEMI a partir de Painéis de Pesquisas<br />

Anuais, englobando entrevistas diretas<br />

com milhares de fabricantes. Este esforço<br />

permite inferir estatísticas setoriais<br />

únicas e atualizadas, com recortes<br />

por região, porte e linhas de produto.<br />

Confira alguns destaques:<br />

O setor mostrou um leve aumento<br />

de unidades produtoras de móveis<br />

e colchões, crescendo 1,8% de 2018 a<br />

2022, e alcançando 19.317 empresas ao<br />

final do ano passado. O número revela<br />

uma variação positiva de 7,6% na passagem<br />

de 2021 para 2022.<br />

A produção total da indústria moveleira,<br />

por outro lado, experimentou<br />

uma queda de 9,2% em 2022 comparada<br />

a 2021, totalizando 402,6 milhões de<br />

peças. Este declínio é mais acentuado<br />

no segmento de móveis, que viu uma<br />

retração de 8,8%, enquanto a produção<br />

de colchões aumentou 6,4% no mesmo<br />

período. O contexto, porém, revela algumas<br />

nuances atípicas, como o início<br />

e o fim do isolamento social, período<br />

que intensificou o investimento das<br />

famílias em móveis e artigos para o lar,<br />

ampliando as bases comparativas dos<br />

últimos anos.<br />

O valor total da produção também<br />

sofreu uma queda de 3,6% em 2022<br />

em relação ao ano anterior, embora<br />

tenha apresentado um crescimento<br />

acumulado de 14,7% nos últimos 5 anos.<br />

Os investimentos no setor totalizaram<br />

cerca de R$ 1,2 bilhão, acompanhando<br />

o declínio no faturamento, e diminuindo<br />

6,8% em comparação a 2021. O contexto<br />

é puxado, entre outros pontos,<br />

pela queda no consumo aparente - que<br />

considera a produção nacional, descon-<br />

47


Tendência<br />

siderando as exportações e somando<br />

as importações -, que caiu 8,6% em volume<br />

de peças em 2022. O segmento de<br />

móveis apresentou recuo de 8,9%, enquanto<br />

o de colchões registrou -6,4%.<br />

As exportações de móveis prontos<br />

e colchões (excluindo-se partes e<br />

componentes) somaram aproximadamente<br />

US$ 830,7 milhões em 2022,<br />

representando uma queda de 11,4% em<br />

relação a 2021. As importações, contudo,<br />

também diminuíram, caindo 26,9%<br />

e somando cerca de US$ 190 milhões.<br />

Mantendo, portanto, uma balança comercial<br />

bastante positiva no setor.<br />

48<br />

MATERIAL ESTRATÉGICO<br />

Segundo Irineu Munhoz, presidente<br />

da ABIMÓVEL, ao ter acesso a todas<br />

as informações disponibilizadas de<br />

maneira estratégica no Anuário, a ideia<br />

central é que os empresários e profissionais<br />

moveleiros sintam-se ainda mais<br />

preparados para impulsionar a retomada<br />

do setor, que passou por um ano<br />

difícil em 2022 e ainda encontra um cenário<br />

desafiador pela frente, diante de<br />

diversos obstáculos para a recuperação<br />

econômica e a reindustrialização do<br />

Brasil. “Congregar esforços com vista à<br />

construção de uma indústria mais forte<br />

e desenvolvida é um compromisso para<br />

nós”, destacou Irineu.<br />

Com a avaliação, Marcelo Prado,<br />

diretor do IEMI, aponta que a entidade<br />

vem cumprindo o seu papel de trabalhar<br />

em prol do setor, acreditando no<br />

poder da informação e da inteligência<br />

de mercado, comercial e competitiva<br />

para decisões mais assertivas e planejamentos<br />

de sucesso na indústria de<br />

móveis brasileira. “A cada uma das empresas<br />

moveleiras e demais leitores do<br />

Anuário Brasil Móveis, o nosso desejo é<br />

de que o conteúdo apresentado possa<br />

ser suficientemente rico para gerar<br />

insights relevantes no planejamento<br />

dos negócios e inspirá-los na busca<br />

pelo crescimento neste e nos próximos<br />

anos”, explicou Marcelo.<br />

Segundo a ABIMÓVEL, ao financiar<br />

iniciativas como esta, a entidade objetiva<br />

disponibilizar ferramentas estratégicas<br />

aos empresários e profissionais do<br />

setor, com vista à consolidação da indústria<br />

brasileira de móveis como uma<br />

parceira comercial confiável, símbolo<br />

de qualidade, com design original, matérias-primas<br />

únicas e que investe em<br />

tecnologia e inovação, bem como em<br />

responsabilidade social e ambiental.


Aqui tem Madeira<br />

Casa em<br />

MADEIRA<br />

50


MARCENEIRO<br />

CONSTRÓI CASA<br />

DE MADEIRA<br />

COM TÉCNICAS<br />

ARTESANAIS NO<br />

INTERIOR DA BAHIA<br />

Fotos: divulgação<br />

51<br />

U<br />

m espaço, uma ideia e uma<br />

realização. Essa é a forma<br />

mais simples de resumir a história<br />

da casa que Leon Ades construiu<br />

em parceria com dois colegas arquitetos.<br />

A casa, localizada na Chapada<br />

Diamantina é um convite ao aconchego<br />

e ao descanso. Construída a poucos<br />

passos de um rio, se tornou um espaço<br />

de reflexão ideal para se desligar do<br />

cotidiano.<br />

Leon relata que a ideia da casa veio<br />

de um de seus amigos, cujo pai sempre<br />

trabalhou no ramo imobiliário e tinha<br />

adquirido um terreno no interior, sugerindo,<br />

que fosse feita a construção.<br />

Essa foi a primeira fagulha para que a<br />

casa fosse construída. “A ideia original<br />

era fazer apenas uma cabana, um es-


Aqui tem Madeira<br />

paço para termos onde ficar quando<br />

estivéssemos na região, mas tudo foi<br />

contribuindo para que uma casa com<br />

área total de quase 200 m² (metros<br />

quadrados) fosse construída”, relata<br />

Leon.<br />

Como o leitor pode imaginar, a<br />

realização de um projeto como esse<br />

teve uma série de dificuldades, que<br />

incluíam principalmente a logística de<br />

tudo que envolvia levantar uma casa<br />

do zero. “Em um primeiro momento<br />

ficamos hospedados em uma pequena<br />

vila que ficava próxima ao terreno e as<br />

pessoas dessa vila que nos auxiliaram<br />

nos processos mais difíceis, como fazer<br />

a fundação da casa. Foi uma experiência<br />

única, seja em relação ao trabalho<br />

e poder conhecer essas pessoas”, comentou<br />

Leon. E não apenas isso, como<br />

a obra ficava longe da estrada, levar<br />

os materiais foi outra aventura. “O<br />

caminhão conseguia chegar até certo<br />

ponto, dali em diante o transporte era<br />

muito mais lento e precisamos de dois<br />

dias completos para descarregar tudo”,<br />

lembra Leon.<br />

Projeto feito, fundações lançadas e<br />

agora que o trabalho precisava ter sua<br />

sequência. Nessa hora, a experiência<br />

como marceneiro de Leon pesou e ele<br />

pôde fabricar todos os encaixes da casa<br />

em seu atelier em São Paulo e levar<br />

tudo pronto para a obra. “Essa parte<br />

foi uma das mais legais, pois pude<br />

utilizar em escala maior os padrões<br />

de encaixes que já utilizo nos móveis<br />

e outros objetos em uma casa, o que<br />

deixou todo o projeto muito leve e sem<br />

a presença de pregos e parafusos em<br />

cada canto”, exaltou Leon.<br />

Como artesão, Leon relata que a<br />

“PARA FAZER A<br />

CASA, A ITAÚBA FOI<br />

ESCOLHIDA, POIS TEM<br />

UMA OLEOSIDADE<br />

NATURAL QUE<br />

A PROTEGE<br />

DA UMIDADE<br />

E DE OUTRAS<br />

INTEMPÉRIES. DESSA<br />

FORMA, A CASA<br />

TODA, POR TER A<br />

ESTRUTURA COM<br />

ENCAIXES E UM<br />

PROJETO ABERTO,<br />

FICOU AREJADA, LEVE<br />

E MUITO AGRADÁVEL”<br />

LEON ADES, MARCENEIRO<br />

52


escolha da madeira foi uma das partes<br />

mais importantes do projeto, pois tinha<br />

que unir praticidade, resistência e leveza<br />

para o projeto. “Para fazer a casa,<br />

a Itaúba foi escolhida, pois tem uma<br />

oleosidade natural que a protege da<br />

umidade e de outras intempéries. Dessa<br />

forma, a casa toda, por ter a estrutura<br />

com encaixes e um projeto aberto,<br />

ficou arejada, leve e muito agradável”,<br />

comemora o marceneiro.<br />

Com o projeto pronto, Leon não<br />

pôde deixar de colocar sua marca também<br />

nos acabamentos e decoração da<br />

casa. Na verdade, foi um toque final<br />

cheio de estilo e personalidade. “Tinha<br />

algumas ideias, trouxe peças minhas,<br />

escolhi peças de outros colegas, que<br />

trabalham com decoração e assim fina-<br />

53


Aqui tem Madeira<br />

lizamos um espaço incrível, onde meu<br />

amigo e sua família puderam aproveitar<br />

com muito conforto e elegância”, explica<br />

Leon.<br />

Um desafio como esse, para quem<br />

está acostumado com a vida da oficina<br />

de marcenaria, fez Leon aprender muito<br />

e valorizar essa experiência como<br />

um marco em sua carreira. “Claro que<br />

tinha o nervosismo, mas todo mundo<br />

começou com uma primeira casa e esse<br />

projeto tem um resultado final fantástico”,<br />

valoriza o marceneiro. Sobre a<br />

possibilidade de fazer outra casa, Leon<br />

não nega o desafio, mas explica que as<br />

demandas da oficina exigem um planejamento<br />

diferente dessa experiência.<br />

“Claro que faria novamente, mas dessa<br />

vez precisaria de um projeto mais próximo,<br />

onde pudesse conciliar de forma<br />

harmônica as atividades cotidianas com<br />

a construção”, relata Leon.<br />

54


Construção<br />

Planejar para<br />

CONSTRUIR<br />

Fotos: Davi Bortolossi<br />

56<br />

Foto: divulgação<br />

EVENTO UNE<br />

ENTIDADES<br />

DA INDÚSTRIA<br />

DO SEGMENTO<br />

FLORESTAL PARA<br />

DISCUTIR O FUTURO<br />

DA CONSTRUÇÃO<br />

SUSTENTÁVEL


57<br />

F<br />

oi realizado no Campus da Indústria<br />

da Fiep (Federação das<br />

Indústrias do Estado do Paraná),<br />

a primeira reunião do ano do Conselho<br />

Setorial da Indústria da Madeira,<br />

promovida em parceria com a Abimci<br />

(Associação Brasileira da Indústria de<br />

Madeira Processada Mecanicamente).<br />

O evento, liderado pelo coordenador,<br />

Roni Junior Marini, reuniu industriais,<br />

profissionais, representantes de entidades<br />

de classe do setor e autoridades,<br />

como os secretários de Estado do Planejamento,<br />

Guto Silva, e do Desenvolvimento<br />

Sustentável, Valdemar Bernardo<br />

Jorge; o presidente da Abimci, Juliano<br />

Vieira de Araújo; o ex-presidente da<br />

CBIC (Câmara Brasileira da Indústria<br />

da Construção), José Carlos Martins,<br />

entre outros representantes do poder<br />

público e empresários. O objetivo principal<br />

foi aprofundar o debate sobre as<br />

oportunidades do sistema construtivo<br />

sustentável de madeira em edificações<br />

e como o Paraná pode explorar este<br />

mercado.


Construção<br />

58<br />

Mais de 100 participantes definiram<br />

ações para promover avanços nas<br />

construções sustentáveis em madeira<br />

este ano.<br />

Já na abertura, o coordenador<br />

Roni Junior Marini reforçou o compromisso<br />

da reunião em fechar a agenda<br />

com ações concretas. “A Fiep é protagonista<br />

em iniciativas inovadoras<br />

e sustentáveis no setor industrial. E<br />

falando em construção, não há como<br />

tratar do tema sem olhar os avanços<br />

das construções de madeira. Nosso<br />

objetivo é difundir essa tecnologia. Por<br />

isso criamos aqui grupos de trabalho<br />

permanentes, que vão atuar em frentes<br />

distintas, mas todas interligadas,<br />

para que possamos promover o uso da<br />

construção sustentável em madeira no<br />

Paraná e no Brasil”, exaltou Roni.<br />

Juliano Vieira de Araújo, da Abimci,<br />

destacou que, embora o tema esteja<br />

avançando, a construção em madeira<br />

no Brasil está atrasada e há um longo<br />

caminho a ser percorrido. “No mundo<br />

todo esse é um grande negócio e aqui<br />

temos uma questão cultural envolvida.<br />

Precisamos desenvolver e melhorar<br />

a demanda e a oferta do produto ao<br />

mercado. Os métodos para trabalhar<br />

nós temos”, enfatizou Juliano. O presidente<br />

da Abimci, ainda, destacou as<br />

qualidades da madeira, sendo uma<br />

matéria-prima sustentável, de reutilização<br />

e redução de carbono, entre outros<br />

diferenciais.<br />

“Este é um assunto vital para nosso<br />

setor e para o mundo e podemos<br />

evoluir com ações concretas aqui no<br />

Brasil”, resumiu Juliano.<br />

O ex-presidente da CBIC, José<br />

Carlos Martins, também falou sobre a<br />

relevância dos projetos de construções<br />

sustentáveis em madeira no Brasil. “É<br />

importante avançarmos nos projetos<br />

dessa área porque inevitavelmente, no<br />

curto prazo, todos construirão com uso<br />

da madeira. Os países desenvolvidos já<br />

utilizam em larga escala o produto, seja<br />

por tecnologia, agilidade e conforto.<br />

Mas, principalmente, pela questão da<br />

sustentabilidade. Hoje reduzir as emissões<br />

e reaproveitar matéria-prima são<br />

necessidades”, alertou José Carlos.<br />

Superintendente da Abimci e diretor<br />

da Fiep, Paulo Roberto Pupo, apre-<br />

“PRECISAMOS DE<br />

RESULTADOS PRÁTICOS<br />

QUE AVANCEM RÁPIDO.<br />

JÁ FIZEMOS MISSÕES,<br />

VISITAS TÉCNICAS,<br />

RECEBEMOS FEIRAS<br />

E CONHECEMOS<br />

PROJETOS QUE<br />

CONFIRMAM AS<br />

TENDÊNCIAS DE<br />

QUALIDADE E<br />

EFICIÊNCIA DAS<br />

CONSTRUÇÕES<br />

SUSTENTÁVEIS EM<br />

MADEIRA”<br />

PAULO PUPO,<br />

DIRETOR DA FIEP


sentou um resumo das atividades já realizadas<br />

pelo conselho e reforçou que<br />

agora as ideias precisam ser tiradas do<br />

papel e evoluírem para ações concretas.<br />

“Precisamos de resultados práticos<br />

que avancem rápido. Já fizemos missões,<br />

visitas técnicas, recebemos feiras<br />

e conhecemos projetos que confirmam<br />

as tendências de qualidade e eficiência<br />

das construções sustentáveis em madeira”,<br />

ressaltou Paulo. Para o superintendente,<br />

apenas a boa vontade não<br />

basta, pois é preciso ter estrutura técnica<br />

para avançar ainda mais. “A Abimci<br />

faz um trabalho importantíssimo neste<br />

sentido. É uma grande parceira do setor<br />

para que possamos crescer juntos”,<br />

concluiu Paulo.<br />

Os secretário de Estado do Planejamento,<br />

Guto Silva, e do Desenvolvimento<br />

Sustentável, Valdemar Bernardo<br />

Jorge, sinalizaram que é interesse do<br />

governo do Estado conhecer mais e difundir<br />

o uso da madeira na construção.<br />

“Importante este compartilhamento<br />

de informações para compreendermos<br />

os ativos que temos aqui, a matéria-<br />

-prima disponível e o potencial desta<br />

cadeia produtiva. Se temos algo que<br />

agrega valor aos nossos produtos, gera<br />

emprego e renda, não podemos desperdiçar<br />

oportunidades. Agradeço o<br />

conhecimento adquirido aqui e vamos<br />

com certeza apoiar essas iniciativas”,<br />

declarou Guto.<br />

Valdemar valorizou o nível de excelência<br />

apresentado por cada um dos<br />

presentes no evento e quais os planos<br />

do setor público para essas pautas.<br />

“Vim aqui para aprender e fiquei impressionado<br />

com o grau de maturidade<br />

do setor. Poderemos ajudar em vários<br />

temas como a outorga verde de potencial<br />

construtivo, definir políticas públicas<br />

de gestão de resíduos em madeira,<br />

na desburocratização e regulamentação<br />

para a produção florestal e para<br />

fomentar concursos arquitetônicos de<br />

obras públicas”, resumiu Valdemar.<br />

Na sequência, foram definidos<br />

quatro grupos de trabalho (pesquisa,<br />

desenvolvimento e inovação; política<br />

pública; mercado, promoção e divulgação;<br />

e qualificação de mão de obra)<br />

e definidas três agendas de reuniões<br />

mensais para que, até março, ações<br />

concretas já sejam apresentadas a todos<br />

os participantes.<br />

“ESTE É UM<br />

ASSUNTO VITAL<br />

PARA NOSSO<br />

SETOR E PARA<br />

O MUNDO E<br />

PODEMOS EVOLUIR<br />

COM AÇÕES<br />

CONCRETAS AQUI<br />

NO BRASIL”<br />

JULIANO ARAÚJO,<br />

PRESIDENTE DA ABIMCI<br />

59


Feira<br />

ForMóbile<br />

A MELHOR EDIÇÃO DE TODOS OS TEMPOS ESTÁ<br />

CHEGANDO COM DIVERSAS EXPERIÊNCIAS E<br />

INOVAÇÕES PARA O SETOR DA INDÚSTRIA DA<br />

MADEIRA E DECORAÇÃO<br />

Fotos: divulgação<br />

60


A<br />

ForMóbile, principal evento da<br />

indústria de móveis e madeira<br />

na América Latina e maior feira<br />

do setor está programada para acontecer<br />

de 2 a 5 de julho de 2024, no São<br />

Paulo Expo, com a participação confirmada<br />

de mais de 550 marcas expositoras<br />

e expectativa de receber cerca de<br />

50 mil profissionais do segmento.<br />

A feira se destaca como um ponto<br />

de encontro essencial para marceneiros,<br />

indústrias, fornecedores e revendedores<br />

nacionais e internacionais, além<br />

de arquitetos e designers. Oferecendo<br />

um ambiente propício para oportunidades<br />

de negócios, a ForMóbile proporciona<br />

aos participantes a exploração<br />

das últimas novidades e tendências do<br />

mercado, promovendo a integração da<br />

cadeia moveleira em torno da inovação<br />

para as empresas do setor.<br />

Sob a gestão de Tatiano Segalin,<br />

business manager da ForMóbile, a 10ª<br />

edição é um marco, que coincide com<br />

o 20º aniversário da feira e contará com<br />

participação recorde da indústria e<br />

cadeia moveleira. Os visitantes terão a<br />

oportunidade de explorar tendências,<br />

novidades e conteúdo abrangente<br />

sobre fabricação, acessórios, matérias-<br />

-primas, insumos, equipamentos e<br />

produtos finais, além de conectar fornecedores<br />

e revendedores.<br />

O Espaço Madeira, que reúne expositores<br />

de madeira maciça e produtos<br />

relacionados, será expandido, incluindo<br />

soluções para a construção civil em<br />

resposta ao aumento global do uso da<br />

madeira em edificações para promover<br />

a sustentabilidade. A ForMóbile oferece<br />

ações pensadas para promover o desenvolvimento<br />

comercial, econômico,<br />

tecnológico e profissional do setor. Os<br />

visitantes poderão participar de palestras<br />

no Palco ForMóbile, além de explorar<br />

o Espaço Maker, dedicado a quem<br />

busca aprender técnicas especializadas<br />

e conferir o trabalho dos principais profissionais<br />

do setor.<br />

Já a ForMóbile Digital, canal de conteúdo<br />

editorial com produção exclusiva<br />

setorizada, registra mais de 20 mil acessos<br />

por mês. A plataforma ForMóbile<br />

Xperience, por sua vez, oferece uma<br />

experiência digital para toda a comunidade<br />

do evento, proporcionando pesquisa<br />

de marcas, produtos e serviços,<br />

consumo de conteúdos em vídeos e<br />

oportunidades de conexão. Serão quatro<br />

dias intensos de muito conteúdo<br />

qualificado, networking e negócios. O<br />

Leitor pode fazer seu credenciamento<br />

gratuito no site da ForMóbile, no QR<br />

Code ao lado e participar da 10ª edição.<br />

61


Economia<br />

Dor de cabeça<br />

PARA OS<br />

62<br />

PEQUENOS<br />

PEQUENAS INDÚSTRIAS<br />

MOSTRAM INSATISFAÇÃO COM<br />

CONDIÇÕES FINANCEIRAS HÁ<br />

PELO MENOS 10 ANOS<br />

Fotos: divulgação


O<br />

PPI (Panorama da Pequena<br />

Indústria) fez um balanço dos<br />

últimos 10 anos e constatou<br />

que as pequenas indústrias apresentam<br />

insatisfação com a situação financeira<br />

há uma década. O principal fator é a<br />

dificuldade de acesso ao crédito. A pesquisa<br />

da CNI (Confederação Nacional<br />

da Indústria) também mostra que a<br />

elevada carga tributária foi o problema<br />

mais assinalado pelas pequenas indústrias<br />

na série histórica. O levantamento<br />

traz, ainda, dados sobre o desempenho<br />

nos anos anteriores e as expectativas<br />

para os próximos meses de 2024.<br />

Paula Verlangeiro, economista da<br />

CNI, explica que as pequenas indústrias<br />

são as mais penalizadas com as mudanças<br />

econômicas como, por exemplo, o<br />

aumento da taxa básica de juros. Também<br />

são as que têm menos disponibilidade<br />

de recursos para lidar com eventuais<br />

problemas. “Por esses e outros<br />

motivos, os últimos 10 anos não foram<br />

fáceis para as MPEs (Micro e Pequenas<br />

Empresas) industriais e o balanço detalha<br />

esse cenário”, aponta Paula.<br />

63


Economia<br />

64<br />

Entre 2013 e 2023, os pequenos<br />

empresários industriais dos setores de<br />

construção e de transformação registraram<br />

dificuldade de acesso ao crédito<br />

em todos os 40 trimestres analisados.<br />

O índice ficou abaixo da média histórica<br />

em 21 dos 40 trimestres para a indústria<br />

de transformação, enquanto ficou<br />

abaixo da média histórica em 24 dos 40<br />

trimestres para a pequena indústria de<br />

construção.<br />

ANÁLISE DIRETA<br />

Em 2016, o Índice de Situação Financeira<br />

marcou o pior resultado da série<br />

com 29,5 pontos, reflexo do aumento<br />

das taxas de juros, que atingiu o maior<br />

patamar do período no terceiro trimestre<br />

de 2015, 14,25% ao ano. De 2015 a<br />

2019, o indicador teve altas e baixas,<br />

mas sempre se manteve abaixo da média<br />

histórica (38,4 pontos).<br />

Só em meados de 2020, que o índice<br />

se recuperou e, inclusive, registrou<br />

o maior valor da série (43,1 pontos).<br />

Um dos motivos foi a criação dos programas<br />

de apoio e incentivo às MPEs<br />

para superar a crise de Covid-19, como<br />

o PRONAMPE (Programa Nacional de<br />

Apoio às Microempresas e Empresas<br />

de Pequeno Porte) e o PEAC (Programa<br />

Emergencial de Acesso a Crédito), que<br />

facilitaram o acesso ao crédito para os<br />

pequenos industriais.<br />

É importante destacar, que apesar<br />

disso, o ISF (Índice de Situação<br />

Financeira) nunca alcançou a marca<br />

de 50 pontos, que separa avaliações<br />

favoráveis de desfavoráveis. Isso se<br />

deve, principalmente, pela dificuldade<br />

de acesso ao crédito percebida em<br />

todos os segmentos. “Por mais que os<br />

programas tenham oferecido um respiro,<br />

não foi suficiente para dizer que as<br />

pequenas empresas industriais estejam<br />

financeiramente bem e recuperadas.<br />

Uma das iniciativas que pode ajudar<br />

os empresários à acessarem o recurso<br />

certo é o NAC (Núcleo de Acesso ao<br />

Crédito), da CNI, que presta consultoria<br />

e orientação sobre linhas de financiamento<br />

por todo país”, reforça Paula.<br />

Em 2023, o aumento da inadimplência<br />

fez com que os bancos adotassem<br />

critérios mais rígidos para concessão<br />

de crédito, como exigir mais garantias,<br />

oferecer prazos menores e, inclusive,<br />

custos maiores. No segundo semestre<br />

do ano, o Banco Central começou a reduzir<br />

a taxa básica de juros, 0,5 ponto<br />

percentual em cada uma das quatro<br />

reuniões do COPOM (Comitê de Política<br />

“POR ESSES<br />

E OUTROS<br />

MOTIVOS, OS<br />

ÚLTIMOS 10 ANOS<br />

NÃO FORAM<br />

FÁCEIS PARA AS<br />

MPES (MICRO<br />

E PEQUENAS<br />

EMPRESAS)<br />

INDUSTRIAIS E<br />

O PANORAMA<br />

DETALHA ESSE<br />

CENÁRIO”<br />

PAULA VERLANGEIRO,<br />

ECONOMISTA DA CNI


Monetária). Embora a medida não produza<br />

efeitos imediatos para as pequenas<br />

empresas, já melhora a expectativa<br />

dos empresários, refletido no ISF, que<br />

apresentou aumento e fechou o ano<br />

com 42,2 pontos.<br />

O PPI traz o ranking dos principais<br />

problemas enfrentados pelas indústrias<br />

de pequeno porte em cada trimestre,<br />

por segmento industrial (transformação<br />

e construção) desde 2015.<br />

Apesar das oscilações ao longo da<br />

década, um dos problemas que permaneceu<br />

com alto percentual de assinalações,<br />

independentemente do segmento,<br />

foi a elevada carga tributária.<br />

A metodologia da pesquisa considera<br />

apenas o número de empregados por<br />

estabelecimentos (1 a 49 no caso de<br />

MPEs). Portanto, há empresas que não<br />

são tributadas pelo Simples Nacional na<br />

amostra e essas são, frequentemente,<br />

penalizadas pelo sistema tributário<br />

complexo e oneroso.<br />

TAXAS DE JUROS, COMPETIÇÃO<br />

DESLEAL E FUTURO<br />

No quarto trimestre de 2023, os<br />

principais problemas percebidos pelos<br />

pequenos empresários da indústria de<br />

transformação foram: elevada carga<br />

tributária, demanda interna insuficiente<br />

e competição desleal (como informalidade<br />

e contrabando). Esse último problema<br />

ganhou força desde 2021 e agora<br />

ficou na terceira posição. Isso evidencia<br />

a necessidade de promover uma concorrência<br />

saudável, com ações para<br />

coibir práticas que possam prejudicar a<br />

competitividade.<br />

Para as indústrias de construção,<br />

do primeiro trimestre de 2021 ao terceiro<br />

trimestre de 2023, as taxas de juros<br />

elevadas sofreram aumento contínuo<br />

nas assinalações. O setor é diretamente<br />

afetado pelas altas dos juros, que prejudica<br />

tanto os empresários ao encarecer<br />

os recursos para projetos, quanto os<br />

consumidores por também dificultar o<br />

financiamento para aquisição de imóveis.<br />

O QUE AS PEQUENAS<br />

INDÚSTRIAS ESPERAM PARA<br />

O FUTURO?<br />

Durante a última década, as pequenas<br />

empresas industriais enfrentaram<br />

desafios, mas também tiveram algumas<br />

oportunidades e se mostram resilientes.<br />

Um dado que comprova isso é o<br />

crescimento do número de micro e pequenas<br />

indústrias, de 433 mil para 459<br />

mil. Esses negócios empregam mais de<br />

3,4 milhões de trabalhadores formais e<br />

a soma do salário deles chega a R$ 85<br />

bilhões por ano, segundo levantamento<br />

da CNI, com base na RAIS (Relação<br />

Anual de Informações Sociais).<br />

O ICEI (Índice de Confiança do<br />

Empresário), que captura como o empresário<br />

percebe as condições atuais,<br />

quais são suas expectativas e, com<br />

essas informações, antecipa as mudanças<br />

e as tendências das atividades<br />

dos industriais, registrou 51,2 pontos<br />

em janeiro de 2024. O indicador está<br />

acima da linha divisória de 50 pontos,<br />

que separa confiança da falta de confiança.<br />

Segundo a economista da CNI, a<br />

confiança e as perspectivas estão melhorando,<br />

especialmente, por conta da<br />

redução da taxa de juros. “Esperamos<br />

que essas melhorias ajudem a impulsionar<br />

o crescimento das pequenas empresas<br />

no futuro. Medidas em prol do<br />

ambiente de negócios, que diminuam<br />

a burocracia e que proporcionem um<br />

acesso melhor ao crédito são essenciais<br />

para a competitividade das pequenas<br />

empresas”, ressalta Paula.<br />

65


Agenda<br />

Abril 2024<br />

FEICON<br />

Data: 2 a 5<br />

Local: São Paulo (SP)<br />

Informações: https://www.feicon.com.br/pt-br.html<br />

A FEICON é a mais completa feira do setor de construção civil e arquitetura da América<br />

Latina, pois oferece oportunidades para a indústria e o comércio, opções de melhores<br />

negócios. Com a presença dos principais players e o maior mix de produtos dos segmentos<br />

de acabamentos, estruturas, instalações e externos, a FEICON dita tendências, apresenta<br />

novas tecnologias, novos produtos e oferece programação completa de conteúdos e atrações<br />

para varejistas, distribuidores, engenheiros, construtores, arquitetos e demais profissionais<br />

do mercado de construção durante seus 4 dias de realização.<br />

SALONE DEL MÓBILE DI MILANO<br />

Data: 16 a 21<br />

Local: Milão (Itália)<br />

Informações: https://www.salonemilano.it/en<br />

Todos os anos, o Salone del Mobile traz os seus produtos de boa aparência e bem feitos de<br />

volta a um palco de importância internacional, ao mesmo tempo que é uma prova de como<br />

a evolução do processo de feiras pode ser acelerada. O evento sempre foi testemunha de<br />

uma extraordinária curiosidade, disponibilidade e abertura à discussão e de uma tremenda<br />

capacidade de progredir, inovando fórmulas consolidadas. Nos últimos anos difíceis de<br />

pandemia, o Salone iniciou uma revisão concreta do seu formato expositivo, com o objetivo<br />

de continuar a gerar valor para toda a comunidade do design.<br />

66<br />

Junho 2024<br />

FEISTOCK<br />

Data: 13 a 16<br />

Local: São Bento do Sul (SC)<br />

Informações: https://www.feistock.com.br/feira<br />

A Feistock surgiu no ano de 2004 com o intuito de ajudar os moveleiros de São Bento do<br />

Sul (SC), Rio Negrinho (SC) e Campo Alegre (SC) a escoarem seus estoques de móveis de<br />

sobras de exportação, vendendo-as para o consumidor final. Com o passar dos anos e das<br />

crises que atingiram o setor, as empresas que sobreviveram tiveram que buscar entrar<br />

no mercado interno e a feira se moldou para atender esta nova demanda e hoje colabora<br />

muito para que estas empresas exponham sua marca para lojistas e o consumidor final e se<br />

tornem conhecidas. A feira também é um evento que mantém a região como um polo de<br />

fabricação de móveis diferenciados e de alta qualidade, além de ter uma forte atuação no<br />

setor de turismo de Santa Catarina.<br />

Julho 2024<br />

FORMÓBILE<br />

Data: 2 a 5<br />

Local: São Paulo (SP)<br />

Informações: https://www.formobile.com.br/pt/home.html<br />

A ForMóbile - Feira Internacional da Indústria de Móveis e Madeira, em sua nona edição<br />

confirmou a confiança da indústria moveleira. A edição de 2022, que aconteceu de 05 a 08<br />

de julho, foi marcada por um alto volume de negócios fechados, fato que reflete a potência<br />

do setor. Além do sucesso de parcerias, o número de visitantes também superou as expectativas.<br />

Mais de 50 mil pessoas passaram pelo São Paulo Expo nos quatro dias de evento,<br />

um número recorde. Nesta edição, a feira também conta com mais de 500 marcas expositoras<br />

(nacionais e internacionais), ocupando 50 mil m² (metros quadrados) do pavilhão.<br />

Setembro 2024<br />

ENCAPP<br />

Data: 18 a 20<br />

Local: Curitiba (PR)<br />

Informações: https://encapp.com.br/<br />

Com o objetivo de apresentar novas soluções de produtos, materiais e tecnologias para<br />

portas de madeira, além de discutir soluções globais sobre o tema, foi criado o Encapp<br />

(Encontro da Cadeia Produtiva da Porta). Em sua sexta edição, que será realizada de 18<br />

a 20 de setembro de 2024, o Encapp acontece novamente junto à Lignum Latin America,<br />

importante encontro da Semana Internacional da Madeira, realizada em Curitiba (PR). O<br />

evento é uma realização da Abimci (Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada<br />

Mecanicamente) por meio do PSQ-PME (Programa Setorial da Qualidade de Portas de<br />

Madeira para Edificações).


VEM AÍ!<br />

02 DE DEZEMBRO - CURITIBA (PR)<br />

PATROCINADORES:<br />

SERRAS E FACAS INDUSTRIAIS<br />

envimat<br />

www<br />

revistareferencia.com.br<br />

comercial@revistareferencia.com.br

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!