Agosto/2015 - Celulose e Papel 20

grupojota

Visitantes - Grupo Jota Comunicação

Jorge Luiz Colodette mostra o futuro do setor com a nanocelulose

Além do virtual

Desafios do papel

na era digital

Tissue World

Edição brasileira

estreou em SP

Mais com menos

Tecnologia garante produtividade

e economia de energia na produção de papel

More with less

More with less

Technology ensures

productivity and

energy savings in

paper production


S U M Á R I O

34 Especial

Papel é dinheiro

Paper is money

14 Principal

Mais com menos

More with less

44 Feira

O mundo tissue

Tissue World

04 Sumário

06 Editorial

08 Cartas

10 Novidades

22 Avanços e tecnologia

Sustentabilidade em foco

Sustainability in focus

26 Artigo

A tempestade não dura para sempre

The storm won’t last forever

56 Entrevista

Jorge Luiz Colodette

62 Calendário

04


A ORIGEM

DAS SUAS

SOLUÇÕES

Conheça a Solenis. Um novo nome para uma equipe com décadas

de experiência.

Éramos conhecidos como Ashland Water Technologies. Hoje somos Solenis, líder mundial em

químicos para celulose e papel. Com anos de experiência em processos de produção, tecnologia

avançada e 3.500 funcionários em todo o mundo, a equipe da Solenis está pronta para entregar

as soluções que você precisa.

Conheça a sua equipe Solenis em solenis.com


E D I T O R I A L

REFERÊNCIA

Celulose & Papel

REFERÊNCIA Celulose & Papel

Muito além do papel

O segmento de celulose está avançando em tecnologia.

Em breve serão produtos criados a partir dessa

matéria-prima que irão além do papel. Essa visão de

futuro foi abordada pelo expert em celulose, Jorge Luiz

Colodette, durante a entrevista exclusiva. Ele aposta em

uma partícula cristalina da celulose como o produto que

deve revolucionar a cadeia produtiva. A leveza e resistência

do material fazem dele uma ótima alternativa para

a indústria automobilística e para a construção civil. Mas

enquanto isso não acontece vamos às novidades que já

são realidade.

Nesta edição fomos buscar as últimas tendências para

o papel tissue. A maior feira do mundo, a Tissue World,

chegou ao Brasil. A Revista Celulose & Papel circulou pelos

corredores da exposição e participou de alguns debates

sobre o assunto. Ouvimos especialistas do Brasil e de

outras partes do mundo para apresentar um panorama

do mercado de papel na atual conjuntura econômica.

Independentemente da crise, o que as empresas querem

é economizar. Na matéria principal apresentamos o sistema

IBS, que reduz o consumo de energia das indústrias

durante o processo de fabricação de papel. Confira!

Much more than paper

The pulp segment is advancing in technology. Soon,

there will be products created from this raw material, in

addition to paper. This vision of the future was addressed

by pulp expert, Jorge Luiz Colodette, during an exclusive

interview. He bets on a crystalline cellulose particle as the

product that should revolutionize the productive chain. The

lightness and high-strength of the material make it a great

alternative for the automobile and construction industries.

But while this doesn’t happen, let’s look at the news that is

already a reality.

In this issue, we get the latest news on tissue paper. The

largest fair in the world, Tissue World, came to Brazil. Revista

Celulose & Papel circulated in the halls of the exhibition

and attended several talks on the subject. We heard experts

from Brazil and other parts of the world present an overview

of the paper market in the current economic climate.

Regardless of the crisis what companies want, is to save. In

the lead story, we introduce the IBS system, which reduces

energy consumption for companies in the papermaking

process. Check it out!

JOTA COMUNICAÇÃO

Diretor Comercial / Commercial Director: Fábio Alexandre Machado (fabiomachado@revistareferencia.com.br) • Diretor Executivo / Executive Director:

Pedro Bartoski Jr (bartoski@revistareferencia.com.br) • Diretora de Negócios / Business Director: Joseane Knop (joseane@jotacomunicacao.com.br)

EXPEDIENTE

JOTA EDITORA

Diretor Comercial / Commercial Director: Fábio Alexandre Machado (fabiomachado@revistareferencia.com.br) • Diretor Executivo / Executive

Director: Pedro Bartoski Jr (bartoski@revistareferencia.com.br) • Redação / Writing: Rafael Macedo - Editor, Larissa Angeli (jornalismo@

revistareferencia.com.br) • Dep. de Criação / Graphic Design: Fabiana Tokarski - Supervisão, Fabiano Mendes, Bruce Cantarm, Fernanda Domingues

(criacao@revistareferencia.com.br) • Tradução / Translation: John Wood Moore • Dep. Comercial / Sales Departament: Gerson Penkal (comercial@

revistareferencia.com.br) • Fone: +55 (41) 3333-1023 • Dep. de Assinaturas / Subscription: Monica Kirchner - Coordenação.

A Revista REFERÊNCIA CELULOSE & PAPEL é uma publicação do GRUPO JOTA

Rua Maranhão, 502 Água Verde - Cep: 80610-000 - Curitiba (PR) - Brasil

Fone/Fax: +55 (41) 3333-1023

www.jotaeditora.com.br

ASSINATURAS

0800 600 2038

Publicações Técnicas da Jota Editora

06

Veículo filiado a:

A Revista REFERÊNCIA CELULOSE & PAPEL é uma publicação trimestral

e independente, dirigida aos produtores e consumidores de bens e serviços

em celulose e papel, instituições de pesquisa, estudantes universitários, orgãos

governamentais, ONG’s, entidades de classe e demais públicos, direta e/ou

indiretamente ligados ao segmento. A Revista REFERÊNCIA CELULOSE & PAPEL

não se responsabiliza por conceitos emitidos em matérias, artigos ou colunas

assinadas, por entender serem estes materiais de responsabilidade de seus autores.

A utilização, reprodução, apropriação, armazenamento de banco de dados,

sob qualquer forma ou meio, dos textos, fotos e outras criações intelectuais da

Revista REFERÊNCIA CELULOSE & PAPEL são terminantemente proibidos sem

autorização escrita dos titulares dos direitos autorais, exceto para fins didáticos.

Revista REFERÊNCIA CELULOSE & PAPEL is a quarterly and an independent publication

directed at the producers and consumers of the good and services of the pulp and paper industry,

research institutions, university students, governmental agencies, NGO’s, class and other entities

directly and/or indirectly linked to the segment. Revista REFERÊNCIA CELULOSE & PAPEL does not

hold itself responsible for the concepts contained in the material, articles or columns signed by

others. These are the exclusive responsibility of the authors, themselves. The use, reproduction,

appropriation and databank storage under any form or means of the texts, photographs and

other intellectual property in each publication of Revista REFERÊNCIA CELULOSE & PAPEL is

expressly prohibited without the written authorization of the holders of the authorial rights.


AQUECEDOR DE

ÓLEO TÉRMICO

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

• Temperatura de saída do óleo: até 310ºC

• Diferencial de temperatura (Δt): 20 até 40 ºC

• Baixo custo operacional

• Execução de base civil simples, com a mínima

intervenção da instalação mecânica

Gerando energia para o mundo.

CAPACIDADES OPERACIONAIS

• 1 Gcal/h a 10,0 Gcal/h

PRINCIPAIS VANTAGENS DO FLUIDO

TÉRMICO

• O projeto HBFT tem o diferencial de ser desenvolvido

para a queima de biomassa. Cada combustível a ser

utilizado, é previamente analisado para se determinar

o melhor sistema de queima e a sua viabilidade de

utilização

• A sua grelha é fabricada sem a utilização de ligas

especiais para alta temperatura. Como a grelha está

integrada ao circuito, a mesma é refrigerada pelo óleo

do circuito o que dispensa a instalação de um

conjunto de bombas independentes para a

refrigeração da grelha e outro para o Aquecedor

• Fabricado inteiramente em paredes membranadas

proporcionando grande rigidez estrutural ao conjunto

• Fornalha com paredes membranadas em toda sua

extensão, sem aplicação de refratários

COMBUSTÍVEIS

• Com alternativas de biomassa, lenha em toras,

combustíveis líquidos ou gasosos em uma única

instalação

CONDIÇÕES OPERACIONAIS

• Teor de CO : abaixo de 1000 ppm

• Teor de CO2 : 14 %

• Temperatura dos gases na saída do aquecedor:

~350 ºC

• Temperatura dos gases após pré-aquecedor de ar :

~250 ºC

• Temperatura do ar aquecido : ~210 ºC

Rua Lilly Bremer, 322 • Bairro Navegantes • Rio do Sul • Santa Catarina

Tel.: (047) 3531-9000 • Fax: (047) 3525-1975

bremer@bremer.com.br • www.bremer.com.br


C A R T A S

Capa da Edição 19 da

Revista CELULOSE & PAPEL

REQUISITADA

Por Joel Valdir Fagundes - Palmas (PR)

Sou do ramo de papel e celulose e por isso a Revista é sempre muito requisitada

dentro da empresa. Sou assinante desde 2013 e gosto muito da publicação.

Imagem: reprodução

Foto: REFERÊNCIA

INTERESSE

Por Isabel Fender - Porto Alegre (RS)

Em nossa empresa desde os colaboradores até a diretoria têm interesse na

Revista. Trabalhamos com reflorestamento de pinus e eucalipto e a publicação

trata de assuntos que têm relação direta com o nosso setor.

EQUIPAMENTOS

Por Celia Santos - Curitiba (PR)

Recebemos pontualmente a Revista. Trabalhamos com venda de equipamentos para

empresas de celulose, então todos os assuntos relativos a novos projetos, manutenção

de equipamentos e novas oportunidades de mercado na nossa área, são atrativos.

Foto: Valterci Santos

Imagem: reprodução

MERCADO

Por Valter Agostini - São Paulo (SP)

A CELULOSE & PAPEL é um bom parâmetro para o mercado de papel,

do Brasil e mundial. As matérias são cheias de informação e nos dão base

para estratégias de negócios.

Leitor, participe de nossas pesquisas online respondendo os e-mails enviados por nossa equipe de jornalismo.

As melhores respostas serão publicadas em CARTAS. Sua opinião é fundamental para a Revista REFERÊNCIA CELULOSE & PAPEL.

revistareferencia@revistareferencia.com.br

08


TM

Soluções Integradas

Soluções integradas para papel e celulose,

refinarias, sucroacooleiros, mineradoras e

siderurgia.

Filial da Diamond Power International, Inc. (DPII),

lider mundial de Mercado. Diamond Power do

Brasil está no mercado brasileiro há mais de 16

anos.

P Sopradores de fuligem retráteis e fixo

P Controle e diagnóstico de desempenho

de caldeiras

P Transporte, armazenamento e

recuperação de energia cinzas

P Câmeras industriais

P Serviços de campo e instalação completa

P Sistemas de partida e comissionamento

P Peças de reposição e serviços

Serra| ES | Brasil

Tel.: +55 (27) 3328 7900

Vitor Gomes de Melo

Gerência / Comercial

Vitor.melo@diamondpower.com.br

+55 (27) 98146.0099

Denes Sofiatti Longue

Engenharia

denes.longue@diamondpower.com.br

+55 (27) 9814.65238

www.diamondpower.com

Keilla Saturnino

Comercial

keilla.saturnino@diamondpower.com.br

+55 (27) 3328.7900


N O V I D A D E S

Alto desempenho

A segunda geração da prensa

de sapata NipcoFlex T, da Voith

Paper, foi um dos destaques da

empresa na Tissue World Brasil.

A máquina foi desenvolvida para

gerar economia de recursos naturais

e redução de gastos com

energia. Segundo Marcelo Karabolad

dos Santos, vice-presidente

de vendas da empresa, a nova

versão já tem 18 máquinas instaladas

pelo mundo todo. Sem

comprometer a qualidade do

papel, a máquina proporciona

teor seco até 5% maior comparado

com a configuração de um

rolo de sucção e pressão contra

o Yankee ou até mesmo gerações

anteriores de prensas de sapatas.

“Se considerarmos que a cada 1% de teor seco na saída da prensa significa 4% de ganho na produção, então a

NipcoFlex T, que alcança quatro pontos a mais de teor seco, aumenta em cerca de 16% a produção”, explica

Marcelo. “Para produzir o mesmo volume que era produzindo antes, haverá uma redução de aproximadamente

4% no consumo de energia”, conclui.

Foto: divulgação

Energia

mais cara

Foto: Pco.org

Para 63,5% das empresas gráficas

as margens de lucro vêm sendo muito

pressionadas pelo aumento do custo

energético. O índice é resultado de

uma pesquisa feita pela Abigraf (Associação

Brasileira da Indústria Gráfica).

Para o setor, esse não foi o único efeito

negativo da crise hídrica que abala

o país. O receio de um racionamento de energia afastou a decisão de investimento de 35% das empresas. No

sudeste, a falta de chuvas traz risco de racionamento também ao fornecimento de água, aumentando a insegurança

das indústrias. As grandes plantas, potencialmente mais sensíveis aos eventuais cortes, foram as que mais

investiram em planos de contingência.

10


Exportação de

celulose cresce

5,3%

Segundo o boletim mensal da Ibá (Indústria

Brasileira de Árvores), o volume de exportação de

celulose chegou a 4,4 milhões de t (toneladas) nos

cinco primeiros meses deste ano. Com isso, proporcionou

um crescimento de 5,3% em relação ao

mesmo período de 2014. O segmento de painéis

de madeira somou 236 mil m³ (metros cúbicos) nas

exportação, crescimento de 48,4% sobre o mesmo

período do ano passado. Já as exportações de papel

alcançaram 808 mil t e mantiveram a estabilidade

do ano anterior. Desde janeiro, a produção

de celulose atingiu 6,8 milhões de t. A produção de

papel se manteve praticamente estável durante os

cinco meses. As vendas domésticas de painéis de

madeira chegaram em 2,8 milhões de m³, volume

1,2% menor na comparação com o mesmo período

do ano passado. No caso das vendas de papel

foram 2,2 milhões de t, volume 6,0% inferior em

relação ao mesmo período de 2014. Nos primeiros

cinco meses de 2015, a receita de exportações de

celulose, painéis de madeira e papel totalizou US$

3 bilhões, 2,4% menor do que em relação ao mesmo

período do ano passado. O saldo da balança

comercial do setor nos cinco primeiros meses do

ano é de US$ 2,4 bilhões, alta de 2,8% na comparação

com o mesmo período de 2014.

Imagem: divulgação

Ser moderno é

ser sustentável

Sustentabilidade deixou de ser uma meta a

alcançar e virou uma condição para as empresas

modernas. O novo modelo de produção já

demonstra que ser sustentável também pode refletir

em ganhos financeiros. Por isso as empresas

têm se voltado cada vez mais para essa questão.

Prova disso é a Celulose Irani que, no 9º Relatório

de Sustentabilidade, apresentou o novo ciclo

de planejamento estratégico e os resultados

do desempenho econômico e socioambiental

em 2014. A receita operacional líquida da companhia

teve um incremento de 22,2% e o valor

adicionado cresceu 16%, sendo 35% distribuídos

aos colaboradores, 18% para o governo, 32% a

título de remuneração de capital de terceiros (financiadores)

e 15% como remuneração dos acionistas.

Em 2014 foram investidos R$ 4,1 milhões

em ações ambientais e 1.526 horas em educação

ambiental para 5.532 pessoas. A implantação de

tecnologias para o fechamento de circuitos e a

consequente redução do consumo específico de

água levaram a empresa a deixar de captar quase

16 milhões de m 3 (metros cúbicos) de água em

2014. O consumo de materiais provenientes de

fontes renováveis alcançou a marca de 96% e a

autogeração de energia foi registrada em 58%.

11

Foto: divulgação


N O V I D A D E S

Terminal

exclusivo para

celulose

Redução de

Icms

Foto: Codesp

A Eldorado Celulose inaugurou um terminal próprio

no Porto de Santos com investimento de R$ 90

milhões. Segundo a empresa, o terminal deverá proporcionar

redução anual de custos em R$ 80 milhões.

Além do aumento da eficiência operacional, o novo

terminal facilitará o acesso ao mercado internacional,

destino de cerca de 90% da produção da empresa. O

espaço tem área de 9.500 m² (metros quadrados) e

será operado por equipes da companhia, cerca de 50

colaboradores. A construção do complexo levou cerca

de 12 meses para ser concluída. O terminal conta

com acesso ferroviário, para os trens da companhia

que trazem a celulose do Mato Grosso do Sul. O terminal

será usado exclusivamente para embarque de

celulose para exportação.

O governador de São Paulo, Geraldo

Alckmin, assinou decreto que beneficia o

setor de celulose e papel com a suspensão

do lançamento do imposto na importação

de bens de capital destinados a projetos

industriais para a produção de celulose e

pastas para fabricação de papel. A assinatura

inclui a produção nos setores beneficiados

pelo artigo 29 das disposições

transitórias do regulamento do Icms (Imposto

sobre as Operações Relativas à Circulação

de Mercadorias e sobre Prestações

de Serviços de Transporte Interestadual e

de Comunicação), atendendo a pleito da

empresa Lwarcel Celulose. A medida autoriza,

também o crédito integral e imediato

do imposto das aquisições internas

de bens para o ativo imobilizado. Com

base na regra anterior, estabelecida pela

Lei Kandir, essa restituição do Icms só poderia

ser efetuada de forma parcelada, no

período de 48 meses. O decreto permite,

ainda, alterar o momento de exigência do

tributo durante a fase pré-operacional ou

nos casos em que não houver valor suficiente

de crédito de Icms a ser absorvido

pelo investidor.

Foto: A2 Fotografia

12


Laboratório

do Senai

O laboratório de Papel e Celulose

do Senai em Telêmaco Borba (PR)

recebeu acreditação do Inmetro (Instituto

Nacional de Metrologia, Qualidade

e Tecnologia). O mérito deu-se

com base em métodos padronizados

e atestados de 14 ensaios mecânicos

e óticos a serem realizados em papel.

Inicialmente, o laboratório poderá

fazer ensaios acreditados destinados

a papéis para fins sanitários,

como toalhas, guardanapos, lençóis e papéis higiênicos. De acordo com a coordenadora do IST (Instituto Senai

de Tecnologia) em Papel e Celulose, Adriane Queji de Paula, os papéis são analisados utilizando metodologias

normalizadas e, em função dos resultados, são classificados com características mínimas de qualidade, quanto à

absorção de líquidos, maciez, velocidade de absorção, resistência à tração a úmido e seco, alvura, número de

pintas e furos.

Foto: divulgação

Projeto

Puma

1,5 milhão 1,1 milhão

de toneladas de fibra curta

400 mil

toneladas de fibra longa, parte

dela convertida em fluff

O Projeto Puma, que está

sendo implantando em uma

nova fábrica na Klabin, em

Ortigueira (PR), terá capacidade

para produzir, inicialmente,

1,5 milhão de t (toneladas)

de celulose. A estimativa é que o processo comece em março de 2016. A CBC Indústrias Pesadas está

trabalhando com a Niplan Engenharia para estruturar e montar os principais equipamentos da fábrica, que produzirá

1,1 milhão de t de celulose de fibra curta e 400 mil t de fibra longa.

Para ser mais eficaz e dar segurança aos trabalhadores, a Niplan está fazendo pré-montagens maiores no solo

para permitir o içamento de peças muito grandes. Até o momento, a instalação do conjunto de vigas top beam,

que é parte da estrutura do prédio e o meio de sustentação da caldeira no edifício, foi um dos maiores desafios da

empresa. Cada viga pesa 85 t e mede 22 m (metros) de comprimento por 5 m de altura. O limite para início de

produção é julho de 2016.

Imagem: Klabin

13


14

P R I N C I P A L


Mais

com

menos

Fotos: Fabio Ortolan

Tecnologia para indústria de papel aumenta

produtividade, qualidade e redução de energia

15


P R I N C I P A L

Q

ue a mão de obra humana

é insubstituível em várias tarefas

ninguém discorda. No

entanto, quando se trata de

precisão milimétrica, a máquina

supera o homem. Um

dos principais gargalos da indústria

são os gastos com o consumo de energia,

e parte do consumo desnecessário acontece

porque algumas atividades são realizadas

manualmente, ou como dizem no chão de fábrica,

no olhômetro. Para ampliar o controle e

eficiência na indústria, algumas empresas estão

saindo na frente e optando pela automação

em diversos processos.

TECNOLOGIA

Para otimizar o consumo de energia e produção

na indústria de papel o grupo austríaco

IBS, com representação no Brasil, desenvolveu

um sistema que está alcançando resultados

MORE

WITH LESS

THE TECHNOLOGY FOR

PAPER INDUSTRY INCREASES

PRODUCTIVITY, QUALITY AND

REDUCTION OF ENERGY

T

hat the human factor is irreplaceable in

various tasks, no one disagrees. However,

when it comes to millimetric precision,

machine beats out the human. One of the

main bottlenecks in the industry is the spending on

energy consumption, and part of the unnecessary consumption

is because some activities are performed ma-

A empresa elevou cerca de 10% sua produção nos primeiros 30 dias

16


surpreendentes. Batizado de iTable, é operado

por meio de um monitor e permite o controle

automático total de drenagem e atividade da

massa durante todo o processo de formação

do papel. Bastam alguns cliques para ajustar a

altura de régua, ângulos e vácuo. Valores pré-

-estabelecidos por especialistas ditam o ritmo

da produção. “O que as empresas mais procuram

ultimamente é economia e redução de

custos. É exatamente isso que a IBS está oferecendo”,

conta o diretor geral da IBS do Brasil,

Abilio Franco.

GANHO REAL

Fundada em 1944, a Novacki nasceu em

Porto União (SC) como uma fábrica de pasta

mecânica. Nos anos 70 começou a produzir

papel e logo ganhou o mercado. Atualmente,

com uma unidade produtora de papel para

embalagens em União da Vitória (PR), uma fábrica

de caixas de papelão no interior de São

nually, or as they say on the factory floor, “by eye”. To

increase the control and efficiency in the plant, some

companies are coming out in front by opting for the

automation of various processes.

TECHNOLOGY

To optimize energy consumption and production

in the paper industry, the Austrian Group IBS, with offices

in Brazil, has developed a system that is achieving

amazing results. Baptized “iTable”, it is operated by

means of a monitor. It allows for total automatic drainage

and pulp activity control, throughout the paper

making process. It only takes a few clicks to adjust the

guide height, angles and suction. Pre-set values by specialists

dictate the production pace. “What companies

are ultimately looking for is cost reduction and savings.

That is exactly what IBS is offering,” says Abilio Franco,

Director General of IBS do Brasil.

REAL GAIN

Founded in 1944, Novacki Papel e Embalagens S.A.

Vantagens

do sistema

Controle automático total da curva de

drenagem

Atividade controlada da massa durante

todo processo de formação

Ajustes de ângulo e altura das réguas

em conjunto com CONTROLE

automático DE VÁCUO garantem

a performance

17


P R I N C I P A L

Paulo e outra em Jaraguá do Sul (SC), sentiu

a necessidade de ampliar a produção. O aumento

de gastos com o consumo de energia foi

uma preocupação inicial.

O gerente industrial da empresa, José Roberto

Mateus, conta que a unidade da Novacki

Papel e Embalagens S.A, que fabrica papel

na cidade paranaense, começou a operar há

um mês com o iTable. “A promessa era de um

ganho de aproximadamente 5% na produção.

Isso foi colocado em contrato, como garantia.

Para nossa surpresa está indo além”, comemora

Mateus. “O principal detalhe está nas instalações

do controle de vácuo, que agora é feito

automaticamente. No sistema antigo o operador

fazia manualmente, sem ter a sensibilidade

necessária para os ajustes”, explica.

Com apenas um mês operando o iTable,

a empresa elevou aproximadamente 10% da

produção sem aumentar o consumo de energia.

“Nossa média era de 202 t (toneladas) por

dia.

started in Porto União (SC), as a mechanical pulp mill.

In the 70’s, it began producing paper and soon conquered

a notable market share. Currently, with a packaging

paper production unit in União da Vitória (PR),

a paper board box factory in São Paulo, and another in

Jaraguá do Sul (SC), it felt the need to expand its production.

The increase in energy consumption spending

was an initial concern.

José Roberto Mateus, Industrial Manager, for Novacki,

says the plant that makes paper in União da Vitória

began operating with the iTable system over a month

ago. “We installed the system on a machine about

month ago. The forecast was for a gain of about 5%

in production, and guaranteed in the sales contract.

To our surprise the gains far exceeded this,” celebrates

Mateus. “The main detail is in the installation of the

vacuum control, which is now carried out automatically.

In the old system, the operator performed this

manually, without having the necessary sensitivity to

the adjustments,” he explains.

Within just a month of operating the iTable, the

Produção 30% maior com o mesmo consumo de energia

18


Em junho estamos com 220 t. Ainda não

exploramos todo o potencial que está instalado.

Acreditamos que podemos melhorar ainda

mais nosso desempenho”.

MAIOR PRODUÇÃO

Em junho de 2011 a Papel Tangará iniciou

as operações produzindo cerca de 300 t de papel

tissue por mês. Sediada em Pinheiro Preto

(SC), a indústria tem uma produção atual de

1.200 t. Apesar de ainda não operarem com o

iTable, a empresa vem fazendo ajustes na máquina

que produz papel com equipamentos

fornecidos pela IBS. A meta é chegar em 1.450

t/mês. “Fornecemos papel para ser convertido

em papel higiênico, guardanapo e papel toalha

para todo o Brasil”, explica Sidnei Melotti, sócio

da Papel Tangará.

Todas as caixas de vácuo instaladas na empresa

são IBS. Segundo Sidnei, na prática o

resultado é a boa formação da folha e a resis-

Company has increased its production by approximately

10% without increasing energy consumption. “Our

average production used to be 202 mt per day, in June

we averaged 220 mt. We haven’t yet explored all the

potential of the installed equipment. We believe that

we can further improve our performance.”

INCREASED PRODUCTION

In June 2011, Papel Tangará began operations producing

about 300 mt of tissue paper per month. Headquartered

in Pinheiro Preto (SC), the Company has a

current production of 1,200 mt per month. Although

not yet operating with the iTable, the Company has

been making all the adjustments on the paper making

machine necessary for using the equipment provided

by IBS. The goal is to reach 1,450 tons per month. “We

provide paper to be converted into sanitary tissue, napkins

and paper towels in all of Brazil,” explains Sydnei

Melotti, Partner of Papel Tangará.

All the vacuum boxes installed in the Company are

now from IBS. According to Melotti, in practice, this

A promessa era

de um ganho de

aproximadamente 5%

na produção. Para nossa

surpresa, está indo além

José Roberto Mateus, gerente industrial

da Novacki Papel e Embalagens

19


P R I N C I P A L

tência do papel. Ele explica que o ganho na

produção também está sendo enorme. “O feltro,

que produzia entre 900 e 980 t cada, passou

para 1.300, 1.500 t depois que instalamos

as novas caixas de vácuo. Só com caixa de vapor,

que é a parte principal do feltro, diminuímos

o consumo em 30 kW/h (quilowatts/hora),

o que em um mês corresponde a R$ 8.820.”

Outro ganho que merece destaque está na

mesa plana. O sócio da empresa conta que o

máximo que o motor de 200 cv (cavalos) produzia

antes era 580 metros por 19 gramas.

“Depois que instalamos as caixas de cerâmica

de alto vácuo da IBS elevamos a produção para

750 metros por minuto, utilizando o mesmo

motor. Aumentamos nossa produção em quase

30% consumindo a mesma quantidade de

energia”, conclui ele.

has resulted in good sheet formation and paper strength.

He explains that the gain in production has been

huge. “The production increased to between 1,300,

to 1,500 mt per felt, from between 900 and 980 mt

per felt, after we installed the new vacuum boxes. Just

with the steam box, which is the main part of the felt

system, we reduced energy consumption by 30 kWh,

which in a month corresponds to R$ 8,820.”

Another gain that deserves attention is from the

Fourdrinier. The Company Partner says that the most

the 200 hp motor used to produce was 580 meters

per 19 grams. “Since we installed the ceramic high-

-vacuum boxes from IBS our industry was able to elevate

the production in 750 meters per minute using the

same motor. We increased our production by almost

30% consuming the same amount of energy,” he concluded.

Os sócios da Papel Tangará: Sidney Melotti,

Adelar João Vian e Eliane Spricigo

20


Depois que instalamos as caixas

de cerâmica de alto vácuo da IBS

elevamos a produção para 750

metros por minuto, utilizando

o mesmo motor. Aumentamos

nossa produção em quase 30%

consumindo a mesma quantidade

de energia

Sidnei Melotti, sócio da Papel Tangará.

INDISCUTIVELMENTE LÍDER EM PICADORES

A PLANALTO lidera a fabricação de PICADORES FLORESTAIS

NO BRASIL. Possui a mais avançada tecnologia. Os

PICADORES FLORESTAIS PLANALTO são fabricados em

diversos tamanhos e modelos. Por serem Máquinas que

trabalham em terrenos dobrados, possuem rodados tandem,

são rebocados por trator, pá carregadeira ou escavadeiras,

com isso facilita o manejo dentro da floresta. São equipados

com rotores de facas segmentadas ou facas inteiras, vindo

ao encontro das necessidades do cliente.

www.planaltopicadores.com.br

Rod. BR 282 - Km 346 | Distrito de Macrozona de Expansão Urbana

Campos Novos - SC | CEP 89620-000 - Cx. Postal: 32

Tel/Fax: (49) 3541-7400 | comercial@planaltopicadores.com.br


A V A N Ç O S E T E C N O L O G I A

Sustentabilidade

em foco

Estar na vanguarda oferecendo novidades para o mercado é o diferencial

das empresas que se mantêm sempre no topo. Entre os conceitos mais

cobrados ultimamente está a questão da sustentabilidade, que virou palavra

de ordem para todos os elos da cadeia produtiva. Nesta edição, a

CELULOSE & PAPEL mostra um produto inovador no que diz respeito a

tratamento e reúso de água. Por outro lado, um experimento feito por

pesquisadores suecos traz um novo uso para a celulose.

Sustainability

in Focus

B

eing at the forefront, providing new tools for the market is the differential companies

have for always remaining on top. Lately, amongst the more desired concepts, is the issue

of sustainability, which has turned into the watchword for all links in the production

chain. In this Issue, CELULOSE & PAPEL provides a glimpse at an innovative product with

regard to the treatment and reuse of water. As well, an experiment carried out by Swedish scientists,

provides a new use for cellulose.

22


Hercobond® 6000

A Solenis está oferecendo uma nova

tecnologia, considerada pela empresa

como a mais revolucionária já lançada,

para o reúso de água. Denominada Hercobond®

6000 series, ela atua na melhoria e

adequação do processo produtivo do papel.

Todo o efluente gerado terá menores

níveis de contaminação, permitindo processos

de tratamento de água mais simples

e evitando altos investimentos em projetos

de grande porte para reúso de água. Com

o incremento de retenção (RPP), a neutralização

do lixo aniônico será maior e a

água de recirculação terá melhor qualidade.

Essa novidade foi apresentada pela Solenis

na Tissue World, realizada em maio

em São Paulo (SP).

Solenis is offering a new technology,

considered by the Company as the most

revolutionary ever released for the reuse of

water. Named the Hercobond ® 6000 series,

it works for the improvement and adaptation

of the paper making process. Any

effluent generated will have lower levels of

contamination, leading to a simpler water

treatment process and avoiding large investments

in big water reuse projects. With

an increase of retention (RPP), neutralization

of anionic waste will be larger and the

recycled water will be of a better quality.

This new tool was introduced by Solenis at

Tissue World, held in May in Sao Paulo (SP).

Foto: divulgação

23


A V A N Ç O S E T E C N O L O G I A

Impressão 3D

3D Printing

Foto: Peter Widing

24


A R T I G O

A tempestade

não dura

para sempre

The storm won’t last forever

26


Fonte: Cálculos do sistema Firjan

27


A R T I G O

A eficiência faz com que a empresa produza mais

com a mesma quantidade de energia, além de

minimizar a necessidade de investimentos na área

28


A EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

NA INDÚSTRIA

A eficiência energética está se consolidando

rapidamente na indústria internacional e nacional

como instrumento vital na redução dos

Sector is not the only sector with the greatest efficiency

potential – responsible for 40.7% of the energy consumed

in the Country – but also the Sector with the

greatest range of possibilities for technology generation

in search of this resource optimization.

Custo da energia elétrica para a indústria no Brasil e no mundo:

Estados e países selecionados - 2015

Fonte: Cálculos do sistema Firjan

Países Estados Média brasileira Média internacional

29


A R T I G O

A redução nos custos

com os insumos

energéticos, aumentando

a produtividade, a

competitividade e a

receita da empresa, são

sem dúvida o principal

benefício econômico

30


Fonte: GCE do Brasil

Potencial de economia de energia por setor industrial


A R T I G O

Exemplo de Setor: CELULOSE & PAPEL

Fonte: GCE do Brasil

32


Algumas empresas provavelmente puxarão o freio

nos investimentos com medo de errar, outras vão

tirar proveito desta janela de oportunidade para

reduzir seus custos e aperfeiçoar suas atividades,

potencializando o usufruto destas ações quando

a tempestade terminar

Wedge ®

Diagnósticos precisos em problemas complexos

Você pode ter cerca de 20.000 variáveis em seu

processo industrial, todas relacionadas com a

produtividade e qualidade do produto final. Podem

haver alguns eventos cujas causas você queira

explorar em maiores detalhes para melhorar o

rendimento e eficiência de seu processo ou salvar

matéria-prima.

Wedge® oferece uma combinação única de flexibilidade, poder de análise

e simplicidade. É possivel identificar a causa raiz dos distúrbios de

processo, aumentar a qualidade do produto final e a produtividade.

Wedge® é customizável e pode ser integrado com uma vasta linguagem

de sistemas de controle (SDCD) e correlacionar múltiplas variáveis mesmo

de diferentes áreas.

Savcor Ltda.

Av. Dr. João Guilhermino, 261, cj.152, Centro

São José dos Campos | SP

+55 (12) 4009-2609

http://forest.savcor.com


E S P E C I A L

PAPEL

É

DINHEIRO

PANORAMA

ATUAL:

A REPORTAGEM DA CELULOSE

& PAPEL OUVIU A OPINIÃO DE

ESPECIALISTAS E FABRICANTES

DO SEGMENTO QUE TRAÇARAM

A CONJUNTURA DO MERCADO

DE PAPEL E AS EXPECTATIVAS DE

CRESCIMENTO E RETRAÇÃO

Fotos: divulgação

34


PAPER

IS

MONEY

CURRENT PANORAMA: FOR THE CELULOSE & PAPEL STORY, WE

LISTENED TO THE OPINION OF SEGMENT SPECIALISTS AND

MANUFACTURERS, WHO OUTLINED THE PAPER MARKET SITUATION

AND THEIR EXPECTATIONS FOR GROWTH AND RETRACTION

35


36

E S P E C I A L


37


E S P E C I A L

Leonardo Freitas,

pesquisador associado da

Euromonitor Internacional

38


39


E S P E C I A L

Carlos Hernan Llanos Acosta,

gerente de aplicações para a

América do Sul da BTG

40


Daniel Cezar Demarco,

gerente da

Solenis Especialidades Químicas

41


42

E S P E C I A L


“O gerenciamento dos produtos, a tecnologia

para fabricar papel com maior valor agregado

é desenvolvida no Brasil”

Marcelo Karabolad dos Santos,

vice presidente de vendas Voith Paper


F E I R A

O Brasil é o maior produtor

de papel tissue e derivados

da América Latina, sendo

responsável por 32% do

total produzido neste

mercado

O MUNDO

TISSUE

Fotos: divulgação

TISSUE

WORLD

REÚNE

TECNOLOGIA E

CONHECIMENTO

EM SÃO PAULO

44


TISSUE

WORLD

TISSUE WORLD

BRINGS TOGETHER

TECHNOLOGY

AND EXPERIENCE

IN SÃO PAULO

A América

Latina deverá

absorver 16% do

crescimento do mercado

global de papel tissue nos

próximos dez anos, ficando

atrás apenas da China

45


F E I R A

Amaior feira itinerante de papel

tissue do mundo chegou

ao Brasil. A Tissue World São

Paulo não poderia ser em

outra cidade senão a capital

dos grandes eventos de negócios

da América Latina. Com foco na

Colômbia, Chile e Peru, além do Brasil,

que juntos têm 50% do mercado latino-

-americano, a Tissue World reuniu especialistas,

tecnologia e tendências de

mercado durante três dias de feira e congresso

no mês de maio, no Transamerica

Expo Center. Toda a cadeia produtiva do

papel tissue foi abordada, desde a produção

da polpa de celulose até os canais

de distribuição e venda. De acordo com

a organização do evento, 1.119 visitantes

foram conferir de perto as novidades das

63 empresas expositoras.

BRASIL NO TOPO

O Brasil é o maior produtor de papel

tissue e derivados da América Latina. É

responsável por 32% do total produzido

neste mercado. Com o crescimento

econômico do final de 2007 e início de

2008, o país se tornou também um grande

consumidor de papel higiênico, papel

toalha, guardanapos e fraldas, com poten-

T

his year, the largest world trade

fair for tissue paper came

to Brazil. Tissue World Sao

Paulo could be in no other

city than the capital of major business

events in Latin America. With a focus on

Colombia, Chile and Peru, in addition to

Brazil, which together account for 50% of

the Latin American market, Tissue World,

in May, brought together experts, technology

and market trends during the three

days of the Fair and Congress at the Transamerica

Expo Center. The entire tissue

paper productive chain was addressed,

from the production of cellulose pulp to

the distribution and sales channels. According

to the Organization of the event,

1,119 visitors were able to see up close

what the 63 exhibiting companies were

offering.

BRAZIL AT THE TOP

Brazil is the largest producer of tissue

paper and derivatives in Latin America. It

is responsible for 32% of the total produced

in this market. With the economic

growth recorded at the end of 2007 and

beginning of 2008, the Country also became

a large consumer of sanitary paper,

paper towels, paper napkins and paper

46


“O TISSUE TEM CARACTERÍSTICAS

DE RELOJOARIA. É UM TRABALHO

FINO PARA DESENVOLVER SUAS

PROPRIEDADES, POR ISSO MERECE UM

CONGRESSO EM SEPARADO”

EDVINS RATNIEKS,

GERENTE DE TECNOLOGIA DA

CELULOSE RIOGRANDENSE

diapers, with a growth potential to become

one of the largest in the world. Three

other South Americans, Colombia, Peru

and Chile, also represent an important

and growing portion of the market, together

they add up to 18% of the continental

market. It is estimated that Latin

America should absorb 16% of global

tissue paper market growth over the next

10 years, only behind China.

Edvins Ratnieks, Technology Manager

for Celulose Riograndense, was one

of the speakers at the Congress held in

parallel to the Fair. For him, this was an

opportunity that manufacturers had, to

look beyond their own factories. “It’s

the first time I participated as a speaker,

but I have always followed Tissue World

around the world, its publications and

technical program,” says Ratnieks. The

Manager of cellulose Riograndense explains

that the tissue market is special

because it is not just a matter of common

paper. “Tissue paper has characteristics

like watchmaking. It takes delicate work

to develop its properties, so it deserves a

separate Congress.”

According to Ratnieks, the advancement

of technologies is restricted to the

private sector. “Big companies like Kimcial

de crescimento para se tornar um dos

maiores do mundo. Outros três sul-americanos,

Colômbia, Peru e Chile, também

representam uma parcela importante e

crescente, juntos somam 18% do mercado

continental. Estima-se que a América

Latina deverá absorver 16% do crescimento

do mercado global de papel tissue

nos próximos dez anos, ficando atrás apenas

da China.

O gerente de tecnologia da Celulose

Riograndense, Edvins Ratnieks, foi um

dos palestrantes do congresso realizado

em paralelo à feira. Para ele, essa é uma

oportunidade que os fabricantes têm para

olharem além das próprias fábricas. “É a

primeira vez que participo como palestrante,

mas sempre acompanhei a Tissue

World ao redor do mundo, suas publicações

e programa técnico”, conta Edvins.

O gerente da Celulose Riograndense explica

que o mercado de tissue é especial,

pois não se trata de papel comum. “O tissue

tem características de relojoaria. É um

trabalho fino para desenvolver suas propriedades,

por isso merece um congresso

em separado.”

Segundo Edvins, o avanço das tecnologias

está restrito ao setor privado. “As

grandes companhias como Kimberly Clark

47


F E I R A

e Procter & Gamble têm o conhecimento

nas mãos há muitos anos. A Tissue World

é uma oportunidade para difundir ou provocar

situações em que os competidores

dessas grandes empresas tenham acesso a

esse conhecimento.”

Para Francisco Razzolini, da Klabin, a

Tissue World congrega toda a indústria

do papel e celulose, que está em forte

crescimento no mundo todo. “Há muita

pesquisa, desenvolvimento tecnológico

e inovação. O setor de equipamento e

fornecimento de maquinários tem evoluído

bastante. Trazer isso para o mercado

brasileiro, que está recebendo um forte

crescimento, vai ajudar a acelerar a percepção

do desenvolvimento, ao mesmo

tempo em que os fornecedores conhecem

a realidade brasileira, permitindo

desenvolver soluções customizadas para o

nosso público,” avalia Francisco.

ALAVANCANDO OS NEGÓCIOS

Fabricante de facas industriais, usadas

no processo de fabricação do papel tissue,

a Helsten está às vésperas de completar

30 anos. É líder de mercado no Brasil e

berly Clark and Procter & Gamble have

had the knowledge in their hands for

many years. Tissue World is an opportunity

to share, or provoke the sharing of, this

knowledge, leading to situations where

the competitors of these large companies

have access to this knowledge.”

For Francisco Razzolini, Director of

Planning for Klabin, Tissue World brings

together the whole pulp and paper industry,

which is currently showing strong growth

worldwide. “There’s a lot of research,

technological development and innovation

being carried out. The Equipment

and Machinery Supply Sector has evolved

a lot. Bringing this to the Brazilian market,

which is undergoing strong growth, will

help accelerate the perception of development,

while the suppliers get to know

and understand Brazilian reality, enabling

the development of customized solutions

for our public,” assesses Razzolini.

LEVERAGING THE BUSINESS

Manufacturer of industrial knives,

used in the manufacturing tissue paper

process, Helsten is on the eve of comple-

“O SETOR DE EQUIPAMENTO E

FORNECIMENTO DE MAQUINÁRIOS TEM

EVOLUÍDO BASTANTE. TRAZER ISSO PARA

O MERCADO BRASILEIRO, QUE ESTÁ

RECEBENDO UM FORTE CRESCIMENTO,

VAI AJUDAR A ACELERAR A PERCEPÇÃO

DO DESENVOLVIMENTO”

FRANCISCO RAZZOLINI,

DIRETOR DE PLANEJAMENTO DA KLABIN

48


“PARTICIPAMOS DE OUTROS EVENTOS

QUE ABRANGEM MUITOS MERCADOS

E AS FEIRAS ACABAM PERDENDO A

IDENTIDADE. ESTIVE NA TISSUE WORLD

AMÉRICAS, NOS EUA, E SEMPRE É

MUITO BOA”

ALEXANDRE SOUZA,

GERENTE DE VENDAS DA HELSTEN

exporta para todos os países da América

Latina, além da China, Japão e Oriente

Médio. “Participamos de outros eventos,

que abrangem muitos mercados, e as feiras

acabam perdendo a identidade. Estive

na Tissue World Américas, nos EUA

(Estados Unidos da América), e sempre é

muito boa, abre muitas portas e perspectivas”,

acredita Alexandre Souza, gerente

de vendas da empresa.

Para Christian Geovannoni, gerente

geral de vendas da BTG na América do

Sul, a feira também foi positiva. “Minha

expectativa era que ela atraísse o público

específico de tissue e realmente aconteceu,

tanto nas palestras técnicas, quanto

na feira. Esperamos que a Tissue Wolrd

Brasil seja realizada a cada dois anos e

que ela fique cada vez mais conhecida

no mercado. Uma característica da feira é

ser um evento que alavanca os negócios”,

analisa.

O gerente da Solenis Especialidades

Químicas, Daniel Cezar Demarco, conta

que a feira é uma boa oportunidade

para apresentar novos produtos. “A Tissue

World existe fora do Brasil há muito

tempo. É importante que agora ela esteja

no Brasil, principalmente por trazer empresas

distintas que apresentam novas tecting

30 years. It is the market leader in

Brazil and exports to all the countries of

Latin America, as well as China, Japan and

the Middle East. “We participate in other

events, covering many markets, and the

fairs end up losing their identity. I have

participated in Tissue World Americas, in

the United States, and it was always very

worthwhile, opening many doors and

perspectives,” believes Alexandre Souza,

Sales Manager for the Company.

For Christian Geovannoni, General

Manager of Sales for BTG in South America,

the Fair has also been positive. “My

expectation was that it would attract a

public specifically geared to the tissue

market and that really happened, both in

as to the technical lectures, as to the Fair.

We hope that Tissue World Brasil will be

held every two years and that it increasingly

becomes known in the market. A

feature of the Fair is being an event that

leverages business,” he analyzes.

Daniel Cezar Demarco, Manager of

Specialty Chemicals for Solenis, says that

the Fair is a good opportunity to introduce

new products. “Tissue World has

existed outside of Brazil for a long time.

It is important that it is now being held

in Brazil, mainly to bring together diffe-

49


F E I R A

“ESPERAMOS QUE A TISSUE WOLRD

BRASIL SEJA REALIZADA A CADA DOIS

ANOS E QUE ELA FIQUE CADA VEZ

MAIS CONHECIDA NO MERCADO.

UMA CARACTERÍSTICA DA FEIRA É

SER UM EVENTO QUE ALAVANCA OS

NEGÓCIOS”

CHRISTIAN GEOVANNONI,

GERENTE GERAL DE VENDAS DA BTG

nologias para esse ramo de papel. Muitas

empresas aproveitam a feira para lançar

novas tecnologias, como nós estamos fazendo.

Temos oportunidade para ofertar

produtos e serviços para nossos clientes”,

observa.

MEDIÇÃO DE PAPEL

Depois que algumas reportagens televisivas

sacudiram o mercado de papel

higiênico tratando da incompatibilidade

entre metragem anunciada versus o que

realmente continham os rolos, algumas

empresas resolveram investir na exatidão

dos produtos. Eduardo Luiz Denelle, gerente

de produção da Mecatécnica Indústria

de Aparelhos de Medição, apresentou

durante a Tissue World um conta metro

digital.

Atendendo uma encomenda da Kimberly

Clark Brasil, a empresa desenvolveu

o equipamento que rebobina o papel ao

mesmo tempo em que mede com precisão

o comprimento. Para papel higiênico

ou papel toalha ele dá metragem precisa

de cada rolo, depois que é feita a conversão.

O novo equipamento despertou o interesse

da Abpo (Associação Brasileira do

Papelão Ondulado) que solicitou à Mecaténica

as características como precisão,

rent companies presenting new technologies

for this part of the market. Many

companies take advantage of the Fair to

launch new technologies, as we’re doing.

We have an opportunity to offer products

and services to our customers,” he says.

PAPER MEASUREMENT

After several media reports shook

the sanitary paper market in the case of

incompatibility between measurements

advertised versus what was actually contained

in the rolls, some companies decided

to invest in measurement accuracy

for their products. Eduardo Luiz Denelle,

Production Manager for Mecatécnica Indústria

de Aparelhos de Medição, presented

a digital meter counter during Tissue

World.

After receiving a request from Kimberly

Clark Brasil, the Company developed

equipment that rerolls the paper while at

the same time accurately measures the

length of each roll. For sanitary paper or

paper towels, it provides a precise measurement

for each roll, after conversion

has been carried out. The new equipment

aroused the interest of Abpo (Brazilian

Association of Corrugated Cardboard)

and requested Mecaténica as to the ac-

50


esolução e dimensões do equipamento

para também normalizá-lo para a indústria

de papelão. “O objetivo é minimizar

a interferência manual do operador nesse

trabalho. A leitura digital é automática

e ela dá, inclusive, a média de desvio e

todas as estatísticas de controle do papel.

Evita prejuízos para quem vende e para

quem compra”, salienta Eduardo.

FOCO NO TISSUE

O diretor de vendas da BTG, Joseph

Haidle, conta que anos atrás, em evento

da Abtcp (Associação Brasileira Técnica

de Celulose e Papel), houve um fórum

sobre papel tissue. “Durante as apresentações

ficamos motivados com aquilo. Mas

curacy, resolution and dimensions of the

equipment to use it to also normalize the

corrugated cardboard industry. “The goal

is to minimize manual interference by the

operator in this job. The digital readout is

automatic and it even gives the average

deviations and all the paper control statistics.

It avoids losses for those who sell

and those who buy,” the Production Manager

notes.

FOCUS ON TISSUE

Joseph Haidle, Director of Sales for

BTG, says that years ago, in an Abtcp

event (Brazilian Technical Association for

Pulp and Paper), there was a forum on tissue

paper. “During the presentations, we


F E I R A

a Tissue World é um nível diferente. Aqui

os fabricantes de tissue são o foco, tem

informações específicas sobre o mercado.

Vendo as apresentações percebemos que

o evento está 100 % destinado ao tissue.

Por muitos anos participamos da Tissue

World na Europa, América do Norte

e Ásia. Penso que é uma evolução natural

ela chegar à América do Sul, que é um

dos melhores e mais importantes mercados

em crescimento do mundo.”

Marcelo Boarin é gerente comercial da

Brunnschweiler Latina, empresa que atende

indústrias de papel no Brasil e no exterior.

Boarin conta que também já havia

participado de outras edições da feira ao

redor do mundo. “Já conhecíamos a Tissue

World de outras edições, como Itália

e EUA, e achamos o modelo muito interessante.”

Outra vantagem, segundo ele,

é alcançar diversos clientes no mesmo local.

“A relação custo/benefício é boa, visto

que ela traz bastante retorno. Atende

nosso público-alvo de uma maneira mais

eficaz. Isso é um diferencial que a gente

percebe em feiras segmentadas desse porte”,

conclui.

became inspired. But Tissue World is at a

different level. Tissue makers here are the

focus; there is specific information about

the market. We attend the presentations

and realize that the event is 100% for the

tissue market.”

“For many years, we participated in

Tissue World in Europe, North America

and Asia. I think it’s a natural evolution

that it comes to South America, which is

one of the best and most important growth

markets in the world.”

Marcelo Boarin is Manager of Sales

for Brunnschweiler Latina, a company

serving companies in Brazil and abroad.

Boarin says that the Company has also

participated in other editions of the Fair

around the world. “We already knew Tissue

World in other editions, like Italy and

the United States, and found the model

very interesting.” Another advantage, he

said, is being able to reach several customers

at the same site. “The cost/benefit

ratio is good, as it a good return on the

investment. It meets our target audience

in a very effective way. This is a difference

that we see in segmented fairs of this

size,” he concludes.

“O OBJETIVO É MINIMIZAR A

INTERFERÊNCIA MANUAL DO OPERADOR

NESSE TRABALHO. A LEITURA DIGITAL

É AUTOMÁTICA E ELA DÁ INCLUSIVE

A MÉDIA DE DESVIO E TODAS AS

ESTATÍSTICAS DE CONTROLE DO PAPEL”

EDUARDO DENELLE,

GERENTE DA MECATÉCNICA,

SOBRE A MÁQUINA CONTA METRO DIGITAL

52


“VENDO AS APRESENTAÇÕES

PERCEBEMOS QUE O EVENTO ESTÁ

100 % DESTINADO AO TISSUE.

POR MUITOS ANOS PARTICIPAMOS

DA TISSUE WORLD NA EUROPA,

AMÉRICA DO NORTE E ÁSIA. PENSO

QUE É UMA EVOLUÇÃO NATURAL ELA

CHEGAR À AMÉRICA DO SUL”

MARCELO BOARIN,

GERENTE COMERCIAL DA

BRUNNSCHWEILER LATINA

PRÓXIMAS EDIÇÕES DA TISSUE WORLD

JACARTA, INDONÉSIA – 28 E 29 DE OUTUBRO DE 2015

NEW ORLEANS, EUA – 14 A 17 DE MARÇO DE 2016

ISTAMBUL, TURQUIA – 27 A 29 DE SETEMBRO DE 2016

XANGAI, CHINA – 13 A 15 DE NOVEMBRO DE 2016

MILÃO, ITÁLIA – 28 A 30 DE MARÇO DE 2017

SÃO PAULO, BRASIL – 7 A 9 DE JUNHO DE 2017


F E I R A

CONFIRA QUEM CIRCULOU PELOS CORREDORES DA

TISSUE WORLD SÃO PAULO

1) À esquerda Carol Dib e Waheed Al Qannas com representantes da

Suzano Papel e Celulose; 2) Estande da Kapp-Chamie; 3) Representantes da

SKF; 4) Harry Talans, da Talamac Máquinas Industriais, Niklas Tunell e Johan

Göth, da Cellwood Machinery; 5) Equipe reunida da Lutepel Indústria e

Comércio de Papel; 6) Estande da Mecatécnica Indústria de Aparelhos de

Medição; 7) Romar Petry e Marcus Roesler, do Grupo LRB; 8) Equipe da

Solenis; 9) Paulo Souza, Flavio Marin, Carlos Berardinelli Jr e Vilson Foligati

no estande da Svecom; 10) Walter Zhang, da Imako Automatic Solutions.

1

2

3 4

54


5 6

7

8

9

10

55


E N T R E V I S T A

O futuro da

celulose

Foto: divulgação

Pulp’s future

Jorge Luiz Colodette

Professor e Pesquisador do Laboratório de Celulose e Papel da

UFV (Universidade Federal de Viçosa)

Professor and Scientist at the Pulp and Paper Laboratory, UFV (Federal University of Viçosa)

56


O melhor programa de

pós-graduação em

celulose e papel do mundo

está na Finlândia, na

Universidade Aalto. O Instituto

Real de Tecnologia, na

Suécia, também é muito

bom

57


E N T R E V I S T A

A China é a maior

produtora de papel do mundo,

passando de 100 milhões

de toneladas por ano, algo

gigantesco. Tem um consumo

que cresce muito e também

exporta muito

58


A nanocelulose é um

polímero extraído da fibra

com qual é feita o papel. Esses

fragmentos cristalinos são

mais resistentes que aço

59


60

E N T R E V I S T A


REVISTA

www.revistabiomais.com.br

A Revista Biomais estreia no mercado

brasileiro com a missão de trazer as

informações mais importantes, relevantes e

atuais sobre biomassa para geração de

energia e fontes renováveis

Atualize suas informações

assinando a REVISTA BIOMAIS!

Central de atendimento

0800 600 2038

pagamentos nos cartões em até 3x sem juros


C A L E N D Á R I O

AGOSTO

CURSO BÁSICO DE FABRICAÇÃO DE

PAPEL TISSUE

Período: 26 e 27

Local: São Paulo (SP)

Informações: www.abtco2015.org.br

SETEMBRO

PAPER ARABIA 2015

Período: 14 a 16

Local: Dubai (Emirados Árabes)

Informações: www.paperarabia.com

OUTUBRO

XLVIII ABTCP 2015 - CONGRESSO E

EXPOSIÇÃO INTERNACIONAL DE

CELULOSE E PAPEL

Período: 6 a 8

Local: São Paulo (SP)

Informações: www.abtcp2015.org.br

MIAC 2015

Período: 14 a 16

Local: Lucca (Itália)

Informações: www.miac.info

NOVEMBRO

XII INTERNATIONAL EXHIBITON &

CONFERENCE ON PULP, PAPEL AND

ALLIED INDUSTRIES

Período: 1 a 4

Local: Nova Deli (Índia)

Informações: india.paperex-expo.com

EUROPEAN PAPER WEEK

Período: 17 a 19

Local: Bruxelas (Bélgica)

Informações: www.cepi.org/EPW

EXPOCORMA 2015

Período: 18 a 20

Local: Concepción (Chile)

Informações: www.expocorma.cl

WOODEX

Período: 24 a 27

Local: Moscou (Rússia)

Informações: www.woodexpo.ru/en-GB

MARÇO DE 2016

TISSUE WORLD NEW ORLEANS

Período: 15 a 17

Local: New Orleans (EUA)

Informações: www.tissueworld.com

Acesse:

www.portalreferencia.com.br


COMUNICAÇÃO

REVISTAS

VÍDEO

WEBSITES

MARKETING

TV

PRODUÇÕES

INTERNET

EVENTOS

PUBLICIDADE

www.jotacom.com.br

contato@jotacom.com.br

+55 (41) 3333-1023


Apostando em alta tecnologia

DEWATER I NG

DEWATER I NG

iTABLE TM

A IBS TM

iTable

permite o controle automático total de drenagem e atividade

da massa durante todo o processo de formação do papel. Ao pressionar

um botão, alturas de régua, ângulos e vácuo podem ser ajustados para

otimização dos valores pré-estabelecidos pelos especialistas da IBS.

Mudanças de gramatura se tornam muito mais fáceis. Seus benefícios:

Mesmas propriedades com menores custos

ou

Propriedades melhoradas com mesmos custos

Sistemas de Desaguamento

Sistema automático de

controle vácuo

Tensionadores & Guias

Raspadores & Chuveiros

Produtos Especiais

Produtos de Consumo

Serviços Tecnológicos

Isto será alcançado com:

Velocidade da Máquina aumentada

Capacidade de desaguamento aumentada

Peso Base reduzido

Propriedades do papel melhoradas

Formação melhorada

Uso de químicos reduzido

Americana

Campinas

São Paulo

Rua do Metalurgico, 140 Salão 3

Jardim Industrial Werner Plaas, Americana - SP

(19) 3478 7507

www.ibs-ppg.com

More magazines by this user
Similar magazines