Views
7 months ago

Anatomia_Topogrfica__MMSS_resumo

exercicios

Ana Karoline Bittencourt

Ana Karoline Bittencourt Alves MED 12.2 ANATOMIA DO MEMBRO SUPERIOR – Carla Gabrielli calibre, chega à axila como veia axilar (continuação da veia basílica - respeitando o sentido do fluxo sanguíneo). Na altura do cotovelo há comunicações entre as veias cefálica e a basílica com inúmeras variações anatômicas. Há ainda diversas comunicações entre as veias superficiais e profundas, são as veias perfurantes. A veia toracoepigástrica é tributária da veia axilar e drena a porção superficial da parede tóraco abdominal e vai desembocar na veia axilar. MEMBRO SUPERIOR II Axila: delimitação e conteúdo Conceitualmente observamos a parede torácica, com as costelas e os músculos intercostais, e o úmero (o osso do braço), a axila é conceitualmente um espaço de um formato piramidal, na junção do braço com o tórax. E é exatamente nesse espaço que encontramos os vasos, artérias, veias, linfáticos, além de nervos tanto motores quanto cutâneos (inervam a pele), destinados ao membro superior. A axila (com visualização de uma pirâmide de base quadrada) vai ter: uma BASE voltada para baixo, um ápice, voltado pro pescoço e 4 paredes (anterior, posterior, medial e lateral) Elementos anatômicos formadores das paredes, ápice e base fazem a delimitação da axila: • A base da axila, voltada para baixo, é constituída pela pele e pela fáscia da axila, subjacente à essa pele durante e após a puberdade será recoberta pelos pêlos axilares. Quanto o individuo eleva o braço, anteriormente ao corpo ou lateralmente, a pele da axila não é completamente plana, retilínea, ela fica côncava por ser tracionada por algum elemento. Isso acontece devido à presença de uma fáscia e de um ligamento: fáscia CLAVIPEITORAL (clavi de clavicula, e peitoral de músculo peitoral menor), se estende da clavícula até o peitoral menor é profunda ao peitoral maior) e da continuidade dessa fáscia que se fixa à pele da axila, essa continuação lateral da fáscia é o que chamamos de LIGAMENTO SUSPENSOR DA AXILA. Inferiormente à clavícula, entre ela e a primeira costela tem o músculo subclávio e um pouco mais inferolateralmente teremos o músculo peitoral MENOR, essa fáscia clavipeitoral começa com duas lâminas, uma à frente e a outra atrás da clavícula, elas se unem em baixo do músculo subclávio e depois elas se dividem passando também uma por trás e outra pela frente do músculo peitoral menor, passando do músculo peitoral menor elas se unem e se abrem como um 'leque1' em direção à pele. Da clavícula ao peitoral menor é a fáscia clavipeitoral, e a continuação, prolongamento é o ligamento suspensor da axila: • Ápice da axila: o ápice está voltado para o pescoço, vai ser a raiz do mesmo - parte do pescoço que se une ao tronco, é um ponto imaginário situado medialmente à raiz do processo coracóide (para onde convergem as 4 paredes), relacionadas a esse apice fica um espaço entre clavícula, primeira costela e escápula, esse espaço da passagem aos vasos e nervos destinados ao membro superior, e vai receber o nome de Entrada da axila • Parede anterior: é formada por um osso e por 3 músculos, o osso que faz parte dessa parede é a clavícula e os músculos são o músculo peitoral maior, o músculo peitoral menor e o músculo subclávio Quando fazemos a abdução do ombro ou do braço conseguimos palpar uma prega com um músculo na profundidade, essa prega axilar anterior é formada pela margem inferior ou lateral do músculo peitoral MAIOR

Ana Karoline Bittencourt Alves MED 12.2 ANATOMIA DO MEMBRO SUPERIOR – Carla Gabrielli Variação muscular na parede anterior do tórax: músculo esternal (acontece raramente de 2 a 8%), superficialmente ao músculo peitoral maior, em situação paraesternal uni ou bilateralmente. • A parede posterior é formada por um osso e por mais 3 músculos: a escápula, além do tendão do latíssimo do dorso, superiormente à ele e com inserção próxima o redondo maior além do músculo subescapular que é inervado pelo nervo subescapular. O tendão do músculo latíssimo do dorso mais o músculo redondo maior formam a Prega Axilar Posterior • Parede medial: voltada para o tórax, é formada pelas 4 ou 5 costelas superiores (pode variar de acordo com o músculo peitoral maior), os músculos intercostais e mais o músculo serrátil anterior, inervado pelo torácico longo, colateral supraclavicular vindo de c5, c6 e c7. • Parede lateral: formado pelo sulco intertubercular do úmero, que aloja o tendão da cabeça longa do bíceps (origem no tubérculo supragleinodal superior), tem um ligamento de reforço ainda para que esse tendão não saia do sulco, o ligamento transverso do úmero. Conteúdo da axila: vasos, nervos, linfonodos • Plexo braquial: parte infraclavicular • Vasos axilares: artérias, veias e linfáticos, a artéria principal é a artéria axilar (além dos seus ramos); a veia axilar e suas tributárias ou afluentes e mais os vasos linfáticos, que vão ter o mesmo trajeto da artéria e da veia axilar • Linfonodos axilares (filtros) • Tecido adiposo de preenchimento (e proteção) PLEXO BRAQUIAL: • Como é composta apenas pela parte inferior, inicia pelos Fascículos lateral, posterior e medial • Ramos terminais: nervo musculocutâneo e raiz lateral do nervo mediano, nervo axilar e radial, raiz medial do nervo mediano e nervo ulnar • Ramos colaterais: nervo peitoral lateral, nervo subescapular e toracodorsal, nervo peitoral medial e nervos cutâneos medial do braço e do antebraço VASOS AXILARES • Artéria axilar e seus ramos o Ela é continuação da artéria subclávia, continuação direta, o limite entre elas é a margem lateral da primeira costela o Essa artéria axilar percorre toda a axila e termina quando cruza a margem inferior do músculo redondo maior. o A artéria axilar é dividida em 3 partes: o elemento de referencia é o músculo peitoral menor, a parte encoberta pelo músculo peitoral menor é a segunda parte da artéria axilar. o A primeira parte da artéria axilar fica medialmente ao músculo peitoral menor, a segunda parte fica posteriormente ao músculo peitoral menor e a terceira parte se encontra lateralmente ao mesmo. o Ramos (primeira parte tem 1, a segunda tem 2 e a terceira tem 3): • 1 - artéria torácica superior que irriga os dois primeiros espaços intercostais • 2 - • Artéria tóracoacromial, que vai rapidamente se dividir em 4 ramos: • Ramo peitoral: vai irrigar o músculo peitoral maior • Ramo clavicular: vai irrigar a clavícula • Ramo acromial: irriga o acrômio

Exercicio - Universidade de Coimbra
Exercícios de Sistemas Numéricos
Biometria - Exercícios 2 - Probabilidade
Exercícios Exercícios Juros e Porcentagens Juros e Porcentagens
Síncope Relacionada ao Exercício: Qual a Importância ... - DERCAD
Instrumentos para a fiscalização do exercício profissional ... - CFESS
Diretriz em CarDiologia Do esporte e Do exerCíCio Da soCieDaDe ...
Exercícios de concordância - Sagrado - Rede de Educação
caderno de exercicios manual de direito adm.
Aula 02 - Exercícios - Prof. Allbert
Como prescrever o exercício no tratamento do Diabetes ... - Uniube
Formação e exercício profissional do Nutricionista no Programa ...
servidor efetivo estar em efetivo exercício – mesmo aqueles em ...
Biometria - Exercícios 2 - Probabilidade - Resolução
Regime de exercício da actividade industrial - Adegas
gru apresentação- encerramento do exercício - Ministério da Fazenda
Exercicios espirituaes, e meditações da via purgativa : sobre a ...
EXERCÍCIOS COM SUAS RESPOSTAS - Editora Pollux
Máis exercicios - Xunta de Galicia
Biometria - Exercícios 5 - Teste t para dados emparelhados
2. Tipos de exercício e protocolos - Leonel Bernardino
Termologia - Teoria e Exercícios - Projeto Rumo ao ITA
Trigonometria - Teoria e Exercícios - Projeto Rumo ao ITA
Biometria - Exercícios 1g - Criação de gráficos
Regulamentação do Exercício Profissional no Sistema CONFEA ...
Exercícios de Concordância - Sagrado - Rede de Educação
Ritmos Biológicos e Exercício Físico - FEA