29HORAS - Agosto 2020

online.magazines

CAMPINAS

Claudia

Raia

Múltipla, a atriz produz

seus espetáculos e inspira

mulheres de todas as idades

AGOSTO/2020 distribuição gratuita em viracopos


Quem aluga um carro

para viajar só não

economiza na segurança.

A

DIÁRIA + PROTEÇÃO

A PARTIR

R$

DE

119

*

,90

Carros 100%

higienizados

e lacrados.

Baixe o app

e alugue

MOVIDA.COM.BR

0800 606 8686

Imagens meramente ilustrativas. *Preço referente ao grupo FX. O valor pode sofrer alteração de acordo com a ocupação de cada loja.


é pra ser

com saúde


4 AGOSTO 2020 Sumário

#127/01

AGOSTO 2020

WWW.29HORAS.COM.BR

FOTO TATO BELLINE

@29horas

@29horas

PUBLISHER Pedro Barbastefano Júnior

CONSELHO EDITORIAL Chantal Brissac, Clóvis

Cordeiro, Didú Russo, Georges Henri Foz, Kike

Martins da Costa, Luiz Toledo, Paula Calçade e

Pedro Barbastefano Júnior

REDAÇÃO Paula Calçade (editora de redação);

Kike Martins da Costa (editor contribuinte);

Rose Oseki (editora de arte)

COLABORADORES Adonis Alonso, André

Hellmeister, Chantal Brissac, Chiara Gadaleta,

Claudio Franchini, Didú Russo, Georges Henri

Foz, Juliana Simões, Luiz Toledo, Patricia

Palumbo, Pro Coletivo, Raphael Calles

PUBLICIDADE

COMERCIAL

comercial@29horas.com.br

EQUIPE: Rafael Bove (rafael.bove@29horas.com.

br), Angela Saito (angela.saito@29horas.com.br)

22

Capa

A versátil Claudia

Raia, no seu auge,

fala sobre seus

projetos e planos

para este semestre

e para 2021

GERENTE REGIONAL Giovanna Barbastefano

(giovanna.barbastefano@29horas.com.br)

RIO DE JANEIRO – Rogerio Ponce de Leon

(rogerio.leon@viccomunicacao.com.br)

ASSISTÊNCIA COMERCIAL Hanna Mercaldi

(hanna.mercaldi@29horas.com.br)

JORNALISTA RESPONSÁVEL

Paula Calçade

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA E EXCLUSIVA

NAS SALAS DE EMBARQUE E DESEMBARQUE

DO AEROPORTO DE VIRACOPOS.

29HORAS é uma publicação da MPC11

Publicidade Ltda.

A revista 29HORAS respeita a liberdade

de expressão. As matérias, reportagens

e artigos são de responsabilidade exclusiva

de seus signatários.

Av. Nove de Julho, 5966 - cj. 11 — Jd. Paulista,

São Paulo — CEP: 01406-200 TEL.: 11.3086.0088

FAX: 11.3086.0676

MISTO

A TIRAGEM E DISTRIBUIÇÃO DESTA

EDIÇÃO SÃO AUDITADAS PELA BDO.

Foto da capa: Tato Belline

05

COLUNAS

06

12

14

16

17

18

19

20

39

50

CARTA AO LEITOR

A 29HORAS está em Campinas!

INSTANTE FOTOGRÁFICO

Programa IMS Convida

MARKETING E MARCAS

Vendas online crescem

MOBILIDADE

Novos apps no pós-pandemia

HORAS DE VOO Mudanças

no ranking das cias. aéreas

BOM DE COPO Os melhores

vinhos nacionais

BON VIVANT Dicas de boas

escapadas no litoral paulista

RÁDIO VOZES Lançamentos

da MPB durante a quarentena

SUSTENTABILIDADE Por um

consumo mais consciente

AGORA É AGRO Onde o

agronegócio mitiga a crise

HORA LIVRE Viver no

presente

41

O melhor de

São Paulo

Dicas para todas as

horas na cidade

07

Hora H

Musas, negócios,

cultura e

bem-estar

29

Hora Campinas

Dicas descoladas e as

novidades da região

FOTO DIVULGAÇÃO FOTO DIVULGAÇÃO FOTO JOÃO WAINER


CARTA AO LEITOR

5

FOTO DIVULGAÇÃO

Caríssimo passageiro,

A Revista 29HORAS chega ao aeroporto de Viracopos.

Consolidamos em Campinas um projeto vitorioso.

Há dez anos presente nos principais aeroportos

executivos do Brasil, a nossa publicação vem recheada

de dicas descoladas e conteúdo relevante.

Sonho idealizado, sonho realizado. Com muito

orgulho e cheios de esperanças, pousamos em

Viracopos em um momento em que o mundo

está vivenciando grandes transformações.

Desenvolvemos um projeto único para passageiros únicos.

Na contramão do mercado, criamos uma fórmula mágica.

Conteúdo de altíssima qualidade, produzido por jornalistas

e colaboradores “descolados” que buscam transmitir

informações relevantes, serviços diferenciados e adequados

ao perfil “descolado” dos passageiros deste aeroporto,

distribuído também em totens digitais inovadores.

A partir de agosto, disponibilizamos as melhores dicas

de Campinas e região nas áreas restritas do aeroporto.

Criamos uma verdadeira integração entre marcas,

passageiros e serviços. Viracopos, há tempos líder

em transporte de cargas aéreas da América Latina,

foi modernizado e ampliado. E, hoje, está preparado

para ser o principal hub de passageiros do Brasil.

Estruturado para receber mais de 80 milhões de

pessoas por ano, o aeroporto de Campinas nos recebe

de braços abertos para perpetuarmos um projeto

digno da grandeza e importância da região.

Sorte a todos nós.

Pedro Barbastefano

Publisher


6 INSTANTE FOTOGRÁFICO

KARIM AÏNOUZ e GRACE PASSÔ

CURADORIA IMS

Lançado em abril, o Programa Convida é um projeto de apoio à produção artística no contexto da pandemia

da Covid-19. A plataforma (ims.com.br/convida/) é atualizada diariamente, conforme a chegada dos

trabalhos. Entre os destaques, está o curta-metragem “Missão Perséfone”, do diretor cearense Karim Aïnouz.

O filme se passa em 3020, cem anos após a vida animal ter sido extinta na planeta Terra, em 2020. Com um

viés distópico, tece uma forte crítica à devastação do meio ambiente. Outra novidade é o curta “República”,

da atriz, diretora e dramaturga mineira Grace Passô. Misturando ficção e realidade, a produção aponta a

dimensão surreal do atual momento do Brasil.

FOTO DIVULGAÇÃO

FOTO BOB WOLFENSON

Diretores Karim

Aïnouz e Grace Passô

no IMS Convida

F IMS ims.com.br/convida/


Marcas na pandemia; tecnologia no

mundo fitness, mercado de luxo e as

tendências digitais nos negócios

horaH

MUSAS | MOBILIDADE | BEM-ESTAR | CULTURA

TEATRO

Oficina pede apoio

durante o período

da quarentena

pág.15

FOTO JENNIFER GLASS

LANÇAMENTO

Bebel Gilberto volta ao

Brasil com "Agora" pág.08

NOVAS PRIORIDADES

As tendências do luxo

pós-pandemia pág.10

CESTA VIRTUAL

Brasileiros intensificam

compras online pág.12

HIGH TECH

Inovações tecnológicas no

mundo fitness pág.13


8 HORA H


9

MUSAS

Chega de

saudade

Bebel Gilberto está de volta ao Rio de Janeiro e

divulga novo trabalho após hiato de seis anos

POR PAULA CALÇADE

FOTO JOÃO WAINER

BEBEL GILBERTO lança neste mês um novo

álbum imerso em tristeza contida,

amores pelo mundo e no bom humor,

diluídos pela atmosfera dos arranjos

eletrônicos do pianista norte-americano

Thomas Bartlett. “Agora” é o primeiro

disco da filha dos ícones da música

brasileira João Gilberto e Miúcha depois

da morte dos pais, em 2018, e marca o

retorno da cantora ao Brasil.

Após morar 20 anos em Nova York,

Bebel agradece ao destino por trazê-la

de volta ao Rio Janeiro neste momento.

“Cheguei em março para ficar somente

um mês, depois de uma turnê no Japão,

e logo depois veio a pandemia, então

ainda não consegui ver a cidade direito,

estar com amigos... Mas apesar de

estarmos vivendo um período muito

difícil, para mim é confortante estar

aqui, perto da família, no mesmo fuso

horário que eles, divulgando meu disco

em português”.

Escrever música é uma terapia e

é o que a cantora segue fazendo para

se manter firme. “Momentos de crise

impactam na criação artística. O setor

está lutando para se reinventar”, define.

A carioca já lançou um novo clipe,

espera ansiosamente o momento de

apresentar suas canções ao vivo para

o público e faz parcerias à distância em

novos singles, como com Mart’nália.

“Foi um processo simples. Mart’nália é

muito musical e se lembrava da melodia

que eu tinha cantado para ela em uma

noite em que nos encontramos em Nova

York. Tempos depois, a procurei para

escrevermos juntas a letra, que acabou

sendo finalizada por WhatsApp”. O

resultado foi uma música divertida,

“Na Cara”, que já está disponível nas

plataformas de streaming.

“Agora” traz ainda a bagagem cultural

de Bebel pelo mundo. A faixa “Bolero”,

em espanhol, é dedicada a um amor

vivido em Madrid, e revela as experiências

da cantora. “Falo espanhol desde

criança, pois morei no México com os

meus pais por um tempo e sempre tive

vontade de cantar nessa língua. Acho

muito sexy! Minhas vivências estão

sempre presentes nas composições e o

álbum traz pedacinhos da minha vida

em diversas canções”, conta. Ouvir as

novas músicas de Bebel é uma forma

de reviver experiências, como em um

sonho ou descanso, e aliviar as tensões.


10 HORA H

LUXO

O consumo na

pós-pandemia

Novo luxo destaca preocupação social, protocolos de

higiene, inovações e preferência por lojas de rua

POR RAPHAEL CALLES

UMA PESQUISA realizada pelo Hibou

Monitoramento de Mercado e Consumo

com clientes de alto padrão e apresentada

em parceria com a agência de Relações

Públicas Suporte Comunicação revelou

mudanças no comportamento de compras

deste público na pós-pandemia. O levantamento

mostra que 61% dos entrevistados

pensam em reduzir as aquisições de roupas

e acessórios e 49% aprendeu que precisa

ponderar sobre a necessidade do bem a

ser adquirido. Com isso, 34% dos consumidores

de luxo já compram menos por

impulso e, desse montante, mais de 80%

pretende manter esse comportamento.

No entanto, as grifes podem driblar

certas resistências com iniciativas simples.

Antes do período de isolamento, apenas 4%

dos entrevistados tinha o hábito de levar

a loja para dentro de casa, com pequenos

encontros – e é uma tendência que deve ser

explorada no futuro. Pouco mais de 50%

dos entrevistados gostariam de realizar

um encontro entre amigos para fazer

compras com suas marcas favoritas. Mas

é importante também deixar claro todos

os protocolos de higiene dos espaços e

produtos, já que isso se mostrou relevante

para 91% dos entrevistados. Já as iniciativas

de responsabilidade social durante

e após a pandemia são relevantes para a

escolha de que marca consumir para 74%.

Para os próximos meses, lojas de rua

devem ganhar maior relevância, pois

fornecem uma menor circulação de pessoas

e podem oferecer espaços privativos para

pequenas ativações.

FOTOS DIVULGAÇÃO

Driblando os danos do

álcool em gel

A marca francesa La Roche-Posay acaba de

lançar o hidratante intensivo LipikarBaume

AP+M. O produto promete auxiliar na

preservação de uma microbiota saudável

da pele por meio dos agentes AquaPosa e

Filiformise Microresyl. O uso do álcool em

gel danifica a pele, já que o produto elimina

micro-organismos patógenos e também

os fungos e bactérias responsáveis pela

proteção da pele. Entre os ativos, manteiga

de karité, que restaura o filme hidrolipídico,

e água termal, responsável por acalmar a

pele. A partir de R$ 80. LAROCHE-POSAY.COM.BR

Tecido

protetor

A marca de moda praia

Feline apresenta uma linha

de bodys produzida

com ação antiviral. O

agente AmniVirus-Bac

Off, presente na matriz

polimérica do fio de

poliamida, impede

o contato de vírus e

bactérias com a pele,

incluindo o novo coronavírus,

causador da

Covid-19. As propriedades

repelentes são

permanentes e não se

perdem com a lavagem

do tecido. A linha é

composta por uma

peça de manga longa,

uma regata e uma máscara

feita no mesmo

tecido. SOUFELINE.COM


HORA H - BRANDED CONTENT BY 29H

11

FOTO GETTY IMAGES

NEGÓCIOS

Relevância digital

Consulting House promove relacionamentos exclusivos à distância

e aproxima líderes na retomada

CONECTAR PESSOAS sempre foi o valor e

o objetivo da Consulting House, que

organiza encontros para fomentar relações

duradouras entre empresários brasileiros

há mais de 20 anos. Com a pandemia do

novo coronavírus, os debates e as trocas

de experiência se mostram mais uma

vez urgentes, o que fez o grupo ampliar

a atuação digital em diversas frentes.

“Relacionamento baseado em conteúdo

de qualidade norteia as nossas ações

mais importantes do momento”, destaca

Fernando Nogueira, Chairmain da Consulting

House. O Debate Online traz um

palestrante de relevância nacional ou

internacional para uma plateia fechada

de até 100 pessoas. Em abril, o presidente

do Hospital Albert Einstein, dr. Sidney

Klajner, mostrou a importância da cultura

do cuidado e da gestão da prevenção fora

do ambiente hospitalar. Já o Interchange

Online mantém a experiência de proximidade

dos almoços e cafés da manhã

entre CEOs, em uma sala virtual com até

20 pessoas, em que todos podem interagir

em uma hora e meia de conversa.

O Carreira em Debate é um espaço

virtual para executivos em transição

de carreira trocarem insights e tendências

para essa fase da vida. E, diante de

tantos debates e tomadas de decisão que

o período exige, o Tasting Online é uma

vivência de relacionamento descontraída

dentro de casa. “O momento também

pede descompressão e são nessas ocasiões

que medidas propositivas podem ser

compartilhadas para a retomada nas

empresas”, explica Fernando Nogueira.

A Consulting House promove uma degustação

durante a noite, entregue na casa

de líderes em parceria com marcas que

conversam com a estética e a ambientação

da proposta, como a vinícola Concha y

Toro, os embutidos Ceratti e os produtos

Vigor. Depois de uma conversa online

com sommeliers e chefs, os empresários

podem continuar a troca entre si à distância,

discutindo projeções e analisando

as melhores práticas de liderança para o

momento no Brasil.

Essas iniciativas no ambiente digital

e os encontros presenciais fazem parte

do Consulting Club, uma associação para

executivos em busca de bons negócios.


12 COLUNA

adonis@blogdoadonis.com.br

Marketing e marcas

POR

Adonis

Alonso

FOTO DIVULGAÇÃO

Explosão virtual

Na contramão da crise do varejo físico,

o setor de e-commerce cresceu

pelo menos 40% no país durante a

pandemia do coronavírus

Como alternativa ao isolamento social, o comércio eletrônico

ganhou cerca de 5 milhões de novos clientes desde o início da

quarentena. A Associação Brasileira de Comércio Eletrônico

(ABComm) registrou o lançamento de quase 90 mil novas lojas

online a partir de março.

Somente no primeiro mês da crise, o número de consumidores

com pelo menos uma compra virtual foi de um milhão. A

tendência que fortaleceu as grandes plataformas de comércio

online por outro lado abriu também novos caminhos para o

setor varejista e, mais do que isso, criou uma alternativa para

pequenos empreendedores.

O grande varejo especializado em e-commerce abriu os

braços para lojistas sem infraestrutura e capital para frete. Com

suas lojas fechadas, o Magazine Luiza acelerou o projeto

Parceiro Magalu, agregando em sua plataforma pequenos

negócios em troca de uma comissão por venda.

O programa superou as expectativas do grupo de Luiza

Helena Trajano. Lançado em 31 de março, em três meses

ultrapassou 40 mil cadastros. Comércio regional e pequenas

lojas de bairro romperam fronteiras e, por meio dessa parceria,

expandiram sua área de atuação para todo o território nacional

utilizando o serviço de frete do Magalu. De São Paulo, maior

mercado consumidor do Brasil, até Epitaciolândia, no Acre,

pequenos comércios ganharam um vendedor poderoso,

funcionando 24 horas por dia, sete dias por semana.

Já o Mercado Livre, maior empresa de e-commerce do país,

vem nadando de braçada desde o início da pandemia. Seu

balanço do primeiro trimestre do ano é recheado de boas

notícias. Cresceu 70,5% em faturamento, atingindo um valor

líquido de US$ 652 milhões. No total, o volume de vendas foi de

US$ 3,4 bilhões, o que representou um crescimento de 34,2%.

Na avaliação da empresa, atuando em uma das áreas menos

afetadas pela pandemia da Covid-19, apesar do impacto inicial

Lu, a assistente virtual do marketplace Magalu

e da incerteza financeira de seus clientes, a recuperação

começou já em abril.

O levantamento do Mercado Livre na América Latina revela

que o marketplace sofreu baixa significativa durante a semana

de 18 a 24 de março. No mês seguinte, porém, houve uma forte

recuperação, com taxas de crescimento aceleradas em itens

vendidos em volume transacionado, da ordem de quase 75%.

E embora o comportamento do comprador tenha se

modificado, com redução de compra de itens não essenciais,

cresceram as categorias de saúde, produtos cotidianos e

brinquedos.

Outras grandes marcas também se movimentaram pelo

mundo digital, como a Samsung, que criou a página “Conecte-

-se à sua casa”, com uma série de ações promocionais direcionadas

ao e-commerce de redes varejistas parceiras.

A ViaVarejo, dona das Casas Bahia, do Extra.com e do Ponto

Frio, colocou cerca de 20 mil vendedores, impedidos de ir às

lojas, para vender via WhatsApp.

A situação atípica mudou completamente qualquer previsão

que se fazia para o comércio eletrônico brasileiro, e a primeira

experiência de compra online deve fazer com que isso se torne

um hábito duradouro para as pessoas.

ADONIS ALONSO é jornalista, colunista e coordenador de Conteúdo do Fórum de Marketing Empresarial do LIDE.


13

FOTO DIVULGAÇÃO

BEM-ESTAR

Academia do

novo mundo

Rodrigo Sangion, CEO da Les Cinq Gym,

detalha inovações para segurança

sanitária durante os treinos

POR PAULA CALÇADE

A PANDEMIA DO NOVO CORONAVÍRUS fez a

equipe da academia paulistana Les Cinq Gym,

nos Jardins, se debruçar no estudo de medidas

de segurança, já pensando em um retorno,

que acontece neste mês. Foram feitos testes

e consultas a empresas de desinfecção de

ambientes fechados. O resultado vai além do

que é proposto pelas autoridades sanitárias. A

academia será a primeira no país a aplicar uma

tecnologia completa de reconhecimento facial

termográfico, que checa a temperatura e o uso

de máscara. O CEO da Les Cinq Gym, Rodrigo

Sangion, detalha à 29HORAS a reabertura.

29HORAS - As regras estaduais para a reabertura

das academias já foram estabelecidas.

Para além do uso de máscara e da higienização

constante, quais outras medidas a Les Cinq

Gym lança para a maior segurança dos clientes?

Rodrigo Sangion – A Les Cinq Gym está

inovando em medidas de segurança, sendo

a primeira academia do Brasil a investir em

algumas tecnologias que vão nos ajudar no

funcionamento seguro. É o caso do reconhecimento

facial termográfico, que é um sistema

completo de câmera, que dá acesso às áreas

de treino. Ele identifica rapidamente o rosto

do aluno, checa se a pessoa está de máscara

e mede a temperatura corporal, sem que seja

preciso tocar qualquer superfície. O acesso

não será permitido caso o aluno esteja sem

máscara e a temperatura dele seja superior a

37,4ºC, um indicativo de febre. Temos ainda

o tapete químico para higienizar a sola dos

calçados na entrada, que combate bactérias e

vírus, e foi aprovado pela Anvisa. Já as lâmpadas

germicidas lançarão radiação ultravioleta tipo

C, para neutralizar a ação do vírus em todo o

ambiente.

29HORAS - Qual é a expectativa de funcionamento

nesse cenário? Como acha que os

clientes receberão essas adaptações?

Rodrigo Sangion - Somos uma empresa que

possui um DNA de inovação contínua, e o

nosso cliente sempre recebeu as mudanças

de forma muito positiva. Não acreditamos em

novo normal, mas no alinhamento entre o nosso

serviço versus a superação das expectativas dos

clientes. E, mesmo com todas essas mudanças,

nós acreditamos que o nosso cliente vai valorizar

ainda mais a atividade física.

29HORAS - Como a tecnologia tem sido

aliada antes mesmo dos treinos virtuais e

da pandemia?

Rodrigo Sangion – A Les Cinq Gym já foi

projetada desde o início para ser referência

em inovação quando o assunto é bem-estar

e performance de treino. Nosso propósito

nos guiou até a italiana Technogym, a maior

Reconhecimento

facial termográfico

já foi instalado na

entrada da Les Cinq

Gym, nos Jardins

wellnesscompany do mundo e responsável pelo

que há de mais high tech no mercado. Fizemos

um investimento e reformamos a Les Cinq com

100% dos equipamentos da marca, alguns até

exclusivos. Todo aluno tem uma band, que é

a pulseira digital para entrar na academia e

acessar seu treino, outro diferencial é que os

equipamentos contam com telas de acesso

para a Netflix. E também temos simuladores

de corrida, paraquedas e surf.

29HORAS - Como manter a atenção individualizada

e próxima quando é necessário

distanciamento?

Rodrigo Sangion - Mesmo com autorização

legal e tendo toda uma estrutura de segurança

instalada, optamos por não reabrir em julho.

A redução de horário de funcionamento não

contribui para o serviço premium que a Les Cinq

Gym proporciona, assim nem todos nossos

clientes poderiam usufruir de treinos personalizados.

Entendo que segurança, bem-estar e

igualdade de atendimento devem andar juntos.

Estudamos as diversas possibilidades para a

reabertura nesse último mês e voltamos de

forma segura a partir de 3 de agosto.


14 COLUNA

Mobilidade

www.procoletivo.com.br

POR

Pro

Coletivo

FOTO DIVULGAÇÃO

Ônibus e app de

transporte coletivo sob

demanda em Goiânia

Novas soluções

As iniciativas e ações de mobilidade no Brasil pós-pandemia

O período de isolamento e as restrições

de circulação vão ficando para trás,

enquanto as pessoas voltam a se

movimentar. Esse fluxo traz novas ações

de prefeituras, instituições e empresas. O

objetivo agora é evitar aglomerações,

reduzir a poluição (trabalhos científicos

mostram que ela agrava, entre outras

doenças, também a Covid-19) e favorecer

a saúde das pessoas.

O carro a combustão, aos poucos, vai

saindo de cena – as tendências apontam

para o fim da era dos combustíveis

fósseis, com novos hábitos e modais. No

mundo todo, os esforços se concentram

no incentivo à bicicleta, ao pedestrianismo

e aos carros elétricos, com ampliação

de calçadas e ciclovias, e bônus para

compra de bikes e veículos elétricos.

Confira algumas iniciativas que

surgem no país para melhorar o vaivém e

a saúde geral:

Elétricos em alta

A Associação Brasileira do Veículo

Elétrico (ABVE) mudou recentemente a sua

diretoria e colocou em prática um conjunto

de ações para fazer da eletromobilidade

uma realidade no Brasil. Animados com o

mercado, que em junho retomou o ritmo

do final de 2019 – aumentou em 86% em

relação ao mesmo mês, no ano passado

–, eles pretendem lançar as bases de um

Plano Nacional de Eletromobilidade, com

ações junto ao poder público e diálogos

com o empresariado e a sociedade.

Mais segurança para os ciclistas

Lançado há poucos meses, o aplicativo

Bike & Park, do empresário Daniel

Kohntopp, dá suporte para os ciclistas,

conectando-os com estacionamentos

de diversas regiões de São Paulo. O app

está ligado a uma rede de 13 estacionamentos,

com cobertura de seguro. No

primeiro mês, o ciclista utiliza a rede de

graça, para degustar e ver se gosta, e a

partir do segundo paga R$ 15 mensais.

Já a empresa Kakau, de Henrique

Volpi, é uma seguradora que decidiu focar

também na bicicleta, modal que teve um

boom de vendas nos dois últimos meses

segundo a Semexe, a maior plataforma de

bikes seminovas no Brasil. Vale lembrar

também que, em São Paulo, a Ciclofaixa

de Lazer voltou com sucesso no domingo,

19 de julho, agora operada pela Uber, e

a prefeitura prometeu a construção de

mais 110 km de ciclovias nos próximos

meses, seguindo o seu Plano Cicloviário.

Novos apps para o transporte coletivo

O transporte coletivo sob demanda,

bastante comum lá fora, tem se diversificado

também no Brasil. Nesse serviço

flexível, as rotas são definidas de acordo

com as necessidades dos usuários, em vez

de programadas em trajetos e horários

fixos. Pelo app Via, o usuário se conecta

ao operador, informando localização e

o destino desejado. São Bernardo do

Campo, Goiânia, Fortaleza e Brasília são

cidades que já oferecem o serviço, um

complemento ao sistema convencional.

A tecnologia também é aliada do

transporte coletivo na hora de recarregar

o Bilhete Único: é o caso do Bipay,

assistente virtual desenvolvido pela

OnBoard Mobility, que faz a recarga pelo

Facebook com pagamento por cartão. O

objetivo é facilitar o processo e evitar filas

indesejáveis nos terminais de recarga.

O PRO COLETIVO ajuda as pessoas a aproveitar a vida se locomovendo de forma inteligente.


15

FOTO DIVULGAÇÃO

Zé Celso em cena

no Teatro Oficina,

no Bixiga

CULTURA

O teatro pede socorro

O diretor Zé Celso Martinez Correa lança campanha para angariar fundos para

o Oficina, a companhia teatral mais antiga do Brasil

POR CHANTAL BRISSAC

“JÁ PASSEI POR TANTA COISA NA VIDA, tenho 83

anos, mas essa realmente eu não esperava”,

desabafa José Celso Martinez Correa

sobre a pandemia do novo coronavírus

e a situação do Teatro Oficina, a companhia

teatral mais antiga em atividade,

fundada por ele e um grupo de estudantes

da faculdade de Direito do Largo São

Francisco, em 1958.

Quando iniciou a progressiva escalada

do vírus, Zé Celso e seu grupo de 60 atores

estavam prontos para reestrear “Roda

Viva”, encenada por eles em 2019, uma

remontagem da clássica obra de Chico

Buarque, escrita em 1967. A estreia da

peça aconteceu no Rio de Janeiro sob a

direção de Zé Celso em 1968, no ápice da

Ditadura Militar.

Em quarentena desde março, o dramaturgo,

um dos líderes da contracultura

brasileira, vem fazendo lives, podcasts,

escrevendo um livro e divulgando a

campanha do Oficina para angariar

fundos, já que a situação financeira do

teatro se agravou com a suspensão dos

espetáculos em cartaz: “Roda Viva”, que

tinha casa lotada em 2019, e “O Bailado

do Deus Morto”, de Flávio de Carvalho,

que iniciava sua temporada no histórico

teatro do bairro do Bixiga. Desde 2016,

ano em que deixou de receber o patrocínio

da Petrobras, a companhia enfrenta

dificuldades para se manter ativa.

Sem barreiras e limites

No canal do YouTube, que tem 25

milhões de visualizações, é possível ver

várias peças já encenadas e filmadas,

como “Cacilda!”, “Bacantes”, “Boca de

Ouro” e “O Rei da Vela”, escrita em 1933

pelo poeta Oswald de Andrade, levada ao

palco do Oficina em 1967 e remontada

em 2018 com grande sucesso de público.

Em 2015, o Oficina foi eleito pelo jornal

britânico "The Guardian" como o teatro

mais intenso do mundo. O prédio, reformado

pelos arquitetos Lina Bo Bardi e

Edson Elito em 1992, reflete as ousadas

propostas de Zé Celso, conhecido por

desafiar convenções. O público e o elenco

se mesclam nas diversas galerias desmontáveis,

sem barreiras. “O projeto da Lina

é fruto de décadas de trabalho, porque

não diferencia coxia, palco e plateia, ele

foi sendo esculpido pelo movimento ao

longo dos anos, é um teatro vivo”, observa

Camila Mota, atriz e diretora há 23 anos

na companhia.

Especulação da vida

Todo esse espaço criativo e um entorno

verde belíssimo, com árvores frutíferas,

são alvos da especulação imobiliária há

mais de quarenta anos, com o grupo Silvio

Santos à frente da disputa. O apresentador

quer construir três prédios de até 100

metros de altura na região, prejudicando

o teatro, que é tombado desde 2010 pelo

patrimônio histórico nas esferas federal,

estadual e municipal. O projeto do Parque

do Bixiga, luta do Oficina e também da

comunidade do bairro, busca preservar

toda essa riqueza histórica, cultural e

ambiental da região, inclusive um riacho

que atravessa o terreno.

Durante o isolamento, o movimento se

manifestou nas redes sociais do Parque do

Bixiga em lives como “O Parque do Bixiga

contra a Especulação da Vida”, com a urbanista

Raquel Rolnik e Casé Tupinambá,

e “Cursos d’Água e Florestas Urbanas como

Forças Políticas”, com Newton Massafumi

e Cecilia Herzog.

Zé Celso ressalta que a luta do Parque

Bixiga é pela natureza e pela preservação

da vida. “A pandemia nos mostrou que a

coisa mais importante do mundo é a vida,

não o capitalismo. E a nossa vida depende

inteiramente da natureza”.


16 COLUNA

kikecosta@uol.com.br

Horas de voo

POR

Kike

Martins da

Costa

FOTO DIVULGAÇÃO

Radar

Vírus que gera turbulências

Pandemia chacoalha o mercado doméstico e deve promover já neste

semestre mudanças significativas no ranking e no ‘share’ das empresas

Fora do ar

Enquanto as unidades do Brasil,

do Chile, do Peru, do Equador, da

Colômbia e do Paraguai do Grupo

Latam encaram o processo de

recuperação judicial nos Estados

Unidos, a subsidiária argentina

do grupo teve suas operações

encerradas por tempo indeterminado.

A Latam Argentina

representava apenas 1,8% do

faturamento total do grupo e

operava com uma frota de 15

aviões. Transportava, em média,

3 milhões de passageiros ao ano.

A paralisação nos aeroportos por causa

da pandemia do novo coronavírus

promoveu um pandemônio nas companhias

aéreas brasileiras. A Latam, que

historicamente disputava a liderança do

mercado doméstico com a Gol, entrou

em recuperação judicial e deve sair desse

processo menor do que a Azul, tradicionalmente

a terceira colocada. Essa, pelo

menos, é a expectativa de especialistas

do mercado e analistas de investimento.

Em 2019, a Gol terminou como líder,

com uma fatia de 37,7% do mercado

doméstico, seguida de perto pela Latam,

com 34,7%. A Azul, que cresceu muito

com o fim das operações da Avianca

Brasil, ficou com “apenas” 23,6%, segundo

informações compiladas pela Agência

Nacional de Aviação Civil (Anac).

Agora, neste segundo semestre que

deve marcar o início da retomada do

setor, a Gol deve se consolidar ainda mais

na liderança, fechando o ano de 2020

provavelmente com algo entre 40 e 45%

do bolo, enquanto Latam e Azul devem

ficar cada uma com parcelas em torno dos

25-30% do total.

Segundo a consultoria britânica OAG,

que é a maior rede global em termos de

informações sobre tráfego aéreo, o Brasil

foi o país que teve a maior queda no

número de assentos ofertados em voos

domésticos após a pandemia ter sido

decretada pela OMS, em março. A

empresa comparou os dados de julho de

2019 contra os de julho de 2020. O

encolhimento por aqui foi de 72%, o

mesmo percentual verificado na

Austrália. No Canadá, a redução foi de

69%, e nos Estados Unidos, de 47%.

Ainda segundo esse mesmo levantamento

da OAG, a British Airways teve,

entre as grandes empresas do planeta, a

maior queda, com redução de 83%. As

únicas empresas que tiveram resultados

positivos foram a indiana IndiGo, com

aumento de 11,6% em relação a 2019, e a

China Eastern, com alta de 5,3%.

No Brasil, no auge das medidas para

frear a disseminação da Covid-19, a Azul

chegou a cancelar 90% de seus voos, a Gol

estima ter reduzido sua oferta em 92% e a

Latam atingiu uma diminuição de 95%

em suas operações.

Novo player

A empresa de baixo-custo

chilena Jet Smart, que tem voos

regulares de Santiago para São

Paulo, Salvador e Foz do Iguaçu,

negocia com a Anac para operar

rotas domésticas aqui no Brasil.

A empresa é controlada pelo

conglomerado Indigo Partners,

que é dona também da Frontier

Airlines, da Volaris e da WizzAir.

Agora vai?

Com seu mais recente lançamento,

o 737 Max, aterrado desde março

de 2019, a Boeing quer dar logo

um fim a essa novela. Após

redesenhar completamente o

recurso automático que causou

dois terríveis acidentes, a Boeing

já está promovendo voos para

obter a certificação e a liberação

do modelo junto às autoridades.

Se tudo der certo, os primeiros

voos com passageiros devem

ocorrer no Thanksgiving (Dia de

Ação de Graças), em novembro, o

feriado de maior movimento nos

aeroportos dos Estados Unidos.


17 COLUNA

www.didu.com.br

Bom de copo

POR

Didú Russo

FOTOS DIVULGAÇÃO

Vinhos brasileiros

Um passeio por rótulos imprescindíveis da nossa terra,

que merecem ser apreciados e prestigiados

Eu sou um grande defensor do vinho brasileiro. Ainda assim,

nunca deixei de criticar a postura dos líderes do setor que, por

vezes, consideram os importados como concorrentes e sempre

tentam implementar regras protecionistas. Mas isso nada tem a

ver com a qualidade do nosso vinho.

O Aurora Millésime, por exemplo, 100% Cabernet

Sauvignon, é um dos grandes e está lançando sua décima

edição, a de 2017. Outro vinho que destaco é o Miolo Gamay

Wild SO 2

free. Listo esse vinho pela iniciativa de uma gigante do

setor, que produz cerca de 13 milhões de litros de vinho e faz

em perfil artesanal que, embora não seja de vinhedos

orgânicos, é fermentado com as próprias leveduras e custa

perto dos R$ 50.

Cito também o Rio Sol Touriga Nacional Gran Reserva,

produzido em Petrolina, no Vale do São Francisco, pelos

portugueses da Dão Sul, um espetáculo de fruta e intensidade.

Há ainda o Fvlvia Pinot Noir do Atelier Tormentas, fabricado

em Canela, no Rio Grande do Sul, sem adição de SO 2

e com

muita classe, um vinho que já superou muito seus similares da

Borgonha em degustações às cegas.

O estado de São Paulo tem preciosidades, como os vinhos da

Guaspari (em especial, o Syrah Vista do Chá) ou os vinhos

naturais e de fermentação espontânea do Entre Vilas, em São

Bento do Sapucaí. Os vinhos naturais da Era dos Ventos,

especialmente o Peverella, produzido pelo Alvaro Escher e o

Luís Henrique Zanini, são imprescindíveis.

No alto, vinhedo da Guaspar, em Espírito Santo do Pinhal. Acima, o Era dos

Ventos Peverella, o Rio Sol Touriga Nacional Gran Reserva e o Orus Pas Dosé

Em Santa Catarina, há vinhos de altitude excepcionais,

selecionei aqui o Innominabile com cinco castas (Cabernet

Sauvignon, Cabernet Franc, Malbec, Marcelan, Merlot e Pinot

Noir), produzido pela Villaggio Grando, que é espetacular. Em

espumantes, então, é um show de qualidade e frescor com bons

preços. Cito ainda os espumantes da Cave Geisse: qualquer um

deles é de altíssima qualidade e foram, inclusive, citados pela

crítica e autora Jancis Robinson como exemplo de qualidade de

espumante no Novo Mundo.

Os vinhos do Adolfo Lona, um craque que produz o Orus Pas

Dosé Rosé, têm uma elegância rara. Destaco, para finalizar, esse

passeio por vinhos brasileiros icônicos, como o Salton Brut

Ouro, que custa pouco, é muito bem feito e tem consistência.

Prestigie e experiente os vinhos do nosso Brasil. Há

inúmeras garrafas excepcionais. Saúde!

DIDÚ RUSSO é editor do site didu.com.br


18 COLUNA

Bon vivant

georgeshenrifoz@gmail.com

POR

Georges

Henri Foz

Ilha de Toque Toque

Boutique Hotel & Spa

FOTO DIVULGAÇÃO

A primeira escapada

Após quatro meses em casa, merecemos redescobrir o prazer

de viajar no fim de semana, sem neuras e sem elevadores

É curioso como a percepção da Covid-19

foi mudando conforme o tempo passou.

Tenho certeza de que o assunto foi

recorrente para todos nós e, se assim

podemos dizer, toda essa situação nos

fez rever novamente alguns velhos

conceitos. Acho que estávamos mal

acostumados, talvez até blasés e

confundindo rotina com prazer.

No meu caso, sempre viajando tanto a

trabalho quanto a lazer, a ideia de qual

seria meu desejo de destino assim que

acabasse essa loucura foi se modificando

ao longo do extenso confinamento.

Quanto mais o tempo foi passando, mais

fui encurtando a distância que separa

minha casa do meu provável destino da

primeira viagem pós-pandemia.

Descobri, ou melhor, redescobri que o

grande prazer está no estado de espírito e

na sede de provar uma ou outra sensação

como o sol, o vento e os pés na areia com

o azul do mar à frente. Visto que estamos

trancados desde março e que essas

primeiras escapadas ainda serão no

inverno, resolvi optar pelo sol ameno e

pela luz maravilhosa que nosso inverno

paulista oferece à beira do mar. Afinal,

estamos carentes de poder andar no sol e

ao ar livre, sem elevadores.

Passo aqui alguns exemplos de

lugares próximos a São Paulo que estão

na minha lista de escapadas de praia e

que pedem pouquíssimo tempo de

viagem (até 2 horas). Vale ressaltar que é

bom reservar com antecedência, por

causa da demanda reprimida do

momento, além da capacidade de

atendimento ainda reduzida em função

das medidas de contenção da pandemia.

Para mim, mar em São Paulo significa

litoral Norte, sendo que minhas praias

preferidas desse trecho da Rio-Santos são

também as menos distantes. São elas a

Praia do Engenho (na Barra do Una),

Juquehy e Barra do Sahy. Nessa época, o

clima da região é um luxo. Nunca chove e

a luz de inverno deixa as cores do céu, do

mar e da areia ainda mais lindas.

Boas opções de hotelaria não faltam, e

basta procurar aquela que cabe no seu

sapato e no seu orçamento. Eu conheço e

gosto do hotel Aldeia de Sahy (Barra do

Sahy) e do Juquehy Praia Hotel (em

frente ao mar). Os dois são bem confortáveis

e têm ótimo serviço. Uma dica que

faz a diferença é tentar passar por

Bertioga (a meia hora do destino na ida)

ainda em tempo de almoço. Ali, na

própria Rio-Santos, pare no restaurante

Dalmo Bárbaro e peça o imperdível prato

de mariscos no molho de tomate fresco.

Uns 40 km mais adiante, no sentido

São Sebastião, se encontra a linda Praia

de Toque Toque Grande, onde fica um

hotel boutique altamente recomendado

por todo mundo que passa por lá.

Encravado entre o verde da Mata

Atlântica e o azul do mar, o Ilha de Toque

Toque Boutique Hotel & Spa é perfeito

para casais em busca de sossego,

cuidados corporais e relax total. Cada

suíte conta com varanda e piscina ou

ofurô privativo. Trés chic! O Spa é da

l’Occitane, o que denota a qualidade do

serviço. Se optar por essa sugestão (que

também é a mais cara), aconselho ir por

Caraguatatuba (rodovia Ayrton Senna),

fica mais rápido.

O mais importante é termos a

capacidade de reavaliar alguns conceitos

que andavam meio que banalizados. O

momento é propício para se desprender

de padrões de consumo passageiros e

focar naquilo que realmente nos dá

prazer. Aproveite. Até!

GEORGES HENRI FOZ é publicitário, restaurateur e empresário franco-brasileiro.


19 COLUNA

contato@radiovozes.com

Rádio Vozes

POR

Patricia

Palumbo

FOTO DIVULGAÇÃO | MURILO ALVESSO

Música feita

dentro de casa

Lançamentos de discos brasileiros na pandemia

para nos distrair, educar e embalar

Uma das questões que temos nos feito quase diariamente é

como se manter produtivo durante essa temporada de

isolamento. Estamos vivendo tempos extremos. No mundo da

música, muitos estão sem trabalho remunerado, os shows

foram adiados e o que resta ao artista é se manifestar no mundo

digital. Para alguns, a situação é opressiva a ponto de levar à

inércia e, para outros, a saída é justamente produzir. A arte tem

nos salvado, a nós consumidores. E também aos artistas. Trago

aqui dois exemplos de criação em tempos de Covid.

Adriana Calcanhotto lançou um trabalho que pode ser

considerado um diário desses tempos dentro de casa. As

canções vêm com data, como se estivessem dentro de um

caderno de anotações. Foram compostas no dia a dia, a partir

de estímulos internos ou dos acontecimentos no mundo. O

disco se chama “Só” e foi gravado com a colaboração de

músicos de várias partes do país, cada um em sua casa ou no

estúdio, com o jovem compositor paraense Arthur Nogueira.

Por isso mesmo as canções ganham novas cores e novos

sotaques, é um trabalho brasileiríssimo, diverso ritmicamente,

cheio de camadas como o nosso tropical e antropofágico país.

“Ninguém na Rua” é um batidão, no pensamento, no peito. É a

música que abre o disco. Composta em 27 de março às 19 horas.

Para quem, como eu, que gosta desses detalhes em uma ficha

técnica, essa informação tem um sabor especial. A segunda

canção é um clássico de Calcanhotto, uma dessas para tocar no

rádio. “Era Só” é emocionante, romântica, fácil sem ser e com o

belíssimo piano de Zé Manoel, compositor e músico

pernambucano.

Assim segue o disco. São nove faixas, cada uma com a verba

das vendas revertida para um coletivo, para a favela da Maré,

para a Rocinha, para a Ação Cidadania. Um trabalho absolutamente

necessário e assertivo. Dá alento para quem ouve e traz

em si a ação, o movimento, a responsabilidade social e

comunitária. Um novo mundo.

O outro trabalho que acaba de sair é obra de uma dupla

longeva, o casal Pato Fu, Fernanda Takai e John Ulhoa. É um

lançamento que sai agora, enquanto escrevo essa coluna.

Fernanda Takai em carreira solo é dessas delícias que o Brasil

nos dá. As duas primeiras músicas são recados aos que vão

melhorar o mundo, nossos filhos. “Terra Plana”, escrita por

John, é uma mensagem de confiança na criação. Diante de

tantas inverdades, teremos feito um bom trabalho? A segunda é

de Nico Nicolaiewski, “Não Esqueça”. De ser feliz, de se

apaixonar, de querer ser feliz, é linda... No total, são dez

canções com aquele astral que vem desse casal mineiro,

delicado, irônico, maduro. Fernanda cantando lindamente e

John compondo cada vez melhor. Participações de MakiNomiya,

direto do Japão, e Virginie Boutaud, da França.

Maravilhas que a internet nos proporciona. O disco se

chama “Será Que Você Vai Acreditar?” e, assim como “Só”, traz

os temas que nos atravessam nesses dias. A solidão, a incerteza,

o negacionismo que é preciso combater. E, claro, aquela que é

uma das funções maiores da arte, nos distrair daquilo que nos

desorienta. Quando você ouvir a faixa “One Day in Your Life”vai

entender exatamente o que estou dizendo. Ouça bem alto.

Duvido que não balance o corpo...

A arte nos salva. Boa audição!

OUÇA AS NOVIDADES DO

ISOLAMENTO NO 29HORAS PLAY

PATRICIA PALUMBO é jornalista especializada em música, apresenta o programa "Vozes do Brasil" em rede nacional de rádio e é criadora da Rádio Vozes.

Baixe o app gratuito nas lojas digitais ou acesse www.radiovozes.com


20 COLUNA

Sustentabilidade

@chiaragadaleta

POR

Chiara

Gadaleta

Afinal, o que é

consumo

consciente?

Um passo a passo para estar de

acordo com as mudanças que o

novo mundo pede

FOTO DIVULGAÇÃO

A humanidade já consome 30% mais

recursos naturais do que a capacidade de

renovação da Terra. Se os padrões de

consumo e produção se mantiverem no

atual patamar, em menos de 50 anos

serão necessários dois planetas para

atender as nossas necessidades de água,

energia e alimentos, e não é preciso dizer

que essa situação certamente vai

ameaçar as novas gerações.

Se você está se perguntando o que

pode fazer para colaborar, ou melhor, o

que não fazer para manter uma relação

responsável entre as vontades e necessidades,

você está no caminho certo. A

tomada de consciência é o primeiro passo.

Vamos começar imaginando que cada

item que compramos teve um impacto e

deixou uma pegada. Cada roupa,

acessório ou objeto usou energia e água

na sua fabricação e, se você começar a

olhar de forma mais curiosa, vai acabar

indo além e se perguntando onde foi feito,

por quem e como.

Nessa etapa você já pode começar a

escolher produtos levando em consideração

mais do que apenas preço e a vontade

de “ter”. O consumidor da nova era, da

Ecoera, coloca na conta o meio ambiente,

a saúde humana e a dos animais, não se

contenta com meias verdades e vai além,

quer saber qual o posicionamento da

marca que produziu aquela peça no que

Etiqueta do Sou de Algodão, movimento que apoia a produção de algodão nacional

diz respeito à igualdade de gênero, aos

movimentos sociais e à conservação das

nossas florestas.

Mas vamos começar pelo começo.

Aqui vai um passo a passo simples para

você iniciar essa jornada e se tornar um

consumidor mais consciente:

#1 Antes de mais nada, primeiro de

tudo, pergunte se realmente você precisa

desse produto. Aproveite para organizar

seu guarda roupa, estante e armário da

cozinha. No caso da moda, veja se a peça

que você deseja comprar pode ser

coordenada com outras que você já tem.

#2 Sempre experimente a peça antes

de adquirir ou analise suas especificidades

antes de fechar a compra. Assim, não

levará para casa uma roupa que não lhe

cai bem ou um objeto que não lhe agrada

e que vai ficar parada sem uso.

#3 Pesquise, seja curioso e busque o

máximo possível de informações sobre a

marca que fabricou a peça que você está

levando. Faça sempre as seguintes

perguntas antes de concluir uma compra:

quem fez, como e onde foi feita a peça que

vou vestir? Promova marcas que são

transparentes, valorizam seus colaboradores

e usam materiais mais limpos e de

menor impacto ambiental.

#4 Pense a longo prazo e prefira peças

de qualidade, que possam durar muito

tempo. O barato sai caro. Desconfie

quando o preço é muito baixo, pois o

material provavelmente também deve ser

de baixíssima qualidade e a mão de obra

certamente não foi paga de forma justa.

#5 Leia a etiqueta e promova o que é

feito no Brasil. Na crise e no mundo

pós-pandemia, temos a oportunidade e a

responsabilidade de valorizar produtos

nacionais, colaborar com a economia

local e garantir empregos.

Em tempos de sustentabilidade e de

urgências ambientais e sociais, cada um

de nós pode e deve fazer parte das

mudanças que o mundo pede.

O consumo consciente é uma questão

de hábito e de pequenas mudanças.

Vamos juntos!

CHIARA GADALETA é fundadora do Movimento Ecoera e embaixadora do Pacto Global da ONU


SE ESTÁ DIFÍCIL PARA NÓS,

IMAGINE PARA ELES!

Utlize o QR code

para fazer sua doação

O Sertão Nordestino é hoje a região do

país com maior vulnerabilidade para

enfrentar os efeitos da pandemia.

Milhares de pessoas, neste momento,

enfrentam a fome, a sede e falta total

de estrutura de saúde em povoados

isolados.

AJUDE. DOE.

amigosdobem.org


22

CAPA


23

MUSA

grandiosa

ATRIZ, BAILARINA, CANTORA E EMPRESÁRIA, CLAUDIA RAIA

EMPODERA E DEFENDE AS MULHERES E CONFESSA QUE SUA

FILOSOFIA DE VIDA É PLANTAR AMOR EM TUDO O QUE FAZ

POR CHANTAL BRISSAC

FOTO TATO BELLINE

CLAUDIA RAIA É SUPERLATIVA. Não só no

tamanho (1,79 m de altura, sendo 1,10 m

de pernas), mas também nos atributos de

sua personalidade. Nascida em Campinas

há 53 anos, ela é uma atriz conhecida por

sua exuberância, intensidade e versatilidade:

além de atuar, cantar, dançar e sapatear

lindamente, Maria Claudia Motta Raia é

empreendedora, palestrante e produtora

de seus próprios e concorridos espetáculos.

Pioneira na produção de musicais no

Brasil, Claudia é símbolo da mulher forte

e que se reinventa a cada ano.

Está sempre envolvida em novos

projetos. Um de seus trabalhos, hoje, é

um canal de vídeos para valorizar a mulher

com mais de 50 anos, injetando poder e

autoestima na parcela feminina que está

no seu auge. Sua missão, como ela mesma

diz, é “transformar a vida das pessoas”. E

é isso mesmo: Claudia move diferentes

públicos, nas mais diversas esferas.

No início de julho, Claudia conversou

com a 29HORAS, falou de seus planos

pós-pandemia e relembrou a gostosa

infância passada em Campinas, cidade

natal e morada até os 13 anos.


24 CAPA

Como tem sido esse período de isolamento?

No começo do ano, eu estava em Portugal

com o espetáculo "Conserto para Dois"

{assim mesmo, com "s"]. Com a pandemia,

eu e o Jarbas [seu marido, o ator Jarbas

Homem de Mello] acabamos voltando antes

do previsto porque os teatros fecharam.

Voltamos e ficamos em casa direto, porque

dias depois foi decretado o isolamento no

Brasil. O período tem sido em casa, com

a família. Fiz minha autobiografia com a

Rosana Hermann, agora estamos vendo

quando será o lançamento. Tenho também

uma fotobiografia para ser lançada. Estou

fazendo ioga, meditação, mantenho uma

rotina de exercícios físicos, faço aula de

balé, de canto. Tudo a distância.

FOTO ARQUIVO PESSOAL

O que descobriu nesse período tão difícil?

O que essa experiência coletiva está nos

mostrando e alertando?

Para mim, essa experiência está nos lembrando

exatamente isso: que somos um

coletivo, uma sociedade. Precisamos

olhar para o lado, para o próximo, para

continuarmos avançando. Nesse sentido, a

pandemia é um momento de rever muitas

coisas, de pensar mais no próximo, de

ajudar. Acredito que quem continuar com

uma postura egoísta não terá vez. Vamos

melhorar porque estamos aqui para isso.

Vejo com muita alegria tantas iniciativas

para ajudar. Participei do Festival Ao Vivo

Pela Vida e do Bazar Ao Vivo Pela Vida.

que ainda está no ar, em que arrecadamos

doações para o Fundo Emergencial para

a Saúde e para a Ação da Cidadania, uma

organização comprometida com o combate

à fome. Quero muito que o sentimento de

empatia e solidariedade seja o que levemos

desse momento.

FOTO ANTONIO EVARISTO

Que mudanças pretende fazer no dia a dia

após a quarentena?

A pandemia me fez questionar algumas

práticas. Antes eu tinha uma vida muito

corrida, sempre pensando no próximo compromisso.

Isso eu não quero mais. Onde eu

estava querendo chegar, gente?! Costumo

dizer que a gente deita na pretensão de

que vai acordar no dia seguinte. Então,

todo dia, quando abro os olhos, agradeço

ainda mais por estar viva. Nesse momento,

mergulhei na medicina Ayurveda e quero


25

FOTO VINÍCIUS MOCHIZUKI

“Eu costumo dizer

que nasci com o chip

da felicidade, acho

que a energia vem

daí. Eu amo a vida,

amo viver. Isso é um

combustível incrível”

ma aprofundar cada vez mais nela, além

de continuar com a prática de ioga e meditação

– que intensifiquei também.

Quais são os projetos para o segundo

semestre e para 2021?

Tenho um projeto de apresentações de

teatro, tanto adulto quanto infantil, e de

shows em drive in. Por enquanto, ainda

não sabemos quando poderemos estar de

volta a uma sala de teatro. Então, como

produtora, estou pensando em alternativas.

Eu e Jarbas apresentaríamos o espetáculo

"Conserto para Dois", que teria sua segunda

turnê nacional quando voltássemos de

Portugal. Mas com a pandemia os planos

foram adiados.

FOTO REPRODUÇÃO

Na outra página,

Claudia Raia na

academia de sua

mãe na infância,

e com o marido,

Jarbas. Acima, a

atriz no espetáculo

"Conserto para

Dois" e, ao lado,

com seus filhos,

Enzo e Sophia

Fale um pouco sobre Campinas, onde você

nasceu...

Eu vivi em Campinas até os 13 anos.

Passei minha adolescência em Nova York

e na Argentina e depois vim morar em

São Paulo. Mas a infância foi toda em

Campinas. A academia da minha mãe

(Dona Odette Raia, que faleceu aos 95 anos

há um ano) era na rua Barão de Jaguará

com a Ferreira Penteado, um lugar bem

no centro, maravilhoso. Eu vivia dentro

da academia de dança da minha mãe,

fazendo aula, dançando, participando

de eventos e desfiles. Minha mãe era

muito enaltecida na cidade, nós éramos

responsáveis por tudo que era relacionado

a evento de cultura, de música e de dança.

Foi uma infância muito feliz.


26 CAPA

O que você aprendeu de mais valioso com

a sua mãe, a dona Odette?

Aprendi a ser uma pessoa que busca

seus sonhos, que corre atrás do que quer.

Aprendi a respeitar os outros e saber que

há espaço para todo mundo. Ela nunca

quis cortar minhas asas, me limitar, pelo

contrário. Sempre me deu suporte: abriu a

porta da gaiola para que eu voasse. Tanto

que permitiu que eu fosse para Nova York

estudar balé quando tinha 13 anos. Eu

perturbei tanto, que ela percebeu que não

conseguiria me conter e me incentivou. E

eu busco fazer o mesmo com meus filhos

(Enzo, de 23 anos, e Sophia, de 17). Minha

mãe é minha grande inspiração na vida.

FOTO TATO BELLINE

Como nasceu o projeto de vídeos sobre a

mulher 50 +?

Pouco se fala no Brasil sobre a mulher

com mais de 50 anos. Lá fora é comum

elas estarem nas capas de revistas, produzindo,

atuando... Aqui nós caímos em

uma espécie de ostracismo e ressurgimos

como fênix aos 70, 80 anos. Mas eu não

quero isso. Estou no meu auge, produzindo,

trabalhando com o que amo, realizada

pessoal e profissionalmente. Eu sentia

essa lacuna. Então, pensei: por que não

começar eu mesma a falar sobre essas

coisas? E foi o que eu fiz.

Como tem sido o resultado?

Maravilhoso. Muitos dos vídeos ultrapassaram

a marca de 200 milhões de visualizações.

As mulheres ficaram felizes de

ver essas questões postas ali. Me deu uma

sensação boa de dever cumprido, sabe?!

São muitos os estereótipos para as mulheres,

inclusive de padrões de beleza. Na Europa,

é mais elástico, como no caso de assumir

os cabelos brancos. Você usaria?

Eu acho justamente que não tem regra. A

gente precisa mostrar cada vez mais que

a idade é um número e não deve ditar

a maneira como a gente se veste, como

corta o cabelo, como usa maquiagem...

O grannyhair, que é como chamam a

tendência do cabelo branco, é algo que

vai além da idade. Acho charmoso, acho

lindo. Se você quer usar dessa forma, vai

lá e usa, não importa o que vão dizer. Eu

não deixo essas coisas me limitarem,

imagina! Sinto que as pessoas, às vezes,

ainda ficam presas a esses estereótipos.

Antes da pandemia, você vinha fazendo

muitas palestras sobre empreendedorismo.

Me conta um pouco sobre isso?

Eu comecei a empreender desde muito

nova. Quando percebi que ninguém investiria

no meu sonho como eu, fui entender

como se produzia um espetáculo e comecei

a enveredar por esse caminho. De lá até

agora, produzi todos os meus espetáculos

e outros projetos. As palestras são uma

outra forma de compartilhar a minha experiência,

ajudando as mulheres a trilhar

essa estrada. Podemos ocupar qualquer

espaço. Que a gente tenha mais mulheres

como CEOs, mais personagens femininas

plurais e de idades diversas, mais jogadoras

de futebol, apresentadoras, escritoras,

cineastas, diretoras...

Você comentou que congelou seus óvulos

porque pensa na possibilidade de ter um

terceiro filho. Existe esse projeto?

Eu não me fecho para nenhuma possibilidade.

Justamente por isso, congelei meus

óvulos. Há, sim, a vontade de ser mãe mais

uma vez. Hoje estamos desconstruindo

essa idade ideal de maternidade. Eu tenho

essa vontade de aumentar a família, mas

ainda não tenho uma data. Por enquanto,

é mesmo, uma vontade.

De onde vem toda a sua energia?

Eu costumo dizer que nasci com o chip


27

da felicidade (risos). E é isso, eu sou feliz.

Acho que a energia vem daí. Eu amo a

vida, amo viver. Isso também é um combustível

incrível.

FOTO TATO BELLINE

Qual é a sua filosofia de vida?

Eu sou budista e influenciada por essa

filosofia. O meu mantra é o mantra do

budismo “Nam-myoho-rengue-kyo”,

que quer dizer “Peço perdão de todas as

minhas causas passadas, harmonia com

o Universo e fusão com Deus”. Sou uma

pessoa muito grata, que sempre olha o copo

meio cheio, sabe!? Planto amor em tudo

o que faço, busco um olhar atento para o

outro, cuido das pessoas, estendo a mão

e também aplaudo o momento do outro.

Saber ajudar, enaltecer e se alegrar pelo

outro é uma das belezas da vida.

Falando em ajudar, li que você sempre gostou

de levar marmita, uma mania sua, também

para os colegas de trabalho nas novelas.

Você tem esse lado mãezona?

Tenho esse lado, adoro cuidar de quem

está ao meu redor. Falo que é importante

levar a comida, dou conselhos, dou colo...

Eu cuido em todos os aspectos, me apego,

trago para debaixo da minha asa.

Quando você começou a ficar conhecida

como a rainha da marmita?

Eu levo marmita desde sempre. E para

todos os lugares. Eu levo porque assim

eu sei o que estou comendo e evito comer

qualquer coisa na rua. Além de essa ser

uma maneira de criar uma rotina de alimentação,

né? Como estou sempre com

minha comida, respeito os intervalos das

refeições e me alimento bem. Brinco com

minha nutricionista, Gabriela Ghedini, que

sou o orgulho da nutri. E sou mesmo (risos).

Como é sua dieta? E quando chuta o balde?

Na hora de montar minha dieta, a Gabriela

respeita o meu paladar. Por exemplo, se

ela coloca uma fruta, coloca também algo

salgado, como uma castanha-do-pará

salgada. Eu chuto o balde com salgado.

Amo massa, gente! Mas eu bebo muita

água, que ajuda a evitar a retenção de

líquido, assim como chá de hibisco, chá

verde. E se em algum dia eu chuto o balde,

uso a lei da compensação.

Jogo rápido

Quem é Claudia Raia?

Uma mulher brasileira, lutadora, empreendedora, que

acredita no ser humano, positiva e fundamentalmente

sonhadora e realizadora dos seus próprios sonhos.

Qual é a sua missão?

Transformar a vida das pessoas. Eu costumo dizer que os

artistas são médicos da alma. A pessoa que entra no seu

teatro sai de lá transformada. Essa é a minha missão: levar

o sonho, a alegria, a elevação da alma de cada pessoa

que está ali ouvindo a história que estou contando.

Seu sonho maior...

Que o mundo entenda que não é mais um dia. E sim menos um

dia. E que tudo gira em torno do amor. Não do ódio, da ganância.

Só o amor vai trazer paz, serenidade, paciência, resiliência.

Meu sonho é encontrar esse mundo mais cheio de amor.


CAMPINAS

hora

O MELHOR DA REGIÃO DE CAMPINAS

ESCANEIE E FAÇA UMA

IMERSÃO EM CAMPINAS NA

NOSSA PLAYLIST ESPECIAL

FOTO DIVULGAÇÃO

Coração

campineiro

PATRIMÔNIO CULTURAL A Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, formada por 75 músicos, é uma

das mais dinâmicas do país, com 90 anos de história. Foi reconhecida como patrimônio imaterial pelo

Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural da cidade. Durante o isolamento social, os músicos têm

atuado de forma remota e se reinventado. “Apresentamos online a ópera ‘O Guarani’, do compositor

campineiro Carlos Gomes, em comemoração aos 100 anos de estreia da ópera em Milão, fizemos

também o vídeo do aniversário de 246 anos de Campinas. Dessa forma, mantemos o vínculo com

nossos conterrâneos nesses tempos difíceis”, conta o maestro Victor Hugo Toro. Todos os vídeos estão

disponíveis no canal do Youtube "Cultura Abraça Campinas", da Secretaria de Cultura da cidade.


30 HORA CAMPINAS

FOTO LEONARDO BOCONI

Gustavo Müssnich,

Diretor-Presidente do Aeroporto

Internacional de Viracopos


31

AEROPORTO

Em direção aos

novos tempos

Diretor-Presidente de Viracopos, Gustavo Müssnich, explica

medidas sanitárias aplicadas no aeroporto, somadas às

demandas de carga e ao crescimento de passageiros

POR PAULA CALÇADE

EM 2012, o então Diretor de Engenharia,

Gustavo Müssnich, enfrentou o desafio

de construir um novo terminal para 25

milhões de passageiros em 20 meses. Hoje,

como Diretor-Presidente da Aeroportos

Brasil, concessionária que administra o aeroporto,

a importância de Viracopos (VCP)

é percebida. O aeroporto inaugurou, antes

da pandemia, uma nova ala internacional,

com uma estrutura de re-check-in para

conectar desembarques internacionais

com voos nacionais. Investiu R$ 6 milhões

nas obras e em novos equipamentos de

raio X e softwares, e anunciou a conexão

com novos destinos no exterior. Os resultados

foram a aprovação do público

e, até então, o crescimento constante no

número de passageiros.

Com a chegada da Covid-19, Viracopos

implementou uma série de medidas de

segurança para reforçar o combate ao

contágio. Ações como ampla higienização,

avisos sonoros e sinalização de

distanciamento se somaram a uma desinfecção

especial de três horas nas áreas

comuns sempre antes dos horários de

pico operacional, que ocorre pelo menos

três vezes ao dia e, mais recentemente,

à instalação de totens de álcool gel nas

áreas publicas e restritas do aeroporto.

Essa logística mantém o aeroporto como

principal porta de entrada de mercadorias

vindas do exterior para o Brasil, como

medicamentos, equipamentos de combate

ao coronavírus e alimentos.

“O aeroporto cumpre, desta forma, seu

papel de promover as melhores medidas

que levem o cliente a optar por Viracopos,

sem nunca nos esquecermos do conforto

e da eficiência”, ressalta o executivo.

O aeroporto é o primeiro do país com

certificado da ISO 2001:2015 em cargas

e passageiros, um sistema que garante

a otimização de processos na aviação.

Orquestrar o atendimento cada vez

maior de passageiros em meio à conhecida

demanda de cargas e, agora, intensificar

os cuidados sanitários é o desafio

incorporado pela gestão do aeroporto.

“Os investimentos são direcionados

com base nas pesquisas de satisfação

e experiência dos clientes”, explica. A

eficiência fez o aeroporto ser escolhido

pela segunda vez consecutiva como o

melhor do Brasil em avaliação realizada

pelo Governo Federal no início deste ano.

São mais de 30 quesitos checados pelos

passageiros, como limpeza, conexão de

wi-fi e pontualidade.

Recentemente, o Aeroporto Internacional

de Viracopos obteve também a

maior nota já recebida por um operador

aeroportuário em auditoria realizada

pela Agência Nacional de Aviação Civil

(ANAC) sobre a segurança operacional, que

avalia uma série de medidas para reduzir

o risco de acidentes na aviação. Do total

de 230 pontos possíveis na auditoria, o

aeroporto obteve 223 pontos.

Viracopos integra ainda o “Acordo

Ambiental de São Paulo” para redução

de emissão de gases de efeito estufa.

“Embaixo das pontes de embarque, há

uma fonte de energia elétrica e um ar-condicionado

que permitem que a turbina da

aeronave pare totalmente quando o avião

estaciona no aeroporto, diminuindo em

toneladas a emissão de CO 2

”, sinaliza o

Diretor-Presidente. A sustentabilidade

é um dos pilares para o crescimento do

aeroporto.

A RETOMADA

A recuperação da aviação apresenta

tendência de crescimento gradual após

a queda registrada a partir de março por

causa da pandemia. A retração no movimento

de passageiros em Viracopos,

entretanto, foi menor comparada aos

outros aeroportos, e VCP está se mostrando

o mais promissor nessa retomada,

com um crescimento de mais de 42% nos

dois últimos meses.

Hoje, o aeroporto opera mais de 100

destinos nacionais e internacionais, como

Lisboa, em Portugal, e Fort Lauderdale,

nos Estados Unidos, com uma média de

100 voos por dia.


32 HORA CAMPINAS

GASTRONOMIA

Experiência

em casa

Restaurantes locais e casas tradicionais

da cidade investem em entrega própria,

menu reduzido e atendimento

personalizado na pandemia

POR PAULA CALÇADE

A GASTRONOMIA faz parte do DNA de

Campinas. Antes da Covid-19, o número

de eventos focados no turismo gastronômico

triplicou nos últimos três anos.

Um levantamento da Secretaria de Desenvolvimento

Econômico mostra que

em 2017 foram realizados 11 eventos

desse tipo na cidade, número que subiu

para 17 no ano seguinte e para 19 no

ano passado. Além de sediar festivais

e encontros, Campinas abriga restaurantes

de chefs renomados, como o

Duke Bistrot, de Érick Jacquin, grandes

redes e iniciativas locais que têm se

reinventando durante o isolamento

prolongado. Veja a seguir alguns desses

bons serviços de delivery da cidade:

FOTO DIVULGAÇÃO

Com todo cuidado

Para aqueles que apreciam opções

picantes, o restaurante asiático

Lagundri intensificou o serviço de

entrega também para as cidades

próximas a Campinas, como Itatiba,

Paulínia, Valinhos e até Sorocaba. “Não

medimos esforços!”, enfatiza o dono,

Ricardo Amaral. A casa pretende seguir

apenas na modalidade de delivery

e retirada até o fim da pandemia.

“Quando houver cura ou tratamento

eficaz para este vírus, vamos reabrir”.

De quinta a sábado, o restaurante

oferece jantar e, aos domingos, atende

apenas no almoço. Os destaques são

o Satay Kai, espetinhos de frango

com curry e amendoim; o Ninhos

do Dragão, canapés empanados

feitos com as carnes do pernil suíno

e camarão envoltos em alga nori;

além do Mie Goreng, um clássico

indonésio à base de noodles fritos.

Para todos os pratos, os clientes

customizam o grau de pimenta de 0-4

e, para curries, de 1-4. O Thai Banana

Soup feito com bananas, leite de

coco, especiarias e sorvete; e o Gulab

Jamun, um bolinho de leite indiano

servido em calda com especiarias,

são doces que surpreendem para a

sobremesa. Os pedidos devem ser

feitos no WhatsApp (19) 98254-3545.

LAGUNDRI - Rua Sampainho,

58 - Cambuí, Campinas

FOTO DIVULGAÇÃO

Do shopping à mesa

No almoço e jantar de toda a família, a filial campineira da

rede cearense Coco Bambu atende todos os dias com uma

frota própria de motoboys, que agiliza a entrega. O menu

foi adaptado para o delivery e os best-sellers da casa são o

Camarão Coco Bambu, prato com camarões recheados

com catupiry e empanados, servidos com arroz ao molho

branco, em duas versões para 3 ou 6 pessoas, e o Bacalhau

com Natas, um lombo de bacalhau em lascas sobre fatias

de batata inglesa envolvido em nata e gratinada com

queijo parmesão.

Para a sobremesa, a Cocada de Forno e o pudim ao

leite com ameixas, disponível nos tamanhos individual e

grande, são os destaques. Os pedidos podem ser feitos

pelo iFood e pelo telefone (19) 3252-8844. O restaurante

também está aberto para retiradas (take away).

COCO BAMBU - Shopping Iguatemi, Av.

Iguatemi, 777 - Vila Brandina, Campinas


33

Nápoles na geladeira

A Lastro Pizzaria é especialista em pizzas napoletanas

de longa fermentação. As massas são feitas a partir

de farinha italiana tipo 00 e passam por um processo

de 48 horas de fermentação antes de serem assadas

no forno a lenha. O delivery opera exclusivamente

via iFood, todos os dias da semana, das 18h às 23h.

No início de julho, uma nova linha de produtos

foi lançada, a Lastro Vouto, pizzas embaladas a

vácuo, prontas para serem assadas no forno, que

duram até 3 dias na geladeira e são muito práticas.

“As pizzas levam menos de 20 minutos para ficarem

prontas. Preparamos uma cartilha simples com

todas as instruções, auxiliando o cliente a realizar

esse preparo. É uma forma que encontramos de

atender essa demanda e, ao mesmo tempo, levar a

experiência para a casa”, conta Daniel Gaio, sócio

da Lastro Pizzaria. Outro destaque do cardápio

semipronto é o Kit Burrata, que contém burrata,

molho de tomate, molho pesto, tomatinhos

cereja, folhas de manjericão e um corniccione.

FOTO FABIANA MURGEL

LASTRO PIZZARIA - Av. Santa Isabel, 570 - Barão Geraldo

e Rua José Villagelin Junior, 19 - Cambuí, Campinas

FOTO DIVULGAÇÃO

Volta ao mundo culinária

Na mitologia indiana, os wãlakhilyas

são seres pequenos e fortes, como os

condimentos que dão cor e sabor aos

pratos. O Wãlakkhilya Kafé & Bistrô é

um restaurante que valoriza a

presença dos temperos nos pratos

com inspiração na Ásia e no leste

europeu. Além de executivos para o

almoço de segunda a sexta, o

cardápio oferece opções livres de

glúten e lactose, grelhados, massas,

saladas, chás especiais, sucos

funcionais, sobremesas e até cervejas

artesanais - tudo entregue pelas

chefs da casa, Gabrielle Beatriz Jung

e Flávia Palmonari. “Preferimos fazer

dessa forma para garantir a

segurança de todos, nossa e dos

clientes, assim reduzimos o risco de

contaminação no transporte. E

oferecemos um atendimento mais

cuidadoso, completamente personalizado”,

conta Flávia.

Os destaques da casa são o

arroz tailandês nas versões com

camarões e cogumelos, mignon

e vegano; e o Goulash, um prato

executivo com inspiração na culinária

húngara, com carne marinada na

cerveja, páprica picante e alecrim,

acompanhada de arroz com açafrão.

Para a sobremesa, as deliciosas

tortas de maracujá e de limão

cobertas com chocolate amargo são

as queridinhas do público, além do

pão doce com amêndoas laminadas,

passas e açúcar mascavo. Os pedidos

devem ser feitos diretamente no

WhatsApp (19) 998141-9384.

WÃLAKKHILYA KAFÉ & BISTRÔ

Av. Santa Isabel, 1.834 - Vila

Santa Isabel, Campinas


34 HORA CAMPINAS

Vozes da cidade

As dicas e os

segredos de quem

adora a região

BLÉQUE

FOTOS DIVULGAÇÃO

POR RENATA NEGRÃO*

As boas compras da região

Quatro descoladas lojas boutique, marcas autorais, designers e

artistas de Campinas

SAINT STUDIO

Bléque

“Nossos produtos são de baixo impacto para o planeta e muita

qualidade. Somos um ateliê local de Campinas e vendemos

acessórios, sapatos e bolsas. Ganhamos o Prêmio Ecoera 2019

na categoria planeta e o prêmio Abit Calçados na categoria

design de pequenas empresas. A seguir, compartilho outras

marcas autorais da nossa região. É muito bom ver a nossa

cidade crescendo e apreciar o trabalho de pessoas daqui.”

Rua Areias, 29 - Cambuí, Campinas. Compra online @blequeoficial

Saint Studio

“É uma marca local super minimalista e que eu adoro.

Estou sempre de olho na loja linda, que fica no coração do

Cambuí. A modelagem minimalista das peças, com tons monocromáticos

em preto, branco e cinza me encantam!”

Rua Dr. Carlos Guimarães, 496 – Cambuí, Campinas.

Compra online @saintstudio

Santa Costura de Todos os Panos

“Eles trabalham com malharia, como cardigans, suéteres e

camisas de botões, é uma marca perfeita para a estação! São

roupas confortáveis e modernas, que trazem muito estilo.”

Rua Dr. Vieira de Bueno, 156 – Cambuí, Campinas

Compra online @santa_costura

SANTA COSTURA DE

TODOS OS PANOS

LAPIMA

Lapima

“Além de terem a fábrica própria aqui em Campinas,

fazem os óculos de sol mais ousados e criativos que já

vi, com armações e cores que são tendências!”

Avenida Dr. Hermas Braga, 96 – Nova Campinas,

Campinas. Compra online @lapimaofficial

*RENATA NEGRÃO é empresária, designer da Bléque e influenciadora de moda


FOTO DIVULGAÇÃO

TECNOLOGIA

O “senhor” dos anéis

Com seu enorme formato circular, acelerador de partículas Sirius

consolida Campinas como capital da ciência nacional e produz as

primeiras imagens em 3D de uma das principais proteínas do coronavírus

POR KIKE MARTINS DA COSTA

CAMPINAS É UM DOS PRINCIPAIS POLOS tecnológicos

do país. Cerca de 15% de toda

produção científica nacional é originária

da cidade, que concentra centenas de entidades

de pesquisa e empresas do setor

de tecnologia. E a grande estrela dessa

constelação é Sirius, um acelerador de

partículas no formato de um gigantesco

anel, do tamanho do estádio de futebol,

com 518 m de circunferência, 15 m de

altura e 68 mil m 2 de área construída.

O nome Sirius é uma referência à estrela

mais brilhante do céu noturno, e tem tudo

a ver com o principal “produto” desse

moderno laboratório: a geração de luz

síncotron. Quando circulam pela estrutura,

os feixes de elétrons formam raios de luz

que ajudam na análise da estrutura de

materiais orgânicos e inorgânicos, como

rochas e células vivas, ao serem observados

em um poderoso microscópio. As pesquisas

feitas ali estão no limite do que a física

permite e alcançam escalas mínimas, no

nível das partículas elementares (átomos,

moléculas e outros nanocomponentes).

O projeto brasileiro tem a luz mais

brilhante do mundo, de qualidade incomparável,

e um zoom único. Apenas

em Lund, na Suécia, existe outro equipamento

tão potente. Por meio dos campos

magnéticos, os elétrons são impulsionados

até atingirem a velocidade de 1 bilhão de

km/h. Os feixes de luz síncotron produzidos

têm diâmetro 35 vezes menor do que

o de um fio de cabelo.

Na prática, aceleradores são usados

para diversas aplicações na indústria e

nas áreas de Física, Biologia, Medicina,

Ciência dos Materiais e Química, entre

outras. Na Saúde, permite um maior

entendimento sobre bactérias e unidades

intracelulares de organismos, etapa vital

na fabricação de novos medicamentos e

no combate de doenças como o câncer e o

Mal de Alzheimer. Em julho, por exemplo,

uma equipe do Sirius gerou imagens em

3D das estruturas da 3CL, uma das principais

proteínas do coronavírus e, com

isso, cientistas terão novos elementos para

descobrir como bloquear a replicação do

Sars-CoV-2 dentro do corpo humano e

encontrar a cura da Covid-19.

Na área de Energia, o Sirius pode colaborar

na criação de novas técnicas de

exploração de petróleo e gás e no desenvolvimento

de novos materiais, mais leves

e eficientes, para a produção de baterias

e para a geração de energia solar. Já na

Agricultura, as pesquisas desenvolvidas

ali auxiliam nas análises de solo e na

descoberta de fertilizantes mais eficientes

e ecológicos.

Situado às margens da SP-340 (rodovia

Adhemar de Barros), o Sirius integra o

campus do Centro Nacional de Pesquisa

em Energia e Materiais (CNPEM) e custou

R$ 1,8 bilhão para ser construído. As

obras começaram em 2012 e o início

das operações deste marco da ciência

e da pesquisa brasileira aconteceu em

novembro de 2019.


36 HORA CAMPINAS

VIAGEM

Sinta-se um

barão do café

Fazenda Águas Claras, em Itapira, é um hotel com o

selo da associação Roteiro de Charme e é o lugar ideal

para quem busca sossego e ar puro em uma centenária

propriedade rural

POR KIKE MARTINS DA COSTA

DESDE MEADOS DO SÉCULO XIX, a Mogiana é o berço de

alguns dos melhores cafés do Brasil. E um dos mais

importantes produtores dessa região naquela época

era a Fazenda Águas Claras, fundada em 1870 pelo

comendador Araújo Cintra. Instalada nos contrafortes

da Mantiqueira, a maior parte da propriedade fica em

altitudes superiores aos 1.000 m, com aquele friozinho

gostoso de noite. Com muitas nascentes de água

cristalina – não por acaso as fontes de água mineral de

Águas de Lindoia ficam a poucos quilômetros dali - os

trechos de mata nativa que ainda resistem intocados

são o lar de animais como capivaras, veados-mateiros,

siriemas e até mesmo onças.

Na década de 1940, uma segunda sede foi erguida,

maior e mais confortável. Por causa das várias crises da

cafeicultura brasileira, a fazenda acabou tendo vários

proprietários e foi se deteriorando, até que, em 1979, a

propriedade foi adquirida pela família Aranha Barbosa,

que a converteu em um exclusivo hotel com menos

de dez quartos. A reforma envolveu uma cuidadosa

restauração, para preservar as características originais

dos casarões históricos, com suas estruturas aparentes

de madeira nobre, paredes de taipa de pilão e portas e

janelas ornamentadas com altos-relevos.


37

Hoje, os hóspedes têm também a seu

dispor dois bangalôs mais afastados, com

lareira e banheira de hidromassagem –

ideais para casais apaixonados – e uma

casa rural, perfeita para famílias, com

três quartos, cozinha, ducha no quintal

e varanda com vista para o lago.

Se você é do tipo que gosta de acomodações

de luxo, com amenities de grifes

europeias, alta gastronomia, talheres de

prata e porcelanas finas, este com certeza

não é um lugar para você. A Hospedaria

da Fazenda Águas Claras oferece aos seus

hóspedes a oportunidade de vivenciar

uma experiência imersiva em uma autêntica

fazenda cafeeira do século XIX.

Os quartos são confortáveis, mas sem

ostentação e futilidades. Todos têm TV

via satélite, dock station, wi-fi, frigobar,

camas fofas, janelões amplos e sabonetes

e xampus da Granado.

Já a oferta de comidas é uma festa

para quem aprecia receitas caseiras,

reconfortantes, sem gourmetização e

com muito sabor. O café da manhã tem

café fresco no bule, pão de queijo assado

na hora, bolo saindo do forno e frutas

orgânicas recém-colhidas no pomar.

Quem quiser pode pedir ainda tapiocas

e ovos mexidos ou omeletes. Na hora do

almoço, as cozinheiras vão te enfeitiçar

com outras delícias do repertório caipira

– como a leitoa a pururuca, a galinhada e

a carne seca com abóbora – e nas noites

de sábado a melhor pedida é o festival

de pizzas preparadas no forno a lenha.

Quer mais? No fim da tarde, é servido um

lanche, com mais gostosuras preparadas

na hora, como o ultracremoso chocolate

quente e o inacreditável bolo de pão de

queijo!

De dia, a garotada se diverte andando

a cavalo, pedalando até o mirante ou se

esbaldando nas cachoeiras e na piscina.

Quem quiser, pode participar de pescarias,

acompanhar a ordenha das vacas ou ver

de perto como é feito o beneficiamento

e a torrefação dos grãos de café. O hotel

tem ainda quadras de tênis, caiaques para

quem quiser remar no lago e uma sauna

- mas essa atividade deve permanecer

interditada pelo menos até a descoberta

de uma vacina para deter a disseminação

do novo coronavírus.

Tudo na Fazenda

Águas Claras é

rústico, mas muito

aconchegante e

convidativo: desde a

piscina e os quartos

às varandas e à

cachoeira natural

Desde 2001, a Hospedaria Águas

Claras pertence à Associação de Hotéis

Roteiros de Charme, entidade reconhecida

pelo compromisso de aliar conforto

e qualidade de serviços e que tem apoio

da Unep (United Nations Environment

Programme) pelo seu Código de Ética e

Conduta Ambiental. O projeto de adaptação

da Fazenda Águas Claras para o

turismo rural se guiou por critérios como

a valorização histórico-cultural, a manutenção

das atividades agrosilvopastoris

e a preservação da natureza. As diárias

começam na faixa dos R$ 800 (para os

apartamentos na casa-sede) e vão até os

R$ 1.200 (pelos espaçosos e modernos

bangalôs da colina).

FAZENDA ÁGUAS CLARAS

Rodovia SP147, km 35 (entre Itapira e

Lindoia). As reservas podem ser feitas

pelo telefone (19) 4126-0870 ou pelo

site www.fazendaaguasclaras.com.br.

FOTOS DIVULGAÇÃO E KIKE MARTINS DA COSTA


38 HORA CAMPINAS

GASTRONOMIA

Queijos garimpados

Produtores oferecem laticínios premiados e artesanais,

disponíveis para entrega sem perder a experiência de fazenda

O NOME É SUGESTIVO: Queijos e Amigos.

Guto Campos e Carolina Nalin tinham o

hobby de garimpar os melhores queijos

e propor degustações para amigos. A

ideia agradou tanto que começaram a

promover essas experiências em condomínios,

cervejarias, eventos e na casa

de pessoas que queriam desfrutar uma

gostosa experiência com esses produtos.

“Percebemos que as pessoas têm

muita conexão afetiva com os queijos”,

conta Guto. E o que era paixão, então,

se transformou em escolha profissional.

Hoje, a marca comercializa queijos e

produtos lácteos em toda a região de

Campinas. São queijos de vaca, búfala,

ovelha e cabra, e variam de acordo

com as estações, em diferentes tipos

de maturação. A dupla propõe, também,

harmonizações com geleias e pães de

fermentação natural.

Os destaques são o queijo da Canastra

do sr. Miguel, premiado na França; a

Burrata laureada no Prêmio Queijo Brasil;

os produtos de leite de búfala do Laticínio

Montezuma; os queijos de ovelha,

incluindo queijos tipo Camembert e

Boursin; e uma linha completa de queijos

de leite de vaca e cabra do laticínio Serra

das Antas, que foi o mais premiado no 1°

Mundial de Queijos do Brasil de Araxá,

em agosto do ano passado.

“Um dos vinte queijos premiados

na categoria máxima, Super Ouro, é o

queijo tipo Taleggio e nós também temos

à venda. O queijo brasileiro tem uma

qualidade fantástica!”, exalta Carolina.

O esquema de delivery da Queijos e Amigos

para Campinas e região funciona por meio

de pedidos pelo telefone (19) 99194-7726

e instagram (@queijoseamigos).

FOTO DIVULGAÇÃO

De Minas

para casa

Há três décadas, o sítio São Benedito, em

Itapeva (Minas Gerais), introduziu as

primeiras vacas da raça Jersey na região

para produção leiteira. Em 1994, Edeval

Benati, patriarca da família, criou a

marca Cuitelo Real, produzindo queijos

prato, meia-cura, nozinho e fresco. Os

filhos Bruno e Enzo conheceram a

produção na infância e, hoje, perpetuam

os segredos dos deliciosos produtos.

Com uma alimentação baseada em

pasto, as dez vaquinhas Jersey lactantes

produzem um leite encorpado, com mais

nutrientes e com diversas bactérias da

região, garantindo sabor e textura

característicos. Todo dia às 6 horas da

manhã, como conta Enzo, o leite é

ordenhado. “Do curral, o leite parte para

a queijaria. Da cozinha, o leite se

transforma em Cuitelo Real, e de lá saem

quatro tipos de queijos; Cuitelinho,

Cuitelo 60, Cuitelo Casca Florida e

Boursin, além do iogurte, geleias e o

Doce de Leite Cuitelo Real”.

A marca conquistou Medalha de Ouro

e Bronze no Prêmio Queijo Brasil 2019,

com os queijos Cuitelo 60 e Cuitelinho.

Bruno e Enzo fazem entregas mensais

em Campinas e São Paulo e é possível

encomendar as delícias pelo telefone (35)

9203-3163 ou pelo instagram do laticínio

(@cuiteloreal). (PAULA CALÇADE)

FOTO DIVULGAÇÃO


39 COLUNA

kikecosta@uol.com.br

Agora é agro

POR

Kike

Martins da

Costa

Na pandemia, agronegócio é

a salvação da lavoura

Crise do coronavírus causa menores impactos econômicos nas regiões

do país onde a produção agropecuária é mais representativa

Além de causar a morte de dezenas de

milhares de pessoas, a crise gerada pelo

coronavírus também gerou sérios danos

à economia brasileira. Mas algumas

regiões sofreram de maneira diferenciada.

Em abril e maio – o auge das

paralisações impostas na tentativa de

conter a expansão da pandemia - a

atividade econômica no país como um

todo teve uma retração de 15,29%,

segundo o Índice de Atividade do Banco

Central (IBC-Br), indicador mensal que a

instituição usa para monitorar o ritmo da

economia.

Nesse período, estados como

Amazonas e Ceará registraram quedas de

21,44% e de 15,89%, respectivamente. Por

outro lado, em unidades da federação

onde o agronegócio é a base da economia,

o tombo foi bem menor. Em Goiás, por

exemplo, foi de 4,4%. A região Centro-Oeste

– maior produtora de soja e carne

- viu sua atividade econômica encolher

em média "apenas" 6,16%.

Na Bahia, onde a produção de algodão

e de frutas para exportação vem adquirindo

um peso cada vez maior na economia

do estado, a queda foi de 4,99%, e no

Paraná, líder na produção de trigo e de

milho, o baque foi de 11,12%.

Já no industrializado estado de São

Paulo, além da redução de 11,92% na

atividade econômica, o pior efeito da

pandemia no interior foi o surto de

desemprego no setor de eventos do

universo country & sertanejo.

Várias festas de peão estão sendo

adiadas - como a de Barretos, que foi

reagendada para outubro. Mas, na

maioria dos casos, esses eventos já

tiveram suas edições 2020 definitivamente

canceladas, pois os rodeios em geral

acontecem entre março e agosto – o

período menos chuvoso no Sudeste.

Com isso, milhares de profissionais

ficaram sem renda, como montadores,

salva-vidas, músicos e pequenos

comerciantes.

FOTO SHUTTERSTOCK

Prosa rápida

Campo no ar

Em cartaz desde o final de junho,

o AgroMais estreou no line-up

das principais operadoras de TV

por assinatura do país. O canal

tem 100% de sua grade dedicada

às informações do universo rural.

Além de boletins meteorológicos,

tem atrações apresentadas por

jornalistas especializados em

segmentos como pecuária de corte

e de leite, avicultura, suinocultura,

cultivo de soja, de milho e de café.

Colheita noturna

O Miolo Reserva Sauvignon Blanc

safra 2020 é um vinho elaborado

a partir de uvas colhidas durante

a madrugada. A operação começa

às 3h30 e termina às 6h30. “A

colheita noturna evita a oxidação e

mantém o frescor das uvas. Dessa

forma, conseguimos extrair os

melhores aromas e sabores dos

cachos de Sauvignon Blanc”, relata

o enólogo Miguel Almeida, que

trabalha na unidade da vinícola

Miolo em Candiota (RS), na

região da Campanha Meridional.

Açaí paulista

O sítio de Nelsindo Gonzalez,

em São José do Rio Preto, em

São Paulo, parece um pedaço

da Amazônia ou da Mata dos

Cocais, com a vegetação típica

dos estados do Maranhão e do

Pará. É que cinco hectares da

propriedade são ocupados por

milhares de palmeiras de açaí. Isso

mesmo: agora o superpoderoso

frutinho amazônico começa a

ser produzido no interior de São

Paulo! Nelsinho planeja ampliar

a área plantada para 7 hectares.

Depois de processado, seu açaí

é comercializado na forma de

polpa, pronta para o consumo.


SÃO PAULO

o melhor de

PROGRAMAS PARA TODAS AS HORAS DO MÊS

DE VOLTA ÀS

VELHAS E BOAS

MARMITAS

Restaurantes de gastronomia

elaborada, como o Animus, da chef

Giovanna Grossi, embalam suas

criações em charmosas e práticas

marmitinhas para atender sua ainda

receosa clientela pág.42

FOTO DIVULGAÇÃO

ARTE

Arca recebe exposição

drive thru para ser visitada

de carro pág.42

COMIDINHAS

Ko Burger serve

caprichados sandubas de

Kobe Beef pág.43

DOCES

Capim Santo lança pudins

em deliciosos sabores

pág.44

STAYCATION

Está de férias e não vai

viajar? Explore São Paulo

pág.46


42

O melhor de São Paulo

FOTOS DIVULGAÇÃO

GASTRONOMIA

Felicidade que cabe

numa marmitinha

Chef Giovanna Grossi, do restaurante Animus, embala em

marmitinhas suas receitas reconfortantes e elaboradas com

ingredientes da melhor qualidade

O Animus é o primeiro restaurante da chef Giovanna Grossi, principal

nome do Bocuse D’Or no Brasil. Lá, ela prepara receitas de inspiração

artística, com ingredientes em seu ápice, rigor técnico e apresentação

caprichada. Agora nesses tempos de delivery, oferece marmitinhas

com receitas comfort e algumas de suas criações. Tem picadinho

de fraldinha, arroz, farofa de banana, couve e ovo confitado (R$ 25),

moqueca de peixe e camarão com arroz, farofa de banana e tomate

confitado (R$ 29), cordeiro com arroz cremoso de cogumelos, farofinha

de bacon, coalhada artesanal e picles de cogumelos (R$ 27) ou ainda

polvo e camarão em molho de laranja, com purê de batata doce picante

assada e farofinha de bacon (R$ 35, foto). Para os veggies, tem quinoa

cremosa com caponata de berinjela, coalhada da casa e picles de

cebola (R$ 22). Na seção dos parmegianas, tem bife de alcatra (R$

24), filé de frango (R$ 20), berinjela (R$ 18) e camarão (R$ 26), todos

acompanhados de arroz com chips de batata.

F Rua Vupabussu, 347, Pinheiros. Pedidos pelo WhatsApp

98181-5270 ou pelo aplicativo Goomer

ARTES PLÁSTICAS

Exposição sem sair do carro

Na cidade onde o automóvel é o melhor amigo do homem, galerista promove

mostra de pinturas para ser observada sem que seja necessário sair do veículo

A DriveThru.Art é uma exposição de arte em formato drive thru

que reúne obras de 18 artistas de diferentes gerações, técnicas e

pesquisas no galpão da Arca, na Vila Leopoldina. O espaço, com mais

de oito mil metros quadrados, recebe até o dia 9 o projeto idealizado

pelo galerista Luis Maluf juntamente com Mauricio Soares e Mário

Sérgio Albuquerque. A visitação deve ser feita a bordo do seu carro,

por causa do distanciamento social imposto pelo atual cenário da

pandemia. Com hora marcada, os automóveis percorrem um circuito

criado por entre obras de artistas que trabalham em torno de questões

contemporâneas, como a representatividade das mulheres negras e

a urgência da preservação do meio ambiente. São pinturas, vídeos

e fotografias de Acidum Project, Apolo Torres, Crânio, Criola, Edu

Cardoso, Felipe Morozini, Gian Luca Ewbank, Hanna Lucatelli, Juneco

Marcos, Luiz Escañuela, Nathalie Edenburg, Patrick Rigon, Raquel

Brust, Ruas do Bem, Thasya Barbosa, Vermelho Steam, Vinicius Meio

e Vinicius Parisi. “Em comum, eles apresentam pesquisas conectadas

ao espírito do nosso tempo”, explica Maluf.

F Avenida Manuel Bandeira, 360, Vila Leopoldina, até o dia 9 de

agosto, das 13h às 21h. www.drivethru. art


kikecosta@uol.com.br

LANCHES

Onde o porco é cultuado como merece

Rede Porks inaugura na Augusta mais uma unidade de seus bares dedicados

aos chopes artesanais e petiscos à base de carne suína

FOTOS DIVULGAÇÃO

O Baixo Augusta acaba de ganhar mais uma

filial da rede curitibana Porks, especializada

em petiscos elaborados com carne suína e

chopes artesanais. As 11 unidades da rede

COMIDINHAS

comercializam mensalmente 10 toneladas

de carne suína, em sandubas, beliscos como

as pururuquinhas Porkspoca (foto). Entre

os sanduíches do cardápio, destaque para o

Porks Bacon Burger (R$ 12, com burger de

costelinha de porco, creme de cheddar e tiras

de bacon crocante) e o Pernil Municipal (R$

12, com pernil marinado por 12h e coberto

com mozzarella). Já nas novidades, vale citar

o Pork Burrito (R$ 16), feito com tortilha macia

recheada com pernil desfiado, queijo cheddar,

sour cream, cebola caramelizada e chips

de batata. Para essas gostosuras descerem

ainda mais fácil, a Porks oferece uma grande

variedade de chopes artesanais, com preços a

partir de R$ 8. Sem garçons e serviço informal,

a casa trabalha também com delivery.

F Rua Augusta, 1.292, Consolação. Pedidos

para delivery pelo app Rappi.

BAR

Bons drinques

em chinfrosas

garrafinhas

Saudades de um birinaite, né, minha

filha? Tudo bem, agora a alta

coquetelaria do bar Negroni está

disponível para delivery, assim como

suas ótimas pizzas napolitanas!

Seu novo hambúrguer favorito

Ko Burger serve suculentos sandubas preparados com a saborosa e

valiosa carne de gado bovino da raça wagyu

A KoBurger é uma hamburgueria que tem

como diferencial só trabalhar com burgers de

kobe beef de excelente procedência. Ainda

assim, consegue cobrar preços absolutamente

razoáveis – partindo de R$ 16. Isso

só é possível porque um dos sócios, Henry

Nakaya, é criador de gado da raça japonesa

wagyu. Ele comanda o negócio juntamente

com os empresários Gustavo Quattrone e

Eduardo Cocco. As receitas da lanchonete

foram desenvolvidas pelo chef Thiago Gil, que

ensinou a equipe a produzir no local todos os

molhos e condimentos usados na preparação

dos lanches. No cardápio, a estrela é o Chef´s

KoBurger (burger 100% Kobe, maionese da

casa, cebola caramelizada, queijo prato, alface,

cebola roxa, bacon crocante e molho barbecue

no brioche – R$ 25). De sobremesa, ataque

o brownie de Oreo (R$ 12). Para delivery, os

pedidos devem ser feitos pelo app iFood.

F Rua Padre Garcia Velho, 83, Pinheiros, tel.

95203-6023.

O bar Negroni está oferecendo

para entrega suas deliciosas pizzas

napolitanas e, para acompanhar, vinhos

e também alguns dos drinques de sua

carta de bebidas. Entre os coquetéis

engarrafados, destaque para o Negroni

(gim, bitter italiano e vermute tinto),

para o Rooibos (gim com infusão de

rooibos sul-africano, bitter italiano e

vermute tinto), Di Casa (gim, bitter

italiano, vermute tinto e amaro) e o

Caramel (gim com infusão de caramelo,

bitter italiano e vermute tinto). Cada

um deles é vendido em garrafinhas de

180 ml (suficiente para duas doses) e

custa R$ 68. Já entre as cinco opções

de pizzas do menu, os grandes hits

são a Napolitana (de mozzarella com

parmesão, tomate caqui, orégano

fresco e azeitonas pretas, R$ 34), e a de

Abobrinha Italiana (com queijo de cabra,

parmesão, limão siciliano e manjericão,

R$ 41).

F Rua Padre Carvalho, 30, Pinheiros.

De terça a domingo das 18h às 23h. Take

away pelo telefone 2337-4855 e delivery

pelo app iFood.


44

O melhor de São Paulo

SOBREMESA

Pudins para adoçar o confinamento

Chef Morena Leite lança pudins tentadores e em vários sabores, exclusivos

para o delivery de seus restaurantes, o Capim Santo e o Santinho

FOTOS DIVULGAÇÃO

CINEMA

Crimes em

série na

serra e na

telona

Thriller “Macabro”,

sobre os assassinatos

atribuídos a 2 irmãos de

Nova Friburgo, faz sua

estreia no autocine do

Belas Artes, que também

reabre as suas salas na

Avenida da Consolação

Memorial

Além de exibir clássicos da cinematografia

mundial, como “Apocalypse Now” e “2001

– Uma Odisseia no Espaço”, o Belas-Artes

Drive-In também está apresentando

lançamentos nacionais. Exemplo disso é o

thriller “Macabro” (foto), dirigido por Marcos

Prado e premiado nas mais recentes edições

do Brooklyn Film Festival, em Nova York, e

do Festival de Austin, no Texas. A trama do

longa é inspirada na história real de Ibrahim e

Henrique de Oliveira, os “Irmãos Necrófilos”,

que nos anos 90 foram acusados de brutais

assassinatos de oito mulheres, um homem e

Os restaurantes Capim Santo e Santinho,

com eficientes serviços de delivery de pratos

quentes criados pela chef Morena Leite

(como as moquecas e as tapiocas), agora

investe também na entrega de pudins inteiros,

em diferentes sabores, para serem compartilhados.

Eles são oferecidos em quatro opções:

tradicional (de leite), de chocolate, de doce

de leite e de castanha do Pará. Cada um custa

R$ 59 e serve, em média, 6 pessoas. Os doces

são entregues em embalagens especiais,

na própria forma em que são assados, para

garantir a integridade do produto e preservar

seu visual. Após receber, basta desenformar

e servir. Os pedidos devem ser feitos com

antecedência de pelo menos 1 dia.

F Avenida Brig. Faria Lima, 2.705 (Museu

da Casa Brasileira), Jardim Europa. Pedidos

pelos tels. 3816-0745 e 98189-0082 ou pelos

aplicativos iFood, Rappi e Uber Eats.

uma criança, na Serra dos Órgãos, em Nova

Friburgo, na Serra Fluminense. Confira os

horários em www.cinebelasartes.com.br.

Enquanto isso, o multiplex da Avenida da

Consolação reabre suas portas dia 6, com um

festival de filmes do cineasta italiano Federico

Fellini, que completaria 100 anos em 2020.

Boa oportunidade para rever filmaços como "A

Doce Vida", "E La Nave Va" e "Amarcord".

F Rua Tagipuru, s/ nº, Memorial da América

Latina (entrada pelo portão 2). Ingressos em

www.sympla.com.br a R$ 65 para cada carro

com até 4 pessoas.

PF COM GRIFE

Batista vivencia

seus dias de chef

Com menu enxuto de receitas

caseirinhas e muito bem executadas,

o braço direito de Claude Troisgros

trabalha com cinco opções disponíveis

exclusivamente para delivery

Enquanto o chef Claude Troisgros não

inaugura seu pied-à-terre paulistano, o

espaço onde em breve vai funcionar o

restaurante Chez Claude vem servindo

para que o cozinheiro paraibano Batista,

seu braço direito há 38 anos, mostre

seus talentos. No cardápio do DoBatista,

que só trabalha em sistema de delivery

com pedidos pelo aplicativo iFood, dá

para escolher entre feijoada, galinhada

com angu, picadinho e estrogonofe,

tudo muito bem temperadinho e

embalado em práticas caixas de papelão

impermeável. A comida é deliciosa, feita

com sabor e com alma, em porções que

saciam e não empapuçam, perfeitas

para o almoço ou para o jantar. A quinta

opção do cardápio é o penne do Claude,

com tirinhas de filé mignon. O preço

camarada é o mesmo para qualquer uma

dessas alternativas: R$ 38. Ah, e não

deixe de experimentar uma sobremesa

que certamente vai entrar na sua lista

de prediletas: os dadinhos de tapioca

polvilhados com açúcar e canela e

prontos para serem mergulhados em

doce de leite cremoso. Hummm...

F Rua Prof. Tamandaré Toledo, 25,

Itaim, tel. 3071-4228. Pedidos pelo

aplicativo iFood.


kikecosta@uol.com.br

FOTOS DIVULGAÇÃO

CELEBRAÇÃO

Dia dos Pais com delícias

japonesas

Para as famílias celebrarem esta data, o restaurante Aizomê

preparou duas opções para delivery ou para consumir no

local, com incríveis criações da chef Telma Shiraishi

Para este Dia dos Pais, a premiada chef Telma Shiraishi, do

restaurante japonês Aizomê, oferece duas opções de cardápios,

que podem ser consumidas nos salões do casarão no Jardim

Paulista ou na sua casa. O kit Sukiyaki para duas pessoas custa

R$ 200 e inclui 200g de contra-filé fatiado, tofu, rolinhos de

acelga, horenso (espinafre japonês), ovas, flor de cenoura,

cogumelos shiitake e enoki, caldo e macarrão tipo udon. A outra

alternativa é uma refeição completa com entrada, prato principal

e sobremesa que custa R$ 235 por pessoa e inclui tamboril e siri

mole karaage no molho ponzu, kaisen ju (arroz temperado para

sushi com algas, ovas, ouriço, vieiras e fatias de atum), magret de

pato ao molho de laranjinha kinkan com cogumelos e vegetais da

estação e, para finalizar, ópera de matchá e doce de feijão com

frutas vermelhas. Garanto que o seu pai vai te admirar ainda mais

se tiver a oportunidade de degustar essas maravilhas!

F Alameda Fernão Cardim, 39, Jardins. Reservas e pedidos até

o dia 7 pelo tel. 2222-1176 ou pelo WhatsApp 97247-3862.


46

O melhor de São Paulo

VIAGEM SEM SAIR DA CIDADE

Explore São Paulo

como um turista

Agora que somos ‘persona non grata’ em vários países, o negócio é

se divertir por aqui mesmo. Descubra uma São Paulo que muitos

estrangeiros conhecem e pela qual nós, brasileiros, jamais nos

aventuramos

FOTOS DIVULGAÇÃO

POR KIKE MARTINS DA COSTA

ENQUANTO O “NOVO NORMAL” ainda impõe restrições para quem

pretendia viajar para alguns destinos distantes, uma nova e

interessante modalidade de turismo surgiu nos Estados Unidos: a

“staycation” – fusão dos termos ‘stay’ (ficar) com ‘vacation’

(férias). Aproveite esse momento para conhecer algumas atrações

da capital do estado, São Paulo, que poucos brasileiros visitam e

que, cada vez mais, vêm encantando turistas estrangeiros que

chegam por aqui e se surpreendem com a natureza, a criatividade

e a história dos paulistanos.

CITY TOUR SEM TRÂNSITO

Como visitar 20 diferentes atrações turísticas da cidade de São Paulo

em apenas 30 minutos? De helicóptero, oras! Com saída do Campo de

Marte, os voos panorâmicos passam pela Catedral da Sé, pelo Mercadão

Municipal, pela Estação da Luz, pela Avenida Paulista, pelo Parque do

Ibirapuera, pelo Museu do Ipiranga e pelo Estádio do Pacaembu, entre

outros marcos da paisagem paulistana. O pacote para até três passageiros

sai por R$ 1.925, e o voo com cinco passageiros custa R$ 3.850. Para

mais informações e reservas, acesse WWW.AROUNDSP.COM.BR

TODO DIA É DIA DE ÍNDIO

Pouca gente sabe, mas existem duas tribos

indígenas dentro do município de São Paulo.

Em uma excursão com 10 horas de duração,

você poderá visitar a aldeia Tenondê Porã e

conhecer a cultura, os costumes e as danças

tradicionais desses índios da etnia guarani.

Eles vivem em casas de alvenaria em uma área

demarcada de 16 hectares no extremo sul da

cidade, em Parelheiros. Lá, fazem artesanato

com penas e sementes e cultivam mandioca,

feijão, milho e frutas de todo tipo. O tour inclui

um almoço preparado ali, na hora, e não é

barato – custa US$ 300 por pessoa -, mas é uma

experiência memorável e boa parte desse valor

financia projetos para a comunidade da aldeia.

Reservas no site WWW.GREGTUR.COM.BR


kikecosta@uol.com.br

SEGREDOS DO

IBIRAPUERA

Explore e conheça o Parque

do Ibirapuera de uma maneira

diferente. A Ibira Walking Tour

começa no mirante no alto

do prédio do Museu de Arte

Contemporânea (MAC) e em

seguida desbrava atrações

como o Mausoléu do Obelisco,

o Pavilhão Japonês, o Museu

de Arte Moderna (MAM),

o Jardim das Esculturas, a

Oca, o Auditório Ibirapuera

e o Museu AfroBrasil. No

final, rola um piquenique no

gramado da Praça da Paz. O

ingresso, por pessoa, custa

R$ 30, e as reservas podem

ser feitas no site WWW.

BEMSAOPAULO.COM.BR

CADA PASSO UMA HISTÓRIA

Caminhando por 3 horas pelas ruas do centro, o historiador

Giuliano Orlando guia grupos de até dez pessoas por marcos

históricos e arquitetônicos da metrópole. O roteiro começa

com uma visita ao terraço no alto do Edifício Copan, passa pelo

Theatro Municipal, pela Prefeitura, pelo Mosteiro de São Bento,

pelo Prédio Martinelli (o primeiro arranha-céu da América

Latina) e pelo Páteo do Collégio, para terminar na Praça da

Liberdade, em meio a gostosuras da culinária japonesa. Muito

bem avaliado por gringos do mundo todo, o tour custa R$ 145 e

pode ser contratado no site WWW.GETYOURGUIDE.COM.BR

ARTE NA FAVELA

Paraisópolis é a segunda maior favela de São Paulo,

com cerca de 25 mil moradores. Neste surpreendente

passeio, você descobrirá que nem tudo é pobreza por lá.

Paraisópolis é um hub de empreendedorismo e modelo

de organização comunitária. Caminhando com seu guia

pelas ruelas, você terá a chance de conhecer projetos

sociais (como o Ballet de Paraisópolis e a Horta na Laje)

e os ateliês de artistas como o mecânico Berbela, que cria

obras incríveis com todo tipo de sucata, e o jardineiro

Estevão, conhecido como “Gaudí brasileiro”, que mora em

uma casa-museu toda feita com peças de plástico e cacos

de louça. O tour termina com um almoço no Bistrô Mãos

de Maria. O preço por pessoa é R$ 350, e as reservas

podem ser feitas em WWW.AIRBNB.COM.BR/EXPERIENCES


48

O melhor de São Paulo

FOTOS DIVULGAÇÃO

CAMINHADA NA MATA ATLÂNTICA

Neste passeio de 4 horas, é possível explorar o Parque Estadual da Cantareira,

uma magnífica reserva florestal na zona Norte de São Paulo. Caminhando

pelas trilhas, seu guia vai te revelar espécimes pouco conhecidos da flora

e fauna nativas da Mata Atlântica. Com sorte, dá para avistar bugios,

tucanos e quatis. Da Pedra Grande, um enorme bloco de granito, dá para

se ter uma fantástica vista da metrópole, ali ao longe. O tour passa ainda

por cachoeiras de águas límpidas e termina no restaurante e antiquário

Velhão, onde é servido um almoço com comidas preparadas no fogão a

lenha e oferecida uma degustação de cachaças artesanais. Custa R$ 800

por pessoa, e as reservas devem ser feitas em WWW.GREGTUR.COM.BR.

CRUZEIRO À PAULISTANA

Quem disse que praia de paulistano é

shopping center? A Represa de Guarapiranga

é rodeada de muito verde e

tem trechos com água limpa, própria

para nado ou esportes aquáticos.

Contate a Vivant (WWW.VIVANTSP.

COM.BR) e agende um passeio de

duas horas para dois adultos e até

duas crianças por apenas R$ 500

(incluindo sucos, refrigerantes,

água, amendoim, toalhas e pranchas

de stand up paddle). O itinerário

passa pela Ilha dos Macacos, pelo

Solo Sagrado e pela praia da Riviera

Paulistana. Para grupos maiores,

contate a empresa e promova uma

confraternização customizada com

seus amigos ou colegas de trabalho.


kikecosta@uol.com.br

PEDALADAS COM ARTE URBANA

Este passeio de bicicleta, com saída da Avenida Paulista, passa por murais,

paredões de prédios e vigas que ostentam obras dos mais talentosos

grafiteiros da Pauliceia. O percurso passa pelos baixios do Minhocão e pelo

Vale do Anhangabaú até chegar ao Museu Aberto de Arte Urbana (MAAU),

com pinturas fantásticas nas colunas da linha elevada do metrô, perto do

Parque da Juventude, onde funcionava o Presídio do Carandiru. Cada participante

paga R$ 403 e tem direito a uma bike, capacete de proteção e

água mineral à vontade. Reservas pelo site WWW.VIATOR.COM.BR.

A EXUBERANTE FLORA

PAULISTANA

Passear pelo Jardim Botânico já é uma

experiência e tanto. Guiado por um biólogo,

torna-se uma atividade fantástica! Você

será conduzido pelas atrações do parque

com explicações e curiosidades históricas.

No Jardim dos Sentidos, será estimulado

a usar o tato, o olfato e o paladar para

identificar temperos e, no Jardim de Lineu,

encontrará um paisagismo peculiar em

meio às esculturas e às estufas. O tour

passa também pela nascente do Riacho do

Ipiranga, pelo Orquidário e pelo Lago das

Ninféias, povoado por “primas” da amazônica

Vitória Régia. Com sorte, você avistará ainda

macacos, bichos-preguiça, aves e lagartos

em seu habitat natural. O preço por pessoa

é R$ 60, e as reservas podem ser feitas em

WWW.AIRBNB.COM.BR/EXPERIENCES.


50 COLUNA

Hora livre

texto

Luiz Toledo

yestoledo@gmail.com

arte

André Hellmeister

andre@collages.com.br

Contando os dias,

observei as horas.

Sentindo as horas,

reparei nos minutos.

Percebendo os

minutos, respirei

os segundos.

Aí troquei o relógio

por uma manga.

E só então vivi

o presente.


CHEGOU O

29HORAS Play

A 29HORAS TEM A TRILHA SONORA PERFEITA PARA

TE ACOMPANHAR POR ONDE QUISER!

Curta uma variedade de playlists, com

seleções para todos os gostos, disponíveis

no streaming. Além de um conteúdo musical

exclusivo aqui na revista 29HORAS, em

parceria com a Tecla Music Agency.

Tem coisa boa rolando por aqui!

Para acessar é muito fácil, basta

ter o app do Spotify instalado e

seguir os próximos passos:

1 Abra

2

3

Clique

Clique

para pesquisar

e escaneie

@teclamusicagency

More magazines by this user
Similar magazines