Revista Coamo - Dezembro/2021 - Janeiro/2022

blzinfo

Revista Coamo - Dezembro/2021 - Janeiro/2022

COAMO ANTECIPA R$ 194 MILHÕES EM SOBRAS PARA OS COOPERADOS

revista

www.coamo.com.br

dezembro/2021 - janeiro/2022 ano 47 edição 520

PECUÁRIA

Coamo reestrutura

assistência veterinária

nas unidades

CREDICOAMO

Cooperativa se credencia

como agente financeiro

do BNDES

NOVO TERMINAL PORTUÁRIO

Cooperativa investiu mais de R$ 200 milhões na construção do novo complexo

em Paranaguá para atender as exportações de grãos e farelos dos cooperados


expediente

Órgão de divulgação da Coamo

ano 47 | edição 520 | dezembro de 2021 - janeiro de 2022

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO COAMO

Ilivaldo Duarte de Campos, Wilson Bibiano Lima, Ana Paula Bento Pelissari Smith,

Antonio Marcio dos Santos, Ruthielle Borsuk da Silva, Raquel Sumie Eishima,

Aline Aristides Bazán e Kamilly Santana Cazotto.

Contato: (44) 3599-8129 - comunicacao@coamo.com.br

Jornalista responsável e Editor: Ilivaldo Duarte de Campos

Reportagens e fotos: Antonio Marcio dos Santos, Wilson Bibiano Lima, Ana

Paula Bento Pelissari Smith, Ruthielle Borsuk da Silva e Ilivaldo Duarte de Campos

Edição de fotografia: Antonio Marcio dos Santos e Wilson Bibiano Lima

Contato publicitário: Agromídia Desenvolvimento de Negócios Publicitários

Contato: (11) 5092-3305

Contato publicitário: Guerreiro Agromarketing Contato: (44) 3026-4457

Acompanhe a Coamo pelas redes sociais

É permitida a reprodução de matérias, desde que citada a fonte. Os artigos assinados ou cita-dos

não exprimem, necessariamente, a opinião da Revista Coamo.

COAMO AGROINDUSTRIAL COOPERATIVA

SEDE: Rua Fioravante João Ferri, 99 - Jardim Alvorada. CEP 87308-445. Campo Mourão - Paraná - Brasil. Telefone (44) 3599.8000 - Caixa Postal, 460 - www.coamo.com.br

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO: Presidente: Engenheiro Agrônomo, José Aroldo Gallassini. MEMBROS VOGAIS: Claudio Francisco Bianchi Rizzatto, Ricardo Accioly Calderari,

Joaquim Peres Montans, Anselmo Coutinho Machado, Emilio Magne Guerreiro Júnior, Wilson Pereira de Godoy, Rogério de Mello Barth e Adriano Bartchechen.

CONSELHO FISCAL: Jonathan Henrique Welz Negri, Sidnei Hauenstein Fuchs e Igor Eduardo de Mello Schreiner (Membros Efetivos). Vander Carlos Furlanetto, Edilson Alberto Kohler

e Jorge Luiz Tonet (Membros Suplentes).

DIRETORIA EXECUTIVA: Presidente Executivo: Airton Galinari. Diretor Administrativo e Financeiro: Antonio Sérgio Gabriel. Diretor Comercial: Rogério Trannin de Mello. Diretor

Industrial: Divaldo Corrêa. Diretor de Logística e Operações: Edenilson Carlos de Oliveira. Diretor de Suprimentos e Assistência Técnica: Aquiles de Oliveira Dias.

Extensão Territorial: 4,5 milhões de hectares. Capacidade Global de Armazenagem: 6,59 milhões de toneladas. Receita Global de 2020: R$ 20,003 bilhões. Tributos e

taxas gerados e recolhidos em 2020: R$ 466,95 milhões. Cooperados: mais de 30 mil. Municípios presentes: 73. Unidades: 111.

dez/21-jan/22 revista

3


sumário

32

Isaria fumosorosea 1296

Mantenha a cigarrinha-do-milho

do lado de fora da porteira

IDEAL PARA MANEJO

INTEGRADO DE PRAGAS (MIP)

INDICADO PARA MANEJO

DE RESISTÊNCIA

DE INSETOS-PRAGA

A INSETICIDAS QUÍMICOS

PRESERVA OS INIMIGOS

NATURAIS DAS PRAGAS

Antecipação de Sobras

SAIBA MAIS SOBRE O

SISTEMA INTEGRADO

KOPPERT

Família Paschoal, de Cruzmaltina (PR), é exemplo koppert.com.br de trabalho e união. Os irmãos Dorival

e Daniel receberam do pai a missão de continuar com a atividade agrícola, e agora estão

passando os trabalhos para os filhos Silvano (Dorival) e Maria Caroline e Lucas (Daniel)

4 revista

Registro no MAPA: 30.917

Octane® é um bioinseticida com eficiência agronômica comprovada

ATENÇÃO: SIGA RIGOROSAMENTE AS INSTRUÇÕES CONTIDAS NO RÓTULO, NA BULA E RECEITA. UTILIZE SEMPRE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL. NUNCA PERMITA

A UTILIZAÇÃO DO PRODUTO POR MENORES DE IDADE. FAÇA O MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS. DESCARTE CORRETAMENTE AS EMBALAGENS E RESTOS DE PRODUTOS. USO

EXCLUSIVAMENTE AGRÍCOLA.

CONSULTE SEMPRE UM ENGENHEIRO AGRÔNOMO.

VENDA SOB RECEITUÁRIO AGRONÔMICO.

dez/21-jan/22

no controle da cigarrinha-do-milho (Dalbulus maidis).


índice

Entrevista

10

Aline Dotta, há mais de 18 anos trabalha como consultora na área de desenvolvimento de pessoas.

Para ela, o papel das cooperativas é unir as pessoas e compartilhar resultados

Novo Terminal Portuário

14

Cooperativa investiu mais de R$ 200 milhões na construção do novo complexo portuário em

Paranaguá para atender as exportações de grãos e farelos. Inauguração foi no dia 09 de dezembro

Pecuária

20

Coamo está ampliando a assistência veterinária em todas as unidades aos cooperados com o

objetivo de oferecer o melhor atendimento em todos os segmentos da produção agropecuária

Credicoamo

Cooperativa de crédito se credenciou ao BNDES como agente financeiro. Outras novidades são

o pagamento de juros sobre o capital social e o lançamento do novo site da Credicoamo

26

46

Sobras

Foram antecipados R$ 194 milhões para os mais de 30 mil

cooperados, conforme a movimentação de cada um na cooperativa

na entrega da soja, milho e trigo e aquisição de insumos

Tempo de Casa

52

Diretoria da Coamo homenageou 14 funcionários que completaram 40 anos de casa. Em 2021,

foram 380 funcionários acima de dez anos, sendo 29 com 30 anos e 14 com 40 anos

dez/21-jan/22 revista

5


governança

Um ano difícil, mas muito positivo

Encerramos 2021 agradecendo

a Deus pela saúde,

energia e tudo o que vivemos

e conquistamos. Foi um ano

em que novamente convivemos

com a Covid-19 que ceifou muitas

vidas, mas esperamos voltar

em breve ao estado normal em

2022. Juntamente com o vírus,

no campo da agricultura enfrentamos

problemas climáticos que

prejudicaram as safras de milho

e trigo, provocando redução no

volume de produção e na renda

dos agricultores.

Mas, felizmente, terminamos

o ano de maneira positiva,

para a satisfação dos nossos

mais de 30 mil cooperados, mais

de 8,5 mil funcionários e de toda

a nossa família cooperativista nos

Estados do Paraná, Santa Catarina

e Mato Grosso do Sul.

Como resultado do trabalho

e transparência da nossa

administração, no dia 13 de dezembro,

efetuamos aos cooperados

o pagamento de parte das

sobras do exercício 2021 no valor

de R$ 194 milhões, provenientes

da fixação de soja, milho e trigo

até 30 de novembro, e do abastecimento

dos insumos. Esse

dinheiro nessa época do ano é

considerado o 13º do agricultor

cooperado da Coamo e faz a alegria

deles e das comunidades

onde eles residem.

Diferente dos anos anteriores,

em 2021, o número

presencial de cooperados nos

entrepostos foi menor no dia

da antecipação das sobras em

função das nossas orientações

preventivas quanto ao Covid-19

e pela facilidade do uso do Aplicativo

Coamo, que possibilitou

aos cooperados conhecerem na

palma da mão os valores das suas

sobras, depositadas em suas contas

bancárias. Foi um trabalho de

equipe e uma estratégia funcional,

elogiada pelos cooperados.

O número final do exercício

2021 será conhecido na

Assembleia Geral Ordinária que

será realizada em fevereiro do

próximo ano, mas preliminarmente,

podemos informar que os valores

do faturamento e das sobras

serão históricos e, portanto, os

maiores na história da Coamo em

seus 51 anos de existência.

A performance da Coamo

é comemorada pelos cooperados,

que contam com muitos

serviços nos 73 municípios da

nossa área de ação. A cooperativa

contribui para o desenvolvimento

local e regional por meio

da geração de empregos, renda

e qualidade de vida.

Por fim, agradecemos

por este ano abençoado e desejamos

um Feliz Natal e próspero

2022 a todos: cooperados, funcionários,

clientes, fornecedores,

consumidores e familiares.

Com muita saúde, união, fé e

amor, com o desejo de que os

seus sonhos sejam realizados

com fartas colheitas, e ao lado

dos seus, sejam felizes em cada

dia do novo ano.

"A performance da

Coamo é comemorada

pelos cooperados, que

contam com uma

gama muito grande de

serviços. A cooperativa

contribui para o

desenvolvimento local

e regional por meio

de empregos, renda e

qualidade de vida."

JOSÉ AROLDO GALLASSINI,

Presidente dos Conselhos de Administração Coamo e Credicoamo

dez/21-jan/22 revista

7


gestão

Metas cumpridas

Ao final de cada safra, avaliamos os pontos

fortes e os que devem ser aprimorados visando

a excelência das nossas atividades

para cumprir a missão da Coamo em prol dos seus

cooperados. As safras são colhidas, cada vez mais,

em um menor tempo e para que tenham êxito, faz-

-se necessário um eficiente planejamento com modernas

estruturas e profissionais capacitados para

a recepção e o escoamento ágil da produção dos

nossos mais de 30 mil cooperados.

Em 2021, foi grande o trabalho realizado, e

novamente registramos com satisfação uma sintonia

entre cooperados e cooperativa, motivada pela expressiva

participação com credibilidade, fruto dos

valores e da essência do cooperativismo propagado

pela Coamo nesses 51 anos de atuação.

Vencemos os desafios e nesta relação, todos

ganham e se sentem felizes e seguros, pois a Coamo

trabalha o ano todo para facilitar a vida dos seus

cooperados e, também, oportunizar a eles, empresários

rurais, produtos e serviços de qualidade que

impulsionem o desenvolvimento das suas atividades

agropecuárias.

Desta maneira, a Coamo realiza um cooperativismo

de resultados, sendo a casa dos cooperados

e o lugar onde eles, têm acesso a tudo o que

precisam para exercer com sucesso a sua vocação

de produtores de alimentos para o Brasil e o mundo.

A cooperativa cumpre este papel de cooperar com

eles e cooperar para eles, para produzir e crescer no

agronegócio.

Pensando nos cooperados e em melhorar a

agregação de renda nas suas atividades, a Coamo

vai crescendo e inovando, sendo referência no seu

segmento, de olho nas oportunidades, no mercado

e nos resultados para os cooperados. Exemplo disso

foi a inauguração dia 9 de dezembro do Terminal

Portuário 2 em Paranaguá, que irá ampliar a estrutura

para exportação da produção do quadro social.

Este é o papel da Coamo: com transparência,

credibilidade e a participação de todos, levamos

conhecimento, informação com qualidade,

"Em 2021 foi grande o trabalho

realizado e novamente registramos

com satisfação uma grande sintonia

entre cooperados e cooperativa."

tecnologias modernas e o desenvolvimento com

segurança para os cooperados produzirem de forma

sustentável.

Neste fim de ano, em nome da diretoria Executiva,

agradecemos a confiança e o apoio de todos

– a participação dos cooperados, o profissionalismo

e a competência dos funcionários e desejamos um

feliz e Santo Natal, e um ano novo com novos sonhos,

novos desafios e boas colheitas.

AIRTON GALINARI

Presidente Executivo da Coamo

dez/21-jan/22 revista

9


entrevista

Aline Dotta, psicóloga, mestre em neuromarketing pela Florida Christian University, com diversas formações em gestão de pessoas

e dinâmica dos grupos. Há mais de 18 anos trabalha como consultora na área de desenvolvimento de pessoas, equipes e líderes em

diversos ramos de atuação. É professora e possui sólido conhecimento em práticas e implantação de processos de recursos humanos.

10 revista

dez/21-jan/22


ALINE DOTTA

Psicóloga, mestre em neuromarketing pela Florida Christian University, com formação em gestão de pessoas e dinâmica dos grupos

"Resgatar a humanidade é o legado da pandemia."

“ As ações envolvendo

toda a família

são um grande diferencial

da Coamo, já que

olhar para a família é pensar

na sustentabilidade da

cooperativa. Todas essas

ações contribuem para estruturar

a cultura organizacional

desde o entorno, favorecendo

a convergência

na tomada de decisões, na

busca por melhores resultados

e, inclusive, fomentando

o surgimento de novos

líderes, que serão de suma

importância no futuro.” A

frase é de Aline Dotta, psicóloga,

mestre em neuromarketing,

com diversas

formações em gestão de

pessoas e dinâmica dos

grupos. Há mais de 18 anos,

ela trabalha como consultora

na área de desenvolvimento

de pessoas. Ela diz

que a Coamo sempre foi um

sonho, por ser referência no

agro, pelo seu pioneirismo

e pela grandiosidade dos

seus projetos.

Revista Coamo: Como avalia a

atuação das cooperativas no trabalho

junto aos cooperados e familiares,

e às comunidades onde

estão inseridas?

Aline Dotta: Acredito que a

atuação e o papel das cooperativas

nesses ambientes são de

extrema importância, por levar

conhecimento, práticas e firmar

parcerias seguras, profissionalizando

o agronegócio. Afinal,

essa é a essência do cooperativismo:

unir as pessoas e compartilhar

resultados.

RC: Como se sente em ajudar a

desenvolver funcionários, cooperados

e familiares? Qual é a

importância desta evolução neste

período pandêmico?

Aline: Sinto-me muita honrada

em contribuir com o desenvolvimento

dos funcionários, cooperados

e familiares. Comecei a

trabalhar com o agronegócio em

2005 e me apaixonei por este

universo. A Coamo sempre foi

um sonho, por ser referência no

agro, pelo seu pioneirismo e pela

grandiosidade dos seus projetos.

Quando iniciamos os trabalhos

em conjunto com a Coonect.se

me surpreendi positivamente ao

conhecer a realidade da cooperativa.

Da mesma forma, sempre

acreditei na minha profissão

como psicóloga e levar conhecimento

em um período tão desafiador

fez e faz com que todo

o estudo e esforço que busco

valha a pena. Gosto de lembrar

da primeira aula online durante

a pandemia, que era justamente

da disciplina de Inteligência

Emocional e Gestão de conflitos.

Era uma novidade para todos

nós e tivemos que aprender juntos

a desenvolver a aula online e

ao vivo, exigindo que colocássemos

em prática tudo aquilo que

estávamos discutindo. Entendo

que além de conteúdos escolhidos

e alinhados com o time da

área de Gestão de Pessoas da

Coamo, sempre estamos conectados

com a prática e é isso que

faz a diferença: a prática, a ação.

dez/21-jan/22 revista 11


entrevista

"A COAMO SEMPRE FOI UM SONHO, POR SER REFERÊNCIA NO AGRO,

PELO SEU PIONEIRISMO E GRANDIOSIDADE DOS SEUS PROJETOS."

RC: As mulheres cooperativistas

vêm aumentando sua participação

no agronegócio, seja a frente

dos negócios ou na manutenção

do lar. Como você avalia esta afirmação?

Aline: Eu percebo esta afirmação

como um dado de realidade.

Estamos sim conquistando um

espaço considerável no agronegócio,

cada vez mais envolvida,

seja a frente das empresas ou na

manutenção do lar, sendo um pilar

importante para que o entorno

funcione. Sabemos que ainda

temos muito a conquistar, mas os

primeiros passos já foram dados.

Minha expectativa é que, independentemente

sendo mulher

ou homem, que possamos focar

nas qualidades de todos.

RC: A Coamo possui ações para

todos, envolvendo toda a família,

homens e mulheres. Como analisa

esta visão e atuação da cooperativa?

Aline: Essas ações são um grande

diferencial da Coamo, já que

olhar para a família é pensar na

sustentabilidade da cooperativa.

Todas essas ações contribuem

para estruturar a cultura organizacional

desde o entorno, favorecendo

a convergência na tomada

de decisões, na busca por

melhores resultados e, inclusive,

fomentando o surgimento de novos

líderes, que serão de suma

importância no futuro. Este é um

grande diferencial para quem

tem olhos para o futuro, ainda

mais em um ambiente que tem

um alto grau de exigência em

relação aos profissionais e prestadores

de serviços.

RC: Como psicóloga, você acompanhou

bem estes últimos meses

de Pandemia. O que mudou para

as pessoas, no trabalho e nas relações

do dia a dia?

Aline: Durante a Pandemia muita

coisa mudou. Acredito que todos

passamos por, pelo menos,

um período de tristeza, medo e

insegurança, na vida pessoal e

no trabalho. É um desafio tirar

algo positivo de toda essa experiência,

mas é possível. A meu

"Além de conteúdos

escolhidos e alinhados,

sempre estamos

conectados com a

prática, e é isso que faz

a diferença."

Aline Dotta, há mais de 18 anos trabalha como consultora na área de desenvolvimento de pessoas

12 revista

dez/21-jan/22


ver, resgatar a humanidade é o

legado que a pandemia deixa,

já que todos vimos atos de solidariedade

em diferentes lugares

do mundo. Isso resgata a esperança

e nos coloca no mesmo lugar,

sendo mais humanos, tendo

mais empatia, valorizando a vida.

Além disso tudo, a nossa disposição

a nos adaptar e prezar pelas

pessoas que são importantes

para nós, foram lições que esses

últimos meses nos mostraram.

Com a vacinação estamos vendo

uma luz no fim do túnel, e a

torcida para que tudo isso acabe.

Sei que o desejo de todos é que

possamos voltar ao “normal”, mas

eu não acredito que voltaremos

a ser “normais” como antes. Com

tudo o que presenciei, acredito e

desejo que voltaremos melhores,

mais humanos, respeitando a si e

aos outros.

RC: Quanto a saúde emocional e

mental, como será a normalidade

e naturalidade?

Aline: Normalidade é um termo

muito complexo. Acredito que,

em meio a tantos sentimentos

de tristeza, insegurança e medo,

ficamos frágeis. Também entendo

que, a partir de valiosos

aprendizados, de tudo o que vivenciamos,

tivemos a oportunidade

de colocar em um lugar de

importância aquilo que sempre

foi valioso: nossa saúde mental

e emocional. Aprendemos a reconhecer

a importância de estarmos

bem emocionalmente,

já que, quando estamos bem

emocionalmente, conseguimos

enfrentar os desafios com mais

força. Por isso, gostaria de reforçar

a importância de aprender

a reconhecer nossos limites, investir

no autoconhecimento e,

sempre que necessário, buscar

ajuda profissional especializada.

Quando estamos com algum

problema no coração, procuramos

um cardiologista. Quando

estamos com alguma dúvida

em relação a visão, procuramos

um oftalmologista. Já quando

a angústia está relacionada às

nossas emoções, tendemos a

procurar diversas especialidades,

menos as que estudam e

são preparadas para isso: psicólogos

e psiquiatras. Que possamos

fazer diferente e buscar

as pessoas aptas a solucionar

questões emocionais.

RC: Deixe sua mensagem aos

cooperados e funcionários da

Coamo.

Aline: Em nome da Coonect.

se agradecemos por mais um

ano de parceria e contribuição,

levando conhecimentos relevantes

para o desenvolvimento

de todos. Desejamos um Natal

na sua essência: comemorar a

vida! Que o nascimento de Jesus

possa renovar a nossa fé, nossa

esperança e nossa força para o

próximo ano que está chegando.

Feliz Natal, Feliz Ano Novo a

todos os colaboradores, associados

e comunidade Coamo. Que

possamos viver novos e grandiosos

desafios no próximo ano.

"Durante a Pandemia

muita coisa mudou.

Acredito que todos

passamos por, pelo

menos, um período

de tristeza, medo e

insegurança, na vida

pessoal e no trabalho.

É um desafio tirar algo

positivo de toda essa

experiência, mas é

possível."

dez/21-jan/22 revista 13


investimento

José Aroldo Gallassini, presidente do Conselho de Administração da Coamo, Ratinho Júnior, governador

do Paraná, e Marcelo Roque, prefeito de Paranaguá, com a placa de inauguração do novo Terminal Portuário

COAMO INAUGURA TERMINAL

PORTUÁRIO EM PARANAGUÁ

Evento contou com a participação da diretoria da Coamo, do governador

do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior, secretários de Estado, autoridades

e lideranças do cooperativismo e do Porto de Paranaguá

14 revista

dez/21-jan/22


Novo complexo atenderá exportações de grãos e farelos. São três silos de 26.500 toneladas cada, que adicionado ao

armazém que já existia, de 70 mil toneladas, somam cerca de 150 mil toneladas de capacidade estática no terminal

Foi inaugurado no dia 09 de

dezembro, em Paranaguá

(Leste do Paraná), o Terminal

Portuário II da Coamo Agroindustrial

Cooperativa. Foram investidos

mais de R$ 200 milhões

na construção do novo complexo

para atender as exportações

de grãos e farelos. São três silos

de 26.500 toneladas cada, que

adicionado ao armazém que já

existia, de 70 mil, somam cerca

de 150 mil toneladas de capacidade

estática no terminal. Participaram

do evento de inauguração

a diretoria da Coamo, o governador

do Paraná, Carlos Massa Ratinho

Junior, secretários de Estado

e autoridades do cooperativismo

e do Porto de Paranaguá.

A Coamo tem atuação

no Porto de Paranaguá desde

1990, é a maior exportadora do

Paraná e está entre as principais

empresas exportadoras do Brasil.

O novo terminal conta com

cinco moegas, com capacidade

operacional para recebimento

de 1.380 toneladas/hora, e tombadores

para caminhões que facilitam

o fluxo da movimentação

no corredor de exportação. Somados

ao outro terminal existente,

a cooperativa tem capacidade

para embarque de até sete mil

toneladas/dia.

A Coamo exportou em

2020 um total de 4,5 milhões

de toneladas de grãos e farelo

de soja, grãos de milho, com

movimento de 1,5 bilhão de dólares.

No mesmo ano, a Coamo

recebeu nas 114 unidades, em

73 municípios, o montante recorde

de mais de nove milhões

de toneladas de produtos, que

representa 3,6% da produção

brasileira de grãos. “Este investimento

faz parte da nossa visão

estratégica de crescimento. O

volume de exportações aumenta

a cada ano, acompanhando o

crescimento da Coamo”, destaca

o presidente do Conselho de

Administração da Coamo, José

Aroldo Gallassini.

Ele lembra que os investimentos

agilizarão o fluxo de

produtos da cooperativa. “Ao

longo desses mais de 30 anos,

dez/21-jan/22 revista 15


investimento

COAMO TEM ATUAÇÃO EM PARANAGUÁ DESDE 1990, É A MAIOR EXPORTADORA

DO PARANÁ E ESTÁ ENTRE AS PRINCIPAIS EMPRESAS EXPORTADORAS DO BRASIL

temos uma parceria sólida com

os governos Estadual e Federal.

Estamos promovendo investimentos

importantes. Tudo isso

faz parte de uma visão estratégica

da cooperativa, para atender

a demanda dos nossos mais de

30 mil cooperados nos Estados

do Paraná, Santa Catarina e Mato

Grosso do Sul. Sozinhos, nossos

cooperados jamais conseguiriam

exportar. Assim, com qualidade,

rastreabilidade e produção sustentável,

podemos atender as

demandas dos mercados interno

e externo”, ressalta.

De acordo com Gallassini,

o Porto de Paranaguá tem uma

importância para o setor agrícola

e econômico. “Estamos promovendo

investimentos constantes.

Temos orgulho de participar e

colaborar para o desenvolvimento,

desta importante e histórica

cidade, por meio da geração de

empregos, renda e impostos.

Com este novo terminal teremos

uma melhoria da estrutura para

agilizar os processos de escoamento

da produção dos cooperados

para vários mercados”, diz.

O novo terminal perpetua

o trabalho da Coamo nas

atividades portuárias. “O volume

de exportações vem aumentando

a cada ano, acompanhando o

crescimento da Coamo. Por isso,

vimos a necessidade de aumentar

a capacidade de armazenagem

e embarque no porto, ligando

diretamente o terminal e o

corredor de exportação”, afirma

Gallassini.

O presidente do Sistema

Ocepar, José Roberto Ricken,

destaca a importância do novo

terminal de embarque em Paranaguá.

“Uma obra importante,

16 revista

dez/21-jan/22


não só para os produtores e o Estado,

mas para o cooperativismo

paranaense, que tem muito orgulho

do trabalho realizado pela

Coamo nesses 51 anos de história”.

Segundo ele, investimentos

como esse, fazem com que os

produtores tenham acesso a mercados

que sozinhos não teriam

condições. “O cooperativismo

proporciona esse benefício. Isso

aumenta o valor agregado no

campo e traz um adicional permitindo

que o agricultor tenha mais

renda com os produtos exportados.

Se fosse uma multinacional,

ficaria com esse resultado. Já no

cooperativismo o cooperado é

beneficiado. Com isso, o associado

da Coamo, pode planejar a

comercialização aproveitando as

oportunidades de mercado.

O governador do Paraná,

Ratinho Júnior, ressalta que

a Coamo contribui para o desenvolvimento

econômico e social

do Estado, gerando empregos e

distribuindo renda. “O Brasil nos

últimos meses tem reduzido o

desemprego com novas oportunidades.

Este importante investimento

no Porto resultará em

novas oportunidades, não só em

Paranaguá, mas também no interior,

onde a Coamo tem seus entrepostos.

É um crescimento em

cadeia e que beneficia a todos.”

Segundo ele, a Coamo é

um orgulho e tem relevância para

a economia paranaense como

um todo. “É uma empresa que

tem milhares de cooperados.

São agricultores que produzem,

ganham a sua renda e somam

para o PIB do Paraná. Juntos, eles

formam a Coamo, uma coopera-

dez/21-jan/22 revista 17


investimento

Ratinho Júnior, governador do Paraná

José Aroldo Gallassini, presidente do Conselho de Administração da Coamo

tiva que por meio da exportação, tem clientes de

vários lugares do planeta e olham para o Paraná

por meio da Coamo. Investimentos como esse,

fortalecem o agronegócio. É a garantia de que

aquilo que está sendo produzido no campo, chegará

nos mais variados países importadores.”

Luiz Fernando Garcia da Silva, diretor

presidente da Administração dos Portos de Paranaguá

e Antonina (APPA), ressalta que os investimentos

da Coamo representam a confiança da

cooperativa no Porto de Paranaguá. “É uma cooperativa

gigante e poderia realizar esses investimentos

em outros locais. São nove milhões de

toneladas produzidas anualmente pela cooperativa

e quase cinco milhões exportados em Paranaguá.

Essa movimentação representa confiança

e estamos retribuindo com novos investimentos

também, para que a Coamo tenha condições de

receber a produção de seus cooperados e embarcar

no navio para ser exportado de forma ágil

e segura.”

Para o presidente Executivo da Coamo,

Airton Galinari, os investimentos no Porto de Paranaguá

significam um avanço para os cooperados,

que poderão ter um melhor atendimento

para exportação. “Temos ainda um terminal em

uma área arrendada. Mas, esse arrendamento

Membros do Conselho de Administração e diretores da Coamo conhecem

estrutura do novo Terminal Portuário da cooperativa, em Paranaguá

18 revista

dez/21-jan/22


Airton Galinari, presidente Executivo da Coamo

José Roberto Ricken, presidente do Sistema Ocepar

vence e tem que fazer a renovação ou

entrar em licitação, e isso oferece um

certo risco de perder. Esse terminal

próprio, traz mais segurança”, destaca.

Galinari ressalta que a Coamo

é a maior exportadora do Paraná

e essa exportação traz benefícios para

os cooperados, garantindo acesso ao

mercado internacional. Somos a maior

exportadora de grãos do Paraná e estes

investimentos aumentarão ainda

mais nossa participação no mercado

internacional.”

O presidente revela que há 20

anos a cooperativa vinha trabalhando

para que a obra fosse executada e o

primeiro passo foi a aquisição dos terrenos.

“Planejamos levando em consideração

a logística, operacionalização

e o meio ambiente. É uma das mais

modernas do Brasil, com toda a tecnologia

possível. Os equipamentos

utilizados proporcionam agilidade, segurança,

sem geração de pó e ruídos,

sem nenhuma interferência na comunidade.

Tudo aquilo que tem de melhor,

colocamos nesse novo complexo.”

Ricardo Calderari e José Aroldo Gallassini, do Conselho de Administração da

Coamo, com o diretor de Logística e Operações, Edenilson Carlos de Oliveira

dez/21-jan/22 revista 19


Cooperada Sílvia Regina Frossard,

de Altamira do Paraná (PR)

Foco ampliado na

assistência veterinária

Cooperativa conta com 51 profissionais atuando

diretamente na assistência veterinária dos cooperados

Montada no cavalo Amigo,

a cooperada Sílvia Regina

Frossard acompanha

de perto o manejo dos animais

na Fazenda da Balsa, em Altamira

do Paraná (Centro-Oeste do Paraná).

É mais um dia de trabalho

na propriedade que tem o gado

de corte como principal fonte de

renda. Ela mora em Campo Mourão,

distante cerca de 140 quilômetros

da sede da fazenda, e faz

questão de estar sempre presente

na lida diária.

Com frequência, a cooperada

recebe a visita da assistência

veterinária da Coamo,

principal parceira na atividade.

Setor esse que passou por uma

reestruturação e aumento no

quadro de profissionais com o

objetivo de otimizar os recursos

e fazer com que os cooperados

tenham alternativas para obter o

20 revista

dez/21-jan/22


pecuária

Cooperada, Sílvia Regina Frossard, recebe assistência técnica do veterinário, Gustavo dos Santos Pitlovanciv, e do técnico agropecuário, Augusto Tavela Junior

máximo de rentabilidade na propriedade.

A cooperativa incentiva

e presta assistência técnica

para todo o quadro social e conta

com farmácias veterinárias espalhadas

por toda a área de ação

no Paraná, Santa Catarina e Mato

Grosso do Sul.

Com isso, os cooperados

recebem todo o atendimento necessário

para desenvolver a atividade

da melhor maneira possível.

Filha de pecuarista, dona Sílvia

cresceu vendo o pai trabalhando

na atividade. Com o incentivo da

Coamo investe na propriedade,

principalmente, na pastagem e

genética dos animais. “Estamos

sempre buscando melhorias. Já fizemos

adubação de pastagem em

algumas áreas e planejamos fazer

em toda a propriedade. A assistência

técnica da Coamo é nossa

parceira nesse trabalho”, conta.

Com a reestruturação, a

unidade da Coamo em Altamira

do Paraná recebeu um médico

veterinário e um técnico agropecuário.

Antes da mudança, os

cooperados daquela localidade

recebiam duas vezes por semana

o atendimento de um profissional

sediado em Palmital. “Temos

toda a assistência que precisamos

para evoluir na atividade. A

presença dos profissionais com

mais frequência está sendo fundamental

para investimentos,

para que possamos utilizar novas

tecnologias”, diz a cooperada.

Uma das mudanças realizadas

na propriedade é a utilização

da Inseminação Artificial em

Tempo Fixo (IATF). “Não fazíamos

essa técnica antes e com a ajuda

da assistência da cooperativa já

inseminamos um lote de vacas.

Estamos melhorando a rentabilidade,

agregando mais valor à

atividade.”

O médico veterinário,

Gustavo dos Santos Pitlovanciv,

da Coamo em Altamira do Paraná,

comenta que o compromisso

é levar ao cooperado o melhor

sistema de trabalho, de acordo

com a característica da propriedade,

utilizando tecnologias que

possam melhorar a rentabilidade

no meio rural. Ele conta que com

a reestruturação, consegue estar

mais presente nas propriedades

e tem mais tempo para planejar

e desenvolver o trabalho. “Com

isso, temos começo, meio e fim.

Na propriedade da cooperada

Sílvia, por exemplo, estamos

desenvolvendo um trabalho de

reposição das matrizes e reestruturação

do rebanho por meio da

IATF. Isso melhorará a genética

do rebanho e a qualidade das

dez/21-jan/22 revista 21


pecuária

Cooperado Afonso Gregório, de Nova Tebas (PR), com a esposa Cleuzarbeti de Melo Gregório

matrizes, que é a fábrica dos bezerros

e traz rentabilidade para a

propriedade”, comenta o veterinário.

Além dele, foi inserido ao

quadro técnico de Altamira do

Paraná o técnico agropecuário,

Augusto Tavela Junior.

Em Nova Tebas (Centro

do Paraná), o cooperado Afonso

Gregório, trabalha com a agricultura

e pecuária, aproveitando

as áreas mais ‘quebradas’ para

criar os animais. No local são

cerca de 350 cabeças de gado.

Ele também está sendo favorecido

pela reestruturação do quadro

veterinário. Até pouco tempo,

a propriedade era atendida

por um profissional que estava

lotado em Manoel Ribas. Com

a mudança, houve aumento de

quadro e contratação de uma

veterinária para atender Iretama

e Nova Tebas.

Na opinião do cooperado,

a mudança está favorecendo

diretamente os produtores

que trabalham com a pecuária

no município. “A assistência técnica

é um item fundamental no

desenvolvimento de qualquer

atividade. Com a nova estrutura,

a veterinária está mais presente

na unidade e nas propriedades.

A Coamo está sempre atenta às

necessidades dos cooperados”,

diz Gregório.

De acordo com ele, com

a assistência mais próxima é

possível melhorar o trabalho em

andamento e planejar ações de

valorização da pecuária. “A criação

de gado é uma boa atividade,

uma opção de diversificação

e vemos que a cooperativa tem

essa visão, de atender as demandas

dos cooperados.”

A médica veterinária Karina

Gomes Dias, da Coamo em

Iretama, diz que os trabalhos a

campo ajudam a identificar as

necessidades e as dificuldades

dos cooperados. “Isso é fundamental

para um bom planejamento.

Os produtores, de maneira

em geral, sabem o que fazer,

tem experiência na atividade,

faltam apenas orientação e recomendação

de novas tecnologias

para que possam agregar mais

valor à atividade”, diz.

Segundo a veterinária, a

22 revista

dez/21-jan/22


Veterinária da Coamo, Karina Gomes Dias, em atendimento ao cooperado, Afonso Gregório

proximidade e interação com os

cooperados proporciona troca

de conhecimento entre os dois

lados, já que a assistência é o elo

entre os produtores e a pesquisa.

“No campo, coletamos as informações

e repassamos para a

cooperativa desenvolver estudo

sobre um determinado assunto.

Por outro lado, somos responsáveis

por levar ao cooperado as

mais novas tecnologias, melhorando

as perspectivas de crescimento

deles”, assinala.

Em Caarapó (Mato Grosso

do Sul), a unidade da Coamo

também recebeu um médico

veterinário para o quadro técnico.

Com isso, o cooperado José

Carlos Ferreira Gonçalves passou

a receber uma assistência

mais direcionada. Ele conta que

já percebeu melhoria no atendimento,

aprimorando as ações. “A

assistência Técnica da Coamo é

composta por profissionais qualificados,

que acompanham a evolução,

tecnologia e a demanda

dos cooperados.”

Ele comenta que a cooperativa

vem contribuindo para

o bom desenvolvimento da atividade

pecuária, principalmente

incentivando práticas de manejo

adequadas para a região. “Houve

uma grande evolução nos últimos

anos. Estamos consorciando

lavoura com pastagem e utilizando

tecnologias e práticas para

melhorar o desempenho dos animais,

sempre com a parceria da

assistência Técnica da Coamo”,

observa.

O médico veterinário,

André Luís Vriesman Beninca,

da Coamo em Caarapó, observa

que a reestruturação veterinária

permite reduzir a área de

atuação de cada profissional e

aumentar a frequência de visita

nas propriedades. “Com isso, é

possível acompanhar e propor

alterações que possam melhorar

a atividade. Os cooperados tendem

a seguir as recomendações

do quadro técnico, pois anseiam

por mais conhecimento e informação

a sua atividade. Contudo,

essas inovações, por vezes, contrariam

algumas recomendações

que eram feitas anteriormente,

mas são essas mudanças no manejo,

na parte sanitária ou na nutrição

que podem fazer com que

haja um aumento no faturamento.”

Segundo ele, a principal

atividade pecuária desenvolvida

no Mato Grosso do Sul é a de

corte. O veterinário ressalta que

o cenário mudou bastante nos

últimos 10, 20 anos, passando

de uma atividade extensiva sem

acompanhamento nutricional

e sanitário adequado para um

sistema mais tecnológico. “Os

animais ficavam na propriedade

de três a quatro anos até que ganhassem

o peso ideal para a comercialização.

Hoje temos uma

pecuária de ciclo mais curto e as

propriedades associam a agricultura

com a pecuária, que fica em

um espaço menor. Mas, para que

a atividade tenha boa renda em

um período mais curto, é preciso

utilizar tecnologias e sistemas

que possibilitem criar mais animais

em um espaço menor.”

Em Abelardo Luz (Oeste

de Santa Catarina), os cooperados

também passaram a contar

com um médico veterinário

exclusivo. Everson João Guerra

ressalta que o atendimento veterinário

da Coamo melhorou.

“Temos uma mais disponibilidade

de tempo por parte do veteri-

dez/21-jan/22 revista 23


pecuária

ASSISTÊNCIA VETERINÁRIA PASSOU POR REESTRUTURAÇÃO E AUMENTO NO

QUADRO DE PROFISSIONAIS COM O OBJETIVO DE OTIMIZAR OS RECURSOS

nário. Desta forma, conseguimos

discutir e traçar as estratégias

que usaremos durante o ano. As

visitas são mais frequentes e programadas

de maneira que atendem

as necessidades da atividade”,

observa.

Na propriedade é desenvolvida

a pecuária de corte

de forma intensiva. “Fazemos

recria e terminação dos animais

adquiridos de terceiros. Durante

o verão trabalhamos com maior

número de UA/ha (Unidade Animal

por Hectare), utilizando pastagem

perene, de Tifton 85, já no

período de inverno, e pastagens

de azevém de alto rendimento.”

De acordo com ele, o

projeto de pecuária implantado

na propriedade ainda é recente,

em torno de cinco anos. Mas,

a cada ano está evoluindo e se

adaptando a realidade. “Cada

ano tem suas particularidades,

seja, de clima ou de mercado.

Precisamos estar sempre atentos

para nos adaptarmos, sem que o

planejamento seja comprometido.

Debatemos muito com o médico

veterinário que nos atende

para utilizarmos um programa

sanitário, nutricional e de mineralização,

que melhor nos atenda.

Observamos sempre a relação

custo-benefício. Para o sucesso

da atividade precisamos acertar

os detalhes e isso fica sempre

mais fácil, quando debatido e

planejado com técnicos capacitados.

Nesse sentido somos muito

gratos a parceria que temos.”

O médico veterinário,

Tarcísio Spring de Almeida, da

Coamo em Abelardo Luz, observa

que a reestruturação é importante

para o desenvolvimento do

trabalho, pois poderá atender

com mais frequência as demandas

dos cooperados. “Estamos

com um foco mais preciso no fomento

à produção de leite e carne.

Temos condições de realizar

uma prestação de serviço mais

eficiente na área de nutrição, sanidade,

reprodução e genética

animal. Esta reestruturação trará

um impacto positivo na gestão

das propriedades, pois poderemos

acompanhar com mais frequência

os índices zootécnicos

nos sistemas de produção.”

Ele ressalta que o quadro

social de agropecuaristas

procura diariamente por orientação

técnica. “Os cooperados têm

uma preocupação em seguir,

na medida do possível e dentro

das suas condições e necessidades,

todas as recomendações

técnicas indicadas. Os cooperados

estão sempre evoluindo e

as nossas recomendações têm

como base o manejo nutricional,

sanitário, reprodutivo, bem-estar

Veterinário André Luís Vriesman Beninca com o cooperado José Carlos Ferreira Gonçalves, em Caarapó (MS)

24 revista

dez/21-jan/22


Assistência

aprimorada

Cooperado Everson João Guerra, de Abelardo Luz (SC), com o veterinário, Tarcísio Spring de Almeida

animal e gestão de índices zootécnicos.”

Almeida iniciou a atividade profissional na Coamo em novembro

de 1994 e na época atendia cooperados em Mangueirinha, Coronel

Vivida, Honório Serpa, Palmas, Abelardo Luz, Ouro Verde, Ipuaçu e São

Domingos. “A pecuária, tanto de leite como de corte, eram atividades

desenvolvidas em sistema extensivo de produção com pouco investimento

em tecnologia. Com o tempo e apoio da Coamo, os produtores

passaram a investir na atividade. De uma pecuária de exploração

extensiva passaram para a intensiva, melhoraram a genética, sanidade,

manejo e alimentação dos animais.”

De acordo com ele, a assistência Técnica da Coamo teve papel

importante nessas mudanças. “Contribuiu para o aumento da produtividade

por meio de visitas, reuniões, palestras técnicas e dias de

campo especificamente para a pecuária. O tempo foi passando e a

assistência técnica Coamo, junto com o cooperado pecuarista, foi evoluindo

com as melhores técnicas de produção, melhorando as pastagens,

tendo mais conhecimento em sanidade animal, reprodução,

genética, instalações e conforto animal. Hoje, a atividade está bem

tecnificada e profissionalizada. Os produtores investem em nutrição,

manejo alimentar, genética e utilizam ferramentas de última tecnologia”,

assinala o veterinário.

Segundo o diretor de Suprimentos

e Assistência Técnica

da Coamo, Aquiles de

Oliveira Dias, o objetivo da

cooperativa é oferecer o melhor

atendimento em todos

os segmentos da produção

agropecuária. “Nossos associados

são mais focados na

agricultura, e nesse sentido

desenvolvemos uma assistência

técnica com bastante

qualidade. Na veterinária,

aprimoramos ano a ano, pois

é uma importante atividade

dos nossos cooperados. Por

isso, estamos realizando melhorias

nessa área”, diz.

O gerente de Assistência

Técnica da Coamo, Marcelo

Sumiya, esclarece que o cooperado

da Coamo tem a vantagem

de ter a integração da

assistência veterinária com

agronômica. “A melhor forma

para o produtor rural evoluir

é integrando as duas áreas.

O agrônomo, por exemplo,

entra com o trabalho de recuperação

de pastagem e o

veterinário faz as indicações

da melhor cobertura para

otimizar o rebanho. É essa interação

que buscamos, com

um trabalho diferenciado.”

dez/21-jan/22 revista 25


cooperativa de crédito

Credicoamo paga juros sobre capital social

No dia 17 de dezembro a

Credicoamo creditou na

conta dos mais de 22 mil

associados, os juros sobre o seu

capital social, referente aos 11

meses de 2021. Do valor total,

50%, foi creditado na conta corrente

e a outra metade foi creditada

na conta do capital social de

cada associado.

Essa novidade beneficiará

a todos de duas formas: primeiro

pelo retorno do valor ao associado

e, segundo, por meio da capitalização

da Credicoamo, que terá mais

recursos para financiar os próprios

associados. “Parte desse juro, o associado

pode utilizar como bem

entender e a outra parte será capitalizada

na conta capital, aumentando

assim, o capital de giro da

cooperativa para que possa disponibilizar

ainda mais recursos para

os financiamentos do quadro social”,

diz o presidente do Conselho

de Administração da Credicoamo,

José Aroldo Gallassini.

Além dos juros sobre o

capital social, o associado continuará

recebendo as sobras.

“De tudo que a Credicoamo faz,

tem uma margem que fica para

a capitalização e para as sobras.

Quanto às sobras de 2021, serão

semelhantes a de anos anteriores,

ou seja, significativa e

na proporção da movimentação

financeira. Isso é importante e

somente o sistema cooperativista

faz isso: devolver o resultado

aos seus sócios.”

Parceria com o BNDES

José Luiz Conrado, diretor de Controladoria, Alcir José Goldoni, presidente Executivo, José Aroldo Gallassini,

presidente do Conselho de Administração e Dilmar Peri, diretor de Negócios da Credicoamo

A

Credicoamo é a primeira

cooperativa de crédito

independente a obter o

credenciamento como agente financeiro

do Banco Nacional de

Desenvolvimento Econômico e

Social (BNDES). Uma novidade

que beneficia a cooperativa de

crédito e, consequentemente, os

associados, pois agilizará as liberações

que passam a ser realizadas

diretamente pela Credicoamo.

Agora, a Credicoamo

26 revista

dez/21-jan/22


pode aplicar todas as linhas de

investimentos que o BNDES financia,

sem contar, que o sistema

é todo informatizado, o que

facilita as aprovações. “Isso foi

possível após anos de reinvindicações.

Já assinamos o contrato

e treinamos os funcionários que

irão atuar nestas operações”, explica

o presidente do Conselho

de Administração da Credicoamo,

José Aroldo Gallassini.

Novo site da Credicoamo

Site ficou direto, focado em atender

as necessidades dos associados

Acesse www.credicoamo.com.br

e conheça as novidades

Logo após apresentar sua

nova identidade visual, a

Credicoamo lança mais

uma novidade para os associados.

Trata-se do novo site

da cooperativa. Mais moderno

e com cores que identificam a

Credicoamo, o site foi desenvolvido

em uma estrutura adaptada

para ser acessado em todos

os dispositivos, desde celulares

até computadores. Com isso, o

associado tem as informações

que desejar e pode acessar o

internet banking de maneira

ágil e segura.

De acordo com o presidente

Executivo da Credicoamo,

Alcir José Goldoni, desde que foi

implantado o novo sistema de

governança na cooperativa, no

início de 2019, muitas inovações

vêm sendo efetuadas e com o

lançamento da nova identidade

visual, foi necessário o desenvolvimento

de um novo canal. “É um

site com várias ferramentas de

segurança para que o associado

se sinta confortável para acessar.

Em termos de funcionalidade,

é bastante claro e com informações

direcionadas aos interesses

dos associados. Logo no início já

tem o menu principal mostrando

toda a parte institucional da cooperativa,

sobre a sua constituição

e evolução. Outro menu é o ‘junto

com você’ que está atrelado

ao novo slogan da Credicoamo

que é ‘Junto com você, sempre’.

Nesse local são detalhados todos

os produtos e serviços do

portfólio da Credicoamo.”

“O site ficou bem direto,

focado em atender as necessidades

dos associados. Esperamos

que todos percebam essa

modernidade que a Credicoamo

vem apresentando nesses

últimos meses. Os canais digitais

têm o objetivo de facilitar

a vida dos associados”, assinala

Goldoni.

No site, também, é possível

visualizar todas as agências

da Credicoamo no Paraná, Santa

Catarina e Mato Grosso do Sul.

dez/21-jan/22 revista 27


Jorge

28 revista

dez/21-jan/22


seguros

Viaje tranquilo, mas se precisar

conte com a Central de Atendimento

da Via Sollus

O

segurado da Via

Sollus Corretora de

Seguros conta com

uma central de atendimento

exclusiva e preparada para

te ajudar no que for preciso.

Em qualquer momento do

ano, mas especialmente nas

férias o segurado pode ficar

tranquilo pois pode contar

com toda a proteção e atendimento

da Via Sollus.

A Via Sollus Corretora

de Seguros disponibiliza

o número 0800 773 3434

para facilitar o seu contato e

agilizar o processo de acionamento

do seguro. Nossa

equipe está disponível 24

horas por dia e sete dias por

semana.

Por meio da central

o segurado pode solicitar

assistência para sua residência

ou veículo, além de

conseguir registrar avisos de

sinistros. Esse serviço é mais

uma comodidade e praticidade

que a corretora oferece

ao segurado.

dez/21-jan/22 revista 29


#NovosTempos #NovasSoluções

ADAPTABILIDADE

PRECISÃO

EFICIÊNCIA

RESULTADOS

Uma máquina desenhada

para atender, em cada detalhe,

as necessidades do produtor.

MERIDIA 200

3 corpos articulados entre si

e range de 25 graus que se adaptam

perfeitamente às condições de solo

e relevo da sua lavoura.

Disponibilidade de trabalho elevada,

excelente desempenho do fluxo de

palha e tecnologia de ponta para

garantir a mais alta qualidade nas

operações de plantio.

2dcb.com.br

Use o QR Code

e descubra a

Meridia 200.


indústria

Fábrica de ração 4.0

Investimento, será de R$ 103 milhões, com a

geração inicial de 68 empregos diretos e outros

100 indiretos. Previsão é que partir de fevereiro

de 2022, inicie a construção civil. Indústria terá os

equipamentos mais modernos do mercado

A

Coamo lançou no dia 19

de maio de 2021, o projeto

da nova indústria de ração

animal. O investimento, será de R$

103 milhões, com a geração inicial

de 68 empregos diretos e outros

100 indiretos. A fase de projetos

encerrou e, agora, estão sendo

realizadas uma série de atividades

para definir o funcionamento do

complexo. A previsão é que partir

de fevereiro de 2022, inicie a

construção civil, após, as montagens

das estruturas metálicas do

prédio, por fim, montagens dos

equipamentos, instalações elétricas

e automação.

Quanto a tecnologia da

indústria, parte dos equipamentos

serão importados, e outra

parte será nacional. “A empresa

Bühler será o fornecedor dos

equipamentos importados da

Suíça e da China, e os equipamentos

nacionais serão da empresa

Equitec. Contaremos com

tecnologia de alto padrão, com o

melhor que existe no mercado e

mais moderno no mundo. Posso

afirmar que teremos uma das melhores

indústria de ração do país”,

declara o gerente da nova fábrica,

Valmir Scheneider Guedin.

Os principais equipamentos

serão da Bühler que irá

fornecer peletizadoras, extrusora,

moinhos, misturadores e todo processo

de automação. “Isso permitirá

ter alta qualidade dos produtos.

Trata-se de uma estrutura que nasce

com o conceito de indústria 4.0

e que irá empregar uma moderna

tecnologia para um excelente produto”,

explica Guedin.

A fábrica de ração está

sendo construída numa área de

10.000 metros quadrados. O

prédio terá 35 metros de altura,

com capacidade para produzir

200.000 toneladas de ração

por mês para bovinos, equinos,

peixes, aves, suínos, cães e gatos,

operando em três turnos.

Atualmente são comercializadas

40.000 toneladas por ano, utilizando

fábricas de terceiros.

A previsão é que em novembro

de 2022 a indústria já

entre em operação. Porém, até lá,

existe muito trabalho a ser feito.

“Um projeto dessa envergadura

exige muito. Temos muitas reuniões

internas e com fornecedores

para ajustar cada detalhe.

Precisamos planejar a operação,

treinamentos dos operadores,

realizar o processo de seleção e

recrutamento e trabalhar todos os

planos de treinamentos da equipe

para poder gerar produtos

com qualidade”, revela o gerente.

Com relação ao recrutamento

da equipe, Guedin ressalta

que a prioridade será para o público

interno. “Temos muitos talentos

na Coamo e essa será uma oportunidade

para quem está aguardando

uma vaga na área industrial.”

dez/21-jan/22 revista 31


SOLUÇÕES BASF

SOJA FUNGICIDAS

{{{{{

MÁXIMA PROTEÇÃO

E PRODUTIVIDADE PARA

SUA LAVOURA.

{

CONTROLE AS

DOENÇAS NA LAVOURA

DE SOJA E OBTENHA ALTAS

PRODUTIVIDADES.

Orkestra ®

Versatilis ® Blavity ®

Spot ® SC

Ativum ®

SOJA

BASF na Agricultura.

Juntos pelo seu Legado.

32 revista

dez/21-jan/22


mais gestão

Palestra atualiza cooperados sobre

perspectivas dos mercados agrícolas

Com intuito de levar conhecimento ao quadro

social, a Coamo promoveu, no dia 30 de

novembro de 2021, por meio do Programa

+Gestão, a palestra Perspectivas dos Mercados Agrícolas,

com o professor Doutor Alexandre Mendonça

de Barros. Milhares de pessoas puderam acompanhar

o evento, que foi realizado pelo canal da Coamo

no YouTube.

A live abordou os mercados agrícolas, a

questão dos insumos e outros fatores relacionados a

agricultura mundial. O mediador da palestra foi o diretor

de Suprimentos e Assistência Técnica da Coamo,

Aquiles de Oliveira Dias. Aquiles contextualizou

o ano de 2020 na agricultura, falando sobre o preço

das commodities, e de 2021, caracterizado pelo aumento

no preço dos insumos agrícolas.

Segundo o palestrante Alexandre Mendonça

de Barros, o preço dos insumos é um fenômeno

que está afetando as decisões de todos os agricultores

do mundo. “Para se ter ideia de quão impactante

está esse movimento, no plantio de inverno na Europa,

a grande discussão na relação no preço do trigo,

as contas de margem de lucratividade nesse plantio

é praticamente zero. Ou seja, o valor dos insumos

é tão alto, que não permite grande margem, na Europa

e nos Estados Unidos.” Para Alexandre, haverá

uma acomodação desses preços em determinado

momento. O palestrante frisou que esse é um momento

único que o mundo está vivendo, e o motivo

principal é a pandemia do Coronavírus.

Aponte o leitor de QR Code do celular

na imagem ao lado e assista o evento

no canal da Coamo no YouTube.

dez/21-jan/22 revista 33


tecnologia

PECUÁRIA COM EFICIÊNCIA

Reunião Técnica virtual apresentou assuntos relacionados ao trigo como opção

para a nutrição animal e gestão como ferramenta de lucro para pecuária

A

pecuária tem se desenvolvido expressivamente

nos últimos anos, e a tendência é que

cresça ainda mais. A atividade faz a diferença

para muitos produtores rurais. Por isso, a Coamo incentiva

e presta assistência técnica nessa área para

todos os cooperados. No dia 25 de novembro de

2021, a cooperativa promoveu uma Reunião Técnica

sobre pecuária. Os temas abordados foram “Trigo

para nutrição animal: um novo conceito para novas

cultivares”, ministrada pelo zootecnista da Biotrigo,

Ederson Luiz Henz e “A gestão como ferramenta de

lucro para pecuária”, conduzida pelo gerente Nacional

de Gado de Corte da DSM, Luciano Luz Morgan

de Aguiar.

Trigo para nutrição animal

A história confirma que o trigo é uma das

culturas mais antigas do mundo, sendo até hoje

uma das mais importantes espécies de cultivo

para o sistema de produção. No Sul do Brasil, é

uma excelente opção para semeadura no período

de inverno, gerando renda, otimizando o uso dos

fatores de produção disponíveis, promovendo o

sistema de plantio direto na palha e melhorando o

aproveitamento de insumos. Antes cultivado com

fins industriais, hoje o trigo passa a ser alternativa

para o pastejo dos animais, entregando ótima

resposta nutricional para gado de leite e de corte.

Com cultivares melhoradas para a produção de

volumosos e de pastagem, o trigo ganha mais importância

no mercado, proporcionado novas possibilidades,

especialmente para a pecuária, conforme

explica o zootecnista, Ederson Luiz Henz,

doutor em Ciência Animal.

Para Henz, a demanda surgiu em 2011, de

um produtor que era triticultor, que indagou a Biotrigo

a respeito do desenvolvimento de uma cultivar

específica para silagem. “Essa demanda foi repassada

para o melhoramento, e hoje trazemos cinco

Zootecnista, Ederson Luiz Henz, doutor em Ciência Animal

34 revista

dez/21-jan/22


cultivares e opções durante o inverno para aquele

produtor que gosta da triticultura, mas que tem

em sua propriedade gado de leite ou de corte.” O

zootecnista afirma que existem duas possibilidades

para a utilização dessas novas cultivares: trigo para

silagem e trigo para pastejo. O trigo tem um alto

teor de proteína, por esse motivo, que dá um retorno

ao pecuarista. “É uma novidade que chega para

revolucionar a agropecuária. A Biotrigo começou a

melhorar as características do que o animal precisa.

Ou seja, são cultivares novas e específicas, com foco

no melhoramento, na produtividade do animal.”

Gestão como ferramenta de lucro

A gestão é uma das ferramentas utilizadas

na pecuária, com objetivo de gerar renda ao cooperado.

Luciano Luz Morgan de Aguiar, gerente Nacional

de Gado de Corte da DSM, empresa parceira da

Coamo, explica como essa ferramenta pode auxiliar

no desempenho dos pecuaristas.

Para ele a gestão inicia com um processo

de coleta de dados, onde é possível mensurar o

que está acontecendo na propriedade, o que é

chamado de diagnóstico. Assim, com um diagnóstico

é possível fazer uma avaliação do que é

necessário para melhorar. “O processo de gestão

começa pela coleta de informações, alocar os grupos

de despesa, enxergar quais são os desafios e

de que forma poderemos caminhar para montar

um projeto para trazer mais lucro para a propriedade.

A gestão organiza a propriedade e disciplina

a coleta de informações.”

Segundo Luciano, a pecuária não é diferente

de nenhuma atividade, por isso é importante

ter a gestão para trabalhar com alguns indicadores,

zootécnicos e econômicos. “Temos uma plataforma

específica onde nossos clientes lançam os dados

mês a mês, e no final, como trabalhamos com a mesma

metodologia de identificação de informações e

criação de indicadores, conseguimos comparar as

fazendas e indicar para o produtor se realmente há

espaço para evoluir de maneira produtiva e econômica.

É o que chamamos de benchmarking.”

Ainda de acordo com Morgan, um outro

passo muito importante para o desenvolvimento da

pecuária, é traçar uma rota para chegar de um ponto

A, para um ponto B. “Cada propriedade tem sua

particularidade, e em cima disso traçamos um projeto,

uma estratégia com processos conhecidos, para

obter resultados no ponto B”, conclui.

Aponte o leitor de QR Code

do celular na imagem ao

lado e assista o evento no

canal da Coamo no YouTube.

dez/21-jan/22 revista 35


morgansementes.com.br

GENÉTICA DE

RESULTADOS,

HÍBRIDOS

CAMPEÕES.

MG408

MG593

MG607

36 revista

dez/21-jan/22


informe técnico

Super Gota – como a Spraytec pretende

revolucionar o mercado de tecnologia de aplicação

O

Super Gota é um Programa de Tecnologia

de Aplicação, desenvolvido pela

Spraytec, com o objetivo de aumentar

a eficiência da pulverização dos produtores em

todo o Brasil. Trata-se de um laboratório itinerante,

que viaja pelas propriedades oferecendo

um treinamento completo (teórico e prático)

para potencializar a eficácia das aplicações

de defensivos.

Sabendo que uma pulverização ruim

pode comprometer boa parte dos lucros do

produtor, a ideia é capacitar os responsáveis

(técnicos, consultores, aplicadores, clientes e

parceiros) em todos os processos que envolvem

a tecnologia de aplicação, desde a calibração

do maquinário, até a ordem correta das

misturas e o fluxo ideal de calda, evitando problemas

de incompatibilidade, entupimento de

bicos e desperdícios.

O Super Gota já percorreu os principais

estados do país (em produção de grãos)

e conta com mais de mil participantes, totalizando

uma abrangência de mais de quatro milhões

de hectares.

É um programa inovador e único no Brasil,

porque vai muito além da venda de adjuvantes

e das tecnologias Spraytec. É uma oportunidade

de troca e compartilhamento de conhecimento,

que pode multiplicar a produtividade e a rentabilidade

de uma safra inteira.

dez/21-jan/22 revista 37


tecnologia de aplicação

Gotas da eficiência

O

crescente aumento nos custos dos produtos

químicos, da mão de obra e da energia,

e a preocupação cada vez maior em relação

à poluição ambiental, têm realçado a necessidade

de melhorar a tecnologia de aplicação, bem como

os procedimentos e os equipamentos adequados à

maior eficácia e segurança nessa prática. Alguns passos

devem ser dados para se melhorar a tecnologia de

aplicação. O primeiro é conhecer efetivamente o alvo

que se pretende atingir, no caso a praga, doença ou

planta daninha, e a maneira como estes se distribuem

e vivem no ambiente. Após isso, escolher o produto

mais apropriado, levando em consideração a eficiência,

a seletividade para a cultura e inimigos naturais, e a

baixa toxicidade para o homem e ambiente.

A partir disso é feito o planejamento do sistema

de aplicação a ser adotado. Lembrando que, na

aplicação propriamente dita, os fatores ambientais,

principalmente os climáticos como a temperatura, a

umidade relativa do ar, o vento, a chuva, o orvalho e a

luminosidade interferem decisivamente no resultado

a ser obtido. Além disso, a experiência do aplicador

é fundamental no resultado da operação, pois ele é o

responsável direto pela tomada de decisões.

Para tanto, deve possuir conhecimento dos

equipamentos e produtos utilizados, reconhecer

corretamente os alvos a serem atingidos e ter sensibilidade

para lidar com os fatores gerais que influenciam

na aplicação. A tecnologia de aplicação deve

evoluir no sentido de promover a maximização da

eficácia desta prática, com resultados físicos e biológicos

satisfatórios, máximo rendimento econômico

e sem afetar o homem e o meio-ambiente. (Com informações

da Embrapa/Soja).

38 revista

dez/21-jan/22


ORIENTAÇÕES PARA UMA BOA

APLICAÇÃO DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS

Calibragem do pulverizador

• Regule o pulverizador antecipadamente;

• Tire o tempo do trator em 50m na velocidade de

trabalho;

• Escolha a ponta / bico adequada para a aplicação;

• Observe se a pressão do manômetro é a recomendada

para a ponta escolhida;

• Compare a vazão de todas as pontas / bicos e substitua

as gastas, ou seja, as que apresentarem menor

ou maior vazão frente a média das demais pontas;

• Elimine todos os vazamentos (mangueiras / filtros

/ bicos);

• Regule a altura da barra (50cm do alvo ou conforme

orientação do engenheiro agrônomo e bula do

produto).

Melhores condições climáticas:

• Temperatura 10 a 30ºC;

• Umidade relativa do ar acima de 60%;

• Ventos de 3 a 8km/hora;

• Períodos de estiagem podem reduzir a eficácia

dos produtos.

Limpe o pulverizador após o uso

• Evite sobras no tanque de um dia para outro;

• Lave o pulverizador;

• Limpe todos os filtros e pontas da máquina;

• Esgote o tanque em local adequado.

Evite a contaminação do

homem e do meio ambiente

• Elimine vazamentos durante a aplicação e o reabastecimento;

• Não aplique com ventos fortes, altas temperaturas

e baixa umidade do ar;

• Na aplicação, cuidado com casas, nascentes e culturas

vizinhas e sensíveis (evite deriva);

• Respeite a carência dos produtos e intervalo de

reentrada;

• Faça tríplice lavagem e fure as embalagens;

• Devolva as embalagens nos postos de recebimento;

• Use o EPI corretamente;

• Não coma, beba ou fume durante a aplicação;

• Tome um banho após as aplicações.

Faça a verificação

periódica do pulverizador

• Use água limpa (recomenda-se verificar o pH);

• Limpe imediatamente pontas entupidas;

• Verifique a vazão das pontas / bicos e pressão de

trabalho 3 vezes ao dia;

• Limpe todos os filtros a cada reabastecimento.

dez/21-jan/22 revista 39


PERFORMA FULL. PRODUTIVIDADE

E NUTRIÇÃO PARA SUA LAVOURA.

Performa Full é o fertilizante multinutrientes da Linha Performa que integra,

em uma só aplicação, nitrogênio amoniacal, fósforo e magnésio

de alta solubilidade, potássio e duas formas de enxofre e boro, oferecendo:

• Melhor enraizamento e arranque inicial;

• Maior pegamento da florada;

• Mais vigor nas culturas, aumentado o enchimento e o peso dos grãos.

Performa Full é a combinação do melhor de MicroEssentials®, K-Mag ®

e Aspire ® para nutrir por completo o seu potencial produtivo.

40 revista

dez/21-jan/22

ACESSE O QR CODE

OU SAIBA MAIS EM:

www.nutricaodesafras.com.br/performamosaic


desempenho

Evento comemora os 50 anos da Ocepar, os 60 anos

do BRDE e as conquistas do cooperativismo do PR

Cooperativas paranaenses devem alcançar em torno de R$ 150 bilhões de faturamento neste ano, um aumento de mais de 30% sobre o montante de 2020

O

dia 03 de dezembro foi

de celebração para o

cooperativismo paranaense,

que tradicionalmente

comemora as conquistas do ano

durante o Encontro Estadual de

Cooperativistas – evento que,

nesta edição, também marcou os

50 anos de história do Sindicato

e Organização das Cooperativas

do Estado do Paraná (Ocepar) e

os 60 anos do Banco Regional

de Desenvolvimento do Extremo

Sul (BRDE).

O Encontro Estadual

ocorreu de modo híbrido. Durante

a programação, o público

conheceu um pouco da trajetória

da Ocepar e do BRDE. Em seu

discurso de abertura, o presidente

do Sistema Ocepar, José Roberto

Ricken, desejou vida longa

às duas entidades, destacando

o bom relacionamento existente

entre elas. “A Ocepar e o BRDE

sempre atuaram em perfeita sintonia,

tanto nas grandes realizações,

quanto nos momentos de

maior dificuldade. No final da

década de 1990, por exemplo,

o BRDE passou por algumas incertezas

e havia um movimento

para o fechamento do banco.

Foi então que as entidades do

setor produtivo, em especial as

cooperativas e a Ocepar, se mobilizaram

em sua defesa, pela importância

que sempre teve como

fomentador do desenvolvimento

econômico e social das pessoas

e empresas da região Sul do Brasil”,

relatou Ricken.

Na sequência, Ricken

apresentou um balanço preliminar

dos resultados obtidos pelo

cooperativismo paranaense em

2021. De acordo com ele, foi

um ano desafiador, com a continuidade

da pandemia e devido

a fatores internacionais que impactaram

nos negócios do setor,

somado a questões internas

de ordem econômica e política.

Por outro lado, também foi um

período de realizações para o

cooperativismo paranaense, que

prosseguiu avançando. “Apesar

das adversidades, as 217 cooperativas

do Paraná encerram 2021

com crescimento econômico,

dez/21-jan/22 revista 41


nutricaodesafras

/nutricaodesafras

/nutrisafras

FERTILIZANTE COM

SUPERIOR

DO SOLO À SAFRA.

MicroEssentials ® é o fertilizante da Linha Performance que combina

nitrogênio, fósforo e dois tipos de enxofre em um único grânulo,

garantindo melhor absorção e aproveitamento de nutrientes durante

todo o ciclo. MicroEssentials ® é performance superior.

3,2

RESULTADOS

COMPROVADOS

NA SOJA: sc/ha *

SE É MOSAIC FERTILIZANTES, FAZ TODA A DIFERENÇA.

MAIS DE 10 ANOS

DE PESQUISA

E VALIDAÇÃO

*Resultados comprovados em mais de 2.000 campos e com pesquisas de mais de dez anos

em todo o território agrícola nacional. Produtividade destacada na cultura da soja.

QUALIDADE

FÍSICA

COMPRE, APLIQUE E COMPROVE.

Saiba mais em nutricaodesafras.com.br

MAIOR

EFICIÊNCIA

OPERACIONAL

42 revista

dez/21-jan/22


desempenho

BRDE foi homenageado com a entrega do Troféu Ocepar. Honraria simboliza o reconhecimento do setor ao apoio que o BRDE dá para o desenvolvimento do cooperativismo

geração de empregos e aumento

no percentual de participação

no setor agropecuário paranaense”,

afirmou.

Segundo o presidente

do Sistema Ocepar, com base

nas operações consolidadas até

o mês de novembro, as cooperativas

paranaenses devem alcançar

em torno de R$ 150 bilhões

de faturamento neste ano, um

aumento de mais de 30% sobre

o montante de 2020, que foi de

R$ 115,7 bilhões. Ricken lembrou

que o setor segue determinado

no propósito de atingir R$

200 bilhões de movimentação

econômica ao ano, previsto no

Plano Paraná Cooperativo 200

(PRC200).

BRDE - Em 1971, quando

a Ocepar foi fundada, havia

60 mil cooperados no Estado.

Hoje, são dois milhões e 780

mil. O faturamento conjunto

das 217 cooperativas filiadas

ao Sistema Ocepar em 2020 foi

R$ 115,7 bilhões, e com base

nas operações consolidadas

até novembro, a projeção é fechar

2021 com um faturamento

de R$ 150 bilhões. Foi um salto

gigantesco em cinco décadas,

tanto econômico quanto social,

já que além de gerar emprego e

renda, o resultado das cooperativas

permanece nas regiões em

que elas atuam, fomentando as

economias locais. Mas, nada disso

seria possível, sem uma fonte

de financiamento para promover

melhorias em infraestrutura,

comprar novos equipamentos,

construir e ampliar fábricas, entre

outras ações fundamentais

para a expansão, de maneira

sustentável, dos negócios cooperativos.

Ao falar em nome do

BRDE, o seu presidente, Wilson

Bley Lipski, lembrou que o banco

vive um momento especial,

pois completa 60 anos de trajetória

delineando novos desafios,

mais contemporâneos e sintonizados

com as transformações

de mundo. “Estamos impondo

um ritmo extremamente acelerado

e com bons resultados. Em

2019, registramos o maior resultado

operacional do Banco, e em

2020 tivemos o terceiro maior. O

diferencial é que, a exemplo das

cooperativas, os dividendos não

saem do Paraná e da região do

Sul do Brasil. São reinvestidos,

dando a oportunidade de ofertarmos

mais crédito e assim ajudar

na transformação econômica

e social que precisamos”, disse.

O BRDE foi homenageado

com a entrega do Troféu Ocepar.

A honraria simboliza o reconhecimento

do setor ao apoio

que o BRDE dá para o desenvolvimento

do cooperativismo, hoje

um dos setores mais pujantes da

economia do Paraná.

Fonte: Assessoria de Comunicação

Sistema Ocepar.

dez/21-jan/22 revista 43


TECNOLOGIA

QUE VEM DE DENTRO.

Para potencializar os resultados da Safrinha.

Pra que complicar?

Simplifique com Brevant ® Sementes.

Com ampla adaptação e crescimento precoce,

os híbridos B2702VYHR, B2782PWU e B2620PWU

chegaram para expandir o potencial produtivo

da sua lavoura e do seu negócio.

Aponte o

celular e

saiba

mais.

POWERCORE ® é uma tecnologia desenvolvida pela Corteva Agriscience e Monsanto. POWERCORE ® é uma marca da Monsanto LLC. Agrisure Viptera ® é marca registrada e utilizada sob licença da

Syngenta Group Company. A tecnologia Agrisure ® incorporada nessas sementes é comercializada sob licença da Syngenta Crop Protection AG. Tecnologia de proteção contra insetos Herculex ®

I desenvolvida pela Dow AgroSciences e Pioneer Hi-Bred. Herculex ® e o logo HX são marcas registradas da Corteva Agriscience. LibertyLink ® e o logotipo da gota de água são marcas da BASF.

Roundup Ready ® é marca utilizada sob licença da Monsanto Company.

www.brevant.com.br | 0800 772 2492

® Marcas registradas da Corteva Agriscience e de suas companhias afiliadas. ©2021 Corteva.


cooperativismo

Curso para novos cooperados

Com ética, transparência e honestidade, a

Coamo tem a missão de gerar renda aos cooperados,

com desenvolvimento sustentável

do agronegócio. Aos interessados em ingressar no

quadro social, a cooperativa promove um curso de

cooperativismo, com intuito de comunicar seus princípios

e demonstrar sua metodologia de trabalho.

Desde o início da história, a cooperativa oferece

aos proponentes essa formação, para que os

futuros cooperados conheçam um pouco mais sobre

o cooperativismo. Em tempos de pandemia, o

curso é realizado de forma virtual, ministrado pelo

assessor de Cooperativismo, José Ricardo Pedron

Romani. Segundo ele, o curso básico de cooperativismo

nada mais é do que o processo inicial de

admissão do cooperado. “É o momento que ele conhece

o que é uma cooperativa, quais são as regras

e princípios cooperativistas quem regem a Coamo.

Além disso, os objetivos sociais, o que a cooperativa

oferece de serviços e produtos, direitos e deveres

dos cooperados também são abordados na formação”,

acrescenta.

O curso sempre foi realizado presencialmente,

nos entrepostos da Coamo, a cada dois meses,

com grupos de cooperados. A partir de 2020,

Cooperada Clarice Neli

Vendruscolo, de Pinhão (PR)

Centenas de participantes nos diversos eventos virtuais

devido a pandemia, para evitar aglomerações, passou

a ser no formato virtual, onde o cooperado, de

forma segura, pudesse participar do curso. No próximo

ano, a previsão é que seja realizado nos dois

formatos. “Entendemos que a relação do cooperado

e entreposto é fundamental, pois é nesse momento

que o cooperado conhece quem são os encarregados,

gerente, e sabe a quem recorrer em caso de dúvida.

A forma presencial volta, mas não deixaremos

a forma on-line de fora. Até porque temos cooperados

que residem em outros municípios que não são

da área de ação da Coamo, e receberão a formação

no formato digital”, afirma o assessor.

De janeiro até outubro, cerca de 750 cooperados

já haviam passado pelo curso. A previsão é de

que até o final deste ano, pelo menos 900 pessoas

recebam a formação. Ainda de acordo com José Ricardo,

o retorno dos cooperados é muito positivo,

visto que é uma forma de conhecer a cooperativa e

tudo que ela oferece aos proponentes. A cooperada

Clarice Neli Vendruscolo, de Pinhão (Centro-Sul

do Paraná), participou do curso no início deste ano

e avaliou a formação como proveitosa. “Muito bom

o curso. A Coamo nos ajuda muito. Meu esposo, que

era o administrador da fazenda, faleceu, e eu tive que

aprender a administrar a propriedade. Diante da minha

realidade, toda ajuda, apoio e os cursos oferecidos,

me fortalecem, para levar a frente a pecuária,

lavoura e toda a propriedade”, conclui Clarice.

dez/21-jan/22 revista 45


inovação

Sobras na palma da mão

Cooperativa antecipou R$ 194 milhões para os cooperados. Uso do

Aplicativo Coamo facilitou acesso ao valor que cada um recebeu no exercício

Marcos Fuchs, de Campo Mourão, com o presidente do

Conselho de Administração da Coamo, José Aroldo Gallassini

As informações da antecipação das sobras

deste ano chegaram de uma forma diferente.

Antes mesmo do dia 13 de dezembro

os cooperados puderam ver o valor pelo Aplicativo

Coamo. Essa já é uma ação tradicional da cooperativa,

que antecipa uma parcela das sobras do

exercício para que os associados tenham um Natal

recheado. Neste ano, foram antecipados R$ 194 milhões

para os mais de 30 mil cooperados, conforme

a movimentação de cada um na cooperativa na entrega

da soja, milho e trigo e aquisição de insumos.

Um momento aguardado pelo cooperado

Antonio Flavio Ritt, de Campo Mourão (Centro-Oeste

do Paraná). “Dá para realizar um feliz Natal com as sobras.

Sou sócio há mais de 30 anos e sempre recebi

essa antecipação. Por isso, digo que o cooperativismo

é tudo. As pessoas precisam se unir, é um modelo

que favorece a todos, e um bom exemplo são as sobras

que alegram o Natal de tantas famílias.”

Denilson Bruno Rosa, de Xanxerê (Oeste

de Santa Catarina), também está comemorando as

sobras. “É um reconhecimento que poucas cooperativas

fazem. O agricultor nessa época não recebe

dinheiro de nenhum lado, então, com essa antecipação

temos o 13º do agricultor. Nesse ano, o interessante

foi poder ver no aplicativo os valores de

uma forma detalhada. Na Coamo tudo é feito com

transparência.”

Outro cooperado que terá um final de ano

mais gordo é André Spiecker, de Laguna Carapã

(Sudoeste do Mato Grosso do Sul). “É um agrado

para o final do ano, que nos faz passar essas festas

mais recheadas. Alivia também as contas de final de

ano e dá um fôlego para a gente pagar os impostos

do início do ano”, revela.

46 revista

dez/21-jan/22


Antonio Flavio Ritt, de Campo Mourão (PR)

Denílson Bruno Rosa, de Xanxerê (SC)

Para Marcos Fuchs, de Campo Mourão, saber

que irá receber as sobras é muito positivo. “Esse

valor vem em uma hora muito boa. É final de ano

e conseguimos proporcionar um Natal melhor para

nossa família, amigos e funcionários. É uma conquista

para nós. Esse ano, inclusive, o valor foi melhor

devido aos bons preços. No meu caso que sou pequeno

produtor, faz muita diferença. Por isso, sou

apaixonado pelo cooperativismo.”

Para o presidente do Conselho de Administração

da Coamo, José Aroldo Gallassini, é motivo

de satisfação para a diretoria realizar essa antecipação.

“Adotamos essas sobras há muitos anos e apelidamos

de Natal do Cooperado, para que ele possa

comemorar com sua família o ano que passou. Nesse

ano, modernizamos mais um pouco com o aplicativo

para que o cooperado possa fazer tudo em

casa. Facilitou muito e, inclusive as sobras podem

ser vistas pelo smartphone do associado.”

De acordo com ele, o ano foi difícil, pois o

país ainda está passando pela pandemia. Para a agricultura,

2021 também não foi fácil devido ao clima.

“Foi um ano em que tivemos de tudo um pouco. As

lavouras sofreram, principalmente, com seca e geadas

causando perdas na produção de soja, milho segunda

safra e trigo. Por outro lado, os preços contribuíram

e o resultado acabou sendo satisfatório”, diz.

Gallassini explica que a antecipação das sobras

é referente aos produtos comercializados pelos

cooperados até 30 de novembro. “Temos um volume

grande de soja e milho entregues na cooperativa,

mas que ainda não foram comercializados pelos

cooperados. Temos, também, os insumos para a

segunda safra de milho, que não entram nas sobras

porque foi efetuado o pedido, mas ainda não foi

retirado. Contudo, o valor antecipado é grande e o

cooperado faz com esse dinheiro o que desejar. Geralmente,

eles usam para passar o fim de ano com

a família, pois sabem que o valor maior das sobras

será em fevereiro quando utilizarão para pagamento

das contas e investimento na propriedade.”

André Spiecker, de Laguna Carapã (MS)

dez/21-jan/22 revista 47


Bolo de

chocolate

com café.

48 revista

dez/21-jan/22

confira

o vídeo

da receita

A receita é do

especialista

Diego Assalve,

@receitasdepai

O sabor é todo seu!

Encontre essa e

outras receitas em

nossas redes sociais:

/coamoalimentos

@coamoalimentos

/coamoalimentos


econhecimento

Prêmio Orgulho da Terra

Foram conhecidos dia 7 de

dezembro em Curitiba, os

vencedores do 1º Prêmio Orgulho

da Terra. O evento que recebeu

o apoio da Coamo, reconhece

as melhores práticas econômicas,

ambientais e sociais do agronegócio

paranaense. É uma iniciativa

do Grupo RIC, em parceria com o

Instituto de Desenvolvimento Rural

do Paraná – Iapar - Emater (IDR-

-Paraná) e o Sistema Ocepar.

Doze propriedades foram

homenageadas com o Troféu

Orgulho da Terra, juntamente

com a Personalidade do Ano do

agronegócio, resultado do trabalho

de comitê de notáveis composto

pela Secretaria de Estado

da Agricultura (Seab), Agência de

Defesa Agropecuária do Paraná

(Adapar), Federação da Agricultura

do Estado Paraná (Faep) e

Federação dos Trabalhadores na

Agricultura do Estado do Paraná

(Fetaep). Eles examinaram dezenas

de propriedades indicadas

pelo IDR-Paraná e Sistema Ocepar

para as 12 categorias.

Com base nos pilares de

crescimento econômico, social

e ambiental, os técnicos verificaram

como os empresários rurais

aplicam as melhores práticas para

alcançar altos padrões de qualidade

na produção. Essa análise

resultou na escolha dos melhores

cases em Suínos; Aves; Soja

e Milho (Grãos); Bovinocultura

de Leite; Feijão; Bovinocultura de

Corte; Piscicultura; Turismo Rural;

Agroecologia (Agricultura orgânica);

Sericicultura (criação de

bicho-da-seda); Inclusão Social e

Agroindústria.

Laércio Dalla Vechia, vencedor

na categoria Soja e Milho

A Fazenda São Judas Tadeu em Mangueirinha,

no Sudoeste do Paraná, é referência nacional

quando o assunto é produtividade de soja. Seu proprietário,

o cooperado Laércio Dalla Vechia, na safra

2019/2020 foi campeão nacional de produtividade

pelo Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb), com uma

produção de mais de 287 sacas por alqueire. Na safra

atual, os números também impressionam e a produtividade

esperada na propriedade é de 250 sacas

de soja por alqueire, enquanto a média da região é

de 150 sacas por alqueire.

Segundo a comissão julgadora, o que fez do

produtor uma referência nacional e agora, o escolhido

para receber o prêmio Orgulho da Terra são suas

boas práticas conservacionistas do solo, que fazem

dele um produtor entusiasmado e focado naquilo

que acredita ser a base para uma agricultura de alto

rendimento. “A busca constante pelo conhecimento

é vital para os bons resultados no nosso negócio”,

afirma o cooperado premiado.

Laércio Dalla Vechia, cooperado da Coamo em Mangueirinha (PR)

dez/21-jan/22 revista 49


NATAL DE LUZES

Deus é maior, quem está com Ele, nunca está só. Esse foi

o tema do tradicional espetáculo da Coamo em dezembro

50 revista

dez/21-jan/22


fim de ano

Há anos, a Coamo realiza o Natal de Luzes, uma

forma de presentear os moradores de Campo

Mourão, cidade onde está a sede administrativa

da cooperativa. Devido as restrições ocasionadas

pela pandemia, pelo segundo ano consecutivo,

o evento foi realizado no formato virtual, mas sem

perder o encanto e grandeza do Natal de Luzes Coamo.

Por mais de um mês, o prédio fica todo iluminado

com as luzes natalinas, se tornando um cartão

postal de Campo Mourão.

O tema deste ano foi "Deus é maior, quem

está com Ele, nunca está só." O evento contou com

atrações artísticas, mensagem do presidente Executivo,

Airton Galinari, chegada do Papai Noel e o

acendimento das luzes da Administração Central da

cooperativa. Além disso, algumas crianças foram até

lá acompanhar este momento tão mágico, na gravação

do evento.

"Mais uma vez estamos realizando o Natal

de Luzes no formato virtual. Claro, que gostaríamos

que fosse presencial com toda participação da comunidade.

É um período que temos que celebrar,

mas sem perder o motivo real da celebração que é o

aniversariante do mês, a estrela dessa festa que é Jesus.

Mesmo que de forma virtual desejo que possamos

incorporar o espírito natalino e termos um bom

Natal e um 2022 repleto e farto de boas colheitas

em todos os sentidos”, diz Galinari.

Aponte o leitor de QR Code do celular

na imagem ao lado e assista o evento

no canal da Coamo no YouTube.

dez/21-jan/22 revista 51


tempo de casa

Homenagem a 14 funcionários

com 40 anos de casa

Profissionais de diferentes funções e unidades foram valorizados pela diretoria da Coamo

Em solenidade presencial e

obedecendo os protocolos,

a diretoria da Coamo prestou

homenagem aos 14 funcionários

que completaram 40 anos

de empresa em 2021. A cerimônia

fez parte do Programa Tempo

de Casa, criado pela cooperativa

para valorizar e reconhecer o trabalho

dos colaboradores.

“Cada um de nós, escreveu

um livro, que conta a mesma

história de muito trabalho e amor

ao cooperativismo ensinado pela

Coamo. Parece que foi ontem

que chegamos aqui, mas já passaram

mais de 14.900 dias. Para

muitos de nós esse foi o primeiro

e único emprego. Lembro-me

da minha entrevista com a psicóloga,

quando eu, preocupado

em trocar de emprego perguntei

a ela se logo depois da safra

não seríamos dispensados, ao

que ela me respondeu: ‘os bons

permanecem’”, disse José Sales

Saraiva, gerente da unidade da

Coamo em Palmas (Sudoeste do

Paraná), e orador em nome dos

homenageados.

Saraiva ressalta que ao

longo desses 40 anos, os funcionários

participaram do crescimento

da Coamo, enchendo

de orgulho ano após ano com

os resultados alcançados e, sempre

ouvindo o presidente repetir:

esse foi o melhor ano da Coamo.

“No ano seguinte essa frase era

novamente repetida. Não por

coincidência, ouvimos há poucos

dias de nosso presidente, que o

ano de 2021 será o melhor ano

da Coamo.”

Ele conta que alguns dos

homenageados tiveram a oportunidade

de trabalhar em mais de

uma unidade e em regiões diferentes,

e acompanharam o desenvolvimento

promovido pela Coamo

e o orgulho dos cooperados

em também contar suas histórias,

relatando como era antes da chegada

da Coamo e como é hoje.

Para o presidente Executivo

da Coamo, Airton Galinari, é

motivo de orgulho para a diretoria

reconhecer, agradecer e valorizar

anualmente a dedicação

dos funcionários do grupo Coamo

que completam 10, 20, 30 e

40 anos de atuação nas empresas

do grupo – sejam eles da Coamo,

52 revista

dez/21-jan/22


EM 2021 FORAM HOMENAGEADOS 380 FUNCIONÁRIOS ACIMA

DE DEZ ANOS, SENDO 29 COM 30 ANOS E 14 COM 40 ANOS

Credicoamo, Via Sollus, Arcam

e Fups. “Há uma afinidade entre

os funcionários e a cooperativa.

Isso representa um valor muito

grande, trata-se de uma relação

harmoniosa onde todos ganham,

cooperativa e colaboradores. A

gente convive muito tempo com

bons valores e profissionais, que

fazem a sua parte e tem a mesma

cara, a mesma marca da nossa

Coamo”, afirma Galinari.

Segundo ele, em 2021

foram homenageados 380 funcionários

acima de 10 anos, dos

quais 29 com 30 anos e 14 com

40 anos de empresa. “São pessoas,

profissionais de sucesso que

ao longo desses anos foram construindo

suas famílias e sua história

baseada nos valores deles e nos

da Coamo, por isso, temos que

comemorar esta conquista. É uma

relação de sucesso, onde há um

compartilhamento, pois vocês

contribuem com a Coamo e ela

com vocês, e todos ganham.”

“Parabéns aos homenageados,

pois ninguém faz nada

sozinho e vocês ajudaram no

crescimento da Coamo, com um

grande tempo de contribuição

para o sucesso da nossa cooperativa”,

afirma José Aroldo Gallassini,

presidente dos Conselhos

de Administração da Coamo e

Credicoamo. Ele lembra que a

Coamo é um exemplo e com sucesso,

sem problemas econômicos

nesses 51 anos de existência

e com forte política de capitalização.

“O trabalho dos nossos

funcionários tem sido muito importante

para este sucesso, juntamente

com a credibilidade que

a cooperativa tem perante os

cooperados, funcionários e comunidade.”

José Sales Saraiva, gerente da Coamo em Palmas (PR)

dez/21-jan/22 revista 53


eceita

Receita ideal

para as festas

da sua família

Pudim

de Café

Confira o vídeo

da receita com

+ de 3 milhões

de visualizações:

Ingredientes

Café Forte

colheres

4 (sopa) Café Coamo Tradicional

xícaras

2 (chá) Água

Calda

1 e ½

1

xícara

(chá)

xícara

(chá)

Açúcar

Água

Modo de Preparo

Massa

xícara

1 (chá)

Acesse os nossos canais:

/coamoalimentos @coamoalimentos /coamoalimentos

1

1 e ½

4

lata

unidades

xícara

(chá)

Café Coamo Tradicional Coado Forte

Leite condensado

Açúcar

Ovos

Para o café forte, aqueça a água como se fosse passar o café, desligue o fogo, adicione o pó

do Café Coamo Tradicional e deixe por 2 minutos. Passe o café pelo filtro. Separe o volume

de 1 xícara.

Para a calda, misture o açúcar com a metade da água e misture bem. Coloque em fogo

médio, não precisa mexer. Quando o caramelo começar a ficar com uma cor marrom-clara,

adicione a outra metade da água, mexendo sempre por mais uns 2 minutos.

Para a massa, coloque ovos, leite condensado, café e açúcar no liquidificador e bata por 2

minutos.

Coloque a calda em uma forma de 15 cm com furo no meio. Em seguida, coloque a massa do

pudim na forma e cubra com papel-alumínio. Coloque no forno preaquecido a 200 °C por

80 minutos em banho-maria (colocar água quente na forma).

AF126 COI 0024 21P ANUŃCIO RECEITA NATAL.indd 1 06/12/21 14:58

54 revista

dez/21-jan/22


Que seu 2022

seja produtivo

como uma

boa colheita

e saboroso

como o

melhor

alimento.

A vida é a gente que transforma.

More magazines by this user
Similar magazines