26.10.2022 Views

Empresas do Vale_108_Outubro_Novembro (PROVA)

You also want an ePaper? Increase the reach of your titles

YUMPU automatically turns print PDFs into web optimized ePapers that Google loves.

nº <strong>108</strong> - <strong>Outubro</strong>/ <strong>Novembro</strong> - 2022 - ano 19<br />

www.empresas<strong>do</strong>vale.com.br<br />

facebook.com/empresas.<strong>do</strong>vale<br />

&<br />

19<br />

<br />

MANAUS<br />

Sua história e suas belezas<br />

Parte 1


02


Í<br />

ndice<br />

Outras matérias:<br />

Fazenda Boa Esperança- pág 19<br />

Jornada de Transformação Digital - pág 29<br />

Sítio Recanto <strong>do</strong>s Sonhos- pág30<br />

40° Festa das Flores e Morangos<br />

04<br />

Manaus - AM<br />

de Atibaia - pág 32<br />

Dom Bertrand de Orléans<br />

e Bragança - pág 34<br />

Matsuda - pág 38<br />

26<br />

49° ABAV - EXPO 2022<br />

24<br />

Rodada de Negócios<br />

CIESP - Taubaté<br />

Expediente<br />

Diretor responsável:<br />

José Carlos Reis de Souza<br />

Departamento Jurídico:<br />

Dr. Luis Antonio Ravani<br />

Jornalista Responsável:<br />

Camões Filho - MTB 18411<br />

Editoração:<br />

Letícia Casoni Peres<br />

Diretora de Fotografia:<br />

Lourdes A. Antunes de Oliveira<br />

Jornalista :<br />

Simone Galib (colabola<strong>do</strong>ra)<br />

Tiragem: 5.000 exemplares<br />

Distribuição gratuita e dirigida<br />

Publicação Bimestral<br />

Contato<br />

Revista <strong>Empresas</strong> <strong>do</strong> <strong>Vale</strong><br />

CNPJ: 12.530.626/0001-99<br />

Rua <strong>do</strong> Correa, 255<br />

Bairro: Jardim Santa Cruz<br />

Cep: 12080-290<br />

Taubaté -SP<br />

www.empresas<strong>do</strong>vale.com.br<br />

www.facebook.com/empresas.<strong>do</strong>vale<br />

e-mail: tvempresas<strong>do</strong>vale@gmail.com<br />

Dpto. Comercial<br />

(12) 99787-6329<br />

Editorial<br />

José Carlos Reis de Souza<br />

Diretor Responsável<br />

Caro leitor! Nesta edição<br />

mostramos Manaus (MA),<br />

um <strong>do</strong>s destinos turísticos<br />

mais procura<strong>do</strong>s. A matéria<br />

está dividida em duas etapas,<br />

visto que seu conteú<strong>do</strong> de<br />

informações é extenso. Além<br />

de diversas pautas sobre<br />

eventos que ocorreram,<br />

como: 49ª ABAV Expo<br />

2022, 40ª Festa de Flores e<br />

Morango de Atibaia, Rodada<br />

de Negócios, Jornada da<br />

Transformação Digital,<br />

Sítio Recanto <strong>do</strong>s Sonhos e<br />

Fazenda Boa Esperança.<br />

Parceria:<br />

Apoio:<br />

As fotos de divulgação foram cedidas pelas<br />

empresas e/ou pessoas mencionadas nos textos.<br />

Não é permitida a reprodução sem autorização<br />

expressa <strong>do</strong>s autores, por escrito. Os textos,<br />

informações e anúncios publicitários são de inteira<br />

e exclusiva responsabilidade <strong>do</strong>s autores e empresas<br />

anunciantes.<br />

03


04<br />

Após o descobrimento <strong>do</strong> Brasil, a região foi alvo de explora<strong>do</strong>res portugueses. O<br />

processo influenciou na decisão <strong>do</strong> Trata<strong>do</strong> de Madri de 1750, que dava posse definitiva<br />

da região para a Coroa Portuguesa. O decreto de criação da Província <strong>do</strong> Amazonas foi<br />

assina<strong>do</strong> por Dom Pedro II em 1850. O nome Amazonas é de origem indígena, vem da<br />

palavra “amassunu”, que significa “ruí<strong>do</strong> das águas”.


MANAUS<br />

(AM)<br />

Por: José Carlos Reis de Souza<br />

Palácio Rio Negro.<br />

Foi o capitão espanhol Francisco Orelhana<br />

quem batizou a região após descer o rio<br />

Amazonas em 1541. No percurso, encontrou<br />

grupos indígenas, com quem guerreou. A<br />

ocupação da região ocorreu com o resulta<strong>do</strong><br />

<strong>do</strong>s ciclos econômicos. Até o início <strong>do</strong> século XX,<br />

a exploração da borracha foi o chamariz para a<br />

introdução de vilas e povoa<strong>do</strong>s.<br />

Manaus é a oitava cidade mais populosa<br />

<strong>do</strong> Brasil, com cerca de 2.255.903 milhões de<br />

habitantes em 2021. Possui diversas opções de<br />

turismo e muita cultura, além de ser a porta de<br />

entrada da Amazônia e toda a sua biodiversidade.<br />

A natureza está ali pertinho, seja nos parques<br />

que foram preserva<strong>do</strong>s, como a Reserva<br />

Florestal A<strong>do</strong>lpho Ducke e o Bosque da Ciência.<br />

No calçadão revitaliza<strong>do</strong> da Ponta Negra, onde o<br />

belíssimo rio Negro abraça a cidade convidan<strong>do</strong><br />

para um passeio na orla. Além disso, os inúmeros<br />

hotéis de selva localiza<strong>do</strong>s nos arre<strong>do</strong>res<br />

de Manaus tornaram-na uma das principais<br />

portas de entrada para explorar a Amazônia.<br />

Dos tempos áureos da borracha restou o<br />

esplen<strong>do</strong>r das construções históricas como o<br />

impressionante Teatro Amazonas e o Merca<strong>do</strong><br />

Municipal, reaberto após sete anos de reforma.<br />

Como ocorre em to<strong>do</strong>s os Esta<strong>do</strong>s brasileiros,<br />

a cultura amazônica resulta de influências<br />

indígenas, africanas e européias. Nesse esta<strong>do</strong>,<br />

porém, a influência indígena é a mais acentuada,<br />

manifestan<strong>do</strong>-se na tradição oral, no artesanato<br />

e na culinária. O extrativismo ainda é o principal<br />

motor de indução da economia local. Também<br />

é operacional na indústria diversificada com<br />

destaque para materiais elétricos, metalúrgicos,<br />

bebidas e alimentos. A produção agropecuária<br />

é voltada para o cultivo de mandioca, arroz,<br />

laranja e banana. Na culinária amazonense, o<br />

peixe também é um importante elemento na<br />

economia local. Entre as festas típicas, a que<br />

mais atraem visitantes é o Festival Folclórico de<br />

Parintins. O evento reproduz um duelo entre os<br />

bois caprichoso e garanti<strong>do</strong>.


Porto flutuante de Manaus.<br />

PORTO DE MANAUS<br />

Projeta<strong>do</strong> por ingleses quan<strong>do</strong> a cidade vivia o apogeu da época<br />

<strong>do</strong> ciclo da borracha, é o maior porto fluvial <strong>do</strong> mun<strong>do</strong> localiza<strong>do</strong> na<br />

margem esquerda <strong>do</strong> rio Negro, perto da confluência com o rio Solimões,<br />

no centro de Manaus (AM).<br />

O Porto de Manaus (AM) projeta<strong>do</strong> por ingleses quan<strong>do</strong> a cidade vivia o apogeu da época <strong>do</strong> ciclo<br />

da borracha, é o maior porto fluvial <strong>do</strong> mun<strong>do</strong> localiza<strong>do</strong> na margem esquerda <strong>do</strong> rio Negro, perto da<br />

confluência com o rio Solimões, no centro de Manaus (AM). É um <strong>do</strong>s principais pontos turísticos mais<br />

visita<strong>do</strong>s. Com o crescimento da exploração da borracha, a infraestrutura <strong>do</strong> local na época precisou<br />

passar por uma ampliação e reorganização. As obras foram realizadas por etapas: em 1903 foi construída a<br />

Casa de Máquinas (hoje se encontra o Museu <strong>do</strong> Porto). Em 1904 foram construí<strong>do</strong>s os armazéns 9 e 10, a<br />

torre metálica para caixa d’água, as linhas férreas destinadas aos serviços <strong>do</strong>s armazéns <strong>do</strong> Porto, o cais <strong>do</strong><br />

Roaday e instalações <strong>do</strong>s primeiros gera<strong>do</strong>res de eletricidade. Em 1905 foram realizadas as calçadas e áreas<br />

em torno <strong>do</strong>s armazéns 9 e 10. Em 1906/1907 o Escritório Geral e galerias de esgoto foram monta<strong>do</strong>s. No<br />

contexto geral, as obras se arrastaram por longos anos e chegaram a serem concluídas por volta de 1919.<br />

Endereço: Rua Marques de Santa Cruz, 25 - Porto de Manaus (AM)<br />

06


RELÓGIO MUNICIPAL<br />

O projeto <strong>do</strong> relógio foi realiza<strong>do</strong> pelo amazonense Coriolano Durand, e o maquinário foi<br />

encomenda<strong>do</strong> a uma relojoaria da Suíça, monta<strong>do</strong> e revisa<strong>do</strong> por Pelosi & Robert, antigos ourives de<br />

Manaus.<br />

Relógio Municipal.<br />

Existe registro de que a primeira iniciativa de se construir um medi<strong>do</strong>r de horas na cidade, data de<br />

1854 quan<strong>do</strong> o presidente da Província, Herculano Ferreira Pena, em pronunciamento à Assembleia<br />

Legislativa Provincial, expôs a necessidade da existência de um relógio público em Manaus. O projeto<br />

<strong>do</strong> relógio foi realiza<strong>do</strong> pelo amazonense Coriolano Durand, e o maquinário foi encomenda<strong>do</strong> a uma<br />

relojoaria da Suíça, monta<strong>do</strong> e revisa<strong>do</strong> por Pelosi & Robert, antigos ourives de Manaus. No dia 31/03/1929<br />

foi iniciada a construção <strong>do</strong> pedestal para a instalação <strong>do</strong> relógio, e no dia 28/11/1929, o marca<strong>do</strong>r foi<br />

inaugura<strong>do</strong>, conforme relatam os jornais: o Esta<strong>do</strong> <strong>do</strong> Amazonas e Diário Oficial <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong> da época.<br />

Instala<strong>do</strong> precisamente na Avenida Eduar<strong>do</strong> Ribeiro, com frente voltada para o rio Negro, e faz parte <strong>do</strong><br />

Patrimônio Histórico desde 16/06/1988.<br />

Endereço: Av. Eduar<strong>do</strong> Ribeiro - Centro / Manaus (AM)


Merca<strong>do</strong> Municipal A<strong>do</strong>lpho Lisboa.<br />

MERCADO MUNICIPAL ADOLPHO LISBOA<br />

O Merca<strong>do</strong> Municipal A<strong>do</strong>lpho Lisboa, um importante prédio histórico e símbolo da arquitetura<br />

<strong>do</strong> perío<strong>do</strong> áureo <strong>do</strong> ciclo da borracha localiza<strong>do</strong> às margens <strong>do</strong> rio Negro, no centro da cidade<br />

de Manaus (AM). Foi o segun<strong>do</strong> merca<strong>do</strong> construí<strong>do</strong> no Brasil em estilo Art Noveau inspira<strong>do</strong> no<br />

Merca<strong>do</strong> de Les Halles de Paris. Inaugura<strong>do</strong> em 15/07/1883, um <strong>do</strong>s mais importantes centros<br />

de comercialização de produtos e alimentos típicos da Amazônia. Popularmente conheci<strong>do</strong><br />

“Mercadão”, possui um pavilhão central em alvenaria, ladea<strong>do</strong> por <strong>do</strong>is pavilhões com estrutura<br />

em ferro fundi<strong>do</strong> e forja<strong>do</strong>, com pórtico de ferro rendilha<strong>do</strong> e vitrais. Sobre a bandeira <strong>do</strong> portão<br />

principal existe uma cartela cravada com o nome “A<strong>do</strong>lpho Lisboa, que na época da construção, era<br />

o prefeito de Manaus. Possuem duas fachadas totalmente distintas, uma de frente para o rio Negro e<br />

outra para a via pública. O prédio foi interdita<strong>do</strong> em 2006 para obras de restauro, sen<strong>do</strong> reaberto em<br />

2013, tornan<strong>do</strong> parada obrigatória <strong>do</strong>s turistas e ótimas opções de lazer aos finais de semana. Em<br />

01/07/1987 o prédio foi tomba<strong>do</strong> pelo IPHAN - Instituto <strong>do</strong> Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.<br />

Endereço: Rua <strong>do</strong>s Barés, n° 46 - Centro / Manaus (AM)<br />

Aberto: de segunda a sába<strong>do</strong>, das 06:00h às 17:00h / <strong>do</strong>mingos e feria<strong>do</strong>s, das 06:00h às 13:00h /<br />

Informações: (92) 3234-8441 / Entrada gratuita<br />

08


Diversos tipos de artesanatos.<br />

Popularmente conheci<strong>do</strong> “Mercadão”, possui um pavilhão central em alvenaria, ladea<strong>do</strong><br />

por <strong>do</strong>is pavilhões com estrutura em ferro fundi<strong>do</strong> e forja<strong>do</strong>, com pórtico de ferro rendilha<strong>do</strong> e<br />

vitrais. Sobre a bandeira <strong>do</strong> portão principal existe uma cartela cravada com o nome “A<strong>do</strong>lpho<br />

Lisboa, que na época da construção, era o prefeito de Manaus.<br />

Setor de peixes.


Teatro Amazonas.<br />

TEATRO AMAZONAS<br />

A construção é fascinante por dentro e por fora. A fachada neoclássica<br />

é pintada de rosa e apresenta uma cúpula feita com 36 mil escamas<br />

de cerâmica nas cores da bandeira brasileira. Já no interior, chamam<br />

a atenção o hall de entrada em mármore português, a escadaria em<br />

mármore italiano e ferro inglês.<br />

Inaugura<strong>do</strong> em 1896 para a apresentação de peças e óperas de companhias européias, tornan<strong>do</strong>-se<br />

símbolo máximo <strong>do</strong> rico “Ciclo da Borracha”. A construção é fascinante por dentro e por fora. A fachada<br />

neoclássica é pintada de rosa e apresenta uma cúpula feita com 36 mil escamas de cerâmica nas cores<br />

da bandeira brasileira. Já no interior, chamam a atenção o hall de entrada em mármore português, a<br />

escadaria em mármore italiano e ferro inglês. A sala de espetáculos, com capacidade para 700 pessoas,<br />

decorada com lustres e máscaras venezianos. Em maio, o teatro é cenário para o concorri<strong>do</strong> Festival<br />

Amazonas de Ópera, cria<strong>do</strong> em 1997. Caso não seja possível assistir espetáculos, vale à pena fazer uma<br />

visita guiada, com meia hora de duração.<br />

Endereço: Largo de São Sebastião – Avenida Eduar<strong>do</strong> Ribeiro, Centro / Manaus (AM)<br />

Visitação: de terça a sába<strong>do</strong>, das 9h às 17h<br />

Informações: (92) 3622-1880<br />

10


Visão interna <strong>do</strong> Teatro Amazonas .<br />

Visão interna <strong>do</strong> Teatro Amazonas.


Palácio Rio Negro.<br />

PALÁCIO RIO NEGRO<br />

Não bastava ser rico, era preciso ostentar. Assim era a vida <strong>do</strong>s “barões da<br />

borracha”, como se tornaram conheci<strong>do</strong>s os comerciantes que enriqueceram com a<br />

exploração <strong>do</strong> látex entre o final <strong>do</strong> século XIX e início <strong>do</strong> século XX em Manaus. Era o<br />

boom da borracha, quan<strong>do</strong> a exploração <strong>do</strong> produto alcançou níveis espetaculares<br />

para a economia <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong>, sobretu<strong>do</strong> para os <strong>do</strong>nos <strong>do</strong>s seringais e comerciantes.<br />

Um <strong>do</strong>s comerciantes mais ricos de Manaus o alemão Karl Waldemar Scholz man<strong>do</strong>u construir no<br />

início <strong>do</strong> século XX em um terreno de 4.700 m² o “Palacete de Scholz” pelo arquiteto italiano Antonio<br />

Jannuzzi (1855/1949), para ser residência particular <strong>do</strong> comerciante, a mais luxuosa residência que havia<br />

naquele perío<strong>do</strong>. Com a queda <strong>do</strong> preço da borracha a partir de 1912, e depois à 1ª Guerra Mundial, Karl<br />

Waldemar Scholz se viu obriga<strong>do</strong> a hipotecar o imóvel para o seringalista e comerciante, coronel Luiz<br />

da Silva Gomes, por 400 contos de réis. Numa primeira fase arren<strong>do</strong>u o palácio para ser residência <strong>do</strong><br />

governa<strong>do</strong>r. Mais tarde foi adquiri<strong>do</strong> pelo governo em 1917 por 200 contos de réis para torna-se a sede<br />

<strong>do</strong> Poder Executivo Estadual e residência <strong>do</strong> governa<strong>do</strong>r, permanente como palácio de despachos até<br />

abril de 1995. Em 1997 o prédio foi reforma<strong>do</strong>, revitaliza<strong>do</strong> e transforma<strong>do</strong> no “Centro Cultural Palácio<br />

Rio Negro”, sen<strong>do</strong> um espaço de exposições permanente, que incluem bustos de autoridades públicas,<br />

mobílias antigas, cadeiras de palha indiana, mesa de jacarandá como três relógios suíços, poltronas,<br />

estantes, quadros de artistas famosos, como Moacir Andrade e Branco e Silva, e fotografias penduradas<br />

no salão nobre de to<strong>do</strong>s os governa<strong>do</strong>res <strong>do</strong> Amazonas. Na frente <strong>do</strong> prédio, em meio ao jardim, há<br />

uma estátua em bronze representa<strong>do</strong> a Medusa, com serpentes entrelaçadas no cabelo e braço. O<br />

visitante ao entrar no espaço, se depara com uma escada suspensa em madeira de lei guardada por<br />

duas esculturas em ferro trazidas da frança de um índio e uma índia com luminárias nas mãos. Em 1980<br />

o prédio foi tomba<strong>do</strong> como patrimônio histórico <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong>.<br />

Endereço: Av. Sete de Setembro, 1546 - Centro / Manaus (AM)<br />

Aberto: de segunda a sába<strong>do</strong> das 13:00h às 17:00h e <strong>do</strong>mingo das 11:00h às 15:00h<br />

Informações: (92) 3232-4450.<br />

12


Visão interna da entrada <strong>do</strong> Palácio Rio Negro.<br />

Sala oficial <strong>do</strong> governa<strong>do</strong>r.<br />

Mobiliário da época em exposição.<br />

Varanda frontal <strong>do</strong> prédio.<br />

As famosas cadeiras de palhinhas.<br />

A beleza <strong>do</strong> mobiliário antigo.


PAÇO DA LIBERDADE<br />

O Paço da Liberdade, também conheci<strong>do</strong> como Paço Municipal, um <strong>do</strong>s mais antigos prédios de<br />

Manaus. Apresenta uma fachada neoclássica com frontão e janelas características. Em 1871 foi lançada<br />

a pedra fundamental, cinco anos depois abrigou a sede <strong>do</strong> governo da Província <strong>do</strong> Amazonas. Em<br />

seguida, a sede <strong>do</strong> governo <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong>, após a Proclamação da República no Brasil. Foi também a<br />

residência <strong>do</strong> presidente da Província no perío<strong>do</strong> de 1874 a 1889 e de governa<strong>do</strong>res <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong> entre<br />

1889 a 1917. Em 1917 tronou-se sede da Prefeitura de Manaus. O Paço da Liberdade tem apenas um<br />

andar, e suas oito salas são divididas em diversos setores que abrigam exposições permanentes e<br />

temporárias <strong>do</strong> “Museu da Cidade de Manaus”.<br />

Endereço: Rua Gabriel Salga<strong>do</strong> - Centro / Manaus (AM) / Contato (92) 3622-4991<br />

Fachada <strong>do</strong> Paço da Liberdade.<br />

O Paço da Liberdade foi sede <strong>do</strong> governo <strong>do</strong> Amazonas, residência<br />

oficial <strong>do</strong>s presidentes provinciais e <strong>do</strong>s governa<strong>do</strong>res e, em 1917,<br />

passou a ser sede da Prefeitura.<br />

MUSEU DA CIDADE DE MANAUS<br />

EXPOSIÇÕES<br />

O Museu da Cidade de Manaus, localiza<strong>do</strong> no Paço da Liberdade, tornou-se a casa e<br />

conta a história <strong>do</strong> povo manauara. Oito salas retratam a vida cotidiana, a identidade<br />

e a cultura de gerações passadas, por meio de exposições de longa e curta duração,<br />

utilizan<strong>do</strong>-se da interatividade para contar a história da cidade de Manaus a partir de<br />

textos, sons e imagens, com caráter educativo, lúdico e dinâmico, atrain<strong>do</strong> a atenção,<br />

o olhar e a sensibilidade até <strong>do</strong>s visitantes mais novos.<br />

ESPAÇO AFLUENTES<br />

DO TEMPO<br />

14<br />

Mostra a história a partir <strong>do</strong> rio Negro e Solimões,<br />

com fotos projetadas e refletidas na água, no formato<br />

de rio que fica represada. Assim, é a primeira sala a<br />

ser visitada no Museu, contan<strong>do</strong> a história <strong>do</strong>s povos<br />

que viviam as margens <strong>do</strong>s rios, e como a maioria <strong>do</strong>s<br />

povos existentes tiravam o seu sustento <strong>do</strong> mesmo.<br />

Uma curiosidade sobre a apresentação das imagens<br />

refletidas na água por telões suspensos, conforme<br />

o decorrer da apresentação forma um grande Y, que<br />

representa o Encontro das Águas composto pelo rio<br />

Negro e Solimões. Aqui é detalhada a origem da cidade.<br />

‘Afluentes <strong>do</strong> Tempo’ segue a história de Manaus pelos rios Negro e<br />

Solimões.


ESPAÇO CASAS-CABEÇAS<br />

Espaço Casas-Cabeças.<br />

São apresentadas imagens de casas de vários<br />

imigrantes que vinham morar na então cidade. A<br />

apresentação é feita através de um painel Touch<br />

Screen, mostran<strong>do</strong> ao visitante a história e imagens<br />

das casas e objetos que compunham as mesmas. Além<br />

de observar nas imagens, as entre linhas da exposição<br />

fazem com que o visitante visualize a diversidade étnica<br />

cultural que compôs os diversos traços da população<br />

Manauara.<br />

ESPAÇO BANHOS DE<br />

ORIGENS<br />

É mostra<strong>do</strong> em telões o depoimento de oito pessoas<br />

que vieram de outros Esta<strong>do</strong>s e países. Os depoimentos<br />

relatam o orgulho das mesmas residirem na cidade de<br />

Manaus e o quanto a mesma é importante. Após o<br />

depoimento, que são registra<strong>do</strong>s em flutuantes, as oito<br />

pessoas mergulham no rio, nesse momento, as águas<br />

ganham movimento na sala com efeitos gera<strong>do</strong>s com<br />

projeções.<br />

O espaço ‘Banhos de Origens’ traz depoimentos de pessoas que<br />

vieram morar em Manaus.<br />

ESPAÇO ANÉIS DE<br />

CRESCIMENTO<br />

As projeções de informações sobre Manaus são<br />

feitas em <strong>do</strong>is troncos de árvores regionais, onde<br />

mostram o crescimento da cidade com o decorrer<br />

<strong>do</strong> tempo, antes era uma cidade ordenada com ruas<br />

alinhadas, e depois mostra mapas com o crescimento<br />

desordena<strong>do</strong> por conta das invasões.<br />

Espaço Anéis de Crescimento.<br />

ESPAÇO RIOS VOADORES<br />

Mostra a evaporação da água e o ciclo das chuvas<br />

na capital, através de quatro grandes globos de vidro<br />

transparentes, conten<strong>do</strong> dentro <strong>do</strong>s mesmos prédios,<br />

casas, a floresta e o oceano. A intenção é mostrar como<br />

o ciclo da chuva começa, mostran<strong>do</strong> que a maior parte<br />

contribuinte vem <strong>do</strong>s corais oceânicos e a segunda<br />

parte contribuinte é da floresta Amazônica.<br />

Espaço Rios Voa<strong>do</strong>res.


SALA DOS PREFEITOS<br />

Sala <strong>do</strong>s prefeitos.<br />

No local é possível conhecer através de fotos, os<br />

nomes e perío<strong>do</strong> de gestão de to<strong>do</strong>s os mandatários da<br />

cidade de Manaus. O ambiente tem mobiliário de estilo<br />

manuelino, muito usa<strong>do</strong> nos anos 1910 em Manaus,<br />

que compunham o gabinete <strong>do</strong> prefeito. Belíssimas<br />

molduras em relevo circundam os retratos <strong>do</strong>s prefeitos<br />

que estiveram à frente <strong>do</strong> Poder Executivo. No teto<br />

<strong>do</strong> gabinete um trabalho em relevo <strong>do</strong> escu<strong>do</strong> que<br />

simboliza o “Brasão da Municipalidade”, cria<strong>do</strong> em 1906<br />

e representa a Prefeitura de Manaus, e a Vitória-régia,<br />

símbolo da flora amazônica, como de seu povo.<br />

SALA ARQUEOLOGIA<br />

Não é projeção tecnológica, mas sim a escavação<br />

arqueológica onde foram encontra<strong>do</strong>s durante obras<br />

realizadas no local, fragmentos históricos arqueológicos<br />

e uma urna funerária estimada com datas entre 2 e<br />

7 mil anos usa<strong>do</strong>s pelos antigos povos nativos précolombianos,<br />

de como eram enterra<strong>do</strong>s seus mortos<br />

e prova concreta <strong>do</strong> passa<strong>do</strong> indígena de Manaus. O<br />

visitante pode observar de cima de um piso de vidro<br />

resistente, com iluminação especial os fragmentos e a<br />

urna funerária.<br />

A Sala Arqueologia abriga fragmentos arqueológicos e urnas<br />

funerárias.<br />

ESPAÇO MERCADO<br />

Encontra-se à carpoteca (coleção de frutos<br />

preserva<strong>do</strong>s para fins científicos) e o herbário (plantas<br />

secas), que mostram através de estu<strong>do</strong>s científicos, o<br />

uso <strong>do</strong>s alimentos e plantas típicas medicinais para<br />

chás, cestos, teci<strong>do</strong>s, panelas, entre outros usa<strong>do</strong>s pelos<br />

povos indígenas e ribeirinhos da região amazônica<br />

com a exposição de iguarias, alimentos e objetos<br />

regionais que estão naturalmente no cotidiano da<br />

cultura amazonense. Esses materiais são apresenta<strong>do</strong>s<br />

e explica<strong>do</strong>s a sua funcionalidade.<br />

Espaço Merca<strong>do</strong>.<br />

COLEÇÃO THIAGO<br />

MELLO<br />

16<br />

O local abriga a exposição permanente “Coleção<br />

Thiago Mello”, composta por 30 quadros <strong>do</strong>a<strong>do</strong>s pelo<br />

poeta amazonense, entre os quais obras <strong>do</strong> espanhol<br />

Juan Miró e <strong>do</strong> chileno Roger Bru. Um painel com<br />

2 metros de altura e cerca de 3 metros de largura<br />

traz trechos de obras <strong>do</strong> poeta, como o famoso<br />

“Os Estatutos <strong>do</strong> Homem”, li<strong>do</strong> na promulgação da<br />

Constituição de 1988.<br />

O mural em homenagem ao poeta amazonense Thiago de Melo.


Fachada da Usina Chaminé.<br />

CENTRO CULTURAL USINA CHAMINÉ<br />

Uma chaminé de 24 metros de altura, construída com tijolos<br />

compactos refratários, coroada por um chapeló em ferro molda<strong>do</strong>,<br />

infelizmente não deu certo devi<strong>do</strong> às altas taxas de saneamento básico<br />

que eram cobra<strong>do</strong>s <strong>do</strong>s mora<strong>do</strong>res.<br />

O prédio construí<strong>do</strong> em 1910 pela empresa inglesa “Manaós Improviments”, concessionária de<br />

serviços de saneamento, com características neorrenascentista para ser uma usina de tratamento de<br />

água e esgoto. Uma chaminé de 24 metros de altura, construída com tijolos compactos refratários,<br />

coroada por um chapeló em ferro molda<strong>do</strong>, infelizmente não deu certo devi<strong>do</strong> às altas taxas de<br />

saneamento básico que eram cobra<strong>do</strong>s <strong>do</strong>s mora<strong>do</strong>res. A maioria da comunidade se revoltou porque<br />

não tinham como pagar pelos seus direitos, geran<strong>do</strong> um pequeno levante, depredan<strong>do</strong> o prédio. No<br />

ano de 1913 a empresa optou para rescindir o contrato, e o prédio foi desativa<strong>do</strong>. Em 1988 o prédio foi<br />

tomba<strong>do</strong> como Monumento Histórico <strong>do</strong> Amazonas. Em 1993 a edificação foi reformada passan<strong>do</strong><br />

a funcionar como Centro de Artes Chaminé, abrigan<strong>do</strong> a Pinacoteca <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong>, com exposições<br />

que funcionavam de forma temporária e teatro. Em 2002, o prédio recebeu uma nova reforma, já<br />

denomina<strong>do</strong> como Centro Cultural Usina Chaminé, reaberto como parte das ações <strong>do</strong> Programa de<br />

Preservação da Natureza da Memória Cultural e Histórica <strong>do</strong> Amazonas. Atualmente a Usina Chaminé<br />

dispõe em sua área interna, salas para exposições permanentes e temporárias, com projeção de filmes<br />

e oficinas infantis. Para aqueles que gostam de cultura e arte é um bom programa. A entrada é gratuita<br />

e funciona de segunda-feira a sába<strong>do</strong>, das 09h às 17h.<br />

Endereço: Av. Lourenço Braga, s/n - Centro / Manaus (AM)<br />

Contato: (92) 3633-3026 / 3636-7196 / 3234-7156<br />

Aberto: de segunda à sexta das 08:00h às 14:00h / sába<strong>do</strong>: das 08:00 às 13:00h


SALAS DE EXPOSIÇÕES NO CENTRO<br />

CULTURAL USINA CHAMINÉ<br />

SALA JERUSA MUSTAFA:<br />

PALADAR E OLFATO<br />

Neste local o visitante faz um passeio pelas essências<br />

da flora amazônica, algumas delas matéria-prima de<br />

perfumes e demais produtos cosméticos. Em cada<br />

vidrinho, o visitante pode sentir os aromas <strong>do</strong> pau-rosa,<br />

da preciosa, <strong>do</strong> cumaru, <strong>do</strong> patchuli, <strong>do</strong> breu-branco,<br />

da andiroba e da copaíba. Também pode conhecer<br />

frutos, como o ouriço de castanha, e condimentos<br />

típicos da região.<br />

Os aromas das cascas e raízes de árvores.<br />

SALA JOSÉ<br />

REZENDE: TATO<br />

Nesta sala, o visitante conhece produtos de<br />

artesanato, entre eles objetos produzi<strong>do</strong>s com matériaprima<br />

extraída de palmeiras da região, como cocares,<br />

rede de tucum e cestas de arumã. Esculturas de<br />

animais da fauna amazônica em diferentes tamanhos e<br />

embelezam a exposição<br />

A cultura indígena exposta na Sala <strong>do</strong> Tat.<br />

SALA SERGIO CARDOSO:<br />

AUDIÇÃO E VISÃO<br />

Sala Audição e Visão, que exibe vídeos sobre a Amazônia.<br />

Nesta sala o visitante tem a oportunidade de<br />

visualizar vídeos sobre a Amazônia, além de objetos<br />

musicais indígenas, como tambores, chocalhos e<br />

o “pau da chuva”. Também há fotografias de vários<br />

perío<strong>do</strong>s da história de Manaus, especialmente a partir<br />

<strong>do</strong> final <strong>do</strong> século XIX, com textos que transmitem<br />

as impressões <strong>do</strong>s estrangeiros que passaram e/ou<br />

moraram na capital amazonense.<br />

18


Capela Ecumênica.<br />

Fachada da pequena capela.<br />

FAZENDA BOA ESPERANÇA<br />

TAUBATÉ (SP)<br />

Por: José Carlos Reis de Souza<br />

A Revista <strong>Empresas</strong> <strong>do</strong> <strong>Vale</strong> - Negócios & Turismo, conheceu às dependências da Fazenda Boa Esperança,<br />

localizada na cidade de Taubaté. O local tem uma infraestrutura para atender diversos tipos de eventos como<br />

casamentos, confraternizações, aniversários, formaturas, retiro e day camp (acampamento de um dia). Além<br />

de uma área para hospedagem, piscinas climatizadas, campo de futebol, quadra de areia para vôlei e beach<br />

tennis (tênis de praia), playground, visitação de animais e trilha ecológica. A fazenda atualmente está se<br />

especializan<strong>do</strong> no turismo rural, aos <strong>do</strong>mingos oferece almoço caipira feita no fogão a lenha.<br />

Entrada <strong>do</strong> restaurante e salão de eventos.<br />

Espaço para eventos.<br />

Área de esporte.<br />

Fachada <strong>do</strong> restaurante e salão de eventos.


2º SEMINÁRIO DE TURISMO<br />

DESCUBRA VALE<br />

No dia 25/08/22 aconteceu nas dependências <strong>do</strong><br />

Monarka Hall, o 2º “Seminário de Turismo Descubra <strong>Vale</strong>”. O<br />

evento contou com 120 profissionais da área, empresários<br />

e autoridades. Estiveram presentes: José Saud (prefeito de<br />

Taubaté), Marquinhos de Oliveira (prefeito de Morungaba),<br />

Alexandre Siqueira Braga (prefeito de São José <strong>do</strong> Barreiro),<br />

Murilo Pinheiro (prefeito de Nazaré Paulista e presidente<br />

da AMITESP), Guilherme Centofante (presidente da ACE -<br />

Associação Comercial e Empresarial de Campos <strong>do</strong> Jordão) e<br />

Vinicius Lummertz (secretário Estadual de Turismo e Viagens<br />

de São Paulo). Durante o evento foram articula<strong>do</strong>s temas sobre<br />

o turismo de cidades com cases de sucesso, como promover<br />

destinos turísticos no intuito de impulsioná-lo na região <strong>do</strong><br />

<strong>Vale</strong> Histórico. A abertura <strong>do</strong> evento teve início com as palavras<br />

<strong>do</strong> presidente da ACIT - Associação Comercial e Industrial<br />

de Taubaté, Carlos Vilhena, em seguida falou o prefeito de<br />

Taubaté José Saud. Os convida<strong>do</strong>s a palestrar foram: Marcos<br />

Antonio de Carvalho Lucas (vice-presidente da ABAV / AVIESP-<br />

SP), com o tema “Turismo Receptivo e desenvolvimento<br />

regional”; Luciano Palumbo (diretor da Hatsur Comunicação<br />

e influencia<strong>do</strong>r nos canais digitais de turismo / presidente<br />

da (ABBV) - Associação Brasileira de Blogs de Viagens), com<br />

Visão <strong>do</strong>s convida<strong>do</strong>s.<br />

o tema “Comunicação para destinos turísticos. Como fazer?”;<br />

Marquinho de Oliveira (prefeito da Estância Climática de<br />

Morungaba / presidente <strong>do</strong> CISMETRO), com o tema “Conheça<br />

a Associação das Prefeituras das Cidades Estância <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong><br />

de São Paulo”; Vinicius Lummerts (secretário Estadual de<br />

Turismo e Viagens de São Paulo), com o tema “A Economia <strong>do</strong><br />

Visistante”; Claiton Armelin Mini (Head de Vendas e Produtos<br />

da Squad Viagens), com o tema “Como preparar um destino<br />

Turístico para venda” e Waldirene Ribeiro (diretora executiva<br />

da AMITESP), com o tema “A Regionalização Turística no<br />

Esta<strong>do</strong> de SP e seu papel estratégico nas políticas de turismo”<br />

encerran<strong>do</strong> as palestras. Em seguida foi servi<strong>do</strong> um almoço a<br />

to<strong>do</strong>s que participaram <strong>do</strong> evento.<br />

MARCO ANTONIO DE CARVALHO LUCAS<br />

Vice-presidente da ABAV / AVIESP-SP<br />

Tema: Turismo Receptivo e desenvolvimento regional<br />

Marcos Lucas (vice-presidente da AVIESP<br />

e ABAV-SP), durante entrevista para o<br />

jornalista José Carlos<br />

Estamos participan<strong>do</strong> <strong>do</strong> 2º Seminário de Turismo Descubra <strong>Vale</strong>, a convite<br />

da ACIT - Associação Comercial e Industrial de Taubaté e CONTUR, muito feliz<br />

com to<strong>do</strong>s e trazer um pouco daquilo que temos vivi<strong>do</strong> pelo turismo no<br />

Esta<strong>do</strong> de São Paulo, ao longo desses 33 anos de trabalho no setor, sempre<br />

trazen<strong>do</strong> um pouco da experiência, aprenden<strong>do</strong> e longe de querer ensinar<br />

nada a ninguém, mas dividir um pouco da experiência que a gente tem e ouvir<br />

<strong>do</strong>s outros, especialmente sentir as <strong>do</strong>res da região, entender melhor como<br />

funciona aqui. O nosso Esta<strong>do</strong> é grande e nosso país é maior ainda, obviamente<br />

cada um tem uma necessidade, embora estejamos no mesmo setor.<br />

LUCIANO PALUMBO<br />

Diretor da Hatsur Comunicação e influencia<strong>do</strong>r nos canais<br />

digitais de turismo<br />

Presidente da ABBV - Associação Brasileira de Blogs de Viagens<br />

Tema: Comunicação para destinos turísticos. Como fazer?<br />

Nós tentamos trazer para Taubaté um pouco da nossa experiência com<br />

marketing de destinos turísticos e a divulgação de destinos turísticos. Acredito que<br />

uma empresa nos dias atuais que queira criar uma presença digital para divulgar um<br />

produto turístico, tem que ter um blog, é o primeiro passo. Blog, Instagran, Facebook<br />

e Tik Tok no You Tube, são ferramentas essenciais que tem que ter, depois, dividir<br />

esse público e conseguir segmentar em cada uma das plataformas de comunicação<br />

utilizadas. Após, eleger um desses canais como a sua principal ferramenta.<br />

Luciano Palumbo (presidente da ABBV -<br />

Associação Brasileira de Blogs de Viagens),<br />

durante entrevista ao jornalista José Carlos.<br />

20


Vinicius Lummertz (secretário de Turismo<br />

e Viagens <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong> de São Paulo), durante<br />

entrevista ao jornalista José Carlos.<br />

VINICIUS LUMMERTZ<br />

Secretário de Turismo e Viagens <strong>do</strong><br />

Esta<strong>do</strong> de São Paulo<br />

Tema: A Economia <strong>do</strong> Visitante<br />

Tenho vin<strong>do</strong> com frequência ao<br />

<strong>Vale</strong> <strong>do</strong> Paraíba e as mensagens são<br />

sempre boas, nós estamos com o<br />

turismo na subida, geramos 44 mil<br />

empregos e foram abertas 8.300<br />

empresas no primeiro semestre de<br />

2022. No segun<strong>do</strong> semestre, será tão<br />

bom quanto. O turismo passará a ser<br />

o grande gera<strong>do</strong>r de empregos no<br />

Esta<strong>do</strong> de São Paulo. No setor hoteleiro<br />

houve um crescimento, as pessoas na<br />

pós-pandemia começaram a valorizar<br />

o turismo interno e perceberam como<br />

é bom andar pelas boas estradas<br />

que São Paulo tem. Nós também<br />

concessionamos os aeroportos, o que dá<br />

previsão de melhoria nos 22 aeroportos<br />

pelos próximos anos e uma garantia<br />

de investimento nessa progressão.<br />

Houve uma reação também <strong>do</strong> turismo<br />

nacional para São Paulo, com mais<br />

gente vin<strong>do</strong> para São Paulo. Ainda não<br />

houve uma recuperação total na área<br />

de congressos e feiras da cidade de<br />

São Paulo, mas ela está chegan<strong>do</strong>. <strong>Vale</strong><br />

<strong>do</strong> Paraíba tem uma condição turística<br />

diferenciada, porque está na região de<br />

maior demanda turística <strong>do</strong> Hemisfério<br />

Sul, Grande São Paulo, Esta<strong>do</strong> de São<br />

Paulo, Rio de Janeiro e tem tu<strong>do</strong>. O<br />

que você disser em termos de mar,<br />

montanha, clima, história, cultura e arte,<br />

não falta nada. Paisagem, logística e<br />

infraestrutura, têm tu<strong>do</strong>. O que tem que<br />

fazer mais é qualificar mais, criar mais<br />

coisas de interesse, porque o turismo<br />

vive disso, de coisas novas, chaman<strong>do</strong><br />

e convidan<strong>do</strong> as pessoas para vir visitar.<br />

Marquinho Oliveira (pref. da Estância<br />

Turística de Morungaba), durante entrevista<br />

ao jornalista José Carlos.<br />

MARQUINHO DE OLIVEIRA<br />

Prefeito da Estância Climática de<br />

Morungaba e presidente <strong>do</strong> CISMETRO<br />

Tema: Conheça a Associação das<br />

Prefeituras das Cidades Estância <strong>do</strong><br />

Esta<strong>do</strong> de São Paulo<br />

Fique feliz de participar <strong>do</strong> 2º<br />

Seminário de Turismo Descubra <strong>Vale</strong>, e<br />

apresentar um tema muito importante<br />

sobre turismo, principalmente agora<br />

nesse perío<strong>do</strong> pós-pandemia em<br />

que ele está vin<strong>do</strong> muito forte,<br />

principalmente o turismo de São Paulo.<br />

Como coloquei na minha palestra, a<br />

minha função era de divulgar o trabalho<br />

que faz a APRECESP - Associação das<br />

Prefeituras das Cidades Estância <strong>do</strong><br />

Esta<strong>do</strong> de São Paulo, uma associação<br />

que representa as 70 cidades estâncias<br />

<strong>do</strong> Esta<strong>do</strong> de São Paulo. Nós temos 70<br />

destinos turísticos que são estâncias,<br />

e a população paulista quase não<br />

conhece o interior, o litoral e to<strong>do</strong>s<br />

atrativos de São Paulo. Só no Esta<strong>do</strong><br />

de São Paulo, temos to<strong>do</strong>s os tipos de<br />

turismo que o visitante procura, e 80%<br />

de to<strong>do</strong> o turismo <strong>do</strong> Brasil vem de São<br />

Paulo. Só que o turista de São Paulo sai<br />

de viagem para o Nordeste, mas não<br />

conhece o interior e todas as regiões<br />

de nosso Esta<strong>do</strong> onde temos turismo.<br />

Acidade de Taubaté (SP) que também<br />

tem um potencial turístico, embora não<br />

tenha a denominação de estância nem<br />

de município de interesse turístico,<br />

tem um potencial muito grande, tem<br />

um patrimônio cultural e histórico<br />

muito grande e tem que ser valoriza<strong>do</strong>,<br />

além de estar muito próximo de vários<br />

destinos, que chamamos “destinos<br />

indutores” (religioso, litoral, rural e<br />

montanhas, que seria Campos <strong>do</strong><br />

Jordão, Santo Antonio <strong>do</strong> Pinhal e São<br />

Bento <strong>do</strong> Sapucaí). Acho que vale a<br />

pena desenvolver o turismo aqui.<br />

Clo<strong>do</strong>miro Tole<strong>do</strong> Junior (Chefe de Gabinete<br />

da Secretaria de Turismo e Viagens <strong>do</strong> Est. de<br />

São Paulo), durante entrevista ao jornalista<br />

José Carlos.<br />

CLODOMIRO TOLEDO<br />

JUNIOR<br />

Chefe de Gabinete da Secretaria de<br />

Turismo e Viagens <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong> de São<br />

Paulo<br />

Estou feliz de participar <strong>do</strong> 2º<br />

Seminário de Turismo Descubra <strong>Vale</strong><br />

em Taubaté. O meu mandato como<br />

prefeito de Santo Antônio <strong>do</strong> Pinhal (SP)<br />

foi um perío<strong>do</strong> desafia<strong>do</strong>r e diferente.<br />

Durante o perío<strong>do</strong> de 2013 a 2020<br />

passamos por algumas crises, porém,<br />

de muitas realizações. Santo Antônio<br />

<strong>do</strong> Pinhal Já vinha num processo<br />

de desenvolvimento da estrutura<br />

turística e acredito que se consoli<strong>do</strong>u<br />

com aproximação <strong>do</strong> poder público<br />

e iniciativa privada. Em 2021recebi o<br />

convite para fazer parte da equipe <strong>do</strong><br />

secretário <strong>do</strong> Turismo e Viagens Vinicius<br />

Lummertz, na Secretaria de Turismo e<br />

Viagens <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong> de São Paulo. Em<br />

maio de 2022 acabei assumin<strong>do</strong> a parte<br />

administrativa e a chefia de Gabinete, e<br />

posso dizer que está sen<strong>do</strong> um grande<br />

aprendiza<strong>do</strong>.<br />

“Durante o perío<strong>do</strong> de<br />

2013 a 2020 passamos<br />

por algumas crises,<br />

porém, de muitas<br />

realizações. Santo<br />

Antônio <strong>do</strong> Pinhal Já<br />

vinha num processo<br />

de desenvolvimento<br />

da estrutura turística<br />

e acredito que se<br />

consoli<strong>do</strong>u<br />

com<br />

aproximação <strong>do</strong> poder<br />

público e iniciativa<br />

privada.”


NESSA REDE TODOS OS<br />

SONHOS SE REALIZAM<br />

Os quatro Hotéis Fazenda da Rede <strong>do</strong>s Sonhos oferecem<br />

turismo de aventura, rural, ecoturismo, estu<strong>do</strong>s e intercâmbio,<br />

negócios e eventos e social. O valor da diária<br />

inclui quatro refeições e todas as atrações oferecidas pelos<br />

hotéis, além <strong>do</strong> seguro. Com acomodações e todas as<br />

instalações preparadas para receber pessoas com deficiência,<br />

os hotéis são ótima opção para toda a família e para<br />

todas as idades. O atendimento acolhe<strong>do</strong>r de colabora<strong>do</strong>res<br />

treina<strong>do</strong>s e capacita<strong>do</strong>s garante momentos de encantamento<br />

para to<strong>do</strong>s aqueles que visitam e se hospedam<br />

nos hotéis da Rede <strong>do</strong>s Sonhos. Além da hospedagem os<br />

hotéis oferecem também o day use e é aberto a visitação<br />

to<strong>do</strong>s os dias. A Rede também é especializada em receber<br />

escolas, empresas e grupos de terceira idade.<br />

Há 28 anos , quan<strong>do</strong> era inaugura<strong>do</strong> Hotel Fazenda<br />

Campo <strong>do</strong>s Sonhos em Socorro, SP, primeiro hotel<br />

fazenda da rede,<br />

o empresário e mestre na arte de empreender, José<br />

Fernandes Franco, certamente não imaginava a dimensão<br />

que seus sonhos ganhariam. Nem mesmo imaginava que<br />

estava dan<strong>do</strong> o primeiro passo da criação da rede que<br />

lançaria anos mais tarde. O Campo <strong>do</strong>s Sonhos foi pioneiro<br />

na adequação de suas instalações para receber pessoas<br />

com deficiência e depois se tornou referência em acessibilidade.<br />

Hoje, todas as instalações <strong>do</strong>s hotéis são acessíveis,<br />

inclusive a maioria das atividades.<br />

Em um tempo em que o assunto sustentabilidade apenas<br />

despertava no Brasil, o Campo <strong>do</strong>s Sonhos já fazia sua<br />

lição de casa, fazen<strong>do</strong> a separação e destinação de seus<br />

resíduos sóli<strong>do</strong>s, e compostagem de seus resíduos<br />

orgânicos para utilizar em sua horta. As mesmas diretrizes<br />

foram empregadas na implantação de outro empreendimento,<br />

o Hotel Fazenda Parque <strong>do</strong>s Sonhos, inaugura<strong>do</strong><br />

em 2002. O novo negócio, desde o início, beneficiou<br />

dezenas de famílias pela criação de novas oportunidades<br />

de emprego e qualificação. Os hotéis contam com um<br />

Sistema de Gestão de Segurança certifica<strong>do</strong> pela ABNT, de<br />

acor<strong>do</strong> com a norma ISO 21101-2014 para operação de<br />

turismo de aventura. Em 2017, com os primeiros empreendimentos<br />

já consolida<strong>do</strong>s, foi inaugura<strong>do</strong> o Hotel Fazenda<br />

Terra <strong>do</strong>s Sonhos, construí<strong>do</strong> em um vale de exuberante<br />

beleza, corta<strong>do</strong> pelo Rio das Antas. Ele já nasceu<br />

com o lega<strong>do</strong> da experiência acumulada pelos irmãos<br />

mais velhos, o Campo e o Parque <strong>do</strong>s Sonhos, hotéis que<br />

receberam inúmeros prêmios no Brasil e no exterior pelas<br />

suas iniciativas na área de sustentabilidade e acessibilidade.<br />

O ponto alto <strong>do</strong> projeto contempla a sustentabilidade,<br />

ao utilizar contêineres de transporte marítimo descarta<strong>do</strong>s<br />

na construção <strong>do</strong>s chalés, conferin<strong>do</strong> um aspecto moderno<br />

em contraste à paisagem rural, associa<strong>do</strong> ao conforto<br />

das novas unidades.<br />

Com a inauguração <strong>do</strong> novo empreendimento,<br />

estava forma<strong>do</strong> o cenário para a criação da Rede<br />

<strong>do</strong>s Sonhos, responsável por padronizar e aprimorar<br />

todas as políticas da organização nos três<br />

hotéis, além de assumir todas as ações institucionais,<br />

especialmente em relação à comunidade.<br />

Nesse senti<strong>do</strong>, a cargo da Rede está também a<br />

criação e gestão da Fundação Rede <strong>do</strong>s Sonhos,<br />

entidade que promove projetos na área social,<br />

como projetos em favor da cultura, como o Centro<br />

Cultural Maestro Luiz Gonzaga Franco, inaugura<strong>do</strong><br />

em 2018, além de projetos na área de esportes,<br />

educação, meio ambiente, inclusão social e<br />

sustentabilidade, seus principais pilares. Em 2019<br />

o espirito inquiéto de José Fernandes deu espaço<br />

a mais um de seus sonhos. O Hotel Fazenda<br />

Colina <strong>do</strong>s Sonhos. O Colina <strong>do</strong>s Sonhos traduz a<br />

satisfação e o prazer com que Zé Fernandes<br />

idealiza cada atividade oferecida.<br />

“O local é resulta<strong>do</strong> da vontade de unir a natureza<br />

ao lazer e descanso <strong>do</strong>s hóspedes e visitantes”,<br />

orgulha-se Zé Fernandes. No ponto mais alto de<br />

Socorro. No alto das Colinas da Mantiqueira as<br />

emoções se misturam e dão espaços as novas<br />

experiências e quem se hospeda no Colina <strong>do</strong>s<br />

Sonhos deve esperar e estar disposto a essas<br />

experiências. Uma conexão homem natureza que<br />

as montanhas se propuseram a difundir. Aqui os<br />

grandes e areja<strong>do</strong>s espaços são privilegia<strong>do</strong>s pela<br />

natureza. Há sempre algo que nos instiga a cada<br />

pôr <strong>do</strong> sol e a cada nascer <strong>do</strong> astro rei. A emocionante<br />

dança entre a lua e o sol é o verdadeiro<br />

segre<strong>do</strong> <strong>do</strong> horizonte.<br />

22<br />

Foto: Cuca Jorge - Tirolesa Voo duplo - Parque <strong>do</strong>s Sonhos


Foto: Léo Klemann - Cavalgada da Fazenda<br />

Localiza<strong>do</strong> em Socorro, SP, com acesso por<br />

estrada asfaltada, o hotel oferece hospedagem<br />

em confortáveis chalés e apartamentos, com<br />

diversas atividades como cavalgada das montanhas<br />

com duração de mais de uma hora, passeio<br />

de charrete, trole e passeio de trator, atividades<br />

de aventura, como tirolesa de 80 metros e<br />

arborismo sobre um lago com pedalinhos,<br />

caiaques, stand up paddle e uma caravela que<br />

garante a diversão das crianças. Na visita à<br />

fazenda, podem ser vistos mais de 50 tipos de<br />

animais, como búfalos, alpacas, avestruzes,<br />

carneiros, cabritos, entre outros. O hotel conta<br />

com duas piscinas cobertas com sauna seca e<br />

úmida e uma descoberta. É possível também<br />

conhecer de perto o processo de produção de<br />

café, queijo, alambique artesanal e apiário.<br />

O hotel fica a 15 km de Socorro, SP, na divisa<br />

com o município de Bueno Brandão, MG, às<br />

margens <strong>do</strong> Rio Cachoeirinha, com diversas<br />

atividades de aventura, sete tirolesas, cavalgada,<br />

escalada para crianças, passeio de trator,<br />

duas plataformas de rapel, bóia-cross, rafting,<br />

cicloturismo, espéleoturismo, diversas cachoeiras<br />

e trilhas em meio a uma natureza exuberante,<br />

piscina coberta, lago de pesca e um lago de<br />

pedalinhos. As hospedagens são feitas em<br />

acolhe<strong>do</strong>res chalés e apartamentos. A progra-<br />

mação noturna em alguns dias oferece um<br />

circuito de tirolesas noturnas que é diversão<br />

garantida.<br />

Localiza<strong>do</strong> em um vale corta<strong>do</strong> pelo Rio das<br />

Antas, no município de Bueno Brandão, MG, a 18<br />

Km de Socorro, o hotel oferece acomodações em<br />

<strong>do</strong>ze chalés, com diversas atividades como<br />

cavalgada, charrete, trole, passeio de trator, lago<br />

de pesca, lago de pedalinhos, fazendinha com<br />

vários animais, um viveiro interativo, onde se<br />

pode interagir com aves, coelhos, lhamas e<br />

outros animais. É diversão garantida para toda a<br />

família. Nas águas tranquilas <strong>do</strong> rio das Antas é<br />

possível fazer bóia-cross, caiaque, stand up<br />

paddle e<br />

passeio contemplativo utilizan<strong>do</strong> botes de<br />

rafting.<br />

O conjunto de piscinas aquecidas proporciona<br />

uma vista relaxante das montanhas que cercam<br />

o vale.<br />

O mais recente sonho realiza<strong>do</strong> está localiza<strong>do</strong><br />

no ponto mais alto de Socorro a 12 Km de<br />

Socorro, de la da pra se enchergar toda a<br />

região, até onde a vista alcança.. Concebi<strong>do</strong><br />

para encantar, charme é marca desse hotel<br />

fazenda que proporciona sofisticação em meio<br />

a um ambiente encanta<strong>do</strong>r. Em confortáveis<br />

chalés, com um mirante á 1.400m de altitude<br />

você terá horas de contemplação e reencontro<br />

consigo e com a natureza<br />

Central de Reservas:<br />

(19) 3895-3161<br />

contato@rede<strong>do</strong>ssonhos.com.br<br />

www.rede<strong>do</strong>ssonhos.com.br<br />

Hotéis<br />

Acessíveis<br />

Hotéis<br />

Pet Friendly


Clovis Pinto, José S. de Araújo, Claudio M. de Oliveira, Marilene M.<br />

Leite, Roberta Borrego, Fernan<strong>do</strong> M. Gonçalves, Ricar<strong>do</strong> Vilhena e<br />

Temer Saad.<br />

<strong>Empresas</strong> aguardan<strong>do</strong> propostas.<br />

RODADA DE NEGÓCIOS<br />

CIESP TAUBATÉ (SP)<br />

Dia 22/09 aconteceu no Via <strong>Vale</strong> Garden Shopping, nas dependências <strong>do</strong> HITT - Hub de Inovação<br />

Tecnológica de Taubaté a Rodada de Negócios, organizada pelo CIESP - Taubaté. O evento contou<br />

com a participação de médias e grandes empresas para fechar novos negócios e potencializar os<br />

seus resulta<strong>do</strong>s.<br />

24<br />

Mayara Ribeiro de Oliveira e Sabrina Simões M. Serapião.


Dornielly, Marta e Ana (colabora<strong>do</strong>ras da Mazurky.<br />

Wagnar, Roberta Borrego (diretora das unidades SESI <strong>do</strong> <strong>Vale</strong> <strong>do</strong><br />

Paraíba) e Claudineia.<br />

Tatiana e Aline (colabora<strong>do</strong>ras da Riva Investimentos).<br />

Roberta Borrego (diretora das unidades <strong>do</strong> SESI <strong>do</strong> <strong>Vale</strong> <strong>do</strong> Paraíba) e<br />

Fernan<strong>do</strong> Manoel Gonçalves (diretor <strong>do</strong> SENAI Taubaté).<br />

Michelle Sampaio, Claudio M de Oliveira e Marcelo Hespaña.<br />

<strong>Empresas</strong> participantes.


49ª ABAV<br />

EXPO 2022<br />

Por: José Carlos Reis de Souza<br />

Cerimônia de abertura oficial da 49ª ABAV Expo 2022.<br />

No dia 21/09 aconteceu no Teatro Guararapes, nas dependências <strong>do</strong> Centro de Convenções de<br />

Pernambuco, em Olinda, a 49ª ABAV Expo 2022, uma das feiras mais importantes <strong>do</strong> Brasil no setor.<br />

Participaram da cerimônia de abertura: Magda Nassar (presidente da ABAV Nacional), Milu Megale<br />

(secretária de Turismo e Lazer de Pernambuco), Pâmela Alves (secretária de Turismo e Lazer <strong>do</strong> Recife),<br />

Antonio Neves Baptista (presidente da Empetur), Carlos Brito (Ministro <strong>do</strong> Turismo), Silvio Nascimento<br />

(presidente da EMBRATUR), Marco Ferraz (presidente da CLIA Brasil – Associação Brasileira de Cruzeiros<br />

Marítimos), Roberto Nedelciu (presidente da Associação Brasileira das Opera<strong>do</strong>ras de Turismo (Braztoa),<br />

Adriana Côrte Real Kruppa (diretora Técnica <strong>do</strong> SEBRAE-PE), João Campos (prefeito <strong>do</strong> Recife), professor<br />

Lupércio (prefeito de Olinda),Ana Carolina Dias Medeiros de Souza (Vice-Presidente Administrativo da ABAV<br />

Nacional) e Fabrício Amaral (presidente <strong>do</strong> FORNATUR). A feira contou com 155 estandes, 1,5 mil marcas, 20<br />

Esta<strong>do</strong>s, 24 municípios e 75 palestras. Entre expositores, empresas de transporte aéreo, ro<strong>do</strong>viário, loca<strong>do</strong>ra<br />

de veículos, parques, mídia especializada, cruzeiro, seguro, entidades, hotéis, tecnologia e companhias<br />

aéreas.<br />

CARLOS BRITO<br />

Ministro <strong>do</strong> Turismo<br />

26<br />

O ministro Carlos Brito celebrou o poder de recuperação <strong>do</strong><br />

turismo nacional, apesar da pandemia e das adversidades como<br />

a guerra na Ucrânia e apontou, ainda, ações conjuntas de apoio<br />

realizadas junto ao trade turístico, a esta<strong>do</strong>s e municípios. Também<br />

disse que, no primeiro semestre de 2022, o setor faturou R$ 94<br />

bilhões, resulta<strong>do</strong> 33% superior ao <strong>do</strong> mesmo perío<strong>do</strong> de 2021 e,<br />

enfatizou a capacidade <strong>do</strong> ramo de serviços, no qual o turismo se<br />

insere, de gerar emprego e renda, ressaltan<strong>do</strong> as perspectivas de<br />

criação de mais de 670 mil postos de trabalho na área no segun<strong>do</strong><br />

semestre <strong>do</strong> ano. Finalizou destacan<strong>do</strong> o potencial <strong>do</strong> país para<br />

a realização de cruzeiros e garantiu empenho pela ampliação da<br />

temporada de navios no Brasil.


MAGDA NASSAR<br />

Presidente da ABAV Nacional<br />

Nosso evento é o que mais recebe agentes de<br />

viagens, uma média de 45% <strong>do</strong> público e comemorou<br />

o retorno da feira a Pernambuco após 20 anos, quan<strong>do</strong><br />

Recife sediou uma edição <strong>do</strong> encontro. Elogiou a<br />

participação feminina no turismo nacional e aplaudiu<br />

a presença de representantes das 27 Unidades da<br />

Federação no evento, que provoca a ocupação de<br />

cerca de 98% da rede hoteleira local. A feira teve mais<br />

de dez mil pré-inscritos, 200 profissionais da imprensa<br />

e influencia<strong>do</strong>res, 35 compra<strong>do</strong>res internacionais<br />

vin<strong>do</strong>s das maiores empresas da Europa, Esta<strong>do</strong>s<br />

Uni<strong>do</strong>s e América Latina.<br />

MILU MEGALE<br />

Secretária de Turismo e Lazer de<br />

Pernambuco<br />

Segun<strong>do</strong> palavras de Milu Megale a feira superou<br />

todas as expectativas já no primeiro instante, e<br />

durante o evento realizaremos algumas pesquisas<br />

para mapear os participantes. Com um <strong>do</strong>s estandes<br />

mais imponentes da feira, o Esta<strong>do</strong> se destaca entre<br />

os participantes. Também vamos contar com uma<br />

grade de programação de capacitações com temas<br />

atuais, falan<strong>do</strong> sobre o turismo em Pernambuco que<br />

vai além <strong>do</strong> Sol e mar. Aproveitou a oportunidade e<br />

anunciou três novos voos diretos internacionais pela<br />

Azul, para Orlan<strong>do</strong>, Fort Lauderdale e Montevidéu.<br />

MARCOZ FERRAZ<br />

Presidente da Clia Brasil -<br />

Associação Brasileira de Cruzeiros<br />

Anunciou que a temporada de 2022 será a melhor<br />

<strong>do</strong>s últimos dez anos, com 35 navios de passagem<br />

entre outubro/2022 e maio/2023. Sem os agentes<br />

de viagens não conquistaríamos isso, pois 90% das<br />

vendas de viagens em cruzeiros são feitas por eles.


SOCIAL<br />

49ª ABAV EXPO 2022<br />

Carlos Brito (Ministro <strong>do</strong> Turismo), Milu Megale (secretária de Turismo<br />

de Pernambuco), Fábio Campos (Azul), Magda Nassar (presidente da<br />

ABAV Nacional) e Antônio Américo (Azul).<br />

Pâmela Alves (secretária de Turismo de<br />

Recife) e Milu Megale (secretária de Turismo<br />

de Pernambuco).<br />

Otaviano Maroja (Hotel Solar Porto de<br />

Galinhas) e Eliseu Barros (ABIH-Ceará)<br />

Karina Fioranelli, Elisa Carneiro e Luiz<br />

Fernan<strong>do</strong> Mordenti (to<strong>do</strong>s da Sabre<br />

Corporation).<br />

Fabricio Amaral (presidente <strong>do</strong> FORMATUR e<br />

secretário de Turismo de Goiás.<br />

Giulliana Mesquita (Azul).<br />

Equipe da Gol.<br />

Milu Megale (secretária de Turismo de<br />

Pernambuco), Fábio Campos (diretor de<br />

relações institucionais da Azul) e Magda<br />

Nassar (presidente da ABAV Nacional) .<br />

Juliana Luck (Luck Receptivo)<br />

Vista <strong>do</strong> corre<strong>do</strong>r da ABAV Expo 2022.<br />

28


JORNADA DE<br />

TRANSFORMAÇÃO DIGITAL<br />

Por: José Carlos Reis de Souza<br />

José Carlos entrevistan<strong>do</strong> Sabrina M. Serapião (Coordena<strong>do</strong>ra de<br />

Relacionamento com a Indústria e responsável pelo Núcleo de<br />

Tecnologia da escola SENAI Taubaté) .<br />

FIESP, SENAI-SP e SEBRAE-SP unem forças para fazer o maior programa de<br />

transformação digital da história de São Paulo. Com capacidade para atender 40 mil<br />

micro, pequenas e médias indústrias. A Jornada de Transformação Digital, que possui<br />

capacidade para atender empresas de to<strong>do</strong>s os seguimentos industriais, com diferentes<br />

níveis de maturidade tecnológica, em oito etapas de consultoria e treinamento.<br />

A Revista <strong>Empresas</strong> <strong>do</strong> <strong>Vale</strong> - Negócios Turismo<br />

conversou com Sabrina M. Serapião, Coordena<strong>do</strong>ra<br />

de Relacionamento com a Indústria e responsável<br />

pelo Núcleo de Tecnologia da escola, que falou a<br />

respeito da Jornada de Transformação Digital.<br />

Vamos falar um pouco da transformação digital<br />

no SENAI, um programa da FIESP, CIESP, SENAI-SP e<br />

SEBRAE-SP que visa atender as empresas. Nós temos<br />

uma meta para atender 40 mil empresas em quatro<br />

anos buscan<strong>do</strong> aumentar a produtividade dessa<br />

empresa, reduzir custo e levan<strong>do</strong>-as ao caminho da<br />

indústria inteligente. Este caminho é composto por<br />

oito etapas. Primeiramente faremos um diagnóstico<br />

para entender o nível de maturidade dessa empresa<br />

frente à tecnologia, a manufatura enxuta, eficiência<br />

energética, automação, entre outros. A partir desse<br />

questionário, a gente propõe para a empresa<br />

algumas consultorias, como por exemplo: Lean<br />

Manufacturing ou Eficiência Energética, traçan<strong>do</strong><br />

uma estratégia que vá ao encontro <strong>do</strong> que a empresa<br />

precisa.<br />

Partin<strong>do</strong> desse princípio, a gente pretende<br />

continuar o processo com a empresa em outras<br />

etapas, como por exemplo, automação, digitalização<br />

e indústria inteligente, se for o caso. Vai depender<br />

muito de onde a empresa pretende chegar, <strong>do</strong><br />

nível da maturidade em que ela se encontra para<br />

que possamos caminhar com outros tipos de<br />

consultorias.<br />

Esse programa é gratuito e destina<strong>do</strong> para micros,<br />

pequenas e médias empresas com faturamento até<br />

8 milhões. <strong>Empresas</strong> elegíveis que tenham o CNAE<br />

- Classificação Nacional de Atividades Econômicas<br />

- Industrial e que sejam beneficiárias <strong>do</strong> “Sistema S”<br />

podem participar <strong>do</strong> programa.<br />

O que a gente tem senti<strong>do</strong> nas nossas visitas com<br />

especialistas junto às empresas, é que geralmente as<br />

micro e pequenas empresas são as que têm maior<br />

dificuldade. Tem um contingente menor de pessoas<br />

para poder trabalhar, geralmente tem aquele<br />

empresário que está na produção, está fazen<strong>do</strong><br />

pagamentos de boletos e de folha de pessoal, ou<br />

seja, ele está fazen<strong>do</strong> tu<strong>do</strong> e muitas vezes não<br />

tem tempo para traçar uma estratégia de como<br />

deixar um determina<strong>do</strong> processo mais enxuto, mais<br />

econômico, por exemplo. E é aí que a gente vem<br />

com essa consultoria, a fim de ajuda-lo a analisar<br />

diferentes possibilidades e identificar os Indica<strong>do</strong>res,<br />

que vão auxilia-lo na tomada de decisão, com<br />

foco na redução de desperdiço, e no aumento da<br />

produtividade.<br />

No primeiro estágio, temos a consultoria<br />

de manufatura enxuta, de 60 horas para micro<br />

empresas e de 100 horas para pequenas empresas.<br />

Durante este processo, além de estarmos lá junto<br />

com o empresário identifican<strong>do</strong> estes indica<strong>do</strong>res<br />

e desenvolven<strong>do</strong> ferramentas para otimizar os<br />

processos, nós também estaremos, enquanto<br />

SENAI, cumprin<strong>do</strong> uma de nossas missões que<br />

é muni-lo de conhecimento, para que ele possa<br />

primeiramente entender o processo, e depois,<br />

seja capaz de implantar isso em outros setores da<br />

empresa, dan<strong>do</strong> continuidade no trabalho realiza<strong>do</strong>.<br />

Para isso, daremos junto com a consultoria de Lean<br />

um curso de Lean Manufacturing gratuito para que<br />

o empresário, ou quem ele indicar, possa participar<br />

e entender o processo de maneira mais ativa e<br />

dinâmica.<br />

Ainda temos vagas neste ano para empresas<br />

participarem embora este seja um projeto que vai<br />

continuar no ano que vem e nos anos posteriores.<br />

Para as empresas que queiram participar <strong>do</strong> programa<br />

“Projeto de Transformação Digital” é só entrar em<br />

contato com o SENAI Taubaté e procurar o “Setor<br />

de Relacionamento com as <strong>Empresas</strong>” ou entrar no<br />

site jornadadigital.sp.senai.br e fazer a inscrição. As<br />

empresas que forem de outros municípios <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong><br />

de São Paulo serão direcionadas para a escola SENAI<br />

de sua região de atendimento.


SÍTIO RECANTO DOS SONHOS<br />

“Vivência Agro - Alquimia da Cachaça”<br />

Por: José Carlos Reis de Souza<br />

30<br />

Processo de destilação da cachaça artesanal.


José Carlos baten<strong>do</strong> um papo com Ditão Virgílio, cordelista conta<strong>do</strong>r<br />

de histórias, escritor, declama<strong>do</strong>r, ator e poeta.<br />

Lourdes e José Carlos degustan<strong>do</strong> um prato especial, vaca atolada.<br />

Nos últimos anos a cachaça vem deixan<strong>do</strong> de ser uma bebida popular<br />

ganhan<strong>do</strong> maior notoriedade, tornan<strong>do</strong>-se uma bebida requintada capaz de<br />

agradar paladares mais exigentes, sen<strong>do</strong> inclusive produto de exportação.<br />

No km 31 da Ro<strong>do</strong>via Oswal<strong>do</strong> Cruz (SP) está localiza<strong>do</strong> o Sítio Recanto <strong>do</strong>s Sonhos, local em que<br />

estivemos a convite da proprietária Fátima para participar de uma “Vivência Agro - Alquimia da Cachaça”,<br />

um processo de produção de cachaça artesanal familiar junto a um grupo de pessoas. É bom que se diga<br />

nos últimos anos a cachaça vem deixan<strong>do</strong> de ser uma bebida popular ganhan<strong>do</strong> maior notoriedade,<br />

tornan<strong>do</strong>-se uma bebida requintada capaz de agradar paladares mais exigentes, sen<strong>do</strong> inclusive produto<br />

de exportação. A cachaça é uma bebida purificada através de um processo chama<strong>do</strong> destilação a partir<br />

de substâncias fermentadas obtida da cana-de-açúcar. A produção dessa bebida envolve microrganismos<br />

fermentativos, principalmente a espécie “Saccharomyces cerevisiae”. Após a apresentação de to<strong>do</strong> o<br />

processo da destilação e degustação da cachaça, to<strong>do</strong>s participaram de um almoço (vaca atolada) feito<br />

no fogão à lenha, além <strong>do</strong> bom papo entre to<strong>do</strong>s. Aproveitamos a oportunidade e conversamos com<br />

Benedito <strong>do</strong>s Santos, popularmente conheci<strong>do</strong> como Dito Virgílio, conta<strong>do</strong>r de histórias, declama<strong>do</strong>r,<br />

autor de poemas e de literatura de cordel caipira, publica<strong>do</strong> numa série de livretos denomina<strong>do</strong>s “Estórias<br />

de Uma Perna Só”. Para os que gostam <strong>do</strong> contato com a natureza é uma boa opção para reunir a família<br />

e passar um dia no Sítio Recanto <strong>do</strong>s Sonhos.<br />

Contato para agendar: (11) 99942-5268<br />

Grupo degustan<strong>do</strong> a cachaça artesanal destilada no próprio sítio.<br />

Felipe, proprietário <strong>do</strong> Sítio Recanto <strong>do</strong>s Sonhos, cantan<strong>do</strong> e tocan<strong>do</strong><br />

modas caipiras


Secretário de Turismo e Viagens Vinicius Lummertz, Pref. de Atibaia Emil Ono e primeira-dama Tamyo Ono, durante o corte da fita abrin<strong>do</strong> o<br />

evento.<br />

40ªFESTA DE FLORES<br />

E MORANGOS DE ATIBAIA<br />

Por: José Carlos Reis de Souza<br />

Após ser cancelada em 2020/2021 devi<strong>do</strong> à pandemia de Covid-19, a festa<br />

mais famosa da cidade retornou com tu<strong>do</strong> em 2022, reunin<strong>do</strong> cultura japonesa,<br />

gastronomia e deslumbrantes arranjos florais que são verdadeiras obras de arte.<br />

O evento é uma realização da Associação Hortolândia com apoio da prefeitura.<br />

32<br />

A festa teve início no dia 02/09 e também celebra o<br />

título de Capital Nacional <strong>do</strong> Morango concedi<strong>do</strong> à Atibaia.<br />

Participaram da cerimônia autoridades como: Ryosuke Kuwana<br />

(Cônsul-geral <strong>do</strong> Japão em São Paulo), Emil Ono (prefeito de<br />

Atibaia), Tamy Ono (primeira-dama e presidente <strong>do</strong> Fun<strong>do</strong><br />

Visão interna da 40ª Feira de Flores e Morangos.<br />

Social de Solidariedade de Atibaia), e Fabiano de Lima (viceprefeito<br />

de Atibaia). Maria Yvelonia <strong>do</strong>s Santos Araujo Barbosa<br />

(secretária Nacional de Assistência Social), Francisco Matturro<br />

(secretário de Agricultura e Abastecimento <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong> de<br />

São Paulo), Vinicius Lummertz, (secretário Estadual de<br />

Turismo e Viagens de São Paulo), representantes da Agência<br />

de Cooperação Internacional <strong>do</strong> Japão (JICA), Conselho da<br />

Associação Hortolândia de Atibaia, Associação Fukushima<br />

Kenjin de Atibaia, Associação Cultural Esportiva Nipo Brasileira<br />

de Atibaia (ACENBRA), Associação <strong>do</strong>s Produtores de Flores<br />

e Plantas Ornamentais de Atibaia – Pró-Flor, Associação <strong>do</strong>s<br />

Produtores de Morango, Hortifrutigranjeiros de Atibaia, Jarinu<br />

e Região, Sindicato Rural, além de verea<strong>do</strong>res, apoia<strong>do</strong>res,<br />

patrocina<strong>do</strong>res, secretários municipais e outras autoridades.<br />

Com diversas variedades de morango e mais de seis mil itens<br />

de flores, plantas, vasos, insumos e outros produtos para<br />

jardinagem distribuí<strong>do</strong>s em diversas barracas da Pró-Flor,<br />

possibilitan<strong>do</strong> ao visitante comprar merca<strong>do</strong>rias de qualidade<br />

diretamente <strong>do</strong> produtor, além de uma infinidade de atrações.<br />

Telefone: (11) 4414-2400<br />

E-mail: jornalismo@atibaia.sp.gov.br<br />

https://floresemorangos.com.br/


Tamy Ono (primeira-dama e presidente <strong>do</strong> Fun<strong>do</strong> Social de Solidariedade de Atibaia), e Emil Ono (prefeito de Atibaia).<br />

Cônsul-geral <strong>do</strong> Japão em São Paulo, Ryosuke Kuwana, prefeito de Atibaia Emil Ono e Tamyo Ono (primeira-dama e presidente <strong>do</strong> Fun<strong>do</strong> Social<br />

de Solidariedade de Atibaia).


DOM BERTRAND DE<br />

ORLÉANS E BRAGANÇA<br />

TETRANETO DE DOM PEDRO I, VISITA TAUBATÉ (SP) EM<br />

COMEMORAÇÃO AO BICENTENÁRIO DA INDEPENDÊNCIA<br />

Por: José Carlos Reis de Souza<br />

Dom Bertrand de Orléans e Bragança ao la<strong>do</strong> <strong>do</strong> Ten. Cel. Gobbo.<br />

34<br />

O projeto “A Jornada <strong>do</strong>s Príncipes” faz parte das comemorações <strong>do</strong> bicentenário<br />

da Independência <strong>do</strong> Brasil e tem papel importante através <strong>do</strong>s Príncipes Dom<br />

Bertrand e Dom Antônio, sobrinhos e comitiva, que refizeram o trajeto percorri<strong>do</strong><br />

de 1,3 mil km. Um <strong>do</strong>cumentário onde o roteiro aborda a viagem que Dom Pedro I<br />

(1798/1834) fez antes <strong>do</strong> Brasil se tornar independente de Portugal. Sain<strong>do</strong> <strong>do</strong> Rio<br />

de Janeiro, passan<strong>do</strong> pelo <strong>Vale</strong> <strong>do</strong> Paraíba com destino a São Paulo e Santos para<br />

firmar alianças com fazendeiros, apaziguar o cenário e preparar o terreno para a<br />

Proclamação da Independência <strong>do</strong> Brasil que ocorreu no dia 07/09/1822. Na época,<br />

o <strong>Vale</strong> <strong>do</strong> Paraíba teve papel importante na participação direta <strong>do</strong>s acontecimentos<br />

que culminaram com a separação <strong>do</strong> Reino <strong>do</strong> Brasil <strong>do</strong> Reino de Portugal.


Dom Bertrand de Orléans e Bragança, entran<strong>do</strong> na Catedral São<br />

Francisco das Chagas.<br />

José Carlos ao la<strong>do</strong> de Dom Bertrand de Orléans e Bragança.<br />

No dia 17/08/22, esteve em Taubaté Dom<br />

Bertrand de Orléans e Bragança, tetraneto de Dom<br />

Pedro I cumprin<strong>do</strong> a “Jornada <strong>do</strong>s Príncipes”, em<br />

comemoração ao bicentenário da Independência<br />

<strong>do</strong> Brasil. O evento começou nas dependências <strong>do</strong><br />

5º Batalhão de Polícia Militar <strong>do</strong> Interior - General<br />

Salga<strong>do</strong>, com a execução <strong>do</strong>s hinos: nacional,<br />

monarquia e Taubaté. Em seguida a comitiva foi<br />

acompanhada pela cavalaria e carros da Polícia<br />

Militar durante um trajeto pela região central de<br />

Taubaté. A primeira parada aconteceu na Praça<br />

Monsenhor Silva Barros, em seguida visitou a<br />

Catedral de São Francisco das Chagas, onde fez<br />

oração, e finalizou com uma palestra no Teatro<br />

Metrópole. O evento contou com apoio da<br />

Prefeitura de Taubaté, através da Secretaria de<br />

Cultura e Economia Criativa.<br />

HISTÓRIA<br />

A viagem teve início na Quinta da Boa Vista<br />

no Rio de Janeiro, no dia 14/08/1822. A tropa<br />

era composta por 30 homens e um roteiro<br />

preestabeleci<strong>do</strong> com paradas estratégicas<br />

anunciadas com antecedência por meio de<br />

mensageiros que iniciavam suas viagens para os<br />

lugarejos antes da chegada da comitiva Imperial<br />

ao longo da rota, até a chegada a São Paulo. Entre<br />

eles, estava Francisco Gomes da Silva, conheci<strong>do</strong><br />

como “Chalaça”, político e confidente <strong>do</strong><br />

Impera<strong>do</strong>r <strong>do</strong> Brasil D. Pedro I. No primeiro dia de<br />

viagem a comitiva a cavalo, percorreu onze léguas<br />

(6.600 m) fazen<strong>do</strong> a primeira parada na fazenda<br />

de Santa Cruz, residência de posse da Família Real.<br />

Dia 15, a segunda parada foi na fazenda da Olaria<br />

(atualmente o lugar está submerso pela represa<br />

de Lajes, município de Rio Claro - (RJ). Dia 16, o<br />

príncipe regente entra em território paulista, em<br />

mulas e cavalos, in<strong>do</strong> direto para a fazenda das<br />

Três Barras, em Bananal. Depois de passar por Bom<br />

Jesus <strong>do</strong> Bananal e São João <strong>do</strong> Barreiro, <strong>do</strong>rme<br />

em São Miguel das Areias, ten<strong>do</strong> parti<strong>do</strong> com<br />

novos animais e com a guarda de honra formada<br />

por mora<strong>do</strong>res <strong>do</strong> <strong>Vale</strong> <strong>do</strong> Paraíba. Passou por<br />

Silveiras e jantou no Porto de Santo Antonio da<br />

Cachoeira. Dia 18, chegou a Lorena, onde por<br />

decreto dissolveu o governo provisório, assumin<strong>do</strong><br />

efetivamente o governo da Província de São Paulo.<br />

Dia 19, pousou em Guaratinguetá, onde recebe<br />

“ótimas cavalgaduras para toda a comitiva, sempre<br />

mais numerosa”, e vai rezar na Igreja de Aparecida.<br />

Dia 20, descansou em Pindamonhangaba. Dia<br />

21, em São Francisco das Chagas de Taubaté foi<br />

recebi<strong>do</strong> com grande efusão e, no dia seguinte,<br />

chegou à vila de Nossa Senhora da Conceição <strong>do</strong><br />

Rio Paraíba de Jacareí. Depois de passar pela vila de<br />

São José <strong>do</strong> Paraíba (hoje São José <strong>do</strong>s Campos),<br />

chegou no Dia 23, na vila de Santana de Mogi das<br />

Cruzes, ten<strong>do</strong> nessa localidade, recusa<strong>do</strong> a receber<br />

emissários <strong>do</strong> governo paulista dissolvi<strong>do</strong> e da<br />

Câmara, nomean<strong>do</strong> governa<strong>do</strong>r das Armas de São<br />

Paulo o marechal Cândi<strong>do</strong> Xavier de Almeida e<br />

Sousa. Finalmente, após 634 km, em 12 dias, chega<br />

Banda <strong>do</strong> 5º Batalhão de Polícia Militar <strong>do</strong> Interior - General Salga<strong>do</strong>.<br />

Dom Bertrand de Orléans e Bragança, autografan<strong>do</strong> na Praça<br />

Monsenhor Silva Barros.


Daniel de Andrade, Dom Bertrand de Orléans e Bragança e Renata<br />

Couto.<br />

Dom Bertrand de Orléans e Bragança, sain<strong>do</strong> <strong>do</strong> 5º Batalhão de Polícia<br />

Militar <strong>do</strong> Interior - General Salga<strong>do</strong>.<br />

em 24 de agosto, a Penha de França, onde fez o<br />

seu último pouso antes de entrar em São Paulo.<br />

Na manhã de 25, participa da missa na capela de<br />

Nossa Senhora da Penha, logo após segue para a<br />

Capital. Na Sé, assiste com sua comitiva, à solene “Te<br />

Deum”, depois recebe o beija-mão de autoridades<br />

e <strong>do</strong> povo. Permanece alguns dias na Capital, nesse<br />

perío<strong>do</strong> conhece D. Domitila de Castro e Mello, a<br />

futura marquesa de Santos. Dia 05/09 foi a Santos a<br />

fim de inspecionar as fortalezas e visitar pessoas da<br />

família de José Bonifácio, seu ministro de Esta<strong>do</strong>.<br />

De regresso a São Paulo, no sába<strong>do</strong>, por volta das<br />

16 horas, no dia 07/09/1822, quan<strong>do</strong> D. Pedro I e<br />

comitiva se encontravam no alto de colina próxima<br />

<strong>do</strong> riacho <strong>do</strong> Ipiranga, <strong>do</strong>is cavaleiros em rápida<br />

carreira vão a seu encontro, eram o major Antônio<br />

Ramos Cordeiro e Paulo Bregaro (hoje Patrono <strong>do</strong>s<br />

Carteiros), este, como Correio-real da Corte, trazia<br />

diversas correspondências: cartas de sua esposa<br />

Leopoldina, de José Bonifácio, duas de Lisboa, uma<br />

de seu pai D. João VI e a outra com instrução das<br />

Cortes, exigin<strong>do</strong> o regresso imediato <strong>do</strong> príncipe e<br />

a prisão e processo de José Bonifácio, e a última de<br />

Chamberlain (amigo de confiança <strong>do</strong> príncipe D.<br />

Pedro). Foi nesse momento que D. Pedro I, diante<br />

da guarda, estacou o seu animal e, de espada<br />

desembainhada, bra<strong>do</strong>u. “Amigos! Estão, para<br />

sempre, quebra<strong>do</strong>s os laços que nos ligavam ao<br />

governo português! E quanto aos topes daquela<br />

nação, convi<strong>do</strong>-os a fazer assim. “E arrancan<strong>do</strong><br />

<strong>do</strong> chapéu que ali trazia a fita azul e branca,<br />

arrojou no chão, sen<strong>do</strong> nisto acompanha<strong>do</strong> por<br />

toda a guarda que, tiran<strong>do</strong> <strong>do</strong>s braços o mesmo<br />

distintivo, lhe deu igual destino. D. Pedro I deu<br />

o grito da independência “e viva o Brasil livre e<br />

independente”.<br />

PROCLAMAÇÃO<br />

“Honra<strong>do</strong>s Paulistanos: O amor que eu<br />

consagro ao Brasil em geral, e a vossa Província<br />

em particular, por ser aquela que perante mim e<br />

o mun<strong>do</strong> inteiro fez conhecer primeiro que to<strong>do</strong>s<br />

o sistema maquiavélico, desorganiza<strong>do</strong>r, e faccioso<br />

das Cortes de Lisboa, me obrigou a ir entre vós fazer<br />

consolidar a fraternal união, e tranquilidade, que<br />

vacilava, e era ameaçada por desorganiza<strong>do</strong>res,<br />

que em breve conhecereis, fechada que seja a<br />

devassa, a que mandei proceder. Quan<strong>do</strong> eu mais<br />

que contente estava junto de vós, chegam noticias<br />

que de Lisboa os trai<strong>do</strong>res da Nação, os infames<br />

Deputa<strong>do</strong>s pretendem fazer atacar ao Brasil, e tirarlhe<br />

<strong>do</strong> seu seio seu Defensor; Cumpre-me como<br />

tal tomar todas as medidas que minha imaginação<br />

me sugerir; e para que estas sejam tomadas com<br />

aquela madureza, que em tais crises se requer,<br />

sou obriga<strong>do</strong> para servir ao meu í<strong>do</strong>lo, o Brasil, a<br />

Dimas Oliveira, secretário de Cultura e Turismo de Taubaté,<br />

recepcionan<strong>do</strong> Dom Bertrand de Orléans e Bragança, no Teatro<br />

Metrópole.<br />

Elaine Bueno, Pedro D’Angelo, Alberto Barreto, Dom Bertrand,<br />

Malcolm Forest, Paulo Oliveira e Fabiana Pazzine.<br />

36


Dom Bertrand de Orléans e Bragança chegan<strong>do</strong> ao Teatro Metrópole.<br />

separar-me de vós, (o que muito sinto), in<strong>do</strong> para o<br />

Rio ouvir meus Conselheiros, e providenciar sobre<br />

negócios de tão alta monta. Eu vos asseguro que<br />

cousa nenhuma me poderá ser mais sensível, <strong>do</strong><br />

que o golpe que minha alma sofre, separan<strong>do</strong>-me<br />

de meus amigos paulistanos, a quem o Brasil, e<br />

eu devemos os bens, que gozamos, e esperamos<br />

gozar de uma Constituição liberal e judiciosa.<br />

Agora, paulistanos, só vos resta conservardes união<br />

entre vós, não só por ser esse o dever de to<strong>do</strong>s os<br />

bons Brasileiros, mas também por que a nossa<br />

Pátria esta ameaçada de sofrer uma guerra, que não<br />

só nos há de ser feita pela Tropas, que de Portugal<br />

forem mandadas, mas igualmente pelos seus<br />

servis partidistas, e vis emissários, que entre nós<br />

existem atraiçoan<strong>do</strong>-nos. Quan<strong>do</strong> as autoridades,<br />

vos não administrarem aquela Justiça imparcial,<br />

que delas deve ser inseparável, representai-me<br />

que eu providenciarei. A divisa <strong>do</strong> Brasil deve ser<br />

- INDEPENDÊNCIA OU MORTE - Sabei que, quan<strong>do</strong><br />

trato da Causa Publica, não tenho amigos e vali<strong>do</strong>s<br />

em ocasião alguma”.<br />

Grito da Independência <strong>do</strong> Brasil.


E AGORA? QUAL É O MEU<br />

PAPEL?<br />

Por: Luiz Marins<br />

Por pessoas mais simples que<br />

sejamos ou pensemos ser, to<strong>do</strong>s<br />

nós, sem exceção, temos um papel<br />

essencial a desempenhar nessa<br />

construção. E qual é esse papel que<br />

não pode ser terceiriza<strong>do</strong> e que cada<br />

um de nós tem que cumprir?<br />

Passadas as comemorações da semana da<br />

pátria e as eleições, a pergunta que devemos<br />

nos fazer é: E agora? Qual é o nosso papel na<br />

construção <strong>do</strong> Brasil que to<strong>do</strong>s nós queremos<br />

e merecemos independentemente de nossas<br />

preferências políticas ou eleitorais?<br />

Por pessoas mais simples que sejamos ou<br />

pensemos ser, to<strong>do</strong>s nós, sem exceção, temos<br />

um papel essencial a desempenhar nessa<br />

construção. E qual é esse papel que não pode<br />

ser terceiriza<strong>do</strong> e que cada um de nós tem<br />

que cumprir?<br />

Agora é hora de deixar qualquer<br />

abstracionismo e nos voltarmos para a<br />

realidade concreta de nossa vida diária. Isso<br />

significa que temos que procurar ser a cada<br />

dia melhore em tu<strong>do</strong> o que fazemos e em<br />

tu<strong>do</strong> o que somos naquilo que fazemos e<br />

naquilo que somos.<br />

Isso significa que tenho que procurar ser<br />

o melhor que puder dar o melhor de mim,<br />

fazer a diferença em meu trabalho, seja como<br />

patrão, como emprega<strong>do</strong>, empreende<strong>do</strong>r,<br />

servi<strong>do</strong>r público ou participante de uma<br />

organização social de qualquer natureza.<br />

Não podemos ser um País de “mais ou<br />

menos”. Temos que buscar a excelência, a<br />

competência plena, a máxima dedicação em<br />

tu<strong>do</strong> o que fizermos e em tu<strong>do</strong> o que formos.<br />

Aí sim estaremos construin<strong>do</strong> o Brasil que<br />

queremos e que merecemos.<br />

Esse papel de cada de um de nós na busca<br />

da excelência não pode ser terceiriza<strong>do</strong>. Nós<br />

mesmos temos que cumprir esse papel to<strong>do</strong>s<br />

os dias, usan<strong>do</strong> toda a nossa inteligência e<br />

toda a nossa vontade e liberdade para fazer<br />

essa construção. Um País é a soma de seus<br />

cidadãos e ninguém é menos importante que<br />

alguém nessa tarefa.<br />

E, como dizia Churchill, para a construção<br />

de um País grande, não basta que cada um<br />

cumpra o seu dever. É preciso que façamos<br />

mais <strong>do</strong> que o simples dever. Temos que ir<br />

além, fazer a cada dia mais e melhor, cada<br />

um no seu papel, na sua organização, na sua<br />

comunidade, na sua cidade, no seu esta<strong>do</strong>.<br />

Não podemos ficar esperan<strong>do</strong> que o Brasil<br />

cresça e melhore sem que façamos com toda<br />

a competência o papel que só nós podemos<br />

desempenhar em nossa vida pessoal e<br />

profissional.<br />

Pense nisso. Sucesso!<br />

Matsuda Corretora de Seguros Ltda<br />

Rua Eduar<strong>do</strong> José Pereira, 345<br />

Jardim Eulália - Taubaté/SP<br />

12.010 - 590<br />

Fone/fax: (12) 3625 - 5500<br />

38


Taubaté Shopping<br />

Contato: (12) 3629-2466<br />

Mauá Plaza Shopping<br />

Contato: (11) 4546-4484<br />

Taubaté - Independência<br />

Contato: (12) 3681-3090<br />

Suzano<br />

Contato: (11) 4748-5468<br />

Via Garden Shopping<br />

Contato: (12) 3681-3765<br />

Mogi Shopping<br />

Contato: (11) 4796-1986


CENTRAL ANALÍTICA - TAUBATÉ<br />

Rua Dr. Urbano Figueira, 100<br />

Centro<br />

UNIDADE - TAUBATÉ<br />

Av. Independência, 650<br />

Independência<br />

UNIDADE - CAÇAPAVA<br />

Av. Coronel Manoel Inocêncio, 577<br />

Centro<br />

UNIDADE- GUARATINGUETÁ<br />

R: Visconde de Guaratinguetá, 227<br />

Centro<br />

UNIDADE BURITI SHOPPING<br />

Av. Juscelino Kubitschek de<br />

Oliveira, 351 - Centro<br />

UNIDADE- CAMPOS DO JORDÃO<br />

Av. Dr Januário Miraglia, 1536<br />

Salas 4 e 5 -Vila Abernésia<br />

(Centro Comercial AMC)<br />

UNIDADE - SÃO PAULO<br />

Rua Santo Alexandre, 236<br />

Vila Guilhermina<br />

UNIDADE VILA MARIA<br />

Av. Morvan Dias Figueire<strong>do</strong>,<br />

3177, Vila Maria (Galeria Carrefour)<br />

UNIDADE ARICANDUVA<br />

Av. Rio das Pedras, 555<br />

Aricanduva (Galeria Carrefour)<br />

UNIDADE - JACAREÍ<br />

Rua João Américo da Silva, 325<br />

Centro<br />

UNIDADE JACAREÍ SHOPPING<br />

Rua Olímpio Catão 500 - Luc 36<br />

UNIDADE - PINDAMINHANGABA<br />

Rua Dr. Frederico Macha<strong>do</strong>, 109-<br />

Centro<br />

UNIDADE SHOPPING PÁTIO PINDA<br />

R: Alcides Ramos Nogueira, 650 -<br />

Loja 63 Mombaça<br />

UNIDADE - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS<br />

CDA - Centro de Diagnóstico<br />

Andrade<br />

Av. Dep. Benedito Matarazzo, 5701<br />

Parque Residencial Aquarius<br />

(Galeria Carrefour)<br />

UNIDADE JARDIM ESPLANADA<br />

Av. São João, 1644<br />

Jardim Esplanada<br />

UNIDADE SHOPPING ORIENTE<br />

Rua An<strong>do</strong>rra, 500<br />

Loja 110 e 112<br />

Jardim Paraíso<br />

UNIDADE - CARAGUATATUBA<br />

Av. Anchieta, 196<br />

Centro (salas: 12, 13 e 14) Centro<br />

UNIDADE SERRAMAR SHOPPING<br />

Av. José Herculano, <strong>108</strong>6<br />

Santa Marina<br />

Preza<strong>do</strong> Cliente<br />

Exclusivamente na cidade de São<br />

José <strong>do</strong>s Campos nossas unidades<br />

de atendimento são identificadas<br />

pelo nome fantasia “CDA – CENTRO<br />

DIAGNÓSTICO ANDRADE”.<br />

SAC: (12) 2123 - 9200<br />

www.oswal<strong>do</strong>cruz.com.br<br />

laboswal<strong>do</strong>cruz<br />

laboswal<strong>do</strong>cruz

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!