06.12.2023 Views

Empresas do Vale_115_Dezembro_Dezembro

You also want an ePaper? Increase the reach of your titles

YUMPU automatically turns print PDFs into web optimized ePapers that Google loves.

nº <strong>115</strong>- <strong>Dezembro</strong>/ Janeiro- 2024 - ano 20<br />

www.empresas<strong>do</strong>vale.com.br<br />

facebook.com/empresas.<strong>do</strong>vale<br />

&<br />

20<br />

<br />

PEDREIRA (SP)


Taubaté Shopping<br />

Contato: (12) 3629-2466<br />

Taubaté - Independência<br />

Contato: (12) 3681-3090<br />

Via Garden Shopping<br />

Contato: (12) 3681-3765<br />

02<br />

Mauá Plaza Shopping<br />

Contato: (11) 4546-4484<br />

Suzano<br />

Contato: (11) 4748-5468<br />

Mogi Shopping<br />

Contato: (11) 4796-1986


Í<br />

ndice<br />

Outras matérias:<br />

V Fórum de Turismo Metropolitano<br />

de Curitiba Destino Turístico<br />

Inteligente - DTI - pág 38<br />

04<br />

Pedreira - SP<br />

35<br />

VI Eco <strong>Vale</strong> Taubaté<br />

14<br />

6° Edição Sabor<br />

de São Paulo<br />

Expediente<br />

Diretor responsável:<br />

José Carlos Reis de Souza<br />

Departamento Jurídico:<br />

Dr. Luis Antonio Ravani<br />

Jornalista Responsável:<br />

Camões Filho - MTB 18411<br />

Editoração:<br />

Letícia Casoni Peres<br />

Diretora de Fotografia:<br />

Lourdes A. Antunes de Oliveira<br />

Jornalista :<br />

Simone Galib (colabola<strong>do</strong>ra)<br />

Tiragem: 5.000 exemplares<br />

Distribuição gratuita e dirigida<br />

Publicação Bimestral<br />

Contato<br />

Revista <strong>Empresas</strong> <strong>do</strong> <strong>Vale</strong><br />

CNPJ: 12.530.626/0001-99<br />

Rua <strong>do</strong> Correa, 255<br />

Bairro: Jardim Santa Cruz<br />

Cep: 12080-290<br />

Taubaté -SP<br />

www.empresas<strong>do</strong>vale.com.br<br />

www.facebook.com/empresas.<strong>do</strong>vale<br />

e-mail: tvempresas<strong>do</strong>vale@gmail.com<br />

Dpto. Comercial<br />

(12) 99787-6329<br />

Editorial<br />

José Carlos Reis de Souza<br />

Diretor Responsável<br />

Caro leitor!<br />

Para encerrar o ano, nesta edição<br />

apresentamos matérias sobre<br />

Rotas Gastronômicas, “Encantos<br />

da Anhanguera Central e Serra <strong>do</strong><br />

Itaqueri”; destino turístico da cidade<br />

de Pedreira (SP); VI Eco <strong>Vale</strong> e V<br />

Fórum de Turismo Metropolitano.<br />

Gostaríamos de agradecer a to<strong>do</strong>s<br />

os nossos leitores e colabora<strong>do</strong>res,<br />

que têm permiti<strong>do</strong> a Revista<br />

<strong>Empresas</strong> <strong>do</strong> <strong>Vale</strong> - Negócios &<br />

Turismo, consolidar a sua atividade<br />

jornalística. O Natal está chegan<strong>do</strong>,<br />

e com ele as merecidas férias para<br />

recarregar as energias e pensar em<br />

novos projetos futuros. Feliz Ano<br />

Novo.<br />

Parceria:<br />

Apoio:<br />

As fotos de divulgação foram cedidas pelas<br />

empresas e/ou pessoas mencionadas nos textos.<br />

Não é permitida a reprodução sem autorização<br />

expressa <strong>do</strong>s autores, por escrito. Os textos,<br />

informações e anúncios publicitários são de inteira<br />

e exclusiva responsabilidade <strong>do</strong>s autores e empresas<br />

anunciantes.<br />

03


PEDREIRA - SP<br />

ZONA CRISTALINA<br />

Por: José Carlos Reis de Souza<br />

Pedreira (SP).<br />

04<br />

A 138 quilômetros da capital paulista, a pequena cidade de Pedreira (SP), com seus 43.112<br />

habitantes, conforme senso <strong>do</strong> IBGE/2022, encravada na área conhecida como Zona Cristalina<br />

na, Micro Região das Estâncias Hidrominerais Paulistas, a 584 metros de altitude, com<br />

alguns casarões <strong>do</strong> século XX, que seguem o estilo colonial e eclético ainda bem preserva<strong>do</strong>s,<br />

é considera<strong>do</strong> a capital da porcelana, e destino turístico <strong>do</strong>s amantes das belas peças de<br />

porcelanas para decoração, reúne mais de 300 lojas e várias galerias que comercializam<br />

diversos produtos como: utensílios para cozinha, louças, esculturas, vasos, artigos de<br />

porcelanas, quadros, vidros, artigos em madeira, alumínio, gesso, resina, artigos de cama,<br />

mesa e banho, móveis e muito mais, o que a torna um <strong>do</strong>s principais centros turísticos <strong>do</strong><br />

Circuito das Águas Paulista. Tem uma história rica e podem ser vivenciadas em diversas obras<br />

arquitetônicas espalhadas pela cidade, algumas tombadas pelo Patrimônio Histórico.


HISTÓRIA<br />

O município de Pedreira (SP) foi o sonho <strong>do</strong><br />

coronel João Pedro de Go<strong>do</strong>y Moreira, de transformar<br />

sua fazenda em cidade. A família, quatrocentona,<br />

iniciou-se com o patriarca José Ortiz de Camargo,<br />

que chegou ao Brasil na expedição de Martin Afonso<br />

de Souza, que era composta por bandeirantes que<br />

ajudaram a fundar São Paulo, Minas Gerais e Goiás. O<br />

avô se estabelecera em Amparo em 1801, e em 1834<br />

o pai já havia construí<strong>do</strong> a casa em que o coronel<br />

João Pedro de Go<strong>do</strong>y Moreira nasceria. Em1887<br />

ele comprou e recebeu de seus irmãos e vizinhos<br />

mais terras para anexar à fazenda, porém, em vez<br />

de plantar e criar ga<strong>do</strong>, as loteou, abriu ruas e <strong>do</strong>ou<br />

terrenos onde foram construí<strong>do</strong>s: escola, cemitério,<br />

delegacia, cadeia, Hospital Lazareto, e a Capela de<br />

Sant’Ana, no largo da antiga Estação, a Companhia<br />

Mogiana de Estradas de Ferro. Em 1889, junto ao rio<br />

Jaguari, surgiu a Vila Pedreira, com apenas 70 casas,<br />

nome da<strong>do</strong> em homenagem ao grande número<br />

de “Pedros” na família. Nessa época a Vila Pedreira<br />

contava com açougues, padarias, casas de negócios<br />

para fazendas, armarinhos, lojas de calça<strong>do</strong>s, lojas<br />

de ferragens, quitandas e armazéns. Casa<strong>do</strong> em<br />

primeiras núpcias com Francisca Eugênia Alves<br />

Moreira, o coronel João Pedro de Go<strong>do</strong>y Moreira foi<br />

incansável na realização <strong>do</strong> seu sonho: enfrentou<br />

a burocracia e a resistência da Comarca de Amparo<br />

para elevar a vila à categoria Distrito Policial em 1890,<br />

de Capela Curada 1892, e município em 1896. Nessa<br />

época os imigrantes italianos já haviam chega<strong>do</strong><br />

à cidade para trabalhar na lavoura de café, mas<br />

muitos italianos, no entanto, já eram comerciantes e<br />

<strong>do</strong>nos de fábricas, que começaram a mudar o perfil<br />

da cidade. Foi assim que, em 1914, esses imigrantes<br />

inaugurariam a produção de porcelana com a Fábrica<br />

de Louças Santa Rita, <strong>do</strong>s irmãos Angelo e Antonio<br />

Rizzi. Já a década de 40 outras duas importantes<br />

indústrias ceramistas seriam inauguradas na cidade, a<br />

Cerâmica Santana, em 1941, e a Nadir Figueire<strong>do</strong>, em<br />

1943, puxan<strong>do</strong> a reboque outras dezenas de fábricas<br />

<strong>do</strong> gênero que configurariam o parque industrial<br />

de Pedreira. Hoje vários patrimônios históricos são<br />

testemunhas <strong>do</strong> empreende<strong>do</strong>rismo nato da cidade,<br />

entre eles a antiga casa <strong>do</strong> pai <strong>do</strong> coronel, cujo prédio<br />

é tomba<strong>do</strong> pelo Patrimônio Histórico e abriga a sede<br />

da Prefeitura na Praça Epitácio Pessoa.<br />

Museu da Porcelana de Pedreira (SP).<br />

Porcelanas<br />

MUSEU HISTÓRICO E DA PORCELANA<br />

O Museu Histórico e da Parcela, está Instala<strong>do</strong> em um antigo sobra<strong>do</strong> <strong>do</strong> final <strong>do</strong> século XIX, que chama a<br />

atenção de quem passa pela Praça Coronel João Pedro. É um importante Centro Cultural, que visa resgatar a<br />

história de vários personagens ilustres <strong>do</strong>s primórdios da fundação da cidade. Neste local o acervo é composto<br />

de fotografias, peças de ferrovia, peças de porcelanas antigas que mostram o desenvolvimento da atividade<br />

local, objetos da imigração italiana no Brasil, <strong>do</strong> comércio, educação, religião, mobílias originais e objetos antigos.<br />

Além de uma mini fábrica de porcelana que mostra os detalhes da fabricação <strong>do</strong> produto, e salas temáticas<br />

exploram diversos outros temas, como a medicina, a comunicação e o transporte em Pedreira.<br />

Localização: Praça Cel. João Pedro, 102, Centro / Pedreira (SP)


Porcelanas<br />

Porcelanas<br />

CAPELA BOM JESUS<br />

Capela Bom Jesus.<br />

Localizada no alto de um morro já na entrada <strong>do</strong> eixo urbano <strong>do</strong> município de Pedreira e bem próximo ao<br />

grande centro comercial, Capela Bom Jesus, uma das mais antigas da cidade, tem uma arquitetura eclética e<br />

bem simples, com algumas ornamentações na sua fachada. Começou a ser construída em 1896, e inaugurada<br />

1897, em terreno <strong>do</strong>a<strong>do</strong> pelo funda<strong>do</strong>r de Pedreira (SP), Cel. João Pedro de Go<strong>do</strong>y Moreira, e retrata a fé religiosa<br />

<strong>do</strong> povo <strong>do</strong> século XIX, sen<strong>do</strong> que foi provisionada por Dom Joaquim Arcoverde de Albuquerque, Bispo de<br />

São Paulo e benta pelo padre Alexandrino Felicíssimo <strong>do</strong> Rego Barros, em 09/03/1897. O mais interessante, é<br />

que o primeiro orago (padroeiro) da capela foi “Bom Jesus” e não “Sant’Ana”, cuja imagem foi trazida da frança<br />

pela família <strong>do</strong> funda<strong>do</strong>r da cidade, Cel. João Pedro de Go<strong>do</strong>y Moreira. Já a pequena praça em frente tem<br />

vários bancos para descanso e oferece uma das mais belas vistas da cidade, onde se pode avistar toda a área<br />

central e também o Morro <strong>do</strong> Cristo.<br />

Endereço: Pedreira (SP)<br />

06


IGREJA MATRIZ DE SANT’ANA<br />

Fachada da Igreja de Sant’Ana.<br />

O grande destaque da igreja fica por conta da pequena Capela <strong>do</strong> Santíssimo,<br />

localizada ao la<strong>do</strong> <strong>do</strong> altar principal, com lindas e coloridas pinturas sacras. To<strong>do</strong>s<br />

os anos, no dia 26 de julho, dia da padroeira, a paróquia prepara uma grande festa<br />

com barraquinhas, comidas típicas e muitas atrações.<br />

A bela Igreja Matriz de Sant’Ana, de Pedreira (SP), construída em 1899, século XIX em estilo gótico, uma das mais<br />

antigas testemunhas da fundação da cidade. Apresentan<strong>do</strong> duas grandes torres laterais imponentes, que podem<br />

ser vistas de vários pontos da cidade. Seu interior é bem simples, sem grandes ornamentações, com exceção<br />

<strong>do</strong>s belíssimos vitrais laterais que retratam cenas bíblicas. Porém, o grande destaque da igreja fica por conta da<br />

pequena Capela <strong>do</strong> Santíssimo, localizada ao la<strong>do</strong> <strong>do</strong> altar principal, com lindas e coloridas pinturas sacras. To<strong>do</strong>s<br />

os anos, no dia 26 de julho, dia da padroeira, a paróquia prepara uma grande festa com barraquinhas, comidas<br />

típicas e muitas atrações.<br />

Capela <strong>do</strong> Santíssimo, ao la<strong>do</strong> <strong>do</strong> altar principal da Igreja Sant’Ana.<br />

Visão interna da Igreja de Sant’Ana.


MORRO DO CRISTO<br />

Um <strong>do</strong>s maiores símbolos da cidade de Pedreira<br />

(SP), o Morro <strong>do</strong> Cristo, considera<strong>do</strong> um <strong>do</strong>s principais<br />

pontos turísticos <strong>do</strong> Circuito Paulista das Águas e<br />

faz parte <strong>do</strong> “Complexo Turístico Morro <strong>do</strong> Cristo”.<br />

Está a cerca de 670 metros de altura e oferece uma<br />

belíssima vista panorâmica de toda a cidade e região<br />

circundante. O acesso ao morro foi aberto em 1932,<br />

quan<strong>do</strong> os solda<strong>do</strong>s constitucionalistas, fizeram<br />

suas trincheiras no Morro <strong>do</strong> Cristo, mas foi a partir<br />

de 1980, que o local foi urbaniza<strong>do</strong> e implanta<strong>do</strong><br />

as estações da Via-Sacra, transforman<strong>do</strong>-se em<br />

um complexo turístico. No local de entrada, há um<br />

portal de inspiração bíblica semelhante ao que se<br />

encontra em Jerusalém, além, além da Praça Nossa<br />

Senhora Aparecida, e o Monumento a Revolução<br />

Constitucionalista. O visitante pode chegar ao morro<br />

de carro ou de teleférico. Endereço: Avenida Joaquim<br />

Carlos, Centro / Pedreira (SP).<br />

Estrada que leva ao Morro <strong>do</strong> Cristo.<br />

Morro <strong>do</strong> Cristo de Pedreira, revitaliza<strong>do</strong>.<br />

Portal de entrada <strong>do</strong> Morro <strong>do</strong> Cristo.<br />

Cristo abençoan<strong>do</strong> a cidade de Pedreira, no alto <strong>do</strong> morro.<br />

Visão <strong>do</strong> Morro <strong>do</strong> Cristo.<br />

08


TELEFÉRICO DO MORRO DO CRISTO<br />

Torres <strong>do</strong> Teleférico - Complexo Turístico <strong>do</strong> Morro <strong>do</strong> Cristo.<br />

Teleférico <strong>do</strong> Complexo Turístico <strong>do</strong> Morro <strong>do</strong> Cristo.<br />

Após um longo perío<strong>do</strong> desativa<strong>do</strong>, o “Teleférico de Pedreira” volta a ser um <strong>do</strong>s cartões postais e atração<br />

turística no Circuito das Águas. Após um ano e meio de revitalização e reestruturação completa <strong>do</strong> complexo,<br />

como a troca de mais de 570 metros de cabos de aço que sustentam as cadeiras, reforma completa das torres de<br />

sustentação, volantes e casa de máquinas. Com isso, passou a ter uma influência positiva no turismo, oferecen<strong>do</strong><br />

aos visitantes mais uma opção de lazer. O passeio tem duração de 20 minutos, com capacidade de 108 pessoas<br />

por hora, e possibilita a vista <strong>do</strong> rio Jaguari e montanhas da Serra da Mantiqueira.<br />

Aberto aos finais de semana e feria<strong>do</strong>s das 08:00h às 16:00h.<br />

Praça Tenente Coronel João Carlos.<br />

PRAÇA CORONEL JOÃO PEDRO<br />

Localizada no Centro Histórico da cidade, a Praça foi construída no século XX em homenagem ao Cel. João<br />

Pedro de Go<strong>do</strong>y Moreira, patriarca da família funda<strong>do</strong>ra <strong>do</strong> município de Pedreira (SP), com seu busto. É um local<br />

popular para passeios e eventos ao ar livre, com áreas de sombra, bancos e jardins bem cuida<strong>do</strong>s. É um importante<br />

ponto turístico e cultural da região.


Antiga Estação Mogiana (Pedreira -(SP).<br />

ESTAÇÃO FERROVIÁRIA<br />

Localizada ao la<strong>do</strong> da Praça João Godói, a Estação Ferroviária é uma das construções mais bonitas e<br />

simbólicas da cidade. Inaugurada em 10 de novembro de 1875, Pedreira (SP), era a primeira estação no senti<strong>do</strong><br />

Amparo (SP) e fazia parte <strong>do</strong> ramal de Amparo, construída pela Companhia Mogiana de Estradas de Ferro.<br />

Foi fechada em 1967 com próprio ramal, e os seus trilhos foram retira<strong>do</strong>s pouco tempo depois. Revitalizada,<br />

permanecen<strong>do</strong> originalmente a plataforma, a cobertura suportada por mãos francesas e os banheiros,<br />

cumprin<strong>do</strong> uma função decorativa <strong>do</strong> resgate histórico da cidade. Chegou a sediar um museu histórico até se<br />

tornar um centro de arte e artesanato. Uma pequena feira de produtos diversos também é montada <strong>do</strong> la<strong>do</strong><br />

externo da extensão de trilhos.<br />

Placa indican<strong>do</strong> Feira de Artesanato na antiga Estação Ferroviária.<br />

Sanitários originais da época.<br />

10


ZOO-BOSQUE MUNICIPAL DE PEDREIRA<br />

Lago.<br />

Visão da entrada <strong>do</strong> Zoo-Bosque Municipal.<br />

O Zoo-Bosque municipal prefeito A<strong>do</strong>lpho Lenzi, é uma das principais atrações turísticas da região,<br />

principalmente para famílias com crianças, que procuram passeios mais tranquilos e diverti<strong>do</strong>s. Possui mais de 33<br />

mil m² de mata nativa preservada, e abrigam uma grande variedade de animais, mamíferos, aves, répteis e peixes,<br />

muitos deles resgata<strong>do</strong>s e reabilita<strong>do</strong>s. Além de playground, área para piqueniques, quiosques e lanchonete, além<br />

de ser sede da Secretaria Municipal <strong>do</strong> Meio Ambiente. O visitante tem a oportunidade de observar os animais<br />

em seus habitats naturais, como a floresta tropical, o cerra<strong>do</strong> e o pantanal. O Zoo-Bosque municipal, também é<br />

um centro de educação ambiental, cujo objetivo é conscientizar os visitantes sobre a importância da preservação<br />

da fauna e flora local. Outro detalhe importante, o parque oferece diversas atividades educativas, como palestras,<br />

exposições e oficinas, voltadas para crianças e adultos. Além da área <strong>do</strong>s animais, o parque possui uma grande área<br />

verde, com trilhas ecológicas, lagos e jardins, voltadas para crianças e adultos.<br />

Aberto: sába<strong>do</strong>, <strong>do</strong>mingos e feria<strong>do</strong>s, das 09:00h às 16:00h / entrada gratuita.<br />

Endereço: Rua Santos Dumont, s/n, Bairro Morumbi / Pedreira (SP)<br />

COMO CHEGAR<br />

Onça pintada, conhecida pelo nome Simba.<br />

Integrante <strong>do</strong> Circuito das<br />

Águas Paulista, Pedreira fica<br />

localizada há apenas 44 km<br />

de Campinas e para acessála<br />

dessa cidade, basta pegar<br />

a Ro<strong>do</strong>via Adhemar Pereira<br />

de Barros e na altura de<br />

Jaguariúna, acessar a Ro<strong>do</strong>via<br />

João Beira.<br />

Já para quem vêm de São<br />

Paulo, os 138 km podem ser<br />

percorri<strong>do</strong>s pela Ro<strong>do</strong>via<br />

Anhanguera até o Anel<br />

Viário Magalhães Teixeira em<br />

Campinas, acessar a Ro<strong>do</strong>via<br />

Adhemar de Barros e depois a<br />

João Beira.


Shows, Congressos e Feiras em<br />

É ISSO<br />

E MUITO<br />

MAIS.<br />

São Paulo é referência na realização de eventos em centros de convenções<br />

e espaços especializa<strong>do</strong>s, como a Sala São Paulo, que possui uma das melhores<br />

acústicas <strong>do</strong> mun<strong>do</strong>. Seja na capital ou no interior, existem muitas opções<br />

para realizar eventos e oferecer a melhor experiência possível. Tem São Paulo<br />

para to<strong>do</strong>s os tipos e tamanhos de encontros. Consulte também os programas<br />

de Stopover e aproveite para conhecer os destinos paulistas.<br />

12


São Paulo, sempre um espetáculo.<br />

Apoio Institucional<br />

visitesaopaulo.com


6ª EDIÇÃO<br />

SABOR DE SÃO PAULO<br />

Por: José Carlos Reis de Souza<br />

Corotes de cachaças especiais.<br />

Durante os dias 05 a 11/11/2023, a Revista <strong>Empresas</strong> <strong>do</strong> <strong>Vale</strong> - Negócios & Turismo,<br />

e Turismo em Pauta, participaram <strong>do</strong> Press Trip - da 6ª Edição Sabor de São Paulo, em<br />

parceria com Mun<strong>do</strong> Mesa e SENAC - Águas de São Pedro (SP). O intuito foi explorar o<br />

turismo gastronômico da “Rota Encantos da Anhanguera Central e Serra <strong>do</strong> Itaqueri”,<br />

que faz parte de uma das 10 Rotas Gastronômicas <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong>.<br />

Nossa saída ocorreu <strong>do</strong> Metrô Vila Madalena, com<br />

outros jornalistas, agência de Viagens e influencers,<br />

com destino a Rota gastronômica Encantos da<br />

Anhanguera Central e Serra <strong>do</strong> Itaqueri. Durante 06 dias<br />

visitamos diversos pontos gastronômicos nas cidades<br />

de Pirassununga, Limeira, Brotas, Águas de São Pedro,<br />

Charqueada, São Carlos e Rio Claro.<br />

ADEGA E CACHAÇARIA THERENSE<br />

Nossa visita à Adega Cachaçaria Therense, localizada no centro da cidade de<br />

Pirassununga (SP), é um lugar diferencia<strong>do</strong> para quem gosta de cachaça. O espaço tem<br />

até um museu da cachaça. Faz parte da “Rota Gastronômica Encantos da Anhanguera<br />

Central”. Conversamos com Roberto Therense Filho, proprietário da adega, que nos<br />

deu informações preciosas sobre o empreendimento.<br />

14


Roberto Therense Filho e José Carlos.<br />

Museu da Cachaça.<br />

A história da nossa família Therense tem mais de 70 anos. Porém, a empresa já está sobre a minha<br />

responsabilidade há mais de 30 anos neste mesmo local, na cidade de Pirassununga, uma cidade produtora de<br />

cachaça, que faz parte da “Rota Gastronômica Anhanguera Central”, privilegiada pelos rios e pelo clima, que é<br />

muito agradável. E com isso, a parte da gastronomia é muito rica, além de muitos apiários e atrativos na região.<br />

Uma empresa familiar e faço parte da segunda geração. Tenho <strong>do</strong>is filhos, e tocarão a terceira geração da adega,<br />

com uma essência muito forte. Além da cachaça branca tradicional, tem um envelhecimento em vários tipos de<br />

madeira, como: carvalho, umburana, ipê, jequitibá, amen<strong>do</strong>im e nas formas de licores artesanais, como matériaprima<br />

à própria cachaça. Os aprecia<strong>do</strong>res ainda têm a preferência da cachaça envelhecida na madeira e to<strong>do</strong>s<br />

os subprodutos da cana-de-açúcar mela<strong>do</strong>, como: açúcar mascavo e a rapadura. Quan<strong>do</strong> o visitante ou turista<br />

chega, ele tem a oportunidade de degustar as cachaças, da forma original <strong>do</strong> processo de como ela é feita, isso<br />

tem um sabor especial para o turista.<br />

Endereço: Av. Painguás, 969 - Centro / Pirassununga (SP)<br />

Aberto: segunda a sába<strong>do</strong>, das 08:00h às 18:00 / <strong>do</strong>mingo, das 08:00h às 12:00h<br />

Contato: (19) 3561-9144 / (19) 99692-1882 / adegatherense.com.br<br />

Além da cachaça branca tradicional, tem um envelhecimento em vários tipos de<br />

madeira, como: carvalho, umburana, ipê, jequitibá, amen<strong>do</strong>im e nas formas de licores<br />

artesanais, como matéria-prima à própria cachaça.<br />

Museu da cachaça<br />

Espaço com diversos tonéis de cachaça.


Jorge Manoel Armani (mais conheci<strong>do</strong> por João <strong>do</strong> Mel) e José Carlos.<br />

APIÁRIOS JOÃO DO MEL<br />

Nossa visita ao comércio “João <strong>do</strong> Mel”, localiza<strong>do</strong> no centro da cidade de Pirassununga<br />

(SP), faz parte da “Rota Gastronômica Encantos da Anhanguera Central”, tem como<br />

proprietário o Sr. Jorge Manoel Armani, mais conheci<strong>do</strong> como João <strong>do</strong> Mel. Trocamos<br />

prosas e nos contou a sua história de vida com a produção de mel, e o sucesso alcança<strong>do</strong>.<br />

Quan<strong>do</strong> garoto morava no sítio onde tinha um apiário, e às vezes costumava ajudar o apicultor a mexer<br />

com as abelhas. Porém, o apiário foi extinto, mais eu prossegui. A marca <strong>do</strong> mel começou aparecer no ano<br />

de 1975 e deu certo. Mudamos <strong>do</strong> sítio para cidade e aumentamos as vendas. Com as vendas compramos<br />

um sítio e aumentamos o apiário. Atualmente, nós produzimos mel, própolis e pólen. Mas, para conquistar<br />

o consumi<strong>do</strong>r, você precisa ter produto de qualidade, e esse consumi<strong>do</strong>r passa a ser o nosso divulga<strong>do</strong>r,<br />

falan<strong>do</strong> para parentes, vizinhos e amigos sobre os nossos produtos.. E foi assim que conseguimos uma boa<br />

freguesia. Quanto a “Rota Gastronômica” ela só faz fortalecer, mostran<strong>do</strong> o que temos de bom em nossa<br />

cidade, como restaurantes, alambiques de cachaças, cachoeiras, entre outros. Gostaria de convidar a to<strong>do</strong>s<br />

que ainda não conhecem a região, principalmente a cidade de Pirassununga, um povo receptivo e acolhe<strong>do</strong>r<br />

Endereço: Rua Capitão Otaviano José Corrêa, 495 - Bairro: Vila Industrial / Pirassununga (SP)<br />

Aberto: segunda a sexta, das 08:00h às 18:00h / sába<strong>do</strong>: das 08:00h às 14:00 / <strong>do</strong>mingo, das 09:00h às<br />

12:00h / Contato: (19) 3561-4896<br />

Instagram: joao<strong>do</strong>mel20 / Facebook: apiariojoao<strong>do</strong>mel20<br />

Mel sen<strong>do</strong> envasa<strong>do</strong>.<br />

Tonél de aço inoxidável (envasa<strong>do</strong>ra de mel manual).<br />

16


ENGENHO E APIÁRIO SCHERMA<br />

Localiza<strong>do</strong> no Bairro <strong>do</strong> Roque, município de<br />

Pirassununga (SP), Rota Gastronômica, Encantos<br />

da Anhanguera Central, encontra-se o “Engenho<br />

e Apiário Scherma”, de propriedade <strong>do</strong> micro<br />

empresário Gilberto de Jesus Scherma. O local<br />

é um atrativo aos turistas e visitantes, onde os<br />

tonéis servem para apresentação e degustação<br />

<strong>do</strong>s diversos tipos de cachaças e uma variedade de<br />

floradas de mel. Nosso anfitrião nos proporcionou<br />

uma entrevista falan<strong>do</strong> sobre a produção da<br />

cachaça e <strong>do</strong> mel.<br />

José Carlos e Gilberto de Jesus Scherma.<br />

Há mais de 20 anos trabalhamos com apicultura,<br />

e com o passar <strong>do</strong>s anos resolvemos implantar o<br />

sistema de produzir cachaça, para agregar mais valor<br />

aos produtos que já produzíamos, com maior poder<br />

de conservação. Produzimos três tipos de cachaças:<br />

amarela, branca e aguardente de mel. Para produzir<br />

a cachaça, preparamos bem o solo para iniciarmos a<br />

plantação da cana-de-açúcar para manter uma cana<br />

menos ácida. O processo de produção da cachaça<br />

começa com a extração da garapa da cana nas<br />

primeiras 24-30 horas depois da colheita. A cana-deaçúcar<br />

passa por uma moenda, que separa o cal<strong>do</strong> <strong>do</strong><br />

bagaço. O cal<strong>do</strong> é extraí<strong>do</strong>, peneira<strong>do</strong> e decanta<strong>do</strong><br />

para a separação <strong>do</strong>s resíduos <strong>do</strong>s bagaços e impurezas<br />

minerais. Após o cal<strong>do</strong> limpo passa a ser denomina<strong>do</strong><br />

de mosto, e transferi<strong>do</strong> para a <strong>do</strong>rna (tanque) no qual<br />

é mistura<strong>do</strong> o fermento com leveduras (fungos), sen<strong>do</strong><br />

mais comum a levedura de Saccharomyces cerevisiae.<br />

Esses microorganismos se alimentam <strong>do</strong> açúcar<br />

presente no cal<strong>do</strong>. Após a fermentação o mosto passa<br />

para o alambique, onde entra no processo de destilação.<br />

Quanto ao mel, ele é produzi<strong>do</strong> conforme as floradas<br />

<strong>do</strong> ano. O apiário produz de 3.000 a 5.000 quilos de mel<br />

por ano. Uma caixa de mel deveria produzir 70 quilos de<br />

mel em média. Porém, hoje em dia chega a média de 10<br />

quilos. A causa disso é nosso meio ambiente devasta<strong>do</strong><br />

pelos defensivos agrícolas das lavouras de cana-deaçúcar<br />

e laranja. Com isso, as abelhas morrem, porque<br />

voam por um raio de 5 km para recolherem o pólen.<br />

Atualmente, precisamos de muito mais abelhas para<br />

produzir mel <strong>do</strong> que há 40 anos.<br />

Mel.<br />

Tonéis de cachaça.<br />

Apiário Scherma.<br />

Forno a lenha para destilar a cachaça.


1º Tonel da Destilaria Octaviano Della<br />

Coletta.<br />

Adriano Nogueira de Assis, fazen<strong>do</strong><br />

apresentação de diversos tipos de cachaças.<br />

Alambique industrial.<br />

DESTILARIA OCTAVIANO DELLA COLETTA<br />

Nossa visita ao complexo da Destilaria Octaviano Della Coletta, localizada na cidade<br />

de Torrinha (SP), distante 264,3 km da capital paulista, e faz parte da Rota Gastronômica<br />

Encantos da Anhanguera Central. O grupo foi recepciona<strong>do</strong> pelo engenheiro-agrônomo,<br />

Pedro Cury Della Coletta, que fez um tour pela indústria mostran<strong>do</strong> o procedimento da<br />

produção da cachaça e uma apresentação e degustação de diversos tipos de cachaças. No<br />

final, Pedro Cury Della Coletta nos deu uma entrevista, falan<strong>do</strong> a respeito da empresa.<br />

Tu<strong>do</strong> começou com um sonho, o senhor Octaviano (conheci<strong>do</strong> por Lao), teve duas grandes paixões na vida.<br />

A primeira foi a sua esposa Alzira, com quem conviveu por 75 anos, e a segunda, a arte de beber e envelhecer<br />

cachaça. Lao tinha supermerca<strong>do</strong> e costumava manter um tonel nos fun<strong>do</strong>s <strong>do</strong> prédio, em que envelhecia<br />

cachaça de outros alambiques, para presentear amigos e clientes. A clientela fazia a compra <strong>do</strong> mês e só pagava<br />

no final <strong>do</strong> ano, na hora que vendia a safra de café, antigo costume de gastos mensais anota<strong>do</strong>s nas cadernetas,<br />

que permanece entre os habitantes de Torrinha. Após o falecimento <strong>do</strong> Sr. Octaviano, o neto Gustavo e sua esposa<br />

Celia (chefs forma<strong>do</strong>s pela escola Le Cor<strong>do</strong>n Bleu) resolveram homenageá-lo, produzin<strong>do</strong> alimentos, desde a<br />

plantação até o produto final, sen<strong>do</strong> orgânico, biodinâmico em um ciclo fecha<strong>do</strong>, poden<strong>do</strong> utilizar e reaproveitar<br />

tu<strong>do</strong>, sem resíduos. E foi assim que homenageou o avô e avó com a destilaria e o nascimento da “Alzira Cachaça”,<br />

de excelente qualidade sensorial e cor amarelo-palha de brilho intenso. Doce e calda de frutas são os principais<br />

aromas desta cachaça. O aroma alcoólico é suave e equilibra<strong>do</strong>, e a baixa acidez tráz uma elevada sensação<br />

de viscosidade e notas aveludadas ao paladar. Perfeita para ser tomada pura, com gelo ou em diversos drinks.<br />

Disponível em três rótulos com ilustrações coloridas e lúdicas. Na Della Colletta nada se perde da cana-de-açúcar,<br />

produzimos a cachaça, a palha e a biomassa oriunda <strong>do</strong> bagaço da cana são vendidas para gerar energia a vapor,<br />

e o bagaço é vendi<strong>do</strong> para uma usina de alimentação animal. Com os resíduos da cachaça é produzi<strong>do</strong> o álcool<br />

(etanol) para abastecer os carros e o fertilizante retorna para o solo, um ciclo totalmente sustentável. O projeto<br />

tem oito anos entre a construção da fábrica e a plantação. A produção é de 60.000 litros ao ano e 600 a 700 litros<br />

por dia. A caixa que embala a cachaça conta a história de Torrinha emancipada há 101 anos, cidade natal de <strong>do</strong>na<br />

Alzira. A versatilidade de <strong>do</strong>na Alzira é reproduzida nos rótulos da cachaça. Atrás de cada rótulo da garrafa tem um<br />

verso com um sonho de Alzira.<br />

Endereço: Fazenda Basalto, s/n.º - Rural - Torrinha (SP<br />

Contato: Contato: (11) 98112-8565 | 11 3014-5050 - Instagram: @alziracachaca<br />

18<br />

José Carlos entrevistan<strong>do</strong> Pedro Cury Della<br />

Colleta (engenheiro agrônomo).<br />

Julia <strong>Vale</strong>ncise (tecnóloga em<br />

biocombustíveis), apresentan<strong>do</strong> o<br />

laboratório de análise.<br />

Showroom.


Tonéis de cachaça.


ROTA GASTRONÔMICA SERRA DO ITAQUERI<br />

A Rota Gastronômica Serra <strong>do</strong> Itaqueri está localizada na região central <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong><br />

de São Paulo. Formada por 14 municípios: Analândia, Corumbataí, Rio Claro, Limeira,<br />

Piracicaba, São Pedro, Águas de São Pedro, Santa Maria da Serra, Charqueada, Ipeúna,<br />

Torrinha, Brotas e São Carlos. A região leva o nome de Serra <strong>do</strong> Itaqueri, devi<strong>do</strong> a uma<br />

grande “cuesta” (uma forma de relevo em que colinas e montes têm um declive) que<br />

tem na região, passan<strong>do</strong> por vários municípios, pegan<strong>do</strong> desde São Pedro, Ipeúna,<br />

Charqueada, Torrinha e Brotas.<br />

FÁBRICA DI PAMONHA<br />

Localizada no distrito de Charqueada (SP), distante da capital paulista 183,7 km,<br />

encontra-se a Fábrica Di Milho, pertencente à família “Assarisse”. A pamonha de milho é<br />

preparada de maneira artesanal, com receita tradicional à base de milho, água e açúcar,<br />

que atribui característica própria e singularidade a este produto típico da região de<br />

Piracicaba.<br />

Ademir Apareci<strong>do</strong> Assarisse, Valdemir<br />

Assarisse e Wanda Aparecida Assarisse.<br />

Equipamentos para produção de produtos a<br />

base de milho.<br />

Produtos deriva<strong>do</strong>s <strong>do</strong> milho.<br />

Visitan<strong>do</strong> a Fábrica Di Pamonha, que faz parte da “Rota Gastronômica Serra <strong>do</strong> Itaqueri”, conversamos com um<br />

<strong>do</strong>s proprietários, Valdemir Assarisse (engenheiro Agrônomo), que contou um pouco da história: nós moramos<br />

nesta residência há mais de 32 anos, porém, a propriedade já vem <strong>do</strong>s meus avôs há 60 anos. Na década de<br />

1980, deixei o meu trabalho em uma estatal para cultivar cana-de-açúcar nas terras da família, na zona rural de<br />

Charqueada (SP), infelizmente os planos não se concretizaram. Após 10 anos, para garantir o sustento da família,<br />

passamos a vender para amigos e conheci<strong>do</strong>s da região, frutas e legumes produzi<strong>do</strong>s no sítio. Com o tempo,<br />

passamos a oferecer curau de milho-verde em quentinhas de alumino. Com o aumento das vendas, passamos<br />

a produzir pamonhas feitas com receitas <strong>do</strong>s meus avôs e passaram fazer parte <strong>do</strong> negócio. Meu pai, Ademir<br />

Apareci<strong>do</strong> Assarisse tinha que plantar, colher e descascar as espigas, minha mãe Wanda Maria Paseto Assarisse,<br />

costurava as palhas manualmente e cozinhava os <strong>do</strong>ces e meu irmão Felipe, sempre ajudaram no processo da<br />

cadeia (plantio, processamento para finalizar a pamonha rural e embalagens <strong>do</strong>s <strong>do</strong>ces). Toda a produção é feita<br />

no distrito de Charqueada (SP) e o maior volume de venda é no ataca<strong>do</strong>, na cidade de Piracicaba (SP) e em toda<br />

a região (SP). Atualmente, além da pamonha, a empresa oferece 15 produtos deriva<strong>do</strong>s <strong>do</strong> milho, dente eles:<br />

pamonhas <strong>do</strong>ces e salgadas, curau, espiga de milho cozida, cuscuz, cupcake de pamonha, sequilhos, suco de<br />

milho, bolo de milho verde e fubá. Agora, nós passamos a investir no turismo, receben<strong>do</strong> pequenos grupos para<br />

conhecerem o trabalho realiza<strong>do</strong> pela família e to<strong>do</strong> o processo, que vai desde o plantio <strong>do</strong> milho até a produção,<br />

além de participarem da degustação das delícias da fábrica de <strong>do</strong>ces.<br />

20<br />

Endereço da fábrica: Sítio Santo Agostinho, Ro<strong>do</strong>via Herminio Petrin, 4837 - km 192 (Piracicaba - Charqueada /<br />

SP) - Bairro Rocinha - Charqueada (SP)<br />

Endereço da loja: Merca<strong>do</strong> Municipal de Piracicaba (SP) - Box 123/124<br />

Rua Alfre<strong>do</strong> Car<strong>do</strong>so, 1336 - Centro - Piracicaba (SP)<br />

Aberto: de segunda-feira a sába<strong>do</strong>, das 07:00h às 18:00h / <strong>do</strong>mingo, das 07:00h às 11:00h / Contato: Fone (19)<br />

3486-1506


Eduar<strong>do</strong> Modesto, sen<strong>do</strong> entrevista<strong>do</strong> por José Carlos.<br />

JARACATIÁ DOCE & ARTE<br />

Cerveja (Jaraca Bieer) e <strong>do</strong>ces de compota.<br />

Conhecemos a empresa Jaracatiá Doce & Arte, localizada no município de São Pedro,<br />

a 50 metros da Igreja Matriz, que faz parte da Rota Gastronômica, Serra <strong>do</strong> Itaqueri.<br />

Nosso pessoal foi recepciona<strong>do</strong> pelo proprietário Eduar<strong>do</strong> Modesto, que apresentou<br />

a jaracachaça, a cerveja, às geléias os <strong>do</strong>ces, entre outros, produzi<strong>do</strong>s com a fruta <strong>do</strong><br />

jaracatiá. Após a degustação <strong>do</strong>s produtos deriva<strong>do</strong>s da fruta, Eduar<strong>do</strong> Modesto nos<br />

concedeu uma entrevista para passar melhores informações sobre um produto quase<br />

extinto.<br />

Quan<strong>do</strong> escolhemos um destino turístico para conhecer, um <strong>do</strong>s pontos principais é a gastronomia. Em nossa<br />

cidade São Pedro (SP), temos um museu ao la<strong>do</strong> da nossa loja, dedica<strong>do</strong> a “Jaracatiá” um tesouro da Mata Atlântica,<br />

com entrada gratuita. O Jaracatiá é uma árvore nativa de grande porte, que chega até 20m de altura, que frutifica<br />

de janeiro a março como se fossem pequenos mamõezinhos, popularmente conheci<strong>do</strong> pelos nomes: mamão ou<br />

mamão-bravo, existente nas florestas brasileiras e está inscrita na história <strong>do</strong> Brasil desde antes da chegada <strong>do</strong>s<br />

portugueses. Seu fruto é popularmente conheci<strong>do</strong> pelos nomes: mamão ou mamão-bravo. Os frutos após coleta<strong>do</strong>s<br />

são produzi<strong>do</strong>s: a compota, a geleia da poupa e sorvete. Do caule, ou seja, da madeira e deforma sustentável,<br />

produzimos a compota <strong>do</strong> caule rala<strong>do</strong>. A jaracachaça e a cerveja são produzidas à base da fruta. Com isso estamos<br />

resgatan<strong>do</strong> a cultura e a tradição da história <strong>do</strong> Brasil. A partir <strong>do</strong> jaracatiá é possível contar relevantes histórias <strong>do</strong><br />

país. Há relato desde os indígenas, passan<strong>do</strong> pelos jesuítas, pelos bandeirantes, pelos imigrantes italianos, pelos<br />

africanos escraviza<strong>do</strong>s aqui, tornan<strong>do</strong>-se o jaracatiá muito presente na história <strong>do</strong> Brasil. A empresa possui um<br />

trabalho de distribuição e plantio de mudas. Nesse ano foram distribuídas mais de três mil mudas. Com um impacto<br />

muito positivo na Serra <strong>do</strong> Itaqueri. A distribuição é feita para estudantes e vários grupos de agricultores. No ano<br />

de 2022 foram contabiliza<strong>do</strong>s 44 pequenos produtores que formaram essa rede de produção de jaracatiá, além <strong>do</strong><br />

nosso sítio. Portanto, a empresa está inician<strong>do</strong> esse resgate, quan<strong>do</strong> os turistas vêm saborear o jaracatiá não é apenas<br />

a gastronomia, é também a cultura, a história e muita tradição.<br />

Endereço: Rua José Estanislau de Oliveira, 748, Centro, São Pedro - SP<br />

Contato: (19) 98848-0930 / Instagram:@jaracatia<strong>do</strong>cearte / Facebook: jacaratia<strong>do</strong>cearte<br />

A Jaracachaça.<br />

Loja de artesanatos da Jaracatiá Doce & Arte.


Visão externa <strong>do</strong> casarão.<br />

Waleska Prada de Araujo Ribeiro, José Carlos e Ricar<strong>do</strong> de Araujo<br />

Ribeiro.<br />

FAZENDA QUILOMBO<br />

A Fazenda Quilombo, faz parte da “Rota gastronômica Serra <strong>do</strong> Itaqueri”, localizada<br />

na cidade de Limeira (SP), distante da capital paulista 03:00h. Durante nossa vista<br />

conversamos com Ricar<strong>do</strong> de Araujo Ribeiro, um <strong>do</strong>s sócios proprietários, sobre a Fazenda<br />

Quilombo. Por ser um patrimônio centenário liga<strong>do</strong> a história da cultura cafeeira de<br />

Limeira (SP), preserva a sua história através da construção de terreiros para secagem <strong>do</strong><br />

café, lavra<strong>do</strong>res de café, tulhas, casas de colonos, casa da administração e casa sede,<br />

concluídas em 1891. Atualmente, os proprietários, tataranetos <strong>do</strong>s funda<strong>do</strong>res, que<br />

desenvolvem a lavora de café até os dias atuais.<br />

A fazenda centenária “Morro Azul” era uma grande sesmaria, recebeu esse nome por abrigar o morro em<br />

suas terras. Foi propriedade <strong>do</strong> Manuel Rodrigues Jordão. Sua neta Ana Eufrosina casou-se com o Dr. Ezequiel<br />

de Paula Ramos, os <strong>do</strong>is eram abolicionistas, e com o desmembramento das terras, passou a se chamar “Fazenda<br />

Quilombo”, e trouxeram os escravos libertos da antiga fazenda “Morro Azul” para trabalhar na construção da<br />

propriedade que foi fundada em 1892 e na lavoura de café. Em 1870 Dr. Ezequiel de Paula Ramos foi sena<strong>do</strong>r<br />

e advoga<strong>do</strong> <strong>do</strong> Parti<strong>do</strong> Liberal Republicano. Atualmente, nosso cafezal conta com 17 mil pés de café que<br />

corresponde em torno de 800 sacas. Exportamos para a Europa e comercializamos internamente no merca<strong>do</strong><br />

brasileiro. A fazenda produz café desde 1846, mas a crise de 1929 interrompeu o cultivo, retoma<strong>do</strong> nos anos<br />

1970 e permanece até hoje com a produção de grãos 100% arábica. O café que comercializamos durante visitas<br />

turísticas, é o “bourbon amarelo” que teve origem nas Ilhas Bourbon, na França. Um café bastante gourmet e<br />

22<br />

Outras construções centenárias.<br />

Sala <strong>do</strong> casarão.


Visão interna <strong>do</strong> casarão.<br />

Café arábica tipo bourbon amarelo.<br />

pouquíssima acidez. Os grupos de turistas têm a oportunidade de fazer caminhada de 40 minutos até o “Alto<br />

<strong>do</strong> Morro Azul” para conhecer pessoalmente o nosso cafezal e a “Casa de Máquinas”, nosso principal prédio<br />

diferencial da “Fazenda Quilombo” uma construção arquitetônica inglesa. O café não é a única atração da<br />

Fazenda Quilombo, suas construções centenárias, restauradas e decoradas, contam ainda com amplo espaço e<br />

estrutura, para a realização de eventos corporativos ou festivos, para até 350 pessoas. Além das casas históricas<br />

contam ainda com acomodações e estrutura completa, para receber noivos e familiares no dia <strong>do</strong>s casamentos.<br />

Esses espaços também podem ser reserva<strong>do</strong>s por turistas que desejam pernoitar na antiga fazenda. Para<br />

finalizar, o turismo rural faz parte de nossas atividades desde 2013.<br />

Endereço: Ro<strong>do</strong>via João Mendes da Silva Junior, km 04 / Limeira (SP).<br />

Telefone: (19) 4103-9444 / Instagram: @fazendaquilombolimeira<br />

Endereço: Ro<strong>do</strong>via João Mendes da Silva Junior, km 04 / Limeira (SP).<br />

Telefone: (19) 4103-9444 / Instagram: @fazendaquilombolimeira<br />

Espaço da piscina<br />

Quarto <strong>do</strong> casarão.<br />

Hall de entrada <strong>do</strong> casarão.<br />

Espaço para eventos.


José Carlos entrevistan<strong>do</strong> Adriana Gomes de Moraes Veronezi.<br />

Luiz Otávio Veronezi e Adriana Gomes Moraes Veronezi (proprietários).<br />

RESTAURANTE COMIDA CAIPIRA - COLONINHA 1<br />

Nossa parada foi no Restaurante Comida Caipira - Coloninha 1, localiza<strong>do</strong><br />

no Alto da Serra <strong>do</strong> Sol, região <strong>do</strong> município de São Pedro, cerca de 190 km da<br />

capital paulista, e faz parte da Rota Gastronômica “Serra <strong>do</strong> Itaqueri”. O casal<br />

Luiz Otávio Veronezi e Adriana Gomes de Moraes Veronezi, já nos aguardava para<br />

participarmos <strong>do</strong> almoço. O restaurante só abre aos sába<strong>do</strong>s e <strong>do</strong>mingos, além <strong>do</strong><br />

almoço o turista pode comprar cachaças, licores, bolachinhas, fubá, entre outras<br />

delícias, produzidas no sítio da família. Após o delicioso almoço rega<strong>do</strong> com<br />

diversos tipos de sobremesas, aproveitamos para que Adriana Gomes de Moraes<br />

Veronezi, conta-se um pouco da história <strong>do</strong> restaurante.<br />

Nós éramos produtores, criávamos frango caipira, leitão e vaca; da lavoura vinham diversos tipos de<br />

hortaliças, das ordenhas o leite, <strong>do</strong>s frangos os ovos e colhíamos as espigas de milho para produzir bolo de<br />

Comida feita no fogão a lenha.<br />

Recepção e bar.<br />

24


Área de descanso.<br />

Espaço Kids.<br />

fubá, canjica e <strong>do</strong>ces, além de licores. Tínhamos uma banca na Feira <strong>do</strong> Produtor na cidade, porém, nem sempre<br />

conseguíamos vender tu<strong>do</strong>, pois, dependíamos <strong>do</strong> movimento da feira. Então, apareceu uma oportunidade<br />

para fazer um curso sobre turismo rural. Após o curso nasceu a ideia de abrir as portas <strong>do</strong> sítio para receber<br />

turistas. O potencial <strong>do</strong> turismo rural na região abriu para nós com um leque de novas possibilidades. Há<br />

cerca de alguns anos, resolvemos diminuir a quantidade de produtos que oferecíamos e focar no turismo.<br />

Atualmente o sítio continua com a horta que abastece o nosso restaurante, com capacidade para atender até<br />

200 pessoas na área coberta. Além <strong>do</strong> restaurante, disponibilizamos cavalos para passeios, uma arena onde<br />

são realizadas provas de tambores e um lago rodea<strong>do</strong> de árvores propício para descanso após o almoço. Nossa<br />

família trabalha unida, enquanto minhas filhas ajudam no atendimento, meu esposo comanda os espetos na<br />

churrasqueira, e eu toco a cozinha. A comida é típica da roça, e servida sobre um grande fogão a lenha, com<br />

carnes assadas, guisadas ou grelhadas, polenta, mandioca, verdura refogada, um verdadeiro banquete caipira,<br />

além de tomar aquela <strong>do</strong>se de cachaça da região que abre o apetite, e os diversos sucos verdes completa a<br />

refeição. O restaurante abre somente aos sába<strong>do</strong>s e <strong>do</strong>mingos, durante o decorrer da semana, cuidamos das<br />

hortas, <strong>do</strong>s animais, aves e reparos. Para aqueles que apreciam a verdadeira comida caipira, vale à pena visitar<br />

o sítio, e aproveitar o dia para vivenciar a paz <strong>do</strong> campo.<br />

Estrada Vicinal Ângelo Zaghetti, s/n.º, Alto da Serra, São Pedro, SP<br />

WhatsApp: (19)99754-4824 / Instagram: @sitiocoloninha1<br />

Fogão a lenha.<br />

Visão <strong>do</strong> restaurante Comida Caipira.


Bruna Christofoletti Mazzeo (sócia) e<br />

Domingos Mazzeo Junior (sócio).<br />

Caio Archanjo Rosa, sen<strong>do</strong> entrevista<strong>do</strong> por<br />

José Carlos.<br />

Diversos tipos de cervejas.<br />

MAZZEO CERVEJARIA<br />

Nossa visita à “Mazzeo Cervejaria”, distante 2 km <strong>do</strong> centro da cidade de Rio Claro,<br />

e faz parte da Rota Gastronômica Serra <strong>do</strong> Itaqueri. Ttivemos a oportunidade de<br />

conhecer a infraestrutura, a produção da cerveja artesanal e como funciona a logística<br />

para receberem visitantes e turistas. Na ocasião, conversamos com Caio Archanjo<br />

Rosa, um <strong>do</strong>s sócios, e nos deu informações importantes sobre o empreendimento.<br />

O envolvimento da família Mazzeo com o merca<strong>do</strong> cervejeiro começou no início da década de 1940,<br />

com o Domingos Mazzeo, que trabalhou como cervejeiro nas empresas Caracu, Mãe Preta e fábrica da<br />

Skol, em Rio Claro. A cervejaria continuou com o filho Domingos Mazzeo Júnior, que também trabalhou<br />

em multinacionais <strong>do</strong> setor e em cervejarias artesanais de diversos portes, adquirin<strong>do</strong> experiência de mais<br />

de 50 anos como cervejeiro A Mazzeo Cervejaria é uma empresa familiar criada em 2016, como cervejaria<br />

cigana, produzin<strong>do</strong> cervejas em outras empresas <strong>do</strong> ramo. A empresa continua sob o coman<strong>do</strong> das filhas<br />

e genros <strong>do</strong> cervejeiro Domingos Mazzeo Júnior. Em 2020, passamos a produzir em nossa própria fábrica.<br />

Em 2021, colocamos em funcionamento o “Brewpub”, harmonizan<strong>do</strong> pratos e aperitivos com cada tipo<br />

de cerveja da casa. As cervejas da Mazzeo são conhecidas pelos rótulos produzi<strong>do</strong>s pelo designer Caio<br />

Archanjo Rosa Junior, um <strong>do</strong>s sócios, que contam histórias relacionadas a cidade de Rio Claro. Em 2021,<br />

três cervejas Mazzeo se destacaram no campeonato “Brasil Beer Cup”, receben<strong>do</strong> medalhas de ouro para<br />

as cervejas: “Pedal Dunkel Weiss” e “Fumegada Rauchbier”; e medalha de bronze para “Vagão Oatmeal<br />

Stout”. Em nossa empresa nada se perde, o malte após usa<strong>do</strong> é aproveita<strong>do</strong> nos pães de nosso cardápio,<br />

o restante é leva<strong>do</strong> para sítios da região para alimentar o ga<strong>do</strong>. Outro detalhe importante, usamos<br />

energia solar e fazemos captação de água de chuva.<br />

Endereço: Av. 22, número 790 - Bairro: Vila Aparecida, Rio Claro (SP)<br />

Contato: Contato: (19) 99531-9403 / instagram e facebook: mazzeocervejaria<br />

Aberto: de segunda-feira a sába<strong>do</strong>, das 18:00h às 23:00h<br />

26<br />

Ivan Soares, José Carlos, Caio A. Rosa,<br />

Eduar<strong>do</strong> M. Morales, Domingos Mazzeo<br />

Junior e Bruna C. Mazzeo.<br />

Mesa com produtos para degustação.<br />

Visão da fábrica Mazzeo Cervejaria artesanal.


VIVA BROTAS ECOPARK<br />

Conhecemos “Viva Brotas Ecopark”,<br />

onde o turista fica em contato com<br />

a natureza. Localiza<strong>do</strong> na região <strong>do</strong><br />

município de Brotas (SP), distante da<br />

capital paulista 264,5 km. Faz parte da<br />

Rota Gastronômica Serra de Itaquiri.<br />

Quem nos recepcionou foi a empresária e<br />

proprietária Giovana Guedes Barbieri Vaz<br />

de Arruda. Conversamos com Giovana,<br />

que contou sobre o empreendimento, a<br />

gastronomia e os atrativos <strong>do</strong> Viva Brotas<br />

Ecopark.<br />

Giovana Guedes Barbieri Vaz de Arruda, sen<strong>do</strong> entrevistada por José<br />

Carlos.<br />

Em 2001, eu e meu irmão abrimos uma agência de<br />

rafting, venden<strong>do</strong> serviços de trilha para cachoeira<br />

com visita guiada, depois ganhou tirolesa. O espaço é<br />

volta<strong>do</strong> para o turista fazer passeios de aventura, como<br />

tirolesa, rapel e rafting. Há sete anos veio o restaurante,<br />

pousada e glamping (conceito de acampamento<br />

com comodidade), recente no Brasil. Com isso veio à<br />

necessidade <strong>do</strong> visitante passar o dia e ter uma estrutura<br />

de apoio. Foi a partir disso que criamos o restaurante,<br />

onde servimos to<strong>do</strong> o tipo de comida para to<strong>do</strong>s os<br />

gostos, desde massas, carnes, peixes, frango, costela<br />

suína, além de pratos veganos. Como sempre fui<br />

ligada à cozinha, quan<strong>do</strong> veio o restaurante fui fazer o<br />

curso de gastronomia para entender mais <strong>do</strong> negócio<br />

e passei a trabalhar dentro <strong>do</strong> conceito “Coma Local”,<br />

privilegian<strong>do</strong> os produtores familiares ao nosso re<strong>do</strong>r,<br />

depois o pequeno negócio e por último o fornece<strong>do</strong>r<br />

externo. Atualmente nosso empreendimento conta<br />

com oito cabanas rústicas na mata, destinadas a casais<br />

e <strong>do</strong>ze chalés convencionais, sen<strong>do</strong> <strong>do</strong>is com banheira<br />

spa mirante que acomodam três pessoas, que é externa.<br />

Os outros dez chalés acomodam até quatro pessoas,<br />

volta<strong>do</strong> para famílias ou grupos de amigos, com uma<br />

cama de casal e um beliche. Temos a responsabilidade<br />

com o meio ambiente, em volta <strong>do</strong>s chalés, bananeiras e<br />

plantas ajudam a permear e filtrar os detritos, a água é da<br />

nascente e tratada, a energia é solar. A hospedagem tem<br />

café da manhã, almoço e jantar. O restaurante atende de<br />

segunda a segunda-feira, das 09:00h às 17:00h, servin<strong>do</strong><br />

aos visitantes e hóspedes, um cardápio com muita carne<br />

de porco na brasa, farofa de milho moí<strong>do</strong> na pedra e<br />

culinária caipira. Também tem opções para veganos,<br />

como os chips de legumes, strogonoff de shiitake e uma<br />

sobremesa de tâmara com morango, que harmoniza<br />

muito bem com o café, depois <strong>do</strong> almoço. Também<br />

oferecemos day use.<br />

Serviço: Rua Mario Vila, n.º 525, Santa Cecília II - Brotas<br />

(SP)<br />

Contato: (14) 99104-4248 / Instagram: @vivabrotassp /<br />

reservas@vivabrotas.com.br<br />

Chalés<br />

Lago.<br />

Tenda Glamping.


Camilla Bonfato Borges, sen<strong>do</strong> entrevistada por José Carlos.<br />

Loja de artesanatos.<br />

RESTAURANTE DO LAGO<br />

Nossa passagem pelo Restaurante <strong>do</strong> Lago, localiza<strong>do</strong> no município de Águas de<br />

São Pedro (SP), distante 190 km da capital paulista, está na Rota Gastronômica Serra<br />

<strong>do</strong> Itaqueri. Dispõe de uma área de total de 6.120 m². Nosso grupo foi recepciona<strong>do</strong><br />

por Camilla Bonfato Borges, tecnóloga em gastronomia pelo SENAC, e chef executiva<br />

e diretora <strong>do</strong> Restaurante <strong>do</strong> Lago, que nos proporcionou um almoço com os melhores<br />

pratos da casa. Após o almoço, conversamos com Camilla Bonfato Borges, que contou<br />

um pouco da história <strong>do</strong> restaurante.<br />

Nós estamos neste local há 18 anos, é uma empresa familiar, onde trabalho com meu pai, minha mãe e meu<br />

irmão. Antes já funcionava como restaurante, porém ficaram 12 anos fecha<strong>do</strong> e quan<strong>do</strong> reabrimos as portas<br />

novamente, o pessoal voltou a pedir o famoso espeto de pinta<strong>do</strong> na brasa. Resolvemos voltar com esse prato,<br />

que ainda é o nosso carro chefe com 70% das nossas vendas. Tem gente que vem de São Paulo só para saborear<br />

o pinta<strong>do</strong> e voltar, reunião de familiares que vem e nem olham o cardápio e já pedem o espeto de pinta<strong>do</strong>. Mas,<br />

nós temos outros pratos como: salmão, pirarucu, lombo de bacalhau norueguês na brasa, picanha na pedra,<br />

parmegiana, leitoa a passarinho, massas, saladas entre outros. Além da comida, o restaurante possui um empório<br />

de artesanatos e outros atrativos como: lago, playground, redário e um altar à beira <strong>do</strong> lago onde são realiza<strong>do</strong>s<br />

casamentos, e a festa é feita dentro <strong>do</strong> restaurante. O restaurante comporta 250 pessoas.<br />

Endereço: Ro<strong>do</strong>via Geral<strong>do</strong> de Barros, km 190, s/n.º<br />

Aberto: terça a sexta, das 11:30h às 15:00h / sába<strong>do</strong> e <strong>do</strong>mingo, das 11:30h às 16:00h<br />

Contato: (19) 3181-1441/ Redes sociais: Instagram: @restaurante<strong>do</strong>lagoaguas /Facebook: restaurante<strong>do</strong>lago /<br />

www.restaurante<strong>do</strong>lago.com.br<br />

28<br />

Suco de maracujá e bolinhos de bacalhau.<br />

Entrada (<strong>do</strong>is tipos de salada - Imperial e <strong>do</strong> Lago)


Leitoa a passarinho.<br />

O Lago (Restaurante <strong>do</strong> Lago).<br />

Sorvete de baunilha com morango em pedaços, banana, creme de<br />

leite e leite condensa<strong>do</strong>.<br />

Suco de maracujá.<br />

Um <strong>do</strong>s espaços<br />

Salmão.<br />

Um <strong>do</strong>s espaços<br />

Visão da parte externa coberta.


Cadu sen<strong>do</strong> enrevista<strong>do</strong> por José Carlos.<br />

Visão <strong>do</strong> empreendimento.<br />

VILLA DONN’ANNA - POUSADA E RESTAURANTE<br />

A Villa Donn’Anna, está situada na estância climática de Analândia (SP), distante<br />

da capital paulista, 230 km. Faz parte da Rota Gastronômica Serra <strong>do</strong> Itaqueri.<br />

Conhecemos o empreendimento e aproveitamos para ouvir <strong>do</strong> proprietário Cadu, a<br />

respeito <strong>do</strong> funcionamento da pousada e restaurante.<br />

Nós estamos na Estância Climática de Analândia, uma cidade turística, com mais de 70<br />

cachoeiras, pinturas rupestres, paisagens e o Morro <strong>do</strong> Cuscuzeiro para quem gosta de escalada.<br />

A pousada existe em torno de 6 anos, o restaurante veio depois. Nós oferecemos 12 chalés com<br />

ar condiciona<strong>do</strong>, TV, frigobar e uma varanda com rede para descanso. Temos bar, piscina, salão de<br />

jogos, área para churrasco e restaurante, que é ponto de referência da cidade. Os clientes podem<br />

trazer os seus pets. Nossa logística para atendimento, consta com o café da manhã completo com<br />

56 itens, feitos no fogão a lenha, que está incluso na diária. To<strong>do</strong>s os sába<strong>do</strong>s, nós damos uma<br />

cortesia no almoço para os hóspedes, entre os valores das diárias.<br />

Endereço: Rua Três, n.º 891 - Centro / Analândia (SP)<br />

Contato: (19) 99958-2507 / Instagram: @villa_<strong>do</strong>nnanna / www.villa<strong>do</strong>nnanna.com.br<br />

Espaço para churrasco. Salão de jogos. Visão <strong>do</strong> bar.<br />

30


ENCERRAMENTO DA 6ª SEMANA SABOR DE SÃO PAULO<br />

Na sexta-feira (10/11), profissionais da gastronomia e <strong>do</strong> turismo participam de uma capacitação na sede <strong>do</strong><br />

SENAC - Águas de São Pedro, onde foram aborda<strong>do</strong>s temas, como empreende<strong>do</strong>rismo, cultura alimentar, normas<br />

de inspeção e capacitação de mão de obra <strong>do</strong> trade turístico. A tarde terminou com uma aula-show <strong>do</strong> padrinho<br />

da rota, o chef de cozinha e consultor Rodrigo Martins.<br />

Chef de cozinha e consultor, Rodrigo Martins, antes da aula-show.<br />

Marina Fernandes (cursan<strong>do</strong> gastronomia), Rodrigo Martins (chef de<br />

cozinha e consultor) e Pedro H. Alcântara (<strong>do</strong>cente de gastronomia).<br />

No sába<strong>do</strong> (11/11), ocorreu o fechamento <strong>do</strong> Festival Sabor de São Paulo, com entrada<br />

gratuita e recebeu o público com uma grande diversidade de comidas e bebidas típicas<br />

das regiões, além das apresentações musicais.<br />

Entre os participantes desta 6ª etapa, marcam<br />

presença: Jaracatiá Doce & Arte (São Pedro), Cervejaria<br />

Mazzeo, (Rio Claro), Fazenda Quilombo (Limeira),<br />

Adega Therense (Pirassununga), Apiário João <strong>do</strong><br />

Mel (Pirassununga), Engenho e Apiário Scherma<br />

(Pirassununga), Fábrica Di Pamonha (Charqueada), Sítio<br />

Nelson Guerreiro (Brotas), Restaurante <strong>do</strong> Lago (Águas<br />

de São Pedro) e o Sítio Coloninha 1 (São Pedro).<br />

Zuleika’s Doces (Sao Pedro).<br />

Seu Gin (São Pedro).<br />

Sítio Nelson Guerreiro (Brotas).<br />

Oficina <strong>do</strong> Churrasco (São Pedro).<br />

Mazzeo Cervejaria (Rio Claro).<br />

Jaracatiá Doces & Arte (São Pedro).


Fábrica Di Pamonha (Charqueada).<br />

Fazenda Quilombo (Limeira).<br />

Engenho e Apiário Scherma (Pirassununga).<br />

Escola de Gastronomia.<br />

Delícias <strong>do</strong> Milho & Cia (São Pedro).<br />

Casa da Madre Torrinha (Torrinha).<br />

Festival Sabor de São Paulo, com entrada gratuita e<br />

recebeu o público com uma grande diversidade de comidas<br />

e bebidas típicas das regiões, além das apresentações<br />

musicais.<br />

Adega Therense (Pirassununga).<br />

ENTREVISTA<br />

RICARDO CASTILHO<br />

DIRETOR EDITORIAL DA<br />

REVISTA PRAZERES DA MESA.<br />

Ricar<strong>do</strong> Castilho, sen<strong>do</strong> entrevista<strong>do</strong> por José Carlos<br />

Durante o encerramento da 6ª Semana Sabor de São Paulo, realiza<strong>do</strong> no SENAC -<br />

Águas de São Pedro, conversamos com o organiza<strong>do</strong>r <strong>do</strong> projeto “Prazeres da Mesa”<br />

e Rota Gastronômica, em parceria com o Governo <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong> de São Paulo, Ricar<strong>do</strong><br />

Castilho, que falou sobe o evento.<br />

O projeto Sabor de São Paulo é um sucesso, está<br />

completan<strong>do</strong> 10 anos. Surgiu de uma necessidade<br />

<strong>do</strong> Governo <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong> de São Paulo, através da<br />

Secretaria de Viagens e Turismo, de fazer com que<br />

houvesse um mapeamento das melhores rotas<br />

gastronômicas <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong>, mostran<strong>do</strong> os pequenos<br />

produtores, os restaurantes diferencia<strong>do</strong>s e produtos<br />

<strong>do</strong>s municípios. Procuraram-nos e nós acabamos<br />

32


desenhan<strong>do</strong> esse projeto com eles. Mudamos a vida<br />

de muitas pessoas, que começaram a mostrar os seus<br />

produtos e ganharam alguns destaques e tiveram<br />

uma projeção social, não só na melhora <strong>do</strong> turismo<br />

na região, mas também com a geração de empregos<br />

para os seus negócios próprios. É um projeto que<br />

engloba gastronomia, turismo, cultura e o la<strong>do</strong> social.<br />

Essa é nossa responsabilidade com o Governo, trazer<br />

chefs de cozinha de fora e fazer um intercâmbio com<br />

esses chefs e mostrar esses produtos cada vez maior.<br />

Para participar <strong>do</strong> projeto Rota Gastronômica, Fazemos<br />

uma busca nas cidades que indicam seus produtos,<br />

produtores e restaurantes. Depois, uma equipe vai<br />

fazer esse mapeamento nos lugares, e cada lugar é<br />

avalia<strong>do</strong> de cada maneira, desde o seu produto, <strong>do</strong><br />

aspecto cultural com a cidade e o receptivo dele.<br />

Isso é tabula<strong>do</strong>, e os melhores são convida<strong>do</strong>s para a<br />

etapa final. Não que os outros sejam esqueci<strong>do</strong>s, é um<br />

trabalho contínuo. Então, hoje tem 15, mas podemos<br />

trazer alguns da próxima vez. É um trabalho contínuo.<br />

Por exemplo, amanhã está sain<strong>do</strong> uma equipe para<br />

pesquisar outra rota viajan<strong>do</strong> a semana inteira fazen<strong>do</strong><br />

pesquisa para avaliação, e retorna com os relatórios<br />

para nosso departamento a serem avalia<strong>do</strong>s. Em janeiro<br />

essa rota que foi pesquisada tem uma etapa final como<br />

esta. Os produtores que não são regulariza<strong>do</strong>s, nós<br />

entramos em contato com a Secretaria responsável.<br />

Nós fizemos isso com o queijo paulista, ele não<br />

tinha o selo para ser vendi<strong>do</strong> em outros Esta<strong>do</strong>s, por<br />

exemplo, mesmo dentro <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong> ele tinha algumas<br />

restrições, nós fizemos uma menção junto a Secretaria<br />

de Agricultura para que fosse cria<strong>do</strong> um selo. Hoje<br />

temos o Selo Arte de São Paulo, que já tem alguns<br />

Esta<strong>do</strong>s brasileiros colocan<strong>do</strong>, e esse queijo hoje está<br />

regulamenta<strong>do</strong>, pode viajar não só pelo país, como<br />

pelos Esta<strong>do</strong>s, poden<strong>do</strong> ser comercializa<strong>do</strong> livremente.<br />

É o caso da “Cachaça Jaracatiá”, ele no começo não<br />

tinha, e nós fizemos algumas intervenções para que ele<br />

se adequasse, hoje é um sucesso. Nós também somos<br />

um facilita<strong>do</strong>r fazen<strong>do</strong> intervenção junto aos órgãos,<br />

para que esses produtos sejam regulamenta<strong>do</strong>s. Para<br />

finalizar, será um prazer contar com apoio de vocês<br />

e to<strong>do</strong> projeto é bem-vin<strong>do</strong>. Vocês que visitaram<br />

com a gente, puderam ver de perto o trabalho que é<br />

fantástico.<br />

ENTREVISTA<br />

LUCIANA MASTROROSA<br />

José Carlos entrevistan<strong>do</strong> Luciana Mastrorosa.<br />

Não poderíamos deixar de enaltecer a nossa amiga e parceira Luciana Mastrorosa,<br />

colabora<strong>do</strong>ra da Revista Prazeres da Mesa, que faz parte da plataforma “Mun<strong>do</strong><br />

Mesa”, e acompanhou os profissionais (jornalistas, influencers e Agência de Viagem)<br />

durante a 6ª Edição Sabor de São Paulo. Aproveitamos a oportunidade para uma<br />

entrevista.<br />

Obrigada pelo convite de poder me apresentar<br />

e falar. Nós já tivemos a oportunidade de estarmos<br />

juntos participan<strong>do</strong> em duas das rotas gastronômicas.<br />

Estou desde a primeira rota que foi a de Campinas (SP),<br />

e já estamos na 6ª rota. É uma honra muito grande,<br />

sou jornalista especializada em gastronomia. Então!<br />

Fazer essas rotas, para minha pessoa, representa um<br />

mergulho na cultura, não apenas no turismo, mas na<br />

cultura gastronômica limitada das regiões. Em todas as<br />

rotas fui surpreendida com ingredientes que a gente<br />

não conhece, mas o interior e o litoral estão pertinho,<br />

ao alcance de to<strong>do</strong>s. O trabalho dessas famílias<br />

tradicionais, que tratam da cultura alimentar e da<br />

gastronomia local, transforman<strong>do</strong> matéria-prima em<br />

tantos produtos, como a cerveja artesanal, cachaça,<br />

vinho, queijo, entre outros. As rotas gastronômicas<br />

são a grande oportunidade de poder passear, apreciar<br />

e degustar produtos diferencia<strong>do</strong>s.


ENTREVISTA<br />

NATHÁLIA GOMBRADE<br />

Nathália Gombrade (Anexo Comunicação).<br />

Outra pessoa que temos que agradecer é Nathália Gombrade, responsável em<br />

acompanhar os profissionais da imprensa, forma<strong>do</strong>res de opinião, durante o Press<br />

Trip, da 6ª Edição Sabor de São Paulo, Rotas Gastronômicas Encantos da Anhanguera<br />

Central e Serra <strong>do</strong> Itaqueri.<br />

Agradeço a oportunidade de poder falar um<br />

pouco desse trabalho. É um processo que a Nexo<br />

Comunicação está participan<strong>do</strong> com o Mun<strong>do</strong> Mesa e<br />

Governo <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong> de São Paulo Turismo e Viagens. A<br />

empresa, “Anexo Comunicação” embarcou nessa para<br />

assessorar toda a equipe de jornalistas, influencia<strong>do</strong>res<br />

digitais e agentes de viagens, que embarcam nessa<br />

viagem e rodam durante uma semana visitan<strong>do</strong> 15<br />

produtores e 10 municípios <strong>do</strong> interior de São Paulo.<br />

Então! A gente vem para agregar e ajudar no que<br />

precisam, para acontecer da melhor forma. Quem<br />

desejar conhecer os trabalhos da empresa “Anexo<br />

Comunicação” é só entrar no site: anexocom.com.br<br />

ou no Instagram: @anexo_comunicacao / (11) 97028-<br />

2161.<br />

DEIXE A MARCA DE SUA EMPRESA FAZER PARTE DA<br />

REVISTA EMPRESAS DO VALE<br />

34


VI ECO VALE – TAUBATÉ<br />

ENCONTRO AMBIENTAL DO VALE DO PARAÍBA<br />

Por: José Carlos Reis de Souza<br />

Mesa representativa da VI edição <strong>do</strong> Eco <strong>Vale</strong><br />

- Taubaté 2023.<br />

Nos dias 25 e 26/10/2023, aconteceu nas<br />

dependências <strong>do</strong> Tangaroa Hall – Buffet & Eventos, o<br />

VI Eco <strong>Vale</strong> – Encontro Ambiental <strong>do</strong> <strong>Vale</strong> <strong>do</strong> Paraíba.<br />

Evento sem fins lucrativos, idealiza<strong>do</strong> e organiza<strong>do</strong><br />

pela Federação Nacional <strong>do</strong>s Engenheiros (FNE) e pelo<br />

Sindicato <strong>do</strong>s Engenheiros no Esta<strong>do</strong> de São Paulo<br />

(SEESP), com apoio da Universidade de Taubaté (UNITAU).<br />

O evento tem a finalidade, de movimentar interessa<strong>do</strong>s,<br />

estudantes e profissionais da área de engenharia. A Eco<br />

<strong>Vale</strong> atua na busca de soluções para a preservação <strong>do</strong><br />

meio ambiente e a superação das desigualdades sociais<br />

no país. Influencian<strong>do</strong> as políticas públicas por meio<br />

de parcerias, compartilhamento de ideias e iniciativas<br />

com outras organizações. O evento teve como tema, a<br />

importância da reciclagem de resíduos urbanos, energia<br />

solar, gás natural e Amazônia. A solenidade de abertura<br />

contou com a presença <strong>do</strong> eng.º Murilo Celso de Campos<br />

Capitão Fernan<strong>do</strong> César de Carvalho (3º<br />

BPAmb-4ª Cia-1º Pelotão da Polícia Militar<br />

Ambiental).<br />

Elisa de Oliveira Coelho Manoel (verea<strong>do</strong>ra).<br />

Pinheiro (presidente <strong>do</strong> Sindicato <strong>do</strong>s Engenheiros <strong>do</strong><br />

Esta<strong>do</strong> de São Paulo), eng.º Carlos Alberto G. Garcez<br />

(vice-presidente <strong>do</strong> Sindicato <strong>do</strong>s Engenheiros <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong><br />

de São Paulo), eng.º Breno Botelho Ferraz <strong>do</strong> Amaral<br />

(presidente da Delegacia Sindical Taubaté), Magali<br />

Neves Rodrigues (secretária de Meio Ambiente e Bemestar<br />

Animal de Taubaté), Sergio Ricar<strong>do</strong> Gonçalves<br />

(verea<strong>do</strong>r), Elisa de Oliveira Coelho Manoel (verea<strong>do</strong>ra),<br />

Capitão Fernan<strong>do</strong> César de Carvalho (3º BPAmb 4ª Cia<br />

1º Pelotão da Polícia Militar Ambiental), Eng.º Clovis Savio<br />

Simões de Paula (diretor técnico <strong>do</strong> CREA-SP), Prof.ª Dra.<br />

Monica Franchi Carniello (Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-<br />

Graduação) e Lígia Zanca Gouvêa(secretária de Meio<br />

Ambiente de Caçapava). Durante o evento, alunos da<br />

E.E. Profª Amalia Garcia Ribeiro Patto (Tremembé - SP)<br />

participaram da palestra com o empresário, José Carlos,<br />

com o tema Bumerangue Jack.<br />

Eng.º Breno Botelho Ferraz <strong>do</strong> Amaral<br />

(presidente da Delegacia Sindical Taubaté).<br />

Eng.º Carlos Alberto G. Garcez (vicepresidente<br />

<strong>do</strong> SEESP).<br />

Eng.º Clovis Savio Simões de Paula (diretor<br />

técnico <strong>do</strong> CREA-SP).<br />

Eng.º Murilo Celso de Campos Pinheiro<br />

(presidente <strong>do</strong> SEESP).<br />

Lígia Zanca Gouvêa(secretária de Meio<br />

Ambiente de Caçapava).<br />

Magali Neves Rodrigues (secretária de Meio<br />

Ambiente e Bem-estar Animal de Taubaté).<br />

Prof.ª Drª Monica Franchi Carniello (Pró-<br />

Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação).<br />

Sergio Ricar<strong>do</strong> Gonçalves (verea<strong>do</strong>r).<br />

Público presente.


Durante os <strong>do</strong>is dias <strong>do</strong> evento foram apresentadas diversas palestras com temas<br />

volta<strong>do</strong>s a reciclagem de resíduos urbanos, gás natural, Rios Voa<strong>do</strong>res, licenciamento<br />

ambiental, recursos hídricos, energia e meio ambiente, serviços ecossistêmicos deriva<strong>do</strong>s<br />

da geodiversidade na bacia <strong>do</strong> rio Paraíba <strong>do</strong> Sul-SP, entre outras.<br />

Dra. Paula G. Souza Palmeira (OAB - Taubaté).<br />

Apresentou o tema: Amazônia e os Rios<br />

Voa<strong>do</strong>res.<br />

Eng.ª Maria Eduarda (Secretaria de<br />

Meio Ambiente de Pindamonhangaba).<br />

Apresentou o tema: Programa Conserva<strong>do</strong>r<br />

da Natureza – PSA e adequação de<br />

propriedades rurais.<br />

Eng.ª Melissa Vieira Bertolo (Companhia de<br />

Gás de São Paulo (CONGAS). Apresentou o<br />

tema: O gás natural e os desafios na transição<br />

energética.<br />

Eng.ª Vanessa Villalta Lima Roman (Pro<br />

Ecologic Reciclagem e Logística S.A.)<br />

Apresentou o tema: A importância da<br />

reciclagem de resíduos urbanos<br />

Eng.º Bruno Neves Spanghero (Companhia<br />

Siderúrgica Nacional - CSN). Apresentou o<br />

tema: O processo de siderurgia e a unidade a<br />

ser instalada em Taubaté.<br />

Eng.º Giulio N. Taddeucci (Companhia<br />

Siderúrgica Nacional - CSN). • Apresentou o<br />

tema: O processo de siderurgia e a unidade a<br />

ser instalada em Taubaté.<br />

Eng.º Heliton Junior Lima (Orizon Valorização<br />

de Resíduos). Apresentou o tema: A<br />

valorização de resíduos.<br />

Eng.º Orlan<strong>do</strong> Honorato da Silva (CETESB -<br />

Agência Ambiental). Apresentou o tema: O<br />

licenciamento ambiental e a prevenção à<br />

população.<br />

Eng.º Paulo Fortes Neto (UNITAU).<br />

Apresentou o tema: O desempenho das<br />

cidades <strong>do</strong> <strong>Vale</strong> <strong>do</strong> Paraíba para atingir<br />

os objetivos <strong>do</strong>s desenvolvimentos<br />

sustentáveis (ODS).<br />

Nicola I. Martorano Filho (filósofo e<br />

pesquisa<strong>do</strong>r). Apresentou o tema:<br />

Sustentabilidade ambiental – Uso racional<br />

da água.<br />

Fabiana Luz (presidente da Cooperativa<br />

de Reciclagem Amigos <strong>do</strong> Santa Tereza).<br />

Apresentou o tema: A importância da<br />

reciclagem de resíduos urbanos.<br />

Luciana Maria Ferrer (Geóloga e presidente<br />

da Associação Paulista de Geólogos).<br />

Apresentou o tema: Serviços Ecossistêmicos<br />

deriva<strong>do</strong>s da geodiversidade na bacia <strong>do</strong> rio<br />

Paraíba <strong>do</strong> Sul-SP.<br />

36


Ricar<strong>do</strong> Bueno (Você Recicla). Apresentou<br />

o tema: A importância da reciclagem de<br />

resíduos urbanos.<br />

Walmir Medeiros (SABESP). Apresentou o<br />

tema: O valor da água – recursos hídricos,<br />

energia e meio ambiente.<br />

EMPRESAS PATROCINADORAS E APOIADORAS<br />

Magali Neves Rodrigues (secretária de Meio<br />

Ambiente e Bem-estar Animal de Taubaté).<br />

Apresentou o tema: Formas sustentáveis de<br />

compensação da taxa de permeabilidade de<br />

construções.<br />

Cabo Rafael Oliveira Pra<strong>do</strong> e 1ª Sgtº Fernan<strong>do</strong><br />

Henriques Santucci (Estande da Polícia<br />

Ambiental).<br />

Estande Você Recicla.<br />

Fabiana Luz (Cooperativa Amigos <strong>do</strong> Santa<br />

Tereza.<br />

Nelson Ãngelo de Lima, Rodrigo Saad e Luiz<br />

Raimun<strong>do</strong> de Oliveira (Resix).<br />

Yasmim Sarraf (Eco Alternativa).<br />

Robson Gaia (Abelha Nativa).<br />

Nicholas moreno, Melissa Bertollo e Matheus<br />

Henrique Silva Santos (CONGAS).<br />

Estande da UNITAU.<br />

Ecoparque Tremembé.<br />

Santa Luzia - Proecologic.<br />

Secretaria de Meio Ambiente e Bem-estar<br />

Animal de Taubaté.<br />

Thais Rabelo (CIESP - Taubaté).


V FÓRUM DE TURISMO ME-<br />

TROPOLITANO DE CURITIBA<br />

DESTINO TURÍSTICO INTELI-<br />

GENTE - DTI<br />

Bruno Omori, ao fun<strong>do</strong> público presente.<br />

Aconteceu no dia 31/10/2023, no espaço cultural “Capela Santa Maria” o V Fórum de Turismo Metropolitano, em<br />

Curitiba, organiza<strong>do</strong> pela ADETUR - Rotas <strong>do</strong> Pinhão, e presidida pelo seu presidente Eros Constantino Tozetto, em<br />

parceria com a Prefeitura e Instituto de Turismo de Curitiba e apoio da Secretaria de Turismo <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong> <strong>do</strong> Paraná.<br />

O evento contou com a presença de 215 autoridades públicas e privadas. O tema principal aborda<strong>do</strong>, Destinos<br />

Turísticos Inteligentes (DTI), com palestras e painéis, com ações simultâneas públicas e privadas, sobre esta temática<br />

na Capital e Região Metropolitana, abordan<strong>do</strong> questões estratégicas de integração da hotelaria, restaurantes,<br />

agências de viagens, MICE, com a tecnologia, sustentabilidade, políticas públicas, captação de investimentos e as<br />

oportunidades com a aprovação da lei de jogos e cassinos. A palestra de abertura ficou por conta <strong>do</strong> presidente <strong>do</strong><br />

IDT-CEMA Bruno Omori, que fez a introdução <strong>do</strong> significa<strong>do</strong>, desenvolvimento e cases de sucessos internacionais<br />

de “Destinos Turísticos Inteligentes”, cujo conceito fora definida pela “Sociedad Mercantil Estatal para la Gestión<br />

de la Innovación y las Tecnologías Turísticas, S.A.M.P (SEGITTUR) da Espanha”, em 2013, como “um espaço turístico<br />

inova<strong>do</strong>r, acessível a to<strong>do</strong>s, consolida<strong>do</strong> sobre uma infraestrutura tecnológica de vanguarda que garante o<br />

desenvolvimento sustentável <strong>do</strong> território, que facilita a interação e integração <strong>do</strong> visitante com o entorno e<br />

incrementa a qualidade da sua experiência no destino e a qualidade de vida <strong>do</strong>s residentes”.<br />

Bruno Omori trouxe a luz, a demanda constante de criar uma sinergia entre o trade turístico, governo e população<br />

com planejamento estratégico integra<strong>do</strong> e ações focadas em resulta<strong>do</strong>s sustentáveis (econômico-sociais e meio<br />

ambientes). Apresentou projeções <strong>do</strong> crescimento das Exportações e PIB <strong>do</strong> turismo mundial. Fechou a apresentação<br />

com as oportunidades para o Esta<strong>do</strong> <strong>do</strong> Paraná com a aprovação <strong>do</strong>s Jogos e Cassinos no Brasil, especialmente<br />

para desenvolver o DTI em todas as regiões turísticas, com 1 Cassino Integra<strong>do</strong> Resort, 2 Cassinos Turísticos e os<br />

Bingos, potencializan<strong>do</strong> os destinos, trazen<strong>do</strong> investimentos nacionais e internacionais, crian<strong>do</strong> novas demandas.<br />

Foram realizadas visitas técnicas <strong>do</strong> IDT-CEMA com a ADETUR - Rotas <strong>do</strong> Pinhão, á pontos estratégicos <strong>do</strong> turismo<br />

da região metropolitana de Curitiba, especialmente ao Parque Ecológico Campo Mago, com projeto estratégico de<br />

transformação em Parque Temático, Resort Hoteleiro, Centro de Convenções, Espaço de Shows e com a aprovação<br />

da legislação de Jogos com potencial de implantação de uma modalidade física. Foram realizadas audiências e<br />

reuniões entre o presidente <strong>do</strong> IDT-CEMA, Bruno Omori, presidente da ADETUR Rotas <strong>do</strong> Pinhão, Eros Constantino<br />

Tozetto, secretário de Turismo <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong> <strong>do</strong> Paraná, Deputa<strong>do</strong> Marcio Nunes, Marcio Assad (empresário da área<br />

gastronômica e hoteleira) e Simone Nunes, com diretores da SETUR-PR Fabio Skraba, Deise Bezerra, Geral<strong>do</strong> Cruz e<br />

Ronnie Onofre. Na pauta, o desenvolvimento <strong>do</strong> turismo regional, destinos turísticos inteligentes, investimento em<br />

projetos turísticos e oportunidades para o Esta<strong>do</strong> <strong>do</strong> Paraná, com a aprovação <strong>do</strong>s jogos e cassinos. O Secretário<br />

Marcio Nunes destacou os investimentos em promoção e estruturação <strong>do</strong> turismo <strong>do</strong> Paraná, e destacou que além<br />

de Foz <strong>do</strong> Iguaçu, principal destino turístico, especialmente Curitiba tem grande potencial econômico e estratégico<br />

para ser instala<strong>do</strong> um Cassino Integra<strong>do</strong> Resort ou Cassino Turístico, crian<strong>do</strong> sinergias entre as políticas públicas,<br />

empresários e investi<strong>do</strong>res <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong>, Brasil e Internacional. A agenda se completou com uma audiência entre o<br />

IDT-CEMA, ADETUR Rotas <strong>do</strong> Pinhão e a Presidente Tatiana Turra <strong>do</strong> Instituto de Turismo de Curitiba (secretaria<br />

municipal de turismo), na pauta foram discutidas o crescimento da ocupação e revpar da hotelaria inclusive aos<br />

finais de semana, das ações estratégicas para ser a cidade referência de DTI no Brasil, e <strong>do</strong> potencial de instalação<br />

de uma modalidade de Cassino em Curitiba, assim como o <strong>do</strong>s Bingos, fortalecen<strong>do</strong> o potencial turístico da cidade<br />

e região metropolitana, destacou a presidente Tatiana.<br />

38<br />

Patricia Turra (presidente <strong>do</strong> Instituto de<br />

Turismo de Curitiba).<br />

Audiência entre IDT-CEMA, ADETUR e SETUR-<br />

PR.<br />

Diretoria da ADETUR Rotas <strong>do</strong> Pinhão.


CENTRAL ANALÍTICA - TAUBATÉ<br />

Rua Dr. Urbano Figueira, 100<br />

Centro<br />

UNIDADE - TAUBATÉ<br />

Av. Independência, 650<br />

Independência<br />

UNIDADE - CAÇAPAVA<br />

Av. Coronel Manoel Inocêncio, 577<br />

Centro<br />

UNIDADE- GUARATINGUETÁ<br />

R: Visconde de Guaratinguetá, 227<br />

Centro<br />

UNIDADE BURITI SHOPPING<br />

Av. Juscelino Kubitschek de<br />

Oliveira, 351 - Centro<br />

UNIDADE- CAMPOS DO JORDÃO<br />

Av. Dr Januário Miraglia, 1536<br />

Salas 4 e 5 -Vila Abernésia<br />

(Centro Comercial AMC)<br />

UNIDADE - SÃO PAULO<br />

Rua Santo Alexandre, 236<br />

Vila Guilhermina<br />

UNIDADE VILA MARIA<br />

Av. Morvan Dias Figueire<strong>do</strong>,<br />

3177, Vila Maria (Galeria Carrefour)<br />

UNIDADE ARICANDUVA<br />

Av. Rio das Pedras, 555<br />

Aricanduva (Galeria Carrefour)<br />

UNIDADE - JACAREÍ<br />

Rua João Américo da Silva, 325<br />

Centro<br />

UNIDADE JACAREÍ SHOPPING<br />

Rua Olímpio Catão 500 - Luc 36<br />

UNIDADE - PINDAMINHANGABA<br />

Rua Dr. Frederico Macha<strong>do</strong>, 109-<br />

Centro<br />

UNIDADE SHOPPING PÁTIO PINDA<br />

R: Alcides Ramos Nogueira, 650 -<br />

Loja 63 Mombaça<br />

UNIDADE - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS<br />

CDA - Centro de Diagnóstico<br />

Andrade<br />

Av. Dep. Benedito Matarazzo, 5701<br />

Parque Residencial Aquarius<br />

(Galeria Carrefour)<br />

UNIDADE JARDIM ESPLANADA<br />

Av. São João, 1644<br />

Jardim Esplanada<br />

UNIDADE SHOPPING ORIENTE<br />

Rua An<strong>do</strong>rra, 500<br />

Loja 110 e 112<br />

Jardim Paraíso<br />

UNIDADE - CARAGUATATUBA<br />

Av. Anchieta, 196<br />

Centro (salas: 12, 13 e 14) Centro<br />

UNIDADE SERRAMAR SHOPPING<br />

Av. José Herculano, 1086<br />

Santa Marina<br />

Preza<strong>do</strong> Cliente<br />

Exclusivamente na cidade de São<br />

José <strong>do</strong>s Campos nossas unidades<br />

de atendimento são identificadas<br />

pelo nome fantasia “CDA – CENTRO<br />

DIAGNÓSTICO ANDRADE”.<br />

SAC: (12) 2123 - 9200<br />

www.oswal<strong>do</strong>cruz.com.br<br />

laboswal<strong>do</strong>cruz<br />

laboswal<strong>do</strong>cruz

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!