15.08.2020 Views

ed 38

Create successful ePaper yourself

Turn your PDF publications into a flip-book with our unique Google optimized e-Paper software.

nº <strong>38</strong> - Fevereiro/ Março- 2011 - ano 07<br />

www.revistaempresasdovale.com


Índice<br />

Outras matérias:<br />

Mr. Britt - pág. 6<br />

Saúde Regional - pág. 12<br />

San Michel Hotel Convention & SPA -<br />

pág . 4<br />

Rotary Club- pág. 18<br />

Univinho- pág. <strong>38</strong><br />

Cachaçaria Mato Dentro- pág. 10<br />

Social Vale - pág. 41<br />

CIESP Taubaté- pág. 42<br />

Unim<strong>ed</strong> - pag. 44<br />

Miss Comerciária Paulista pág. 52<br />

Arraial do Cabo- pág. 28<br />

Exp<strong>ed</strong>iente<br />

Diretor responsável:<br />

José Carlos Reis de Souza<br />

Departamento Jurídico:<br />

Dra. Célia Teresa Mörth<br />

Dra. Rossana Oliveira A. Soares<br />

Impressão Gráfica:<br />

WT Indústria Gráfica Ltda.<br />

Jornalista Responsável:<br />

Jefferson Mello - MTB/SP 32582<br />

Editoração:<br />

Letícia Casoni Peres<br />

Tiragem: 5.000 exemplares<br />

Distribuição gratuita e dirigida<br />

Publicação Bimestral<br />

Contato<br />

Revista Empresas do Vale<br />

Rua Duque de Caxias, 102<br />

Sala 1 - Centro - Taubaté - SP<br />

CEP 12.020-050<br />

r<strong>ed</strong>acao@revistaempresasdovale.com<br />

comercial@revistaempresasdovale.com<br />

www.revistaempresasdovale.com<br />

Dpto. Comercial<br />

(12) 9787-6329<br />

Editorial<br />

José Carlos Reis de Souza<br />

Diretor Responsável<br />

Começamos o ano de 2011<br />

<strong>ed</strong>itando duas matérias especiais:<br />

“Arraial do Cabo – RJ.”, uma das cidades<br />

da Região dos Lagos. Foram três<br />

dias de trabalho jornalístico na qual<br />

entrevistamos: o Secretário de Turismo<br />

Marco Antônio Barreto Simas, a guia<br />

de turismo Eliane, o pescador mais<br />

antigo “Totonho”, o empresário Paulo<br />

Ribeiro, proprietário de três pousadas<br />

e, visitas a diversos lugares turísticos<br />

como: o Museu Oceanográfico, a<br />

Casa da Poesia, Gruta Nossa Senhora<br />

dos Remédios, Fenda Nossa Senhora<br />

dos Remédios, Lagoa de Araruama e<br />

outros.<br />

Outra matéria maravilhosa foi a<br />

nossa visita a Destilaria Mato Dentro,<br />

de propri<strong>ed</strong>ade do empresário<br />

Manoel Romolo Cembranelli. Local<br />

aonde é produzida uma das melhores<br />

cachaças do Brasil tipo exportação<br />

(Mato Dentro New Beat). Além<br />

destas matérias excelentes, você<br />

leitor vai curtir outras matérias de teor<br />

importantíssimo.<br />

Apoio:<br />

As fotos de divulgação foram c<strong>ed</strong>idas pelas<br />

empresas e/ou pessoas mencionadas nos textos.<br />

Não é permitida a reprodução sem autorização<br />

expressa dos autores, por escrito. Os textos,<br />

informações e anúncios publicitários são de inteira<br />

e exclusiva responsabilidade dos autores e empresas<br />

anunciantes.


San Michel Hotel Convention & SPA<br />

Excelência em serviços de hotelaria, com toda<br />

elegância e hospitalidade que você merece. O San<br />

Michel Hotel, Convention & Spa oferece o que há<br />

de melhor em hotelaria, gastronomia e eventos em<br />

toda a região. Com grande know-how e experiência,<br />

o hotel reúne tradição e inovação em serviços<br />

impecáveis.<br />

São profissionais altamente capacitados e uma<br />

estrutura completa para proporcionar o melhor em<br />

hotelaria, gastronomia e recepção de eventos.<br />

SPA<br />

Em um ambiente aconchegante, o SPA San Michel<br />

proporciona o mais agradável e profissional da<br />

região. Com salas preparadas oferecemos: piscinas, fitness,<br />

ofurô e sauna. Sessões de massagens e dia da<br />

noiva com tratamento estético e relaxante.<br />

SKY Deck<br />

O melhor e mais completo dinning music da região,<br />

reúne gente bonita e de alto padrão, num mix de<br />

american bar e restaurante. O espaço requintado traz a<br />

proposta de unir descontrações e um ótimo cardápio<br />

de culinária contemporânea. Um lugar de reuniões e<br />

negócios ou para simplesmente conhecer gente bonita<br />

e sair para dançar.<br />

4


O San Michel possui:<br />

- 90 apartamentos;<br />

- 8 suítes-masters;<br />

- 1 suíte adaptada para portadores de<br />

necessidades especiais;<br />

- Frigobar;<br />

- Ar condicionado;<br />

- TV a Cabo;<br />

- Internet ( ponto de conexão Wi-Fi);<br />

- Camas Springs Box: normais e king<br />

size;<br />

- Ducha com aquecimento central;<br />

- Telefone com discagem direta;<br />

- Som ambiente;<br />

- Apartamento para fumantes e não fumantes;<br />

- Apartamentos com carpete ou piso frio;<br />

- Estacionamento com segurança e manobrista<br />

24h;<br />

- Serviço de lavanderia;<br />

- Sala de leitura, sala de jogos e sala de<br />

tv;<br />

- Sky Deck Dinning Music;<br />

- Restaurante;<br />

- SPA;<br />

- Espaço Fitness;<br />

- Ofurô, sauna e massagem.<br />

Eventos<br />

Faça de seu evento um sucesso no San<br />

Michel Hotel, Convention & Spa.<br />

O atendimento de altíssimo padrão, a<br />

hospitalidade e o ambiente ideal do San Michel<br />

Hotel, Convetion & Spa proporcionarão<br />

ao seu evento um toque de glamour e requinte,<br />

além de toda a tecnologia em equipamentos<br />

para garantir o suporte que você<br />

e sua empresa precisam, principalmente nas<br />

ocasiões especiais.realizamos festas de casamento,<br />

aniversários, eventos corporativos,<br />

confraternizações, almoços e jantares, entre<br />

outros. Entre em contato conosco: fone- 12-<br />

2125-5944 e e-mail- reservas@sanmichel.<br />

com.br e site- www.sanmichel.com.br.<br />

Salões totalmente equipados para até<br />

300 pessoa<br />

- Flip-charts<br />

- TV<br />

- Microfones com e sem fio<br />

- Buffet - Data show<br />

- Telão<br />

- DVD<br />

- Computador<br />

- Conexão banda larga<br />

- Videokê<br />

- Videoconferência<br />

- Sonorização


O PODER DA MENTE<br />

Andrew William Shepherd<br />

(12) 3400-1137<br />

contato@andrewshepherd.com.br<br />

www.andrewshepherd.com.br<br />

Após anos de dificuldade, sobrevivendo apenas com minha<br />

empresa, uma escola de idiomas, a Mr. Brit Idiomas, eu descobri o<br />

segr<strong>ed</strong>o do sucesso. Fiz tudo o que foi possível: trabalhei 14 horas<br />

por dia, tinha somente 15 minutos para almoçar, passei muitos<br />

finais de semana ajudando construtores a reformar minha escola,<br />

muitas noites sem dormir (só 3 horas de sono) pensando nos problemas<br />

que tinha para resolver, novas estratégias para melhorar<br />

a escola e idéias desesperadoras! Cheguei à conclusão de que<br />

tinha feito tudo o que era possível, então devia haver algo radical<br />

que eu tinha que fazer para atingir o sucesso que eu tanto queria.<br />

Um incentivo extra foi a venda da minha casa na Inglaterra que,<br />

juntamente com todas as minhas economias, somaram quase R$<br />

300.000,00 que foram investidos na escola.<br />

Então comecei a estudar a mente e pesquisar palestrantes<br />

motivacionais. Meus estudos me levaram a estudar pessoas como<br />

Jack Canfield, Bob Procter, Wallace D. Wattles e o grande Anthony<br />

Robbins, com quem eu particularmente me identifico. Eu não<br />

tenho tempo para ler livros, mas encontrei um jeito de estudar:<br />

eu faço o download dos materiais pela Internet: livros-áudio, entrevistas<br />

e workshops em formato mp3 para o meu notebook.<br />

Quando estou me arrumando, tomando café, lavando louça, cozinhando<br />

ou me alimentando, eu escuto esses materiais e aprendo.<br />

É impressionante o tempo que você ganha se fizer isso. Acr<strong>ed</strong>ito<br />

que eu consigo estudar no mínimo 2 horas por dia.<br />

Aprendi que toda a existência é criada por três coisas: a mente,<br />

o que o que pensamos; as palavras, que pronunciamos a todo<br />

momento; e nossa postura física, como sentamos, ficamos em<br />

pé, e assim por diante. Isso parece inacr<strong>ed</strong>itável, mas eu garanto<br />

que é verdade. Ouvimos várias histórias sobre o poder da mente.<br />

Mas quantos fazem uso de todo esse potencial? Eu respondo: as<br />

pessoas de sucesso! Existe uma ligação direta com o que você<br />

cria, imagina e acr<strong>ed</strong>ita com a sua mente e, se isso for feito com<br />

convicção e determinação, o que nós desejamos nos será dado.<br />

Todas as palavras que falamos têm um efeito profundo em nossa<br />

existência. A postura também. Se você se curvar e apoiar sua cabeça<br />

nas mãos você não se sentirá da mesma maneira como se<br />

sentasse ereto. Experimente e perceba a diferença! Você se sentirá<br />

melhor, mais feliz e verá o sucesso e os resultados que você almeja.<br />

Assim, logo você começará a viver a vida que tanto deseja.<br />

A cada número desta revista, pretendo ensinar algumas técnicas<br />

simples que irão transformar a sua vida. Algumas podem<br />

até parecer bobas no início, mas eu garanto que elas funcionam,<br />

pois sou uma prova viva disso. Tudo o que eu ensino é resultado<br />

dos meus estudos de Tony Robbins entre outros. Vou passar um<br />

exercício simples agora. Você quer curar a depressão? Aqui vai<br />

uma técnica cientificamente comprovada! Um estudo de um famoso<br />

hospital americano foi feito com um grupo de depressivos.<br />

Vá para um lugar privado. Coloque sua cabeça para trás, olhando<br />

para o alto, e sorria por 5 a 15 minutos. Se você fizer isso todos<br />

os dias, por uma semana, você se livrará da depressão. Loucura?<br />

Talvez. Faça isso e me escreva contando o que aconteceu. Aqui<br />

vai outro exercício: diga para você mesmo, em voz alta, enquanto<br />

estiver caminhando ou sozinho no seu carro: ‘’EU AMO MINHA<br />

VIDA’’. Mas diga com vontade! Se fizer isso por pelo menos 5 minutos<br />

você sentirá um efeito positivo im<strong>ed</strong>iato em sua vida. Faça<br />

todos os dias e perceba a diferença.<br />

Na próxima <strong>ed</strong>ição falarei mais sobre afirmações e também<br />

sobre a lei da atração. Isto é importante, porque através dos nossos<br />

pensamentos e crenças criamos nossas vidas e também nossos<br />

problemas, tão desnecessários!<br />

Sinta-se à vontade para entrar em contato.<br />

6


Recepção<br />

Matrículas abertas<br />

para 2011 !!!


O Valor das auditorias<br />

Luciano de Biasi, sócio-diretor da De Biasi<br />

Auditores Independentes, responde.<br />

A auditoria é imprescindível par a existência de um sistema financeiro sólido. Exatamente<br />

por isso ela deve ser responsável.<br />

O crash da Bolsa de Nova York, em 1929, fez o serviço de auditoria<br />

ganhar importância, já que a crise foi causada por falhas no<br />

controle e na análise das informações contábeis das companhias.<br />

A partir daí, o mercado financeiro percebeu a necessidade de fortalecer<br />

os controles internos das organizações e de dar importância<br />

aos usuários externos como destinatários das informações<br />

financeiras. Esse processo culminou na criação da SEC, em 1934,<br />

que é o órgão regulador do mercado financeiro dos EUA. Coube<br />

a ela fortalecer o papel do auditor e consolidar a atividade nos<br />

moldes como a conhecemos hoje.<br />

Nessa profissão, nada é mais importante do que a capacidade<br />

do auditor. O treinamento ainda é o principal investimento para<br />

a manutenção da qualidade dos serviços. Ainda mais no cenário<br />

brasileiro atual, no qual as faculdades estão falhando na formação<br />

dos profissionais. E ensino sem qualidade custa caro. O treinamento<br />

e a formação de auditores são essenciais para assegurar<br />

a qualidade do trabalho e têm um preço alto a ser pago pelas<br />

empresas e repassado à soci<strong>ed</strong>ade como um todo.<br />

A auditoria é imprescindível par a existência de um sistema<br />

financeiro sólido. Exatamente por isso ela deve ser responsável.<br />

A partir de 1990, deu-se uma concorrência feroz entre as oito<br />

maiores firmas de auditoria. Logo, o valor pago pelos serviços<br />

despencou, obrigando as empresas a r<strong>ed</strong>uzir os benefícios. Isso<br />

levou a uma migração dos melhores profissionais para o outro<br />

lado: as empresas auditadas. Restou às “big 8” uma mão de obra<br />

m<strong>ed</strong>iana e de autogiro, o que comprometeu o nível dos serviços<br />

de auditoria. Atualmente, as big 8 foram r<strong>ed</strong>uzidas a quatro,<br />

devido à derrocada de algumas e à união de outras, provocada<br />

pela necessidade de r<strong>ed</strong>ução de custos trazida pela competição<br />

selvagem.<br />

Não há dúvida de que a concorrência é salutar. Ela separa os<br />

bons dos m<strong>ed</strong>íocres. Mas deve ser feita de forma responsável,<br />

para se evitar a qu<strong>ed</strong>a no nível dos trabalhos oferecidos. Assistimos<br />

hoje, a uma competição desm<strong>ed</strong>ida no mercado de serviços<br />

contábeis, no qual a guerra de preços supera, em muitos casos,<br />

a qualidade dos serviços. Uma saída é a fiscalização mais intensa<br />

por parte dos órgãos reguladores. Outra é a aplicação dos testes<br />

de suficiência técnica para novos profissionais. É preciso encontrar<br />

soluções. Os serviços de auditoria devem ser remunerados à<br />

altura dos recursos empregados e da importância que têm para<br />

a economia. A guerra de preços pode levar esses mercados à autodestruição,<br />

com erros e fraudes decorrentes da limitada técnica<br />

dos profissionais e da dependência financeira de trabalhos de<br />

consultoria, o que causa conflitos de interesses.<br />

Cabe uma análise por parte dos órgãos fiscalizadores da relação<br />

entre responsabilidade técnica e recursos humanos em comparação<br />

aos honorários. Isso serve para assegurar que o que está<br />

sendo remunerado é a prestação de um serviço de auditoria de<br />

qualidade. E não somente a emissão de um relatório de auditor<br />

independente. A auditoria é imprescindível para a existência de<br />

um sistema financeiro sólido. Exatamente por isso, ela deve ser<br />

responsável.<br />

8


L a n ç a m e n t o<br />

Viva em um luxuoso e moderno<br />

bosque no coração de Pinda<br />

Aptos de<br />

2 e 3 dorms<br />

69 à 147m 2<br />

Varanda com churrasqueira<br />

integrada à cozinha<br />

Condomínio<br />

ECOLÓGICO<br />

Perspectiva artística da fachada.<br />

Mais infos: (12) 3642-1594 - www.vienouvellepinda.com.br<br />

Visite plantão de vendas no local<br />

R. D. Emília Im<strong>ed</strong>iato, 262 - Boa Vista - Pindamonhangaba.<br />

Futura comercialização:<br />

Realização:<br />

Material preliminar de pesquisa de mercado. Sujeito a alterações. Imagens ilustrativas. Projeto em aprovação junto à Prefeitura Municipal de Pindamonhangaba. As vendas somente serão iniciadas após o<br />

Registro de Incorporação junto ao Registro de Imóveis de Pindamonhangaba. Incorporadora responsável Ladeira Miranda.


Entrevista<br />

Manoel Romulo<br />

Cembranelli<br />

Por: José Carlos Reis de Souza<br />

Cembranelli mostrando a Cachaça Premium tipo exportação a José Carlos.<br />

A equipe da Revista Empresas do Vale, e TV Metropolitana foi recepcionada pelo proprietário da<br />

Destilaria Mato Dentro - São Luiz do Paraitinga-SP, Manoel Romulo Cembranelli. Com seus 85 anos faz<br />

da produção da cachaça Mato Dentro a sua terapia ocupacional e com muito profissionalismo mostrou<br />

a toda a equipe como funciona a produção de uma cachaça artesanal.<br />

10<br />

A partir de agora o leitor vai conhecer<br />

o processamento para produção da “Cachaça<br />

Mato Dentro” desde o início; moagem<br />

da cana, fermentação, destilação,<br />

descanso e produto final, através de uma<br />

entrevista com Manoel Romulo Cembranelli.<br />

HISTÓRIA<br />

A cachaçaria existe desde 1986 e produz<br />

diversas cachaças feitas artesanalmente,<br />

preservando todas as qualidades<br />

Moagem para a retirada do caldo da cana.<br />

da cana-de-açúcar, valorizando seus processos<br />

e etapas de fermentação, chegando<br />

aos barris especiais de carvalho, onde<br />

a cachaça fica em processo de descanso<br />

e envelhecimento, até o momento final<br />

de engarrafamento e consumo.<br />

E.V. – Para iniciar a nossa entrevista,<br />

gostaríamos de saber qual é o segr<strong>ed</strong>o<br />

para se obter uma cachaça de<br />

qualidade?<br />

C. – Para que possamos ter uma cachaça<br />

de boa qualidade, se inicia com o<br />

plantio da cana-de-açúcar, o jeito como<br />

ela é plantada, o tipo de solo e o tempo<br />

de espera até a colheita. Depois de colhida,<br />

a cana é moída e extraída todo o caldo.<br />

Este caldo vai para um tanque de aço<br />

inoxidável e fica<br />

em fermentação<br />

por um período de<br />

24 horas para chegar<br />

à melhor qualidade<br />

da cachaça.<br />

Após o processo<br />

de fermentação,<br />

este caldo vai para<br />

as caldeiras onde<br />

são aquecidas e<br />

entram no processo<br />

de destilaria. Depois<br />

de destilado, a<br />

cachaça vai para os<br />

barris de carvalho e<br />

ficam em processo<br />

de descanso e maturação,<br />

atingindo<br />

a qualidade de cachaça.<br />

E.V. – Como funciona a destilação<br />

da cachaça?<br />

C.- Nós temos dois destiladores, sendo<br />

um de mil litros e outro de 400 litros,<br />

nos quais a cachaça fica em processo<br />

de destilação e passando pelo processo<br />

de resfriamento aonde a cachaça chega<br />

adocicada. É bom lembrar que a cachaça<br />

quando sai bem adocicada, é sinal de<br />

que a cana-de-açúcar é de boa qualidade,<br />

com teor 23 de açúcar e nós baixamos<br />

para 18.<br />

E.V. – Gostaria de saber como você<br />

tira o álcool da cachaça?<br />

C. – Nós tiramos 20% da cachaça que<br />

é chamada de “cabeça” e esse produto é<br />

álcool puro, que fica à disposição do hospital<br />

de São Luiz do Paraitinga, que utiliza<br />

para diversos setores.<br />

E.V. – Além da cachaça tradicional<br />

você produz alguma em especial?<br />

C. – Sim, nós produzimos a “Mato<br />

Dentro New Beat”, que passou por estudos<br />

de mercado, junto à ARBO, empresa<br />

de Inteligência para a Marca, que criou<br />

um novo conceito, logomarca, identidade<br />

e posicionou a “Cachaça Premium<br />

Artesanal” como uma das melhores cachaças<br />

brasileiras. A “Cachaça Premium<br />

Artesanal” tipo exportação é envelhecida<br />

em tonel de amendoim há mais de dois<br />

anos. Produzida em duas versões, Prata<br />

e Ouro. A Prata é apreciada pura, mas é<br />

muito utilizada para fazer drinks especiais<br />

e finos, ou Soft Drink, como é conhecido<br />

em muitos locais. A “Ouro” é mais envelhecida,<br />

e mais apreciada pura para sentir<br />

bem o gosto da madeira. É uma cachaça<br />

especial com teor zero de cobre e cabamato<br />

de etila, que são dois componentes<br />

perigosos para a saúde, mas que passam<br />

por um sistema de filtro que elimina as<br />

impurezas da cachaça. Existe uma grande<br />

procura de nossos produtos para o con-


sumo (degustação). Não podemos deixar de<br />

falar sobre a cachaça amarelinha composta<br />

(Cambuci, mel e limão), é adocicada e especial.<br />

E.V. – A cachaça “Mato Dentro New<br />

Beat” já é exportada ou existe uma logística<br />

para ser exportada?<br />

C. – No momento não estamos exportando,<br />

mas estamos preparados para alcançar o<br />

mercado externo, que é um de nossos objetivos.<br />

E.V. – Como é feito o controle da produção<br />

da cachaça sendo que você tem um<br />

tonel de 10 mil litros que recebe o produto<br />

diariamente?<br />

C. – É verdade, nós temos um tonel de 10<br />

mil litros que recebe a produção na m<strong>ed</strong>ida<br />

em que vai sendo destilada, porém o que vai<br />

determinar o tempo da reserva são os barris<br />

de 200 litros, que recebem a cachaça e vão<br />

ficar descansando pelo período de 2 a 3 anos,<br />

ou caso queira, menos tempo.<br />

E.V. – Como é feito o controle laboratorial<br />

diário da cachaça?<br />

C. – Nós temos um funcionário de nome<br />

Antônio Carlos, que é responsável pelo controle<br />

de qualidade da cachaça. Diariamente<br />

ele pega uma pequena quantidade de cachaça<br />

e adiciona dois reagentes químicos para<br />

visualizar a acidez e se existe teor de cobre no<br />

produto que está saindo neste dia.<br />

E.V. – A Destilaria Mato Dentro tem<br />

selo de qualidade?<br />

C. – Boa pergunta, acabamos de receber<br />

do IMETRO o selo de qualidade.<br />

E.V. - A Cachaça Mato Dentro participa<br />

de concursos?<br />

C. – A Cachaça Mato Dentro venceu o “V<br />

Festival Nacional de Cachaças Especiais” realizado<br />

na cidade de Ourinhos – São Paulo. em<br />

julho de 2010, durante o X Festival de Música<br />

da Cidade de Ourinhos. Teve a participação<br />

de onze jurados que analisaram 12 cachaças<br />

num teste às cegas em que a bebida era servida<br />

em copinhos sem que ninguém saiba que<br />

rótulo está tomando. Os quesitos analisados<br />

foram; cor, brilho, aroma, sabor, maciez e resíduo<br />

de sabor. Também estamos participando<br />

de um concurso que está sendo realizado<br />

pela USC - Universidade de São Carlos para serem<br />

escolhidas as 100 melhores cachaças do<br />

Brasil. E dentre as 100 será escolhida uma para<br />

participar de um concurso na Itália, na cidade<br />

de Veneza.<br />

E.V. – Para finalizar, para o nosso leitor<br />

que é apreciador de uma boa cachaça tipo<br />

exportação, qual é custo de uma garrafa?<br />

C. – Para aqueles que vêm até o nosso<br />

alambique, o custo de uma garrafa de cachaça<br />

tipo exportação fica em torno de R$ 15,00.<br />

A cachaça já destilada e sendo resfriada.<br />

José Carlos P<strong>ed</strong>ro Cembranelli e Emerson degustando a cachaça ainda quente após a sua<br />

destilação.<br />

Após a fermentação o caldo-de-cana vai para a caldeira aonde entra em processo de destilação.<br />

Destilaria Mato Dentro<br />

Rodovia Oswaldo Cruz, Km 35 - São Luiz do<br />

Paraitinga - São Paulo - Brasil -<br />

Tel: (12) 9179-6939<br />

atendimento@cachacamatodentro.com.br


Hospital Regional bate<br />

recorde em 2010 e<br />

doações de órgãos<br />

aumentam 180%<br />

As doações de órgãos no Hospital Regional do Vale do Paraíba<br />

bateram recorde em 2010; prova disso é o aumento de cerca<br />

de 180% nas captações realizadas na região ao longo do ano.<br />

O crescimento consolida o trabalho de aprimoramento dos<br />

profissionais, chamados coordenadores intra-hospitalares de doação<br />

de órgãos e transplante, uma iniciativa do Governo do Estado<br />

de São Paulo, através da Secretaria Estadual de Saúde. Esses<br />

profissionais têm como função identificar pacientes que possam<br />

ser potenciais doadores, além de acompanhar o processo de realização<br />

de exames e de entrevista junto à família.<br />

“Este profissional está preparado para, não só realizar os exames<br />

de morte encefálica, como também difundir os conhecimentos<br />

sobre os exames clínicos e complementares aos demais<br />

médicos, replicando a mensagem passada pela Coordenadoria<br />

de Transplantes,<br />

responsável pela<br />

capacitação”,<br />

comenta o Diretor<br />

Técnico e<br />

Coordenador da<br />

Comissão Intra-<br />

Hospitalar de<br />

Doação de Órgãos<br />

e Tecidos<br />

do Hospital Regional,<br />

Dr. Caio<br />

Lúcio Soubhia<br />

Nunes.<br />

Em 2008,<br />

apenas uma doação<br />

foi realizada no HR e, em 2009, o número de doadores viáveis<br />

saltou para 5. A meta do Hospital Regional era poder aumentar<br />

em 5 o número de doações, porém, o balanço de 2010 é ainda<br />

mais positivo: 14 doações de órgãos foram concretizadas.<br />

O objetivo da Soci<strong>ed</strong>ade Beneficente São Camilo, entidade<br />

que administra o HR, é que 2011 sinalize como um período ainda<br />

mais promissor, com o incentivo de campanhas que possam refletir<br />

crescimento e melhor conscientização das famílias.<br />

Só que, mesmo com todo o empenho técnico, nem sempre a<br />

concretização é possível. A relutância de alguns familiares no momento<br />

da autorização da doação dos órgãos de um ente querido<br />

é algo que dificulta este avanço. No Brasil, a doação de órgãos<br />

só acontece após autorização familiar, independente de qualquer<br />

manifestação por escrito por parte do paciente.<br />

A Comissão Intra-Hospitalar é formada por membros das<br />

áreas Clínica, de Psicologia e Enfermagem que funcionam como<br />

multiplicadores e auxiliares do processo junto aos profissionais<br />

responsáveis pelo diagnóstico e protocolo de morte encefálica,<br />

geralmente médicos das Unidades de Terapia Intensiva (UTI’s), de<br />

Neurocirurgia e do Serviço de Emergência.<br />

A constatação de morte encefálica é um processo que leva<br />

cerca de 24h, até para que não haja falhas em nenhum dos proc<strong>ed</strong>imentos<br />

realizados. O paciente (potencial doador) passa por<br />

uma bateria de exames para diagnosticar a morte encefálica. É<br />

importante ressaltar que a família do paciente é informada sobre<br />

todos os passos dados pelas equipes médica e de enfermagem.<br />

Devido à preocupação em se realizar um diagnóstico preciso,<br />

o tempo que resta é precioso para o parecer da família do paciente.<br />

A crucial decisão deve ser dada em tempo hábil para a equipe<br />

dar início ao processo de captação que, no caso do Hospital Regional,<br />

irá envolver uma Equipe Especializada da Unicamp.<br />

“Como o paciente se encontra em morte encefálica é muito<br />

difícil manter a viabilidade os órgãos e quanto menor o tempo<br />

entre o diagnóstico e a doação mais vidas poderão ser salvas”,<br />

acrescenta Dr. Caio.<br />

A captação de órgãos é um proc<strong>ed</strong>imento cirúrgico e o Hospital<br />

Regional conta com uma estrutura própria para abrigar estes<br />

e outros proc<strong>ed</strong>imentos de alta complexidade. Ao todo são 12<br />

salas com equipamentos modernos para trazer resolutividade à<br />

população.<br />

12


Importância<br />

Socioeconômica e<br />

Ambiental<br />

Área de plantio de eucalipto pronto para corte.<br />

Por: Luiz Tuan Neto<br />

O Setor Florestal Brasileiro conta com, aproximadamente, 530<br />

milhões de hectares de Florestas Nativas, 43,5 milhões de hectares<br />

em Unidades de Conservação F<strong>ed</strong>eral e 4,8 milhões de hectares<br />

de Florestas Plantadas com pinus, eucalipto e acácia-negra.<br />

A exploração de áreas de Florestas Nativas mais a exploração<br />

das Florestas Plantadas geram mais de 2 milhões de empregos.<br />

Contribui com mais de US$ 20 bilhões para o PIB, exporta mais de<br />

US$ 4 bilhões (8% do agronegócio) e contribui com 3 bilhões de<br />

dólares em impostos ao ano, arrecadados de 60.000 empresas.<br />

As Florestas Plantadas estão distribuídas estrategicamente,<br />

em sua maioria, nos estados do Paraná, Rio Grande do Sul, Santa<br />

Catarina, São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo as quais visam<br />

a garantia do suprimento de matéria-prima para as indústrias<br />

de papel e celulose, siderurgia á carvão vegetal, lenha, serrados,<br />

compensados e lâminas e painéis reconstituídos (aglomerados,<br />

chapas de fibras e MDF).<br />

Área de plantio de eucalipto.<br />

Apesar da participação das plantações florestais estarem aumentando<br />

em todos os segmentos em relação a das Florestas<br />

Nativas, o setor acr<strong>ed</strong>ita que com base nas expectativas de crescimento<br />

de demanda, haverá uma necessidade de plantio em torno<br />

de 630 mil hectares ao ano, ao invés dos 200 mil hectares atuais.<br />

A Soci<strong>ed</strong>ade Brasileira de Silvicultura - SBS distribui essa necessidade<br />

de plantio como sendo: 170 mil ha / ano para celulose,<br />

130 mil ha / ano para madeira sólida, 250 mil ha / ano para carvão<br />

vegetal e 80 mil ha / ano para energia.<br />

Com base nesses dados, observa-se a importância do eucalipto<br />

por ser uma espécie de uso múltiplo com possibilidade de<br />

atender a todos os segmentos acima descritos, principalmente<br />

para papel e celulose e energia onde historicamente deu contribuição<br />

especial.<br />

A IMPORTÂNCIA DO PLANTIO<br />

O plantio é uma das operações mais importantes para o<br />

sucesso da implantação de florestas. A adoção do sistema adequado<br />

requer uma definição clara de objetivos e usos potenciais<br />

dos produtos e subprodutos que se espera da floresta. O sucesso<br />

de um plantio e a obtenção de povoamentos produtivos e com<br />

madeira de qualidade devem ser pautado por práticas silviculturais<br />

como: a escolha e limpeza da área, controle de<br />

pragas e doenças, definição do método de plantio e tratos<br />

culturais.<br />

O plantio se caracteriza pela colocação da muda no<br />

campo. Pode ser mecanizado, manual ou semimecanizado,<br />

dependendo da topografia, recursos financeiros e disponibilidade<br />

de mão de obra e/ou equipamentos.<br />

O plantio mecanizado ou semimecanizado aplica-se<br />

onde a topografia é plana, possibilita o uso de plantadoras<br />

traquinadas por tratores. As plantadoras, normalmente, fazem<br />

o sulavento, distribuem o adubo e efetivam o plantio.<br />

No sistema semimecanizado, as operações de preparo de<br />

solo e tratos culturais são mecanizadas, o plantio propriamente<br />

dito é manual.<br />

O plantio manual é recomendado para áreas declivosas<br />

ou em situações onde não é viável o uso de máquinas<br />

agrícolas.<br />

Os plantios de eucaliptos realizados no sul do Brasil, em<br />

sua maioria, adotam o sistema manual em função da rusticidade<br />

da espécie, da disponibilidade de mão de obra e<br />

em muitas situações pelas condições topográficas.<br />

Alguns fatores importantes devem ser definidos previamente<br />

antes do plantio propriamente dito, com destaque para o espaçamento<br />

de plantio, as operações de manejo, os tratos culturais e<br />

a adubação das mudas. Constituem-se operações básicas para a<br />

implantação de um maciço florestal o preparo de solo e plantio.<br />

Fonte pesquisada: Embrapa<br />

14


Kather Implant<br />

Center<br />

A Kather Implant Center tem como<br />

missão e compromisso oferecer, o que há<br />

de melhor da odontologia moderna para<br />

ajudar os nossos pacientes a ter um sorriso<br />

mais bonito e saudável, tendo assim<br />

uma melhor qualidade de vida.<br />

DR. JORGE KATHER<br />

• Especialista e pós- graduado em<br />

implantodontia pelo Conselho F<strong>ed</strong>eral de<br />

Odontologia.<br />

• Mestre em odontologia.<br />

• Habilitação em Analgésica Inalatória<br />

com Oxido Nitroso e Oxigênio (s<strong>ed</strong>ação<br />

consciente) APCD.<br />

• Curso em Habilitação em Implante<br />

Zigomático, Sistema Nobel Biocare.<br />

• Professor de Implante Odontológico.<br />

• Experiência em mais de 1800<br />

implantações.<br />

• Sócio da Academia Brasileira de<br />

Osseointegração.<br />

TRATAMENTOS<br />

• Implante Convencional.<br />

• Implante com Carga Im<strong>ed</strong>iata.<br />

• Implante Zigomático.<br />

• Enxerto ósseo.<br />

• Odontologia Estética<br />

• Prótese Dentária.<br />

• Reabilitação Oral.<br />

LIBERDADE E AUTO-ESTIMA:<br />

RECONQUISTE A SEGURANÇA DA<br />

SUA VIDA SOCIAL COM IMPLANTES<br />

ODONTOLÓGICOS<br />

As próteses removíveis (móveis) causam<br />

desconforto e mal - estar em alguns pacientes.<br />

Atualmente é possível fazer implantes<br />

unitários, múltiplos ou até mesmo substituições<br />

completas de arcadas, que dão<br />

mais segurança e qualidade de vida. Fique<br />

livre das próteses fazendo implantes.<br />

NOVIDADE COM IMPLANTES:<br />

CIRURGIA GUIADA<br />

A cirurgia guiada permite o planejamento<br />

em três dimensões (3D) da reabilitação<br />

com implante odontológico. A partir<br />

da tomografia e a visualização precisa<br />

dos ossos da face, os implantes são posicionados<br />

no computador por meio de<br />

Softwares. É feito um guia cirúrgico que é<br />

instalado em cima da gengiva. Técnica de<br />

última geração.<br />

BENEFÍCIOS:<br />

• Maior conforto no pós-operatório.<br />

• Cicatrização e recuperação mais<br />

rápida.<br />

• Tempo cirúrgico r<strong>ed</strong>uzido.<br />

• Tratamento pode ser feito com carga<br />

im<strong>ed</strong>iata.<br />

Guia Cirurgico em posição, sem precisar<br />

fazer cortes, apenas o local de instalação<br />

dos implantes. Isto significa um pósoperatório<br />

sem dor, sem inchaço e com o<br />

mínimo de trauma.<br />

CIRURGIA FEITA COM SEDAÇÃO<br />

Todo o proc<strong>ed</strong>imento cirúrgico deixa<br />

o paciente ansioso, preocupado e com<br />

m<strong>ed</strong>o. Por este motivo usamos s<strong>ed</strong>ação<br />

nas cirurgias de implante.<br />

S<strong>ed</strong>ação consciente com Óxido Nitroso e<br />

oxigênio: o paciente respira uma mistura<br />

dos dois gases e fica com relaxamento<br />

e calmo, ou seja, sem “stress”. Esta<br />

técnica inovadora no Brasil é usada nos<br />

Estados Unidos há mais de cem anos<br />

em consultórios odontológicos. É uma<br />

técnica de s<strong>ed</strong>ação leve, muito segura,<br />

e permite que o paciente se restabeleça<br />

em suas condições de consciência<br />

normal im<strong>ed</strong>iatamente após a finalização<br />

da administração, sem efeito residual.<br />

REVISTA VEJA<br />

Ser considerada uma clínica<br />

odontológica em qualidade e excelência<br />

no Vale do Paraíba pela<br />

REVISTA VEJA, não é para qualquer<br />

uma. Agradecemos aos nossos funcionários<br />

e pacientes por mais uma<br />

conquista. Venha fazer parte deste<br />

grupo seleto de pacientes que fazem<br />

da Kather Implant Center um caso de<br />

sucesso.<br />

Centro de reabilitação oral especializada<br />

em implantes odontológicos<br />

e tratamentos estéticos. Dr. Jorge<br />

Kather CRO: 68431. Experiência, Qualidade,<br />

Respeito e Satisfação.<br />

www.katherodonto.com. TELS:<br />

(12) 3624-1752 / (12) 3632-4490<br />

Rua Engenheiro Fernando de<br />

Mattos, 125 – Centro – Taubaté -<br />

SP – CEP: 12010-110<br />

16


Resistência de<br />

concreto usado<br />

na laje<br />

Autor: Engº José Montezuma Novaes da Silva<br />

Na hora da concretagem da sua laje, é importante<br />

saber qual resistência do concreto deve ser usada. Essa<br />

resistência equivale à carga que o mesmo suporta em relação<br />

a uma determinada área e é m<strong>ed</strong>ida pela unidade<br />

MPa (Mega Pascal) ou kgf/cm².<br />

O valor de 1 MPa é igual a 10 kgf/cm². Isso significa<br />

que um concreto com resistência de 1 MPa, deve suportar<br />

10 kg por cada centímetro quadrado quando exposto<br />

ao esforço de compressão. Tal resistência é alcançada<br />

através da mistura dos componentes do concreto que<br />

geralmente são: areia, p<strong>ed</strong>ra, cimento e água, eventualmente<br />

algum aditivo. À quantificação desses componentes<br />

chamamos de traço do concreto.<br />

Como acontecia há alguns anos atrás, os clientes viviam<br />

um momento de insegurança, pois não tinham certeza<br />

de qual concreto deveriam usar na sua obra, pois só<br />

se ouvia falar em concreto de resistência 150 kgf/cm² que<br />

atendia a quase todos os tipos de construções. A partir<br />

de certo momento, em função de mudanças na norma<br />

brasileira, passou-se a utilizar concretos com resistência<br />

de 180 kgf/cm² e 200 kgf/cm².<br />

Até que os profissionais da área de cálculo de concreto<br />

armado e da construção civil adotassem os novos<br />

valores de resistência, foi travada uma batalha entre os<br />

clientes e os profissionais que a todo o momento eram<br />

questionados se as obras até aquela data iriam apresentar<br />

problemas e até mesmo se poderiam ruir. É claro que não,<br />

pois foram dimensionadas para aquela resistência.<br />

Hoje, novamente estamos enfrentando o mesmo dilema,<br />

pois as normas brasileiras, em função de diversas<br />

necessidades, tais como mudança na composição do<br />

cimento, estruturas mais esbeltas, poluição, durabilidade<br />

das construções, etc., tornou-se necessária uma nova<br />

adequação das normas, alterando as resistências dos concretos<br />

em função do meio ambiente em que elas estão<br />

inseridas.<br />

Pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas),<br />

o concreto armado deve seguir alguns critérios que estão<br />

estipulados na “NBR 6118/2.003”. Essa norma orienta como<br />

deve ser utilizado o concreto e qual a resistência em função<br />

da agressividade do ambiente.<br />

A agressividade do meio ambiente está relacionada<br />

às ações físicas e químicas que atuam sobre as estruturas<br />

de concreto, independente das ações mecânicas, das<br />

variações volumétricas de origem térmica, da retração<br />

hidráulica e outras previstas no dimensionamento das estruturas<br />

de concreto.<br />

As agressividades são classificadas em:<br />

• Fraca: para ambiente rural ou submerso<br />

• Moderada: para ambiente urbano<br />

• Forte: Para ambiente marinho ou industrial<br />

• Muito Forte: para ambiente com respingos de maré.<br />

Em função dessa classificação é que se define a resistência<br />

do concreto, sendo que hoje ela não deve ser<br />

inferior a 20 MPa ou 200 kgf/cm².<br />

O responsável pelo projeto estrutural, de posse de<br />

dados relativos ao ambiente em que será construída a estrutura,<br />

é que deve definir a resistência do concreto a ser<br />

utilizada na obra, bem como, acompanhar a mesma. Pois<br />

como a norma exige um concreto de maior resistência, se<br />

torna necessário um controle do concreto utilizado, sem<br />

isso, as obras se tornam a cada dia mais suscetíveis às patologias<br />

como trincas, flechas e vibrações.<br />

Em resumo, o proprietário que está construindo, deve<br />

confiar no profissional que contratou para executar sua<br />

obra, pois ele é a pessoa mais indicada para informar qual<br />

o concreto certo para sua obra.


Rotary Club Taubaté Rotary Club Taubaté Sul Rotary Internacional<br />

15/12 – Visita do Governador Moacyr<br />

Peixoto ao Rotary Club Taubaté . E entrega<br />

dos títulos: “Companheiro Paul Harris” ”,<br />

aos companheiros: Arcione Ferreira Viagi e<br />

José Bosco Mariano. E a “Comenda Paulo<br />

Viriato Corrêa”, aos companheiros: Paulo<br />

César Severo e Conceição P. Zollner,<br />

1- Paulo Severo, Gov. Moacyr Peixoto (2010 a<br />

2011), Helder, Heitor, Conceição e Pres. Walter<br />

Alegre (2010 a 2011). 2- Pres. Walter, Heitor,<br />

José Bosco, Gov. Moacyr, Arcione Ferreira e<br />

Mariangela.<br />

18/01 – Visita do Governador Moacyr<br />

Peixoto do Distrito 4600 e Ana Lopes<br />

Peixoto ao Rotary Club Taubaté Sul.<br />

1- Gov. Moacyr Peixoto (2010-2011) e Ana<br />

Maria Lopes Peixoto, posam ao lado dos companheiros<br />

do Rotary Club Taubaté Sul. 2- Ferraro<br />

(pres.2010-2011), gov. Olegário, Marco,<br />

Silvia, gov. Roman e gov. Orvile. 3- Ana Maria<br />

Lopes Peixoto (Coord. das Casas da Amizade<br />

2010-2011) e Gov. Moacyr Peixoto (2010-2011).<br />

Intercambistas de vários países<br />

desfrutando uma festiva na residência do<br />

companheiro Luiz Roman<br />

1- Carolina (Dinamarca), Reiko (Japão),<br />

Franciska (Austria), Mihaela (Romênia), Daniela<br />

e Luz Maria (México). 2- Eric (Canadá),<br />

Nicholas (EUA), Jirateep (Tailândia), Francisco<br />

(México), Reikke (Dinamarca), Javier (México),<br />

Chih (Taiwan). 3- Leila, Claudia e Malu. 4- Luiz<br />

Roman.<br />

19/01 – Isabel Camargo Pereira Matos,<br />

recebe certificado do Rotary Club Taubaté,<br />

pela paletra palestra pelo dia da “Previdência<br />

Social”<br />

Walter Alegre Isabel Camargo e Malu.<br />

18


Festiva do GEAP<br />

12/12 – Como é de costume, o GEAP – Grupo de Estudos de<br />

Administração de Pessoal, realizou a sua festiva no Sitio Sitioka.<br />

Compareceram todos os associados e familiares para um grande<br />

almoço e farta distribuição de presentes.<br />

Solta dos balões<br />

Ana Lucia, Nilcéa, Maria Regina, Bianca, Bruno<br />

e Augustinho.<br />

Arimathéa, Isquierdo, Augustinho e Sérgio.<br />

Cividanes, José Carlos, Arimathéa e Sérgio.<br />

Felipe Cury e Torita. Carmela e Nely. Arnaud e Valdirene.<br />

Brito e Embersics.<br />

Isquierdo, Luiz Ruiz, Cividanes, Arnaud e Sidnei<br />

Lima.<br />

Jefferson e Relva.<br />

20<br />

Sérgio e Nivaldo. Sérgio e Cleide. Sebartião e Cristiano.


Nivaldo, Pereira, Priscilla, Dulcimare, Relva e<br />

Jefferson<br />

Familia Cividanes.<br />

Família Sérgio Gallati.<br />

Mário e Irineu. Lairton e Katia. Irineu e André


A Família e a TV<br />

A professora Ana Maria p<strong>ed</strong>iu aos alunos que<br />

fizessem uma r<strong>ed</strong>ação sobre o que eles gostariam que<br />

Deus fizesse por eles. À noite, corrigindo as r<strong>ed</strong>ações,<br />

ela se depara com uma que a deixa muito emocionada.<br />

O marido, nesse momento, acaba de entrar, a vê<br />

chorando e lhe pergunta: “O que aconteceu?”. Ela<br />

responde: “Leia”. Era a r<strong>ed</strong>ação de um menino.<br />

“Senhor, esta noite te peço algo especial: transforma-me<br />

em um televisor. Quero ocupar o seu lugar.<br />

Viver como vive a TV de minha casa. Ter um lugar especial<br />

para mim, e reunir minha família ao r<strong>ed</strong>or... Ser<br />

levado a sério quando falo... Quero ser o centro das<br />

atenções e ser escutado, sem interrupções nem questionamentos.<br />

Quero receber o mesmo cuidado especial que a<br />

TV recebe quando não funciona. E ter a companhia do<br />

meu pai, quando ele chega a casa, mesmo que esteja<br />

cansado. E que minha mãe me procure quando estiver<br />

sozinha e aborrecida, em vez de ignorar-me. E ainda,<br />

que meus irmãos briguem para estar comigo.<br />

E, por fim, que eu possa divertir a todos.<br />

Senhor, não te peço muito...<br />

Só quero viver o que vive qualquer televisor!<br />

Naquele momento, o marido de Ana Maria disse:<br />

“Meu Deus, coitado desse menino. Nossa, que coisa esses<br />

pais”.<br />

E ela olha para ele e diz: “Essa r<strong>ed</strong>ação é do nosso<br />

filho”.<br />

22


Matsuda Corretora de Seguros<br />

Como acontece todos os anos, a Matsuda Corretora de Seguros, reune funcionários e familiares para uma festiva de encerramento<br />

do ano. O evento ocorreu nas dependências do Sítio Sitioka.<br />

Teru, Isabel e José Carlos.<br />

Família Matsuda - Adriana, Ricardo, Junco,<br />

Isabela, Luciene e Jander.<br />

Equipe da Matsuda Corretora de Seguros.<br />

Edson, Cintia e Lourdes. Alexandre (Mapfre) e José Carlos. Thiago e José Carlos.


Você nunca viu uma<br />

área de lazer tão<br />

grande em Taubaté.<br />

Um verdadeiro clube com mais de<br />

14.000 m² de área.<br />

24 Perspectiva artística da varanda gourmet<br />

Perspectiva artística da suíte


Perspectiva artística da piscina coberta<br />

Aptos. de 114 m² e 155 m² de área útil<br />

Alguns dos 28 itens de lazer:<br />

- 02 Piscinas aquecidas<br />

- Quadras de Squash e poliesportiva<br />

- Cinema<br />

- Sala de ginástica<br />

- Salões de festa e gourmet<br />

3 suítes e sacada gourmet<br />

3 elevadores por torre<br />

2 vagas médias de garagem<br />

com box privativo<br />

As imagens apresentadas neste anúncio são meramente ilustrativas. Projeto em aprovação na<br />

Prefeitura sob o nº de protocolo 37173/2010. Material divulgado para pesquisa de mercado.<br />

Realização:<br />

Plantão de atendimento em Taubaté<br />

Perspectiva artística do espaço gourmet<br />

Av. Charles Schneider | nº 520 | Bairro Monção | Taubaté -SP<br />

Tel.: (12) 3631.5469 | 3631.4735 | 3025.1000<br />

CEP: 12.040-000 | www.coliimoveis.com.br


ALPS Idiomas<br />

AV.: ITÁLIA, 360<br />

JARDIM DAS NAÇÕES - TAUBATÉ/SP<br />

(12) 3674-1047<br />

taubate@alpsidiomas.com.br<br />

A Escola de Idiomas ALPS – faz parte do<br />

grupo MULTI Holding, uma multinacional<br />

Brasileira que se consagrou em 2010<br />

como o maior grupo de ensino do Brasil,<br />

somando de um milhão de alunos.<br />

Em 2010, a ALPS trouxe para Taubaté<br />

várias inovações fazendo com que seus<br />

alunos fossem beneficiados como curso<br />

especial para alunos da Terceira Idade,<br />

pois com base em estudos científicos, o<br />

estudo de um novo idioma traz inúmeros<br />

benefícios. Entenda melhor como<br />

acontece este processo:<br />

- Ao exercitarmos nossos músculos e<br />

nosso cérebro libertamos uma proteína<br />

chamada IGP -1 que é levada ao cérebro<br />

pela corrente sanguínea e ordena a<br />

produção de BNDF, um elemento químico<br />

que faz nascer ligações celebrais novas. O<br />

resultado é que, ficamos não apenas mais<br />

saudáveis, mas também, mais inteligentes.<br />

E como sabemos, o cérebro é um<br />

músculo, que precisa ser constantemente<br />

estimulado para não ficar frouxo, ler,<br />

escrever, fazer palavras cruzadas, aprender<br />

um idioma estrangeiro são ferramentas<br />

eficazes para mantê-lo ativo e com isso<br />

evitar, ou até mesmo retardar, algumas<br />

doenças degenerativas do cérebro como<br />

por exemplo o Mal de Alzheimer.<br />

Além dos benefícios na área da<br />

saúde, um novo idioma traz aos alunos<br />

resultados fantásticos, pois desta forma<br />

é possível ampliar o conhecimento geral,<br />

a cultura, o entendimento ao assistir um<br />

filme, além de inúmeras novas amizades<br />

que são formadas.<br />

ALPS Idiomas proporciona<br />

gratuitamente a todos os seus alunos<br />

inúmeras vantagens que fazem com que<br />

o aluno esteja o tempo todo em contato<br />

com a língua Inglesa, estamos falando do<br />

“AMERICAN HAPPY HOUR” – toda semana<br />

realizamos uma atividade diferente, toda<br />

ministrada em Inglês:<br />

- Apresentação e discussão de temas<br />

variados.<br />

- Convidados Americanos de<br />

empresas locais para entrevistas.<br />

- Apresentação de filmes com<br />

inúmeras perguntas e além de várias<br />

outras atividades.<br />

O Plantão de dúvidas on line e<br />

presencial é um dos trabalhos que dá ao<br />

aluno ALPS a chance de estar 100% ligado<br />

ao universo da língua Inglesa, pois o aluno<br />

que está com dúvidas muitas vezes desiste<br />

de fazer as atividades e de se aprofundar<br />

em seus estudos por falta de um contato<br />

com o seu professor, nós desenvolvemos<br />

uma linha direta aluno – professor que dá<br />

este suporte tão importante e mais uma<br />

vez, sem nenhum custo.<br />

Visita Cultural é mais uma aposta da<br />

ALPS em 2011, a escola levará os alunos<br />

para diversos locais para que haja uma<br />

conversação intensa em Inglês, para que<br />

o enriquecimento da língua Inglesa esteja<br />

sempre presente no dia a dia dos alunos.<br />

Em 2011 a ALPS está focando em vários<br />

assuntos, um dos principais é o curso<br />

preparatório para pessoas que querem<br />

se destacar no mercado de trabalho e<br />

prestar o “TOEIC” – (Test of English for<br />

International Communication).<br />

O TOEIC é um teste prático que avalia<br />

a proficiência da língua inglesa de pessoas<br />

cuja língua nativa não seja o inglês. É<br />

desenvolvido a partir de exemplos do<br />

inglês falado e escrito, coletados em<br />

países diversos.<br />

O teste é composto por 200 questões<br />

– 100 de compreensão oral e 100 de<br />

leitura, com duração de duas horas e 30<br />

minutos. A pontuação do TOEIC fornece<br />

um fe<strong>ed</strong>back claro sobre o desempenho<br />

do candidato no mundo global dos<br />

negócios, bem como uma avaliação<br />

objetiva para o nivelamento do mesmo.<br />

Os diretores de empresas,<br />

colaboradores e profissionais em geral,<br />

que buscam enriquecer seus currículos,<br />

se beneficiam das vantagens que o<br />

teste oferece.<br />

As empresas utilizam o TOEIC para<br />

documentar o progresso feito por seus<br />

colaboradores, para poder recrutar,<br />

promover e recolocar funcionários;<br />

selecionar participantes para treinamentos<br />

técnicos que sejam conduzidos em inglês;<br />

implementar um padrão comum de<br />

m<strong>ed</strong>idas em todas as subsidiárias de uma<br />

empresa.<br />

Hoje, as grandes empresas exigem um<br />

currículo impecável de seus candidatos,<br />

além de reconhecerem que a proficiência<br />

na língua inglesa é peça-chave para a<br />

compreensão e competição em nível<br />

global.<br />

Como você observou, a ALPS Taubaté<br />

está com inúmeras novidades para 2011<br />

e convida todos os responsáveis pelos<br />

RHs / Representantes de empresas para o<br />

“Workshop”<br />

– “Benefícios com as parcerias para<br />

reter talentos na sua empresa”<br />

O evento acontecerá:<br />

Data – 15/02/2011<br />

Local - ALPS Idiomas – Avenida Itália<br />

- 360 – Independência – Taubaté.<br />

- Cronograma:<br />

8:30 – Recepção.<br />

9:00 – Inicio do Workshop –<br />

10:00 – Café da manhã – Breakfast<br />

Obs.: Teremos várias empresas<br />

parceiras e palestrantes sobre o assunto.<br />

Participem...<br />

P<strong>ed</strong>imos aos interessados para<br />

confirmar presença até o dia 14/02 através<br />

dos telefones: 3426-7888/ 3674-1047 /<br />

9192-5982 / 9148-7888 ou através do<br />

e-mail nelsongeraldo13@hotmail.com<br />

26


Taubaté Design<br />

Rua Sacramento, 115 I Fone: (12) 9727.4906


Turismo<br />

Por: José Carlos Reis de Souza<br />

Igreja N. S. dos Remédios de 1503.<br />

Arraial do Cabo<br />

A equipe da TV Metropolitana do programa “Empresa do Vale” e Revista Empresas do Vale, visitaram<br />

Arraial do Cabo (RJ), onde conheceram um pouco da história deste lugar paradisíaco.<br />

28<br />

Marco histórico da fundação da cidade.<br />

ARRAIAL DO CABO – RJ<br />

Os índios Tamoios foram os primeiros a se encantar com a geografia<br />

deste pequeno p<strong>ed</strong>aço de terra. O pescado, os crustáceos, os moluscos<br />

a caça e a cultura da mandioca formavam o “cardápio” destes indígenas.<br />

Destaca-se também a cultura Tupinambá, na confecção de peças de cerâmica.<br />

Isto pode ser comprovado a partir de diversos restos arqueológicos<br />

catalogados em toda a região. Logo depois foram os portugueses. No ano<br />

de 1503, chegou, à bordo da nau Bretôa, o navegador italiano Américo Vespúcio<br />

com 24 tripulantes vindos a serviço da coroa portuguesa. Desbravaram<br />

o nosso mar trazendo a colonização européia e o líder da exp<strong>ed</strong>ição,<br />

Américo Vespúcio, teve a certeza de que estava diante de um paraíso. Na<br />

Praia dos Anjos, antiga da Rama, fincou seu marco na história da cidade e<br />

do Brasil. Anos depois, construiu pelos contornos a primeira benfeitoria do<br />

país. Até hoje essas obras estão lá, testemunhas do tempo que atravessou.<br />

Cercada pelo mar, Arraial do Cabo tem as melhores praias de águas<br />

transparentes e sua biodiversidade marinha é uma das mais ricas do Brasil<br />

graças ao raro Fenômeno da “Ressurgência”. Com cerca de 200 pontos de<br />

mergulho e dezenas de naufrágios catalogados, mergulhar neste paraíso<br />

em qualquer época do ano é uma experiência inesquecível. Tem uma forte<br />

tradição na cultura popular; o pescador e a rendeira deram origem a uma<br />

vida simples, alegre e despojada. Arraial do Cabo foi um dos primeiros municípios<br />

do Brasil a ter uma Reserva Extrativista Marinha, criada em 1997 e<br />

constituída em Lei F<strong>ed</strong>eral para proteger a cultura da pesca artesanal. A<br />

cidade é um trecho de terra que avança sobre o Oceano Atlântico com<br />

quilômetros de praias variadas, de águas quentes ou gélidas, de verdes ou<br />

azuis. A temperatura varia entre 25ºC e 35ºC com o diferencial de um vento<br />

constante que acalenta o calor. Um céu azul que reluz quase o ano todo e,<br />

que em noites de lua cheia clareia toda a cidade confirmando o clima de<br />

sossego do interior.<br />

Sítios arqueológicos preservam a história de antigos povos indígenas


que descobriram a opulência da terra e ali fixaram a vida. Os dias<br />

foram, mas Arraial do Cabo continua a encantar os visitantes.<br />

Gente do mundo todo busca a paz e a tranquilidade comuns<br />

neste pequeno espaço de terra. Quem gosta de dunas, mar, trilhas,<br />

costões, vento, restinga, sal e de sol vai para lá. E, além de<br />

tanta beleza natural, a cultura dos pescadores fez deles pessoas<br />

simples, alegres e hospitaleiras.<br />

Detalhamos para o leitor o que registramos de importante<br />

neste p<strong>ed</strong>aço de terra; mar, areia branca e fina, onde o vento faz<br />

um balé na orla marítima.<br />

Casa da Poesia a velha casa do poeta Victorino Carriço.<br />

Museu Oceanográfico.<br />

CENTRO HISTÓRICO<br />

O marco histórico, é o ponto de chegada de navegadores<br />

portugueses em 1503, é onde se encontra a igreja de Nossa<br />

Senhora dos Remédios construída em 1506 e algumas das<br />

construções mais antigas da cidade. O cenário histórico remete<br />

aos anos de 1503, quando navegadores portugueses aportaram<br />

na antiga praia da Rama, marcando o início da história da então<br />

vila de pescadores.<br />

CASA DA POESIA – ESPAÇO CULTURAL<br />

Localizada ao lado da Igreja Nossa Senhora dos Remédios,<br />

no centro histórico de Arraial do Cabo. Transformou-se em um<br />

espaço vivo, acolh<strong>ed</strong>or, onde esquecer a pressa, tomar um café<br />

ou refresco e sentindo-se absolutamente à vontade para procurar<br />

um livro, folheá-lo à sombra das árvores, ou levá-lo consigo.<br />

Aberta a um público diversificado: gente da comunidade,<br />

estudantes e turistas ocasionais.<br />

A velha casa pertenceu ao poeta Victorino Carriço nascido<br />

em São P<strong>ed</strong>ro da Aldeia (29/07/1912 – 20/05/2001). Foi presidente<br />

da Câmara Municipal de Cabo Frio em 1973. Conhecido como<br />

o grande poeta, estudou na Escola Sagrado Coração de Jesus,<br />

a mais tradicional da Cidade de Cabo Frio, atualmente chamada<br />

de Colégio Franciscano Sagrado Coração de Jesus, pertencente à<br />

R<strong>ed</strong>e Franciscana. O poeta escreveu o Hino da Cidade de Cabo<br />

Frio e do Colégio Franciscano Sagrado Coração de Jesus.<br />

MUSEU OCEANOGRÁFICO<br />

Parte integrante do IEPM - Instituto de Estudos do Mar<br />

Almirante Paulo Moreira, possui rico acervo de organismos<br />

marinhos vivos e fixados, equipamentos oceanográficos<br />

utilizados no estudo do ambiente marinho.<br />

Pesca de arrastão.<br />

Fenda de Nossa Senhora dos Remédios.<br />

PESCA<br />

Mais da metade da população de Arraial do Cabo está ligado<br />

direta ou indiretamente à pesca. Águas de vida marinha fértil<br />

proporcionaram desde o início a fixação do povo nessa terra. Hoje<br />

mais do que sustentar boa parte da economia, a pesca faz parte<br />

da cultura do povo cabista. A pesca artesanal é um espetáculo<br />

que pode ser visto diariamente em algumas praias. Trata-se da<br />

pesca de canoas, na qual os peixes são cercados pelas r<strong>ed</strong>es sob<br />

as orientações do vigia, um pescador que fica em cima do morro<br />

sinalizando como um maestro o posicionamento, a qualidade e a<br />

quantidade do pescado que avista a quilômetros de distância. Após<br />

o cerco, a r<strong>ed</strong>e com os peixes é puxada por dezenas de braços na<br />

beira da praia. E quem participa ainda leva um peixe para casa.<br />

FENDA DE NOSSA SENHORA DOS REMÉDIOS<br />

A geologia determina a proveniente de processos de erosão.<br />

Localizada na entrada do Boqueirão, é uma das muitas lendas da<br />

cidade. Contam os antigos pescadores que durante uma grande<br />

tempestade um raio caiu sobre a enorme rocha. Um pescador ao<br />

passar pelo local no dia seguinte se surpreendeu com tamanha<br />

rachadura e parou para olhar. Ao chegar à cavidade, teria se<br />

deparado com a imagem de Nossa Senhora dos Remédios. É<br />

possível ver a fenda ao fazer o passeio de barco.


Rendeira de Bilro<br />

GRUTA AZUL<br />

Fica a Oeste da Ilha do Farol, tem como estremos a Ponta<br />

do Focinho e a do Boqueirão. Na maré baixa é possível entrar<br />

de barco na gruta, que apresenta aproximadamente 8 metros de<br />

largura, 30 de extensão e 15 de altura. Nas par<strong>ed</strong>es e no mar, as<br />

cores vão mudando de acordo com a entrada do sol.<br />

RENDA DE BILRO<br />

A renda de bilro é uma herança portuguesa que criou<br />

raízes na cultura do povo cabista. A arte das rendeiras passou<br />

a ser um dos maiores símbolos econômicos e culturais<br />

dessa terra numa época em que teve total importância no<br />

orçamento familiar, completando perfeitamente a atividade<br />

pesqueira. Não só pela beleza das peças, mas também<br />

pelo encanto dos movimentos traçados no tabuleiro, é<br />

uma atividade que passa por gerações e está guardada no<br />

imaginário popular.<br />

PRAIA DA ILHA DO FAROL<br />

Eleita por anos sucessivos, a praia mais perfeita do<br />

Brasil pelo Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (INPE).<br />

O que levou à preferência foram elementos como a cor e<br />

temperatura da água, a cor da areia, a temperatura média e<br />

a velocidade dos ventos. Tudo que se espera de uma praia<br />

virgem e paradisíaca. Controlada pela Marinha, que mantém<br />

uma base no local, e só permite desembarcar na praia com<br />

autorização, tem 1 km de extensão de um dos mais belos<br />

cenários do litoral brasileiro.<br />

PRAIA DO PONTAL<br />

Localizada entre a Praia do Foguete e o Morro do Mirante, o<br />

lugar é para quem quer tranquilidade e privacidade fora da temporada.<br />

É uma praia onde existem alguns barracões de pesca<br />

artesanal bem típico da região e canoas que fazem a pesca de<br />

arrastão e propicia um clima de um paraíso perdido. No final da<br />

praia à direita, encontra-se uma ponta de terra avançando entre o<br />

morro e o mar que é utilizado pelos amantes da pesca de vara.<br />

PRAIA DOS ANJOS<br />

É ponto de partida de barcos e escunas que levam turistas<br />

para conhecerem diversos lugares paradisíacos. Fica na Enseada<br />

dos Anjos e é a Praia mais famosa e importante da Região, pois<br />

tem um extremo valor histórico. É lá que está o marco da fundação<br />

da cidade, por Américo Vespúcio.<br />

AS PRAINHAS DO PONTAL<br />

Dividida em duas e separadas por rochas, proporciona acesso por<br />

trilhas ou pelo mar. Sua natureza deslumbrante já serviu de cenários<br />

para diversos comerciais de circulação nacional. Localizada aos pés do<br />

morro do Pontal do Atalaia, e fica de frente para a Ilha do Farol e está<br />

a 4 km do centro da cidade. Uma das águas mais claras e de maior<br />

visibilidade da Região dos Lagos. As prainhas são, na verdade, duas<br />

pequenas praias separadas por uma rocha e tem 1 km de extensão.<br />

PRAIA BRAVA<br />

Praia do oceano, perigosa para banhos. É a preferida dos<br />

surfistas e pescadores. Fica localizada do lado de fora do Morro<br />

Gruta Azul.<br />

Praia da Ilha do Farol.<br />

30


Praia do Pontal com os barracões e barcos dos pescadores.<br />

do Pontal do Atalaia, este acesso é o único. A Praia Brava, com<br />

200 metros de extensão, só aparece na maré baixa, vista de<br />

cima do morro, seu visual é assustador, a praia é completamente<br />

selvagem.<br />

PRAIA DO FORNO<br />

A praia do forno é acessível somente por barco ou trilha<br />

íngreme. Além da mata preservada, águas claras e corais, abriga<br />

um restaurante flutuante especializado em ostras e mariscos.<br />

PRAIA GRANDE<br />

Praia de ondas fortes, é frequentada por surfistas, por ser<br />

cenário de campeonatos de surf. No lado esquerdo é urbanizada,<br />

tem quiosques, e reune adeptos de esportes náuticos.<br />

PRAINHA<br />

Uma das mais frequentadas e centrais da região. É<br />

urbanizada , tem quiosques e águas mansas. Uma trilha leva<br />

à praia da Graçainha, de apenas 15 metros, ponto para prática<br />

de mergulho.<br />

Praia dos Anjos (antiga Praia da Rama).<br />

FAROL VELHO E NOVO<br />

No ponto mais alto de toda a Região dos Lagos, a 390<br />

metros do nível do mar, o Farol Velho concluído em 1836 é o<br />

grande monumento histórico da cidade, foi desativado anos<br />

depois por ser constantemente encoberto por nuvens. Construído<br />

pelo Major Belegard por ordem do Imperador Dom P<strong>ed</strong>ro<br />

II, em 1836, tinha a missão de sinalizar as embarcações o<br />

posicionamento da Ilha do Cabo Frio, ou Ilha do Farol, como<br />

ficou conhecida após essa construção. Atualmente em ruínas,<br />

pode ser visto de perto por quem pegar uma trilha com aproximadamente<br />

duas horas de duração, que parte do Maramutá<br />

(é preciso autorização da Marinha). Além do monumento, a<br />

maior recompensa para os aventureiros é a vista deslumbrante<br />

que alcança o mar aberto e diversas cidades da região.<br />

(*) Para a realização desta matéria em Arraial do Cabo,<br />

contamos com a colaboração do Secretário de Turismo,<br />

Marco Antônio Barreto Simas, da Guia de Turismo Elaine, do<br />

pescador Totonho, além de informativos da Secretaria de<br />

Turismo.


Entrevista<br />

32<br />

Secretário de Turismo de<br />

Arraial do Cabo – RJ. Marco<br />

Antônio Barreto Simas<br />

Por: José Carlos Reis de Souza<br />

A equipe da Revista Empresas do vale e TV Metropolitana ficaram<br />

lisonjeadas pela receptividade do Secretário de Turismo de<br />

Arraial do Cabo – RJ, Marco Antônio Barreto Simas, que nos recebeu<br />

e conc<strong>ed</strong>eu uma entrevista falando sobre as peculiaridades<br />

do município.<br />

E.V. – Começamos a nossa entrevista perguntando como<br />

funciona a gastronomia neste paraíso ecológico?<br />

M.A. - Nós temos uma gastronomia típica, muito forte, baseada<br />

em frutos do mar que é a nossa tradição e característica,<br />

com muitos pratos diferentes. Também têm a força da carne de<br />

restaurantes especializados, que estão chegando. Enfim todos os<br />

pratos são maravilhosos.<br />

E.V. – Você poderia falar um pouco sobre a tradição das<br />

igrejas construídas pelos primeiros colonizadores?<br />

M.A. – Igrejas históricas têm, Nossa Senhora dos Remédios<br />

do século XVI, muito bonita, querida pela comunidade por estar<br />

dentro do largo histórico onde o povoamento começou na Praia<br />

dos Anjos. É considerada a primeira igreja no Brasil onde foi realizada<br />

a primeira missa em área coberta. Atualmente ela está em<br />

processo de tombamento, também temos a Igreja Matriz.<br />

E.V. – Gostaríamos de saber sobre os pontos de visitação<br />

do Arraial do Cabo?<br />

M.A. – Com certeza, o forte do turismo é o geográfico, a cidade<br />

proporciona uma geografia exuberante, temos o Pontal do<br />

Atalaia que é um braço de terra que avança no oceano onde tem<br />

praias paradisíacas neste local, as Prainhas, Praia Brava, área de caminhadas<br />

e um lugar maravilhoso para ver o por do sol. Temos a<br />

Praia Grande com quase 40 km de extensão e que ainda conserva<br />

a vegetação nativa. Incluímos a parte cultural que agora começamos<br />

a destacar: o largo histórico, as manifestações culturais, as<br />

casas de cultura, o artesanato típico, as casas dos artesãos, os paióis<br />

de pesca tradicional (comunidade pesqueira), a pesca artesanal<br />

de arrastão que ainda é feito e o turista participa muito, além<br />

de pontos de mergulho, passeio de escuna (visitação a diversas<br />

praias) e Museu Oceanográfico. A cidade oferece muitos pontos<br />

atrativos a todos que vem passar férias ou finais de semana.<br />

E.V. – Outro detalhe importante, a arqueologia na região<br />

é abundante?<br />

M.A. – A cidade inteira é um sítio arqueológico, nós temos<br />

vários pontos que estão sendo estudados, alguns sítios arqueológicos<br />

já foram registrados pelo IPHAN, mas tem alguns pontos de<br />

vestígios de civilizações antigas de grupos nômades, antes dos<br />

índios Tupinambás que estão em estudo. Exemplo; o sítio “Ilha<br />

do Farol” é super importante, foi descoberto há pouco tempo e<br />

está sendo estudado ainda e não é divulgado, mas é uma porta<br />

importante para a pesquisa do turismo científico mais a frente.<br />

E.V. – Como funciona a cultura pesqueira em Arraial do<br />

Cabo?<br />

M.A. – Nós somos um dos municípios da região dos lagos<br />

que ainda conserva o jeito de falar, vestir e pesca artesanal (que<br />

cultiva o jeito típico de pescar desde os primórdios), é um dos<br />

José Carlos entrevista o Secretário de Turismo de Arraial do Cabo,<br />

Marco Antônio Barreto Simas.<br />

poucos locais que tem a pesca artesanal de arrastão que o turista<br />

participa e ainda ganha o peixe no final. Tudo é fascinante,<br />

incluímos vários pontos de pesca com linha e anzol nas encostas<br />

do Arraial do Cabo. No próprio Pontal do Atalaia tem vários<br />

pontos pesqueiros que no final da tarde o turista vê o por do sol<br />

e fica contemplando os pescadores nas p<strong>ed</strong>ras, que é uma pesca<br />

difícil, o mar bravio quebra na p<strong>ed</strong>ra. Se você quer fazer um<br />

turismo e participar de uma pesca desta, tem pescadores que<br />

acompanham e dão total segurança.<br />

E.V. – Como funciona o processo para que o turista possa<br />

participar de mergulho?<br />

M.A. – Atualmente nós temos diversas operadoras de mergulho,<br />

totalmente registradas e com sistema de segurança, além<br />

da Capitania dos Portos que faz a segurança do mar e do município<br />

e todos têm que cumprir as normas. Hoje, Arraial do cabo<br />

está dentro de uma reserva extrativista e tudo é fiscalizado. É<br />

possível fazer mergulho, desde que seja com uma das operadoras<br />

cadastradas.<br />

E.V. – Outro detalhe importante para o turista é ter conhecimento<br />

das festas religiosas e folclóricas do município?<br />

M.A. – Existe a tradicional festa da padroeira da cidade que<br />

acontece no mês de outubro, é uma quermesse com barracas<br />

e comidas típicas e parte religiosa. Além disso, incluímos um<br />

calendário de eventos muito interessante baseado no aspecto<br />

cultural; “Festival da Lula”, que é um molusco do mar muito<br />

gostoso, existem diversos tipos de pratos durante o festival.<br />

Proporcionamos o “Festival de Cinema”, “Festival Gastronômico”<br />

em agosto. Enfim, nós trabalhamos em cima de um calendário<br />

de eventos que possa atrair um visitante mais qualitativo e mais<br />

interessado em conhecer a cidade e não só em curtir a praia,<br />

mas também em conhecer a cultura e as coisas interessantes da<br />

cidade.<br />

E.V. – Para finalizar o nosso bate-papo gostaria que você<br />

desse um recado a todas as pessoas e operadoras que queiram<br />

visitar Arraial do Cabo com ônibus?<br />

M.A. – Estamos trabalhando na cidade justamente para ordenar<br />

o turismo no município, o morador reclamava muito do tipo<br />

de visitante que a cidade recebia, do tipo de turismo de massa<br />

muito forte. A Secretaria de Turismo vem trabalhando e criando<br />

algumas ações para ordenar o turismo na cidade, hoje tem um<br />

corpo técnico na Secretaria de Turismo que fiscaliza os ônibus<br />

que entram na cidade e que faz cumprir as leis municipais, estadual<br />

e f<strong>ed</strong>eral. O ônibus e o guia tem que ser cadastrado no<br />

Ministério. Essa forma de fiscalizar ordena mais a nossa atividade<br />

turística e, nós temos notado que o perfil de turista tem mudado<br />

na cidade, nós recebíamos um turismo de massa e após 20 meses<br />

de trabalho nós já notamos que tem um turista diferente e<br />

mais qualitativo, a hotelaria está mais forte. Dessa forma a gente<br />

faz com que o morador fique mais feliz e receba um turista mais<br />

qualitativo..


Entrevista<br />

Pescador Totonho<br />

Por: José Carlos Reis de Souza<br />

José Carlos (TV Metropolitana) entrevistando Totonho (pescador).<br />

Totonho é um dos pescadores mais antigo de Arraial do Cabo, e que vive da pesca de<br />

arrastão. Ele é um personagem que faz parte do folclore e da cultura local, recebe amigos<br />

e turistas para contar um pouco da história da comunidade. A Revista Empresas do<br />

Vale e a TV Metropolitana não poderiam terminar a matéria sem conversar e saber um<br />

pouco da vida pessoal e profissional deste pescador.<br />

E.V. – Para começar a nossa<br />

conversa gostaria de saber um<br />

pouco de suas atividades na Praia<br />

do Pontal?<br />

T. – Sou nativo de Arraial do<br />

Cabo e vivo na Praia do Pontal há<br />

40 anos. Assim como meus bisavôs,<br />

avós e pais que viveram da pesca<br />

eu também dei continuidade a<br />

profissão de pescador. Além da<br />

pesca de arrastão, nós estamos<br />

desenvolvendo a cultura do marisco<br />

e procuramos preservar a natureza.<br />

A Praia do Pontal tem uma história<br />

triste, na época da escravidão, um<br />

navio foi a pique e uma menina<br />

desapareceu e foi localizada morta<br />

no dia seguinte e até hoje permanece<br />

uma cruz com o nome da menina.<br />

E.V. – Qual é o seu estado civil?<br />

T. - Fui casado e tenho três filhos,<br />

mas já estou separado há nove anos<br />

sem crise familiar, sempre mantenho<br />

a minha responsabilidade de pai e<br />

cultivo uma boa amizade. Sou uma<br />

pessoa feliz e estou sucessivamente<br />

com um grupo de amigos e que<br />

nunca me deixa sozinho, uns vêm<br />

durante o dia e outros à noite para<br />

passar algumas horas e bater um<br />

bom papo.<br />

E.V. – Quantos pescadores vivem<br />

na vila de pescadores aqui na<br />

Praia do Pontal?<br />

T. – Nós fazemos parte de um<br />

grupo de quatro pescadores, porém<br />

somente a minha pessoa mora nesta<br />

vila, já o restante dos companheiros<br />

vêm todos os dias, pescam e no final<br />

do dia retornam para suas casas, sou<br />

considerado o guardião da Praia do<br />

Pontal, não permitindo que os usuários<br />

deixem lixos ou façam bagunça.<br />

E.V. – Nós participamos juntamente<br />

com o Secretário de Turismo<br />

e um grupo de turista, de um Luau<br />

aqui na Praia do Pontal, exatamente<br />

em frente à Vila de pescadores.<br />

Este Luau faz parte do calendário<br />

da comunidade?<br />

T. – A secretaria de Turismo está<br />

fazendo este piloto do “Luau” e vendo<br />

qual e a receptividade e a possibilidade<br />

de constar no calendário para dar<br />

mais uma opção aos turistas.<br />

E.V. – Para finalizar, a pesca nesta<br />

região é abundante ou já está<br />

escassa?<br />

T – Na realidade, Arraial do Cabo era<br />

uma pequena aldeia com abundância<br />

de peixes, e como eu disse, vivemos<br />

exclusivamente da pesca. Na década<br />

de 40 chegaram as algas, em seguida<br />

as grandes embarcações com<br />

equipamentos modernos tirando a<br />

nossa possibilidade de praticar uma<br />

boa pesca de arrastão e atualmente são<br />

as r<strong>ed</strong>es de espera colocadas em nossa<br />

baia que é proibida e os peixes não<br />

passam. Na Praia Grande é a passagem<br />

dos cardumes de tainhas e anchovas<br />

que vêm de Santa Catarina costeando<br />

todas as praias até chegar ao Norte para<br />

desovarem. Nesta passagem por Arraial<br />

do Cabo os cardumes encontram<br />

as r<strong>ed</strong>es de espera de mais de 2 mil<br />

metros que saem da praia, fazendo<br />

com que grande parte do cardume<br />

volte e passe por fora das r<strong>ed</strong>es. Por<br />

isso nós estamos mal de pescaria. Se<br />

não houver uma conscientização<br />

das autoridades, principalmente da<br />

Secretaria de Turismo para proibir este<br />

tipo de pesca, a nossa pesca nativa<br />

vai acabar. Na pesca nativa os peixes<br />

vêm ao nosso encontro, visto que nós<br />

temos um companheiro que fica no<br />

penhasco localizando o cardume e<br />

nos avisa e, remando vamos fechando<br />

com a r<strong>ed</strong>e o cardume. Já as grandes<br />

traineiras com motores potentes vão<br />

de encontro ao cardume através de<br />

monitoramento.


Entrevista<br />

Paulo Ribeiro, Sociólogo, Empresário<br />

e Proprietário de três<br />

Pousadas e um Albergue no<br />

Arraial Do Cabo – Rio de Janeiro.<br />

José Carlos entrevistando o empresário e sociólogo Paulo Ribeiro.<br />

Por: José Carlos Reis de Souza<br />

Em Arraial do Cabo fomos privilegiados pela receptividade do empresário<br />

Paulo Ribeiro, que passou uma manhã como nosso cicerone e depois nos conc<strong>ed</strong>eu<br />

uma entrevista.<br />

E.V. – Gostaria que você formatasse<br />

o seu perfil profissional?<br />

P.R. - Meu nome é Paulo Ribeiro , estudei<br />

em São Paulo onde participei de<br />

todas as batalhas políticas estudantis<br />

das décadas de 50 e 60. Depois viajei<br />

para Paris onde fiquei durante oito anos<br />

cursando graduação em Sociologia e<br />

Psicologia Social. Após este período<br />

na França, voltei ao Brasil e fui trabalhar<br />

nas Centrais Elétricas de São Paulo<br />

em Mato Grosso na Usina de Jupiá de<br />

Ilha Solteira. Trabalhei em São Paulo na<br />

Companhia do Metrô como sociólogo<br />

desde o início quando se pensava<br />

em implantar um transporte de massa.<br />

No Rio de Janeiro trabalhei durante 15<br />

anos no Banco Nacional da Habitação<br />

com população de baixa renda, cooperativas<br />

habitacionais e desenvolvi um<br />

trabalho de qualificação e treinamento<br />

para o sistema financeiro da habitação.<br />

Esse trabalho permitiu que eu rodasse<br />

o país inteiro. Após está temporada no<br />

BNH fui para Arraial do Cabo pensando<br />

em descansar e não mais trabalhar<br />

como uma opção de vida. Mas quem<br />

trabalhou, e quem fez estudos em matérias<br />

sociais em sociologia e em psicologia<br />

social não consegue ficar parado,<br />

vendo os problemas, os conflitos e as<br />

possibilidades de soluções nas áreas<br />

urbanas a serem resolvidos. Áreas urbanas<br />

é sempre um lugar de conflito<br />

e eles têm que serem resolvidos pelos<br />

interesses. Aqui em Arraial do Cabo,<br />

quando cheguei para viver o resto dos<br />

meus dias, tive que assumir algumas<br />

posições em defesa do meio ambiente<br />

numa perspectiva do desenvolvimento<br />

da cidade que não fosse tão<br />

devastador e compromet<strong>ed</strong>or do meio<br />

ambiente. Trabalhei ajudando a prefeitura<br />

na elaboração do “Plano Diretor da<br />

Cidade”. Trabalhei também na montagem<br />

e organização dando apoio a criação<br />

de entidades sociais (Organizações<br />

não Governamentais) como a Associação<br />

dos Moradores e Cooperativas.<br />

E assim continuei trabalhando nesse<br />

ramo maravilhoso que é a sociologia,<br />

o entendimento do social e com isso<br />

vai se desenvolvendo. Como atividade<br />

para sobrevivência, iniciei montando<br />

uma pousada na casa onde eu morava<br />

e que deu certo pela d<strong>ed</strong>icação e<br />

colaboração de auxiliares que vieram<br />

trabalhar comigo. Atualmente tenho<br />

três pousadas pequenas, modestas e<br />

um albergue. Continuo trabalhando<br />

nisso pelo desenvolvimento da cidade<br />

e engajado nestas questões sociais do<br />

município e até da região.<br />

E.V. – Qual a diferença entre pousada<br />

e albergue?<br />

P.R. – A pousada é uma <strong>ed</strong>ificação<br />

para receber hosp<strong>ed</strong>es que venham<br />

para desfrutar do laser cultural, cientifico<br />

e lúdico de praias. Abrigam hosp<strong>ed</strong>es<br />

e tem um perfil próprio de atendimento<br />

ao cliente, pois o hosp<strong>ed</strong>e espera<br />

que ela tenha um contato direto não só<br />

com a cidade como as possibilidades<br />

de recreação e o próprio pessoal que<br />

trabalha nas pousadas. As pousadas<br />

em geral são menores e permitem esse<br />

contato com seus hosp<strong>ed</strong>es. Diferente<br />

dos grandes resorts que se desenvolve<br />

no país a fora, as pousadas são mais<br />

adequadas para cidades menores e de<br />

áreas mais restritas e que não tenham<br />

áreas para desenvolvimento de grandes<br />

construções e ocupações de terrenos.<br />

O cálculo que se faz do aproveitamento<br />

do espaço dos grandes resorts muitas<br />

vezes é prejudicial à cidade, porque<br />

esses grandes resorts isolam grandes<br />

áreas, comprometendo e reservando<br />

para os hosp<strong>ed</strong>es geralmente turistas<br />

estrangeiros limitando o intercambio<br />

com a comunidade local. Mesmo a aplicação<br />

do capital aplicado, geralmente<br />

é de fora do país e que vendem o produto<br />

no país de origem. Os grandes resorts<br />

de turismo nem sequer circulam<br />

dinheiro dentro do município. Pousada<br />

tem esta característica de ser menor e,<br />

como dizia o autor americano Schumaker,<br />

“pequeno é bonito”. Albergue<br />

é outra realidade, é um espaço dentro<br />

da cidade para albergar jovens que<br />

querem intercambiar, lógico que algum<br />

34


jovem que chega para se hosp<strong>ed</strong>ar em<br />

uma cidade como a nossa ou outra<br />

qualquer ele vai ter que conversar, comer,<br />

cuidar dos próprios afazeres dentro<br />

da cidade. Se ele não sabe a língua<br />

ele encontra nestes locais uma língua<br />

de intercambio e companhia para partilhar.<br />

Os albergues podem atender muito<br />

bem um perfil de viajante que viaja<br />

sozinho. Os albergues são dotados de<br />

dormitórios, banheiros, equipamentos<br />

de higiene, lavanderia, e cozinha comunitária,<br />

(qualquer um pode fazer a sua<br />

comida, isso é outra dificuldade para<br />

estrangeiros que querem comer a alimentação<br />

que sempre comeram). Tem<br />

uma lavanderia para que ele possa lavar<br />

a sua própria roupa. O albergue sempre<br />

é uma festa, é um encontro internacional<br />

de hósp<strong>ed</strong>es do mundo inteiro.<br />

E.V. – Arraial do Cabo está começando<br />

a aportar grandes construções,<br />

isto não começa a quebrar a<br />

hegemonia de uma cidade pequena<br />

e histórica?<br />

P.R. – Evidentemente que a construção<br />

de grandes prédios, se não for<br />

ordenado, vai gerar um crescimento<br />

muito nocivo para as nossas cidades. O<br />

Brasil com 8 mil km de costa concentra<br />

uma grande parte da população<br />

no litoral e, são áreas de laser em que<br />

as pessoas querem se mudar para lá. O<br />

que está ocorrendo é a explosão das<br />

necessidades das pessoas se deslocarem<br />

para se distraírem. Então, uma cidade<br />

pequena como Arraial do Cabo, é<br />

vitima deste crescimento desordenado.<br />

Como não há recursos próprios do município<br />

para ordenar este crescimento,<br />

isso se faz muitas vezes pelo empreend<strong>ed</strong>or<br />

que vem de fora e de outros<br />

estados e, aqui acontece muito isso,<br />

constroem prédios que são comercializados<br />

em outras capitais. E os novos<br />

proprietários acabam utilizando os<br />

apartamentos uma ou duas vezes por<br />

ano, deixando assim a cidade deserta<br />

e sem atividade econômica própria e<br />

sem a possibilidade de aumento de<br />

emprego e renda. A construção imobiliária,<br />

como diz o Carlos Lessa, é uma<br />

atividade de piratas ou de ciganos. O<br />

empreend<strong>ed</strong>or vem com mão de obra<br />

de fora para as construções e após o<br />

término das construções, essas pessoas<br />

não vão embora, ficam na cidade<br />

sem ter trabalho. O capital investido é<br />

um capital cigano, não passa por aqui,<br />

ele é originário de outros lugares e<br />

ficam por lá não trazendo benefícios<br />

para o município. Claro que precisaria<br />

de um trabalho muito intenso, d<strong>ed</strong>icado<br />

e profundo dos responsáveis regionais<br />

(Prefeito e Câmara dos Vereadores)<br />

que estivessem prevendo o que<br />

está acontecendo e orientando esse<br />

crescimento no sentido de criação<br />

de empregos e renda, sem destruir as<br />

possibilidades do local.<br />

E.V. – Para finalizar a nossa entrevista,<br />

você poderia falar sobre<br />

a matança e a comercialização de<br />

carne de baleia que existiu em Arraial<br />

do Cabo?<br />

P.R. – Nas décadas de 40 e 50 aportaram<br />

em Arraial do Cabo empresas<br />

com grandes barcos apropriados que<br />

abatiam, embalavam e exportavam carne<br />

de baleias para o Japão. Estes empresários<br />

fizeram um esforço para estabelecerem<br />

pontos de caça das baleias em<br />

Arraial do Cabo e no Estado da Paraíba,<br />

além de tentarem no município a cultura<br />

do consumo da carne de baleia. Porém<br />

essa cultura não deu certo. A costa brasileira<br />

é rota das baleias, elas partem do<br />

Pólo Sul e sobem para amamentarem<br />

os filhotes em torno de Abrolhos. Arraial<br />

do Cabo é o lugar em que elas mais se<br />

aproximam da costa e isto era um prato<br />

feito para os japoneses abatê-las. Após<br />

serem abatidas, eram esquartejadas<br />

no cais, depois embaladas, vendidas e<br />

exportadas. Na época era uma grande<br />

mortandade, depois foi suscitando a<br />

consciência ambiental da proteção da<br />

baleia como uma espécie que estava<br />

sendo extinta e houve uma repressão<br />

internacional estabelecendo cotas para<br />

os japoneses e noruegueses, que não<br />

comem carne de baleia, mas vendem<br />

toda a produção para o Japão. O Japão<br />

continua a caçar, tendo uma cota<br />

de 500 baleias por ano para estudos<br />

científicos, dizem, mas não é verdade,<br />

são orientados clandestinamente para<br />

o comércio. Infelizmente esse episódio<br />

aconteceu em Arraial do Cabo e graças<br />

a Deus, com essa repercussão internacional<br />

contra a matança das baleias, nós<br />

não temos mais essa atividade, mas ficaram<br />

alguns resquícios: Rua Tóquio, um<br />

bairro chamado Baleia e alguns galpões<br />

que depois foram assumidos pela Marinha<br />

do Brasil onde hoje está o Instituto<br />

de Pesquisa de Ciências do Mar.<br />

Nas décadas de 40 e 50 aportou em Arraial do Cabo empresas com grandes barcos<br />

apropriados que abatiam, embalavam e exportavam carne de baleias para o Japão


Entrevista<br />

Elaine, Guia de Turismo<br />

de Arraial do Cabo<br />

Por: José Carlos Reis de Souza<br />

Elaine (Guia de Turismo) sendo entrevistada por José Carlos.<br />

Em um dos passeios encontramos Elaine, a guia de turismo que comandava uma turma<br />

de turistas, dentre eles a nossa equipe de reportagens. Nós aproveitamos e conversamos<br />

com ela em pleno passeio de escuna.<br />

E.V. – Gostaria que você falasse um pouco desta maravilhosa<br />

praia que observamos de dentro da escuna?<br />

E. – Nós estamos em frente à Praia do Forno, é um ponto<br />

maravilhoso para quem gosta de fazer mergulho de observação.<br />

Existem muitas espécies de peixes e farta vida marinha.<br />

Para quem gosta de fazer caminhada, temos a trilha da Praia<br />

do Forno que é perfeita para se fazer um eco turismo, é uma<br />

unidade de conservação onde o turista tem oportunidade de<br />

observar toda a flora e fauna típica da região, além da vista<br />

panorâmica da trilha você tem uma visão ampla da praia do<br />

Forno.<br />

E.V. Aproveitando a oportunidade, como é a gastronomia<br />

de Arraial do Cabo?<br />

E. – Já que vamos falar em gastronomia, durante o passeio<br />

nós passamos por um restaurante flutuante, onde os pratos<br />

são preparados com frutos do mar cultivados aqui mesmo. E<br />

bem próximo ao restaurante existe uma fazenda de maricultura<br />

(cultivo de organismos marinhos em seus habitat naturais),<br />

para quem gosta de vieira.<br />

E.V. – Quais os outros atrativos que o turista tem<br />

quando sai de escuna?<br />

E. – Outro atrativo turístico de Arraial do Cabo é a Gruta<br />

Azul com uma profundidade de 30 metros, na qual só podem<br />

entrar barcos pequenos e com boas condições do mar. O<br />

nome Gruta Azul foi dada devido à tonalidade da água bem<br />

azul, portanto vale a pena ser visitada.<br />

E.V. – E a arqueologia nesta região é muito<br />

considerável?<br />

E. – Em Arraial do Cabo nós temos diversos sítios<br />

arqueológicos e que serve de estudo para aqueles que fazem<br />

faculdade de arqueologia. Nestes sítios já foram resgatados<br />

muitas peças que contam a história da comunidade local.<br />

E.V. – Como funciona a parte de mergulho?<br />

E. – Em Arraial do Cabo temos várias operadoras que tem<br />

parcerias com o IBAMA e que trabalham esse tipo de esporte<br />

(mergulho). Nossa região tem vários pontos de mergulhos<br />

devido à quantidade de naufrágios ocorridos. Além dos recifes<br />

naturais, existem os recifes artificiais devido aos naufrágios.<br />

E.V. – Gostaria de saber um pouco sobre as restingas?<br />

E. – Além das praias, temos a parte das restingas, uma<br />

delas é a de Massambaba (nome originário da árvore<br />

chamada maçã braba). Temos o orquidário e aves que só se<br />

encontram nesta região da costa do sol. Para quem gosta<br />

de fazer turismo de observação na área da fauna e da flora, a<br />

restinga da Massambaba é excelente.<br />

E.V. – Para encerrar o nosso bate papo, você poderia<br />

comentar sobre a “Casa da Poesia”?<br />

E. – A Casa da Poesia foi à casa onde viveu o poeta<br />

Victorino Carriço que fez o hino da cidade e influenciou muito<br />

os habitantes da comunidade. Atualmente é um espaço<br />

cultural e interessante que foi reestruturado para atender as<br />

pessoas que gostam de ler.<br />

36


Univinho<br />

Universidade do Vinho<br />

03/12 – A UNIVINHO reuniu todos os confrades nas dependências<br />

do Continental Inn para comemorar o encerramento de<br />

mais um ano.<br />

Arimathéa, Carmona, Carlos, Antonio, Dirceu, Prata, Antônio e Luiz.<br />

Amanda, Arthur, Antonio, Cássio. Adriana, Isabele<br />

e Isabel.<br />

Arimathéa, Nilcéa, Isabel, Ravani, Bernadete e<br />

Fábio.<br />

Coli, Américo, Dirceu, Suely, Lourival, Carlos e<br />

Marlene.<br />

Cris, Rosangella, Prata, Carlos, Antônio, Ianes,<br />

Carmona, e Felipe.<br />

Lourival, Suely, Miriam, Maier, Dirceu e Janice.<br />

Cássio, Adriana, Antonio. Isabel, Amanda e Isabella.<br />

Hilda, Assis, Maria Eugênia, Alexandre, Hailton<br />

e Ana.<br />

Luiz Cláudio, Maier e Assis.<br />

Hodges Danelli, Antonio Jorge, Maria Cláudia,<br />

Fernando Takao, Débora e Eduardo.<br />

<strong>38</strong>


Social Vale<br />

Por José Carlos Reis de Souza<br />

r<strong>ed</strong>acao@revistaempresasdovale.com<br />

CREA – APRESENTA SUA SEDE EM TAUBA-<br />

TÉ<br />

11/12 – A diretoria do Conselho Regional<br />

de Engenharia, Arquitetura e Agronomia<br />

reinauguraram a sua s<strong>ed</strong>e localizada<br />

na Av. Santa Luiza de Marillac, 1347 – Vila<br />

São José. Na oportunidade apresentaram<br />

um balanço dos trabalhos e projetos do<br />

Conselho.<br />

1- Rolando, Vinícius, Marcelo, Garcêz, Tadeu,<br />

Shibata, Ana Julia e Nelson. 2- Elizabeth,<br />

Rolando, Vinícius, Carlos, Marcelo, Eurico, Garcêz<br />

e Tadeu. 3- Tadeu (pres. do CREA) e Rolando,<br />

descerrando a placa de inauguração da<br />

nova séde. 4- Foto com todos os engenheiros.<br />

1<br />

CAMÂRA MUNICIPAL HOMENAGEIA O DIA<br />

DO ENGENHEIRO<br />

09/12 – A Câmara Municipal de Taubaté,<br />

em solenidade ao dia do engenheiro,<br />

dois profissionais da área foram<br />

escolhidos para serem homenageados:<br />

Engº Breno Botelho Amaral Gurgel (pres.<br />

do Sind. dos Engenheiros do Est. de São<br />

Paulo – Delegacia Taubaté) e Engº Eduardo<br />

Vieira Dias, por serviços prestados a<br />

região do Vale do Paraíba.<br />

1- Engº. Breno Botelho. 2- Engº. Eduardo<br />

Vieira Dias. 3- Fernando, Eduardo, Marilia, Debora<br />

e ver. Luizinho. 4- Luizinho, Engº. Breno e<br />

Engº. Filipini.<br />

1<br />

TERRA TÁTIL – ATELIÊ DE CERÂMICA AR-<br />

TÍSTICA<br />

16/12 - Taubaté ganha espaço para<br />

cursos de “Modelagem em argila”, “Esmaltação”<br />

e “Projeto Esmaltação Personalizada”<br />

. A coordenadora Talitha Cunha<br />

preparou um grande coquetel para apresentar<br />

o espaço com diversos trabalhos<br />

de artistas como: João Branco, Demétrius,<br />

Sidnei Costa, Alexandre Malosti, Fordão,<br />

entre outros. Para maiores informações:<br />

Tel: (12) 3635-5315 / 9770-8509 - terratatil@.blogspot.com<br />

- www.terratatil@<br />

gmail.com<br />

1- Artesãos - Fordão, Demétrius, Sidnei<br />

Costa, Alexandre Malosti, Rafael Santos e João<br />

Branco. 2- Demétrius. Fordão, Neusa, José Roberto,<br />

Helena e Talitha. 3- Camões, Demétrius<br />

e Dr. Carlos Dionísio. 4 e 5 - Peças trabalhadas.<br />

1<br />

2<br />

2<br />

2<br />

3<br />

3<br />

3<br />

4<br />

4<br />

4<br />

5<br />

40


CÂMARA DOS VEREADORES<br />

A Câmara dos Vereadores de Taubaté,<br />

sob a presidência da vereadora em exercício<br />

Maria Gorete de Tol<strong>ed</strong>o, outorgou<br />

ao Dr. Caio Lucio Soubhia Nunes, o título<br />

de cidadão taubateano em solenidade<br />

realizada na Câmara. Durante o preleção,<br />

o vereador Luizinho da farmácia enfatizou<br />

o desempenho do paulistano que se<br />

mudou para Taubaté, com finalidade de<br />

fazer m<strong>ed</strong>icina na Unitau, na qual se formou<br />

em 1997.<br />

SEESP – SINDICATO DOS ENGENHEIROS<br />

DO ESTADO DE SÃO PAULO<br />

21/12 – O SEESP reuniu todos os diretores,<br />

funcionários, familiares e amigos<br />

em um sito na cidade de Atibaia para a<br />

sua festiva. Na oportunidade componentes<br />

da “Escola de Samba Vai – Vai” com<br />

suas mulatas agitou a festa.<br />

1- Edvar, Leandro, Valeria, Joyce e Rosana.<br />

2- Fernando, Flávio, Bibbo, Edilson, Fernando,<br />

Silvia, Murilo, Debora, Paula, Fernanda e Jonas.<br />

3- Márcia e Azuma. 4- Luis, Andréia, Rosana<br />

e Leandro. 5- Ivete e Bibbo.<br />

1<br />

SERRARIA TAUBATÉ<br />

18/12 - A empresa Serraria Taubaté,<br />

através de seu proprietário Luiz Tuan<br />

Neto ( Pita) , realizou uma missa campal<br />

celebrada pelo padre Afonso Lobato. Em<br />

seguinda todos os funcionários , familiares<br />

e amigos, participaram de um grande<br />

almoço com Churrasco de Chão<br />

1- Bico Farso, Carmona, Pita Tuan e Albertino.<br />

2- Ducarmo, Marli , Thalita, Dr. Edinelson e<br />

Fátima. 3- Padre Afonso, Beto e Tatá.<br />

1<br />

1- Dr. Caio Lúcio Soubhia Nunes fazendo os<br />

agradecimentos. 2- Dr. Camilo, Dr. Rene, Maria<br />

Paula, Dr. Caio, Drª Iara, Ana Beatríz, Lais Helena<br />

e Luiz Henrique. 3- Dr. Caio, Dr. Roberto,<br />

Luiz Henrique e Dr. Rene. 4- Anderson, Dr. Caio,<br />

Amanda e Dr. Fr<strong>ed</strong>erico.<br />

1<br />

2<br />

2<br />

2<br />

3<br />

3<br />

3<br />

4<br />

4<br />

5<br />

AGÊNCIA MOLOTOV<br />

03/12 - A Molotov Propaganda não<br />

deixou por menos, fechou o ano de 2010<br />

com mais um troféu para a sua coletânea.<br />

No Fest Graf 2010 – Festival de Publicidade<br />

de Mídia Impressa realizado pela APP<br />

Ribeirão.<br />

Eduardo Spinelli e Fernando Griskonis, sócios<br />

da Molotov Propaganda, recebem o troféu de<br />

Bronze no FestGraf 2010.


Festiva do CIESP<br />

Taubaté<br />

10/12 – Foi realizada nas dependências do Buffet Imperial a<br />

festiva do CIESP Taubaté. Estiveram presentes diretores de diversas<br />

empresas, entidades militares e amigos que curtiram um<br />

grande jantar e muita musica.<br />

Albertino e Carlos Inocêncio (diretores do CIESP Taubaté).<br />

Andréia, Pita Tuan, Embercics e Ângela. Ana Paula, Torino, Franco e Flávia. Antonio e Mário (diretores da Tremembé Indústria<br />

química).<br />

Dr. Daniel, Rosiléia e Natanael. Armando e Sandra (pres. ACT). Miriam e José Rui (Reitor da UNITAU).<br />

Cida, Edy, Niilcéa, Lourdes, Arimathéa e Antonieta.<br />

Diego, Assis, Hilda, Regina, Marcos, Michel e<br />

Renata.<br />

Antônio, Flávio, Laércio, Fernando Takao,P<strong>ed</strong>ro,<br />

Régis e Valdelíro (SENAI Taubaté).<br />

42<br />

Jorge, Darci, Sinival (Mogimpex) e Cristina. Paulo, Liete e Célia. Leandra e Nobile (VW).


Valter e Bete. Tatiana, Getúlio, Santiago, Tortorello e Gesley. Jefferson (LG) e Relva.<br />

Jaqueline, Jorge, Edson e ver. Graça.<br />

Dr. Ravani, Ianes, Carlos, Isabela. Amanda,<br />

Cássio e Adriana.<br />

Alexandre Danelli, Geninha e Dra. Célia<br />

Regina, Dr. Joviano, Dr. Nelson, Nadia, Rosária,<br />

Alexandre, Dr. Boanerges e Drª Célia.<br />

Geninha, Bete Novaes, Rose e Cida.<br />

Helena, Alexandre, Junior (COTET) e Cláudia.<br />

Maria Cláudia e Antonio Jorge (SESI Taubaté). Valéria e Luiz. Helio (Malteria do Vale) e Gilce.<br />

Ângela e Hélio (Cotet). Marlene e Carlos (Posto Sogal). Isabel e Dr. Ravani (Rotary Club Taubaté Sul).


Momento Unim<strong>ed</strong> Taubaté<br />

Hospital São Lucas<br />

faz a sua grande<br />

festa<br />

17/12 - Todos os diretores, gerentes e funcionários do Hospital<br />

São Lucas, com exceção daqueles que teriam que dar continuidade<br />

ao atendimento aos seus usuários, aproveitaram uma<br />

grande noite com muita musica, comida e bebidas.<br />

Daniela, Thais, thaila, Alexsandra, Fabiana e Claudio.<br />

Luiz, Claudio e Drª Eulália. Aline, Sivaldo, Claudia e Andréia. Marina e Débora.<br />

Claudio, Claudenilda, Dr. Damião, Kaio e Fabiana.<br />

Maura, Beatriz, Lurdinha, Sivaldo, Claudia e<br />

Max.<br />

Fernanda, Andréia, Dito Rosa, Claudio, Miriam,<br />

Tânia e Claudete.<br />

Michele, Lucimara e Lisângela.<br />

Claudio, Valdirene e Darcy.<br />

Dito Rosa, Andréia, Fernanda, Tânia e Miriam.<br />

40 44<br />

Rodson e Natália.<br />

Gisele, Ana Paula e Claudinéia.<br />

Fernanda, Andréia, Claudio, Miriam e Tânia.


ANIVERSÁRIO DOS COOPERADOS<br />

UNIMED TAUBATÉ<br />

04/02 – A UNIMED Taubaté, através de<br />

seu presidente Dr. Boanerges realizou o<br />

famoso jantar especial de aniversário dos<br />

médicos cooperados dos meses de janeiro<br />

e fevereiro de 2011. Estiveram presentes<br />

diretores e familiares.<br />

1- Dr. Boanerges, Dr. Joviano e Dr. Nelson,<br />

ao lado de Todos os aniversariantes. 2- Dr. Boanerges,<br />

Dr. Nelson, Nadia e Drª Célia. 3- Dr. João<br />

Bosco, Julia, Drª Maria Isabel, Isabela e Lucas.<br />

4- Drª Melissa e Drª Cássia. 5- Dr. Joviano e Regina.<br />

6- Dr. Eduardo Saba e Maria Auxiliadora.<br />

7- Ana Maria e Dr. Evandro. 8- Daniel, Nicole e<br />

Nayla. 9- Dr. Athaide e Silvia Helena. 10- Dr. Antônio<br />

Wargas e Maria Odete. 11- Dr. Altimar e<br />

Drª Alba.<br />

1<br />

Social Unim<strong>ed</strong><br />

6<br />

7<br />

LG VISITA HOSPITAL SÃO LUCAS<br />

10/12 – O presidente da Unim<strong>ed</strong> Taubaté<br />

Dr. Boanerges, Dr. Ianacê (diretor<br />

do HSL), Dr. Manfr<strong>ed</strong>ini (diretor comercial<br />

Unim<strong>ed</strong>), Embercics (gerente de RH<br />

Unim<strong>ed</strong>), Alexandre Damas (gerente comercial<br />

Unim<strong>ed</strong>) e Claudio Cavicchiolli<br />

(gerente do HSL) receberam Jefferson<br />

(gerente de RH da LG) e uma equipe<br />

de profissionais para participar de uma<br />

apresentação da Unim<strong>ed</strong>. Na oportunidade<br />

conheceram todas as dependências<br />

atuais e as novas instalações em<br />

construção do Hospital São Lucas. A LG<br />

começa a fazer parte do grupo de empresas<br />

conveniadas.<br />

2<br />

8<br />

1- Dr. Manfr<strong>ed</strong>ini, Alexandre, Rosana,<br />

Thais, Dr. Ianacê, Dr. Boanerges, Jeferson, Ana<br />

Paula e Embersics. 2- Dr. Boanerges e Claudio.<br />

3- Dr. Boanerges fazendo a apresentação do<br />

Sistema Unim<strong>ed</strong> aos representantes da empresa<br />

LG. 4- Claudio mostrando a nova ampliação<br />

do Hospital São Lucas.<br />

1<br />

3<br />

9<br />

2<br />

4<br />

10<br />

3<br />

5<br />

11<br />

4


Momento Unim<strong>ed</strong> Taubaté<br />

Festiva Unim<strong>ed</strong><br />

Taubaté<br />

16/12 – A UNIMED Taubaté realizou a sua grande festa de<br />

final de ano em grande estilo, com jantar, bebidas e uma banda<br />

para animar a noite. Todos os funcionários e diretores estavam<br />

com suas devidas camisetas personalizadas.<br />

Vanessa, Bruna, Veridiana e Mariane. Priscila, Sandra, Carol e Alessandra. Natália, Embersics, Isabel, Fernanda e Nadia.<br />

Lucineide, Natália, Fernando, Mônica, Maria<br />

Helena, Josiane e Claudete.<br />

Leonardo, Leandro, Diego, Pablo e Marcos.<br />

Maria Helena, Priscila, Ana Maria e Cristiane.<br />

Ana Paula, Lucineide e Karina. Alexandre Damas, Gisele e Paula. Marilda, Maysa, Patrícia, Iara e Katia.<br />

Roselene, Márcio, Katia e Donizeti. Gisele, Rodrigo, Meire e Priscila. Gisele, Marcele, Ana Cleide, Leila e Nathaly.<br />

40 46


Andressa, Donizeti, Márcia, Abigail, Débora e<br />

Evandro.<br />

Diego, Bruno, Leandro, Pablo, Patrícia, Marcos<br />

e Blenda.<br />

Maria Paula e Dr. Cláudio Manfr<strong>ed</strong>ini.<br />

Momento Unim<strong>ed</strong> Taubaté<br />

Dr. Joviano Barbosa Moassab e Regina. Equipe de Atendimento Pessoa Física. Fabrício, Vânia, Téldia, Inês, Erika e Gisele.<br />

Nadia e Dr. Nelson. Inês, Téldia, Donizeti, Abigabil e Evandro. Isabel e Lourdes.<br />

Unim<strong>ed</strong> Taubaté Festiva do Verde e Branco<br />

15/12 – A M<strong>ed</strong>icina Preventiva realizou a festiva de final de ano com o tema (Verde e Branco). Os usuários confraternizaram junto<br />

à equipe da M<strong>ed</strong>icina Preventiva.<br />

Equipe M<strong>ed</strong>icina Preventiva (UNIMED).<br />

Luiz Baldim, Abnel, Francisco Malosti e João<br />

Bosco.<br />

Daniele, Maria Helena e Nadia.<br />

Aurea, Maria Andrade e Maura Bertoletti.<br />

Maria Dionísia, Jacira, Daguimar, Célia e<br />

Bibiana.<br />

Edna, Salete, Maria Luiza e Rosa Maria.


Momento Unim<strong>ed</strong> Taubaté<br />

Projeto Felix<br />

17/12 - A UNIMED Taubaté que tem compromisso social<br />

junto à comunidade, encerrou o ano de 2010, com a conclusão<br />

do curso de informática realizada no Projeto Esperança Taubaté.<br />

Na oportunidade foram entregues certificados aos formandos<br />

de “INCLUSÃO DIGITAL”. Fizeram-se presentes: Dr. Boanerges<br />

(Presidente da UNIMED Taubaté), Nadia (Supervisora Promoção<br />

da Saúde), Maria Helena (Gerente Provimento de Saúde),<br />

Cristivan (Monitor do Programa Félix), Marcela (assistente<br />

social), Aline (Nutricionista), Maria de Fátima, Ivete e Maria da<br />

Graça (todas do Projeto Esperança).<br />

Maria de Fátima, Ivete, Maria da Graça, Maria<br />

Helena, Nadia, Dr. Boanerges, Marcela, Aline<br />

e Cristivan.<br />

Organizadores UNIMED Taubaté ao lado dos<br />

formandos.<br />

Organizadores UNIMED Taubaté ao lado dos<br />

formandos.<br />

Fabíola Aparecida Santos de Aguiar e Cristivan<br />

(monitor).<br />

Fábio Henrique dos Santos e Maria da Graça.<br />

Fernando Donizeti Anastácio e Cristivan (monitor).<br />

Gabriel Exp<strong>ed</strong>ito da Silva e Cristivan (monitor).<br />

Francielle A. Gonçalves e Cristivan (monitor).<br />

Alisfer W. C. dos Santos e Dr. Boanerges.<br />

48<br />

Rafaela Rodrigues Santos e Ivete. Samantha Ferreira dos Santos e Ivete. Tais Aparecida da Silva Jorge e Ivete.


Wesley da Silva Jorge e Dr. Boanerges. João Victor de Salles e Cristivan (monitor). Alex Eduardo S. Machado e Dr. Boanerges.<br />

Momento Unim<strong>ed</strong> Taubaté<br />

João Victor dos Santos Peixoto e Maria Helena. Ana Júlia Aparecida Ramos e Dr. Boanerges. Anderson Gabriel da Costa e Dr. Boanerges.<br />

Laura Mendes Coutinho Serafim e Maria Helena. Lucas Gabriel de Almeida da Silva e Maria Helena. Bruna Amanda Ap. S. Olímpio e Maria da Graça.<br />

Christofer dos Santos Lorena e Maria da Graça. Diego Henrique M. de Mattos e Maria da Graça. Rafaela Aline da Silva Oliveira e Maria Helena.<br />

Wellington Henrique da Silva de Oliveira e Ivete. Wellington Mateus de Oliveira Francisco e Ivete. Wesley de Oliveira Francisco e Dr. Boanerges.


Sincomerciários Taubaté<br />

17/12 – Como é tradicional, o presidente do Sincomerciários Taubaté Dr. Carlos Dionísio ofereceu a seus funcionários e amigos, um<br />

grande jantar nas dependências do Restaurante Bom Boi para comemorar a festiva de final de ano.<br />

Thales, Neuza, Drª Mary Rose e Drª Lúcia. Thais e Priscilla. Sônia e Karoline.<br />

Felipe, Thaís, Rodrigo, Cristiane, Aldy, Priscilla<br />

e Dª Cristiane.<br />

Simone, Ana Paula e Aldy.<br />

Regiane, Nair e Luciana.<br />

50


Drª Fernanda e Jorge. Jorge, Peratelli e Biasi. Drª Vanessa e Nizio.<br />

Miriam e Rosídia. Clayton, João e Camões. Drª Francisca, Tânia e Dr. Orlando.<br />

Carlos, Floripes e Lurdes. Claudiana e Mauro. Felipe.<br />

Dr. Henrique e Augusto. Mendes e Gesiane. Rodrigo, Priscilla, Thais, Dra. Cristiane e<br />

Cristiane.<br />

Camões, Dr. Carlos Dionísio e Aldy. Visão da festa. Funcionárias do Sincomerciários de Taubaté.


Miss Comerciária<br />

Paulista<br />

O cenário foi a esquina mais famosa de Nova York a Time Square.<br />

26/11 – O palco do Centro de Lazer dos Comerciários<br />

em Praia Grande (Santos) foi transformado na esquina<br />

mais famosa do mundo, a “Time Square”, uma verdadeira<br />

noite em Nova York, com seus luminosos impactantes.<br />

Duas fotos da imagem da estátua da liberdade e dois taxis<br />

amarelos deram um toque especial para eleger a miss<br />

comerciária paulista 2010. Nesta noite 23 candidatas representando<br />

as suas respectivas cidades num glamour de<br />

alto nível apresentaram as suas silhuetas para os jurados<br />

e a todos que estavam presentes. Após a apresentação<br />

das mesmas, saiu venc<strong>ed</strong>ora Marcela Araki, candidata de<br />

Ribeirão Preto, que recebeu a faixa de sua antecessora<br />

Patrícia Aparecida Pereira, em 2º lugar, ficou Daiane Romero<br />

(Votuporanga), 3º lugar, Natália Ferreira (Piracicaba),<br />

4º lugar, Nathália Engles (Araras), 5º lugar, Lúndia Raquel<br />

Santana (Tupã) e como miss simpatia, Camila Carvalho<br />

(Botucatu). Compareceram cerca de 500 dirigentes sindicais<br />

da F<strong>ed</strong>eração. Com esta vitória, a cidade de Ribeirão<br />

Preto leva pela segunda vez o titulo de Miss Comerciária<br />

Paulista.<br />

Marcela Araki (Miss Comerciária Estadual 2010).<br />

52<br />

Patricia Aparecida Pereira (Miss Comerciária Estadual 2009).<br />

Amanda Vanove (Miss Taubaté) presenteada com uma moto.


Dr. Ailton Takashima, Cesar Maluco, Jane Borges<br />

e Luiz Carlos Motta.<br />

Pres. Luiz Carlos Motta é presenteado com um<br />

quadro, pelo presidente da Sincomerciários<br />

de Lorena, Luiz Alfr<strong>ed</strong>o.<br />

Luiz Carlos Motta e Dr. Carlos Dionísio.<br />

Jane Borges (Miss Brasil Mundo 2006). Cesar Maluco (ex-jogador de futebol do<br />

Palmeiras).<br />

Hilton e Vivian.<br />

Tiago (TV Metropolitana) e Marcela Araki (Miss<br />

Comerciária Estadual 2010).<br />

Daiene A. R.Santos, Lundia R. Santana, Marcela<br />

Araki, Motta, Natália C. Ferreira, e Nathália<br />

Engles.<br />

José Carlos, Dr. Carlos Dionísio, Maria Helena,<br />

Marlene e Marcos.<br />

Elaine e Luiz Carlos Motta.<br />

Dr. Carlos Dionísio e Maria Helena.<br />

Ana Paula, Amanda, Jane Borges (Miss Brasil<br />

Mundo 2006) e Thais..<br />

Show de Apresentação das miss.


54


Livros Revistas Folders<br />

Mala Direta Catálogos<br />

Cartões de Visita Manuais<br />

Pastas Displays<br />

Impressos Padronizados<br />

Acabamentos Especiais<br />

PABX: (11) 2653-9482<br />

www.wtgrafica.com.br<br />

wtgrafica@wtgrafica.com.br<br />

R. Cel. P<strong>ed</strong>ro Dias de Campos, 36-A<br />

V. Matilde - CEP 03508-010 - São Paulo - SP


Os melhores negócios<br />

de bandeja para você!<br />

O melhor produto<br />

pelo melhor preço!<br />

Residencial Atlantic - Incorporação nº 297066 de 17/01/2011.<br />

- 2 e 3 dormitórios<br />

- 2 Piscinas e playground<br />

- 1500m² de área verde<br />

preservada<br />

- Salão de festas<br />

- Espaço Gourmet<br />

- Academia<br />

- Churrasqueira<br />

- Av. Helvino Moraes<br />

(5 minutos do centro)<br />

Vendas (12) 3632.4077 www.danelli.com.br

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!