Novembro/2015 - Referência Industrial 169

jota.2016

Visitantes - Grupo Jota Comunicação

ENTREVISTA - Igor Brandão, coordenador de projetos setoriais da Apex, desmitifica exportações

I N D U S T R I A L

Na defesa do

setor produtivo

Abimci lidera avanços e amplia representatividade

do segmento industrial madeireiro

In defense of the

Productive Sector

Abimci leads advances and broadens

representativeness in the industrial

forest product segment

Interatividade – Softwares otimizam produção e melhoram o controle dentro da indústria moveleira


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

SUMÁRIO

SUMÁRIO

ANUNCIANTES DA EDIÇÃO

30

Abimci 29

Adeco Compensados 91

Arch Química/Lonza 99

Centerplac 43

Cerumaq 15

Compensados Confiança 93

Compensados Uliana 95

Contraco 83

Dratec Tintas 73

Engecass 77

Frameport 95

Fepam 98

Fezer 49

Fhaizer Industrial 55

Gaidzinski 61

Giacomelli Máquinas 13

Grupo Ciprandi 45

H. Bremer 07

HB Máquinas 79

Indumec 25

Interact Comunicacão 47

Linck 09

Mill Indústrias 100

Montana Química 02

MSM Química 19

Planeta Industrial 91

Randa 21

Rossin 71

Siempelkamp 05

Tecnoplac 93

Tzuriel Trading 67

Vantec 17

50

62

04 Editorial

06 Cartas

08 Bastidores

10 Notas

16 Aplicação

18 Alta e Baixa

20 Frases

22 Entrevista

28 Coluna Abimci Paulo Pupo

30 Principal Por uma indústria mais forte

50 Construção Civil

56 Marcenaria

62 Especial Tecnologia de gestão

68 Madeira Tratada

74 Tecnologia

80 Química na Madeira

84 Prêmio REFERÊNCIA

86 Artigo

96 Agenda

98 Espaço Aberto

NOVEMBRO | 03


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

EDITORIAL

Ano XVII - Edição n.º 169 - Novembro 2015

Year XVII - Edition n.º 169 - November 2015

Estampa a capa desta

edição a Abimci (Associação

Brasileira da Indústria

de Madeira Processada

Mecanicamente)

REPRESENTATIVIDADE E

LIDERANÇA

Todos sabemos que atitudes valem mais do que palavras.

Seguindo esta premissa, nossa reportagem de capa desta

edição de novembro trata da Abimci (Associação da Indústria

de Madeira Processada Mecanicamente), que há 43 anos unifica

e representa empresas ligadas aos diversos segmentos e

fases da cadeia produtiva da madeira. Ao longo do texto você

poderá conferir as principais ações da entidade, bem como

seus pleitos e percepções de mercado. Em outra reportagem

muito especial confira como as empresas de software vêm

se mantendo no mercado e como a ferramenta pode auxiliar

no dia a dia da indústria moveleira. E ainda, os centros de

usinagem e os principais destaques da edição 2015 da ForMar

também recheiam esta edição, repleta de conteúdo para o

setor e para o empresário.

Boa leitura.

REPRESENTATION AND

LEADERSHIP

We all know that actions speak louder than words. Following

this premise, our cover story in the November issue is about

Abimci (Brazilian Association of the Processed Mechanically

Timber Industry), that for 43 years has unified and represented

companies linked to various segments and stages of the productive

chain. Throughout the story, you can see what the entity’s

actions have already achieved, as well as its plans for the future

and perceptions for the market. In another very special story,

check out how software companies have been gaining space in

the Furniture Sector market and how the tool can assist in the

day to day of the industry. And even, machine centers and the

main highlights of the ForMar 2015 are also included in this issue,

packed with content for the whole Sector and entrepreneur.

Pleasant reading!

EXPEDIENTE

JOTA COMUNICAÇÃO

Diretor Comercial / Commercial Director

Fábio Alexandre Machado

fabiomachado@revistareferencia.com.br

Diretor Executivo / Executive Director

Pedro Bartoski Jr

bartoski@revistareferencia.com.br

Diretora de Negócios / Business Director

Joseane Knop

joseane@jotacomunicacao.com.br

ASSINATURAS

0800 600 2038

Veículo filiado a:

JOTA EDITORA

Diretor Comercial / Commercial Director

Fábio Alexandre Machado

fabiomachado@revistareferencia.com.br

Diretor Executivo / Executive Director

Pedro Bartoski Jr

bartoski@revistareferencia.com.br

Redação / Writing

Rafael Macedo - Editor

editor@revistareferencia.com.br

Larissa Angeli

jornalismo@referenciaindustrial.com.br

Colunista / Columnist

Paulo Pupo

Depto. de Criação / Graphic Design

Fabiana Tokarski - Supervisão

Fabiano Mendes

Bruce Cantarim

Fernanda Domingues

criacao@revistareferencia.com.br

Colaboradores / Colaborators

Fotógrafos: Fabio Ortolan, Valterci Santos

Depto. Comercial / Sales Departament

Gerson Penkal, Viviane Kraft

comercial@revistareferencia.com.br

fone: +55 (41) 3333-1023

Tradução / Translation

John Wood Moore

Depto. de Assinaturas / Subscription

Monica Kirchner - Coordenação

Elaine Cristina

assinatura@revistareferencia.com.br

A Revista REFERÊNCIA - é uma publicação mensal e independente, dirigida

aos produtores e consumidores de bens e serviços em madeira, instituições de

pesquisa, estudantes universitários, orgãos governamentais, ONG’s, entidades de

classe e demais públicos, direta e/ou indiretamente ligados ao segmento madeireiro.

A Revista REFERÊNCIA do Setor Industrial Madeireiro não se responsabiliza por conceitos

emitidos em matérias, artigos ou colunas assinadas, por entender serem estes

materiais de responsabilidade de seus autores. A utilização, reprodução, apropriação,

armazenamento de banco de dados, sob qualquer forma ou meio, dos textos, fotos e

outras criações intelectuais da Revista REFERÊNCIA são terminantemente proibidos

sem autorização escrita dos titulares dos direitos autorais, exceto para fins didáticos.

Revista REFERÊNCIA is a monthly and independent publication directed at the

producers and consumers of the good and services of the lumberz industry, research

institutions, university students, governmental agencies, NGO’s, class and other entities

directly and/or indirectly linked to the forest based segment. Revista REFERÊNCIA does

not hold itself responsible for the concepts contained in the material, articles or columns

signed by others. These are the exclusive responsibility of the authors, themselves. The

use, reproduction, appropriation and databank storage under any form or means of

the texts, photographs and other intellectual property in each publication of Revista

REFERÊNCIA is expressly prohibited without the written authorization of the holders

of the authorial rights.

04 |

www.referenciaindustrial.com.br


· Desempenho inigualável

· Precisão inigualável

· Flexibilidade incomparável

ContiRoll ®

O original

300 já vendidos

Siempelkamp – liderança em tecnologia

www.siempelkamp.com


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

CARTAS

Capa da Edição 168 da

Revista REFERÊNCIA INDUSTRIAL,

mês de outubro de 2015

Bem informado

Reconhecimento

Por Lourival

Valverde,

Santo André (SP)

A REFERÊNCIA

INDUSTRIAL é o

meio de comunicação

mais seguro

do setor madeireiro

e moveleiro. Adoro

as reportagens

que nos mantêm

sempre atualizados.

Obrigado a todos

que produzem a Revista.

Foto: divulgação

Por Ruth Salomon,

São João Del Rei (MG)

Adoro a Revista! As entrevistas

são sempre muito

interessantes, o Espaço

Aberto é minha parte favorita.

Parabéns à equipe.

Errata

Imagem: reprodução

Exportações

Por Igor Martins

de Andrade,

São Paulo (SP)

Investimentos em

exportação têm sido

o foco de várias empresas

e ficar sabendo

se vale ou não o investimento

no mercado

externo é de suma importância.

Parabéns

pela entrevista com o presidente da AEB (Associação

de Comércio Exterior do Brasil).

Imagem: reprodução

Na seção de notas da RE-

FERÊNCIA INDUSTRIAL

168 erramos ao colocar o

Sr. Humberto Tufolo Netto

como um dos autores

do livro: Atualização em

Preservação de Madeiras;

lançado recentemente

pela Montana Química.

Os autores são Enio Silva

Lepage e Gian A. de Salis. Fica aqui o registro e nossas

sinceras desculpas.

Leitor, participe de nossas pesquisas online respondendo os

e-mails enviados por nossa equipe de jornalismo.

As melhores respostas serão publicadas em CARTAS. Sua opinião

é fundamental para a Revista REFERÊNCIA INDUSTRIAL.

revistareferencia@revistareferencia.com.br

Iamagem: divulgação

06 |

www.referenciaindustrial.com.br

E-mails, críticas e sugestões podem ser

enviados para redação ou siga:


Gerando energia para o mundo.

CALDEIRAS

FLAMOTUBULARES

• Capacidade: 1 a 40 ton/h vapor

• Pressão de trabalho: 10 a 23 kgf/cm²

AQUECEDORES DE FLUÍDO TÉRMICO

• Capacidade: 1 a 10 Gkal/h

• ∆T 20ºC até ∆T 40ºC

CALDEIRAS AQUATUBULARES

• Grelha rotativa ou fixa refrigerada a água

• Vapor saturado ou superaquecido

• Capacidade de 10 a 60 ton/h vapor

• Pressão de trabalho de 15 a 68 kgf/cm²

Gerando soluções

tecnológicas de energia

Rua Lilly Bremer, 322 • Bairro Navegantes • Rio do Sul • Santa Catarina

Tel.: (047) 3531-9000 • Fax: (047) 3525-1975

bremer@bremer.com.br • www.bremer.com.br


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

BASTIDORES

DIA DE CAMPO

As demonstrações de equipamentos florestais são um show até mesmo para quem

trabalha com o produto final. A equipe da REFERÊNCIA INDUSTRIAL participou do Dia de

Campo da Timber Forest, em Lages (SC), que atraiu a atenção de empresários da cadeia

industrial madeireira.

Na foto, Frank

Hummel e Gerson

Wollinger (Schlindwein

Indústria e Comércio

de Portas), Eduardo

Branco Schmaedecke

(L. Schmaedecke),

Joseane Knop (diretora

de negócios do GRUPO

JOTA), Rudimar Tavares

(Tavares Emplementos)

e Altamiro Schlindwein

(diretor da Schlindwein

Indústria e Comércio de

Portas)

Foto: REFERÊNCIA

Na foto, o diretor

administrativo da

Bruno Industrial,

Ângelo Ricardo Henz e

a diretora de negócios

do GRUPO JOTA,

Joseane Knop

Foto: REFERÊNCIA

08 |

www.referenciaindustrial.com.br


TECNOLOGIA DE PONTA PARA SERRARIAS

M a r t i n K e m m s i e s

Curitiba – PR - Brasil

: +55 41 8858 5520

@ : martin@perennialwoods.com

www.linck.com

Sucesso garantido com a nossa

competência e experiência

mais de 140 linhas de perfilagem em uso ao redor do mundo

serrarias com otimização de tábuas laterais e aumento de rendimento desde 1983

serrarias com corte em curva desde 1989

serrarias para corte de toras classificadas por dimensão e não classificadas

Inovação. Qualidade.

Economia.

MADE IN GERMANY


Foto: divulgação

REFERÊNCIA INDUSTRIAL

NOTAS

Treinamento com

Lacca AD

A Centro Alumínio, revendedora da Eucatex em Manaus

no segmento de chapas e painéis, completou no

mês de setembro 19 anos de mercado. Para comemorar o

aniversário, a loja promoveu diversos treinamentos, entre

eles uma palestra sobre a utilização dos painéis Lacca AD

e o lançamento da linha BP Matt Plus, alinhada às novas

tendências em MDF no mobiliário.

O evento contou com a presença de marceneiros, moveleiros,

arquitetos, designers, engenheiros, entre outros

profissionais do setor que, a fim de atualizar seus conhecimentos,

buscavam por aprimoramentos.

Mais de 100 pessoas ocuparam a sala de treinamento

para assistir a palestra e, em seguida, participar das aulas

práticas no laboratório utilizando o Lacca AD sobre acabamento

com a fita de bordo. Os profissionais aprenderam

detalhes importantes durante o curso como: corte, colagem

e refilo no topo utilizando as ferramentas corretas.

Movergs prospecta

parcerias

A Movergs (Associação das Indústrias de Móveis do Estado

do Rio Grande do Sul) mantém a articulação de alianças para a

13ª edição da Fimma Brasil (Feira Internacional de Máquinas,

Matérias-primas e Acessórios para a indústria moveleira), de

28 a 31 de março de 2017. A agenda de compromissos ocorrerá

com a participação da Movergs na Sicam 2015 – Exposição

Internacional de Componentes e Acessórios para a Indústria

de Móveis. O encontro, em Pordenone, na Itália, de 13 a 16 de

outubro, congregará empresas especializadas na fabricação

de complementos para móveis.

Com estande próprio na feira italiana, a Movergs pretende

estabelecer e reforçar vínculos com os fornecedores da indústria

moveleira mundial, alinhavando novas parcerias para a

edição de 2017 da Fimma Brasil.

Foto: Gilmar Gomes

Foto: divulgação

Nova linha de móveis

O Walmart.com acaba de lançar uma linha exclusiva de

móveis desenhada e desenvolvida em parceria com a Casatema.

A linha, chamada Moduler, é composta por módulos

em MDF, que permitem mais de 50 combinações diferentes,

tudo para facilitar o dia a dia: as peças podem ser usadas

como rack, painel, criado-mudo, buffet, dependendo da

combinação. A ideia, segundo o diretor da categoria home

do Walmart.com, Mauro Correia, é aliar design acessível com

modularidade e fácil montagem, no estilo faça você mesmo.

Essa é a primeira vez que o Walmart.com se une a um parceiro

comercial para desenvolver peças de mobiliário.

10 |

www.referenciaindustrial.com.br


Profissional da

Promob é premiado

Foto: divulgação

Escola

moveleira recebe

investimentos

A Escola Moveleira de Chapecó (SC) recebeu, neste

mês de novembro autoridades, lideranças municipais e

empresários do setor de madeira e móveis um investimentos

de R$ 268 mil. O montante foi utilizado para a compra

de novas máquinas e equipamentos, com o intuito de implantar

um novo centro de inovação e design a partir da

educação profissional do setor moveleiro e madeireiro. A

ação tem como parceiros o Senai, o Sebrae (SC), o Simovale

(Sindicato da Indústria Madeireira e Moveleira do Vale

do Uruguai) e a Amoesc (Associação dos Moveleiros do

Oeste de Santa Catarina). Com a parceria e incentivo das

entidades, o espaço propiciará novos projetos e oportunidades,

estimulará o ensino e atrairá novos investimentos a

partir da inovação e educação.

Com o valor foram adquiridos 21 equipamentos, entre

eles microcomputadores com processador, seccionadora

com regulagem de batentes, coladeira de borda automática,

furadeira múltipla e semiautomática, serra circular

esquadrejadeira, plaina desengrossadeira e uma cabine de

pintura.

O arquiteto de soluções da Promob, Elemar Júnior

(à esquerda na foto), foi um dos dez desenvolvedores

brasileiros de sistemas especialmente convidados

pela Microsoft para participar do Microsoft

Global Summit 2015, realizado no início de novembro

nos EUA (Estados Unidos da América).

Ele integra o programa MVP (Microsoft Most

Valuable Professional), um prêmio anual concedido

a profissionais reconhecidos como lideranças e referências

técnicas em tecnologias Microsoft. Este é o

quinto ano consecutivo que Elemar Júnior é convidado

para o evento em função do prêmio MVP.

Ele é reconhecido pela comunidade técnica da

Microsoft como autoridade em linguagens de programação

e tecnologias de desenvolvimento. Além

disso, vem contribuindo com os times internacionais

para evolução e disseminação das tecnologias da Microsoft.

Destaque para seu envolvimento no projeto

BabylonJS, uma biblioteca da Microsoft mantida por

especialistas do mundo inteiro que permite o desenvolvimento

de sistemas com 3D na internet.

Foto: divulgação

Foto: REFERÊNCIA

Selo Clima Paraná

No dia 6 de novembro foi realizada a cerimônia de outorga do selo Clima Paraná, que é

um registro público, de adesão voluntária, para estimular inventários de emissões de gases

de efeito estufa das empresas instaladas no Paraná. O selo tem classificação bronze, prata

ou ouro. O diretor executivo da Apre (Associação Paranaense de Empresas Florestais), Carlos

Mendes (na foto), esteve presente. Entre as primeiras empresas contempladas com o

selo estão a Klabin S.A e a Index Ambiental, empresa do Grupo Index, ambas associadas da

Apre.

O evento contou com a presença do secretário de Estado de Meio Ambiente, Ricardo

Soavinski; o presidente da Fiep, Edson Campagnolo; e o presidente do IAP (Instituto Ambiental

do Paraná), Tarciso Mossato Pinto.

NOVEMBRO | 11


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

NOTAS

Destinação correta:

MDP e MDF

Realizada no mês de outubro, a reunião da Comissão de Estudos

dos Resíduos do Mobiliário discutiu e buscou soluções para o

resíduo das atividades relacionadas ao setor. Segundo informações

divulgadas pela Fiemg (Federação das Indústrias do Estado

de Minas Gerais), o objetivo do encontro foi reunir os agentes

que compõem o setor produtivo moveleiro para a elaboração de

propostas quanto à destinação correta do resíduo sólido proveniente

do material de MDP e MDF. Um dos caminhos apontados

foi a utilização do residual de madeira como combustível para

caldeiras e fornos, desde que o resíduo não tenha sido tratado

com produtos halogenados, antifúngicos, tintas, vernizes, adesivos

e revestidos de plásticos ou PVC.

Foto: Davi Thielmann Steigert

Foto: divulgação

Uso e consumo

da madeira

Com um déficit habitacional de 5,7 milhões, segundo dados

do Ibge (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística),

o Brasil pode encontrar na floresta a saída para resolver boa

parte dessa deficiência e, com isso, aumentar o consumo per

capita de madeira no país. Foi essa a mensagem deixada aos

participantes do 5º Congresso Florestal Paranaense, realizado

em setembro, em Curitiba (PR), pelo superintendente da

Abimci (Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada

Mecanicamente), Paulo Pupo.

Na avaliação do superintendente, há potencial de crescimento

do consumo no mercado interno para os principais

produtos madeireiros. No entanto, é preciso que fabricantes

e produtores entendam que a normalização de produtos é

um caminho sem volta. Portas, pisos e compensados, por

exemplo, já contam com normas específicas. Os próximos

passos a partir de agora passam pela atualização e unificação

das informações já existentes para a norma de madeira

serrada, conteúdo esse que servirá de base para a estruturação

da norma geral do sistema construtivo wood frame.

Prêmio Salão

Design 2016

A comissão julgadora do Prêmio Salão Design 2016,

terá a missão de avaliar 750 projetos nesta 20ª edição. Ao

todo, foram inscritas peças de 13 países. O Prêmio, realizado

desde 1988 pelo Sindmóveis Bento Gonçalves (RS),

será julgado em duas etapas por Glaucia Binda, Ivens Fontoura,

Gustavo Bertolini, Angela Carvalho e Paulo Biacchi.

A divulgação dos finalistas será dia 16 de novembro. Já os

vencedores serão conhecidos em fevereiro.

Com patrocínio de Berneck, o prêmio irá distribuir R$

205 mil em prêmios nas modalidades estudante, profissional

e indústria, nas categorias móveis para dormitório,

móveis para sala de estar e jantar, móveis para cozinha,

área de serviço e banheiro, móveis para área externa;

móveis para escritório e home-office (incluindo mobiliário

para espaços comerciais e públicos), acessórios domésticos

e iluminação.

Diferentemente dos outros anos, os premiados participarão

de duas mostras em 2016: em março, durante a

20ª edição da feira Movelsul, em Bento Gonçalves, e em

agosto, na feira High Design – Home & Office Expo, em

São Paulo (SP).

Imagem: divulgação

12 |

www.referenciaindustrial.com.br


Fotos: divulgação

35 anos de

história

A Madeireira Catarinense celebrou seus 35 anos de funcionamento.

Na festa, realizada nos dias 29 de outubro a 1º

de novembro, em que estiveram presentes representantes,

funcionários, parceiros comerciais, amigos e familiares, um

detalhe marcou as comemorações e diferenciou o evento

de tantos outros de mesma natureza: um de seus principais

representantes comerciais, responsável pelas praças do

Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo, Sr. Wadson Luiz

Werly Correia, se envolveu na organização da comemoração.

Para ele, não bastavam as etapas usuais que uma festa requer, mas tornar este evento um marco na consolidação de que

a união entre parceiros do mesmo ramo comercial fortalece o trabalho desenvolvido pelo grupo. Sua proposta não era simples,

mas muito interessante e incomum neste ramo comercial: unir o maior número de clientes da madeireira que ele representa para

celebrar as conquistas alcançadas nesses 35 anos. Percebeu-se, então, que para atingir este objetivo deveria ser considerado que

o maior custo para a comemoração seria a locomoção dos clientes até Cacoal (RN).

Para vencer este empecilho, Wadson propôs dividir entre ele e outros seis fornecedores essa despesa, o que tornaria a viagem

dos 13 clientes isenta de custos. À medida que os empresários se sentiam motivados a participar desta proposta foram percebendo

na atitude do representante do ramo madeireiro que, ao celebrarem em conjunto as vitórias da Madeireira Catarinense,

estariam se preparando para celebrar, cada um, o seu próprio sucesso, que será consolidado com o apoio e percepção dos que

vislumbram que a união torna o grupo cada vez mais forte em detrimento do isolamento ou dos interesses pessoais.

No período do evento, os convidados puderam visitar as madeireiras e conhecer de perto o funcionamento da serraria, alguns

participaram do processo de extração da madeira feito totalmente através do plano de manejo, que envolve responsabilidade

ambiental e social. Além desta experiência, visitaram a fábrica de argamassa que também pertence a um dos integrantes da

família Bianchini. Na noite de 30 de outubro (sexta-feira), todos os presentes participaram de um delicioso rodízio de peixe,

muito elogiado na cidade por turistas e moradores locais. A família Bianchini recebeu todos com muita alegria, dividindo com os

presentes o prazer do sucesso alcançado: Nerio Bianchini, fundador e gestor hoteleiro; seus filhos Juscelino Bianchini, gestor da

Madeireira Catarinense, e Jucemar Bianchini, administrador da fábrica de argamassa.

Durante o sábado, houve o tradicional Costelão de fogo de chão para comemorar os 35 anos de funcionamento da empresa

junto aos seus representantes, funcionários, parceiros de negócios da região, clientes, amigos e familiares. Esse encontro reuniu

cerca de 100 pessoas e foi marcado pelos momentos de entrosamento entre os grupos e de muita alegria.

Uma ideia simples toma corpo quando ela vem investida de sinceridade, parceria e transparência e ela provou que a união

de todos viabilizou e engrandeceu a realização do evento. Ser parceiro é estreitar laços comerciais e de amizade e não ver o concorrente

como seu inimigo, mas como alguém que pode dividir experiências positivas e negativas. Durante o evento, diversos

clientes espontaneamente prestaram depoimento ressaltando a importância de eventos dessa natureza, cujo propósito, dentre

outros, foi o de estreitar as relações pessoais e comerciais entre clientes e fornecedores. Ressaltaram, também, a iniciativa de

Wadson que, pela credibilidade que possui dentro do ramo madeireiro, convenceu todos de que cada um seria uma peça insubstituível

neste evento, não medindo esforços para congregar dezenas de pessoas em prol de um bem comum: a celebração da

parceria e da amizade. São ações como essa que motivam e comprovam que é preciso união para vencer.

NOVEMBRO | 13


Foto: divulgação

REFERÊNCIA INDUSTRIAL

Plataformas

digitais

NOTAS

A Duratex está ampliando os investimentos em plataformas

digitais como estratégia da marca para se comunicar

com os diferentes públicos. Uma das ações tem

como resultado uma série de vídeos com viés prático,

publicados em parceria com site Oficina de Casa. Em dois

tutoriais, os produtos Duratex são utilizados em um projeto

de criado mudo, destacando dois padrões da marca.

Em um terceiro programa, a novidade é a execução de

uma cabeceira de cama em MaDeFibra BP. Para acompanhar

novos tutoriais com produtos Duratex no site Oficina

de Casa, basta ficar de olho no canal no youtube, que

destacará temas e projetos variados.

Mãos à obra

Da primeira madeira pregada até a colocação das telhas

foram três meses de trabalho dos 16 alunos do curso de carpintaria,

do Senai em Tubarão (SC). “Este curso alinha a parte

teórica com a prática para que os alunos possam entender

desde a parte de medições até a diferenciação de estruturas.

Dessa forma, eles aprenderão a aplicar isso na construção de

esquadrias, telhados e na carpintaria em geral”, explica o coordenador

dos cursos de qualificação, Mário da Rosa João.

As aulas práticas foram conduzidas pelo carpinteiro Valmor

Barbosa, que tem mais de 15 anos de experiência e também

é proprietário de uma indústria madeireira na região.

“Foi uma oportunidade única ensinar estes jovens estudantes.

Muitos nem tinham noção de como funciona a carpintaria”,

conta Valmor. “Um bom carpinteiro tem boa remuneração e

a profissão voltou a ser valorizada”, completa. A formação foi

desenvolvida pelo Senai para atender demanda do Sindimad

(Sindicato da Indústria da Madeira e do Mobiliário da Amurel).

Foto: Fabiano Bordignon

Foto: divulgação

Schattdecor marca

presença na Sicam

Durante a edição 2015 da Sicam, que ocorreu de 13

a 16 de outubro em Pordenone (Itália), a Schattdecor

apresentou para o mercado tendências em três temas:

Casual Black, Freestyle Clarity e Cultural Spirit. Para

Michela Avancini, responsável pelo design na marca na

Itália, tradição e valores ganham cada vez mais importância

na Itália e o móvel individual volta a ser o foco.

Entre os destaques da empresa está o 360° LAB, novo

simulador da Schattdecor. A ferramenta de vendas

permite que os compradores visualizem aplicações virtuais

com uma variedade de materiais decorativos. “Com o nosso 360° LAB, oferecemos aos clientes um importante auxílio para a

tomada de decisões”, explica Franco Lozza, chefe de vendas da marca na Itália. O simulador deverá ser utilizado até o final do ano

por todo o grupo da Schattdecor.

14 |

www.referenciaindustrial.com.br


www.cerumaq.com.br

2A A N O S

Oferecendo SOLUÇÕES,

com olhos para o FUTURO

GRADEADOR PARA PÁTIO E ESTUFA

LANÇAMENTO CERUMAQ

Equipamento desenvolvido pela

experiência CERUMAQ, para gradeação

de madeira serrada para secagem em

estufa ou secagem em pátio.

• Capacidade de até 12 camadas por

minuto.

• Permite regulagem de número de

tábuas por camada.

• Permite diferentes configurações para

comprimentos, larguras e espessuras

OPCIONAIS:

• Destopadeira contínua integrada ao gradeador

• Tabiqueiro automático

• Controle de produção

• Mesa de saída de corrente

• Elevador ergonômico para colocação tabiques

Gradeador

com destopadeira

PRODUTO FINAL

CONHEÇA OUTROS PRODUTOS CERUMAQ:

• Grade para estufa

• Grade para pátio

TRANSPORTADOR

GRADEADOR

CORROSSEL

GRIPPER

Rodovia BR 470 Km 149 - n° 13.939

Barra do Trombudo - Rio do Sul - SC - CEP: 89160-000

Fone: (47) 3522 2971 | cerumaq@cerumaq.com.br


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

APLICAÇÃO

MÓVEL

COMEMORATIVO

Foto: Movelsul

U

m dos produtos escolhidos

para encartar a publicidade da

20ª edição da Movelsul Brasil

foi a Estante Vigésima, que será a vitrine

da feira. Produzida em pinus, possui nichos

removíveis que compõem o número

20 e acabamento baseado na escala

de cores da marca Movelsul. Versatilidade

e interação entre usuário e produto a

tornam um símbolo da história passada,

presente e futuro da feira de móveis referência

da América Latina.

Este e outros móveis selecionados

serão usados para decorar um espaço

comemorativo no hall do evento, que

acontece de 14 a 18 de março de 2016,

no Parque de Eventos de Bento Gonçalves

(RS).

FEITO

À MÃO

C

om inspiração nos móveis clássicos

e sofisticados dos anos 40,

com acabamento predominantemente

em madeira pau ferro, a poltrona Ciao

assinada pelo designer Alessandro Bergamin,

tem como característica os veios marcantes e

aparentes. O produto faz parte de uma edição

limitada de móveis assinados para a Madeira

Bonita. As peças, que carregam shapes exclusivos,

mesclam a produção fabril e as tecnologias

de ponta com a minúcia dos acabamentos

e técnicas artesanais, garantindo móveis com

design limpo, emocional e criativo, revelando

detalhes sofisticados como os da alfaiataria.

Foto: Maria Bonita

16 |

www.referenciaindustrial.com.br


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

ALTA E BAIXA

18 |

www.referenciaindustrial.com.br


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

FRASES

A deterioração do mercado interno

também impulsiona as exportações, que

têm ganhado participação nos resultados

da empresa. É uma mudança de

mentalidade no sentido que esta receita

no exterior seja uma diversificação, vai

ajudar a ocupar nossas fábricas

Foto: divulgação

Antonio Joaquim de Oliveira, diretor-presidente da Duratex, sobre

o trabalho da empresa para aumentar a receita com vendas no

exterior

Incerteza política, política econômica recessiva e o custo do capital

incompatível inviabilizam a decisão de investimento no país

José Antonio Basso, diretor regional da Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e

Equipamentos), sobre o registro de nova queda na indústria de máquinas

A indústria moveleira de Bento Gonçalves chegou a um

patamar de tecnologia e qualidade que coloca a logística

como diferencial

Thierry Rios, diretor comercial do Tecon (Terminal de Contêineres de Rio Grande), sobre custos

logísticos e alternativas para o setor

Seja como for, o Brasil não

recuperará sua economia sem o

ajuste fiscal e sem atacar problemas

estruturais, que são essenciais para

restaurar níveis de produtividade que

elevem o potencial de crescimento

Foto: divulgação

Maílson da Nóbrega, ex-Ministro da Fazenda e economista,

sobre os desafios enfrentados pela economia nacional

20 |

www.referenciaindustrial.com.br


INOVAÇÃO

Nova linha de portas Randa:

revestimentos inovadores de

alta tecnologia, desenvolvidos

na Alemanha para superar

suas expectativas!

Kit Porta Pronta Randa

www.randa.com.br


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

ENTREVISTA

IGOR BRANDÃO

LOCAL DE NASCIMENTO

PLACE OF BIRTH:

18/06/80 em Feira de Santana (BA)

June 18, 1980 in Feira de Santana (BA)

FORMAÇÃO PROFISSIONAL

EDUCATION:

Graduado em Ciência da Computação e MBA em Estratégia de

Negócios

Degree in Computer Science and MBA in Business Strategy

CARGO

PROFESSION:

Coordenador de Projetos Setoriais da Apex-Brasil (Agência

Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos)

Coordinator of Sector Projects for Apex-Brasil (Brazilian Agency

for Export and Investment Promotion)

Foto: Apex-Brasil

Desenvolvimento da

competitividade

Competitive development

P

ara o coordenador de projetos setoriais da Apex-

-Brasil, Igor Brandão, crises são bons momentos

para reavaliações e melhorias em todos os aspectos

dos negócios. Ele comenta que as empresas mais fortes

ao final de tudo isso serão aquelas que aproveitarem para

adotar melhores práticas, rever processos, criar novos canais,

encontrar seus nichos de mercado e consolidar suas

estratégias. A cultura do design também é ponto forte nessa

estratégia e no que diz respeito às exportações.

F

or the Coordinator of Sector Projects for Apex-

-Brasil, Igor Brandão, crises are the best times for

revaluation and improvements in all aspects of a business.

He says that the strongest companies, at the end of

all this, will be those who take advantage of the situation to

adopt improved practices, review processes, create new sales

channels, find their market niches and consolidate their

strategies. The design culture will also be strong point in this

strategy and in respect to export.

22 |

www.referenciaindustrial.com.br


O design pode

ser indutor de

práticas associadas à

qualidade, padronização,

inovação e sustentabilidade,

tão essenciais ao setores

de máquinas, equipamentos

e móveis

NOVEMBRO | 23


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

ENTREVISTA

24 |

www.referenciaindustrial.com.br


Procuramos

empresas que

têm potencial para

estabelecer fábricas no

Brasil e produzir aqui bens

que futuramente podem

até ser exportados, gerando

empregos e desenvolvimento

de cadeias produtivas

26 |

www.referenciaindustrial.com.br


50 ANOS DE EXPERIÊNCIA

NA INDÚSTRIA MADEIREIRA

www.indumec.com.br

Sistemas Especiais

de Manuseio

• Mesas elevadoras

• Manipulação

• Soluções customizadas

Linhas de Acabamento

para Painéis de Madeira

• Resfriamento de chapas

• Manipulação

• Lixamento

• Armazenamento

Preparação de

Partículas & Reciclagem

• Pátios de toras

• Sistemas de alimentação

• Linhas de picagem

Tecnologia de Secagem

• Secadores de lâminas de madeira

• Secadores Industriais

Tecnologia de Prensagem

• Prensas para linha de revestimento

• Prensas para linha de portas

• Prensas para indústria de madeira

• Prensas de ciclo curto

• Prensas industriais

Madeira Sólida

• Indústria de Serrarias

• Linhas de Remanufatura

Rua General Potiguara, 1115 | CIC | Curitiba | PR | Brasil | CEP 81050-500

Fone +55 41 3347 2412 | +55 41 3347 4545 | indumec@indumec.com.br


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

COLUNA ABIMCI

Paulo Pupo

Superintendente da Associação Brasileira da Indústria de

Madeira Processada Mecanicamente

Contato: abimci@abimci.com.br

Foto: divulgação

PARICÁ: SOLUÇÃO SUSTENTÁVEL E DE EXCELENTE APLICABILIDADE

Através de um catálogo, o mercado consumidor poderá entender e melhor utilizar esse produto, como uma

oportunidade de suprimento de compensado de madeira tropical reflorestada

A

Abimci (Associação Brasileira da Indústria de Madeira

Processada Mecanicamente) está lançando

no final de novembro, o Catálogo do Compensado

de Paricá, a ser distribuído para todo o mercado consumidor

e comprador do país, que conterá as principais informações,

conceitos, características e uso dos produtos produzidos

com essa espécie.

A Abimci cumpre assim, mais uma vez, um de seus principais

deveres institucionais que é o de informar e ofertar ao

mercado consumidor soluções e novas oportunidades com

os produtos madeireiros que representa. O documento tem

como objetivo suprir o mercado com as informações sobre

o produto, a sua sustentabilidade ambiental e econômica,

as suas vantagens competitivas, a amplitude de seu uso

e aplicabilidade, bem como seus detalhes técnicos, para

um melhor entendimento e conhecimento do produto e o

consequente aumento de seu uso.

Como uma nova solução de suprimento de compensado

de madeira tropical para o mercado, proveniente de floresta

plantada, o compensado de Paricá é uma alternativa inovadora

para vários usos e aplicações, e vem ao encontro de

uma das principais demandas da sociedade: o consumo de

produtos sustentáveis e ecologicamente corretos.

A associação, ciente da importância e da necessidade

de produtos padronizados junto ao mercado, cenário esse

que gera um melhor entendimento de todos em relação à

qualidade dos produtos, a origem legal da madeira, as suas

possíveis formas de uso e a sua sustentabilidade, elaborou

o catálogo - com a importante colaboração de suas empresas

associadas da região Norte - mostrando a origem

da espécie florestal, o lado sustentável do negócio, suas

características, as regiões produtoras e, por fim, principais

produtos, aplicabilidades e uso, vantagens competitivas,

informações técnicas e os principais fornecedores.

Com o conhecimento dessas referências, o mercado

consumidor poderá entender e melhor utilizar esse produto,

como uma oportunidade atual e futura de suprimento de

compensado de madeira tropical reflorestada.

O documento será oficialmente lançado em encontro

que reunirá os principais fabricantes do produto no Brasil,

na cidade de Rondon do Pará (PA), que juntamente com

outros municípios da região, congrega várias ações interessantes

em relação à espécie, como reflorestamentos, au-

mento constante da área plantada e empresas fabricantes

do produto. O município fica próximo a Dom Eliseu e um

pouco mais distante de Paragominas, cidades que iniciaram

com sucesso o plantio dessa espécie em escala industrial e

até hoje protagonizam as ações dessa importante região

do Estado do Pará relativas ao cultivo, desenvolvimento e

produção do produto.

As ações desenvolvidas com o Paricá ao longo da última

década pelos silvicultores e fabricantes da região são admiráveis

pelos resultados obtidos, pois mudaram o cenário

de enormes dificuldades que até então eram vividas com

as espécies nativas.

Esta é a espécie florestal nativa mais cultivada no país,

gerando emprego e renda através do seu plantio e atraindo

também pequenos produtores, que conseguem um resultado

econômico muitas vezes maior, se comparado às outras

atividades agrícolas tradicionais.

As melhores condições de crescimento e sobrevivência

dos plantios de Paricá ocorrem em condições de clima

quente e com alta umidade, como os típicos da região norte,

com precipitação elevada e sem muitas variações de clima.

O IMA (Incremento Médio Anual) do Paricá, quando bem

conduzido, pode chegar a 25m³/ha/ano (metros cúbicos

por hectare ao ano) com corte raso entre cinco e sete anos.

A espécie apresenta bom fator de forma. A casca é cinza

(tonalidade clara), podendo alcançar de 20 a 30 metros de

altura e até um metro de diâmetro.

As florestas plantadas com Paricá ocupam aproximadamente

90 mil ha, distribuídos entre os Estados do Pará,

Maranhão e Tocantins. A principal região de plantio e de

produção de compensados de Paricá do Brasil se concentra

no Pará e Maranhão, sendo os principais municípios produtores

Paragominas, Dom Eliseu, Ulianópolis, Rondon do

Pará e Abel Figueiredo. Já no sul do país, as empresas que

recebem lâminas de Paricá e também produzem compensados

ficam principalmente nas regiões paranaenses de

Imbituva, União da Vitória, Bituruna, dentre outros.

Mas, mais importantes que todas essas características

acima citadas, é a mudança de conceito empresarial dessa

importante região produtora de compensados do Brasil,

com atitudes positivas, união de esforços, posicionamento

no mercado, foco no futuro e na perenidade de seus

negócios.

28 |

www.referenciaindustrial.com.br


REPRESENTATIVIDADE

Há 40 anos unindo e

representando o setor de base

florestal brasileiro

A ASSOCIAÇÃO

Representamos o setor madeireiro em âmbito nacional e internacional, propiciando acesso a tecnologias,

produtos e mercados em interação com a sociedade e suas demandas. A defesa de interesses nas

esferas política e comercial também é uma prioridade em nossa pauta de ações

SEJA UM ASSOCIADO

Nosso quadro associativo atual é composto por

empresas de todas as regiões do Brasil. Atuamos em

vários eixos, promovendo os produtos das empresas

associadas e fortalecendo, assim, a representatividade

das companhias do setor florestal

PROMOÇÃO

DO SETOR

REPRESENTAÇÃO

REFERÊNCIA EM

INFORMAÇÃO

abimci@abimci.com.br

www.abimci.com.br

Tel.: (41) 3225-4358


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

PRINCIPAL

30 |

www.referenciaindustrial.com.br


POR UMA

INDÚSTRIA

MAIS FORTE

ABIMCI CONSOLIDA TRABALHO NA DEFESA DE

INTERESSES DO SETOR DE MADEIRA PROCESSADA

E ENCAMPA BANDEIRAS COMO AUMENTO DO

CONSUMO NO MERCADO INTERNO, MELHORIA DA

QUALIDADE E NORMALIZAÇÃO DOS PRODUTOS

Fotos: divulgação

NOVEMBRO | 31


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

PRINCIPAL

FOR A

STRONGER

INDUSTRY

ABIMCI CONSOLIDATES ITS WORK

IN DEFENSE OF THE PROCESSED

TIMBER SECTOR INTERESTS AND

TAKES ON TASKS FOR INCREASING

CONSUMPTION IN THE INTERNAL

MARKET, IMPROVING QUALITY AND

PRODUCT STANDARDS

32 |

www.referenciaindustrial.com.br


NOVEMBRO | 33


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

PRINCIPAL

34 |

www.referenciaindustrial.com.br


NOVEMBRO | 35


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

PRINCIPAL

36 |

www.referenciaindustrial.com.br


TRABALHO TÉCNICO

Além da representação política e institucional de seus associados, a Abimci oferece uma série de serviços técnicos. Composta por

três engenheiros madeireiros, a equipe técnica realiza atendimentos interno e externo das demandas das empresas participantes

dos programas de certificação oferecidos pela entidade aos associados. Dentre as inúmeras atividades está a gestão diária em várias

frentes: implantação do sistema de gestão da qualidade do Pnqm (Programa Nacional de Qualidade da Madeira), treinamento das

equipes técnicas das empresas, assessoria técnica para os produtos de madeira, diagnósticos do processo de produção relativos à

qualidade do produto, pré-auditorias, interface constante com entidades parceiras nacionais e internacionais na organização do

processo de certificação, visitas às empresas, interpretação e esclarecimento de normas técnicas específicas ao produto e suporte

constante na avaliação dos resultados e melhorias contínuas.

Para reforço dessas atividades externas, como visitas técnicas, pré-auditorias e auditorias oficiais, a Abimci conta com o apoio

de mais cinco auditores credenciados e treinados pela entidade e parceiros, especialistas em produtos de madeira, que fazem parte

do quadro de professores da Ufpr (Universidade Federal do Paraná).

NOVEMBRO | 37


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

PRINCIPAL

CASAS DE

MADEIRA NO

BRASIL: UMA

MUDANÇA

CULTURAL

WOOD

HOUSING

IN BRAZIL:

A CULTURAL

CHANGE

AUMENTAR O CONSUMO

PER CAPITA NO MERCADO

INTERNO PROMETE SER O

GRANDE DESAFIO DA INDÚSTRIA

MADEIREIRA NAS PRÓXIMAS

DÉCADAS. ATUAÇÃO DA ABIMCI

COMO GESTORA DO COMITÊ

QUE TRATA DAS NORMAS

SOBRE MADEIRA NA ABNT

SERÁ FUNDAMENTAL PARA O

DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA

CONSTRUTIVO WOOD FRAME

INCREASING PER CAPITA

CONSUMPTION IN THE DOMESTIC

MARKET PROMISES TO BE THE

BIGGEST CHALLENGE TO THE FOREST

SECTOR IN THE COMING DECADES.

ABIMCI AS CHAIR OF THE COMMITTEE

DEALING WITH THE BRAZILIAN

ASSOCIATION OF TECHNICAL

STANDARDS AS TO THE USE OF

TIMBER WILL BE INDISPENSABLE IN THE

DEVELOPMENT OF THE WOOD FRAME

CONSTRUCTION SYSTEM

Fotos: divulgação

38 |

www.referenciaindustrial.com.br


NOVEMBRO | 39


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

PRINCIPAL

40 |

www.referenciaindustrial.com.br


VITRINE

Uma das metas assumidas pela atual diretoria foi reposicionar a marca Abimci entre os diversos públicos. Para isso, foram

criadas várias ações de comunicação. Como parte desse trabalho, no ano passado a entidade retomou a publicação de seu estudo

setorial, que não era publicado há cinco anos. O documento compila as principais informações do setor madeireiro brasileiro com

o objetivo de garantir ao mercado um panorama mais preciso da representatividade do setor para o país.

O Estudo Setorial, nas versões português e inglês, foi apresentado a diversas entidades internacionais ligadas ao setor como

TTF (Timber Trade Federation), Ettf (European Timber Trade Federation), GTF (Global Timber Forum), Feic (European Federation

of the Plywood Industry), bem como para os principais importadores dos produtos brasileiros. Internamente, o material foi distribuído

para empresas produtoras, em várias esferas do governo federal, ministérios, autarquias e nos Estados paras federações

das indústrias, associações locais, sindicatos patronais, associações comerciais, universidades, professores e estudantes de pós-

-graduação, tornando-se assim o documento de referência de consulta sobre o setor de base florestal. Um novo Estudo já está

sendo planejado para ser lançado no início de 2016.

Somado a essa ação, a Abimci retomou o trabalho de relacionamento com a imprensa, voltando a ser fonte de informação para

a mídia especializada e veículos de comunicação de massa.

Outras iniciativas foram a reformulação da página na internet, a criação do boletim digital Abimci News, destinado exclusivamente

aos associados, e o Abimci Informa, informativo impresso com distribuição ampla a diversas instituições públicas e privadas,

parceiros e órgãos governamentais, além da elaboração de folders institucional e sobre o trabalho desempenhado dentro do CB-31

da Abnt, do Guia Orientativo do uso de chapas do compensado plastificado e do Catálogo Promocional do Compensado de Paricá

(leia mais na página 42).

A entidade tem investido também no apoio e na participação dos principais eventos da cadeia de base florestal.

NOVEMBRO | 41


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

PRINCIPAL

42 |

www.referenciaindustrial.com.br


Trabalhamos com produtos de alta qualidade

sempre mantendo como princípio a conservação

ambiental. Ao longo dos anos conquistamos

posição de destaque no segmento, justamente

pela qualidade dos produtos, excelência no

serviço e respeito ao cliente

COMPENSADOS DE MADEIRA REFLORESTADA

IMUNIZAÇÃO GARANTIDA

RESPONSABILIDADE

AMBIENTAL, VOCÊ VÊ

NA CENTERPLAC

ESPECIALISTA

EM COMPENSADOS

ROD. BR 222 KM 87 - Centro

Rondon do Pará/PA

Fone/Fax: (94) 3326-2312 / 2175

centerplacpara@hotmail.com

WWW.CENTERPLAC.COM.BR


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

PRINCIPAL

44 |

www.referenciaindustrial.com.br


Os melhores produtos e serviços

sem agredir

o meio ambiente

COMPENSADOS DE PARICÁ,

PALLETS, MADEIRA SERRADA E

LAMINADA

PRESERVANDO

A NATUREZA

www.grupociprandi.com.br

Fones: (91) 3726-1100

Email: contatos@grupociprandi.com.br

Ulianópolis/PA


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

PRINCIPAL

46 |

www.referenciaindustrial.com.br


Tem que ter conteúdo.

A Interact Comunicação Empresarial é especializada na geração de

conteúdo para o setor industrial da madeira. São 12 anos de

experiência, produzindo informação de qualidade e contribuindo para o

desenvolvimento do setor.

Em tempos de crise, é essencial se comunicar. Nós sabemos como fazer.

RELAÇÃO COM

A IMPRENSA

CONTEÚDO PARA

SITES E BLOGS

TEXTOS

INSTITUCIONAIS

REDES

SOCIAIS

www.interactcomunicacao.com.br | (41) 9997.2971


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

PRINCIPAL

A ABIMCI

A atual diretoria assumiu o triênio 2014 - 2017 com o desafio de consolidar o trabalho

iniciado pela gestão anterior em frentes como representação política, ampliação da base de

associados e promoção comercial dos produtos brasileiros de madeira processada. A instituição

conta com nove comitês específicos: Compensado Plastificado, Desenvolvimento e

Tecnologia, Laminados e Compensados de Pinus, Laminados e Compensado Tropical, Pisos

e Madeira Tropical, Portas, Produtos de Maior Valor Agregado, Relações Internacionais e

Relações Institucionais.

Conheça a composição do Conselho Administrativo:

DIRETORIA

Presidente: José Carlos Januário – Indústria de Compensados Guararapes Ltda

Tesoureiro: Odacir Antonelli – Repinho Reflorestadora de Madeiras e Compensados Ltda

1º Vice-Presidente: Luiz Alberto Sudati – Indústria de Compensados Sudati Ltda

2º Vice-Presidente: João Carlos Ribeiro Pedroso – Indústria de Compensados Guararapes Ltda

VICE-PRESIDENTES

Amauri Eduardo Kollross – Madeireira EK Ltda

Caetano Balvedi Neto – Sincol S/A Indústria e Comércio

Douglas Antonio Granemann de Souza – Triângulo Pisos e Painéis Ltda

Fernando Carlotto Gnoatto – Berneck S.A. Painéis e Serrados

Isac Chami Zugman – Compensados e Laminados Lavrasul S.A.

Ivan Tomaselli – Stcp Engenharia e Projetos

Juliano Vieira de Araújo – F.V de Araújo S.A.

Luis Mello – Sólida Brasil Madeiras Ltda

Paulo Cavalcanti Neto – Somapar Soc. Mad. Paranaense Ltda

Roberto Cezar Wronski – Madeireira Rio Claro Ltda

Thales Zugman – Compensados e Laminados Lavrasul S.A

CONSELHO FISCAL TITULARES

Ricardo Pedroso – Indústria de Compensados Guararapes Ltda

Fábio Ayres Marchetti – Manoel Marchetti Indústria e Comércio Ltda

CONSELHO FISCAL SUPLENTES

Silvano D´Agnoluzzo – Rio Concrem Industrial Ltda

José Roberto Pimentel Lopes – Pimentel Lopes Engenharia e Arquitetura Ltda

DIRETOR REGIÃO NORTE

Luis Fernando Honório Alves – E. Carli Representações Ltda

48 |

www.referenciaindustrial.com.br


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

CONSTRUÇÃO CIVIL

Fotos: Maciej Krawczyk

BOSQUE

NORUEGUÊS

50 |

www.referenciaindustrial.com.br


COM UMA

HOMENAGEM

À MÚSICA

DOS BEATLES

NORWEGIAN WOOD,

ENTREVISTAMOS O

CRIADOR DA HUSØY

ARENA, EXEMPLO DE

CONSTRUÇÃO FEITA

EM MADEIRA

NO PAÍS

ESCANDINAVO

NOVEMBRO | 51


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

CONSTRUÇÃO CIVIL

D

urante o III Simpósio Madeira & Construção,

quando ministrado o painel sobre gestão de

resíduos, algumas construções foram apresentadas

como cases inteligentes no uso da madeira.

Uma delas foi a Husøy Arena, espaço desportivo que está

localizada na ilha de Husøy a cerca de 120 km (quilômetros)

ao sul de Oslo (Noruega). Com obra realizada pelo

estúdio Fredrik Lund (nome este do arquiteto idealizador

e professor de Arquitetura da Universidade Norueguesa

de Ciência), entramos em contato com o outro lado do

oceano para entender como a obra foi realizada.

Sem um entusiasta dedicado nenhum projeto passa

de uma boa ideia. Neste caso Jan Egil Levorsen, um

amante do futebol levou sua ideia adiante e decidiu trazer

sua visão para a realidade: novas e modernas instalações

para o clube de futebol de Husøy & Foynland IF. O time

é especialmente focado em crianças e jovens e existe

desde os anos 30. “Ele tem uma longa tradição de sediar

grandes torneios a cada ano com centenas de crianças

brincando”, comenta Fredrik.

O contato inicial de Jan e Fredrik aconteceu em fevereiro

de 2012. Um mês depois começava a ser realizado

o trabalho de design. “O primeiro de quatro edifícios

a serem projetados foi a sede do clube, com cozinha e

instalações comuns, em uma construção de madeira”,

explica Fredrik. Hoje todos os edifícios estão finalizados:

a sede, edifício que abriga os vestiários e guarda-roupa,

um quiosque e um pequeno armazém.

O arquiteto salienta que desde o início ficou claro que

o edifício seria produzido em madeira com elementos de

52 |

www.referenciaindustrial.com.br


armação e revestimento exterior em pinus. Cada parede

longa foi dividida em quatro elementos, cada um com

cerca de 7 m (metros) de comprimento, e as empenas

em um elemento, com aproximadamente o mesmo

comprimento. “Isso me deu uma sensação de estar livre

na execução do projeto arquitetônico, mesmo sabendo

que a produção seria muito racionalizada e rápida”,

conta Fredrik.

Os quadros de elementos foram feitos em abeto

(espécie típica da Noruega) e o revestimento exterior

em pinus. “Uma escolha tradicional, com propriedades

excepcionais em nosso clima frio, com invernos muito

longos”.

CONSTRUÇÃO

No dia 11 de outubro de 2013 todos os elementos foram

transportados para o local da construção em grandes

caminhões. Das 7h às 17h daquele dia, as peças da parede

foram levantadas por um guindaste hidráulico para que

todo o edifício fosse construído em um dia. “Colocamos

todos os elementos da parede, com um comprimento

total de mais de 28 m. Houve um intervalo de 2 mm (milímetros)

na extremidade por elemento de empena. Isto

foi considerado uma margem de erro aceitável, levando

em conta o comprimento do edifício”, diz Fredrik.

O realizador comenta entusiasmado que é absolutamente

fascinante poder construir uma casa em um dia. “É

NOVEMBRO | 53


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

CONSTRUÇÃO CIVIL

preciso, no entanto, um planejamento muito cuidadoso,

uma boa comunicação, com garantia de qualidade entre

os designers e fornecedores”, pontua. Ao ser questionado

sobre a qualidade arquitetônica em construções rápidas

e econômicas, Fredrik é enfático em dizer que sim, existe

muita qualidade. “Com novas tecnologias e formas de organizar

o projeto e processo de produção, com a estreita

colaboração entre a unidade de produção e o arquiteto,

vontade e interesse em utilizar o potencial de um bom

profissional, esse panorama agora foi alterado”, explica

sobre a descrença em obras deste nível. Confira outras

obras em madeira do arquiteto em: studiofredriklund.

blogspot.com.

IMPORTÂNCIA SOCIAL E ARQUITETÔNICA

Em uma pequena sociedade, como na ilha de Husøy,

um clube como este é o edifício mais social que se pode

imaginar. “Pode ser considerada, inclusive, uma pequena

casa cultural, não só usada para atividades desportivas,

mas também para um ponto de encontro entre amigos,

ou eventos especiais. Como a rota de passeios ao redor

da ilha passa pela arena, ela também funciona como um

café aos domingos”, conta o arquiteto.

A expressão dos edifícios montados estão relacionados

com a longa tradição da arquitetura escandinava,

uma vez que as formas simples são grandes inspirações

para Fredrik. “Acho que hoje a arquitetura está clamando

54 |

www.referenciaindustrial.com.br


alto para tentar ser interessante. Mas, acredito que o que

realmente funciona é o contrário, ou seja, formas geométricas

simples, com configuração livre de aberturas.

No caso da arena, ela quase se torna parte da natureza.”

USO DA MADEIRA

Fredrik salienta os benefícios ecológicos do uso de

um material natural, entre eles a mínima poluição e

baixo consumo de energia durante o processo para a

construção. “Trabalhava como aprendiz de carpinteiro

antes de estudar arquitetura. Desde então me apaixonei

pela madeira e sempre sugiro para meus clientes como

primeira escolha. Em relação a isso, tenho a sorte de viver

na Noruega, porque aqui o preço de uma casa de madeira

é a metade do que de uma casa de concreto ou tijolo.”

No interior da Arena todas as superfícies das paredes

são feitas de painel de pinho norueguês. Caixilhos de

janelas e portas estão embutidas nas paredes, dando a

sensação de apenas buracos nas paredes, ressaltando

a diferença entre o interior e o exterior. “Esse detalhamento

dá a sensação de clareza e refinamento, deixando

a geometria simples da arquitetura tornar-se o ponto

principal”, finaliza.

TRABALHAVA

COMO APRENDIZ

DE CARPINTEIRO

ANTES DE ESTUDAR

ARQUITETURA. DESDE ENTÃO

ME APAIXONEI PELA MADEIRA E

SEMPRE SUGIRO PARA MEUS CLIENTES

COMO PRIMEIRA ESCOLHA

Usina de Preservação de Madeira (UPM)

Monitore toda a

operação da

autoclave de seu

celular ou tablet!

Reduza seus custos com tempo e mão-de-obra!

Modalidades de financiamento

Cartão BNDES | Finame | Proger Banco do Brasil |

Leasing | CDC | Crédito Próprio

Fabricamos produtos que ajudam na sustentabilidade do planeta!

Ligue (47) 3461.6528 | 3461.6545

ou consulte www.fhaizer.com

FHAIZER Industrial Ltda. | Fone: (47) 3461-6500 Rua Guilherme Boldt, 245 - Distrito de Pirabeiraba | CEP: 89239-260 - Joinville/SC


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

MARCENARIA

56 |

www.referenciaindustrial.com.br


FORMAR

2015

FEIRA VOLTADA PARA REVENDAS E MARCENEIROS

DESTACOU NOVAS TECNOLOGIAS PARA O SETOR

Fotos: Studio F - ForMar 2015

NOVEMBRO | 57


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

MARCENARIA

E

m outubro a capital paulista foi palco da ForMar

(Feira da Revenda e da Marcenaria) e reuniu

marcas de renome e profissionais especializados

na área.

O evento paralelo foi o grande destaque com as dicas

e orientações aos profissionais da marcenaria.

Apesar do otimismo da organização, ao conversamos

com alguns dos principais expositores da feira, constatamos

que a atual crise vivenciada no país afetou o número

de visitantes, dividindo opiniões.

Para Patrick Simon, diretor técnico-comercial da Felder

Group do Brasil, o número de visitantes surpreendeu

positivamente. “Sentimos dos visitantes que a maioria

estava apenas se inteirando das novidades, conhecendo

novas tecnologias e se preparando para o futuro. Para a

Felder Group foi bom, pois a marca precisa se tornar ainda

mais conhecida, de toda forma, sempre tem o público que

decide comprar na feira ou logo após ela.”

O gerente técnico da Jowat, Bernardino Damiani,

salienta que a crise que vivenciamos hoje no Brasil,

está exigindo atitudes de replanejamento das empresas

para adequação dos negócios ao atual cenário. “A

diminuição do número de expositores e do público de

visitantes reflete esta crise, porém, ao mesmo tempo,

58 |

www.referenciaindustrial.com.br


a feira representou uma oportunidade de divulgação de

nossos produtos e tornou possível a prospecção de novos

clientes”, anima-se.

Sérgio Amorim, diretor da Razi, classificou a feira

como muito boa. “Creio que o movimento foi satisfatório

pelo atual momento do país. Por ser uma feira pequena

com poucos fornecedores e bem focada para os marceneiros,

tivemos bons resultados de vendas, que valeu o

investimento e o esforço de todos”, revela. Ele comenta

ainda que durante os três dias foram fechados bons

negócios entre máquinas industriais e convencionais.

O tema também foi destacado por Mauro Ribeiro, da

SCM Tecmatic. “O marceneiro é um público pulverizado

e a feira concentra este público, isto nos viabilizou bastante

contato. Realizamos negócios na feira e certamente

haverá negócios futuros”, completa Mauro.

Resultado positivo é apontado por Lucas de Zorzi,

diretor da Mill Serras. “A feira foi muito boa, com muitos

clientes interessados, pecou por alguns erros de

organização, mas na parte de movimentação foi boa.” A

empresa apresentou lâminas de serras para marcenaria

e fez muitos contatos com visitantes que se mostraram

muito interessados nos produtos.

“Acreditávamos que seria uma feira de pouco retorno,

NOVEMBRO | 59


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

MARCENARIA

na qual iríamos somente manter nossa imagem como um

dos principais players do segmento, mas acabamos tendo

um ótimo resultado na prospecção de revendas dos Estados

de São Paulo e Minas Gerais, que garantiram retorno

adequado ao investimento na Formar”, conta Leandro

Bittencourt, sócio-gerente da Fepam Ferramentas.

NOVIDADES

A Fepam Ferramentas apresentou as vantagens em

investir e trabalhar em uma revenda da marca, com os

produtos da linha direcionados para marceneiros, como

serras circulares, fresas, facas, brocas e acessórios. “O

objetivo foi a apresentação da empresa e a construção

de relações comerciais duradouras”, afirma Leandro.

A Razi expôs a coladeira automática de borda Elegance

II com tupia de entrada para melhor acabamento

na colagem de peças retas, além da linha tradicional de

coladeiras, coletores de pó e das esquadrejadeiras de precisão.

“Na linha mais industrial apresentamos a Furadeira

CNC - Ponto a Ponto da Masterwood, uma parceria da

Razi com a fábrica Italiana, que possui todas as furações

verticais e horizontais tradicionais, serra de canal para

60 |

www.referenciaindustrial.com.br


fundos e também eixo eletromandril para trabalhos de

rebaixos”, explica Sérgio.

A Felder veio com seu centro de usinagem quatro

eixos, que faz parte da linha industrial da marca, que

oferece a possibilidade de trabalhar com a tecnologia

CNC desde um centro de furação até um centro de

usinagem cinco eixos. A linha inclui coladeiras, tupias

e seccionadora de pinça. Também foram apresentadas

outras máquinas, desengrossadeira, coladeiras de bordas

e esquadrejadeira.

A Jowat trouxe adesivos à base de poliuretano expansivo,

adesivos hot melt para marcenarias e produtos

da marca Riepe para limpeza de peças, como alternativa

para substituição ao thinner.

EVENTOS PARALELOS

Entre os destaques da feira está a Marcenaria Modelo,

que trata-se de uma marcenaria real dentro da feira, na

qual os visitantes puderam acompanhar a produção de

móveis.

No total foram realizadas nove apresentações conduzidas

pela consultoria SV Martins.

Os móveis produzidos durante as apresentações

foram doados à Cajec (Casa José Eduardo Cavichio), instituição

que cuida de crianças com câncer em São Paulo

(SP). “Esses móveis irão nos ajudar muito, além disso a

divulgação do trabalho da nossa instituição na feira foi

fundamental. Foi uma excelente parceria com a ForMar”,

comenta Diego Centelles, da Cajec.

Já o Design Fórum Móveis contou durante os três

dias de evento com 13 palestras e um debate. “Os marceneiros

são muito curiosos e dispostos a aprender, por

isso as palestras são tão concorridas. Além disso, todo o

conteúdo apresentado é aplicativo, o marceneiro sai da

palestra e pode por em prática o que aprendeu”, apontou

Maurício Siqueira, organizador do fórum.


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

ESPECIAL

TECNOLOGIA

DE GESTÃO

Foto: divulgação

62 |

www.referenciaindustrial.com.br


SETOR MOVELEIRO PODE OTIMIZAR A PRODUÇÃO

UTILIZANDO SOFTWARES QUE MELHORAM LOGÍSTICA

DENTRO DA INDÚSTRIA E DA MARCENARIA

NOVEMBRO | 63


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

ESPECIAL

Foto: divulgação

A UTILIZAÇÃO DE SOFTWARES É ESSENCIAL PARA AS

INDÚSTRIAS MOVELEIRAS QUE VISAM UM AUMENTO

EM SUA PRODUTIVIDADE E LUCRATIVIDADE

64 |

www.referenciaindustrial.com.br


A FERRAMENTA PEÇA A PEÇA, LANÇADA

DURANTE A FORMAR (FEIRA DA REVENDA E

DA MARCENARIA) FUNCIONA COM AJUDA DE

UMA ANIMAÇÃO NA TELA DO COMPUTADOR,

E PERMITE QUE UM OPERADOR DE MÁQUINA

MANUAL TRABALHE QUASE COMO SE

ESTIVESSE COM UMA CNC, COM CONTROLE DE

CADA PEÇA CORTADA E EMISSÃO PARALELA DA

RESPECTIVA ETIQUETA

Foto: Studio F

CONTRIBUIÇÕES DE EMPRESAS DE

SOFTWARES AO MERCADO INCLUEM

A INSERÇÃO DE MAIS QUALIDADE E

AGILIDADE AOS PROCESSOS DE CRIAÇÃO,

FABRICAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO

Foto: Studio F

NOVEMBRO | 65


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

ESPECIAL

LINHA DE PRODUÇÃO

DA HÄFELE

Foto: divulgação

66 |

www.referenciaindustrial.com.br

NA FÁBRICA OU MARCENARIA, OS

SOFTWARES DA PROMOB AJUDAM A

FAZER MAIS COM MENOS

Foto: divulgação


“A FORMA MAIS FÁCIL PARA ENXERGAR O

VALOR DO SOFTWARE ESTÁ NA ANÁLISE DOS

RESULTADOS FINANCEIROS DA EMPRESA”

EDSON WITT, CEO DA PROMOB SOFTWARE SOLUTIONS

Foto: divulgação

Filmes fenólicos Imprex®

Revestimento

Os filmes fenólicos Imprex® são destinados ao revestimento

especialmente em superfícies como as chapas de compensado,

para ampliar a reutilização dos painéis na indústria de

construção civil – o compensado plastificado com filme Imprex®

é altamente indicado nas formas para concretagem.

Imprex® é um revestimento pronto, liso e fácil de limpar, com

excelente resistência a umidade e produtos químicos, e que

protege a chapa de compensado permitindo sua utilização

dezenas de vezes. Proporciona um acabamento mais bem

definido e bonito à obra, entre outras aplicações.

www.tzuriel.com.br

Tel.: (41) 3669.3669 / Pinhais - PR / Brasil


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

MADEIRA TRATADA

MOBILIDADE

URBANA

USO DA MADEIRA TRATADA EM

PONTOS DE ÔNIBUS GANHA FORÇA

EM MUNICÍPIOS PREOCUPADOS

COM A SUSTENTABILIDADE

Fotos: divulgação

68 |

www.referenciaindustrial.com.br


gases do efeito estufa. Além disso, na formação da madeira

ocorre o sequestro de carbono. Com este projeto

conseguimos aliar resistência, durabilidade, sustentabilidade,

versatilidade e economia”, comenta.

De olho no mercado, o engenheiro vê alguns desafios.

“Ainda há certa resistência quanto à utilização

da madeira de eucalipto imunizada e proveniente de

reflorestamentos no setor de construção civil. O nosso

papel é divulgar as vantagens do uso. Observamos que

o setor que mais utiliza a madeira imunizada é o rural

especialmente nos casos da fruticultura, confinamento,

mourões e esticadores. Porém, por meio da divulgação,

o setor de construção civil tende a crescer e é altamente

promissor.”

Para a empresa, pontos de ônibus de madeira tratada

têm um papel importante, e diferenciado, na formação

da consciência dos cidadãos locais. “É necessária a

conscientização de todos quanto à utilização de produ-

A

madeira tratada possui diferenciais frente a

outros materiais construtivos que começam

a despertar o interesse de prefeituras pelo

Brasil a fora. A durabilidade da matéria-prima, a propriedade

de sequestrar carbono durante seu desenvolvimento,

a beleza estética e o fator de ser obtida por

plantio florestal, são os aspectos que mais se destacam.

Pontos de ônibus em madeira tratada de eucalipto

foram instalados nos municípios mineiros de Três Marias

e São Gonçalo do Abaeté. A realização do projeto é

da Raiz Florestal Madeiras. Segundo o engenheiro florestal

da empresa, Reinaldo Frederico de Siqueira Montalvão,

a opção pela madeira de eucalipto proveniente

de reflorestamento deve-se às características consideradas

únicas desse material.

“Reduz as pressões exercidas sobre as florestas nativas

e, em comparação com outros materiais como ferro,

aço, cimento e cal, entre outros, reduz a emissão de

NOVEMBRO | 69


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

MADEIRA TRATADA

“OBSERVAMOS QUE O SETOR QUE MAIS

UTILIZA A MADEIRA IMUNIZADA É O

RURAL ESPECIALMENTE NOS CASOS DA

FRUTICULTURA, CONFINAMENTO, MOURÕES

E ESTICADORES. PORÉM, POR MEIO DA

DIVULGAÇÃO, O SETOR DE CONSTRUÇÃO CIVIL

TENDE A CRESCER E É ALTAMENTE PROMISSOR”

ENGENHEIRO FLORESTAL - REINALDO FREDERICO

DE SIQUEIRA MONTALVÃO

tos renováveis, como no caso da madeira. Porém, não

diz respeito apenas à questão ambiental, mas também

à econômica e à social”, comenta Reinaldo.

TRATAMENTO

Elcio Lacerda Lana, supervisor técnico de vendas

para América do Sul da Arch Proteção de Madeiras -

Grupo Lonza, explica que o procedimento recomendado

para uma construção como esta a beira mar é o

tratamento industrial realizado pelo processo de vácuo-

-pressão em autoclave, feito em UTM (Usinas de Tratamento

de Madeiras). “Nesse caso os produtos preservativos

disponíveis no Brasil e utilizados nesse tratamento

são os a base de CCA (Arseniato de Cobre Cromatado) e

CA-B (Cobre e Azoles)”.

A madeira utilizada no projeto dos pontos de ônibus

foi imunizada em autoclave através do processo

denominado Bethell, também conhecido por processo

de célula-cheia. O preservativo utilizado para imunização

da madeira foi o CCA. O motivo apontado foi sua

eficácia como inseticida e fungicida, com alto grau de

fixação na madeira. A empresa, hoje, tem uma parceria

com a Montana Química. “É um dos preservativos químicos

mais efetivos e mais utilizados no mundo, com a

melhor relação custo-benefício. A madeira é inodora e

totalmente adaptável ao uso interior como em estruturas

de telhados ou do tipo construtivo wood frame”, diz.

O engenheiro explica ainda que a madeira tratada

mantém suas propriedades mecânicas e textura, com

desempenho comprovado por mais de 55 anos. “No

projeto dos pontos de ônibus, além do CCA, também

utilizamos o stain transparente”. Além da madeira roliça

imunizada, e pensando no crescimento do setor

da construção civil, a marca produz madeira serrada e

imunizada para usos em telhados. Reinaldo explica a

escolha do stain devido a uma série de fatores técnicos

e comerciais.

Como são locais que as pessoas muitas vezes sentam

com roupas de banho molhada, Elcio explica os cuidados

que se deve ter na manutenção destas paradas.

“Apesar da madeira depois de tratada pelo processo e

os produtos informados anteriormente, e de ter passado

pelo período de secagem pós tratamento e fixação

na madeira não oferecer riscos quando do contato com

pessoas ou animais, nessa condição de uso é também

recomendada a adoção de um acabamento protetor

com produtos do tipo stains, que penetra nos veios da

madeira, não forma película, possui filtro solar e tem

ação hidrorreplente”, diz.

“Em sua formulação o stain alia filtro solar a uma

elevada transparência. Penetra nos veios da madeira

e acompanha seus movimentos naturais, prevenindo o

aparecimento de trincas superficiais. Sua degradação é

lenta, por erosão. Por isso, não ocorrem bolhas ou des-

70 |

www.referenciaindustrial.com.br


Infraestrutura completa em

produção, instalação e

treinamento em autoclaves

para madeira, borracha e

placas de acrílico.

102 UTMs

Instaladas e

em Operação

no Brasil e na

América do Sul

+55 (16) 3947-1981

+55 (16) 99781-6093

Av. Nelson Benedito

Machado, 86 - Distrito

Industrial II

CEP 14176-110

Sertãozinho - SP

www.rossinequipamentos.com.br


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

MADEIRA TRATADA

colamentos que exigiriam remoção total do acabamento.

Na manutenção basta remover as partículas soltas

na superfície e reaplicar. Contém fungicida moderno e

de efeito prolongado, resinas que repelem água, é ambientalmente

amigável e muito eficaz”, elucida Reinaldo.

OUTRO EXEMPLO

Conhecida mundialmente pela beleza de suas

praias Maceió é considerada o Caribe brasileiro. Com

uma população de aproximadamente um milhão de habitantes,

o governo municipal de Maceió está com uma

série de ações que visam melhorar o transporte público

da cidade. Entre elas estão: o aumento da frota de ônibus,

de 700 ônibus para 840 veículos; a implantação de

sistemas mais seguros de bilhetagem e a implantação

de novos abrigos de ônibus.

Seguindo a tendência naturalmente bela da região,

a Smtt (Superintendência Municipal de Transportes e

Trânsito) de Maceió optou por escolher madeira de origem

sustentável para construção de abrigos em cinco

pontos de ônibus instalados na região. Eles estão ao

longo da orla do bairro de Ponta Verde. O projeto é uma

parceria com a empresa Plantar, que disponibilizou produtos

florestais ecologicamente corretos.

Segundo informações da Smtt, a implantação dos

abrigos é uma proposta sustentável e mais adequada ao

local, pois a madeira é mais resistente à maresia. “Os

abrigos foram construídos com eucalipto tratado, uma

madeira ecológica e que possui garantia de dez anos.

Também utilizamos uma telha ecologicamente correta,

mais leve e resistente”, explica o coordenador de Projetos

de Transportes, Leônidas Calheiros.

Ainda, segundo o coordenador, além de sustentáveis

os novos abrigos são maiores que os anteriores

com uma área de coberta de 10 m² (metros quadrados)

e possuem assentos mais confortáveis, compostos por

uma base lisa de madeira. “Não há dúvidas que a madeira

é um material totalmente viável para este tipo de

construção, assim como diversos outros, principalmente

se estivermos falando de madeiras provenientes de

florestas plantas como o eucaliptos e pinus, que é recurso

natural renovável e de ciclo curto”, finaliza Elcio,

da Arch.

72 |

www.referenciaindustrial.com.br


“OS ABRIGOS FORAM CONSTRUÍDOS

COM EUCALIPTO TRATADO, UMA MADEIRA

ECOLÓGICA E QUE POSSUI GARANTIA DE

DEZ ANOS. TAMBÉM UTILIZAMOS UMA TELHA

ECOLOGICAMENTE CORRETA, MAIS LEVE E

RESISTENTE”

COORDENADOR DE PROJETOS DE TRANSPORTES

DE MACEIÓ - LEÔNIDAS CALHEIROS

Para cada tipo de aplicação, um produto específico que irá garantir melhor resultado.

PRODUTOS PARA MADEIRA

Linhas:

• Base água

• UV

• PU

OUTRAS LINHAS

Linhas:

• Manutenção Industrial

• Imobiliária e Decorativa

Produtos:

• Epoxies

• Poliuretanos

• Esmaltes Sintéticos

• Massas e Seladores

• Acrílicos

Anos

Rodovia Engenheiro Lourenço Faoro, n. 3100. Caçador - SC

Telefone 49-3563-9443 | comercial@dratectintas.com

NOVEMBRO | 73


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

TECNOLOGIA

Foto: divulgação

MARCENARIA

MODERNA

CENTROS DE USINAGEM POSSIBILITAM

O DESENVOLVIMENTO DE LINHAS DE

PRODUÇÃO ALTAMENTE AVANÇADAS E

TORNAM EMPRESAS MAIS COMPETITIVAS

74 |

www.referenciaindustrial.com.br


N

a ultima década, o mercado consumidor de móveis

sofreu uma grande evolução. Os consumidores

procuram, cada vez mais, produtos customizados,

ou seja, personalizados pelos próprios clientes,

designers e arquitetos.

Esta exclusividade exige dos produtores maior agilidade

do processo produtivo. Flexibilidade tornou-se palavra

de ordem, pois a produção está muito orientada a pequenos

lotes (muitas vezes únicos) e produtos que fogem das

formas em série.

Para atender esta necessidade os fabricantes de equipamentos

investiram muito na concepção de centro de usinagens

capazes de atender vários portes de produtores. O

gerente comercial da SCM Tecmatic, Jaison Carlos Scheel,

comenta que além de atender a necessidade de agilidade

e flexibilidade, os centros de usinagem são essenciais para

a segurança dos operadores, pois podem perfeitamente

substituir equipamentos tradicionais que normalmente

não atendem as normas de segurança.

Dentro de uma marcenaria um centro de usinagem vai

possibilitar que projetos alcancem um bom nível de precisão

e reduza os processos que deveriam ser feitos nas máquinas

convencionais de usinagem e furação. Como explica

Nilson Carlos Stefani Violato, gerente do Instituto Senai de

Tecnologia da Madeira e do Mobiliário em Arapongas (PR),

na usinagem convencional os modelos necessitavam que

o marceneiro desenvolvesse gabaritos para que se desse a

forma proposta do projeto.

NOVEMBRO | 75


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

TECNOLOGIA

Foto: Homag

“Com o centro de usinagem o projeto que é transferido

para o desenho técnico poderá ser automaticamente

levado ao equipamento que programará suas ferramentas

e realizará todas operações de usinagem e furação

previstas. Com a precisão adequada para a montagem do

móvel”, elucida Nilson. Um centro de usinagem dentro de

uma marcenaria pode ter várias funções. Com ele é possível

executar trabalhos de fresagem, furação e ranhura, trabalhando

chapas para a fabricação de móveis sob medida.

Além das principais funções citadas anteriormente,

Rogério P. Gualassi, gerente regional de vendas da Homag

South America, comenta que podem-se encontrar centros

que contenham um 5° eixo para trabalhar madeira maciça

em formatos 3D, como por exemplo, um corrimão com perfil

curvado. “Outro tipo de centro de usinagem adiciona a

colagem de bordas. Este, além das principais funções, cola

a borda em peças irregulares e dá acabamento na mesma,

como refilar e raspar, tudo de forma automática”, diz.

Segundo Rogério, ao investir em um centro de usinagem

a empresa se torna mais flexível e mais capacitada.

Ganha vantagens econômicas em processos e tempos de

serviços, flexibilidade de trabalhos, possibilidade de obter

designs complexos e repetir produtos com a mesma qualidade.

São atributos que a tornam muito mais competitiva

diante da concorrência baseada em máquinas manuais.

Quando se adquire um equipamento como este, o

cliente pode fazer recortes de peças irregulares, por exemplo,

tampos redondos, pode executar fresagem de caixa de

fechadura e rebaixo para dobradiças em portas, pode também

fazer as furações como uma furadeira ponto a ponto,

tanto as verticais, quanto as de topos, além de trabalhos de

ranhuras em gavetas dentre outros.

VANTAGENS

Profissionalização do trabalho da marcenaria,

pois valoriza o projeto técnico e a precisão

Qualidade do

desenvolvimento do projeto

Substitui equipamentos

tradicionais e obsoletos

Facilita a operação no

processo fabril

76 |

www.referenciaindustrial.com.br


Foto: Homag


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

TECNOLOGIA

Foto: SCM Tecmatic

Além de substituir diversas máquinas de mesa como

as tupias, furadeiras e as as enormes quantidades de gabaritos

e espaço para tal, o centro de usinagem garante a

precisão nos trabalhos e também diminui drasticamente

o tempo de produção, contribuindo ainda na redução do

prazo de entrega do móvel.

Outra vantagem é o software que acompanha a máquina,

uma vez que o mundo está cada vez mais conectado, e

os equipamentos industriais não fogem a esta tendência.

“No caso da Homag, com o software woodWOP, o operador

pode desenhar peças em pouco tempo de maneira

simples e intuitiva tanto diretamente na máquina, quanto

em um computador do escritório. Isto faz com que as horas

de elaboração de uma peça por um marceneiro sejam

transformadas em minutos”, revela Rogério.

Na SCM Tecmati o sistema embarcado no centro de

usinagem também é ponto importante a ser considerado.

Ele deve permitir flexibilidade de conectividade externa,

sendo fator determinante de sucesso. “Infelizmente é fácil

encontrar equipamentos que possuem pouca ou nenhuma

conectividade externa”, desabafa Jaison.

A família de centro de usinagem Pratika, da SCM, possui

alto nível de conectividade, pois dispõe do software

embarcado Genio/Xilog, permitindo geração automática

de programação para o centro de usinagem. “Esta interatividade

entre o software embarcado e os de desenho irão

determinar a velocidade de criação e customização do projeto”,

diz Jaison.

ESCOLHA CERTA

O mercado já dispõe de centros de usinagens compactos

que podem perfeitamente se adequar ao espaço e realidade

produtiva das marcenarias. Sobre qual centro é o mais

indicado para cada tamanho de marcenaria, Nilson Violato

do Senai pontua que o equipamento deve ir de encontro

ao modelo de negócio que a marcenaria tem. “Há centros

de usinagem de vários modelos e desempenho. Todos irão

atender um viés que está atrelado à engenharia do produto

que fabricam”.

Ele exemplifica. “Uma marcenaria que faz móveis sob

medida em painéis e não utiliza grandes variações em seus

projetos pode adquirir um modelo convencional de três eixos

que irá trazer resultados significativos. Portanto quanto

maior a complexidade de sua engenharia melhor estudar as

opções viáveis”, explica.

O correto a fazer na hora da escolha é realizar um bom

estudo, levando em conta o melhor desempenho e o menor

investimento. “A relação custo-benefício é a orientação fundamental”,

pondera Nilson.

Vale lembrar que o treinamento de quem vai operar o

equipamento e de como as informações deverão chegar até

ele são fundamentais.

78 |

www.referenciaindustrial.com.br


CUIDADOS NA HORA DA COMPRA E DE USO,

POR ROGÉRIO P. GUALASSI, GERENTE REGIONAL DE

VENDAS DA HOMAG SOUTH AMERICA:

• Saber bem o que pretende fazer, quais são as peças maiores, as menores, complexidade, tipos de materiais e

tipos de trabalhos;

• Quanto mais informações melhor, com isto a escolha da máquina certa se torna mais confortável, tanto para o

cliente quanto para quem a vende;

• O campo de trabalho ou área útil do centro de usinagem deve ser observado com muita atenção,

principalmente a medida em “Y”, pois esta medida pode limitar a largura de uma peça se ela for grande ou

limitar em quantidade de peças (em sua largura) quanto se utiliza mais de um campo de trabalho;

• Configuração dos cabeçotes da máquina, como o motor principal, por exemplo, existem trabalhos que

necessitam um eixo C ou até mesmo um 5° eixo, já na furação a variedade é na quantidade de brocas verticais e

horizontais. No equipamento com serra de ranhura observar se efetua trabalhos em “X” e em “Y”;

• O pacote de software que acompanha a máquina também é de extrema importância, pois ele será o facilitador

entre a integração homem-máquina.

25

ANOS

QUALIDADE

EM MÁQUINAS

PARA

LAMINADOS DE

MADEIRA

Linha de Fabricação:

Picador de Madeiras, Torno Laminador,

Guilhotinas Automática de Topo e Pacote,

Talha Elétrica, Afiadeira, Correia Transportadora,

Destopador de Toras, Centrador de Toras.

MÁQUINAS

www.hbmaquinasindustriais.com.br

PICADOR DE

MADEIRA

Fabricado nos modelos

150x500 até 400x700

(47) 3386 1246 | 3386 1569

Rod. SC Km 6,5 - 89121-000 | RIO DOS CEDROS - SC

E-mail: hbmaquinas@terra.com.br


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

QUÍMICA NA MADEIRA

O ANO

INTERNACIONAL

DO SOLO

ONU (ORGANIZAÇÃO

DAS NAÇÕES UNIDAS)

DECLAROU 2015 COMO

“ANO INTERNACIONAL

DO SOLO”

Fotos: divulgação

80 | www.referenciaindustrial.com.br


NOVEMBRO | 81


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

QUÍMICA NA MADEIRA

N

o seu temário mensal, a ONU (Organizacão

das Nações Unidas) dedicou o mês de novembro

para a discussão de itens como o

papel do solo no sequestro de carbono, redução e desprendimento

dos chamados gases de efeito estufa, seca

e desertificação. Especialmente sobre esta temática do

mês em curso não seria possível deixar de solidarizar-se

e fazer algumas considerações em torno dela.

Pesquisas realizadas, principalmente pelo Ipcc (Intergovernmental

Panel on Climate Change), demonstraram

que este fato traz consequências danosas ao

meio ambiente e ao homem, que dele faz parte. A mais

notável delas é a mudança climática, cujos efeitos já se

fazem sentir no momento, como, por exemplo, a estiagem

na região sudeste do Brasil, onde grandes cidades

já vêm enfrentando crise de abastecimento de água

para suas populações.

As soluções desse problema são extremamente

complexas. Passam pela vontade política de governos

que, muitas vezes, colocam suas agendas econômicas

imediatas em primeiro plano, esquecendo que todos

nós somos passageiros da mesma nave planetária e que

nenhum povo estará isento das consequências que se

manifestarão como uma reação em cadeia e que não

deixarão, no devido tempo, nenhum ecossistema incólume.

Uma das soluções mais importantes passa, sem dúvida,

pelo correto manejo do ecossistema florestal, pois

cerca de 65% do território brasileiro é recoberto por florestas.

Isto equivale à adoção de práticas para uso de

solos florestados e reflorestados no sentido de realizar

as funções ecológicas, econômicas e sociais, que formam

o tripé da sustentabilidade.

Em relação ao reflorestamento, o Brasil detém

cerca de 7,7 milhões de ha (hectares) plantados, principalmente

com os gêneros Eucalyptus spp e Pinus spp.

A prática de reflorestamento tem se mostrado exitosa

não só por diminuir a pressão de demanda por madeiras

da região amazônica, que têm um papel preponderante

na regulação climática do mundo, mas também por

aumentar a biomassa acima do solo, que proporciona

maior fixação de carbono em seu interior.

NOS ÚLTIMOS 50 ANOS

FORAM LIBERADOS

PARA A ATMOSFERA

CERCA DE 400 GT

(GIGATONELADAS)

DE CARBONO, DOS

QUAIS QUASE 70%

ORIUNDOS DA QUEIMA

DE COMBUSTÍVEIS

FÓSSEIS COMO

PETRÓLEO E CARVÃO

82 |

www.referenciaindustrial.com.br


Dessa atividade são notáveis os benefícios agrícolas

e não agrícolas, como a melhoria da água e da qualidade

do ar, além de, vale a pena repetir, proporcionar

aumento sustentável de madeira legal. Como essa madeira,

procedente de reflorestamento, é de ciclo curto

e, portanto, de crescimento rápido, a estocagem de

CO 2 (Gás Carbônico), um dos mais importantes gases

do chamado efeito estufa, se processa com maior celeridade.

O uso não é uma tarefa tão simples, pois há vários

filtros intervenientes nesse processo: poder político,

participação social, legislação (Código Florestal), potencialidades

socioeconômicas e vulnerabilidades,

variáveis que formam o chamado ZEE (Zoneamento

Ecológico-Econômico). Esse mix de forças define um

ordenamento territorial extremamente determinante

para as futuras gerações.

Vale lembrar que popularmente costuma-se designar

uma pessoa dissociada dos problemas atuais como

poeta. Não é o que parece ante a percepção de Carlos

Drummond de Andrade ao dizer que: “Tentamos proteger

a árvore, esquecidos de que é ela que nos protege.”

QUALIDADE E EFICIÊNCIA

Oferecemos soluções em aquecimento, ventilação,

secagem e transporte pneumático.

Atendendo diretamente a necessidade específica de

cada cliente.

Modelos especiais sob medida, estáticos ou contínuos

FORNOS E ESTUFAS

UMA DAS SOLUÇÕES

MAIS IMPORTANTES

PASSA, SEM

DÚVIDA, PELO

CORRETO MANEJO

DO ECOSSISTEMA

FLORESTAL

VENTILADORES

UNIDADE MÓVEL PARA

TRATAMENTO FITOSSANITÁRIO

ENNIO LEPAGE

Pesquisador e consultor técnico da

Montana Química S.A. - Divisão Osmose

Taió - Santa Catarina

Rua Rui Barbosa, 260, centro

(47) 3562-0016

comercial@contraco.com.br

vendas@contraco.com.br

www.contraco.com.br

(47) 3562 0016


REFERÊNCIA INDUSTRIAL PRÊMIO REFERÊNCIA

REFERÊNCIAS

DE2015

PREMIAÇÃO REALIZADA PELO GRUPO JOTA

HOMENAGEIA OS 10 DESTAQUES DO ANO

O

ano de 2015 está quase terminando e convenhamos

que não foi nada fácil. Apesar

das adversidades, empresas, profissionais

e entidades continuaram a investir, trabalhar e criar.

Para homenagear esse grupo de pessoas que não se

intimida por crises e permanece contribuindo para o

avanço do segmento florestal, industrial madeireiro,

produtos acabados, biomassa, papel e celulose, o

GRUPO JOTA criou o Prêmio REFERÊNCIA, que chega

este ano à 13ª edição. No dia 23 de novembro, em

Curitiba (PR), será realizada a cerimônia de entrega

das placas aos 10 destaques de 2015.

A indústria de base florestal tem números impressionantes.

São 7,74 milhões de ha (hectares) de

plantios florestais comerciais, responsáveis por 91%

de toda a madeira produzida para fins industriais no

Brasil. Os outros 9% vêm de florestas nativas manejadas

de forma sustentável. São mais de 4,5 milhões

de empregos diretos, indiretos, e resultantes do efeito

renda. Além dos benefícios econômicos e sociais,

também são gerados ganhos ambientais. As árvores

plantadas absorvem 1,67 bilhão de toneladas de gás

carbônico da atmosfera. Cerca de 60% dos plantios

são certificados.

Este é um pequeno resumo dos benefícios da atividade,

que acima de tudo é movida por pessoas aficionadas

pelo que fazem. Essa paixão explica tamanho

empenho pelo crescimento do setor e pelas iniciativas

que fazem toda a diferença. Em meio a tantos exemplos

positivos, existem alguns que se destacam. Todos

os anos eles são exaltados pelo Prêmio REFERÊNCIA,

84 | www.referenciaindustrial.com.br


que surgiu com a missão de divulgar ações que contribuíram

para a evolução da atividade e que sirvam

de inspiração multiplicadora para outras pessoas.

“Tratamos o Prêmio REFERÊNCIA como uma

corrente do bem. Além de homenagearmos as pessoas

por trás das atitudes, mostramos para todos

os leitores das nossas principais publicações porque

aqueles 10 nomes obtiveram êxito durante o ano”,

declara Fábio Alexandre Machado, diretor comercial

do GRUPO JOTA. Para a escolha dos vencedores foram

observadas as iniciativas e marcas alcançadas

ao longo de 2015. Além da participação do mercado

que envia sugestões de ações que merecem reconhecimento.

Empresas, personalidades e entidades

que são notícia nas publicações da Editora – Revistas

REFERÊNCIA FLORESTAL E REFERÊNCIA IN-

DUSTRIAL, PRODUTOS DE MADEIRA, BIOMAIS e

CELULOSE E PAPEL – são premiadas baseadas nos

conceitos de sustentabilidade, investimentos econômicos

e em tecnologia, gestão, projetos sociais,

marcas históricas, produção científica e ações de

apoio ao setor. Nesta edição do Prêmio os 10 vencedores

são exemplo de sucesso na área em que atuam

e mereceram a justa homenagem pelos feitos alcançados

durante o ano de 2015. A próxima edição da

REFERÊNCIA INDUSTRIAL, que circula em dezembro,

trará a cobertura completa da festa, com depoimentos

dos ganhadores e suas realizações.

VENCEDORES

DE

2015

Abipel (Associação Brasileira das Indústrias de Pellets)

ACR (Associação Catarinense de Empresas Florestais)

Acimderj (Associação do Comércio e Indústria de Madeiras e

Derivados do Estado do Rio de Janeiro)

Araupel

Fiep - Conselho Setorial da Madeira

Grupo Arboris

Plantar

Randa Ind. Com. Portas e Compensados Ltda

Schattdecor

Terra Sol Madeiras Ecológicas

NOVEMBRO | 85


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

ARTIGO

RESÍDUOS DE MADEIRA

NA CONSTRUÇÃO:

OPORTUNIDADE OU

PERIGO?

RAFAELA MIYUKI HAMAYA

Estudante de Engenharia de Produção Civil da Utfpr

(Universidade Tecnológica Federal do Paraná)

rafaela_hamaya@yahoo.com.br

PIERA MARINHO PEREIRA

Estudante de Engenharia de Produção Civil da Utfpr

pierampb@yahoo.com.br

FERNANDA POLONIO LOPES

Estudante de Engenharia de Produção Civil (Utfpr)

fer_low@hotmail.com

ANDRÉ NAGALLI

Professor-doutor do Departamento Acadêmico de

Construção Civil da Utfpr

nagalli@utfpr.edu.br

Foto: divulgação

86 |

www.referenciaindustrial.com.br


NOVEMBRO | 87


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

ARTIGO

E

m um país em desenvolvimento como o Brasil

é natural o crescimento da demanda por

obras de construção civil, tanto para fins habitacionais

como de infraestrutura. Planos como o PAC

(Plano de Aceleração do Crescimento), do governo

federal, linhas de crédito para compra da casa própria

e obras para grandes eventos esportivos foram fundamentais

para o atual panorama da construção civil no

país.

Juntamente com o crescimento do mercado da

construção civil, surge o agravamento dos problemas

ambientais associados, principalmente no que diz respeito

à geração e gerenciamento de RCD (resíduos de

construção e demolição).

De acordo com a Abrelpe (2011), estima-se que no

Brasil só no ano de 2011, os municípios coletaram mais

de 33 milhões de t (toneladas) de RCD, o que representa

cerca de 60% de todo o resíduo sólido urbano

coletado naquele ano.

O emprego da madeira na construção civil, feito

na forma de elementos temporários como formas,

escoramentos e andaimes, ou na forma de elementos

definitivos como estruturas de coberturas, forros,

pisos, esquadrias e acabamentos, gera grande quantidade

de resíduos, principalmente considerando que

todos esses elementos temporários serão posteriormente

descartados.

De acordo com Miranda et al. (2009), os resíduos

de madeira representam cerca de 31% de todo o volume

de resíduo de construção gerado em uma obra

de um edifício residencial. Se considerado somente a

fase de execução estrutural, podem chegar a representar

42% dos resíduos gerados durante o processo

em questão.

Apesar de existirem diversas opções para destinação

destes resíduos de madeira, muitas vezes a destinação

mais adequada não é realizada por ser inviável

financeiramente, por problemas de logística ou até

por falta de tecnologia para tornar a ideia de destinação

viável, resultando em uma grande quantidade de

resíduos descartada sem tratamento adequado, ou

sem nenhum tratamento.

Atualmente, com o aumento das demandas ambientais

e ações fiscalizatórias, é bastante comum que

as construtoras destinem os resíduos de madeira de

suas obras como fonte de energia, por exemplo, para

queima em olarias. Há casos em tais resíduos são destinados

para queima em pizzarias, restaurantes ou fábricas

de alimentos.

Na construção civil muitos resíduos de madeira

NA CONSTRUÇÃO CIVIL MUITOS RESÍDUOS DE MADEIRA GERADOS

ESTÃO CONTAMINADOS POR OUTROS MATERIAIS, COMO TINTAS,

GRAXAS, PREGOS, PARAFUSOS E PLÁSTICOS. DE FORMA QUE, A

COMPLEXIDADE EM QUALIFICAR OS CONTAMINANTES PRESENTES

NO MATERIAL, DIFICULTA O PROCESSO DE BENEFICIAMENTO,

REUTILIZAÇÃO OU RECICLAGEM

Foto: divulgação

88 |

www.referenciaindustrial.com.br


Foto: Jppi

gerados estão contaminados por outros materiais,

como tintas, graxas, pregos, parafusos e plásticos. De

forma que, a complexidade em qualificar os contaminantes

presentes no material, dificulta o processo

de beneficiamento, reutilização ou reciclagem. Para

amenizar o problema que estes resíduos representam

ao meio ambiente, é necessário propor maneiras eficientes

de gerenciamento e reaproveitamento destes.

Diante dessa realidade, este trabalho busca contribuir

com a caracterização do problema de contaminação

de resíduos de madeira associados à construção

civil, ao se analisar amostras provenientes de

canteiros de obras na cidade de Curitiba (PR) por meio

de levantamentos in loco da madeira a ser descartada.

MÉTODO

No intuito de caracterizar os resíduos de madeira

de obras de construção civil, foi elaborado um plano

de coleta e análise de dados, buscando representatividade

das amostras nos canteiros de Curitiba.

Foram analisadas 246 amostras de resíduos de

madeira em seis canteiros de obras de edifícios verticais

em diferentes fases executivas. As obras analisadas

possuem área total construída variando entre

18.000 a 81.500 m² (metros quadrados), duração da

obra variando entre 2 a 5 anos, número médio de funcionários

de 200 a 350, com ou sem certificações ISO

9001 e Pbqp-H.

As amostras foram caracterizadas quanto a suas

dimensões e a presença de contaminantes. Classificaram-se

ainda as peças em simples e compostas,

considerando-se compostas aquelas amostras que

apresentam mais de uma peça, unidas por cola, pinos

metálicos, etc.

Foram também analisados os locais para armazenamento

temporário dos resíduos na obra, as destinações

finais voltadas aos resíduos de madeira, tipos de

desmoldantes utilizados e levantados os responsáveis

NOVEMBRO | 89


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

ARTIGO

Tabela 1

AMOSTRAS DE RESÍDUOS CLASSIFICADAS DE ACORDO COM SUA UNIÃO A OUTRAS PEÇAS

TIPO

GERAL

OBRA A

OBRA B

OBRA C

OBRA D

OBRA E

OBRA F

SIMPLES

77,6%

56,4%

85,7%

79,3%

78,0%

86,5%

80,6%

COMPOSTO

22,4%

43,6%

14,3%

20,7%

22,0%

13,5%

19,4%

Figura 1

DISTRIBUIÇÃO DE AMOSTRAS TIPO SIMPLES SEGUNDO SUA FORMA ORIGINAL

8%

3%

17% 16%

3%

40%

40%

35%

22%

41%

38%

OUTROS

PAINEL

COMPENSADO

82%

3%

3%

7%

RIPA

6%

25%

5%

12%

5%

5%

14%

20%

10%

23%

15%

15%

7%

11%

28%

22%

13%

44%

9%

3%

34%

7%

10%

SARRAFO

TÁBUA

CAIBRO

VIGOTA

GERAL OBRA A OBRA B OBRA C OBRA D OBRA E OBRA F

90 |

www.referenciaindustrial.com.br


Compensado Moveleiro

Compensado Resinado

Compensado Naval

Lâminas para Capa

LANÇAMENTO

Compensado

Plastificado

O mais resistente entre os painéis resinados.

É utilizado na produção de formas para concreto e seu

revestimento, com filme fenólico, proporciona alto índice

de durabilidade e reutilizações.

Foto: divulgação

Rod. BR 010 – KM 16,5 – Dom Eliseu – Pará

Tel.: +55 (94) 3335-1216 e 3335-2161

comercial.adeco@grupoarboris.com.br

pelo sistema de gerenciamento de resíduos. Os detalhes

do método de pesquisa estão descritos em Lopes

et al. (2013).

“Deus cuida de nós”

PLANETA INDUSTRIAL

DE MADEIRAS LTDA.

RESULTADOS

Na página ao lado, estão apresentadas as análises

e interpretações dos resultados encontrados nas

amostragens. Na Tabela 1 são apresentados os percentuais

encontrados nos levantamentos de campo,

segundo a classificação proposta. Geral, corresponde

à média relativa a todas as amostras.

Depreende-se da análise da Tabela 1 que a maior

parte dos resíduos de madeira (cerca de 80%) nas

obras analisadas refere-se a peças simples, isto é, não

estão unidas a outras peças por meio de pinos metálicos,

cola, etc. Esta informação sugere que há desagregação

das estruturas de madeira, utilizadas como

formas, escoras, etc. na própria obra, antes de seu

armazenamento, o que pode contribuir para uma destinação

mais correta.

Do ponto de vista de tipo de peça descartada,

pode-se verificar na Figura 1 que os painéis compensados

representam cerca de 40% do total de resíduos

considerados simples analisados. Este fator pode ser

Madeira serrada de Eucalyptus Grandis

seco em estufa, madeira estabilizada,

própria para indústrias de móveis, portas

e batentes. Com três tipos de

classificações para atender um mercado

exigente.

PROCURE PRODUTOS CERTIFICADOS

Rua Projetada B, lote 65, Cx.P. 2083

Distrito Industrial | Telêmaco Borba - PR

E-mail: planetaindustrial@hotmail.com | Tel: (42) 3273-2868


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

ARTIGO

Figura 2

DISTRIBUIÇÃO DA QUANTIDADE DE CONTAMINANTES POR AMOSTRA

DOIS CONTAMINANTES

15%

TRÊS OU MAIS

CONTAMINANTES

19%

NENHUM 7%

UM CONTAMINANTES

29%

Figura 3

INCIDÊNCIA DOS CONTAMINANTES NAS AMOSTRAS

TERRA

13%

DESMOLDANTE

13%

GESSO

13%

OUTROS

13%

UMIDADE

(AGENTES

BIOLÓGICOS)

13%

PINOS METÁLICOS

30%

TINTA

13%

ARGAMASSA

29%

92 |

www.referenciaindustrial.com.br


MADEIRADE

REFLORESTAMENTO

PRESERVANDO O MEIO AMBIENTE

Foto: divulgação

relacionado com a abrangência de utilizações dentro

de uma obra para o material citado, como em bandejas

de proteção, formas e instalações provisórias.

Especificamente na obra A, a quantidade de painéis

compensados representou uma porcentagem bem

superior à geral devido à coleta ter sido feita um dia

após a desmontagem da bandeja de proteção.

Estão apresentados na Figura 2 resultados sobre a

quantidade de contaminantes por amostra. Ressalta-

-se a informação de que apenas 7% das amostras não

possuíam contaminantes, o que mostra a necessidade

de estudos sobre a criação de novos métodos de

destino e a necessidade de se estimulá-los, principalmente

após ficar evidente que a destinação comum,

a queima, não poderia ser utilizada em grande parte

dos resíduos.

Na Figura 3 estão apresentadas as incidências de

cada contaminante analisado para os dados coletados.

Para esta porcentagem foram consideradas apenas

amostras com pelo menos um contaminante, excluindo-se

então a opção de nenhuma contaminação.

Vale lembrar que um mesmo resíduo pode ter incidência

de mais de um contaminante e a porcentagem

individual é em relação ao número de contaminações

encontradas, sendo que o total de contaminações registradas

foi de 456, nas 246 amostras.

Nota-se que argamassa e pinos metálicos juntos

são responsáveis por mais da metade das contaminações.

Seria ideal a remoção desses contaminantes

antes da destinação final. Mesmo em olarias, destinação

usual, os pinos metálicos se apresentam como

www.tecnoplaccompensados.com.br

Rondon do Pará - Pará | Fones: (94) 3326-1321 • (94) 3326-1114

contato@tecnoplaccompensados.com.br

COMPENSADOS DE EXCELÊNCIA

Nos orgulhamos em produzir compensados e laminados de

alta qualidade, atendendo satisfatoriamente nossos clientes

FAÇA UM ORÇAMENTO!

Nossa política ambiental parte do princípio de que

deve-se garantir uma melhor conservação da Natureza

PRODUZIDOS 100% COM MADEIRAS

DE REFLORESTAMENTO

Rondon do Pará- PA

Telefone: (94) 3326-1361

contatos@compensadosconfianca.com.br

www.compensadosconfianca.com.br

CUIDAR E

PRESERVAR!


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

ARTIGO

um empecilho, pois previamente à queima, a madeira

passa muitas vezes por um processo de trituração e os

pinos metálicos podem eventualmente danificar os

equipamentos.

Outro ponto que se soma à questão é que 18% dos

resíduos analisados apresentou desmoldantes, vernizes

ou tintas. Alguns destes produtos encontrados no

mercado apresentam substâncias tóxicas à inalação

(respaldadas por suas Fispq’s), o que deveria trazer

maiores preocupações quanto à destinação destes,

especialmente no que concerne à sua queima. Estas

informações reforçam a tese de que o controle para

descarte dos resíduos contaminados com desmoldantes

deveria ser mais rígido.

Um fato relacionado às olarias que deve ser ressaltado

é que algumas destas ainda não possuem tratamento

ou filtros para controle da poluição do ar ou

riscos ocupacionais associados, o que pode acarretar

em danos ao meio ambiente e ao trabalhador. Regulamentos

e normas deveriam ser estabelecidos no sentido

de disciplinar a matéria.

Outro problema que deveria ser corrigido é em relação

à reutilização de pallets. Entre as seis obras pesquisadas,

apenas uma afirmou a devolução de pallets

em bom estado de conservação para posterior reutilização.

As demais os descartavam.

Outro fator verificado foi que em 4 das 6 obras visitadas

não havia um engenheiro responsável ou um

profissional qualificado para atuar no gerenciamento

de resíduos, sendo esta responsabilidade repassada

ao estagiário de engenharia, entre suas diversas funções.

Fica evidente o descaso das empresas quanto

ao manejo dos resíduos gerados em seus empreendimentos.

Após análise de todos os fatores envolvidos,

conclui-se que há urgência na criação de regulamentações

mais rígidas para descartes de resíduos de madeira

em obras.

CONCLUSÃO

O cenário encontrado nas obras utilizadas para a

análise foi similar. Os contaminantes mais encontrados

nos resíduos foram argamassa e pinos metálicos,

somando 59% das amostras analisadas. Substâncias

que podem ser tóxicas ou prejudiciais se inaladas

como tintas e desmoldantes foram encontradas em

18% das amostras, o que representa um valor significativo.

Em cinco das seis obras não há a reutilização

de pallets e em quatro delas não havia profissional

qualificado responsável pelo gerenciamento de resíduos.

Aos resíduos de madeira não é dada a importância

devida e na maioria dos casos até o descarte inicial na

obra é feito de maneira dispersa e sem cuidados. Em

100% das obras analisadas a destinação final utilizada

para madeira é a olaria, que se revelou inadequada ao

meio ambiente e à saúde do trabalhador.

Os órgãos de fiscalização precisam estar atentos

a esta questão, buscando verificar a suficiência e eficiência

dos equipamentos de controle de poluição de

Foto: divulgação

94 |

www.referenciaindustrial.com.br


áreas de recebem resíduos de madeira, especialmente

aqueles que utilizam tais resíduos para queima.

Para melhoria do quadro seria necessária mudança

de atitude por parte das construtoras e agentes de

fiscalização, na adoção de formas diversas de descarte

desses resíduos. A verificação periódica do sistema

de gerenciamento de resíduos por técnico habilitado

mostra-se também urgente. Seriam necessários esforços

adicionais na segregação dos resíduos de madeira

nos canteiros, com a subclassificação destes

segundo seus potenciais destinos finais. Contudo, isto

possivelmente oneraria, em um primeiro momento,

as construtoras, mas certamente acarretaria em benefícios

ambientais.

REFERÊNCIAS

Análise da Contaminação em Resíduos de Madeira

na Construção Civil. Lopes, F. P.; Pereira, P. M.;

Hamaya, R. M. Trabalho de Conclusão de Curso. Curso

de Engenharia da Produção Civil. Universidade Tecnológica

Federal do Paraná - Utfpr. Curitiba, 2013. 85p.

A reciclagem de resíduos de construção e demolição

no Brasil: 1986-2008. Miranda, L. F. R.; Ângulo,

S. C.; Careli, E. D. Ambiente Construído, Porto Alegre,

2009. p.57-71.

Panorama dos resíduos sólidos no Brasil. Abrelpe.

Associação Brasileira De Empresas De Limpeza Pública

E Resíduos Especiais. São Paulo, 2011. Disponível

em: Acesso

em: 16 abr. 2012.

www.frameport.com.br

Fone: (49) 3561-6600

frame@frameport.com.br

Rua Luiz Caetano Francio, 475

Figueroa | Caçador | SC | 89500-000

preservando

o meio ambiente.

Produtos com qualidade

e procedência,

conheça e comprove!!!

Compensados e lâminas de Paricá:

Compensados para móveis,

embalagem, construção e naval.

www.compensadosuliana.com.br

vendas@compensadosuliana.com.br

ROD. BR 010 - KM81, S/N

Centro - Ulianópolis – PA

Fones:

(91) 3726 -1144

(91) 3726 -1145


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

AGENDA

NOVEMBRO 2015

FEVEREIRO 2016

Furniture Fair

10 a 15

Belgrado (Sérvia)

www.beogradskisajamnamestaja.rs

Wood Machinery

26 a 28

Riga (Letônia)

www.woodworking.lv

ZOW

16 a 19

Bad Salzuflen (Alemanha)

www.zow.de

XVII Fimai – Feira Internacional

de Meio Ambiente

Industrial e Sustentabilidade

11 a 13

São Paulo (São Paulo)

www.fimai.com.br/pt_BR/

Woodex

24 a 27

Moscou (Rússia)

www.woodexpo.ru

JANEIRO 2016

Magna Expomueblera

20 a 23

Cidade do México (México)

www.magnaexpomueblera.

mx

Femur (Feira de Móveis de

Minas Gerais)

9 a 13

Ubá (Minas Gerais)

www.femur.com.br

Xylexpo

24 a 28

Milão (Itália)

www.xylexpo.com

MAIO 2016

DESTAQUE

XVII FIMAI – FEIRA INTERNACIONAL DE MEIO AMBIENTE INDUSTRIAL

E SUSTENTABILIDADE

11 a 13 de novembro

São Paulo (São Paulo)

www.fimai.com.br

Em 2015, a Fimai-Ecomondo Brasil será realizada nos dias 11 a 13 de novembro,

no Pavilhão Branco do Expo Center Norte, em São Paulo (SP). Em paralelo acontecem o XVII Simai – Seminário Internacional

de Meio Ambiente Industrial e Sustentabilidade, a 2ª Oil Spill Brazil e 2º Seminário Brasil e Termelétricas. A feira amplia sua

oferta no mercado internacional com a mostra das inovações, tendências, equipamentos, políticas de incentivo, economia

verde e tecnologias que contribuem para o desenvolvimento da sustentabilidade nas mais diversas esferas do mercado global.

Imagem: reprodução

96 |

www.referenciaindustrial.com.br


REFERÊNCIA INDUSTRIAL

ESPAÇO ABERTO

O FUTURO

DO MÓVEL

N

os primeiros anos deste século vimos aparecer a comunicação

instantânea e a internet. Mudaram os hábitos alimentares, as

relações humanas e surgiu a casa híbrida. Nunca estivemos

tão perto de realizar a fantasia de uma Era Jetsons, mas a indústria moveleira

continua criando produtos projetados para casas do século 19.

Entre as previsões dos especialistas ligados ao Fórum Econômico

Mundial, as maiores tendências globais para os próximos anos são:

aprofundamento da desigualdade de renda, aumento da concorrência

geoestratégica, aumento da poluição no mundo em desenvolvimento,

intensificação do nacionalismo, aumento da escassez de água e crescimento

da importância da saúde para a economia.

A economia compartilhada é outra realidade com impacto direto

sobre a indústria moveleira. Seja pela redução no consumo de recursos

e proteção ao meio ambiente, seja pelo apelo de vivenciar novas experiências,

o fato é que os produtores de bens duráveis devem preparar-se

para ver seus produtos compartilhados por grupos de indivíduos. E ao

contrário do que parece, esta perspectiva oferece muitas oportunidades.

Uma nova visão do luxo, o consumo indulgente, a pechincha chique

e as trocas com desconto são outras tendências que devem mudar a

dinâmica da indústria moveleira mundial e local.

A crescente globalização do consumo não implica em oferecer os

mesmos produtos e serviços para todo mundo. Muito pelo contrário:

são cada vez mais valorizados os itens de origem, que mostram suas

raízes. Captar o espírito de uma região, saber utilizar a internet como

aliada para ampliar o alcance da publicidade e ter estrutura para atuar

em escala global são os desafios do varejo.

A escassez de água e energia será um fator decisivo na produção de

bens. Neste cenário cresce a demanda por logística reversa e por novas

matérias-primas, mais inteligentes e eficazes. A desmaterialização do

móvel, impulsionada por novas formas de morar, passa a ser um fator

de sustentabilidade e uma estratégia de desenvolvimento de novos

produtos. Além disso, a facilitação da limpeza da casa e dos móveis é

uma expectativa dos consumidores mais jovens.

Foto: divulgação

Por Silvia Grilli

Designer de produto e sócia-diretora do portal TrendMóvel


Líder mundial em preservação de madeiras

PROPORCIONANDO INOVAÇÕES

PROTEÇÃO DE MADEIRAS

Uma empresa do Grupo Lonza

Sistemas analíticos

na usina.

Automação.

O inovador CA-B. Acabamento base óleo

para madeiras

Aditivo repelente à água.

Uso em autoclave com

CCA e CA-B.

Novos rumos

Aditivo colorante.

Uso em autoclave

com CCA e CA-B

CCA

A marca do CCA.

Controles Laboratoriais na Usina

Controles de Operação

Novos Produtos

Novos Aditivos

Capacitação Técnica

INTERNATIONAL

RESEARCH GROUP

ON WOOD

PROTECTION

Arch Proteção de Madeiras

Av. Brasília, 1500 - Salto (SP) - Brasil

elcio.lana@lonza.com - (11) 4501-1211

flavio.geraldo@lonza.com - (11) 4501-1209

denise.castilho@lonza.com - (11) 4028-8086

www.lonza.com

More magazines by this user