EMPREENDA REVISTA - Ed. 24 - Maio 2019

elaineempreenda

Edição Especial de aniversário da Empreenda Revista. Revista de negócios focada em conteúdo empreendedor

R$ 14,90


04


07 05


06

SUMÁRIO

12 EMPREENDA REVISTA

COMEMORA DOIS

ANOS DE UMA JORNA-

DA EMPREENDEDORA

NA COMUNICAÇÃO.

32 BEM-VINDO A ERA

OMNI CHANNEL

18 EMPREENDEDORISMO:

DA FICÇÃO À DURA

REALIDADE

44 PARA CRIAR,

OBSERVE MAIS!

22 EDILENE LOIOLA, A

JORNADA DE UMA MÃE

EMPREENDEDORA

NA LOGÍSTICA PARA

E-COMMERCE

52

KHAPPY

KOMBUCHA

DESPONTA

NO MERCADO

NACIONAL

ENTREGANDO

BEM-ESTAR E

POSITIVIDADE

28


07

EDITORIAL

TRAJETÓRIA DE SUCESSO

Essa edição está mais que especial,

além de estarmos comemorando

nossos dois anos de uma trajetória

que até aqui nos ensinou e nos inspira

muito, comemoramos também

o lançamento da Empreenda Revista

fora do País.

Um ponto forte do empreendedorismo são as conexões

feitas, eu te digo que essas conexões te levam a patamares

inimagináveis. Conecte-se em essência, agregue

valor as pessoas, esse é o caminho do sucesso. Um cara

que faz isso muito bem, é genuíno em suas entregas e

com uma disposição invejável é Alfredo Soares, Head de

SMB da Vtex e nossa capa desse mês.

Conheço o Alfredo e como empreendedora me inspiro

nele. Ele possui competências como disciplina e resiliência,

além de um propósito de vida bem definido, isso faz

com que Alfredo seja reconhecido como um dos melhores

nomes do e-commerce no Brasil. Tenho certeza que

você irá aprender muito com ele. Participamos da Expo

Talks, o maior evento de empreendedorismo para brasileiros

que residem no Japão, tivemos a oportunidade de

lançar a assinatura digital da Empreenda fora do país,

um motivo de muita alegria pra mim, que iniciei esse

E aqui eu digo, isso não estava no meu

plano de negócios, mas, e daí, o plano é

um direcionamento do que deve ser feito,

mas tudo o que for para agregar deve ser to, oportunidades devem ser agarradas, e deman-

feidas

devem ser atendidas. Isso é a Empreenda, a revista

que conecta o melhor do mundo empreendedor as melhores

pessoas que desejam empreender ou melhorar

sua performance empreendedora.

projeto a dois anos e hoje posso contar

com uma linda equipe de pessoas

engajadas em transformar a Empreenda

em referência nacional em empreendedorismo.

Aqui deixo minha

gratidão a toda minha equipe.

Venha fazer parte dessa comunidade

de empreendedores, acesse nosso

portal www.empreendarevista.com.

br, e tenha acesso aos nossos planos de

assinatura. Queremos estar próximos de

você, por isso sugestões de pautas, eventos,

palestras, podem ser enviadas para o nosso e-mail redação@empreendarevista.com.br.

Nos acompanhe pelas redes sociais ou pelo nosso aplicativo.

@empreendaRevista

/empreendaRevista

@empreendaRev

/empreenda-revista

App Empreenda Revista

Desejo a todos uma

boa leitura e até a

próxima!

ELAINE JULIÃO

Diretora da

Empreenda Revista

EXPEDIENTE

EMPREENDA REVISTA

ANO III | EDIÇÃO 24 | MAIO 2019

www.empreendarevista.com.br

contato@empreendarevista.com.br

DIRETORA RESPONSÁVEL

Elaine Julião

elaine@empreendarevista.com.br

DEPTO. MARKETING

Sidney Santos

marketing@empreendarevista.com.br

REDAÇÃO

Elis Claro

redacao@empreendarevista.com.br

ASSINATURA:

www.empreendarevista.com.br/assinaturas

FALE CONOSCO

(11) 4546-7271

DEPARTAMENTO COMERCIAL

comercial@empreendarevista.com.br

Produção de conteúdo e desenvolvimento

Grupo Empreenda - Rua Cedral, 91 - Mauá

CNPJ: 10.378.146/0001-29

DIAGRAMAÇÃO / CAPA

Carlos Celice

carlos@impactographics.com.br

FOTO CAPA

Everton Rosa

A EMPREENDA REVISTA é uma publicação

mensal. A revista não se responsabiliza por

conceitos e opiniões emitidas em colunas

assinadas e materiais divulgados em

anúncios publicitários.


08

COLUNA DO LEITOR

EDIÇÃO DE ABRIL DA EMPREENDA

É SUCESSO NAS REDES SOCIAIS


09 07


10

EMPREENDEDORES

PELO MUNDO


11

EMPREENDEDORES

PELO MUNDO


12

EMPREENDA REVISTA

ESPECIAL 2 ANOS

EMPREENDA REVISTA

COMEMORA DOIS ANOS

DE UMA JORNADA

EMPREENDEDORA NA

COMUNICAÇÃO.

Há dois anos dei início da Empreenda Revista, a primeira

edição foi lançada na cidade de Mauá. Muitas coisas mudaram

nessas 24 edições, menos a essência da Empreenda.

O nosso projeto editorial foi pensado para entregar

um conteúdo empreendedor aplicável aos nossos

leitores, algo que o empreendedor pudesse ler e transpor

aos seus negócios.

Após alguns meses de edição, contratei para ir até Mauá,

o palestrante Max Gehringer. Ao final do evento, fui levá-lo

até Atibaia (SP) e tive uma o prazer de escutar por

quase 2h sobre como eu poderia tornar a Empreenda

muito maior, Max frisou que a Empreenda era muito boa

para ficar somente em uma cidade. Seguir os conselhos

do Max era abrir mão de ter uma receita mensal maior

e aumentar meu custo de produção, mas, eu resolvi ouvir

o que o Max dizia e dois meses depois, relançava a

Empreenda com nova comunicação visual, alteração na

persona e posicionamento para mais seis cidades além

de Mauá. Começava ali uma jornada desafiante.

Era o momento de mostrar aos empreendedores o

quanto a Empreenda agregava valor a eles e o quanto

eles ganhariam em ler o nosso conteúdo. Constância e

dedicação fazem parte do nosso DNA, e mensalmente

entregamos aos nossos leitores o que há de mais atual

em conteúdo empreendedor. Outro ponto marcante em

nossa jornada até aqui, foi quando as pessoas começaram

a procurar a revista nas bancas, ali entendi que tinha

um público fora do ABC Paulista que eu ainda não

tinha pensado em trabalhar. O fato é que eu sempre estive

muito atenta aos comentários sobre a revista, com

isso consegui identificar essa oportunidade de negócios,

mais uma vez, dois meses depois lancei a revista por

assinatura. Isso me deu mais impulsionamento e hoje

temos assinantes em todos os Estados do Brasil e esse

mês de maio conseguimos romper a fronteira nacional,

nesse momento escrevo esse artigo aqui do Japão, onde

lançamos a Empreenda para os empreendedores brasileiros

que moram aqui. Sim, agora a Empreenda têm

assinante dentro e fora do Brasil. Claro que nessa jornada

tiverem muitos tropeços, parceiras erradas atrasam

processos e aqui também aconteceu, eu, na ocasião

tinha duas opções, ficar insatisfeita e reclamar ou procurar

uma solução e passar por cima daquilo como um

trator, eu escolhi e vou sempre continuar escolhendo a

segunda opção, sabe por quê?

Porque sou movida a resultados e sei que somos mais que

uma revista, somos uma plataforma de conteúdo empreendedor

que além de ter uma publicação mensal muito

rica em conteúdo, entrega também aos leitores, eventos

com palestrantes de renome nacional que têm muito a

agregar em sua trajetória empreendedora.

A missão editorial da Empreenda Revista é contribuir

para formação de empreendedores, entregando conteúdos

relevantes e aplicáveis para quem deseja começar

um negócio ou fazê-lo crescer, construindo assim uma

rede de pessoas engajadas em transformar o mundo

através do empreendedorismo. Inspirar os leitores a

continuar sua jornada empreendedora é um de nossos

objetivos e para isso trazemos grandes cases de empreendedores

que estão tendo sucesso.

MOMENTOS MARCANTES DA NOSSA HISTÓRIA EM GRÁFICO:


13

COMEMORAÇÃO

Para comemorar nossos dois anos do jeito que

mais gostamos, estamos trazendo para o ABC, na

cidade de Santo André, no dia 15 de junho, o Empreenda

Summit ABC, com grandes palestrantes

de renome nacional. Serão 12 horas de programação

que reunirá grandes especialistas do empreendedorismo

no Brasil em um evento comemorativo

ao 2º aniversário da Empreenda Revista.

Eu acredito que celebrar os dois anos da Empreenda

com uma programação que reunirá os

principais especialistas do Brasil para falar sobre

vendas, marketing, inovação e criatividade é a

oportunidade de oferecermos aos nossos leitores

e a todos os empreendedores uma experiência

incrível. O empreendedorismo tem conquistado

cada vez mais espaço no cenário nacional e a realização

do Empreenda Summit ABC mostrará experiências

e até mesmo tropeços que culminam

no sucesso de uma startup e como esses erros

são importantes para o crescimento de todo líder.

Já confirmaram presença como palestrantes:

Alessia Saluára, Alfredo Soares, Davi Braga, Edilene

Loiola, Eduardo Shinyashiki, Felipe Carvalho,

Fernando Seabra, Fernão Loureiro, Ivan Querino,

João Bogado, Jonathan Freitas, Junior Souza, Luiz

Schimitd, Marcos Batista, Marcos Sousa, Rafa Prado,

Renner Silva, Rick Chesther, Taty Luncah, Thiago

Matsumoto, Thiago Pirinelli.

Quem quiser garantir sua participação no Empreenda

Summit ABC pode se inscrever pela internet

através do site: empreendabra.com.br. O valor de

cada inscrição é de R$ 350,00 e além do acesso às

palestras, café com mentores e networking ainda

dá o direito a outros benefícios. Cada participante

receberá ainda o pacote ‘Boas-vindas Digital’, o

kit participante (01 mochila, 01 bloco de anotação

e 01 caneta), Livro de Negócios (Editora Gente),

assinatura digital da Empreenda Revista, ebook

com 5 dicas de como estabelecer métricas para

seu negócio e aula on-line exclusiva com o maior

especialista em Design Thinking do Brasil.

SOBRE O FUTURO

Bom, o que posso garantir a vocês

que em breve vou disponibilizar

a Plataforma Empreen-

da, vídeos, podcasts, passarão

a fazer parte do nosso modelo

de negócio e você terá acesso a

um conteúdo incrível entregue

de formas distintas para que

você possa ter acesso a todo

momento.


A EMPREENDA

REVISTA É FEITA DE

EMPREENDEDORES PARA

EMPREENDEDORES,

NOSSOS ARTICULISTAS

SÃO EMPREENDEDORES

RENOMADOS E ENTENDEM

AS DORES DE EMPREENDER,

ASSIM ENTREGAM

CONTEÚDOS QUE

FACILITAM A VIDA DE QUEM

DESEJA EMPREENDER

OU QUER MELHORAR A

PERFORMANCE DO SEU

NEGÓCIO.


EMPREENDA REVISTA

ESPECIAL 2 ANOS


14

GESTÃO E NEGÓCIOS

MP DA LIBERDADE ECONÔMICA E A

CONSTRUÇÃO DE UM NOVO MODELO

DE NEGÓCIO NO BRASIL

O Presidente Jair Messias Bolsonaro, assinou a Medida

Provisória que visa fomentar o empreendedorismo no

Brasil. Chamada MP da Liberdade Econômica, é um importante

passo para melhorar o ambiente de negócios,

essa medida altera a legislação para que possa haver

uma desburocratização na criação de startups pelo país.

“ESTAMOS CUMPRINDO O QUE FOI PROMETIDO, TIRANDO

O ESTADO DO CANGOTE DAS PESSOAS” afirmou Paulo Uebel,

Secretário de Desburocratização e Gestão do Ministério

da Economia.

Segundo Onyx Lorenzoni, Ministro Chefe da Casa Civil,

o governo irá recuar para que o cidadão avance. A MP

parte do princípio da presunção de boa fé dos entes privados

e reduz a intervenção do governo nas atividades

econômicas. Vários pontos atendem a pleitos da Fiesp e

do Ciesp que demandam a modernização das relações

entre o Estado e o setor privado. Alguns especialistas

não concordam com a MP e afirmam que a medida pode

causar desarticulação generalizada das leis do país.

A grande burocracia e a excessiva regulamentação predominantes

no Brasil inibem a criação de empreendimentos,

a inovação e a geração de empregos. Longe de

ser a solução definitiva, a MP constitui importante passo

para a construção de um novo ambiente de negócios. É

preciso aprová-la no Congresso Nacional e baixar normas

para os pontos que precisam de regulamentação

específica para, de fato, melhorar a competitividade das

empresas e criar melhores condições para o crescimento

econômico. A MP traz 17 pontos que visão desburocratizar

e simplificar a vida dos pequenos e médios empreendedores.

Liberdade de Burocracia

FIM DE AUTORIZAÇÃO PRÉVIA PARA ATIVIDADES

ECONÔMICAS DE BAIXO RISCO

COMO ERA: QUALQUER ATIVIDADE ECONÔMICA REQUERIA LICEN-

ÇAS, ALVARÁS E SIMILARES PRÉVIOS, MESMO PARA SITUAÇÕES QUE NÃO

OFERECEM RISCO.

COMO SERÁ: ATIVIDADES DE BAIXO RISCO NÃO PRECISARÃO DE

LIBERAÇÃO PRÉVIA PARA GERAR EMPREGO E RENDA.

EXEMPLO: ALVARÁ DE FUNCIONAMENTO SERÁ DESNECESSÁRIO PARA COS-

TUREIRAS, POR EXEMPLO, DESDE QUE EM PROPRIEDADE PRIVADA.

Liberdade de trabalhar e produzir

LIBERDADE DE HORÁRIO E DIA PARA PRODUZIR,

EMPREGAR E GERAR RENDA

COMO ERA: RESTRIÇÕES EXCESSIVAS SEM MOTIVAÇÃO IMPEDIAM

NOVOS EMPREENDIMENTOS QUE PODIAM GERAR EMPREGOS E RENDA,

ESPECIALMENTE PARA PEQUENOS NEGÓCIOS.

COMO SERÁ: AS RESTRIÇÕES DE HORÁRIOS PARA ATIVIDADES ECO-

NÔMICAS DEVERÃO SER JUSTIFICADAS, CASO CONTRÁRIO A REGRA É A

FLEXIBILIDADE PARA MELHOR ATENDER O CONSUMIDOR.

EXEMPLO: RESTRIÇÕES A ABERTURA DE HIPERMERCADOS E SHOPPINGS EM

DOMINGOS QUE NÃO FORAM EDITADAS PARA SOSSEGO, MEIO-AMBIENTE E

VIZINHANÇA.

Liberdade de Definir Preços

PREÇOS DE PRODUTOS E SERVIÇOS LIVREMENTE

DEFINIDOS PELO MERCADO

COMO ERA: ATOS DE AGENTES PÚBLICOS ERAM USADOS PARA

PREVENIR NOVOS MODELOS DE NEGÓCIO QUE BENEFICIAREM CONSU-

MIDORES.

COMO SERÁ: SERÁ GARANTIDA A LIBERDADE DE FIXAR E FLUTUAR

PREÇOS, COMO CONSEQUÊNCIA DA OFERTA E DEMANDA DO MERCADO,

OBSERVADA A LEGISLAÇÃO TRABALHISTA.

EXEMPLO: A MERA ENTRADA DE UM COMPETIDOR COM MODELO DE NEGÓ-

CIO INOVADOR QUE, COMO REGRA, JÁ PRATICA PREÇOS BAIXOS EM RELAÇÃO

AOS CONCORRENTES, NÃO PODERÁ SER ENQUADRADA COMO PREDATÓRIA

POR DECISÕES JUDICIAIS, EM DESRESPEITO A DECISÃO DO CADE QUE NÃO

ENCONTROU VIOLAÇÃO AO DIREITO DE CONCORRÊNCIA.

Liberdade contra arbitrariedades

EFEITO VINCULANTE PARA DECISÕES ADMINISTRATI-

VAS

COMO ERA: UM FISCAL PODERIA INTERPRETAR UMA NORMA DE

FORMA DISTINTA PARA DOIS CIDADÃOS EM SITUAÇÕES EQUÂNIMES:

GRANDE PORTA PARA A DISCRICIONARIEDADE, ARBITRARIEDADE E COR-

RUPÇÃO.

COMO SERÁ: SE PRESENTES AS MESMAS CIRCUNSTÂNCIAS, O ÓR-

GÃO DEVE AGIR DE MANEIRA IDÊNTICA, VINCULANDO SUAS

TODOS.

EXEMPLO: SE UM FISCAL INTERPRETAR QUE A TROCA DE UM EQUIPAMEN-

TO ANTIGO POR UM NOVO ABSOLUTAMENTE IDÊNTICO NÃO SE ENQUADRA

COMO “MUDANÇA SUBSTANCIAL” PARA OS EFEITOS DE UMA NOVA NORMA;

ENTÃO ESSA INTERPRETAÇÃO DEVERÁ SER SEGUIDA PARA TODAS AS DE-

MAIS VEZES EM QUE HOUVER UMA SITUAÇÃO SIMILAR EM CIRCUNSTÂNCIAS

IDÊNTICAS.

Liberdade de ser presumido de boa-fé

BOA FÉ NO DIREITO CIVIL, EMPRESARIAL, ECONÔ-

MICO E URBANÍSTICO.

COMO ERA: DÚVIDAS NA INTERPRETAÇÃO DA LEGISLAÇÃO ERAM

USADAS PARA SE IMPOR UMA INTERPRETAÇÃO QUE RESTRINGIA A LI-


15

BERDADE DO CIDADÃO, ALÉM DO QUE ELE PODERIA PREVER EM BOA-FÉ

AO AGIR, SENDO QUE OS PEQUENOS NÃO CONSEGUIAM ARCAR COM OS

ALTOS CUSTOS JUDICIAIS PARA PRESERVAR SUA AUTONOMIA.

COMO SERÁ: HAVERÁ CERTEZA SOBRE COMO INTERPRETAR A NOR-

MA DÚBIA OU ABERTA (NÃO CLARA) PARA ATIVIDADES ECONÔMICAS,

DEVENDO, NOS CASOS DE DÚVIDA, SEMPRE SE RECORRER À INTERPRE-

TAÇÃO QUE MAIS RESPEITA A AUTONOMIA DO CIDADÃO. NA PRÁTICA,

ISSO SIGNIFICA MAIOR SEGURANÇA E PREVISIBILIDADE.

I. DECISÕES JUDICIAIS NÃO TRARÃO SURPRESAS RESTRITIVAS

AO QUE FOI PACTUADO EM CONTRATO;

II. QUE A ANALOGIA NA INTERPRETAÇÃO DA NORMA NÃO SERÁ

USADA PARA PREJUDICAR O CIDADÃO, LIMITANDO SUA AUTONOMIA.

EXEMPLO: EM CONTRATOS DE COLABORAÇÃO EMPRESARIAL, COMO FRAN-

QUIA, A LIBERDADE DAS PARTES DE ESCOLHEREM O FORO APLICÁVEL ERA

AFASTADA POR DECISÕES EM QUE SE FAZIA ANALOGIA COM O CONTRATO

DE REPRESENTAÇÃO, A FIM DE RESTRINGIR A AUTONOMIA DAS PARTES. ISSO

ESTARÁ VEDADO A PARTIR DA VIGÊNCIA DESTA MEDIDA.

Liberdade de Modernizar

AFASTAR EFEITO DE NORMAS INFRALEGAIS DESA-

TUALIZADAS

COMO ERA: ANTIGAS REGULAÇÕES ACABAVAM ATRAPALHANDO O

DESENVOLVIMENTO DE NOVOS PRODUTOS E SERVIÇOS, MESMO QUAN-

DO ESSES JÁ HAVIAM ELIMINADO OS RISCOS QUE JUSTIFICAVAM TAL

RESTRIÇÃO.

COMO SERÁ: HAVERÁ, CONFORME REGULAMENTAÇÃO, UM PRO-

CEDIMENTO ADMINISTRATIVO QUE PODERÁ SER USADO PARA AFASTAR O

EFEITO DE RESTRIÇÃO, SE HOUVER MÉRITO.

EXEMPLO: VEDAÇÃO DE UM PRODUTO QUE ERA PERIGOSO POIS USAVA BA-

TERIA DE NÍQUEL, MAS COM A NOVA SOLUÇÃO DE LÍTIO NÃO REPRESENTA

MAIS PERIGO, ESTANDO A REGULAMENTAÇÃO DESATUALIZADA EM RELAÇÃO

A PAÍSES DESENVOLVIDOS.

Liberdade de inovar

IMUNIDADE BUROCRÁTICA PARA INOVAR

COMO ERA: O DESENVOLVIMENTO E TESTE DE UM NOVO PRODUTO

OU SERVIÇO, ESPECIALMENTE PARA START UPS, ERA REPLETO DE BURO-

CRACIAS E PEDIDOS DE LIBERAÇÕES, DIFICULTANDO A INOVAÇÃO E A

ADOÇÃO DE NOVAS TECNOLOGIAS.

COMO SERÁ: ENQUANTO EXERCIDO DENTRO DOS CRITÉRIOS DA

MEDIDA, SERÁ LIVRE DE BUROCRACIA A INOVAÇÃO NO BRASIL.

EXEMPLO: START UPS EM FASES INICIAIS NÃO PRECISARÃO DE ALVARÁ DE

FUNCIONAMENTO E OUTRAS BUROCRACIAS PARA TESTAR SEUS PRODUTOS,

COMO EM LANÇAMENTO DE APLICATIVOS DIGITAIS, OU TESTAGEM DE NO-

VAS PEÇAS DE ROUPAS.

Liberdade de pactuar

RESPEITO AOS CONTRATOS EMPRESARIAIS PRIVA-

DOS

COMO ERA: UMA DAS PARTES EM CONTRATO EMPRESARIAL, IN-

CLUSIVE DE CONSTITUIÇÃO, PODERIA SE VALER DA INTERPRETAÇÃO DE

UMA NORMA GERAL PARA SE BENEFICIAR MESMO TENDO LIVREMENTE

PACTUADO.

COMO SERÁ: ENTRE AS PARTES, O CONTRATO EMPRESARIAL DE-

VERÁ SER RESPEITADO, HAVENDO GRANDES INCENTIVOS DE SEGURANÇA

JURÍDICA E ALINHAMENTO ÀS MELHORES PRÁTICAS INTERNACIONAIS, EM

QUE O PACTUADO ENTRE AS PARTES ENTRE ELAS, TEM FORÇA DE LEI.

EXEMPLO: SÓCIO NÃO PODERÁ DESCONSTITUIR DECISÃO DE OUTRO POR

AUSÊNCIA DE CONSELHO FISCAL REQUERIDO POR LEI, SE AMBOS ASSIM

ACORDARAM.

Liberdade de não ficar sem resposta

FIXAÇÃO DE PRAZO E APROVAÇÃO TÁCITA

COMO ERA: ATOS DE LIBERAÇÃO NÃO TINHAM QUALQUER EFEI-

TO PELO DECURSO DO PRAZO, ESTANDO O PARTICULAR DESASSISTIDO,

SENDO ENTÃO UM INSTRUMENTO USADO PARA A PRÁTICA DE CORRUP-

ÇÃO, EM QUE O PRAZO PARA ANÁLISE ERA NEGOCIADO PELO BUROCRA-

TA CORRUPTO.

COMO SERÁ: PARTICULAR RECEBERÁ UM PRAZO NO MOMENTO DA

SOLICITAÇÃO EM QUE, APÓS O DECURSO, SE A ADMINISTRAÇÃO NÃO SE

PRONUNCIAR, ESTARÁ ASSEGURADA A APROVAÇÃO TÁCITA PARA TODOS

OS EFEITOS LEGAIS.

EXEMPLO: NO MOMENTO DE SUBMISSÃO DO PEDIDO DE APROVAÇÃO DO

ESTUDO DE IMPACTO DE VIZINHANÇA (EIV), O PARTICULAR RECEBERÁ

UM PRAZO ELABORADO PARA ELE PELO PRÓPRIO ÓRGÃO EM QUE, QUANDO

FINDO, SE O ESTADO TIVER SE MANTIDO EM SILÊNCIO, SERÁ CONSIDERADO

APROVADO.

Liberdade de digitalizar

FIM DO PAPEL E BRASIL DIGITAL

COMO ERA: CIDADÃO ERA FORÇADO A PRESERVAR EM PAPEL COM-

PROVANTES POR DÉCADAS A FIM DE ESTAR SEGURO JURIDICAMENTE,

ACARRETANDO ALTOS CUSTOS DE MANUTENÇÃO E ARMAZENAGEM,

ALÉM DE TER UMA MÁ EFICIÊNCIA AMBIENTAL.

COMO SERÁ: O PARTICULAR PODERÁ, APÓS A REGULAMENTAÇÃO,

DIGITALIZAR DOCUMENTOS E DESCARTAR O ORIGINAL, SENDO MAIS SE-

GURO, ECONÔMICO E SUSTENTÁVEL; ALÉM DE FACILITAR A TRANSMIS-

SÃO E FISCALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES.

EXEMPLO: TODOS OS COMPROVANTES TRIBUTÁRIOS QUE DEVERIAM SER

GUARDADOS POR 20 ANOS PODERÃO SER DESCARTADOS, APÓS CANETA E

SEGURA DIGITALIZAÇÃO.

ALGUNS OUTROS PONTOS

LIBERDADE DE CRESCER: CVM poderá retirar requerimentos

para simplificar de imediato a carga burocrática

pra Sociedades Anônimas, incluindo para o acesso de

pequenas e médias empresas ao mercado de capitais.

Empresas brasileiras não precisarão mais ir ao exterior

fazer IPO.

LIBERDADE DE EMPREENDER: decisões judiciais não

poderão mais desconsiderar a personalidade jurídica

sem demonstrar que esteja presente a má fé do empresário,

devendo a jurisprudência do STJ ser aplicada para

todos, inclusive para aqueles cidadãos que não têm condições

de recorrer até os tribunais superiores para garantir

a aplicação da interpretação consolidada.

LIBERDADE DE REDIGIR CONTRATOS COM PADRÃO

INTERNACIONAL: decisões judiciais não poderão fazer

revisões de contrato salvo em casos estritos e necessários.

LIBERDADE CONTRA ABUSOS: cria-se o abuso regulatório,

situação em que o regulador passa dos limites

permitidos pela lei para prejudicar o cidadão, gerando

indevidas distorções econômicas.

LIBERDADE DE REGULAÇÃO ECONÔMICA: nenhuma

nova regulação com grande impacto sobre a economia

poderá ser editada sem análise de impacto regulatório.

LIBERDADE DE REGULARIZAÇÃO SOCIETÁRIA: as sociedades

limitadas unipessoais passarão a ser regularizadas

de fato na forma da lei.

LIBERDADE DE RISCOS CONTRATUAIS: será lícito, e

sempre respeitado, o direito de as partes pactuarem a

alocação de riscos em decorrência de revisão contratual.

GESTÃO E NEGÓCIOS


16

GESTÃO E NEGÓCIOS


17

GESTÃO E NEGÓCIOS


18

GESTÃO E NEGÓCIOS

EMPREENDEDORISMO:

DA FICÇÃO À DURA REALIDADE

Era uma vez um garoto que, apesar de nunca ter trabalhado,

tinha ideias geniais e uma vontade muito grande

de colocá-las em prática. Jones não imaginava que,

para abrir seu próprio negócio, ele precisaria viver uma

aventura cheia de desafios e lutar contra um impiedoso

vilão: o Governo. Como todo principiante, ele compartilha

sua ideia com amigos e familiares e é estimulado a

dar vida a esse projeto. Essa ideia parece uma “doença

contagiosa” e toma conta do garoto. Ele não fala em outra

coisa, não pensa em outra coisa. Só tem olhos para

seu projeto e não para de imaginar em como será feliz

quando ele se tornar realidade. Até mesmo a namorada

não aguenta mais ouvi-lo falar sobre a tal aventura e de

suas expectativas.

Em meio a todo entusiasmo e preparativos, surge o primeiro

desafio: criar um bom nome. Uma tarefa difícil,

principalmente quando o negócio precisa ter presença

na internet – todo nome bacana que ele pensa em

criar já existe e, quando não existe, alguém já registrou.

Nome escolhido, agora é preciso um logotipo. Será mesmo?

Ainda não tem pesquisa de mercado, não estudou

o consumidor, a concorrência e nem a viabilidade do

negócio. Mesmo assim, ele vai em frente com seu projeto.

“É uma ideia inovadora, não tem como dar errado”,

pensa Jones.

Pois é assim mesmo que a maioria começa um negócio!

Apenas no sentimento, na raça, na esperança de

que tudo vai dar certo. E é aí que a verdadeira aventura

começa! O empreendedor vai entrar em uma floresta

escura e sem fim, mas com promessa de um pote de

ouro no final. Até então, é dia e os passarinhos cantam.

O logotipo ficou lindo, o texto de missão, visão e valores

é mágico – como manda o figurino – e o plano de

negócios de quatro páginas está pronto. O sentimento

de confiança continua: tem algo falando que esta é

a oportunidade da sua vida, um oceano azul. Mas, de

repente, começa a anoitecer. Pediram um tal de ‘fiador’

para o aluguel de uma sala, além de um comprovante

de renda. Mas que renda? Ainda não tem um negócio,

muito menos renda! E o preço do aluguel abocanhou a

poupança de Jones. Se ele não começar a vender logo,

além de escurecer, vai começar uma terrível chuva. O

jovem empreendedor começa a ficar assuntado, afinal,

a linda e encantadora floresta começa a revelar um lado

obscuro, frio e burocrático.

Após a noite mal dormida, em que as primeiras preocupações

virem à tona, amanhece um lindo dia de sol.

Chegou a hora de comprar os móveis e equipamentos

para mobiliar a loja. Este é um momento mágico, seria

quase “o grande final de um filme”, no qual Jones beija

a mocinha. Mas é aí que o tiro sai pela culatra e deixa

nosso herói desacordado por dias, quase em coma. Ele

gasta mais do que deve. Compra decoração, uma mesa

mais bonita, um computador mais potente, um quadro

para parede onde tinha um horizonte azul pintado…

Depois do baque, levanta atordoado e se dá conta de

que as compras estão parceladas no cartão e a data de

vencimento da fatura ainda está longe. Os móveis chegam,

a internet é instalada, que dia mágico! Fica arrumando

sua casa na floresta até altas horas e, depois,

reúne os amigos em volta da fogueira para comemorar!

“Amanhã tudo começa e minha vida vai mudar! Fiz o

que precisava fazer”, pensa o empreendedor Jones.

Na manhã seguinte, nosso aventureiro acorda animado

e vai à luta. Mas logo cedo descobre que precisaria

ter um eterno aliado: o contador (embora ele só traga

péssimas notícias). Lá se foi mais dinheiro para um tal

contrato social e para os primeiros impostos. Como se

trata de um negócio novo e pequeno, Jones contrata

dois funcionários. Em seguida, recebe da contabilidade

mais impostos para pagar. As contas se acumulam antes

mesmo de realizar sua primeira venda. Já ansioso

com a situação, Jones senta-se em sua mesa e pensa

que ainda não chegaram as contas de água, luz, IPTU e

por aí vai.

Quando registra sua primeira grande venda, felicidade

total? Não! Percebe que deve pagar mais impostos, emitir

uma nota fiscal pelo que vendeu. Isso, sem contar

o valor que já havia pago por todos os produtos que

estavam em sua loja. A chuva nesse momento é acompanhada

de raios e trovões e está quase ininterrupta. Já

desesperado, o empreendedor Jones lamenta: “Eu não

tinha pensado em todos esses valores quando coloquei

preço no meu produto. Como vai ser agora? Meu lucro,

onde vai ficar? Como repassar esses valores para os

meus clientes? Mas vou assim mesmo! Já cheguei até

aqui, vamos em frente!”.

Deste dia em diante, raramente fez sol na floresta.

Infelizmente esse “conto” é mais comum do que se imagina.

Empreender no Brasil transforma os empreendedores

em aventureiros.

Mas de uma coisa eu tenho a certeza:

todos são heróis! E os que

permanecem no mercado são,

ainda, mais, pois enfrentam os

desafios e os monstros da floresta

diariamente, sem exceção.

Fred Rocha

Especialista em varejo


19

CONHEÇA 12 FERRAMENTAS QUE VÃO

TE AJUDAR A RECRUTAR VENDEDORES

COM MAIS EFICIÊNCIA

Dizem que a propaganda é a alma do negócio, mas temos

que lembrar que ela não faz o trabalho sozinha.

Antes de começar a procurar profissionais para o seu

negócio, é necessário o trabalho de identificação do perfil

de cada um. Cada empreendimento tem suas particularidades,

por isso, escolher um vendedor que melhor

atenda às necessidades do seu projeto será um tiro certeiro.

AQUI VÃO DICAS DE FERRAMENTAS E LOCAIS PARA RE-

CRUTAR VENDEDORES IDEAIS PARA A SUA EMPRESA.

1) REDES SOCIAIS: APROXIMANDO PESSOAS E FACILITANDO O

CONTATO, PARA O MEIO CORPORATIVO ELAS DEIXARAM DE SER UM

MODO DE ENTRETENIMENTO E VIRARAM UMA ÓTIMA FERRAMENTA PARA

O RECRUTAMENTO DE PESSOAS. EM 2018, O FACEBOOK ATINGIU A

MARCA DE 127 MILHÕES USUÁRIOS ATIVOS POR MÊS, SEGUNDO DA-

DOS DIVULGADOS PELA PRÓPRIA EMPRESA. ENQUANTO O INSTAGRAM

CHEGOU A MARCA DE 50 MILHÕES. NESSAS REDES É POSSÍVEL FAZER

POSTAGENS PARA RECRUTAMENTO, ALÉM DE PODER IMPULSIONAR ES-

SAS PUBLICAÇÕES PARA ALCANÇAR MAIS PESSOAS. JÁ O LINKEDIN, COM

FOCO MAIS PROFISSIONAL, É UMA FERRAMENTA MUITO UTILIZADA PELAS

EMPRESAS PARA RECRUTAR FUNCIONÁRIOS E DETÉM TODAS AS INFORMA-

ÇÕES NECESSÁRIAS DO CANDIDATO.

2) ENTREVISTA: MESMO COM OS AVANÇOS DA TECNOLOGIA, A

ENTREVISTA É UM PROCESSO MUITO IMPORTANTE. COMO MÉTODO PARA

CONHECER MELHOR OS CANDIDATOS E PARA OBTER INFORMAÇÕES DE-

SEJÁVEIS, ELA É MUITO UTILIZADA, POIS INCLUI CONHECER O CANDIDATO

PESSOALMENTE. PODE SER REALIZADA DE FORMA INDIVIDUAL, GRUPO,

POR COMPETÊNCIA OU TESTES DE PERSONALIDADE.

3) ANÁLISE COMPORTAMENTAL: AJUDA A DIRECIONAR OS

CANDIDATOS QUE VOCÊ DESEJA ENCONTRAR. ELABORANDO ESTRATÉGIAS

DE ACORDO COM CADA COMPORTAMENTO, TANTO PESSOAL, QUANTO

PROFISSIONAL ESTE MÉTODO VAI TE AJUDAR A POUPAR TEMPO, ESPE-

CIALMENTE COM TANTOS CANDIDATOS DISPONÍVEIS NO MERCADO. A

ANÁLISE DE COMPORTAMENTO PODE SER APLICADA PELO RH DA EM-

PRESA, QUE PODE OU NÃO UTILIZAR DE SOFTWARES/PLATAFORMAS PARA

FACILITAR O PROCEDIMENTO.

4) TESTE DE CONHECIMENTO (CHA): O CHA É UM DOS

MÉTODOS MENSURÁVEIS PARA AVALIAÇÃO PROFISSIONAL. A SIGLA RE-

FERE-SE AO PERFIL DESEJADO PELA EMPRESA, ONDE CADA LETRA É UMA

COMPETÊNCIA. ASSIM, O “C” DIZ RESPEITO AO CONHECIMENTO SOBRE

O ASSUNTO MENCIONADO. O “H” É DE HABILIDADE, O SABER FAZER,

ISTO É, TER O CONHECIMENTO TEÓRICO, A APTIDÃO NECESSÁRIA PARA

QUE ALGO POSSA SER REALIZADO E O “A” REFERE-SE A ATITUDE QUE

O PARTICIPANTE TOMOU SOBRE DETERMINADA SITUAÇÃO, MOSTRANDO

INICIATIVA E DETERMINAÇÃO.

5) DINÂMICAS DE GRUPO: APLICADAS COMO UMA PARTE DO

PROCESSO SELETIVO, AS DINÂMICAS EM GRUPO SERVEM PARA QUE O

CANDIDATO SINTA-SE MAIS A VONTADE, AJA COM NATURALIDADE, DE-

MONSTRE A CAPACIDADE DE TRABALHO EM GRUPO E ATITUDES COMO

LIDERANÇA, PROATIVIDADE, PERSUASÃO E ESTRATÉGIAS LÓGICAS. ACABA

MOSTRANDO ASPECTOS MAIS COMPORTAMENTAIS E AJUDA A AVALIAR

MELHOR O CANDIDATO QUANDO COMBINADA COM OUTROS MÉTODOS.

6) TESTES PSICOLÓGICOS: APLICADOS POR PSICÓLOGOS OU

POR MEIO DE PLATAFORMAS ONLINE, TEM COMO OBJETIVO AVALIAR O

PERFIL DE CADA CANDIDATO. LEVA EM CONSIDERAÇÃO O RACIOCÍNIO

LÓGICO, A CONCENTRAÇÃO, PROBLEMAS MENTAIS, EMOCIONAIS, ATITU-

DES E INTELIGÊNCIA. COM ISSO, VOCÊ PODERÁ DESIGNAR ATIVIDADES DE

ACORDO COM O PERFILADO E AVALIAR A QUANTAS ANDA O EMOCIONAL

DO SEU CANDIDATO.

7) REFERÊNCIA EM OUTRAS EMPRESAS: PROCURAR IN-

FORMAÇÕES SOBRE O VENDEDOR EM EMPRESAS QUE ELE JÁ PASSOU

É UMA ÓTIMA DICA. ASSIM VOCÊ SABERÁ COMO ELE ERA ENQUANTO

FUNCIONÁRIO, QUESTÕES ÉTICAS, DE RESPONSABILIDADE E O PORQUÊ

DELE NÃO TRABALHAR NO LOCAL, ENTRE OUTRAS QUESTÕES.

8) CONCORRENTES: PRESTAR ATENÇÃO NOS BONS VENDEDORES

QUE SAÍRAM DE EMPRESAS CONCORRENTES É UM PONTO IMPORTANTE.

ÀS VEZES A EMPRESA PERDEU UM GRANDE PROFISSIONAL, POR MOTIVOS

QUE PODEM SER INVESTIGADOS POR VOCÊ. QUEM SABE O PROFISSIO-

NAL NÃO TEM O PERFIL DE SUA EMPRESA E VOCÊ PODE RECRUTÁ-LO

POSTERIORMENTE?

9) PORTAIS DE VAGAS: INCLUEM OS PORTAIS FÍSICOS (PATS,

AGÊNCIAS DE EMPREGO) E OS ONLINES (SITES, PORTAIS PAGOS E GRA-

TUITOS) ONDE VOCÊ PODE DIVULGAR VAGAS E RECRUTAR VENDEDORES.

É UM MÉTODO BASTANTE PRÁTICO E EFICIENTE, BASTANDO O CADASTRO

DO INTERESSADO.

10) DENTRO DA PRÓPRIA EMPRESA: FIQUE ATENTO AOS

VENDEDORES DENTRO DE SUA PRÓPRIA EMPRESA E ANALISE AS PROVÁ-

VEIS SITUAÇÕES NA QUAL ELE DESENVOLVERIA MELHOR O SEU TRABA-

LHO. ÀS VEZES A SIMPLES TROCA DE SETOR DE UM FUNCIONÁRIO POR

OUTRO PODE SER DE BASTANTE GANHO PARA SUA EMPRESA.

11) EVENTOS DO SEGMENTO: COMO UM “OLHEIRO” DE FU-

TEBOL, AS FEIRAS, ENCONTROS, PALESTRAS E WORKSHOPS SÃO ÓTIMOS

LUGARES PARA CONHECER PESSOAS QUE TENHAM GRANDE POTENCIAL

NA SUA ÁREA E RECRUTÁ-LAS.

12) FAÇA SUA PRÓPRIA FORMAÇÃO: SE VOCÊ TEM UMA

DEMANDA MUITO GRANDE, FORNEÇA UMA FORMAÇÃO GRATUITA SOBRE

SEU NEGÓCIO COM AVALIAÇÃO NO FINAL. OS MELHORES PODERÃO SER

UMA ÓTIMA FONTE PARA BUSCAR NOVOS COLABORADORES (PELO ME-

NOS TECNICAMENTE).

Pronto, agora que você já conhece essas 11 ferramen-

tas, vai ficar muito mais fácil analisar candidatos e

escolher aquele que tem o perfil da sua empresa.

O ideal é que você combine mais de um método

para poder analisá-los em vários aspectos. Escolha

aqueles que sejam mais adequados ao modus

operandi de sua empresa e mãos à obra! Espero

que você tenha uma ótima seleção!

THIAGO CONCER é um dos maiores

especialistas em vendas do Brasil, é sócio-

fundador do IEV, a maior escola de vendas

do país, é líder do movimento #OSV

VENDAS


20

VENDAS

NUNCA MAIS

COBRE A META

DE VENDAS!


21

VENDAS


22

ESPECIAL

Dia das Mães

FINALISTA FORUM ECOMMERCE BRASIL

EDILENE LOIOLA, A JORNADA DE UMA

MÃE EMPREENDEDORA NA LOGÍSTICA

PARA E-COMMERCE

CEO E FOUNDER DA SOULOG É REFERÊNCIA

FEMININA NA LOGÍSTICA PARA E-COMMERCE

NACIONAL.

Edilene Loiola, 35 anos, mãe, empreendedora, CEO da

Soulog, participou do programa 10K mulheres empreendedoras

pela FGV em parceria com a Goldman Sachs

e College Babson, que segundo a empreendedora foi

um divisor de águas em sua vida. Edilene

começou a empreender na área

de logística há 14 anos e entre muitos

desafios, ela conseguiu se reinventar.

A jornada empreendedora de Edilene

é realmente inspiradora.

Após ter visto seu primeiro negócio

falir, Edilene não desistiu, mesmo com

uma dívida imensa, a empreendedora

arregaçou as mangas e escutou a

necessidade de um dos seus clientes,

na ocasião ele precisava de um lugar

para guardar seus produtos. Edilene,

enxergou ali uma oportunidade de negócios,

era o início da Soulog.

A Soulog é uma empresa que nasceu com o propósito

de ser um facilitador no processo de crescimento de pequenos

e médios e-commerces através de uma abordagem

próxima, compreendendo o mix de produtos dos

clientes e oferecendo planos sob medidas. A empresa

assumi o processo operacional OFF-LINE (Fulfillment)

que para o lojista é o calcanhar de aquiles, pois essa

gestão logística pode demandar de 4 a 6 horas por dia,

entre os processos de Armazenamento, Recebimentos

de Produtos, Picking, Packing e manuseio para que

o produto chegue no cliente final, e que o lojista não

perca esse tempo em fazer a logística. A maior dificuldade

para muitas mulheres é encarar a maternidade

e a vida profissional e Edilene encarou esse momento

como uma alavanca impulsionadora,

ela confessa que não é fácil dar conta

dos dois desafios, ser mãe empreendedora

é tomar a decisão para ter algo

que trará mais satisfação, flexibilidade

e principalmente ter um retorno financeiro

que dê para conciliar os dois.

Para Edilene sua escola de empreendedorismo

foi dentro de sua própria

casa, mãe de três meninos, ela conta

que sua primeira lição de empreendedorismo

foi ser líder de seu primeiro

filho (14 anos), “educar

o Matheus me ajudou

a fazer gestão de

pessoas”, com

o seu segundo

filho Gabriel (9

anos), ela aprendeu

a ter que gerir

trabalho em equipe,

já no terceiro filho Lorenzo

(1 ano e 5 meses),

ele veio ao mundo para

me trazer um renovo, ela

conta que renasceu com o

nascimento do último filho.


MEU PORTO SEGURO MINHA MÃE

23

ESPECIAL

Dia das Mães

INICIO SOULOG

Ser uma mãe empreendedora exige que seja feita algumas

escolhas que nem sempre agradam a todos, sem

dúvida, muitas pessoas irão criticar por dedicar um

tempo do seu dia para o trabalho e vida profissional,

deixando filhos com avós, babás, escolinhas, entre outros.

Mas faz parte da jornada em busca de realizar os

sonhos, até mesmo para dar condições melhores para

os filhos, por isso, é muito importante que a mãe empreendedora

tenha seu objetivo e propósito bem definido,

só assim é possível aguentar firme todas as críticas.

Edilene entende muito disso, a empreendedora conta

com a ajuda de sua mãe e esposo para poder dar conta

de tantos compromissos.

Edilene é uma mulher com muitos objetivos e metas

definidas, mesmo tendo uma rotina intensa, sendo

esposa, mãe de 3 meninos e empreendedora, ela está

presente em vários eventos palestrando, mentorando e

mostrando ao mundo que as mulheres podem empreender

onde quiser, inclusive no e-commerce.

A empreendedora foi escolhida para ser Embaixadora

do grupo Mulheres no E-commerce e também foi escolhida

para entrar no time de Embaixadores do Movimento

#BoraVender.

MARIDO E SÓCIO

EQUIPE

Empreendedora Premiada foi indicada ao prêmio AB-

COMM 2019: em duas categorias

- Empreendedor Digital – 3º. lugar

- Mulheres no E-commerce – 2º. Lugar

Foi, também, finalista do prêmio Fórum E-commerce

Brasil 2018, sendo a única mulher indicada na categoria

de logística. Edilene Loiola é uma mulher inspiradora,

muito forte e exala sinceridade, essa mineira nos ensina

muito e está trabalhando para transformar a Soulog em

uma Amazon, ela deseja que a Soulog tenha automação

desde fechar a caixa, robôs para pegar os produtos

na prateleira, utilizar a tecnologia das coisas na logística

4.0.

Ela entende que parte do processo

será automatizado, mas os bons profissionais

terão que saber trabalhar

muito sua mente, mudar de fato o

seu mind set, pois por mais que venham

diversas tecnologias ela defende

que bons seres humanos

nunca serão 100% substituídos,

ao contrário, todos irão trabalhar

de forma mais inovadora e

disruptivo.

PICTH GOOGLE

PROGRAMA 10K MULHERES FGV

Edilene Loiola

11 93805.6081

e.loiola@soulogistica.com.br

www.soulogistica.com.br

#vemprasoulog


24

STARTUP

STARTUP PAULISTA VAI REPRESENTAR

BRASIL EM COMPETIÇÃO GLOBAL

Vencedor trouxe sistema que reduz três mil horas de

trabalho manual para apenas três horas

O grupo Rede+, aceleradora de negócios e rede de escritórios

compartilhados, trouxe à São Paulo, pelo 3° ano

consecutivo no Brasil, a maior competição de startups

do mundo: o Get in The Ring.

O modelo simula um ringue de lutas, onde os empreendedores

se degladiam em pitchs de 30 segundos a

um minuto, tratando temas como equipe, conquistas,

modelo de negócio, marketing, financeiro, entre outros

assuntos conexos a esse universo. Os participantes vieram

dos mais diversos segmentos e de pelo menos cinco

estados brasileiros.

“A GRANDE IMPORTÂNCIA DESSE EVENTO ESTÁ

EM TRAZER OPORTUNIDADE AOS EMPREENDE-

DORES BRASILEIROS E MOSTRAR SUA CARA LÁ

FORA. POR ISSO REALIZAMOS UM PROCESSO DE

SELEÇÃO BEM CRITERIOSO, POIS ALÉM DE TUDO,

ESSA EMPRESA ESTARIA NÃO SOMENTE REPRE-

SENTANDO SUA MARCA, MAS REPRESENTANDO

ALGUMAS CIDADES DO BRASIL! ”

Pontua Rodrigo Paolilo, CEO da Rede Mais (Rede+) e líder

do projeto.

Ao todo, oito startups de alto-nível foram selecionadas,

mas apenas uma tem a chance de representar o Brasil

na fase final, que acontece no próximo mês na capital

alemã. Além do ingresso, o ganhador terá a viagem e

todos os custos pagos.

Em uma competição árdua, avaliada por grandes nomes

do mercado como Cris Arcangeli (Shark Tank Brasil) e

Cássio Spina (Anjos Brasil), o evento contou com palestras

dos jurados e do professor Newton Monteiro, coordenador

do centro de empreendedorismo da FGV.

Com a casa cheia, no Inovabra Habitat Bradesco, os espectadores

puderam aprender mais sobre o tema e interagir

com o uso de um aplicativo específico do evento,

influenciando os jurados sobre as preferências de quem

assistia.

A startup vitoriosa foi a Legal Bot – Inteligência Regulatória.

Especialista em compliance, a marca desenvolveu

um sistema digital inteligente de facilitação de processos

e análises de dados que promete reduzir três mil

horas de trabalho manual para apenas três. O sistema

já foi aplicado em modelos do Banco Central e agora espera

angariar clientes internacionais na próxima etapa.

GRUPO REDE+

O Grupo Rede+ é mais do que uma aceleradora

de negócios e rede de escritórios compartilhados.

A Empresa é nordestina e tem atuação global

com o propósito de transformar o mundo por

meio do empreendedorismo. Uma comunidade

empreendedora que propicia conhecimento,

networking e infraestrutura adequada para que

empreendedores possam tirar projetos do papel

ou mesmo acelerarem o crescimento do seu

negócio. Conheça o Grupo Rede+ no site: www.

gruporedemais.com e nas redes sociais pelo @

gruporedemais.


25


26

MATÉRIA DE CAPA

“O VALOR DA IDEIA É ZERO,

O SUCESSO ESTÁ NA EXECUÇÃO”

Alfredo Soares, publicitário, começou a trabalhar muito

jovem, aos 17 anos ele criou seu primeiro negócio,

uma agência que fazia cartões de visitas e panfletos

chamada Ideias Carioca.

Na adolescência, ele praticou polo aquático, o que

fez com que ele adquirisse habilidades fundamentais

como espírito de equipe, competitividade, disciplina,

resiliência e muita vontade de vencer. Alfredo sempre

foi avesso a rotina, para o empreendedor o convencional

não agrada, ele sempre preferiu os desafios. Sempre

optou por algo que pudesse idealizar e executar.

Em um momento de crise financeira no Brasil, e com

dificuldade em seu negócio, Alfredo sentiu necessidade

de ter algo que pudesse escalar, criou-se ali seu primeiro

negócio escalável a empresa Marketing Shop.

Sua ousadia fez com que tivesse uma visão global de

como empreender, na Marketing Shop, Alfredo e seu

sócio começaram a sentir a real necessidade de seus

clientes que em grande maioria eram pequenos e

médios empreendedores. Todos os questionamentos

feitos por parte deles era para Alfredo uma possível

oportunidade de negócio, a demanda por site se transformou

em site catálogo até chegar em loja online,

como esse último era muito caro na época e existiam

poucas soluções com foco nas pequenas e médias empresas,

ele resolveu então junto com seus sócios criar

uma plataforma própria pensada para esse público,

nasce então a MShop que depois iria virar a XTECH

COMMERCE.

“NÃO BASTA SER INTELIGENTE,

É PRECISO TER ATITUDE.”

Com as pessoas certas, capacidade de execução e

uma oportunidade de janela no mercado, a XTECH

COMMERCE conquistou em 3 anos mais de 45 mil lojas

online e transacionou mais de 570 milhões de reais

até que no final de 2017 foi vendida para a VTEX, líder

global em e-commerce em uma transação milionário.

“Em apenas 3 anos, revolucionamos o mercado de

e-commerce para PME’s e nos destacamos por criar

muito além da tecnologia mais um ecossistema de

e-commerce para pme’s” destaca Soares.


27

MATÉRIA DE CAPA

“NÃO IMPORTA

O QUE VOCÊ

VENDE E SIM

PARA QUEM”

Alfredo enfatiza que você precisa dominar a

audiência do seu público, ele é expert nisso.

FOTO EVERTON ROSA


28

MATÉRIA DE CAPA

CRIANDO UMA JORNADA DE SUCESSO

Alfredo é um cara destemido que não tem problemas

com ego e adora aprender, um inconformado que está

sempre em movimento, e isso ele aprendeu com seu

pai. Ele nos contou que sonhar é legal, mas você precisa

saber quanto custa, como fazer para pagar, ou seja,

você precisa desconstruir sua meta (sonho), assim você

conseguirá tangibilizar. De acordo com Soares, quanto

mais clareza em como alcançar mais chances você vai

ter, principalmente nos momentos difíceis e de dúvida

que vão existir vai ser mais fácil se manter focado. Sem

contar que isso faz com que você tenha metas menores

e que vá construindo a jornada e alcançando cada etapa.

É importante na construção de sua jornada.

“PENSE GRANDE E

EXECUTE MAIOR AINDA”

Alfredo Soares

Segundo Alfredo, as pessoas são viciadas por conteúdo,

o empreendedor, porém alerta que é preciso colocar

o que se aprende em prática. Raciocínio lógico é uma

habilidade essencial para o tempo do seu negócio.

Uma outra soft skill essencial é o foco em suas crenças

e valores, é o movimento do empreendedor que

faz gerar novas oportunidades. A moeda de Alfredo

no início do seu negócio não era o dinheiro e sim

a VENDA, segundo ele, sempre haverá alguém querendo

comprar o risco, querendo acreditar no processo,

você só vai tirar a ideia do papel com cliente e

não com dinheiro.

Como um Empreendedor Raíz, assim ele se qualifica,

seu lema é fazer rápido, errar rápido, aprender rápido

e acertar. Alfredo reforça esse conceito em seu primeiro

livro lançado agora (maio/2019) pela Editora Gente,

BORA VENDER - a melhor estratégia é atitude. Soares

retrata sua jornada bem como todos seus momentos

de sucesso, como gosta de chamar, sempre reforçando

que o sucesso é algo intangível e que é preciso

estar o tempo todo fazendo por merecer, só

acontecem com atitude. Até para ganhar na megasena,

é preciso ter atitude, ir até a lotérica, pegar o

papel, colocar os números e pagar.

FOTO IVO TADEU

FOTO OFICINA


29

FOTO IVO TADEU

EMPREENDEDORISMO E LIBERDADE

Ter uma cabeça preparada para empreender, a ideia

de liberdade no empreendedorismo é mais o estado

espiritual de fazer o que você gosta do ser propriamente

livre.

MATÉRIA DE CAPA

Segundo Alfredo, se você quer que sua empresa

“BOMBE” você precisa estar fazendo coisas boas para

ela performar muito melhor, o dinheiro é uma consequência

do seu resultado.

Você precisa criar algo que você não administre, venda

seu negócio, esteja na rua, faça contatos, você precisa

de time para te ajudar a chegar no próximo nível.

Lembre-se que empreender é um movimento.

FOTO IVO TADEU

“NÃO QUEIRA VENDER

PELA INTERNET,

USE A INTERNET

PARA VENDER”

Alfredo Soares

O ESTILO ALFREDO DE FAZER

Atualmente Alfredo viaja muito, frequentemente é

convidado para palestrar em grandes eventos dentro

e fora do país. Inspirar outras pessoas a terem

o poder da execução é uma das missões de Alfredo.

Ter clareza e acreditar no intangível. Muitas coisas

que precisam ser feitas são difíceis de tangibilizar

o resultado e muito menos são imediatistas, mas é

preciso ter visão e acreditar.

Ele que criou dois grandes negócios sem investimento

externo e se orgulha de ter conseguido esse

grande feito, hoje é um embaixador da causa.

“Eu criei a Xtech Commerce e Socialrocket

sem ter investidores. Hoje o que eu prego

é que os empreendedores querem captar

investidor antes mesmo de ter o primeiro

cliente. O investidor de qualquer negócio é o

cliente. Atualmente, tanto através do Instagram,

redes sociais como através das palestras,

mostro os bastidores da jornada de um

empreendedor para tangibilizar, assim consigo

mostrar que não tem tanto ego e que

é necessário ter muita energia e disposição

que é porrada. Vejo muito empreendedor

querendo ter um negócio para falar que é

CEO, ter um investidor para falar bonito que

tem um investidor”.

FOTO IVO TADEU


30

MATÉRIA DE CAPA

O EMBAIXADOR DO ECOMMERCE

“A VENDA ACONTECE QUANDO A ENTREGA ACON-

TECE E NÃO QUANDO EXISTE A TROCA DO PRODU-

TO OU SERVIÇO POR DINHEIRO. HOJE O QUE MAIS

IMPORTA É A EXPERIÊNCIA DO CLIENTE”

E-commerce, ou comércio eletrônico, refere-se às vendas

pela internet, mais especificamente, as que são

realizadas por uma única empresa, seja um fabricante

ou revendedor, por meio de uma plataforma virtual própria.

Com essa definição de e-commerce, conseguimos

entender o porquê o jovem Alfredo Soares é uma das

maiores referências em e-commerce do país. Atualmente

quando se fala em e-commerce e em vendas pela internet,

o nome do empreendedor é lembrado. Com sua

disposição para ensinar e inspirar outros empreendedores

a saírem de sua zona de conforto, aproveitamos e

fizemos algumas perguntas que te ajudará a entender

melhor como se destacar nesse segmento.

O que é o movimento #BORAVENDER e como foi criado?

O movimento #BORAVENDER começou em um grupo de

Facebook como um hashtag, isso muito antes de eu assumir

a Loja Integrada. Depois em um evento o ex Head de

marketing, Breno Nogueira, fez uma ação com uma camisa

e então viralizou ainda mais na época. Bom, depois disso

estava meio parado, quando assumi nós começamos a

olhar alguma marca para integrar as marcas e ser nosso

pilar de conteúdo. Foi quando lembrei dessa expressão,

foi como amor a primeira a vista. Acho até que fica aqui

uma lição legal, as pessoas querem sempre criar ou inventar

algo, mas o grande poder estar na execução da ideia.

Hoje o #BoraVender é uma plataforma que reúne influenciadores,

especialistas e empreendedores criando conteúdo

tático para ajudar empreendedores a terem mais atitude e

fala sobre encantamento de clientes, que acreditamos ser o

futuro das vendas.

Qual a principal habilidade que um empreendedor

precisa ter para vender pela internet?

Para vender na internet é preciso ser muito bom de marketing,

de atração e de público. Mas acho que o grande segredo

está nessa definição do seu perfil do cliente ideal.

Porque tudo começa nessa definição, só depois disso que

você define a estratégia de como atrair esse público. Acredito

que a habilidade de pivotar rápido, estar preparado e

enxergar oportunidades e se adaptar a elas. A venda pela

internet não é achismo, são métricas.

Como manter o foco no processo de vendas?

Acho que manter o foco é o desafio de qualquer negócio e

de vida hoje em dia. Vivemos em uma era de muito barulho,

ou seja, muita informação acessível. Então você sempre está

sendo impactado por mais de um canal com informações e

tendências. Hoje costumo dizer que as marcas brigam pelo

ponto de atenção dos usuários. Poucas coisas conseguem

nossa atenção 100% quando estamos assistindo um filme,

por exemplo, estamos realmente focados ali, então muitas

vezes um “merchan” dentro dele vai gerar mais efeito do

que o comercial no intervalo que estamos olhando o celular.

Acho que manter o foco no processo de vendas é isso, é

ter clareza de qual intangível a sua oferta entrega, mantenha

o foco no seu cliente e não no produto ou serviço.

Muitas pessoas estão migrando seus negócios para

o canal digital, como você encara isso? Há risco para

quem não diversifica seu canal de vendas?

Eu acredito que não existe isso de canal online/digital ou

canal offline. Existe o omniconsumidor, hoje o poder de

consumo está na mão do consumidor, ele compra na hora

e onde quiser. Eu sou a favor de diversificação de canais,

acredito que um negócio quando encontra em um canal

a oportunidade e cresce muito através desse canal, é ótimo

e estratégico, porém, nunca fique dependendo. Hoje o

comportamento do consumidor muda muito rápido, então

assim como o fluxo do shopping pode mudar, os acessos ou

algoritmo daquele portal ou mídia pode mudar e você vai

perder seu canal de venda. Na minha opinião, o desafio é

integrar a experiência de digital com offline e o principal,

colocar o cliente no centro da sua operação.

O Brasil é o 10º país com melhor desempenho em

e-commerce no mundo, e é o único da América Latina

que figura nessa lista. Você como Head Global da

SMB na Vtex tem uma meta de globalizar o negócio

para mais países, como você pretende fazer isso?

Sim. Estamos agora construindo a GoCommerce uma solução

que utiliza a tecnologia da VTEX que já é líder em toda

América Latina e hoje opera em mais de 45 países com

grandes marcas. Nosso desafio é criar esse ecossistema global

e tornar amigável e acessível essa tecnologia de ponto

da VTEX para micro e pequenas empresas no mundo todo,

facilitando com que um empreendedor use o GoCommerce

e venda de qualquer país para qualquer país com facilidade.

Nossa meta é ousada, esperamos estar com clientes em

mais de 100 países nos próximos 5 anos.

Você recentemente lançou uma mentoria sobre Gestão

4.0 junto com Tallis Gomes e Bruno Nardon, qual

objetivo dessa mentoria e qual perfil dos participantes?

Bom, o objetivo desse mentoria é compartilhar conteúdo

sobre os modelos de gestão usados pelas empresas que

crescem rápido hoje no mundo. Nós estudamos essas empresas

diariamente e vivemos nos ecossistemas com os

empreendedores que estão na gestão dessas empresas.

Essa demanda sempre existiu de outros empresários perguntando

se nós fazíamos mentoria ou cursos. Com isso,

resolvemos implantar esse projeto, após testar com nosso

próprio grupo, abrimos para compartilhar com outros

empresários. Já formamos mais de 150 gestores em menos

de 3 meses e são mais de 1.600 pessoas que se aplicaram

para fazer parte. Nossa ideia é ir abrindo turmas de acordo

com a disponibilidade das nossas agendas. O perfil dos

participantes varia muito, tanto de regiões do Brasil, como

de segmentos, tais como: indústrias, serviços, comércios,

infoprodutos, startups e imobiliário. Contamos com empresas

que faturam 1 milhão por ano com margem de 70% até

empresas com dezenas de bilhões em faturamento anual.

Na aplicação nosso time se assegura que o empresário ou

gestor vai ter recursos para aplicar o conteúdo. Não queremos

vender cursos e mentorias, queremos impactar a gestão

das empresas.


31

Deixa uma dica para os empreendedores e leitores

da Empreenda Revista.

Acho que quando falamos de e-commerce a principal dica

é sempre definir muito bem o perfil do seu cliente ideal,

criar uma estratégia de nicho e segmentação para otimizar

seu marketing. Acredito que o sucesso dos negócios digitais

estão na recompra, ou seja, a retenção do seu cliente

é algo muito importante. Lembre-se o óbvio dá dinheiro, a

maioria dos empreendedores buscam inventar algo, quando

feito o básico bem feito, se tem um excelente resultado.

MATÉRIA DE CAPA

EMPREENDEDOR PREMIADO

• PRÊMIO EMPREENDEDOR DIGITAL DA ASSO-

CIAÇÃO BRASILEIRA DE COMÉRCIO ELETRÔNICO

2019 – ABCOM 2019

• PRÊMIO INOVAÇÃO DIGITAL DA ASSOCIAÇÃO

BRASILEIRA DE COMÉRCIO ELETRÔNICO 2018 -

ABCOM 2018

• ELEITO PROFISSIONAL DO ANO DE INOVAÇÃO

PELO FÓRUM E-COMMERCE BRASIL 2017

• ELEITO UM DOS 03 EMPREENDEDORES DO ANO

NO STARTUP AWARDS 2017

• EMPREENDEDOR PROMESSA ENDEAVOR 2016

LIVRO BORA VENDER

Alfredo Soares está lançando seu primeiro livro de

nome Bora Vender – A Melhor Estratégia é a Atitude,

vender deixou de ser a troca de produtos ou serviços

por dinheiro e, cada dia mais, trata-se de encantamento,

conquista, fidelização e alinhamento de

interesses, no livro você aprenderá como:

•Não ficar paralisado e parar de adiar o primeiro

passo dos seus projetos;

•Perder o medo de vender e criar as oportunidades de

que seu negócio precisa;

•Usar o marketing de percepção a favor da sua empresa;

•Entender e colocar em prática a nova relação entre

canais de venda e mídia;

•Ter foco para pensar grande e executar maior ainda

Foto Jota Moraes


32

STARTUP

BEM-VINDO A ERA OMNI CHANNEL

Quando criança, assistia aos JETSON´S, maravilhado

com carros voadores, uma faz tudo robô, dentre inúmeros

detalhes que naquela época pareciam impossíveis

de existir. Diante do avanço das novas tecnologias, agora

já com os carros voadores é impossível não retornar

ao olhar de criança, buscando ainda compreender a rapidez

com que as coisas se modificam, tentando acompanhar

a evolução em um mundo VUCA (Volátil, Incerto,

Complexo e Ambíguo), em que as novidades tornam-se

inúteis em um curto espaço de tempo.

E como esperar que a mais antiga arte de nossa existência,

se mantenha intacta e inerte, sem que existam nela

traços de uma nova sociedade voltada constantemente

ao amanhã?

O velho modo de vender e os antigos canais de vendas,

não se encaixam nas ágeis e exponenciais startups, que

buscam otimizar o tempo e valorizar a experiência do

usuário. Vender é, se não a mais, uma das atividades

mais antigas de nossa humanidade e com base em registros

históricos é nítido compreender o quanto o ato

de “vender”, norteia além das relações humanas, marcos

importantes de nossa civilização.

Dia desses, em um de meus estudos, me aprofundei um

pouco mais sobre o conceito “OMNICHANNEL”, que não

pode ser compreendido de maneira clara e objetiva sem

que antes tenhamos noção de outros conceitos, sendo

eles:

SINGLE CHANNEL| consiste em apenas um canal de

venda e muitos acreditam que ampliar a oferta de canais

pode prejudicar de maneira significativa o faturamento

de seu negócio, o que não é verdade.

MULTI CHANNEL| possui diferentes canais que não se

interligam e não se conversam, por exemplo, vendendo

Online e Offline separadamente.

CROSS CHANNEL| onde um canal promove o outro e

se cruzam, em que a compra pode ser realizada virtualmente

e o usuário pode retirar o serviço ou produto em

um local físico.

Quando compreendemos a maneira como a venda era

realizada, muitas vezes sem criar vínculos ou até mesmo

compreender o perfil ou a dor verdadeira do cliente,

vemos a necessidade de adequar-se ao conceito OMNI-

CHANNEL.

Tal conceito consiste em convergir todos os canais, tendo

o cliente como centro da negociação, realizando-a

em qualquer ambiente, sejam redes sociais, e-commerce,

aplicativos, dentre outros que se interligam, otimizando

assim a experiência do usuário e sua jornada.

É importante ressaltar que tanto os dados do usuário

quanto suas preferências, geram um banco de dados

em todos os canais, o que pode contribuir significativamente

para que o mesmo tenha experiências cada vez

mais ricas, uma vez que o mesmo receberá um atendimento

personalizado.

E ENTÃO?

VAI FUGIR DAS NOVAS

TECNOLOGIAS POR MEDO,

NÃO INCORPORANDO O

CONCEITO OMNICHANNEL

OU VAI OFERECER AO SEU

USUÁRIO A MELHOR

JORNADA POSSÍVEL??

Fernando Seabra especialista

em Inovação, Empreendedorismo

e Startups, Líder do GRI | Grupo de

Relacionamento com Investidores do

Departamento da micro, pequena e

média Indústria e Acelera FIEPS, Líder

da equipe de analistas do programa

SharkTank Brasil e Mentor do Founder

Institute.


35

COMPORTAMENTO


34

COMPORTAMENTO

DINHEIRO TRAZ FELICIDADE?

Essa é, em tese, uma pergunta polêmica. Mas já começo

dizendo que se a sua resposta é NÃO, dinheiro NÃO traz

felicidade, ótimo, dê o seu para mim e vá ser feliz, rs!!!

Brincadeiras bem-humoradas à parte, nos meus artigos

que trago mensalmente aqui na Empreenda Revista,

sempre tento levantar os dois lados da moeda para que

possamos chegar juntos à uma solução mais ponderada

para a questão levantada.

Se você fizer essa pergunta, por exemplo, para alguém

que não tem dinheiro e é infeliz ela vai dizer que sim,

dinheiro traz felicidade. Mas a mesma pergunta feita a

alguém muito rico e também infeliz, certamente a conclusão

será que, NÃO, dinheiro não traz felicidade.

Atualmente, vivemos em uma busca incessante ao dinheiro,

os produtos que mais vendem são os que estão

relacionados a dinheiro, todos os nichos e segmentos

têm colocado seus produtos como uma forma de ganhar

mais dinheiro, e eu não estou dizendo que isso é

ruim, nem errado. Estou apenas entrando em “parafuso”

quando eu analiso dois fatos opostos. Há relatos na

mídia que Whindersson Nunes está passando por um

momento de depressão. E pense em alguém bem sucedido,

rico, humilde, além de dono de um talento único e

senso de humor incrível. Vamos um pouco além, um dos

meus ídolos de Hollywood, Jin Carey, passou por seríssimos

problemas de depressão e ao se curar soltou uma

das frases mais poderosas que já ouvi: “EU QUERIA QUE

TODO MUNDO FOSSE RICO E FAMOSO, PRA QUE ASSIM

ELES ENTENDESSEM QUE ESSA NÃO É A RESPOSTA!”.

Eu chego a me arrepiar quando repito essa frase. Então

a pergunta que fica é: Seria o dinheiro, o maior desejo

do ser humano no mundo capitalista, capaz de trazer

felicidade? Nesse caso, definitivamente não!

Agora, vamos viajar para uma cidade pequena do interior

de minas gerais onde a pequena Maria nasceu em

um lar na extrema pobreza. Durante toda a sua infância,

tão crucial para a formação psicológica, ela foi marcada

por episódios quase que diários de dificuldades, escassez

e dor. Maria via crianças comendo enquanto ela não

tinha o que comer, suas roupas eram feitas de pano de

limpar chão, não tinha material escolar, nem merenda

e afins. Maria cresceu, se casou com outra pessoa na

mesma situação, vivera muitas dificuldades, dúvidas e

incertezas ao longo de muitos anos. Maria teve depressão,

começou a perder as esperanças de um dia ter paz

e o mínimo para sustentar sua família, era infeliz. Tinha

pessoas que a amavam, mas um vazio por dentro que

fugia de seu controle racional. Hoje, financeiramente estável,

Maria não sente mais a dor e o medo da escassez,

é uma senhora que tem paz.

Como negar que o dinheiro e a condição financeira estável

de Maria a trouxe felicidade?

E como explicar que o dinheiro de Maria traz felicidade

e o dos comediantes não?

Na verdade, o dinheiro não é capaz de trazer felicidade

a ninguém se ele não estiver bem acompanhado.

Já explico: A psicologia positiva, minha especialidade,

nos traz algo incrível quando falamos em Ciência da Felicidade.

Ela estuda cientificamente o que nós precisamos

para sermos felizes, ou seja, sentir a sensação de

felicidade e bem estar, bem como liberação de hormônios

e substâncias em nossa corrente sanguínea.

Resumindo, nós necessitamos da manutenção e equilíbrio

em CINCO pilares da felicidade:

- VIVER O PRESENTE

- VIDA COM PROPÓSITO

- EMOÇÕES POSITIVAS

- DINHEIRO (REALIZAÇÕES)

- RELACIONAMENTOS DE QUALIDADE

Segundo a Ciência da Felicidade, se te faltar um desses

pilares que seja, dificilmente você será FELIZ.

Se considerarmos que sem dinheiro, no mundo que vivemos,

nossos pensamentos estarão tomados por preocupações

futuras, nos tirando do presente, me trará

emoções negativas como o medo, ansiedade e culpa, e

que tais preocupações me impedirão até de cuidar das

pessoas que amamos, realmente dinheiro traz felicidade.

Em resumo, dinheiro/realização é um dos pilares

da felicidade tão importante quanto os outros e você

precisa dele SIM, ainda que apenas em quantidade suficiente

para viver e sustentar sua família. Mas não se

esqueça: como se trata de apenas um dos cinco pila-

res, o dinheiro JAMAIS te fará feliz sozinho. Se

você quer ser feliz busque todos os seus

cinco pilares tanto quanto busca seu dinheiro,

assim, você estará mais perto de

ter o que as pessoas felizes

têm, pensam, sentem e fazem,

pois a única coisa que

realmente importa é

a nossa FELICIDADE

e acredite, felicidade é

uma ciência!

Consultor, Mestre em Ciência

da Educação e Professor da PUC

MINAS: Ciência da Felicidade e

Bem-Estar


35

COMPORTAMENTO


36

MARKETING

COMO VOCÊ QUER QUE A SUA MARCA

SEJA RECONHECIDA PELO SEU CLIENTE?

Hoje meu papo é com você, empreendedor e empresário

que está começando o seu negócio ou precisa melhorar

a imagem da sua marca no mercado. O posicionamento

de uma marca nada mais é do que a forma como

você quer que o seu cliente te veja. E o objetivo de ter

uma marca bem posicionada é melhorar a percepção de

valor da marca junto ao seu cliente. E por falar em valor,

o seu produto ou serviço é: Melhor do que o concorrente,

sinônimo na categoria, tem um benefício específico

ou é mais barato? Para começar, é importante definir

quais são os diferenciais que fazem dele melhor do que

o concorrente. E te faço uma pergunta ainda mais audaciosa,

você sai de casa sem saber onde vai? Com certeza,

você não vai querer correr o risco tão grande de se

perder no meio do caminho, certo? Agora imagine esta

mesma situação para o seu negócio, faz desse risco uma

perca de energias, investimentos e tempo. Ter um objetivo

para onde sua empresa quer chegar, é essencial

para determinar o posicionamento de marca.

E para definir as estratégias do seu posicionamento de

marca, comece identificando os valores da sua empresa,

a essência e tudo aquilo que faz parte da sua personalidade

como dono e que você deseja propagar. Com isso

bem claro em sua mente, o valor da sua marca virá de

dois fatores: A estratégia do posicionamento ou a experiência

que o cliente teve com ela. A proposta de valor,

amarra os valores (a sua essência e o seu diferencial) de

uma forma mais racional. O posicionamento de marca,

traduz essa proposta de valor ao mercado de uma forma

clara e convincente, para que o cliente compre esta

ideia.

AGORA QUE VOCÊ JÁ ENTENDEU O CONCEITO DE POSI-

CIONAMENTO DE MARCA, VAMOS COMEÇAR?

FAÇA AS SEGUINTES PERGUNTAS:

PARA QUEM É O SEU PRODUTO OU SERVIÇO?

QUAL A DOR REAL DO SEU CLIENTE?

QUAL O SEU DIFERENCIAL, QUE FARÁ COM QUE ELE COM-

PRE O SEU PRODUTO OU SERVIÇO?

Projeto, há 18 anos no mercado responsável pelos melhores

eventos corporativos e digital. Nestes 18 anos

empreendendo e trabalhando na área de marketing,

pude perceber alguns erros comuns na hora de definir

o posicionamento de marca, então, veja algumas dicas

e erros comuns:

1. Se os próprios colaboradores não conhecem a essência

do negócio, talvez seja o momento de repensar o seu

projeto.

2. Inovação não é mais diferencial competitivo, os valores

da sua marca não podem depender disso, avalie

também o custo, acessibilidade e a confiança que aos

clientes possuem na empresa.

3. Substitua o “O que posso oferecer ao meu cliente”

por “Qual a dor real do meu cliente”

Alguns cases de marcas com bom posicionamento no

mercado;

PEPSI: Se assumiu como segunda opção dos brasileiros

e adotou o slogan “Só tem Pepsi, pode ser?” contribuindo

para o aumento significativo de vendas.

STARBUCKS: Não é um simples café, é a experiência

completa. E a experiência é o foco da marca para os

seus clientes, tanto na personalização - os clientes recebem

seus copos de bebidas com o próprio nome escrito

à mão - até as suas lojas confortáveis e aconchegantes.

O posicionamento de uma marca não é um ato e sim um

processo contínuo. Se o mundo mudar, esteja preparado

para mudar com ele. Estude, entenda o mercado e

mantenha-se sempre atualizado para lidar com os novos

consumidores, assim, a sua marca estará sempre à

frente da concorrência.

SUGESTÃO DE LIVRO: POSICIONAMENTO: A BATALHA

POR SUA MENTE” - AL REIS E JACK TROUT

Gostou das dicas? Continue me acompanhando nas redes

sociais:

Depois de responder a estas perguntas, defina em uma

frase a essência do seu negócio:

“PARA OS (CLIENTES-ALVO) QUE PRECISAM DE (DOR DO

CLIENTE), SOMOS O (PRODUTO/SERVIÇO), (DIFEREN-

CIAL).”

Por exemplo: Para os profissionais de marketing que

precisam de uma agência completa, somos o Grupo

Tatyane Luncah

Fundadora e CEO da

Agência Grupo Projeto.

@tatyaneluncah

acesse

www.tatyaneluncah.com.br


37

QUEM É VOCÊ

NA FILA DO PÃO?

MARKETING

O MELHOR MBA DEVENDAS DO MUNDO DE GRAÇA (PARTE 2/8)

Sigo aqui a nossa “Rotina de Exercícios” mensal para te

treinar em vendas da única forma realmente plausível:

praticando na Escola da Vida.

Tema de hoje: Definir o posicionamento do seu negócio,

quem é você na fila do pão?

CONHEÇO AS TUAS OBRAS, QUE NEM ÉS FRIO NEM

QUENTE; QUEM DERA FORAS FRIO OU QUENTE!

ASSIM, PORQUE ÉS MORNO, E NÃO ÉS FRIO NEM

QUENTE, VOMITAR-TE-EI DA MINHA BOCA.

(APOCALIPSE 3:15,16)

A palavra que rege a comunicação é CLAREZA.

Nos últimos 7 anos eu tenho trabalhado com a comunicação.

Antes no teatro quando ainda atuava, escrevia e

até me aventurei dirigindo. Hoje como vendedor e redator.

Foram 10 peças para conta como ator. Já no marketing,

são 15 milhões vendidos nos últimos quase 3 anos

como redator e estrategista.

Jogos diferentes, mas com regras muito parecidas.

Se um personagem de filme mudasse sua maneira de

agir e comunicar a cada cena, você ficaria confuso, irritado

e logo desistiria de ouvi-lo. O problema é esse, isso

é o que a maior parte dos negócios aqui no Brasil fazem

hoje. Por não aprender sobre marketing, os donos de

pequenos e médios negócios vivem em um constante

“correr atrás do rabo”, assim começam uma campanha

de marketing e logo desistem se ela não funcionar.

Essa constante desistência, causa uma comunicação

esquizofrênica, sofrendo mudanças todos os meses e

confundindo o cliente, isso faz com que todo o resto da

comunicação seja fraca e o cliente acaba ouvindo um

ruído. Na era da internet, seu cliente está exposto a MI-

LHARES de informações novas todos os dias, sua única

chance é ser CONSISTENTE.

Pense em 3 apresentadores de TV que você conheça,

em 3 atores famosos e 3 empresários que você respeita.

Eu garanto que você vai perceber que todos eles fazem

(ou fizeram) o mesmo tipo de comunicação por muitos

anos. Só a consistência absoluta na maneira como você

se comunica vai te conseguir um “pedaço de terra” permanente

na mente do seu cliente. No meu caso como

interiorano, sempre me lembro da brincadeira “quem é

você na fila do pão?”.

Na cidade que cresci, Lorena - SP, nas manhãs na padaria

Pão de Leite, o prestígio e cuidado dos pães quentinhos

ficavam para os advogados, médicos, empresários

e políticos da cidade.

Não há surpresa aqui. O que todos eles tinham comum?

Consistência no que faziam e valor para a cidade. A lei

da clareza e consistência não tem limite, lugar, tamanho,

gênero. Está inclusive na bíblia, no versículo com o qual

decidi começar esse artigo. E como aplicar isso no seu

negócio? O próprio versículo explica, deixando de ser

morno. Se posicione em relação ao seu cliente, ao que

você faz e sua visão de mundo na sua área.

Exercício: A partir de hoje, você vai se comunicar de

uma forma muito diferente com o seu cliente, falando

sobre o que você acredita e sua visão de mundo. Você

pode transformar isso em um texto para ser enviado ou

usar no seu processo de vendas.

E você vai fazer isso respondendo algumas perguntas

(podendo inclusive usar o material que você criou a partir

do exercício da última “aula”)

Por que eu estou te desafiando a fazer isso? Se o seu

cliente sabe o que você acredita e passa a entender

como você pensa, ele se conecta com você num outro

nível. Cria uma relação real com muito mais CLAREZA e

mais profunda do que uma simples relação comercial e

transacional.

REGRAS BÁSICAS:

Você vai responder TODAS as perguntas focado em escrever

o máximo possível e PENSAR sobre cada uma das

respostas. Você pode e deve ter ajuda da sua equipe de

vendas se você tiver uma, mas pode fazer sozinho. Não

fique preocupado em estar CERTO mas em colocar tudo

para FORA e depois você poder revisar.

O seu posicionamento: responda as perguntas

No que eu não acredito na hora de fazer meu trabalho?

No que eu acredito?

Por que eu sou melhor que meus concorrentes?

O que eu faço/penso que eles não fazem/pensam?

Como isso tudo ajuda a explicar o que eu faço melhor

para o meu cliente?

Como eu posso falar isso para ele?

Depois que você responder essas perguntas, escreva

um documento que “explique e resuma” tudo isso num

texto só. Você pode mostrar para os clientes, usar para

treinar vendedores e até colocar na parede se quiser.

Boas vendas!

João Gabriel Bogado

falecomseucopywriter@gmail.com

@joao_bogado


38

MARKETING

COMO ENGAJAR CLIENTES DE

E-COMMERCE A PARTIR DA

AUTOMAÇÃO DE MARKETING DIGITAL?

Os e-commerces são hoje, umas das formas mais fáceis

de adquirir produtos no ambiente online. Eles se tornaram

facilitadores do processo de compra e venda dos

mais variados produtos. Disponibilizam desde livros,

móveis para casa, eletrônicos e até mesmo iates e carros,

por mais bizarro que pareça, sim, existem e-commerces

que fornecem esses tipos de produtos.

A internet tornou possível a venda dos mais variados

serviços, produtos e criou mercados para variados públicos,

e o mais sensacional, ela tornou possível a comunicação

com os consumidores e usuários de diferentes

negócios.

Tudo isso a partir de ferramentas e estratégias de comunicação.

A conversa com o usuário final da compra

se tornou mais assertiva e tangível. Dessa forma marcas

e seus respectivos e-commerces, têm a possibilidade de

manter contato com seus usuários antes mesmo de se

tornarem clientes e após o processo de compra ser feito.

ESSES CONTATOS ACONTECEM EM TRÊS MOMENTOS:

• Pré compra: O possível consumidor se dá conta que

precisa de um produto. Ele identificou a necessidade

e vai pesquisar quais seriam as possíveis soluções

para a dor dele. Nessa busca ele encontra um produto

perfeito no seu e-commerce.

• Compra: Já no e-commerce o usuário dentro da página

do produto desejado, lê a descrição dele e decide

colocar no carrinho. Ele deixa o produto no carrinho

e vai olhar outros produtos. Após passar por

mais algumas páginas do seu e-commerce, o usuário

deixa a página sem efetivar a compra.

• Pós-compra: Se o usuário não comprou em um primeiro

momento o seu produto, tem grandes chances

dele esquecer da sua loja e nunca mais voltar

para ela. Agora se na sua estratégia de marketing,

você elaborou uma comunicação de funil de vendas,

você pode impactar e reengajar esse usuário novamente.

Como por exemplo, com um e-mail falando

sobre o produto que ele esqueceu no carrinho ou o

remarketing dos produtos pelos quais ele passou em

outros sites.

A compra online é um processo ininterrupto.

O processo citado foi apenas iniciado, e o e-commerce

esqueceu de colocar CTA’s e tagear de alguma forma

esse lead, para em um futuro próximo atraí-lo novamente

para a sua lojinha. E isso acontece porque e-commerces

geralmente não fazem nada de automação para

transformar quem é visitante em lead e vender várias

vezes para a mesma pessoa. Pensam sempre apenas no

momento da venda, na experiência dentro do site em

si, não que essa não seja importante, mas existem dois

processos, o antes e o depois, que precisam ser feitos

para a conquista desse lead.

Então o que acontece hoje com e-commerces que não

se atualizaram é que, o foco está somente na primeira

e única venda, sem perceber que cada visitante tem um

potencial de se tornar consumidor após sair do site.

Se traduzirmos isso para o comportamento do consumidor,

nem todas as pessoas tiveram tempo ou contato o

suficiente pra tomar a decisão de contratar um serviço

ou comprar algo em pouco tempo de acesso. Por isso

engajar com marketing de conteúdo e automação de

marketing é algo crucial nas estratégias de venda online.

E como tornar esses usuários consumidores?

A resposta é mais simples do que parece. As estratégias

de marketing digital, junto do marketing de conteúdo e


39

atreladas a automação, fazem total sentido se pensarmos

em uma relação a longo prazo e recorrente das

duas partes.

Visitantes e leads são mais baratos que vendas. Transformar

os visitantes em vendas criando e enviando conteúdo

é mais barato do que focar apenas na primeira

venda. Por exemplo, aquele lead que você traz até o seu

e-commerce por R$ 4,00 pode comprar várias vezes gerando

lucro recorrente em sua loja. Tornando o valor da

primeira aquisição, menos impactante na visão a longo

prazo do negócio.

MARKETING DIGITAL

Com isso em mente, separamos algumas ações possíveis

de serem feitas para auxiliar na automação de estratégias

de marketing para um e-commerce.

AÇÕES DE MARKETING PARA AUXILIAR NA

RETENÇÃO DE CLIENTES DE UM E-COMMERCE

DESCONTOS E

PROMOÇÕES

É uma das ações mais

clássicas e antigas no meio

publicitário, mas ainda assim,

gera lucro. O processo para a criação

de promoções e descontos é quase

como uma certeza nos e-commerces

e se o seu negócio ainda não

aplica esse tipo de ação, está

perdendo oportunidades de

chamar a atenção do seu

possível cliente.

ASSINATURA DE

NEWSLETTER

Newsletter para e-commerce?

Isso mesmo!

Pode parecer um pouco fora do

comum, porque newsletter é algo que

se popularizou no mundo dos blogs, mas

newsletter é uma ferramenta que pode

ser utilizada de maneira muito assertiva nos

e-commerces. Para divulgação de produtos

novos, atualizações na plataforma, conteúdo

sobre os produtos e novidades

do nicho que você atua. Use e

abuse das newsletter e engaje

seu público da melhor

forma possível.

Não faltam motivos para você começar a automatizar a

sua estratégia de Marketing Digital. E para garantir que

tudo vai correr como planejado, conheça uma das melhores

plataformas brasileiras.

Saiba mais em: www.automacaodevendas.com.br

CONTEÚDO DE

QUALIDADE

O conteúdo é uma das portas de

entrada e uma alternativa para a

retenção de clientes. Ele pode ser uma

das formas para você atrair novos usuários

como para explicar mais sobre os produtos

que você vende no seu e-commerce. Assim

que os usuários entram de alguma forma em

contato com a sua página, é interessante taguear

esses usuários e reengajá-los através do funil de

e-mails. Dessa forma você não somente pode

enviar promoções para eles, como incentivá-los

a ler mais sobre os produtos que

eles possuem interesse. Sem perder

nenhum lead, e conseguindo torná-lo

um usuário e consumidor

recorrente da sua loja.

LANDING PAGES

As Landing Pages são

uma das maiores aliadas

nos processos de aquisição

de leads e conversão de vendas.

Servem para ações promocionais ou

ações pontuais de marketing. Através

delas você pode oferecer materiais ricos

sobre seus produtos, ofertar promoções

exclusivas e ofertas pontuais. O maior

objetivo dessas páginas é auxiliar

na captação de leads, se for

bem-sucedido nisso, a sua

landing page está funcionando

corretamente.

Diego Carmona

Fundador da Leadlovers


40

EDUCAÇÃO

CHINA, FÁBRICA DE STARTUPS

Há anos que a China vem se desenvolvendo a galope.

Com altas taxas de crescimento (mesmo isso podendo

ser um risco), o país mais populoso do mundo se mostra

competitivo em diversos setores.

Na área de tecnologia, os chineses se tornaram vanguardistas

em inovação. Por lá, o número de startups cresce

exponencialmente e o ecossistema já é muito maior,

por exemplo, que o do Vale do Silício. O país já é líder

mundial em startups financeiras (fintechs), educacionais

(edtechs) e varejistas.

É da China, por exemplo, a atual startup mais valiosa do

mundo: a Bytedance foi avaliada, em 2018, em US$ 75

bilhões, superando a Uber, que ficou na casa dos US$

72 bi. Logo em seguida, na terceira colocação, mais uma

chinesa, a Didi Chuxing, plataforma de transporte privado,

com valor de mercado de US$ 56 bilhões.

Para se ter uma ideia, enquanto, no Brasil, há apenas

cinco startups unicórnios (as que passam o valor de US$

1 bilhão: 99, PagSeguro, Nubank, Stone e iFood), a China

já registra mais de 160 delas.

Essa pujança das techs chinesas se deve a um plano de

investimentos forte empreendido pelo próprio governo:

só em 2015, foram US$ 230 bilhões aportados.

As startups locais recebem financiamento direto e isenção

de impostos, principalmente para iniciativas na área

de inteligência artificial.

O acelerado crescimento da economia chinesa contribui

para esse salto da tecnologia. Por lá, por exemplo,

já quase não se usa mais dinheiro para pagamentos e

o cartão de crédito está perdendo força; a maioria das

transações são feitas por pagamento digital, por meio

de smartphones.

O crescimento do mercado de tecnologia chinês também

pode ser proveitoso para o Brasil, já que as startups

desenvolvidas aqui podem receber investimentos

de empresas ou fundos maiores de lá. E isso já vem

ocorrendo.

A brasileira 99 alcançou a marca de unicórnio após

aporte de US$ 100 milhões da chinesa Didi Chuxing. Já

a Nubank recebeu investimento de US$ 200 milhões da

Tencent. Cabe agora, ao Brasil, saber aproveitar essa relação.

Temos muito a aprender com o país asiático, um dos

nossos principais parceiros comerciais e que vem demonstrando

estar muito à frente em diversos setores.

É verdade que, atualmente, nossa principal exportação

à China é a soja, mas, com as medidas e os investimentos

corretos, podemos ir muito além e fazer desenvolver

ainda mais o ecossistema de inovação nacional.

Janguiê Diniz

Mestre e Doutor em Direito

Fundador e Presidente do Conselho

de Administração do Grupo Ser

Educacional.


41

TECNOLOGIA

FERRAMENTAS PARA INOVAÇÃO

O uso das APIs é uma maneira ágil para criar serviços digitais,

sem abandonar o que há de melhor na tecnologia

O avanço tecnológico e a mudança de comportamento

dos consumidores, que buscam os mais variados serviços

e produtos de maneira digital, exigem que as empresas

se reinventem. Porém, desenvolver tecnologias

avançadas requer tempo, energia e dinheiro. Mesmo

com um investimento alto, pode ser que o resultado não

seja tão bom quanto o esperado. Afinal, essa não é a especialidade

da maioria das companhias e profissionais.

Criar sua própria tecnologia leva tempo, considerando

que além da estruturação é preciso passar pelas etapas

de teste e validação no mercado. Por isso, empreendedores

e gestores deveriam começar a se acostumar com

o uso das APIs, ou Application Programming Interface.

Toda empresa com processos ou serviços digitalizados

possui suas próprias APIs. São funcionalidades tecnológicas

que realizam uma tarefa específica dentro de um

aplicativo, programa ou software. Em um exemplo prático,

os aplicativos de transporte como o Uber utilizam a

API do Google Maps para fazer a geolocalização do motorista

e do passageiro, mostrando onde cada um está

antes e durante a corrida.

Em outro caso, uma agência de viagens pode utilizar a

API de um programa de meteorologia para indicar ao

viajante como estará o clima durante suas férias. No

mundo digital, a agilidade para capturar uma oportunidade

de negócio vai além da vantagem competitiva.

Ela é necessária e urgente. As APIs são uma maneira de

tornar o processo de inovação mais rápido. Uma vez

que essas “pecinhas” de tecnologia são padronizadas,

podem ser conectadas rapidamente para viabilizar uma

ideia sem a necessidade de maior desenvolvimento. Assim,

empresas e startups podem lançar seus produtos e

serviços com funções prontas. Negócios digitais podem

ser criados inteiramente com essas ferramentas.

API COMO FONTE DE RENDA

Se alguém está utilizando as APIs, há alguém fornecendo.

Qualquer programa pode se tornar uma API e, consequentemente,

essa ferramenta pode ser comercializada.

Essa é a segunda vantagem da API que permite

estar à frente nesse mundo de rápida transformação

digital. Quando as empresas criam uma inovação, podem

transformá-la em uma API para outras utilizarem,

gerando uma nova fonte de renda para o negócio. Existem

diversas maneiras de realizar a cobrança pelo uso

das APIs, desde criar um modelo de assinatura mensal

até exigir um valor específico para cada vez que ela é

utilizada.

Pode parecer um tiro no pé que uma empresa disponibilize

sua tecnologia para o mundo, inclusive para suas

concorrentes. No entanto, é uma oportunidade para se

posicionar, além de seu setor, como uma plataforma de

tecnologia. É também uma maneira de contribuir com

o ambiente de inovação aberta, ou open innovation –

movimento adotado por empresas de inovação no qual

acontece o compartilhamento de ideias e soluções com

o mercado. Se as APIs incluírem informações que só

podem ser compartilhadas com o time da empresa ou

com parceiros, é possível restringir seu uso para essas

pessoas.

Percebendo o potencial e a relevância das APIs para todos

os setores, ajudei a criar o GR1D, um marketplace

de APIs para que pessoas criem seus próprios negócios

e digitalizem processos internos. Algumas das ferramentas

já disponíveis no Trends, nossa plataforma de

inovação, é a do ClimaTempo, que realiza previsões meteorológicas,

e a SMS, da Print Laser, que envia mensagens

para clientes e usuários.

As APIs estão à disposição para aqueles que buscam

criar novos modelos de negócio atrelados à tecnologia

e com agilidade. O que os empreendedores e gestores

atuais não podem é ficar parados.

Guga Stocco

CEO da GR1D, cofundador da

Domo Invest, embaixador do

Stanford Research Institute

(SRI) no Brasil e membro dos

conselhos consultivos da

TOTVS, B3, Carrefour e

Hapvida.


42

PRODUTIVIDADE

GUILHERME BAUMWORCEL,

CRIA PLATAFORMA DIGITAL

E SE PREPARA PARA CON-

QUISTAR O BRASIL

Texto e entrevista de: Pedro Paiva

“Constância e resiliência”, esse é o lema de Guilherme

Baumworcel, CEO e fundador do Rupee, plataforma digital

que já possui hoje mais de 3.000 clientes cadastrados.

Com apenas 32 anos, o contador carioca já possui

muita experiência, tanto na contabilidade quanto na difícil

tarefa de empreender em tecnologia no Brasil. Sem

olhar para trás, Guilherme largou uma carreira estável e

de sucesso para tentar a sorte com seu negócio próprio

e, pouco depois, desenvolvendo uma ferramenta em

nuvem de gerenciamento contábil, fiscal e de folha de

pagamento. E não é que deu certo?

A contabilidade, porém, não foi a primeira escolha de

Guilherme. “Eu fazia engenharia mecânica na UFRJ mas

estava muito insatisfeito, não era o que eu queria fazer”,

disse. “Eu cheguei pro meu pai e falei: quero sair.

Ele respondeu: cara, como pai eu já fiz o meu papel.

Se você quer mudar, você tem que mudar sozinho”. E

foi isso o que o Guilherme fez. Ele estava decidido que

queria estudar finanças e, por isso, escolheu a contabilidade.

“Pô, tá aí, deve ser uma coisa que eu possa fazer”,

ele pensou.

Já no primeiro período da faculdade, Guilherme começou

a trabalhar como bolsista do CNPQ e como monitor,

produzindo artigos pela CAPES. No segundo período, já

estava estagiando no Grupo Icatu, um grupo renomado

do mercado financeiro. Perguntado se se incomodava

com alguma coisa, na época, a resposta foi não. “Primeiro

eu entrei na Icatu, entrei dentro de um processo estruturado,

e depois fui trabalhar em multinacional de

auditoria, as famosas Big Four, fui até gerente nelas.

Nesse caminho nada me incomodava, muito pelo contrário.

Os processos serem tão bem definidos faziam

com que eu pudesse crescer na carreira muito rápido.

Eu era gerente em uma multinacional com 26 anos”.

Quando trabalhava em uma empresa de auditoria, a

PWC, Guilherme estava em constante contato com donos

de empresas e tomadores de decisões. Foi ali que

ele viu a oportunidade de abrir sua própria empresa de

consultoria tributária. Logo depois, veio a ideia de vender

o serviço de contabilidade, “o famoso escritório de

contabilidade. Eu não gosto muito de usar esse termo,

mas... era”, ele fala rindo. Foi aí que Guilherme se deparou

com seu primeiro grande desafio: criar um processo

definido, um método, para o seu negócio. Nessa jornada,

Guilherme testou diversas ferramentas e sistemas:

“testei tudo que existia, de Work Flow, de Kanbam, de

Scrum e nada funcionava. Até que eu tomei uma multa”.

Quase R$50.000,00, entre multa e juros. Esse foi o valor

que a então empresa do Guilherme teve que pagar

à receita. O motivo? Um funcionário que esqueceu de

enviar um tributo para um cliente. “E a multa e o juros,

quando você esquece de enviar para o cliente, você tem

que pagar”, explica. Daí surgiu o estalo: “nenhum desses

sistemas que eu estava usando estavam funcionando.

Então pensei, vamos procurar no mercado o que tem”.

Guilherme não conseguiu encontrar aquilo que ele precisava

e, então, veio a ideia de criar o Rupee e logo em

seguida já começou a desenvolver o sistema.

“A primeira maior dificuldade foi conciliar o tempo. Eu

usei meu time para testar sem saberem que a ferramenta

era minha, para eu poder ouvir as críticas”, explica.

“Se não, talvez não fossem fazer críticas reais”.

Naquele momento, o difícil era atender os clientes do

seu escritório e, ao mesmo tempo, desenvolver o produto,

mas Guilherme nunca pensou em desistir.

No final de 2017 começaram a chegar muitos elogios ao

Rupee e, em 15 de janeiro de 2018, a plataforma foi lançada

no mercado: “foi aí que eu vi que era isso que eu

queria”, disse com um sorriso no rosto. A partir desse

momento, Guilherme se desfez do escritório de contabilidade

e começou a se dedicar 100% ao sistema. “Foi um

processo me desfazer, ninguém fecha uma empresa do

dia pra noite. E o legal é que quando eu fechei a empresa

eu consegui que todos os [ex] funcionários fossem

empregados em algum lugar”.

Hoje, no 35º andar da Almirante Tower, no centro do

Rio, com uma bela vista para o Pão de Açúcar, o sonho

do Guilherme não é mais o mesmo de quando entrou

na Universidade: “o sonho de todo estudante de contabilidade

da UFRJ era ser sócio de uma empresa de

auditoria, esse era o meu sonho. Hoje eu tenho o Rupee

que já tem mais de 3.000 clientes cadastrados. Eu

quero, esse ano ainda, conquistar o Brasil, no sentido

de escalar a empresa, e, no futuro, a longo prazo, ir pra

fora do país”.

Gui, como é chamado no escritório, também

dá uma dica aos futuros contadores

e empreendedores: “Pra quem está

entrando na faculdade de contabilidade

agora, o negócio é se especializar

o máximo. O futuro da contabilidade,

cada vez mais, terá ferramentas que

farão os processos de rotina. É importante ser muito

técnico e entender muito a contabilidade. Para quem

está começando a empreender, eu gosto muito de duas

palavras: constância e resiliência. Constância porque

você tem que manter. Eu brinco que o empreendedor é

um esportista profissional, a gente tem que estar bem

todos os dias porque tem gente, famílias, clientes, que

dependem da gente. Resiliência porque existirão momentos

duros, difíceis, decisões a serem tomadas e erros

que acontecem e você precisará resistir. Eu nunca

desisti porque sempre pensei em como bater de frente

com os problemas e resolver”.


43

PRODUTIVIDADE


44

DESIGN E INOVAÇÃO

PARA CRIAR, OBSERVE MAIS!

A IMPORTÂNCIA DA PESQUISA NAS ORGANIZAÇÕES.

APRENDENDO A EXERCITAR AS PERCEPÇÕES.

Diante da frieza e distanciamento das análises baseadas

apenas pelos números e da velocidade cada vez maior

das transformações no universo do consumo, assim

como na incapacidade do consumidor típico de verbalizar

exatamente o que quer, tanto a pesquisa de tendências

quanto métodos inspirados e baseados em etnografia

ganham forças. Precisamos criar e disseminar

esse conhecimento e senso crítico nas empresas com

o propósito de capacitar gestores e líderes a criarem

produtos, estratégias, serviços e comunicação que correspondam

a necessidades e desejos de seus públicos,

assim como para contratar fornecedores especializados

nesse conhecimento.

DESIGN, VARIÁVEIS POLÍTICAS E MACROECONÔMICAS, RECURSOS TEC-

NOLÓGICOS E GEOPOLÍTICOS BUSCANDO PLANEJAR CENÁRIOS FUTUROS.

COM A CRESCENTE VELOCIDADE DE TRANSFORMAÇÕES TECNOLÓGICAS,

CULTURAIS E COMPORTAMENTAIS, ESSA FORMA DE PESQUISA GANHA

CADA VEZ MAIS RELEVÂNCIA. SEU USO É PARTICULARMENTE EFICAZ EM

INDÚSTRIAS ONDE O DESIGN E OS CÓDIGOS VISUAIS TEM CICLOS DE

VIDA CONSISTENTEMENTE MAIS CURTOS E COMPLEXOS (MODA, DESIGN

DE INTERIORES, CULTURA JOVEM), EM SETORES MUITO SUSCETÍVEIS A

TRANSFORMAÇÕES CULTURAIS VINDAS DAS MARGENS (ALIMENTAÇÃO,

BENS DE CONSUMO NÃO-DURÁVEIS), OU ONDE A INOVAÇÃO TECNO-

LÓGICA PERMITE UMA SUPLANTAÇÃO MUITO RÁPIDA DOS PRODUTOS

E SOLUÇÕES ANTERIORES (ELETRÔNICOS DE CONSUMO, INFORMÁTICA,

SERVIÇOS DIGITAIS).

ESSA CULTURA PROMOVE:

• a capacidade de analisar o universo simbólico e estético

dos consumidores;

• o contraste entre: ouvir, perguntar, observar e experimentar;

• a captação das nuances que passam despercebidas em

outros métodos;

• a conexão do contexto local de consumo ao contexto

global.

ETNOGRAFIA: É O MÉTODO UTILIZADO PARA A COLETA DE DADOS

NA ANTROPOLOGIA. SUA BASE SÃO OS TRABALHOS DE CAMPOS MAIS

EXTENSOS (QUE PODEM CHEGAR A MAIS DE UM ANO QUANDO FALAMOS

DE TRABALHOS ACADÊMICOS) ORIENTADOS À DESCOBERTA DOS SIGNI-

FICADOS CULTURAIS DE UM DETERMINADO GRUPO SOCIAL. O MÉTODO

DEPENDE DO PESQUISADOR E ANTROPÓLOGO COMO OBSERVADOR E

MEDIADOR. ESSE MOVIMENTO VEM GANHANDO FORÇA NAS GRANDES

CORPORAÇÕES DEVIDO À IMPORTÂNCIA CRESCENTE DAS QUESTÕES

RELATIVAS A TECNOLOGIA E INTERAÇÃO COM O USUÁRIO. SEU USO É

PARTICULARMENTE ÚTIL POR ENXERGAR O INVISÍVEL A OUTRAS METO-

DOLOGIAS DE PESQUISA, CRUZAR O QUE É DITO COM O QUE É FEITO,

PELA INSERÇÃO NO AMBIENTE DOS PARTICIPANTES O QUE PERMITE MAIS

NATURALIDADE E EMPATIA, ASSIM COMO O ACESSO AO NÃO-VERBAL NO

DISCURSO DOS PARTICIPANTES.

PESQUISA DE TENDÊNCIAS: É A PESQUISA DE MERCADO

ORIENTADA À INVESTIGAÇÃO DE COMPORTAMENTOS, CÓDIGOS VISUAIS,

Quando nos aprofundamos no conceito do Design

Thinking o processo de pesquisa está inserida na etapa

de imersão e significa “o que eu quero descobrir” que

são as necessidades do ser humano ou das organizações

referente ao tema. As descobertas constroem uma

base sólida para suas ideias. Criar soluções significativas

para os usuários começa com um profundo entendimento

de suas necessidades e significa estar aberto

a novas oportunidades, inspirar-se e criar novas ideias.

Com a preparação correta, essa fase pode ser um abrir

de olhos e vai proporcionar um bom entendimento do

desafio.

PARA CRIAR OBSERVE “As evidências de como nosso inconsciente

está o tempo todo interagindo com a cidade,

os objetos, as pessoas, os serviços e os espaços ao nosso

redor”.

EXTRAÍDO DO LIVRO – THOUGHT LESS ACTS (JANE FULTON SURI – IDEO), QUE

RETRATA IMAGENS SOBRE COMO AS PESSOAS INTERAGEM COM O MEIO LEVANDO

EM CONTA ASPECTOS FÍSICOS, SOCIAIS E CULTURAIS, SOBRE COMO COISAS QUE

FAZEMOS SEM PENSAR E PODEM INDICAR CAMINHOS PARA NOVAS SOLUÇÕES.

REAGIR

A gente interage automaticamente com os objetos

e espaços que a gente encontra.


45

RESPONDER

Algumas características dos objetos fazem com

que a gente se comporte de uma determinada

maneira.

SINALIZAR

Nós transmitimos mensagens para nós mesmos

e para os outros através do uso das coisas.

ADAPTAR

Nós mudamos o propósito ou contexto de uma

coisa de acordo com as nossas necessidades.

EXPLORAR

Nós tiramos vantagens de qualidades físicas e

mecânicas que percebemos nos objetos.

IMITAR

Nós aprendemos comportamentos com o

grupo.

O processo de pesquisa é o que coloca a curiosidade,

observação e experimentação em ação. É uma abordagem

estruturada para gerar e aprimorar insights. Segue

algumas orientações que ajudam em seu desenvolvimento,

desde identificar um desafio até uma melhor interpretação

dos problemas e necessidades pesquisadas.

melhor base para qualquer solução. Considere um espectro

amplo de pessoas que poderão se sentir tocadas

pela sua proposta. O desafio escolhido vai impactar diretamente

a vida de quem?

• O QUE? - Elabore o Briefing/Desafio, quantificar por

aproximação, volume e valor dos segmentos principais

e emergentes; mapear referências estéticas e influenciadores

para cada um dos segmentos; investigar e registrar

como a organização está se posicionando para

atingir cada um dos segmentos e quais lacunas existem.

• COMO? Definia Metodologias, para a quantificação

aproximada, o método ideal é desk research, feito com

dados de mercado, de associações do setor assim como

dados de setores análogos aos segmentos; para mapear

as referências estéticas, o ideal é combinar desk research

de fontes digitais, observações em espaços comerciais

e entrevistas com consumidoras que pertençam a

cada um dos segmentos; para investigar o comércio local

e a concorrência, o ideal é realizar observações contextuais

tanto em empresas do setor como de outros

setores que mirem nos mesmos segmentos.

• ONDE? Defina Campo e Fonte, no desk research de

quantificação, utilizar dados do IBGE, revistas, institutos

de pesquisa, associações de setor etc. Para o mapeamento,

aplicar entrevistas em profundidade com o

público-alvo, considerando gênero, faixa-etária, classe

social etc., de forma a obter uma amostra representativa

por grupo e subgrupo. Observações contextuais em

distintos mercados, considerando uma amostra de indústrias

do setor pesquisado e uma amostra de setores

análogos a pesquisa.

DESIGN E INOVAÇÃO

1- Desk Research: Levantamento de dados secundários

em fontes abertas e digitais, livros, documentários, bases

de dados coorporativos, etc.

2- Observações Contextuais: Processo estruturado de observar

o consumo em seu habitat natural, tipicamente

feito em ambientes de varejo ou onde o consumo acontece

naturalmente (locais públicos, festivais, centros comerciais,

etc.)

3- Entrevista em Profundidade: Entrevistar consumidores

abordando questões de negócio realizada de forma a

otimizar a espontaneidade e assim, a qualidade da informação

obtida.

A fase de imersão do design thinking, pesquisa de tendências

e técnicas de pesquisa etnográfica quando cruzadas

e conectadas ajudam a compreender o território

em estudo e segmentos de consumidores mais relevantes,

em termos de participação + tamanho de mercado

+ potencial de crescimento futuro, com o propósito de

garantir uma ótima distribuição com o mínimo de esforços

e investimentos, controlando os riscos.

Traçando um caminho e roteiro de pesquisa:

• POR QUE? - Defina o que você quer saber sobre o

tema, escreva e compartilhe o que você não sabe ou

ainda não entendeu sobre o desafio.

• QUEM? - Defina seu público, uma compreensão profunda

das motivações e necessidades das pessoas é a

Tomando uma decisão a partir da pesquisa.

O processo de pesquisa e as interpretações transformam

suas histórias em insights valiosos. Observações,

visitas de campo ou até uma simples conversa podem

ser ótimas inspirações – mas encontrar nisso significados

e transformá-los em oportunidades de ação para

a organização não é tarefa simples. Envolve tanto aa

histórias e experiências vividas quanto a seleção e a

condensação de pensamentos, até que você tenha encontrado

um ponto de vista convincente e uma direção

clara para o próximo passo.

Essas descobertas, naturalmente, permitem às empresas

ajustarem suas ofertas de produtos e serviços considerando

essas lacunas advindas dos conceitos estéticos

e comportamentais, criando e fortalecendo identificação

com os usuários e consumidores através da comunicação,

usando referências relevantes nas vitrines, catálogos

e presenças em mídias sociais.

Marcos Batista Apresentador

Inova360 da Record News, Palestrante,

Professor, Consultor e Empreendedor

Inovação | Design | Empreendedorismo

| Startup


46

GESTÃO DE CONTEÚDO ATRAVÉS

DE PLAYLIST COLABORATIVA

Por Daniel Perez - Co-Founder @ NaRadio Playlist Colaborativa

Não precisa ser um jovem conectado nem um “dinossauro”

para saber da existência dos Jukebox, tão pouco

para entender que esta prática foi praticamente extinta

há um bom tempo por diversos motivos, um deles foi a

evolução tecnológica que trouxe novas opções com recursos

mais práticos, facilitando a gestão de conteúdo e

execução das músicas com qualidade muitas vezes até

superior.

O único detalhe, esqueceram da interação com os clientes!

Enquanto as soluções para gestão e consumo de

música ambiente evoluíram drasticamente, a relação

direta com os clientes utilizando o recurso foi praticamente

extinta. Não há hoje uma solução assertiva para

garantir que o conteúdo reproduzido esteja no agrado

dos ouvintes, tão pouco que crie esta interação direta

cliente-estabelecimento na seleção e execução das músicas.

Com isso, além de perder os benefícios do recurso, muitas

vezes resulta em transtornos e malefícios, sempre

que as músicas executadas não agradam os variados

ouvintes.

Já a solução colaborativa além de definir as playlists de

um local com base em seu público-alvo, permite que

os ouvintes interajam diretamente com a seleção das

músicas enquanto estiverem nos locais, acrescentando

músicas do seu agrado em tempo real e mantendo as

playlists sempre dinâmicas e atualizadas. Abaixo, algumas

vantagens na utilização de uma playlist colaborativa:

O cliente é o principal contribuidor na criação e manutenção

do conteúdo musical executado, garantindo que

a satisfação seja atendida de forma direta e assertiva.

Aumento do tempo de permanência dos clientes nos estabelecimentos,

resultando em aumento de consumo e

faturamento. Quanto tempo em média um cliente pede

uma cerveja? E se ele pudesse ficar alguns minutos a

mais, aguardando uma música que escolheu e/ou dedicou

para uma pessoa em especial?

Em resumo, a solução de playlists colaborativas resgata

o conceito de gestão de conteúdo tendo o cliente no

centro da gestão, garantido que a satisfação seja atendida

de forma assertiva.


47


48

PRODUTIVIDADE

O QUE REALMENTE

FAZ FALTA

O QUE TE IMPEDE DE EMPREENDER AGORA?

O QUE TE IMPEDE DE FAZER O QUE GOSTA E SER

PAGO POR ISSO?

Fiz essa pergunta no Instagram e recebi uma chuva de

respostas, cada uma baseada em um ponto de vista diferente.

Há quem diga que a culpa é da situação atual do país, do

julgamento da sociedade, da opinião dos pais, da falta

de apoio, de incentivo, de carinho, afeto, blá, blá, blá…

Falar que a culpa é só sua seria uma injustiça da minha

parte, você corre, vai atrás, tenta, mas as coisas não

acontecem, parece coisa “do além” contra você.

Mas a verdade é que só te falta uma coisa.

Conhecimento.

O grande problema é que a gente confunde essa palavra

e acaba usando da maneira errada.

Conhecimento não está somente ligado a suas habilidades

técnicas em determinado assunto.

É muito raso pensar que basta aprender a tocar guitarra

para se tornar um músico, ou basta fazer um curso de

desenho para se tornar um ilustrador profissional.

Mais até do que a parte técnica, você precisa conhecer

o mercado, conhecer os obstáculos, os desafios e, principalmente,

conhecer pessoas que te ajudem a chegar

mais rápido ao seu objetivo.

Leia muito, converse muito, esteja sempre com o radar

ligado e compartilhe tudo o que aprender durante a sua

jornada. O conhecimento é melhor assimilado, quando

é compartilhado, ou seja, você aprende muito mais ensinando.

Na prática o que acontece é o seguinte:

Seus pais não te apoiam na decisão de se tornar um

game designer e você acaba cedendo e acreditando

que realmente não vai ter futuro nessa profissão. Mas

aí você começa a buscar conhecimento sobre esse assunto

e conhece histórias de sucesso, conhece pessoas

que chegaram lá, conhece o tamanho do mercado e as

oportunidades que surgem a cada momento e acaba se

convencendo que essa profissão “tem futuro sim”

Mas seus pais ainda não te apoiam simplesmente porque

ainda não conhecem tudo o que você acabou de

conhecer. Seu papel então é ensiná-los sobre isso.

Mas quando você ensina, uma mágica acontece e tudo

aquilo que você aprendeu fica muito mais claro na sua

cabeça, as ideias começam a se organizar e você começa

a ter certeza de que essa profissão tem um futuro gigante

e a sua certeza é tão contagiante que se torna certeza

também para os seus pais, amigos, sociedade, etc.

Eu citei game designer, mas isso vale para qualquer profissão,

desde que você busque conhecimento sobre ela.

Conheça suas habilidades

Conheça suas limitações

Conheça o mercado que pretende atuar

Conheça casos de sucesso desse mercado

Conheça mentores que te mostrem os atalhos

Conheça os melhores livros sobre esse mercado

Conheça, conheça, conheça…

Todo conhecimento é importante, mas conhecimento

aplicado ao seu objetivo é o que te leva longe.

Depois de tudo isso, olhe no espelho e responda para

si mesmo:

O QUE ME IMPEDE DE FAZER O QUE EU GOSTO E SER

PAGO POR ISSO?

O QUE ME IMPEDE DE EMPREENDER AGORA?

Ivan Querino

Ilustrador e professor.

Fundador do portal

eudesenho.com


49

CASE DE SUCESSO

SHOWDESIGN TRANSFORMANDO SEU

EVENTO EM UM GRANDE SUCESSO

Você já parou para pensar no que faz um evento ser um

sucesso? Qual que é o elemento que faz as pessoas se

lembrarem de um evento por anos ou até por uma vida

inteira?

Segundo Rogério Fernandez, CEO da Showdesign, esse

elemento é a experiência. Trabalhando desde a concepção

da ideia até a execução final, a Showdesign é uma

empresa especializada em integração audiovisual para

shows e eventos de todos os tipos e tamanhos, e já está

a mais de 15 anos no mercado transformando eventos

em experiências.

“A Showdesign começou em 2002 como uma empresa

de projetos de iluminação. Com o passar do tempo,

houve a necessidade de adquirir equipamentos para

atender turnês e gravações de DVD, sendo responsável

por grandes artistas como Aline Barros, Fábio Júnior,

Calypso, Marcos e Belutti, Mano Walter e muitos

outros. Em 2007 nós fomos responsáveis pelo projeto

Claudia Leitte em Copacabana e a partir daquele momento

nós deixamos de ser uma empresa de iluminação

para se tornar uma empresa de Integração Audiovisual”

explica Rogério. Vinda do mercado de Shows,

Turnês e DVD’s, a Showdesign aplica todo esse know-

-how em eventos corporativos, festas de formatura e

casamentos, criando algo totalmente novo e diferente

do que estamos acostumados a encontrar.

“Há algum tempo eu venho percebendo uma necessidade

do mercado em entregar algo a mais

para o público, e esse algo a mais é a experiência.

No ano passado nós tomamos a decisão de levar

essa experiência para o mercado de formaturas

e temos causado uma transformação no modo

como as festas são feitas, através da Integração

Audiovisual. Agora, o foco é transformar ainda

mais o mercado corporativo.” afirma o CEO. A Showdesign

atende o Brasil inteiro e sempre está à disposição

de seus clientes para entender o que eles realmente

precisam, sempre se preocupando em que o cliente

participe de todos os processos do evento.

A Showdesign está sendo responsável por toda a infraestrutura

audiovisual do evento Empreenda Summit

ABC 2019, realizado pela Empreenda Revista. Então se

você está pensando em realizar um evento e deseja que

ele seja um sucesso, não se esqueça do mais importante:

a experiência.

Tudo isso é criado através da Integração diovisual, ou seja, quando a Luz, Som e Ví-

Auência

em seus eventos é a recorrência. Expedeo

estão sincronizados. Para a empresa,

esse é o principal elemento para que as

pessoas saiam de um evento impactadas e

se lembrem dele ao longo do tempo.

O principal benefício que Rogério vê para as

empresas que aplicam esse tipo de expeririência

gera recorrência.

Ele explica que as pessoas vão se lembrar

de você, da sua marca ou da sua empresa por

conta da forma que eles foram impactados durante

o evento, e isso fará com que elas consumam mais do

seu produto ou serviço, e participem de edições futuras

do seu evento.


50

CASE DE SUCESSO

VERDE GHAIA E A SUSTENTABILIDADE:

HÁ 20 ANOS UMA PARCERIA DE SUCESSO

Nos dias de hoje, uma empresa completar 20 anos de

existência é algo difícil de acontecer, mas não para a

Verde Ghaia, que neste ano comemora duas décadas de

sucesso.

Sem dúvida alguma o seu CEO e fundador, Deivison Pedroza

é o grande responsável pelo sucesso dessa empresa.

Apesar de uma infância e adolescência com muitas

dificuldades, sempre teve muitos sonhos. E um deles

era fazer a diferença no mundo. Sua visão empreendedora

e sua percepção na abrangência da sustentabilidade

no mundo dos negócios o fizeram conquistar esse

seu sonho. E alcançar essa conquista só possível através

da Verde Ghaia, que surgiu com o objetivo de melhorar

processos de gestão ambiental quando o meio ambiente

ainda nem era levado muito a sério. Como Deivison

explica: “na teoria, empresas diziam que era importante

preservar a natureza. Na prática, descartavam seus

resíduos de maneira negligente, havendo muita dificuldade

para compreenderem e cumprirem a legislação

brasileira. Essa dificuldade é facilmente explicada pela

enorme quantidade de leis que já existiam antes mesmo

da fundação da empresa.”

Deivison fez com que o surgimento e a evolução da

Verde Ghaia acompanhassem a própria evolução da

sustentabilidade. “Nossa missão é estar sempre quatro

anos à frente dos concorrentes e preparados para as

novas tendências, investindo muito em tecnologia”.

A Verde Ghaia foi fundada em 1999 com o objetivo de

oferecer o primeiro sistema online de monitoramento

de requisitos legais no Brasil. Hoje ela é especialista na

assessoria e no monitoramento de conformidade legal

nas áreas de Meio Ambiente, Saúde e Segurança do Trabalho,

Responsabilidade Social, Qualidade, Segurança

de Alimentos, Sustentabilidade, Energia, Cadeias Logísticas

e Mudanças Climáticas. A empresa conta com 140

colaboradores, uma base de 3.200 clientes e mais de 36

mil usuários de seus softwares de gestão no Brasil, na

América Latina e na África.

Através de uma metodologia própria a Verde Ghaia desenvolveu

o SOGI, seu software online de gestão integrada,

legal e estratégica, que permite processos mais

ágeis de monitoramento e gestão. Hoje o SOGI está em

sua 8a geração e é um software completo de Gestão e

Desempenho em Sustentabilidade. É também totalmente

alinhado às normas internacionais de certificação ISO,

o que fez da Verde Ghaia referência no mercado nacional

quando o assunto é sistemas de gestão.

A Verde Ghaia vem se destacando cada vez mais a nível

nacional. Em 2018 a empresa ganhou pelo segundo ano

consecutivo um dos mais tradicionais e prestigiosos prêmios

de sustentabilidade empresarial do Brasil: o Guia

Exame de Sustentabilidade, considerado o maior levantamento

de práticas de responsabilidade corporativa do

Brasil, selecionando e premiando as chamadas “empresas-modelo”.

A Verde Ghaia se destacou entre gigantes,

e levou o prêmio de empresa mais sustentável do Brasil,

no setor de consultoria, gestão e TI.

Para Deivison, a conquista desse prêmio se deu porque

a sustentabilidade sempre foi palavra de ordem em seu

negócio. E vários projetos demonstram isso. A Verde

Ghaia promove a geração de impacto social através do

incentivo a seus funcionários, para que se tornem tutores

voluntários de projetos de impactos positivos para

a comunidade e para o planeta. Um exemplo neste

sentido é o Instituto Oksigeno, uma Organização da Sociedade

Civil de Interesse Público (Oscip) mantida pela

empresa com o objetivo de promover a educação ambiental

nas escolas públicas.

Além disso, a criação de uma startup para a gestão de

resíduos, a VG Resíduos, também é uma estratégia importante

da Verde Ghaia que contribui para a sustentabilidade.

Atualmente, a Verde Ghaia atua não somente

no setor de gestão ambiental, mas também no nicho de

saúde e segurança ocupacional e nos nichos de gestão

de qualidade e gestão de riscos. Hoje o grupo é composto

pelas empresas Verde Ghaia, Verde Ghaia Bioenergia,

Verde Ghaia Franchising, Consultoria Online e pelo Instituto

OKSIGENO. Ela ainda é responsável pelo Prêmio

Compliance Brasil. Portanto, ser reconhecida como uma

empresa sustentável significa estar trilhando o caminho

certo. É demonstrar perante a sociedade e o mercado

que existe a preocupação com os produtos e serviços,

mas também e principalmente com os colaboradores,

clientes e com o meio ambiente. E a Verde Ghaia sempre

comprovou, ao longo de seus 20 anos, essa importância

da sustentabilidade em tudo o que faz, e que está caminhando

de acordo com seus valores, visão e missão.

Hoje, a Verde Ghaia, Deivison Pedroza e cada um dos colaboradores

do grupo Verde Ghaia merecem todo o reconhecimento

pelo trabalho que vem sendo realizado, e

que possam continuar olhando para o futuro, agindo e

fazendo a diferença agora no presente.

Deivison Pedroza

CEO Verde Ghaia

Foto DanielMag


51


52

CASE DE SUCESSO

KHAPPY KOMBUCHA

DESPONTA NO MERCADO

NACIONAL ENTREGANDO

BEM-ESTAR E POSITIVIDADE

A empresa brasileira Khappy Kombucha vem ganhando

destaque nacional ao entregar uma bebida que promete

substituir o refrigerante, além de ser uma bebida leve

ela proporciona benefícios na saúde como o fortalecimento

do sistema imunológico e melhora do funcionamento

intestinal.

José Felipe Carneiro é um dos responsáveis pela empresa,

mas quem vê hoje o empreendedor não imagina o

que ele e sua família já fizeram para empreender. Este

trabalho em família que envolve seus pais Miguel e Ustane

Carneiro além de seu irmão e sócio Tiago Carneiro

teve início com a criação de frangos, padaria, sorveteria

e até uma boate. Entre tantos negócios, muitos deram

errado, e outros deram certo. É o caso da cervejaria Wals

que foi um grande marco para ele como empreendedor.

A frente da Wals Zé Felipe tornou a cervejaria premiada

do mundo, sendo a única cervejaria brasileira a conquistar

dois títulos no World Beer Cup, maior competição

cervejeira do mundo, tornando-se também a cervejaria

brasileira que mais ganhou destaque na mídia internacional

nos últimos cinco anos. Tanto sucesso acabou

atraindo olhares da gigante mundial AMBEV que se tornou

a dona da marca.

“O Medo sempre vai existir em quem

quer empreender. Eu adoro quando as

pessoas falam que não vai ter jeito”.

Quando criança o desejo de tocar saxofone para seguir

o que seu avô fazia tão bem, fez com que o empreendedor

se visse diante de um desafio, pois por conta de

uma rinite seus professores de música afirmaram que

ele nunca poderia tocar o instrumento, porém os constantes

incentivos o fizeram romper essa barreira, tornando-se

saxofonista.

Não sendo diferente teve um caminho

semelhante nas artes marciais

onde a vontade de seguir no

Kung-fu, Muay Thai e Jiu-Jitsu onde

hoje é faixa marrom. Isso mostra a

determinação do jovem empreendedor,

que é movido a realização.

Após sua trajetória de sucesso no

mundo cervejeiro, Zé Felipe está

lapidando seu mais novo diamante

a Khappy Kombucha, uma bebida

que tem sua origem no chá

fermentado elaborado em um

processo fermentativo com leveduras originando uma

bebida pro biótica, vegana, sem glúten, sem lactose, super

funcional que remete a muita saúde e bem-estar.

“As pessoas falam que a Kombucha nunca

será o novo refrigerante e o que tenho a

dizer a elas é que nós viemos para transformar

a vida das pessoas, levo para elas

uma das coisas que eu mais acredito no

mundo que é saúde e alegria”

A frente da Khappy, Zé Felipe, mostra que um empreendedor

nunca se dá por satisfeito quando reconhece

seu propósito, sabe o que é preciso fazer para que as

incertezas se tornem realidade.

“Quando vejo um consumidor no supermercado

ir até o meu produto e ler o

rótulo, vem a satisfação que me faz ficar

mais apaixonado pelo que faço”.

Empreendedorismo corre nas veias desse mineiro, sua

ligação com a ONG Embaixadores de Minas o levou a

montar o evento - Crie o Impossível - que é dedicado

à crianças, jovens e adolescentes vindos de escolas públicas

e que nunca tiveram a oportunidade de ter contato

com empreendedores que pudessem inspira-los a

alcançar seus sonhos.

Zé Felipe é dono de um bom humor

e otimismo contagiante e

comprova através da própria história

que o sucesso dos negócios

é para todos que desejam alcança-lo,

ele já fez isso com a Wals e

agora está fazendo com a Kappy

Kombucha que vem despontando

no mercado nacional como

uma bebida leve e refrescante,

boa tanto para o corpo como

para a mente.


53


54

DICA EMPREENDA

OS SEGREDOS DA GESTÃO ÁGIL POR TRÁS

DAS EMPRESAS VALIOSAS

JOÃO KEPLER E THIAGO OLIVEIRA

“Um empreendimento com excelência em gestão

pode não ser aquele que cresce mais rápido no

começo, mas será aquele que crescerá mais e

melhor no médio prazo.”

O que as empresas inovadoras precisam aprender?

E aquelas que já estão consolidadas?

O mercado mundial está em completa transformação

por causa das startups, mas o que muita gente não sabe

é que 75% delas morre no primeiro ano de vida. Dentre

vários problemas visíveis, a principal causa dessa grande

taxa de mortalidade é a falta de gestão. Os empreendedores

conseguem desenvolver negócios atuais e relevantes,

mas não sabem como gerir o próprio negócio

nem as pessoas, fazendo com que sua ideia genial não

tenha a força necessária para crescer.

Infelizmente, esse não é um problema apenas das empresas

novas. Na última década, com o avanço da tecnologia

e as mudanças rápidas da forma de consumo,

testemunhamos a queda de grandes empresas tradicionais

que não conseguiram adequar a sua gestão ao

mundo ágil.

Por isso, dois grandes especialistas em gestão, João Kepler

e Thiago Oliveira, se reuniram para criar um guia

necessário a todo empreendedor. Nesse livro, eles

apresentam quais são as técnicas e ferramentas que os

melhores gestores usam, o que elas realmente fazem,

como funcionam e como aplicá-las na sua empresa.

NESTE LIVRO VOCÊ APRENDERÁ:

• Como criar um plano de negócios;

• Técnicas de gestão de pessoas e gestão financeira;

• Como implementar ferramentas como squads,

compliance, Agile, Design Thinking e outras;

• Reinventar o seu modo de gerir.

Sobre os autores:

João Kepler Empreendedor que investe desde 2008,

João Kepler é conhecido como um dos conferencistas

mais sintonizados com inovação e convergência digital

do Brasil. Participa em mais de 400 startups com a Bossa

Nova Investimentos. É premiado como melhor investidor-anjo

do Brasil pelo Startup Awards, Diretor do

Dempi e Acelera na FIESP, Diretor Nacional de Startups

na ASSESPRO, sócio e conselheiro da ACE; Apresentador do programa

O Anjo Investidor, colunista em diversos portais no Brasil, palestrante

internacional; autor e coautor de cinco livros, entre eles o best-seller

Smart Money: A arte de atrair investidores e dinheiro inteligente para

seu negócio; Premiado por anos consecutivos como um dos maiores incentivadores

do Ecossistema Empreendedor Brasileiro; espalhador de

ideias digitais e melhores práticas em negócios.

www.instagram.com/joaokepler

www.facebook.com/palestrantejoaokepler/

www.linkedin.com/in/joaokepler/

ISBN: 9788545203148

Formato: 16x23

Páginas: 192

Preço de capa: R$39,90

Autor: João Kepler e Thiago Oliveira

Gênero: Gestão

Thiago Oliveira é sócio-fundador da empresa IS Logística,

atual IS Entrega, empresa vendida em 2016

para um fundo de investimento. É também sócio da

Proseftur Assessoria em Comércio Exterior e sócio e

conselheiro da ACE (maior aceleradora de startups da

América Latina). Investidor-anjo pela empresa Fundo

Bossa Nova, é ainda conselheiro e investidor da ONG

Gerando Falcões. É autor do best-seller Pense dentro da caixa.

www.instagram.com/thioliveira22/

www.facebook.com/thiago.oliveira.5661

www.linkedin.com/in/thiagooliveira22/


55


56

EVENTO

CENTRO AVANÇADO DE EDUCAÇÃO

MILANEZ É INAUGURADO EM MAUÁ.

A CAEM - Centro Avançado de Educação Milanez Ltda

nasceu recentemente com dois objetivos principais:

Primeiro Emprego

O objetivo desse projeto é facilitar o acesso dos jovens

ao mundo do trabalho, através de parceria com o empresariado

da Cidade de Mauá.

A partir da indicação da vaga e seleção do candidato

procuraremos prepará-lo e capacitá-lo com uma proposta

diferenciada com oficinas de: expressão oral e escrita;

relacionamento interpessoal; gestão empresarial;

legislação trabalhista; postura pessoal e profissional e

planejamento financeiro, por exemplo.

O profissional que tem um bom desempenho em sua

área, um bom relacionamento interpessoal e formação

adequada possui nítida vantagem sobre aquele estritamente

acadêmico.

Sucesso Acadêmico e Profissional

O objetivo aqui é oportunizar para quem busca crescimento

profissional, cursos de Pós-Graduação EaD, de

Graduação (Bacharelados e Tecnólogos) EaD, Licenciatura

e Segunda Licenciatura, Cursos de Extensão, Cursos

de Aperfeiçoamento e Treinamento, também na modalidade

EaD em parceria com a Faculdade de Educação

São Luís e o Centro Universitário Unifacvest.

Tendo como base o EaD Pleno que privilegia que os alunos

escolham o melhor formato de estudo ao oferecer

as opções de livros impressos, videoaulas em DVD e

também online, verifica-se uma das principais características

do método, a diversidade didática.

Aliando preços acessíveis e flexibilidade, o ensino a distância

inovou e já não se limita somente aos diferenciais

tecnológicos como maneira exclusiva de propagar o conhecimento.

“O caminho do sucesso

é o caminho da

aprendizagem

contínua.”

Prof. Claudio Milanez

sócio proprietário

93023.0318 - fone: 4515.8383

caem.milanez@gmail.com

www.caemcursos.com.br


57

EVENTO

EXPO TALKS 2019

PRIMEIRA EDIÇÃO

BRASILEIROS QUE

EMPREENDEM NO JAPÃO

PARTICIPARAM DA EXPO

TALKS EM AICHI

A Expo Talks Japan reuniu aproximadamente

mil pessoas da comunidade

brasileira no Japão, no último

domingo, (19/05) na cidade de Aichi

no Japão. Os temas empreendedorismo,

autoconhecimento e inovação

foram abordados pelos palestrantes,

Rick Chesther, Leila Navarro e Rafael

Baltresca que foram diretamente do

Brasil para participar do evento que

aconteceu no Patio Chiryu.

Além dos palestrantes acima, o evento

também contou com palestrantes

locais que representaram a comunidade

brasileira no Japão e abordaram

temas importantes do cotidiano

bem como suas histórias de superação,

Claudio Akiyama, Sheila Onishi,

Suguira Naoki, Fernanda Ando e

Tisae Sanefugi. Os organizadores

do evento, Sergio Tinen e Eduardo

Tsuchida conseguiram proporcionar

a comunidade brasileira no Japão

um dia de muito conteúdo empreendedor.

Vários patrocinadores puderam

ter suas marcas expostas a

milhares de pessoas que passaram

pelo evento. Essa primeira edição

foi realizada pela Expo Premium

que trouxe um novo olhar sobre os

eventos empreendedores no Japão.

A Empreenda Revista foi convidada

pela organização e marcou presença

no evento, a CEO da Empreenda,

Elaine Julião, aproveitou a viagem

para lançar a revista para a comunidade

brasileira, centenas de pessoas

assinaram a publicação que

agora passa ter abrangência internacional.

Os organizadores já divulgaram a

próxima data do evento que trará

sua 2ª. edição no dia 27 de outubro

desse ano, no Inuyama City

Community Hall.

Você pode ter maiores informações

pelo site www.expotalks.org ou pelo

e-mail info@expopremium.com.br


58


59

DICA DE LEITURA

More magazines by this user
Similar magazines