Jornal das Oficinas 164

apcomunicacao

akzo_nobel.pdf 1 14/02/19 12:27

C

M

Y

PUB

CM

MY

CY

CMY

K

jornaldasoficinas.com | JORNAL INDEPENDENTE DA MANUTENÇÃO E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS LIGEIROS E PESADOS | DIRETOR | João Vieira

164

julho 2019

PERIODICIDADE | MENSAL

ANO XIV | 3 EUROS

PUB

ESCOLHA DOS CLIENTES

voto de confiançaPÁG. 6

soulima

PÁG. 22

Com a Unidade Norte, a empresa

atinge a primeira meta na sequência

da aquisição por parte da Lausan

create Business

PÁG. 24

Carlos Nascimento e Pedro Proença

falam sobre a organização que

prima pela diferença desde 2003

60 anos da bombóleo

PÁG. 58

Domingos Marques faz uma

retrospetiva das seis décadas de

atividade da empresa que fundou

margem de pintura

PÁG. 74

As receitas da oficina estão repartidas

em três conceitos: mão de obra, peças

de substituição e materiais de pintura

PUB

Readapt Portugal, Lda

PUB

PUB


Tudo sobre controle.

Com o novo Speed-TEC Wet-on-Wet Speed Surfacer 5550.

C

M

© 2018 Axalta Coating Systems. All rights reserved.

Y

CM

MY

CY

CMY

K

Pinte peças novas num tempo recorde.

O novo Speed-TEC Wet-on-Wet Speed Surfacer 5550 é baseado na tecnologia patenteada

Axalta, que acelera o processo de repintura em até 50%. A família de produtos Speed-TEC é o

único sistema no mercado que oferece secagem rápida a 40 ° C e até 20 ° C, oferecendo até

70% de economia de energia. Dependendo da necessidades do dia-a-dia, o sistema pode ser

usado em alta velocidade para rendimento máximo ou com baixas temperaturas para uma maior

economia de energia. De qualquer maneira, o Speed-TEC oferece um excelente acabamento

com menores custos globais da reparação.

NOVO!

Spies Hecker – mais perto de si.


Editorial

DIRETOR

João Vieira

joao.vieira@apcomunicacao.com

EDITOR EXECUTIVO

Bruno Castanheira

bruno.castanheira@apcomunicacao.com

REDAÇÃO

Jorge Flores

jorge.flores@apcomunicacao.com

Joana Calado

joana.calado@apcomunicacao.com

DIRETOR COMERCIAL

Mário Carmo

mario.carmo@apcomunicacao.com

GESTOR DE CLIENTES

Paulo Franco

paulo.franco@apcomunicacao.com

IMAGEM

António Valente

MULTIMÉDIA

Catarina Gomes

ARTE

Hélio Falcão

SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS

E CONTABILIDADE

financeiro@apcomunicacao.com

PERIODICIDADE

Mensal

ASSINATURAS

assinaturas@apcomunicacao.com

© Copyright Nos termos legais em vigor, é totalmente

interdita a utilização ou a reprodução desta publicação,

no seu todo ou em parte, sem a autorização

prévia e por escrito do JORNAL DAS OFICINAS

IMPRESSÃO

Lisgráfica - Impressão e Artes Gráficas, S.A.

Estrada Consiglieri Pedroso, 90

2730 - 053 Barcarena Tel.: 214 345 400

N.º de Registo na ERC: 124.782

Depósito Legal n.º: 201.608/03

Tiragem – 10.000 exemplares

.es

Parceiro

em Espanha

EDIÇÃO

AP COMUNICAÇÃO

Propriedade/Editor João Vieira -

Publicações Unipessoal, Lda.

Contribuinte 510447953

Sede Bela Vista Office, Sala 2.29,

Estrada de Paço de Arcos, 66 - 66A

2735 - 336 Cacém - Portugal

GPS 38º45’51.12”N - 9º18’22.61”W

Tel. +351 219 288 052/4

Fax +351 219 288 053

Email geral@apcomunicacao.com

Consulte o Estatuto Editorial no

site www.jornaldasoficinas.com

O MUNDO

ESTÁ A MUDAR

O

mundo está a viver uma nova revolução industrial com a introdução da eletrónica e do digital,

numa cadência sem precedentes. Esta realidade está a influenciar os modelos de negócio e a

forma como trabalhamos, sendo verdade que a maioria se sente mal preparada para as mudanças

fundamentais criadas pela digitalização e para o impacto das mesmas. Mas quais serão as

consequências desta realidade para as oficinas independentes?

Os fabricantes de peças auto e os grandes distribuidores vão dominar o mercado digital internacional, em

rápido crescimento, mas as oficinas independentes também terão de encarar o desafio e competir a nível local.

Agora, como parte da vasta “Internet das Coisas”, o processo de reparação começa no automóvel, identificada

como uma necessidade preventiva por algoritmos que monitorizam o estado do veículo e identificam uma

avaria ou preveem a necessidade de uma intervenção. Por conseguinte, é essencial conseguir aceder ao veículo,

aos seus dados e ao condutor remotamente.

O acesso remoto a dados do veículo implica outras vantagens importantes. Ter a capacidade de identificar

remotamente qual será potencialmente o problema do veículo, permite

planear que recursos e peças de substituição são necessários antes de este

chegar à oficina. Isto pode reduzir o tempo na oficina até 50%.

Outra vantagem para a oficina resultante da “Internet das Coisas”, será

a capacidade de enriquecer os seus serviços através da partilha ou troca

de dados com outros prestadores de serviços, seja com o intuito de

oferecer serviços melhores aos clientes ou para otimizar o acesso “no

momento certo” a informações técnicas, a apoio de diagnóstico remoto

ou a encomendas antecipadas de peças de substituição para aumentar

a eficiência da atividade. Uma vez que este é o procedimento dos

fabricantes de veículos atualmente, é vital que as oficinas independentes

também consigam fazê-lo para se manterem competitivas.

O controlo do acesso ao veículo, aos seus dados e ao consumidor

por parte dos fabricantes já está a alterar os modelos de negócio

das oficinas independentes, levando-as a explorar o mercado de

pós-venda através de novos serviços digitais. Na perspetiva dos

construtores, o fabrico de veículos já não é a sua principal fonte

de receitas e o veículo é, agora, encarado como o gerador de

dados que apoia uma gama totalmente nova de oportunidades

neste mundo digital. Uma vez que controlam o acesso ao

veículo, aos seus dados e ao consumidor, os fabricantes

controlam, também, a totalidade da cadeia de valor do

mercado de pós-venda.

O aftermarket tem, por isso, de ser mais forte e apoiar os

legisladores para assegurar a existência de uma concorrência

leal. No entanto, trata-se de uma meta difícil de atingir. O

mundo está a mudar e a luta das oficinas independentes

para conseguirem adaptar os seus modelos de negócio à

era digital é uma revolução na qual não podem deixar de

participar. l

João Vieira Diretor


FOLHA

DE SERVIÇO

IPSIS

VERBIS

JÜRGEN RESCH, DIRETOR

EXECUTIVO DA ENVIRONMENTAL

ACTION GERMANY

A SOLUÇÃO NÃO É

TROCAR UM DIESEL

POR UM ELÉTRICO.

A SOLUÇÃO É MENOS

CARROS

FERNANDO AMARAL,

CEO DA ALIDATA

AO ADQUIRIREM

UM SISTEMA, AS

EMPRESAS PENSAM

QUE PASSAM A SER

ORGANIZADAS. NÃO.

SÓ ADQUIRIRAM

UM SISTEMA. A

ORGANIZAÇÃO VEM

DOS PROCESSOS

TUDO O QUE FAZEMOS

A

AP

Comunicação, editora do Jornal das Oficinas e de outros títulos e eventos dedicados ao aftermarket,

acaba de lançar um site institucional onde mostra tudo o faz (www.apcomunicacao.

com). À distância de um simples clique, pode ficar a conhecer os principais produtos que editamos

e os eventos e concursos que organizamos. Lançado em 2005, o Jornal das Oficinas foi o primeiro

título da AP Comunicação e é, atualmente, a referência entre as publicações dedicadas ao aftermarket

em Portugal. Posiciona-se como uma publicação para profissionais e interessados nas áreas de manutenção

e reparação automóvel, distribuição e retalho de peças, negócios e estratégia. Em 2008, passou a

publicar a Revista dos Pneus. Em 2011, o portefólio cresceu com mais dois títulos. A Revista TOP 100 e

a Revista PME. Em 2015, a empresa expandiu-se para a realização de eventos focados nos profissionais

da reparação automóvel e nas suas organizações, nomeadamente os concursos “Melhor Mecatrónico” e

“Challenge Oficinas”. Nos últimos anos, voltou a crescer com o lançamento do JO TV (2016), o Plateau

TV (2016) e a Gala TOP 100 (2017). Fique a conhecer tudo o que fazemos no site institucional, em www.

apcomunicacao.com.

BARÓMETRO

CARLOS NASCIMENTO,

CEO DA CREATE BUSINESS

PALAVRA DADA

É PALAVRA

CUMPRIDA.

PODEMOS PERDER

DINHEIRO NO

NEGÓCIO MAS NÃO

A CREDIBILIDADE

DO CLIENTE

FORD DESPEDE 12.000

FUNCIONÁRIOS NA UE

O gigante norte-americano vive

tempos complicados. O anúncio da

eliminação de 12.000 postos de trabalho

na Europa é um reflexo do desempenho

da marca na atualidade. O nosso

Semáforo Vermelho, de lamento, por

uma reestruturação que pretende voltar

a colocar a Ford na senda dos lucros, mas

que coloca a nu a fragilidade da indústria.

MERCADO AUTOMÓVEL

CONTINUA EM QUEDA

Mês após mês, desde fevereiro último,

o mercado automóvel continua a cair

de forma expressiva. Os ligeiros de

passageiros sofreram uma queda de

3,9% face ao período homólogo de 2018.

Já a descida dos comerciais ligeiros foi

inferior: 0,7%. O Semáforo Laranja só

não é vermelho pela variação positiva

registada pelos pesados em maio.

SOULIMA ASSUME

PRESENÇA NO NORTE

A Soulima está de parabéns. A

abertura de portas da Unidade Norte

- Centro de Logística era um marco

crucial na estratégia da empresa e na

relação com a Lausan. O nosso Semáforo

Verde, de aplauso, para os responsáveis

da distribuidora, que, com a nova “casa”,

estreitam laços com a sua importante

carteira de clientes do Grande Porto.

4 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


NOVA

LOJA NA MAIA

AleCarPeças - Peças e Acessórios Automóveis, Lda

Lisboa: Av. Afonso III 57 Lj 1/3 - Ed. Tágide, 1900-041 Lisboa - Tel.: 218 150 044

Estoril: Estrada de Manique - 1610 A - Armazém 2/3, 2645-550 Alcabideche - Tel.: 214 602 465

Maia: R. Eng. João Tallone 243 - ZI da Maia - Sector IX - 4470-516 Maia - Tel.: 221 105 346

Email: geral@alecarpecas.pt | www.alecarpecas.pt


Destaque

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO DE OFICINAS

COMO ESCOLHEM

OS CLIENTES O SEU

REPARADOR?

SÃO VÁRIOS OS MOTIVOS QUE LEVAM OS CLIENTES A ESCOLHER UMA

OFICINA. A GIPA REALIZOU UM ESTUDO SOBRE ESTA TEMÁTICA. E,

APESAR DAS OPINIÕES SE DIVIDIREM, OS FATORES PRINCIPAIS

DE ELEIÇÃO SÃO A FIABILIDADE E A SEGURANÇA NO SERVIÇO

por Joana Calado


DESTAQUE

É FUNDAMENTAL QUE O CLIENTE CONFIE NA OFICINA ONDE ESTÁ A

DEIXAR O SEU VEÍCULO. MAS MAIS IMPORTANTE AINDA É QUE ESTA

CORRESPONDA À CONFIANÇA QUE LHE É DEPOSITADA PELO CLIENTE

Quem tem um veículo sabe o

quão importante é a sua “saúde”.

Por isso, a escolha da oficina

indicada para deixá-lo nem

sempre é fácil. Procura-se o melhor

serviço ao melhor preço, mas será que

o preço continua a ser um fator assim

tão decisivo?

Cada vez mais, os veículos estão conectados

e são tecnológicos. Mas sabemos

que vivemos num país com um

parque automóvel extremamente envelhecido,

com uma média de idades

superior a 10 anos. Se, por um lado,

as oficinas devem modernizar-se e estar

preparadas para oferecer melhor

serviço aos veículos novos que entram

pela sua porta, também não podem

esquecer o passado e saber operar

num veículo que nada tem de tecnológico.

Da revisão à resolução de um problema

grave, são vários os motivos que

levam uma pessoa a deslocar-se à oficina.

Ao contactá-la, o cliente espera

encontrar alguém que lhe ofereça

uma solução a baixo preço. Mas segundo

um estudo realizado pela Gi-

PA, o preço parece estar a perder margem

face à qualidade do serviço.

O Jornal das Oficinas também foi à

procura de respostas e, efetivamente,

o paradigma está a mudar. O cliente

procura cada vez mais a fiabilidade na

reparação e cada vez menos o preço,

ainda que este continue a ser um fator

determinante. A maioria das oficinas

afirma que o cliente não se importa

de pagar um pouco mais desde que a

qualidade do serviço o justifique.

Inquéritos de satisfação:

devemos ou não fazê-los?

Os inquéritos de satisfação realizados

ao cliente podem (e devem) ser realizados,

pois oferecem às oficinas dados

que poderão auxiliá-las no seu dia a

dia.

Este tipo de inquérito poderá ajudar

a oficina a perceber se o cliente sai satisfeito

ou não. E considerando uma

situação em que a satisfação do cliente

não foi total, a oficina poderá perceber

o que provocou esse episódio.

Assim, estes inquéritos deverão ter

em atenção vários aspetos, como a satisfação

do cliente, o que o levou a escolher

a oficina. Claro que se falamos

de um cliente habitual, esta questão

poderá não se colocar, tal como a seguinte:

voltaria a confiar o seu veículo

a esta oficina e recomendá-la-ia? Deveremos,

também, deixar espaço para

que o cliente possa elogiar a oficina.

Ou, caso não esteja satisfeito, dar-lhe

hipótese de justificar porquê.

Publicar nos diversos meios de comunicação

a satisfação dos clientes poderá

dar à oficina novos clientes com

base nessa avaliação. Uma vez que vivemos

num mundo cada vez mais conectado

e digital, ter disponível online

uma classificação dada pelos próprios

clientes poderá fazer com que um novo

cliente decida que oficina escolher.

Que mensagem queremos

PASSAR ao cliente?

Existem cinco mensagens base que

deveremos passar ao cliente que nos

procura, para que este se sinta confiante

no serviço que vai ser prestado

ao seu veículo.

A minha oficina gera confiança: é importante

que o cliente confie na oficina

onde está a deixar o seu veículo e,

mais importante ainda, a oficina deve

corresponder à confiança que lhe é

depositada. Mesmo que o cliente confie

muito na sua oficina habitual, se o

serviço for mal executado, a tendência

é para a confiança diminuir.

As peças de substituição são de qualidade:

se uma peça de substituição

não tiver a qualidade necessária, o

mais provável é que o cliente tenha de

regressar à oficina para voltar a substituí-la,

fazendo com que este perca a

sua confiança na oficina. Então consideramos

que é importante manter

peças de elevada qualidade, principalmente

quando falamos de peças

de desgaste. Caso não seja possível

substituir no imediato por uma peça

de qualidade, o cliente deverá ser informado

e tomar a decisão de colocar

ou não a peça de menos qualidade no

seu veículo.

Os meus mecânicos são os melhores:

sabemos que o setor oficinal é extremamente

competitivo. Então, se todos

têm acesso às mesmas peças de

substituição, terá de haver outra forma

de distinguir o serviço que praticam.

Ter uma equipa de mecânicos

bem formada e pronta para resolver

qualquer problema, é uma forma de

diferenciar a sua oficina de outras.

Apostar nas redes sociais poderá ser

uma forma de mostrar o valor dos

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

8 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


seus mecânicos, mostrando em tempo

real, ou não, vídeos ou imagens do

seu trabalho.

CRITÉRIOS DE ELEIÇÃO. MÉDIA DOS CANAIS

Primeiro critério citado

O meu serviço é rápido

Manter o veículo do cliente “preso” na

oficina por mais tempo do que o estritamente

necessário, é uma má política.

Por isso, deveremos efetuar o

serviço o mais rapidamente possível,

tendo sempre em conta a disponibilidade

dos clientes. Não há necessidade

de promover a imagem de que a oficina

atende de imediato, pois se, em

algum momento, não lhe for possível

cumprir, isto afetará a relação que

tem com o cliente. Então, devemos

manter os prazos realistas e, acima de

tudo, cumprir com as expectativas.

Queremos criar uma relação com o

cliente: é importante para a oficina

ter um novo cliente, mas também é

importante que esse cliente se mantenha.

Então, devemos criar uma relação

de proximidade com o cliente,

o que poderá torná-lo num “embaixador”

da sua oficina, pois um cliente

satisfeito recomenda o seu trabalho.

ACONselhamento

eficaz

3%

rapidez na

reparaçÃO ou

manutençÃO

2%

Preços

mais

baratos

18%

Proximidade,

fácil de chegar

9%

fiabilidade,

segurança

na reparaçÃO

33%

atendimento

imediato

8%

por hábito

6%

Fonte: GIPA 2019

Untitled-3.pdf 1 06/09/18 15:38

PUB


DESTAQUE

UMA OFICINA DESarrumada OU SUJA FAZ COM QUE O PRIMEIRO

IMPacto DO CLIENTE SEJA FALTA DE BRIO. E NADA LHE GARANTE

QUE tal NÃO SE REFLITA NO SERVIÇO APLICADO ao VEÍCULO

Situações a evitar na oficina

Quando pensamos na nossa oficina,

devemos colocar-nos na ótica do

cliente e perceber o que não queríamos

encontrar se estivéssemos no seu

lugar. A seguir, deixamos algumas dicas

do que se deve evitar.

Atendimento lento

Tanto na receção como na execução

do serviço de reparação, devemos ter

em conta a rapidez. Pensemos na seguinte

situação: o cliente dirige-se à

oficina para deixar o veícul e já terá

deixado os filhos na escola, mas ainda

terá de se deslocar até ao seu local

de trabalho.

Este cliente estará já sobre grande

pressão, pois terá horários a cumprir.

Se o atendimento na receção for lento,

estaremos a atrasar o cliente. Logo,

a criar-lhe mais pressão. Claro que

poderão existir situações em que o

atendimento mais lento se justifique

e nas quais o cliente poderá até abrir

exceções. No entanto, caso não haja

uma justificação, este atraso irá afetar

a sua relação com o cliente.

Apesar de ser necessário não deixar

o cliente demasiado tempo à espera,

também não deveremos apressar o

serviço de forma a que este possa ser

comprometido, ou seja, ter noção das

capacidades da sua oficina de forma a

não cometer erros.

Atendimento deficiente

Olhamos novamente na ótica do

cliente. Se entramos na receção da oficina

para entregar o nosso veículo ou

colocar alguma questão e não existe

uma receção amigável da outra parte,

coloca-se uma barreira entre o cliente

e a oficina. Se falamos de um cliente

habitual que conhece o trabalho da

oficina, poderá desvalorizar. No entanto,

se, pelo contrário, falamos de

um novo cliente, então este poderá ser

o início de uma má experiência, podendo

mesmo levá-lo a reconsiderar

aquela escolha.

Oficina desarrumada

Sabemos que trabalhamos num setor

que já de si é sujo. Nas oficinas encontramos

óleos, areias e outros componentes

que geram sujidade. No entanto,

também sabemos que o primeiro

impacto é importante. E se, no caso

da comida, “os olhos também comem”,

aqui poderemos considerar a

mesma premissa. Uma oficina desarrumada

ou suja faz com que o primeiro

impacto do cliente seja falta

de brio. E, como tal, nada lhe garante

que essa desorganização ou falta de

brio não se reflita no serviço aplicado

ao seu veículo.

Então, ainda que possamos movimentar-nos

num ambiente sujo, devemos

garantir que o minimizamos,

de forma a que o primeiro impacto

do cliente ao entrar na oficina não seja

negativo.

Comunicação fraca

Viver numa sociedade como a nossa

10 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


implica que estejamos cada vez mais

conectados uns com os outros. Assim,

a comunicação está presente em todos

os momentos do nosso dia a dia.

Esperamos, por isso, que a oficina

possa comunicar regularmente connosco,

explicando-nos em que ponto

está a reparação do nosso veículo.

Comunicar ao cliente todos os passos

da reparação, os seus custos e tempo

que poderá demorar, deixa-o mais

tranquilo e, por isso, também mais

confiante no trabalho realizado. Daí

muitas oficinas estarem a apostar nas

informações em tempo real, ou seja,

durante o diagnóstico o cliente vai recebendo

no seu telemóvel informações

sobre o estado do veículo, muitas

vezes acompanhadas por imagens

elucidativas.

Marcações inflexíveis

Não ter um sistema de marcação flexível

pode levar o cliente a escolher

outra oficina em detrimento da sua.

Veja-se o seguinte exemplo: um cliente

que necessita de estar no seu local

de trabalho imperativamente às 9h,

não poderá agendar uma marcação

para depois dessa hora. Da mesma

forma que, se sair às 19h, não poderá

entregar a viatura antes dessa hora.

Então, as oficinas deverão ter horários

flexíveis que possam satisfazer as

necessidades dos clientes, pois, desta

forma, mostram disponibilidade e

vontade de ajudar o cliente.

Falta de iniciativa

Realizar vários testes para além dos

necessários à resolução do problema,

poderá poupar ao cliente uma nova

viagem à oficina caso seja detetado

uma potencial anomalia. Relembrar

o cliente da necessidade de efetuar a

revisão do seu veículo também poderá

ser uma boa forma de mostrar iniciativa

sem incomodar o cliente.

Ter em atenção que deverá informar

o cliente de outra anomalia que não

a detetada por ele, mas aguardar a

aprovação do cliente para realizar outro

serviço que não o solicitado por

este. l

PUB


salão

AUTOPROMOTEC 2019

MISSIONE IN ITALIA


DE 22 A 26 DE MAIO, REALIZOU-SE, NA CIDADE ITALIANA DE BOLONHA, A 28.ª EDIÇÃO DA

AUTOPROMOTEC, CONSIDERADA A FEIRA INTERNACIONAL MAIS ESPECIALIZADA EM EQUIPAMENTOS

OFICINAIS E PRODUTOS PARA O AFTERMARKET. O JORNAL DAS OFICINAS ESTEVE PRESENTE NESTA

EXPOSIÇÃO BIENAL INTERNACIONAL, ORGANIZADA PELA PROMOTEC, COM UMA MISSÃO: TESTEMUNHAR

O BOM MOMENTO DE FORMA QUE O SETOR ATRAVESSA por Bruno Castanheira


SALÃO

São já mais de cinco décadas de história.

A Autopromotec, que se realiza

a cada dois anos, é dos principais

certames do calendário internacional

de atividades relacionadas com o aftermarket.

Depois da Motortec Automechanika

Madrid e da expoME-

CÂNICA, o Jornal das Oficinas esteve

presente na feira de Bolonha. E não

ficará por aqui em matéria de salões.

Em outubro, viajaremos para Paris

para acompanhar a Equip Auto e, em

novembro, será a vez da MECÂNICA,

na FIL. Mas, por agora, centremos as

atenções na 28.ª edição da Autopromotec,

considerada a feira internacional

mais especializada em equipamentos

oficinais e produtos para

o aftermarket, que é organizada pela

Promotec na Piazza della Costituzione.

Sempre a crescer

Ao longo dos tempos, a feira italiana

tem sabido crescer. Não só devido

ao número cada vez maior de expositores

de renome internacional

mas, também, pelo facto de conseguir

reinventar-se, de edição para edição,

no capítulo das atividades paralelas.

Não admira, pois, que, hoje, a Autopromotec

seja vista como a principal

feira europeia considerando todos

os grupos de produtos do pós-venda

automóvel reunidos debaixo do mesmo

teto: de pneus a serviços, de equipamentos

oficinais a peças de reposição.

Foram inúmeras as empresas

que apresentaram inovações e novos

produtos na edição deste ano da feira,

impelidas pela evolução tecnológica.

Até porque o veículo conectado

e a condução autónoma, que exigirão

assistência altamente qualificada, vão

obrigar a repensar o próprio negócio e

a criar novos serviços.

Sendo uma das características da Autopromotec

a elevada participação de

fabricantes de equipamentos, nos pavilhões

da Fiera di Bologna cumpriu-

-se a tradição. No entanto, como este

certame não vive apenas de fabricantes,

distribuidores e oficinas aderiram

em massa à edição deste ano. E, não

menos importante, a Autopromotec

está localizada, de acordo com a organização,

no coração da “Land of Motors”,

que representa, não apenas o

melhor do made in Italy, mas, acima

de tudo, o melhor da tecnologia made

in Europe.

Aposta ganha

Na edição anterior (2017), a Autopromotec

contou com 1.599 expositores

(somando-se mais 58 marcas representadas)

e acolheu 113.616 visitantes

profissionais, dos quais 14% internacionais.

Os números deste ano

foram superiores, graças ao excelente

A AUTOPROMOTEC JÁ SE ESTABELECEU HÁ MUITO COMO UMA FEIRA

INTERNACIONAL DE IMPORTÂNCIA PRIMORDIAL NO PANORAMA

DO PÓS-VENDA AUTOMÓVEL. A EDIÇÃO DE 2019 FOI DISSO EXEMPLO

14 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


trabalho realizado pela BolognaFiere:

1.676 expositores e 119.108 visitantes

profissionais, dos quais 21.439 internacionais.

Com o intuito de melhorar

o centro de exposições de Bolonha, a

organização conseguiu racionalizar

os espaços dedicados à Autopromotec

para beneficiar expositores e visitantes.

De facto, após a renovação do

distrito de Bologna, a nova planta da

feira passou a cobrir uma área total expositiva

de 162.000 m 2 , ou seja, mais

4.000 m 2 face à edição de 2017.

A Autopromotec já se estabeleceu há

muito como uma feira internacional

de importância primordial no panorama

do pós-venda automóvel. Graças

à parceria com a ITA (Agência Italiana

de Comércio), o evento recebeu delegações

provenientes de mais de 35

países. Por outro lado, a nova iniciativa

Autopromotec Motorsport, patrocinada

pela ACI Sport e pela secção

de automobilismo da ANFIA, dedicada

às empresas que escreveram a

sua história no desporto motorizado

graças à inovação e a uma forte paixão,

deram mais brilho ao programa.

Mas houve mais. Depois da Officina

4.0 da edição de 2017, este ano foi a

Officina X.0 a proporcionar uma viagem

ao futuro da manutenção e reparação

automóvel. Além disso, houve

um pavilhão inteiramente dedicado

ao equipamento de diagnóstico, que

teve quase o dobro da área expositiva

comparativamente à edição de há

dois anos, bem como um novo pavilhão

dedicado aos lubrificantes.

PUB

Atividades paralelas

Durante a feira, mesmo ao lado da área

de exposição, foram promovidas diversas

conferências institucionais, no âmbito

da AutopromotecEDU, dedicadas

à análise do comércio e dos temas mais

atuais e inovadores do mercado do

pós-venda automóvel. As mudanças

LUBRIFICANTES

que afetarão a oficina do futuro, através

da Officina X.0, também estiveram

em discussão. A Autopromotec não se

cansou de alertar, através das associa-

Transforma o motor do

seu veículo num atleta

incansável

Os engenheiros da Total desenvolveram a Age Resistance Technology,

ART* para os nossos lubrificantes TOTAL QUARTZ. Esta tecnologia de

última geração garante um desempenho ideal para o seu motor,

melhorando até 64%** a proteção contra o desgaste mecânico, mesmo

sob condições extremas de temperatura e pressão. Escolher o TOTAL

QUARTZ com ART é escolher o lubrificante de motor que mantém o

motor mais jovem por mais tempo.

** Tecnologia de Resistência ao Envelhecimento.

** Comparado com os limites oficiais da indústria.

www.total.pt


SALÃO

ções e de ações de sensibilização junto

de legisladores europeus, para as necessidades

do aftermarket. Na edição

deste ano, foi lançada uma nova iniciativa,

sob a égide da marca Autopromotec

Motorsport, que celebrou a ligação

entre empresas do setor do pós-venda

e do desporto motorizado. A Autopromotec

Motorsport transportou os visitantes

para um mundo de inovação,

seguindo um caminho dedicado pelos

pavilhões da feira, onde foi possível ver

e tocar em produtos com tecnologia

utilizada na competição.

Curioso foi ainda o facto de todos

os expositores com ligação direta ao

mundo das corridas estarem identificados

​com um símbolo especial desta

iniciativa: uma bandeira de xadrez

com o logótipo Autopromotec Motorsport

ao centro. A visita também foi

conduzida por um guia especial disponibilizado

aos operadores profissionais

durante os dias da feira, que se encarregou

de elencar todas as empresas

participantes.

A edição deste ano foi, por isso, um

evento imperdível para os profissionais

do pós-venda, que tiveram a

oportunidade de ver, por si mesmos,

as mais recentes tecnologias e serviços

oferecidos pelo setor. Os visitantes

conseguiram reunir-se com expositores

reconhecidos mundialmente pela

sua excelência tecnológica. E graças

à intensa promoção internacional estratégica

do evento, baseada em parcerias

consolidadas com várias câmaras

de comércio e organizações

independentes em todo o mundo, a

Autopromotec 2019 recebeu mais de

120 delegados, incluindo compradores

e operadores institucionais, de

mais de 35 países. Até 2021! l

AUTOPROMOTEC 2019

EM NÚMEROS

1.676 53

países representados

expositores presentes

162.000 17

m 2 de área expositiva

460

pavilhões alocados à feira

119.108

visitantes profissionais

300

jornalistas do mundo inteiro

4associações internacionais convidadas

visitantes profissionais internacionais

120

eventos

dias de feira

delegações de 35 países

21.439

75

16 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


OPINIÃO

PEDRO BARROS, FUNDADOR E CEO DA TIPS 4Y

VENCER OU SER VENCIDO!

A FORMA HABITUAL DE FAZER NEGÓCIOS ESTÁ MORTA! TODOS OS DIAS, O DESENVOLVIMENTO EXPONENCIAL

DAS TECNOLOGIAS ESTÃO A MUDAR, DE FORMA MUITO RÁPIDA, AS NOSSAS VIDAS E A SOCIEDADE

Cada vez mais, a ficção

científica se torna num facto

científico. Basta pensar nos

veículos de condução autónoma

ou em computadores que podem

aprender e pensar! O modo como

trabalhamos jamais será o mesmo.

As competências que necessitamos

serão muito diferentes e vamos

precisar de ser muito melhores em

promover a mudança. Ou seremos

afetados por ela!

Ganhar ou perder é, agora, mais

rápido do que nunca! Como

descobrir novas oportunidades num

dos tempos de maior transformação

da humanidade? Disrupção é, hoje,

devices comunicarão entre si,

complementando-se e criando

enormes oportunidades.

A indústria automóvel vai mudar

mais nos próximos cinco anos do

que nos últimos 50! Cloud, Big

Data, B2C, IoT preparam modelos

de negócio para a mobilidade!

Negócio de serviços! Então, como

devemos mudar a forma como

pensamos o negócio hoje?

Transformação da experiência do

cliente: vamos envolver-nos,

relacionar e comprar as coisas

pelas experiências que elas nos

proporcionam, por causa dos

seus poderes transformacionais.

A INDÚSTRIA AUTOMÓVEL

VAI MUDAR MAIS NOS

PRÓXIMOS CINCO ANOS DO

QUE NOS ÚLTIMOS 50

learning, sucedido de pedido das

peças e agendamento na oficina

parceira!

Transformação do modelo de

negócio: o futuro trata de modelos

de negócio holísticos que nos

permitam ganhar dinheiro de

forma diferente! Por exemplo,

tarifas dinâmicas de acordo com

horários menos movimentados,

manutenção preditiva, reparação

remota...

A oportunidade é ser flexível,

aprender no momento! Não

fazer melhorias isoladas, mas

completas transformações.

Não fazer sistemas

individuais, mas novos

ecossistemas. O futuro

não acontece ao acaso. O

futuro é criado. l

o novo padrão. Toda a mudança

sempre foi gradual e, de uma hora

para a outra, as coisas,

definitivamente, pararam de

acontecer gradualmente. Esta

mudança é exponencial!

Todos os devices eram estúpidos e

desconectados. Agora, são

conectados e inteligentes: veículos,

cidades, portos, quintas. Estes

Por exemplo, seguir a

reparação do veículo no

smartwatch.

Transformação do processo:

rapidez, simplicidade, predição!

Por exemplo, o orçamento de

reparação de uma potencial

avaria com base nos dados

gerados pelos sensores do

veículo e em machine

18 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


ObservaTÓrio

CONCEITOS DE MOBILIDADE

OLHOS TECNOLÓGICOS

A NISSAN APRESENTOU

UM SISTEMA QUE

PERMITE VER O

INVISÍVEL. O I2V É

UM PROTÓTIPO QUE

FUNCIONA COMO UNS

OLHOS TECNOLÓGICOS,

POSSIBILITANDO

AO CONDUTOR

ANTECIPAR CENÁRIOS

EM SITUAÇÕES DE

VISIBILIDADE ESCASSA

OU NULA

por Jorge Flores

Ver e ser visto. Na estrada, todos

os olhos são poucos. E todos

os auxiliares tecnológicos

são bem-vindos. A Nissan está ciente

disso e aproveitou a realização do

CES Asia 2019 para partilhar a sua

visão para o futuro da mobilidade,

mostrando tecnologias que fundem

os mundos real e virtual de modo a

apoiar os condutores em situações de

pouca visibilidade.

Neste contexto, em evidência, no

evento, esteve a tecnologia Invisible-to-Visible

(I2V ou invisível-para-visível),

sistema que permite que,

quando a visibilidade é escassa ou

mesmo nula, o condutor seja orientado.

Uma espécie de olhos virtuais,

pensados e concebidos pelo departamento

Nissan Intelligent Mobility,

com uma capacidade maior do que

os humanos. Uma tecnologia inteligente

e conectada, que informa, em

tempo real, acerca dos obstáculos

mais à frente na via de circulação.

Sensores aTENTOS

O I2V, apresentado na edição de 2019

do CES Asia, teve como objetivo demonstrar

o futuro da condução, por

meio de uma experiência interativa e

tridimensional no stand da Nissan. Na

sua função, procurará apoiar os condutores

ao cruzar informações captadas

pelos sensores internos e externos dos

automóveis com dados armazenados

na cloud. Este detalhe faz toda a diferença,

uma vez que permite ao sistema

estar atento ao que rodeia o veículo

equipado com esta tecnologia, como

antecipa os cenários, mostrando, por

exemplo, o que está atrás de um prédio

ou ao virar de uma curva. De modo a

proporcionar uma experiência de direção

mais agradável, as orientações são

fornecidas de uma forma interativa e

humanizada, como por meio de avatares

que aparecem dentro do veículo.

Ver o invisível

Ao explorar o mundo virtual, o I2V

abre possibilidades infinitas para

serviços e comunicações, tornando a

condução mais conveniente, confortável

e emocionante. “Ao ajudar a ver

o invisível, o I2V aumenta a confiança

do condutor e faz com que o ato de

conduzir seja mais agradável”, afirma

Tetsuro Ueda, cientista do Centro de

Pesquisa da Nissan. “Os recursos interativos

criam uma experiência personalizada

aos interesses e estilo de

condução de cada condutor, para que

qualquer pessoa possa desfrutar do

seu uso da sua própria maneira”, sublinha

ainda o responsável. l

20 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


TUDO EM ENERGIA, ENERGIA PARA TUDO


empresas

A NOVA UNIDADE DA SOULIMA, NO PORTO, É UM EDIFÍCIO MODERNO

E AMPLO. DISPÕE DE 2.000 M 2 DE ÁREA E PERMITE A CONSTRUÇÃO,

CASO SEJA NECESSÁRIO, DE UM SEGUNDO PISO


SOULIMA

PRESENÇA FÍSICA

NO NORTE

A SOULIMA JÁ TEM UMA PRESENÇA FÍSICA NO PORTO. A UNIDADE NORTE – CENTRO DE LOGÍSTICA,

ESPAÇO COM 2.000 M 2 E COM CAPACIDADE PARA 50.000 REFERÊNCIAS, ERA UMA META PRIORITÁRIA

E ACORDADA COM A LAUSAN PARA GARANTIR UMA COBERTURA GEOGRÁFICA NACIONAL por Jorge Flores

Objetivo cumprido. A Soulima

apresentou, recentemente, sua

nova casa, na cidade do Porto.

A Unidade Norte - Centro de Logística

era a primeira meta a cumprir, na

sequência da aquisição da empresa

por parte da espanhola Lausan. E foi

cumprida dentro dos prazos estabelecidos.

Ricardo Lima, diretor-geral da

Soulima, explicou ao Jornal das Oficinas,

durante a apresentação do espaço,

a importância da presença física

nesta zona do país. “Desde a associação

da Soulima com a Lausan, um dos

primeiros objetivos a cumprir era ter

uma cobertura nacional, bem como

estarmos mais próximos da nossa carteira

de clientes”, adiantou o responsável.

“Esta unidade a norte era prioritária”,

acrescentou.

Estratégia de futuro

A nova unidade, no Porto, é uma mais-

-valia para a empresa. “É um espaço

com perto de 2.000 m 2 de base. E tem

capacidade para armazenar 50.000

referências”, afirmou Ricardo Lima.

Além disso, “tem a capacidade para

implementar, caso seja necessário, um

novo piso”. O diretor-geral frisou ainda

a objetivo de “criar uma grande dinâmica

de proximidade com os clientes

que temos nesta zona”. O evento de

apresentação do espaço contou com a

presença de várias dezenas de clientes

e parceiros, que tiveram oportunidade

de ouvir Guillermo de Llera revelar as

tendências do aftermarket nacional.

No decorrer da ação, Ricardo Lima

apresentou a estratégia da empresa

para o mercado nacional. Os objetivos

estão “bem definidos”, de forma

a serem desenvolvidos, “de imediato”,

no mercado. E que assentam, segundo

explicou, “em parcerias sólidas e

duradoras, respeitando o modelo de

comercialização já existente, traçando

regras de atuação para cada linha

de negócio”. Para o responsável, esta

associação tem permitido à empresa

“uma forte incorporação de marcas

de primeiro equipamento, bem como

marcas com preços competitivos,

de grande qualidade, para podermos

dar resposta a um parque cada vez

mais complexo”, disse. “Estas incorporações

também têm como objetivo

uma oferta cada vez mais global relacionado

com as necessidades presente

e futuras do automóvel. Conceitos

como a telemática, a conectividade,

a ‘hibridização’ e a ‘eletrificação’ são,

hoje, uma realidade do nosso mercado

e apontam para um futuro radicalmente

diferente, onde será cada

vez mais necessário adaptar a nossa

oferta às novas tendências de mercado.

Esta associação permitirá a Sou-

lima uma maior rapidez nesta nova

realidade de necessidades”, frisou.

Parceiro global

Ricardo Lima esclareceu ainda que a

Soulima está a “restruturar toda a sua

presença de unidades de apoio (caso

desta onde estamos hoje), com todas

as condições operacionais, para dar

resposta a um serviço eficaz e condizente

com a necessidade dos nossos

clientes para responderem às solicitações

do mercado, sendo esta uma ‘batalha’

de extrema importância para o

sucesso”, disse.

Por isso, “iremos dotar esta unidade,

a curto prazo, de um serviço de distribuição

para os nossos clientes, que

este em consonância com as necessidades

existentes no mercado. Este é o

principal objetivo que a Soulima desenvolverá

no presente para ser o parceiro

global de futuro”, garantiu. Ander

Beldarrain, da Lausan, por seu

turno, enalteceu a ocasião, assumindo-se,

também ele, como um “homem

do norte, mas de Espanha - de

Bilbao”. Segundo sublinhou, sente-se

“em casa”, na nova unidade da Soulima,

a norte. l

www.jornaldasoficinas.com Julho I 2019 23


em foco

CREATE BUSINESS

16 ANOS A FAZER

A DIFERENÇA

NUMA CONVERSA CONJUNTA COM MIGUEL ÁNGEL JIMENO E JUAN JOSÉ CORTEZÓN ROMERO, AMBOS DA

REVISTA ESPANHOLA TALLERES EN COMUNICACIÓN, QUE FAZ PARTE, TAL COM O JORNAL DAS OFICINAS, DA

AFTERMARKET MEDIA NETWORK, GRUPO EUROPEU DE PUBLICAÇÕES DEDICADAS AO PÓS-VENDA, CARLOS

NASCIMENTO, PRESIDENTE E CEO, E PEDRO PROENÇA, DIRETOR COMERCIAL E DE MARKETING, EXPLICARAM

DE QUE FORMA FAZ A CREATE BUSINESS A DIFERENÇA NO MERCADO HÁ 16 ANOS por Bruno Castanheira

24 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


Antes e depois

Pedro Proença, diretor comercial e de

marketing, quando questionado sobre

se há um antes e um depois do aparecimento

da Create Business no mercado,

responde afirmativamente. “Quando

a Create surgiu com um modelo de

negócio totalmente novo e diferenciador

em relação ao que existia na altura,

gerou muitas reações no mercado.

Obviamente que o antes e o depois

foi-se construindo. Uma coisa é o início.

Outra, é um projeto diferente que

se consegue consolidar e ocupar o seu

espaço no mercado, ganhando o respeito

de todos aqueles que achavam

que, em Portugal, tal não iria resultar.

Conseguimos mostrar que este modelo

é possível e que funciona, mesmo

não sendo perfeito. Mas ainda existem

muitas oportunidades que se podem

conquistar e ainda existe muita margem

para crescer”, revela. Carlos Nascimento,

por seu turno, entende que

cumpre a sua missão todos os dias. É

fiel aquilo que faz e tenta ser uma solução

para os clientes. “Palavra dada é

palavra cumprida. Podemos perder dinheiro

no negócio, mas não podemos

perder a credibilidade do cliente”, alerta

Carlos Nascimento. Pedro Proença

não só concorda como, acrescenta:

“Quando temos reuniões com clientes

e fornecedores, muitas vezes mostramos

o nosso quadro de valores. Os dois

primeiros são credibilidade e confiança,

que têm de estar presentes em tudo

o que fazemos. Seja para quem trabalha

na Create, seja junto de clientes e

fornecedores, seja até para a imprensa,

que também faz parte deste mercado.

Os valores são muito importantes e

também ajudam a decidir”.

Espírito Create

A Create Business é representada por

todos os colaboradores de todos os

acionistas. E por todas as pessoas que

“TRABALHAMOS MUITO O

ESPÍRITO CREATE. SÃO MAIS DE

500 as PESSOAS QUE INTEGRAM

A CREATE. O QUE Cada UMA

FAZ E DIZ, COMPROMETE-NOS A

todos. ISTO É, CLARAMENTE,

O ESPÍRITO CREATE”, DESTACA

CARLOS NASCIMENTO

Criada em janeiro de 2003, a

Create Business é uma empresa

de capital 100% português

que atua no mercado da distribuição

de peças para automóveis, tendo as

oficinas independentes como cliente

alvo. Carlos Nascimento, presidente

e CEO, recorda como tudo começou:

“Arrancámos, em janeiro de

2003, com uma missão assente em

três pilares: distribuir peças de qualidade

original; sermos diferentes da

concorrência de uma forma positiva;

acrescentar valor ao negócio dos nossos

clientes. Foi esta a missão que nos

trouxe até aqui e é ela que nos levará

ao futuro”. Credibilidade, confiança,

rigor, eficiência, diferenciação e

inovação são os valores que regem a

atividade da Create Business. Carlos

Nascimento reforça a ideia: “Os nossos

valores começam na honestidade.

O que dizemos é o que fazemos. Pretendemos

ser vistos como uma solução

e não como um mero distribuidor

de peças. É este o nosso trabalho. O

resultado do nosso percurso é, amplamente,

positivo. Se me perguntassem,

em 2003, se a Create chegaria onde,

hoje, está, diria claramente que sim.

Olhando para estes 16 anos de atividade,

creio que perdemos muitas

oportunidades. Podíamos ter feito

mais e algumas coisas melhor, é verdade,

mas o balanço é francamente

positivo”.

a expressão “antes e depois” talvez seja

um pouco forte. “Não vejo as coisas

dessa maneira. A Create foi, claramente,

a primeira empresa que apresentou

um conjunto de soluções ao mercado.

Hoje, existem outras organizações que

dispõem de outro tipo de soluções. Orgulhamo-nos

de ser a primeira empresa,

o primeiro distribuidor, que apresentou

um conjunto de soluções. E,

nesse sentido, talvez exista, porventura

um antes de aparecer a Create com

essas soluções. Hoje, o mercado conta

com soluções que, muitas vezes, a

Create é a primeira a apresentar”.

Honestidade, trabalho e competência

são os principais trunfos da Create

Business. No fundo, a organização

têm a marca Create no mercado. E é

tão importante o papel de Carlos Nascimento

e de Pedro Proença como o de

um vendedor, gestor de produto ou de

um colaborador que trabalhe num armazém.

“São todos Create, somos todos

Create e somos todos importantes

e fundamentais para que, em cada dia,

consigamos levar as nossas soluções

aos clientes. Trabalhamos muito o espírito

Create, que assenta nos valores

acima mencionados. São mais de 500

as pessoas que representam a Create.

O que cada uma faz e diz, compromete-nos

a todos. Isto é, claramente, a

Create”, explica Carlos Nascimento.

Os quatro conceitos oficinais que inclui,

dois próprios e dois da Bosch,

www.jornaldasoficinas.com Julho I 2019 25


CREATE BUSINESS

“É CRUCIAL PARA A SUSTENTABILIDADE DO SETOR QUE EXISTAM

MAIS OFICINAS DENTRO DE CONCEITOS”, DEFENDE PEDRO PROENÇA

pelo facto de ser distribuidor preferente,

é outra das características que

diferencia a Create Business. “Desenvolvemos

quatro conceitos de mercado.

Temos A Oficina, com mais de 100

aderentes, que é o mais antigo dentro

da Create e que compete com as oficinas

de marca. Depois, temos o Auto

Check Center (dispõe de 75 membros),

que é um conceito da ATR e do

qual temos a licença de utilização exclusiva

para Portugal e Espanha. Estes

dois conceitos oficinais representam

cerca de 20% da nossa faturação”, revela

o presidente e CEO da Create Business.

E em que medida diferem um

do outro? “Pouco, na verdade, porque,

no fundo, os índices de qualidade e de

exigência que adotamos em ambos são

os mesmos. A fase de desenvolvimento

é que é distinta. Existem oficinas Auto

Check Center que podiam perfeitamente

estar dentro do conceito A Oficina”,

refere Carlos Nascimento. Já no

caso dos conceitos Bosch, quem define

os parâmetros de qualidade e de aceitação

é a Bosch. “Somos distribuidores

preferentes da Bosch. Temos de cumprir

certos critérios que são definidos

pela Bosch, uma vez que não temos exclusividade,

somos apenas preferentes.

O que dizemos é que estes quatro

conceitos oficinais, que são diferentes,

têm exatamente o mesmo respeito e

são alvo do mesmo tratamento dentro

da Create. Obviamente, que não têm

o mesmo nível de investimento, mas

não colidem uns com os outros. Dentro

da nossa estrutura, temos bem definidas

as estratégias para os diversos

tipos de clientes. No mercado, poderão

ser concorrentes, mas dentro daquilo

que é a nossa política de distribuição

não colidem uns com os outros”, assegura

Carlos Nascimento. Pedro Proença

reforça que, “estrategicamente, para

nós é muito claro que os conceitos oficinais

são fundamentais para o futuro

do nosso setor. Existem muitos conceitos

para além dos quatro nossos. Há,

por isso, muito mercado. Para nós, é,

claramente, um foco de investimento,

porque entendemos que é essencial

para a sustentabilidade do nosso setor

que existam mais oficinas dentro de

conceitos”.

Expandir para sobreviver

Primeiro na província da Extremadura

com a Repuestos Guadiana, depois na

região do Levante com a Grupauto e,

há pouco tempo, a Auto Parts Plus S.L.

em Madrid. A Create Business tem em

curso um projeto ibérico. Carlos Nascimento

explica porquê: “A necessidade

de nos expandirmos para Espanha

passa pela sobrevivência. Neste mercado,

quem não cresce, morre. Não temos

de crescer porque somos gananciosos

ou ambiciosos. Temos de crescer

para sobreviver. Em Portugal, temos

uma trajetória de crescimento bastante

positiva. O mérito é de toda a equipa

que tem suportado este crescimento,

mas, também, das pessoas que trabalham

connosco, dos nossos fornecedores,

dos nossos clientes, que acreditam

nas nossas ideias, e até de nós

próprios, que conseguimos implementar

essas ideias”. De acordo com o presidente

e CEO da Create Business, “o

mercado está, cada vez mais, a perder

as fronteiras. Acabou a exclusividade.

A concorrência não é a nível local nem

regional. É a nível global. Ou ganhamos

dimensão num território que podemos

ocupar ou vamos desaparecer.

Não estamos a ir para Espanha porque

queremos um bocadinho do mercado.

Estamos a ir para o país vizinho com

a perspetiva de ocuparmos território e,

dentro dele, termos uma ‘mancha’ que

nos permita ganhar quota. Caso con-

trário, não teremos possibilidades de

sobreviver”.

E será o mercado ibérico muito diferente

do mercado do resto da Europa?

“Sem dúvida. Mas acreditamos

que não continuará a ser assim no

futuro. E o modelo que tem a própria

Create vai mudar radicalmente.

Ou temos dimensão e escolhemos

como queremos adaptar-nos ao modelo

ou, então, vem um modelo que

nos vai atropelar e dizimar. E o modelo

não tem a ver apenas com concentração.

Tem a ver com evolução tecnológica

(condução autónoma, veículos

comunicantes). No mercado ibérico,

creio que há muita gente que não está

ciente da profunda alteração que vai

ocorrer. Haverá um salto que deixará

muitos players de fora. Nós estamos

a trabalhar arduamente para não sermos

um deles. A dimensão é importante.

Nós, para competirmos, temos

de ter capacidade de compra. E para

apresentarmos soluções ao mercado,

temos de ter volume. E o volume é o

número de utilizadores (oficinas, condutores,

frotas) que conseguimos ter

a utilizar as nossas soluções”, refere

Carlos Nascimento. Já Pedro Proença,

acredita que “vai haver uma alte-

26 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


ação na escala do negócio, que vai

requerer investimentos. Ou há dimensão

e capacidade para suportá-

-los ou fica-se de fora. Não se trata de

crescer por crescer. Acreditamos piamente

que a dimensão é fundamental.

Os negócios, hoje, são muito B2B,

ou seja, distribuidor para oficina. Mas

temos de olhar para isto a partir de

uma perspetiva global. A conectividade

e a automação mudam os pressupostos

do negócio”.

Foco nas peças

O negócio da Create Business é vender

peças. “A nossa função é dar soluções

aos clientes, para que eles consigam

ter veículos para nos comprarem peças.

Isso, para nós, é muito claro. Para

vender peças, o volume não é tão importante

assim. Provavelmente, é mais

relevante a proximidade e a relação

com o cliente. Para apresentarmos soluções

aos clientes de modo a que estes

consigam ter trabalho, a dimensão

é, de acordo com a visão que temos,

um fator crítico de sucesso”. As palavras

de Carlos Nascimento não deixam

dúvidas quanto ao core bussiness do

negócio. E quanto às diferenças entre

Portugal e Espanha? Pedro Proença

responde: “As necessidades dos mercados

português e espanhol são distintas.

Não creio que tenha de haver uma

convergência de canais de distribuição

entre os dois países com base no mesmo

modelo. O que temos definido é

trazer soluções ao mercado. A forma de

disponibilizá-las pode ser totalmente

distinta nos dois países”. Carlos Nascimento

acrescenta: “Do nosso ponto de

vista, a concentração está a acontecer

junto de distribuidores e fabricantes.

Simplificando, a principal diferença

entre o mercado português e espanhol,

é que o português tem distribuidores,

lojas de peças e oficinas. O espanhol

tem fabricantes/distribuidores, alguns

distribuidores, muitas lojas de peças e

oficinas. Se os fabricantes deixarem de

ser distribuidores, alguém terá de ocupar

esse espaço. Acontecerão diversas

coisas em simultâneo. A nossa perspetiva

é perceber como se vai movimentar

o mercado e encontrar soluções para

ele. Seja uma solução de dois passos

(distribuidor-oficina) ou de três passos

(distribuidor-loja de peças-oficina),

temos de saber adaptar-nos. Podemos

adotar diferentes modelos dentro do

mesmo país, em função da especificidade

da região. Mas tudo dependerá,

claro, da forma de intervir dos outros

players no mercado”.

Presente em Angola desde 2008 através

de um parceiro, a Create Business

portuguesa é participada, em partes

iguais, por todos os sócios, que são

acionistas. E detém 51% da Create Business

Iberia, estando os 49% desta

distribuídos, de igual forma, pelos sócios

de Espanha. Cada novo sócio espanhol

que entra, fica com uma parte

desses 49%. Os sócios portugueses

não entram em Espanha e vice-versa.

“Não estamos à procura de sócios em

Espanha. Se houver uma oportunidade,

analisá-la-emos. Mas, seguramente,

que vamos crescer. Neste momento,

levamos já um crescimento superior a

15% face a 2018. No conjunto de todas

as empresas que integramos, somos

líderes de mercado”, salienta Carlos

Nascimento.

Plataforma Crión

Apresentada na expoMECÂNICA

2019, perante uma plateia de 1.000

pessoas que marcou presença na

convenção, a plataforma Crión é inovadora.

“Não há ninguém no mercado

que esteja a apresentar uma solução

completa para a oficina como nós

estamos. Permite, desde que o cliente

chegue à oficina até que saia, manter

um elo de comunicação a todo o

momento. Integra todo o trabalho

que a oficina tem de fazer na mesma

plataforma e no mesmo sistema.

Temos estado a fazer demonstrações

locais junto das oficinas e estamos a

ter uma recetividade muito boa. A

Crión é, de facto, uma solução inovadora

e revolucionária”, dá conta Pedro

Proença. Carlos Nascimento, por

seu turno, não tem dúvidas em afirmar

que “a Create não está à frente.

Está muito à frente. A nossa função

enquanto empresa é apresentar soluções

para os clientes. Mas, repito, o

nosso negócio é vender peças”.

E o que permite a Crión? “No momento

em que o veículo entra na oficina,

permite identificar as necessidades

quer de peças, quer de mão de

obra, quer de informação técnica para

fazer a intervenção. Assim, consegue-se

otimizar o processo logístico e

integrar todo o sistema. Ao percorrer

diversos caminhos, o fluxo de informação

conecta completamente o negócio.

A partir de uma fotografia ao veículo,

consegue-se saber que peça necessita

ele, entre muitas outras funcionalidades.

Temos já mais de 100 licenças em

Portugal para a Crión, solução que levaremos,

também, para Espanha”, exconclui

Carlos Nascimento. l

“NESTE MERCADO, QUEM NÃO CRESCE, MORRE. DAÍ A NOSSA

EXPANSÃO PARA ESPANHA”, EXPLICA CARLOS NASCIMENTO


PEDRO BARROS, FUNDADOR E CEO DA TYPS 4Y, APRESENTOU O

PADOR TECH SOLUTIONS, SOLUÇÃO QUE AGREGA TUDO O QUE UMA

OFICINA NECESSITA PARA PRESTAR UM SERVIÇO MAIS EFICIENTE


eportagem

2.ª CONVENÇÃO PADOR AUTO SERVICE

MAIS VALOR

para AS OFICINAS

TENDO COMO TEMA “O FUTURO SERÁ ÉPICO”, REALIZOU-SE, NO DIA 8 DE JUNHO, A 2.ª CONVENÇÃO

PADOR AUTO SERVICE, ONDE FORAM APRESENTADAS COMO NOVIDADES O SUPORTE DE GESTÃO AMBIENTAL

E O PADOR TECH SOLUTION, SOLUÇÃO DIGITAL PERSONALIZADA PARA AS OFICINAS por João Vieira

Criado em 2016, o Programa de

Fidelização PADOR Auto Service

conta, atualmente, com

56 parceiros, que têm participado,

de forma ativa, no desenvolvimento

do conceito. Pensado, especificamente,

para as oficinas multimarca que se

querem manter independentes mas

que entendem não ser uma estratégia

adequada ficar isoladas sem qualquer

suporte, o PADOR Auto Service tem

ganho dimensão e mais-valias a nível

de novas ferramentas que oferece aos

parceiros. Na 2.ª Convenção, foi feito

um balanço dos três anos de funcionamento

deste programa inovador e

apresentaram-se novas ferramentas.

soluções digitais

A convenção foi palco da apresentação

de duas importantes novidades:

o suporte à área administrativa

ambiental das oficinas e uma solução

digital, denominada PADOR Tech

Solution, que permitirá as oficinas

estarem mais próximas dos clientes

e gerirem os seus serviços de forma

mais eficaz e rentável.

O serviço de suporte ambiental é assegurado

pela Derasa, empresa do

Grupo Rodapeças dedicada ao desmantelamento

de veículos em fim

de vida e à reciclagem dos materiais,

exercendo, também, consultoria ambiental

de modo a ajudar as oficinas

na gestão dos resíduos. Técnicos especializados

organizam todo o dossier

ambiental da oficina, incluindo a sua

inscrição na plataforma SILIAMB, o

preenchimento do mapa anual de resíduos,

a validação anual das eGAR

emitidas durante o ano e a comunicação

dos gases fluorados. Com este suporte,

a oficina previne acidentes ambientais,

poupa recursos e melhora

as condições de higiene e segurança,

para além de ficar em conformidade

com a legislação ambiental, evitando,

assim, pesadas coimas por inconformidades.

Relativamente ao PADOR Tech Solutions,

trata-se de uma solução digital

desenvolvida pela TIPS 4Y, que consegue

agregar tudo o que uma oficina

necessita para prestar um serviço

mais eficiente e rentável. Ainda em

fase de desenvolvimento, esta nova

plataforma incluirá diversos módulos

de gestão diferenciados, que permitirão

à oficina ter acesso, através da

identificação da matrícula, ao histórico

das intervenções, aos orçamentos

imediatos e à conectividade com

o cliente.

A convenção contou, ainda, com a

participação de Dário Afonso, CEO

da ACM, que mostrou as várias tendências

do setor do pós-venda, e de

Nadim Habib, professor de gestão na

Universidade Nova, que apresentou a

sua visão sobre o futuro das empresas.

Horizonte ambicioso

Sobre a evolução do Programa PA-

DOR Auto Service, Manuel Vicente,

gerente da Rodapeças, referiu que a

estratégia não é crescer em quantidade

de aderentes ao programa. “O nosso

grande objetivo é conseguir manter

a elevadíssima qualidade que este

programa já tem e continuar a conseguir

ir ao encontro das expectativas

dos clientes que fazem parte do mesmo”,

salientou. Acrescentando, de seguida,

que este “é um programa extremamente

inovador no nosso país,

porque é flexível e muito rico na oferta

de serviços de suporte que tem. As

oficinas podem beneficiar de um call

center técnico, de formação técnica e

empresarial, de imagem corporativa e

ainda de suporte ao marketing. Tudo

isto, sem obrigações. A flexibilidade

deste programa permite que todos os

tipos de oficinas possam usufruir de

suporte aos seus negócios”.

Formação é aposta ganha

A nível de formação, Manuel Vicente

fez referência ao completo calendário

de cursos programados para este ano,

onde se destaca a gestão ambiental e

a liderança. “Há uns anos, era impensável

uma oficina participar num curso

de liderança e gestão empresarial,

mas, hoje, as pessoas valorizam cada

vez mais este tipo de formação. Por

isso, criámos um módulo completo

com vários patamares. A gestão de recursos

humanos é outra área que vamos,

igualmente, promover”, disse.

Refira-se que, no ano passado, foram

realizadas 70 horas de formação, que

contaram com a participação de uma

média de 26 pessoas por ação, num

total de 132 participantes. Na área

da repintura, o PADOR Auto Service

conta com o apoio da Axalta Coating

Systems para dar formação aos seus

parceiros, mantendo-os atualizados

no que diz respeito a novos produtos

e novos processos de pintura.

Mensagem de otimismo

A fechar a convenção, Carlos Rosa,

fundador da Rodapeças, agradeceu a

presença de todos e manifestou o seu

entusiasmo e otimismo em relação

ao futuro do programa PADOR Auto

Service. “Esta convenção foi preparada

com muito cuidado e empenho por

uma vasta equipa de pessoas, para que

os membros do PADOR Auto Service

pudessem testemunhar o que está a

acontecer no nosso setor e as soluções

de negócio que a PADOR tem vindo

a desenvolver para os seus parceiros”,

afirmou. “O futuro passa por adicionarmos

serviço à venda de peças e o

programa é isso mesmo. Consideramos

que o caminho é por aqui e que

as oficinas necessitam de ferramentas

como o PADOR Tech Solutions que

estamos a desenvolver. Oficinas fortes

são muito importantes para o futuro

da Rodapeças, que irá continuar a oferecer

o melhor suporte possível ao negócio”,

concluiu Carlos Rosa. l

www.jornaldasoficinas.com Julho I 2019 29


ENTREVISTA

FERNANDO AMARAL, CEO DA ALIDATA

TRAZER AS OFICINAS PARA O

SÉCULO XXI É UM PROCESSO

INFORMÁTICO... E HUMANO

RESPONSÁVEL MÁXIMO DA ALIDATA FAZ UM BALANÇO DOS 35 ANOS DA EMPRESA,

HOJE, PARTE DO SENDYS GROUP, E DA SUA PRÓPRIA HISTÓRIA. UM OLHAR PERSPICAZ

E ANALÍTICO SOBRE O PASSADO, PRESENTE E FUTURO DO SETOR por Jorge Flores

primórdios da informática, do PC a 4.77 MHz, de computadores

que trabalhavam apenas com disquetes. A Alidata começa numa

realidade completamente distinta da atual.

De pensamento rápido e acutilante, Fernando Amaral é um homem

de paixões fortes. E olhar analítico. Seja a fotografar animais

selvagens, nas selvas africanas, ou grandes metrópoles, por

todo o mundo (com uma qualidade profissional), seja a observar

a evolução informática e digital do setor e da própria sociedade.

Formado em Direito, cedo despertou para a informática, “bichinho”

que levou a melhor e que o levou a entrar para a Prológica.

Não mais parou. Comprou sempre as empresas onde trabalhou.

A Alidata não foi exceção. Era ainda muito novo e estava longe de

imaginar (ou talvez não...) que um dia lideraria esta empresa que,

atualmente, pertence ao Sendys Group e que, em 2019, celebra 35

anos plena de saúde. Em 2018, o volume de negócios ascendeu aos

4,2 milhões de euros, garantido uma carteira de 6.300 clientes diretos,

números dos quais, 32% e 35%, respetivamente, dizem respeito

ao aftermarket automóvel.

A Alidata celebra 35 anos. Recuemos no tempo. Ainda se

recorda desses primeiros tempos da empresa?

Parece que foi há uma eternidade. Vivemos tempos fantásticos.

De muita mudança. Se olharmos para os últimos 10 anos, parece

que passaram 100. Tudo era muito diferente. Estamos a falar dos

Tudo mudou com a entrada para o Sendys Group...

O que mudou, essencialmente, foi a diversidade da oferta. Hoje,

temos uma capacidade de prestar serviços muito mais completa

do que era quando a Alidata, a Sendy ou a marca Criativa atuavam

de forma isolada. Hoje, conseguimos ter uma oferta para os

clientes que vai desde sistemas, ao software, às apps, toda a área

da digitalização das empresas. Tudo isto, numa única proposta

de oferta de valor para o cliente. Isto é um conforto, quer para

nós – tenho de admiti-lo, também, porque controlamos todas a

circunstâncias – quer para o próprio cliente, que não precisa de

interagir com vários parceiros.

Uma das filosofias da empresa é ter produtos diferentes para

diferentes áreas de negócio. Não é possível fazer um produto

que sirva a todos. É isso?

Essa é uma das grandes diferenças, em termos estratégicos, que

temos em relação a outras empresas da nossa área. Não acreditamos

que exista um produto único para a indústria, para as

oficinas, para a manutenção, para empresas de serviços, para

pequenas empresas. Daí termos três RP, que correspondem a

três soluções completas e distintas para áreas de negócios ou entidades

e empresas diferentes. Fazemos projetos em dezenas de

geografias diferentes. Cada caso é um caso e uma realidade distinta.

Às vezes, perguntam-nos o que temos de oferecer ou qual

é a solução para um determinado cliente. É fácil: basta fazer

uma ou duas reuniões e é perfeitamente claro e evidente qual é

solução adequada aquele cliente.


FERNANDO AMARAL

Falando em particular do setor

automóvel, quais as soluções que

destacaria?

O setor automóvel precisa de fazer

faturas. Tem isso em comum com

qualquer outra empresa. Mas tudo

o mais é diferente. Desde integração

com softwares de orçamentação, ligação

a companhias de seguros, ligações

específicas a máquinas que existem

em chão de oficina. Há uma série de

nomeadamente em Portugal, não vivemos

tempos de desafogo financeiro

nas organizações. Logo aqui, temos

de ter uma diferença entre o querer

e o conseguir fazer. O desejar é uma

coisa. O conseguir concretizar está

num plano diferente. E nesta ponte,

a questão financeira, obviamente,

tem uma importância enorme.

Depois, de uma forma mais geral, a

crise que tivemos no passado trouxe

cinas, quer se queira quer não, daqui

a alguns anos, não muitos, serão concorrentes

da Alidata, na perspetiva

tecnológica propriamente dita. É inevitável.

Quais são os primeiros passos que

uma oficina deve dar neste sentido?

Requer grande investimento?

Começa-se com um lápis e uma folha

de papel. Porque, muitas vezes,

DENTRO DE POUCOS ANOS, AS OFICINAS PASSARÃO A CONTRATAR,

MAIS DEPRESSA, PROGRAMADORES INFORMÁTICOS PARA FAZER

OS SEUS SERVIÇOS E REPARAÇÕES, DO QUE MECÂNICOS

desafios que são completamente distintos

de uma empresa que venda,

por exemplo, serviços. Dou-lhe um

caso muito prático e simples, que é

um campo dentro da aplicação: um

número de uma matrícula ou de um

chassis. Para uma empresa que fatura

serviços, isto é algo completamente

irrelevante, é informação que está

a mais na aplicação. Num produto a

ser implementado numa oficina, estes

são campos chave. Toda a lógica que

se desenvolve à volta desta informação

é completamente distinta numa

oficina em relação a outra atividade.

O mercado oficinal está preparado

para a revolução tecnológica em

curso?

Essa é uma pergunta interessante.

Diria que sim. Pelo menos, as pessoas

estão sensibilizadas. Existem algumas

questões. Uma que vem logo à cabeça

é de ordem financeira. Sabemos que,

uma nova geração de gestores às organizações.

Os gestores de hoje não

são iguais aos gestores que estavam à

frente das empresas há 20 anos. Até

podem ser os mesmos, mas o mind

set, a forma como pensam, como se

organizam, como realizam o seu negócio

no dia a dia, é muito diferente.

E, isso, também trouxe muitas exigências

para o lado do sistema. Para

o lado do RP, do software de gestão.

Traz muitas novas exigências que, no

passado, não existiam. Em relação,

concretamente, à questão que me coloca:

sem dúvida que há um desafio.

As empresas sabem o que querem,

mas têm dificuldade em corresponder

a essas expectativas, por razões de ordem

financeira e de ordem humana.

A mudança, dentro das organizações,

nem sempre é um processo simples.

As pessoas estão muito rotinadas a fazer

o mesmo. Trazer uma oficina para

o século XXI – porque é disso que

as empresas pensam que é preciso ir

à procura de um sistema. Não. A primeira

coisa a fazer é parar um bocadinho

e pensar: o que é que eu preciso?

Nem todos precisam da mesma

coisa. Primeiro, é preciso perceber o

que é preciso. A seguir, é preciso priorizar:

pode não ser possível fazer tudo

ao mesmo tempo. Se for tendo pequenas

vitórias na implementação, isto

é motivador para a empresa, para as

pessoas, e o processo avança. E neste

processo evolutivo fazerem o seu caminho.

Quais são os erros principais

que as empresas cometem quando

entram nesta questão da informatização

e digitalização de processos? É

acharem que, ao adquirirem um sistema,

passaram a ser uma empresa

organizada. Não. Só adquiriram um

sistema. A organização vem dos processos,

da forma como se arrumam

as coisas, como se montam. E, muitas

vezes, as empresas não estão preparaestamos

a falar, muitas vezes – é um

processo que está para além do sistema

informático. Passa, essencialmente,

por pessoas, também.

É possível uma oficina, hoje, não

estar a investir nesse processo de

digitalização?

É possível, hoje em dia, alguém ignorar

o Multibanco? É! É possível guardar

o dinheiro em casa? É! Mas acho

que todos sabemos o que vai acontecer

às pessoas que tenham esta postura

perante o que está a acontecer.

Porque, concordem ou não, é inevitável

que irão nessa avalanche. Hoje, o

que uma oficina (ou qualquer negócio)

tem de mais importante é a informação

dos seus clientes, das suas

viaturas, do que podem fazer por eles.

Aliás, costumo dizer que mais facilmente

se vai contratar programadores

para fazer reparações de veículos,

no futuro, do que mecânicos. As ofi-

32 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


TRABALHAR MUITO BEM A INFORMAÇÃO TAMBÉM INDICA A DIREÇÃO

A TOMAR. CONHECER O NEGÓCIO E OS CLIENTES É INDISPENSÁVEL

PARA A EVOLUÇÃO DE UMA EMPRESA

das para receber um sistema e têm de

fazer este trabalho, inicialmente, antes

de entrarem no processo propriamente

dito.

2018 foi um ano positivo para a

Alidata e para o Sendys Group.

E 40% do volume de negócio foi para

o mercado externo. Será esta

a tendência?

O mercado externo tem assumido,

para nós, uma importância enorme.

Temos desenvolvido muito o negócio,

principalmente, nos países de

expressão portuguesa: Angola, Moçambique,

Cabo Verde, Brasil. Tem

tido uma importância muito grande.

Principalmente na área das oficinas.

É diferente do que está a acontecer

em Portugal, porque são realidades

muito distintas. Moçambique, por

exemplo, que está numa fase muito

diferente de Portugal, desde as taxas

de crescimento às próprias necessidades.

Notamos uma preocupação

enorme nas empresas em digitalizar

os seus sistemas. Uma dependência

maior das aplicações, para não deixar

que a informação deixe de ser trabalhada

e reconhecida. Trabalhar bem a

informação também indica direções.

Se eu conhecer bem o meu negócio,

o que dizem os números, que tipo de

clientes normalmente trato, que viaturas

trato, que tipo de problemas,

tudo isso ajuda-me a entender como

posso montar a estratégia para o negócio

evoluir.

Esta empresa nasceu com a palavra

digitalização no seu ADN. Pode

dizer-se que já estavam do lado

certo da história? Sente que foram

pioneiros num rumo que o setor vai

ter necessariamente de tomar?

Sem dúvida. Fomos a primeira ou

uma das primeiras empresas em Portugal

a desenvolver software nesta

área. E a ter software de gestão. Tivemos

uma visão que antecipou todas as

outras que vieram a seguir. Mas também

devo dizer que estamos a falar de

realidades completamente diferentes.

Os desafios, há 35 anos, não têm nada

a ver com os atuais. Duas realidades

que a nossa geração teve o privilé-

gio de viver. Mas, no meu caso, parece

que houve vários Fernando Amaral.

Vivi épocas muito distintas. Não é

preciso ter muita idade para nos lembrarmos

de um mundo em que o telefone

tinha um disco, em que havia

telex, fax, em que não havia sms, Internet.

Não foi assim há tanto tempo.

Parece que quase conseguimos colar

esses tempos à era dos dinossauros.

Mas não. Foi há relativamente poucas

décadas.

Como vê o futuro em termos

de conectividade, dos veículos

partilhados e autónomos? E como

encaixa a Alidata nesta realidade?

Vejo o mundo cada vez mais (não

sei qual a melhor palavra) digital ou

maquinizado; com mais máquinas,

mais autonomia. E mais mobilidade.

Existe toda uma série de adjetivação

que consigo colocar no futuro. Hoje,

temos, também, fruto de toda esta

questão da digitalização, pessoas diferentes.

Aquilo que as pessoas querem

para a sua vida também é diferente

daquilo que queriam há 30 anos.

Quando se fala em stress. Acho que

ainda não atingimos o pico. O ponto

alto de stress ainda não o atingimos.

Estamos a caminho, mas ainda não

chegámos lá. Hoje, parece que estamos

na ponta da tecnologia, em tudo,

mas a realidade é que estamos só no

caminho. Conseguimos antecipar algumas

coisas, quando olhamos para

os automóveis que conseguem conduzir-nos

ou levar-nos a um determinado

sítio, sozinhos; conseguimos ver a

conectividade de um veículo quando

se aproxima de casa; ligar o aquecimento,

tudo automático. Isso, hoje,

já é uma realidade. O que temos assistido

é que isto tem trazido sempre

mais. Tenho alguma dificuldade em

prever o futuro. Quem faz estratégias

a cinco anos são as pessoas que lançam

as cartas de tarot. Conseguimos

ver alguma coisa, mas ainda há muito

nevoeiro. Mesmo o que é claro, agora,

pode mudar a qualquer momento.

Podemos achar que estamos a ir numa

determinada direção e tudo mudar

repentinamente. O futuro é muito

imprevisível. l

www.jornaldasoficinas.com Julho I 2019 33


eportagem

WOLF LUBES

POTENCIAR A MARCA

A NOTORIEDADE DO PRODUTO, A WOLF JÁ A TINHA. MAS FALTAVA POTENCIAR A MARCA.

PARA ISSO, A BELGA WOLF LUBES TORNOU-SE NO FORNECEDOR OFICIAL E EXCLUSIVO DE LUBRIFICANTES

DO FIA WORLD RALLY CHAMPIONSHIP. E CONVIDOU OS DISTRIBUIDORES PORTUGUESES A TESTEMUNHAREM

ESTA APOSTA, ASSISTINDO AO RALLY DE PORTUGAL por Susana Marvão

A

Wolf Lubes é o novo fornecedor

oficial (e exclusivo) de lubrificantes

do principal nome

do automobilismo mundial: o FIA

World Rally Championship (WRC).

No Rally de Portugal, a marca convidou

os distribuidores lusos a testemunharem

o poder de comunicação

e o retorno que o investimento numa

parceria deste género pode aportar

ao negócio. Como parte desta ação, a

Civiparts e a AS Parts, distribuidores

Wolf em Portugal, levaram os seus

cientes (literalmente) ao terreno para

assistirem às etapas de Amarante

e Celorico de Basto. E o balanço não

podia ter sido mais positivo.

Frédéric Decroix, diretor global de

marketing da empresa belga, explicou

ao Jornal das Oficinas que a

Wolf, marca que, atualmente, é distribuída

em mais de 100 países, procurava

um parceiro no desporto motorizado

que não só lhes permitisse

testar os seus produtos, mas que tivesse,

também, impacto um pouco

por todo o mundo. “Fazia todo o

sentido que esta parceria fosse com o

World Rally Championship, já que é

um campeonato líder e que nos permite

colocar à prova o desenvolvimento

dos nossos produtos”, frisou.

Para além disso, o campeonato partilha

com a Wolf os mesmos valores:

tecnologia, sofisticação, espírito de

equipa e proximidade. “O WRC assenta

em tudo o que valorizamos na

nossa marca. Apostamos na tecnologia,

almejamos a sofisticação, apelamos

ao espírito de equipa e promovemos

a proximidade com a nossa

comunidade de parceiros e clientes.

Assim, o brand awareness está mais

do que garantido”, referiu Frédéric

Decroix. “Apesar de apenas termos

começado em janeiro, já sentimos o

retorno”, acrescentou.

Negócio de vento em popa

Salvador Llombart, country manager

para Portugal e Espanha da Wolf,

concordou plenamente com Frédéric

Decroix. E disse mesmo que o negócio,

sobretudo em Portugal, tem

corrido particularmente bem desde

janeiro: “Foram excelentes meses.

Como incentivo de termos aqui o rali,

organizámos uma promoção para as

oficinas que teve enorme sucesso”. O

grande objetivo da empresa é, não só,

fidelizar a base instalada de clientes,

mas, obviamente, aumentar também,

a carteira de compradores. “A perspetiva

da empresa é duplicar o volume

de negócio em dois ou três anos”, revelou

Salvador Llombart. l

QUALIDADE E ABRANGÊNCIA

Isabel Basto, diretora de aftermarket ligeiros da

Nors Ibéria, não podia ter tido um dia mais preenchido. Para

além de ter acompanhado o Rally de Portugal com a Wolf,

esteve, permanentemente, em contacto com a empresa,

já que, precisamente nesse dia, decorria a transição para o

novo software informático (SAP S/4Hanna), para além da

oficialização da fusão das empresas AS Parts e ONEDRIVE*.

Ao Jornal das Oficinas, a diretora garantiu que as duas

marcas irão manter-se no mercado, contrariamente ao

“burburinho” que, entretanto, se foi criando. “Apenas as

empresas se vão fundir, ganhando, agora, mais dimensão e

capacidade negocial”, assegurou.

Quanto à Wolf, Isabel Basto assume que, desde que

está no aftermarket ligeiros, sempre apostou muito na

marca belga. “Apesar de não ser uma das marcas mais

conhecidas, tem algo que, para nós, até por dispormos da

rede TOPCAR, é especialmente importante: tem uma gama

de especificações muito alargada, para além de que está

sempre atualizada”, disse. Ou seja, a responsável referiu

que a Wolf tem o seu óleo homologado em muitas marcas,

permitindo que a revisão seja feita com as recomendações

do fabricante. “Alertamos sempre os nossos clientes para

esse pormenor, que, aliás, não é assim tão pequeno. O óleo

da Wolf dá-nos imensa garantia de qualidade. Na verdade,

nunca tivemos reclamações”, revelou.

Relativamente à aposta no patrocínio ao WRC, a diretora

afirmou ser muito importante, “até para que as oficinas

comecem a ter mais ‘orgulho’ em dizerem que usam Wolf.

Creio que foi uma excelente iniciativa e vai trazer à marca o

reconhecimento que ela merece”, concluiu.

34 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


TECNOLOGIA E DESENVOLVIMENTO

Carlos Feliciano, diretor comercial da Civiparts,

distribuidor que esteve presente na ação, acredita que

estas iniciativas favorecem o crescimento da marca. “Até

porque estamos a falar de um desporto motorizado muito

conceituado e sofisticado, valores que a própria Wolf defende.

Acredito que esta parceria também acabe por elevar o nome

da Wolf a um patamar onde ela merece estar”, afirmou.

Aspeto enfatizado por Carlos Feliciano foi o facto de a marca

belga não ser um produto de marketing “com um bonito

rótulo”. Mas, antes, o resultado de “um forte investimento

em tecnologia”. Por isso, disse que faz todo o sentido que a

Civiparts esteja envolvida com a Wolf. “Crescemos juntos e

apesar de não ser tão conhecida como outras marcas, tem

tido uma notável evolução em termos de reconhecimento.

O retorno tem sido excelente. Após conhecerem os produtos

da marca, os clientes ficam, visivelmente, satisfeitos. E, isso,

entusiasma-nos e faz-nos acreditar que, juntos, podemos

estar de forma sólida no mercado”, realçou.


EM FOCO

CARLOS ABADE, FUNDADOR DA NEOCOM

SOMOS TODOS

COMO UMA

FAMÍLIA

CARLOS ABADE FAZ UM BALANÇO MUITO POSITIVO DOS PRIMEIROS 20

ANOS DA NEOCOM. O RESPONSÁVEL DA EMPRESA PRESENTE EM AVEIRO,

BRAGA, LISBOA (E, EM BREVE, NO PORTO...) GARANTE QUE O SEGREDO DO

SUCESSO ESTÁ NA FORÇA FAMILIAR por Jorge Flores


CARLOS ABADE

Mais do que um homem de muitas palavras,

prefere ser um homem de palavra.

A diferença é grande. Carlos Abade

é um apaixonado pela profissão que

abraçou, ainda muito novo, e pela empresa

que criou há já 20 anos (cumpridos

este mês de julho de 2019).

O fundador da Neocom é, acima de

tudo, um crente nos valores familiares.

Tanto nos laços de sangue, como

nos vínculos criados com a equipa

que lidera. “Somos todos como uma

família”, sublinhou, em conversa

com o Jornal das Oficinas, nas instalações

de Aveiro. Juntos e solidários,

nos bons e nos maus momentos, como

qualquer família que se preze deverá

ser.

Carlos Abade iniciou a sua carreira

profissional em 1975. E começou logo

com uma formação na Ferrari, em

Lyon, França. Depois de muitos anos

a adquirir experiência na área da mecânica

e no ramo oficinal, em geral,

achou que era altura de regressar ao

nosso país. Na sua mente estava já o

projeto da Neocom, a atividade da

distribuição de peças e o recondicionamento

de componentes, com particular

foco nas direções assistidas,

transmissões e juntas homocinéticas.

“Como tinha já um grande conhecimento

da profissão, antes de vir para

Portugal fiz um estudo e constatei que

havia espaço para desenvolver esta

atividade. Havia uma carência grande.

Eram só os espanhóis, franceses

e italianos a dominar o mercado. Fomos

os pioneiros, em Portugal, a fazer

isto”, recordou.

Espírito inovador

De 1999 para 2019, o mercado mudou

muito. “Dantes, era mais fácil”,

admitiu. A concorrência, na altura em

que surgiu a Neocom, era quase nula.

“Os clientes gostaram muito da ideia

de ter uma empresa tão inovadora e

com produtos de qualidade, em Portugal.

Essa é a explicação para estarmos

aqui ainda hoje”, reforçou Carlos

Abade. A evolução da empresa tem

sido regular. Progressiva. Atualmente,

a Neocom é também reconhecida

como um dos grandes distribuidores

de componentes novos, conseguindo

sempre trabalhar com preços inferiores

às peças de origem. A atenção

e o cuidado no aumento permanente

do portefólio, de modo a poder corresponder

às várias necessidades dos

clientes, continua a fazer parte da filosofia

da empresa, tal como o respeito

pelos canais de venda, facto que leva

a que apenas comercialize os seus

produtos aos retalhistas de peças.

Uma forma de estar no mercado que

Carlos Abade não abdica. Segundo

garantiu, o sucesso da Neocom muito

se deve ao trabalho desenvolvido pela

sua equipa, hoje composta por 25

pessoas. “Todos eles são excelentes.

Muita da nossa força no mercado vem

do trabalho deles”, sublinhou.

Lado a lado

Orgulhoso do percurso já feito ao

longo de duas décadas, Carlos Abade

mostrou-se agradecido para com os

clientes, sobretudo, com aqueles que

o acompanham desde a primeira ho-

ra. E recordou, com satisfação, o primeiro:

a Só Óticas, em Vila Nova de

Gaia. “Temos quase 3.000 clientes em

base de dados. Mais de 70% estão ativos

e estão connosco desde o início”,

disse. A Neocom agradece a todos os

clientes o facto de estes terem confiado

no trabalho desenvolvido ao longo

dos 20 anos, esperando continuar o

mesmo por muitos mais.

Aos 57 anos, Carlos Abade continua

inseparável de Rosa Malta, que, nos

últimos tempos, enfrentou, com sucesso,

uma contrariedade de saúde.

Sempre com o marido ao lado. Mas

não só a família de sangue esteve junta

nesta batalha. A família Neocom

também não falhou neste período

complicado. “Deram-nos todo o apoio

durante todo este processo”, confidenciou.

Será com todos eles, juntos, que

a empresa (presente em Aveiro, Braga

e Lisboa) continuará a trilhar o seu

caminho. Em breve, com a abertura

de umas novas instalações, no Porto.

Quanto ao futuro, Carlos Abade reconheceu

que a revolução elétrica está

a assustar um pouco o setor, mas

frisou que, no caso da Neocom, o

problema não será imediato, até porque

estes veículos continuam a ter

“transmissões e direções”. Além do

mais, ele próprio conduz, atualmente,

um... Renault ZOE. l

OS CLIENTES GOSTARAM MUITO DA IDEIA DE TER UMA EMPRESA

TÃO INOVADORA E COM PRODUTOS DE QUALIDADE, EM PORTUGAL.

ESSA É A EXPLICAÇÃO PARA ESTARMOS AQUI ainda HOJE

38 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


eportagem

GALA EUROPREMIUM 2019

PREMIAR

AS BOAS PRÁTICAS

A 21.ª GALA EUROPREMIUM REALIZOU-SE, UMA VEZ MAIS, NA CAPITAL ESPANHOLA.

NO IMPONENTE EDIFÍCIO DO HOTEL EUROSTARS MADRID, ESTIVERAM PRESENTES CERCA

DE 100 PESSOAS PARA ACOMPANHAR A ENTREGA DOS PRÉMIOS ÀS OFICINAS RECONHECIDAS

DA PENÍNSULA IBÉRICA. ENTRE AS QUAIS, ESTAVAM TRÊS PORTUGUESAS DA REDE TOPCAR

por Joana Calado


Criada em 1998, a Gala Euro-

Premium é um evento importante

na agenda da rede TOP-

CAR desde 2013, fruto da parceria

com a EuroTaller, rede de oficinas para

a qual foi criada esta gala. Num final

de tarde quente, os convidados

foram recebidos com um cocktail de

boas-vindas no 30.° andar do imponente

edifício do Hotel Eurostars Madrid,

onde puderam desfrutar de uma

fantástica vista sobre a cidade. Rumando,

depois, à sala cuidadosamente

preparada para o evento, deu-se

início ao jantar, seguindo-se a entrega

dos prémios, que foi acompanhada

por alguns momentos de riso proporcionados

pelo humorista convidado.

Vanessa Barros, responsável da

TOPCAR, subiu ao palco para agradecer

às oficinas da rede, pelo trabalho

e perseverança demonstrados ao

longo do ano. “Estas oficinas estão

conectadas com o seu cliente e com a

rede oficinal. Precisamos de nos modernizar

para acompanhar o avanço

do mercado. Depois de termos sido

certificados pelo Centro Zaragoza na

área da colisão, somos, agora, a primeira

rede em Portugal a ter essa

certificação para a área da mecânica”,

disse a responsável.

Este ano, todas as oficinas da rede

TOPCAR premiadas encontram-se

acima do rio Tejo. São elas TOPCAR

Masterauto, no Porto e em Leça da

Palmeira, TOPCAR Manuel & Pedro,

em Gaia, e TOPCAR Auto Carvide,

em Monte Real, estando a região

norte em vantagem, com duas

oficinas, contra uma localizada na

região centro.

“hibridização” em curso

Com cada vez mais veículos elétricos

e híbridos a circular nas estradas portuguesas,

a aposta das oficinas da rede

TOPCAR nesta área tem sido elevada.

De norte a sul do país, as oficinas fazem

esforços para acompanhar as inovações

tecnológicas. Na TOPCAR, este

esforço torna-se mais simples, devido

aos apoios dados pela rede, como destacam

as oficinas. “O apoio técnico dado

pela rede é fundamental para que

não cometamos erros e saibamos onde

podemos mexer e de que forma”, explicou

João Paulo Belo, da TOPCAR Auto

Carvide. “Terminámos, agora, uma

certificação em veículos elétricos para

que possamos estar o mais aptos possível

para intervencioná-los”, acrescentou

Manuel Mota, da TOPCAR Masterauto.

l

CRIADA EM 1998, A GALA

EUROPREMIUM É UM EVENTO

IMPORTANTE NA AGENDA DA

REDE TOPCAR DESDE 2013,

FRUTO DA PARCERIA COM A

EUROTALLER, INSERIDA NO

GROUPauTO UNIÓN IBÉRICA

www.jornaldasoficinas.com Julho I 2019 41


GALA EUROPREMIUM

2019

A CONFRATERNIZAÇÃO E A PARTILHA DE EXPERIÊNCIAS ENTRE

PORTUGUESES E ESPANHÓIS FORAM AS NOTAS DOMINANTES

TOPCAR

MASTERAUTO

A representar a TOPCAR Masterauto, esteve presente Manuel Mota,

gerente da oficina do Porto e de Leça da Palmeira. Questionado

sobre o que os distingue das outras oficinas, o gerente não teve

dúvidas: “A qualidade dos serviços prestados, a higiene permanente

da oficina e nossa forma de estar com o cliente”.

Para Manuel Mota, é essencial manter um acompanhamento

regular com o cliente, desde o momento em que o mesmo sai da

oficina. Por isso, tenta manter o contacto com o ele, informando-o

de campanhas, congratulando-o pelo seu aniversário e informando-o

acerca da aproximação da inspeção periódica do veículo ou

da necessidade de revisão. “Este prémio não é para mim, é para a

minha equipa. Eu apenas os represento. É a minha equipa que tem

o trabalho do dia a dia. Eu só organizo e planeio para que tudo corra

bem. O mérito é todo deles”, afirmou o gerente sobre o significado

do prémio conquistado em Madrid.

TOPCAR

MANUEL & PEDRO

Do lado da TOPCAR Manuel & Pedro, não poderiam faltar os

responsáveis que “emprestam” os seus nomes próprios à oficina de

Vila Nova de Gaia. Uma empresa puramente familiar, que passou

de pai para filho. Pedro Oliveira, sócio-gerente, afirmou que “a

rede em si é forte, porque todos nós lutamos para isso. Apesar das

diferenças de projetos, ambições e dimensões, todos procuramos o

mesmo objetivo”. E para manter esse objetivo, há um “personagem

principal: o cliente”, que deve sair satisfeito e com vontade de

regressar. Nada mais correto. “Este prémio é o culminar de um ano

de trabalho e o reconhecimento da nossa luta diária para atingir o

objetivo”, afirmou o sócio-gerente. E como sem dedicação e espírito

de sacrifício não se consegue alcançar o êxito, a TOPCAR Manuel &

Pedro é um dos exemplos de superação presentes no setor oficinal

em Portugal. Não admira, pois, que seja difícil a Manuel, pai de

Pedro, “largar” o negócio.

TOPCAR

AUTO CARVIDE

No caso da TOPCAR Auto Carvide, situada na zona centro do país,

mais concretamente em Carvide, no distrito de Leiria, esteve João

Paulo Belo, sócio-gerente da oficina. “O que distingue a rede onde

estamos e o que ela nos proporciona, é informação e formação técnica

para encontrarmos as soluções para os problemas dos veículos

que, hoje, são cada vez mais tecnológicos”, afirmou. A base de

dados técnica e o apoio do call center são mais-valias para a oficina

de Leiria, que aposta na modernização dos seus conhecimentos de

forma a melhor servir o seu cliente.

“Sermos distinguidos dentro da rede como uma das três melhores

a nível nacional, significa muito para nós. Significa que temos feito

um bom trabalho. E esta distinção é importante para mantermos a

confiança dos nossos clientes”, explicou João Paulo Belo, enquanto

destacava, também, a relação próxima que procura manter com

quem confia nos seus servicos.

42 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


MAIS ENERGIA

PARA O SEU NEGÓCIO

QUALITY

CERTIFIED

EXCELLENCE

AWARDS

35

years

ex perience

QUALIDADE DAS GRANDES MARCAS

A UM PREÇO MAIS COMPETITIVO

A AUTOPART está no mercado desde 1982. É uma empresa

especializada na produção industrial de baterias de alta qualidade

para todos os tipos de automóveis, tratores e máquinas agrícolas,

bem como barcos ou caravanas campistas. Produz 2,5 milhões de

baterias por ano, distribuídas para mais de 40 países. A constante

pesquisa e desenvolvimento são sinais da paixão por criar e

seguir as últimas tendências. www.autopart.pl

Exclusivo

T.: 210 534 808/210 534 809 | F.: 210 534 809 | E.: geral@afkt.pt | www.trustauto.pt


A FLEETWISE DISTINGUE-SE PELA ATENÇÃO QUE DÁ ÀS QUESTÕES

DE SEGURANÇA E AMBIENTE, QUE ACABAM POR FAZER A DIFERENÇA


Oficina

do Mês

A OFICINA DO MÊS É PATROCINADA POR TOTAL ROC (RAPID OIL CHANGE)

FLEETWISE

PROPOSTA

DUPLA

A FLEETWISE MUDOU-SE, EM ABRIL, PARA UMAS AMPLAS INSTALAÇÕES, NO PORTO.

E ALARGOU A ATIVIDADE AOS VEÍCULOS PARTICULARES LIGEIROS, AINDA QUE OS SERVIÇOS

AOS PESADOS CONTINUEM A CONSTITUIR 90% DO NEGÓCIO. A OFICINA PERTENCE ÀS REDES RINO

E TOP TRUCK PARA CADA UMA DAS ÁREAS por Jorge Flores

Fleeetwise. No duplo significado

do nome da empresa, está a sua

atual realidade. Direção e sabedoria

(numa tradução livre). A Oficina

do Mês desta edição, liderada por

Paulo Guedes, mudou-se, em abril

último, para umas novas e amplas

instalações situadas na Via Norte,

junto a uma das mais movimentadas

estradas na região do Grande Porto:

mais de 2.000 m 2 cobertos, num espaço

total de 4.000 m 2 .

A casa abriu portas aos serviços oficinais

em 1999 e aderiu à rede TOP

TRUCK três anos depois. A capacidade

de reinvenção, nos tempos de

crise que assolaram o país, foi um

dos trunfos da oficina. Prova disso,

é que, este ano, apesar de os veículos

pesados continuarem a representar

a larga fatia do negócio (90%),

a Fleetwise alargou a sua atividade

aos serviços oficinais para particulares

ligeiros, aderindo, para o efeito,

à rede Rino. Ainda que a oficina

tenha experiência no segmento de

veículos ligeiros empresariais, associados

a rent-a-car, essencialmente,

Paulo Guedes assume que a empresa

está a dar os primeiros passos neste

ano com os veículos particulares ligeiros.

Ainda assim, em poucos meses,

esta área representa 10% do total

do negócio.

Os serviços assegurados pela casa?

Mecânica e reparação (mesmo de

motores e de órgãos mecânicos), sistemas

de ar condicionado e Diesel,

nestes dois últimos casos, através de

subcontratação.

FLEETWISE

Sócio-gerente Paulo Guedes

Morada Rua Chantre 830

4465 –780 Leça do Balio - Porto

Telefone 229 418 881

Email geral@toptruck.pt

Marcar a diferença

Trata-se de uma das poucas oficinas

que, além da área industrial, onde

sempre esteve, marca presença em

duas redes oficinais para áreas tão

distintas como ligeiros e pesados. Cada

uma delas com zonas separadas no

espaço. Paulo Guedes acredita que a

diferenciação se faz pelas “propostas

de valor apresentadas aos clientes”.

As parcerias, como a que tem com a

MCoutinho, servem a causa. “É indispensável,

na medida em que queremos

trabalhar com peças originais”,

sublinha o responsável.

A Fleetwise distingue-se ainda pela

atenção dedicada às questões de segurança

e ambiente, traduzidas, inclusivamente,

pela certificação da SOMA

(Environmental Solutions). l

www.jornaldasoficinas.com Julho I 2019 45


NOTÍCIAS // DINÂMICA DO SETOR ESCREVE-SE DE A A Z

Empresas

CORTECO

NOVO RESPONSÁVEL COMERCIAL

PARA ESPANHA E PORTUGAL

Joaquim Perera assumiu, desde o dia 1 de julho, a responsabilidade comercial

da Corteco para Espanha e Portugal. Substitui Enrique Naranjo, que,

após 18 anos de valiosa contribuição na Corteco ibérica, assume um novo

desafio internacional dentro do Grupo Freudenberg. O novo responsável comercial

traz grande experiência dentro das vendas do mercado de reposição ibérico,

reportando a Emilio Chiolerio, diretor comercial da região do sul da Europa.

Com esta alteração, a Corteco espera continuar a fornecer e, se possível, melhorar

a qualidade que caracteriza os seus produtos e serviços.

46 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


PUB

Lusilectra

Salvador Caetano

PARCEIROS FORAM À ALEMANHA

AUTOZITÂNIA e ferdinand bilstein portugal | As duas

empresas proporcionaram aos seus parceiros uma visita às instalações do Bilstein

Group, em Ennepetal, na Alemanha, no passado mês de maio. Durante três dias,

os 18 convidados tiveram oportunidade de conhecer os processos de fabrico do

Bilstein Group, bem como todo o rigor e qualidade inerentes à marca alemã. As

instalações do Bilstein Group, em Ennepetal, contam com uma fábrica de 10.000

m 2 e um centro logístico robotizado de última geração, fazendo do Bilstein Group

um player de reconhecido prestígio e qualidade no panorama mundial.

Lusilectra celebra parceria com a JOSAM, empresa

especializada em equipamentos para veículos pesados

- alinhamento de direção;

- desempeno de chassis;

- máquinas de aquecimento por indução;

- calibração do sistema ADAS;

JORNADAS DA REPARAÇÃO AUTOMÓVEL

espogama | No dia 15 de junho, numa unidade hoteleira de Ofir, perante

cerca de 120 clientes e fornecedores, a Espogama, membro do Grupo TRUSTAUTO,

fez coincidir as II Jornadas da Reparação Automóvel com o seu 27.° aniversário.

A dinâmica da Espogama visa promover eventos e atividades em conjunto com

clientes e fornecedores, criando, desta forma, uma proximidade entre ambos com

o intuito de estar sempre na vanguarda das novidades do setor. Na apresentação

que a TRUSTAUTO fez aos seus clientes, a gerente, Carminda Catarino, ressalvou a

importância da decisão da entrada para o grupo.

Saiba mais em...

226 158 661

equip.oficina@lusilectra.pt

www.lusilectra.com

www.facebook.com/lusilectra

www.linkedin.com/company/lusilectra


Notícias

empresas

JUAN CARLOS DIEZ É NOVO ROSTO

KYB EUROPE aFTERMARKET | O anterior diretor de

vendas do sul da Europa, Juan Carlos Diez, assumiu o cargo de diretor

de vendas europeu. Diez trabalha na KYB desde 2002. Esta nova

função irá torná-lo responsável por todas as atividades de vendas na

Europa. “A consolidação do mercado de pós-venda europeu resultou

no desenvolvimento dos nossos clientes, ao ponto de se tornarem

em grandes empresas multinacionais e em grupos comerciais

internacionais”, refere Diez, “a nova estrutura permite que a KYB

Europe Aftermarket lide com este novo nível de cliente, agindo com

um enfoque multinacional similar.

EUROPART

MELHOR MARCA

Pela sétima vez, a EUROPART foi disinguida como a “Melhor Marca” na categoria “Distribuidor

de Peças para Camiões e Autocarros”. Os leitores das revistas alemãs especializada “lastauto

omnibus”, “trans aktuell” e “Fernfahrer” atribuíram-lhe novamente o primeiro lugar na

categoria de principal distribuidor de peças para veículos comerciais e equipamentos para oficinas

na Europa, valorizando, desta forma, o bom resultado dos últimos anos. Com a eleição da “Melhor

Marca de 2019”, os profissionais do setor dos transportes honram o serviço competente e próximo

do cliente, a logística rápida e precisa, assim como a vasta gama de produtos da EUROPART. Olaf

Giesen, CEO da EUROPART, salientou, na entrega do troféu, no passado dia 26 de junho, em

Estugarda, que, “ser distinguido com este elevado prémio ao longo de tantos anos é, para nós, a

confirmação da valorização do nosso trabalho e continua a ser sempre muito especial”.

CALL CENTER TÉCNICO

grupo trustauto | Sempre na vanguarda da inovação e

tecnologia, o grupo liderado por Ricardo Ribeiro conta com um call

center de assessoria técnica. Destinado aos clientes, este serviço do

reflete o know-how do grupo e conta com mais de 300 oficinas, as

quais são já utilizadoras da plataforma de e-commerce/webshop

integrada com Haynes Pro. O call center garante uma série de

vantagens na resolução de problemas no decorrer das reparações.

C

FAG APRESENTA NOVA GAMA

Tradicionalmente conhecida pela sua gama de rolamentos de roda, a FAG lançou uma gama de componentes de suspensão

e direção no mercado de peças de substituição. São mais de 4.500 referências de articulações de suspensão e direção, braços

e trapézios, estabilizadores ou articulações axiais, com uma cobertura do parque de 93%, com toda a qualidade e garantia

da Schaeffler. A FAG é a especialista em chassis da Schaeffler. Os seus mais de 130 anos de experiência que tem dedicada à

melhoria contínua e à evolução tecnológica permitem-lhe oferecer a gama mais ampla de módulos e rolamentos de roda do

mercado, à qual foram adicionados os eixos de transmissão. O desenho melhorado, a qualidade dos materiais ou a utilização

de tecnologias de vedação e revestimento duradouras, são alguns dos argumentos que a FAG apresenta aos profissionalis da

reparação, que são quantificados num aumento médio da vida útil de 30%.

NOVA IMAGEM JÁ DÁ NAS VISTAS

VALVOLine | A nova imagem de outdoors vai ser utilizada nas

principais vias de comunicação, nos meses de junho, julho e agosto.

Esta ação enquadra-se no projeto com uma duração mínima de

três anos. Em 2019, foi decidido alterar a imagem. “Estamos na

expectativa que esta nova imagem se torne mais consensual e

impactante, até porque aumentámos as dimensões dos outdors”,

refere Paulo Santos, brand manager da Divisão de Vendas Valvoline.

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

48 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


MONROE É FABRICANTE DE JULHO NA AUTO DELTA

FOI HÁ POUCO MAIS DE UM MÊS QUE A

MONROE ENTROU PARA O PORTEFÓLIO

DA AUTO DELTA, MAS A VERDADE É QUE

O SEU DESEMPENHO, ALIADO À APOSTA

DA MARCA, LEVOU A ESTA DISTINÇÃO.

TODO O AFTERMARKET CONHECE A

MONROE, FABRICANTE DE PRODUTOS

DE SUSPENSÃO, NOMEADAMENTE DE

AMORTECEDORES, APLICANDO NA SUA

PRODUÇÃO ELEVADOS PADRÕES DE

QUALIDADE. ESSES PADRÕES REFLETEM-

-SE NO DIA A DIA DO CONDUTOR, PODENDO

CONFIAR EM PRODUTOS QUE CUMPREM OS

PARÂMETROS DOS PRODUTOS ORIGINAIS.

CHAMPION E CORTECO ENTRAM EM CENA

alecarpeças | Champion e Corteco são as duas marcas com as quais a empresa

liderada por Pedro Rodrigues e Alexandra Staedtler aumentou o seu portefólio de

produtos. Confiável, extremamente durável, super rápido. Eis a forma com se pode

definir a gama de produtos de ignição Champion que está disponível na AleCarPeças.

Por seu turno, a Corteco é fabricante líder em primeiro equipamento para soluções

de anti-vibração e selagem. As gamas de polias de cambota e retentores dispensam

apresentações. A qualidade oferecida e a extensa cobertura do parque circulante, tornam

obrigatória a sua incorporação na AleCarPeças.

AF_Imprensa Peças 265x155mm_HR.pdf 1 12/03/2019 14:57

PUB

Baterias

Consumíveis

Acessórios/Extras

Lubrificantes

Ferrari

Land Rover

Jaguar

Porsche

Maserati

Renault

Dacia

Suzuki

Toyota

Qta. do Lavi, Limites da Abrunheira, S. Pedro de Penaferrim

Tel.: 21 043 09 10 • santogal-pecas@santogal.pt

www.santogal.pt

SERVIÇO DE ENTREGA

PEÇAS/ACESSÓRIOS AUTO


SOLUÇÕES EM A/C AUTO

E REFRIGERAÇÃO DE TRANSPORTE

Visite-nos no Facebook

Rua Fernando Vicente - Armazém 15 - 2560-677 Torres Vedras

Telefone: +351 261 335 050 - E-mail: geral@nelsontripa.pt

Coordenadas GPS - Latitude 39º5'42.83"N - Longitude 9º15'7,74"W

OSRAM

DUPLO ELOGIO

AOSRAM surgiu como vencedora em duas categorias no

“German Innovation Awards 2019”. Na cerimónia de

entrega de prémios, em Berlim, o júri de especialistas

do German Design Council nomeou o farol de LED da OSRAM

para o Volkswagen Golf VII como vencedor na categoria “Excelência

em Negócios para Negócios - Soluções de Iluminação”

para a família de drivers Optotronic LED. Desde o seu lançamento,

no início do milénio, que esta gama cresceu consideravelmente.

E graças à sua inovadora largura de banda, oferece

exatamente o produto certo para dar resposta a qualquer necessidade

do cliente. O German Design Council apresenta os

“German Innovation Awards” todos os anos para produtos, soluções

e serviços inovadores que criam verdadeiro valor acrescentado

para os consumidores.

MERCADO IAM DE ESCAPES EM PORTUGAL

veneporte | Foi realizado, recentemente, um estudo sobre a notoriedade das

marcas IAM em Portugal para componentes de automóveis, onde a Veneporte se

destaca na categoria de escapes, catalisadores e filtros de Partículas Diesel. Fizeram

parte deste estudo cerca de 150 oficinas, que responderam às questões relacionadas

com notoriedade da marca (presença da marca na mente do cliente), taxa de

penetração (percentagem de clientes que comprou o produto pelo menos uma

vez) e quota de mercado (percentagem de mercado detida pela marca no setor).

No que diz respeito à notoriedade, a Veneporte é a primeira escolha dos inquiridos,

ultrapassando a Fonos, marca com maior notoriedade em Espanha.

PUB


Notícias

empresas

VÍDEOS TÉCNICOS

febi | Sempre com o pensamento na satisfação do cliente,

este ano a febi aposta na produção de vídeos técnicos em

português de forma a apoiar o mais possível os clientes e a

estreitar cada vez mais uma relação de proximidade com as

oficinas. A marca tem já três vídeos técnicos em português

com informação detalhada, que são grandes ferramentas de

trabalho para os profissionais do setor. Os vídeos técnicos da

febi estão disponíveis no canal do YouTube da marca.

NOVO EQUIPAMENTO

pcc | A empresa especialista em equipamentos oficinais

passa a comercializar a nova máquina de desmontar pneus

para veículos pesados da marca Ravaglioli. A GTB16EVO

consiste num equipamento de desmontar e montar pneus de

veículos pesados, sendo um equipamento de referência, único

na sua categoria. Equipado com um sistema revolucionário

de quatro cilindros e um prato que pode mover-se em quatro

direções distintas (esquerda, direita, para cima e para baixo),

permite ao utilizador desmontar/montar um pneu de forma

simples e rápida.

NOVO CATÁLOGO AUTOMOTIVE

fuchs | No novo catálogo, podem ser encontradas as novidades mais

recentes e a evolução no programa de produtos da FUCHS. O catálogo

tem uma nova imagem e informação mais detalhada sobre as gamas de

produtos para o setor automóvel. As novidades podem ser consultadas nas

secções respetivas. Para as caixas de velocidade manuais e automáticas

de veículos ligeiros e pesados, as novidades estão nas gamas TITAN

CYTRAC, PENTOSIN FFL e TITAN ATF. Nos restantes produtos apresentados

no catálogo, destacam-se os fluidos hidráulicos, a linha AGRIFARM, a linha

MAINTAIN, massas lubrificantes de aplicação automotive, agentes de

llmpeza e anticorrosivos. Foram atualizados os seus perfis e apresentadas

características técnicas, para que a seleção dos mesmos seja mais fácil. O

novo catálogo pode ser descarregado em versão digital.

PUB

www.jornaldasoficinas.com Julho I 2019 51


Notícias

empresas

Empresas

AMORTECEDORES SACHS EM CAMPANHA

zf aftermarket | Lançou, em Portugal, uma campanha de verão para os

amortecedores para veículos ligeiros da marca Sachs. A decorrer durante os meses de verão,

esta ação promocional destina-se às oficinas e premeia as suas compras com a oferta de um

artigo desportivo. O funcionamento da campanha é simples: por cada quatro amortecedores

Sachs para veículos ligeiros adquiridos num distribuidor da marca, as oficinas ganham

uma mochila desportiva muito leve e prática. Com o lançamento desta promoção, a ZF

Aftermarket possibilita que as oficinas ofereçam aos seus clientes finais um artigo muito

útil para atividades de ar livre. Ao mesmo tempo, as oficinas contribuem, de forma ativa,

para a revisão e substituição dos amortecedores e para a segurança. Todos os anos saem da

linha de produção mais de 10 milhões de automóveis novos equipados com produtos Sachs.

Adicionalmente, a Sachs aplica o seu know-how de equipamento original à produção de

peças de substituição para o mercado de pós-venda.

LD AUTO

LOJA ONLINE

A

qualidade de sempre, agora também online. A LD Auto não abdica

dos mais elevados padrões no que a produtos e serviços diz respeito.

Com o objetivo de estar cada vez mais próximo dos clientes e de modo

a proporcionar uma maior capacidade de resposta, a LD Auto lança uma loja

online exclusiva para profissionais. Na loja, poderão ser consultadas algumas

informações técnicas, campanhas, disponibilidade de stock em cada uma das

suas delegações, valores e fazer a encomenda diretamente na mesma. O registo

poderá ser efetuado em www.ldauto.net/pt.

PUB

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

52 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


“NEW RANGE 2019”

JAPANPARTS GROUP | Pretende introduzir novas

linhas de produto e ampliar a oferta europeia, graças, também,

à abertura do novo armazém. Apresentou o “New Range

2019”. Trata-se de um programa completo para o vendedor

de peças de reposição e para a oficina, que dispõe de 142

diferentes grupos de produtos, que incluem todo tipo de

peça de reposição, desde os componentes internos do motor,

aos travões, desde às embraiagens às peças elétricas e às

suspensões.

CARREGAMENTO DE ELÉTRICOS

valorcar e acap | Em cerimónia presidida pelo Secretário de Estado

Adjunto e da Mobilidade, a VALORCAR e a ACAP inauguraram uma unidade

inovadora de carregamento de veículos elétricos, usando a eletricidade

produzida por painéis solares fotovoltaicos e armazenada em baterias de

lítio reutilizadas de veículos elétricos. Este sistema fotovoltaico será capaz

de produzir, anualmente, cerca de 32 MWh de energia limpa, o equivalente

ao consumo anual de 19 habitações familiares, e evitará a emissão de 32

toneladas de CO 2

.

PATROCÍNIO RENOVADO

KROON OIL | Renovou o patrocínio com a Van Loon Racing,

que se destacou no Ele Rally disputado a 24 e 25 de maio. O

piloto Erik Van Loon e o seu navegador, Harmen Scholtalbers,

que disputaram este rali ao volante de um Skoda Fabia,

alcançaram um lugar no pódio depois de uma luta renhida

com os adversários mais diretos. A Kroon Oil, um dos mais

antigos fabricantes de lubrificantes da Europa, é distribuído

em Portugal pela Adir Viseu, empresa que opera nos setores

automóvel e industrial e que está responsável pela área da

grande distribuição.

AF - publicidade _ Promo Compressores AC 2017.pdf 1 25/06/19 10:12

PUB

www.jornaldasoficinas.com Julho I 2019 53

excelência’17


Notícias

empresas

Empresas

MINIATURAS FERRARI EM OFERTA

SKF | Por cada kit de rolamento de roda (VKBA) SKF adquirido, a

marca oferece uma miniatura Ferrari à escala 1/64. Um Ferrari é sempre

um Ferrari. Seja de que tamanho for. No caso dos que dão azo a esta

campanha, são à escala 1/64. De forma a beneficiar os parceiros de

negócio e todos aqueles que dão preferência à marca SKF, ao longo de todo

este ano, a marca dinamizará várias campanhas de kits de rolamento de

roda (VKBA). Atualmente está em curso esta atrativa campanha de oferta

de miniaturas Ferrari à escala 1/64 na compra de cada kit VKBA.

TIPS 4Y

NOVIDADES NA WSC

Considerado o maior evento sobre o futuro do setor automóvel e da mobilidade, a

WSC (World Shopper Conference) teve a sua 9.ª edição no mês de maio e decorreu

no ambiente muito inspirador da Universidade Nova SBE, em Carcavelos. A TIPS

4Y tem sido presença assídua nas passadas edições, mas, este ano, decidiu, também, estar

presente como expositor, comunicando as suas soluções e o seu posicionamento nas áreas

do analytics, da digitalização de processos e da inovação do negócio. Neste âmbito, apresentou

dashboards com métricas e visualização geográfica das consultas do parque automóvel,

para além de soluções baseadas em realidade aumentada, como a app de reconhecimento

automático de viaturas através da matrícula, utilizando a câmara do dispositivo

móvel, solução que pode ser integrada em diversos processos de negócio.

EL RECAMBIAZO CUMPRE OBJETIVOS

HUMBERPEÇas | A El Recambiazo, tradicional campanha que

o Grupo ASER promove desde 2015 em Espanha, chegou, este ano, a

Portugal pelas mãos da Humberpeças. Graças ao trabalho da equipa da

Humberpeças e da ASER, este objetivo foi rapidamente alcançado. Por um

lado, graças às notícias e banners publicados nos media. Por outro, todo

o material de promoção que a central de serviços desenvolveu para que a

equipa da Humberpeças pudesse alcançar os seus clientes, explicando a

“mecânica” e as vantagens da El Recambiazo, foi decisiva.

9 EM CADA 10 CARROS VENDIDOS TÊM MOTOR DE COMBUSTÃO

acea | Nove em cada 10 carros vendidos na União Europeia estão equipados com motores de combustão interna,

gasolina ou Diesel, sendo que, a curto prazo, estes veículos manter-se-ão dominantes. Segundo os dados da ACEA

(Associação dos Construtores Europeus de Automóveis), venderam-se, em 2018, na União Europeia, 15 milhões

de veículos ligeiros de passageiros. Diferenciando segundo o tipo de combustível/energia, os modelos a gasolina

representaram 57% das vendas, os Diesel 36%, os híbridos 4%, os elétricos 2% e os movidos a combustíveis alternativos

(GPL/NGV/E85) 1%. Ou seja, nove em 10 veículos vendidos na União Europeia, no ano passado, estavam equipados com

motores de combustão interna, gasolina ou Diesel. Independentemente dos incentivos dos diferentes governos europeus

à aquisição dos veículos elétricos, a curto prazo os veículos com motores de combustão interna (tradicionais ou híbridos)

manter-se-ão dominantes.

Baterias HYUNDAI SOLITE

pro4matic | Focada sempre nas novas tecnologias, a empresa

assinou um contrato de representação exclusivo para Portugal da

prestigiada marca de baterias sul-coreana Hyundai Solite. Esta marca

coloca a máxima prioridade em valores sustentáveis, considerando o meio

ambiente e a sociedade simultaneamente, enquanto, ao mesmo tempo,

procura a melhoria contínua de capacidades para o avanço de novas

tecnologias. A Solite é uma bateria automóvel altamente confiável que

satisfaz os apreciadores de veículos em todo o mundo.

54 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


CONSELHOS TRW

SERVIÇO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE NUMA OFICINA

Pense em como se sente quando está a receber um ótimo

serviço de atendimento. Imagine que está a ser tratado

com respeito e que as pessoas que estão a prestar o serviço

estão a tentar ser úteis e orgulham-se do que fazem. Será apenas

uma questão de bom senso? É simples? Nem precisa de pensar nisso?

Obviamente que não é assim, uma vez que todos nos lembramos dos

momentos em que não nos sentimos satisfeitos. Então, voltamos a

procurar esse serviço? É provável que tenhamos ido a outro lado e que

nunca mais regressemos a esse serviço insatisfatório.

A sua oficina necessita de ter sempre um bom serviço de

atendimento ao cliente, pois precisa de conservar os clientes atuais

e ganhar novos para manter o negócio forte. Analisemos, então, as

características de um bom serviço de atendimento ao cliente.

O ambiente da oficina

Aqui, encontra uma lista de coisas que os clientes apreciam. Podem

não ser possíveis de implementar no seu negócio, mas são uma boa

meta a atingir.

• Uma zona de espera confortável, limpa e espaçosa, com muitos

lugares sentados;

• Revistas e jornais. Revistas de automóveis para os clientes que

se interessam por automóveis, revistas de lifestyle para quem não

se interessa por automóveis, bandas desenhadas para manter as

crianças entretidas e para que não desconcentrem os pais;

• Café e chá grátis. Talvez um frigorífico recheado de bebidas frescas

também;

• Wi-fi gratuito;

• Uma televisão para os clientes verem programas enquanto

aguardam.

O trabalho

O que os clientes desejam, acima de tudo, é sentir que você

está mais concentrado em deixar o veículo em bom estado e

em segurança do que em maximizar os lucros. Os lucros são,

obviamente, importantes e são aquilo que mantém o seu negócio

vivo, mas um serviço de confiança vale mais a longo prazo do que

um bom rendimento a curto prazo. Nunca tente vender as peças

mais caras ou peças que não precisam mesmo de ser substituídas.

Mas, em todo o caso, ofereça opções para substituições que serão,

em breve, necessárias, já que poderá tornar esta visita à oficina mais

eficiente e económica para o cliente.

Interação com o cliente

A forma como o cliente é cumprimentado, também é importante.

Ao apresentar-se ao cliente, cumprimente-o com um aperto de

mãos e trate-o por Sr. ou Sra.. Causará muito boa impressão e a

sua oficina será vista como uma empresa altamente profissional.

O cliente vai sentir que, se dá tanta atenção ao atendimento ao

cliente, também dará muita atenção ao veículo.

O mesmo se aplica a quem atende o telefone ou está na

receção. Se essa pessoa se lembrar dos clientes habituais e

mostrar interesse pelas suas vidas, mesmo com um simples

“Olá, como está desde a última vez que o vimos?”, pode causar

uma impressão extremamente positiva. De facto, não há motivo

para que toda a equipa não seja incentivada a fazer isso quando

apropriado.

Esta imagem amigável e atenciosa pode ser melhorada online.

Um site que mostra fotografias e nomes dos membros da

equipa revela um negócio honesto e aberto. Se puder adicionar

testemunhos de clientes, terá uma página que funciona, não só,

como um guia para os seus serviços, mas, também, como uma

ferramenta promocional que tranquiliza e atrai novos clientes.

Hoje, não podemos escapar ao facto de que as pessoas nos

avaliam primeiro online antes de o fazerem offline. Pode causar

sempre uma ótima primeira impressão, passando uma boa

imagem online.

Depois de o cliente deixar o veículo na oficina, avalie a sua

condição, ligue para explicar o trabalho que precisa de ser

realizado e verifique se o cliente pretende que avance com o

serviço. Esta é uma maneira excelente de assegurar ao cliente que

a sua principal preocupação é oferecer um bom serviço. Continue

assim até concluir o trabalho, reunindo-se com os clientes na

oficina para demonstrar que tudo foi realizado conforme o

previsto.

Pode pensar que tudo isto é bastante normal, mas muitas

empresas ignoram este conselho, pensando que tudo acontece

naturalmente. Esta é a sua oportunidade. Pode ser superior

à concorrência e destacar-se por fazer coisas aparentemente

simples, mas importantes e eficazes. Pergunte a si mesmo: com

que frequência lhe foram prestados serviços de ótima qualidade

recentemente? Serviços dos quais falaria às pessoas? Ou sobre

os quais escreveria? Provavelmente, muito poucas vezes. Razão

pela qual estes ficam na sua memória quando passa por uma

boa experiência. Faça do serviço de atendimento ao cliente uma

prioridade. Os seus clientes vão reparar em si e dar-lhe valor.

NOTA: Para saber mais sobre este tema, consulte

o site www.trwaftermarket.com/oficinasoriginais

www.jornaldasoficinas.com Julho I 2019 55


Classificados

41jeep_CROWN_vrs_8modulos.pdf 3 28/06/19 15:38

09mod_APMariaPia_Golf_2016.pdf 2 19/09/18 10:51

AUTO PEÇAS MARIA PIA, LDA

“Com 25 anos de experiência”

C

M

Y

C

CM

M

MY

Y

CY

CM

CMY

MY

CY

K

CMY

K

GRANDE VARIEDADE DE PEÇAS JEEP

geral@41jeep.com . 261 931 456 . www.41jeep.com

Rodapé_Auto Barros.pdf 1 17/06/19 11:27

HORÁRIO >2ª a 6ª Feira - 9h às 12h30 - 14h30 às18h30 >Sábado - 8h às 12h

Especializados nas marcas VW, SKODA, SEAT, AUDI e em peças para VW Carocha

Tel.: 213 964 690 | 213 964 837 | Fax: 213 971487

Rua Freitas Gazul,13B - C. Ourique - 1350-148 Lisboa

autopecasmariapia@gmail.com

DESDE 1985

Rua Ernesto Gonçalves, 118. 132, 138 - EN 1 - Apartado 76 - 4415 - 933 SEIXEZELO

Geral/Peças: 227 419 200 - e-mail: geral@autobarros-acessorios.pt - www.autobarros-acessorios.pt

56 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


lanca_marques_.pdf 1 12/06/19 15:39

Especialista em componentes elétronicos auto

www.lancaemarques.pt

Distribuidores de toda a gama Banner

www.jornaldasoficinas.com Julho I 2019 57


MÁQUINA

D0 TEMPO

BOMBÓLEO

SER VENCEDOR

É IR NA FRENTE

NO ANO EM QUE A BOMBÓLEO COMEMORA SEIS DÉCADAS DE ATIVIDADE,

O JORNAL DAS OFICINAS VISITOU DOMINGOS MARQUES PARA CONHECER

A SUA OBRA À FRENTE DOS DESTINOS DA EMPRESA LÍDER EM SISTEMAS

DIESEL E AFTERMARKET por João Vieira


82

Bombóleo – Sociedade Comercial de

Bombas injetores, nasceu a 8 de junho

de 1959, numa oficina na Calçada

dos Mestres, em Campolide, Lisboa,

com espaço apenas para a assistência

aos órgãos em bancada e tendo

no seu laboratório Diesel um banco

Merlin, de oito cilindros. Contava,

na altura, com três sócios e dois técnicos.

Nesse tempo, Domingos Marques

era um jovem com 20 anos de

idade, que cumpria o serviço militar

e pouco conhecia de automóveis, pois

a sua profissão era canteiro. A ligação

ao setor automóvel foi por “acidente”,

conforme o próprio contou ao Jornal

das Oficinas. “Como estive na tropa

numa situação diferente, pois não fui

para o Ultramar, tive a oportunidade

de estar disponível para aprender sobre

o negócio da reparação Diesel que

era desenvolvido na Bombóleo, uma

empresa que tinha como sócios pessoas

da minha família”, começou por

contar. “Devido a uma má gestão, o

negócio começou a cair e fui contactado

para ficar com a empresa. Adquiri

a Bombóleo no início dos anos 60 e

comecei logo a estudar à noite para

fazer um curso de sistemas de injeção

Diesel, que me permitiu ficar na

vanguarda dos conhecimentos técnicos

na área do Diesel. Nessa altura, os

mecânicos conheciam os sistemas na

prática, mas a nível de conhecimentos

teóricos nada sabiam”, prosseguiu.

Domingos Marques revelou ainda

que, graças aos conhecimentos adquiridos

nos cursos de formação que

frequentou e nos livros que leu sobre

sistemas Diesel e técnicas de reparação,

conseguiu destacar-se no mercado

e ganhou reconhecimento junto

dos profissionais. Compreendeu as

necessidades dos clientes e começou

a desenvolver relações comerciais.

“Tive sempre um papel de ator, de homem

de palco, pois sabia comunicar

com as pessoas, o que me permitiu ter

um relacionamento muito próximo e

transmitir segurança”, revelou.

Mundo de oportunidades

No final da década de 60, Domingos

Marques foi para Itália, país onde

eram fabricados mais de 70% dos

componentes utilizados nas reparações

Diesel. Estudou italiano para

conseguir comunicar bem com os

fabricantes e trouxe muitas representações

de marcas, que começou

HÁ CERCA DE DOIS ANOS,

DOMINGOS MARQUES DECIDIU

apostar NA REPRESENTAÇÃO

da MAGNETI MARELLI E DA SUA

REDE DE OFICINAS CHECKstar

a comercializar em Portugal. Mas o

trabalho em excesso e alguma falta de

preparação fizeram com que o corpo

desse sinais de cansaço e, aos 37 anos,

teve um enfarte, que o atirou para

uma cama de hospital durante cerca

de um mês. Recomposto do problema

de saúde, voltou para Portugal decidido

a dar um novo impulso ao negócio.

Com a vinda dos retornados do Ultramar,

após o 25 de Abril, abriu-se

59

77

80

91

60 ANOS

DE SUCESSO

1959

Fundação da Bombóleo – Sociedade

Reparadora de Bombas Injetoras, Lda.

(Laboratório Diesel) com oficina na

Calçada dos Mestres, Campolide (Lisboa)

1964

Mudança de instalações para

a Rua Conde das Antas

1968

Início da atividade comercial

1970

Mudança de instalações do laboratório

Diesel e sede para a Rua da Cruz Vermelha,

em Lisboa

1974

Distribuidor Magasa.

Início da comercialização de bancos

de ensaio para laboratórios Diesel

1980

Fundação da Iberoturbo (sócios

de Barcelona). Comercialização e

assistência técnica a turbocompressores

e termoventiladores em Portugal.

Distribuidor de turbos Garrett e Schwitzer

1985

Distribuidor Stanadyne – Diesel

1986

Fundação da Trava – Comercialização

e assistência técnica de sistemas

de travagem pneumática, em Massamá.

Fundação da DSV – Comercialização

e assistência técnica a turbocompressores

e ventiladores para o mercado francês

1991

Inauguração da Escola

de Formação Profissional

www.jornaldasoficinas.com Julho I 2019 59


BOMBÓLEO

um mundo de oportunidades para

a empresa de Domingos Marques.

Muitos desses retornados tinham já

uma atividade ligada ao Diesel, mas

faltava-lhes capacidade financeira e

equipamentos para desenvolverem

o negócio em Portugal. Domingos

Marques tinha as ferramentas e os

equipamentos que eles precisavam

para iniciarem a atividade. Foi apenas

uma questão de tempo para chegarem

a acordo sobre as condições de

efetivarem uma parceria, com benefícios

recíprocos para ambas as partes:

a Bombóleo fornecia-lhes os equipamentos

e as ferramentas necessárias

para realizarem o trabalho de reparação

dos sistemas Diesel; as empresas

comprometiam-se a pagar um valor

mensal à Bombóleo.

“A maioria dos laboratórios Diesel que

surgiram em Portugal foram criados

com o apoio da Bombóleo. Eu tinha

o produto e os equipamentos. Ajudava-os

a montarem os laboratórios, dava-lhes

formação e eles prestavam o

serviço. A empresa era deles e apenas

tinham de pagar, no final do mês, o

valor que ficara acordado. Muitos deles

conseguiram realizar dinheiro em

pouco tempo e pagar todo o equipamento.

Assim, surgiram muitas empresas

que nós apoiamos e que nunca

consideramos concorrentes, mas, antes,

parceiros de negócio. A única coisa

que lhes pedia era para fazerem tão

bem ou melhor nos seus laboratórios

o que nós fazíamos na Bombóleo”, recordou

Domingos Marques.

Esta atitude representa a visão de

quem sabe que as empresas se apoiam

reciprocamente, desde que optem por

uma sã concorrência e por cooperar

para formar as sinergias que a todos

beneficiam. Sendo distribuidor de peças,

equipamentos e serviços, a Bombóleo

só pode lucrar com a existência

de mais operadores no mercado, desde

que estes façam um bom trabalho e

contribuam para desenvolvê-lo.

Concorrentes não, parceiros

Domingos Marques nunca utilizou a

palavra concorrente. Preferiu sempre

chamar às outras empresas que estão

no mercado parceiros de negócio

e não adversários. Considera que o

mais importante é as pessoas serem

iguais a elas próprias e vencerem pelo

mérito que têm. Outro lema que tem

norteado a vida de Domingos Marques

é nunca dizer não a um cliente.

“O cliente tem de ser sempre servido.

E mesmo quando não temos a peça

NUNCA DIZER NÃO ao CLIENTE

É UM DOS LEMAS QUE TEM

norteaDO A VIDA DE DOMINGOS

MARQUES, QUE NUNCA UTILIZOU

A PALAVRA CONCORRENTE

82

94

98

07

09

11

92

1992

Bombóleo Angola.

Início da atividade neste país africano

1994

Fundação da Bombóleo Brasil

1995

Mudança dos serviços administrativos

para Massamá

1998

Presença da Bombóleo em Cabo Verde

1999

Presença da Bombóleo em Moçambique

2002

Distribuidor Rabotti. Início

da comercialização de equipamentos

common rail em Portugal e Espanha

2004

Distribuidor Bosch Portugal

2006

Fundação da Central Diesel. Serviço oficial

das marcas Bosch, Denso, Delphi, Siemens

VDO e Stanadyne

2007

Abertura das instalações

da Bombóleo Porto

2008

Lançamento da marca Turbopoint.

Bombóleo Angola nomeada distribuidora

para o mercado angolano pelos fabricantes

Bosch, Denso, Delphi e VDO.

Aquisição da totalidade das quotas

da Bombóleo Brasil

2009

Bombóleo Brasil: abertura da filial

em São Paulo, Casa Verde

Contrato com a Siemens VDO

Bombóleo Angola: abertura do primeiro

laboratório Diesel em Luanda, na Mulemba

Diversificação do negócio

2010

Viagem de incentivo com clientes

do Grupo Bombóleo: cruzeiro nas Caraíbas

a bordo do maior navio do mundo,

o Oasis of the Seas

Tierratech: comercialização

de equipamentos de limpeza

por ultrassons

Aquadetox: comercialização

de equipamentos de tratamento

de águas residuais para reutilização

Bombóleo Angola:

abertura de laboratório Diesel no Lobito

2011

Bombóleo Angola: início da reparação de

sistemas common rail e turbocompressores

Bombóleo Brasil: início da comercialização

de equipamentos Tierratech

Criação da rede de postos autorizados

Denso no Brasil

60 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


2012

Alargamento do core business ao produto

aftermarket

Bombóleo Brasil: abertura de novas

instalações em São Paulo/Hortolândia,

Campinas, unidade de remanufatura e

injetores Denso

2013

Bombóleo: eventos em Favaios e Azeitão

Divulgação da nova área de negócio:

aftermarket

Bombóleo Angola: início de comercialização

da Bosch Automotive; Lobito: mudança de

instalações para Belavista, Morro da Rádio

2014

Grupo Bombóleo: implementação do novo

sistema informático e novo portal de vendas

“Webshop Bombóleo”

Bombóleo Angola (Luanda): mudança de

instalações (loja e laboratório) para o Bairro

de S. Paulo

2015

Bombóleo Angola: início da comercialização

dos lubrificantes Morris

Bombóleo Brasil: início da comercialização

de produtos de ar condicionado

2016

Grupo Bombóleo: eleito o stand com melhor

imagem na expoMECÂNICA, em Matosinhos

Bombóleo Porto: aquisição de novo edifício

para a instalação do armazém no Porto

Alargamento da oferta de produtos

aftermarket: introdução das marcas LUK,

Sachs e SWAG

Incorporação do Grupo Bombóleo enquanto

membro da rede Nexus Automotive

Criação da empresa Greenturbo,

representante da marca IHI em Espanha

2017

Bombóleo Brasil: início de comercialização

dos equipamentos para turbos TurboClinic

2018

Bombóleo: obras de remodelação do edifício

de Massamá

Representante nacional da marca Magneti

Marelli, com atribuição de qualidade de

fornecedor preferencial à rede Checkstar

1.ª Convenção Diesel Turbo

Bombóleo Brasil: nova parceria com a

empresa USA Alliant Power; serviço VDO

Continental DRS, Goiânia

2019

Bombóleo: alargamento da oferta

aftermarket com novas marcas

FISPA - material elétrico e de gestão do

motor

WEPP – Tratamento DPF (limpeza de filtros

de partículas) e aditivos

Aquadetox – instalação de uma unidade de

grande dimensão para tratamento de águas

residuais e sua reutilização

Bombóleo Angola (Lobito): Mudança de

instalações

Bombóleo Brasil: início de comercialização

da Dinex – tratamento DPF; Expansão da

área técnica de Goiânia; Continental VDO,

produto Bosch e Delphi

12

13

16

18

19

que ele procura, devemos fazer tudo

para arranjá-la e solucionar o seu

problema. Costumava dizer-se que,

se a Bombóleo não arranjava a peça,

não valia a pena perder tempo a contactar

outras empresas”, salientou.

Esta forma de estar na vida acabou

por trazer enorme retorno a Domingos

Marques. Para si e para todos os

que, com ele, trabalham e se relacionam.

Por não saber dizer não ao trabalho e

às oportunidades que foram surgindo

ao longo da vida, a sua empresa

tornou-se líder nacional em sistemas

Diesel, sendo, hoje, também líder nos

turbocompressores, através da Iberoturbo,

que representa no nosso país

todas as marcas de turbocompressores.

Por não saber dizer não à expansão

do negócio, a Bombóleo está,

atualmente, presentes em ambos os

lados do Atlântico, dispondo de filiais

em Angola e no Brasil.

Outra faceta curiosa da personalidade

de Domingos Marques tem a ver

com o respeito e consideração que

nutre por todos os profissionais do

mercado. Quando um cliente leva

uma bomba de injeção avariada, que

já tinha estado noutra casa a reparar,

Domingos Marques diz que o problema

não é da bomba e tenta resolvê-lo

de imediato. “Nunca se deve dizer mal

de ninguém”, alertou. Ser vencedor é

ir na frente. E Domingos Marques

sempre conseguiu ir mais à frente do

que os outros. “Tive um negócio em

Tomar, muito cobiçado, ao ponto de

outros vendedores ficarem a dormir à

porta da empresa para serem os primeiros

a fazer negócio. Mas quando

entraram, já estava fechado por mim,

pois, na véspera da reunião, tinha negociado

com a empresa”, referiu.

Sendo um homem de boa fé e boa

00

vontade, Domingos Marques apostou

tudo na disponibilidade para

servir os clientes, mas, também, na

transparência e na proximidade para

dirigir o seu negócio, que acabou por

gerir como uma família, hoje com

cerca de 130 pessoas.

História interminável

A Bombóleo continua a desenvolver

o seu projeto em Portugal, onde

criou responsabilidades nos sistemas

Diesel, turbocompressores e numa

cada vez mais ampla linha de peças

e equipamentos oficinais. A sua Academia

de Formação é uma realidade

no apoio aos clientes. A Iberoturbo é,

neste momento, uma referência no

importante mercado dos turbos, dispondo

de oferta global de produtos e

serviços. A Central Diesel é a unidade

reparadora oficial de todas as marcas

de equipamento Diesel e é a empresa

que dá apoio técnico aos clientes da

Bombóleo e da Iberoturbo.

Há cerca de dois anos, Domingos

Marques decidiu apostar na representação

da marca Magneti Marelli

e da sua rede de oficinas Checkstar.

“Vemos a marca Magneti Marelli com

uma forte componente técnica na sua

formação e uma enorme notoriedade

no mercado. Sendo a Bombóleo

uma empresa habituada a trabalhar

produtos técnicos, entendemos que a

mesma poderia complementar a nossa

oferta. A Magneti Marelli tem um

longo historial no mercado português

e uma rede oficinal própria (Checkstar)

composta por muitos aderentes

que têm enorme know-how, fruto

da formação que advém da Magneti

Marelli, sendo estas mesmas oficinas

reconhecidas como especialistas, nomeadamente

na componente elétrica

e mecânica”, explicou. l

www.jornaldasoficinas.com Julho I 2019 61


produto

UM EM CADA DOIS AUTOMÓVEIS PRODUZIDOS ATUALMENTE VEM

EQUIPADO DE ORIGEM COM FILTRO DE HABITÁCULO MICRONAIR


MICRONAIR

30 ANOS

DE INOVAÇÃO

SE, HOJE, A TECNOLOGIA DE FILTRAGEM PARA O HABITÁCULO ESTÁ BASTANTE DESENVOLVIDA

E DESEMPENHA UM PAPEL DECISIVO NA PRESERVAÇÃO DA SAÚDE HUMANA E NO BEM-ESTAR

DOS OCUPANTES, MUITO SE DEVE À FREUDENBERG, QUE, EM 1989, CRIOU O FILTRO MICRONAIR

PARA O ICÓNICO MERCEDES-BENZ SL por Bruno Castanheira

Nascido em 1989, o filtro de

habitáculo micronAir, que

celebra, este ano, três décadas

de existência, estabeleceu uma área

inteiramente nova dentro da indústria

automóvel. A sua principal missão

sempre foi melhorar a saúde humana

e o bem-estar dos passageiros.

30 anos de micronAir traduzem, por

isso, a inovação em produtos e serviços

de filtragem para o habitáculo.

Mas o mais importante para o Grupo

Freudenberg, detentor da marca

Corteco (a única que está “autorizada”

a comercializar este filtro para

o aftermarket, uma vez que, para

a origem, este componente traz gravado

o símbolo da marca do veículo),

é a estreita colaboração que tem

com clientes e parceiros. Não admira,

pois, que um em cada dois automóveis

produzidos atualmente estejam

equipados com filtro micronAir.

DécADAS de bom ambiente

Uma vez que, hoje, quase todos os

veículos dispõem de filtro de habitáculo,

torna-se difícil imaginar que,

em tempos, este componente pura e

simplesmente não existia. O primeiro

modelo de produção do mundo a

incluir um filtro de habitáculo, e logo

como equipamento de origem, foi

o Mercedes-Benz SL de 1989. Passadas

algumas semanas, depois deste

filtro de partículas de elevada PERFORMANCE

Design multicamada patenteado retém pó fino e microorganismos de PM2,5, tais

como esporos de fungos

carbono ativo de

elevada PERFORMANCE

Protege contra gases nocivos

e emissões desagradáveis do

interior veículo

camada funcional

Superior efeito de longo prazo

contra alergéneos flutuantes no

ar, à base de extratos de frutas

icónico roadster germânico a Freudenberg

recebeu encomendas por

parte de BMW, Volkswagen e Audi,

ainda que o filtro se destinasse a

equipamento especial.

Em 1991, o novo Opel Astra foi o primeiro

automóvel de produção em

série a incluir o filtro de habitáculo

micronAir como equipamento de

origem, tendo sido seguido pouco

tempo depois pelo Volkswagen Golf

II. A Freudenberg não inventou apenas

um produto totalmente novo:

deu origem a uma nova indústria.

Desde o início que a Freudenberg

alcançou uma posição de liderança

de mercado entre os OEMs. E ainda

hoje mantém esse estatuto. Depois

de o conceito ter sido comprovado

pelo projeto da Mercedes-Benz

e, em menor escala, pela VW e outros

construtores, o facto de ter sido equipamento

de série do Astra foi realmente

considerado um grande avanço

para a Freudenberg. Os grandes

benefícios para a saúde conseguidos

à custa deste revolucionário produto

passaram a estar disponíveis para

toda a população. E a verdade é

que a velocidade com que a indústria

de filtragem se desenvolveu foi surpreendente.

Em 1989, a Freudenberg

produziu 35 mil filtros micronAir.

Em 1993, foram expedidos 3,6 milhões

de unidades... l

www.jornaldasoficinas.com Julho I 2019 63


NOTÍCIAS // PEÇAS E EQUIPAMENTOS À MEDIDA DE CADA NEGÓCIO

Produto

BOSCH

[ESI]TRONIC

COM NOVOS RECURSOS ONLINE

Desde 2018 que as oficinas que subscreveram o software da Bosch [ESI]

tronic podem, agora, aceder e utilizar em paralelo a versão online. Através

da introdução de novas funcionalidades, a Bosch aperfeiçoou a versão online

do [ESI]tronic 2.0 com base no feedback dos seus utilizadores. Através do

gestor de downloads, as oficinas podem, por exemplo, optar por uma instalação

rápida e que ocupa menos espaço, selecionando a informação ou as funcionalidades

que pretendem instalar. Neste caso, só a função de diagnóstico de ECU (SD)

e os catálogos individuais de peças de reposição são armazenados localmente no

disco rígido do computador da oficina. Informações adicionais, como instruções e

manuais de resolução de problemas (SIS), informações de manutenção (M), diagramas

de circuitos (P) e módulo “reparação baseado em experiência - padrões de

erros conhecidos” (TSB / EBR), podem, agora, ser acedidos e utilizados online.

64 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


MANATEC JUMBO 3D SUPER FAZ A DIFERENÇA

Domingos & Morgado | Disponibiliza aos clientes o primeiro equipamento do mundo

com alinhamento de rodas 3D para autocarros e camiões multieixos. A Manatec é uma empresa

indiana especializada na conceção e fabrico de máquinas de alinhar direções para veículos

pesados. O sistema é semelhante ao de qualquer máquina full 3D, sendo a medição dos ângulos de

todos os eixos efetuada em menos de quatro minutos. O equipamento é fornecido, de série, com

10 alvos e garras, podendo ainda ser utilizado para o alinhamento de veículos ligeiros e comerciais,

aumentando, assim, a sua polivalência. O sistema de quatro câmaras de 10 Mp cada permite uma

rapidíssima recolha dos dados necessários ao alinhamento, através de um software inteligente de

última geração. A Jumbo 3D Super dispõe de garras auto-centrantes e conta com sistema wi-fi.

NOVO SISTEMA ADAS DA MAHLE

LUSILECTRA | A empresa do Grupo Salvador Caetano está a apostar na representação da

marca MAHLE, tendo como foco o inovador painel de calibração digital que, em conjunto com

a ferramenta de diagnóstico TechPro, consiste na opção mais fácil e rápida de ajustar e calibrar

os sistemas de assistência à condução (ADAS). Ao contrário dos equipamentos já existentes no

mercado, a MAHLE apenas utiliza um painel de calibração digital, o que torna esta opção mais

versátil e mais inovadora quando comparada com a concorrência, que necessita de diferentes

painéis em função dos diferentes veículos e dos diferentes sistemas ADAS. Relativamente à

atualização do sistema e do software dos produtos, estes serão, automaticamente, atualizados

de forma contínua, por forma a acompanhar todos os desenvolvimentos tecnológicos desta área

e todos os novos modelos de veículos introduzidos no mercado.


Notícias

Produto

BOMBA DE ÁGUA PatENTEADA

Airtex | Após três anos a desenvolver a patente, lançou,

recentemente, uma nova referência de bomba de água: 1953. É

completamente diferente da restante gama de catálogos da Airtex,

sendo a única com sistema patenteado PSF (Pneumatic Switched

Flow). Através de um processo de vácuo, este sistema é capaz de variar

o caudal de acordo com os requisitos do motor.

TRW EXPANDE PORTEFÓLIO

ELECTRIC BLUE

A

Electric Blue, da TRW, é a nova gama de produtos para veículos elétricos e representa a

capacidade de inovação da ZF Aftermarket. Esta nova geração de pastilhas de travão consegue

reduzir, significativamente, os ruídos interiores e a poeira de travagem. Após o lançamento

na edição de 2018 da Automechanika Frankfurt, o portefólio de produtos já cobre 97%

do parque automóvel elétrico europeu, incluindo os veículos da Tesla e o Nissan LEAF. Mas o programa

continua a evoluir. Atualmente, estão a ser testadas formulações para veículos híbridos, de

modo a completar a gama. O programa será apresentado nos próximos meses. Testes comprovam

que as pastilhas de travão Electric Blue da TRW, feitas com uma nova e revolucionária formulação

do material que produz menos NVH (ruído, vibração e dureza), são mais eficazes quando suportadas

por um enchimento multicamadas e acessórios de redução de ruído.

TECNOLOGIA CARBON BOOST 2.0

Exide | Lançou a sua tecnologia de última geração Carbon Boost 2.0

para baterias EFB e Premium de veículos ligeiros (LV). O Carbon Boost

é uma solução exclusiva do Grupo Exide, projetada em colaboração

com os principais fabricantes de automóveis. A tecnologia inovadora

usa aditivos de carbono aprimorados que combinam uma estrutura de

superfície otimizada com uma condutividade bastante melhor.


CONSELHOS SOBRE ENGRENAGEM DA CAMBOTA

Diesel Technic | A engrenagem da cambota aciona duas engrenagens intermediárias diferentes. Uma delas transmite potência à engrenagem do eixo de comando,

que, por sua vez, aciona o mecanismo da válvula através do eixo de comando, possibilitando a abertura e o fecho das válvulas. Por seu turno, a outra engrenagem intermediária

aciona a bomba de óleo lubrificante, que bombeia o óleo para as partes móveis do motor. Para garantir a qualidade das suas engrenagens, a Diesel Technic recomenda que os

componentes sejam verificados, regularmente, numa máquina de medição de engrenagens.

METALCAUCHO

O FORNECEDOR EUROPEU DE PEÇAS

DE REPOSIÇÃO EM BORRACHA E METAL

LANÇOU O NOVO CATÁLOGO DE 2019,

QUE INCLUIU NOVAS REFERÊNCIAS

PARA O SETOR, QUE TÊM ELEVADA

PROCURA E MUITA ROTATIVIDADE. DAS

703 NOVAS REFERÊNCIAS, 262 SÃO

EXCLUSIVAS.

PRODUTOS PARTILHADOS POR WHATSAPP

OLIPES | Já é possível partilhar informações acerca dos seus produtos via WhatsApp, desde

que acedendo ao site do fabricante a partir de um smartphone. Com esta nova funcionalidade,

disponível em dispositivos iOS e Android, é possível partilhar as características dos produtos com

o mecânico ou vendedor, garantindo que eles (os produtos) correspondem às especificações

exigidas pelo fabricante do equipamento e agilizando o processo de compra. Embora o

WhastApp tenha nascido como um serviço de correio rápido, hoje ninguém põe em dúvida a sua

transformação em rede social, permitindo partilhar texto, imagens, vídeos, documentos e fazer

chamadas. A OLIPES fabrica mais de 2.500 referências, entre óleos, massas, lubrificantes e todo o

tipo de fluidos para 75 diferentes setores de atividade.

Kit de Corrente de Distribuição.

Da Companhia líder no mundo em componentes de transmissão de potência, uma completa gama de Kits de Corrente

de Distribuição, que resumem toda a experiência e investigação DAYCO.


Notícias

Produto

DELPHI

DISCOS REVESTIDOS

Os discos de travão revestidos da Delphi ultrapassaram os da concorrência em testes independentes,

ao proporcionarem mais de 720 horas de resistência à corrosão provocada

pelo nevoeiro salino. A proteção adicional assegura grande duração e qualidade ao disco,

que os técnicos podem instalar com total fiabilidade. Uma vez que não é necessário limpar o

óleo, a sua instalação é muito mais rápida e simples, o que faz com que as oficinas poupem tempo

de trabalho. Em toda a superfície dos novos discos da Delphi, é aplicado um revestimento

Geomet, respeitador do ambiente à base de flocos de zinco e água, que cobre a parte superior,

o bordo exterior, os canais interiores e as superfícies de fricção. Embora os discos pintados ou

parcialmente revestidos possam parecer igualmente bons no momento da instalação, os seus

benefícios são pouco duradouros. O resistente revestimento Geomet da superfície de instalação

também facilita a extração do disco de travão, uma vez que há menos corrosão.

NOVO KIT DE BRAÇOS DE

SUSPENSÃO SUPERA TESTES

MEYLE | O fabricante de peças de substituição de Hamburgo tem

no braço de suspensão MEYLE-HD em alumínio para BMW e MINI

uma solução tecnicamente aperfeiçoada face à peça de origem,

estando dotado de uma junta esférica substituível e material de

fixação, uma solução de que só a MEYLE dispõe, atualmente, no

aftermarket. A construção em alumínio garante uma ótima proteção

do braço contra a corrosão e assegura maior durabilidade. O peso,

quase 20% menor em relação à peça original, oferece vantagens ao

longo de toda a cadeia logística. O kit é constituído por dois braços

(esquerdo e direito), bem como pelos casquilhos MEYLE-HD com

suportes e o material de fixação necessário. Fiel ao lema “Melhor

do que a peça original”, o kit apresenta inúmeras vantagens em

comparação com a peça original equivalente.


NOVIDADES EM JULHO

kroftools | A Crofil, com marca própria KROFtools, no ramo automóvel há 30

anos, procura sempre evoluir e inovar com artigos novos todos os meses. Como tal,

o mês de julho não é exceção. A marca de ferramentas profissionais dispõe do novo

kit martelo deslizante tira mossas com cinco peças, folha de serra HSS 24”x12” com

10 peças, nove medidas da chave de transmissão, chave transmissão 1/2” Bihex e

kit extrator injetor Fiat/Opel/Ford/Suzuki para extração de injetores extremamente

presos, com adaptadores específicos para hidráulica ou mecânica.

MS MOTORSERVICE

150 SENSORES

DE MASSA DE AR

A

MS Motorservice disponibiliza sensores de massa de ar que podem ser substituídos

de forma especialmente simples e rápida graças à sua construção inteligente.

O sensor de inserção e o tubo de fluxo estão aparafusados um no outro,

pelo que são desmontáveis. Além disso, foram desenvolvidos de modo a poderem ser

utilizados em inúmeros modelos de veículos diferentes. Além da alta funcionalidade

e da montagem simples e económica, há muitos pontos a favor dos sensores de massa

de ar da MS Motorservice também em termos de aplicabilidade. Por exemplo, só o

sensor de massa de ar com a referência do artigo 7.22684.18.0 pode ser utilizado num

total de 420 aplicações (KTyp) das marcas Volkswagen, Audi, Seat, Škoda e Ford. Na

MS Motorservice, a gama inteira de sensores de massa de ar abrange, aproximadamente,

150 artigos, que cobrem, ao todo, mais de 5.500 aplicações em todo o mundo,

abrindo um imenso potencial de mercado, superior a 170 milhões de veículos.

BATERIAS MÄKTIG JÁ CHEGARAM

AZ Auto | A marca de baterias europeia MÄKTIG chegou a Portugal por intermédio

da empresa do Grupo MCoutinho, que iniciou a sua comercialização através de

parceiros estrategicamente selecionados. A MÄKTIG é o resultado de vários anos de

estudo e de avanços tecnológicos na área de armazenagem de energia elétrica em

baterias. A marca recorre a tecnologia de ponta na produção dos seus produtos. Com

tecnologia comprovada em vários países, os produtos da MÄKTIG são testados até ao

limite, de forma a corresponder aos mais exigentes padrões.

SOFTWARE DE DIAGNÓSTICO

Magneti Marelli | Marca apresentou uma solução totalmente legal para

aceder ao diagnóstico protegido em veículos de última geração do Grupo FCA, aplicado

em vários modelos das marcas Fiat, Jeep e Alfa Romeo. O sistema apresentado permite

uma interface simples entre o conector OBD do veículo e o conector de qualquer

instrumento de diagnóstico existente no mercado, ligar à plataforma online da FCA e

desbloquear o acesso ao diagnóstico por 24 horas mediante o pagamento de €1. Para

isso, basta ter um PC com ligação à Internet, fazer o registo na plataforma e executar um

programa simples para efetuar o pagamento quando se quiser fazer um diagnóstico.

MANUAIS DE INSTALAÇÃO MELHORADOS

GATES | Marca definiu novos padrões ao fornecer instruções de instalação digitais com cada kit de distribuição

Gates PowerGrip vendido. Desde maio de 2019 que são incluídos códigos QR em todas as caixas de correias de

transmissão, oferecendo aos mecânicos uma ligação direta a procedimentos de instalação no ecrã de base OE e

específicos de cada motor. Em vez das instruções em papel no interior de cada caixa, os mecânicos podem aceder

a instruções digitais, fáceis de utilizar, lendo um código QR ou introduzindo a chave do produto no website. Além

de apresentar conteúdos mais visuais e um formato passo a passo, a mudança irá permitir à Gates acrescentar

mais melhorias digitais ao longo do tempo. As instruções estão disponíveis em 27 idiomas diferentes, oferecendo

às oficinas de toda a região EMEA maior clareza e poupança de tempo, uma vez que têm informação no seu

idioma local.

www.jornaldasoficinas.com Julho I 2019 69


ORGANIZAÇÃO

PARCERIA

QUALIDADE À PROVA

O CONCURSO MELHOR MECATRÓNICO 2019 CONTINUA À PROCURA DO PROFISSIONAL MAIS

COMPETENTE NA ÁREA. AS CANDIDATURAS DA 4.ª EDIÇÃO SÃO PROVA DA QUALIDADE DOS TÉCNICOS

DO QUE EXISTE NO NOSSO PAÍS. OS PATROCINADORES OPTIBELT E VALVOLINE EXPLICAM O MOTIVO

PELO QUAL SE ASSOCIARAM A ESTA INICIATIVA

WALTER RIEGELMANN, OPTIBELT

“UMA FORMA DIFERENTE DE ESTARMOS MAIS PRÓXIMOS DAS

OFICINAS”

PAULO SANTOS, VALVOLINE

“O NOSSO PAPEL É DIGNIFICAR E GARANTIR COMPETÊNCIAS

PARA O SETOR ”

w

alter Riegelmann, responsável

da Optibelt, uma das empresas

patrocinadoras da

edição de 2019 do concurso Melhor

Mecatrónico, explicou ao Jornal das

Oficinas porque aceitou o repto. “Pela

vossa recomendação, principalmente,

e por acreditar que se trata de uma

maneira de estarmos mais próximos

das oficinas, de uma forma diferente”,

começou por afirmar.

De acordo ainda com o responsável

da Optibelt, “com a ‘eletrificação’ dos

veículos, já trabalhamos com alguns

fabricantes de automóveis, no sentido

de projetar novos sistemas que

ajudem a poluir o menos possível e a

aumentar a eficiência do motor, como

é o caso da nossa nova correia específica

para eles”, sublinhou.

d

esde sempre, temo-nos mantido

abertos para apoiar iniciativas

diferenciadoras e que

tenham por objetivo melhorar a atividade

do aftermarket nacional, “afirmou

Paulo Santos, responsável da Valvoline,

empresa, uma vez mais, patrocinadora

do Melhor Mecatrónico.

“Quando nos foi apresentada a ideia,

esta ainda não passava disso mesmo,

aceitámos de imediato fazer parte e

assumimos um papel encorajador

junto do Jornal das Oficinas, nesse

sentido. O nosso papel enquanto operador

de referência do aftermarket

nacional é dignificar e garantir o máximo

de competências para o setor.

Estaremos sempre disponíveis para

apoiar iniciativas credíveis nesse sentido”,

acrescentou Paulo Santos. l

70 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


ORGANIZAÇÃO

PARCERIA

PROMOVER

A EFICIÊNCIA

A 3.ª EDIÇÃO DO CHALLENGE OFICINAS CONTINUA À PROCURA DA MELHOR OFICINA DE 2019. NA OPINIÃO DOS

PATROCINADORES DO CONCURSO, O OBJETIVO É PROMOVER AS BOAS PRÁTICAS E A QUALIDADE JUNTO DO SETOR

PEDRO CARVALHO, BETA

“UMA OPORTUNIDADE DE MOSTRAR A QUALIDADE DO NOSSO

PRODUTO AOS CLIENTES”

GRISÉLIA AFONSO, SKF

“CONTINUAMOS A ACREDITAR NO ESTÍMULO À QUALIDADE E NA

BOA GESTÃO DAS OFICINAS NACIONAIS”

p

edro Carvalho, responsável

da Beta, um dos patrocinadores

oficiais da edição de

2019 do Challenge Oficinas, acredita

que o setor oficinal, no nosso país, tem

feito um caminho muito positivo, nos

últimos anos. “Temos verificado uma

grande evolução. Ainda há metas a

cumprir, claro, mas a preocupação pelas

questões tecnológicas e pela utilização

de produtos de qualidade é notória.

Constatamos essa tendência”,

assinala. Segundo diz, o apoio da Beta

é uma oportunidade para dar a conhecer

a qualidade dos equipamentos e as

ferramentas da empresa”.

G

risélia Afonso, Sales &

Marketing Unit Manager

Automotive VSM Portugal

da SKF, não tem quaisquer dúvidas

em patrocinar o Challenge Oficinas.

Os motivos que a levaram a associar-

-se, uma vez mais, a esta iniciativa,

são idênticos aos dos dois anos anteriores.

“Continuamos a acreditar no

projeto. Por isso, é fundamental estarmos

junto de um concurso que

promove a qualidade das nossas oficinas”,

adianta. “Num mercado competitivo

como o aftermarket automóvel

nacional”, acrescenta Grisélia Afonso,

“ações como esta são um contributo

essencial para estimular as boas práticas

dos responsáveis do setor”. l

www.jornaldasoficinas.com Julho I 2019 71


epintura

ENCONTRO LTINTAS

RENOVAR O BRILHO

A LTINTAS, EMPRESA DA MARGEM SUL DO TEJO, REALIZA, ANUALMENTE, UM ENCONTRO ONDE

JUNTA PARCEIROS E CLIENTES DE FORMA A PROMOVER, NÃO SÓ, O CONVÍVIO ENTRE OFICINAS

DE BATE-CHAPA E PINTURA, MAS, TAMBÉM, PARA DAR A CONHECER ALGUNS DOS PRODUTOS

QUE COMERCIALIZA por Joana Calado

O

evento deste ano começou ao final da tarde do dia 28 de maio,

no hotel Tryp na Costa de Caparica, local privilegiado para

ver um fantástico pôr do sol sob a cidade de Lisboa. Mas apesar

do cenário idílico, a grande atração dos convidados estava virada

para o interior. Na mesma sala, encontravam-se parceiros de negócio

da LTintas e clientes, os quais beneficiavam de algumas vantagens se

adquirissem produtos durante o evento, quase como se de uma feira

se tratasse.

Num ambiente de grande descontração, os participantes foram visitando

as diferentes áreas, algumas da responsabilidade dos funcionários

da LTintas, onde estes se redobravam em explicações sobre lixas,

máscaras, produtos de limpeza e tintas, entre tantos outros produtos,

algumas da responsabilidade de marcas parceiras, que não perderam a

oportunidade para estarem presentes. Da portuguesa Indasa, passando

pela GravityPaint, com a marca Finixa, e pela 3M, para terminar na

Spies Hecker, os convidados mostravam-se extremamente interessados

nas demonstrações que os representantes iam executando.

Desfile de novidades

Do plástico à chapa, com direito a destaque para produtos de limpeza,

as marcas englobaram todos os campos de atuação da empresa

organizadora. A Indasa optou por apresentar no evento a sua nova

gama de lixas circulares, que, ligadas a um sistema de aspiração,

permitem reduzir o nível de poeira no ar, fazendo-se acompanhar

pela Workstation, que permite ao trabalhador transportar todo o

material de trabalho sem grande esforço.

Já a 3M, apresentou o processo de lixagem com discos Cubitron II 150

mm, começando com o abrasivo de grão P120 até ao P320, terminando

o processo lixagem com o disco púrpura 334U 150 mm de grão

P500. Aproveitando a oportunidade para apresentar aquilo que faz de

melhor, a 3M levou, também, diversos consumíveis, desde fita de preparação

de área de pintura até materiais de limpeza e proteção do espaço.

Por seu turno, a GravityPaint apresentou a marca Finixa, onde

deu primazia aos plásticos e aos polimentos, mostrando, também, a

sua nova máquina de polimento sem fios e uma solução inovadora para

reparar plásticos, sem recorrer a betume.

No caso da Spies Hecker, na pessoa de João Calha, apresentou o seu

novo software online Phoenix Cloud, que permite ao profissional fazer

a gestão das cores e do material utilizado em cada reparação. Com o

objetivo de facilitar o dia a dia dos profissionais, a Spies Hecker oferece

a possibilidade de interligar este software com o de gestão oficinal o

que faz com que os dados sejam, automaticamente, inseridos na folha

de obra anteriormente aberta.

Por fim, Bruno Pereira, diretor-geral da LTintas, aproveitou o momento

para agradecer aos fornecedores e clientes a forma como têm

vindo a trabalhar ao longo dos anos com a empresa, procurando

sempre manter o espírito de entreajuda. A assistência técnica, assim

como as formações e demonstrações em ambiente de trabalho,

continuam a ser, de resto, fortes apostas da empresa criada por Eugénio

Pereira. l

72 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


A ASSISTÊNCIA TÉCNICA, AS FORMAÇÕES E AS DEMONSTRAÇÕES EM

AMBIENTE DE TRABALHO, SÃO APOSTAS FORTES DA LTINTAS


TéCNICA

&Serviço

GESTÃO DA OFICINA

INFORMAÇÃO CHAVE

UMA ANÁLISE DAS RECEITAS DO NEGÓCIO DÁ-NOS UMA IDEIA DOS LUCROS QUE PODEMOS ESPERAR OBTER

EM CADA ÁREA. NESTE SENTIDO, A MARGEM DE PINTURA É UM INDICADOR QUE PROPORCIONA UMA IDEIA

SOBRE A SERIEDADE COM QUE SÃO EXECUTADOS OS PROCESSOS DE TRABALHO NA OFICINA

As receitas da oficina são repartidas

em três conceitos: mão

de obra, peças de substituição

e materiais de pintura. Portanto, para

a oficina, é essencial conhecer quanto

consome em cada uma destas categorias

e calcular o respetivo lucro de

forma independente. No entanto, é

bastante comum depararmo-nos com

gerentes de oficina que dizem que o

seu objetivo é não perder em materiais

de pintura.

Materiaise faturação

A resposta dos gerentes de oficinaacima

referida deixa-nos, geralmente,

um pouco perplexos e evidencia uma

falta de análise de alguns aspetos

básicos do negócioda reparação dos

veículos. Comefeito, o veículo é a

matéria-prima coma qual trabalha a

oficina. Conhecer que tipode danos

são os mais representativosno nosso

dia a dia, bem como os processos e

astarefas que implicam, ajuda-nos a

detetaras necessidades mais prementes

paraorganizar a produção.

Renunciar a obter lucro

Uma análise da reparação média

tipopermite-nos saber a resposta à

pergunta “O que significa renunciar a

obter lucro?”. Por um lado, estas oficinasestão

a renunciar a uma parte dos

lucros correspondente a 13% da faturaçãodo

seu negócio. Por outro, ao assumirperda

neste âmbito, também

estão areduzir os lucros nos conceitosde

peças de substituição e/ou mão

de obra. Podemos aprofundar ainda

mais aimportância de controlar os

materiais depintura se analisarmos a

distribuição dostipos de reparações e

a sua importânciarelativa nas receitas.

As reparações mais representativasestão

abaixo dos €600 e constituemmais

de 55% das intervenções

naoficina. Entre elas, 25,7% são referentes

atrabalhos nos quais a intervenção

naárea de carroçaria é quase

anedótica. Correspondem a desmontagens/montagensfinais

e quase tudo

sucede na área depintura. São trabalhos

de reparação comreceitas inferiores

a €300, nos quais o valorfaturado

por materiais de pinturaatinge,

em média, 21,6%do total. Nestes casos,

uma perdaem materiais de pintura

torna-se maispreocupante.

Margem delucro sobre

materiais

É possível obter uma margem delucro

sobre os materiais depintura?

74 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


Colaboração Centro CESVIMAP

www.cesvimap.com

A resposta é complexa, já queexistem

múltiplos fatores com influênciasubstancial

no consumo de materiaisde

pintura na oficina.

Faturação na área de pintura

A faturação na área de pinturacentra-se,

principalmente, na mão

deobra, com os 43% restantes a serem

da responsabilidade dos materiaisde

pintura. Podemos observar

uma tendência deaumento nas despesas

com materiaisde pintura face à

análise realizada emanos anteriores.

Já a faturação por materiaisde pintura,

deve-se, principalmente, aosprodutos

de acabamento. Somente a cor

representa já 61% do total. Esta percentagem

provém dopreço elevado

destes produtos depintura, pelo que

qualquer errona realização das misturas

ou, simplesmente, um excesso

na quantidade de tinta preparada,

pode prejudicar,significativamente,

a margem de lucronesta área.

No processo de pintura de veículos,

arealização das misturas é um pontochave.

No entanto, qual é o motivo

paraaumentar a quantidade de tintapara

um determinado trabalho?

Será apenasuma questão do pintor

no momento derealizar a mistura

de cor?

Rentabilidade na área de

pintura: aspetos chave

Conseguir um ótimo nível de rentabilidadena

área de pintura depende de

REPARAção MÉDIA TIPO (2018)

Valor € % horas

Total 925,37 100 9,33

Peça de substituição 471,96 51

Materiais de pintura 116,98 13

Mão de obra (M.O.): 336,26 36

l M.O. chapa/mecânica 181,79 19,6 5,05

l M.O. pintura 154,47 16,7 4,28

Mão de obra

36%

Materiais

de pintura

13%

váriosfatores, como as instalações (estufase

planos), o equipamento (equipamentosde

secagem por raios infravermelhos),

osmateriais disponíveis,

os fluxos de trabalhoestabelecidos, os

conhecimentos e ascapacidades dos

pintores, entre outros.

FATURAção

Peça de

substituição

51%

Neste cenário, devemos considerarcomo

são realizados os trabalhos.

Na áreade pintura, tudo tem de ser

realizado deforma minuciosa e com

detalhe, pensandoem aplicar a quantidade

de materiais adequada.Isto é

válido tanto para os trabalhos dereposição

e preparação de fundos, pelo

tempo despendido no lixamento,

como paraos de reposição da cor, nos

quais ospintores devem dominar na

perfeição astécnicas de esbatimento.

Um dos fatores determinantes, como

vimos, é a realização de misturas e o

cálculo da quantidade de tinta necessária

de acordo com os danosa pintar.

Geralmente, é preparada umaquantidade

maior do que a necessária por

receio de que o material não seja suficiente

e a tinta excedente, por vezes,

é guardada para ser utilizada como

ajuda no revestimento dos fundos

(opção pouco recomendável, além de

infrutífera), caso contrário torna-se

num resíduo, cuja gestão é dispendiosa

para a oficina.

O pintor deve dispor de referênciasfiáveis

no momento de realizar as

misturas.Estas referências podem ser

obtidas a partirdas avaliações dos trabalhos

de pintura,através de software

proporcionado pelosfabricantes de

tinta ou através deferramentas, como

o Programa “Controloe tempos de

materiais de pintura daCESVIMAP.

Por outro lado, todas as incidênciasocorridas

na oficina, que impliquem

arealização de novas misturas

de tinta,devem ser registadas em conjunto

com as respetivas causas.Manter

um registo dos trabalhosrepetidos

e incidências que implicamnovas misturas

de tinta para um mesmo veículo

e trabalho, indicando as quantidades

adicionais preparadas e as causas bem

O PINTOR DEVE DISPOR DE REFERÊNCIAS FIÁVEIS NO MOMENTO

DE REALIZAR AS MISTURAS

DISTRIBUIÇÃO POR VALOR DOS TIPOS DE REPARAÇÕES

E DOS MATERIAIS DE PINTURA CORRESPONDENTES

Intervalo de valores (€) Frequência Frequência acumulada Materiaisde pintura (€) Receita pormateriais de pintura

De 0 a 300 25,7% 25,7% 41,6 21,6%

De 300 a 600 30,1% 55,7% 70,9 16,4%

De 600 a 1.200 22,8% 78,5% 133,0 15,8%

De 1.200 a 1.800 10,4% 88,9% 249,4 16,8%

De 1.800 a 3.000 6,7% 95,7% 260,8 11,6%

De 3.000 a 6.000 3,1% 98,8% 224,8 5,6%

> 6.000 1,2% 100,0% 340,8 2,5%

Fonte: Audatex

detalhadas, ajuda no momento de

justificar uma redução na margem de

pintura. Além do mais, podemos utilizar

esta informação para detetar oportunidades

de melhoria e estabelecer

medidas concretas, que evitem casos

repetidos.

Não obstante, a gestão na área depintura

requer uma visão integral daoficina,

já que existem outros fatores

externos à área que também afetam,

por vezes de forma drástica, a sua

rentabilidade, uma vez que a pintura

é das últimas etapasda cadeia de

processos de reparaçãodo veículo. A

www.jornaldasoficinas.com Julho I 2019 75


GESTÃO DA

OFICINA

AS INCIDÊNCIAS OCORRIDAS NA OFICINA QUE IMPLIQUEMNOvas

misturas DE tinta DEVEMSER REGISTADAS EM CONJUNTO

COM as RESPETIVAS Causas

rentabilidade na pinturadepende da

gestão de outrosaspetos chave fora da

área. A saber:

l Orçamento:

deve estar ajustado ao trabalho que

é preciso realizar. Deve ser bem elaborado

e verificado previamente ao

início da reparação. É imprescindível

preparar orçamentos detalhados

de cadareparação e, posteriormente,

ajustar o trabalho a realizar aosmesmos.

Qualquer desviopode representar

uma perda significativa de rentabilidade.

O orçamento é, portanto,a

referência que devemos terem consideração

antes da realização dos trabalhos

de cada área.

l Comunicação:

relativamente aoque foi referido

acerca do orçamento, acomunicação

aos trabalhadores sobre oque é preciso

realizar, é fundamental.Informações

vagas ou transmitidas oralmente

são muito rápidas e práticas, mas,

geralmente, dão lugar a equívocos ou

proporcionam dados incompletos que

podem introduzir erros no processo.

Pelo contrário, o tempo dedicado a

uma boaplanificação e comunicação

conduz abons resultados.

l Trabalhos prévios de carroçaria:

aconsequência da intervenção dostrabalhadores

de carroçaria deveconduzir

a uma avaliação daintervenção na

área de pintura. Se na carroçaria houve

um aumento nosdanos, devido aos

métodos utilizadosou às ferramentas

de trabalho,existirá, também, um aumento

nos materiaisposteriormente

na área de pintura,infringindo o orçamento.

l Organização:

todas as peças doveículo serão pintadas

eventualmente. Não é rentável

realizar mais misturas de corporque

alguma peça, por determinado motivo(falta

de previsão/organização),

ficapor pintar quando as restantes

são pintadas.

l Compras:

é importante manter umaboa gestão

de compras para evitaro armazenamento

de produtos fora de validade

ou em quantidades superiores àsnecessárias.

l Stock de materiais de pintura:

para alémda verificação das quantidades

de tintaconsumidas por cada

reparação,é recomendável controlar-se

o stockde materiais de pintura

com algumaregularidade para verificar

que oconsumo corresponde,

efetivamente,às ordens de trabalho

realizadas eque não há perda de materiais

por outrosmotivos.

Margem de pintura:

informaçãochave para a

gestão da oficina

O custo do consumo de materiais

76 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


PUB

Mantemos o seu negócio em movimento!

DISTRIBUIÇÃO DE RECEITAS

ÁREA DE PINTURA

Materiais

de pintura

43%

Apoio 24h

Mão de obra

pintura

57%

MATERIAIS DE PINTURA

DISTRIBUIÇÃO

Lixas

4%

Fundos

10%

Verniz

23%

Cor

61%

Mascaramento

1%

Limpeza

1%

EM JULHO BAIXAMOS OS PREÇOS DOS FILTROS!

depintura num determinado período, faceàs receitas, proporciona

uma medição damargem de pintura através da seguintefórmula:

Margem bruta de materiais de pintura =

Faturação de materiais de pintura - Custo materiais de pintura

FÉRIAS... É TEMPO DE MUDAR

PARA FILTROS DE QUALIDADE

NOVIDADE- Filtro antibacteriano ADPlus

Faturação de materiais de pintura

A informação proporcionada pela fórmula deve ser considerada

como um indicador chavedo funcionamento do negócio:

Se, dentro da área de pintura, houver um controloadequado da

realização das misturas e dos métodos de trabalho, é de esperar

a obtenção de uma margem correta. Isto depende, também,

em boa medida, do volume de atividade e dos termosacordados

na negociação com osfornecedores (tinta e materiais).

Caso não seja obtida a margemesperada, será necessário repensar

a forma como são realizados os restantes processos da

oficina: orçamentos, métodos de trabalho em carroçaria, comunicação,

organizaçãodos fluxos de trabalho. Não obstante,

estes são aspetos que devem ser controlados continuamente,

como parte essencial da gestão do negócio. l

FILTROS ITALIANOS DE QUALIDADE OE GARANTIDA!

+351 226 169 983

+351 219 948 180

autosilva@autosilva.pt/encomendas@autosilva.pt

www.jornaldasoficinas.com Julho I 2019 siga-nos 77 no

facebook

fb.me/autosilvaacessorios


HÁ CINCO ANOS QUE A STANDOX NÃO REUNIA AS SUAS “TROPAS” PARA

FAZER UM BALANÇO DA ATIVIDADE E DAR CONTA DAS NOVIDADES


EPINTURA

CONVENÇÃO STANDOX/ROBBIALAC

COLORIR O FUTURO

A REDE DE DISTRIBUIÇÃO DA STANDOX/ROBBIALAC RESPONDEU À CHAMADA E FICOU

A CONHECER O PROGRAMA PARA OS PRÓXIMOS ANOS. CONVENÇÃO REALIZADA NA FIGUEIRA DA FOZ

DÁ COR AO FUTURO DA EMPRESA por Jorge Flores

A

espera foi longa. Mas, por vezes,

é necessário deixar o tempo

fazer o seu trabalho para ver

as cores mais nítidas. Há cinco anos

que a Standox/Robbialac não reunia

as suas “tropas” para fazer um balanço

da atividade, nos últimos tempos,

e para dar conta das várias novidades

perfiladas no horizonte.

Recentemente, na Figueira da Foz, os

responsáveis da empresa convocaram

mais de três dezenas de distribuidores

para uma animada convenção. Quase

toda a rede respondeu, de forma positiva,

à chamada e pôde ouvir os responsáveis

da Axalta Coating Systems

e da Standox explicar os objetivos do

programa pensado e preparado para

os próximos três anos.

Programa a três anos

Luís Alves, responsável da Standox/

Robbialac não escondeu, ao Jornal

das Oficinas, a importância da realização

deste evento, que não acontecia

desde 2014. E contextualizou o hiato

temporal. “Foi um processo de mudança

e de evolução no relacionamento

com a Axalta. Até esse momento, e

durante 10 anos, estávamos em ligação

com a Standox, na Alemanha, via

Espanha. Mas, depois, com a mudança

de estratégia da própria Axalta, que

passou a ter uma estrutura própria em

Portugal, ganhámos uma relação com

eles, no nosso país. E com a sede da

Standox. Nessa altura, fizemos uma

convenção com clientes, conscientes

de que, para ter uma marca implantada

no mercado, necessitamos de uma

estrutura forte de distribuição. Os distribuidores

são players fundamentais

em termos de promoção, divulgação e

serviço pós-venda para os clientes”, assegurou.

Luís Alves admitiu ainda que, durante

algum tempo, existiu uma certa indefinição

interna, o que atrasou a realização

deste tipo de eventos. “Sentíamos

que era muito importante fazer”,

reconheceu. “Mas, para isso, tínhamos

de ter uma mensagem forte para passar,

algo de novo para apresentar. Preparámo-nos

e fizemos um trabalho

interno para um plano a três anos”,

adiantou.

Relações fortes

“O negócio da Robbialac”, acrescentou,

“tem o foco na repintura automóvel.

E com o apoio da direção e com

esta relação mais forte com a Axalta,

achámos que era este o momento de

realizar a convenção. Queremos fazê-

-lo, se não anualmente, pelo menos,

de dois em dois anos. É fundamental

estar com os nossos parceiros”, reforçou.

Sobre as novidades do programa, Luís

Alves realçou o facto de a empresa,

“além de apresentar um produto, disponibilizar,

também, um pacote de

serviços que permitem às oficinas e

aos clientes finais ter maior rentabilidade,

trabalhando sempre com produtos

premium. Mas, por trás, contam

com um serviço e com soluções

muito inovadoras: a questão da digitalização,

algo que está na ordem do

dia e que é uma área onde a Axalta é

muito competente. O produto tem de

estar sempre presente, sim, mas também

os serviços de pós-venda, de formação,

de e-learning; tudo isto, hoje,

é fundamental. E permite que, mesmo

trabalhando com produtos premium,

mesmo em termos de custo e de preço,

os clientes possam garantir maior

rentabilidade e muitas vantagens em

termos de eficiência nas oficinas”. l

www.jornaldasoficinas.com Julho I 2019 79


NOTÍCIAS // A ÁREA MAIS COLORIDA DO AFTERMARKET

repintura

SPIES HECKER E STANDOX OBTÊM APROVAÇÃO BMW

O

Grupo BMW renovou a aprovação anual

das marcas Spies Hecker e Standox. O

acordo, que é para a reparação de automóveis

de passageiros BMW e MINI, abrange a

rede de revisão do Grupo BMW disponível em 51

países na Europa, Médio Oriente, África, Europa

Oriental, Ásia-Pacífico e América Latina. O acordo

recomenda que os concessionários e as oficinas do

Grupo BMW utilizem as tecnologias de tintas de

repintura da Spies Hecker e Standox. Esta renovação

do acordo baseia-se em testes de desempenho

rigorosos. Além disso, inclui um amplo apoio e formação

específica da Spies Hecker e Standox. Graças

ao desenvolvimento constante dos produtos e

tecnologias da Axalta, as tecnologias de repintura

oferecidas pela Spies Hecker e Standox não só estão

muito orientadas para a sustentabilidade, como,

também, garantem que as reparações de pinturas

nos automóveis BMW atingem os níveis de qualidade

especificados. No fundo, para ir ao encontro

dos elevados padrões alemães.

80 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


MÁXIMA FLEXIBILIDADE PARA AS OFICINAS

Cromax | A Axalta ajuda os seus clientes a verificar as combinações de produtos que são

especialmente adequadas para atingirem os respetivos objetivos de produtividade específicos.

Ao ajudar as oficinas a poupar tempo, energia e material, ao mesmo tempo que proporciona

resultados excecionais, a Axalta pode demonstrar, claramente, em todas as etapas do processo

de reparação, as vantagens da Cromax. Todos os sistemas de reparação baseiam-se num conjunto

de produtos pré-selecionados e recomendados. Destaque para o Sistema de Ultra Desempenho

Energético, que oferece às oficinas a flexibilidade para corresponder ao respetivo volume de

trabalho com os produtos adequados encontrando o equilíbrio entre rapidez e uso de energia.

PEQUENA GRANDE SOLUÇÃO

Colad | Quer misturar tinta sem desperdiçar uma gota? A Colad tem a solução. Chamase

Turbomix Paintsaver. Graças a este novo equipamento, a marca reduz o esforço diário

dos pintores na altura de estes obterem uma mistura homogénea de tinta, encurtando,

significativamente, a duração do processo de mistura a que os profissionais dedicam uma

parte importante do seu trabalho. Com a solução Turbomix Paintsaver, o processo de mistura

é acelerado em até 40% no caso de tintas metálicas, além de facilitar a drenagem da tinta no

final da mistura e antes de ser descartada a vareta. Para facilitar ainda mais este último passo,

que evita o desperdício de até sete gramas de tinta por mistura, as varetas Colad Turbomix

Paintsaver incorporam o inovador sistema “break and save”.

PUB

21 Furos 57 Furos

Interface

Ultravent

150 mm

Prato-Suporte

Ultravent

Ultravent agrega valor

pela economia de tempo

e por proporcionar um

ambiente de trabalho livre

de poeira.

VISITE-NOS

15-19 OUT

PARIS EXPO PORTE DE VERSAILLES

STAND 1 B 018


Notícias

repintura

PATROCINADOR OFICIAL

DA WORLDSKILLS EM KAZAN

Glasurit | Empenhada em apoiar jovens no mundo da pintura

automóvel, a Glasurit é patrocinador oficial na categoria “Pintura

Automóvel” na competição WorldSkills. De 22 a 27 de agosto,

jovens profissionais com menos de 25 anos encontrar-se-ão em

Kazan, na Rússia, para revelar as suas capacidades na competição

internacional WorldSkills. O concurso também servirá para

entusiasmar os jovens a seguir uma profissão não académica. A

escassez de pessoal especializado é um problema na repintura.

REFERÊNCIA NACIONAL

PCC | Com mais de 20 anos de experiência no comércio e

montagem de cabines de pintura, a PCC é uma referência nesta

área a nível nacional. Disponibilizando projetos adequados

às necessidades específicas de cada cliente, a PCC conta com

todos os equipamentos necessários para projetos na área da

repintura automóvel. Entre os quais, destacam-se as cabines de

pintura, as áreas de preparação, as cabines de pintura móveis, os

infravermelhos e as máquinas de lavagem de pistolas de pintura.

AXALTA

PRESENÇA

NA CIMEIRA IBIS

A

Axalta participou na Cimeira Mundial do Simpósio Internacional da Indústria de Oficinas

(IBIS), onde apresentou a sua tecnologia de Secagem Rápida com Baixo Consumo

Energético e o seu sistema de Gestão de Cor Digital baseado na web a um público composto

por pintores e especialistas da indústria de todo o mundo. A tecnologia de Secagem Rápida

reduz os tempos dos processos nas oficinas profissionais até 50% e baixa o consumo de energia

até 70%, enquanto proporciona reparações com a melhor qualidade. As oficinas também podem

usar esta rapidez de desempenho para oferecer serviços de reparação rápidos que podem aumentar

a rentabilidade. A Gestão de Cor Digital da Axalta utiliza um sistema de cores baseado

na web que permite às oficinas realizar todos os processos de mistura e procura de cores não só

totalmente de forma digital, como, também, 100% sem fios. Trata-se de algo exclusivo da Axalta

e inédito na indústria. A Axalta também apresentou o RepScore.net, sistema de gestão da rede de

oficinas digital e inovador que foi especificamente desenvolvido para facilitar a cooperação entre

as oficinas e a rede de proprietários, como empresas de frota, aluguer e companhias de seguros

ou fabricantes de automóveis.

INDASA LANÇA FITA DE ADESÃO MÁXIMA

KIT DE RESTAURAÇÃO DE FARÓIS

Zaphiro | Apresentou um novo kit para restauração de faróis por

polímero líquido vaporizado, sistema inovador que permite devolver

a transparência original e brilho aos faróis queimados pelo sol. Tudo

com um acabamento perfeito e de uma forma muito rápida, simples

e económica, em linha com a filosofia da empresa, de fornecer

soluções produtivas e rentáveis para a oficina de chapa e pintura. A

restauração de faróis de policarbonato que a Zaphiro distribui em

Portugal sob a sua própria marca, é vantajoso para a oficina.

CHAMA-SE M T E RED A FITA VERMELHA DE ADESÃO

MÁXIMA QUE A INDasa LANÇOU NO MERCADO.

DISPONÍVEL COM LARGURAS DE 18 MM, 24 MM, 36

MM E 48 MM, SENDO O SEU COMPRIMENTO SEMPRE

DE 50 METROS, ANUNCIA UMA RESISTÊNCIA atÉ 100

°C DURANTE 30 MINUTOS. TUDO PARA OFERECER A

MELHOR PERFORMANCE NA CABINE DE PINTURA.

82 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


PUB

GAMA ESENSE DA R-M PREMIADA

BASF | A gama de tintas de repintura automóvel eSense da marca R-M recebeu o

prémio Pierre Potier na categoria “Processo”. Esta inovação utiliza matérias-primas

renováveis no processo de fabrico. O design inovador permite que as oficinas

reduzam o tempo de secagem do produto durante o processo de reparação e,

consequentemente, diminuam o consumo de energia e as emissões de gases com

efeito de estufa. O prémio Pierre Potier homenageia empresas químicas que inovam

e se esforçam, constantemente, por melhorar os seus produtos e procedimentos, num

esforço para preservar o meio ambiente e, assim, fornecer soluções para o desafio da

transição ecológica. A inovação da linha eSense é baseada na abordagem Balanço da

Biomassa da BASF, desenvolvida em cooperação com o organismo de certificação TÜV

SÜD. Abordagem que envolve a utilização de recursos renováveis por forma a reduzir

a participação de combustíveis fósseis na matéria-prim, desde o início do processo de

fabrico de produtos de pintura. A parte da matéria-prima renovável usada é, então,

alocada a uma seleção de produtos finais.

Nós damos uma mãozinha

C

M

Y

CM

MY

Não fazemos

manutenção automóvel,

mas fazemos a manutenção

da sua terminologia!

CY

CMY

TUDO SOB CONTROLO COM SPEED-TEC

Spies Hecker | A família de produtos Speed-TEC permite às oficinas

trabalharem de forma excecionalmente rápida com uma eficiência energética fora de

série. Agora, a gama Speed-TEC é ainda melhor graças ao novo e inovador Aparelho

Permasolid Speed-TEC Wet-on-Wet Surfacer 5550. Os produtos Speed-TEC, da Spies

Hecker, contribuem para as oficinas realizarem reparações com rapidez e eficiência

energética. Usando a tecnologia patenteada da Axalta em produtos Speed-TEC,

os processos de trabalho são encurtados, o consumo de energia é reduzido e os

resultados são excecionais. A utilização de toda a gama de produtos permite aos

pintores optarem por secar a uma temperatura de 60 °C, 40 °C ou mesmo sem realizar

secagem forçada a 20 °C, podendo proporcionar até 70% de poupança de energia.

K

TRADUÇÃO E DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA

Criamos e traduzimos manuais técnicos à melhor

relação qualidade/preço do mercado. Temos

profissionais especializados em várias áreas da

indústria e uma tecnologia que nos permite criar

projetos à medida de cada cliente.

CONHEÇA O PROGRAMA PARCEIRO JABA

Através da identificação e alinhamento de todas

as traduções antigas do parceiro JABA, é criada

uma base de dados que permite detetar todas as

repetições em novos projetos e baixar consideravelmente

o valor final do documento, mantendo

a terminilogia e o estilo de comunicação já

existentes. Um programa criado a pensar em si!

Vila Nova de Gaia | Telf: 227 729 455/6/7/8 | Fax: 227 729 459

Mail: portugal@jaba-translations.pt | Web: jaba-translations.pt

www.jornaldasoficinas.com Julho I 2019 83


COM UMA AUTONOMIA MÁXIMA DE 51 KM EM MODO 100% ELÉTRICO,

O RANGE ROVER SPORT P400E (OU PHEV) ASSUME-SE COMO O

MODELO MAIS EFICIENTE JAMAIS PRODUZIDO PELA LAND ROVER


Mundo

automóvel

RANGE ROVER SPORT P400E AUTOBIOGRAPHY DYNAMIC

JÓIA DA COROA

MOVIDO POR UM SISTEMA HÍBRIDO PLUG-IN COM 404 CV DE

POTÊNCIA E 640 NM DE BINÁRIO (GASOLINA+ELÉTRICO), DOTADO

DE ACABAMENTO AUTOBIOGRAPHY DYNAMIC E EXIBINDO UMA

IMAGEM ELITISTA, O RANGE ROVER SPORT P400E É A JÓIA DA COROA

BRITÂNICA. SÃO €116.130 DE AUTOMÓVEL, ONDE CADA LUGAR CUSTA

NADA MENOS DO QUE... €23.226. NÃO É PARA TODOS por Bruno Castanheira

O

Range Rover Sport PHEV é o primeiro modelo

híbrido plug-in com zero emissões

poluentes da Land Rover (desde que circule

em modo 100% elétrico, entenda-se). Lançado

em 2018 e conhecido, internamente, como P400e,

é o Range Rover Sport mais eficiente jamais concebido.

Conjuga um avançado motor Ingenium

de quatro cilindros a gasolina de 300 cv com um

motor elétrico de 116 cv (85 kW). Esta tecnologia

inovadora é alimentada por uma avançada bateria

de iões de lítio. 404 cv e 640 Nm, que são transmitidos

às quatro rodas por intermédio de uma caixa

automática de oito velocidades, são os valores de

potência e binário anunciados pelo sistema híbrido

que move este membro da família real britânica.

Nunca um modelo da marca foi tão ecológico.

Luxo sustentável

Talvez não seja o Range Rover mais sensual que

existe, mas não deixa de ser imponente. O design

exterior foi aprimorado para realçar o seu carácter

dinâmico. Trataram-se de melhorias estéticas que

harmonizam e modernizam o seu visual prático,

enquanto os novos faróis estreitos e os farolins traseiros

definem a personalidade do veículo. Já as

novas e atraentes luzes, em conjunto com uma grelha

mais fina, são integradas numa superfície limpa

e única, que é complementada por um para-choques

dianteiro atualizado com faróis de nevoeiro

em LED mais estreitos e brilhantes. As jantes de

22” e os vidros escurecidos resultam muito bem.

No interior, destaca-se a elevada qualidade de

construção, a amplo espaço para ocupantes e bagagem,

o equipamento à descrição e os inúmeros

dispositivos de segurança. O posto de condução é

ótimo, estando todos os comandos dispostos de

forma ergonómica. Também por dentro o Range

Rover Sport foi alvo de atualização. Estão disponíveis

novas cores “Ebony Vintage Tan” e “Ebony

Eclipse”, o couro semianilina, anteriormente disponível

apenas no Range Rover, confere uma dose

de luxo adicional, combinado com uma qualidade

notável e um acabamento resistente a manchas,

sendo uma das características do acabamento Autobiography

Dynamic.

Mas há mais: bancos dianteiros mais estreitos

para proporcionar apoio superior através de novos

enchimentos, revestimentos e camadas in-

www.jornaldasoficinas.com Julho I 2019 85


RANGE ROVER SPORT

A tomada de carga está atrás de um discreto painel

na grelha, surgindo diversas indicações que mostram

o status do processo de fornecimento de eletricidade

LUXUOSO, CONFORTÁVEL, ERGONÓMICO. O

RANGE ROVER SPORT P4OOE É O SUPERLATIVO

ABSOLUTO NO REINO DOS SUV HÍBRIDOS PLUG-IN

termédias que oferecem conforto

melhorado e visual mais técnico. O

revestimento em couro “Grained”

encontra-se disponível para bancos

dianteiros com oito ajustes, bem

como para bancos de 14 ajustes com

função de memória. Já os bancos de

16 ajustes (tenham eles função de

memória ou não e integrem encostos

de cabeça com apoios laterais), são

revestidos em couro “Windsor” perfurado.

A nova iluminação interior ambiente

realça os principais detalhes de

design do habitáculo com até 10 opções

de tonalidades disponíveis. Nenhum

pormenor foi deixado ao acaso,

como se percebe.

Cocktail tecnológico

O Range Rover Sport coloca à disposição

do cliente a tecnologia mais

recente para enfrentar todos os obstáculos

da vida quotidiana, incluindo

o sistema de informação e entretenimento

Touch Pro Duo, assistente digital

disponível através de dois ecrãs

táteis de alta definição com 10”, estando

estes interligados e permitindo

realizar duas tarefas em simultâneo.

Já o painel de instrumentos, é composto

por um ecrã interativo de alta

resolução integralmente novo de

12,3”, equipado com dois botões, um

seletor e modos ampliados de apresentação.

Além de ser o Range Rover Sport mais

conectado de sempre, este luxuoso

modelo dispõe de inúmeros sistemas

de assistência ao condutor melhorados

e características InControl. Antes

de abordarmos o sistema híbrido

paralelo que o move, importa realçar

o excelente conforto e o desempenho

superior em qualquer tipo de terreno,

graças à tecnologia Terrain Response

2, que foi recalibrada para distribuir,

de forma inteligente e precisa, o binário

do motor elétrico - que não dispõe

de um regime ultrabaixo e binário

máximo desde zero rotações – pelas

quatro rodas.

Dotado de inúmeras regulações de

tração e altura ao solo, o Range Rover

Sport P400e conta com um novo

design da caixa de transferência, que

gere a tração às quatro rodas, incorporando

um atuador inteligente em

vez de motor separado e ECU. O que

resulta numa redução de 1,5 kg de

peso e é controlado através de uma

embraiagem multidisco. Disponibiliza

uma distribuição de binário de

50:50 em conjunto com o diferencial

central com engrenagem cónica.

Equipado com suspensão pneumática,

este híbrido plug-in conjuga um

motor de 2,0 litros a gasolina com

300 cv com um motor elétrico de 85

kW, instalado na traseira. Em modo

100% elétrico, este SUV está apto a

percorrer até 51 km sem emissões poluentes

(137 km/h de velocidade máxima

neste caso). Quanto a carregamentos,

inclui uma tomada atrás de

um discreto painel na grelha, um carregador

a bordo de 7 kW e um cabo de

carregamento. Uma carga completa

pode ser conseguida em, aproximadamente,

7,5 horas (10 A), dependendo

do mercado, da localização e do tipo

de equipamento utilizado. Mas encontra-se

disponível com três tipos de

cabos e inclui, como equipamento de

série, um cabo de carregamento para

ligação a uma tomada doméstica. Se

tudo isto justifica os €116.130 pedidos?

Sem dúvida que sim. l

MOTOR DE COMBUSTÃO

Tipo

4 cil. linha, long., diant.

Cilindrada (cc) 1997

Diâmetro x curso (mm)

83,0x92,2

Taxa de compressão 9,5:1

Potência máxima (cv/rpm) 300/5500

Binário máximo (Nm/rpm) 400/1500-4500

Distribuição

2 v.e.c., 16 válvulas

Alimentação injeção direta de gasolina

Sobrealimentação

turbo + intercooler

MOTOR ELÉTRICO

Potência máxima (kW/cv) 85/116

TRANSMISSÃO

Tração

integral permanente com DSC

Caixa de velocidades automática de 8+ma

DIREÇÃO

Tipo

pinhão e cremalheira

Assistência

sim (elétrica)

Diâmetro de viragem (m) 12,3

TRAVÕES

Dianteiros (ø mm) discos ventilados (349)

Traseiros (ø mm) discos ventilados (325)

ABS

sim, com EBD+BAS

SUSPENSÕES

Dianteira

triângulos sobrepostos

Traseira

integral link

Barra estabilizadora (diant./tras.) sim/sim

PERFORMANCES ANUNCIADAS

Velocidade máxima (km/h) 220

0-100 km/h (s) 6,7

Cons. extra-urb./comb./urb. (l/100 km) n.d./3,1/n.d.

Emissões de CO 2 combinadas (g/km) 64

Nível de emissões

Euro 6b

Ângs. de ataque/saída/vent. (°) 33,3/31,0/27,2

Passagem a vau (mm) 850

DIMENSÕES, PESO E CAPACIDADES

Cx 0,35

Comp./larg./alt. (mm) 4879/1983/1803

Distância entre eixos (mm) 2922

Vias frente/trás (mm) 1693/1686

Altura ao solo (mm) 278

Capacidade do depósito (l) 90

Capacidade da mala (l) 446

Peso (kg) 2471

Relação peso/potência comb. (kg/cv) 6,11

Jantes de série

9Jx21”

Pneus de série 275/45R21

Pneus (teste) Pirelli Scorpion Verde All Season,

275/45R21 110Y XL

GARANTIAS

Mecânica

2 anos sem limite km

Pintura

2 anos sem limite km

Anticorrosão

6 anos

Bateria

8 anos

ASSISTÊNCIA

1.ª revisão 1 ano ou 30.000 km

Custo 1.ª revisão (c/ IVA) €500

Intervalos

1 ano ou 30.000 km

PREÇO (sem despesas) €116.130

Unidade testada €116.130

Imposto Único de Circulação (IUC) €197,69

86 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


TM

SAIBA MAIS:

http://bit.ly/2PCdKyH

D&M no Facebook


Mundo

Automóvel

EM ESTRADA

por Jorge Flores

JEEP RENEGADE 1.0 TURBO 4X2 LIMITED

FÓRMULA SIMPLES

A

fórmula do Jeep Renegade, aqui ensaiado, com o pequeno motor 1.0 Turbo com tração

4x2, continua simples. Mas não confundir, nunca, com básica. Simplesmente, eficaz.

Este SUV, com aspeto de todo-o-terreno, que milita no segmento B, continua orgulhoso

do seu passado histórico, dos tempos da Segunda Guerra Mundal, e da sua estética, onde se

destaca, na dianteira, a grelha agora ligeiramente redesenhada e os novos grupos óticos com

tecnologia LED. Na traseira, os faróis também são dotados desta mesma tecnologia, mas nenhuma

outra novidade há a assinalar. Durante os dias de teste, a opção por este motor de três

cilindros, com 120 cv às 5750 rpm, revelou-se feliz. Em ambientes urbanos, o Renegade é ágil

e enérgico o quanto baste para uma condução divertida, dispensando, inclusivamente, o recurso frequente à caixa manual de seis

velocidades. Surpresa positiva foram os consumos, que não andaram longe dos anunciados: 6,5 l/100 km em ciclo combinado.

Com o nível de equipamento Limited, o Renegade traz jantes de 19’’ e está à venda por um preço que, não sendo proibitivo, convida à

reflexão: €33.280.

Motor 3 cil. linha, transv., diant. Cilindrada (cc) 999 Potência máxima (cv/rpm) 120/5750

Binário máximo (Nm/rpm) 190/1750 Velocidade máxima (km/h) 185 0-100 km/h (s) 11,2 Consumo combinado (l/100 km) 6,5

Emissões de CO 2 (g/km) 138 Preço €33.280 IUC €124,38

VW TIGUAN 1.5 TSI CONFORTLINE DSG7

IGUAL A SI PRÓPRIO

Com uma estética algo conservadora, mas no bom sentido da palavra, o VW Tiguan

permanece igual a si mesmo. E a ocupar um espaço próprio num mercado cada

vez mais competitivo, sobretudo, no segmento dos SUV onde habita. Equipado

com o motor a gasolina 1.5 TSI de 150 cv, entre as 5000 e as 6000 rpm, e 250 Nm de binário

máximo, constante entre as 1500 e as 3500 rpm, esta proposta da marca alemã está disponível

por €38.060, quando acolhe a caixa automática DSG de sete relações e o nível de equipamento

Confortline, onde se destacam, entre outros argumentos, o apoio lombar nos encostos dos bancos

dianteiros, as barras de tejadilho cromadas, o encosto do banco do passageiro rebatível, os estofos

em tecido “Rhombus”, as inserções decorativas “Titanium Silver”, as jantes de liga leve de 17’’ Tulsa

e o Park Assist com cruise control adaptativo. O Tiguan tem ainda um banco traseiro deslizante, otimizado de modo a permitir uma regulação de 180

mm. Quando o banco traseiro é deslocado para a frente, o porta bagagens oferece 615 litros de espaço, um ganho de 145 litros. Quando o banco

traseiro é rebatido, a volumetria chega a 1655 litros, facilitando o transporte de objetos de maior volumetria. O desempenho dinâmico deste SUV é de

elevado calibre. As prestações são francamente interessantes e a suavidade de funcionamento do motor a gasolina de injeção direta uma mais-valia.

Motor 4 cil. linha, transv., diant. Cilindrada (cc) 1498 Potência máxima (cv/rpm) 150/5000-6000

Binário máximo (Nm/rpm) 250/1500-3500 Velocidade máxima (km/h) 202 0-100 km/h (s) 9,3 Consumo combinado (l/100 km) 6,3

Emissões de CO 2 (g/km) 143 Preço €38.060 IUC €158,92

88 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


Get inside

Electrodo central mais pequeno (0.4mm)

Maior potência

Melhora o rendimento do motor

Até 5% de economia no consumo

de combustível

contribuem para uma melhor experiência de condução. Por essa razão, não surpreende que nove em cada dez automóveis sejam equipados de

origem com peças DENSO. Produtos como as nossas velas de iridium, que melhoram a acelaração e evitam falhas de incandescência.

Se os princi

aftermarket.iberia@denso-ts.it


tecnologia

Segurança infantil

Pre Safe Child – Mais proteção

para os mais pequenos

Comunicação cooperativa

com o meio ambiente

Comportamento cooperativo

e comunicação com os outros

utilizadores da via pública

Triângulo de emergência

no tejadilho

Conceito de

condução holística

Novo conceito de pedais e volante.

Airbags dianteiro e lateral integral

Painel frontal –

Comunicação cooperativa

com o ambiente que o rodeia

Luz lateral Pre Safe

Segurança ativa –

Características reforçadas

nos sistemas de assistência

ao condutor

Proteção para peões 360°

Evita colisões com peões e ciclistas

enquanto o veículo estaciona ou faz

manobras

Pre Safe Curve

Utiliza os tensores

reversíveis dos cintos

MERCEDES-BENZ ESF 2019

CONCENTRADO

DE SEGURANÇA

A MERCEDES-BENZ CRIOU O ESF 2019, UM AUTOMÓVEL QUE CONCENTRA TODOS OS NOVOS DISPOSITIVOS

DE SEGURANÇA QUE A MARCA ALEMÃ ESTÁ A DESENVOLVER PARA OS SEUS VEÍCULOS (ATUAIS E FUTUROS).

SÃO ELEMENTOS QUE REFORÇAM A PROTEÇÃO DOS OCUPANTES MAS, TAMBÉM, DOS RESTANTES

UTILIZADORES DA VIA PÚBLICA por Ricardo Carvalho

90 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


Conforto e

segurança traseiros

Extensor do cinto para

os bancos traseiros, cinto

aquecido, fivela do cinto

de segurança iluminada,

fixador do cinto de segurança

com entrada USB

CADEIRA INFANTIL

CONECTADA

Proteção alargada para crianças

Airbag traseiro

Vidro traseiro

Comunicação cooperativa com

o ambiente que o rodeia

Pre Safe impulse Rear –

Reação de aceleração em caso de

embate traseiro eminente

Informação no display do MBUX

Durante a viagem, surgem informações

animadas no display que indicam se a

cadeira para crianças foi bem colocada e

se a criança está segura

Pre Safe Child

Em situações críticas, os cintos Pre

Safe da cadeira infantil são apertados.

Face a um potencial risco de colisão,

os elementos de proteção da cadeira

minimizam a distância entre a porta e o

cinto de segurança

Ajuda à montagem e câmara

Uma câmara colocada na cadeira permite

colecionar dados vitais. Oito símbolos na

cadeira indicam a sua correta instalação

Cadeira rotativa

Simplifica a colocação da

criança na cadeira e carrega

a mola do pré-tensor

Triângulo de emergência

robotizado

A

Mercedes-Benz concentrou

no protótipo ESF 2019 os

muitos avanços que está a desenvolver

no capítulo da segurança

com que vai equipar os seus modelos

do presente e do futuro. Tratam-se de

inovações que melhoram a proteção,

não só, dos ocupantes do veículo,

mas, também, dos utilizadores da via

pública. O concept, criado sobre a

base do novo GLE híbrido, vai ser

apresentado na próxima edição do

Salão de Frankfurt, já em setembro.

Algumas das tecnologias utilizadas

no ESF 2019 já estão muito próximas

da realidade, ou seja, há muitas que,

dentro em breve, passarão a ser incorporadas

em automóveis de produção

em série.

Soluções inovadoras

Tomando com premissa que a mobilidade

caminha na direção do desenvolvimento

de veículos de condução

autónoma, o protótipo dispõe de um

habitáculo desenhado para reforçar o

conforto e o descanso dos ocupantes,

sem “beliscar” a sua segurança a bordo.

Neste sentido, o volante e os pedais

retraem-se quando o veículo circula

com o piloto automático ligado,

para que, em caso de acidente, esses

elementos não lesionem a pessoa que

está sentada no banco do condutor.

Tal obrigou a reposicionar o tablier e

o airbag, que, normalmente, está colocado

no volante. A marca também

montou novos airbags no habitáculo.

Por exemplo, existem airbags duplos

que protegem o acompanhante dos

dois lados. Ou uns frontais que têm

como objetivo reduzir as lesões dos

passageiros do banco de trás, no caso

de estes serem “atirados” contra as

costas dos bancos dianteiros num embate.

De acordo com alguns estudos levados

a cabo pela Mercedes-Benz, apenas

5 a 20% da luz solar chega aos

olhos do ocupante de um veículo, ou

seja, estes viajam numa escuridão relativa

que pode provocar a diminuição

da concentração. Para contrariar

este facto, a marca alemã incorporou

uma função nas palas de cortesia, que

é revitalizante: recupera o ritmo biológico

natural do corpo e melhora a

atenção ao volante. Ainda que as tecnologias

Pre-Safe (preparam determinados

elementos de segurança do

veículo perante a iminência de um

acidente) já se encontrem no mercado

desde 2002, a Mercedes-Benz continua

a melhorá-las, propondo novas

funcionalidades. As quatro mais recentes

vêm montadas no concept ESF

2019. A saber: Pre Safe Curve; Pre

Safe Side Lightning; Pre Safe Impulse

Rear; Pre Safe Child.

Pre Safe a 360°

Sabe como funcionam os quatro dispositivos

acima mencionados? Nós

explicamos-lhe. O Pre Safe Curve ativa-se

quando o veículo deteta que vai

fazer uma curva a velocidade excessiva

e que tal pode provocar uma saída

de estrada. O Pre Safe Side Lightning

atua no momento em que os sensores

identificam uma situação de possível

colisão lateral (por exemplo, num

cruzamento). Neste caso, a pintura

eletroluminescente dos painéis laterais

da carroçaria alertam os restantes

utilizadores da estrada. Já o Pre Safe

Impulse Rear tem como objetivo prevenir

os embates por alcance ou na

traseira. Para isso, quando o sistema

deteta que o veículo que segue atrás se

aproxima de forma perigosa, acelera

dentro do espaço disponível até ao

veículo precedente. Quanto ao Pre

Safe Child, foi pensado para proteger

os mais pequenos. Quando o sistema

identifica uma situação de acidente

iminente, reforça a tensão dos cintos

de segurança e enche elementos de

proteção em redor do sistema de retenção

infantil.

Comunicar para o exterior

Por seu turno, o Active Brake Assist

(Assistente Ativo de Travagem) está

apto a detetar peões que cruzem a

rua, que virem uma esquina ou ainda

ciclistas que pedalem no mesmo sentido

do veículo. Se os sensores interpretarem

que existe risco de atropelamento,

alertam o condutor com

sinais acústicos e óticos. Se não existir

qualquer reação por parte deste, o

veículo travará de forma automática.

O ESF 2019 foi concebido, também,

para comunicar com outros utilizadores

da via. Com este objetivo, integra

várias superfícies digitais (grelha, vidro

traseiro e tejadilho) que emitem

mensagens. Por exemplo, podem avisar

o peão que o veículo está à espera

que este atravesse a rua ou podem ainda

alertar para a presença de um veículo

avariado. E quando o ESF 2019

sofre um contratempo, não é preciso

que nenhum ocupante saia do veículo

para colocar o triângulo de emergência

na berma, uma vez existe um triângulo

robotizado que sai do veículo e “coloca-se”

na estrada sozinho. l

www.jornaldasoficinas.com Julho I 2019 91


Mundo

Automóvel

NOTÍCIAS por Bruno Castanheira

HYUNDAI TRÊS MILHÕES DE

UNIDADES EM NOŠOVICE

A Hyundai Motor comemorou três milhões de viaturas produzidas

na fábrica de Nošovice, na República Checa (HMMC). Em maio, esta

unidade produziu a viatura número 3.000.000, um i30 N que foi

encomendado por um cliente alemão. Fundada em 2008, a fábrica

emprega 3.300 colaboradores. Sendo a unidade mais moderna da

Europa e dispondo de 500 robots da mais avançada tecnologia,

a HMMC produz 1.500 veículos Hyundai por dia. As tecnologias

avançadas e os sistemas de gestão de resíduos garantem elevados

níveis de qualidade e conseguem minimizar o impacto ambiental.

Entre as 3.000.000 de viaturas produzidas pela HMMC, 905.500

foram Tucson, representando, assim, 30% do total fabricado. Enquanto

isso, foram, também, produzidas 1.077.700 viaturas de três

gerações da família i30, o que equivale a 36% da produção total.

JAGUAR I-PACE S

VANTAGENS PARA EMPRESAS

o

SUV 100% elétrico da Jaguar, o I-PACE, na nova edição especial S, propõe diversas vantagens:

oferta de pack de equipamento, dedução de 100% do IVA, isenção do pagamento

de impostos autonómicos, custo reduzido para estacionamento em vias públicas nas

principais cidades e pagamento de Classe 1 nas portagens. Com 400 cv, o I-PACE S está disponível

por €62.500 mais IVA (apenas para as empresas) e inclui um equipamento adicional em relação

ao acabamento S “convencional”, sem custo adicional para as companhias lusitanas: pintura metalizada,

jantes de 20”, suspensão pneumática, espelhos exteriores rebatíveis e eletrocromáticos,

vidros Privacy Glass, teto panorâmico e porta da bagageira com acionamento elétrico.

NOVO OPEL CORSA

NÃO SERÁ APENAS ELÉTRICO

Depois de ter mostrado a versão elétrica, Corsa-e, a Opel anunciou

a gama de motores de combustão interna da sexta geração do

Corsa, num leque de potências que vai de 75 a 130 cv. Consumo de

combustível reduzido e desempenho dinâmico elevado são características

bem vincadas, comuns a todos os propulsores do novo

Corsa. Registe-se que todas as versões do novo modelo apresentam

emissões de CO 2

inferiores às versões mais eficientes do atual Corsa.

Para além da variante elétrica, Corsa-e, a Opel definiu três níveis de

equipamento para o novo Corsa com motores a gasolina e Diesel:

Edition, Elegance e GS Line. A Opel já está a aceitar encomendas

para o novo Corsa. A chegada das primeiras unidades está agendada

para novembro deste ano. Eis os motores disponíveis: 1.2 de 75 cv;

1.2 Turbo de 100 cv; 1.2 Turbo de 130 cv; 1.5 Turbo D de 102 cv.

FORD PUMA

CROSSOVER COM INSPIRAÇÃO SUV

D

oze anos depois, o Puma regressa na pele de crossover compacto com inspiração SUV,

inaugurando um capítulo na identidade de design da Ford ao adotar detalhes carismáticos,

tais como distintivos faróis dianteiros posicionados no topo dos guarda-lamas e

linhas atléticas e aerodinâmicas. As proporções compactas típicas de um crossover resultam numa

elevada altura ao solo, que possibilitam, também, um volume de carga de 456 litros. Os clientes

que optarem pelo novo Puma com tecnologia EcoBoost Hybrid de 48 Volt, usufruirão de um desempenho

potente e ágil, com consumos otimizados. O novo Puma será proposto em versões de

125 e 155 cv, ambas com motor EcoBoost a gasolina de 1,0 litros, com três cilindros. Produzido

na Roménia, o novo Puma chegará a Portugal em janeiro de 2020.

92 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


É uma empresa TOP 100 do Aftermarket?

Então esta revista é para si!

Contacte-nos e reserve já o seu anúncio


Mundo

Automóvel

USO PROFISSIONAL NISSAN NV250

RECEITA CONHECIDA

NUMA ALTURA EM QUE A RENAULT MOSTROU O CONCEPT QUE VAI DAR ORIGEM AO NOVO KANGOO, A NISSAN

APRESENTOU UM NOVO VEÍCULO COMERCIAL DESENVOLVIDO COM BASE NO ATUAL KANGOO, QUE RECEBEU

A DESIGNAÇÃO DE NV250 E ESTÁ PRONTO PARA SER COMERCIALIZADO por Ricardo Carvalho

Apesar da enorme tradição que

tem nos veículos comerciais,

a Nissan perdeu algum fulgor

nos últimos anos neste segmento. Esta

falta de força foi atenuada pela sucesso

do e-NV200 (versão elétrica), até porque,

na variante equipada com motor

de combustão, este furgão nunca foi

assim tão bem sucedido.

O NV250 é, literalmente, um Renault

Kangoo da atual geração, mas com o

símbolo da Nissan na grelha e no volante.

As diferenças entre ambos resumem-se

a isso mesmo. Talvez porque o

novo Kangoo chegue ao mercado apenas

em 2020, a Renault decidiu “ceder

algumas unidades” à Nissan. E esta

não se fez rogada. Recuando uns anos,

esta situação acaba por não ser nova.

Para quem não está recordado, a anterior

geração do Kangoo também foi

“clonada” pela Nissan”, que lhe aplicou

a designação de Kubistar. Mas o sucesso

deste modelo também se resumiu a

algumas unidades vendidas, não só em

Portugal, como, também, na Europa.

Mesmos ingredientes

Segundo a Nissan, o novo NV250 é

99,9% igual ao Kangoo atual, o que diz

muito acerca da parceria entre estes

dois comerciais ligeiros. A Nissan propõe

o modelo com dois comprimentos

distintos (4,28 e 4,67 m), para além de

dois tipos de carroçaria, que se podem

adaptar a diferentes clientes. Assim, o

novo NV250 pode ser adquirido em

versão furgão fechado, totalmente voltado

para o trabalho, ou numa variante

mista. Há ainda uma opção combi

só para passageiros. Esta última só vai

estar disponível na carroçaria curta e

em configuração de cinco lugares. Dependo

da versão escolhida, poderá ter

uma carga útil de até 800 kg.

A parte mecânica também não muda

muito. O NV250 aposta num único

propulsor Diesel, que é bem conhecido

do mercado. Trata-se do 1.5 Blue dCi,

que vai estar disponível com potências

de 80, 95 e 115 cv. Como curiosidade,

refira-se que este modelo não disponibilizará

uma versão elétrica, ao contrário

do que sucede com o Kangoo atual,

o que vai um pouco contra aquilo que

é a filosofia da marca japonesa, que

tanto sucesso tem feito com os LEAF

e e-NV200.

O NV250 é produzido na mesma unidade

fabril onde são construídos os

Renault Kangoo e Mercedes-Benz Citan,

ou seja, na fábrica de Maubeuge,

em França, o que pode indiciar que

a unidade de Barcelona vai perder a

produção deste modelo e que deverá

ficar apenas com o fabrico da Navara

e das suas “primas” Renault Alaskan

e Mercedes-Benz Classe X. A garantia

de cinco anos ou 160 mil km do novo

Nissan NV250 é uma vantagem face

aos Renault Kangoo e Mercedes-Benz

Citan. l

94 Julho I 2019 www.jornaldasoficinas.com


OMaior

Evento

do AFTERMARKET em PORTUGAL

13SETEMBRO2019

More magazines by this user
Similar magazines