28.12.2023 Views

Jornal das Oficinas 214

Na edição de dezembro 2023 / janeiro 2024, do Jornal das Oficinas, o artigo de destaque é uma análise do mercado pós-venda nacional, que teve um desempenho muito positivo, com a maioria das empresas satisfeita com o crescimento das vendas, confirmando o bom momento que o setor atravessa. Mas a incerteza mantém-se uma questão atual, e o setor enfrenta um conjunto enorme de desafios.

Na edição de dezembro 2023 / janeiro 2024, do Jornal das Oficinas, o artigo de destaque é uma análise do mercado pós-venda nacional, que teve um desempenho muito positivo, com a maioria das empresas satisfeita com o crescimento das vendas, confirmando o bom momento que o setor atravessa. Mas a incerteza mantém-se uma questão atual, e o setor enfrenta um conjunto enorme de desafios.

SHOW MORE
SHOW LESS

Create successful ePaper yourself

Turn your PDF publications into a flip-book with our unique Google optimized e-Paper software.

jornal<strong>das</strong>oficinas.com | JORNAL INDEPENDENTE DA MANUTENÇÃO E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS LIGEIROS E PESADOS | DIRETOR | João Vieira<br />

<strong>214</strong><br />

Dezembro 2023<br />

/ Janeiro 2024<br />

PERIODICIDADE | BIMESTRAL<br />

ANO XVIII | 3 EUROS<br />

PUB<br />

ANÁLISE MERCADO PÓS-VENDA<br />

CONQUISTas E INCERTEZAS!<br />

Pág. 06<br />

Miguel Melo<br />

Pág. 46 \\ A MCoutinho Peças celebra o seu 25º<br />

Aniversário. Para nos falar sobre este percurso<br />

de sucesso, estivemos à conversa com Miguel<br />

Melo, Administrador da MCoutinho Peças+<br />

AZ Auto<br />

Balanço mercado de pneus<br />

Pág. 76 \\ 2023 revelou-se um ano positivo<br />

para o comércio de pneus em Portugal.<br />

Registou-se uma redução dos fretes<br />

internacionais, o que fez com que o mercado<br />

budget ficasse mais competitivo<br />

Fórum DPAI/acaP<br />

Pág. 26 \\ Decorreu no passado mês de<br />

Novembro o Fórum DPAI/ACAP. Este evento,<br />

que reuniu mais de 250 participantes, foi uma<br />

oportunidade para os profissionais refletirem<br />

sobre desafios do futuro<br />

Eficiência e produtividade<br />

Pág. 72 \\ A melhoria da eficiência e da<br />

produtividade são dois dos objetivos<br />

principais <strong>das</strong> oficinas para aumentar<br />

a rentabilidade e assim assegurar a<br />

continuidade do negócio<br />

PUB<br />

PUB<br />

PUB<br />

PUB<br />

PUB<br />

93 22 22 200


Prepare o seu plano<br />

de comunicação para 2024*<br />

*Prepare your communication plan for 2024<br />

www.apcomunicacao.com<br />

Há 25 anos a liderar a comunicação<br />

Aftermarket em Portugal


Editorial<br />

<strong>214</strong><br />

Dezembro 2023 /<br />

Janeiro 2024<br />

Folha de serviço ......................................................... 04<br />

DESTAQUE<br />

Análise do mercado pós-venda ........................ 06<br />

EVENTO<br />

Fórum DPAI/ACAP .................................................... 26<br />

COMPETIÇÃO<br />

Challenge <strong>Oficinas</strong> 2024 .................................... 28<br />

Melhor Mecatrónico 2024 ................................. 29<br />

ENTREVISTAS<br />

Ismael Carmena (Hella) ........................................ 30<br />

Luís Machado (Stellantis &You) ....................... 34<br />

Miguel Melo (MCoutinho Peças) ...................... 46<br />

José Carvalho (Romafe) ...................................... 50<br />

Luis Aniceto (S. José Pneus) ............................. 86<br />

NOTÍCIAS<br />

Empresas .................................................................... 38<br />

Produto ........................................................................ 54<br />

Pneus ............................................................................ 94<br />

EMPRESA<br />

Auto Pop celebra 50º aniversário ................. 60<br />

OFICINA DO MÊS<br />

Arenes Car .................................................................. 64<br />

TÉCNICA & SERVIÇO<br />

Eficiência e Produtividade .................................. 72<br />

MERCADO<br />

Balanço do Ano setor pneus ............................. 76<br />

EMPRESAS PNEUS<br />

AB Tyres ....................................................................... 88<br />

Pneus Vidago ........................................................... 90<br />

ESTATÍSTICAS<br />

Ven<strong>das</strong> pneus 3º trimestre 2023 .................. 92<br />

JO MAIS<br />

SUSTENTÁVEL<br />

Após dezanove anos de publicação mensal regular, o JO muda a periodicidade para<br />

bimestral. Com esta medida reduzimos o consumo de papel em mais de 65% e contribuímos<br />

para práticas mais sustentáveis, diminuindo o impacto ambiental. Mas menos<br />

edições não significa que o jornal tenha menos informação, porque os grandes temas<br />

da atualidade, as entrevistas e reportagens, continuarão a fazer parte do corpo da publicação.<br />

Outra novidade é a integração da Revista dos Pneus no JO, que permite centralizar<br />

todo o conteúdo relacionado com pneus e mecânica numa única publicação, proporcionando<br />

aos leitores uma fonte mais abrangente de informações sobre o setor pós-venda.<br />

A sustentabilidade ainda é percecionada como sendo importante, mas não urgente, o que é uma abordagem<br />

errada. Para chegarmos a 2030 (e a 2050) com um mundo mais justo e equilibrado, é fundamental<br />

todos darmos o nosso contributo para a redução da pegada ecológica. No caso <strong>das</strong> empresas do<br />

aftermarket, a sustentabilidade pode até trazer inúmeros benefícios, como a redução de custos operacionais,<br />

o fortalecimento da imagem da empresa, a atração de talentos e o acesso a novos mercados e<br />

oportunidades de negócios.<br />

Pioneiro e inovador, o JO vai continuar a cumprir a sua missão de órgão de comunicação especializado,<br />

informando as oficinas sobre as melhores soluções para o futuro da sua atividade, garantindo<br />

a diferenciação necessária que nos reconhece como um meio inovador, com informação útil para o<br />

pós-venda. Desde o início que nos preocupamos em complementar a informação disponibilizada no<br />

jornal impresso com outros produtos e serviços, designadamente websites, redes sociais e realização<br />

de eventos. Destacamos obviamente a Gala TOP 100 como uma <strong>das</strong> ações mais assertivas do JO. O<br />

evento que se encontra na sua 10ª edição é a maior homenagem aos distribuidores e oficinas do setor e<br />

ponto de encontro de empresários que operam no aftermarket nacional.<br />

Nesta nova etapa que o JO agora inicia, agradecemos aos leitores e anunciantes que nos têm acompanhado<br />

ao longo de quase duas déca<strong>das</strong>, toda a confiança demonstrada pelo nosso trabalho. Contar<br />

com o apoio <strong>das</strong> marcas e <strong>das</strong> empresas é essencial para garantir a continuidade do projeto. Sem o<br />

seu apoio, não teria sido possível chegar onde hoje nos encontramos. Por isso, tudo o que o <strong>Jornal</strong> <strong>das</strong><br />

<strong>Oficinas</strong> representa para o aftermarket em Portugal, deve-o em grande parte aos seus anunciantes,<br />

que nunca deixaram de acreditar na mais valia do projeto para o aftermarket nacional. Ao longo dos<br />

últimos dezanove anos o JO chegou às mãos dos seus leitores com vários grafismos, fez alterações no<br />

seu logotipo e teve diferentes equipas editoriais, mantendo-se sempre fiel aos seus princípios, e continuando<br />

a ser a marca de confiança de todo o aftermarket.<br />

Cientes de que o bom e velho hábito de folhear um jornal para ler nunca vai acabar, esperamos continuar<br />

a merecer a confiança dos leitores e anunciantes nesta nova etapa do JO com periodicidade<br />

bimestral, mas sempre com muita informação útil e atual para os profissionais do pós-venda.<br />

JOÃO VIEIRA | Diretor<br />

DIRETOR JOÃO VIEIRA joao.vieira@apcomunicacao.com // DIRETOR COMERCIAL MÁRIO CARMO mario.carmo@apcomunicacao.com // GESTOR DE CLIENTES PAULO FRANCO paulo.franco@apcomunicacao.com<br />

// JORNALISTA JOANA MENDES joana.mendes@apcomunicacao.com // WEBMASTER ANTÓNIO VALENTE // ARTE HÉLIO FALCÃO // SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E CONTABILIDADE financeiro@apcomunicacao.com<br />

// PERIODICIDADE Bimestral // ASSINATURAS assinaturas@apcomunicacao.com // SEDE DA REDAÇÃO Bela Vista Office Estrada de Paço de Arcos, 66 2735 - 336 Cacém // TEL. +351 219 288 052 // GPS 38º45’51.12”N<br />

- 9º18’22.61”W // © Copyright Nos termos legais em vigor, é totalmente interdita a utilização ou a reprodução desta publicação, no seu todo ou em parte, sem a autorização prévia e por escrito do JORNAL DAS OFICINAS<br />

// IMPRESSÃO LISGRÁFICA - IMPRESSÃO E ARTES GRÁFICAS, S.A. Estrada Consiglieri Pedroso, 90 2730 - 053 Barcarena Tel. <strong>214</strong> 345 400 // N.º DE REGISTO NA ERC 124.782 // DEPÓSITO LEGAL n.º: 201.608/03<br />

TIRAGEM 10.000 exemplares<br />

www.apcomunicacao.com<br />

Parceiro em Espanha<br />

EDIÇÃO AP COMUNICAÇÃO // PROPRIEDADE JOÃO VIEIRA // EMAIL GERAL@APCOMUNICACAO.COM<br />

CONSULTE O ESTATUTO EDITORIAL NO SITE WWW.JORNALDASOFICINAS.COM<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 3


FOLHA<br />

DE SERVIÇO<br />

IPSIS<br />

VERBIS<br />

ISMAEL CARMENA<br />

DIRETOR-GERAL HELLA IBERIA<br />

CONTINUA A HAVER DIFERENÇAS<br />

GRANDES NA DISTRIBUIÇÃO DE<br />

PORTUGAL E NA DE ESPANHA. SÃO<br />

MERCADOS IBÉRICOS COMUNS EM<br />

TERMOS DE POLÍTICAS DE PREÇOS,<br />

COMERCIAIS E DE MARKETING,<br />

MAS DO PONTO DE VISTA DE<br />

TAMANHO E ORGANIZAÇÃO HÁ<br />

MUITAS DIFERENÇAS<br />

COMPETIÇÕES JO VOLTAM EM 2024<br />

Em 2024, o JO volta a realizar as Competições Challenge <strong>Oficinas</strong> e Melhor Mecatrónico, dois eventos<br />

únicos no panorama do aftermarket em Portugal, que todos os anos juntam mecânicos e oficinas<br />

para uma experiência inesquecível, com muitos momentos de emoção, convívio e confraternização.<br />

A Competição Challenge <strong>Oficinas</strong>, é novamente dedicada às oficinas de rede, um conceito em<br />

franco crescimento com muitas vantagens e mais valias para as oficinas aderentes. É uma competição<br />

que vai permitir cada oficina tomar consciência daquilo que vale em termos de recursos humanos e<br />

enquanto organização. A Competição Melhor Mecatrónico comemora a 7ª edição, que será assinalada<br />

da melhor forma com a grande Grande Final em novembro de 2024, no Salão expoMECÂNICA. Para<br />

participarem nestas competições, os interessados apenas têm de se inscrever nos respetivos sites:<br />

www.challengeoficinas.pt // www.melhormecatronico.pt<br />

JOSÉ CARVALHO<br />

DIRETOR DIVISÃO AUTOMÓVEL<br />

DA ROMAFE<br />

O CLUB GOSHOP ASSENTA EM<br />

TRÊS PILARES: O COMPROMISSO;<br />

O FACTO DE NÃO PODER HAVER<br />

CONCORRÊNCIA GEOGRÁFICA;<br />

E O COMBATE A ALGUMAS<br />

SITUAÇÕES QUE SE PASSAM NO<br />

MERCADO, ASSUMINDO SEMPRE O<br />

PAPEL DE MANTER OS CANAIS TAL<br />

COMO ELES ESTAVAM DEFINIDOS<br />

SEMÁFORO<br />

LUÍS MACHADO<br />

DIRETOR GERAL DA PLACA DISTRIGO<br />

STELLANTIS &YOU<br />

INCOMODA-ME A BANALIZAÇÃO DA<br />

ENTREGA, QUE TEM UM CUSTO<br />

SIGNIFICATIVO E<br />

DESRESPONSABILIZÁMOS<br />

O CLIENTE. O CLIENTE PEDE<br />

AGORA UM FILTRO, DEPOIS UMAS<br />

PASTILHAS… E ESSA<br />

RESPONSABILIZAÇÃO DO CLIENTE<br />

TEM DE SER FEITA<br />

IRC mais alto da OCDE<br />

Os números apresentados por diversas<br />

entidades confirmam: a carga fiscal que<br />

recai sobre as empresas portuguesas é<br />

elevadíssima e, em termos europeus,<br />

coloca-nos em grande desvantagem<br />

face à concorrência. No caso do IRC,<br />

é o ranking da competitividade fiscal<br />

internacional 2023, elaborado pela Tax<br />

Foundation, a dizer que as empresas<br />

nacionais pagam a taxa mais alta (pode<br />

chegar aos 31,5%) entre os 38 países da<br />

OCDE. Portugal mantém-se na última<br />

posição, sendo que o estudo realça a<br />

elevada carga fiscal sobre as empresas e a<br />

sua complexidade.<br />

Inflação a baixar<br />

A inflação em Portugal foi de 1,6% em<br />

dezembro, de acordo com a estimativa<br />

avançada pelo INE, o que significa<br />

uma descida de meio ponto percentual<br />

face a novembro (2,1%) e o nível mais<br />

baixo da taxa dos últimos dois anos.<br />

Aos dados do gabinete de estatística,<br />

acrescente-se as previsões da OCDE que<br />

apontam para uma redução da inflação<br />

em Portugal para 3,3% em 2024 e para<br />

uma queda para 2,4% em 2025. Por sua<br />

vez, os cálculos do Fundo Monetário<br />

Internacional apontam para uma<br />

redução da taxa de inflação para 5,3%<br />

em 2023 e para 3,4% em 2024.<br />

Chineses investem em Águeda<br />

A empresa chinesa CITIC Dicastal vai<br />

instalar uma fábrica de componentes para<br />

a indústria automóvel em Águeda, num<br />

projeto que envolverá um investimento<br />

de 180 milhões de euros e deverá criar<br />

entre 500 e 600 postos de trabalho. A<br />

Assembleia Municipal de Águeda já<br />

aprovou a venda dos terrenos municipais<br />

e o “memorando de entendimento” com<br />

a gigante estatal de Qinhuangdao para<br />

acolher essa unidade fabril daquele<br />

que é um dos 50 maiores fabricantes de<br />

componentes automóveis do mundo. A<br />

unidade fabril vai ser erguida no Parque<br />

Empresarial do Casarão.<br />

4 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


Destaque<br />

CONTENTAMENTO<br />

E INCERTEZA!


ANÁLISE MERCADO PÓS-VENDA<br />

O DESEMPENHO DO MERCADO AFTERMARKET NACIONAL EM 2023 FOI MUITO POSITIVO,<br />

COM A MAIORIA DAS EMPRESAS CONTENTES COM O CRESCIMENTO DAS VENDAS, CONFIRMANDO<br />

O BOM MOMENTO QUE O SETOR ATRAVESSA. MAS A INCERTEZA MANTÉM-SE UMA QUESTÃO ATUAL,<br />

E O SETOR ENFRENTA UM CONJUNTO ENORME DE DESAFIOS QUE AMEAÇAM REVOLUCIONAR<br />

O MODELO DE NEGÓCIO QUE CONHECEMOS DESDE HÁ DÉCADAS<br />

A<br />

evolução galopante nas viaturas, com o tradicional<br />

motor de combustão a dar lugar ao<br />

novo motor elétrico, as evoluções técnicas de<br />

carácter informático nas viaturas, a gestão desses<br />

dados e processamento dessa informação com confidencialidade<br />

e segurança, e de uma forma muito<br />

acentuada as fusões e aquisições, de marcas e grossitas<br />

feito por empresas nacionais e internacionais,<br />

que procuram posicionar-se num mercado automóvel<br />

poderoso, são desafios incontornáveis que o<br />

aftermarket terá de enfrentar e ultrapassar.<br />

Outrora, o construtor de automóveis tradicional<br />

preocupava-se, em especial, com o design do carro,<br />

a mecânica e os sistemas de segurança ativa e passiva.<br />

Atualmente, os construtores empenham-se,<br />

sobretudo, na conectividade com foco no condutor,<br />

para que a condução seja aliada a uma experiência<br />

que extravasa o mero ato de conduzir, conectando<br />

o condutor ao mundo que o rodeia. As dificuldades<br />

surgem posteriormente, pois é necessário gerir<br />

grandes fluxos de dados informáticos com segurança.<br />

Para as oficinas e o aftermarket em geral, este<br />

novo conceito de mobilidade vai trazer novos desafios,<br />

sendo necessário as empresas adaptarem-se<br />

aos novos modelos de negócio que estão a surgir.<br />

Para além dos muitos desafios que as empresas terão<br />

de enfrentar, o setor está repleto de oportunidades<br />

ao alcance da maioria, com a adaptação às<br />

novas tecnologias e criação de alianças estratégicas,<br />

juntamente com a diversificação e a sustentabilidade,<br />

medi<strong>das</strong> fundamentais para o sucesso num futuro<br />

próximo.<br />

Transformação necessária e inevitável<br />

A tecnologia sofisticada dos veículos modernos e<br />

a necessidade de adaptação à chegada progressiva<br />

de novos sistemas de propulsão, como o automóvel<br />

elétrico, são novos conceitos aos quais as oficinas de<br />

reparação devem adaptar-se para não ficarem para<br />

trás. Do mesmo modo, a digitalização dos processos<br />

oficinais será outro grande desafio. Uma transformação<br />

necessária e inevitável, que as tornará mais<br />

eficientes, fazendo aumentar a sua produtividade<br />

e, por conseguinte, melhorar a sua rentabilidade.<br />

Uma rentabilidade que ainda é muito baixa, pois<br />

continuamos com um preço hora baixo em comparação<br />

com outros países, o que ameaça cada vez<br />

mais a margem de lucro e que põe em risco a própria<br />

viabilidade <strong>das</strong> empresas.<br />

Outro grande desafio que o setor enfrenta é a falta<br />

de recursos humanos qualificados. Embora existam<br />

várias iniciativas de Centros de Formação e Associa-<br />

ções para tentar atenuar este problema que é cada<br />

vez mais premente, é muito importante que as oficinas<br />

saibam não só atrair talentos, mas também retê-los.<br />

As oficinas devem continuar a ser proactivas<br />

no investimento em ferramentas, equipamento e<br />

tecnologia, e assegurar a formação contínua do pessoal,<br />

a fim de serem competitivas. Por fim, e perante<br />

a perspetiva de um 2024 economicamente difícil,<br />

com as famílias com menor poder de compra devido<br />

aos aumentos <strong>das</strong> taxas de juro que continuam a encarecer<br />

consideravelmente as hipotecas, será essencial<br />

para a oficina a fidelização dos clientes, tanto<br />

numa perspetiva de máxima qualidade de serviço,<br />

como com ações para os atrair às suas instalações.<br />

Custos operacionais afetam margens<br />

O indicador de preços tem vindo a crescer a um ritmo<br />

imparável desde o início do ano, após um período<br />

anómalo de deflação provocado pela eclosão<br />

da pandemia, e agora encontra-se num máximo dos<br />

últimos anos. Os custos excessivos que as oficinas<br />

de reparação têm de enfrentar está a afetar as suas<br />

margens. Os fornecimentos de energia frequentemente<br />

consumidos na oficina, como a eletricidade,<br />

gás ou gasóleo para os processos de secagem e aquecimento<br />

aumentaram de forma exponencial, não<br />

havendo sinais de um ajustamento em baixa num<br />

futuro próximo. Do mesmo modo, as peças sobresselentes,<br />

a gestão de resíduos, transportes, materiais<br />

de limpeza, serviços externos... um vasto espetro<br />

que abrange quase todos os materiais de oficina<br />

está a sofrer aumentos de custos. Os custos de produção<br />

<strong>das</strong> oficinas sofrem aumentos que se situam<br />

frequentemente entre 5% e 10%, por vezes até mais<br />

elevados. A isto juntam-se aumentos <strong>das</strong> taxas de<br />

seguro; atualizações dos preços dos alugueres e dos<br />

serviços subcontratados; aluguer e subcontratação<br />

de serviços (riscos profissionais, consultoria, Website,<br />

software de orçamentação e de gestão); a manutenção<br />

de veículos de substituição e, em particular, a<br />

atualização dos acordos coletivos de trabalho, o que<br />

aumentará os custos de mão de obra, com um impacto<br />

importante nas margens <strong>das</strong> oficinas.<br />

Quando a oficina realizar as suas análises de rentabilidade<br />

é muito importante ter consciência de que<br />

a mão de obra é o principal componente de um orçamento<br />

de reparação de veículos e um dos custos<br />

mais importantes da oficina. A mão de obra é um<br />

dos primeiros conceitos em que algumas oficinas<br />

tentam poupar, cometendo um grave erro. A redução<br />

<strong>das</strong> margens de mão de obra apenas conduz a<br />

uma redução do custo do trabalho realizado pelos<br />

profissionais da oficina. Deve ser estabelecido um<br />

equilíbrio honesto e sincero, imputando a mão de<br />

obra na medida certa, mas tendo consciência de que<br />

tem um custo e que nunca deve ser oferecido. É por<br />

isso que é essencial ser transparente com os clientes,<br />

uma vez que esta é uma questão muito sensível para<br />

eles. Neste sentido, ter uma tabela com os preços<br />

horários dos serviços e bem à vista do cliente pode<br />

ajudar muito. Para rentabilizar a mão de obra, a<br />

oficina tem de melhorar o tempo investido em cada<br />

serviço, otimizar o desempenho do trabalho (sendo<br />

mais eficiente irá reduzir custos e obter mais trabalho)<br />

e na organização dos processos na oficina. A<br />

mão de obra é a principal rubrica de um orçamento<br />

de reparação de veículos e um dos custos mais importantes<br />

da oficina. É essencial saber como lidar<br />

com este parâmetro.<br />

Mais trabalho com menos lucro<br />

Havendo menos ven<strong>das</strong> de veículos novos, as oficinas<br />

trabalham agora, essencialmente, com um<br />

parque cada vez mais envelhecido, que é preciso<br />

manter em bom estado. Isto significa, desde logo,<br />

duas coisas: mais trabalho e menos rentabilidade,<br />

porque os proprietários tendem a preferir gastar<br />

menos dinheiro nas reparações dos seus automóveis<br />

mais antigos e a espaçar mais as intervenções<br />

na oficina. Daí surge a necessidade de apostar em<br />

novas fontes de rendimento e soluções de redução<br />

de custos, que garantam às marcas, distribuidores<br />

e oficinas a subsistência para o futuro. Esta é, sem<br />

dúvida, uma oportunidade que o mercado tem de<br />

melhorar todo o serviço ao cliente e reposicionar-<br />

-se face às novas realidades que se apresentam. Para<br />

aumentar a faturação, os distribuidores têm de criar<br />

novos serviços que gerem valor para as oficinas. A<br />

diferenciação <strong>das</strong> empresas vai passar a fazer-se<br />

na venda e no pós-venda, com a personalização da<br />

experiência do cliente, oferecendo-lhe mais opções<br />

e soluções. A estratégia de cada um para lidar com<br />

esta situação irá definir quem se vai conseguir posicionar<br />

no mercado.<br />

Logística mais difícil<br />

Saber lidar com as dificuldades logísticas é também<br />

é um dos mais atuais desafios do setor. Numa altura<br />

em que os distribuidores investem em múltiplas entregas<br />

diárias para prestar um serviço «just in time»<br />

às oficinas, esbarram simultaneamente no dilema<br />

dos custos cada vez mais elevados que isso acarreta,<br />

nomeadamente em combustível, portagens e disponibilidade<br />

de viaturas e meios humanos. Deste modo,<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 7


ANÁLISE MERCADO PÓS-VENDA<br />

LIGEIROS<br />

muitos operadores têm optado por investir na digitalização<br />

dos armazéns, para evitar erros humanos<br />

e custos desnecessários com as entregas e/ou<br />

devoluções e também em políticas mais aperta<strong>das</strong><br />

de entregas. Ainda assim, sentem todos os dias<br />

que continua a ser preciso otimizar custos logísticos<br />

sem penalizar a taxa de serviço e, até mesmo,<br />

conseguir melhorá-la. Neste sentido, conseguir<br />

parcerias estratégicas e colaboração com fabricantes,<br />

fornecedores e distribuidores é fundamental<br />

para criar uma rede de distribuição eficiente. No<br />

norte da Europa, por exemplo, a sustentabilidade<br />

é um tema que já está em cima da mesa e há países<br />

a restringir o número de entregas diárias permiti<strong>das</strong>,<br />

para minimizar a pegada de carbono que os<br />

distribuidores estão a provocar. Por cá, isso ainda<br />

não é uma realidade, mas torna-se imperativo<br />

pensar nas consequências financeiras, ecológicas<br />

e práticas de fazer quatro, cinco ou seis entregas<br />

de peças numa base diária, procurando, de mentalidade<br />

aberta, soluções alternativas para esta situação.<br />

As peças reconstruí<strong>das</strong> já vão entrando no<br />

portefólio de referências <strong>das</strong> empresas, que assim<br />

podem apresentar aos clientes soluções mais sustentáveis,<br />

que são, naturalmente, alternativas mais<br />

económicas e que trazem vantagens competitivas<br />

face à concorrência.<br />

Novos produtos, novas tendências<br />

O automóvel está a mudar e o setor também tem<br />

de mudar para acompanhar toda a revolução que<br />

já se vive. Em breve, os produtos que ocupam as<br />

prateleiras dos armazéns vão, necessariamente,<br />

ser diferentes daqueles que estamos habituados a<br />

ver. A aposta dos consumidores nos veículos elétricos<br />

e híbridos já é uma realidade e estas não<br />

são tendências temporárias, é uma transformação<br />

profunda, com consequências permanentes,<br />

para a qual é fulcral ter agilidade de adaptação.<br />

Cabe aos distribuidores antecipar as necessidades<br />

do cliente e estar preparados tecnicamente, com<br />

ferramentas e pessoal qualificado para oferecer<br />

os produtos e serviços que lhes permitirão diferenciar-se<br />

da concorrência. As empresas terão de<br />

se atualizar e fornecer soluções tecnologicamente<br />

avança<strong>das</strong> para atender a essa procura. Mais do<br />

que produtos, as empresas têm de se focar em<br />

serviços. Será preciso apostar em acessórios inteligentes<br />

para automóveis conectados, mais sensores<br />

e componentes para veículos a hidrogénio ou<br />

elétricos. É inegável que o preço continua a ser<br />

importante, mas não tem de ser determinante.<br />

O cliente procura qualidade e garantias porque,<br />

afinal, vai ser a forma como a oficina resolve o<br />

problema que irá ditar a satisfação do seu cliente.<br />

Concentração inevitável<br />

Num mundo cada vez mais globalizado, o fenómeno<br />

da concentração é uma realidade e já<br />

começou a chegar à Península Ibérica. Unificar<br />

marcas e processos resulta na melhoria dos resultados<br />

comerciais, que é, efetivamente, o que todos<br />

procuram: ter melhores condições de compra. A<br />

fragmentação histórica do mercado português e<br />

espanhol pode ter abrandado o processo da concentração,<br />

no entanto, já se vê a situação a alterar-<br />

-se, prevendo-se o desaparecimento desta típica<br />

atomização. Este ciclo de fusões e aquisições a que<br />

agora assistimos, vai trazer ao setor uma maior<br />

profissionalização e mais eficiência. O aumento da<br />

concorrência fará baixar os preços e, consequentemente,<br />

levará a que os distribuidores tenham<br />

margens mais baixas. Uma pressão sobre os preços<br />

que, na pior <strong>das</strong> hipóteses, poderá fazer descurar a<br />

qualidade, assessorias e garantias aos clientes. Por<br />

outro lado, os operadores ver-se-ão obrigados a ter<br />

maior disponibilidade de stock e mais variedade<br />

de produtos, com tempos de entrega cada vez mais<br />

curtos, o que terá um impacto nos distribuidores<br />

locais. Os players do setor olham para o fenómeno<br />

com naturalidade e consideram que trará muitos<br />

benefícios ao mercado nacional. Até ver, é uma<br />

perspetiva otimista, mas cautelosa, aquela que se<br />

vive no setor da distribuição de peças atualmente<br />

e levará, a médio trecho, a uma alteração do setor<br />

como estamos a habituados a conhecer. l<br />

TEMOS UM<br />

MERCADO MUITO<br />

FRAGMENTADO<br />

E ISSO ABRE PORTAS<br />

A DISTRIBUIDORES<br />

EXTERNOS MAIS<br />

ROBUSTOS<br />

MIGUEL LOPES<br />

SÓCIO-GERENTE<br />

APL EXPRESSO<br />

nosso mercado está a atravessar uma<br />

O profunda revolução, creio que estamos<br />

mesmo no “olho do furação”, seja pela<br />

concentração/iberização, pela evolução<br />

tecnológica do automóvel ou pelas novas opções<br />

de mobilidade. A conjuntura económica atual,<br />

apenas veio amplificar esta revolução. Neste<br />

mercado, só quem tiver uma rápida capacidade<br />

de adaptação e reação poderá sair mais forte.<br />

Temos um mercado muito fragmentado e isso<br />

abre portas a distribuidores externos, com<br />

estruturas mais robustas, que entram no nosso<br />

mercado com facilidade, devido à sua dimensão.<br />

Isto obriga-nos a ser mais eficientes, para<br />

conseguirmos resistir neste mercado, cada vez<br />

mais competitivo. Mas o inverso também<br />

acontece, por exemplo, a Create entrou no<br />

mercado espanhol, contrariando assim o sentido<br />

da iberização. Fechámos em 2023 um ciclo que<br />

foi projetado há cinco anos e que felizmente está<br />

a correr como o previsto, mesmo com covid e<br />

guerra pelo caminho, este foi o nosso melhor ano<br />

de sempre, em volume de negócios,<br />

produtividade e rentabilidade. Estamos já a<br />

preparar o novo ciclo e o que, por enquanto,<br />

posso garantir é que vamos continuar a investir<br />

na relação e proximidade com os nossos clientes.<br />

NESTE MOMENTO O PARQUE CIRCULANTE ESTÁ A FICAR COM MAIS CARROS<br />

VELHOS E COM MUITA IDADE, OU SEJA, 19% DO PARQUE CIRCULANTE<br />

são CARROS COM MAIS DE 20 ANOS E 56% DO PARQUE CIRCULANTE SÃO<br />

carros COM MAIS DE 10 ANOS<br />

8 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


O AUMENTO<br />

DE ESCALA<br />

É ESSENCIAL<br />

PARA CONTINUAR<br />

A CRESCER<br />

É FUNDAMENTAL<br />

CONSOLIDAR<br />

O FENÓMENO<br />

DE CONCENTRAÇÃO<br />

ONDE A AUTO DELTA<br />

TOMOU PARTE<br />

ATIVA<br />

O AFTERMARKET<br />

PORTUGUÊS É CADA<br />

VEZ MAIS VISÍVEL E<br />

ENTRA NOS PLANOS<br />

DOS GRANDES PLAYERS<br />

EUROPEUS<br />

PAULO AGOSTINHO,<br />

ADMINISTRADOR<br />

ALECARPEÇAS<br />

MARCELO SILVA<br />

GERENTE AUTO DELTA<br />

FLÁVIO MENINO<br />

DIRETOR MARKETING<br />

AUTOZITÂNIA<br />

setor pós-venda automóvel e a distribuição<br />

O de peças em particular estão a viver um<br />

momento bastante positivo. Podemos facilmente<br />

verificar que as perspetivas mais pessimistas que<br />

se abatiam sobre o nosso mercado,<br />

nomeadamente com o advento de uma nova crise<br />

económica ou um adiar da normalização <strong>das</strong><br />

cadeias de produção ou ainda o agravamento da<br />

inflação, não se confirmaram e continuamos a<br />

testemunhar um mercado pujante. Na<br />

AleCarPeças somos um exemplo de como a<br />

concentração é benéfica para o comportamento e<br />

o futuro da empresa. Neste momento estamos<br />

mais fortes, contamos com uma gama de<br />

produtos e marcas muito forte e contamos com<br />

condições comerciais muito positivas para fazer<br />

a diferença e para permitir que essa beneficie<br />

também os nossos parceiros comerciais. A<br />

verdade é uma: num mercado altamente<br />

competitivo e com diversos desafios, o aumento<br />

de escala e de quota de mercado é essencial para<br />

continuar a crescer. A abertura da nova loja em<br />

Albufeira, com 900 m2, uma equipa de seis<br />

colaboradores e um stock completo de peças de<br />

marcas premium, vai permitir estar mais<br />

próximos dos clientes desta região e poder<br />

oferecer-lhes o mesmo nível de serviço que<br />

prestamos nas nossas instalações de Alcabideche<br />

e Maia. A AleCarPeças pretende acompanhar as<br />

novidades do mercado juntamente com os<br />

parceiros Auto Delta e Fimag, procurando o<br />

crescimento conjunto <strong>das</strong> três empresas.<br />

enso que falamos pela globalidade do<br />

P mercado quando identificamos 2023 como<br />

um ano que se revelou bem mais positivo do que<br />

aquilo que se vaticinava, mas com alterações<br />

fundamentais para o que será o futuro a médio e<br />

longo prazo. A concentração do negócio da<br />

distribuição de peças é um fenómeno cuja<br />

chegada ao mercado nacional já se antecipava há<br />

alguns anos. O aumento de gamas e serviços, o<br />

reforço <strong>das</strong> equipas de gestão, técnicas e<br />

comerciais, aliado a um aumento de escala e<br />

quota de mercado relevante para fazer a<br />

diferença junto da base de clientes, são tudo<br />

fatores importantes e cuja veracidade é inegável<br />

por parte de qualquer player que tenha tomado<br />

parte ativa num fenómeno de concentração.<br />

Num mercado repleto de desafios presentes e<br />

futuros, como seja a iberização do mercado, a<br />

entrada de novos e disruptivos players ou a<br />

evolução da tecnologia automóvel, é imperativo o<br />

aumento de quota de mercado e capacidade de<br />

negociação, algo que advém dos fenómenos de<br />

concentração vistos nos últimos anos em solo<br />

nacional. Temos um parque automóvel com uma<br />

idade perigosamente elevada, algum<br />

informalismo no setor da reparação e também<br />

muitos montadores sem formação profissional e<br />

ainda uma situação económica que coloca em<br />

dificuldades muitas famílias quando se colocam<br />

perante a necessidade duma reparação do seu<br />

automóvel. Tudo isto são ingredientes que<br />

indicam que a evolução <strong>das</strong> ven<strong>das</strong> de peças<br />

online B2C seja muito positiva ainda que não<br />

seja para a esmagadora maioria dos players do<br />

Aftermarket nacional.<br />

onsidero que tanto no setor pós-venda<br />

C automóvel, como na distribuição de peças<br />

em particular, atravessa-se um bom momento,<br />

que é corroborado pelos resultados muito<br />

positivos de grande parte <strong>das</strong> empresas do setor.<br />

De uma forma geral, as empresas estão a crescer<br />

beneficiando da conjuntura económica favorável,<br />

verificando-se notoriamente um maior<br />

crescimento <strong>das</strong> empresas com maior dimensão.<br />

O nosso setor sempre foi reconhecido como<br />

muito resiliente, e o facto de ter suportado e<br />

ultrapassado várias “crises” recentes, como a<br />

guerra na europa ou a falta de fornecimento de<br />

peças por parte da cadeia de abastecimento,<br />

confirmam a sua resiliência. O aftermarket<br />

português é cada vez mais visível e entra nos<br />

planos dos grandes players a nível europeu e<br />

mundial, verificando-se uma clara tendência de<br />

concentração. Esta tendência torna o mercado<br />

menos disperso e, como consequência, as<br />

empresas de maior dimensão conseguem obter<br />

maior quota de mercado, colhendo benefício<br />

desta posição. Considero que esta tendência irá<br />

manter-se, como resultado <strong>das</strong> especificidades<br />

do mercado pós-venda no futuro. Continuaremos<br />

muito atentos e em análise permanente de novos<br />

produtos ou gamas para acrescentar à nossa<br />

oferta, as novas tecnologias no automóvel com a<br />

consequente realização de novas formações para<br />

os profissionais do setor estarem sempre<br />

preparados e atualizados, novos equipamentos<br />

para reparação dos veículos automóveis e uma<br />

procura contínua de elevar o nosso nível de<br />

serviço junto dos nossos clientes e parceiros.<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 9


ANÁLISE MERCADO PÓS-VENDA<br />

LIGEIROS<br />

O MOMENTO<br />

ATUAL ANTECIPA<br />

INDICADORES DE<br />

UM FUTURO POSITIVO<br />

PARA O<br />

AFTERMARKET<br />

ESTAMOS NUM<br />

MOMENTO DE<br />

NORMALIDADE, COM<br />

O SETOR DINÂMICO,<br />

TECNOLÓGICO E EM<br />

CRESCIMENTO<br />

A ENTRADA<br />

DE DISTRIBUIDORES<br />

ESPANHÓIS<br />

REPRESENTA UMA<br />

MUDANÇA<br />

DE PARADIGMA<br />

JOAQUIM CANDEIAS<br />

DIRETOR GERAL<br />

BILSTEIN GROUP<br />

CARLOS GONÇALVES<br />

SÓCIO-GERENTE<br />

FILOURÉM<br />

LUÍS COSTA<br />

DIRETOR GERAL<br />

JAPOPEÇAS<br />

valio a situação atual como sendo um<br />

A momento positivo no setor pós-venda<br />

automóvel e na distribuição de peças em<br />

particular. Na minha opinião, o momento atual<br />

antecipa indicadores de um futuro positivo que,<br />

com as devi<strong>das</strong> adaptações e com a flexibilidade<br />

adequada, significará que o aftermarket terá<br />

boas perspetivas de continuação de bons<br />

resultados, prolongando ao máximo este clima<br />

de prosperidade. Não considero que esteja a<br />

haver qualquer iberização do comércio de peças<br />

automóvel. O mercado português e espanhol são<br />

mercados distintos e, ainda que existam players<br />

espanhóis em Portugal, estes terão de adotar<br />

estratégias e planeamentos portugueses, e não<br />

espanhóis, para conseguirem alcançar o sucesso<br />

e cumprir os seus objetivos, beneficiando, desta<br />

forma, ambas as partes. Quanto à concentração<br />

do negócio da distribuição de peças, é<br />

fundamental para a continuidade do nosso<br />

negócio. Como em to<strong>das</strong> as situações negociais,<br />

existem pontos positivos e negativos, contudo,<br />

neste contexto, os aspetos positivos superam em<br />

muito os negativos, trazendo inúmeros<br />

benefícios à continuidade do negócio da<br />

distribuição de peças. Estamos a arrancar o ano<br />

2024 com um novo sistema, o SAP, o que nos vai<br />

trazer imensos desafios, mas também inúmeras<br />

vantagens competitivas, tanto internas como<br />

externas. Adicionalmente vamos também contar<br />

com a automatização e robotização de processos<br />

logísticos, aumentando, ainda mais, a nossa<br />

capacidade de resposta.<br />

pós alguns meses e anos atípicos, estamos<br />

A num momento de normalidade, com o<br />

setor dinâmico, tecnológico, com muitas<br />

transformações, frenético e em crescimento.<br />

Setor que se soube e sabe adaptar às<br />

circunstâncias e sempre em atualização<br />

constante. Apesar da entrada de empresas<br />

espanholas e da criação de grupos de diferentes<br />

dimensões penso que alterações profun<strong>das</strong> no<br />

mercado irão demorar algum tempo. Não<br />

obstante a proximidade geográfica e algumas<br />

mais valias como o aumento da oferta, eventuais<br />

melhorias de condições comerciais entre outros<br />

benefícios, as diferenças culturais são grandes,<br />

bem como a cadeia de negócio que é diferente. A<br />

iberização poderá ser uma realidade, mas de<br />

forma gradual e irá depender de muitos fatores.<br />

Quanto à concentração é uma tendência que veio<br />

para ficar e que dificilmente será reversível. Tem<br />

imensas mais valias, mas também alguns<br />

constrangimentos. Deverá haver uma enorme<br />

comunicação entre todos os agentes envolvidos,<br />

bem como clareza e transparência de forma a<br />

potenciar este processo. Para 2024 queremos<br />

aumentar e consolidar o stock atual <strong>das</strong> nossas<br />

marcas e equacionamos introduzir uma nova<br />

linha. Estamos atentos a oportunidades que<br />

possam aparecer, mas fruto dos vários projetos<br />

que desenvolvemos nos últimos meses,<br />

nomeadamente o novo site que estamos a<br />

concluir, o objetivo é crescer as ven<strong>das</strong> de forma<br />

gradual e consistente.<br />

dinamismo marca o momento presente<br />

O refletindo-se em três vetores:<br />

reconfiguração dos distribuidores por via da<br />

entrada de novos players a que se somam<br />

aquisições e fusões dos existentes; alargamento<br />

da oferta de bens e serviços; digitalização e<br />

melhoria de processos. A incerteza mantém-se<br />

uma questão atual uma vez que saídos da<br />

pandemia as consequências <strong>das</strong> guerras na<br />

Ucrânia e Israel têm impacto e causam<br />

disrupções no mercado, nomeadamente o<br />

contexto inflacionário atual. O envelhecimento<br />

do parque automóvel português é um fator<br />

relevante que pode sustentar a dimensão do<br />

setor e o seu potencial crescimento a curto/<br />

médio prazo. Numa visão de longo prazo a<br />

leitura é diferente e tem que ter em linha de<br />

conta a representatividade de outra tipologia de<br />

veículos que não os de combustão,<br />

nomeadamente os elétricos, entre outros. O<br />

fenómeno da iberização não sendo totalmente<br />

novo tem tido maior expressão recentemente.<br />

Pese o facto de globalmente muitos fabricantes<br />

olharem para o mercado como sendo ibérico faz<br />

muitos anos, ao nível da distribuição continuam<br />

a existir especificidades culturais e de modelo de<br />

negócio que tornam o mercado português e<br />

espanhol significativamente diferente.<br />

Porventura é por estas razões que este fenómeno<br />

só agora está a ter expressão também na<br />

distribuição. Naturalmente a entrada de<br />

distribuidores espanhóis representa uma<br />

mudança de paradigma e acontece porque o<br />

nosso mercado é aberto, maduro e concorrencial.<br />

10 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


ANÁLISE MERCADO PÓS-VENDA<br />

LIGEIROS<br />

É FUNDAMENTAL<br />

INTEGRAR O DIGITAL<br />

NA VISÃO DE NEGÓCIO<br />

DE TODAS AS<br />

ORGANIZAÇÕES<br />

O MERCADO<br />

PORTUGUÊS É MUITO<br />

APETECÍVEL E CHEIO<br />

DE OPORTUNIDADES<br />

A IBERIZAÇÃO<br />

PODE E DEVE SER<br />

NOS DOIS SENTIDOS<br />

JOSÉ PIRES<br />

diretor geral<br />

Krautli Portugal<br />

SAULO SACO<br />

diretor geral Leirilis<br />

JORGE COSTA<br />

ADMINISTRADOR MF PINTO<br />

fundamental integrar o digital na visão<br />

É de negócio de to<strong>das</strong> as organizações. A<br />

digitalização ajuda a simplificar e automatizar<br />

processos para que funcionem de forma mais<br />

eficiente e consistente, aumentando a<br />

produtividade. Melhora a comunicação interna e<br />

externa, e ajuda a tomar melhores decisões<br />

estratégicas com base em análises de dados<br />

fiáveis. Nós na Krautli Portugal trabalhamos<br />

com especialistas na área para identificar to<strong>das</strong><br />

as possibilidades viáveis de digitalização. O<br />

nosso Departamento de Soluções Digitais, que<br />

inclui todos os serviços de TIC da empresa, com<br />

quatro jogadores, tem proactivamente<br />

implementado novas ferramentas digitais.<br />

Estamos focados não só na digitalização da<br />

empresa, mas também do negócio em si e dos<br />

nossos parceiros, em especial as oficinas, clientes<br />

dos nossos distribuidores locais, pois da<br />

qualidade <strong>das</strong> oficinas depende o nosso futuro.<br />

Fornecemos-lhes os meios digitais eficientes<br />

necessários para desenvolverem a sua atividade.<br />

A digitalização é o core <strong>das</strong> operações <strong>das</strong> nossas<br />

redes de oficinas Nexus Auto e Profissional Plus<br />

e basilares para a nossa rede de revendedores N!<br />

Shop. No início de 2024, vamos arrancar com<br />

uma nova plataforma logística em Coimbra, com<br />

1.200 m2. Isto vai permitir-nos fortalecer a<br />

nossa presença no centro do país, em particular<br />

na Beira interior. Depois, ao longo do ano,<br />

teremos várias novidades, com o fortalecimento<br />

do nosso portefólio de produtos/serviços em<br />

áreas como a eletrificação e com novos passos na<br />

digitalização da empresa, nomeadamente com a<br />

utilização de Inteligência Artificial.<br />

o momento enfrentamos dias desafiantes,<br />

N visto Portugal ser detentor de um parque<br />

automóvel envelhecido e consequentemente se<br />

verificar uma crescente necessidade de peças de<br />

reposição. A par disso, o aparecimento de carros<br />

cada vez mais tecnológicos criam o desafio de<br />

acompanhar a sua evolução a nível de<br />

conhecimento e de peças de reposição cada vez<br />

mais específicas. Assim, trabalhamos<br />

diariamente para dar a melhor resposta a ambos<br />

os cenários. Com esta evolução, encontramos<br />

também oficinas que já identificaram a<br />

necessidade de se profissionalizar para melhor<br />

responder aos desafios diários. De modo a<br />

auxiliar nessa exigência sentida por parte <strong>das</strong><br />

oficinas, dispomos dos conceitos oficinais<br />

RedService e <strong>Oficinas</strong> DP, que fornecem<br />

formação e ferramentas aos parceiros para<br />

conseguirem responder de forma competitiva aos<br />

seus clientes. A Leirilis pertence ao Grupo<br />

Dipart desde 2017, e desde aí sempre houve uma<br />

visão que a iberização seria a realidade a<br />

médio-longo prazo. O mercado português é<br />

muito apetecível e cheio de oportunidades, por<br />

essa razão há aproximação de alguns<br />

distribuidores de peças espanhóis, no entanto é<br />

muito maduro e conta com muito players bem<br />

estruturados, que abrangem de forma ampla o<br />

mercado nacional. Assim, a entrada de alguns<br />

distribuidores de peças espanhóis tem de ser<br />

encarada com naturalidade. A concentração será<br />

o caminho do futuro. Quem está “sozinho” no<br />

mercado da distribuição de peças terá duas<br />

opções: ou se junta a um grupo ou sentirá<br />

grandes desafios a médio-longo prazo.<br />

Aftermarket nacional continua a dar<br />

O sinais de grande vitalidade e em 2023 a<br />

maior parte <strong>das</strong> empresas cresceu relativamente<br />

a 2022. Há mais empresas a competir e<br />

assistimos com alguma preocupação a uma<br />

perda de margem significativa em muitas gamas<br />

de peças. Há empresas que para competir só<br />

ficam com os bónus que as marcas oferecem, e a<br />

médio prazo isso vai por em causa a<br />

sobrevivência de muitas. Vejo com normalidade<br />

a entrada de distribuidores de peças espanhóis<br />

no mercado português. No nosso caso estamos<br />

presentes no mercado espanhol há mais de<br />

quinze anos. Espero que os gestores portugueses<br />

também olhem para o mercado espanhol como<br />

uma oportunidade e contribuam para essa<br />

Iberização, nesse sentido. O mercado português<br />

não tem escala, deveríamos todos olhar para fora<br />

e Espanha é um mercado natural. A Iberização<br />

pode e deve ser nos dois sentidos. Quanto à<br />

concentração do negócio da distribuição de peças<br />

é uma tendência a que temos assistido nos<br />

últimos meses, mas não penso que terá que ser<br />

assim no Futuro. Há empresas que procuram<br />

ganhar economia de escala e ganhar novas<br />

marcas, tendo provavelmente como objetivo<br />

principal serem fornecedores mais globais. Vejo<br />

isso com naturalidade. Em 2024 iremos reforçar<br />

o nosso negócio em Espanha com a abertura de<br />

outra loja numa região onde ainda não estamos<br />

presentes.<br />

12 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


Uma marca da Continental.<br />

AS VÁRIAS CRISES NÃO<br />

AFETARAM O SETOR E EM<br />

ALGUNS ASPETOS ATÉ O<br />

TÊM BENEFICIADO<br />

FIABILIDADE<br />

PROGRESSO<br />

CONFIANÇA<br />

PAULO MARQUES<br />

DIRETOR GERAL BOMBÓLEO<br />

setor pós-venda vive um bom momento, não só em Portugal<br />

O como em praticamente toda a Europa. As várias crises não<br />

afetaram o sector, em alguns aspetos até o têm beneficiado, pelo<br />

menos, neste momento. Entendo que o fenómeno da concentração<br />

é compreensível pois sem dúvida, por exemplo em compras as<br />

sinergias são evidentes, já a concentração de capital, é algo que<br />

pode conter os seus riscos. O Grupo decidiu tomar o assunto da<br />

sustentabilidade como estratégico, pelo que criamos um<br />

departamento onde estamos a desenvolver projetos com soluções<br />

de reciclagem de água, nomeadamente para estações de serviço de<br />

lavagem de veículos ligeiros e pesados, públicos ou privados. A<br />

Bombóleo será certificada ambientalmente em 2024 e já estamos<br />

muito adiantados neste processo. Instalamos em 50% dos nossos<br />

edifícios energia solar e contamos este ano realizar os outros 50%.<br />

O Grupo tem como visão estratégica o crescimento e a abertura de<br />

novas lojas fazem parte desta nossa vontade. Iremos diversificar a<br />

nossa atividade com negócios ou departamentos que<br />

complementem a nossa oferta. Queremos crescer, mas só o<br />

podemos fazer pensando no nosso cliente, pois se ele crescer nós<br />

também poderemos crescer. Pretendemos adicionar valor ao nosso<br />

cliente. Angola e Brasil em moldes diferentes, são realidades que<br />

queremos aportar valor em parceria com os sócios locais.<br />

A PRIORIDADE DAS OFICINAS<br />

NESTE MOMENTO É PROCURAREM<br />

FORNECEDORES QUE PRIMEIRO<br />

TENHAM O PRODUTO EM STOCK,<br />

REALIZEM VÁRIAS ENTREGAS<br />

DIÁRIAS E QUE TENHAM PREÇOS<br />

COMPETITIVOS<br />

PUB<br />

ate-brakes.com<br />

Testes extensivos são, para nós,<br />

uma questão natural. Utilizamos<br />

sempre as tecnologias mais<br />

recentes nos nossos produtos,<br />

para disponibilizar aos nossos<br />

clientes produtos na vanguarda<br />

do desenvolvimento.<br />

Como o nosso líquido de travões<br />

polivalente SUPER DOT 5.1, por<br />

exemplo, que também é adequado<br />

para utilização em veículos<br />

elétricos.<br />

ATE. Impulsionar pela inovação.<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 13


ANÁLISE MERCADO PÓS-VENDA<br />

LIGEIROS<br />

A VALORIZAÇÃO<br />

DO AFTERMARKET<br />

COMO ÁREA DE<br />

NEGÓCIO POTENCIOU<br />

AQUISIÇÕES<br />

E FUSÕES<br />

ISABEL BASTO<br />

COO AFTERMARKET<br />

NORS PORTUGAL<br />

NÃO TEMOS<br />

DÚVIDA, QUE<br />

O NOSSO NEGÓCIO<br />

PASSA POR FÍSICO<br />

E ONLINE<br />

MANUEL VICENTE<br />

GERENTE RODAPEÇAS<br />

OS GRANDES<br />

GANHAM UMA DIMENSÃO<br />

MAIOR E ESTRUTURAS<br />

MAIS PEQUENAS<br />

VÃO PERDENDO<br />

EXPRESSÃO<br />

AGOSTINHO SOARES<br />

GERENTE PRIMOPEÇAS<br />

epois dos desafios enfrentados pelo setor de<br />

D pós-venda automóvel em Portugal desde<br />

2020, pode-se dizer que o mercado se tornou, acima<br />

de tudo, mais atrativo. A maior diferença que vimos<br />

face ao período de 2020 foi a resiliência,<br />

principalmente durante a pandemia, que resultou<br />

numa performance positiva para o sector. A<br />

valorização do Aftermarket e a solidificação da sua<br />

dimensão como área de negócio potenciou<br />

aquisições e fusões. O mercado está a evoluir<br />

apoiado em diferentes tendências, que vão desde à<br />

concentração do mercado até a entrada de<br />

distribuidores de peças espanhóis, sempre a partir<br />

da necessidade de criar volumes que permitam obter<br />

melhores condições de compra. Como experiência,<br />

temos a associação ao Groupauto Internacional,<br />

parceria que tem sido extremamente benéfica e<br />

potenciadora para a nossa empresa. Ao longo dos<br />

últimos anos temos investido na digitalização da<br />

empresa transversal a toda a operação. A médio<br />

prazo, os nossos projetos estão centrados nas<br />

tendências do mercado, suportado pela eletrificação,<br />

digitalização, condução autónoma, e telemática.<br />

Para acompanhar essa evolução, a forma como nos<br />

posicionamos é através do desenvolvimento de<br />

soluções tecnológicas que pomos à disposição do<br />

nosso cliente. Já a curto prazo, esse posicionamento<br />

será materializado numa solução de serviços<br />

dedicados às gestoras de frotas e transportadoras.<br />

momento é de uma total transformação no<br />

O pós-venda automóvel. Transição energética<br />

acelerada, novo modelo de distribuição automóvel,<br />

digitalização do negócio e sustentabilidade<br />

ambiental a alterar o negócio atual e a gerar novos<br />

negócios. Na distribuição de peças, continuamos<br />

no processo de consolidação de players ibéricos.<br />

Alguns fabricantes de automóveis estão com<br />

conceitos de distribuição muito agressivos no<br />

aftermarket independente e o desenvolvimento de<br />

soluções digitais para oficinas, é hoje um desígnio<br />

de diferenciação e fidelização por parte de muitos<br />

distribuidores. A iberização da distribuição de<br />

peças começa, quando distribuidores portugueses<br />

se associam a grupos de compras espanhóis. O que<br />

está a acontecer é um processo normal, tendo em<br />

conta o que tem acontecido no resto da Europa nos<br />

últimos 10 anos. Não temos dúvida, que o nosso<br />

negócio passa por físico e online. O online tem<br />

vindo a tomar a sua posição junto do cliente final e<br />

do aplicador da peça. Estamos muito focados em<br />

desenvolver soluções, para melhorar o negócio dos<br />

nossos clientes oficinas auto. A nossa marca de<br />

peças usa<strong>das</strong> certifica<strong>das</strong> (ecoRDP), deverá ter um<br />

alargamento de gama em breve, por forma a<br />

afirmar-se neste novo mercado. A Pador Academy,<br />

irá lançar uma nova gama de cursos, que ajudarão<br />

o mercado automóvel a superar as necessidades de<br />

técnicos capacitados.<br />

nosso mercado tem assistido a um conjunto<br />

O de movimentos por parte dos principais<br />

operadores, com uniões impactantes que cavam<br />

uma distância em termos de volume de negócio<br />

ainda mais significativa entre estas empresas e a<br />

generalidade do setor. Os grandes ganham uma<br />

dimensão ainda maior e estruturas mais pequenas<br />

vão perdendo expressão. Só quem cria condições de<br />

desenvolvimento contínuo consegue manter maior<br />

independência. Ainda assim, o mercado é espaçoso<br />

e ainda permite que tanto operem os importadores<br />

mais fortes como permite a subsistência de alguns<br />

freelancers que ainda fazem a ponte entre o<br />

retalhista e a oficina. Modelos completamente<br />

diferentes, mas que podem coexistir: afinal,<br />

estamos a falar de comprar peças e vender peças.<br />

Falar na iberização do mercado português passa,<br />

essencialmente, por falar numa relação direta entre<br />

quem compra às fábricas e as oficinas. Em<br />

Espanha, esta é uma relação mais natural, porque<br />

várias marcas têm lá armazéns e desempenham<br />

um papel semelhante ao de um importador<br />

tradicional em Portugal. O ano 2024 será<br />

extremamente importante para a Primopeças, uma<br />

vez que temos definidos vários passos importantes<br />

para a reestruturação de alguns processos, que vão<br />

seguramente elevar ainda mais o serviço de<br />

excelência que prestamos às oficinas. Um desses<br />

pontos essenciais será a mudança do nosso ERP.<br />

PUB<br />

14 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


É UM MERCADO POUCO<br />

REGULADO, ONDE CADA VEZ<br />

MAIS SE ASSISTE A UM CHAMADO<br />

MERCADO PARALELO<br />

NUNO GUERRA<br />

DIRETOR GERAL<br />

POLIBATERIAS<br />

ssistimos neste momento a um crescendo de associação<br />

A por parte <strong>das</strong> empresas retalhistas de peças, quer pela<br />

inserção ou aglomeração em redes europeias, nomeadamente de<br />

Espanha, quer pela criação e desenvolvimento de redes<br />

nacionais. Apesar de ser uma tendência, ainda existem vários<br />

constrangimentos associados a estas redes e a algumas regras e<br />

procedimentos de que os associados por vezes discordam. Em<br />

relação ao pilar base destas redes, no fundo o “a união faz a<br />

força” nem sempre tem resultados esperados, pois estas redes<br />

têm um custo operacional ainda elevado, o que perturba as<br />

margens nos produtos, que sobram para os seus associados. É<br />

um mercado ainda pouco regulado e controlado, onde cada vez<br />

mais se assiste a um chamado “mercado paralelo” que foge <strong>das</strong><br />

tributações e regras do mercado oficial, seja com falsificação de<br />

marcas, produtos contrafeitos e sem garantia, e faturação<br />

paralela ou inexistente. Não tenho nada contra o facto dos<br />

distribuidores espanhóis estarem a entrar no nosso mercado,<br />

mas gostaria de ver as empresas portuguesas a terem a mesma<br />

aceitação em Espanha, o que não sucede, pois existe por parte<br />

dos retalhistas espanhóis uma reserva muito grande em relação a<br />

Portugal e às empresas portuguesas. A Polibaterias tem vindo a<br />

manter uma postura firme e séria no aftermarket português, o<br />

que nos tem levado a um crescimento razoável e paulatino. Em<br />

2024 iremos proceder à ampliação <strong>das</strong> nossas instalações de<br />

armazenagem, para aumentarmos a capacidade de stocks, por<br />

forma a darmos resposta às solicitações dos nossos clientes e<br />

parceiros.<br />

OS CLIENTES ESTÃO CADA VEZ<br />

MAIS SENSÍVEIS AO PREÇO E<br />

DESTA FORMA PROCURAM MAIS<br />

AS MARCAS “LOW-COST”. AS<br />

MARCAS QUE AINDA NÃO TÊM UM<br />

PRODUTO “LOW-COST”, ESTÃO<br />

A LANÇAR NOVAS MARCAS OU A<br />

PENSAR EM FAZÊ-LO<br />

PUB<br />

Tudo<br />

funciona<br />

melhor...<br />

... com a marca de lubrificantes preferida dos<br />

alemães há 13 anos consecutivos. Aproveite<br />

a popularidade da marca para o seu próprio<br />

negócio e beneficie da nossa ampla gama<br />

de produtos e soluções para oficinas.<br />

Tudo do mesmo fornecedor, para clientes<br />

totalmente satisfeitos.<br />

www.liqui-moly.com<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 15


ANÁLISE MERCADO PÓS-VENDA<br />

LIGEIROS<br />

PESADOS<br />

TORNA-SE<br />

IMPERATIVO ESTARMOS<br />

ATUALIZADOS ACERCA<br />

DAS MUDANÇAS NO<br />

SETOR<br />

OS DESAFIOS<br />

DO FUTURO SÃO<br />

CONSTANTES E TODOS<br />

OS DIAS AS EMPRESAS<br />

TÊM DE TOMAR DECISÕES<br />

A GESTÃO DO<br />

CRÉDITO EM PORTUGAL<br />

VAI TER QUE OBEDECER<br />

A ALGUMAS REGRAS<br />

CARLOS COELHO<br />

GERENTE PHAARMPEÇAS<br />

MANUEL FÉLIX<br />

DIRETOR GERAL<br />

EUROMAIS<br />

MIGUEL VALENTIM<br />

GERENTE GLOBAL PARTS<br />

mercado automóvel é altamente dinâmico<br />

O e isto acarreta obviamente consequências<br />

para o setor pós-venda. Atualmente destaca-se o<br />

envelhecimento do parque automóvel, com<br />

impacto no setor, uma vez que carros mais<br />

antigos são mais propensos à substituição de<br />

peças, e, portanto, pressupõe-se uma<br />

oportunidade para o aftermarket, mas é também<br />

importante destacar a necessidade de atualização<br />

da informação para dar resposta a novas<br />

necessidades como a reparação de automóveis<br />

elétricos e consequentemente a necessidade de<br />

peças mais específicas. Torna-se imperativo<br />

estarmos atualizados acerca <strong>das</strong> mudanças no<br />

setor, contudo é também importante que<br />

olhemos para estas mudanças como<br />

oportunidades e que nos adaptemos, para que<br />

continuemos a poder dar resposta aos nossos<br />

clientes. A concentração do negócio da<br />

distribuição de peças é uma nova realidade no<br />

nosso mercado, sabemos que acarreta<br />

obviamente vantagens desde logo o aumento da<br />

capacidade de resposta dos retalhistas, o acesso a<br />

uma oferta maior <strong>das</strong> peças. Contudo é também<br />

importante ter em conta que o aftermarket tem<br />

as suas próprias características em termos<br />

regionais, e neste sentido na Phaarmpeças<br />

acreditamos que o conhecimento do mercado de<br />

atuação, aliado à nossa capacidade de resposta e<br />

a procura constante pela melhoria, nos<br />

diferencia e portanto queremos manter-nos a<br />

par <strong>das</strong> tendências, conscientes <strong>das</strong> mudanças,<br />

mas convictos do trabalho que podemos ainda<br />

desenvolver.<br />

Euromais teve um desempenho muito<br />

A positivo em 2023, pois conseguiu crescer<br />

em quantidades vendi<strong>das</strong>, faturação e<br />

rentabilidade. Para 2024 o objetivo é continuar a<br />

crescer em Portugal e aumentar a presença no<br />

mercado espanhol, onde temos, para além da<br />

Euromais, outro projeto em desenvolvimento.<br />

Nas Peças Auto continuamos a investir através<br />

da 3A Aftermarket estudando oportunidades no<br />

mercado para novos projetos de aquisição /<br />

parcerias. Apesar de 2023 ter sido um ano<br />

desafiante, mantivemos o ADN e modelo de<br />

negócio da Euromais: Ter produto disponível<br />

com uma base de oferta completa, prestando o<br />

melhor serviço possível aos clientes, a um preço<br />

competitivo. Com estas bases, tomamos a seu<br />

tempo as decisões que têm de ser toma<strong>das</strong> e<br />

ultrapassamos os condicionalismos para ir ao<br />

encontro <strong>das</strong> necessidades do mercado e dos<br />

nossos clientes. O crescimento <strong>das</strong> ven<strong>das</strong> de<br />

veículos elétricos representa um desafio<br />

constante para ter a maior oferta disponível no<br />

mercado de reposição, pois existe um “delay” por<br />

parte dos fabricantes no produto OE. É notório<br />

também um aumento da complexidade, pois<br />

existe um aumento de referências que temos de<br />

ter disponíveis em stock. Os desafios do futuro<br />

são constantes e todos os dias as empresas do<br />

setor têm de tomar decisões e por isso serem<br />

flexíveis e não adversas às mudanças.<br />

o nosso ponto de vista a distribuição de<br />

D peças em Portugal, no segmento de<br />

pesados, é extremamente competitiva e<br />

profissional. Os players existentes têm muita<br />

experiência, capacidade e espírito inovador. O<br />

cliente tem acesso aos melhores produtos a<br />

preços extremamente competitivos. Como<br />

consequência desta competitividade, a pressão<br />

na margem é muita, sendo difícil mantê-la num<br />

nível razoável, que nos permita continuar a<br />

investir. Por outro lado, no nosso mercado existe<br />

tradicionalmente um desfasamento importante<br />

ao nível da gestão de crédito. Todos os<br />

distribuidores, enquanto importadores, são<br />

obrigados a trabalhar com condições financeiras<br />

muito rigorosas, condições essas que não<br />

conseguimos passar para o mercado. Esta<br />

característica do mercado português, transversal<br />

a muitos setores de atividade, condiciona o<br />

crescimento <strong>das</strong> empresas e da economia<br />

portuguesa em geral. Existe uma preocupação<br />

muito grande com o preço dentro de<br />

determinados padrões de qualidade. As marcas<br />

que desenvolvem e fabricam para o primeiro<br />

equipamento são as mais valoriza<strong>das</strong> pelo<br />

compromisso de qualidade que oferecem. Por<br />

outro lado, acreditamos que o profissionalismo<br />

dos nossos processos aliados à importância que<br />

tentamos dar às necessidades de cada cliente cria<br />

confiança. Em qualquer negócio estabelecer um<br />

elo de confiança com os clientes é fundamental,<br />

muito mais num negócio onde todos os<br />

intervenientes são profissionais.<br />

16 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


EM BUSCA DO CONTROLE<br />

Todos os anos, passamos mais de 38.000 horas fazendo testes em estrada de<br />

formulações de fricção para freios. Expondo nossos produtos a pressão extrema<br />

sob as condições mais severas e em todos os ambientes de direção. Puramente em<br />

busca de um desempenho garantido. É isso que os especialistas em fricção fazem.<br />

www.textar.com


ANÁLISE MERCADO PÓS-VENDA<br />

PESADOS<br />

EXISTEM NICHOS<br />

DE MERCADO EM<br />

QUE É POSSÍVEL OS<br />

PEQUENOS PLAYERS<br />

SOBREVIVEREM<br />

TEMOS ASSISTIDO<br />

A UMA DINÂMICA<br />

INTERESSANTE POR<br />

PARTE DE TODOS OS<br />

OPERADORES<br />

VERIFICA-<br />

SE UM NATURAL<br />

PROLONGAMENTO DO<br />

PERÍODO DE UTILIZAÇÃO<br />

DE VIATURAS<br />

JOEL LEBRE,<br />

ADMINISTRADOR<br />

MOTORBUS<br />

RICARDO ALMEIDA<br />

DIRETOR COMERCIAL<br />

VICAUTO<br />

HUGO PERPÉTUA<br />

GERENTE DIAMANTINO<br />

PERPÉTUA & FILHOS<br />

esde há uns anos que a Motorbus cobre de<br />

D A a Z to<strong>das</strong> as necessidades a nível de<br />

peças para pesados. Temos neste momento mais<br />

de 62.000 referências em stock <strong>das</strong> melhores<br />

marcas de produtos e consequente capacidade de<br />

entrega quase imediata para além da experiência<br />

de mais de 25 anos no setor. É natural que<br />

alguns players espanhóis vejam o mercado<br />

português como apetecível, no entanto o mesmo<br />

se passa no sentido inverso. A Motorbus vê o<br />

mercado espanhol como uma oportunidade. A<br />

tendência do mercado é a concentração do<br />

negócio em players cada vez mais fortes e<br />

organizados, contudo existem sempre “nichos”<br />

de mercado em que é difícil a penetração e aí os<br />

players de menor dimensão conseguem<br />

“sobreviver”. A nível dos pesados, as peças<br />

reconstruí<strong>das</strong> têm um “peso” substancial,<br />

contudo na nossa linha de portefólio temos<br />

sempre a preferência em oferecer peças originais<br />

novas pois o mercado assim o exige. A Motorbus<br />

continua em expansão tanto a nível nacional<br />

como internacional. Ampliámos recentemente as<br />

instalações na Castanheira do Ribatejo para<br />

6.000m2 o que dá à empresa uma capacidade de<br />

resposta ainda mais alargada. A rapidez de<br />

entrega é um dos pontos que continuamos a<br />

melhorar, daí a grande aposta no aumento de<br />

peças em stock e na duplicação da área de<br />

armazenagem na loja de Lisboa. Continuamos a<br />

investir num serviço rápido, eficaz e sermos<br />

reconhecido como player internacional de peso.<br />

sector do pós-venda automóvel está a<br />

O passar uma fase muito positiva, como<br />

podemos ver pelas recentes movimentações no<br />

mercado. Em relação aos veículos pesados em<br />

particular, assistimos também a uma dinâmica<br />

interessante por parte de todos os players. É um<br />

facto que temos assistido a uma entrada de<br />

vários distribuidores espanhóis no nosso<br />

mercado, mas uma boa parte está a fazê-lo<br />

através de grupos de compras. É um passo<br />

natural a iberização do nosso setor, é uma forma<br />

de crescer juntando dois mercados que têm<br />

muita coisa em comum. A cultura da Vicauto<br />

distingue-se por trabalhar, maioritariamente,<br />

com fabricantes de primeiro equipamento, sendo<br />

to<strong>das</strong> as marcas reconheci<strong>das</strong> pelos clientes. A<br />

empresa promove mensalmente uma marca<br />

premium junto dos seus clientes. O extenso<br />

portfólio inclui produtos para sistemas elétricos,<br />

motor, embraiagem, sistemas de travagem,<br />

sistemas de refrigeração e suspensão/direção,<br />

abrangendo, assim, a totalidade de componentes<br />

para camiões, reboques e autocarros. A Vicauto<br />

mostra-se sempre disponível para aumentar quer<br />

as linhas de produtos, quer novas marcas que se<br />

enquadrem no seu portefólio. Os desafios para o<br />

futuro são muitos, desde a digitalização, as novas<br />

normas Euro 7 ou a eletrificação dos veículos,<br />

mas contamos consolidar a nossa posição no<br />

mercado e continuar a ser reconhecidos pelos<br />

nossos clientes como um fornecedor global de<br />

marcas de 1º equipamento.<br />

ruto da ainda notória disrupção do<br />

F mercado de reposição de veículos novos<br />

por parte dos fabricantes, verifica-se um natural<br />

prolongamento do período de utilização de<br />

viaturas. Para além disso, o próprio mercado de<br />

veículos, sejam novos sejam usados encontra-se<br />

extremamente inflacionado, conduzindo a que os<br />

operadores do sector optem naturalmente por<br />

uma maior manutenção dos seus veículos. A<br />

entrada de distribuidores de peças espanhóis no<br />

mercado português trata-se de um movimento<br />

natural num mundo cada vez mais globalizado,<br />

em que a constante procura de melhoria de<br />

infraestruturas, inovação e digitalização conduz<br />

a uma aproximação cada vez mais real de todos<br />

os operadores do setor. O conceito de economia<br />

circular, sendo recente, já é uma realidade para a<br />

Diamantino Perpétua & Filhos, Lda ao longo dos<br />

seus 25 anos de existência. Desde sempre que<br />

procuramos reciclar e recondicionar peças de<br />

veículos automóveis, permitindo-lhes ter vários<br />

ciclos de vida, eliminando desse modo resíduos,<br />

poluição e permitindo a regeneração da<br />

natureza. Nunca, no atual contexto, foi tão<br />

importante o nível de serviço ao cliente, o qual<br />

no futuro vai inevitavelmente ser diferente e em<br />

constante mutação. A formação dos<br />

colaboradores e o investimento em novas<br />

ferramentas, como referido, será a chave do<br />

sucesso. O ano de 2024 vai ser caracterizado<br />

essencialmente pela consolidação dos projetos<br />

realizados pelo Grupo DP nos anos anteriores.<br />

18 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


EQUIPAMENTOS<br />

O SETOR PROCUROU<br />

ATUALIZAR-SE<br />

EM TERMOS DE<br />

EQUIPAMENTOS<br />

OFICINAIS<br />

JORGE COSTA<br />

ADMINISTRADOR CETRUS<br />

este momento vive-se uma retoma do setor<br />

N dos equipamentos oficinais. Na minha<br />

opinião isto ocorre fruto da estagnação vivida nos<br />

dois anos de pandemia e a verdade é que o setor<br />

sentiu um acréscimo de trabalho e procurou<br />

atualizar-se em termos de equipamentos oficinais.<br />

A Cetrus está no mercado há mais de 30 anos, e<br />

isto traz-nos um know-how e responsabilidade<br />

acrescida na escolha <strong>das</strong> marcas que<br />

representamos. Sempre procurámos marcas e<br />

equipamentos de alta fiabilidade, e temos o<br />

cuidado de promover a entrada na nossa gama de<br />

novos equipamentos ou novas marcas sempre de<br />

uma forma pensada e estruturada. A digitalização<br />

é essencial nos dias de hoje, e neste domínio<br />

temos apostado na criação de conteúdos que<br />

possam ajudar os nossos clientes, divulgando<br />

novidades, promoções e obra feita. Por outro lado,<br />

através da página web, tentamos através de<br />

notícias, portfolio e com um catálogo digital de<br />

uma boa parte dos produtos que vendemos,<br />

captar a atenção de potenciais novos clientes.<br />

Relativamente ao tema da sustentabilidade, há já<br />

alguns anos que tentamos reduzir a nossa pegada<br />

carbónica, e nesse sentido instalamos na nossa<br />

sede em Vila Nova de Famalicão painéis<br />

fotovoltaicos. Esta instalação foi realizada em<br />

2000 e desde lá reduzimos o consumo elétrico da<br />

empresa em cerca de 70%. Recentemente temos<br />

vindo a apostar em viaturas híbri<strong>das</strong> e elétricas<br />

numa lógica contínua de sustentabilidade.<br />

Estamos a fazer uma grande aposta no<br />

crescimento e renovação dos nossos quadros<br />

técnicos para podermos responder ainda mais<br />

atempadamente a to<strong>das</strong> as solicitações. Após<br />

quatro anos de comercialização de mobiliário<br />

oficinal, temos hoje uma vasta experiência e<br />

temos vindo a desenvolver este projeto sempre<br />

com o apoio e sugestões dos nossos clientes. Isso<br />

permite-nos hoje ter a maior oferta do mercado<br />

em mobiliário oficinal, assim como uma grande<br />

disponibilidade de diferentes módulos e a<br />

possibilidade de personalização, quer em<br />

tamanho quer em cores. O desafio de futuro será<br />

procurar adaptar a nossa oferta às novas<br />

necessidades que vão surgindo, e perceber que<br />

tipo de equipamentos devemos aconselhar aos<br />

nossos clientes de forma que possam ser mais<br />

produtivos, mais eficazes e sobretudo mais<br />

rentáveis.<br />

PUB<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 19


ANÁLISE MERCADO PÓS-VENDA<br />

EQUIPAMENTOS<br />

REINVENTAR<br />

É A PALAVRA QUE<br />

VAI DEFINIR<br />

O FUTURO<br />

A ESTRATÉGIA<br />

É NUNCA ESTAGNAR,<br />

E PROCURAR<br />

SEMPRE MANTER-NOS<br />

ATUALIZADOS<br />

O FUTURO<br />

VAI PASSAR POR<br />

QUEM MELHOR<br />

SOUBER COMUNICAR<br />

PEDRO DE JESUS,<br />

ADMINISTRADOR<br />

COMETIL<br />

JOSÉ BÁRBARA<br />

DIRETOR GERAL<br />

KROFTOOLS<br />

ANTÓNIO GARRIDO<br />

DIRECTOR GERAL<br />

LUSILECTRA<br />

setor pós-venda vive um momento de<br />

o expansão, existe o reajustamento dos<br />

players que disputam o mercado, com a<br />

redefinição <strong>das</strong> zonas de influência que cada um<br />

passa a ocupar, e por outro lado assistimos à<br />

introdução no mercado nacional de novos<br />

fabricantes. Este movimento é fruto da alteração<br />

da forma como a distribuição automóvel passou<br />

a ser realizada e também, devido à introdução da<br />

eletrificação do automóvel que cada vez mais se<br />

torna evidente. Este processo dinamiza o<br />

mercado dos equipamentos, o que é bom para a<br />

indústria da manutenção automóvel. O nosso<br />

foco é o cliente, e é com base nesta premissa que<br />

definimos desde o início da atividade da Cometil<br />

que é fundamental assegurar um serviço de<br />

assistência rápido e de qualidade que permita<br />

que o equipamento esteja operacional com a<br />

maior rapidez. Em nosso entender, isto só é<br />

possível de ser alcançado através de uma equipa<br />

de técnicos própria, com formação especifica <strong>das</strong><br />

marcas que representamos e devidamente<br />

equipada com viaturas oficina. Reinventar é a<br />

palavra que vai definir o futuro! Assistimos à<br />

eletrificação do automóvel que já materializa<br />

uma mudança profunda, nos métodos e<br />

procedimentos de manutenção e reparação <strong>das</strong><br />

viaturas, a indústria da manutenção automóvel<br />

vai acompanhar este movimento e cabe, a quem<br />

está no terreno e que faz a ponte com os clientes<br />

profissionais do setor (oficinas), pôr em prática<br />

este movimento de mudança.<br />

setor pós-venda automóvel, caracteriza-se<br />

o pela competitividade, exigência e<br />

progressão constante. Enquanto marca, temos<br />

sempre em consideração os feedbacks de quem<br />

comercializa os nossos produtos, uma vez que<br />

têm contacto direto com os consumidores finais<br />

e percebem as necessidades e carências do<br />

mercado. A visão estratégica que detemos no<br />

acompanhamento do mercado, é a mesma que<br />

aplicamos no digital. A aposta mais recente foi a<br />

disponibilização do simulador 3D KROFtools ao<br />

consumidor final. Este programa é essencial para<br />

ajudar a projetar uma oficina em tempo real<br />

através da seleção dos equipamentos / armários<br />

KROFtools, com movimento 3D foto realista.<br />

Sendo que só comercializamos a nossa própria<br />

marca a KROFtools – Professional Tools,<br />

podemos indicar que temos no nosso ADN<br />

qualidade, fiabilidade e inovação, características<br />

que consideramos imprescindíveis. Quando o<br />

consumidor opta por uma ferramenta ou<br />

equipamentos KROFtools tem garantido um<br />

produto de elevado desempenho, que irá<br />

corresponder às suas expectativas. No ano em<br />

que completamos 35 anos de presença no<br />

mercado, podem esperar da KROFtools tudo o<br />

que tem esperado até agora … inovação,<br />

irreverência, e melhoria constante. A nossa<br />

estratégia é nunca estagnar, e procurar sempre<br />

manter-nos atualizados, para pudermos<br />

ultrapassar as barreiras que possam surgir no<br />

nosso setor.<br />

setor pós-venda automóvel está em<br />

O mutação/adaptação a uma nova realidade<br />

– a dos veículos híbridos e elétricos. Há uma<br />

tendência de concentração. Há muita<br />

competitividade e acreditamos que o futuro vai<br />

passar por quem melhor estiver preparado do<br />

ponto de vista técnico, organizacional e também<br />

da forma como comunica. Ao nível da<br />

distribuição de equipamentos oficinais, estamos<br />

também a atravessar momentos de mudança,<br />

com a introdução de novos equipamentos para<br />

fazer face à evolução técnica dos veículos. Outros<br />

há que têm tido uma tendência de redução, e no<br />

futuro poderão mesmo desaparecer do mercado.<br />

Como costumamos dizer, a Lusilectra não é<br />

simplesmente um fornecedor de equipamentos,<br />

assentámos o nosso trabalho desde o serviço de<br />

pré-venda ao pós-venda, com todo o apoio<br />

técnico e suporte à tomada de decisões, como por<br />

exemplo, efetuamos estudos de layouts, definição<br />

de soluções técnicas mais adequa<strong>das</strong> tendo em<br />

conta o perfil e as necessidades do cliente.<br />

Relativamente aos próximos anos, a Lusilectra<br />

encara-os de forma positiva e otimista. Estamos<br />

focados em melhorar cada vez mais os nossos<br />

serviços de venda e pós-venda, assim como de<br />

suporte técnico/formação aos nossos clientes.<br />

20 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


EXISTE UMA<br />

EXPETATIVA DAS<br />

OFICINAS FACE<br />

ÀS RECEITAS<br />

DOS SERVIÇOS<br />

DE REPARAÇÃO<br />

MANUEL GUEDES MARTINS<br />

GERENTE MGM<br />

stamos a viver uma nova abordagem<br />

E relativa à mobilidade elétrica, embora<br />

ainda com algumas condicionantes e, por outro<br />

lado, existe uma realidade que se caracteriza por<br />

um parque “envelhecido” de viaturas circulantes<br />

nas nossas estra<strong>das</strong>. Segundo a ACAP, Portugal é<br />

o 6º país da União Europeia com o parque mais<br />

velho. Por seu turno, tem havido mais transações<br />

ao nível de viaturas usa<strong>das</strong> face à comercialização<br />

de viaturas novas, muitas vezes com tempos de<br />

entrega longos, face à escassez de peças no<br />

mercado. Neste contexto, existe uma expetativa<br />

face às receitas provenientes de serviços de<br />

manutenção e reparação, por parte <strong>das</strong> oficinas.<br />

Contudo, a inflação, a eventual recessão<br />

económica, a digitalização dos serviços, bem como<br />

o gradual aumento de venda de viaturas<br />

eletrifica<strong>das</strong>, poderão condicionar e/ou adiar o<br />

investimento em novos equipamentos oficinais e<br />

em novas formas de organização do trabalho. As<br />

oficinas necessariamente terão que estar<br />

associa<strong>das</strong> a estes novos desafios, às novas e<br />

importantes oportunidades de negócio num<br />

futuro próximo. No sentido de poderem analisar<br />

as necessidades de investimento em novos<br />

equipamentos, terão que ter em linha de conta<br />

alguns importantes fatores tais como a maior<br />

complexidade dos veículos que vão surgindo no<br />

mercado, a necessidade de uma constante recolha<br />

de informações/formação específica especializada<br />

dos colaboradores no sentido de prestar um<br />

serviço de qualidade. A MGM procurou sempre<br />

fidelizar os seus clientes através da constante<br />

melhoria dos serviços prestados e da<br />

comercialização de equipamentos de marcas e<br />

qualidade reconheci<strong>das</strong>.<br />

Temos equipamentos provenientes de diversos<br />

países com elevados índices de qualidade de<br />

fabrico, fiabilidade e robustez, face à intensidade<br />

de utilização. Os clientes têm expressado a<br />

sua grande satisfação face à qualidade dos<br />

equipamentos comercializados, e ao serviço<br />

pós-venda. Valorizam a prontidão na resposta<br />

às respetivas necessidades e expetativas, o<br />

profissionalismo da equipa, a seriedade e a grande<br />

capacidade técnica e humana.<br />

PUB<br />

Inovação<br />

para uma maior<br />

sustentabilidade<br />

Borrachas feitas com mais de 80% de materiais naturais, renováveis<br />

ou reciclados<br />

Embalagem de cartão 100%.<br />

O dossel é fabricado e embalado na fábrica da Valeo France, limitando<br />

assim o impacto ambiental do transporte.<br />

Testado pela Valeo para garantir um excelente desempenho de limpeza<br />

valeocanopy.com<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 21


ANÁLISE MERCADO PÓS-VENDA<br />

EQUIPAMENTOS<br />

REPINTURA<br />

EXISTEM MAIS<br />

CLIENTES A INVESTIR<br />

EM EQUIPAMENTOS DE<br />

FORMA A TORNAREM-SE<br />

MAIS COMPETITIVOS<br />

O PRINCIPAL<br />

DESAFIO NO FUTURO<br />

SERÁ A CAPTAÇÃO<br />

DE TALENTO PARA<br />

O SETOR<br />

TEMOS DE TER A<br />

CAPACIDADE<br />

E A AGILIDADE<br />

DE OPERAR<br />

EM CONSTANTE<br />

ADAPTAÇÃO<br />

PAULO GASPAR<br />

GERENTE PROXIRA<br />

ÁLVARO MAGALHÃES<br />

DIRETOR GERAL<br />

CENTROCOR<br />

MÁRIO RUI FERREIRA<br />

DIRETOR GERAL<br />

GRAVITYPAINT<br />

o nosso ponto de vista temos observado<br />

N uma melhoria global significativa em<br />

relação ao ano anterior. Em relação à<br />

distribuição de equipamentos oficinais, temos<br />

visto no mercado um grupo grande de clientes a<br />

quererem investir em equipamentos de forma a<br />

tornarem-se mais modernos e competitivos.<br />

Desde cedo que a digitalização tem sido uma<br />

prioridade na Proxira e no início do ano<br />

tomámos a decisão de mudar o nosso sistema de<br />

faturação de forma a acompanhar o crescimento<br />

que temos tido. Aproveitámos essa situação para<br />

implementar um CRM para ajudar a nossa<br />

equipa de ven<strong>das</strong>. Hoje o nosso sistema de<br />

encomen<strong>das</strong> é totalmente digital e automático.<br />

To<strong>das</strong> as marcas que comercializamos<br />

caraterizam-se pela qualidade, sendo esse um<br />

ponto que a Proxira não abdica. Sendo a maior<br />

parte dos nossos clientes profissionais, não faz<br />

sentido trabalhar com produtos que não sejam<br />

robustos e que não apresentem níveis alto de<br />

fiabilidade. Os nossos clientes olham para a<br />

nossa equipa de ven<strong>das</strong> como parceiros, mas<br />

também consultores. Para nós é fundamental<br />

que a nossa rede de ven<strong>das</strong> se torne especialista<br />

no nosso ramo de atuação para podermos<br />

aconselhar os nossos clientes com soluções que<br />

se adequam às suas necessidades.<br />

O maior desafio será conseguir corresponder<br />

às exigências dos clientes, que hoje em dia têm<br />

acesso a todo o tipo de informação, estando<br />

cada vez mais exigentes com o que pretendem e<br />

quanto estão disponíveis a pagar.<br />

este momento vivemos numa altura de<br />

N alguma instabilidade devido às várias<br />

medi<strong>das</strong> que a Europa tomou na tentativa de<br />

abrandar a inflação. Ainda não é possível prever<br />

se estas medi<strong>das</strong> resultarão num abrandamento<br />

acentuado do consumo, mas existe uma clara<br />

tendência para tornar o mercado mais pessimista<br />

o que consequentemente faz com que os<br />

investimentos e consumo seja menor. Outro dos<br />

fatores que cria alguma instabilidade é a<br />

dificuldade em encontrar mão-de-obra<br />

qualificada, já que o setor possui alguns<br />

problemas no que toca à atratividade de jovens<br />

para o mesmo. Acreditamos que o principal<br />

desafio no futuro será a captação de talento para<br />

o setor, devido a existir uma baixa renovação da<br />

mão-de-obra decorrente do envelhecimento dos<br />

profissionais. É necessário trabalhar junto <strong>das</strong><br />

escolas e entidades de formação para aumentar a<br />

atratividade do setor, onde as empresas<br />

pertencentes a este ramo da colisão automóvel,<br />

terão também de encontrar formas de melhorar<br />

as condições de trabalho para ajudarem a atrair<br />

os jovens. Outro dos desafios será a necessidade<br />

cada vez maior de os profissionais atualizarem os<br />

seus conhecimentos, porque estão<br />

constantemente a ser lançados novos produtos e<br />

tecnologias. Quem não atualizar os seus<br />

conhecimentos e técnicas regularmente irá ser<br />

cada vez menos eficiente e consequentemente<br />

menos rentável no seu trabalho.<br />

atividade dos principais agentes do setor<br />

A pós-venda irá continuar fortemente<br />

condicionada por todo este ambiente de<br />

mudança na mobilidade automóvel, pelo que<br />

teremos de ter a capacidade e a agilidade de<br />

operar em constante adaptação. Esta<br />

circunstância passa obrigatoriamente por saber<br />

interpretar os sinais e as tendências atuais e<br />

futuras que irão impactar o nosso negócio e dos<br />

nossos clientes. Nos últimos tempos temos<br />

apelado aos nossos parceiros e clientes para<br />

acelerarem a adaptação às ferramentas digitais<br />

que dispomos, de modo que possamos ser ainda<br />

mais eficientes no nosso dia-a-dia, tanto nos<br />

processos internos de reparação nas oficinas<br />

como nos processos de compra/encomenda de<br />

produtos e peças aos fornecedores. Felizmente,<br />

temos a possibilidade de comercializar marcas<br />

Premium e que são reconheci<strong>das</strong><br />

internacionalmente pela sua qualidade,<br />

fiabilidade, assistência técnica e comercial.<br />

Desde o início da GravityPaint que apostámos<br />

muito no serviço pós-venda, pois nunca nos<br />

limitámos apenas na venda do produto “X” ou do<br />

equipamento “Y”, mas sim complementando essa<br />

venda com assistência técnica (GravityAssist) e<br />

com o aluguer de equipamentos (GravityRent).<br />

Iremos apostar ainda mais na formação da nossa<br />

Equipa e dos nossos Clientes, e iremos também<br />

começar a planear a abertura de uma nova loja.<br />

22 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


O PÓS-VENDA<br />

VIVE ATUALMENTE<br />

UMA SITUAÇÃO QUE<br />

SE CARACTERIZA<br />

POR UMA GRANDE<br />

INCERTEZA<br />

JOANA SILVA<br />

DIRETORA MARKETING<br />

AUTOFLEX<br />

pós-venda automóvel em Portugal vive<br />

O atualmente uma situação que se caracteriza<br />

por uma grande incerteza relativamente ao futuro<br />

de curto e médio prazo do seu negócio,<br />

essencialmente derivada por duas razões<br />

fundamentais: fortes dúvi<strong>das</strong> relativamente à<br />

situação económico/financeira pela qual o país irá<br />

passar nos próximos tempos e a crescente<br />

tendência de concentração <strong>das</strong> principais oficinas<br />

de reparação (concessionários, redes, grandes<br />

oficinas, …) nos principais grupos automóveis a<br />

operar neste mercado. Estes dois fatores alteram<br />

profundamente a forma como os diversos<br />

operadores, nomeadamente a sua rede de<br />

distribuição de acessórios onde se incluem as<br />

tintas de repintura, analisam e decidem sobre os<br />

investimentos que sempre se revelaram<br />

necessários para o desenvolvimento dos seus<br />

negócios neste mercado altamente competitivo. A<br />

necessidade de cumprir com os objetivos<br />

ambientais com a consequente evolução dos<br />

produtos, as alterações profun<strong>das</strong> no modelo de<br />

consumidor com especial destaque na<br />

concentração de oficinas em grandes grupos do<br />

ramo automóvel, a crescente maior sensibilidade<br />

dos gestores oficinais aos custos envolvidos nas<br />

diferentes operações realiza<strong>das</strong> na oficina de<br />

colisão, o aparecimento de novos substratos nos<br />

automóveis, a evolução tecnológica do automóvel<br />

e a própria legislação e controlo que visa a<br />

redução da sinistralidade, …, tudo isto junto e<br />

outros fatores que seguramente irão surgir, são<br />

desafios que deverão merecer uma profunda<br />

reflexão.<br />

Quer através <strong>das</strong> marcas próprias produzi<strong>das</strong><br />

nas suas instalações fabris, quer na seleção<br />

dos seus “parceiros” de negócios, a opção<br />

do Grupo Autoflex foi sempre pautada pela<br />

superior e comprovada qualidade, rentabilidade,<br />

fiabilidade e apoio “pós-venda” dos produtos<br />

que comercializa nas suas zonas de intervenção<br />

há cerca de 40 anos de atividade neste mercado<br />

da reparação automóvel. Estando numa fase<br />

de consolidação de projetos recentemente<br />

implementados, o Grupo Autoflex está sempre<br />

atento à situação existente em cada momento<br />

nos vários mercados onde opera, assim como às<br />

oportunidades que, eventualmente, no futuro<br />

possam surgir.<br />

PUB<br />

OFERECEMOS O NÍVEL PREMIUM DE<br />

CONFORTO E EFICIÊNCIA<br />

Correias e transmissão<br />

A Hutchinson fornece um grande portfólio de O.E., peças<br />

de qualidade, escolhi<strong>das</strong> pelos principais fabricantes de<br />

veículos: correias e kits de acessórios, correias e kits de<br />

distribuição, rolamentos, tensores e polias, etc.<br />

NOVO HYBROAD®<br />

Correia acessória para veículos<br />

start & stop e híbridos<br />

SIGA-NOS !<br />

CERCA DE 5,000 REFERÊNCIAS<br />

Distribuidor Oficial<br />

ANNI<br />

Rua da Carvalha de Baixo, 250<br />

4510 – 523 Fânzeres<br />

Gondomar<br />

www.vauner.pt<br />

Gondomar: 224 853 420 ven<strong>das</strong>@vauner.pt<br />

Coimbra: 239 433 710 coimbra@vauner.pt<br />

Lisboa: 219 427 770 lisboa@vauner.pt<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 23<br />

contato : auto.aftermarket@hutchinson.com<br />

DI ESPERIEN


ANÁLISE MERCADO PÓS-VENDA<br />

REPINTURA<br />

REDES<br />

DE OFICINAS<br />

MERCADO DA<br />

REPINTURA ENCONTRA-<br />

SE MATURADO, SEM<br />

GRANDES TENDÊNCIAS<br />

PARA CRESCIMENTO<br />

ACENTUADO<br />

TEMOS ASSISTIDO<br />

A UM MAIOR CONSUMO<br />

DE PRODUTOS À BASE<br />

DE SOLVENTES<br />

O NEGÓCIO DOS<br />

PNEUS E REPARAÇÃO<br />

AUTOMÓVEL<br />

ESTÁ EM EVOLUÇÃO<br />

CONSTANTE<br />

ARMANDO MUSQUEIRA,<br />

GERENTE QUIMIRÉGUA<br />

VIRGÍLIO MOTA<br />

DIRETOR GERAL<br />

MOTA & PIMENTA<br />

JOÃO CARDOSO<br />

RESPONSÁVEL<br />

CONTISERVICE<br />

mercado da repintura em Portugal<br />

O encontra-se maturado, sem grandes<br />

tendências para um crescimento acentuado,<br />

mais do que “ganhar” novos clientes trata-se de<br />

fidelizar os nossos clientes de forma a estarem<br />

cada vez mais satisfeitos. Os tempos mudam e a<br />

globalização não abranda. Estamos de<br />

momento a planear a ativação de vários canais<br />

de comunicação com os clientes, e neste sentido<br />

melhorámos o nosso website, onde já<br />

disponibilizamos o acesso a cada cliente às suas<br />

notas de encomenda. É apanágio da<br />

Quimiregua trabalhar com marcas premium<br />

que permitem uma plena satisfação por parte<br />

dos nossos clientes em todos os processos de<br />

trabalho realizados. Pretendemos que o nosso<br />

serviço pós-venda seja um serviço diferenciador<br />

quer pela qualidade dos nossos colaboradores<br />

bem como na prontidão na resolução <strong>das</strong><br />

situações que possam ocorrer e acreditamos<br />

honestamente que esta qualidade e prontidão<br />

apresenta um peso elevado nas parcerias que<br />

temos com os clientes. A falta de profissionais é<br />

uma <strong>das</strong> maiores preocupações no setor, assim<br />

como o alto nível de inflação que estamos agora<br />

a sofrer, que vem cortar solidez económica de<br />

várias empresas. Há sempre a preocupação de<br />

que o setor possa tornar-se menos rentável, mas<br />

acreditamos que vamos sair vitoriosos do outro<br />

lado.<br />

palavra que melhor define este momento,<br />

A na nossa opinião, é incerteza. A crise<br />

energética, o aumento <strong>das</strong> taxas de juro do<br />

Banco Central Europeu e a desaceleração da<br />

economia global resultaram em desci<strong>das</strong> <strong>das</strong><br />

taxas de crescimento no último ano. Cada vez<br />

mais se sente uma oferta inferior à procura de<br />

pintores especializados, o que tem causado<br />

alguma instabilidade nas oficinas uma vez que<br />

se vêm força<strong>das</strong> a estar constantemente a<br />

formar pessoas, uma vez que a sua retenção é<br />

difícil. Outro desafio prende-se com uma maior<br />

fiscalização da utilização de produtos COV’s<br />

cumpridores, uma vez que temos assistido a um<br />

maior consumo de produtos à base de solventes<br />

em detrimento dos produtos de base aquosa. A<br />

maioria marcas que representamos e<br />

comercializamos pertencem a grandes grupos<br />

europeus/americanos na área da repintura<br />

automóvel. No que respeita à repintura<br />

automóvel a Sherwin-Williams foi identificada<br />

como líder de mercado, respondendo pela<br />

maior participação no mercado de tintas e<br />

revestimentos. A empresa solidificou a sua<br />

presença no mercado de tintas através de uma<br />

combinação de produtos diversificados, forte<br />

identidade de marca, inovações tecnológicas e<br />

uma vasta rede de distribuição.<br />

negócio dos pneus e reparação automóvel<br />

O está em evolução constante, em linha com<br />

as alterações que o setor automóvel também<br />

está a sofrer. Cabe-nos a nós acompanhar e<br />

estar um passo à frente <strong>das</strong> necessidades do<br />

mercado e dos nossos parceiros. É um trabalho<br />

continuo e exigente. 2023 foi um ano muito<br />

positivo para a Rede ContiService, com novas<br />

entra<strong>das</strong> e reforço de parcerias. Para além disso,<br />

continuamos a avançar com os nossos projetoschave<br />

de forma consistente. Em 2024 celebramse<br />

os 10 anos da Rede ContiService e queremos<br />

dar-lhe o destaque merecido. O facto de<br />

pertencer a uma rede apoiada por um grupo<br />

com a dimensão e potencial da Continental,<br />

aliado a uma equipa experiente e dedicada às<br />

necessidades individuais do negócio de cada um<br />

dos nossos parceiros, são o nosso maior<br />

benefício. A Oficina Qualificada EV-Service,<br />

iniciado em 2022, é um dos projetos-chave na<br />

nossa estratégia de Rede. Queremos ser a<br />

referência na área da mobilidade elétrica. Uma<br />

ambição que surge da conjugação de um<br />

conjunto de fatores e de onde se destaca o tema<br />

da sustentabilidade como parte integrante da<br />

“Visão 2030” da Continental. Trabalhamos em<br />

conjunto com os nossos parceiros em to<strong>das</strong> as<br />

frentes: Formação Técnica, Equipamento e<br />

Ferramentas, Comunicação Digital e Decoração<br />

de Ponto de Venda. É um trabalho contínuo,<br />

muito exigente e com excelentes resultados.<br />

24 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


TENDENCIALMENTE<br />

O MERCADO SERÁ<br />

CADA VEZ MAIS<br />

DINÂMICO E COM<br />

MAIS PLAYERS<br />

UM DOS VALORES<br />

ESSENCIAIS É O<br />

SENTIDO DE<br />

SOLIDARIEDADE<br />

E DO TRABALHO<br />

EM EQUIPA<br />

CONCEITO COM<br />

RESULTADOS<br />

COMPROVADOS<br />

A NÍVEL MUNDIAL,<br />

EM VÁRIOS PAÍSES<br />

E CONTINENTES<br />

JORGE SALVADOR<br />

RESPONSÁVEL<br />

REDSERVICE<br />

ESTELLE PEREIRA<br />

RESPONSÁVEL ROADY<br />

VANESSA BARROS<br />

RESPONSÁVEL TOPCAR<br />

endencialmente o mercado será cada vez<br />

T mais dinâmico e com mais players, o que<br />

é saudável e benéfico para o consumidor. Por<br />

essa razão, é importante que consigamos<br />

diferenciar-nos: no nosso caso, sempre pela<br />

qualidade do serviço à rede, onde procuramos<br />

demarcar-nos através de alguns aspetos<br />

diferenciadores, e onde apostamos fortemente.<br />

As primeiras unidades oficinais integraram a<br />

rede em finais de 2016 e atualmente contamos<br />

com 60 oficinas. Tem sido um crescimento<br />

sustentado e prudente, pois os nossos critérios<br />

de adesão nunca permitirão hipotecar a imagem<br />

que a marca hoje tem. Muito pelo contrário, as<br />

novas adesões terão de ser sempre para manter<br />

ou elevar o padrão. Desta forma, o balanço do<br />

ano 2023 é muito positivo, onde registamos um<br />

aumento da notoriedade da marca, que se<br />

traduz num aumento de trabalho por parte <strong>das</strong><br />

oficinas e, consequentemente, um crescimento<br />

de faturação. Naturalmente já começámos a<br />

preparar os próximos anos e projetamo-los<br />

como de consolidação da marca. Trabalhamos<br />

para termos um excelente 2024, estando já a<br />

preparar as oficinas nos domínios da qualidade<br />

do serviço e no processo do elétrico, visando<br />

antecipar a resposta face ao crescimento que se<br />

tem vindo a verificar do mercado nesta área.<br />

rede de oficinas Roady está aberta a<br />

A todos os candidatos com espírito<br />

empreendedor e com vontade de se lançar num<br />

negócio próprio. Um dos valores essenciais para<br />

fazer parte do Grupo Os Mosqueteiros é o<br />

sentido de solidariedade. Os Mosqueteiros<br />

dedicam-se, acima de tudo, à coesão e à força<br />

do trabalho em equipa. Tornar-se empresário<br />

com os Mosqueteiros, é tornar-se proprietário<br />

independente de um ponto de venda, mas<br />

também cogestor da própria estrutura do<br />

Grupo. Com meios, ferramentas e uma gestão<br />

partilhada, o Grupo Os Mosqueteiros<br />

proporciona uma oportunidade única para<br />

quem se quer lançar enquanto empresário<br />

independente, num ambiente seguro e<br />

metódico. O empenho pessoal e a capacidade de<br />

gerir serão, sem sombra de dúvida, verdadeiros<br />

aliados para o Grupo Os Mosqueteiros. Tal<br />

como os 34 empresários que gerem de forma<br />

independente os 36 pontos de ven<strong>das</strong> da<br />

insígnia Roady por todo o país, quem se juntar<br />

aos Mosqueteiros terá a possibilidade de<br />

usufruir do seu poder humano, logístico e<br />

económico, ao mesmo tempo que mantém a sua<br />

independência. As oficinas dos Centro Auto<br />

Roady possuem a mais recente tecnologia para<br />

efetuar a manutenção dos veículos mais<br />

recentes do mercado, sejam eles, a combustão,<br />

híbridos ou elétricos. Como o mercado continua<br />

cada vez mais sensível ao preço, queremos<br />

reforçar o nosso posicionamento de Preço Baixo<br />

e Proximidade com os clientes, apresentandonos<br />

como uma solução para a mobilidade e<br />

segurança ao melhor preço.<br />

base do conceito da rede de oficinas<br />

A multimarca TOPCAR consiste num<br />

abandeiramento <strong>das</strong> oficinas, sendo permitida a<br />

utilização da marca pelo proprietário e o<br />

usufruto de um conjunto de soluções<br />

estratégicas para o seu negócio. O conceito foi<br />

testado com resultados comprovados a nível<br />

mundial, em vários países e continentes. O<br />

principal aspeto diferenciador da TOPCAR é o<br />

desenvolvimento de não apenas uma valência,<br />

mas tanto da valência de mecânica, como de<br />

colisão, com o mesmo peso, permitindo aos<br />

parceiros trabalhar uma valência ou ambas.<br />

Este foco ambivalente só é possível porque<br />

temos como parceiros os principais<br />

fornecedores de mecânica e carroçaria e<br />

capacitamos os nossos profissionais com as<br />

mais novas tecnologias de ambas as<br />

competências. A TOPCAR está centrada em<br />

quatro pilares essenciais: Formação,<br />

Informação, Imagem e Marketing. Assim,<br />

através de um plano de formações anual<br />

adaptado às necessidades de cada oficina,<br />

acesso a plataformas de identificação de peças e<br />

assistência, além do apoio da nossa equipa de<br />

Marketing para adaptação da imagem da<br />

oficina à identidade visual da rede e um plano<br />

estratégico de Marketing, conseguimos garantir<br />

vantagens competitivas aos nossos aderentes. O<br />

desempenho da TOPCAR em 2023 cumpriu<br />

com as expetativas, através de um crescimento<br />

significativo, fruto também do resultado<br />

positivo e do elevado número de serviços nas<br />

104 oficinas da rede. A expectativa para 2024 é<br />

continuar a crescer de forma sustentável.<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 25


FÓRUM DPAI/ACAP<br />

“O PRÓXIMO AFTERMARKET”<br />

DECORREU NO PASSADO DIA 23 DE NOVEMBRO, O FÓRUM DPAI/ACAP ‘O PRÓXIMO AFTERMARKET’.<br />

ESTE EVENTO, QUE REUNIU MAIS DE 250 PARTICIPANTES, FOI UMA OPORTUNIDADE ÚNICA<br />

PARA OS PROFISSIONAIS DO SETOR CONHECEREM AS MEGATENDÊNCIAS DO SETOR E REFLETIREM<br />

SOBRE DESAFIOS DO FUTURO


Evento<br />

No seguimento dos Fóruns realizados anualmente<br />

pela DPAI/ACAP, este ano o evento<br />

apresentou-se com um novo formato, mais<br />

abrangente e aberto a todos os players do setor.<br />

Durante uma manhã foram debatidos os temas<br />

que mais impacto estão a ter na atividade do aftermarket,<br />

nomeadamente a sustentabilidade, digitalização,<br />

legislação e recursos humanos.<br />

Joaquim Candeias, Managing Director da Ferdinand<br />

Bilstein Portugal e Presidente da Divisão<br />

do Pós-venda Automóvel da ACAP (DPAI|ACAP),<br />

procedeu à sessão de abertura do Fórum, começando<br />

por dizer que “foi a primeira vez que o Fórum<br />

se realizou fora da ACAP”. Segundo explicou, a decisão<br />

deveu-se ao facto de “cada vez mais pessoas<br />

estarem a aderir e a aproximarem-se da ACAP”. E<br />

fez uma revelação: “Como sabem, eu sou muito de<br />

associações e da partilha de informação. Creio que<br />

esse é o caminho. Quanto mais unidos estivermos,<br />

mais fáceis as coisas se tornam para todos”. No seu<br />

discurso de abertura, Joaquim Candeias afirmou<br />

ainda que “as empresas, antigamente, eram valoriza<strong>das</strong><br />

pelo património que tinham, pelos stocks,<br />

pelos recursos humanos... Hoje, são valoriza<strong>das</strong><br />

pela eficiência. E para se ter eficiência, é preciso ter<br />

informação. Quanto mais informação tivermos,<br />

mais fácil será podermos agir e gerir os nossos negócios.<br />

Enfim, ter sucesso, que é, no fundo, aquilo<br />

que todos queremos”. E foi mais longe: “Também<br />

por essa razão, criámos o nome de ‘O Próximo Aftermarket’,<br />

cuja ideia era precisamente trazer as<br />

pessoas aqui e ‘pô-las’ a pensar em várias questões<br />

para que, no final da manhã, quando saíssem, levassem<br />

algo em mente para proceder a alterações<br />

nos seus negócios”.<br />

De acordo com o Presidente da DPAI/ACAP, “é<br />

evidente que o Próximo Aftermarket é aquele que<br />

está a começar agora. E, isso, traz muitas oportunidades,<br />

apesar de muitas dificuldades também.<br />

Mas os desafios, na opinião de Joaquim Candeias,<br />

são bem-vindos, uma vez que serão eles que criarão<br />

novas oportunidades. E esse é o caminho para que<br />

possamos evoluir e termos, todos, muito sucesso<br />

a longo termo”. Seguiu-se a intervenção de Álvaro<br />

de la Cruz, diretor de Comunicação da FIGIEFA,<br />

que divulgou o trabalho que esta associação tem<br />

realizado em prol do setor aftermarket independente,<br />

designadamente no que diz respeito ao direito<br />

à reparação, digitalização, sustentabilidade e<br />

cibersegurança. Graças ao trabalho desenvolvido<br />

por esta associação, a vigência do MVBER foi prolongada<br />

por mais cinco anos, o que veio permitir<br />

a adaptação gradual <strong>das</strong> empresas aftermarket à<br />

nova legislação que aí vem.<br />

As grandes tendências do aftermarket<br />

O 2º painel foi dedicado à “Análise <strong>das</strong> Megatrends<br />

do Aftermarket”. Moderado por Dário Afonso,<br />

diretor geral da ACM-Autocoach Management,<br />

contou com a participação de – Isabel Basto, diretora<br />

de Operações Aftermarket do Grupo Nors<br />

e membro da Comissão de Distribuição de Peças<br />

da DPAI/ACAP; Luís Machado, Responsável da<br />

Placa Distrigo da Stellantis &You; Gonçalo Pinto,<br />

E-commerce do sector de pneus e jantes; Filipe<br />

Bandeira, diretor geral da Alves Bandeira Tyres e<br />

Miguel Melo, diretor geral da MCoutinho Peças e<br />

membro da Comissão de Distribuição de Peças da<br />

DPAI/ACAP.<br />

As temáticas da eletrificação dos veículos, da mobilidade<br />

descarbonizada e da sustentabilidade<br />

estiveram em foco, assim como o seu impacto no<br />

negócio do pós-venda independente. A digitalização<br />

também foi alvo de análise, destacando-se<br />

não apenas como uma tendência, mas como uma<br />

necessidade imperativa, podendo ser esta uma ferramenta<br />

estratégica essencial, que contribui para<br />

a otimização de processos e para o crescimento do<br />

negócio.<br />

Recursos Humanos, procuram-se<br />

Competência e talento, procura-se!” foi o tema da<br />

segunda parte do 2º painel. O debate focou-se na<br />

partilha de estratégias essenciais para atrair profissionais<br />

qualificados e em como tornar o setor<br />

mais atrativo para a captação de jovens talentos.<br />

A valorização dos colaboradores e a promoção de<br />

um ambiente de trabalho estimulante e inclusivo<br />

foram temas centrais, sublinhando-se a importância<br />

da formação contínua e dos planos de carreira.<br />

Este painel foi moderado por Dário Afonso, e teve<br />

como oradores Virna Martins, da Bewell Portugal;<br />

Artur Moura Queirós, da Alento, Soluções Integra<strong>das</strong><br />

em Recursos Humanos– Miguel Pereira,<br />

da Raulauto e David Simão, da Agro 121 e membro<br />

da Comissão Pós-venda de Máquinas Agrícolas da<br />

DPAI/ACAP.<br />

A voz do consumidor<br />

O 3º e último painel, apresentado por Rita Alemão,<br />

Managing Partner da LYD e Pedro Barros,<br />

diretor geral da Tips4y e membro da Comissão<br />

Executiva da DPAI/ACAP, teve como tema “O consumidor<br />

ao volante do mercado” e apresentou um<br />

estudo sobre o comportamento do consumidor do<br />

aftermarket e estratégias para o futuro. Este estudo<br />

vai, seguramente, permitir uma compreensão<br />

aprofundada do comportamento dos consumidores<br />

e <strong>das</strong> dinâmicas da procura e revela-se de grande<br />

importância para os operadores do Aftermarket<br />

poderem alinhar as suas estratégias de negócio ao<br />

novo perfil do consumidor e, assim, manterem-se<br />

competitivas.<br />

O Fórum DPAI/ACAP “O Próximo Aftermarket”<br />

foi uma oportunidade única para os profissionais<br />

do setor ficarem mais atualizados com as últimas<br />

tendências e estratégias de mercado e um passo<br />

em frente na direção certa para quem procura não<br />

apenas compreender, mas também aplicar as melhores<br />

técnicas e estratégias de gestão empresarial.<br />

A próxima edição do Fórum anual DPAI/ACAP<br />

está agendada para 28 de novembro de 2024.. l<br />

O FÓRUM ANUAL DPAI/ACAP “O PRÓXIMO AFTERMARKET” REUNIU MAIS DE<br />

250 PARTICIPANTES E FOI UM MOMENTO DE REFLEXÃO E APRENDIZAGEM<br />

SOBRE OS GRANDES DESAFIOS QUE O SETOR ENFRENTA<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 27


Entrevista


ISMAEL CARMENA, DIRETOR-GERAL HELLA IBERIA<br />

SOMOS UM FORNECEDOR<br />

DO FUTURO!<br />

À FRENTE DA HELLA IBERIA DESDE 2006, ISMAEL CARMENA FALOU AO JORNAL DAS OFICINAS SOBRE O 60º<br />

ANIVERSÁRIO DA EMPRESA, NUMA ALTURA EM QUE A COMPANHIA TEM GRANDES PERSPECTIVAS PARA O<br />

FUTURO. FALOU-NOS DA CRIAÇÃO DO GRUPO FORVIA, RESULTADO DA FUSÃO DA HELLA COM A FAURECIA, E<br />

REVELOU OS PROJETOS QUE A EMPRESA TEM PREPARADOS PARA OS PRÓXIMOS ANOS<br />

Fundada a 14 de fevereiro de 1963, a HELLA<br />

Iberia comemorou em 2023 seis déca<strong>das</strong> de<br />

existência, com um crescimento exponencial,<br />

como recorda o atual Diretor Geral e Vice-Presidente<br />

do IAM para a América e o Sul da Europa,<br />

Ismael Carmena: “O balanço destes 60 anos é<br />

muito interessante e desenvolveu-se em três fases.<br />

Primeiro, de 63 a 82, quando estávamos num<br />

pequeno escritório. Depois mudámo-nos para Barajas,<br />

para instalações um pouco maiores. Nesta<br />

fase, entrámos num mercado muito vasto, no qual<br />

trabalhávamos sobretudo com produtos de iluminação”,<br />

explica.<br />

Na segunda fase, a partir de 1983, Luis Carmena<br />

Martínez, pai de Ismael, assumiu as rédeas e levou<br />

a empresa a um nível muito elevado, dando muita<br />

visibilidade à marca Hella através de inúmeras<br />

ações. Este foi claramente o período de maior expansão<br />

da empresa, com uma faturação seis vezes<br />

superior e a criação de sucursais e armazéns,<br />

conceitos Hella, com a entrada em novos mercados<br />

como a pintura, a mecânica e os acessórios. A<br />

terceira etapa começou em janeiro de 2006, com<br />

Ismael Carmena, que já trabalhava para o grupo<br />

na Alemanha e em Itália, a assumir a direção da<br />

HELLA SA em Espanha e, mais tarde, em Portugal<br />

Ibéria, após a morte do seu pai, cujo trabalho,<br />

sublinha, “foi extraordinário e≠ deixa-me com<br />

muita responsabilidade”.<br />

Foco no cliente<br />

Atualmente, após 17 anos como diretor-geral da<br />

empresa, é também vice-presidente do IAM do<br />

grupo para a Américas e a Europa do Sul há cinco<br />

anos. Orgulha-se do facto de, sessenta anos depois,<br />

a HELLA Iberia ser uma “grande multinacional<br />

com um espírito muito pessoal e humano”<br />

e garante que, do ponto de vista da gestão, estão<br />

“focados em trabalhar com o máximo rigor, respeito<br />

e profissionalismo, para satisfazer tanto os<br />

clientes como os nossos colegas e funcionários”. Ismael<br />

Carmena recorda os tempos difíceis da crise<br />

de 2011 no mercado espanhol, que se prolongou<br />

até 2013, e destaca o desinvestimento na área da<br />

gestão térmica e da climatização anos mais tarde<br />

(Behr Hella Service), “o que nos levou a racionalizar<br />

o nosso negócio e a centralizá-lo mais diretamente<br />

em produtos de alta tecnologia, como a iluminação,<br />

a eletrónica, o diagnóstico e a calibração<br />

de veículos”. No âmbito do novo projeto denominado<br />

FOCUS, encerrámos armazéns periféricos,<br />

que já não faziam muito sentido, racionalizámos a<br />

nossa gama de produtos e concentrámo-nos na atividade<br />

principal da empresa. Fizemos a mudança<br />

estratégica correta”, afirma.<br />

O balanço destes sessenta anos é “muito positivo”<br />

e a empresa mantém-se “centrada no cliente”. Na<br />

sua opinião, faz diferença que todos os funcionários,<br />

antes de fazerem qualquer coisa, se perguntem<br />

“como o fariam se esta fosse a sua empresa”.<br />

Inicialmente centrada em produtos de iluminação,<br />

a empresa manteve “uma cultura forte, que tornou<br />

a HELLA muito especial e as pessoas aqui estão<br />

muito próximas da empresa”, afirma. “Tivemos a<br />

sorte de ter uma equipa muito forte e, nos últimos<br />

dez anos, a trajetória tem sido muito positiva do<br />

ponto de vista <strong>das</strong> ven<strong>das</strong>.<br />

HELLA e Forvia<br />

Desde fevereiro de 2022, a HELLA e a Faurecia<br />

operam sob o Grupo FORVIA. Ismael Carmena<br />

explica: “Juntos formamos o sétimo maior fornecedor<br />

mundial de componentes automóveis e<br />

um em cada dois veículos produzidos no mundo<br />

tem um componente fabricado pela FORVIA. A<br />

“FAZEMOS O NOSSO TRABALHO, COM ENTUSIASMO, PAIXÃO, HUMILDADE E,<br />

ACIMA DE TUDO, OLHANDO PARA O QUE O CLIENTE PRECISA<br />

E COLOCANDO-NOS NO SEU LUGAR”, DIZ ISMAEL CARMENA<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 31


PARA A HELLA, O MERCADO IBÉRICO É UM MERCADO ÚNICO<br />

DO PONTO DE VISTA DAS CONDIÇÕES, O QUE SIGNIFICA QUE<br />

EM DETERMINADAS LINHAS DE PRODUTO, OS DISTRIBUIDORES<br />

HELLA PODEM TER UM PAPEL FUNDAMENTAL<br />

nossa visão para o futuro assenta<br />

em quatro pilares: segurança, sustentabilidade,<br />

soluções avança<strong>das</strong><br />

e experiências personaliza<strong>das</strong>”. O<br />

Grupo FORVIA é especializado na<br />

produção de peças para automóveis:<br />

bancos, painéis de instrumentos,<br />

painéis de portas e tecnologias de<br />

redução de emissões de C02. Além<br />

disso, o Grupo FORVIA é um especialista<br />

em tecnologia de iluminação<br />

automóvel e fabrico de componentes<br />

eletrónicos, com uma forte presença<br />

no mercado pós-venda automóvel. A<br />

FORVIA inclui os pontos fortes industriais<br />

da Faurecia e da HELLA.<br />

Possui mais de 290 unidades industriais<br />

e 76 centros de investigação e<br />

desenvolvimento. Em todo o mundo,<br />

mais de 157.000 pessoas trabalham<br />

no grupo, incluindo mais de 15.000<br />

engenheiros de I&D em 40 países.<br />

Oferta pós-venda<br />

Sobre a forma como as marcas da<br />

HELLA funcionam, Ismael Carmena<br />

afirma: “Temos um compromisso<br />

claro com tudo o que é mecânico,<br />

especialmente com os travões, onde<br />

vamoscontinuar a apostar na gama<br />

de travões HELLA, investindo mais<br />

na nossa própria marca com qualidade<br />

de equipamento original. Quanto<br />

à HELLA Gutmann, diagnóstico, a<br />

marca é 100% HELLA, não é uma<br />

joint-venture. Na Alemanha, a Gutmann<br />

continua a ser uma marca<br />

muito forte e é por isso que decidimos<br />

deixá-la como está. A parte dos<br />

filtros é uma aliança que temos com<br />

a Hengst para alguns países europeus,<br />

nomeadamente: Espanha, Portugal,<br />

Itália, França e Reino Unido e<br />

estamos a avançar em conjunto com<br />

a marca Hella Hengst nestes merca-<br />

dos com um crescimento anual de<br />

dois dígitos muito positivo desde que<br />

começámos até hoje.”<br />

Investir no futuro<br />

Ismael Carmena acredita que o futuro<br />

do automóvel está na digitalização<br />

e na eletrificação dos veículos e<br />

diz que a HELLA e o Grupo Forvia<br />

“estão a investir fortemente nestas<br />

duas áreas. As mudanças que se avizinham<br />

na parte técnica do veículo<br />

já são uma realidade e estamos a<br />

investir muito no carro elétrico, na<br />

SUSTENTABILIDADE: UMA PRIORIDADE ESTRATÉGICA<br />

a HELLA e no Grupo Forvia, a sustentabilidade é considerada “uma <strong>das</strong><br />

N prioridades estratégicas a nível corporativo. Traz uma grande reputação<br />

à marca e acrescenta muito valor. Tudo o que tem a ver com eletrificação e<br />

gestão de energia, condução semi-autónoma e áreas de digitalização são o<br />

nosso foco”. “Queremos ter um futuro muito mais sustentável no grupo e somos<br />

a primeira empresa nesta área com o objetivo de emissões zero em 2045 e<br />

temos dois passos intermédios: ser neutros em termos de CO 2 em 2025 e reduzir<br />

o CO 2 em mais de 45% em 2030 com diferentes atividades e ações”.<br />

Atualmente, isso já está a acontecer em to<strong>das</strong> as fábricas e em to<strong>das</strong> as<br />

eletrónica do veículo, no diagnóstico<br />

e calibração, bem como em todos os<br />

componentes que têm um elevado<br />

valor acrescentado, como a iluminação<br />

combinada com a eletrónica”.<br />

Com esta mudança no parque automóvel,<br />

as reparações destes componentes<br />

elétricos e eletrónicos vão<br />

ser necessárias nos próximos anos<br />

e Carmena acredita que, por isso,<br />

“vai haver uma série de fabricantes<br />

de componentes que vão ter essa<br />

tecnologia e essa gama de produtos.<br />

Investimos muito no equipamento<br />

atividades que realizam, em termos de energia solar, emissões de fábrica, bem<br />

como na nova empresa, MATERIACT dedicada a materiais sustentáveis para<br />

assentos, “em que até 2030 acreditamos que teremos um volume de negócios<br />

de 2.000 milhões de euros, criando quase 400 empregos até 2025”, afirma.<br />

Neste contexto, dentro da atividade de aftermarket da Lifecycle Solutions, para<br />

além <strong>das</strong> peças de substituição para o mercado independente, a empresa tem<br />

também soluções para o ciclo de vida do produto, como nos diz Ismael Carmena:<br />

“Temos projetos específicos para prolongar a vida útil de determinados<br />

componentes com diferentes estratégias para os próximos anos.<br />

32 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


ISMAEL CARMENA<br />

original e no aftermarket, passámos<br />

de 300/400 referências eletrónicas<br />

para 4.000/5.000. Estamos envolvidos<br />

em muitos projetos de equipamento<br />

original em que a eletrónica<br />

desempenha um papel fundamental.<br />

Isto significa que, nos próximos<br />

anos, também teremos estes produtos<br />

no mercado pós-venda”, explica,<br />

afirmando que “a realidade é que, no<br />

presente e num futuro próximo de 3<br />

IBERIZAÇÃO: MERCADOS DISTINTOS!<br />

a 5 anos, o distribuidor ou grupo de<br />

compras trabalhará com fabricantes<br />

de componentes automóveis que<br />

possuem a tecnologia: e a HELLA<br />

será um deles. Há um investimento<br />

significativo e uma especialização<br />

por parte de alguns fabricantes de<br />

componentes OE para automóveis<br />

e a HELLA e o Grupo Forvia vão<br />

ser um deles nos próximos anos»,<br />

assegura. l<br />

Instado a fazer uma análise sobre a tendência da Iberização do negócio da distribuição de peças, o<br />

I diretor-geral da HELLA considera que “continua a haver diferenças grandes na distribuição de<br />

Portugal e na de Espanha. São mercados ibéricos comuns em termos de políticas de preços, comerciais e de<br />

marketing, mas do ponto de vista de tamanho e organização há muitas diferenças. Não vale tudo nem se<br />

pode aplicar tudo de Espanha no mercado português e vice-versa. Há distribuidores e fabricantes que,<br />

aplicando os mesmos critérios, têm respostas diferentes e nem sempre positivas”, alerta.<br />

Sendo mercados distintos, como olha para um e para o outro, questionamos. “Se falarmos do mercado<br />

espanhol, estamos a ver uma aceleração da consolidação do mercado, de forma muito rápida, especialmente<br />

nos últimos doze meses, com a entrada de grupos internacionais, num mercado muito fragmentado,<br />

que não é igual ao português, é muito propício fazer grandes compras. Possivelmente veremos novas<br />

incorporações muito em breve. Vejo como uma oportunidade de modernização de muitas áreas e em muitos<br />

aspetos na distribuição de peças de substituição, está-se a modernizar muito toda a parte logística, a parte<br />

de compras, de gestão de produtos e o tamanho do portefólio”, afirma.<br />

Especificamente no mercado luso, Ismael Carmena observa “grandes líderes da distribuição que estão<br />

a dar passos distintos e inovadores” e entende que isso “irá gerar uma certa conglomeração na própria<br />

oferta. Estamos num momento muito interessante e, na parte que nos toca, enquanto HELLA, acreditamos<br />

que estamos muito bem situados com uma carteira de produtos muito focada nos degraus estratégicos<br />

de crescimento no aftermarket, e creio que temos muitos produtos atrativos para a distribuição”. O nosso<br />

interlocutor entende que “a grande distribuição, a internacional, mais forte, vai ser ainda mais forte<br />

logisticamente em grandes cidades. Já em povoações mais pequenas, isso não vai acontecer, pois os<br />

distribuidores regionais têm uma capilaridade e uma gestão muito mais próxima do cliente. Durante um<br />

tempo, espero que muito, ambos os modelos vão coabitar”, prevê.<br />

MUITAS NOVIDADES PARA 2024<br />

o que toca ao balanço do ano 2023, Ismael Carmena diz-nos que a empresa está “a<br />

N acompanhar o mercado, um ou dois pontos acima do crescimento de alguns mercados,<br />

e a coincidir com a média do setor, o que é muito positivo para nós, prova disso é que a empresa<br />

não parou de crescer e nos últimos três anos aumentámos as ven<strong>das</strong> em mais de 45%. Estamos<br />

a crescer muito nas áreas da eletrónica, do diagnóstico, da eletricidade e da mecânica.<br />

Crescemos um pouco menos este ano na iluminação de equipamento original, porque também<br />

tivemos um crescimento muito forte no ano anterior. Não temos nenhuma <strong>das</strong> linhas principais<br />

com crescimento negativo e esperamos que o ano siga a mesma tendência para nós”. Para<br />

2024, a ideia é “continuar a ampliar as gamas no produto core, na parte de eletrónica,<br />

máquinas elétricas, iluminação, diagnóstico e calibração, onde queremos crescer de forma<br />

importante, com novos produtos, novo portefólio”.<br />

Entre as novidades o diretor-geral da HELLA Iberia releva duas, o macs Remote e o diagnóstico<br />

inteligente. No primeiro caso, trata-se de “um dispositivo que pode ser vinculado a<br />

equipamentos HELLA (ou não) que dá um serviço combinado de gestão remota do diagnóstico,<br />

com uma rapidez e fiabilidade muito alta. Muitas <strong>das</strong> reparações fazem-se ligando-se ao<br />

sistema dos primeiros equipamentos. Isso fazemos nós e realizamos o serviço de passthru ao<br />

cliente, de forma remota”, explica.<br />

Por outro lado, no diagnóstico inteligente, foi incorporado em todos os produtos HELLA<br />

Gutmann um botão que permite fazer “um diagnóstico inteligente e automático do veículo,<br />

analisam-se os possíveis erros que o veículo tenha, mostrando através de percentagens quais<br />

poderão ser os problemas de diagnóstico que o veículo apresenta. Isto permite reduzir em<br />

muito os tempos de diagnóstico. Em sete minutos, em vez de duas ou três horas, o diagnóstico<br />

é efetuado. É um grande salto e acreditamos que, nos próximos dois anos, estaremos ainda à<br />

frente da maioria dos equipamentos de diagnóstico existentes no mercado, utilizando a nossa<br />

tecnologia de software, o nosso know-how, a nossa própria base de dados HGS Data, tudo<br />

combinado com inteligência artificial. Esta tecnologia acaba de ser lançada e está a ter um<br />

resultado fabuloso, porque é 100% gratuita na atualização dos equipamentos de diagnóstico”,<br />

afirma Ismael Carmena.<br />

Numa altura em que Espanha se prepara para a entrada em vigor de uma lei que vai alterar<br />

o tipo de triângulo de sinalização obrigatório para um dispositivo luminoso ligado à cloud<br />

da polícia, o chamado V16 IoT (previsto para ser obrigatório até 1 de janeiro de 2026 e que<br />

substituirá os triângulos), o diretor-geral da HELLA Iberia está entusiasmado com a entrada<br />

deste novo produto no portfólio da marca. Trata-se de “um dispositivo luminoso para a<br />

geolocalização do veículo em caso de acidente que tem de incorporar eletrónica, uma antena<br />

de radiofrequência, um cartão e-SIM para poder ligar-se diretamente à cloud 3.0 da DGT<br />

(Dirección General de Trafico) em Espanha. No caso do mercado português, estamos à espera<br />

que surja legislação semelhante, uma vez que este tipo de dispositivo tem múltiplas vantagens<br />

e está em linha com o contexto europeu de melhoria da segurança rodoviária e com a Diretiva<br />

2010/40/UE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 7 de julho de 2010, que estabelece um<br />

quadro para a implantação de sistemas de transporte inteligentes no setor dos transportes<br />

rodoviários e para interfaces IoT”, afirma.<br />

A finalizar, Ismael Carmena afirma que o setor está “numa fase muito interessante e cheia de<br />

oportunidades” e deixa uma mensagem aos clientes: “espero que o mercado que continue<br />

a ter confiança na HELLA, pois somos um fornecedor de futuro, tecnologicamente muito<br />

avançado. Contem connosco no momento de tomar decisões estratégicas, sobre fabricantes<br />

de componentes, porque vamos estar aí. Não só na parte tecnológica, mas também na parte<br />

mecânica”, conclui.<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 33


Entrevista<br />

NÃO NOS FALTAM<br />

PROJETOS, O FOCO<br />

É CRESCER!<br />

CRIADAS PARA COMERCIALIZAR AS PEÇAS DE ORIGEM DAS MARCAS DA STELLANTIS, AS PLACAS<br />

DISTRIGO STELLANTIS &YOU TRABALHAM NÃO SÓ COM OS CONCESSIONÁRIOS, COMO TAMBÉM COM AS<br />

OFICINAS INDEPENDENTES. ATUALMENTE EXISTEM 35 PLACAS STELLANTIS &YOU NA EUROPA, SENDO<br />

UMA PORTUGUESA. A ESTE PROPÓSITO, O JO FOI CONVERSAR COM OS DOIS RESPONSÁVEIS MÁXIMOS<br />

NACIONAIS: LUÍS MACHADO, DIRETOR DA UNIDADE DE PEÇAS DA STELLANTIS &YOU E JOSÉ PINTO, DIRETOR<br />

COMERCIAL, QUE NOS EXPLICARAM COMO ESTE SE TORNOU UM NEGÓCIO A 360°<br />

Luís Machado e José Pinto receberam-nos em<br />

Famões, onde a placa Distrigo Stellantis &You<br />

tem a base e o armazém central, com mais de<br />

6.000 m2 de área. Este é um dos três armazéns<br />

da empresa, que está também presente no Porto<br />

e, mais recentemente, também no Algarve, onde<br />

abriu uma filial com 550 m2, para conseguir uma<br />

melhor cobertura do mercado, apostando fortemente<br />

na qualidade do serviço ao nível <strong>das</strong> entregas<br />

bi-diárias. Atualmente, o grande objetivo da placa<br />

Distrigo Stellantis &You passa pela afirmação como<br />

fornecedor 360° na distribuição de peças automóveis,<br />

apresentando ainda várias soluções de sustentabilidade,<br />

não só através da proposta de peças usa<strong>das</strong><br />

(B-Parts) como também da linha de produtos<br />

reconstruídos e recondicionados SUSTAINera. Fornece<br />

atualmente 58 oficinas Eurorepar Car Service.<br />

O diretor da unidade de peças da Stellantis & You,<br />

Luís Machado, tem formação em tecnologias de informação<br />

e entrou no grupo PSA há 25 anos, primeiro<br />

na Citroën, depois na PSA e de seguida na Stellantis,<br />

como diretor de sistemas de informação em<br />

Portugal. Entretanto, há quatro anos, conta, “surgiu<br />

esta oportunidade de vir para a placa de peças e juntei-me<br />

à equipa, primeiro como responsável logístico<br />

e de marketing e depois, com a saída do Luís Lobo<br />

para a direção geral da Stellantis &You, fiquei como<br />

diretor da unidade. Gosto do desafio do negócio e da<br />

sua dinâmica, mas incomoda-me a banalização da<br />

entrega, que tem um custo significativo e desresponsabilizámos<br />

o cliente. O cliente pede agora um filtro,<br />

depois umas pastilhas… e essa responsabilização do<br />

cliente tem de ser feita”, aponta.<br />

Já José Pinto está na área há 30 anos, tendo passado<br />

pela Santogal durante cerca de 12 anos, depois mais<br />

sete na Motor Village, na Fiat, e ainda pela AD Sonicel<br />

e pela Sofrapa. Na Stellantis está há seis anos,<br />

sempre ligado às peças e automóveis. Para o diretor<br />

comercial da placa Distrigo Stellantis &You, o menos<br />

positivo deste negócio está relacionado com “a falta de<br />

valorização que é dada à área superiormente. Apesar<br />

de ter uma rentabilidade superior às outras, essa rentabilidade<br />

não é reconhecida. As peças são o parente<br />

menor, mas é disto que gosto”, sublinha.<br />

O modelo Distrigo<br />

O modelo Distrigo arrancou há sete anos com a<br />

Stellantis. A placa Stellantis &You, na altura PSA<br />

Retail, tem hoje o armazém principal em Famões<br />

e dois armazéns de apoio, secundários, um no Porto<br />

e outro no Algarve, em Faro. A nível de recursos<br />

humanos “somos 55 pessoas, mas seremos 60 no<br />

início de 2024. O armazém tem 21 pessoas, 12 no<br />

comércio e 11 no call center. Depois temos equipas<br />

de compras, de marketing e de apoio ao seguimento<br />

da atividade e ainda uma equipa financeira”, explica-nos<br />

Luís Machado.<br />

A chegada ao sul do país foi uma necessidade recente,<br />

quando “a zona sul passou de uma lógica sazonal<br />

para uma lógica de ano inteiro. A atividade transformou-se<br />

não só com a pandemia, mas com vários<br />

fatores que fizeram com que a dinâmica económica<br />

do Algarve se alterasse. Era preciso proximidade e<br />

nós só conseguimos desenvolver a venda de aftermarket<br />

com proximidade. Como a carteira de clientes<br />

está consolidada, permite-nos o investimento,<br />

ou seja, temos uma base que nos possibilita dar esse<br />

passo e decidimos arriscar, investir fortemente não<br />

só no armazém, mas numa lógica de distribuição diferente<br />

da que tínhamos com distribuição dedicada<br />

e reforçada”, diz-nos o diretor da unidade de peças.<br />

Dos dois lados: Origem e Aftermarket<br />

Como a origem é um fabricante de automóveis, a<br />

Distrigo aposta em peças de origem e aftermarket,<br />

assinala José Pinto, notando que “o negócio está todo<br />

ele direcionado para essa situação. Todos têm como<br />

sonho conseguir vender as duas áreas de negócio.<br />

Está cada vez mais misturado e é cada vez mais difícil<br />

de definir o que é uma coisa e outra, mas achamos<br />

que é por aí que temos algum potencial para criar<br />

um crescimento maior. O nosso cliente, se possível,<br />

quer comprar tudo à mesma entidade, para ter menos<br />

trabalho e para negociar melhor. O nosso lema<br />

são os 360 graus, inclusive indo buscar as áreas da<br />

sustentabilidade e <strong>das</strong> peças usa<strong>das</strong> com a B-Parts.<br />

O core business é global e temo-nos dado bem com<br />

isso”, atesta, com satisfação. Outra <strong>das</strong> novidades foi<br />

a integração da marca Fiat, em julho, que, aos olhos<br />

de Luís Machado, “é um desafio. São dois gigantes,<br />

sistemas diferentes, ofertas logísticas diferentes…<br />

ou seja, quando a Stellantis propõe à rede Distrigo a<br />

distribuição conjunta <strong>das</strong> peças Fiat no seu modelo,<br />

tinha algum trabalho realizado, mas há estruturas<br />

logísticas que ainda são independentes, que só trabalham<br />

a Fiat, ou só a PSA. Arrancámos há seis meses,<br />

34 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


LUÍS MACHADO, DIRETOR GERAL,<br />

E JOSÉ PINTO, DIRETOR COMERCIAL PLACA DISTRIGO STELLANTIS &YOU<br />

O GRANDE OBJETIVO DA PLACA DISTRIGO STELLANTIS &YOU PASSA<br />

PELA AFIRMAÇÃO COMO FORNECEDOR 360° NA DISTRIBUIÇÃO DE<br />

PEÇAS AUTOMÓVEIS, APRESENTANDO AINDA VÁRIAS SOLUÇÕES DE<br />

SUSTENTABILIDADE, COM AS PEÇAS USADAS E RECONSTRUÍDAS


COM O ARMAZÉM PRINCIPAL EM FAMÕES E DOIS ARMAZÉNS DE APOIO, UM<br />

NO PORTO E OUTRO EM FARO, A PLACA DISTRIGO STELLANTIS &YOU CONTA<br />

COM 70 COLABORADORES E TEM MAIS DE 40.000 REFERÊNCIAS EM STOCK<br />

NO VALOR DE 7.5 MILHÕES DE EUROS<br />

em julho, e ainda sentimos algumas<br />

dificuldades de adaptação, mas nos<br />

próximos meses os sistemas estarão<br />

100% integrados”, garante.<br />

Já sobre a marca própria Eurorepar, o<br />

responsável diz-nos que esta “já conta<br />

com 15 mil referências de mais de 40<br />

famílias de produtos”, entre os quais<br />

– além <strong>das</strong> peças, claro – está uma<br />

gama de óleo, uma gama de baterias<br />

“com muita qualidade e preços bastante<br />

competitivos” e pneus. A nível<br />

da evolução, o desafio da marca Eurorepar,<br />

reflete Luís Machado, é que<br />

esta seja “assumida como uma marca<br />

de aftermarket para to<strong>das</strong> as marcas<br />

de automóveis. Este é o verdadeiro<br />

desafio que ainda não se conseguiu a<br />

100%. Temos tido crescimentos muito<br />

importantes desta marca e consideramos<br />

que a inclusão de outras marcas<br />

placa Distrigo Stellantis &You não se deixa ficar para trás no que toca<br />

A às novas formas de mobilidade e, tem, obviamente, de se atualizar<br />

em termos de peças para os veículos elétricos, cada vez presentes em maior<br />

número no parque automóvel. Já estão disponíveis em portefólio to<strong>das</strong> as<br />

peças de origem para viaturas elétricas, necessariamente, sendo que o<br />

mercado se vai abrindo lentamente nesta direção. José Pinto evidencia que a<br />

empresa está “atenta” e já se encontra na fase de disponibilizar “ferramentas e<br />

material para os profissionais poderem atuar nos veículos”, diz, secundado por<br />

de aftermarket também vão beneficiar<br />

a Eurorepar. Neste momento temos<br />

sete marcas no portefólio e prevemos<br />

chegar ao final de 2024 com mais de<br />

20 marcas de aftermarket”.<br />

SUSTAINera: em quatro frentes<br />

Enquanto fornecedor global, com uma<br />

área de atuação que se propõe a ser<br />

de 360°, a Distrigo tem uma abrangência<br />

muito maior do que qualquer<br />

player tradicional do aftermarket. A<br />

partir da marca SUSTAINera, comercializa<br />

tudo o que é reaproveitado de<br />

peças de outras viaturas. “Tem quatro<br />

linhas principais, que passo a enumerar,<br />

da mais tecnológica para a menos<br />

tecnológica: a mais tecnológica são<br />

peças reconstruí<strong>das</strong>. São peças recupera<strong>das</strong><br />

<strong>das</strong> viaturas, que são submeti<strong>das</strong><br />

a processos de engenharia em<br />

PEÇAS PARA VEÍCULOS ELÉTRICOS<br />

que todos os componentes de desgaste<br />

são substituídos por componentes<br />

novos. Depois de reconstruí<strong>das</strong>, são<br />

submeti<strong>das</strong> aos mesmos processos<br />

de qualidade que uma peça nova. A<br />

garantia é exatamente a mesma e o<br />

processo de qualidade é equivalente<br />

ao de uma peça normal”, elucida-nos<br />

Luís Machado, que continua: “Depois<br />

temos as peças recondiciona<strong>das</strong>, que<br />

são reaproveita<strong>das</strong> <strong>das</strong> viaturas, em<br />

que não são substituídos componentes,<br />

mas que são afina<strong>das</strong>. Não tem a<br />

homologação equivalente a uma peça<br />

nova, mas tem garantia associada”.<br />

Seguem-se as peças usa<strong>das</strong>, comercializa<strong>das</strong><br />

através da B-Parts, em que<br />

a peça é vendida ao cliente tal como<br />

foi desmontada. José Pinto reconhece<br />

que “de todos os segmentos que<br />

comercializamos, as peças usa<strong>das</strong> são<br />

Luís Machado que acrescenta que “as baterias para os veículos elétricos já têm<br />

um grande peso na faturação”. José Pinto admite que, globalmente, a área<br />

<strong>das</strong> peças para veículos elétricos ainda é “pouco expressiva”, mas não tem<br />

dúvi<strong>das</strong> de que nos próximos anos, as coisas já serão diferentes: “Há muita<br />

apetência para formação e para novos produtos, e neste sentido já lançamos<br />

um kit para as oficinas puderem dar assistência a estes veículos. Vamos<br />

também começar no primeiro trimestre a dar formação relativamente aos<br />

veículos elétricos”, revela.<br />

o que mais cresce. Tem uma logística<br />

extremamente bem conseguida e um<br />

sistema muito bem montado a nível de<br />

comercialização, mas na generalidade<br />

é uma <strong>das</strong> grandes apostas de 2024,<br />

para ter um crescimento ainda maior<br />

do que o que tem hoje, em que já há<br />

uma solicitação muito grande”, revela<br />

o diretor comercial. A B-Parts é uma<br />

plataforma que está integrada no sistema<br />

informático da Stellantis &You,<br />

podendo os clientes encomendar através<br />

desta, com algumas vantagens,<br />

como reforça Luís Machado: “Quando<br />

o cliente compra peças usa<strong>das</strong> através<br />

de nós, diretamente no portal, tem<br />

uma garantia acrescida, mais seis meses<br />

ou mais um ano, dependendo do<br />

tipo de peça. Para motores usados,<br />

por exemplo, temos garantia de dois<br />

anos. Além disso, comprando através<br />

de nós, o cliente evita os pagamentos<br />

antecipados, entra numa linha de crédito<br />

e de faturação normal. Em caso de<br />

devolução da peça, também ajudamos<br />

na recolha e no transporte… uma coisa<br />

que é da responsabilidade do cliente<br />

direto, mas que nós agilizamos”, explica,<br />

sublinhando as importantes mais<br />

valias desta parceria.<br />

Por último, a SUSTAINera engloba<br />

ainda “o reaproveitamento puro da<br />

matéria prima, do plástico, do aço, da<br />

chapa, para reciclagem do mesmo”,<br />

36 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


LUÍS MACHADO E JOSÉ PINTO<br />

conclui. Neste momento, a venda de<br />

peças de aftermarket face à venda de<br />

peças de origem, tem uma representatividade<br />

residual, qualquer coisa<br />

como 1%, isto sem contar com a Eurorepar,<br />

que é à parte e vale 5% do negócio.<br />

O objetivo, adiantam os nossos<br />

interlocutores, é que nos próximos<br />

anos o que estas áreas representam<br />

suba de forma exponencial. Atualmente<br />

a Placa Distrigo Stellantis<br />

&You tem 7 milhões e meio de euros<br />

em stock. “Temos políticas de stock<br />

muito restritivas e de seguimento.<br />

obre os conceitos <strong>das</strong> redes oficinais os dois responsáveis partilham a<br />

S opinião de que este caminho “é o futuro e é inevitável, pela questão da<br />

evolução que tem o automóvel, pela quantidade de componentes eletrónicos<br />

que o mesmo tem, não vai haver outra forma. Ou se juntam onde realmente<br />

conseguem ir buscar informação, ou então não vai haver futuro. A realidade é<br />

que as redes que estão bem organiza<strong>das</strong> dão outra garantia em todos os<br />

aspetos, não só no conhecimento, mas também na resposta imediata para<br />

aquilo que as pessoas desejam”, analisa José Pinto, que nota ainda “o problema<br />

do envelhecimento <strong>das</strong> pessoas que estão liga<strong>das</strong> às oficinas. O jovem que entra<br />

A IMPORTÂNCIA DAS REDES OFICINAIS<br />

sente que precisa de alguma segurança para continuar o negócio do pai ou do<br />

tio e vai procurar esse apoio às redes”. No entanto, é da opinião que “esta<br />

massificação de todos querermos ter uma rede é que vai morrer. Vai haver uma<br />

altura em que algumas delas não irão continuar ou se irão juntar, como se<br />

juntam nas casas de peças ou então vão fechar”. Para Luís Machado, é preciso ter<br />

uma rede mais robusta que traga mais valor: “Esse é o nosso desafio com a nossa<br />

rede Eurorepar Car Service: o membro sentir que vai aportar valor. Ao nível da<br />

rede Eurorepar Car Service, que é servida pela Stellantis &You, 2024 vai ser um<br />

ano transformador ao nível do serviço que lhes vamos prestar”, garante.<br />

A PLACA DISTRIGO STELLANTIS &YOU DISPÕE DE 25 CARROS DEDICADOS<br />

QUE GARANTEM ENTREGAS BI-DIÁRIAS E FOI ANUNCIADA UMA PARCERIA<br />

COM O GRUPO TRUSTAUTO, QUE ATRAVÉS DAS SUAS QUARENTA LOJAS<br />

PERMITE UMA DISTRIBUIÇÃO DE PROXIMIDADE<br />

Não acumulamos stock morto, nem<br />

estamos autorizados a isso. Se houver<br />

stock morto é residual e é sujeito ao<br />

abate fiscal anualmente. Temos 40<br />

mil referências em stock e temos de<br />

ajustar a 42 dias de stock, de seis em<br />

seis meses”, refere Luís Machado.<br />

Espaço PARA tudo<br />

Questionado sobre se o espaço disponível<br />

é suficiente para albergar as<br />

ambições da empresa, Luís Machado<br />

conta que “quando, em 2021, viemos<br />

para aqui, já considerámos alguma<br />

margem, mesmo sem ainda saber a<br />

criação da Stellantis &You. Em 2020<br />

quando adjudicamos o contrato em<br />

Famões, a PSA tinha acabado de integrar<br />

a Opel e o negócio da Fiat dá-<br />

-se depois. Felizmente, já tínhamos<br />

o armazém pensado para o futuro.<br />

Tínhamo-lo pensado para crescer sobretudo<br />

no aftermarket, mas temos<br />

capacidade de integrar a Fiat e para<br />

crescer ainda mais”. José Pinto informa<br />

que o armazém tem três níveis, “o<br />

que significa uma área útil na ordem<br />

dos 8 mil metros quadrados só aqui.<br />

Mesmo que queiramos crescer, acrescentando<br />

outras marcas, o segundo<br />

piso já começa a ser utilizado… e em<br />

2024 já há coisas que terão de ir para<br />

o terceiro piso. Isto significa que ainda<br />

há espaço, mas face ao crescimento<br />

<strong>das</strong> marcas aftermarket, vai ter de começar<br />

a ser mais bem gerido, o que é<br />

um desafio”, admite.<br />

Entre as dores de crescimento está,<br />

naturalmente, o peso associado <strong>das</strong><br />

garantias e devoluções, que o diretor<br />

na unidade assume que exigiu o reforço<br />

da equipa: “Com o crescimento<br />

do aftermarket, o peso da logística inversa<br />

aumentou. Em 2021 tínhamos<br />

uma pessoa a tratar do ponto de vista<br />

administrativo e uma pessoa do ponto<br />

de vista operacional, no armazém,<br />

e neste momento são seis pessoas liga<strong>das</strong><br />

às garantias e devoluções. O<br />

peso <strong>das</strong> garantias e <strong>das</strong> devoluções<br />

aumentou porque temos uma exposição<br />

aos independentes, mas também<br />

pela diversificação do número<br />

de fornecedores. Com o alargamento<br />

a soluções locais e a soluções de aftermarket<br />

– porque também temos<br />

ferramentas, equipamentos, outro<br />

tipo de produtos para profissionais –<br />

temos vários fornecedores que, neste<br />

caso <strong>das</strong> devoluções e <strong>das</strong> garantias,<br />

também implicam processos específicos<br />

e diferenciados. No fundo temos<br />

uma especialização a nível da equipa,<br />

que estava habituada a trabalhar<br />

«monofornecedor» e agora tem de<br />

trabalhar «multifornecedor» e «multilógica»<br />

de equipa”, explica.<br />

“Felizmente, o peso <strong>das</strong> devoluções<br />

ainda não é assim tão significativo”,<br />

considera.<br />

Encomen<strong>das</strong> e logística<br />

Hoje, a dimensão da Placa Distrigo<br />

Stellantis &You é tal, que já conta<br />

com 25 viaturas próprias no país inteiro:<br />

“Cobrimos de Viana do Castelo<br />

a Vila Real de Santo António e fazemos<br />

96% <strong>das</strong> nossas entregas em<br />

viaturas dedica<strong>das</strong>. Já em zonas onde<br />

não se justifica, são transportadoras<br />

que fazem, tipicamente num modelo<br />

bi-diário. Em 2024 contamos com as<br />

lojas do grupo Trustauto, com quem<br />

fizemos um acordo, que irão garantir<br />

uma distribuição de proximidade”, revela<br />

Luís Machado. O mesmo explica<br />

que, no que diz respeito à forma como<br />

as encomen<strong>das</strong> são realiza<strong>das</strong>, “ainda<br />

há um peso no call center. Nós temos<br />

74% <strong>das</strong> encomen<strong>das</strong> feitas pelo portal<br />

e depois temos as restantes via<br />

email, telefone ou vendedor. O call<br />

center funciona em Famões, com dez<br />

pessoas mais o supervisor, e também<br />

prevemos crescer neste aspeto, pois<br />

atendemos 280 chama<strong>das</strong> e tratamos<br />

cerca de 600 emails diariamente e<br />

isto já tem algum peso”.<br />

Foco no crescimento<br />

Em relação a 2023 e às expetativas<br />

para 2024, Luís Machado diz que “o<br />

ano foi bom e que mesmo com alguma<br />

quebra da parte de clientes importantes,<br />

foi possível crescer 25%.<br />

O crescimento também deveu-se, em<br />

parte, à chegada da Fiat, mas também<br />

pela conquista de novos clientes e<br />

alargamento <strong>das</strong> marcas aftermarket.<br />

Para 2024, o objetivo é consolidar a<br />

marca Fiat e continuar a crescer na<br />

oferta aftermarket, o que exige uma<br />

transformação <strong>das</strong> equipas. “É um desafio.<br />

Não é só recrutar novas pessoas<br />

para o aftermarket, mas reformatar<br />

e capacitar as pessoas que fizeram o<br />

seu percurso na origem. Depois temos<br />

a parte dos sistemas integrados<br />

que eu também mencionei, que é um<br />

dos nossos projetos importantes para<br />

2024, e a parte logística <strong>das</strong> entregas<br />

que queremos evoluir. Não nos faltam<br />

projetos, o foco é crescer”, remata. l<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 37


NOTÍCIAS // DINÂMICA DO SETOR ESCREVE ‐SE DE A A Z<br />

Empresas<br />

B-PARTS<br />

PASSA A FAZER<br />

ENTREGA DIRETA<br />

NA EUROPA DE LESTE<br />

A<br />

B-Parts<br />

anunciou um avanço significativo no reforço<br />

da sua presença no Leste da Europa. Esta iniciativa<br />

reafirma o compromisso da B-Parts em<br />

fornecer soluções de alta qualidade no setor automóvel, ao<br />

mesmo tempo que expande a sua presença em mercados<br />

emergentes, consolidando a sua posição como líder Europeu<br />

de peças de automóveis usados. Embora a B-Parts já<br />

esteja a servir os países da Europa de Leste, a introdução<br />

da entrega direta na região representa um passo fundamental.<br />

Esta atualização reflete o compromisso da B-Parts<br />

em melhorar a experiência do cliente e a acessibilidade<br />

nestas áreas. A decisão é motivada pelo aumento notável<br />

da procura de uma base de clientes em constante crescimento<br />

na Europa de Leste. Além disso, reconhecendo a<br />

importância de atender a diversos mercados, a B-Parts<br />

permite compras na plataforma com as moe<strong>das</strong> dos países<br />

correspondentes. Esta abordagem centrada no cliente visa<br />

simplificar o processo de compra, garantindo uma experiência<br />

perfeita para os clientes.<br />

FAAS SUSTAINABILITYDAY DECORREU EM BOLONHA<br />

FAAS | O Forum Automotive Aftermarket Sustainability (FAAS) concluiu recentemente a sua Assembleia Geral e organizou o<br />

primeiro FAAS SustainabilityDay durante a feira Futurmotive em Bolonha. Durante a reunião da Assembleia Geral, realizada a 16<br />

de novembro em Bolonha, os membros da FAAS demonstraram a sua dedicação à causa e o seu empenho em promover mudanças<br />

positivas no mercado de pós-venda automóvel votando a favor da criação de uma associação internacional sem fins lucrativos<br />

dedicada ao avanço da sustentabilidade no setor do pós-venda automóvel. O FAAS é um esforço de colaboração iniciado pelo CLEPA<br />

e pela FIGIEFA. Visa estabelecer uma plataforma onde todos os participantes no mercado de pós-venda automóvel possam trocar<br />

ideias, cultivar e adotar práticas sustentáveis. O objetivo é transformar o setor europeu do pós-venda numa indústria totalmente<br />

responsável e pró-ativa.<br />

TECNOLOGIA DATADRIVE<br />

DA TIPS4Y CHEGA A ITÁLIA<br />

TIPS4Y | Novembro marcou o arranque da internacionalização<br />

da Tips4y, inserida na sua estratégia de crescimento e visão global<br />

do negócio. Neste âmbito um dos maiores distribuidores do aftermarket<br />

italiano - CDR Torino, apresentou na Feira de Bolonha a App<br />

ONDRIVE que tem por padrão a tecnologia DataDrive, e pretende<br />

ser uma solução oficinal ao serviço dos profissionais da reparação<br />

automóvel de uma forma altamente diferenciadora. Muitos serviços<br />

em poucos cliques, a tecnologia DataDrive assenta numa plataforma<br />

multi-device de última geração pensada localmente, no contexto<br />

oficinal, mas desenvolvida com uma mentalidade global, em<br />

virtude de poder ser padronizada com as mais recentes novidades<br />

tecnológicas ajusta<strong>das</strong> a cada geografia. O DataDrive - plataforma<br />

mobile e desktop - tem vindo a ser regularmente incrementada com<br />

novas funcionalidades, mercê <strong>das</strong> experiências colhi<strong>das</strong> junto da<br />

comunidade de utilizadores.<br />

38 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


KRAUTLI REALIZOU<br />

REUNIÃO DISTRIBUIDORES VALVOLINE<br />

A<br />

Krautli Portugal realizou no dia 13 de dezembro de uma reunião com os<br />

Distribuidores Valvoline, onde estiveram presentes de uma forma muito<br />

participativa, os principais embaixadores da marca para o mercado nacional.<br />

A reunião realizou-se na zona centro do país e contou com a presença<br />

também dos principais responsáveis comerciais e técnicos da Valvoline para<br />

o mercado Português. O mote do encontro foi o rescaldo do ano de 2023, a<br />

apresentação da Valvoline como parte do universo Aramco, a presença como<br />

parceiro Oficial de Lubrificantes da equipa da Aston Martin da F1 e a apresentação<br />

do plano de Marketing e atividades para o ano de 2024. Com mais<br />

esta iniciativa, a Krautli Portugal continua a reforçar a parceria junto dos seus<br />

distribuidores nacionais Valvoline na promoção da marca de lubrificantes mais<br />

antiga do mundo.<br />

PUB<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 39


NOTÍCIAS<br />

EMPRESAS<br />

RECONHECIDA COM DISTINÇÃO<br />

EMPRESARIAL NEGÓCIOS+<br />

VICAUTO | A Vicauto foi distinguida com o certificado<br />

empresarial negócios+, uma distinção assegurada pelo <strong>Jornal</strong><br />

de Negócios e pela Informa D&B, empresa líder em Informação<br />

Empresarial. “É com enorme orgulho que a Vicauto recebe o<br />

certificado empresarial negócios+, um certificado de reconhecimento<br />

atribuído às empresas que apresentem um conjunto de<br />

indicadores ilustrativos da sua atividade, do seu desempenho<br />

e da sua resiliência”, referiu a Vicauto. A certificação tem como<br />

base o Volume de negócios; Indicador de Exportação; Número de<br />

empregados; Posição no ranking de atividade económica; Posição<br />

no ranking do concelho; Posição no ranking nacional e Indicador de<br />

resiliência financeira.<br />

PETRONAS LUBRICANTS<br />

LANÇA APLICAÇÃO MYPLI PARA<br />

OFICINAS DA SUA REDE<br />

A<br />

PETRONAS<br />

Lubricants International (PLI) anunciou o lançamento da MyPLI App, uma<br />

aplicação móvel concebida para apoiar a Rede PETRONAS de oficinas profissionais e<br />

melhorar as suas oportunidades de negócio. A MyPLI permite aos especialistas do setor<br />

automóvel comunicar, colaborar e utilizar os produtos e ferramentas da PLI para melhorar a sua relação<br />

com os clientes e impulsionar os negócios. A MyPLI oferece às oficinas da Rede PETRONAS<br />

uma vantagem competitiva distinta através de uma ferramenta digital abrangente, que proporciona<br />

um maior acesso a ferramentas e conhecimentos do setor. Graças a esta plataforma inovadora, as<br />

oficinas podem reforçar as relações com os clientes, maximizar o desempenho <strong>das</strong> ven<strong>das</strong> e obter<br />

informações valiosas sobre as interações com os produtos, clientes e promoções. Para garantir uma<br />

experiência de utilizador ótima, a aplicação MyPLI oferece diversas funcionalidades únicas, como<br />

uma ferramenta de recomendação de lubrificantes, um <strong>das</strong>hboard personalizado que acompanha<br />

os seus resultados de ven<strong>das</strong>, atualizações sobre as últimas notícias e eventos da PLI.<br />

ADQUIRE SERENOPEÇAS<br />

MONDEGOPEÇAS | A Mondegopeças anunciou a aquisição<br />

de Serenopeças, expandindo assim o seu negócio para Torres<br />

Vedras. Com esta aquisição, passa a ter 8 pontos de ven<strong>das</strong>: Coimbra<br />

– Eiras, Coimbra – Antanhol, Aveiro, Águeda, Leiria, Figueira<br />

da Foz, Pombal e Torres Vedras. O conhecimento do mercado, a<br />

equipa de técnicos que a empresa dispõe e a notoriedade que a<br />

Serenopeças adquiriu ao longo dos últimos 22 anos na zona de<br />

Torres Vedras, permite à Mondegopeças abordar este novo desafio<br />

com eleva<strong>das</strong> expetativas. O objetivo da Mondegopeças, é dar<br />

continuidade ao bom trabalho desenvolvido pela Serenopeças,<br />

sem ruturas, mas com ambição de acrescentar valor à oferta que a<br />

Serenopeças tem apresentado ao mercado profissional da região,<br />

adicionando recursos, serviços e ferramentas que permitam ao seu<br />

cliente enfrentar atuais e futuros desafios.<br />

PREMEIA DUAS EMPRESAS PORTUGUESAS<br />

JLM LUBRIFICANTS | A JLM Lubricants realizou um evento onde premiou os melhores distribuidores e clientes de 2023.<br />

Portugal trouxe para casa os prémios de Melhor Armazenista, conquistado pela Auto-Acessórios Formigosa e de Reconhecimento<br />

Especial, pela Auto Esteves. Foram distribuídos 17 prémios: o de Importador Extraordinário, Melhor Embaixador em Exposições,<br />

Reconhecimento Especial e Melhores Ven<strong>das</strong>. O prémio de Melhor Armazenista foi para a Auto-Acessórios Formigosa (Gandra &<br />

Filhos, Lda - ASER Aftermarket Automotive) e o prémio de Reconhecimento Especial foi para a oficina CGA Auto Esteves, oficina<br />

vencedora da última edição da Competição Challenge <strong>Oficinas</strong>. Ambos os prémios foram entregues por Manuel Pena, que lidera a JLM<br />

Lubricants Ibéria. “Foi um ano fantástico para a JLM Ibéria”, comentou este responsável. “Alcançamos ven<strong>das</strong> recordes, superando as<br />

previsões iniciais por alguma margem. Para mim, é a cereja no topo do bolo fechar 2023 com este reconhecimento à Auto-Acessórios<br />

Formigosa e à oficina Auto Esteves”, concluiu.<br />

40 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


NOTÍCIAS<br />

EMPRESAS<br />

LIQUI MOLY INAUGURA<br />

NOVO EDIFÍCIO<br />

PARA PRODUÇÃO DE ADITIVOS<br />

A<br />

LIQUI<br />

MOLY inaugurou em Ulm, um novo edifício para a produção de aditivos,<br />

com três modernas linhas de enchimento e espaços de escritório adicionais. Os<br />

novos equipamentos aumentam a capacidade de produção de 346 000 latas por<br />

semana para um máximo de 481 000 unidades. A LIQUI MOLY investiu 8 milhões de<br />

euros na recém-inaugurada unidade de produção de aditivos. Destes, 3,4 milhões de euros<br />

correspondem à construção chave na mão dos edifícios. O custo <strong>das</strong> três novas linhas de<br />

enchimento é de 3,1 milhões de euros. A tecnologia de transporte e os robôs de embalagem<br />

representam um investimento de 1,4 milhões de euros. Estas máquinas estarão totalmente<br />

instala<strong>das</strong> e a funcionar em pleno no decorrer do próximo ano. Os aditivos contribuem<br />

para que os motores queimem combustível de forma limpa, emitam menos substâncias<br />

nocivas e tenham uma vida útil mais longa. São úteis para fins preventivos ou para solucionar<br />

problemas. A LIQUI MOLY desenvolve e produz todos os aditivos em Ulm.<br />

PREMEIA PILOTOS<br />

PELO DESEMPENHO EM 2023<br />

FUCHS | A FUCHS realizou o primeiro Almoço dos Campeões no dia 6 de<br />

dezembro, no Caramulo Experience Center, para agradecer o enorme empenho<br />

dos seus pilotos e celebrar as oito vitórias conquista<strong>das</strong> nesta época 2023 em<br />

várias categorias. Com oito vitórias, 2023 foi um ano excecional para a FUCHS,<br />

uma marca que aposta no desporto motorizado há mais de 20 anos em Portugal<br />

e apoia mais de 30 equipas de competição com óleos de alta performance.<br />

Com as suas vitórias, os pilotos patrocinados pela FUCHS contribuíram de forma<br />

notável para a imagem de qualidade dos óleos de alta performance TITAN e<br />

SILKOLENE. “As maiores exigências aos componentes e lubrificantes surgem<br />

em competição. As corri<strong>das</strong>, com as suas condições extremas para o motor,<br />

travões e caixa, entre outros, dão-nos a oportunidade de provar a excelente<br />

qualidade e a grande estabilidade dos nossos produtos. O que está aprovado<br />

em competição conquista a confiança dos clientes <strong>das</strong> oficinas”, refere André<br />

Castro Pinheiro, diretor da divisão automóvel da FUCHS.<br />

INOVAÇÃO PARA OTIMIZAR<br />

RECOLHA DE ÓLEOS USADOS<br />

A Valorcar colabora com a SOGILUB num inovador projeto piloto de monitorização<br />

<strong>das</strong> quantidades de óleos armazena<strong>das</strong> nos centros da REDE Valorcar.<br />

Numa primeira fase, o projeto conta com a participação de 12 centros de abate<br />

da REDE, nos quais será instalada, pela empresa LOOP (especializada em sensores),<br />

uma sonda no contentor destinado ao armazenamento de óleos usados<br />

provenientes de Veículos em Fim de Vida. A sonda permitirá quantificar o óleo<br />

armazenado no interior do reservatório e comunicar, através de tecnologia<br />

IoT, as respetivas leituras à SOGILUB em tempo real e de forma remota. Esta<br />

iniciativa tem como principais objetivos a otimização da logística de recolha<br />

dos óleos usados e a prevenção da ocorrência de derrames/transbordos nos<br />

reservatórios destinados ao seu armazenamento.<br />

rodape_PBS 2022.pdf 4 12/12/2023 15:58<br />

PUB<br />

42 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


BILSTEIN GROUP<br />

PATROCINA AMIGOS DO ATLETISMO DE MAFRA<br />

O<br />

bilstein group, no âmbito da sua estratégia de responsabilidade social,<br />

aceitou o convite da Associação dos Amigos do Atletismo de Mafra para<br />

se tornar no seu patrocinador principal. Desta forma, o bilstein group e as<br />

suas marcas serão os patrocinadores exclusivos da associação a partir de 2024.<br />

Esta parceria, estará visível nos equipamentos, no site, nas redes sociais, na viatura<br />

da associação e ainda através de outros meios e iniciativas, tal como a continuação<br />

do patrocínio Platina na Corrida dos Sinos, prova de estrada organizada<br />

pelos Amigos do Atletismo, que reúne mais de 4.000 atletas, todos os anos, em<br />

Mafra. O facto de ser uma associação local, estar localizada na zona <strong>das</strong> instalações<br />

do bilstein group e ter um projeto ambicioso e que promove a saúde, o bem-<br />

-estar e uma vida ativa foram os principais motivos que fizeram com que o bilstein<br />

group decidisse celebrar esta parceria, que ficará ativa durante os próximos<br />

três anos. A Associação dos Amigos do Atletismo de Mafra, fundada em 1975 na<br />

vila de Mafra, é um clube desportivo e que conta com mais de 300 associados.<br />

PUB<br />

21 ‘ 22<br />

VICAUTO<br />

PEÇAS PARA VIATURAS PESADAS, LDA.<br />

Mantemos o seu negócio em movimento!<br />

FORNECEDOR GLOBAL DE MARCAS DE 1º EQUIPAMENTO<br />

Motor<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 43<br />

EngineComponents


Notícias<br />

EMPRESAS<br />

Produto<br />

KYB<br />

EM CAMPANHA NA CREATE BUSINESS<br />

Sob o lema “Qualidade de equipamento original para a sua oficina”, a KYB,<br />

em conjunto com a Create Business, lançou uma campanha que visa dar<br />

a conhecer a qualidade dos seus amortecedores às oficinas portuguesas. A<br />

KYB, um dos principais fabricantes de amortecedores do mundo, preparou uma<br />

campanha de comunicação centrada em destacar a qualidade dos seus produtos,<br />

tendo como objetivo uma aproximação às oficinas que ainda desconhecem as caraterísticas<br />

e prestações que os produtos KYB lhes podem proporcionar. Através<br />

da informação disponível na Plataforma do seu parceiro Create Business, as oficinas<br />

portuguesas poderão saber mais sobre a KYB e os produtos da mesma, bem<br />

como receber aconselhamento quanto às dúvi<strong>das</strong> mais frequentes que possam<br />

ter no momento de escolher um amortecedor de substituição para os respetivos<br />

trabalhos. A campanha decorre até ao mês de outubro 2024.<br />

OSRAM NIGHT BREAKER LED H1 REDUZ ENCADEAMENTO<br />

osram | A OSRAM lançou a sua primeira lâmpada LED retrofit aprovada para estra<strong>das</strong> para casquilhos H1, a<br />

OSRAM NIGHT BREAKER LED H1, que permite agora atualizar estas luzes de farol de máximos e médios para a<br />

tecnologia LED de última geração. Graças a este lançamento, os condutores já podem beneficiar de lâmpa<strong>das</strong><br />

LED retrofit em mais de 200 modelos de diferentes fabricantes de veículos. A OSRAM NIGHT BREAKER LED H1<br />

produz luz branca brilhante com uma temperatura de cor de até 6.000 Kelvin. Uma caraterística especial da<br />

lâmpada LED retrofit é o seu baixo nível de encandeamento, que é até 40% menor do que o valor máximo<br />

permitido. Apesar do seu alto rendimento luminoso, a nova lâmpada consome até 55% menos energia do<br />

que as lâmpa<strong>das</strong> convencionais, graças à sua avançada tecnologia LED. Isto também tem um efeito positivo<br />

na longevidade da lâmpada. Juntamente com o design compacto e resistente a vibrações especialmente<br />

desenvolvido, resulta numa vida útil até cinco vezes mais longa.<br />

APOSTA NA PRODUÇÃO DE FLUÍDOS PARA VE<br />

texaco | A Texaco Lubricants adicionou uma nova linha de fluídos elétricos (e-fluidos)<br />

à sua linha de produtos para apoiar o crescente mercado de veículos elétricos. Em<br />

linha com o objetivo da empresa de reduzir a intensidade <strong>das</strong> emissões de carbono <strong>das</strong><br />

suas operações e desenvolver negócios de baixas emissões, serão implementados óleos<br />

de base renováveis na gama e-fluios. A Texaco, que faz parte da família de marcas Chevron,<br />

também está a desenvolver uma linha de e-fluidos especialmente desenvolvidos<br />

para veículos comerciais. A empresa está a trabalhar na formulação de e-fluidos diesel<br />

específicos para serviços pesados para responder aos requisitos técnicos específicos do<br />

setor. O desenvolvimento dos e-fluidos da Texaco tem sido impulsionado por múltiplos<br />

fatores, incluindo certos avanços tecnológicos e alterações legislativas, tais como<br />

proibições futuras à venda de gasolina, diesel e, em alguns casos, veículos híbridos em<br />

muitos países da Europa.<br />

44 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


Entrevista<br />

25 ANOS DE CONFIANÇA<br />

E INOVAÇÃO!<br />

A MCOUTINHO PEÇAS, AO CELEBRAR O SEU 25º ANIVERSÁRIO, REALIZA UMA REFLEXÃO PROFUNDA<br />

SOBRE O PERCURSO DE DUAS DÉCADAS E MEIA DEDICADAS AO SETOR DO COMÉRCIO<br />

DE PEÇAS AUTOMÓVEL EM PORTUGAL. ESTE MARCO REPRESENTA NÃO APENAS UMA CONQUISTA<br />

TEMPORAL, MAS TAMBÉM UM TESTEMUNHO DO COMPROMETIMENTO DA EMPRESA COM A EXCELÊNCIA<br />

E A SATISFAÇÃO DOS SEUS CLIENTES<br />

Ao longo destes anos, a MCOUTINHO PE-<br />

ÇAS consolidou a sua posição como uma<br />

referência no fornecimento de peças automóvel,<br />

destacando-se pela qualidade dos produtos<br />

e pela eficiência dos serviços oferecidos. O compromisso<br />

com padrões elevados de profissionalismo<br />

e integridade contribuiu para a construção de<br />

relações sóli<strong>das</strong> com Parceiros e Clientes, estabelecendo<br />

um legado de confiança no mercado. Para<br />

nos falar sobre este percurso de sucesso, estivemos<br />

à conversa com Miguel Melo, Administrador da<br />

MCOUTINHO PEÇAS+AZ AUTO.<br />

Quais foram os momentos mais marcantes na vida<br />

da empresa?<br />

A MCOUTINHO PEÇAS surge no mercado em<br />

1999 com um modelo de negócio disruptivo. A<br />

inovação é parte integrante do seu ADN, e a capacidade<br />

de criar disrupção no mercado levou a que<br />

a MCOUTINHO PEÇAS entrasse no negócio de<br />

peças aftermarket, com a aquisição da AZ AUTO<br />

em 2009. Outro momento marcante na vida da<br />

empresa foi a pandemia da Covid-19. Um desafio<br />

que só foi superado graças a uma equipa resiliente<br />

e de excelência, à confiança dos Clientes e fornecedores,<br />

nomeadamente as marcas com as quais a<br />

MCOUTINHO PEÇAS tem desenvolvido parcerias<br />

estratégicas ao longo dos anos.<br />

A celebração do 25º Aniversário não é apenas uma<br />

ocasião para reconhecimento, é também um motivo<br />

para reforçar o compromisso com a evolução sistemática,<br />

o que sempre permitiu à MCOUTINHO<br />

PEÇAS antecipar as tendências de mercado, aprimorando<br />

constantemente os seus serviços, mantendo-se<br />

na vanguarda <strong>das</strong> exigências do setor automóvel.<br />

Este é um momento para expressar gratidão<br />

a todos os colaboradores, Clientes e parceiros que<br />

contribuíram para o sucesso da empresa ao longo<br />

destes anos e com quem a empresa conta para os<br />

desafios e oportunidades que o futuro reserva.<br />

Como define o modelo de negócio da MCOUTINHO<br />

PEÇAS+AZ AUTO e o que faz a diferença, comparativamente<br />

com outras empresas de distribuição<br />

de peças?<br />

O modelo de negócio inovador da MCOUTINHO<br />

PEÇAS+AZ AUTO distingue-se no mercado por<br />

vários fatores. Primeiro, destacam-se a variedade<br />

e a qualidade dos produtos oferecidos. A empresa<br />

disponibiliza um amplo leque de 32 marcas originais<br />

e mais de 20 marcas aftermarket. Este portfólio<br />

abrangente cobre mais de 98% do parque automóvel<br />

nacional, atraindo uma larga audiência e<br />

proporcionando to<strong>das</strong> as peças necessárias através<br />

de um único fornecedor. Em termos de eficiência<br />

logística, a MCOUTINHO PEÇAS+AZ AUTO sobressai<br />

pela otimização da sua cadeia de distribuição.<br />

A entrega rápida e fiável <strong>das</strong> peças é crucial,<br />

atendendo às exigências dos Clientes num setor<br />

onde prontidão e rapidez são essenciais.<br />

O atendimento ao cliente é outro pilar forte da empresa.<br />

Com um call center de 34 operadores especializados<br />

por marca, a MCOUTINHO PEÇAS+AZ<br />

AUTO utiliza as ferramentas mais avança<strong>das</strong> para<br />

identificação correta <strong>das</strong> peças. As tecnologias de<br />

ponta suportam um atendimento rápido e dedicado,<br />

processando diariamente 2.800 chama<strong>das</strong>, 3.000<br />

emails e 300 contactos em outros canais. A inovação<br />

tecnológica também é uma prioridade. A empresa<br />

foca-se na otimização dos processos de compra e<br />

anuncia o lançamento iminente do seu novo portal<br />

B2B. Este portal, que será apresentado no início do<br />

ano, promete novas funcionalidades para melhorar<br />

significativamente a experiência do cliente.<br />

Por fim, a sustentabilidade é um compromisso sério<br />

da MCOUTINHO PEÇAS+AZ AUTO. A empresa<br />

implementou medi<strong>das</strong> internas alinha<strong>das</strong><br />

com os princípios da sustentabilidade. Um exemplo<br />

notável é o projeto de recolha de materiais<br />

de embalagem dos Reparadores Autorizados do<br />

GRUPO MCOUTINHO, que visa reduzir o consumo<br />

destes materiais e, consequentemente, os custos<br />

associados ao negócio.<br />

Como está constituída a MCOUTINHO PEÇAS+AZ<br />

AUTO a nível de instalações e recursos humanos?<br />

As instalações da MCOUTINHO PEÇAS+AZ<br />

AUTO no Porto e em Lisboa, incluem áreas dedica<strong>das</strong><br />

à gestão de stocks, logística, escritórios administrativos<br />

e espaços de atendimento ao cliente.<br />

A implementação de tecnologias avança<strong>das</strong> de gestão<br />

de armazém contribui para a eficácia na gestão<br />

de inventário e assegura uma distribuição eficiente<br />

46 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


MIGUEL MELO, ADMINISTRADOR MCOUTINHO PEÇAS+AZ AUTO<br />

AO LONGO DE 25 ANOS, A MCOUTINHO PEÇAS CONSOLIDOU A SUA POSIÇÃO<br />

COMO UMA REFERÊNCIA NO FORNECIMENTO DE PEÇAS AUTOMÓVEL,<br />

DESTACANDO-SE PELA QUALIDADE DOS PRODUTOS E PELA EFICIÊNCIA DOS<br />

SERVIÇOS OFERECIDOS<br />

<strong>das</strong> peças, garantindo prazos de entrega rápidos e<br />

fiáveis. Quanto aos recursos humanos, a MCOU-<br />

TINHO PEÇAS+AZ AUTO orgulha-se de contar<br />

com uma equipa de 167 colaboradores altamente<br />

qualificados e dedicados. Os colaboradores são selecionados<br />

não apenas pela sua competência técnica,<br />

mas também pela sua orientação para o cliente<br />

e pelo compromisso com os valores da empresa. A<br />

formação contínua é uma prioridade, permitindo<br />

que a equipa esteja atualizada em relação às últimas<br />

tendências do setor automóvel e às especificidades<br />

<strong>das</strong> peças disponibiliza<strong>das</strong>.<br />

Quantas marcas de peças originais comercializam<br />

atualmente?<br />

Este é mais um ponto onde a MCOUTINHO PE-<br />

ÇAS se destaca, comercializando peças originais de<br />

32 marcas de construtores automóveis, cobrindo<br />

mais de 98% do parque automóvel nacional. No<br />

seguimento da aquisição da BOMCAR, incluímos<br />

no portefólio a marca MG Electric. No entanto,<br />

tal como tem acontecido ao longo do tempo, a<br />

MCOUTINHO PEÇAS antecipar-se-á às necessidades<br />

do mercado.<br />

E a nível <strong>das</strong> marcas aftermarket, quantas fazem<br />

parte do portfólio e quais as previsões de entrada<br />

de novas marcas?<br />

O portfólio da AZ AUTO é atualmente constituído<br />

por 20 Marcas. No entanto, a AZ AUTO irá surwww.jornal<strong>das</strong>oficinas.com<br />

Dezembro 2023 I Janeiro 2024 47


preender o mercado, estendendo em<br />

largura e profundidade a sua gama,<br />

e oferecendo novas marcas. Sempre<br />

que é iniciada uma parceria com uma<br />

nova Marca, é dedicado muito trabalho<br />

e atenção ao produto, à sua qualidade<br />

e às suas características. A AZ<br />

AUTO faz questão de ser “Especialistas<br />

de Referência”, explorando cada<br />

gama e cada marca de forma a prestar<br />

um serviço de excelência ao Cliente.<br />

Para o efeito, é de referir a parceria<br />

estratégica com a CGA.<br />

Como funciona a vossa logística de<br />

encomen<strong>das</strong>, armazenamento de peças<br />

e entregas aos Clientes? Quantas<br />

entregas conseguem fazer por dia?<br />

Os pedidos são registados nos portais<br />

de cliente ou através do contacto<br />

com o call center. A distribuição<br />

é realizada por mais de 85 rotas em<br />

todo o território nacional assegurando<br />

até 3 entregas diárias, dependendo<br />

do segmento de cliente e da sua<br />

localização geográfica, totalizando<br />

cerca de 30.000 entregas por mês.<br />

Toda a operação é gerida com o foco<br />

constante na otimização de rotas,<br />

adequação da frequência e horários<br />

de entrega juntos dos Clientes.<br />

Qual a quantidade média de referências<br />

de peças que têm em stock?<br />

A MCOUTINHOPEÇAS+AZ AUTO<br />

possui mais de 100.000 referências<br />

em stock, sendo que movimenta<br />

anualmente mais de 250.000 refe-<br />

rências. Estes números refletem o<br />

compromisso da empresa em oferecer<br />

uma ampla variedade de peças a<br />

nível nacional, contribuindo para a<br />

eficiência e prontidão no atendimento<br />

às necessidades dos Clientes a nível<br />

Continental e Ilhas.<br />

Em 2023 apresentaram uma nova<br />

identidade visual do GRUPO MCOU-<br />

TINHO. Quais os objetivos desta<br />

mudança de imagem e que valores<br />

pretendem transmitir com o novo<br />

logotipo?<br />

O GRUPO MCOUTINHO iniciou<br />

em 2023 um processo de rebranding,<br />

projetando-se entre as mais<br />

relevantes marcas do setor automóvel<br />

português. A identidade corpo-<br />

rativa, inalterada desde 2004, prima<br />

agora pelo minimalismo e modernidade.<br />

A letra M é hoje o símbolo<br />

de destaque do GRUPO MCOU-<br />

TINHO, homenageando Manuel<br />

Moreira Coutinho, o seu fundador,<br />

e a dimensão nacional da marca.<br />

As linhas vinca<strong>das</strong>, com os vértices<br />

vivos e o desenho ziguezagueante<br />

conferem ao logótipo o dinamismo<br />

e a mobilidade característicos do<br />

negócio. Os novos eixos da marca –<br />

eletrificação, inovação, mobilidade<br />

e sustentabilidade – destacam-se na<br />

nova identidade visual do GRUPO<br />

MCOUTINHO.<br />

A nova imagem reflete a ambição<br />

para a centralidade do Cliente no<br />

desenvolvimento da nossa oferta<br />

O MODELO DE NEGÓCIO INOVADOR DA MCOUTINHO PEÇAS+AZ AUTO<br />

DISTINGUE-SE PELA VARIEDADE E A QUALIDADE DOS PRODUTOS<br />

OFERECIDOS. A EMPRESA DISPONIBILIZA 32 MARCAS ORIGINAIS<br />

E MAIS DE 20 MARCAS AFTERMARKET<br />

o mercado de venda de peças automóvel em Portugal,<br />

N diversos desafios têm marcado historicamente o<br />

desenvolvimento do comércio neste setor. Entre os mais<br />

significativos, encontram-se os desafios logísticos e de<br />

distribuição. A eficiência logística é crucial, e problemas como<br />

atrasos nas entregas e custos elevados de transporte afetam<br />

profundamente a capacidade <strong>das</strong> empresas de fornecerem peças<br />

de forma eficaz. Além disso, as mudanças nas regulamentações e<br />

EFICIÊNCIA LOGÍSTICA É CRUCIAL<br />

normas ambientais representam outro grande desafio. Estas<br />

regulamentações podem influenciar diretamente a fabricação e<br />

distribuição de peças automóveis, especialmente diante da<br />

crescente transição para tecnologias mais sustentáveis. Esta<br />

realidade exige adaptações constantes dos fabricantes e<br />

distribuidores para se manterem em conformidade com as novas<br />

normas e atenderem às expetativas de um mercado cada vez mais<br />

consciente. Por fim, os custos de manutenção e reparação de<br />

veículos, incluindo o preço <strong>das</strong> peças, são fatores que influenciam<br />

as decisões dos consumidores, principalmente em períodos de<br />

instabilidade económica. Estes custos, quando elevados, podem<br />

restringir a demanda por peças automóveis, afetando assim o<br />

mercado como um todo. Portanto, a capacidade dos consumidores<br />

de absorver estes custos é um elemento-chave que molda as<br />

tendências e deman<strong>das</strong> no mercado de peças automóveis em<br />

Portugal.<br />

48 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


MIGUEL MELO<br />

AS TECNOLOGIAS DE PONTA SUPORTAM UM ATENDIMENTO RÁPIDO<br />

E DEDICADO, PROCESSANDO DIARIAMENTE 2.800 CHAMADAS,<br />

3.000 EMAILS E 300 CONTACTOS EM OUTROS CANAIS.<br />

A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA TAMBÉM É UMA PRIORIDADE<br />

de serviços, num contexto em que<br />

a transição digital e a eletrificação<br />

constituem a base da mudança. A recente<br />

expansão da rede de concessionários<br />

à capital, o foco na inovação<br />

e na sustentabilidade entre os eixos<br />

estratégicos do GRUPO MCOUTI-<br />

NHO, acentuam a oportunidade e<br />

o simbolismo da transformação que<br />

estamos a incutir à nossa marca.<br />

Quais são os principais desafios<br />

que têm em termos de organização?<br />

Em Portugal, as empresas enfrentam<br />

alguns desafios consideráveis:<br />

a dificuldade em recrutar colaboradores<br />

qualificados, a complexidade<br />

da logística inversa e as ruturas de<br />

fornecimento por parte de algumas<br />

marcas. A escassez de profissionais<br />

qualificados impacta diretamente a<br />

eficácia operacional. Paralelamente,<br />

a gestão eficiente da logística inversa<br />

tornou-se essencial, exigindo<br />

novas competências e tecnologias.<br />

Adicionalmente, as interrupções<br />

nas cadeias de fornecimento obrigam<br />

as empresas a procurar alternativas<br />

para manter a estabilidade<br />

dos stocks. Estes desafios exigem<br />

adaptações estratégicas urgentes<br />

para garantir o sucesso num mercado<br />

competitivo.<br />

Que novos projetos podemos<br />

esperar da MCOUTINHO PEÇAS+AZ<br />

AUTO para 2024?<br />

Celebrar 25 anos de confiança e<br />

inovação é um marco significativo<br />

para a MCOUTINHO PEÇAS+AZ<br />

AUTO, e merece ser comemorado<br />

grandiosamente com as suas equipas,<br />

Clientes e parceiros. A trajetória<br />

de sucesso desta empresa é um testemunho<br />

do empenho e dedicação<br />

de todos os colaboradores, a quem<br />

muito se deve. Para o ano de 2024,<br />

a MCOUTINHO PEÇAS+AZ AUTO<br />

está a preparar um conjunto de iniciativas<br />

especiais, abrangendo tanto<br />

ações internas com os seus colaboradores,<br />

como ações externas com<br />

clientes e parceiros. Estas iniciativas<br />

prometem ser memoráveis. l<br />

A PLACA DISTRIGO FORTALECE A PRESENÇA<br />

DA MCOUTINHO PEÇAS NO SETOR AUTOMÓVEL<br />

m abril de 2023, a MCOUTINHO PEÇAS+AZ AUTO revelou no salão<br />

E expoMECÂNICA o projeto Distrigo. A decisão estratégica de adotar esta<br />

insígnia, reflete o compromisso da MCOUTINHO PEÇAS+AZ AUTO em fortalecer a<br />

proximidade com a Stellantis. Esta parceria permite potenciar o nível de serviço <strong>das</strong><br />

marcas PEUGEOT, CITROËN, DS, OPEL, FIAT, LANCIA, ALFA ROMEO, ABARTH, JEEP,<br />

CHRYSLER E DODGE. A escolha de ser Placa Distrigo permitiu à MCOUTINHO<br />

PEÇAS+AZ AUTO beneficiar de várias mais-valias. Em primeiro lugar, associar-se à<br />

marca Distrigo proporcionou um selo de qualidade reconhecido no setor,<br />

fortalecendo a confiança dos Clientes e Parceiros na qualidade dos produtos e<br />

serviços oferecidos pela empresa. Além disso, a integração no programa Distrigo<br />

possibilitou uma maior visibilidade no mercado, aumentando a exposição da<br />

MCOUTINHO PEÇAS+AZ AUTO a potenciais Clientes e colaboradores. A marca<br />

Distrigo é conhecida pela sua abordagem abrangente e pela oferta 360º. Deste<br />

modo, o facto de se tornar Placa Distrigo permitiu à MCOUTINHO PEÇAS+AZ AUTO<br />

expandir o seu alcance e oferecer um leque mais abrangente de soluções,<br />

consolidando assim a sua posição como um parceiro de referência no comércio de<br />

peças automóvel em Portugal.<br />

Com o início do projeto Distrigo, iniciou-se também a dinamização da marca<br />

Eurorepar que tem à disposição dos Clientes mais de 15 famílias de peças com<br />

mais de 17.000 referências ativas. No âmbito <strong>das</strong> segun<strong>das</strong> linhas de peças<br />

dos construtores automóveis, a MCOUTINHO PEÇAS também comercializa<br />

marcas como Motrio, Omnicraft/Motorcraft, que em conjunto oferecem uma<br />

gama alargada de opções.<br />

Que exigências coloca à vossa organização o projeto Distrigo, em<br />

termos logísticos e operacionais?<br />

É crucial que a estratégia logística esteja totalmente alinhada com o negócio<br />

de modo a otimizar as operações e alcançar os objetivos de forma sustentável.<br />

Para tal, são cruciais a gestão do inventário, uma rede eficiente de distribuição<br />

e a implementação de tecnologia para rastreamento e gestão dos processos,<br />

garantido um nível de serviço de excelência aos Clientes. A capacidade de<br />

armazenamento adequada e a sustentabilidade na cadeia de abastecimento<br />

são igualmente essenciais. Em resumo, o grau de exigência é cada vez maior,<br />

requerendo o equilíbrio entre oferta e a procura, qualidade e eficiência<br />

operacional, tudo dentro de uma estratégia sustentável.<br />

Aliada à insígnia Distrigo, a MCOUTINHO PEÇAS+AZ AUTO passou a ter<br />

como novos Clientes as oficinas Eurorepar Car Service. Que benefícios<br />

trouxe para a empresa?<br />

A MCOUTINHO PEÇAS+AZ AUTO, aliada à insígnia Distrigo, tem vindo a<br />

estabelecer parcerias estratégicas com as oficinas Eurorepar Car Service,<br />

incorporando assim novas oficinas ao seu portefólio de Clientes. Esta<br />

colaboração reforça o compromisso da MCOUTINHO PEÇAS+AZ AUTO em<br />

fornecer soluções abrangentes e de qualidade para as necessidades <strong>das</strong><br />

oficinas, fortalecendo simultaneamente a sua presença no mercado de peças<br />

automóvel em Portugal. A Eurorepar Car Service veio integrar uma oferta de<br />

serviços em termos de redes de oficinas em complemento da RINO, da qual a<br />

MCOUTINHO PEÇAS+AZ AUTO detém o Master Franchise.<br />

Com a placa Distrigo também fornecem as oficinas multimarca<br />

independentes?<br />

Desde o arranque da sua atividade, a 6 de outubro de 1999, que o propósito<br />

da MCOUTINHO PEÇAS passava por estar mais próximo dos Clientes e num<br />

único espaço fornecer um amplo portefólio de marcas originais. Enquanto<br />

Placa Distrigo, a MCOUTINHO PEÇAS+AZ AUTO estabelece parcerias não<br />

apenas com as oficinas Eurorepar Car Service, mas também com oficinas<br />

multimarca independentes e Reparadores Autorizados <strong>das</strong> marcas Stellantis.<br />

Esta abordagem permite servir efetivamente uma variedade de Clientes,<br />

garantindo o acesso a uma ampla gama de peças automóvel e serviços. A<br />

Placa Distrigo representa um compromisso em atender às necessidades<br />

diversifica<strong>das</strong> do mercado, oferecendo soluções de qualidade, fortalecendo<br />

assim a presença da MCOUTINHO PEÇAS no setor automóvel.<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 49


Entrevista<br />

JOSÉ CARVALHO, DIRETOR DIVISÃO AUTOMÓVEL DA ROMAFE<br />

SEREMOS SEMPRE<br />

UM PARCEIRO DE CONFIANÇA!<br />

CRIADA NO PORTO, HÁ QUASE 80 ANOS, A ROMAFE É UMA EMPRESA ESPECIALISTA EM ROLAMENTOS, COM<br />

ESPECIAL ENFOQUE NA MARCA SKF. EM 2018 CRIOU UMA DIVISÃO AUTOMÓVEL, PARA VENDA DE PEÇAS<br />

AFTERMARKET, E NO INÍCIO DE 2023 LANÇOU O CLUB GOSHOP, UM CONCEITO DE PARCERIA ASSENTE<br />

NA CONFIANÇA E NO COMPROMISSO. O JO FOI CONVERSAR COM JOSÉ CARVALHO, DIRETOR DIVISÃO<br />

AUTOMÓVEL, PARA SABER COMO FUNCIONA ESTA INICIATIVA<br />

Historicamente ligada ao ramo industrial, a<br />

Romafe entrou há muito no negócio automóvel,<br />

quando a marca SKF começou a<br />

trabalhar com kits de roda e kits de distribuição. A<br />

ideia de criar uma divisão automóvel, que é gerida<br />

pelo administrador José Carvalho, surge de forma<br />

mais consolidada e consistente no final de 2019,<br />

porém, o projeto Romafe Automotive foi atrasado<br />

pelos constrangimentos da pandemia. No início<br />

de 2021, constituiu-se a equipa e hoje a empresa<br />

já começa a ter os resultados pretendidos, com um<br />

crescimento bastante palpável em apenas dois anos:<br />

“quando isto começou, o setor automóvel representava<br />

18% do negócio da Romafe, muito ligado a<br />

toda a parte de rolamentos e distribuição. Vamos<br />

fazer dois anos em fevereiro de 2024 e já estamos<br />

nos 35%, o que é um crescimento notável”, avalia o<br />

responsável.<br />

Para alinhar as instalações da Romafe com os objetivos<br />

do novo projeto, a empresa reorganizou-se<br />

e fechou as lojas de Guimarães, Mirandela e Viseu,<br />

“que acabavam por desvirtuar um bocadinho o nosso<br />

conceito, que é trabalharmos só com revenda e<br />

não com oficinas”, explica José Carvalho. Assim,<br />

agora a Romafe tem três armazéns: no Porto, em<br />

Lisboa (este completamente dedicado à parte automóvel),<br />

e Coimbra a assumir o centro logístico da<br />

empresa. No total, são mais de 140 mil referências<br />

em sistema, com cerca de 7.000 metros quadrados<br />

nas três cidades, sendo ainda possível aumentar a<br />

capacidade de armazenagem em vários níveis.<br />

Club GoShop:<br />

Estratégia de compromisso da Romafe<br />

Em paralelo com o projeto Romafe Automotive, a<br />

ideia de criar “um modelo de negócio diferente do<br />

que existia” vinha sendo alicerçada e, no final de<br />

2019, a Romafe dava os primeiros passos para averiguar,<br />

junto dos clientes, se haveria espaço para o<br />

fazer. “Na altura tivemos um conjunto de reuniões<br />

com alguns parceiros que nos pareceram os mais<br />

indicados e, em janeiro deste ano, tínhamos o clube<br />

constituído e fizemos a primeira aparição pública<br />

na expoMECÂNICA”, conta-nos o administrador.<br />

Desengane-se se pensa que se trata de mais uma<br />

rede ou grupo, como tantos que brotam no setor<br />

do aftermarket. Segundo José Carvalho, o Club<br />

GoShop assenta em três pilares: “o compromisso;<br />

o facto de não poder haver concorrência geográfica,<br />

tirando nas grandes cidades, mas sempre com o<br />

acordo de todos; e, depois, uma terceira parte que<br />

é combater algumas situações que se passam no<br />

mercado, assumindo sempre o papel de manter os<br />

canais tal como eles estavam definidos. Temos as<br />

marcas, os fabricantes, a distribuição, a revenda e as<br />

oficinas. Podemos colaborar com os nossos revendedores<br />

em tudo o que possam fazer com as oficinas<br />

ou com o cliente final, mas nunca seremos nós, serão<br />

sempre eles a fazê-lo com a nossa colaboração”,<br />

esclarece-nos.<br />

Nesta primeira fase, “o mais importante é consolidar<br />

a parte dos clientes, pois é possível fazer as<br />

coisas de outra maneira, sem estarmos obrigados a<br />

nada. No conceito tradicional de um grupo de retalho,<br />

a pessoa paga um fee e depois tem de comprar<br />

to<strong>das</strong> as marcas que ali estão. O nosso conceito é<br />

muito mais democrático, as pessoas não deixam de<br />

ter todos os seus fornecedores e vão poder comprar<br />

algumas outras marcas de forma direta, com vantagens<br />

substanciais. É uma vantagem competitiva<br />

em termos de negócio e não uma obrigação. Se alguém<br />

quiser compra, se não quiser, não compra”,<br />

assegura. Posteriormente, o objetivo passa também<br />

por uniformizar a comunicação e haverá “uma figura<br />

pública que será a cara deste projeto. To<strong>das</strong> as<br />

pessoas vão pensar nas lojas daquela pessoa como<br />

as lojas GoShop”, anuncia. Neste momento, são<br />

26 parceiros (retalhistas de peças) que vendem as<br />

marcas comercializa<strong>das</strong> pela Romafe, estando previsto<br />

um reajuste nestes próximos meses. “O mais<br />

importante é conseguirmos ter uma cobertura uni-<br />

O CLUB GOSHOP ASSENTA EM TRÊS PILARES: O COMPROMISSO; O FACTO<br />

DE NÃO PODER HAVER CONCORRÊNCIA GEOGRÁFICA; E O COMBATE A<br />

ALGUMAS SITUAÇÕES QUE SE PASSAM NO MERCADO, ASSUMINDO SEMPRE<br />

O PAPEL DE MANTER OS CANAIS TAL COMO ELES ESTAVAM DEFINIDOS<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 51


ATUALMENTE, SÃO 26 OS PARCEIROS (retalHISTAS DE PEÇas) DO CLUB<br />

GOSHOP, QUE VENDEM as MARCAS COMERCIALIZADas PELA ROMAFE,<br />

estaNDO PREVISTO UM REAJUSTE NOS PRÓXIMOS MESES DE MODO A TER<br />

UMA COBERTURA UNIFORME DE toDO O PAÍS, ILHAS INCLUSIVE<br />

forme de todo o país, ilhas inclusive.<br />

Temos uma ideia do volume de negócio<br />

que queremos atingir com todos<br />

os GoShop e é por aí que as coisas vão<br />

caminhar”, salienta.<br />

Novas marcas no portefólio<br />

A Romafe tem “muitas marcas no<br />

portefólio”, chegando a praticamente<br />

to<strong>das</strong> as áreas do aftermarket, menos<br />

a carroçaria, que não têm. A lógica,<br />

conta-nos José Carvalho, é que doravante<br />

já não seja a empresa a decidir<br />

sozinha que marca é que quer colocar<br />

no mercado. “Este clube permite-nos<br />

uma avaliação conjunta e que sejam<br />

os próprios clientes a dizer que determinada<br />

marca seria interessante.<br />

Deste modo, quando começamos a<br />

trabalhar, já vamos num patamar<br />

completamente diferente. A Purflux,<br />

que introduzimos recentemente, foi<br />

um exemplo disso. A primeira encomenda<br />

chegou a meio de setembro<br />

e cumprimos o objetivo que nos estipularam<br />

para três meses, que era<br />

consideravelmente alto, no final de<br />

novembro. No início de 2024 será a<br />

travagem, com um projeto muito bem<br />

definido de comercialização, onde estiverem<br />

os clientes chave, que vão ter<br />

uma solução que é só deles”, explica.<br />

O GoShop terá quatro produtos de<br />

marca própria: AdBlue, anticongelante,<br />

lubrificante e baterias, “privilegiando,<br />

sempre que possível, empresas<br />

e componentes nacionais, de<br />

qualidade. É um princípio para começarmos<br />

a criar dinâmica na nossa<br />

própria economia”, diz-nos, acrescentando<br />

que a comercialização de ferramentas<br />

e equipamentos não está para<br />

já equacionada.<br />

O conceito incluirá também a sua<br />

própria rede oficinal, mas José Carvalho<br />

aponta a necessidade de fazer<br />

diferente do que já existe: “Achamos<br />

que tem que haver mais alguma coisa<br />

e temos algumas ideias muito interessantes<br />

em termos de negócio para<br />

poder acrescentar a estas redes de oficinas<br />

e criar uma ligação mais forte<br />

com as casas”, afirma.<br />

Crescer em conjunto<br />

Desde 2020, a Romafe passou a ser<br />

sócia do grupo de compras internacional<br />

Global One, através da Dipart,<br />

um grossista espanhol. José Carvalho<br />

justifica esta decisão com a dificuldade<br />

“de aceder a algumas marcas sem<br />

estar integrado num processo destes”,<br />

assim, como ganhar experiência para<br />

aplicar no Club GoShop, transpondo<br />

as boas práticas que se fazem. “Acho<br />

que foi uma boa aposta e é um abrir<br />

de portas que, de outra forma seria<br />

mais complicado. Com a Purflux,<br />

por exemplo, é diferente estarmos a<br />

trabalhar com alguém que compre<br />

4 milhões e meio de peças na Península<br />

Ibérica, do que estarmos a dizer<br />

que o nosso objetivo para o ano é X”,<br />

nota, adiantando que seria tudo mais<br />

fácil se “em vez de olharmos uns para<br />

os outros como concorrentes, porque<br />

não em alguns momentos sermos<br />

parceiros? Provavelmente ganhávamos<br />

todos mais e há aqui espaço para<br />

isso”, acredita o administrador.<br />

Outro dos projetos do Club GoShop<br />

passa pela formação, algo que a Romafe<br />

já faz um pouco por todo o país,<br />

sempre que é solicitado, através <strong>das</strong><br />

marcas. A equipa prepara agora a plataforma<br />

GoCampus, onde ficarão grava<strong>das</strong><br />

to<strong>das</strong> as formações ministra<strong>das</strong>,<br />

tal como as traduções do material<br />

fornecido pela Dipart. “É uma plataforma<br />

onde vão estar resumi<strong>das</strong> to<strong>das</strong><br />

as formações que damos, quer sejam<br />

presenciais ou não. Estamos a prepará-la<br />

e quando for para o ar já terá lá<br />

to<strong>das</strong> as formações que estamos a fazer.<br />

Estamos também a fazer algumas<br />

parcerias com empresas de formação<br />

e com algumas associações”, diz José<br />

Carvalho. No futuro, será também<br />

criada uma linha telefónica de apoio<br />

para sempre que seja necessário resolver<br />

algo de caráter mais urgente.<br />

Desenvolver o negócio<br />

Atualmente, a Romafe tem uma rede<br />

de transportadores, conseguindo fazer<br />

“entregas bi-diárias em praticamente<br />

todo o país”. O administrador<br />

e gestor da divisão automóvel da empresa<br />

explica que a criação do centro<br />

logístico em Coimbra também serviu<br />

para cumprir esse propósito. Ali contam<br />

com dois armazéns, sendo que<br />

têm em mente libertar um deles para<br />

ocupar outros dois que estão neste<br />

momento em construção no mesmo<br />

parque industrial, “entrando num<br />

processo completamente robotizado”,<br />

explica.<br />

José Carvalho lembra que “numa<br />

primeira fase, devemos ter sido <strong>das</strong><br />

primeiras empresas do setor a ter<br />

uma plataforma B2B em Portugal,<br />

ligada à parte industrial. Para a parte


JOSÉ CARVALHO<br />

automóvel foi um pouco mais difícil,<br />

porque não tínhamos ligação ao Tec-<br />

Doc, fizemos uma segunda evolução,<br />

que é a que está neste momento no ar,<br />

em que já temos o TecDoc e este ano<br />

2024 arranca o 3.0, com uma separação<br />

entre o que é o B2B da indústria<br />

e o B2B automóvel, com tudo aquilo<br />

que um B2B automóvel precisa”.<br />

O call center da casa foi sempre misto,<br />

com a mesma equipa a atender chama<strong>das</strong><br />

para as duas áreas de negócio.<br />

Neste momento os call centers já são<br />

separados e têm seis pessoas, mas o<br />

responsável confessa que “a maior<br />

parte <strong>das</strong> chama<strong>das</strong> que atendemos é<br />

para identificação de rolamentos e de<br />

vedantes, uma questão mais técnica.<br />

O resto o cliente já sabe, vai ao Tec-<br />

Doc, ou através da plataforma acaba<br />

por comprar”.<br />

As garantias e devoluções são uma<br />

preocupação transversal do setor e a<br />

Romafe não é exceção. O nosso entrevistado<br />

defende “uma harmonização<br />

entre todos, para que não acontecessem<br />

algumas situações anómalas.<br />

Enquanto houver um distribuidor ou<br />

outro que as faz, ficamos sempre num<br />

patamar difícil. Eu diria que, de to<strong>das</strong><br />

as devoluções que temos, dois ou três<br />

por cento são reclamações. Tudo o<br />

resto são enganos a pedir, ou o cliente<br />

que não veio buscar. Acho que deveria<br />

haver um código de conduta e até<br />

um fórum sobre isto, onde se pudesse<br />

discutir estas questões”, observa, salientando<br />

que esta é “mais uma <strong>das</strong><br />

sinergias, que em conjunto conseguiríamos<br />

ter algum sucesso. Assim é<br />

desgarrado”.<br />

Pensar no futuro<br />

Ainda que não tenham uma estratégia<br />

definida relativamente aos componentes<br />

para veículos elétricos, o facto<br />

é que tudo o que as marcas da Romafe<br />

introduzem, a empresa comercializa.<br />

Se este será ou não o futuro dos automóveis<br />

e se isso poderá significar uma<br />

redução do negócio, José Carvalho<br />

nada teme: “Eu costumo dizer que há<br />

uns que choram e outros que vendem<br />

os lenços. E nós queremos vender os<br />

lenços, não vale a pena chorarmos. Vai<br />

haver uma mudança e essa mudança<br />

também vai trazer oportunidades, cá<br />

estaremos nós para agarrá-las. Sofrer<br />

por antecipação é que não”, garante.<br />

Com os objetivos estabelecidos para<br />

2023 atingidos em setembro, o administrador<br />

destaca a importância de<br />

“não nos queixarmos, porque quando<br />

nos começamos a queixar muito pode<br />

atrair o mau olhado. Não acreditando<br />

nesse tipo de superstições, temos que<br />

fazer o nosso trabalho. Digo sempre:<br />

guarda o que comer, não guardes o<br />

que vender, portanto temos que caminhar.<br />

Para o ano continuamos com<br />

objetivos bastante ambiciosos e as<br />

perspetivas são continuar a crescer”.<br />

Aos clientes, José Carvalho deixa uma<br />

mensagem de segurança: “Aquilo que<br />

OLHO PARA A FORMA COMO SE ESTÁ A ORGANIZAR<br />

O AFTERMARKET COM ALGUMA PREOCUPAÇÃO<br />

osé Carvalho admite que os últimos dois anos, “devido à economia do país, foram positivos<br />

J a todos os níveis”, no entanto, não esconde a preocupação com o futuro do setor. O<br />

responsável olha “com alguma preocupação para a forma como o aftermarket se está a organizar”,<br />

numa altura em que algumas empresas financeiras estão a entrar neste negócio, com os investidores<br />

“à espera de um retorno rápido”, ao passo que “nós, numa outra perspetiva, queremos ter esse<br />

retorno, mas olhando para aquilo que é o mercado e para o que são as suas situações e vicissitudes. E<br />

não temos o tempo de retorno que os outros têm. Sabemos que temos que ganhar dinheiro e<br />

ganhamos, mas temos os nossos tempos e os tempos deles são sempre mais acelerados”, lamenta. O<br />

administrador da Romafe teme as consequências do fenómeno da concentração a que o setor do<br />

pós-venda automóvel assiste em Portugal e adianta mesmo que “o tempo dirá algumas coisas que<br />

são preocupantes, quer em termos de desemprego no setor, quer em termos de quebra dos ciclos<br />

que existem hoje, com as marcas, os distribuidores, as casas de revenda e as oficinas e o consumidor<br />

final”. Na sua opinião, “quando se olha do ponto de vista financeiro para uma coisa – e é razoável que<br />

se olhe – temos sempre duas hipóteses para ganhar dinheiro, ou alargamos a margem ou reduzimos<br />

custos. Não estou a ver o aumento de margens ser fácil neste momento, portanto, muito<br />

provavelmente vai-se trabalhar muito na questão da redução de custos”, antevê. Quanto à tão falada<br />

iberização, para José Carvalho não é um problema, nem sequer a vê “com receio. Acho que se as<br />

empresas espanholas vêm para cá, nós também temos de ir para lá. Há uma coisa que é válida: elas<br />

vêm encontrar um mercado que é 1/5 ou 1/6 do mercado deles, portanto, teremos um mercado<br />

muito maior do que aquele que eles têm. Vamos aproveitar”, incita.<br />

Enquanto engenheiro informático, o nosso interlocutor defende que as coisas, no que diz respeito<br />

à digitalização, “poderiam ser mais céleres. Nós, portugueses, somos muito criativos a esse nível,<br />

mas nesta área ainda temos um caminho longo a percorrer. Para estes canais estarem todos bem<br />

oleados e implementados, tem que haver mesmo uma confiança muito grande entre todos os<br />

atores do mercado e eu não tenho ainda a certeza de que exista essa confiança. Tenho algumas<br />

dúvi<strong>das</strong> de que assim a digitalização possa avançar de uma forma mais célere”. A Romafe tem<br />

vindo a apostar em diferentes soluções de sustentabilidade, como formas alternativas de produzir<br />

energia, mas, nesta área, para José Carvalho, é fulcral “perceber o que é que estrategicamente o país<br />

pretende, para participarmos nessa estratégia do país e não andarmos a fazer coisas avulsas, cada<br />

um para o seu lado”. A empresa já comercializa algumas peças reconstruí<strong>das</strong>, contudo, o responsável<br />

prefere “consolidar primeiro todo o negócio, antes de pensar e caminhar nesse sentido, até porque,<br />

atualmente, há boas empresas a fazer esse trabalho e muito bem feito”, afirma.<br />

Relativamente à evolução crescente <strong>das</strong> ven<strong>das</strong> B2C, José Carvalho é muito claro: “é possível, em<br />

conjunto, respondermos a esse novo desafio que vai existir no mercado, pois na prática quem nos<br />

compra é sempre o consumidor final”. E lança o repto para que os colegas de profissão se juntem<br />

ao Club GoShop: “Se quem estiver a ler esta reportagem, quiser fazer parte de um projeto onde há<br />

confiança entre os intervenientes e onde aquilo que pretendemos é trabalhar para o futuro, para não<br />

estarmos preocupados se o B2C é uma ameaça e, pelo contrário, é uma oportunidade, basta integrar<br />

o Club e passar a fazer parte desta comunidade”, conclui.<br />

os nossos clientes podem esperar da<br />

Romafe é o que sempre nos pautou,<br />

que é a confiança. Seremos sempre<br />

um parceiro de confiança, não vamos<br />

mudar. Acreditamos que desta forma<br />

conseguimos ter connosco os parceiros<br />

que de facto olham para o seu negócio<br />

e se preocupam com ele. Acho<br />

que para estar no mercado, é um bom<br />

princípio pensar que não temos que<br />

vender no cliente do nosso cliente. É a<br />

confiança, depois a parceria e o trabalho<br />

conjunto e de equipa, que é o que<br />

o GoShop representa e que acho que<br />

é o expoente máximo daquilo que nós<br />

podemos fazer”, termina.. l<br />

COM A APOSTA NO CLUB GOSHOP, A ROMAFE PRETENDE CONTINUAR A<br />

CRESCER NO AFTERMARKET NACIONAL. O CONCEITO INCLUIRÁ TAMBÉM<br />

A SUA PRÓPRIA REDE OFICINAL, MAS JOSÉ CARVALHO APONTA A<br />

NECESSIDADE DE FAZER DIFERENTE DO QUE JÁ EXISTE<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 53


NOTÍCIAS // PEÇAS E EQUIPAMENTOS À MEDIDA DE CADA NEGÓCIO<br />

Produto<br />

BREMBO APRESENTA<br />

NOVA GAMA PASTILHAS XTRA<br />

A<br />

Brembo apresentou uma nova gama de pastilhas de travão no salão mais limpas. A adição destas novas pastilhas à gama XTRA existente, que inclui<br />

os discos ranhurados Brembo Max e os discos perfurados XTRA, cria a<br />

SEMA, em Las Vegas, EUA. Mais especificamente, o fabricante apresentou<br />

ao mundo a nova linha de pastilhas de travão XTRA totalmente mais recente oferta do fabricante para veículos de alto desempenho. A Brembo<br />

isentas de cobre, com fórmulas de baixo teor de metal e cerâmica sem amianto. introduziu também uma nova identidade visual para toda a sua linha de pastilhas,<br />

com o objetivo de distinguir cada família com cores diferentes nas placas<br />

A linha XTRA Low Met oferece o melhor desempenho, travagem e experiência<br />

da sua classe para os entusiastas do automóvel. A linha XTRA Ceramic oferece de apoio e nos calços. A cor do calço indica a que família pertence o produto.<br />

desempenho e conforto superiores com o mínimo de pó para garantir ro<strong>das</strong> Preto para Prime, vermelho para XTRA e prateado para Beyond.w<br />

SENSORES DE NOX PRESENTES<br />

NO PORTFÓLIO DELPHI<br />

Delphi | A Delphi anunciou a adição de sensores de óxido de nitrogénio (NOx)<br />

ao seu catálogo de produtos. Esses componentes medem a quantidade de óxido<br />

de nitrogénio presente nos gases de escape. Os sensores de NOx ajudam a monitorizar<br />

os níveis de poluição e, consequentemente, a garantir o cumprimento <strong>das</strong><br />

regulamentações atuais e futuras sobre emissões deste gás com efeito de estufa.<br />

Os sensores Delphi NOx passam por testes extensivos e estão em conformidade<br />

com os padrões ISO 9001 e IATF 16949. As peças são fabrica<strong>das</strong> de acordo com os<br />

padrões do equipamento original e são testa<strong>das</strong> em ambientes controlados e em<br />

condições reais para verificar total funcionalidade e qualidade. A incorporação<br />

destes sensores de NOx no mercado e a solução integral com formação e diagnóstico<br />

é o que permite à Delphi oferecer um programa completo às oficinas, que<br />

devem cuidar dos veículos de hoje e também preparar-se para os de amanhã.<br />

54 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


NOVO PRIMÁRIO APARELHO EM SPRAY<br />

Cromax | A Cromax lançou um novo primário aparelho em spray 1K na cor cinzento (VS4), o PS1504A<br />

Quickfill Primer-Surfacer, para ajudar a maximizar a produtividade <strong>das</strong> oficinas. Graças à redução <strong>das</strong> fases<br />

de processo, aplicação universal simples e desempenho de secagem muito rápido, as oficinas podem<br />

ser mais produtivas, rentáveis e sustentáveis. Koen Silverans, Academy Manager da Axalta Refinish afirmou,<br />

“Nos nossos esforços para ajudar as oficinas a aumentar a respetiva produtividade, é fundamental<br />

que possamos oferecer-lhes produtos inovadores que não só promovem tempos de processamento mais<br />

curtos, como também reduzem o consumo de materiais. O PS1504A Quickfill Primer-Surfacer faz tudo<br />

isso. Além disso, faz parte do nosso conceito ValueShade que proporciona o produto de fundo ideal para<br />

to<strong>das</strong> as cores de acabamento para uma cobertura mais rápida e uma redução de tinta, o que permite<br />

às oficinas agilizar os processos e aumentar a rentabilidade.” Graças à tecnologia SprayMax, o produto<br />

garante uma excelente pulverização e fluxo.<br />

GAMA MOBIL DELVAC<br />

SOFRE ALTERAÇÃO DE CATEGORIA<br />

Mobil | A Mobil apresenta uma nova arquitetura da marca Mobil Delvac, com a introdução<br />

do Mobil Delvac Ultra, Modern e Legend. Esta nova nomenclatura trata-se de um renomear<br />

da atual gama de produtos Mobil Delvac, colocando-os sob a alçada de uma nova categoria.<br />

O Mobil Delvac Ultra é a proteção definitiva para aqueles que querem o melhor para os<br />

seus equipamentos, e que requerem a tecnologia mais recente e procuram maximizar a<br />

sua produtividade. Já o Mobil Delvac Modern é destinado a todos os motores que foram<br />

produzidos nos últimos 10 anos, oferecendo proteção avançada aos que pretendem retirar o<br />

máximo desempenho do seu equipamento. Por fim, o Mobil Delvac Legend oferece a proteção<br />

essencial para os detentores de equipamentos mais antigos e que procuram um lubrificante<br />

genuíno e de qualidade produzido por uma marca de confiança.<br />

PUB<br />

TITANIUM.<br />

A EXPERIÊNCIA DA FIAMM<br />

AO SERVIÇO DO SEU AUTOMÓVEL.<br />

A FIAMM é a escolha de qualidade para o equipamento original<br />

dos fabricantes de automóveis mais importantes do mundo:<br />

a partir dessa experiência nasce um produto 100% italiano,<br />

que garante a máxima fiabilidade, mesmo no mercado de<br />

Aftermarket. As baterias da linha TITANIUM garantem alta potência<br />

para as necessidades de energia dos carros mais modernos, não<br />

precisam de manutenção e permitem uma fácil verificação do<br />

nível de carga graças ao sistema Check Control (Olho Mágico).<br />

www.polibaterias.com<br />

geral@polibaterias.com<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 www.fiamm.com<br />

I Janeiro 2024 55


Notícias<br />

Produto<br />

BOSCH ESI[TRONIC] MELHOR DO QUE NUNCA<br />

Bosch | O comprovado software de diagnóstico Bosch ESI[tronic], que é utilizado nas<br />

operações da Bosch Car Service e nas oficinas automóveis independentes em todo o mundo,<br />

será mais rápido, mais intuitivo e mais simples no futuro, graças à versão melhorada<br />

do ESI[tronic] Evolution. Os novos recursos e modificações serão introduzidos passo a passo<br />

em cada atualização futura, permitindo que os utilizadores do ESI[tronic] se familiarizem<br />

gradualmente com as funções inovadoras enquanto usam o software na prática. Esta<br />

reformulação fundamental começa com a introdução de um novo ecrã inicial, a partir da<br />

qual o utilizador tem acesso direto aos menus principais e submenus mais importantes<br />

do ESI[tronic]. Outra novidade é a opção de personalizar o ecrã inicial de acordo com as<br />

necessidades individuais de cada utilizador. O ESI[tronic] Evolution fornece aos utilizadores<br />

to<strong>das</strong> as informações necessárias – literalmente com um simples toque de um botão e<br />

diretamente do fabricante do veículo. Numa janela separada, o utilizador pode pesquisar e<br />

visualizar documentos originais, como diagramas de circuitos e instruções.<br />

GS YUASA AUMENTA<br />

GAMA DE BATERIAS<br />

AUXILIARES<br />

A<br />

GS Yuasa aumentou a sua gama de baterias auxiliares, com o lançamento<br />

da GYAUX9, para oferecer uma substituição de qualidade OE (Equipamento<br />

Original) para os veículos mais populares da Europa . Para<br />

além do lançamento, a bateria GYAUX14 também se junta à sempre crescente<br />

gama auxiliar GS Yuasa, que apresenta agora 12 baterias dedica<strong>das</strong>, com mais<br />

15 baterias lista<strong>das</strong> como opções de ajuste auxiliar. Com 12 Volt, 12,6Ah e 200<br />

A (EN), a bateria GYAX14 foi concebida para uma vasta gama de aplicações<br />

auxiliares Audi, BMW e Mercedes. Esta é a mais recente adição à gama auxiliar<br />

em constante crescimento e expande significativamente a cobertura de veículos<br />

no parque europeu. Juntamente com um serviço, fornecimento e assistência<br />

excecionais, a GS Yuasa está empenhada em fornecer aos seus clientes a mais<br />

vasta gama de baterias disponíveis para garantir que conseguem satisfazer as<br />

exigências de um parque automóvel e de um mercado de pós-venda em constante<br />

evolução. A GS Yuasa é o único grande fabricante a produzir baterias de<br />

chumbo-ácido e baterias de iões de lítio, assegurando a cobertura de todos os<br />

requisitos futuros do mercado.<br />

FACILITA VIDA DOS PROFISSIONAIS<br />

COM NOVO VERNIZ<br />

Sinnek | A SINNEK apresentou o seu novo Verniz Cerâmico Plus CC/1800. Este novo<br />

produto, é uma opção eficiente para os profissionais que querem uma secagem rápida<br />

à temperatura ambiente em simultâneo com uma longa duração dos acabamentos.<br />

Este novo verniz permite aumentar a eficiência da reparação, graças à possibilidade<br />

de manusear e polir o veículo apenas uma hora após a aplicação, sem necessidade de<br />

calor na cabine, aspeto fundamental para os profissionais que procuram maximizar a<br />

produtividade e reduzir custos sem comprometer a qualidade do acabamento final. Entre<br />

as suas inúmeras vantagens, o Verniz Cerâmico Plus CC/1800 destaca-se principalmente<br />

pela velocidade de secagem excecional, permitindo a secagem da superfície em apenas 60<br />

minutos à temperatura ambiente, o que se traduz numa redução significativa dos custos<br />

de energia, graças à não necessidade de aplicar calor na cabine. A facilidade de aplicação<br />

e versatilidade fazem deste verniz uma opção ideal tanto para aplicações parciais, como<br />

envernizamento completo de veículos, oferecendo uma desempenho regular e consistente<br />

mesmo em diferentes temperaturas e épocas do ano.<br />

LANÇOU MAIS DE 1.500 NOVOS PRODUTOS EM 2023<br />

METALCAUCHO | Durante o ano de 2023, através de 6 comunicações ao mercado, a Metalcaucho<br />

lançou mais de 1.500 novos produtos. A família com maior crescimento no último lançamento do ano foi a<br />

<strong>das</strong> mangueiras e cotovelos, com 105 para radiadores, 7 para turbo e 7 para ar. Seguem-se os suportes de<br />

motor e caixa de velocidades, uma <strong>das</strong> famílias emblemáticas da marca, que, com 56 referências, atinge<br />

agora as 2.100 peças no catálogo. Há também 15 mangueiras de vácuo de servo-freio (uma família que<br />

duplicou no último ano), 13 braços de suspensão (12 dos quais do grupo VAG) e 9 braços transversais de<br />

transmissão (que não tinham novos itens há 3 anos). A Metalcaucho anuncia que, a partir de 1 de janeiro<br />

de 2024, 448 referências da sua gama de produtos elétricos e eletrónicos serão vendi<strong>das</strong> exclusivamente<br />

sob a marca Alfa e-Parts, que também faz parte do grupo BBB Industries. Já em maio, foi feita uma<br />

mudança semelhante na oferta de produtos elétricos e eletrónicos, com 545 referências a passarem para o<br />

catálogo Alfa e-Parts.<br />

56 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


ARNOTT INFORMA SOBRE<br />

KITS CONVERSÃO DE MOLAS HELICOIDAIS<br />

Há proprietários de automóveis que optam por<br />

remover o sistema de suspensão pneumática<br />

do veículo e converter para a suspensão<br />

tradicional com molas helicoidais. Qual poderá ser<br />

a razão por detrás desta escolha? A Arnott explica<br />

que, embora a suspensão pneumática proporcione<br />

uma condução suave e um nivelamento da carga,<br />

existem razões pelas quais os proprietários de automóveis<br />

preferem remover os seus sistemas de<br />

suspensão pneumática. Os principais fatores que levam<br />

a esta decisão são normalmente o custo de propriedade<br />

e a utilização. Especialmente no caso de<br />

veículos mais antigos, o valor do veículo e o tempo<br />

restante previsto de propriedade podem desempenhar<br />

um papel fundamental na decisão de instalar<br />

um kit de conversão de molas em vez de reparar os<br />

defeitos do sistema de suspensão pneumática. Por<br />

vezes, a conversão para molas helicoidais é simplesmente<br />

a opção menos dispendiosa. Outra razão para<br />

optar por um kit de conversão de molas helicoidais<br />

pode ser o facto de o veículo ser utilizado em viagens<br />

longas, em que há condições climatéricas extremas<br />

ou pouca possibilidade de reparação da suspensão<br />

pneumática durante o percurso.<br />

PUB<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 57


Notícias<br />

Produto<br />

BORG AUTOMOTIVE ACRESCENTA<br />

NOVOS<br />

TURBOCOMPRESSORES<br />

À GAMA<br />

A<br />

BORG Automotive, fabricante independente de peças reconstruí<strong>das</strong><br />

para automóveis, expande continuamente a sua gama de turbocompressores:<br />

No final de 2023 foram adiciona<strong>das</strong> 28 novas<br />

referências para um total de 1.226 aplicações em veículos na Europa. As<br />

novas referências de amortecedores fornecem ao mercado de reposição<br />

uma alternativa perfeita à peça original para 7,7 milhões de veículos nas<br />

estra<strong>das</strong> europeias. Após a última expansão, a gama de turbocompressores<br />

da BORG Automotive inclui agora 821 referências disponíveis. A cobertura<br />

de veículos da gama, que está disponível no mercado de pós-venda sob<br />

as marcas Elstock, DRI, Lucas e TMI, aumenta em 13 pontos percentuais<br />

para um total de 80%. A gama da BORG Automotive inclui turbos com<br />

válvula de escape e turbos de geometria variável, ativados tanto pneumaticamente<br />

como eletricamente. A BORG Automotive oferece agora um<br />

turbocompressor, que o Grupo Volkswagen instala em muitos modelos 1.5<br />

TSi desde 2017. Adapta-se ao motor a gasolina puro, bem como à variante<br />

híbrida e abrange cerca de 60 aplicações de veículos ou 1,8 milhões de automóveis<br />

na Europa.<br />

TACOS DE LIXAGEM AJUSTÁVEIS<br />

Car Repair System | A Car Repair System apresentou os seus novos Tacos de Lixagem<br />

Ajustáveis para discos de 150mm e tiras de 70x198mm. Estes tacos foram concebidos para enfrentar<br />

o desafio de lixar superfícies irregulares com concavidades e convexidades varia<strong>das</strong>, sendo capazes<br />

de se adaptar às diferentes formas <strong>das</strong> superfícies dos automóveis, graças à sua característica<br />

ajustável que permite ao operador escolher o nível de curvatura desejado. Além disso, o taco de<br />

lixagem está equipado com uma porta de extração de poeira. O seu design ajustável, ergonómico<br />

e leve facilita o processo de lixagem, garantindo um desempenho superior e resultados excelentes<br />

para o operador.<br />

LANÇA NOVOS PRODUTOS FAMÍLIA TERMOSTATOS<br />

Alfa e-PARTS | A Alfa e-Parts, uma nova marca de peças sobressalentes elétricas e<br />

eletrónicas que faz parte da divisão europeia da BBB Industries, apresentou o seu quarto e último<br />

lançamento do ano com 184 novas referências. Estas, soma<strong>das</strong> aos mais de 1.150 novos produtos<br />

já apresentados durante 2023, expandem o seu catálogo para quase 6.500 referências. Este é um<br />

dos compromissos cumpridos pela marca para com os seus clientes: o aumento constante da sua<br />

oferta. Neste lançamento para fechar o ano 2023, há várias famílias de produtos que se destacam.<br />

Em número, a família que mais aumentou foi a dos termóstatos, com 40 referências, e as 38 novas<br />

válvulas de borboleta. Em termos de atuadores, há também bombas de água, uma válvula de<br />

controlo da velocidade ao ralenti e uma válvula de controlo da admissão. O portefólio é também<br />

complementado por uma vasta gama de sensores, tais como sensores de temperatura do líquido<br />

de refrigeração ou de velocidade da cambota, bem como os interruptores de luzes de emergência<br />

e interruptores de elevadores de vidros.<br />

PUB<br />

58 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


PARA NÃO OS<br />

DEIXAR PARAR.<br />

Mais de 50 000 peças em stock.<br />

Entregas rápi<strong>das</strong> no dia seguinte.<br />

Atendimento personalizado e especializado.<br />

pecaslandrover.com | info@pecaslandrover.com | 261 099 405 | 917 880 506 |


Empresa<br />

50 ANOS DE DEDICAÇÃO<br />

E CONFIANÇA!<br />

COM 50 ANOS DE PRESENÇA NO MERCADO REGIONAL, A AUTO POP É A MAIS ANTIGA EMPRESA MADEIRENSE DO<br />

SETOR E CONTINUA A FAZER A DIFERENÇA COM UM PORTFÓLIO GLOBAL DE PRODUTOS, QUE INCLUI PEÇAS AUTO<br />

E PARA CAMIÕES, LUBRIFICANTES, FERRAMENTAS, EQUIPAMENTOS OFICINAIS E AGORA REPINTURA AUTOMÓVEL,<br />

NÃO EXISTINDO NENHUMA EMPRESA NA REGIÃO COM UM LEQUE DE PRODUTOS TÃO VASTO


AUTO POP<br />

Auto Pop foi criada a 31 de Outubro de 1973, por<br />

João Crisóstomo Gomes Correia. A designação<br />

Auto vem como é óbvio de automóvel e Pop de um<br />

estilo de música de cariz popular que começa a ganhar<br />

forte dinâmica no início dos anos 70. A empresa<br />

começou a atividade num pequeno espaço na<br />

Rua dos Ferreiros, que faz esquina com o largo Severiano<br />

Ferraz, onde ainda hoje continua a sua sede.<br />

O espaço da loja, na altura, era pequeno, pelo que<br />

o escritório era num edifício do outro lado da rua.<br />

Os primeiros anos haveriam de ser complicados<br />

por causa da mudança causada pelo 25 Abril, que<br />

trouxe no imediato coisas boas e más, no sentido<br />

em que os primeiros anos da democracia foram<br />

anos de incertezas sociais e económicas, acompanhado<br />

por uma inflação galopante. A importação<br />

do mercado europeu fez parte do início do negócio<br />

e ajudou a comprar a bom preço, numa altura que<br />

os preços em Portugal variavam todos os dias. As<br />

comunicações nos anos 70 eram débeis, as encomen<strong>das</strong><br />

chegaram a ser feitas por telegrama, ou<br />

por telefone, sabendo que era necessário pedir aos<br />

CTT a disponibilização da chamada para o continente,<br />

e aguardar, o que por vezes acontecia tarde<br />

e a más horas. A logística dos transportes urgentes<br />

era suscetível de grandes constrangimentos. Os<br />

transportes aéreos não estavam vocacionados para<br />

este tipo de serviço, era necessário um funcionário<br />

lisboeta ir para o aeroporto de Lisboa e pedir às<br />

pessoas para levarem as encomen<strong>das</strong> para a Auto<br />

Pop. Estes anos difíceis, foram também anos de<br />

afirmação para a empresa, porque em cada problema,<br />

surgia também uma solução. A empresa desenrascava<br />

tudo e marcava pontos, era conhecida<br />

como a “farmácia de serviço”, solidificando o seu<br />

estatuto, que se movimentava entre a área auto<br />

e industrial, conforme o tipo de cliente. “Hoje o<br />

mercado é diferente, com a internet e a eficiência<br />

dos transportes os próprios clientes sabem onde<br />

encontrar aquilo que necessitam, a pressão passou<br />

para a empresa, devido à necessidade de ter stocks<br />

melhores e mais diversificados”, refere João Carlos<br />

Correia, filho do fundador e atual diretor geral.<br />

Em 1981 tudo mudou a nível de espaço, quando<br />

foi adquirido o prédio onde a empresa estava como<br />

inquilino. Uns anos depois esse mesmo espaço haveria<br />

de crescer para um logradouro que ficava nas<br />

costas do prédio, até ganhar o aspeto que tem hoje.<br />

Como o espaço continuou a ser exíguo a empresa<br />

haveria de adquirir um outro espaço na mesma<br />

rua, a 200 metros da sede, para servir de armazém<br />

de apoio. Em 1992 abriu uma loja no centro<br />

da cidade de Câmara de Lobos e em 1993 adquiriu<br />

um armazém no Parque Empresarial da Cancela,<br />

que foi completamente remodelado em 2014, onde<br />

abriu um balcão de peças. Hoje em dia o armazém<br />

da Cancela com 2.000 m2 de área coberta serve<br />

de armazém central e de apoio a to<strong>das</strong> as lojas da<br />

empresa. Em 1998 foi membro fundador do primeiro<br />

grupo de compras português automóvel, a<br />

Atlantic Parts, e mais recentemente, em 2019, tornou-se<br />

membro do grupo Trustauto, que trouxe<br />

uma grande mais-valia para a empresa, pois faz a<br />

ponte para o fabricante, tem um plano de formação<br />

adequado às necessidades do mercado e <strong>das</strong><br />

oficinas, uma plataforma digital muito completa e<br />

uma política de padronização <strong>das</strong> oficinas muito<br />

bem delineada, com o nome sugestivo de Mooving.<br />

Atualmente, a Auto Pop conta com 21 funcionários<br />

em 3 lojas: Funchal, Câmara de Lobos e Parque<br />

Empresarial da Cancela. O espaço total <strong>das</strong> 3 lojas<br />

é de 3.300 m2. Dois funcionários estão afetos a entrega<br />

de material com motos e carros, de forma a<br />

agilizar as entregas. “Fomos inovadores numa série<br />

de serviços que agora são banais, nomeadamente as<br />

entregas de carros e motas que fazemos desde que a<br />

empresa existe. Na altura esse serviço era inovador,<br />

e a sua implementação não era tanto pela pressão<br />

da concorrência, mas sobretudo pela diferenciação<br />

de serviço”, refere João Carlos Correia.<br />

Portfólio global de produtos faz<br />

a diferença<br />

O que distingue a Auto Pop da concorrência e continua<br />

a fazer a diferença é o seu portfólio global<br />

de produtos, que inclui peças auto e para camiões,<br />

lubrificantes, ferramentas, equipamentos oficinais<br />

e agora repintura automóvel. Na loja da Cancela<br />

possui um showroom tipo self-service sobretudo<br />

com ferramentas e produtos car care, onde o<br />

cliente pode servir-se. Dentre as marcas que comercializa<br />

destacam-se a Malhe, KS, Payen, LUK,<br />

Quinton Hazell, Hepolite, febi e Champion. Mais<br />

recentemente importou durante alguns anos, óleo<br />

da Comma, mas com a saída do Reino Unido da<br />

Comunidade Económica Europeia, tudo ficou<br />

mais difícil.<br />

Possui perto de um milhão de euros em stock, pois<br />

a descontinuidade territorial obriga a este tipo de<br />

opção. “Os retalhistas do continente não têm este<br />

tipo de preocupação, porque pedem um artigo em<br />

falta de manhã e o fornecedor entrega à porta da<br />

parte da tarde. Na Madeira o mercado nos últimos<br />

anos está muito concorrencial, quem não tem<br />

stock, perde a venda para outro concorrente. Um<br />

A auto POP CONTA COM 21 FUNCIONÁRIOS EM 3 LOJas,<br />

FUNCHAL, CÂMARA DE LOBOS E PARQUE EMPRESARIAL DA CANCELA.<br />

DOIS DESTES FUNCIONÁRIOS ESTÃO afetos A ENTREGA DE MATERIAL<br />

COM MOTOS E CARROS, DE FORMA A agilizar as ENTREGAS<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 61


A INDÚSTRIA AUTOMÓVEL ENTROU NUM NOVO PARADIGMA,<br />

COM OS CARROS MODERNOS A TORNAREM-SE CENTROS DE DADOS<br />

SOBRE RODAS. A AUTO POP ESTÁ A ACOMPANHAR ESTA EVOLUÇÃO<br />

ESTANDO AO LADO DOS GRANDES PARCEIROS<br />

pedido a um fornecedor do continente,<br />

se vier em carga normal, por via<br />

marítima, no mínimo demora 15 dias<br />

até estar na prateleira. Os encargos<br />

com stocks e transporte são por isso<br />

cada vez mais elevados”, afirma João<br />

Carlos Correia.<br />

A empresa trabalha há muitos anos<br />

com a Carsistema Portugal e em<br />

2023 começou com mais uma empresa<br />

deste grupo, a Portepim, tendo<br />

sido nomeada distribuidor exclusivo<br />

da Cromax para a Madeira, adicionando<br />

assim as tintas para repintura<br />

automóvel ao já de si extenso portfólio<br />

de produtos que comercializa. O<br />

balanço desta parceria da Auto Pop<br />

com a Portepim, onde estão incluí<strong>das</strong><br />

as marcas Cromax e Challenger,<br />

tem sido extremamente positivo,<br />

como nos conta o empresário “Com<br />

esta parceria a Auto Pop passou a<br />

contar com uma marca de referência<br />

no setor da repintura automóvel,<br />

num segmento premium com Cromax,<br />

e também num segmento um<br />

pouco mais económico, com a marca<br />

Challenger, ambas do grupo Axalta,<br />

possibilitando aos nossos clientes<br />

trabalharem com produtos de excelente<br />

qualidade e que permitem uma<br />

maior eficiência e rentabilidade <strong>das</strong><br />

oficinas. Estamos convictos que no<br />

futuro esta parceria continuará a<br />

acrescentar muito valor às entidades<br />

envolvi<strong>das</strong>.”<br />

As ven<strong>das</strong> ao balcão continuam a<br />

ser fortes, pois a Auto Pop é a empresa<br />

de peças mais conhecida junto<br />

do consumidor final, não só pela<br />

presença ao longo dos anos e notoriedade<br />

do nome, mas também pela<br />

aposta contante em publicidade e<br />

apoio ao longo dos anos ao desporto.<br />

Relativamente à gestão <strong>das</strong> encomen<strong>das</strong><br />

dos clientes, João Correia<br />

diz que “A implementação de uma<br />

plataforma B2B será o próximo desafio.<br />

Já tivemos esse serviço de uma<br />

forma primitiva, nos anos 70 a oficina<br />

não oficial mais importante de<br />

reparações Mercedes, tinha uma extensão<br />

direta para a nossa loja. De<br />

momento as encomen<strong>das</strong> são feitas<br />

diretamente para os nossos funcionários<br />

e continuamos a privilegiar o<br />

contacto direto.” Em relação ao tema<br />

da sustentabilidade, João Correia diz<br />

que “A Auto Pop, rege-se por padrões<br />

de sustentabilidade e consciência<br />

ambiental, pois queremos o bem-estar<br />

da comunidade, como também<br />

DISTINÇÕES E RECONHECIMENTO<br />

esde 1998 que a Auto Pop é distinguida como PME Excelência ou Líder, e ainda no ano passado<br />

D cumpriu com todos os requisitos para ser novamente PME Líder. O sócio fundador foi agraciado pela<br />

Cruz Vermelha Portuguesa, e pela ACIF, como empresário do ano, e mais recentemente, no Dia da Região,<br />

pelo Governo Regional da Madeira com a insígnia de bons serviços em prol da região, isto é um atestado de<br />

confiança e revela também que a empresa pode e deve trabalhar em prole da comunidade. Apoiou durante<br />

vários anos o desporto regional em muitas modalidades, inclusive com oferta de carrinhas a grupos<br />

desportivos e também associações de carácter social. Ao longo dos anos, tem estado envolvida em várias<br />

iniciativas desportivas, teve uma equipa de futebol infantil, que foi campeã regional do último torneio Mário<br />

de Freitas, e durante alguns anos teve também uma equipa de ciclismo. Apoia várias modalidades<br />

desportivas ao longo dos anos, já o apoio ao automobilismo regional surge de uma forma natural e altruísta,<br />

sem qualquer tipo de intenção, que não o de carácter desportivo.<br />

<strong>das</strong> gerações futuras. A empresa é<br />

auditada, pelas entidades ambientais,<br />

porque, na Madeira fomos os<br />

primeiros retalhistas no ramo automóvel,<br />

a ter uma licença para gestão<br />

de resíduos de baterias, com recolha<br />

e acondicionamento de baterias usa<strong>das</strong>,<br />

que depois são transporta<strong>das</strong><br />

para o continente para serem reutiliza<strong>das</strong><br />

e recicla<strong>das</strong>.”<br />

Critério na escolha<br />

de parceiros<br />

Quanto à entrada de novas marcas<br />

no portfólio, João Carlos Correia diz<br />

estar “sempre atento a novas oportunidades<br />

de negócio, mas somos<br />

muito criteriosos na escolha de parceiros,<br />

a mera escolha de fornecedor<br />

não acontece de ânimo leve, até<br />

porque a escolha de um fornecedor<br />

passa por fatores complementares,<br />

qualidade, disponibilidade de stock,<br />

preço, capacidade de logística e formação.<br />

Só parceiros com este mix de<br />

oferta podem trazer mais-valias para<br />

a empresa”. A Auto Pop tem algumas<br />

marcas exclusivas, mas num mercado<br />

global, cada vez é mais difícil, pois<br />

o cliente é livre e compra onde mais<br />

lhe convém, sabendo que tem de<br />

estar atento aos seus direitos como<br />

62 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


AUTO POP<br />

consumidor, o direito à reclamação,<br />

à devolução e à garantia, aspetos que<br />

são muitas vezes descorados num<br />

mercado global, em que as pessoas<br />

fazem compras online, por impulso.<br />

“Num mercado agressivo e concorrencial,<br />

só há uma forma de atuar, ter<br />

um bom stock, trabalhar com grandes<br />

marcas, ter preços honestos, e<br />

ter uma boa equipa de funcionários,<br />

para que no fim o cliente, nos eleja<br />

como a sua casa de referência”, conclui<br />

João Carlos Correia.<br />

Distinções e reconhecimento<br />

Desde 1998 que a Auto Pop é distinguida<br />

como PME Excelência ou<br />

Líder, e ainda no ano passado cumpriu<br />

com todos os requisitos para<br />

ser novamente PME Líder. O sócio<br />

fundador foi agraciado pela Cruz<br />

Vermelha Portuguesa, e pela ACIF,<br />

como empresário do ano, e mais recentemente,<br />

no Dia da Região, pelo<br />

Governo Regional da Madeira com<br />

a insígnia de bons serviços em prol<br />

da região, isto é um atestado de confiança<br />

e revela também que a empresa<br />

pode e deve trabalhar em prole da<br />

comunidade. Apoiou durante vários<br />

anos o desporto regional em muitas<br />

modalidades, inclusive com oferta<br />

de carrinhas a grupos desportivos e<br />

também associações de carácter social.<br />

Ao longo dos anos, tem estado<br />

envolvida em várias iniciativas desportivas,<br />

teve uma equipa de futebol<br />

infantil, que foi campeã regional do<br />

último torneio Mário de Freitas, e<br />

durante alguns anos teve também<br />

uma equipa de ciclismo. Apoia várias<br />

modalidades desportivas ao longo<br />

dos anos, já o apoio ao automobilismo<br />

regional surge de uma forma natural<br />

e altruísta, sem qualquer tipo<br />

de intenção, que não o de carácter<br />

desportivo.<br />

Evoluir de forma sustentada<br />

Relativamente aos cenários mais<br />

prováveis para os próximos anos, o<br />

empresário afirma “A Madeira depende<br />

do turismo, tem pouca indústria<br />

e agricultura, qualquer oscilação<br />

neste setor (turismo) pode<br />

condicionar para baixo ou para cima<br />

os rácios. Não estou apenas a falar do<br />

rent-a-car, mas também do grande<br />

número de famílias e empresas <strong>das</strong><br />

mais diferentes áreas que dependem<br />

deste sector, pois não há na Madeira<br />

nenhuma família que não tenha algum<br />

familiar a trabalhar na área do<br />

turismo. Quando se está dependente<br />

de um só sector tudo pode acontecer.<br />

A emigração em massa nos últimos<br />

anos, as estra<strong>das</strong> melhores e as viaturas<br />

mais modernas condicionam<br />

sobremaneira o nosso negócio. No final,<br />

a fatia que sobra é pequena para<br />

dividir por tantos.”<br />

Outro fator de grande instabilidade<br />

é a constante falta de mão-de-obra,<br />

a todos os níveis preocupante, juntamente<br />

com uma falta de matéria-<br />

-prima e a crescente inconstância<br />

dos preços”.<br />

O mais importante é mantermo-nos<br />

competitivos no nosso mercado, evoluir<br />

de uma forma sustentada, sempre<br />

com o foco nas novas oportunidades<br />

de negócio, e criar parcerias<br />

com fornecedores que pensem da<br />

mesma forma, sabendo que em 2024<br />

trazemos novidades para o mercado<br />

regional, com a abertura de um novo<br />

balcão. . l<br />

TRABALHAR COM RIGOR, OFERECER SOLUÇÕES SEGURAS<br />

E DE QUALIDADE, COM PREÇOS HONESTOS, TER UMA EQUIPA<br />

DE TRABALHO MOTIVADA E UM LEQUE DE FORNECEDORES<br />

DE EXCELÊNCIA, SÃO OS PILARES DO SUCESSO DA AUTO POP<br />

MERCADO PEQUENO E MUITO CONCORRENCIAL<br />

Madeira, devido à descontinuidade territorial, tem características próprias, e é um<br />

A mercado pequeno, com 250.000 habitantes. Para criar volume e escala, as empresas de<br />

distribuição de peças têm de dedicar-se a uma oferta de carácter mais global e aproveitar o<br />

pouco que há da procura da indústria e da agricultura, que é residual. Por outro lado, devido à<br />

distância em relação aos fornecedores, há uma pressão muito grande sobre os stocks, pois quem<br />

não tem a peça de uma forma imediata, perde a venda para o seu concorrente. A quilometragem<br />

média na Madeira é muito menor em relação ao continente, com a agravante <strong>das</strong> estra<strong>das</strong> nos<br />

últimos 25 anos terem melhorado muito e as distâncias terem sido encurta<strong>das</strong> pelos 150 km de<br />

túneis que existem por toda a ilha. Como resultado, os elementos de maior desgaste<br />

substituem-se mais espaçadamente, como é o caso <strong>das</strong> embraiagens, travagem e suspensão.<br />

Para agravar a situação, as Inspeções Periódicas Obrigatórias, não fazem vistoria aos<br />

amortecedores.<br />

A concentração da distribuição de peças não está a acontecer na Madeira, uma vez que o negócio<br />

está muito fragmentado. A concorrência é feroz e concentra-se num espaço de 25 quilómetros<br />

lineares, em que coabitam concessionários e mais ou menos 40 lojas de peças multimarca. O<br />

custo logístico da entrega de peças nas oficinas tem vindo a aumentar, e sobre esta situação<br />

João Carlos Correia afirma que “por vezes, os custos são superiores ao lucro, estamos sempre na<br />

expetativa que o dia seguinte será melhor, que o cliente reconheça o serviço e compre mais, por<br />

forma a rentabilizar a entrega. Estes custos, embora partilhados entre vários clientes, num só<br />

transporte, no final, deixa pouco sumo devido aos elevados encargos”.<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 63


Oficina<br />

do Mês<br />

auto services<br />

A oficina do mês é patrocinada por TotalEnergies QUARTZ (autoservices)<br />

ARENES CAR<br />

COMPETÊNCIA<br />

E EFICIÊNCIA!<br />

A ARENES CAR NASCEU DA PAIXÃO DOS IRMÃOS ROMÃO PELOS AUTOMÓVEIS. APÓS LONGAS CARREIRAS<br />

NO RAMO DA REPARAÇÃO AUTOMÓVEL, NOMEADAMENTE NOS CONCESSIONÁRIOS DA MERCEDES,<br />

AUDI, VOLKSWAGEN E PEUGEOT, DECIDIRAM TORNAR O SONHO REALIDADE. ADQUIRIRAM INSTALAÇÕES,<br />

FERRAMENTAS TOPO DE GAMA E CRIARAM A ARENES CAR, LDA., SITUADA NO BAIRRO ARENES EM TORRES<br />

VEDRAS, UMA OFICINA COM 1500M 2<br />

Passados dezanove anos desde a sua inauguração,<br />

a Arenes Car mantém a estratégia e os resultados<br />

estão à vista, com uma clientela fiel,<br />

que valoriza o asseio e conforto <strong>das</strong> instalações, assim<br />

como a excelência do serviço, assegurado pela competência<br />

técnica de toda a equipa e pelos equipamentos<br />

de última geração. Os irmãos Romão sabem que a<br />

qualidade <strong>das</strong> reparações depende de especificações e<br />

procedimentos recomendados pela origem, por isso,<br />

nas reparações realiza<strong>das</strong>, as peças de substituição<br />

são originais ou de marcas premium aftermarket.<br />

“Estar atualizado é meio caminho andado para conseguir<br />

dar resposta às solicitações dos nossos clientes,<br />

por isso na Arenes Car procuramos estar a par dos<br />

mais recentes desenvolvimentos e inovações no setor<br />

automóvel”, referem os irmãos Romão. Neste sentido,<br />

a oficina dispõe de equipamentos de diagnóstico<br />

multimarcas e um específico da Mercedes-Benz, para<br />

o qual fizeram um contrato com a marca alemã que<br />

autoriza a sua utilização, tendo também acesso à plataforma<br />

B2B Connect Mercedes-Benz, que permite<br />

registar to<strong>das</strong> as revisões efetua<strong>das</strong>, bem como consultar<br />

todos os registos feitos <strong>das</strong> viaturas em qualquer<br />

concessionário da marca.<br />

Horário alargado<br />

A Arenes Car dispõe de um horário alargado de trabalho<br />

entre as 9h e as 24h, para dar resposta às solicitações<br />

dos clientes que se dividem em 70% particulares<br />

e 30% empresas. Para além dos serviços de mecânica,<br />

possui também bate-chapa, pintura, substituição<br />

de pneus, alinhamentos de direção, eletricista e técnicos<br />

de diagnósticos. “Queremos fidelizar os clientes<br />

pela qualidade do serviço e pela nossa honestidade,<br />

transparência e seriedade, por isso não poupamos esforços<br />

para conseguir satisfazer as suas necessidades<br />

e superar as suas expetativas. A promoção e divulgação<br />

da oficina é feita pelos próprios clientes, que se<br />

encarregam de recomendar a Arenes Car a familiares<br />

e amigos, contribuindo assim para o crescimento da<br />

carteira de clientes”, afirmam os responsáveis. A Arenes<br />

Car Privilegia a qualidade dos serviços prestados<br />

ARENES CAR<br />

Gerentes<br />

João Carlos Lopes Romão<br />

Nuno Afonso Lopes Romão<br />

Morada<br />

Praceta Joaquim Pires Lote 9,10,11 e 12 Zona<br />

Industrial de Arenes 2560-647 Torres Vedras<br />

Telefone<br />

261 316 252<br />

Email<br />

geral@arenescar.pt<br />

Site<br />

www.arenescar.pt<br />

e a formação contínua dos seus colaboradores, que<br />

fazem com frequência formações diversas no CEPRA<br />

e através da ANECRA da qual é associada, para se<br />

manterem atualizados com as novas tecnologias e<br />

conseguirem dar uma melhor resposta às necessidades<br />

dos clientes, nomeadamente veículos elétricos e<br />

híbridos. A nível de equipamentos dispõe também de<br />

um banco de ensaio para carroçarias, duas máquinas<br />

de carregamento de ar condicionado, uma para o gás<br />

R134a e outra para o gás R1234yf.<br />

Capacidade de adaptação<br />

Cada vez mais a internet e as redes sociais têm um<br />

papel importante nas relações com os clientes, na<br />

divulgação de campanhas e na demonstração dos<br />

serviços. Situada numa zona industrial em forte<br />

crescimento quer geográfico, quer económico, em<br />

2024 a Arenes Car vai apostar na consolidação, investimento<br />

na formação profissional, reorganização<br />

e adaptação de processos de forma a prestar um<br />

serviço ainda melhor ao cliente. Quanto ao futuro,<br />

os irmãos Romão estão otimistas quando assinalam<br />

que “Não temos de nos preocupar com as mudanças,<br />

mas temos de estar atentos e de nos atualizar<br />

constantemente para nos adaptarmos a fenómenos<br />

como os veículos conectados e, cada vez mais, os<br />

veículos híbridos e elétricos. Num futuro próximo,<br />

as reparações irão concentrar-se cada vez mais nos<br />

carros elétricos, o que irá exigir mão-de-obra qualificada<br />

para esta nova tecnologia e será importante<br />

estarmos conscientes e prepararmo-nos”. l<br />

64 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


A ARENES CAR DISPÕE DE UMA ORGANIZAÇÃO BASTANTE SÓLIDA,<br />

COM COLABORADORES PROFISSIONAIS COM UMA VASTA EXPERIÊNCIA<br />

NO SETOR AUTOMÓVEL, E A PROVA DA VALIDADE DO PROJETO É<br />

O FEEDBACK DOS CLIENTES COM UMA EXCELENTE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO<br />

EFETUADO AO LONGO DE QUASE DUAS DÉCADAS


NOTÍCIAS // DINÂMICA DO SETOR ESCREVE ‐SE DE A A Z<br />

Empresas<br />

APRESENTA AO MERCADO<br />

NOVA PLATAFORMA DIGITAL<br />

EUROL | A Eurol está a apostar numa plataforma digital composta<br />

por um novo site, ambiente de comércio eletrónico, sistema de gestão<br />

de informações de produtos e portal de marca. Ao reunir os produtos<br />

comerciais e especializados numa plataforma integrada através do<br />

website eurol.com, a Eurol proporciona uma experiência perfeita, completa<br />

e fácil de utilizar. Os clientes têm acesso direto à extensa gama<br />

de produtos, fáceis de encontrar e encomendar num local central. A<br />

mudança para uma plataforma integrada é um passo lógico, à medida<br />

que cada vez mais clientes adquirem uma vasta gama de produtos,<br />

incluindo a linha Eurol Specialty. Estas ferramentas permitem que os<br />

utilizadores façam a melhor escolha de produto de maneira rápida e<br />

fácil. Além disso, o ambiente integrado de comércio eletrónico facilita<br />

aos utilizadores fazer pedidos online através de seu próprio ambiente.<br />

Outra novidade é o sistema Product Information Management (PIM),<br />

que atua como um banco de dados central com informações comerciais<br />

e técnicas dos produtos.<br />

É NECESSÁRIO<br />

“VER E SER VISTO” REFORÇA<br />

ESTUDO DA PHILIPS<br />

A<br />

Philips divulgou a conclusão do estudo sobre “Sinistralidade rodoviária devido a iluminação<br />

inadequada”, numa conversa streaming, em que o <strong>Jornal</strong> <strong>das</strong> <strong>Oficinas</strong> esteve presente.<br />

O estudo em questão analisou o nível de sensibilização da sociedade para a iluminação<br />

como um sistema de segurança ativa dos veículos que deve ser implementado para evitar as mais<br />

de 6.000 mortes em acidentes de viação com visibilidade limitada devido a iluminação deficiente,<br />

nos próximos dez anos. O objetivo deste novo estudo é continuar a contribuir para a informação<br />

sobre a importância da iluminação dos veículos de forma a minimizar os acidentes de viação<br />

e as suas consequências. Foi ainda divulgado, que um em cada três acidentes de viação, é causado<br />

por visibilidade limitada ou iluminação deficiente (36,6%). Os autores do estudo salientam que é<br />

de esperar que a recente autorização legal para atualizar a frota de veículos de halogéneo padrão<br />

para a tecnologia LED tenha um impacto positivo na redução dos acidentes e da sua gravidade.<br />

TRAVAGEM SKF CHEGA À ROMAFE<br />

ROMAFE | A Romafe começou a comercializar os kits de travagem<br />

da SKF. A empresa já há várias déca<strong>das</strong> que detinha no seu portfólio<br />

outras linhas de produto desta mesma marca, designadamente os<br />

rolamentos. “Queremos que os nossos clientes não apenas comprem<br />

peças; queremos que se destaquem, que escolham a diferença. A Romafe<br />

tem a honra de anunciar a distribuição do mais recente avanço<br />

da SKF. A travagem SKF foi desenvolvida para superar os padrões de<br />

qualidade dos fabricantes de equipamentos originais”, referiu a Romafe.<br />

Como uma empresa comprometida com a excelência, a Romafe<br />

tem desempenhado um papel crucial na distribuição dos produtos da<br />

SKF ao longo de déca<strong>das</strong>. “Esta nova adição à nossa linha de produtos<br />

fortalece ainda mais a nossa posição como elo confiável para a mais<br />

alta qualidade. A colaboração entre a SKF e a Romafe reitera o nosso<br />

compromisso em fornecer inovação premium aos nossos clientes”,<br />

acrescentou a empresa.<br />

INAUGURA NOVO ARMAZÉM<br />

COM 12.700 M 2 EM VALÊNCIA<br />

NRF | A NRF, inaugurou o seu novo armazém em Valência, com uma<br />

área total de 12.700 metros quadrados. Este importante desenvolvimento,<br />

reflete a clara intenção de satisfazer as crescentes exigências<br />

dos seus clientes, tanto no mercado espanhol, no português, como<br />

nos mercados de exportação internacionais. Com esta significativa expansão<br />

do espaço, a NRF Espanha prepara-se para gerir um stock cada<br />

vez maior, otimizar processos de entrega, atender pedidos e oferecer<br />

um nível de serviço ainda mais alto aos seus parceiros de negócios.<br />

Para além da sua função principal de armazém, também será utilizado<br />

para organizar reuniões locais e internacionais com clientes, graças ao<br />

espaço de escritório habilitado para isso. Eduardo Gijón Pérez, Diretor<br />

da NRF Espanha, expressou: “Este novo armazém, não só resolve os<br />

problemas de falta de stock dos nossos distribuidores, como também<br />

reforça o nosso compromisso com a sustentabilidade. A nossa estrutura<br />

logística de classe mundial reduz a pegada de carbono derivado <strong>das</strong><br />

longas cadeias de abastecimento habituais para a Península Ibérica e a<br />

excessiva fragmentação da distribuição.<br />

66 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


EM GRANDE NO CIRCUITO DO ESTORIL<br />

NAPA | O Circuito do Estoril recebeu no final de novembro, a última ronda do NAPA RACING WEEKEND,<br />

onde mais de 2.500 convidados da marca puderam viver as emoções de três corri<strong>das</strong> diferentes mas igualmente<br />

emocionantes. O aspeto mais significativo do evento foi a presença do elevado número de convidados<br />

da NAPA, em representação <strong>das</strong> muitas oficinas clientes de produtos da marca, que através da Soulima<br />

tem vindo a consolidar a sua presença em Portugal. Através de um acordo com a Federação Portuguesa de<br />

Automobilismos e Karting, a NAPA proporcionou um fim de semana repleto de emoções e muito convívio<br />

aos seus clientes que compareceram em grande número para assistir às corri<strong>das</strong> e a diversas atividades interessantes<br />

com muitas surpresas. As famílias dos clientes convidados pela NAPA divertiram-se e estiveram<br />

totalmente envolvi<strong>das</strong> nas atividades que tiveram lugar no domingo. A festa foi completa com milhares de<br />

fãs que se dirigiram para o pit lane e para o stand do NAPA. A foto de grupo na grelha de partida da corrida<br />

mais importante do dia foi um dos pontos altos, com paragens nas boxes, sessões de autógrafos dos pilotos<br />

e os convidados a verem de perto os carros de corrida.<br />

DISTINGUIDA NOS PRÉMIOS<br />

WORLD SUSTAINABILITY AWARDS<br />

CLARIOS | A Clarios, fabricante <strong>das</strong> baterias VARTA, ganhou o prémio World Sustainability<br />

Awards na categoria de “Economia Circular”. Como líder mundial em tecnologias de<br />

baterias de baixa tensão (essenciais para o futuro da mobilidade), a Clarios foi uma <strong>das</strong> 15<br />

empresas pré-seleciona<strong>das</strong> para o prémio e a única empresa do sector automóvel a chegar<br />

à fase final na categoria “Economia Circular”. Este prémio reconhece as empresas que estão<br />

a repensar as suas operações e cadeias de valor com o intuito de “construir um futuro mais<br />

sustentável. Este reconhecimento envolve a criação de ‘ciclos’ nos quais materiais e produtos<br />

são continuamente reutilizados, reciclados e preservados, destacando organizações que se<br />

esforçaram por promover uma economia circular através de mudanças substanciais na sua<br />

forma de gerir o negócio.” A Clarios recolhe cerca de 8.000 baterias usa<strong>das</strong> a cada hora em<br />

todo o mundo e transforma-as em baterias novas, com o objetivo de garantir que to<strong>das</strong> as<br />

baterias sejam produzi<strong>das</strong> de forma responsável e possam ser recupera<strong>das</strong> e reutiliza<strong>das</strong>.<br />

PUB<br />

SEMPRE<br />

CONSIGO<br />

Cada dia... mais próximo de si<br />

O SEU DISTRIBUIDOR INTEGRAL DE PNEUS<br />

Serviço de proximidade<br />

80% do território continental<br />

com 2 entregas diárias<br />

Garantia de disponibilidade<br />

3 plataformas em Portugal com<br />

13.000m 2 e um stock global de<br />

mais de 300.000 pneus<br />

Tratamento personalizado<br />

Equipa comercial e<br />

Call Center dedicado<br />

Vanguarda tecnológica<br />

Conexão aos clientes 365 dias<br />

por ano graças a um dos B2B’s<br />

mais completos do mercado<br />

geral@nextyres.pt | 21 954 05 00 | www.nextyres.pt<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 67


NOTÍCIAS<br />

EMPRESAS<br />

DIESEL TECHNIC<br />

FAZ BALANÇO POSITIVO<br />

DO ANO 2023<br />

Apesar dos contínuos conflitos políticos globais, a Diesel Technic consegue fazer uma retrospetiva<br />

positiva de 2023. A base do sucesso é a alta disponibilidade e eficiência logística,<br />

alia<strong>das</strong> a um excelente atendimento ao cliente. Para otimizar e melhorar sempre estes parâmetros<br />

para o sucesso, muita coisa aconteceu novamente em 2023. A sede da empresa na Alemanha<br />

recebeu três novos “funcionários” desde junho. São três Veículos Guiados Automaticamente.<br />

Eles podem movimentar até 500 paletes por dia, aliviando a empresa, pois o grau de automação<br />

foi aumentado e os processos otimizados. Os Parts Specialists estiveram mais uma vez em frente<br />

às câmaras, filmando vários vídeos de oficina e PS Tips. Pela quarta vez consecutiva, Sascha Lenz<br />

do SL TruckSport 30 está contando com a alta qualidade <strong>das</strong> peças de reposição patrocina<strong>das</strong> pela<br />

DT Spare Parts. Sascha testou as suas competências em oito pistas diferentes em outros oito países.<br />

Com o seu excelente desempenho, ele conseguiu defender o terceiro lugar na classificação geral do<br />

ano passado, tendo sido homenageado como “Piloto da Temporada”.<br />

REFORÇA PRESENÇA NACIONAL COM QUATRO NOVAS OFICINAS<br />

TOPCAR | A TOPCAR anunciou a expansão significativa da sua presença em território nacional, com a abertura de quatro<br />

novas oficinas estrategicamente localiza<strong>das</strong> em diferentes regiões do país. Este crescimento vem reforçar o compromisso contínuo<br />

da TOPCAR na oferta de uma cobertura extensa e conveniente para os seus clientes. São novos centros de excelência em serviços<br />

automóveis, distribuídos pelas regiões de Lisboa, Porto, Aveiro e Beja: TOPCAR - VIP CAR Service, no Porto, TOPCAR - CAR Solutions,<br />

em Aveiro, TOPCAR - MT Auto Service, em Lisboa e por fim, em Beja, a TOPCAR - Quadrante Autónomo. Com essas quatro integrações,<br />

a TOPCAR atinge um total de 103 oficinas em todo o país, solidificando a sua posição de líder em soluções de manutenção e reparação<br />

multimarca. As áreas de especialização abrangem a mecânica, a eletrónica, o diagnóstico, a colisão e lavagem, proporcionando aos<br />

clientes uma ampla gama de serviços. De realçar que, to<strong>das</strong> as oficinas estão equipa<strong>das</strong> com tecnologia de ponta e que contam<br />

com uma equipa de profissionais altamente qualificados e comprometidos na garantia de um serviço de qualidade aos clientes da<br />

TOPCAR.<br />

EM DESTAQUE<br />

NO SALÃO DA MOBILIDADE<br />

SOARAUTO | A Soarauto esteve em destaque no Salão da Mobilidade,<br />

evento realizado em Braga de 3 a 5 de novembro. Com um<br />

espaço onde a parceria com a AD foi notória, a Soarauto apresentou<br />

as diversas soluções para oficinas que disponibiliza através da AD,<br />

entre elas Programa Millennium, AD360, AD Formação, AD Campus<br />

e Equipamentos Oficinais. A Soarauto dinamizou o seu espaço com<br />

diversos workshops relacionados com o tema do salão, que foi<br />

aberto para todos os visitantes do certame. Em paralelo, e como<br />

ponto alto no auditório do Altice Forum Braga, organizou o evento<br />

reservado a convidados denominado “Oficina com futuro”, que<br />

contou com a participação de cerca de 100 parceiros oficinais, entre<br />

eles atuais <strong>Oficinas</strong> que pertencem ao projeto AD, assim como potenciais<br />

futuras oficinas aderentes, onde se abordaram os grandes<br />

desafios que as oficinas têm pela frente no que toca à constante e<br />

cada vez mais rápida evolução tecnológica nos automóveis.<br />

RECONHECIDAS COMO “TECDOC<br />

PREMIER DATA SUPPLIER”<br />

UFI E SOFIMAY | A UFI e a SOFIMA, marcas dedica<strong>das</strong> ao<br />

mercado pós-venda do Grupo UFI Filters, passam a integrar a categoria<br />

“TecDoc Premier Data Supplier”. Esta prestigiada certificação<br />

é concedida a fornecedores que atendem aos mais altos padrões de<br />

qualidade TecDoc para os dados de produtos. Existem muitos fatores<br />

que permitiram que as marcas UFI e SOFIMA entrassem nesta<br />

categoria, em primeiro lugar a gama completa graças ao trabalho<br />

de uma equipe dedicada, mas também uma atenção especial à<br />

qualidade <strong>das</strong> informações e imagens, atualizações oportunas e<br />

pontuais. Os catálogos UFI e SOFIMA no TecDoc apresentam uma<br />

oferta completa em termos de filtros de ar, carburante, óleo do<br />

motor e habitáculo. Ambas as gamas têm mais de 2.400 códigos<br />

para automóveis e veículos comerciais ligeiros e abrangem mais<br />

de 27.000 aplicações, cerca de 50% <strong>das</strong> quais são automóveis<br />

lançados no mercado nos últimos cinco anos. Os catálogos de<br />

pós-venda UFI e SOFIMA garantem uma cobertura da frota em<br />

circulação europeia de mais de 98% sobre to<strong>das</strong> as famílias de<br />

produtos representa<strong>das</strong>.<br />

68 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


GAMA LIGEIROS & PESADOS<br />

JÁ EM STOCK<br />

IMPORTADOR PORTUGAL E ESPANHA<br />

Saiba mais em www.sjosepneus.com ou contacte o comercial da sua zona.


NOTÍCIAS<br />

EMPRESAS<br />

ALECARPEÇAS INAUGURA<br />

NOVA LOJA EM ALBUFEIRA<br />

A<br />

AleCarPeças abriu uma nova loja em Albufeira, com 900 m2, uma equipa de seis colaboradores<br />

e um stock completo de peças de marcas premium. A inauguração <strong>das</strong> novas instalações, que<br />

decorreu no dia 13 de novembro, contou com a presença de muitos representantes <strong>das</strong> marcas<br />

fornecedoras, que consideram o novo projeto uma mais valia para o mercado de distribuição de peças<br />

na região algarvia. Com a abertura desta nova loja no Algarve, a AleCarPeças tem como objetivo aproximar-se<br />

mais dos clientes desta região e poder oferecer-lhes o mesmo nível de serviço que prestas nas<br />

suas instalações de Alcabideche e Maia. “Sempre achamos que para conseguir prestar um serviço de excelência<br />

na região sul precisaríamos de estar presentes com uma loja, pois só assim conseguimos mostrar<br />

os nossos pontos fortes, que são o serviço, profissionalismo de toda a equipa, disponibilidade de stock e<br />

oferta de produtos e soluções de qualidade superior”, referiu Tiago Domingos, diretor de Comunicação.<br />

MAIS UM PASSO NO CAMINHO<br />

DA SUSTENTABILIDADE<br />

RPL CLIMA | Com mais de 2 déca<strong>das</strong> dedica<strong>das</strong> à<br />

climatização automóvel, a RPL Clima pretende diversificar a<br />

sua gama de produtos, reafirmando o seu compromisso com<br />

a excelência e a sustentabilidade. Esse novo avanço, atesta<br />

a determinação da empresa em oferecer soluções que, não<br />

só atendam às necessidades dos clientes, mas também que<br />

antecipem os desafios de amanhã. O sistema de arrefecimento<br />

do veículo é um ponto muito importante, pois evita o<br />

sobreaquecimento do motor e pode ser um pesadelo quando<br />

o funcionamento deixa de ser eficaz. É neste segmento que<br />

a RPL Clima pretende agora oferecer soluções, adicionando<br />

ao seu portfólio uma vasta gama de Radiadores de Água,<br />

Radiadores de Óleo e Intercoolers, tudo desenvolvido sob os<br />

mais rigorosos padrões de qualidade e confiabilidade. Além<br />

de prezar a qualidade dos seus produtos, a empresa tem<br />

disponível para entrega imediata aos seus clientes, um vasto<br />

stock de produtos de linha térmica.<br />

PUB<br />

INCORPORA QUATRO<br />

NOVOS ACIONISTAS NACIONAIS<br />

TEMOT INTERNATIONAL | A TEMOT International reforçou significativamente<br />

a sua presença em Portugal em apenas algumas semanas. No último<br />

trimestre de 2023, recebeu quatro dos distribuidores mais conceituados do país<br />

como novos acionistas: Auto Silva Acessórios, Euromais, MF Pinto e Vieira & Freitas.<br />

As quatro empresas são reconheci<strong>das</strong> pela elevada qualidade <strong>das</strong> peças e serviços<br />

que oferecem, e proporcionam uma logística fiável, rápida e a nível nacional. O<br />

que to<strong>das</strong> têm em comum é o facto de terem conseguido um crescimento estável<br />

e saudável nos últimos anos. “Com a entrada destes quatro novos acionistas, a<br />

TEMOT voltou a ganhar importância em Portugal. Em conjunto, representam uma<br />

elevada quota de mercado no país. Com os seus recursos e a sua rede internacional,<br />

a TEMOT apoiá-las-á na prossecução bem sucedida <strong>das</strong> suas estratégias de crescimento<br />

nos próximos anos, e nós estamos realmente ansiosos por isso. O nosso<br />

principal objetivo é reforçar de forma sustentável a competitividade dos nossos<br />

membros, promovendo a cooperação, alcançando eficiências e criando sinergias”,<br />

afirma Fotios Katsardis, Presidente e CEO da TEMOT International.<br />

70 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


provam<br />

Cada bateria<br />

afirma ser a<br />

melhor do<br />

mercado.<br />

As nossas<br />

baterias<br />

provam<br />

isso<br />

isso<br />

quando<br />

necessário.<br />

<br />

<br />

<br />

.<br />

quando<br />

necessário.<br />

<br />

<br />

<br />

<br />

<br />

<br />

C riando o futuro – o caminho da Exide:<br />

Criando futuro - o caminho da Exide<br />

C – Exide:<br />

Inovação Confiabilidade<br />

Inovação Confiabilidade Sustentabilidade Alta Performance<br />

In<br />

Su s tentabilidade<br />

<br />

Sust<br />

Alta Performance<br />

<br />

exidegroup.com<br />

exidegroup.com


Técnica<br />

&Serviço


ANÁLISE E CONTROLO DOS TEMPOS<br />

EFICIÊNCIA E<br />

PRODUTIVIDADE!<br />

A MELHORIA DA EFICIÊNCIA E DA PRODUTIVIDADE SÃO DOIS<br />

DOS OBJETIVOS PRINCIPAIS DAS OFICINAS PARA AUMENTAR A<br />

RENTABILIDADE E ASSIM ASSEGURAR A CONTINUIDADE DO NEGÓCIO.<br />

TENDO EM CONTA A GRANDE COMPETITIVIDADE DO MERCADO<br />

E AS EXIGÊNCIAS TÉCNICAS E DE SERVIÇO POR PARTE DO CLIENTE,<br />

AS OFICINAS DEVEM REALIZAR UMA ADEQUADA E RIGOROSA GESTÃO<br />

DOS TEMPOS<br />

Há já algum tempo que se incluiu o termo<br />

“KPI” na melhoria e controlo da gestão da<br />

oficina. A sigla KPI resulta do inglês “Key<br />

Performance Indicator”, cujo significado em português<br />

será Indicador Chave de Desempenho. Os<br />

KPI são, portanto, indicadores baseados em valores<br />

obtidos do desempenho da oficina que permitem<br />

medir, analisar e controlar a situação e o progresso<br />

da mesma segundo a evolução destes dados,<br />

com o objetivo de detetar pontos de melhoria e<br />

tomar decisões. Os sistemas de gestão facilitam a<br />

tarefa de obtenção destes valores para a análise e<br />

controlo por parte da gerência da oficina. Há que<br />

ter em conta que os KPI devem ser específicos,<br />

mensuráveis, alcançáveis, relevantes e temporários.<br />

E incluídos nos KPI cruciais para a gestão<br />

da oficina encontram-se, entre outros, a eficiência<br />

e a produtividade. Para se alcançar o objetivo da<br />

melhoria destes valores nas oficinas, será preciso<br />

saber como se calculam e quantificá-los, para analisar<br />

a situação inicial, visto que para podermos<br />

melhorar algo devemos saber em primeiro lugar a<br />

situação em que nos encontramos.<br />

Eficiência<br />

A eficiência é um fator crucial para a oficina. Pode-<br />

-se calcular matematicamente dividindo o total de<br />

horas de trabalho vendi<strong>das</strong> (horas fatura<strong>das</strong>) pelo<br />

total <strong>das</strong> horas reais trabalha<strong>das</strong> (horas produtivas)<br />

e multiplicando o valor por 100 para se obter uma<br />

percentagem. O valor obtido deve rondar 120%.<br />

Este cálculo pode ser realizado para a oficina em<br />

geral, pode ser especificado para as diferentes áreas<br />

ou, inclusivamente, por operário.<br />

Produtividade<br />

A produtividade também é um indicador relevante<br />

e calcula-se dividindo as horas reais trabalha<strong>das</strong><br />

(horas produtivas) pelas horas disponíveis, ou seja,<br />

total de horas estabeleci<strong>das</strong> por acordo que um operário<br />

deve estar no seu posto de trabalho, mais as<br />

possíveis horas extra, e multiplicando o valor por<br />

100 para se obter uma percentagem. Este índice<br />

deve rondar os 85-90% e indica a proporção entre o<br />

tempo investido em trabalhos que são faturados em<br />

relação às horas presenciais. Ambos os valores exigem<br />

que a oficina disponha de um sistema de picagem<br />

para controlar as horas produtivas de cada um<br />

dos técnicos. Quando se obtêm baixos valores destes<br />

índices, tal facto pode dever-se a vários problemas,<br />

como: trabalhos não faturados por erro, baixo nível<br />

de entra<strong>das</strong> na oficina, repetições de trabalhos<br />

por erros, baixa qualificação dos operários, falta de<br />

formação ou de motivação, equipamentos e/ou instalações<br />

inadequa<strong>das</strong> ou manutenção incorreta <strong>das</strong><br />

mesmas, fraca organização da oficina, distribuição<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 73


TÉCNICA<br />

&SERVIÇO<br />

errada da oficina ou falta de espaço. A melhoria destes<br />

dois KPI exige, por parte da oficina, uma análise<br />

de todos os processos de trabalho, não só dos<br />

trabalhos de reparação, para agilizar os processos<br />

e detetar tempos mortos ou de espera, assim como<br />

dos congestionamentos que podem ocorrer em determina<strong>das</strong><br />

áreas. Nos tempos mortos ou de espera<br />

também se incluem os tempos resultantes da falta<br />

de peças de substituição, produtos ou ferramentas.<br />

Para melhorar os índices de eficiência e produtividade<br />

na oficina e, em especial, na área de pintura, é<br />

recomendável a realização <strong>das</strong> seguintes ações:<br />

Dispor de um sistema<br />

de gestão informatizado<br />

Para se poder realizar a medição, a análise e o controlo<br />

dos aspetos cruciais do negócio de forma simples<br />

é fundamental contar com um programa de<br />

gestão da oficina. Estes programas ajudam também<br />

a simplificar tarefas, como a gestão da produção, a<br />

contabilidade (orçamentos, faturas, guias de remessa),<br />

o controlo da assiduidade e <strong>das</strong> horas de produção,<br />

as relações com os clientes, etc., otimizando<br />

os recursos disponíveis da oficina. O conhecimento<br />

<strong>das</strong> ferramentas de avaliação e a utilização <strong>das</strong><br />

mesmas ajudarão as oficinas na elaboração de orçamentos<br />

e na relação <strong>das</strong> mesmas com as companhias<br />

seguradoras. Também é importante conhecer<br />

os critérios na utilização <strong>das</strong> tabelas de reparação e<br />

pintura. Estas ferramentas podem estar integra<strong>das</strong><br />

nos sistemas de gestão.<br />

Adequada distribuição<br />

≠e organização da oficina<br />

Uma adequada distribuição e organização da oficina<br />

permitirá o desenvolvimento da atividade nas melhores<br />

condições possíveis para se conseguir uma boa<br />

qualidade e rentabilidade. Uma má distribuição e organização<br />

implica maiores tempos mortos: de movimento<br />

de veículos; de espera de ferramentas, produtos<br />

ou peças de substituição; de repetições de trabalhos<br />

por contaminação entre zonas, etc. Para uma boa organização,<br />

deve realizar-se uma correta planificação e<br />

controlo dos recursos disponíveis. Uma correta manutenção<br />

<strong>das</strong> instalações evitará avarias e defeitos que<br />

possam provocar atrasos na atividade e na entrega de<br />

veículos. Num mercado tão competitivo como o <strong>das</strong><br />

oficinas é necessário estar a par dos avanços tecnológicos,<br />

tanto os que se incluem nos veículos e podem<br />

afetar os processos de reparação, como em relação aos<br />

equipamentos e ferramentas que se desenvolvem para<br />

a melhoria dos processos ou para a redução dos tempos<br />

e/ou consumos energéticos ou de material.<br />

Pessoal qualificado e motivado<br />

A falta de formação gera defeitos ou erros que implicam<br />

repetições ou aumentam os tempos dos processos.<br />

Por isso, é importante contar com pessoal qualificado<br />

e proporcionar-lhe a formação necessária para<br />

o desenvolvimento do trabalho de forma eficiente.<br />

Por outro lado, as pessoas necessitam sentir que são<br />

aprecia<strong>das</strong> e valoriza<strong>das</strong>, e que os seus esforços são<br />

suficientemente reconhecidos. Por isso, é importante<br />

contar com pessoal motivado, de forma a que se sinta<br />

envolvido e identificado com a organização, para que<br />

consiga um alto rendimento e produtividade, além<br />

de realizar um trabalho de alta qualidade e com uma<br />

mentalidade de melhoria constante. É recomendável<br />

a implementação de processos de qualidade padronizados<br />

para que todo o pessoal realize as tarefas do<br />

mesmo modo e de forma eficiente e correta.<br />

Prioridade à satisfação do cliente<br />

Um cliente satisfeito regressa à oficina e graças ao<br />

boca a boca pode gerar novos clientes. Assim, devemos<br />

saber aquilo que os clientes mais valorizam e<br />

conseguir desse modo aumentar a clientela e a fidelização<br />

da mesma. Em geral, os aspetos que os clientes<br />

mais valorizam são: a confiança, a qualidade, a<br />

rapidez e o custo. Outros serviços valorizados são:<br />

automóvel de substituição, pontualidade, marcação<br />

prévia, atendimento ao cliente, limpeza exterior e<br />

interior do veículo na entrega, recolha/entrega no<br />

domicílio/trabalho, promoções ou cartão de fidelização<br />

por consumo. Os inquéritos de satisfação do<br />

cliente podem ajudar a oficina a ter uma visão mais<br />

clara dos objetivos nos quais se deve focar.<br />

O objetivo final de to<strong>das</strong> estas medi<strong>das</strong> é melhorar<br />

a produtividade e a eficiência da oficina para que se<br />

traduzam em menores tempos de permanência dos<br />

veículos na oficina (tempo de ciclo), ampliar o número<br />

de clientes e permitir uma maior satisfação dos<br />

mesmos, conseguir maior rentabilidade, com mais<br />

receitas e melhores resultados para a oficina. l<br />

UM CLIENTE SATISFEITO REGRESSA À OFICINA E GRAÇAS ao BOCA A BOCA<br />

PODE GERAR NOVOS CLIENTES. assim, DEVEMOS SABER aquilo QUE<br />

OS CLIENTES MAIS valorizam E CONSEGUIR DESSE MODO aumentar A<br />

CLIENTELA E A FIDELIZAÇÃO DA MESMA<br />

74 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


COMO CALCULAR O CUSTO PREÇO/HORA<br />

DA MÃO DE OBRA DA OFICINA<br />

É IMPORTANTE QUE CADA OFICINA SAIBA COMO CALCULAR O CUSTO DO PREÇO DE MÃO DE OBRA, VISTO QUE UMA<br />

DAS DECISÕES MAIS IMPORTANTES QUE DEVE TER NUMA OFICINA QUANDO INICIA A SUA ATIVIDADE É A DE DETERMINAR<br />

O PREÇO QUE VAI COBRAR À HORA PELO SEU TRABALHO<br />

pesar de ser importante perceber o preço oferecido<br />

pelas oficinas da sua zona, é um erro<br />

A<br />

não ter em conta os custos, a expetativa de venda e/<br />

ou o benefício esperado. To<strong>das</strong> essas informações são<br />

fundamentais para tomar a decisão mais adequada.<br />

A venda de peças de substituição é outra linha de negócio<br />

da oficina, em muitas ocasiões a única rentável<br />

e que sustenta a atividade de reparações, que resulta<br />

em prejuízo porque foi estabelecido incorretamente<br />

o preço de venda abaixo do preço de custo. Por isso,<br />

foram realizados estudos oferecendo um cálculo<br />

aproximado e de orientação do custo do preço de<br />

mão de obra <strong>das</strong> oficinas e apresenta também a metodologia<br />

ou cálculos necessários sobre seis oficinas<br />

“imaginárias” diferentes, cada uma com os seus recursos<br />

humanos, equipamentos e gastos.<br />

Os recursos humanos e as horas<br />

disponíveis para faturar<br />

O primeiro procedimento que os responsáveis do<br />

estudo fizeram foi definir os perfis profissionais e<br />

salariais dos diferentes trabalhadores. Considera<br />

que todos os trabalhadores contribuem para a segurança<br />

social como trabalhadores por conta de<br />

outrem e que os trabalhadores independentes contribuem<br />

na mesma quantidade que um trabalhador<br />

por conta de outrem. No entanto, estima-se que<br />

esta situação seja pouco frequente. O mais habitual<br />

é que o empresário realize um esforço para conter os<br />

custos e reduza a sua contribuição para o mínimo,<br />

sacrificando a sua reforma e o seu futuro, de forma<br />

a reduzir os custos da oficina e colocar as contas da<br />

mesma em valores positivos. Este sacrifício, não<br />

deve ser utilizado como base de cálculo.<br />

Para calcular o custo da equipa, o número de horas<br />

de trabalho anual máximo dos trabalhadores é de<br />

1715 horas (52 semanas x 35 horas = 1820 horas - 3<br />

semanas de férias = 1715 horas), em que nem to<strong>das</strong><br />

as horas realiza<strong>das</strong> são fatura<strong>das</strong>. De facto, cada vez<br />

mais existem tarefas não fatura<strong>das</strong>. Por exemplo,<br />

os trabalhos administrativos e as tarefas de gestão<br />

não o são (não é tida em conta as negociações com<br />

peritos, atendimento ao cliente, fornecedores, coordenação<br />

de equipas, resolução de problemas, distribuição<br />

de tarefas...).<br />

Cada perfil profissional da equipa possui uma função<br />

diferente dentro da mesma e uma capacidade<br />

de gerar horas faturáveis. “Se o técnico apenas se<br />

dedica a reparar, temos uma disponibilidade inicial<br />

de 100% <strong>das</strong> suas horas para faturar, mas se a equipa<br />

é muito pequena, irá necessitar de dedicar parte<br />

do seu tempo a avaliações, encomen<strong>das</strong> de peças de<br />

substituição, faturas, atendimento ao cliente, atenção<br />

a peritos, etc., pelo que nem to<strong>das</strong> as horas serão<br />

faturáveis”, assinala o estudo.<br />

Para encontrar a percentagem de horas teórica faturável<br />

por perfil profissional, o estudo determina o<br />

custo dos recursos humanos, que é calculado multiplicando<br />

o número de pessoas de cada oficina X<br />

o custo total que representa cada uma e soma-os.<br />

Dessa forma, estabelece as horas disponíveis para<br />

faturar, que se calcula multiplicando o número de<br />

profissionais de cada oficina X 1.715 horas que pode<br />

dedicar por ano, a percentagem de horas faturáveis<br />

desse profissional e somando tudo.<br />

Estas horas faturáveis são teóricas porque na realidade<br />

aparecem uma série de fatores que nos<br />

impedem de faturar tantas horas, tais como o absentismo<br />

laboral. Não podemos evitar que os funcionários<br />

adoeçam, que tenham um filho, que lhes<br />

faleça um familiar... O absentismo a nível nacional<br />

situa-se nos 5%”. A este fator soma-se as tarefas não<br />

produtivas, pois não é possível evitar que se refaçam<br />

alguns trabalhos, nomeadamente a limpeza do local<br />

de trabalho, a formação dos trabalhadores no horário<br />

laboral, não se pode evitar momentos sem carga<br />

de trabalho... criando uma grande conquista conseguir<br />

faturar 80% de to<strong>das</strong> as horas teóricas.<br />

Portanto, de acordo com o estudo, deve-se ter em<br />

conta que o absentismo laboral reduz 5% <strong>das</strong> horas<br />

faturáveis e que a produtividade estará em volta dos<br />

80%. Deste modo, para obter um número de horas<br />

faturáveis, deve-se multiplicar as “horas teóricas faturáveis”<br />

X “absentismo laboral” X “produtividade”.<br />

Embora, este não é o custo à hora da oficina, visto<br />

que ainda falta calcular os gastos de amortização<br />

pelos investimentos na oficina e os gastos gerais e<br />

atribui-los à mão de obra.<br />

Pelo seu lado, os investimentos para iniciar a atividade<br />

da oficina dependem, logisticamente, dos serviços<br />

que essa oficina decida realizar porque esses<br />

serviços obrigam a um determinado investimento<br />

em maquinaria. Para iniciar a atividade, a oficina<br />

necessita de investir em instalações, em equipamentos<br />

(elevadores, carro de ferramentas, máquinas<br />

de montagem/desmontagem pneus, alinhadores<br />

direção...), obras de construção para adequar o<br />

local e para amortizar o investimento da oficina.<br />

Conclusões finais<br />

Depois da realização deste exercício, o estudo conclui<br />

que muitas oficinas não conhecem os seus custos<br />

nem a forma de calcular o custo da mão de obra, para<br />

além de assinalar que o que mais pesa no cálculo é o<br />

custo dos recursos humanos, ou seja, a quantidade e<br />

o seu salário. Além disso, entre as suas reflexões finais<br />

destaca que os salários fixados são inferiores a<br />

alguns acordos de concertação social, portanto, devem<br />

ser revistos em cada caso. Assim como assegura,<br />

por um lado, que a reparação de veículos constitui<br />

um trabalho intensivo de mão de obra e que podem<br />

existir, ou não, peças de substituição; e que a tendência<br />

de mercado demonstra menos peças de substituição<br />

e mais eletrónica, menos margens nas peças de<br />

substituição e clientes que fornecem eles próprios as<br />

peças de substituição em algumas ocasiões. Por sua<br />

vez, o estudo afirma que, caso a oficina trabalhe com<br />

um preço da mão de obra abaixo do recomendado,<br />

as reparações com poucas peças de substituição não<br />

serão rentáveis, como trabalhos de diagnóstico, por<br />

exemplo. Por último, adverte que o erro na fixação<br />

de preços leva as oficinas a práticas pouco recomendáveis,<br />

como a contribuição dos empresários à Segurança<br />

Social abaixo do recomendável; problemas<br />

de conciliação da vida pessoal com horas de trabalho<br />

intermináveis; a não imputação dos custos dos alugueres<br />

em instalações já amortiza<strong>das</strong> e à aceitação<br />

<strong>das</strong> condições de venda com per<strong>das</strong>. l<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 75


M ercado


BALANÇO DO MERCADO DE PNEUS<br />

EVOLUÇÃO<br />

GLOBAL!<br />

2023 REVELOU-SE UM ANO POSITIVO PARA O COMÉRCIO DE PNEUS<br />

EM PORTUGAL. REGISTOU-SE UMA NORMALIZAÇÃO DOS STOCKS<br />

DOS DISTRIBUIDORES, ALIADA A UMA REDUÇÃO DOS FRETES<br />

INTERNACIONAIS, PRINCIPALMENTE DA CHINA, O QUE FEZ COM QUE O<br />

MERCADO BUDGET FICASSE CONSIDERAVELMENTE MAIS COMPETITIVO<br />

O<br />

parque automóvel nacional está envelhecido,<br />

com uma idade média de cerca de 14<br />

anos. Isto está a causar um empobrecimento<br />

do mix de pneus, o que não é vantajoso. Mas<br />

este fenómeno é também uma oportunidade. Um<br />

parque envelhecido e com mais quilómetros é uma<br />

oportunidade para as casas de pneus que apresentem<br />

uma oferta diversificada e sejam capazes de fazer<br />

uma manutenção global do veículo. Por outro<br />

lado, é importante realçar a polaridade do mercado.<br />

O parque é antigo e as novas ven<strong>das</strong> são feitas<br />

com recurso a novos formatos (renting, leasing...).<br />

A negociação com as empresas que gerem estas novas<br />

formas de utilização do automóvel, que não a<br />

venda, é fundamental e, por conseguinte, pertencer<br />

a uma rede capaz de negociar com estas empresas<br />

é vital para poder aceder à manutenção destas<br />

frotas. Por outro lado, existe uma parte considerável<br />

<strong>das</strong> viaturas matricula<strong>das</strong> nos últimos anos que<br />

tem jantes de maiores dimensões, nomeadamente<br />

os veículos elétricos. Temos por isso assistido a<br />

uma procura crescente no segmento UHP, que representa<br />

uma fatia muito interessante do negócio<br />

e com grande potencial de crescimento.<br />

Maximizar a eficiência<br />

A análise do momento que se vive no setor do comércio<br />

de pneus em Portugal tem de ser enquadrada<br />

e dividida em realidades distintas, uma vez<br />

que ao realizarmos uma análise global do mercado<br />

podemos obter números que não coincidem com a<br />

realidade de cada negócio ao longo da cadeia de valor.<br />

A título de exemplo, se analisarmos as ven<strong>das</strong><br />

de pneus, podemos rapidamente concluir que os<br />

números da distribuição são certamente diferentes<br />

daqueles que são apresentados pelos fabricantes.<br />

No que diz respeito ao mercado de distribuição de<br />

pneus, tendo em conta os resultados globais <strong>das</strong><br />

principais empresas do setor, podemos também<br />

concluir que o balanço deste ano é certamente<br />

positivo. No entanto, de acordo com o atual cenário<br />

macroeconómico, em especial com o aumento<br />

da taxa de juro e, consequente, aumento do risco<br />

de crédito e retração do consumo, é fundamental<br />

as empresas continuarem a realizar os ajustes de<br />

negócio necessários, em especial no diz respeito à<br />

gestão de stocks e tesouraria financeira. Adicionalmente,<br />

os fatores do lado da produção mantêm-se<br />

altos pelo que se torna imperativo maximizar a efi-<br />

O ANO DE 2023 VOLTOU A TORNAR O SETOR<br />

BUDGET MAIS COMPETITIVO QUE O MERCADO DE<br />

QUALITY. NO ENTANTO ESTE PROCESSO FOI UM<br />

RETORNO À NORMALIDADE COM TRÊS ESCALÕES<br />

DE PRODUTOS: PREMIUM, QUALITY E BUDGET<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 77


BALANÇO DO MERCADO DE PNEUS<br />

O MERCADO DE PNEUS EM PORTUGAL ESTÁ A CRESCER DEVIDO<br />

ao auMENTO DA FROTA DE veículos. NO ENTANTO, A CONCORRÊNCIA<br />

É INTENSA, E OS CUSTOS DE PRODUÇÃO E A INSTABILIDADE ECONÓMICA<br />

PODEM AFETAR O NEGÓCIO<br />

ciência para ser competitivo. O momento pós-venda<br />

atual tem bastantes oportunidades, mas obriga<br />

as empresas a estarem atentas e desenvolver um<br />

conjunto de ações foca<strong>das</strong> em manter um relacionamento<br />

duradouro e satisfatório com os clientes.<br />

Mercado maduro e sensível ao preço<br />

O mercado de sell-out está a crescer ligeiramente,<br />

registando um crescimento de quase 1% em comparação<br />

com 2022. As ven<strong>das</strong> e o mercado sell in<br />

são mais elevados, porque estamos a assistir a uma<br />

entrada importante de produto asiático, o que<br />

terá repercussão em 2024, e fará com que ocorra<br />

uma recuperação, de forma paulatina, <strong>das</strong> marcas<br />

premium. O mercado português está a passar por<br />

uma redução no segmento de jantes de 16’’ e inferiores,<br />

que, até agora, representa uma queda de<br />

-12,5%, contrastando com a estabilidade nas jantes<br />

de 17’’ e o forte crescimento de +13% nas jantes<br />

de 18’’ e superiores. Também é verdade que a frota<br />

de veículos em Portugal é relativamente antiga, o<br />

que se reflete no peso significativo que as jantes<br />

mais pequenas ainda têm na procura de pneus, e<br />

que representam ainda a maior fatia do mercado.<br />

No entanto, o seu peso diminui quando observado<br />

o mesmo período de 2022, o que espelha o crescimento<br />

nas jantes de maior dimensão especialmente<br />

no segmento 4x4, com pneus de 17” e maiores<br />

a impulsionar o crescimento do mercado. Do lado<br />

do consumidor final, regra geral, tem-se verificado<br />

uma forte perda de poder de compra devido ao aumento<br />

<strong>das</strong> taxas de juro e <strong>das</strong> respetivas prestações<br />

do crédito habitação, razão pela qual as marcas de<br />

pneus dos segmentos Quality e Budget são as que<br />

estão a crescer.<br />

A situação económica um tanto instável, devido<br />

a fatores como a inflação ou as eleições previstas<br />

para 2024, parece que irá abrandar um pouco as<br />

ven<strong>das</strong>. Também é importante considerar a situação<br />

<strong>das</strong> marcas asiáticas, principalmente as chinesas,<br />

uma vez que o preço do transporte já normalizou<br />

para níveis anteriores à Covid-19. Num sentido<br />

positivo, observamos que os consumidores estão a<br />

começar a perceber que nem todos os pneus são<br />

iguais e começam a valorizar alguns aspetos de alta<br />

tecnologia, como as marcações de equipamento<br />

original. É um mercado que se mantém maduro e<br />

altamente sensível ao preço, algo que as condições<br />

económicas têm vindo a impulsionar. Seguramente<br />

que a tendência de deterioração do mix a favor<br />

dos pneus mais económicos em detrimento dos<br />

pneus premium se fará sentir em 2024. No que<br />

diz respeito à distribuição de pneus, haverá uma<br />

redução do número de operadores no mercado,<br />

resultado de uma possível integração de empresas<br />

mais pequenas nas maiores, incluindo operadores<br />

estrangeiros. Adicionalmente, será importante<br />

perceber qual a estratégia e caminho que as redes<br />

de oficinas irão seguir no futuro. l<br />

PERCEBER COMO acrescenTAR VALOR<br />

ao CONSUMIDOR É IMPERATIVO<br />

para O SUCESSO DO NEGÓCIO<br />

parque automóvel e a respetiva<br />

O quilometragem têm aumentado de forma<br />

lenta mas consistente desde 2021. Isto implica que<br />

se consumam mais pneus, pelo que o mercado tem<br />

sentido crescimento. Naturalmente que a inflação<br />

e a subida da taxa de juro estão a condicionar o<br />

poder de compra e a colocar uma pressão adicional<br />

sobre os preços, o que tem impactos distintos nos<br />

diferentes segmentos de mercado.<br />

Adicionalmente, os fatores do lado da produção<br />

mantêm-se altos pelo que se torna imperativo<br />

maximizar a eficiência para ser competitivo. Por<br />

outro lado, existe uma parte considerável <strong>das</strong><br />

viaturas matricula<strong>das</strong> nos últimos anos que tem<br />

jantes mais eleva<strong>das</strong>. 2023 foi um ano<br />

NUNO REBELO, diretor marketing Continental<br />

extremamente desafiante para a economia em<br />

geral, e naturalmente para o setor dos pneus.<br />

Neste contexto a Continental conseguiu solidificar<br />

a sua presença no mercado, fruto da consistência<br />

que tem mantido ao longo dos últimos anos, e<br />

incrementar a sua quota de mercado, sendo de<br />

realçar a consolidação da rede ContiService. Em<br />

2023 o grupo deu um importante passo em<br />

termos de sustentabilidade, que é um dos seus<br />

pilares estratégicos. Queremos ser a empresa mais<br />

progressiva da indústria em termos de<br />

sustentabilidade e demonstramos isso mesmo com<br />

o lançamento do UltraContact NXT, o pneu de<br />

produção em série mais sustentável do mercado,<br />

com 65% de materiais renováveis e reciclados.<br />

78 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


SOLUÇÕES EM AR CONDICIONADO<br />

E REFRIGERAÇÃO DE TRANSPORTE<br />

www.nelsontripa.pt<br />

Rua Fernando Vicente - Armazém 15 - 2560-677 Torres Vedras - Telefone: +351 261 335 050 - E-mail: geral@nelsontripa.pt<br />

GPS - N39.094609 - W009.251526


BALANÇO DO MERCADO DE PNEUS<br />

OS CARROS ELÉTRICOS SÃO JÁ UM BOM SEGMENTO<br />

DE MERCADO PARA OS PNEUS<br />

Ano 2023 ficou marcado por alguns<br />

O acontecimentos, como por exemplo o<br />

aumento da taxa de juro e a crise política, mas<br />

mesmo com estas contrariedades a Dispnal<br />

considera o ano 2023 um ano bom. Aumentamos o<br />

nosso valor de faturação assim como o nosso<br />

portfólio tanto em marcas como em medi<strong>das</strong> e<br />

modelos. Para 2024 continuaremos no mesmo<br />

rumo estando sempre atentos ao mercado e aos<br />

novos produtos que estão sempre a surgir, fazendo<br />

algumas alterações internas. Os carros elétricos que<br />

estão a ter um grande crescimento de ven<strong>das</strong> são já<br />

um bom segmento de mercado para os pneus, que<br />

com certeza irá crescer adaptando-se e melhorando.<br />

RUI CHORADO, ADMINISTRADOR DISPNAL<br />

São pneus muito específicos que têm de reunir<br />

algumas caraterísticas específicas como serem mais<br />

silenciosos, forte aderência e resistência redobrada.<br />

Acompanhar a evolução dos fabricantes com to<strong>das</strong><br />

as alterações e tipo de produtos a surgir como por<br />

exemplo: Verão, All Season, Inverno, Elétricos, vai<br />

ser o foco da Dispnal.<br />

Apesar do B2C passar a ser mais uma opção de<br />

compra, considero que a melhor e mais correta<br />

opção do consumidor é ir sempre a uma casa da<br />

especialidade para presencialmente analisar e se<br />

aconselhar qual o melhor pneu para sua viatura.<br />

No entanto, as oficinas têm de estar prepara<strong>das</strong><br />

para prestar o serviço de montagem.<br />

É UM MERCADO QUE SE MANTÉM MADURO E ALTAMENTE SENSÍVEL<br />

AO PREÇO. SEGURAMENTE QUE A TENDÊNCIA DE DETERIORAÇÃO<br />

DO MIX A FAVOR DOS PNEUS MAIS ECONÓMICOS EM DETRIMENTO<br />

DOS PNEUS PREMIUM SE FARÁ SENTIR EM 2024<br />

AS CASAS DE PNEUS NÃO PODEM RELAXAR<br />

E PRECISAM CONTINUAR A INVESTIR EM FORMAÇÃO<br />

E EQUIPAMENTOS<br />

Pirelli enfrentou um ano de 2023 muito<br />

A competitivo. No que diz respeito ao<br />

mercado, o Europool destaca as dificuldades <strong>das</strong><br />

marcas Premium, devido à situação <strong>das</strong> medi<strong>das</strong><br />

de 16” ou inferiores. No entanto, se nos<br />

concentrarmos nos dados <strong>das</strong> medi<strong>das</strong> de 18” e<br />

superiores, que são o foco principal da Pirelli,<br />

estão de acordo com as previsões. O desafio para<br />

2024 será colaborar estreitamente com os pontos<br />

de venda e fortalecer o crescimento da rede Driver<br />

em Portugal, e dos distribuidores, para ajudar a<br />

criar uma melhor fluidez <strong>das</strong> ven<strong>das</strong>.<br />

Relativamente à eletrificação do parque<br />

automóvel, a Pirelli trabalha já há vários anos<br />

SÉRGIO SÁ, RESPONSÁVEL COMERCIAL PIRELLI<br />

para esta mudança de paradigma no mercado, e a<br />

tecnologia Elect, criada em 2019, é prova disso<br />

mesmo. Estes pneus específicos para veículos<br />

elétricos e híbridos plug-in estão adaptados às<br />

exigências específicas desses modelos, que diferem<br />

significativamente dos veículos a combustão. Do<br />

ponto de vista da Pirelli, a complexidade <strong>das</strong><br />

gamas será um dos grandes desafios que se vão<br />

colocar ao futuro do comércio de pneus em<br />

Portugal. A redução de stocks nas lojas exige um<br />

serviço logístico cada vez mais eficiente. As lojas<br />

de pneus não podem relaxar e precisam de<br />

continuar a investir em formação e em<br />

equipamento.<br />

80 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


ESTAMOS NUM PERÍODO EM QUE APENAS O CONHECIMENTO<br />

PODE AJUDAR A SUPERAR AS ADVERSIDADES<br />

ano 2023 foi positivo para a Nex. O mercado<br />

O tem aproveitado os níveis elevados de<br />

circulação automóvel para manter um crescimento<br />

muito interessante e a Nex acompanha esta<br />

evolução. Estamos num período conturbado em que<br />

apenas o conhecimento pode ajudar a superar as<br />

adversidades. A gestão de todos os recursos<br />

(humanos, financeiros e materiais) está atualmente<br />

num nível de exigência tão (ou mais) nivelado do<br />

que o conhecimento técnico. Esse conhecimento em<br />

conjunto com a digitalização e uma dedicada gestão<br />

da base de dados será vital para garantir o presente e<br />

almejar o crescimento futuro. No curto prazo<br />

pensamos que o risco de crédito e a desvalorização<br />

ALDO MACHADO, DIRETOR GERAL NEX TYRES<br />

dos stocks representam os maiores desafios para o<br />

comércio grossista de pneus. A médio/longo prazo<br />

notam-se alterações estratégicas de muitos<br />

produtores no acesso ao mercado que trarão riscos<br />

acrescidos, isto para além da falta de mão-de-obra<br />

em geral e pela dificuldade de atrair as novas<br />

gerações para este negócio que não possui uma<br />

grande “visibilidade”. A Nex é um operador<br />

multimarca e multissegmento, apresentando um<br />

portfolio abrangente desde o pneu mais económico<br />

ao premium em todos os segmentos de mercado<br />

onde atua. A dedicação e profissionalismo da nossa<br />

equipa comercial faz com que o nosso cliente se<br />

sinta totalmente seguro e acompanhado.<br />

PUB<br />

NOVO<br />

CARRO DE TRABALHO<br />

9 GAVETAS<br />

REF.:8661<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 81<br />

WHEREVER WE GO, WE GO TOGETHER<br />

www.kroftools.com


BALANÇO DO MERCADO DE PNEUS<br />

AS EVOLUÇÕES DOS VÁRIOS CANAIS DE VENDA<br />

TÊM SIDO CONSTANTES NOS ÚLTIMOS CINCO ANOS<br />

ara a Pneurama, o ano de 2023 foi mais<br />

P desafiante que 2022. Os aumentos de<br />

preços <strong>das</strong> marcas europeias continuaram e as<br />

marcas budget da China ficaram bastante<br />

competitivas principalmente por causa da<br />

redução dos fretes marítimos. Apesar dos dados<br />

da Europool revelarem uma pequena redução no<br />

mercado português, no primeiro semestre de<br />

2023, a Pneurama conseguiu manter o volume<br />

igual ao registado no ano passado. No que<br />

respeita ao futuro, continuamos otimista e a<br />

trabalhar, dia após dia, para oferecer ao mercado<br />

as melhores soluções. Para 2024 temos como<br />

objetivo consolidar as marcas que representamos<br />

em exclusividade, principalmente usando<br />

comunicação diretamente com o consumidor<br />

HUGO AZEVEDO, GERENTE PNEURAMA<br />

final. As evoluções dos vários canais de venda têm<br />

sido constantes pelo menos nos últimos cinco<br />

anos, no entanto a política de expansão comercial<br />

da Pneurama foca-se em aumentar a sua presença<br />

em especialistas de pneus. Nos últimos anos<br />

principalmente devido ao ambiente altamente<br />

competitivo, as margens foram sendo reduzi<strong>das</strong>.<br />

A inflação que ocorreu nos últimos dois anos nem<br />

sempre foi traduzida para as margens, por isso é<br />

importante que os gestores repensem as suas<br />

margens e rentabilidade do seu negócio. O<br />

investimento em novo equipamento é fulcral em<br />

qualquer negócio, e neste momento nas casas de<br />

pneus existe ainda mais necessidade por causa de<br />

jantes maiores nos automóveis e equipamento de<br />

alinhar direções muito mais eficaz.<br />

O PERFIL DO CONSUMIDOR ESTÁ A ALTERAR-SE DE FORMA GRADUAL,<br />

BASTA VER O PANORAMA DAS VIATURAS ELÉTRICAS E DAS PREOCUPAÇÕES<br />

AMBIENTAIS A TOMAREM CONTA DAS NOVAS GERAÇÕES<br />

MAIS MOBILIDADE DOS VEÍCULOS EQUIVALE A MAIS<br />

DESGASTE DOS PNEUS E MAIS NEGÓCIOS PARA AS OFICINAS<br />

comércio de pneus em Portugal continua a<br />

o ser um mercado repleto de oportunidades.<br />

Existem indicadores que indicam que a recuperação<br />

da mobilidade vivida desde o fim da pandemia<br />

continuará a avançar a bom ritmo. Os dados do PIB<br />

convidam ao otimismo quando comparados com<br />

outros países vizinhos e a venda de veículos novos<br />

está a evoluir razoavelmente bem. Neste contexto,<br />

mais mobilidade dos veículos equivale a mais<br />

desgaste dos pneus e mais negócios para as<br />

empresas responsáveis pela sua substituição. A<br />

nossa razão de ser é o cliente e a sua satisfação. É<br />

por isso que a Tirso Pneus tem uma proposta de<br />

PAULO SANTOS, DIRETOR GERAL TIRSO PNEUS<br />

produtos e serviços adaptada às necessidades de<br />

cada tipo de cliente. A partir daí, as expectativas dos<br />

diferentes tipos de clientes são diferentes, muitas<br />

delas liga<strong>das</strong> ao serviço ou à perceção da marca, por<br />

exemplo. Seja como for, a Tirso Pneus tem sempre<br />

uma solução à medida de cada cliente, com quem<br />

pretendemos construir relações duradouras. O<br />

objetivo é que a nossa proposta seja a opção mais<br />

interessante e a escolhida pela oficina, mas também<br />

que a oficina, com os nossos serviços e apoio, em<br />

termos de marketing ou formação, seja a opção mais<br />

interessante e a escolhida pelos seus clientes<br />

automobilísticos.<br />

82 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


a AP COMUNICAÇÃO<br />

deseja a todo o aftermarket<br />

um excelente ano!<br />

www.apcomunicacao.com


BALANÇO DO MERCADO DE PNEUS<br />

O CANAL QUE ESTÁ PRÓXIMO DO CLIENTE FINAL<br />

SERÁ AQUELE QUE MELHOR EVOLUIRÁ<br />

o segmento de pneus e retalho, o mercado<br />

N está ligeiramente em baixa, embora seja<br />

verdade que o serviço de pneus para SUV está a<br />

aguentar-se melhor do que os serviços<br />

semelhantes para automóveis de passageiros e<br />

carrinhas. Em termos de manutenção mecânica<br />

para todos os tipos de veículos, estamos<br />

praticamente nos mesmos níveis de 2022. No<br />

entanto, no segmento B2B, estamos a atingir<br />

recordes históricos de volume de negócios. As<br />

matrículas através de aluguer/renting estão a<br />

crescer de forma constante. Para estas empresas, a<br />

Euromaster, com o seu nível de cobertura e<br />

profissionalismo uniforme em todos os centros, é<br />

o parceiro ideal. A mobilidade em termos de<br />

CARLOS CLEMENTE, DIRETOR FRANQUIA<br />

EUROMASTER<br />

veículos está a evoluir para o modelo CASE<br />

(Connected, Autonomous, Shared and Electric).<br />

Isto dá uma pista sobre os projetos em que<br />

estamos a trabalhar para que os nossos centros<br />

sejam capazes de responder a este tipo de<br />

mobilidade, que já não é um futuro, mas já é o<br />

presente. No âmbito do nosso processo de<br />

transformação digital estamos a começar a<br />

analisar a transformação desde o pedido de<br />

informação digital do consumidor até à visita<br />

física ao centro. Com a ajuda de Inteligência<br />

Artificial, conseguimos detetar com êxito onde se<br />

encontram as oportunidades perdi<strong>das</strong>. Estas são<br />

as pistas que nos permitem expandir e adaptar a<br />

oferta da oficina às expetativas do consumidor.<br />

SERÁ CRUCIAL MANTER UMA POSIÇÃO COMPETITIVA EM TODOS<br />

OS SEGMENTOS DE ALTO VALOR QUE, APESAR DAS TENSÕES<br />

NOS PREÇOS EXISTENTES, CONTINUAM A APRESENTAR UM<br />

CRESCIMENTO CONSTANTE NOS ÚLTIMOS ANOS<br />

A VENDA DO PNEU ESTÁ MUITO PULVERIZADA,<br />

E POR ISSO A CONCORRÊNCIA É IMENSA<br />

ano de 2023 foi bastante positivo para a<br />

o Ramôa, em resultado de toda a sua<br />

estratégia anterior e do engagement que<br />

conseguiu criar em toda a sua organização. Para<br />

2024 temos a ambição de investir na Unidade<br />

Produtiva (recauchutagem), bem como na<br />

modernização de algumas unidades de negócio,<br />

ciente da importância de dotar os nossos<br />

estabelecimentos de to<strong>das</strong> as condições para<br />

prestar um serviço de excelência. A venda do pneu<br />

está muito pulverizada, e por isso a concorrência é<br />

imensa, pelo que a diferenciação é feita pela<br />

qualidade no serviço, pela oferta complementar<br />

dos vários serviços auto, para além da simples<br />

venda do pneu. A tendência aponta para uma<br />

HUGO RAMÔA, DIRETOR COMUNICAÇÃO RAMÔA<br />

maior integração de serviços e uma abordagem<br />

mais holística para atender às necessidades dos<br />

proprietários de veículos. O crescimento <strong>das</strong><br />

ven<strong>das</strong> de carros elétricos, que geralmente vêm<br />

equipados com pneus maiores e mais avançados<br />

em termos de tecnologia, representa um bom<br />

segmento de mercado para o comércio de pneus,<br />

que pode beneficiar desse crescimento oferecendo<br />

pneus específicos e serviços de manutenção<br />

adaptados às necessidades dos carros elétricos.<br />

Quanto aos desafios que se vão colocar ao futuro<br />

do comércio de pneus em Portugal, destaco a<br />

concorrência online, mudanças na tecnologia de<br />

pneus, regulamentações ambientais e mudanças<br />

nas preferências dos consumidores.<br />

84 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


AS VENDAS ONLINE<br />

SERÃO, NO FUTURO,<br />

UM BOM ALIADO PARA<br />

OS DISTRIBUIDORES<br />

E RETALHISTAS<br />

JOSÉ GUEDES, RETAIL COORDINATOR VULCO PORTUGAL<br />

ano de 2023 revelou-se muito positivo para a Vulco, tendo ficado<br />

O marcado por uma tendência de consolidação e de crescimento<br />

sustentado da atividade. Para 2024, continuaremos a desenvolver a nossa<br />

rede de forma persistente, ao lado dos melhores atores do mercado. Os<br />

nossos principais objetivos para este novo exercício são o crescimento da<br />

rede, volume de pneus, peças e consumíveis oficinais, bem como investir<br />

em ferramentas digitais e continuar a progredir na profissionalização <strong>das</strong><br />

oficinas. O perfil do consumidor está a mudar, sendo cada vez mais<br />

exigente e informado, o que obrigará as oficinas de pneus a adaptarem-se<br />

a este novo cliente para continuarem a ser o principal canal de venda de<br />

pneus. Num futuro próximo, o número de operações de manutenção<br />

deverá ser reduzido devido à ausência de mudanças de óleo, filtros de óleo,<br />

filtros de combustível, correias de distribuição, etc. No entanto, os pneus<br />

continuarão a ser um consumível relevante para o automóvel elétrico, pelo<br />

que continuarão a ser um segmento de negócio fundamental. Acredito que<br />

as ven<strong>das</strong> online serão, no futuro, um bom aliado para os distribuidores e<br />

retalhistas, tornando-se um bom complemento da atividade. Os principais<br />

desafios do sector continuam a ser os mesmos que em anos anteriores:<br />

profissionalização, digitalização, recrutamento e retenção de mão de obra<br />

qualificada.<br />

PUB


Entrevista<br />

ENTENDEMOS<br />

ESPANHA COMO<br />

UMA EXTENSÃO<br />

NATURAL DO<br />

NOSSO MERCADO<br />

LÍDER NO MERCADO DA DISTRIBUIÇÃO<br />

DE PNEUS EM PORTUGAL, A S. JOSÉ PNEUS TEM<br />

COMO OBJETIVOS PARA 2024 MANTER<br />

A LIDERANÇA NO NOSSO PAÍS E CONTINUAR<br />

A AUMENTAR A SUA PRESENÇA EM ESPANHA,<br />

ONDE PRETENDE CRESCER NO SEGMENTO<br />

DE PNEUS DE TURISMO E CAMIÃO


LUIS ANICETO, ADMINISTRADOR DA S. JOSÉ PNEUS<br />

A<br />

S. José Pneus continua a bater recordes,<br />

sendo atualmente a empresa de distribuição<br />

de pneus com mais área de armazenamento,<br />

maior diversidade de gama e maior número<br />

de pneus em stock, tudo fatores fundamentais<br />

que justificam o extraordinário aumento de ven<strong>das</strong><br />

registado nos últimos anos, em todos os segmentos,<br />

com grande destaque para os pneus agroindustriais<br />

da BKT, marca bandeira da empresa. Em<br />

entrevista ao JO, Luís Aniceto, administrador, faz<br />

uma análise do comércio de pneus em Portugal e<br />

revela a estratégia da empresa para 2024.<br />

“Confiança absoluta” continua a ser o lema da S.<br />

José Pneus. Que valores e princípios pretende<br />

transmitir ao mercado com este lema?<br />

O lema “Confiança absoluta” foi divulgado em 1967<br />

numa <strong>das</strong> primeiras publicidades feita pelo meu pai<br />

e desde então que to<strong>das</strong> as nossas ações se guiam<br />

por este repto que está alinhado com os nossos valores<br />

e que colocam as pessoas em primeiro lugar<br />

e onde destacamos também a ética, honestidade e<br />

integridade em to<strong>das</strong> as ações. Com este lema procuramos<br />

reafirmar ao mercado que podem confiar<br />

na S. José Pneus e nos seus valores, enquanto uma<br />

empresa responsável e com o foco no cliente.<br />

Em Portugal, a S. José Pneus é líder no mercado<br />

da distribuição de pneus. E em Espanha, que objetivos<br />

pretende atingir?<br />

Trabalhamos arduamente todos os dias para podermos<br />

merecer a confiança dos nossos clientes e<br />

consequentemente do mercado em que operamos.<br />

Afirmar que somos líderes é algo que aumenta,<br />

ainda mais, a nossa responsabilidade. Entendemos<br />

Espanha como uma extensão natural do nosso<br />

mercado. Quer pela sua dimensão quer pela sua<br />

especificidade é um mercado complexo, mas que<br />

nos permite crescer no segmento de pneus de turismo<br />

e camião, depois da presença que já temos<br />

no segmento agroindustrial, com a nossa rede de<br />

distribuidores regionais.<br />

Em relação às marcas que comercializam em exclusivo,<br />

que novidades e ações com clientes estão<br />

previstas para 2024, designadamente <strong>das</strong> marcas<br />

BKT, Fortune, Goodride e Semperit?<br />

A marca BKT, pelo seu posicionamento no mercado,<br />

tem ações de marketing estratégicas e globais<br />

para 2024. Relativamente à Fortune iremos realizar<br />

formações durante o ano para a rede exclusiva<br />

de clientes da marca. Finalizámos 2023 com<br />

uma formação para clientes Goodride sobre o novo<br />

produto estrela, o Solmax1 e iremos realizar mais<br />

ações durante 2024. Quanto à Semperit, marca<br />

bandeira do nosso portfolio, também irá ter ações<br />

de marketing durante o próximo ano, principalmente<br />

no segmento camião.<br />

A S. José Pneus dispõe de um stock de 300.000<br />

pneus e uma capacidade de armazenamento de<br />

32.000 m 2 . Ainda é suficiente para o movimento<br />

da empresa ou necessitam de mais espaço?<br />

A sua questão é muito curiosa pois essa é uma dúvida<br />

constante. Atualmente, com uma ampliação<br />

recente de 5.000 m2 que data de 2022, já ponderamos<br />

efetivamente aumentar a nossa área de<br />

armazenamento de novo.<br />

A solidariedade faz parte do ADN da S. José<br />

Pneus. Vão continuar a apoiar projetos sociais em<br />

2024?<br />

Efetivamente apadrinhamos vários projetos de solidariedade<br />

social e de âmbito desportivo e iremos<br />

manter os projetos em 2024.<br />

Relativamente à sustentabilidade, o que têm feito<br />

para tornar a empresa mais sustentável?<br />

Realizámos recentemente novo investimento em<br />

painéis fotovoltaicos e que nos permitem produzir<br />

600 mwh de energia verde e evitar a emissão de<br />

450 tonela<strong>das</strong> de CO2 para a atmosfera.<br />

A S. José Pneus voltou a classificar-se em 1º lugar<br />

no Quadro de Honra dos distribuidores de pneus<br />

da Revista TOP 100. O que representa esta distinção<br />

para a empresa?<br />

As distinções são importantes porque são um reconhecimento<br />

do nosso trabalho, o que nos enche<br />

de orgulho, mas não perdemos o foco na melhoria<br />

contínua e na satisfação dos nossos clientes.<br />

Como vê a evolução dos canais de venda?<br />

Os canais de venda caracterizam-se pela continuação<br />

da preponderância nas ven<strong>das</strong> de pneus em casas<br />

de pneus tradicionais, que se vão adaptando às<br />

novas tendências para também fazerem mecânica<br />

rápida, sendo importante que renovem a sua imagem<br />

e qualidade de instalações, não só para que se<br />

tornem mais atrativas aos seus clientes, como para<br />

atraírem recursos humanos mais jovens e tecnicamente<br />

mais preparados e que deem continuidade<br />

ao negócio. Os concessionários e a nova distribuição<br />

encontram-se a aumentar a sua presença no<br />

mercado, sendo um canal que há que ter em conta<br />

para o futuro.<br />

Considera que os carros elétricos vão ser um bom<br />

segmento de mercado para o comércio de pneus?<br />

Os carros elétricos são um negócio em expansão e<br />

com uma possibilidade de evolução muito interessante.<br />

Na S. José Pneus temos vindo a aumentar<br />

o stock neste segmento, dado que somos especialistas<br />

em medi<strong>das</strong> acima de jante 18” e temos uma<br />

oferta em todos os segmentos de mercado e muito<br />

diversificada.<br />

Que análise faz <strong>das</strong> ven<strong>das</strong> online B2C?<br />

Os sites B2C são atualmente uma realidade e poderão<br />

ser uma ameaça ao negócio mais tradicional.<br />

No entanto, não dispõem da expertise nem do<br />

conhecimento técnico nem tão pouco do serviço.<br />

Penso que o consumidor terá que ter isto em linha<br />

de conta quando compra pneus online.<br />

Que competências devem os gerentes <strong>das</strong> casas<br />

de pneus adquirir, neste novo aftermarket que<br />

agora nasce?<br />

Penso que, acima de tudo, terão que digitalizar<br />

o seu negócio, seja nas ferramentas de backoffice<br />

como os softwares de gestão ou de CRM seja nas<br />

próprias máquinas da oficina dada a componente<br />

eletrónica dos carros mais recentes.<br />

Que ações devem ser toma<strong>das</strong> junto dos automobilistas<br />

para uma maior sensibilização relativamente<br />

à importância que o pneu tem para a<br />

segurança?<br />

O pneu é o primeiro contacto entre o veículo e o<br />

solo e isto é uma premissa basilar na segurança<br />

automóvel, seja na aderência ao solo, seja na capacidade<br />

de travagem de uma viatura. Através da<br />

nossa comunicação nas redes sociais temos feito<br />

um trabalho neste sentido com o objetivo de sensibilizar<br />

o nosso público e promover a segurança<br />

nas estra<strong>das</strong>.<br />

Que desafios se vão colocar ao futuro do comércio<br />

de pneus em Portugal?<br />

Os desafios vão passar muito pela proliferação <strong>das</strong><br />

plataformas B2C e como a distribuição e as oficinas<br />

se irão adaptar a esta nova realidade, ao aumento<br />

da dimensão dos pneus para veículos elétricos<br />

e o desenvolvimento de pneus com compostos<br />

reciclados ou mais sustentáveis. Ao nível da distribuição<br />

o futuro irá passar por prestar um ainda<br />

mais completo e melhorado serviço ao cliente com<br />

entregas mais rápi<strong>das</strong>, plataformas de compra online<br />

mais inovadoras e ferramentas que permitam<br />

um conhecimento 360º do cliente. l<br />

O LEMA “CONFIANÇA ABSOLUTA” FOI DIVULGADO EM 1967<br />

NUMA DAS PRIMEIRAS PUBLICIDADES FEITA PELO MEU PAI E DESDE<br />

ENTÃO QUE TODAS AS NOSSAS AÇÕES SE GUIAM POR ESTE REPTO<br />

QUE ESTÁ ALINHADO COM OS NOSSOS VALORES<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 87


Empresa<br />

MELHORAR EM TODA A LINHA!<br />

PARA A AB TYRES 2023 FOI UM ANO BASTANTE POSITIVO, NÃO SÓ QUANDO COMPARADO COM O ANO ANTERIOR,<br />

MAS TAMBÉM TENDO EM CONTA AS PERSPETIVAS E OBJETIVOS DESENHADOS PARA ESTE ANO.<br />

O CRESCIMENTO CONTÍNUO E SUSTENTADO PREVISTO PARA 2024 RESULTA DE UMA ESTRATÉGIA DE<br />

LONGO-PRAZO QUE A EMPRESA TEM VINDO A SEGUIR E QUE LHE TEM PERMITIDO MELHORAR EM TODA A LINHA


AB TYRES<br />

To<strong>das</strong> as marcas comercializa<strong>das</strong> pela AB<br />

Tyres cumprem obrigatoriamente um conjunto<br />

de critérios de qualidade que imperam<br />

e regulam todos os negócios do Grupo Alves Bandeira.<br />

“Sempre que procuramos ou nos é oferecida<br />

uma marca, a mesma é sujeita primeiramente a<br />

um processo de avaliação rigoroso e, caso a mesma<br />

não cumpra os requisitos de qualidade obrigatórios,<br />

significa que não poderá entrar no nosso portfolio<br />

de produtos. De uma forma geral estamos<br />

a falar de marcas que se destacam pela sua gama<br />

alargada, capacidade de fornecimento, estabilidade<br />

económica, exclusividade, processo de fabricação<br />

e, consequente, qualidade do produto. Este<br />

é efetivamente um dos segredos que nos permite<br />

satisfazer e superar diariamente as expetativas dos<br />

nossos mais de 3.000 clientes ativos”, refere Filipe<br />

Bandeira, diretor geral da AB Tyres.<br />

O portfólio de marcas é extenso: Matrax Tyres,<br />

Matrax Lubricants, AB Lubs, AB Power, Falken,<br />

CEAT, Davanti, Debica, Fulda, Golden Crown,Infinity,<br />

Joyroad, Torque, Sumitomo, Uniroyal, Bridgestone,<br />

Continental, Dunlop, Firestone, Goodyear,<br />

Mabor, Michelin, Pirelli, Cooper Tyres e BF<br />

Goodrich.<br />

Relativamente ao serviço pós-venda, Filipe Bandeira<br />

destaca a equipa e a relação de proximidade<br />

e confiança que estabelecem com cada cliente.<br />

“Por um lado, temos uma equipa na linha de apoio<br />

ao cliente a funcionar <strong>das</strong> 09h às 19h, através de<br />

telefone, whatsapp, chat ou email, que garante<br />

o suporte total aos nossos clientes. Por outro, a<br />

nossa equipa comercial desempenha também um<br />

papel fundamental nesta matéria, resultado de<br />

um acompanhamento presencial e permanente ao<br />

nosso cliente, que nos permite antecipar e perceber<br />

rapidamente cada necessidade. O nosso foco é<br />

unicamente o cliente, o mesmo é dizer que estamos<br />

sempre dispostos e preparados para ajudar a resolver<br />

qualquer problema antes, durante e depois<br />

da venda”.<br />

Digitalização é vetor estratégico<br />

Para Filipe Bandeira “A digitalização é mais do que<br />

essencial, é mesmo encarada como um vetor estratégico<br />

para o crescimento sustentável do nosso negócio.<br />

Por um lado, temos conseguido ser cada vez<br />

mais eficientes, resultante de um investimento e<br />

evolução constante <strong>das</strong> nossas ferramentas de gestão,<br />

controlo e logística. Por outro, temos investido<br />

cada vez mais na implementação e desenvolvimento<br />

de novas funcionalidades no nosso portal de<br />

ven<strong>das</strong>, assim como na aposta numa comunicação<br />

cada vez mais digital e direcionada de acordo com<br />

as preferências de cada cliente”.<br />

No âmbito da sustentabilidade ambiental, a estratégia<br />

da AB Tyres está enquadrada no plano global<br />

do Grupo Alves Bandeira para esta matéria. Neste<br />

contexto, destaca-se o facto de estar a implementar<br />

soluções de painéis fotovoltaicos nas suas infraestruturas,<br />

assim como a investir na mobilidade<br />

e transição energética, tendo como base fontes de<br />

EVENTO COM CLIENTES FALKEN<br />

FOI UM SUCESSO<br />

mais recente campanha promocional promovida pela AB<br />

A Tyres, em parceria com a marca Falken Pneus, levou os seus<br />

clientes e fãs do piloto Filipe Albuquerque a viverem uma experiência<br />

única e inesquecível. Sob o lema “Desafia o Campeão”, o evento teve<br />

lugar no Kartódromo de Fátima, no passado mês de outubro, onde<br />

estiveram presentes 40 participantes, divididos em 20 equipas de 2<br />

pessoas. Para participar no evento os clientes apenas tiveram de<br />

comprar dois ou mais pneus Falken numa <strong>das</strong> oficinas aderentes à<br />

Rede AB Partner | Falken, e, posteriormente, submeterem a fatura no<br />

website da marca. O passatempo premiou dez clientes que, para além<br />

de garantirem o seu lugar na prova, tiveram ainda a oportunidade de<br />

levarem consigo um companheiro de equipa. O grande dia decorreu a<br />

1 de outubro de 2023 no Kartódromo de Fátima onde, além da corrida<br />

de karting, os clientes puderam usufruir de um agradável convívio e<br />

muitas surpresas.<br />

energia renováveis. No que que diz respeito ao programa<br />

de economia circular, está a trabalhar atualmente<br />

em parceria com empresas especializa<strong>das</strong><br />

neste setor de atividade e irá lançar em 2024 um<br />

projeto próprio do grupo nesta área específica que<br />

terá como objetivo apoiar os colaboradores, instituições<br />

e comunidades mais vulneráveis.<br />

Ven<strong>das</strong> B2C com tendência crescimento<br />

Na opinião de Filipe Bandeira “As ven<strong>das</strong> de pneus<br />

online B2C têm tendência a crescer, em especial<br />

quando comparamos com a sua reduzida penetração<br />

e quota de mercado. No entanto, este é um<br />

negócio que não é tão simples como se imagina,<br />

caso contrário já teríamos tido um crescimento<br />

mais acentuado nos últimos anos, como aconteceu<br />

com outros mercados de produtos e serviços.<br />

O facto deste negócio exigir um elevado esforço<br />

de comunicação e marketing, associado ao facto<br />

de vivermos num país de pequena dimensão e à<br />

necessidade do serviço ter de ser realizado por um<br />

terceiro, que muitas vezes já é conhecido do cliente<br />

final, evidencia que este canal de ven<strong>das</strong> ainda irá<br />

continuar a realizar o seu caminho e crescer lentamente.<br />

De qualquer forma, acredito que será um<br />

canal que terá o seu espaço, em especial nas gerações<br />

mais novas, que poderão (ou não) ser o motor<br />

para o seu crescimento repentino”.<br />

Aposta na melhoria dos serviços<br />

Neste momento o foco da AB Tyres está centrado<br />

em melhorar, otimizar e desenvolver novas funcionalidades<br />

nos projetos e produtos que disponibiliza<br />

ao mercado de aftermarket. De uma forma resumida,<br />

a aposta da empresa assenta nos seguintes<br />

vetores:<br />

• Continuar a oferecer uma oferta 360º ao cliente<br />

com pneus, baterias, lubrificantes e peças auto;<br />

• Incrementar o peso <strong>das</strong> ven<strong>das</strong> nas marcas próprias<br />

(Matrax Tyres, Matrax Lubricants, AB Lubs<br />

e AB Power) e de representação exclusiva (Falken,<br />

Davanti, Sumitomo, Infinity, Torque e Joyroad);<br />

• Aumentar as ven<strong>das</strong> e quota no setor agrícola<br />

e industrial, em especial com a marca exclusiva<br />

CEAT;<br />

• Reforçar a aposta e investimento no programa<br />

de fidelização Clube AB Tyres e to<strong>das</strong> as dinâmicas<br />

associa<strong>das</strong>;<br />

• Trabalhar o cross-selling com o universo de mais<br />

de 15.000 empresas do Grupo Alves Bandeira. l<br />

“O NOSSO FOCO É UNICAMENTE O CLIENTE, O MESMO É DIZER QUE ESTAMOS<br />

SEMPRE DISPOSTOS E PREPARADOS PARA AJUDAR A RESOLVER QUALQUER<br />

PROBLEMA ANTES, DURANTE E DEPOIS DA VENDA” DIZ FILIPE BANDEIRA<br />

www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com Dezembro 2023 I Janeiro 2024 89


Empresa<br />

PLANEAMENTO É FONTE<br />

DE SUCESSO<br />

A PNEUS VIDAGO FOI CRIADA EM FEVEREIRO 2019, MAS COMEÇOU A ATIVIDADE EM JUNHO DESSE ANO.<br />

TUDO COMEÇOU QUANDO ALEXANDRA SOUSA E O SEU MARIDO PAULO SOUSA SE ENCONTRAVAM NA SUIÇA<br />

E OS ANTIGOS SÓCIOS LHES PROPUSERAM COMPRAR A PNEUS VIDAGO<br />

O<br />

início não foi fácil, pois acabado de adquirir<br />

o negócio, em março de 2020 surge a pandemia<br />

e tudo fechou, seguindo-se as restrições<br />

de circulação a nível dos concelhos, o que inviabilizou<br />

a vinda de clientes de fora da zona. Felizmente,<br />

tudo foi ultrapassado e a empresa já recuperou<br />

desses momentos difíceis. Para Alexandra Sousa, o<br />

modelo de negócio da Pneus Vidago passa pelo bom<br />

planeamento e objetivos concretos “O planeamento<br />

de uma empresa é essencial para o sucesso, quanto<br />

mais detalhado for esse planeamento, maior são as<br />

chances de crescimento. Não pensamos só no dia de<br />

hoje... pensamos muito no dia de amanhã e o objetivo<br />

é sempre fazer melhor e crescer”.<br />

Embora esteja mais vocacionada para os serviços<br />

de pneumáticos, a Pneus Vidago também presta<br />

serviços de mecânica, e em complemento ao negócio<br />

da oficina possui dois postos de abastecimento<br />

de combustível, com seis funcionários. Alexandra<br />

Sousa destaca a importância do conhecimento<br />

para o sucesso da oficina “É o princípio básico de<br />

qualquer forma de atendimento mostrar conhecimento<br />

sobre o assunto em questão. Não existe<br />

nada mais desagradável para o cliente do que ficar<br />

vários minutos à espera de uma informação ou<br />

recebê-la equivocadamente. Por isso, responder<br />

prontamente às necessidades dos clientes é um dos<br />

nossos trunfos”, afirma.<br />

Rede First Stop é uma mais valia<br />

Quando a empresa foi adquirida, já fazia parte da<br />

rede First Stop. “Ouvimos os responsáveis da First<br />

Stop que nos apresentaram as condições do conceito.<br />

Acreditámos que seria uma boa opção continuarmos<br />

dentro da rede o que até há data não<br />

nos tem desapontado. Em termos de mais valias, a<br />

Rede First Stop oferece-nos uma panóplia de opções<br />

que vai desde a colocação dentro <strong>das</strong> nossas<br />

instalações de viaturas de gestoras de frota, através<br />

PNEUS VIDAGO<br />

GERENTES<br />

Alexandra Sousa e Paulo Sousa<br />

MORADA<br />

N2 nº 104, 5425-323 Vidago<br />

TELEFONE<br />

276 105 121<br />

E-mail<br />

geral@pneusvidago.pt<br />

Site<br />

www.pneusvidago.pt<br />

de acordos centrais, apoios em ações de marketing,<br />

fardamento, uma central de compras muito<br />

poderosa que nos permite ter benefícios de retorno<br />

financeiro e um acompanhamento próximo por<br />

parte de um responsável de zona que nos permite<br />

encontrar soluções para o nosso dia-a-dia”, refere<br />

Alexandra Sousa.<br />

Proximidade com os clientes<br />

“A nossa maneira de trabalhar pautou-se sempre<br />

pela honestidade, transparência e proximidade<br />

com os clientes. Sempre valorizámos a qualidade<br />

do serviço prestado e dos pneus que comercializamos.<br />

Continuamos a apostar maioritariamente<br />

nas marcas premium, que dão to<strong>das</strong> as garantias<br />

de qualidade e confiança que o condutor procura<br />

quando monta pneus novos na sua viatura”, refere<br />

Alexandra Sousa. A nível de equipamentos, a oficina<br />

possui to<strong>das</strong> as máquinas necessárias para a<br />

prestação de um serviço de qualidade, que é assegurado<br />

por técnicos experientes. As novas tecnologias<br />

fazem parte da gestão da oficina, que tem<br />

aproveitado as potencialidades <strong>das</strong> redes sociais<br />

para promover os seus serviços, quer através de<br />

companhas e promoções <strong>das</strong> marcas que comercializa,<br />

quer com a divulgação de novos produtos e<br />

serviços. “A Pneus Vidago utiliza o Facebook e faz<br />

publicidade através de flyers nas épocas de Verão<br />

e Natal, tentando sempre fazer algo de diferente<br />

como por exemplo oferecer vouchers para uma<br />

semana de férias atribuído automaticamente na<br />

compra de 4 pneus”, sublinha Alexandra Sousa.<br />

Para o futuro, os objetivos são crescer ainda mais,<br />

conforme explica a responsável “A Pneus Vidago<br />

começou com uma oficina de pneus e um posto de<br />

combustível, neste momento temos a oficina e dois<br />

postos de abastecimento. O objetivo é poder crescer<br />

tanto a nível de pneus como a nível de postos<br />

de abastecimento”. l<br />

90 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


PNEUS VIDAGO<br />

AS NOVAS TECNOLOGIAS FAZEM PARTE DA GESTÃO DA PNEUS VIDAGO,<br />

QUE TEM APROVEITADO AS POTENCIALIDADES DAS REDES SOCIAIS PARA<br />

PROMOVER OS SEUS SERVIÇOS, QUER ATRAVÉS DE COMPANHAS DAS<br />

MARCAS QUE COMERCIALIZA, QUER COM A DIVULGAÇÃO<br />

DE NOVOS PRODUTOS E SERVIÇOS


Mercado<br />

MARCAS PREMIUM<br />

MANTÊM LIDERANÇA<br />

NO ESTUDO GFK REFERENTE AO TERCEIRO TRIMESTRE DE 2023, AS MARCAS PREMIUM CONTINUAM A DOMINAR<br />

O MERCADO A NÍVEL DO VALOR REALIZADO, COM UMA QUOTA DE 54,6%. SEGUEM-SE AS MARCAS MEDIUM COM<br />

20,9%, BUDGET COM 17,6% E MARCAS PRÓPRIAS COM 3,0%<br />

No que diz respeito às unidades vendi<strong>das</strong>, as<br />

marcas premium são também as mais comercializa<strong>das</strong>,<br />

com uma quota de 41,5%,<br />

comparativamente às marcas médium com 22,7%,<br />

budget 25,2% e marcas próprias com apenas 4,3%.<br />

Comparativamente a 2022, o segmento premium<br />

desceu em 2023 no que diz respeito a unidades<br />

vendi<strong>das</strong> (41,5% vs 44,0%), mas continua a ser o<br />

mais vendido. O segmento medium aumentou ligeiramente<br />

em relação a 2022 (22,7% vs 21,6%)<br />

e o budget praticamente manteve-se (25,2% vs<br />

25,5%).<br />

Relativamente aos instaladores, os especialistas de<br />

pneus continuam a ser os preferidos dos condutores,<br />

com 76,5% de quota de mercado. Seguem-se<br />

os Auto-Centros com 18,8% e os concessionários<br />

com 4,7%. Em termos de dimensões, as jantes de<br />

16´´ continuam a ganhar importância e representam<br />

29,3% do mercado, seguindo-se as jantes<br />

de 17´´com 21,9% do mercado, e as jantes de<br />

15´´com 17,2% do mercado.<br />

Analisando o preço médio dos pneus, no terceiro<br />

trimestre de 2023, as marcas premium registam<br />

um valor de 127,46 €. Para as marcas medium,<br />

o preço médio foi de 88,20 €, as marcas budget<br />

66,57 € e as marcas próprias 70,63 €. No que diz<br />

respeito ao preço médio nos instaladores, os especialistas<br />

de pneus registam um valor de 96,82<br />

€, os concessionários 123,20 € e os Auto-Centros<br />

88,49 €.<br />

Quanto ao preço médio dos pneus por medida de<br />

jantes, o mais elevado é o <strong>das</strong> jantes superiores a<br />

19´´que registam um preço médio de 194,81 €, seguindo-se<br />

as jantes de 18´´ com o valor de 136,69<br />

€ e as jantes de 17´´com valor de 107,23 €. De referir<br />

ainda que o preço médio para as jantes de 16´´<br />

é de 91,47 €, 15´´ 72,54 €, 14´´ 54,43 € e 13´´<br />

48,32 €.<br />

O painel retalhista GfK mede as ven<strong>das</strong> feitas no<br />

retalho ao consumidor final (sell out), em diversos<br />

canais de distribuição, designadamente: Especialistas<br />

de Pneus, Auto-Centros e Concessionários<br />

Auto. As soluções de Brand Intelligence da GfK<br />

fornecem relatórios e serviços de consultoria que<br />

asseguram uma informação atual e fidedigna. l<br />

92 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


GFK – MERCADO DE PNEUS 2023<br />

QUADRO I – QUOTAS DE MERCADO DE<br />

INSTALADORES, MARCAS E JANTES<br />

QUADRO II – EVOLUÇÃO VS MESMO<br />

PERÍODO ANO ANTERIOR<br />

Unidades %<br />

Jan 22-Sep 22<br />

Unidades %<br />

Jan 23-Sep 23<br />

Valor %<br />

Jan 22-Sep 22<br />

Valor %<br />

Jan 23-Sep 23<br />

Unidades<br />

Jan 23-Sep 23<br />

Valor<br />

Jan 23-Sep 23<br />

Preço Médio €<br />

Jan 23-Sep 23<br />

ESP. PNEUS 75,7 76,5 77,2 77,1<br />

CONCESSIONÁRIOS 4,6 4,7 5,5 5,9<br />

AUTOCENTROS 19,7 18,8 17,2 17,0<br />

MARCAS PREMIUM 44,0 41,5 56,6 54,6<br />

MARCAS MEDIUM 21,6 22,7 19,4 20,9<br />

MARCAS BUDGET 25,5 25,2 18,2 17,6<br />

MARCAS PRÓPRIAS 4,4 4,3 2,9 3,0<br />

=19 4,9 5,6 10,6 11,3<br />

TOTAL MERCADO 0,7 9,9 9,2<br />

ESP. PNEUS 1,8 9,8 7,8<br />

CONCESSIONÁRIOS 1,9 16,4 14,3<br />

AUTOCENTROS -3,8 8,5 12,8<br />

MARCAS PREMIUM -5,0 6,0 11,6<br />

MARCAS MEDIUM 5,8 18,3 11,8<br />

MARCAS BUDGET -0,7 6,3 7,0<br />

MARCAS PRÓPRIAS -1,4 14,5 16,1<br />

=19 15,7 17,2 1,3<br />

QUADRO III– PREÇO MÉDIO NOS INSTALADORES, MARCAS E JANTES<br />

Preço Médio €<br />

Jul 22-Sep 22<br />

Preço Médio €<br />

Oct 22-Dec 22<br />

Preço Médio €<br />

Jan 23-Mar 23<br />

Preço Médio €<br />

Apr 23-Jun 23<br />

Preço Médio €<br />

Jul 23-Sep 23<br />

TOTAL MERCADO 91,77 94,06 95,21 96,14 96,43<br />

ESP. PNEUS 93,51 95,24 96,39 96,96 96,82<br />

CONCESSIONÁRIOS 108,14 121,89 118,20 120,52 123,20<br />

AUTOCENTROS 81,71 82,97 84,63 86,64 88,49<br />

MARCAS PREMIUM 119,27 123,29 125,24 125,93 127,46<br />

MARCAS MEDIUM 82,22 85,02 86,90 89,54 88,20<br />

MARCAS BUDGET 65,17 66,04 66,96 67,68 66,57<br />

MARCAS PRÓPRIAS 61,18 62,72 64,46 67,78 70,63<br />

=19 196,55 202,56 194,75 191,06 194,81


NOTÍCIAS // PNEUS E EQUIPAMENTOS À MEDIDA DE CADA NEGÓCIO<br />

Pneus<br />

CAMPANHA VALORPNEU ALERTA<br />

PARA AS 7 VIDAS DOS PNEUS<br />

VALORPNEU | Decorreu na rádio e em plataformas online, durante o mês de<br />

dezembro, a nova campanha institucional da Valorpneu. O mote era os cuidados a ter<br />

com os pneus para prolongar a sua vida<br />

útil e andar na estrada com segurança<br />

máxima. O objetivo desta campanha foi<br />

partilhar com os cidadãos os cuidados<br />

que devem ter com os pneus da sua<br />

viatura no dia-a-dia, com o foco no<br />

número 7. As 7 medi<strong>das</strong> preventivas<br />

são a chave para prolongar a vida dos<br />

pneus e para aumentar a sua resistência<br />

e durabilidade. A promessa neste<br />

conceito é: se tratarmos bem dos pneus,<br />

eles ficam com 7 vi<strong>das</strong>, como os gatos.<br />

Esta é mais uma iniciativa da Valorpneu<br />

em prol de um futuro mais sustentável.<br />

Porque Existe Amanhã!<br />

PIRELLI P ZERO E<br />

VENCE PRÉMIO “PNEU DO ANO”<br />

O<br />

Pirelli P Zero E, o novo pneu Ultra High Performance, campeão em tecnologia<br />

e sustentabilidade, venceu o prémio de “Pneu do Ano” (Prix Point S).<br />

A 6ª edição dos Automobile Awards reuniu 53 marcas liga<strong>das</strong> ao mundo<br />

automóvel, entre fabricantes e fornecedores, no Automobile Club de France, em<br />

Paris. O júri do Automobile Awards, composto por 20 pessoas, 10 homens e 10<br />

mulheres, escolheu premiar a Pirelli pelo desempenho, inovação e desenvolvimento<br />

sustentável. O P Zero E é o novo pneu que incorpora as mais recentes inovações<br />

técnicas desenvolvi<strong>das</strong> pela Pirelli para responder às últimas tendências da<br />

mobilidade elétrica e sustentável. É o primeiro pneu UHP do mercado com mais<br />

de 55% de materiais reciclados e de origem biológica, o que permitiu uma redução<br />

na quantidade de ingredientes de origem fóssil e mineral (-12kg por cada conjunto<br />

de pneus). Além disso, o desgaste dos pneus (em termos de perda de massa)<br />

foi reduzido em 42%, em comparação com os produtos UHP Pirelli tradicionais.<br />

GRUPO AUTOZITÂNIA INCORPORA PNEUS<br />

LEAO NO PORTEFÓLIO<br />

AUTOZITÂNIA | A Autozitânia e a Bragalis aumentaram o seu portefólio de produtos,<br />

com a chegada dos Pneus LEAO, disponibilizando aos seus parceiros e clientes, pneus de<br />

elevada qualidade e desempenho excecional a um preço imbatível. Construídos com materiais<br />

de elevada qualidade, os pneus LEAO destacam-se pela sua resistência e durabilidade<br />

excecionais, garantindo uma condução suave e segura em to<strong>das</strong> as situações. A LEAO Tire é<br />

o 12º maior fabricante mundial de pneus, com 4 unidades de produção em todo o mundo,<br />

produzindo anualmente mais de 77 milhões de pneumáticos. Os Pneus LEAO são um<br />

exclusivo AD Parts, sendo distribuídos em Portugal pela Autozitânia & Bragalis.<br />

NOMEADO DISTRIBUIDOR EXCLUSIVO PRINX<br />

EM PORTUGAL E ESPANHA<br />

Dispnal | A Dispnal Pneus, anunciou a assinatura de um acordo com o fabricante Prinx Chengshan,<br />

para comercializar em exclusivo a sua marca PRINX em Portugal e Espanha. Com esta nova aliança com o<br />

fabricante Prinx Chengshan, a Dispnal pretende complementar o seu portefólio de marcas no segmento de<br />

Automóveis de Passageiros e SUV, e promover o seu crescimento na Península Ibérica. Segundo o administrador<br />

Rui Chorado “A Dispnal tem capacidade para oferecer ao mercado a mais vasta gama de produtos, desde<br />

câmaras de ar a todos os tipos de pneus. Como tal, a orgulha-se de ter sido escolhida pelo grupo Prinx Chenhsgan<br />

para ser distribuidor exclusivo da Prinx, a sua marca premium na Península Ibérica. O nosso principal<br />

objetivo será continuar a oferecer ao mercado as soluções mais económicas, de maior qualidade e, sobretudo,<br />

as marcas mais rentáveis, seja para clientes/agentes ou clientes finais”. A PRINX comercializa pneus premium<br />

desenvolvidos especificamente para os mercados europeus e as suas condições climáticas e cobrindo todos os<br />

tipos de requisitos no segmento de automóveis de passageiros e SUV.<br />

94 Dezembro 2023 I Janeiro 2024 www.jornal<strong>das</strong>oficinas.com


GALA<br />

X EDIÇÃO 2024<br />

CASINO FIGUEIRA DA FOZ<br />

18 OUTUBRO<br />

SEJA PATROCINADOR!<br />

PATROCINADORES 2024<br />

Premium Partner<br />

UZ DEAIRBAG


C<br />

M<br />

Y<br />

CM<br />

MY<br />

CY<br />

CMY<br />

K<br />

AF_Final_Planning_2023 1000x680.pdf 1 18/12/2023 13:06<br />

CALENDÁRIO PLANNING JORN<br />

NNING JORNAL DAS OFICINAS 2024<br />

www.apcomunicacao.com<br />

JANEIRO<br />

FEVEREIRO<br />

MARÇO<br />

ABRIL<br />

MAIO<br />

JUNHO<br />

JULHO<br />

1<br />

2<br />

3<br />

4<br />

5<br />

6<br />

7<br />

8<br />

9<br />

10<br />

11<br />

12<br />

13<br />

14<br />

15<br />

16<br />

17<br />

18<br />

19<br />

20<br />

21<br />

22<br />

23<br />

24<br />

25<br />

26<br />

27<br />

28<br />

29<br />

30<br />

EREIRO<br />

1<br />

6ª<br />

MARÇO<br />

RODA<br />

SUPLENTE.PT 1<br />

BY ALTARODA<br />

www.apcomunicacao.com<br />

3ª<br />

bolsa<br />

+<br />

jante<br />

+<br />

pneu<br />

+<br />

chave<br />

+<br />

luvas<br />

2ª<br />

ABRIL<br />

2ª<br />

4ª<br />

1<br />

Ano-Novo<br />

1<br />

2<br />

3<br />

MAIO<br />

4ª Dia do trabalhador<br />

5ª<br />

6ª<br />

S<br />

1<br />

S<br />

1<br />

2<br />

3<br />

www.apcomunicacao.com<br />

JUNHO<br />

6ª<br />

S<br />

D<br />

MAIO<br />

JUNHO<br />

5ª<br />

JULHO<br />

4 D<br />

AGOSTO<br />

4 2ª<br />

SETEMBRO<br />

4 5ª<br />

OUTUBRO<br />

4 S<br />

4<br />

NOVEMBRO<br />

THE TIRE COLOGNE<br />

3ª<br />

DEZEMBRO<br />

4 5ª<br />

6ª<br />

5 2ª<br />

5 3ª<br />

5 6ª<br />

5 D<br />

5 4ª<br />

5 6ª<br />

THE TIRE COLOGNE<br />

4ª<br />

1 S<br />

1 2ª<br />

S<br />

1<br />

6<br />

5ª<br />

3ª<br />

1<br />

6<br />

D<br />

4ª<br />

1<br />

6<br />

3ª<br />

S<br />

1<br />

6<br />

6ª<br />

2ª<br />

1<br />

6<br />

D<br />

5ª<br />

1<br />

6 S<br />

Dia do trabalhador<br />

Dia de Todos os Santos<br />

Restauração da independência<br />

THE TIRE COLOGNE<br />

5ª<br />

2 D<br />

2 3ª<br />

D<br />

2<br />

7<br />

6ª<br />

4ª<br />

2<br />

7<br />

2ª<br />

5ª<br />

2<br />

7<br />

4ª<br />

D<br />

2<br />

7<br />

S<br />

3ª<br />

2<br />

7<br />

2ª<br />

6ª<br />

2<br />

7 D<br />

6ª<br />

3 2ª<br />

3 4ª<br />

2ª<br />

3<br />

8<br />

S<br />

5ª<br />

3<br />

8<br />

3ª<br />

6ª<br />

3<br />

8<br />

5ª<br />

2ª<br />

3<br />

8<br />

D<br />

4ª<br />

3<br />

8<br />

3ª<br />

S<br />

3<br />

8 2ª<br />

S<br />

4 3ª<br />

4 5ª<br />

3ª<br />

4<br />

9<br />

D<br />

6ª<br />

4<br />

9<br />

4ª<br />

S<br />

4<br />

9<br />

6ª<br />

3ª<br />

4<br />

9<br />

2ª<br />

5ª<br />

4<br />

9<br />

4ª<br />

D<br />

4<br />

9 3ª<br />

THE TIRE COLOGNE<br />

D<br />

5 4ª<br />

5 6ª<br />

4ª<br />

5<br />

10<br />

2ª<br />

S<br />

5<br />

10<br />

5ª<br />

D<br />

5<br />

10<br />

S<br />

4ª<br />

5<br />

10<br />

3ª<br />

6ª<br />

5<br />

10<br />

5ª<br />

2ª<br />

5<br />

10 4ª<br />

THE TIRE COLOGNE<br />

Implantação da República<br />

Dia de Portugal<br />

2ª<br />

6 5ª<br />

6 S<br />

5ª<br />

6<br />

11<br />

3ª<br />

D<br />

6<br />

11<br />

6ª<br />

2ª<br />

6<br />

11<br />

D<br />

5ª<br />

6<br />

11<br />

4ª<br />

S<br />

6<br />

11<br />

6ª<br />

3ª<br />

6<br />

11 5ª<br />

THE TIRE COLOGNE<br />

3ª<br />

7 6ª<br />

7 D<br />

6ª<br />

7<br />

12<br />

4ª<br />

2ª<br />

7<br />

12<br />

S<br />

3ª<br />

7<br />

12<br />

2ª<br />

6ª<br />

7<br />

12<br />

5ª<br />

D<br />

7<br />

12<br />

S<br />

4ª<br />

7<br />

12 6ª<br />

4ª<br />

8 S<br />

8 2ª<br />

S<br />

8<br />

13<br />

5ª<br />

3ª<br />

8<br />

13<br />

D<br />

4ª<br />

8<br />

13<br />

3ª<br />

S<br />

8<br />

13<br />

6ª<br />

2ª<br />

8<br />

13<br />

D<br />

5ª<br />

8<br />

13 S<br />

ExpoMECÂNICA<br />

Final Melhor Mecatrónico<br />

Dia da Imaculada Conceição<br />

Carnaval<br />

5ª<br />

9 D<br />

9 3ª<br />

D<br />

9<br />

14<br />

6ª<br />

4ª<br />

9<br />

14<br />

2ª<br />

5ª<br />

9<br />

14<br />

4ª<br />

D<br />

9<br />

14<br />

S<br />

3ª<br />

9<br />

14<br />

2ª<br />

6ª<br />

9<br />

14 D<br />

ExpoMECÂNICA<br />

Final Melhor Mecatrónico<br />

6ª<br />

10 2ª<br />

10 4ª<br />

2ª<br />

10<br />

15<br />

S<br />

5ª<br />

10<br />

15<br />

3ª<br />

6ª<br />

10<br />

15<br />

5ª<br />

2ª<br />

10<br />

15<br />

D<br />

4ª<br />

10<br />

15<br />

3ª<br />

S<br />

10<br />

15 2ª<br />

ExpoMECÂNICA<br />

AUTOMECHANIKA<br />

Dia de Portugal<br />

Final Melhor Mecatrónico<br />

S<br />

11 3ª<br />

11 5ª<br />

3ª<br />

11<br />

16<br />

D<br />

6ª<br />

11<br />

16<br />

4ª<br />

S<br />

11<br />

16<br />

6ª<br />

3ª<br />

11<br />

16<br />

2ª<br />

5ª<br />

11<br />

16<br />

4ª<br />

D<br />

11<br />

16 3ª<br />

AUTOMECHANIKA<br />

D<br />

12 4ª<br />

12 6ª<br />

4ª<br />

12<br />

17<br />

2ª<br />

S<br />

12<br />

17<br />

5ª<br />

D<br />

12<br />

17<br />

S<br />

4ª<br />

12<br />

17<br />

3ª<br />

6ª<br />

12<br />

17<br />

5ª<br />

2ª<br />

12<br />

17 4ª<br />

AUTOMECHANIKA<br />

2ª<br />

13 5ª<br />

13 S<br />

5ª<br />

13<br />

18<br />

3ª<br />

D<br />

13<br />

18<br />

6ª<br />

2ª<br />

13<br />

18<br />

D<br />

5ª<br />

13<br />

18<br />

4ª<br />

S<br />

13<br />

18<br />

6ª<br />

3ª<br />

13<br />

18 5ª<br />

AUTOMECHANIKA<br />

Final Challenge <strong>Oficinas</strong><br />

VII Edição 2024<br />

3ª<br />

14 6ª<br />

14 D<br />

6ª<br />

14<br />

19<br />

4ª<br />

2ª<br />

14<br />

19<br />

S<br />

3ª<br />

14<br />

19<br />

2ª<br />

6ª<br />

14<br />

19<br />

5ª<br />

D<br />

14<br />

19<br />

S<br />

4ª<br />

14<br />

19 6ª<br />

AUTOMECHANIKA<br />

4ª<br />

15 S<br />

15 2ª<br />

S<br />

15<br />

20<br />

5ª<br />

3ª<br />

15<br />

20<br />

D<br />

4ª<br />

15<br />

20<br />

3ª<br />

S<br />

15<br />

20<br />

6ª<br />

2ª<br />

15<br />

20<br />

D<br />

5ª<br />

15<br />

20 S<br />

Assunção de Nossa Senhora<br />

5ª<br />

6ª<br />

S<br />

16<br />

17<br />

18<br />

D<br />

2ª<br />

3ª<br />

16<br />

17<br />

18<br />

3ª<br />

D<br />

4ª<br />

2ª<br />

5ª<br />

3ª<br />

16<br />

21<br />

17<br />

22<br />

18<br />

23<br />

6ª<br />

4ª<br />

S<br />

5ª<br />

D<br />

6ª<br />

16<br />

21<br />

17<br />

22<br />

18<br />

23<br />

2ª<br />

5ª<br />

3ª<br />

6ª<br />

4ª<br />

S<br />

16<br />

21<br />

17<br />

22<br />

18<br />

23<br />

4ª<br />

D<br />

5ª<br />

2ª<br />

6ª<br />

3ª<br />

16<br />

21<br />

17<br />

22<br />

18<br />

23<br />

S<br />

3ª<br />

D<br />

4ª<br />

2ª<br />

5ª<br />

16<br />

21<br />

17<br />

22<br />

18<br />

23<br />

2ª<br />

6ª<br />

3ª<br />

S<br />

4ª<br />

D<br />

16<br />

21<br />

17<br />

22<br />

18<br />

23<br />

D<br />

2ª<br />

3ª<br />

Final Challenge <strong>Oficinas</strong><br />

X Gala TOP 100<br />

VII Edição 2024<br />

D<br />

2ª<br />

19<br />

20<br />

4ª<br />

5ª<br />

19<br />

20<br />

6ª<br />

3ª 4ª<br />

S<br />

5ª<br />

19<br />

24<br />

20<br />

25<br />

2ª<br />

S<br />

3ª<br />

D<br />

19<br />

24<br />

20<br />

25<br />

5ª<br />

6ª D<br />

6ª<br />

2ª<br />

19<br />

24<br />

20<br />

25<br />

S<br />

4ª<br />

D<br />

5ª<br />

19<br />

24<br />

20<br />

25<br />

3ª<br />

6ª<br />

4ª<br />

S<br />

19<br />

24<br />

20<br />

25<br />

5ª<br />

2ª<br />

6ª<br />

3ª<br />

19<br />

24<br />

20<br />

25<br />

4ª<br />

5ª<br />

Dia da Liberdade<br />

3ª<br />

4ª<br />

5ª<br />

21<br />

22<br />

23<br />

6ª<br />

S<br />

D<br />

21<br />

22<br />

23<br />

D<br />

6ª<br />

2ª<br />

S<br />

3ª<br />

D<br />

21<br />

26<br />

22<br />

27<br />

23<br />

28<br />

4ª<br />

2ª<br />

5ª<br />

3ª<br />

6ª<br />

4ª<br />

21<br />

26<br />

22<br />

27<br />

23<br />

28<br />

S<br />

3ª<br />

D<br />

4ª<br />

2ª<br />

5ª<br />

21<br />

26<br />

22<br />

27<br />

23<br />

28<br />

2ª<br />

6ª<br />

3ª<br />

S<br />

4ª<br />

D<br />

21<br />

26<br />

22<br />

27<br />

23<br />

28<br />

5ª<br />

D<br />

6ª<br />

2ª<br />

S<br />

3ª<br />

21<br />

26<br />

22<br />

27<br />

23<br />

28<br />

S<br />

4ª<br />

D<br />

5ª<br />

2ª<br />

6ª<br />

21<br />

26<br />

22<br />

27<br />

23<br />

28<br />

6ª<br />

S<br />

D<br />

6ª<br />

24 2ª<br />

24 4ª<br />

2ª<br />

24<br />

29<br />

S<br />

5ª<br />

24<br />

29<br />

3ª<br />

6ª<br />

24<br />

29<br />

5ª<br />

2ª<br />

24<br />

29<br />

D<br />

4ª<br />

24<br />

29<br />

3ª<br />

S<br />

24<br />

29 2ª<br />

Sexta-Feira Santa<br />

S<br />

25 3ª<br />

25 5ª<br />

3ª<br />

25<br />

30<br />

D<br />

25 4ª<br />

S<br />

25<br />

30<br />

6ª<br />

3ª<br />

25<br />

30<br />

2ª<br />

5ª<br />

25<br />

30<br />

4ª<br />

D<br />

25<br />

30 3ª<br />

3<br />

Natal<br />

Corpo de Deus<br />

D<br />

26 4ª<br />

26 6ª<br />

4ª<br />

26<br />

31<br />

2ª<br />

26 5ª<br />

D<br />

26<br />

31<br />

S<br />

26 3ª<br />

6ª<br />

26<br />

31<br />

5ª<br />

26<br />

4ª<br />

Páscoa<br />

2ª<br />

3ª<br />

27<br />

28<br />

5ª<br />

6ª<br />

27<br />

28<br />

S<br />

D<br />

27<br />

28<br />

3ª<br />

4ª<br />

27<br />

28<br />

6ª<br />

S<br />

27<br />

28<br />

D<br />

2ª<br />

27<br />

28<br />

4ª<br />

5ª<br />

27<br />

28<br />

6ª<br />

S<br />

27<br />

28<br />

Fórum DPAI/ACAP<br />

4ª<br />

29 S<br />

29 2ª<br />

29 5ª<br />

29 D<br />

29 3ª<br />

29 6ª<br />

Identifica 29 De faz o pedido29<br />

Convenção Anecra<br />

RIO PLANNING JORNAL DAS OFICIN<br />

5ª Corpo de Deus 30 D<br />

30 3ª<br />

30 6ª<br />

30 2ª<br />

30 4ª<br />

30 S<br />

30 2ª<br />

30<br />

6ª<br />

31<br />

4ª<br />

31 S<br />

31<br />

5ª<br />

31<br />

3ª<br />

bolsa31<br />

+<br />

jante<br />

+<br />

pneu<br />

+<br />

Faça a sua Pré-inscrição<br />

Identifica e faz o pedido<br />

chave<br />

www.melhormecatronico.pt<br />

+<br />

luvas<br />

| | 261 099 405 | 917 880 506<br />

Mais de 50 000 peças em stock.<br />

Entregas rápi<strong>das</strong> no dia seguinte.<br />

Atendimento personalizado e especializado.<br />

1<br />

Condições especiais para .<br />

2ª<br />

1<br />

2<br />

3<br />

JULHO<br />

2ª<br />

3ª<br />

4ª<br />

1<br />

5ª<br />

1<br />

2<br />

3<br />

AGOSTO<br />

4ª<br />

5ª<br />

6ª<br />

1<br />

Dia do trabalhador<br />

D<br />

1<br />

2<br />

3<br />

SETEMBRO<br />

S<br />

D<br />

2ª<br />

RODA<br />

SUPLENTE.PT<br />

BY ALTARODA<br />

1<br />

3ª<br />

1<br />

2<br />

3<br />

OUTUBRO<br />

2ª<br />

3ª<br />

4ª<br />

1<br />

NOVE<br />

6ª Dia de Tod


MARÇO<br />

1<br />

6ª<br />

2<br />

S<br />

3<br />

D<br />

4<br />

2ª<br />

5<br />

3ª<br />

6<br />

4ª<br />

7<br />

5ª<br />

8<br />

6ª<br />

S<br />

D<br />

2ª<br />

3ª<br />

4ª<br />

5ª<br />

6ª<br />

S<br />

D<br />

2ª<br />

3ª<br />

4ª<br />

5ª<br />

6ª<br />

6ª<br />

S<br />

9<br />

10<br />

11<br />

12<br />

13<br />

14<br />

15<br />

16<br />

17<br />

18<br />

19<br />

20<br />

21<br />

22<br />

23<br />

25<br />

26<br />

27<br />

28<br />

29<br />

30<br />

24<br />

31<br />

FEVEREIRO<br />

1<br />

5ª<br />

2<br />

6ª<br />

3<br />

S<br />

4<br />

D<br />

5<br />

2ª<br />

6<br />

3ª<br />

7<br />

4ª<br />

8<br />

5ª<br />

6ª<br />

S<br />

D<br />

2ª<br />

3ª<br />

4ª<br />

5ª<br />

6ª<br />

S<br />

D<br />

2ª<br />

9<br />

10<br />

11<br />

12<br />

13<br />

14<br />

15<br />

16<br />

17<br />

18<br />

19<br />

20<br />

21<br />

3ª<br />

28<br />

29<br />

22<br />

23<br />

25<br />

26<br />

27<br />

24<br />

JANEIRO<br />

1<br />

2ª<br />

2<br />

3ª<br />

3<br />

4ª<br />

4<br />

5ª<br />

5<br />

6ª<br />

6<br />

S<br />

7<br />

D<br />

8<br />

2ª<br />

9<br />

3ª<br />

10<br />

4ª<br />

11<br />

5ª<br />

12<br />

6ª<br />

13<br />

S<br />

14<br />

D<br />

15<br />

2ª<br />

16<br />

3ª<br />

17<br />

4ª<br />

18<br />

5ª<br />

19<br />

6ª<br />

20<br />

S<br />

21<br />

D<br />

22<br />

2ª<br />

23<br />

3ª<br />

25<br />

26<br />

27<br />

28<br />

29<br />

30<br />

3ª<br />

24<br />

3ª<br />

31<br />

Ano-Novo<br />

Carnaval<br />

JUNHO<br />

1<br />

S<br />

2<br />

D<br />

3<br />

2ª<br />

4<br />

3ª<br />

5<br />

4ª<br />

6<br />

5ª<br />

7<br />

6ª<br />

8<br />

S<br />

D<br />

2ª<br />

3ª<br />

4ª<br />

5ª<br />

6ª<br />

S<br />

D<br />

2ª<br />

3ª<br />

4ª<br />

5ª<br />

6ª<br />

S<br />

D<br />

D<br />

9<br />

10<br />

11<br />

12<br />

13<br />

14<br />

15<br />

16<br />

17<br />

18<br />

19<br />

20<br />

21<br />

22<br />

23<br />

25<br />

26<br />

27<br />

28<br />

29<br />

30<br />

24<br />

Dia de Portugal<br />

ABRIL<br />

1<br />

2ª<br />

2<br />

3ª<br />

3<br />

4ª<br />

4<br />

5ª<br />

5<br />

6ª<br />

6<br />

S<br />

7<br />

D<br />

8<br />

2ª<br />

3ª<br />

4ª<br />

5ª<br />

6ª<br />

S<br />

D<br />

2ª<br />

3ª<br />

4ª<br />

5ª<br />

6ª<br />

S<br />

D<br />

2ª<br />

3ª<br />

3ª<br />

9<br />

10<br />

11<br />

12<br />

13<br />

14<br />

15<br />

16<br />

17<br />

18<br />

19<br />

20<br />

21<br />

22<br />

23<br />

25<br />

26<br />

27<br />

28<br />

29<br />

30<br />

24<br />

Sexta-Feira Santa<br />

Páscoa<br />

Dia da Liberdade<br />

MAIO<br />

1<br />

4ª<br />

2<br />

5ª<br />

3<br />

6ª<br />

4<br />

S<br />

5<br />

D<br />

6<br />

2ª<br />

7<br />

3ª<br />

8<br />

4ª<br />

5ª<br />

6ª<br />

S<br />

D<br />

2ª<br />

3ª<br />

4ª<br />

5ª<br />

6ª<br />

S<br />

D<br />

2ª<br />

3ª<br />

9<br />

10<br />

11<br />

12<br />

13<br />

14<br />

15<br />

16<br />

17<br />

18<br />

19<br />

20<br />

21<br />

22<br />

23<br />

25<br />

26<br />

27<br />

28<br />

29<br />

24<br />

30<br />

4ª<br />

31<br />

5ª<br />

Dia do trabalhador<br />

CALENDÁRIO PLANNING JO<br />

5ª<br />

6ª<br />

S<br />

D<br />

2ª<br />

4ª<br />

4ª<br />

3ª<br />

4ª<br />

4ª<br />

5ª<br />

5ª<br />

S<br />

D<br />

2ª<br />

6ª<br />

2ª<br />

3ª<br />

4ª<br />

5ª<br />

6ª<br />

S<br />

D<br />

D<br />

4ª<br />

5ª<br />

6ª<br />

S<br />

D<br />

2ª<br />

4ª<br />

6ª<br />

6ª<br />

S<br />

D<br />

5ª<br />

2ª<br />

3ª<br />

2ª<br />

3ª<br />

4ª<br />

5ª<br />

6ª<br />

S<br />

www.apcomun<br />

THE TIRE COLOGNE<br />

THE TIRE COLOGNE<br />

THE TIRE COLOGNE<br />

Final Challenge <strong>Oficinas</strong><br />

VII Edição 2024<br />

Corpo de Deus<br />

Identifica e faz o pedido<br />

bolsa<br />

+<br />

jante<br />

+<br />

pneu<br />

+<br />

chave<br />

+<br />

luvas<br />

RODA<br />

SUPLENTE.PT<br />

BY ALTARODA<br />

Faça a sua Pré-inscrição<br />

www.melhormecatronico.pt


RNAL DAS OFICINAS 2024<br />

nicacao.com<br />

JULHO<br />

AGOSTO<br />

SETEMBRO<br />

OUTUBRO<br />

NOVEMBRO<br />

DEZEMBRO<br />

2ª<br />

1<br />

5ª<br />

1<br />

D<br />

1<br />

3ª<br />

1<br />

6ª<br />

Dia de Todos os Santos<br />

1<br />

D<br />

Restauração da independência<br />

1<br />

3ª<br />

2<br />

6ª<br />

2<br />

2ª<br />

2<br />

4ª<br />

2<br />

S<br />

2<br />

2ª<br />

2<br />

4ª<br />

3<br />

S<br />

3<br />

3ª<br />

3<br />

5ª<br />

3<br />

D<br />

3<br />

3ª<br />

3<br />

5ª<br />

4<br />

D<br />

4<br />

4ª<br />

4<br />

6ª<br />

4<br />

2ª<br />

4<br />

4ª<br />

4<br />

6ª<br />

5<br />

2ª<br />

5<br />

5ª<br />

5<br />

S<br />

Implantação da República<br />

5<br />

3ª<br />

5<br />

5ª<br />

5<br />

S<br />

6<br />

3ª<br />

6<br />

6ª<br />

6<br />

D<br />

6<br />

4ª<br />

6<br />

6ª<br />

6<br />

D<br />

7<br />

4ª<br />

7<br />

S<br />

7<br />

2ª<br />

7<br />

5ª<br />

7<br />

S<br />

7<br />

2ª<br />

8<br />

5ª<br />

8<br />

D<br />

8<br />

3ª<br />

8<br />

6ª<br />

ExpoMECÂNICA<br />

Final Melhor Mecatrónico<br />

8<br />

D<br />

Dia da Imaculada Conceição<br />

8<br />

3ª<br />

9<br />

6ª<br />

9<br />

2ª<br />

9<br />

4ª<br />

9<br />

S<br />

ExpoMECÂNICA<br />

Final Melhor Mecatrónico<br />

9<br />

2ª<br />

9<br />

4ª<br />

10<br />

S<br />

10<br />

3ª<br />

AUTOMECHANIKA<br />

10<br />

5ª<br />

10<br />

D<br />

ExpoMECÂNICA<br />

Final Melhor Mecatrónico<br />

10<br />

3ª<br />

10<br />

5ª<br />

11<br />

D<br />

11<br />

4ª<br />

AUTOMECHANIKA<br />

11<br />

6ª<br />

11<br />

2ª<br />

11<br />

4ª<br />

11<br />

6ª<br />

12<br />

2ª<br />

12<br />

5ª<br />

AUTOMECHANIKA<br />

12<br />

S<br />

12<br />

3ª<br />

12<br />

5ª<br />

12<br />

S<br />

13<br />

3ª<br />

13<br />

6ª<br />

AUTOMECHANIKA<br />

13<br />

D<br />

13<br />

4ª<br />

13<br />

6ª<br />

13<br />

D<br />

14<br />

4ª<br />

14<br />

S<br />

AUTOMECHANIKA<br />

14<br />

2ª<br />

14<br />

5ª<br />

14<br />

S<br />

14<br />

2ª<br />

15<br />

5ª<br />

Assunção de Nossa Senhora<br />

15<br />

D<br />

15<br />

3ª<br />

15<br />

6ª<br />

15<br />

D<br />

15<br />

3ª<br />

16<br />

6ª<br />

16<br />

2ª<br />

16<br />

4ª<br />

16<br />

S<br />

16<br />

2ª<br />

16<br />

4ª<br />

17<br />

S<br />

17<br />

3ª<br />

17<br />

5ª<br />

17<br />

D<br />

17<br />

3ª<br />

17<br />

5ª<br />

18<br />

D<br />

18<br />

4ª<br />

18<br />

6ª<br />

X Gala TOP 100<br />

18<br />

2ª<br />

18<br />

4ª<br />

18<br />

6ª<br />

19<br />

2ª<br />

19<br />

5ª<br />

19<br />

S<br />

19<br />

3ª<br />

19<br />

5ª<br />

19<br />

S<br />

20<br />

3ª<br />

20<br />

6ª<br />

20<br />

D<br />

20<br />

4ª<br />

20<br />

6ª<br />

20<br />

D<br />

21<br />

4ª<br />

21<br />

S<br />

21<br />

2ª<br />

21<br />

5ª<br />

21<br />

S<br />

21<br />

2ª<br />

22<br />

5ª<br />

22<br />

D<br />

22<br />

3ª<br />

22<br />

6ª<br />

22<br />

D<br />

22<br />

3ª<br />

23<br />

6ª<br />

23<br />

2ª<br />

23<br />

4ª<br />

23<br />

S<br />

23<br />

2ª<br />

23<br />

4ª<br />

24<br />

S<br />

24<br />

3ª<br />

24<br />

5ª<br />

24<br />

D<br />

24<br />

3ª<br />

24<br />

5ª<br />

25<br />

D<br />

25<br />

4ª<br />

25<br />

6ª<br />

25<br />

2ª<br />

25<br />

4ª<br />

Natal<br />

25<br />

6ª<br />

26<br />

2ª<br />

26<br />

5ª<br />

26<br />

S<br />

26<br />

3ª<br />

26<br />

5ª<br />

26<br />

S<br />

27<br />

3ª<br />

27<br />

6ª<br />

27<br />

D<br />

27<br />

4ª<br />

27<br />

6ª<br />

27<br />

D<br />

28<br />

4ª<br />

28<br />

S<br />

28<br />

2ª<br />

28<br />

5ª<br />

Fórum DPAI/ACAP<br />

28<br />

S<br />

28<br />

2ª<br />

29<br />

5ª<br />

29<br />

D<br />

29<br />

3ª<br />

29<br />

6ª<br />

Convenção Anecra<br />

29<br />

D<br />

29<br />

3ª<br />

30<br />

6ª<br />

30<br />

2ª<br />

30<br />

4ª<br />

30<br />

S<br />

30<br />

2ª<br />

30<br />

4ª<br />

31<br />

S<br />

31<br />

5ª<br />

31<br />

3ª<br />

31<br />

| |<br />

261 099 405 | 917 880 506<br />

Mais de 50 000 peças em stock.<br />

Entregas rápi<strong>das</strong> no dia seguinte.<br />

Atendimento personalizado e especializado.<br />

Condições especiais para .

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!