Revista Carta Premium - março-abril-maio de 2017

revistacartapremium

Terceira edição da revista Carta Premium destacando eventos como Expocachaça, Festival Brasileiro da Cerveja de Blumenau, Carta de Drinques, Concurso Mundial de Bruxelas, entre outros temas

2


Editorial

Um grande potencial

Recente pesquisa do Ministério do Turismo (Mtur) traz um panorama

de uma grande oportunidade de negócio a partir de um dado curioso:

quase 45% dos brasileiros nunca viajaram a turismo pelo próprio País!

Além disso, dos que afirmaram viajar a turismo - 49,4% - a periodicidade

é de apenas uma vez ao ano, enquanto 13,8% dizem que

viajam uma vez a cada seis meses.

Se por um lado os preços elevados das viagens intrarregionais são

um dos motivos que dificultam a nossa movimentação turística,

juntamente com o agravamento financeiro das famílias que diminuiu

esse investimento de cultura e lazer , por outro não é difícil em nosso

próprio grupo de amigos, familiares e até no trabalho encontrar um

sem número de pessoas que nunca experimentou os atrativos da

própria cidade, região onde mora, ou cidades circunvizinhas, um

tipo de viagem de menor investimento, mas que ajudaria a manter e

fazer crescer excelentes circuitos.

E é nesse ponto que podemos ver o copo meio cheio: temos muito,

muito por onde crescer e aproveitar essa demanda que existe, oferecendo

oportunidades acessíveis em um ano que ainda terá muitos

feriados prolongados pela frente.

Mas o que isso tem a ver diretamente com o setor de bebidas? Muito!!!

Apenas exemplificando, recente pesquisa da Secretaria de Estado

de Turismo (Setur) de MG mostrou que o maior símbolo turístico

do Estado mineiro é a sua gastronomia. A maioria dos entrevistados

disseram que, ao ouvir o nome do Estado, a primeira coisa que vem à

mente são os famosos pratos e quitutes mineiros.

E o que não faltam são bares e restaurantes em Minas Gerais.

O Estado é responsável por 10% dos estabelecimentos do País,

segundo a Abrasel- MG. Só em Minas, de acordo com a entidade,

há 105 mil lugares que servem refeições. Belo Horizonte, a capital,

oferece 18,6 mil bares, a maior média per capita do Brasil. Por

isso, é considerada a “Capital Mundial do Boteco”, título previsto

em lei municipal desde 2009.

E os amantes da cerveja artesanal, por exemplo, também estão

nadando de braçada no Estado. Minas pode se orgulhar de abrigar

mais de 50 cervejarias, que fabricam mais de uma centena de estilos

que envolvem malte e lúpulo. Tamanha movimentação

já rendeu a Minas o título de “Bélgica Brasileira”.

São mais de 1,2 milhão de litros por mês

segundo a Associação dos Cervejeiros Artesanais

de Minas Gerais (Acerva-MG).

E poderíamos incluir nessa lista de interesse

gastronômico o grande número de excelentes alambiques

e destilarias também presentes no Estado.

Com isso, queremos dizer que o círculo pode ser

muito virtuoso: mais destinos e atrativos, mais

interesse por viajar, melhoria no faturamento,

maior crescimento, maior geração de empregos,

maior incentivo à cultura ...

Por isso, a partir dessa edição estamos abrindo

mais um espaço nobre na revista, a seção “Tour:

Rota Carta Premium” indicando brewpubs,

alambiques, cervejarias, vinícolas, etc. que são

uma ótima oportunidade não só no quesito lazer,

mas também para que os profissionais de A&B

visitem e tenham exemplos claros de como podem

fazer para promover o empreendimento em que

trabalham e ver na prática o trabalho de outros

profissionais.

Durante o Festival de Blumanau, maior evento do

trimestre no mercado de bebidas, que acompanhamos

de perto e trazemos a seguir uma excepcional

cobertura a seguir, distribuímos nosso primeiro

Guia de Bolso não só com sugestões de degustação

e harmonização, mas também já indicando esses

roteiros. O sucesso foi tanto que recebemos muitos

pedidos de envio do guia impresso. Por isso, decidimos

criar esta seção fixa da revista e esperamos

que apreciem mais essa novidade.

Um granede abraço!


Sumário:

CERVEJA ESPECIAL PARA HAMBÚRGUER?

Novidade foi apresentada pela Das Bier. Página 11

CARTA CINCO ESTRELAS

Bebidas especiais presentes no Espaço

7zero6, no RJ. Página 17.

EM ENTREVISTA

Jéssica Sanchez comenta sobre o mercado

de bebidas brasileiras. Página 22

ASES DO MERCADO

As melhores cervejas brasileiras eleitas no

festival de Blumenau. Página 26

4


INVASÃO DOS

GROWLERS

Destaque no mercado

cervejeiro, produtos

ajudam na fidelização.

Página 52

MUNDO VINÍCOLA PREMIADO

O resultado de alguns dos principais

concursos do quadrimestre. Página 62

INCLUA NO ROTEIRO PESSOAL

OU PROFISSIONAL

Alambiques, vinícolas e brewpubs para visitar.

PÁGINA 70

MADE IN BRAZIL

Bebidas nacionais de destaque no mercado.

Página 88

5


Conta Gotas

Queijo cervejeiro

Não há como negar: o queijo e a

cerveja formam uma boa combinação.

Coincidentemente, os dois

produtos passam por uma espécie

de resgate na forma de sua

produção artesanal depois de um

longo período de industrialização,

que deixou no mercado produtos

muito semelhantes entre si e não

necessariamente saborosos. Com

o objetivo de resgatar a cultura

dos queijos nacionais, Daniel

Martins, à frente da Queijo com

Prosa, sommelier de cervejas,

mestre em estilos e chef de cozinha,

em parceria com a Cervejaria

Invicta, lançaram o queijo

Braukäse que leva a premiada

cerveja 108 em sua composição.

O projeto é de autoria da mestre

queijeira Maristela, da Fazenda

Santa Luzia, de Itapetininga, SP.

O Braukäse, que significa queijo

cervejeiro em alemão, produzido

com leite de vacas da raça simental,

casca lavada na cerveja e

curado em câmeras subterrâneas.

Tem o interior macio

e consistência amanteigada.

“Para compor e ampliar as

experiências do nosso projeto,

buscamos uma cerveja mais

forte, escura e de bastante

personalidade sensorial e por

isso escolhemos a 108 da

Invicta”, explica Daniel.

O sommelier e chef esclarece

ainda que no final do processo

de maturação, há uma técnica

para agregar mofo branco na

casca, trazendo mais sabor e

dando um belo contraste com

a cor preta da 108. “A proposta

do Braukäse é unir a minha

paixão pelos dois mundos:

queijo e cerveja. Todos os

anos criamos uma experiência

através de uma nova cervejaria”,

complementa Martins.

Informações em www.queijocomprosa.com.br

Mercado Organizado

Segundo números da Associação

Brasileira das Cervejarias Artesanais

(Abracerva), a cada semana uma

nova microcervejaria abre as portas

no Brasil, confirmando o momento

de consolidação desse segmento no

País. Fundada em outubro de 2013

para reunir e defender os interesses

das cervejarias e da cadeia envolvida

com o setor, a associação foi

uma das responsáveis por articular

a entrada das microcervejarias no

Simples.

Além disso está ajudando a criar toda

uma rede de trabalhaos em prol do

segmento. Sommeliers, bares, bistrôs

e restaurantes também podem se

associar, recebendo benefícios como

descontos exclusivos com uma rede

de prestadores de serviços parceiro;

condições diferenciadas de negociação

com fornecedores de matérias-

-primas; acesso à uma área exclusiva

do site, com informações diferenciadas

sobre o mercado e troca de

informações entre o grupo restrito a

membros, entre outros. Mais informações

em: www.abracerva.com.br

6


Conta Gotas

Muito bem harmonizado

Especializado em carnes especiais, o Figueira Restaurante,

em SC, também aposta nas cervejas diferenciadas. No

início de abril, realizou um evento de harmonização com

as cervejas da Schneider Weisse. A harmonização contou

com a presença de um sommelier que é referência mundial:

Günther Kanzian, nome da Schneider Weisse.

Na entrada, queijo coalho servido com Schneider Weisse

Tap 2. Já para o prato principal, os participantes puderam

optar por filé mignon ao limone com Schneider

Weisse Tap 4 ou filé mignon à Paulistânia com Schneider

Weisse Tap 7. Para a sobremesa, brownie acompanhado

de Schneider Weisse Eisbock. Informações sobre os rótulos

em www.schneider-weisse.com.br .

Entre de cabeça nessa gelada!

Lançados no final de março, por meio de uma parceria

entre a fábrica de sorvetes Ypy, de Marcelo Baracuhy, e

a Vinícola Abreu Garcia, de Ernani Garcia, os sorvetes

branco à base de uva Vermentino e tinto à base de Malbec

são uma novidade especial para servir e experimentar.

Oferecidos no encerramento da Vindima, agora as

opções estão estão sendo viabilizadas em larga escala

para que o produto chegue até os pontos de venda e

supermercados. Informações: www.ypysorvetes.com.br,

www.abreugarcia.com.br .

Ouro cervejeiro

Em abril ocorreu na turística Ouro Preto a primeira edição do

OuroBier, que promete se tornar um dos mais disputados e

agradáveis eventos cervejeiros de Minas Gerais, reunindo cervejarias

artesanais, boa música, exposição de moda e palestras

sobre o mercado cervejeiro, entre outros atrativos. Foram

mais 100 rótulos de grandes lojas e cervejarias como: Verace,

Falke Bier, Brüder, Lamas Brew Shop, Krug Bier, Cervejaria

Loba, Dunk Bier, Prússia Bier, Aleluia Bier, Mantrap, Furst,

Casa Olec e Backer, entre outras. Veja mais detalhes do

evento em www.ourobierfest.com.br e como foi essa primeira

edição no link do Facebook

https://www.facebook.com/Ourobier-1856852751258649/

7


Conta Gotas

Boa sugestão

O Meatpack House, empreendimento

paranaense conhecido pelo

formato de restaurante de rua,

que oferece sanduíches especiais

exclusivos e cervejas artesanais

em seu endereço fixo, passou a

disponibilizar seus preparos e

chopes também via delivery. Durante

as noites de terça a domingo,

grandes rótulos do mercado

cervejeiro paranaense são oferecidos,

entre eles cervejarias como

Maniacs Brewing Co., Morada Cia

Etílica, Oner, Tormenta, Wensky,

F#%*ing Beer, Bodebrown, Bastards,

DUM, Swamp, Raridade Cerveja

e Ignoru’s Bier. O cliente pode

solicitar a entrega do chope do dia

por meio do aplicativo SpoonRocket.

A bebida é entregue em growlers

descartáveis de 2 litros que

conservam o chope fresco e gelado

durante todo o trajeto. Os pedidos

são entregues em uma média de 35

minutos e o cliente pode acompanhar

o trajeto pelo celular.

desgustou essa receita nipo-brasileira?

Desenvolvida por apreciadores da boa cerveja, do saquê de qualidade e da culinária

oriental, a Sakeja é a primeira do gênero no País com saquê. Ela combina

os melhores maltes brasileiros com o lúpulo japonês Sorachi Ace e um toque de

saquê premium seco japonês. Levemente turva, é oferecida em garrafas de 500

ml, apresenta notas herbais, cítricas e levemente adocicadas. O teor alcoólico é

de 5,4%, e o produto harmoniza com frutos do mar, queijos e peixes. Pode ser

encontrada em lojas do Paraná, de Santa Catarina e São Paulo, e também pelo

e-commerce CluBeer (www.clubeer.com.br) ou no Clube do Malte (www.clubedomalte.com.br).

Mais informações: www.sakeja.com.br

Aprecie a carona,

sem moderação!

Concorrente do Uber, a Cabify

passou a oferecer ao clientes

curitibanos uma cerveja da

Way Beer durante o horário

de happy hour, das 17 às 22

horas. A ação se deu no dia 29

de março, na capital paranaense.

Além disso, desde abril, os

clientes que utilizarem os serviços

da Cabify terão desconto

especial para as festas realizadas

na fábrica da Way Beer ou

outras localidades.

8


9


Conta Gotas

Paulistas unidas pela consolidação

No final de março, um grupo de cervejarias artesanais se reuniu na

fábrica da Invicta, no interior paulista, para a fundação do Sindicato

das Indústrias de Cervejas Artesanais do Estado de São Paulo.

Para Rodrigo Silveira, mestre-cervejeiro e diretor da Invicta, o sindicato

vai muito além das questões trabalhistas e patronal. “Queremos

trabalhar na questão tributária no Estado de São Paulo, que hoje é

uma das mais altas do País no nosso setor, não temos nenhum tipo

de benefício para as pequenas cervejarias. Vamos tratar também das

questões municipais, tentar criar um novo índice de poluição, porque

hoje é o mesmo de uma grande cervejaria e por isso não conseguimos

nos instalar em locais estratégicos. Hoje fazemos parte do mesmo

sindicato das grandes cervejarias, mas ele não olha por nós, não luta

pelas nossas causas, por isso entendemos que precisamos nos desvincular

e formar o nosso sindicato”, esclarece Silveira.

‘Barbecue open’

Apaixonados por gastronomia de Blumenau, SC, tiveram a estreia de mais

um evento gastronômico, a primeira edição do BBQ Beer Blumenau, na

Cerveja Blumenau. O evento é uma parceria do Bar da Fábrica da cervejaria

com a Wood & Smoke BBQ, com mais de 10 preparos de carnes e diferentes

técnicas. Entre eles estão: picanha defumada, costela bovina fogo de chão,

cordeiro patagônico, porco no rolete, costelinha de porco defumada e molho

BBQ, entrecote marinado na cerveja e tulipa de frango BBQ. Música ao vivo

também está entre as atrações, com três bandas. Ulysses Kreutzfeld, sócio

do Bar da Fábrica da Cerveja Blumenau, comenta que esse tipo de evento

fomenta a cultura gastronômica da região. “Estamos buscando proporcionar

experiências diferentes para o público, desejando que esse seja um estímulo

para que valorizem os produtores gastronômicos e cervejeiros locais”, diz.

Mais informações: www.cervejablumenau.com.br .

10


Conta Gotas

Cervejas na receita do chef!

O chef e Sommelier de cervejas Guilherme De Rosso, proprietário do Boteco Simples Assim, em Curitiba,

e supervisor do curso de Beer Sommelier do Centro Europeu, acaba de lançar um novo projeto, o

Eat Beer, na cidade. A ideia surgiu depois algumas viagens pela Europa e Estados Unidos. “O uso da

cerveja no preparo de receitas é muito comum na Bélgica, como a bebida sempre existiu em excesso,

eles tinham que utilizá-la em algo. Quando fui para os Estados Unidos, vi que eles também estão começando

a usar bastante as cervejas artesanais em receitas”, explica o profissional.

Como se trata de um projeto pioneiro no Brasil, De Rosso começou a fazer essas experiências nos seus

próprios pratos. “Cada estilo de cerveja requer um tipo de preparação. As bem lupuladas, por exemplo,

devem ser usadas em preparações frias, por quando colocadas no fogo vão perder o aroma, deixando

somente o amargor no preparo”, comenta o chef.

Ele lembra que a diferença entre a cerveja e outros estilos de bebida, como o vinho, está no leque de estilos,

já que ela oferece uma variedade maior de sabores aos pratos. “Vale lembrar, que quando acrescentamos

bebidas às preparações, elas dão um toque especial, não devemos esperar sentir só a cerveja,

se isso acontecer, algo está errado no modo de preparo.O objetivo da cerveja é realçar o prato e não ao

contrário”, comenta.

Os clientes ainda poderão escolher as melhores combinações através de votação no Facebook do estabelecimento

sempre no final de cada mês, para que a partir daí o cardápio definitivo seja montado.

Pró-hambúrger

A chef Nana Oliveira, da Nana Hamburgueria,

de Blumenau (SC), em parceria

com a Das Bier, ajudou a criar uma

American IPA especial para harmonização

com hambúrgueres.

“A harmonização entre hambúrguer e

o estilo já é clássica. Mas vimos uma

oportunidade no mercado que era uma

criação colaborativa com alguém que

realmente entendesse de hambúrgueres

para que a cerveja ficasse ainda mais

especial”, diz Juliano Sant’Ana, gestor

de marketing da Das Bier. “Juntamos a

fome com a vontade de beber”, brinca ele.

Para a chef, a experiência na criação de

uma cerveja colaborativa foi enriquecedora.

“Nós pesquisamos muito, trouxemos

receitas nacionais e importadas para que

os cervejeiros pudessem entender quais

eram as sensações que queríamos despertar

no paladar dos consumidores. E

conseguimos. Estamos muito satisfeitos

e certos de que, não só a nossa hamburgueria,

mas todo o mercado vão ganhar

uma opção incrível”, diz Nana Oliveira.

A American IPA da Das Bier tem teor

alcoólico de 6% e 50 IBUs. Desde o final

de março, o produto pode ser encontrado

em todo o País em garrafas de 500 ml.

Informações: www.dasbier.com.br.

11


Conta Gotas

Já no Mercado!

Aos ávidos por novidades cervejeiras

a lista de novidades é tão extensa que

teríamos de fazer uma edição especial

apenas para destacar os lançamentos.

Selecionamos alguns em destaque

para essa edição:

• Cervejaria Dádiva: em parceria

com a 2Cabeças, apresentou a Pink

Lemonade, uma Berliner Weisse em

versão old-fashioned, uma cerveja de

trigo na cor rosa, feita com framboesa,

amora e limão, altamente refrescante

e leve, com apenas 4,4% de álcool.

Mas outros lançamentos da empresa

se destacam também: a Sourdade,

que teve sua primeira brassagem na

fábrica da Dádiva em fevereiro, uma

cerveja colaborativa com a portuguesa

Post Scriptum Brewery, com

base Berliner Weisse, sour kettle e

uva Moscatel, com acidez lática bem

presente e intensidade de cítricos do

dry de Equinox, buscando o aroma e

o sabor de um bom vinho verde português;

e a Carmel Beach, inspirada

em paisagens verdadeiramente californianas,

uma Session IPA Venice

Beach, em tom dourado e corpo leve,

com 7% de teor alcoólico, destacando

notas cítricas de maracujá com um

amargor bem inserido, fruto da composição

dos lúpulos americanos Columbus

e Amarillo.

• Bierland: de Blumenau, SC, lançou

a Mush Porter, uma Baltic Porter,

vencedora da 5ª edição do Concurso

Cervejeiro Caseiro Bierland. A receita

é de Flávio Rodrigues Domingues,

engenheiro de alimentos de Poços de

Caldas, MG.

• Cerveja Blumenau e Dogma: a novidade

colaborativa das duas empresas

se chama Capivara Lover, uma

Triple IPA comercializado apenas em

barris. A receita tem teor alcoólico de

10,3% e amargor de 92 IBUs.

• Urbana: adoçada com o açúcar do

leite, a Teta, nova artesanal da empresa,

chega ao consumidor em latão

de 473 ml. É uma cerveja no estilo

Milk Brown Ale, elaborada com malte

de cevada, lúpulo e lactos 3 e flocos

de milho. Tem final levemente adocicado.

“Ela também possui notas de

café e chocolate e não é enjoativa. Na

verdade, é bem diferente do que se

espera à primeira vista”, explica o sócio-proprietário

da Cervejaria , André

Cancegliero. Outra novidade da empresa

foi a Busanfe Blanche, elaborada

com malte de trigo e aveia, uma

autêntica Witbier, estilo de cerveja

belga que leva este nome por conta

de seu aspecto claro. Com amargor

na casa dos 11 IBUs e 4,8% de teor

alcoólico.

• Lund: foram ótimos novidades

apresentadas pela empresa

em 2017, entre elas a Lund Mid-

Sommar, para os apreciadores de

Dry Hopped, que em sua essência

mescla características de uma autêntica

Ale com adjuntos clássicos

da família Lager. Com teor alcoólico

de 4,7% e 19,6 IBU a Lund

MidSommar se destaca dos demais

rótulos deste estilo já produzidos

por outras cervejarias pela

especial combinação de malte de

cevada, trigo, maltado e não maltado,

e flocos de aveia somada ao

perfeito Dry Hopping dos lúpulos

Cascade e Amarillo, garantindo

uma receita leve e refrescante,

com cremosidade. Outro destaque

da empresa foi Knock Knock, sua

primeira Dry Stout. Leve e escura

12


Conta Gotas

da família Ale, produzida especialmente

para os dias frescos do outono,

apresenta 62,6 EBC, espuma

espessa e persistente em bege

claro, com aromas da cevada, café

e malte torrados presentes em sua

formulação, remetendo às notas

de chocolate e cacau. De amargor

moderado, com IBU 43,2 e teor

alcoólico de 4,3% por volume, o

novo rótulo da Cervejaria Lund

tem final seco e é de fácil drinkability,

ideal para ser degustado

com carnes assadas, ensopadas

ou com chilli, feijão, feijoada, nachos,

lagosta, caranguejo, pimentões

recheados e embutidos.

• Invicta: durante a segunda edição

do Invicta Knock Down, lançou

a Conan, uma New England IPA,

com 6% de ABV e 35 de IBU, lúpulos

Columbus, Mosaic e Citra. A

cerveja leva cereais não convencionais

como o malte de trigo e flocos

de aveia, que a deixam mais encorpada,

aveludada e turva, características

do estilo. Outra propriedade é

ser muito frutada, lembrando frutas

amarelas e tropicais, como pêssego,

melão, abacaxi, cítricos, tanto pelos

tipos de lúpulo quanto pela levedura.

“Basicamente é uma IPA menos

amarga, mas com muito aroma de

lúpulo, suculenta, o que a diferencia

da maioria das IPAs e faz com

que ela desça mais fácil. O nome

Conan faz referência ao fermento

utilizado na produção, e que irá lhe

conferir um caráter frutado”, explica

o mestre cervejeiro e diretor da Invicta,

Rodrigo Silveira.

• Schornstein: acaba de lançar a Imperial

IPA em latas, em embalagens

de 473 ml com design exclusivo. “Notamos

que é uma tendência nacional e

internacional. Vamos apostar apenas

neste formato para a Imperial IPA,

que não será vendida nas tradicionais

garrafas. Vamos estudar a receptividade

do mercado”, comenta o diretor

executivo da cervejaria Adilson Altrão. Em

breve, a cervejaria também lançará uma

versão Light Lager e uma Kölsch.

• Landel e Júpiter: em parceria com a

Fazenda Silvestre, produtora de frutas

silvestres orgânicas do sul de Minas Gerais,

lançaram a Sour Framboesa, envasada

em latas de 473 ml, em um lote de

apenas 1800 unidades. Agradavelmente

ácida e refrescante, é feita no método

Kettle Sour de acidificação do mosto.

• Way Beer: novidade no mercado a

sua Coffee Brown Ale, uma cerveja

especial desenvolvida com o melhor

café orgânico brasileiro, também está

em distribuição nos Estados Unidos.

Segue o estilo base Brown Ale, uma

cerveja mais seca, com menos açúcar

residual e coloração proveniente dos

maltes especiais, com uma graduação

alcoólica de 5,2%. O grande destaque

da bebida fica por conta da utilização

do café fermentado. Após a fermentação,

o café foi trabalhado ainda em estado

verde (não torrado) em barricas

de Carvalho, utilizadas antigamente

para a produção de cachaça.

Serviço:

• Dádiva: www.facebook.com/Cervejaria-Dadiva-836704796355990/

• Bierland: www.facebook.com/

bierland.cervejaria/

• Blumenau: www.facebook.com/

cervejablumenau/

• Dogma: www.facebook.com/cervejariadogma/

• Urbana: www.facebook.com/UrbanaCervejaria/

• Lund: www.facebook.com/cervejarialund/

• Invicta: www.facebook.com/cervejariainvicta

• Landel: www.facebook.com/cervejarialandel/

• Jupiter: www.facebook.com/CervejariaJupiter

• WayBeer: www.facebook.com/

waybeer/

13


Conta Gotas

Muito bem quistos!

A Domno Importadora, do Grupo

Valduga, comemora o destaque conquistado

por cinco rótulos portugueses

em seu portfólio, os quais receberam

ótimas pontuações na última

edição da Wine Enthusiast Magazine,

revista norte-americana considerada

das mais conceituadas publicações

sobre vinhos do mundo.

Dentre os cinco rótulos de Portugal,

destaque para os vinhos Quinta

do Boição Special Seleccion Old V.

Arinto 2013 e Vilalva Reserva Douro

2014. Ambos conquistaram 90 pontos,

sendo o primeiro de acordo com a

escolha do editor e o segundo indicado

na categoria Best Buy.

Já o tinto Alma Grande Reserva recebeu

89 pontos na categoria Best

Buy, seguido pelos rótulos Catedral

Reserva 2014, com 88 pontos e o Romeira

Reserva 2014, com 87 pontos.

Os também premiados são o Alma

Grande Reserva, com 89 pontos, o

Catedral Reserva, com 88 pontos, e o

Romeira Reserva, com 87 pontos.

Outros produtos trazidos ao Brasil

pela empresa e que receberam grande

destaque são os vinhos chilenos

Casas Del Bosque, que tiveram excelente

avaliação do crítico americano

Josh Reynolds para a publicação

Vinous, uma das mais respeitadas

do universo do vinho. Seis desses rótulos

premiados já estão disponíveis

no Brasil e são trazidos pela Domno

Importadora. O crítico Josh Reynolds

elegeu com 92 pontos dois vinhos: o

Gran Reserva Syrah e o Gran Reserva

Cabernet Sauvignon. Já o Gran

Reserva Sauvignon Blanc ficou com

91 pontos. Dentre a linha de vinhos

reserva, o Carménère ficou com 91

pontos. Já os Chardonnay, Cabernet

Sauvignon e Sauvignon Blanc ficaram

com 90 pontos. Todos os rótulos

da Domno Importadora podem ser

encontrados no e-commerce (www.

famigliavalduga.com.br) ou em lojas

especializadas em todo o País.

Em expansão!

Abril marcou o relançamento da Cerveja

Vinil, que anteriormente fazia

parte do trio da Cervejaria Inconfidentes

(Jambreiro, Vinil e Grimor). Nesta

nova fase da empresa, Daniel Pinheiro,

Fabrício Bastos e Ricardo Marques

adquiriram dois novos sócios: Gustavo

Moreira e Carlos Ruttemberg. A Vinil

mantém a estrutura da Cervejaria Inconfidentes

no Jardim Canadá (Nova

Lima) e, graças à chegada dos novos

sócios, foi possível implementar um

novo plano de negócios que inclui investir

em marketing estratégico, gestão,

estruturação de seu departamento

comercial, maquinário e pessoal. O objetivo

é atingir em dois anos a meta de

50 mil litros produzidos por mês (hoje

atinge a marca de 15 mil litros/mês).

Hoje a Vinil está oficialmente em 25

pontos de venda entre lojas de autosserviço,

bares, restaurantes, mercados

e supermercados, além dos

principais eventos cervejeiros e gastronômicos

de Minas Gerais.

Para Fabrício Bastos, o novo momento

da Vinil significa profissionalização

da empresa e investimentos para

crescer em qualidade e produção.

“Nosso foco atual é na grande BH e

algumas cidades turísticas estratégicas,

como Ouro Preto e São Lourenço.

Para atender outras cidades e

Estados estamos fechando parcerias

com lojas de comercialização virtual

(e-commerce)”.

Fabrício adianta que ainda este ano,

no mínimo dois novos rótulos serão

lançados. “Um deles é uma receita

que vem desde a nossa época de cervejeiros

caseiros: uma Imperial IPA,

com potentes 8% de teor alcoólico e

75 IBUs (índice de amargor). Nossa

preocupação é lançar cervejas sempre

alinhadas com a demanda dos

consumidores, seja pelo paladar, seja

pelo custo. O outro ainda é surpresa”.

Hoje, a Vinil possui seis rótulos: a

Vinil 33 rpm – Bohemiam Pilsener; a

Vinil 45 rpm – British IPA; a Vinil 78

rpm – Stout; a Vinil Tropicália lado

A – Weiss; a Vinil Tropicália lado B –

Hop Weiss; a Vinil Baba ESB – Extra

Special Bitter, além do chope German

Pilsen puro malte. Todos em versão

garrafas e chope, exceto o último que

é comercializado apenas como chope.

Informações: www.cervejavinil.com

14


Conta Gotas

15


16


Padrão Cinco Estrelas

Aquele abraço...

de encanto!

Localizado na cobertura do Praia Ipanema

Hotel, na capital fluminense, o Espaço 7zero6

está completando três anos de existência.

De administração própria do hotel, trata-

-se de um espaço gastronômico alternativo

e único, com uma das vistas mais excepcionais

da cidade do Rio de Janeiro e um lindo

bar. Com capacidade para até 50 lugares,

o local é aberto diariamente ao público mediante

reserva prévia de preferência.

“O Espaço 7zero6 está presente nos principais

guias gastronômicos da cidade e detém

o selo de Excelência TripAdvisor por 2 anos

consecutivos. Atendemos principalmente

clientes locais, turistas a negócios e a lazer

para o famoso “Café Boulanger” servido nas

manhãs de sexta-feira, sábado e domingo;

almoço e jantar com serviço à la carte ou

eventos privativos de pequeno porte. Nosso

tíquete médio de uma refeição é aproximadamente

de R$ 180,00 por pessoa”, destaca

Walter Strub, gerente geral.

17


Padrão Cinco Estrelas

Desde 2013 o hotel está num processo

gradual de transformação, buscando

otimizar e modernizar os seus ambientes

para proporcionar maior interatividade,

conectividade e bem-estar

para os seus hóspedes e clientes. “Um

grande exemplo das tendências na decoração

estão bem presentes no Espaço

7Zero6 que vem encantando os

visitantes em qualquer momento do

dia ou da noite. O conceito de aliar a

modernidade dos materiais, o conforto

dos móveis com uma ambientação

elegante e direcionada para a deslumbrante

vista da Praia de Ipanema, do

Leblon, das Ilhas Cagarras e da Lagoa

Rodrigo de Freitas, fazem com que o local

se destaque na Zona Sul do Rio de

Janeiro. Um outro diferencial do Espaço

7zero6 reside na personalização dos

seus serviços e na busca contínua de

proporcionar uma experiência completa

e inesquecível para os clientes que

desejam celebrar momentos especiais,

eventos sociais ou corporativos”, detalha

o porta-voz.

Muito mais que detalhe

à mesa

Além dos diferenciais de encanto aos

olhos de quem tem o prazer de adentrar

ao Espaço 7zero6, o empreendimento

é também um convite para surpreender

os paladares mais exigentes.

A equipe conta com profissionais como

a jovem Sous Chef Beatriz Seixas, responsável

pela gastronomia que traz

Walter Strub,

gerente geral do Espaço

7Zero6

pratos assinados como o “Polvo crocante

com tartare de tomate confit e

maçã ácida ao perfume de curry indiano”.

“Ele harmoniza excepcionalmente

com o nosso Luiz Pato Maria Gomes

Branco seco”, sugere o gerente geral.

Por dentro de uma carta

diferenciada

A carta de bebidas do empreendimento

traz destaques como

• Cervejas: Cerveja Artesanal Praya,

Cerveja Tupiniquim Saison de Cajú e

Cerveja Jeffreys Niña.

• Vinhos: Espumante Chandon Brut,

Espumante Vivato e Espumante Bardot

Rosé.

• Cachaças e outros destilados:

Cachaça Leblon, Cachaça Leblon Signature

Merlet, e Tiquira Guaaja.

“Nós temos a cachaça Leblon que faz

parte de nossa carta com receitas de

coquetéis criadas pelo mixologista

Alex Mesquita. Temos também o sofisticado

licor de folha de sabugueiro,

o Saint Germain, e a Guaaja Tiquira,

que é uma aguardente nacional feita

de mandioca, muito famosa no Nordeste

do Brasil”, finaliza Walter.

18


Padrão Cinco Estrelas

Drinque exclusivo

“Spritz Unusual”

Profissional: mixologista Alex Mesquita

Ingredientes

- 50 ml de St. Germain

- 4 gotas de bitter de laranja

- Completar com espumante Martini Extra Brut

Preparo: servido em taça específica de Spritz. A receita

é feita diretamente na taça e mexida com uma bailarina.

Decore com uma meia lua fina de grapefruit.

19


Padrão Cinco Estrelas

20


Padrão Cinco Estrelas

SERVIÇO:

Informações sobre as

bebidas citadas

1. Cervejaria Jeffrey: também com DNA carioca,

é voltada a produção de cervejas gourmet. Telefone

(21) 2274-0000, e-mail jeffrey@jeffrey.com.br, site

http://jeffrey.com.br

2. Cervejaria Tupiniquim: recém-condecorada

como a melhor cervejaria do Brasil em 2017 segundo

o Concurso de Blumenau. Mais informações:

(51) 3347-7860, contato@cervejatupiniquim.com.br

- www.cervejatupiniquim.com.br

3. Espumante Bardot Rosé e Espumante Vivatto:

podem ser encontrados no portfólio de distribuidoras

como a LivImport (telefone 21 2561-2168,

email atendimento@livimport.com.br, e site www.

livimport.com.br) e também na Menimport: telefone

(31)3286-8362, e-mail atendimento@menimport.

com.br e site www.menimport.com.br . Informações

também na página do Facebook: https://www.

facebook.com/pg/espumantebardot

4. Chandon Brasil: informações no telefone (54)

3388-4400, ou pelos emails dchesini@chandon.

com.br ou rsmaniotto@chandon.com.br e site www.

chandon.com.br

5. Cachaça Leblon: produzida no coração do Brasil,

em Minas Gerais, na Maison Leblon, uma das

mais refinadas destilarias brasileira.

Leblon é hoje a Cachaça líder em vendas em

Hollywood, Nova York, Miami, Londres e Paris, e

considerada uma das melhores cachaças brancas

disponíveis no mercado. Veja mais informações na

página da empresa no Facebook (https://www.

facebook.com/pg/CachacaLeblon) e também no site

www.cachacaleblon.com.br . Foi adquirida pelo Grupo

Bacardi em 2014, telefone (11) 2833-3333

6. Cerveja Praya: também carioca, criada por

surfistas, com ingredientes naturais e selecionados.

Informações contato@cervejapraya.com.br, www.

cervejapraya.com

7. Licor francês St. Germain: elaborado a partir

de flores de sauco, um arbusto que cresce nas

zonas úmidas perto ao Alpes e que floresce durante

4 a 6 semanas por ano, recebeu em dois anos

consecutivos a Medalha de Ouro do San Francisco

World Spirits Competition. Poder ser adquirido no

site Bebidas Famosas (www.bebidasfamosas.com.

br), no Rei dos Whiskys (www.reidoswhiskys.com.

br) e também no Espaço Prime (www.espacoprime.

com.br).

8. Vinho Luiz Pato Maria Gomes Branco Seco:

produzido em Portugal e distribudído no Brasil pela

Mistral Importadora. Contatos (11) 3130-4646,

info@mistral.com.br e www.mistral.com.br .

9. Guaaja Tiquira: aguardente fina produzida a

partir de mandioca, seguindo uma tradição brasileira.

Mais informações sobre a Guaaja Tiquira podem

ser obtidas pelos fones (21) 99966-7786 e tel. (21)

3592-8008, pelo e-mail contato@tiquirabrasil.com,

ou ainda pelos sites www-guaaja.com; www.guaaja.

com.br e www.tiquirabrasil.com

21


22

Jéssica Sanchez,

gestora de bares

e mixologista


Etiqueta

Sob olhar

PROFISSIONAL

“Apostar nos produtos brasileiros é a sacada mais genial

que se pode ter. Explorar o que temos em abundância

também confere autenticidade”. Em entrevista, Jéssica

Sanchez, gestora de bares no Grupo Vogue Square, consultora,

e mixologista no Hotel Tivoli Mofarrej

Em meio à mudança de estação, novas

bebidas nacionais se destacando

no mercado, tendências em mixologia

e no consumo, e em um momento em

que bares e restaurantes precisam

ser ainda mais criativos e ter um cuidado

ainda mais especial quanto à

qualidade do serviço que oferecem,

conversamos com a atenciosíssima

Jéssica Sanchez, profissional de referência

na área de bares. Com uma

visão experiente e vivenciada do setor,

Jéssica pôde nos trazer ótimas

dicas sobre cartas e empreendimentos

de sucesso, e ainda nos presentou

com uma prática receita de drinque.

Confira a seguir:

Revista Carta Premium: Poderia comentar

sobre sua formação profissional

e empreendimentos em que trabalha

ou trabalhou?

Gestora de bares, consultora e mixologista

Jéssica Sanchez:

Comecei na área de Alimentos e Be-

bidas através de um curso técnico

de nutrição. A partir disso fiz estágio

em cozinha, depois me especializei

em vinhos e somente mais tarde

me interessei pelos destilados. Fiz

cursos em Amsterdã, Bordeaux, Paris,

Londres e São Paulo. Sommelière

de Vinho e Cachaça, já cursei

teatro e trabalhei como freelancer de

fotógrafa. Em São Paulo tive minhas

primeiras experiências na área onde

trabalhei no The Sailor Legendary

Pub e nos antigos Armanda e Absolut

INN. Em dezembro de 2012 me

mudei para o Rio para assumir um

bar de coquetelaria no Humaitá onde

fiquei por quase 2 anos, o Meza Bar.

Depois disso passei uma temporada

na Europa e quando voltei assumi os

bares do Copacabana Palace, onde

fiquei por quase 2 anos também. Lá

fui Gerente de Bares e do restaurante

Asiático MEE.

Sai de lá para abrir meu próprio

bar e assumi a gestão e consultoria

23


Etiqueta

do Complexo Vogue Square, na Barra da Tijuca.

Hoje cuido de mais de 20 bares, dentre

eles o Must no Tivoli Mofarrej, 9 bares

no espaço Vogue Square onde um deles é o

Vizinho Gastrobar, um bar focado em coquetelaria

com drinques de assinatura e atendimento

todo voltado ao padrão cinco-estrelas

e hospitalidade. O nosso foco são craft e

fresh cocktails. Trabalhamos com produções

artesanais e naturais.

Revista C.P.: Você acredita que o bartender

brasileiro pode apostar bem nos produtos nacionais?

É possível encontrar ótimos produtos nossos

para as suas criações?

Jéssica Sanchez: Com certeza temos produtos

incríveis no mercado! Para conferir qualidade

ao produto necessita-se de boa matéria-prima

e tradição de produção. E isso temos de sobra!

Apostar nos produtos brasileiros é a sacada

mais genial que se pode ter, sobretudo nesta

época que estamos vivendo onde os importados

custam 70% a mais do que há 1 ano e meio

atrás. Explorar o que temos em abundância,

além de ser super mais em conta, ainda confere

autenticidade. E mostrar que temos ótimas opções

no “quintal” é sem dúvida um diferencial

enorme. Dos últimos cardápios que tenho montado

no Rio, incluir uma área especial para os

destilados brasileiros’ tem sido frequente. Hoje

temos uma outra realidade: ótimas cachaças

acessíveis no mercado, tiquira (aguardente de

mandioca) de qualidade e bons gins e vodcas

nacionais. Eu sugiro uma degustação destas

novas opções disponíveis no mercado! A qualidade

está acima da média. Procure pelos gins

nacionais: Virga, Vitoria Regia, Amazzoni, Arapuru...

Provei recentemente a Tônica 202, nacional

também, com um toque de flor de sabugueiro,

superbacana, e também o licor umeshu

Genshu, à base de saquê, com equilibrio entre

o doce e cítrico na medida. Tenho sempre uma

garrafa na geladeira. Tem também o Bourbon

Bulleit para saciar a falta de bons bourbons no

mercado brasileiro!

Revista C.P: Como barlady e mixóloga tem observado

alguma tendência, algum tipo de drinque

que tenha se tornado referência nacional ou até

internacional?

Jéssica Sanchez: Sem dúvida que nos últimos

anos o “Gim Tônica” tem invadido os bares e também

as casas dos consumidores. Estamos vivendo

uma era onde tudo já foi visto, tudo ja foi provado,

desde coquetéis neon até coquetéis sólidos

e com fumaça. Nada mais é novidade. Por isso

o Gin Tonica têm feito tanto sucesso: simples e

objetivo. Qualquer um pode fazer em casa. E dai

a busca por boas opções de destilado e de tônica

também. Menos é mais!

24


Etiqueta

Revista C.P.: Estamos no outono e já

já no inverno. Quais dicas daria para

os profissionais de bar apostarem?

Jéssica Sanchez: apostem nas bebidas

com potência de sabor! Outono e

inverno pedem um sabor mais intenso.

Nada de sabor mais ou menos ou

aguado! Salivar e querer um segundo

gole é primordial!

Revista C.P.: Recentemente entrevistamos

uma empresa produtora de tiquira,

a Guaaja. Poderia nos fazer um

breve e livre comentário, seja com a

visão de consumidor ou profissional?

Jéssica Sanchez: Acredito que a

Guaaja vem para trazer uma nova

apresentação do que representa ser

tiquira na nossa história. E num momento

onde o Brasil e o mundo estão

preparados e abertos para recebê-la,

num momento onde a nossa cultura

tem sido analisada, onde o mundo

está nos percebendo. E não há momento

melhor para difundir um produto

com tanta personalidade e tanta

tradição. Precisamos de mais sobre a

gente, de mais sobre nossa história,

de onde viemos e nossas tradições.

Precisamos de mais Brasil nas prateleiras,

de mais personalidade, de

mais fatores interessantes sobre nós

mesmos, além das garrafas importadas...

E a Tiquira Guaaja, mesmo

despretensiosa, tem dado um grande

apoio nesse processo todo.

Revista C.P.: Você oferece trabalho

de consultoria para bares, restaurantes,

e bistrôs interessados em avaliar

ou até renovar sua carta de drinques?

Jéssica Sanchez: Sim, claro! É isso

que gosto de fazer: cuidar de cada detalhe

do espaço e deixar ele incrivel,

independente.

Revista C.P.: Poderia nos indicar

uma receita de drinque?

Jéssica Sanchez: Sim, o Cachaça

Sour.

Cachaça Sour

Profissional: Jéssica Sanchez

Ingredientes:

• 40 ml cachaça envelhecida em

amburana

• 20 ml licor de amêndoas

• 20 ml suco de limão

Preparo:

Bater tudo com gelo. Coagem fina

para copo baixo com gelo novo. Finalizar

com fatias de limão.

Aos interessados, contatos com a profissional

Jessica: fones (21) 97154-

0841, (21) 97354-0841 ou pelo

e-mail: semsanchezz@gmail.com .

Bebidas citadas:

Gim Virga: www.virga.com.br

Tiquira Guaaja:

www.tiquirabrasil.com

Vitória Régia Gin:

www.facebook.com/vitoriaregiagin

www.instagram.com/ginvitoriaregia/

Amazzoni: amazzonigin@gmail.com

www.amazzonigin.com

www.facebook.com/pg/amazzonigin

Arapuru:

www.facebook.com/ArapuruGin

www.arapuru.com.br

Tônica 202:

www.facebook.com/tonica202

www.bebidaspoty.com.br

Outras bebidas

Onde encontrar o licor Umeshu Genshu:

www.casadabebida.com.br

www.e-sake.com.br

www.metapunto.com.br

www.adegadesake.com.br

Onde encontrar o uisque Bourbon

Bulleit (Grupo Diageo)

www.bulleit.com

www.casadabebida.com.br

www.belmirobebidas.com.br

www.lojadewhisky.com.br

www.whiskymarketplace.com.br

www.clickbar.com.br

www.hippo.com.br

25


A Cervejaria Felsen foi um dos

destaques do Festival de Blumenau

26


Gran Première

Ases do mercado

Segundo maior evento cervejeiro mundial, mais esperado no primeiro

quadrimestre no País, Concurso Brasileiro de Cervejas do Festival de Blumenau

consagra as melhores receitas e cervejarias de excelência

Se fosse possível resumir o Festival

de Blumenau em poucas palavras, diríamos:

uma experiência incrível para

todas as pontas do mercado cervejeiro

nacional. Foi possível à equipe da

Carta Premium conhecer de perto e

conversar com as cervejas e cervejarias

colocadas entre as melhores do

País, e por que não dizer da América

Latina, já que a Feira Brasileira da

Cerveja, o Festival de Blumenau e o

Concurso Brasileiro juntos elevam o

evento à condição do maior no setor

em terras latino-americanas e o segundo

maior do mundo, ficando atrás

apenas do World Beer Cup, nos Estados

Unidos.

Nesse ano, um seleto júri — formado

por 61 integrantes, sendo 29 especialistas

estrangeiros de 19 países

como Coréia do Sul, Panamá, Alemanha,

Estados Unidos, Suécia e

Polônia — avaliou 2.034 rótulos inscritos

de 332 cervejarias. E essa seleção

especial de cervejas premiadas,

unidas aquelas que mais chamaram

a atenção dos visitantes no evento,

que podemos destacar em nossa

apuração. Isto porque, mais do que

conhecer cada estilo cada cerveja

premiada, é importante para o profissional

de A&B ter em mente que

existem ótimas cervejas e cervejaria

nacionais que podem suprir toda a

sua demanda para harmonização e

deleite de clientes nas mesas de bistrôs,

bares e restaurantes.

A Nova Bier Hoff ficou no Top Três das melhores cervejarias brasileiras

As três melhores

do Brasil

Como em todo ano, de acordo com

número de medalhas e premiações

recebidas, três cervejarias se tornaram

os destaques de 2017, sendo

consideradas as melhores:

• 1 o lugar: Cervejaria Tupiniquim

• 2 o lugar: Cervejaria Bodebrown

• 3 o lugar: Cervejaria Bier Hoff

“A Tupiniquim surgiu em 2013 fruto

de uma ideia de criar um produto

inovador e que tivesse a cara do Brasil.

Nessa busca procuramos fazer

27


Gran Première

Linha da Bier Hoff

produtos ousados e inovadores, e isso

tem sido nosso objetivo como produto

e empresa. O sentimento é muito orgulho

com as premiações”, comenta o

cervejeiro Christian Bonotto, responsável

pela área de Marketing da eleita

a “Melhor do País” em 2017.

Fundada em 2009 pelo mestre cervejeiro

Samuel Cavalcanti, a curitibana

Bodebrown ficou com a segunda colocação.

É uma das pioneiras no renascimento

da cerveja artesanal no

Brasil e foi a primeira a lançar uma

linha Wood Aged (envelhecida em

barril de madeira), bem como a criar

uma escola para ajudar a difundir o

mercado.

Fechando a lista de top 3 está a Bier

Hoff. “As premiações recebidas no

Concurso Brasileiro de Cerveja 2017

são o reconhecimento pelo trabalho

duro e incansável da nossa equipe

em busca da melhoria contínua dos

nossos produtos, os quais atestam

que as nossas cervejas estão num

patamar de altíssima qualidade e que

figuram entre as melhores do Brasil

e da América Latina”: assim comenta

Jacir Cavalheiro, mestre cervejeiro e

porta-voz da empresa.

“Eclética”, como menciona o entrevistado,

a cervejaria tem entre os diferenciais

um certo desapego a um determinado estilo.

“Criamos e fabricamos produtos para atender aos mais

variados gostos e público”, complementa.

Dos seus rótulos premiados, a Jerimoon Pumpkin IPA

foi também a mais procurada no estande. Produzida a

partir de uma perfeita combinação de cinco variedades

de maltes de cevada, malte de Trigo, centeio caramelizado,

uma abundante quantidade de abóbora e somado

a uma generosa quantidade de lúpulos adicionados

em várias etapas do processo de fabricação, apresenta

aromas e sabores complexos e intrigantes. “A harmonização

é algo muito subjetivo, porém do nosso ponto

de vista ela acompanha bem com petiscos, grelhados,

massas frescas, salmão ao molho de maracujá e sobremesas

caramelizadas como pudins, por exemplo”, detalha

o mestre cervejeiro.

Nesta edição do evento, Bier Hoff levou ao público presente

outros 20 rótulos, dos quais três foram lançamentos:

- Bier Hoff Juicy IPA: novo sub-estilo de Cerveja IPA,

também chamada New England ou Vermlont IPA. Tem

como característica a turbidez, cremosidade, amargor

macio e principalmente intenso aroma e sabores frutados

advindos da grande quantidade de lúpulos adi-

“Recebemos um ótimo feedback de

público”, Augusto Balieiro,

sócio-fundador da Walfönger

28


Gran Première

cionados no final da fervura e no Dry Hopping. Teor

alcoólico: 7%, amargor de 48,6 IBU.

- Bier Hoff Pale Lager: híbrida inspirada nos estilos

Pilsner e American Pale Ale, apresenta uma generosa

dose de lúpulos de variedades americanos, alemães e

australianos adicionados tardiamente e no processo de

Dry Hopping, que conferem a cerveja aromas cítricos,

com notas de maracujá, mamão e melão. O amargor é

suave, porém pronunciado. É uma cerveja refrescante e

com agradável drinkability, com teor alcoólico de 5,2%

e amargor de 10,7 IBU.

- Bier Hoff Helles: cerveja de baixa fermentação, porém

diferente dos estilos Pilsen, com cor dourada cristalina,

aroma equilibrado entre os maltes e os lúpulos nobres de

origem germânica, refrescante e muito fácil de beber. O

teor alcoólico é de apenas 5,0% e o amargor de 16,5 IBU.

“É uma felicidade atestar que toda a nossa preocupação,

desde a seleção dos ingredientes, rigoroso controle

do processo de produção até os cuidados com o armazenamento

e transporte estão sendo reconhecidos.

Sempre que uma cerveja tem sua qualidade atestada

Com rótulos inspirados em clássicos do rock and roll, a

Küd foi outro destaque do evento

André Afás, da Hausen Bier

por uma premiação nacional ou internacional acaba projetando

o nome da cervejaria e por consequência o nome da

Cidade, do Estado e do País, repercutindo de maneira muito

positiva para o mercado como um todo, e contribuindo para

o fortalecimento deste crescente movimento. Sempre é bom

ser reconhecido através das premiações, pois reflete a opinião

de um corpo de jurados com profundo conhecimento

técnico. Contudo isso não pode ser o único parâmetro para

medir a qualidade de um produto. Nossos produtos são avaliados

diariamente pelos milhares de clientes que de maneira

espontânea que compram os nossos produtos, veem suas

expectativas atendidas e nos premiam com sua fidelidade”,

finaliza Jacir.

Excelentíssimas opções

De Nova Trento, SC, a Al Fero aproveitou o evento para se lançar

ao mercado. A microcervejaria foi fundada por dois irmãos

apaixonados por cerveja, e seu nome remete às origens italianas

da comunidade da região. “O Festival da Cerveja foi nosso

primeiro contato com o público consumidor. E não poderia

ter sido melhor, conseguimos conversar diretamente com nosso

público-alvo e entender melhor o que os apreciadores de

cervejas artesanais estão procurando. Tínhamos conseguido

produzir dois estilos, Oatmeal Stout e IPA. Ambos foram muito

bem aceitos e arrancaram bons elogios”, pontua Érico Augusto

Masera Marchi, administrador. Ele lembra ainda do excelente

crescimento de mercado: “Nas últimas décadas fomos bombardeados

com produtos industrializados, superficiais, cheio

de aditivos para durabilidade e realçar sabor e aromas. Hoje

em dia, esse mercado cai. E não falo somente de cervejas ou

bebidas, na alimentação isso também acontece. A procura por

qualidade sobressai à procura por preço”.

29


30


31


Gran Première

A Ravache

foi uma das

representantes

paulistas em

Blumenau

Gustavo “Templar” Rodrigues, sócio e cervejeiro da Templária

Medalha de Ouro com seu rótulo

Antídoto Stout Cherry & Pepper,

a também catarinense Antídoto

aproveitou o evento para

apresentar novidades como uma

Catharina Sour com Manga. “A

nossa Stout Cherry&Pepper esgotou

no mesmo dia em que foi

feita a sangria do barril. Ela leva

cereja in natura e pimenta habanero.

A junção dos sabores e

aromas de café e chocolate que

próprio estilo (stout) fornece,

junto com a leve acidez da cereja

e a picância, na medida certa,

da pimenta, proporcionaram

uma combinação perfeita. O resultado

permite harmonizar esta

cerveja com diversas sobremesas

de chocolate em geral (bolos, tortas,

brownies, petit gateau, etc.),

cheescake de frutas vermelhas

e sorvetes”, detalha Cléverson

Tambosi, diretor de produção.

(conheça a empresa em detalhes

na página 44).

A paulista Bamberg foi outra cervejaria

consagrada no evento, com

duas medalhas de Ouro e uma de

Prata. “Todos os prêmios que recebemos

ajudam a validar a qualidade de nossas

cervejas. Com isso, conseguimos de forma

isenta e confiável, um retorno sobre

o nosso trabalho. O nosso objetivo diário

é produzir cervejas com qualidade e

de forma artesanal; não utilizamos produtos

químicos auxiliares do processo.

Todas as nossas cervejas são fabricadas

apenas com água, malte, lúpulo e

levedura, sendo um processo natural

e lento”, destaca o cervejeiro Alexandre

Bazzo, porta-voz da empresa.

Outra cervejaria multipremiada anualmente

é a catarinense Bierbaum.”As

premiações são de extrema satisfação

para nós e nos motivam a ir mais além.

São o resultado de todo o trabalho

duro que desenvolvemos ao longo

desses anos. A prioridade é o nosso

público, por isso nossa missão é

entregar cerveja de qualidade a ele”,

enfatiza Markus Bierbaum, diretor. O

produto que fez mais sucesso da empresa

no evento foi a Bière de Garde

Bierbaum, medalhista de Ouro, com

seus 7,9% de álcool, uma cerveja tradicional

originária do norte da França.

“Apresenta corpo médio com caráter

32


Gran Première

macio e sedoso, com carbonatação alta. Harmoniza

com carne suína assada, codorna,

chucrute, cordeiro, peru e salsichas alemãs”,

finaliza Markus.

Com duas medalhas no Concurso, a cigana

BierTeria é carioca que se destaca pelas receitas

diferenciadas. “Procuramos de alguma

forma inovar, nem sempre seguimos regras

para ajustes dentro do estilo, pois o que importa

é o que queremos passar como mensagem

para nossos clientes. Então nosso foco

primeiro é agradar o paladar e depois verificarmos

se entra em algum estilo ou não para

o concurso. Não fazemos cervejas para os jurados,

e sim para o nosso público. Porém o

reconhecimento profissional é de suma importância”,

comenta Dalmo de Souza, CBO da

empresa. (Veja reportagem na página 46).

Com cervejas premiadíssimas nos últimos

anos, nacional e internacionalmente, a Brotas

Beer também marcou ótima presença no

Festival de Blumenau, e é um ótimo exemplo

de como o investimento em qualidade atrai

cada vez mais apreciadores. “Os concursos

cervejeiros são para a Brotas Beer um importante

parâmetro para a evolução de nossa linha

de produtos. Sentimo-nos obviamente

muito felizes com as premiações, porém mais

do que isso, os concursos são a oportunidade

de colocarmos nossas cervejas sob a avaliação

dos mais renomados conhecedores e juízes.

Isso nos dá um importante feedback de

aprimoramento”, ressalta Márcio Egea Secafin,

proprietário e mestre cervejeiro. Quem compareceu

ao estande da empresa pôde conhecer

cervejas de destaque como a Brotas Beer Dry

Stout, com 4,5% de teor alcoólico. “Uma clássica

irlandesa, genuinamente brotense, triplamente

premiada, que harmoniza bem com

ostras e frutos do mar levemente adocicados,

além de pratos apimentados, carnes de caça,

feijoada, embutidos e sobremesas com chocolate

amargo”, comenta o empreendedor.

Rótulos da Container, que tem um pub próprio no

estilo inglês

Mais celebridades cervejeiras

Com um trabalho bem focado na qualidade,

a Brüder foi outro destaque no evento.

A microcervejaria, que tem na participação

familiar o seu alicerce, também recebeu medalhas.

“As premiações representam a confirmação

de um trabalho focado na qualidade.

É o terceiro concurso consecutivo em

que nosso rótulo American Red Lager é premiado.

Sabemos das dificuldades, do alto

nível destas competições, por isso ter rótulos

premiados mostram que o trabalho está

seguindo trilhos seguros. Vale ressaltar que

não são cervejas elaboradas para competição.

Todas são as mesmas que podem ser

encontradas em bares, restaurantes e supermercados

de Minas Gerais e outros Estados

brasileiros. Nosso diferencial é a busca

incessante pela qualidade lote a lote de nossas

cervejas para que juízes especializados

e consumidores comuns tenham acesso ao

melhor produto possível”, destaca o cervejeiro

Rafael Patrício Martins.

Ainda em terras do interior paulista, a Cervejaria

Campinas, que já está presente em

33


Gran Première

Localizada em Nova Petrópolis, na

Serra Gaúcha, a Edelbrau abre as

portas para deleite dos visitantes

mais de 40 bares, pubs,

restaurantes e empórios

regionais, é fruto da paixão

do mestre cervejeiro

Carlos Alberto Colombo,

do seu irmão João Paulo

Colombo e de Ladir Almada

Neto. “Nossos diferenciais

são prezar por qualidade,

ter gente engajada

com experiência e sonhar

alto. Utilizamos apenas

insumos importados e de

procedência comprovada,

ficando claro a busca pela

qualidade. Nossa intenção

é fazer cerveja artesanal

buscando o máximo

de drinkability dentro de

cada estilo, aliado a um

custo adequado ao consumidor

que dá valor a

este mercado”, completa

Ladir Almada Neto.

A paulistana Caravan Beer, primeira

marca de cervejas artesanais da The

Browery & Co., apresentou, além dos

3 rótulos de linha (Summer Ale, American

Pale Ale e West Coast Style IPA),

3 novidades: a Ginger Pale Ale (uma

APA sem maltes caramelo com a refrescancia

do gengibre), West Coast

Citrus IPA (West Coast Style IPA com

infusão de Grapefruit, limão siciliano

e laranja), e um “blend” em parceria

com outra cervejaria. “Procuramos

sempre trabalhar próximos aos nossos

parceiros, oferecendo treinamento,

eventos de degustação e divulgação,

material comercial, orientação

sobre armazenagem e serviço das

nossas cervejas, assim como sugerir

melhorias na carta, serviço, ações

promocionais, tudo a fim de termos

uma cadeia cada vez mais preparada

para atender o consumidor da melhor

maneira possível”, destaca Jaimes

Almeida Neto, cervejeiro e sommelier.

A parananese Cathedral, premiada

com duas Medalhas de Ouro e uma

Prata, vem do município que já é considerado

segundo pólo cervejeiro do

Estado: Maringá. “Para nós é um orgulho

sem tamanho estarmos inseridos

num cenário cervejeiro tão importante

em nível nacional. Isso nos faz

querer cada vez mais crescer como

empresa e produzir cervejas de qualidade.

Além de nós, outras três cervejarias

maringaenses concorreram no

Concurso e todas receberams premiações

Ouro, Prata e Bronze. Queremos

mais apoio governamental para que

a cultura cervejeira cresça e tenha

mais adeptos. Estamos no caminho

certo para a revolução cervejeira”, diz

Cláudia Alenkire Gonçalves da Silva,

gerente de Comunicação.

Daniel Reginatto, sócio-gestor da catarinense

Container, outra cervejaria

em destaque no evento, também destaca

a importância das premiações

recebidas. “Trazem mais visibilidade

perante o público especializado. Nosso

diferencial para obtenção da premiação

é sem sobra de dúvidas o cuidado

com o processo de fabricação,

além de seguir fielmente o estilo da

cerveja. Durante o evento lançamos

uma White IPA, uma cerveja da nova

escola americana. Nesse estilo destaca-se

a presença de uma boa porção

Profissionais da RockBird Craft Bewery

34


Gran Première

Um dos

rótulos

premiados da

Bamberg

“Lançamos no evento a Warlord, uma Double Ipa em parceria com a

sul-africana Darling Brew”. Eduardo Petry, da Sunset

de trigo na composição, o que lhe dá

um sabor característico. Também se

caracteriza pelo acentuado amargor

advindos de 4 tipos de lúpulos, além

do sabor cítrico derivado das raspas

de laranja e de limão siciliano que foram

adicionadas à receita”, explica.

Novidades não faltaram

Apesar de não ter tido estande nesse

ano no Festival de Blumenau, a Dádiva

participou do concurso e também

foi premiada. “Nossa premiação foi

com a Dádiva Premium Lager na categoria

Dortmund Export. Uma cerveja

clara, leve, refrescante. As notas de

malte remetem à pão, com amargor

residual baixo. Tem uma alta aceitação

com o público em geral. Para harmonização

indicamos saladas, queijos

frescos, peixes poucos gordurosos

e castanhas”, destaca Luiza Lugli Tolosa,

sócia-fundadora.

Outra cervejaria que chamou muito

a atenção e foi novidade por sua

estreia no Festival foi a Daoravida.

“A premiação dentro do evento mais

importante do País nos alça a um

próximo patamar no meio cervejeiro

e nos indica que estamos

no caminho certo na nossa

busca pela excelência

nas nossas receitas, ainda

mais considerando que a

Daoravida tem apenas um

ano e meio de vida. Realmente

ficamos muito felizes

com a medalha! Nossa

Commonzinha é uma

cerveja enquadrada no

estilo California Common,

de fermentação híbrida,

que utiliza levedura Lager,

mas fermenta a temperaturas

mais altas, próximas

de uma Ale. Com isso a

esterificação gera algumas

notas frutadas, dando

uma complexidade um

pouco além do esperado

para uma Lager. Tem um

perfil maltado, porém bem

equilibrado com o lúpulo”,

destaca Ricardo Stênico,

sócio diretor.

De Jaboatão dos Guararapes,

em PE, a DeBron Bier

foi um dos destaques do

35


Gran Première

Norte-Nordeste. “Nossas cervejas já

têm um reconhecimento do público

local e locais de venda, mas faltava

um reconhecimento por júri especializado.

Isto fez acreditarmos ainda

mais no caminho que estamos trilhando

de fazer cervejas fieis aos estilos,

que agradem o público em geral

e consumidores mais experientes.

Muito foco na qualidade no produto

e processo, muita experimentação de

cervejas de referência, cercar de profissionais

apaixonados por cerveja e

pelo mundo artesanal, tem sido nossa

principal receita”, detalha Thomé

Calmon, sócio-prorietário.

De Nova Petrópolis (RS), na Serra

Gaúcha, a Edelbrau destacou no estande

a Wee Heavy, cerveja de edição

limitada produzida em parceria com

a Cervejaria Irmãos Ferraro. “Tínhamos

guardado uma leva especial para

Com receitas artesanais e de puro malte, a Cerveja

Secreta é produzida pela Cervejaria 3 Mosqueteiros

o Festival, já que esta cerveja ficou

irresistível! Também redesenhamos

nossos rótulos, que estão mais modernos

e alinhados com a essência da

Edelbrau neste momento. Os consumidores

de cervejas e produtos gourmet

ou especiais vêm numa crescente

evolução sensorial e isso se mostra

no momento da compra: busca-se,

na maioria das vezes, um produto

com sabor e qualidade diferenciados

em detrimento do preço. Em contrapartida,

consome-se em menor quantidade.

É como diz uma frase popular

no meio cervejeiro: ‘beba menos, beba

melhor’”, pontua Estéfani Hobus,

responsável pela área de Marketing.

E será que esporte e cerveja harmonizam?

No mínimo inspiram. De Santo

Amaro da Imperatriz, a pouco mais

de 30 minutos de Florianópolis, SC,

a Cervejaria Faixa Preta nasceu

de duas paixões: cerveja e

judô. “Toda cervejaria tem

uma característica. A nossa

é ser ‘faixa preta’ na

arte de produzir cerveja.

Uma paixão que saiu dos

tatames para se aprofundar

em um outro sabor, o

sabor de uma boa cerveja,

das misturas exóticas, dos

ingredientes selecionados,

de uma arte também milenar”,

conta Renildo Nunes,

proprietário.

Falando em cervejarias sulistas,

a gaúcha Felsen,

considerada a primeira

“cervejaria vitrine” do Rio

Grande do Sul, mostrou diversos

estilos: Premium Lager,

Helles, Weizenbier, Witbier,

Märzen, Irish Stout

e American IPA. Fundada

em 2015, é fruto da paixão

de três amigos nutrem por

cerveja artesanal. Felsen

significa “rocha” em alemão,

remetendo aos paredões

de pedra característicos

da cidade de Caxias do

Sul, onde está localizada.

Também com pouco tempo

de mercado, a Cervejaria

Fil apresentou sua

linha completa, com destaque

para sua recente

Oatmeal Stout que maturou

1 ano em barril de

carvalho antes utilizado

com malte uísque. “Também

mostramos uma cerveja

que utiliza apenas

lúpulo plantado na cervejaria,

um Hallertaum Mittelfruth”,

comenta Felipe

Fleck, cervejeiro e sócio

diretor da empresa.

36


37


Gran Première

Linha da Brotas Beer

Complementando

a cobertura

A lista pode parecer extensa, mas

é apenas um décimo de novidades

apresentadas e realmente

foram muitos os destaques que

encontramos no evento.

De Formiga, MG, a Fürst

Bier recebeu Medalha de Prata

para o seu rótulo Fürst

Oktoberfest. “Receber uma

Medalha de Prata no V Concurso

Brasileiro da Cerveja realmente

foi um presente para

nós. Isso porque começamos

pequenos. Somos uma cervejaria

do interior de Minas, e

batalhamos para chegar até

onde estamos. Então essa

medalha significa reconhecimento

do nosso trabalho, do

nosso esforço, porque nos empenhamos

em produzir uma

boa cerveja e o resultado está

aí”, comemora Paulo Marcos

Furst Leite, diretor comercial.

Já quem foi ao estande da paranaense

Haus Dreizehn conheceu

a American Amber Ale Sr. Nicholas,

maturada em meio a cavacos de barril

de uísque, que traz o verdadeiro

aroma do Tennessee. “Uma vez que

este cliente cobra do mercado gastronômico

uma qualidade superior desde

o serviço de atendimento até o prato

que vai ser servido, é inevitável que

esta cobrança passe bela bebida que

ele vai apreciar. E é neste ponto que

nós entramos, garantindo esta qualidade

em nossas cervejas”, analisa

Alexandre Omodei, sócio fundador.

Criada há quase 6 anos com o objetivo

de produzir cervejas artesanais que

conquistassem os clientes pela variedade

e qualidade, a Kiezen Ruw mostrou

sua linha diversificada e inovadora,

com produtos como uma Irish Red

Ale com ameixa e pimenta rosa, e uma

Dry Stout com coco queimado. “Analisando

o quadro nacional, percebe-se

que houve recentemente um aumento

exponencial e com característica crescente

no número de produtos nesse

mercado e em breve poderemos ter

uma vertente entre manter a qualidade

ou competir com preço atraentes ou

oferecer benefícios aos clientes. Nossos

produtos possuem custos mais elevados

que são inerentes, assim pretendemos

focar nesse segmento de mercado

diferenciado, despertando curiosidade

e fidelidade desse público a cada dia

mais aculturado e exigente”, esclarece

Marcio Alexandre Ferreira, cervejeiro e

porta-voz da Kiezen.

Aniversariante de 10 anos em 2017,

a Königs Bier, cujo nome significa

“Cerveja do Rei” em alemão, é da

região de Jaraguá do Sul, em SC. A

proposta da cervejaria é produzir

chopes de qualidade e que agradem

não somente ao público masculino,

mas também ao público feminino.

“No nosso estande, tivemos vários tipos

de chopes, desde os tradicionais

Pilsen, Trigo, Bock até chopes mais

robustos como Barley Wine e Imperial

Stout. Ou seja, uma diversidade

de cervejas desde a escola alemã à

inglesa, passando aos estilo mais novos

como a recém-criada Catharina

Sour, nossa grande aposta deste ano,

cuja receita pede a adição de frutas,

tornando-a muito refrescante e sin-

A Cervejaria Lund também comemorou as

premiações no evento

38


Gran Première

gular”, comenta Dennis Ivan Torres,

sócio administrador.

A mineira e também expositora

Küd, cujo nome provém da expressão

“Krieg Über Durst”, que significa

significa “Guerra contra a sede” em

alemão, tem uma hisória bem fundamentada

na qualidade. “Já nos primeiros

lotes conseguimos excelentes

resultados, tanto que no mesmo ano

de fundação uma de nossas cervejas,

a India Pale Ale, ganhou primeiro

lugar no Concurso de Cervejas Artesanais

da Argentina. Tal reconhecimento

nos trouxe mais motivação

para fazer produtos de ótima qualidade,

objetivando atender aqueles

paladares mais nobres. Foi então que

criamos a Cervejaria Küd, que iniciou

suas atividades oficialmente em

2010. Proveniente de uma geração de

cervejeiros aficcionados e apoiados

pela AcervA Mineira, buscamos sempre

promover a cultura cervejeira em

todos os níveis. Tão apaixonados por

rock quanto por cerveja, nossas criações

se inspiram nos grandes clássicos do gênero,

como se pode ver pelas constantes referencias

musicais que tem tudo a ver com os diferentes

estilos que criamos esses temas musicais como

inspiração”, destaca Bruno Parreiras Cabral, sócio-proprietário.

Pertencente ao grupo Famiglia Valduga, uma das

maiores e mais premiadas vinícolas do continente,

a Leopoldina apresentou entre as novidades uma

amostra da Belgium Quadrupel. “Tiramos algumas

garrafas das barricas que ainda se encontrassem em

maturação. O intuito é de darmos continuidade no

propósito de desenvolvimento nessa linha de cervejas

especial, maturadas em barricas com segunda

fermentação em garrafa”, destacou Fernando Menezes

Cruz gerente nacional da marca. “Na degustação

de nossos produtos foi muito destacado o equilíbrio

dos diferentes tipos de cervejas ofertadas, o drinkability,

e o reconhecimento técnico e a capacitação

profissional aplicada na elaboração das cervejas.

Também foi enaltecida a delicadeza e atenção no

trato das cervejas, desde a preocupação com a embalagem,

e o direcionamento da comercialização a

estabelecimentos qualificados”, complementa.

Com estilos exclusivos de lotes limitados e sazonais,

a Lund foi outra sensação, além de nova-

A Al Fero é a primeira no país a seguir a escola italiana

39


Gran Première

Entre os destaques da

Cervejaria Fil estava

a sua Oatmeal Stout

que maturou 1 ano em

barril de carvalho

mente premiada no evento: Medalha

de Prata com a sua Lion Polski Ale.

“O rótulo é uma cerveja Grodziskie

ou Grätzer, um estilo da família Ale,

original e único da Polônia do século

XVIII. Uma produção colaborativa,

realizada entre as cervejarias Lund

e Suméria, resgatou o estilo na cena

cervejeiro nacional em 2015, e recebeu

agora premiação pelo segundo

ano consecutivo. Feita com 100% de

malte de trigo defumado em carvalho,

a Lion Polski Ale é uma cerveja de sabor

marcante, porém refrescante e de

baixo teor alcoólico (3,7%). De fácil

drinkability, apresenta-se na cor palha,

de turbidez média, amargor moderado

(12 IBU) e alta carbonatação.

Todo o lúpulo utilizado na produção

é de origem polonesa. Pensando em

harmonização por semelhança, a

Lion Polski Ale tem combinação perfeita

com pratos que levam bacon,

como feijoada, ou receitas preparadas

com costela e lombo de porco, com

temperatura ideal sugerida de 5 a 9

graus para consumo”, afirma Thiago

Fernandes, gerente operacional.

“Melhor de Sua Categoria”, com Medalha

de Bronze na Categoria “American

– Style Imperial Stout”, a cervejaria

Mea Culpa tem pouco mais de

dois anos de mercado. “A medalha é

sempre um reconhecimento do nosso

trabalho, do padrão de qualidade

dos produtos. Em dois anos de história

e atualmente com 7 produtos

no portfólio já temos 4 medalhas

significativas”, comentam Vitor Lucas,

sócio-proprietário, e Julia Reis,

sommelière e porta-voz da cervejaria.

Eles também comemoram os resultados

da apreciação do público. “Foi o

nosso segundo ano de participação

e vendemos toda a cerveja que levamos.

Esse feedback diz muito! Além

de colocar à prova a Luxúria, que ainda

não tinha sido apresentada para o

público do Festival, já que foi lançada

no segundo semestre de 2016, aproveitamos

para lançar a Avareza, uma

juicy sour, com bastante aroma e sabor

de lúpulo além de leve acidez”.

O Centro-Oeste brasileiro também foi

muito bem representado no evento

com a Microcervejaria X, ou simplesmente

Micro X, do cervejeiro Alexandre

Xerxenevsky (Alexandre “X”) e

da sommelier Rogéria Xerxenevsky.

2017 será um ano bastante intenso

em termos de novidades. Temos previstos

os lançamentos de 2 cervejas

regulares e como parte de nossa recente

parceria com o Chef Guga Rocha,

teremos 6 novas cervejas da linha

Tropicalista Brasil que explorará

ingredientes dos biomas brasileiros”,

destaca Alexandre.

A paranaense Ogre Beer foi outra cervejaria

que obteve a coleção completa

de medalhas, uma de cada no Concurso.

“Nosso objetivo sempre foi trazermos

produtos inovadores e que tragam

uma experiência cervejeira única

para o cliente. Dito isso, é claro que

recebemos a premiação no Concurso

com muita satisfação pelo reconhecimento

ao nosso trabalho e poder mostrar

isso ao mercado e consumidores.

Acreditamos que os prêmios são resultado

de uma dedicação e comprometimento

incondicional à qualidade dos

nossos produtos, tanto que este foi o

quarto ano seguido que participamos

Linha premiada

da Ogre Beer

40


do concurso, e o quarto ano também

em que recebemos medalhas, mesmo

sempre inscrevendo no máximo quatro

ou cinco rótulos”, observa Carlos

de Manuel, sócio-diretor.

Com duas medalhas Ouro e uma Prata,

a Hausen Bier também comemora os

resultados de sua aposta “na atenção

a todos os detalhes do processo, desde

a receita, materiais, todos os pontos

do processo até o envase, até chegarao

copo do apreciador”, como destaca André

Afáz, cervejeiro e diretor. “Estamos

muito contentes pelo reconhecimento

de nosso trabalho. É uma grande satisfação

saber que estamos no caminho

certo. Lançaremos neste inverno nossa

edição comemorativa de 5 anos. Será

uma cerveja complexa, maturada por

longo período, de alto teor alcoólico, encorpada

para ser apreciada a temperaturas

mais amenas”.

Da linha apresentada pela Cervejaria

A Cervejaria Mea Culpa

tem pouco mais de

dois anos de mercado e

já é premiada

Ravache, cuja fábrica fica próxima à

capital paulista, o destaque foi a recém-lançada

Ravache IPA, muito solicitada

e apreciada. “É feita para os

apreciadores de lúpulo. Uma German

IPA, elaborada com maltes e lúpulos

alemães. São 6 variedades de maltes

e mais 6 de lúpulos da região de Hallertau,

Alemanha. Possui coloração

alaranjada (18 EBC), não filtrada, 58

IBU e 6,7% álcool em volume. A harmonização

sugerida é para queijos

fortes (gorgonzola, Brillant Savarin),

carnes gordurosas como de porco,

pato e alguns cortes bovinos, hambúrguer

bovino ou cordeiro, oleaginosas

(castanhas), pratos mexicanos

e indianos, churrasco, coxinha e feijoada”,

comenta Gustavo Villafranca

Assoni, mestre cervejeiro.

Focada em um mercado que deseja

sabor, personalidade e diversão,

a RockBird Craft Brewery teve seu

trabalho de excelência mais

uma vez reconhecido com

duas Medalhas no Festival.

“Nossos produtos são focados

sempre na experiência

sensorial para o consumidor.

Não desejamos ser um

‘hit’, um fenômeno de mercado

e ser distribuídos mundialmente.

Nosso foco está

no nicho que deseja sabor,

personalidade e diversão.

Somos uma marca que estará

disponível em canais de

venda específicos, que preza

pela qualidade da nossa cerveja.

A estratégia não é falar

com todos, mas sim falar

com cada um dos apaixonados

por cerveja como nós”,

explica Afonso Dolabella,

head-brewer e co-fundador

da RockBird Craft Brewery.

Sediada em Porto Alegre,

RS, a Ruradélica já se faz

presente em praticamente

todos os bares da capital

gaúcha, demonstrando não

só a demanda mas a ótima

aceitação de seus produtos.

Com pouco mais de um ano

de existência já comemora

mais uma premiação: a Medalha

de Prata na Categoria

“American – Style Sour Ale”,

com a sua Ruradélica Sour

Goiaba. “Estamos muito felizes

com tudo que estamos

conquistando em tão pouco

tempo de cervejaria. São

muitos anos estudando e se

dedicando à cerveja e ver os

resultados aparecerem em

concursos importantes como

Concurso brasileiro de cervejas

e IPA Day nos motivam

e nos indicam que estamos

trilhando o caminho certo”,

41


Gran Première

comemora o sócio-proprietário Maurício Gutierres.

Com receitas artesanais e de puro malte, a Cerveja

Secreta é produzida pela Cervejaria 3 Mosqueteiros,

e foi agraciada com mais uma Medalha: Bronze para

a Secreta Nut Brown Ale na Categoria “American –

Style Brown Ale”. “Representa o reconhecimento de

um trabalho árduo de criação e produção das cervejas

e um grande orgulho de, em menos de um ano de

existência, dos três rótulos que temos no mercado já

termos dois premiados, a Red IPA com o bronze no

South Beer Cup 2016 e agora para a Nut Brown Ale”,

destaca Jorge Borges, sócio.

Em meio às empresas e rótulos já consagrados pelo

País e mundo à fora, a cervejaria cigana Seu Tereza

levou a Medalha de Bronze na categoria “English Style

Summer” com o seu rótulo Seu Tereza Summer Ale.

“Essa premiação representa a consolidação de um

projeto que saiu da panela para a automação de uma

cervejaria. Nosso diferencial, sem dúvida, são são os

insumos de qualidade, diversas brassagens e análise

com fichas técnicas após cada cerveja pronta”, destaca

o cervejeiro e diretor Cristiano Tereza. O rótulo

especialíssimo premiado harmoniza facilmente com

comidas leves e petiscos. “Na minha opinião pessoal

A Brüder também teve rótulos mais uma vez premiados

combina também bem com frutos do mar,

prato no qual foi onde mais senti a presença

dos lúpulos aromaticos e de amargor”, indica

o entrevistado.

Finalizando a seleção especial

“Temos o foco na melhoria e qualidade

constante do produto. Receber uma premiação

desse nível com apenas seis meses

de produção, é muito gratificante”, descreve

Eduardo Mariano Petry, diretor da Sunset,

também premiada na edição 2017 do

evento. “Lançamos no evento a Warlord by

Sunset Brew, uma Double Ipa com ABV 9%

e IBU 60, em parceria com a sul-africana

Darling Brew, produzida no Brasil exclusivamente

pela Sunset Brew. Foi excelente o

feedback dos produtos e aceitação da marca

para com o público. O que mais foi ouvido

era o fato de as pessoas pensarem que somos

uma cervejaria antiga, com mais tempo

de mercado. Entramos no mercado esse ano

e esse retorno e interesse do público nos

deixa muito satisfeito”.

Para a Cerveja Templária, as premiações

recebidas também representam a coroação

de um trabalho bem feito... “Depois de muito

estudo e suor para colocar as cervejas

no mercado, mesmo estando em Goiás: um

Estado com cultura cervejeira quase nula”,

explica Gustavo “Templar” Rodrigues, sócio

e cervejeiro. A empresa recebeu Medalha de

Prata para a sua Templária Amand Porter.

“Somos uma fábrica pequena, mas que tem

muita ambição para crescer no meio cervejeiro

e com muito orgulho de, com menos

de 1 ano de empresa, já conseguirmos uma

premiação no principal concurso nacional

de cervejas, concorrendo com tanta gente

boa no mercado. O legal disso tudo é saber

que é possível vencer”, completa.

Bronze na categoria “Session Beer” com a

sua Trópica Veracruz, a carioca Trópica

já tem seus rótulos presentes em empreendimentos

de destaque como Windsor

Atlantica, Caesar Park e Emiliano. “Ficamos

honrados por ter nosso trabalho reconhecido

por um juri de tamanho calibre.

42


Gran Première

Ladir Almada Neto, da Cervejaria Campinas

Buscamos trazer a refrescância com

um toque das especiarias. A Trópica

é uma cerveja artesanal autêntica,

despojada, de paladar acessível

e que faz jus à alegria e ao calor tropical.

Inspirada nos quatro cantos

do mundo, retrata a sofisticação no

que existe de simples e comprova

que o bom não precisa ser complexo,

só precisa ser bem feito”, aponta

Leandro Innocenzi, CEO.

E finalizando esse roteiro de ótimas

opções provindas do segundo maior

festival cervejeiro mundial, está a

medalhista de Ouro Walfänger Doppel

Bock, da Walfänger, do município

cervejeiro de Ribeirão Preto,

no interior paulista. “Nossa proposta

ao participar do Festival foi

se aproximar do público cervejeiro

e mostrar os diferenciais proporcionados

pelas cervejas da escola alemã.

Recebemos um ótimo feedback

do público e a premiação da Doppel

Bock foi o ponto alto de nossa participação,

já que vencemos com uma

cerveja que está em nosso portfólio

desde o início, em 2015, quando começamos

a comercializá-la, e que

foi feita para o nosso público e não

especificamente para participar do

concurso. É uma cerveja forte e de

teor alcoólico elevado, própria para

o inverno, e harmoniza muito bem

com queijos e carnes vermelhas.

Reforçamos ainda o reforçamos o

lançamento da German IPA Albert,

da linha Trigênios, que conta ainda

com a Sebastian, uma Dusseldorf

Altbier, e a Sigmund, do estilo Vienna

Lager”, detalha Augusto Balieiro

- sócio-fundador.

SERVIÇO

Informações sobre as cevejarias

• Al Fero: www.alferobeer.com.br

• Antídoto:

www.cervejariaantidoto.com.br

• Bamberg: www.cervejariabamberg.com.br

• Bierbaum: www.bierbaum.com.br

• Bier Hoff:www.bierhoff.com.br

• BierTeria: www.facebook.com/bierteria

• Bodebrown: www.bodebrown.com.br

• Brotas Beer: www.brotasbeer.com.br

• Brüder: www.cervejariabruder.com.br .

• Campinas: cervejariacampinas.com.br

• Caravan: www.caravanbeer.com.br

• Cathedral: www.cervejariacathedral.com.br

• Container: www.cervejariacontainer.com.br

• Dádiva: www.cervejariadadiva.com.br

• DeBron: www.debronbier.com.br

• Edelbrau: www.edelbrau.com.br

• Faixa Preta: https://www.facebook.

com/cervejariafaixapreta

• Felsen: www.cervejariafelsen.com.br/

• Festival da Cerveja de Blumenau:

• www.festivaldacerveja.com

• Fil: www.cervejariafil.com.br

• Fürst Bier: www.furstbier.com.br

• Haus Dreizehn: www.hausdreizehn.com.br

• Hausen Bier: www.hausenbier.com.br

• Kiezen Ruw: www.kiezenruw.com.br

• Konigs Bier: www.konigsbier.com.br

• Küd: www.cervejariakud.com.br

• Leopoldina:

www.cervejarialeopoldina.com.br

• Lund: www.cervejarialund.com.br/

• Mea Culpa: www.cervejameaculpa.com.br

• Microcervejaria X: www.cervejariax.com.br

• Ogre Beer: www.ogrebeer.com.br/

• Ravache: www.cervejaravache.com.br

• Rockbird: www.facebook.com/

• RockBirdBeer .

• Ruradélica: www.ruradelicaales.com.br

• Secreta: www.cervejasecreta.com.br

• Seu Tereza:

www.facebook.com/seutereza .

• Sunset: www.sunsetbrew.com.br

• Templária: www.cervejatemplaria.com.br/

• Trópica: www.cervejatropica.com.br

• Tupiniquim:• ]

• www.cervejatupiniquim.com.br

• Walfanger: www.walfanger.com.br

NOTA DA REDAÇÃO:

Acompanhe em nossa portal reportagens e

entrevistas completas com cada uma das

empresas aqui citadas.

43


Fora da curva e no pódio

“Em casa”, Cervejaria Antídoto conquista Medalha de Ouro com cerveja que tem entre

os ingredientes cereja e pimenta habanero

Uma cerveja que de tão apreciada se esgotou

no mesmo dia em que foi feita a sangria do

barril: essa é a Antídoto Stout Cherry&Pepper,

medalhista de Ouro na edição 2017 do Concurso

Brasileiro de cervejas. Produzida pela

blumenauense Antídoto, essa Imperial Stout,

que leva cereja in natura e pimenta habanero

na composição, apresenta a junção dos sabores

e aromas de café e chocolate que o próprio

estilo fornece. Com a leve acidez da cereja e a

picância, na medida certa, da pimenta, apesar

dos ingredientes incomuns, é de fácil harmonização,

combinando com diversas sobremesas

de chocolate em geral (bolos, tortas, brownies,

petit gateau, etc.), cheescake de frutas vermelhas

e sorvetes.

“Essa premiação representa para nós nada mais

do que o reconhecimento ao estudo e dedicação

no desenvolvimento de cada receita de cerveja.

O diferencial é tentar ‘sair da curva’, ou seja,

procurar não fazer mais do mesmo, utilizando

ingredientes e especiarias que dão diferenciais

para a bebida. Apesar de termos uma linha de

cervejas que obedecem aos padrões de estilo,

também procuramos fazer opções diversifica-

das”, descreve Cléverson Tambosi,

conhecido por “Teddy”,

responsável pela produção da

cervejaria.

A Antídoto foi recém-inaugurada

(janeiro de 2017!) e aproveitou o

Festival para se representar. E

teve um receptividade fenomenal

para todos os seus produtos.

“Para uma primeira vez no

Festival, ficamos surpresos positivamente

com o movimento e

vendas no estande. O feedback

do público foi muito positivo. No

terceiro e quarto dias muitos já

pediam as cervejas chamando

pelo nome comercial. Além disso,

muitas pessoas comentaram

que vieram ao estande por indicação

de amigos, que haviam

bebido as cervejas e gostado”,

detalha Teddy.

Conheça os produtos que

fazem parte da linha da

Antídoto:

- WitA-C (Witbier): com 5%

de teor alcoólico e 12 IBU, foi

pensada como “uma porta de

entrada” para quem está começando

a conhecer os diferentes

sabores das cervejas

especiais, mas também atende

quem já conhece e quer optar

por uma cerveja saborosa e

refrescante. Harmoniza muito

bem com frutos do mar, saladas

verdes, comida japonesa e

queijos leves como o brie.

- Elixir: essa Dubbel com 7%

de abv e 20 IBU, é uma cerveja

de corpo médio e amargor moderado,

que traz consigo complexidade

no aroma e sabor,

nos quais de pode perceber

frutas secas tais como ameixa

e uva passa, além de leves nuances

de caramelo e chocolate.

Acompanha bem carnes vermelhas

bem temperadas, porco,

cordeiro, aves assadas e até

mesmo com um bom chocolate

ao leite.

- Manipulada: essa Rye APA,

com 5% abv e 37 IBU, é uma

cerveja do estilo American Pale

Ale que contém malte de centeio

(rye) em sua composição, o

qual fornece à cerveja aromas e

sabores levemente condimentados.

Os lúpulos americanos

conferem aromas cítricos e

muito sabor pelo processo de

dry hopping (lúpulo adicionado

a frio durante a maturação da

cerveja). Todo esse conjunto de

ingredientes e processos fazem

da Manipulada uma cerveja refrescante,

aromática e saborosa.

Harmoniza bem com comida

mexicana, hambúrgueres, carnes

assadas em geral, inclusive

frango e até alguns frutos do

mar como lula frita.

Se for à Capital Nacional da Cerveja,

não deixe de passar pela Vila

Germânica e visitar o Bier Bila,

onde você podedegustar uma

Antídoto em forma de chope.

Os produtos da Antídoto já podem

ser degustados em forma

de chope na Cervejaria Bier Vila,

também em Blumenau.

Mais informações pelos e-mails

contato@cervejariaantidoto.com.br

teddy@cervejariaantidoto.com.br

teco@cervejariaantidoto.com.br e

pelo site

www.cervejariaantidoto.com.br .

44


45


TPM, FETICHE, D.R. ...tudo com muito carinho

“Temos apenas 1 ano e meio de existência e estamos muito contentes com o resultado”

Com duas medalhas no Concurso

Brasileiro de Cervejas 2017, a Bier-

Teria é uma cervejaria cigana carioca

que vem se destacando pelas receitas

diferenciadas. “Procuramos de alguma

forma inovar, nem sempre seguimos

regras para ajustes dentro do

estilo, pois o que importa é o que queremos

passar como mensagem para

nossos clientes. Então nosso foco

primeiro é agradar o paladar e depois

verificamos se entra em algum estilo

ou não para o concurso. Não fazemos

cervejas para os jurados, e sim para

o nosso público, porém o reconhecimento

profissional é de suma importância”,

comenta Dalmo de Souza

CBO (Chief Brewery Officer).

A BierTeria foi premiada com Medalha

de Prata para a sua Fetiche na

Categoria “Smoke Beer”, e Bronze

para a sua BierTeria TPM, na categoria

“Sweet Stout Cream Stout”. “Para

nós é muito representativo, é o primeiro

concurso que a BierTeria entra

de verdade. Começamos nossas

atividades no Mondial de La Biere de

2015, mas foi muita correria e desde

então não entramos mais em concursos.

No último Mondial tivemos algumas

lendas da cerveja no Brasil,

como o Samuel da BodeBrown, Leonardo

Botto e Gabriel Di Martino da

Therezópolis, provando nossas cervejas

e insistindo para que colocássemos

em concurso, e assim seguimos

as dicas. Temos apenas 1 ano e meio

de existência, estamos muito contentes

com o resultado, porém ainda estamos

pequenos. Nossa ideia é ir aos

poucos conhecendo o mercado e nossos

clientes e seguir com os pés no

chão. Já estamos em alguns bares e

restaurantes de cervejas artesanais,

mas por enquanto apenas no RJ”, detalha

o cervejeiro.

A Fetiche, uma Smoked Beer que

também pode ser percebida como

uma Rauchbier, foi produzida em colaboração

com uma empresa parceira

da BierTeria, a Plezi Gourmet, que

tem suas especialidades em manteigas

e outros produtos gourmets. “Em

conversa com eles elaboramos uma

receita em conjunto para que fizéssemos

uma cerveja defumada diferente

de tudo que temos no Brasil. Então

tivemos a ideia de utilizar sementes

de cardamomo pois daria uma pitada

bem diferente no sabor. O resultado

fez com que o defumado principal

(ou ou “baconzão”), perdesse sua

característica. Dessa forma, para que

pudéssemos manter o cardamomo e

manter o bacon, utilizamos pó de fumaça

para que pudéssemos temperar

nossa cerveja, e o resultado foi esse!”,

conta Dalmo.

Outro destaque da empresa é medalhista

de bronze TPM. “Ela surgiu

de um curso que fiz no Sebrae onde

conheci um produtor de tiquira, uma

aguardente típica do interior do Maranhão

que é feita de mandioca. Eu

estava com uma receita de uma cerveja

onde eu precisava ajustar o chocotale

na receita pois o rótulo TPM

pedia esse detalhe, e estava encontrando

dificuldades com os nibs de

cacau em outra composição. Até que

a ideia veio em embeber os nibs de

cacau na tiquira para que conseguíssemos

o resultado do chocolate

e então conseguimos essa maravilhosa

cerveja, a única cerveja brasileira

com esse componente”.

E falando de inovação e novidades,

Dalmo antecipa o que está por vir:

“Estamos planejando nosso próximo

rótulo que devera ser uma cerveja no

estilo amargo e em breve também estaremos

divulgando através de pesquisas

o que as pessoas decidirem

sobre o nome do rótulo.

Até agora temos votação para

A Sogra, Pensão Alimentícia e

Cunhado no Sofá”.

Quem quiser degustar os

produtos da empresa pode

adquirir pelo e-commerce

Microcervabrasil (www.microcervabrasil.com.br),

que tem

atendimento institucional.

Informações sobre a BierTeria:

(21) 99415-0371, (21) 3005-

3451 e contato@bierteria.com.

br, ou ainda na página da empresa

no Facebook: https://

www.facebook.com/bierteria .

46


47


Gran Première

Para deleite mundial:

Considerado um dos mais importantes

concursos internacionais de destilados,

e de um dos mercados que mais apreciam

a brasileiríssima cachaça, o Berlin

International Spirits Competition 2017

mais uma vez avaliou e premiou nossos

melhores espíritos. Nesse ano, foram

mais de 400 destilados participantes

entre uísques, vodcas, tequila e cachaça,

dos quais somente 198 receberam

medalhas que atestam tanto a qualidade

quanto a primazia de sua fabricação.

Produzida na Fazenda Guapiara, em

Aiuruoca, no Sul de Minas Gerais, em

meio à Serra da Mantiqueira, a Cachaça

Tiê foi uma das condecoradas no

evento com Medalha de Bronze, que se

junta a outras já recebidas pela empresa,

como a Medalha de Prata no San

Francisco World Spirits, ratificando a

sua posição como uma das melhores

aguardentes nacionais.

Semanas antes do Concurso de Berlim,

a Carta Premiumde conversar

com exclusividade com Cris Amin, dias

cachaças brasileiras premiadas no Berlin International Spirits

Competition e no China Wines and Spirits Awards Best Value

A Cachaça Paratiana foi uma das mais premiadas neste primeiro quadrimestre do ano

retora de Marketing e sócio-proprietária da Tiê, que contou

não só mais detalhes dessa bebida reconhecida e premiada

internacionalmente, mas trouxe ótimas observações sobre o

mercado e dicas de como profissionais de A&B podem escolher

as bebidas certas para a carta do empreendimento em

que trabalham. Assista a videoentrevista abaixo:

Clique e assista o vídeo

48


49


Gran Première

Por coincidência , duas outras cachaças

cujos nomes se referem a

pássaros também levaram a Medalha

de Bronze:

• Cachaça Sanhaçu: primeira cachaça

orgânica certificada de Pernambuco,

que faz parte da Rota do

Turismo Rural do Estado.

• Cachaça Passarinho: o rótulo é a

versão exportação da Cachaça Extrema,

do Rio Grande do Norte, cujo

engenho fica no município de Pureza,

distante 50 km da capital Natal.

Medalhistas de Prata

As cachaças que receberam as Medalhas

de Prata foram duas que também

nossa Reportagem teve recentemente

a honra em nossa edição especial

Carta Premiata, que listou as bebidas

brasileiras mais premiadas no período

de um ano:

• Cachaça Paratiana: caracterizada

por seu aroma marcante e sabor diferenciado,

a Paratiana vem de um

engenho localizado em um antigo

casarão cercado pela Mata Atlântica

e por uma bela cachoeira em Paraty,

no RJ. (leia reportagem completa)

• Cachaça Sebastiana Duas Barriscas:

de Américo Brasiliense, no

interior paulista, e produzida pelo

Alambique Santa Rufina, a Sebastiana

já recebeu outras medalhas

em concursos como de San Francisco

e Miami, nos EUA. (veja matéria

em destaque)

A singular Medalha de Ouro

2017

Nessa edição do Festival, a Medalha

de Ouro também ficou com o Alambique

da Paratiana: foi para o rótulo

Cachaça Mulatinha, com seus

45% de graduação alcoólica.

Ainda sobre a Paratiana, também

foi recentemente divulgado o resultado

do China Wines and Spirits

Awards Best Value (CWSA Best

Value 2017), uma das principais

modalidades da mais prestigiada

competição de destilados em Hong

Kong e China. A iniciativa avalia

e reconhece as bebidas que mais

potencial têm para triunfar neste

mercado.

E o Alambique Paratiana faturou

vários ouros:

– cachaças Paratiana Ouro e Paratiana

Prata: Medalha Duplo Ouro.

– cachaças Paratiana Labareda e

Paratiana Mulatinha: Medalha de

Ouro. A Paratiana também só contempla

medalhas em outros concursos

em 2017: Duplo Ouro e Prata no

Concurso de São Francisco e Ouro

no Miami Rum International Tasting

Competition.

SERVIÇO:

Cachaça Passarinho (Cachaça Extrema):

Fazenda Extrema, (84) 3201-5642,

(84) 9406-2094, comercial@cachacaextrema.com.br,

www.cachacaextrema.

com.br .

Cachaça Tiê: Fazenda Guapiara, Aiuruoca,

MG, Fone: (11) 4233-9691, vendas@cachacatie.com.br

www.cachacatie.com.br

Cachaça Sanhaçu: fone: (81) 3537-

1413, contato@sanhacu.com.br e www.

sanhacu.com.br

Cachaça Sebastiana Duas Barricas:

(16) 3325-5592, contato@cachacasebastiana.com.br,

www.cachacasebastiana.

com.br

Cachaças Paratiana, Labareda e Cachaça

Mulatinha: Sitio Paratiana, (24)

3371-9620, sac@cachacaparatiana.com.

br e www.cachacaparatiana.com.br .

50


51


In Praesentia

To go and to go back...

For every time

Growlers já conquistam cada vez mais cervejereiros por todo o País como

uma ótima opção de custo-benefício e se tornam estratégia para cervejarias,

brewpubs, bares e restaurantes fidelizarem mais clientes

Que o brasileiro é apaixonado por cerveja

nós sabemos. Que ele é ainda mais apaixonado

por cervejas especiais estamos a

cada dia confirmando mais. Contudo, em

tempos que precisamos moderar nossas

paixões pelo fator “bolso” — sob o ponto

de vista do mercado consumidor — e encontrar

estratégias de fidelizar clientes oferecendo

ótimas experiências mas com ótimo

custo-benefício — sob o ponto de vista

do mercado profissional —, é preciso ficar

alerta a movimentos que não surgem por

acaso, que são na verdade uma resposta

do próprio mercado na forma de tendências

quanto às suas necessidades.

E poderiam se seguir muitos exemplos, mas

um deles vem se consolidando nos principais

centros cervejeiros do País: os growlers. Recipientes

de vidro, de cerâmica, aço inox ou

alumínio, na maior parte das vezes em forma

de garrafa, com tampa de rosca ou pressão

com presilha, os growlers estão se tornando

acessório cervejeiro indispensável, isto porque

permitem aos apreciadores das cervejas

especiais levarem para casa as bebidas que

mais apreciam e consumirem junto com os

amigos ou com a família, pagando um preço

muito mais atrativo do que se comprasse

versões longneck, latinhas ou garrafas tradicionais

de 500 e 600 ml, e ainda voltarem

para reencher e criar um círculo

virtuoso de benefícios para quem

compra e para quem vende. Para

os bares, cervejarias, além de poderem

ser servidos na mesa já

que muitos são bem decorados e

trazem um lindo apelo visual, ajudam

a dinamizar o consumo de

chopes.

Os growlers possuem uma tampa

especial que evita a perda de gás

carbônico, conservando assim,

por alguns dias, todo o frescor e

sabor da bebida com a mesma

qualidade. E já são muitas as cervejarias

principalmente no eixo

Sul-Sudeste que oferecem essa

opção aos seus clientes, muitas

vez com eventos de enchimento na

fábrica, atraindo ainda mais adeptos,

com preços bem justos.

Acompanhando de perto a tendência,

a Cervejaria Devassa, por

exemplo, iniciou 2017 inserida

nessa nova cultura que, ao que

parece veio mesmo pra ficar. Com

experiências desde dezembro passado

e agora oficialmente em todas

as unidades, a Devassa oferece

a opção de growlers de 2 litros.

Para garantir a qualidade do

chope, toda vez que o growler for

reutilizado, ele receberá uma tag

com informações sobre qual data

e qual estilo foi envasado. O consumidor

pode escolher entre as

cinco opções de chopes especiais

da casa, todos puro malte: Loura

Tropical Lager, Ruiva Tropical

Red Ale, Negra Tropical Dark Ale,

Sarará Tropical Weiss e Índia

Tropical IPA, cuidadosamente

tirados com creme, que ajudará

na conservação do líquido. O valor

varia conforme a região onde

a unidade se encontra.

Recentemente, no início de abril,

a Cervejaria Landel, de Campinas,

no interior paulista, realizou

mais um “Growler Day”,

evento especial de abertura da

fábrica para enchimento e venda

de growlers, colocando em destaque

uma cerveja especial para

o mês da Páscoa, a Cacau Session

IPA, além de uma seleção de

cerverjas artesanais.

O evento, que é tradicional na região,

teve como parceiro o Boteco

Formol, conhecido em Campinas

52


Etiqueta

53

53


In Praesentia

por suas porções extras de bacon nos

lanches, que apresentou hambúrgueres

criados com exclusividade.

Com entrada gratuita, o Growler

Day da Landel ocorre sempre aos

segundos sábados de cada mês,

quando a cervejaria recebe o público

apreciador da bebida para

oferecer uma ocasião ainda mais

especial para os mais exigentes paladares

apresentando sempre uma

temática diferente e atrações criativas

para seu público.

Aniversariante de março, a Cervejaria

Dádiva, também no interior

paulista, aproveitou a ocasião

de comemoração de seus três anos

de muitas brassagens, desafios e

inovações no segmento, reunindo

arte, gastronomia, compras e, claro,

permitindo o abastecimento de

growler, ao lado de alguns de seus

best sellers, como Dádiva Premium

A Devassa aderiu a tendência dos growlers e oferece opções

personalizadas em suas unidades

Lager, Dádiva Venice Beach e a colaborativa

Pink Lemonade, além de

apresentar seus lançamentos 2017,

a Dádiva Sourdade e Dádiva Carmel

Beach.

Apostando em harmoniosas combinações

gastronômicas, o evento contou

com delícias da Máfia do Brownie

e opções de cardápio variado do Cateto

- Beber & Comer Artesanal, com

tainha curada e finalizada na churrasqueira,

legumes confitados sobre

base de pão de fermentação natural,

risoto de pato com queijo da Canastra,

focaccia de polvo com chorizo espanhol,

sanduíche de lombo de cordeiro

defumado com chimichurri de

hortelã e torta de abóbora com queijo,

banana e mel.

Dentre as atrações da festa, ainda

teve muito folk, country, blues,

traditional jazz e dixieland da Família

Bonagente, exposição da pernambucana

Anna Guerra,

colaboradora artística no

rótulo da cerveja ELA e

convidada especial da Dádiva

para pintar uma tela

comemorativa aos 3 anos

da cervejaria, Flash Day de

Tattoo e lançamento oficial

da nova coleção de t-shirts

da The Siamese Ateliê.

Em Curitiba, PR, o Meatpack

House inovou e ampliou

os serviços com opção

de entrega gratuita de

chope. O empreendimento,

conhecido pelo formato de

restaurante de rua, oferece

sanduíches especiais exclusivos

e cervejas artesanais

em seu endereço fixo,

localizado na Avenida Vicente

Machado, na região

central de Curitiba. Agora,

a casa passou a disponibilizar

seus preparos e chopes

também via delivery.

A opção de chopes para entrega,

com grandes rótulos do

mercado cervejeiro paranaense,

entre eles bebidas produzidas

por cervejarias como

Maniacs Brewing Co., Morada

Cia Etílica, Oner, Tormenta,

Wensky, F#%*ing Beer, Bodebrown,

Bastards, DUM,

Swamp, Raridade Cerveja e

Ignoru’s Bier, é feita por meio

de growlers descartáveis de

2 l, que conservam o chope

fresco e gelado durante todo o

trajeto. O cliente pode solicitar

a entrega do chope do dia por

meio do aplicativo SpoonRocket.

Os pedidos são entregues

em uma média de 35 minutos

e o cliente pode acompanhar o

trajeto pelo celular.

54


55


In Praesentia

Os Growlers da Cristalera Toro de

64OZ (1,9L) custam a partir de R$ 10,00

e a empresa oferece também os growlers

de 32 OZ (1L) a partir de R$ 7,00

Ótimas opções no

mercado

Há mais de cinco anos representada

no mercado pela RCORK Brasil, a

Cristaleria Toro tem longa experiência

na produção de garrafas. A empresa

chilena surgiu há 65 anos, em maio

de 1952, quando produziu a sua primeira

garrafa. Apenas sete anos depois

inaugurava a sua fábrica em Cerrillos.

Em 1997, tornou-se pioneira

com uma campanha de reciclagem de

vidros, instalando coletoras em todo

o Chile. Com sua visão de futuro, em

2007 a empresa instala seu próprio

parque eólico abastecendo suas plantas

produtivas. Hoje, a empresa possui

a maior e mais moderna planta de

reciclagem da América Latina, com

um sistema de última tecnologia para

separar os vidros por cores e contaminantes,

assim obtendo um grande

diferencial nos seus produtos, com o

meio ambiente e a comunidade. E a

Toro não poderia ficar de fora da tendência

dos growlers.

“O mercado norte-americano influenciou

o que vivemos hoje no Brasil. Os

growlers são a forma mais econômica

e ecológica no momento de degustar,

armazenar e transportar uma boa

cerveja artesanal. Hoje ela representa

60% da exportação da Toro ao Brasil

e sua demanda é crescente. Podemos

enviar aos nossos clientes todos nossos

produtos já personalizados com

sua logomarca ou desenho que desejam,

em um prazo médio de 5 dias.

E temos versões também a pronta

entrega”, destacam Alberto Petroli e

Alejandro Usher, respectivamente diretor

comercial e de logística e diretor

de vendas da empresa.

A Carta Premium conheceu a linha

de produtos da empresa no

Festival de Blumenau, onde a Toro

e sua representante, a RCORK,

Alejandro Usher e Alberto Petroli, respectivamente diretor de vendas e diretor comercial

e de logística da RCORK, representante da Cristaleria Toro no Brasil.

56


In Praesentia

A enchedora de

growlers feita em

parceria com uma

empresa da região do

sul pode conectar até

4 barris de chope

foram expositoras. “Nossa participação na Feira foi

a consolidação de um trabalho iniciado no meio do

ano passado com o grupo cervejeiro. Iniciamos com o

growler, um garrafão de vidro de 1,9 l, que foi um divisor

no mercado atual. Este produto para as cervejarias

ajuda na venda do seu produto final com mais

rapidez. Com este produto, tanto o vendedor quanto

o comprador foram beneficiados. Muitos cervejeiros

sentiram esse resultado logo no início do processo,

visto o aumento da venda de cerveja na torneira para

consumo imediato. E hoje inovamos ainda mais com

uma parceria de outra empresa da região sul, desenvolvendo

também uma máquina enchedora de growlers

por contra pressão, que agilizou o processo e a

qualidade do produto final, mantendo a cerveja longe

de oxidação e com tempo maior para o consumo”,

detalham os executivos.

A empresa está atendendo diferentes empresas e

nichos no mercado cervejeiro brasileiro, desde brewpubs,

growlers station, fábricas de cervejas, lojas de cervejas, clubes

e confraria de cervejeiros e outros, em todos os Estados.

“Hoje o mercado busca novidades, renovação e sem dúvida

a cerveja artesanal entrou com tudo neste cenário. Mas faltava

um detalhe, que era levar para casa aquela experiência

saborosa obtida na rua. Dessa forma, houve um casamento

perfeito entre a praticidade, a economia e a ecologia por

ser um produto retornável. Para estabelecimento que querem

iniciar com esse novo produto, existe a possibilidade

de entregar o produto em caixas com quantidades menores.

Pois o pedido de um palete ou meio às vezes torna-se inviável

para quem está começando no mercado cervejeiro. Obviamente

que trabalhamos com preços diferenciados neste

quesito”, explicam os entrevistados.

Os growlers e a enchedora de growlers se completam e garantem

um produto final de maior qualidade. Os preços

das enchedoras são bem atrativos, a partir de R$ 6.600,00,

tendo seu diferencial na conexão de até 4 barris de chope

diferentes e ajustes para todos os tipos de growlers. “Com

os growlers e a enchedora, o mercado tem a possibilidade

de levar sua cerveja artesanal escolhida para casa e degustar

em qualquer momento seguindo as orientações dadas.

Se mantido refrigerado a duração pode ser de até 30 dias.

Depois é só fazer a higienização do growler e estará pronto

para ser reutilizado novamente e viver novas experiências

de sabores. O mercado ficou muito contente de ter um produto

de qualidade e a possibilidade de iniciar uma nova

cultura no Brasil, comprando um growler de 64 OZ 1,9l a

partir de R$ 10,00. A RCORK apresenta modelos de growlers

e garrafas em cores e modelos variados e diferentes

canecos chilenos para degustar seu chope, todos produtos

com a qualidade da Cristaleria Toro”.

Mais informações podem ser obtidas pelo celular ou Whatsap

(51) 982370239 ou (54) 3463-8501, e-mail: contato@

rcorkbrasil.com e no site www.rcorkbrasil.com.

57


Etiqueta

58


In Praesentia

Os growlers já representam mais de 15% do faturamento

da MondoCeram Beer

Sofisticação e

personalização made in Brazil

Com uma linha sofisticada, produtos com

excelente apelo visual e bem criativa, outra

empresa que destacou sua linha de growlers

no Festival de Blumenau foi a MondoCeram

Beer, do grupo Certa Cerâmica.

“Hoje os growlers representam cerca de 15% do

faturamento da empresa. Mas a nossa demanda

vem crescendo mês a mês. Os produtos são feitos

a partir de fundição à mão em formas de gesso.

Depois de retocadas e esmaltadas, as peças

são queimadas em um forno contínuo tipo túnel,

onde o pico de temperatura chega a 1.300° C, o

que confere aos produtos alta resistência. Este

tipo de produção nos permite fazer itens com os

mais variados formatos, relevos e decorações. As

decorações escolhidas pelos clientes são aplicadas

na cerâmica através de decalques que são

queimados novamente a 750° C para garantir

sua fixação na cerâmica. Portanto, nossos growlers

são 100% de cerâmica, característica que

ajuda a manter a temperatura da cerveja uma

vez que ela já esteja gelada. Possuem tampa tipo

flip top e estão disponíveis nas capacidades de 1, 2 e 3 litros.

Por serem de cerâmica, são fáceis de limpar e não adulteram

as características da cerveja. Além disso, devido ao

processo de produção que temos, suportam a pressão da

pasteurização. O growler cerâmico suporta até 120 libras

ou 8 bar de pressão para o enchimento”, descreve Kilian

Schroeder, gerente de Marketing da empresa.

Por coincidência, a história da Certa Cerâmica também

começou há 65 anos atrás, quando o imigrante Klaus

Schumacher chegou ao Estado de Santa Catarina. Quatro

anos depois, ele iniciou as atividades da empresa de olho

no mercado de artigos de decoração e canecos de chope,

que naquela época já eram fabricados em cerâmica. Na

década de 1970, o empresário iniciou as exportações dos

canecos para os EUA e Europa, passando a atender clientes

como Avon Americana, Anheuser Busch (fabricante

da cerveja Budweiser) e The Walt Disney World Group.

Depois de conquistar o título de maior fabricante mundial

de canecos de chope, ao atingir a marca de 3,6 milhões de

peças ao ano, Klaus ampliou o mix de produtos e trouxe

novidades ao mercado. De lá para cá, não parou mais de

crescer e expandir os negócios. E, mesmo que a fábrica

seja moderna e equipada com maquinários de ponta, alguns

detalhes ainda são feitos à mão, como por exemplo

a colagem das alças dos canecos. Atualmente a empresa,

que tem cerca de 330 colaboradores, exporta as peças

para mais de 20 países e, sem contar com variações de

cor e tamanho, tem cerca de 200 produtos no portfólio.

Além da MondoCeram Beer, o Grupo ainda tem as marcas

Ceraflame, com opções de panelas, chaleiras, assadeiras

e outros equipamentos de cozinha, a MondoCeram

e MondoCeram Gourmet, com opções de cerâmicas funcionais,

coloridas e versáteis para o dia a dia na cozinha,

além de uma linha de “souvenirs” com uma dose extra de

criatividade e dinamismo.

No Festival e Feira de Blumenau, a empresa lançou seis

modelos de growlers, um modelo de caneco e um de taça.

“Além destes produtos, também fabricamos taças, copos

e canecos, todos em cerâmica e temos clientes distribuindo

estas peças em todo o País. Graças à qualidade, design

e tradição, já estamos presentes em bares, pubs, lojas e

cervejarias do Brasil. Nossos maiores polos consumidores

estão em SC, PR, SP, RJ e MG”, pontua Kilian.

O porta-voz ressalta que as cervejas artesanais estão conquistando

cada vez mais espaço na vida dos brasileiros e

o crescimento dos growlers está atrelado a essa apreciação

do mercado e momento em que vive. “É muito mais

atrativo ir a uma cervejaria, escolher a sua ‘fresh beer’

preferida e levar para casa do que ir ao supermercado

e comprar rótulos já conhecidos. E, frente a este novo

59


In Praesentia

perfil de comportamento do consumidor,

é que cada vez mais as cervejarias

lançam novos sabores e propostas,

tornando este setor ainda mais

atraente. Além disso, os números nos

comprovam como este segmento está

em crescimento. A cerveja é a segunda

bebida mais consumida em todo

o mundo. Aqui no Brasil ela é a número

um. Nós consumimos cerca de

62 litros todos os anos, ocupando a

17ª posição no ranking mundial, liderado

pela República Tcheca, com 143

litros per capita. Somos o 3º maior

produtor de cerveja do mundo, perdendo

apenas para os EUA e China e,

além disso, nossa média de fabricação

anual, entre grandes e pequenas

microcervejarias, é de 13,4 bilhões

de litros. É um mercado que cresceu

64% em apenas 10 anos. Tudo isso

devemos ao fato do paladar dos brasileiros

estar mais exigente e também a

popularização da cerveja, que a cada

dia conquista mais espaço nos restaurantes

– harmonizadas com excelentes

receitas – e também na nossa

Gowlers PET e recicláveis da Beerkeg são opção bem econômica

vida e ocasiões especiais”.

Outras informações sobre a linha da

empresa, com destaque para produtos

personalizados, podem ser obtidas

pelo telefone 0800 644 6444, e-mail

promocional@certaceramica.com.br e

no site www.mondoceram.com.br .

Growler e barris acessíveis

Lançado há quase um ano, o Beerkeg,

que também dá nome à sua

empresa desenvolvedora, foi pensado

especialmente para atender também

essa demanda de mercado. Em

formato de “barril” (daí o seu nome)

provém de um estudo para fabricação

do BeerKeg que começou há quatro

anos com dezenas de testes e protótipos.

“O objetivo sempre foi oferecer

uma alternativa para as cervejarias

com menor preço do que o barril importado.

“O uso do barril importado

aumenta o custo do litro da cerveja

em, aproximadamente, R$ 4,00,

e precisávamos reduzir este custo.

Para chegar a um preço competitivo,

desenvolvemos a matéria-prima do


Os produtos são feitos

a partir de fundição à

mão em formas de

gesso. Depois de

retocadas e esmaltadas,

as peças são queimadas

em um forno contínuo

Kilian Schroeder, gerente de

Marketing da Certa Cerâmica


produto, o design, a válvula, a alça

do barril, todo o processo de sanitização

e a migração de oxigênio. Já

a máquina que fabrica o BeerKeg foi

projetada por nós e produzida fora do

País. Tudo isso pensando em atender

o mercado cervejeiro com menor custo

do que o produto importado. Com

isso, em junho de 2016, lançamos o

Beerkeg, um produto reciclável (PET),

com foco na praticidade, segurança,

higiene e sustentabilidade. A aceitação

do mercado foi imediata. Desde

a sua criação, o mercado de bebidas

alcoólicas passou por uma revolução,

pois já não é mais preciso retornar o

barril à distribuidora, reduzindo os

custos e permitindo que as cervejarias

atendessem qualquer localidade.

Além disso, devido ao material leve

utilizado em sua fabricação, o transporte

também tornou-se muito mais

prático e seguro”, informa Renato

Araújo, diretor da BeerKeg.

Além dos “barris”, a empresa, também

participante do Festival de Blumenau,

fabrica growlers em PET descartável,

com capacidade para 2 litros, uma

alternativa de menor custo em relação

a outras existentes no mercado.

“Estamos possibilitando aos clientes

o acesso a um produto descartável

e que permite o consumo da cerveja

60


In Praesentia

artesanal, assim como o transporte,

em qualquer lugar. Além disso, com o

growler descartável, o custo da cerveja

fica menor pelo fato de não possuir

envase e rotulagem no preço final. No

entanto, também comercializamos os

growlers de alumínio. Ambos foram

desenvolvidos para possibilitar ao

cliente beber cervejas artesanais em

casa, eventos ou onde quiser, ou seja,

basta passar em qualquer cervejaria

de sua preferência e enchê-lo.

No momento de enchê-lo deve-se evitar

ao máximo a formação de espuma, pois

além da perda de gás, ficará difícil dimensionar

se foi utilizada a capacidade

do Beerkeg Growler com cerveja ao invés

de espuma”, destaca o gerente diretor.

Renato lembra ainda que realmente

os growlers atendem esse crescimento

do mercado de cervejas

artesanais, que pode ser constatado

na variedade de rótulos e estilos

presentes no cardápio de bares e

restaurantes, no espaço

que ocupam nas prateleiras

de supermercados,

nas lojas especializadas

e nos eventos gastronômicos.

“Foi seguindo

este movimento que percebemos

uma lacuna no

mercado: o alto custo

das cervejarias para envasar

seu produto. Além

disso, os barris disponíveis

no mercado, até o

lançamento do Beerkeg,

ou eram importados ou

de inox, ambos com alto

custo e dificuldade na logística.

A multiplicação

das microcervejarias e a

reconhecida qualidade

das cervejas produzidas

no cenário nacional nos

fizeram pensar em uma

alternativa mais econômica

e disponível no Brasil

a pronta entrega para

os fabricantes”, finaliza.

Informações sobre o BeerKeg

estão disponíveis

pelo telefone (41) 3093-

0300, e-mail contato@

beerkeg.com.br e no site

www.beerkeg.com.br

“Em junho de 2016

lançamos o Beerkeg, um

produto reciclável (PET),

com foco na praticidade,

segurança, higiene e

sustentabilidade.

A aceitação do mercado foi

imediata”, Renato Araújo,

diretor da Beerkeg

61


Gran Première

Menu Selecionado

Guia Descorchados, concursos espanhol Bacchus, francês Vinalies e Edição

do Mundial de Bruxelas em destaque

Mal finalizamos o primeiro trimestre,

e os sommeliers, em sua incansável

rotina de conhecimento, já têm uma

nova lista de preciosidades vinícolas

para encantar apreciadores e sugerir

as melhores harmonizações.

No final da primeira quinzena, enfim

foi divulgado o resultado do principal

guia sul-americano de vinhos, o Descorchados,

considerado um dos principais

de referência anual sobre os

melhores vinhos e espumantes a apreciar.

A publicação, produzida pelo jornalista

e enólogo chileno Patricio Ta-

Os espumantes brasileiros são

mais uma vez o destaque do

Descorchados 2017

pia, traz um panorama completo com

os melhores rótulos produzidos na

América do Sul, com grandes, médios

e pequenos produtores, após mais de

três mil avaliações.

Na seleção 2017 dessa 19ª edição do

Guia Descorchados estão

• indicação de mais de 200 vinícolas

chilenas, mais de 180 vinícolas argentinas

e mais de 20 vinícolas uruguaias;

• avaliação de milhares de vinhos degustados,

com a pontuação e e ranking

dos vinhos;

• recomendações de pratos em harmonia

com os vinhos selecionados;

• apresentação das regiões vitivinícolas

mais importantes do Chile, Brasil,

Argentina e Uruguai.

Por enquanto, no caso das vinícolas

brasileiras, somente são avaliados os

nossos espumantes, cuja demanda

tem crescido exponencialmente nos

últimos anos. E o melhor rótulo nacional,

aquele com melhor pontuação

nesse ano, foi o da Vinícola Geisse:

o espumante Cave Geisse Terroir Nature

2011. Elaborado a partir de uva

Chardonnay (50%) e Pinot Noir (50%),

que ficam por três anos em contato

com as leveduras, tem aromas mais

intensos de fruta. O espumante alcançou

93 pontos na avaliação deste ano.

Outra vinícola brasileira presente com

destaque nessa edição foi a Peterlongo,

de Garibaldi, na Serra Gaúcha.

Quatro espumantes estão entre os

indicados, dois deles entre os melhores

no ranking: o Peterlongo Elegance

Nature com 91 pontos e o Peterlongo

Presence Extra Brut com 90 pontos.

Também foram indicados o Peterlongo

Elegance Brut (89 pontos) e o Peterlongo

Privillege Brut Rosé (87 pontos).

Nos últimos anos a Peterlongo vem

recebendo importantes investimentos

seguindo projeto do enólogo francês,

Pascal Marty, winemaker da vinícola.

A Dunamis, vinícola de Dom Pedrito,

no RS, também teve quatro produtos

indicados pelo Guia Descorchados

62


Gran Première

2017. Na categoria “Método Charmat” o destaque

é para o Dunamis Ar Brut, com 89 pontos, já o

Dunamis Ar Moscatel figura entre os melhores da

categoria “Moscatel”, somando 88 pontos. Os destaques

da vinícola se completam com o Dunamis

Brut Rosé (89 pontos) e o Dunamis Nature (90 pontos).

A presença da Dunamis no Guia Descorchados

2017 é reflexo do trabalho e da visão do fundador

da marca, José Antonio Peterle, que aposta na

equipe de enólogos e técnicos para extrair o melhor

dos terroirs gaúchos. “Com foco na qualidade, não

medimos esforços para oferecer produtos de excelência

aos consumidores. O reconhecimento pelo

Guia Descorchados é resultado de planejamento,

comprometimento da equipe e amor pelos vinhedos”,

comenta Peterle.

Vinicius Cercato, enólogo da Dunamis, explica que

a vinícola aposta no terroir de Cotiporã, na Serra

Gaúcha, para cultivar as uvas que dão origem aos

espumantes da marca. Já a produção de uvas para

vinhos tranquilos se concentra em Dom Pedrito,

na região da Campanha. “O resultado do Descorchados

confirma que temos um ótimo terroir para

espumantes na Serra. E o desempenho do nosso

Tannat, por dois anos consecutivos entre as 16

amostras mais representativas na Avaliação Nacional

de Vinhos, mostra que o terroir da Campanha

é excelente para o cultivo de uvas tintas”, ressalta.

Já para o gerente geral da Dunamis, Celso Gromowski,

a presença em um guia tão importante como

o Descorchados atesta que a vinícola está no caminho

certo para a elaboração de espumantes finos.

“Para a Dunamis, essas recomendações representam

a possibilidade da vinícola se aproximar de novos

mercados e apresentar sua proposta de vinhos

jovens e descomplicados a cada vez mais apreciadores

da bebida”, completa Gromowski.

Conheça os rótulos da Dunamis presentes no Descorchados

2017:

• Dunamis Ar Brut (89 pontos) – Melhores método

Charmat

• Dunamis Ar Moscatel (88 pontos) – Melhores

Moscatel

• Dunamis Brut Rosé (89 pontos)

• Dunamis Nature (90 pontos)

Já a Jolimont foi

destaque no Vinalies

Rótulo em destaque da

Enos Vinhos de Boutique,

indicado na edição 2017

do Descorchados

63


Gran Première

Guatambu e Miolo também

presentes no Descorchados

Vinícola boutique que trabalha com administração

familiar, em pequena escala,

somente com uvas próprias, lotes limitados

e garrafas numeradas, em Dom

Pedrito, na Campanha Gaúcha, desde

2003, a Guatambu teve o seu Angus

Extra Brut considerado o espumante revelação.

Outro grande destaque foi o espumante

Extra Brut, que foi classificado

entre os melhores Extra Brut do Guia.

Ambos os rótulos receberam 91 pontos.

Também integram a lista de rótulos recomendados

os espumantes Guatambu

Nature e Poesia do Pampa Brut.

Segundo a sócia-proprietária e enóloga

Gabriela Hermann Pötter, o crescimento

dos espumantes Guatambu,

tanto em vendas quanto em premiações,

mostra que este perfil de espumantes

elegantes e frescos foi uma

grande aposta da vinícola e é uma tendência

consolidada no mercado brasileiro.

Os rótulos tem a consultoria do

enólogo uruguaio Alejandro Cardoso.

A Miolo também brinda sua presença

no Descorchados 2017. Três de seus

melhores espumantes estão presentes

na publicação assinada pelo especialista

Patricio Tapia.

O Miolo Millésime Brut – que já foi eleito o melhor espumante

do Hemisfério Sul – estampa aas páginas do

Descorchados com expressivos 91 pontos e destaque

na categoria ‘Melhor Brut’. Certificado com o selo de

Denominação de Origem Vale dos Vinhedos, o Millésime

Brut é elaborado somente em safras excepcionais

com as uvas Chardonnay e Pinot Noir.

Ao Miolo Cuvée Tradition Brut foram conferidos 88

pontos. Curiosidade: um lote do espumante repousa,

neste momento, em uma cave submersa no mar da região

da Bretagne, na França, de onde será retirado no

segundo semestre deste ano e comercializado em edição

especial e limitada.

Outro destaque da Miolo no Descorchados 2017 é o descomplicado

espumante Almadén Brut, que conquistou 87

pontos e a distinção ‘Super Preço’, que destaca os rótulos

com a melhor relação custo-benefício. Elaborado na região

da Campanha, no Rio Grande do Sul o Almadén Brut

é fresco, festivo e especialmente indicado para a categoria

de entrantes no mundo do vinho, como são conhecidos os

consumidores que estão começando a apreciar a bebida.

Mais um capítulo à parte

Na edição deste ano, a Famiglia Valduga comemora a

seleção de mais de 10 rótulos da Casa Valduga e Ponto

Nero, que conquistaram altas pontuações e excelente

destaque, quatro deles eleitos entre os melhores de sua

categoria. Os recém-lançados 130 Brut Blanc de Noir

64


65


Gran Première

A Gran Legado foi premiada na edição 2017 do Vinalies

e 130 Blanc de Blanc foram eleitos os

melhores bruts do guia com 92 e 91

pontos, respectivamente. Já o Casa

Valduga Gran Reserva Nature 60 meses

ficou entre os melhores espumantes

elaborados pelo método tradicional,

com 92 pontos. Proveniente das

uvas Chardonnay e Pinot Noir, sua

principal característica é a grande

complexidade e sua excelente cremosidade.

Para apreciadores de grandes

Cuvées, os 60 meses de autólise de

leveduras resultam em um espumante

rico, marcante e expressivo. Já entre

os melhores rosés, o Casa Valduga

RSV Blush 25 meses foi o melhor

em sua categoria, com 90 pontos. Os

outros rótulos da Casa Valduga recomendados

pelo Guia Descorchados

foram o espumante ícone 130 Brut,

Casa Valduga Arte Tradicional Elegance

12 meses e o Casa Valduga RSV

Brut 25 meses.

A linha Ponto Nero teve quatro espumantes

como os melhores na edição

2017 do Guia, sendo quatro considerados

os melhores de sua categoria. O

Ponto Nero Conceptual Edition Rose

de Noir foi eleito o melhor da sua categoria

e, junto com o Ponto Nero Blanc

de Blancs Conceptual Edition, foram

considerados os melhores espumantes

elaborados pelo método charmat

do ano, com 91 e 90 pontos, respectivamente,

assim como o Ponto Nero

Brut. Já o Ponto Nero Moscatel foi

eleito o melhor da sua categoria, com

92 pontos.

Concursos Bacchus e

Vinalies 2017

Referendado como um dos principais

concursos internacionais anuais,

o Concurso Internacional de Vinos

Bacchus é organizado pela Unión Española

de Catadores e realizado desde

1996. Neste ano teve o Cassino de

Madri como palco escolhido para a

sua edição 2017, que foi realizado em

março, reunindo 85 experts (15 deles

Masters of Wine) de 21 países (inclusive

do Brasil) para avaliar às cegas

cerca de 1.700 vinhos da Espanha e

de outras partes do mundo.

E novamente as vinícolas brasileiras

participantes se consagraram recebendo

medalhas. A Valduga foi uma

das premiadas com Medalha de Ouro

para o seu Raízes Gran Corte Tinto

2012. Também recebeu a medalha

dourada o Aurora Reserva Merlot

2015, da Cooperativa Vinícola Aurora.

A Aurora levou ainda a Medalha de

Prata com o seu Marcus James Espumante

Brut Brasil.

Já na França, na edição 2017 do Vinalies

Internationales, concurso realizado

em Paris no final de fevereiro,

muitas outras vinícolas brasileiras

foram premiadas. Neste

ano foram mais de 3.500

vinhos degustados. O Concurso

ocorre desde 1994.

Veja a lista de premiados:

• Vitivinícola Jolimont:

Medalha de Ouro para o

seu vinho Moscatel espumante

Moscato Blanc 2015.

De Canela, RS, a Jolimont

foi idealizada por um francês

estabelecido na região

em 1948.

• Vinícola Gran Legado:

Medalha de Prata para o

Gran Legado Brut Chardonnay

Pinot Noir Blanc 2013.

66


Gran Première

O Cassino de Madri foi palco do concurso Bacchus

• Vinícola Campestre: Medalha

de Prata para o Zanotto Espumante

Brut Chardonnay Blanc.

• Domno do Brasil: medalha

dourada para o Ponto Nero Brut

Chardonnay, Pinot noir Blanc;

Medalha de Prata Ponto Nero

Rosé de Noir Chardonnay Pinot

Noir Rosé.

• Vinícola Miolo: Medalha de

Prata para o Miolo Cuvee Tradition

Brut Chardonnay Pinot Noir

Blanc 2014.

• Cooperativa Vinícola Aurora:

Medalha de Ouro para o Aurora

Reserva Chardonnay Blanc

2015; Medalhas de Prata para

o Aurora Reserva Merlot Merlot

Rouge 2015 e para o Aurora Espumante

Brut Moscato Blanc.

• Vinícola Salton: Medalha de

Parta para o Salton Intenso Tannat

Rouge 2015.

• Vinícola Gazzaro: Medalha de

Prata para o Espumante Natural

Branco Brut Gazzaro 2016 Chardonnay

Pinot Noir Blanc.

Ainda falando em bebidas

premiadas…

Finalizada em abril, em Bento Gonçalves,

no RS, a 15ª edição do Concurso

Mundial de Bruxelas Edição

Brasil (Concurso Nacional de Vinhos

e Destilados) avaliou rótulos brasileiros

de destaque no cenário nacional e

internacional.

Com degustações às cegas realizadas

por um júri renomado composto por

jornalistas brasileiros e estrangeiros,

especialistas nas bebidas, sommeliers,

chefs e consultores da área, o

evento é realizado anualmente pela

Vinopres, empresa belga que organiza

o evento em nível mundial. Veja a

seguir os vinhos que conquistaram o

time seleto de paladares:

Medalhas Grande Ouro (Duplo Ouro)

• Aracuri Merlot Aliprandini e

Meyer 2012 — Vinícola Aracuri

• Aurora Reserva Merlot – Vinícola Aurora

• Garibaldi Moscatel Espumante –

Cooperativa Vinícola Garibaldi

• Milantino Gran Vino – Milantino

CHECK-LIST DE PREMIADOS:

Veja a seguir uma relação dos

melhores espumantes brasileiros

indicados no Guia Descorchados

2017, com pontuação igual ao acima

de 92 pontos:

• 93 pontos: Cave Geisse Terroir

Nature 2011, da Vinícola Geisse .

• 92 pontos: La Belle Blanche Brut

Rosé, da Enos Vinhos de Boutique.

• 92 Pontos: Estrelas do Brasil

Brut Rosé, da Vinícola Estrelas do

Brasil.

• 92 pontos: Valduga 130 Brut

Blanc de Noir 2013 e Casa Valduga

Gran Nature 60 Meses 2011.

• 92 pontos: Estrelas do Brasil Nature

ISV1 2010.

• 92 pontos: Cave Geisse Blanc de

Blancs 2013.

• 92 pontos: Hermann Lírica Crua.

• 92 pontos: Pizzato Vertigo Nature

2014 e Pizzato Nature 2013.

• 92 pontos: Vallontano LH Zanini

Extra Brut 2012, da Vinícola

Vallontano.

• 92 pontos: X Decima .Yoo Brut

Nature Edição Especial 2013, X

Decima Nature Tradicional 2012,

e para o X Decima .Yoo Brut Rosé

Ed. Especial 2014, todos vinícola

X Décima.

• 92 pontos: Ponto Nero Moscatel

Espumante. As linhas Ponto Nero

e Domno fazem parte do Grupo

Valduga.

• Miolo Millésime Brut – Miolo Wine Group

• Moscatel Espumante – Vinícola Panceri

• Quinta da Orada Corte (46% Tannat,

36% Cab. Sauv., 18% Merlot) – Casa

Marques Pereira

• Panceri Brut – Vinícola Panceri

• Peruzzo Merlot 2012 – Vinícola Peruzzo

• Raízes Sauvignon Blanc – Casa Valduga

67


Gran Première

• Rio Sol Brut Branco Premium – VitiVinícola

Santa Maria

• Salton Desejo Merlot – Vinhos Salton

• San Michele Barone – Vinícola San

Michele

• San Michele Tridentum – Vinícola

San Michele

• Settimana in Cantina Merlot – Vinícola

Zanella

• Sfera Merlot – Vinícola Arbugeri

• Torii Cabernet Sauvignon – Vinícola

Hiragami

• Victoria Geisse Extra Brut Vintage

Gran Reserva – Vinícola Geisse

• Villa Europa Merlot VE – Spa do Vinho/Harvest

• Wine Club Franco Italiano (corte) –

Vinícola Franco Italiano

Medalhas de Ouro

• Casa Pedrucci Brut Rosé – Vinícola

Pedrucci

• Casa Pedrucci Reserva Brut – Vinícola

Pedrucci

Dom Guerino - Casa Venturini Chardonnay

Reserva – Casa Venturini

• Don Guerino Sinais Moscato Giallo

— Vinícola Don Guerino

• Don Guerino Sinais Riesling – Vinícola

Don Guerino

• Habitat Alta Gama – Don Bonifácio

• Identidade Marselan – Casa Valduga

• Imortali – Vinícola Santa Augusta

• Rio Sol Brut Branco – VitiVinícola

Santa Maria

• Rio Sol Gran Reserva Touriga Nacional

– Vitivinícola Santa Maria

• Rio Sol Premium – VitiVinícola

Santa Maria

• Salton Paradoxo Brut – Vinhos

Salton

• San Michele Riserva – Vinícola

San Michele

• San Michele Maso Alto – Vinícola

San Michele

• Torii Merlot – Vinícola Hiragami

• Villa Europa Merlot VE – Spa

do Vinho/Harvest

• Villa Europa Merlot VE – Spa

do Vinho/Harvest

• Villa Europa Merlot VE – Spa

do Vinho/Harvest

• Zanella Brut – Vinícola Zanella

• Zanella Merlot – Vinícola Zanella

Medalhas de Prata

• Aracuri Pinot Noir Aliprandini

e Meyer — Aracuri

• Brandina Assemblage – Marco

Antonio Carbonari (Villa Santa

Maria)

• Casa Pedrucci Reserva Nature

– Vinícola Pedrucci

• Cave Amadeu Rosé Brut – Vinícola

Geisse

• Milantino Reserva Cabernet

Sauvignon – Milantino

• Quinta Don Bonifácio Brut

Rosé – Don Bonifácio

• Rio Sol Syrah – VitiVinícola

Santa Maria

• Rio Sol Gran Reserva Alicante

Bouschet – VitiVinícola Santa

Maria

• RioBravo Brut – Vinícola Mioranza

• Salton Classic Malbec – Vinhos

Salton

• San Michele Brut 18 Meses –

Vinícola San Michele

• Torii Cabernet Sauvignon – Vinícola

Hiragami

68


69


Tour: Rota Carta Premium

Para visitar, conhecer,

aprender e degustar

Para os profissionais da área, a rotina de conhecer novos rótulos é essencial para

aprimorar a apuração pelo paladar, mas também para poder avaliar de perto toda

a qualidade e primazia envolvida em cada produção, podendo levar cultura e histórias

para os apreciadores à mesa

O Brasil é um país continental e,

como não deixaria de ser, há muita,

muita coisa para conhecer e apreciar.

A área de bebidas tem um capítulo

à parte, pois a formação e o aprimoramento

constante dos profissionais

também estão atrelados a uma ampliação

incessante de rótulos degustados

e de conhecimentos sobre a

história e detalhes sobre a primazia

de cada produto, além do contato

com produtores, sommeliers, masterblenders,

mestres cervejeiros e alambiqueiros,

etc.

E vale descatar ainda que aliado a essa

necessidade de formação e informação,

está também o apelo turístico, já que

as sedes e bares próprios de alambiques,

vinícolas e cervejarias são um

convite bem tentador à visitação, formandos

verdadeiros roteiros, que estão

se consagrando nas diversas Rotas

Turísticas, Roteiros e Circuitos que se

consolidam no Brasil. Aos paranaense,

ou aqueles que estiverem no Paraná

por exemplo, uma boa dia é conhecerem

a Vinícola Fardo também próxima

a capital Curitiba, a apenas 23 km.

Inserida no roteiro turístico “Sentidos

do Campo”, do município de Quatro

Barras, composto por 20 empreendimentos,

a Família Fardo tem aberto

as portas para visitas e eventos de degustação

completa, que contemplam

a explanação histórica da vinícola,

com direito a participação dos pro-

70


Tour: Rota Carta Premium

• Linha Casa: Rose 2016

• Linha Encontro: Harmonia

• Linha Encontro: Fiore

• Linha Alegria: Espumante

(Moscatel e Brut)

• Suco de uva integral

• Grappa 36% teor alcóolico

(feito da casca da uva)

• Grappa 40% teor alcóolico

(feito da casca da uva)

prietários Ambrosio e Justina Fardo.

Na sequência, o enólogo Renato Garcia

inicia a explanação técnica.

A vinícola já conta com dez rótulos

à disposição dos apreciadores e uma

estrutura digna de espaços que os

turistas apreciam nas serras catarinense

e gaúcha: uma construção

de 1.600 metros quadrados, erguida

em pedra basalto e estilo arquitetônico

que lembra o medieval, local

onde nascem os vinhos. A área total

da vinícola ultrapassa os 70 mil

metros quadrados. Os proprietários

do espaço explicam que o sonho de

Ambrosio em consumir um vinho

de qualidade, feito por ele mesmo,

é que deu ‘vida’ ao projeto. “Somos

descendentes de famílias italianas

que trabalharam muito com o vinho.

Porém, a bebida que produzimos

hoje não está ligada a essa tradição.

Mas foi a própria tradição a nossa

fonte inspiradora no momento

de criar a Família Fardo Vinícola”,

aponta Ambrosio.

Na visita, os apreciadores acompanham

de perto o espaço onde

descansam os vinhos em grandes

pipas e tonéis, e depois para um

espaço onde descansam milhares

de garrafas de safras dos últimos

seis anos. O ambiente tem claridade

reduzida e temperatura constante

de 17 graus. A terceira etapa

da visita é ao redor de uma farta

mesa recheada de pães caseiros,

salames, copas, queijos e, claro,

vinhos. A cada rótulo aberto, os

apreciadores têm uma verdadeira

aula com o enólogo sobre vinhos e

sobre os vinhos da Família Fardo.

O tempo para o programa leva em

média duas horas e meia.

A Família Fardo conta com dez rótulos

à disposição dos apreciadores e uma

estrutura digna de espaços que os turistas

apreciam nas serras catarinense

e gaúcha. É em uma construção de

1.600 metros quadrados, erguida em

pedra basalto e estilo arquitetônico

que lembra o medieval, onde nascem

os vinhos da Família Fardo. A área

total da vinícola ultrapassa os 70 mil

metros quadrados e foi adquirida pelos

proprietários ainda em 2003. Cinco

anos depois, em 2008 chegaram as

primeiras pipas em madeira, vindas

do Rio Grande do Sul.

Linha de Produtos

Hoje, a vinícola trabalha com uma

boa variedade de rótulos e também

de safras para ofertar ao público.

Além disso, produtos complementares

também estão disponíveis para o

consumo:

• Linha Da Família: Bordô 2015

• Linha Casa: Cabernet Sauvignon

2009

• Linha Casa: Merlot 2011

• Linha Casa: Cabernet Sauvignon

2011

• Linha Casa: Tannat 2011

• Linha Casa: Malvasia 2015

• Linha Casa: Malbec 2015

Informações:

Vinícola Família Fardo

Rodovia Regis Bitencourt

(BR-116, km 69), nº 550,

Quatro Barras (sentido São

Paulo).

Informações: www.familiafardo.com.br,

(41) 3672-

1693 / (41) 3672-4488 ne

no Facebook https://www.

facebook.com/vinicolafamiliafardo/

.

Veja a seguir uma seleção

de alambiques, vinícolas e

brewpubs que não podem ficar

de fora do roteiro.Para os

profissionais da área, a rotina

de conhecer novos rótulos

é essencial para aprimorar a

avaliação pelo paladar, mas

também para poder avaliar

de perto toda a qualidade e

primazia envolvida em cada

produção, podendo levar

cultura e histórias para os

apreciadores à mesa

71


72


73


Tour: Rota Carta Premium

Klein

Campo Largo, PR

O pub da Cervejaria Klein, inaugurado

em 2017, do ladinho de

Curitiba, é ponto de encontro do

turismo cervejeiro. Um dos destaques

do ano passado do Craft Beer

Soul, a Cervejaria Klein em agora

pub próprio de portas abertas aos

apreciadores das melhores cervejas

paranaenses. Sua brewhouse,

misto de bar, restaurante e espaço

para eventos, está localizada em

Campo Largo, PR, a apenas 30 km

de Curitiba.

Em um espaço de mais de 2 mil metros

quadrados, é possível degustar

mais de 24 rótulos de cervejas

artesanais e um menu harmonizado

assinado pelo chef Alexandre

Bressanelli. Os chopes são servidos

diretamente dos tanques por

meio de 24 taps. Além disso, ocasionalmente

a casa oferece novas

criações, com adições de lúpulos,

permitindo um dry hopping direto

do tanque, em uma experiência totalmente

diferenciada. A carta da

casa ainda é composta por diversos

rótulos especiais de rótulos de

cervejas artesanais paranaenses.

E exclusividades para quem visitar

não faltam: o espaço foi palco do

lançamento da primeira sidra da

Klein, produzida com maçãs do Rio

Grande do Sul e fermentada com

leveduras de champagne. Com teor

alcoólico de 4,5%, a sidra está apenas

disponível para consumo apenas

na Klein Brewhouse.

Com projeto assinado pelo arquiteto

Pedro Druziki Jr, é um local

para toda a família. Além do bar

e restaurante, que possui capacidade

para 250 pessoas sentadas,

o local conta com um beer garden,

um espaço kids, uma área reservada

para eventos e outra para fumantes.

Possui ainda uma lojinha

para quem desejar levar para casa

algumas das delícias e dos rótulos

servidos no local. E, de estacionamento,

são mais 5 mil metros quadrados.

Mais informações na página oficial

do Facebook: www.facebook.com/

kleinbrewhouse , ou ainda no site

www.cervejariaklein.com.br.

74


75


Tour: Rota Carta Premium

Goose Island

São Paulo, SP

Comprada em 2011 pela AB Imbev,

do Grupo Ambev, a norte-americana

Goose Island, reconhecida pelo

ganso impresso nas garrafas, está

com brewpub de portas abertas no

Brasil, ao lado do Largo da Batara,

bairro de Pinheiros, na capital

paulista. Com a sua inauguração,

tornou-se o maior brewpub da cidade,

à frente dos já tradiconais pontos turíticos cervejeiros da cidade como

a Cervejaria Nacional, a francesa Les 3 Brasseurs, e a escocesa Brewdog.

Aos profissionais que visitarem, podem tentar conversar com Guilherme

Hoffmann, o mestre cervejeiro responsável pela criação e elaboração das

receitas dessa primeira filial brasileira. No que tange à harmonização,

muitas sugestões de estilos que acompanhm bem pratos com uma pegada

norte-americana. Informações: (11) 2886-9858, e-mail brewhouse.

gooseisland@gmail.com, site www.gooseisland.com/brewhouse-saopaulo

Vinícola Abreu Garcia

Campo Belo do Sul, SC

A Vinícola ocupa 10 hectares de vinhedos

na Serra Catarinense. No local,

são cultivados diferentes tipos de

uvas que servem de matéria-prima na

criação de infinitas possibilidades ao

seu gosto, entre vinhos brancos, tintos

e espumantes.

A paisagem encantadora, a deliciosa

comida e os detalhes dos imperdíveis

vinhos formam um excepcional atrativo

turístico. Cada visitante é recepcionado

por enólogos é levado a degustar

vinhos de refinado aroma, elaborados

com tecnologia de vanguarda e arte na

composição.

Entre os passeios, um dois destaques

na recente Vindima foi o Sundet, com

início marcado para às 17 horas, inclui

uma visitação à cantina e depois

segue para o campo, passando pelos

vinhedos até chegar ao deck da vinícola.

Ali, os visitantes degustam espumantes

e vinhos Abreu Garcia finamente

harmonizados com cesta de

pães e patês, gourmandise de canard

maison, queijos, frutas secas, conservas e oleaginosas

Durante os passeios no campo, em qualquer um dos programas, os

visitantes conhecem os vinhedos e ainda passeiam pelo sítio arqueológico

com geoglifos datado em 1.200 D.C., além de conhecerem a

capela da vinícola, dedicada à Santa Clara.

Reservas devem ser feitas

pelo telefone (48) 3322-3995. Contatos: contato@abreugarcia.com.br

e www.abreugarcia.com.br .

76


Tour: Rota Carta Premium

Container,

Blumenau, SC

Na cidade recém-aclamada “Capital Nacional

da Cerveja”, uma excelente dica é o brewpub da

Cervejaria Container, que recebeu Medalha de

Prata para o seu rótulo Container Black Sheep

no Festival de Blumenau. Fundada em outubro

de 2014, a Container é a primeira cervejaria da

escola inglesa no Brasil. Ela surgiu de amigos

amantes da cerveja e que se encontravam toda

quinta-feira em Blumenau para degustar cervejas

em um pub da cidade.

No estilo pub inglês temático, o bar da Container

dá vista para a produção da fábrica. Decorado

com peças inglesas e com peças autografadas

por bandas de rock, como Led Zeppelin,

AC/DC, Genesis, The Police, etc. o pub e a

própria cervejaria fazem parte “Rota do Vale da

Cerveja”, recebendo turistas todos os dias praticamente.

Neste tour, há uma palestra com

a história da cervejaria, uma degustação das

cervejas, uma visita à fábrica e um concurso

para encher um pint numa bomba inglesa com

direito a diploma de bartender da cervejaria.

Mais informações: (47) 3285-7185, contato@

cervejariacontainer.com.br, www.cervejariacontainer.com.br

Cervejaria Blumenau

Blumenau, SC

Ainda na Capital da Cerveja, foi recém-inaugurado o

bar da fábrica da Cerveja Blumenau, anexo à fábrica.

Com vista para onde os rótulos são produzidos e

podendo receber até 100 pessoas nos espaços interno

e externo, o espaço traz no cardápio pratos e

iguarias típicas da região, como om pão com bolinho

e o clássico sorvete do Fábrica da BlumenauSchmitt,

além de convidar os visitantes a provarem

as receitas que têm a cerveja como ingrediente (almôndegas

com molho de cerveja e vaca preta com

cerveja Stout). A linguiça Blumenau também está

presente em vários pratos: no trio de brusquetas, servidas

com pétalas de cebola, recheando bolinhos de aipim. A

Cervejaria Blumenau recebeu diversas medalhas esse ano

no Concurso Brasileiro das Cervejas. O bar funciona de

terça a sábado das 18h às 23h, na Rua Arno Delling, 388,

Itoupavazinha, Blumenau, SC.

Informações: www.cervejablumenau.com.br ou na página

da empresa no Facebook: https://www.facebook.com/cervejablumenau.

77


Tour: Rota Carta Premium

Valduga

Bento Gonçalves, RS

O Grupo Famiglia Valduga, uma

das principais vinícolas do continente,

oferece uma ótima infra-

-estrutura para os visitantes. Há

pouco mais de dois anos também

lançou a sua marca de cervejas, a

Leopoldina, que se prepara para

ter em breve o seu próprio espaço

físico, na mesma região onde

está localizada a vinícola, no Rio

Grande do Sul. Mas se quiser fazer

uma visita à fábrica ela está de

portas abertas. Você poderá conferir

de perto todo o processo de

produção das cervejas especiais e

degustar diferentes estilos.

Mas se o objetivo for visitar a vinícola,

você irá se surpreender com

a estrutura. A Valduga possui um

verdadeiro Complexo Enoturístico,

um dos primeiros do gênero

no Brasil, para que os visitantes

possam conhecer o processo de

elaboração de seus espumantes,

vinhos finos e um pouco da cultura

italiana. O local oferece hospedagem,

gastronomia e um espaço

para degustação dos produtos da

empresa, a Enoboutique. Frequentemente

e principalmente na época

de colheitas, a vinícola, que fica

em Bento Gonçalves, RS, oferece

pacotes completos de visita, hospedagem

e atividades.

Informações no (54) 2105-3122, e no

site www.famigliavalduga.com.br .


A Valduga possui um

verdadeiro Complexo

Enoturístico, um

dos primeiros do gênero

no Brasil


78


Tour: Rota Carta Premium

Água de Arcanjo

Maquiné, RS

E que tal conhecer uma cachaça

que além de premiada no Brasil

vem conquistando apreciadores e

profissionais ao redor do mundo?

Próximo ao litoral gaúcho está o

alambique da cachaça premiada

Água de Arcanjo. Produzida em

Maquiné, (RS), a Água de Arcanjo

é elaborada sob clima temperado,

que resulta numa cana de alto teor

de açúcar e, consequentemente,

uma melhor fermentação do caldo

de cana, a Água de Arcanjo recebe

de braços abertos os visitantes

aberto a visitas. Para agendar

entre em contato com a empresa

pelo telefone (51) 3109-8881 / (51)

99830-8881 (Whatsapp), e-mail

aguadearcanjo@uol.com.br ou pelo

site www.aguadearcanjo.com.br .

Mas se estiver pela região, a Água de

Arcanjo está também presente em diversos

bares e restaurantes de Porto

Alegre (RS), e principais cidades do interior

do Estado gaúcho. E vale mencionar:

você pode encontrá-la também

em outros países onde a Água de

Arcanjo já conquistou bartenders e

apreciadores, não se espante em uma

viagem à Ásia, por exemplo.

79


Tour: Rota Carta Premium

Alambique Castelo

Branco

Campo de Alegre, GO

Fundada em 1948, a Castelo Branco

é a primeira Cachaça registrada de

Goiás. Recentemente a empresa lançou

uma versão especialíssima, uma

edição numerada e limitada de 1.000

garrafas da série comemorativa de 50

anos do alambique sob a gestão do pai

do atual diretor. O alambique da Castelo

Branco fica localizado no Vale do

Pirapitinga, em uma região com condições

climáticas ideais para o cultivo

de cana e milho. Informações sobre

como visitar, conhecer de perto e degustar

os produtos podem ser obtidas

pelos telefones (64) 9984-1201,(64)

9607-3938 e (64) 9607-0334; ou ainda

pelos e-mails cachacacastelobranco@

gmail.com e cachacacastelobranco.

com.br; e no site www.cachacacastelobranco.com.br

Dunamis

Gramado, RS

Com o inverno, se a Serra Gaúcha

é um dos melhores roteiros,

uma visita à Dunamis é uma

excelente dica de parada. E se

o destino for Gramado, a Dunamis

inaugurou no ano passado

uma loja wine-bar, localizada no

quilômetro 26 da RS-235, entre

Gramado e Nova Petrópolis, que

também oferece cursos de degustação

de vinhos e espumantes

diariamente. Os ambientes

unem referências rústicas e contemporâneas,

preservando a cultura

milenar do vinho ao mesmo

tempo em que mantém seu espírito

jovem e leve. Com área total

de 585 m², o espaço é parada

obrigatória para os mais de seis

milhões de turistas que passam

por Gramado atraídos pelo frio,

novas experiências e produtos

de excelência. Mais detalhes em:

dunamis@dunamisvinhos.com.

br, www.dunamisvinhos.com.br

. Informações pelo telefone: (53)

3243-1195 .

80


Tour: Rota Carta Premium

Caves

Colina de Pedra

Piraquara, PR

A história da empresa já é um convite

à visitação. Em 1999 foi adquirida

uma área de 45 hectares

localizada nos fundos da Estação

Ferroviária de Roça Nova, no município

de Piraquara, PR, a fim

de construir uma pousada ecológica.

No ano seguinte, foram

adquiridos a estação, o túnel

ferroviário desativado, localizado

a 140 metros da estação e

uma litorina sucateada. Todos

foram arrematados com a intenção

de integrar o projeto da pousada.

Após a aprovação de todos

os projetos, surgiu a ideia de

viabilizar a adaptação do túnel

em cave de maturação de espumantes.

Hoje o complexo abriga

a Estação Gourmet, na antiga

Estação Roça Nova, cuidadosamente

restaurada, com dois pavimentos,

onde estão o restaurante

e loja, o Túnel Ferroviário,

construído em 1883, que abriga

a cave de envelhecimento de vinho

espumante natural, áreas

de descanso e trilhas. (41) 9667-

5000, contato@cavecolinasdepedra.com.br,

www.cavecolinasdepedra.com.br

Cachaça Bassi

Santa Mariana, PR

Com quase 40 anos de mercado, o Alambique Bassi é outro aberto para visitas. Além

de degustar produtos e compreender mais sobre a produção de uma cachaça de excelência,

os apreciadores podem ainda obter informações de como identificar uma boa

cachaça e dos diversos usos para o preparo de drinques. O endereço da Bassi é Sítio

Nossa Senhora Aparecida]Rodovia Mello Peixoto, BR 369 KM 72,2, Santa Mariana, PR.

Informações pelo fone (43) 3531-1435, comercial@cachacabassi.com.br, www.cachacabassi.com.br

Clique e assista o vídeo

81


Tour: Rota Carta Premium

Vinícola Franco

Italiano

Colombo, PR

Outra boa dica de visita no Paraná,

é o circuito Italiano de Turismo Rural

da cidade de Colombo, próximo

à capital. Criado no ano de 1999,

reúne um conjunto de empreendimentos

turísticos que oferece a seus

visitantes experiências únicas como

atrativos ligados ao lazer, a cultura,

espaços para eventos, hospedagem,

culinária típica italiana, além das

belas paisagens e atrações naturais.

O legado foi deixado pelos primeiros

imigrantes que chegaram ao município

no ano de 1878, vindos principalmente

da região de Veneto na Itália.

É nesse circuito que está a Vinícola

Franco Italiano, que elabora vinhos

em pequena quantidade, com produção

limitada para a exclusividade

e total satisfação dos clientes. Este

conceito veio da tradição na fabricação

de vinhos para a família, herdado

das descendências italiana e francesa.

Aos finais de semana a vinícola oferece

um Espaço Gastronômico Franco

Italiano, que abre para almoço aos finais

de semana, sábado e domingo,

das 12h às 15h.

Informações telefone (41) 3621-1211,

francoitaliano@francoitaliano.com.br

e www.francoitaliano.com.br.

82


Tour: Rota Carta Premium

Finnegan’s

São Paulo, SP

Considerado o mais antigo pub

do Brasil e o primeiro no estilo

em São Paulo, o Finnegan’s

foi fundado antes da década

de 90, em 1988. Mantendo as

tradições de um verdadeiro

pub irlandês, tem na sua carta

uma vasta carta de chope

e cervejas especiais vindas de

todos os lugares do mundo,

principalmente a Europa. Foi

o responsável por introduziu a

culinária irlandesa e a cerveja

Guinness no cardápio da capital

paulista.

“Nossa decoração também é tematizada.

Devido ao fato de estarmos

em um antigo sobrado

do início do século, localizado

em uma rua com inclinação,

o pub fica abaixo do nível da

rua. Esse aspecto de sub-solo

é uma típica característica

dos principais bares no estilo

ao redor do mundo”, conta

Evaldo Müller, gerente. “Estamos

investindo em cervejas

artesanais e em um cardápio

de coquetéis como os famosos

Gim Tônica, além de spirits.

Como o inverno se aproxima,

nós sempre reforçamos nossa

carta especial de vinhos com

novidades do mercado. Além

disso, trabalhamos com caldinhos

e com uma linha de bebidas

‘quentes’ como Bourbons,

whiskies e outros destilados”,

finaliza.

Mais informações: fone (11)

3062-3232, e-mail reservas@

finnegans.com.br e no site

www.finnegans.com.br .

83


Tour: Rota Carta Premium

Cave de Pedra

Bento Gonçalves, RS

Com o valor simbólico de R$

30,00, o visitante terá a experiência

de conhecer belas paisagens

ornadas pelos vinhedos e provar

uma refinada gastronomia, sempre

harmonizada com os melhores

vinhos e espumantes. O enoturismo

da Cave de Pedra Winery

é um segmento que conquista um

número cada vez maior de adeptos.

O visitante encontra atendimento

especializado para tirar o

melhor proveito dos atrativos da

vinícola.

O roteiro de visitação inicia no

túnel do castelo enoturístico, seguindo

para as caves subterrâneas

e a área de amadurecimento dos

vinhos em barricas de carvalho.

As caves estão interligadas a outro

castelo, onde há o setor de elaboração

dos vinhos e espumantes.

Durante o tour, o visitante passa

por um vinhedo demonstrativo

com as principais uvas. Segue-se,

então, às torres do castelo para fotos

e apreciação da bela paisagem

do Vale dos Vinhedos.

A degustação das variedades de

vinhos e espumantes ocorre ao

longo de toda a visita, com explicações

sobre a sua elaboração.

Na loja, é possível adquirir todos

os produtos elaborados pela vinícola,

além de artigos diferenciados

e associados ao vinho.

Para grupos acima de 15 pessoas,

deve ser feito agendamento antecipado.

Além de excelentes vinhos

e espumantes para seu evento, a

Cave de Pedra Winery dispõe de

um ambiente climatizado, com

capacidade para 300 pessoas. Na

área externa, conta com um amplo

estacionamento e jardins em meio

aos parreirais, que levam a um

salão de festas menor. Para proporcionar

uma harmonização perfeita,

mantém uma parceria com

o Buffet Dalla Costa, referência

na área gastronômica desde 1988.

São inúmeros os diferenciais oferecidos

aos clientes pelo buffet,

desde o atendimento personalizado

para a montagem do cardápio

até a execução do evento.

Mais informações em: www.cavedepedra.com.br

84


85


Reserva do Leitor

Uma cervejaria

‘GARRADA’ NA INOVAÇÃO

Por Leo Lodi*

Que a capital mineira já está “garrada” (sic) faz tempo na cultura cervejeira, não é

novidade para ninguém. O que começa a ficar cada vez mais aparente

é o crescimento em quantidade e qualidade, principalmente nos últimos anos.

Gustavo Simoni, da

Koala San Brew (KSB)

Entre idas e vindas regulares a Belo Horizonte, acompanho

de perto a evolução cervejeira e confesso, há

dois anos atrás, nada me chamava muita atenção em

termos de variedade, inovação e potencial de alavancagem

do mercado. Talvez a reboque do que já acontecia

em outras cidades como as capitais dos Estados

Sul, São Paulo e Rio de Janeiro, iniciou-se uma verdadeira

cruzada pela evolução da cerveja, com novas fábricas,

pessoal qualificado e produtos diferenciados.

Foi em um evento voltado para o público cervejeiro que

tive o primeiro contato com os rótulos da Koala San

Brew (KSB), conduzida heroicamente por Gustavo Simoni,

o “Koala” em pessoa. Impressionou-me imediatamente

a clara percepção que teve de inovar corajosamente

em seus rótulos, que não eram simplesmente formados

por estilos meramente comerciais,

ou visando adequar-se ao paladar

do consumidor. Era o começo de um

verdadeiro “tapa na cara” da moçada

que, de mansinho, já valorizava orgulhosamente

os produtos locais, mostrando

que a cerveja mineira pode

sim atingir níveis que até então só

se via na produção norte-americana,

principalmente da Costa Oeste e Colorado,

de onde já surgiram algumas

parcerias.

A história da KSB — descobriu-se recentemente

— confunde-se com a da

própria cidade, quando Gustavo teve

contato com a história do seu bisavô

Paulo Simoni, fundador da Cervejaria

Gambrinus, instalada onde hoje é a

histórica região da Praça da Estação,

um marco da cidade. Este foi o sinal

para que abrisse a sua própria fábrica,

hoje localizada no bairro Jardim

Canadá (município de Nova Lima), já

que a carreira de músico numa banda

de rock não dava muitos sinais de

sucesso (apesar do som excelente que

faziam e que já tive a oportunidade

de ouvir).

A formação acadêmica na área de

administração e negócios foi decisiva

para que associasse prazer e resultado,

uma vez que pra vida deste

“skatista” roqueiro não caberia algo

diferente.

86


Reserva do Leitor

Gustavo, então começo seu voo

solo depois de acumular muita

experiência produzindo cervejas

caseiras e compartilhando

com a galera do “Bowl do Anchieta”

e outros amigos, que

sempre o encorajavam a colocá-

-las no mercado. Esta história a

gente já conhece pois é comum

a quase todo grande cervejeiro.

Com o Koala não tem sido diferente.

Após vender alguns bens

e levantar um pequeno empréstimo,

conseguiu finalizar uma

planta, ainda que um quarto

menor do que o planejado.

Foi em 2013 que ele iniciou na

prática a busca por sabores diferentes

do que se encontrava

então no mercado, associada à

adição de ingredientes locais,

mas sempre mantendo a pegada

norte-americana que tornou-se

a marca da cervejaria.

Hoje o café do Sul de Minas é

uma base importante de produtos

consagrados, como a Double

IPA “California Crossing”. Seguindo

a tendência surgida no

ano passado, a KSB foi colocada por

seus seguidores no altar das melhores

cervejas com o lançamento da NE

IPA “Livin´The Dream”. Já a “Mellow

Gold” é uma Brett IPA que vem proporcionando

experiências inovadoras

para quem não está acostumado com

a presença de Brettanomyces na cerveja,

cuja característica sensorial é

bem marcante. E, entre tantos sabores

e aromas, estão ainda a azedinha

“Blueberry Sour”, a leveza da Belgian

Wit “Endless Summer”, a Japanese

Blonde “Osaka” e a “Anchieta” (uma

American Wheat feita em homenagem

aos skatistas do Bowl). Destacam-se

ainda a Bad Motorfinger e a Bad Mothrfckr,

ambas Imperial Porters com

expresso, Bourbon e baunilha, proporcionando

um prazer indescritível,

o qual, afirmo com a mais absoluta

certeza, impossível de se encontrar

por essas bandas.

Para arrematar a lista de “hits”, não

poderia deixar de citar a “Double Feature”,

considerada por muitos a melhor

Double IPA produzida no Brasil.

A estrutura simples e enxuta da Koala

San Brew vem mostrar mais uma

vez que investimento não é,

necessariamente, sinônimo de

qualidade. O amor pelo que se

faz, foco em resultados e uma

boa dose de personalidade e ousadia

continuam apresentando

excelentes resultados. Assim

como praticamente todas as

Micro-Cervejarias, a Koala San

Brew segue seu caminho lutando

contra a falta de incentivos

fiscais e o acachapante peso

do Estado, com sua fome voraz

pela arrecadação do contribuinte.

Paralelo a isso tudo, a força

inovadora do Gustavo não apresenta

sinais de fadiga.

Segundo ele mesmo,”o mercado

pode esperar por novas criações

e produtivas parcerias que, certamente,

irão afirmar a vocação

de Minas na produção de cervejas

de alta qualidade”.

*Professor de canto, Leo Lodi é

diretor executivo e fundador do

Voz Plena - Centro de Desenvolvimento

da Voz Cantada (www.

vozplena.com). Apaixonado por

cervejas especiais, Leo aceitou

nosso convite para escrever livremente

sobre uma de de suas

recentes experiências no mundo

cervejeiro. Contatos: leolodi@vozplena.com

87


For Export

SEM TABUS

com qualidade e inovação

Gim nacional com botânicos da Mata Atlântica, aguardente sofisticada à base

de mandioca, vodca brasileira premiada no exterior, absintos nacionais e até em

versão ice, pisco brasileiro especial...

Em um mercado em que os apreciadores

são ávidos pela inovação,

mas inovação com muita qualidade,

ter produtos diferenciadíssimos

na carta não só pode encantar

como também surpreender e aquecer

inclusive as vendas em bares,

bistrôs, hotéis e restaurantes,

principalmente pelo por um dos fatores

mais importantes em um pedido:

o querer experimentar. Além

disso, em tempos de dólar instável

e alto, o que interfere diretamente

no preço dos importados, de redução

no consumo devido à instabilidade

econômica,

e em que a gastronomia cada

vez mais consolida o apreço

pelos produtos nacionais e

regionais, a aposta na inovação

brasileira é uma ótima

saída para empreendedores

e profissionais de A&B apostarem

na criatividade e em

produtos brasileiros de reconhecida

qualidade.

Mesmo há pouco tempo no

mercado, um gim nacional

vem conquistando profissionais

da área de mixologia e

apreciadores por todo o Brasil,

mas um dos principais

mercados gastronômicos mundiais, a capital

paulista. E a bebida, mesmo fabricada em pequenos

lotes, já se faz presente na carta de mais de

40 empreendimentos.

Fruto de tradição holandesa e brasileira em destilados,

muita pesquisa e inovação, e excelente

para coquetelaria, o gim artesanal brasileiro Virga

é o primeiro a levar pequenas doses de cachaça

na sua composição, diferenciando na questão

sabor e também aromas.

“Um dos diferenciais do Virga é a destilação em

alambique de cobre utilizado para fazer cachaça.

O uso desse alambique de cobre para o Virga é

não só uma homenagem à nossa bebida nacional,

cachaça, mas também é para trazer as melhores

características de excelência desse destilado para

o nosso gim. As doses de cachaça de alambique

na composição que utilizamos também trazem

um diferencial sensorial, pois a maioria dos gins

mundiais são elaborados apenas com álcool neutro,

que também está presente em nosso gim.

Mas prevalece essa pequena quantidade de álcool

não neutro que tem aromas primários, bem diferente

do etanol, oriundos também da matéria-

-prima que é a cana-de-açúcar”, detalha Felipe

Jannuzzi, sócio-proprietário e produtor do Virga.

São quatro os responsáveis por essa bebida inovadora:

o holandês Joscha Niemann, e os amigos brasileiros

Gabriel Foltran, João Lucas Leme e Felipe

Jannuzzi. “O projeto começou realmente há cerca

de um ano em meio, depois de muito tempo de pesquisa.

Mas estamos no mercado há pouco mais de

seis meses com o gim Virga”, acrescenta Felipe.

Para ele, o sucesso do Virga também está ligado

ao fato de encaixar no atual movimento gastronômico

que tem valorizados as tradições e

culturas locais. “Há um movimento nos últimos

88


89


For Export

Margot

Stinglwagner,

sócia-diretora da

Guaaja Tiquira

Também destaque na carta de empreendimentos refinados, a

Guaaja Tiquira é um outro destilado made in Brazil

anos na área de gastronomia em que se tem valorizado os

produtos locais, com grandes chefs mostrando isso. Lá

fora, por exemplo, muitos profissionais tem usado o gim

para se referir às regiões onde é produzido pois muitas

versões usam ervas e botânicos típicos e ingredientes dos

países onde é fabricada a bebida, para falar exatamente

das regiões e culturas locais. Diferente da cachaça, na

qual você não pode incluir nenhum outro botânico no processo

de produção, o gim é bem mais flexível nessa questão.

Acredito que a categoria de destilados como o gim

deverá crescer muito no Brasil, pois temos toda uma variedade

de botânicos muito bons, mas ainda pouco conhecidos

ou até utilizados, entretanto que ficam fantásticos

quando adicionados aos destilados. Inclusive nas cidades

do interior é muito comum a tradição das infusões, seja

de cachaça ou outras bebidas, com uso de ervas, sementes

e raízes”, finaliza.

Da tradição indígena aos

drinques mais sofisticados

Com um pouco mais de tempo e já presente na carta de importantes

empreendimentos como Fasano (RJ), Praia Ipanema

Hotel (RJ), Caesar Park (RJ), Tivoli (SP) e Copacabana

Palace (RJ), a Guaaja Tiquira é uma bebida premium que

também já vem se destacando ao lado dos melhores destilados

nacionais. Muitos são os aspectos que diferenciam o

produto dos demais destilados existentes no mercado nacional

e internacional, a começar pela sua matéria-prima

com raiz na tradição cultural dos primeiros habitantes do

Brasil. Contudo, para entender melhor esse diferencial, é

preciso conhecer um pouco de sua origem, de sua história

e de seus empreendedores.

Destilado extraído da raiz de mandioca, ainda

hoje processado por artesãos e microprodutores

de forma primitiva e rudimentar, a tiquira é ainda

desconhecida em quase todo o Brasil e também

no exterior. “Encontrava-se esquecida, tendo deixado

uma lacuna nesse segmento da gastronomia

mundial. É um produto 100% nacional, com enormes

perspectivas no mercado externo. A Guaaja

Tiquira é um destilado de mandioca com teor alcoólico

de 40º C. Em seu processo de produção, todas

as garrafas são lavadas com o próprio produto

antes do engarrafamento, de forma a garantia o

seu grau de pureza e excelência”, destaca Margot

Stinglwagner, sócia-diretora.

Atualmente, a Tiquira é produzida em diferentes

versões, muitas adequadas para coquetelaria, em

garrafas de 50, 160 e 500 ml:

• Tiquira Premium: de teor alcoólico de 40º C, produzido

em moderno processo de destilagem, trifiltrada;

• Guaaja Armazenada: embalagens de 500 ml;

90


91


For Export

• Tiquira de 12 meses de guarda:

armazenada em barris de umburana,

produzida em edições anuais

limitadas;

• Guaaja bitter: embalagens de 50 e 100

ml; angostura apropriada para composição

de drinques e uso culinário.

A empresa produtora foi fundada em

2012, mas iniciou sua operação em

2014, em Santo Amaro (MA). Surgiu da

inspiração e iniciativa de Margot, que é

designer e advogada, segunda geração

de um dos mais brilhantes

engenheiros mestres cervejeiros

da América Latina, o sr. Max Stinglwagner,

que por mais de três décadas

comandou um dos maiores

complexos industriais das Américas

(a Cervejaria Brahma) e desenvolveu

uma gama de genuínas cervejas

nacionais.

Foi seguindo os passos do pai, que

Margot, em uma de sua incursões

por inóspitas regiões brasileiras,

apaixonou-se por Santo Amaro,

uma bucólica e pacata cidade

encravada como uma pérola nos

Lençóis Maranhenses, onde teve o

seu primeiro contato com a tiquira.

Nesse primeiro contato, iluminada

pelo os ensinamentos do pai, vislumbrou

uma bebida sofisticada,

100% brasileira e de reconhecimento

internacional. A partir desse

momento e durante mais de

ano, realizou vários experimentos,

aprofundando o seu conhecimento

com destacados profissionais do

segmento de bebidas alcoólicas,

até alcançar o tao desejado produto.

“Estamos preparando para o

biênio de 2017/2018 novas linhas

de produtos inovadores e orgânicos

com a qualidade da marca Guaaja”,

finaliza a empreendedora.

Paixão em produzir e

degustar

Apreciadores das bebidas destiladas,

os irmãos Maurício e Marcos

Kalvelage são responsáveis por

uma das poucas vodcas produzidas

no continente americano

com uma pequena coleção de

prêmios internacionais. E o melhor

de tudo é que essa vodca é

inteiramente brasileira!

“Tínhamos o sonho de abrir uma

destilaria. O Maurício estudou

o processo dos destilados e da

cerveja e eu fui atrás de cursos sobre

destilados. Começamos a nos interessar

cada vez mais, até que compramos

destiladores e fermentadores para testar

matérias-primas em casa. Em pouco tempo,

o hobby passou a ser oportunidade

de negócio: iniciamos o projeto de uma

vodca produzida a partir de cereais. Não

encontramos nenhuma referência nacional,

fomos atrás de referências de vodcas

importadas e viajamos para conhecer as

empresas, a produção e as tecnologias”,

contam or irmãos empreendedores.

Lançada em 2013, a Vodca Kalvelage já

está presente em um sem-número de empreendimentos

pelo País e se tornou referência

no produto por sua qualidade premium.

Em 2016, pela terceira vez, a Vodka

Kalvelage recebeu uma premiação em um

dos maiores concursos internacionais de

destilados, o San Francisco World Spirits,

a Medalha de Prata, a mesma que já havia

conquistado em 2014. Em 2015 a Kalvelage

recebeu Medalha de Ouro no mesmo

concurso. Assim a bebida mantém-se

na posição de uma das três melhores do

mundo de acorco com o concurso.

Atualmente a linha da empresa é composta

pela Vodka Kalvelage Vibe e a Vodka Kalvelage.

“São produzidas a partir de cereais

nacionais, e seu teor alcoólico é de 40% vol.

Apresentam um Olfativo leve e acetinado,

com um leve e discreto aroma de amêndoas

a cereais. Um gustativo sem agressão alcoólica

com leveza do início ao fim, no inicio

um leve toque de coco evoluindo para um

leve toque de amêndoas e terminando com

um toque de maçã verde. No final um retrogosto

leve de amêndoas evoluindo para

maçã verde. São bebidas de qualidade ultra

premium e premium com um excelente

custo-benefício, além de serem produzidas

nacionalmente, com tecnologias desenvolvida

no Brasil e com matérias-primas nacionais,

posicionando-se acima ou no mínimo

no mesmo nível das nossas concorrentes

importadas. É uma alegria muito grande

estarmos conseguindo ganhar espaço e destaque

neste mercado tão concorrido e dominado

pelas multinacionais”, finalizam.

92


For Export

Enfim livres e liberados:

absintos brasileiros

Bebida queridinha de bartenders internacionais

e principalmente consumidores

pela sua estigma dos efeitos alucinógenos,

tendo sido até considerado “droga

de massa” em sua história, o absinto não

é mais proibido no Brasil, mas tem restrições

quanto ao seu teor alcoólico devido

à legislação brasileira. A proibição

da bebida vigorou por quase 80 anos,

mas desde os anos 2000 a bebida teve

a venda liberada. Entretanto diferente

do mercado internacional, onde podem

ser encontradas versões com até 90% de

teor alcoólico, no Brasil a bebida só pode

ser comercializada com máximo de 54%.

O gim artesanal brasileiro Virga é o

primeiro a levar pequenas doses de

cachaça na sua composição

Vodca

Kalvelage

superpremium

nacional

Apesar do certo tabu ainda existente

quanto a produtos nacionais, há versões

de boa qualidade disponíveis no

mercado e que podem substituir satisfatoriamente

as marcas importadas.

Centenária no ramo de bebidas, fundada

em 1913 pela Companhia Antarctica

Paulista, e hoje pertencente ao Grupo

francês Marie Brizard Wine & Spirits, a

Dubar tem em sua linha de produtos o

Absinto Lautrec, de tradicional receita

francesa. Foi uma das primeiras empresas

brasileiras a voltar a fabricar o produto

após anos de proibição. Tal qual a

tradição, o aperitivo de absinto Lautrec

pode ser degustado puro ou com gelo

picado e, também com açúcar. Para um

drinque refrescante, basta misturá-lo

com folhas de hortelã maceradas, um

pouco de açúcar e muito gelo picado, ou

ainda com Soda Limonada.

Para atender ao crescente mercado

dos Ices e em especial o público jovem,

a empresa também criou a versão

Absinto Lautrec Ice, uma bebida

bem refrescante, com sabor diferenciado

de absinto e alta qualidade.

Na linha de produtos da empresa também

estão vodcas, como a Sobieski,

destilada na Polônia e engarrafada no

Brasil, também disponível na versão

premium Estate, a famosa vodca premium

Danzka, a cachaça Canamar,

em versões prata e ouro, o licor especial

Fogo Paulista, disponivel na versão Signature,

feito á base de à base de plantas

selecionadas e mel de abelhas e frutas

tropicais como açaí e guaraná, o brandy

Dubar 5 Estrelas, que pode ser tomado

puro ou em coquetéis e até aquecido no

inverno, sem perder suas qualidades,

além do uso culinário em doces e salgados,

principalmente em sobremesas

flambadas; o diferenciado Steinhäger

Löewe, entre outras bebidas.

Falando em absinto...

também podemos falar de

arak e de pisco

Entre outros poucos absintos produzidos

no Brasil e presentes no mercado

estão o da Alvorada, que produz a

marca Habitué, com graduação alcoólica

de 50%. Entre seus ingredientes

93


For Export

estão anis e uma diversidade de ervas . A Alvorada

produz também o Arak Habitué. O Arak é uma bebida

destilada do anis, incolor, não adoçada, com sabor de

anis, também classificada como aperitivo. É uma bebida

tradicional de regiões como a Palestina, Israel,

Líbano, Jordânia, Iraque e Síria, que deve ser bebido

diluído em água ou servido puro com gelo. É conhecido

como “leite dos leões” porque, transparente em

sua forma pura, ganha um aspecto parecido com o

leite após a adição de água. Ainda pouco usado na

coquetelaria brasileira, apesar de ter ganhado notoriedade

nos últimos anos, vai muito bem em receitas

de drinques com maracujá e morango, entre outras

frutas.

Outros absinto disponível no mercado é da Importadora

Uniland, empresa fundada em 1997 com a

proposta de desenvolver a exportação de produtos

alimentíci os e de bebidas brasileiras. O absinto Camargo

é um dos destaques na linha da empresa.

O Absinto Camargo foi o primeiro lançado no

Brasil quando a proibição a esse tipo de bebida

deixou de existir, tendo sido lançado no mercado

meses antes do Lautrec. Pela sua qualidade,

o drinque Blue Absinto, com receita impressa

no contra-rótulo do produto, foi premiado com

a Medalha de Bronze no Drinks International

Cocktail Challenge de 2002. Produzido segundo

uma receita franco-suíça de 1900, o produto

é fabricado em São Paulo, no interior paulista,

utilizando todas as plantas e ervas legítimas,

importadas da Europa: Artemisa absinthium e

Artemisia ontica, anis verde e estrelado, funcho,

hissopo, angelica, melissa, coentro e mais

algumas ervas aromáticas. A receita consagrou

a composição do Absinto Camargo como a mais

sofisticada disponível no Brasil.

Outra bebida produzida no Brasil pela empresa

é o Pisco Viña del Mar. O Pisco é um destilado de

uvas originado no Peru e também muito difundido

no Chile. A Uniland foi a primeira a produzir a

bebida no País. O pisco Viña del Mar é fermentado

e destilado de uvas do tipo Lorena. Trata-se

de variedade desenvolvida pela Embrapa a partir

da Moscatel e que traz, principalmente em nariz,

características desta mas também da Malvasia.

Além disso, têm maior teor de açúcar, o que ajuda

também ao pequeno produtor rural que as vende

pela combinação dos fatores peso e quantidade de

açúcar, tornando o produto social e economicamente

sustentável desde o campo.

Outro destaque da Uniland é o licor importado

Brecherovka, uma receita tradicional de licor da

República Tcheca, conhecido como o “Elixir da

Vida”. Trata-se de um licor 100% natural, obtido

por meio de um blend de ervas e temperos, açúcares

naturais e água do Rio Karlov. É uma bebida

sem nenhum tipo de conservante, corante

ou emulsificador artificial, ao contrário da maioria

dos licores. Sua receita é mantida inalterada

desde 1807, época em que Jan Becher, seu criador,

a produziu pela primeira vez. Desde então,

apenas o processo de produção foi modernizado.

Por trazer apenas elementos naturais, a Becherovka

é uma bebida “viva” em que cada lote traz sutis

variações, conferindo-lhes identidade e caráter

únicos. Suas notas predominantes são de canela,

cravo, carvalho e gengibre, mas muitas outros tons

podem ser encontrados nessa complexa bebida que

leva mais de 30 ingredientes em sua formulação.

Hoje, apenas duas pessoas conhecem o segredo de

94


For Export

sua formulação e têm permissão para

entrar na exclusiva “Drogikamr“, a

sala onde são misturadas e preparadas

as ervas que compõem a bebida.

Deve ser servida fria ou gelada, como

digestivo ou como “schnapps”, acompanhando

uma boa cerveja tcheca. Pode

também compor o drinque tcheco Beton

– uma mistura de Becherovka, limão e

água tônica. Além disso, a Becherovka

e o Absinto Camargo são ingredientes

para o White Sazerac, um drinque que

fez um sucesso enorme no ano passado

na Europa, especialmente na Escandinávia,

onde a Aquavit, base alcoólica do

citado drinque, é muito consumida.

A Uniland também tem se destacado

ainda no mercado nacional na área de

cervejas importadas, trazendo os melhores

produtos dos principais países

produtores, muitos rótulos consagrados

e premiados internacionalmente.

“Cachaça anestésica”?

Produzida pelo Engenho Buriti, produtor

das premiadas Cachaça Famosinha

de Minas, Buriti e Dona Branca, a

Jambucana é uma aguardente especial

que oferece ao paladar uma experiência

marcante, unindo com singularidade

sabores tipicamente brasileiros. De coloração

amarelo dourado, intenso e brilhante,

esta bebida destaca-se por sua leveza,

equilíbrio e refrescância. É uma mistura a base

de melado de cana e cachaça com o toque exótico

do jambu amazônico, erva de origem indígena

comum na culinária da região Norte e muito conhecida

pelo seu efeito quase anestésico.

Com graduação alcoólica de 30%, sua receita

partiu do chef Dedé Parente e foi desenvolvida a

quatro mãos com o master blender Armando Del

Bianco. Sua degustação imprime uma sensação

única de dormência e frescor na língua. Em menos

de um mês após o lançamento, no final de

2015, já estava entre as dez cachaças mais desejadas

e vendidas do Brasil segundo o site Cachaçaria

Nacional. O produto pode ser adquirirido

pelos e-commerces: Savana Cachaças (www.

savanacachacas.com.br), Cachaçaria Nacional

(www.cachacarianacional.com.br) e Cachaça Express

(www.cachacaexpress.com.br).

Empresas citadas na Reportagem

• Alvorada: www.alvorada.com.br

• Virga: www.virga.com.br

• Tiquira Brasil:

www.guaaja.com.br

• Kalvelage:

www.vodkakalvelage.com.br

• Dubar: www.dubar.com.br

• Uniland: www.uniland.com.br

• Engenho Buriti:

www.engenhoburiti.com.br

• Jambucana:

www.jambucana.com.br

95


A Santa Terezinha é um dos

destaques no evento

96


Acontece

Cachaça especial para flambagem, versões 12

e 15 anos e muito mais:

Em um mercado que só cresce no Brasil e no mundo, o maior evento

do gênero terá em destaque os melhores destilados brasileiros especiais,

premiados nacional e internacionalmente

Adwalter Menegatti, da Cachaça Santa Terezinha

Junho será um mês especial para o mercado de bebidas

nacionais, com um evento que põe em destaque

aquela bebida que é uma das nossas melhores patentes

reconhecidas por todo o mundo, a cachaça.

Com data marcada para 8 a 11 de junho, no Expominas,

na capital mineira, a Expocachaça está já em sua

27a. edição. Paralelamente ao evento ocorre a Brasil

Bier, em sua 11a edição e que também põe em ênfase o

crescente mercado das cervejas artesanais.

Além de uma excelente programação de palestras e shows,

já que o evento é no formato feira e festival, a Expocachaça

e BrasilBier têm por maior destaque as empresas produtoras

das melhores bebidas brasileiras, que apostando cada

vez mais em excelência e inovação encantam o mercado e

conquistam cada vez mais apreciadores e adeptos.

Uma história ligada à qualidade

Entre os expositores da Expocachaça está Cachaça

Santa Terezinha, que tem origem em 1943 na re-

gião do Vale do Canaã, interior do Estado

do Espírito Santo. Foi fundada pelos amigos

Antonio Menegatti e Rodolpho Torezani.

A produção é artesanal feita com cana-de-

-açúcar selecionada, sem queima no corte,

destilada em alambique de cobre, aquecido

com fogo à lenha. É esta característica que

garante um sabor suave, aroma macio sem

amargor e com acidez equilibrada.

Atualmente o alambique é dirigido por Connoisseur

Adwalter Menegatti, cachaceiro e

conhecedor com 40 anos de experiência no

setor. E não à toa essa cachaça é de excelência.

Formado e pertencente à Ampac (Associação

Mineira produtores de cachaça de

qualidade), Adwalter é graduado em destilados

pela WSET (Wine and Spirits Education

Trust) de Londres, no Reino Unido, com cursos

de Análises Sensorial na Universidade de

Viçosa, em MG, e na Universidade de Roma

em Siena, na Itália, Curso de Tecnologia da

cachaça na UFLA (Universidade Federal de

Lavras), desenvolvedor da ideia original do

livro “Cachaças do Espírito Santo”, do Sebrae,

diretor Regional da Academia Brasileira

da Cachaça. “Vemos uma oportunidade de

produzir qualidade e distinção num mercado

cada vez mais significativo que é o dos destilados.

As madeiras que conferem sabores

e cores enriquecem cada vez mais os produtos

como os que desenvolvemos. Nossa Série

Gourmet Sassafráz Santa Terezinha, por

exemplo, é uma cachaça bastante distinta e

marcante, agrada em cheio aqueles que degustam”,

destaca Adwalter.

97


Acontece

Entre as premiações recebidas pela

Santa Terezinha está a Medalha de

Ouro no World Spirits Awards, premiada

em 2008, 1º lugar no Prêmio

Capixaba Alimentos e Bebidas SindBebidas,

em 2013, e Medalha de

Ouro no International Taste & Quality

Institute Brussels, com 95 pontos,

em 2014.

Química da inovação

A Linha Série Gourmet Sassafras é

um dos maiores exemplos em que a

tradição pode e deve caminhar junta

com a inovação, e de como a Santa Terezinha

tem conquistado o mercado.

“Temos um acervo de vários exemplares

dos últimos 20 anos, mas em nossa

linha destacamos um de nossos

produtos de identificação imediata

pelos degustadores, a Sassafráz Série

Gourmet, sabor marcante da madeira

aromática e olorosa. Trata-se de uma

reserva pessoal de sabor concebido

através de anos de alquimia e experimentos

com diversas madeiras para

formar um novo blend pessoal, onde

a barrica é revestida internamente,

depois queimada para obter sabor

inigualável. O aroma é adocicado com

um amadeirado delicado. Ótima para

flambar linguiças, embutidos e também

como digestivo. Boa também on

the rocks, com gelo de água de coco.

O rótulo foi desenhado pela publicitária

Tatiana Menegatti. Temos um

apreço especial pelos rótulos, que são

desenvolvidos com a mesma primazia

por designers e artistas plásticos destacados

e queridos”.

Adwalter lembra ainda que essa linha

é realmente especial para uso como

ingrediente nos mais diferentes pratos.

“Colocando o equivalente a um

tampinha da cachaça por cima do

alimento e rapidamente acendendo,

fará uma pequena chama conferindo

textura e sabores únicos. Além disso,

a Série Gourmet Sassafrás Santa

Terezinha enaltece os sabores de sofisticadas

refeições de carnes, embutidos,

frutos do mar e massas. Esse

sabor maravilhoso conquistou também

o público feminino em função de

seu paladar suave e marcante. Com

cor sândalo profundo esse destilado

apresenta-se em luxuosa garrafa de

vidro de 500 ml”.

Novidades estão por vir...

Estudioso do universo da cachaça,

Adwalter antecipa novidades em pleno

desenvolvimento pelo alambique,

como misturas diversas, envelhecimento

e descanso em madeiras diferentes

e pouco utilizadas, além de

várias pesquisas com ingredientes

únicos como a baunilha de Madagascar.

“Estamos também inovando

com raízes amargas para o desenvolvimento

de um ‘brazilian bitter’; utilizando

novos barris e processos como

o do carvalho norte-americano, a fim

de criar sabores semelhantes ao do

Tennessee Whisky e Bourbon, entre

outros. O destaque fica com a pesquisa

das diferentes madeiras brasileiras

para a cachaça, pois há um grande

potencial a ser estudado e testado.

São mais de 30 produtos desenvolvidos

entre cachaças, bitters e licores.

Desenvolvemos a cachaça, o rótulo e

a garrafa através de uma pesquisa em

profundidade. São cachaças para bares

e restaurantes criando um sabor

único e personalizado para cada estabelecimento”.

Paralelamente à Expocachaça ocorre a BrasilBier, com destaque para as cervejarias

artesanais. A Rhara está entre os expositores

Convite aos apreciadores

Para sommeliers e apreciadores, os

rótulos da Santa Terezinha podem

ser degustados em renomados emprendimentos

capixabas como o Soeta,

um dos principais restaurante de

alta gastronomia do Estado, no tradicional

Restaurante Atlântica (Praia

da Costa, em Vila Velha), no restaurante

eclético Don Camaleone (Praia

do canto, em Vitória), no La Dolina

casa de carnes e de agito (Bairro Re-

98


Acontece

pública, Vitória), Casa de Bamba Restaurante e

Casa de Show (Centro, Vitória). “No Rio de Janeiro

marcamos presença na carta do Hotel Copacabana

Palace, e no Restaurante Aprazível (Santa Tereza,

Rio de Janeiro). Já em São Paulo estamos no Tordesilhas,

Restaurante Mocotó, Restaurante Frangó,

dentre outros. Entretanto, nosso principal ponto de

vendas mesmo é através do nosso site, em nossa

loja online no endereço www.cachacasantaterezinha.com.br”,

detalha o empreendedor.

Os produtos da Santa Terezinha também estão disponíveis

no renomado Single Malt Brasil, primeiro

site especializados em uísque e destilados no País,

mas que também destaca diversas outras bebidas

finas: www.singlemaltbrasil.com.br. O Single Malt

Brasil tem uma loja online com entregas praticamente

para todos os Estados e que facilita a compra

em até 10 vezes no cartão de crédito.

Pensando na experiência somada aos diversos sabores

criados pela Cachaça Santa Terezinha, a empresa

desenvolveu ainda um Percurso de Experimentação,

um menu degustação, com 6 pequenas taças numa

tábua personalizada onde indicamos um percurso

sensorial para degustação. O projeto já foi experimentado

e aprovado em diversos bares e restaurantes,


Vemos uma oportunidade

de produzir qualidade e

distinção num mercado cada

vez mais significativo que é

o dos destilados


Connoisseur Adwalter Menegatti, cachaceiro e diretor

da Santa Terezinha

99


Acontece

com excelente retorno da experiência, que elevou

a percepção de qualidade no consumidor comum

e tornou possível distinguir madeiras e sabores

específicos aos bebedores versados no destilado

brasileiro. “Também estamos estudando uma

possibilidade de elaborar um espaço de experiência

onde se possa destilar durante todo o ano e

ainda satisfazer a busca dos clientes que desejam

conhecer todo o processo de feitura da cachaça,

onde também possamos ensinar no futuro ensinar

a destilação e vivência para jovens da área

rural e interessados”.

Receitas exclusivas

Confira a seguir duas ótimas receitas de drinques

desenvolvidos pela Santa Terezinha e para

incrementar a carta dos melhores

empreendimentos.

Santa Sour

Profissional: criado por Rafael

Welbert, Esquina Mocotó.

Ingredientes

- 60 ml de cachaça Santa Terezinha

Sassafráz

- 5 ml de cachaça macerada com

café robusta

- 1 unidade de clara de ovo

- 10 ml xarope de baunilha

- 30 ml suco limão siciliano

- 3 gotas angostura aromático

bitter.

Tereza Sangrenta

profissional: criado pelo mixologista

e barman Rodrigo

Farias.

Ingredientes

- 50 ml cachaça Santa Terezinha

Sassafráz

- 70 ml suco de tomate

- 20 ml suco limão Tahiti

- algumas gotas de Tabasco

- algumas gotas de molho inglês

- salpicar com Lemon pepper

- sal a gosto

- cravos da Índia a gosto

Preparo: Amassar os cravos

junto com os condimentos,

acrescentar os ingredientes

e mistura. Servir com dupla

coagem em copo com crosta

de lemon pepper, decore com

bandas de limão tahiti

Mais informações sobre a empresa

podem ser obtidas pelo

e-mail contato@cachacasantaterezinha.com.br,

pelo telefone

(27) 3325-3175 e no site

www.cachacasantaterezinha.

com.br .

Drinques com a cachaça

Santa Terezinha

Um excepcional rótulo

a se degustar

Quando o imigrante germânico

Conrad Dietrich destilou

sua primeira cachaça no solo

brasileiro, ainda em 1855,

certamente não acreditaria

que, 161 anos após a fundação,

seu engenho seria mais

uma vez o protagonista de um

momento histórico.

No sopé da Serra Gaúcha e já

se incorporando à Mata Atlântica,

em um antigo Distrito da

cidade de Ivoti, hoje chamado

de Presidente Lucena, está localizado

o berço da Casa Bu-

100


101


Acontece

chman, que produz a cachaça que leva o seu nome. “O local

é na Rota Romântica do Rio Grande do Sul e foi cravado a

sangue, suor, ferro e lágrimas em contrapartida com belas

lendas, paisagens magníficas, poética e inspiradora”, conta

Alfredo Roberto Bender, gerente geral.

Este engenho e o seu alambique de cobre com fornalha a lenha

e bagaço permaneceram com sua chama desde a fundação

pelo pioneiro imigrante, mesmo após décadas de conflitos

com os nativos destas terras, guerras, batalhas territoriais,

segregações e inúmeros acontecimentos. Já no período secular

enfrentou todas as adversidades possíveis, mas assim

mesmo o engenho suportou a tudo e seguiu produzindo. “É

como se fosse predestinado para uma glória eterna: preparar

o momento da chegada, com todos os méritos da Cachaça Buchmann

12 Anos. Hoje, preservada toda a cultura e tradição

familiar de seus antepassados, os métodos e processos

de produção adequados à evolução tecnológica e formalizada

dentro dos aspectos normativos, legais e oficiais,

pode-se dizer que a ‘procedência garante a qualidade”,

detalha o porta-voz.

Com certeza um dos grandes destaques a serem apreciados

para os visitantes da Expocachaça, a Buchmann

12 Anos é um produto singular. “É única, autêntica, genuína

e legítima cachaça que pode romper um paradigma:

afirmar que ela não foi só envelhecida, mas enriquecida

em barris de carvalho francês. Ela está pronta para

ser apresentada aos melhores degustadores de cachaça

e os mais exigentes paladares do mundo”, acrescenta

Bender.

Aprimorada pelo tempo... e pela música!

Em medos de 2002, a cachaça do Alambique Buchmann

foi separada, reservada e guardada em seus

barris dentro de uma adega construída especialmente

para ela, seguindo os mais rigorosos processos de

envelhecimento como o controle de umidade e temperaturas.

“Assim como as flores, a cachaça é um organismo

vivo e sensível ao meio onde se desenvolve. Em

2012, em nossa cave adega, implantamos um sistema

de música ambiental sacra e clássica que, durante os

últimos anos, ajudaram a ‘embalaram’ os sonhos da

Buchmann ainda adormecida em seus ninhos de carvalho.

Os cuidados na produção desta cachaça buscaram

a excelência e encontraram a harmonia e o equilíbrio!”,

conta o gerente.

Ele enfatiza ainda que toda a produção, desde o princípio,

segue na mesma filosofia de agregar valores até

então muito singelos, entre os quais estão a inspiração

sobre a ecologia e preservação do meio ambiente. “Com

mais esse compromisso a Buchmann adota o sistema

orgânico. A colheita e a seleção são feitos manualmente,

sem queimadas, e a cana vai para o engenho no mesmo

dia do corte. Em seguida, uma vez retirada a seiva da

cana, todo o bagaço é levada ao forno que alimenta o

alambique. Isso tudo se resume em um novo ingrediente

para a nossa cachaça, que é o amor. São milhares de

horas manipulando com carinho nossa amada cachaça.

Muita devoção, abnegação, renúncias e paixão. Por fim,

agora ela está pronta para ir de encontro ao mundo e

encantar seus apreciadores em todos os Continentes,

mas que precisam saber que a Cachaça é Oficialmente

considerada como Patrimônio Cultural Brasil! Cada garrafa

é envasada com muita ternura, afeto e carinho. E

isto cria ainda outro ingrediente: transforma-se em uma

102


Acontece

mistura de nostalgia e saudades por

aqueles que a conceberam desde o

seu nascimento e que a trataram com

tanto amor”.

A Buchmann não sofre a “agressão”

de agrotóxicos, ou qualquer outro elemento

que não fosse o que a natureza

lhe ofereceu, como explica Alfredo:

“Em sua sabedoria orgânica tudo a

impulsiona na direção da excelência

do início ao fim e preservar este valor

também muito importante. O bioma

onde ela se desenvolveu manteve-se

harmonizado e o cultivo com respeito,

permitindo que ela seja o fruto perfeito

de quem a tratou com sabedoria.

Não é por outra razão que o Engenho

e o Alambique são cuidados com muito

carinho e assim seguir produzindo

desde 1855. E, o processo produtivo

de enorme respeito pela Natureza,

pode proporcionar este resultado nas

versões Premium, Extra Premium e

Golden Plus”.

Apesar da origem secular, a Casa

Buchmann está começando agora a

sua trajetória comercial, levando aos

paladares do mundo sua uma “adolescente”

de 12 anos. “Um novo ciclo

se inicia, pois ainda há uma reserva

especial sendo preparada da mesma

maneira e será a vez da irmã mais velha,

a “debutante” de 15 anos. Nossa

avant-premiére ocorreu no Evento

Sabores do Brasil, realizado em

outubro passado, em um dos mais

sofisticados hotéis do Brasil, o Hotel

Saint Andrews, um empreendimento

seis-estrelas na cidade de Gramado

no Rio Grande do Sul. Como representante

dos melhores destilados

brasileiros, ela já produziu o efeito de

‘êxtase’ para quem a apreciou e conquistou

seus primeiros apaixonados.

Nosso lançamento oficial ocorreu no

dia 18 de novembro, nas dependências

do Automóvel Clube de Belo Horizonte,

em MG, data em que ocorreu

a Fundação da Academia Brasileira

da Cachaça de Alambique, da qual

seus criadores receberam a maior

honraria e se tornaram acadêmicos

fundadores! Em todos os Concursos

Oficiais ( Berlin Spirits Competition,

Worlds Spirits Award,) a Buchmann

participa na condição de ‘hors councurs’.

A partir da Expocachaça 2017

e do BrasilBier ela irá participar efetivamente

de premiações. Agora em

maio, participaremos do Festival Música

e Sabores Brasileiros, novamente

no Saint Andrews”.

No início de abril, a Casa Buchamnn

recebeu a visitação técnica e posterior

jantar de toda a comitiva de jurados

e organizadores do Concours Mondial

Bruxelles Brasil 2017. Além do Hotel

Saint Andrews, outras redes de hotéis,

empresas de navegação e companhias

aéreas já tem na sua Carta a

Buchmann 12 Anos.

O lançamento da Buchmann 15

anos será nos segundo semestre em

versões de 200 ml, 500 ml e 700 ml

com uma apresentação sofisticada

tanto na garrafa quanto no novo rótulo.

“Este detalhe também inovador

fez da Buchamnn 12 Anos um sucesso

de identidade visual exclusiva,

utilizando processo em 3D e que

surpreende pela beleza e inovação

nos destilados brasileiros”, finaliza

o entrevistado.

Entre sugestões de drinques que podem

ser preparados com cachaça Buchmann

está um com vermute tinto,

casca de laranja e uma dose de cachaça,

indicado pelo renomado profissional

especialista em bebidas Renato

Frascino.

Aos interessados em mais informações,

podem obter pelo site

ww.casabuchmann.com.br ou pelos

e-mails contato@casabuchmann.

com.br,

gerentegeral@casabuchmann.com.br e

direcao@casabuchmann.com.br, ou

ainda pelo telefone (51) 99940-9945

Seguindo a melhor

tradição mineira

Empresa familiar, de pequeno porte,

que iniciou suas atividades em

2000 e está sediada na Fazenda

Terra Forte, no município de Presidente

Juscelino, MG, a Cachaçaria

Terra Forte oferece, além de

cachaças envelhecidas em diferentes

tipos de madeira, toda uma linha

de licores que se destaca por

privilegiar os sabores do Cerrado.

Todas as versões são elaborados

com a utilização de matéria-prima

selecionada e sem aditivos químicos.

“Os produtos Terra Forte trazem

consigo a qualidade dos produtos

em sintonia com a natureza.

A produção de alimentos orgânicos

é mais do que a produção sem uso

de agrotóxicos. É o resultado de um

sistema de produção agrícola que

busca manejar de forma equilibrada

o solo e demais recursos naturais,

conservando-os a longo prazo

e mantendo a harmonia desses

elementos entre si e com os seres

humanos. Reflete a preocupação

com a sustentabilidade do meio

ambiente”, destaca Lívia Versiani

Guimarães, sócio-proprietária.

“Nossos produtos são de primeira

qualidade, possuem um sabor e

aroma incríveis e não apresentam

agrotóxicos ou conservantes, são

totalmente naturais”, acrescenta.

Premiada recentemente no Concurso

Mundial de Bruxelas Edição Brasil

com Medalha de Ouro, a Terra Forte

destacará na Expocachaça toda uma

gama de produtos:

- Cachaça Terra Forte Nova: com graduação

alcoólica de 40% e armazenamento

em aço inox, é límpida e apresenta

aroma fino e intenso, com notas

frutadas. Leve, tem acidez equilibrada

e persistente, harmonizando bem com

petiscos, caldinhos e frutos do mar.

103


Acontece

- Cachaça Terra Forte Prata: já essa

cachaça, com características semelhantes

à Nova, tem graduação alcoólica

de 39%, sendo armazenada em

Jequitibá Rosa.

- Cachaça Terra Forte Ouro Carvalho:

também com graduação de 39%, é armazenada

por 10 anos em Carvalho.

De cor amarelo-palha, seu aroma remete

a especiarias e madeira. Macia

e fina, apresenta notas de baunilha e

café torrado, harmonizando com pratos

condimentados e de médio peso.

- Cachaça Terra Forte Ouro Amburana:

também com 39% de graduação

alcoólica, é armazenada por uma década

em Amburana. A cor é amarelo-

-palha claro. De aroma muito fino,

intenso e persistente, com notas de

caramelo e especiarias, apresenta sabor:

leve, redondo, com notas adocicadas

de canela. Acompanha sobremesas

à base de tortas e sorvetes.

- Licores Terra Forte: com teor alcoólico

de apenas 20%, estão disponíveis

em 32 sabores de frutas do cerrado

mineiro.

- Outros produtos: molho de pimenta,

pasta de tamarindo, rapadura, açúcar

mascavo e doce de leite.

“Estamos presentes na maioria dos

bares e restaurantes em Belo Horizonte,

tais como o Dona Lucinha,

Xapuri, Cia do Boi. Nossa pasta de

tamarindo foi lançada recentemente.

É ótima para fazer caipirinhas ou

parte das receitas, desde uma salada

até carnes nobres”, complementa

Lívia, que é engenheira de Produção

e consultora da Versiani Otimização

Industrial.

Lívia finaliza indicando uma ótima

receita de drinque de sua autoria, o

“Favorita”.

Ingredientes:

- 1 copo cheio de gelo

- 1/2 copo com licor de jabuticaba

Terra Forte

- 1/2 copo com suco de maracujá

- 1 dose de cachaça Terra forte

Preparo: “No copo cheio de gelo, colocar

meio copo de licor de jabuticaba

Terra Forte. Depois, bem devagar

coloque o meio copo de suco de maracujá

e não misture. Eles vão ficar

bifásicos. Depois coloque a dose de

cachaça Terra Forte, também não

misture, pois esta se dissipará lentamente”,

conclui.

Aos interessados, os produtos da

Terra Forte são distribuídos pelo seu

parceiro comercial Adega da Pinga.

Informações pelo telefone (31) 3337-

2974 ou ainda pelo e-mail

adegadapinga@adegadapinga.com.br

. Site: www.adegadapinga.com.br .

Presente nos principais

eventos

“Bom, tudo começou em 2002. Sempre

fui um apreciador e amante da cachaça

e queria uma bebida de qualidade, mas

não encontrava na minha região, entao

pensei: ‘vou fazer a minha própria cachaça’.

E começei a rodar nos alambiques

para aprender os processos e técnicas

de como fazer a ‘bendita’. Depois

de algum tempo, com as informações

necessárias coloquei, a mão na massa,

fiz a minha primeira alambicada, chamei

alguns amigos e para a minha surpresa

todos acharam horrível (risos).

Depois disso como bom teimoso que

sou comecei a entender o que deu errado.

Contratei um engenheiro químico,

investi em maquinario e insumos, mas

queria algo a mais. Até que em meados

de 2008 encontrei um laboratório especializado

em leveduras selecionadas.

Com minha própria cana foi desenvolvido

um fermento exclusivo. Em 2010

demos início a produção de cachaças

com aroma e sabor (menta, baunilha,

coconut e malte whisky), voltada para

o mercado de bares e restaurantes.

Sendo assim uma alternativa para mixologistas

e bartenders harmonizarem

a cachaça com drinques exclusivos. De

lá para cá foram muitos erros e acertos,

sempre aprendendo e aperfeiçoando,

participando de concurso e feiras

recebendo elogios e premiaçoes”, detalha

Ralphe Nolasco Ferreira Jr., sócio-

-proprietário da Dose Clássica.

A Dose Clássica, com sua Cachaça Série

Cristal, também foi recém-premiada com

Medalha de OUro no Concours Mondial

de Bruxelles 2017 Ediçao Brasil.

A inovação está presente na raiz da

empresa, que no final do ano passado

lançou a Quinem Pinga, uma cachaça

mais rústica destinada para um público

segmentado. “Isso é um pouco sobre

a cachaça Dose Clássica. Inovação

e tradição estão em nosso DNA, além

de não medirmos esforços quando o

assunto é qualidade”, explica o entrevistado.

Entre os destaques da empresa,

a Série Vanilla é bem atrativa.” Naturalmente

deliciosa, por ser feita com

extrato natural de baunilha, é ideal

para quem tem o paladar sensível e

quer apreciar uma cachaça que valoriza

as sensações”, enfatiza Ralphe.

A destilaria, que está situada no município

de Aracruz, ES, a apenas 50

km da capital Vitória está aberta às

visitas. “Na propriedade não contamos

com hospedagem e restaurante,

porém na região os turistas vão encontrar

boas pousadas e restaurantes”,

conclui o empreendedor.

Informações: (27) 99877-5315, contato@doseclassica.com.br

e www.doseclassica.com.br

.

De uma pequena cidade

para conquistar um país

Agora, no final de abril, em evento

realizado na capital paulista, no ótimo

restaurante Quitand’arte, a Carta

Premiumde degustar de alguns

104


Acontece

produtos diferenciados que também

devem fazer grande sucesso na Expocachaça:

a linha da Melicana, produtora

com sede em Bom Despacho, no

centro-oeste mineiro. A empresa fez

um evento de degustação exclusivo à

imprensa, no qual pudemos conhecer

detalhes que tornam esses produtos

bem diferenciados e desejados.

Na degustação, foram servidos pratos

típicos mineiros preparos pela

chef Iara Rodrigues, proprietária do

Quitand’arte.

A Cachaçaria, que nasceu no ano

2004, surgiu da ideia do empresário

Carlos José de Assis que primeiro

resolveu produzir um destilado

de mel para consumo próprio. Bem

exigente em tudo que faz, trabalhou

incessantemente até que alcançasse

a qualidade ideal. Satisfeito com

o resultado, resolveu fazer também

destilado de cana, sob os mesmos

critérios de qualidade. E foi assim,

com o sucesso entre os amigos, que

vislumbrou a oportunidade de transformar

tudo isso em negócio, ascendo

assim o alambique da Melicana, que

hoje produz a cachaça tradicional e

suas aguardentes de mel e melado, as

quais, após a produção, ainda repousam

em tonéis de madeira para ganhar

ainda mais personalidade.

Na linha de produtos estão:

- Melicana Castanheira: que oferece notas

frutadas com sabor leve pouco amadeirada

e cor levemente amarelada;

- Melicana Amburana: com sabor e

perfume de baunilha.

- Aguardente de Mela destilada da

fermentação do melado, um xarope

feito com o puro caldo da cana, a garapa,

extraindo o líquido até que fique

grosso, quase no ponto da rapadura.

É envelhecida nas madeiras de Castanheira

e na madeira de Ipê, onde é

feito um blend, o que confere à bebida

uma coloração amarela ouro e um sabor

amadeirado.

- Aguardente de Mel: feita com o puro

mel de abelha fermentado e destilado.

A madeira usada no seu envelhecimento

é o Carvalho, que leva para a

bebida notas de amêndoas, caramelo

e seu autêntico amadeirado.

“Estamos trazendo um pouquinho do

melhor sabor de Minas Gerais para a

capital paulista. É uma oportunidade

especial para conquistarmos o seu

paladar e colocarmos à prova nossa

qualidade, sempre pensando incessantemente

em melhorias. A cachaça

Melicana é diferente porque trabalha

com paixão pelo produto que faz,

cada produto que se cria é como filho

que nasce”, explicou Lélida Cardoso,

diretora.

Entre os profissionais que degustarem

e avaliaram os produtos da

Melicana está João Almeida, especialista

em cachaça, docente do

Projeto e Portal Fórmula da Cachaça.

“Meu primeiro contato com a

Cachaça Melicana foi numa prova

despretensiosa. Mas de imediato, a

cachaça me chamou atenção pelo

aroma marcante e o adocicado, sem

perder a personalidade da Castanheira,

madeira rara brasileira,

que tem alguma semelhança com

o Carvalho. A leve picância e a acidez

equilibrada logo me convidaram

a um segundo gole. A cor, de um

elegante amarelo palha, faz o toque

final. Recentemente me perguntaram

que cachaça eu indicaria para

um churrasco. Como churrasco não

quer dizer somente carne, logo sugeri

a Melicana Tradional. Depois de

servida a carne, você quer dar um

intervalo e vem aquele irresistível

espeto de queijo coalho, iguaria comum

no Nordeste do País, mas que

já caiu no gosto do amante do bom

churrasco de Norte a Sul. O leve adocicado

e maciez vão contrastar bem

com o queijo fazendo uma harmonização

bem interessante. Vale ressaltar

que harmonização por contraste

105


Acontece

não é uma das coisas mais fáceis de

fazer. Mas no caso desta cachaça a

missão se tornou tranquila e muito

prazerosa”.

Os produtos podem ser encontrados

em lojas online como a Cachaçaria Nacional

(www.cachacarianacional.com.

br), a Distribuidora Savana (www.

distribuidorasavana.com.br) e DrinKit

(www.drinkit.com.br), que tem hotsites

especializados por tipo de bebida.

No site da empresa há uma lista por

Estado de distribuidores e empreedimentos

com os produtos Melicana.

Espaço para a cerveja

Na BrasilBier os visitantes poderão

conhecer novidades como a Cervejaria

Rhara, que nasceu do desejo

de seus fundadores por nasceu em

produzir e consumir cervejas de

alto padrão de qualidade. “Com ex-

celente conhecimento técnico sobre

fermentação, decidimos partir

da produção caseira para pequena

escala industrial e servir localmente

os produtos. São produzidas cervejas

com ingredientes selecionados

e em pequena escala, sempre

garantindo a qualidade. Os produtos

são avaliados periodicamente

durante todo o processo fabril por

análises técnicas e organolépticas.

As cervejas têm personalidade

e harmonizam deliciosamente

com pratos de diversas culinárias.

Cada rótulo acompanha dicas de

harmonização”, detalha Rondon

Pessoa de Mendonça Neto, sócio-

-fundador, mestre cervejeiro e responsável

tecnico.

Durante o evento, a empresa mostrará

sua linha de produtos: as

cervejas Pilsen, Lobo Guará Brown

Ale e Jaguatirica American Pale

A Carta Premium acompanhou o evento de degustação da Melicana na capital paulista

Ale. “Estaremos bem em

frente ao palco de shows.

Também já está em experimentação

nossa double

IPA e virão surpresas por

aí”, comenta o profissional.

A fábrica da Rhara é aberta

a visitações. “Possuímos

um Growler Station

& Tap Room, que é aberto

de quarta a sexta-feira

entre 15h e 21h, sábado

entre 11 e 18h e domingo

entre 11 e 15h. Oferecemos

menu de petiscos e

pratos à la carte preparados

pela Borracharia

Gastropub. A localização

é em área nobre em

Belo Horizonte, no bairro

Mangabeiras, zona sul da

cidade. É um importante

eixo gastronômico, que

possui larga oferta de vagas

para estacionamento,

onde também a galeria da

loja e fábrica se encontram”.

Como estamos chegando

ao inverno, Rondon indica

a Rhara Lobo Guará

para degustação. “É

uma Brown Ale complexa

e equilibrada. Seu sabor,

aromas e notas de caramelo

agradam mesmo a

aqueles que ainda não

experimentaram cerveja

artesanal. A cor e brilho

despertam interesse para

a degustação. Sugerimos

harmonizar com carnes

vermelhas e queijos fortes”.

Informações pelo telefone

(31) 99916-7287

e pelo e-mail cervejaria.

rhara@gmail.com .

106


107


Etiqueta

QUALIFICAR SEMPRE!

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA O SUCESSO PROFISSIONAL

Presenciais ou a distância, cursos técnicos, de aprimoramento ou formação profissional contribuem

significativamente no produto mais desejado por qualquer empresa: a excelência

Infraestrutura da Escola Superior de

Cerveja e Malte

Conhecimento é um exercício incessante

de se buscar melhorias, e

dessa forma poder também oferecê-

-las a todos que, em um meio de

negócios, usufruem de seu produto

ou de seus serviços. Assim, investir

em conhecimento é também apostar

que a excelência é atangível, pode

ser alcançada e mantida por meio

de aprimoramento constante.

Por isso um bom sommelier, independente

da bebida, um renomado e

requisitado chef, um criativo mixologista,

um respeitado maître sabem

bem que sempre poderão descobrir

novas opções no mercado para encantar

seus clientes, propor novas

receitas, novas harmonizações, pois

o número de combinações e até de

produtos é tão extenso quanto a sua

própria criatividade e repertório.

No mercado de cervejas,

por exemplo, no

qual hoje já temos mais

de 500 fornecedores no

segmento artesanal,

seu crescimento cada

vez mais está intimamente

ligado à profissionalização

dos produtores

e conhecimento

também dos consumidores

do mercado

profissional (bares e

restaurantes) e mercado

final (apreciadores).

Isto porque ambos os

consumidores só farão

a escolha certa em um

universo de mais de

3.000 rótulos estimados

se souberem mais

sobre o estilo a que buscam para aquele

momento, seja devido à uma harmonização,

degustação, estação do ano, rótulo premiado,

etc. E a ótima notícia é que de Norte a

Sul do Brasil há excelentes opções de cursos

que ajudam a promover o crescimento e

a profissionalização do setor e a disseminar

os conhecimentos necessários ao sucesso

de todos os envolvidos.

Escola Superior de Cerveja e Malte

Para que tem sede por conhecimento e técnica

sobre o consumo e a produção de cerveja,

a Escola Superior de Cerveja e Malte

(ESCM), de Blumenau, SC, nasceu exatamente

com o intuito de ajudar a disseminar

essas informações na área, ajudando diretamente

na formação e qualificação profissional

e no desenvolvimento tanto da cadeia

produtora quanto consumidora.

A ESCM abrange todos os campos e níveis

de estudo sobre a cerveja e oferece também

a prestação de serviços técnicos especializados,

desde a produção, a análise de mercado

e produtos até a gestão de empreendimentos

com cartas especiais de cerveja. “O objetivo

era trazer formação profissional a um setor

da economia que cresce fortemente e estava

carente de formação. O grande diferencial

naquele momento foi ser a primeira Escola

Superior de Cerveja da América Latina”, detalha

o diretor geral, Carlo Enrico Bressiani.

A instituição se originou de um projeto do

Instituto de Administração e Direção de Empresas

(IADE). Criado em 2008 como uma

organização focada no ensino, o IADE atuou

prioritariamente na oferta de cursos de pós-

-graduação e aperfeiçoamento. Formaram-

-se entre 2008 e 2013, nos diversos cursos e

palestras, cerca de 24 mil alunos. Em 2014,

o IADE encerrou as atividades que lhe de-

108


Etiqueta

ram origem e criou-se um novo projeto

que lhe dá uma nova identidade:

a Escola Superior de Cerveja e

Malte. Esse novo projeto não alterou

o DNA da organização, cujo o foco

sempre foi pautado em duas bases:

conhecimento e inovação. A ESCM

foi desenvolvida com uma proposta

totalmente alinhada aos valores da

empresa original, ou seja, de inovar

a partir do conhecimento, nascendo

com a credibilidade de uma corporação

que tem história, conhecimento

técnico, organizacional e educacional.

Em 2016, a ESCM foi credenciada,

através da Escola Politécnica

de Inovação e Conhecimento Aplicado

– Épica, para dois níveis de atuação:

Ensino Superior, por meio de

credenciamento através de Portaria

do Ministério da Educação, e Ensino

Técnico, por meio de credenciamento

junto à Secretaria Estadual de

Educação de Santa Catarina.

Informação > Formação >

Novo Mercado

Contextualizando o surgimento da

ESCM e o mercado atual, Bressiani

lembra que há uma década atrás no

Brasil havia menos de uma centena

de cervejarias no Brasil e hoje esse

número já ultrapassa a marca de

500. “A cerveja artesanal que poucos

conheciam era difícil de encontrar e

estava restrita a poucas cidades do

Sul e Sudeste. Hoje ela toma conta

do País”, comenta. E é nesse panorama

de expansão que a qualificação

profissional tem contribuído para

um círculo muito virtuoso da qualidade,

segundo o executivo: “A formação

profissional já tem impacto

na qualidade do produto, mas como

tudo na área de educação ainda serão

anos até realmente percebemos

as mudanças. Os consumidores já

convertidos à cerveja artesanal buscam

a experimentação constante. Na

questão tendências, por exemplo, os

novos consumidores buscam primeiro

as cervejas de trigo e logo em seguida

as mais lupuladas”.

Além da sede em Blumenau, a ESCM

conta com unidades em Belém (PA),

Maringá e Guarapuava (PR). Veja a

seguir uma relação de cursos programados

para o semestre.

• Curso de Harmonização

com Cerveja

Onde: Blumenau, SC

Quando: 3 a 7 de julho

Carga Horária: 40 horas

• Sommelier de Cervejas -

Concentrado

Onde: Blumenau, SC

Quando: 10 a 22 de julho

Carga Horária: 100 horas

• Aspectos Legais da Cerveja

Produção e Comercialização

Onde: Blumenau, SC

Quando: 30 de setembro

Carga Horária: 9 horas

• Cervejeiro Artesanal -

Home Brewer

Onde: Blumenau, SC

Quando: 23 de setembro de

2017 a 28 de abril de 2018

Carga Horária: 96 horas

• Mestre Cervejeiro

Onde: Blumenau, SC

Quando: 07 de agosto de 2017

a 25 de maio de 2018

Carga Horária: 1.120 horas

A ESCM, que está presente nos

principais eventos da área pelo

País, também tem oferecido

vários cursos na modalidade

EAD e conta com outras opções

como Workshop de Degustação,

bem práticas para os profissionais

de bares e restaurantes.

Mais informações na página

geral da ESCM: www.cervejaemalte.com.br,

ou na página

oficial da empresa no Facebook:

https://www.facebook.

com/cervejaemalte , ou ainda

pelo e- mail contato@cervejaemalte.com.br

e fone (47)

3380-5200 .

Nas páginas a seguir indicamos

outras instituições com

cursos de grande interesse e

com inscrições abertas.

109


Etiqueta

CERVEJAS

Instituto da Cerveja Brasil (ICB)

Instituição que conta com unidades em São Paulo, Santo André,

Porto Alegre e Rio e Janeiro, nasceu em 2010, quando Estácio

Rodrigues contatou os amigos Alfredo Ferreira e Kathia

Zanatta com a ideia de criar um curso sobre cervejas especiais

na Associação Brasileira de Sommeliers em São Paulo. Kathia,

em 2008, após fazer um curso na Alemanha e Áustria, se tornou

a primeira brasileira formada como Sommelier de Cervejas.

Foi quando os começaram a construir o 1º curso de Sommelier

de Cervejas do Brasil. Eram muitos anos de experiência em diversas

áreas do universo cervejeiro, somados para dar início a

este grande projeto. Em 14 Agosto de 2010 ocorreu a primeira

a primeira turma em São Paulo. O sucesso foi tanto que hoje já

são mais de 1.000 sommeliers de cerveja formados pelo Brasil.

Lista de Cursos com inscrições abertas

• Curso Profissional de Sommelier de Cervejas

São Paulo - 26 de junho (intensivo)

São Paulo - 5 de julho (sábados)

Curitiba - 5 de agosto (finais de semana)

Rio de Janeiro - 19 de agosto (finais de semana)

Porto Alegre - 26 de agosto (finais de semana)

• Curso de Introdução ao Universo das Cervejas Especiais

São Paulo - 2 de junho

São Paulo - 5 de julho

São Paulo - 9 de agosto

São Paulo - 6 de setembro

São Paulo - 4 de outubro

São Paulo - 8 de novembro

Centro Europeu

Considerado uma das principais escolas de profissões

do Brasil, inaugurou em 2017 o seu Curso de

Beer Sommelier, realizado na cidade de Curitiba,

cujas turmas se iniciarem em fevereiro. Tem unidades

em Curitiba e Ponta Grossa, no PR, e Joinville,

em SC, bem como uma lista de ótimos cursos para o

segmento de Gastronomia. Confira:

- Beer Sommelier

- Cake Design (Especialização)

- Cuisine Santé (Especialização)

- Cozinha Molecular (Especialização)

- Pâtisserie + Boulangerie

- Sommelier

- Chef Gourmet

- Chef De Cuisine + Restaurateur

Outro destaque são os cursos de língua estrangeira:

inglês, espanhol, alemão, francês e português para

estrangeiros.

O Centro Europeu também mantém um hotel-escola

em Curitiba.

Informações: http://centroeuropeu.com.br/

110


Etiqueta

Science of Beer Institute

• Rio de Janeiro, RJ

1º Final de semana - 05 e 06 de agosto de 2017

2º Final de semana - 02 e 03 de setembro de

2017

3º Final de semana - 21 e 22 de outubro de 2017

4º Final de semana - 18 e 19 de novembro de

2017

• Vitória, ES

1º Final de semana - 16 e 17 de setembro de

2017

2º Final de semana - 07 e 08 de outubro de 2017

3º Final de semana - 11 e 12 de novembro de

2017

4º Final de semana - 09 e 10 de dezembro 2017

Com sede em Florianópolis (SC) e responsável por promover

cursos voltados ao mercado cervejeiro em todo

o País desde 2010, é uma instituição de ensino que

busca formar pessoas preparadas para o novo cenário

cervejeiro brasileiro. O trabalho é focado em diferentes

regionais por todo o Brasil, trabalhando dessa forma

com cursos itinerantes em todo território nacional.

O principal destaque é curso de Sommelier de Cervejas,

que aborda vários aspectos como a degustação

orientada, harmonização de cerveja e alimento, serviço

de bebidas e noções sobre bebidas alcoólicas em geral.

Veja o oferecimento programado do curso:

• São Luis, MA

1º Final de semana - 19 e 20 de agosto de 2017

2º Final de semana - 23 e 24 de setembro de 2017

3º Final de semana - 28 e 29 de outubro de 2017

4º Final de semana - 25 e 26 de novembro de 2017

• Salvador, BA

1º Final de semana - 29 e 30 de julho de 2017

2º Final de semana - 26 e 27 de agosto de 2017

3º Final de semana - 30 de setembro e 1º de outubro

de 2017

4º Final de semana - 04 e 05 de novembro de 2017

• Guarapuava, PR

1º Final de semana - 19 e 20 de agosto de 2017

2º Final de semana - 23 e 24 de setembro de

2017

3º Final de semana - 28 e 29 de outubro de 2017

4º Final de semana - 02 e 03 de dezembro de

2017

• São Paulo, SP

1º Final de semana - 26 e 27 de agosto de 2017

2º Final de semana - 30 de setembro e 1º de

outubro de 2017

3º Final de semana - 21 e 22 de outubro de 2017

4º Final de semana - 11 e 12 de novembro de

2017

Também são oferecidos outros ótimos cursos

como: “Gestão, Análise e Avaliação Sensorial

de Cerveja”, “Viagem de estudos cervejeiros”,

“Science of Beer Styles”, “Beer Talk (mundo das

cervejas especiais)”

Outro destaque do Science of Beer Institute é

o serviço de consultoria na área, com palestras

corporativas ou consumidor final, disponibilização

de palestras formatadas de acordo com a

necessidade de cada cliente, para os mais diversos

tipos de eventos e públicos. Informações

pelo e-mail info@scienceofbeer.com.br ou no

site www.scienceofbeer.com.br

111


Etiqueta

Academia

Sommelier de

Cerveja

Inaugurada no primeiro semestre

de 2012, ja formou mais de

10 turmas e tem sede em Belo

Horizonte, MG.

São diversos e práticos cursos

oferecidos como “Básico de

Harmonização”, “Cultura Cervejeira”,

ministrado por Marco Falcone,

mestre-cervejeiro da Falke

Bier, “Sommelier de Cervejas”

e “Extensão para Sommelier de

Cervejas”.

Mais informações: academiasommeliercerveja@gmail.

com,www.academiasommelierdecerveja.com.br

Bräu Akademie

Tendo no corpo docente reconhecidíssimos

e experientes profissionais como Matheus

Aredes, Ronaldo Rossi, Doug Merlo, José

Raimundo Padilha, Gustavo Miranda, Gabriela

Müller, Rodolfo Rebelo, Ligia Marcondes, Luiz

Caropreso, Ícaro Sampaio, Ulisses Malacrida,

Cláudio Oliveira e Fábio Guarino, a instituição

oferece cursos online e presenciais em Teresina

(PI), Uberaba (MG), São Paulo (SP), e Rio de

Janeiro (RJ). Entre os próximos programados

estão o Tecnologia (intensivo em SP em julho,

e também com datas no segundo semestre em

SP, RJ, Florianópolis e Ribeirão Preto) e de e de

Sommelier (intensivo em SP em julho, e também

com datas para Teresina e Goiânia). Na

linha de cursos presenciais está o de Básico

de Produção e também de Harmonização. Na

modalidade online um dos destaques é o Curso

de Produção de Receitas. A Bräu Akademie

oferece ainda serviço de consultoria. Informações

detalhadas: atendimento@brauakademie.

com.br e www.brauakademie.com.br

112


Etiqueta

VINHOS

Sommelier School

Criado e dirigido por profissionais com grande experiência em

educação e no mercado brasileiro de vinhos, é certificado no

Brasil pelo Instituto Brasileiro de Vinhos (Ibravin) e internacionalmente

pela Aregala Internacional (www.aregala.com). Tem

ainda licença exclusiva no País para ministrar os cursos da International

Sommelier Guild, uma das principais instituições de

ensino em todo o mundo, com escolas conveniadas em vários

países. A Sommelier School oferece ainda cursos customizados

e personalizados para bares, restaurantes, hotéis, confrarias,

etc. Acompanhe no site a apresentação de novas turmas.

Programação:

NÍVEL 1: “Intermediate Wine Certificate”

- Belo Horizonte: início em 5 de julho

NÍVEL 2: “Advanced Wine Certificate”

- Belo Horizonte: início em 3 de julho

- São Paulo: início em 6 de julho

- Brasília: início em 3 de setembro

- Rio de Janeiro: início em 31 de agosto

- Campinas: início em 16 de outubro

NÍVEL 3: “Sommelier Diploma Program”

- Março de 2018

Veja a programação completa e outros cursos e serviços oferecidos

no site www.sommelierschool.com.br.

iPED

Considerada uma dos maiores

sistemas de educação do Brasil,

com mais de 5 milhões de alunos,

e presente em mais de 60

países, a plataforma iPED (Instituto

Politécnico de Ensino a

Distância) oferece 1.000 opções

de cursos, em 55 área. Entre os

destaques está o “Curso Online

de Degustação de Vinho”, com

certificado de conclusão. Ele

aborda a enologia, os tipos de

uvas e vinhos, entender o ato de

degustar e aprender a respeito

das técnicas de degustação. A

lista completa de cursos está

disponível em: www.iped.com.br

113


Etiqueta

Casa Valduga

Aos visitantes da Vinícola Valduga, em Bento

Gonçalves, RS, a produtora realiza diariamente

o Curso de Degustação Segredos do Mundo do

Vinho, prático e com apenas quatro horas de

duração. Com a apresentação conduzida por

um(a) enólogo(a), o curso aborda os mais diversos

aspectos relacionados a bebida, introduzindo

os participantes a cultura do vinho. Outros

cursos oferecdos são o de “Sabores do Mundo

do Vinho (Harmonização)” e “Queijos e Vinhos

(Harmonização)”. Informações pelo telefone (54)

2105.3154, e-mail cursos@casavalduga.com.br

ou no site www.casavalduga.com.br

Eno Academia

A instituição nasceu em 2016 no coração da Itália, na cidade

de Correggio. Agora m 2017 ela chegou ao Brasil com seu

Curso de Vinhos e hoje se consolidou e presta serviços desde

Consultoria a Enoturismo. No que se refere aos treinamentos

podem a ser direcionados a Montagem de Adega, Desenho e

Assinatura da Carta de Vinhos e Harmonização. Aos participantes

do Enoclube criado pela instituição, são oferecidos

também cursos online. Os fundadores da Eno Academia são

os personal sommelieres Watha Cabral e João Gabriel. Informações:

enoacademia@gmail.com e www.enoacademia.com .

Vinícola Perini

Uma das mais premiadas nacionais e com uma estrutura especial para o

enoturismo, a Perini tem realizado ótimos cursos que ajudam a introduzir

os produzir de A&B ao fantástico mundo dos vinhos. Para maio, por

exemplo, está programado o Curso de Degustação, que inclui vsitação

á vinicola, conhecimento sobre os processos de vinificação, abordagens

sobre as variedades de uvas e regiões de plantio, degustação, conceitos

de harmonizações enograstronômicas e serviço do vinho, e um jantar

harmonizado na Taverna Perini. Além disso, um percentual da renda

das inscrições será revertido para o Instituto da Mama (Imama). No Outubro

Rosa, a inscrição é solidária. A Perini está situada em Farroupilha,

no RS. Informações: cursos@casaperini.com.br, www.casaperini.com.br

e pelo telefone (54) 2109-7300.

114


Etiqueta

DESTILADOS

Cana Brasil

Especializada em consultoria, projetos e vendas de equipamentos

e utensílios para a fabricação de cachaça artesanal, açúcar

mascavo, rapadura, melado e álcool, a empresa conta com uma

Fazenda-Escola, a primeira nacional, registrando desde 2006

mais de 2.000 alunos formados nos cursos de Mestre Alambiqueiro,

Elaboração de Blends, Produção de Açúcar Mascavo e

Rapadura e Sommelier de Cachaça. O Curso de Sommelier de

Cachaças do Cana Brasil é ministrado pelo professor Mauricio

Maia, do portal O Cachacier e colunista do jornal O Estado

de S.Paulo, publicitário, chef de cozinha e especialista em cachaças

há mais de 20 anos. Tem por objetivo a formação de

especialistas em cachaça. Para isso, oferece disciplinas como

Introdução à Análise Sensorial, Degustação e Harmonização de

Cachaças, com abordagem prática da degustação de diferentes

cachaças, permitindo através da análise sensorial identificar

uma boa cachaça ao ser degustada. A combinação harmônica

da cachaça de alambique com pratos típicos da culinária

brasileira ou internacional também é apresentada de forma

descontraída, tendo por fundamento os princípios básicos de

harmonização gastronômica. O Curso apresenta uma proposta

inovadora, que foca tanto na formação de profissionais do mercado

quanto na qualificação do conhecimento do apreciador

de cachaças, tendo por desafio democratizar o conhecimento,

capacitar profissionais de mercado - garçons, maitres, bartenders

e até mesmo gerentes e proprietários de estabelecimentos

- a recomendar com convicção a cachaça adequada ao cliente e

transmitir segurança no detalhamento das características das

cachaças que integram sua carta.

Informações no site www.canabrasil.com.br .

Bartender Store

Além de uma das melhores consultorias na área, a empresa

conta com a Escola de Coquetelaria da Bartender

Store e Kylpos Cocktail Art, especialista em curso de

drinques e na formação e aprimoramento de profissionais.

Há programas de formação voltados para iniciantes ou

avançados, com finalidade profissional, ou conhecimentos

ou apenas pela paixão da Coquetelaria. Entre os

cursos em destaques estão:

- Bartender Clássico;

- Bartender Intermediário

- Gestão de Bar para Eventos

- Workshop de Caipirinhas

- Mixologia Molecular

- Intensivo para Working Flair

- Curso de Drinques do Állcool Bebida Liberada

Na programação dos próximos meses, para 3 de junho,

está programado mais um Workshop de Caipirinhas.

Será ministrado pelo professor Mário Ramalho, graduado

Bartender Profissional com especializações em Mixologia

Moderna, Bartender Clássico e Freestyle, Cachaças

e Caipirinhas.

Também para junho está programado o curso Bartender,

para os dias 10 e 11. O curso é ministrado pelo Mestre

Moizés Barros, com . Responsável pela elaboração de coquetéis

para grandes marcas, com mais de 30 anos de

experiências na área, um dos mixologistas e consultores

mais respeitados do Brasil e ainda com presenças internacionais

na Grécia, Suíça, Itália e Argentina. Mais informações

no site: www.bartenderstore.com.br

115


Qualificação Profissional

Apostar na formação é investimento com retorno certo na qualidade do atendimento,

do serviço de bar e de restaurante

Além da importante vivência na prática

de sua carreira, fundamental em

sua preparação e formação, a qualificação

do profissional de A&B principalmente

de sommeliers, bartenders,

barladies, baristas, mixólogos,

maîtres, gastrônomos, chefs, entre outros,

precisa ter alicerces em intensas

pesquisas e conhecimentos que o tornarão

apto não só a qualquer desafio

em sua rotina mas também a inovar.

E devido à sua rotina atribulada nos

empreendimentos nem sempre é possível

ao profissional se deslocar para

fazer cursos de aprimoramento presenciais.

Por isso, é cada vez mais frequente

recorrer à Internet não só para

tirar dúvidas mas para adquirir novos

conhecimentos. Com essa demanda

latente, cresceram vertiginosamente o

número de cursos online, infelizmente

nem sempre com a bagagem cultural

e de formação que o profissional realmente

precisa.

Há mais de três décadas na área, o

CPT (Centro de Produções Técnicas),

que tem como parceira a Universidade

Online de Viçosa, foca no

ensino à distância e na sua disseminação

não só no Brasil, mas em

toda a América Latina.

Para desenvolver seus Cursos a Distância,

o CPT trabalha em convênio

com as principais Universidades e

Centros de Pesquisas e Extensão do

País, colocando à disposição de seus

alunos cursos de altíssimo nível,

com informações garantidas e assinadas,

estabelecendo uma grande

credibilidade junto ao mercado nacional

e internacional.

São mais de 400 professores, altamente

especializados nas mais diversas

áreas, em sua maioria doutores,

membros das instituições

parceiras, responsáveis pela coordenação

dos mais de 900 cursos constituídos

de livros interativos com filmes

em DVD ou no formato online

que mostram na prática as áreas

abordadas.

O CPT já contabiliza mais de

1,4 milhões de alunos certificados.

Os cursos são bem acessíveis,

com valores a partir de

apenas R$ 300 e possibilidade

de pagamento parcelado no

cartão de crédito.

Para área de A&B estão disponíveis

cursos como de Garçom,

Capacitação de Maître, Segredos

do Vinho, Treinamento de Bartender,

Curso Profissionalizante

de Barman, Treinamento de Barista,

Receitas com Café, etc.

Ao fazer um Curso a Distância

do CPT, o aluno é certificado

após uma avaliação, recebendo

diploma emitido pela

UOV - Universidade Online de

Viçosa, instituição afiliada e

mantenedora da ABED - Associação

Brasileira de Educação

a Distância.

Mais informações:

(31) 3899-7000, sac@cpt.com.br

www.cpt.com.br

116


117


Acontece

Cobertura Especial APAS Show

Evento voltado aos supermercadistas é um dos principais indicadores sobre tendências e palco de novidades

que estão chegando aos consumidores

O ano de 2017 já está marcado como

a maior edição da história da APAS

Show, maior evento supermercadista

do mundo, que ocorreu de 2 a 5 de

maio, no Expo Center Norte, em São

Paulo. Organizado pela Associação

Paulista de Supermercados (APAS),

o evento bateu recordes de números.

Em volume de negócios, foram R$

7 bilhões gerados, exatamente R$ 1

bilhão a mais em relação a 2016. O

número de expositores estrangeiros

também aumentou. A edição de 2017

contou com 239 estandes de 26 países,

52% a mais que o ano passado.

“Por sermos uma marca do interior, a

APAS Show proporciona maior visibilidade

para nós. É o momento em que

a nossa empresa realmente consegue

abrir portas para o mercado em São

Paulo”, analisa Reinaldo Sarro Júnior,

analista de Trade Marketing da

Bebidas Poty, que marcou presença

no evento com estande e também com

a apresentação de produtos em destaque

como a tônica 202 que possui

quatro vezes mais quinino que as conhecidas

do mercado, notas cítricas e

um toque floral da flor de sabugueiro.

O produto premium, recomendado

principalmente para drinques e coquetéis,

foi desenvoldio em parceria

com o chef Marcos Lee e pensado

para combinação com o gim na elaboração

do tradiconal Gim Tônica.

Outra novidade da Poty foi a Trieste,

primeira cerveja puro malte microfiltrada

do mercado brasileiro. O nome

da cervejaria é uma homenagem à

região de Trieste, na Itália, de onde

imigrou a família do empresário José

Luiz Franzoti, diretor-presidente das

Bebidas Poty.

De importados a exportados

Muitas outras fabricantes nacionais

de bebidas, de todos os portes, além

de importadoras chamaram bastante

a atenção no evento.

No estande do Japão, entre as importadoras

estava a paulista Zendai que

destacou entre os produtos o Saquê

Hakkaisan, em garrafas de 720 ml.

Produzido em Uonuma, província de

Niifata, o produto é fabricado com

águas cristalinas e com um arroz especialmente

selecionado para fabricação

de saquê. Esse arroz passa por

um polimento especial, até atingir

60% do seu tamanho, de modo lento

e cuidadoso. A fermentação também

é realizada em baixa temperatura.

Por ser seco, esse saque harmoniza

com diversos pratos.

Detentora de marcas como as artesanais

Colorado e Wäls, a Ambev

apresentou em seu estande todo o

seu portfólio de cervejas, que abrange

marcas especiais como a Patagônia,

Leffe, Fraziskaner, e também Goose

Island, essa última importada desde

2015 pela empresa. Aliás, a norte-

-americana Goose Island abriu recentemente

um bar na capital paulista

(veja reportagem na página 76). Vale

ainda destacar a água mineral Ama, a

qual 100% do lucro de cada garrafa é

destinado a projetos que levam água

potável ao semiárido brasileiro.

Já a paranaense NOS Brasil apresentou

novidades em sua linha de

energéticos NOS Energy Drink como

118


os sabores citrus, frutas vermelhas e frutas roxas,

apresentados em latas de 269 ml e PETs de 650,

1 l e 2 l.

Com rótulos criativos e bebidas de marcas irreverentes

e com apelo principalmente para o público

jovem, a paulista On Drink destacou versões ice

de sua vodka Tequi Loka. As Tequilokas Icehot

estão disponíveis nas versões Gold e Silver e tem

apenas 5% e teor alcoólico. Outros produtos em

destaque da On Drink são a cachaça Sofrência,

armazenada em tonéis de Umburana, Bálsamo e

Castanheira, com teor alcoólico de 40%, e a vodca

Black Out, cinco vezes destilada, produto superpremium,

com teor alcoólico de 37,5%.

Fabricante da cerveja Ecobier, a Socorro Bebidas,

que tem unidades em Águas de Lindóia e Socorro,

ambos no interior paulista, mostrou também

energéticos, água tônica e sua linha especial de

águas aromatizadas Acquíssima nos sabores pera,

lichia, maçã verde e limão, ótimas opções para incrementar

receitas de drinques.

Também importadora de produtos finos, a Sttutgart,

com sede em Blumenau, SC, mostrou cervejas

alemãs das marcas Schneider Weisse, que

tem inclusive versões não alcoólicas, e Schlenkerla

com destaque para versões

defumadas de trigo.

No estande da Indústria de

Bebidas Paratudo, mineira

que ano passado completou

65 anos de mercado, estava

um portfólio completo de

opções. Entretanto, chamou

bastante atenção a linha de

vodca saborizada Kriskof,

excelente para coquetéis, em

versões como Apple (maçã

verde), Blue (cranberry), Lemon

(limão), Red Fruits (frutas

vermelhas), Purple Fruits

(frutas roxas), Yellow Fruits

(frutas amarelas). Outra excelente

e fina opção da empresa

é a vodca Kauin, sete

vezes filtrada e tridestilada.

Bom pra cachorro!

Entre as novidades que mais

chamaram a atenção do evento,

mas que não foram degustadas

pela equipe da Carta

Premium — não nos deixaram

— estão os produtos da

linha Dogbeer, que tem tanto

vinho quanto cervejas para

cães. São, como indicam seus

produtores, “petiscos líquidos”

para os melhores amigos

do homem.

A empresa foi pioneira em desenvolver

a primeira cerveja

da América Latina criada especialmente

para o paladar

dos pets.

A inovação foi criada em parceria

com o Centro de Tecnologia

em Alimentos e Bebidas

do Senai de Vassouras, no

RJ. É fabricada nos mesmos

moldes de bebida para humano:

feita à base de água,

malte e carne, porém não é

fermentada, ou seja, não é alcoólica

e nem gaseificada.

A cerveja está disponível em


119


Acontece

garrafas de 355 ml e recentemente

também foi lançado o seu sabor frango.

Já o Dog’s Wine, também no sabor

carne, possui formulação que ajuda

a hidratar e melhora o funcionamento

dos rins dos animais. Não contém

uva nem álcool.

Bons vinhos

Completando em 2017 10 anos de

mercado, a Wine Experience destacou

uma linha excepcional de vinhos

californianos, produzidos nas regiões

de Napa Valley, Sonoma e Russian River

Valley, em vinícolas consagradas.

Entre os destaques está o Crane Lake

White Zinfandel 2015, recheado de

florais, aromas tropicais, baseado em

pêssego e cerejas. O sabor é delicado

com todas as bagas e os sabores de

ervas que se harmonizam para fazer

um vinho delicioso e sedoso. Açúcar

residual intenso, pêssego latente, com

notas de cítrico. Perfeito para ser degustado

fora das refeições, entradas e

pratos suaves, e à Beira de piscina.

A paulista Vinícola Góes, de São Roque,

apresentou sua linha de vinhos

de mesa Góes Tradição e Quinta Jubair,

os frisantes Donnatella, sucos

de uva tinto, branco e maçã, a sua

bebda Grape Cool, conhecido como

“chope de vnho”, até vinhos finos

Góes Tempos e a linha de boutique

Casa Venturini. Entre os destaques

da empresa está o Casa Venturini

Chardonnay Reserva, Medalha de

Ouro no Concurso Mundial de Bruxellas

Edição Brasil.

Fundada em 1942, a Famiglia Zanlorenzi,

atualmente uma das maiores

produtoras de derivados de frutas

e uma das mais importantes

indústrias de bebidas do Brasil,

mostrou todo o seu portfólio de produtos,

em especial vinhos de mesa,

vinhos finos nacionais e importados,

espumantes e frisantes e sucos. Um

dos destaques da linha da empresa é

o Lunar Perfetto Prosecco. “Este tipo

de espumante se caracteriza pelo

frescor, leveza e aromas cítricos, o

que combina com uma série de pratos

e gastronomias variadas”, sugere

o enólogo Ricardo Morari, gerente de

produção. Graças à sua leveza, a bebida

também tem sido ingrediente de

drinques como o Aperol Spritz, coquetel

que virou moda no verão europeu

e cuja fama vem se espalhando

pelo mundo.

No estande da Salton, uma das principais

e mais tradicionais vinícolas

do Brasil, os visitantes conheceram

rótulos como o Salton Paradoxo

Brut, recém-premiado c Medalha de

Ouro no Concurso Mundial de Bruxelas

Edição Brasil, e a linha Vodka

Vorus, lançada exatamente há um

ano atrás, nas versões tradicionais e

frutas vermelhas.

No estande da Aurora, estavam as

suas marcas de vinhos brancos, tintos,

espumantes, frisantes e sucos

de uva. Entre elas, a linha de vinhos

finos Aurora Reserva, que contempla

o famoso Aurora Reserva Merlot,

o vinho tinto brasileiro selecionado

pela direção do MasterChef Brasil

para a prova coletiva da competição

realizada na Serra Gaúcha. O Aurora

Reserva Merlot, que acaba de ganhar

a medalha Duplo Ouro no Concurso

Mundial de Bruxelas Edição Brasil,

foi o tinto para o qual as equipes tiveram

que criar, cada uma, o prato

principal para harmonizar.

Mais empresas

Outro destaque do evento, a Cerveja

Proibida, do grupo Companhia Brasileira

de Bebidas Premium (CBBP), apresentou

suas novas versões: Leve, Forte e

Rosa Vermelha Mulher. No mês em que

se comemora o dia das mães, a Proibida

Puro Malte Rosa Vermelha Mulher

atende a crescente demanda do exigente

público feminino, que aprecia cervejas

de qualidade. Traz uma formulação

exclusiva de malte e lúpulos importados,

sabor leve e refrescante, com baixo

amargor, que é arrematado por um aroma

marcante e único. A cremosidade da

espuma, a cor dourada do líquido e sua

transparência também a distinguem.

Tem apenas 4,2% de teor alcoólico.

Estreante no evento, a Cervejaria

120


Acontece

Lund apresentou um calendário especial

de rótulos sazonais, com o lançamento

de uma nova receita para

cada estação do ano. O projeto é uma

iniciativa de incentivo à cultura cervejeira,

que busca difundir novos estilos

dentre os apreciadores de cervejas

especiais de todo o Brasil.

O primeiro rótulo a ser lançado foi

a Cream Ale Lund MidSommar no

Verão. Para este Outono, a novidade

é a Dry Stout Knock Knock, uma

cerveja leve e escura da família Ale,

produzida especialmente para os

dias frescos da estação. De amargor

moderado, com IBU 43,2 e teor alcoólico

de 4,3% por volume, o novo

rótulo da Cervejaria Lund tem final

seco e é de fácil drinkability, ideal

para ser degustado com carnes

assadas, ensopadas ou com chilli,

feijão, feijoada, nachos, lagosta,

caranguejo, pimentões recheados e

embutidos. Seguindo o calendário

sazonal, a Lund programa ainda o

lançamento da Lund Holz, uma Old

Strong Ale, para o Inverno, e por fim

uma Imperial India Pale Ale, já em

desenvolvimento, para a Primavera.

A Indústrias Reunidas de Bebidas

Tatuzinho Três Fazendas,

produtora das cachaças especiais

Velho Barreiro Diamond, lançou

no evento a Velho Barreiro Desejos

Sabor Café, após vários de

meses de testes em desenvolvimento

e aperfeiçoamento. Esse

aperitivo, que une essas duas

paixões brasileiras, tem graduação

alcoólica de 30%.

Outro alambique de destaque na

Apas 2017 foi a Weber Haus, que

já export ou seus produtos para 16

países. Atualmente, o principal mercado

exportador da Weber é o norte-americano.

Os produtos Weber

Haus estão presentes em 17 estados

daquele país. A marca está presente

ainda na Alemanha, China, França,

Japão, Itália, Noruega e Suécia.

Recentemente a empresa levou três

Medalhas Grande Ouro (equivalente

a Ouro Duplo) no Concurso Mundial

de Bruzelas Edição Brasil, com seus

rótulos Weber Haus Envelhecida em

Barris de Bálsamo, Leandro Batista

Envelhecida, Cachaça Premium 7

Madeiras.

Cafés

No estande do Grupo 3corações chamou

bastante a atenção o café Santa

Clara Reserva da Família, uma nova

linha de cafés gourmet com aromas

e sabores únicos, e blends diferenciados

feito para ocasiões especiais

de consumo. O lançamento chega

em quatro versões: Cerrado Mineiro,

Mogiana Paulista, Sul de Minas e Orgânico.

Os cafés são feitos com grãos

100% arábica, produzidos nas regiões

cafeeiras mais nobres do Brasil,

com certificado Rainforest Alliance –

garantia de que o produto é feito com

agricultura sustentável.

Já o Café Santa Mônica, pioneiro na

cultura de café gourmet no Brasil, estreante

no evento, lançou o Drip Coffee,

cápsulas para máquinas (descafeinado,

intenso, gourmet e orgânico)

e moído orgânico, além das novidades

para o inverno, monodoses de sachês

de chocolate, cappuccino e chai latte.

SERVIÇO

• 3Corações: www.3coracoes.com.br/

• Ambev: www.ambev.com.br

• Aurora: www.vinicolaaurora.com.br/

• Bebidas Poty: www.bebidaspoty.com.br

• Dogbeer: www.dogbeer.com.br

• Góes: ww.vinicolagoes.com.br e

• Lund: www.cervejarialund.com.br

• Nos Brasil: http://nosbr.com/

• On Drink: http://ondrink.com.br/

• Paratudo: www.paratudo.com.br

• Proibida: www.proibida.com.br

• Salton: www.salton.com.br

• Socorro Bebidas: www.socorrobebidas.com/

• Stuttgart: www.stuttgart.com.br

• Tatutizinho 3 Fazendas:

www.tatuzinho.com.br

• Santa Mônica: www.cafesantamonica.com.br

• Weber Haus: www.weberhaus.com.br

• Wine Experience:

www.wineexperience.com.br

• www.casaventurini.com.br

• Zanlorenzi:

www.famigliazanlorenzi.com.br/site/

• Zendai: www.zendai.com.br

121


Drinques

Carta Especial de Drinques

Sugerimos a seguir alguns drinques especialíssimos que podem incrementar a

carta dos empreendimentos ou aguçar a criatividade e novas ideias para os

profissionais da área

ONLY 4U

profissional: chef e barman Richard

Robertt

Ingredientes:

• 120 ml de Vodka Kadov

• 30 ml de Curaçao White

• 30 ml de suco de lima natural

• 25 ml de licor de romã

• 25 ml de licor de amêndoa

• 1 fatia de abacaxi cortado em

oito pedaços

• 5 cubos de gelo

Preparo: coloque todos os ingredientes

líquidos e cubos de gelo em uma coqueteleira

e agite vigorosamente por seis

segundos. Sirva em copos long drink ou

taças, decorados com pedaços de abacaxi

espetado em bailarina.

Sobre a Vodka Kadov: produto premium

da CRS Brands, é elaborada com 100%

de cereais, seguindo o padrão de qualidade

das melhores marcas europeias. A

linha conta com vodka tradicional e as

saborizadas Cranberry e Vanilla.

Mais informações: www.crsbrands.com.br

Tradicional com alecrim

Profissional: Lélida Cardoso

- 50 ml de Cachaça Melicana Tradicional

- 50 ml de água de coco

- 1 limão siciliano cortado em cubos

- 1 galho de alecrim

- Gelo à vontade.

- Açúcar a gosto

Sobre a Cachaça Melicana Tradicional: armazenada

em tonéis de castanheira que lhe confere

uma coloração levemente amarelada e a maciez

do envelhecimento, preservando o sabor da

autêntica cachaça de cana. A Melicana também

produz um excelente destilado de mel.

Informações: www.cachacariamelicana.com.br

122


Drinques

Coronel Negroni

profissional: Alambique

Santa Rufina

Ingredientes

• 2 partes de cachaça Sebastiana

Carvalho Single Barrel

• 1 parte de Aperol

• 1 parte de Vermuth

• Gelo a gosto

• Twist de Laranja para decorar

Sobre a Cachaça Sebastiana Carvalho

Single Barrel: produzida pelo

Alambique Sanata Rufina, tem envelhecimento

em barris de Carvalho

Americano de primeiro uso ocorre

por pelo menos três anos. Tem aroma

suave e adocicado, com camadas

elegantes de caramelo e baunilha.

No paladar, notas de frutas secas,

coco e madeira dão a esta cachaça a

maciez aveludada. Mais informações:

www.cachacasebastiana.com.br

Nespressotini

profissionais: mixologistas Waldemar

Stocco e Júnior Oliveira

Ingredientes:

- 50 ml de vodka Kalvelage

- 20 ml de licor Trigoni

- 1 cápsula Arpeggio curto (25 ml),

da Nespresso

- 5 ml de xarope baunilha

- 3 grãos de café para decorar

Serviço: Taça Martini, Cubos de

gelo, Bailarina, Dosador

Preparo: colocar gelo para resfriar

a taça. No mixing glass com gelo

adicionar o café em temperatura ambiente,

o xarope, o licor e a vodca.

Sobre as bebidas usadas:

- Vodka Kalvelage: premiada internacionalmente,

é produzida a partir de

cereais nacionais, e seu teor alcoólico

é de 40% vol. Apresentam um olfativo

leve e acetinado, com um leve e discreto

aroma de amêndoas a cereais. Um

gustativo sem agressão alcoólica com

leveza do início ao fim, no inicio um

leve toque de coco evoluindo para um

leve toque de amêndoas e terminando

com um toque de maçã verde. No

final um retrogosto leve de amêndoas

evoluindo para maçã verde.

Mais informações:

www.vodkakalvelage.com.br

- Licor Trigoni:produzido pela

Microdestilaria Hof, é elaborado

à base de álcool neutro, com a

mesma formulação da Curato,

outro produto de destaque da

empresa, mas com adição de

calda de açúcar em quantidade

mínima, tornando-o um licor

fino de acordo com a legislação.

Saiba mais em Microdestilaria

Hof: www.microdestilariahof.com.br

- Nespresso Arpegio: possui

um carácter intenso e um corpo

denso, reforçados por notas

a cacau. É produzido a partir

de uma seleção dos melhores

Arábicas da América do Sul e

Central, muito torrados, com

perfis frutados ou a malte, como

os cafés da Costa Rica. Acompanhe

a página da empresa no

Facebook: www.facebook.com/

Nespresso.Brazil

123


Drinques

D’Arcanjo Tropical

profissional: Daniel Formiga, mixologista

Ingredientes

• 1 dose (50 ml) de Água de Arcanjo Ouro

• ½ limão Taiti

• ¼ de laranja suco

• 1 colher de sopa de maracujá

• ½ colher de sopa de açúcar

• 1 filete de gengibre

• 1 flor comestível

Preparo: Cortar ao meio a metade do limão e junto com a laranja e

o gengibre macerar com açúcar em uma coqueteleira. Em seguida

colocar o maracujá com a dose (50 ml) de Água de Arcanjo Ouro e gelo

(a gosto). Bater bem a coqueteleira e servir em um copo de long drink .

Com uma flor comestível, fazer a decoração.

Sobre a Cachaça Água D’Arcanjo Ouro: envelhecida em barris de carvalho

por 2 anos, tem uma coloração dourada e sabor suave

oriundo do processo de destilação

fracionada. Informações: www.aguadearcanjo.com.br

Contato do profissional: www.facebook.com/FormigaDaniel -

(51) 99254-5735

Santa Cerva

profissional: Engenho Buriti

Ingredientes

• 1 dose de Cachaça Santuario

• 1/2 dose de mel

• 1/2 dose de suco de limão

siciliano

• 1 pedaço de gengibre fresco

• 2 doses de cerveja lager ou

pale ale

Preparo: em uma coqueteleira, dissolva

o mel na cachaça. Adicione o

gengibre e macere junto à mistura.

Adicione o suco de limão, bastante

gelo e bata na coqueteleira por 20

segundos. Sirva em um copo com

gelo novo, usando um coador para

filtrar os pedaços do gengibre. Complete

o copo com a cerveja, misture

levemente e decore com um gomo de

limão na borda do copo.

Sobre a Cachaça Santuário de Minas:

produzida pelo Engenho Buriti, é

armazenada em tonéis de carvalho e

excelente para ser degustada gelada. Informações:

www.engenhoburiti.com.br

Lagoa Azul

profissional: Leandro Marelli

Ingredientes

• 1 dose de suco de limão;

• ½ dose de vodka;

• ¼ dose de licor creme de

curaçau Dom Tápparo;

• 1 lata de soda limonada;

• Gelo.

Preparo: bater em uma

coqueteleira o suco de limão,

vodca e o licor de curaçau

Dom Tapparo. Ponha tudo em

um copo longo e complete o

copo com soda. Pode ser decorado

com laranja ou cereja.

Sobre a produtora do licor:

premiado com seus duversos

rótulos de cachaça, como

a Cabaré, o Engenho Dom

Tápparo tem uma linha

de licores em 20 diferentes

sabores e composições. Mais

informações: www.domtapparo.com.br

124


Drinques

Chá com Cachaça

profissional: Julinho Gonzalles

Ingredientes

• 45 ml de Cachaça 1000 Montes

Bruta

• 30 ml de chá de erva doce

• 22,5 ml de mix cítricos

• 22.5 ml de xarope de gengibre

• 1 clara de ovo

• 3 dashes de Angostura Orange

• gotas de solução salina

Serviço: taça coupé, decorar

com Casca de limão siciliano

Preparo: previamente resfriar

uma taça coupé e reservar,

adicionar os ingredientes na

coqueteleira, fazer o “shake”

por alguns segundos, adicionar

gelo e “shake” por mais alguns

segundos vigorosamente. Fazer

dupla coagem. Finalizar com

casca de limão siciliano.

Sobre a 1000 Montes Bruta:

extremamente suave e refinada;

apresenta notas de olivas e

cana que escondem a potência

de sua graduação alcoólica de

48%.

Página da empresa no facebook:

www.facebook.

com/1000Montes/

Amarelinho

profissional: Laércio Zulu

Ingredientes

- 30 ml de Spiral Cachaça

- 30 ml de aperitivo Aperol

- 10 ml de mel

- 30 ml de chá verde sem açúcar

- 5 ml de suco de limão siciliano

Preparo: encha taça Cocktail

com gelo cubo e reserve. Em

uma coqueteleira, adicione gelo

cubo, todos os ingredientes e

bata. Retire a o gelo da taça,

sirva o coquetel com coagem

fina e decore com physalis na

borda da taça.

Sobre a cachaça Spiral Drinkmaker:

fabricada pela Destom, foi

desenvolvida especialmente para

preparação de drinques. Com

personalidade, mas leve, a Spiral

não se sobrepõe ao sabor das frutas.

É ideal para o público jovem,

principalmente o feminino.

Informações: http://drinkmaker.com.br/

Coquetel de abacaxi com

gengibre

profissional: Prosa Mineira

Ingredientes

- 50 ml de cachaça branca Prosa Mineira

- 1 rodela de abacaxi cortada em cubos

- 2 colheres (chá) de açúcar

- 4 colheres (chá) de xarope de gengibre

- Gelo

Preparo: macere levemente o abacaxi

cortado em cubos, com o açúcar, em

um copo típico de uíque. Adicione as

quatro colheres de xarope de gengibre.

Coloque o gelo e despeje a cachaça em

movimento circular. Sirva com canudo.

Para fazer o xarope de gengibre: corte

de 10 a 12 rodelas de gengibre, coloque

quatro colheres (chá) de açúcar

dentro de um copo. Lacre e deixe o caldo

do açúcar escorrer por 20 minutos.

Está pronto o seu xarope.

Sobre a Cachaça Prosa Mineira: a

linha é composta pela Cachaça Tradicional

(armazenada em tonéis de

inox por 1 ano), Cachaça Clássica

(envelhecida em tonéis de Jequitibá

Rosa por 1 ano), Cachaça Ouro (envelhecida

em toneis de Amburana

por 2 anos), Cachaça Carvalho (envelhecida

em tonéis de Carvalho por

4 anos), Cachaça Tiúba de Minas

(blend de três madeiras: Carvalho,

Jequitibá e Amburana, por 1 ano).

Informações: www.cachacaprosamineira.com.br

125


In Loco

OITO DÉCADAS

conquistando o mercado

Marca da CRS Brands presente por todo o Brasil, a Dom Bosco aproveita a comemoração

de aniversário para apresentar e antecipar novidades

No finalzinho de abril, a CRS Brands

abriu as portas de sua fábrica em

Jundiaí, próximo à capital paulista,

para receber com exclusidade jornalistas,

profissionais especializados e

convidados em um evento de comemoração

dos 80 anos de uma de suas

principais marcas, o Vinho Dom Bosco,

rótulo de mesa de alta qualidade e

que desde do ano passado já vem incrementado

sua linha com novidades

como são as suas versões produzidas

na Argentina por meio de uma parceria

com uma vinícola daquele país.

A Carta Premium também marcou presença

e conseguiu conhecer de perto

não só a linha de produção do vinho

mas de outras bebidas especiais que

fazem da CRS Brands uma das referências

do mercado de bebidas brasileiro.

Um pouco de história

Há oitenta anos atrás, quando a Dom

Bosco iniciou a sua trajetória, o mercado

de vinhos no Brasil era totalmente

diferente. “Na década de trinta, a

produção de vinho ainda era bastante

artesanal. Em São Paulo, as vinícolas

se concentravam basicamente na região

de Jundiaí, conhecida como ‘Circuito

das Uvas’. O vinho era envasado

manualmente em garrafas de vidro e

garrafões de 5 litros para ser comercializado diretamente aos consumidores

e também tonéis de madeira, que eram transportados em

carroças para adegas e pontos de vendas de outras cidades. Nesses

pontos de venda, a bebida era vendida em canecas ou engarrafado

pelo próprio cliente”, comenta Lourenço Filho, diretor comercial e de

marketing da CRS Brands.

O nome do vinho Dom Bosco também se deve ao São João Bosco,

do qual a família Cereser era devota. Mas é a história de outro “santo”

que iniciou toda a trajetória.

Em 1886, o imigrante Santo Cereser chegou da Itália ao Brasil,

trazendo na mala sonhos e 40 pés de uva. Vinha para trabalhar

no café na fazendo do Barão de Serra Negra, onde encontrou um

espaço para plantar as suas uvas.

Um dia — segundo a tradição passada de pai para filho e apresentada

pelo atual diretor presidente da companhia, Humberto

Cereser — sonhou com uma galinha choca e sete pintinhos em

apuros. E acreditou que esse sonho era um sinal de que precisa ir

ao encontro de sua mulher e filhos que tinha deixado na Itália. Ele

acreditava que eles tinham chegado ao Brasil. O ano era de 1888

e o imigrante pediu demissão da fazenda e foi em busca de sua família,

a qual, acreditem, encontrou no Porto de Santos. E estavam

sua mulher e seus sete filhos, um deles que nem conhecia, afinal

quando partiu de sua terra havia deixado a esposa grávida. Eles

estavam abrigados na Casa do Imigrante à espera que algo divino

acontecesse, afinal não tinham ideia do paradeiro de Santo.

Enfim unida novamente, a família se estabeleceu em Jundiaí, exatamente

no mesmo lugar onde hoje está instalada a CRS Brands.

Apostaram no milho para fazer a polenta e se alimentar.

Com o tempo, Santo teve a ideia de retornar à fazenda onde traba-

126


In Loco

lhara para ver se conseguia recuperar

suas uvas. E conseguiu.

Nos anos que se seguiram passou a plantar,

colher e vender uvas para uma cantina.

Entretanto, em 1925 o Brasil entrou

em uma crise e seu comprador não quis

ficar com a safra produzida naquele ano.

Com medo de perder toda a produção,

Santo decidiu produzir seu próprio vinho,

missão que foi muito bem recebida, tanto

que comprou as uvas dos vizinhos.

Com a ajuda dos filhos crescidos

Humberto e João, começou a vender

também os vinhos na capital paulista,

onde despachava os tonéis por trem.

Nos arredores da Estação da Luz, conheceu

padres do Colégio Salesiano,

que também passaram a comprar seu

vinho para consumo e celebrações.

Devoto de São João Bosco, assim como

seu filho João, ganhou a confiança do

monsenhor da região e nomeou o vinho

como Dom Bosco. Hoje a marca está

presente por todo o Brasil. “Uma das

importantes lições deixadas por João

Cereser, fundador da atual CRS Brands,

e que mantêm a marca no ranking

das cinco mais vendidas da categoria

de vinhos de mesa até hoje, está a perseverança,

ao buscar constantemente

as oportunidades de crescimento mesmo

em meio à crise. Outra grande lição

para esta longevidade é a atenção

à qualidade, mesmo em um segmento

que é mais acessível ao consumidor,

zelando pelo padrão e preservando as

principais características da marca e

contribuindo muito para se chegar aos

resultados atuais”, destaca Lourenço.

Hoje a CRS Brands tem 12 linhas de

produção de bebidas e um total de 92

rótulos à venda, entre eles a famosa

Sidra Cereser, o espumante Chuva de

Prata, as vodkas Kadov e Roskoff, além

de vermutes e sucos, entre outros.

Muitas novidades

No final do ano passado a marca Dom

Bosco apresentou uma interessante

novidade: os Vinhos Dom Bosco Argentina,

elaborados em Mendoza, com um

corte de uvas viníferas, destacando-

-se Bonarda e Sangiovese, utilizando

a mais moderna tecnologia enológica.

São vinhos frescos, frutados e que harmonizam

com diversos pratos. Há uma

notável presença aromática, boa sensação

na boca, dominado pelos frutos

vermelhos, ameixa, cereja e morango.

A partir do próximo mês, junho a novidade

será a versão Bordô. “Dentro

do nosso segmento de atuação, o Dom

Bosco é uma opção certeira. Especialmente

com os lançamentos da linha de

vinhos argentinos e a partir de junho,

com a versão bordô. Ambos têm como

objetivo elevar o padrão de qualidade

da marca e fortalecer ainda mais a

sua posição na categoria de vinho de

mesa. A CRS Brands está apostando

muito neste segmento por concentrar

maior parte dos consumidores brasileiros

e ter um forte potencial de crescimento”,

detalha o executivo.

Panorama de mercado

Lourenço lembra que em 2016, o mercado

foi muito afetado pela quebra de

safra de uva ocorrida devido a fatores

climáticos, o que comprometeu a produção,

elevando os custos. “Os repasses

ocorridos em todo o mercado por

conta desta quebra, causaram uma

retração nas vendas. Para este ano esperamos

que o consumo de vinhos no

Brasil volte a crescer e atingir o patamar

de 2015. A nossa estratégia para

dinamizar a demanda do Dom Bosco

consiste em oferecer ao mercado

novos rótulos, que se destacam pela

qualidade, como o Vinho Dom Bosco

Bordô, disponível nas opções Seco e

Suave, e Vinho Dom Bosco Branco

Seco, produzido com uvas Isabel e

Bordô. Na categoria de vinhos finos, a

CRS Brands trabalha com as marcas

Massimiliano e agora Georges Aubert.

Estes produtos tem uma qualidade

superior, sendo excelentes opções de

custo-benefício para vinhos de entrada”,

esclarece Lourenço.

A linha Georges Aubert na verdade

é um relançamento da empresa que

também chegará ao mercado em julho.

“É uma das primeiras marcas de

espumantes produzida no Brasil pelo

francês do mesmo nome, que reflete

a tradição e alta qualidade dos espumantes

da Serra Gaúcha. As novidades

incluem os espumantes Brut,

Demi Sec, Moscatel e a edição limitada

Brut Rosé, que terá uma produção

de 2 mil garrafas neste ano”, finaliza.

Informações completas e em destaque

no site www.crsbrands.com.br .

127


www.revistacartapremium.com.br

Rua Antonio, Vera Cruz, 408

02555-010 - São Paulo SP

Tel.: (11) 2776-1899

contato@revistacartapremium.com.br

Publicidade

comercial@revistacartapremium.com.br

Redação

redacao@revistacartapremium.com.br

Jornalista Responsável

Ederson G. Benedicto

MTB. 0070558SP

Produção Gráfica

Projeto Gráfico e Direção de Arte

Fernando Alves

producao@revistacartapremium.com.br

Primeira publicação especialmente focada

o setor de bebidas premium, especiais,

finas e artesanais. Com tiragem de

10 mil exemplares, chega diretamente

aos principais bares, bistrôs, restaurantes,

hotéis e demais empreendimentos

de A&B de alto padrão do País, tendo

como leitores profissionais de decisão

nesses empreendimentos, entre eles

proprietários, gerentes, chefias de A&B,

maîtres, sommeliers, bartenders, baristas,

mixologistas e demais profissionais.

Acompanhe-nos em nosso portal e nas

mídias sociais:

Sem a participação de todo o trade

(empresas, profissionais, apreciadores e

leitores) mais uma vez essa edição não

seria possível. Fica o nosso

“MUITO OBRIGADO!”

Convidamos a todos para nos honrarem

com comentários e indicações de temas,

empresas e bebidas para as próximas

reportagens:

redacao@revistacartapremium.com.br

/revistacartapremim

@Carta_Premium

128


129


130

More magazines by this user
Similar magazines