22.01.2019 Views

Revista Carta Premium - Oitava Edição

Nesta edição: bebidas brasileiras premiadas no final de 2018, retrospectiva 2018, receitas de drinques de verão, entrevista especial com finalista do Bacardí Legacy e muito mais!

Nesta edição: bebidas brasileiras premiadas no final de 2018, retrospectiva 2018, receitas de drinques de verão, entrevista especial com finalista do Bacardí Legacy e muito mais!

SHOW MORE
SHOW LESS

Create successful ePaper yourself

Turn your PDF publications into a flip-book with our unique Google optimized e-Paper software.

2


QUE SEJA (E SERÁ)<br />

UM EXCELENTE 2019!<br />

2018 ficou para trás, e com ele muitas<br />

incertezas que percorreram todos os mercados,<br />

não só no de gastronomia, bebidas e<br />

alimentação fora do lar. E a lição que fica é<br />

de que, com muito suor, mais um ano passou<br />

e dia a dia, mês a mês, semestre a semestre<br />

aquela crise mais sentida em 2015,<br />

2016 e início de 2017 tem enfim ficado para<br />

trás, ainda que com tímida reação da economia.<br />

Mas se 2018 não foi um ano excelente,<br />

podemos dizer que mais uma vez foi um ano<br />

que consolidou a aposta na excelência e na<br />

inovação, principalmente no seto de bares e<br />

restaurantes. Ainda que muitos empreendimentos<br />

tenham fechado, muitos outros abriram<br />

e o melhor: muitos têm conquistado seu<br />

espaço e se tornado referência nacional e internacional<br />

seguindo a fórmula da primazia<br />

nos serviços, na carta e na diferenciação.<br />

No que tange o segmento de bebidas finas,<br />

o balanço positivo segue na mesma receita.<br />

Foram muitas empresas brasileiras premiadas<br />

no País e fora dele por apresentarem bebidas<br />

que concorrem lado a lado com os melhores<br />

e mais consagrados rótulos de outros<br />

países. E o melhor: para quem acompanhou<br />

as páginas de nossas edições, muitas bebidas<br />

que acabaram de ser lançadas conquistaram<br />

medalhas inéditas para o nosso País, ratificando<br />

a boa aposta na excelência.<br />

Nessa edição trazemos um pouquinho<br />

dessa retrospectiva positiva no ano pas-<br />

sado, além, claro, de boas entrevistas que<br />

já detalham algumas tendências e ótimas<br />

apostas para as melhores cartas em 2019.<br />

E também não faltaram os últimos premiados<br />

de 2018, com uma inovação: com<br />

o crescimento do mercado artesanal de<br />

queijos, trazemos também aqui a lista dos<br />

produtos e produtores premiados no maior<br />

concurso da categoria no País. Assim, além<br />

de aprimorar a carta do empreendimento<br />

você pode também reforçar seu menu com<br />

produtos mais do que consagrados e desejados<br />

pelo consumidor.<br />

Por fim, aproveitamos a oportunidade<br />

para desejar a todos nossos parceiros,<br />

anunciantes, leitores, profissionais<br />

e empreendedores de bares, restaurantes,<br />

hotíes, clubes, casas norturnas e<br />

buffets, entre outros, um 2019 de muito<br />

sucesso e muitas conquistas. Feliz Ano<br />

Novo a todos!<br />

Boa leitura!<br />

NOTA DA REDAÇÂO: Diferentemente do publicado em<br />

nossa sétima edição, foi a versão Pura da Cachaça Perfeição<br />

que recebeu prêmio de revelação internacional no<br />

Spirits Selection 2018. Já a Cachaça Colombina tem sede<br />

em Alvinópolis, MG, e não em Botelhos como incorretamente<br />

divulgamos na mesma edição. Ambas as reportagens<br />

encontram-se republicadas nas páginas a seguir.<br />

FOTO DA CAPA: Drinque Ocho Maneras, de Tom<br />

Oliveira, finalista do Bacardi Legacy. Confira entrevista<br />

nessa edição<br />

3


Em Perfil<br />

Cachaça Colombina<br />

Alvinópolis, MG<br />

Com quase 100 anos de história, a Colombina surgiu<br />

em 1920 e é uma das referência de alambiques<br />

na Estrada Real, considerada hoje a maior rota turística<br />

do País, com mais de 1.630 quilômetros de<br />

extensão, passando por Minas Gerais, Rio de Janeiro<br />

e São Paulo. Ela abrange dois caminhos: o “Caminho<br />

Velho”, que rumava até Paraty, e o “Caminho Novo”<br />

que passou a ter destino final no Rio de Janeiro.<br />

Durante a Expocachaça 2018, a Colombina recebeu<br />

a Medalha de Prata na categoria Brancas<br />

Puras no Concurso de Degustação às Cegas.<br />

Linha de produtos: Cachaça Colombina Cristal,<br />

Colombina 3 anos (paróis de jatobá), a Colombina<br />

Chita (blend de Cachaças Envelhecidas em<br />

jatobá), Cachaça Colombina 10 anos (jatobá).<br />

Dica: aos apreciadores paulistanos, a Cachaça<br />

Colombina Cristal teve lançamento oficial em São<br />

Paulo, no ano passado no restaurante Rota do Acarajé,<br />

no início do segundo semestre. E já está disponível<br />

para pedidos de todo o País!<br />

Destaque: Cachaça Colombina Cristal<br />

“Como a avaliação para a Expocachaça é às cegas, podemos<br />

destacar primeiramente o aspecto visual cristalino<br />

e a densidade com excelente retenção nas paredes do<br />

copo. Os aromas são adocicados e lembram os da cana e<br />

da fermentação no engenho. Os sabores são aveludados,<br />

com memória de castanhas e chocolate, baixa percepção<br />

alcoólica e elevado drinkability’”, finaliza Luciano.<br />

Dica: no site da empresa há uma carta especial de drinques.<br />

Mais informações: (11) 99447-0305<br />

comercial@cachacacolombina.com.br, www.cachacacolombina.com.br<br />

4


5


Em Perfil<br />

Cachaça Perfeição<br />

Santo Antonio do Rio Grande, MG<br />

Artesanal, a bebida é concebida<br />

com o mosto naturalmente fermentado<br />

de canas orgânicas e<br />

exclusivas, perfeitamente adaptada<br />

ao clima frio da região, seguindo<br />

rígidos padrões de higiene<br />

em equipamento da mais alta<br />

qualidade.<br />

As canas são selecionadas manualmente<br />

sem uso de queimadas e<br />

o fermento é preparado apenas<br />

com o caldo puro, sem adição de<br />

qualquer outro elemento. O bagaço<br />

proveniente da moagem é totalmente<br />

utilizado na queima dentro<br />

da caldeira de vapor que mantém<br />

o padrão da destilagem com temperaturas<br />

controladas em processo<br />

lento, garantindo a alta qualidade<br />

do destilado.<br />

O vinhoto, caldo resultante da destilagem,<br />

é armazenado e reutilizado<br />

como adubo orgânico no próprio<br />

canavial, fechando um ciclo<br />

de sustentabilidade sem qualquer<br />

dano ao meio ambiente.<br />

O Alambique da Cachaça Perfeição fica na Fazenda Vistalinda,<br />

um altiplano na Serra da Mantiqueira onde nasce<br />

um dos mais importantes rios brasileiro, o Rio Grande.<br />

O canavial da Fazenda Vistalinda é um cultivo que ocupa<br />

uma pequena área livre de agrotóxicos. Onde um dia existiam<br />

pastagens, agora preserva as espécies vegetais nativas<br />

da Mata Atlântica e seu entorno.<br />

O produtor responsável pela bebida é Marcelo Bonfá, baterista,<br />

fundador e compositor da lendária banda Legião Urbana,<br />

um caipira nascido em Itapira, uma pequena cidade<br />

cercada por canaviais e cafezais no interior do Estado de<br />

São Paulo.<br />

Linha<br />

A Cachaça Perfeição está disponível<br />

nas versões:<br />

- Pura: as canas cultivadas em<br />

grande altitude,mais de 1.300 m,<br />

na região da Serra do Itatiaia em<br />

Santo Antônio do Rio Grande-MG,<br />

acabam por acumular açúcares<br />

mais nobres em razão do ciclo longo<br />

de frio no inverno. O resultado<br />

é um destilado de aroma intenso<br />

lembrando a cana no momento em<br />

que se extrai dela o caldo, extremamente<br />

adocicada e com um toque<br />

de erva doce logo no primeiro contato,<br />

mas que finaliza em um pala-<br />

6


Em Perfil<br />

dar complexo da altura dos<br />

seus 43 GL.<br />

- Carvalho: provém de um<br />

corte composto pela Cachaça<br />

Perfeição preservada<br />

em barris de carvalho por 3<br />

anos com a Cachaça Perfeição<br />

pura e fresca. A presença<br />

do sabor da madeira é bem<br />

sutil. Apresenta elegante<br />

equilibrio na tonalidade, no<br />

aroma e sabor, pelos toques<br />

de baunilha e caramelo do<br />

carvalho europeu.<br />

26 nacionalidades.<br />

Informações em detalhes no site http://www.cachacaperfeicao.<br />

com.br e pedidos podem ser feitos pelo e-mail contato@cachacaperfeicao.com.br<br />

. Acompanhe também a página da empresa no<br />

Facebook: /www.facebook.com/pg/cachacaperfeicao ,e no Instagram:<br />

@cachacaperfeicao .<br />

Premiação internacional<br />

em destaque<br />

A Cachaça Perfeição Pura recebeu<br />

o título de “Revelation<br />

Organic” no Spirits Selection<br />

2018, etapa mundial do Concours<br />

Mondial de Bruxelles.<br />

O Spirits Seletion é um dos<br />

maiores e mais prestigiados<br />

concursos mundiais de destilados.<br />

Traz uma lista que<br />

bebidas brasileiras que ganham<br />

destaque internaiconal<br />

e que ano a ano elevam o<br />

nosso destilado nacional ao<br />

patamar mais alto.<br />

O troféu de “Revelação” foi<br />

concedido apenas para cinco<br />

seletas bebidas, entre elas,<br />

duas brasileiras, sendo uma<br />

delas a Cachaça Perfeição<br />

Pura. Essa nova premiação<br />

é apenas conquistada após<br />

uma segunda prova às cegas<br />

e para os melhores de cada<br />

categoria. Ou seja, é uma<br />

nova seletiva para saber os<br />

melhores entre os melhores.<br />

Ao todo, participaram do<br />

Spirits Selection 2018 mais<br />

de 1.300 amostras provindas<br />

de 50 países produtores,<br />

cujas bebidas passaram pela<br />

avaliação de 78 provadores<br />

especialistas, representando<br />

7


Acontece - Retrospectiva<br />

ESPÍRITO QUE CONQUISTA<br />

Sétima edição do Cacharitiba ressaltou o crescimento do apreço<br />

pelo destilado brasileiro<br />

Fazendo um balanço de 2018 e<br />

de eventos de grande relevância<br />

para o crescimento e expansão<br />

da cultura do consumo<br />

do destilado brasileiro de alta<br />

qualidade, mais uma vez, o Cacharitiba<br />

reassaltou eratificou<br />

essa crescente apreciação dos<br />

brasileiros pelo seu destilado<br />

nacional.<br />

Maior mostra aberta ao público<br />

final e dedicada exclusivamente<br />

à cachaça na região, foi realizada<br />

em outubro no Mercado Municipal<br />

da capital paranaense. Reuniu<br />

produtores vindos de Norte<br />

a Sul do País, que promoveram<br />

experiências de degustação para<br />

novos e antigos apreciadores<br />

da bebida. As mais diferentes<br />

versões, com o mais diferentes<br />

preços, para todos os gostos e<br />

bolsos, estiveram presentes no<br />

Cacharitiba, apenas para se ter<br />

ideia com valores variando de<br />

R$ 25 até R$ 2 mil.<br />

O Cacharitiba é um projeto criado<br />

pela equipe da Cachaçaria Vô<br />

Milano, única loja da cidade com<br />

foco exclusivo no comércio do espírito<br />

de cana brasileiro. Além da<br />

loja física, a Vô Milano mantém<br />

um excelente e-commerce de cachaça,<br />

com mais de 400 diferentes<br />

rótulos, ajudando a abastecer<br />

assim grande parte da região e<br />

atender tanto a estabelecimentos<br />

como bares e restaurantes quanto<br />

o consumidor final.<br />

Para realização do evento, a Vô Milano<br />

conta com a parceira com a<br />

Ascesme (Associação dos Comerciantes<br />

Estabelecidos no Mercado<br />

de Curitiba) e com a própria Prefeitura,<br />

permitindo assim a realização<br />

do evento no Mercado Municipal,<br />

local estratégico para aproximar<br />

ainda mais a cachaça do consumidor<br />

nacional.<br />

8


9


<strong>Premium</strong> Drink List<br />

DESTAQUES<br />

Foram realizadas diversas atividades<br />

gratuitas, que englobaram<br />

palestras gastronômicas, aulas-<br />

-show, degustações orientadas de<br />

bebidas, drinques e comidas preparadas<br />

com cachaça.<br />

Paralelamente ao evento também<br />

ocorreu nesse ano o 2o. Enconfras<br />

(Encontro Nacional de Confrarias<br />

de Cachaça). Há um bom tempo<br />

as confrarias de cachaça vêm crescendo<br />

pelo País inteiro e também<br />

fora dele, por sua vez ajudando a<br />

incentivar a presença da bebida na<br />

mesa dos apreciadores de destilados.<br />

Para empreendimentos gastronômicos<br />

como pubs e clubes,<br />

elas têm se tornado alternativas de<br />

eventos para aumentar índices de<br />

ocupação e tíquete médio dos presentes.<br />

O Enconfras reuniu alguns dos<br />

maiores especialistas e apreciadores<br />

do Brasil, que discutiram o<br />

cenário nacional e internacional da<br />

cachaça.<br />

Neste ano o Cacharitiba também<br />

foi marcado pela estreia de dois<br />

eventos paralelos:<br />

- 1º Festival Gastronômico Cacharitiba:<br />

realizado sob a curadoria da<br />

chef Walquiria Castro Alves e em<br />

parceria com o Movimento Identidade<br />

Gastronômica. Ao todo foram<br />

oito renomados chefs que ministraram<br />

palestras e aulas-show<br />

principalemnte sobre culinária regional<br />

e harmonização com cachaça<br />

ou mesmo tendo a bebida como<br />

ingrediente das melhores receitas.<br />

- 1º Concurso Cacharitiba de Coquetéis:<br />

criado para incentivar o uso da<br />

cachaça na coquetelaria. Este concurso<br />

teve como curador o bar Ananã,<br />

especializado na arte da mixologia<br />

e uma das referências na região<br />

quando o assunto são drinques.<br />

Bartender Emiliano Lauriano<br />

Nesta primeira edição do concurso,<br />

o vencedor foi o bartender Emiliano<br />

Lauriano com o coquetel Companheiras.<br />

“Foi o primeiro concurso<br />

que participei, e com o destilado<br />

que eu mais gosto. A cachaça é o<br />

destilado muito bom e pouco explorado”,<br />

destaca o campeão dessa<br />

primeira edição do concurso.<br />

Para ele, como profissional da<br />

área, a presença no Cacharitiba é<br />

muito importante. “Conhecia algumas<br />

marcas, mas poder conhecer<br />

os produtores é uma experiência<br />

única. A Companheira me chamou<br />

atenção pela história do Sr.<br />

Natanael e também do alambique”.<br />

O nome drinque vencedor de Emiliano<br />

leva o nome de Companheiras,<br />

remetendo também às cachaças<br />

utilizadas. “Me inspirei no<br />

chamado Hotel Nacional Special.<br />

Fiz uma releitura trocando o rum<br />

pela cachaça e alguns ajustes. Seria<br />

um coquwtel que eu beberia”.<br />

A receita do bartender traz limão,<br />

abacaxi Orgeat (xarope de leite<br />

de amêndoas), licor de pêssego e<br />

blend de duas cachaças do alambique<br />

Companheira, a versão Castanheira<br />

e a versão Imburana.<br />

“Sou supernovo nessa área, mas<br />

me vejo trabalhando no lugar que<br />

eu queria, no Ananã, um bar de<br />

cocktail focado em cachaça”, finaliza<br />

Emiliano.<br />

Também participaram da competição<br />

outros excelentes nomes da<br />

coquetelaria paranaense: Oberdan<br />

Batista, do La Champagneria;<br />

10


<strong>Premium</strong> Drink List<br />

Jhonatan Arcants “Cannis” do Bar<br />

Boulevard; Ana Carolina, do Ponto<br />

Gin, e Cris Almorin, do Punch<br />

Drink e CO.<br />

VITRINE DA CACHAÇA<br />

Anualmente o Cacharitiba traz à<br />

capital paranaense algumas das<br />

melhores cachaças e bebidas mistas<br />

do País, permitindo a degustação,<br />

a interação público-produtor<br />

e aos profissionais da área conhecerem<br />

e selecionarem as melhores<br />

opções para sua carta. Além disso<br />

são realizadas visitas à alambiques<br />

paranaenses, como ao da premiada<br />

Cachaça Porto Morretes, no litoral<br />

do Paraná.<br />

Entre os expositores deste ano do<br />

Cacharitiba estava a cachaça mineira<br />

Colombina, com sede na cidade<br />

de Alvinópolis. Com quase<br />

100 anos de história, a Colombina<br />

surgiu em 1920 e é uma das referência<br />

de alambiques na Estrada<br />

Real, considerada hoje a maior<br />

rota turística do País, com mais de<br />

1.600 km de extensão, passando<br />

por Minas Gerais, Rio de Janeiro e<br />

São Paulo.<br />

Produto de excelência, a Colombina<br />

recebeu neste ano Medalha de<br />

Prata na categoria Brancas Puras<br />

no Concurso de Degustação às Cegas<br />

da Expocachaça, um dos maiores<br />

e mais importantes concursos<br />

anuais de destilados no País.<br />

Na linha de produtos da empresa,<br />

estão a Cachaça Colombina Cristal,<br />

a Colombina 3 anos (que passar<br />

por armazenamento em paróis<br />

de jatobá), a Colombina Chita (que<br />

é um blend de Cachaças Envelhecidas<br />

em Jatobá), a Cachaça Colombina<br />

10 anos (jatobá).<br />

“A Colombina preza por ser uma cachaça<br />

de qualidade. Todos os nossos<br />

produtos são elaborados no mesmo<br />

local e não absorvemos cachaças de<br />

terceiros, nem tampouco serviços de<br />

outros alambiques. Fazemos a nossa<br />

cachaça em casa, para que tenhamos<br />

o controle da qualidade dos<br />

processos e da matéria-prima. Com<br />

quase 100 anos de história, temos<br />

uma grande responsabilidade com<br />

as nossas tradições. No caso da nossa<br />

premiada Colombina Cristal, podemos<br />

destacar primeiramente o aspecto<br />

visual cristalino e a densidade<br />

com excelente retenção nas paredes<br />

Nas mãos do produtor<br />

Luciano Souto, a<br />

Colombina 10 Anos, que<br />

está entre as 30 melhores<br />

do País segundo o<br />

último Ranking Cúpula<br />

da Cachaça<br />

do copo. Os aromas são adocicados<br />

e lembram os da cana e da fermentação<br />

no engenho. Os sabores são<br />

aveludados,<br />

com memória de castanhas e<br />

chocolate, baixa percepção alcoólica<br />

e elevado drinkability’”,<br />

destaca Luciano Barbosa Souto,<br />

CEO da empresa.<br />

Mais informações sobre a Colombina:<br />

comercial@cachacacolombina.<br />

com.br e www.cachacacolombina.<br />

com.br .<br />

11


<strong>Premium</strong> Drink List<br />

SELEÇÃO ESPECIAL<br />

Conheça outras excelentes opções apresentadas no Cacharitiba 2018<br />

Casa Bucco: a versão envelhecida<br />

da empresa também está<br />

posicionada entre as 10 melhores do<br />

Brasil segundo o Ranking Cúpula da<br />

Cachaça. Um dos destaques que pode<br />

atender muito bem a área de coquetelaria<br />

é o Licor Fino Café, que ano<br />

passado faturou a Medalha de Ouro<br />

Duplo na edição brasileira do Concours<br />

Mondial de Bruxelles. Ele é elaborado<br />

a partir de criteriosa seleção<br />

de café gourmet, combinado aos finos<br />

destilados da Casa Bucco. É um licor<br />

fino, de incrível aroma de café recém-<br />

-preparado, despertando o desejo por<br />

mais uma dose. Mais informações<br />

http://www.casabucco.com.br .<br />

Salinas: proveniente da emblemática<br />

cidade no Norte de Minas<br />

reconhecida como um pólo de<br />

cachaças lendárias e de alta qualidade,<br />

a empresa está no mercado<br />

desde 1986, mas a família vem<br />

produzindo a bebida há mais de<br />

três gerações. Chama bastante a<br />

atenção na linha a Salinas Limited,<br />

uma cachaça premium apresentada<br />

anualmente em edição numerada<br />

e limitada a apenas 365 unidades<br />

por ano. Armazenada em tonéis de<br />

bálsamo e envelhecida em barris de<br />

carvalho europeu, traz notas notas<br />

discretas de mel, baunilha e toques<br />

defumados e hamorniza muito bem<br />

com carnes de caça e queijos maturados.<br />

Informações: http://www.<br />

cachacasalinas.com.br .<br />

12


Matuta: há 15 anos no mercado, a<br />

Matuta, que tem sede na Paraíba, é uma<br />

das maiores produtoras do País. É produzida<br />

no Engenho Vaca Brava, tradicional<br />

desde 1865, famoso por seus solos férteis<br />

e de fino doce. Na linha da empresa estão<br />

a Matuta Cristal e Matuta Umburana,<br />

ambas em garrafas de vidro e em lata,<br />

inclusive sendo a primeira e única cachaça<br />

de alambique nessa versão. Excelente<br />

para drinques, a versão cristal é uma<br />

cachaça branca bidestilada, armazenada<br />

em recipientes de inox. Também pode ser<br />

apreciada pura. Informações: https://<br />

www.matuta.com.br .<br />

Maria João: a presença dos alambique gáuchos foi<br />

bem expressiva nesta edição do Cacharitiba. Neste ano dois<br />

rótulos da empresa receberam medalhas no Concurso de Degustação<br />

às Cegas da Expocachaça: Maria João Amburana<br />

e Maria João <strong>Premium</strong>. Vale destacar na linha, a Maria João<br />

Coqueteleira, de excelente custo-benefício. Foi desenvolvida<br />

especialmente para drinks, coquetéis e batidas. Descansada<br />

por um ano em dornas de inox, proporcionando um destilado<br />

suave e com aroma frutado. Mais detalhes: http://www.<br />

cachacariamariajoao.com.br/<br />

13


<strong>Premium</strong> Drink List<br />

Hof: de Serra Negra, em SP, a<br />

microdestilaria boutique Hof também<br />

é outra colecionadora de medalhas<br />

e que, além das excelentes cachaças<br />

e licores, conta com uma linha<br />

diferenciada de gins. Entre os destaques<br />

da empresa estão as versões<br />

premium e super premium do rótulo<br />

Alma da Serra. Com sabor e texturas<br />

bem marcantes, a primeira (rótulo<br />

azul) passa por envelhecimento em<br />

barril de carvalho americano. Já a<br />

outra (rótulo preto) é uma Reserva<br />

Especial Extra <strong>Premium</strong> (OAK<br />

AGED). Foram apenas 300 garrafas<br />

numeradas. Essa cachaça passa por<br />

envelhecimento de 5 anos em barril<br />

de carvalho americano anteriormente<br />

usado para whisky. É uma cachaça<br />

elegante, com sabor apurado, textura<br />

suavizada e aroma amadeirado. Mais<br />

informações: http://www.microdestilariahof.com.br<br />

.<br />

Taverna de Minas:<br />

de Lagoa Santa, MG, a Taverna<br />

de Minas teve diversos<br />

produtos premiados em 2018<br />

e 2017 na edição brasileira do<br />

Concurso Mundial de Bruxelas.<br />

Destaque e novidade da empresa<br />

premiada na Expocachaça<br />

2018, a Taverna Mineira é um<br />

blend de três diferentes barris:<br />

amburana, bálsamo e carvalho.<br />

Traz as notas de baunilha e<br />

canela da Amburana, o acastanhado<br />

do Carvalho e o toque<br />

final no retrogosto com notas<br />

herbáceas vindas do bálsamo.<br />

Saiba mais em http://tavernademinas.com.br<br />

.<br />

14


<strong>Premium</strong> Drink List<br />

Cachaçaria Harmonie Schnaps: esse alambique também<br />

gaúcho tem uma produção artesanal de no máximo 30 mil litros por<br />

ano. O destaque da empresa é a versão Extra <strong>Premium</strong> Reserva Especial<br />

2004, envelhecida por 10 anos em barris de Carvalho Americano. Foram<br />

elaboradas apenas 1.200 garrafas e todos os exemplares são numerados.<br />

É marcada por um intenso aroma com notas de tabaco e baunilha com<br />

um paladar suave e levemente adocicado. Mais informações: http://www.<br />

harmonieschnaps.com.br .<br />

Chico Mineiro: a marca é uma homenagem ao lendário e folclórico<br />

peão de boiadeiro, cantado em verso e prosa, e sobretudo uma homenagem<br />

ao fundador e pioneiro João Xavier, que por mais de meio século, cavalgou<br />

as estradas do Centro Oeste mineiro, levando e trazendo boiadas, e que deixou<br />

de herança para filhos, netos e sobrinhos o amor pela vida rural, pela<br />

pecuária principalmente o gosto pela boa cachaça de Minas. Na linha estão<br />

as versões Ouro e Prata. A primeira passa por envelhecimento mineiro de<br />

dois anos em barril de carvalho. sua graduação alcoólica é de 40%. Já a<br />

Chico Mineiro Prata não passa por descanso em madeira e tem graduação<br />

de 42%. Mais informações: https://www.cachacachicomineiro.com.br<br />

15


<strong>Premium</strong> Drink List<br />

Bernardo Milano: linha distribuída pela<br />

Vô Milano, a cachaça com uva Bernardo Milano, é<br />

um produto especial, que conta com mais de 100<br />

anos de tradição familiar, passada de pai para filho.<br />

Bernardo Milano era um imigrante italiano, que<br />

morava em uma pequena chácara, localizada a 100<br />

metros de onde hoje é o Jardim Botânico de Curitiba.<br />

Bernardo possuía um amplo pomar em sua propriedade,<br />

e dentre as diversas frutas plantadas, ele tinha<br />

alguns pés de uva Terci, e todos os anos, separava<br />

uma parte da produção para misturar com cachaça e<br />

armazenar para consumo próprio.<br />

Seu neto, Celso Luiz Girardello, aprendeu com o avô<br />

a técnica e a receita, resolvendo então produzir comercialmente<br />

essa deliciosa bebida. Sua produção é<br />

artesanal e limitada a aproximadamente 2000 garrafas<br />

por ano. Vendas: http://www.vomilano.com.br/ .<br />

Sanhaçu: orgânica, a cachaça Sanhaçu é produzida<br />

em canavial próprio e o egenho é um dos pouco no<br />

País 100% sustentável. A destilação da cachaça Sanhaçu<br />

ocorre em alambiques de cobre, o que propicia características<br />

especiais de aroma e sabor. O armazenamento<br />

acontece por um período mínimo de dois anos em três<br />

tipos diferentes de madeira. Entre os destaques da empresa<br />

está a Sanhaçu Umburana, que tem notas de canela<br />

com um toque de especiarias. Pode acompanhar pratos<br />

salgados, mas a sua harmonização é perfeita com doces,<br />

sobretudo bolo de rolo (patrimônio cultural do Estado de<br />

Pernambuco), sorvetes e salada de frutas. Outras informações:<br />

http://www.sanhacu.com.br .<br />

16


<strong>Premium</strong> Drink List<br />

Porto Morretes: referência<br />

da primazia da nova geração<br />

de cachaças de alambique, a<br />

empresa figura entre as 30 melhores<br />

do País, em um mercado<br />

cujo estimativa ultrapassa mais<br />

de 3 mil marcas devidamente<br />

registradas. Na linha, um dos<br />

destaques é Porto Morretes Tradição<br />

<strong>Edição</strong>, uma cachaça que<br />

segue toda uma tradição de 100<br />

anos de produção. Ela passa por<br />

envelhecimento de 6 anos, tem<br />

cor dourada e aromas intensos<br />

de frutas em calda, baunilha e<br />

wafer. Doce e equilibrada, suave,<br />

mas com personalidade, remete<br />

no sabor ao carvalho tostado,<br />

com especiarias, amêndoas e<br />

biscoito. A excelente persistência<br />

de boca, prolonga a agradável<br />

experiência de degustar uma<br />

cachaça única, que resgata a<br />

tradição e o terroir de Morretes.<br />

Mais informações: https://www.<br />

portomorretes.com.br<br />

Genuína Jambu: de<br />

Belém, PA, é um produto totalmente<br />

artesanal. Está disponível<br />

nas versões Tradicional, Jambu<br />

& Pimenta, Jambu & Açaí, Jambu<br />

& Cupuaçu, Jambu & Bacuri,<br />

Jambu & Castanha, Jambu &<br />

Guaraná, e Jambu Gourmet, entre<br />

outras. Essa última foi desenvolvida<br />

especialmente para o uso em<br />

receitas culinárias, mas também<br />

em drinques, trazendo um sabor<br />

amazônico e diferenciado para<br />

as receitas. Mais informações:<br />

http://genuinasp.com.br .<br />

17


<strong>Premium</strong> Drink List<br />

Bento Albino: Medalha de Prata no Concurso Mundial de<br />

Bruxelas <strong>Edição</strong> Brasil 2018 com sua versão Amburana, a Bento<br />

Albino é uma cachaça artesanal produzida na cidade gaúcha de<br />

Maquiné, RS, numa região na qual, desde o inicio do século passado,<br />

ficou famosa por suas aguardentes. Com envelhecimento por<br />

seis anos, a Bento Albino Extra <strong>Premium</strong> é um dos principais destaques,<br />

principalmente para apreciação de um destilado puto e de<br />

altíssima qualidade. A empresa conta ainda com uma excepcional<br />

linha de licores como chocolate, canela, e banana. Linha completa<br />

no site: https://www.bentoalbino.com.br .<br />

Weber Haus: considerada uma das principais destilaria do País,<br />

com produtos premiadíssimos dentro e dora do Brasil, a Weber Haus<br />

tem um linha bem ampla de produtos, com destaque, por exemplo para<br />

sua linha de gins premium. Neste ano a empresa relançou a sua cachaça<br />

Primavera, que foi a primeira marca comercial da empresa. A bebida<br />

lançada no ano de 1969 e que fez sucesso por 30 anos passa por seis<br />

meses de armazenamento em barricas de cabriúva. Informações e pedidos:<br />

http://www.weberhaus.com.br .<br />

18


<strong>Premium</strong> Drink List<br />

Gouveia Brasil: a empresa, de Turvolândia, MG, foi novamente<br />

medalhista no Spirits Selection 2018, um dos maiores concursos<br />

mundiais de destilados. Entre os destaques da linha da empresa está o<br />

Licor Fino de Cachaça, produto único no mercado é fruto de uma receita<br />

centenária de família, com deliciosos elementos regionais. Ele leva na<br />

composição tangerina, marolo, gengibre, capim cidreira, amêndoas e especiarias,<br />

além da cachaça branca de alambique artesanal. É uma bebida<br />

densa, brilhante e extremamente delicada, que pode ser servida pura<br />

para degustação e também acompanhar muito bem doces, sobremesas<br />

sofisticadas e café. Outras informações: www.gouveiabrasil.com/ .<br />

Terra Vermelha: orgânica, a cachaça Terra Vermelha completará<br />

20 anos em 2019. É uma das maiores empresas nacionais produtoras<br />

de Cachaças Artesanais e Orgânica, ou seja, de qualidade. A cana<br />

de onde se origina essa cachaça é cultivada em um dos melhores solos<br />

do planeta: a terra vermelha do sul do Brasil, conhecida a princípio pelas<br />

grandes fazendas de café e hoje um dos maiores produtoras de soja<br />

do mundo. O Engenho Terra Vermelha é uma empresa ecologicamente<br />

correta e socialmente integrada. Com 40% de teor alcoólico, o produto<br />

passa por armazenamento em tonéis de jequitibá rosa. Mais detalhes:<br />

http://www.engenhoterravermelha.com.br .<br />

19


<strong>Premium</strong> Drink List<br />

Cachaça Companheira:<br />

em 2018, a empresa que também é<br />

paranaense, foi premiada no Spirits<br />

Selection 2018, um dos mais renomados<br />

concursos mundiais. Além disso,<br />

sua versão extra premium está entre<br />

as três melhores do Brasil segundo o<br />

ranking Cúpula da Cachaça. Um dos<br />

destaques da empresa é a versão extra<br />

premium Cachaça Companheira 12<br />

anos, uma edição limitada muito refinada,<br />

lançada no finalzinho de 2017.<br />

Com blend de 6 outras versões assinado<br />

por 4 especialistas, a Companheira<br />

12 anos é apresentada em garrafa<br />

francesa serigrafada, com gargalo<br />

em cobre, tampa de vidro e cortiça,<br />

numeração em placas de cobre. Mais<br />

informações: https://cachacacompanheira.com.br<br />

.<br />

Gogó da Ema: também<br />

multipremiada nacional<br />

e internacionalmente, essa<br />

cachaça alagoana recebeu<br />

de forma inédita mais uma<br />

importante premiação para o<br />

Brasil, desse vez em Londres,<br />

no Reino Unido: Medalha de<br />

Duplo Ouro para a sua Gogó<br />

da Ema Reserva no Concurso<br />

Women’s Wine & Spirits<br />

Awards, no qual onde o<br />

jurado é todo selecionado por<br />

mulheres especialistas no<br />

segmento. Armazenada por<br />

6 anos em tonéis de jequitibá<br />

rosa e bálsamo, é uma<br />

cachaça macia de aromas<br />

agradáveis e bom equilíbrio.<br />

A empresa também lançou<br />

em 2019 cervejas artesanais<br />

na sua linha de produtos<br />

finos. Outras informações:<br />

http://www.cachacagogodaema.com.br<br />

20


<strong>Premium</strong> Drink List<br />

Velho Alambique: também provinda<br />

do Rio Grande do Sul, a Velho Alambique<br />

é outra empresa multipremiada. Um dos destaques<br />

na linha é a cachaça Velho Alambique<br />

Carvalho, envelhecida em barris que inserem<br />

na bebida aroma, sabor e cor únicos. É produzida<br />

pelas famílias Remus e Bettinelli, que<br />

deram continuidade a uma cultura local de<br />

mais de 100 anos de tradição na elaboração<br />

de excelentes cachaças. Toda linha é produzida<br />

a partir de cana cultivada de forma orgânica,<br />

sem uso de qualquer tipo de agrotóxico.<br />

Mais informações: velhoalambique-rs.com.br.<br />

Régis Armmont: Fundada em 1998, a empresa,<br />

com sede em Piedade do Paraopeba, distrito<br />

de Brumadinho, interior de Minas Gerais, é especialista<br />

na fabricação da legítima cachaça mineira,<br />

que segue uma receita familiar secular. A marca<br />

vem conquistando o mercado com outros produtos<br />

também, como os licores feitos com frutas brasileiras,<br />

como o pequi e a jabuticaba, assim como o<br />

licor de gengibre, canela, vinho tinto, café e mais<br />

recentemente, de laranja. Na linha de cachaças,<br />

entre os destaques está a Cachaça Amarela Domina<br />

Suave. Seu nome significa “Doce Senhora” em latim.<br />

A bebida passa por armazenamento em barris de<br />

Jatobá, madeira nobre brasileira. No olfato, remete à<br />

baunilha e caramelo; no palato novamente baunilha,<br />

canela e rosas. Mais informações: https://armazemarmmont.com.br<br />

.<br />

21


<strong>Premium</strong> Drink List<br />

Bassi: paranaense de<br />

Santa Mariana, a Cachaça<br />

Bassi tem entre os destaques<br />

da sua linha a versão<br />

Bálsamo, com graduação<br />

alcoólica de 41%. Ela passa<br />

por um ano de envelhecimento<br />

nessa madeira, o<br />

que concede ótima suavidade<br />

e um toque sutil de<br />

anis. Já a versão Bassi<br />

Prata levou passa por um<br />

ano de envelhecimento<br />

em em tonéis de amendoim,<br />

o que também traz<br />

à bebida maior suavidade.<br />

Os produtos podem<br />

ser encontrados em lojas<br />

online especializadas como<br />

a Vô Milano e Cachaçaria<br />

Nacional. Vale mencionar<br />

ainda a Bassi Ouro, que<br />

leva em sua composição<br />

cachaças descansadas em<br />

tonéis de amendoim por<br />

1 ano e envelhecidas em<br />

barris de carvalho (europeu)<br />

por mais 1 ano. O<br />

descanso no amendoim<br />

reduz sua acidez e o carvalho<br />

acrescenta sabores e<br />

aromas amadeirados com<br />

leves notas de baunilha,<br />

No site da empresa ( www.<br />

cachacabassi.com.br ) há<br />

uma loja virtual que facilita<br />

a compra dos produtos.<br />

22


23


In Praesentia<br />

CONVERSA<br />

COM QUEM PRODUZ<br />

Ao longo de 2018 fomos à fonte de rejuvenescimento do destilado brasileiro e trouxemos<br />

destaques que estão impulsionando este ótimo momento do espírito nacional<br />

Quantidade não é tudo, mas é também<br />

um indicador de quem acompanha<br />

o mercado: quantas marcas<br />

você conhece de cachaça? Quantos<br />

produtores há em seu Estado?<br />

Quantos são premiados nacional<br />

e internacionalmente? Sabiam<br />

que muitos atuam como excelentes<br />

destilarias e fabricam gim premium,<br />

bebidas mistas e produtos<br />

que vêm conquistando realmente<br />

o mercado? E a pergunta mais relevante:<br />

das empresas ou rótulos<br />

realmente reconhecidos e desejados<br />

pelos consumidores, quantos<br />

deste você já tem na carta do seu<br />

empreendimento?<br />

Segundo o Instituto Brasileiro da<br />

Cachaça (Ibrac), o Brasil têm hoje<br />

mais de 40 mil produtores de cachaça<br />

que movimentam um mer-<br />

24


In Praesentia<br />

cado de cerca de R$ 7 bilhões por ano. Porém, o próprio setor estima<br />

que apenas 10% desse número corresponda ao número de produtores<br />

legalizados. Já o Censo Agropecuário do IBGE de 2017 traz um número<br />

bem menor, pouco mais de 11 mil produtores, dos quais cerca de<br />

15% são registrados, completando algo perto de 4 mil marcas.<br />

É notória sim a diferença nos números. Mas acompanhando de perto<br />

o mercado, estimamos em mais de 10 mil os produtos presentes no<br />

segmento, já que cada produtor tem em média mais de 10 rótulos<br />

entre licores, bebidas mistas, versões de cachaça pura ou envelhecida<br />

nos mais diferentes barris, edições especiais blendadas entre muitos<br />

outros itens.<br />

E pelo País afora - com exceção de bares especializados (as conhecidas<br />

cachaçarias, que deveriam ou podem virar nossa versão dos “whisky<br />

bars”) - esses produtos ainda não são devidamente explorados e é<br />

incomum encontrar cartas com mais de 10 rótulos ou nas quais a<br />

cachaça seja a estrela na composição dos drinques.<br />

Muitas vezes, proprietários sempre nos trazem a seguinte pergunta:<br />

“mas cachaça vende?”. E quando<br />

abordamos diretamente à mesa, vem<br />

a afirmação: “Não tenho mais na carta,<br />

pois não tem demanda, mas realmente<br />

não conheço muitas marcas”.<br />

Nossa reposta é exemplificada com o<br />

boom do gim, afinal quem diria há 5<br />

anos atrás que esse destilado se tornaria<br />

a estrela de cartas de drinques<br />

no Brasil e no mundo; que o G&T superaria<br />

a nossa tradicional caipirinha<br />

em número de pedidos? Apenas quem<br />

acompanha realmente os movimentos<br />

do mercado nacional e internacional<br />

pôde faturar alto sendo pioneiro<br />

em apostar que isso aconteceria. E<br />

vamos dar a dica: nossa aposta é a<br />

cachaça para os próximos anos.<br />

Respondendo aos questionamentos<br />

acima, cachaça vende e muito bem!<br />

Segundo estimativas da consultoria<br />

Euromonitor International apresentadas<br />

durante a Cachaça Trade Fair,<br />

feira de negócios que por sua vez<br />

surgiu pelo crescimento movimento<br />

e crescimento da bebida, o volume<br />

de litros consumidos da típica bebida<br />

brasileira deve crescer 0,6% em<br />

2018, passando a 523,2 milhões e<br />

movimentando R$ 14 bilhões no mercado<br />

nacional. Já entre 2017 e 2022,<br />

a estimativa é que as vendas do espírito<br />

nacional subam 5,1%, passando<br />

a 546 milhões de litros consumidos.<br />

Isso representa um mercado de R$<br />

15,7 bilhões.<br />

Já no que se refere às exportações,<br />

no ano passado a cachaça movimentou<br />

um mercado avaliado em R$ 10<br />

bilhões. Mais de 60 países, entre eles<br />

grandes consumidores de destilados<br />

como os EUA, Alemanha, França e<br />

Portugal, receberam a produção brasileira.<br />

Foi um crescimento de mais<br />

de 13% em valor e de quase 5% em<br />

volume de bebidas. A maior presença<br />

da bebida nos mercados europeu e os<br />

inúmeros prêmios conquistados, desbancando<br />

concorrentes como uísque,<br />

rum, vodca e outros, vêm ajudando<br />

a popularizar ainda mais o destilado<br />

nacional, ainda que em um ritmo<br />

aquém do que poderia.<br />

Sim, demanda existe. E, convenha-<br />

25


In Praesentia<br />

mos, ela nasce, cresce e se reproduz às vezes exponencialmente,<br />

e quem se antecipa fatura muito mais. E é melhor ser refência,<br />

se atentar e aproveitar a oportunidade em alta, faturando muito<br />

mais, do que se tornar lugar-comum.<br />

“NÃO CONHEÇO<br />

MUITAS MARCAS”<br />

O mundo da gastronomia e da alimentação fora do lar é também um<br />

mercado de grande concorrência. Quanto melhor o serviço na área,<br />

quanto mais diferenciais, maiores as chances de fidelização de clientes.<br />

Apostar no regionalismo, na culinária típica, nos produtos locais,<br />

na sazonalidade, nos produtos exclusivos, tudo isso pode ajudar<br />

a manter bons níveis de ocupação e faturamento. O mercado de<br />

bebidas finas há um bom tempo já valoriza o conceito de Origem,<br />

de Terroir, de Autóctones, isto porque o cliente, o consumidor quer<br />

provar experiências e exclusividades.<br />

Por isso, em todas edições da <strong>Carta</strong> <strong>Premium</strong> trazemos um sem-<br />

-número de produtores, cada um com suas particularidades, diferenciais<br />

e histórias. Sim, quem está no mercado de A&B oferece<br />

muito além de um produto, oferece experiências, valor agregado<br />

com histórias e tradições. Nosso intuito é ajudar o mercado de<br />

excelência a se apresentar aos empreendimentos de excelência. E<br />

vamos, claro, aos bons exemplos.<br />

Famosa região vinícola do País, o Sul também agora tem se consagrado<br />

por ter algumas das melhores cachaças brasileiras, muitas premiadas<br />

internacionalmene e exportadas. Você, leitor, profissional de<br />

bar e restaurante, conhece por exemplo a Cachaça do Conde?<br />

Produzida em Orleans, SC, na localidade de Barracão, a Do Conde<br />

já é conhecida em diversas regiões e faz sucesso em feiras e eventos.<br />

Sua história remete aos bons exemplos dessa nova geração<br />

de destilados brasileiros, que une à tradiçao às melhores e mais<br />

modernas técnicas de produção e até estudos científicos.<br />

“Foi em 2014 que se origem nosso um projeto empreendedor. Eu,<br />

juntamente com meu sócio, Clodoaldo de Souza, resolvemos se<br />

qualificar e investir no ramo da cachaça. Após um curso de especialização<br />

realizado em Minas Gerais, voltei para a comunidade<br />

de Barracão, onde resido e coloquei em prática os ensinamentos.<br />

Com uma técnica diferenciada, a empresa que iniciou produzindo<br />

15 mil litros da bebida por ano, atualmente produz cerca de 40 mil<br />

litros e já é produto conhecido pelo Estado, pela sua qualidade e<br />

sabor”, enfatiza o diretor Henrique Perin Orben.<br />

RAIO X: CACHAÇA DO CONDE<br />

Atualmente a empresa conta com 10 hectares de plantação de<br />

cana. A intenção, no entanto, é logo aumentar para 12 e o objetivo<br />

é chegar em 20 hectares. Para dar conta de todo os trabalhos, três<br />

funcionários trabalham na roça no corte da cana e outros três são<br />

responsáveis pelo carregamento, moagem e limpeza. Quem supervisiona<br />

e destila a cachaça é Henrique, já que ele foi qualificado<br />

para a função.<br />

“É uma produção legitimamente artesanal. Nossa técnica é diferenciada<br />

e faz com que o resultado seja mais satisfatório. A cada destilação<br />

é separado a o que chamamos de ‘cabeça’ e ‘calda’, que são<br />

os primeiros e últimos líquidos produzidos. O primeiro é um álcool<br />

26


In Praesentia<br />

praticamente puro e o último<br />

é uma água mais fraca. Utilizamos<br />

somente o coração da<br />

cachaça, pois dessa forma o<br />

resultado é satisfatório e não<br />

causa bafo nem dor de cabeça.<br />

Acaba sendo uma bebida<br />

de melhor qualidade”, explica<br />

o produtor. “A cada 1,2 litros<br />

de caldo da cana colocados no<br />

processo, aproximadamente<br />

de 10 a 12% se transformam<br />

na bebida alcoólica comercializada.<br />

Todos os produtos são<br />

mantidos em armazenamento<br />

por um tempo indeterminado<br />

em pipas ou em barris de madeira,<br />

dividindo-se em cachaça<br />

tradicional, cachaça envelhecida<br />

no carvalho, amburana e<br />

bálsamo”, complementa.<br />

No ano passado, a versão Cachaça<br />

do Conde Bálsamo recebeu<br />

uma Medalha de Prata<br />

no maior concurso do País de<br />

degustação às cegas, o da Expocachaça<br />

2018. “A cachaça<br />

premiada foi produzida no ano<br />

2015 e ficou armazenada nos barris durante<br />

2 anos. O bálsamo é uma madeira<br />

de origem brasileira, indicada para o<br />

envelhecimento de cachaça. Adquirimos<br />

esta madeira como um diferencial e ver<br />

como seria sua aceitação no mercado.<br />

Para nós foi uma conquista, pois estamos<br />

no mercado há apenas 5 anos e já<br />

conseguirmos tal premiação é de grande<br />

importância no setor. Acreditamos que<br />

nossa cachaça conquistou os jurados<br />

por ser de ótima qualidade e por ter um<br />

sabor e aroma da verdadeira cachaça<br />

envelhecida em barril de bálsamo.<br />

Históra: Henrique também aproveita<br />

para comentar um pouco da alma brasileira<br />

e rica tradição da região. “A história<br />

conta que por ocasião do casamento de<br />

‘Suas Altezas Imperiais’, a Princesa Isabel<br />

Cristina Leopoldina Augusta Michaela<br />

Gabriela Rafaela Gonzaga de Bragança<br />

e o Conde d´Eu, ocorrido em 15 de<br />

outubro de 1864, foi determinado pelo<br />

Imperador Dom Pedro II e pela Imperatriz<br />

Teresa Cristina um dote de terras.<br />

É exatamente neste lote que mais tarde<br />

parte se tornou o município de Orleans.<br />

Escolhemos como o nome de nossa cachaça<br />

(Cachaça Do Conde) com grande<br />

respeito a Alteza Real, Conde d’ Eu. Orleans<br />

dispõe de vários pontos turísticos<br />

como museu ao ar livre, esculturas do<br />

paredão e vinícola. É passagem para a<br />

subida da Serra Do Rio Do Rastro e dispõe<br />

de hospedagens a 12 km da nossa<br />

empresa. Estamos abertos a visitações.<br />

odos que desejarem poderão nos visitar<br />

e conhecer todo processo de fabricação.<br />

Pedimos apenas que entrem em contato<br />

para agendar o seu horário”.<br />

Informações completas e mais detalhes<br />

das bebidas premiadas da empresa estão<br />

disponíveis na página da empresa<br />

no Facebook ou podem ser obtidas pelo<br />

telefone (48) 99941-1729 e email cachacariaorben@gmail.com<br />

.<br />

DE SC PARA MG<br />

Fundada por Antônio Claret Sales, em<br />

1993, ou seja, há 25 anos no mercado, a<br />

Cachaça Bocaina é outro bom exemplo<br />

de referência no mercado de destilado<br />

nacional. Também recebeu a Medalha<br />

de Prata neste ano no Concurso de De-<br />

27


In Praesentia<br />

DE MG PARA O ES<br />

A Cachaça Santa Terezinha é outro exemplar<br />

de muito requinte, tradição e primazia. Começou<br />

a ser produzida por imigrantes italianos que<br />

chegaram ao Brasil em 1895 e se instalaram na<br />

região do Vale do Canaã, em Santa teresa, no<br />

ES. “Eles já tinham produzido grapa na região<br />

de Emilia Romanha na comunidade de Codigoro.<br />

Na verdade vieram com a finalidade do plantio<br />

de café. Começaram a produzir aguardente<br />

por volta de 1917, mas o primeiro registro é de<br />

1943. A imagem principal foi feita a partir dos<br />

anos de 1970. A diversidade de sabores e a alta<br />

qualidade adquirida com estes anos de produção<br />

proporcionaram aos consumidores bebidas com<br />

sabor superior”, detalha Adwalter Menegatti atual<br />

produtor e Mestre de Adega.<br />

A destilaria Canto do Sabia onde é produzida a cagustação<br />

às Cegas da Expocachaa 2018. É produzida no<br />

município de Lavras.<br />

“A Cachaça Bocaina preza em sua produção a qualidade<br />

da matéria-prima (cana-de-açúcar), que só é processada<br />

quando atinge o índice de maturação (IM) ideal. A fermentação<br />

é realizada por leveduras selecionadas no próprio<br />

microclima da fábrica e a destilação em alambique de cobre.<br />

Além de se associar a tecnologia ao processo artesanal,<br />

o conhecimento, a dedicação e o carinho na produção<br />

são os ingredientes principais para se obter um produto de<br />

qualidade” afirma Luciane Reis Sales, responsável técnica<br />

e sócia-proprietária. “Nossa história se iniciou de uma forma<br />

simples e se tornou o negócio da família. Além de experiências<br />

anteriores no setor sucroalcooleiro, a inspiração<br />

para a criação da Bocaina foi o movimento de valorização<br />

da cachaça pelo governo de Minas Gerais neste período,<br />

além da paixão por se apreciar uma legítima cachaça mineira<br />

de qualidade”, complementa.<br />

Presente em empreendimentos de referência como<br />

Confidências Mineira (em Tiradentes, MG), Cachaçaria<br />

e Empório do Dedé (em Manaus, AM), Empório<br />

Lidador (Rio de Janeiro, RJ), a empresa tem<br />

na linha as versões Cachaça Bocaina Jequitibá,<br />

Cachaça Bocaina Castanheira e Cachaça Bocaina<br />

Bálsamo, além da versão pura (não envelhecida),<br />

licores e reservas especiais. Entre os destaques<br />

está a Jequitibá, que foi lançamento da empresa<br />

no primeiro semestre do ano.<br />

“A Cachaça Bocaina Jequitibá apresenta graduação<br />

alcoólica de 42%. Descansa por 2 anos em<br />

dornas de jequitibá, madeira neutra que não dá<br />

cor nem sabor amadeirado, conservando suas características<br />

originais, sendo possível sentir o leve<br />

aroma adocicado da cana. Essa bebida, além de<br />

ser uma ótima opção para se apreciar pura, pode-<br />

-se também fazer caipirinha, drinques e também<br />

ser utilizada na culinária, uma vez que ela harmoniza<br />

muito bem com frutas e carnes”, enfatiza<br />

Luciane.<br />

Aos interessados em uma visita para conhecer de<br />

perto todo o valor agregado que cerca a bebida, a<br />

Cachaça Bocaina é considerada pela Prefeitura de<br />

Lavras como ponto turístico da cidade. “Recebemos<br />

visitantes do mundo inteiro para conhecer a<br />

produção e degustar a cachaça direto dos tonéis.<br />

Além da cachaça e dos licores, trabalhamos com<br />

doces, café, queijos e artesanatos produzidos na<br />

região”, finaliza.<br />

Mais informações pelo telefone (35) 3821-6895,<br />

pelo e-mail cachacabocaina@yahoo.com.br e na<br />

página da empresa na web, no endereço www.cachacabocaina.com.br<br />

.<br />

28


In Praesentia<br />

chaça Santa Terezinha e também<br />

a marca Engenhosa fica na cidade<br />

Marechal Floriano, em meio às<br />

montanhas capixabas, a 50 km<br />

de Vitória, região abençoada com<br />

muita floresta da Mata Atlântica,<br />

nativa, uma das poucas ainda bem<br />

preservadas. É cortada pelo Rio<br />

Jucu que abastece a grande Vitória<br />

com sua água limpa e abundante.<br />

A cidade de Marechal Floriano<br />

também é conhecida por suas<br />

orquídeas, sendo reduto mundial<br />

com diversos livros publicados sobre<br />

o assunto.<br />

Atualmente a linha da empresa é<br />

bem abrangente e completa: desde<br />

cachaças puras, envelhecidas,<br />

armazenadas, premium extra premium,<br />

descansadas com especiarias<br />

diferenciadas como bagas de<br />

orquídea e baunilha desidratada,<br />

aguardente de manga, a cachaças<br />

específicas para uso culinário e licores.<br />

Citando apenas a premição do<br />

Concurso às Cegas da Expocachaça<br />

2018, dois produtos da empresa<br />

foram premiados. “Foram duas<br />

de nossas cachaças. Uma delas é<br />

descansada em tonéis novos de<br />

carvalho americano, um símbolo<br />

de sabor que conquistou o mundo<br />

através de seus bourbons, e agora<br />

disponível aos brasileiros. Ela tem<br />

um sabor que nos leva ao chocolate<br />

amargo com baunilha e muita<br />

fruta seca. Foi a maior pontuação<br />

obtida na Expocachaça. A outra<br />

medalha foi para cachaça Série<br />

Artes, feita com leveduras nativas<br />

e há mais de cinquenta anos, produzida<br />

sob o mesmo processo, com<br />

fogo a lenha para produção do calor<br />

do alambique o que proporciona<br />

um sabor e aroma de caldo de<br />

cana fresco. Diria que é a diferença<br />

de uma galinha feita no fogão<br />

à lenha com uma mesma feita no<br />

fogão a gás, sem a tecnologia hoje<br />

muito difundida. Seu paladar é o<br />

mesmo desde a produção inicial.<br />

É ótima para acompanhar a prestigiada<br />

moqueca capixaba, perfeita<br />

com um um socol cortado bem fininho!,<br />

comemora Awalter.<br />

Focado em sempre conquistador<br />

o consumidor com produtos<br />

inovadores, a empresa também<br />

destacou novidades nesse ano:<br />

“Lançamos na Expocachaça o primeiro<br />

produto composto, aguardente<br />

macerado com banana, uma<br />

bebida de sabor único feita com<br />

banana natural sem nenhum tipo<br />

de produto processado. Chama<br />

Salve seu Brother, pois as bananas<br />

são do sítio do Brother na região de<br />

montanhas capixaba”. Além disso,<br />

deverá lançar um gim á base de<br />

destilado etílico de cana.<br />

Para Adwalter, a qualidade é o que<br />

realmente diferencia a Santa Terezinha<br />

e os produtos dessa nova<br />

geração. “A cachaça santa Terezinha<br />

por sua origem e qualidade<br />

se tornou a principal recordação<br />

do Espirito Santo, sendo louvada<br />

em verso e prosa. Hoje prezamos<br />

pela qualidade e não quantidade.<br />

Daí não estarmos à venda em supermercados<br />

e lojas não especializadas.<br />

Queremos ofertar a total<br />

segurança ao consumidor de estar<br />

adquirindo um produto de origem<br />

com características única. Produzimos<br />

lotes que às vezes são de<br />

apenas um barril, com diversidade<br />

de envelhecimento em madeiras”,<br />

finaliza.<br />

Aos apreciadores, a Santa Terezinha<br />

pode ser encontrada em locais<br />

como o charmoso restaurante Soeta,<br />

do chef Pablo Pavon, em Vitória,<br />

bem como no Don Camaleone, Butcher,<br />

Gosto Capixaba, Papaguth,<br />

Atlântica, Cambrone, Aleixo, Boteco<br />

do João, Casa de Bamba, Grapino,<br />

e Doca 183, além do aprazivel<br />

restaurante das montanhas capixabas,<br />

capitaneado pelo chef Duane<br />

Clements, o Quinta dos Manacas.<br />

Também está presente na<br />

Itália, em Firenze, no Restaurante<br />

DaNappino; em São Paulo, no Tordesilhas,<br />

Mocotó, Balaio, dentre<br />

muitos outros; em Porto Alegre nas<br />

cachaçaria especializadas Brix 21,<br />

além do AmoCachaça, de Brasília.<br />

Outras informações e pedidos pelo<br />

telefone (27) 3325-3175, e-mail<br />

entreposto@cachacasantaterezinha.com.br<br />

e no site www.cachacasantaterezinha.com.br<br />

.<br />

29


Acontece<br />

EXPERIÊNCIAS COM CERVEJAS<br />

ESPECIAIS E PREMIADAS<br />

Tendo como palestrante o terceiro melhor sommelier de cerveja do<br />

mundo, segundo workshop da <strong>Carta</strong> <strong>Premium</strong> e Prodrinks reuniu<br />

algumas das melhores cervejas do País<br />

2018 foi o ano de inovar e cumprir<br />

nosso papel de aproximar todo o<br />

trade da área de bebidas e gastronomia.<br />

Em outubro, a revista e a<br />

Prodrinks Cursos e Treinamentos,<br />

uma das principais escolas de<br />

formação profissional na área de<br />

bebidas da capital paulista, promoveram<br />

mais um encontro no<br />

formato de workshop para profissinais<br />

de gastronomia (bartenders,<br />

chefs, donos de bar e restaurante,<br />

docentes da área, maîtres, etc.) e a<br />

apreciadores de bebidas premium<br />

e artesanais.<br />

Esses workshops seguem o conceito<br />

de benchmarking (casos de sucesso<br />

e compartilhamento de experiências),<br />

e visam a essa troca de<br />

experiências entre fornecedores,<br />

empreendedores e profissionais da<br />

área de alimentos e bebidas. Os<br />

palestrantes convidados são profissionais<br />

dos mais premiados e<br />

renomados em suas carreiras.<br />

Sob o título de “Cervejas Especiais:<br />

Compartilhando Experiências de<br />

Sucesso”, o workshop reuniu oito<br />

cervejarias multipremiadas e rótulos<br />

que já receberam medalhas nacionais<br />

e internacionais. O palestrante<br />

convidado foi Rodrigo Sawamura,<br />

eleito o terceiro melhor beer sommelier<br />

do mundo no Beer Sommeliers<br />

World Cup, realizado em 2017 em<br />

Munique, na Alemanha.<br />

Após uma ampla exposição teórica<br />

com dica de harmonização, de<br />

estilos, dicas de como escolher o<br />

rótulo certo para a carta de cada<br />

local, cada um dos rótulos presentes<br />

foi apresentado para os quase<br />

50 profissionais presentes, entre<br />

eles, presençass ilustres como<br />

Bruno Campos, professor de coquetelaria<br />

do IGA (Instituto Gastronômico<br />

das Américas) e a sommelière,<br />

consultora e especialista<br />

em charutos e gim Mikaela Paim,<br />

além de blogueiros especializados<br />

no mercado cervejeiro e também<br />

proprietários de empreendimentos<br />

gastronõmicos em São Caetano<br />

do Sul e até Sorocaba.<br />

Veja a seguir detalhes dos rótulos<br />

apresentados no evento e um<br />

pouco mais sobre cada cervejaria<br />

presente.<br />

30


<strong>Premium</strong> Drink List<br />

Os Destaques do Workshop<br />

Cachaça Água de Arcanjo: sim, a empresa<br />

também esteve presente no evento e foi a escolhida<br />

para fazer um drinque especial de boas-vindas com<br />

cerveja IPA, criado pela bartender Jakeline Merencio,<br />

do bar Rockewells, na capital paulista. Jakeline<br />

recentemente ficou entre os cinco melhores<br />

bartenders do País no II Concurso Rabo de Galo.<br />

A Água de Arcanjo é uma cachaça gaúcha multipremiada<br />

nacional e internacionalmente. Conheça<br />

a linha da empresa no site: www.aguadearcanjo.<br />

com.br .<br />

Synergy: em novembro, a cervejaria deixou de<br />

ser cigana e inaugurou a sua sede em Sorocaba, no<br />

interior paulista, com taproom, espaço kids e parceria<br />

com food trucks. O destaque da empresa no evento<br />

foi a Daily Blonde, uma American Blond Ale, com teor<br />

alcoólico de 5%. Comercializada em latas de 473 ml,<br />

essa cerveja possui uma base maltada e consistente, e<br />

não é pasteurizada. Tem apenas 10 IBU, sendo muito<br />

refrescante e excelente para o dia a dia, principalmente<br />

no verão. Acompanha muito bem frutos do mar,<br />

culinária japonesa e queijos leves e macios, além de<br />

saladas. Mais informações na página da empresa no<br />

Facebook: https://www.facebook.com/pg/synergybeer<br />

31


<strong>Premium</strong> Drink List<br />

Backer: a cerveja degustada na empresa no workshop da <strong>Carta</strong><br />

<strong>Premium</strong> e Prodrinks foi nada mais nada menos que a recordista de<br />

medalhas da cervejaria: a Bravo. Apenas para listar 2018, ela recebeu<br />

nos últimos meses Medalha de Prata na Categoria no World Beer<br />

Awards; Medalha de Ouro no Mondial de La Bière SP; Medalha de<br />

Bronze no Australian International Beer Awards, e Medalha de Bronze<br />

na a Copa Cervezas de America 2018. É uma Imperial Porter extremamente<br />

complexa e intensa que leva em sua receita maltes tostados,<br />

açúcar mascavo e passa por um período de maturação em madeira<br />

umburana. Robusta e aveludada, ela traz notas amadeiradas, de canela,<br />

melaço e chocolate amargo. Possui 42,5 IBU e 9% de teor alcoólico.<br />

Acompanha muito bem carnes grelhadas, saladas com bacon e<br />

nozes, defumados em geral, linguiça temperada, costela de cordeiro<br />

com capa de ervas, pombo frito com repolho roxo, pêssego assado com<br />

calda de baunilha e sobremesa de chocolate. Informações sobre toda a<br />

linha da empresa no site: http://cervejariabacker.com.br .<br />

Suméria: os presentes puderam<br />

degustar e conhecer a famosa Angry<br />

Nuts, uma India Pale Ale com<br />

Avelã, que remete na prova à baunilha,<br />

chocolate, avelã e caramelo<br />

toffee. Com amargor equilibrado<br />

(59 IBU) e um final seco, essa cerveja<br />

harmoniza perfeitamente com<br />

sobremesas em uma combinação<br />

com chocolates e suas inúmeras<br />

variações, brownie de chocolate<br />

com chantilly. O teor alcoólico é de<br />

apenas 5,9%. Informações e contato<br />

para pedidos no site da empresa,<br />

http://cervejariasumeria.com.<br />

br/novo , e também na página do<br />

Facebook: https://www.facebook.<br />

com/pg/sumeriacervejaria .<br />

32


<strong>Premium</strong> Drink List<br />

Walfänger: do pólo cervejeiro de Ribeirão Preto, também no<br />

interior paulista, a cervejaria levou para degustação a Doppel<br />

Bock, uma cerveja com forte gosto de malte, doçura leve e<br />

seus atributos ligados aos sabores mais tostados e frescos.<br />

Entre as premiações recebidas pela empresa, essa cerveja foi<br />

considerada Melhor do País na Categoria no World Beer Awards<br />

e recebeu a Medalha de Ouro na Categoria Bock no South<br />

Beer Cup, além da Medalha de Bronze na Copa das Cervejas<br />

da América, no Chile. Sua coloração é um âmbar profundo,<br />

marrom. Esta cerveja da família Lager, é encorpada e bastante<br />

alcoólica, redonda e macia na boca. O lúpulo é bastante sutil,<br />

com traços quase imperceptíveis. Harmoniza com carnes e pratos<br />

mais fortes, trazendo mais complexidade ao conjunto, e seu<br />

teor alcoólico é de 7,9%. Informações completas da linha estão<br />

disponíveis no site: www.walfanger.com.br .<br />

Bragantina: a cerveja degustada<br />

da empresa no evento foi a<br />

Milk Robust Porter Pão de Mel,<br />

uma cerveja escura de corpo aveludado<br />

que traz em seu aroma<br />

e sabor notas de chocolate e de<br />

especiarias usadas na receita do<br />

tradicional e conceituado Pão de<br />

Mel da Chocolatti Nicollati, uma<br />

cafeteria e restaurante boutique<br />

bem tradicional de Bragança,<br />

fundada há quase 30 anos. É<br />

aveludada, de corpo médio alto,<br />

e recebeu neste ano Medalha de<br />

Prata no Festival de Blumenau.<br />

Com amargor de 45 IBU e 6,3%<br />

de teor alcoólico, é uma cerveja<br />

que acompanha mito bem<br />

sobremesas como brigadeiro e<br />

brownies. Informações completas<br />

da linha da empresa em: http://<br />

cervejariabragantina.com.br .<br />

Brotas Beer: os profissionais de bar e restaurantes e os beer sommeliers<br />

presentes no workshop puderam degustar a Brotas Beer Dry Stout, com 4,5% de<br />

teor alcoólico, uma clássica irlandesa, triplamente premiada, que harmoniza bem<br />

com ostras e frutos do mar levemente adocicados, além de pratos apimentados,<br />

carnes de caça, feijoada, embutidos e sobremesas com chocolate amargo. Entre<br />

as premiações recebidas em 2018 por essa cerveja está a Medalha de Prata no<br />

Brussels Beer Challenge 2018 (já havia faturado o Ouro no Brüssel Beer Challenge<br />

2017) e a posição como “Melhor do País na Categoria” no World Beer Awards.<br />

Informações na página http://www.brotasbeer.com.br .<br />

33


<strong>Premium</strong> Drink List<br />

Daoravida: com sede em Campinas, no<br />

interior paulista, a empresa destacou no<br />

evento uma cerveja que recebeu a premiação<br />

de Melhor do País na Categoria no World Beer<br />

Awards: a {78}. Essa India Back Ale, a qual recentemente<br />

a empresa apresentou uma Coffee<br />

Edition, já havia faturado a Medalha de Prata<br />

no concurso em 2017, além do certificado de<br />

Excelência no Brussels Beer Challenge. Muito<br />

bem encorpada, traz sabores de torrefação,<br />

café e chocolate amargo, com final lupulado.<br />

Acompanha muito bem frutos do mar, sopas<br />

e caldo. Mais informações nas páginas da<br />

empresa no Facebook e t12ambém no Instagram,<br />

além do site http://daoravida.com.br .<br />

Blondine: com sede em Itupeva, no interior<br />

paulista, o destaque da empresa no workshop foi a<br />

cerveja Horny Pig, Medalha de Bronze no Australian<br />

International Beer Awards. Aromática e bem refrescante,<br />

é uma Session IPA, com baixo teor alcoólico<br />

(4,5%), mas com muito lúpulo americano. No aroma,<br />

remete a notas evidentes de maracujá e lichia, sabor<br />

intenso e amargor equilibrado (35 IBU). É uma<br />

cerveja aromática e muito refrescante. Acompanha<br />

muito bem pão de linguiça, queijo gorgonzola, hambúrguer,<br />

comida indiana, comida mexicana, pratos<br />

com bacon, pizza de calabresa e queijo grana padano.<br />

Mais informações: www.blondine.com.br<br />

34


35


Acontece<br />

MORE THAN THE<br />

CAIPIRINHA<br />

Segunda edição do Concurso Rabo de Galo atrai mais de 40<br />

competidores e quase 400 presentes e mostra a força desse que<br />

deverá se tornar o segundo coquetel de patente brasileira reconhecida<br />

Criado com o propósito de promover<br />

a cachaça e sua versatilidade<br />

o originalidade para drinques brasileiros,<br />

além de popularizar ainda<br />

mais aquele que já é considerado o<br />

segundo drinque de patente brasileira,<br />

o II Concurso Nacional Rabo<br />

de Galo uniu competição, mostra<br />

de produtos e disseminação de conhecimentos<br />

em diversas excelentes<br />

palestras.<br />

Medalhas de<br />

Prata e Bronze<br />

no II Concurso<br />

Rabo de Galo<br />

O evento é um projeto idealizado<br />

por duas referências no segmento<br />

da coquetelaria: Derivan Ferreira<br />

de Souza, conhecido como Mestre<br />

Derivan, ex-vice-presidente para<br />

América do Sul da a IBA – Associação<br />

Internacional de Barmen; e o<br />

bartender Daniel Júlio, atual chefe<br />

de bar do Aragon Restaurante, especializado<br />

em Mixologia. Molecular,<br />

Clássica e Brasileira.<br />

COMPETIÇÃO ACIRRADA<br />

Essa 2ª edição do evento contou a<br />

participação de 45 bartenders vindos<br />

de São Paulo, Rio de Janeiro,<br />

Paraná e Rio Grande do Sul, todos<br />

buscando o título “O Melhor Rabo<br />

de Galo do País”.<br />

Com 116 pontos, Paulo Leite, do<br />

Empório Sagarana, sagrou-se o<br />

campeão. “Foi a primeira vez que<br />

participei do concurso. Quando elaborei<br />

este drinque, pensei nas intenções<br />

do campeonato, que é levar<br />

o Rabo de Galo entre os 100 mais<br />

consumidos do mundo. Foi incrível”,<br />

conta Paulo.<br />

Na sua receita vencedora ele utilizou<br />

em seu drinque Cachaça Sebastiana<br />

Duas Barricas, vermute,<br />

licor à base de alcachofra e para<br />

decorar casca de limão e formiga<br />

saúva.<br />

“Fiquei bastante focado na receita<br />

clássica, apenas busquei equilibrar<br />

ao utilizar os aromas cítricos e o<br />

toque de capim cidreira da formiga<br />

saúva”, explica o vencedor.<br />

Já o segundo lugar ficou com Eduardo<br />

Gondim, do Jangada, de São<br />

Paulo, com 114 pontos. O bartender<br />

apresentou o drinque feito com<br />

Cachaça Sebastiana Blend, vermute<br />

com infusão de cacau, aperitivo<br />

de alcachofra com infusão de menta,<br />

tintura de erva mate e para de-<br />

36


Acontece<br />

corar casca de laranja.<br />

Com 113 pontos, o bartender<br />

Rafael Câmara, do Restaurante<br />

Urbana Farmcy, de Porto Alegre,<br />

conquistou o terceiro lugar com<br />

um Rabo de Galo feito com dois<br />

tipos de Cachaça Weber Haus (extra<br />

premium 6 anos e a cachaça<br />

envelhecida em canela sassafrás),<br />

vermute, café gelado (prensado a<br />

frio com 16 horas de maceração)<br />

e bitter de erva mate. Para decorar,<br />

casca de laranja, suporte<br />

de madeira para a taça, grãos de<br />

café orgânico das montanhas do<br />

Espírito Santo, erva mate e lascas<br />

de madeira.<br />

Confira a seguir as receitas completas<br />

com modo de preparo e conheça<br />

mais sobre a cachaça utilizada por<br />

cada um dos três primeiros colocados:<br />

1o.Lugar: Rabo de Galo por<br />

Paulo Leite, do Empório<br />

Sagarana, SP<br />

Ingredientes:<br />

- 60 ml de cachaça Sebastiana<br />

Duas Barricas<br />

- 30 ml de vermute<br />

- 10 ml de licor à base de alcachofra<br />

Guarnição:<br />

- Casca de limão<br />

- Formiga Saúva<br />

Preparo: os ingredientes devem ser<br />

misturados em um mixing glass.<br />

Depois coloque a guarnição para finalizar<br />

o drinque.<br />

Sobre a Sebastiana Duas Barricas:<br />

ela é envelhecida por quatro<br />

anos, passando inicialmente por<br />

24 meses em barril de castanheira<br />

brasileira e depois mais 24 meses<br />

em barril de carvalho americano.<br />

Tem aroma suave e adocicado, com<br />

notas de mel e frutas secas, com<br />

notáveis e elegantes camadas de<br />

caramelo, toffee e baunilha. Entre<br />

as últimas premiações recebidas<br />

está a Medalha de Ouro no Concurso<br />

Cachaça com Ciência. Mais<br />

informações no site www.cachacasebastiana.com.br<br />

.<br />

2º lugar: Rabo de Galo<br />

por Eduardo Gondim, do<br />

Jangada, SP<br />

Ingredientes:<br />

- 75 ml de Cachaça Sebastiana<br />

Blend<br />

- 30 ml de vermute<br />

- 15 ml de aperitivo de alcachofra<br />

com infusão de menta<br />

- 4 lances de tintura de erva-mate<br />

Guarnição:<br />

- Casca de laranja<br />

Preparo: os ingredientes devem ser<br />

misturados em um mixing glass.<br />

Depois coloque a guarnição para<br />

finalizar.<br />

Sobre a Sebastiana Blend: essa<br />

cachaça traz um delicioso blend<br />

com pelo menos 40% de carvalho<br />

americano e o restante Sebastiana<br />

Cristal, o que permite destacar<br />

o sabor único da bebida. É<br />

bem suave e menos amadeirada.<br />

Também foi Medalhista de<br />

Ouro em 2018 no Concurso Cachaça<br />

Com Ciência. Informações<br />

no site www.cachacasebastiana.<br />

com.br .<br />

3º lugar: Rabo de Galo por<br />

Rafael Câmara, do Urbana<br />

Farmcy<br />

Ingredientes<br />

- 60 ml de cachaça Weber Haus<br />

(Extra <strong>Premium</strong> e Weber Haus Canela<br />

Sassafrás)<br />

- 40 ml de vermute tinto<br />

- 7,5 ml Café gelado, prensado a<br />

frio por 16 horas de maceração<br />

- 4 gotas de bitter de erva mate<br />

Guarnição:<br />

- Para decorar casca de laranja, suporte<br />

de madeira para a taça, grãos<br />

de café orgânico das montanhas do<br />

Espírito Santo, erva mate e lascas<br />

de madeira.<br />

Preparo: os ingredientes devem ser<br />

misturados em um mixing glass.<br />

Depois coloque a guarnição para finalizar<br />

o drinque.<br />

Sobre as cachaças utilizadas:<br />

A Weber Haus Extra <strong>Premium</strong> 6<br />

anos passa por 5 anos em barris<br />

de carvalho francês e 1 ano em<br />

bálsamo. Entre divresas premiações<br />

recebidas está o 5o. Lugar<br />

entre as 50 Melhores Cachaças<br />

do Brasil na Categoria Ouro no<br />

III Ranking Cúpula da Cachaça.<br />

Ja a Weber Haus Sassafrás<br />

recebeu a Medalha de Prata no<br />

Concurso Mundial de Bruxelas<br />

<strong>Edição</strong> Brasiol 2018.<br />

37


Acontece<br />

Empresas em destaque no<br />

II CONCURSO RABO DE GALO<br />

Stock: no Brasil desde 1934, é<br />

empresas de referência na área que<br />

conta com uma linha completa e<br />

diversificada de bebidas alcoólicas.<br />

Entre elas estão o gim Seagers, o<br />

mais antigo do País produzido há<br />

mais de 80 anos com a fórmula original<br />

britânica, o aperitivo St. Remy<br />

e os concentrados de frutas da linha<br />

Kally, em 30 diferentes sabores.<br />

Conheça toda a linha no site: http://<br />

www.stockdobrasil.com.br .<br />

Cachaça Pardin:<br />

com assinatura do master<br />

blender Marcelo Pardin, a<br />

cachaça que leva seu sobrenome<br />

tem sede na capital<br />

paulista. a versão 3 madeiras<br />

é um blend das melhores<br />

cachaças armazenadas em<br />

tonéis de carvalho, amburana<br />

e jequitibá, produzida na<br />

cidade de Camanducaia, MG.<br />

Está entre as 30 melhores<br />

cachaças do Brasil segundo o<br />

III Ranking da Cupúla da Cachaça<br />

2018. Confira mais na<br />

página da empresa no Facebook:<br />

https://www.facebook.<br />

com/cachacapardin .<br />

38


39


<strong>Premium</strong> Drink List<br />

Weber Haus: além de cachaça diversas, das quais três<br />

estão posicionadas entre as 15 melhores do País segundo o<br />

Ranking Cúpula da Cachaa, a empresa produz gins premium.<br />

O seu Dry Gin WH 48, por exemplo, faturou a Medalha de<br />

Ouro Duplo (Grande Ouro) no Concurso Mundial de Bruxelas<br />

<strong>Edição</strong> Brasil 2018. Informações: www.weberhaus.com.br<br />

Wiba!: também paulista, da cidade<br />

de Torre de Pedra, no interior,<br />

a empresa tem entre os seus destaques<br />

a WIBA! Blend de Carvalhos<br />

<strong>Premium</strong>, que neste ano recebeu<br />

a Medalha de Ouro no Concurso<br />

Mundial de Bruxelas <strong>Edição</strong> Brasil<br />

2018. Essa cachaça traz três vezes<br />

mais perceptíveis as notas amadeiradas,<br />

baunilhadas e frutadas.<br />

Combina muito bem com frutas secas,<br />

como abacaxi desidratado, tâmaras,<br />

ameixas e damasco secos.<br />

Mais informações sobre a linha em<br />

www.cachacawiba.com.br .<br />

40


<strong>Premium</strong> Drink List<br />

Matriarca: de Caravelas, na BA, a<br />

empresa recebeu duas medalhas de Ouro no<br />

disputado Spirits Selection 2018, tanto para a<br />

sua versão Jaqueira quanto para a sua versão<br />

Prata. Também está na lista das 50 melhores<br />

cachaças do País segundo o Ranking da<br />

Cúpula da Cachaça. mais informações: www.<br />

matriarca.com.br .<br />

Tiê: a empresa recebeu diversos prêmios em<br />

2018, entre eles a Medalha no Concurso<br />

Cachaça com Ciência, Medalha de Bronze no San<br />

Francisco World Spirits Competition 2018, dos<br />

EUA, Medalha de Prata no Berlin International<br />

Spirits Competition 2018, da Alemanha, e Medalha<br />

de Ouro no Melbourne International Spirits Competition,<br />

da Austrália. Mais informações sobre a Tiê<br />

no site www.cachacatie.com.br .<br />

Espírito de Minas (Grupo<br />

Natique): produzida artesanalmente<br />

no coração de Minas Gerais com um<br />

cuidado especial com o meio ambiente.<br />

De sabor marcante e suave, essa cachaça<br />

recebeu a Medalha de Ouro no<br />

Concurso Mundial de Bruxelas <strong>Edição</strong><br />

Brasil (CMB). Veja mais informações no<br />

site: http://espiritodeminas.com.br .<br />

41


<strong>Premium</strong> Drink List<br />

Sebastiana: multipremiada<br />

nacional e internacionalmente,<br />

a empresa tem sede em Américo<br />

Brasiliense, no interior paulista,<br />

não muito distante de Ribeirão<br />

Preto. A versão Sebastiana Carvalho<br />

está entre as 5 melhores<br />

cachaças do Brasil segundo o<br />

III Ranking Cúpula da Cachaça.<br />

Toda a linha pode ser adquirida<br />

no site: https://loja.cachacasebastiana.com.br<br />

.<br />

Contini: produto da<br />

Casa di Conti, com sede no<br />

interior paulista, o Contini<br />

está disponível nas versões<br />

Branco, Rosé e Tinto.<br />

É um vermute composto<br />

de raízes, frutas, 52 ervas<br />

aromáticas e vinho branco.<br />

A linha da empresa conta<br />

com bebidas de destaque<br />

como as cervejas 1500, Almada<br />

e Burguesa. Conheça<br />

mais no site: http://casadiconti.com.br<br />

.<br />

Ypióca: entre os destaques da empresa está a versão Cinco Chaves, um<br />

blend criado com cachaças raras e de altíssima qualidade,<br />

que combina aromas diferentes da castanheira, com o mel e o caramelo do carvalho.<br />

Esse rótulo recebu a Medalha de Prata no Spirits Selection 2018, um dos<br />

principais concursos internacionais de destilados.Veja mais sobre a empresa<br />

também na página do Facebook: www.facebook.com/ypiocaoficial .<br />

42


43


Voilá<br />

TOP DRINKS<br />

NOSSAS BOAS DICAS DE VERÃO<br />

Caipirinha de Kiwi<br />

Ingredientes<br />

- 1 kiwi<br />

- 1 limão galego<br />

- 1 dose de cachaça Frazão Prata<br />

- gelo picado<br />

- 1 colher de chá de açúcar<br />

- algumas folhas de hortelã<br />

Preparo: Numa coqueteleira ou<br />

copo de 600 ml você deve colocar<br />

um limão sem casca, previamente<br />

cortado em 4 partes, e o Kiwi também<br />

cortado em pedaços. Coloque<br />

o açúcar e comece a socar.Acrescente<br />

algumas folhinhas de hortelã.<br />

Acrescente também o gelo até a<br />

borda do copo que está utilizando.<br />

O gelo deve estar picado para que<br />

ajude a não deixar a bebida muito<br />

forte. Coloque a cachaça até que o<br />

copo esteja cheio e também açúcar.<br />

Mexa tudo até que misture<br />

bem e sirva em seguida.<br />

Sobre a Frazão Prata: pura, tradicional,<br />

armazenada em dornas<br />

de inox, traz consigo o sabor e<br />

aroma original da cana-de-açucar,<br />

ideal para ser apreciada pura ou<br />

no preparo de drinks, especialmente<br />

a tradicional caipirinha.<br />

Mais informações no site: www.<br />

cachacafrazao.com.br .<br />

44


Voilá<br />

Rabo de galo tradicional<br />

Ingredientes<br />

- 3 doses de Cachaça Âmago da Tradição Prata<br />

- 1 dose de vermute<br />

- casca de limão Taiti (twist) para decorar<br />

Preparo: misturar todos os ingredientes com gelo e coar<br />

para um copo cheio de gelo. Decorar com twist de casca<br />

de limão.<br />

Sobre a Âmago da Tradição Prata: de Palmeiral, região<br />

de Botelhos, MG, a Âmago segue os princípios que regem<br />

a fabricação da pura cachaça de qualidade. A versão<br />

Prata tem teor alcoólico de 40%. Outro destaque da<br />

empresa é a versão premium, criada em comemoração<br />

aos 20 anos da empresa, envelhecida exclusivamente<br />

em tonéis de bálsamo. Informações: www.cachacaamagodatradicao.com.br<br />

.<br />

Canabella Sour<br />

(por bartender Naldo Vieira)<br />

- 1 dose de Canabella Cachaça Prata<br />

- 1 dose de licor Canabella Cravo e Canela<br />

(Canabella Clove & Cinnamon)<br />

- purê de abacaxi<br />

- licor de café<br />

- lima<br />

- clara de ovo<br />

Sobre a Canabella: o alambique da empresa<br />

fica em Paraibuna, SP. Pela alta qualidade<br />

de seus produtos, a empresa conquistou<br />

o paladar internacional, tendo sido<br />

ganhadora de diversos prêmios e concursos<br />

nacionais e internacionais. Contatos:<br />

www.canabella.com.br .<br />

45


Voilá<br />

Mojito com Cachaça<br />

(bar Original)<br />

Ingredientes:<br />

- 50 ml de Cachaça como a Samanaú<br />

Prata<br />

- folhas frescas de hortelã<br />

- 15 ml de suco de limão<br />

- 10 ml de xarope de amêndoas<br />

- 1/2 xícara (120 ml) de club soda<br />

- Gelo<br />

Preparo: Amassar a hortelã e misturar<br />

com o xarope de amêndoas.<br />

Cortar os limões em gomos. Esprema<br />

os gomos e adicione ao preparo<br />

juntamente com o seu suco. Encha<br />

o copo com gelo, adicione a cachaça<br />

e complete com club soda. Mexa<br />

cuidadosamente e use um gomo do<br />

limão para decorar.<br />

(Adaptado da receita original<br />

no Portal Casa Vogue,<br />

link https://casavogue.<br />

globo.com/ )<br />

Sobre a Samanaú: produzida<br />

no Rio Grande do<br />

Norte, essa cachaça está<br />

disponivel em versões envelhecidas,<br />

que passam por<br />

armazenamento em barris<br />

de louro canela e carvalho,<br />

aprimorando a qualidade<br />

sensorial da bebida, e<br />

também a Prata, descansada<br />

em inox. Informações e<br />

pedidos: www.cachacasamanau.com.br<br />

Bombeirinho<br />

(Subastor)<br />

Ingredientes:<br />

- 45 ml de cachaça envelhecida como a Saracura <strong>Premium</strong><br />

- 25 ml de suco de laranja<br />

- 15 ml de suco de limão sicíliano<br />

- 20 ml de xarope grenadine<br />

- gelo<br />

- guarnição: zest flambado de laranja e 1 gomo de limão<br />

Tahiti<br />

Preparo: em uma coqueteleira, bata todos os ingredientes<br />

com bastante gelo. Faça uma coagem fina em um copo<br />

Rocks com gelo. Guarneça com zest flambado de laranja e<br />

1 gomo de limão Tahiti.<br />

(adaptado do original do Blok Cocktail para Todos - http://<br />

cocktailparatodos.blogspot.com )<br />

Sobre a Saracura <strong>Premium</strong>: é elaborada a partir de um<br />

blender especial decorrente de oito anos de envelhecimento<br />

em toneis de carvalho europeu (antigos). Possui graduação<br />

alcoólica de 40%. Apresenta fragrância suave do carvalho<br />

e uma sensação aveludada ao paladar. Informações<br />

completas em www.cachacasaracura.com.br .<br />

46


Caipirinha frozen<br />

Ingredientes<br />

- suco de 3 limões<br />

- 1 dose da Cachaça Patuá Branca<br />

- 4 colheres de açúcar<br />

- 15 pedrinhas de gelo<br />

- Rodelas de limão para decorar<br />

Preparo: bater todos os ingredientes<br />

no liquidificador até obter a consistência<br />

de um creme gelado. Servir<br />

em seguida usando as rodelas de<br />

limão como decoração da Caipirinha<br />

Frozen. Sugestão: maracujá, abacaxi,<br />

morango e mexerica são ótimas<br />

opções de frutas que também podem<br />

ser usadas em Frozen Caipirinhas.<br />

Sobre a Patuá: de Bertim, MG,<br />

a linha de cachaças Patuá após<br />

a destilação descansa em tonéis<br />

de inox por seis meses, o que lhe<br />

confere maciez e padronização<br />

diferenciadas.<br />

A Patuá Branca tem aroma rico<br />

e agradável, resultado de um<br />

complexo número de elementos<br />

encontrados em sua composição.<br />

A Patuá Branca é uma<br />

cachaça marcante e ao mesmo<br />

tempo suave, ideal para confecção<br />

de drinks, caipirinhas<br />

ou para ser degustada em sua<br />

melhor forma: pura. Mais informações:<br />

http://www.cachacapatua.com.br<br />

.<br />

Maracujá Sour<br />

(por bartender Eduardo Furlan)<br />

Ingredientes<br />

- 50 ml de Cachaça Imigrante<br />

- 30 ml de suco de maracujá<br />

- 15 ml de suco de limão<br />

- 1 colher de açúcar<br />

Preparo: adicionar todos os ingredientes<br />

com gelo na coqueteleira e<br />

bater vigorosamente. Coagem dupla.<br />

Sobre a Cachaça Imigrante Ouro:<br />

essa cachaça especial é destilada<br />

em alambiques de cobre e submetida<br />

a matruação em barris de carvalho.<br />

A sede da empresa fica em<br />

Pedras Grandes, SC. Também está<br />

disponível a versão Prata, descansada<br />

por um ano em inox, antes de<br />

estar pronta para o consumo. Mais<br />

informaçoes: http://www.cachacaimigrante.com.br<br />

.<br />

Bandarra Maria Bonita<br />

Ingredientes:<br />

- 1 dose de cachaça Bandarra<br />

- ½ dose de cointreau;<br />

- ½ dose de suco de limão;<br />

- Açúcar e gelo a gosto.<br />

Preparo: bata todos os ingredientes na coqueteleira.<br />

Molhe a borda de uma taça com suco de limão<br />

e passe no sal. Coloque o drinque na taça e sirva<br />

bem gelado.<br />

Dica: diversas outras receitas no site da empresa:<br />

www.bandarra.com.br<br />

47


Voilá<br />

Drinque Mandarin<br />

(bartender Rafael Oliveira @rafafyre)<br />

Ingredientes<br />

- 30 ml de Galeão Prata<br />

- 15 ml xarope de manjericão<br />

- gengibre<br />

- 10 ml licor mandarino<br />

Sobre a Cachaça Galeão Prata: de Ubaí,<br />

MG, é descansada em dornas de inox, e<br />

uma cachaça orgânica, com acidez controlada<br />

e sabor marcante de cana de açúcar.<br />

Outros destaques da linha da empresa:<br />

Galeão Umburana, Galeão Mel e Umburana,<br />

Galeão Gabriela (bebida feita a partir<br />

de cachaça elicor de cravo e canela), Galeão<br />

Rapadura e Galeão Banana (bebida mista<br />

de cachaça e licor de banana). Mais informações<br />

e drinques no site: http://cachacagaleao.com.br<br />

.<br />

Nega Rosa<br />

(bar Pirajá)<br />

Ingredientes<br />

- 50 ml de cachaça Moendão Prata<br />

- 15 ml de licor de melancia<br />

- 5 pedaços de melancia para o<br />

suco<br />

- 15 ml de xarope de gengibre<br />

- 10 ml de suco de limão siciliano<br />

Preparo: macere os pedaços de<br />

melancia com o suco de limão<br />

siciliano e o xarope de gengibre em<br />

uma coqueteleira. Acrescente os<br />

outros ingredientes e bata junto<br />

com os cubos de gelo. Coe e coloque<br />

em um copo longo com gelo<br />

novo.<br />

(adaptado da receita original no<br />

site: https://www.portalgastronomix.com.br<br />

)<br />

Sobre a Moendão:<br />

a Cachaçaria Moendão<br />

produz Cachaças<br />

artesanais de alta<br />

qualidade com envelhecimento<br />

em barris de<br />

carvalho, desde 1890.<br />

Além da versão Prata,<br />

a empresa conta com<br />

ótimas opções para<br />

degustação tanto puras<br />

quanto para elaboração<br />

de diversos drinques:<br />

Cachaça Moendão Ouro<br />

e Cachaças de Frutas<br />

(banana, gengibre, pêssego,<br />

abacaxi, canela,<br />

coco, entre outras).<br />

Informações e vendas:<br />

https://www.moendao.<br />

com.br .<br />

48


49


Grand Première<br />

HARMONIA COM A<br />

EXCELÊNCIA<br />

Espumantes e vinhos brasileiros premiados na França e na Argentina<br />

e os vencedores do Prêmio Queijo Brasil<br />

A chegada do fim de ano, com o<br />

maior consumo e maior índice de<br />

ocupação nas mesas dos bares e<br />

restaurantes, é momento também<br />

de reposição dos itens e de renovação<br />

da carta. Época especial para<br />

oferecer bebidas consagradas e novidades<br />

a fim de aguçar o interesse<br />

e os paladares. E os espumantes<br />

e vinhos estão entre os produtos<br />

mais tradicionais do período, que<br />

abre a alta temporada de verão.<br />

Porém, que critérios usar para<br />

selecionar as melhores opções?<br />

Quais rótulos estão mais em alta?<br />

Quais tiveram mais premiações?<br />

Antes de prosseguir, uma dica: nossa<br />

última edição trouxe como entrevistados<br />

especiais Diego Arrebola e<br />

Paulo Limarque, respectivamente<br />

primeiro e segundo colocados no<br />

Concurso Brasileiro de Sommeliers<br />

2018. Ambos destacaram um<br />

panorama e tendências do mundo<br />

vinícola e dicas de como renovar<br />

a carta. Além disso, trouxemos as<br />

premiações e a lista completa dos<br />

vinhos premiados no Catad’Or, Japan<br />

Wine Challenge, Muscats Du<br />

Monde, Grande Prova de Vinhos do<br />

Brasil, na Avaliação Nacional de<br />

Vinhos, e no o Top10 da ViniBra-<br />

Expo (VBE).<br />

Voltando à nossa atualização das<br />

premiações recebidas... nas últimas<br />

semanas de 2018, dois concursos<br />

internacionais de muita<br />

tradição colocaram à prova excelentes<br />

espumantes e vinhos<br />

brasileiros, que mais uma vez<br />

destacaram a nossa qualidade e<br />

excelência para o mundo.<br />

Essas últimas premiações recebidas<br />

ratificam um saldo muito<br />

positivo para o ano. Segundo<br />

dados da Associação Brasileira<br />

de Enologia (ABE) 2018 começou<br />

bem e termina melhor ainda<br />

para o setor. Avançamos bem no<br />

número de premiações internacionais<br />

recebeidas, graças a uma<br />

excelente safra. Ao todo, por<br />

enquanto, foram 302 medalhas<br />

somente neste ano, um salto de<br />

80% em relação ao ano passado<br />

que registrou 168 distinções. E<br />

o melhor, em países como a Argentina,<br />

Chile, China, Espanha,<br />

França, Inglaterra, Itália e Suíça.<br />

É a terceira melhor performance<br />

já registrada, ficando atrás apenas<br />

de 2014 com 388 e 2016 com<br />

338 distinções.<br />

50


AS ÚLTIMAS PREMIAÇÕES<br />

Uma das mais recentes foi o<br />

Effervescents du Monde, realizado<br />

em Dijon, na França. Em<br />

sua 15a. edição, o evento reúne<br />

anualmente produtores de mais<br />

de 20 países, que concorrem com<br />

mais de 600 rótulos, os quas passam<br />

pelo crivo de mais de 100 experts.<br />

O Brasil recebeu nada menos<br />

que 10 Medalhas, das quais<br />

três de ouro e sete de prata.<br />

Saindo da Europa, e partindo<br />

para as avalições na América do<br />

Sul, o Concurso Internacional de<br />

Vinos y Licores La Mujer Elige,<br />

em sua 22a. edição, trouxe nada<br />

menos que mais 50 medalhas<br />

para o País, entre elas nove de<br />

Ouro Duplo, além de 28 Ouros.<br />

O concurso reuniu 423 amostras<br />

de 17 países.<br />

Entre nossos destaques e bons<br />

exemplos dessas premiações está<br />

a Vinícola Don Affonso, de Caxias<br />

do Sul, no RS. Fundada há<br />

mais de 35 anos, a empresa foca<br />

em vinhos de alta qualidade, obtidos<br />

a partir de vinhedos próprios.<br />

Na linha estão vinhos finos, de<br />

renome e qualidade internacional,<br />

vinhos de mesa que seguem<br />

a tradição dos imigrantes italianos,<br />

sucos de uva e mais recentemente<br />

cervejas artesanais.<br />

No La Mujer Elige, a empresa recebeu<br />

a Medalha de Ouro Duplo<br />

com seu rótulo Don Affonso Distinto<br />

Mistela 2005.<br />

Pensando no final de ano, entre<br />

os destaques da empresa está<br />

o Espumante Don Affonso Brut<br />

Prosecco, de excelentes borbulhas<br />

finas e abundantes, com<br />

espuma e perlage persistentes<br />

e que traz aromas que lembram<br />

flores e frutas de polpa branca<br />

como maçã, pêssego e peras. É<br />

especial para ser servido no happy<br />

hour de maneira informal.<br />

Ele acompanha muito bem petiscos<br />

e canapés de garde manger e<br />

também pode ser apreciado como<br />

base para diversos drinks e coquetéis.<br />

Informações completas sobre a<br />

empresa e a linha no site: https://<br />

donaffonso.com.br .<br />

Já a paranaense Famiglia Zanloreni,<br />

no mercado desde 1942,<br />

recebeu a medalha de Ouro no<br />

Effervescents du Monde com o<br />

seu espumante Lunar Perfetto<br />

Rosé Brut. Com aromas de frutas<br />

vermelhas e um leve toque floral,<br />

esse espumante é criado a partir<br />

do Método Charmat com uvas das<br />

variedades Pinot Noir e Chardonnay.<br />

Possui paladar cremoso, refrescante<br />

e intenso. Fino e delicado,<br />

harmoniza perfeitamente com<br />

canapés, queijos, peixes e crustáceos.<br />

Outro destaque da empresa é oLunar<br />

Perfetto Moscatel Rosé que mal<br />

foi lançado e já recebeu a Medalha<br />

de Prata no La Mujer Elige. “Trata-<br />

-se de um produto que não é comum<br />

de ser encontrado no portfólio<br />

das vinícolas, o que reforça o caráter<br />

de inovação intrínseco à Famiglia<br />

Zanlorenzi”, explica a enóloga<br />

da companhia, Patricia Poggere.<br />

Informações completas sobre a vinícola<br />

estão no site: http://famigliazanlorenzi.com.br<br />

.<br />

FAÇA SUA ESCOLHA<br />

Para ajudar você a escolher as melhores<br />

opções listamos a seguir os<br />

rótulos premiados nestes dois concursos<br />

separados por produtor:<br />

Armando Peterlongo (Peterlongo)<br />

NOSSO DESTAQUE: Armando Teroldego<br />

2016, Medalha de Ouro<br />

Duplo no La Mujer Elige. Esse vinho<br />

traz uma grande expressão<br />

aromática, com aromas que vão<br />

desde as características da casta<br />

como frutas negras maduras, até<br />

notas bem pronunciadas de café e<br />

chocolate, com sutil toque defumado.<br />

Outros recém-premiados da empresa:<br />

- Peterlongo Espumante Brut Prosécco:<br />

Medalha de Ouro no La Mujer<br />

Elige;<br />

- Peterlongo Espumante Extra<br />

51


Grand Première<br />

Brut Privilege: Medalha de Ouro no<br />

La Mujer Elige;<br />

- Peterlongo Espumante Rosé Brut<br />

Presence: Medalha de Ouro no La<br />

Mujer Elige;<br />

- Armando Touriga Nacional 2016:<br />

Medalha de Prata no La Mujer Elige;<br />

Aurora<br />

NOSSO DESTAQUE: Aurora Reserva<br />

Chardonnay 2017, Medalha<br />

de Ouro no La Mujer Elige. Com<br />

aromas frutados equilibrados,<br />

lembrando maçã verde e abacaxi,<br />

acompanha muitos pratos, como<br />

Chilli, burritos, yakissoba (Massa<br />

chinesa), salada grega, bacalhau<br />

com vegetais, salmão e risoto de<br />

frutos do mar.<br />

Outros premiados:<br />

- Brazilian Soul Moscato: Medalha<br />

de Prata no Effervescents du Monde;<br />

- Aurora Espumante Brut Branco:<br />

Medalha de Ouro no La Mujer Elige;<br />

- Aurora Reserva Merlot 2017: Medalha<br />

de Ouro no La Mujer Elige;<br />

- Aurora Espumante Moscatel<br />

Branco: Medalha de Prata no La<br />

Mujer Elige;<br />

- Aurora Pequenas Partilhas Cabernet<br />

Franc 2017: Medalha de<br />

Prata no La Mujer Elige;<br />

Campestre<br />

NOSSO DESTAQUE: Zanotto Espumante<br />

Moscatel 2018, Medalha<br />

de Ouro no La Mujer Elige. Acompanhando<br />

desde desde massas,<br />

carnes e até feijoada, bem como<br />

aperitivos e sobremesas, tem boa<br />

intensidade aromática de frescor,<br />

lembrando flores como margarida<br />

e rosas.<br />

Outros premiados:<br />

- Zanotto Espumante Natural Brut:<br />

Medalha de Prata no Effervescents<br />

du Monde;<br />

- Zanotto Cabernet Sauvignon<br />

2015: Medalha de Ouro no La Mujer<br />

Elige;<br />

- Zanotto Gewürztraminer 2018:<br />

Medalha de Ouro no La Mujer Elige;<br />

- Zanotto Merlot 2015: Medalha de<br />

Ouro no La Mujer Elige;<br />

- Zanotto Rosé Merlot 2018: Medalha<br />

de Ouro no La Mujer Elige;<br />

- Zanotto Tannat 2017: Medalha<br />

de Ouro no La Mujer Elige;<br />

- Zanotto Chardonnay 2018: Medalha<br />

de Prata no La Mujer Elige;<br />

- Zanotto Espumante Brut 2018:<br />

Medalha de Prata no La Mujer Elige;<br />

- Zanotto Pinot Noir 2018: Medalha<br />

de Prata no La Mujer Elige;<br />

Don Affonso<br />

- Don Affonso Distinto Mistela<br />

2005: Medalha de Ouro Duplo no<br />

La Mujer Elige;<br />

Famiglia Zanlorenzi<br />

- Lunar Perfetto Espumante Rosé:<br />

Medalha de Ouro no Effervescents<br />

du Monde;<br />

- Lunar Perfetto Espumante Brut<br />

Rosé 2018: Medalha de Ouro no La<br />

Mujer Elige;<br />

- Lunar Perfetto Espumante Moscatel<br />

2018: Medalha de Ouro no La<br />

Mujer Elige;<br />

- Lunar Perfetto Espumante Moscatel<br />

Rosé 2018: Medalha de Prata<br />

no La Mujer Elige;<br />

Galvão Bueno (Bueno Wines)<br />

- Bueno Cuvée Prestige Espumante<br />

Brut: Medalha de Prata no<br />

Effervescents du Monde. Elaborado<br />

pelo método tradicional francês<br />

Champenoise com as uvas Pinot<br />

Noir e Chardonnay, provenientes<br />

de Garibaldi, RS, combina e acompanha<br />

perfeitamente peixes e frutos<br />

do mar, além de queijos frescos,<br />

como o mineiro artesanal e o<br />

cottage.<br />

Garibaldi<br />

NOSSO DESTAQUE: Garibaldi Espumante<br />

Brut Prosecco, Medalha<br />

de Ouro Duplo no La Mujer Elige e<br />

Medalha de Prata no Effervescents<br />

52


Grand Première<br />

du Monde. Com amarelo palha<br />

com reflexos esverdeados, aspecto<br />

brilhante e ótima formação de<br />

perlage, traz aromas com notas de<br />

pera, marmelo e um toque de lim.<br />

Combina com canapés, saladas,<br />

sopas cremosas, peixes leves, frutos<br />

do mar e queijos.<br />

Outros premiados:<br />

- Garibaldi Espumante Moscatel<br />

Branco: Medalha de Ouro Duplo<br />

no La Mujer Elige;<br />

- Garibaldi Espumante Moscatel<br />

Rosé: Medalha de Ouro Duplo no<br />

La Mujer Elige;<br />

- Garibaldi Espumante Brut Pinot<br />

Noir: Medalha de Ouro no La Mujer<br />

Elige;<br />

- Garibaldi Espumante Chardonnay:<br />

Medalha de Ouro no La Mujer<br />

Elige;<br />

- Vero Espumante Brut Rosé: Medalha<br />

de Ouro no La Mujer Elige;<br />

- Chalet Du Clermont Chardonnay<br />

2018: Medalha de Prata no La Mujer<br />

Elige;<br />

Jolimot<br />

NOSSO DESTAQUE: Jolimont<br />

Moscatel Espumante 2017, Medalha<br />

de Ouro Duplo no La Mujer<br />

Elige. No olfativo, este espumante<br />

traz aromas florais e frutados,<br />

acidez equilibrada e persistente.<br />

Harmoniza muito bem com doces e<br />

sobremesas, poe exemplo, macaroons<br />

de amora.<br />

Outro premiado:<br />

- Récolte Secrète Cabernet Sauvignon<br />

2015: Medalha de Ouro no La<br />

Mujer Elige.<br />

Nova Aliança<br />

NOSSO DESTAQUE: Aliança Espumante<br />

Brut 2018, Medalha de<br />

Ouro no La Mujer Elige. Acompanha<br />

aperitivos leves, frutas, pratos<br />

a base de peixes e carnes brancas.<br />

Tem aromas Aromas com ótima nitidez<br />

e intensidade lembrando frutas<br />

tropicais e amêndoas.<br />

Outros premiados:<br />

- Aliança Espumante Moscatel<br />

2018: Medalha de Ouro no La Mujer<br />

Elige;<br />

- Santa Colina Espumante Moscatel<br />

2018: Medalha de Ouro no La<br />

Mujer Elige;<br />

- Cerro Da Cruz Vinho Fino Chardonnay<br />

2016: Medalha de Prata no<br />

La Mujer Elige;<br />

- Santa Colina Espumante Brut<br />

2018: Medalha de Prata no La Mujer<br />

Elige.<br />

Panizzon<br />

- Panizzon Espumante Moscatel:<br />

Medalha de Ouro no La Mujer Elige.<br />

Com borbulhas finas, intensas<br />

e persistentes, finalizando com<br />

uma ótima coroa, esse espumante<br />

traz no aroma frutas como goiaba,<br />

pêssego, flores silvestres brancas,<br />

maracujá e cítrico. Harmoniza<br />

com carnes brancas, saladas de<br />

frutas, sorvetes e sobremesas.<br />

53


Grand Première<br />

Perini<br />

- Casa Perini Espumante Charmat Brut: Medalha<br />

de Prata no Effervescents du Monde. A vinícola, que<br />

completa 90 anos em 2019, tem entre os destaques há<br />

um bom tempo este espumante que acompanha muito<br />

bem saladas, queijos, peixes, defumados e carnes<br />

brancas. Seus aromas lembram pêra e maçã-verde.<br />

Salton<br />

NOSSO DESTAQUE: Salton Espumante Prosecco,<br />

Medalha de Ouro no Effervescents du Monde, e Medalha<br />

de Prata no La Mujer Elige. Elaborado 100%<br />

com uvas de variedade Prosecco selecionadas nos vinhedos,<br />

seus aromas são frutados, expressando notas<br />

de maçã, pera e cítricos, além de algumas nuances<br />

florais. Em boca, é leve e refrescante, com uma<br />

acidez bem integrada. Acompanha muito bem queijos<br />

de pasta dura, embutidos, massas com molhos condimentados<br />

e carnes vermelhas e de caça.<br />

Outros premiados:<br />

- Salton Ouro Espumante Brut: Medalha de Prata no<br />

Effervescents du Monde;<br />

- Salton Campanha 2016: Medalha de Ouro Duplo no<br />

La Mujer Elige;<br />

- Salton Espumante Brut: Medalha de Ouro Duplo no<br />

La Mujer Elige;<br />

- Salton Espumante Moscatel: Medalha de Ouro no La<br />

Mujer Elige;<br />

- Salton Espumante Rosé Brut: Medalha de Ouro no<br />

La Mujer Elige;<br />

- Séries By Salton Moscatel: Medalha de Ouro no La<br />

Mujer Elige;<br />

- Séries By Salton Rosé Brut: Medalha de Ouro no La<br />

Mujer Elige.<br />

PRÊMIO QUEIJO BRASIL<br />

Falando em opções de excelência, e que - por que<br />

não? - harmonizam muito bem com os rótulos citados<br />

acima, também há poucas semanas foi divulgada a<br />

lista dos vencedores do IV Prêmio Queijo Brasil, maior<br />

concurso nacional do gênero e que indica anualmente<br />

as melhores receitas artesanais. premiação é organizada<br />

pela Comerqueijo, associação que reúne comerciantes<br />

de todo país que se dedicam ao comércio,<br />

exclusivo ou não, de queijos artesanais brasileiros.<br />

A primeira edição foi realizada em 2014 com 136 queijos<br />

inscritos. A segunda edição, em 2016, foram 234 e<br />

na terceira edição, em 2017, foram mais de 363 inscritos<br />

de todo o País representando a micro e pequena<br />

produção artesanal de laticínios. Na edição 2018 um<br />

novo recorde: mais de 470 inscrições.<br />

Ao todo foram 24 jurados, que avaliaram todos os<br />

concorrentes durante dois dias de degustação.<br />

A premiação máxima, o Certificado Super Ouro, foi<br />

para o Queijo do Marajó, da Fazenda São Victor, da<br />

Ilha de Marajó, PA, feito com 100% de leite de búfalas.<br />

Os responsáveis pela produção são deste queijo Tipo<br />

Creme são Cecília e Marcus Pinheiro. A queijaria da<br />

Fazenda São Victor, há 12 anos no mercado, produz<br />

por dia, em média, 80 kg de queijo.<br />

O produto da empresa tem certificação artesanal por<br />

meio do Projeto Desenvolvimento da Cadeia Produtiva<br />

do Queijo do Marajó, projeto conjunto do Sebrae e da<br />

Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará).<br />

Informações e pedidos sobre onde encontra o produ-<br />

Valduga (Casa Valduga, Domno do Brasil, Ponto<br />

Nero)<br />

NOSSO DESTAQUE: Leopoldina Gran Chardonnay<br />

D.O. 2017, Medalha de Ouro Duplo no La Mujer Elige.<br />

Acompanha muito bem massas, carnes brancas,<br />

fondues, queijos médios e fortes. Na boca é volumoso<br />

e potente, revelando todo o seu vigor e caráter devido<br />

ao alto conteúdo natural do álcool em harmonia<br />

com a fina acidez. Na parte retronasal remete todo<br />

seu complexo olfativo de frutas maduras e notas finas<br />

elegantes da madeira. Possui longa persistência.<br />

Outros premiados:<br />

- Ponto Nero Cult Natural Espumante Brut: Medalha<br />

de Ouro no Effervescents du Monde;<br />

- Casa Valduga 130 Espumante Brut: Medalha de<br />

Prata no Effervescents du Monde;<br />

- Casa Valduga Terroir Cabernet Franc 2015: Medalha<br />

de Ouro no La Mujer Elige;<br />

- Casa Valduga 130 Brut Rosé: Medalha de Prata no<br />

La Mujer Elige;<br />

- Casa Valduga Origem Merlot 2017: Medalha de Prata<br />

no La Mujer Elige;<br />

54


Grand Première<br />

to estão disponíveis pelos telefones<br />

(91) 9166-0283/ (91) 9166-0284 .<br />

Confira a abaixo a lista dos produtos<br />

e produtores que receberam a<br />

medalha dourada no Concurso:<br />

Certificados Ouro<br />

- Queijo Do Tino (Adalton Soares<br />

Da Costa)<br />

- Queijo Bom Sucesso (Adilson Cirino<br />

De Carvalho)<br />

- Gorgonzola Dolce, Reblochon,<br />

Lua Cheia e Brie (Airton Gianesi<br />

Da Costa)<br />

- Queijo Serrano (Alessandra Da<br />

Siva Valin)<br />

- Queijo Minas Frescal Malala (Alexandre<br />

Fonseca De Aguiar Martins)<br />

- Robiola Yogurt (Amedeo Mazzocco)<br />

- Valoro Silvania, Serrinha Silvania<br />

e Serrinha Silvania Lavado Na Cerveja<br />

(Camila Almeida Alves)<br />

- Fresconde (Carlos Alberto De<br />

Araújo)<br />

- Queijo Do Cedro - M12 (Dorvalino<br />

Ferreira Campos Junior)<br />

- Camponês (Edson Da Costa Cardoso)<br />

- Mantequeira Da Serra - Manjericão,<br />

Benza, Mantequeira Da Serra,<br />

Queijo Primo e Parmesão De Cabra<br />

(Elvio Rocha De Oliveira Sobrinho)<br />

- Piá (Erico Kolya)<br />

- Queijo Braúnas (Ewerton Sebastião<br />

De Almeida)<br />

- Nozinho (Fábio Henriques De<br />

Barros Pimentel)<br />

- Queijo Rancho 4R (Freire Fregugia<br />

Da Silva Junior)<br />

- Queijo D`Alagoa (Gabriel Valadão)<br />

- Queijo Meia Cura Defumado (Geraldo<br />

Maciel Júnior)<br />

- Della Terra Defumado (Gislene<br />

Tito e Francisco Barros)<br />

- Queijo De Ovelha Maturado 6<br />

Meses e Queijo Parmesão (Gran<br />

Paladare Industria E Comercio<br />

De Lacteos Eireli)<br />

- Horizonte (Henrique De Paula<br />

Eduardo)<br />

- Vale Da Bateia (Humberto<br />

Gontijo De Oliveira)<br />

- Goa 6 Tempos e Queijo Goa<br />

(Jeferson Gifoni Arantes)<br />

- Arupiara (Joaquim Dantas Vilar)<br />

- Queijo Gororos (Joaquim José<br />

Generoso Guerra )<br />

- Queijo Minas Artesanal Canastra<br />

(Johne Santos Castro)<br />

- Queijo Quark (Laticinios Gioia)<br />

- Queijo Mandala 11 Meses,<br />

Queijo Cuestazul e Queijo Cuesta<br />

Reserva 12 Meses (Leiteria E<br />

Laticinios Pardinho Artesanal<br />

Ltda)<br />

- Queijo Tipo Parmesão De Alagoa<br />

(Marcos Vinicius Mendes)<br />

- Kochkäse (Maria Dos Santos<br />

Oeschler)<br />

- Queijo Canastra Marisa (Marisa<br />

De Lima Carvalho)<br />

- Queijo Tipo Boursin (Mateus<br />

Maldanis Ribeiro)<br />

- Minas Frescal (Miguel Eduardo<br />

Britto Aragão)<br />

- Queijo Do Miguel (Miguel Marcelio<br />

De Faria)<br />

- Queijo Do Coronel e Queijo Faixa<br />

Dourada (Osvaldo Martins De<br />

Barros Filho)<br />

- Pingo Do Mula (Extra Maturado)<br />

- Paulo Henrique De Matos<br />

Almeida<br />

- Catauá Longa Maturação<br />

(Queijo Catauá Longa Maturação)<br />

- Tropeiro (Queijo Com Arte)<br />

- Tulha Jovem 6 Meses, Bousan<br />

e Toca Da Figueira (Rosana Aparecida<br />

Alves De Paula)<br />

- Queijo Do Serjao (Sergio De<br />

Paula Alves)<br />

LISTA COMPLETA: Confira no site<br />

Premio Queijo Brasil os vencedores<br />

dos Certificados de Prata e também<br />

dos Certificados de Bronze -<br />

http://premioqueijobrasil.com.br .<br />

55


Grand Première<br />

AS ÚLTIMAS DO ANO<br />

Cerca de 100 empresas medalhistas e quase 300<br />

premiações em 5 grandes concursos!<br />

Nosso levantamento de 2018, contabilizando apenas<br />

5 de últimas grandes premiações do mercado<br />

cervejeiro, é um guia completo de rótulos e cervejarias<br />

que não podem falta na sua lista.<br />

Apenas para começar... Foram nada menos que 24<br />

Medalhas e o segundo lugar como país em número<br />

de premiações, ficando apenas atrás dos EUA: esse<br />

foi o resultado da participação brasileira na edição<br />

2018 do Brüssels Beer Challenge, principal concurso<br />

cervejeiro da Bélgica, referência internacional<br />

tanto em tradição quanto em inovação cervejeira, e<br />

um dos mais importantes do mundo.<br />

56


Grand Première<br />

Entre os destaques das premiadas<br />

está a Cervejaria Bierbaum,<br />

com sede em Treze Tílias, em SC,<br />

que, além de faturar uma Medalha<br />

de Ouro com a sua Bierbaum<br />

Weizenbock, foi condecorada<br />

com o Prêmio de “Revelação<br />

do Continente Americano” (Both<br />

American Revelation) com a sua<br />

Bierbaum Dunkel.<br />

A Bierbaum Dunkel vem acumulando<br />

diversas premiações desde<br />

2012. É uma cerveja escura, de<br />

baixa fermentação, médio teor alcoólico,<br />

do tipo “Schwarzbier”, com<br />

boa formação de creme, sabor levemente<br />

suave do malte torrado que<br />

vai em sua formulação, com equilíbrio<br />

e baixo amargor residual de<br />

lúpulo. É mais escura e mais seca<br />

que a Munich Dunkel, mas é leve e<br />

refrescante com sabor menos torrado<br />

e menos amargo se comparada<br />

aos de estilos mais escuros,<br />

como a Porter ou a Stout. Não é<br />

doce como Malzbier. A Dunkel é<br />

original da região da Bavária, na<br />

Alemanha. Harmoniza muito bem<br />

com carne vermelha, queijo Gruyère,<br />

queijo Gouda, queijo Gorgonzola,<br />

queijo Provolone e chocolate.<br />

Já a Bierbaum Weizenbock, 100%<br />

malte, escura, de alta fermentação<br />

e alto teor alcoólico, acompanha<br />

muito bem comida chinesa, pato,<br />

Goulasch, vitela, carpaccio, carne<br />

grelhada, queijo parmesão, Gruyère,<br />

gorgonzola e chocolate. Ela tem<br />

moderado sabor de trigo (semelhante<br />

a pão) combinado com aroma<br />

intenso de frutas escuras (ameixa,<br />

ameixa-seca, uva-passa ou uva).<br />

Aliás a Bierbaum foi destaque em<br />

outros dois recentes concurso: a<br />

Copa Cerveja POA, sua segunda<br />

edição realizada em Porto Alegre, e<br />

a Copa Cerveja Brasil - Concurso<br />

Nacional das Cervejas Artesanais<br />

Independentes, organizada pela<br />

Abracerva. Na primeira, a Bierbaum<br />

faturou Medalha de Bronze<br />

com o se rótulo Vienna. Já na na<br />

segunda, a empresa foi<br />

considerada a Melhor Microcervejaria<br />

do Ano, com<br />

Medalha de Prata para a<br />

sua Doppelbock, Medalha<br />

de Ouro para sua Dunkel<br />

e também para a sua Doppelbock<br />

Bourbon Wood<br />

Aged, e Medalha de Bronze<br />

para a sua Weizenbock.<br />

Apenas para se ter uma<br />

ideia da concorrência, em<br />

sua priimeira edição a<br />

Copa Cerveja Brasil distribuiu<br />

67 premiações para<br />

36 cervejarias. Foram 590<br />

amostras analisadas por<br />

cerca de 50 juízes. Já a II<br />

Copa da Cerveja POA (Porto<br />

Alegre) contou com quase<br />

1.200 concorrentes, o que<br />

já coloca o concurso entre<br />

os 10 maiores do mundo!<br />

Foram 64 julgadores, dos<br />

quais muitos nomes de expressão<br />

do mercado cervejeiro<br />

mundial, entre eles,<br />

a bióloga Averie Swanson,<br />

Steve Luke (ex-cervejeiro<br />

da Elysian Brewing), Pat<br />

Fahey (juiz do Great American<br />

Beer Festival), Jerry<br />

Gnagy (mestre-cervejeiro<br />

por oito anos na Bluegrass<br />

Brewing) e Megan Garrity<br />

(cervejeira da Grenga<br />

Brewing, de Lima, e juíza<br />

da Copa Cervezera Mitad<br />

del Mundo).<br />

Voltando ainda ao Brüssels<br />

Beer Challenge, talvez<br />

o principal concurso internacional<br />

realizado nas últimas<br />

semanas, podemos<br />

destacar ainda a Brotas<br />

Beer, de SP, que faturou<br />

duas Medalhas no evento,<br />

sendo uma Medalha de<br />

Prata para a sua Dry Stout<br />

e uma Medalha de Bronze<br />

para a sua Schwarzbier.<br />

A Brotas Beer Dry Stout<br />

57


Grand Première<br />

há pouco tempo já tinha conquistado<br />

o título da Melhor do País em<br />

2018 no World Beer Awards. Foi<br />

um o destaque da empresa que<br />

teve degustação orientada pelo<br />

sommelier, docente e consultor<br />

Rodrigo Sawamura no II Workshop<br />

Compartilhando Experiências de<br />

Sucesso, organizado pela <strong>Carta</strong><br />

<strong>Premium</strong> e pela Prodrinks Consultoria<br />

em outubro. Ela traz acentuadas<br />

notas de café e malte torrado<br />

com um leve aroma de chocolate.<br />

De coloração profunda, com reflexos<br />

avermelhados, apresenta uma<br />

espuma marrom bastante densa e<br />

persistente. Harmoniza bem com<br />

ostras e frutos do mar levemente<br />

adocicados, carnes de caça, feijoada,<br />

embutidos e sobremesas com<br />

chocolate amargo. Teor alcoólico<br />

de 4,5% e 13 IBUs.<br />

Já a Schwarzbier da empresa que<br />

também arrematou o título de Melhor<br />

do País na Sua Categoria no<br />

World Beers Awards 2018 tem aromas<br />

maltados de caramelo e chocolate,<br />

traduzidos em um paladar<br />

torrado suave, equilibrado e suculento,<br />

teor alcoólico de 5% e 20<br />

IBUs. Harmoniza bem com pratos<br />

escurecidos terrosos ou picantes,<br />

como paella espanhola ou toda espécie<br />

de embutidos, sanduíches de<br />

presunto ou pastrami, principalmente<br />

os de pão preto.<br />

Check-list de todos<br />

os premiados!<br />

Além desses três concursos citados<br />

acima, também foi realizada recentemente<br />

mais uma edição do festival<br />

Slow Brew, um encontro que<br />

reuniu 74 cervejarias, entre nacionais<br />

e internacionais, 371 rótulos<br />

no total, com 50 lançamentos e 13<br />

produzidos exclusivamente para o<br />

evento. Uma das novidades deste<br />

ano foi a premiação dos melhores<br />

cervejas e cervejarias segundo<br />

a avaliação dos participantes do<br />

evento.<br />

E vale acrescentar também o European<br />

Beer Star, um dos principais<br />

concursos cervejeiros internacionais,<br />

que divulgou em meados de<br />

novembro as premiadas da edição<br />

2018. Seis cervejas do Brasil conquistaram<br />

medalha, sendo duas<br />

de ouro, duas de prata e duas de<br />

bronze.<br />

Para ajudar você a conhecer cada<br />

um dos rótulos brasileiros premiados<br />

nos 4 eventos citados, cruzamos<br />

as informações e listamos a<br />

seguir cada uma das cervejarias<br />

e seus rótulos ‘medalhados’, indicando<br />

também a que Estado pertence<br />

cada uma, a fim de facilitar<br />

sua escolha e ajudar na aposta do<br />

regionalismo:<br />

REGIÃO SUDESTE<br />

3Orelhas (MG)<br />

DESTAQUE: Mares de Minas: Medalha<br />

de Bronze na Copa da Cerveja<br />

POA 2018 e Medalha de Prata na<br />

Copa Cerveja Brasil. Essa IPA, com<br />

7% de teor acoólico, remete ao aroma<br />

de pinho, cítrico, com presença<br />

de limão siciliano e maracujá.<br />

Outras Premiações:<br />

- Eleito o “Melhor Brew Pub” na<br />

Copa Cerveja Brasil;<br />

- Farmhouse Ale: Medalha de<br />

58


59


Grand Première<br />

Bronze na Copa Cerveja<br />

Brasil;<br />

- Bastiana: Medalha de<br />

Bronze na Copa Cerveja<br />

Brasil.<br />

Antuérpia (MG)<br />

DESTAQUE: Nikita Hazelnut<br />

Stuck, Medalha de<br />

Bronze na Copa da Cerveja<br />

POA 2018. Essa Russian<br />

Imperial Stout traz<br />

notas de chocolate amargo,<br />

café, toffee, cacau<br />

e nuts, proporcionados<br />

pela adição de lactose.<br />

Oferece uma complexidade<br />

de sabores que pode<br />

ser traduzida como uma<br />

sobremesa alcoólica.<br />

- Irish: Medalha de Bronze<br />

na Copa da Cerveja<br />

POA 2018<br />

Baden Baden (Heineken<br />

do Brasil, SP)<br />

- Chocolate: Medalha de<br />

Ouro no Brüssels Beer<br />

Challenge 2018<br />

- Red Ale: Medalha de<br />

Ouro no Brüssels Beer<br />

Challenge 2018<br />

- Weiss: Medalha de Ouro<br />

no Brüssels Beer Challenge<br />

2018<br />

- Bock: Medalha de Bronze<br />

no Brüssels Beer Challenge<br />

2018<br />

- Golden: Medalha de<br />

Ouro no European Beer<br />

Star.<br />

Bamberg (SP)<br />

- Altbier: Certificado de<br />

Excelência (Certification<br />

Of Excellence) no Brüssels<br />

Beer Challenge 2018,<br />

Medalha de Ouro no European<br />

Beer Star. Com<br />

amargor de 48 IBU, ela<br />

harmoniza com pratos<br />

apimentados e gordurosos,<br />

carnes vermelhas e<br />

de caça.<br />

Outras premiadas:<br />

- Bamberg Rauchbier:<br />

Medalha de Prata no European<br />

Beer Star.<br />

Bohemia (Grupo Ambev, SP)<br />

- Wee Heavy: Medalha de<br />

Prata no European Beer Star.<br />

Botocudos (MG)<br />

- Nego Drama: Medalha<br />

de Prata na Copa Cerveja<br />

Brasil. Com 75 IBU e<br />

11,5% de teor alcoólico,e<br />

ssa cerveja é uma Russian<br />

Imperial Stout que<br />

é maturada com avelã e<br />

chips de carvalho. Apresenta<br />

notas de chocolate,<br />

café, coco e baunilha.<br />

Brewpoint (ES)<br />

- DESTAQUE: Dunkel,<br />

Medalha de Prata na<br />

Copa Cerveja Brasil. Com<br />

leve sabor tostado, aroma<br />

sutil que remete ao chocolate<br />

e cor cobre acastanhado.<br />

É uma cerveja<br />

para agradar aos amantes<br />

da cerveja escura, puro<br />

malte e para quem quer<br />

descobrir novos sabores.<br />

Ela harmoniza muito bem<br />

com carne assada, gratinados<br />

e fondue.<br />

Outra premiação:<br />

- Weiss: Medalha de Bronze<br />

na Copa Cerveja Brasil<br />

Brotas Beer (SP)<br />

- Dry Stout: Medalha de<br />

Prata no Brüssels Beer<br />

Challenge 2018<br />

- Schwarzbier: Medalha<br />

de Bronze no Brüssels<br />

Beer Challenge 2018<br />

Búzios (RJ)<br />

- Brigitte: Medalha de<br />

Prata na Copa da Cerveja<br />

POA 2018. Ela acompanha<br />

o estilo Witbier ou<br />

Biere Blanche. Trata-se<br />

de uma cerveja de trigo,<br />

de cor bastante clara e<br />

espuma consistente; condimentada<br />

com semente<br />

60


Grand Première<br />

de coentro e com casca de laranja.<br />

Sua característica cítrica, levemente<br />

acida, o corpo médio e o<br />

aroma suave, fazem com que a Búzios<br />

Brigitte combine com verão.<br />

Confrades (MG)<br />

- Strong Bitter: Medalha de Prata<br />

na Copa Cerveja Brasil. Com 6% de<br />

teor alcoólico e 40 de IBU, traz um<br />

sabor bem caramelado que remete<br />

também a castanhas e biscoito.<br />

Dádiva (SP)<br />

DESTAQUE: Sudden Life, Medalha<br />

de Prata na opa Cerveja Brasil. Refrescante<br />

e ideal para acompanhar<br />

pratos mais leves, é uma NE IPA de<br />

5,6% ABV, que pode harmonizar e<br />

pratos como Risoto de Cogumelos<br />

e Açafrão.<br />

- 2xPink Lemonade: Medalha de<br />

Bronze na Copa Cerveja Brasil<br />

- Commonzinha: Medalha de Bronze<br />

na Copa Cerveja Brasil.<br />

Dama Bier (SP)<br />

DESTAQUE: Pilsen, Medalha de Ouro<br />

no Brüssels Beer Challenge 2018.<br />

Harmoniza bem com peixes, mariscos,<br />

saladas, comida japonesa e queijos<br />

como a mussarela de búfala.<br />

- Stout: Medalha de Prata no<br />

Brüssels Beer Challenge 2018<br />

Eisenbahn (Heineken do Brasil, SP)<br />

- Weizenbock: Certificado de Excelência<br />

(Certification Of Excellence)<br />

no Brüssels Beer Challenge 2018<br />

ES - Espírito Santo (ES)<br />

- Belgian Dubbel: Medalha de Ouro<br />

no Brüssels Beer Challenge 2018.<br />

Forte e escura, essa cerveja traz<br />

um teor alcoólico de 7,5%.<br />

Outras premiações:<br />

- Rauchbier: Medalha de Ouro na<br />

Copa Cerveja Brasil; 1a. Colocada<br />

como “Best of Show” na na Copa<br />

Cerveja Brasil<br />

- Oatmeal Stout: Medalha de Bronze<br />

na Copa da Cerveja Brasil<br />

- Russian Imperial Stout: Medalha<br />

de Ouro na Copa Cerveja Brasil<br />

2018<br />

- Belgian Dark Strong Ale: Medalha<br />

de Ouro na Copa Cerveja Brasil<br />

Fathach (MG)<br />

- Irish Red Ale: Medalha de Bronze<br />

no Brüssels Beer Challenge 2018.<br />

É uma cerveja de cor avermelhada<br />

e corpo médio. O lúpulo inglês<br />

combinado com o malte caramelo<br />

levemente tostado traz na boca<br />

uma sensação de equilíbrio com<br />

um leve dulçor e final seco.<br />

Goose Island (Ambev, SP)<br />

- Brewhouse São Paulo: Medalha de<br />

Ouro na Copa da Cerveja POA 2018<br />

Hausen Bier (SP)<br />

- Dunkel: Medalha de Bronze no<br />

Brüssels Beer Challenge 2018. É<br />

uma cerveja de baixa fermentação,<br />

de médio teor alcoólico, encorpada<br />

e escura, levemente lupulada<br />

com espuma densa e final seco. Os<br />

maltes torrados especiais remetem<br />

a caramelo, chocolate e café. Ótima<br />

para harmonizar com presunto<br />

cru, churrasco e feijoada.<br />

Hood Cervejaria (ES)<br />

- Mapa-Mosaic American Pale<br />

Ale: Medalha de Ouro na Copa da<br />

Cerveja POA 2018. É uma cerveja<br />

que acompanha muito bem pratos<br />

como o sushi.<br />

Kingbier (ES)<br />

- King Ipa: Medalha de Prata na<br />

Copa Cerveja Brasil. Essa mesma<br />

cerveja também foi condecorada<br />

61


Grand Première<br />

com Medalha de Ouro no South<br />

Beer Cup 2108.<br />

Loba (MG)<br />

DESTAQUE: Wheatwine, Medalha<br />

de Prata na Copa Cerveja Brasil.<br />

No comeo do ano essa mesma cerveja<br />

já havia recebido a Medalha<br />

de Prata no Concurso Brasileiro da<br />

Cerveja do Festival de Blumenau.<br />

Outra premiada<br />

- Strong Scotch Ale: Medalha de<br />

Bronze na Copa Cerveja Brasil<br />

Mantrap (MG)<br />

DESTAQUE: Eleita a “Melhor Cervejaria<br />

Cigana” na Copa Cerveja<br />

Brasil. Am Mantrap é uma cervejaria<br />

cigana que completou apenas<br />

três anos em 2018.<br />

Outra premiação:<br />

- Red Trap: Medalha de Bronze na<br />

Copa Cerveja Brasil<br />

Mea Culpa (SP)<br />

DESTAQUE: Generosidade, Medalha<br />

de Ouro na Copa Cerveja Brasil.<br />

É uma West Coast IPA feita com<br />

100% de Cryo Hops de Simcoe. De<br />

cor dourada, perfume e aroma citricos,<br />

tem teor alcoólico de 6,8% e<br />

amargor de 60 IBU.<br />

- Caridade: Medalha de Bronze na<br />

Copa Cerveja Brasil<br />

Mundo (SP)<br />

- Black Vermont: Medalha de Bronze<br />

na Copa da Cerveja POA 2018. A<br />

Mundo é uma cervejaria artesanal<br />

da cidade de Itupeva, no interior<br />

paulistP, que produz e também<br />

distribuímos grandes cervejas artesanais<br />

do Brasil.<br />

Noi (RJ)<br />

- Passione: Medalha de Prata no<br />

European Beer Star 2018, Medalha<br />

de Bronze na Copa Cerveja Brasil.<br />

Essa Belgian Strong Ale recém-<br />

-lançada vem embrulhada em papel<br />

especial com 12 declarações de<br />

amor, escolhidas em um concurso<br />

realizado pelas redes sociais da<br />

marca. Envelhecida por dois anos<br />

em barricas de carvalho, a Passione<br />

apresenta intenso aroma frutado<br />

de ameixas secas e uvas passas<br />

e paladar licoroso de vinho xerez.<br />

Tem Os 12% de teor alcoólico.<br />

Outras premiações<br />

- Avena: Medalha de Bronze na<br />

Copa Cerveja Brasil<br />

- Cioccolato Barile: Medalha de<br />

Bronze na Copa Cerveja Brasil<br />

- Noi Diavolo: Medalha de Bronze<br />

no European Beer Star 2018<br />

Non Dvcor Dvco (SP)<br />

- Brown Ale: Medalha de Bronze<br />

na Copa Cerveja Brasil. É perfeita<br />

para se beber em companhia de<br />

pratos de carne, peixe, aves e queijos.<br />

Algumas sobremesas também<br />

podem acompanhar, como torta de<br />

maças e de nozes.<br />

Overhop (RJ)<br />

- Hazy: Medalha de Bronze na<br />

Copa da Cerveja POA 2018. É uma<br />

New England IPA tem perfil aromático<br />

bem frutado e foi o resultado<br />

da combinação de lúpulos utilizados<br />

no final da fervura, aliados a<br />

dois Dry Hoppings e fermento Vermont<br />

Ale.<br />

Quatro Graus (RJ)<br />

- Maple Black Anthrax: Medalha de<br />

Prata no Slow Brew 2018. É uma<br />

versão especial da cerveja da empresa<br />

que levou adição de Maple. A<br />

Black Anthrax é uma cerveja com<br />

um adição extra de baunilha em<br />

favas. Ela é bem forte e tem 16% de<br />

teor alcoólico. Aromas: chocolate,<br />

melaço, baunilha e carvalho que<br />

lembram Bourbon. Paladar: chocolate<br />

amargo, álcool bem inserido<br />

aquecendo apenas ao final.<br />

Three Monkeys Beer (RJ)<br />

- DESTAQUE: I’m Sour: 1o. Lugar<br />

como “Best of Show” na Copa<br />

62


Grand Première<br />

da Cerveja POA 2018; Medalha<br />

de Ouro na Copa da Cerveja POA<br />

2018. Essa cerveja de destaque da<br />

empresa está disponível em duas<br />

versões: com pitaya e goiaba, e<br />

com pitaya e morango.<br />

Outro premiação:<br />

- Considerada a Cervejaria do Ano<br />

na Copa da Cerveja POA 2018<br />

Wäls (MG)<br />

- DESTAQUE: Dubbel, Medalha<br />

de Prata no Brüssels Beer Challenge<br />

2018. É uma cerveja do estilo<br />

Belgian Strong Ale Dubbel,<br />

de aparência castanha escura,<br />

espuma densa e duradoura. Aroma<br />

de frutas secas com notas de<br />

especiarias e maltes especiais.<br />

Harmoniza com carnes vermelhas<br />

gordurosas, carnes de caça e aves<br />

silvestres e sobremesas com toques<br />

de chocolate.<br />

- Session Haze: Medalha de Bronze<br />

no Brüssels Beer Challenge 2018<br />

Zalaz (MG)<br />

- Considerada a “Cervejaria do<br />

Ano” no Slow Brew 2018<br />

REGIÃO SUL<br />

4Árvores (RS)<br />

- Paineira: Medalha de Prata na<br />

Copa da Cerveja POA 2018. Essa<br />

New England Double IPA é uma<br />

cerveja turva, “suculenta”, com<br />

uma explosão de frutas amarelas<br />

no aroma e no sabor e com amargor<br />

equilibrado. Leva um blend de<br />

3 lúpulos usados apenas no final<br />

da fervura e dry hopping.<br />

Além Bier (RS)<br />

DESTAQUE: Muscat saison Brett<br />

Session Beer, Medalha de Ouro na<br />

Copa da Cerveja POA 2018. Essa<br />

cerveja é produzida com mosto de<br />

uvas Moscatel, cultivadas na Serra<br />

Gaúcha.<br />

Outras premiações:<br />

- Tripel Bett: Medalha de Prata na<br />

Copa da Cerveja POA 2018, Medalha<br />

de Bronze na Copa Cerveja<br />

Brasil<br />

- Selvatica Stout: Medalha de<br />

Bronze na Copa da Cerveja POA<br />

2018<br />

- Pilsen: Medalha de Prata na Copa<br />

Cerveja Brasil<br />

- Tripel Framboise: Medalha de<br />

Bronze na Copa Cerveja Brasil<br />

- Dark Sour: Medalha de Prata na<br />

Copa Cerveja Brasil<br />

Al Fero (Cervejaria Nova Trento, SC)<br />

DESTAQUE: Witbier: Medalha de Prata<br />

na Copa Cerveja Brasil. Essa Cerveja já<br />

havia levado o título de “Melhor no seu<br />

Estilo” no World Beer Awards 2018”.<br />

Ela leva na receita limão siciliano e<br />

manjericão. Harmoniza muito bem<br />

com salmão e sushi e pratos com frango<br />

ou carne suína bem condimentados.<br />

Outra premiação:<br />

- Oatmeal Stout: Medalha de<br />

Bronze na Copa Cerveja Brasil<br />

Armada (SC)<br />

DESTAQUE: Daenerys, Medalha<br />

de Prata na Copa da Cerveja POA<br />

2018. É uma catharina sour com<br />

pitaya (dragon fruit) e maracujá,<br />

com 5,2% de teor alcoólico.<br />

Outras premiações:<br />

- Smoke is in the Air: Medalha de<br />

Prata na Copa da Cerveja POA 2018<br />

- Old Strapp: Medalha de Bronze<br />

na Copa da Cerveja POA 2018<br />

Baita Bier (RS)<br />

- English <strong>Premium</strong>: Medalha de<br />

Ouro na Copa da Cerveja POA<br />

2018. É uma cerveja que harmoniza<br />

com carnes de caça, kebab,<br />

queijo brie, amêndoas, pizza portuguesa<br />

e panna cotta.<br />

Bastards (PR)<br />

- Mark The Shadow: Medalha de<br />

Bronze no Brüssels Beer Challenge<br />

2018. É uma oatmeal Stout com<br />

notas de café e chocolate e teor alcoólico<br />

de 6,5%. Acompanha bem<br />

queijo parmesão e cordeiro.<br />

Bierbaum (SC)<br />

DESTAQUE: Dunkel: “American<br />

Revelation” no Brüssels Beer Challenge<br />

2018 e Medalha de Ouro na<br />

Copa Cerveja Brasil.<br />

Outras premiações<br />

- Eleita a “Melhor MicroCervejaria”<br />

na Copa Cerveja Brasil<br />

- Vienna: Medalha de Bronze na<br />

Copa da Cerveja POA 2018.<br />

- Weizenbock: Medalha de Ouro no<br />

Brüssels Beer Challenge 2018; Medalha<br />

de Bronze na Copa Cerveja<br />

Brasil<br />

- Doppelbock: Medalha de Prata na<br />

Copa Cerveja Brasil<br />

- Doppelbock Bourbon Wood Aged:<br />

Medalha de Ouro na Copa Cerveja<br />

Brasil<br />

Birrifício Frisanco (Dido’s Beer,<br />

SC) - Ricordi: Medalha de Ouro na<br />

Copa da Cerveja POA 2018, Medalha<br />

de Ouro na Copa Cerveja Brasil;<br />

3a. Colocada como “Best of Show”<br />

na na Copa Cerveja Brasil. Essa<br />

cerveja foi desenvolvida em parceria<br />

com o sommelier Douglas Merlo.<br />

63


Grand Première<br />

Blauer Berg (SC)<br />

DESTAQUE: Blond, Medalha<br />

de Prata na Copa Cerveja<br />

Brasil. Com teor alcoólico<br />

de 6,3%, ela traz o sabor<br />

marcante das leveduras belgas<br />

e delicadas notas de tutti<br />

frutti.<br />

Outras premiações:<br />

- Robust Porter: Medalha<br />

de Bronze na Copa Cerveja<br />

Brasil<br />

- Headspace Oak Aged: Medalha<br />

de Bronze na Copa Cerveja Brasil<br />

Bodebrown (PR)<br />

DESTAQUE: Sour Punk (Wild),<br />

Certificado de Excelência (Certification<br />

Of Excellence) no Brüssels<br />

Beer Challenge 2018<br />

Outra premiação:<br />

- Wee Heavy Au Syrah: Medalha de<br />

Bronze no Brüssels Beer Challenge<br />

2018<br />

Cervejaria Portoalegrense (RS)<br />

- Rauchbier: 2o Lugar como “Best<br />

of Show” na Copa da Cerveja POA<br />

2018; Medalha de Ouro na Copa<br />

da Cerveja POA 2018. Essa puro<br />

malte harmoniza muito bem com<br />

provolone, porco, bacon, embutidos,<br />

feijoada, costelinha suína,<br />

frango na brasa, javali, pimentão<br />

recheado, pizza calabresa, salmão<br />

defumado e truta defumada.<br />

Chaos Brew (SC)<br />

- Let’s Put a Smile on Your Face:<br />

Medalha de Prata na Copa da Cerveja<br />

POA 2018. Essa West Coast<br />

Pale Ale, com teor alcoólico de 4,8%<br />

e 30 IBU, leva dry hopping e 11<br />

gramas por litros do lúpulo Mosaic.<br />

Cozalinda (SC)<br />

DESTAQUE: Pedras do Itaguaçu<br />

Framboesa, Medalha de Prata na<br />

Copa da Cerveja POA 2018. Essa<br />

cerveja foi criada para lembrar o<br />

aroma e o sabor da belga Lambic.<br />

A receita é uma das principais do<br />

estilo Sour da empresa.<br />

Outra Premiação:<br />

- Macacada: Medalha de Bronze<br />

na Copa da Cerveja POA 2018<br />

Edelbrau (RS)<br />

- Altbier: Medalha de Ouro na Copa da<br />

Cerveja POA 2018. É produzida com a<br />

levedura do tipo ale, porém com uma<br />

temperatura de fermentação típica de<br />

uma lager, que a deixa mais suave do<br />

que as ales tradicionais.<br />

64


65


Grand Première<br />

Farrapos (RS)<br />

- Guaipeca: Medalha de Prata na<br />

Copa da Cerveja POA 2018. É uma<br />

cerveja puro malte leve, refrescante.<br />

Disponível também na versão<br />

chope: barris retornáveis de 30 e 50<br />

litros e barris descartáveis de 30 l.<br />

Fellas Beer (RS)<br />

- Abbey Ales Good Good: Medalha<br />

de Bronze na Copa da Cerveja POA<br />

2018. Todas as cervejas da empresa<br />

são 100% artesanais, elaboradas<br />

em panelas com puro malte,<br />

lúpulos e fermentos importados<br />

além de água duplamente filtrada.<br />

Fruki (Cervejaria Bellavista, RS)<br />

- Bellavista Witbier: Medalha de<br />

Bronze na Copa da Cerveja POA<br />

2018. Essa cerveja é leve, clara e<br />

turva, com notas cítricas e florais.<br />

Com adição de cascas de bergamota,<br />

limão siciliano, laranja pera<br />

e sementes de coentro, a Witbier<br />

apresenta um amargor leve e sensação<br />

refrescante.<br />

GG Atelier de Cervejas (RS)<br />

- Hop Lager: Medalha de Ouro na<br />

Copa da Cerveja POA 2018. É uma<br />

cerveja bem especiald a empresa<br />

para os dias mais quentes de verão.<br />

Haenschbier (SC)<br />

- DESTAQUE: Session IPA, Medalha<br />

de Prata na Copa Cerveja Brasil.<br />

Entre as haornizações possíveis<br />

para esta ótima cerveja estão<br />

carne vermelha, comida mexicana,<br />

hambúrguer e salmão.<br />

Outra premiada:<br />

- Witbier: Medalha de Bronze na<br />

Copa Cerveja Brasil<br />

Heilige (RS)<br />

- Red Ale: Medalha de Bronze a<br />

Copa da Cerveja POA 2018. De<br />

colorac¸a~o avermelhada e aromas<br />

bem pronunciados que remetem<br />

a caramelo, essa cerveja<br />

tem corpo médio com espuma<br />

cremosa e de boa persistência. No<br />

paladar estão presentes o maltado,<br />

caramelo e até um frutado.<br />

Hettwer Bier (RS)<br />

DESTAQUE: Barley Wine, Medalha<br />

de Ouro na Copa da Cerveja<br />

POA 2018. É bem maltada, remetendo<br />

a notas de frutas secas,<br />

encorpada, maturada em carvalho<br />

e com média carbonatação.<br />

Recomenda-se apreciar lentamente,<br />

deixando esquentar no<br />

copo. Tem teor alcoólico de 9% e<br />

amargor de 50% IBU.<br />

- Pilsen: Medalha de Prata na<br />

Copa da Cerveja POA 2018<br />

Hillneck (RS)<br />

- Imperial Porter: Medalha de Bronze<br />

na Copa Cerveja Brasil. Vale destacar<br />

que essa cerveja também faturou<br />

nesete ano a Medalha de Ouro<br />

na Copa Cervezas de America.<br />

Irmãos Ferraro (RS)<br />

DESTAQUE: Clementina, Medalha<br />

de Bronze na Copa da Cerveja<br />

POA 2018. É uma cerveja<br />

no estilo de bergamota italiana,<br />

uma APA de coloração dourada/<br />

alaranjada, com espuma de boa<br />

formação e média persistência,<br />

com alta drinkability e muito refrescante.<br />

Outra premiada:<br />

- Dark Rat: Medalha de Bronze na<br />

Copa Cerveja Brasil<br />

66


Grand Première<br />

Kairós (SC)<br />

- Lombisome Saison: Medalha de<br />

Prata na Copa da Cerveja POA<br />

2018. É uma cerveja com aroma e<br />

sabor frutado com um leve caráter<br />

maltoso. A cor é dourada clara com<br />

espuma densa que forma na borda<br />

do copo o tradicional rendado<br />

belga. Tem leve amargor e sabor<br />

de lúpulo com caráter condimentado.<br />

A acidez baixa traz refrescância<br />

e a alta carbonatação faz com<br />

que ela tenha uma boa drinkabilidade.<br />

Harmonização: massas ou<br />

sanduiches com atum, camarão,<br />

caranguejo e empanados em geral.<br />

Bolinhos de grão de bico, salames,<br />

salsichas e salmão, também<br />

harmonizam muito bem com esta<br />

cerveja.<br />

Königs (SC)<br />

- Rauchbier: Certificado de Excelência<br />

(Certification Of Excellence)<br />

no Brüssels Beer Challenge 2018.<br />

Essa cerveja harmoniza com alimentos<br />

defumados, carne de porco,<br />

frios, feijoada, além de hambúrguer<br />

gourmet.<br />

La Birra (RS)<br />

- Australian Pale Ale: Medalha de Bronze<br />

na Copa da Cerveja POA 2018. Apresenta<br />

um corpo seco e leve, lúpulo Australiano<br />

acentuado, aromas marcantes florais e<br />

frutados que lembram maracujá e melão.<br />

Leopoldina (Grupo Valduga, RS)<br />

- Imperial Stout: Medalha de Prata na<br />

Copa da Cerveja POA 2018. Essa cerveja<br />

harmoniza muito bem com Sobremesas<br />

diversas, sobretudo aquelas elaboradas<br />

com chocolate. O caráter intenso da cerveja<br />

acompanha perfeitamente doce.<br />

Lohn Bier (SC)<br />

- DESTAQUE: Carvoeira: Medalha de<br />

Ouro no Brüssels Beer Challenge 2018,<br />

Medalha de Bronze na Copa Cerveja Poá.<br />

Essa talvez seja a cerveja da empresa com<br />

maior número de medalhas. São 16 medalhas<br />

em 9 países para essa Russian Imperial<br />

Stout.<br />

Outras premiadas:<br />

- Barley Wine: Medalha de Bronze no<br />

Brüssels Beer Challenge 2018, Medalha<br />

de Prata na Copa Cerveja Brasil;<br />

- Gose: Medalha de Prata na Copa Cerveja<br />

Brasil.<br />

67


Grand Première<br />

Maniacs Brewing (PR)<br />

- Rebellion Kofe: Medalha de Bronze<br />

na Copa Cerveja Brasil. Essa<br />

Russian Imperial Stout leva adição<br />

de café maturado em barris de<br />

bourbon. Tem 13% de teor alcoólico.<br />

Mater (RS)<br />

DESTAQUE: Australian Pale Ale,<br />

Medalha de Prata na Copa da Cerveja<br />

POA 2018. Essa cerveja é muito<br />

aromática, frutada e com notas<br />

que remetem a pêssego. Foi desenvolvida<br />

para ser uma Ale de corpo<br />

e amargor médio, é um produto<br />

que surpreende por ser uma cerveja<br />

“coringa”.<br />

Outra premiação:<br />

- Berliner Weisse: Medalha de<br />

Bronze na Copa da Cerveja POA<br />

2018<br />

Narcose (RS)<br />

- Flips-Flops to Heaven: Medalha<br />

de Bronze na Copa da Cerveja POA<br />

2018. Essa cerveja é uma gose com<br />

caju, feira de forma colaborativa<br />

com a Suricato Ales. Refrescante,<br />

traz o equilíbrio perfeito entre acidez<br />

e salinidade.<br />

Nefasta (On Tap Cervejaria, SC)<br />

- Exilada: Medalha de Prata na<br />

Copa da Cerveja POA 2018. Essa<br />

Vienna também recebeu a Medalha<br />

de Prata no Festival Brasileiro<br />

de Cervejas, em Blumenau.<br />

Pata Negra (PR)<br />

- Drunk Monk: Medalha de Prata<br />

na Copa da Cerveja POA 2018. É<br />

é uma Belgian Dubbel, com 7,2%<br />

ABV e 27 IBU. De coloração marrom<br />

escura, traz notas de frutas<br />

passas, caramelo e leve chocolate<br />

tanto no aroma como no sabor.<br />

Providência (PR)<br />

- JararAPA Pale Ale 2.0: Medalha<br />

de Bronze na Copa Cerveja Brasil.<br />

É uma cerveja de cor dourada,<br />

aromas cítricos e herbais, com sabor<br />

leve e refrescante. Paladar com<br />

presença de lúpulo, malte e centeio<br />

que a deixa mais cremosa. O<br />

teor alcoólico é de 4,8% e amargor<br />

de 35 IBUs.<br />

Roleta Russa (Cervejaria Campo<br />

Bom, RS)<br />

- Easy IPA: Medalha de Bronze na<br />

Copa Cerveja Brasil. Cerveja com<br />

alta drinkability, amargor médio<br />

e baixo teor alcoólico, tem aroma<br />

e sabor cítrico que remetem a<br />

frutas tropicais e amarelas, como<br />

maracujá e mamão papaia.<br />

Salva (RS)<br />

- Weiss Bier: Medalha de Ouro na<br />

Copa da Cerveja POA 2018. Com<br />

notas de cravo e banana, essa cerveja<br />

tem teor acoólicode apenas 5%.<br />

Senhor do Malte (RS)<br />

- Weiss: Medalha de Bronze na<br />

Copa da Cerveja POA 2018.<br />

Salvador Brewing (RS)<br />

- Engesa Oil Brunch Stout: Medalha<br />

de Bronze no Slow Brew 2018.<br />

Lançada no evento, essa cerveja é<br />

uma Imperial Stout com adição de<br />

Café, Maple e Bacon. Teor alcoólico<br />

de 10,5%.<br />

68


Grand Première<br />

Schaf Bier (PR)<br />

- Pilsen: Medalha de Bronze no<br />

Brüssels Beer Challenge 2018;<br />

Medalha de Ouro na Copa Cerveja<br />

Brasil. Do tipo Standard American<br />

Lager, não filtrada, com teor<br />

alcoólico de 4,2%, essa cerveja tem<br />

cor amarela, espuma consistente,<br />

aroma e sabor suaves. É produzida<br />

com maltes selecionados e lúpulos<br />

nobres alemães. Harmonização:<br />

combina bem com carnes,<br />

peixes, mariscos e pratos mais picantes.<br />

O teor alcoólico é de 4,2% ;<br />

e o amargor de apenas 12 IBU.<br />

Schornstein (SC)<br />

- Bock: Medalha de Bronze na<br />

Copa Cerveja Brasil. Cerveja forte<br />

e robusta com 7% de teor alcoólico,<br />

é avermelhada e mostra uma<br />

bela e cremosa espuma de cor castanha<br />

clara. Tem aroma agradável<br />

que combina notas carameladas,<br />

madeira e tostado. Harmoniza<br />

com carnes vermelhas, queijos<br />

gordurosos como cheddar, gruyère<br />

e emental.<br />

Seasons (RS)<br />

- Wallace: Medalha de Prata na<br />

Copa Cerveja Brasil. Essa American<br />

Amber Ale combina muito<br />

bem com carne vermelha, frango<br />

e queijo gouda. Tem 5,8% de teor<br />

alcoólico e 35 IBU.<br />

Traum (RS)<br />

- Pilsen: Medalha de Bronze na<br />

Copa da Cerveja POA 2018. Cerveja<br />

de puro malte de baixa fermentação,<br />

dourada e brilhante,<br />

com espuma de pouca duração. O<br />

aroma remete a cereais e um suave<br />

floral de lúpulo, enquanto no<br />

sabor se destacam notas de malte,<br />

cremosidade e baixo amagor.<br />

Tupiniquim (RS)<br />

DESTAQUE: Manjar Negro, Medalha<br />

de Ouro na Copa Cerveja Brasil.<br />

É uma cerveja que harmoniza<br />

muito bem com carne suína, carne<br />

de panela, bife grelhado, carnes de<br />

caça, provolone, embutidos, chocolates,<br />

brownie, sorvete de creme<br />

e torta alemã, e principalmente<br />

manjar de coco.<br />

Outras premiações:<br />

- Mandala Imperial Stout: Medalha<br />

de Bronze na Copa Cerveja<br />

Brasil<br />

- Logica Absurda: Medalha de<br />

Bronze na Copa Cerveja Brasil<br />

- Coconut IPA: Medalha de Prata<br />

na Copa Cerveja Brasil<br />

- Avelã Frape: Medalha de Bronze<br />

na Copa Cerveja Brasil.<br />

Unika (SC)<br />

- DESTAQUE Australian Juicy:<br />

Medalha de Ouro na Copa da Cerveja<br />

POA 2018. Encorpada e aveludada,<br />

é uma cerveja suculenta,<br />

com amargor curto. Traz nos<br />

aromas mistura de maracujá e do<br />

abacaxi.<br />

Outra premiação:<br />

- Víbora Double IPA: Medalha de<br />

Prata na Copa na Cerveja POA 2018<br />

Urwald (RS)<br />

- DESTAQUE: Helles Bock: Medalha<br />

de Ouro na Copa da Cerveja<br />

POA 2018. Tradicional estilo de<br />

cerveja alemã, tem cerveja de coloração<br />

dourado intenso, aroma e<br />

sabor de malte marcante com leves<br />

notas de tostado.<br />

Outra premiada:<br />

- Altbier: Medalha de Prata na<br />

Copa da Cerveja POA 2018<br />

REGIÃO NORDESTE<br />

5Elementos (CE)<br />

DESTAQUE: Coconut & Pancake<br />

Brunch Stout: Medalha de Ouro<br />

no Slow Brew 2018. Essa Imperial<br />

Stout que leva xarope de maple,<br />

lactose e coco.<br />

Outras premiações:<br />

- Eleita o “Destaque do Slow Brew<br />

2018”<br />

- Coffe & Pancake Brounch Stout:<br />

Medalha de Prata na Copa da Cerveja<br />

POA 2018, Medalha de Bronze<br />

69


Grand Première<br />

no Slow Brew 2018<br />

- Abyssal: Medalha de Prata no Slow Brew 2018<br />

Caatinga Rocks (AL)<br />

- English Serelepe Brasileira: Medalha de Prata<br />

na Copa da Cerveja POA 2018. Do tipo ESB (Extra<br />

Special Bitter), traz aroma e sabor que remete<br />

ao caramelo Toffee e biscoito com notas de malte.<br />

Hop Bros (AL)<br />

- White IPA: Medalha de Prata na Copa da Cerveja<br />

POA 2018. Essa cerveja é bem refrescante<br />

e leva capim santo na receita. Harmoniza muito<br />

bem com pratos como o hambúguer.<br />

Mindubier (BA)<br />

- Minduipa: Medalha de Prata na Copa da Cerveja<br />

POA 2018. Essa cerveja tem perfil aromático<br />

clássico, com inspiração na Escola Americana,<br />

que traz intensa citricidade, com destaque<br />

para as notas tropicais de manga e maracujá. Na<br />

boca o amargor é moderado e crescente. O final<br />

é seco e o retrogosto amargo. Tem teor alcoólico<br />

de 6,5%.<br />

Navegantes (PE)<br />

- Kraken IPA: Medalha de Bronze na Copa Cerveja<br />

Brasil. De perfil intenso cítrico e frutado,<br />

essa cerveja tem um leve sabor maltado. Tem teor alcoólico<br />

de 6,5% e amargor de 53,5%.<br />

REGIÃO CENTRO OESTE<br />

Colombina (GO)<br />

- Romaria: Medalha de Ouro a Copa Cerveja Brasil. Essa<br />

cerveja leva baunilha do Cerrado, que vem de uma orquídea<br />

típica da região e queficam conservadas em calda de<br />

açúcar até o momento de serem acrescentadas na cerveja,<br />

que seggue o estilo Belgian Dark Strong Ale. Traz ainda na<br />

receita a Mutamba, uma fruta também típica do Cerrado.<br />

Cruls (DF)<br />

DESTAQUE: Berliner Weisse Café, Medalha de Ouro na<br />

Copa da Cerveja POA 2018, Medalha de Ouro na Copa Cerveja<br />

Brasil; 2a. Colocada como “Best of Show” na na Copa<br />

Cerveja Brasil. É uma cerveja tradicional de escola alemã,<br />

possui uma acidez lática proveniente do processo de acidificação<br />

do mosto com uso de lactobacilos. No aroma, traz<br />

notas ácidas, cítricas e suave panificação. Serve como ótima<br />

base para drinques ou infusões com frutas e xaropes.<br />

Harmoniza bem com saladas, peixes e frango com tempero<br />

menos agressivo. Complementa pratos que necessitam acidez.<br />

Sobremesas à base de leite e baunilha também.<br />

Outras premiações:<br />

- Weiss: Medalha de Bronze na Copa da Cerveja POA 2018<br />

- American Pale Ale: Medalha de Bronze na Copa Cerveja Brasil<br />

- Berliner Weisse: Medalha de Prata na Copa Cerveja Brasil<br />

- Gose: Medalha de Bronze na Copa Cerveja Brasil;<br />

Kessbier (MT)<br />

- Vitis Saison: Medalha de Prata na Copa Cerveja Brasil.<br />

Com adição de suco de uva e anis estrelado, possui 7%<br />

ABV e 25 IBU.<br />

Metanoia (DF)<br />

- Amortentia Frutas Vermelhas: Medalha de Bronze na<br />

Copa Cerveja Brasil. No estilo Catharina Sour, é uma cerveja<br />

de trigo que traz equilíbrio entre doce e acidez com<br />

uma explosão dos sabores de morango, amora e framboesa.<br />

Micro X (DF)<br />

- Angel Dust: Medalha de Bronze na Copa Cerveja Brasil.<br />

Ela é uma Belgian Double IPA com lúpulo intenso e corpo<br />

médio. No aroma, apresenta notas de levedura belga,<br />

frutas amarelas e floral, possui 70 de IBUs e 9,1% de teor<br />

alcoólico.<br />

Quatro Poderes (DF)<br />

- Pérola do Cerrado: Medalha de Bronze na Copa Cerveja<br />

Brasil. É uma cerveja elaborada com corpo leve e cor dourada.<br />

Possui alto drinkability. O aroma de frutas cítricas<br />

com destaque para o maracujá é resultado de um dry-hop<br />

de lúpulos nobres e complementado pelo Maracujá Pérola<br />

do Cerrado, uma espécie desenvolvida localmente.<br />

70


71


Retrospectiva 2018<br />

A LISTA DOS MELHORES<br />

ESPÍRITOS BRASILEIROS<br />

No início do ano, o III Ranking Cúpula da Cachaça, após<br />

apuração de mais de milhares de rotulos concorrentes, trouxe a<br />

nova relação das 50 melhores cachaças do País<br />

Um concurso que começou em 2017 e terminou só em 2018:<br />

assim foi a terceira edição do Ranking Cúpula da Cachaça,<br />

maior concurso do País na área, bienal, e que no começo do<br />

ano destacou aquelas que são consideradas as melhores do<br />

Pais em sua categoria.<br />

Na primeira fase, em meio a mais de 4.000 rótulos devidamente<br />

registrados, foram escolhidos por voto popular os 250<br />

melhores e preferidos do consumidor. Foram<br />

registrados os votos de mais de 43 mil<br />

pessoas nessa fase.<br />

Já na segunda fase, o grupo das 250 Cachaças<br />

selecionadas anteriormente foi<br />

apurado por mais de 40 especialistas, que<br />

elegeram os 50 melhores rótulos. E na terceira<br />

fase, os “cupulos” (especialistas pertencentes<br />

ao grupo organizador) fizeram a<br />

degsutação as cegas e ranquearam as 50<br />

finalistas.<br />

A reportagem com a lista completa das<br />

melhores cachaças do Brasil você encontra<br />

no Portal da <strong>Carta</strong> <strong>Premium</strong>, sob o<br />

título: “VOCÊ CONHECE OU ESTÃO NA<br />

SUA LISTA?”.<br />

E muitas das empresas dessa seleta foram<br />

neste e em outros anos destaques de nossas<br />

reportagens. Só buscar pelo nome em<br />

nosso Portal.<br />

Entre as 50 Melhores do País segundo o III<br />

Ranking Cúpula da Cachaça divulgado em<br />

208 está a Vale Verde que ficou na primeira<br />

posição na Categoria Ouro, com sua versão<br />

12 anos. Fundada em 1985, essa cachaça<br />

mineira por esse tempo excepcional<br />

de envelhecimento em barris de carvalho<br />

europeu. Com teor alcoólico de 40%, é um<br />

produto excelente para<br />

ser degustado puro, mas traz sabor e requiente<br />

aos mais diferentes drinques. Com<br />

equilíbrio perfeito no nariz e boca, destaca-<br />

-se pelo aroma de frutas secas, coco e baunilha,<br />

além das notas de cereja.<br />

Mais informações nas páginas da empresa<br />

no Instagram e Facebook.<br />

72


73


Retrospectiva 2018<br />

REFERÊNCIAS<br />

INTERCONTINENTAIS<br />

Ainda no primeiro trimestre, mais destilados brasileiros<br />

comemoraram novas premiações internacionais<br />

Estamos conquistando o mundo? Esperamos que sim, e a<br />

cada ano mais e mais destilados brasileiros são premiados<br />

em outros continentes.<br />

Em março, destacamos empresas brasileiras que foram premiadas<br />

tanto na Europa e na Ásia, na reportagem sob o título<br />

“NA ALEMANHA E NA CHINA”, que pode ser vista na integra<br />

em nosso Portal.<br />

Entre as empresas premiadas<br />

no Berlin International Spirits<br />

Competition em meio a mais de<br />

300 bebidas inscritas, podemos<br />

destacar a cachaça Tiê que recebeu<br />

a Medalha de Prata com sua<br />

versão Prata. A Tiê Prata não<br />

passa por envelhecimento, sendo<br />

armazenada em dornas de<br />

inox. Límpida, incolor, de brilho<br />

intenso, extremamente adequada<br />

para ser consumida pura ou<br />

em coquetéis, tem sabores doce,<br />

ácido e umami, forte personalidade<br />

e combina perfeitamente<br />

com petiscos, caldos e frutos do<br />

mar.<br />

Já no “Best Value” do China Wine<br />

& Spirits Awards (CWSA) foram<br />

eleitos os melhores produtos segundo<br />

o crivo de cerca de 100<br />

especialistas, entre eles importadores,<br />

distribuidores, varejistas e<br />

sommeliers.<br />

Entre os destaques do evento<br />

estava o Alambique Paratiana,<br />

que faturou duas Medalhas<br />

de Ouro. As premiações foram<br />

para a suas versões Cachaç<br />

Paratiana Ouro, essa envelhecida<br />

de um a dois anos em<br />

barris de carvalho, com 42%<br />

de teor alcoólico, dourada; e<br />

a Mulatinha, uma cachaça desenvolvida<br />

especialmente para<br />

drinques, que não passa por<br />

envelhecimento, e tem teor alcoólico<br />

de 45%.<br />

74


Retrospectiva 2018<br />

75


Retrospectiva 2018<br />

NO MAIOR GUIA VINÍCOLA DA<br />

AMÉRICA DO SUL E NO MUNDIAL<br />

DE BRUXELAS BRASIL<br />

A 20a. edição do Descorchados indicou rótulos brasileiros<br />

de excelência, com pontuação acima de 92<br />

Em 2018, o Guia Descorchados<br />

completou 20 anos, com uma<br />

edição mais do que especial<br />

que foi inclusive traduzida para<br />

o inglês e vendida também nos<br />

EUA, divulgando ainda mais os<br />

vinhos presentes. E o conteúdo<br />

foi ainda mais diferenciado: foram<br />

mais 3 mil vinhos degustados,<br />

vindos de 180 vinícolas<br />

argentinas, 220 chilenas, 30<br />

uruguaias e 39 brasileiras,<br />

distriuídos em mais de mil páginas.<br />

No caso do Brasil, são<br />

avaliados anualmente apenas<br />

os espumantes.<br />

Em abril, destacamos em matéria<br />

no Portal alguns dos rótulos brasileiros<br />

que ficaram com pontuação<br />

acima de 92 pontos na publicação<br />

(Reportagem: “Novos Referenciais<br />

Desejados”).<br />

Entre os destaques, indicamos o<br />

Orus <strong>Edição</strong> Especial Silvia 1972<br />

Nature Rosé Clair, da vinícola gáucha<br />

Adolfo Lona. Este espumante,<br />

provenientes de uvas tintas das<br />

variedades Merlot e Pinot Noir,<br />

passa por um ciclo de 30 meses<br />

em contato com a levedura e um<br />

envelhecimento de 12 meses. Sutil,<br />

amável, traz aromas cativantes<br />

e sabor marcante.<br />

Na mesma reportagem, indicamos<br />

ainda os vinhos premiados no Concurso<br />

Mundial de Bruxelas <strong>Edição</strong><br />

Brasil 2018, entres os quais alguns<br />

rótulos que receberam Medalha de<br />

Ouro Duplo (Grande Ouro).<br />

Entre eles estava o de uma vinícola<br />

do interior de São Paulo, a<br />

Casa Verrone, que recebeu a medalha<br />

duplamente dourada para o<br />

seu Casa Verrone Speciale Syrah.<br />

Com aroma de frutas negras,<br />

principalmente ameixa, mentol e<br />

também chocolate. o corpo médio,<br />

aveludado e de taninos finos,<br />

permite acompanhar bem massas<br />

com molho vermelho, fondue, carnes<br />

vermelhas assadas ou fritas,<br />

muçarela de búfala ou burrata.<br />

76


NO SEGUNDO MAIOR<br />

CONCURSO<br />

MUNDIAL DE<br />

CERVEJAS<br />

o Concurso Brasileiro de Cervejas do<br />

Festival de Blumenau teve muitas boas<br />

supresas na edição 2018<br />

Em maio, em nossa reportagem sob o ´titulo “TÁ DE COPO<br />

CHEIO?” divulgada no portal trouxemos de forma diferenciada<br />

os resultados Concurso Brasileiro de Cervejas do Festival<br />

de Blumenau, o maior evento do gênero na América<br />

Latina e segundo maior do mundo em número de rótulos<br />

participantes.<br />

Na matéria, separamos as cervejas premiadas por Região<br />

do País e também colocamos em ordem alfabética, a fim de<br />

ajudar os empreendimentos gastronômicos a apostar nor<br />

regionalismo e selecionar as melhores opções.<br />

Entre as cervejarias de destaque e que receberam Medalha<br />

de Ouro no evento, indicamos a Pratinha, que faturou essa<br />

premiação dourada com sua Porter, Porteira e Portão. Inspirada<br />

nas “Peanut Butter Porters” americanas, essa cerveja<br />

remete ao sabor de amendoim. Tem teor alcoólico de 7,5%<br />

77


Retrospectiva 2018<br />

QUATRO<br />

CONSAGRAÇÕES LISTADAS<br />

Em junho, apresentamos as premiadas no New York International<br />

Spirits Competition, no San Francisco World Spirits Competition, no<br />

London Spirits Competition e também na Expocachaça<br />

Como selecionar os melhores produtos<br />

brasileiros em meio há tantas<br />

ótimas opções existentes no<br />

mercado?<br />

Acompanhar as premiações recebidas,<br />

sejam elas nacionais ou internacionais,<br />

é sim uma boa dica<br />

para os profissionais da área conhecerem<br />

bons produtos disponíveis<br />

para incrementar a carta do<br />

empreendimento.<br />

Em junho, na reportagem sob o<br />

título “É DO BRASIL!”, disponível<br />

em nosso Portal, pontuamos todas<br />

as bebidas brasileiras que receberam<br />

medalhas em quatro tradiconais<br />

e bem concorridos concursos:<br />

New York International Spirits<br />

Competition (NYISC) e San Francisco<br />

Wolrd Spirits Competition<br />

(SFWSC), ambos dos EUA; London<br />

Spirits Competition (de Londres,<br />

no Reino Unido), e por fim no No<br />

tradicional Concurso de Degustação<br />

às Cegas da Expocachaça.<br />

Entre as medalhistas internacionais<br />

destes concursos, além das<br />

cachaças Tiê, Paratiana e Vale verde,<br />

e dos gins Loki e Kalvelage, vale<br />

destacar a cachaça goana Cambéba,<br />

considerada a “Cachaça Envelhecida<br />

do Ano” (Aged Cachaca<br />

of the Year) no concurso de Nova<br />

York.<br />

Já na Expocachaça, entre as medalhistas<br />

de Ouro podemos citar a<br />

também goiana Cachaça Callida,<br />

que recebeu a condecoração na Categoria<br />

Extra <strong>Premium</strong>. A Cachaça<br />

Cállida é produzida em um alambique<br />

que guarda a tradição secular<br />

de uma família, aliada a modernidade<br />

de uma estrutura desenvolvida<br />

especificamente para esse fim<br />

e com equipamentos de última geração<br />

quenpermite maior controle<br />

dos processos, garantindo uma bebida<br />

de altíssima qualidade, livre de<br />

substancias nocivas e indesejáveis<br />

ao organismo humano.<br />

78


Retrospectiva 2018<br />

PREMIADAS NA ESTREIA<br />

E NOS EUA<br />

No Mondial de La Bière São Paulo e no World Beer Cup dos EUA<br />

a inovação cervejeira brasileira foi destaque<br />

Logo no início de julho, na reportagem<br />

sob o título “Nota Máxima<br />

nas Provas” atiçamos os desejos<br />

cervejeiros dos nossos leitores,<br />

indicando os rótulos que receberam<br />

medalhas no Mondial de La<br />

Bière São Paulo e no World Beer<br />

Cup dos EUA.<br />

Em sua primeira edição, o<br />

Mondial de La Bière São Paulo<br />

colocou em evidência cerca de<br />

600 rótulos, de 83 cervejarias<br />

presentes. No Mbeer Contest<br />

Brazil, concurso que ocorreu<br />

paralelamente ao evento, foram<br />

136 cervejas inscritas, das<br />

quais 1 foi premiada com Medalha<br />

de Platina e 11 com Medalha<br />

de Ouro.<br />

Entre os destaques, podemos<br />

citar as cervejas Endorphina<br />

e Psicose Espacial, ambas da<br />

mineira Doktor Brau, que receberam<br />

cada uma Medalha de<br />

Ouro. Vale ainda destacar as<br />

medalhas douradas recebidas<br />

pela Half Blind Peach Gose, da<br />

paulista Synergy; pela Bravo,<br />

da também mineira Backer; e<br />

pela Hop Damage, da também<br />

paulista Blondine.<br />

Já entre as medalhas internacionais<br />

recebidas no World Beer<br />

Cup dos EUA podemos indicar<br />

o Bronze recebido pela gaúcha<br />

Brasserie35, com sua ZOZ #3.<br />

A ZOZ é uma linha de cervejas<br />

da emrpesa não pasteurizada,<br />

apresentada em garrafas de 750<br />

ml e 330 ml, disponivel em quatro<br />

sabores com características<br />

bem peculiares e uma sazonal,<br />

que revelará a cada estação do<br />

ano uma novidade através de<br />

suas cores e sabores.<br />

79


Retrospectiva 2018<br />

SELECIONADOS E<br />

RECONHECIDOS<br />

Na edição 2018 do Spirits<br />

Selection, do qual<br />

participaram cerca de 1.300<br />

bebidas de 50 países, brasileiros<br />

também tiveram destaque<br />

Em setembro, na primeira quinzena, reportagem<br />

especial apresentada no Portal sob o título<br />

“Notícia que Vem da Bulgária” no Portal trouxe<br />

os resultados do Spirits Selection 2018.<br />

Considerada um dos maiores e mais prestigiados<br />

concursos mundiais de destilados, etapa<br />

global do Concours Mondial de Bruxelles, a<br />

competição trouxe esse ano uma inovação: além<br />

das medalhas, os jurados também concederam<br />

o troféu de “Revelação” para cinco seletas bebidas,<br />

entre elas, duas brasileiras: a Gouveia<br />

Brasil, eleita como “Revelation Spirits Selection<br />

2018” com a sua versão Gouveia Brasil 44; e a<br />

Cachaça Perfeição, que é produzida por Marcelo<br />

Bonfá, baterista da banda Legião Urbana, que<br />

recebeu o título de “Revelation Organic Spirits<br />

Selection 2018”.<br />

Ao todo, participaram do Spirits Selection 2018<br />

mais mais de 1.300 amostras provindas de 50<br />

países produtores, cujas bebidas passaram pela<br />

avaliação de 78 provadores especialistas, representando<br />

26 nacionalidades.<br />

Entre as medalhistas de Ouro do evento, podemos<br />

citar a paulista Cachaça Catarina Única,<br />

que é produzida pela Destilaria Vitória. Essa<br />

versão passa por armazenamento por dois anos<br />

em barris de carvalho americano de primeiro<br />

uso importados dos EUA. É um produto desenvolvido<br />

como um single barrel, ou seja, cada<br />

garrafa é envasada de um único barril, não havendo<br />

misturas e barris,o que proporciona uma<br />

experiência sensorial incrível e exclusiva.<br />

80


81


PARA A TEMPORADA<br />

O RUM VEM FORTE<br />

82


Etiqueta<br />

Conversamos com Tom Oliveira, finalista nacional do Bacardí<br />

Legacy, que trouxe algumas ótimas dicas de drinques e tendências<br />

para começar 2019 com o pé direito<br />

<strong>Revista</strong> <strong>Carta</strong> <strong>Premium</strong>: Comente<br />

um pouquinho da sua formação na<br />

área.<br />

Bartender Tom Oliveira: Comecei<br />

a trabalhar no bar em 2005, no antigo<br />

Vegas Club, na Rua Augusta.<br />

De lá migrei para outros bares, até<br />

ter um contato direto com a alta<br />

coquetelaria no Alberta#3, com o<br />

Alex Camargo (hoje no Sal Gastronomia)<br />

e a Michelly Rossi (hoje no<br />

Fel, e também uma das finalistas<br />

do Bacardi Legacy). Passei por diversas<br />

casas desde então. Entre<br />

elas, Tex Bar, Lions e Home SP.<br />

Atualmente estou na Casa Quatro<br />

Oito, em Florianópolis. SC.<br />

<strong>Revista</strong> C.P.: Como vê este momento<br />

da coquetelaria brasileira?<br />

Bartender Tom Oliveira: Minha<br />

visão é que a coquetelaria brasileira<br />

já anda a passos largos comparado<br />

com o tempo em que comecei.<br />

As redes sociais e a troca de<br />

informações entre os profissionais<br />

daqui e do exterior tem ajudado<br />

bastante para essa polarização. Os<br />

workshops e campeonatos também<br />

ajudaram bastante para que o profissional<br />

atrás do bar pudesse buscar<br />

mais informações para assim,<br />

se aperfeiçoar e se colocar de maneira<br />

mais eficaz frente o mercado.<br />

<strong>Revista</strong> C.P.: Estamos às portas<br />

do verão e da alta temporada, quais<br />

dicas daria para outros profissionais<br />

de bar? Que drinques apostar<br />

neste verão?<br />

Bartender Tom Oliveira: Minhas<br />

dicas para a temporada é: seja<br />

verdadeiro com você mesmo, seus<br />

clientes, o universo que te cerca<br />

e inspira. Ajude sempre os outros<br />

profissionais, principalmente<br />

aqueles que estão começando<br />

e te veem com referência. Esteja<br />

sempre aberto a ouvir e aprender,<br />

pois nunca saberemos o suficiente<br />

sobre nenhum assunto. Para<br />

a temporada, o rum vem forte na<br />

estação. Coquetéis de baixo teor<br />

alcoólico, com notas florais e frutadas<br />

enaltecem a experiência, tanto<br />

para o consumidor habitual quanto<br />

para quem está começando a se<br />

aventurar no universo dos coquetéis.<br />

Dicas de coquetéis leves com<br />

refeições também leves facilitam<br />

bastante na hora de proporcionar<br />

uma experiência gustativa completa.<br />

O próprio Ocho Maneras transmite<br />

esse conceito, assim como um<br />

Daiquiri, Mojito ou Caipirinha. Invista<br />

nos Sours de conceito leve no<br />

geral. Limão e açúcar sempre funcionam<br />

muito bem nessa época do<br />

ano, e o rum mostrou que veio pra<br />

ficar e se estabelecer de vez. Vai<br />

muito além da Cuba Libre.<br />

<strong>Revista</strong> C.P.: No bar onde atua,<br />

há drinques com cachaça? Acredi-<br />

83


Etiqueta<br />

ta que seja um bom destilado para<br />

passar a se explorar melhor?<br />

Bartender Tom Oliveira: No bar<br />

que resido atualmente, assim<br />

como nas consultorias que realizo,<br />

fazemos um trabalho bastante<br />

sólido perante a cachaça.<br />

Particularmente trabalho com a<br />

cachaça Antonieta, nas madeiras<br />

amburana e jequitibá, que,<br />

além de servirem incrivelmente<br />

de base para os coquetéis, funcionam<br />

muito bem quando degustadas<br />

apenas em pequenos<br />

tragos, com leve resfriamento.<br />

Trabalho também com cachaça<br />

Leblon entre outras brancas,<br />

para caipirinhas e variações de<br />

Cachaça & Tônica, sempre realçando<br />

o floral com a nota de<br />

cana existente. A cachaça merece<br />

sim seu lugar na cadeia de<br />

coquetéis. Espírito 100% nacional,<br />

repleto de história e originalidade.<br />

Já está presente em<br />

muitos bares mundo afora.<br />

Acredito sim na cachaça e acredito<br />

que o profissional brasileiro deva<br />

acreditar também é investir mais na<br />

hora de criar os coquetéis, tanto na<br />

cachaça quanto nos insumos locais.<br />

Quando olhamos para fora, vendo<br />

que o americano tem orgulho do seu<br />

bourbon, como o escocês do seu single<br />

malt, o irlandês do seu irish, o<br />

francês do seus vinhos e licores, o<br />

italiano dos seus vermutes e por que<br />

não o brasileiro da sua cachaça?<br />

<strong>Revista</strong> C.P.: Como finalista do<br />

Bacardi Legacy, ao que credita o<br />

sucesso e reconhecimento do seu<br />

drinque com os jurados? Que diferencial<br />

optou por buscar?<br />

Bartender Tom Oliveira: Através<br />

do campeonato eu foquei em<br />

trazer a atenção para a ilha ao<br />

qual resido atualmente, tanto da<br />

indústria quanto do consumidor<br />

final. Viso também incentivar<br />

o profissional local a buscar os<br />

mesmos conhecimentos e caminhos,<br />

para que haja engajamento<br />

e crescimento perante toda a<br />

classe local. Meu diferencial é<br />

criar um coquetel simples, com<br />

ingredientes que estão disponíveis<br />

não apenas no Brasil, mas<br />

em todos os lugares do mundo,<br />

84


pois a ideia é que seja um coquetel clássico, fácil<br />

e replicável. Com uma boa história por trás,<br />

que perdure por muitos anos.<br />

<strong>Revista</strong> C.P.: Comentários finais.<br />

Bartender Tom Oliveira: Gostaria de agradecer<br />

pelo convite e oportunidade, e convido a todos<br />

para juntos colocarmos o Brasil como referência<br />

em serviço e coquetelaria. Que em alguns anos,<br />

mais bares como Frank, Guilhotina e SubAstor<br />

possam listar entre os grandes bares mundiais.<br />

Tem muita gente boa nesse Brasil lindo. Falta<br />

engajamento e atenção a parte da comunidade.<br />

Algo que sempre tive como exemplo e tento repassar<br />

a todos os locais ao qual transito.<br />

Contatos: Facebook e Instagram @gipsycocktails.<br />

Tom também é mixologista consultor da<br />

Soma Coquetelaria: @somacoquetelaria, telefone<br />

(48) 99827-2709.<br />

85


www.revistacartapremium.com.br<br />

Rua Antonio, Vera Cruz, 408<br />

02555-010 - São Paulo SP<br />

Tel.: (11) 97073-4971<br />

contato@revistacartapremium.com.br<br />

Publicidade<br />

comercial@revistacartapremium.com.br<br />

Redação<br />

redacao@revistacartapremium.com.br<br />

Jornalista Responsável<br />

Ederson G. Benedicto<br />

MTB. 0070558SP<br />

Produção Gráfica<br />

Projeto Gráfico e Direção de Arte<br />

Fernando Alves<br />

producao@revistacartapremium.com.br<br />

Primeira publicação especialmente focada<br />

o setor de bebidas premium, especiais,<br />

finas e artesanais. Com tiragem de<br />

10 mil exemplares, chega diretamente<br />

aos principais bares, bistrôs, restaurantes,<br />

hotéis e demais empreendimentos<br />

de A&B de alto padrão do País, tendo<br />

como leitores profissionais de decisão<br />

nesses empreendimentos, entre eles<br />

proprietários, gerentes, chefias de A&B,<br />

maîtres, sommeliers, bartenders, baristas,<br />

mixologistas e demais profissionais.<br />

Acompanhe-nos em nosso portal e nas<br />

mídias sociais:<br />

Sem a participação de todo o trade<br />

(empresas, profissionais, apreciadores e<br />

leitores) mais uma vez essa edição não<br />

seria possível. Fica o nosso<br />

“MUITO OBRIGADO!”<br />

Convidamos a todos para nos honrarem<br />

com comentários e indicações de temas,<br />

empresas e bebidas para as próximas<br />

reportagens:<br />

redacao@revistacartapremium.com.br<br />

86


87


88

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!