Revista Carta Premium - Oitava Edição

revistacartapremium

Nesta edição: bebidas brasileiras premiadas no final de 2018, retrospectiva 2018, receitas de drinques de verão, entrevista especial com finalista do Bacardí Legacy e muito mais!

2


QUE SEJA (E SERÁ)

UM EXCELENTE 2019!

2018 ficou para trás, e com ele muitas

incertezas que percorreram todos os mercados,

não só no de gastronomia, bebidas e

alimentação fora do lar. E a lição que fica é

de que, com muito suor, mais um ano passou

e dia a dia, mês a mês, semestre a semestre

aquela crise mais sentida em 2015,

2016 e início de 2017 tem enfim ficado para

trás, ainda que com tímida reação da economia.

Mas se 2018 não foi um ano excelente,

podemos dizer que mais uma vez foi um ano

que consolidou a aposta na excelência e na

inovação, principalmente no seto de bares e

restaurantes. Ainda que muitos empreendimentos

tenham fechado, muitos outros abriram

e o melhor: muitos têm conquistado seu

espaço e se tornado referência nacional e internacional

seguindo a fórmula da primazia

nos serviços, na carta e na diferenciação.

No que tange o segmento de bebidas finas,

o balanço positivo segue na mesma receita.

Foram muitas empresas brasileiras premiadas

no País e fora dele por apresentarem bebidas

que concorrem lado a lado com os melhores

e mais consagrados rótulos de outros

países. E o melhor: para quem acompanhou

as páginas de nossas edições, muitas bebidas

que acabaram de ser lançadas conquistaram

medalhas inéditas para o nosso País, ratificando

a boa aposta na excelência.

Nessa edição trazemos um pouquinho

dessa retrospectiva positiva no ano pas-

sado, além, claro, de boas entrevistas que

já detalham algumas tendências e ótimas

apostas para as melhores cartas em 2019.

E também não faltaram os últimos premiados

de 2018, com uma inovação: com

o crescimento do mercado artesanal de

queijos, trazemos também aqui a lista dos

produtos e produtores premiados no maior

concurso da categoria no País. Assim, além

de aprimorar a carta do empreendimento

você pode também reforçar seu menu com

produtos mais do que consagrados e desejados

pelo consumidor.

Por fim, aproveitamos a oportunidade

para desejar a todos nossos parceiros,

anunciantes, leitores, profissionais

e empreendedores de bares, restaurantes,

hotíes, clubes, casas norturnas e

buffets, entre outros, um 2019 de muito

sucesso e muitas conquistas. Feliz Ano

Novo a todos!

Boa leitura!

NOTA DA REDAÇÂO: Diferentemente do publicado em

nossa sétima edição, foi a versão Pura da Cachaça Perfeição

que recebeu prêmio de revelação internacional no

Spirits Selection 2018. Já a Cachaça Colombina tem sede

em Alvinópolis, MG, e não em Botelhos como incorretamente

divulgamos na mesma edição. Ambas as reportagens

encontram-se republicadas nas páginas a seguir.

FOTO DA CAPA: Drinque Ocho Maneras, de Tom

Oliveira, finalista do Bacardi Legacy. Confira entrevista

nessa edição

3


Em Perfil

Cachaça Colombina

Alvinópolis, MG

Com quase 100 anos de história, a Colombina surgiu

em 1920 e é uma das referência de alambiques

na Estrada Real, considerada hoje a maior rota turística

do País, com mais de 1.630 quilômetros de

extensão, passando por Minas Gerais, Rio de Janeiro

e São Paulo. Ela abrange dois caminhos: o “Caminho

Velho”, que rumava até Paraty, e o “Caminho Novo”

que passou a ter destino final no Rio de Janeiro.

Durante a Expocachaça 2018, a Colombina recebeu

a Medalha de Prata na categoria Brancas

Puras no Concurso de Degustação às Cegas.

Linha de produtos: Cachaça Colombina Cristal,

Colombina 3 anos (paróis de jatobá), a Colombina

Chita (blend de Cachaças Envelhecidas em

jatobá), Cachaça Colombina 10 anos (jatobá).

Dica: aos apreciadores paulistanos, a Cachaça

Colombina Cristal teve lançamento oficial em São

Paulo, no ano passado no restaurante Rota do Acarajé,

no início do segundo semestre. E já está disponível

para pedidos de todo o País!

Destaque: Cachaça Colombina Cristal

“Como a avaliação para a Expocachaça é às cegas, podemos

destacar primeiramente o aspecto visual cristalino

e a densidade com excelente retenção nas paredes do

copo. Os aromas são adocicados e lembram os da cana e

da fermentação no engenho. Os sabores são aveludados,

com memória de castanhas e chocolate, baixa percepção

alcoólica e elevado drinkability’”, finaliza Luciano.

Dica: no site da empresa há uma carta especial de drinques.

Mais informações: (11) 99447-0305

comercial@cachacacolombina.com.br, www.cachacacolombina.com.br

4


5


Em Perfil

Cachaça Perfeição

Santo Antonio do Rio Grande, MG

Artesanal, a bebida é concebida

com o mosto naturalmente fermentado

de canas orgânicas e

exclusivas, perfeitamente adaptada

ao clima frio da região, seguindo

rígidos padrões de higiene

em equipamento da mais alta

qualidade.

As canas são selecionadas manualmente

sem uso de queimadas e

o fermento é preparado apenas

com o caldo puro, sem adição de

qualquer outro elemento. O bagaço

proveniente da moagem é totalmente

utilizado na queima dentro

da caldeira de vapor que mantém

o padrão da destilagem com temperaturas

controladas em processo

lento, garantindo a alta qualidade

do destilado.

O vinhoto, caldo resultante da destilagem,

é armazenado e reutilizado

como adubo orgânico no próprio

canavial, fechando um ciclo

de sustentabilidade sem qualquer

dano ao meio ambiente.

O Alambique da Cachaça Perfeição fica na Fazenda Vistalinda,

um altiplano na Serra da Mantiqueira onde nasce

um dos mais importantes rios brasileiro, o Rio Grande.

O canavial da Fazenda Vistalinda é um cultivo que ocupa

uma pequena área livre de agrotóxicos. Onde um dia existiam

pastagens, agora preserva as espécies vegetais nativas

da Mata Atlântica e seu entorno.

O produtor responsável pela bebida é Marcelo Bonfá, baterista,

fundador e compositor da lendária banda Legião Urbana,

um caipira nascido em Itapira, uma pequena cidade

cercada por canaviais e cafezais no interior do Estado de

São Paulo.

Linha

A Cachaça Perfeição está disponível

nas versões:

- Pura: as canas cultivadas em

grande altitude,mais de 1.300 m,

na região da Serra do Itatiaia em

Santo Antônio do Rio Grande-MG,

acabam por acumular açúcares

mais nobres em razão do ciclo longo

de frio no inverno. O resultado

é um destilado de aroma intenso

lembrando a cana no momento em

que se extrai dela o caldo, extremamente

adocicada e com um toque

de erva doce logo no primeiro contato,

mas que finaliza em um pala-

6


Em Perfil

dar complexo da altura dos

seus 43 GL.

- Carvalho: provém de um

corte composto pela Cachaça

Perfeição preservada

em barris de carvalho por 3

anos com a Cachaça Perfeição

pura e fresca. A presença

do sabor da madeira é bem

sutil. Apresenta elegante

equilibrio na tonalidade, no

aroma e sabor, pelos toques

de baunilha e caramelo do

carvalho europeu.

26 nacionalidades.

Informações em detalhes no site http://www.cachacaperfeicao.

com.br e pedidos podem ser feitos pelo e-mail contato@cachacaperfeicao.com.br

. Acompanhe também a página da empresa no

Facebook: /www.facebook.com/pg/cachacaperfeicao ,e no Instagram:

@cachacaperfeicao .

Premiação internacional

em destaque

A Cachaça Perfeição Pura recebeu

o título de “Revelation

Organic” no Spirits Selection

2018, etapa mundial do Concours

Mondial de Bruxelles.

O Spirits Seletion é um dos

maiores e mais prestigiados

concursos mundiais de destilados.

Traz uma lista que

bebidas brasileiras que ganham

destaque internaiconal

e que ano a ano elevam o

nosso destilado nacional ao

patamar mais alto.

O troféu de “Revelação” foi

concedido apenas para cinco

seletas bebidas, entre elas,

duas brasileiras, sendo uma

delas a Cachaça Perfeição

Pura. Essa nova premiação

é apenas conquistada após

uma segunda prova às cegas

e para os melhores de cada

categoria. Ou seja, é uma

nova seletiva para saber os

melhores entre os melhores.

Ao todo, participaram do

Spirits Selection 2018 mais

de 1.300 amostras provindas

de 50 países produtores,

cujas bebidas passaram pela

avaliação de 78 provadores

especialistas, representando

7


Acontece - Retrospectiva

ESPÍRITO QUE CONQUISTA

Sétima edição do Cacharitiba ressaltou o crescimento do apreço

pelo destilado brasileiro

Fazendo um balanço de 2018 e

de eventos de grande relevância

para o crescimento e expansão

da cultura do consumo

do destilado brasileiro de alta

qualidade, mais uma vez, o Cacharitiba

reassaltou eratificou

essa crescente apreciação dos

brasileiros pelo seu destilado

nacional.

Maior mostra aberta ao público

final e dedicada exclusivamente

à cachaça na região, foi realizada

em outubro no Mercado Municipal

da capital paranaense. Reuniu

produtores vindos de Norte

a Sul do País, que promoveram

experiências de degustação para

novos e antigos apreciadores

da bebida. As mais diferentes

versões, com o mais diferentes

preços, para todos os gostos e

bolsos, estiveram presentes no

Cacharitiba, apenas para se ter

ideia com valores variando de

R$ 25 até R$ 2 mil.

O Cacharitiba é um projeto criado

pela equipe da Cachaçaria Vô

Milano, única loja da cidade com

foco exclusivo no comércio do espírito

de cana brasileiro. Além da

loja física, a Vô Milano mantém

um excelente e-commerce de cachaça,

com mais de 400 diferentes

rótulos, ajudando a abastecer

assim grande parte da região e

atender tanto a estabelecimentos

como bares e restaurantes quanto

o consumidor final.

Para realização do evento, a Vô Milano

conta com a parceira com a

Ascesme (Associação dos Comerciantes

Estabelecidos no Mercado

de Curitiba) e com a própria Prefeitura,

permitindo assim a realização

do evento no Mercado Municipal,

local estratégico para aproximar

ainda mais a cachaça do consumidor

nacional.

8


9


Premium Drink List

DESTAQUES

Foram realizadas diversas atividades

gratuitas, que englobaram

palestras gastronômicas, aulas-

-show, degustações orientadas de

bebidas, drinques e comidas preparadas

com cachaça.

Paralelamente ao evento também

ocorreu nesse ano o 2o. Enconfras

(Encontro Nacional de Confrarias

de Cachaça). Há um bom tempo

as confrarias de cachaça vêm crescendo

pelo País inteiro e também

fora dele, por sua vez ajudando a

incentivar a presença da bebida na

mesa dos apreciadores de destilados.

Para empreendimentos gastronômicos

como pubs e clubes,

elas têm se tornado alternativas de

eventos para aumentar índices de

ocupação e tíquete médio dos presentes.

O Enconfras reuniu alguns dos

maiores especialistas e apreciadores

do Brasil, que discutiram o

cenário nacional e internacional da

cachaça.

Neste ano o Cacharitiba também

foi marcado pela estreia de dois

eventos paralelos:

- 1º Festival Gastronômico Cacharitiba:

realizado sob a curadoria da

chef Walquiria Castro Alves e em

parceria com o Movimento Identidade

Gastronômica. Ao todo foram

oito renomados chefs que ministraram

palestras e aulas-show

principalemnte sobre culinária regional

e harmonização com cachaça

ou mesmo tendo a bebida como

ingrediente das melhores receitas.

- 1º Concurso Cacharitiba de Coquetéis:

criado para incentivar o uso da

cachaça na coquetelaria. Este concurso

teve como curador o bar Ananã,

especializado na arte da mixologia

e uma das referências na região

quando o assunto são drinques.

Bartender Emiliano Lauriano

Nesta primeira edição do concurso,

o vencedor foi o bartender Emiliano

Lauriano com o coquetel Companheiras.

“Foi o primeiro concurso

que participei, e com o destilado

que eu mais gosto. A cachaça é o

destilado muito bom e pouco explorado”,

destaca o campeão dessa

primeira edição do concurso.

Para ele, como profissional da

área, a presença no Cacharitiba é

muito importante. “Conhecia algumas

marcas, mas poder conhecer

os produtores é uma experiência

única. A Companheira me chamou

atenção pela história do Sr.

Natanael e também do alambique”.

O nome drinque vencedor de Emiliano

leva o nome de Companheiras,

remetendo também às cachaças

utilizadas. “Me inspirei no

chamado Hotel Nacional Special.

Fiz uma releitura trocando o rum

pela cachaça e alguns ajustes. Seria

um coquwtel que eu beberia”.

A receita do bartender traz limão,

abacaxi Orgeat (xarope de leite

de amêndoas), licor de pêssego e

blend de duas cachaças do alambique

Companheira, a versão Castanheira

e a versão Imburana.

“Sou supernovo nessa área, mas

me vejo trabalhando no lugar que

eu queria, no Ananã, um bar de

cocktail focado em cachaça”, finaliza

Emiliano.

Também participaram da competição

outros excelentes nomes da

coquetelaria paranaense: Oberdan

Batista, do La Champagneria;

10


Premium Drink List

Jhonatan Arcants “Cannis” do Bar

Boulevard; Ana Carolina, do Ponto

Gin, e Cris Almorin, do Punch

Drink e CO.

VITRINE DA CACHAÇA

Anualmente o Cacharitiba traz à

capital paranaense algumas das

melhores cachaças e bebidas mistas

do País, permitindo a degustação,

a interação público-produtor

e aos profissionais da área conhecerem

e selecionarem as melhores

opções para sua carta. Além disso

são realizadas visitas à alambiques

paranaenses, como ao da premiada

Cachaça Porto Morretes, no litoral

do Paraná.

Entre os expositores deste ano do

Cacharitiba estava a cachaça mineira

Colombina, com sede na cidade

de Alvinópolis. Com quase

100 anos de história, a Colombina

surgiu em 1920 e é uma das referência

de alambiques na Estrada

Real, considerada hoje a maior

rota turística do País, com mais de

1.600 km de extensão, passando

por Minas Gerais, Rio de Janeiro e

São Paulo.

Produto de excelência, a Colombina

recebeu neste ano Medalha de

Prata na categoria Brancas Puras

no Concurso de Degustação às Cegas

da Expocachaça, um dos maiores

e mais importantes concursos

anuais de destilados no País.

Na linha de produtos da empresa,

estão a Cachaça Colombina Cristal,

a Colombina 3 anos (que passar

por armazenamento em paróis

de jatobá), a Colombina Chita (que

é um blend de Cachaças Envelhecidas

em Jatobá), a Cachaça Colombina

10 anos (jatobá).

“A Colombina preza por ser uma cachaça

de qualidade. Todos os nossos

produtos são elaborados no mesmo

local e não absorvemos cachaças de

terceiros, nem tampouco serviços de

outros alambiques. Fazemos a nossa

cachaça em casa, para que tenhamos

o controle da qualidade dos

processos e da matéria-prima. Com

quase 100 anos de história, temos

uma grande responsabilidade com

as nossas tradições. No caso da nossa

premiada Colombina Cristal, podemos

destacar primeiramente o aspecto

visual cristalino e a densidade

com excelente retenção nas paredes

Nas mãos do produtor

Luciano Souto, a

Colombina 10 Anos, que

está entre as 30 melhores

do País segundo o

último Ranking Cúpula

da Cachaça

do copo. Os aromas são adocicados

e lembram os da cana e da fermentação

no engenho. Os sabores são

aveludados,

com memória de castanhas e

chocolate, baixa percepção alcoólica

e elevado drinkability’”,

destaca Luciano Barbosa Souto,

CEO da empresa.

Mais informações sobre a Colombina:

comercial@cachacacolombina.

com.br e www.cachacacolombina.

com.br .

11


Premium Drink List

SELEÇÃO ESPECIAL

Conheça outras excelentes opções apresentadas no Cacharitiba 2018

Casa Bucco: a versão envelhecida

da empresa também está

posicionada entre as 10 melhores do

Brasil segundo o Ranking Cúpula da

Cachaça. Um dos destaques que pode

atender muito bem a área de coquetelaria

é o Licor Fino Café, que ano

passado faturou a Medalha de Ouro

Duplo na edição brasileira do Concours

Mondial de Bruxelles. Ele é elaborado

a partir de criteriosa seleção

de café gourmet, combinado aos finos

destilados da Casa Bucco. É um licor

fino, de incrível aroma de café recém-

-preparado, despertando o desejo por

mais uma dose. Mais informações

http://www.casabucco.com.br .

Salinas: proveniente da emblemática

cidade no Norte de Minas

reconhecida como um pólo de

cachaças lendárias e de alta qualidade,

a empresa está no mercado

desde 1986, mas a família vem

produzindo a bebida há mais de

três gerações. Chama bastante a

atenção na linha a Salinas Limited,

uma cachaça premium apresentada

anualmente em edição numerada

e limitada a apenas 365 unidades

por ano. Armazenada em tonéis de

bálsamo e envelhecida em barris de

carvalho europeu, traz notas notas

discretas de mel, baunilha e toques

defumados e hamorniza muito bem

com carnes de caça e queijos maturados.

Informações: http://www.

cachacasalinas.com.br .

12


Matuta: há 15 anos no mercado, a

Matuta, que tem sede na Paraíba, é uma

das maiores produtoras do País. É produzida

no Engenho Vaca Brava, tradicional

desde 1865, famoso por seus solos férteis

e de fino doce. Na linha da empresa estão

a Matuta Cristal e Matuta Umburana,

ambas em garrafas de vidro e em lata,

inclusive sendo a primeira e única cachaça

de alambique nessa versão. Excelente

para drinques, a versão cristal é uma

cachaça branca bidestilada, armazenada

em recipientes de inox. Também pode ser

apreciada pura. Informações: https://

www.matuta.com.br .

Maria João: a presença dos alambique gáuchos foi

bem expressiva nesta edição do Cacharitiba. Neste ano dois

rótulos da empresa receberam medalhas no Concurso de Degustação

às Cegas da Expocachaça: Maria João Amburana

e Maria João Premium. Vale destacar na linha, a Maria João

Coqueteleira, de excelente custo-benefício. Foi desenvolvida

especialmente para drinks, coquetéis e batidas. Descansada

por um ano em dornas de inox, proporcionando um destilado

suave e com aroma frutado. Mais detalhes: http://www.

cachacariamariajoao.com.br/

13


Premium Drink List

Hof: de Serra Negra, em SP, a

microdestilaria boutique Hof também

é outra colecionadora de medalhas

e que, além das excelentes cachaças

e licores, conta com uma linha

diferenciada de gins. Entre os destaques

da empresa estão as versões

premium e super premium do rótulo

Alma da Serra. Com sabor e texturas

bem marcantes, a primeira (rótulo

azul) passa por envelhecimento em

barril de carvalho americano. Já a

outra (rótulo preto) é uma Reserva

Especial Extra Premium (OAK

AGED). Foram apenas 300 garrafas

numeradas. Essa cachaça passa por

envelhecimento de 5 anos em barril

de carvalho americano anteriormente

usado para whisky. É uma cachaça

elegante, com sabor apurado, textura

suavizada e aroma amadeirado. Mais

informações: http://www.microdestilariahof.com.br

.

Taverna de Minas:

de Lagoa Santa, MG, a Taverna

de Minas teve diversos

produtos premiados em 2018

e 2017 na edição brasileira do

Concurso Mundial de Bruxelas.

Destaque e novidade da empresa

premiada na Expocachaça

2018, a Taverna Mineira é um

blend de três diferentes barris:

amburana, bálsamo e carvalho.

Traz as notas de baunilha e

canela da Amburana, o acastanhado

do Carvalho e o toque

final no retrogosto com notas

herbáceas vindas do bálsamo.

Saiba mais em http://tavernademinas.com.br

.

14


Premium Drink List

Cachaçaria Harmonie Schnaps: esse alambique também

gaúcho tem uma produção artesanal de no máximo 30 mil litros por

ano. O destaque da empresa é a versão Extra Premium Reserva Especial

2004, envelhecida por 10 anos em barris de Carvalho Americano. Foram

elaboradas apenas 1.200 garrafas e todos os exemplares são numerados.

É marcada por um intenso aroma com notas de tabaco e baunilha com

um paladar suave e levemente adocicado. Mais informações: http://www.

harmonieschnaps.com.br .

Chico Mineiro: a marca é uma homenagem ao lendário e folclórico

peão de boiadeiro, cantado em verso e prosa, e sobretudo uma homenagem

ao fundador e pioneiro João Xavier, que por mais de meio século, cavalgou

as estradas do Centro Oeste mineiro, levando e trazendo boiadas, e que deixou

de herança para filhos, netos e sobrinhos o amor pela vida rural, pela

pecuária principalmente o gosto pela boa cachaça de Minas. Na linha estão

as versões Ouro e Prata. A primeira passa por envelhecimento mineiro de

dois anos em barril de carvalho. sua graduação alcoólica é de 40%. Já a

Chico Mineiro Prata não passa por descanso em madeira e tem graduação

de 42%. Mais informações: https://www.cachacachicomineiro.com.br

15


Premium Drink List

Bernardo Milano: linha distribuída pela

Vô Milano, a cachaça com uva Bernardo Milano, é

um produto especial, que conta com mais de 100

anos de tradição familiar, passada de pai para filho.

Bernardo Milano era um imigrante italiano, que

morava em uma pequena chácara, localizada a 100

metros de onde hoje é o Jardim Botânico de Curitiba.

Bernardo possuía um amplo pomar em sua propriedade,

e dentre as diversas frutas plantadas, ele tinha

alguns pés de uva Terci, e todos os anos, separava

uma parte da produção para misturar com cachaça e

armazenar para consumo próprio.

Seu neto, Celso Luiz Girardello, aprendeu com o avô

a técnica e a receita, resolvendo então produzir comercialmente

essa deliciosa bebida. Sua produção é

artesanal e limitada a aproximadamente 2000 garrafas

por ano. Vendas: http://www.vomilano.com.br/ .

Sanhaçu: orgânica, a cachaça Sanhaçu é produzida

em canavial próprio e o egenho é um dos pouco no

País 100% sustentável. A destilação da cachaça Sanhaçu

ocorre em alambiques de cobre, o que propicia características

especiais de aroma e sabor. O armazenamento

acontece por um período mínimo de dois anos em três

tipos diferentes de madeira. Entre os destaques da empresa

está a Sanhaçu Umburana, que tem notas de canela

com um toque de especiarias. Pode acompanhar pratos

salgados, mas a sua harmonização é perfeita com doces,

sobretudo bolo de rolo (patrimônio cultural do Estado de

Pernambuco), sorvetes e salada de frutas. Outras informações:

http://www.sanhacu.com.br .

16


Premium Drink List

Porto Morretes: referência

da primazia da nova geração

de cachaças de alambique, a

empresa figura entre as 30 melhores

do País, em um mercado

cujo estimativa ultrapassa mais

de 3 mil marcas devidamente

registradas. Na linha, um dos

destaques é Porto Morretes Tradição

Edição, uma cachaça que

segue toda uma tradição de 100

anos de produção. Ela passa por

envelhecimento de 6 anos, tem

cor dourada e aromas intensos

de frutas em calda, baunilha e

wafer. Doce e equilibrada, suave,

mas com personalidade, remete

no sabor ao carvalho tostado,

com especiarias, amêndoas e

biscoito. A excelente persistência

de boca, prolonga a agradável

experiência de degustar uma

cachaça única, que resgata a

tradição e o terroir de Morretes.

Mais informações: https://www.

portomorretes.com.br

Genuína Jambu: de

Belém, PA, é um produto totalmente

artesanal. Está disponível

nas versões Tradicional, Jambu

& Pimenta, Jambu & Açaí, Jambu

& Cupuaçu, Jambu & Bacuri,

Jambu & Castanha, Jambu &

Guaraná, e Jambu Gourmet, entre

outras. Essa última foi desenvolvida

especialmente para o uso em

receitas culinárias, mas também

em drinques, trazendo um sabor

amazônico e diferenciado para

as receitas. Mais informações:

http://genuinasp.com.br .

17


Premium Drink List

Bento Albino: Medalha de Prata no Concurso Mundial de

Bruxelas Edição Brasil 2018 com sua versão Amburana, a Bento

Albino é uma cachaça artesanal produzida na cidade gaúcha de

Maquiné, RS, numa região na qual, desde o inicio do século passado,

ficou famosa por suas aguardentes. Com envelhecimento por

seis anos, a Bento Albino Extra Premium é um dos principais destaques,

principalmente para apreciação de um destilado puto e de

altíssima qualidade. A empresa conta ainda com uma excepcional

linha de licores como chocolate, canela, e banana. Linha completa

no site: https://www.bentoalbino.com.br .

Weber Haus: considerada uma das principais destilaria do País,

com produtos premiadíssimos dentro e dora do Brasil, a Weber Haus

tem um linha bem ampla de produtos, com destaque, por exemplo para

sua linha de gins premium. Neste ano a empresa relançou a sua cachaça

Primavera, que foi a primeira marca comercial da empresa. A bebida

lançada no ano de 1969 e que fez sucesso por 30 anos passa por seis

meses de armazenamento em barricas de cabriúva. Informações e pedidos:

http://www.weberhaus.com.br .

18


Premium Drink List

Gouveia Brasil: a empresa, de Turvolândia, MG, foi novamente

medalhista no Spirits Selection 2018, um dos maiores concursos

mundiais de destilados. Entre os destaques da linha da empresa está o

Licor Fino de Cachaça, produto único no mercado é fruto de uma receita

centenária de família, com deliciosos elementos regionais. Ele leva na

composição tangerina, marolo, gengibre, capim cidreira, amêndoas e especiarias,

além da cachaça branca de alambique artesanal. É uma bebida

densa, brilhante e extremamente delicada, que pode ser servida pura

para degustação e também acompanhar muito bem doces, sobremesas

sofisticadas e café. Outras informações: www.gouveiabrasil.com/ .

Terra Vermelha: orgânica, a cachaça Terra Vermelha completará

20 anos em 2019. É uma das maiores empresas nacionais produtoras

de Cachaças Artesanais e Orgânica, ou seja, de qualidade. A cana

de onde se origina essa cachaça é cultivada em um dos melhores solos

do planeta: a terra vermelha do sul do Brasil, conhecida a princípio pelas

grandes fazendas de café e hoje um dos maiores produtoras de soja

do mundo. O Engenho Terra Vermelha é uma empresa ecologicamente

correta e socialmente integrada. Com 40% de teor alcoólico, o produto

passa por armazenamento em tonéis de jequitibá rosa. Mais detalhes:

http://www.engenhoterravermelha.com.br .

19


Premium Drink List

Cachaça Companheira:

em 2018, a empresa que também é

paranaense, foi premiada no Spirits

Selection 2018, um dos mais renomados

concursos mundiais. Além disso,

sua versão extra premium está entre

as três melhores do Brasil segundo o

ranking Cúpula da Cachaça. Um dos

destaques da empresa é a versão extra

premium Cachaça Companheira 12

anos, uma edição limitada muito refinada,

lançada no finalzinho de 2017.

Com blend de 6 outras versões assinado

por 4 especialistas, a Companheira

12 anos é apresentada em garrafa

francesa serigrafada, com gargalo

em cobre, tampa de vidro e cortiça,

numeração em placas de cobre. Mais

informações: https://cachacacompanheira.com.br

.

Gogó da Ema: também

multipremiada nacional

e internacionalmente, essa

cachaça alagoana recebeu

de forma inédita mais uma

importante premiação para o

Brasil, desse vez em Londres,

no Reino Unido: Medalha de

Duplo Ouro para a sua Gogó

da Ema Reserva no Concurso

Women’s Wine & Spirits

Awards, no qual onde o

jurado é todo selecionado por

mulheres especialistas no

segmento. Armazenada por

6 anos em tonéis de jequitibá

rosa e bálsamo, é uma

cachaça macia de aromas

agradáveis e bom equilíbrio.

A empresa também lançou

em 2019 cervejas artesanais

na sua linha de produtos

finos. Outras informações:

http://www.cachacagogodaema.com.br

20


Premium Drink List

Velho Alambique: também provinda

do Rio Grande do Sul, a Velho Alambique

é outra empresa multipremiada. Um dos destaques

na linha é a cachaça Velho Alambique

Carvalho, envelhecida em barris que inserem

na bebida aroma, sabor e cor únicos. É produzida

pelas famílias Remus e Bettinelli, que

deram continuidade a uma cultura local de

mais de 100 anos de tradição na elaboração

de excelentes cachaças. Toda linha é produzida

a partir de cana cultivada de forma orgânica,

sem uso de qualquer tipo de agrotóxico.

Mais informações: velhoalambique-rs.com.br.

Régis Armmont: Fundada em 1998, a empresa,

com sede em Piedade do Paraopeba, distrito

de Brumadinho, interior de Minas Gerais, é especialista

na fabricação da legítima cachaça mineira,

que segue uma receita familiar secular. A marca

vem conquistando o mercado com outros produtos

também, como os licores feitos com frutas brasileiras,

como o pequi e a jabuticaba, assim como o

licor de gengibre, canela, vinho tinto, café e mais

recentemente, de laranja. Na linha de cachaças,

entre os destaques está a Cachaça Amarela Domina

Suave. Seu nome significa “Doce Senhora” em latim.

A bebida passa por armazenamento em barris de

Jatobá, madeira nobre brasileira. No olfato, remete à

baunilha e caramelo; no palato novamente baunilha,

canela e rosas. Mais informações: https://armazemarmmont.com.br

.

21


Premium Drink List

Bassi: paranaense de

Santa Mariana, a Cachaça

Bassi tem entre os destaques

da sua linha a versão

Bálsamo, com graduação

alcoólica de 41%. Ela passa

por um ano de envelhecimento

nessa madeira, o

que concede ótima suavidade

e um toque sutil de

anis. Já a versão Bassi

Prata levou passa por um

ano de envelhecimento

em em tonéis de amendoim,

o que também traz

à bebida maior suavidade.

Os produtos podem

ser encontrados em lojas

online especializadas como

a Vô Milano e Cachaçaria

Nacional. Vale mencionar

ainda a Bassi Ouro, que

leva em sua composição

cachaças descansadas em

tonéis de amendoim por

1 ano e envelhecidas em

barris de carvalho (europeu)

por mais 1 ano. O

descanso no amendoim

reduz sua acidez e o carvalho

acrescenta sabores e

aromas amadeirados com

leves notas de baunilha,

No site da empresa ( www.

cachacabassi.com.br ) há

uma loja virtual que facilita

a compra dos produtos.

22


23


In Praesentia

CONVERSA

COM QUEM PRODUZ

Ao longo de 2018 fomos à fonte de rejuvenescimento do destilado brasileiro e trouxemos

destaques que estão impulsionando este ótimo momento do espírito nacional

Quantidade não é tudo, mas é também

um indicador de quem acompanha

o mercado: quantas marcas

você conhece de cachaça? Quantos

produtores há em seu Estado?

Quantos são premiados nacional

e internacionalmente? Sabiam

que muitos atuam como excelentes

destilarias e fabricam gim premium,

bebidas mistas e produtos

que vêm conquistando realmente

o mercado? E a pergunta mais relevante:

das empresas ou rótulos

realmente reconhecidos e desejados

pelos consumidores, quantos

deste você já tem na carta do seu

empreendimento?

Segundo o Instituto Brasileiro da

Cachaça (Ibrac), o Brasil têm hoje

mais de 40 mil produtores de cachaça

que movimentam um mer-

24


In Praesentia

cado de cerca de R$ 7 bilhões por ano. Porém, o próprio setor estima

que apenas 10% desse número corresponda ao número de produtores

legalizados. Já o Censo Agropecuário do IBGE de 2017 traz um número

bem menor, pouco mais de 11 mil produtores, dos quais cerca de

15% são registrados, completando algo perto de 4 mil marcas.

É notória sim a diferença nos números. Mas acompanhando de perto

o mercado, estimamos em mais de 10 mil os produtos presentes no

segmento, já que cada produtor tem em média mais de 10 rótulos

entre licores, bebidas mistas, versões de cachaça pura ou envelhecida

nos mais diferentes barris, edições especiais blendadas entre muitos

outros itens.

E pelo País afora - com exceção de bares especializados (as conhecidas

cachaçarias, que deveriam ou podem virar nossa versão dos “whisky

bars”) - esses produtos ainda não são devidamente explorados e é

incomum encontrar cartas com mais de 10 rótulos ou nas quais a

cachaça seja a estrela na composição dos drinques.

Muitas vezes, proprietários sempre nos trazem a seguinte pergunta:

“mas cachaça vende?”. E quando

abordamos diretamente à mesa, vem

a afirmação: “Não tenho mais na carta,

pois não tem demanda, mas realmente

não conheço muitas marcas”.

Nossa reposta é exemplificada com o

boom do gim, afinal quem diria há 5

anos atrás que esse destilado se tornaria

a estrela de cartas de drinques

no Brasil e no mundo; que o G&T superaria

a nossa tradicional caipirinha

em número de pedidos? Apenas quem

acompanha realmente os movimentos

do mercado nacional e internacional

pôde faturar alto sendo pioneiro

em apostar que isso aconteceria. E

vamos dar a dica: nossa aposta é a

cachaça para os próximos anos.

Respondendo aos questionamentos

acima, cachaça vende e muito bem!

Segundo estimativas da consultoria

Euromonitor International apresentadas

durante a Cachaça Trade Fair,

feira de negócios que por sua vez

surgiu pelo crescimento movimento

e crescimento da bebida, o volume

de litros consumidos da típica bebida

brasileira deve crescer 0,6% em

2018, passando a 523,2 milhões e

movimentando R$ 14 bilhões no mercado

nacional. Já entre 2017 e 2022,

a estimativa é que as vendas do espírito

nacional subam 5,1%, passando

a 546 milhões de litros consumidos.

Isso representa um mercado de R$

15,7 bilhões.

Já no que se refere às exportações,

no ano passado a cachaça movimentou

um mercado avaliado em R$ 10

bilhões. Mais de 60 países, entre eles

grandes consumidores de destilados

como os EUA, Alemanha, França e

Portugal, receberam a produção brasileira.

Foi um crescimento de mais

de 13% em valor e de quase 5% em

volume de bebidas. A maior presença

da bebida nos mercados europeu e os

inúmeros prêmios conquistados, desbancando

concorrentes como uísque,

rum, vodca e outros, vêm ajudando

a popularizar ainda mais o destilado

nacional, ainda que em um ritmo

aquém do que poderia.

Sim, demanda existe. E, convenha-

25


In Praesentia

mos, ela nasce, cresce e se reproduz às vezes exponencialmente,

e quem se antecipa fatura muito mais. E é melhor ser refência,

se atentar e aproveitar a oportunidade em alta, faturando muito

mais, do que se tornar lugar-comum.

“NÃO CONHEÇO

MUITAS MARCAS”

O mundo da gastronomia e da alimentação fora do lar é também um

mercado de grande concorrência. Quanto melhor o serviço na área,

quanto mais diferenciais, maiores as chances de fidelização de clientes.

Apostar no regionalismo, na culinária típica, nos produtos locais,

na sazonalidade, nos produtos exclusivos, tudo isso pode ajudar

a manter bons níveis de ocupação e faturamento. O mercado de

bebidas finas há um bom tempo já valoriza o conceito de Origem,

de Terroir, de Autóctones, isto porque o cliente, o consumidor quer

provar experiências e exclusividades.

Por isso, em todas edições da Carta Premium trazemos um sem-

-número de produtores, cada um com suas particularidades, diferenciais

e histórias. Sim, quem está no mercado de A&B oferece

muito além de um produto, oferece experiências, valor agregado

com histórias e tradições. Nosso intuito é ajudar o mercado de

excelência a se apresentar aos empreendimentos de excelência. E

vamos, claro, aos bons exemplos.

Famosa região vinícola do País, o Sul também agora tem se consagrado

por ter algumas das melhores cachaças brasileiras, muitas premiadas

internacionalmene e exportadas. Você, leitor, profissional de

bar e restaurante, conhece por exemplo a Cachaça do Conde?

Produzida em Orleans, SC, na localidade de Barracão, a Do Conde

já é conhecida em diversas regiões e faz sucesso em feiras e eventos.

Sua história remete aos bons exemplos dessa nova geração

de destilados brasileiros, que une à tradiçao às melhores e mais

modernas técnicas de produção e até estudos científicos.

“Foi em 2014 que se origem nosso um projeto empreendedor. Eu,

juntamente com meu sócio, Clodoaldo de Souza, resolvemos se

qualificar e investir no ramo da cachaça. Após um curso de especialização

realizado em Minas Gerais, voltei para a comunidade

de Barracão, onde resido e coloquei em prática os ensinamentos.

Com uma técnica diferenciada, a empresa que iniciou produzindo

15 mil litros da bebida por ano, atualmente produz cerca de 40 mil

litros e já é produto conhecido pelo Estado, pela sua qualidade e

sabor”, enfatiza o diretor Henrique Perin Orben.

RAIO X: CACHAÇA DO CONDE

Atualmente a empresa conta com 10 hectares de plantação de

cana. A intenção, no entanto, é logo aumentar para 12 e o objetivo

é chegar em 20 hectares. Para dar conta de todo os trabalhos, três

funcionários trabalham na roça no corte da cana e outros três são

responsáveis pelo carregamento, moagem e limpeza. Quem supervisiona

e destila a cachaça é Henrique, já que ele foi qualificado

para a função.

“É uma produção legitimamente artesanal. Nossa técnica é diferenciada

e faz com que o resultado seja mais satisfatório. A cada destilação

é separado a o que chamamos de ‘cabeça’ e ‘calda’, que são

os primeiros e últimos líquidos produzidos. O primeiro é um álcool

26


In Praesentia

praticamente puro e o último

é uma água mais fraca. Utilizamos

somente o coração da

cachaça, pois dessa forma o

resultado é satisfatório e não

causa bafo nem dor de cabeça.

Acaba sendo uma bebida

de melhor qualidade”, explica

o produtor. “A cada 1,2 litros

de caldo da cana colocados no

processo, aproximadamente

de 10 a 12% se transformam

na bebida alcoólica comercializada.

Todos os produtos são

mantidos em armazenamento

por um tempo indeterminado

em pipas ou em barris de madeira,

dividindo-se em cachaça

tradicional, cachaça envelhecida

no carvalho, amburana e

bálsamo”, complementa.

No ano passado, a versão Cachaça

do Conde Bálsamo recebeu

uma Medalha de Prata

no maior concurso do País de

degustação às cegas, o da Expocachaça

2018. “A cachaça

premiada foi produzida no ano

2015 e ficou armazenada nos barris durante

2 anos. O bálsamo é uma madeira

de origem brasileira, indicada para o

envelhecimento de cachaça. Adquirimos

esta madeira como um diferencial e ver

como seria sua aceitação no mercado.

Para nós foi uma conquista, pois estamos

no mercado há apenas 5 anos e já

conseguirmos tal premiação é de grande

importância no setor. Acreditamos que

nossa cachaça conquistou os jurados

por ser de ótima qualidade e por ter um

sabor e aroma da verdadeira cachaça

envelhecida em barril de bálsamo.

Históra: Henrique também aproveita

para comentar um pouco da alma brasileira

e rica tradição da região. “A história

conta que por ocasião do casamento de

‘Suas Altezas Imperiais’, a Princesa Isabel

Cristina Leopoldina Augusta Michaela

Gabriela Rafaela Gonzaga de Bragança

e o Conde d´Eu, ocorrido em 15 de

outubro de 1864, foi determinado pelo

Imperador Dom Pedro II e pela Imperatriz

Teresa Cristina um dote de terras.

É exatamente neste lote que mais tarde

parte se tornou o município de Orleans.

Escolhemos como o nome de nossa cachaça

(Cachaça Do Conde) com grande

respeito a Alteza Real, Conde d’ Eu. Orleans

dispõe de vários pontos turísticos

como museu ao ar livre, esculturas do

paredão e vinícola. É passagem para a

subida da Serra Do Rio Do Rastro e dispõe

de hospedagens a 12 km da nossa

empresa. Estamos abertos a visitações.

odos que desejarem poderão nos visitar

e conhecer todo processo de fabricação.

Pedimos apenas que entrem em contato

para agendar o seu horário”.

Informações completas e mais detalhes

das bebidas premiadas da empresa estão

disponíveis na página da empresa

no Facebook ou podem ser obtidas pelo

telefone (48) 99941-1729 e email cachacariaorben@gmail.com

.

DE SC PARA MG

Fundada por Antônio Claret Sales, em

1993, ou seja, há 25 anos no mercado, a

Cachaça Bocaina é outro bom exemplo

de referência no mercado de destilado

nacional. Também recebeu a Medalha

de Prata neste ano no Concurso de De-

27


In Praesentia

DE MG PARA O ES

A Cachaça Santa Terezinha é outro exemplar

de muito requinte, tradição e primazia. Começou

a ser produzida por imigrantes italianos que

chegaram ao Brasil em 1895 e se instalaram na

região do Vale do Canaã, em Santa teresa, no

ES. “Eles já tinham produzido grapa na região

de Emilia Romanha na comunidade de Codigoro.

Na verdade vieram com a finalidade do plantio

de café. Começaram a produzir aguardente

por volta de 1917, mas o primeiro registro é de

1943. A imagem principal foi feita a partir dos

anos de 1970. A diversidade de sabores e a alta

qualidade adquirida com estes anos de produção

proporcionaram aos consumidores bebidas com

sabor superior”, detalha Adwalter Menegatti atual

produtor e Mestre de Adega.

A destilaria Canto do Sabia onde é produzida a cagustação

às Cegas da Expocachaa 2018. É produzida no

município de Lavras.

“A Cachaça Bocaina preza em sua produção a qualidade

da matéria-prima (cana-de-açúcar), que só é processada

quando atinge o índice de maturação (IM) ideal. A fermentação

é realizada por leveduras selecionadas no próprio

microclima da fábrica e a destilação em alambique de cobre.

Além de se associar a tecnologia ao processo artesanal,

o conhecimento, a dedicação e o carinho na produção

são os ingredientes principais para se obter um produto de

qualidade” afirma Luciane Reis Sales, responsável técnica

e sócia-proprietária. “Nossa história se iniciou de uma forma

simples e se tornou o negócio da família. Além de experiências

anteriores no setor sucroalcooleiro, a inspiração

para a criação da Bocaina foi o movimento de valorização

da cachaça pelo governo de Minas Gerais neste período,

além da paixão por se apreciar uma legítima cachaça mineira

de qualidade”, complementa.

Presente em empreendimentos de referência como

Confidências Mineira (em Tiradentes, MG), Cachaçaria

e Empório do Dedé (em Manaus, AM), Empório

Lidador (Rio de Janeiro, RJ), a empresa tem

na linha as versões Cachaça Bocaina Jequitibá,

Cachaça Bocaina Castanheira e Cachaça Bocaina

Bálsamo, além da versão pura (não envelhecida),

licores e reservas especiais. Entre os destaques

está a Jequitibá, que foi lançamento da empresa

no primeiro semestre do ano.

“A Cachaça Bocaina Jequitibá apresenta graduação

alcoólica de 42%. Descansa por 2 anos em

dornas de jequitibá, madeira neutra que não dá

cor nem sabor amadeirado, conservando suas características

originais, sendo possível sentir o leve

aroma adocicado da cana. Essa bebida, além de

ser uma ótima opção para se apreciar pura, pode-

-se também fazer caipirinha, drinques e também

ser utilizada na culinária, uma vez que ela harmoniza

muito bem com frutas e carnes”, enfatiza

Luciane.

Aos interessados em uma visita para conhecer de

perto todo o valor agregado que cerca a bebida, a

Cachaça Bocaina é considerada pela Prefeitura de

Lavras como ponto turístico da cidade. “Recebemos

visitantes do mundo inteiro para conhecer a

produção e degustar a cachaça direto dos tonéis.

Além da cachaça e dos licores, trabalhamos com

doces, café, queijos e artesanatos produzidos na

região”, finaliza.

Mais informações pelo telefone (35) 3821-6895,

pelo e-mail cachacabocaina@yahoo.com.br e na

página da empresa na web, no endereço www.cachacabocaina.com.br

.

28


In Praesentia

chaça Santa Terezinha e também

a marca Engenhosa fica na cidade

Marechal Floriano, em meio às

montanhas capixabas, a 50 km

de Vitória, região abençoada com

muita floresta da Mata Atlântica,

nativa, uma das poucas ainda bem

preservadas. É cortada pelo Rio

Jucu que abastece a grande Vitória

com sua água limpa e abundante.

A cidade de Marechal Floriano

também é conhecida por suas

orquídeas, sendo reduto mundial

com diversos livros publicados sobre

o assunto.

Atualmente a linha da empresa é

bem abrangente e completa: desde

cachaças puras, envelhecidas,

armazenadas, premium extra premium,

descansadas com especiarias

diferenciadas como bagas de

orquídea e baunilha desidratada,

aguardente de manga, a cachaças

específicas para uso culinário e licores.

Citando apenas a premição do

Concurso às Cegas da Expocachaça

2018, dois produtos da empresa

foram premiados. “Foram duas

de nossas cachaças. Uma delas é

descansada em tonéis novos de

carvalho americano, um símbolo

de sabor que conquistou o mundo

através de seus bourbons, e agora

disponível aos brasileiros. Ela tem

um sabor que nos leva ao chocolate

amargo com baunilha e muita

fruta seca. Foi a maior pontuação

obtida na Expocachaça. A outra

medalha foi para cachaça Série

Artes, feita com leveduras nativas

e há mais de cinquenta anos, produzida

sob o mesmo processo, com

fogo a lenha para produção do calor

do alambique o que proporciona

um sabor e aroma de caldo de

cana fresco. Diria que é a diferença

de uma galinha feita no fogão

à lenha com uma mesma feita no

fogão a gás, sem a tecnologia hoje

muito difundida. Seu paladar é o

mesmo desde a produção inicial.

É ótima para acompanhar a prestigiada

moqueca capixaba, perfeita

com um um socol cortado bem fininho!,

comemora Awalter.

Focado em sempre conquistador

o consumidor com produtos

inovadores, a empresa também

destacou novidades nesse ano:

“Lançamos na Expocachaça o primeiro

produto composto, aguardente

macerado com banana, uma

bebida de sabor único feita com

banana natural sem nenhum tipo

de produto processado. Chama

Salve seu Brother, pois as bananas

são do sítio do Brother na região de

montanhas capixaba”. Além disso,

deverá lançar um gim á base de

destilado etílico de cana.

Para Adwalter, a qualidade é o que

realmente diferencia a Santa Terezinha

e os produtos dessa nova

geração. “A cachaça santa Terezinha

por sua origem e qualidade

se tornou a principal recordação

do Espirito Santo, sendo louvada

em verso e prosa. Hoje prezamos

pela qualidade e não quantidade.

Daí não estarmos à venda em supermercados

e lojas não especializadas.

Queremos ofertar a total

segurança ao consumidor de estar

adquirindo um produto de origem

com características única. Produzimos

lotes que às vezes são de

apenas um barril, com diversidade

de envelhecimento em madeiras”,

finaliza.

Aos apreciadores, a Santa Terezinha

pode ser encontrada em locais

como o charmoso restaurante Soeta,

do chef Pablo Pavon, em Vitória,

bem como no Don Camaleone, Butcher,

Gosto Capixaba, Papaguth,

Atlântica, Cambrone, Aleixo, Boteco

do João, Casa de Bamba, Grapino,

e Doca 183, além do aprazivel

restaurante das montanhas capixabas,

capitaneado pelo chef Duane

Clements, o Quinta dos Manacas.

Também está presente na

Itália, em Firenze, no Restaurante

DaNappino; em São Paulo, no Tordesilhas,

Mocotó, Balaio, dentre

muitos outros; em Porto Alegre nas

cachaçaria especializadas Brix 21,

além do AmoCachaça, de Brasília.

Outras informações e pedidos pelo

telefone (27) 3325-3175, e-mail

entreposto@cachacasantaterezinha.com.br

e no site www.cachacasantaterezinha.com.br

.

29


Acontece

EXPERIÊNCIAS COM CERVEJAS

ESPECIAIS E PREMIADAS

Tendo como palestrante o terceiro melhor sommelier de cerveja do

mundo, segundo workshop da Carta Premium e Prodrinks reuniu

algumas das melhores cervejas do País

2018 foi o ano de inovar e cumprir

nosso papel de aproximar todo o

trade da área de bebidas e gastronomia.

Em outubro, a revista e a

Prodrinks Cursos e Treinamentos,

uma das principais escolas de

formação profissional na área de

bebidas da capital paulista, promoveram

mais um encontro no

formato de workshop para profissinais

de gastronomia (bartenders,

chefs, donos de bar e restaurante,

docentes da área, maîtres, etc.) e a

apreciadores de bebidas premium

e artesanais.

Esses workshops seguem o conceito

de benchmarking (casos de sucesso

e compartilhamento de experiências),

e visam a essa troca de

experiências entre fornecedores,

empreendedores e profissionais da

área de alimentos e bebidas. Os

palestrantes convidados são profissionais

dos mais premiados e

renomados em suas carreiras.

Sob o título de “Cervejas Especiais:

Compartilhando Experiências de

Sucesso”, o workshop reuniu oito

cervejarias multipremiadas e rótulos

que já receberam medalhas nacionais

e internacionais. O palestrante

convidado foi Rodrigo Sawamura,

eleito o terceiro melhor beer sommelier

do mundo no Beer Sommeliers

World Cup, realizado em 2017 em

Munique, na Alemanha.

Após uma ampla exposição teórica

com dica de harmonização, de

estilos, dicas de como escolher o

rótulo certo para a carta de cada

local, cada um dos rótulos presentes

foi apresentado para os quase

50 profissionais presentes, entre

eles, presençass ilustres como

Bruno Campos, professor de coquetelaria

do IGA (Instituto Gastronômico

das Américas) e a sommelière,

consultora e especialista

em charutos e gim Mikaela Paim,

além de blogueiros especializados

no mercado cervejeiro e também

proprietários de empreendimentos

gastronõmicos em São Caetano

do Sul e até Sorocaba.

Veja a seguir detalhes dos rótulos

apresentados no evento e um

pouco mais sobre cada cervejaria

presente.

30


Premium Drink List

Os Destaques do Workshop

Cachaça Água de Arcanjo: sim, a empresa

também esteve presente no evento e foi a escolhida

para fazer um drinque especial de boas-vindas com

cerveja IPA, criado pela bartender Jakeline Merencio,

do bar Rockewells, na capital paulista. Jakeline

recentemente ficou entre os cinco melhores

bartenders do País no II Concurso Rabo de Galo.

A Água de Arcanjo é uma cachaça gaúcha multipremiada

nacional e internacionalmente. Conheça

a linha da empresa no site: www.aguadearcanjo.

com.br .

Synergy: em novembro, a cervejaria deixou de

ser cigana e inaugurou a sua sede em Sorocaba, no

interior paulista, com taproom, espaço kids e parceria

com food trucks. O destaque da empresa no evento

foi a Daily Blonde, uma American Blond Ale, com teor

alcoólico de 5%. Comercializada em latas de 473 ml,

essa cerveja possui uma base maltada e consistente, e

não é pasteurizada. Tem apenas 10 IBU, sendo muito

refrescante e excelente para o dia a dia, principalmente

no verão. Acompanha muito bem frutos do mar,

culinária japonesa e queijos leves e macios, além de

saladas. Mais informações na página da empresa no

Facebook: https://www.facebook.com/pg/synergybeer

31


Premium Drink List

Backer: a cerveja degustada na empresa no workshop da Carta

Premium e Prodrinks foi nada mais nada menos que a recordista de

medalhas da cervejaria: a Bravo. Apenas para listar 2018, ela recebeu

nos últimos meses Medalha de Prata na Categoria no World Beer

Awards; Medalha de Ouro no Mondial de La Bière SP; Medalha de

Bronze no Australian International Beer Awards, e Medalha de Bronze

na a Copa Cervezas de America 2018. É uma Imperial Porter extremamente

complexa e intensa que leva em sua receita maltes tostados,

açúcar mascavo e passa por um período de maturação em madeira

umburana. Robusta e aveludada, ela traz notas amadeiradas, de canela,

melaço e chocolate amargo. Possui 42,5 IBU e 9% de teor alcoólico.

Acompanha muito bem carnes grelhadas, saladas com bacon e

nozes, defumados em geral, linguiça temperada, costela de cordeiro

com capa de ervas, pombo frito com repolho roxo, pêssego assado com

calda de baunilha e sobremesa de chocolate. Informações sobre toda a

linha da empresa no site: http://cervejariabacker.com.br .

Suméria: os presentes puderam

degustar e conhecer a famosa Angry

Nuts, uma India Pale Ale com

Avelã, que remete na prova à baunilha,

chocolate, avelã e caramelo

toffee. Com amargor equilibrado

(59 IBU) e um final seco, essa cerveja

harmoniza perfeitamente com

sobremesas em uma combinação

com chocolates e suas inúmeras

variações, brownie de chocolate

com chantilly. O teor alcoólico é de

apenas 5,9%. Informações e contato

para pedidos no site da empresa,

http://cervejariasumeria.com.

br/novo , e também na página do

Facebook: https://www.facebook.

com/pg/sumeriacervejaria .

32


Premium Drink List

Walfänger: do pólo cervejeiro de Ribeirão Preto, também no

interior paulista, a cervejaria levou para degustação a Doppel

Bock, uma cerveja com forte gosto de malte, doçura leve e

seus atributos ligados aos sabores mais tostados e frescos.

Entre as premiações recebidas pela empresa, essa cerveja foi

considerada Melhor do País na Categoria no World Beer Awards

e recebeu a Medalha de Ouro na Categoria Bock no South

Beer Cup, além da Medalha de Bronze na Copa das Cervejas

da América, no Chile. Sua coloração é um âmbar profundo,

marrom. Esta cerveja da família Lager, é encorpada e bastante

alcoólica, redonda e macia na boca. O lúpulo é bastante sutil,

com traços quase imperceptíveis. Harmoniza com carnes e pratos

mais fortes, trazendo mais complexidade ao conjunto, e seu

teor alcoólico é de 7,9%. Informações completas da linha estão

disponíveis no site: www.walfanger.com.br .

Bragantina: a cerveja degustada

da empresa no evento foi a

Milk Robust Porter Pão de Mel,

uma cerveja escura de corpo aveludado

que traz em seu aroma

e sabor notas de chocolate e de

especiarias usadas na receita do

tradicional e conceituado Pão de

Mel da Chocolatti Nicollati, uma

cafeteria e restaurante boutique

bem tradicional de Bragança,

fundada há quase 30 anos. É

aveludada, de corpo médio alto,

e recebeu neste ano Medalha de

Prata no Festival de Blumenau.

Com amargor de 45 IBU e 6,3%

de teor alcoólico, é uma cerveja

que acompanha mito bem

sobremesas como brigadeiro e

brownies. Informações completas

da linha da empresa em: http://

cervejariabragantina.com.br .

Brotas Beer: os profissionais de bar e restaurantes e os beer sommeliers

presentes no workshop puderam degustar a Brotas Beer Dry Stout, com 4,5% de

teor alcoólico, uma clássica irlandesa, triplamente premiada, que harmoniza bem

com ostras e frutos do mar levemente adocicados, além de pratos apimentados,

carnes de caça, feijoada, embutidos e sobremesas com chocolate amargo. Entre

as premiações recebidas em 2018 por essa cerveja está a Medalha de Prata no

Brussels Beer Challenge 2018 (já havia faturado o Ouro no Brüssel Beer Challenge

2017) e a posição como “Melhor do País na Categoria” no World Beer Awards.

Informações na página http://www.brotasbeer.com.br .

33


Premium Drink List

Daoravida: com sede em Campinas, no

interior paulista, a empresa destacou no

evento uma cerveja que recebeu a premiação

de Melhor do País na Categoria no World Beer

Awards: a {78}. Essa India Back Ale, a qual recentemente

a empresa apresentou uma Coffee

Edition, já havia faturado a Medalha de Prata

no concurso em 2017, além do certificado de

Excelência no Brussels Beer Challenge. Muito

bem encorpada, traz sabores de torrefação,

café e chocolate amargo, com final lupulado.

Acompanha muito bem frutos do mar, sopas

e caldo. Mais informações nas páginas da

empresa no Facebook e t12ambém no Instagram,

além do site http://daoravida.com.br .

Blondine: com sede em Itupeva, no interior

paulista, o destaque da empresa no workshop foi a

cerveja Horny Pig, Medalha de Bronze no Australian

International Beer Awards. Aromática e bem refrescante,

é uma Session IPA, com baixo teor alcoólico

(4,5%), mas com muito lúpulo americano. No aroma,

remete a notas evidentes de maracujá e lichia, sabor

intenso e amargor equilibrado (35 IBU). É uma

cerveja aromática e muito refrescante. Acompanha

muito bem pão de linguiça, queijo gorgonzola, hambúrguer,

comida indiana, comida mexicana, pratos

com bacon, pizza de calabresa e queijo grana padano.

Mais informações: www.blondine.com.br

34


35


Acontece

MORE THAN THE

CAIPIRINHA

Segunda edição do Concurso Rabo de Galo atrai mais de 40

competidores e quase 400 presentes e mostra a força desse que

deverá se tornar o segundo coquetel de patente brasileira reconhecida

Criado com o propósito de promover

a cachaça e sua versatilidade

o originalidade para drinques brasileiros,

além de popularizar ainda

mais aquele que já é considerado o

segundo drinque de patente brasileira,

o II Concurso Nacional Rabo

de Galo uniu competição, mostra

de produtos e disseminação de conhecimentos

em diversas excelentes

palestras.

Medalhas de

Prata e Bronze

no II Concurso

Rabo de Galo

O evento é um projeto idealizado

por duas referências no segmento

da coquetelaria: Derivan Ferreira

de Souza, conhecido como Mestre

Derivan, ex-vice-presidente para

América do Sul da a IBA – Associação

Internacional de Barmen; e o

bartender Daniel Júlio, atual chefe

de bar do Aragon Restaurante, especializado

em Mixologia. Molecular,

Clássica e Brasileira.

COMPETIÇÃO ACIRRADA

Essa 2ª edição do evento contou a

participação de 45 bartenders vindos

de São Paulo, Rio de Janeiro,

Paraná e Rio Grande do Sul, todos

buscando o título “O Melhor Rabo

de Galo do País”.

Com 116 pontos, Paulo Leite, do

Empório Sagarana, sagrou-se o

campeão. “Foi a primeira vez que

participei do concurso. Quando elaborei

este drinque, pensei nas intenções

do campeonato, que é levar

o Rabo de Galo entre os 100 mais

consumidos do mundo. Foi incrível”,

conta Paulo.

Na sua receita vencedora ele utilizou

em seu drinque Cachaça Sebastiana

Duas Barricas, vermute,

licor à base de alcachofra e para

decorar casca de limão e formiga

saúva.

“Fiquei bastante focado na receita

clássica, apenas busquei equilibrar

ao utilizar os aromas cítricos e o

toque de capim cidreira da formiga

saúva”, explica o vencedor.

Já o segundo lugar ficou com Eduardo

Gondim, do Jangada, de São

Paulo, com 114 pontos. O bartender

apresentou o drinque feito com

Cachaça Sebastiana Blend, vermute

com infusão de cacau, aperitivo

de alcachofra com infusão de menta,

tintura de erva mate e para de-

36


Acontece

corar casca de laranja.

Com 113 pontos, o bartender

Rafael Câmara, do Restaurante

Urbana Farmcy, de Porto Alegre,

conquistou o terceiro lugar com

um Rabo de Galo feito com dois

tipos de Cachaça Weber Haus (extra

premium 6 anos e a cachaça

envelhecida em canela sassafrás),

vermute, café gelado (prensado a

frio com 16 horas de maceração)

e bitter de erva mate. Para decorar,

casca de laranja, suporte

de madeira para a taça, grãos de

café orgânico das montanhas do

Espírito Santo, erva mate e lascas

de madeira.

Confira a seguir as receitas completas

com modo de preparo e conheça

mais sobre a cachaça utilizada por

cada um dos três primeiros colocados:

1o.Lugar: Rabo de Galo por

Paulo Leite, do Empório

Sagarana, SP

Ingredientes:

- 60 ml de cachaça Sebastiana

Duas Barricas

- 30 ml de vermute

- 10 ml de licor à base de alcachofra

Guarnição:

- Casca de limão

- Formiga Saúva

Preparo: os ingredientes devem ser

misturados em um mixing glass.

Depois coloque a guarnição para finalizar

o drinque.

Sobre a Sebastiana Duas Barricas:

ela é envelhecida por quatro

anos, passando inicialmente por

24 meses em barril de castanheira

brasileira e depois mais 24 meses

em barril de carvalho americano.

Tem aroma suave e adocicado, com

notas de mel e frutas secas, com

notáveis e elegantes camadas de

caramelo, toffee e baunilha. Entre

as últimas premiações recebidas

está a Medalha de Ouro no Concurso

Cachaça com Ciência. Mais

informações no site www.cachacasebastiana.com.br

.

2º lugar: Rabo de Galo

por Eduardo Gondim, do

Jangada, SP

Ingredientes:

- 75 ml de Cachaça Sebastiana

Blend

- 30 ml de vermute

- 15 ml de aperitivo de alcachofra

com infusão de menta

- 4 lances de tintura de erva-mate

Guarnição:

- Casca de laranja

Preparo: os ingredientes devem ser

misturados em um mixing glass.

Depois coloque a guarnição para

finalizar.

Sobre a Sebastiana Blend: essa

cachaça traz um delicioso blend

com pelo menos 40% de carvalho

americano e o restante Sebastiana

Cristal, o que permite destacar

o sabor único da bebida. É

bem suave e menos amadeirada.

Também foi Medalhista de

Ouro em 2018 no Concurso Cachaça

Com Ciência. Informações

no site www.cachacasebastiana.

com.br .

3º lugar: Rabo de Galo por

Rafael Câmara, do Urbana

Farmcy

Ingredientes

- 60 ml de cachaça Weber Haus

(Extra Premium e Weber Haus Canela

Sassafrás)

- 40 ml de vermute tinto

- 7,5 ml Café gelado, prensado a

frio por 16 horas de maceração

- 4 gotas de bitter de erva mate

Guarnição:

- Para decorar casca de laranja, suporte

de madeira para a taça, grãos

de café orgânico das montanhas do

Espírito Santo, erva mate e lascas

de madeira.

Preparo: os ingredientes devem ser

misturados em um mixing glass.

Depois coloque a guarnição para finalizar

o drinque.

Sobre as cachaças utilizadas:

A Weber Haus Extra Premium 6

anos passa por 5 anos em barris

de carvalho francês e 1 ano em

bálsamo. Entre divresas premiações

recebidas está o 5o. Lugar

entre as 50 Melhores Cachaças

do Brasil na Categoria Ouro no

III Ranking Cúpula da Cachaça.

Ja a Weber Haus Sassafrás

recebeu a Medalha de Prata no

Concurso Mundial de Bruxelas

Edição Brasiol 2018.

37


Acontece

Empresas em destaque no

II CONCURSO RABO DE GALO

Stock: no Brasil desde 1934, é

empresas de referência na área que

conta com uma linha completa e

diversificada de bebidas alcoólicas.

Entre elas estão o gim Seagers, o

mais antigo do País produzido há

mais de 80 anos com a fórmula original

britânica, o aperitivo St. Remy

e os concentrados de frutas da linha

Kally, em 30 diferentes sabores.

Conheça toda a linha no site: http://

www.stockdobrasil.com.br .

Cachaça Pardin:

com assinatura do master

blender Marcelo Pardin, a

cachaça que leva seu sobrenome

tem sede na capital

paulista. a versão 3 madeiras

é um blend das melhores

cachaças armazenadas em

tonéis de carvalho, amburana

e jequitibá, produzida na

cidade de Camanducaia, MG.

Está entre as 30 melhores

cachaças do Brasil segundo o

III Ranking da Cupúla da Cachaça

2018. Confira mais na

página da empresa no Facebook:

https://www.facebook.

com/cachacapardin .

38


39


Premium Drink List

Weber Haus: além de cachaça diversas, das quais três

estão posicionadas entre as 15 melhores do País segundo o

Ranking Cúpula da Cachaa, a empresa produz gins premium.

O seu Dry Gin WH 48, por exemplo, faturou a Medalha de

Ouro Duplo (Grande Ouro) no Concurso Mundial de Bruxelas

Edição Brasil 2018. Informações: www.weberhaus.com.br

Wiba!: também paulista, da cidade

de Torre de Pedra, no interior,

a empresa tem entre os seus destaques

a WIBA! Blend de Carvalhos

Premium, que neste ano recebeu

a Medalha de Ouro no Concurso

Mundial de Bruxelas Edição Brasil

2018. Essa cachaça traz três vezes

mais perceptíveis as notas amadeiradas,

baunilhadas e frutadas.

Combina muito bem com frutas secas,

como abacaxi desidratado, tâmaras,

ameixas e damasco secos.

Mais informações sobre a linha em

www.cachacawiba.com.br .

40


Premium Drink List

Matriarca: de Caravelas, na BA, a

empresa recebeu duas medalhas de Ouro no

disputado Spirits Selection 2018, tanto para a

sua versão Jaqueira quanto para a sua versão

Prata. Também está na lista das 50 melhores

cachaças do País segundo o Ranking da

Cúpula da Cachaça. mais informações: www.

matriarca.com.br .

Tiê: a empresa recebeu diversos prêmios em

2018, entre eles a Medalha no Concurso

Cachaça com Ciência, Medalha de Bronze no San

Francisco World Spirits Competition 2018, dos

EUA, Medalha de Prata no Berlin International

Spirits Competition 2018, da Alemanha, e Medalha

de Ouro no Melbourne International Spirits Competition,

da Austrália. Mais informações sobre a Tiê

no site www.cachacatie.com.br .

Espírito de Minas (Grupo

Natique): produzida artesanalmente

no coração de Minas Gerais com um

cuidado especial com o meio ambiente.

De sabor marcante e suave, essa cachaça

recebeu a Medalha de Ouro no

Concurso Mundial de Bruxelas Edição

Brasil (CMB). Veja mais informações no

site: http://espiritodeminas.com.br .

41


Premium Drink List

Sebastiana: multipremiada

nacional e internacionalmente,

a empresa tem sede em Américo

Brasiliense, no interior paulista,

não muito distante de Ribeirão

Preto. A versão Sebastiana Carvalho

está entre as 5 melhores

cachaças do Brasil segundo o

III Ranking Cúpula da Cachaça.

Toda a linha pode ser adquirida

no site: https://loja.cachacasebastiana.com.br

.

Contini: produto da

Casa di Conti, com sede no

interior paulista, o Contini

está disponível nas versões

Branco, Rosé e Tinto.

É um vermute composto

de raízes, frutas, 52 ervas

aromáticas e vinho branco.

A linha da empresa conta

com bebidas de destaque

como as cervejas 1500, Almada

e Burguesa. Conheça

mais no site: http://casadiconti.com.br

.

Ypióca: entre os destaques da empresa está a versão Cinco Chaves, um

blend criado com cachaças raras e de altíssima qualidade,

que combina aromas diferentes da castanheira, com o mel e o caramelo do carvalho.

Esse rótulo recebu a Medalha de Prata no Spirits Selection 2018, um dos

principais concursos internacionais de destilados.Veja mais sobre a empresa

também na página do Facebook: www.facebook.com/ypiocaoficial .

42


43


Voilá

TOP DRINKS

NOSSAS BOAS DICAS DE VERÃO

Caipirinha de Kiwi

Ingredientes

- 1 kiwi

- 1 limão galego

- 1 dose de cachaça Frazão Prata

- gelo picado

- 1 colher de chá de açúcar

- algumas folhas de hortelã

Preparo: Numa coqueteleira ou

copo de 600 ml você deve colocar

um limão sem casca, previamente

cortado em 4 partes, e o Kiwi também

cortado em pedaços. Coloque

o açúcar e comece a socar.Acrescente

algumas folhinhas de hortelã.

Acrescente também o gelo até a

borda do copo que está utilizando.

O gelo deve estar picado para que

ajude a não deixar a bebida muito

forte. Coloque a cachaça até que o

copo esteja cheio e também açúcar.

Mexa tudo até que misture

bem e sirva em seguida.

Sobre a Frazão Prata: pura, tradicional,

armazenada em dornas

de inox, traz consigo o sabor e

aroma original da cana-de-açucar,

ideal para ser apreciada pura ou

no preparo de drinks, especialmente

a tradicional caipirinha.

Mais informações no site: www.

cachacafrazao.com.br .

44


Voilá

Rabo de galo tradicional

Ingredientes

- 3 doses de Cachaça Âmago da Tradição Prata

- 1 dose de vermute

- casca de limão Taiti (twist) para decorar

Preparo: misturar todos os ingredientes com gelo e coar

para um copo cheio de gelo. Decorar com twist de casca

de limão.

Sobre a Âmago da Tradição Prata: de Palmeiral, região

de Botelhos, MG, a Âmago segue os princípios que regem

a fabricação da pura cachaça de qualidade. A versão

Prata tem teor alcoólico de 40%. Outro destaque da

empresa é a versão premium, criada em comemoração

aos 20 anos da empresa, envelhecida exclusivamente

em tonéis de bálsamo. Informações: www.cachacaamagodatradicao.com.br

.

Canabella Sour

(por bartender Naldo Vieira)

- 1 dose de Canabella Cachaça Prata

- 1 dose de licor Canabella Cravo e Canela

(Canabella Clove & Cinnamon)

- purê de abacaxi

- licor de café

- lima

- clara de ovo

Sobre a Canabella: o alambique da empresa

fica em Paraibuna, SP. Pela alta qualidade

de seus produtos, a empresa conquistou

o paladar internacional, tendo sido

ganhadora de diversos prêmios e concursos

nacionais e internacionais. Contatos:

www.canabella.com.br .

45


Voilá

Mojito com Cachaça

(bar Original)

Ingredientes:

- 50 ml de Cachaça como a Samanaú

Prata

- folhas frescas de hortelã

- 15 ml de suco de limão

- 10 ml de xarope de amêndoas

- 1/2 xícara (120 ml) de club soda

- Gelo

Preparo: Amassar a hortelã e misturar

com o xarope de amêndoas.

Cortar os limões em gomos. Esprema

os gomos e adicione ao preparo

juntamente com o seu suco. Encha

o copo com gelo, adicione a cachaça

e complete com club soda. Mexa

cuidadosamente e use um gomo do

limão para decorar.

(Adaptado da receita original

no Portal Casa Vogue,

link https://casavogue.

globo.com/ )

Sobre a Samanaú: produzida

no Rio Grande do

Norte, essa cachaça está

disponivel em versões envelhecidas,

que passam por

armazenamento em barris

de louro canela e carvalho,

aprimorando a qualidade

sensorial da bebida, e

também a Prata, descansada

em inox. Informações e

pedidos: www.cachacasamanau.com.br

Bombeirinho

(Subastor)

Ingredientes:

- 45 ml de cachaça envelhecida como a Saracura Premium

- 25 ml de suco de laranja

- 15 ml de suco de limão sicíliano

- 20 ml de xarope grenadine

- gelo

- guarnição: zest flambado de laranja e 1 gomo de limão

Tahiti

Preparo: em uma coqueteleira, bata todos os ingredientes

com bastante gelo. Faça uma coagem fina em um copo

Rocks com gelo. Guarneça com zest flambado de laranja e

1 gomo de limão Tahiti.

(adaptado do original do Blok Cocktail para Todos - http://

cocktailparatodos.blogspot.com )

Sobre a Saracura Premium: é elaborada a partir de um

blender especial decorrente de oito anos de envelhecimento

em toneis de carvalho europeu (antigos). Possui graduação

alcoólica de 40%. Apresenta fragrância suave do carvalho

e uma sensação aveludada ao paladar. Informações

completas em www.cachacasaracura.com.br .

46


Caipirinha frozen

Ingredientes

- suco de 3 limões

- 1 dose da Cachaça Patuá Branca

- 4 colheres de açúcar

- 15 pedrinhas de gelo

- Rodelas de limão para decorar

Preparo: bater todos os ingredientes

no liquidificador até obter a consistência

de um creme gelado. Servir

em seguida usando as rodelas de

limão como decoração da Caipirinha

Frozen. Sugestão: maracujá, abacaxi,

morango e mexerica são ótimas

opções de frutas que também podem

ser usadas em Frozen Caipirinhas.

Sobre a Patuá: de Bertim, MG,

a linha de cachaças Patuá após

a destilação descansa em tonéis

de inox por seis meses, o que lhe

confere maciez e padronização

diferenciadas.

A Patuá Branca tem aroma rico

e agradável, resultado de um

complexo número de elementos

encontrados em sua composição.

A Patuá Branca é uma

cachaça marcante e ao mesmo

tempo suave, ideal para confecção

de drinks, caipirinhas

ou para ser degustada em sua

melhor forma: pura. Mais informações:

http://www.cachacapatua.com.br

.

Maracujá Sour

(por bartender Eduardo Furlan)

Ingredientes

- 50 ml de Cachaça Imigrante

- 30 ml de suco de maracujá

- 15 ml de suco de limão

- 1 colher de açúcar

Preparo: adicionar todos os ingredientes

com gelo na coqueteleira e

bater vigorosamente. Coagem dupla.

Sobre a Cachaça Imigrante Ouro:

essa cachaça especial é destilada

em alambiques de cobre e submetida

a matruação em barris de carvalho.

A sede da empresa fica em

Pedras Grandes, SC. Também está

disponível a versão Prata, descansada

por um ano em inox, antes de

estar pronta para o consumo. Mais

informaçoes: http://www.cachacaimigrante.com.br

.

Bandarra Maria Bonita

Ingredientes:

- 1 dose de cachaça Bandarra

- ½ dose de cointreau;

- ½ dose de suco de limão;

- Açúcar e gelo a gosto.

Preparo: bata todos os ingredientes na coqueteleira.

Molhe a borda de uma taça com suco de limão

e passe no sal. Coloque o drinque na taça e sirva

bem gelado.

Dica: diversas outras receitas no site da empresa:

www.bandarra.com.br

47


Voilá

Drinque Mandarin

(bartender Rafael Oliveira @rafafyre)

Ingredientes

- 30 ml de Galeão Prata

- 15 ml xarope de manjericão

- gengibre

- 10 ml licor mandarino

Sobre a Cachaça Galeão Prata: de Ubaí,

MG, é descansada em dornas de inox, e

uma cachaça orgânica, com acidez controlada

e sabor marcante de cana de açúcar.

Outros destaques da linha da empresa:

Galeão Umburana, Galeão Mel e Umburana,

Galeão Gabriela (bebida feita a partir

de cachaça elicor de cravo e canela), Galeão

Rapadura e Galeão Banana (bebida mista

de cachaça e licor de banana). Mais informações

e drinques no site: http://cachacagaleao.com.br

.

Nega Rosa

(bar Pirajá)

Ingredientes

- 50 ml de cachaça Moendão Prata

- 15 ml de licor de melancia

- 5 pedaços de melancia para o

suco

- 15 ml de xarope de gengibre

- 10 ml de suco de limão siciliano

Preparo: macere os pedaços de

melancia com o suco de limão

siciliano e o xarope de gengibre em

uma coqueteleira. Acrescente os

outros ingredientes e bata junto

com os cubos de gelo. Coe e coloque

em um copo longo com gelo

novo.

(adaptado da receita original no

site: https://www.portalgastronomix.com.br

)

Sobre a Moendão:

a Cachaçaria Moendão

produz Cachaças

artesanais de alta

qualidade com envelhecimento

em barris de

carvalho, desde 1890.

Além da versão Prata,

a empresa conta com

ótimas opções para

degustação tanto puras

quanto para elaboração

de diversos drinques:

Cachaça Moendão Ouro

e Cachaças de Frutas

(banana, gengibre, pêssego,

abacaxi, canela,

coco, entre outras).

Informações e vendas:

https://www.moendao.

com.br .

48


49


Grand Première

HARMONIA COM A

EXCELÊNCIA

Espumantes e vinhos brasileiros premiados na França e na Argentina

e os vencedores do Prêmio Queijo Brasil

A chegada do fim de ano, com o

maior consumo e maior índice de

ocupação nas mesas dos bares e

restaurantes, é momento também

de reposição dos itens e de renovação

da carta. Época especial para

oferecer bebidas consagradas e novidades

a fim de aguçar o interesse

e os paladares. E os espumantes

e vinhos estão entre os produtos

mais tradicionais do período, que

abre a alta temporada de verão.

Porém, que critérios usar para

selecionar as melhores opções?

Quais rótulos estão mais em alta?

Quais tiveram mais premiações?

Antes de prosseguir, uma dica: nossa

última edição trouxe como entrevistados

especiais Diego Arrebola e

Paulo Limarque, respectivamente

primeiro e segundo colocados no

Concurso Brasileiro de Sommeliers

2018. Ambos destacaram um

panorama e tendências do mundo

vinícola e dicas de como renovar

a carta. Além disso, trouxemos as

premiações e a lista completa dos

vinhos premiados no Catad’Or, Japan

Wine Challenge, Muscats Du

Monde, Grande Prova de Vinhos do

Brasil, na Avaliação Nacional de

Vinhos, e no o Top10 da ViniBra-

Expo (VBE).

Voltando à nossa atualização das

premiações recebidas... nas últimas

semanas de 2018, dois concursos

internacionais de muita

tradição colocaram à prova excelentes

espumantes e vinhos

brasileiros, que mais uma vez

destacaram a nossa qualidade e

excelência para o mundo.

Essas últimas premiações recebidas

ratificam um saldo muito

positivo para o ano. Segundo

dados da Associação Brasileira

de Enologia (ABE) 2018 começou

bem e termina melhor ainda

para o setor. Avançamos bem no

número de premiações internacionais

recebeidas, graças a uma

excelente safra. Ao todo, por

enquanto, foram 302 medalhas

somente neste ano, um salto de

80% em relação ao ano passado

que registrou 168 distinções. E

o melhor, em países como a Argentina,

Chile, China, Espanha,

França, Inglaterra, Itália e Suíça.

É a terceira melhor performance

já registrada, ficando atrás apenas

de 2014 com 388 e 2016 com

338 distinções.

50


AS ÚLTIMAS PREMIAÇÕES

Uma das mais recentes foi o

Effervescents du Monde, realizado

em Dijon, na França. Em

sua 15a. edição, o evento reúne

anualmente produtores de mais

de 20 países, que concorrem com

mais de 600 rótulos, os quas passam

pelo crivo de mais de 100 experts.

O Brasil recebeu nada menos

que 10 Medalhas, das quais

três de ouro e sete de prata.

Saindo da Europa, e partindo

para as avalições na América do

Sul, o Concurso Internacional de

Vinos y Licores La Mujer Elige,

em sua 22a. edição, trouxe nada

menos que mais 50 medalhas

para o País, entre elas nove de

Ouro Duplo, além de 28 Ouros.

O concurso reuniu 423 amostras

de 17 países.

Entre nossos destaques e bons

exemplos dessas premiações está

a Vinícola Don Affonso, de Caxias

do Sul, no RS. Fundada há

mais de 35 anos, a empresa foca

em vinhos de alta qualidade, obtidos

a partir de vinhedos próprios.

Na linha estão vinhos finos, de

renome e qualidade internacional,

vinhos de mesa que seguem

a tradição dos imigrantes italianos,

sucos de uva e mais recentemente

cervejas artesanais.

No La Mujer Elige, a empresa recebeu

a Medalha de Ouro Duplo

com seu rótulo Don Affonso Distinto

Mistela 2005.

Pensando no final de ano, entre

os destaques da empresa está

o Espumante Don Affonso Brut

Prosecco, de excelentes borbulhas

finas e abundantes, com

espuma e perlage persistentes

e que traz aromas que lembram

flores e frutas de polpa branca

como maçã, pêssego e peras. É

especial para ser servido no happy

hour de maneira informal.

Ele acompanha muito bem petiscos

e canapés de garde manger e

também pode ser apreciado como

base para diversos drinks e coquetéis.

Informações completas sobre a

empresa e a linha no site: https://

donaffonso.com.br .

Já a paranaense Famiglia Zanloreni,

no mercado desde 1942,

recebeu a medalha de Ouro no

Effervescents du Monde com o

seu espumante Lunar Perfetto

Rosé Brut. Com aromas de frutas

vermelhas e um leve toque floral,

esse espumante é criado a partir

do Método Charmat com uvas das

variedades Pinot Noir e Chardonnay.

Possui paladar cremoso, refrescante

e intenso. Fino e delicado,

harmoniza perfeitamente com

canapés, queijos, peixes e crustáceos.

Outro destaque da empresa é oLunar

Perfetto Moscatel Rosé que mal

foi lançado e já recebeu a Medalha

de Prata no La Mujer Elige. “Trata-

-se de um produto que não é comum

de ser encontrado no portfólio

das vinícolas, o que reforça o caráter

de inovação intrínseco à Famiglia

Zanlorenzi”, explica a enóloga

da companhia, Patricia Poggere.

Informações completas sobre a vinícola

estão no site: http://famigliazanlorenzi.com.br

.

FAÇA SUA ESCOLHA

Para ajudar você a escolher as melhores

opções listamos a seguir os

rótulos premiados nestes dois concursos

separados por produtor:

Armando Peterlongo (Peterlongo)

NOSSO DESTAQUE: Armando Teroldego

2016, Medalha de Ouro

Duplo no La Mujer Elige. Esse vinho

traz uma grande expressão

aromática, com aromas que vão

desde as características da casta

como frutas negras maduras, até

notas bem pronunciadas de café e

chocolate, com sutil toque defumado.

Outros recém-premiados da empresa:

- Peterlongo Espumante Brut Prosécco:

Medalha de Ouro no La Mujer

Elige;

- Peterlongo Espumante Extra

51


Grand Première

Brut Privilege: Medalha de Ouro no

La Mujer Elige;

- Peterlongo Espumante Rosé Brut

Presence: Medalha de Ouro no La

Mujer Elige;

- Armando Touriga Nacional 2016:

Medalha de Prata no La Mujer Elige;

Aurora

NOSSO DESTAQUE: Aurora Reserva

Chardonnay 2017, Medalha

de Ouro no La Mujer Elige. Com

aromas frutados equilibrados,

lembrando maçã verde e abacaxi,

acompanha muitos pratos, como

Chilli, burritos, yakissoba (Massa

chinesa), salada grega, bacalhau

com vegetais, salmão e risoto de

frutos do mar.

Outros premiados:

- Brazilian Soul Moscato: Medalha

de Prata no Effervescents du Monde;

- Aurora Espumante Brut Branco:

Medalha de Ouro no La Mujer Elige;

- Aurora Reserva Merlot 2017: Medalha

de Ouro no La Mujer Elige;

- Aurora Espumante Moscatel

Branco: Medalha de Prata no La

Mujer Elige;

- Aurora Pequenas Partilhas Cabernet

Franc 2017: Medalha de

Prata no La Mujer Elige;

Campestre

NOSSO DESTAQUE: Zanotto Espumante

Moscatel 2018, Medalha

de Ouro no La Mujer Elige. Acompanhando

desde desde massas,

carnes e até feijoada, bem como

aperitivos e sobremesas, tem boa

intensidade aromática de frescor,

lembrando flores como margarida

e rosas.

Outros premiados:

- Zanotto Espumante Natural Brut:

Medalha de Prata no Effervescents

du Monde;

- Zanotto Cabernet Sauvignon

2015: Medalha de Ouro no La Mujer

Elige;

- Zanotto Gewürztraminer 2018:

Medalha de Ouro no La Mujer Elige;

- Zanotto Merlot 2015: Medalha de

Ouro no La Mujer Elige;

- Zanotto Rosé Merlot 2018: Medalha

de Ouro no La Mujer Elige;

- Zanotto Tannat 2017: Medalha

de Ouro no La Mujer Elige;

- Zanotto Chardonnay 2018: Medalha

de Prata no La Mujer Elige;

- Zanotto Espumante Brut 2018:

Medalha de Prata no La Mujer Elige;

- Zanotto Pinot Noir 2018: Medalha

de Prata no La Mujer Elige;

Don Affonso

- Don Affonso Distinto Mistela

2005: Medalha de Ouro Duplo no

La Mujer Elige;

Famiglia Zanlorenzi

- Lunar Perfetto Espumante Rosé:

Medalha de Ouro no Effervescents

du Monde;

- Lunar Perfetto Espumante Brut

Rosé 2018: Medalha de Ouro no La

Mujer Elige;

- Lunar Perfetto Espumante Moscatel

2018: Medalha de Ouro no La

Mujer Elige;

- Lunar Perfetto Espumante Moscatel

Rosé 2018: Medalha de Prata

no La Mujer Elige;

Galvão Bueno (Bueno Wines)

- Bueno Cuvée Prestige Espumante

Brut: Medalha de Prata no

Effervescents du Monde. Elaborado

pelo método tradicional francês

Champenoise com as uvas Pinot

Noir e Chardonnay, provenientes

de Garibaldi, RS, combina e acompanha

perfeitamente peixes e frutos

do mar, além de queijos frescos,

como o mineiro artesanal e o

cottage.

Garibaldi

NOSSO DESTAQUE: Garibaldi Espumante

Brut Prosecco, Medalha

de Ouro Duplo no La Mujer Elige e

Medalha de Prata no Effervescents

52


Grand Première

du Monde. Com amarelo palha

com reflexos esverdeados, aspecto

brilhante e ótima formação de

perlage, traz aromas com notas de

pera, marmelo e um toque de lim.

Combina com canapés, saladas,

sopas cremosas, peixes leves, frutos

do mar e queijos.

Outros premiados:

- Garibaldi Espumante Moscatel

Branco: Medalha de Ouro Duplo

no La Mujer Elige;

- Garibaldi Espumante Moscatel

Rosé: Medalha de Ouro Duplo no

La Mujer Elige;

- Garibaldi Espumante Brut Pinot

Noir: Medalha de Ouro no La Mujer

Elige;

- Garibaldi Espumante Chardonnay:

Medalha de Ouro no La Mujer

Elige;

- Vero Espumante Brut Rosé: Medalha

de Ouro no La Mujer Elige;

- Chalet Du Clermont Chardonnay

2018: Medalha de Prata no La Mujer

Elige;

Jolimot

NOSSO DESTAQUE: Jolimont

Moscatel Espumante 2017, Medalha

de Ouro Duplo no La Mujer

Elige. No olfativo, este espumante

traz aromas florais e frutados,

acidez equilibrada e persistente.

Harmoniza muito bem com doces e

sobremesas, poe exemplo, macaroons

de amora.

Outro premiado:

- Récolte Secrète Cabernet Sauvignon

2015: Medalha de Ouro no La

Mujer Elige.

Nova Aliança

NOSSO DESTAQUE: Aliança Espumante

Brut 2018, Medalha de

Ouro no La Mujer Elige. Acompanha

aperitivos leves, frutas, pratos

a base de peixes e carnes brancas.

Tem aromas Aromas com ótima nitidez

e intensidade lembrando frutas

tropicais e amêndoas.

Outros premiados:

- Aliança Espumante Moscatel

2018: Medalha de Ouro no La Mujer

Elige;

- Santa Colina Espumante Moscatel

2018: Medalha de Ouro no La

Mujer Elige;

- Cerro Da Cruz Vinho Fino Chardonnay

2016: Medalha de Prata no

La Mujer Elige;

- Santa Colina Espumante Brut

2018: Medalha de Prata no La Mujer

Elige.

Panizzon

- Panizzon Espumante Moscatel:

Medalha de Ouro no La Mujer Elige.

Com borbulhas finas, intensas

e persistentes, finalizando com

uma ótima coroa, esse espumante

traz no aroma frutas como goiaba,

pêssego, flores silvestres brancas,

maracujá e cítrico. Harmoniza

com carnes brancas, saladas de

frutas, sorvetes e sobremesas.

53


Grand Première

Perini

- Casa Perini Espumante Charmat Brut: Medalha

de Prata no Effervescents du Monde. A vinícola, que

completa 90 anos em 2019, tem entre os destaques há

um bom tempo este espumante que acompanha muito

bem saladas, queijos, peixes, defumados e carnes

brancas. Seus aromas lembram pêra e maçã-verde.

Salton

NOSSO DESTAQUE: Salton Espumante Prosecco,

Medalha de Ouro no Effervescents du Monde, e Medalha

de Prata no La Mujer Elige. Elaborado 100%

com uvas de variedade Prosecco selecionadas nos vinhedos,

seus aromas são frutados, expressando notas

de maçã, pera e cítricos, além de algumas nuances

florais. Em boca, é leve e refrescante, com uma

acidez bem integrada. Acompanha muito bem queijos

de pasta dura, embutidos, massas com molhos condimentados

e carnes vermelhas e de caça.

Outros premiados:

- Salton Ouro Espumante Brut: Medalha de Prata no

Effervescents du Monde;

- Salton Campanha 2016: Medalha de Ouro Duplo no

La Mujer Elige;

- Salton Espumante Brut: Medalha de Ouro Duplo no

La Mujer Elige;

- Salton Espumante Moscatel: Medalha de Ouro no La

Mujer Elige;

- Salton Espumante Rosé Brut: Medalha de Ouro no

La Mujer Elige;

- Séries By Salton Moscatel: Medalha de Ouro no La

Mujer Elige;

- Séries By Salton Rosé Brut: Medalha de Ouro no La

Mujer Elige.

PRÊMIO QUEIJO BRASIL

Falando em opções de excelência, e que - por que

não? - harmonizam muito bem com os rótulos citados

acima, também há poucas semanas foi divulgada a

lista dos vencedores do IV Prêmio Queijo Brasil, maior

concurso nacional do gênero e que indica anualmente

as melhores receitas artesanais. premiação é organizada

pela Comerqueijo, associação que reúne comerciantes

de todo país que se dedicam ao comércio,

exclusivo ou não, de queijos artesanais brasileiros.

A primeira edição foi realizada em 2014 com 136 queijos

inscritos. A segunda edição, em 2016, foram 234 e

na terceira edição, em 2017, foram mais de 363 inscritos

de todo o País representando a micro e pequena

produção artesanal de laticínios. Na edição 2018 um

novo recorde: mais de 470 inscrições.

Ao todo foram 24 jurados, que avaliaram todos os

concorrentes durante dois dias de degustação.

A premiação máxima, o Certificado Super Ouro, foi

para o Queijo do Marajó, da Fazenda São Victor, da

Ilha de Marajó, PA, feito com 100% de leite de búfalas.

Os responsáveis pela produção são deste queijo Tipo

Creme são Cecília e Marcus Pinheiro. A queijaria da

Fazenda São Victor, há 12 anos no mercado, produz

por dia, em média, 80 kg de queijo.

O produto da empresa tem certificação artesanal por

meio do Projeto Desenvolvimento da Cadeia Produtiva

do Queijo do Marajó, projeto conjunto do Sebrae e da

Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará).

Informações e pedidos sobre onde encontra o produ-

Valduga (Casa Valduga, Domno do Brasil, Ponto

Nero)

NOSSO DESTAQUE: Leopoldina Gran Chardonnay

D.O. 2017, Medalha de Ouro Duplo no La Mujer Elige.

Acompanha muito bem massas, carnes brancas,

fondues, queijos médios e fortes. Na boca é volumoso

e potente, revelando todo o seu vigor e caráter devido

ao alto conteúdo natural do álcool em harmonia

com a fina acidez. Na parte retronasal remete todo

seu complexo olfativo de frutas maduras e notas finas

elegantes da madeira. Possui longa persistência.

Outros premiados:

- Ponto Nero Cult Natural Espumante Brut: Medalha

de Ouro no Effervescents du Monde;

- Casa Valduga 130 Espumante Brut: Medalha de

Prata no Effervescents du Monde;

- Casa Valduga Terroir Cabernet Franc 2015: Medalha

de Ouro no La Mujer Elige;

- Casa Valduga 130 Brut Rosé: Medalha de Prata no

La Mujer Elige;

- Casa Valduga Origem Merlot 2017: Medalha de Prata

no La Mujer Elige;

54


Grand Première

to estão disponíveis pelos telefones

(91) 9166-0283/ (91) 9166-0284 .

Confira a abaixo a lista dos produtos

e produtores que receberam a

medalha dourada no Concurso:

Certificados Ouro

- Queijo Do Tino (Adalton Soares

Da Costa)

- Queijo Bom Sucesso (Adilson Cirino

De Carvalho)

- Gorgonzola Dolce, Reblochon,

Lua Cheia e Brie (Airton Gianesi

Da Costa)

- Queijo Serrano (Alessandra Da

Siva Valin)

- Queijo Minas Frescal Malala (Alexandre

Fonseca De Aguiar Martins)

- Robiola Yogurt (Amedeo Mazzocco)

- Valoro Silvania, Serrinha Silvania

e Serrinha Silvania Lavado Na Cerveja

(Camila Almeida Alves)

- Fresconde (Carlos Alberto De

Araújo)

- Queijo Do Cedro - M12 (Dorvalino

Ferreira Campos Junior)

- Camponês (Edson Da Costa Cardoso)

- Mantequeira Da Serra - Manjericão,

Benza, Mantequeira Da Serra,

Queijo Primo e Parmesão De Cabra

(Elvio Rocha De Oliveira Sobrinho)

- Piá (Erico Kolya)

- Queijo Braúnas (Ewerton Sebastião

De Almeida)

- Nozinho (Fábio Henriques De

Barros Pimentel)

- Queijo Rancho 4R (Freire Fregugia

Da Silva Junior)

- Queijo D`Alagoa (Gabriel Valadão)

- Queijo Meia Cura Defumado (Geraldo

Maciel Júnior)

- Della Terra Defumado (Gislene

Tito e Francisco Barros)

- Queijo De Ovelha Maturado 6

Meses e Queijo Parmesão (Gran

Paladare Industria E Comercio

De Lacteos Eireli)

- Horizonte (Henrique De Paula

Eduardo)

- Vale Da Bateia (Humberto

Gontijo De Oliveira)

- Goa 6 Tempos e Queijo Goa

(Jeferson Gifoni Arantes)

- Arupiara (Joaquim Dantas Vilar)

- Queijo Gororos (Joaquim José

Generoso Guerra )

- Queijo Minas Artesanal Canastra

(Johne Santos Castro)

- Queijo Quark (Laticinios Gioia)

- Queijo Mandala 11 Meses,

Queijo Cuestazul e Queijo Cuesta

Reserva 12 Meses (Leiteria E

Laticinios Pardinho Artesanal

Ltda)

- Queijo Tipo Parmesão De Alagoa

(Marcos Vinicius Mendes)

- Kochkäse (Maria Dos Santos

Oeschler)

- Queijo Canastra Marisa (Marisa

De Lima Carvalho)

- Queijo Tipo Boursin (Mateus

Maldanis Ribeiro)

- Minas Frescal (Miguel Eduardo

Britto Aragão)

- Queijo Do Miguel (Miguel Marcelio

De Faria)

- Queijo Do Coronel e Queijo Faixa

Dourada (Osvaldo Martins De

Barros Filho)

- Pingo Do Mula (Extra Maturado)

- Paulo Henrique De Matos

Almeida

- Catauá Longa Maturação

(Queijo Catauá Longa Maturação)

- Tropeiro (Queijo Com Arte)

- Tulha Jovem 6 Meses, Bousan

e Toca Da Figueira (Rosana Aparecida

Alves De Paula)

- Queijo Do Serjao (Sergio De

Paula Alves)

LISTA COMPLETA: Confira no site

Premio Queijo Brasil os vencedores

dos Certificados de Prata e também

dos Certificados de Bronze -

http://premioqueijobrasil.com.br .

55


Grand Première

AS ÚLTIMAS DO ANO

Cerca de 100 empresas medalhistas e quase 300

premiações em 5 grandes concursos!

Nosso levantamento de 2018, contabilizando apenas

5 de últimas grandes premiações do mercado

cervejeiro, é um guia completo de rótulos e cervejarias

que não podem falta na sua lista.

Apenas para começar... Foram nada menos que 24

Medalhas e o segundo lugar como país em número

de premiações, ficando apenas atrás dos EUA: esse

foi o resultado da participação brasileira na edição

2018 do Brüssels Beer Challenge, principal concurso

cervejeiro da Bélgica, referência internacional

tanto em tradição quanto em inovação cervejeira, e

um dos mais importantes do mundo.

56


Grand Première

Entre os destaques das premiadas

está a Cervejaria Bierbaum,

com sede em Treze Tílias, em SC,

que, além de faturar uma Medalha

de Ouro com a sua Bierbaum

Weizenbock, foi condecorada

com o Prêmio de “Revelação

do Continente Americano” (Both

American Revelation) com a sua

Bierbaum Dunkel.

A Bierbaum Dunkel vem acumulando

diversas premiações desde

2012. É uma cerveja escura, de

baixa fermentação, médio teor alcoólico,

do tipo “Schwarzbier”, com

boa formação de creme, sabor levemente

suave do malte torrado que

vai em sua formulação, com equilíbrio

e baixo amargor residual de

lúpulo. É mais escura e mais seca

que a Munich Dunkel, mas é leve e

refrescante com sabor menos torrado

e menos amargo se comparada

aos de estilos mais escuros,

como a Porter ou a Stout. Não é

doce como Malzbier. A Dunkel é

original da região da Bavária, na

Alemanha. Harmoniza muito bem

com carne vermelha, queijo Gruyère,

queijo Gouda, queijo Gorgonzola,

queijo Provolone e chocolate.

Já a Bierbaum Weizenbock, 100%

malte, escura, de alta fermentação

e alto teor alcoólico, acompanha

muito bem comida chinesa, pato,

Goulasch, vitela, carpaccio, carne

grelhada, queijo parmesão, Gruyère,

gorgonzola e chocolate. Ela tem

moderado sabor de trigo (semelhante

a pão) combinado com aroma

intenso de frutas escuras (ameixa,

ameixa-seca, uva-passa ou uva).

Aliás a Bierbaum foi destaque em

outros dois recentes concurso: a

Copa Cerveja POA, sua segunda

edição realizada em Porto Alegre, e

a Copa Cerveja Brasil - Concurso

Nacional das Cervejas Artesanais

Independentes, organizada pela

Abracerva. Na primeira, a Bierbaum

faturou Medalha de Bronze

com o se rótulo Vienna. Já na na

segunda, a empresa foi

considerada a Melhor Microcervejaria

do Ano, com

Medalha de Prata para a

sua Doppelbock, Medalha

de Ouro para sua Dunkel

e também para a sua Doppelbock

Bourbon Wood

Aged, e Medalha de Bronze

para a sua Weizenbock.

Apenas para se ter uma

ideia da concorrência, em

sua priimeira edição a

Copa Cerveja Brasil distribuiu

67 premiações para

36 cervejarias. Foram 590

amostras analisadas por

cerca de 50 juízes. Já a II

Copa da Cerveja POA (Porto

Alegre) contou com quase

1.200 concorrentes, o que

já coloca o concurso entre

os 10 maiores do mundo!

Foram 64 julgadores, dos

quais muitos nomes de expressão

do mercado cervejeiro

mundial, entre eles,

a bióloga Averie Swanson,

Steve Luke (ex-cervejeiro

da Elysian Brewing), Pat

Fahey (juiz do Great American

Beer Festival), Jerry

Gnagy (mestre-cervejeiro

por oito anos na Bluegrass

Brewing) e Megan Garrity

(cervejeira da Grenga

Brewing, de Lima, e juíza

da Copa Cervezera Mitad

del Mundo).

Voltando ainda ao Brüssels

Beer Challenge, talvez

o principal concurso internacional

realizado nas últimas

semanas, podemos

destacar ainda a Brotas

Beer, de SP, que faturou

duas Medalhas no evento,

sendo uma Medalha de

Prata para a sua Dry Stout

e uma Medalha de Bronze

para a sua Schwarzbier.

A Brotas Beer Dry Stout

57


Grand Première

há pouco tempo já tinha conquistado

o título da Melhor do País em

2018 no World Beer Awards. Foi

um o destaque da empresa que

teve degustação orientada pelo

sommelier, docente e consultor

Rodrigo Sawamura no II Workshop

Compartilhando Experiências de

Sucesso, organizado pela Carta

Premium e pela Prodrinks Consultoria

em outubro. Ela traz acentuadas

notas de café e malte torrado

com um leve aroma de chocolate.

De coloração profunda, com reflexos

avermelhados, apresenta uma

espuma marrom bastante densa e

persistente. Harmoniza bem com

ostras e frutos do mar levemente

adocicados, carnes de caça, feijoada,

embutidos e sobremesas com

chocolate amargo. Teor alcoólico

de 4,5% e 13 IBUs.

Já a Schwarzbier da empresa que

também arrematou o título de Melhor

do País na Sua Categoria no

World Beers Awards 2018 tem aromas

maltados de caramelo e chocolate,

traduzidos em um paladar

torrado suave, equilibrado e suculento,

teor alcoólico de 5% e 20

IBUs. Harmoniza bem com pratos

escurecidos terrosos ou picantes,

como paella espanhola ou toda espécie

de embutidos, sanduíches de

presunto ou pastrami, principalmente

os de pão preto.

Check-list de todos

os premiados!

Além desses três concursos citados

acima, também foi realizada recentemente

mais uma edição do festival

Slow Brew, um encontro que

reuniu 74 cervejarias, entre nacionais

e internacionais, 371 rótulos

no total, com 50 lançamentos e 13

produzidos exclusivamente para o

evento. Uma das novidades deste

ano foi a premiação dos melhores

cervejas e cervejarias segundo

a avaliação dos participantes do

evento.

E vale acrescentar também o European

Beer Star, um dos principais

concursos cervejeiros internacionais,

que divulgou em meados de

novembro as premiadas da edição

2018. Seis cervejas do Brasil conquistaram

medalha, sendo duas

de ouro, duas de prata e duas de

bronze.

Para ajudar você a conhecer cada

um dos rótulos brasileiros premiados

nos 4 eventos citados, cruzamos

as informações e listamos a

seguir cada uma das cervejarias

e seus rótulos ‘medalhados’, indicando

também a que Estado pertence

cada uma, a fim de facilitar

sua escolha e ajudar na aposta do

regionalismo:

REGIÃO SUDESTE

3Orelhas (MG)

DESTAQUE: Mares de Minas: Medalha

de Bronze na Copa da Cerveja

POA 2018 e Medalha de Prata na

Copa Cerveja Brasil. Essa IPA, com

7% de teor acoólico, remete ao aroma

de pinho, cítrico, com presença

de limão siciliano e maracujá.

Outras Premiações:

- Eleito o “Melhor Brew Pub” na

Copa Cerveja Brasil;

- Farmhouse Ale: Medalha de

58


59


Grand Première

Bronze na Copa Cerveja

Brasil;

- Bastiana: Medalha de

Bronze na Copa Cerveja

Brasil.

Antuérpia (MG)

DESTAQUE: Nikita Hazelnut

Stuck, Medalha de

Bronze na Copa da Cerveja

POA 2018. Essa Russian

Imperial Stout traz

notas de chocolate amargo,

café, toffee, cacau

e nuts, proporcionados

pela adição de lactose.

Oferece uma complexidade

de sabores que pode

ser traduzida como uma

sobremesa alcoólica.

- Irish: Medalha de Bronze

na Copa da Cerveja

POA 2018

Baden Baden (Heineken

do Brasil, SP)

- Chocolate: Medalha de

Ouro no Brüssels Beer

Challenge 2018

- Red Ale: Medalha de

Ouro no Brüssels Beer

Challenge 2018

- Weiss: Medalha de Ouro

no Brüssels Beer Challenge

2018

- Bock: Medalha de Bronze

no Brüssels Beer Challenge

2018

- Golden: Medalha de

Ouro no European Beer

Star.

Bamberg (SP)

- Altbier: Certificado de

Excelência (Certification

Of Excellence) no Brüssels

Beer Challenge 2018,

Medalha de Ouro no European

Beer Star. Com

amargor de 48 IBU, ela

harmoniza com pratos

apimentados e gordurosos,

carnes vermelhas e

de caça.

Outras premiadas:

- Bamberg Rauchbier:

Medalha de Prata no European

Beer Star.

Bohemia (Grupo Ambev, SP)

- Wee Heavy: Medalha de

Prata no European Beer Star.

Botocudos (MG)

- Nego Drama: Medalha

de Prata na Copa Cerveja

Brasil. Com 75 IBU e

11,5% de teor alcoólico,e

ssa cerveja é uma Russian

Imperial Stout que

é maturada com avelã e

chips de carvalho. Apresenta

notas de chocolate,

café, coco e baunilha.

Brewpoint (ES)

- DESTAQUE: Dunkel,

Medalha de Prata na

Copa Cerveja Brasil. Com

leve sabor tostado, aroma

sutil que remete ao chocolate

e cor cobre acastanhado.

É uma cerveja

para agradar aos amantes

da cerveja escura, puro

malte e para quem quer

descobrir novos sabores.

Ela harmoniza muito bem

com carne assada, gratinados

e fondue.

Outra premiação:

- Weiss: Medalha de Bronze

na Copa Cerveja Brasil

Brotas Beer (SP)

- Dry Stout: Medalha de

Prata no Brüssels Beer

Challenge 2018

- Schwarzbier: Medalha

de Bronze no Brüssels

Beer Challenge 2018

Búzios (RJ)

- Brigitte: Medalha de

Prata na Copa da Cerveja

POA 2018. Ela acompanha

o estilo Witbier ou

Biere Blanche. Trata-se

de uma cerveja de trigo,

de cor bastante clara e

espuma consistente; condimentada

com semente

60


Grand Première

de coentro e com casca de laranja.

Sua característica cítrica, levemente

acida, o corpo médio e o

aroma suave, fazem com que a Búzios

Brigitte combine com verão.

Confrades (MG)

- Strong Bitter: Medalha de Prata

na Copa Cerveja Brasil. Com 6% de

teor alcoólico e 40 de IBU, traz um

sabor bem caramelado que remete

também a castanhas e biscoito.

Dádiva (SP)

DESTAQUE: Sudden Life, Medalha

de Prata na opa Cerveja Brasil. Refrescante

e ideal para acompanhar

pratos mais leves, é uma NE IPA de

5,6% ABV, que pode harmonizar e

pratos como Risoto de Cogumelos

e Açafrão.

- 2xPink Lemonade: Medalha de

Bronze na Copa Cerveja Brasil

- Commonzinha: Medalha de Bronze

na Copa Cerveja Brasil.

Dama Bier (SP)

DESTAQUE: Pilsen, Medalha de Ouro

no Brüssels Beer Challenge 2018.

Harmoniza bem com peixes, mariscos,

saladas, comida japonesa e queijos

como a mussarela de búfala.

- Stout: Medalha de Prata no

Brüssels Beer Challenge 2018

Eisenbahn (Heineken do Brasil, SP)

- Weizenbock: Certificado de Excelência

(Certification Of Excellence)

no Brüssels Beer Challenge 2018

ES - Espírito Santo (ES)

- Belgian Dubbel: Medalha de Ouro

no Brüssels Beer Challenge 2018.

Forte e escura, essa cerveja traz

um teor alcoólico de 7,5%.

Outras premiações:

- Rauchbier: Medalha de Ouro na

Copa Cerveja Brasil; 1a. Colocada

como “Best of Show” na na Copa

Cerveja Brasil

- Oatmeal Stout: Medalha de Bronze

na Copa da Cerveja Brasil

- Russian Imperial Stout: Medalha

de Ouro na Copa Cerveja Brasil

2018

- Belgian Dark Strong Ale: Medalha

de Ouro na Copa Cerveja Brasil

Fathach (MG)

- Irish Red Ale: Medalha de Bronze

no Brüssels Beer Challenge 2018.

É uma cerveja de cor avermelhada

e corpo médio. O lúpulo inglês

combinado com o malte caramelo

levemente tostado traz na boca

uma sensação de equilíbrio com

um leve dulçor e final seco.

Goose Island (Ambev, SP)

- Brewhouse São Paulo: Medalha de

Ouro na Copa da Cerveja POA 2018

Hausen Bier (SP)

- Dunkel: Medalha de Bronze no

Brüssels Beer Challenge 2018. É

uma cerveja de baixa fermentação,

de médio teor alcoólico, encorpada

e escura, levemente lupulada

com espuma densa e final seco. Os

maltes torrados especiais remetem

a caramelo, chocolate e café. Ótima

para harmonizar com presunto

cru, churrasco e feijoada.

Hood Cervejaria (ES)

- Mapa-Mosaic American Pale

Ale: Medalha de Ouro na Copa da

Cerveja POA 2018. É uma cerveja

que acompanha muito bem pratos

como o sushi.

Kingbier (ES)

- King Ipa: Medalha de Prata na

Copa Cerveja Brasil. Essa mesma

cerveja também foi condecorada

61


Grand Première

com Medalha de Ouro no South

Beer Cup 2108.

Loba (MG)

DESTAQUE: Wheatwine, Medalha

de Prata na Copa Cerveja Brasil.

No comeo do ano essa mesma cerveja

já havia recebido a Medalha

de Prata no Concurso Brasileiro da

Cerveja do Festival de Blumenau.

Outra premiada

- Strong Scotch Ale: Medalha de

Bronze na Copa Cerveja Brasil

Mantrap (MG)

DESTAQUE: Eleita a “Melhor Cervejaria

Cigana” na Copa Cerveja

Brasil. Am Mantrap é uma cervejaria

cigana que completou apenas

três anos em 2018.

Outra premiação:

- Red Trap: Medalha de Bronze na

Copa Cerveja Brasil

Mea Culpa (SP)

DESTAQUE: Generosidade, Medalha

de Ouro na Copa Cerveja Brasil.

É uma West Coast IPA feita com

100% de Cryo Hops de Simcoe. De

cor dourada, perfume e aroma citricos,

tem teor alcoólico de 6,8% e

amargor de 60 IBU.

- Caridade: Medalha de Bronze na

Copa Cerveja Brasil

Mundo (SP)

- Black Vermont: Medalha de Bronze

na Copa da Cerveja POA 2018. A

Mundo é uma cervejaria artesanal

da cidade de Itupeva, no interior

paulistP, que produz e também

distribuímos grandes cervejas artesanais

do Brasil.

Noi (RJ)

- Passione: Medalha de Prata no

European Beer Star 2018, Medalha

de Bronze na Copa Cerveja Brasil.

Essa Belgian Strong Ale recém-

-lançada vem embrulhada em papel

especial com 12 declarações de

amor, escolhidas em um concurso

realizado pelas redes sociais da

marca. Envelhecida por dois anos

em barricas de carvalho, a Passione

apresenta intenso aroma frutado

de ameixas secas e uvas passas

e paladar licoroso de vinho xerez.

Tem Os 12% de teor alcoólico.

Outras premiações

- Avena: Medalha de Bronze na

Copa Cerveja Brasil

- Cioccolato Barile: Medalha de

Bronze na Copa Cerveja Brasil

- Noi Diavolo: Medalha de Bronze

no European Beer Star 2018

Non Dvcor Dvco (SP)

- Brown Ale: Medalha de Bronze

na Copa Cerveja Brasil. É perfeita

para se beber em companhia de

pratos de carne, peixe, aves e queijos.

Algumas sobremesas também

podem acompanhar, como torta de

maças e de nozes.

Overhop (RJ)

- Hazy: Medalha de Bronze na

Copa da Cerveja POA 2018. É uma

New England IPA tem perfil aromático

bem frutado e foi o resultado

da combinação de lúpulos utilizados

no final da fervura, aliados a

dois Dry Hoppings e fermento Vermont

Ale.

Quatro Graus (RJ)

- Maple Black Anthrax: Medalha de

Prata no Slow Brew 2018. É uma

versão especial da cerveja da empresa

que levou adição de Maple. A

Black Anthrax é uma cerveja com

um adição extra de baunilha em

favas. Ela é bem forte e tem 16% de

teor alcoólico. Aromas: chocolate,

melaço, baunilha e carvalho que

lembram Bourbon. Paladar: chocolate

amargo, álcool bem inserido

aquecendo apenas ao final.

Three Monkeys Beer (RJ)

- DESTAQUE: I’m Sour: 1o. Lugar

como “Best of Show” na Copa

62


Grand Première

da Cerveja POA 2018; Medalha

de Ouro na Copa da Cerveja POA

2018. Essa cerveja de destaque da

empresa está disponível em duas

versões: com pitaya e goiaba, e

com pitaya e morango.

Outro premiação:

- Considerada a Cervejaria do Ano

na Copa da Cerveja POA 2018

Wäls (MG)

- DESTAQUE: Dubbel, Medalha

de Prata no Brüssels Beer Challenge

2018. É uma cerveja do estilo

Belgian Strong Ale Dubbel,

de aparência castanha escura,

espuma densa e duradoura. Aroma

de frutas secas com notas de

especiarias e maltes especiais.

Harmoniza com carnes vermelhas

gordurosas, carnes de caça e aves

silvestres e sobremesas com toques

de chocolate.

- Session Haze: Medalha de Bronze

no Brüssels Beer Challenge 2018

Zalaz (MG)

- Considerada a “Cervejaria do

Ano” no Slow Brew 2018

REGIÃO SUL

4Árvores (RS)

- Paineira: Medalha de Prata na

Copa da Cerveja POA 2018. Essa

New England Double IPA é uma

cerveja turva, “suculenta”, com

uma explosão de frutas amarelas

no aroma e no sabor e com amargor

equilibrado. Leva um blend de

3 lúpulos usados apenas no final

da fervura e dry hopping.

Além Bier (RS)

DESTAQUE: Muscat saison Brett

Session Beer, Medalha de Ouro na

Copa da Cerveja POA 2018. Essa

cerveja é produzida com mosto de

uvas Moscatel, cultivadas na Serra

Gaúcha.

Outras premiações:

- Tripel Bett: Medalha de Prata na

Copa da Cerveja POA 2018, Medalha

de Bronze na Copa Cerveja

Brasil

- Selvatica Stout: Medalha de

Bronze na Copa da Cerveja POA

2018

- Pilsen: Medalha de Prata na Copa

Cerveja Brasil

- Tripel Framboise: Medalha de

Bronze na Copa Cerveja Brasil

- Dark Sour: Medalha de Prata na

Copa Cerveja Brasil

Al Fero (Cervejaria Nova Trento, SC)

DESTAQUE: Witbier: Medalha de Prata

na Copa Cerveja Brasil. Essa Cerveja já

havia levado o título de “Melhor no seu

Estilo” no World Beer Awards 2018”.

Ela leva na receita limão siciliano e

manjericão. Harmoniza muito bem

com salmão e sushi e pratos com frango

ou carne suína bem condimentados.

Outra premiação:

- Oatmeal Stout: Medalha de

Bronze na Copa Cerveja Brasil

Armada (SC)

DESTAQUE: Daenerys, Medalha

de Prata na Copa da Cerveja POA

2018. É uma catharina sour com

pitaya (dragon fruit) e maracujá,

com 5,2% de teor alcoólico.

Outras premiações:

- Smoke is in the Air: Medalha de

Prata na Copa da Cerveja POA 2018

- Old Strapp: Medalha de Bronze

na Copa da Cerveja POA 2018

Baita Bier (RS)

- English Premium: Medalha de

Ouro na Copa da Cerveja POA

2018. É uma cerveja que harmoniza

com carnes de caça, kebab,

queijo brie, amêndoas, pizza portuguesa

e panna cotta.

Bastards (PR)

- Mark The Shadow: Medalha de

Bronze no Brüssels Beer Challenge

2018. É uma oatmeal Stout com

notas de café e chocolate e teor alcoólico

de 6,5%. Acompanha bem

queijo parmesão e cordeiro.

Bierbaum (SC)

DESTAQUE: Dunkel: “American

Revelation” no Brüssels Beer Challenge

2018 e Medalha de Ouro na

Copa Cerveja Brasil.

Outras premiações

- Eleita a “Melhor MicroCervejaria”

na Copa Cerveja Brasil

- Vienna: Medalha de Bronze na

Copa da Cerveja POA 2018.

- Weizenbock: Medalha de Ouro no

Brüssels Beer Challenge 2018; Medalha

de Bronze na Copa Cerveja

Brasil

- Doppelbock: Medalha de Prata na

Copa Cerveja Brasil

- Doppelbock Bourbon Wood Aged:

Medalha de Ouro na Copa Cerveja

Brasil

Birrifício Frisanco (Dido’s Beer,

SC) - Ricordi: Medalha de Ouro na

Copa da Cerveja POA 2018, Medalha

de Ouro na Copa Cerveja Brasil;

3a. Colocada como “Best of Show”

na na Copa Cerveja Brasil. Essa

cerveja foi desenvolvida em parceria

com o sommelier Douglas Merlo.

63


Grand Première

Blauer Berg (SC)

DESTAQUE: Blond, Medalha

de Prata na Copa Cerveja

Brasil. Com teor alcoólico

de 6,3%, ela traz o sabor

marcante das leveduras belgas

e delicadas notas de tutti

frutti.

Outras premiações:

- Robust Porter: Medalha

de Bronze na Copa Cerveja

Brasil

- Headspace Oak Aged: Medalha

de Bronze na Copa Cerveja Brasil

Bodebrown (PR)

DESTAQUE: Sour Punk (Wild),

Certificado de Excelência (Certification

Of Excellence) no Brüssels

Beer Challenge 2018

Outra premiação:

- Wee Heavy Au Syrah: Medalha de

Bronze no Brüssels Beer Challenge

2018

Cervejaria Portoalegrense (RS)

- Rauchbier: 2o Lugar como “Best

of Show” na Copa da Cerveja POA

2018; Medalha de Ouro na Copa

da Cerveja POA 2018. Essa puro

malte harmoniza muito bem com

provolone, porco, bacon, embutidos,

feijoada, costelinha suína,

frango na brasa, javali, pimentão

recheado, pizza calabresa, salmão

defumado e truta defumada.

Chaos Brew (SC)

- Let’s Put a Smile on Your Face:

Medalha de Prata na Copa da Cerveja

POA 2018. Essa West Coast

Pale Ale, com teor alcoólico de 4,8%

e 30 IBU, leva dry hopping e 11

gramas por litros do lúpulo Mosaic.

Cozalinda (SC)

DESTAQUE: Pedras do Itaguaçu

Framboesa, Medalha de Prata na

Copa da Cerveja POA 2018. Essa

cerveja foi criada para lembrar o

aroma e o sabor da belga Lambic.

A receita é uma das principais do

estilo Sour da empresa.

Outra Premiação:

- Macacada: Medalha de Bronze

na Copa da Cerveja POA 2018

Edelbrau (RS)

- Altbier: Medalha de Ouro na Copa da

Cerveja POA 2018. É produzida com a

levedura do tipo ale, porém com uma

temperatura de fermentação típica de

uma lager, que a deixa mais suave do

que as ales tradicionais.

64


65


Grand Première

Farrapos (RS)

- Guaipeca: Medalha de Prata na

Copa da Cerveja POA 2018. É uma

cerveja puro malte leve, refrescante.

Disponível também na versão

chope: barris retornáveis de 30 e 50

litros e barris descartáveis de 30 l.

Fellas Beer (RS)

- Abbey Ales Good Good: Medalha

de Bronze na Copa da Cerveja POA

2018. Todas as cervejas da empresa

são 100% artesanais, elaboradas

em panelas com puro malte,

lúpulos e fermentos importados

além de água duplamente filtrada.

Fruki (Cervejaria Bellavista, RS)

- Bellavista Witbier: Medalha de

Bronze na Copa da Cerveja POA

2018. Essa cerveja é leve, clara e

turva, com notas cítricas e florais.

Com adição de cascas de bergamota,

limão siciliano, laranja pera

e sementes de coentro, a Witbier

apresenta um amargor leve e sensação

refrescante.

GG Atelier de Cervejas (RS)

- Hop Lager: Medalha de Ouro na

Copa da Cerveja POA 2018. É uma

cerveja bem especiald a empresa

para os dias mais quentes de verão.

Haenschbier (SC)

- DESTAQUE: Session IPA, Medalha

de Prata na Copa Cerveja Brasil.

Entre as haornizações possíveis

para esta ótima cerveja estão

carne vermelha, comida mexicana,

hambúrguer e salmão.

Outra premiada:

- Witbier: Medalha de Bronze na

Copa Cerveja Brasil

Heilige (RS)

- Red Ale: Medalha de Bronze a

Copa da Cerveja POA 2018. De

colorac¸a~o avermelhada e aromas

bem pronunciados que remetem

a caramelo, essa cerveja

tem corpo médio com espuma

cremosa e de boa persistência. No

paladar estão presentes o maltado,

caramelo e até um frutado.

Hettwer Bier (RS)

DESTAQUE: Barley Wine, Medalha

de Ouro na Copa da Cerveja

POA 2018. É bem maltada, remetendo

a notas de frutas secas,

encorpada, maturada em carvalho

e com média carbonatação.

Recomenda-se apreciar lentamente,

deixando esquentar no

copo. Tem teor alcoólico de 9% e

amargor de 50% IBU.

- Pilsen: Medalha de Prata na

Copa da Cerveja POA 2018

Hillneck (RS)

- Imperial Porter: Medalha de Bronze

na Copa Cerveja Brasil. Vale destacar

que essa cerveja também faturou

nesete ano a Medalha de Ouro

na Copa Cervezas de America.

Irmãos Ferraro (RS)

DESTAQUE: Clementina, Medalha

de Bronze na Copa da Cerveja

POA 2018. É uma cerveja

no estilo de bergamota italiana,

uma APA de coloração dourada/

alaranjada, com espuma de boa

formação e média persistência,

com alta drinkability e muito refrescante.

Outra premiada:

- Dark Rat: Medalha de Bronze na

Copa Cerveja Brasil

66


Grand Première

Kairós (SC)

- Lombisome Saison: Medalha de

Prata na Copa da Cerveja POA

2018. É uma cerveja com aroma e

sabor frutado com um leve caráter

maltoso. A cor é dourada clara com

espuma densa que forma na borda

do copo o tradicional rendado

belga. Tem leve amargor e sabor

de lúpulo com caráter condimentado.

A acidez baixa traz refrescância

e a alta carbonatação faz com

que ela tenha uma boa drinkabilidade.

Harmonização: massas ou

sanduiches com atum, camarão,

caranguejo e empanados em geral.

Bolinhos de grão de bico, salames,

salsichas e salmão, também

harmonizam muito bem com esta

cerveja.

Königs (SC)

- Rauchbier: Certificado de Excelência

(Certification Of Excellence)

no Brüssels Beer Challenge 2018.

Essa cerveja harmoniza com alimentos

defumados, carne de porco,

frios, feijoada, além de hambúrguer

gourmet.

La Birra (RS)

- Australian Pale Ale: Medalha de Bronze

na Copa da Cerveja POA 2018. Apresenta

um corpo seco e leve, lúpulo Australiano

acentuado, aromas marcantes florais e

frutados que lembram maracujá e melão.

Leopoldina (Grupo Valduga, RS)

- Imperial Stout: Medalha de Prata na

Copa da Cerveja POA 2018. Essa cerveja

harmoniza muito bem com Sobremesas

diversas, sobretudo aquelas elaboradas

com chocolate. O caráter intenso da cerveja

acompanha perfeitamente doce.

Lohn Bier (SC)

- DESTAQUE: Carvoeira: Medalha de

Ouro no Brüssels Beer Challenge 2018,

Medalha de Bronze na Copa Cerveja Poá.

Essa talvez seja a cerveja da empresa com

maior número de medalhas. São 16 medalhas

em 9 países para essa Russian Imperial

Stout.

Outras premiadas:

- Barley Wine: Medalha de Bronze no

Brüssels Beer Challenge 2018, Medalha

de Prata na Copa Cerveja Brasil;

- Gose: Medalha de Prata na Copa Cerveja

Brasil.

67


Grand Première

Maniacs Brewing (PR)

- Rebellion Kofe: Medalha de Bronze

na Copa Cerveja Brasil. Essa

Russian Imperial Stout leva adição

de café maturado em barris de

bourbon. Tem 13% de teor alcoólico.

Mater (RS)

DESTAQUE: Australian Pale Ale,

Medalha de Prata na Copa da Cerveja

POA 2018. Essa cerveja é muito

aromática, frutada e com notas

que remetem a pêssego. Foi desenvolvida

para ser uma Ale de corpo

e amargor médio, é um produto

que surpreende por ser uma cerveja

“coringa”.

Outra premiação:

- Berliner Weisse: Medalha de

Bronze na Copa da Cerveja POA

2018

Narcose (RS)

- Flips-Flops to Heaven: Medalha

de Bronze na Copa da Cerveja POA

2018. Essa cerveja é uma gose com

caju, feira de forma colaborativa

com a Suricato Ales. Refrescante,

traz o equilíbrio perfeito entre acidez

e salinidade.

Nefasta (On Tap Cervejaria, SC)

- Exilada: Medalha de Prata na

Copa da Cerveja POA 2018. Essa

Vienna também recebeu a Medalha

de Prata no Festival Brasileiro

de Cervejas, em Blumenau.

Pata Negra (PR)

- Drunk Monk: Medalha de Prata

na Copa da Cerveja POA 2018. É

é uma Belgian Dubbel, com 7,2%

ABV e 27 IBU. De coloração marrom

escura, traz notas de frutas

passas, caramelo e leve chocolate

tanto no aroma como no sabor.

Providência (PR)

- JararAPA Pale Ale 2.0: Medalha

de Bronze na Copa Cerveja Brasil.

É uma cerveja de cor dourada,

aromas cítricos e herbais, com sabor

leve e refrescante. Paladar com

presença de lúpulo, malte e centeio

que a deixa mais cremosa. O

teor alcoólico é de 4,8% e amargor

de 35 IBUs.

Roleta Russa (Cervejaria Campo

Bom, RS)

- Easy IPA: Medalha de Bronze na

Copa Cerveja Brasil. Cerveja com

alta drinkability, amargor médio

e baixo teor alcoólico, tem aroma

e sabor cítrico que remetem a

frutas tropicais e amarelas, como

maracujá e mamão papaia.

Salva (RS)

- Weiss Bier: Medalha de Ouro na

Copa da Cerveja POA 2018. Com

notas de cravo e banana, essa cerveja

tem teor acoólicode apenas 5%.

Senhor do Malte (RS)

- Weiss: Medalha de Bronze na

Copa da Cerveja POA 2018.

Salvador Brewing (RS)

- Engesa Oil Brunch Stout: Medalha

de Bronze no Slow Brew 2018.

Lançada no evento, essa cerveja é

uma Imperial Stout com adição de

Café, Maple e Bacon. Teor alcoólico

de 10,5%.

68


Grand Première

Schaf Bier (PR)

- Pilsen: Medalha de Bronze no

Brüssels Beer Challenge 2018;

Medalha de Ouro na Copa Cerveja

Brasil. Do tipo Standard American

Lager, não filtrada, com teor

alcoólico de 4,2%, essa cerveja tem

cor amarela, espuma consistente,

aroma e sabor suaves. É produzida

com maltes selecionados e lúpulos

nobres alemães. Harmonização:

combina bem com carnes,

peixes, mariscos e pratos mais picantes.

O teor alcoólico é de 4,2% ;

e o amargor de apenas 12 IBU.

Schornstein (SC)

- Bock: Medalha de Bronze na

Copa Cerveja Brasil. Cerveja forte

e robusta com 7% de teor alcoólico,

é avermelhada e mostra uma

bela e cremosa espuma de cor castanha

clara. Tem aroma agradável

que combina notas carameladas,

madeira e tostado. Harmoniza

com carnes vermelhas, queijos

gordurosos como cheddar, gruyère

e emental.

Seasons (RS)

- Wallace: Medalha de Prata na

Copa Cerveja Brasil. Essa American

Amber Ale combina muito

bem com carne vermelha, frango

e queijo gouda. Tem 5,8% de teor

alcoólico e 35 IBU.

Traum (RS)

- Pilsen: Medalha de Bronze na

Copa da Cerveja POA 2018. Cerveja

de puro malte de baixa fermentação,

dourada e brilhante,

com espuma de pouca duração. O

aroma remete a cereais e um suave

floral de lúpulo, enquanto no

sabor se destacam notas de malte,

cremosidade e baixo amagor.

Tupiniquim (RS)

DESTAQUE: Manjar Negro, Medalha

de Ouro na Copa Cerveja Brasil.

É uma cerveja que harmoniza

muito bem com carne suína, carne

de panela, bife grelhado, carnes de

caça, provolone, embutidos, chocolates,

brownie, sorvete de creme

e torta alemã, e principalmente

manjar de coco.

Outras premiações:

- Mandala Imperial Stout: Medalha

de Bronze na Copa Cerveja

Brasil

- Logica Absurda: Medalha de

Bronze na Copa Cerveja Brasil

- Coconut IPA: Medalha de Prata

na Copa Cerveja Brasil

- Avelã Frape: Medalha de Bronze

na Copa Cerveja Brasil.

Unika (SC)

- DESTAQUE Australian Juicy:

Medalha de Ouro na Copa da Cerveja

POA 2018. Encorpada e aveludada,

é uma cerveja suculenta,

com amargor curto. Traz nos

aromas mistura de maracujá e do

abacaxi.

Outra premiação:

- Víbora Double IPA: Medalha de

Prata na Copa na Cerveja POA 2018

Urwald (RS)

- DESTAQUE: Helles Bock: Medalha

de Ouro na Copa da Cerveja

POA 2018. Tradicional estilo de

cerveja alemã, tem cerveja de coloração

dourado intenso, aroma e

sabor de malte marcante com leves

notas de tostado.

Outra premiada:

- Altbier: Medalha de Prata na

Copa da Cerveja POA 2018

REGIÃO NORDESTE

5Elementos (CE)

DESTAQUE: Coconut & Pancake

Brunch Stout: Medalha de Ouro

no Slow Brew 2018. Essa Imperial

Stout que leva xarope de maple,

lactose e coco.

Outras premiações:

- Eleita o “Destaque do Slow Brew

2018”

- Coffe & Pancake Brounch Stout:

Medalha de Prata na Copa da Cerveja

POA 2018, Medalha de Bronze

69


Grand Première

no Slow Brew 2018

- Abyssal: Medalha de Prata no Slow Brew 2018

Caatinga Rocks (AL)

- English Serelepe Brasileira: Medalha de Prata

na Copa da Cerveja POA 2018. Do tipo ESB (Extra

Special Bitter), traz aroma e sabor que remete

ao caramelo Toffee e biscoito com notas de malte.

Hop Bros (AL)

- White IPA: Medalha de Prata na Copa da Cerveja

POA 2018. Essa cerveja é bem refrescante

e leva capim santo na receita. Harmoniza muito

bem com pratos como o hambúguer.

Mindubier (BA)

- Minduipa: Medalha de Prata na Copa da Cerveja

POA 2018. Essa cerveja tem perfil aromático

clássico, com inspiração na Escola Americana,

que traz intensa citricidade, com destaque

para as notas tropicais de manga e maracujá. Na

boca o amargor é moderado e crescente. O final

é seco e o retrogosto amargo. Tem teor alcoólico

de 6,5%.

Navegantes (PE)

- Kraken IPA: Medalha de Bronze na Copa Cerveja

Brasil. De perfil intenso cítrico e frutado,

essa cerveja tem um leve sabor maltado. Tem teor alcoólico

de 6,5% e amargor de 53,5%.

REGIÃO CENTRO OESTE

Colombina (GO)

- Romaria: Medalha de Ouro a Copa Cerveja Brasil. Essa

cerveja leva baunilha do Cerrado, que vem de uma orquídea

típica da região e queficam conservadas em calda de

açúcar até o momento de serem acrescentadas na cerveja,

que seggue o estilo Belgian Dark Strong Ale. Traz ainda na

receita a Mutamba, uma fruta também típica do Cerrado.

Cruls (DF)

DESTAQUE: Berliner Weisse Café, Medalha de Ouro na

Copa da Cerveja POA 2018, Medalha de Ouro na Copa Cerveja

Brasil; 2a. Colocada como “Best of Show” na na Copa

Cerveja Brasil. É uma cerveja tradicional de escola alemã,

possui uma acidez lática proveniente do processo de acidificação

do mosto com uso de lactobacilos. No aroma, traz

notas ácidas, cítricas e suave panificação. Serve como ótima

base para drinques ou infusões com frutas e xaropes.

Harmoniza bem com saladas, peixes e frango com tempero

menos agressivo. Complementa pratos que necessitam acidez.

Sobremesas à base de leite e baunilha também.

Outras premiações:

- Weiss: Medalha de Bronze na Copa da Cerveja POA 2018

- American Pale Ale: Medalha de Bronze na Copa Cerveja Brasil

- Berliner Weisse: Medalha de Prata na Copa Cerveja Brasil

- Gose: Medalha de Bronze na Copa Cerveja Brasil;

Kessbier (MT)

- Vitis Saison: Medalha de Prata na Copa Cerveja Brasil.

Com adição de suco de uva e anis estrelado, possui 7%

ABV e 25 IBU.

Metanoia (DF)

- Amortentia Frutas Vermelhas: Medalha de Bronze na

Copa Cerveja Brasil. No estilo Catharina Sour, é uma cerveja

de trigo que traz equilíbrio entre doce e acidez com

uma explosão dos sabores de morango, amora e framboesa.

Micro X (DF)

- Angel Dust: Medalha de Bronze na Copa Cerveja Brasil.

Ela é uma Belgian Double IPA com lúpulo intenso e corpo

médio. No aroma, apresenta notas de levedura belga,

frutas amarelas e floral, possui 70 de IBUs e 9,1% de teor

alcoólico.

Quatro Poderes (DF)

- Pérola do Cerrado: Medalha de Bronze na Copa Cerveja

Brasil. É uma cerveja elaborada com corpo leve e cor dourada.

Possui alto drinkability. O aroma de frutas cítricas

com destaque para o maracujá é resultado de um dry-hop

de lúpulos nobres e complementado pelo Maracujá Pérola

do Cerrado, uma espécie desenvolvida localmente.

70


71


Retrospectiva 2018

A LISTA DOS MELHORES

ESPÍRITOS BRASILEIROS

No início do ano, o III Ranking Cúpula da Cachaça, após

apuração de mais de milhares de rotulos concorrentes, trouxe a

nova relação das 50 melhores cachaças do País

Um concurso que começou em 2017 e terminou só em 2018:

assim foi a terceira edição do Ranking Cúpula da Cachaça,

maior concurso do País na área, bienal, e que no começo do

ano destacou aquelas que são consideradas as melhores do

Pais em sua categoria.

Na primeira fase, em meio a mais de 4.000 rótulos devidamente

registrados, foram escolhidos por voto popular os 250

melhores e preferidos do consumidor. Foram

registrados os votos de mais de 43 mil

pessoas nessa fase.

Já na segunda fase, o grupo das 250 Cachaças

selecionadas anteriormente foi

apurado por mais de 40 especialistas, que

elegeram os 50 melhores rótulos. E na terceira

fase, os “cupulos” (especialistas pertencentes

ao grupo organizador) fizeram a

degsutação as cegas e ranquearam as 50

finalistas.

A reportagem com a lista completa das

melhores cachaças do Brasil você encontra

no Portal da Carta Premium, sob o

título: “VOCÊ CONHECE OU ESTÃO NA

SUA LISTA?”.

E muitas das empresas dessa seleta foram

neste e em outros anos destaques de nossas

reportagens. Só buscar pelo nome em

nosso Portal.

Entre as 50 Melhores do País segundo o III

Ranking Cúpula da Cachaça divulgado em

208 está a Vale Verde que ficou na primeira

posição na Categoria Ouro, com sua versão

12 anos. Fundada em 1985, essa cachaça

mineira por esse tempo excepcional

de envelhecimento em barris de carvalho

europeu. Com teor alcoólico de 40%, é um

produto excelente para

ser degustado puro, mas traz sabor e requiente

aos mais diferentes drinques. Com

equilíbrio perfeito no nariz e boca, destaca-

-se pelo aroma de frutas secas, coco e baunilha,

além das notas de cereja.

Mais informações nas páginas da empresa

no Instagram e Facebook.

72


73


Retrospectiva 2018

REFERÊNCIAS

INTERCONTINENTAIS

Ainda no primeiro trimestre, mais destilados brasileiros

comemoraram novas premiações internacionais

Estamos conquistando o mundo? Esperamos que sim, e a

cada ano mais e mais destilados brasileiros são premiados

em outros continentes.

Em março, destacamos empresas brasileiras que foram premiadas

tanto na Europa e na Ásia, na reportagem sob o título

“NA ALEMANHA E NA CHINA”, que pode ser vista na integra

em nosso Portal.

Entre as empresas premiadas

no Berlin International Spirits

Competition em meio a mais de

300 bebidas inscritas, podemos

destacar a cachaça Tiê que recebeu

a Medalha de Prata com sua

versão Prata. A Tiê Prata não

passa por envelhecimento, sendo

armazenada em dornas de

inox. Límpida, incolor, de brilho

intenso, extremamente adequada

para ser consumida pura ou

em coquetéis, tem sabores doce,

ácido e umami, forte personalidade

e combina perfeitamente

com petiscos, caldos e frutos do

mar.

Já no “Best Value” do China Wine

& Spirits Awards (CWSA) foram

eleitos os melhores produtos segundo

o crivo de cerca de 100

especialistas, entre eles importadores,

distribuidores, varejistas e

sommeliers.

Entre os destaques do evento

estava o Alambique Paratiana,

que faturou duas Medalhas

de Ouro. As premiações foram

para a suas versões Cachaç

Paratiana Ouro, essa envelhecida

de um a dois anos em

barris de carvalho, com 42%

de teor alcoólico, dourada; e

a Mulatinha, uma cachaça desenvolvida

especialmente para

drinques, que não passa por

envelhecimento, e tem teor alcoólico

de 45%.

74


Retrospectiva 2018

75


Retrospectiva 2018

NO MAIOR GUIA VINÍCOLA DA

AMÉRICA DO SUL E NO MUNDIAL

DE BRUXELAS BRASIL

A 20a. edição do Descorchados indicou rótulos brasileiros

de excelência, com pontuação acima de 92

Em 2018, o Guia Descorchados

completou 20 anos, com uma

edição mais do que especial

que foi inclusive traduzida para

o inglês e vendida também nos

EUA, divulgando ainda mais os

vinhos presentes. E o conteúdo

foi ainda mais diferenciado: foram

mais 3 mil vinhos degustados,

vindos de 180 vinícolas

argentinas, 220 chilenas, 30

uruguaias e 39 brasileiras,

distriuídos em mais de mil páginas.

No caso do Brasil, são

avaliados anualmente apenas

os espumantes.

Em abril, destacamos em matéria

no Portal alguns dos rótulos brasileiros

que ficaram com pontuação

acima de 92 pontos na publicação

(Reportagem: “Novos Referenciais

Desejados”).

Entre os destaques, indicamos o

Orus Edição Especial Silvia 1972

Nature Rosé Clair, da vinícola gáucha

Adolfo Lona. Este espumante,

provenientes de uvas tintas das

variedades Merlot e Pinot Noir,

passa por um ciclo de 30 meses

em contato com a levedura e um

envelhecimento de 12 meses. Sutil,

amável, traz aromas cativantes

e sabor marcante.

Na mesma reportagem, indicamos

ainda os vinhos premiados no Concurso

Mundial de Bruxelas Edição

Brasil 2018, entres os quais alguns

rótulos que receberam Medalha de

Ouro Duplo (Grande Ouro).

Entre eles estava o de uma vinícola

do interior de São Paulo, a

Casa Verrone, que recebeu a medalha

duplamente dourada para o

seu Casa Verrone Speciale Syrah.

Com aroma de frutas negras,

principalmente ameixa, mentol e

também chocolate. o corpo médio,

aveludado e de taninos finos,

permite acompanhar bem massas

com molho vermelho, fondue, carnes

vermelhas assadas ou fritas,

muçarela de búfala ou burrata.

76


NO SEGUNDO MAIOR

CONCURSO

MUNDIAL DE

CERVEJAS

o Concurso Brasileiro de Cervejas do

Festival de Blumenau teve muitas boas

supresas na edição 2018

Em maio, em nossa reportagem sob o ´titulo “TÁ DE COPO

CHEIO?” divulgada no portal trouxemos de forma diferenciada

os resultados Concurso Brasileiro de Cervejas do Festival

de Blumenau, o maior evento do gênero na América

Latina e segundo maior do mundo em número de rótulos

participantes.

Na matéria, separamos as cervejas premiadas por Região

do País e também colocamos em ordem alfabética, a fim de

ajudar os empreendimentos gastronômicos a apostar nor

regionalismo e selecionar as melhores opções.

Entre as cervejarias de destaque e que receberam Medalha

de Ouro no evento, indicamos a Pratinha, que faturou essa

premiação dourada com sua Porter, Porteira e Portão. Inspirada

nas “Peanut Butter Porters” americanas, essa cerveja

remete ao sabor de amendoim. Tem teor alcoólico de 7,5%

77


Retrospectiva 2018

QUATRO

CONSAGRAÇÕES LISTADAS

Em junho, apresentamos as premiadas no New York International

Spirits Competition, no San Francisco World Spirits Competition, no

London Spirits Competition e também na Expocachaça

Como selecionar os melhores produtos

brasileiros em meio há tantas

ótimas opções existentes no

mercado?

Acompanhar as premiações recebidas,

sejam elas nacionais ou internacionais,

é sim uma boa dica

para os profissionais da área conhecerem

bons produtos disponíveis

para incrementar a carta do

empreendimento.

Em junho, na reportagem sob o

título “É DO BRASIL!”, disponível

em nosso Portal, pontuamos todas

as bebidas brasileiras que receberam

medalhas em quatro tradiconais

e bem concorridos concursos:

New York International Spirits

Competition (NYISC) e San Francisco

Wolrd Spirits Competition

(SFWSC), ambos dos EUA; London

Spirits Competition (de Londres,

no Reino Unido), e por fim no No

tradicional Concurso de Degustação

às Cegas da Expocachaça.

Entre as medalhistas internacionais

destes concursos, além das

cachaças Tiê, Paratiana e Vale verde,

e dos gins Loki e Kalvelage, vale

destacar a cachaça goana Cambéba,

considerada a “Cachaça Envelhecida

do Ano” (Aged Cachaca

of the Year) no concurso de Nova

York.

Já na Expocachaça, entre as medalhistas

de Ouro podemos citar a

também goiana Cachaça Callida,

que recebeu a condecoração na Categoria

Extra Premium. A Cachaça

Cállida é produzida em um alambique

que guarda a tradição secular

de uma família, aliada a modernidade

de uma estrutura desenvolvida

especificamente para esse fim

e com equipamentos de última geração

quenpermite maior controle

dos processos, garantindo uma bebida

de altíssima qualidade, livre de

substancias nocivas e indesejáveis

ao organismo humano.

78


Retrospectiva 2018

PREMIADAS NA ESTREIA

E NOS EUA

No Mondial de La Bière São Paulo e no World Beer Cup dos EUA

a inovação cervejeira brasileira foi destaque

Logo no início de julho, na reportagem

sob o título “Nota Máxima

nas Provas” atiçamos os desejos

cervejeiros dos nossos leitores,

indicando os rótulos que receberam

medalhas no Mondial de La

Bière São Paulo e no World Beer

Cup dos EUA.

Em sua primeira edição, o

Mondial de La Bière São Paulo

colocou em evidência cerca de

600 rótulos, de 83 cervejarias

presentes. No Mbeer Contest

Brazil, concurso que ocorreu

paralelamente ao evento, foram

136 cervejas inscritas, das

quais 1 foi premiada com Medalha

de Platina e 11 com Medalha

de Ouro.

Entre os destaques, podemos

citar as cervejas Endorphina

e Psicose Espacial, ambas da

mineira Doktor Brau, que receberam

cada uma Medalha de

Ouro. Vale ainda destacar as

medalhas douradas recebidas

pela Half Blind Peach Gose, da

paulista Synergy; pela Bravo,

da também mineira Backer; e

pela Hop Damage, da também

paulista Blondine.

Já entre as medalhas internacionais

recebidas no World Beer

Cup dos EUA podemos indicar

o Bronze recebido pela gaúcha

Brasserie35, com sua ZOZ #3.

A ZOZ é uma linha de cervejas

da emrpesa não pasteurizada,

apresentada em garrafas de 750

ml e 330 ml, disponivel em quatro

sabores com características

bem peculiares e uma sazonal,

que revelará a cada estação do

ano uma novidade através de

suas cores e sabores.

79


Retrospectiva 2018

SELECIONADOS E

RECONHECIDOS

Na edição 2018 do Spirits

Selection, do qual

participaram cerca de 1.300

bebidas de 50 países, brasileiros

também tiveram destaque

Em setembro, na primeira quinzena, reportagem

especial apresentada no Portal sob o título

“Notícia que Vem da Bulgária” no Portal trouxe

os resultados do Spirits Selection 2018.

Considerada um dos maiores e mais prestigiados

concursos mundiais de destilados, etapa

global do Concours Mondial de Bruxelles, a

competição trouxe esse ano uma inovação: além

das medalhas, os jurados também concederam

o troféu de “Revelação” para cinco seletas bebidas,

entre elas, duas brasileiras: a Gouveia

Brasil, eleita como “Revelation Spirits Selection

2018” com a sua versão Gouveia Brasil 44; e a

Cachaça Perfeição, que é produzida por Marcelo

Bonfá, baterista da banda Legião Urbana, que

recebeu o título de “Revelation Organic Spirits

Selection 2018”.

Ao todo, participaram do Spirits Selection 2018

mais mais de 1.300 amostras provindas de 50

países produtores, cujas bebidas passaram pela

avaliação de 78 provadores especialistas, representando

26 nacionalidades.

Entre as medalhistas de Ouro do evento, podemos

citar a paulista Cachaça Catarina Única,

que é produzida pela Destilaria Vitória. Essa

versão passa por armazenamento por dois anos

em barris de carvalho americano de primeiro

uso importados dos EUA. É um produto desenvolvido

como um single barrel, ou seja, cada

garrafa é envasada de um único barril, não havendo

misturas e barris,o que proporciona uma

experiência sensorial incrível e exclusiva.

80


81


PARA A TEMPORADA

O RUM VEM FORTE

82


Etiqueta

Conversamos com Tom Oliveira, finalista nacional do Bacardí

Legacy, que trouxe algumas ótimas dicas de drinques e tendências

para começar 2019 com o pé direito

Revista Carta Premium: Comente

um pouquinho da sua formação na

área.

Bartender Tom Oliveira: Comecei

a trabalhar no bar em 2005, no antigo

Vegas Club, na Rua Augusta.

De lá migrei para outros bares, até

ter um contato direto com a alta

coquetelaria no Alberta#3, com o

Alex Camargo (hoje no Sal Gastronomia)

e a Michelly Rossi (hoje no

Fel, e também uma das finalistas

do Bacardi Legacy). Passei por diversas

casas desde então. Entre

elas, Tex Bar, Lions e Home SP.

Atualmente estou na Casa Quatro

Oito, em Florianópolis. SC.

Revista C.P.: Como vê este momento

da coquetelaria brasileira?

Bartender Tom Oliveira: Minha

visão é que a coquetelaria brasileira

já anda a passos largos comparado

com o tempo em que comecei.

As redes sociais e a troca de

informações entre os profissionais

daqui e do exterior tem ajudado

bastante para essa polarização. Os

workshops e campeonatos também

ajudaram bastante para que o profissional

atrás do bar pudesse buscar

mais informações para assim,

se aperfeiçoar e se colocar de maneira

mais eficaz frente o mercado.

Revista C.P.: Estamos às portas

do verão e da alta temporada, quais

dicas daria para outros profissionais

de bar? Que drinques apostar

neste verão?

Bartender Tom Oliveira: Minhas

dicas para a temporada é: seja

verdadeiro com você mesmo, seus

clientes, o universo que te cerca

e inspira. Ajude sempre os outros

profissionais, principalmente

aqueles que estão começando

e te veem com referência. Esteja

sempre aberto a ouvir e aprender,

pois nunca saberemos o suficiente

sobre nenhum assunto. Para

a temporada, o rum vem forte na

estação. Coquetéis de baixo teor

alcoólico, com notas florais e frutadas

enaltecem a experiência, tanto

para o consumidor habitual quanto

para quem está começando a se

aventurar no universo dos coquetéis.

Dicas de coquetéis leves com

refeições também leves facilitam

bastante na hora de proporcionar

uma experiência gustativa completa.

O próprio Ocho Maneras transmite

esse conceito, assim como um

Daiquiri, Mojito ou Caipirinha. Invista

nos Sours de conceito leve no

geral. Limão e açúcar sempre funcionam

muito bem nessa época do

ano, e o rum mostrou que veio pra

ficar e se estabelecer de vez. Vai

muito além da Cuba Libre.

Revista C.P.: No bar onde atua,

há drinques com cachaça? Acredi-

83


Etiqueta

ta que seja um bom destilado para

passar a se explorar melhor?

Bartender Tom Oliveira: No bar

que resido atualmente, assim

como nas consultorias que realizo,

fazemos um trabalho bastante

sólido perante a cachaça.

Particularmente trabalho com a

cachaça Antonieta, nas madeiras

amburana e jequitibá, que,

além de servirem incrivelmente

de base para os coquetéis, funcionam

muito bem quando degustadas

apenas em pequenos

tragos, com leve resfriamento.

Trabalho também com cachaça

Leblon entre outras brancas,

para caipirinhas e variações de

Cachaça & Tônica, sempre realçando

o floral com a nota de

cana existente. A cachaça merece

sim seu lugar na cadeia de

coquetéis. Espírito 100% nacional,

repleto de história e originalidade.

Já está presente em

muitos bares mundo afora.

Acredito sim na cachaça e acredito

que o profissional brasileiro deva

acreditar também é investir mais na

hora de criar os coquetéis, tanto na

cachaça quanto nos insumos locais.

Quando olhamos para fora, vendo

que o americano tem orgulho do seu

bourbon, como o escocês do seu single

malt, o irlandês do seu irish, o

francês do seus vinhos e licores, o

italiano dos seus vermutes e por que

não o brasileiro da sua cachaça?

Revista C.P.: Como finalista do

Bacardi Legacy, ao que credita o

sucesso e reconhecimento do seu

drinque com os jurados? Que diferencial

optou por buscar?

Bartender Tom Oliveira: Através

do campeonato eu foquei em

trazer a atenção para a ilha ao

qual resido atualmente, tanto da

indústria quanto do consumidor

final. Viso também incentivar

o profissional local a buscar os

mesmos conhecimentos e caminhos,

para que haja engajamento

e crescimento perante toda a

classe local. Meu diferencial é

criar um coquetel simples, com

ingredientes que estão disponíveis

não apenas no Brasil, mas

em todos os lugares do mundo,

84


pois a ideia é que seja um coquetel clássico, fácil

e replicável. Com uma boa história por trás,

que perdure por muitos anos.

Revista C.P.: Comentários finais.

Bartender Tom Oliveira: Gostaria de agradecer

pelo convite e oportunidade, e convido a todos

para juntos colocarmos o Brasil como referência

em serviço e coquetelaria. Que em alguns anos,

mais bares como Frank, Guilhotina e SubAstor

possam listar entre os grandes bares mundiais.

Tem muita gente boa nesse Brasil lindo. Falta

engajamento e atenção a parte da comunidade.

Algo que sempre tive como exemplo e tento repassar

a todos os locais ao qual transito.

Contatos: Facebook e Instagram @gipsycocktails.

Tom também é mixologista consultor da

Soma Coquetelaria: @somacoquetelaria, telefone

(48) 99827-2709.

85


www.revistacartapremium.com.br

Rua Antonio, Vera Cruz, 408

02555-010 - São Paulo SP

Tel.: (11) 97073-4971

contato@revistacartapremium.com.br

Publicidade

comercial@revistacartapremium.com.br

Redação

redacao@revistacartapremium.com.br

Jornalista Responsável

Ederson G. Benedicto

MTB. 0070558SP

Produção Gráfica

Projeto Gráfico e Direção de Arte

Fernando Alves

producao@revistacartapremium.com.br

Primeira publicação especialmente focada

o setor de bebidas premium, especiais,

finas e artesanais. Com tiragem de

10 mil exemplares, chega diretamente

aos principais bares, bistrôs, restaurantes,

hotéis e demais empreendimentos

de A&B de alto padrão do País, tendo

como leitores profissionais de decisão

nesses empreendimentos, entre eles

proprietários, gerentes, chefias de A&B,

maîtres, sommeliers, bartenders, baristas,

mixologistas e demais profissionais.

Acompanhe-nos em nosso portal e nas

mídias sociais:

Sem a participação de todo o trade

(empresas, profissionais, apreciadores e

leitores) mais uma vez essa edição não

seria possível. Fica o nosso

“MUITO OBRIGADO!”

Convidamos a todos para nos honrarem

com comentários e indicações de temas,

empresas e bebidas para as próximas

reportagens:

redacao@revistacartapremium.com.br

86


87


88

More magazines by this user
Similar magazines