Views
5 months ago

PROJETO_DIGITAL_09-01-2018a

O apoio das Prefeituras

O apoio das Prefeituras e das Câmaras, na esfera municipal, assim como do Governo e da Assembleia Legislativa, no âmbito estadual, é fundamental para potencializar resultados socioeconômicos da mineração para as cidades. Como tem sido o diálogo do Sindicato com esses agentes dos poderes Executivo e Legislativo a fim de apoiar as empresas do setor? O diálogo com o poder público é permanente, então estamos sempre conversando com todos os entes públicos de todos os partidos para que a gente possa construir nesse estado a geração da mineração, mostrando a eles a importância deste setor. Os políticos são eleitos pelo povo e fazem as leis, o governo as executa e temos que estar junto com eles na construção e formação dessas leis para que elas possam beneficiar a sociedade e contribuir com o setor para que possamos investir cada vez mais no Pará. Podemos dizer que a história da indústria da mineração no Pará ainda é muito recente. Que análise você faz da trajetória traçada até aqui e, a partir da atuação do setor, qual futuro você vislumbra para o segmento? O futuro da mineração no Pará é brilhante e promissor e precisamos cada vez mais envolver a sociedade para que ela se aproprie dessas informações e venha junto conosco fazer a mineração e o estado dos nossos sonhos. A sociedade precisa conhecer como a mineração está presente no seu dia a dia e esse é um grande desafio do Simineral: mostrar que estamos fazendo uma mineração de forma sustentável e como ela faz parte do desenvolvimento dessa sociedade e das comunidades locais. Já os indivíduos precisam perceber, tomar ciência de que seu celular, seu carro, sua casa, tudo tem mineração. Você acorda vendo mineração e vai dormir com mineração. 22 7º Anuário Mineral do Pará | 2018

A Amazônia tem particularidades sociais, econômicas, ambientais e geográficas que impõem desafios aos empreendimentos instalados aqui. Como a mineração vem superando esses aspectos? Quais diferenciais a mineração praticada aqui adquiriu a partir desse cenário particular? A Amazônia é o bem mais precioso que a natureza nos tem oferecido. Esse é o grande diferencial para as empresas que fazem mineração na região. Para se ter uma ideia, temos na Floresta Nacional de Carajás (no Sudeste do Pará) 400 mil hectares e, desse total, apenas 3% são usados para a mineração, preservando aquela área e mostrando para o Brasil e para o mundo como se faz uma mineração de forma sustentável e responsável. Uma mineração sustentável é um ponto muito cobrado pelas empresas, pelas comunidades, pelo Brasil e pelo mundo. As indústrias de mineração estão cada vez mais atendendo a esse compromisso de trabalhar em harmonia com a sociedade e o meio ambiente? As empresas que fazem mineração aqui, filiadas ao nosso Sindicato, têm a sustentabilidade em sua essência. Tudo isso mostra como a sociedade vem se transformando. Por exemplo: antes não havia legislação ambiental, não havia conselho de meio ambiente; hoje, estes órgãos existem e a sociedade participa e discute o licenciamento para que as empresas possam se instalar. Atualmente, quem não ouvir a sociedade na qual pretende instalar aquele projeto, simplesmente não consegue se instalar. Você precisa ouvir a sociedade, os colaboradores, os fornecedores locais etc. Aqueles exemplos lá atrás, de vilas que eram excludentes da mineração não existem mais e isso já foi um avanço enorme que as empresas vêm demonstrando. Atualmente, os colaboradores de todas as empresas moram nas comunidades locais e aí sentem a dificuldade da educação e com isso, se envolvem com tal escola para que ela possa evoluir. Inclusive já temos colaboradores de várias empresas de mineração que dão aula de forma gratuita e voluntária ou no final de semana vão pintar a escola, também trabalhando para que aquela comunidade possa se tornar melhor. 7º Anuário Mineral do Pará | 2018 23