Views
1 week ago

PROJETO_DIGITAL_09-01-2018a

Mulheres transformam o

Mulheres transformam o cenário da mineração Protagonistas de histórias de desafios e batalhas vencidas, muitas mulheres se destacam no setor mineral do Pará. 72 7º Anuário Mineral do Pará • 2017 Não é de hoje que as mulheres vêm conquistando cada vez mais espaço no mercado de trabalho. Há décadas, elas vêm quebrando paradigmas e atuando em funções que, no passado, eram dominadas apenas por homens. Atualmente, as mulheres alcançam quase 50% das vagas do mercado formal de trabalho, segundo levantamento do Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (Caged) e da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), do Ministério do Trabalho.

Manter um alto desempenho e estar preparada para as oportunidades que a empresa dá, me fez chegar aqui. Kilma Cunha Engenheira No setor da mineração não poderia ser diferente. Elas desempenham vários tipos de atividades, do operacional à chefia. E quem confirma esse dado é Kilma Cunha, gerente de mineração do Projeto Onça Puma, desenvolvido pela Vale em Ourilândia do Norte, sudeste do Pará. Ela é graduada em Engenharia de Minas pela Universidade Federal de Pernambuco e trabalha há 14 anos no ramo da mineração. “Comecei em 2003, quando consegui um estágio curricular para trabalhar no Canico Resource Corporation – Projeto Onça Puma, onde eu tive a oportunidade de aprender sobre mineração desde a pesquisa, implantação, até operação”, diz. A engenheira conta que trabalhou em acampamentos de pesquisa mineral, onde o número de mulheres era pequeno, cerca de cinco pessoas que se dividiam entre a cozinha, serviço de limpeza e estágio. Kilma era a única estagiária para apoiar nas fiscalizações dos serviços de sondagens geotécnicas. Ela foi contratada em 2005, pela Vale, para trabalhar com foco na recuperação das áreas degradadas. Logo após, migrou para a área de planejamento de mina para iniciar os testes de lavra. “Acompanhei o desenvolvimento das operações de lavra e a formação das primeiras pilhas para alimentar a usina. Foi um bom aprendizado entre 2007 e 2010”, afirma. 7º Anuário Mineral do Pará • 2017 73