Views
6 months ago

Revista +Saúde - 10ª Edição

68,

IMPORTÂNCIA DO PILATES NA HÉRNIA DE DISCO Já parou para pensar no quanto usamos nossa coluna? Durante o dia fazemos entre 2.000 e 3.000 movimentos de flexão da coluna. Imagine quantas vezes fazemos o movimento de extensão e o de rotação? Em todas as atividades diárias estamos movimentando nossa coluna, até mesmo enquanto dormimos. ESTRUTURA DA COLUNA CERVICAL É complexa, permitindo a sustentação e a movimentação do corpo sem comprometer a medula espinhal. Pode ser dividida em 4 peças fundamentais: - Vértebras: Ossos que formam a coluna, alinhados um sobre os outros. São flexíveis e firmes. - Discos Intervertebrais: É um disco sinovial, localizado entre as vértebras, e age como um amortecedor. - Ligamentos: Unem as vértebras, e estabilizam a coluna. - Musculatura: Ao redor da coluna vertebral, produz e controla todos os movimentos e sustenta o tronco. HÉRNIA DE DISCO A HÉRNIA DE DISCO É UM PROCESSO DE DESLOCAMENTO DA PARTE INTERNA DO DISCO INTERVERTEBRAL PARA FORA DO SEU LUGAR. É mais comum nas regiões de cervical por apresentar grande mobilidade e da lombar por suportar grande sobrecarga. Os sintomas mais comuns são: - Irradiação; - Formigamento; - Parestesia; - Perda de força muscular; - Dor localizada e irradiada para membros inferiores – quando localizada em região lombar; - Dor localizada e irradiada para membros superiores – quando localizada em região cervical. TRATAMENTOS Conservadores, como o PILATES, são os mais procurados, tendo como objetivo a analgesia, aumento da capacidade funcional, realinhamento da postura, reequilíbrio muscular, reestabelecimento dos espaços intervertebrais e o retardo na progressão da doença. Desta forma os sintomas melhoram, e o indivíduo retorna a prática das atividades diárias. O processo cirúrgico é outra opção para o tratamento, mas ocorre apenas quando não há melhora com o tratamento conservador. IMPORTÂNCIA DO PILATES NA HÉRNIA DE DISCO CONCLUINDO Cerca de 80% da população mundial sofre ou já sofreu com dores na coluna. Desses, de 30% a 40% apresentam o diagnóstico de hérnia ou protrusão discal. Atualmente esses números cresceram, ao observarmos as posturas utilizadas no uso de eletrônicos, em posições inadequadas, aumentando a incidência da doença. Além disso, existem outras causas como os traumas e lesões na região, histórico familiar, permanecer sentado ou em pé por muito tempo, desgastes, sedentarismo, obesidade, transporte de cargas pesadas e má conduta em atividades físicas. Para evitar a hérnia de disco deve-se manter o peso ideal e uma rotina de exercícios. Com a prática do Pilates, o aluno aprende a ter consciência corporal, realiza contração da musculatura estabilizadora de coluna e melhora a postura, evitando uma crise de dor. A prática deve ser contínua para manter a qualidade de vida, sem dor e sem limitação de movimentos. Movimente-se, ter dor na coluna não significa cirurgia. Existe uma variedade de tratamentos não invasivos para ajudar na melhora e o PILATES é um deles. Dra. Tatiana de Paula Fisioterapeuta CREFITO-11/ 146411-F Fisioterapeuta CREFITO-11/146411-F Formação em Pilates; Pós Graduanda em Dermato Funcional. ,69 Rua Joao Manuel de Souza, 881 - Centro - Itumbiara/GO Academia Skema (64) 99976- 4117 (64) 99281- 3080

Revista +Saúde - 2ª Edição
Revista 015 - 10ª Edição
Revista EmDiabetes Edição 16
edicao-86-revista-entre-lagos
Revista literalivre - 7ª edição
Revista Debates em - Associação Brasileira de Psiquiatria
Revista LiteraLivre 9ª edição
Empreenda Revista - Edição Junho
Revista Nutrir - Edição 01 - Conselho Regional de Nutricionistas