Views
10 months ago

Revista Apólice #212

grande evento

grande evento terroristas. A cobertura específica de terrorismo tem algumas particularidades. Em média, o atendimento é feito até 72 horas após o ato para cobrir os danos sofridos por ataques terroristas, envolvendo a parte de remoção de entulho, proteção dos salvados e a estrutura de salvamento (contratação de bombeiros especializados, por exemplo) e a cobertura de danos materiais para o segurado ou terceiros. Nas apólices também está incluída a cobertura para interrupção de negócios, que envolve lucros cessantes. Por enquanto, a aquisição desta cobertura ainda não explodiu, mesmo porque ela representa um custo adicional para as apertadas contas das empresas. “O empresário avalia com muita atenção, porque este é um momento em que as pessoas estão tentando reduzir custos. Os executivos procuram formas de acertar os gastos para encaixar a cobertura no orçamento”, avalia Igrejas, acrescentando que a proximidade do grande evento deve fazer a procura crescer. As contratações devem ficar dentro dos limites da capacidade do mercado brasileiro. Por outro lado, algumas empresas multinacionais já possuem esta cobertura em seu pacote global de seguros. Entretanto, neste caso é necessária uma avaliação da forma como se deve proceder a questão do pagamento de indenizações. “Para o dinheiro chegar ao Brasil, em caso de sinistro, tem a questão dos impostos. Estamos apresentando isso aos nossos clientes e deixando que eles avaliem se devem ou não adquirir uma apólice local”. Alvaro Igrejas, diretor da Riscos ❙❙Corporativos da Willis 26 ❙❙Giuliano Maisto, CEO da AGCS Esta aproximação com os clientes envolve uma conversa com aqueles que tem potencial de risco, porque a exposição será grande. Além da cobertura de terrorismo, as coberturas para tumultos e greves também podem ser mais utilizadas. O Brasil está passando por um momento de transição, de mudança na forma de fazer negócios e de como encarar a exposição aos riscos cotidianos. “Apesar de vivermos em algumas cidades com uma série de situações de insegurança, ainda não se vê a questão do ato de terrorismo. Se formos avaliar, o Brasil com toda a sua diversidade religiosa, é um país bastante tranquilo. Só que agora estamos em um momento em que vamos trazer para o Rio de Janeiro os conflitos do mundo inteiro”, enfatiza Igrejas. Onde o mercado pode investir? Outros produtos do mercado de seguros podem ser mais oferecidos e utilizados pelos cidadãos e empresas que passarão pelo Rio de Janeiro no mês de agosto. Os seguros de engenharia já foram bastante utilizados no momento de preparação da infraestrutura para os jogos. Agora, é a vez das cobertura de Responsabilidade Civil, linhas financeiras e seguros ligados às propriedades. Mas, aqueles que vêm assistir, ainda devem trazer o seguro viagem. Como serão realizados muito eventos paralelos (diversos países criarão suas “casas” para receber turistas, autoridades e atletas), vale se precaver. Giuliano Maisto, CEO da AGCS, uma das resseguradoras da apólice de D&O do Comitê Olímpico, ressalta que nem só os turistas estarão expostos aos riscos. “Os atletas, delegações olímpicas, integrantes do Comitê Olímpico, autoridades que participarão das cerimônias de abertura e encerramento estão expostos. Há também os cerca de 25 mil profissionais de imprensa que vão trabalhar na transmissão, como repórteres, operadores de câmera, por exemplo e os 40 mil voluntários. As forças de segurança devem ultrapassar a marca de 25 mil pessoas. Não podemos esquecer também da própria população da cidade do Rio de Janeiro, que faz parte desse grande público que participa do evento”. A apólice de D&O do Comite Olímpico cobre tanto erros e omissões durante a transmissão dos Jogos Olímpicos quanto dos Paralímpicos. A nossa apólice de D&O cobre o Comitê Olímpico durante ambos os eventos. Importante ressaltar que a AGCS é uma das resseguradoras dessas apólices e não exclusiva”, explica Maisto. As coberturas são as mesmas de todos os contratos de D&O. O objeto do contrato é o mesmo. O que ocorre é que devido à proporção e tamanho de um evento como as Olímpiadas, em que a exposição ao risco é maior do que em situações convencionais, as coberturas acabam sendo maiores para custos de defesa, riscos de reputação etc. Mas trata-se apenas de uma questão de valor de cobertura devido à grandiosidade e exposição internacional de um evento como esse. “Outro ponto importante que podemos destacar é que o mercado segurador local ganhou força e amadureceu para atender às demandas das Olimpíadas. Para fazer parte desse evento e fornecer soluções que atendam às demandas do Comitê Olímpico, a cultura do seguro é uma premissa fundamental”, completa Maisto.

❙❙Estela Pletsch, da Europ Assistance Ciclovia RJ - foto Fernando Frazão - Agência Brasil Movimentos planejados Receber esta quantidade de estrangeiros, sejam turistas, atletas, jornalistas etc, vai requerer um esquema especial também das empresas de assistência 24h. O planejamento envolve desde equipe de atendimento bilíngue até o reforço das equipes de campo. Estela Pletsch, gerente executiva de operações da Europ Assistance explica que a empresa aumentou a quantidade de prestadores de serviços disponíveis. Foram cadastradas mais ambulâncias e hospitais, trabalhando com o posicionamento estratégico de reboques e estabelecendo rotas para os deslocamentos mais difíceis. “Temos que pensar no alinhamento dos prestadores, treinamento e aumento da rede”. Segundo a executiva, a empresa de assistência projeta aumento de 20% dos atendimentos, com a maior demanda partindo dos atendimentos médicos. “Como será um período de férias escolares, o trânsito deve ficar mais tranquilo, mas calculamos aumento da demanda também para o atendimento de automóveis”. Além dos atendimentos para fatos já ocorridos, Estela acredita que haverá bastante trabalho também para o serviço de concierge. Para atender a estes clientes do mundo inteiro que estão vindo para o Brasil, a empresa prepara um roteiro turístico e cultural da cidade sede do evento. A rede médica que atenderá tanto aos turistas como as delegações e atletas de todo o mundo cobertas pela Europ Assistance foi ampliada. Além dos médicos do chamado “homecare” – que vão até o local da ocorrência para prestar o atendimento – serão mais de 40 ambulâncias à disposição dos clientes e 37 hospitais cadastrados no Rio de Janeiro e em cidades que receberão os jogos de futebol. O atendimento saúde é um benefício que traz tranquilidade ao cliente que está fora de seu país de origem. Ele está atrelado a contratos de seguro saúde internacional e seguro viagem internacional e sua contratação é feita nos países de residência, com cobertura para a localidade de destino”, completa. 27

Revista em - Clube Vida em Grupo
Revista Carta Premium - março-abril-maio de 2017
Revista São Francisco - Edição 01
Uma publicação da - Revista Jornauto