Views
7 months ago

Revista Apólice #212

ciab 2016 a BBM constroi

ciab 2016 a BBM constroi e negocia acordos com seguradoras. Apesar de negociado em grupo, é customizado para cada segurado. A venda é feita através de redes sociais e tem parceria com a Ping An na China. É um exemplo de economia compartilhada que já faz parte do presente da população. O Metromile aplica o conceito de seguro “pay as you go”, que calcula o valor mensal do prêmio conforme a quilometragem rodada. 65% do americanos roda menos de 200 milhas/mês, por isso, o slogan da companhia é “Drive less, save more”. O segurado conecta o dispositivo que recebe da seguradora. Este transmite as informações captadas no veículo. O BIMA comercializa microsseguros para a população de baixa renda, especialmente da África e Ásia, onde 97% dos seus clientes ganham menos de USD 10/ dia. Já possuem 15 milhões de clientes, com modelo de parceria com operadoras de celular, bancos/financeiras locais, com modalidade de pagamento 38 diário. Já atende em 13 países onde mais de 80% dos segurados nunca haviam consumido um produto de seguro. Eles formaram mais de três mil agentes para educar a população sobre a necessidade do seguro. O Oscar é uma das fintechs de maior evidencia nos EUA. Ela comercializa apenas online: planos simples e baratos. É um aplicativo intuitivo e simples para buscar na rede referenciada os médicos/ clinicas e agendamento de consultas. Pelo aplicativo é possível também dizer quais são os sintomas e o primeiro atendimento médico é prestado pelo telefone. No Brasil, Rocha citou os exemplos da Thinkseg, que propõe um novo modelo de comercialização ainda com a participação dos corretores de seguros. Outro exemplo, a Youse, se propõe a realizar a venda direta. O futuro pertence às fintechs, que devem ditar o ritmo e a forma de inovação do mercado de seguros. “A integração com a IoT e a exploração do BigData para incrementar a experiência do consumidor e reduzir os riscos são os caminhos prováveis para a evolução do setor”, completou. Angela Beatriz, diretora da BB Seguridade, disse que ainda não há nenhum produto expressivo em mobile para os consumidores de baixa renda, que não são bancarizados. “Se tivermos um modelo de negócios mais adequado, olhando para a subscrição com aparelhos mobile, este público pode ter um produto adequado”, sentenciou. A seguradora terá que ser mais que isso. O modelo disruptivo pode não vir de uma seguradora, mas de uma empresa que investe em conhecer a dor do cliente. A praticidade gera utilização muito grande. “O canal mobile, uma vez acertado, pode mudar de patamar as suas vendas. Ele precisa evoluir bastante a análise dos dados, como uma empresa de seguros que atenda completamente as necessidades do cliente”, concluiu Angela.

evento | nova marca Seguradora quer dobrar de tamanho no Brasil Desde que a Yasuda adquiriu a Marítima, em 2013, as empresas trabalham na integração. Agora, o Grupo assume a marca Sompo Seguros e pretende investir para crescer, no Brasil, pelo menos 20% ao ano, nos próximos cinco anos Kelly Lubiato Mesmo com todos os problemas econômicos e políticos que o País enfrenta, o Brasil continua sendo o foco de empresas estrangeiras que já são fortes em economias estáveis. 1º de julho marcou o início da utilização da marca Sompo Seguros no Brasil. O grupo ocupa o 12º lugar no ranking mundial de seguradoras não-vida, com mais de 20 milhões de clientes ao redor do globo e faturamento de 2.552 bilhões de ienes (cerca de R$ 81 bilhões). O Brasil representa a maior operação da Sompo Seguros fora do Japão. De acordo com Junichi Tanaka, responsável pelas operações na Europa e América do Sul, o plano de negócios global da empresa envolve novos investimentos, em um programa de médio prazo, a operação internacional vai ocupar a parte mais importante das operações da empresa. “Queremos integrar o grupo para ser conhecido mundialmente. A participação das operações internacionais representavam apenas 12% em 2005, e pretendemos aumentar nos próximos 5 anos para 25%”, afirmou Tanaka. O executivo disse que a Sompo Seguros confia no mercado brasileiro e prometeu que fornecerá as soluções de melhor qualidade para propiciar segurança, tranquilidade e saúde para os clientes”, concluiu. O diretor presidente da Sompo Seguros, Francisco Vidigal Filho, disse que a partir de agora são todos uma nova empresa. Ele destacou que a Sompo, no Japão é a primeira seguradora de não-vida, com uma quantidade de veículos segurados maior que toda a frota brasileira. “A empresa busca ampliar sua atuação em países emergentes, como Brasil, Cingapura e Turquia. “Estamos construindo de maneira sólida e responsável a nova marca da empresa”, disse Kiko, como é conhecido no setor. A meta para o Brasil é ter crescimento de 20% ao ano, chegando a 2020 com o dobro do tamanho. “Queremos chegar a R$ 7 bilhões em prêmios de seguro, em 2020. Kiko pontuou que este processo de crescimento ainda passa por alguns problemas, entretanto, o projeto de curto ❙❙Francisco Caiuby Vidigal Filho apresenta a marca Sompo prazo é ter a operação 100% alinhada, oferecendo segurança ao corretores e sem os problemas pontuais. A Sompo deve começar uma campanha de mídia em setembro para divulgar a marca. “Vamos percorrer o Brasil inteiro para mostrar quem é a Sompo e qual é a estratégia para o Brasil. É uma campanha que vai englobar TV, rádio, revistas e mídias sociais”, explicou. Finalizando, Kiko adiantou que a companhia pretende lançar novos produtos para nichos, como escritórios, petshops e caminhoneiros. Além disso, a linha Supremo deve expandir sua carteira também para vida, saúde e residência. 39