13.11.2018 Views

L+D 71

Edição: novembro| dezembro de 2018

Edição: novembro| dezembro de 2018

SHOW MORE
SHOW LESS

Create successful ePaper yourself

Turn your PDF publications into a flip-book with our unique Google optimized e-Paper software.

Elif Simge Fettahoglu<br />

Elif Simge Fettahoglu<br />

Saverio Lombardi Vallauri<br />

Omer Kanipak<br />

¿QUÉ PASA?<br />

DE ONDE VOCÊ É?<br />

Em resposta ao tema “Emotional States” (estados emocionais),<br />

proposto pela London Design Biennale 2018, que foi<br />

realizada durante o último mês de setembro, os arquitetos do<br />

escritório turco Tabanlıoğlu Architects (TA_) representaram seu<br />

país no evento londrino com a instigante instalação housEmotion,<br />

acompanhada da seguinte indagação: “Ela se parece com uma<br />

casa, mas pode ser considerada um lar?”.<br />

A forma do pavilhão baseia-se na mais elementar ideia de<br />

uma residência: um cubo, construído por meio de uma série de<br />

hastes brancas que delimitam o espaço. As lacunas entre esses<br />

tubos conferem certa transparência à estrutura, atraindo os<br />

visitantes e, ao mesmo tempo, permitindo que a construção se<br />

dissolva no local no qual se insere, o pátio da Somerset House –<br />

um palácio neoclássico do século XVIII, transformado em centro<br />

cultural e sede da Biennale. No centro da “casa”, foi colocado um<br />

divã, que acolhe e convida os visitantes a permanecer no espaço<br />

e relaxar, como o “colo de uma mãe”, segundo os arquitetos.<br />

Por meio das diferentes alturas das hastes, o espaço interior<br />

do cubo tem a forma de uma casa em negativo, cuja volumetria<br />

é evidenciada à noite, quando as dezenas de luzes pontuais<br />

integradas a esses elementos acendem, transformando a<br />

instalação em uma lanterna brilhante – ou talvez em um coração<br />

caloroso, como sugerem seus criadores.<br />

Com a instalação, a equipe do TA_ buscou explorar o<br />

significado emocional de um lar, especialmente em uma era<br />

marcada pela crescente transitoriedade. Para os arquitetos, o<br />

significado de “lar”, para cada indivíduo, é bastante variável nos<br />

tempos atuais, o que permite as mais diversas interpretações<br />

do sentimento de pertencimento, que deixa de estar vinculado<br />

somente ao âmbito da casa. (D.T.)<br />

28 29

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!